Apresentação - Instituto Ethos

Сomentários

Transcrição

Apresentação - Instituto Ethos
Práticas
Empresariais
Empresariais
de Responsabilidade Social
Relação entre os princípios do Global
Compact e os Indicadores Ethos de
Responsabilidade Social Empresarial
Práticas de Responsabilidade Social das Empresas
Relação entre os Princípios do Global Compact e Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial
publicação do Instituto Ethos, distribuída gratuitamente aos seus associados.
Realização
Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social
Rua Francisco Leitão, 469 – 14o andar – Conj. 1407 – Pinheiros
05414-020 – São Paulo – SP
Tel-Fax: (11) 3068.8539
site: www.ethos.org.br
Patrocínio
Banco Safra
Ticket
Apoio Institucional
IAF – Interamerican Foundation
Colaboradores do Instituto Ethos (na publicação)
Carmen Weingrill, Glaucia Terreo, Karinna Bidermann, (captação de recursos), Leno F. Silva, Marcelo Linguitte, Paulo Itacarambi
Edição, Redação, Indexação, Projeto Gráfico e Produção (Proposta Editorial)
Valfrido Lima e Gonçalo Jr. (edição), Adenize Luiza (direção de arte), Nanci V. Hernandes (revisão)
Colaboradores do Banco de Práticas do site do Instituto Ethos
Gláucia Terreo, Nelmara Arbex, Roberta Paro, Valdemar de Oliveira Neto e Vivian Smith
Edição, redação e revisão do Banco de Práticas empresariais do site do Instituto Ethos
Thais Sauaya, Sérgio Alli, Sonia Regina Ribeiro, Pablo Betancor, Diogo Moysés, Mariana Barros, Simão Zygband (Baleia Comunicação)
Consultoria técnica 2001/2002
Lúcia Kalil
Agradecemos a Ripasa pela doação do papel.
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil).
Práticas empresariais de responsabilidade social:
relações entre os princípios do Global Compact e
os indicadores Ethos de responsabilidade social /
[Carmen Weingrill, coordenadora]. -- São Paulo:
Instituto Ethos, 2003.
ISBN 85-88046-12-1
1. Empresas – Aspectos sociais 2. Responsabilidade social
das empresas I. Weingrill, Carmen.
03–6952
CDD–658.408
Índice para catálogo sistemático:
1. Empresas: Responsabilidade social:
Indicadores Ethos: Administração 658.408
2. Empresas: Responsabilidade social:
Princípios do Global Compact: Administração 658. 408
Tiragem: 5.000 exemplares
São Paulo, dezembro de 2003.
Esclarecimentos importantes sobre as atividades do Instituto Ethos
1. O trabalho de orientação às empresas é voluntário, sem nenhuma cobrança ou remuneração.
2. Não fazemos consultoria, nem autorizamos ou credenciamos profissionais a oferecer qualquer tipo de serviço em nosso nome.
3. Não somos entidade certificadora de responsabilidade social nem fornecemos “selo” com essa função.
4. Não permitimos que nenhuma empresa (associada ou não) ou qualquer outra entidade utilize a logomarca do Instituto Ethos sem o nosso
consentimento prévio e expressa autorização por escrito. Caso tenha alguma dúvida ou queira nos consultar sobre as atividades do
Instituto Ethos, contate-nos, por favor, por meio do serviço “Fale conosco”, disponível em nosso site (www.ethos.org.br).
Assim será possível identificar e designar a área mais apropriada para atender você.
Sumário
>
>
Sumário
Apresentação
11
Relação entre os princípios do Global Compact e os
Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial
17
• Pontos de intersecção dos princípios do Global Compact com
os Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial................................20
• Princípios do Global Compact e Práticas Empresariais ............................................22
Valores e Transparência
29
Auto-Regulação da Conduta
COMPROMISSO ÉTICOS
• Definição e disseminação dos valores da empresa ..................................................33
ENRAIZAMENTO
NA
CULTURA ORGANIZACIONAL
• Compartilhar para consolidar novas práticas de gestão .........................................35
• Monitoramento de crenças e valores da empresa...................................................37
• Programas que fortalecem as diretrizes estratégicas ..............................................39
• Gestão da Cultura Organizacional............................................................................41
• Treinamento Experiencial ao Ar Livre.......................................................................42
Relações Transparentes com a Sociedade
DIÁLOGO
COM
PARTES INTERESSADAS (STAKEHOLDERS)
• Programa Pact-Samarco de Mobilização Empresa-Comunidade ............................43
• Programa Samarco de Portas Abertas ......................................................................45
• Apresentação de desempenho socioambiental .......................................................47
• Confraternização anual com clientes .......................................................................49
• Acesso e eficiência dos canais de comunicação .......................................................50
• Identificação das expectativas das partes interessadas ...........................................51
• Diagnósticos dos Grupos de Interesse ......................................................................53
• Café da Manhã com a Comunidade e com os empregados ...................................55
• Transparência na relação com stakeholders.............................................................57
RELAÇÕES
COM A
CONCORRÊNCIA
• Combate ao Comércio Irregular de Combustíveis ...................................................59
• Participação em entidades setoriais..........................................................................60
• Melhoria contínua nas relações com a concorrência...............................................61
• Relações responsáveis com a concorrência...............................................................63
BALANÇO SOCIAL
• Balanço das Atividades Sociais e Culturais ...............................................................64
• Indicadores laborais, sociais e ambientais ................................................................65
• Elaboração do Balanço Social....................................................................................67
• Relatório de Responsabilidade Socioambiental.......................................................69
• Responsabilidade na elaboração do Balanço Social ................................................71
4
73
Diálogo e Participação
RELAÇÕES
COM OS
SINDICATOS
• Diálogo e respeito aos direitos do trabalhador.......................................................77
• Relacionamento transparente com sindicatos .........................................................79
GESTÃO PARTICIPATIVA
• Projeto Time Leader...................................................................................................80
• RenaSer – Reunião Nacional nas Áreas Serasa.........................................................81
• Fórum de Recursos Humanos ....................................................................................83
• Programa de Desenvolvimento Organizacional .....................................................85
• Empresa Rede – Gestão Participativa........................................................................87
• Incentivo ao Comitê da ISO 9002..............................................................................89
PARTICIPAÇÃO
NOS
RESULTADOS
E
Sumário
Público Interno
BONIFICAÇÃO
• Participação nos lucros e nos resultados ..................................................................90
• Programa de Participação nos Lucros e Resultados.................................................91
• Programa de Participação nos Resultados................................................................93
Respeito ao Indivíduo
COMPROMISSO
COM O
FUTURO
DAS
CRIANÇAS
• Programa de Educação para o Desenvolvimento Humano.....................................95
• Parceria Escola Samarco.............................................................................................97
• Projeto Dente de Leite...............................................................................................99
• Apoio à erradicação do trabalho infantil ..............................................................101
• Programas de estágios e capacitação de adolescentes .........................................103
• Programa Adolescente Trabalhador – PAT.............................................................105
• Projeto Eletrosul Casa Aberta .................................................................................106
• Projeto EmCantar.....................................................................................................107
• Programa TBA em Ação ..........................................................................................109
• Programa Brincando a Gente Aprende..................................................................110
• Programa Aprendendo com a Natureza ................................................................111
• Projeto Esporte Esperança.......................................................................................113
• Projeto Resgatando .................................................................................................114
• Programa Largada 2000 ..........................................................................................115
• Programa Esporte Solidário ....................................................................................117
• Programa de Criança – Programa Social de Ação Complementar à Escola.........119
• Apoio a Crianças Carentes ......................................................................................120
• Integração de crianças carentes..............................................................................121
• Escolinha TA de Informática ...................................................................................122
• Programas com foco na infância e adolescência...................................................123
Respeito ao Trabalhador
COMPORTAMENTO FRENTE
A
DEMISSÕES
• Benefícios a funcionários desligados por iniciativa da empresa ..........................124
• Política de demissões ...............................................................................................125
• Postura responsável em relação a demissões ........................................................127
• Recolocação e requalificação de ex-funcionários..................................................129
• Programas de demissão voluntária e consensual ..................................................131
• Responsabilidade frente a demissões.....................................................................133
5
>
>
Sumário
COMPROMISSO
COM O
DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL
E
EMPREGABILIDADES
• Investimentos em recursos humanos......................................................................134
• Gestão Integrada dos Recursos Humanos ..............................................................135
• Projeto Bolsa de Estudos .........................................................................................137
CUIDADO
COM
SAÚDE, SEGURANÇA
E
CONDIÇÕES
DE
TRABALHO
• Cuidados e estímulos para a saúde e segurança no trabalho ..............................138
• Gestão de Segurança, Saúde e Condições de Trabalho ...........................................139
• Gerenciamento da Saúde e da Segurança do Trabalho........................................141
• Política de Benefícios...............................................................................................143
• Política de Segurança e Saúde no Trabalho...........................................................145
• Diretrizes de Higiene, Saúde e Segurança .............................................................146
• Saúde do trabalhador: segurança e qualidade de vida em primeiro lugar ........147
PREPARAÇÃO
PARA
APOSENTADORIA
• Programa de Preparação para a Aposentadoria ...................................................149
Meio Ambiente
151
Gerenciamento do Impacto Ambiental
MINIMIZAÇÃO
DE
ENTRADAS
E
SAÍDAS
DE
MATERIAIS
NA
EMPRESA
• Redução e controle da emissão de particulados para a atmosfera .....................155
• Redução do consumo de óleo lubrificante ............................................................157
• Descarte de equipamentos elétricos isolados à base de Askarel .........................159
• Implantação do SGA – Sistema de Gestão Ambiental...........................................161
• Programa de redução de danos ambientais ..........................................................163
• Sistema de Gestão Ambiental.................................................................................164
RESPONSABILIDADE
SOBRE O
CICLO
DE
VIDA
DOS
PRODUTOS
E
SERVIÇOS
• Gestão ambiental na CSN........................................................................................165
• Racionalização do Uso de Recursos Críticos...........................................................167
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras
COMPROMETIMENTO
DA
EMPRESA
COM A
CAUSA AMBIENTAL
• Redução de impacto ambiental ..............................................................................168
• Gestão Ambiental ....................................................................................................169
• Projeto Tuiuiú Vivo ..................................................................................................171
• Projeto Papyrus ........................................................................................................173
• Programa de Avaliação Ambiental.........................................................................174
• Gênesis – Uma lição de ecologia.............................................................................175
• Programa de Meio Ambiente .................................................................................177
EDUCAÇÃO AMBIENTAL
• Projeto de Recuperação da Faixa Ciliar do Rio Itajaí-Açú.....................................178
• Programa de Educação Popular Ambiental Bento Rodrigues ..............................179
• Programa Casa da Árvore .......................................................................................181
• Curso de Educação Ambiental e Prêmio Samarco.................................................183
• Projeto Salvamar......................................................................................................185
• Campanhas educativas para preservar o meio ambiente .....................................187
• Projeto Implantação de Hortas Comunitárias........................................................188
• Projeto Árvores ........................................................................................................189
• Projeto Sertão do Carangola ..................................................................................191
6
Fornecedores
207
Sumário
• Programa Clube da Árvore .....................................................................................193
• Ações Diversificadas de Preservação e Educação Ambiental................................195
• Programa de Conscientização Ambiental ..............................................................197
• Programa Interagir de Educação Ambiental .........................................................199
• Projeto de Defesa do Patrimônio Arqueológico ...................................................201
• Apoio à Educação Ambiental..................................................................................202
• Programa de Educação Ambiental: Turma do Meio Ambiente............................203
• Gestão ambiental para melhoria da qualidade de vida .......................................205
Seleção e Parceria com Fornecedores
TRABALHO INFANTIL
NA
CADEIA PRODUTIVA
• Programa “O futuro é agora” ................................................................................211
RELAÇÕES
COM
TRABALHADORES TERCEIRIZADOS
• Tratamento equilibrado a funcionários e terceirizados........................................213
• Programa Qualidade de Vida..................................................................................214
• Treinamento dos eletricistas terceirizados .............................................................215
• Treinamento integrado para funcionários próprios e terceirizados ....................216
• Projeto Nossa Escola ................................................................................................217
• Respeito profissional pelos terceirizados ...............................................................218
APOIO
AO
DESENVOLVIMENTO
DE
FORNECEDORES
• Programa de Qualificação de Fornecedores ..........................................................219
Consumidores / Clientes
221
Dimensão Social do Consumo
POLÍTICA
DE
MARKETING
E
COMUNICAÇÃO
• Estratégias de marketing e comunicação com enfoque no consumidor.............225
• Projetos que valorizam a marca .............................................................................227
• Comunicação Externa Integrada com a Interna ....................................................229
• Ética e responsabilidade em Comunicação e Marketing ......................................231
• Estratégias de marketing e comunicação ..............................................................233
• Campanha de marketing institucional ...................................................................235
EXCELÊNCIA
NO
ATENDIMENTO
• Sistema de comunicação com o cliente..................................................................236
• Pesquisas e reuniões para ampliar a satisfação dos clientes ................................237
• Consolidação de cultura de atendimento..............................................................239
• Sistema Itaú de atendimento a solicitações...........................................................241
• Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC)..............................................................243
• A busca da excelência no Atendimento.................................................................244
• Treinamentos para a qualidade no atendimento..................................................245
• Convenção com Concessionários e Distribuidores.................................................246
• Programa de Gestão Pós-Venda .............................................................................247
• SAU – Sistema de Auxílio aos Usuários ..................................................................249
• Atendimento 24 horas Comgás ..............................................................................251
CONHECIMENTO
DOS
DANOS POTENCIAIS
DOS
PRODUTOS
E
SERVIÇOS
• Novo padrão de distribuição de energia elétrica .................................................253
7
>
>
Sumário
• Segurança no uso de cartões de crédito e débito.................................................255
• Programa Top Verde................................................................................................257
• PPAA – Programa de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos ...............................258
• Geogás e Mapa de Risco .........................................................................................259
• Projeto Inspeção em Obras e Serviços ....................................................................261
• Programa de Prevenção de Danos (PPD)................................................................262
Comunidade
263
Relações com a Comunidade Local
GERENCIAMENTO
DO IMPACTO DA
EMPRESA
NA
COMUNIDADE
DE
ENTORNO
• Sistema de Gestão Ambiental.................................................................................267
RELAÇÕES
COM
ORGANIZAÇÕES LOCAIS
• Projeto Libertação Ecológica ..................................................................................269
• Campanha McDia Feliz ............................................................................................271
• Apoio a entidades de caráter social .......................................................................273
• Capacitação das organizações da sociedade civil ..................................................274
• Comunicação Aberta com a Comunidade..............................................................275
• Programa BBeducar .................................................................................................277
• Apoio a projetos de parceria com instituições escolares ......................................279
• Programas e parcerias com entidades....................................................................281
• Apoio a Entidades do Terceiro Setor......................................................................283
• Auxílio à comunidade e conservação do meio ambiente .....................................285
• Associação Comunidade de Mãos Dadas (ACMD) .................................................287
• Marisol em Família...................................................................................................288
• Projeto Cidadãos do Mundo – Inglês para a Comunidade ...................................289
Ação Social
GESTÃO
DA
AÇÃO SOCIAL
• Atuação da Gerência de Ação Social......................................................................291
• Projeto Russas ..........................................................................................................293
• Criação da Fundação Banco do Brasil.....................................................................295
• Fundação Palavra Mágica........................................................................................297
• Garantia de continuidade para os projetos sociais ...............................................299
FOCO
E
ALCANCE
DA
AÇÃO SOCIAL
• Incentivo à formação de redes de ação social .......................................................300
• Programa Itaú Social................................................................................................301
• Programa “Educação para o trabalho”..................................................................303
• Elaboração de propostas de leis e de programas de governo .............................305
• Avaliação de Impacto Social....................................................................................306
• Programa Pró-Conselho...........................................................................................307
• Programa de Apoio Comunitário ...........................................................................309
• Usina Bigger Projetos Sociais ..................................................................................311
INTEGRAÇÃO
ENTRE
EMPRESA
E
AÇÃO SOCIAL
• Diversidade de mecanismos para mobilizar recursos ............................................313
• O cidadão comunicando-se com o mundo.............................................................314
• Projeto Social Barcarena do Futuro........................................................................315
8
Trabalho Voluntário
ESTÍMULO
AO
VOLUNTARIADO
• Prêmio Profissional Cidadão ...................................................................................328
• Programa de Voluntários Yázigi.............................................................................329
• Trabalho voluntário no apoio a entidades do terceiro setor ...............................330
• Campanhas do Programa de Trabalho Voluntário ................................................331
• Programa Voluntários Gestores ..............................................................................333
• Serasa Social .............................................................................................................335
• Programa de Voluntariado Corporativo..................................................................337
• Voluntários em ação ................................................................................................339
• Comunidade Educativa............................................................................................341
• Comunidade – Estímulo ao Voluntariado ..............................................................343
• Iniciativas Sociais Continuadas ...............................................................................345
• Apoio ao Voluntariado............................................................................................346
• Voluntariado Corporativo .......................................................................................347
• Programa de Voluntariado Philips..........................................................................349
• Projeto Leader Voluntário.......................................................................................351
• Programa de Voluntariado......................................................................................353
• Projeto e-voluntários ...............................................................................................355
Governo e Sociedade
357
Transparência Política
CONTRIBUIÇÕES
PARA
CAMPANHAS POLÍTICAS
• Debates com candidatos de partidos políticos ......................................................361
• Código de Ética: pautando as relações com stakeholders ....................................362
• Compromissos éticos na participação política .......................................................363
PRÁTICAS
ANTICORRUPÇÃO E
PROPINA
• Transparência e ética no sistema de controle........................................................364
• Relações transparentes com órgãos governamentais ...........................................365
Liderança Social
LIDERANÇA
E INFLUÊNCIA
SOCIAL
• Apoios e patrocínios: articular para transformar a sociedade .............................367
• Movimento Vida ......................................................................................................369
• Relações de troca e de comunicação com a comunidade.....................................370
• Rede de relacionamentos voltada para a responsabilidade social.......................371
PARTICIPAÇÃO
EM
PROJETOS SOCIAIS GOVERNAMENTAIS
• Banco do Brasil no Programa Fome Zero...............................................................373
• Participação ativa nas questões de interesse público ...........................................375
Índice Remissivo
377
9
Sumário
• Varejo Socialmente Responsável.............................................................................317
• Ações efetivas de integração ..................................................................................318
• Fundo Amigo............................................................................................................319
• Programa AutoBAn Educando para o Trânsito .....................................................321
• Ação social em apoio à criança com câncer...........................................................323
• Projeto Viver.............................................................................................................325
• Projeto Tá Limpo......................................................................................................327
>
Apresentação
11
>
>
Apresentação
O setor empresarial possui imensos recursos financeiros,
tecnológicos e econômicos, exerce grande influência política,
financia campanhas eleitorais e tem acesso privilegiado
aos governantes. Essa extraordinária força implica em uma
grande responsabilidade. No Brasil, muitos empresários já
perceberam a necessidade de direcionar suas práticas no sentido
de alterar o quadro de degradação ambiental, a péssima
distribuição de renda, a baixa qualidade dos serviços públicos,
a violência e a corrupção não apenas no discurso, mas
fundamentalmente nas ações.
