Relatório de Atividades e Contas consolidado

Сomentários

Transcrição

Relatório de Atividades e Contas consolidado
Este documento foi aprovado pelo Conselho Geral do IPCA, em reunião do dia 24 de abril de 2015.
ÍNDICE
Secção I
O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
1. Apresentação
7
2. Enquadramento Jurídico
7
3. Organização Institucional
8
3.1 Órgãos do IPCA
3.1.1 Conselho Geral
8
8
3.1.2 Presidente
10
3.1.3 Conselho de Gestão
10
3.1.4 Conselho Académico
10
3.1.5 Conselho para a Avaliação e Qualidade
10
3.1.6 Provedor do Estudante
11
3.2. Estrutura Orgânica dos Serviços Centrais
11
3.3. Escolas
12
3.3.1 Diretor
12
3.3.2 Conselho Técnico-Científico
12
3.3.3 Conselho Pedagógico
13
3.3.4 Departamentos e Áreas Disciplinares
14
3.3.5 Centros de Investigação
16
3.3.6 Comissões Diretivas de Mestrado/Direções de Mestrado
16
3.3.7 Direções de Curso
17
3.4. Serviços de Ação Social
18
Secção II
Ensino e Aprendizagem
1. Oferta formativa
1.1 Escola Superior de Gestão
1.1.1 Mestrados
21
21
22
1.1.2 Pós-Graduações
22
1.1.3 Licenciaturas
23
1.1.4 Cursos de Especialização Tecnológica 23
1.1.5 Cursos Técnicos Superiores Profissionais 24
1.1.6 Atividades de Extensão Pedagógica 1.2 Escola Superior de Tecnologia
24
28
1.2.1 Mestrados
28
1.2.2 Licenciaturas
29
1.2.3 Cursos de Especialização Tecnológica
29
1.2.4 Cursos Técnicos Superiores Profissionais 29
1.2.5 Atividades de Extensão Pedagógica 30
2. Os Estudantes 33
2.1 Número Global de Estudantes
33
2.2 Caracterização dos Estudantes de Licenciatura
36
2.2.1 Total de estudantes de licenciatura em 2014/2015
36
2.2.2 Estudantes inscritos 1º ano 1ª vez em 2014/2015
39
2.2.3 Resultados do Concurso Nacional de Acesso 2014/2015
42
2.3 Caracterização dos Estudantes de Mestrado
43
2.4 Diplomados
45
2.4.1 Diplomados de licenciatura
45
2.4.2 Diplomados de mestrado
48
1
3. O Sucesso Académico e o Abandono Escolar 3.1 Iniciativas no Âmbito da Promoção do Sucesso Académico
3.2 O Abandono Escolar
49
49
49
3.2.1 Abandono Escolar em 2013/2014
50
3.2.2 Medidas de Combate ao Abandono Escolar
50
4. Sistema Interno de Garantia de Qualidade - SIGQa-IPCA
51
4.1 Desenvolvimento e implementação do Subsistema de Garantia da Qualidade da Unidade Curricular
51
4.2 Avaliação do processo de ensino/aprendizagem
53
4.2.1 Questionários de avaliação pedagógica - QAPa
4.2.2 Participação dos estudantes no processo de avaliação pedagógica – QAPa – cursos de 1º ciclo
53
53
4.3. Avaliação e Acreditação de Ciclos de Estudo
55
4.3.1 Acreditação de novos ciclos de estudos
55
4.3.2 Avaliação e acreditação de ciclos de estudos em funcionamento
4.4 Pedidos de registo de Cursos Técnicos Superiores Profissionais
5. Captação de Novos Estudantes
5.1 Campanha de Divulgação do IPCA 2014/2015
55
56
57
57
5.1.1 Divulgação do IPCA em Escolas Secundárias/Profissionais
57
5.1.2 Campanha de Verão
58
5.1.3 Início dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais
58
5.1.4 Abertura do Ano Letivo
60
5.2 Gabinete de Acesso ao Ensino Superior
61
Secção III
Investigação e Transferência de Conhecimento
1. Qualificação do corpo docente
63
2. Publicações
64
3. Atividade dos Centros de Investigação
67
3.1 Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade (CICF)
67
3.2 Digital Games Research Group (DIGARC)
70
4. Revistas Científicas
4.1 Tékhne – Review of Applied Management Studies
4.2. ICT’ae – Information and Communication Technologies for the Advanced Enterprise: an internacional journal
5. Transferência de conhecimento
71
71
71
71
Secção IV
Ligação à Comunidade, Emprego e Empreendedorismo
1. Prestação de Serviços à Comunidade e de Apoio ao Desenvolvimento
75
2. O Empreendedorismo, Empregabilidade e Inserção na Vida Ativa
76
2.1 Promoção do Emprego
77
2.2 Promoção do Empreendedorismo
78
2.3 Eventos Promovidos pelo G3E
79
2.3.1 Seminários e Workshops
79
2.3.2 Formação
80
2.3.3 Participação em Júris
80
2.4 Outros
80
Secção V
Internacionalização
1. Mobilidade de Estudantes, Pessoal Docente e Pessoal Não Docente
83
2. Mobilidade para estágio
85
3. Cooperação com o Espaço Europeu de Ensino Superior
86
4. Cooperação com Países de Língua Portuguesa
89
5. Programa IACOBUS 90
2
Secção VI
CIED de Barcelos - Centro de Informaçao Europe Direct de Barcelos
1. Apresentação
93
2. Atividades
94
2.1 Visita de Multiplicadores
94
2.2 Seminários
94
2.3 Ações Informativas
95
2.4 Conferências
96
2.5 Mesas Redondas
97
2.6 Participação (feiras, mostras…)
97
2.7 Debates
98
2.8 Workshops
99
2.9 Magusto Internacional
99
2.10 Comemoração do Dia da Europa
100
2.11 Visitas ao Espaço Físico do CIED
100
2.12 Concursos
3. Produtos Informativos Editados
101
101
4. Presença na Comunicação Social
102
5. Antenas de Informação Europeia
103
5.1 Antena de Informação Europeia no Município de Vila Nova de Famalicão
104
5.2 Antena de Informação Europeia na EPATV
104
5.3 Antena de Informação Europeia na KERIGMA
104
5.4 Antena de Informação Europeia na ACICE
105
5.5 Antena de Informação Europeia no Município da Póvoa de Lanhoso
6. Presença em Reuniões/Formações da Rede Europe Direct
105
106
Secção VII
Ação Social Escolar
1. Enquadramento
109
2. Apoios e Serviços Prestados
109
2.1 Bolsas de Estudo
2.1.1 Candidaturas 2014/2015
110
110
2.1.2 Evolução Bolsas de Estudo 1996-2014
111
2.1.3 Divulgação e Sessões de Esclarecimento
112
2.2 Fundo de Emergência
112
2.2.1 Apoios 2013/2014
113
2.2.2 Apoios 2014/2015
113
2.3 Bolsa de Colaboradores
114
2.4 Alimentação
115
2.4.1 Unidades Alimentares
2.4.2 Qualidade e Segurança Alimentar Sanitária
115
117
2.5 Transporte
118
2.6 Alojamento
119
2.7 Serviços de Saúde
119
2.7.1 Apoio Médico
119
2.7.2 Apoio Psicológico e Psicopedagógico
119
2.8 Apoio a Estudantes com Necessidades Educativas Especiais
120
2.9 Apoio ao Associativismo e Grupos Académicos
120
3. Atividades Socioculturais
121
3
Secção VIII
Recursos Humanos, Patrimoniais, Tecnológicos e de Documentação
1. As Pessoas
1.1 Pessoal Docente
1.1.1. Evolução do Pessoal Docente: 1996-2014
125
125
125
1.1.2. Composição do Pessoal Docente
125
1.1.2. Formação Académica do Pessoal Docente
128
1.2 Pessoal Não Docente
1.2.1. Composição do Pessoal Não Docente
1.2.2. Formação Académica e Carreiras do Pessoal não Docente
2. Os Recursos Patrimoniais
130
130
131
132
2.1 Campus do IPCA 132
2.2 Polo de Braga
133
2.3 Residência Edifício Dr. Sidónio Pais
133
2.4. Digital Games Lab
134
3. Os Sistemas de Informação
137
4. Recursos de Documentação
139
4.1. Serviços de Documentação
139
4.2. CiencIPCA
143
Secção IX
Contas Consolidadas
1. Nota Introdutória
1.1 Análise Orçamental
145
1.1.1 Evolução do Orçamento do IPCA
145
1.1.2 Receitas
148
1.1.3 Despesas
150
1.2 Análise Económica e Financeira
4
145
152
1.2.1 Balanço
152
1.2.2 Demonstração de Resultados
154
1.3 Indicadores de gestão
157
1.4 Mapas obrigatórios e notas explicativas
158
1.4.1 Balanço
158
1.4.2 Demonstração de Resultados
160
1.4.3 Mapas de Execução Orçamental 161
1.4.3.1 Despesa
161
1.4.3.2 Receita
163
1.4.4 Fluxos de Caixa
164
1.4.5 Notas ao balanço e à demonstração resultados por natureza
170
Mensagem do Presidente
Este Relatório de Atividades e Contas, referente ao ano de 2014, é um documento de análise e avaliação das atividades
desenvolvidas pelo Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), ao nível das unidades orgânicas de ensino e investigação
e restantes estruturas de natureza académica, técnica e social.
O ano de 2014 fica marcado pela expansão geográfica da Instituição, abrindo um polo na cidade de Braga, e pela ampliação
da oferta formativa, com a entrada em funcionamento dos Cursos Técnicos Superior Profissionais, criados recentemente pela
tutela. Saliento também a inauguração do Centro de Investigação Digital Games Lab, infraestruturade de grande qualidade,
que integra laboratórios fundamentais para o desenvolvimento da atividade pedagógica e de investigação aplicada da EST.
Num ano de reconhecidas dificuldades, resultante da situação que o país atravessa, com as instituições de ensino superior
a defrontaram-se com graves dificuldades económicas e com elevado risco de repercussões no próprio funcionamento das
instituições e na qualidade dos processos de ensino/formação, considero que o IPCA manteve o seu ritmo de crescimento e de
consolidação, reforçando a sua afirmação no contexto regional e nacional.
Do presente relatório de atividades, destaco:
- A entrada em funcionamento de uma nova oferta formativa: os Cursos Técnicos Superior Profissionais, com 181
estudantes;
- O ingresso de 518 novos estudantes de licenciatura na Instituição, no primeiro ano e pela primeira vez, colocados através
do Concurso Nacional de Acesso, para frequentarem o ano letivo 2014/2015, o que representa uma taxa de 82,2%, face
às vagas disponibilizadas;
- O aumento no número de inscritos em cursos de mestrado, que totaliza os 449 estudantes;
- Um aumento significativo no número de diplomados do IPCA;
- O aumento no número de docentes com o grau de doutor e com o título de especialista, representando, em conjunto,
aproximadamente 50%, da totalidade de docentes do IPCA;
- O aumento significativo de estudantes estrangeiros a frequentar o IPCA, ao abrigo de Programas de Mobilidade e, ainda,
nesta matéria, do número de protocolos celebrados com IES estrangeiras;
- A manutenção de medidas de apoio social dirigidas aos estudantes mais carenciados do IPCA, criadas internamente
pela Instituição, em complemento dos apoios sociais já instituídos e que possibilitam a redução do abandono escolar.
- A inauguração de novos espaços físicos no Campus do IPCA e a criação do polo de Braga para oferta formativa de curta
duração;
- O equilíbrio financeiro, cumprindo as regras em vigor incluindo a Lei dos Compromissos e Pagamentos em Atraso.
Refira-se ainda que o património do IPCA em ativos fixos e disponibilidades já ultrapassa os 20 milhões de euros.
Em resumo, numa conjuntura especialmente difícil, marcada por uma grande instabilidade económica e financeira, o IPCA
prosseguiu o seu projeto educativo, com o empenho e colaboração de todos os seus intervenientes.
A toda a comunidade académica – docentes, estudantes, funcionários e colaboradores – expresso o meu agradecimento e
reconhecimento pelo trabalho desenvolvido.
Presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
5
Inauguração do Digital Games
Lab
14 de março de 2014
6
SECÇÃO I
O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
1. Apresentação
O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), criado pelo Decreto-Lei n.º 304/94, de 19 de Dezembro, entrou
em funcionamento no ano letivo 1996/1997 e, ao longo dos 18 anos de atividade pedagógica e científica, tem
desenvolvido as atribuições previstas na Lei, contribuindo para o aumento de qualificação da população portuguesa,
garantindo mais formação para mais estudantes, e reforçando a atividade científica e da investigação aplicada, em
ligação direta com o meio empresarial e industrial.
De acordo com a vocação e os recursos disponíveis, o IPCA, ciente do seu propósito e responsabilidades, definiu
como missão:
O IPCA é uma instituição de ensino superior pública, tendo como missão contribuir para
o desenvolvimento sustentável da sociedade, estimular a criação cultural, a investigação
e pesquisa aplicadas, e fomentar o pensamento reflexivo e humanista. Inserido no
espaço europeu de ensino superior, proporciona áreas de conhecimento para o exercício
de atividades profissionais atrativas no plano nacional e internacional, promovendo a
mobilidade, a empregabilidade e as relações de reciprocidade com a comunidade.
Art. 2.º, n.º 1, dos Estatutos do IPCA
O IPCA, dispõe de uma estrutura constituída por duas escolas, unidas na missão de formar cidadãos, e cuja pequena
dimensão permite a proximidade de professores e estudantes, numa relação altamente benéfica e motivadora para
a aquisição de conhecimentos e competências profissionais e pessoais.
As atividades desenvolvidas em 2014 evidenciam uma instituição consolidada, com oferta formativa nas áreas das
ciências empresariais, das tecnologias e do design, dirigida a diferentes públicos e que, utilizando as suas valências
técnicas e científicas criou, transmitiu e difundiu o conhecimento, fomentou as relações com a comunidade
envolvente, promoveu o empreendedorismo e a empregabilidade e desenvolveu a cooperação, o intercâmbio e a
internacionalização.
As ações de 2014 refletem ainda a diversificação da oferta formativa, com a entrada em funcionamento dos Cursos
Técnicos Superiores Profissionais, e o alargamento dos espaços físicos, com a inauguração do Digital Games Lab e a
abertura de uma extensão na cidade de Braga destinada a formação de curta duração.
Em 2014 manteve-me uma especial preocupação com a qualidade das formações, com as atividades de investigação
do corpo docente, confirmado, entre outros, pelo aumento expressivo no número de docentes com grau de doutor, e
com o apoio social dado à população estudantil.
2. Enquadramento Jurídico
O IPCA, enquanto instituição de ensino superior, obedece ao disposto no Regime Jurídico das Instituições de
Ensino Superior (RJIES), diploma aprovado pela Lei n.º 62/2007, de 10 de Setembro, que regula, entre outros, a
sua constituição, atribuições e organização, o funcionamento e competência dos seus órgãos e, ainda, a tutela e
fiscalização pública do Estado sobre a mesma, no quadro da sua autonomia.
O IPCA é uma pessoa coletiva de direito público, dotada de autonomia estatutária, cultural, científica, pedagógica,
patrimonial, administrativa, financeira e disciplinar. Os Estatutos do IPCA constituem a norma fundamental de
organização interna e de funcionamento do IPCA.
Os seus estatutos foram homologados pelo Despacho normativo n.º 21/2010, publicado no Diário da República, 2.ª
7
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
série, n.º 141, de 22 de julho de 2010, tendo sido alterados e republicados pelo Despacho normativo n.º 15/2014,
publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 214, de 5 de novembro de 2014.
Ao nível das Escolas, a sua organização interna e funcionamento, estão também definidos nos estatutos da Escola
Superior de Gestão e da Escola Superior de Tecnologia, tendo os mesmos sido aprovados pelo Despacho 7474/2012,
de 21 de maio, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 105, de 30 de maio de 2012, e pelo Despacho 7394/2012,
de 21 de maio, publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 104, de 29 de maio de 2012, respetivamente.
3. Organização Institucional
Tendo em vista a concretização da sua missão bem como a especificidade do contexto social, económico e cultural
em que se insere, o IPCA dispõe de uma estrutura institucional composta pelos seguintes órgãos e unidades
orgânicas:
Figura 1 – Organigrama Institucional
Conselho Geral
Presidente
Conselho Académico
Conselho de Gestão
Conselho para a Avaliação e Qualidade
Provedor do Estudante
Escola Superior de Gestão
Escola Superior de Tecnologia
Serviços de Ação Social
3.1 Órgãos do IPCA
De acordo com artigo 14º dos Estatutos, são órgãos do IPCA:
Quadro 1 - Órgão do IPCA
Conselho Geral
Órgãos de governo
Presidente
Conselho de Gestão
Conselho Académico
Órgãos de natureza consultiva
Conselho para Avaliação e Qualidade
Provedor do Estudante
3.1.1 Conselho Geral
Nos termos do artigo 1.º do Regimento do Conselho Geral do IPCA, o Conselho Geral é o “órgão de governo do IPCA a
quem cabe definir a estratégia, orientar e supervisionar a atividade da Instituição, promovendo a prossecução da sua
Missão enquanto Instituição de Ensino Superior”.
O Conselho Geral é composto por representantes dos professores e investigadores, representantes dos estudantes,
representante do pessoal não docente e personalidades externas de reconhecido mérito, tendo tido a seguinte
constituição até ao dia 1 de dezembro de 2014:
8
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Presidente
António Marques
Secretária
Irene Maria Portela
MEMBROS ELEITOS
Representantes dos professores e investigadores
Irene Maria Portela
José Manuel Teixeira Pereira
Laurentina Maria da Cruz Vareiro
Maria José da Silva Fernandes
Maria Manuela Cruz Cunha
Paula Cristina Almeida Tavares
Ricardo João Ferreira Simões
Sónia Maria Silva Monteiro
Soraia Marla Ferreira Gonçalves
Teresa Paula Amaral Abreu
Verónica Paula Lima Ribeiro
Vítor Hugo Mendes da Costa Carvalho
Representantes dos estudantes
Renaldo José Carvalho Marques
André Rafael Rodrigues Ferreira
Bruno André Costa Araújo
Representante dos funcionários não docente e não investigadores
Isabel Leonor Alves Xavier Fernandes
Membros cooptados
António Domingues Azevedo
António Marques
Fernando Alberto Ribeiro da Silva
João Macedo Lourenço
José Eduardo Lopes Nunes
Manuel Pereira Vilas Boas
Rosa Maria Guimarães Vaz da Costa
Estando a terminar o mandato dos membros do Conselho Geral, no dia 2 de dezembro de 2014 decorreram as eleições dos
representantes dos professores e investigadores, dos estudantes e pessoal não docente, tendo tomado posse, no dia 19 de
dezembro de 2014, os seguintes representantes:
MEMBROS ELEITOS
Representantes dos professores e investigadores
Fernando Jorge Dias da Silva Rodrigues
Irene Maria Portela
Maria Alexandra Pereira da Silva Malheiro
Maria José da Silva Fernandes
Mariana Teixeira Baptista Carvalho
Nuno Miguel Feixa Rodrigues
Paula Cristina Almeida Tavares
Paulo Adriano Marques Sousa Teixeira
Sónia Maria Silva Monteiro
Soraia Marla Ferreira Gonçalves
Verónica Paula Lima Ribeiro
Vítor Hugo Mendes da Costa Carvalho
Representantes dos estudantes
Abílio Fernando Bragança Milheiro
Stéphane Castro da Silva
Filipe António Fernandes Faria
Representante dos funcionários não docente e não investigadores
Maria Manuela Pereira da Silva
No dia 6 de janeiro de 2015 realiza-se a reunião para cooptação das personalidades externas. Ainda no mês de
janeiro, no dia 22, está prevista a tomada de posse dos membros cooptados, ficando o Conselho Geral, nesta data,
integralmente constituído. A 5 de fevereiro de 2015 é eleito o Presidente do Conselho Geral do IPCA.
9
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
3.1.2 Presidente
O Presidente é o órgão superior de governo e de representação externa do IPCA. É o órgão de condução da política
da instituição, presidindo ao seu Conselho de Gestão, Conselho Académico e Conselho para a Avaliação e Qualidade.
O cargo de Presidente do IPCA é, desde junho de 2011, ocupado pelo Prof. Doutor João Baptista da Costa Carvalho.
O Presidente do IPCA, em 2014, foi coadjuvado por dois vice-presidentes: Prof.ª Doutora Patrícia Gomes para a área
académica, da avaliação e qualidade e internacionalização (Erasmus); Mestre Agostinho Silva, para as áreas do
emprego, empreendedorismo e ligação às empresas e, também, internacionalização (Brasil e Palop).
O IPCA, dispõe ainda de um administrador, com competência para a gestão corrente e a coordenação dos serviços,
tendo o cargo sido ocupado em 2014 pela Dra. Rosário Fernandes.
3.1.3 Conselho de Gestão
O Conselho de Gestão é o órgão a quem compete conduzir a gestão administrativa, patrimonial e financeira do IPCA,
bem como a gestão de recursos humanos.
O Conselho de Gestão em 2014 teve a seguinte constituição:
Presidente
João Carvalho (Presidente do IPCA)
Patrícia Gomes (Vice-Presidente do IPCA)
Agostinho Silva (Vice-Presidente do IPCA)
Rosário Fernandes (Administradora do IPCA)
Sofia Coelho (Diretora dos SASIPCA)
3.1.4 Conselho Académico
De acordo com o artigo 42º dos Estatutos, o Conselho Académico “é um órgão de consulta académica do IPCA,
que visa assegurar a coesão da instituição através da participação de todas as unidades orgânicas na sua gestão
académica”.
O Conselho Académico em 2014 teve a seguinte constituição:
Presidente
João Carvalho (Presidente do IPCA)
Soraia Gonçalves (Diretora da ESG)
Nuno Rodrigues (Diretor da EST)
Maria José Fernandes (Presidente do Conselho Técnico-Científico da ESG)
Vítor Carvalho (Presidente do Conselho Técnico-Científico da EST)
José Manuel Pereira (Presidente do Conselho Pedagógico da ESG)
Paula Tavares (Presidente do Conselho Pedagógico da EST)
Irene Portela (Provedora do Estudante)
André Soares (Presidente da Associação dos Estudantes)
Natércia Escaleira (Responsável pelo gabinete para a avaliação e qualidade)
3.1.5 Conselho para a Avaliação e Qualidade
De acordo com o artigo 44º dos Estatutos, o Conselho para a Avaliação e Qualidade “é o órgão responsável pela
elaboração de propostas de mecanismos de auto-avaliação do desempenho do IPCA, das suas unidades orgânicas,
das suas atividades científicas e pedagógicas”.
O Conselho para a Avaliação e Qualidade em 2014 teve a seguinte constituição:
Presidente
Patrícia Gomes, (Vice-Presidente do IPCA, por competências delegadas do Presidente do IPCA)
Soraia Gonçalves (Diretora da ESG)
Nuno Rodrigues (Diretora da EST)
Alexandra Malheiro (Coordenador da avaliação da ESG)
Maria João Félix (Coordenador da avaliação da EST)
10
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Natércia Escaleira (Responsável pelo gabinete para a avaliação e qualidade)
Eduardo Lopes Nunes (Personalidade designada pelo Conselho Geral)
João Lourenço (Personalidade designada pelo Conselho Geral)
Isabel Xavier (Representante do pessoal não docente do Conselho Geral)
Sérgio Araújo (Representante dos estudantes da ESG)
Gabriela Viana (Representante dos estudantes da EST)
Susana Freitas (Responsável pelos Serviços Académicos)
Este órgão designou, na reunião de 28 de novembro, uma Comissão de Trabalho com o objetivo de definir o relatório
de autoavaliação da Unidade Orgânica. O trabalho desenvolvido ao longo do ano de 2014, no âmbito da definição
e implementação do subsistema de garantia da qualidade da UC, é apresentado na Secção II, ponto 4.1 do presente
documento.
3.1.6 Provedor do Estudante
O Provedor do Estudante tem como missão “defender e promover os direitos e os interesses legítimos dos estudantes
no âmbito do IPCA” com independência, confidencialidade e informalidade.
Os estudantes recorrem normalmente a este órgão quando têm algum problema de ordem académica, pedagógica,
de ação social, ou até de ordem pessoal e ou familiar. Procuram um conselho ou uma solução rápida ou justa a um
problema muito delicado ou de difícil explicação e resolução.
Em 2014 o cargo foi ocupado pela Prof.ª Doutora Irene Portela.
3.2. Estrutura Orgânica dos Serviços Centrais
O IPCA está dotado de uns Serviços Centrais, a quem cabe assegurar a coordenação institucional das atividades de
gestão de pessoal, patrimonial, administrativa, financeira, planeamento global e apoio técnico.
A estrutura orgânica dos Serviços Centrais integra serviços de natureza administrativa e gabinetes de apoio técnico,
tendo sido criada à luz dos princípios de eficiência e eficácia do serviço público, promovendo a rentabilização e
racionalização dos recursos existentes.
A descrição das funções dos Serviços e Gabinetes encontra-se no Regulamento Orgânico dos Serviços Centrais do
Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, aprovado pelo Despacho n.º 99/2012, de 6 de agosto e publicado em Diário
da República n.º 161, com o Regulamento n.º 375/2012, de 21 de agosto.
Em 2014, através do despacho nº90/2014, de 17 de junho o organigrama dos Serviços Centrais sofreu uma alteração,
ficando com a seguinte estrutura:
Figura 2 – Organigrama Serviços Centrais do IPCA
11
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
3.3. Escolas
O IPCA integra duas unidades orgânicas de ensino e de investigação – a Escola Superior de Gestão e a Escola
Superior de Tecnologia. As Escolas asseguram as atividades culturais, humanísticas, científicas, tecnológicas e
pedagógicas, indispensáveis à prossecução dos respetivos objetivos específicos, possuindo autonomia académica,
nomeadamente, ao nível científico e pedagógico.
A governação das Escolas tem a seguinte estrutura:
Figura 3 – Estrutura das Escolas do IPCA
Conselho Técnico-Científico
Departamentos
Conselho Pedagógico
Centros de Investigação
Comissões Diretivas
de Mestrado
Direções de Curso
3.3.1 Diretor
O Diretor é um órgão uninominal, de natureza executiva, nomeado pelo Presidente do IPCA, que representa a
unidade orgânica perante os demais órgãos do IPCA e perante o exterior.
Durante o ano de 2014, os cargos de diretores foram ocupados na ESG e na EST, respetivamente, pelos seguintes
docentes:
Diretor da ESG:
Prof. Doutora Soraia Marla Ferreira Gonçalves
Diretor da EST:
Prof. Doutor Nuno Miguel Feixa Rodrigues
3.3.2 Conselho Técnico-Científico
O Conselho Técnico-Científico é o órgão colegial a quem compete definir as linhas de orientação da investigação e
desenvolvimento científico, cabendo-lhe igualmente propor o desenvolvimento de toda a atividade de investigação
científica:
A 31 de dezembro de 2014, os Conselhos Técnico Científicos das respetivas Escolas tinham a seguinte composição:
12
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 2 - Composição dos Conselhos Técnico-Científicos
CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO ESG
CONSELHO TÉCNICO-CIENTÍFICO EST
Maria José Fernandes (Presidente)
Vítor Carvalho (Presidente)
Alexandra Malheiro
Ana Luísa Nunes
Fernando Rodrigues
Duarte Duque
Gonçalo Bandeira
Gilberto Santos
Irene Portela
João Carlos Silva
José Manuel Pereira
João Vilaça
Kátia Lemos
Joaquim Silva
Laurentina Vareiro
Maria João Félix
Maria de Lurdes Mesquita
Mário Basto
Patrícia Quesado
Nuno Lopes
Paulo Leite
Nuno Martins
Pedro Nunes
Nuno Rodrigues
Raquel Mendes
Paula Tavares
Sara Leite
Patrícia Gonçalves
Sónia Monteiro
Pedro Mota Teixeira
Soraia Gonçalves
Ricardo Simões
Suzana Costa
Susana Jorge
Susana Rua
Teresa Abreu
Verónica Ribeiro
3.3.3 Conselho Pedagógico
O Conselho Pedagógico é um órgão colegial de natureza consultiva responsável pela orientação pedagógica, e
a quem compete, nomeadamente, pronunciar-se sobre as orientações pedagógicas e os métodos de ensino e
avaliação.
A 31 de dezembro de 2014, os Conselhos Pedagógicos das respetivas Escolas tinham a seguinte composição:
13
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
Quadro 3 - Composição dos Conselhos Pedagógicos
Docentes
Estudantes
CONSELHO PEDAGÓGICO ESG
CONSELHO PEDAGÓGICO EST
José Manuel Pereira (Presidente)
Alexandrino Ribeiro
Carlos Loureiro
Cláudia Cardoso
Fernando Rodrigues
Kátia Lemos
Laurentina Vareiro
Liliana Pereira
Márcia Duarte
Maria de Lurdes Fernandes
Maria José Fernandes
Patrícia Quesado
Paulo Leite
Paulo Sousa Pinheiro
Pedro Nunes
Raquel Mendes
Sérgio Dominique Lopes
Sónia Monteiro
Soraia Gonçalves
Susana Rua
Suzana Costa
Verónica Ribeiro
Abílio Fernando Bragança Milheiro
Adriana Filipa Lima Oliveira
Agostinho Domingues Araújo
Ana Isabel Faria Gomes
Ana Isabel Pereira da Costa
Ana Rita Rodrigues Gomes
Andreia Manuel Garrido Brito
António Pedro Santil Mariz da Silva
Bruna Alexandra Baixo Pinto
Geraldino Otiniel Diogo Gregório
Isabel da Silva Ferreira
Joana Patrícia de Sousa Tavares
José Filipe Silva Rodrigues
Juliana Maria Pereira da Costa
Lucília de Carvalho Teixeira
Luís Filipe da Silva Côto
Manuel Alberto Malhado Ribeiro
Manuel da Silva Gonçalves Júnior
Maria do Céu Ribeiro da Silva
Maria Esperança Carvalho Reis Matos
Maria Isabel Fonseca Garcia
Marisa Manuela Freitas Neto
Sandrina Araújo Machado
Paula Tavares (Presidente)
Demétrio Matos
Duarte Duque
Gilberto Santos
João Carlos Silva
João Vilaça
Joaquim Gonçalves
Joaquim Silva
Manuela Cunha
Martinha Pereira
Nuno Dias
Nuno Lopes
Paulo Teixeira
Patrícia Gonçalves
Pedro Mota Teixeira
Ricardo Simões
Susana Jorge
Vítor Carvalho
Adrien Voiroll
Ana Filipa Ferreira Gonçalves
Ana Patrícia Braga Carvalho Vieira
Cristina Daniela Oliveira da Silva
Daniel António Pinto Castro
Filipe Miguel Ramalho Pereira
Gabriela Alexandra Correia Pinto de Araújo Viana
Ivo Daniel Azevedo Sampaio
Joana Vieira da Costa
Joaquim Daniel Dantas Cerqueira
Justino António Oliveira Neiva
Marcelino Augusto da Costa Lamas
Mário João Alves do Vale
Michael Filipe Matias
Nélson Miguel Amorim Sousa
Paulo Xavier Graça Amaral
Pedro Miguel Machado Ferreira
Pedro Miguel Oliveira Peixoto
3.3.4 Departamentos e Áreas Disciplinares
Os Departamentos são estruturas de apoio à gestão científica, académica e administrativa, que coadjuvam na
gestão do pessoal docente afeto a uma determinada área científica ou conjunto de áreas científicas afins e na
implementação da atividade académica, sendo organizados por Áreas Disciplinares.
No quadro seguinte apresentam-se os Departamentos das Escolas Superiores do IPCA e respetivos diretores, bem
como as Áreas Disciplinares e seus responsáveis, a 31 de dezembro de 2014:
14
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 4 - Departamentos e Grupos Disciplinares
ESCOLA
DEPARTAMENTO
Contabilidade e Fiscalidade
Sónia Monteiro
Direito
Irene Portela
ESG
Gestão
Cláudia Cardoso
Ciências
Teresa Abreu
Design
Paula Tavares
EST
Tecnologias
Vítor Carvalho
GRUPO DISCIPLINAR
Contabilidade
Maria José Fernandes
Fiscalidade
Sónia Monteiro
Ciências Jurídico-Privatísticas
Pedro Dias Venâncio
Ciências Jurídico-Empresariais
Irene Portela
Ciências Jurídico-Fundamentais
Gonçalo Bandeira
Ciências Jurídico-Administrativas e Fiscais
Irene Portela
Direito Privado
Lurdes Mesquita
Economia
Laurentina Vareiro
Finanças
Fernando Rodrigues
Gestão Empresarial
Pedro Nunes
Marketing e Estratégia
Alexandra Malheiro
Administração e Finanças Públicas
Soraia Gonçalves
Matemática e Estatística
Estela Vilhena
Audiovisuais
Pedro Mota Teixeira
Desenho
Paula Tavares
Design de Comunicação
Nuno Martins
Design Industrial
Maria João Félix
Desenvolvimento do Produto
Ricardo Simões
Ciência e Tecnologia da Programação
João Carlos Silva
Computação Gráfica e Multimédia
Eva Oliveira
Controlo Automação e Robótica
João Vilaça
Eletrónica e Instrumentação
Vítor Carvalho
Engenharia Produção de Sistemas
Manuela Cunha
Hardware, Comunicações e Sistemas Operativos
Nuno Lopes
Sistemas e Tecnologias de Informação
Luís Ferreira
15
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
3.3.5 Centros de Investigação
Os Centros de Investigação são unidades de investigação, que têm como missão contribuir para o conhecimento
científico, através do desenvolvimento de projetos de investigação científica e de investigação aplicada.
O IPCA dispõe de 5 Centros de Investigação, sendo que um, o Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade
(CICF), é reconhecido pela FCT. Todos os Centros de Investigação têm um diretor e membros doutorados internos e
externos.
A atividade desenvolvida no âmbito dos centros de investigação descreve-se na secção III deste documento.
Quadro 5 - Centros de Investigação do IPCA
Escola
Centro de Investigação
Diretor
ESG
Contabilidade e Fiscalidade (CICF)
Maria José Fernandes
EST
Digital Games Research Centre (DIGARDC)
Nuno Rodrigues
3.3.6 Comissões Diretivas de Mestrado/Direções de Mestrado
As Comissões Diretivas de Mestrado/Direções de Mestrado têm como missão coordenar o funcionamento dos
cursos de mestrado da responsabilidade científica das Escolas, sendo constituídas por um diretor e dois vogais, no
caso das Comissões Diretivas de Mestrado.
A 31 de dezembro de 2014, as Comissões Diretivas de Mestrado/Direções de Mestrado e respetivos diretores e vogais,
eram os seguintes:
Quadro 6 - Comissões diretivas de mestrado
ESG
EST
Gestão das Organizações
Diretora: Soraia Gonçalves
Vogal: Pedro Nunes
Vogal: Verónica Ribeiro
Design e Desenvolvimento do
Produto
Ricardo Simões
Fiscalidade
Diretora: Sónia Monteiro
Vogal: Suzana Costa
Vogal: Liliana Pereira
Engenharia Eletrónica e de
Computadores
João Vilaça
Contabilidade e Finanças
Diretora: Maria José Fernandes
Vogal: Fernando Rodrigues
Vogal: Kátia Lemos
Engenharia Informática
Luís Ferreira
Solicitadoria
Diretora: Lurdes Mesquita
Vogal: Irene Portela
Vogal: Pedro Dias Venâncio
Ilustração e Animação
Paula Tavares
Auditoria
Diretor: José Manuel Pereira
Vogal: Sara Serra
Sistemas Integrados de
Gestão – Qualidade, Auditoria
e Segurança
Gilberto Santos
Banca e Seguros
Diretora: Cláudia Cardoso
Vogal: Alexandrino Ribeiro
Vogal: Carlos Loureiro
Gestão autárquica
Diretora: Maria José Fernandes
Vogal: Ricardo Cunha
Vogal: Sérgio Dominique Lopes
16
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
3.3.7 Direções de Curso
As Direções de Curso são órgãos constituídos pelos diretores de curso para os cursos de licenciatura, cursos de
especialização tecnológica, cursos técnicos superiores profissionais e outros cursos não conferentes de grau,
competindo-lhes a representação do curso, bem como as demais funções previstas nos Estatutos. A sua composição
a 31 de dezembro de 2014, era a seguinte:
Quadro 7 - Direções de curso de licenciatura
ESG
EST
Finanças
Diurno: Paulo Leite
Pós-laboral: Fernando
Rodrigues
Design Gráfico
Diretor: Pedro Teixeira
Gestão Bancária e Seguros
Diurno: Cláudia Cardoso
Pós-laboral: Márcia Duarte
Design Industrial
Diretor: Maria João Félix
Contabilidade
Diurno: Verónica Ribeiro
Pós-laboral: Kátia Lemos
Engenharia Eletrotécnica e de
Diretor: João Vilaça
Computadores
Fiscalidade
Diurno: Susana Rua
Pós-laboral: Patrícia Quesado
Engenharia e
Desenvolvimento de Jogos
Digitais
Diretor: Duarte Duque
Solicitadoria
Diurno: Suzana Costa
Pós-laboral: Paulo Sousa
Pinheiro
Engenharia de Sistemas
Informaticos
Diretor: João Carlos Silva
Gestão de Atividades
Turísticas
Diurno: Laurentina Vareiro
Pós-laboral: Raquel Mendes
Informática Médica
Diretor: Nuno Dias
Gestão Pública
Ensino a distância: Pedro Nunes
Contabilidade e Fiscalidade
Ensino a distância: Sónia
Monteiro
Quadro 8 - Direções de Curso de Especialização Tecnológica
ESG
EST
Serviços Jurídicos
Iva Faria
Instalação e Manutenção
de Redes e Sistemas
Informáticos
Joaquim Silva
Banca e Seguros
Alexandrino Ribeiro
Desenvolvimentos de
Produtos Multimédia
Paulo Teixeira
Gestão Comercial
Raquel Pereira
Márcia Duarte
Contabilidade
Lurdes Silva
Gestão da Qualidade
Alexandrino Ribeiro
Quadro 9 - Direções de Curso de Técnicos Superiores Profissionais
ESG
Apoio à Gestão
EST
Oscarina Conceição
Aplicações Móveis
Patrícia Leite
Eletrónica, Automação e
Comando
Paulo Teixeira
Quadro 10 - Direções de Curso de Pós-Graduação
ESG
EST
Contabilidade de Gestão e
Estratégia Empresarial
Fernando Rodrigues
Verónica Ribeiro
--
--
Fiscalidade
Liliana Pereira
--
--
17
SECÇÃO I O INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE
3.4. Serviços de Ação Social
O IPCA está dotado de Serviços de Ação Social (SASIPCA) que é uma unidade vocacionada para assegurar as
funções da ação social escolar, gozando de autonomia administrativa e financeira, conforme previsto na lei e nos
Estatutos do IPCA.
O funcionamento e estrutura orgânica dos SASIPCA estão definidos no Regulamento Orgânico dos Serviços de Ação
Social do IPCA, aprovado pelo Despacho n.º 9611/2013, de 10 de julho e publicado em Diário da República n.º 139, de
22 de julho de 2013.
Os SASIPCA possuem dois órgãos, o Conselho de Ação Social e o Presidente do IPCA, sendo este último o responsável
máximo destes Serviços. O Presidente do IPCA é coadjuvado nas suas funções por um diretor, tendo este cargo sido
ocupado, no ano de 2014, pela Dra. Sofia Coelho.
Os SASIPCA apresentam a seguinte estrutura:
Figura 4 - Estrutura dos SASIPCA
18
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Assinatura de protocolo com a CIM Cávado
13 de outubro de 2014
19
Visita do Secretário de Estado do Ensino Superior às
instalações do IditeMinho, em Braga.
13 de junho de 2014
Mini-estágio Grande Laboratório
14 de abril de 2014
20
SECÇÃO II
Ensino e Aprendizagem
1. Oferta formativa
Apresenta-se nesta secção toda a atividade pedagógica desenvolvida pelas Escolas ao longo do ano de 2014,
nomeadamente, a oferta formativa e as atividades de extensão pedagógica desenvolvidas.
1.1 Escola Superior de Gestão
A Escola Superior de Gestão (ESG) é uma unidade orgânica de ensino e investigação do IPCA, integrando-se na
rede de ensino superior público português, ao nível do ensino politécnico. Sedeada na cidade de Barcelos, tem por
missão contribuir para o desenvolvimento da sociedade, estimular a criação cultural, a investigação e a pesquisa
aplicadas e fomentar o pensamento reflexivo e humanista, proporcionando áreas de conhecimento para o exercício
de atividades profissionais.
Iniciou a sua atividade pedagógica no ano letivo de 1996/1997, oferecendo atualmente cursos de mestrado,
licenciatura e ainda cursos de especialização tecnológica e cursos técnicos superiores profissionais. Dentro das
suas atribuições, a ESG organiza igualmente cursos livres de línguas, cursos de preparação para exames de acesso a
ordens profissionais, seminários e congressos internacionais, bem como outros cursos e seminários dentro das suas
áreas de atuação.
A qualidade do ensino ministrada é estimulada pelo sucesso da aplicação dos princípios da Declaração de Bolonha
assim como a articulação com o setor empresarial e com o setor público, afirmando-se a ESG como um pilar do
desenvolvimento regional e nacional.
A ESG integra o Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade (CICF) que se tornou o primeiro Centro de
Investigação nesta área a ser reconhecido pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).
21
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Quadro 11 - Resumo dos cursos oferecidos pela ESG em 2014
Mestrados
Fiscalidade
Gestão das Organizações
Contabilidade e Finanças
Solicitadoria
Auditoria
Banca e Seguros
Gestão Autárquica (blended-learning)
Licenciaturas
Contabilidade
Fiscalidade
Solicitadoria
Finanças
Gestão Bancária e Seguros
Gestão de Atividades Turísticas
Gestão Pública
Contabilidade e Fiscalidade
Pós-Graduações
Fiscalidade
Contabilidade de Gestão e Estratégia Empresarial
Cursos de Especialização Tecnológica
Banca e Seguros
Gestão Comercial
Serviços Jurídicos
Contabilidade
Contabilidade Pública
Gestão da Qualidade
Cursos Técnicos Superiores Profissionais
Apoio à Gestão
1.1.1 Mestrados
O ano de 2014 foi marcado pela consolidação da oferta de formação pós-graduada com o funcionamento dos
mestrados em Fiscalidade, Banca e Seguros, Gestão Autárquica, Gestão das Organizações, Contabilidade e Finanças,
Auditoria e Solicitadoria.
Em outubro de 2014 tiveram início 6 cursos de mestrados, com o seguinte número de inscritos:
Quadro 11 - Cursos de Mestrado da ESG com Início em 2014
MESTRADOS
DATA DE INÍCIO
N.º DE INSCRITOS
Fiscalidade (6.ª edição)
Outubro de 2014
23
Gestão Autárquica - B-learning (3.ª edição)
Outubro de 2014
17
Solicitadoria (5.ª edição)
Outubro de 2014
35
Gestão das Organizações (7.ª edição)
Outubro de 2014
28
Auditoria (4.ª edição)
Outubro de 2014
20
Contabilidade e Finanças (5.ª edição)
Outubro de 2014
19
1.1.2 Pós-Graduações
Os cursos de pós-graduação em funcionamento na ESG são formações específicas em determinadas matérias,
orientadas à especialização pretendida.
Neste âmbito, em 2014, terminaram e iniciaram os seguintes cursos de pós-graduações:
22
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 12 - Cursos de Pós-Graduação da ESG com Início em 2014
PÓS-GRADUAÇÃO
DATA DE INÍCIO
N.º DE INSCRITOS
Março de 2014
39
Abril de 2014
18
Fiscalidade (6.ª edição)
Contabilidade de Gestão e Estratégia
Empresarial (1.ª edição)
1.1.3 Licenciaturas
A oferta formativa da ESG ao nível do 1º ciclo, insere-se numa lógica de diversificação da oferta de ensino superior
e da criação de oportunidades de formação superior, em resposta às necessidades concretas e crescentes do setor
empresarial, público e privado, em virtude de uma globalização cada vez mais crescente o que encerra numa
exigência de uma maior qualificação dos recursos humanos
Neste sentido, a ESG, lecionou em 2014, os cursos de licenciatura em: Contabilidade, Fiscalidade, Finanças,
Solicitadoria, Gestão Bancária e Seguros, Gestão de Atividades Turísticas e, dois cursos de ensino a distância,
licenciatura em Gestão Pública e licenciatura em Contabilidade e Fiscalidade conforme quadro a seguir apresentado:
Quadro 13 - Cursos de Licenciatura da ESG em Funcionamento em 2014
LICENCIATURAS
REGIME DE FUNCIONAMENTO
Contabilidade
Diurno e Pós-Laboral
Fiscalidade
Diurno e Pós-Laboral
Solicitadoria
Diurno e Pós-Laboral
Finanças
Diurno e Pós-Laboral
Gestão Bancária e Seguros
Diurno e Pós-Laboral
Gestão de Atividades Turísticas
Diurno e Pós-Laboral
Gestão Pública
Ensino a Distância
Contabilidade e Fiscalidade
Ensino a Distância
1.1.4 Cursos de Especialização Tecnológica
Integram as linhas estratégicas da ESG a oferta de formação profissional – Cursos de Especialização Tecnológica,
com objetivos que se baseiam na criação de quadros intermédios capazes de responder, de forma mais eficaz e
eficiente, aos avanços científicos e tecnológicos.
Aos estudantes que concluam com aproveitamento o curso será atribuído um Diploma de Especialização Tecnológica
– DET. Para além desta atribuição, existe a possibilidade de prosseguir os estudos no ensino superior, através da
candidatura aos Concursos Especiais de Acesso ao Ensino Superior.
Em 2014 tiveram em funcionamento os seguintes Cursos de Especialização Tecnológica, com as respetivas das de
términus e datas de início:
Quadro 14 - Cursos de Especialização Tecnológica da ESG em 2014
CURSO
DATA DE TÉRMINO
DATA DE INÍCIO
Contabilidade (3ª Edição)
Julho de 2014
---
Gestão da Qualidade (1ª Edição)
Julho de 2014
---
Contabilidade (4ª Edição)
---
Outubro de 2014
Gestão Comercial (3ª Edição)
---
Outubro de 2014
Serviços Jurídicos (5ª Edição)
---
Outubro de 2014
23
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
1.1.5 Cursos Técnicos Superiores Profissionais
Em 2014 a ESG lançou-se num novo desafio e estendeu a sua oferta formativa aos novos Cursos Técnicos Superiores
Profissionais. Trata-se de um novo tipo de formação superior, com a duração de dois anos que incluem seis meses
de estágio numa empresa.
Conferem o Diploma de Técnico Superior Profissional e é um curso de Nível 5 do Quadro Nacional de Qualificações.
O principais objetivos destes cursos são desenvolver competências técnicas específicas para dar início a uma
atividade profissional; adquirir formação de tipo superior e integração imediata numa empresa através de estágio
de 6 meses e aumentar a possibilidade de encontrar um emprego, com maior expectativa salarial.
Em novembro de 2014, entraram em funcionamento três turmas do Curso Técnico Superior Profissional de Apoio à
Gestão, no polo de Braga e no Campus do IPCA, em Barcelos, num total de 93 estudantes:
Quadro 15 - Cursos Técnicos Superiores Profissionais da ESG em 2014
CURSO
Técnico de Apoio à Gestão (Barcelos)
Técnico de Apoio à Gestão (Braga)
DATA DE INÍCIO
N.º DE INSCRITOS
Novembro de 2014
30
Regime diurno
Novembro de 2014
31
Regime pós-laboral
Novembro de 2014
39
1.1.6 Atividades de Extensão Pedagógica
As atividades de extensão pedagógica realizadas em 2014 pelos departamentos da ESG, encontram-se sumariadas
no quadro a seguir apresentado:
Quadro 16 - Atividades de Extensão Pedagógica da ESG realizadas em 2014
18 de janeiro - Numa organização conjunta da ESG e do CICF realizou-se uma formação breve sobre o Novo Regime Financeiro
e Contabilístico para as Juntas de Freguesia, ministrado por Pedro Mota e Costa.
25 de janeiro – Seminário “Orçamento de Estado para 2014 e reforma do IRC: Implicações fiscais”, realizado no auditório da
C. M. de Barcelos com a participação de 240 formandos. Foram oradores os docentes da ESG: Rui Manuel Bastos, Luís Filipe
Esteves e Liliana Pereira.
Departamento de
Contabilidade e
Fiscalidade
12 e 18 de março - Seminário “A Reforma do IRC” com a participação de 82 formandos. Foram oradores os docentes da ESG:
Rui Manuel Bastos e Luís Filipe Esteves.
23 de maio - No âmbito da 1ª edição da Pós-Graduação em Contabilidade de Gestão e Estratégia Empresarial, da ESG-IPCA,
realizou-se um seminário sobre o tema “Controlo de Gestão e Apuramento de Custos: o caso da Nestlé Portugal”, com o orador
Hugo Marques, factory controller da Nestlé Portugal.
20 de junho - No âmbito da 5ª edição do Mestrado em Fiscalidade da ESG-IPCA realizou-se um seminário sobre o tema “”As
Alfândegas e o contencioso no âmbito do Direito Aduaneiro e IEC’s”, com o orador Carlos Vicente.
19 de dezembro - António Domingues de Azevedo, atual Bastonário da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) e figura
de referência na área da Contabilidade e da intervenção cívica e pública, esteve no IPCA para participar na Mesa Redonda
“Vida de… com sucesso”, integrada das comemorações do 20º Aniversário do IPCA.
24
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Departamento de
Direito
17 de fevereiro - O presidente da Câmara dos Solicitadores, José Carlos Resende, este no IPCA e anunciou profundas
alterações no regulamento do estágio que permite o acesso à carreira, numa Sessão de Abertura do Segundo Semestre do
Curso de Solicitadoria. Esteve também presente, como orador o presidente do Conselho Regional do Norte, Joaquim Baleiras.
12 de maio - A ESG-organizou mais uma edição da Semana da Solicitadoria com a realização de dois julgamentos simulados,
que colocaram à prova os conhecimentos na área forense dos estudantes finalistas, numa organização do curso de licenciatura
em solicitadoria e que contou com a participação do Dr. Carlos Loureiro e Dr. Luiz Carvalho, docentes deste departamento.
16 de maio – Ainda no âmbito da Semana da Solicitadoria realizaram-se duas sessões sobre “O novo regime de estágio”, que
contaram com as intervenções do vice-presidente do Conselho Regional do Norte e coordenador geral de estágios da Câmara
dos Solicitadores, Luís Ribeiro.
26 de maio – A ESG-IPCA promoveu um Seminário sobre “O Direito da Concorrência - um caso real” e contou com a
intervenção de André Gonçalo Dias Pereira, professor universitário e investigador, destas matérias.
26 de maio – A ESG-IPCA, em colaboração com a SOLICITIUS (Associação para a Promoção da Solicitadoria), promoveu uma
conferência sobre a “Cessação do Contrato de Trabalho” com os oradores Renata Linhares Castro, Juiz de Direito do Tribunal
do Trabalho de Barcelos, e Manuel Marques, Procurador da República junto do Tribunal do Trabalho de Barcelos. A conferência
foi moderada por Paulo Sousa Pinheiro, advogado especialista em Direito do Trabalho e docente do IPCA.
31 de maio - A licenciatura em Fiscalidade da ESG-IPCA realizou um seminário sobre “Algumas Reflexões sobre casos reais do
Direito do Procedimento e Processo Tributário”, com os oradores Gonçalo Bandeira e Pedro Sousa Machado.
13 de outubro - A ESG-IPCA promoveu um Seminário sobre “Direitos Fundamentais Sociais e Direito Penal Económico e
Social”. O evento contou com a intervenção de Zulmar António Fachin, professor universitário e investigador.
11 de novembro - A ESG-IPCA promoveu um Seminário sobre “Estratégia Processual no Âmbito Penal”. O evento contou com a
intervenção de Carlos Pinto de Abreu, advogado e autor do livro “Estratégia Processual”, da Editora Almedina.
16 de dezembro – A ESG-IPCA promoveu um seminário subordinado ao tema “Direitos Fundamentais Tributários na
Constituição Brasileira - Aspetos Fiscais”. Ronny Carvalho da Silva, professor universitário e procurador-geral brasileiro, foi o
orador convidado.
Departamento de
Gestão
10 de janeiro -João de Deus, treinador do Gil Vicente FC, e Belarmino Marques Dias, Mestre em Psicologia do Desporto
e Quadro Superior Especialista dos CTT, com funções de direção e chefia, foram os oradores do seminário “Liderança de
Equipas”, que decorreu na ESG, no Campus do IPCA, no âmbito do mestrado em Gestão das Organizações.
20 de janeiro - A ESG realizou uma Conferência sobre “O Turismo em Barcelos”, A organização do evento esteve a cargo de um
grupo de estudantes finalistas do curso de Gestão de Atividades Turísticas (GAT), no âmbito da unidade curricular de Gestão e
Promoção de eventos. Composição da Mesa: Agostinho Silva (Vice-presidente do IPCA), Carlos Brito (Vereador do Turismo da
Câmara Municipal de Barcelos), Laurentina Vareiro (Diretora do Curso de GAT)
5 de maio - A ESG do IPCA promoveu uma aula aberta sobre Ética e Deontologia, no âmbito do curso de Mestrado em
Solicitadoria, com o orador Óscar Ferreira Gomes e o Miguel Costa.
10 de maio - A ESG-IPCA promoveu um seminário sobre o tema: “Felicidade: porque é possível ser mais feliz”, no âmbito do
Mestrado em Gestão das Organizações, com os conceituados oradores João Catalão e Gabriel Mota.
13 de maio - A ESG-IPCA promoveu mais uma edição da Feira de Turismo, dinamizada pelos estudantes do 2º ano do curso de
Gestão de Atividades Turísticas, no âmbito da unidade curricular de Marketing Turístico e Hoteleiro.
18 de dezembro – A ESG-IPCA promoveu uma conferência sobre “A Evolução Recente do Turismo e Perspetivas”. O orador
convidado foi o investigador Licínio Cunha, e foi organizada pelos alunos do 3º ano da licenciatura de Gestão de Atividades
Turísticas (GAT), no âmbito da Unidade Curricular de “Promoção e Animação Turística e Gestão de Eventos” .
Departamento de
Contabilidade e
Fiscalidade
Departamento de
Direito
5 de abril - A ESG promoveu uma ação de formação gratuita sobre o Programa Mendeley, que foi ministrada pelo docente
Paulo Teixeira, dirigido a todos os estudantes de mestrado.
11 de outubro - O economista Daniel Bessa, foi o orador convidado da Sessão de Abertura dos Mestrados da ESG-IPCA, sobre
o tema “O desafio do crescimento, seremos capazes?”.
