As ideias de Jorge Gerdau Johannpeter

Сomentários

Transcrição

As ideias de Jorge Gerdau Johannpeter
1
BestHOME | Editorial
BEST HOME by Joal Teitelbaum
é uma publicação da
Best Home Publicidade Ltda.
Conselho Editorial
Joal Teitelbaum
Jader Teitelbaum
Claudio Teitelbaum
Flavio Teitelbaum
Coordenação
Best Home Publicidade Ltda.
Renata Bortolucci Mothes
[email protected]
(51) 4009-6307
Produção Editorial
Faro Comunicação Estratégica
(51) 3022-6894
www.farocomunicacao.com
Projeto Gráfico
Alex Santos
Diagramação
Tatiana Rayol
Impressão
Pallotti
Revisão
3GB Consulting
Tradução
Traduzca
Foto Capa
Califórnia
Claudio Teitelbaum
Best Home by Joal Teitelbaum
tem distribuição gratuita, restrita
a mailing determinado pelo Conselho
Editorial. O conteúdo expresso em
matérias assinadas é de inteira
responsabilidade de seus autores.
É proibida a reprodução, total ou
parcial, de matérias e fotografias
publicadas em Best Home by
Joal Teitelbaum, sem autorização
expressa por escrito de seus editores.
Os materiais gráficos utilizados
são meramente ilustrativos.
2
BEST HOME BY JOAL TEITELBAUM
Marca Registrada
Rua Tobias da Silva, 253/Conj. 506
Porto Alegre/RS
Tel: (51) 4009-6307
O aquecimento global,
a ONU e a indústria da construção
Global warming,
the UN and the construction industry
Em outubro de 2014 e no dia do aniversário da
In October 2014, on the United Nations anniverOrganização das Nações Unidas, completaram-se
sary, we celebrated 20 years since the submission,
20 anos da entrega, em audiência especial na Secre- in a special audience with the General Secretariat
taria Geral das Nações Unidas, do documento deno- of the United Nations, of a document entitled
minado “A step on the way to a new Earth”, ou seja, “A step on the way to a new Earth”.
um passo na direção de um novo planeta Terra.
In the 1990s, it was up to us to coordinate,
Na década de 90, coube-nos coordenar, em nome
on behalf of the five Continental Federations and
das cinco Federações Continentais e por meio da
through the World Construction Industry ConConfederação Mundial da Indústria da Construção, federation, a research and a comprehensive study
uma pesquisa e um abrangente trabalho de 1991 from 1991 to 1994 which showed that the human
a 1994 em que se mostrou que a indústria do bem
well-being industry, i.e., the construction industry,
-estar humano, ou seja, a indústria da construção, besides being an ally of environmental preservation,
além de ser uma aliada da preservação ambiental, era
was able to act preventively against countless
capaz de atuar preventivamente contra incontáveis
environmental aggressions.
agressões ambientais.
Besides that of the Continental Federations, we
Além daquele das Federações Continentais, deve ser must mention the operational support we received
registrado o apoio operacional que recebemos do então
from the then general-secretary of the World Consecretário-geral da Confederação Mundial, Eric Lépage. federation, Eric Lépage.
Qual a razão de, passados 20 anos, voltarmos a
Why are we talking about this topic again after
esse tema? Por uma razão simples nas evidências, 20 years? The evidences point to a simple reason,
porém de complexa solução: a preocupação ex- but which has a complex solution: the concern
pressada pelo secretário-geral das Nações Unidas
expressed by the General-Secretary of the United
quanto à crise do aquecimento global e à afetação
Nations for the global warming crisis and the
dos mananciais de água.
effects on water sources.
Este planeta, que deveria chamar-se planeta
This planet, which should be called planet Water,
Água, pois aproximadamente quatro quintos de sua
as four-fifths of its surface is covered with water, is
superfície são água, é pleno de contrastes. Zonas
full of contrasts. Drylands are still advancing, and
áridas continuam avançando, e nunca na história
the Antarctic ice sheet has never been so large in
recente a camada de gelo da Antártica foi tão ampla!
recent history! Water shortage is felt not only in
A falta de água faz-se sentir não apenas nas regiões
producing regions, but also in urban centers. The
de produção, mas também nos centros urbanos. O
waste remains very strong as if the water was an
desperdício continua tão acentuado como se a água
infinite good.
fosse um bem infinito.
There is still time. Let’s take the good projects
Ainda há tempo. Vamos tirar os bons projetos do
off the desk and, with the support of the construcarmário e, com o apoio da indústria da construção
tion industry in an open participation from small
com participação transparente também das peque- and médium enterprises, give global sustainability
nas e médias empresas, dar a sustentabilidade global
to the water product and to sanitation, without
ao produto água e ao saneamento, sem o que o
which the future of our planet will resemble the
planeta terá como visão de futuro a aridez de Marte. aridity of Mars.
Joal Teitelbaum,
Diretor-Presidente
3
BestHOME | Sumário
03 EDITORIAL*
06 ONDE ENCONTRAR A BEST HOME
14 DESIGN
Sergio Rodrigues, mago do mobiliário nacional
26 GESTÃO
As ideias de Jorge Gerdau Johannpeter
26
40
30 ENTREVISTA
Ricardo Russowsky avalia 2014 e projeta 2015
34 EMPREENDEDORISMO
Nelson Eggers, o empreendedor de uma bela história
40 HISTÓRIA
H. Stern: estrela internacional nascida no Brasil
58
46 ECONOMIA
62 GASTRONOMIA
Renato Abensur: A importância do seguro
Sashiburi propõe uma experiência gastronômica
que envolve todos os sentidos
52 DECORAÇÃO
Tradição e modernidade no Príncipe de Greenhill
66 TECNOLOGIA
58 SUSTENTABILIDADE
Sistema de Gerenciamento Integrado resulta
em preço competitivo, sustentabilidade e qualidade
Cidades americanas dão exemplo de planejamento
e cuidados com o meio ambiente
72 INTERNACIONAL*
Korst Koehler: “O todo está em jogo”
72
108
84 SAÚDE
Guilherme Diehl: Os cuidados com os olhos no verão
88 TURISMO
Costa da Califórnia: Uma viagem incrível para fazer de carro
100 RESPONSABILIDADE SOCIAL
88
100 WimBelemDon, paixões que mudaram as regras do jogo
102 Quando todos juntamos esforços, as coisas acontecem
104 ARTE
Dalí entre nós
108 INTEGRAÇÃO*
O projeto das Rotas de Integração
da América do Sul se globaliza
112 NOTÍCIAS DE CLASSE MUNDIAL*
Gestão, qualidade, sustentabilidade e Classe Mundial
4
* Published also in English.
5
BestHOME | Coluna
Reprodução
Construção de uma nação
“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer
a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega
a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto.” Ruy Barbosa
Os projetos da Cultura da Qualidade, o do “Gift of Quality”
e o da Década da Qualidade, dos quais participamos – os dois
primeiros como membro do Board of Directors da American
Society for Quality (ASQ), e o terceiro como integrante do Board
of Trustees da International Academy for Quality (IAQ) –, bem
servem como ferramenta de construção de um novo e autêntico
cenário promissor para o Brasil.
Esses projetos estão construindo as fundações de um movimento global da qualidade no qual integridade, mais do que
ética, não se trata de uma simples palavra.
Sabem aqueles que acreditam na força da Qualidade que
missão, visão e valores não são frases estáticas para ser ricamente emolduradas e afixadas em cada sala de uma organização ou de um indivíduo.
Hoje a histórica frase de Ruy Barbosa é uma expressão
muito clara de que palavras sem ações construtivas, eficientes
e eficazes são totalmente sem qualquer valor e conduzem a
cenários que permitem vicejar tudo aquilo que o Águia de Haia
expressou há mais de um século e que tristemente vemos hoje.
Por meio dos projetos
mencionados e de ações que
se desenvolvem concomitantemente por conceituadas
organizações da qualidade,
mundialmente reconhecidas,
é possível transformar um
país em uma nação.
Implantar e conduzir os processos de gestão e governança
em todos os níveis dos três poderes, em âmbito federal, e permeando estados e municípios, com treinamento e capacitação
permanente do setor público, trará resultados como os obtidos
por aquelas organizações privadas que os praticam e, com
transparência cristalina, construíram e alcançaram o que se
denomina, em qualidade, a conquista da excelência.
A permanente transparência na construção da gestão e da
governança trará como resultado aquilo que até hoje poucos
países alcançaram, a qualidade de vida de seus cidadãos e o
direito de ser chamado de nação.
Joal Teitelbaum
BestHOME | Onde encontrar
6
Rua Silveiro, 1111 – Meninos Deus
(51) 2126.0000
Av. Cristóvão Colombo, 1493 | Av. Getúlio Vargas, 1135
Rua Alameda Alípio César, 203 – (51) 3028-1998
Rua Olavo Barreto Viana, 36 – Moinhos de Vento
(51) 2123.20121
Rua Casemiro de Abreu, 1870 – Bela Vista
(51) 3392.2695
Rua Des. Moreno Loureiro Lima, 505 – Bela Vista
(51) 3012.8684 / 3012.4431
Av. Borges de Medeiros, 3120 – Centro
(51) 3028.0616
Rua Vicente da Fontoura, 2336 – Rio Branco
(51) 3332.2211
Ten. Cel. Fabricio Pilar, 757 – Mont Serrat
(51) 3388.5329
Rua Uruguai, 303 – Centro
(51) 3214.1414
Rua Ramiro Barcelos, 430 – Floresta
(51) 3323.6000 / 3931.8888
Avenida Plínio Brasil Milano, 168 – Auxiliadora
(51) 3022.2226
Rua Paulino Teixeira, 35 – Rio Branco
(51) 3332.3726
Av. Alberto Bins, 514 – Centro
(51) 3220.8000
Rua José de Alencar, 286 – subsolo/sala dos médicos – Menino Deus
(51) 3230.6000
Av. Ipiranga, 7110 – Praia de Belas
(51) 3382.1600
Rua Barão do Santo Angelo, 274 – Moinhos de Vento
(51) 3222.2751
Rua Dona Laura, 646 – Rio Branco
(51) 3331.6394 / 3388.4600
Av. Coronel Lucas de Oliveira, 995 – Bela Vista
(51) 3019 8000
Rua Quintino Bocaiúva, 291 – Floresta
(51) 3391.9270 / 3391.9273
Rua Dona Laura, 161 – Moinhos de Vento
(51) 3019.7979
Rua Castro Alves, 678 – Rio Branco
(51) 3264.6000
Avenida Ipiranga, 1500 – Azenha
(51) 2117.1500
Av. Goethe, 125 – Av. Dr. Nilo Peçanha, 2593
(51) 3378.4200 / 3316.6300
Rua Fernando Gomes, 58 – Moinhos de Vento
(51) 3346.3812
Gokan Sushi – Alameda Sebastião de Brito, 24 – (51) 3028.4080
Gokan Lounge – Rua Olavo Barreto Viana, 21 – (51) 3028.8490
Bourbon Country – Av. Túlio de Rose, 300 – Passo da Areia
(51) 3012.7478
Moinhos – Rua Dona Laura, 307 – (51) 3028.5667 | ZS – Avenida Pereira Passos,
1089 (51) 3222.1400 | ZN – Avenida Panamericana, 865 – (51) 3348.8008
Av. Nilo Peçanha, 3410 – Boa Vista
(51) 3378.1500
Av. Cel. Lucas de Oliveira, 1118 – Auxiliadora
(51) 3330.3634
Rua Quintino Bocaiúva, 267 – Floresta
(51) 4001.3030 / 4001.3010 / 3028.1818
Travessa Tuyuty, 74 – Centro
(51) 3227.5066
Rua Carlos Von Koseritz, 1200 – Higienópolis
(51) 3024.0751 | www.sommeliervinhos.com.br
Rua Pedro Chaves Barcelos, 607 – Bela Vista
(51) 3331.4005
Rua Des. Esperidião de Lima Medeiros, 317 v Três Figueiras
(51) 3328.8330 / 8405.4499
7
dell aNno/divulgação
BestHOME | Home Wishes
Porta Perfil Batente Dell Anno
Sem a presença de puxadores, a porta Perfil Batente da Dell Anno
é indicada para ambientes contemporâneos e minimalistas, em
projetos com volumes bem definidos que prezam pela horizontalidade. Está disponível para os acabamentos Castello, Linosa
Bianco, Nouvelle, Portus e Velazquez.
Onde encontrar: Dell Anno
Av. Nilo Peçanha, 1.851
Fone: (51) 3321-1000
www.dellanno.com.br
Máquina de Sorvete Cuisinart
CASA BONITA/divulgação
reprodução
A Cuisinart oferece máquina de sorvete que, em 30 minutos,
prepara sobremesas geladas, como sorbet, frozen iogurte e
sorvete do sabor que desejar. Tem um design clean e fácil de
manusear. É produzida em materiais de alta qualidade, com um
bowl de congelamento contendo um líquido de esfriamento
nas paredes duplas, mantendo o alimento congelado por mais
tempo. Saiba mais em www.cuisinart.com.
Decoração sofisticada
Bandeja em prata com trabalho rendada e pés – jarra de cristal
lapidado amarelo – taça de vinho lapidação bico de jaca em
cristal âmbar.
Onde encontrar: Casa Bonita
Rua Vicente da Fontoura, 2.336
Fone: (51) 3332-2211
www.casabonita.com.br
8
9
BestHOME | Best Wishes
Fotos reprodução
BMW i3
A BMW lançou no Brasil, em outubro deste ano, o primeiro
carro elétrico do país vendido no varejo. O BMW i3 tem seis
airbags, controle de estabilidade e tração, freios com sistema
ABS e anticolisão (frenagem automática), teto solar, sistema de
som, rodas aro 19 polegadas, central de multimídia com tela de
10,25 polegadas e navegador GPS, controle de cruzeiro, entre
outras características. A durabilidade da bateria é em torno de
100 mil quilômetros, e a garantia, de oito anos. Gera até 170
cavalos de potência e 25,5 kgfm de torque instantâneo, com
tração traseira. Com isso, consegue empurra os 1.315 quilos
do veículo de 0 a 100 km/h em 7,9 segundos.
Apple Watch
A Apple apresentou seu primeiro relógio inteligente em evento
realizado pela empresa. Ele funciona apenas com os iPhones –
os modelos compatíveis são iPhone 5, 5C, 5S, 6 e 6 Plus. A tela
é sensível ao toque, e o usuário pode acessá-la como faz no
iPhone tradicional. Ela também sente diferenças de pressão,
para dar acesso diferenciado e contextual a controles diferentes.
Ainda permite ler mensagens, atender ligações, ver a previsão do
tempo, tem contador de passos, sensor de frequência cardíaca,
entre outros benefícios. Começa a ser vendido nos Estados
Unidos por US$ 350, no começo de 2015.
Hero4: as GoPros mais avançadas até o momento
10
Com uma impressionante qualidade de imagem e novos recursos poderosos, as câmeras HERO4 levam o desempenho da
GoPro, ganhadora de Prêmio Emmy®, a um nível totalmente
novo. Escolha a partir de HERO4 Black, com recursos de vídeo
de 4K30, 2.7K50 e 1080p120, fotos de 12MP de até 30 quadros
por segundo, ou HERO4 Silver, que une o vídeo de qualidade
profissional e de captura de foto com a conveniência de um
display touchscreen integrado.
11
EEJT/divulgação
BestHOME | Summer Wishes
Atlântida Green Square – A praia da sua vida agora com mordomia incluída
MORANE MÓVEIS/divulgação
Localizado na Av. Central de Atlântida, nº 1.891, com a qualidade da Joal Teitelbaum, em um condomínio com jeito de resort
cheio de mordomias, 365 dias por ano. Apartamentos e duplex de 3 dormitórios com suíte, lavabo, amplas varandas e 2 ou 3
vagas de garagem. Visite o decorado e conheça esses e outros benefícios do empreendimento.
Conjunto Mesa Banyan
Ideal para ambientes externos, o conjunto tem estrutura em
alumínio e acabamento em fibra sintética. A mesa comporta
até oito lugares, tem tampo em vidro jateado e cadeiras confortáveis. De fácil manutenção, a limpeza dispensa qualquer
produto, sendo recomendado somente água.
EU AMO PAPELÃO/divulgação
Onde encontrar: Morane Móveis
Fone: (51) 2123-5419
www.morane.com.br
12
Casa infantil Eu Amo Papelão
Qual criança não quer ter a sua própria casinha, para poder
usar a imaginação nas mais diversas brincadeiras? Por ser em
papelão, as crianças podem pintar e colorir como quiserem,
a criatividade é livre!
A Eu Amo Papelão desenvolve móveis, brinquedos e projetos
especiais, tudo em papelão. Sua simplicidade e versatilidade
fazem com que as peças estimulam os pequenos a criar, pois
são perfeitas para customização.
Onde encontrar: Eu Amo Papelão
Fone: (51) 3338-3191
www.euamopapelao.com.br
13
BestHOME | Design
Sergio Rodrigues,
mago do mobiliário nacional
Trabalhar com amor
e acreditar no que faz
fotos Reprodução
Quando perguntado sobre qual conselho ele daria para um dormir. Em 1961, a peça venceu o Concurso Internacional do
jovem designer, Sergio Rodrigues (1927-2014) não titubeava Móvel, na cidade italiana de Cantù, superando 438 candidatos
em responder: “Trabalhar com amor e acreditar no que faz”. de 27 países. No começo, a Mole foi incompreendida. “PerAssim o designer e arquiteto viveu seus 86 anos. Considerado guntavam se não era uma cama de cachorro", contava Sérgio.
um dos mestres do design nacional, Sergio Rodrigues foi uma Mas, segundo os jurados, a poltrona era o único móvel “não
das perdas do ano de 2014. Ele partiu, mas deixou dezenas de influenciado por modismos e absolutamente representativo de
peças emblemáticas, que constituem um dos mais ricos acervos sua região de origem”. Anos mais tarde, a obra seria escolhida
mobiliários do país.
para integrar a exposição permanente do MoMA, o Museu de
Bem pequeno, Sergio passava muito tempo na casa de um Arte Moderna de Nova York. “Os móveis são como filhos, sou
tio-bisavô, no bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro, que tinha apaixonado por todos, mas a poltrona Mole tem um lugar
uma modesta marcenaria. Enquanto o tio trabalhava, ele ficava especial no meu coração”, dizia Rodrigues sobre a apelidada
ao lado, aproveitando cavacos de madeira para fazer casinhas “Poltrona Bossa Nova”. Hoje museus de Estocolmo e Munique
e carrinhos. Arquiteto por formação, foi como designer de também abrigam obras suas.
móveis que Sergio Rodrigues ficou conhecido. Desenhou seu
primeiro banco em 1954, o Mocho, com assento esculpido em
um único bloco de madeira, que virou ícone, como suas demais
criações subsequentes. O sucesso internacional veio com a
poltrona Mole, feita em jacarandá e couro. A peça foi feita por
encomenda para o fotógrafo Otto Stupakoff (1935-2009), que
procurou o arquiteto e designer carioca para que ele desenhasse um móvel confortável para seu novo estúdio, um sofá ou
poltrona na qual pudesse se esparramar e até, eventualmente,
14
Poltrona Mole,
um dos grandes sucessos
de Sergio Rodrigues
15
muito com arquitetura de interiores. Você sabe, até agora não
há uma compreensão total do que seja a arquitetura de interiores. Falam em estilo, mas não há estilo", declarava Sergio,
um tipo brincalhão, bonachão, cujas marcas registradas eram
seu vasto bigode e sua boina. "A casa não deixa de ser outro
tipo de vestimenta do homem. Acho os trabalhos populares
uma coisa maravilhosa. É arte fazer uma casa que tenha uma
função social", ponderava.
Criado em 2012, o Instituto Sergio Rodrigues ocupa-se
de preservar a divulgar a obra do artista. Desde então, sua
equipe trabalha para organizar todo o acervo documental
e iconográfico do arquiteto, que inclui mais de 30 mil itens,
como plantas, croquis e fotos. A história do carioca também
será tema de um documentário dirigido pelo brasileiro radicado em Nova York Peter Azen, de 30 anos, que conviveu com
Rodrigues desde os seis, quando ele desenhou a casa de campo
de sua família. O arquiteto e designer também terá seu legado
documentado por duas publicações. A partir de dezembro, uma
biografia escrita pela jornalista Regina Zappa estará disponível
no novo site do instituto. Em 2015, a editora Bei prepara um
livro de referência sobre a obra de Sergio Rodrigues, também
em parceria com o instituto.
Reprodução
Mas há Sergio Rodrigues em outros lugares. A atriz Kim Novak,
em Hollywood, tem peças dele. Escalado por Lucio Costa (19021998), o designer elaborou os móveis para diversas construções
de Brasília, incluindo o Palácio do Planalto. Os móveis desenhados por Sérgio Rodrigues há mais de 50 anos continuam em
pleno uso no Ministério das Relações Exteriores. Os turistas que
visitam o Palácio Itamaraty costumam contemplar a Esplanada
dos Ministérios sentados nos bancos Eleh, instalados ao redor
do jardim suspenso composto por Burle Marx para o terceiro
andar. Quem vai a alguma reunião em alguma unidade no Ministério poderá se deparar com uma mesa de trabalho Itamaraty
ou se sentar ao redor de uma mesa Alex ou Ilídia. Nas salas
de espera, há cadeiras Kiko e Tião, conjuntos de sofá Millôr e
Pajé e mesas de canto Alex e Vianna, ou até a poltrona Oscar,
desenhada por Sergio Rodrigues em homenagem ao amigo
Oscar Niemeyer (1907-2012), em que inova utilizando materiais
naturais, como a palha. E há outras peças de referência de sua
vasta obra, como a poltrona Diz – que hoje decora a varanda
do Hotel Fasano, no Rio –, a poltrona Voltaire, o sofá Hauner,
a cadeira Fernando, a poltrona Chifrudo.
"Fiz quase 200 casas, desde casinha de cachorro até mansões
de quatro pavimentos, totalmente de madeira. Mas trabalho
16
17
Atlântida Green Square
CONHEÇA O CONDOMÍNIO
COM JEITO DE RESORT
NA AV. CENTRAL DE ATLÂNTIDA.
18
Perspectiva da fachada do empreendimento 19
Perspectiva aérea do complexo de lazer
Área privativa de 130 a 297m².
Apartamentos e duplex de 3 dorm. com suíte,
lavabo e amplas varandas, com 2 ou 3 vagas
de garagem e amplo lazer de alto padrão.
Living
20
Apartamento duplex
• Churrasqueiras
• Playground
• Salão de festas
• Espaço Gourmet
• Espaço Família
• Piscina adulto e infantil
• Pista de caminhada
Quadra de esportes
• Play Baby e Kids Place
• Quadra de esportes
• Fitness Center
• Guarita de segurança
• Bicicletários e chuveiros
• Spa
• Vestiário
Kids Place
21
A praia da sua vida agora com
mordomia incluída, pra você relaxar
e aproveitar o bom da praia.