Afinado com estas preocupações, o Instituto Ethos de Empresas
e Responsabilidade Social inspirou-se na instituição norteamericana chamada Business and Social Responsibility e desde
1998 busca disseminar a prática da Responsabilidade Social
Empresarial (RSE) ajudando as empresas a compreender e
incorporar critérios de responsabilidade social de forma
progressiva, a implementar políticas e práticas com critérios
éticos. O Ethos também assumiu a tarefa de promover e incentivar
formas inovadoras e eficazes de gestão do relacionamento da
empresa com todos os seus públicos e a atuação em parceria
com as comunidades na construção do bem-estar comum.
A preocupação com o papel e a responsabilidade das
empresas diante das questões sociais e ambientais está presente
em diversos países do mundo, e atualmente encontra uma
tradução nos princípios do Global Compact, iniciativa do
Secretário Geral das Nações Unidas, Kofi Annan.
12
a empresa deve fazer por obrigação legal. A relação e os
projetos com a comunidade ou as benfeitorias para o público
interno são elementos fundamentais e estratégicos para a prática
da RSE. Mas não é só. Incorporar critérios de responsabilidade
social na gestão estratégica do negócio e traduzir as políticas
de inclusão social e de promoção da qualidade ambiental,
entre outras, em metas que possam ser computadas na sua
avaliação de desempenho é o grande desafio.
Apresentação
A Responsabilidade Social Empresarial está além do que
Da agenda Ethos de responsabilidade social constam temas,
como código de ética, compromissos públicos assumidos pela
empresa, gestão e prevenção de riscos além de mecanismos
anticorrupção, promoção da diversidade, apoio às mulheres e
aos não-brancos, assim como a extensão desses compromissos
por toda a cadeia produtiva envolvida na relação com os parceiros
e fornecedores. Enfim: a Responsabilidade Social Empresarial
é definida pela relação que a empresa estabelece com todos
os seus públicos (stakeholders) no curto e no longo prazo.
Para facilitar e generalizar o conceito, a responsabilidade social
das empresas está organizada em sete tópicos:
1. Valores e Transparência
2. Público Interno
3. Meio ambiente
4. Fornecedores
5. Comunidade
6. Consumidores/clientes
7. Governo e Sociedade
13
>
>
Apresentação
Essa é a estrutura dos Indicadores Ethos de Responsabilidade
Social Empresarial, uma ferramenta para auto-avaliação
e planejamento dos processos nas organizações, e a base
para a organização das práticas de responsabilidade social
das empresas nesta publicação.
As práticas de Responsabilidade Social Empresarial estão se
tornando cada vez mais numerosas e abrangentes no cenário
nacional. O ganho quantitativo é acompanhado por um salto
qualitativo: as ações desenvolvidas pelas organizações deixam
de ser voltadas exclusivamente para a comunidade e incluem
práticas de interação com os demais públicos das empresas,
como colaboradores, consumidores e clientes, fornecedores,
meio ambiente, governo e sociedade.
Com o objetivo de facilitar a pesquisa, o intercâmbio de
informações entre as empresas e a disseminação das melhores
práticas, o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade
Social lança a presente publicação. As práticas originais
encontram-se no Banco de Práticas de Responsabilidade Social
e foram identificadas a partir do preenchimento e envio dos
Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial
pelas empresas. Assim, estão aqui representadas as ações
das empresas que aceitaram o convite para descrever suas
práticas e servir de exemplo, referência e inspiração para que
outras possam aperfeiçoar a adoção de critérios de R.S.E. em
sua estratégia de negócio. Além das ações desenvolvidas,
relacionam resultados, desafios, aprendizagens e dicas das
14
Uma inovação importante é a presença de um índice
remissivo baseado nos nove princípios do Global Compact,
criado para mobilizar a comunidade empresarial internacional
na promoção de valores fundamentais nas áreas de direitos
humanos, relações de trabalho e meio ambiente. O Global
Compact determina que as empresas devem contribuir para
a criação de uma estrutura socioambiental consistente em
mercados livres e abertos, assegurando que todos desfrutem os
Apresentação
empresas para transformar seus projetos em realidade.
benefícios da nova economia global. A conquista e o avanço
apresentados em cada caso estão divididos e inseridos em um
contexto mais amplo e ganham novas perspectivas e significados.
É uma referência importante para se pesquisar a ação das
empresas de acordo com as determinações da Organização
das Nações Unidas. Um quadro comparativo apresenta os
pontos de intersecção entre os princípios do Global Compact e
os Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial.
O Instituto Ethos espera que esse registro das práticas
colecionadas durante três anos contribua para que todas
as empresas descubram impactos positivos na performance,
imagem e sustentabilidade das organizações. Mais do que isso:
permita a replicação das histórias de sucesso das empresas
e provoque uma sensível melhoria do quadro socioambiental
do Brasil, país onde hoje se encontra a maioria das empresas
signatárias da iniciativa mundial representada pelo
Global Compact.
15
>
Relação entre os princípios
do Global Compact
e os Indicadores Ethos
de Responsabilidade
Social Empresarial
17
>
Relação entre os princípios do Global Compact e os
Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial
O Global Compact é um programa da Organização das
Nações Unidas que procura mobilizar a comunidade
empresarial internacional na promoção de valores
fundamentais nas áreas de direitos humanos, relações de
trabalho e meio ambiente. Desenvolvido pelo secretáriogeral, Kofi Annan, ele determina que as empresas devem
contribuir para a criação de uma estrutura socioambiental
consistente, em mercados livres e abertos, assegurando que
todos desfrutem os benefícios da nova economia global.
O programa propõe um pacto global para atuação das
empresas em torno de nove princípios básicos, inspirados
em declarações e princípios internacionais. A apresentação
de um quadro de intersecção dos princípios do Global
Compact com os Indicadores Ethos de Responsabilidade
Social e a indexação dos casos do Banco de Práticas do
Instituto Ethos segundo os mesmos princípios são esforços
para evidenciar a simbiose existente entre o movimento
de responsabilidade social empresarial no Brasil e as
normas universais estabelecidos pelas Nações Unidas.
19
>
!Pontos de intersecção dos princípios do Global Compact com os
Direitos Humanos
Princípios
Global Compact
As empresas são chamadas
a apoiar e respeitar a
proteção de direitos
humanos reconhecidos
internacionalmente na
sua área de influência
Indicadores Ethos de
Responsabilidade Social
Relações de Trabalho
Certificar-se de que suas
próprias corporações não
estejam sendo cúmplices
de abusos e violações
de direitos humanos
As empresas são chamadas
a apoiar a liberdade
de associação e o
reconhecimento efetivo do
direito à negociação coletiva
Valores e Transparência
●
Compromissos Éticos
●
●
●
Enraizamento na Cultura Organizacional
●
●
●
Diálogo com as Partes Interessadas (Stakeholders)
●
●
●
Balanço Social
●
●
●
Público Interno
●
Relações com a Concorrência
Relações com Sindicatos
●
Gestão Participativa
●
Compromisso com o Futuro das Crianças
Valorização da Diversidade
●
Política de Remuneração, Benefícios e Carreira
●
●
Cuidados com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho
●
Compromisso com o Desenvolvimento Profissional e a Empregabilidade
●
Comportamento Frente a Demissões
●
Preparação para Aposentadoria
●
Meio Ambiente
●
●
●
Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental
Educação Ambiental
Gerenciamento do Impacto no Meio Ambiente e
do Ciclo de Vida de Produtos e Serviços
Minimização de Entradas e Saídas de Materiais
Fornecedores
●
Critérios de Seleção e Avaliação de Fornecedores
●
●
●
Relações com Trabalhadores Terceirizados
●
●
●
Apoio ao Desenvolvimento de Fornecedores
●
●
Consumidores e Clientes
●
Política de Marketing e Comunicação
●
Excelência do Atendimento
●
Trabalho Infantil na Cadeia Produtiva
●
Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços
Comunidade
●
Gerenciamento do Impacto da Empresa na Comunidade de Entorno
●
Relações com Organizações Locais
●
Gestão da Ação Social
●
Integração entre Empresa com a Ação Social
●
Governo e Sociedade
●
Contribuições para Campanhas Políticas
●
Práticas Anticorrupção e Propina
●
Liderança e Influência Social
●
Participação em Projetos Sociais Governamentais
●
20
●
●
Indicadores Ethos de Responsabilidade Social Empresarial ::
Meio Ambiente
A eliminação de
todas as formas
de trabalho forçado
e compulsório
A abolição efetiva
do trabalho infantil
Eliminar a
discriminação
no emprego
As empresas são
chamadas a apoiar
uma abordagem
preventiva aos
desafios ambientais
Desenvolver
iniciativas para
promover maior
responsabilidade
ambiental
Encorajar o
desenvolvimento
e a difusão de
tecnologias que não
agridam o meio ambiente
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
●
21
●
>
do Global Compact e Práticas Empresariais ::
!Princípios
Franquia McDonald’s
Princípio no 1
• Projeto Resgatando................................................................... 114
Grupo Algar
> As empresas devem apoiar e respeitar
a proteção de direitos humanos
reconhecidos internacionalmente.
Se um empregador infringir os direitos humanos
dos empregados, estará, no mínimo, perturbando
sua motivação e produtividade. Há passos muito
simples que os empregadores podem seguir para
assegurar aos funcionários um tratamento decente.
Assim como é desejo dos empregadores que seus
direitos humanos sejam respeitados, os empregados
esperam a mesma atitude de sua parte.
• Empresa Rede – Gestão Participativa........................................... 87
• Projeto EmCantar ..................................................................... 107
Grupo Mesquita
• Projeto de libertação ecológica ................................................. 269
Grupo Rede
• Indicadores laborais, sociais e ambientais.................................... 65
• Treinamento de eletricistas terceirizados ................................... 215
Grupo TBA
• Programa TBA em Ação ........................................................... 109
Grupo Votorantim
• Projeto Viver ............................................................................. 325
Empresa/Prática
Grupo Zahran
Página
• Projeto Bolsa de Estudos........................................................... 137
ABN Amro Real S.A.
Infox
• Programa de Preparação para a Aposentadoria.........................149
• O cidadão comunicando-se com o mundo............................... 314
Alumina do Norte do Brasil S.A.
ITAÚSA – Itaú Investimentos S.A.
• Projeto Social Bancarena do futuro........................................... 315
• Balanço das atividades sociais e culturais .................................... 64
• Programa Itaú Social................................................................. 301
Banco do Brasil S.A.
• Fórum de Recursos Humanos...................................................... 83
• Programa Adolescente Trabalhador – PAT................................. 105
• Programa BBeducar .................................................................. 277
• Criação da Fundação Banco do Brasil....................................... 295
• Banco do Brasil no Programa Fome Zero .................................. 373
Laboratório Oswaldo Cruz
• Apoio a crianças carentes ......................................................... 120
Laboratório Leme
• Acesso e eficiência dos canais de comunicação .......................... 50
Leader Magazine
Cia do Vídeo
• Treinamento Experiencial ao ar livre ........................................... 42
• Projeto Time Leader .................................................................... 80
• Ação social em apoio à criança com câncer ............................. 323
Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR)
Marisol
• Programa Autoban Educando para o Trânsito .......................... 321
• Marisol em família .................................................................... 288
Companhia Siderúrgica Belgo-Mineira
Mc Donald’s
• Gestão da Segurança, Saúde e Condições de Trabalho .............139
• Definição e disseminação dos valores da empresa ...................... 33
• Mc Dia Feliz .............................................................................. 271
Companhia Siderúrgia de Tubarão
• Identificação das expectativas das partes interessadas ................ 51
• Programas de estágio e capacitação de adolescentes............... 103
• Política de Segurança e Saúde no Trabalho .............................. 145
• Projeto Nossa Escola ................................................................. 217
• Programa de Qualificação de Fornecedores ................................. 219
Natura
• Atuação da gerência de ação social.......................................... 291
Nutrinvest
• Programa de Desenvolvimento Organizacional ........................... 85
Palavra Mágica
Confeitaria Armelin
• Monitoramento de crenças e valores da empresa ....................... 37
• Fundação Palavra Mágica ......................................................... 297
• Responsabilidade na elaboração do Balanço Social..................... 71
Copene
Panificadora Panetutte
• Elaboração do Balanço Social...................................................... 67
• Varejo Socialmente Responsável ............................................... 317
CSN
Panificadora Pão Gostoso
• Educação para o trabalho......................................................... 303
• Diretrizes de Higiene, Saúde e Segurança..................................146
Eletrosul
Panifício Superpan
• Casa Aberta.............................................................................. 106
• Ações efetivas de integração .................................................... 318
F. Hoffmann-LaRoche
Pão Chic
• Programa qualidade de vida ..................................................... 214
• Respeito profissional pelos terceirizados ................................... 218
22
!Princípios
Pão de Açúcar
Princípio no 2
• Programa de Educação para o Desenvolvimento Humano .............. 95
• Investimentos em Recursos Humanos........................................134
• Confraternização anual com os clientes...................................... 49
Petrobrás
• Programa Brincando a Gente Aprende ..................................... 110
Pulsar Informática Ltda.
• Incentivo ao Comitê ISO 9002 .................................................... 89
• Treinamento integrado para funcionários e terceirizados ............ 216
• Diversidade de mecanismos para mobilizar recursos................. 313
Ripasa
• Esporte Esperança..................................................................... 113
RL Sistemas de Higiene
• Projeto Tá Limpo....................................................................... 327
Robert Bosch
• Programas que fortalecem as diretrizes estratégicas ................... 39
Empresa/Prática
Samarco
• Programa Pact-Samarco .............................................................. 43
• Programa Portas Abertas............................................................. 45
• Escola Samarco ........................................................................... 97
• Projeto Dente de Leite................................................................. 99
• Gestão Integrada dos Recursos Humanos..................................135
Página
Companhia Siderúrgica de Tubarão
• Identificação das expectativas das partes interessadas ................ 51
• Programa de Qualificação de Fornecedores.............................. 219
F. Hoffmann-LaRoche
Sant’Anna Simões Pires
• Programa Qualidade de Vida.................................................... 214
• Compartilhar para consolidar novas práticas de gestão .............. 35
• Cuidados e estímulos para a saúde e segurança no trabalho .....138
Grupo Rede
• Indicadores laborais, sociais e ambientais.................................... 65
• Treinamento de eletricistas terceirizados ................................... 215
Serasa
• Gestão da Cultura Organizacional .............................................. 41
• RenaSer....................................................................................... 81
Laboratório Leme
• Acesso e eficiência dos canais de comunicação .......................... 50
Sesi – Serviço Social da Indústria DR BA
Leader Magazine
• Largada 2000 ........................................................................... 115
• Esporte solidário ....................................................................... 117
• Programa Social de Ação Complementar à Escola.................... 119
do Global Compact e Práticas Empresariais ::
> Assegurar-se de sua não-participação
em violações desses direitos.
Os empregadores não deveriam tirar vantagem
de situações onde abusos de direitos humanos
estão ocorrendo, ou utilizar-se da situação
para agir de maneira imprópria; não deveriam
inclinar-se a esse nível de cumplicidade, mas,
por meio de sua conduta, procurar reter e
restaurar o reconhecimento social desses direitos.
Os empregadores podem também transmitir a
idéia de conduta apropriada a seus fornecedores
e evitar abusos que possam comprometer sua
reputação junto a funcionários e clientes.
Paranapanema
• Treinamento Experiencial ao ar livre ............................................ 42
McDonald’s
• Definição e disseminação dos valores da empresa ...................... 33
Stefanini Consultoria e Assessoria em Informática Ltda.
