conquista de osasco para cristo

Сomentários

Transcrição

conquista de osasco para cristo
5
Questionário Diagnóstico da Saúde Relacional de
Líderes Pastorais1
Não é fácil avaliar a medida de alguém ser saudável. Uma forma de fazer isso é avaliar
com quem e como nos relacionamos. Este questionário focalize sete relacionamentos
chaves que se aplicam ao pastor-presidente de 10.000 membros, como também a um líder
de grupo familiar ou célula que funciona como líder pastoral. Os versículos citados nos
levam a priorizar esses assuntos, destacando-os como o alicerce à vida e ministério de um
pastor ou líder pastoral.
1. Relacionar-se bem com Deus (Mt 22.34-38; veja Dt 6.4-7)
2. Relacionar-se bem consigo mesmo (Mt 22.34-40; 1 Tm 1.5; 3.1-7; 4.12, 15, 16; 2 Tm
2.21)
3. Relacionar-se bem com sua família (1 Tm 3.4-5, 12; 5.8; Tt 1.6; Ef 5.21-33)
4. Relacionar-se bem com um grupo pastoral (como um grupo familiar ou célula ou grupo
de prestação de contas – At 2.42-47; Ec 4.7-12)
5. Relacionar-se bem com uma equipe (Ef 4.11-16; 2 Co 2.12, 13; 7.5,6; At 18.1-5)
6. Relacionar-se bem com um líder pastoral ou mentor (como os discípulos fizeram com
Jesus e outros como Tito e Timóteo fizeram com Paulo)
7. Relacionar-se bem com amigos (Jo 15.12-15; Pv 17.17; 27.9, 10)
O questionário o levará a uma auto-avaliação de sua habilidade nestas sete áreas. Em
cada item, dê uma nota de 0 a 10 para si mesmo. Procure colocar a primeira nota que vem
à sua mente, podendo colocar algo como “7,5” se você está vacilando entre duas notas
como, no caso, 7 e 8. Não tome muito tempo para refletir em qualquer item, já que são 70
itens.
Se você não tiver um certo tipo de relacionamento, precisará colocar zeros em certos
itens ou até numa seção inteira. Se quiser, pode colocar um asterisco na coluna esquerda
quando encontrar algum item no qual você realmente quer crescer. Isto pode ou não ser
uma área na qual você se deu uma nota baixa.
Se em outro momento quiser uma perspectiva além da sua, peça para outra pessoa o
avaliar neste questionário. Uma boa opção nesse sentido seria seu líder pastoral ou
superior, seu cônjuge, um grande amigo ou alguém que ministra ao seu lado e o conhece
bem.
Se você realmente não gosta do trabalho de dar nota de 0 a 10 ou se você não tiver a
meia hora aproximadamente que este questionário exige, poderia apenas ler os dez itens
em cada área e dar uma nota global para essa área.
1
Partes deste questionário são adaptadas daquele usado por TOPIC Brasil (AICP – Aliança Internacional de
Capacitadores de Pastores) quanto ao perfil de um “Líder Pastoral Capacitado e em Amadurecimento” (LPCA).
David Kornfield, MAPI-Sepal, Clínica de Pastoreio de Pastores, 05/01/05
6
Auto-Avaliação em Sete Relacionamentos Chaves
Para um Líder Pastoral
1. Relação com Deus
____ 1. Amo a Deus com todo meu coração, alma, entendimento e força.
____ 2. Torno-me íntimo de Deus através do meu tempo na Palavra.
____ 3. Torno-me íntimo de Deus através do meu tempo em oração.
____ 4. Tenho uma identidade firmemente alicerçada em Cristo, vivo como filho de Deus,
sabendo que sou muito amado e que trago prazer para Ele.
____ 5. Entendo bem meu chamado e me sinto realizado nele.
____ 6. Ando cheio do Espírito Santo, demonstrando os frutos do mesmo.
____ 7. Ouço a voz de Deus, vendo o que o Pai está fazendo e ajudando-O nisso.
____ 8. Obedeço com alegria a Jesus, Senhor da minha vida.
____ 9. Tenho sabedoria e discernimento através da minha caminhada com Jesus.
____ 10. Tenho uma visão de Deus e de Seu reino que atinge todas as áreas da minha
vida, sejam pessoais ou coletivas, seja na igreja ou no mundo.