• Camareira e limpeza do apartamento
• Concierge no lugar de portaria
• Equipe de manutenção a disposição 24h
• Jardinagem
• Instrutores na academia*
• Equipe de recreação para crianças e adolescentes*
• Transporte para a praia
• Dog walking*
• Aluguel de toalha para piscina e praia*
• Amenities (sabonetes e shampoos)
• Loja de conveniência*
• Kit para churrasco (carvão, carnes,
pães, bebidas, etc.)
• Limpeza do salão de festas
• Limpeza da churrasqueira
• Serviço de alimentação para festas
at home ou no salão de festas
*Serviços planejados durante a temporada.
Quarto de casal
Automação de iluminação
entregue em todas as unidades
O controle do apartamento vai estar na palma da sua mão com a exclusiva
tecnologia Green Box, instalada e pronta para integrar pontos de luz e outros
equipamentos* da sua casa: áudio, vídeo, ar-condicionado, cortinas e persianas,
por exemplo. E o melhor de tudo: já vem com programa para iPad, iPod
e iPhone para acessar a residência de qualquer lugar do mundo, ao simples
toque de um botão.
*O funcionamento da automação para os outros equipamentos depende da execução, por parte do proprietário, de rede física que interligue
os outros equipamentos com a central de automação.
22
Salão de festas 23
EM BREVE
Visite o decorado e conheça
as condições especiais
oferecidas pelos nossos parceiros.
Sustentabilidade
De forma inédita, no litoral gaúcho,
o Atlântida Green Square terá os conceitos
de sustentabilidade. O empreendimento
seguirá as diretrizes da Certificação LEED (Leadership
in Energy and Environmental
Design) do US Green Building Council,
de forma a reduzir os impactos no ambiente
e conscientizar moradores e visitantes da
importância de preservar os recursos naturais.
Visite o plantão de vendas, e surpreenda-se com a maquete e outros benefícios do Atlântida Green Square.
Financie com o
Obra no Sistema Preço de Custo e Grupo Fechado
Administração e coordenação
Av. Central, 1891, Atlântida | 51 9722.9333 | 9545.0101 | www.atlantidagreensquare.com.br
Todas as imagens e plantas são meramente ilustrativas. Possíveis alterações de projeto serão executadas de acordo com o Memorial Descritivo do empreendimento. Projeto aprovado na Prefeitura Municipal de Xangri-Lá/RS, sob
24
o número 1546/11 e Alvará número 447/2012. Projeto Arquitetônico: Nedeff Arquitetura. Projeto de Arquitetura de Interiores Condominial: Arq. Ana Paula D. Teitelbaum. Projeto Paisagístico: Arq. Mariana Machado Simões e Arq. Christine Loro.
25
IVSON MIRANDA
BestHOME | Gestão
As ideias de Jorge Gerdau Johannpeter
Líder com melhor reputação no País segundo pesquisa da Merco divulgada pela revista Exame,
Jorge Gerdau Johannpeter, presidente do Conselho de Administração do Grupo Gerdau, falou
com exclusividade à revista Best Home. Na entrevista, Gerdau discorre sobre inflação, o Brasil
no cenário global, inovação e governança. “O desenvolvimento de uma nação está diretamente
relacionado à educação de sua população. Por isso, entendo que, para garantirmos a formação
de qualidade de futuros gestores, é necessário investir e dar a devida atenção às etapas
anteriores à universidade. O foco inicial deve ser na educação básica e na valorização dos
profissionais da área de ensino”, afirma.
26
Best Home – O Brasil possui um cenário para o próximo ano
de alta da inflação, da taxa de juros e do dólar. Como o senhor
acredita que a indústria deve se posicionar de modo a não
perder competitividade no cenário global e frente a produtos
importados?
Jorge Gerdau Johannpeter – É absolutamente necessário
desenvolvermos o conceito de isonomia competitiva nos sistemas tributário, trabalhista, financeiro e de logística para que
o Brasil possa disputar os mercados em pé de igualdade com
os demais países. Essas são deficiências históricas que governo
e sociedade precisam agir de forma prioritária. Para que isso
seja feito, é preciso definir um planejamento estratégico para
cada área, com metas claras a serem atingidas, utilizando,
por exemplo, experiências bem-sucedidas de outros países.
Devemos avaliar o nosso bom desempenho em determinados
temas e buscar atingir, no mínimo, os mesmos patamares nas
áreas mais deficientes.
Best Home – Quais são os principais desafios para o Brasil
melhorar sua posição no cenário global?
Jorge Gerdau Johannpeter – O governo precisa ter como
prioridade a melhoria de sua gestão para que o Brasil possa
retomar a competitividade global. Dessa forma, o setor público
poderá atender com maior efetividade as necessidades de melhorias em educação, saúde, segurança, logística e mobilidade
urbana, assim como criar melhores condições de negócios para
o empresariado.
Best Home – No setor privado, boa prática de governança
aliada a processos e pessoas leva organizações ao sucesso
através da competitividade. Qual a principal diferença com o
setor público?
Jorge Gerdau Johannpeter – Minhas experiências junto ao
Movimento Brasil Competitivo (MBC) e à Câmara de Políticas
de Gestão, Desempenho e Competitividade têm mostrado
“...entendo que a principal
diferença entre o setor
privado e o poder público
é o medo da morte,
já que, sem governança
e com gestão ineficiente,
uma empresa morre.”
que a melhoria da competitividade e desempenho econômico
passam, necessariamente, pela eficiência de gestão e por boas
práticas de governança. Nesse sentido, entendo que a principal
diferença entre o setor privado e o poder público é o medo da
morte, já que, sem governança e com gestão ineficiente, uma
empresa morre.
recuar. A máquina pública traz a experiência histórica, a memória
institucional e a amplitude e legitimidade de atuação.
Foi pensando nisso que lideranças empresariais criaram, em 2001,
o Movimento Brasil Competitivo (MBC). Os excelentes resultados
alcançados, como do Programa Modernizando a Gestão Pública
(PMGP), demonstram o sucesso do movimento.
Best Home – Como as organizações do setor privado podem contribuir para que o setor público, em todos os níveis,
programe projetos de gestão que capacitem a área pública a
apresentar melhores índices de produtividade e o IDH seja o
adequado a um país que por seu PIB se encontra entre as oito
maiores do mundo?
Jorge Gerdau Johannpeter – A ampliação das parcerias público-privadas, em sentido amplo, é fundamental para o avanço
sustentado do país. Os empresários contribuem com o espírito
empreendedor, que sabe a hora certa de arriscar, avançar ou
Best Home – O que deveria mudar na formação universitária do
brasileiro de modo a torná-lo um gestor global e apto a inovar e
fazer com nossas organizações sejam mais competitivas?
Jorge Gerdau Johannpeter – O desenvolvimento de uma nação
está diretamente relacionado à educação de sua população. Por
isso, entendo que, para garantirmos a formação de qualidade de
futuros gestores, é necessário investir e dar a devida atenção às
etapas anteriores à universidade. O foco inicial deve ser na educação básica e na valorização dos profissionais da área de ensino.
Um dos projetos que contribui nesse sentido é o movimento
27
Todos pela Educação, cujo objetivo é que, em 2022, ano do
bicentenário da Independência do Brasil, todas as crianças e
jovens tenham acesso garantido a uma educação básica de
qualidade. A instituição adotou cinco bandeiras, as quais entende como urgentes e com resultados mais impactantes para
a melhoria da qualidade da educação e para o alcance de metas.
São elas: formação e carreira do professor, definição dos direitos
de aprendizagem, ampliação da exposição do aluno ao ensino,
uso relevante das avaliações externas na gestão educacional e
aperfeiçoamento da gestão e da governança da educação.
Best Home – Todos sabem que não há uma receita para
inovação. O senhor enxerga potencial de criar um cluster de
inovação no Brasil?
Jorge Gerdau Johannpeter – Apesar dos esforços em inovação
terem sido intensificados nos últimos anos no Brasil, ainda
estamos muito aquém nessa corrida. Uma das causas desse
atraso é o distanciamento histórico entre os meios empresarial
e acadêmico que, felizmente, tem diminuído, mas talvez não
com a rapidez que a realidade mundial exige. Temos ainda um
longo caminho pela frente.
“O desenvolvimento de uma nação
está diretamente relacionado
à educação de sua população.”
Best Home – Em recente reunião do Fórum dos Mercados
Emergentes ocorrida próxima a cidade de Washington, participantes dos principais organismos de desenvolvimento
e instituições internacionais juntamente com empresários
convergiram que governança e infraestrutura são duas das
maiores questões para que os países e regiões alcancem o
desenvolvimento sustentável. Na sua visão que iniciativas
estruturais o Brasil deve adotar para melhorar os indicadores
nestes dois componentes?
Jorge Gerdau Johannpeter – A priorização de boas práticas
de governança e de temas que tornem o Brasil um país mais
competitivo no cenário global é o pontapé inicial para garantirmos melhores indicadores em termos de desenvolvimento
sustentável. Para tanto, são necessários a definição de macro
-objetivos e de metas claras para atingi-los, em curto, médio e
longo prazo, além de vontade política e expressiva articulação.
“...somos um povo
extremamente criativo
(...) é fundamental
investirmos em educação
e capacitação.”
28
Acredito que o apoio do Governo é essencial para criar políticas
de estímulo e para desenvolver o ecossistema de inovação do
País. Nesse sentido, a indústria brasileira tem colocado em pauta
algumas ações em direção à inovação empresarial, entre elas, a
modernização do marco legal de inovação, a melhora no sistema
de financiamentos e o incentivo à atração e desenvolvimento
de centros de P&D. Somam-se a isso o fortalecimento das
formações em engenharia, a modernização e agilização dos
processos de pedido de patente e a oferta de condições básicas
para estimular investimentos de risco em longo prazo.
Best Home – Executivos brasileiros são alvos de empresas
em todo o mundo, principalmente pela característica que têm
de lidar com a imprevisibilidade. O senhor acredita que esta é
realmente uma vantagem competitiva dos brasileiros? É possível
usar essa competência de modo a tornar nossas organizações
mais competitivas?
Jorge Gerdau Johannpeter – Devido ao nosso processo de
formação histórica, somos um povo extremamente criativo,
capaz de criar empresas que estão constantemente se reinventando e competindo no mercado global. Contudo, para
que essa vantagem competitiva seja plenamente explorada,
é fundamental investirmos em educação e capacitação. Sem
educação é impossível avançar no processo de industrialização
e produzir mercadorias e serviços de maior valor agregado,
fundamentais em nossa economia contemporânea.
29
BestHOME | Entrevista
Sistemas Construtivos
À frente da Federasul,
Ricardo Russowsky avalia
2014 e projeta 2015
AUDITORIUM
Eleito e reeleito por unanimidade, Ricardo Russowsky está em seu segundo mandato como presidente
da Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul) e da Associação
Comercial de Porto Alegre (ACPA). Russowsky levou às entidades sua expertise na área financeira, que
inclui a presidência, por duas gestões, do Banrisul, e a presidência do Banco Meridional do Brasil. À frente
da Federasul e da ACPA, trabalha com o desafio de agregar a bandeira em defesa da infraestrutura com
ações que contribuam para o desenvolvimento do estado e do país. Em entrevista à revista Best Home,
Russowsky avalia como foi o ano de 2014 e projeta 2015. “A política econômica deverá seguir uma linha
mais dura, com a elevação das taxas de juros, limitando o acesso ao crédito, e com maior controle sobre
os gastos do governo, reduzindo o consumo”, resume.
Best Home – Como está sendo o desempenho do comércio e
dos serviços neste segundo semestre de 2014?
Ricardo Russowsky – O desempenho tem sido preocupante, pois
estamos observando um crescimento do volume de vendas do
comércio varejista gaúcho de apenas 3% nos últimos 12 meses,
até setembro, e com uma tendência de desaceleração. Esse resultado está muito abaixo do verificado nesse mesmo período do
ano passado, quando o crescimento atingia 6,6%. Mas, se serve de
consolo, a situação do estado é melhor que aquela observada no
país, onde há uma estagnação completa das vendas do comércio
varejista no acumulado dos últimos 12 meses.
30
Best Home – Quais as perspectivas para o fechamento do
ano e para 2015?
Ricardo Russowsky – O ano deve encerrar com um crescimento das vendas do comércio um pouco abaixo de 3%,
refletindo a má situação em que se encontra a economia do
estado, especialmente o setor industrial, que ainda é um polo
importante da economia do Rio Grande do Sul e dinamiza
o comércio, especialmente no interior do estado. O ano de
2015 deve ser muito similar ao de 2014, pois a política eco-
nômica deverá seguir uma linha mais dura, com a elevação
das taxas de juros, limitando o acesso ao crédito, e um maior
controle sobre os gastos do governo, reduzindo o consumo
daquele setor.
Best Home – Quais os principais problemas enfrentados pelo
setor no Rio Grande do Sul hoje? Quais as principais ações
que deveriam ser tomadas de modo a retomar o crescimento?
Ricardo Russowsky – O principal problema está relacionado
à queda das taxas de expansão da renda real da população, seja pelo menor crescimento da economia, seja pelo
aumento da inflação, que corrói os salários da população.
Além disso, a elevação recente das taxas de juros e o maior
endividamento das famílias estão contribuindo para reduzir
a taxa de expansão do crédito, que tem sido o grande motor
para o aumento do consumo no estado e no país. Somado a
eles, não podemos esquecer a elevada carga tributária, que
torna os preços dos produtos muito mais elevados para os
consumidores. Um exemplo disso é o imposto de fronteira,
que, embora tenha sido revogado pela Assembleia, ainda
continua sendo cobrado pelo estado.
SISTEMA ACÚSTICO PARA SALAS DE REUNIÕES, AUDITÓRIOS, TEATROS E OUTROS AMBIENTES
Parceiros técnicos do Grupo Fiuza
Av. Carlos Gomes, 126 – sala 606 e 607 – Porto Alegre/RS
(51) 9594.2424 | (51) 3093.2400 | www.grupofiuza.com.br | [email protected]
31
Best Home – Como a Federasul vem atuando nos setores público
e privado de modo a promover uma competitividade sustentável
para as empresas do setor?
Ricardo Russowsky – A Federasul tem sugerido, em todos os
fóruns de que participa, a necessidade de um direcionamento
dos parcos recursos públicos ainda disponíveis para estimular os
setores intensivos em tecnologia, que demandam mão de obra
qualificada – algo que ainda temos em abundância, em comparação à maioria dos estados brasileiros. Tais setores acabam
gerando ganhos de produtividade ao longo de toda a sua cadeia
produtiva, estimulando o crescimento econômico. Um exemplo
disso é o processo de reconversão industrial pelo qual passa a
região do Vale do Rio dos Sinos. Ancorada no polo tecnológico
Tecnosinos, a região vem, gradualmente, deixando de depender
exclusivamente de alguns setores tradicionais, como o calçadista.
Novas oportunidades estão sendo criadas em setores de elevado
valor agregado e conteúdo tecnológico, especialmente de tecnologia da informação, que são menos nocivos ao meio ambiente.
todos os níveis é uma condição necessária ao bom desempenho
econômico de um país. Portanto, a melhoria da qualidade da
educação é a grande reforma estrutural que falta ser realizada,
porque é ela que pode criar uma base definitivamente sólida
para o desenvolvimento do país. Além disso, a atual escassez
de investimentos públicos tem provocado uma deterioração
de nossa infraestrutura, que torna nosso custo logístico um
dos mais altos do Brasil. Desde 2004, o Rio Grande do Sul tem
aplicado menos de 5% da sua arrecadação em infraestrutura,
um percentual muito abaixo do dos demais estados da região
Sul e Sudeste, com os quais disputa e, geralmente, perde investimentos privados. Portanto, devemos direcionar os investimentos públicos com prioridade absoluta para a recuperação
da infraestrutura, que hoje é um dos grandes gargalos para o
nosso crescimento econômico. A iniciativa privada deve ter
espaços para ser mais atuante, apostando-se ainda mais nas
parcerias público-privadas como um instrumento estratégico
para esse desafio.
32
Divulgação
Best Home – Quais ações de curto prazo o
senhor entende que deveriam ser tomadas
em prol da simplificação e redução da carga
tributária no país?
Ricardo Russowsky – Somos favoráveis a
uma ampla reforma tributária, que tenha como
objetivos principais a redução e simplificação
da carga tributária no país. No entanto, sabemos da dificuldade política de uma reforma
que tenha essa dimensão. Assim, defendemos
também ações pontuais que apontem nesse
sentido. Penso que a principal delas é a redução
do número de tributos federais, criando um
imposto sobre o valor agregado, substituindo
uma série de tributos atuais.
Best Home – Quais as principais metas da
gestão para o ano de 2015?
Ricardo Russowsky – Continuaremos a defender a melhoria da qualidade da educação
e da infraestrutura, que são aspectos-chave
para impulsionar o crescimento do estado e
do país. Países com educação universal e de
qualidade teriam uma vocação para a inovação
de produtos e de processos de produção. Tais
inovações, por sua vez, aumentariam a produtividade da economia, gerando taxas mais
elevadas de crescimento econômico. Por fim,
países mais dinâmicos teriam uma propensão
maior a investir em educação, fechando o
círculo virtuoso. Assim, uma boa educação em
33
Ricardo Russowsky, presidente da Federasul
FRUKI/Divulgação
BestHOME | Empreendedorismo
Entrevista com Nelson Eggers, diretor-presidente da Fruki
Nesta entrevista, o diretor-presidente da Fruki corrobora sua determinação
de fazer da Fruki uma das maiores empresas do setor.
Nelson Eggers,
Best Home – Qual o principal objetivo da Fruki?
Nelson Eggers – Queremos crescer sempre. O ser humano
não pode se perenizar, ser eterno. Mas uma empresa pode.
Nós estamos organizando a empresa nesse sentido. Já fizemos
ajustes na gestão, nas questões de governança corporativa,
de sucessão familiar. Tudo está bem estabelecido. Creio que a
empresa esteja bem preparada para não sofrer com acontecimentos inesperados.
Não há como não parar para ouvir com atenção as palavras
de Nelson Eggers, diretor-presidente da Fruki. O empresário
tem fama de ser um bom contador de histórias, mas a melhor
delas, certamente, é a sua própria: a de um homem determinado,
empreendedor, que seguiu os passos do avô e deu continuidade à sua indústria – que neste ano completou 90 anos de
atuação –, transformando-a uma das maiores empresas do
Rio Grande do Sul.
No vale do Taquari, a Fruki foi pioneira, por exemplo, na
utilização de computadores para a gestão de seus processos,
lá em 1980. Em 1988, inaugurou sua estação de tratamento
de efluentes. Uma ampliação da capacidade produtiva marcou
o ano de 1998, quando a fábrica começou a embalar 300 milhões de litros de bebida por ano. São atitudes e números que
demonstram que o “Seu Nelson” nunca esteve para brincadeira.
Best Home – Qual a principal
característica da empresa? No
A qualidade dos produtos é consequência
que ela se difere de outras de
Best Home – Mas foi preciso
da boa gestão. Não adianta você querer
seu ramo de atuação?
empreender uma restruturaNelson Eggers – A qualidade
ção no quadro profissional da
fabricar um bom produto se você
dos produtos é consequência
empresa, certo?
não tem uma gestão de qualidade.
da boa gestão. Não adianta
Nelson Eggers – Infelizmenvocê querer fabricar um bom
te eu tinha aqui gente muito
produto se você não tem uma
boa, mas que não era qualigestão de qualidade. A ideia,
ficada. Quando uma empresa
a formulação pode ser muito boa, mas em seguida tudo vai cresce muito, é preciso que seus profissionais cresçam também.
pelo ralo, logo desanda. E gestão é tudo. É escolher a marca, Infelizmente tivemos que afastar muita gente que tinha nossos
elaborar os produtos, fazer todo o tratamento da indústria, dar valores, nossos princípios, nossa cultura, mas não tinha o coum norte para a coisa.
nhecimento. E esse afastamento foi devidamente gerenciado,
de forma humana. Infelizmente perdi muita gente amiga. Faço
Best Home – Como é o relacionamento da diretoria com os questão de, uma vez por ano, me reunir com todos eles em um
funcionários e o trabalho de gestão de pessoal?
churrasco. Neste ano, todos foram convidados, junto com suas
Nelson Eggers – Penso que o relacionamento com os fun- famílias, para a festa dos nossos 90 anos. Afinal de contas, todos
cionários é uma das coisas na empresa que me causa grande ajudaram a construir esta história.
o empreendedor de uma bela história
34
Em 2014, além de seus 90 anos, a Fruki comemorou o
destaque entre as dez melhores empresas para se trabalhar
no Rio Grande do Sul, segundo pesquisa encomendada pela
Revista Amanhã e realizada pelo instituto Great Place to Work
(GPTW), título conquistado pelo quarto ano consecutivo.
A Fruki comemora, também, os números do ano. O guaraná,
segundo seu presidente, é líder de vendas na Região Metropolitana e nos vales do Rio Pardo e Taquari. Tanto crescimento
impulsiona mais expansão. A intenção é construir dois novos
centros de distribuição, para abastecer os mercados da Serra
e do Sul do estado, pois as unidades ficaram pequenas para
atender à demanda. A Fruki também planeja uma nova fábrica
de sucos, chás, isotônicos, vitaminas e bebidas à base de soja.
O investimento tem um valor estimado em R$ 60 milhões e
é disputado por 50 cidades gaúchas.
felicidade. Hoje temos cerca de mil profissionais, que não
chamo de empregados, de funcionários, nem de colaboradores.
Colaborador é quem vai lá assinar uma lista de participação
para ajudar o grupo da igreja, o time de futebol. Na Fruki todos
são profissionais que vendem seu trabalho. A cada encontro
com um deles, recebo um cumprimento, um carinho. Fico feliz
ao chegar ou sair da empresa e ver todos se cumprimentando,
dando a mão, alegres. Aqui
ninguém entra ou sai de cara
fechada.
35
Nelson Eggers,
diretor-presidente
da Fruki
FRUKI/Divulgação
“levar vantagem em tudo”. Será que é porque elas são budistas?
Não sei explicar o que se passa. Hoje aqui não podemos mais
sair na rua, é perigoso. Lembro que eu era jovem, estudava em
Porto Alegre e ia visitar o meu tio. Saía da linha final do bonde
e ia até o alto do estádio Beira-Rio sem problema algum, a
pé. Mas, enfim, eram outros tempos... Outra coisa é a busca
do conhecimento constante. Não adianta fazer a faculdade e
parar. E aí eu falo em participar de encontros, de debates, de
reuniões de entidades. Nesses ambientes se aprende muito
com a troca de ideias e experiências. Fora o estabelecimento
de um relacionamento com as pessoas, que também é bastante
importante. E ter constância de propósitos. Se você é jornalista,
não vai decidir ano que vem ser enfermeira, depois advogada...
