consciência búdica ou “cristo”

Сomentários

Transcrição

consciência búdica ou “cristo”
CONSCIÊNCIA BÚDICA OU “CRISTO”
É difícil para os seres humanos compreenderem o que é a Consciência
Búdica usando os atributos do cérebro físico, só tendo uma idéia do que é a
Consciência Superior vislumbra-se sua grandeza.
Como em todos os planos de manifestação, no Búdico há sete níveis de
caminhada.
O senso de Unidade, de União, é característico deste plano, onde todas
as limitações começam realmente a cair e o Ser passa a perceber que tudo
está dentro da sua própria Consciência e que toda a Humanidade é uma só,
uma grande Fraternidade, pois é “sustentada” pelo Espírito UNO.
Assim como o elemento predominante do Corpo Causal é o
conhecimento que levará à Sabedoria definitiva, os elementos principais da
Consciência Búdica são a Beatitude e o Amor sendo por isso conhecida
como invólucro beatífico.
São Paulo referiu-se a essa Consciência como “a casa eterna nos céus
que não é construída com as mãos” e disse também que a caridade, o puro
amor está acima de todas as virtudes porque é o material do qual o homem
constrói a “sua morada”.
No plano Búdico o egoísmo está excluído, no seu mais alto nível o
homem sente-se realmente, UM a Humanidade.
O corpo astral é um reflexo do Corpo Búdico.
O Corpo Búdico atua no homem através do corpo astral que nada mais
é do que o “depósito” das emoções.
A Consciência Búdica leva o homem a se harmonizar com os Mestres
que, em função do Seu Grande Amor não excluem nem os viciosos, são
sabedores de que o impuro também é parte Deles.
A Intuição do Corpo Causal identifica o interior e a do Búdico
reconhece o interior. Um Ego olha o outro Ego, um Buddhi vive dentro do
outro Buddhi.
Blavatski diz: “Buddhi é a capacidade de percepção, o canal através do
qual o conhecimento Divino chega ao Ego, o discernimento do bem e do mal,
bem como a Divina Consciência e a alma espiritual que é o veículo de Atma”.
No corpo físico, o prana amarelo que entra no coração representa o
princípio de Buddhi.
Neste plano, os registros akáshicos não mais existem, já estão abertos
para esta Consciência.
O corpo Búdhico é uma só Consciência para todos os planetas do
nosso Sistema Solar, e um Ser Búdico pode escolher realizar Seu trabalho
em qualquer um destes planetas. (Vide 2a Fase de Cursos – Iniciações)
1
O completo desenvolvimento Búdhico pertence à Iniciação de Arhat.
Buddhi no homem é a Razão pura que é o aspecto Sabedoria, o Cristo
no homem, ou melhor, o EGO no homem. É o canal de percepção através do
qual o Conhecimento Divino chega ao EGO, o discernimento do bem e do
mal, bem como a Divina Consciência, por isto é conhecido como o
Discernimento Espiritual. É através de Buddhi que Atma, a Presença Divina
pode Se manifestar.
O Graal ou Taça é uma alusão a Consciência Búdica que é o resultado
perfeito de toda evolução inferior. É onde é deitado o “vinho” da Vida Divina
para que a Alma do homem possa Renascer em direção ao EGO.
A Iluminação, no ser humano, é a descida de Buddhi através do EGO,
para o coração (Chama Trina) no homem que é o princípio de Buddhi na
matéria.
“Homem” tem sido definido no ocultismo como aquele ser no Universo,
onde possa estar, no qual o mais Alto Espírito e a mais baixa matéria estão
reunidos pela Inteligência (Buddhi), formando assim, basicamente um Deus
manifestado que seguirá em frente, a fim de vencer através do ilimitado
futuro que se estende diante dele.
O homem reencarnado deveria ser chamado o Pensador (Razão pura,
de Buddhi) e não Mente, porque a palavra pensador sugere uma entidade
individualizada enquanto a palavra mente sugere uma generalidade vaga e
difusa.
O EGO é a mais baixa manifestação da Mônada, assim, a
personalidade está para o Ego como o Ego está para a Mônada. O Ego é
Iluminado por Buddhi para retornar a Mônada, à Casa do Pai, Verdadeira e
Definitiva Morada.
2