2. Relação consigo mesmo
____ 11. Preocupo-me em nutrir e cuidar da minha vida e coração, amando a mim mesmo,
tendo, assim, um alicerce para amar e cuidar de outras pessoas.
____ 12. Reflito Cristo através do meu caráter (amor, compromisso com a verdade,
humildade, etc.).
____ 13. Sou uma pessoa equilibrada e emocionalmente resolvida, não levada pelo medo
ou a ira a atitudes que ferem a outros ou a mim. Aceito críticas e sei absorvê-las.
____ 14. Conheço meu potencial e minhas limitações em diversas áreas: meus dons,
chamado, personalidade, pontos fortes e fracos.
____ 15. Gosto de mim mesmo. Não tenho que provar nada para ninguém. Não me sinto
inferior ou superior a outros; o sucesso dos outros não me ameaça.
____ 16. Sinto-me bem realizado em minha sexualidade, seja como solteiro ou casado,
mantendo-me puro, não sendo levado por tentações, nem me abrindo para
pornografia.
____ 17. Cuido bem do meu corpo e saúde física, praticando exercícios ou esporte
regularmente, comendo de forma equilibrada, não sendo mais pesado que
deveria e dormindo o que preciso.
____ 18. Vivo segundo prioridades divinas e não na tirania do urgente. Ando no ritmo do
Espírito e não numa correria ou ativismo doentio. Consigo equilibrar trabalho,
descanso e lazer.
____ 19. Mantenho minhas finanças sob controle; não devo a ninguém, tenho uma boa
reputação nesta área e independência financeira.
____ 20. Sou bem pastoreado, mentoreado ou discipulado pessoalmente, tendo uma
relação comprometida e pessoal com uma pessoa que enxergo que Deus me deu
como líder pastoral.
David Kornfield, MAPI-Sepal, Clínica de Pastoreio de Pastores, 05/01/05
7
3. Relação com a família
Introdução:
Quem for casado e tem filhos, responda à seção A.
Quem for casado e sem filhos, responda à seção B.
Quem for solteiro, divorciado ou viúvo, com filhos, responda à seção C.
Quem for solteiro, divorciado ou viúvo, sem filhos, responda à seção D.
SEÇÃO A: Casados com filhos
____ 21a. Somos uma família cujo amor e prazer é um bom referencial para outras
famílias.
____ 22a. Tenho uma visão clara e bíblica quanto ao valor e importância da minha família
e priorizo-a acima de meu ministério.
____ 23a. Consigo separar um dia de descanso e realmente curtir tempo semanalmente
com meu cônjuge e filhos.
____ 24a. Comunico-me bem com meu cônjuge, refletindo um sentido agradável de
companheirismo, tendo boa qualidade e quantidade de tempo juntos.
____ 25a. Experimento a intimidade emocional e física que gostaria com meu cônjuge.
____ 26a. Eu e meu cônjuge temos uma boa definição de nossos papéis e tomamos
decisões de forma interdependente e saudável em relação aos filhos, finanças,
agenda, prioridades, etc.
____ 27a. Meu cônjuge e eu, como também nossos filhos, somos bons em resolver nossos
conflitos e viver em harmonia. Somos bons amigos.
____ 28a. Apoio e encorajo meu cônjuge e filhos em seus projetos e vocações. Invisto
tempo em ajudá-los a se sentirem realizados, seja na escola, trabalho ou igreja.
____ 29a. Crio meus filhos num lar cristão onde o amor prevalece, educando-os no
caminho de Deus e administrando, quando necessário, disciplina bíblica e sadia.
____ 30a. Minha família e eu temos um relacionamento saudável com nossos parentes.
Pule as seções a seguir e passe para a pergunta 31.
SEÇÃO B: Casados sem filhos
____ 21b. Somos um casal cujo amor e prazer é um bom referencial para outras
pessoas.
____ 22b. Tenho uma visão clara e bíblica quanto ao valor e importância da minha família
e priorizo meu cônjuge acima do meu ministério.
____ 23b. Consigo separar um dia de descanso e realmente curtir tempo semanalmente
com meu cônjuge.