É preciso ter constância e foco.
Best Home – Como se dá a integração de novos funcionários?
O que é preciso ter para ser um profissional da Fruki?
Nelson Eggers – Os nossos princípios e valores estão enraizados
em cada um de nossos profissionais. Esse é um grande diferencial
que temos. Quando admitimos novos profissionais, duas vezes
por mês temos o programa de integração. Antes de começar a
trabalhar, seja onde for e em que setor ou função for, eles passam uma semana em Lajeado. É quase uma escola. Eu participo
também, falo com eles e explico que, na Fruki, a cultura é a do
correto, do certo. É muito simples, não tem nada daquelas coisas
rebuscadas que ninguém entende. Deixo eles bem à vontade
para, se acharem que essa cultura não é boa, ficarem tranquilos
e seguirem para outra empresa. As pessoas não podem trabalhar
em um local com o qual não se identificam, não vai dar certo, é
perda de tempo para ambos os lados. Mas eu deixo claro que não
gostaria de perder nenhum deles. Todos têm ficado.
36
Best Home – O que é importante um empresário ter ou fazer
para ultrapassar os eventuais percalços que surgem no decorrer
do tempo e seguir trilhando o caminho do sucesso?
Nelson Eggers – É preciso, primeiro, ser cidadão, ter vontade
de trabalhar, ter bom caráter, ser ético, honesto e confiável.
Disciplina e humildade são importantes, é preciso saber que
sempre vamos aprender. E é preciso muito trabalho. E nada
disso é virtude, é obrigação de todos. Isso infelizmente no Brasil
está desaparecendo a cada minuto. Acabei de visitar países nos
Emirados Árabes, fui a Cingapura, à Tailândia... Lá as pessoas são
mais confiáveis, têm atitudes corretas, não têm essa cultura do
Best Home – E como andam os números na Fruki?
Nelson Eggers – Apesar de o consumo de refrigerantes não
estar crescendo muito de uns anos para cá, ficando em cerca
de 1% ou 2 %, o nosso crescimento neste ano ficará perto de
20%. Hoje somos líderes em guaraná na região metropolitana,
o que representa abastecer cerca de 4 milhões de pessoas. Somos líderes também no vale do Taquari e do Rio Pardo. Ainda
queremos conquistar a Serra, a região Sul. Com a água mineral
aconteceu uma coisa fantástica. Lançamos a Água da Pedra em
2001, e, como é sabido, temos várias marcas aqui no estado.
Em 2010, quando fizemos nosso planejamento estratégico,
projetamos estar em segundo lugar no mercado de águas em
2016, em share de mercado. Já em 2013 chegamos ao primeiro
lugar. Temos de 35% a 38% do mercado, enquanto o segundo
lugar fica com mais ou menos 15% – isso tudo falando em
região metropolitana de Porto Alegre.
Best Home – Conte como foi a passagem com o jogador
David Beckham, que apareceu para todo o mundo em uma
foto com um guaraná Fruki.
Nelson Eggers – Foi muito interessante e engraçado. Em todo
o mundo há gente que gosta e consome guaraná. Eu tinha um
colega de inglês em Lajeado que foi morar nos Estados Unidos e
queria porque queria levar o Fruki para vender lá. Eu o desaconselhei, porque ele certamente venderia muito pouco. Ele insistiu
tanto que mandei um contêiner para ele – só para ter uma ideia,
vendemos uns 40 contêineres por dia no Rio Grande do Sul.
Pois não é que o Beckham foi ao Café Brasil, um dos lugares onde
o meu colega havia distribuído o guaraná, e pegou uma lata do
Fruki? E ele saiu andando com a lata fechada, creio que ele possa
ter levado para a mulher dele, que estava grávida na época. Mas
também há outra suposição, de que o casal daria a latinha de
Fruki de presente para o casal real, William e Kate, de presente
de casamento. Mas eu quero ver é quando um americano estiver
tomando uma lata de Fruki Cola, aí sim vou me surpreender.
37
Rua Marcelo Gama, 1.382
Auxiliadora
• Estacionamento rotativo
• Reuso de água da chuva
• Projetos racionalizados
• Uso de tinta à base de água
• Paisagismo com plantas locais
• Uso de madeira certificada
• Vidros especiais na fachada oeste
• Sala de reciclagem
51
EM FASE FINAL
DE ACABAMENTO
38
3019.1883 | 51 9545.0101
www.teitelbaum.com.br
Obra no Sistema Preço de Custo e Grupo Fechado
Administração e coordenação
Projeto Arquitetônico: Eduardo Haetinger – SMOV: 002.235315.00.6 – Imagens meramente ilustrativas – Obra no sistema preço de custo e grupo fechado – Áreas conforme NBR 12721, no item 3.7
39
fotos H. STERN/Divulgação
BestHOME | História
Ao lado, loja na Av. Rio Branco
no Rio de Janeiro, década de 60.
Abaixo, Catherine Deneuve
com Hans Stern em 1970
H. Stern:
estrela internacional
nascida no Brasil
Hans Stern na praia de Copacabana em 1939
40
O Brasil conta com algumas estrelas internacionais, forjadas
Stern não apenas ampliou seus próprios negócios. Ele
no decorrer da história, em diversas áreas – vide Carmen Miranda também criou e promoveu o interesse internacional por pedras
no cinema, Tom Jobim na música, Gisele Bündchen na moda, Pelé preciosas brasileiras e coloridas. Naquela época, águas-marino futebol, por exemplo. Mas há uma que reluz desde 1945, sem nhas, turmalinas, ametistas e topázios deslumbrantes não eram
interrupções, mundo afora: a joalheria H. Stern. Apesar do nome, tão valorizados como atualmente.
a casa de joias foi criada no Rio de Janeiro por Hans Stern (1922“Eram consideradas pedras semipreciosas, mas a gente
2007), que se apaixonou por pedras preciosas quando trabalhava sabe que isso não existe, certo? Existe uma ‘semigrávida’, um
como datilógrafo em uma empresa comercial exportadora. Come- ‘semi-honesto’? O que pode ser mais valioso e menos valioso?”,
çando com um pequeno negócio de compra e venda de pedras no conta Hallot, com seus habituais bom humor e simpatia. Antes
centro do Rio, Hans expandiu rapidamente sua atividade para a de Hans Stern, o mercado e o setor de joias finas concentrafabricação de joias e lapidação de pedras preciosas. Pouco depois, vam-se exclusivamente em diamantes e nas chamadas pedras
abriu a primeira loja perto do porto, onde os viajantes mais ricos orientais – rubis, safiras e esmeraldas. Com seus esforços, as
do mundo chegavam a bordo de navios de cruzeiro luxuosos. “outras pedras preciosas coloridas” tornaram-se desejáveis e
Após 66 anos, a empresa agora é a maior joalheria no Brasil e da passaram a ser denominadas “pedras coloridas brasileiras”,
América Latina e uma das maiores e mais conhecidas marcas de mesmo que não tivessem necessariamente sido encontradas
joias no mundo, presente em 28 países, com uma rede de 160 lojas no Brasil (embora o país seja o maior produtor dessas pedras
operadas pela família e cerca de 80 pontos de venda adicionais preciosas). A obsessão de Stern com a qualidade levou-o a
operados por parceiros comerciais.
criar, em 1947, um Certificado de Garantia Internacional para
“Hans era um visionário, um empreendedor e um corajoso”, comprovar a qualidade de suas joias.
pontua Christian Hallot, embaixador e porta-voz oficial da marca.
A primeira loja, no cais do porto, nasceu para saciar a avidez
“Ele saiu da empresa em que trabalhava, vendeu seu acordeão por de consumo do pessoal que desembarcava no Rio a caminho
200 dólares e montou seu escritório no centro, para comercializar de outros lugares da América. “Naquele tempo só se viajava de
as pedras ainda em seu estado rudimentar.” Como não encontrou navio, e como as mulheres usariam as joias soltas? Então Hans
lapidadores experientes por aqui, os importou da Alemanha Stern começou montando joias simples, de águas-marinhas,
combalida pela guerra. “De lá vieram os melhores lapidadores do turmalinas com dois diamantes, para as senhoras usufruírem
mundo, que ensinaram o trabalho aos brasileiros. Desde o princí- durante a viagem”, recorda Hallot. Foi a primeira grande tacada
pio dos anos 40, Hans Stern se especializou na lapidação perfeita.” certeira do senhor Stern rumo ao sucesso.
Pioneirismo
Implementar algumas estratégias pela primeira vez no sua coleção pessoal de turmalinas, com todas as tonalidades
mercado brasileiro foi um dos fortes de Hans Stern. Ainda na conhecidas dessa pedra – a coleção tem mais de 1.100 pedras!
década de 50, criou uma visita guiada às oficinas no Rio de
Mas o grande salto de prestígio e visibilidade internacional
Janeiro para oferecer aos visitantes uma visão completa, passo a a H.Stern conquistou quando lançou, também na década de
passo, de como eram elaboradas as joias. Em 1958, a H.Stern foi 1980, a coleção Catherine Deneuve, inspirada na clássica atriz
a primeira joalheria na América Latina a estabelecer seu próprio do filme “A bela da tarde”, de Luis Buñuel. As joias da coleção
laboratório gemológico. Cada pedra usada pela empresa passa e as iniciais CD gravadas em diamantes passaram a ser vistas
pelo equipamento sofisticado e de última geração do laborató- nos pescoços, orelhas e pulsos das mulheres mais estilosas
rio, e todos os testes estão em conformidade com os padrões e chiques do mundo. Outro pioneirismo do visionário Hans
rigorosos do GIA (Gemological Institute of America) até hoje.
Stern: a marca foi a primeira a lançar coleções inspiradas por
Em 1959, a H.Stern promoveu o primeiro desfile de joias no celebridades famosas – coisa que hoje se vê até em lojas de
Brasil e foi a única marca latino-americana a participar, como departamentos. Depois de Catherine Deneuve, a empresa lançou
convidada, da “Exposição de Joias Modernas” no Victoria and uma coleção com o artista plástico italiano Roberto Moriconi,
Albert Museum, de Londres. Nos anos 60, a marca passou a que se sentou pessoalmente à bancada de joalheiro para esculpir
trabalhar no chamado Circuito Elizabeth Arden – Nova York, e gravar cada peça exclusiva da coleção.
Londres, Paris.
Em 1975, a H.Stern apostou no Trunk Show: uma vez por
ano, os clientes da marca têm a oportunidade de trazer suas
peças de ouro não mais usadas e trocá-las, por um valor acima do estabelecido pelo mercado, como parte do pagamento
pela compra de uma nova joia. A ideia foi tão bem-sucedida
e popular que muitos outros joalheiros no Brasil e do exterior
a copiaram. “Nos anos 70, a marca passou a investir mais no
público interno”, relata Christian Hallot. “Começamos a enraizar a tradição. A marca investiu mais em filiais no Brasil, para
brasileiros. Os brasileiros ainda não eram apaixonados pelas
pedras brasileiras, usavam muitos cordões de ouro, pulseiras
com brilhantes, rubis e safiras. Hoje o brasileiro já valoriza suas
pedras preciosas.”
Em 1983, a H.Stern ganhou um edifício novo, em Ipanema,
todo planejado para hospedar as diversas áreas envolvidas na
manufatura e no varejo de joias finas, incluindo oficinas de
ourivesaria e lapidação, laboratórios, instalações de treinamento,
escritórios, museus e showrooms. A festa de inauguração parou
a high society carioca e teve a presença da atriz Brooke Shields,
ícone dos anos 1980, estrela do filme “A lagoa azul”. No mesmo
ano, Hans inaugurou um museu particular de pedras brutas, espécimes raros e criações premiadas, que hoje também hospeda
41
fotos h. stern/Divulgação
Design
Vieram os anos 90, e o filho mais velho de Hans, Roberto
Stern, começou a trabalhar na empresa. A companhia precisou
adaptar-se aos novos tempos, à chegada da internet, a um
mundo que diminuiu de tamanho. “As pessoas passaram a assistir aos desfiles internacionais online, e o gosto das mulheres
padronizou-se mundo afora. A mulher que mora na Tasmânia
tem o mesmo gosto da que mora em Nova York ou Paris.
A mesma informação chega a uma mulher na Terra do Fogo ao
mesmo tempo”, pontua Hallot. Esse estado de coisas obrigou
as empresas de joias, moda, sapatos, roupas a reinventarem-se.
A saída? O design único. “Um sapato Louboutin é conhecido
por sua sola vermelha. Na joalheria ocorre a mesma coisa.
O desenho da pantera, por exemplo, é o símbolo da Cartier.”
A H. Stern passou a se destacar com a joalheria de design.
Na área de desenvolvimento de produtos, a empresa começou a observar e interpretar tendências de comportamento, estilo e moda e continuou a lançar coleções inspiradas por diversas
personalidades, como a consultora de moda e estilo Costanza
Pascolato (1997), o músico Carlinhos Brown (1999), a artista
Anna Bella Geiger (2000), os designers de móveis Fernando e
Humberto Campana (2001), a estilista e ícone cultural Diane von
Furstenberg (2004), o arquiteto Oscar Niemeyer e a companhia
mineira de dança Grupo Corpo (2009) – e ainda uma coleção
de anéis inspirados no filme “Alice no País das Maravilhas”, de
Tim Burton (2010), e uma coleção inspirada no trabalho do
paisagista Roberto Burle Marx, lançada no primeiro semestre
de 2011. “O design passou a ser o fator mais importante antes
mesmo da pedra central”, revela o embaixador da marca. “Desenha-se primeiro a peça, cria-se um conceito e a partir daí
se vê qual pedra tem a ver com aquele clima, aquela criação.”
Até uma tonalidade exclusiva de ouro, o Ouro Nobre™, foi
criada pela H.Stern, com o metal em um tom intermediário entre
o branco e o amarelo. Para colocar em prática tanta criatividade,
Brincos de Ouro Nobre
com diamantes
a empresa também se concentra nas inovações tecnológicas, com
novas técnicas para lapidação e polimento de pedras preciosas.
Para alcançar essas habilidades técnicas exclusivas, a equipe
de design da H.Stern é desafiada regularmente para repensar
processos estabelecidos e reaprender técnicas seculares de
diferentes pontos de vista. Esses esforços culminaram, em 2004,
no desenvolvimento e lançamento do “Stern Star”, um diamante
com lapidação orgânica e assimétrica exclusiva, cujas facetas
refletem a forma de uma estrela – assinatura visual da marca.
“Atualmente o conceito é um dos motores da venda. Os
metais e as pedras são consequência. Hoje o presidente Roberto
Stern é também nosso diretor de criação. De 15 anos para cá, a
H.Stern passou a ser gerida pelo design. E a teoria de Roberto
é esta, não adianta olharmos o vizinho. Queremos fazer algo
diferente.” Por isso, não é no próprio mercado de joias que
a H.Stern se inspira, mas no mundo das artes, do design, da
moda, em outros universos que trazem ideias novas para suas
criações. “Por isso procuramos expoentes nas artes, na música,
no paisagismo, na arquitetura, gente que trouxesse inspiração
para encontrar um traço novo, uma nova forma de se fazer
joias que até então não havia sido usada.”
Na administração, os filhos de Hans Stern seguem sustentando seu legado. Além do presidente e diretor de criação,
Roberto Stern, o segundo filho de Hans, Ronaldo Stern, é
vice-presidente e também membro do conselho, junto com a
Sra. Ruth Stern e os outros dois irmãos, Rafael e Ricardo Stern.
Outros diretores os ajudam a promover a continuidade da renovação e expansão. Essa administração e uma equipe global
de quase 3.000 profissionais, cerca de 200 artesãos, garantem
que os valores essenciais e os objetivos que foram instituídos
por Hans Stern há 67 anos continuarão a orientar a H.Stern
todos os dias e no futuro. A H.Stern segue ostentando vários
prêmios de design, tornando-se uma referência mundial em
joias e em criatividade. Até hoje, reis e rainhas, artistas, políticos e celebridades fazem questão de visitar a sede mundial
da H.Stern, no Rio de Janeiro. Como resistir a tanto brilho e a
uma história como essa?
Brincos de Ouro Nobre 18K
com esmeraldas e diamantes
Bracelete COPAN de ouro
amarelo 18K com diamantes
Coleção H.Stern por
Oscar Niemeyer
Brincos Monumento
H.Stern por Oscar Niemeyer
42
Roberto, Ronaldo
e Hans Stern
43
44
45
BestHOME | Economia
A importância
do seguro
Instrumento de tranquilidade
e proteção de conquistas
foge totalmente ao nosso controle. Quando indesejáveis e
arrasadores, podem inclusive dilapidar nosso patrimônio
conquistado a duras penas. Para nos protegermos, só existe
uma maneira: assegurá-los.
Não existem produtos ou serviços substitutos do seguro
para proteger nosso patrimônio. O seguro tem por objetivo
a reposição do bem sinistrado, quando ocorre perda total,
ou sua recuperação, quando há perda parcial, devolvendo as
características anteriores ao sinistro. Sua finalidade última é
restabelecer o equilíbrio econômico perturbado.
Robert Kneschke/SHUTTERSTOCK
Os seguros são ferramentas fundamentais para assegurar
nosso bem-estar e tranquilidade, bem como a preservação de
nossas conquistas – pessoais ou profissionais –, protegendo
nosso patrimônio. Quer queiramos ou não, os imprevistos são
parte integrante da vida de cada um de nós. Em nossa sociedade do século XXI, caracterizada pela busca de bem-estar e
felicidade, não gostamos de pensar em acasos indesejáveis
ou sinistros de qualquer espécie. Mas eles acontecem à nossa
revelia e quando menos esperamos. Os imprevistos fazem
parte do cotidiano e integram a porção de nossas vidas que
46
47
Nas economias desenvolvidas, em que as populações buscam segurança e tranquilidade e planejam seu futuro pessoal
e o de suas empresas, a indústria de seguros é bastante forte e
penetrante. Já nas economias emergentes, a cultura do seguro
deixa a desejar.
O Brasil, ainda engatinhando nesse segmento, vivencia um
momento inédito do mercado de seguros, marcado por acentuados níveis de expansão em praticamente todos os setores e tipos
de produto. Uma série de fatores tem contribuído para que essa
indústria avance rapidamente, e entre eles, o aumento do poder
de compra da população. Desde o lançamento do Plano Real,
em 1994, cerca de 45 milhões de brasileiros foram inseridos no
mercado de consumo. No período entre 2002 e 2010, a população
brasileira cresceu 10%, enquanto a classe média ampliou-se em
mais de 30%, com significativa ascensão social, que proporcionou acesso a bens de consumo e a formação de um pequeno
patrimônio. O resultado é que a participação no PIB da indústria
brasileira de seguros saltou de 1% para 6% nos últimos dez anos.
claudio fonseca
Comparado com as economias mais maduras, entretanto,
o mercado de seguros no Brasil ainda tem muito espaço para
crescer. A título de comparação, nos Estados Unidos, por exemplo, o gasto per capita anual com seguro é de US$ 3,8 mil, e
no Reino Unido é de US$ 4,5 mil. Enquanto o Brasil conseguiu
chegar a 6% de participação no PIB, os países desenvolvidos
contam com uma arrecadação anual de prêmio de seguros de
aproximadamente 10% do PIB.
Há muito espaço para crescer
Mesmo com o crescimento dos últimos anos, a penetração
da indústria de seguros no Brasil ainda é pequena, e há grande
espaço para o segmento crescer. Recente pesquisa da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), que
representa 75 seguradoras e entidades abertas de previdência
complementar no país, divulgada em outubro último, demonstrou que, apesar de a maioria dos brasileiros se preocupar com
a possibilidade de ocorrências imprevisíveis, somente 35% da
população compram seguros para se proteger de infortúnios.
A maioria dos brasileiros (66%) preocupa-se com situações imprevisíveis no futuro, mas não adota nenhuma ação financeira
para se preparar para adversidades.
Ainda hoje, o seguro de vida é mal compreendido pela
maioria. A consciência de que os seguros são parte importante
do planejamento financeiro ainda não é generalizada em nosso
país. Existe uma série de desafios a serem enfrentados. Entre
eles, melhorar quantitativa e qualitativamente a distribuição
de seguros, torná-los mais simples, e sua linguagem, mais clara.
É preciso que o cliente, de qualquer classe social, entenda o
que está contratando e o que, eventualmente, o seguro não irá
cobrir. Outro ponto importante para a disseminação da cultura
do seguro é a inclusão do tema na educação de base.
Há ganhos significativos para as economias nacionais com
o desenvolvimento da indústria de seguros, que devolve à sociedade parte do arrecadado em pagamentos de sinistros. Em
2013, o mercado segurador brasileiro, por exemplo, arrecadou
R$ 290,6 bilhões em prêmios de seguro. E devolveu para a
economia, em pagamentos de sinistros, mais de R$ 10 bilhões,
além de fazer reservas técnicas, aplicações etc. Que outro
produto/serviço faz isso?
É fundamental que o Brasil incentive a cultura do seguro,
para que os ganhos com o desenvolvimento econômico sejam
protegidos – agora e no futuro. Uma economia forte tem uma
pujante indústria de seguros.
Renato Abensur
Sócio-diretor Abensur Consultoria
e Corretagem de Seguros
48
49
MAIS NOVO EMPREENDIMENTO
COM CONCEITO GREEN BUILDING,
DOTADO DE INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS
E ATRIBUTOS QUE CONTEMPLAM
O PLENO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
O Condomínio Príncipe de Greenhill é o mais
recente empreendimento Administrado pelo
Escritório de Engenharia Joal Teitelbaum, localizado em bairro nobre de Porto Alegre, na rua
Lucas de Oliveira, nº 1.025. O Prédio foi construído no sistema de Preço de Custo e Grupo
Fechado e possui conceito Green Building, dotado de inovações tecnológicas e de atributos
que contemplam o pleno desenvolvimento sustentável, gerando benefícios para toda a vida
útil do imóvel, além de melhorias para o meio
ambiente e economia para os moradores.
Administração e coordenação
Obra no Sistema de Preço de Custo e Grupo Fechado
50
(51) 3019.1883 | (51) 9545.0101 | www.teitelbaum.com.br
51
Roberto vinicius/AGAFOTO
BestHOME | Decoração
Tradição e
modernidade
no Príncipe de Greenhill
52
A decoradora Dóris Machado Borges Fortes
e a arquiteta Carolina Borges Fortes Ochman
ensinam a mesclar o clássico e contemporâneo
sem perder a identidade da proprietária
do apartamento – uma apaixonada por arte
e cultura – e o aconchego do espaço.