Departamento de
Gestão
25
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Semana da Solicitadoria
12 de maio de 2014
ESG Open Day
13 de maio de 2014
26
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Feira de Turismo 2014
13 de maio de 2014
GAT Solidário
20 de novembro de 2014
27
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
1.2 Escola Superior de Tecnologia
A EST disponibiliza uma oferta formativa variada aos níveis de graduação, pós-graduação e Cursos não conferentes
de graus. Paralelamente a estas atividades formativas, a EST tem-se ainda destacado na organização regular
de atividades de extensão pedagógica e cientifica como workshops, palestras, seminários de disseminação de
conhecimento.
No que diz respeito à oferta formativa, a EST leciona seis cursos de licenciatura nas áreas científicas de design e
tecnologias, cinco cursos de mestrado e dois cursos de especialização tecnológica.
Desde novembro de 2014 ofereceu pela primeira vez dois cursos técnico superiores profissionais.
Não obstante a bem conhecida diminuição do número de candidatos ao ensino superior pelo concurso nacional
de acesso e a dificuldade acrescida pela obrigatoriedade das provas específicas de Matemática e Físico-Química
para todos os cursos de Engenharia, a EST, no final de todos os concursos e fases de colocação, registou 247 novos
estudantes nos seus Cursos de licenciatura.
Quadro 17 - Resumo dos cursos oferecidos pela EST em 2014
Mestrados
Design e Desenvolvimento de Produto
Engenharia Eletrónica e de Computadores
Engenharia Informática
Ilustração e Animação
Sistemas Integrados de Gestão QAS (Qualidade, Ambiente, Segurança)
Licenciaturas
Design Gráfico
Design Industrial
Engenharia Eletrotécnica e de Computadores
Engenharia e Desenvolvimento de Jogos Digitais
Engenharia de Sistemas Informáticos
Informática Médica
Cursos de Especialização Tecnológica
Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos
Desenvolvimento de Produtos Multimédia
Cursos Técnicos Superiores Profissionais
Aplicações Móveis
Eletrónica, Automação e Comando
1.2.1 Mestrados
Mais do que estratégica, a inovação deve ser vista como fator determinante para reagir a oscilações de mercado
na diferenciação de produtos e processos. Consolidar os padrões de qualidade na formação, estimulando o
desenvolvimento humano e tecnológico, através de processos inovadores e produtivos para a sociedade é o objetivo
dos Cursos de mestrado oferecidos pela EST.
Os Cursos de mestrado da EST proporcionam uma formação profissional de nível aprofundado que prepara quadros
altamente qualificados e contribuiu para a formação inicial de investigação.
Tem, desde outubro, em funcionamento quatro Cursos de mestrado:
Quadro 18 - Cursos de Mestrado da EST com Início em 2014
MESTRADOS
Design e Desenvolvimento de Produto
DATA DE INÍCIO
N.º DE INSCRITOS
Outubro de 2014
26
Engenharia Eletrónica e de Computadores
Novembro de 2014
19
Engenharia Informática
Novembro de 2014
18
Ilustração e Animação
Outubro de 2014
25
Dezembro de 2014
18
Sistemas Integrados de Gestão QAS
(Qualidade, Ambiente, Segurança)
28
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
1.2.2 Licenciaturas
No que diz respeito à formação inicial (1.º ciclo) a EST oferece seis cursos de licenciatura: Design Gráfico, Design
Industrial, Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, Engenharia e Desenvolvimento de Jogos Digitais,
Engenharia de Sistemas Informáticos e Informática Médica.
Os cursos de Design Gráfico e Engenharia de Sistemas Informáticos funcionam em regime diurno e pós-laboral, os
cursos de Design Industrial, Engenharia Eletrotécnica e de Computadores, Engenharia e Desenvolvimento de Jogos
Digitais e Informática Médica são oferecidos apenas em regime diurno, conforme quadro a seguir apresentado:
Quadro 19 - Cursos de Licenciatura da EST em Funcionamento em 2014
LICENCIATURAS
REGIME DE FUNCIONAMENTO
Design Gráfico
Diurno e Pós-Laboral
Design Industrial
Diurno
Engenharia Eletrotécnica e de Computadores
Diurno
Engenharia e Desenvolvimento de Jogos Digitais
Diurno
Engenharia de Sistemas Informáticos
Diurno e Pós-Laboral
Informática Médica
Diurno
1.2.3 Cursos de Especialização Tecnológica
Dando continuidade à oferta formativa a nível dos cursos pós-secundários, não superiores, a EST em 2014 ofereceu os
Cursos de Especialização Tecnológica em Desenvolvimento de Produtos Multimédia e em Instalação e Manutenção
de Redes e Sistemas Informáticos.
Quadro 20 - Cursos de Especialização Tecnológica da EST em 2014
CURSO
DATA DE INÍCIO
N.º DE INSCRITOS
Desenvolvimento de Produtos Multimédia
(9ª Edição)
Outubro de 2014
24
Instalação e Manutenção de Redes e
Sistemas Informáticos (8ª Edição)
Outubro de 2014
24
1.2.4 Cursos Técnicos Superiores Profissionais
Com o objetivo de alargar e diversificar o espectro da oferta de ensino superior em Portugal e, por essa via, aumentar o
número de cidadãos com qualificações superiores, contribuindo, desta forma, para um aumento da competitividade
nacional, em 2014 o Ministério da Educação e Ciência cria os Cursos Técnico Superiores Profissionais. Trata-se de
formação de curta duração no âmbito do ensino superior, que confere um diploma de nível 5 de qualificação do
Quadro Nacional de Qualificações (QNQ).
Estes cursos visam uma integração qualificada no mercado de trabalho e/ou o prosseguimento de estudos, com
vista à conclusão de um ciclo de estudos de licenciatura, atribuem 120 créditos ECTS e têm a duração de dois anos.
Correspondendo a este novo desafio de oferta formativa, a EST, em 2014, ofereceu dois Cursos Técnico Superiores
Profissionais; Aplicações Móveis e Eletrónica, Automação e Comando, este último a funcionar em regime diurno e
pós-laboral.
Quadro 21 - Cursos Técnicos Superiores Profissionais da EST em 2014
CURSO
DATA DE INÍCIO
N.º DE INSCRITOS
Novembro de 2014
30
Regime diurno
Novembro de 2014
29
Regime pós-laboral
Novembro de 2014
30
Aplicações Móveis (Braga)
Eletrónica, Automação e Comando (Braga)
29
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
1.2.5 Atividades de Extensão Pedagógica
No âmbito dos departamentos da EST, em 2014, realizaram-se as seguintes atividades de extensão pedagógica:
Quadro 22 - Atividades de Extensão Pedagógica da EST realizadas em 2014
26 e 27 de fevereiro - exposições e workshops no âmbito do OpenEST.
7 março - “Conversa Com” Martinho Dias, no âmbito da licenciatura em Design Gráfico.
12 e 29 abril - visita de estudo ao Museu de Serralves: Exposição “Mira Schendel” e “12 Contemporâneos”, no âmbito das
unidades curriculares de Desenho II e de Metodologia do Design Gráfico II da licenciatura em Design Gráfico.
30 abril - visita de estudo às empresas Nelo-Kayaks; Caetano Bus no âmbito da unidades curricular de UC de Materiais e
Processos de Fabrico II da licenciatura em Design Industrial.
Maio - Exposição DIANA PROJECT na Embaixada Lomográfica Porto, desenvolvida na UC Metodologia da licenciatura em Design
Gráfico.
5 maio - “Conversa Com” José Pinheiro, no âmbito da licenciatura em Design Gráfico.
18 a 20 setembro - representação curso Design Industrial no Gaiameeting
26 a 27 setembro - Comunicar Design 2014 - IPCA e Casa do Professor
25 outubro - visita de estudo Centro Português Fotografia.
Departamento de
Design
31 outubro - visita de estudo ao Museu de Serralves no âmbito das unidades curriculares de Geometria e Projecção I ; Desenho I e
Metodologia do Design Gráfico I, da licenciatura em Design Gráfico.
19 novembro - visitas técnicas no âmbito da unidade curricular de Produção Gráfica da licenciatura em Design Gráfico às
empresas Berma, UV Plast, MBA Nobrinde.
20 novembro - visitas técnicas no âmbito da unidade curricular de Produção Gráfica da licenciatura em Design Gráfico às
empresas Ligergraf, Artes Gráficas, Sign Impressão Digital de Grande Formato e Colorful.
24 novembro - “Conversa Com” Alessandro Segalini, no âmbito da licenciatura em Design Gráfico.
26 a 29 novembro - 5º Encontro Internacional de Tipografia.
6 de dezembro - visita de estudo ao Museu de Serralves e à Fundação José Rodrigues, no âmbito das unidades curriculares de
Metodologia de Design Gráficco, Geometria I, Desenho I e História do design I da licenciatura em Design Gráfico..
6 e 7 dezembro - workshop sobre Impressão 3D no evento Comiccon.
18 dezembro - visita de estudo às empresas Solidtech, em Ermesinde, e Soplast, em Valongo, no âmbito da 5.ª edição do
mestrado em Design e Desenvolvimento de Produto.
19 dezembro - exposição trabalhos estudantes da licenciatura em Design Industrial patentes nas comemorações do Dia do IPCA.
Departamento de
Tecnologias
22 de março - Seminário sobre Gestão ÁGIL de Projetos de Software, contou com a participação de Miguel Marques, Primavera
BSS e Eduardo Ribeiro da Blip.pt.
5 abril - Seminário sobre Business Analytics, contou com a participação de Nuno Queirós, Primavera BSS e Hélder Quintel da
ALERT Life Science Computing.
29 e 30 de abril - 1.ª edição do Concurso iDroneCup.
10 de outubro - Seminário “3D Computer Vision on a GPU” – contou com a participação de Christopher Zach da Toshiba
Cambridge Research Laboratory.
5 novembro - palestra no âmbito da abertura da 2.ª edição do mestrado em em Engenharia Electrónica e de Computadores, com
Axel Weber, coordenador da Kuka Laboratories Medical Robotics.
6 e 7 novembro - 7.ª Conferência de Ciências e Artes dos Videojogos.
5 a 7 dezembro - Realização de workshops e seminários na Comiccon, Exponor.
19 dezembro – Exposição de jogos e soluções de tecnologia patentes nas comemorações do Dia do IPCA.
Medical Robotics.
Microsoft Tech Day @IPCA.
30
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Open EST
24 de fevereiro de 2014
31
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
iDroneCup 2014
29 de abril de 2014
32
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2. Os Estudantes
Esta secção do relatório apresenta os dados mais relevantes relativamente aos estudantes que frequentam os cursos
ministrados pelo IPCA à data de 31 de dezembro de 2014. São realçados os dados relativos ao total de estudantes
e sua caracterização, estudantes de licenciatura que ingressaram pela 1ª vez em 2014/2015 e sua caracterização,
estudantes de licenciatura que ingressaram através do concurso nacional de acesso, caracterização dos estudantes
de mestrado e a evolução do número de graduados de licenciatura e de mestrado.
2.1 Número Global de Estudantes
Após 18 anos de atividade pedagógica, o IPCA tem inscritos, à data de 31 de dezembro de 2014, um total de 3473
estudantes, distribuídos por cursos de licenciatura (2636), mestrado (449), técnicos superiores profissionais (181),
especialização tecnológica (121), pós-graduação (19) e unidades curriculares isoladas (67).
O número total de estudantes face a 2013 subiu ligeiramente, sendo de realçar ainda que os dados reportados a
31 de dezembro de 2014 não incluem as renovações e inscrições efetuadas para o 2º semestre do ano letivo de
2014/2015, representando estas um total de 112 estudantes, sendo 69 na ESG e 43 na EST. Assim, considerando as
renovações de matrícula para o 2º semestre, o IPCA tem inscritos atualmente3585 estudantes.
O quadro seguinte apresenta a evolução do número total de estudantes do IPCA desde 1996 até 2014, com data
reportada a 31 de dezembro de 2014. As restantes análises apresentadas neste relatório têm por base os dados
apresentados no seguinte quadro.
14/15*
13/14
12/13
11/12
10/11
09/10
08/09
07/08
06/07
05/06
04/05
03/04
02/03
01/02
00/01
99/00
98/99
97/98
96/97
Quadro 23 - Evolução do número total de estudantes 1996/2014
Mest
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
73
184
261
269
241
262
272
Lic
74
196
382
648
856
1098
1277
1399
1236
1192
1174
1309
1473
1610
1990
2074
2169
1959
1795
---
---
---
---
---
22
77
---
27
23
24
---
19
135
104
21
36
17
19
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
37
37
53
73
94
74
55
47
70
TeSP
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
93
UCI
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
39
50
52
32
33
57
TOTAL
ESG
74
196
382
648
856
1120
1354
1399
1263
1215
1235
1346
1618
2041
2499
2490
2533
2318
2306
Mest
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
21
50
132
196
174
176
177
Lic
---
---
---
---
---
---
---
---
213
272
365
592
724
827
913
938
995
914
841
PG
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
14
33
---
0
0
CET
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
36
67
67
122
102
34
51
51
TeSP
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
88
UCI
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
---
4
7
14
19
8
10
TOTAL
EST
---
---
---
---
---
---
---
---
213
272
365
628
812
948
1188
1283
1222
1149
1167
74
196
382
648
856
1120
1354
1399
1476
1487
1600
1974
2430
2989
3687
3773
3755
3467
3473
EST
ESG
PG
CET
TOTAL
Mest – Mestrados; Lic – Licenciaturas ; PG – Pós-graduações; TeSP – Cursos Técnicos Superiores Profissionais; CET – Cursos de Especialização
Tecnológica; UCI – Unidades Curriculares Isoladas
* Dados reportados a 31 de dezembro de 2014, excluindo renovações e inscrições para o 2º semestre que atingiram o montante de 112 perfazendo
um total de 3595 estudantes.
33
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Figura 5 - Evolução do número total de estudantes 1996/2014
O total de estudantes que frequentam o IPCA no a 31 de dezembro de 2014, estão distribuídos da seguinte forma
pelos diversos cursos:
Quadro 24 - Estudantes Inscritos no IPCA, por Curso
N.º Inscritos
2011/2012
N.º Inscritos
2012/2013
N.º Inscritos
2013/2014
N.º Inscritos
2014/2015
Mestrado em Auditoria
43
43
15
23
Mestrado em Contabilidade e Finanças
37
21
32
34
Mestrado em Fiscalidade
57
50
66
50
Mestrado em Gestão Autárquica b-Learning
18
18
20
19
Mestrado em Banca e Seguros
--
16
25
5
Mestrado em Gestão das Organizações
69
69
67
81
CURSOS ESG
Mestrado em Solicitadoria
45
24
37
60
Licenciatura em Solicitadoria
162
210
211
206
Licenciatura em Solicitadoria (pós-laboral)
346
339
287
225
Licenciatura em Contabilidade
140
151
156
169
Licenciatura em Contabilidade (pós-laboral)
266
245
192
145
Licenciatura em Fiscalidade
145
138
120
120
Licenciatura em Fiscalidade (pós-laboral)
243
211
171
118
Licenciatura em Finanças
110
129
133
136
Licenciatura em Finanças (pós-laboral)
106
81
47
18
Licenciatura em Gestão Bancária e Seguros
112
148
150
163
Licenciatura em Gestão Bancária e Seguros (pós-laboral)
143
128
108
112
Licenciatura em Gestão Atividades Turísticas
82
121
145
160
Licenciatura em Gestão Atividades Turísticas (pós-laboral)
127
171
159
147
Licenciatura em Contabilidade e Fiscalidade (ensino a distância)**
31
19
18
2
Licenciatura em Gestão Pública (ensino a distância)
61
78
62
74
Pós-Graduação em Sistemas Normalização Contabilística
21
12
--
--
Pós-Graduação em Fiscalidade
--
24
--
19
Pós-Graduação em Contabilidade de Gestão e Estratégia
Empresarial
--
--
17
--
CET Banca e Seguros
19
21
--
--
CET Contabilidade
18
--
24
21
CET Serviços Jurídicos
24
15
--
24
CET Gestão Comercial
13
19
--
25
CET Gestão Qualidade
--
--
23
--
TeSP Apoio Gestão – Braga
--
--
--
32
TeSP Apoio Gestão (pós-laboral) - Braga
--
--
--
38
TeSP Apoio Gestão - Barcelos
--
--
--
23
UCI
52
32
33
57
2490
2533
2318
2306
Total Inscritos Cursos ESG
34
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 24 - Estudantes Inscritos no IPCA, por Curso (continuação)
N.º Inscritos
2011/2012
N.º Inscritos
2012/2013
N.º Inscritos
2013/2014
N.º Inscritos
2014/2015
Mestrado em Sistemas Integrados Gestão – QAS
76
50
33
11
Mestrado em Design e Desenvolvimento de Produtos
39
41
29
41
Mestrado em Engenharia Informático e Sistemas Empresariais*
32
19
--
4
Mestrado em Ilustração e Animação
49
64
68
56
Mestrado em Engenharia Informática
---
---
24
32
Mestrado em Engenharia Eletrónica e de Computadores
---
---
22
33
Licenciatura em Design Industrial
137
150
143
139
9
---
--
--
CURSOS EST
Licenciatura em Informática para a Saúde
Licenciatura em Informática para a Saúde (pós-laboral)
4
---
--
--
Licenciatura em Design Gráfico
137
153
157
147
Licenciatura em Design Gráfico (pós-laboral)
103
102
95
93
Licenciatura em Informática Médica
110
111
52
40
Licenciatura em Informática
50
26
11
--
Licenciatura em Informática (pós-laboral)
53
29
8
--
Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores
74
133
111
76
Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica e de Computadores
(pós-laboral)
49
---
--
--
Licenciatura em Engenharia Jogos Digitais
59
72
87
104
Licenciatura em Engenharia Sistemas Informáticos
70
109
129
129
Licenciatura em Engenharia Sistemas Informáticos (póslaboral)
76
103
114
113
Licenciatura em Gestão Qualidade, Ambiente e Segurança
(ensino a distância)
7
7
7
--
Pós-Graduação em Gestão da Qualidade-IPSS (2ª edição)
20
--
--
--
Pós-Graduação em Higiene e Segurança no Trabalho (1ª edição)
13
--
--
--
CET Desenvolvimento Produtos Multimédia
54
16
26
27
CET Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas
Informáticos
48
18
25
24
TeSP Eletrónica, Automação e Comando
--
--
--
29
TeSP Eletrónica, Automação e Comando (pós-laboral)
--
--
--
29
TeSP Aplicações Móveis
--
--
--
30
UCI
14
19
8
10
Total Inscritos Cursos EST
1283
1222
1149
1167
TOTAL INSCRITOS NO IPCA
3773
3755
3467
3473
A distribuição dos estudantes do IPCA por tipo de formação é apresentada no quadro seguinte (exclui os estudantes
inscritos em unidades curriculares isoladas). De realçar a oferta formativa, pela primeira vez em 2014/2015, de cursos
TeSP, o que introduz alguma variação na distribuição dos estudantes por tipo de formação, comparativamente aos
anos anteriores.
As licenciaturas representam o tipo de formação mais frequentado pelos estudantes, com uma percentagem
superior a 75% nos 4 anos em análise, seguindo-se os mestrados cuja percentagem permaneceu nos 13% em 2014.
A oferta de TeSP representa em 2014/2015 5% da oferta total.
35
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Quadro 25 - Distribuição dos Estudantes por Tipo de Formação
2011/2012
TIPO DE FORMAÇÃO
2012/2013
2013/2014
2014/2015
N.º
estudantes
%
N.º
estudantes
%
N.º
estudantes
%
N.º
estudantes
%
Mestrados
465
13%
415
11%
438
13%
449
13%
Licenciaturas
3012
81%
3164
86%
2873
83,5%
2636
77%
Pós-Graduações
54
1%
36
1%
17
0,5%
19
1%
Cursos de Especialização Tecnológica
176
5%
89
2%
98
3%
121
4%
--
--
--
--
--
--
181
5%
3707
100%
3704
100%
3426
100%
3406
100%
Cursos Técnicos Superiores Profissionais
TOTAL
Figura 6 - Distribuição dos Estudantes por Tipo de Formação
Quadro 26 - Distribuição dos Estudantes por Escola e Tipo de Formação
Licenciaturas
Mestrados
CET's
TOTAL
TESP
Nº
Estudantes
%
Nº
Estudantes
%
Nº
Estudantes
%
Nº
Estudantes
%
Nº
Estudantes
%
ESG
1795
68%
272
61%
70
58%
93
51%
2230
67%
EST
841
32%
177
39%
51
42%
88
49%
1097
33%
IPCA
2636
100%
449
100%
121
100%
181
100%
3327
100%
2.2 Caracterização dos Estudantes de Licenciatura
2.2.1 Total de estudantes de licenciatura em 2014/2015
Nesta secção apresenta-se a caracterização do total de estudantes de licenciatura do IPCA por residência, género,
escalão etário e regime de frequência.
RESIDÊNCIA DE ORIGEM
O quadro seguinte revela que a maioria dos estudantes de licenciatura do IPCA são provenientes do concelho de
Braga, representando 26,1% dos estudantes, seguindo-se o concelho de Barcelos com 25,8% e o concelho de Vila
Nova de Famalicão com 7,1%.
Apesar de haver uma elevada dispersão ao nível da proveniência dos estudantes de licenciatura, distribuídos por
mais de 90 concelhos do país, o distrito de Braga é o mais representativo com cerca de 80% dos estudantes. O
elevado número de estudantes a frequentar o regime pós-laboral contribui para esta elevada concentração de
estudantes na região.
36
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 27 -Distribuição dos estudantes de licenciatura por Concelho (em %)
CONCELHO
Nº ESTUDANTES
%
Braga
688
26,1%
Barcelos
680
25,8%
Vila Nova de Famalicão
187
7,1%
Vila Verde
173
6,6%
Guimarães
123
4,7%
Esposende
119
4,5%
Viana do Castelo
89
3,4%
Póvoa de Varzim
73
2,8%
Amares
49
1,9%
Outros
455
17,3%
TOTAL
2636
100,0%
Quadro 28 -Distribuição dos estudantes de licenciatura por Distrito (em %)
DISTRITO
Nº ESTUDANTES
%
Braga
2089
79,2%
Porto
306
11,6%
Viana do Castelo
165
6,3%
Outros
76
2,9%
TOTAL
2636
100,0%
GÉNERO
Em 2014, mais de metade da população discente do IPCA pertence ao sexo masculino. De referir que, devido ao tipo
de cursos que são oferecidos, predomina a população feminina na ESG e a população masculina na EST, conforme
evidencia o quadro seguinte.
Quadro 29 - Distribuição dos estudantes de licenciatura por género (em %)
GÉNERO
ESG
EST
IPCA
Feminino
41,4
8
49,4
Masculino
26,1
24,5
50,6
TOTAL
67,5
32,5
100
ESCALÃO ETÁRIO
Na análise da média de idades por Escola, a EST possui população discente um pouco mais jovem, com uma
percentagem de estudantes no escalão etário 17-25, de 75,2%, enquanto que na ESG, essa mesma faixa etária,
representa 66,8% dos estudantes, sendo que a justificação passa por um maior número de estudantes a frequentar
os cursos em regime pós-laboral, bem como uma maior oferta de ensino a distância.
Realça-se ainda o facto de, no IPCA, mais de 30% dos estudantes terem idade superior a 25 anos, evidenciando a
aposta na aprendizagem ao longo da vida que esta instituição tem vindo a prosseguir.
37
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Quadro 30 -Distribuição dos estudantes de licenciatura por escalão etário
ESCALÃO ETÁRIO
ESG
EST
IPCA
17-25
66,8%
75,2%
69,5%
26-35
19,0%
19,5%
19,2%
36-45
10,2%
4,3%
8,3%
46-55
3,4%
0,6%
2,5%
+ 55
0,6%
0,4%
0,5%
REGIME DE ENSINO
Os cursos de licenciatura do IPCA funcionam em diferentes regimes: diurno, pós-laboral e ensino a distância. O
quadro seguinte apresenta a distribuição dos estudantes de licenciatura de acordo com o regime de frequência.
Como se pode verificar o número de estudantes a frequentar o regime diurno tem vindo a aumentar, atingindo
os 60% em 2014/2015. Em simultâneo, o número de estudantes de licenciatura a frequentar o ensino em regime
pós-laboral tem vindo a diminuir, atingindo em 2014 os 37%. A percentagem de estudantes em regime de ensino a
distância tem-se mantido estável no período em análise.
Quadro 31 -Distribuição dos Estudantes por Regime de Frequência
2012/2013
2013/2014
2014/2015
indicador
2011/2012
Diurno
Póslaboral
Ensino a
distância
Diurno
Póslaboral
Ensino a
distância
Diurno
Póslaboral
Ensino a
distância
Diurno
Póslaboral
Ensino a
distância
Nº
1397
1516
99
1651
1409
104
1605
1181
87
1589
971
76
%
47%
50%
3%
53%
44%
3%
56%
41%
3%
60%
37%
3%
Figura 7 - Distribuição dos Estudantes de licenciatura por Regime de Frequência
38
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2.2.2 Estudantes inscritos 1º ano 1ª vez em 2014/20151
NÚMERO DE ESTUDANTES DE LICENCIATURA
Dos 2636 estudantes inscritos nos cursos de licenciatura, 752 (aproximadamente 29%) ingressaram, pela 1.ª vez,
em 2014/2015, nos cursos do IPCA ao abrigo do concurso nacional de acesso (CNA) e dos concursos especiais (provas
maiores 23 - M23, titulares de curso superior – TCSUP, titulares de CET, Concurso para Estudantes Internacionais,
Regimes Especiais, (mudança de curso – MC e transferência – TRANSF).
O quadro seguinte apresenta a descrição dos estudantes inscritos 1º ano 1ª vez por regime de ingresso. Do total de
estudantes inscritos 1º ano 1ª vez em 2014/2015, verifica-se que cerca de 69% ingressaram através do CNA e 31%
através de outros regimes (13% através das provas M23, 8% de titulares de CET, 7% através do regime de mudança
de curso e 3% através dos restantes regimes especiais).
CNA Vagas
CNA Inscritos
M23 Inscritos
TCSUP
Inscritos
CET
INSCRITOS
MC Inscritos
TRANSF
Inscritos
EI Inscritos
PALOP’S
TOTAIS
Quadro 32 - N.º Estudantes de Licenciatura Inscritos 1º ano 1.º vez em 2014/2015
CONTABILIDADE
45
43
2
1
4
2
0
0
0
52
CONTABILIDADE (pós-laboral)
30
27
4
0
2
0
0
0
0
33
FISCALIDADE
29
29
3
0
3
1
0
0
0
36
FISCALIDADE (pós-laboral)
25
6
11
4
1
3
0
0
0
25
FINANÇAS
30
30
1
0
5
0
0
0
1
37
SOLICITADORIA
40
38
4
0
2
8
1
0
0
53
SOLICITADORIA (pós-laboral)
40
41
5
1
1
2
0
0
0
50
GESTÃO BANCÁRA E SEGUROS
38
37
5
0
4
2
0
0
1
49
GESTÃO BANCÁRA E SEGUROS
(pós-laboral)
30
27
3
3
2
1
0
0
0
36
GESTÃO DE ACTIVIDADES TURÍSTICAS
40
38
4
0
3
7
1
1
0
54
GESTÃO DE ACTIVIDADES TURÍSTICAS
(pós-laboral)
40
39
7
0
1
2
0
0
0
49
GESTÃO PÚBLICA (ensino a distância)
28
6
19
1
0
7
0
0
0
33
Inscritos Cursos ESG
415
361
68
10
28
35
2
1
2
507
DESIGN GRÁFICO
40
38
4
0
0
0
0
0
0
42
DESIGN GRÁFICO (pós-laboral)
25
24
4
2
0
0
0
0
0
30
DESIGN INDUSTRIAL
40
37
1
0
0
2
0
0
0
40
INFORMÁTICA MÉDICA
20
8
0
0
2
2
0
0
0
12
ENGENHARIA ELETROTÉCNICA E
COMPUTADORES
20
1
3
1
11
5
0
0
0
21
ENGENHARIA DESENVOLVIMENTO
JOGOS DIGITAIS
25
25
3
2
2
1
0
0
0
33
ENGENHARIA DE SISTEMAS
INFORMÁTICOS
25
24
0
1
2
4
0
0
0
31
ENGENHARIA DE SISTEMAS
INFORMÁTICOS (pós-laboral)
25
0
16
2
14
4
0
0
0
36
Inscritos Cursos EST
220
157
31
8
31
18
0
0
0
245
TOTAL INSCRITOS
635
518
99
18
59
53
2
1
2
752
CURSOS
LEGENDA
CNA - Concurso Nacional de Acesso; PALOP´s - Estudantes Oriundos dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa;
M23 - Provas Especialmente Adequadas Destinadas a Avaliar a Capacidade para a Frequência do Ensino dos Maiores de 23
Anos; TCSUP - Titulares de Curso Superior; CET - Titulares de Diploma de Curso de Especialização Tecnológica; MC - Regime de
Mudança de Curso.
1
Inclui os estudantes que ingressaram via concursos nacional de acesso e via concursos especiais.
39
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
RESIDÊNCIA DE ORIGEM
O quadro seguinte revela que a maioria dos novos estudantes que ingressaram no IPCA em 2014/215 é proveniente
do concelho de Barcelos (26%), seguindo-se o concelho de Braga com 24%. Os concelhos de Vila Nova de Famalicão,
Vila Verde, Esposende e Guimarães representam concelhos com alguma representatividade. Alguns concelhos
foram agrupados em “Outros”, por terem pouca representatividade.2
Quadro 33 - Distribuição dos estudantes de licenciatura 1º ano 1ª vez 2014/2015, por concelho
ESG
EST
IPCA
Concelho
Nº alunos
%
Nº alunos
%
Nº alunos
%
Barcelos
135
27%
60
24%
195
26%
Braga
122
24%
56
22%
178
24%
Vila Nova de Famalicão
31
6%
13
5%
44
6%
Vila Verde
35
7%
8
3%
43
6%
Guimarães
28
6%
12
5%
40
5%
Esposende
23
5%
10
4%
33
4%
Póvoa de Varzim
12
2%
13
5%
25
3%
Viana do Castelo
16
3%
6
2%
22
3%
Vila do Conde
10
2%
8
3%
18
2%
Ponte de Lima
8
2%
5
2%
13
2%
Maia
7
1%
5
2%
12
2%
Amares
5
1%
6
2%
11
1%
Póvoa de Lanhoso
5
1%
3
1%
8
1%
Porto
5
1%
2
1%
7
1%
Outros
56
11%
47
19%
103
14%
TOTAL
498
100%
255
100%
752
100%
GÉNERO
Pelo quadro a seguir apresentado verifica-se que as duas escolas têm uma distribuição de género contrária, isto
é, a ESG tem maioritariamente novos estudantes do sexo feminino (58,7%), e na EST cerca de 73,8% dos novos
estudantes são do sexo masculino (tal como se verificou na distribuição do número total de estudantes por Escola).
Quadro 34 - Distribuição dos estudantes de licenciatura 1º ano 1ª vez 2014/2015, por concelho
ESG
GÉNERO
EST
Total
Nº estudantes
%
Nº estudantes
%
Nº estudantes
%
Feminino
298
58,7
64
26,2
362
48,1
Masculino
210
41,3
180
73,8
390
51,9
IPCA
508
100
244
100
752
100
2
Incluídos em “Outros” encontram-se os seguintes concelhos: Vila Nova de Gaia, Trofa, Paredes, Monção, Maia, Melgaço, Santo Tirso, Caminha,
Macedo de Cavaleiros, Amarante, Vila do Conde, Vila Nova de Cerveira, Nazaré, Aveiro, Fafe, Matosinhos, Vagos, Amarante, Arcos de Valdevez, Aveiro, Baião,
Caminha, Cinfães, Espinho, Fafe, Funchal, Gondomar, Lagos, Lisboa, Lousada, Marco de Canaveses, Marinha Grande, Matosinhos, Melgaço, Monção, Montalegre, Ovar, Paços de Ferreira, Parede de Coura, Paredes, Penafiel, Ponta Delgada, Ponte da Barca, Porto de Mós, Santo Tirso, Stª. Maria da Feira, Terras de
Bouro, Trofa, Valongo, Vieira do Minho, Vila do Conde, Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Gaia.
40
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
ESCALÃO ETÁRIO
Relativamente às idades dos novos alunos, verifica-se pelo quadro seguinte que, independentemente, da escola, os
estudantes da ESG e da EST têm maioritariamente entre 17 e 25 anos (80,7% e 84,4%, respetivamente). Segue-se o
escalão dos 26 aos 35 anos, cujas percentagens associadas são na ESG e na EST de 10,6% e 16,4%, respetivamente.
Quadro 35 - Distribuição dos estudantes de licenciatura 1º ano 1ª vez 2014/2015, por escalão etário
ESG
EST
IPCA
Idade
Nº alunos
%
Nº alunos
%
Nº alunos
%
[17,25]
410
80,7%
206
84,4%
606
80,5%
[26,35]
54
10,6%
40
16,4%
94
12,5%
[36,45]
29
5,7%
6
2,5%
35
4,7%
[46,55]
14
2,8%
1
0,4%
15
2,0%
>=56
1
0,2%
1
0,4%
2
0,3%
Total
508
100,0%
244
100,0%
752
100,0%
ESCOLA ANTERIOR FREQUENTADA
Com o quadro a seguir apresentado é possível verificar quais as escolas frequentadas anteriormente pelos
estudantes que se inscreveram no 1º ano 1ª vez no ano letivo 2014/2015. Ao nível das Escolas Secundárias, no topo
da lista aparece a Escola Secundária Alberto Sampaio (Braga), com 5,3% dos estudantes, seguindo-se a Escola
Secundária Alcaides de Faria, Barcelos com 5,2% e a Escola Secundária Escola Secundária D. Maria II com 4,5%.
Foram incluídas em “Outras” todas as escolas cuja percentagem está abaixo de 1%.
Quadro 36 - Distribuição dos estudantes de licenciatura 1º ano 1ª vez 2014/2015, por escalão etário
ESCOLA ANTERIOR
CONCELHO
N.º alunos
%
Escola Secundária Alberto Sampaio
Braga
40
5,3%
Escola Secundária Alcaides de Faria
Barcelos
39
5,2%
Escola Secundária D. Maria II
Braga
34
4,5%
Escola Secundária Carlos Amarante
Braga
33
4,4%
Escola Secundária de Barcelos
Barcelos
29
3,9%
Externato Carvalho Araújo
Braga
23
3,1%
Escola Secundária Sá de Miranda
Braga
21
2,8%
Escola Secundária de Vila Verde
Vila Verde
19
2,5%
Escola Secundária de Barcelinhos
Barcelos
18
2,4%
Escola Artística Soares dos Reis
Porto
17
2,3%
Escola Secundária Henrique Medina
Esposende
17
2,3%
Escola Secundária de Caldas das Taipas
Guimarães
14
1,9%
Escola Secundária Eça de Queirós
Póvoa de Varzim
14
1,9%
Escola Secundária Rocha Peixoto
Póvoa de Varzim
13
1,7%
Escola Secundária Camilo Castelo Branco
Vila Nova de Famalicão
12
1,6%
Escola Secundária da Trofa
Trofa
12
1,6%
Escola Secundária D. Sancho I
Vila Nova de Famalicão
11
1,5%
Externato Infante D. Henrique
Braga
10
1,3%
Outras
---
382
50,0%
TOTAL
---
752
100%
41
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
2.2.3 Resultados do Concurso Nacional de Acesso 2014/2015
No âmbito do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior foram colocadas a concurso 635 vagas. Na 1ª fase
foram colocados 436 estudantes, representando uma taxa de ocupação de 69% das vagas iniciais, sendo o IPCA o
Politécnico com a segunda maior percentagem de colocados nesta fase.
Decorridas as 3 fases do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior, o IPCA registou uma taxa de ocupação
99%, ou seja, estudantes colocados face às vagas fixadas, registando, uma vez mais, a segunda maior percentagem
de ocupação de vagas através deste regime de acesso, entre as instituições de ensino superior politécnico.
Quando analisados os estudantes efetivamente matriculados a taxa de estudantes matriculados face às vagas
disponibilizadas atingiu os 82,2%.
Quadro 37 - Resultados do Concurso Nacional de Acesso Ensino Superior 2014/2015
N.º Colocados
N.º Colocados
NP
% Ocupação
Vagas
N.º Inscritos
N.º Colocações 1.ª Fase
Transferidas 2.º Fase
N.º Vagas
N.º Colocados
N.º Inscritos
N.º Colocações 2.ª Fase T
ransferidas 3.ª fase
N.º Vagas
N.º Colocados
N.º Inscritos
N.º Total Inscritos
N.º Total Colocados
% Total Ocupação Vagas
Resultados 3.ª Fase
Concurso Nacional
Acesso
N.º Vagas
Resultados 2.ª Fase
Concurso Nacional
Acesso
CONTABILIDADE
45
45
0
100,0%
38
4
10
10
9
0
0
0
0
43
55
122,2%
CONTABILIDADE (pós-laboral)
30
12
0
40,0%
12
1
19
19
16
0
0
0
0
27
31
103,3%
FISCALIDADE
29
19
0
65,5%
17
1
13
14
13
0
0
0
0
29
33
113,8%
FISCALIDADE (pós-laboral)
25
2
0
8,0%
2
0
23
5
4
0
0
0
0
6
7
28,0%
FINANÇAS
30
30
0
100,0%
25
2
7
7
7
0
0
0
0
30
37
123,3%
SOLICITADORIA
40
40
0
100,0%
33
2
9
9
8
1
0
0
0
38
49
122,5%
SOLICITADORIA (pós-laboral)
40
40
1
100,0%
35
1
7
7
7
0
0
0
0
41
47
117,5%
GESTÃO BANCÁRA E SEGUROS
38
38
0
100,0%
31
4
11
11
10
0
0
0
0
37
49
128,9%
GESTÃO BANCÁRA E SEGUROS
(pós-laboral)
30
9
0
30,0%
7
0
23
23
20
0
0
0
0
27
32
106,7%
GESTÃO DE ACTIVIDADES
TURÍSTICAS
40
40
0
100,0%
38
2
4
4
3
1
1
0
0
38
44
110,0%
GESTÃO DE ACTIVIDADES
TURÍSTICAS (pós-laboral)
40
32
0
80,0%
27
1
13
13
13
0
0
0
0
39
45
112,5%
GESTÃO PÚBLICA (ensino a
distância)
28
3
0
10,7%
2
0
26
6
4
0
0
0
0
6
9
32,1%
Inscritos Cursos ESG
415
310
1
74,7%
267
18
165
128
114
2
1
0
0
361
438
105,5%
DESIGN GRÁFICO
40
40
0
100,0%
31
1
10
10
9
1
1
0
0
38
50
125,0%
DESIGN GRÁFICO (pós-laboral)
25
19
0
76,0%
17
1
9
9
8
0
0
0
0
24
28
112,0%
DESIGN INDUSTRIAL
40
40
0
100,0%
33
3
10
10
7
0
0
0
0
37
50
125,0%
ENGENHARIA ELETROTÉCNICA
E COMPUTADORES
20
1
0
5,0%
1
0
19
0
0
0
0
0
0
1
1
5,0%
ENGENHARIA
DESENVOLVIMENTO JOGOS
DIGITAIS
25
20
0
80,0%
19
0
6
6
6
0
0
0
0
25
26
104,0%
ENGENHARIA DE SISTEMAS
INFORMÁTICOS
25
6
0
24,0%
6
1
20
20
20
1
1
0
0
24
26
104,0%
ENGENHARIA DE SISTEMAS
INFORMÁTICOS pós-laboral)
25
0
0
0,0%
0
0
25
0
0
0
0
0
0
0
0
0,0%
INFORMÁTICA MÉDICA
20
1
0
5,0%
1
0
19
5
3
1
13
5
5
8
11
55,0%
Inscritos Cursos EST
220
126
0
57,3%
107
6
118
60
50
3
15
5
5
157
191
86,8%
TOTAL INSCRITOS
635
436
1
69%
374
24
283
188
164
5
16
5
5
518
629
99%
Resultados 1.ª Fase Concurso Nacional
Acesso
CURSOS
42
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2.3 Caracterização dos Estudantes de Mestrado
NÚMERO DE ESTUDANTES DE MESTRADO
Com a organização do ensino superior, no que diz respeito aos ciclos de estudos, os Institutos Politécnicos
passaram a conferir o grau de mestre. Assim, em 2008, o IPCA iniciou a oferta deste tipo de cursos, com os
mestrados em Fiscalidade e Gestão das Organizações, com 91 estudantes inscritos, sendo que este último é
oferecido em parceria com a APNOR.
Em 2014, nos 12 cursos de mestrado oferecidos pelo IPCA, estão inscritos 449 estudantes, distribuídos de acordo
com o quadro a seguir apresentado.
Quadro 38 - N.º Estudantes Inscritos em Cursos de Mestrado
CURSOS DE MESTRADO
2008/2009
2009/2010
2011/2012
2012/2013
2013/2014
2014/2015
--
33
28
43
43
15
23
Contabilidade e Finanças
--
Fiscalidade
40
29
42
37
21
32
34
73
52
57
50
66
50
Gestão Autárquica (b-learning)
Banca e Seguros*
--
--
--
18
18
20
19
--
--
--
--
16
25
5
Gestão das Organizações
30
68
90
69
69
67
81
Solicitadoria
--
49
49
45
24
37
60
Inscritos Cursos Mestrado ESG
70
252
261
269
241
262
272
Design e Desenvolvimento de
Produto
--
--
21
39
41
29
41
Engenharia Informática e Sistemas
Empresariais*
--
--
16
32
19
--
4
Ilustração e Animação
--
--
25
49
64
68
56
Sistemas Integrados de Gestão –
Qualidade, Ambiente e Segurança
21
49
70
76
50
33
11
Engenharia Informática
--
--
--
--
--
24
32
Engenharia Eletrónica e de
Computadores
--
--
--
--
--
22
33
Inscritos Cursos Mestrado EST
21
49
132
196
174
176
177
TOTAL INSCRITOS
CURSOS DE MESTRADO
91
301
393
465
415
438
449
Auditoria
2010/2011
*O curso não esteve em funcionamento em 2014/2015.
Figura 8 - Evolução do número de estudantes inscritos em cursos de mestrado
43
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
RESIDÊNCIA
À semelhança do que se verificou em relação à proveniência dos estudantes de licenciatura, os estudantes de
Mestrado do IPCA residem, na sua maioria, no distrito de Barga (71,3%), seguindo-se o distrito do Porto com 12%.
Em relação ao concelho sabe-se que cerca de 31% dos estudantes de mestrado residem no concelho de Barcelos,
seguindo-se o concelho de Braga com 19,6%.
Quadro 39 - Distribuição dos Estudantes Inscritos em Cursos de Mestrado, por concelho
CONCELHOS
Nº Alunos
%
Barcelos
139
31,0%
Braga
88
19,6%
Esposende
29
6,5%
Guimarães
16
3,6%
Vila Nova de Famalicão
21
4,7%
Vila Verde
10
2,2%
Porto
10
2,2%
Viana do Castelo
9
2,0%
Póvoa de Varzim
7
1,6%
Outros
120
26,7%
TOTAL
449
100,0%
Quadro 40 - Distribuição dos Estudantes Inscritos em Cursos de Mestrado, por distrito
DISTRITO
Nº alunos
%
Braga
320
71,3%
Porto
54
12,0%
Viana do Castelo
22
4,9%
Outros
53
11,8%
TOTAL
449
100,0%
GÉNERO
Em relação ao género, verifica-se que a maioria dos estudantes de mestrado (56,3%) é do sexo feminino,
confirmando-se esta tendência também na ESG. Contrariamente, na EST continuam a predominar os estudantes
do sexo masculino.
Quadro 41 - Distribuição dos estudantes de mestrado por género (em %)
GÉNERO
ESG
EST
IPCA
Feminino
40,1
16,3
56,3
Masculino
20,5
23,2
43,7
TOTAL
60,6
39,4
100,0
ESCALÃO ETÁRIO
A faixa etária dos estudantes de mestrado do IPCA encontra-se, na sua maioria, entre os 17 e os 25 anos (45,7%) e
entre os 26 e os 35 anos (35,9%). A realidade nas duas escolas é um pouco diferente. Na ESG é a faixa etária entre
os 26 e os 35 anos a que representa uma maior percentagem de estuantes (42,7%) enquanto na EST a faixa etária
mais representada é a dos 17 aos 25 anos (59,9%). Assim, conclui-se que os estudantes a frequentar mestrado na
EST são, em média, mais jovens que os estudantes de mestrado da ESG.
44
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 42 - Distribuição dos estudantes de mestrado por escalão etário
Escalão etário
ESG
EST
IPCA
17-25
36,4%
59,9%
45,7%
26-35
42,3%
26,0%
35,9%
26-45
15,8%
12,4%
14,5%
46-55
3,7%
0,6%
2,4%
+55
1,8%
1,1%
1,6%
2.4 Diplomados
2.4.1 Diplomados de licenciatura
Desde o ano de 1999/2000, ano em que foram atribuídos os primeiros diplomas a estudantes dos cursos de
licenciatura do IPCA, até ao momento, graduaram-se 3567 estudantes. De referir que destes, 990 estudantes foram
graduados em curso de Licenciatura Bietápica, entre 1999/2000 a 2008/2009, como mostra o quadro seguinte.
Cursos
Grau
99/00
00/01
01/02
02/03
03/04
04/05
05/06
06/07
07/08
08/09
Totais
Quadro 43 - Evolução do número de Graduados de Licenciatura Bietápica
Contabilidade e Finanças Públicas(*)
B+L
17
27
27
18
23
29
29
32
30
20
252
Contabilidade Empresarial(*)
B+L
19
16
20
23
24
30
26
30
24
13
225
Contabilidade, regime nocturno(*)
B+L
---
---
12
21
25
38
16
23
29
14
178
Fiscalidade(*)
B+L
---
---
6
17
29
11
5
23
30
3
124
Fiscalidade, regime nocturno(*)
B+L
---
---
---
---
12
16
23
17
38
4
110
36
43
65
79
113
124
99
125
151
54
889
Totais Graduados ESG
Sistemas de Informação para a
Gestão(*)
B+L
---
---
---
---
13
12
34
11
9
1
80
Sistemas de Informação para a
Gestão, regime nocturno(*)
B+L
---
---
---
---
---
---
3
5
13
---
21
Totais Graduados EST
---
---
---
---
13
12
37
16
22
1
101
TOTAL GRADUADOS
36
43
65
79
126
136
136
141
173
55
990
Legenda
Grau - B+L: Licenciaturas Bietápicas
(*) Cursos extintos no âmbito da adequação ao Processo de Bolonha
Com a entrada em funcionamento do Processo de Bolonha, os diplomados deixam de ser contabilizados por ano
letivo, passando a ser por ano civil, como se apresenta no quadro seguinte. Podemos verificar que, desde 2008 a
2014, o IPCA diplomou 2577 estudante, destacando-se o curso de Contabilidade como o curso onde se regista mais
estudantes diplomados até ao momento, num total de 391.
De referir que, em 2014, os cursos onde se registaram mais estudantes diplomados foram o curso de Solicitadoria da
ESG, onde se registaram 59 diplomados, e o curso de Design Gráfico da EST, onde se registaram 40 diplomados. Por
outro lado, o ano de 2014 registou o maior número de graduados na história do IPCA, num total de 595.
45
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Quadro 44 - Evolução do número de Graduados de Licenciatura, pós Bolonha
Cursos
Grau
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
Contabilidade e Fiscalidade
L
---
---
---
---
---
---
11
11
Contabilidade
L
20
36
18
31
21
24
25
175
Contabilidade (pós-laboral)
L
17
26
12
39
38
37
47
216
Fiscalidade
L
17
39
24
24
21
24
19
168
Fiscalidade (pós-laboral)
L
---
32
26
35
28
35
48
204
Finanças
L
---
10
31
17
15
16
23
112
Finanças, pós-laboral
L
---
---
8
19
14
15
20
76
Gestão de Atividades Turísticas
L
---
---
---
---
9
12
40
61
Gestão de Atividades Turísticas Pós-Laboral
L
---
---
---
---
8
30
26
64
Gestão Bancária e Seguros
L
---
---
---
16
18
20
21
75
Gestão Bancária e Seguros Pós-Laboral
L
---
---
---
15
26
25
15
81
Solicitadoria
L
---
16
24
19
18
40
32
149
Solicitadoria (pós-laboral)
L
---
11
14
41
43
62
59
230
Gestão Pública
L
---
---
---
---
---
24
12
36
54
170
157
256
259
364
398
1658
Totais Graduados ESG
Totais
Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança
L
---
---
---
---
---
---
5
5
Engenharia Sistemas Informáticos
L
---
---
---
---
---
9
10
19
Engenharia Sistemas Informáticos (Pós-Laboral)
L
---
---
---
---
---
3
11
14
Engenharia Desenvolvimento Jogos Digitais
L
---
---
---
---
1
5
12
18
Design Industrial
L
16
29
50
31
29
39
34
228
Informática Médica
L
---
---
---
---
12
23
14
49
Design Gráfico
L
---
20
40
28
30
34
41
193
Design Gráfico (pós-laboral)
L
---
---
11
11
22
25
21
90
Engenharia Eletrotecnica e de Computadores
L
---
---
---
---
10
11
40
61
Informática
L
18
17
11
8
16
11
4
85
Informática (pós-laboral)
L
---
6
5
10
11
10
5
47
Informática para a Saúde
L
14
29
14
29
3
3
---
92
Informática para a Saúde (pós-laboral)
L
---
3
8
5
2
---
---
18
Totais Graduados EST
48
104
139
122
136
173
197
919
TOTAL GRADUADOS
102
274
296
378
395
537
595
2577
Figura 9 - Evolução do número de Graduados de Licenciatura
46
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Entrega de cartas de curso
3 de maio de 2014
47
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
2.4.2 Diplomados de mestrado
No que diz respeito à evolução do número de estudantes que obteve o grau de mestre, verifica-se uma evolução
crescente e significativa de 2011 para 2014 (um aumento de 44 mestres). Até dezembro de 2014 concluíram o
mestrado um total de 117 estudantes.
Quadro 45 - Evolução do número de Mestres 2011-2014
CURSOS
2011
2012
2013
2014
Totais
Auditoria
---
1
1
4
6
Contabilidade e Finanças
---
3
8
2
13
Fiscalidade
1
1
3
3
8
Gestão Autárquica
---
---
1
4
4
Banca e Seguros
---
---
---
3
3
Gestão das Organizações
2
4
6
9
21
Solicitadoria
---
1
4
---
5
Total Mestres ESG
3
10
23
25
61
Sistemas Integrados de Gestão - QAS
2
9
6
7
24
Desenvolvimento e Design do Produto
---
---
4
9
13
Engenharia Informática e Sistemas
Empresariais
---
---
5
---
5
Ilustração e Animação
---
---
6
8
14
Total Mestres EST
2
9
21
24
56
TOTAL MESTRES
5
19
44
49
117
Figura 10 - Evolução do número de Mestres
48
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
3. O Sucesso Académico e o Abandono Escolar
3.1 Iniciativas no Âmbito da Promoção do Sucesso Académico
O IPCA incorpora na sua missão a diversificação e a atualização da oferta formativa, fortemente articulada com o
tecido económico e empresarial da região e do país, de forma a permitir captar novos públicos, designadamente a
população ativa, numa perspetiva de aprendizagem ao longo da vida.
A oferta formativa articulada com as necessidades de mercado, a implementação dos processos de ensino/
aprendizagem com vista à melhoria contínua, a articulação do ensino com as linhas de investigação desenvolvidas no
IPCA, a disponibilização de cursos e unidades curriculares em regime pós-laboral e em regime de ensino a distância,
constituem algumas medidas centrais que visam promover o sucesso escolar. Paralelamente, a adequação dos
processos de ensino/aprendizagem ao modelo de Bolonha tem sido um processo gradual e progressivo no IPCA,
com vista à criação de um modelo sustentável e ajustado à realidade da nossa instituição.
De seguida, destacam-se algumas medidas que têm vindo a ser adotadas, visando a promoção do sucesso
académico:
> Oferta de formação em horário pós-laboral e em regime de ensino a distância, proporcionando aos seus
estudantes, nomeadamente àqueles que pertencem à população ativa, condições adequadas à frequência do
ensino superior.
> Aplicação do método de avaliação contínua em todos os cursos do IPCA, no sentido de aumentar o trabalho
autónomo dos estudantes (fora da sala de aula), embora com acompanhamento e supervisão dos docentes,
na vertente prática e de laboratório.
> Divisão das turmas com um grande número de estudantes em turnos, de forma a facilitar a aplicação de
métodos de avaliação contínua, referidos no ponto anterior.
> A oferta de formação extracurricular tem sido também uma aposta da instituição de forma a proporcionar
ao estudante o desenvolvimento de novas competências, designadamente ao nível do relacionamento
interpessoal e, até mesmo, em contextos de mobilidade nacional e internacional. A oferta de cursos breves de
formação complementar, tais como cursos livres de línguas, matemática, SPSS, e workshops na área do design,
são disso um exemplo.
> Operacionalização do Moodle e centralização, numa única plataforma, dos vários elementos que compõem o
dossier da unidade curricular, todos os conteúdos didáticos e pedagógicos disponibilizados pelos docentes em
relação à UC, a participação em fóruns de discussão, o envio de trabalhos, o acesso aos enunciados de exames,
entre outras informações, constituindo uma medida que facilita o contacto e a proximidade entre estudantes
e docentes.
> Preenchimento da ficha da unidade curricular no Moodle, permitindo a sua visualização por todos os
estudantes inscritos à UC, após validação da mesma pelo coordenador do grupo disciplinar e diretor de
departamento;
> Continua a ser promovida a formação do corpo docente, designadamente na melhoria da componente
pedagógica e do uso de metodologias de ensino à distância como forma de facilitar o contacto entre docentes
e estudantes;
> A aprovação do manual da qualidade em 2012 constituiu um passo fundamental para formalizar e
institucionalizar a política de garantia da qualidade dos processos de ensino/aprendizagem com vista à
melhoria contínua. A monitorização e avaliação dos resultados escolares permite detetar mais facilmente os
resultados insatisfatórios e propor formas de os melhorar.
3.2 O Abandono Escolar
O problema do abandono escolar no ensino superior tem preocupado as Instituições de Ensino Superior, no contexto
nacional e internacional, bem como o próprio Governo, a Assembleia da República, a comunicação social e a
sociedade em geral.
A criação de estruturas de apoio aos estudantes, ajudando-os a ajustar as suas expectativas e a desenvolver formas
de lidar com o stress, e o apoio diversificado em situações de carência económica, constituem medidas essenciais no
combate ao abandono escolar, no contexto social e económico em que vivemos. Por outro lado, o acompanhamento
e proximidade da academia, com vista a facilitar a integração/adaptação dos novos estudantes à instituição,
49
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
fazendo-os sentir-se parte da mesma, é prioritário na retenção dos estudantes, principalmente no 1º ano.