Palavra Mágica
• Apoio a projetos de parceria com instituições escolares ........... 279
• Monitoramento de crenças e valores da empresa ....................... 37
TA
Pão Chic
• Escolinha TA de Informática...................................................... 122
• Respeito Profissional pelos Terceirizados ................................... 218
Telepar
Pulsar Informática Ltda.
• Fundo Amigo............................................................................ 319
• Treinamento integrado para funcionários e terceirizados............. 216
Unimed
Robert Bosch
• Programas com foco na infância e na adolescência...................123
• Programas que fortalecem as diretrizes estratégicas ................... 39
Usina Bigger
Sant’Anna Simões Pires
• Projetos sociais.......................................................................... 311
• Compartilhar para consolidar novas práticas de gestão .............. 35
Visanet
Serasa
• Tratamento equilibrado a funcionários e terceirizados ...............213
• Gestão da Cultura Organizacional .............................................. 41
Yázigi
Visanet
• Cidadãos do mundo................................................................. 289
• Tratamento equilibrado a colaboradores terceirizados .............. 213
23
>
do Global Compact e Práticas Empresariais ::
!Princípios
Princípio no 3
Princípio no 4
> As empresas devem apoiar a liberdade de
associação e o reconhecimento efetivo
do direito à negociação coletiva.
A liberdade de associação não significa abrir
as portas aos sindicatos ou forçar a sindicalização.
O princípio prevê respeito. Se o empregado optar
por filiar-se a um sindicato, deve ter esta escolha
respeitada. O princípio pede aos empregadores que
não exerçam influência indevida sobre a decisão de
um empregado. Sobre negociação coletiva, o Global
Compact pretende divulgar e apoiar a constatação
de que muitas empresas de porte reconhecem as
vantagens do diálogo e da negociação, bem como
sua influência no aumento da competitividade.
Negociar coletivamente é questão de livre escolha.
Só acontecerá se houver a concordância de todos.
> Apoiar a eliminação de todas as formas
de trabalho forçado ou compulsório.
Este princípio refere-se a diversos tipos de trabalho
forçado (prestado, por exemplo, como forma de
pagamento de dívidas) e de trabalho obrigatório.
Os empregados têm o direito de receber por seu
trabalho em moeda, e não em espécie; as atividades
de trabalho devem ser designadas livremente e,
caso desejarem, os trabalhadores poderão renunciar
ao trabalho, em concordância com as leis e práticas
nacionais. Eles não devem ser retidos ou sujeitos
à violência em seu local de trabalho.
Empresa/Prática
Página
Banco Itaú
• Política de demissões ................................................................ 125
Empresa/Prática
Comgás
Página
• Programas de demissão voluntária e consensual ...................... 131
AGCO
Panificadora Fernandes
• Participação em entidades setoriais............................................. 60
• Relacionamento Transparente com os sindicatos......................... 79
• Responsabilidade frente às demissões ...................................... 133
Samarco
Canasvieiras
• Política de benefícios ................................................................ 143
• Diálogo e respeito aos direitos do trabalhador............................ 77
Shell
Panificadora Lira&Lira
• Benefícios a funcionários desligados .........................................124
• Relações responsáveis com a concorrência.................................. 63
Souza Cruz
Shell
• Recolocação e requalificação de ex-funcionários ...................... 129
• Comunicação aberta com a comunidade ................................. 275
Visanet
• Postura responsável em relação às demissões........................... 127
>
24
> Apoiar a erradicação efetiva do trabalho infantil
Os empregadores não devem usar o trabalho infantil,
seja nos seus locais de trabalho ou nas cadeias
produtivas, por intermédio de subcontratações.
As crianças representam a força de trabalho do futuro.
Mantê-las no mercado de trabalho, em detrimento de
sua freqüência à escola, compromete o desenvolvimento
integral delas, a competitividade futura das empresas e
da economia, e também a capacidade sustentável de
desenvolvimento de um país. Em situações em que
necessidades de renda familiar promovam o trabalho
familiar, é fundamental uma atuação forte e conjunta
de governos, sociedade civil e empresas, de maneira a
não expor crianças a qualquer tipo de exploração ou
perigo e de forma que não comprometa seu
desenvolvimento físico, educacional, moral e
psicológico. Todos devemos colaborar para melhorar
essa situação, buscando maneiras de substituir as
crianças no mercado de trabalho, de modo a preservar
suas vidas, elevando o índice de desenvolvimento
de capital humano de sua sociedade.
> Apoiar a igualdade de remuneração e a eliminação
da discriminação no emprego.
Os empregadores devem contratar pessoas baseados
unicamente em suas habilidades e capacidade de
desempenhar o trabalho oferecido. Focalizar aspectos
como gênero, raça, religião ou outros preconceitos
significa estar prestando desserviço à empresa
e à sociedade. As promoções devem ser baseadas
em mérito. O impacto positivo das práticas nãodiscriminatórias na produtividade e rentabilidade
da empresa está amplamente documentado.
Empresa/Prática
Página
Companhia Siderúrgica de Tubarão
• Programa de Qualificação de Fornecedores.............................. 219
F. Hoffmann-LaRoche
• Programa de Qualidade de Vida............................................... 214
Grupo Rede
• Treinamento de eletricistas terceirizados ................................... 215
Pulsar Informática Ltda.
• Treinamento integrado para funcionários e terceirizados............. 216
Empresa/Prática
Página
Visanet
• Tratamento equilibrado a colaboradores terceirizados .............. 213
Bank Boston
• Projeto Russas........................................................................... 293
Kannenberg
• Programa “O futuro é agora” .................................................. 211
do Global Compact e Práticas Empresariais ::
Princípio no 6
!Princípios
Princípio no 5
Pulsar Informática Ltda.
• Apoio à erradicação do trabalho infantil .................................. 101
>
25
do Global Compact e Práticas Empresariais ::
!Princípios
Princípio no 7
Princípio no 8
> As empresas devem adotar uma abordagem
preventiva para os desafios ambientais.
A obrigação de adoção de leis e regulamentações
ambientais em nível nacional é atribuição dos governos
nacionais, mas a comunidade deve prosseguir com
o debate sobre abordagem preventiva. É ncessário
conhecer os impactos ambientais ao utilizar produtos
ou processos. A empresa deve promover estudos
que busquem evidência científica sobre eventuais
riscos de seus produtos e processos.
> Desenvolver iniciativas para promover
maior responsabilidade ambiental.
A resposta varia de acordo com o porte e a natureza
da empresa. Ao aplicar políticas e práticas ambientais
responsáveis, empregadores estarão aumentando
sua produtividade e dando exemplo para outras
empresas. As companhias são encorajadas a apoiar
a responsabilidade ambiental no âmbito de seus
contratos empresariais.
Empresa/Prática
Empresa/Prática
Página
Página
Banco do Brasil
Canasvieiras
• Relatório de Responsabilidade Socioambiental............................ 69
• Programa de conscientização ambiental................................... 197
• Relações de troca e de comunicação com a comunidade ............. 370
Comgás
Cataguases
CSN
• Sistema de Gestão Ambiental................................................... 267
• Campanhas educativas para preservar o meio ambiente............. 187
• Gestão Ambiental na CSN........................................................ 165
Comgás
Companhia Siderúrgica de Tubarão
• Projeto de inspeção em obras e serviços................................... 261
• Programa de prevenção de danos ............................................ 262
• Sistema de gestão ambiental.................................................... 267
• Programa Interagir de Educação Ambiental.............................. 199
Eletrobrás
• Recuperação da faixa ciliar do rio Itajaí-Açú ............................. 178
• Implementação de hortas comunitárias .................................... 188
Eletrobrás
• Defesa do patrimônio arqueológico.......................................... 201
Embraco
Grupo REDE
• Projeto Top Verde ..................................................................... 257
• Descarte de equipamentos elétricos isolados à base de Askarel..... 159
F. Hoffmann-LaRoche
Hospital Ana Costa
• Programa de Meio Ambiente ................................................... 177
• Programa de educação Ambiental – Turma do Meio Ambiente... 203
Grupo Rede
Laboratório Fleury
• Projeto Tuiuiú Vivo.................................................................... 171
• Programa de avaliação ambiental ............................................. 174
Laboratório Fleury
Laboratório Oswaldo Cruz
• Programa de redução de danos ambientais.............................. 163
• Movimento Vida....................................................................... 369
Motorola
Panificadora Santa Clara
• Projeto Papyrus......................................................................... 173
• Apoio à Educação Ambiental ................................................... 202
Panificadora Esplendor
Petrobrás
• Racionizalização do uso de recursos críticos ............................. 167
• Estratégias de marketing e comunicação.................................. 233
Petrobrás
Souza Cruz
• Sistema de Gestão Ambiental................................................... 164
• Clube da Árvore ....................................................................... 193
Philips
Takaoka
• Aprendendo com a natureza.................................................... 111
• Gênesis: uma lição de ecologia................................................. 175
Pousada do Rio Quente
• Gestão ambiental e melhoria da qualidade de vida .................. 205
>
Ripasa
• Redução do impacto ambiental ................................................ 168
Samarco
• Apresentação do desempenho socioambiental ........................... 47
26
Princípio no 9
Sant’Anna Simões Pires
• Auxílio à comunidade e conservação do meio ambiente .......... 285
Shell
• Diagnóstico dos Grupos de Interesse .......................................... 53
• Ações diversificadas de preservação e educação ambiental ...... 195
Empresa/Prática
Página
Banco do Brasil
• Projeto Sertão do Carangola..................................................... 191
Comgás
• Sistema de Gestão Ambiental................................................... 267
CSN
• Gestão Ambiental na CSN........................................................ 165
Companhia Siderúrgica de Tubarão
• Programa Interagir de Educação Ambiental.............................. 199
Eletrobrás
• Recuperação da faixa ciliar do rio Itajaí-Açú ............................. 178
• Implementação de hortas comunitárias .................................... 188
Embraco
• Projeto Top Verde ..................................................................... 257
do Global Compact e Práticas Empresariais ::
> Incentivar o desenvolvimento e a difusão de
tecnologias ambientalmente sustentáveis.
As empresas são encorajadas a explorar o uso
e o desenvolvimento de tecnologias que não agridam
o meio ambiente e que, além de lhe trazer benefícios,
seja local ou global, propiciem o aumento da
produtividade e a eficiência da Organização.
Essas tecnologias servirão para garantir que ar e
água, bem como outros recursos naturais, estejam
disponíveis a custos razoáveis, não apenas hoje, mas
também no futuro. Além disso, devem aperfeiçoar
tecnologias não-agressivas ao meio ambiente.
!Princípios
• Redução do consumo de óleo lubrificante................................ 157
• Programa de Gestão Ambiental................................................ 169
• Programa de Educação Popular ambiental ............................... 179
• Programa Casa da Árvore......................................................... 181
• Curso de educação ambiental .................................................. 183
• Projeto Salvamar....................................................................... 185
• Projeto Árvores ......................................................................... 189
Grupo Algar
• Implantação do SGA – Sistema de Gestão Ambiental .............. 161
Motorola
• Projeto Papyrus......................................................................... 173
Pousada do Rio Quente
• Gestão ambiental e melhoria da qualidade de vida .................. 205
Samarco
• Redução e controle de emissão de particulados para a atmosfera .. 155
• Redução do consumo de óleo lubrificante................................ 157
• Programa de Gestão Ambiental................................................ 169
Shell
• Ações diversificadas de preservação e educação ambiental ...... 195
>
27
Valores e
transparência
29
>
Valores e Transparência
>
Os princípios que evidenciam a cultura da
Organização devem permear todas as suas ações,
desde a tomada de decisões estratégicas e cotidianas
até o relacionamento com seus públicos. Empresas
preocupadas em estabelecer compromissos éticos são
orientadas por valores, cuidam de sua disseminação,
de seu cumprimento e de sua adaptação aos novos
tempos. Informar as ações, prestar contas à sociedade
e transformar a transparência em um pilar são práticas
que reforçam e efetivam esses compromissos.
Tão importante quanto informar os valores para
o público externo é garantir que sejam compartilhados
e assimilados pelos colaboradores. A contratação
dos colaboradores é apenas o primeiro – e não o único –
momento de enraizamento da cultura organizacional.
As pesquisas de clima organizacional são importantes
medidores do conhecimento da cultura e balizadores
de ações futuras.
30
interessadas (stakeholders) representam um elo
importante no estabelecimento de padrões claros de
conduta por parte das empresas. Utilizar as informações
colhidas nessa interação no aprimoramento dos processos
internos e na construção de estratégicas é prática que
mostra os compromissos com uma conduta séria e ética.
Estabelecer um posicionamento leal nas relações com a
concorrência representa outra ação fundamental na busca
de uma postura ética. Essa relação se concretiza com a
participação em associações de classe e combate aos
trustes e cartéis, às práticas desleais de comércio,
à fraude e à espionagem empresarial.
O Balanço Social é uma ferramenta de gestão que
exprime a profundidade dos compromissos éticos
estabelecidos entre a empresa e seus diversos
públicos, seja na comunidade, no público interno,
entre os stakeholders e a concorrência.
31
Valores e Transparência
Assim como os colaboradores, as demais partes
>
!Valores e Transparência ::
Contato
Definição e disseminação
dos valores da empresa
Alcides Terra
www.mcdonalds.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
Para o Sistema McDonald’s – formado por franqueados,
✓ Integridade: “Agir sempre de maneira íntegra e coe-
fornecedores e funcionários da conhecida rede de lancho-
rente com os valores e princípios que defendemos”.
netes – seus valores devem estar incorporados às atitudes,
Nossas práticas cotidianas devem ser coerentes com
comportamentos e práticas de todos aqueles que partici-
nossos próprios valores. A integridade é pré-requisito
pam de suas atividades. Por isso, a definição dos valores do
para o fortalecimento de todos os valores McDonald’s.
McDonald’s foi resultado de um processo amplo de discussão, conduzido por uma consultoria especializada. A prá-
✓ Justiça: “Promover com equilíbrio o sucesso de todo o
tica foi iniciada em maio de 2000, com vários encontros
sistema McDonald’s (franqueados, fornecedores e fun-
em que os presentes, representando franqueados, forne-
cionários)”. O senso de justiça é importante para que as
cedores e funcionários dos diferentes níveis hierárquicos,
pessoas construam a confiança entre si. A empresa en-
discutiram quais eram os valores da empresa e quais eram
tende a justiça como a busca do equilíbrio e da concilia-
os valores individuais. Foram formalizados nove princípios,
ção de propósitos entre acionistas, corporação, funcio-
que retratam a história do McDonald’s no Brasil:
nários, franqueados e fornecedores de todo o sistema
McDonald’s.
✓ Responsabilidade Social: “Promover atitudes que reforcem a consciência e a prática da cidadania, dentro e
✓ Perseverança: “Manter o entusiasmo e a determinação
fora da empresa”. Ser cidadão representa a tomada de
de fazer o melhor, renovando continuamente a energia
consciência acerca do papel a ser desempenhado na so-
para o sucesso”. Ser determinado e perseverar já era
ciedade, atuando junto às comunidades de forma so-
uma bandeira importante desde os primórdios do
cialmente responsável.
McDonald’s. “Fazer o melhor” é outro lema que está na
Auto-Regulação da Conduta !Compromissos Éticos ::
McDonald’s Comércio
de Alimentos Ltda.
base dos padrões com que a empresa se fortaleceu ao
✓ Desenvolvimento de Pessoas: “Nossa vocação é formar
longo dos anos.
e desenvolver pessoas”. O McDonald’s é uma organização
reconhecida como um centro de formação de profissionais
✓ Qualidade de Vida: “Praticar efetivamente o equilíbrio
diferenciados no mercado brasileiro, favorecendo efetivas
e a harmonia entre os focos de dedicação (trabalho, fa-
oportunidades de crescimento e carreira. Nossos progra-
mília, saúde, estudo e lazer); que promovam felicidade
mas de formação de atendentes são reconhecidos pelo
e qualidade de vida”.
Senac.
✓ Reconhecimento: “Reconhecer os esforços, as atitudes
✓ Espírito de Equipe: “Conviver de forma positiva com a
cotidianas e o empenho agregador das pessoas, estimu-
diversidade de opiniões, promovendo atitudes que for-
lando os talentos e celebrando nossas conquistas”. No
taleçam o sentido de comprometimento com a decisão
movimento dinâmico do dia-a-dia, muitas vezes as pes-
da equipe”. Nenhum indivíduo isolado, por mais talen-
soas perdem a sensibilidade de reconhecer o trabalho
toso que seja, pode ser mais contributivo do que o so-
bem feito, elogiar os esforços significativos e agradecer
matório de competências de um time.
o empenho agregador.