Salas sofisticadas, dormitórios amplos com iluminação
natural e uma cozinha bem iluminada com circulações internas inteligentes são características que se destacam nos
apartamentos do condomínio Príncipe de Greenhill, onde a
elegância e a exclusividade dão o tom. Contudo, cada apartamento é uma descoberta, a partir do trabalho de arquitetos
e decoradores, que se inspiram nas tendências mundiais e as
agregam ao gosto do proprietário da residência. No caso deste
apartamento de andar inteiro do Príncipe de Greenhill, o verde
das belas e grandiosas árvores que ainda habitam a região da
Rua Lucas de Oliveira chama a atenção. Tudo entra no apartamento pela ampla sacada, só ela um ambiente todo especial que,
principalmente por sua extensão e luxo, pode ser considerado
mais um cômodo do lugar. “Esse toque humaniza o ambiente, “Precisamos equilibrar de forma estética, elegante e bonita as
abraçando os proprietários e visitantes”, ensina Dóris Machado necessidades dos proprietários com algo que seja acolhedor, que
Borges Fortes, decoradora responsável pelo projeto de interiores faça as pessoas se sentirem à vontade no espaço. Esse apartado lugar, junto com a filha, a arquiteta Carolina Borges Fortes mento, particularmente, se você chega à tardinha, você não tem
Ochman. O projeto de ambas para o espaço pode ser resumido vontade de ir embora!”, entrega Dóris. O clima do lugar é de luxo
em um belo e aconchegante apartamento, que convida à visita. e beleza sem ostentação. Há elegância nos detalhes e um mix de
“Hoje muita modernidade às vezes deixa os espaços um pouco objetos e móveis que mesclam itens que já pertenciam à família,
desumanos, aquela casa, aquele apartamento, parece que não outros galgados em lojas e antiquários e outros ainda que foram
te pertence. A particularidade do meu trabalho é humanizar o encomendados especialmente para se encaixar com maestria nos
espaço, e creio que esse apartamento do Príncipe de Greenhill espaços e no estilo almejado. “O trabalho é bem esse, galgar peças
seja um grande exemplo dessa linha estética”, apresenta Dóris. diferenciadas, que se juntam às já existentes e fecham o clima
Abraçar quem quer que circule pelo apartamento é um do lugar. E tudo com muita praticidade, porque hoje em dia não
dos detalhes pelos quais a dupla de profissionais mais preza. há mais espaço para algo que não seja prático nem acolhedor.”
53
fotos Roberto vinicius/agafoto
A começar pelo hall de entrada, as soluções para garantir
essa praticidade chamam a atenção. A bela entrada logo na
saída do elevador esconde uma gama de fios e contatos que
ninguém supõe ao cruzar o hall. “Por trás dos espelhos estão
os shafts de elétrica e hidráulica, que são a parte funcional
da casa, que tem de acontecer e estar à mão”, especifica
Carolina. Logo na entrada do apartamento, à esquerda, há
o lavabo, revestido de espelhos de cima a baixo. “A dupla
aqui tem de se segurar, porque gosta de um espelho”, brinca a arquiteta. “Mas o fato é que o ganho de espaço com
a utilização desse revestimento é bárbaro. Fora o luxo que
imprime ao ambiente.” Atrás da bela porta de entrada, um
espaço bem aproveitado para a chapelaria, em que o trabalho
de marcenaria se destaca.
O estudo solar e de iluminação reservou uma divisão de
salas interessante. Em seguida da entrada, à esquerda, uma
sala de TV que convida a se jogar no sofá e pegar o controle
remoto. Com as árvores da sacada ao fundo, segue, à direita, o
recanto da diversão, com uma mesa para jogos ou um drinque,
que pode ser elaborado no bar, junto à parede que dá para
a sacada – chama a atenção o aparador todo em vidro, das
pernas ao tampo, um luxo só.
54
Seguindo pelo amplo apartamento – espaço é o que não
falta aqui –, uma sala de estar e convivência recebeu móveis que
mesclam o clássico e o contemporâneo, incluindo sofás espaçosos
que chamam a sentar-se para jogar conversa fora. Mais adiante,
já dobrando à direita, há a sala de jantar, bastante especial. Aqui
tudo foi feito especialmente para o ambiente, com destaque para
a estante que abriga uma coleção antiga de louças. “Foi uma
surpresa para o proprietário”, conta Dóris. “Ele herdou a coberta
de mesa, com cerca de 60 peças, do avô. Garimpamos as mais
inteiras e as utilizamos como decoração na área da sala de jantar.
Ele ficou bastante emocionado com o resultado.” O armário chama
a atenção pelo charme e o luxo. Coberto por um revestimento
sintético perolado, os puxadores, também encomendados especialmente para o apartamento, são em forma de conchas. Tudo
branco, tudo claro, destacando as antigas peças em exposição.
A claridade, inclusive, dá o tom em todo o apartamento. “Foi
a exigência do proprietário. Que tudo fosse claro, branco, chão de
mármore em tudo”, relata Dóris. O colorido entra com os objetos.
E que detalhes...! Quadros de Iberê Camargo dividem as paredes
com telas de Rubens Gerchman. “A pinacoteca e a biblioteca da
casa são partes integrantes da decoração tanto quanto da vida
das pessoas que aqui habitam”, ressalta a decoradora.
Outro destaque da casa é o quarto para os netos do casal
de proprietários. “O mais bacana desse ambiente foi o ganho
de área que tivemos. Na planta inicial, havíamos pensado em
um tamanho, fomos estudando as possibilidades, até que ganhamos a área do closet para o quarto. Creio que dessa forma
conseguimos fazer algo bem acolhedor e aconchegante e com
espaço para as crianças brincarem”, resume Carolina.
“Nosso trabalho é atender às necessidades dos clientes e
informá-los o que fica melhor em determinado espaço, apresentando soluções. Por isso, a primeira coisa que é preciso
fazer quando se elabora um projeto como esse é conhecer
bem o cliente, seus anseios, seu estilo de vida, quem frequenta
a casa, se há crianças, animais domésticos. Tudo influencia.
Este projeto aqui, especificamente, achei que ficou fantástico.”
As fotos comprovam a opinião da arquiteta.
55
56
57
BestHOME | Sustentabilidade
Cidades americanas dão exemplo
de planejamento e cuidados
com o meio ambiente
Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), até 2050 o número de habitantes das cidades do
planeta terá um aumento de 3,1 bilhões de pessoas. Essa migração trará consigo uma carga cada vez maior
sobre a infraestrutura, os serviços governamentais, os recursos naturais e outros aspectos fundamentais
para a qualidade de vida nas áreas urbanas, além das mudanças climáticas. Os americanos estão tomando
a dianteira em questões de sustentabilidade, sobretudo com novos e exitosos projetos nas grandes cidades, e
em algumas pequenas também. O estudo “Green cities: how urban sustainability efforts can and must drive
america’s climate change policies” (Cidades verdes: como iniciativas em sustentabilidade urbana podem e
devem conduzir as políticas de mudança climática da América, em tradução livre), de 2009, já apontava a
preocupação do poder público, mostrando que a sustentabilidade já era uma das principais preocupações
de 80% das grandes cidades americanas.
Street Car em Portland
58
do trânsito em toda a cidade. Com esses dados em mãos, os governantes conseguem traçar decisões táticas, como remanejar
as rotas dos ônibus, para evitar a lentidão. Hoje os moradores
de Dubuque levam, em média, 16 minutos para se descolar de
casa ao trabalho. É um círculo virtuoso baseado na qualidade
de vida que forma uma comunidade sustentável.
fotos reprodução
DUBUQUE
Considerada a melhor cidade americana de pequeno porte
para se criar uma família, Dubuque, no estado do Iowa, vem se
destacando com um dos recantos mais sustentáveis dos Estados
Unidos. O primeiro passo da iniciativa para poupar recursos foi
dar aos moradores da cidade uma noção precisa de consumo.
Isso foi possível graças à contratação de uma plataforma em
nuvem por meio da qual todos passaram a ter acesso, em tempo
real, ao consumo de água nas residências. Ao chamar a atenção
para o desperdício e alertar a população para vazamentos, a
medida conseguiu reduzir em 7% o consumo de água.
Números baseados em nuvem também ajudaram a prefeitura a gerir a energia usada por cerca de mil residências.
Para chamar a atenção para o programa, empresas da região
lançaram uma competição na qual os moradores puderam, por
meio de uma rede social integrada à solução, dividir e comparar
os seus padrões de consumo com parentes e amigos. Resultado:
uma redução de 11% nos gastos com energia.
O plano sustentável de Dubuque também considerou a
reestruturação do sistema de transporte público. Para melhorar o fluxo das vias, especialistas desenvolveram um método
que capta os dados de celulares, aparelhos GPS e sistemas de
cobrança de tarifas para traçar um panorama, em tempo real,
Fenelon Place Elevator em Dubuque
PORTLAND
Portland falava em sustentabilidade muito antes de o
termo ser o “queridinho” dos políticos e das grandes corporações. Nos idos de 1903, o paisagista John Charles Olmsted
elaborou um projeto para o Conselho do Portland Park, propondo a criação de áreas de convivência para a população,
num espaço que agregasse, simultaneamente, áreas verdes
e construções. Mais tarde, com o crescimento do complexo
viário da cidade, uma grande avenida foi substituída por um
parque às margens do rio Willamette. De uma cidade comum
do Oregon, noroeste dos Estados Unidos, com histórico de
devastação de florestas e poluição do ar, Portland colocou em
prática um bom planejamento urbanístico e se transformou
em um dos municípios norte-americanos que mais reduziram
suas emissões de carbono nos últimos anos. Ao contrário do
restante do país, em que a principal matriz energética é o
carvão mineral, mais da metade da energia consumida na
cidade vem de fontes geotérmicas e hidrelétricas renováveis. A
meta principal do município é reduzir as emissões de carbono
em 80% até 2050 com medidas que incentivam a construção
de pavilhões sustentáveis. Um dos planos, já em execução, é
criar um bairro inteiro de edifícios com o selo ambiental LEED
(Leadership in Energy and Environmental Design).
A cidade implementou alternativas como a biovaleta, ou
valetas de biorretenção vegetada, que são depressões lineares
preenchidas com vegetação, solo e demais elementos filtrantes que processam uma limpeza da água da chuva ao mesmo
tempo em que aumentam seu tempo de escoamento. Lá a
pavimentação é permeável, feita com material que permite a
infiltração de água por todo o passeio. Os telhados verdes, uma
cobertura de vegetação plantada por cima do teto de edificações, absorvem a água das chuvas, reduzem o efeito das ilhas
de calor, contribuem para a eficiência energética das edificações,
criam hábitat para vida silvestre e, de fato, estendem a vida da
impermeabilização do telhado.
Conhecida como a “comunidade dos 20 minutos”, o município é considerado o melhor lugar para andar de bicicleta
nos Estados Unidos. Cerca de um quarto da população utiliza
bicicletas como principal meio de transporte. O centro da cidade
é integrado por um bonde gratuito, e os projetos de carona
solidária trazem resultados cada vez melhores. Para quem não
quer usar bicicletas, uma alternativa é o Zip Car, um serviço de
aluguel de veículos elétricos que custa, em média, US$ 8 por
hora. Os automóveis funcionam perfeitamente e podem ser
alugados em vários pontos da metrópole. A Carona Solidária
também é prática diária por lá.
59
fotos reprodução
A sede da National Geographic, em Washington,
tem desenvolvido iniciativas verdes relacionados
a programas de água, energia e reciclagem
WASHINGTON
A capital do país, que abriga o Congresso, a Casa Branca
e outros órgãos importantes do alto escalão do governo, tem
o maior número de lâmpadas de LED por habitante, consome
100% de energia de fontes renováveis e conta com um dos
maiores programas de empréstimos de bicicletas nos Estados
Unidos. O plano sustentável do D.C., como a cidade é chamada
pelos americanos, é o resultado da experiência de 400 especialistas em meio ambiente, 5.000 pesquisas e mais de 180
audiências públicas. Além disso, 15 secretarias estão integradas
ao plano de transformar a cidade até 2032. Nessa revolução
verde, até a paisagem da cidade sairá ganhando: cerca de 7.000
árvores serão plantadas, e telhados verdes instalados, com
incentivo público. O projeto de mobilidade de todo o estado de
Washington vem dando resultado. Com cerca de 6 milhões de
habitantes, 83% dos moradores vivem em áreas metropolitanas.
O estado também concentra grades empresas globais, como
Microsoft, Boeing, Amazon e Nintendo. Em 1991, o governo
resolveu lançar o projeto CTR (Commute Trip Reduction), que
visava a redução do consumo de combustível incentivando as
pessoas a utilizar menos seus carros. Em 2006 apertou o cerco,
exigindo a redução de deslocamento das pessoas e fazendo
com que nove dos 39 condados locais com os maiores índices
de poluição e engarrafamento desenvolvessem e executassem
planos para reduzir os deslocamentos de veículos com um
único ocupante. O governo de Washington também passou a
subsidiar um programa de deslocamento de funcionários com
a isenção das taxas vinculadas ao trânsito, o que começou a
estimular as empresas a desenvolver programas internos para
a redução de veículos particulares, incentivando o transporte
coletivo. Cerca de 28 mil veículos já foram tirados das ruas,
reduzindo os efeitos das alterações climáticas, congestionamentos e tempo de deslocamento em 18%. O consumo de gasolina
foi reduzido em aproximadamente 8 milhões de galões, bem
como foram diminuídas as emissões de dióxido de carbono e
outros gases tóxicos. A população passou a utilizar meios de
transportes coletivos e alternativos mais limpos, como metrô,
bicicleta e carona solidária.
60
Cultural Trail
em Dallas
DALLAS
Durante as últimas cinco décadas, a população de Dallas, no
Texas, quase dobrou. Para suportar esse rápido crescimento, a
cidade tem investido em novos espaços públicos verdes e culturais, o que deu origem a diferentes jardins, parques, ao Opera
House, a museus e salas de concerto. Dallas utilizou fundos do
Programa Subvenções em Bloco para Conservação e Eficiência
Energética (EECBG), do Departamento de Energia dos Estados
Unidos, para melhorar a eficiência de 248 prédios de propriedade
do município, reduzindo seu consumo de energia em 900 mil
quilowatts-hora por mês, passando a economizar US$ 1 milhão
por ano em custos de energia.
Após a realização de auditorias energéticas, a cidade fez melhorias que incluíram a atualização de mais de 150 prédios com
iluminação interna energeticamente eficiente e a instalação de
controles de refrigeração e aquecimento digitais em 100 instalações municipais, tecnologia que permite à cidade monitorar o
uso de energia e ajustar continuamente sistemas para aumentar
a eficiência e reduzir o consumo elétrico.
Em quatro dos maiores edifícios da cidade, Dallas também
instalou iluminação de LED nos estacionamentos, reduzindo os
custos de energia e de manutenção.
A economia permitiu a Dallas tocar outros projetos de infraestrutura, como trabalhar com uma companhia local de serviços
públicos para a realização de auditorias energéticas adicionais
em edifícios de alto tráfego, como postos do corpo de bombeiros,
bibliotecas, parques, subdelegacias de polícia e centros de recreação, para determinar onde concentrar as futuras atualizações.
Dallas também tem a maior frota de veículos municipais
não poluentes do Texas: cerca de 40% rodam com gás natural
comprimido, biodiesel ou com veículos elétricos híbridos.
61
fotos sashiburi/DIVULGAÇÃO
BestHOME | Gastronomia
Moinhos de Vento
Zona Sul
Shopping Lindoia
Sashiburi propõe uma
experiência gastronômica
que envolve todos os sentidos
O nome Sashiburi vem do termo “hisashiburi”, que significa
“que bom vê-lo”. Há dez anos oferecendo um dos melhores cardápios de comida japonesa de Porto Alegre, o restaurante Sashiburi
comemora sua longevidade e sucesso entre os clientes seguindo
sua máxima: proporcionar uma experiência gastronômica que
62
envolve e aguça todos os sentidos, não só paladar. A receita dos
sócios Cristiano Horn, Adriano Neuhaus, Rafael Rohden e Rodrigo Oliveira: a oferta de um restaurante japonês diferenciado,
em que a proposta principal sempre foi reunir a simplicidade e
a sofisticação da tradição japonesa com pitadas de inovação.
Primeiro veio a casa da Rua Dona Laura, no bairro Moinhos de de shitake no sakê acompanhado de pudim de brócolis
Vento, em 2004. Quatro anos depois, o quarteto inaugurou a e o estrogonofe de filé com shimeji circundado por crofilial da Zona Sul, na Rua Pereira Passos. Mais recentemente, cante de batata. Além do tradicional festival de sushi, o
em 2012, a Zona Norte de Porto Alegre também ganhou o seu Sashiburi serve opções diferenciadas no cardápio à la
restaurante, o Sashiburi Lindoia. Os ambientes aconchegantes carte, como barbatana de tubarão, enguia e ovas. “O púaliados à qualidade dos produtos e às pitadas de inovação de blico está sempre atrás de novidades, além de ter tido mais
quem não quer parar no tempo dos imperadores japoneses dão cuidado com a qualidade da alimentação”, avalia Rodrigo
os toques especiais à casa.
Oliveira – ou Seninha, para os habitués –, chef do lugar.
Mais recentemente, a casa da Dona Laura recebeu “Já estamos utilizando sushi sem arroz, combinados sem
uma reforma geral, inclusive no cardápio. Sim, tudo o que arroz, substituindo-o por flocos de arroz, que deixa o sushi
havia de gostoso segue lá, mas há novos pratos quentes mais leve. Além dos pedidos dos clientes, estamos sempre
que aguçam a curiosidade, como o salmão com molho viajando e pesquisando novas alquimias e sabores.”
63
Segundo Seninha – que trabalha com gastronomia há
20 anos e com sushi há 17 –, a preocupação primeira do
Sashiburi é com a qualidade dos produtos que adquire para
preparar seus pratos. “Somos comprometidos com a qualidade
do peixe e dos demais ingredientes utilizados aqui. Temos
prioridade de compra no nosso fornecedor e somos bastante
exigentes.” Além disso, Seninha destaca a procura por novas
receitas, novos sabores, novas experiências – mas sempre
dentro do melhor da culinária japonesa. “No Sashiburi, sushi
de goiabada é proibido.”
Hoje são 70 pessoas que trabalham para fazer do Sashiburi
uma das melhores casas de comida japonesa da capital gaúcha.
É Seninha quem seleciona o pessoal da cozinha. Há um chef em
cada filial, e ele supervisiona todos os funcionários. “É preciso
ter comprometimento, humildade e disciplina. Nós mesmos
formamos nossos funcionários, o que nos permite manter uma
linha de trabalho contínua e exitosa. Quem não tem nosso clima
e excelência não fica.”
Para quem ficou curioso para experimentar esse mix de
sensações, a dica: a loja da Dona Laura foi reaberta para
almoço, com combos “a preço justo”, segundo Seninha. As
opções de rodízio e à la carte seguem à noite. “Do festival, não
tem quem não goste”, garante ele. “Queremos que o cliente
se sinta em casa, comendo uma comida boa com preços bons,
que acompanha tendências e inovações mas segue a tradição
da culinária japonesa.”
Salmão na
mostarda e mel*
Ingredientes
Para o molho de mostarda e mel
2 colheres de sopa de mostarda Dijon
2 colheres de sopa de mel
½ dose de sakê culinário
1 caixinha de creme de leite
100 ml de caldo de legumes
½ xícara de cebola picada
1 colher de sopa de óleo
sashiburi/DIVULGAÇÃO
Para o salmão grelhado
200 g de filé de salmão
½ de colher de sopa de manteiga
Sal a gosto
MODO DE PREPARO
1) Temperar o filé de salmão a gosto e grelhar na manteiga;
2) Refogar a cebola picada no óleo, adicionar o sakê e deixar reduzir;
3) Acrescentar o caldo de legumes, a mostarda Dijon e o mel;
4) Por último, acrescentar o creme de leite, mexendo delicadamente, e desligar o fogo.
*Sugestão de acompanhamento: arroz com espinafre.
64
65
BestHOME | Tecnologia
Sistema de Gerenciamento Integrado
resulta em preço competitivo,
sustentabilidade e qualidade
Gerenciar projetos corporativos consiste em mais que apenas gerenciar terceiros. Gerenciar projetos corporativos é atuar
fortemente em todo o processo construtivo, com know-how em
sustentabilidade e inovação, podendo contribuir com os clientes
na otimização de custos, na redução de prazos e na melhoria
dos resultados em longo prazo. Trata-se de uma estrutura de
gestão de serviços de construção baseada nos conceitos de
engenharia de valor e em seus processos próprios. Assim é o
Sistema de Gerenciamento Integrado (SGI) da Joal Teitelbaum.
O SGI obedece aos conceitos construtivos para os fins a
que se destinam as edificações, otimizando as técnicas construtivas dentro de tecnologias modernas, economicamente
viáveis, que respeitam o meio ambiente e a saúde e segurança
dos colaboradores. O sistema consiste na organização de uma
tecnologia avançada de gerenciamento de obras de construção
e montagem industrial com foco na obtenção de um produto
final no qual preço competitivo, sustentabilidade e qualidade
estejam equalizados.
Entre as principais vantagens da utilização do SGI está a
proatividade. São identificados eventuais desvios que possam
ocorrer nos cronogramas, sendo possível tomar as providências
de comunicar a contratada responsável e informar o cliente
das ações a serem implementadas, de forma proativa. O desenvolvimento do planejamento de construção e montagem é
baseado em uma equilibrada estrutura analítica de projeto e
relação custo X benefício, em que o cliente pode planejar seu
fluxo de caixa de acordo com o cronograma físico-financeiro
da obra. O controle financeiro do empreendimento é do cliente,
sempre gerenciado e monitorado pela Joal Teitelbaum, que
participa da elaboração dos contratos para inclusão de cláusulas
que permitam a exigência documental antes da contratação,
durante a execução e na entrega dos serviços. Essa atuação
conduzirá a uma qualificada escolha na decisão pelo menor
custo do empreendimento, com a melhor qualidade e com um
assertivo acompanhamento físico-financeiro.
O gerenciamento do projeto compreende a utilização de indicadores que permitem avaliar o desempenho de cada etapa de
forma preventiva, baseada em fatos e dados. Mensalmente, a Joal
Teitelbaum elabora relatórios gerenciais que permitem à empresa
contratante um real acompanhamento do empreendimento.
AT ARQUITETURA/DIVULGAÇÃO
Unisinos – Campus Porto Alegre, obra gerenciada pela Joal Teitelbaum
66
67
fotos eejt/DIVULGAÇÃO
Obras para condomínios gerenciadas no Sistema de Preço de Custo e Grupo Fechado
O escopo das atividades
O trabalho é dividido em duas etapas principais: pré-construção e gerenciamento da construção.