Neste contexto, o IPCA tem procurado acompanhar o problema do abandono escolar que se vive na Instituição.
Assim, sempre que se inicia um novo ano letivo e após o período de matrículas, os estudantes que não renovaram a
matrícula são contactados telefonicamente pela Instituição, de forma a compreender as causas do abandono e, se
possível, reverter a situação de abandono.
Ainda neste âmbito, o IPCA tem vindo a adotar um conjunto de medidas, referidas no ponto 3.2.2 da presente
secção, que visam aumentar a retenção dos estudantes, especialmente quando as dificuldades estão associadas
a fatores económicos, de expectativas em relação ao curso ou de dificuldades no acompanhamento das matérias.
3.2.1 Abandono Escolar em 2013/2014
Com base nos dados obtidos através dos contactos telefónicos, em julho de 2014 foi feito um estudo sobre o
abandono escolar por parte dos estudantes de licenciatura do IPCA no ano letivo 2013/2014. O objetivo do estudo foi
quantificar o abandono escolar e perceber quais as causas/motivos que estiveram na base da decisão de abandonar
os estudos por parte dos estudantes do IPCA.
No ano letivo 2013/2014, o número total de estudantes que não renovaram a matrícula para esse ano letivo situouse nos 292. Acresce a este número, os estudantes que renovaram a matrícula mas que, já no decurso do ano letivo
2013/2014, solicitaram a interrupção dos estudos ou a anulação da matrícula nos cursos de licenciatura em que
estavam inscritos. Nesta situação foram contabilizados 78 estudantes.
O valor global do abandono escolar no ano letivo 2013/2014, é apresentado no quadro seguinte:
Quadro 46 - Números abandono escolar 2013/2014
N.º de estudantes
Não renovações de matrícula
292
Interrupções/anulações de matrícula
78
TOTAL
370
Considerando que no ano letivo 2013/2014 estavam inscritos nos cursos de licenciatura 2873 estudantes, podemos
concluir que a taxa de abandono escolar no IPCA se situou nos 12,88%. De salientar que num estudo realizado sobre
o abandono escolar e que envolveu oito Institutos Politécnicos do país, entre os quais o IPCA, as taxas de abandono
obtidas para 2013/2014 situaram-se no intervalo compreendido entre 10,3% e 18,9% (o valor de referência a nível
internacional situa-se nos 20%).
Relativamente às causas para o abandono escolar em 2013/2014, os estudantes do IPCA apontaram como principais
motivos para o abandono:
Motivo de abandono
Incompatibilidade entre vida académica e vida profissional
Dificuldades financeiras
Motivos pessoais
Curso não corresponde às expectativas
Dificuldade em acompanhar as matérias lecionadas no curso
%
33%
20%
13%
8%
8%
3.2.2 Medidas de Combate ao Abandono Escolar
A adoção de medidas de combate ao abandono escolar, enquanto compromisso do IPCA para o desenvolvimento
do ensino superior em Portugal, tem sido uma das preocupações desta Instituição de ensino. Assim, apontam-se
algumas medidas/estratégias implementadas, com o objetivo de aumentar a retenção dos estudantes:
ESTUDANTE A TEMPO PARCIAL
Como forma de resposta à dificuldade sentida pelos trabalhadores-estudantes em compatibilizar os estudos com
a atividade profissional intensa, é dada a possibilidade a estes estudantes de se inscreverem a um número reduzido
50
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
de unidades curriculares, permitindo, assim, que possam continuar a frequentar o curso.
MUDANÇA INTERNA DE CURSO
É permitida a mudança interna de curso, entre cursos de licenciatura do IPCA da mesma área científica (por exemplo
entre contabilidade e fiscalidade). Esta medida surge de forma a contribuir para a redução do abandono escolar já
que resolve alguns problemas associados à desmotivação do estudante por estar a frequentar um curso que não
corresponde às suas expectativas.
PLANO ESPECIAL DE PAGAMENTO DE DÍVIDAS DE PROPINA
A partir de 2012 passou a ser possível os estudantes beneficiarem de um plano de pagamento das dívidas de propina
em atraso. Desta forma, os estudantes têm a possibilidade de regularizar a sua dívida, de acordo com um plano de
pagamento que não ultrapassa o período do ano letivo, continuando a frequentar o ensino superior no IPCA.
Os serviços académicos do IPCA fazem um acompanhamento mensal destes planos com vista à sua regularização.
Esta medida constitui um importante meio para regularizar propinas em dívida e permitir o reingresso de estudantes
que, de outra forma, não retomariam o seu estudo no ensino superior.
FUNDO DE EMERGÊNCIA
O Fundo de Emergência permite apoiar estudantes com grave carência económica, suscetíveis de afetar o seu
percurso escolar e até a sua subsistência. Os estudantes interessados contactam diretamente os SASIPCA ou são
encaminhados por colegas, docentes ou outros serviços. Ao nível do estudantes que abandonaram o IPCA, quando
se estabelece o contacto telefónico para saber as razões da desistência, podem os mesmos ser encaminhados para
os apoios no âmbito do Fundo de Emergência, quando as razões apontadas para o abandono se prenderam com
dificuldades financeiras.
O número de estudantes que beneficiaram desta medida no ano de 2014 são apresentados no ponto 2.2 da secção
VII.
BOLSA DE COLABORADORES
Este formato de apoio social visa possibilitar a colaboração dos estudantes do IPCA, especialmente os mais
carenciados, em determinadas atividades do IPCA, mediante uma prestação pecuniária proporcional ao número
de horas de serviço prestado. Nos termos do artigo 2º do respetivo regulamento, esta medida visa, entre outros
objetivos, combater o abandono escolar e aumentar o sucesso escolar.
O número de estudantes que beneficiaram desta medida no ano de 2014 são apresentados no ponto 2.3 da secção
VII.
GABINETE DE PSICOLOGIA DOS SASIPCA
Para os que iniciam a sua formação académica, a entrada no ensino superior marca um momento decisivo na sua
vida, que, muitas vezes, se revela pleno de expectativas, ansiedades e angústias. Para facilitar a fase de adaptação,
é disponibilizado apoio psicológico, através do Gabinete de Psicologia dos SASIPCA, de forma gratuita, tendo como
objetivo promover o bem-estar e o desenvolvimento pessoal do estudante e encorajando-o a estabelecer percursos
gratificantes ao longo da sua vida académica.
4. Sistema Interno de Garantia de Qualidade - SIGQa-IPCA
4.1 Desenvolvimento e implementação do Subsistema de Garantia da Qualidade da
Unidade Curricular
Durante o ano de 2014 deu-se continuidade ao desenvolvimento e implementação do SIGQa_IPCA, mais
concretamente ao nível da avaliação da qualidade dos processos de ensino/aprendizagem. Foi concluído o
desenvolvimento do relatório de autoavaliação do curso (RA_Curso) e do relatório síntese do ensino/aprendizagem
do Conselho Pedagógico. Ambos os relatórios foram desenvolvidos na plataforma moodle, permitindo a
disponibilização automática de toda a informação relativa à caracterização dos estudantes, aos resultados do
sucesso escolar e aos resultados da avaliação pedagógica de cada curso, incluindo a sinalização de resultados
insatisfatórios que implicam a definição de plano de melhoria. De forma similar tinha já sido desenvolvido em 2013
o relatório de autoavaliação da UC que contém informação similar ao nível na unidade curricular que constitui a
base de todo o sistema de autoavaliação. A análise da toda esta informação é da responsabilidade das respetivas
direções de curso. O relatório foi disponibilizado, em plataforma de teste, no final de 2014.
51
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Um resumo do desenvolvimento do SIGQa-IPCA realizado em 2014 é apresentado no quadro seguinte.
Quadro 47 - Principais ações desenvolvidas no âmbito do SIGQa_IPCA em 2014
Processo/Modelo
Alteração aos QAPa
aplicado aos cursos de
2º ciclo
Ação/Descrição
No seguimento da alteração efetuada ao QAPa aplicado aos cursos de 1º
ciclo, efetuada em 2013, foi também revisto o questionário para avaliação do
processo de ensino /aprendizagem para os cursos de mestrado. Foram revistos
e alterados os itens de cada uma das dimensões de avaliação: UC, atividade
Docente e Estudante. Foi acrescentado um conjunto de questões iniciais para
perceber as motivações para a escolha de cada curso e reformulado o conjunto
de questões relativo à ‘Organização e Direção de curso’.
Estado atual
Implementado
O novo modelo de questionário foi já aplicado a todos os cursos de mestrado
em funcionamento no ano letivo de 2014/2015.
À semelhança do que tem vindo a ser feito desde o 2º semestre de 2012, estes
questionários são disponibilizados online aos estudantes na plataforma moodle.
Procedimento para o
tratamento estatístico
dos dados resultantes
dos QAPa
O procedimento para o tratamento estatístico das respostas dadas pelos
estudantes aos QAPa, nomeadamente os critérios de representatividade para
cada questão e para cada dimensão de avaliação, foi já aplicado nos resultados
da avaliação pedagógica relativos ao 1º semestre do ano letivo 2014/2015. Esta
informação é posteriormente utilizada para a definição dos níveis de sinalização
do par UC/Docente e da Atividade pedagógica do Docente, que integram o
RA_UC.
Implementado
Relatório de
autoavaliação do curso
RA_Curso
O Relatório de autoavaliação do curso a ser preenchido no moodle foi concluído.
O relatório de autoavaliação do curso é da responsabilidade dos Diretores
de Curso e contempla informação relativa à caracterização e resultados
observados em cada curso, bem como os planos de melhoria sugeridos. Grande
parte desta informação é recolhida de forma automática pelo sistema de
informação.
Em aplicação
(versão teste)
Relatório Síntese do
ensino/aprendizagem do
Conselho Pedagógico
O desenvolvimento do Relatório Síntese ensino/aprendizagem do Conselho
Pedagógico foi também concluído. O relatório síntese reúne toda a informação
relativamente aos resultados na dimensão ensino/aprendizagem em todos
os ciclos de estudos da UO. Esta informação é posteriormente analisada
em Conselho Pedagógico, devendo ser efetuada uma apreciação global dos
resultados académicos, uma análise SWOT do ensino ministrado na UO e,
quando aplicável, efetuadas sugestões de melhoria.
Em aplicação
(versão teste)
Relatório de
autoavaliação da
Unidade Orgânica
A comissão nomeada para o desenvolvimento deste relatório3 está já a definir
toda a estrutura do relatório. Com o desenvolvimento em curso de um sistema
de apoio à decisão, através de verbas do SAMA, a grande parte dos dados
constantes deste relatório são indicadores de desempenho da UO que são
alimentados diretamente pelo sistema.
Em desenvolvimento
52
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
4.2 Avaliação do processo de ensino/aprendizagem
4.2.1 Questionários de avaliação pedagógica - QAPa
Os questionários de avaliação pedagógica disponibilizados aos estudantes no final de cada semestre são parte
integrante do subsistema de garantia da qualidade da unidade curricular e constituem a principal ferramenta de
recolha de opinião relativamente ao processo de ensino/aprendizagem, sendo preenchidos online, nos cursos de 1º
ciclo, desde o segundo semestre do ano letivo 2012/2013.
Para além dos cursos de 1º e 2º ciclo, são aplicados QAPa aos restantes cursos ministrados em ambas as Escolas,
nomeadamente cursos não conferentes de grau, cursos de especialização tecnológica e cursos breves.
O número de questionários tratados ao longo de 2014 é apresentado no quadro a seguir, distribuídos por Escola e
tipo de formação.
Quadro 48 - Nº de questionários de avaliação pedagógica analisados - 2014
ESG
EST
Licenciaturas
5.816
2.408
8.224
Mestrados
1.053
946
1.999
Cursos de Especialização Tecnológica
206
328
534
Outros a)
940
--
940
8.015
3.682
11.697
TOTAL
Total
a) Curso de Pós-Graduação e Cursos de preparação para o exame de admissão à OTOC (21ª, 22ª, 23ª, 24ª e 25ª edições).
4.2.2 Participação dos estudantes no processo de avaliação pedagógica – QAPa – cursos de 1º
ciclo
O total de questionários disponibilizados aos estudantes corresponde ao total de inscritos em cada par UC/Docente
de cada ano curricular de cada curso, no respetivo semestre. No ano letivo 2013/2014 registou-se um ligeiro aumento
no número total de respostas, apesar da variação negativa relativamente ao ano letivo anterior registada na EST.
Quadro 49 - Número de resposta aos QAPa nos cursos de licenciatura – regimes diurno, pós-laboral e ensino a distância
nos anos letivos de 2012/2013 e 2013/2014, por escola
2012/2013
2013/2014
Variação relativamente a 12/13
1º sem.
2º sem.
Total
1º sem.
2º sem.
Total
Total
ESG
2.648
1.831
4.479
3.345
2.471
5.816
+1.337
EST
1.428
1.769
3.197
1.346
1.062
2.408
-789
TOTAL
4.076
3.600
7.676
4.691
3.533
8.224
548
A participação dos estudantes neste processo é ainda muito reduzida, não sendo possível em algumas situações,
obter resultados que possam ser considerados representativos.
Nas figuras 11 a 14 é apresentada a percentagem de respostas obtida em cada curso, relativamente ao total esperado.
3
A comissão para a elaboração do relatório de autoavaliação da UO foi definida na reunião de 28 de abril do Conselho para a Avaliação e
Qualidade, sendo constituída pelos Diretores das Escola, as Coordenadoras da Qualidade de ambas e a responsável pelo GAQ.
53
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Figura 11 - Percentagem de respostas dadas pelos estudantes, relativamente ao total de inscritos, por curso (1º ciclo)
1º Semestre 13/14 - ESG
Figura 12 - Percentagem de respostas dadas pelos estudantes, relativamente ao total de inscritos, por curso (1º ciclo)
1º Semestre 13/14 - EST
Figura 13 - Percentagem de respostas dadas pelos estudantes, relativamente ao total de inscritos, por curso
2º Semestre 13/14 - ESG
54
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Figura 14 - Percentagem de respostas dadas pelos estudantes, relativamente ao total de inscritos, por curso
2º Semestre 13/14 - EST
4.3. Avaliação e Acreditação de Ciclos de Estudo
4.3.1 Acreditação de novos ciclos de estudos
Em outubro de 2014 foi submetido à Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior apenas um pedido de
acreditação prévia de novo ciclo de estudos, em parceria com Instituto Superior de Contabilidade e Administração
do Instituto Politécnico do Porto: o Mestrado em Gestão de Turismo. Esta proposta surge na sequência dos outputs
pedagógicos e científicos que ambas as instituições têm alcançado na área do Turismo, da forte procura dos
estudantes num curso de 2º ciclo na área do Turismo e também necessidade do mercado recrutar mão de obra
qualificada neste domínio. Aguarda-se ainda o resultado final deste pedido.
Quadro 50 - Pedidos de Acreditação de Novos Ciclos de Estudo em 2014
Escola
ESG
Curso
Grau
Gestão do Turismo
Mestre
Composição da CAE
Vasco Eiriz (Presidente)
Manuel Portugal
José Rodriguez Antón
Decisão da A3ES
Em apreciação pela
A3ES
Relativamente aos pedidos de acreditação de novos ciclos de estudos efetuados em 2013, obteve-se resposta sobre
a acreditação do Mestrado em Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais em 2014. A decisão final da A3ES
foi de acreditar o curso por 6 anos.
Quadro 51 - Novos Ciclos de Estudo acreditados em 2014
Escola
EST
Curso
Grau
Decisão da A3ES
Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais
Mestre
Acreditado por 6 anos
4.3.2 Avaliação e acreditação de ciclos de estudos em funcionamento
Durante o ano de 2014 o IPCA recebeu a visita de duas Comissões de Avaliação Externa para avaliação de dois ciclos
de estudo da ESG (Finanças e Gestão Bancária e Seguros), e um ciclo de estudos da EST (Engenharia Eletrotécnica e
de Computadores), conforme o quadro seguinte. Os respetivos relatórios de autoavaliação tinham sido elaborados
e enviados através do sistema de informação da A3ES em dezembro de 2012. O quadro seguinte apresenta a data
em que decorreram as visitas, a composição das respetivas CAE e ainda a decisão da A3ES resultante do processo.
55
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
Quadro 52 - Visitas das Comissões de Avaliação Externa em 2014
Escola
Curso
Data da visita
Composição da CAE
Decisão da A3ES
22 e 23 de maio
João Carvalho das Neves
(Presidente)
Jacinto Vidigal Silva
Elisabete Simões Vieira
Paolo Colla
Acreditados com
condições
16 e 17 janeiro
Sérgio Manuel Maciel de
Faria (Presidente)
Víctor Fernão Pires
Luis Torres
Acreditados com
condições
Finanças
ESG
Gestão Bancária e
Seguros
EST
Engenharia Eletrotécnica
e de Computadores
Ainda não foi recebida a decisão final do Conselho de Administração da A3ES relativamente à visita efetuada em
2013 para avaliação do curso de Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais.
Cumprindo ainda o calendário de avaliações definido pela A3ES para o IPCA, em 2014 foram também elaborados
os relatórios de autoavaliação das licenciaturas em Design Gráfico e Design Industrial, da EST. O prazo para a
elaboração e entrega do relatório de autoavaliação decorreu entre 16 de Outubro e 28 de dezembro.
O Gabinete para a Avaliação e Qualidade tem coordenado e apoiado as unidades orgânicas em todos os processos
de avaliação externa.
4.4 Pedidos de registo de Cursos Técnicos Superiores Profissionais
Os cursos técnicos superiores profissionais (TeSP), criados pelo Decreto-Lei nº 43/2014 de 18 de março, são ciclos de
estudos superiores não conferentes de grau. Têm a duração de 4 semestres letivos sendo o último destes um estágio
realizado em contexto real de trabalho, numa organização da área de atividade do curso frequentado. Os TeSP têm
como objetivo fundamental o desenvolvimento de competências técnicas específicas que facilitem o início uma
atividade profissional e a integração no mercado de trabalho.
Os pedidos de registo dos TeSP são apresentados à Direção Geral de Ensino Superior, precedidos de pareceres
apresentados ao IEFP e à ANQEP. A primeira fase de pedidos de registo decorreu até 31 de julho de 2014. O IPCA
apresentou cinco pedidos de registo, distribuídos pelas duas Escolas, tal como identificado no quadro a seguir
apresentado.
Quadro 53 - Pedidos de registo de TeSP em 2014
Escola
ESG
Curso
Apoio à Gestão
Exportação e Logística
Local de funcionamento
Decisão
Barcelos e Braga
Aprovados
Barcelos e Braga
Aprovados
Aplicações Móveis
EST
Desenho Técnico e Maquinação
Eletrónica, Automação e Comando
Todos os pedidos foram aprovados pela DGES, tendo os cursos de Apoio à Gestão, Aplicações Móveis e Eletrónica,
Automação e Comando iniciado o seu funcionamento no ano letivo 2014/2015.
56
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
5. Captação de Novos Estudantes
5.1 Campanha de Divulgação do IPCA 2014/2015
5.1.1 Divulgação do IPCA em Escolas Secundárias/Profissionais
O Gabinete de Comunicação e Imagem (GCI) promove, todos os anos, visitas a escolas secundárias e profissionais,
a convite destas ou dos municípios onde estão localizadas, com o intuito de divulgar a oferta formativa do IPCA.
Nessas visitas, o GCI faz-se acompanhar de estudantes recrutados ao abrigo da Bolsa de Colaboradores do IPCA,
previamente selecionados, de acordo com o perfil que se julga ser o mais indicado para estas iniciativas. Esses
estudantes recebem posteriormente uma breve formação sobre pontos-chave do IPCA que deverão ser abordados
durante as conversas informais com os estudantes do ensino secundário/profissional.
Em 2014, foram realizadas as seguintes visitas:
Quadro 54 - Visitas a escolas realizadas em 2014
Nº de convites de escolas/câmaras
40
Nº de visitas efetuadas
30
Nº de estudantes envolvidos
12
Nº de localidades visitadas
20
Meses das visitas
janeiro a junho
Figura 15 - Visitas a escolas realizadas em 2014
57
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
5.1.2 Campanha de Verão
Em 2014, a campanha de divulgação do Verão incidiu, sobretudo, em ações nas praias de Esposende, numa ação
realizada em parceria com a Câmara Municipal de Esposende.
Assim, com a colaboração da AEIPCA, foram montados palcos nas quatro praias de Esposende (uma praia por
cada fim-de-semana do mês de julho) que serviram para aulas de zumba e combat. As aulas eram dirigidas por um
instrutor cedido pela Empresa Municipal Esposende 2000, e contavam com a animação dos estudantes do IPCA, ao
mesmo tempo que entregavam brindes e divulgavam o IPCA.
Além desta campanha mais específica, a AEIPCA percorreu também todo o distrito de Braga com material de
merchandising do IPCA, promovendo a oferta educativa da instituição.
5.1.3 Início dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais
Em 2014, as instituições de ensino superior politécnica passaram a dispor de um novo tipo de oferta educativa: os
Cursos Técnicos Superiores Profissionais (TeSP). Neste primeiro ano, as instituições estiveram limitadas à abertura
de um máximo de três TeSP, por decisão do Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos (CCISP), tendo o IPCA
sido a instituição que contou com mais estudantes inscritos nestes cursos, a nível nacional.
Apoio à Gestão, Eletrónica, Automação e Comando e Aplicações Móveis foram os três cursos escolhidos para
avançar, totalizando seis turmas e inscrevendo-se 181 estudantes.
Para tal muito contribuiu a exaustiva campanha de divulgação que foi feita durante os meses que antecederam
o arranque destes cursos, bem como as sessões de esclarecimento realizadas nas cidades de Barcelos e de Braga.
O sucesso foi tal que o IPCA decidiu inclusive avançar com dois desses cursos em regime pós-laboral: TeSP de Apoio
à Gestão e TeSP de Eletrónica, Automação e Comando.
58
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Outra novidade foi o facto de o IPCA ter tido a oportunidade de ter estes cursos a funcionar fora do seu Campus,
localizado em Barcelos. Assim, pela primeira vez, a instituição instalou-se em Braga, no edifício Idite Minho,
funcionando lá todos os cursos, à exceção da terceira turma do TeSP de Apoio à Gestão, cuja atividade letiva
decorreu no Campus de Barcelos.
O êxito destes cursos foi determinante para o reconhecimento por parte da tutela e de outras instituições
politécnicas, o que fez com que o IPCA fosse tido como o grande pioneiro na aposta desta oferta educativa.
Abertura dos cursos TeSP no edifício
IditeMinho em Braga
10 de novembro de 2014
59
SECÇÃO II ENSINO E APRENDIZAGEM
5.1.4 Abertura do Ano Letivo
O início do ano letivo 2014/2015 foi assinalado em cada um dos ciclos de estudo, tendo sido realizadas sessões
de abertura do ano letivo para cursos de licenciatura, de especialização tecnológica, de mestrado e para os cursos
técnicos superiores profissionais.
Destaque para a Sessão de Abertura dos cursos de Mestrado da ESG, realizada no dia 11 de outubro, e que contou com
a presença do Prof. Doutor Daniel Bessa, que proferiu um discurso tendo por base o tema “O desafio do crescimento:
seremos capazes?”.
Já no dia 10 de novembro, realizou-se a Sessão de Abertura dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais, a qual
contou com a presença do Senhor Secretário de Estado do Ensino Superior, Prof. Doutor José Ferreira Gomes, e que
assinalou também a inauguração das instalações do IPCA na cidade de Braga.
Início do ano letivo 2014/2015
15 de setembro de 2014
5.1.5 Outras Iniciativas
>
Nos dias 26 e 27 de fevereiro a EST recebeu cerca de 900 alunos de 14 Escolas Secundárias do distrito
de Braga, no âmbito da Semana de Tecnologia e do Design (STD). Pretendeu-se com esta atividade que os
alunos do secundário tivessem experiência de “um dia no Ensino Superior” através do contacto com algumas
das metodologias de ensino praticadas na EST, nomeadamente as de prática laboratorial, sendo desenvolvidos
workshop ´s relacionados com as áreas de formação da EST como por exemplo: Ambientes de Computação
Ubíqua; GameSalade; Maquetização e prototipagem; Tipos em Stencil e exposições nas áreas do Desenho e
Ilustração, Projectos Design Gráfico, Projectos de Design Industrial, Vídeo e Multimédia.;
>
Nos dias 18 e 19 de março, cerca de 800 cidadãos em situação de desemprego estiveram no IPCA, para
conhecerem a oferta formativa existente, bem como as possibilidades e vantagens de prosseguirem os seus
estudos ao nível do ensino superior. Para esse efeito foram realizadas várias sessões de apresentação da
Instituição, onde lhes foi dado a conhecer a oferta formativa do IPCA e os serviços e apoios que o IPCA dispõe
aos seus estudantes;
>
No dia 13 de maio de 2014 decorreu o “Dia Aberto da ESG”, onde cerca de 200 estudantes do ensino
secundário dos conselhos de Barcelos e Braga visitaram a ESG para conhecer a sua oferta formativa, os serviços
e apoios que o IPCA dispõe aos seus estudantes. Os jovens percorreram as instalações da ESG, tomaram
conhecimento de diversas informações sobre a atividade letiva da escola, participaram na “Feira de Turismo”
organizada pelos estudantes do curso de licenciatura em Gestão de Atividades Turísticas e assistiram a uma
sessão do Projeto de Simulação Empresarial.
60
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
5.2 Gabinete de Acesso ao Ensino Superior
Funciona no IPCA um Gabinete de Acesso ao Ensino Superior (GAES), cujo objetivo é esclarecer os candidatos sobre
todas as suas dúvidas, na candidatura ao Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior.
O GAES faz atendimento telefónico e através de e-mail durante todo o ano, no entanto, fisicamente, apenas está
aberto durante o período em que decorrem as candidaturas ao ensino superior.
Em 2014, o GAES funcionou no edifício da Escola Superior de Gestão (ESG), de 17 de julho a 8 de agosto, entre as
10 horas e as 17 horas, encerrando dois dias por semana às 19 horas, de forma a ir de encontro às necessidades dos
candidatos a cursos em regime pós-laboral.
Nos últimos anos tem-se notado uma diminuição da afluência de candidatos a procurarem presencialmente o
GAES, ao passo que se verifica um acréscimo de pedidos de ajuda por telefone e por e-mail. Tal deve-se ao facto de,
cada vez mais, os candidatos se sentirem seguros relativamente ao sistema de candidatura online.
A maior afluência do GAES verifica-se a nível de colaboração no preenchimento da candidatura a bolsa de estudos,
a qual decorre no mesmo período das candidaturas ao ensino superior. Daí que o GAES seja composto por uma
funcionária dos Serviços de Ação Social e uma outra funcionária do Gabinete de Comunicação e Imagem, com
experiência em processamento de bolsas de estudo.
Quadro 55 - Funcionamento do GAES em 2014
Nº de candidatos recebidos
70
Nº de emails recebidos
200
Nº de telefonemas recebidos
70
61
2ª Reunião do Comité Consultivo da EST
27 de junho de 2014
62
SECÇÃO III
Investigação e Transferência de Conhecimento
A promoção da investigação científica e da transferência de tecnologia são atividades intrínsecas a qualquer
instituição de ensino superior. Na prossecução dos seus objetivos, o IPCA tem vindo a reforçar o papel da atividade
de investigação na sua estratégia, assegurando as condições materiais para a promoção da investigação científica
e de atividades de investigação aplicada e apoiando atividades de transferência de conhecimento e de tecnologia.
A investigação promove uma efetiva cooperação com a comunidade, numa perspetiva de valorização recíproca,
potenciando, por um lado, a preparação científica e tecnológica dos docentes e por outro o desenvolvimento da
investigação aplicada, em estreita ligação à comunidade em geral.
Assim, em 2014:
•
Os docentes do IPCA usufruíram de apoios internos através do estabelecimento de um prémio pela
publicação de artigos em revistas científicas, sob a forma de apoio à participação, com apresentação de
comunicação, em eventos científicos;
•
Registou-se uma elevada produção científica pelos docentes da instituição, o que atesta a própria
atualização científica, técnica e cultural do corpo docente;
•
Registou-se uma elevada atividade de investigação científica e aplicada, patente no número de
publicações dos docentes do IPCA.
1. Qualificação do corpo docente
A fim de garantir a estabilidade do corpo docente e de investigação e a sua autonomia científica e pedagógica,
as instituições de ensino superior devem dispor de um quadro permanente de professores e investigadores, com a
dimensão e nos termos estabelecidos no Estatuto da Carreira do Pessoal Docente do Ensino Superior Politécnico e
de acordo com os requisitos definidos no artigo 49.º do RJIES.
Assim, o IPCA promove, e continuará a estimular o cumprimento dos rácios exigidos pela Lei, nomeadamente o
Decreto-Lei 115/2013, de 7 de agosto, em termos de número de docentes com o grau de doutor ou o título de
especialista, nas áreas científicas dominantes nos ciclos de estudo que leciona.
Em 2014, o número de docentes do IPCA envolvidos em projeto de doutoramento é de 44. O quadro 56 indica o
número de docentes a frequentar doutoramento, enquanto o quadro 57 apresenta o número de docentes que
concluíram o doutoramento em 2014.
63
SECÇÃO III INVESTIGAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO
Quadro 56 - Número de docentes a frequentar doutoramento em 2014
Escola
Departamento
Nº Docentes
Contabilidade e Fiscalidade
6
ESG
EST
Direito
11
Gestão
12
Design
10
Ciências
2
Tecnologias
11
TOTAL
52
Quadro 57 - Número de docentes que obtiveram o grau de Doutor em 2014
Escola
Departamento
2011
2012
2013
2014
Contabilidade e Fiscalidade
2
1
-
1
Direito
1
1
-
2
ESG
Gestão
-
4
1
3
Design
-
2
3
2
Ciências
-
3
Tecnologias
1
-
2
3
4
11
6
13
EST
TOTAL
2
O número de docentes com o grau de doutor aumentou de 40 em 2011 para 71 em 2014.
2. Publicações
A produção científica é um dos indicadores do desempenho global da instituição, representando um papel vital na
garantia da própria atualização científica, técnica e cultural do docente.
O número de publicações científicas efetivamente publicadas por departamento no ano de referência encontra-se
no quadro 58, organizado em cinco categorias:
64
•
Artigos publicados em revistas científicas indexadas ISI ou Scopus
•
Artigos publicados em revistas científicas não indexadas
•
Livros (obra completa de cariz científico excluindo a publicação direta de teses)
•
Capítulos de livros (capítulos em livros de cariz científico)
•
Conferências (artigos completos publicados em atas de conferências de investigação)
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 58 - Publicações científicas por departamento em 2014
2014
Artigos em
revistas
indexadas
(ISI ou Scopus)
Artigos em
revistas não
indexadas
Livros
Capítulos de
livros
Artigos
publicados
em atas de
conferências
TOTAL
Contabilidade e
Fiscalidade
2
4
1
3
17
27
Direito
0
6
5
1
3
15
Gestão
5
8
2
2
8
25
Ciências
10
2
0
3
3
18
Design
9
5
0
1
39
55
Tecnologias
15
12
1
5
42
77
TOTAL
41
37
9
15
112
214
Foram adicionalmente publicados artigos técnico-científicos em publicações sem revisão por pares, bem como
efetuadas comunicações em eventos sem comissão científica e proferidas palestras por convite em eventos de
natureza técnico-profissional.
Apresenta-se abaixo a lista das publicações em revistas indexadas (ISI e SCOPUS) no ano de 2014:
Araujo, J., Padrão, J., Silva, J. P., Dourado, F., Correia, D. M., Botelho, G., Gomez Ribelles, J. L., Lanceros-Méndez, S.,
& Sencadas, V. (2014). Processing and characterization of α-elastin electrospun membranes. Applied
Physics A: Materials Science and Processing, 115(4), 1291-1298.
Araújo, M. C.; Martins, J. P.; Mirkhalaf, S. M.; Lanceros-Mendez, S.; Andrade Pires, F. M.; Simoes, R; Predicting the
mechanical behavior of amorphous polymeric materials under strain through multi-scale simulation,
Applied Surface Science 306 (2014) 37-46 (doi 10.1016/j.apsusc.2014.03.072)
Barbosa, C.N.; Carvalho, F.; Viana, J.C.; Franzen, M.; Simoes, R.; Impact performance prediction of injection-molded
talc-filled polypropylene through thermomechanical environment assessment; International Journal of
Advanced Manufacturing Technology 2014; in press (DOI 10.1007/s00170-014-6495-y)
Correia, D. M., Gámiz-González, M. A., Botelho, G., Vidaurre, A., Gomez Ribelles, J. L., Lanceros-Mendez, S., & Sencadas,
V. (2014). Effect of neutralization and cross-linking on the thermal degradation of chitosan electrospun
membranes. Journal of Thermal Analysis and Calorimetry, 117(1), 123-130.
Correia, D. M., Gonçalves, R., Ribeiro, C., Sencadas, V., Botelho, G., Ribelles, J. L. G., & Lanceros-Méndez, S. (2014).
Electrosprayed poly(vinylidene fluoride) microparticles for tissue engineering applications. RSC Advances,
4(62), 33013-33021.
Correia, D. M., Ribeiro, C., Ferreira, J. C. C., Botelho, G., Ribelles, J. L. G., Lanceros-Méndez, S., & Sencadas, V. (2014).
Influence of electrospinning parameters on poly(hydroxybutyrate) electrospun membranes fiber size and
distribution. Polymer Engineering and Science, 54(7), 1608-1617.
Costa, A.; Novais, P.; Simoes, R. A Caregiver Support Platform within the Scope of an Ambient Assisted Living
Ecosystem. Sensors 14 (2014) 5654-5676.
Cruz-Cunha, M. M., Simoes, R., Varajão, J. & Miranda, I. (2014). Information Technology Supporting Healthcare and
Social Care Services: An e-Marketplace Case Study. Journal of Information Technology Research, 7(1), 41-58.
Cruz-Cunha, M. M., Simoes, R., Varajão, J. & Miranda, I. (2014). O impacto da exclusão digital na utilização potencial
de um mercado eletrónico de serviços de cuidados de saúde e serviços sociais. Revista Ibérica de Sistemas e
Tecnologias de Informação, 14, 33-50.
Fernandez-Lopez, H.; Afonso, J.A.; Correia; J.H.; Simoes, R., Remote Patient Monitoring Based on ZigBee: Lessons
from a Real-World Deployment, Telemedicine and e-Health 20 (2014) 47, DOI:10.1089/tmj.2013.0059
Ferreira, L., Putnik, G. D., Cruz-Cunha, M. M., Putnik, Z. et al. (2014). Dashboard Services for Pragmatics-Based
Interoperability in Cloud and Ubiquitous Manufacturing, International Journal of Web Portals, 6(1), 35-49.
65
SECÇÃO III INVESTIGAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO
Ferreira, V.; Santos, L.P.; Franzen, M.; Ghouati, O.O.; Simoes, R.; Improving FEM crash simulation accuracy through
local thickness estimation based on CAD data, Advances in Engineering Software 71 (2014) 52-62, DOI
10.1016/j.advengsoft.2014.02.003
Ferreira-Alves, J; Magalhães, P; Viola, L, Simoes, R; Loneliness in Middle and Old Age, Archives of Gerontology and
Geriatrics 59 (2014) 613-623, DOI http://dx.doi.org/10.1016/j.archger.2014.06.010
Gama, O.; Simoes, R.; A MAC Scheme to Improve the Transmission Performance in Body Sensor Networks, Wireless
Personal Communications (WIRE-D-14-00474), in press, DOI 10.1007/s11277-014-2086-3
Leite, P., Cortez, M.C. (2014). Selectivity and timing abilities of international socially responsible funds. Applied
Economics Letters, 21 (3): 185-188.
Leite, P., Cortez, M.C. (2014). Style and performance of international socially responsible funds in Europe. Research
in International Business and Finance, 30 (1): 248-26
Leite, P., Gonçalves, J., Teixeira, P. & Rocha, Á. (2014). Model for the measurement of data quality in websites of
health units, Health Informatics Journal.
Leite, P., Gonçalves, J., Teixeira, P. & Rocha, Á. (2014). Towards a model for the measurement of data quality in
websites, New Review of Hypermedia and Multimedia, 2014: 1 - 16.
Lopes, A. C., Ribeiro, C., Sencadas, V., Botelho, G., & Lanceros-Méndez, S. (2014). Effect of filler content on morphology
and physical-chemical characteristics of poly(vinylidene fluoride)/NaY zeolite-filled membranes. Journal of
Materials Science, 49(9), 3361-3370.
Marques, M.; Terroso, M.; Freitas, R.; Marques, A. T.; Gabriel, J.; Simoes, R. (2014). A procedure for a mechanical
evaluation of an undefined osteo-protective material. Accident Analysis and Prevention, 75: 285-291.
Martins V., Fonte D., Henriques P. R., da Cruz D. (2014) Plagiarism Detection: A Tool Survey and Comparison. 3rd
Symposium on Languages, Applications and Technologies. OpenAccess Series in Informatics (OASIcs).
Volume 38. ISBN 978-3-939897-68-2.
Padrão, J., Silva, J. P., Rodrigues, L. R., Dourado, F., Lanceros-Méndez, S., & Sencadas, V. (2014). Modifying fish
gelatin electrospun membranes for biomedical applications: Cross-linking and swelling behavior. Soft
Materials, 12(3), 247-252.
Peixoto, A. C., Goncalves, S. B., Pinho, F., Silva, A. F., Dias, N. S., and Correia, J. H. (2014). Flexible three-dimensional
microelectrode array for neural applications. Sensors Actuators A Phys., 217: 21–28.
Putnik, G. D. & Cruz-Cunha, M. M. (2014). A Taxonomy for Virtual Enterprises. Journal of Universal Computer
Science, 20(6), 859-884.
Queirós S., Barbosa D., Heyde B, Morais P, Vilaça JL, Friboulet D., Bernard O., D’hooge J. (2014). Fast Fully Automatic
Myocardial Segmentation in 4D cine CMR datasets. Journal of Medical Image Analysis. http://dx.doi.
org/10.1016/j.media.2014.06.001
Quesado, P. R., Guzmán, B. A. & Rodrigues, L. L. (2014). Determinant Factors of the Implementation of the Balanced
Scorecard in Portugal: Empirical Evidence in Public and Private Organizations. Revista Brasileira de Gestão de
Negócios, 16(51): 199-222. ISSN: 1806-4892.
Quesado, P. R., Rodrigues, L. L. & Guzmán, B. A. (2014). La Influencia de Factores Relativos a la Estrategia
Organizativa y al Entorno en la Adopción del Cuadro de Mando Integral en Empresas Portuguesas. Revista
de Contabilidad, 17(2): 163-173. ISSN: 1988-4672.
Ramos, D., Arezes, P. & Afonso, P. (2014). Economic Analysis of Occupational Risk Prevention: a Case Study in a
Textile Company. Steenbergen et al. (Eds). “Safety, Reliability and Risk Analysis: Beyond the Horizon”. Taylor
& Francis Group, London, ISBN 978-1-138-00123-7, pp. 1473-1478.
Rebelo, M.; Santos G.; Silva,R. (2014) A Generic Model for Integration of Quality, Environment and Safety
Management Systems. “The TQM Journal”. Volume 26, issue 2. February.pp.143-159.
Remoaldo, P.; Vareiro, L.; Cadima Ribeiro, J. and Freitas Santos, J. (2014). Tourists’ perceptions of world heritage
destinations: The case of Guimarães (Portugal). Tourism and Hospitality Research, 14(4): 206-218.
Remoaldo, P.; Vareiro, L.; Cadima Ribeiro, J. and Freitas Santos, J. (2014). Does Gender Affect Visiting a World
Heritage Site?. Visitor Studies, 17(1): 89-106.
66
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Ribeiro, S., Costa, P., Ribeiro, C., Sencadas, V., Botelho, G., & Lanceros-Méndez, S. (2014). Electrospun styrenebutadiene-styrene elastomer copolymers for tissue engineering applications: Effect of butadiene/styrene
ratio, block structure, hydrogenation and carbon nanotube loading on physical properties and cytotoxicity.
Composites Part B: Engineering, 67, 30-38.
Rodrigues P., Rodrigues N, Moreira A., Pinho ACM, Fonseca J, Correia-Pinto J, Vilaça JL (2014). Automatic
Modeling of Pectus Excavatum Corrective Prosthesis using Artificial Neural Networks; Journal of Medical
Engineering & Physics. http://dx.doi.org/10.1016/j.medengphy.2014.06.020 IF: 1.779
Rodrigues P., Rodrigues N., Moreira A., Granja S, Vilaça JL (2014). Computer assisted quantification of the
branching morphogenesis of fetal lung rat explants; Journal of Biomedical Signal Processing and Control.
Rodrigues, P. L., Rodrigues, N. F., Duque, D., Granja, S., Correia-Pinto, J., & Villaça, J. L. (2014). Automated Image
Analysis of Lung Branching Morphogenesis from Microscopic Images of Fetal Rat Explants. Computational
and Mathematical Methods in Medicine. Vol. 2014,
Silva, J.; Lanceros-Mendez, S.; Simoes, R.; Effect of cylindrical filler aggregation on the electrical conductivity of
composites, Physics Letters A 378 (2014) 2985-2988
Soares, F., Leão, C., Carvalho, V., Vasconcelos, R. & Costa, S. (2014). “Automation & Control Remote Laboratory:
Evaluation a Cooperative Methodology”, International Journal of Electrical Engineering Education, Vol. 51,
Nº1, pp.54-67.
V. Moreira, J. Machado, V. Carvalho and F. O. Soares, “Mechatronic System for Human Blood Typing”, Journal of
Medical Devices, December 2014, Vol. 8, pp.044507-1-8
Vilhena, E., Pais-Ribeiro, J., Silva, I., Cardoso, H., & Mendonça, D. (2014). Predictors of Quality of Life in Portuguese
Obese Patients. Journal of Obesity, Article ID 684919.
Vilhena, E., Pais-Ribeiro, J., Silva, I., Pedro, L., Meneses, R., Cardoso, H., Martins da Silva, A., & Mendonça, D. (2014).
Optimism on Quality of life in Portuguese chronic patients: moderator/mediator? Revista da Associação
Médica Brasileira, 60, 373-380.
Vilhena, E., Pais-Ribeiro, J., Silva, I., Pedro, L., Meneses, R., Cardoso, H., da Silva, A.M., & Mendonça, D. (2014).
Psychosocial factors as predictors of quality of life in chronic portuguese patients. Health and Quality of Life
Outcomes, 12:3
3. Atividade dos Centros de Investigação
O crescimento das duas Escolas do IPCA ao longo dos últimos anos permitiu expandir e consolidar o seu corpo
docente, particularmente a nível de doutorados. É meta consagrada no plano estratégico do IPCA a criação de
centros de investigação aplicada.
Atualmente, o IPCA possui dois centros de investigação, o CICF - Centro de Investigação em Contabilidade e
Fiscalidade e o DIGARC - Digital Games Research Centre, que em 2014 estabeleceu uma parceria com o centro de
investigação Algoritmi da Universidade do Minho.
3.1 Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade (CICF)
Criado em 2007 o CICF tem como missão contribuir para o conhecimento científico nas áreas da Contabilidade e da
Fiscalidade através da produção de investigação científica de qualidade.
No ano de 2014, o CICF desenvolveu um conjunto de projetos de investigação científica e de investigação aplicada,
alguns dos quais terão continuidade em 2015.
Parte significativa das publicações dos Departamentos de Contabilidade e Fiscalidade e de Direito contempladas
no quadro da secção anterior, enquadra-se em projetos desenvolvidos ou em curso neste centro de investigação,
que adicionalmente produziu documentos de trabalho, organizou eventos, proferiu palestras por convite bem como
publicou trabalhos de índole técnica.
Nesta secção apresentam-se os projetos de investigação científica e de investigação aplicada concluídos e em curso
durante o ano de 2014, bem como palestras e seminários organizados pelo CICF.
67
SECÇÃO III INVESTIGAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO
PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO EM CURSO
•
Anuário Financeiro do Municípios Portugueses, projeto em curso desde 2005, que resulta na publicação
anual do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses. Este estudo permite o conhecimento integral da
situação económica, financeira e orçamental do setor local, contribuindo para o aumento e transparência da
informação contabilística pública autárquica, sendo notícia nacional de elevado destaque e contribuindo para a
elaboração de estudos académicos (doutoramento e mestrados) e de diversas publicações, quer nacionais quer
internacionais.
Para o sucesso deste projeto tem sido fundamental o apoio do Tribunal de Contas que de forma célere
disponibiliza informação dos municípios, e também com o apoio financeiro da Ordem dos Técnicos Oficiais de
Contas e
O Anuário conta já com 10 edições, tendo o Centro Investigação uma base de dados construída ao longo destes
10 anos que reúne toda a informação orçamental, financeira, económica e patrimonial das entidades estudadas.
•
The international harmonization process of public sector accouting in Portugal: the persepctive of
diferente stakeholders. Projeto de investigação qualitativa baseado na análise documental e em entrevistas
realizadas a diversos grupos com influência no processo de reforma da contabilidade pública como a OTOC, a
OROC, a DGO, a CNCP e o Tribunal de Contas. Com o presente projeto pretende-se com prender o processo de
reforma da contabilidade pública , nomeadamente os estímulos, o contexto, as dificuldades e as vantagens da
adoção das IPSAS no contexto Português.
•
O processo de normalização e harmonização da Contabilidade Pública em Portugal: a perspetiva
do profissional da contabilidade. Este é um projeto de investigação quantitativa que visa compreender
a perspetiva dos contabilistas (numa tripla perceptiva) acerca do processo de adoção das IPSAS no sector
público Português. Os dados obtidos foram recolhidos através de um inquérito direcionado a todos os Técnicos
Oficias de Contas em 2014. O CICF contou com a a colaboração da OTOC na aplicação do inquérito, sendo esta
uma entidade parceira do projeto. Os resultados serão apresentados em conferencias em 2015 para posterior
publicação.
PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO EM CURSO PARA SUBMETER À FCT EM 2015
•
“The process of public sector accounting change as a result of IPSAS adoption in the Iberian
Peninsula”.
Objetivos: investigar as mudanças da contabilidade pública (no âmbito do processo de adoção das IPSAS)
num contexto particular – a Península Ibérica..
Equipa: Membros do CICF: Patrícia Gomes);Maria José Fernandes; João Carvalho; Susana Rua; membros
externos ao CICF: Susana Jorge (Universidade Coimbra); Isabel Brusca (University of Zaragoza); Mark
Christensen (Southern Cross University); Giuseppe Grossi (University of Kristianstad ); (Vicente Montesinos
(University of Zaragoza); Estela Vilhena (IPCA).
•
“POMPEIA - Observatory of Accountability and Transparency in the Public Sector”.
Objetivos: Criar um conjunto de indicadores e selecionar um conjunto de dados sobre os vários setores
da AP que possam ser utilizados pelo público, em geral, e pelos investigadores e órgãos de controlo e de
fiscalização da atividade das instituições públicas, em particular, que permitam não só o acompanhamento do
desempenho, da transparência e da accountability da AP bem como a sua melhoria.
Equipa: Membros do CICF: João Carvalho (IR); Maria José Fernandes; Patrícia Gomes; Augusta Ferreira; Carlos
Santos; membros externos: Anabela Rocha; Bernabé Pérez; Graça Azevedo; María Rodríguez; Rui Pedro
Marques.
•
“Earnings management determinants and their influence in the re-eelection of the mayor”.
Objetivos: Investigar se existe gestão dos resultados em torno de zero com vista à sinalização da competência
do autarca e se, a ocorrer gestão dos resultados, investigar se esta influencia a re-eleição do autarca,
adicionando também outros fatores políticos, sociais e económicos.
Equipa: Membros do CICF: Augusta Ferreira, Patrícia Gomes; Maria José Fernandes; João Carvalho.
•
Tax education in Schools
O objectivo deste projecto é a disseminação da educação fiscal junto de alunos das escolas do ensino básico,
68
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
de forma a contribuir para a formação de uma consciência crítica nos alunos em relação aos seus direitos e
deveres com incidência na função sócio-económica dos impostos e formação de uma consciência activa de
luta contra a fraude e evasão fiscais.
Com este projecto pretende-se actuar essencialmente através da criação de um jogo digital direccionado para
a educação fiscal.
O projecto envolve investigadores do Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade (CICF), do Digital
Games Research Group (DIGARC), da Universidade de Coimbra e do Instituto Superior de Contabilidade e
Administração de Coimbra (ISCAC).
ORGANIZAÇÃO DE CONFERÊNCIAS/SEMINÁRIOS
•
Formação breve “Articulação do Regime Financeiro cometido às Freguesias pela Lei n.º 73/2013,
de 3 de setembro com o Regime Jurídico das Autarquias Locais aprovado pela Lei n.º 75/2013, de 12 de
setembro”, 18 de janeiro, IPCA, Barcelos.
•
2ª Conferência de Contabilidade e Fiscalidade: “Qualidade, Cidadania e Transparência”, realizada em
parceria com a OTOC, 9 de maio, IPCA, Barcelos.
.
Conferências OTOC - Apresentação dos anuários:
Quadro 59 - Conferências OTOC - Apresentação dos anuários
Conferência
Local
Data
Universidade Católica
Portuguesa, Lisboa,
22/07/2014
”A política, os políticos e a gestão dos dinheiros públicos” - apresentação do
Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2013 nos Açores
Hotel Marina Atlântico, Ponta
Delgada, Açores
23/07/2014
”A política, os políticos e a gestão dos dinheiros públicos” - apresentação do
Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2013 na Madeira.
Hotel Vidamar, Funchal, Madeira
25/07/2014
”A política, os políticos e a gestão dos dinheiros públicos” - apresentação
oficial do Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses 2013
PROJETOS DE INVESTIGAÇÃO APLICADA
A investigação aplicada em curso destaca-se, sobretudo, pelos projetos a decorrer nas autarquias locais da região.
Durante o ano de 2014 foram desenvolvidos os seguintes projetos:
Quadro 60 - Projetos de investigação aplicada
Projeto
Equipa coordenadora
Análise da Situação Económica, Financeira e Patrimonial e dos
procedimentos contabilísticos do Município de Amares - conclusão
Maria José Fernandes e Patrícia Gomes
Estudo de viabilidade económica - Estacionamento Público
Urbano de Guimarães: Parques de Estacionamento e zonas de
Estacionamento de Duração Limitada
Fernando Rodrigues
Atualização da Fundamentação Económico-financeiras do valor
das Taxas e Implementação do Sistemas de Contabilidade de
Custos – Município de Esposende (inicio)
Maria de Lurdes Barroso, Patrícia Gomes, Sara Serra e
Teresa Costa
69
SECÇÃO III INVESTIGAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO
3.2 Digital Games Research Group (DIGARC)
Em 2014 o Digital Games Research Centre (DIGARC) deu continuidade às suas diversas atividades de investigação
e desenvolvimento científico no seio dos vários grupos de interesse que o integram, em particular na área do
entretenimento digital, e na exploração e aplicação das suas competências a outros domínios científicos.
PROTOCOLOS DE COOPERAÇÃO ESTABELECIDOS EM 2014
Fruto deste esforço de alargamento da atividade científica, o DIGARC celebrou em 2014 um protocolo de cooperação
com o laboratório associado ICVS/3B’s (ICVS Life and Health Sciences Research Institute / 3B’s - Biomaterials,
Biodegradables and Biomimetics), e outro com a Escola de Psicologia da Universidade do Minho, ambos
orientados para o desenvolvimento de ambientes de simulação e jogos sérios para as áreas da saúde e psicologia,
respetivamente.
Assinatura de Protocolo DIGARC-ICVS
25 de março de 2014
CONTRATOS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS
No que concerne ao desenvolvimento de atividades com a sociedade, o DIGARC celebrou dois contratos de prestação
de serviços de investigação e desenvolvimento com empresas da região: com a Waveform, no âmbito do projeto
“histórias mal contadas” e com a Portlane, no âmbito do projeto “Quidbox”.
PROJETOS FINANCIADOS DE INVESTIGAÇÃO
•
Projeto “PT 21 - Powered Textiles Século 21” (Projecto Mobilizador n.º 13848) financiado pelo Fundo
Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do COMPETE – Programa Operacional Fatores de
Competitividade (POFC). O projeto PT21 tem como objetivos englobar um conjunto de iniciativas de I&D de forte
carácter coletivo e elevado efeito indutor e demonstrador, com o envolvimento central de empresas da fileira
Têxtil e Vestuário e de outros sectores da economia complementares. Os eixos de intervenção deste projeto
passam pelo desenvolvimento de têxteis técnicos para diversas aplicações e desenvolvimento do conceito
loja do futuro. A participação do IPCA neste projeto esteve associada à criação de uma linha de produtos de
proteção osteológica e de proteção dermatológica, que suportem a melhoria da qualidade de vida e o bemestar, particularmente aplicados à população idosa e com necessidades especiais, promovendo requisitos de
segurança dermatológica e toxicológica e consequente certificação e etiquetagem desses produtos.
•
“Exporting Master Programme in Enterprise Systems Engineering to Jordan, Syria, Tunisia and Egypt”,
promovido pela Carl von Ossietzky University of Oldenburg e apoiado pelo programa TEMPUS IV. O projeto que se
desenrola entre 2013 e 2015 tem como propósito desenvolver um programa de mestrado em Enterprise System
Engineering em universidades da Jordânia, Síria, Tunísia e Egípcias bem como a instalação de laboratórios
e equipamento adequado e a formação de pessoal docente. Durante 2014 foram realizadas reuniões na
Alemanha, Egipto e Jordânia e o IPCA desenvolveu já alguns módulos para o referido curso.
•
Erasmus Mundus project Network EUREKA SD – Enhancement of University Research and Education in
Knowledge Areas useful for Sustainable Development, que se integra na Ação 1 do programa Erasmus Mundus
O projeto visa estabelecer uma rede de cooperação entre instituições de ensino superior da Europa e América
Latina em áreas de conhecimento relacionadas com novas tecnologias de informação, novos métodos de
gestão, novos modelos organizacionais, num contexto de desenvolvimento sustentável.
•
Projeto “New Skills & New Jobs – Bridging the gap” financiado pela Comissão Europeia iniciado em 2013
em parceria com a Kerigma e entidades de outros 5 países europeus, ficou concluído em 2014.
70
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
4. Revistas Científicas
O IPCA edita duas revistas científicas de circulação internacional: a Tékhne – Review of Applied Management
Studies e a ICT’ae – Information and Communication Technologies for the Advanced Enterprise: an
international journal.
4.1 Tékhne – Review of Applied Management Studies
No ano de 2014 deu-se continuidade à edição da revista Tékhne - Review of Applied Management Studies,
procurando-se seguir a estratégia de internacionalização da revista, iniciada em 2012, e aumentar continuamente
os padrões de qualidade das publicações.