33
>
Auto-Regulação da Conduta !Compromissos Éticos ::
!Valores e Transparência ::
✓ Cliente: “Interagir permanentemente com o cliente, en-
empresa. O estágio atual é o de disseminação interna para
tendendo suas necessidades e conquistando sua simpatia,
estimular essa prática.
satisfação e confiança”. Manter um canal permanente de
comunicação com nossos clientes, não só para atendê-los
Aprendizagens
em suas necessidades (qualidade, serviço, limpeza e valor),
Um dos elementos determinantes para o sucesso da prá-
mas também para surpreendê-los positivamente anteci-
tica foi reconhecer que a comunicação de valores passa por
pando melhorias e integrando-as ao padrão McDonald’s.
uma distinção entre divulgação e envolvimento. A imple-
A divulgação dessa prática, difundindo cada um dos valo-
mentação da fase de divulgação conta com todos os meios
res da empresa, foi iniciada em 2001. Para tanto, têm sido
de comunicação disponíveis para informar e esclarecer todos
utilizados os meios disponíveis de comunicação interna,
os valores. A segunda fase consiste na busca do envolvimen-
como o jornal McNews, intranet, vídeos e cartazes. A afe-
to, estimulando a criação de um vínculo pessoal entre as
rição da aplicação dos valores do McDonald’s é feita por
crenças dos funcionários e os valores organizacionais. Com
meio de mecanismos de monitoramento de treinamento,
esse objetivo têm sido desenvolvidas ações, como palestras
auditorias e de pesquisas de satisfação interna.
com pessoal especializado, material escrito, além de planos
de reuniões com técnicas de facilitação que possibilitem o
Resultados / benefícios gerados
exercício diário da prática desses valores. O maior desafio é o
Esse programa está em andamento desde maio de
envolvimento de todos com a prática e a incorporação dos
2000, tendo atingido nesse período as metas que lhe fo-
valores estabelecidos em sua vida pessoal e profissional.
ram definidas. Dada a intangibilidade de seu conteúdo,
não é possível falar de resultados quantificáveis. Mas é
Recomendações para a replicação da prática
possível apontar sua ressonância positiva no clima organi-
Para dar início ao processo, é necessário identificar os
zacional, perceptível nas mudanças alcançadas nas atitu-
valores da empresa e formalizar o comprometimento com
des cotidianas.
eles por parte da diretoria da empresa e de seu presidente.
Um fator-chave é a participação de todos os funcionários e
Motivações
colaboradores no processo de definição e formalização dos
Colocar diariamente em prática os princípios e valores
valores. Deve-se desenvolver campanhas de divulgação in-
organizacionais e individuais é uma prática cotidiana no
terna usando os meios de comunicação da empresa, e
McDonald’s. Identificá-los e formalizá-los, de forma a tor-
campanhas de envolvimento e de incorporação dos valores
ná-los ainda mais presentes, foi a principal motivação da
junto a funcionários, franqueados e fornecedores.
>
34
!Valores e Transparência ::
Compartilhar para
consolidar novas
práticas de gestão
Contato
Nome:
Gabriela Gonçalves Suárez
20/12/2002
Elaborado em:
A gestão do Laboratório Dr. Pio é baseada em diretrizes
reunião da diretoria abrange uma vasta gama de assuntos
que, além de contemplarem os diversos níveis da empresa,
internos. Fornecedores também são incluídos nas avalia-
são importantes para que comunidade, clientes, funcionários
ções, fortalecendo os laços de parceira com a empresa.
e fornecedores estejam a par dos rumos administrativos pretendidos. Assim, as decisões da liderança fundamentam-se
Resultados / benefícios gerados
em três pilares: uma filosofia empresarial – na qual estão es-
A melhoria no sistema de gestão foi indispensável para
pecificados a missão, a visão, os valores e os princípios da
atingir a excelência dos serviços. Como decorrência, o la-
empresa; em políticas da qualidade – tanto ambiental quan-
boratório obteve aumento de vendas, de produtividade e
to da informação; e num Código de Ética. Essa base de ação
de competitividade. Ademais, a empresa constituiu-se
é amplamente divulgada na empresa e fora dela.
como uma equipe unida, que se supera dia após dia.
Para os clientes, existem quadros explicativos. Para a co-
O principal benefício trazido pelo programa é permitir e
munidade, foram feitos anúncios em rádios e jornais, as-
incentivar o crescimento profissional dos funcionários e
sim como a distribuição de panfletos contendo os valores
parceiros do Laboratório Dr. Pio. Os pontos fortes de cada
e princípios da empresa. Os colaboradores podem contar
um foram ressaltados, contribuindo para o crescimento
com quadros didáticos, material impresso e discussões nas
profissional e aprimorando a qualidade dos serviços pres-
reuniões setoriais.
tados pela empresa. Como resultado, ampliou-se o núme-
A cada três meses, esses valores e princípios são refor-
ro de clientes e o reconhecimento da comunidade.
çados em um boletim interno, chamado O Pio é 10!, que
funciona como um instrumento de motivação e integração
Motivações
da equipe. Para divulgação do relatório de gestão, foram
A implantação dessas práticas fundamentou-se na bus-
realizadas, durante oito sábados, reuniões denominadas
ca de melhoria da qualidade, de maneira a diferenciar os
“O case não dói” para tratar da filosofia empresarial de
serviços da empresa daqueles fornecidos pelos demais la-
modo lúdico e interativo.
boratórios. Assim, o programa deveria abranger o cresci-
Como a gestão da empresa é participativa, a realização
mento pessoal e profissional dos colaboradores e ampliar
de reuniões é uma prática freqüente. Um exemplo é a
o cuidado do laboratório com o meio ambiente e a cons-
“Reunião de Resultados”, encontro mensal entre os cola-
cientização de todas as partes interessadas: funcionários,
boradores e a diretoria para avaliar o desempenho coleti-
clientes e fornecedores.
Auto-Regulação da Conduta !Enraizamento na Cultura Organizacional ::
Sant’Anna Simões
Pires AL Laboratório
de Análises Clínicas Ltda.
vo. A reunião “Eu sou 10” incentiva o crescimento pessoal
e profissional dos colaboradores por meio de atividades
Aprendizagens
motivadoras. As reuniões “Planejando” ocorrem semanal-
O sistema de gestão foi avaliado e reestruturado a partir da
mente e são voltadas para planejamento de marketing, fi-
combinação de vários fatores: o treinamento dos colaborado-
nanças, recursos humanos e novos projetos. As reuniões
res, o incentivo à busca de novos conhecimentos, a melhoria
setoriais, por sua vez, são realizadas a cada quinze dias
dos processos, a interação e os momentos de descontração.
para tratar de temas específicos, com encontros na produ-
Um dos principais desafios encontrados para a imple-
ção, na administração e no setor de qualidade. Por fim, a
mentação do programa foi a resistência de funcionários
35
>
Auto-Regulação da Conduta !Enraizamento na Cultura Organizacional ::
!Valores e Transparência ::
com mais de dez anos na empresa. As mudanças inicial-
cas, valores e princípios que esclareçam a missão almejada.
mente foram vistas como ameaças à sua estabilidade, ge-
Cabe-lhe igualmente dar o exemplo e demonstrar deter-
rando insegurança quanto aos rumos que seriam tomados
minação em mudar e melhorar a gestão administrativa.
pelo laboratório.
Outra recomendação é ter em mente que o alcance das
Esses desafios foram superados com treinamento, habi-
metas propostas são de médio e longo prazos. Direcionan-
lidade, motivação e investimentos financeiros. O tempo foi
do os rumos com vistas ao futuro, eventuais desafios não
um aliado fundamental para a consolidação das mudan-
comprometem a implementação do programa.
ças. A adesão de todos foi de extrema importância para o
Também é importante o envolvimento de todos os fun-
sucesso das novas práticas.
cionários, fornecedores e sócios. Disseminar a missão da
empresa é incentivar todos a trabalharem para cumpri-la.
Recomendações para a replicação da prática
A união de colaboradores e lideranças é o que faz a dife-
É fundamental que a direção da empresa elabore políti-
rença no crescimento e na melhoria da empresa.
>
36
!Valores e Transparência ::
Monitoramento
de crenças e
valores da empresa
Contato
Luciana Paschoalin Menezes
www.palavramagica.com.br
Elaborado em: 12/8/2002
Nome:
Website da empresa:
Desde a criação da Editora Palavra Mágica, em 1995,
presa. Dentre eles, por exemplo, está a intenção da edito-
seus colaboradores são incentivados a contribuir para o pro-
ra de que todos se tornem responsáveis por decisões em
cesso de avaliação e monitoramento das crenças e valores
seu âmbito de atuação e pela própria configuração do per-
da empresa. Isso ocorre a partir do primeiro dia de trabalho.
fil da empresa, além de contribuírem para divulgar na so-
No momento da contratação, uma assistente social re-
ciedade noções de responsabilidade social empresarial.
flete com o colaborador sobre a missão, visão e valores da
Uma vez por mês acontece uma reunião com toda a equi-
empresa. Ele recebe o Manual do Colaborador – livro atua-
pe para divulgar faturamento, despesas e o índice de lucrati-
lizado uma vez por ano –, que mostra a história da edito-
vidade, bem como debater problemas internos e soluções. O
ra, um perfil resumido de todos os colaboradores e suas
encontro tem espaço para as críticas, sugestões e propostas
funções, os números e metas do ano, e os mecanismos in-
de solução para as mais diferentes questões internas.
ternos de participação e decisão.
Visando a recreação e a confraternização, mas também
Os colaboradores são estimulados nas reuniões sema-
a discussão de valores e crenças e estimulando a integra-
nais e mensais das equipes por notícias publicadas no mu-
ção da equipe, são promovidos encontros fora do local e
ral interno e convites pessoais a engajarem-se em traba-
horário de trabalho como happy hours, festas, viagens e
lhos voluntários. Nessas reuniões, há espaço para relatos e
churrascos. Em dias de aniversário dos colaboradores, a
discussões sobre questões do dia-a-dia, à luz dos valores
empresa pára durante 30 minutos para comemorar a data.
éticos da empresa.
Anualmente, no mês de dezembro, é realizada uma con-
Outro instrumento para essa motivação é o Projeto Boa
venção para discutir as mudanças e avanços para o próxi-
Semana. Em uma reunião ecumênica, de aproximadamente
mo ano e definir metas de trabalhos.
30 minutos, que acontece no início do expediente às segun-
A política de comunicação interna é feita via mural in-
das-feiras, o coordenador do projeto (sempre um voluntário
terno, o Varal, que tem duas edições: uma que é pendura-
que se apresenta) lê um texto de sua escolha, que pode ser
da em biombos e fica à disposição dos funcionários e visi-
um poema, uma crônica, trecho de um ensaio ou qualquer
tantes, e outra que é enviada pela Internet para os e-mails
outro texto, mas sempre com conteúdo positivo. Em segui-
de todos. Os colaboradores participam com sugestões de
da, faz uma reflexão sobre sua mensagem e busca contribuir
pauta e um colaborador da empresa, em geral jornalista, é
de alguma forma na sua aplicação prática do dia-a-dia da
o responsável pela edição. Junto às notícias internas, co-
empresa e na vida pessoal dos colaboradores. A cada segun-
municados e informações relevantes sobre a atuação eco-
da-feira uma pessoa diferente se encarrega de coordenar e
nômica da empresa e suas ações institucionais, é veicula-
escolher o texto e o tema a ser discutido. A participação é fa-
do diariamente um Guia da Cultura, com a programação
cultativa, mas desde a implantação do projeto a freqüência
diária de todas as atividades culturais do município (peças
tem se mantido em 90% do quadro de funcionários.
de teatro, shows, exposições, cinema, vídeo, eventos etc.).
Ao estimular parceiros e, especialmente, colaboradores
Atualmente, a empresa está discutindo o Código de Ética,
a empenharem-se de forma mais efetiva no monitoramen-
com a participação de diretores e colaboradores, e levan-
to dos valores éticos, o objetivo é proporcionar maior en-
do para o papel as regras que, de alguma forma, já ditam
volvimento e a incorporação de valores da cultura da em-
os rumos de suas atividades.
37
Auto-Regulação da Conduta !Enraizamento na Cultura Organizacional ::
Editora Palavra
Mágica Ltda.
>
Auto-Regulação da Conduta !Enraizamento na Cultura Organizacional ::
!Valores e Transparência ::
Resultados / benefícios gerados
Aprendizagens
Todas essas iniciativas têm contribuído para manter um
Os fatores de sucesso são a participação da grande
clima de trabalho tranqüilo e integrado, com qualidade de
maioria dos colaboradores e a freqüência com que são
vida, o que estimula a produção geral da empresa, uma tí-
promovidas iniciativas voltadas para o monitoramento dos
pica corporação de capital intelectual. Cada um se sente
valores e das questões éticas. O grande desafio é mostrar
extremamente respeitado pelo grupo e é levado a crescer
a importância dessas iniciativas desde o momento em que
permanentemente, pelo espírito de cooperação existente.
o colaborador é contratado.
O clima interno é de grande respeito à diversidade. É
possível perceber que o trabalho faz parte do projeto de
Recomendações para a replicação da prática
felicidade dos colaboradores, que constantemente mani-
✓ Promover uma reflexão entre dirigentes da empresa so-
festam sua satisfação pessoal e profissional. O comparti-
bre o que é ser uma empresa-cidadã e estar convencida
lhamento dos valores da empresa com seus colaboradores
de que é isso mesmo que a empresa pretende.
também pode ser ilustrado em processos de negociação
✓ Envolver toda a equipe nessa reflexão, difundindo tex-
de novos contratos comerciais. Mais de uma vez houve a
tos e estimulando a discussão (por exemplo, por meio
possibilidade de tornar clientes grandes empresas do setor
de palestras rápidas de algum colaborador, dirigente ou
de bebidas de alto teor alcoólico e de fumo. Os colabora-
convidado) sobre práticas socialmente responsáveis e
dores questionaram, então, o sentido de ter como parcei-
comportamento ético na relação com clientes, fornece-
ros empresas que trabalham com produtos que não fazem
dores, colaboradores e sociedade.
bem à saúde e entram, portanto, em confronto com os
✓ Estimular a contribuição de todos na elaboração de al-
princípios da editora. Em função dessas discussões, esse
gumas diretrizes de comportamento ético, a partir da
tipo de trabalho tem sido recusado.
própria missão da empresa. Se ainda não foram escritas,
é uma excelente oportunidade para fazê-lo, envolvendo
Motivações
todo o corpo de colaboradores.
O que motiva a empresa a monitorar a aplicação de
✓ Usar sempre um texto preambular (que pode ser a mis-
seus valores na prática é a preocupação com a responsabi-
são da empresa, uma carta de intenções ou procedi-
lidade social empresarial. Uma empresa cidadã precisa ser
mentos ou o código de ética) para ajudar na solução de
ética no comportamento com clientes, fornecedores, con-
dúvidas e problemas. Rediscuti-lo uma ou duas vezes
correntes, mas principalmente com seus colaboradores e
por ano até chegar ao formato ideal.
cuidar para que exista um excelente ambiente interno, em
✓ Estimular colaboradores a arrolar os problemas e dificul-
que todos possam se desenvolver tanto profissional quan-
dades práticas encontradas no dia-a-dia para discuti-las
to pessoalmente.
com os dirigentes.
>
38
!Valores e Transparência ::
Contato
Adriana Adorno
www.bosch.com.br
Elaborado em: 18/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Robert Bosch – Divisão Bosch Freios mantém um con-
cação consomem, em média, R$ 50 mil por ano.
junto de programas que têm por objetivo fortalecer as dire-
Os programas de integração visam intensificar a inte-
trizes estratégicas da empresa. Eles abordam diferentes as-
gração entre empresa, colaboradores, familiares e comuni-
pectos das relações de trabalho e têm em comum o foco nas
dade, estabelecendo um clima organizacional positivo e
mudanças culturais, com base na Visão de Futuro, na Missão
reforçando, interna e externamente, a imagem corporati-
Organizacional e nos Valores assumidos pela empresa.
va e a marca Robert Bosch – Divisão Bosch Freios.
Os programas de treinamento e desenvolvimento visam
São realizados eventos comemorativos, programas de
desenvolver a qualificação técnica dos colaboradores. De
valorização do indivíduo e de integração familiar como a
1998 a 2000, foram realizados vários programas, entre os
Sipatinha, que incorpora atividades lúdicas e educativas na
quais: “Workshop sobre Globalização”, “Programa Opera-
Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho,
dor 2000”, “Encontro de Líderes” e “Projeto Jornada
disseminando os conceitos de segurança no ambiente do-
2005”. Atualmente, continuam a ser realizados programas
méstico de cada colaborador. Também são realizados
para todos os níveis da Organização, em diferentes ativida-
eventos culturais no Espaço Cultural Robert Bosch – Divi-
des, garantindo o aprimoramento contínuo das compe-
são Bosch Freios, onde são apresentados espetáculos de
tências e a disseminação das crenças e valores da empre-
dança, teatro e música.
sa. A Bosch assegura, anualmente, 120 horas de treinamento para cada funcionário. Em média, os investimentos
Resultados / benefícios gerados
anuais chegam a R$ 360 mil.