A pré-construção contempla a coordenação e compatibilização de projetos do empreendimento, quando as diretrizes
de produção e de sustentabilidade podem ser estudadas, planejadas e implementadas sem impactar em retrabalhos e no
aumento de custos para o contratante. É feito o planejamento
de pré-construção, consultorias e projetos – como a análise
crítica dos projetos e memoriais descritivos, contemplando critérios como sustentabilidade, inovações, tecnologias e sistemas
de automação, por exemplo –, o gerenciamento dos custos, o
planejamento da construção e o manual de concorrência –
análise e adequação com exame dos processos executivos e
quantificação de todas as etapas, de modo que as empresas
participantes orcem o produto com base nas mesmas especificações e detalhamentos executivos.
Já o gerenciamento da construção propriamente dito é a
principal ferramenta para uma empresa otimizar seus investimentos em obras de expansões e de novas instalações. A
estrutura disponibilizada pela gerenciadora e as ferramentas
de lançamento de todo o empreendimento, por meio de um
orçamento analítico, permitirão o pleno acompanhamento de
todas as etapas construtivas via relatórios gerenciais físicofinanceiros em periodicidade estabelecida em comum acordo
pelas partes, nunca superior a 30 dias. A interface de contato
entre a equipe da Joal Teitelbaum e a contratante permitirá
uma análise do cronograma físico do empreendimento, bem
como o acompanhamento dos gastos, que estarão baseados no
orçamento-base da obra. Parte-se para a etapa de construção
e montagem, gerenciamento de sustentabilidade para atendimento à legislação ambiental, gestão de saúde e segurança do
trabalho e a etapa de entrega do empreendimento.
O Sistema de Gerenciamento Integral (SGI) é uma sistemática própria de gerenciamento da Joal Teitelbaum baseada em
exclusivos processos de planejamento e controle da produção,
na lean production, na sustentabilidade e na experiência
desenvolvida em consultorias gerenciais de modelagem de
processos de construção e montagem, bem como nos critérios
responsáveis pelo recebimento do Prêmio Nacional da Qualidade e do Troféu Diamante do Programa Gaúcho de Qualidade
e Produtividade, que caracterizam a empresa como a única
construtora brasileira de Classe Mundial.
ONS Florianópolis e Kurotel, obras corporativas gerenciadas pela Joal Teitelbaum
68
69
green
Um bairro transformador, que inspira um mundo melhor
com eficiência energética, preservação ambiental, design
inteligente e baixa emissão de carbono. Assim é o Quartier.
Porque sustentabilidade urbana é encontrar soluções
viáveis que garantam retorno positivo para todos,
dos moradores aos empreendedores.
lifestyle
Perspectiva ilustrada do bairro
e do Parque Quartier
No Quartier existe espaço para a convivência, para a
interação entre pedestres e o bairro, para o deslocamento
fácil e tranquilo. A rua é uma experiência agradável e
segura, e a vida é um movimento de gentileza urbana.
O Quartier é um bairro para pessoas.
Bem-vindo à evolução.
Conheça o primeiro bairro
sustentável do sul do Brasil.
smart
O bairro e a nova Av. Jacob Bainy com previsão
de torre comercial, hotel e hipermercado
Vida inteligente é vida com qualidade. Por isso, tudo no
Quartier é projetado para gerar o bem-estar: a diversidade
de espaços de trabalho, estudo e lazer, a segurança de alta
performance, os sistemas de mobilidade, a previsibilidade
70
Mais do que uma área urbanizada, o Quartier
vai entregar um bairro com infraestrutura
completa, pronto para receber iniciativas
e projetos e inspirar um novo estilo de vida.
Incorporadoras e construtoras terão a chance
de desenvolver empreendimentos inovadores
na melhor região de Pelotas. Sejam eles
comerciais ou residenciais. Faça parte desse
projeto que irá marcar o começo de uma nova
era no urbanismo sustentável do sul do Brasil
e ajude a construir esta nova etapa de um
momento de inovações.
do Plano Diretor. Viver e trabalhar no Quartier é uma
o bairro
green, lifestyle e smart:
3 ideias transformadoras
para a qualidade de vida.
experiência transformadora.
Complexo de lazer interno localizado em
uma quadra de empreendimentos residenciais
Planejamento e urbanização:
51 4009.6300
www.bairroquartier.com.br
Imagens meramente ilustrativas. Viabilidade aprovada na Prefeitura de Pelotas sob o nº CTPD 53 de 19.12.2012, protocolo 200.039885/2012.
71
BestHOME | Internacional
“O todo está em jogo”
“The Whole is at Stake”
Um artigo sobre ética
por Horst Koehler, Ex-presidente da Alemanha
An essay on ethics
by former Germany Federal President Horst Koehler
“O todo está em jogo" – é fácil dizer isso, e nós ouvimos isso
frequentemente. Ouvimos cada vez mais frequentemente e com
ainda mais urgência quando o problema em questão é a situação
e o futuro do nosso mundo. Muito curiosamente, no entanto, a
mensagem parece se diluir, especialmente porque fala sobre o
quadro geral e sobre fazer todo o possível. Muitos que ouvem
isso respondem com um ar fatigado e com certo distanciamento:
o que é isso? Quem pode dizer qual é a situação do “todo”? Você
não pode restringir um pouco as coisas? Outros dizem: quando
tudo está em jogo, eu, como indivíduo, não sou responsável, de
fato, está além das minhas capacidades. Mesmo se trabalhamos
todos juntos, não seremos capazes de resolver as coisas.
Eu realmente acredito que tudo está em jogo. E eu convido
você a considerar comigo o que isso significa.
Há uma tentação de não fazer aquilo. É diabólico. Mefistófeles diz ao Doutor Fausto:
“Acredite em mim: este mundo é incompreensível
e modelado só para o deleite de Deus!
Ele habita em uma luz eterna;
e a nós coube a escuridão que Ele trouxe”.
72
É uma oferta tentadora. Ela nos convida a tomar o caminho
fácil e evitar a busca de um entendimento – ignorabimus – e nos
incentiva a acreditar que podemos, com a consciência tranquila,
pensar apenas em nós mesmos e em nossos próprios interesses.
Essa é a mensagem que nos é transmitida e vendida diariamente
em milhares de canais em milhares de formas diferentes: quem
sabe como ajudar o mundo? Não perca tempo com isso. Em vez
disso, busque seus próprios interesses e se satisfaça com seu
lucro, sua popularidade, seu índice de audiência.
“The whole is at stake” – it’s easy to say that, and we hear
it often. We hear it more and more often and with ever more
urgency when the issue at hand is the state and future of
our world. Curiously enough, however, the message seems
to dilute itself, especially as it is talking about the whole
picture and about going all out. Many who hear it, respond
wearily and with a certain detachment: what is that? Who
can say what the state of the whole is? Can’t you scale
things down a bit? Others say: where everything is at stake,
I as an individual am not responsible, indeed I’m out of my
depth. Even if we all work together, we won’t be able to
sort things out.
I truly believe that everything is at stake. And I invite you
to consider with me what that means.
There’s a temptation not to do that. It’s fiendish. Mephistopheles tells Dr Faust:
“Trust one like me: this Whole is wrought
and fashioned only for a God’s delight!
He dwells in an eternal light;
Us into darkness He has brought”.
That’s a tempting offer. It invites us to take the easy way
out and refrain from seeking insights – ignorabimus –, and
it encourages us to believe that we can in good conscience
think solely of ourselves and of our own interests. That’s the
message that is conveyed and sold to us day in and day out on
thousands of channels in thousands of different guises: who
knows how to help the world? Don’t dwell on it. Rather, look
after your own affairs and be pleased with your profit, your
popularity, your ratings.
No entanto, devemos rejeitar essa oferta, na teoria e na práHowever, we should reject this offer for theory and practica, porque ela nos priva de uma de nossas qualidades, talvez a tice because it deprives us of one of our, perhaps our most
mais importante: os humanos são os únicos seres na Terra com important, quality: humans are the only beings on Earth with
uma visão geral do cenário completo, os únicos seres que não an overview of the whole picture, the only beings who are
são controlados pelo instinto e pelo meio ambiente, mas que, not controlled by instinct and the environment but are outcom uma visão panorâmica, são capazes até de moldar o mundo. ward-looking, are even capable of shaping the world.
São os astronautas que têm uma visão geral a partir de um
It is astronauts who have an overview from a very special
ponto muito privilegiado. O filósofo alemão Wilhelm Schmid vantage point. The German philosopher Wilhelm Schmid
reuniu alguns dos relatos deles. Todo astronauta foi tocado e gathered together some of their reports. Every astronaut was
transformado pela beleza do nosso planeta e pela visão de sua touched and transformed by the beauty of our planet and
pequenez e fragilidade. Eles desenvolveram uma nova cons- by the sight of its minuteness and fragility. They developed
ciência sobre como isso torna a existência humana possível. a new awareness of how it makes human existence possible.
“A Terra está abaixo de nós. Sua beleza era cativante – não há “The Earth lay below us. Its beauty was captivating – no words
palavras para descrevê-la –, mas ela parece tão vulnerável!” – can describe it – but it looked so vulnerable!”, exclaimed one
exclamou um astronauta.
astronaut.
“A primeira visão do horizonte da Terra me
“The first glimpse of the Earth’s horizon took
deixou sem fôlego. Não que a curva do horizonte my breathe away. Not that I was surprised by
me surpreendesse. Em vez disso, fiquei fascinado the curve in the horizon. Rather, I was captivated
com o azul royal da atmosfera. Mas como era
by the royal blue color of the atmosphere.
But how thin the life-preserving layer was!”
fina a camada que preserva a vida!”
Satélites de pesquisa e leituras em todo o globo possibilitaram reunir conhecimentos novos e muito aprofundados sobre a
Terra e suas funções. Eles nos mostraram o quanto já prejudicamos nossa biosfera e quais as consequências desastrosas que
isso acarretará, por exemplo, como resultado do aquecimento
global. Nós agora entendemos que a raça humana inteira e
todas as criaturas vivas sobre a Terra estão no mesmo barco.
Essa visão a partir do espaço sideral e a ciência nos ensinam que
o desafio enfrentado por nós hoje é como pilotar em conjunto
a espaçonave “Terra”.
Os especialistas e governos têm de pensar em tudo porque
os cidadãos comuns entendem pouco disso?
Minha resposta é esta: todos nós já sabemos o suficiente há
muito tempo. É claro, é bom que os especialistas, governos e parlamentos estejam pensando e tomando decisões em nosso nome.
Isso é parte da divisão do trabalho em uma democracia representativa. Por exemplo, não pode haver progresso na área ecológica
sem cientistas astutos, políticos responsáveis, servidores públicos
competentes e enérgicos, assim como uma mídia vigilante. No
entanto, temos de perguntar, avaliar e monitorar seus resultados
e selecionar os mais importantes. Como consumidores e eleitores,
como cidadãos ativos, temos de desempenhar nosso papel no
processo de tomada de decisão. Temos de refletir e ajudar a
moldar os acontecimentos. E nós podemos refletir, tanto sobre
questões maiores quanto menores. Portanto, quando se trata do
cenário completo, do clima global, da população global, da fome
global, da crise financeira global, todos sabemos e entendemos
Research satellites and readings around the globe have
made it possible to collate quite new and much deeper knowledge about the Earth and how it functions. They have shown
us how much we’ve already damaged our biosphere and what
disastrous consequences that will have, for instance as a
result of global warming. We now understand that the entire
human race and all living creatures on Earth are sitting in the
same boat. The view from outer space and science teach us
that the challenge facing us today is how to jointly steer the
spaceship “Earth”.
Do specialists and governments have to do all the thinking
because ordinary citizens understand little about this?
My answer to that is: all of us have long since known
enough. Of course, it’s good that experts and governments
and parliaments are thinking and making decisions on our
behalf. That’s part and parcel of the division of labor in a
representative democracy. For example, there can be no
progress on the ecological front without astute scientists,
responsible politicians, competent and energetic civil servants, as well as vigilant media. However, we have to question, assess and monitor their results, and select the most
important. As consumers and voters, as active citizens, we
have to play our part in the decision-making process. We
have to reflect and help shape events. And we can reflect,
both about major and minor matters. So, when it comes to
the whole picture, the global climate, the global population,
global hunger, the global financial crisis, we all know and
73
eejt/DIVULGAÇÃO
o suficiente. Sabemos e entendemos que, em muitas esferas que understand enough. We know and understand that in many
afetam o todo da humanidade, todos os sinais apontam para spheres which affect the whole of humanity, all the signs
tempos turbulentos à frente. O rápido crescimento populacio- point to turbulent times ahead. Rapid population growth,
nal, os fluxos de refugiados da guerra e da pobreza, a falta de the flows of refugees fleeing from war and poverty, the lack
liberdade em muitas partes do mundo, o aquecimento global, a of freedom in many parts of the world, global warming, the
extinção de espécies, a superexploração de todos os recursos e extinction of species, overexploitation of all resources and
em todos os biótopos, desde os oceanos do mundo ao Ártico e in all biotopes from the world’s oceans to the Arctic and the
às florestas tropicais, a crise da dívida nas prósperas nações do rainforests, the debt crisis in the prosperous Western nations
Ocidente e suas repercussões nos países mais pobres – tudo isso and its repercussions for the poorest countries – all of that
nos acompanha há anos.
has been with us for many years.
E cada um de nós tem o conhecimento moral necessário
And every one of us has the necessary moral knowledge to
para avaliar tudo isso, e não simplesmente demonstrar preo- assess all of this, and not simply wring our hands. We are all cacupação sem fazer nada. Todos somos capazes de confrontar pable of grappling with very concrete phenomena. I don’t know
fenômenos muito concretos. Não sei se um indivíduo nasce whether an individual is born with an internal moral compass.
com uma bússola moral interna. Mas tenho certeza que todos But I’m quite certain that we all learn that there is good and
nós aprendemos que existe bem e mal, e que isso nos permite evil and that this enables us to judge what is happening and
julgar o que está acontecendo e está sendo feito no mundo.
being done in the world.
Existe um etos comum a todas as religiões e culturas, e
There’s a ethos common to all world religions and cultures,
a Regra de Ouro (“Fazei aos outros o que gostaríeis que eles and the Golden Rule (“Do unto others as you would have
vos fizessem”) deveria ser clara mesmo para o pior vilão (ele them do unto you”) should be clear even to the biggest vilapenas espera que o inferno lhe permita escapar impune e lain (he just hopes that he’ll get away with his wrongdoings
ileso de seus maus atos). Traduzida para o século 21, a nova unpunished and unscathed). Translated into the 21st century,
Regra de Ouro, conforme proposta pelo filósofo alemão Hans a new Golden Rule, as proposed by German philosopher Hans
Jonas, poderia ser:
Jonas might be:
“Aja de forma que os efeitos de sua ação
sejam compatíveis com a permanência
da genuína vida humana”.
“Ok”, você admitirá. “Pode haver oportunidades para se
tornar ativo dessa forma e mostrar como as coisas devem ser,
em contraste com a forma como são realmente. Mas, mesmo
nesses casos, quando melhoramos a situação geral do mundo,
nossa contribuição para um futuro melhor será a exceção, um
29 de Fevereiro em nossas vidas.”
Bem, eu não aceito isso. Todos podem fazer diariamente o
que Michael Jackson lhes incentivou a fazer:
“Act so that the effects of your action
are compatible with the permanence
of genuine human life”.
“Ok”, you’ll admit, “there may be opportunities to become
active in this way and to show how things should be in
contrast to how they actually are. But even then, when we
improve the overall state of the world, our contribution
towards a better future will be the exception, a February 29
in our lives.”
Well I don’t accept that. You can all do every day what
Michael Jackson urged you to do:
“Se você quer tornar o mundo um lugar melhor/ “If you wanna make the world a better place/
Olhe para si mesmo e então faça uma mudança”. Take a look at yourself, and then make a change.”
74
Todo sistema de ética deve fornecer preceitos que possam
ser realmente adotados na vida cotidiana. E esse sistema existe.
Ele nos dá confiança de que os outros farão a coisa certa e reconhece a confiança depositada em nós. Leva as pessoas a não
superestimar sua importância e a servir aos outros. Não evita
conflitos quando o que está certo é claramente óbvio – Rosa
Pasks permaneceu sentada, e muitos a apoiaram.
Every system of ethics must provide precepts which really
can be adhered to in everyday life. And such a system does
exist. It gives us confidence that others will do the right
thing and vindicates the trust placed in us. It leads people
not to overestimate their importance and to serve others. It
doesn’t avoid conflicts when what is right is patently obvious –
Rosa Parks remained seated and many stood up for her.
Horst Koehler,
ex-presidente
da Alemanha
Horst Koehler,
former Germany
Federal President
Existe um sistema diário de ética baseado na suposição
de que a liberdade humana, a própria liberdade, assim como
a liberdade da humanidade como um todo, não está em fazer
tudo o que se pode ou apenas o que é permitido fazer sob a lei.
Essa atitude de “vale tudo” permanece presa ao comportamento
cego e dirigido pelos instintos que vemos em toda parte no
mundo. No entanto, temos a liberdade de não fazer tudo o
que é possível e promete satisfazer a todas as nossas próprias
necessidades e, em vez disso, considerar aquilo de que o mundo
como um todo necessita. E apenas se usarmos essa liberdade
o futuro da humanidade não lembrará o fenômeno da praga
de gafanhotos ou coelhos que devasta os biótopos inteiros e
se destrói no processo. Devemos lembrar como integrar nosso
desenvolvimento individual e compartilhado ao nomos deste
planeta, em sua totalidade, seu propósito maior. Isso novamente
sugere, ainda que apenas como uma hipótese salutar, que os
indivíduos devem se considerar – em um grau muito maior do
que até agora – uma parte da criação que continuará a existir
além do tempo que passarmos nesta Terra. E isso nos faz perceber que toda pessoa pode descobrir muitas formas de fazer
algo todo dia para proteger e preservar essa criação.
E existe um sistema diário de ética que reconhece que o
mundo está em uma situação lemantável, mas não deve ser
deixado assim.
Isso me leva ao tema que Vittorio Hösle vem analisando
há muitos anos: a “filosofia da crise ecológica” e sua aplicação
prática. Vem ocorrendo há muito tempo aqui uma revolução,
“que ninguém jamais declarou, mas que no entanto está acon-
There is an everyday system of ethics based on the assumption that human freedom, one’s own as well as the freedom
of humanity as a whole, doesn’t lie in doing everything that
one can or is only permitted to do under the law. For such
a “anything goes” attitude remains caught up in the blind
and instinct-driven behavior we see elsewhere in the world.
However, we have the freedom not to do everything that’s
possible and promises to satisfy our own needs but, rather,
to consider what the world as a whole needs. And only if we
make use of this freedom will the future of humanity not
resemble the phenomenon of the plague of locusts or rabbits
which devastate whole biotopes and destroy themselves in the
process. We must remember how we integrate our individual
and our shared development into the nomos of this planet,
in its entirety, its overall purpose. This again suggests, even if
only as a salutary hypothesis, that individuals should regard
themselves to a much greater degree than hitherto as a part
of a creation which will continue to exist far beyond the time
we will spend on this Earth. And that makes us realize that
everyone can find many ways to do something every day to
protect and preserve this creation.
And there is an everyday system of ethics which recognizes that the world is in a sorry state but must not be left
that way.
That brings me to the topic which Vittorio Hösle has been
looking at for many years: the “philosophy of the ecological crisis”, and to its practical application. A revolution has long since
been underway here “which no-one ever declared but which
75
“Uma boa política significa salvaguardar
o meio ambiente natural do nosso mundo.
Isso então não significa mais possibilitar
o crescimento quantitativo da economia
ou a satisfação das nossas necessidades
mais absurdas, nem significa lutar pela
identidade cultural e linguística do próprio
país às custas de outros. E, principalmente,
não significa tentar impor a homogeneidade
denominacional ou religiosa pela força.”
76
O professor Hösle mostrou o que pode ser feito em favor do
“bem comum global” e o quanto cada indivíduo pode fazer por
si mesmo vivendo sua própria vida em linha com o princípio
da sustentabilidade. Ele destacou o quanto o trabalho à frente
envolveria tarefas motivacionais e educacionais e que essa
educação é sempre algo que cada um de nós tem de almejar,
buscar e conquistar por si mesmo.
A educação fortalece nossa capacidade de observar de
perto. E qualquer pessoa que olhar atentamente em torno si
rapidamente reconhecerá algo ao seu redor que está em situação lamentável ou poderia ao menos ser melhorado. Pensar
globalmente, agir localmente – esse apelo tem sido seguido
por tantas pessoas, especialmente desde os anos 1970, que
podemos realmente falar em uma era ecológica.
E, se todas as ações necessárias e potenciais têm de ser
resumidas em um único conceito, ele seria: desenvolvimento
sustentável.
O termo inglês “sustainability” (sustentabilidade) é derivado
da palavra latina “sustinere”. "Sustinere” descreve a possibilidade
de decididamente continuar um estado de desenvolvimento em
uma base duradoura. No entanto, é importante, por exemplo, que
lutemos pelo desenvolvimento sustentável, em vez do crescimento sustentável, assim como devemos lutar pela qualidade de vida
de todos, e não por um estilo de vida ocidental como ocorre hoje,
pois ele é possivelmente destrutivo para todos no longo prazo.
Não é coincidência que o primeiro conceito de sustentabilidade
prática derive da esfera ecológica e, mais especificamente, da
produção florestal, pois qualquer pessoa que queira manejar e
conservar uma floresta não apenas derruba árvores, mas também
is happening nevertheless”, (Wilhelm Schmid), a revolution of
lifestyles and everyday conduct. Millions of people are taking
part in this revolution and you, too, can join them.
Some 20 years ago in his Moscow Lectures, Vittorio Hösle
outlined all the lessons we have to learn if we want to help
ensure that the principle of responsibility gains acceptance
(Hans Jonas).
“Good politics means safeguarding our
world’s natural environment. It thus no
longer means making possible the quantitative
growth of the economy or the satisfaction
of the most absurd needs, nor does it mean
striving for the cultural and linguistic
identity of the own nation at the expense
of others, and it most certainly does not
mean trying to impose denominational
or religious homogeneity with force.”
Professor Hösle showed what can be done for the “global
common good” and how much every individual can do for them
by living their own lives in line with the principle of sustainability. He stressed how much the work ahead would consist of
motivation and educational tasks, and that education is always
something which every one of us has to want, strive for and
achieve for ourselves.
Education enhances our ability to observe very closely. And
anyone who takes a close look around themselves, will quickly
recognize something in their own surroundings which is in a
sorry state or could at least be further improved. Think globally,
act locally – this call has been followed by so many people,
especially since the 1970s, that today we can truly speak of
an ecological age.