No ano de 2014 foram submetidos a esta revista 35 artigos, foram publicados 14 artigos, foram recusados 8 artigos
e encontram-se em processo de revisão os restantes artigos. De realçar ainda que foram convidados 41 revisores
anónimos (para além do editorial board) que participaram no processo blind peer review dos artigos submetidos.
O resultado obtido em 2014 muito se deve ao desempenho e esforço destas pessoas a quem a equipa editorial da
revista muito agradece. De destacar que a maioria destes revisores são investigadores e professores estrangeiros
com elevada experiência de publicação em revistas internacionais de qualidade nas áreas da gestão e afins.
Em 2014 foi publicado o volume XII da revista Tékhne com uma edição normal (nº 1-2) e uma special issue em
“Human Resources Management”.
A edição nº 1 de 2014 apresentou 5 artigos que estudam diferentes áreas da gestão como a gestão do conhecimento,
turismo, marketing e análise de investimentos, focando a realidade de diferentes países e contextos locais.
A edição nº 2 é uma special issue em “Human Resources Management” que resultou de uma parceria estabelecida
entre o IPCA e a Escola Superior de Gestão e Estudos Industriais do Instituto Politécnico do Porto. Os artigos
publicados nesta edição resultaram da seleção dos melhores artigos apresentados na V Conference in Research
and Intervention in Human Resources, tendo sido submetidos de igual modo a um processo blind peer review.
Esta special issue é composta por 8 artigos que refletem o âmbito geral, a complexidade, assim como as questões
contemporâneas em crescimento na área dos Recursos Humanos.
4.2. ICT’ae – Information and Communication Technologies for the Advanced
Enterprise: an internacional journal
A revista ICT’ae – Information and Communication Technologies for the Advanced Enterprise: an
international journal tem como missão promover, discutir e disseminar os mais recentes desenvolvimentos no
domínio da aplicação das tecnologias de informação e de comunicação a modelos organizacionais emergentes. O
seu quarto número, o de 2014, a publicar em 2015, integra cinco artigos, selecionados num leque de 20 submissões,
que abordam os sistemas empresariais e novos modelos organizacionais, e as vantagens competitivas baseadas
nas tecnologias de informação
5. Transferência de conhecimento
Em 2014 o IPCA dinamizou cinco eventos científicos a seguir apresentados.
Quadro 61 - Conferências realizadas em 2014
Conferência
2ª Conferência de Contabilidade e Fiscalidade
SeGAH 2014
Data de realização
9 de maio
14-16 de maio
CENTERIS 2014
15-17 de outubro
Videojogos 2014
6 e 7 de novembro
5ET
26-29 de novembro
71
SECÇÃO III INVESTIGAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE CONHECIMENTO
De seguida desceve-se sucintamente cada conferência.
2ª CONFERÊNCIA DE CONTABILIDADE E FISCALIDADE
O CICF organizou, em colaboração com a OTOC, a 2ª conferência de Contabilidade e Fiscalidade, subordinada à
temática «Qualidade, cidadania e transparência”. A conferência realizou-se no dia 09 de maio no campus do IPCA
onde participaram prestigiados oradores de reconhecido mérito nas áreas abordadas na conferência. As novas
diretivas da União Europeia em matéria de contabilidade e auditoria, a ética, a cidadania e a educação fiscal, e ainda
a transparência e accountability na gestão pública foram os temas em destaque na conferência.
A conferência contou ainda com a intervenção de Guilherme d’Oliveira Martins - Presidente do Tribunal de Contas,
que proferiu uma palestra sobre a transparência e a accountability das contas públicas.
De destacar ainda a assinatura do protocolo de colaboração entre o IPCA e o Centro de Estudos de Formação
Autárquica (CEFA) durante a conferência.
SEGAH 2014 – IEEE 3RD INTERNATIONAL CONFERENCE ON SERIOUS GAMES AND APPLICATIONS FOR
HEALTH
A SeGAH é uma conferência internacional organizada pelo IPCA e patrocinada pelo IEEE - Institute of Electrical and
Electronics Engineers. Decorreu em Niteroi, Rio de Janeiro, Brasil de 14 a 16 de maio, onde foram apresentados 29
papers e 18 posters, tendo contado com a participação de 50 investigadores e profissionais da área.
CENTERIS’2014 – CONFERENCE ON ENTERPRISE INFORMATION SYSTEMS
O IPCA participa na organização da CENTERIS – Conference on ENTERprise Information Systems, cuja última edição
decorreu em Troia entre 15 e 17 de outubro. Ao longo destes três dias, investigadores, profissionais de sistemas
e tecnologias de informação, gestores e estudantes de pós-graduação provenientes dos cinco continentes
apresentaram e discutiram trabalhos científicos enquadrados na temática dos sistemas de informação empresariais
nas perspetivas organizacionais, sociais e tecnológicas.
VIDEOJOGOS2014 – CONFERÊNCIA DE CIÊNCIAS E ARTES DOS VIDEOJOGOS
Organizado pelo IPCA e pela Sociedade Portuguesa de Ciências dos Videojogos, o evento decorreu nos dias 6 e 7 de
Novembro de 2014 e teve como propósito promover a cultura científica, a investigação e a indústria de videojogos
em Portugal. A conferência contou com a participação de investigadores e profissionais da área para divulgação
de trabalhos e troca de experiências entre a comunidade académica e a indústria em articulação com o espaço
Lusófono.
5ET – 5º ENCONTRO DE TIPOGRAFIA
O 5ET decorreu entre 26 e 29 de Novembro de 2014 e contou com a presença cerca de 250 participantes. Tendo como
objetivo a divulgação e discussão dos desenvolvimentos mais recentes da produção e investigação tipográfica,
registou-se uma elevada participação de investigadores, profissionais e estudantes, que trouxeram a público
projetos aplicados e trabalhos resultantes de propostas académicas, na área da tipografia ou ainda exercícios
práticos em contexto profissional. Paralelamente às sessões de comunicações e palestras realizaram-se ainda
quatro workshops e uma exposição.
Exposição paralela à 5ET: “Diversas Sortes de Letras”
1 de dezembro de 2014
72
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2ª Conferência de Contabilidade e Fiscalidade
9 de maio de 2014
73
74
SECÇÃO IV
Ligação à Comunidade, Emprego e
Empreendedorismo
1. Prestação de Serviços à Comunidade e de Apoio ao Desenvolvimento
As relações e a interação com a comunidade são essenciais para o cumprimento e enriquecimento da missão de
uma Instituição de Ensino Superior. Deste modo, o IPCA vem dando continuidade a um esforço de afirmação como
parceiro de excelência no desenvolvimento da região onde está inserido, desenvolvendo iniciativas que conduzem à
valorização do conhecimento da sua comunidade académica e da comunidade externa, utilizando para o efeito as
valências técnicas e científicas de que dispõe.
Este diálogo com o exterior, potencia a compreensão sobre o que a sociedade espera do IPCA e reforça a sua posição
e intervenção como instituição ao serviço da sociedade.
Assim, no ano de 2014 foram promovidas as seguintes atividades:
CURSO DE PREPARAÇÃO PARA OS EXAMES DE AVALIAÇÃO PROFISSIONAL DA ORDEM DOS TÉCNICOS OFICIAIS DE
CONTAS (OTOC)
O Estatuto da Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas (OTOC) exige, para efeitos de inscrição como Técnico Oficial de
Contas, entre outros, a aprovação em exames de avaliação profissional, ministrados pela referida Câmara.
Assim, desde 2007, a ESG do IPCA promove cursos de preparação para os referidos exames, visando rever e
atualizar conhecimentos relacionados com matérias objeto de avaliação dos mesmos - Contabilidade Financeira,
Contabilidade Analítica, Fiscalidade, bem como Ética e Deontologia Profissional.
À semelhança dos anos anteriores, em 2014, foram promovidas três edições.
Quadro 62 - Cursos de preparação para os exames de avaliação profissional realizados em 2014
Edição
Nº. Inscritos
Nº de formados submetidos
a exame
Nº de formandos admitidos
22ª Edição decorreu de 3 de dezembro
de 2013 a 18 de janeiro de 2014
65 formandos
52
(66%)
39
(75%)
23ª Edição decorreu de 18 de março a
5 de maio de 2014
42 formandos
33
(79%)
23
(70%)
24ª Edição decorreu de 1 de julho a 20
de setembro de 2014
39 formandos
31
(77%)
16
(52%)
A taxa de aprovação dos formandos destes cursos, nos exames de avaliação profissional da CTOC tem sido
francamente positiva e muito superior à taxa de aprovação nacional, corroborando o interesse e a importância de
continuar a promover este tipo de iniciativas.
75
SECÇÃO IV LIGAÇÃO À COMUNIDADE, EMPREGO E EMPREENDEDORISMO
CURSOS DE PREPARAÇÃO PARA AS PROVAS DE AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE DOS MAIORES DE 23 ANOS
O sistema de ensino superior prevê um regime de ingresso especificamente destinado aos Maiores de 23 anos, através
da realização de Provas de Avaliação da Capacidade. Deste modo e dando continuidade aos cursos ministrados no
ano anterior, as duas escolas do IPCA, em colaboração com os diferentes Departamentos, organizaram Cursos de
Preparação para as referidas Provas para 2014. Estes cursos visam uma melhor preparação dos candidatos, muitos
deles afastados do ensino há muitos anos, para o acesso ao ensino superior, além de lhes permitir a aquisição de
novas competências.
Na ESG, o Departamento de Gestão organizou a 7ª Edição dos Cursos de Preparação para as Provas de Avaliação
da Capacidade dos Maiores de 23 anos, designadamente para as provas de Economia e Português. Os cursos
decorreram durante os meses de abril e maio, com aproximadamente 35 participantes em cada curso.
Na EST, o departamento de Ciências e de Tecnologias organizaram Cursos de Preparação em Matemática e
Informática respetivamente. O Cursos decorreram durante os meses de abril e maio, com cerca de 20 participantes
em cada curso.
CURSOS BREVES
O domínio e a especialização nas diversas áreas do conhecimento impõem-se nos dias de hoje, como um instrumento
de competitividade dentro e fora das instituições públicas e privadas, que nos permite uma melhor resposta aos
desafios que nos são propostos diariamente.
Foi neste pressuposto que a ESG ofereceu diversos cursos nas áreas da Gestão, Direito, Contabilidade e Fiscalidade,
tendo como principal objetivo oferecer a toda a comunidade um conjunto de formações que melhoram a sua
qualificação profissional.
Quadro 63 - Cursos breves realizados em 2014
CONSOLIDAÇÃO DE CONTAS NA
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
Abril de 2014
30 formandos
8 horas
CONTABILIDADE DE CUSTOS
PARA A GESTÃO AUTÁRQUICA
Junho de 2014
17 formandos
16 horas
ATUALIZAÇÃO EM LEGISLAÇÃO
LABORAL
Maio de 2014
25 formandos
20 horas
Abril/Maio de 2014
40 formandos
20 horas
ELABORAÇÃO E ANÁLISE DE
PROJETOS DE INVESTIMENTO
Junho de 2014
32 formandos
20 horas
INSOLVÊNCIA – ASPETOS
JURÍDICOS
Junho de 2014
14 formandos
16 horas
A INSOLVÊNCIA: IMPLICAÇÕES
CONTABILÍSTICAS E FISCAIS
Dezembro de 2014
16 formandos
17 horas
ATUALIZAÇÃO FISCAL EM IVA
E RITI
Dezembro de 2014
19 formandos
20 horas
IRC – DEC. MOD. 22 –
APURAMENTO DO IMPOSTO
Em parceria com o Gabinete de Relações Internacionais, ofereceu cursos de português, lecionados pelo Departamento
de Gestão da ESG, aos estudantes estrangeiros acolhidos no âmbito do programa ERAMUS.
2. O Empreendedorismo, Empregabilidade e Inserção na Vida Ativa
Respondendo à preocupação do IPCA em apoiar a inserção no mercado de trabalho dos seus diplomados, em
2010, foi criado o G3E - Gabinete para o Emprego, Empreendedorismo e Ligação às Empresas, tendo como missão a
promoção do empreendedorismo e da empregabilidade dos seus estudantes e diplomados, apoiando quer projetos
de criação de empresas e do próprio emprego, quer a procura ativa de emprego, através do apoio à integração dos
estudantes finalistas e dos recém-diplomados do IPCA no mercado de trabalho.
76
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2.1 Promoção do Emprego
Com o objetivo de contribuir para a rápida e adequada inserção profissional dos licenciados pelo IPCA, o G3E, ao longo
de 2014, desenvolveu uma estratégia de intervenção assente no acompanhamento permanente e atendimento
personalizado, quer aos estudantes e diplomados, quer às empresas. Do lado dos diplomados, através da promoção
de ações de informação e formação sobre fatores indispensáveis a um processo dinâmico de inserção no mercado
profissional, nomeadamente, na elaboração do Curriculum Vitae e na preparação para a entrevista profissional. Do
lado das empresas, através da articulação entre a oferta e a procura de emprego qualificado, dinamizando a ligação
com as empresas e entidades da região.
Para o efeito, o G3E colocou à disposição dos públicos interessados, na área de “Anúncios G3E” no fórum Moodle
do IPCA, foram colocadas à disposição dos finalistas/diplomados as ofertas de emprego/estágio de entidades e
empresas, tanto ao nível da região como ao nível nacional, no âmbito das áreas de formação do IPCA. No ano de
2014, entre 20 de Janeiro e 12 de Dezembro, foram divulgados, por esta via, de 353 ofertas de emprego/estágio.
Quadro 64 - Número de Ofertas de Emprego Divulgadas
Mês
Jan
Fev
Mar
Abr
Maio
Jun
Jul
Ago
Set
ESG
7
EST
4
TOTAL
11
21
Out
Nov
Dez
9
6
18
24
19
17
29
12
18
26
17
21
25
31
24
44
41
40
42
60
TOTAL
10
3
7
4
153
43,34%
22
13
7
4
200
56,66%
32
16
17
8
353
100%
Figura 16 - Número de Ofertas de Emprego Divulgadas
Quadro 65 - Tipo de Ofertas de Emprego Divulgadas
Tipo de Oferta
ESG
EST
TOTAL
Emprego
95
131
226
64,02%
Estágios
47
56
103
29,17%
Outros (Programas de Estágio, Part-time, bolsas de
investigação)
11
13
24
6,8%
Total
153
200
353
100%
77
SECÇÃO IV LIGAÇÃO À COMUNIDADE, EMPREGO E EMPREENDEDORISMO
Figura 17 - Tipo de Ofertas de Emprego Divulgadas
Deste número de ofertas de emprego/estágio divulgados, 57, 30 para emprego e 39 para estágio, foram comunicadas
pelas empresas diretamente ao G3E para serem divulgadas aos alunos do IPCA, dos quais resultaram em 18
colocações ao nível de emprego, e 23 colocações em estágio profissional.
Quadro 66 - Ofertas de Emprego/Estágio comunicadas por empresas da região ao G3E
Tipo de Oferta
ESG
EST
Total
Emprego
12
18
30
44,29%
Estágios
20
19
39
55,71%
TOTAL
32
27
57
100%
Tal como já tinha acontecido nos dois último anos, denota-se, que as empresas da região cada vez mais recorrem
aos estágios profissionais para a possível posterior inserção do aluno na empresa, sendo que este tipo de ofertas
obteve um maior aumento em relação às ofertas de emprego.
Quadro 67 - Ocupação das vagas Ofertas de Emprego/Estágio comunicadas por empresas da região ao G3E
Tipo de Oferta
ESG
EST
Total
Emprego
8
10
18
43,90%
Estágios
12
11
23
56,10%
TOTAL
20
21
41
100%
2.2 Promoção do Empreendedorismo
Consciente da importância do empreendedorismo no percurso académico de cada estudante, o IPCA dispôs de
um espaço, onde poderam ser propostos projetos de iniciativa empresarial. O acompanhamento destes projetos
foi realizado por técnicos e docentes da Escola Superior de Gestão e da Escola Superior de Tecnologia, que em
conjunto com os empreendedores, avaliaram o perfil de cada candidato, assim como a ideia de negócio e o mercado,
elementos fundamentais na criação de uma empresa.
Todo o processo é acompanhado pelo IPCA e pelas entidades especializadas com as quais tem Protocolos que
apoiam na elaboração do Plano de Negócios, do Plano de Marketing e na solicitação de apoios e incentivos às
diversas entidades competentes. De referir que o IPCA é parceiro da Plataforma Finicia do Minho (IAPMEI), da
Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), com a qual tem trabalhado em conjunto no âmbito de diversas
78
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
atividades, nomeadamente, na Academia dos Empreendedores, dinamizando, no IPCA, o Concurso de Ideias. O
IPCA, é também parceiro na dinamização do concurso “Passaporte para o Empreendedorismo” promovido pelo
IAPMEI envolvendo também a participação do responsável do G3E e Vice Presidente do IPCA, Dr. Agostinho Silva,
como observador neste concurso, sendo que das diversas candidaturas de ideias de negócio de alunos e licenciados
do IPCA apresentadas este ano a este concurso, obtiveram-se 8 aprovações, perfazendo assim no total global entre
2013 e 2014, de 26 bolsas atribuídas a diplomados do IPCA.
Este ano, as instituições do Ensino Superior Politécnico e um conjunto de Escolas Politécnicas uniram-se mais uma
vez para a realização do concurso Poliempreende, isto para conseguir dar resposta a uma necessidade cada vez
maior do país em ter mais empreendedores, tendo este programa como grande objetivo incutir nos estudantes a
capacidade de empreender. Nesta 11ª edição, o concurso regional do IPCA contou com 5 ideias de negócio, das quais
foi apurado como vencedor o projeto “One Way”, pertencente a um grupo constituído por dois diplomados da Escola
Superior de Tecnologia e uma diplomada da Escola Superior de Gestão, tendo essa mesma equipa conseguido
também obter bolsa no programa Passaporte para o Empreendedorismo”
Fomentar uma cultura empreendedora e contribuir para o desenvolvimento económico do País ajudando a qualificar
a classe empresarial são os grandes objetivos do Poliempreende e do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave que
já estamos a conseguir com resultados positivos em quase todos os participantes deste projeto dispersos por todo
o País.
O Poliempreende compreendeu as seguintes fases:
•
Oficinas de Empreendedorismo (Oficina E e E2);
•
Apresentação e seriação de ideias de negócio;
•
Candidatura ao Concurso Regional;
•
Concurso Nacional.
Ainda no âmbito da promoção do empreendedorismo, o G3E auxiliou nas candidaturas ao “Passaporte para o
Empreendedorismo”, e ao concurso Poliempreende, e ainda na criação de empresas como criação de diversas
associações e empresas de alunos/licenciados do IPCA, como a Titulus, Belong2Success, e AvailableFusion.
2.3 Eventos Promovidos pelo G3E
2.3.1 Seminários e Workshops
APRESENTAÇÃO E ABERTURA OFICIAL DO CONCURSO 11º POLIEMPREENDE – 20 DE MARÇO
Este evento organizado e apresentado pelo G3E, teve como principal objetivo a apresentação e abertura oficial do
concurso regional (IPCA) de ideias de negócio, 11º Poliempreende. A apresentação ficou a cargo do Vice-Presidente
do IPCA e coordenador do G3E, Dr. Agostinho Silva, e do Coordenador do Poliempreende no IPCA, Dr. Carlos Plácido.
“LINHA DE CRÉDITO MICROINVESTE” – 20 DE MARÇO
Apresentado em pareceria com a Associação comercial e Industrial de Barcelos (ACIB), esta sessão teve como
objetivo a divulgar a uma Linha de Crédito direcionada para jovens desempregados que pretendam abrir uma
empresa, e cujo apoio é para investimentos até 20.000 Euros. A apresentação esteve a cargo da Dra Natália Costa,
da ACIB.
“GARANTIA JOVEM” – 9 DE ABRIL
Sessão sobre o programa “Garantia Jovem”, organizado em pareceria com o IEFP, onde foram apresentadas
várias propostas de combate ao desemprego, como a formação contínua, contratos de aprendizagem ou estágio
profissional, e diversos programas de apoio à criação de empresas.
“START GLOBAL XXI “ – 11 DE ABRIL
Apresentado pela Global XXI, o projeto Start Global XXI consiste num dinamizador para a criação de Startups por
empreendedores de elevado potencial sendo promovido pela Global XXI-Consultores e apoiado pelo G3E.
“WORKSHOP “INTRODUÇÃO AO COACHING - WE CREATE” – 12 DE JUNHO DE 2014
Organizado em colaboração com a empresa “We Create”, este evento, dinamizado por duas Master Coach Trainees,
teve como objetivo divulgar o que é o Coaching, e dar a conhecer aos participantes ferramentas simples e poderosas
79
SECÇÃO IV LIGAÇÃO À COMUNIDADE, EMPREGO E EMPREENDEDORISMO
para tornar “(…) a sua vida mais simples, mais fácil e sobretudo mais feliz.”.
“WORKSHOP “PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO – O RELATÓRIO E APRESENTAÇÃO DA FASE DOS 4
MESES” – 30 DE JULHO
Com a colaboração de Daniel Souto da equipa STABE (bolseiros que se encontram na 2ª fase do Passaporte para o
Empreendedorismo), foi realizado este Workshop para auxiliar os novos bolseiros do IPCA a obterem informações
sobre a realização do 1º relatório, a terem um feedback de uma das equipas que já se apresentou ao júri e cuja ideia
de negócio recebeu o aval do mesmo para a continuidade do desenvolvimento da ideia (e a renovação da bolsa
por mais 8 meses), dicas sobre a forma como têm que realizar a apresentação, o plano de trabalho a realizar e
concretizar na 1ª fase (dos 4 meses), e quais os itens a dar destaque quer no relatório quer na apresentação.
“OFICINAS E-POLIEMPREENDE”
Estes Workshops foram dedicados aos temas “Geração de Ideias” e “Avaliação Económico-Financeira”. As oficinas
E destinam-se a trabalhar as competências técnicas dos estudantes que pretendam apresentar um projeto de
negócio e submetê-lo a concurso
“A ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS: CONCEITOS, ETAPAS E PROCEDIMENTOS” – 9 DE JUNHO
Esta sessão teve como objetivo, preparar os participantes no concurso para o processo de transformar as ideias em
potenciais negócios, pela aprendizagem dos passos essenciais ao desenvolvimento de um Plano de Negócios eficaz.
“PLANO DE NEGÓCIO E APRESENTAÇÃO A INVESTIDORES” – 17 DE JUNHO
Com esta segunda sessão, os participantes do concurso ficaram com as competências essências para preparar a
apresentação e expor a ideia de negócio a potenciais investidores.
“COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS: COMPONENTE FINANCEIRA” – 17 DE JUNHO
Esta oficina possibilitou aos participantes adquirirem noções essenciais para elaborarem as projeções financeiras
básicas, através de um template em Excel disponibilizado pelo IAPMEI. Em cada uma destas sessões das Oficinas-E,
participaram 10 estudantes.
2.3.2 Formação
CURSO SOBRE “CRIATIVIDADE E EMPREENDEDORISMO” – MAIO/JUNHO
Curso que teve inicio durante o mês de maio, e que possui uma forte componente prática, e tem como objetivo
primordial o estimular a criação de ideias de negócio, e a sua concretização.
Este curso decorreu nas instalações do G3E na cidade de Barcelos, onde participaram 16 diplomados do IPCA.
2.3.3 Participação em Júris
Membros do Júri do Concurso Regional da 11ª Edição do Poliempreende, IPCA, Julho de 2014:
- Agostinho Silva
- Carlos Plácido
- José Correia da Silva
- José Baptista da Costa
- Marco Escadas
- Adriano Fidalgo
2.4 Outros
- Apresentação da candidatura do G3E aos “Prémios europeus de promoção empresarial 2014”, na categoria:
“Promoção do espírito de empreendedorismo;
- Divulgação e organização do concurso para novo design do “Relatório e Contas” da Caixa Agrícola do Noroeste
(CA);
- Divulgação da nova fase (15 de Maio) do concurso “Passaporte para o Empreendedorismo”;
- Atualização do website do G3E;
- Atualização da plataforma do concurso regional (IPCA) Poliempreende;
80
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
- Solicitação ao Centro de Informática para a criação de um fórum no Moodle para o G3E com o objetivo de inserção
de ofertas de emprego e estágios profissionais, para substituir a plataforma WOC;
- Reunião com o diretor da EST, sobre as equipas da EST/DGL concorrentes ao passaporte para o Empreendedorismo;
- Auxiliar as equipas candidatas ao concurso “Passaporte para o Empreendedorismo”;
- Acompanhamento das equipas bolsistas do concurso “Passaporte para o Empreendedorismo”;
- Auxiliar as equipas candidatas ao concurso regional (IPCA) 11º Poliempreende;
- Apoio administrativo a duas candidaturas ao programa “Sistema de Apoio a Infraestruturas Científicas e
Tecnológicas - Infraestruturas Científicas (SAIECT-IEC/2/2014 - Overbooking)”;
- Acompanhamento da equipa vencedora do concurso regional 11º Poliempreende na Final Nacional do
Poliempreende;
- Adaptação do Questionário aos Diplomados, para versão online;
- Auxilio à ESG e à EST, na divulgação dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais e solicitar a colaboração da
empresa para a assinatura de protocolo(s) de Formação em Contexto de Trabalho no âmbito de tais cursos.
- Avaliação das candidaturas ao programa da Rede de Fomento de Negócios, nas ações: “Ação 2 | Concurso de ideias
e projetos”, “Ação 2 | Apoio à criação de empresas”, e “Ação 3 | Projetos sustentáveis”.
81
2nd International Week
11 de março de 2014
82
SECÇÃO V
Internacionalização
O IPCA procura proporcionar aos membros da comunidade académica a aquisição de competências que lhes
permitam intervir na dinâmica, competitiva e continuamente renovada sociedade global e pluralista, facilitando o
acesso a novas experiências e novos conhecimentos em contexto cultural e linguístico diversificado.
Ciente da importância da sua inserção no espaço europeu de ensino superior, o IPCA tem vindo a reforçar as
suas ações de internacionalização do ensino, proporcionando aos seus estudantes períodos de estudo noutras
instituições de ensino superior com pleno reconhecimento académico, nomeadamente através da ação Erasmus
e de protocolos bilaterais, periodos de estágio em empresas europeias e tem ainda desenvolvido uma intensa
atividade de acolhimento de estudantes e ainda a mobilidade de pessoal docente e não docente, destacando-se a
organização da “Semana Internacional Erasmus”.
Apresenta-se, de seguida, a síntese das atividades de internacionalização em 2014.
1. Mobilidade de Estudantes, Pessoal Docente e Pessoal Não Docente
O maior fluxo da atividade de mobilidade académica ocorreu ao abrigo do Programa de Aprendizagem ao Longo
da Vida, com a ação Erasmus. A evolução dos fluxos de estudantes do IPCA em mobilidade na Europa no período
compreendido entre 2010 e 2014 é representado no quadro 68, verificando-se que a Polónia é o país mais escolhido
pelos estudantes do IPCA. No quadro 69 apresenta-se a evolução do número de estudantes recebidos no IPCA
desde 2010; de notar que este número duplicou de 2012 para 2014 e voltou a duplicar de 2013 para 2014. Ou seja, em
apenas dois anos verifica-se uma taxa de crescimento de 92% dos estudantes incoming no IPCA. Estes provêm de
vários países europeus destacando-se a Espanha, Polónia, Turquia, Roménia, Itália e Lituania.
Quadro 68 - Estudantes do IPCA em Mobilidade ao Abrigo do Erasmus (estudantes outgoing)
País
2010
2011
2012
2013
2014
Alemanha
0
0
0
2
0
Croácia
0
0
0
0
1
Eslovénia
0
0
0
0
1
Espanha
0
2
0
1
0
Grécia
0
0
0
5
0
Itália
0
0
3
1
4
Lituânia
3
0
0
0
2
Polónia
14
16
18
18
20
Turquia
0
7
10
2
1
17
25
31
29
29
83
SECÇÃO V INTERNACIONALIZAÇÃO
Quadro 69 - Estudantes estrangeiros em Mobilidade ao Abrigo do Erasmus (estudantes incoming)
País
2010
2011
2012
2013
2014
Bulgária
0
0
0
4
4
Croácia
0
0
0
2
4
Eslováquia
0
0
0
3
4
Espanha
0
1
6
10
8
França
0
0
0
2
0
Grécia
0
0
0
3
4
Itália
1
1
2
1
3
Letónia
0
0
0
0
2
Lituânia
3
2
5
5
8
Luxemburgo
2
2
1
1
2
Macedónia
0
0
0
0
4
Polónia
11
18
18
16
29
Roménia
0
0
1
11
24
Turquia
0
1
2
13
40
17
25
35
71
136
Figura 18 - Evolução da mobilidade de estudantes ao abrigo do Erasmus 2010/2014
Relativamente à mobilidade de pessoal docente, existiam apenas cinco bolsas de mobilidade disponíveis, que
foram utilizadas da seguinte forma: uma para a Roménia, uma para a Eslovénia e três para Espanha.
Em contrapartida o número de docentes recebidos em 2014 foi de 145, provenientes de 18 países, conforme o quadro
seguinte. Refira-se todavia que destes 145 docentes, 64 participaram na “II Semana Internacional Erasmus”.
84
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 70 - Docentes estrangeiros recebidos em mobilidade em 2014
País
2010
2011
2012
2013
2014
Alemanha
0
0
0
6
2
Bulgária
0
0
0
5
2
Croácia
0
0
0
5
4
3
4
Eslovénia
0
0
1
6
4
Espanha
0
4
4
24
20
Estónia
0
0
0
3
2
Eslováquia
Grécia
0
0
0
4
1
Holanda
0
0
0
1
1
Itália
0
1
0
12
16
Letónia
0
0
0
3
2
Lituânia
4
7
0
14
16
Noruega
0
0
0
1
0
Polónia
4
9
5
26
20
Reino Unido
0
0
0
6
5
República Checa
0
0
0
5
5
Roménia
0
11
0
12
19
Turquia
0
0
7
20
18
8
32
17
156
145
A “Semana Internacional Erasmus” decorreu entre 11 e 14 de Março de 2014 e contou com a participação de 64
docentes financiados pela respetiva Instituição de Ensino Superior. Ao longo deste período cada docente lecionou 5
a 6 horas de aulas aos diversos cursos de licenciatura e mestrado do IPCA.
O IPCA dinamizou igualmente protocolos genéricos de cooperação com instituições de ensino superior do Brasil,
permitindo a mobilidade de estudantes e de docentes para este país. Em 2014, sete estudantes do Brasil realizaram
mobilidade para o IPCA e um estudante do IPCA realizou um período de mobilidade no Brasil ao abrigo de acordos
de cooperação bilateral. Relativamente à mobilidade de docentes com o Brasil, o IPCA acolheu dez docentes do
Brasil e enviou dois docentes.
2. Mobilidade para estágio
ESTÁGIOS ERASMUS CONSÓRCIO NOWPORTUGAL
Os estudantes do IPCA têm desde o ano de 2014 oportunidade de realizar um período de estágio numa empresa da
União Europeia.
No âmbito de uma candidatura apresentada pelos quatro Institutos Politécnicos do Norte (IPCA, IPP, IPB e IPVC) foi
criado o Consórcio ERASMUS NOW Portugal que se destina a apoiar a mobilidade de estudantes para estágios e a
mobilidade para missões de ensino e de formação.
O IPCA, como parceiro do consórcio enviou em 2014, 3 estudantes que realizaram estágios em Espanha e na Turquia
nas seguintes empresas: Hello Lola e Brand It. A aposta do IPCA incide especialmente nas mobilidades de estudantes
para estágio onde se pretende ter cada vez mais estudantes colocados em empresas europeias.
Em 2014/2015 espera-se alcançar os 25 estágios.
85
SECÇÃO V INTERNACIONALIZAÇÃO
ESTÁGIOS LEONARDO DA VINCI
O IPCA enviou três estudantes ao abrigo dos estágios profissionais LEONARDO DA VINCI em empresas da Turquia,
França e Alemanha. Destes, dois ficaram colocados após o período de estágio.
Ao abrigo do programa erasmus o IPCA enviou onze estudantes para realizar o período de estágio (curricular, extra
curricular e profissionais) para os seguintes países : Bulgária, Espanha, Turquia, Polónia.
3. Cooperação com o Espaço Europeu de Ensino Superior
O IPCA tem dado continuidade às suas ações de internacionalização estabelecendo protocolos de cooperação
e intercâmbio no espaço de ensino superior europeu. Assim, o número de acordos bilaterais celebrados com
Instituições Europeias aumentou de 16 em 2009 para 138 em 2014, como representado no quadro 71.
Da mesma forma o número de países com os quais existe um protocolo bilateral Erasmus aumentou de 12 em 2009
para 26 países em 2014.
Quadro 71 - Evolução do número de acordos bilaterais Erasmus
86
País
2009
2010
2011
2012
2013
2014
Alemanha
2
2
2
5
8
8
Bulgária
0
0
1
2
2
2
Chipre
0
0
0
4
4
4
Croácia
0
0
0
3
4
4
Dinamarca
1
1
1
1
1
1
Eslováquia
0
0
0
1
3
4
Eslovénia
0
0
1
3
2
3
Espanha
2
4
9
19
21
22
Estónia
0
0
0
1
1
1
França
1
1
1
4
5
6
Grécia
0
0
1
2
3
3
Holanda
0
0
0
1
1
1
Itália
1
2
4
9
11
12
Letónia
0
0
1
2
3
3
Lituânia
1
1
1
3
3
6
Luxemburgo
1
1
1
1
1
1
Macedónia
0
0
0
1
1
1
Malta
1
1
1
1
1
1
Noruega
1
1
1
1
1
1
Polónia
2
4
7
17
17
18
Reino Unido
0
0
1
5
5
5
Rep. Checa
0
0
0
1
3
3
Roménia
2
2
2
13
13
13
Rússia
0
0
0
1
1
1
Turquia
1
1
3
13
13
13
Ucrânia
0
1
1
1
1
1
TOTAL
16
22
39
113
129
138
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 72 - Acordos Bilaterais Celebrados com Instituições Europeias
País
Instituição de Ensino Superior
Turquia
Universidade de Sakarya
Adıyaman University - School of Tourism Management and Hospitality
Yalova University
Gazi University
Giresun University
Afyon Kocatepe University
Cankiri Karetekin University
Bilecik Seyh debali University
Marmara University
Istanbul Medipol University
Karadeniz Technical University
Ali Fuad Law Faculty Ondokuz Mayis University Carsamba, Samsun Turkey
Çag University
Alemanha
Fachochschule Deggendorf
Hochschule Neu-Ulm
Technische Universitat Munchen
University of Applied Sciences Nordhausen
University of Stuttgart
University of Wuppertal
Stuttgart Media University
Deggendorf Institute of Technology
Malta
Malta College of Arts, Science and Technology
Luxemburgo
Université du Luxembourg
Espanha
Universidad de Castilla-La-Mancha
Universidad de Zaragoza
Universidade de Santiago de Compostela
Escuela de arte y superior de diseno de Soria
Universidad de Jaén
Universidad de Huelva
Universidad de Coruna
Universidad de Lanzarote
Universidad de la Laguna
Universidad de Murcia
Universidad Politécnica de Madrid
Universidad de Burgos
Universidad de Granada
Universidad Carlos III – Madrid
Universidad Vigo
Universidad Cadiz
Universidad de Alcalá
Universidad Autonoma de Madrid
Universidad Pablo de Olavide
Universidad Politécnica de Valência
Universidad de las Islas Baleares
Universitat Autónoma de Barcelona
Polónia
Academy of Fine Arts in Wroclaw
Politechnica Opolska
Politechnica Bialystok
Alcide de Gasperi University or Euroregional Economy
Wydzialu Prawa i Administracji UWM
Akademia Sztuk Pieknych im. E. Gepperta
State Higher Vocational School in Nysa
Pope John Paul II State University
Economics University of Wroclaw
Helena Chodkowska University of management and law in Warsow
University of Economics in Katowice
Random Academy of Economics
State Higher State Vocational School (in Polish PWSZ) in Wałcz
Siedlce University
University of management and law in Warsaw
Wyzsza Sykola Finansao i Prawa w Bielsku – Bialej
Uniwersytet Warminsko – Mazurski w Olsztynie
Noruega
Buskerud University College
87
SECÇÃO V INTERNACIONALIZAÇÃO
Quadro 72 - Acordos Bilaterais Celebrados com Instituições Europeias (continuação)
País
Instituição de Ensino Superior
Lituânia
Vilnius College of Construction and Design
West Lithuania Business College
Vilnius Gediminas Tech. University Vilnius College of Technologies and Design
Kazimieras Simonavicius University
Vilniaus Gedimino Technikos Universitetas (VGTU)
Lietuvos Verslo Kolegija
Dinamarca
Roskilde Business Academy
Itália
Universitá Kore di Enna
Academia di Catania
Universitá degli studi di Milano Bicocca
Universidad de Foggia
Universitá di Napoles
Universitá di Salerno
Universitá di Pádua
Universitá di Cagliari
Second University of Napoles
Modena and Reggio Emilia University
Catholic University
França
Université Pierre Mendes
École du Commerce Europeenne –INSEEC
Ecole Supérieure de Commerce International
Université Bordeaux 1
Universidade de Poitiers
Université René Descartes
Roménia
“Ion Mincu” University of Architecture & Urbanism
Transilvania University of Brasov
Tito Maiorescu University of Bucharest
University Alenxandru Ioan Cusa
University Aurel Vlaicu din Arad
University of Oradea
Universitatea Politehnica of Bucaresti
University of Art George Enescu
Ecological University of Bucharest
George Bacovia University
Babes-Bolyai University Cluj-Napoca
Dimitrie Cantemir Targu - Mures
West University of Timisoara
Rússia
National Research University Higher School of Economics
Reino Unido
Grécia
República Checa
Bulgária
Eslováquia
Eslovénia
University of Abertay Dundee
Northumbria University
Manchester Business School
Oxoford Brookes University
University of Northampton
Faculty of Graphic Arts and Design
Technological Education Institute of Piraeus
University of Patras
Private University College of Economic Studies
University of Prague
American University
Varna University
Technical University of Kosice
University of Sladkovicovo
Solsi Center Srecko Kosovel Sezana
Vysoka Skola Danubius
University of Maribor
Faculty of Media in Ljubljana
SEM Institute for Climate Change, Ansted University
Estónia
Estonian entrepreneurship University
Ucrânia
University Lvivska Polytechnica
Letónia
Turiba University
Riga Stradins University
Information Systems Management Institute (ISMA)
88
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 72 - Acordos Bilaterais Celebrados com Instituições Europeias (continuação)
País
Instituição de Ensino Superior
Chipre
Open University of Cyprus
InterNapa College
P.A. College of Larnaca
Cyprus University of Technology
Croácia
Vern University of Applied Sciences
Medimurje University of Applied Sciences in Cakovec
Univ. College economics, Zagreb
University of Split
Holanda
University of Rotterdam
Macedónia
Fakultet Za Biznis Ekonomija
4. Cooperação com Países de Língua Portuguesa
Na prossecução da sua missão e considerados os valores que norteiam o exercício das responsabilidades que lhe
estão cometidas, o IPCA considera eixos prioritários da sua atuação, a cooperação e intercâmbio não só com o espaço
de ensino superior europeu, mas também com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), Brasil e
Macau, fomentando desta forma a interculturalidade e cidadania, e criando novas oportunidades de valorização a
nível pessoal, académico e profissional.
No ano letivo 2013/2014, 52 estudantes provenientes de Países de Língua Oficial Portuguesa realizavam os seus
estudos no IPCA, como evidencia o quadro seguinte.
Quadro 73 - Estudantes provenientes de Países de Lingua Portuguesa
País
Número de estudantes
Angola
22
Cabo Verde
10
Moçambique
6
São Tomé e Príncipe
13
Timor Leste
1
Total
52
Ao nível da cooperação com o Brasil, o número de protocolos com o Brasil aumentou de um em 2009 para 20 em
2014. Este é uma aumento significativo que evidencia a aposta do IPCA na sua estratégia de intercionalização e
cooperação com o Brasil.
O IPCA possui ainda um protocolo de colaboração com o Instituto Politécnico de Macau para a permitir a mobilidade
de docentes e alunos, criado pelo CCISP e criar uma ligação ao espaço da lusofonia assim como dinamizar a língua
portuguesa nestes países.
89
SECÇÃO V INTERNACIONALIZAÇÃO
Quadro 74 - Acordos Bilaterais Celebrados com Outros Países
País
Instituição de Ensino Superior
Brasil
Universidade Estadual Rio de Janeiro
Universidade Federal Fluminense (Rio de Janeiro)
Universidade Estadual de Feira de Santana (Bahia)
Universidade Federal da Bahia
Universidade Federal Brasília
Universidade Federal Maranhão
Universidade Federal Paraíba
Universidade Federal Paraná
Universidade Federal de Pernambuco
Instituto Federal de Educação e Tecnologia de Minas Gerais
Instituto Federal de Educação e Tecnologia do Rio de Janeiro
Instituto Federal de Educação e Tecnologia de S. Paulo
Universidade S. Paulo
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Bahia
Instituto Federal de Brasília
Universidade Estadual de Campinas
Universidade Federal Goiás
Escola Superior de Design Industrial – Rio Janeiro
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco
Macau
Instituto Politécnico de Macau
Taiwan
National Chung Cheng University
5. Programa IACOBUS
O Programa IACOBUS é um programa de cooperação cultural, científica e pedagógica no qual o IPCA participa e
que tem como objetivo contribuir para a integração inter-regional entre Instituições de Ensino Superior da Euroregião Galícia-Norte de Portugal, através do apoio à cooperação e ao intercâmbio de pessoal docente, não docente
e investigadores visando o desenvolvimento conjunto de atividades formativas e de investigação.
Trata-se de uma ação baseada nas prioridades definidas no PIC - Plano de Investimentos Conjuntos da Euro-região,
impulsionado pela Comunidade de Trabalho Galícia-Norte de Portugal, contando com o apoio da União Europeia,
que contribui para o seu financiamento através do Programa Operacional de Cooperação Transfronteiriça Espanha
– Portugal (POCTEP).
Podem participar neste Programa:
•
Pessoal docente e investigador (PDI);
•
Investigadores pré-doutorais ou pós-doutorais com um vínculo em vigor de investigação com uma
Universidade ou uma Instituição de Ensino Superior;
•
Pessoal administrativo e de serviços (PAS).
No ano letivo de 2014/2015 nove docentes do IPCA viram a sua candidatura ao IACOBUS aprovada para a realização
de mobilidade na Universidade de Santiago de Compostela e na Universidade de Vigo. Por outro lado, seis docentes
de outras IES da região da Galiza escolheram o IPCA para realizar no âmbito do mesmo programa.
90
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Receção na Embaixada da Bulgária
11 de fevereiro de 2014
91
Exposição Projeto DIANA
19 de maio de 2014
92
SECÇÃO VI
CIED de Barcelos - Centro de Informaçao Europe
Direct de Barcelos
1. Apresentação
O Centro de Informação Europe Direct de Barcelos (CIED Barcelos) assinala, agora em 2015, dois anos de existência
desde a aprovação da candidatura apresentada pelo IPCA à Comissão Europeia, através da Representação da
Comissão Europeia em Portugal (doravante Representação).
Apesar da candidatura aprovada do CIED Barcelos dizer respeito a um período de 5 anos, ou seja, de janeiro de 2013
a dezembro de 2017, a atividade anual está sujeita a aprovação, quer em termos de planificação, quer em termos
financeiros, e é delineada em face de orientações estratégicas e objetivos a atingir definidos pela própria Comissão
Europeia. Com efeito, todos os anos tem de ser submetido um plano de trabalho para ser analisado e aprovado pela
Representação.
Esta rede, denominada Rede Europe Direct, é o serviço informativo por excelência da Comissão Europeia que, através
de 500 Centros na Europa -19 em Portugal- e um serviço centralizado em Bruxelas, atua como intermediária entre os
cidadãos e a União Europeia (UE).
Dois anos de trabalho no terreno podemos claramente afirmar que ainda muito há a fazer. O fosso entre o “comum
cidadão” e as instituições europeias ainda é teoricamente grande. Porquê teoricamente? De facto, a Comissão não
vem às NUTS do Cávado e Ave percecionar as carências regionais deste espaço geográfico de gente trabalhadora,
mas em boa verdade isso não significa a falta de interesse pelo mesmo, uma vez que esse é o papel do CIED Barcelos.
Mensalmente, e no fim de cada ano, têm de ser elaborados relatórios onde retratamos toda esta informação que
vamos captando enquanto percorremos os nossos objetivos.
Dos vários serviços disponibilizados pelo CIED Barcelos o primeiro, e mais visível, é a disponibilização, organização e
capacitação de um espaço físico, em face das especificações identificadas pela Comissão Europeia, para o cidadão
se dirigir e aí esclarecer as suas dúvidas.
O espaço físico aberto ao cidadão (público em geral) está instalado no Campus do IPCA, com um horário de
atendimento superior a 20 horas (valor de referência e requisito da Comissão Europeia):
Foi, a partir do seu espaço físico que, durante o ano de 2014, o CIED Barcelos disponibilizou a nível local, informações,
orientação, assistência e resposta a perguntas sobre instituições, legislação, políticas, programas e possibilidades
de financiamento da UE. Disseminou informação através do seu site web e promoveu a produção de materiais
informativos diversificados, destacando-se, entre outros, o Boletim Eletrónico (bimensal), a Revista “Europa em
Revista” (2ª edição), Brochura sobre Direitos dos Consumidores e um Jogo Digital contra o Desperdício Alimentar.
O site do CIED Barcelos (http://www.ciedbarcelos.ipca.pt) baseia-se numa estrutura simples, com usabilidade,
prática e funcional, com um sistema de gestão de conteúdos que permite atualizar o portal de forma dinâmica. A
gestão de conteúdos é feita pelos técnicos adstritos ao CIED.
Para além da gestão do site, o CIED tem ainda gestão das Redes Sociais abaixo identificadas, bem como o Flickr e
Youtube:
Facebook: https://www.facebook.com/cied.barcelos
Twitter: https://twitter.com/CIEDBarcelos
Flickr: http://www.flickr.com/photos/ciedbarcelos
Youtube: http://www.youtube.com/user/CIEDBarcelos
O papel do CIED Barcelos a nível local e regional, não se esgota na procura de respostas às questões dos cidadãos
e na disponibilização de informação através de diversas ferramentas de comunicação, assume-se também como
93
SECÇÃO VI CIED DE BARCELOS - CENTRO DE INFORMAÇAO EUROPE DIRECT DE BARCELOS
um ator de promoção de “eventos” de debate sobre a UE e as suas políticas, sendo ao mesmo tempo um veículo
através do qual o público em geral pode enviar reações às instituições europeias sob a forma de perguntas, opiniões
e sugestões.
Neste sentido, o CIED Barcelos promoveu e participou ativamente num conjunto alargado de eventos, de
natureza diversificada, dos quais destacamos: Visita de Multiplicados a Bruxelas, Seminários, Ações Informativas,
Conferências, Mesas Redondas, Feiras, Debates, Workshops, Magusto Internacional, Concursos e Visitas ao espaço
físico do CIED Barcelos, que se encontram infra identificados.
Além destas atividades desenvolvidas inscritas no Plano de Trabalho Anual, durante o ano de 2014, o CIED
Barcelos desenvolveu iniciativas no âmbito do convite restrito lançado pela Comissão Europeia – através da sua
Representação em Portugal-, à apresentação de propostas para atividades relacionadas com as eleições europeias
para o Parlamento Europeu, ao qual CIED Barcelos/IPCA, em parceria com o jornal “Correio do Minho” e com a rádio
“Antena Minho”, apresentou candidatura e obteve aprovação.
2. Atividades
2.1 Visita de Multiplicadores
LOCAL: BRUXELAS – DATA: 02 A 04-02-2014
A convite da Representação o CIED Barcelos teve a possibilidade de levar um grupo de 25 pessoas a Bruxelas,
às instituições europeias, para conhecer as referidas instituições e para contactar com técnicos portugueses
que trabalham nas mesma. Curiosamente, as indicações da Representação eram que os grupos fossem o mais
homogéneo possível (todos professores, ou todos jornalistas, como é habitual). Numa questão estratégica, o CIED
optou precisamente pelo oposto, um grupo completamente heterogéneo, o que se veio a confirmar ter sido uma
boa opção.
2.2 Seminários
FUNDOS ESTRUTURAIS EUROPEUS: PORTUGAL 2020
LOCAL: ESPOSENDE – DATA: 28-02-2014
O referido seminário decorreu em Esposende, antes da assinatura de protocolo de Antena de Informação Europeia
entre o CIED Barcelos e a ACICE. No seminário intervieram o Presidente do IPCA, o Presidente da Câmara de
Esposende, o Presidente da ACICE e o Eurodeputado José Manuel Fernandes.
CIDADANIA EUROPEIA
LOCAL: BARCELOS – DATA: 15-05-2014
O Seminário Cidadania Europeia decorreu, a 15 de Maio, no Auditório Engº António Tavares, no IPCA - Instituto
Politécnico do Cávado e do Ave, em Barcelos. Foi organizado pelo CIED Barcelos em parceria com SOPRO Solidariedade e Promoção (ONG - Organização Não Governamental para o Desenvolvimento).
O CIED Barcelos participou ativamente na organização deste seminário, bem como com uma intervenção no painel
da “Europa dos cidadãos” com o tema “Cidadania Europeia”. A intervenção procurou responder a questões como:
O que é ser Cidadão Europeu? Quais os seus direitos e deveres?
Que mecanismos e instrumentos de participação cívica têm os cidadãos à sua disposição a nível europeu
É mesmo possível viver, estudar e trabalhar em qualquer estado da UE?
O seminário teve como principais objetivos criar oportunidades de acesso à informação e instrução para auxiliar
o desenvolvimento pessoal de jovens adultos e proporcionar um encontro entre gerações para a transmissão de
experiências, competências e conhecimentos práticos.
94
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2.3 Ações Informativas
REFORÇO DOS PODERES DO PARLAMENTO EUROPEU. AS ELEIÇÕES EUROPEIAS 2014
2014 foi ano de eleições europeias. Por si só, quando falamos de eleições europeias estamos a falar de algo que
afeta em muito o nosso dia-a-dia. Hoje em dia, mais de 70% das decisões são tomadas a nível do Parlamento
Europeu, cabendo posteriormente aos Parlamentos Nacionais a forma de as adotarem. Mas 2014 foi especial por
outro facto, com o Tratado de Lisboa, o Parlamento Europeu ficou com poderes reforçados, significa isto, que nós
cidadãos temos mais voz, mais poder, mas por inerência, mais responsabilidade. Tendo em consideração o referido
Tratado, estas eram as primeiras eleições após o mesmo, daí a importância de passarmos uma boa mensagem aos
cidadãos europeus.
Neste sentido, a Representação lançou uma Call específica para promoção de ações informativas sobre o Parlamento
Europeu. O CIED Barcelos, fruto de uma candidatura ambiciosa conseguiu o valor máximo de financiamento.
As Ações Informativas visaram informar e consciencializar os cidadãos que, em breve, iriam ser chamados a eleger os
deputados nacionais ao Parlamento Europeu, promovendo uma maior participação ativa desses mesmos cidadãos
nas diversas ações de caráter europeu, concretamente nas eleições europeias, realçando uma verdadeira cidadania
europeia e participando na tomada de decisão, nomeadamente, através do direito ao voto.
Ações desenvolvidas:
•
11-04-2014 - Antena de Informação Europeia na Biblioteca Municipal de Vila Nova de Famalicão;
•
10-04-2014 – GTI – Gestão, Tecnologia e Inovação, Braga;
•
09-04-2014 – SOPRO - Solidariedade e Promoção – Barcelos;
•
08-04-2014 – Antena de Informação Europeia na ACICE (Associação Comercial e Industrial do Concelho de Esposende) – duas ações;
•
03-04-2014 – Antena de Informação Europeia na KERIGMA – Instituto de Desenvolvimento Social de Barcelos;
•
03-04-2014 – Escola Secundária de Vizela.
REFORÇO DOS PODERES DO PARLAMENTO EUROPEU! NA EUROPA TODAS AS OPINIÕES CONTAM PODERES
LOCAL: FAFE – DATA: 08-05-2014
No âmbito das Comemorações do Dia da Europa, o CIED promoveu, em parceria com a Escola Secundária de Fafe,
uma Ação Informativa sobre “O reforço dos poderes do Parlamento Europeu – Na Europa todas as opiniões contam”.
Assim, de forma a assinalar o Dia da Europa, antecipando-o, foi promovida uma Ação Informativa envolvendo
alunos e professores, possibilitando aos alunos envolvidos do 11º e 12º ano uma sistematização de informação sobre
o Parlamento Europeu e sobre as Eleições Europeias.
O REFORÇO DOS PODERES DO PARLAMENTO EUROPEU – ELEIÇÕES EUROPEIAS 2014
LOCAL: BARCELOS – DATA: 24-04-2014
Em parceria com a Biblioteca Municipal de Barcelos, o CIED Barcelos, promoveu uma ação informativa sobre “O
reforço dos poderes do Parlamento Europeu - Eleições Europeias 2014”.
No âmbito da ação informativa foi proporcionado um Peddy Papper com o objetivo de permitir, aos alunos de ensino
secundário envolvidos, que pudessem sedimentar conhecimentos sobre a cidade onde vivem (Barcelos) e sobre
questões de caris europeu, designadamente sobre a constituição e funcionamento das instituições europeias.
Neste contexto, foi dado enfase ao Parlamento Europeu e à importância da participação ativa dos cidadãos nas
eleições europeias.
COMEMORAÇÃO DO DIA DO ESTUDANTE
LOCAL: CABANELAS – DATA:24-03-2014
O CIED Barcelos, em parceria com a Escola Básica EB1 de Cabanelas, organizou e planificou um conjunto de atividades
a desenvolver no âmbito das Comemorações do Dia do Estudante - 24 de março.
A planificação das atividades desenvolvidas, de natureza diversificada, com carácter lúdico pedagógico, teve em
conta as idades dos alunos do Pré-escolar e Ensino Básico, permitindo-lhes, para alguns, o primeiro contacto com
informação sobre a União Europeia.
95
SECÇÃO VI CIED DE BARCELOS - CENTRO DE INFORMAÇAO EUROPE DIRECT DE BARCELOS
A UNIÃO EUROPEIA E A SUA HISTÓRIA
LOCAL: GANDARELA DE BASTO – DATA: 26-06-2014
O CIED Barcelos, a convite do Centro Escolar de Gandarela de Basto, organizou e planificou uma ação para crianças
dos 5 aos 14 anos inseridas numa “colónia de férias”, numa ação específica sobre a União Europeia e a sua História.
Em face das idades das crianças, foi feita uma apresentação simples, percetível à generalidade dos presentes, e
posteriormente através de atividades mais práticas, trabalhamos com as crianças de acordo com as suas faixas
etárias e os seus conhecimentos.