Os programas de treinamento e desenvolvimento têm
Os programas de comunicação buscam desenvolver ca-
possibilitado cumprir todas as metas projetadas de eficiên-
nais que viabilizem o diálogo transparente com todos os
cia, automação, qualidade e segurança. Esses programas
colaboradores. Assim, a empresa busca assegurar, por
têm sido decisivos para o crescimento da Organização,
meio dos programas de comunicação, a divulgação e o
que aumentou seu quadro de efetivos, contrariando a ten-
monitoramento de seus valores. Esses programas abran-
dência do setor de autopeças, marcado nos últimos anos
gem, desde 1999, ações de modernização dos canais ofi-
por demissões generalizadas e perda de lucratividade das
ciais, como o jornal interno e os informes; dos fóruns de
operações.
debate e também a criação de novos espaços como o Es-
Os programas de comunicação têm servido de estímulo
paço Cultural Robert Bosch – Divisão Bosch Freios e o Jor-
para a relação de confiabilidade entre a empresa e seus co-
nal Mural. No ano 2000, foi implantado o programa “Fale
laboradores, elevando o nível de seu comprometimento
Francamente”, pelo qual os funcionários podem registrar
decorrente do conhecimento e discussão dos processos,
suas sugestões, críticas ou dúvidas sobre qualquer assunto
problemas, metas e resultados organizacionais. A transpa-
referente à Organização, com a garantia de resposta e a
rência na comunicação possibilitou ampla adesão aos pro-
resolução dos problemas apresentados. Em 2001, foi cria-
gramas de redução de custos e tem mantido a empresa li-
do o Hot Line, canal aberto para denúncias e críticas, que
vre de conflitos trabalhistas ou sindicais. Os resultados ob-
assegura o sigilo absoluto e investigação detalhada de to-
tidos pelos programas de integração manifestam-se no
das as denúncias. Os programas voltados para a comuni-
maior comprometimento dos colaboradores no tocante à
39
Auto-Regulação da Conduta !Enraizamento na Cultura Organizacional ::
Robert Bosch Ltda.
Programas que
fortalecem as
diretrizes estratégicas
>
Auto-Regulação da Conduta !Enraizamento na Cultura Organizacional ::
!Valores e Transparência ::
cultura organizacional da empresa, que compartilham jun-
questão marcante para a empresa manter-se em linha com
to com seus familiares, das ações de cidadania e do con-
os princípios que valorizam o ser humano, enquanto o
ceito de ser socialmente responsável. Os eventos realiza-
mercado apontava para uma crescente desaceleração eco-
dos têm contribuído para a criação de um clima organiza-
nômica. Esses princípios reforçam o comprometimento da
cional de participação, iniciativa e trabalho em equipe. Ou-
direção com os objetivos estratégicos das atividades. Foi
tro ganho significativo tem sido a elevação do nível de
um fator importante estabelecer programas de execução
conscientização política e social, assim como do nível cul-
simples, que permitem a participação de todos os colabo-
tural, o que permite uma atitude mais crítica, autêntica e
radores. A garantia de transparência nas informações, o
positiva para com a Organização. Também são computa-
cumprimento dos prazos de respostas e a implementação
dos ganhos na fixação da imagem da empresa junto à co-
das sugestões foram atitudes que serviram de base para a
munidade.
confiança na liderança.
Motivações
Recomendações para a replicação da prática
A busca da clareza e fidedignidade na comunicação in-
Todo trabalho que envolve mudanças na cultura organi-
terna contribuiu para a criação de um clima de comprome-
zacional precisa ser feito, necessariamente, com o envolvi-
timento de todos com uma gestão transparente e partici-
mento de todos os colaboradores. Porém, é essencial que
pativa. Esse comprometimento com os princípios de ges-
o comprometimento comece a partir da alta direção, que
tão estabelecidos gerou conquistas significativas, que rea-
deve constituir-se na grande gestora desse processo. Para
limentaram a motivação da Organização. Outros fatores
tanto, é fundamental que as questões ligadas a temas
motivacionais foram: necessidade de fortalecer a imagem
como Visão de Futuro, Missão Organizacional e Valores se-
da empresa interna e externamente, tendo em vista todo
jam exaustivamente discutidas, até obter-se um verdadeiro
o processo de mudança iniciado em 1996; desejo de pro-
consenso.
mover a integração entre empresa, colaboradores e seus
Esse processo não deve ser apressado, pois ele é a base
familiares, buscando clima favorável e positivo; anseio ge-
de todo o desenvolvimento dos programas. O processo de
nuíno da Robert Bosch – Divisão Bosch Freios pela eleva-
enraizamento cultural é longo e contínuo. É feito de pe-
ção do nível de cidadania e consciência crítica e política de
quenas ações corriqueiras e grandes intervenções (even-
seus colaboradores.
tos, workshops, promoções etc.). Trate cada uma delas
como se fosse a única e a mais importante. Nunca despre-
Aprendizagens
ze uma oportunidade de expor a cultura organizacional e
O fato de as ações da diretoria terem se mantido em
estimular a participação de todos. A coerência entre a prá-
conformidade com os princípios gerou credibilidade inter-
tica e o discurso é fundamental para se obter sucesso. Aja
na e externa na liderança. Os programas de treinamento,
sempre em conformidade com o que foi estabelecido e
de comunicação e de integração produzem a sensibiliza-
nunca barganhe seus valores. Seja sempre transparente.
ção dos colaboradores para a realidade do negócio e para
Fale e ouça abertamente tudo. Busque feedbacks em to-
os impactos na vida pessoal e profissional. Tornou-se uma
dos os níveis. Não aceite temas tabus.
>
40
!Valores e Transparência ::
Contato
Gestão da Cultura
Organizacional
Milton Luis F. Pereira
www.serasa.com
Elaborado em: 6/4/2001
Nome:
Website da empresa:
Os valores e crenças da Serasa são disseminados desde o
manais de repasse entre líderes e equipes, a reunião nacional
ingresso de novos funcionários, por meio do Programa de In-
nas áreas Serasa, a reunião anual dos líderes Serasa e dos
tegração. Cada novo funcionário – denominado “Ser Serasa”
coordenadores Serasa e a reunião de planejamento por área
– assiste a uma palestra e recebe o livreto com os Valores
estratégica. As definições do Planejamento Estratégico são
Compartilhados da Serasa. Todos os funcionários – os “Ser
divulgadas por meio da TV “Ser Serasa” (circuito interno).
Serasa” – participam de reciclagens em eventos organizacio-
O sucesso dos resultados é medido pelo alcance dos ob-
nais que enfocam temas de nossa filosofia. Das reuniões de li-
jetivos e por sua perenidade. A administração da empresa se
deranças participam todos os níveis de gestão: a alta direção
faz sob a visão empresarial de longo prazo, sendo a rentabi-
da empresa, o corpo gerencial, líderes de projetos, líderes de
lidade fator de desenvolvimento auto-sustentado, capaz de
produtos e equipes. Os resultados dessas reuniões são repas-
garantir o crescimento e a perpetuação da Organização.
sados a todos os “Ser Serasa”, garantindo que todos as pessoas da empresa tenham a mesma visão organizacional.
Motivações
A Serasa dá grande atenção à gestão da cultura organiza-
O fator principal de motivação da empresa para a adoção
cional. O conceito de “Ser Serasa” constitui-se em um con-
de toda essa dinâmica cultural é a consciência da necessida-
junto de valores e crenças, alinhados com a filosofia Serasa,
de de contar com pessoas e equipes comprometidas com o
que visam resgatar a satisfação pela realização própria, no
sucesso da Companhia em todas as suas atitudes. O “Ser Se-
contexto proporcionado por uma empresa que valoriza o ho-
rasa” constrói a empresa. Por conseguinte, deve comparti-
mem, que se destaca por seus níveis de qualidade e ética em-
lhar os valores essenciais para o seu desenvolvimento.
presarial e que, dentro da comunidade, fortalece os agentes
econômicos e atende a interesses públicos e comunitários.
Aprendizagens
A ênfase nas pessoas se consolida nos Valores Comparti-
A estruturação e implementação da Gestão de Cultura e
lhados Serasa. A essência da filosofia Serasa se apóia em
dos Valores Compartilhados Serasa conta com o apoio da
quatro princípios: Ser Ético, Ser Empreendedor, Ser Gente e
alta direção e o envolvimento de todos os “Ser Serasa”. Es-
Ser Excelência. Assim, Ser Ético está relacionado com valores
timula-se a pró-atividade, encorajando-se e recompensando-
como: integridade, confiabilidade, imparcialidade, seriedade,
se iniciativas para superar metas. Busca-se um clima interno
sigilo e cidadania. Ser Empreendedor, segundo a filosofia Se-
saudável e uma cultura organizacional caracterizada pela ca-
rasa, significa transformar o ambiente para obtenção de su-
pacitação para vencer os desafios presentes e futuros.
Auto-Regulação da Conduta !Enraizamento na Cultura Organizacional ::
Serasa – Centralização de
Serviços dos Bancos S.A.
cesso nos negócios com responsabilidade social. Ser Gente
implica na prática constante do respeito, desenvolvimento,
Recomendações para a replicação da prática
participação, oportunidade, simplicidade e desempenho. Ser
A Serasa acredita que a eficácia na gestão das pessoas
Excelência é o valor da Serasa relacionado com o cliente, a
somente se integraliza por meio da educação de seus líde-
qualidade, a produtividade, a competência e a inovação.
res. Esse processo educacional deve estar fundamentado
na gestão da cultura, como forma de garantir a difusão e
Resultados / benefícios gerados
compartilhamento dos valores organizacionais, da missão,
Como resultados podem ser mencionadas as reuniões se-
da visão e do negócio da empresa.
41
>
>
Auto-Regulação da Conduta !Enraizamento na Cultura Organizacional ::
!Valores e Transparência ::
Leader Magazine
Contato
Treinamento
Experiencial ao Ar Livre
Suzy Gouvêa Cargo
www.leadermagazine.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Leader Magazine, por acreditar que o compartilha-
mento dos negócios da empresa mais eficaz.
mento de seus valores é fundamental para construir sua
No ano de 2003, o tema de trabalho foi “Nossos Valo-
identidade, estabelece uma série de ações em sua gestão
res”, ressaltando pontos como o orgulho de vestir a cami-
para permitir a identificação e o reconhecimento de prin-
sa da empresa, responsabilidade social e ética. Nesse en-
cípios e crenças por todos os funcionários. Essas práticas
contro, questões como o significado e implicações dos
de gestão têm como objetivos construir e compartilhar
conceitos de responsabilidade social e a construção de um
valores de modo a garantir a coesão interna, responsável
código de ética de maneira participativa foram vivenciados
pela expressão e identificação da empresa no ambiente
por todos os funcionários, e garantiram a construção e o
empresarial. Entre essas práticas, destacam-se o processo
compartilhamento da identidade da empresa.
de comunicação de sua missão e valores nas rotinas organizacionais da empresa e o Treinamento Experiencial ao
Motivações
Ar Livre.
A principal motivação da Leader Magazine ao desenvol-
O Treinamento Experiencial visa garantir a inovação e as
ver encontros institucionais com seus funcionários, colabo-
melhores práticas do mercado. Realizado anualmente,
radores e fornecedores é integrar o pessoal, seu principal
desde 1995, conta com a participação de todos os seus
ativo. A Leader acredita que o investimento em práticas
2.800 funcionários, diretores e fornecedores, distribuídos
que impliquem no envolvimento das pessoas é fundamen-
em turmas mistas, em uma viagem para um Hotel Fazen-
tal para garantir e dar suporte aos objetivos estratégicos e
da onde permanecem por dois dias em atividades lúdicas
fortalecer sua identidade no cenário empresarial.
e experienciais. O objetivo é tratar questões alinhadas com
a visão e missão e valores da empresa que norteiam o co-
Aprendizagens
tidiano da empresa, tanto em termos do seu negócio, por
Os fatores determinantes do sucesso dessa prática refe-
meio da excelência de atendimento, como na dimensão
rem-se à necessidade do envolvimento de todos os mem-
humana de sua gestão, expressa na valorização dos seus
bros da organização nos eventos. Os benefícios só pode-
funcionários e na sua reputação de integridade no am-
rão ser impactados na cultura organizacional da empresa
biente empresarial.
se houver um trabalho conjunto em relação aos valores e
crenças.
Resultados / benefícios gerados
Os participantes incorporam os valores organizacionais
Recomendações para a replicação da prática
e o programa motiva a superação dos desafios inerentes
A alta direção deve estar envolvida com os objetivos da
ao processo de mudanças da organização, identificando os
prática. A empresa deve estabelecer claramente os obje-
fatores críticos de sucesso. O Treinamento Experiencial es-
tos de trabalho junto aos participantes. Os elementos da
timula o equilíbrio entre o técnico e o comportamental,
cultura organizacional, tais como os valores, crenças e ati-
com o objetivo de instalar um melhor clima organizacional
tudes, devem ser identificados e compreendidos pela or-
por meio de um “team building”, desenvolver os líderes,
ganização para resultar em aprendizagem e crescimento
criar confiança e buscar soluções para tornar o gerencia-
da empresa.
42
!Valores e Transparência ::
Contato
Lara Dornas
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
A Samarco tem buscado definir indicadores não-finan-
a serem envolvidos nas ações, além de um cronograma de
ceiros para a avaliação do seu desempenho social. Para
execução das atividades previstas. Foram formados grupos
viabilizar a implantação desse projeto no município de An-
de trabalho para atuar em três áreas prioritárias: saúde,
chieta (ES), onde está localizada a unidade de Ubu, contra-
meio ambiente e apoio aos jovens.
tou a Pact, organização não-governamental dos Estados
A terceira fase vem sendo desenvolvida desde dezem-
Unidos. O objetivo principal do Programa Pact Samarco de
bro de 2001, com a implantação das ações planejadas pe-
Mobilização Empresa Comunidade é fortalecer os meca-
los três grupos de trabalho estabelecidos na fase anterior.
nismos de diálogo entre a empresa e os públicos com os
A Samarco investiu US$ 39.500 na contratação da Pact
quais ela se relaciona, levantando as demandas e direcio-
e na produção de materiais educativos e informativos.
nando os investimentos da Samarco no município. Outra
Além disso, a equipe de comunicação empresarial da uni-
meta importante é mobilizar a comunidade de Anchieta
dade de Ubu ficou responsável pelo contato permanente e
para a concepção e gestão de programas capazes de pro-
apoio aos participantes na implantação das ações comuni-
mover o desenvolvimento sustentável da cidade.
tárias. Os principais beneficiários do projeto são os 21 mil
Iniciado em julho de 2001, o programa foi implantado
habitantes de Anchieta (segundo dados do IBGE de 1996).
em três fases. A primeira, de planejamento, abrangeu reuniões com representantes da Samarco, da Pact e da comu-
Resultados / benefícios gerados
nidade de Anchieta, levantamento estatístico, mapeamen-
Foram realizadas pesquisas junto ao público dos work-
to dos segmentos a serem envolvidos nas ações e pesqui-
shops, que demonstram a aprovação do processo. Mais de
sa de opinião para investigação de valores culturais da ci-
95% dos participantes apontaram aspectos positivos,
dade. Finalmente, constituíram-se dois comitês de mobili-
como a convivência entre pessoas e grupos diversificados
zação comunitária: um com 30 funcionários da Samarco
da comunidade, debate de questões importantes, intera-
(incluindo os níveis técnico, operacional e gerencial) e ou-
ção e vontade comum de trabalhar pela comunidade.
tro com 30 moradores representantes de todos os seg-
Como resultado dos levantamentos realizados, a Sa-
mentos comunitários detectados no mapeamento.
marco conta com um detalhado perfil dos grupos com os
Na segunda fase, foram desenvolvidas atividades de
quais se relaciona em Anchieta e com um amplo diagnós-
formação e mobilização da comunidade, com a realização
tico das questões ligadas ao desenvolvimento do municí-
de três workshops temáticos dirigidos aos dois comitês de
pio, elaborado num processo bastante participativo. Esses
mobilização: “Visão Participativa de Futuro”, “Avaliação
elementos deverão subsidiar o aprimoramento de sua po-
de Capacidades e Direções Estratégicas” e “Planejamento
lítica de atuação social, tornando-a mais articulada às de-
Estratégico”. A partir desses encontros foi possível estabe-
mandas comunitárias, mais integrada e conseqüente. O
lecer diretrizes estratégicas para a atuação e o planeja-
projeto contribui também para o fortalecimento da capa-
mento de ações concretas frente às principais demandas
cidade de autogestão da comunidade, que superou a pos-
da comunidade. O planejamento incluiu os recursos e ca-
tura passiva diante das demandas do município.
pacidades necessários e disponíveis; as funções e respon-
No que tange a ações efetivas do projeto, o grupo liga-
sabilidades dos integrantes e de outras pessoas e parceiros
do à saúde elegeu como ação prioritária a ampliação das
43
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
Samarco Mineração S.A.
Programa Pact-Samarco
de Mobilização
Empresa-Comunidade
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
!Valores e Transparência ::
instalações de atendimento de emergência do Hospital e
de sensibilização, formação e suporte à articulação da co-
Maternidade Anchieta. Para tal, já realizou, com a partici-
munidade para a busca do desenvolvimento local. Ele cria
pação de empregados da Samarco, voluntários e da comu-
um fórum aberto para discussão de questões relevantes
nidade, o levantamento de dados técnicos sobre as insta-
para a população, ao mesmo tempo em que trabalha com
lações físicas do hospital. Além disso, um projeto arquite-
a empresa para que as questões levantadas pela comuni-
tônico da ampliação já está sendo produzido, num traba-
dade sejam efetivamente consideradas em seu planeja-
lho paralelo à redação de projeto visando a captação de
mento estratégico.
recursos para as obras.