And if all necessary and potential actions have to be
summed up in one single concept it would be: sustainable
development.
The English term “sustainability” is derived from the Latin
word “sustinere”. “Sustinere” describes the possibility of resolutely continuing a state or development on a durable basis.
However, it’s important that, for example, we strive for sustainable development rather than sustainable growth, just as
we should strive for quality of life for everyone and not for a
Western way of life as it is today, for it is possibly destructive
for everyone in the long run.
It’s no coincidence that the first practical sustainability
concept stems from the ecological sphere and more specifically
forestry. For anyone who wants to both manage and conserve
a forest not only fells trees but also plants a corresponding
planta uma quantidade equivalente de mudas. Ela não explora a
floresta. Em vez disso, subsiste a partir dela e com ela. O primeiro
a reconhecer isso na Alemanha há trezenos anos foi Hans Carl von
Carlowitz, de Freiberg, na Saxônia, e desde então a sustentabilidade
foi adotada pelos especialistas em florestas e se desenvolveu em
uma sucinta regra de sabedoria que se aplica a muitas áreas da vida.
Eu defendo a tese de que o princípio da sustentabilidade pode
ser aplicado a quase todo negócio quando se trata de moldar
nossos sistemas financeiros, econômicos e e sociais, pois uma
força particular do princípio da sustentabilidade como uma
abordagem básica em qualquer tipo de ética empresarial é que ele
também é fundamentado em pilares éticos, sociais e ecológicos.
Isso significa que as ações humanas são consideradas em
sua totalidade.
Portanto, vamos todos examinar nosso próprio estilo de vida
para ver se é compatível com a preservação da Criação e do
futuro das próximas gerações. Veremos que é possível renunciar
a muitas coisas sem perder a satisfação ou o contentamento e,
em retorno, ganhar muito.
Vamos levantar nossas vozes contra o indiferente e contra
o implacável. Vamos unir forças com outros, se necessário: a
união faz a força.
Não sabemos se teremos sucesso. Mas precisamos tentar. Esse é
na verdade um jogo de azar com nossa aposta por ganho ilimitado
(Pascal). Gostaria de encerrar com as palavras de Martin Luther:
“Mesmo se eu soubesse que amanhã o mundo se partiria em
pedaços, eu ainda plantaria minha macieira”. Tudo está em jogo.
quantity of saplings. He doesn’t exploit the forest. Rather, he
lives from and with it. The first to recognize this in Germany
three hundred years ago was Hans Carl von Carlowitz from
Freiberg in Saxony, and from then on sustainability was adopted
by foresters, and it developed into a succinct rule of wisdom
which applies to many areas of life.
I support the thesis that the principle of sustainability can
be applied almost wholesale when it comes to shaping our
financial, economic and social systems. For a particular strength
of the principle of sustainability as a basic approach in any
kind of business ethics is that it is also founded on economic,
ethical, social and ecological pillars.
That means that human actions are considered in
their entirety.
So let us all examine our own lifestyle to see whether it is
compatible with the preservation of Creation and the future of
coming generations. We’ll see that one can do without many
things without losing satisfaction or contentment and, in return,
will gain so much.
Let us raise our voices against the indifferent and against
the ruthless. Let us join forces with others if necessary: unity
engenders strength.
We don’t know if we’ll succeed. But we have to try. This
is truly a gamble with our limited wager for unlimited gain
(Pascal). I’d like to end with the words of Martin Luther: “Even
if I knew that tomorrow the world would go to pieces, I would
still plant my apple tree." Everything is at stake.
eejt/DIVULGAÇÃO
tecendo”, (Wilhelm Schmid), uma revolução de estilos de vida
e conduta coditiana. Milhões de pessoas estão participando
dessa revolução, e você também pode participar.
Há em torno de 20 anos, em suas Palestras em Moscou,
Vittorio Hösle descreveu todas as lições que temos de aprender
se quiseremos ajudar a assegurar a aceitação do princípio da
responsabilidade (Hans Jonas).
A revista Best Home agradece ao ex-presidente da Republica Federal da Alemanha,
Horst Koehler, este ensaio sobre ética que em uma expressão uníssona
bem se enquadra no cenário que a humanidade vive em nossos dias.
The Best Home magazine thanks past president of Federal Republic of Germany,
Horst Koehler, for this essay on ethics that is a unique voice frames
so well in the humanity nowadays scenario.
77
O sucesso profissional depende de boas estratégias,
mas um bom endereço também ajuda.
PRÉ-LANÇAMENTO
SALAS COMERCIAIS
2
2
DE 35,21m A 103,88m
Av. Mariland, 387
Esquina com Av. Cristovão Colombo
E MODULÁVEIS PARA ANDAR INTEIRO.
78
79
Perspectiva ilustrada de um escritório
Área ref. 3º andar
Perspectiva ilustrada de um consultório
Área ref. 2º andar
Área ref. 4º andar
Área ref. 5º ao 9º andar
VÁRIAS OPÇÕES DE PLANTAS DISPONÍVEIS PARA SUA SALA COMERCIAL,
INCLUSIVE PARA PISOS CORPORATIVOS COM ATÉ 386,37M2. CONFIRA.
80
81
Perspectiva ilustrada da recepção do prédio
ÓTIMA INFRAESTRUTURA
E EXCELENTE LOCALIZAÇÃO.
O seu talento
bem posicionado.
O Columbus Office Center une a comodidade
de poder trabalhar em um excelente bairro
de Porto Alegre, com todas as facilidades de estar
próximo aos pontos mais nobres da capital.
É a praticidade e a qualidade de vida ao seu alcance.
Av. Mariland, 387
Esquina com Av. Cristovão Colombo
• Fachada com painéis arquitetônicos
• Vidros especiais
• 2 elevadores
51
3019.1883 | 51 9545.0101 | www.teitelbaum.com.br
• Gerador parcial de energia
• Cafeteria e auditório
Obra no Sistema Preço de Custo e Grupo Fechado
Administração e coordenação
• Estacionamento rotativo
• Loja térrea
82
Projeto arquitetônico: Elisete Machado Salvi – E.U.: 002.333711.00.1 – Imagens meramente ilustrativas sujeitas a possíveis alterações de projeto – Áreas conforme NBR 12721, no item 3.7.
83
Pawel Szczepanski/Shutterstock
reprodução
BestHOME | Saúde
Os cuidados
com os olhos
no verão
por Guilherme Diehl
Oftalmologista
84
O verão é a estação na qual passamos grandes períodos em
áreas externas, como praias, clubes, piscinas e parques. Dessa
maneira, somos expostos a inúmeros fatores que podem prejudicar os olhos. O sol, a areia, o cloro da piscina e o vento podem
agredir a superfície dos nossos olhos, causando de maneira
rápida um quadro de ceratite – a inflamação da superfície da
córnea – gerando sintomas como sensação de areia nos olhos,
desconforto, ardência e sensibilidade à claridade. Além disso, a
pele da região das pálpebras, bastante fina, é muito sensível ao
sol. Sendo assim, não podemos nos esquecer de passar protetor
solar no rosto, incluindo a região das pálpebras, 30 minutos antes
de irmos ao sol, sem descuidar para não deixar que o protetor
atinja os olhos, além de sempre utilizar óculos escuros com lentes
que contenham o filtro contra radiação ultravioleta (UVA/UVB).
Bruxelas não é apenas a capital da Bélgica, também é considerada a capital da União Europeia, por ser a sede da Comissão
e do Conselho Europeu, além de ser responsável por 75% do
trabalho do Parlamento Europeu.
É um lugar com história, além de ter uma intensa agenda
cultural, parques e diversos museus com diferentes temas,
que vão desde história em quadrinhos até cerveja e chocolate.
Uma cidade cosmopolita, capaz de revelar uma nova surpresa
a cada esquina. Se você gosta de caminhar, a melhor forma de
conhecer Bruxelas é a pé. Bruxelas também tem um excelente
sistema de transporte e você pode facilmente se locomover via
metrô e utilizar as três principais estações de trem: Brussel-Zuid
(ou Bruxelles-Midi), Brussel-Centraal (ou Bruxelles-Central) e
Brussel-Noord (ou Bruxelles-Nord).
Para visitar os principais pontos da cidade, prepare-se para
percorrer aproximadamente 10 km, com algumas subidas – parece bastante, mas vale a pena. Outra opção é o ônibus turístico,
que passa por 22 pontos durante mais ou menos três horas.
Você pode descer em qualquer parada, aproveitar a atração
turística e pegar o próximo ônibus.
Como alternativa, muitos turistas preferem conhecer a cidade de bicicleta. O “Brussels Bike Tours” sai da Grand Place, com
duração aproximada de três horas e meia. O passeio é guiado
em inglês e percorre os principais pontos turísticos. A cidade
também conta com um sistema de aluguel de bicicletas com
mais de 60 estações de retirada espalhadas por diferentes locais.
Dicas que você também pode usar ao
visitar outras cidades da Europa:
• Baixe o app Smart maps e tenha o mapa da cidade e
todas as facilidades que precisar guiadas por um GPS.
• Compre um chip pré-pago que funciona em toda
a comunidade europeia e que você pode pedir
para ser entregue no seu primeiro hotel!
Um exemplo é o Prepaid Zero.
• Baixe um app como o Trip Wolf e tenha as
principais atrações turísticas e restaurantes. Existe
a opção de funcionamento offline (sem internet),
bastando apenas fazer um download prévio.
• Verifique a empresa de transportes locais e baixe
o app gratuito ou escolha um app pago para escolher
as melhores linhas para chegar ao seu destino.
85
reprodução
A exposição crônica ao sol pode levar a processos degenerativos da conjuntiva (membrana transparente que recobre
a região branca do olho), como pinguéculas e pterígios. O
pterígio é um tecido espessado e avermelhado que surge no
canto interno do olho, podendo causar o olho vermelho e uma
sensação de corpo estranho e ardência ocular. Nos casos mais
avançados, a estética ocular fica prejudicada, assim como a
visão, sendo recomendada a remoção cirúrgica.
A conjuntivite alérgica é bem prevalente nesta época do
ano, sendo caracterizada por coceira na região dos olhos,
acompanhada de vermelhidão e secreção incolor. Geralmente
acomete os dois olhos e ocorre em pessoas com histórico de
alergia (rinite, bronquite, asma). O tratamento deve ser feito
com compressas geladas, colírios antialérgicos e lubrificantes, e
deve-se procurar evitar fatores desencadeantes, como contato
com pólen, ácaros, pelos, etc.
Para prevenir doenças oftalmológicas, consulte seu oftalmologista regularmente. Ele é o único profissional apto a detectar e
tratar todas as doenças oftalmológicas, desde erros de refração
até diagnósticos mais complexos e tratamentos cirúrgicos.
• Consulte o médico oftalmologista periodicamente;
• Nunca se esqueça de usar óculos com proteção ultravioleta
em ambientes externos, mesmo em dias nublados;
• Procure ler sempre com uma boa fonte de luz, preferencialmente
com luz natural durante o dia e com um bom foco de luz à noite;
• Para as mulheres, use maquiagem hipoalergênica e remova-a
todas as noites com produtos específicos;
• Durante o uso de computadores, tablets e smartphones,
mantenha-se com uma boa postura, com afastamento adequado
da tela (30-50 cm), e faça intervalos a cada 30-45 minutos;
• Não use colírios sem a devida prescrição médica.
86
Guilherme Diehl,
Oftalmologista
Divulgação
Cuidados essenciais para os olhos
87
Claudio teitelbaum
BestHOME | Turismo
Costa da Califórnia
Costa da Califórnia
Uma viagem incrível para fazer de carro
Uma viagem incrível para fazer de carro
Percorrer a costa oeste americana, entre as cidades de San Francisco e San Diego, no estado
da Califórnia, deve constar na lista de roteiros de qualquer pessoa apaixonada por viagens. As
mais variadas paisagens, praias, costas selvagens, vida noturna e diversas outras atrações encontradas pelo caminho tornam o passeio inesquecível.
Seguindo por aproximadamente mil quilômetros pelas estradas costeiras, a Highway 1 é o
local para uma das mais belas viagens de carro do mundo, que deve ser realizada com calma,
para ir parando a cada mirante e praias que se oferecem no caminho. É sugerido que a viagem
seja feita em pelo menos 15 dias, para aproveitar os principais lugares desse trajeto.
88
89
fotos Claudio teitelbaum
Claudio teitelbaum
Reprodução
Bondinho de San Francisco
Claudio teitelbaum
Golden Gate Bridge
Bondinho de San Francisco e Golden Gate Bridge
Claudio teitelbaum
17 mile drive
90
La Jolla - San Diego
Confira algumas dicas para o roteiro de viagem:
A viagem pode começar tanto por San Francisco como por
San Diego, porém, o roteiro será feito partindo de San Francisco.
Quando se dirige no sentido sul, a mão da estrada fica ao lado
do mar, o que muitas vezes favorece a vista, além de facilitar
para encostar o carro nos diversos recuos e tirar algumas fotos.
San Francisco
É um lugar cheio de coisas para se fazer, conhecida como a
cidade dos bondinhos e da Golden Gate Bridge; tem atrações
para entreter os visitantes por semanas, mas tente ficar umas
três ou quatro noites. Entre os lugares mais interessantes, não
deixe de visitar o Pier 39, pois boa parte da vida turística da
cidade acontece por ali. Comer uma sopa da Clam Chowder no
Restaurante Fog Harbour é uma boa dica.
Atravessar a Golden Gate, seja a pé, de bicicleta, ou de carro,
e ver uma das pontes mais famosas de diversos ângulos é imperdível. San Francisco pode ser explorada a pé, de transporte
público ou de táxi – deixe para alugar o carro no último dia.
Para quem deseja uma vida mais cosmopolita, os arredores
da Union Square são imperdíveis, com diversas lojas e opções
gastronômicas. E para aqueles interessados em descansar, vale
a pena conhecer Salsalito e o Golden Gate Park.
Para quem vai pegar a Highway 1 e descer a costa de carro,
a sugestão é passar por Ocean Beach e almoçar no Beach Chalet.
Big Sur
Santa Barbara
Este é o trecho mais esperado e mais lindo de toda a Pacific
Conheça a orla da cidade e vá ao Stearn’s Wharf, o maior
Coast Highway, e apesar de poder ser feito em apenas um dia, píer da Califórnia. Percorra a avenida principal – existem várias
é sugerido se hospedar pela região – em Big Sur ou Cambria lojas, bares e restaurantes. A missão de Santa Barbara, fundada
–, para poder aproveitar as paradas com calma. A ponte mais em 1786 pelos franciscanos espanhóis, é uma das atrações
fotografada do trajeto, a Bixby Bridge, fica 21 km ao sul de da cidade. A distância até Los Angeles é aproximadamente
Carmel; fique atento para não passar dela. Antes de chegar, 150 km. Em Santa Barbara, fica a Flagship Store da Channel
passa-se por Rocky Point, um mirante com restaurante mara- Islands, parada também obrigatória para os apreciadores
vilhoso. Outra parada aconselhada é a Pfeiffer Burns State Park, do surfe. Por ter um mar bastante calmo, em dias quentes,
a praia da cachoeira. Estacione o carro no parque e caminhe a dica é alugar um caiaque ou um SUP (Stand Up Paddle) e
poucos minutos em direção ao mirante. Você estará diante de passear pelas águas geladas do mar de Santa Barbara. Nos
uma das mais belas vistas dessa viagem, uma praia linda com finais de semana, artistas locais expõem suas obras de arte
uma cachoeira natural caindo da montanha direto na areia.
no calçadão do píer.
Um bom local para almoço é o Restaurante Nepenthe, que
A poucos quilômetros da cidade, fica Montecitos, imperoferece um visual alucinante.
dível! A sugestão é chegar à tardinha e jantar em um dos
Santa Barbara fica um pouco distante do Big Sur, mais um charmosos restaurantes, como o Tre Luna ou o Cava.
motivo para ficar uma noite pela região.
Monterey
O ideal é sair pela manhã de San Francisco, para pegar a estrada em direção a Monterey. O percurso é de aproximadamente
200 km, mas poderá levar mais tempo caso queira ir parando para
aproveitar as paisagens. Half Moon Bay fica bem no meio da viagem. Para os apreciadores do surfe, a pedida é conferir Mavericks.
Monterey tem um dos aquários mais famosos dos EUA, o
Monterey Bay Aquarium, que está localizado na antiga fábrica
de sardinha e recebe todos os anos quase 2 milhões de visitantes.
A dica é chegar cedo, pois as filas são sempre grandes.
Carmel
A 17 Mile Drive é uma estrada particular que vai do bairro
Pacific Grove, em Monterey, até a entrada de Carmel. Apesar
do nome, a estrada tem apenas dez milhas. A cidade é pequena
e muito charmosa, ideal para caminhar no centrinho, olhar
as lojas, galerias de arte, no final do dia ver o pôr do sol na
praia e depois jantar em um ótimo restaurante. Aproveite
para ficar uma ou duas noites na cidade e de manhã cedo
seguir para Big Sur.
91
fotos Claudio teitelbaum
Los Angeles/Santa Mônica
É uma cidade grande e cheia de atrações. Aproveite para
ficar umas três ou quatro noites. Procure saber se acontecerá
algum evento grande, show, ou pesquise sobre alguma casa noturna ou restaurante badalado. Você pode conhecer Hollywood,
Berverly Hills, entre outras atrações turísticas da cidade. Para
quem gosta de montanha-russa, vá até o Six Flags, um dos
melhores parques do mundo nesse segmento.
Ficando em Santa Mônica, a região mais charmosa é próxima
ao píer e à Third Street Promenade, que conta com excelentes
lojas e restaurantes. Praias como Malibu, Santa Mônica e Venice
Beach ficam próximas umas às outras. A pequena distância de
carro, também chega-se a Huntington Beach, excelente para
a prática do surfe.
Los Angeles Downtown
San Diego
Última cidade do roteiro, San Diego fica bem ao sul do
estado. É uma das maiores cidades costeiras da Califórnia.
Conhecida por ter um clima perfeito, com praias impressionantes e atrações turísticas famosas, como o SeaWold e o Zoológico.
Um lugar repleto de belezas naturais e muita história.
La Jolla é um dos bairros mais charmosos da cidade, com
ruas charmosas, lojas e restaurantes. Em San Diego, praias
famosas como Blacks Beach, Swammys e Cardiff by the Sea
apresentam belezas naturais impressionantes.
3rd Street Promenade, Santa Mônica
Zoológico de San Diego
92
93
Venha morar em um lugar longe
do estresse do dia a dia
e com a mais bela vista da cidade.
Rua Cônego Viana, 123
e Rua Doutor Lauro de Oliveira, 140
Além do conforto dentro de casa, no Príncipe de Constantino você e sua família
podem desfrutar de uma série de comodidades sem sair do condomínio. Com total segurança,
as crianças vão querer passar horas na brinquedoteca, na quadra de esportes e na piscina infantil.
Enquanto isso, você aproveita o fitness center, a piscina com raia ou relaxa no deck molhado.
Pode também reunir a família inteira e os amigos no salão de festas com espaço gourmet.
O que não faltarão são opções de entretenimento num empreendimento diferenciado,
onde as áreas de lazer serão entregues decoradas e equipadas.
94
95
Apartamentos com 203m²
e 207m², 3 dorm. c/ suíte,
3 vagas de garagem e depósito.
Apto. cobertura com 406m²
e 5 vagas de garagem.
96
97
Living
Brinquedoteca
Fitness center
Mais que um simples condomínio, o
Príncipe de Constantino foi planejado
para você viver em perfeita harmonia com
o meio ambiente: tem automação de iluminação, espera para o ar-condicionado
tipo inverter, medição individual de água
e gás natural, bicicletário, gerador parcial
de energia e reaproveitamento de água da
chuva. O revestimento das fachadas, com
painéis arquitetônicos e vidros duplos
nos dormitórios, alia a beleza do prédio
ao conforto térmico e acústico interno de
todos os ambientes, resultando em uma redução de custos de energia ao longo de toda
a vida útil do prédio.
Todas as unidades têm três vagas de garagem e armário privativo. O prédio oferece
estacionamento para visitantes com entrada
independente dos moradores e guarita com
elementos blindados.
DIFERENCIAIS DE SUSTENTABILIDADE EM UMA
OBRA COM CONCEITO GREEN BUILDING.
Área de lazer
Terreno com área total
de aproximadamente 2.000m²
51 3019.1883 | 51 9545.0101 | www.teitelbaum.com.br
Obra no Sistema Preço de Custo e Grupo Fechado
Administração e coordenação
Implantação da área de lazer
98
99
Imagens meramente ilustrativas – Projeto Arquitetônico: Eduardo Haetinger – SMOV: 002.328794.00.7 – Projeto paisagístico: Arq. Mariana Machado Simões
e Arq. Christine Loro. Projeto de Arquitetura de Interiores: Arq. Ana Paula Teitelbaum. Áreas conforme NBR 12721, no item 3.7
BestHOME | Responsabilidade Social
WimBelemDon,
O ano de 2014 marcou a história do Projeto Social
WimBelemDon e de seu mentor, o ex-fotógrafo profissional
Marcelo Ruschel, especializado em clicar esportes, especialmente jogos de tênis. Os primeiros dias do ano trouxeram
também mais alegria a Belém Novo, bairro da Zona Sul de
Porto Alegre onde está localizado o WimBelemDon, quando
a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) anunciou que,
pela primeira vez, um projeto brasileiro ganhara o ATP ACES
For Charity, seu reconhecimento e premiação financeira. Foi
o que faltava para Marcelo Ruschel se desligar dos seus 31
anos de carreira como fotógrafo profissional, dentre os quais
alguns acompanhando feras como Gustavo Kuerten, para se
dedicar exclusivamente ao WimBelemDon. O nome do projeto
é uma alusão ao Torneio de Wimbledon, na Inglaterra, o mais
antigo e tradicional torneio de tênis do mundo.
O projeto nasceu a partir das paixões do fotógrafo pelo
tênis, pela fotografia e por Belém Novo, para onde se mudou
em 1999 e vislumbrou, numa quadra de tênis abandonada,
a possibilidade de realizar algo com a comunidade. Um ano
depois, alugou o espaço sem saber o potencial do que iria
desenvolver com as crianças dali. “A parte mais difícil foi o
início, de saber como fazer. Eu era um fotógrafo que não tinha
ideia de quantas crianças poderia colocar naquela quadra”,
comenta. Mas, a partir de março de 2003, ele deu início ao
WimBelemDon, levando 40 crianças a praticar tênis como meio
de inserção social. Alguns meses depois, o número dobrou, e
hoje são pouco mais de cem participantes.
fotos Divulgação
paixões que mudaram as regras do jogo
Thomaz Koch, Gustavo Kuerten e Fenando Meligeni
Apesar de ter no projeto embaixadores campeões como
Thomaz Koch e Fernando Meligeni, engana-se quem pensa
que o WimBelemDon dedica-se a formar apenas craques em
tênis. Todos os dias, crianças entre 6 e 18 anos têm atividades
paralelas ao esporte, com oficinas em psicologia, matemática,
português, bem-estar e cinema, e desdobramentos das disciplinas. “O tênis é um meio, não um fim. Nossa preocupação é
formar não um grande tenista, mas um bom cidadão”, explica
Marcelo Ruschel. Após capacitar cada vez mais o projeto, hoje o
WimBelemDon conta com uma equipe multidisciplinar de cerca
de 35 pessoas, entre funcionários, estagiários e voluntários.