CONSTRUÇÃO DA UNIÃO EUROPEIA, SUA HISTÓRIA E FUNCIONAMENTO
LOCAL: RIO CALDO – DATA: 06-05-2014
Com o objetivo de assinalar o Dia da Europa, antecipando-o, foi promovida uma atividade envolvendo alunos e
professores, possibilitando aos alunos envolvidos do 6º, 7º e 8º anos uma sistematização de informação sobre
a génese da União Europeia, os seus diferentes alargamentos e o funcionamento das instituições europeias,
designadamente do triângulo institucional.
2.4 Conferências
A AVENTURA DE SER MIGRANTE
LOCAL: PEDOME – DATA: 29-05-2014
O CIED Barcelos foi convidado a participar na Conferência “A Aventura de Ser Migrante” organizado pelo Clube
Europeu da Escola de Pedome.
Esta conferência, promovida no âmbito das comemorações do Dia da Europa, teve por objetivo principal facilitar
o reconhecimento de Portugal como agente disseminador dos valores da Europa Unida. Foram apresentados
testemunhos de cidadãos portugueses e romenos que migraram para países europeus e foram relatadas experiências
(sobre quem vai quem chega), bem como testemunhos de organizações não-governamentais.
A participação do CIED concretizou-se através da participação como palestrante na Conferência, com uma
intervenção sobre a “Cidadania Europeia”.
Com esta conferência pretendeu-se dar conta aos alunos envolvidos que todos contribuímos para a construção da
cidadania europeia concretizando desta forma os objetivos da Europa.
(RE) ENAMORE-SE PELA EUROPA - ELEIÇÕES EUROPEIAS 2014
LOCAL: VILA VERDE – DATA: 14-02-2014
No dia 14 de fevereiro decorreu na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), em Vila Verde, uma ação informativa
intitulada “(Re)enamore-se pela Europa” - Eleições Europeias 2014.
Esta ação informativa, a convite do CIED Barcelos e da Representação da Comissão Europeia em Portugal, contou
com a presença do Eurodeputado - José Manuel Fernandes, entre outras individualidades de reconhecido mérito nas
temáticas europeias e, teve por objetivo principal sensibilizar os cidadãos para a importância da sua participação
ativa e consciente nas eleições para o Parlamento Europeu, com destaque para aqueles que votariam pela primeira
vez em 2014.
Esta foi uma iniciativa informativa sobre as Eleições Europeias 2014, promovida numa ação conjunta entre os Centros
de Informação Europe Direct, o Gabinete de Informação do Parlamento Europeu em Portugal e a Representação da
Comissão Europeia em Portugal com a presença de, pelo menos, um Deputado português ao Parlamento Europeu,
em cada Centro.
Localmente esta iniciativa foi promovida pelo CIED Barcelos, a Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), com o
apoio do Município de Vila Verde (CMVV).
SEMANA COMEMORATIVA DOS DIREITOS DO HOMEM
LOCAL: BRAGA – DATA: 10-12-2014
No dia 10 de dezembro o CIED Barcelos foi convidado, pelo Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, Braga, a fazer
parte de um painel com o intuito de debater o papel dos Direitos Fundamentais na Europa e no Mundo. Realçamos
que na data do respetivo evento assinalava-se o dia desde que em 1948 as Nações Unidas enunciou a Declaração
Universal dos Direitos do Homem.
A participação do CIED Barcelos manifestou-se na demonstração da importância dos direitos fundamentais, a
evolução destes no projeto europeu e o papel da União Europeia no mundo enquanto principal doador mundial no
96
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
apoio aos países mais carenciados.
O debate decorreu no Agrupamento de Escolas Carlos Amarante em Braga tendo contado com mais três
intervenientes no painel de discussão de diferentes áreas e a participação de estudantes do 11º e 12º anos.
CONFERÊNCIA INTERNACIONAL - NEW SKILLS § NEW JOBS
LOCAL: BARCELOS – DATA: 21-01-2014
A conferência final do projeto New Skills & New Jobs, Bridging de Gap, projeto coordenado pela Kerigma (Instituto
De desenvolvimento Social de Barcelos) em parceria com a Escola Superior de Tecnologia do IPCA e com outros
quatro parceiros de outros países europeus, decorreu em Portugal, no IPCA, com o apoio do CIED Barcelos.
A referida conferência teve por objetivo compreender e antecipar as competências necessárias para o presente e
para o futuro de hoje, sendo de extrema relevância para empresas, entidades ligadas ao setor da educação e/ou
formação profissional, associações comerciais e empresariais e para os trabalhadores ou estudantes em geral com
vista a explorar os caminhos possíveis entre o Mundo Empresarial e o Mundo da Educação e Formação Profissional,
de forma a criar as sinergias indispensáveis aos desafios da sociedade dos dias de hoje.
2.5 Mesas Redondas
EEGBUSINESS DAY 2014 - POINT YOUR WAY - MESA REDONDA
LOCAL: BRAGA – DATA: 19-11-2014
A convite da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, o CIED Barcelos participou, no dia 19 de
novembro, na quarta edição da EEGBusiness Day. Várias foram as empresas presentes como EDP, Galp Energia,
PWC, KPMG, entre muitas outras de prestígio empresarial.
O CIED Barcelos marcou presença na “mesa redonda”: Pointing your way com personalidades de mérito reconhecido
como Maria Cândida (Presidente do Banco Carregosa), Margarida Pinto Correia (Diretora de Inovação Social da
Fundação EDP), Paulo Brandão (Diretor Artístico do Theatro Circo). A Mesa contou ainda com a moderação de João
Cerejeira.
A discussão da Mesa Redonda foi orientada para a importância atribuída à responsabilidade social, ou seja,
que práticas são desenvolvidas interna e externamente pelas empresas, que possam ser consideradas como
responsáveis socialmente. Resultou no debate sobre as ações de solidariedade social e de voluntariado como
forma de enriquecimento pessoal na tentativa de responder às questões identificadas: As empresas valorizam
a responsabilidade social? Que práticas desenvolvem? Promovem ações junto dos seus colaboradores? Quando
contratam novos colaboradores valorizam as experiências de voluntariado/solidariedade como sendo um requisito
importante da sua formação? E ao nível europeu essas práticas de voluntariado são também valorizadas?
A resposta à última questão foi da responsabilidade do CIED Barcelos, tendo sido dada ênfase ao contexto histórico
da Política Social e Emprego, da Responsabilidade das Empresas e do Voluntariado na União Europeia, bem como
da Estratégia 2020.
Realçamos a grande participação e interesse da comunidade académica.
2.6 Participação (feiras, mostras…)
FEIRA DE EMPREGO - START POINT
LOCAL: BRAGA E GUIMARÃES – DATA: 14-11-2014 E 15-11-2014
O CIED Barcelos esteve presente, pelo segundo ano, na Feira de Emprego - START POINT com o objetivo de divulgar e
promover a sua própria existência, bem como divulgar/promover a informação europeia - suas políticas e iniciativas,
para que os cidadãos europeus possam melhor conhecer as mesmas e melhor poder usufruir dos seus direitos como
cidadãos europeus.
Esta foi promovida pela Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), cuja coordenação esteve a cargo
do Gabinete do Empreendedor da AAUM e decorreu nos dias 14 e 15 de outubro, na Universidade do Minho (UM). O
evento marcou presença no Campus de Gualtar (Braga) (dia 14) e no Campus de Azurém (Guimarães) (dia 15).
À semelhança do que aconteceu nas duas edições anteriores, esta iniciativa pretendeu proporcionar o contacto direto
entre os jovens/adultos e o mercado de trabalho, propiciando a divulgação de oportunidades, o desenvolvimento
de competências e o networking dos participantes, tendo como público-alvo a comunidade académica (alunos, ex97
SECÇÃO VI CIED DE BARCELOS - CENTRO DE INFORMAÇAO EUROPE DIRECT DE BARCELOS
alunos, investigadores, docentes e funcionários), jovens desempregados e empreendedores.
MOSTRA DE PROJETOS DE VOLUNTARIADO - SEMANA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL
LOCAL: BARCELOS – DATA: 23-06-2014
O CIED Barcelos participou na Mostra de Projetos de Voluntariado, que teve por objetivo divulgar as áreas de
intervenção e apresentar aos estudantes do IPCA algumas das atividades de voluntariado que estes podem realizar.
O CIED Barcelos marcou presença com atividades informativas que procuraram apresentar e promover o Serviço
Voluntário Europeu (SVE), bem como oportunidades em aberto para beneficiar de uma ação de voluntariado.
Esta mostra decorreu no dia 23-06-2014, no âmbito da Semana da Responsabilidade Social, promovida pelos
Serviços de Ação Social, em articulação com a Associação de Estudantes do IPCA.
Ao longo da semana (de 19 a 23) desenvolveram-se várias iniciativas e atividades com o objetivo de contribuir e
consciencializar a Comunidade Académica do IPCA para a promoção da cidadania, de modo a construir-se uma
sociedade mais positiva e mais justa e um ambiente mais limpo.
2.7 Debates
A IMPORTÂNCIA DA EUROPA PARA O QUADRILÁTERO
LOCAL: BRAGA – DATA: 26-02-2014
O CIED Barcelos, em parceria com o jornal “Correio do Minho” e a rádio “Antena Minho” promoveu o debate “A
Importância da Europa para o Quadrilátero” cujo objetivo geral era o de envolver cidadãos e os stakeholders de
reconhecido mérito nas temáticas europeias e procurar debater as questões subjacentes às eleições europeias,
com o objetivo de informar os cidadãos para que estes tivessem mais consciência da importância de participarem
ativamente nas eleições europeias e das implicações que as diretivas europeias têm na vida quotidiana.
Neste debate interveio o Dr. Domingos Bragança (Câmara Municipal de Guimarães), o Dr. Paulo Cunha (Câmara
Municipal de Vila Nova de Famalicão) e o Dr. Ricardo Rio (Câmara Municipal de Braga), sendo a moderação
assegurada pela Alzira Costa (CIED Barcelos) e pelo Dr. Paulo Monteiro (Correio do Minho/Antena Minho).
Realça-se o facto do referido debate ter tido uma cobertura jornalista, por excelência, que deu origem a duas edições
colocando o Debate em causa em Destaque, bem como a edição/gravação de um DVD do seu conteúdo, na íntegra.
Debate “A importância da Europa para o Quadrilátero”
26 de fevereiro de 2014
“ELEIÇÕES EUROPEIAS 2014 - REFORÇO DOS PODERES DO PARLAMENTO EUROPEU”
LOCAL: BARCELOS – DATA: 21-02-2014
O CIED Barcelos, em parceria com o jornal “Correio do Minho” e a rádio “Antena Minho” promoveu o debate
“Eleições Europeias 2014 – Reforço dos Poderes do Parlamento Europeu” cujo objetivo central passava por envolver
deputados europeus no debate de questões subjacentes às eleições europeias. O objetivo foi informar os cidadãos
para que estes tivessem mais consciência da importância de participarem ativamente nas eleições europeias e das
implicações que as diretivas europeias têm na vida quotidiana.
98
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
O debate contou com a presença e intervenção do Deputado José Manuel Fernandes e do Deputado Nuno Melo.
Para além dos deputados o debate contou ainda a intervenção do Diretor do Agrupamento de Escolas de Barcelos Prof. Jorge Saleiro na Sessão de Boas Vindas.
A moderação foi assegurada pela Coordenadora do CIED Barcelos – Alzira Costa, a contextualizar e introduzir a
temática de fundo - e do Diretor do Jornal Correio do Minho – Dr. Paulo Monteiro.
Realça-se o facto de, o referido debate, ter sido difundido, em direto, na rádio Antena Minho.
2.8 Workshops
WORKSHOP - GESTÃO TURÍSTICA E CULTURAL
LOCAL: BARCELOS – DATA: 15-12-2014
A organização do workshop “Gestão Turística e Cultural” resultou de uma parceria entre a Escola Superior de Gestão
(Curso de Gestão de Atividades Turísticas), o CIED Barcelos, o GRI (Gabinete de Relações Internacionais do IPCA) e o
G3E (Gabinete para o Emprego, Empreendedorismo e Ligação às Empresas do IPCA).
Este workshop contou com a presença de três gestores de produtos/atividades turísticas e culturais e, nas suas
intervenções, procuraram partilhar questões como, o objeto de negócio da organização (apresentação sumária da
organização, principais atividades e público alvo), as responsabilidades e desafios que se tem de enfrentar para
se conseguir marcar a diferença e obter os desempenhos desejados; os principais desafios e estratégias, enquanto
coordenadores de equipas, adotadas para envolver e motivar, assim como os principais obstáculos, e ainda as
competências a desenvolver.
TÉCNICAS DE PROCURA DE EMPREGO NA EUROPA
LOCAL: BRAGA – DATA: 08-03-2014
A convite da CLIMB o CIED Barcelos participou, na atividade cuja temática geral foi a “Técnicas de Procura de
Emprego na Europa”. CLIMB é um grupo informal constituído por 8 jovens de Braga que se dedica à organização,
realização e divulgação de diversas atividades e eventos, essencialmente dentro da área do empreendedorismo.
Na sua intervenção, a coordenadora do CIED Barcelos, fez uma apresentação sumária do Projeto CIED Barcelos e
do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave e procurou sistematizar/identificar algumas técnicas de Procura de
Emprego da Europa.
Para além do Emprego como temática central, foi ainda abordada a temática do “Reforço dos Poderes do Parlamento
Europeu – Eleições Europeias2014” com o objetivo principal de sensibilizar os cidadãos para a importância da sua
participação ativa e consciente nas eleições para o Parlamento Europeu, com destaque para aqueles que iriam votar
pela primeira vez em 2014.
Enquadramento da atividade
Com o título “Técnicas de Procura de Emprego na Europa”, a atividade dividiu-se em duas etapas: no decurso da
primeira Etapa procurou aferir, junto dos participantes, o conhecimento acerca de programas europeus de estágios
e de empregos. Promoveu-se um momento dedicado à partilha de testemunhos de facilitadores convidados sobre
o impacto, na sua vida pessoal e profissional, de programas europeus de estágio e de emprego. Fez-se ainda uma
demonstração sobre a existência e o manuseamento de plataformas de procura de emprego na Europa.
Durante a segunda Etapa, com o nome “Supera-te”, incentivaram-se os intervenientes a continuar a sua participação
ativa na sua vida pessoal, profissional e social, mostrar a importância do programa “Juventude em Ação” como
impulsionador para uma intervenção ativa dos participantes, encorajar os mesmos a serem agentes ativos na
procura e/ou criação de emprego e estimular os jovens a dar continuidade ao empreendedorismo demonstrado ao
longo de todas as Etapas.
Os facilitadores incentivaram a partilha de ideias, conhecimentos e vivências pessoais e profissionais dos
participantes.
2.9 Magusto Internacional
LOCAL: PÓVOA DE LANHOSO – DATA: 11-11-2014
O CIED Barcelos, em parceria com a Antena de Informação na Povoa de Lanhoso e o Gabinete de Relações
Internacionais do IPCA, realizou, no dia 11 de Novembro, um Magusto Internacional na Póvoa de Lanhoso.
99
SECÇÃO VI CIED DE BARCELOS - CENTRO DE INFORMAÇAO EUROPE DIRECT DE BARCELOS
A ação começou ao início da tarde do dia 11 de novembro com atividades desportivas do DiverLanhoso e terminou
com o magusto tradicional na aldeia de Campo (S. Martinho) na Póvoa de Lanhoso, contando com a participação
de estudantes do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, em mobilidade, representando doze nacionalidades
(Portugal, Brasil, Bulgária, Itália, Roménia, Eslováquia, Eslovénia, Polónia, Lituânia, Letónia, Espanha e Turquia) e
cidadãos da Póvoa de Lanhoso.
2.10 Comemoração do Dia da Europa
LOCAL: BARCELOS – DATA: 09-05-2014
Esta data assinala o aniversário da histórica Declaração Schuman. Num discurso proferido em Paris, em 1950, Robert
Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, expôs a sua visão relativa a uma nova forma de cooperação
política na Europa, que tornaria impensável a eclosão de uma nova guerra entre os países europeus.
A sua visão passava pela criação de uma instituição europeia encarregada de gerir em comum a produção do carvão
e do aço. Um ano mais tarde, era assinado um tratado que criava uma entidade com essas funções. Considera-se
que a União Europeia atual teve início com a proposta de Schuman.
Tal como no ano passado, o CIED Barcelos pretendeu realçar esta importante data no processo de construção da
União Europeia. Assim, foram convidados cidadãos Barcelenses/Europeus a participar nas ações que organizamos
para este dia.
Resumo da Ação
Período da manhã:
•
Construção de um puzzle humano construído no Largo da Porta Nova que exibiu a imagem do Galo de
Barcelos, que se transformou num galo com as cores e as estrelas da União Europeia (UE). Para a construção
deste puzzle contamos com a participação de 500 voluntários.
•
Caminhada pela Europa (percurso curto de cerca de 2,5 km).
•
Almoço convívio (IPCA).
Período da tarde
•
Tarde Desportiva (Campus do IPCA)
•
Aula Barcelos Saudável (Parque da Cidade – Centro da Cidade de Barcelos)
Para a organização desta atividade, o CIED Barcelos estabeleceu parcerias com o Gabinete de Relações Internacionais
do IPCA, Câmara Municipal de Barcelos, Barcelos Saudável, Agrupamento de Escolas de Barcelos, Associação
Intercultural Amigos da Mobilidade, Agrupamento de Escolas Gonçalo Nunes e Universidade Sénior de Barcelos.
2.11 Visitas ao Espaço Físico do CIED
ESCOLA BÁSICA DE CABANELAS
LOCAL: CIED BARCELOS – DATA: 22-01-2014
No dia 22 de janeiro o CIED Barcelos recebeu uma visita muito especial.
Foram crianças da Escola Básica de Cabanelas (E B1 Cabanelas) que vieram visitar o espaço adstrito pelo IPCA ao
CIED Barcelos, para conhecer um pouco mais sobre a história da União Europeia.
O CIED promoveu uma apresentação adaptada às crianças que nos visitaram, sobre a construção da união europeia
e seu alargamento.
Momentos de descontração, alegria e trabalho foram uma realidade numa tarde bem passada onde a partilha de
uma cidadania europeia saiu reforçada.
ESCOLA BÁSICA DO ALDÃO
LOCAL: CIED BARCELOS – DATA: 05-05-2014
No dia 5 de maio crianças da Escola Básica de Aldão, visitaram o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA),
com o intuito de testar jogos sobre “A Roda dos Alimentos”. A iniciativa surgiu no âmbito da unidade curricular de
Metodologias do Design Gráfico II, da licenciatura em Design Gráfico, da Escola Superior de Tecnologia.
100
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
A Roda dos Alimentos é um conteúdo que faz parte dos Programas do Ensino Básico, correspondendo às atuais
preocupações de educação alimentar. Partindo deste princípio, os estudantes do IPCA criaram jogos alusivos a esta
temática, os quais vão ser agora “experimentados” por estas crianças.
Além desta atividade, na semana em que se assinalou o Dia da Europa, os visitantes de palmo e meio, estiveram
no espaço do CIED e aprenderam um pouco sobre a sua formação da UE, os países que a integram e a sua evolução.
2.12 Concursos
“VENHA CONHECER A UNIÃO EUROPEIA”
Este foi um concurso de pergunta/resposta sobre questões europeias, procurando promover uma maior participação
dos cidadãos nas diversas ações de caráter europeu, nomeadamente nas eleições europeias, de forma a realçar uma
verdadeira cidadania europeia.
Os destinatários foram jovens entre os 18 e os 24 anos, residentes no Distrito de Braga, tendo o concurso iniciado a
partir de dia 10 de abril de 2014.
Os dois participantes que responderam corretamente a um maior número de perguntas ganharam uma viagem a
Bruxelas durante três dias, para conhecer o funcionamento e história da União Europeia. Além dos dois vencedores
foram oferecidas lembranças de participação aos 10 jovens que responderem, de forma correta, a mais perguntas.
3. Produtos Informativos Editados
JOGO DIGITAL
Aquando da elaboração do plano anual para 2014, foi intenção do CIED colocar no mesmo, a produção de um jogo
digital. A intenção resulta numa perspetiva estratégica, de forma a evidenciar as potencialidades do IPCA para com
a Representação da Comissão Europeia em Portugal. O jogo teve como tema de fundo o desperdício alimentar com
o objetivo de, de uma forma mais direcionada, potenciar um espírito crítico em relação aos desperdício alimentar
nos cidadãos da área de intervenção do CIED Barcelos.
Somos cidadãos europeus e, enquanto tal, devemos orgulhar-nos da União Europeia ser o maior doador do planeta
em termos de ajuda humanitária...
E somos agentes sociais, homens, mulheres e crianças, mas não podemos viver indiferentes às necessidades dos
nossos pares. Onde, neste mesmo planeta, atualmente, 1,2 mil milhões de cidadãos como nós, vivem abaixo de
limiar da pobreza, onde “apenas” nós, cidadãos europeus, geramos cerca de 180 kg de desperdício alimentar por
ano e por cidadão (somos mais de 500 milhões). Onde se perspetiva que em 2050, com o aumento de 7 para 9 mil
milhões de pessoas no mundo, será necessário aumentar em 70% o aprovisionamento alimentar (em que condições
se já tanta gente não tem o que comer?). Por muito trabalho profícuo que façam estas instituições, também nós
individualmente temos, não apenas como dever com as atuais como com as futuras gerações, as nossas próprias
responsabilidades! Mudar hábitos não é fácil, mas a consequência de não o fazer poderá ter efeitos muito mais
nefastos.
O jogo “Tony Waste” resulta na coerência de pensamento com este raciocínio. Um jogo simples, onde o que se
pretende é alertar para o que identificamos anteriormente. Jogar, quem sabe em família, poderá ser uma boa forma
de pedagogicamente mudar hábitos e sermos cada vez mais e melhores cidadãos! “Tony Waste” é um simpático
cozinheiro de uma pizzaria, que ao gerar desperdício alimentar relativamente ao pedido dos seus clientes é
penalizado por isso!
O jogo contou com a direção de arte de Pedro Mota Teixeira, docente do departamento de Design da Escola Superior
de Tecnologia (EST) do IPCA, com a colaboração de ilustração e animação dos alunos do Mestrado em Ilustração
e Animação (MIA), António Ferreira, Paulo Alves e Rui Gomes, atualmente investigadores do Laboratório de
Audiovisuais do DIGARC, bem como com a colaboração, na programação, da empresa SwitchDigital.
REVISTA: EUROPA EM REVISTA (2ª EDIÇÃO)
No seguimento do ano anterior, no plano de ação para 2014 definimos a produção da 2ª edição da revista “Europa
em Revista”.
Esta revista, visa, acima de tudo, a promoção do próprio CIED e das atividades desenvolvidas, bem como das
prioridades de comunicação da Comissão Europeia. Pretendemos, com esta revista, dar cumprimento ao primado
de promover o acesso facilitado à informação europeia, através da disponibilização de todos os Serviços facultados
101
SECÇÃO VI CIED DE BARCELOS - CENTRO DE INFORMAÇAO EUROPE DIRECT DE BARCELOS
pela Rede de Informação Europe Direct, de que o CIED Barcelos é parte integrante, mas não menos importante,
através das Antenas de Informação Europeia do CIED de Barcelos que nos permite um contacto de maior proximidade
com os cidadãos da nossa área de intervenção.
Realçamos que a revista foi produzida pelos técnicos do CIED, tendo a colaboração de um estudante contratado
através da bolsa de colaboradores do IPCA para intervir na parte gráfica.
BROCHURA: DIREITOS DOS CONSUMIDORES
Indo um pouco de encontro com os propósitos da Comissão Europeia, desenvolvemos uma brochura sobre o tema
direitos dos consumidores.
Referir que nesta Brochura - “Direitos do Consumidor na União Europeia e em Portugal”, num primeiro momento é
feita uma alusão à identificação/definição de consumidor.
Conhecendo o consumidor, mais fácil será entender o alcance da proteção que lhe é concedida pelos governos
nacionais e pelos órgãos comunitários.
Esta brochura elenca aspetos essenciais a que o consumidor deverá sempre prestar atenção, pelo que caberá
ao consumidor optar por escolhas responsáveis e adequadas aos fins pretendidos, sem esquecer os direitos e os
deveres que se enquadram em cada uma das relações contratuais que estabelece.
Para elaboração da mesma contamos com o apoio da Professora Mariana Almeida do Departamento de Direito
da ESG do IPCA e recrutamos duas estudantes do Mestrado em Ilustração e Animação para trabalharem a parte
gráfica.
4. Presença na Comunicação Social
Do Plano de Trabalho do CIED Barcelos, definido e aprovado para o ano 2014, resulta a obrigatoriedade de promover
pelo menos 10 publicações/artigos, cujo conteúdo tem de ser centrado nas atividades do Centro e/ou em temas
relacionados com a União Europeia, em especial os direitos dos cidadãos da União Europeia e as prioridades da
União Europeia direcionadas para o público local/regional.
Resultante desta obrigatoriedade, o CIED Barcelos promoveu a publicação de artigos no Jornal Correio do Minho,
tendo também convidado responsáveis das Antenas de Informação Europeia a escrever alguns deles, tal como
consta do seguinte quadro:
Quadro 75 - Data de publicação e identificação dos artigos publicados
Data de publicação
102
Título do Artigo
30-01-2014
Eleições Europeias 2014 - Agir - Reagir - Decidir
Autor: CIED Barcelos
06-02-2014
O desafio das eleições europeias de 2014_Agir
Autor: CIED Barcelos
20-02-2014
Eleições Europeias 2014 – Reagir
Autor: CIED Barcelos
03-04-2014
Europa sem fronteiras: a importância dos programas de mobilidade
Autores: Estagiário do CIED ao abrigo do Programa de Mobilidade Leonardo Da Vinci
17-04-2014
2015 - Ano Europeu do Desenvolvimento - O nosso Mundo, a nossa dignidade, o nosso futuro
Autor: CIED Barcelos
01-05-2014
9 de maio - Dia da Europa
Autor: CIED Barcelos
15-05-2014
Cidadania Europeia
Autor: CIED Barcelos
29-05-2014
Antena de Informação Europeia da EPATV
Autor: Lúcia Lopes – Antena de Informação Europeia na EPATV (Escola Profissional Amar Terra Verde)
12-06-2014
A Kerigma a projetar o futuro numa Europa globalizada
Autor: Susana Oliveira – Antena de Informação Europeia na Kerigma (Instituto de Inovação e
Desenvolvimento Social de Barcelos)
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
22-06-2014
A Europa mais perto de Esposende – Antena de Informação Europeia na ACICE
Autor: Sérgio Mano – Antena de Informação Europeia na ACICE (Associação Comercial e Industrial do
Concelho de Esposende)
10-07-2014
Informação e conhecimento na União Europeia - O Papel das Bibliotecas
Autor: Carla Araújo – Antena de Informação Europeia no Município de Vila Nova de Famalicão
04-09-2014
O novo Sistema Europeu de Contas
Autor: CIED Barcelos
18-09-2014
Semana Europeia da Mobilidade 2014 - “As nossas ruas, a nossa escolha”
Autor: CIED Barcelos
02-10-2014
Audições dos Comissários Indigitados
Autor: CIED Barcelos
16-10-2014
Semana Europeia da Programação
Autor: CIED Barcelos
30-10-2014
Cidadania Europeia – Antena de Informação Europeia no Espaço Jovem
Autor: Gabriela Fonseca – Antena de Informação Europeia do Município da Póvoa de Lanhoso
13-11-2014
2015 - Ano Europeu do Desenvolvimento - O nosso Mundo, a nossa dignidade, o nosso futuro
Autor: CIED Barcelos
21-11-2014
Uma Nova Narrativa para a Europa
Autor: CIED Barcelos
11-12-2014
Os Direitos Fundamentais na União Europeia
Autor: CIED Barcelos
Para além dos artigos acima identificados, promovemos a publicação de resposta a perguntas (gravadas na rua)
colocadas por cidadãos que, em maio de 2014, exerceram o seu direito de voto participando nas Eleições Europeias.
Foram publicadas 15 questões numa rúbrica designada “A Voz da Europa” - Agir, Reagir, Decidir. Foi ainda publicado
de um Destacável com vista a informar, consciencializar os cidadãos que a importância da participação nas diversas
ações de caráter europeu, concretamente nas Eleições Europeias.
Quadro 76 - Data de publicação e identificação das questões publicadas
Data de publicação
Questões
Rúbrica - “A Voz da Europa” - Agir, Reagir, Decidir...
21-02-2014
1. Quem pode votar nas Eleições Europeias?
2. Para as eleições europeias estou a votar em pessoas ou em partidos?
3. Posso escolher o meu candidato e votar nele?
4. Quantos eurodeputados pode Portugal eleger?
22-02-2014
5. Porque é que é importante votar para as eleições europeias?
6. Quem elege o presidente do Conselho da União Europeia?
24-02-2014
7. Quem elege o presidente do Parlamento Europeu?
8. Quem elege o presidente da Comissão Europeia?
25-02-2014
9. Qual o papel do eurodeputado no Parlamento Europeu?
10. Quanto tempo dura o mandato do eurodeputado?
26-02-2014
11. Portugal depende do Parlamento Europeu?
27-02-2014
12. Todos os países têm o mesmo número de eurodeputados? 13. Quanto tempo dura o mandato do
eurodeputado?
28-02-2014
14. Os eurodeputados podem candidatar-se quantas vezes?
15. Quanto ganha um eurodeputado?
10-01-2014
16. Destacável - Agir para fazer acontecer
5. Antenas de Informação Europeia
O CIED Barcelos estabeleceu como objetivo estratégico a promoção de uma relação de colaboração interinstitucional
e de cooperação com o poder local e com a sociedade civil, a nível local e regional, bem como ao nível das Instituições
Europeias.
Ao promover a cooperação, envolvendo entidades nacionais, sedeadas na sua área de intervenção – NUT III do
103
SECÇÃO VI CIED DE BARCELOS - CENTRO DE INFORMAÇAO EUROPE DIRECT DE BARCELOS
Cávado e do Ave, bem como entidades europeias, o CIED de Barcelos está a potenciar e a reforçar a difusão de
informação europeia, de forma multiplicadora.
O efeito multiplicador das atividades desenvolvidas pelo CIED de Barcelos é entendido como a capacidade para
chegar a um número alargado de cidadãos e de promover a cooperação entre diferentes entidades na difusão da
informação e/ou na promoção de diferentes eventos.
A atividade informativa que o CIED Barcelos efetua tem por objetivo atingir um público heterogéneo de diversos
níveis sócio/económicos e culturais, que se traduz nas diversas formas da sociedade civil organizada da sua área de
intervenção.
No cumprimento deste objetivo principal do CIED Barcelos - que os cidadãos tenham fácil acesso à informação e a
oportunidade de dar a conhecer e trocar os seus pontos de vista e inquietações, em todos os domínios de atividade
da UE, em especial, nos que têm maior impacto na sua vida quotidiana - promove a assinatura de protocolos de
cooperação com entidades de natureza diversificada para a criação de Antenas de Informação Europeia.
A criação das Antenas de Informação de Europeia visa, entre outros, o objetivo de descentralizar do trabalho de
difusão de informação europeia desenvolvido até então apenas pelo CIED Barcelos e, proporcionar uma maior
proximidade com o cidadão.
No decurso do ano de 2014 foram cinco as Antenas inauguradas que a seguir se apresentam.
5.1 Antena de Informação Europeia no Município de Vila Nova de Famalicão
Data: 22-02-2014
INAUGURAÇÃO DA ANTENA DE INFORMAÇÃO EUROPEIA NA BIBLIOTECA CAMILO CASTELO BRANCO
LOCAL: VILA NOVA DE FAMALICÃO
No dia 21 de fevereiro foi inaugurada Antena de Informação Europeia do CIED Barcelos no Município de Vila Nova de
Famalicão, concretamente na Biblioteca Municipal Camilo Castelo Branco.
A cerimónia de inauguração, com assinatura de Protocolo entre as duas entidades, contou com a presença e
intervenção do presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, do presidente do Instituto
Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), João Carvalho, e do eurodeputado Nuno Melo, sobre “A importância da
comunicação para as Instituições Europeias – O papel da Rede de Europe Direct”
5.2 Antena de Informação Europeia na EPATV
Data: 28-02-2014
INAUGURAÇÃO DA ANTENA DE INFORMAÇÃO EUROPEIA NA EPATV
LOCAL: VILA VERDE
No dia 28 de fevereiro foi inaugurada Antena de Informação Europeia na Escola Profissional Amar Terra Verde.
A cerimónia de inauguração, com assinatura de Protocolo entre as duas entidades, contou com a presença e
intervenção do Diretor da Escola Profissional Amar Terra, João Moreira, do presidente do Instituto Politécnico do
Cávado e do Ave (IPCA), João Carvalho e do eurodeputado José Manuel Fernandes sobre “O papel da Rede Europe
Direct”.
5.3 Antena de Informação Europeia na KERIGMA
Data: 28-02-2014
INAUGURAÇÃO DA ANTENA DE INFORMAÇÃO EUROPEIA NA KERIGMA
LOCAL: BARCELOS
No dia 28 de fevereiro foi inaugurada a Antena de Informação na Kerigma – Instituto de Inovação e Desenvolvimento
Social de Barcelos.
A cerimónia de inauguração da Antena de Informação Europeia em Barcelos contou com a presença e intervenção
do Diretor Geral da Kerigma, Jorge Oliveira, do presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA),
João Carvalho e do Eurodeputado José Manuel Fernandes alusiva à “Cooperação transnacional: um recurso
subaproveitado? Práticas e reflexões”.
104
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
5.4 Antena de Informação Europeia na ACICE
Data: 28-02-2014
INAUGURAÇÃO DA ANTENA DE INFORMAÇÃO EUROPEIA NA ACICE
LOCAL: ESPOSENDE
No dia 28 de fevereiro foi inaugurada a Antena de Informação Europeia na Associação Industrial e Comercial de
Esposende.
A cerimónia de inauguração contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim
Pereira, do presidente do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), João Carvalho, do eurodeputado José
Manuel Fernandes, e do diretor da ACICE José Faria.
Após a Sessão de Inauguração da Antena da ACICE decorreu o Seminário - Fundos Estruturais Europeus: Portugal
2020, com a intervenção dos intervenientes acima referidos.
5.5 Antena de Informação Europeia no Município da Póvoa de Lanhoso
Data: 25-09-2014
INAUGURAÇÃO DA ANTENA DE INFORMAÇÃO EUROPEIA NA PÓVOA DE LANHOSO
LOCAL: PÓVOA DE LANHOSO
No dia 25 de setembro foi oficializada a parceria de mais uma Antena de Informação Europeia, desta feita na Póvoa
de Lanhoso, do CIED Barcelos. O protocolo de cooperação entre o IPCA (estrutura de acolhimento do CIED Barcelos)
e Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso foi assinado no dia do Concelho.
A Sessão de Inauguração da Antena de Informação Europeia foi parte integrante da programação das comemorações
do Dia Concelho, sendo que a sessão contou com a presença dos presidentes do IPCA, João Carvalho, e da Câmara
Municipal da Póvoa de Lanhoso, Manuel Baptista.
João Carvalho felicitou o autarca por ter escolhido o Dia do Concelho para a inauguração da Antena de Informação,
facto que “engrandece este ato”. Salientou, aliás, o interesse manifestado “desde o início” pela Câmara Municipal
da Póvoa de Lanhoso, revelando que “foi uma das primeiras entidades a dizer que gostariam de ter uma Antena de
Informação”, logo após a abertura do CIED Barcelos, no Campus do IPCA.
Por seu turno, Manuel Baptista justificou a sua satisfação com o facto de considerar que “a Póvoa de Lanhoso deve
estar sempre ao lado do desenvolvimento e do conhecimento”. Daí o interesse em assinar este primeiro protocolo
de cooperação com o IPCA.
Inauguração da Antena de Informação Europeia da
Póvoa de Lanhoso
25 de setembro de 2014
105
SECÇÃO VI CIED DE BARCELOS - CENTRO DE INFORMAÇAO EUROPE DIRECT DE BARCELOS
6. Presença em Reuniões/Formações da Rede Europe Direct
Destacamos ainda a participação ativa do CIED de Barcelos em Ações de Formação e em Reuniões nacionais e
internacionais promovidas pela Comissão Europeia e ou pela Representação da Comissão Europeia em Portugal.
REUNIÃO ANUAL DAS REDES DE INFORMAÇÃO EUROPEIAS
LOCAL: LISBOA - DATA: 25 A 27-02-2014
A reunião anual das redes de informação europeias, em linhas gerais, visou fazer um balanço das atividades
desenvolvidas durante o ano de 2013, uma abordagem detalhada e avaliação dos Relatórios Anuais apresentados
pelos diferentes CIEDs e um ponto de situação relativamente à subvenção específica Eleições Europeias.
FORMAÇÃO
LOCAL: LISBOA - DATA: 04-04-2014
A ação de formação, promovida pela Representação da Comissão Europeia em Portugal, decorreu em Lisboa no dia
4 de abril.
A formação em causa foi alusiva ao Tema: “Falar em Público com Sucesso”, teve por formador António Fraqueiro.
Esta formação visou dotar e melhorar as apetências dos CIEDs para falar em público.
REUNIÃO ANUAL DA REDE EUROPE DIRECT - AGM
LOCAL: BONNA (ALEMANHA) - DATA: 13 A 15-10- 2014
A reunião anual dos Centros Europe Direct em 2014 decorreu em Bona, na Alemanha, e as sessões plenárias tiveram
como temas de fundo, eventos que marcaram a história europeia do século XX e as ilações que devemos tirar das
eleições europeias que marcaram 2014.
Como é habitual, além grupos de trabalho, moderados por facilitadores especializados, onde todos os participantes
podem partilhar experiências e temas de interesse, existiu ainda um período de workshops com as diversas direções
gerais, onde possibilitou a todos os Centros estar a par das diretivas de trabalho de cada DG.
REUNIÃO TRANSFRONTEIRIÇA (PORTUGAL/ESPANHA)
LOCAL: ELVAS E CÁCERES - DATA: 03 E 04-11-2014
De 3 a 4 de novembro decorreu em Elvas a reunião Transfronteiriça (Portugal- Espanha) organizada pela
Representação da Comissão Europeia em Portugal, com a presença, entre outos dos Centros de Informação Europeia
nacionais.
Do programa desta reunião destacamos os seguintes itens:
106
•
A cooperação transfronteiriça: projeto Eurocidade
•
Semestre Europeu: recomendações específicas e Estratégia 2020
•
Fundos estruturais: o novo programa plurianual
•
Desafios do novo ciclo político europeu
•
A cooperação judicial: elemento essencial do espaço de Liberdade, Segurança e Justiça na UE
•
Ferramentas para o crescimento. Cooperação transfronteiriça para o período 2014-2020.
Inauguração Antena de
Informação Europeia em
Famalicão
21 de fevereiro de 2014
Debate Eleições Europeias
21 de fevereiro de 2014
107
Um brinquedo por sorriso
26 de junho de 2014
108
SECÇÃO VII
Ação Social Escolar
1. Enquadramento
A ação social escolar está definida no Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior, no seu artigo 20.º, que se
define como:
Acção social escolar e outros apoios educativos
1- Na sua relação com os estudantes, o Estado assegura a existência de um sistema de acção
social escolar que favoreça o acesso ao ensino superior e a prática de uma frequência bem
sucedida, com discriminação positiva dos estudantes economicamente carenciados com
adequado aproveitamento escolar.
2 – A acção social escolar garante que nenhum estudante é excluído do sistema do ensino
superior por incapacidade financeira.
3 – No âmbito do sistema de acção social escolar, o Estado concede apoios directos e
indirectos geridos de forma flexível e descentralizada
4 – São modalidades de apoio social directo:
a) Bolsas de estudo;
b) Auxílio de emergência
5 – São modalidades de apoio social indirecto:
a) Acesso à alimentação e ao alojamento;
b) Acesso a serviços de saúde;
c) Apoio a actividades culturais e desportivas;
d) Acesso a outros apoios educativos.
6 – Na sua relação com os estudantes, o Estado assegura ainda outros apoios,
designadamente:
a) A atribuição de bolsas de estudo de mérito a estudantes com aproveitamento escolar excepcional;
b) A concessão de apoios a estudantes com necessidades especiais, designadamente aos portadores de deficiância;
c) A promoção da concretização de um sistema de empréstimos para autonomização dos estudantes.
Os Serviços de Acção Social do IPCA (SASIPCA) são os serviços que no IPCA asseguram a execução das políticas de
ação social escolar, definidas pelo Governo e pelos órgãos próprios do IPCA, tendo como objetivo proporcionar as
melhores condições de frequência do ensino superior, garantindo condições de equidade entre todos os estudantes,
especialmente para os mais carenciados.
Na prossecução dos seus objetivos, os SAS prestam apoios sociais diretos e indiretos, pretendendo ser uma estrutura
que trabalha próximo dos estudantes e dos grupos académicos, como forma de garantir a prestação de apoios e de
serviços de qualidade nos domínios de Bolsas de Estudo, Alimentação, Alojamento, Apoio Médico e Psicológico,
Apoio às Atividades Desportivas e Culturais, entre outros.
2. Apoios e Serviços Prestados
Em 2014, os estudantes do IPCA usufruíram de um conjunto de apoios, uns direcionados para os mais carenciados
– Bolsas de Estudo, Fundo de Emergência e Bolsa de Colaboradores – e outros dirigidos a toda a comunidade
académica – Alimentação, Transporte, Serviços de Saúde.
109
SECÇÃO VII AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
Em 2014, através dos SASIPCA, foram ainda concedidos apoios a estudantes com necessidades educativas especiais,
portadores de deficiências físicas proporcionando-lhes condições para a frequência de um curso de ensino superior.
Foi também apoiado o desenvolvimento de atividades de cariz cultural e representação do IPCA, nesta área, no
exterior, em cooperação com a Associação de Estudantes do IPCA e Grupos Académicos do IPCA.
Quadro 77 - Apoios concedidos em 2014
Apoios estudantes carenciados do IPCA
Apoios estudantes do IPCA
Outros Apoios
Bolsas de estudo
Alimentação
Apoios a estudantes com necessidades
especiais
Fundo de Emergência
Transporte
Apoio ao desenvolvimento atividades
culturais
Bolsa de colaboradores
Serviços de Saúde
2.1 Bolsas de Estudo
A bolsa de estudo é uma prestação pecuniária anual concedida aos estudantes mais carenciados para
comparticipação nos encargos com a frequência de um curso – licenciatura, mestrado, técnico superior profissional
ou especialização tecnológica - ou realização de um estágio profissional de carácter obrigatório. O seu valor é
variável, em função dos rendimentos do agregado familiar.
As regras que disciplinam a atribuição de bolsas de estudo estão consagradas no Regulamento de Atribuição de
Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior, aprovado pelo Despacho n.º 8442-A/2012, publicado em Diário
da República no dia 22 de junho.
2.1.1 Candidaturas 2014/2015
Em 2014, as candidaturas a bolsa de estudo foram apresentadas através de uma plataforma eletrónica - Suporte
Informático ao Concurso de Atribuição de Bolsas de Estudo do Ensino Superior (SICABE).
O período normal de candidaturas decorreu de 25 de junho a 30 de setembro, sendo que, para inscrições no IPCA
após essa data, os estudantes dispuseram de 20 dias úteis após a data de inscrição, para apresentar a candidatura
a bolsa de estudo.
Até ao dia 31 de dezembro foram submetidas 1509 candidaturas a bolsa de estudo, o que representa uma
percentagem de 45% de candidaturas, relativamente ao total de estudantes inscritos no IPCA em cursos de
licenciatura, mestrado, técnico superior profissional e especialização tecnológica.
Em 31 de dezembro, a situação relativa às candidaturas de atribuição de bolsas de estudo era a seguinte:
Quadro 78 - Situação Bolsas de Estudo a 31 de dezembro
N. de candidaturas
submetidas
1509
110
Deferidos
Indeferidos
% de candidaturas
com decisão/
candidatos
880
334
80,45%
Candidaturas com Decisão
% de bolseiros/
candidaturas com
decisão
72,49%
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2.1.2 Evolução Bolsas de Estudo 1996-2014
A evolução das bolsas de estudo no IPCA, numa perspetiva histórica, tem sido a que se resume nos quadros seguintes:
Quadro 79 - Evolução Valor das Bolsas de Estudo
Bolsa
96/97*
97/98* 98/99* 99/00* 00/01*
01/02
02/03
03/04
04/05
05/06
06/07
07/08
08/09
09/10
10/11
11/12
12/13
13/14
Mínima
(€)
27,53
56,56
30,58
31,82
34,20
34,80
35,70
47,53
48,80
60,00
67,50
72,50
82,50
60,00
78,00
60,00
60,00
Média
(€)
84,67
129,61 119,29 124,56
88,26
142,00 153,74 148,23 163,53 152,10 159,57 201,81 206,55 207,13 185,06 176,00 193,85
189,4
Máxima
155,55
(€)
29,38
266,21 277,18 291,70 298,88 316,19 331,70 416,40 405,53 349,70 385,40 497,10 435,70 524,60 568,20 539,20 539,20 539,20
* Os anos de 1996/97 até 2000/01 foram convertidos em euros
Quadro 80 - Evolução N.º de Candidatos e N.º de Bolseiros
Ano letivo
Nº de
Estudantes*
Nº Candidatos
Nº de Bolseiros
% de bolseiros
sobre n.º de
estudantes
% de bolseiros
sobre n.º de
candidatos
Encargos totais
com Bolsas
96/97
74
38
29
39%
76%
N/ Disponível
97/98
196
91
80
41%
88%
N/ Disponível
98/99
382
224
183
48%
82%
N/ Disponível
99/00
648
308
247
38%
80%
N/ Disponível
00/01
856
364
250
29%
69%
N/ Disponível
01/02
1098
384
286
26%
74%
N/ Disponível
02/03
1277
430
316
25%
73%
N/ Disponível
03/04
1399
485
372
27%
77%
N/ Disponível
04/05
1449
547
447
31%
82%
N/ Disponível
05/06
1464
620
496
34%
80%
N/ Disponível
06/07
1539
733
583
38%
80%
N/ Disponível
07/08
1974
962
740
37%
77%
N/ Disponível
08/09
2411
1170
789
33%
67%
N/ Disponível
09/10
2989
1407
1082
36%
77%
2.267.731,45€
10/11
3687
1633
1086
29%
67%
2.008.536,80€
11/12
3653
1487
952
26%
64%
1.659.976.90€
12/13
3668
1429
1023
28%
72%
1.954.652,60€
13/14
3438
1395
1103
32%
79%
2.075.334,20€
14/15
3387
1537
1252
37%
81%
2.285.053,00€
* Estudantes de licenciatura, mestrado, cursos de especialização tecnológica e cursos técnicos superiores profissionais (14/15)
111
SECÇÃO VII AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
Figura 19 - Evolução N.º de Candidatos e N.º de Bolseiros
2.1.3 Divulgação e Sessões de Esclarecimento
Ao longo do ano de 2014, foram divulgadas informações aos estudantes sobre o processo de atribuição de bolsa de
estudo, através do envio de correio eletrónico para a conta geral dos estudantes do IPCA.
Ainda no âmbito do processo de bolsas de estudo, os SASIPCA promoveram três sessões de esclarecimento dirigidas
aos estudantes dos cursos diurnos e pós-laborais. A primeira sessão realizou-se no Campus do IPCA no dia 3 de
outubro, pelas 16horas. No Polo de Braga realizaram-se duas sessões de esclarecimento, em horário diurno e póslaboral, no mês de dezembro.
O objetivo das sessões foi informar os estudantes de tudo o que necessitavam saber para a submissão da candidatura
a bolsa, estando ainda estes Serviços disponíveis para responder às dúvidas relativas ao processo de atribuição de
bolsas de estudo, assim como, sobre a atribuição dos complementos de alojamento e de transporte.
2.2 Fundo de Emergência
Em abril de 2012, foi criado um Fundo de Emergência (FE), tendo entrado em vigor com a publicação no Diário da
República, 2.ª séria, n.º 90, do Regulamento n.º 166/2012, de 9 de maio,
No preâmbulo do Regulamento, que se transcreve, estão visíveis os fundamentos que levaram à criação desta
medida de apoio social:
Num período difícil da vida social e económica portuguesa, com aumento do desemprego,
redução dos vencimentos e dos apoios sociais, o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
(IPCA), considera importante aprofundar os mecanismos de apoio social escolar, de forma
a minimizar as carências económicas sentidas pelos agregados familiares e permitindo aos
estudantes mais carenciados prosseguir e concluir os seus estudos de nível superior.
Assim, o Fundo de Emergência, destina-se a conceder apoios aos estudantes com grave carência económica,
nomeadamente, em situações não enquadráveis no processo de atribuição de bolsa de estudo, suscetíveis de afetar
o seu percurso escolar e até a sua subsistência. Os apoios são concedidos a fundo perdido para suportar despesas do
próprio estudante consideradas elegíveis.
Os apoios concedidos são diversos, abrangendo necessidades básicas dos estudantes, nomeadamente:
a) Refeições;
b) Transporte;
c) Material escolar e reprografia;
d) Alojamento.
112
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2.2.1 Apoios 2013/2014
Ao longo do ano letivo 2013/2014, de outubro de 2013 a julho de 2014, foram apoiados 57 estudantes do IPCA e
despendida a verba de 20.863,57€, o que corresponde a um gasto médio por estudante de 366,03€ e de 36,60€,
respetivamente, para a totalidade do período e mensal.
No quadro seguinte são apresentados os valores despendidos por apoio ao longo dos meses do ano letivo 2013/2014:
Quadro 81 - Apoios Fundo de Emergência 2013/2014
Refeições
Peq. Almoço
/Lanche
Material
Escolar e
Reprografia
Passe
Transporte
Alojamento
Total
Out
830,40 €
158,08 €
369,16 €
80,00 €
80,00 €
157,50 €
1.675,14 €
Nov
1.058,38 €
172,95 €
225,80 €
360,00 €
134,70 €
207,50 €
2.159,33 €
Dez
674,40 €
106,44 €
147,32 €
270,00 €
204,70€
263,50 €
1.666,36 €
Jan
813,61 €
154,76 €
163,91 €
360,00 €
252,90 €
498,50 €
2.243,68 €
Fev
976,78 €
178,77 €
209,66 €
360,00 €
252,90 €
423,50 €
2.401,61 €
Março
1.492,78 €
283,75 €
209,23 €
400,00 €
292,90 €
426,00 €
3.104.66 €
Abril
1.060,80 €
227,65 €
218,68 €
320,00 €
292,90 €
345,00 €
2.465,03 €
Maio
1.149,58€
173,90 €
283,62 €
400,00 €
372,90 €
162,50 €
2.497,50 €
Junho
782,38 €
133,01 €
223,59 €
280,00 €
292,90 €
87,50 €
1.799,38 €
Julho
407,98 €
188,99 €
106,41 €
0,00 €
60,00 €
87,50 €
850,88 €
Total
9.247,09 €
1.778,30 €
2.112,38 €
2.830,00 €
2.236,80 €
2.659,00 €
20.863,57 €
Figura 20 - % dos Apoios Concedidos pelo Fundo de Emergência
2.2.2 Apoios 2014/2015
Já no ano letivo 2014/2015, de setembro a dezembro de 2014, foram apoiados 47 estudantes do IPCA e despendida
a verba de 6.428,86€, o que corresponde a um gasto médio por estudante, ao longo dos 4 meses, de 136,78€ e
mensal de 34,20€.
No quadro seguinte são apresentados os valores despendidos por apoio de setembro a dezembro de 2014:
113
SECÇÃO VII AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
Quadro 82 - Apoios Fundo de Emergência Set-Dez 2014
Refeições
Set
0,00€
Peq. Almoço
/Lanche
Material
Escolar e
Reprografia
Passe
Transporte
Alojamento
Total
0,00€
30,00€
20,00€
0,00€
60,00€
110,00€
Out
595,20 €
159,12 €
306,68 €
335,00 €
80,00 €
275,00 €
1.751,00 €
Nov
1.236,00 €
354,79 €
387,62 €
520,00 €
90,00 €
275,00 €
2.863,41 €
Dez
590,40 €
220,70 €
169,60 €
300,00 €
223,75 €
200,00 €
1.704,45 €
2.421,60 €
734,61 €
893,90 €
1.175,00 €
393,75 €
810,00 €
6.428,86 €
TOTAL
Figura 21 - % dos Apoios Concedidos pelo Fundo de Emergência
2.3 Bolsa de Colaboradores
A Bolsa de Colaboradores é mais uma medida de apoio social, que funciona através da participação dos estudantes
em atividades adequadas do IPCA para este efeito e pela atribuição de um apoio proporcional ao número de horas
de colaboração prestadas mensalmente. Esta medida tem como principais objetivos:
•
Combater o abandono escolar;
•
Promover o sucesso escolar;
•
Contribuir para o desenvolvimento de competências transversais nos estudantes;
•
Promover a integração social e académica dos estudantes;
•
Apoiar os estudantes que apresentam carências económicas e que estão empenhados em concluir o seu
curso.
Este apoio, criado em Novembro de 2012, está regulamentado através do Regulamento de Colaboração de
Estudantes do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, aprovado pelo Despacho n.º 16326/2012, publicado em
Diário da República, 2.ª série, n.º 247, de 21 de dezembro.
Em 2014 realizaram-se 10 colaborações, onde estiveram envolvidos 39 estudantes do IPCA e foi gasto o valor total
de 9.162,00€.
114
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 83 - Colaborações realizadas em 2014
Atividade
Serviço Requisitante
Período
N.º de
estudantes
Atendimento e apoio à sala de
leitura
Biblioteca
1 de janeiro a 31 de julho
4
3.781,50€
Divulgar o IPCA no Colégio La
Salle
Gabinete de Comunicação e
Imagem
15 a 31 janeiro
3
60,00€
Divulgação cursos do IPCA em
escolas da região
Gabinete de Comunicação e
Imagem
19 de março a 30 de junho
13
735,00€
Divulgação cursos do IPCA nas
praias de Esposende
Gabinete de Comunicação e
Imagem
05 de julho a 05 de agosto
4
945,00€
Divulgação cursos do IPCA em
feira de artesanato
Gabinete de Comunicação e
Imagem
1 a 17 de agosto
2
696,00€
Apoio matrículas 2014/2015 1ªfase CNA
Serviços Académicos
8 a 12 de setembro
4
300,00€
Apoio matrículas 2014/2015 2ªfase CNA
Serviços Académicos
25 a 29 de setembro
2
132,00€
Promoção do CIED em feira
Centro de Informação Europe
Direct
14 e 15 de outubro
1
60,00€
Atendimento e apoio à sala de
leitura
Biblioteca
6 de outubro a 31 de dezembro
3
1.132,50€
Apoio técnico informático à
comunidade IPCA
Centro de Informática
1 a 31 outubro
3
1.320,00€
Valor
2.4 Alimentação
Os SASIPCA, através da área da alimentação, asseguram à comunidade académica serviço de refeições a preços
sociais. Integrados na área de alimentação existem também bares, que disponibilizam serviços de cafetaria,
pastelaria e refeições rápidas e ligeiras, e máquinas de venda automática de produtos distribuídas pelos edifícios
do Campus do IPCA.