Por meio dessa abordagem participativa, capacita a co-
O grupo voltado à questão do meio ambiente definiu a
munidade a agir, ao mesmo tempo em que identifica os
educação ambiental como prioridade e realizou, no último
potenciais investimentos nas áreas definidas por uma am-
verão, o primeiro mutirão de limpeza das praias, que com-
pla representatividade dos interesses da população da ci-
binou a limpeza propriamente dita a uma ação educativa
dade. A metodologia não apresenta uma “fórmula” para
junto ao público freqüentador.
a mobilização: a perspectiva é relacional e os esforços vol-
O grupo de trabalho que se dedica a encontrar formas
tam-se ao processo de interação e debate comunitário,
de apoiar o jovem está elaborando um projeto para a cap-
considerado a base para todos os resultados.
tação de parceiros e recursos que permitam implantar um
Outro aspecto fundamental é a proposta de atuação
programa de formação profissional e geração de trabalho
em rede. O processo capacita a comunidade para estabe-
e renda para o jovem no setor turístico.
lecer parcerias diversificadas envolvendo empresas, gover-
O sucesso da prática validou a metodologia, que já está
no e entidades sociais, de modo a criar uma rede de par-
sendo levada a outros países, como Indonésia, China e
cerias pelo desenvolvimento, garantindo sua independên-
Madagascar. A Samarco deverá estendê-la a outras comu-
cia com relação às instituições. Esse foi um dos aspectos
nidades com as quais a empresa se relaciona.
desafiantes do programa, pois a população tem uma postura passiva em relação a projetos socioambientais promo-
Motivações
vidos por empresas da região, esperando receber ações
A busca da ampliação dos canais de diálogo com a co-
prontas. A prática obteve êxito ao tornar a comunidade
munidade foi a principal motivação da empresa para a im-
agente ativo do processo.
plementação da prática. Ao tornar-se parceira da Pact no
desenvolvimento de metodologias para processos de mo-
Recomendações para a replicação da prática
bilização, a Samarco visa ampliar sua proposta de cidada-
✓ Estabelecer sólidos canais de diálogo com a comunidade.
nia empresarial, promovendo o desenvolvimento sustentá-
✓ Criar mecanismos que garantam o envolvimento dos
vel das comunidades onde atua.
funcionários da empresa na iniciativa.
✓ Desenvolver metodologias para diagnosticar as necessi-
Aprendizagens
dades da comunidade e buscar conjuntamente soluções
O Programa envolve um processo global e estruturado
para seu atendimento.
>
44
!Valores e Transparência ::
Contato
Programa Samarco
de Portas Abertas
Lara Dornas
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
Criado em 1999, o programa de visitação pública Sa-
de mala-direta; visitas a escolas, instituições públicas e es-
marco de Portas Abertas é desenvolvido nas unidades da
tabelecimentos turísticos; anúncios na mídia impressa e
Samarco em Germano (Mariana/MG) e Ponta Ubu (An-
em rádios e TVs; e assessoria de imprensa.
chieta/ES). A empresa visa, com o desenvolvimento dessa
A campanha de divulgação permanente do programa é
prática, fortalecer seus princípios de transparência na con-
constituída por mais de 20 peças – entre material impres-
dução dos negócios, bem como em relação ao meio am-
so, promocional, VTs televisivos e spots radiofônicos. A
biente, organização e limpeza, saúde e segurança do tra-
empresa procura assim consolidar sua imagem institucio-
balho, bem-estar dos funcionários e da comunidade e
nal e ser reconhecida como uma empresa social e ambien-
qualidade de seus processos e produtos. Ao abrir seus pro-
talmente responsável, confiável e de produtos de alta qua-
cessos produtivos a turistas, moradores e estudantes da re-
lidade, que usa tecnologia mineral de vanguarda, ética e
gião de Anchieta e Guarapari (ES), e de Mariana e Ouro
de relações duradouras com seu público, em busca de ex-
Preto (MG), a Samarco busca consolidar sua imagem de
celência mundial
empresa socialmente responsável, além de ampliar sua in-
Além disso, para manter o empregado informado, notí-
tegração com as comunidades vizinhas.
cias sobre o programa são permanentemente difundidas
Em Germano, o roteiro da visita cobre as áreas em que
em todos os veículos de comunicação interna da empresa
ocorrem os processos de extração, beneficiamento e trans-
(revista mensal, jornal mural semanal, boletins, intranet).
porte do minério de ferro pelo maior mineroduto do mun-
A empresa investiu ao todo R$ 450 mil para realizar
do. Já o visitante da unidade de Ponta Ubu pode conhecer
adaptações para receber os turistas, treinamento e campa-
o processo de embarque das pelotas de minério de ferro
nhas publicitárias. Além disso, promoveu o treinamento
no terminal marítimo da Samarco. Nas duas unidades são
das equipes de monitores e sua equipe de comunicação
mostrados os atuais processos e tecnologias da mineração
efetua a divulgação. Os demais recursos humanos neces-
e esclarecidas eventuais dúvidas sobre a Samarco. Ao final,
sários são viabilizados por meio de parcerias.
os participantes respondem a um questionário sobre as im-
Os principais beneficiários do projeto são os turistas que
pressões que tiveram da empresa.
visitam as cidades de Anchieta, Ouro Preto e Mariana, gru-
Em Minas Gerais, o projeto foi concebido em parceria
pos da população local, empregados e empresários atuan-
com o Unicentro Newton Paiva; as secretarias municipais
tes no segmento turístico dos municípios envolvidos.
de Turismo de Ouro Preto e Mariana se responsabilizam
pelo apoio à divulgação e comercialização dos ingressos. O
Resultados / benefícios gerados
Curso de Turismo do Cefet de Ouro Preto é responsável
Mais de seis mil pessoas já visitaram as unidades de
pela gestão do projeto (inclusive financeira) e fornece os
Ponta Ubu e Germano desde o lançamento do programa.
monitores (alunos do Curso Técnico de Turismo) que são
Em Germano, o programa já é auto-sustentado pelos re-
treinados pela Samarco e atuam como guias.
cursos gerados pela venda de ingressos e souvenirs. O im-
O lançamento do programa, tanto em Anchieta quanto
pacto é avaliado por meio de pesquisa de opinião realiza-
em Ouro Preto e Mariana, envolveu amplas campanhas
da junto aos visitantes: 90% afirmam levar uma imagem
publicitárias, com distribuição de folders e folhetos; envio
boa ou ótima da Samarco. Em Ubu, um resultado não mui-
45
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
Samarco Mineração S.A.
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
!Valores e Transparência ::
to satisfatório culminou em uma revisão do projeto, ainda
mas a meta de público projetada ainda não se efetivou e,
em andamento.
em Ubu, o programa está sendo reestruturado nos moldes
de desenvolvimento da unidade de Germano, com a incor-
Motivações
poração de novos parceiros: a ES Convention & Visitor Bu-
A principal motivação é tornar públicos e transparentes
reau e a Atua, empresa júnior da Faculdade de Turismo de
os processos de produção da Samarco, além de divulgar
Guarapari.
suas práticas em relação à conservação do meio ambiente.
O programa abriu a perspectiva de uma ação inédita da
A empresa está ciente da importância que os melhora-
Samarco: a promoção do desenvolvimento das comunida-
mentos na estrutura de turismo podem trazer às cidades
des onde atua por meio do fortalecimento do setor turísti-
em que se situa, fortalecendo assim a sua relação com as
co. A possibilidade de parcerias com instituições desse se-
comunidades vizinhas.
tor também se mostrou promissora a partir da experiência
do programa “Samarco de Portas Abertas”.
Aprendizagens
O turismo empresarial era desconhecido da população
Recomendações para a replicação da prática
em geral e até mesmo de boa parte dos parceiros que a Sa-
O trabalho inicial de sensibilização e conscientização da
marco buscou para a iniciativa. Assim, o principal desafio foi
comunidade e de parceiros potenciais é fundamental para
a sensibilização e conscientização da população e potenciais
o sucesso desse tipo de programa.
parceiros. O fato de as visitas serem pagas também causou
Estimular os funcionários da empresa a compreenderem
certa resistência entre os visitantes. Para superar essas difi-
a proposta e a acolher bem os visitantes são atitudes de
culdades, a empresa valeu-se do trabalho de assessoria de
grande importância.
empresas especializadas e instituições de ensino, da realiza-
Um programa efetivo de turismo empresarial precisa ir
ção de palestras, seminários e de diversas reuniões com seg-
além da abertura à visitação pública. É fundamental que
mentos da comunidade, e de campanhas de divulgação.
seja desenvolvida infra-estrutura física e de serviços para
Atualmente, o projeto já alcança resultados positivos,
atrair o interesse e atender ao turista.
>
46
!Valores e Transparência ::
Contato
Lara Dornas; Sérgio Dias; Sérgio Mesquita
www.samarco.com.br
Elaborado em: 27/9/2002
Nome:
Website da empresa:
São realizadas reuniões anuais abertas às comunidades
realizadas em espaços da comunidade. Novamente o re-
em que são apresentados todos os dados e fatos referen-
sultado não foi o esperado. O caráter unilateral ainda pre-
tes à atuação socioambiental da empresa no ano anterior.
dominou. Por fim, em 2001, as reuniões foram realizadas
Essa prática pretende construir um relacionamento entre
na própria Samarco. A participação das comunidades au-
empresa e comunidade, pautado pelo diálogo transparen-
mentou e as demandas – algumas reprimidas – começa-
te, além de estabelecer um canal de comunicação direto e
ram a aparecer em maior número.
interativo, servindo como sensor dos sentimentos dos mo-
As reuniões contam com a participação dos funcioná-
radores locais.
rios da Samarco e lideranças das comunidades onde a em-
A realização das apresentações de desempenho am-
presa atua. Os principais beneficiários são as comunidades
biental nesses moldes, por si, já faz da Samarco uma em-
vizinhas e prefeituras locais, que podem ter uma maior
presa pioneira, uma vez que as outras empresas disponibi-
participação no controle do impacto socioambiental da ati-
lizam apenas relatórios de desempenho.
vidade da Companhia na região.
As reuniões são realizadas nos municípios de Ouro Pre-
Cada unidade da empresa disponibiliza um salão de
to e Mariana, áreas de influência da unidade de Germano,
eventos com equipamentos de apresentação, além de
em Minas Gerais, e Anchieta e Guarapari, influenciados
transporte gratuito e alimentação. A divulgação é feita por
pela operação da unidade de Ponta Ubu (ES).
convites formais às lideranças locais (prefeitos, secretários,
A certificação pela ISO 14001, conquistada em 1998, já
ONGs, associações comunitárias), cartazes afixados em lo-
previa que a empresa deveria apresentar resultados am-
cais de maior concentração de pessoas e carros de som
bientais. A Samarco não só cumpre essa determinação,
anunciando o evento.
como aprofundou a prestação de contas, desenvolvendo
uma metodologia bem-sucedida de apresentação desses
Resultados / benefícios gerados
relatórios. Em um desses encontros surgiu a idéia, entre
Os resultados qualitativos apontam para um aperfeiçoa-
outras, da implantação de um projeto de arborização de
mento considerável das relações da empresa com comuni-
comunidades, evidenciando o compromisso da empresa
dades e para uma melhor compreensão dos anseios dos
em ouvir as manifestações surgidas nas apresentações e
moradores da região. O evento também trouxe expressivos
levá-las em consideração no planejamento estratégico da
ganhos de imagem, de acordo com pesquisas de percep-
atuação socioambiental da Samarco.
ção realizadas após as apresentações. Estabeleceu-se um
Em 1999, a Companhia reuniu lideranças comunitárias
canal direto de informação com comunidades e prefeitu-
de municípios sob a sua área de influência. Essa reunião
ras, reforçando a imagem da responsabilidade social da
teve um caráter quase unilateral: a empresa apresentou
Samarco e o tratamento adequado para as manifestações
seus resultados, mas os líderes comunitários praticamente
das partes interessadas locais.
não levantaram demandas ou questionamentos. A empre-
Alguns resultados suplantaram as expectativas. A práti-
sa concluiu que era preciso aperfeiçoar a prática para esti-
ca propiciou o atendimento de demandas reprimidas e a
mular a participação das comunidades.
implantação de novos projetos, como o projeto “Árvores”,
Em 2000, foram convocadas novas reuniões, desta vez
de arborização em comunidades no estado do Espírito
47
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
Samarco Mineração S.A.
Apresentação
de desempenho
socioambiental
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
!Valores e Transparência ::
Santo e a abertura de instalações da empresa à visitação
Com custos relativamente baixos, visto que a empresa
das lideranças. Outras demandas, relacionadas à geração
disponibiliza apenas uma infra-estrutura mínima para a
de emprego e renda, por exemplo, resultaram no apoio da
realização dos encontros, a Samarco conseguiu estreitar la-
Samarco à Associação de Agricultura de Bento Rodrigues
ços de confiança e canais de comunicação com as popula-
(MG), ao Centro de Apoio ao Pequeno Empreendedor
ções locais.
(Ceape/ES), além de estimular o treinamento e a contrata-
No início, as apresentações tinham um cunho de “pres-
ção de mão-de-obra local pela própria empresa e pelas
tação de contas”, um evento destinado basicamente a in-
prestadoras de serviço.
formar as comunidades dos resultados obtidos durante o
ano. No entanto, a reunião provou ter grande potencial
Motivações
para funcionar como fórum, em que todos podem expor
Para manter um relacionamento transparente e direto
suas idéias e obter respostas para perguntas que antes não
com a comunidade, a empresa precisava estabelecer um
sabiam a quem fazer. Nesse sentido, a empresa ganhou
fórum de discussões nos moldes da Apresentação de De-
um novo instrumento para medir a percepção da comuni-
sempenho. Havia a necessidade da criação de um instru-
dade diante da ação socioambiental da Samarco.
mento de comunicação que permitisse a prestação de contas à comunidade de tudo que era feito pela Samarco nas
Recomendações para a replicação da prática
áreas social e ambiental.
Uma ação do gênero não pode se limitar a repassar informações unilateralmente. É preciso ouvir e identificar as
Aprendizagens
demandas das comunidades. O relato deve ser transparen-
Inicialmente houve certa desconfiança por parte de al-
te, equilibrado e bem fundamentado. Convém evitar ao
guns moradores. Duas medidas foram essenciais para rever-
máximo realçar dados positivos do desempenho em detri-
ter esse quadro: a informalização do evento, transforman-
mento dos negativos. Assuntos delicados não podem dei-
do-o em uma conversa o mais informal possível, tanto na
xar de ser abordados. Se a comunidade tem questiona-
forma quanto no estilo da apresentação e das instalações, e
mentos, a empresa não deve esquivar-se, mas aproveitar a
a receptividade para ouvir e respeitar toda e qualquer opi-
oportunidade para esclarecer e apresentar seu posiciona-
nião emitida. Com o tempo, essas medidas encorajaram os
mento diante do assunto.
participantes a abandonar atitudes defensivas em favor de
Em alguns momentos, os ânimos dos participantes po-
uma postura marcada por sugestões e críticas construtivas.
dem se exaltar. É fundamental que os responsáveis pela
Essa forma aberta e informal das apresentações, sem sofis-
apresentação sintam-se seguros diante dessas situações,
ticação, e o tom franco das conversações configuraram-se
sem responder às acusações gratuitas que eventualmente
em fatores determinantes para o sucesso da prática.
ocorram nem encarar os debates em nível pessoal.
>
48
!Valores e Transparência ::
Contato
Confraternização
anual com clientes
Alexandre Jorge Gomes de Figueiredo
www.paranapanema.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Confraternização Anual com os clientes da Compa-
A reunião é conduzida pelo diretor superintendente, e en-
nhia Paraibuna de Metais faz parte de um conjunto de
volve os vários departamentos e a alta direção da empre-
práticas que visam assegurar que as questões priorizadas
sa: gerentes gerais, gerente de operação, coordenador de
pelas partes interessadas sejam consideradas e incorpora-
garantia da qualidade, gerente de vendas, assessor de ges-
das na sua gestão. A empresa empenha-se em reunir o
tão, assessor de desenvolvimento comercial, assistente téc-
maior número possível de clientes para uma confraterniza-
nico, supervisor de vendas e vendedores. A prática teve iní-
ção, buscando divulgar e fortalecer sua imagem, promover
cio em 1993, com a participação da gerência de vendas,
maior conhecimento sobre a produção, além de estreitar o
evoluindo para inclusão da participação do diretor superin-
relacionamento comercial. Grupos de 40 a 60 pessoas são
tendente, demais gerências e parceiros.
convidados, anualmente, a visitar a unidade localizada em
Juiz de Fora, cumprindo uma programação com duração
Resultados / benefícios gerados
de um dia e meio.
O número de clientes participantes do evento tem cres-
O roteiro prevê várias atividades: recepção; apresenta-
cido ano a ano. A confraternização tem atingido seu obje-
ção pela diretoria e parceiros dos respectivos sistemas de
tivo, estreitando o relacionamento da empresa com seus
gestão e das principais estratégias relacionadas com clien-
parceiros e clientes. Outro resultado positivo é a consolida-
tes; apresentação de vídeo institucional; palestras com in-
ção da imagem da Companhia Paraibuna de Metais no
formações sobre o processo produtivo, planta industrial e
mercado, propiciando um aumento no volume de vendas.
discussões técnicas sobre os produtos da Companhia Paraibuna. Na ocasião, prevê-se a distribuição de brinde, ca-
Motivações
tálogos, folders e do Código de Ética e de Conduta da em-
A principal motivação dessa prática é ampliar o conhe-
presa. É organizado um jantar de confraternização fora
cimento dos clientes sobre os produtos da empresa, bem
das instalações da empresa. No encontro é apresentado o
como os procedimentos praticados por fornecedores res-
sistema de gestão, que engloba as estratégias e ações vol-
ponsáveis pela entrega desses produtos. Ademais, procu-
tadas para a satisfação dos clientes.
ra assegurar que as necessidades dos clientes sejam con-
Também participam, apresentando seu sistema de ges-
sideradas pela empresa, que, por sua vez, busca sua satis-
tão, os parceiros envolvidos com a entrega dos produtos.
fação.