____ 24b. Comunico-me bem com meu cônjuge, refletindo um sentido agradável de
companheirismo, tendo boa qualidade e quantidade de tempo juntos.
____ 25b. Experimento a intimidade emocional e física que gostaria com meu cônjuge.
____ 26b. Eu e meu cônjuge temos uma boa definição de nossos papéis e tomamos
decisões de forma interdependente e saudável em relação a futuros filhos,
finanças, agenda, prioridades, etc.
David Kornfield, MAPI-Sepal, Clínica de Pastoreio de Pastores, 05/01/05
8
____ 27b. Meu cônjuge e eu somos bons em resolver nossos conflitos e viver em
harmonia. Somos bons amigos.
____ 28b. Apoio e encorajo meu cônjuge em seus projetos e vocação. Invisto tempo em
ajudá-lo a se sentir realizado, seja nos estudos, trabalho ou igreja.
____ 29b. Relaciono-me bem com crianças, comunicando-me ao nível delas e sabendo
como equilibrar amor e disciplina.
____ 30b. Meu cônjuge e eu temos um relacionamento saudável com nossos parentes.
Pule as seções a seguir e passe para a pergunta 31.
SEÇÃO C: Solteiros com filhos
____ 21c. Somos uma família cujo amor e prazer é um bom referencial para outras
pessoas.
____ 22c. Tenho uma visão clara e bíblica quanto ao valor e importância de minha família
e priorizo-a acima do meu ministério.
____ 23c. Consigo separar um dia de descanso e realmente curtir tempo semanalmente
com meu(s) filho(s).
____ 24c. Comunico-me bem com meus filhos, refletindo um sentido agradável de
companheirismo, tendo boa qualidade e quantidade de tempo juntos.
____ 25c. Encorajo meus filhos a desenvolverem uma relação saudável com alguém que
supra a ausência de meu cônjuge (em alguns casos, sendo o ex-cônjuge).
____ 26c. Temos uma boa definição de nossos papéis e tomamos decisões de forma
interdependente e saudável em relação a amizades, finanças, agenda,
prioridades, etc.
____ 27c. Somos bons em resolver nossos conflitos e viver em harmonia. Somos bons
amigos.
____ 28c. Apoio e encorajo os meus filhos em seus projetos e vocações. Invisto tempo
em ajudá-los a se sentirem realizados, seja na escola, trabalho ou igreja.
____ 29c. Crio meus filhos num lar cristão onde o amor prevalece, educando-os no
caminho de Deus e administrando, quando necessário, disciplina bíblica e sadia.
____ 30c. Temos um relacionamento saudável com nossos parentes.
Pule a seção a seguir e passe para a pergunta 31.
SEÇÃO D: Solteiros sem filhos
____ 21d. Sou um exemplo aos membros de minha família quanto a minha conduta e
forma de viver.
____ 22d. Tenho companheirismo com os membros da minha família.
comunicação com eles é boa.
Minha
____ 23d. Abro meu coração com membros de minha família e eles comigo.
____ 24d. Entendo e exerço meu papel na família de forma saudável e tomo decisões com
meus pais e irmãos, quando apropriado, de forma interdependente.
David Kornfield, MAPI-Sepal, Clínica de Pastoreio de Pastores, 05/01/05
9
____ 25d. Em nossa família, somos bons em resolver nossos conflitos e viver em
harmonia. Somos bons amigos.
____ 26d. Apoio e encorajo os membros de minha família em seus projetos e vocações.
Invisto tempo em ajudá-los a se sentirem realizados, seja na escola, trabalho ou
igreja.
____ 27d. Tenho amizades saudáveis e boas com pessoas do sexo oposto.
____ 28d. Dedico-me mais ao Senhor por minha condição de solteiro, tendo mais tempo
disponível.
____ 29b. Relaciono-me bem com crianças, comunicando-me ao nível delas e sabendo
como equilibrar amor e disciplina.
____ 30d. Tenho um relacionamento saudável com meus parentes além do círculo de
minha família imediata.
4. Relação com um grupo pastoral
____ 31. Me reuno com eles regularmente, priorizando esses encontros.
____ 32. Sou honesto e transparente com eles.
____ 33. Eles me confrontam em amor.
____ 34. Presto contas das áreas importantes de minha vida regularmente.
____ 35. Temos momentos especiais de oração onde o poder, graça ou sabedoria de Deus
se manifesta.