Para responder às necessidades dos seus utentes, o Campus do IPCA dispõe das seguintes unidades alimentares: 1
cantina e 3 bares.
Nos termos do n.º 4 do artigo 65.º dos Estatutos do IPCA, durante o ano de 2014, os serviços de alimentação foram
concessionados a entidades externas, com a obrigatoriedade de cumprimento rigoroso de um caderno de encargos,
com o objetivo da satisfação dos utentes da cantina, bem como o cumprimento de todas as normas de higiene e
segurança inerente ao funcionamento de serviços desta natureza.
2.4.1 Unidades Alimentares
CANTINA DO CAMPUS DO IPCA
A Cantina do IPCA funciona em edifício próprio, com 272 lugares sentados, de 2.ª a 6:º feira, para almoços e jantares
e aos Sábados para almoços, sendo possível, diariamente, a opção entre prato de principal, dieta ou alternativo.
Durante todo ano de 2014, para os estudantes do IPCA, a refeição teve o valor de 2,40€. A aquisição de senhas foi
feita através da plataforma de E-Learning. Os utentes puderam aceder a esta plataforma em qualquer local com
um computador com acesso à internet, beneficiando de uma plataforma dinâmica e onde estão concentrados mais
serviços que o IPCA disponibiliza.
As ementas estiveram disponíveis na plataforma e no site dos SASIPCA.
De janeiro a dezembro de 2014 foram servidas, 36547 refeições na Cantina do IPCA, em regime presencial e em
regime take away, de acordo com a seguinte distribuição mensal:
115
SECÇÃO VII AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
Quadro 84 - Número de refeições servidas em 2014
Mês
Jan
Fev
Mar
Abr
Maio
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez
TOTAL
Nº
1.439
2.056
3.714
3.534
3.841
1.289
603
---
3.195
7.511
5.885
3.480
36.547
Figura 22 - Número de refeições servidas em 2014
Fora do horário de refeições, o espaço do refeitório foi frequentemente utilizado como sala de convívio e de estudo
em grupo.
CANTINA DO POLO DE BRAGA
A Cantina do Polo de Braga funciona no rés-do-chão do edifício, com 80 lugares sentados, de 2.ª a 6:º feira, para
almoços e jantares, sendo possível, diariamente, a opção entre prato principal e dieta.
A Cantina do Polo de Braga entrou em funcionamento a partir de outubro de 2014 e a aquisição de senhas foi
realizada através da plataforma de E-Learning. Até dezembro de 2014 foram servidas 1702 refeições, de acordo com
a seguinte distribuição mensal:
Quadro 85 - Número de refeições adquiridas em 2014
Mês
Jan
Fev
Mar
Abr
Maio
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez
TOTAL
Nº
---
---
---
---
---
---
---
---
---
143
914
645
1.702
Figura 23 - Número de refeições adquiridas em 2014
116
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
COPA
A partir de 15 de setembro de 2014 foi disponibilizada uma copa no edifício da Cantina, devidamente equipada para
guardar, aquecer e comer refeições trazidas de casa.
BARES
O Campus do IPCA dispõe de três bares: um no Edifício da Cantina, um no Edifício da Escola Superior de Gestão e
outro na Escola Superior de Tecnologia. Nestes espaços a Comunidade Académica do IPCA tem acesso ao serviço
de cafetaria, pastelaria e snacks, a preços sociais. Pode ainda dispor de refeições rápidas e ligeiras (sopa, sandes
variadas e fruta), como alternativa às refeições preparadas e confecionadas na cantina
Para dar resposta às necessidades dos utentes, os bares têm horários distintos nas diferentes épocas do ano, de
acordo com a afluência prevista.
O Polo de Braga dispõe também de um bar contíguo à linha de self service da Cantina.
MÁQUINAS DE VENDA AUTOMÁTICA DE PRODUTOS
De forma a colmatar períodos de elevada afluência aos bares ou quando estes estão encerrados, no Campus do IPCA
- nos corredores da Escola Superior de Gestão e da Escola Superior de Tecnologia – estão ainda instaladas máquinas
de venda automática com bebidas quentes, bebidas frias e snacks, a preços sociais.
2.4.2 Qualidade e Segurança Alimentar Sanitária
Na gestão das unidades alimentares, há uma preocupação com as questões da higiene e segurança alimentar. Para
isso, desde 2013, há um contrato com uma empresa consultora para a área alimentar e que apoia os SASIPCA na
vertente da Segurança Alimentar Sanitária.
Assim, o cumprimento do regulamento (CE) N.º 852/2004 do Parlamento Europeu e do Conselho de 29 de Abril
de 2004 relativo à higiene dos géneros alimentícios, passou a ser, a partir dessa data, supervisionado por uma
empresa, que realiza verificações periódicas às boas práticas de higiene e confeção, bem como à implementação
e monitorização do sistema HACCP (Hazard Analysis and Critical Control Points). A verificação cobre ainda as
seguintes áreas de controlo alimentar: análise microbiológica de pratos confecionados, análises aos manipuladores,
aos utensílios e à água.
Em 2014, foram realizadas as seguintes visitas às unidades alimentares – cantina e bares:
Quadro 86 - Visitas em 2014 no âmbito da Segurança Alimentar Sanitária
Datas das visitas
Unidades visitadas
05/03/2014
Cantina do IPCA
Bar da Cantina
11/03/2014
Bar da ESG
Bar da EST
20/05/2014
Cantina do IPCA
Bar da Cantina
Bar da ESG
Bar da EST
Avaliação da evolução dos
procedimentos de segurança
alimentar sanitária na unidade
Análises a prato confecionado
Análises à água
04/11/2014
Cantina do IPCA
Bar da Cantina
Bar da ESG
Bar da EST
Avaliação da evolução dos
procedimentos de segurança
alimentar sanitária na unidade
Análises a prato confecionado
Análises a superfícies
Análises à água
16/11/2014
Cantina do IPCA
Bar da Cantina
Bar da ESG
Bar da EST
Avaliação da evolução dos
procedimentos de segurança
alimentar sanitária na unidade
Análises a prato confecionado
Análises a superfícies
Análises à água
1.ª Visita
2.ª Visita
3.ª Visita
3.ª Visita
Objetivo das visitas
Avaliação rigorosa a todos os
procedimentos dos concessionários
Análises a prato confecionado
Análises a superfícies
Análises à água
117
SECÇÃO VII AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
2.5 Transporte
Devido à falta de transportes urbanos em Barcelos e uma vez que o campus do IPCA se encontra localizado fora do
centro desta cidade, o SASIPCA disponibilizam um apoio social indireto ao nível de serviços de transporte. O objetivo
deste apoio é permitir aos estudantes do IPCA e restantes membros da comunidade académica, ter um meio
alternativo de transporte nos dias úteis, mesmo no horário pós-laboral, de modo a minimizar custos e transtornos
com as deslocações, tentando ainda reduzir os problemas de estacionamento no Campus do IPCA.
Em 2014, foram disponibilizados dois serviços de transporte - Estação da CP/Campus do IPCA Guimarães-Braga/
Campus do IPCA.
ESTAÇÃO DA CP-CAMPUS DO IPCA
Desde 2011 que o IPCA disponibiliza, a título gratuito, o transporte regular entre a Estação de Caminhos-de-Ferro
(CP) e o Campus do IPCA, com uma paragem no caminho.
Em 2014, esse transporte contemplou diariamente 10 viagens - 5 com o percurso CP – Campus e 5 com o percurso
Campus – CP, em horário diurno, de 2.ª a 6.ª feira.
GUIMARÃES - BRAGA-CAMPUS DO IPCA
A partir de 1 de março de 2012, os SASIPCA passaram a disponibilizar à Comunidade Académica um Transporte
direto entre a cidade de Braga e o Campus do IPCA, realizado num autocarro (49 lugares), pela autoestrada e sem
paragens no caminho.
O percurso tem a duração aproximada de 20 minutos e é utilizado mediante a aquisição de um título de transporte,
com preços sociais, inferiores aos praticados por entidades privadas.
Em 2014, este serviço foi disponibilizado de janeiro a dezembro, com interrupção nos meses de julho e agosto, todos
os dias úteis, em horário diurno e pós-laboral, e aos sábados de manhã.
A partir de setembro de 2014 iniciou-se a ligação do trajeto Braga-Campus do IPCA a Guimarães.
Foram geradas e despendidas as seguintes receitas e despesas, respetivamente:
Quadro 87 - Receitas/Despesas Transporte Braga/Campus do IPCA
N.º de títulos vendidos
Mês
Passes
Passes
Guimarães
Carteiras 10
Carteiras 2
Bilhetes
avulso
Receitas
Despesas
Janeiro
50
--
262
125
61
6.433,70€
10.467,56€
Fevereiro
183
--
198
147
93
10.918,50€
10.298,05€
Março
227
--
78
135
76
11.211,20€
11.781,31€
Abril
130
--
87
87
59
7.203,70€
8.687,65€
Maio
145
--
79
136
67
7.934,10€
11.060,87€
Junho
13
--
94
135
50
2.727,00€
6.950,12€
Setembro
386
33
123
185
73
15.141,10€
7.967,85€
Outubro
349
28
137
245
75
18.466,50€
16.739,63€
Novembro
275
25
75
144
61
12.668,90€
16.061,57€
Dezembro
138
14
38
103
44
5.702,40€
11.415,62€
Total
1896
100
1171
1442
659
98.407,10€
111.430,23€
Taxa de cobertura: 88,00%
118
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2.6 Alojamento
Os SASIPCA não dispõem de Residência de Estudantes. Nesta área, os SASIPCA disponibilizam informação sobre
ofertas privadas de alojamento, no sentido de auxiliar os estudantes deslocados a encontrar casa nas imediações
do Campus do IPCA.
RESIDÊNCIA ED. SIDÓNIO PAIS
A partir de outubro de 2014, o edifício onde funcionavam os Serviços Centrais do IPCA, uma vivenda no centro da
cidade de Barcelos, passou a ser utilizado como residência para estudantes estrangeiros, no âmbito de protocolos
de colaboração entre o IPCA e instituições de ensino superior estrangeiras.
A Residência Ed. Sidónio Pais dispõe de alojamento para 7 pessoas, cozinha, sala e lavandaria devidamente
equipados.
2.7 Serviços de Saúde
Os SASIPCA colocam à disposição da população académica Serviços de Saúde, tendo como objetivo dar resposta às
necessidades dos estudantes e restante comunidade académica, em termos do apoio médico e psicológico, e ainda
desenvolver ações de sensibilização e promoção da saúde, junto da população estudantil do IPCA.
2.7.1 Apoio Médico
CONSULTAS DE CLÍNICA GERAL DO SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE
Ao abrigo de um protocolo celebrado entre o IPCA e o Centro de Saúde de Barcelos, são proporcionadas condições
favoráveis, a toda a Comunidade Académica, no acesso a cuidados de saúde prestados por esse Centro. O protocolo
permite que os estudantes do IPCA sejam integrados no Serviço Nacional de Saúde (SNS), sem necessidade de
recorrerem aos respetivos médicos de família das suas residências de origem.
Assim, em 2014, todas as segundas-feiras, entre as 16h e as 18h30, qualquer elemento da comunidade IPCA pôde
usufruir de consultas de clínica geral/planeamento familiar, mediante marcação prévia nos SASIPCA. O valor das
consultas correspondeu ao valor das taxas moderadoras, estipulado legalmente, a nível nacional.
Durante o ano de 2014 foram marcadas 33 consultas através deste serviço.
CONSULTAS DE CESSAÇÃO TABÁGICA
Em 2014, foram também disponibilizadas, em parceria com o Centro de Saúde de Barcelos, consultas de cessação
tabágica, disponíveis nos Centros de Saúde de Barcelos e de Barcelinhos. Estas consultas estiveram isentas de taxa
moderadora.
GABINETE DE ENFERMAGEM
Durante o ano de 2014 foi disponibilizado um Gabinete de Enfermagem, coordenado por uma equipa de enfermagem
do Centro de Saúde de Barcelos, nas instalações dos SASIPCA.
O Gabinete de Enfermagem desenvolveu atividades no âmbito da sensibilização/informação e educação para a
saúde, junto de toda a população académica do IPCA, em diversas áreas relacionadas com a saúde.
2.7.2 Apoio Psicológico e Psicopedagógico
CONSULTAS DE PSICOLOGIA
Os SASIPCA estão dotados de um Gabinete de Psicologia que exerce a sua atuação no sentido de promover o bemestar e a qualidade de vida da população académica do IPCA, mas também prevenir comportamentos de risco e
otimizar o desenvolvimento pessoal e social dos estudantes ao longo da sua experiência no ensino superior
Este gabinete, periodicamente, promove ainda iniciativas na sua área de atuação, nomeadamente, workshops e
rastreios de psicologia, para ajudar os estudantes a desenvolver e praticar novas competências, para melhorar o
bem-estar pessoal, académico e social, como gestão de stress e métodos de estudo.
Todos os estudantes do IPCA podem aceder a este serviço de forma gratuita.
Em 2014 foram realizadas consultas de psicologia em horário diurno e pós-laboral, de 3.ª a 5.ª feira. Foram dadas
473 consultas, tendo sido acompanhados 94 estudantes.
119
SECÇÃO VII AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
Quadro 88 - Consultas em 2014 do Gabinete de Psicologia
Nº de Consultas
Ano letivo 2013/2014: de 1 de janeiro a 31 de julho de 2014
320
Ano letivo 2014/2015: de 1 de setembro a 31 de dezembro de 2014
153
Total
473
As consultas têm uma duração média de 1hora e 30 minutos. Para além das consultas presenciais, foram também
realizados atendimento por mail aos estudantes e 28 entrevistas a candidatos à Bolsa de Colaboradores.
2.8 Apoio a Estudantes com Necessidades Educativas Especiais
O apoio a estudantes com necessidades educativas especiais, designadamente os portadores de deficiências, é
uma das atribuições dos SASIPCA, cabendo a estes serviços assegurar que os estudantes portadores de deficiências,
tenham condições para frequentar, com sucesso, um curso no ensino superior.
Em 2014, foram prestados apoios a dois estudantes com necessidades especiais, nos seguintes termos:
Quadro 89 - Apoios aos Estudantes com Necessidades Educativas Especiais
Deficiência
Apoio atribuído
Período
Surdez Sensorial Bilateral Profunda
Contratação de um intérprete de língua gestual para tradução
das aulas e do atendimento aos docentes e serviços do IPCA
Janeiro a Dezembro
2.9 Apoio ao Associativismo e Grupos Académicos
Os SASIPCA atuam nesta área, fundamentalmente, em colaboração com a Associação de Estudantes do IPCA
(AEIPCA) e demais Grupos Académicos (Tuna Académica, Tuna Feminina, Grupo de Fados e Coro Académico),
celebrando protocolos de colaboração que têm como objetivo assegurar as condições à promoção e desenvolvimento
de atividades de carácter cultural e desportivo entre a comunidade académica do IPCA.
Estas colaborações permitem ainda apoiar e incentivar a prática do associativismo académico e promover espaços
de experimentação e de apoio ao desenvolvimento de competências extracurriculares, nomeadamente de
participação coletiva e social.
Habitualmente, os protocolos preveem a disponibilização de um apoio financeiro. Para além disso, os Grupos
Académicos podem solicitar um apoio para a realização de uma atividade específica, podendo não haver, nesses
casos, a celebração de um protocolo.
Em 2014, foram concedidos os seguimentos apoios financeiros:
Quadro 90 - Apoios a Associações e Grupos Académicos em 2014
Entidade
Associação de
Estudantes
Tuna Académica
Tuna Feminina
Grupo de Fados
Total
120
Objetivo
Período
Apoio
Financeiro
Promoção da atividade física e prática desportiva
Ano letivo 2013/2014
1.387,32€
Organização do evento "Queima das Fitas"
7 a 10 de maio de 2014
15.000,00€
Organização de almoço convívio diplomados do IPCA
3 de maio de 2014
5.500,00 €
Organização do evento "Receção ao Caloiro"
19 a 24 de outubro de 2014
7.500,00 €
Desenvolvimento de atividades de cariz cultural e artístico
Ano letivo 2013/2014
12.000,00 €
Organização do IX “Barca-Celi” – Festival de Tunas Cidade de Barcelos”
7 e 8 de novembro de 2014
4.000,00 €
Desenvolver atividades de carácter artístico e cultural
Ano letivo 2013/2014
2.500,00€
Organização Festival de Tunas Femininas “VIII Capas Traçadas”
30 e 31 de maio de 2014
1.100,00 €
Desenvolvimento de atividades de cariz cultural e artístico
Ano letivo 2013/2014
3.490,00 €
52.477,32€
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Tomada de Posse da AEIPCA
27 de março de 2014
3. Atividades Socioculturais
- Na semana de 19 a 23 de maio de 2014, os SASIPCA organizaram a SEMANA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL.
Ao longo da semana desenvolveram-se várias iniciativas e atividades que tiveram por finalidade contribuir e
consciencializar a Comunidade Académica do IPCA para a promoção da cidadania, de modo a construirmos uma
sociedade mais positiva e mais justa e um ambiente mais limpo.
Durante esta semana realizou-se uma dádiva de sangue promovida pelo Instituto Português do Sangue, um
workshop de Suporte Básico de Vida dinamizado pelos Bombeiros Voluntários de Barcelos, uma aula de zumba
solidária onde os bens recolhidos foram entregue à Cruz Vermelha de Barcelos e recolha de alimentos para o Fundo
de Emergência do IPCA.
Além disto foi dada importância à temática do voluntariado, tendo-se organizado a tertúlia “Voluntariado pelo
Mundo”, dinamizada por um voluntário que esteve presente em projetos de voluntariado internacional, uma mostra
de instituições/associações do concelho de Barcelos que dispõem de projetos de voluntariado e um workshop de
iniciação ao voluntariado, dinamizado pelo Banco Local de Voluntariado de Barcelos.
121
SECÇÃO VII AÇÃO SOCIAL ESCOLAR
- O Gabinete de Psicologia dos SASIPCA organizou, entre fevereiro e junho de 2014, o 1º CICLO DE WORKSHOPS DE
PSICOLOGIA DO IPCA.
Durante este ciclo realizaram-se 5 workshops sobre temáticas relacionadas com o desenvolvimento pessoal, cuja
finalidade foi dotar os participantes de ferramentas que permitam lidar melhor com os desafios pessoais, sociais e
profissionais.
- Os SASIPCA, em parceria com a Fotoadrenalina, promoverem um WORKSHOP DE FOTOGRAFIA EM VIAGEM no
dia 7 de junho. Este workshop contou com a participação de 6 pessoas e ao longo da sessão foram apresentados
fatores técnicos importantes para a captação das imagens.
- Decorrente da 2ª edição do Curso de Teatro – O Teatro como Meio de Comunicação, realizado em pareceria
com a Companhia de Teatro Só Cenas, foi apresentada, no dia 8 de fevereiro de 2014 no Auditório 2 da Escola
Superior de Gestão, a peça “La Maison de Vasconcelos: (Des)arrufos de Família”.
122
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
- Durante o ano de 2014 foi também promovida a 1ª edição do Curso de Teatro Nível II, dirigido a todos aqueles
que já tinham frequentado, pelo menos, uma formação na área do teatro na Companhia de Teatro Só Cenas ou em
outras entidades de formação.
A apresentação final desta edição ocorreu no dia 19 de julho de 2014, no Auditório 2 da Escola Superior de Gestão,
com uma encenação da peça “O Auto da Barca do Inferno”.
123
Estágio Rede de Pequenos Cientistas
7 de julho de 2014
124
SECÇÃO VIII
Recursos Humanos, Patrimoniais, Tecnológicos e de
Documentação
1. As Pessoas
1.1 Pessoal Docente
1.1.1. Evolução do Pessoal Docente: 1996-2014
Ao longo dos anos de atividade pedagógica, o corpo docente do IPCA tem sofrido variações ao nível do número de
docentes. Relacionado com o aumento e diversificação dos cursos ministrados e, consequentemente, do número
de estudantes, no período de 1996 e 2011, o corpo docente aumentou em número e diversificou as suas áreas de
formação. Após 2011, face às fortes limitações financeiras sentidas pelas Instituições de Ensino Superior e pelo IPCA,
em particular, houve necessidade de estabilizar o número de elementos do corpo docente.
A análise dos anos de funcionamento em perspetiva histórica e a evolução da admissão de docentes, de 1996 a
2014, tem sido a que se resume no quadro seguinte:
31/12/98
31/12/99
31/12/00
31/12/01
31/12/02
31/12/03
31/12/04
31/12/05
31/12/06
31/12/07
31/12/08
31/12/09
31/12/10
31/12/11
31/12/12
31/12/13
31/12/14
TOTAL
31/12/97
EST
31/12/96
ESG
Ano
Lectivo
Quadro 91 - Evolução do Número de Docentes e de ETI (Equivalente a Tempo Integral) - 1996/2014
Nº
Doc.
9
18
28
43
52
66
74
103
82
78
81
77
65
80
100
104
104
109
94
Nº ETI
4,3
11,9
19,8
32,9
40,5
51,5
60,4
78,7
59,8
63,6
66,4
65,6
55,4
65,6
74,5
76,2
75,4
78,9
70,9
Nº
Doc.
--
--
--
--
--
--
--
--
17
28
34
41
45
60
79
82
84
78
79
Nº ETI
--
--
--
--
--
--
--
--
12,9
19,6
26
31,8
41,3
49
58,1
58,70
58,45
55,9
57,75
Nº
Doc.
9
18
28
43
52
66
74
103
99
106
115
118
110
120
179
186
188
187
173
Nº ETI
4,3
11,9
19,8
32,9
40,5
51,5
60,4
78,7
72,7
83,2
92,4
97,4
96,7
114,6
132,6
134,9
133,85
134,8
128,65
1.1.2. Composição do Pessoal Docente
No ano de 2014, o corpo docente do IPCA foi composto por 173 docentes, a que correspondem 128,65 ETI, divididos
pelos seis Departamentos. Nestes números estão incluídos quatro docentes, que em 2014 exerceram cargos de
chefia – 2 vice-presidentes e 2 diretores de escola.
Numa análise por Escola, o corpo docente da ESG, em 2014, constitui-se por 94 docentes a que correspondem
70,9 ETI, e na EST por 79 docentes a que correspondem 57,75 ETI, distribuídos da seguinte forma pelos respetivos
Departamentos:
125
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
Quadro 92 - Números de docentes ETI por departamento
DEPARTAMENTOS
Número de ETI
2013
2014
Contabilidade e Fiscalidade
24,85
20,85
Direito
22,05
18,85
Gestão
32
31,2
Ciências
7,95
9,15
Design
23,55
22,1
Tecnologias
24,4
26,5
TOTAL
134,8
128,65
Os 173 docentes distribuem-se da seguinte forma pelos departamentos:
Figura 24 - N.º de Docentes por Departamentos
Nos termos do Estuto da Carreira do Pessoal Docente do Ensino Superior Politécnicos, os docentes do IPCA dividemse em docentes de carreira – Professor Coordenador Principal, Professor Coordenador e Professor Adjunto – e
docentes convidados. O regime de prestação de serviço divide-se, também, em regime de tempo integral e em regime
de tempo parcial, no caso de docentes convidados que desempenham funções, públicas ou privadas, incompatíveis
com a prestação de serviço em regime de tempo integral. A percentagem de colaboração dos docentes em regime
de tempo parcial, varia em função do número de horas de serviço letivo.
126
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
No computo geral do IPCA, o corpo docente é distribuídos pelas seguintes categorias e regimes:
Quadro 93 - Docentes do IPCA, por categoria e regime
REGIME DE
PRESTAÇÃO DO
SERVIÇO
Professor Coordenador
Principal
Professor Coordenador
Professor Adjunto
Professor Adjunto
Convidado
Assistente Convidado
2013
2014
2013
2014
2013
2014
2013
2014
2013
2014
Tempo integral
1
1
5
5
38
40
9
11
36
28
Tempo parcial
90%
0
0
0
0
0
0
0
3
0
0
Tempo parcial
60%
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
Tempo parcial
55%
0
0
0
0
0
0
1
1
12
15
Tempo parcial
50%
0
0
0
0
0
0
4
4
63
53
Tempo parcial
45%
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
Tempo parcial
40%
0
0
0
0
0
0
0
0
4
1
Tempo parcial
35%
0
0
0
0
0
0
0
0
1
0
Tempo parcial
30%
0
0
0
0
0
0
1
1
6
9
Tempo parcial
25%
0
0
0
0
0
0
1
0
1
1
Tempo parcial
15%
0
0
0
0
0
0
0
0
4
0
Total por
categoria
1
1
5
5
38
40
16
20
127
107
Figura 25 - % de docentes por categoria no IPCA, em 2013 e 2014
127
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
Não obstante prevalecer, em número, os assistentes convidados, realça-se que, ao nível dos docentes a tempo
integral, há um maior número de docentes de carreira do que de docentes convidados, o que indica uma estabilização
do corpo docente. No total de 85 docentes a tempo integral, 46 são de carreira e 39 são convidados.
Figura 26 - Número de docentes de carreira e docentes convidados, em regime de tempo integral
1.1.2. Formação Académica do Pessoal Docente
Atendendo à reforma do regime jurídico das instituições de ensino superior e respetivos requisitos ao nível da
formação académica do corpo docente das instituições de ensino superior, mais concretamente, do ensino superior
politécnico, o IPCA apoia e promove a valorização académica dos seus docentes e investigadores, garantindo que
os mesmos estão habilitados com uma formação técnico-científica avançada e atualizada e que responde às
exigências ao nível da qualidade e da satisfação dos requisitos impostos pela lei.
De salientar que, em 2014, pela primeira vez, no corpo docente do IPCA, prevalece a formação académica ao nível
do doutoramento, tendo representado 41% do computo geral dos docentes do IPCA. Acrescenta-se ainda que os
docentes doutorados e especialistas representam 48% dos docentes.
Em 2014, o corpo docente do IPCA estava constituído da seguinte forma, ao nível da formação académica:
Quadro 94 - Formação Académica dos Docentes em 2013 e 2014
Doutores
Especialistas
Mestres
Licenciados
DEPARTAMENTOS
2013
2014
2013
2014
Contabilidade e Fiscalidade
9
10
5
6
Direito
5
5
6
3
Gestão
15
18
2
3
18
Ciências
6
9
0
0
Design
8
9
0
1
Tecnologias
19
20
1
0
TOTAL
62
71
14
13
128
2013
2014
2013
2014
6
3
15
9
15
14
6
4
15
7
4
6
3
0
1
23
20
0
0
11
12
4
4
79
67
32
22
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Figura 27 - % de docentes por formação académica
É visível o aumento de qualificações no corpo docente, ao longo dos anos, nomeadamente, através do aumento do
número de docentes com o grau de doutor.
Quadro 95 - Evolução do Número Doutores 2010/2014
N.º de Doutores
2010
2011
2012
2013
2014
39
40
54
62
71
Figura 28 - Evolução no número de doutores
Nos quadros seguintes podemos ver a distribuição do corpo docente por formação académica e regime de prestação
de serviço, respetivamente.
Reitera-se a prevalência do grau de doutor no corpo docente do IPCA, ainda mais vincado no regime de prestação
de serviço a tempo integral. Neste regime, o número de doutores assumiu, em 2014, a percentagem de 64% do total
dos docentes a tempo integral.
129
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
Quadro 96 - Regime do Serviço Docente/Habilitações Académicas
FORMAÇÃO
ACADÉMICA
Doutoramento
Tempo integral
Tempo parcial
Totais
2013
2014
2013
2014
2013
2014
50
54
12
17
62
71
Especialista
3
2
11
11
14
13
Mestrado
29
22
50
45
79
67
Licenciatura
7
7
25
15
32
22
TOTAL
89
85
98
88
187
173
Quadro 97 - Docentes do IPCA, por grau e regime
REGIME DE PRESTAÇÃO DO
SERVIÇO
Doutoramento
Especialista
Mestrado
Licenciatura
2013
2014
2013
2014
2013
2014
2013
2013
Tempo integral
50
54
3
2
29
22
7
7
Tempo parcial 90%
0
3
0
0
0
0
0
0
Tempo parcial 60%
0
0
0
0
0
0
0
0
Tempo parcial 55%
2
3
2
3
5
5
4
5
Tempo parcial 50%
6
7
8
5
37
37
16
8
Tempo parcial 45%
0
0
0
0
0
0
0
0
Tempo parcial 40%
0
0
0
0
2
1
2
0
Tempo parcial 35%
0
0
0
0
1
0
0
0
Tempo parcial 30%
2
4
1
2
3
2
1
2
Tempo parcial 25%
1
0
0
1
0
0
1
0
Tempo parcial 15%
1
0
0
0
2
0
1
0
Total por categoria
62
71
14
13
79
67
32
22
1.2 Pessoal Não Docente
1.2.1. Composição do Pessoal Não Docente
O IPCA dispõe ainda de meios humanos, necessários ao desempenho das suas atribuições e que garantem o normal
funcionamento dos serviços. Em 2014, ao nível do seu pessoal não docente, teve ocupados 43 postos de trabalho,
distribuídos pelas diversas unidades orgânicas: Serviços Centrais, Escola Superior de Gestão, Escola Superior de
Tecnologia e Serviços de Acção Social.
O quadro apresenta o número de trabalhadores – pessoal não docente do IPCA - distribuídos pelas unidades
orgânicas e respetivos serviços.
130
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 98 - Número de Pessoal Não Docente
Unidades Orgânicas
2013
2014
Gabinete de Apoio à Presidência
2
2
Divisão Administrativa e Financeira
5
5
Divisão de Recursos Humanos
2
2
Gabinete de Aprovisionamento e Gestão de Infraestruturas
3
2
Divisão Académica
6
6
Biblioteca
2
2
Gabinete de Auditoria e Controlo Interno
--
1
Gabinete de Comunicação e Imagem
2
2
Gabinete para a Avaliação e Qualidade
2
1
Gabinete de Relações Internacionais
2
1
Gabinete para o Emprego Empreendedorismo e Ligação às Empresas
--
1
Centro de Informação Europe Direct
--
1
Divisão de Sistemas de Informação
3
5
Serviços Administrativos
5
4
Gabinete de Simulação Empresarial
1
1
Serviços Administrativos
4
4
Apoio aos Laboratórios
1
1
Serviços Ação Social
2
2
TOTAL
42
43
Serviços Centrais
ESG
EST
Serviços
Em termos de género, o pessoal não docente é composto por 24 mulheres e 19 homens. A sua distribuição por
carreira profissional e género faz-se de acordo o seguinte quadro:
Quadro 99 - Pessoal não docente por serviço, carreira e género
Serviços Centrais
Assistente
Operacional
Carreira
Informática
Técnico Superior
Assistente Técnico
Total
Homem
Mulher
Homem
Mulher
Homem
Mulher
Homem
Mulher
Homem
Mulher
3
10
5
5
2
1
5
1
15
17
Escola Superior de
Gestão
Escola Superior de
Tecnologia
Serviços de Ação
Social
--
2
--
3
--
--
--
--
0
5
--
1
3
--
--
--
--
--
3
1
1
1
--
--
--
--
--
--
1
1
TOTAL
4
14
8
8
2
1
5
1
19
24
1.2.2. Formação Académica e Carreiras do Pessoal não Docente
Ao nível das habilitações académica do pessoal não docente do IPCA, há uma predominância da titularidade do
grau de licenciatura e, ao nível das carreiras, as de Assistente Técnico e de Técnico Superior, são as que prevalecem,
conforme se pode verificar no quadro a seguir apresentado:
131
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
Quadro 100 - Pessoal não docente por carreira e formação académica
4 anos de
9 anos de
11 anos de
12 anos de
Bacharelato
Escolaridade Escolaridade Escolaridade Escolaridade
Licenciatura
Mestrado
Total
0
0
3
Assistente
Operacional
2
0
1
0
0
Assistente Técnico
0
0
1
10
0
5
0
16
Técnico Superior
0
0
0
0
1
15
2
18
Carreira Informática
0
0
0
0
0
6
0
6
TOTAL
2
0
2
10
1
26
2
43
2. Os Recursos Patrimoniais
2.1 Campus do IPCA
O Campus do IPCA passou a ser uma realidade desde Setembro de 2008, sendo nesse espaço que está concentrada
toda a atividade académica da Instituição, ou seja, é nesse espaço que funcionam a Escola Superior de Gestão e a
Escola Superior de Tecnologia.
No Campus do IPCA estão também sedeados uma série de serviços que permitem a prossecução das atribuições do
IPCA, nomeadamente, os Serviços Académicos, a Biblioteca, o Gabinete de Relações Internacionais, o Gabinete para
a Avaliação e Qualidade e os Serviços de Acção Social.
Funcionam ainda no Campus do IPCA os serviços transversais de suporte a toda a sua atividade, designadamente,
o Centro de Informática, os Serviços de Manutenção de Infraestruturas e os Serviços Centrais (Serviços Financeiros,
recursos humanos, serviço de aquisições, gabinete de comunicação e imagem)
O Campus do IPCA está situado na Freguesia de Vila Frescaínha, enquadrado na zona oeste da cidade de Barcelos,
ocupa uma área de 67.514,7 metros quadrados e integra os seguintes edifícios, por ordem cronológica de conclusão:
>
Edifício da Escola Superior de Gestão - concluído em setembro de 2008;
>
Edifício da Escola Superior de Tecnologia (edifício pré-fabricado) - concluído em setembro de 2009;
>
Edifício da Cantina - concluído em outubro de 2010;
>
Edifício da Biblioteca (edifício pré-fabricado) - concluído em dezembro de 2010;
>
Edifício dos Serviços Centrais - concluído em dezembro de 2013,
>
Edifício do Centro de Investigação e Desenvolvimento - Digital Games Lab – concluído em janeiro de 2014
e, muito brevemente,
>
Edifício Multiserviços – cuja conclusão está prevista para maio de 2015.
Ao nível do Campus do IPCA, os esforços nos últimos anos têm sido feitos no sentido de garantir infraestruturas
funcionais e capazes de responder às necessidades da Instituição e, ainda, possuir equipamentos adequados a um
ensino e investigação de qualidade.
Com recurso a receitas próprias foram adquiridos novos equipamentos para continuar a apetrechar o Centro de
Investigação e Desenvolvimento – Digital Games Lab., nomeadamente uma a impressora 3D de grandes dimensões
para o Laboratório de Desenvolvimento de Produto.
FUTURAS INSTALAÇÕES DA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA
Em fevereiro de 2014 foi lançado o concurso público para a conceção da solução arquitetónica e respetivos projetos
de especialidade para a construção do edifício da Escola Superior de Tecnologia, tendo o contrato sido celebrado
em outubro de 2014. O projeto de arquitetura e respetivas especialidades deverão estar concluídos no final de abril
de 2015.
É intenção do IPCA procurar obter financiamento, no âmbito dos fundos disponíveis no novo quadro comunitário de
apoio 2014-2020 (Portugal 2020), para a construção do edifício.
132
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
2.2 Polo de Braga
Após visitas a vários espaços em Braga para instalação de um polo foi identificado o edifício do IDITE MINHO como
o mais adequado para acolher os Cursos de Especialização Tecnológica (TeSP). Assim, no dia 27 de outubro de 2014,
o IPCA passou a estar em Braga no edifício do IDITE MINHO. A cedência deste espaço foi efetuada a título gratuito
ao abrigo de um contrato de comodato celebrado entre o IPCA e o IDITE MINHO, mediante o qual o IPCA assume as
despesas respeitantes ao uso corrente do edifício (água, luz, gás, limpeza, vigilância, etc…)
Para além dos TeSP são lecionados, neste polo, dois Cursos de Especialização Tecnológica. Devido à elevada
procura que os TeSP tiveram, estes cursos funcionam em regime laboral e pós-laboral. Frequentam diariamente as
instalações cerca de 250 pessoas entre estudantes, docentes e funcionários.
Foram garantidas nestas instalações todas as valências existentes no Campus do IPCA em Barcelos, nomeadamente
a criação de uma cantina e bar. Foi ainda assegurado a presença dos serviços académicos, que estão presentes
um dia por semana no polo, e dos serviços de ação social que tem atendimento diário. O serviço de transporte foi
adequado de forma a permitir aos estudantes oriundos dos concelhos de Barcelos ou de Guimarães poderem utilizar
o serviço de transporte que assegura a ligação Guimarães/Braga/Barcelos e Barcelos/Braga/Guimarães.
2.3 Residência Edifício Dr. Sidónio Pais
O edifício localizado no centro da cidade de Barcelos que, até ao final do ano de 2013, acolheu os Serviços Centrais,
foi durante o ano de 2014 reconvertido e adaptado para dotar o IPCA de uma mini-residência académica de forma
a colmatar o facto do IPCA não ter este tipo de infraestrutura. Pretende assim o IPCA criar condições para poder
acolher estudantes e docentes estrangeiros ao abrigo de protocolos de cooperação.
133
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
2.4. Digital Games Lab
O Centro de Investigação Digital Games Lab da Escola Superior de Tecnologia iniciou as suas atividades em 2014,
constituindo-se como uma infraestrutura fundamental à concretização da missão pedagógica e de investigação
científica aplicada da EST. Os excelentes objetivos atingidos pelo centro neste curto período de funcionamento
devem-se a uma combinação única de fatores que proporcionam o ambiente necessário ao alcance de resultados de
publicação científica e prestação de serviços de elevada especificidade à sociedade, sendo de destacar a dedicação
do corpo de investigadores, os diversos laboratórios e equipamentos disponíveis, e acima de tudo, a capacidade
de articulação e desenvolvimento de atividades coordenadas entre as diversas áreas de especialização do centro,
designadamente audiovisual, design industrial, eletrónica, informática e jogos digitais. Cada uma destas áreas
viu os seus respetivos laboratórios serem apetrechados com equipamentos avançados, tendo desenvolvido um
conjunto de atividades considerável, as quais se apresentam de seguida.
O Digital Games Lab foi inaugurado no dia 14 de março de 2014 pelo Primeiro-ministro Dr. Passos Coelho. Para a sua
inauguração os vários laboratórios que o integram desenvolveram um conjunto de atividades descritas nas secções
que se seguem.
LABORATÓRIO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO
Para a inauguração do Digital Games Lab foram preparadas várias atividades ligadas aos cursos de Licenciatura em
Design Industrial e Mestrado em Design e Desenvolvimento de Produto, tendo sido realizada uma apresentação de
trabalhos selecionados de estudantes bem como uma demonstração do equipamento Finger TPS, para estudos
ergonómicos e uma demonstração dos sistemas de impressão 3D.
Os equipamentos adquiridos e instalados incluem:
FDM 3D Printer w/ 2-materials (uPrint SE plus)
Micro-SLA (Projet 1200)
3D Printer Inkjet photopolymer (Objet Eden 260V)
3-axis CNC work center (Pronum CNC)
Laser cutter (Mercury III ME-25)
Small milling machine (Roland MDX-20)
Vinyl cutter (Roland GX-24)
3D optic scanner (DAVID-SLS-1)
Clarkes 1820 Vacuum Former, Dome Blower, and Injection Mould Machine
Industrial oven
Para além destes, foram instalados vários pequenos equipamentos como uma Mini Tupia, Pistola aerógrafo,
Maquina de corte por fio eletrico Clarke, Torno Mecânico EINHELL, Maquina de curvar elétrica, Guilhotina manual
para ferro, Lixadeiras, Aparafusadora, serras, e pistolas de pintura e colagem.
Atividades de investigação e pedagógicas no laboratório
O laboratório tem prestado apoio a várias atividades pedagógicas, sendo utilizado principalmente por alunos do 2º
e 3º ano da licenciatura em Design Industrial. No 1º semestre 2014-2015, todos os trabalhos realizados no âmbito da
UC PDI3 (3º ano) foram prototipados nas impressoras 3D do laboratório. Estes trabalhos foram mesmo expostos no
corredor durante o dia do IPCA. Estes alunos também já fizeram uso de outros equipamentos, como a máquina de
vácuo, corte laser, e CNC. Para além disso, estudantes do MDDP têm vindo a utilizar estes recursos para prototipar os
seus projetos de mestrado, quer na CNC quer nas impressoras 3D.
O laboratório também teve presença em eventos externos de divulgação como a Comicon em Dezembro 2014 e a
feira de ensino em Braga em Março 2015.
Para além disso, os recursos do laboratório têm sido utilizados com frequência por docentes do IPCA a terminar os
seus doutoramentos, para prototipar produtos desenvolvidos nesse âmbito. Está ainda a ser dado apoio a iniciativas
que nasceram a partir de atividades e projetos da EST, nomeadamente o projeto Bowear, ou o projeto One Way
(Passaporte para o Empreendedorismo). O laboratório também já permitiu prototipar pontualmente peças para
vários projetos de investigação em curso na EST, como o Quidbox.
134
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
LABORATÓRIOS DE INTERFACES ELECTRÓNICAS E ROBÓTICA
Na inauguração do DGL, os Laboratórios de Interfaces Eletrónicas e Robótica apresentaram posters sobre os
principais projetos de investigação desenvolvidos no DIGARC (QUIDBOX, ToothAdventure, Endorobot, VR Hand,
ferramentas de simulação cirúrgica, entre outros), demos de alguns projetos e ainda a apresentação de um setup
cirúrgico para navegação cirúrgica robótica.
Equipamentos adquiridos e instalados
8 unidades – Computador Fujistu Celsius W530 com monitor E22T-7-LED Full-HD de 21.5 polegadas
1 unidades – Computador iMac de 27 polegadas
1 unidade – Haptic feedback device Omega 7 da forcedimention
1 unidade – Ecógrafo 4D GE Vivid 9 com sonda transesofágica
1 unidade – Dispositivo de motion tracking Aurora NDI com sensores com 5 e 6 graus de liberdade
1 unidade – TV Samsung 3D smart TV de 42’’
2 unidades – Oculus Rift
2 unidades – lipmotion
1 kit – para a produção de placas de circuito impresso uma ou duas faces.
8 unidades – osciloscópios digitais com 2 canais
2 unidades – geradores de sinais
8 unidades – digital Lab IDL800
1 kit – sistema de visão por computador com câmaras, objetivas e sistemas de iluminação
Atividades de investigação e pedagógicas no laboratório
O Laboratório de interfaces eletrónicas foi concebido de modo a possibilitar o acolhimento, num mesmo espaço,
de projetos de investigação, atividades de I&D das equipas envolvidas no passaporte para o empreendedorismo, e
atividades pedagógicas.
No âmbito das atividades pedagógicas, o laboratório acolhe as atividades letivas das diferentes unidades
curriculares do mestrado em engenharia eletrónica e de computadores.
No que se refere às atividades de I&D das equipas envolvidas no passaporte para o empreendedorismo, estão a ser
desenvolvidos 2 projetos: Colete para reeducação da postura corporal e Luva para realidade virtual com feedback
háptico.
Em relação a atividades de investigação, o laboratório suporta atualmente os projetos de mestrado: Sensor
Inteligente – Leitura De Matrículas Embebido De Custo E Consumo Reduzidos; Sistema De Exercício Acompanhado
Para A Reedução Da Postura Corporal Em Contexto De Trabalho; Desenvolvimento De Uma Pulseira Para Auxiliar
Pessoas Com Patologias Cronicas: Função Cardiorrespiratória; Aquisição De Uma Imagem 3D Craniana Para Produção
De Ortótese Para Correção De Assimetrias Não-Sinostóticas; Dispositivo Desenvolvimento Didático De Fonética Em
Crianças; Sistema Eletromecânico Para Controlo Intuitivo Dos Movimentos De Uma Sonda Transesofágica; Interface
Virtual Para Pc Desktop Com O Sensor 3d Kinect; Desenvolvimento De Uma Luva Instrumentada Para Aquisição
Dos Movimentos Da Mão; Controlo De Um Dispositivo De Dispensa Automática De Medicamentos Através De Uma
Plataforma Móvel Android; Colete Instrumentado Para Reeducação Postural; Sistema Para Melhorar A Coordenação
Mãos-Olhos Em Cirurgias Minimamente Invasivas; Implementação, Em Fpga, De Algoritmos De Segmentação De
Movimento Em Tempo Real, Para Aplicações De Processamento De Imagem; Desenvolvimento De Um Classificador
Para Análise Biométrica De Um Colete Instrumentado Para A Reeducação Postural; Desenvolvimento De Sistema
De Controlo E Monitorização Médica Inteligente Em Lares.
O Laboratório de robótica foi concebido de modo a possibilitar o acolhimento, num mesmo espaço, de projetos de
investigação e apoio às atividades pedagógicas.
No âmbito das atividades pedagógicas, o laboratório acolhe as atividades letivas da unidade curricular de robótica
avançada do mestrado em engenharia electrónica e de computadores, e alguns módulos das unidades curriculares
de Laboratórios integrados II (do MEEC) e electrónica II (da LEEC).
Em relação a atividades de investigação, o laboratório suporta atualmente os diferentes projetos de investigação,
em colaboração com os centros de investigação ICVS/3B’s Laboratório Associado PT, Algoritmi e KU Leuven:
KidneyNAV – A radiation free guidance system for percutaneous renal access in minimally invasive interventions;
Digital Impression System For Dental Prosthesis; Fast fully automatic myocardium segmentation in 4D cine cardiac
Magnetic Resonance datasets; Guidanc e of transseptal punctures for left heart interventions using personalized
biomechamical models and volumetric ultrasound imaging; Augmented Surgery for Pectus Excavatum; Handheld
device for minimal invasive surgery; e, Towards Smarter Cardiac Interventional Navigation Using Mri-Derived
135
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
Personalized Models For RT 3D Ultrasound Interpretation.
LABORATÓRIO DE JOGOS DIGITAIS
Na inauguração do centro de investigação o Laboratório de Jogos Digitais efetuou demonstrações de um simulador
de condução, jogo de interação por gestos (desenvolvido por estudantes), modelação e animação de personagens
3D, e uma exposição de tecnologia de Motion Capture XSens MVN.
Equipamentos adquiridos e instalados
5 unidades – Computador Fujistu Celsius W530 com monitor E22T-7-LED Full-HD de 21.5 polegadas
5 unidades – Computador Fujistu com monitor Led 3D Samsung T27A950EX 27 polegadas, com óculos de FPR
3D passivos
2 unidades – Computador Mac Pro com monitor Apple Thunderbolt Display de 27 polegadas
1 unidade – Mesa gráfica Wacon Intuos5 touch Pen
1 unidade – Placa de aquisição de vídeo profissional Aja Kona Lhe Plus
1 unidade – Placa de aquisição de vídeo analógico de 8 canais
1 unidade – Videoprojector Epson TW550 3D
1 unidade – Tablet Apple 7.9 polegadas, iPad Mini
4 unidades – Sensor 3D Asus Xtion PRO Live
1 unidade – Sistema de conexão e controlo sem fios PC/TV Asus WAVI
4 unidades – Tablet Android de 9.7 polegadas
2 unidades – Tablet Android de 7 polegadas
1 unidade – Simulador de condução
1 unidade – Sistema de captura de movimento Xsens MVN (Inertial Motion Capture)
1 unidade - Quadcopter
Atividades de investigação e pedagógicas no laboratório
O Laboratório de Jogos Digitais foi concebido de modo a possibilitar o acolhimento, num mesmo espaço, de: projetos
de investigação; projetos promovidos por entidades externas; e atividades pedagógicas.
Assim, no âmbito das atividades pedagógicas, o laboratório acolhe as atividades letivas das unidades curriculares
de Projeto Aplicado I (1.º semestre, do 3.º ano do curso de EDJD), e Projeto Aplicado II (2.º semestre, do 3.º ano do
curso de EDJD).
No que se refere a projetos promovidos por entidades externas, o Laboratório de Jogos Digitais serviu de meio para a
realização de testes ao videojogo Voltan, albergando ainda a equipa de desenvolvimento do projeto “Histórias mal
contadas”, cujo videojogo foi desenvolvido para a empresa Waveform.
Em relação a atividades de investigação, o laboratório suporta atualmente dois projetos: Changing Moods; e
Rumination Room. Ambos os projetos são desenvolvidos em colaboração com a Universidade do Minho.
- Descrição do projeto “Changing Moods”:
Vários estudos sugerem que a regulação emocional é central na perturbações de humor e da ansiedade, sendo
responsável por um vasto leque de sintomas neste espectro de perturbações. A ideia central é que a existência de
défices de regulação das emoções negativas (mas também positivas), conjuntamente com estratégias cognitivas,
emocionais e comportamentais que tendem a amplificar e a consolidar as dificuldades psicológicas constituiu um
aspecto central da etiologia destas perturbações. Por exemplo, as dificuldades de regulação emocional podem
conduzir a formas de evitamento comportamental (evitar situações que desencadeiem ansiedade), cognitivo
(evitar pensar sobre temas difíceis), ou emocional (evitar sentir-se emocionado, com receio de que estas emoções
possam gerar mais emoções e tornarem-se assim incontroláveis). O evitamento funciona no curto-prazo, mas tende
a gerar mais dificuldades a médio e longo prazo; para além de agravar o sentimento de vulnerabilidade; conduzindo
a reforçar ainda mais estratégias de gestão inadaptativas. Este modelo de intervenção é inspirado no tratamento
transdiagnóstico de Barlow, procurando usar jogos, realidade virtual e realidade aumentada para maximizar o
tratamento destas perturbações.
- Descrição do projeto “Rumination Room”
A ruminação é um processo psicológico que é caracterizado por um padrão repetitivo de pensamentos intrusivos que,
ao focar a pessoa em conteúdos cognitivos dolorosas, provoca sofrimento. Normalmente as pessoas tentam lidar
com esses pensamentos ruminativos tentando evitar pensar, que, paradoxalmente, faz com que os pensamentos
sejam ainda mais intensos. Vários investigadores propuseram que pensamentos ruminativos seriam componentes
136
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
centrais na ansiedade e distúrbios depressivos, e que o tratamento de ruminação também seria crítico para o
tratamento destas desordens. Esse projeto é uma primeira tentativa de construir um jogo que treina os jogadores de
modo a que estes consigam mudar a atenção dos pensamentos ruminativos, desviando-os para tarefas de resolução
de problemas, o que ilustra a utilização do jogo. Treinando tal capacidade, será possível reduzir a intensidade dos
pensamentos. A expectativa é que o uso continuado de jogos com este tipo de recursos irá reduzir a intensidade de
pensamentos ruminativos, melhorando o bem-estar e reduzindo o sofrimento psicológico dos jogadores.
LABORATÓRIO DE AUDIOVISUAIS
Para a inauguração do CI&D, assim como para outros eventos de responsabilidade académica, como o DIA do
IPCA, foram elaboradas diversas atividades da licenciatura em Design Gráfico e do Mestrado em Ilustração e
Animação (MIA). Assim, durante a inauguração efetuaram-se exposições e projeções de trabalhos de design de
comunicação, ilustração, fotografia, vídeo e animação 2D/3D, assim como demonstrações da funcionalidade dos
principais equipamento deste laboratório. A inauguração teve o seu ponto alto quando se integrou, em tempo real,
a performance de um estudante (ator) com a sistema de captação do fato de “motion capture Xsens” a partir do
estúdio (recurso ao croma-key), mas com uma visão/leitura a partir da monitorização da régie – como acontece
normalmente num operador de televisão.
Equipamentos adquiridos e instalados
O laboratório de audiovisuais é composto por 6 espaços autónomos mas que podem funcionar em simultâneo. Foi
adquirido equipamento de vídeo (interior e exterior), fotográfico e informático especializado para ilustração digital
(Cintiq) e animação digital. Para além disso, o laboratório está equipado com um estúdio profissional, croma-key,
régie de som e vídeo. Para alem disso, possui 2 fatos de Captura (Inertial Full Body) XSENS http://www.xsens.com/
e respectivos sistema de integração para animação 3D.
Atividades de investigação e pedagógicas no laboratório
Foram realizadas diversas aulas do mestrado em Ilustração e Animação (MIA), nomeadamente, as unidades
curriculares de Metodologias de Investigação e Modelação e Animação 3D; São efectuadas, regularmente, reuniões
de Mestrado e orientações de Projecto I e Projecto II, respectivamente; aulas da licenciatura em Design Gráfico,
nomeadamente, as unidades curriculares de Desenho Computacional III; Fotografia e Vídeo, em ambas os regimes
diurnos e pós-laboral; São realizadas, ainda, aulas de Animação de Personagens, da licenciatura em Engenharia em
Desenvolvimento de Jogos Digitais.
Até à data, o equipamento e instalações do laboratório de Audiovisuais tem dado apoio à projetos de investigação,
como o projeto da Bowear (https://vimeo.com/110588658), financiamento do Projeto Mobilizador PT21, cofinanciado pelo FEDER através do COMPETE – Programa Operacional Fatores de Competitividade; e a participação
do projeto do CIED-Barcelos “videojogo Tony Waste – Todos Contra o Desperdício Alimentar” e o projeto “Colorless”
com apoio para investigação da entidade Emílio de Azevedo Campos S.A.
Para além disso, tem dado apoio na captação de imagens fotográficas, vídeo, edição de imagem, sonorização e
pós-produção vídeo, de eventos académicos, tais como: Conferências 5ET - Encontro de Tipografia; Videojogos
2014 – Conferência de Ciências e Artes dos Videojogos; Dia D - Conferência de Design e IdroneCup 2014. Tem sido
requisitado regularmente, equipamento de vídeo, fotográfico e áudio na realização de spots, vídeos e registos
fotográficos promocionais, entrevistas, apresentações virtuais de “papers”, apoio a eventos que têm lugar no
auditório do Centro de Investigação e projetos pedagógicos diversos. O laboratório tem dado apoio na realização
de projetos multidisplinares e de colaboração com entidades externas, como a criação do spot para televisão (RTP1
e Fox Televisão) do evento internacional “ComicCon 2014” e a elaboração da animação gráfica para realidade
aumentada “Conferência Gaia Design Meeting”. Este laboratório colabora ainda com estudantes envolvidos no
Passaporte para o Empreendedorismo.
3. Os Sistemas de Informação
Considerando que os sistemas de informação representam atualmente um dos principais pilares de suporte às
atividades institucionais, a Divisão de Sistemas de Informação do IPCA tem como estratégia a manutenção, reforço
e melhoria dos serviços oferecidos a toda a comunidade académica.
Relativamente ao LMS (Learning Management System), foi alvo de atualização da versão 2.4 para a versão 2.7.
Simultaneamente, deu-se continuidade à criação de mais e melhor documentação sobre os processos relacionados
com esta plataforma. Procedeu-se também a uma melhoria substancial no design aplicacional da plataforma,
permitindo a sua utilização vários dispositivos das mais variadas dimensões.