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
Grupo Paranapanema
>
49
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
!Valores e Transparência ::
Laboratório Leme
Contato
Acesso e eficiência dos
canais de comunicação
Simone Edington
www.lableme.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O Laboratório Leme, que possui cinco unidades em Sal-
ção. A ação busca estimular a participação dos colabora-
vador (BA), mantém um canal aberto de comunicação com
dores na empresa. Eles possuem ainda um espaço no hou-
os clientes do SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente).
se-organ do Leme, no qual podem apresentar novas idéias
Por meio deste setor, as dúvidas sobre serviços do labora-
que, depois de avaliadas, podem entram em vigor.
tório são esclarecidas, registram-se elogios, críticas e suResultados / Benefícios Gerados
gestões, que são encaminhados ao setor pertinente e res-
Nas avaliações mensais feitas em 2003, o Leme tem re-
pondidos dentro de um prazo mínimo estipulado.
gistrado queda de 70% no número de reclamações se
O Formulário de Crítica e Sugestão é outro canal de co-
comparado com os mesmos períodos do ano anterior.
municação dos usuários com o Leme. Esses formulários encontram-se em local de destaque em todas as unidades de
Motivações
coleta do laboratório. Todo cliente que o preenche é contatado por um representante da empresa. Pesquisas de satis-
O Leme tem como missão valorizar a assistência à saúde,
fação são realizadas, mensalmente, nas unidades de coleta.
por meio do compromisso com a melhoria da qualidade de
Os clientes respondem a questionários que avaliam os servi-
vida e com o desenvolvimento científico e social. Para isso,
ços oferecidos pela empresa. As notas são tabuladas e con-
busca manter relações transparentes e construtivas com os
tabilizadas para verificação de indicadores de satisfação.
diversos públicos presentes no cotidiano da empresa.
Os comentários registrados no SAC também são classiAprendizagens
ficados como Elogio, Sugestão ou Crítica. As sugestões
são analisadas no Comitê da Qualidade do Leme, que ava-
Com o paciente, classe médica, convênios ou colabora-
liam sua pertinência e aplicabilidade. A empresa responde
dores, o Leme está sempre buscando manter abertos os
a 100% das críticas e reclamações.
seus canais de comunicação. Em função disso, a empresa
A “Linha Direta” foi um canal criado para atender o pro-
vem apresentando melhorias significativas, atingindo suas
fissional médico, que pode consultar os exames realizados
metas de qualidade e planejando novos projetos de cresci-
quando surgem dúvidas sobre laudos ou métodos utiliza-
mento.
dos. Há uma preocupação ética nessa prática, pois há resulRecomendações para replicação da prática
tados que podem gerar abalos psicológicos nos pacientes.
Uma pesquisa encomendada pelo laboratório reúne um
Os colaboradores são peças importantes em atividades
grupo de médicos para avaliação dos nossos serviços. Além
relacionadas a serviços. Eles devem reunir o melhor conhe-
disso, um profissional especializado visita periodicamente
cimento possível sobre a empresa. Um funcionário desinfor-
os consultórios para ouvir a opinião dos médicos sobre o
mado sobre as ações de marketing desenvolvidas pela em-
Leme e esclarecer dúvidas. Também é realizada pesquisa
presa pode tornar-se uma inconveniente figura de antimar-
com os convênios ligados ao laboratório. O Leme analisa
keting. Os clientes devem ser sempre ouvidos. Eles contri-
seu resultado e promove a adequação de suas ações.
buem imensamente para o desenvolvimento das companhias. O cliente que não tem canais para reclamar, provavel-
Por fim, o laboratório apresenta suas campanhas publi-
mente não volta a utilizar os serviços da empresa.
citárias aos colaboradores antes de entrarem em veicula-
50
!Valores e Transparência ::
Identificação das
expectativas das
partes interessadas
Contato
Luiz Antônio Rossi
www.cst.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Visando melhorar continuamente o canal de comunica-
Resultados / benefícios gerados
ção entre a empresa e sociedade, a CST (Companhia Side-
Depois de encerrado o período de coleta das informa-
rúrgica de Tubarão), com sede no Espírito Santo, realiza
ções, sua análise possibilita a sistematização de um con-
periodicamente pesquisa de identificação das expectativas
junto de expectativas a serem priorizadas. Elas são incor-
das partes interessadas. O objetivo do levantamento é co-
poradas no planejamento empresarial, sob a forma de ob-
nhecer a percepção dos parceiros e da sociedade sobre o
jetivos e metas operacionais para o período subseqüente.
desempenho ambiental da empresa, além de fornecer
A prática é repetida a cada três anos, possibilitado maior
subsídios para seu planejamento estratégico e orientar a
proximidade da empresa com as partes interessadas e a
definição de metas e programas futuros.
melhoria no diálogo com a sociedade.
A pesquisa permite à CST implantar ações preventivas e
colher seus benefícios, antecipando situações de conflito e
Motivações
indicando a efetivação dos compromissos presentes nas
A política ambiental da CST assume, entre outros com-
políticas da empresa. Como decorrência, são desenvolvi-
promissos, o de manter aberto o diálogo com todas as par-
dos programas dirigidos ao atendimento das expectativas
tes interessadas, na antecipação e na resposta às respecti-
das partes interessadas; os objetivos são reorientados de
vas preocupações quanto aos aspectos ambientais e ao sis-
forma a priorizar essas expectativas com a promoção do
tema de gestão ambiental. Projetos, investimentos e pro-
engajamento das partes interessadas em parcerias volta-
gramas de gestão ambiental são priorizados em função
das para a solução de problemas comuns.
dessas preocupações, buscando-se a melhoria contínua do
Um seminário realizado com representantes dos diver-
desempenho ambiental da empresa.
sos setores relacionados direta ou indiretamente com a
empresa possibilitou a identificação dos principais grupos
Aprendizagens
de partes interessadas no desempenho ambiental da em-
Por meio desses estudos específicos, a CST mantém
presa: órgãos governamentais de meio ambiente (federal,
aberto um canal de comunicação com as partes interessa-
estadual e municipal), administração da CST (diretores e
das, o que permite orientar seus objetivos e metas ambien-
gerentes), funcionários, acionistas, comunidade da área de
tais e responder adequadamente às suas expectativas.
influência ambiental da empresa, ONGs ambientalistas,
Além do comprometimento de toda a empresa no proces-
clientes, mídia (televisão, rádio, jornal e outras publicações
so de elaboração da metodologia e na coleta das informa-
impressas), instituições de ensino e pesquisa (universidades
ções, a adequada implementação dessa prática baseia-se
e escolas) e outras instituições públicas e privadas (Minis-
também na experiência da equipe de entrevistadores.
tério Público, associações industriais etc.).
A metodologia da pesquisa baseia-se na coleta de infor-
Recomendações para a replicação da prática
mações por meio de questionário aplicado em fóruns para
A metodologia de análise das expectativas das partes inte-
grupos de empregados, gerentes e membros da comuni-
ressadas pode seguir a seqüência de passos descrita a seguir:
dade e entrevistas individuais com representantes dos de-
1. Identificar o objetivo da análise das expectativas das
mais grupos de partes interessadas.
partes interessadas.
51
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
Companhia Siderúrgica
de Tubarão
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
!Valores e Transparência ::
2. Identificar, categorizar e priorizar os grupos e represen-
5. Selecionar a metodologia a ser utilizada no processo e
tantes de partes interessadas.
conduzir a etapa de levantamento das expectativas e
3. Avaliar as alternativas de envolvimento das partes interes-
discussão.
sadas (questionários com ou sem entrevistas, consulta con-
6. Avaliar e analisar os resultados do levantamento de ex-
tínua, grupos de discussão, painéis/fóruns de debate etc.).
pectativa, apresentando as conclusões segundo os crité-
4. Definir o modelo de processo a ser adotado para cada
rios e metodologias preestabelecidos.
parte interessada.
7. Comunicar os resultados às partes interessadas.
>
52
!Valores e Transparência ::
Contato
Diagnósticos dos
Grupos de Interesse
Simone Guimarães
www.shell.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
Ao iniciar as atividades de exploração no Rio de Janeiro
nas decisões da Divisão de Exploração e Produção da em-
e no Espírito Santo, a Divisão de Exploração e Produção da
presa. Ao dialogar com as partes interessadas, a Shell Bra-
Shell Brasil optou por desenvolver paralelamente um pro-
sil estabelece uma relação de mútua confiança, um dos
cesso de diálogo com os stakeholders. Essa prática cumpre
principais valores da empresa. Esclarecer pontos de vista é
o objetivo de identificar, antecipar e gerenciar questões jun-
fundamental para a realização das atividades de empresas
to às comunidades locais para impedir que elas se tornem
do setor de energia. Uma das principais sinalizações obti-
problemas. O primeiro passo do processo de diálogo com
das até agora foi o reconhecimento por parte dos stake-
os stakeholders foi o mapeamento e identificação do perfil
holders da disposição inédita da empresa em estabelecer
das organizações da sociedade civil e empresas pesqueiras,
esse tipo de diálogo.
diretamente e indiretamente influenciadas pela atividade
petrolífera nos dois estados, denominado Stakeholders Ap-
Motivações
praisal ou Diagnósticos dos Grupos de Interesse.
O diálogo e a transparência são fundamentais para que
Por meio desse mapeamento, procurou-se registrar o
se estabeleça uma relação de confiança com os acionistas,
que pensam as organizações sobre essa atividade produ-
empregados, clientes e outras pessoas com as quais o gru-
tiva, subsidiando o processo de diálogo entre elas e a em-
po faz negócios, assim como com as comunidades envol-
presa. Para apoiar esta e outras atividades, garantir a
vidas. Outro aspecto importante é que, ao ouvir seus sta-
transparência do processo e assegurar a isenção da análi-
keholders, a Companhia amplia o entendimento a respei-
se foi contratado o Instituto Pró-Natura. Em parceria com
to de suas motivações e ações, o que representa uma
o Instituto foi organizado um seminário, no início de
oportunidade de prevenir conflitos e mitigar riscos. Assim,
2001, em Vitória (ES). O workshop teve como objetivo de-
diferentes grupos e setores podem estabelecer mudanças
bater a questão da exploração do petróleo e o meio am-
e resolver os dilemas que permitirão que a sociedade pros-
biente e apresentar os procedimentos que estão sendo
pere. Ele é, portanto, essencial para o desenvolvimento
implementados pela Shell Brasil durante sua permanência
sustentável.
no Estado do Espírito Santo. Participantes da comunidade
acadêmica e do setor público, das organizações não-go-
Aprendizagens
vernamentais (ONGs) e as associações de pescadores e
Apesar da empresa ainda estar começando a estabele-
empresas de pesca identificaram as preocupações e ex-
cer, de forma estruturada, o diálogo com as partes inte-
pectativas positivas decorrentes das atividades de investi-
ressadas, algumas lições já foram apreendidas. As princi-
gação do petróleo na região.
pais dispõem que as informações a respeito dos stakeholders devem ser compartilhadas por toda a Organização,
Resultados / benefícios gerados
mesmo por aqueles setores que não possuem ligação di-
O relatório contendo os resultados do workshop foi
reta com o assunto, pois isso cria uma consciência sobre
amplamente distribuído entre os stakeholders, incluindo
a importância do meio externo no trabalho de cada um.
os não-participantes. Os pontos arrolados estão sendo le-
Além disso, é importante que representantes de diferen-
vados em consideração no debate das questões críticas e
tes setores estejam presentes nos contatos com os stake-
53
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
Shell
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
!Valores e Transparência ::
holders. Isso faz com que as questões colocadas pelo pú-
postura positiva em relação a elas. Mais frustrante do que
blico externo se tornem mais tangíveis. Os stakeholders
não ser ouvido, é verificar que os espaços de expressão dis-
reconhecem que a Shell foi a primeira empresa do setor a
poníveis não influenciam a realização das ações propostas.
iniciar tal prática, o que tem estimulado outras empresas
No caso da Shell, o trabalho é apoiado pelos Princípios Em-
em realizar atividade semelhante, beneficiando o merca-
presariais da Companhia.
do como um todo.
O processo de diálogo requer tempo e dedicação.
Recursos devem ser previstos antes de iniciá-lo.
Recomendações para a replicação da prática
Busque um interlocutor independente, pelo menos na
Nunca comece um processo de diálogo com as partes
fase de diagnóstico. Isso assegura que as informações não
interessadas se a sua empresa não estiver realmente pre-
serão filtradas pela cultura interna (mesmo que esta não
parada para ouvir as críticas e preocupações e ter uma
seja a intenção).
>
54
!Valores e Transparência ::
Contato
Nome:
Alexandre Jorge Gomes de Figueiredo
Website da empresa: www.paranapanema.com.br
Elaborado em:
4/6/2001
A Companhia Paraibuna de Metais utiliza um conjunto
retoria da empresa e representantes dos moradores da co-
de práticas para assegurar que as partes interessadas se-
munidade mais próxima, e ampliada, em seguida, a outras
jam valorizadas e que suas necessidades sejam incorpora-
comunidades e trazendo o poder público às discussões.
das à gestão da empresa. A partir do diálogo estruturado,
A prática de integração com os empregados teve início
resultante de canais de comunicação acessíveis e eficien-
em 1998 inicialmente entre o diretor e os níveis operacio-
tes, são definidos indicadores de desempenho que visam
nais. Hoje, envolve a direção e demais níveis hierárquicos,
garantir o cumprimento das metas estabelecidas.
como supervisores e gerente de setor. Os participantes do
A prática Café da Manhã é voltada para o relacionamen-
café da manhã com a comunidade são indicados em dis-
to com a comunidade e também para com os empregados.
cussão prévia com o presidente da associação de morado-
O café da manhã com a comunidade é realizado a cada
res, que se incumbe de convidar o prefeito, a promotoria,
quatro meses, quando suas demandas são levantadas e
vereadores e outros representantes do poder público mu-
analisadas, e as ações pertinentes são estruturadas. Essa
nicipal, bem como moradores da comunidade.
prática serve à empresa como um veículo para comunicar
os projetos em desenvolvimento aos diversos segmentos da
Resultados / benefícios gerados
sociedade que com ela se relacionam, visando a minimiza-
O café da manhã com os empregados tem como prin-
ção dos problemas sociais. Participam desse café da manhã
cipal resultado a melhoria da comunicação entre os níveis
a diretoria da empresa, líderes comunitários dos bairros cir-
hierárquicos.
cunvizinhos, membros das associações de moradores, re-
No café com a comunidade é realizada a avaliação qua-
presentantes do poder público, o prefeito de Juiz de Fora e
litativa do atendimento das demandas e sugestões feitas
as diretorias das escolas da comunidade. O evento é coor-
durante o próprio evento, bem como um balanço das
denado pelo gerente geral administrativo, em parceria com
ações em andamento, e uma estimativa das ações futuras.
o presidente da associação de moradores do bairro Igreji-
Ao mesmo tempo ocorre uma avaliação, a partir de pes-
nha. O encontro é realizado nas dependências da empresa,
quisa de imagem, junto à comunidade. A empresa desen-
quando é servido um café tropical.
volve campanhas, projetos e ações visando atender às de-
O café da manhã com os empregados é uma reunião
mandas arroladas no café da manhã. Com esse objetivo
mensal, de caráter informal, realizada no refeitório da em-
também são estabelecidas parcerias com organismos pú-
presa, com cerca de 20 empregados. Todos são ouvidos e
blicos e privados, fortalecendo a imagem da empresa. En-
podem se manifestar ou fazer perguntas sobre qualquer
tre as ações implementadas podem-se citar:
tema. Essa prática visa promover a integração do corpo de
✓ Subvenção e estruturação do coral da Escola Munici-
funcionários da empresa com o diretor superintendente,
pal Padre Wilson.
aproximando os níveis hierárquicos e melhorando o diálo-
✓ Projeto Catarata: Convênio firmado com a Fundação
go, proporcionando aos empregados a oportunidade de
Internacional Hellen Keller, com apoio da Prefeitura Mu-
feedback sobre as ações empreendidas pela direção da
nicipal de Juiz de Fora e Rotary Clube, que proporcionou
empresa. A prática de relacionamento com a comunidade
à população carente mais de mil consultas oftalmológi-
foi iniciada, em 1997, a princípio com a participação da di-
cas, com realização de 140 operações de catarata.
55
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
Grupo Paranapanema
Café da Manhã com
a Comunidade e
com os empregados
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
!Valores e Transparência ::
✓ Projeto Caprinocultura Familiar: Parceria com o Se-
cacional de nível fundamental e médio de empregados
brae e Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora, cujo
e moradores da comunidade vizinha. Realizado nas ins-
objetivo é proporcionar uma fonte de renda adicional às
talações da empresa, o projeto é desenvolvido em par-
famílias carentes, bem como alimentação suplementar.
ceria com a Prefeitura Municipal de Juiz de Fora.