Marcelo Ruschel (segundo à esq., de barba) e sua turma
Quer contribuir?
Saiba como entrar para o time WimBelemDon
100
O projeto WimBelemDon está aberto a todas as
formas de contribuição, desde a de voluntários que
dediquem tempo aplicando know-how, até doações
financeiras. Quem deseja doar pode fazer diretamente com valores mensais a partir de R$ 30,00 ou
pela lei federal do Funcriança, que abate do Imposto
de Renda devido por pessoa física (6%) ou pessoa
jurídica (1%). Acesse www.wimbelemdon.com.br e
entre nesse time!
101
Quando todos juntamos esforços,
as coisas acontecem
Quantas vezes você já não se pegou pensando em auxiliar
o próximo mas se sentiu um pouco intimidado, por achar ser
necessário ter muito trabalho, conhecimento ou relacionamentos para conseguir, de fato, promover algo que faça a diferença.
Que nada! Para ajudar quem precisa, basta ter vontade, botar a
mão na massa , seguir adiante e usar o que você faz de melhor
para colaborar.
Foi o que fez a turma do Axis Anima, estúdio de beleza e
fotografia localizado no bairro Rio Branco, em Porto Alegre.
“Seu sorriso é a melhor recompensa para nós”, estampa o Axis
Anima, que também é um local para promover a arte, a troca de
experiências e a percepção do mundo.
Prova disso é o Dia da Alegria, criado pelo estúdio e que
teve sua segunda edição realizada em 12 de outubro, Dia da
Criança. Elas, naturalmente, ganharam o presente: cortes de
cabelo gratuitos para crianças até 12 anos e atividades variadas e divertidas, como jogos interativos em Inglês, teatro,
música e literatura. O momento mais esperado pela garotada
foi a sessão de autógrafos da escritora Valéria Portella, autora
do livro “A Menina que Ficou Invisível”, lançado pela editora
Literalis e ilustrado por Marco Antonio Godoy.
O evento beneficiou o Lar da Criança Anne Frank, que presta
atendimento a 178 crianças desde 1982. Este Lar é uma instituição
filantrópica, sem fins lucrativos , que contempla o atendimento pedagógico, em regime de pré-escola, a 133 crianças na faixa etária
de três a seis anos de idade incompletos oriundas de famílias de
pais trabalhadores da comunidade da Vila Jardim Universitário, em
Viamão e mais 45 crianças a partir dos sete anos, no turno inverso
ao do ensino fundamental, mantendo-as longe da vulnerabilidade
social, no projeto de Convivência de Vinculos.
Ana Paula Teitelbaum
Lar da Criança Anne Frank, em Viamão
fotos Cristiano gomes
BestHOME | Responsabilidade Social
Dia da Alegria
Faça parte desta história e saiba
como fazer mais crianças sorrirem:
• Para se associar ao Lar da Criança Anne Frank, servir
como voluntário ou realizar depósitos contate o e-mail:
[email protected];
• Abata com sua doação 6% do imposto de renda a pagar por
pessoa física e 1% por pessoa jurídica depositando até 30 de
dezembro no FUNCRIANÇA - Fundo Municipal dos Direitos da
Criança e do Adolescente/Viamão - CNPJ 17.979.325/001-60
Banco do Brasil 001 – Conta 44.043-4 / Agência -0628-9
Entidade Comunitária Israelita Brasileira – Lar da Criança Anne Frank
Após seu depósito, envie-nos um e-mail, para podermos
acompanhar no órgão competente e enviar seu recibo.
102
Conheça mais sobre o Lar da Criança
Anne Frank acessando o Facebook:
https://pt-br.facebook.com/Lar-da-Criança-Anne-Frank
103
Ao lado, ambiente baseado na a obra
“Il voto di Mae West”, obra abaixo.
Dalí
entre nós
Exposição ocupa o Instituto Tomie Ohtake,
em São Paulo, até 11 de janeiro.
104
Dalí e Dala
reprodução
Fundació Gala‐Salvador Dalí/Divulgação
O pintor Salvador Dalí (1904-1989) definia-se como uma
máquina de pensar que queria abrir as janelas mentais. Mestre
do surrealismo, Dalí ficou conhecido por retratar sonhos e
fantasias, usar um bigode bem fino com as pontas levantadas
para o alto e viver uma relação de amor de uma vida com Gala
(1894-1982). Um questionador da realidade. Uma mostra –
que já passou pelo Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de
Janeiro – dedicada ao artista catalão agora pode ser conferida
em São Paulo, no Instituto Tomie Ohtake.
imagens Fundació Gala‐Salvador Dalí/Divulgação
BestHOME | Arte
A mesma exposição já ocupou o museu Reina Sofia, em
Madri, e o Georges Pompidou, em Paris, e reúne 218 peças que
demonstram como o estilo do artista mudou com o passar do
tempo. Na entrada, uma foto de Dalí com seu bigode em riste
recebe o público, em uma exemplificação de sua personalidade
irrequieta, divertida e surreal. Na sequência, podem-se ver 24
pinturas, 135 gravuras e desenhos (muitas delas ilustrações
para livros como “Alice no País das Maravilhas”, “Fausto”, “Dom
Quixote” e “O Velho e o Mar”), 15 fotos, 40 documentos e uma
sala retratando a atriz norte-americana Mae West (1893-1980)
como um apartamento. O ambiente atrai curiosos em busca de
uma foto na poltrona que simula a boca da atriz. Entenda-se:
a sala reproduz a obra “Il voto di Mae West”, de 1935. A sala
foi criada por Edward James (1907-1984) e Dalí em 1938 e é
composta por dois quadros do artista, uma lareira e o sofá, que
compõem olhos, nariz e boca.
Entre as obras, o pequeno óleo sobre madeira “O Espectro
do Sex-Appeal” (1934), em que Dalí mostra o temor pela sexualidade, e “O Piano Surrealista” (1937), fruto de sua colaboração
com os irmãos Marx. Também estão lá telas do começo de sua
formação como pintor, como “Desnudo” (1924), que pertencia a
Federico Garcia Lorca; “Homem com a cabeça cheia de nuvens”,
com referência a outro artista plástico, René Margritte; e “Retrato de Minha Irmã” (1925). Da fase surrealista, mais conhecida,
estão presentes “O Sentimento de Velocidade” (1931), “Monumento imperial à mulher-menina” (1929), “Figura e drapeado
em uma paisagem” (1935) e “Paisagem pagã média” (1937).
Já o acervo traz documentos e livros da biblioteca particular
de Dalí, que dialogam com as pinturas proporcionando ao
visitante uma viagem biográfica e artística pela vida e carreira
do pintor. “Queremos mostrar o Dalí surrealista, mas também
aquele que se antecipa ao seu tempo, que é audacioso, que
defende a liberdade de imaginação do artista em sua própria
criação. Ao mesmo tempo, a mostra passeia pela trajetória
artística e pessoal de Dalí”, afirmou a curadora da exposição,
Montse Aguer, diretora do Centro de Estudos Dalinianos da
Fundação Gala-Dalí, na apresentação da exposição. “Após a
visita, todos entenderão sua importância como artista, não
só no surrealismo, mas na história da arte. Isso significa uma
importante ligação com a arte contemporânea, enquanto Dalí
parte de uma profunda compreensão e respeito pela tradição.”
“O Espectro do Sex-Appeal”
105
Museo Reina Sofía-Madrid/Divulgação
Fundació Gala‐Salvador Dalí/Divulgação
RELEMBRANDO SALVADOR DALÍ
Dalí foi um dos principais nomes do surrealismo, movimento
artístico bastante influenciado pelas teorias do médico neurologista e criador da psicanalise Sigmund Freud (1856-1939),
que enfatiza o inconsciente. Pintor, desenhista, ilustrador,
cineasta e cenógrafo, suas pinturas retratam geralmente figuras
recorrentes como relógios, muletas e corpos mutilados. Mas,
formado na escola acadêmica, dizia que seu pintor favorito
era o renascentista Rafael, mestre do Renascimento italiano. O
classicismo faz-se presente em todas as suas pinturas. Está nos
retratos do começo da carreira, nas paisagens e cenas surrealistas e fantásticas e mesmo nas esparsas tentativas cubistas.
Era um conservador na forma.
O surrealismo baseava-se em dois dogmas: além da pesquisa
das imagens do inconsciente, inspirada na psicanálise, cultuava
a oposição radical ao capitalismo. Dalí rejeitou o envolvimento
político, em especial com a esquerda radical, e foi banido do movimento. Expulso de seu grupo original de artistas, trocou Paris
por Nova York, em 1944, e mudou de vida. Passou a desenhar
cenários de balés e peças de teatro, a decorar lojas, desenhar
móveis e roupas e fazer performances barulhentas, cujo objetivo
era chamar a atenção para si. Na segunda fase da carreira, Dalí
tornou-se o precursor da arte como espetáculo e da cultura
das celebridades. Inspirou artistas que o sucederam, como os
americanos Andy Warhol e Jeff Koons ou o inglês Demian Hirst.
A partir de Dalí, o pintor passou a fazer parte integrante de sua
obra – e do valor atribuído a ela.
Seu comportamento aburguesado e histriônico provocou
antipatia e um certo desprezo por sua produção, principalmente em seus últimos anos de vida. “É certo que Dalí usava
a provocação como meio para ser conhecido, e os meios de
comunicação foram uma grande forma de divulgar sua arte”,
diz a curadora Montse Aguer. “Mas, por trás disso, está um
artista cheio de técnica, que conhece muito de arte e abriu os
caminhos da arte contemporânea.”
SALVADOR DALÍ - De terça a domingo, das 11h às 20h,
até 11 de janeiro de 2015 – No Instituto Tomie Ohtake
(Rua dos Coropés, 88 – Pinheiros – São Paulo/SP – Fone
(11) 2245-1900) – Entrada franca. Distribuição de senhas,
com validade apenas para o dia em que forem retiradas.
Visitação dividida em três horários: 11h, 14h e 17h. A
distribuição é feita na entrada do Instituto Tomie Ohtake,
das 10h às 18h, ou até acabarem as senhas. São distribuídas, no máximo, duas senhas por pessoa. A última
entrada do público na exposição ocorre às 18h.
106
Autoretrato cubista de Dalí e “Retrato de Minha Irmã”
107
fotos eejt/Divulgação
BestHOME | Integração
O projeto das rotas de integração
da américa do sul se globaliza
South america integration routes
project goes global
108
Presente em eventos e contatos na Europa e nos Estados
Unidos, o projeto das Rotas de Integração da América do Sul,
promovido pelo CRIAS (Comitê das Rotas de Integração da
América do Sul), participou de encontros nos meses de Outubro
e Novembro, quando analisou alternativas, divulgou os resultados do IX Congresso Internacional e convidou instituições e
autoridades para o X Congresso.
O presidente do CRIAS, engenheiro Joal Teitelbaum, divulgou
ante autoridades de presença internacional as ações da entidade
e procedeu a convites para o X Congresso, a se realizar em 24
e 25 de Setembro de 2015.
A América do Sul, mesmo somando investimentos privados
e públicos, tem aplicado, na última década, parcelas que não
alcançam 2,5% do PIB (em média) nos segmentos de infraestrutura física, energia, mobilidade urbana e saneamento básico.
Isso tem ocasionado uma baixa competitividade, decorrente
dos custos elevados de logística e também da qualidade de
vida da população.
O CRIAS vem também alertando desde 2007 sobre a necessidade de construir uma governança e uma gestão em forma
integrada entre a sociedade civil/setor privado e o setor governo,
dentro dos fundamentos da qualidade e da transparência.
A Iniciativa da Integração da Infraestrutura Regional Sul Americana (IIRSA), criada pelos 12 países da América do Sul no ano 2000,
Present at events and making contacts in Europe and the
United States, the South America Integration Routes project
promoted by CRIAS (South America Integration Routes Committee) participated in meetings in the months of October and
November when were analyzed alternatives, presented the
results of the 9th International Congress and invited institutions
and authorities to the 10th Congress.
Engineer Joal Teitelbaum, CRIAS president shared with
international authorities the entity’s activities and delivered
invitations to the 10th Congress to be held on September 24
and 25, 2015.
Even with the sum of private and public investments made
in South America over the last decade, less than 2.5% of the
GDP (on average) has been invested in physical infrastructure,
energy, urban mobility, and basic sanitation.
This has caused low competitiveness due to high logistical
costs and lower the population quality of life.
CRIAS has been issuing warnings since 2007 of the need to
build governance and management in an integrated fashion
between civil society, the private sector, and government, based
on the foundations of quality and transparency.
The South American Infrastructure Regional Integration
Initiative, IIRSA, created by 12 South American countries in
2000, completed its term in 2010, and its projects collection
O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, OEA, José Miguel Insulza,
e Joal Teitelbaum, oportunidade em que o Presidente do CRIAS discorreu sobre
os resultados do IX Congresso e entregou o convite para o X Congresso Internacional
das Rotas de Integração da América do Sul
The general-secretary of the Organization of American States, OEA, José
Miguel Insulza and Joal Teitelbaum, when the President of CRIAS talked
about the results of the 9th Congress and delivered the invitation to the
10th International Congress of South America Integration Routes
concluiu seu mandato em 2010, sendo seu acervo disponibilizado
para a Unasul (União das Nações Sul-Americanas) e para o Cosiplan (Conselho Sul-Americano de Infraestrutura e Planejamento).
Ocorre que não há uma integração com o setor privado,
o que não permite a formatação de uma eficiente logística
apoiada na multimodalidade de aeroportos, ferrovias, portos,
navegação interior e lacustre e rodovias, fazendo com que os
custos de transporte na região possam chegar a até três vezes
mais que os praticados na América do Norte, Europa e Ásia.
A ausência dos polos de desenvolvimento ligando a infraestrutura física às áreas de produção e a deficiente rede de
armazenagem afetam drasticamente a competitividade regional
em um mercado global.
Da mesma forma, a construção virtual de binários entre
portos e aeroportos traria uma racionalização logística.
O modelo apresentado pelo CRIAS prevê uma interação
da sociedade civil/setor privado com o Cosiplan. Essa ação
participativa se daria por meio de instituições nacionais de
cada um dos países em nível governamental, em uma primeira
etapa, e posteriormente seria construída uma governança no
Cosiplan.
Há etapas estratégicas a serem construídas na região, que
vão desde a questão de fronteiras até o melhor aproveitamento
das redes de infraestrutura física disponíveis.
O presidente do CRIAS, Joal Teitelbaum, reuniu-se com o ex-presidente da República
Federal da Alemanha, Horst Koehler. O ex-presidente, que participa de diversos
organismos internacionais, contribuiu também com o seleto grupo sob a presidência
do secretário-geral das Nações Unidas que traçou cenários do nosso planeta após
2015. A questão da infraestrutura física e da água são preocupações do grupo,
e nesse enfoque se enquadram também as ansiedades do CRIAS
The president of CRIAS, Joal Teitelbaum, met with the former president
of Germany, Horst Koehler. The former president, who participates in many
international organizations, also contributed to the select group under the
chairmanship of the UN Secretary General and outlined scenarios
for our planet after 2015. The issues of physical infrastructure and water
are group concerns, and this approach also fit CRIAS interests
was made available to UNASUL (Union of South American
Nations) and by COSIPLAN (South American Council for
Infrastructure and Planning).
It happens that there is no integration with the private
sector, which does not allow the formatting of efficient logistics supported by multiple modals such as airports, railways,
ports, inland and lacustrine navigation, and highways, making
transport costs in the region up to three times higher than
those in North America, Europe and Asia.
The lack of development hubs linking the physical infrastructure to production areas and a poor storage network
drastically affects the regional competitiveness in a global
market.
Likewise, the virtual binaries construction between ports
and airports would achieve a streamline logistics.
The model presented by CRIAS foresees civil society/
private sector interaction with COSIPLAN. This participatory
action would take place through the national institutions of
each country at the different levels of governments during
an earlier stage and later on with a governance built in
COSIPLAN.
There are strategic stages to be built in the region, ranging
from the issue of borders to the best use of the available
physical infrastructure networks.
109
fotos eejt/Divulgação
O Fórum dos Mercados Emergentes (EMF, em inglês) tem convidado o CRIAS
desde 2009 para participar de seus eventos. Neste ano o fórum ocorreu na cidade
de Warrenton, estado da Virgínia, próximo à capital dos Estados Unidos. Esse
evento, que reúne cerca de 120 personalidades de governo e do setor privado,
é do mais alto significado para o desenvolvimento sustentável e pela interação
que proporciona. Na fotografia, o CEO e fundador do EMF, Harinder Kholi,
e o presidente do CRIAS, Joal Teitelbaum
A Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (Cepal) –
ECLAC, em inglês –, organismo das Nações Unidas, tem dado seu
apoio institucional ao CRIAS, quer pela Secretaria-Geral, sediada
em Santiago, no Chile, quer por representações em outros
países. Na foto, a senhora Inês Bustillo, diretora da Cepal
em Washington, e o presidente do CRIAS, Joal Teitelbaum.
Também esteve reunida com a assessora Georgina Núñez
The EMF, Emerging Markets Forum, has invited CRIAS to participate in their
events since 2009. This year, the forum was held in Warrenton, Virginia, near
Washington D.C. This event gathers around 120 important figures from the
government and private sector and is of utmost significance for sustainable
development and due to the interaction it provides. In the photo, the CEO and
founder of EMF, Harinder Kholi with the CRIAS president, Joal Teitelbaum
The UN body ECLAC, Economic Commission for Latin America
and the Caribbean, has given its institutional support to CRIAS
through both the General Secretariat based in Santiago,
Chile and representations in other countries. In the photo,
Ms. Ines Bustillo, ECLAC Director in Washington and President
of CRIAS, Joal Teitelbaum. He also met with aid Georgina Núñez
110
A construção dessa rede para a infraestrutura regional passa
The construction of this network for regional infrastrucpor medidas como equacionar as disparidades regionais e con- ture undergoes measures as solving regional disparities and
vergência de iniciativas para vencer obstáculos físicos e temas da convergence initiatives so as to overcome physical obstacles
política de integração, na forma como esta é vista pelos 12 países. and issues of integration policy as it is perceived by the
A infraestrutura física dos Estados Unidos, em seus funda- twelve countries.
mentos básicos, foi construída a partir dos anos 30 do século
The basic fundamental of USA physical infrastructure was
passado; a Europa avançou muito no período entre 1970 e o ano built starting in the 1930s. Europe advanced quite a bit from
2000; e a China deu um salto gigantesco nos últimos 30 anos. 1970 to 2000 and China took a giant leap in the last 30 years.
Há consenso internacional de que a crise que se abateu soThere is an international consensus that the crisis that hit
bre a Europa seria de proporções muito maiores se o continente Europe would have been of much larger proportions if the
europeu não dispusesse da infraestrutura física que hoje lhe European continent did not possess the physical infrastructure
faculta uma circulação invejável no setor turístico.
that provides today enviable circulation for the tourism sector.
Nesse mesmo período, a evolução na América Latina e
During this same period, the development in Latin America
do Caribe foi muito lenta, e as carências e limitações atuais and the Caribbean was very slow and the current shortcomings
necessitam, além de recursos materiais, também de vontade and limitations require, in addition to material resources, the
política para concretizar projetos essenciais.
political will to implement essential projects.
Pode se afirmar que hoje o custo do não fazer se sobrepõe
Today it can be said that the cost of doing nothing is greater
ao custo de fazer.
than the cost of doing something.
Há um consenso entre os principais organismos de fomento
There is a consensus among the world's top development
do mundo de que um dos fatores da baixa competitividade de agencies that one of the factors that causes poor competiprodutos oriundos da América do Sul se relaciona intimamente tiveness for products originating in South America is closely
com uma deficiente infraestrutura física que produz uma lo- related to poor physical infrastructure that produces inefficient
gística também ineficiente e a reduzida aplicação de recursos. logistics and a reduction in applied resources.
O presidente do CRIAS acredita que esses encontros realizaCRIAS President believes that these meetings will bring
dos trarão resultados positivos para colocar em pauta prioritária positive results to prioritize the analysis and search for
a análise e a busca de alternativas concretas para acelerar o concrete alternatives to accelerate the sub-regional inteprojeto de integração sub-regional.
gration project.
O ex-presidente do BID, Enrique Iglesias, um dos maiores entusiastas
da integração sub-regional da América do Sul, reuniu-se com o engenheiro
Joal Teitelbaum, e ambos comentaram alternativas para acelerar
a integração da América do Sul
Enrique Iglesias, the former BID president and one of the major
enthusiasts for South American sub-regional integration, met
with engineer Joal Teitelbaum and discussed alternatives
to accelerate integration in South America
O presidente e CEO do Banco Latino-Americano de Fomento (CAF),
com quem o presidente Joal Teitelbaum esteve reunido. O CAF vem
prestigiando, desde a fase inicial, as atividades do CRIAS
The president and CEO of the Latin American Development
Bank, CAF, who met with president Joal Teitelbaum. CAF has
been participating in CRIAS events since the beginning
O CRIAS, desde sua constituição, em 1996, construiu uma
linha de comunicação com instituições e autoridades como as
mencionadas nessas reuniões aqui enumeradas. Os trabalhos
técnicos elaborados vêm obtendo conteúdos significativos
de relatórios e dados, e têm sido produzidas apresentações e
análises com recomendações que poderão ser acessadas no site
www.rotasintegracao.org.br.
Since its inception in 1996, CRIAS has built a line of
communication with institutions and authorities, such as
those mentioned in the meetings listed here. The technical
papers written have obtained significant content from reports
and their data, and presentations and analysis have been
produced with recommendations that can be accessed at
www.rotasintegracao.org.br.