137
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
Durante o ano de 2014, a plataforma integradora desenvolvida no âmbito do Projeto SAMA evoluiu de forma
a acompanhar o desenvolvimento de novos processos e a evolução dos sistemas que lhe servem de suporte,
consagrando-se cada vez mais como um ponto essencial para a integração dos sistemas de informação da
instituição, nomeadamente nos processos de avaliação da qualidade no âmbito do Projeto Sistema Interno de
Garantia da Qualidade (SIGQa).
Ainda neste âmbito, foi dada continuidade à revisão, consolidação e extensão de funcionalidades, documentação
e dados relativos aos módulos já desenvolvidos, bem como na implementação do Relatório de Autoavaliação do
Curso (RA_Curso) e Relatório Síntese do Conselho Pedagógico (RS_CP). Neste contexto, podem-se destacar:
•
A adição de funcionalidades que permitem á direção das Unidades Orgânicas (Escolas) reiniciar o processo
de validação, em casos que assim o justifique.
•
A implementação dos Modelos de Questionário para Mestrados e Autoavaliação do Curso e respetivo
tratamento estatístico.
•
O desenvolvimento dos módulos e respetivas integrações de dados. Será agora possível:
a) dotar a instituição da capacidade de observar cada um dos curso ministradas em cada unidade
orgânica para compreender, de forma detalhada, os objetivos de aprendizagem, as metodologias de
avaliação e os resultados obtidos pelos estudantes e docentes;
b) identificar resultados insatisfatórios e situações que exigem medidas corretivas e de melhoria.
Depois de preenchidos e validados todos os relatórios de autoavaliação dos Cursos é automaticamente
gerado um relatório síntese (por Grau de Estudos) para o respetivo Conselho Pedagógico com
resultados agregados.
O ano de 2014 pode ser visto como o ano em que se finaliza a edificação dos alicerces do SIGQa-IPCA. Ainda há muito
por construir e em 2015 espera-se um avanço relevante nesse sentido, sobretudo com o desenvolvimento do Projeto
SAMA2. Para este empreendimento, ao longo de 2014, foram realizadas várias reuniões com todos os stakeholders,
e procedeu-se a um extenso levantamento de requisitos que culminou na elaboração dos cadernos de encargos e o
lançamento dos concursos públicos:
a) Aquisição de Serviços de Desenvolvimento e Parametrização de Software, para ambiente Intranet e
Moodle, na categoria de Sistema Colaborativo.
b)
Aquisição de Serviços de Desenvolvimento de um Sistema de Suporte à Decisão.
Relativamente à solução de apoio às atividades letivas de simulação empresarial, foram introduzidas medidas
de centralização das aplicações e disponibilização das aplicações a partir de qualquer lugar e de qualquer sistema
operativo. Trata-se de uma melhoria significativa ao nível da disponibilidade de serviço e segurança. Está prevista a
extensão deste modelo de fornecimento de aplicações a outros softwares, como por exemplo o IBM SPSS e o reforço
da capacidade computacional.
Decorrente do sucesso da plataforma de gestão de inscrições de eventos e conferências em 2014 realizou-se uma
manutenção e adição de pequenas funcionalidades. Trata-se de uma plataforma que desempenha uma importância
vital na comunicação e divulgação das atividades desenvolvidas pela Instituição e as suas Escolas. Para 2015 está
prevista uma reestruturação do seu core aplicacional permitindo uma maior flexibilização da plataforma.
Relativamente às infraestruturas tecnológicas da Instituição, existiu uma necessidade firme de aquisição de novos
equipamentos e servidores de forma a suprimir as necessidades das unidades que compõem o IPCA.
Neste contexto, destaca-se a aquisição de servidores de nova geração que permitem uma melhoria significativa
do desempenho e uma poupança substancial no consumo energético da infraestrutura, aliado a uma gestão
centralizada.
Durante o ano de 2014 foram também testadas várias soluções tecnológicas, com os principais atores do mercado
(Cisco, HP) tendo como finalidade a seleção de uma solução de Rendering e de VDI. Os servidores serão instalados
no Digital Games Lab e irão potenciar a investigação e criação de valor neste centro em áreas como Jogos Digitais,
Multimédia ou Design.
138
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
4. Recursos de Documentação
4.1. Serviços de Documentação
Os Serviços de Documentação do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave é um serviço de recursos de informação
científica, técnica e cultural que tem como missão contribuir para a qualidade do processo educativo proporcionado
pelo IPCA, constitui um sistema integrado que engloba todas as unidades funcionais de biblioteconomia e
informação bibliográfica.
Procurando a disseminação universal do conhecimento, está especialmente vocacionada para apoiar o ensino e a
investigação de toda a comunidade.
Integra atualmente uma sala de leitura, uma sala de estudo e quatro cabines individuais, dispondo de 11068
monografias, 486 títulos de periódicos, 26 bases de dados subscritas na B-on e 33 bases de dados disponibilizadas
gratuitamente na B-on.
Quadro 101 - Distribuição e capacidade dos espaços
Espaço
Quantidade
Capacidade (nº de lugares)
Sala de leitura
1
44
Cabines individuais
4
4
Sala de estudo
1
10
Quadro 102 - Distribuição e capacidade dos espaços
Monografias
Periódicos
Base de Dados subscritas e gratuitas
11068
486 (títulos)
59
Uma das missões da biblioteca é a promoção do acesso à informação em formato digital, nomeadamente através
dos recursos eletrónicos permanentes, os recursos eletrónicos de acesso gratuito (free trial) e da subscrição ao
serviço disponibilizado pela B-On. Nos quadros seguintes apresentam-se os recursos:
RECURSOS ELETRÓNICOS PERMANENTES
Catálogo online da Biblioteca – permite pesquisar as referências bibliografias de todos os documentos existentes
na Biblioteca.
Catálogo coletivo nacional, COLCAT – permite pesquisar as referências bibliográficas dos documentos existentes
nas bibliotecas nacionais e estrangeiras que aderiram ao projeto.
Sumários das revistas existentes em suporte de papel – disponibilização online dos sumários na página Web
da biblioteca. Esse trabalho consistiu na digitalização dos 57 sumários das revistas que deram entrada no sistema
bibliográfico, permitindo a localização mais rápida e eficaz dos artigos existentes na biblioteca.
RCAAP – Repositório Científico de Acesso Aberto em Portugal – este repositório nacional permite pesquisar as
coleções digitais de produção intelectual dos membros de uma instituição.
Em 2014 manteve-se em vigor o protocolo entre o IPCA e a Fundação para a Computação Científica Nacional relativo
à iniciativa Biblioteca do Conhecimento Online (B-on). Os recursos contratados no âmbito do consórcio nacional
B-on, de acordo com o modelo all-for-all, sofreram uma ligeira alteração.
O acesso é controlado através dos endereços IP do IPCA sem número limite de acessos em simultâneo.
139
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
RECURSOS ELETRÓNICOS DE ACESSO GRATUITO (FREE TRIAL)
Quadro 103 - Recursos disponibilizados pelas editoras em regime de free trial à comunidade do IPCA em 2014
Bases de Dados
Período do acesso livre
eBooks da Biblioteca Nacional
30 de outubro a 15 de novembro
Cochrane Library
7 de abril a 4 de junho
ChemInform RxnFinder
29 de abril a 30 de junho
Gale Cengage
8 de Janeiro a 28 de fevereiro
Scopus
21 de Novembro 2013 a 15 de Janeiro 2014
Quadro 104 - Recursos Subscritos na B-on (26)
Conteúdos/Editora
Área Temática
Acesso/Tipo
Disponibilidade
Academic Search Complete
Multidisciplinar
Base de texto integral
Texto Integral
American Chemical Society
Ciências (Geral)-Química
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral (4 anos mais recentes)
American Institute of Physics
Ciências (Geral)- Física
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral (5 anos mais recentes)
Annual Reviews
Ciências Sociais; Ciências Físicas;
Ciências Biomédicas; Engenharia e
Tecnologias
Editora
Texto integral desde 1996
Association for Computing Machinery
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral desde 1952 só para
algumas publicações
Association for Computing Machinery
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Base Referencial
Texto integral desde 1952 só para
algumas publicações
Blackwell
Multidisciplinar
Base de Dados
Texto integral
Business Source Complete
Economia; Negócios Sociais
Base de texto integral
Base de dados parcialmente em
texto integral
Current Contents (ISI)
Multidisciplinar
Base de texto integral
Texto integral espanhol e português
Elsevier
Multidisciplinar
Editora
Texto integral desde 1995
ERIC
Ciências Sociais
Base Referencial
Contém cerca de 200.000 relatórios
e outros documentos
Fuente Academica
Multidisciplinar
Base Referencial
Sem texto integral
IEEE
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral desde 2005
Instituto f Physics
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral desde 1996
ISI Proceedings
Multidisciplinar
Base Referencial
Contém dados desde 1991
Journal Citation Report (ISI)
Multidisciplinar
Base Referencial
Dados Bibliométricos
Library Information Science &
Technology Abstracts (EBSCO)
Ciências e Tecnologia
Base Referencial
Texto integral desde 1960
Nature
Ciências (Geral)
Ciências da Saúde
Editora
Texto integral (4 anos mais recentes)
Royal Society of Chemistry
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Editora
Texto integral e Arquivo desde 1841
Sage
Política e Sociologia
Editora
Texto integral a partir de
determinadas datas de acordo com
as publicações
Society for Industrial na Applied
mathematics
Ciências e Matemática
Editora
Texto integral
Springer Link
Multidisciplinar
Editora
Texto integral desde 1997
Taylor Francis
Multidisciplinar
Editora
Texto integral variáveis consoante as
publicações
Web of Science(ISI)
Multidisciplinar
Base Referencial
Calcula o factor impacto – contém
informação desde 1945
Wiley
Multidisciplinar
Editora
Texto integral desde 1997
Zentralblatt
Artes e Humanidades
Ciências (Geral)
Engenharia e Tecnologias
Base Referencial
Contém dados desde 1968
140
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 105 - Recursos gratuitos na B-on (33)
Conteúdos/Editora
Área Temática
Benthan Open Access
Ciências Médicas
Biblioteca Nacional Digital
Multidisciplinar
Berkley Electronic Press
Engenharia e Tecnologias
BIOME
Ciências Médicas
Bio Med Central
Ciências Médicas)
Biz/ed
Gestão;Economia;Contabilidade;
Lazer; Turismo
Chemistry Central
Multidisciplinar
Multidisciplinar
DOAJ
Multidisciplinar
EEVL
Ciências, Engenharia e Tecnologias
Encyclopedia Britannica
Multidisciplinar
European Patent Office
Patentes Europeias
ETDEWEB
Ciências Médicas; Engenharia e
Tecnologia
Brittish Library Public Catalog
Acesso/Tipo
Base Referencial
Base Referencial e Integral
Base Referencial
Base Referencial
Base referencial
Sem texto integral
Texto integral
Sem texto integral
Sem texto integral
Sem texto integral
Base Referencial
Sem texto integral
Base Referencial
Portal
Base de dados integral
Portal
Obra de Referencia
Índice
Sem texto integral
Texto integral
Texto integral
Sem texto integral
Texto integral
Sem texto integral
Portal
Sem texto integral
Base de dados
Base de Dados
Base Referencial
Base Referencial
Base Referencial
Portal
Base Referencial
Portal
Livro Digital
Texto integral
Texto integral
Sem texto integral
Sem texto integral
Sem texto integral
Sem texto integral
Sem texto integral
Sem texto integral
Texto integral
Algumas publicações em texto
integral
Sem texto Integral
Alguns documentos em texto
integral desde 1966
Sem texto integral
Texto integral
Alguns documentos em texto
integral
Texto integral
Texto integral
Sem texto integral
Sem texto integral
Texto integral desde 1790
Internet Public Library
Ciências Médicas
Multidisciplinar
Ciências e Tecnologia
Library of Congress
Multidisciplinar
Medline
Ciências
MERLOT
Porbase
Multidisciplinar
Multidisciplinar
Multidisciplinar
Multidisciplinar
Ecossitemas; Biologia; Química;
Matemática e Ciências Médicas
Multidisciplinar
PubMed
Ciências Médicas
Base Referencial
PubMed Central
Ciências Médicas
RCAAP
Multidisciplinar
Base Referencial
Repositório Nacional
RePEc/Ideas
Ciências Sociais
Base Referencial
Scielo Global
Multidisciplinar
Scielo Portugal
Multidisciplinar
Scirus
Multidisciplinar
Theses & Dissertations Catalog
Tecnologias
USPTO Patent Database
Design
Base de Dados
Base de Dados
Portal
Índice
Base Referencial
Free Medical Journals
Highwire Press
Oaister
OCDE
Online Books Page
PloS
Disponibilidade
Base Referencial
Base Referencial
141
SECÇÃO VIII RECURSOS HUMANOS, PATRIMONIAIS, TECNOLÓGICOS E DE DOCUMENTAÇÃO
O número de downloads por recurso durante 2012, 2013 e 2014 é apresentado no quadro que se segue.
Quadro 106 - Número de downloads por recurso em 2012, 2013 e 2014
Recursos
Science Direct
EBSCOhost
Meta Press
Wiley Online Library
HighWire Press
Springer Link
Taylor & Francis
Annual Reviews
ACM Digital Library
IEEE
Nature.com
ACS Publications
IOP Science
Rsc. org
Scitation
2012
2013
2014
5097
2919
259
232
12
Não disponível
247
13
57
11
0
1
8
7
28
7548
3290
264
232
12
Não disponível
1053
20
89
19
2
1
23
23
39
3836
794
2
424
2
56
1491
1
101
14
5
0
18
8
4
Durante o ano 2014 os recursos mais procurados e descarregados continuam a ser os recursos multidisciplinares,
destacando-se os recursos nos domínios das artes, humanidades, ciências sociais, ciências da saúde, ciências,
engenharia e tecnologias, seguido do recurso IEEE mais vocacionado para as áreas das ciências em geral, engenharia
e tecnologias. Os gráficos abaixo demonstram essa realidade.
O IPCA subscreve 11.150 publicações e 10 base de dados. Ao longo do ano 2014 o IPCA descarregou 6772 publicações e
efetuou um total de 121 pesquisas na base de dados e pesquisou 44 base de dados através da modalidade federada.
Os técnicos dos Serviços de Documentação do IPCA oferecem regularmente ações de formação e sensibilização de
utilizadores (estratégias de pesquisas nas diferentes bases de dados; como elaborar trabalhos académicos; normas
sobre a apresentação de referências bibliográficas; apresentação e divulgação do uso das ferramentas do software
dos serviços) e disponibiliza conteúdos de apoio à utilização dos recursos informativos disponíveis nos Serviços
de Documentação, em especial vocacionados para os estudantes, que podem ser encontrados na página Web da
Biblioteca, tais como:
•
Regulamentos (normas de funcionamento da biblioteca em geral de normas específicas do uso dos
serviços)
•
Tutoriais (guia de utilização da biblioteca em versão portuguesa e inglesa)
AÇÕES DE FORMAÇÃO
No seguinte quadro apresenta-se as ações realizadas em 2014.
142
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 107 - Formação de Utilizadores
Curso
Acção Formação
Local/Data
Licenciatura em Gestão Pública, integrado na UC
“Estágio/Projeto”
- Estratégias de pesquisas em bases de dados
científicas
B-on
ESG – dia 22de abril de 2014, com a duração de
2 horas (18h30-20h30)
Licenciatura em Gestão de Atividades Turísticas,
integrado na UC “Estágio/Projeto)
- Técnicas de pesquisas em bases de dados
científicas
- Normas, para trabalhos académicos e
referências bibliográficas
B-on
ESG – dia 27 de março de 2014, com a duração
de 2 horas (18h30-20h30)
Licenciatura em Design Gráfico Pós Laboral
- Conhecer a Biblioteca do IPCA
- Estratégias de pesquisa nos catálogos
bibliográficos e base de dados
- Normas, para trabalhos académicos e
referências bibliográficas
B-on
EST – dia 28 de fevereiro de 2014, com a duração
de 2 horas (18h20-20h20)
Licenciatura em Design Gráfico
- Conhecer a Biblioteca do IPCA
-Estratégias de pesquisa nos catálogos
bibliográficos e base de dados
- Normas, para trabalhos académicos e
referências bibliográficas B-on
EST – dia 28 de Fevereiro de 2014, com a duração
de 2 horas (16h00-18h00)
Licenciatura em Design Industrial
- Conhecer a Biblioteca do IPCA
- Estratégias de pesquisa nos catálogos
bibliográficos e base de dados
- Normas, para trabalhos académicos e
referências bibliográficas
B-on
EST– dia 6 de fevereiro de 2014, com a duração
de 2 horas (11h00-13h00)
4.2. CiencIPCA
“O Repositório Digital do IPCA, tem como objetivo a divulgação e livre acesso à produção científica produzida
pela comunidade académica, promovendo a iteração, partilha e visibilidade, contribuindo para a preservação da
memória intelectual do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave” (http://ciencipca.ipca.pt/).
As tipologias de documentos incluem os artigos em revistas científicas, artigos em revistas técnicas e profissionais,
livros e capítulos de livros, comunicações em atas de conferências nacionais e internacionais, relatórios técnico/
científicos, dissertações de mestrado e teses de doutoramento.
O repositório ficou operacional em 2013, e ao longo de 2014 a comunidade do IPCA foi convidada a aí depositar os
seus conteúdos, ultrapassando os 500 documentos no final do ano. Durante o ano de 2014 registaram-se mais de
9600 consultas e perto de 3.000 downloads.
143
Dia do IPCA 2014
19 de dezembro de 2014
144
SECÇÃO IX
Contas Consolidadas
1. Nota Introdutória
A política orçamental dos últimos anos tem implicado reduções significativas nas transferências do Orçamento de
Estado (OE) para as Instituições de Ensino Superior (IES), nomeadamente para o IPCA cuja dotação orçamental
nunca acompanhou o crescimento do número de estudantes. Constituindo as transferências do OE a principal fonte
de receita das IES, esta política tem-se revelado fortemente penalizadora na concretização da missão deste sector
da economia Portuguesa.
Como consequência deste contexto de contenção orçamental as IES procuram fontes alternativas para financiarem
a sua atividade, nomeadamente através do recurso a receitas próprias provenientes de propinas, verbas de projetos
de investigação, fundos comunitários, serviços prestados à comunidade, entre outros. No entanto, a crise económica
afeta também o desejável crescimento de receitas próprias.
Ciente destas dificuldades, a gestão orçamental do IPCA no ano 2014 caracterizou-se por uma rigorosa afetação dos
recursos disponíveis às atividades e projetos desenvolvidos, de forma a aumentar os níveis de eficiência e eficácia
e, simultaneamente, pautou-se por um grande esforço na captação de receitas alternativas. De salientar que
em 5 anos o IPCA aumentou as receitas próprias em 52%, apesar de ter mantido praticamente constante o valor
unitário das propinas. Em 2014 as receitas próprias representam quase 26% do total de receitas do IPCA, sendo
estas provenientes de propinas, projetos e prestação de serviços à comunidade, permitindo à instituição continuar
a cumprir com a sua missão.
Apenas com uma política de racionalização e contenção da despesa, e uma rigorosa cobrança das receitas, foi
possível conseguir o equilíbrio orçamental necessário e aumentar, em simultâneo, o nível de atividade desenvolvida,
nomeadamente em termos da oferta formativa e na realização de projetos como se descreve no Relatório de
Atividades 2014.
Nesta secção toda a análise refere-se às contas consolidadas do IPCA e SAS (Serviços de Ação Social).
1.1 Análise Orçamental
1.1.1 Evolução do Orçamento do IPCA
As despesas com o normal funcionamento do IPCA são suportadas por receitas próprias e pelas verbas transferidas
do OE.
O quadro 108 resume a evolução da receita e da despesa do IPCA de 2006 a 2014, relacionando-as, através de
indicadores, com o número de estudantes, professores e pessoal não docente. Em alguns indicadores compara-se
também a situação do IPCA com a média nacional das IES.
Ao longo dos anos em análise, o IPCA recebeu verba PIDDAC para a construção do edifício da ESG, para a construção
do edifício da cantina e para as infraestruturas da futura residência académica. O valor de 493.678 euros em 2014
refere-se ao saldo de gerência transitado para a construção da residência do IPCA, sendo 272.200 euros destinado a
construção e infraestruturas, e 221.478 euros destinado a estudos, pareceres, projetos e fiscalização da obra.
Da análise do quadro 108 podemos tecer os seguintes comentários:
•
Desde de 2010 que o aumento do número de estudantes tem estabilizado. Se analisarmos a variação de
2006 a 2014, o crescimento foi superior a 100%.
145
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Quadro 108: Evolução das receitas e despesas do IPCA
2006
2007
2008
2009
2010
2011
0
Saldo inicial
0a
OE para funcionamento IPCA
115 €
7 619 €
59 €
59 €
10 614 €
0b
OE para funcionamento SAS
- €
130 833 €
138 785 €
128 513 €
1 773 €
0c
PIDDAC
1 263 250 €
1 184 096 €
991 337 €
696 951 €
1 655 281 €
0d
FEDER
4b
Outros fundos comunitários
5b
Receitas próprias
total
Receitas OE
1a
Receitas OE para funcionamento IPCA
Receitas OE para funcionamento SAS
- €
54 253 €
50 336 €
52 325 €
- €
5 948 €
6 458 €
6 458 €
493 678 €
493 678 €
493 678 €
493 678 €
- €
56 066 €
165 €
- €
- €
- €
- €
- €
141 170 €
133 796 €
52 015 €
99 997 €
116 257 €
150 983 €
186 010 €
271 614 €
4 285 €
106 416 €
4 491 €
9 248 €
226 215 €
418 106 €
1 172 456 €
1 285 551 €
1 301 778 €
1 408 292 €
1 570 134 €
1 324 534 €
886 951 €
1 993 880 €
1 028 041 €
1 877 318 €
2 022 032 €
2 125 853 €
161 842 €
-245 600 €
-437 583 €
1 106 929 €
-965 839 €
849 277 €
144 714 €
103 821 €
2 738 269 €
2 868 558 €
3 978 035 €
4 723 446 €
5 202 153 €
4 198 540 €
5 013 113 €
5 186 938 €
-6,0%
4,8%
38,7%
18,7%
10,1%
-19,3%
19,4%
3,5%
65 005 €
162 671 €
357 223 €
255 979 €
73 926 €
59 342 €
42 512 €
93 511 €
90 675 €
150,2%
119,6%
-28,3%
-71,1%
-19,7%
-28,4%
120,0%
-3,0%
2 977 421 €
2 900 940 €
3 225 781 €
4 234 014 €
4 797 372 €
5 261 495 €
4 241 052 €
5 106 624 €
5 277 613 €
-2,6%
11,2%
31,3%
13,3%
9,7%
-19,4%
20,4%
3,3%
2 912 416 €
variação
total
2014
- €
variação
1b
2013
140 642 €
variação
1
2012
variação
2
Receitas PIDDAC + fundos
comunitários
2a
Receitas OE - PIDDAC
518 193 €
500 000 €
504 088 €
1 403 517 €
160 000 €
- €
- €
- €
- €
2b
Receitas FEDER
747 933 €
904 567 €
1 709 069 €
359 914 €
- €
- €
- €
611 068 €
1 967 391 €
2c
Outros fundos comunitários
total
3
Receitas próprias
369 524 €
398 997 €
201 660 €
86 236 €
4 846 €
113 286 €
148 769 €
267 840 €
116 115 €
1 635 650 €
1 803 564 €
2 414 817 €
1 849 667 €
164 846 €
113 286 €
148 769 €
878 909 €
2 083 506 €
1 455 523 €
1 626 168 €
2 234 288 €
2 344 795 €
2 765 622 €
3 005 715 €
3 192 226 €
3 217 649 €
3 242 743 €
11,7%
37,4%
4,9%
17,9%
8,7%
6,2%
0,8%
0,8%
6 068 594 €
6 330 672 €
7 874 886 €
8 428 476 €
7 727 840 €
8 380 496 €
7 582 047 €
9 203 182 €
10 603 862
€
4,3%
24,4%
7,0%
-8,3%
8,4%
-9,5%
21,4%
15,2%
4 367 682 €
4 542 203 €
5 061 721 €
5 928 790 €
6 733 459 €
6 844 823 €
6 202 263 €
7 208 562 €
7 303 582 €
3 297 720 €
3 462 115 €
3 920 644 €
4 584 311 €
5 277 927 €
5 463 831 €
4 970 208 €
5 739 835 €
5 733 475 €
5,0%
13,2%
16,9%
15,1%
3,5%
-9,0%
15,5%
-0,1%
1 069 962 €
1 080 088 €
1 141 077 €
1 344 479 €
1 455 532 €
1 380 992 €
1 232 055 €
1 468 727 €
1 570 107 €
0,9%
5,6%
17,8%
8,3%
-5,1%
-10,8%
19,2%
6,9%
1 661 515 €
2 034 069 €
3 250 748 €
1 392 757 €
1 960 220 €
686 398 €
1 235 067 €
1 890 659 €
2 046 313 €
variação
4
Total de Receitas (1+2+3)
5
Despesas correntes
5a
Despesas com pessoal
variação
variação
5b
Outras despesas correntes
6
Despesas de capital
6a
Despesas de capital suportadas por
receitas próprias
218 463 €
86 437 €
402 337 €
550 934 €
622 846 €
649 726 €
1 121 325 €
1 098 865 €
1 016 460 €
6b
Despesas de capital suportadas
por PIDDAC
513 568 €
692 759 €
798 474 €
805 265 €
1 336 608 €
- €
- €
- €
- €
6c
Despesas de capital suportadas
por FEDER
747 933 €
875 440 €
1 798 867 €
- €
- €
- €
- €
611 068 €
893 263 €
6d
Despesas de outros projetos
comunitários
7
Total de Despesas (5+6)
8a
Saldo Orçamental (0+4-7)
8b
Importâncias retidas para entrega
ao Estado/outras entidades
8
Saldo de bancos (8a+8b)
9
N.º de estudantes
variação
181 551 €
379 433 €
251 070 €
36 558 €
766 €
36 672 €
113 742 €
180 725 €
136 590 €
6 029 197 €
6 576 272 €
8 312 469 €
7 321 547 €
8 693 679 €
7 531 221 €
7 437 331 €
9 099 220 €
9 349 896 €
9,1%
26,4%
-11,9%
18,7%
-13,4%
-1,2%
22,3%
2,8%
1 447 689 €
1 324 534 €
886 951 €
1 993 880 €
1 028 041 €
1 877 316 €
2 022 034 €
2 125 994 €
3 379 819 €
variação
57 389 €
111 741 €
249 757 €
389 786 €
395 457 €
316 919 €
447 199 €
280 060 €
260 672 €
1 505 078 €
1 436 275 €
1 136 708 €
2 383 666 €
1 423 498 €
2 194 235 €
2 469 233 €
2 406 054 €
3 640 491 €
1600
variação
10
N.º de docentes (ETI)*
88
1974
2430
2989
3687
3773
3755
3467
3446
23,4%
23,1%
23,0%
23,4%
2,3%
-0,5%
-7,7%
-0,6%
94
99
117
135
140
139
134,8
128,65
6,8%
4,9%
18,1%
15,4%
3,9%
-0,8%
-2,9%
-4,6%
34
44
45
43
44
44
45
47
48
variação
11
N.º de não docentes**
12
Receitas OE funcionamento IPCA/
N.º de estudantes
1 820 €
1 387 €
1 180 €
1 331 €
1 281 €
1 379 €
1 118 €
1 446 €
1 505 €
13
Receitas OE funcionamento SAS/
N.º de estudantes
41 €
82 €
147 €
86 €
20 €
16 €
11 €
27 €
26 €
14
N.º de estudantes/N.º de docentes
18,2
21,0
24,6
25,6
27,4
27,0
27,0
25,7
26,8
15
N.º de estudantes/N.º de não
docentes
47,1
44,9
54,0
69,5
83,8
85,8
83,4
73,8
71,8
16
Despesas totais de
funcionamento/N.º estudantes
2 730 €
2 301 €
2 083 €
1 984 €
1 826 €
1 814 €
1 652 €
2 079 €
2 119 €
* inclui os Diretores das escolas e Vices Presidentes; ** inclui o Presidente, Administradora, Diretora dos SAS e chefe de Divisão. SAS: Serviços da
Acção Social; FEDER: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional; PIDDAC: Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da
Administração Central.
146
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
•
Os encargos patronais têm sofrido alterações nos últimos anos, conforme quadro 109 e que se reflete na
variação das despesas com pessoal.
Quadro 109: Encargos patronais
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
1,5 % de
aumento
(Portaria
229/2006)
1,5 % de
aumento
(portaria
88A/2007)
2,1% de
aumento
de portaria
30A/2008)
2,9% de
aumento
(Portaria
1553D/2008)
não houve
aumento
não houve
aumento
não houve
aumento
não houve
aumento
não houve
aumento
Segurança Social Encargos
da entidade patronal sobre os
salários dos trabalhadores
12,08%
não houve
aumento
não houve
aumento
20,60%
não houve
aumento
22,30%
não houve
aumento
23,75%
não houve
aumento
Caixa Geral de Aposentações
Encargos da entidade
patronal sobre os salários dos
trabalhadores
0,00%
7,50%
11,00%
não houve
aumento
15,00%
não houve
aumento
não houve
aumento
20,00%
não houve
aumento
ADSE Encargos da entidade
patronal sobre os salários dos
trabalhadores
0,00%
0,00%
0,00%
0,00%
0,00%
2,50%
não houve
aumento
a partir de
julho 2013:
1,25%
não houve
aumento
Aumento do índice 100 da escala
indiciária do regime geral baliza
o aumento a conceder a toda a
função pública
•
Conforme quadro 110, os encargos patronais representam 19,8% das despesas totais com pessoal, quando
em 2013 era de 18, 9%.
Quadro 110: Remunerações e encargos patronais
2006
2011
%
2012
%
2013
%
2014
%
Remunerações certas e permanentes
4 496 236 €
82,3%
4 067 535 €
81,8%
4 639 223 €
80,8%
4 573 746 €
79,8%
Remunerações e suplementos
3 850 239 €
70,5%
3 939 900 €
79,3%
3 856 268 €
67,2%
3 814 568 €
66,5%
4 000 €
0,1%
29 457 €
0,6%
147 489 €
2,6%
112 749 €
2,0%
641 998 €
11,7%
98 179 €
2,0%
635 466 €
11,1%
646 430 €
11,3%
14 865 €
0,3%
22 658 €
0,5%
15 246 €
0,3%
27 113 €
0,5%
Segurança social (Encargos Patronais)
952 730 €
17,4%
880 015 €
17,7%
1 085 366 €
18,9%
1 132 615 €
19,8%
Contribuições para a segurança social e CGA
797 308 €
14,6%
707 436 €
14,2%
932 367 €
16,2%
1 021 225 €
17,8%
Encargos com a saúde (ADSE)
109 326 €
2,0%
89 437 €
1,8%
77 102 €
1,3%
49 789 €
0,9%
46 096 €
0,8%
83 142 €
1,7%
75 897 €
1,3%
61 601 €
1,1%
5 463 831 €
100,0%
4 970 208 €
100,0%
5 739 835 €
100,0%
5 733 475 €
100,0%
Pessoal em regime de tarefa e avença
Subsídio de férias e de Natal
Abonos variáveis ou eventuais
Outras prestações sociais
Total das despesas com pessoal
variação
-9,0%
15,5%
-0,1%
•
Conforme figura 29, em 2014 verificou-se um significativo aumento das receitas totais. Em consonância
verificou-se também um aumento das despesas totais, que se deve essencialmente à execução física e financeira
dos projetos comunitários, tais como a construção do Centro de Investigação & Desenvolvimento, convenções
Erasmus, programa de sistemas de apoio à modernização administrativa e programa operacional de potencial
humano. No entanto, o IPCA continua a dar cumprimento à regra do equilíbrio orçamental.
•
Da análise do gráfico verifica-se ainda que em todos os anos da análise, as receitas provenientes do OE
são inferiores às despesas com pessoal, pelo que todas as outras despesas com funcionamento e de capital são
suportadas por receitas próprias, nomeadamente das receitas provenientes de propinas.
147
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Figura 29 - Análise evolutiva das receitas e despesas
1.1.2 Receitas
A estrutura das transferências provenientes do Orçamento de Estado constitui a principal fonte de financiamento
do IPCA, tal como acontece com a grande maioria das instituições de ensino superior público.
Da análise da figura 30, verifica-se um crescimento do total das receitas, entre 2006 e 2014, de 53%, sendo que as
receitas próprias aumentaram mais que 200% e as transferências do OE aumentaram em 40%. Ou seja, a taxa de
crescimento das transferências do OE não acompanhou a taxa de crescimento do número de estudantes (115,4%),
tendo este crescimento sido suportado especialmente com base em receitas próprias.
Em 2014, verifica-se um aumento de 3% das transferências do OE que resultaram dos sucessivos reforços concedidos
ao IPCA e SASIPCA ao longo do ano económico para suportar as despesas com o pessoal, nomeadamente na
questão das reduções remuneratórias.
Figura 30 - Estrutura de financiamento
148
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
As principais fontes de financiamento que permitiram o desenvolvimento das diversas atividades realizadas pelos
serviços do IPCA, em 2014, foram as seguintes:
•
Orçamento de Estado;
•
Receitas Próprias (propinas, taxas, Estudos, pareceres e projetos, alimentação e outras);
•
Fundos Comunitários (FEDER e FSE).
Na figura 31 podemos observar o peso relativo das fontes de financiamento do IPCA em 2014.
Figura 31 - Fontes de Financiamento (2014)
As receitas próprias (não incluindo saldo de gerência), em 2014, totalizaram o valor de 3.242.743 euros (quadro 108,
linha 3), predominando as receitas próprias provenientes de propinas (78,8%) como se pode verificar na figura 32.
Figura 32 - Receitas próprias (2014)
De salientar ainda que as receitas próprias apresentam uma variação positiva em relação ao período anterior de
0,8% (ver linha 3 do quadro 108). Esta ligeira variação deve-se ao aumento de receitas com propinas e com taxas
de inscrição em cursos livres.
149
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Figura 33 - Evolução das receitas próprias
Figura 34- Evolução das propinas liquidadas face o n.º de estudantes
Da figura 34 conclui-se que o valor médio cobrado por estudante sofreu um ligeiro aumento, facto que não se deve
ao aumento do valor da anual de propinas, mas por uma gestão mais eficiente na cobrança das propinas liquidadas.
1.1.3 Despesas
A distribuição das despesas do IPCA entre 2006 e a 2014 está representada na figura 35.
Como já foi referido o ligeiro aumento das despesas com pessoal não se deve ai aumento do n.º de docentes, mas
da progressão da carreira, nomeadamente da passagem de categoria de Assistente para Professor Adjunto, com a
obtenção do titulo de doutor, nos casos que se enquadram no nº do artigo 6º do regime transitório do ECPDESP.
150
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Figura 35 - Estrutura da despesa
Das componentes de despesa pessoal, outras despesas correntes e despesas de capital, esta última é mais instável
uma vez que nela depende a obtenção de fundos comunitários.
Na figura seguinte pode-se ver a fonte de financiamento que suportou a aquisição das despesas de capital referidas
na figura anterior, constatando-se que nos últimos 4 anos predomina a receita própria como principal fonte de
financiamento.
Figura 36 – Fontes de financiamento das despesas de capital
As despesas pagas no exercício de 2014 ascenderam a 9.349.896 euros e a sua aplicação encontra-se refletida no
quadro 111., sendo de salientar que as despesas comprometidas e não pagas foi de apenas de 35.688,24 euros e não
representando em nenhum caso responsabilidade do IPCA.
151
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Quadro 111: Execução da despesa
Dotações
Corrigidas
Descrição
Cativos ou
Congelados
Compromissos
Assumidos
Despesa paga
Peso nas despesas
Totais
Despesas Correntes
Despesas com o pessoal
5 735 441
0
5 733 475
5 733 475
61,32%
Remunerações certas e permanentes
4 573 747
0
4 573 746
4 573 746
48,92%
27 113
0
27 113
27 113
0,29%
Segurança social
1 134 581
0
1 132 615
1 132 615
12,11%
Aquisição de bens e serviços
1 439 830
12 500
1 367 241
1 332 157
14,25%
192 191
0
192 191
189 203
2,02%
1 247 639
12 500
1 175 050
1 142 954
12,22%
Abonos variáveis ou eventuais
Aquisição de bens
Aquisição de serviços
Transferências correntes
435 690
0
316 006
315 632
3,38%
Administração central1
92 264
0
92 264
92 264
0,99%
Instituições s/ fins lucrativos2
79 639
0
60 752
60 378
0,65%
263 787
0
162 990
162 990
1,74%
59 139
0
59 139
58 909
0,63%
Famílias3
Outras despesas correntes
Diversas4
59 139
0
59 139
58 909
0,63%
7 670 100
12 500
7 475 861
7 440 173
79,57%
Aquisição de bens de capital
5 030 210
0
1 909 723
1 909 723
20,43%
Investimentos5
5 030 210
0
1 909 723
1 909 723
20,43%
Total de despesas capital
5 030 210
0
1 909 723
1 909 723
20,43%
Total Geral (despesas correntes)
7 670 100
12 500
7 475 861
7 440 173
79,57%
Total Geral (despesas capital
5 030 210
0
1 909 723
1 909 723
20,43%
Total Geral
12 700 311
12 500
9 385 584
9 349 896
100,00%
Total de despesas correntes
Despesas Capital
Nota: valores em €
1) Transferência do IPCA para os SASIPCA do valor da obra de construção do edificio que estava previsto ser a AEIPCA e que ficou afeto aos Serviços
Centrais do IPCA; 2) Subsídios atribuidos à AEIPCA e Grupos Académicos;
3) Bolsas Erasmus, Bolsas FCT, PT 21 e Bolsas PEPAC;
4) Creditação/Avaliação dos cursos do IPCA (A3ES) e comissões TPA e SIBS;
5) Edíficios e construções diversas, softwares informáticos, equipamento administrativo, equipamento básico e outros equipamentos.
1.2 Análise Económica e Financeira
1.2.1 Balanço
As demonstrações financeiras relativas ao exercício de 2014 revelam uma estrutura do balanço positiva o que
reforça a eficaz aplicação dos dinheiros públicos já verificada na análise orçamental.
a) Análise do ativo líquido
O ativo líquido no valor de 22.364.009 euros sofreu um aumento de 11,2% relativamente ao ano anterior, motivado
essencialmente por um aumento do imobilizado corpóreo (6,4%). Este acréscimo deve-se essencialmente ao
aumento da rubrica de imobilizado resultante à conclusão da construção e apetrechamento do Edifício do Centro
de Investigação & Desenvolvimento (Digital Games Lab).
O quadro 112 apresenta os valores das várias componentes do ativo, para o ano de 2014, o seu peso relativo e a sua
variação face ao ano de 2013. Dessas componentes destaca-se o peso dos ativos fixos (imobilizado corpóreo) com
um valor próximo dos 17 milhões de euros.
152
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Quadro 112: Ativo líquido
Ativo
Imobilizado Corpóreo
2013
Peso
2014
Variação
Peso
Absoluta
15 892 814
79,03%
16 905 161
75,59%
11 576
0,06%
12 232
0,05%
656
Dividas de terceiros - curto prazo
1 794 923
8,93%
1 800 514
8,05%
5 591
Disponibilidades
2 406 054
11,96%
3 640 491
16,28%
1 234 437
5 204
0,03%
5 610
0,03%
406
20 110 571
100%
22 364 009
100%
2 253 438
Existências
Acréscimos e diferimentos
1 012 347
Nota: valores em €
De salientar o aumento de 1.234.437 euros nas disponibilidade e que se deve a transferência efetuadas já próximas
do final do ano por fundos comunitários para fazer face a despesas de investimento de projetos financiados.
Verificou-se também um ligeiro aumento das dívidas de terceiros a curto prazo que passaram de 1.794.923 para
1.800.514 euros. Este aumento deve-se essencialmente às dívidas de propinas como se verifica no seguinte quadro:
Quadro 113: Dívidas de terceiros a curto prazo
2013
Clientes c/c
Alunos c/c
Variação
2014
Absoluta
21 569
30 331
8 762
1 647 338
1 687 914
40 576
122 922
78 580
-44 342
94
689
595
3 000
3 000
0
1 794 923
1 800 514
5 591
Clientes, alunos e utentes de cobrança duvidosa
Estado e outros entes públicos
Outros devedores
Nota: valores em €
No quadro seguinte demonstra-se a desagregação das dívidas de alunos c/c (dívidas do ano letivo 2014/2015)
pelos diferentes níveis de ensino. De realçar a recuperação de 138.404 euros de dívidas de propinas de estudantes de
licenciatura em 2014 resultante de uma maior eficácia na política de cobrança de propinas em dívida. Por outro lado,
o aumento das dívidas de propinas em 2014 deve-se em especial às dívidas dos alunos de cursos TeSP, estando esta
situação associada ao facto destes cursos terem iniciado apenas em novembro e as primeiras bolsas de estudos
foram atribuídas a partir de janeiro. Espera-se regularizar a situação durante o primeiro semestre de 2015.
Quadro 114: Dívidas de alunos c/c
2013
Licenciaturas
CET's
Pós-Graduações
Mestrados
TeSP
Variação
2014
Absoluta
1 402 854
1 264 450
-138 404
43 463
52 210
8 747
4 443
10 850
6 408
196 579
265 069
68 490
0
95 335
95 335
1 647 338
1 687 914
40 575
Nota: valores em €
De referir ainda que as dívidas de alunos c/c são consideradas de cobrança duvidosa quando se encontram por
regularizar após ultrapassados todos os prazos de pagamento. A 31/12/2014 foram registadas em cobrança duvidosa
o valor de 78.580 euros, um valor inferior a 2013 em 44.342 euros o que revela uma melhoria na política de cobrança
de propinas em dívida há mais de 12 meses.
153
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
b) Fundos Próprios e passivo
Os Fundos Próprios (Património Líquido) de 8.748.744 euros aumentaram relativamente a 2013, consequência do
resultado líquido positivo de 1.000.800 euros.
Os acréscimos e diferimentos passaram de 11.848.219 euros em 2013 para 13.296.679 euros em 2013. Este não é
um verdadeiro passivo pois de acordo com o atual Sistema de Normalização Contabilística (SNC) os acréscimos de
proveitos provenientes de transferências e subsídios de capital são registados na classe 5.
As dívidas a terceiros diminuíram no valor absoluto de 195.822 euros.
As dívidas existentes referem-se, essencialmente, às retenções, às contribuições e Impostos e taxas entregues
no início de 2015, bem como às cauções de fornecedores de imobilizado retidas nos IPCA até ao final do prazo
estipulado na legislação em vigor.
O IPCA não tem pagamentos em atraso, tal como está definido na Lei dos Compromissos e Pagamentos em Atraso.
O quadro 115 evidencia as várias componentes dos Fundos Próprios e Passivo, do ano de 2014, o seu peso relativo e
a sua variação face ao ano de 2013.
Quadro 115: Fundos próprios e passivo
Fundos Próprios e Passivo
2013
Peso
2014
Variação
Peso
Absoluta
Fundos Próprios:
Património
224 081
1,11%
224 081
1,00%
0
Reservas
1 134 090
5,64%
1 134 090
5,07%
0
Doações
794 562
3,95%
794 562
3,55%
0
5 247 529
26,09%
5 596 211
25,02%
348 682
Resultados Transitados
Resultado líquido do exercício
348 683
1,73%
1 000 800
4,48%
652 117
11 848 219
58,92%
13 296 679
59,46%
1 448 460
Provisões para riscos e encargos
20 465
0,10%
20 465
0,09%
Dividas a terceiros - curto prazo
492 942
2,45%
297 120
1,33%
-195 822
20 110 571
100%
22 364 009
100%
2 253 438
Acréscimos e diferimentos1
Passivo:
Nota: valores em €
1) Sobre esta conta ver nota 8.2.3, no ponto 2.5 deste desta secção.
1.2.2 Demonstração de Resultados
A análise dos aspetos mais relevantes da Demonstração de Resultados mostra que os proveitos operacionais
aumentaram 600.261 euros (um aumento de 7,2 % relativamente a 2013), e que os custos operacionais sofreram
um aumento de 369.887 euros (uma diminuição de 4,7% em relação ao ano anterior), conduzindo a um resultado
operacional positivo de 682.386 euros.
Quadro 116: Resumo da demonstração de resultados
Resumo da Demonstração de Resultados
Resultados Operacionais (A)
Resultados Financeiros (B)
Resultados Correntes (C)=(A+B)
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
-532 877
826 772
511 466
1 359 415
816 101
452 012
6 387
-2 265
-2 439
-23 237
-21 629
-23 133
682 386
-19 822
-526 489
824 507
509 028
1 336 178
794 472
428 879
662 564
Resultados Extraordinários (D)
203 461
426 581
531 438
275 737
424 701
-80 196
338 236
Resultado Líquido (E)=(C+D)
-323 028
1 251 088
1 040 466
1 611 916
1 219 173
348 683
1 000 800
Nota: valores em €
154
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
a) Estrutura dos Proveitos
O quadro 117 apresenta a estrutura dos proveitos do exercício e a variação destes relativamente a 2013. Como se
verifica neste quadro e na figura 37, os subsídios à exploração são o principal contributo para os proveitos, com uma
importância relativa na ordem dos 61,2%.
Para o aumento dos proveitos contribuíram, essencialmente, as transferências e subsídios correntes obtidos.
Por outro lado, aumentou a importância relativa dos Impostos e Taxas, com um acréscimo de 13,4%, o que representa
mais 156.881 euros que em 2013.
Quadro 117: Proveitos e ganhos
Proveitos e Ganhos
2013
Peso
2014
Variação
Peso
Absoluta
Operacionais
Vendas de mercadorias
Impostos e Taxas (propinas, emolumentos, etc.)
Serviços Prestados ao exterior
Proveitos Suplementares
Transferência e subsídios à exploração
Extraordinários
3 096
0,04%
210
0,00%
-2 886
2 740 541
31,79%
2 897 421
30,94%
156 881
49 518
0,57%
38 217
0,41%
-11 301
147 900
1,72%
257 405
2,75%
109 505
5 383 586
62,45%
5 731 648
61,21%
348 062
296 550
3,44%
439 725
4,70%
143 175
8 621 191
100%
9 364 627
100%
743 437
Nota: valores em €
Figura 37 - Estrutura dos proveitos (2014)
155
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
b) Estrutura dos Custos
A estrutura dos custos do exercício foi a seguinte:
Quadro 118: Custos e perdas
Custos e Perdas
2013
Peso
2014
Variação
Peso
Absoluta
Operacionais
Fornecimento e Serviços Externos
1 149 116
13,9%
1 291 308
15,4%
Custo com o Pessoal
5 805 465
70,2%
5 745 356
68,7%
-60 109
Transferências correntes concedidas
156 995
1,9%
305 041
3,6%
148 046
Amortização do exercício
546 675
6,6%
774 639
9,3%
227 964
Provisões do exercício
201 067
2,4%
103 827
1,2%
-97 240
Outros Custos e Perdas Operacionais
13 311
0,2%
22 346
0,3%
9 035
Financeiros
23 133
0,3%
19 822
0,2%
-3 311
Extraordinários
142 192
376 746
4,6%
101 489
1,2%
-275 257
8 272 508
100%
8 363 827
100%
91 319
Nota: valores em €
Figura 38 - Estrutura de custos (2014)
Como se verifica pela análise do quadro e da figura anterior, os custos com pessoal e os fornecimentos e serviços
externos são os grandes responsáveis pelo volume de custos em 2014.
Os custos com maior peso são os custos com pessoal (68,7%), fornecimentos e serviços externos (15,4%) e
amortizações do exercício (9,3 %), representando, globalmente, 93,4% da totalidade dos custos. Este agrupamento
de custos, em termos de peso no total dos custos aumentou 2,7%, mas em termos de valor aumentou cerca de
310.047 euros relativamente ao ano de 2013.