____ 36. Me encorajam, sou edificado através de estar com eles.
____ 37. Me assessoram.
____ 38. Me sinto amado e aceito, seguro.
____ 39. Tenho relacionamentos recíprocos com eles, dando e recebendo livremente.
____ 40. Quando precisar de ajuda ou apoio no dia a dia, pessoas neste grupo estão
disponíveis e prontos para me ajudarem.
5. Relação com uma equipe de ministério (para o pastor, isto seria sua equipe pastoral ou
equipe principal de liderança; para um líder na igreja, se lidera uma equipe e participa
de outra, avalie a equipe que você lidera.)
____ 41. A equipe desfruta de uma orientação e unção divina, ouvindo a Deus, tendo
sabedoria do alto e agindo no poder do Espírito.
____ 42. A equipe tem um propósito comum, uma visão clara e um plano estratégico com
estratégias e objetivos mensuráveis que a norteiam.
____ 43. Os membros da equipe tem papéis claros, cada um sendo responsável por uma
área. Suas funções correspondem a seus dons, chamados, habilidades e
personalidade.
____ 44. A equipe experimenta e demonstra liderança forte e facilitadora que adapta seu
estilo segundo a maturidade e competência dos membros, atingindo os alvos e
ajudando os membros crescerem em suas habilidades.
David Kornfield, MAPI-Sepal, Clínica de Pastoreio de Pastores, 05/01/05
10
____ 45. A equipe desfruta de administração eficiente, com reuniões bem preparadas que
geram bons resultados, e que trata das decisões importantes de maneira
interdependente.
____ 46. A equipe experimenta e estende treinamento formativo, tendo uma cultura de
treinamento, de ser ensinável, de avaliação e auto-avaliação.
____ 47. A equipe desfruta de relacionamentos saudáveis caracterizados por
compreensão, apoio, crescimento contínuo, prestação de contas,
interdependência, gratidão, confiança e respeito.
____ 48. A equipe tem comunicação excelente que é clara, na hora certa, amorosa, aberta,
honesta e transparente.
____ 49. As reuniões da equipe são frutíferas, incluindo cuidado pastoral dos membros da
equipe, assessoramento uns aos outros em áreas ministeriais e ouvir a Deus
juntos sobre decisões ou problemas que surgem.
____ 50. Os membros da equipe participam juntos de eventos de treinamento, congressos
e retiros especiais, tendo um retiro anual especial da equipe.
6. Relação com um líder pastoral ou mentor
____ 51. Me reuno com esta pessoa periodicamente (pelo menos bimensalmente),
priorizando esses encontros.
____ 52. Me desafia, me levando a ser bem mais do que seria sem ele. Provoca uma
transposição do ordinário para o extraordinário.
____ 53. Me dá tarefas e se preocupa com eu avançar nelas.
____ 54. Intercede por mim entre reuniões e eu faço o mesmo para ele.
____ 55. Recebo orientação importante quanto a minha vida e prioridades, percebendo a
graça e sabedoria de Deus nesta pessoa.
____ 56. Recebo assessoria importante quanto a meu ministério, me ajudando prevenir
problemas e resolver os que surgem.
____ 57. Me sinto amado e aceito, seguro, podendo assim ser honesto e transparente.
____ 58. Sinto que Deus colocou esta pessoa em minha vida com propósitos especiais.
____ 59. Eu tomo a iniciativa para que este relacionamento seja produtivo.
____ 60. Abençoou meu líder pastoral ou mentor, sendo uma alegria para ele e não um
peso.
7. Relação com amigos (além do cônjuge ou família)
____ 61. Tenho amigos que realmente gostam de mim e eu deles, fora qualquer
envolvimento na igreja ou no ministério.
____ 62. Separo tempo para estar com meus amigos sem pauta ou programa de produzir
alguma coisa.
____ 63. Tenho amigos com os quais abro meu coração.
____ 64. Tenho amigos com os quais sinto um profundo nível de amor e aceitação.
____ 65. Meus amigos me afirmam, percebendo minhas qualidades e me valorizando.
David Kornfield, MAPI-Sepal, Clínica de Pastoreio de Pastores, 05/01/05
11
____ 66. Meus amigos têm uma liberdade especial para me corrigir ou confrontar em
amor, especialmente quando sou tentado a exagerar em meus envolvimentos
ministeriais.