X CONGRESSO INTERNACIONAL DAS ROTAS INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL
SAVE THE DATE: DIAS 24 E 25 DE SETEMBRO DE 2015
ONDE : PORTO ALEGRE, RIO GRANDE DO SUL, BRASIL
REALIZAÇÃO : CRIAS, COMITÊ DAS ROTAS DE INTEGRAÇÃO DA AMÉRICA DO SUL
LOCAL : PLENÁRIO MERCOSUL, FIERGS, FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL
111
Notícias de Classe Mundial
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
DESPEDIDA DE UM DOS GURUS DA QUALIDADE
GOODBYE TO A QUALITY GURU
DIVULGAÇÃO
Aos 92 anos de idade, partiu Armand Val Feigenbaum, para
At 92 years old, Armand Val Feigenbaum left us. For many
muitos um dos três mais importantes gurus da qualidade, pois, people, he was considered one of the three most important
assim como Deming e Juran, ele estabeleceu valores perenes quality gurus because, like Deming and Juran, he established
para a construção do que podemos chamar de ciência da qua- perennial values for the construction of what we can call the
lidade ao alcance de todos.
science of quality within reach.
Aos 15 anos, começou a trabalhar na GE, e lá esteve até
At 15 he started working at GE and remained there until
1968, quando criou a GSC (General System Corporation), uma 1968, when he created the GSC - General System Corporation,
das primeiras empresas de engenharia dedicadas à melhoria one of the first engineering companies dedicated to improving
dos negócios, da sustentabilidade, da inovação e, por que não business, sustainability, innovation (and we might as well
dizer, também da responsabilidade social, por meio do uso da include social responsibility) through the use of quality manaadministração de qualidade e de métodos estatísticos.
gement and statistical methods.
Em 1980 Feigenbaum produziu grande transformação, com
In 1980, Feigenbaum produced a major transformation with
a terceira edição de seu livro “Controle Total da Qualidade”.
the third edition of his book Total Quality Control.
Muito ainda vai ser escrito sobre esse engenheiro, que coMuch will still be written about this engineer who started as
meçou como aprendiz e teve uma vida dedicada à pesquisa, ao an apprentice and had a life dedicated to researching, studying,
estudo e ensino da qualidade e seus resultados empresariais, and teaching quality and its business results, along with a
bem como uma intensa participação institucional, tendo sido strong institutional participation as the two times president
presidente da American Society for Quality por duas vezes (tendo of the American Society for Quality, where he received its
recebido o reconhecimento em seu mais alto grau como Membro highest level of recognition as an Honorary Member, and also
Honorário), bem como da International Academy for Quality.
the International Academy for Quality.
Deu entrevistas à Best Home, uma delas na 20ª edição, em
He was interviewed by Best Home once, in the 20th Edition
2008. Contribuiu também com o envio de definições a esta revista, in 2008. He also contributed by sending definitions to the
e dele tem-se duas referências históricas em relação ao Brasil.
magazine, and he left two historical contributions to Brazil.
Sua existência é uma sucessão
de reconhecimentos. Em 2008
o governo dos Estados Unidos
concedeu-lhe a mais alta condecoração
na área da tecnologia e da inovação,
que lhe foi entregue pelo então
presidente George W. Bush
112
His existence was a litany of
achievements. In 2008 the United
States government awarded him the
highest award in the field of technology
and innovation, which was presented
to him by President George W. Bush
EEJT/DIVULGAÇÃO
Notícias de Classe Mundial
Registro uma das entrevistas de Armand Val Feigenbaum dada à Best Home, acompanhado de seu irmão, Donald Feigenbaum
One of the interviews of Armand Val Feigenbaum, given to Best Home, where he was with his brother Donald Feigenbaum
Uma dela é que registrou que o Prêmio Nacional da Qualidade, outorgado pela Fundação Nacional da Qualidade, por seus
critérios, pode ser equiparado ao Baldrige, dos Estados Unidos;
outra, quando esteve em Porto Alegre para participar, em 2008,
do Fórum “Os segredos do Futuro” e conheceu o projeto que
o PGQP (Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade)
desenvolvia na área pública e particularmente o do município
de Porto Alegre. Ele afirmou que o projeto deveria ser adotado
pela cidade de Boston, nos EUA, onde residia.
A vida de Armand Feigenbaum é um exemplo a ser vivido,
e plena de concretas realizações. Vamos registrar apenas uma:
durante a II Guerra Mundial, quando foi destruída a fábrica
de motores da Rolls Royce (1) em Coventry, no Reino Unido, a
força aérea dos Estados Unidos designou a GE para projetar e
construir todos os motores da aviação aliada. Com apenas 23
anos, a GE encarregou Feigenbaum de organizar e operar sua
primeira unidade de engenharia de controle de qualidade, e naquele mesmo ano de 1943, ele foi nomeado gerente de controle
de qualidade de toda a unidade, composta por 45 mil pessoas.
Seu nome já se constitui em uma lenda por sua capacidade,
seu perfil humano e simpatia. Feigenbaum deixa um vazio não
apenas no mundo da Qualidade.
One of them is that he established that the Prêmio Nacional
da Qualidade (National Quality Award), granted by the Fundação
Nacional da Qualidade (National Quality Foundation), due to
its criteria, could be equated to the Baldrige Award in the USA;
and the other when he was in Porto Alegre to participate in the
2008 “Secrets of the Future” Forum where he knew the PGQP
project - Gaucho Quality and Productivity Program - developed
in the public sector and particularly the city of Porto Alegre. He
said that this project should be adopted by the city of Boston,
where he lived in the USA.
Armand Feigenbaum’s life is an example to be followed
and full of real achievements. We will mention one. During
World War II, after the Rolls Royce factory in Coventry, UK was
destroyed (1), the American Air Force appointed GE to design
and build all Allied aviation engines. At only 23 years of age,
GE instructed Feigenbaum to organize and operate its first
quality control engineering unit, and in that same year, 1943,
he was appointed the quality control manager for the entire
unit, consisting of 45,000 people.
His name became a legend due to his capacity, his humanity, and his kindness. Feigenbaum leaves a void beyond
the World of Quality.
(1)
Nota histórica do ensaio “Feigenbaum’s Enduring Influence”, de autoria de Gregory H. Watson, publicado em novembro de 2005 na Quality Progress.
(1)
Historical note from the essay “Feigenbaum’s Enduring Influence”, by Gregory H. Watson, published in November 2005 in Quality Progress
113
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
INICIATIVAS QUE FORTALECEM A QUALIDADE NO SETOR PRIVADO
INITIATIVES THAT STRENGTHEN QUALITY IN THE PRIVATE SECTOR
WILLIAM TROY, CEO DA SOCIEDADE AMERICANA DA QUALIDADE (ASQ), REALIZA
VISITA AO PRESIDENTE DO ESCRITÓRIO DE ENGENHARIA JOAL TEITELBAUM
WILLIAM TROY, CEO OF THE AMERICAN SOCIETY FOR QUALITY, ASQ,
VISITS THE PRESIDENT OF THE ENGINEERING OFFICE JOAL TEITELBAUM
SENGE-RS/DIVULGAÇÃO
Alexandre Mendes Wollmann e Joal Teitelbaum
Alexandre Mendes Wollmann and Joal Teitelbaum
114
A QUALI, joint venture entre a Sociedade Americana da Qualidade e o Programa Gaúcho da Qualidade, firmou protocolos
com o SENGE (Sindicato dos Engenheiros/RS) e com o CRA
(Conselho Regional de Administração/RS). O SENGE é presidido
pelo engenheiro Alexandre Mendes Wollmann, e o CRA, pela
administradora Claudia Salles Stadtlober.
O objetivo dos protocolos firmados é o treinamento de
profissionais para obter a certificação em qualidade da ASQ.
Essa parceria se encaminha para o terceiro ano, e o diferencial é que tanto o material didático como as provas são em
língua portuguesa. Os instrutores, que também se comunicam
em português, foram referendados pela ASQ.
Em ambas as oportunidades, que ocorreram respectivamente em setembro e outubro, o membro da diretoria da Sociedade
Americana da Qualidade e vice-presidente internacional do
PGQP, engenheiro e empresário Joal Teitelbaum, procedeu a
palestras. No CRA, abordou o tema “O novo cenário global da
Qualidade em um mundo em transformação”, e no SENGE, “Uma
trilogia para o século XXI, o futuro da Qualidade no mundo e
as inovações tecnológicas”.
Presidente do CRA Claudia Salles Stadtlober e o engenheiro Joal Teitelbaum
CRA President Claudia Salles Stadtlober and engineer Joal Teitelbaum
QUALI is the joint venture between the American Society for
Quality and the Programa Gaúcho da Qualidade (Gaucho Quality
Program). Signed protocols with SENGE, (Engineer Union of RS),
and the CRA (Regional Council of Administration of RS). SENGE
is chaired by engineer Alexandre Mendes Wollmann and CRA
is led by administrator Claudia Salles Stadtlober.
The goal of the signed protocols is to train professionals to
obtain ASQ quality certifications.
This partnership is headed to its third year and the difference
is that both the teaching materials and the tests are in Portuguese. The instructors, who also communicate in Portuguese,
are ASQ certified.
In both opportunities that occurred respectively in
September and October, a board member of the American
Society for Quality and International Vice-President of PGQP,
engineer and businessman Joal Teitelbaum gave lectures. At
the CRA, he spoke on “The New Global Scenario for Quality
in a Changing World” and at SENGE “A Trilogy for the 21st
century, the future of Quality in the World and Technological
Innovations.”
EEJT/DIVULGAÇÃO
Notícias de Classe Mundial
EEJT/DIVULGAÇÃO
Notícias de Classe Mundial
William Troy, CEO da ASQ, e o presidente do Escritório de Engenharia Joal Teitelbaum
William Troy, CEO of ASQ, and Joal Teitelbaum, President of the Engineering Firm
Em sua visita ao Brasil, o CEO da ASQ, William Troy, cumpriu
During his visit to Brazil the CEO of ASQ, William Troy,
agenda em Porto Alegre e manteve encontro com o empresário came to Porto Alegre and met with businessman and engineer
e engenheiro Joal Teitelbaum.
Joal Teitelbaum.
William Troy assumiu recentemente o posto de CEO de uma
William Troy recently became the CEO of one of the most
das mais conceituadas associações mundiais da Qualidade, a ASQ, respected world quality associations, ASQ, and Joal Teitelbaum
sendo que Joal Teitelbaum é membro do “Board of Directors” da is a member of the “Board of Directors” of the institution and
instituição e vice-presidente internacional do PGQP, com quem the international vice-president of PGQP, with whom ASQ has
a ASQ mantém uma aliança e uma joint venture desde 2012.
maintained an Alliance and joint venture since 2012.
Na oportunidade foram analisadas ações a cargo de Teitelbaum
They took the opportunity to analyze projects Teitelbaum is
e relacionadas com os projetos Imagine, Gift of Quality e Culture responsible for, and related to projects such as Imagine, Gift of
of Quality, a construção de oportunidades para a capacitação Quality, and Culture of Quality, building opportunities for training
no ambiente universitário e ainda apresentados, na área insti- in the university environment. And in the institutional area,
tucional, o projeto da Integração da América do Sul, pelo qual the South American Integration Project was presented, where
desde 2007 são direcionados os fundamentos da gestão e da since 2007 the fundamentals of Management and Governance
governança, que seguem os critérios internacionais.
have been conducted in compliance with international criteria.
Foram expostos ao CEO da ASQ também os procedimentos
The CEO of ASQ was also shown the quality and manageem qualidade e gestão praticados pela empresa, a única do setor ment procedures practiced by the company, the only one in
da construção civil do Brasil que conquistou o Prêmio Nacional the construction sector in Brazil that won the National Quality
da Qualidade (PNQ), da Fundação Nacional da Qualidade, que a Award, PNQ, from the National Quality Foundation, which
eleva à categoria de uma Empresa de Classe Mundial.
elevated it to the category of a World Class Company.
Bill Troy foi homenageado com o “Capacete Dourado”, traBill Troy was honored with the “Golden Helmet”, by the artist
balho da artista plástica Biba Mattos especialmente criado para Biba Mattos, especially created as a reminder of the PNQ and
registrar a conquista do PNQ, e com o Troféu Diamante, do PGQP. PGQP Diamond Trophy awards.
115
Notícias de Classe Mundial
Notícias de Classe Mundial
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
CARÊNCIAS GLOBAIS: GESTÃO, GOVERNANÇA E INFRAESTRUTURA
GLOBAL DEFICIENCIES: MANAGEMENT, GOVERNANCE AND INFRASTRUCTURE
If there is a question that matches Deming’s thoughts,
that is, with the right question we can get the right answer, it
is the one that is related to the global scenario and the rapid
changes at the start of the 21st Century and how we will deal
with this new scenario.
That is why, every year in October, about one hundred
and twenty people, including former presidents of important
countries, public authorities (not only from the government but
from development agencies and the private sector) of proven
responsibility and capacity get together with great transparency
and dialogue at the initiative of a non-profit called EMF Emerging Markets Forum.
There is no single method of management and governance
because it includes cultural factors that are intrinsic to
each region. But each method has its foundations in quality
science. In relation to physical infrastructure, this includes
issues such as water, sanitation, and urban mobility, which
will always depend on transparency, integrity, and political
will, where the risks belong not only the private sector but to
the government as well.
CEO DA ASQ (SOCIEDADE AMERICANA DA QUALIDADE) TEM ENCONTRO
COM O PRESIDENTE DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DA GERDAU,
EMPRESÁRIO JORGE GERDAU JOHANNPETER
THE CEO OF ASQ, THE AMERICAN SOCIETY FOR QUALITY, MEETS WITH
THE CHAIRMAN OF THE GERDAU BOARD OF DIRECTORS,
JORGE GERDAU JOHANNPETER
EEJT/DIVULGAÇÃO
EEJT/DIVULGAÇÃO
Se há uma pergunta que deve corresponder ao pensamento
de Deming – ou seja, por meio de uma pergunta certa, poderemos
obter uma resposta correta –, é aquela que se relaciona com o
cenário mundial e as transformações aceleradas neste início de
século XXI, e a forma como vamos enfrentar este novo cenário.
Pois é isso que anualmente, no mês de outubro, cerca de
120 pessoas, abrangendo ex-presidentes de importantes países,
autoridades públicas (não somente de governo, mas também
das entidades de fomento e do setor privado) de comprovada
responsabilidade e capacidade, se reúnem em uma forma da
maior transparência e de amplo diálogo, por iniciativa de uma
entidade sem fins lucrativos, o EMF (Emerging Markets Forum,
Fórum dos Mercados Emergentes).
Não há uma forma única de gestão e governança, pois ela
tem fatores culturais e intrínsecos a cada região. Mas todas
as formas têm seus fundamentos naqueles da ciência da
qualidade e em relação à infraestrutura física, aí incluídos os
temas da água, do saneamento e da mobilidade urbana. Eles
serão sempre dependentes da transparência, da integridade e
da vontade política, e nesse sentido os riscos são não apenas
do setor privado, mas também dos governos.
O grupo de participantes do 21º Fórum
The participants of the 21st Forum
116
Esse Fórum abriga participantes dos países desenvolvidos,
em desenvolvimento e daqueles que vislumbram a forma de
acessar o caminho do desenvolvimento.
O fundador e CEO, Harinder Kholi, e sua equipe e um seleto
grupo de colaboradores, no qual desponta a diretora Sylvie
Naville, com mais de duas décadas de experiência nesse qualificado trabalho, constroem ano a ano o evento com apoio de
instituições globais.
Neste ano um dos objetivos foi o foco nos mercados emergentes em três continentes: Ásia, América Latina e África.
Análises de renomadas personalidades e organismos foram
apresentadas e debatidas durante três dias.
Nesse universo de temas, há dois aos quais foram atribuídos
grande significado e que respondem, pelo menos em parte, a
pergunta formulada acima e inspirada em Deming – e na qual
a Best Home (que, repetimos, não se trata da melhor casa na
visão única da engenharia e arquitetura, mas sim na visão global
do nosso planeta) vem insistindo há várias edições.
Há dois componentes básicos, aquele da gestão e governança e o da infraestrutura física, que produzem a plena
sustentabilidade com qualidade de vida.
This forum hosts participants from developed countries,
developing countries, and those who envision how to access
the path to development.
The founder and CEO, Harinder Kholi and his team, along
with a select group of employees, including Director Sylvie
Naville, with over two decades of experience with this quality
event, build this event year after year with the support of
global institutions.
This year one of the goals was to focus on emerging markets
in three continents: Asia, Latin America, and Africa.
Analysis of renowned personalities and organizations were
presented and discussed for three days.
In this universe there are two issues that have been given
great significance and that answer Deming’s question posed
above (at least partially), and that Best Home (and we repeat
that this is not about being the best house from a single engineering and architecture point of view, but in the global view
of our planet) has been insisting on for several issues.
There are two basic components, governance and management, and physical infrastructure, which produce full sustainability and quality of life.
William Troy, CEO da ASQ, e o presidente do Concelho Administrativo da Gerdau, Jorge Gerdau Johannpeter
William Troy, CEO of ASQ, and the Chairman of the GERDAU Board of Directors, Jorge Gerdau Johannpeter
William Troy, CEO da ASQ, reuniu-se com Jorge Gerdau
Johannpeter, presidente do Conselho de Administração da
Gerdau, e juntos analisaram o cenário global da qualidade.
O CEO da ASQ expressou sua admiração pelas ações que
o setor privado do Brasil vem desenvolvendo na área da
Qualidade, na qual o PGQP é um exemplo internacional, e
conta com expressivo apoio e participação do empresário
Jorge Gerdau Johannpeter.
Foram abordados temas como educação e saúde, para os
quais os fundamentos da qualidade constituem fator crítico
de sucesso, e a importância de os países em desenvolvimento
persistirem na contínua aplicação dos critérios da qualidade e,
por meio das lideranças, engajar todos os intervenientes.
William Troy, ASQ, CEO, met with Jorge Gerdau Johannpeter,
Chairman of the GERDAU Board of Directors. Together, they
analyzed the global quality landscape.
The CEO expressed his admiration for the actions that
the private sector in Brazil has been developing in the field
of Quality, where the PGQP is an international example that
has a significant support and participation from businessman
Jorge Gerdau Johannpeter.
They addressed issues such as education and healthcare,
where the fundamentals of quality are critical success factors,
and the importance of developing countries persisting in applying
these criteria to those fields, and engaging all stakeholders
through leaders.
117
Notícias de Classe Mundial
Notícias de Classe Mundial
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
A JORNADA PELA QUALIDADE GLOBAL
THE JOURNEY TO GLOBAL QUALITY
118
Board da ASQ e, ao lado, Joal Teitelbaum, Cecilia Kimberlin e Stephen Hacker
The Board, and another with Joal Teitelbaum, Cecilia Kimberlin and Stephen Hacker
EEJT/DIVULGAÇÃO
ASQ/DIVULGAÇÃO
O movimento para que se concretizem ações em prol da
The movement to solidify actions for global quality was
qualidade global teve mais um passo importante na recente another important step in the recent meeting of the Board
reunião do Board da American Society for Quality, realizada em of the American Society for Quality, held in Milwaukee,
Milwaukee, estado de Wisconsin, nos Estados Unidos.
Wisconsin, USA.
As carências que alcançam a população mundial decorrem
The deficiencies that afflict the world’s population derive
substancialmente não apenas dos recursos financeiros, mas substantially, not only from a lack of financial resources, but
também, em alto grau, de uma gestão e governança qualitativa. often due to a lack of quality management and governance.
Os projetos que a ASQ vem
The projects that ASQ has
conduzindo e que têm na Culbeen conducting and that have
tura da Qualidade as suas
the Culture of Quality at their
A jornada para a qualidade global está relacionada
com a capacidade de construir o futuro. Esta construção
fundações são fatores críticos
foundations are critical success
é um projeto dinâmico e o futuro não é um ponto estático.
de sucesso para esse objetivo.
factors in reaching this goal.
Esta jornada será sempre um desafio criativo e continuo.
O trabalho voluntário que a
The volunteer work being
(JT)
diretoria, o Conselho e divisões
done by the Management, Board,
The journey to Global Quality is related to the ability of
da entidade desenvolvem está
and Chapters of the Society is
building the future.This construction is a dynamic process
trazendo resultados concretos,
bringing concrete results, not
and the future is not a static point.This journey will
não apenas para os Estados
always be a creative and continuous challenge.
just to the United States, but
(JT)
Unidos, mas também para
several other regions as well,
diversas outras regiões, em inwhether in exchange programs
tercâmbio com os organismos nacionais ou em ações conjuntas, with domestic institutions or through joint actions, such as in
como é o caso do Brasil, por meio da aliança entre ASQ e PGQP, Brazil through the ASQ and PGQP Alliance that originated the
que originou a joint venture QUALI.
QUALI joint venture.
O empresário brasileiro Joal Teitelbaum é o único sul-ameThe Brazilian businessman Joal Teitelbaum is the only South
ricano integrante do “Board of Directors” da ASQ e esteve em American member of ASQ’s Board of Directors and was in
Wisconsin participando da reunião.
Wisconsin, attending the meeting.
Desde maio deste ano, está em andamento uma força-tarefa
Since May, a task force made up of two ASQ representaformada por dois representantes da ASQ e dois da Academia tives and two members of the IAQ - International Academy
Internacional da Qualidade (IAQ), e um dos primeiros projetos for Quality has been ongoing, and one of its first projects will
será aquele em relação à problemática da água no planeta. be in relation to the problem of the world’s water supply. At
Nesse encontro, ocorreu uma reunião técnica sobre o tema, this meeting there was a technical meeting on the issue that
que terá continuidade.
will be continued.
A ASQ tem como presidente Stephen Hacker, e presidente eleito
ASQ’s president is Stephen Hacker and the president-elect
para 2015 Cecilia Kimberlin. A próxima reunião do Board da ASQ to 2015 Cecilia Kimberlin. The next ASQ Board meeting will be
será na cidade de Phoenix, estado do Arizona, em fevereiro próximo. in Phoenix, Arizona, next February.
119
Notícias de Classe Mundial
A conquista do Prêmio Nacional da Qualidade pelo Escritório de Engenharia
Joal Teitelbaum tornou-o a primeira e única empresa do setor
da construção civil brasileira de Classe Mundial
120

Documentos relacionados

Copa do Mundo - Joal Teitelbaum

Copa do Mundo - Joal Teitelbaum Projeto Gráfico e Diagramação Alex Santos [email protected] Impressão Pallotti Publicidade Best Home Publicidade Ltda. [email protected]

Leia mais

CS5_Capa_Best Home #40_Tripla.indd

CS5_Capa_Best Home #40_Tripla.indd Projeto Gráfico e Diagramação Alex Santos [email protected] Impressão Pallotti Publicidade Best Home Publicidade Ltda. [email protected]

Leia mais

values? - Joal Teitelbaum

values? - Joal Teitelbaum Moinhos – Rua Dona Laura, 307 – (51) 3028.5667 | ZS – Avenida Pereira Passos, 1089 (51) 3222.1400 | ZN – Avenida Panamericana, 865 – (51) 3348.8008

Leia mais