156
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
1.3 Indicadores de gestão
No mapa abaixo estão apresentados alguns indicadores que permitem também uma análise da evolução da
situação do IPCA:
Indicadores
Orçamentais
Indicadores
Económicos
2011
2012
2013
2014
Despesas com pessoal
Despesas totais
=
73%
67%
63%
61%
Despesa de capital
Despesas totais
=
9%
15%
19%
22%
Despesas correntes
Despesas totais
=
91%
85%
81%
78%
Receita cobrada do OE
Receita cobrada total
=
63%
56%
55%
50%
Despesas corrente
N.º de alunos
=
1.824 €
1.682 €
2.131 €
2.119 €
Receita própria cobrada
Receita cobrada total (sem SGA)
=
36%
42%
35%
31%
Despesas com pessoal
Receita cobrada do OE
=
104%
117%
112%
109%
Receita cobrada de propinas
Receita cobrada total
=
29%
34%
27%
24%
Amortizações do exercício
Valor bruto imobilizado
=
3,2%
3,1%
2,8%
1,4%
Formecimento e serviços externos
Custos totais
=
16%
16%
14%
15%
Venda e prestação de serviços
Custos totais
=
2%
0,4%
0,6%
0,4%
Valor de propinas cobrada
Proveitos Propinas (72411)
=
93%
94%
103%
102%
Amortizações acumuladas
Valor bruto imobilizado
=
15%
17%
18%
20%
157
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
1.4 Mapas obrigatórios e notas explicativas
1.4.1 Balanço
2014
2013
ACTIVO
AB
AP
AL
AL
Imobilizado:
Bens de domínio público:
0€
0€
0€
0€
0€
0€
0€
0€
Imobiliações incorpóreas:
Imobilizações corpóreas
Terrenos e recursos naturais
2 321 074 €
0€
2 321 074 €
2 321 074 €
Edifícios e outras construções
13 392 558 €
1 571 568 €
11 820 990 €
9 616 131 €
2 560 573 €
1 247 039 €
1 313 534 €
793 634 €
34 950 €
15 333 €
19 617 €
23 750 €
1 205 €
1 205 €
0€
0€
2 086 537 €
1 230 221 €
856 316 €
741 250 €
Equipamento básico
Equipamento de transporte
Ferramentas e utensílios
Equipamento administrativo
Taras e vasilhame
0€
0€
0€
0€
Outras imobilizações corpóreas
259 318 €
93 166 €
166 153 €
140 645 €
Imobilizações em curso de imobilizações corpóreas
407 477 €
0€
407 477 €
2 256 330 €
0€
0€
0€
0€
21 063 692 €
4 158 531 €
16 905 161 €
15 892 814 €
0€
0€
0€
0€
Matérias primas, subsidiárias e de consumo
7 182 €
0€
7 182 €
6 525 €
Mercadorias
5 051 €
0€
5 051 €
5 051 €
12 232 €
0€
12 232 €
11 576 €
Adiantamentos por conta de imobilizações corpóreas
Investimentos financeiros
Circulante:
Existências
Dívidas de terceiros - Médio e longo prazo (a)
Dívidas de terceiros - Curto prazo
Clientes, c/c
Alunos c/c
Clientes, alunos e utentes de cobrança duvidosa
Adiantamento a fornecedores
Estado e outros entes públicos
Outros devedores
30 331 €
0€
30 331 €
21 569 €
1 687 914 €
0€
1 687 914 €
1 647 338 €
581 401 €
502 820 €
78 580 €
122 922 €
0€
0€
0€
0€
689 €
0€
689 €
94 €
3 000 €
0€
3 000 €
3 000 €
2 303 335 €
502 820 €
1 800 514 €
1 794 923 €
0€
0€
0€
0€
3 236 731 €
0€
3 236 731 €
1 710 222 €
403 710 €
0€
403 710 €
695 773 €
51 €
0€
51 €
59 €
3 640 491 €
0€
3 640 491 €
2 406 054 €
0€
0€
0€
0€
5 610 €
0€
5 610 €
5 204 €
0€
5 610 €
5 204 €
Títulos negociáveis:
Conta tesouro, depósitos em instituições financeiras e caixa:
Conta no tesouro
Depósitos em instituições financeiras
Caixa
Acréscimos e diferimentos
Acréscimos e proveitos
Custos diferidos
5 610 €
Total de amortizações
Total de provisões
Total do activo
158
27 025 360 €
4 158 531 €
0€
502 820 €
0€
22 364 009 €
20 110 571 €
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
FUNDOS PRÓPRIOS E PASSIVO
2014
2013
Capital próprio
Património
224 081 €
224 081 €
1 134 090 €
1 134 090 €
Reservas:
Subsídios
Doações
Resultados transitados
Resultado líquido do exercício
794 562 €
794 562 €
5 596 211 €
5 247 529 €
1 000 800,18 €
348 682,95 €
8 749 744 €
7 748 944 €
Passivo
Provisões para riscos e encargos
Provisões para riscos e encargos
20 465 €
0€
20 465 €
20 465,11 €
Dívidas a terceiros - Curto prazo
Fornecedores, c/c
Fornecedores de imobilizado, c/c
Estado e outros entes públicos
Outros credores
45 070 €
27 208 €
239 819 €
439 440 €
213 €
18 237 €
12 019 €
8 057 €
297 120 €
492 942 €
Acréscimos e diferimentos
Acréscimos de custos
Proveitos diferidos
Total dos fundos próprios e do passivo
841 678 €
756 117 €
12 455 001 €
11 092 102 €
13 296 679 €
11 848 219 €
22 364 009 €
20 110 571 €
159
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
1.4.2 Demonstração de Resultados
Custos e perdas
2014
2013
Custo das mercadorias vendidas e das matérias consumidas
Mercadorias
0€
Matérias
0€
Fornecimentos e serviços externos
0€
0€
0€
1 291 308 €
0€
1 149 116 €
Custos com o pessoal
Remunerações
4 662 754 €
Encargos sociais
1 082 601 €
Transferências correntes concedidas e prestações sociais
305 041 €
Amortizações do exercício
774 639 €
Provisões do exercício
103 827 €
Outros custos e perdas operacionais
4 698 848 €
1 106 617 €
6 050 396 €
156 995 €
5 962 459 €
546 675 €
878 465 €
201 067 €
747 741 €
22 346 €
13 311 €
(A)
8 242 516 €
7 872 628 €
19 822 €
23 133 €
(C)
8 262 338 €
7 895 761 €
101 489 €
376 746 €
(E)
8 363 827 €
8 272 508 €
Custos e perdas financeiras
Custos e perdas extraordinários
Resultado líquido do exercício
1 000 800 €
348 683 €
9 364 627 €
8 621 190 €
Proveitos e ganhos
2014
2013
Vendas e prestações de serviços :
Vendas
210 €
Prestações de serviços
38 217 €
Impostos e taxas
3 096 €
38 427 €
49 518 €
2 897 421 €
2 740 541 €
Variação da produção
0€
0€
Trabalhos para a própria entidade
0€
0€
257 405 €
147 900 €
0€
0€
Proveitos suplementares
Transferências e subsídios correntes obtidos :
Transferências-Tesouro
Outras
Outros proveitos e ganhos operacionais
(B)
Proveitos e ganhos financeiros
0€
0€
5 731 648 €
5 383 586 €
52 614 €
8 886 474 €
8 272 027 €
8 924 902 €
8 324 641 €
0€
0€
(D)
8 924 902 €
8 324 641 €
439 725 €
296 550 €
(F)
9 364 627 €
8 621 190 €
Resultados operacionais: (B) - (A)
682 386 €
452 012 €
Proveitos e ganhos extraordinários
Resumo:
160
Resultados financeiros: ( D - B ) - ( C - A )
-19 822 €
-23 133 €
Resultados correntes: ( D ) - ( C )
662 564 €
428 879 €
Resultado líquido do exercício: ( F ) - ( E )
1 000 800 €
348 683 €
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
1.4.3 Mapas de Execução Orçamental
Grau Execução
Orçament.(%)
0,00
5 733 475,29
1 965,64
1 965,64
0,00
99,97%
4 573 746,47
0,00
4 573 746,47
0,23
0,23
0,00
100,00%
010102
Órgãos sociais
295 423,14
0,00
295 422,91
295 422,91
0,00
295 422,91
0,23
0,23
0,00
100,00%
010103
Pessoal dos quadros-Regime de função públ
1 909 212,25
0,00
1 909 212,25
1 909 212,25
0,00
1 909 212,25
0,00
0,00
0,00
100,00%
010106
Pessoal contratado a termo
1 435 455,45
0,00
1 435 455,45
1 435 455,45
0,00
1 435 455,45
0,00
0,00
0,00
100,00%
010107
Pessoal regime tarefa avença
112 748,61
0,00
112 748,61
112 748,61
0,00
112 748,61
0,00
0,00
0,00
100,00%
010110
Gratificações
518,52
0,00
518,52
518,52
0,00
518,52
0,00
0,00
0,00
100,00%
010111
Representação
12 563,66
0,00
12 563,66
12 563,66
0,00
12 563,66
0,00
0,00
0,00
100,00%
010112
Suplementos e prémios
34 050,54
0,00
34 050,54
34 050,54
0,00
34 050,54
0,00
0,00
0,00
100,00%
010113
Subsídio de refeição
127 344,21
0,00
127 344,21
127 344,21
0,00
127 344,21
0,00
0,00
0,00
100,00%
010114
Subsídio de férias e de Natal
646 430,32
0,00
646 430,32
646 430,32
0,00
646 430,32
0,00
0,00
0,00
100,00%
0102
Abonos variáveis ou eventuais
27 113,38
0,00
27 113,38
27 113,38
0,00
27 113,38
0,00
0,00
0,00
100,00%
010202
Horas extraordinárias
2 268,12
0,00
2 268,12
2 268,12
0,00
2 268,12
0,00
0,00
0,00
100,00%
010204
Ajudas de custo
11 926,81
0,00
11 926,81
11 926,81
0,00
11 926,81
0,00
0,00
0,00
100,00%
010205
Abono pª falhas
1 789,18
0,00
1 789,18
1 789,18
0,00
1 789,18
0,00
0,00
0,00
100,00%
010212
Indemnizações por cessação de funções
11 129,27
0,00
11 129,27
11 129,27
0,00
11 129,27
0,00
0,00
0,00
100,00%
0103
Segurança social
1 134 580,85
0,00
1 132 615,44
1 132 615,44
0,00
1 132 615,44
1 965,41
1 965,41
0,00
99,83%
010301
Encargos com a saúde
51 156,12
0,00
49 788,69
49 788,69
0,00
49 788,69
1 367,43
1 367,43
0,00
97,33%
010303
Subsídio familiar a crianças e jovens
6 517,28
0,00
6 517,28
6 517,28
0,00
6 517,28
0,00
0,00
0,00
100,00%
010305
Contribuições pª a segurança social
1 021 823,38
0,00
1 021 225,40
1 021 225,40
0,00
1 021 225,40
597,98
597,98
0,00
99,94%
010310
Outras despesas de segurança social
55 084,07
0,00
55 084,07
55 084,07
0,00
55 084,07
0,00
0,00
0,00
100,00%
02
Aquisição de bens e serviços
1 439 830,43
12 500,00
1 367 241,18
1 331 792,58
364,36
1 332 156,94
60 089,25
95 173,49
35 084,24
92,52%
0201
Aquisição de bens
192 190,97
0,00
192 190,97
189 203,04
0,00
189 203,04
0,00
2 987,93
2 987,93
98,45%
020102
Combustíveis e lubrificantes
54 845,82
0,00
54 845,82
54 845,82
0,00
54 845,82
0,00
0,00
0,00
100,00%
020104
Limpeza e higiene
0,00
0,00
0,00
0,00
0,00
0,00
0,00
0,00
0,00
020105
Alimentação-Refeições confeccionadas
39 189,82
0,00
39 189,82
36 201,89
0,00
36 201,89
0,00
2 987,93
2 987,93
92,38%
020108
Material de escritório
20 126,76
0,00
20 126,76
20 126,76
0,00
20 126,76
0,00
0,00
0,00
100,00%
020115
Prémios, condecorações e ofertas
16 856,89
0,00
16 856,89
16 856,89
0,00
16 856,89
0,00
0,00
0,00
100,00%
020117
Ferramentas e utensílios
1 236,96
0,00
1 236,96
1 236,96
0,00
1 236,96
0,00
0,00
0,00
100,00%
020118
Livros e documentação técnica
10 188,49
0,00
10 188,49
10 188,49
0,00
10 188,49
0,00
0,00
0,00
100,00%
020120
Material de educação, cultura e recreio
18 253,24
0,00
18 253,24
18 253,24
0,00
18 253,24
0,00
0,00
0,00
100,00%
020121
Outros bens
31 492,99
0,00
31 492,99
31 492,99
0,00
31 492,99
0,00
0,00
0,00
100,00%
0202
Aquisição de serviços
1 247 639,46
12 500,00
1 175 050,21
1 142 589,54
364,36
1 142 953,90
60 089,25
92 185,56
32 096,31
91,61%
020201
Encargos das instalações
159 907,88
0,00
159 907,88
148 774,17
0,00
148 774,17
0,00
11 133,71
11 133,71
93,04%
020202
Limpeza e higiene
153 215,11
0,00
153 215,11
153 215,11
0,00
153 215,11
0,00
0,00
0,00
100,00%
020203
Conservação de bens
59 061,78
0,00
59 061,78
59 061,78
0,00
59 061,78
0,00
0,00
0,00
100,00%
020205
Hardware Informático
2 759,85
0,00
2 759,85
2 759,85
0,00
2 759,85
0,00
0,00
0,00
100,00%
020208
Locação de outros bens
5 444,29
0,00
5 444,29
5 444,29
0,00
5 444,29
0,00
0,00
0,00
100,00%
020209
Comunicações
18 353,99
0,00
18 353,99
17 878,74
0,00
17 878,74
0,00
475,25
475,25
97,41%
020210
Transportes
171 073,43
0
171 073,43
170 999,93
50
171 049,93
0,00
23,50
23,50
99,99%
020211
Representação dos serviços
3 710,04
0
3 710,04
3 710,04
0
3 710,04
0,00
0,00
0,00
100,00%
020212
Seguros
020213
Deslocações e estadas
020214
Dotações
Corrigidas
Saldo
5 733 475,29
4 573 746,47
Dotação ñ
Comprometida
5 733 475,29
0,00
Desp. PagasTotal
Desp. PagasAno
0,00
4 573 746,70
Desp. PagasAnos Ant.
Compromissos
Assumidos
5 735 440,93
Remunerações certas e permanentes
Cativos ou
Congelados
Despesas com o pessoal
Descrição
01
0101
Cl.Econ.
Compromissos
p/ Pagar
1.4.3.1 Despesa
6 708,20
0
6 708,20
6 708,20
0
6 708,20
0,00
0,00
0,00
100,00%
52 902,09
0
52 902,09
52 707,69
0
52 707,69
0,00
194,40
194,40
99,63%
Estudos, pareceres, projectos e consultad
139 551,39
12 500,00
80 709,65
71 846,21
0
71 846,21
46 341,74
55 205,18
8 863,44
51,48%
020215
Formação
128 862,65
0
117 015,15
116 482,78
0
116 482,78
11 847,50
12 379,87
532,37
90,39%
020216
Seminários, exposições e similares
0
0
0
0
0
0,00
0,00
0,00
0,00
020217
Publicidade
84 799,78
0
82 899,77
82 564,29
54,68
82 618,97
1 900,01
2 180,81
280,80
97,43%
020218
Vigilância e segurança
95 136,08
0
95 136,08
95 136,08
0
95 136,08
0,00
0,00
0,00
100,00%
020219
Software informático
100,00%
020220
Outros Trabalho especializados
020225
Outros serviços
4 520,25
0
4 520,25
4 520,25
0
4 520,25
0,00
0,00
0,00
117 981,14
0
117 981,14
107 128,62
259,68
107 388,30
0,00
10 592,84
10 592,84
91,02%
43 651,51
0
43 651,51
43 651,51
0
43 651,51
0,00
0,00
0,00
100,00%
Nota: valores em €
161
04
Grau Execução
Orçament.(%)
Compromissos
p/ Pagar
Saldo
Dotação ñ
Comprometida
Desp. PagasTotal
Desp. PagasAnos Ant.
Desp. PagasAno
Compromissos
Assumidos
Cativos ou
Congelados
435 690,36
0,00
316 005,90
315 631,90
0,00
315 631,90
119 684,46
120 058,46
374,00
72,44%
0403
Administração central
92 264,27
0,00
92 264,27
92 264,27
0,00
92 264,27
0,00
0,00
0,00
100,00%
040305
Serviços e Fundos Autónomos
92 264,27
0
92 264,27
92 264,27
0
92 264,27
0,00
0,00
0,00
100,00%
0407
Instituições s/ fins lucrativos
79 638,60
0,00
60 751,60
60 377,60
0,00
60 377,60
18 887,00
19 261,00
374,00
75,81%
040701
Instituições s/ fins lucrativos
79 638,60
0
60 751,60
60 377,60
0
60 377,60
18 887,00
19 261,00
374,00
75,81%
0408
Famílias
263 787,49
0,00
162 990,03
162 990,03
0,00
162 990,03
100 797,46
100 797,46
0,00
61,79%
040802
Outras
263 787,49
0,00
162 990,03
162 990,03
0
162 990,03
100 797,46
100 797,46
0,00
61,79%
54 138,71
0,00
54 138,71
53 908,71
0,00
53 908,71
0,00
230,00
230,00
99,58%
06
Transferências correntes
Dotações
Corrigidas
Cl.Econ.
Descrição
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Outras despesas correntes
0602
Diversas
54 138,71
0,00
54 138,71
53 908,71
0,00
53 908,71
0,00
230,00
230,00
99,58%
060201
Impostos e taxas
22 122,40
0
22 122,40
22 122,40
0
22 122,40
0,00
0,00
0,00
100,00%
060203
Outras
07
Aquisição de bens de capital
32 016,31
0
32 016,31
31 786,31
0
31 786,31
0,00
230,00
230,00
99,28%
5 030 210,41
0,00
1 909 722,91
1 909 722,91
0,00
1 909 722,91
3 120 487,50
3 120 487,50
0,00
37,97%
37,97%
0701
Investimentos
5 030 210,41
0,00
1 909 722,91
1 909 722,91
0,00
1 909 722,91
3 120 487,50
3 120 487,50
0,00
070103
Aquisição
2 282 988,32
0
391 864,64
391 864,64
0
391 864,64
1 891 123,68
1 891 123,68
0,00
17,16%
070104
Construções Diversas
24 828,78
0
24 828,78
24 828,78
0
24 828,78
0,00
0,00
0,00
100,00%
070107
Equipamento de informática
340 002,29
0
340 002,29
340 002,29
0
340 002,29
0,00
0,00
0,00
100,00%
070108
Software informático
404 000,12
0
44 130,82
44 130,82
0
44 130,82
359 869,30
359 869,30
0,00
10,92%
070109
Equipamento administrativo
46 015,58
0
46 015,58
46 015,58
0
46 015,58
0,00
0,00
0,00
100,00%
070110
Equipamento básico
1 709 809,68
0
840 315,16
840 315,16
0
840 315,16
869 494,52
869 494,52
0,00
49,15%
070115
Outros investimentos
222 565,64
222 565,64
0
222 565,64
0,00
0,00
0,00
100,00%
09
Activos financeiros
222 565,64
5 000,00
0,00
5 000,00
5 000,00
0,00
5 000,00
0,00
0,00
0,00
100,00%
0901
Depósitos, certificados de depósito e poupança
5 000,00
0,00
5 000,00
5 000,00
0,00
5 000,00
0,00
0,00
0,00
100,00%
090111
Instituições sem fins lucrativos
5 000,00
0
5 000,00
5 000,00
0
5 000,00
0,00
0,00
0,00
100,00%
12 700 310,84
12 500,00
9 385 583,99
9 349 531,39
364,36
9 349 895,75
3 302 226,85
3 337 915,09
35 688,24
73,62%
Total Geral
Nota: valores em €
162
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Receit.
Cobrada Bruta
Ant.
Receit.
Cobrada
Líquida
Receit. p/
Cobrar Final
Ano
2 919 500,62
2 158 879,47
2 990 761,80
25 140,13
1 307 725,82
1 617 320,53
9 180,25
9 180,25
2 915 866,10
2 199 454,79
99,88%
Taxas
2 908 206,40
2 157 023,60
2 954 327,45
0,00
1 296 431,60
1 617 320,53
9 180,25
9 180,25
2 904 571,88
2 197 598,92
99,88%
040122
Propinas
2 558 579,00
2 157 023,60
2 599 468,05
0,00
941 572,20
1 617 320,53
3 798,25
3 798,25
2 555 094,48
2 197 598,92
99,86%
040199
Taxas diversas
349 627,40
0,00
354 859,40
0,00
354 859,40
0,00
5 382,00
5 382,00
349 477,40
0,00
99,96%
0402
Multas e outras penalidades
11 294,22
1 855,87
36 434,35
25 140,13
11 294,22
0,00
0,00
0,00
7 391 842,31
4 855,87
65448,01%
040299
Multas e penalidades diversas
11 294,22
1 855,87
36 434,35
25 140,13
11 294,22
0,00
0,00
0,00
11 294,22
1 855,87
100,00%
3 087,86
3 087,86
0,00
0,00
0,00
3 087,86
0,00
0,00
3 087,86
0,00
100,00%
3 087,86
3 087,86
0,00
0,00
0,00
3 087,86
0,00
0,00
3 087,86
0,00
100,00%
3 087,86
3 087,86
0,00
0,00
0,00
3 087,86
0,00
0,00
3 087,86
0,00
100,00%
7 393 047,81
3 000,00
7 380 548,09
0,00
7 377 548,09
3 000,00
0,00
0,00
7 380 548,09
3 000,00
99,83%
7 000,00
3 000,00
7 000,00
0,00
4 000,00
3 000,00
0,00
0,00
7 000,00
3 000,00
100,00%
Rendimentos da propriedade
0510
Rendas
051004
Edifícios
Reemb.
Emitidos
Cl.Econ.
05
Reemb. Pagos
Receit.
Cobrada Bruta
Ano
Taxas, multas e outras penalidades
0401
Liquidações
Anuladas
Receitas
Liquidadas
04
Descrição
Receit. p/
Cobrar Inic.
Ano
Grau Execução
Orçament.(%)
1.4.3.2 Receita
06
Transferências correntes
0601
Sociedades e quase soc. não financeiras
060101
Públicas
7 000,00
3 000,00
7 000,00
0,00
4 000,00
3 000,00
0,00
0,00
7 000,00
3 000,00
100,00%
0603
Administrações central
5 324 931,66
0,00
5 312 432,39
0,00
5 312 432,39
0,00
0,00
0,00
5 277 613,00
0,00
99,11%
060301
MCTES
5 290 112,27
0,00
5 277 613,00
0,00
5 277 613,00
0,00
0,00
0,00
5 277 613,00
0,00
99,76%
060307
SFA
34 819,39
0,00
34 819,39
0,00
34 819,39
0,00
0,00
0,00
34 819,39
0,00
100,00%
0606
Segurança social
33 435,00
0,00
33 434,55
0,00
33 434,55
0,00
0,00
0,00
33 434,55
0,00
100,00%
060603
DGES
33 435,00
0,00
33 434,55
0,00
33 434,55
0,00
0,00
0,00
33 434,55
0,00
100,00%
0609
Resto do Mundo
2 027 681,15
0,00
2 027 681,15
0,00
2 027 681,15
0,00
0,00
0,00
2 027 681,15
0,00
100,00%
060901
União Europeia - Instituições
2 027 681,15
0,00
2 027 681,15
2 027 681,15
0,00
0,00
0,00
2 027 681,15
0,00
100,00%
67 172,51
84 764,94
74 928,21
919,41
62 936,22
4 059,46
0,00
0,00
66 995,68
91 778,06
99,74%
330,63
10,00
330,63
0,00
330,63
0,00
0,00
0,00
110,00
0,00
33,27%
110,00
10,00
110,00
0,00
110,00
0,00
0,00
0,00
110,00
0,00
100,00%
100,00%
07
0701
070102
070199
0702
070201
Venda de bens e serviços correntes
Venda de bens
Livros e documentação técnica
Outros
Serviços
Aluguer de espaços e equipamentos
070202
Estudos, pareceres, projectos e consultad
070299
0703
Outros
Rendas
220,63
0,00
220,63
0,00
220,63
0,00
0,00
0,00
220,63
0,00
37 495,95
76 378,83
38 795,12
0,00
36 335,12
984,00
0,00
0,00
393,60
0,00
1,05%
393,60
0,00
393,60
0,00
393,60
0,00
0,00
0,00
393,60
0,00
100,00%
35 102,35
6 519,00
36 406,12
0
33 946,12
984
0
0
34 930,12
0,00
99,51%
2 000,00
69 859,83
1 995,40
0
1 995,40
0
0
0
1 995,40
0,00
99,77%
29 345,93
8 376,11
35 802,46
919,41
26 270,47
3 075,46
0,00
0,00
29 345,93
13 913,23
100,00%
070302
Edifícios
18 315,76
7 459,45
23 850,13
0,00
16 156,96
2 158,80
0,00
0,00
18 315,76
12 993,82
100,00%
070399
Outras
11 030,17
916,66
11 952,33
919,41
10 113,51
916,66
0,00
0,00
11 030,17
919,41
100,00%
249 793,04
4 159,73
254 564,60
518,17
245 651,48
4 141,56
0,00
0,00
249 793,04
8 413,12
100,00%
08
0801
080199
16
1601
160101
Outras receitas correntes
Outras receitas correntes
Outras
Saldo da gerência anterior
249 793,04
4159,73
254 564,60
518,17
245 651,48
4141,56
0
0
249 793,04
0,00
100,00%
2 113 424,00
0,00
2 113 424,00
0,00
2 113 424,00
0,00
0,00
0,00
2 113 424,00
0,00
100,00%
2 113 424,00
0
2 113 424,00
0
2 113 424,00
0
0
0
2 113 424,00
0,00
100,00%
Saldo orçamental
Na posse do serviço
Total Geral
12 746 025,84
2 253 892,00 12 814 226,70
26 577,71 11 107 285,61
1 631 609,41
9 180,25
9 180,25 12 729 714,77
2 302 645,97
99,87%
Nota: valores em €
163
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
1.4.4 Fluxos de Caixa
Cl.Económ.
RECEBIMENTOS
SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR
Execução Orçamental - Fundos Próprios
De dotações orçamentais OE
550 948,96
De Receitas Próprias
Na posse do serviço
De Investimento/Financiamentos
1 303 290,08
271 614,00
2 125 853,04
Fundos Alheios
Receitas do Estado
Operações de Tesouraria
16 310,48
262 058,64
278 369,12
Descontos em vencimentos e salários
Receitas do estado
Operações de Tesouraria
0,00
1 832,01
I - Total do saldo Gerª na posse do Serviço
1 832,01
2 406 054,17
RECEITAS DE FUNDOS PRÓPRIOS
DOTAÇÕES ORÇAMENTAIS OE
CORRENTES
Fonte 311 - Estado RG não afectas a projectos cofinanciados
06
0603
060301
06030129.91
Transferências correntes
Administrações central
Estado
MCTES
5 190 113,00
INVESTIMENTO
Fonte 311 - Estado RG não afectas a projectos cofinanciados
06
0603
060301
06030129.91
Transferências correntes
Administrações central
Estado
MCTES
87 500,00
5 277 613,00
RECEITAS PRÓPRIAS
CORRENTES
Fonte 510 - Auto Fianciamento ( RP)
04
0401
040122
04012200.00
040199
04019900.00
0402
040299
04029900.00
05
0510
051014
06
0601
060101
07
0701
Taxas, multas e outras penalidades
Taxas
Propinas
Propinas
2 555 094,48
Taxas diversas
Taxas diversas
349 477,40
Multas e outras penalidades
Multas e penalidades diversas
11 294,22
Multas e penalidades diversas
Venda de propriedade
Rendas
Edifícios
3 087,86
Transferências correntes
Sociedades e quase soc. não financeiras
Públicas
7 000,00
Venda de bens e serviços correntes
Venda de bens
070102
Livros e documentação técnica
110,00
070199
Outros
220,63
0702
Serviços
070201
Aluguer de espaços e equipamentos
070202
Estudos, pareceres, projectos e consultadoria
07020200.00
070299
07029900.00
0703
Estudos, pareceres, projectos e consultadoria
Outros
Edifícios
Outras
0801
080199
Nota: valores em €
164
1 995,40
Rendas
070399
08
34 930,12
Outros
070302
07039900.00
393,60
Outras
18 315,76
11 030,17
Outras receitas correntes
Outras receitas correntes
Outras
249 793,04
3 242 742,68
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Cl.Económ.
RECEBIMENTOS
INVESTIMENTO /FINANCIAMENTO
CORRENTES
Fonte 319 - Transferencia de RG entre organismos
06
0603
060307
06030752.98
Transferências correntes
Administrações central
Serviços e Fundos Autónomos
FCT
22 390,39
Fonte 412 - FEDER- PO Factores de Competitividade
06
0609
060901
Transferências correntes
Resto do Mundo
União Europeia - Instituições
060901B0.00
Agência de Inovação, SA
060901G0.00
QREN
0,00
1 967 391,09
Fonte 442 - DGES
06
0606
060603
06060300.00
Transferências correntes
Segurança social
Financiamento comunitário em projectos co-financiados
DGES
33 434,55
Fonte 480 - Erasmus
06
0609
060901
Transferências correntes
Resto do Mundo
União Europeia - Instituições
060901A0.00
ANPROALV
27 898,80
060901C0.00
CIED
28 502,00
060901D0.00
Kerigma
060901F0.00
Carl Von Ossietzky Universitat Oldenburg
3 889,26
0,00
Fonte 540 - IPCA
06
0603
060307
06030753.79
Transferências correntes
Administrações central
Serviços e Fundos Autónomos
IPCA
0,00
II - Total das Receitas de Fundos Próprios
2 083 506,09
10 603 861,77
Total das Receitas do Exercício (I + II)
13 009 915,94
Importâncias retidas para entrega ao Estado ou outras
entidades - Fundos Alheios
Receitas do Estado
395 284,26
Operações de Tesouraria
251 113,68
646 397,94
Descontos em vencimentos e salários
Receitas do Estado
1 150 289,50
Operações de Tesouraria
1 508 055,77
III - Total das Retenções de Fundos Alheios
Total Geral Mapa Fluxos de Caixa (I + II + III)
2 658 345,27
3 304 743,21
16 314 659,15
Nota: valores em €
165
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Cl.Económ.
PAGAMENTOS
DESPESAS DE FUNDOS PRÓPRIOS
DESPESAS ORÇAMENTAIS OE
CORRENTES
Fonte 311 - Estado RG não afectas a projectos cofinanciados
01
0101
010102
01010200.00
010103
01010300.00
010106
01010600.00
010110
01011000.00
010111
01011100.00
Despesas com o pessoal
Remunerações certas e permanentes
Órgãos sociais
Órgãos sociais
Pessoal dos quadros-Regime de função pública
Pessoal contratado a termo
1 026 518,82
Gratificações
Gratificações
518,52
Representação
Representação - Pessoal em funções
Suplementos e prémios
010113
Subsídio de refeição
010114
1 909 212,25
Pessoal contratado a termo
010112
01011300.00
295 422,91
Pessoal dos quadros-Regime de função pública
Subsídio de refeição
9 127,67
34 050,54
124 039,23
Subsídio de férias e de Natal
010114SF.00
Subsídio de férias
336 880,29
010114SN.00
Subsídio de Natal
309 550,03
0102
010202
01020200.00
010205
01020500.00
010212
010212B0.00
0103
010301
010301A0.00
010303
01030300.00
Abonos variáveis ou eventuais
Horas extraordinárias
Horas extraordinárias
2 268,12
Abono pª falhas
Abono pª falhas
1 789,18
Indeminizações por cessação de funções
Abono pª falhas
11 129,27
Segurança social
Encargos com a saúde
Encargos com a saúde
48 971,33
Subsídio familiar a crianças e jovens
Subsídio familiar a crianças e jovens
010305
Contribuições pª a segurança social
010305A
Encargos c/ Seg.social
5 007,78
010305A0.A0
Caixa Geral Aposentações
586 868,51
010305A0.B0
Segurança Social
431 768,11
010310
01031000.00
Outras despesas de segurança social
Outras despesas de segurança social
55 084,07
5 188 206,63
DESPESAS ORÇAMENTAIS OE
INVESTIMENTO
Fonte 311 - Estado RG não afectas a projectos cofinanciados
02
0202
020214
020214B0.00
Aquisição de bens e serviços
Aquisição de serviços
Estudos, pareceres, projectos e consultadoria
Estudos, pareceres, projectos e consultadoria
41 158,26
I - Total da Despesas por c/OE
Despesas orçamentais com compensação em Receita
Própria com ou sem transição de Saldos
CORRENTES
Fonte 510 - Auto Fianciamento ( RP)
01
0101
010106
01010600.00
010107
102
10204
01020400.00
Despesas com o pessoal
Remunerações certas e permanentes
Pessoal contratado a termo
Pessoal contratado a termo
408 936,63
Pessoal regime tarefa avença
112 748,61
Abonos variáveis ou eventuais
Ajudas de custo
Ajudas de custo
010305
Contribuições pª a segurança social
010305A
Encargos c/ Seg.social
010305A0.B0
Nota: valores em €
166
Segurança Social
41 158,26
5 229 364,89
11 344,53
2 588,78
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Cl.Económ.
02
0201
020102
02010200.00
020105
02010500.00
020108
02010800.00
020115
02011500.00
020117
02011700.00
020118
02011800.00
020120
02012000.00
020121
02012100.00
0202
020201
02020100.00
020202
02020200.00
020203
02020300.00
020205
020205A0.00
020208
02020800.00
020209
PAGAMENTOS
Aquisição de bens e serviços
Aquisição de bens
Combustíveis e lubrificantes
Combustíveis e lubrificantes
54 845,82
Alimentação-Refeições confeccionadas
Alimentação-Refeições confeccionadas
29 317,84
Material de escritório
Material de escritório
20 126,76
Prémios, condecorações e ofertas
Prémios, condecorações e ofertas
16 856,89
Ferramentas e utensílios
Ferramentas e utensílios
1 236,96
Livros e documentação técnica
Livros e documentação técnica
10 188,49
Material de educação, cultura e recreio
Material de educação, cultura e recreio
14 334,81
Outros bens
Outros bens
31 492,99
Aquisição de serviços
Encargos das instalações
Encargos das instalações
148 774,17
Limpeza e higiene
Limpeza e higiene
153 215,11
Conservação de bens
Conservação de bens
55 532,17
Locação de material de informática
Hardware Informático
2 759,85
Locação de outros bens
Locação de outros bens
4 994,09
Comunicações
020209A0.00
Internet
1 594,15
020209C0.00
Comunicações Fixas
5 946,53
020209D0.00
Comunicações Móveis
2 141,60
020209FO.00
Outros Serviços
8 196,46
020210
02021000.00
020211
02021100.00
020212
02021200.00
020213
02021300.00
020214
020214B0.00
020215
020215B0.00
020217
02021700.00
020218
02021800.00
020219
020219B0.00
020220
020220C0.00
020225
02022500.00
04
0403
0305
030557.74
0407
040701
Transportes
Transportes
42 989,61
Representação dos serviços
Representação dos serviços
3 710,04
Seguros
Seguros
1 346,82
Deslocações e estadas
Deslocações e estadas
48 112,39
Estudos, pareceres, projectos e consultadoria
Estudos, pareceres, projectos e consultadoria
30 687,95
Formação
Formação
94 895,28
Publicidade
Publicidade
82 359,54
Vigilância e segurança
Vigilância e segurança
94 950,35
Assistência técnica
software Informático
4 520,25
Outros trabalhos especializados
Outros
106 009,32
Outros serviços
Outros serviços
43 457,91
Transferências correntes
Administração central
Serviços e Fundos Autónomos
Serviços e Fundos Autónomos
92 264,27
Instituições s/ fins lucrativos
Instituições s/ fins lucrativos
38 777,60
Nota: valores em €
167
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Cl.Económ.
0408
040802
PAGAMENTOS
Famílias
Outras
040802A0.00
Estágios Profissionais na Administração Pública
21 893,37
040802B0.00
outras
42 990,01
0306
0602
60201
06020100.00
060203
06020300.00
07
0701
070103
070103B0.C0
070104
070104B0.00
070107
070107B0.B0
070108
070108B0.B0
070109
070109B0.B0
070110
070110B0.B0
070115
Outras despesas correntes
Diversas
Impostos e taxas
Impostos e taxas
22 122,40
Outras
Outras
31 786,31
Aquisição de bens de capital
Investimentos
Edifícios
Aquisição
22 017,65
Construções diversas
AC-SFA
24 828,78
Equipamento de informática
Outros
23 055,46
Software informático
Outros
23 018,47
Equipamento administrativo
Outros
46 015,58
Equipamento básico
Outros
639 908,96
Outros investimentos
070115B0.00
AC-SFA
8 944,27
070115B0.B0
AC-SFA
211 992,78
09
0901
090111
Activos Financeiros
Depósitos, Certificados de depósito e poupança
Instituições sem funs lucrativos
5 000,00
II - Total das Despesas por c/Receitas Próprias
2 904 828,61
2 904 828,61
Investimento/Financiamento
Fonte 319 - Transferencia de RG entre organismos
01
0102
010204
01020400.00
02
0202
020213
02021300.00
04
0408
040802
040802B0.00
Despesas com o pessoal
Abonos variáveis ou eventuais
Ajudas de custo
Ajudas de custo
582,28
Aquisição de bens e serviços
Aquisição de serviços
Deslocações e estadas
Deslocações e estadas
1 253,30
Transferências correntes
Famílias
Outras
Outras
16 805,35
18 640,93
Fonte 412 - FEDER- PO Factores de Competitividade
07
0701
070103
070103B0.B0
070107
070107B0.B0
070108
070108B0.B0
070110
070110B0.B0
Nota: valores em €
168
Aquisição de bens de capital
Investimentos
Edifícios
Aquisição
354 797,15
Equipamento de informática
Outros
316 946,83
Software informático
Outros
21 112,35
Equipamento básico
Outros
200 406,20
893 262,53
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Cl.Económ.
PAGAMENTOS
Fonte 442 - DGES
02
0202
020215
020215B0.00
Aquisição de bens e serviços
Aquisição de serviços
Formação
Formação
21 587,50
21 587,50
77 720,80
77 720,80
Fonte 480 - Erasmus
04
0408
040802
040802B0.00
Transferências correntes
Famílias
Outras
Outras
Fonte 540 - IPCA
01
0101
010111
01011100.00
010113
01011300.00
010301
010301A0.00
010303
01030300.00
02
0201
020105
02010500.00
020120
0202
Despesas com o pessoal
Remunerações certas e permanentes
Representação
Representação
Subsídio de refeição
Encargos com a saúde
817,36
Subsídio familiar a crianças e jovens
Subsídio familiar a crianças e jovens
1 509,50
Aquisição de bens e serviços
Aquisição de bens
Alimentação-Refeições confeccionadas
Alimentação-Refeições confeccionadas
Material de educação, cultura e recreio
6 884,05
3 918,43
Aquisição de serviços
Conservação de bens
020208
Locação de outros bens
Locação de outros bens
020209
Comunicações
020210
Transportes
02021000.00
3 304,98
Encargos com a saúde
020203
02020800.00
3 435,99
Subsídio de refeição
Transportes
3 529,61
450,20
128 060,32
020212
Seguros
5 361,38
020213
Deslocações e estadas
3 342,00
020217
Publicidade
259,43
020218
Vigilância
185,73
020220
Outros trabalhos especializados
02022000.00
020225
04
0407
040701
04070100.00
0408
040802
040802B0.00
07
0701
070103
070103B0.C0
070115
070115B0.00
Outros trabalhos especializados
Outros serviços
1 378,98
193,60
Transferências correntes
Instituições s/ fins lucrativos
Instituições s/ fins lucrativos
Instituições s/ fins lucrativos
21 600,00
Famílias
Outras
Outras
3 580,50
Aquisição de bens de capital
Investimentos
Edifícios
Edifícios
15 049,84
Outros investimentos
Outros investimentos
1 628,59
204 490,49
Nota: valores em €
169
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Cl.Económ.
PAGAMENTOS
III - Total das Despesas por Investimento / Financiamento
1 215 702,25
Total das Despesas do Exercício I + II + III
9 349 895,75
Importâncias entregues ao Estado e outras entidades - Fundos
Alheios
Receita do Estado
412 076,21
Operações de Tesouraria
252 018,66
664 094,87
Importâncias entregues ao Estado e outras entidades Descontos em Vencimentos e Salários
Receita do Estado
1 150 289,50
Operações de Tesouraria
1 509 887,78
IV - Total da Despesa de Fundos Alheios
2 660 177,28
3 324 272,15
SALDO PARA A GERÊNCIA SEGUINTE
Execução orçamental - Fundos Próprios
De dotações orçamentais OE
599 197,07
De receitas próprias
Na posse do serviço
1 641 204,15
De investimento /Financiamento
1 139 417,84
3 379 819,06
Fundos Alheios
Receita de Estado
-481,47
Operações de Tesouraria
261 153,66
260 672,19
Descontos em Vencimentos e Salários
Receita de Estado
0,00
Operações de Tesouraria
0,00
0,00
3 640 491,25
V - Total do Saldo Gerª na posse do Serviço
Total Geral Mapa Fluxos de Caixa (I+II+III+IV+V)
16 314 659,15
Nota: valores em €
1.4.5 Notas ao balanço e à demonstração resultados por natureza
As notas que a seguir se apresentam visam facultar um completo entendimento das demonstrações financeiras
que fazem parte dos documentos de prestações de contas exigidas no ponto 2.5 do POC-Educação, no artigo 4º da
Portaria n.º 794/2000, de 20 de Setembro e na resolução nº1/2004 do Tribunal de Contas.
Estas notas têm como referência a numeração definida no ponto 8 do POC-Educação, omitindo-se todos os pontos
aí definidos que não são aplicáveis, ou para cujo conteúdo se considera não existir informação relevante que
justifique a sua divulgação.
CARACTERIZAÇÃO DA ENTIDADE
Nota 8.1 POC-Educação
Nota 8.1.1 – Identificação
O Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), sito no campus do IPCA, Vila Frescaínha S. Martinho, 4750-810
Barcelos, uma instituição de ensino superior pública, criada pelo Decreto-Lei n.º304/94, de 19 de Dezembro, entrou
em funcionamento no ano letivo 1996/1997 e, ao longo destes 18 anos, tem desenvolvido as atribuições previstas na
Lei, contribuindo para o aumento de qualificação da população portuguesa, garantindo mais formação para mais
estudantes, e reforçando a atividade científica e da investigação aplicada, em ligação direta com o meio empresarial
e industrial.
Em 2014, a classificação orgânica por capítulos foi a seguinte:
Ministério
Secretaria
Capítulo
Divisão
Subdivisão
11
Educação e Ciência
1
MCES - Funcionamento - SFA
05
170
Designação
Estabelecimentos de Ensino Superior e Serviços de Apoio
57
00
Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
58
00
Serviços da Ação Social do IPCA
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
O perímetro de consolidação, referente a 2014, é constituído por 2 entidades contabilísticas: o Instituto Politécnico
do Cávado e do Ave (IPCA) e os Serviços de Ação Social (SAS) do IPCA.
A inclusão na consolidação destas entidades foi efetuada no respeito pelo estabelecido no artigo 5.º da Portaria n.º
794/2000, de 20 de setembro.
Em 2014 o conselho de gestão foi constituído pelos seguintes membros:
- João Baptista da Costa Carvalho, na qualidade de Presidente do IPCA
- José Agostinho Veloso da Silva, na qualidade de Vice- Presidente
- Agostinha Patrícia da Silva Gomes, na qualidade de Vice- Presidente
- Maria do Rosário da Silva Fernandes, na qualidade de Administradora do IPCA
- Sofia Mariana Nunes de Sousa Dias Coelho, na qualidade de diretora dos SASIPCA
Nota 8.1.2 – Legislação
Ver ponto 2 da secção I deste documento.
Notas 8.1.3 – Estrutura Organizacional
Ver ponto 3 da secção I deste documento.
Nota 8.1.4 – Descrição de Atividades
Ver secção II e III deste documento.
Nota 8.1.5 – Recursos Humanos
Ver ponto 1 da secção VIII deste documento.
Nota 8.1.6 – Organização Contabilística
Os serviços de contabilidade são únicos e organizados de forma centralizada. Os registos e demais
procedimentos são efetuados num único sistema integrado capaz de fornecer informação adequada de acordo
com os princípios e normas do Plano Oficial de Contabilidade para o sector da Educação (Portaria 794/2000,
de 20 de Setembro) e de acordo com as orientações emitidas pela Comissão de Normalização Contabilística da
Administração Pública (CNCAP).
Através do aplicação informático e da classe nove é também possível obter-se os mapas da Contabilidade Analítica
exigidos no POC-Educação.
Nos termos da legislação em vigor, Decreto de Execução Orçamental e circulares da DGO e GEF, são prestadas
contas mensal e trimestralmente na ótica orçamental. Numa procura constante de melhoria, os serviços criaram um
conjunto de procedimentos internos, e existe um manual de controlo interno, de forma a aumentar a eficiência no
tratamento contabilístico das suas operações, procedimentos esses fundamentais para que haja uma harmonização
no tratamento da informação contabilística pelos diferentes intervenientes no processo, e para que a informação
seja facilmente percetível pelos restantes colaboradores da instituição. De referir ainda a existência de um Gabinete
de Auditoria Interna e de um Revisor Oficial de Contas, cujo contrato terminou em dezembro de 2014.
Os serviços reconhecem a importância do tratamento da informação através de ferramentas informáticas.
Assim, os serviços utilizam as seguintes ferramentas informáticas:
a)
Aplicação de Recursos Humanos;
b)
Aplicação de Contabilidade;
c)
Aplicação de Tesouraria;
d)
Aplicação de Imobilizado.
O arquivo tem um papel fundamental em qualquer entidade, uma vez que tem como função além do arquivo dos
documentos durante os anos legalmente estipulados, uma função de consulta. Deste modo, o arquivo encontra-se
171
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
organizado de forma a permitir a consulta dos documentos de modo eficiente. Assim:
a) Na despesa, os documentos são organizados por Diários (B01-banco despesas, B02-banco período
completar, BP1-Banco despesas com pessoal). Em cada um dos diários, os documentos são arquivados por
ordem do número de diário de pagamentos;
b) Na Receita, os documentos são organizados por Diários (R01-Guias de Receita, R02-Requisição de Fundos,
R05-Facturas, R06-Recibos, R12-Facturas/Recibo). Em cada um dos diários, os documentos são arquivados por
ordem do número de diário de recebimentos.
Nota 8.2 POC-Educação
As notas que se seguem respeitam a numeração sequencial definida no POC- Educação sendo que aquelas cuja
numeração não releva, não são aplicáveis ou a sua apresentação não é relevante para a leitura das Demonstrações
Financeiras. Segue-se o n.º de notas preconizado no POC-Educação, aplicando-se apenas as notas nºs 8.2.1, 8.2.2,
8.2.3, 8.2.7, 8.2.8, 8.2.23, 8.2.31, 8.2.32, 8.2.33, 8.2.35, 8.2.37, 8.2.38.
Todos os valores encontram-se expressos em Euros.
Nota 8.2.1
As demonstrações financeiras anexas foram preparadas a partir dos registos contabilísticos desta Instituição e
respetiva documentação, tendo sido seguidos os princípios de contabilidade geralmente aceites em Portugal, e o
Plano Oficial de Contabilidade para o Sector da Educação (Portaria 794/2000 de 20 de Setembro). Este diploma
obriga à existência simultânea e coordenada de três sistemas contabilísticos: Orçamental; Patrimonial e Analítica.
Estes três sistemas em pleno funcionamento do IPCA.
Anota-se ainda que a ausência de uma articulação entre o sistema de contabilidade analítica e os outros dois
sistemas, não teve efeitos no Balanço e na Demonstração de Resultados apresentados pelo que a informação neles
expressa, reflete a imagem verdadeira e apropriada do Ativo, do Passivo, dos Fundos Próprios e dos Resultados da
Instituição.
Nota 8.2.2
Os valores constantes das demonstrações financeiras do exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 são comparáveis,
em todos os aspetos significativos, com os valores do exercício de 2013.
Nota 8.2.3
As demonstrações financeiras anexas foram preparadas a partir dos registos contabilísticos da Instituição e respetiva
documentação, tendo sido seguidos os Princípios Contabilísticos Geralmente Aceites em Portugal e o Plano Oficial
de Contabilidade para o Sector da Educação (Portaria 794/2000, de 20 de Setembro).
a) Imobilizado corpóreo
Os bens do ativo imobilizado foram registados ao custo histórico de aquisição, com exceção dos terrenos doados,
uma vez que se considerou o valor da avaliação patrimonial registado na Caderneta Predial Urbana.
As amortizações são calculadas segundo o método das quotas constantes, por duodécimos, iniciando-se o processo
de amortização no mês em que o investimento ocorre, e são contabilizadas por débito na demonstração dos
resultados de cada exercício. Para o efeito, são utilizadas as taxas máximas estabelecidas pela Portaria 671/2000
de 17 de Abril.
Os bens do ativo imobilizado adquirido no ano de 2014, de valor inferior a 274 euros foram amortizados a cem por
cento, de acordo com o n.º 34 do referido diploma legal.
b) Existências
Valorizadas ao custo de aquisição, que inclui o respetivo preço de compra e os gastos suportados, direta e
indiretamente, para a colocação do bem no seu estado atual e no local de armazenagem (economato).
O método de custeio das saídas de economato é o custo médio ponderado.
c) Acréscimos e diferimentos
De acordo com o princípio “Da especialização do exercício” registaram-se as seguintes situações:
172
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
•
Na conta 272 – Custos diferidos. Foram contabilizados os seguros pagos em 2014 mas cujo custo apenas
será reconhecido em 2015, no valor de 5.610,07 euros que se encontram evidenciados no ativo.
•
Na conta 273 – Acréscimo de custos. Os encargos com férias (férias, subsídios de férias) a pagar em 2015
foram contabilizados em 2014, com base na estimativa dos encargos a pagar no exercício seguinte. Estimaramse 828.054,68 euros.
Na rubrica outros acréscimos de custos foram contabilizados os custos (água, eletricidade, gás e comunicações)
a reconhecer no próprio exercício, ainda que não tenham documentação vinculativa, cuja despesa só venha a
incorrer em exercícios posteriores. Estimaram-se 13.623,74 euros.
•
Na conta 274 – Proveitos diferidos. Os subsídios para investimento associados a ativos, são registados na
conta 27- Proveitos diferidos e movimentados numa base sistemática para a conta 7983 – “Proveitos e ganhos
extraordinários – Outros proveitos e ganhos extraordinários – Transferências de capital” à medida que vão
sendo contabilizadas as amortizações do imobilizado a que respeitam. Estimaram-se 10.716.750,77 euros.
Foram também registadas como proveitos diferidos os valores de propinas de formação inicial, dando
cumprimento ao princípio da especialização dos exercícios, bem como as propinas de mestrados, pósgraduações e cursos de especialização tecnológica. Estimaram-se 1.738.249,84 euros.
d) Provisões
Foram registadas as responsabilidades derivadas dos riscos de natureza específica e provável, assim como
constituídas provisões dos créditos de cobrança duvidosa referentes a alunos (propinas) e a clientes (contratos de
exploração e multas de atraso de empreitadas) em mora superior a 12 meses desde a data do respetivo vencimento.
A taxa de provisão aplicada foi de 100% de acordo com o POC – Educação.
Em provisões para riscos e encargos, verba refletida no Passivo no valor de 20.465,11 euros estão incluídos:
•
O valor de 5.601,84 euros referente a despesas de representação do Presidente do IPCA, cujo pagamento
foi suspenso a partir de abril por decisão do Conselho de Gestão uma vez que a legislação não é clara sob esse
suplemento remuneratório e que pode o IPCA ter de efetuar o pagamento, por prudência criou-se uma provisão
para riscos e encargos.
•
O valor de 14.863,27 euros referente ao pedido de compensação por caducidade do contrato de trabalho,
aguardar parecer da DGAEP – Direção Geral da Administração e Emprego Público.
Nota 8.2.7
Os movimentos ocorridos nas rubricas do ativo imobilizado constantes do balanço e das respetivas amortizações e
provisões constam do quadro que se segue:
ATIVO BRUTO
Ativo bruto
Rubricas
Saldo inicial
Reavaliação
Aumentos
Trf/Abates
Saldo final
De imobilizações corpóreas:
Terrenos e recursos naturais
2 321 074
Edifícios e outras construções
10 904 832
Equipamento e material básico
1 859 211
34 950
Equipamento de transporte
Ferramentas e utensílios
Equipamento administrativo
Taras e vasilhame
Outras imobilizações corp.
sub total
Imobilizado em curso
-
-
-
2 321 074
2 487 726
-
13 392 558
-
701 362
-
2 560 573
-
-
-
34 950
1 205
-
-
-
1 205
1 698 353
-
388 184
-
2 086 537
-
-
-
-
-
200 751
-
58 567
-
259 318
17 020 377
-
3 635 839
-
20 656 215
2 256 330
-
-
(1 848 853)
407 477
19 276 706
-
3 635 839
1 848 853
21 063 692
Nota: valores em €
173
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
AMORTIZAÇÕES E PROVISÕES
Amortizações e provisões
Rubricas
Saldo inicial
Reforço
Regularizações
Saldo final
De imobilizações corpóreas:
Terrenos e recursos naturais
-
-
-
-
Edifícios e outras construções
1 288 701
272 300
(10 566)
1 571 568
Equipamento e material básico
1 065 577
180 827
(635)
1 247 039
11 200
4 133
(0)
15 333
1 205
0
(0)
1 205
957 103
283 676
-(10 558)
1 230 221
Equipamento de transporte
Ferramentas e utensílios
Equipamento administrativo
Taras e vasilhame
-
-
(0)
0
60 106
33 703
-(643)
93 166
3 383 892
774 639
(0)
4 158 531
Outras imobilizações corp.
Nota: valores em €
Terrenos e Recursos Naturais
Esta rubrica inclui os terrenos onde está implantado o Campus do IPCA e o Edifício dos Serviços Centrais.
Edifícios e outras construções
Inclui os edifícios da Escola Superior de Gestão, Escola Superior de Tecnologia, Biblioteca, Serviços Centrais, Cantina,
Centro de Investigação & Desenvolvimento (Digital Games), e os arranjos exteriores ao Campus.
Equipamento básico e administrativo
Inclui, fundamentalmente, o mobiliário da Escola Superior de Gestão, Escola Superior de Tecnologia, Serviços
Centrais, Serviços da Ação Social e Cantina, Centro de Investigação & Desenvolvimento (Digital Games), bem como
os livros da biblioteca, equipamentos informáticos e de laboratório.
Equipamento de transporte
O IPCA tem uma frota automóvel composta unicamente por duas viaturas, a saber:
•
Uma viatura Citroën Jumper, Combi 1,9 TD, de 9 lugares, cuja a matrícula é de 21 de janeiro de 2002;
•
Uma viatura Audi A4, de 5 lugares cuja a matrícula é de 30 de junho de 2009, afeta à Presidência do
Instituto. Esta viatura foi adquirida em novembro de 2012.
Imobilizado em curso
As imobilizações em cursos 31 de Dezembro de 2014 incluem:
Infraestruturas do IPCA
130 843
Edifício da Residência do IPCA
Edíficio Multiusos_Campus
Aplicações Informáticas SA- SAMA
Edíficio dos Serviços Centrais_Campus
Edíficio da Escola Superior de Tecnologia
29 581
52 929
135 300
15 089
43 734
Total
407 477
Nota: valores em €
Nota 8.2.8.
Esta informação encontra-se no documento n.º 18 da prestação de contas enviada ao Tribunal de Contas.
Nota 8.2.23.
Valor global das dívidas de cobrança duvidosa incluídas em cada uma das rubricas de dívidas de terceiros contantes
do balanço:
174
RELATÓRIO DE ATIVIDADE E CONTAS 2014
Saldo inicial
Aumentos
Diminuições
Saldo final
Alunos cobrança duvidosa
515 919
78 610
84 844
509 685
Clientes cobrança duvidosa
72 282
0
566
71 716
Nota: valores em €
Foram registados em cobrança duvidosa os dos alunos e os clientes com dívidas cujo os prazos de pagamento
(dividas do ano letivo 2013/2014). Ver ponto 1.2 da secção I.
Nota 8.2.31.
Provisões acumuladas
Código das contas
Designação
291
Provisões para cobranças duvidosas
292
Provisões para riscos e encargos
Saldo Inicial
Aumento
465 278,32
Redução
103 827
Saldo Final
66 285
502 820
-
20 465
20 465
Nota: valores em €
Foram constituídas provisões dos créditos de cobrança duvidosa referentes a alunos (propinas: 103.827 euros) em
mora superior a 12 meses desde a data do respetivo vencimento. A taxa de provisão aplicada foi de 100% de acordo
com o POC – Educação.
Foi efetuada uma redução no valor de 65.719 euros relativo à arrecadação de dívidas de alunos, referentes a dívidas
de anos anteriores a 2012/2013, que já tinha sido objeto de provisão, bem como no valor de 566 euros relativo à
recuperação da divida do cliente Pepevendig.
Nota 8.2.32
Os movimentos ocorridos nas contas da Classe 5 - «Fundo Patrimonial», constantes no balanço, foram os seguintes:
CONTA
MOVIMENTO NO EXERCÍCIO
SALDO INICIAL
Património inicial
Subsiídios
Doações
Resultado líquido do exercício
TOTAL
SALDO FINAL
DIMINUIÇÕES
224 081
0
0
224 081
1 134 090
0
0
1 134 090
794 562
0
0
794 562
0
0
0
0
5 247 529
348 683
0
5 596 211
Reservas decorrentes da transferência de ativos
Resultados Transitados
AUMENTOS
348 683
1 000 800
348 683
1 000 800
7 748 944
1 349 483
348 683
8 749 744
Nota: valores em €
O Património corresponde ao resultado da quantificação da valorização do património líquido inicial, efetuado com
a referência à data a partir da qual o Instituto adotou, pela primeira vez, um sistema de contabilidade patrimonial.
A conta 59 – Resultados Transitados foi debitada pelo resultado líquido do ano anterior, no montante de 348.683
euros.
Nota 8.2.33
Demonstração do custo das mercadorias vendidas e das matérias consumidas
Código das contas
Movimentos
36
Existências iniciais
31
Compras
38
Regularização de existências
32
Existências finais
62
Custos no exercício…………………
Mat.-primas, subsidiárias e de consumo
11 576
4 491
0
12 232
3 835
Nota: valores em €
175
SECÇÃO IX CONTAS CONSOLIDADAS
Nota 8.2.35
Contas
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
711 - Vendas
151 179
162 450
134 178
127 067
77 057
4 482
3 096
210
Vendas de mercadorias
151 179
162 450
134 178
127 067
77 057
4 482
3 096
210
712 - Prestação de Serviços
266 141
230 404
83 770
122 092
65 071
21 199
49 518
38 217
Serviços Prestados ao exterior
240 573
130 453
59 017
121 563
65 071
21 199
49 518
38 217
6 436
15 790
2 546
0
0
0
0
0
19 132
84 161
22 207
529
0
0
0
0
417 320
392 854
217 948
249 159
142 127
25 681
52 614
38 427
Certificados e Diplomas
Serviços Diversos
TOTAL
Nota: valores em €
Nota 8.2.37
Demonstração dos resultados financeiros
Código das
contas
Custos e perdas
681
Juros suportados
682
683
Exercícios
2013
Código das
contas
2014
Proveitos e ganhos
Exercícios
2013
2014
27
70
781
Juros Obtidos
0
0
Perdas em entidades
0
0
782
Ganhos em entidades
0
0
Amortizações de invest. em imóveis
0
0
783
Rendimentos de imóveis
0
0
684
Provisões para aplicações financeiras
0
0
784
Rendimentos de participações de
capital
0
0
685
Diferenças de câmbio desfavoráveis
0
0
785
Diferenças de câmbio favoráveis
0
0
687
Perdas na alienação de aplicações de
tesouraria
0
0
786
Descontos de pronto pagamento
obtidos
0
0
688
Outros custos e perdas financeiros
23 106
19 752
787
Ganhos na alienação de aplicações de
tesouraria
0
0
-23 133
-19 822
788
Outros proveitos e ganhos financeiros
0
0
0
0
0
0
Resultados financeiros
Nota: valores em €
Nota 8.2.38
Demonstração dos resultados Extraordinários
Código das
contas
Custos e perdas
Código das
contas
2014
Proveitos e ganhos
Exercícios
2013
2014
691
Transferências de capital concebidas
0
0
791
Restituição de impostos
0
0
692
Dívidas incobráveis
0
0
792
Recuperação de dívidas
25 804
65 719
693
Perdas em existências
694
Perdas em imobilizações
695
Multas e penalidades
696
Aumentos de amortizações e provisões
697
Correções relativas a exercícios
anteriores
698
Outros custos e perdas extraordinários
Resultados extraordinários
Nota: valores em €
176
Exercícios
2013
1 956
3 163
793
Ganhos em existências
27
43
64 294
0
794
Ganhos em imobilizações
0
0
206
0
795
Benefícios de penalidades contratuais
0
0
20 465
0
796
Reduções de amortizações e provisões
0
0
289 415
93 305
797
Correções relativas a anos anteriores
2 316
1 204
410
5 021
798
Outros proveitos e ganhos
extraordinários
268 403
372 760
-80 196
338 236
296 550
439 725
296 550
439 725
Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
Campus do IPCA, Vila Frescainha S. Martinho
4750-810 Barcelos
T. 253 802 190
F. 253 812 281
[email protected]
www.ipca.pt