____ 67. Tenho amigos cujos vidas estão comprometidos com os mesmos objetivos.
____ 68. Eu e meus amigos temos um compromisso de ver o caráter de Cristo
desenvolvido um no outro.
____ 69. Eu e meus amigos temos um senso de que o que pertence a um, também pertence
ao outro.
____ 70. Tenho bons amigos tanto do mesmo sexo como do sexo “oposto”.
Agora some as notas em cada área e coloque o total abaixo.
_____ 1. Relação com Deus (itens 1-10)
_____ 2. Relação consigo mesmo (itens 11-20)
_____ 3. Relação com sua família (itens 21-30)
_____ 4. Relação com seu grupo pastoral (itens 31-40)
_____ 5. Relação com sua equipe de ministério (itens 41-50)
_____ 6. Relação com seu líder pastoral ou mentor (itens 51-60)
_____ 7. Relação com seus amigos (itens 61-70)
_____ TOTAL (Numa escala de 0 a 700)
Se preencher este questionário junto a outras pessoas e terminar antes delas, use o
tempo para orar, pedindo discernimento de Deus sobre os resultados e as implicações do
mesmo.
Esta ferramenta pode ser útil para os líderes pastorais de sua igreja. Se uma secretária
ou alguém tabular as respostas, revelará áreas de força ou fraqueza na liderança como um
todo, ajudando, assim, a identificar áreas que valeriam a pena focalizar como um grupo de
líderes.
David Kornfield, MAPI-Sepal, Clínica de Pastoreio de Pastores, 05/01/05
12
Instruções para a liderança de uma igreja ou organização preencher o gráfico a seguir.
A. Cada pessoa que preencher o questionário deve entregar os dados do resumo na página
anterior para alguém indicado que prepare este gráfico. Essa pessoa continua com as
instruções seguintes.
B. Coloque o nome de cada líder na primeira coluna, começando com o nome do pastor
titular ou líder principal e, em seguida, o do co-pastor, co-líder ou vice-presidente da
igreja. Pode ser interessante fazer este exercício na equipe pastoral ou principal
liderança da igreja (4-8 pessoas), como também pode ser adaptado para um número
maior de 15-25 pessoas.
C. Na linha correspondente ao nome de cada um, coloque os sete totais alistados acima,
junto com o total geral na última coluna.
D. Para cada coluna, some as notas de todos os líderes.
E. Na última linha do gráfico, ordene os totais, enumerando-os em ordem decrescente, ou
seja, o maior valor receberá 1o (primeiro); o valor seguinte, 2o (segundo), e assim por
diante até que o 7o (sétimo) indique o mais baixo. (Se houver valores empatados,
ambos receberão a mesma numeração. Por exemplo, se dois totais estão empatados em
segundo lugar, ganham numeração dois. O total seguinte mais alto passaria a ser o
quatro porque realmente é a quarta área mais alta.)
Nome do líder
1.
Rel.
com
Deus
2.
Rel.
consigo
mesmo
3.
Rel.
com sua
família
4.
Rel.
com
grupo
pastoral
5.
Rel.
com
equipe
de
minist.
6.
Rel.
com
líder
pastoral
7.
Rel. com
amigos
Total
Total
Ordem de 1-7
Baseado nisto, dá para perceber, de forma coletiva, quais são as áreas mais fortes e
fracas da liderança da igreja. Isso pode levar o pastor a focalizar uma certa área num
retiro, módulo ou programa de treinamento para sua liderança. Dependendo da confiança
que existe na liderança, pode ser que estes dados devam ser restritos ao pastor e co-pastor
ou à equipe pastoral, de forma confidencial.
Se o pastor ou a equipe pastoral quiser aprofundar seu entendimento numa área na qual
os líderes mais precisam crescer, estes poderiam entregar seus questionários e o
compilador dos dados poderia repetir o exercício acima, focalizando as 10 perguntas
dentro dessa área específica. Isto revelaria pontos fortes e fracos dentro dessa área.
David Kornfield, MAPI-Sepal, Clínica de Pastoreio de Pastores, 05/01/05

Documentos relacionados