✓ Escolinha de Futebol para Crianças: A empresa dis-
✓ Gestão pela Qualidade na Educação: Subvenção e
ponibiliza o campo de futebol da sua área de lazer,
acompanhamento na implantação de um sistema de
transporte para a locomoção das crianças, contratação
gestão para melhoria da qualidade da educação, por
do instrutor e subvenciona equipamentos e uniformes.
meio de treinamento do corpo docente de sete escolas
✓ Campanha de Doação de Sangue: Realizada em par-
vizinhas. Atualmente, estão diretamente envolvidas com
ceria com a Associação dos Hemofílicos de Minas Gerais.
o projeto cerca de 1.500 pessoas, entre professores, alu-
✓ Restauração de Prédios Públicos: Co-patrocínio dos
nos e funcionários dessas escolas.
projetos de restauração do Cine Teatro Central de Juiz
de Fora; da Estação Ferroviária, Escola Municipal Padre
Motivações
Wilson e posto médico, em Sobragi, além da construção
Essa prática é resultante da determinação de cumprir a
de um centro comunitário.
missão da empresa, definida no documento chamado
✓ Feira de Saúde e Cidadania: Realizada com o apoio
“Uma vida melhor através do zinco”, e voltada a clientes,
de mais de 100 voluntários, em parceria com o Lions
empregados, acionistas e comunidade.
Clube Manchester.
✓ Patrocínio de atividades esportivas: Subvenção
Aprendizagens
mensal concedida ao Tupi Esporte Clube, time de fute-
O principal desafio para a realização da prática com a
bol profissional de Juiz de Fora, participante da segunda
comunidade foi desenvolver o ambiente do café da manhã
divisão do campeonato mineiro.
em um local apropriado para que os moradores pudessem
✓ Campanha de Qualidade de Vida: Conjunto de pa-
se expressar sem inibição. O principal problema enfrenta-
lestras, proferidas por profissionais especializados, volta-
do refere-se à garantia de representação da comunidade.
das para os empregados e comunidade, com o objetivo
Por outro lado, o sucesso do diálogo pode ser creditado ao
de despertar a consciência para o risco da obesidade, ta-
envolvimento da direção da empresa, que se empenha
bagismo, hipertensão etc.
para resolver os problemas de representatividade e para
✓ Projeto “Pequeno Jardineiro”: Desenvolvido em par-
dar seqüência à solução das demandas apresentadas.
ceria com a Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, atende
a adolescentes em situação de risco social, com idade
Recomendações para a replicação da prática
entre 14 e 17 anos. É voltado para sua iniciação profis-
A principal questão a ser considerada para o sucesso da
sional, estimulando também hábitos que visem a preser-
prática é garantir a legitimidade e representatividade das
vação do meio ambiente, além de torná-los agentes in-
lideranças da comunidade no evento. Outro aspecto im-
formativos junto à comunidade.
portante é não deixar de responder a todas as demandas
✓ Projeto Supletivo: Tem como objetivo a formação edu-
e sugestões, mesmo tendo a negação como resposta.
>
56
!Valores e Transparência ::
Contato
Transparência na relação
com stakeholders
Elise Gaussmann
www.canastrans.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Canasvieiras Transportes é uma empresa prestadora
do Sistema de Gestão – Qualidade ISO 9001 – da Canas-
de serviços de transporte coletivo urbano que atua no nor-
vieiras Transportes visando analisar o grau de satisfação
te da Ilha de Florianópolis. Buscando transparência em
dos clientes externos. Dessa forma, é realizada semestral-
suas relações, a empresa articula-se com associações de
mente a pesquisa de satisfação dos usuários, que permite
moradores, sindicatos, associações comerciais, escolas, nú-
verificar a existência de problemas no sistema de transpor-
cleo de transportes da cidade, além de outros órgãos pú-
te. Por meio da pesquisa, os clientes têm a oportunidade
blicos, considerando-os partes interessadas na operação
de expressar suas necessidades e dar sugestões para a me-
de suas atividades.
lhoria do transporte coletivo urbano da região. A pesquisa
A maior preocupação da empresa é garantir transpa-
indicou, em 2002, um índice de 83,5% de satisfação dos
rência e reciprocidade para com a comunidade do norte
clientes externos. Os resultados da pesquisa são analisados
da Ilha, que congrega, ao mesmo tempo, colaboradores e
pela equipe do Comitê Central da Qualidade e estabeleci-
familiares, clientes e comunidade de entorno da empresa.
das ações de melhoria.
Nesse sentido, a empresa estruturou um conjunto integra-
Além dos canais de recebimento de informações exter-
do de ações de forma a efetivar o diálogo e a transparên-
nas, a Canasvieiras Transportes desenvolve ações para di-
cia entre os diferentes meios de comunicação e os stake-
vulgar suas informações para a comunidade e seus clien-
holders.
tes. Podem ser citados como marcos desse processo o
O canal de comunicação direta entre a Canasvieiras
website da empresa, onde foram registradas mais de 70
Transportes e a comunidade é o SAC, que recebe informa-
mil consultas em 2002. O site oferece informações de ho-
ções por telefone, e-mail, cartas ou por agentes de fiscali-
rários e itinerários, projetos sociais e ambientais da empre-
zação que atendem os clientes no terminal urbano. Por
sa, e sobre o sistema da gestão da qualidade.
meio desse serviço, a população do norte da Ilha pode so-
A Canasvieiras Transportes divulga nos jornais da re-
licitar informações, dar sugestões ou fazer reclamações. Os
gião, quinzenalmente, informações de interesse das comu-
contatos recebidos pelo SAC são registrados no sistema in-
nidades, como melhorias implantadas no sistema e proje-
formatizado da empresa e analisados periodicamente pelo
tos desenvolvidos. A empresa também veicula essas infor-
setor de comunicação, consolidando-se como um indica-
mações no InfoCanas, seu boletim interno. Todos os cola-
dor de controle dos processos organizacionais.
boradores e membros da comunidade podem utilizar esse
A Canasvieiras Transportes realiza periodicamente reu-
espaço para divulgar informações, fazendo dele um instru-
niões com representantes da comunidade para conhecer e
mento que permite a integração da empresa com colabo-
buscar soluções referentes às necessidades das comunida-
radores, familiares e comunidade.
des do norte da Ilha. Em 2002, foram realizadas quatro
Buscando encontrar novos canais que assegurem o diá-
reuniões para tratar de questões como horários, itinerá-
logo e a transparência, a Canasvieiras Transportes vem se
rios, segurança, sistema viário e criação de novas linhas. A
preparando para lançar seu primeiro Balanço Social, uma
empresa mostra respeito dialogando com a comunidade
ferramenta estratégica, capaz de proporcionar autoconhe-
para a qual presta seus serviços.
cimento e auto-avaliação, estabelecer a comunicação com
Um indicador de qualidade foi incorporado como parte
a comunidade e agregar valor à imagem organizacional.
57
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
Canasvieiras
Transportes Ltda.
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Diálogo com Partes Interessadas (stakeholders) ::
!Valores e Transparência ::
A empresa, a comunidade e os clientes vêm sendo be-
to a seus stakeholders está na intenção de melhorar os ser-
neficiados com esse conjunto de ações, que permitem a to-
viços prestados.
dos contribuir e participar na definição das estratégias da
Canasvieiras, de modo a responder às demandas da região.
Aprendizagens
Um fator de aprendizagem para a Canasvieiras Trans-
Resultados / benefícios gerados
portes foi a unificação de ações dentro da empresa. A res-
As ações que possibilitam o diálogo com a sociedade
ponsabilidade social não deve ser desenvolvida desarticu-
vêm trazendo grandes resultados e oportunidades de me-
lada da totalidade dos processos organizacionais. A inte-
lhoria para a Canasvieiras Transportes. Pode-se verificar a
gração coerente dos processos de gestão é essencial para
melhoria nas relações da empresa com a comunidade a
o sucesso do programa.
partir da incorporação das demandas nas estratégias organizacionais e a criação do Projeto Achados e Perdidos, que
Recomendações para a replicação da prática
recolhe os objetos esquecidos pelos clientes e encontrados
Quando se pensa em dialogar com as partes interessa-
dentro dos veículos da empresa. Em 2002, dos 735 obje-
das da organização, deve-se ter em mente que, quanto
tos encontrados dentro dos veículos, 318 foram devolvidos
maior o leque de possibilidades oferecidos, melhor e mais
aos donos e 417 foram doados.
fácil será o acesso das pessoas. Dessa forma, pode-se perceber que a criação de um conjunto integrado de ações de
Motivações
diálogo e transparência permite que as informações exter-
O grande desafio da Canasvieiras Transportes para rea-
nas cheguem à empresa e as internas alcancem o público
lizar ações que garantam o diálogo e a transparência jun-
interessado com maior dinamismo e agilidade.
>
58
!Valores e Transparência ::
Contato
Roberto Horn
www.shell.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Shell estimula a competição saudável e ética entre as
doras, que causam grandes prejuízos aos consumidores
companhias tradicionais da indústria de comercialização e
decorrentes da adulteração desses produtos, e da socieda-
distribuição de combustíveis e derivados, atuando no com-
de em geral, devido à conseqüente sonegação fiscal. O re-
bate à prática do comércio irregular de combustíveis (adul-
sultado é refletido na satisfação de acionistas, revendedo-
teração e sonegação tributária) presente no setor. Esse
res, funcionários, e de nossos clientes finais em relação à
combate tem sido efetivado junto ao Sindicom (Sindicato
marca e à política da empresa.
Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e
Lubrificantes), por meio de reuniões, palestras, congressos,
Motivações
campanhas promocionais e esclarecimentos públicos. Des-
A motivação da prática tem como base a competição
de a liberação do mercado de combustíveis, em 1986, a
leal, transparente e ética, que são elementos imprescindí-
empresa desenvolve políticas transparentes com o gover-
veis para o ambiente saudável num mercado com distribui-
no, entidades de classe (Sindicatos dos Revendedores de
ção liberada.
Combustíveis) e a sociedade em geral.
As atividades e os tipos de abordagem usados para de-
Aprendizagens
bater com os concorrentes são definidos de acordo com o
O principal desafio encontrado tem sido vencer a resis-
assunto em pauta ou com o órgão envolvido. Participam
tência e lentidão das pessoas-chave na solução dos proble-
diretamente da prática vice-presidentes, diretores, geren-
mas referentes às práticas do comércio irregular de com-
tes e suas equipes, e todos os funcionários que atuam nes-
bustíveis. A atuação constante e persistente junto a esses
sa área de contato.
canais tem proporcionado um diálogo cada vez mais consistente e satisfatório com as distribuidoras (representadas
Resultados / benefícios gerados
pelo Sindicom), os Sindicatos dos Revendedores, os órgãos
Com um trabalho pautado na transparência, na ética e
governamentais responsáveis pelo setor, a mídia e a opi-
na idoneidade, a Shell compartilha seus objetivos e estra-
nião pública.
tégias tanto com seu público interno quanto com os agentes externos. A atuação direta sobre os órgãos governa-
Relações Transparentes com a Sociedade !Relações com a Concorrência ::
Shell
Combate ao
Comércio Irregular
de Combustíveis
Recomendações para a replicação da prática
mentais e sobre a sociedade alerta a população e amplia a
Na implantação de programas de relacionamento com
informação sobre as práticas ilegais que ocorrem no mer-
concorrentes é importante adotar um discurso claro, trans-
cado de distribuição e comercialização de combustíveis.
parente e coerente, que seja capaz de sustentar os objeti-
Essa prática tem estimulado a moralização do setor, com
vos de cada ação. Persistência e paciência são importantes
diminuição das fraudes praticadas por algumas distribui-
para consolidar os relacionamentos.
>
59
Relações Transparentes com a Sociedade !Relações com a Concorrência ::
!Valores e Transparência ::
AGCO Corporation
Contato
Participação em
entidades setoriais
Carlito Inácio Eckert
www.massey.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A AGCO, empresa de equipamentos agrícolas, desen-
te de recursos pelo governo por intermédio da Finame e
volve e mantém relações com a concorrência nas políticas
do Moderfrota (programa para a renovação de frota brasi-
de financiamento, reivindicações de crédito oficial aos
leira de tratores e colheitadeiras). A mecanização da agri-
clientes, desenvolvimento da atividade do agrobusiness,
cultura brasileira coloca o Brasil em condições de igualda-
apoio a incentivos destinados à pesquisa e realização de
de com os países mais avançados do mundo. Cabe à in-
parcerias com a Embrapa, Emater e outras fundações. Os
dustria oferecer ao produtor rural brasileiro a mesma tec-
principais critérios para o estabelecimento de parcerias são
nologia utilizada em outros países. O aporte de recursos
a representatividade da entidade e ou segmento, e visam
pelo governo, por meio de financiamentos para monta-
o desenvolvimento de atividades em conjunto ou aporte
gem e renovação da frota tem propiciado dois importan-
de conhecimentos e experiências de ambas as partes.
tes resultados: o crescimento da produção agrícola brasi-
Em parceria com a Embrapa, a Fundação ABC e, no Pro-
leira e os volumes gerados, possibilitando a competitivida-
jeto Aquarius, com a Universidade Federal de Santa Maria
de internacional, destacando o Brasil como um grande ex-
(RS), a AGCO visa desenvolver o conhecimento sobre agri-
portador de máquinas agrícolas. A AGCO tem cerca de
cultura de precisão.
50% de sua produção de tratores e colheitadeiras voltada
Em Piracicaba (SP), a empresa estabeleceu parceria com
para exportação.
a Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz Queiroz), mantendo na universidade um centro de treinamento de ope-
Motivações
ração de máquinas agrícolas. O centro é utilizado para ati-
A empresa tem participado ativamente e liderado os
vidades docentes e para o treinamento de profissionais dos
principais projetos da área, por acreditar que pode benefi-
distribuidores da empresa, da Fundação MT e da Universi-
ciar a comunidade e o país.
dade de Rio Verde (GO).
A empresa compartilha essas ações com algumas asso-
Aprendizagens
ciações representativas do setor, como a Anfavea (Associa-
O principal aprendizado foi a realização de debates e a
ção Nacional do Fabricantes de Veículos Automotores) e o
aproximação entre empresas privadas e órgãos públicos,
Simers (Sindicato da Indústrias de Máquinas e Implemen-
com ganhos significativos para as partes interessadas.
tos Agrícolas do Rio Grande do Sul), que congregam os fabricantes.
Recomendações para a replicação da prática
✓ Manter-se fiel aos princípios e filosofias da organização
Resultados / benefícios gerados
como orientadores para as iniciativas apresentadas.
✓ Disseminar a prática associativa, em vez de iniciativas ou
O resultado é o próprio desenvolvimento da mecanização da agroindústria com a instituição de significativo apor-
reivindicações individuais.
>
60
!Valores e Transparência ::
Melhoria contínua
nas relações com
a concorrência
Contato
Álvaro Costa
www.canastrans.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Canasvieiras Transportes é concessionária de trans-
clos de treinamento sobre segurança, primeiros socorros,
porte coletivo urbano no norte da Ilha de Florianópolis, em
direção defensiva, atendimento ao cliente, entre outros te-
Santa Catarina. Opera o transporte convencional e o exe-
mas de relevância. Foram oferecidos aos passageiros ma-
cutivo. A concorrência e competitividade no setor é baixa,
pas e quadros de horários e realizadas melhorias nos abri-
pois, de acordo com o sistema do município, cada região
gos de espera de ônibus. Houve ainda investimentos na re-
de Florianópolis é atendida por uma das cinco empresas
novação da frota, que passou a contar com veículos me-
que operam na cidade. A execução de seus serviços é dis-
lhor equipados, mais seguros e confortáveis.
ciplinada pela Lei Complementar 034/99.
Nesse processo, a empresa optou por padrões de ope-
Há 75 anos no mercado, a Canasvieiras Transportes
ração baseados na qualidade, o que culminou, em 2001,
passou a sofrer, a partir de 1994, concorrência direta em
com a implementação do Sistema de Gestão da Qualida-
virtude do aparecimento do transporte ilegal no período
de. Com isso, a Canasvieiras Transportes tornou-se a pri-
da alta temporada. Isso motivou a preocupação dos diri-
meira empresa da área de transporte coletivo urbano a ser
gentes da empresa com a sustentabilidade e a segurança
certificada pela NBR ISO 9001:2000. Como prática estra-
no sistema de transporte municipal.
tégica, a empresa deu continuidade às reuniões periódicas
O transporte ilegal é operacionalizado por imigrantes
com a comunidade para conhecer suas necessidades e so-
de outras regiões do Estado e do país que, durante a tem-
licitações, buscando atendê-los e melhorar as atividades
porada de verão, vêm para Florianópolis oferecer aos turis-
operacionais.
tas serviços de transporte nas praias do norte da Ilha. Não
A Canasvieiras Transportes segue as determinações le-
respeitam, porém, a legislação local: registros, horários e
gais do município, inclusive com a manutenção da política
itinerários preestabelecidos. Como o transporte ilegal ope-
tarifária estipulada. A empresa também atua como porta-
ra com um custo tarifário inferior ao praticado pelo siste-
voz da comunidade, discutindo e viabilizando junto aos ór-
ma do município, os resultados financeiros da Canasvieiras
gãos competentes a criação de novos itinerários, a amplia-
foram impactados uma vez que seu equilíbrio anual inclui
ção do quadro de horários das linhas e melhorias na pavi-
o movimento sazonal. Por outro lado, o transporte ilegal
mentação de vias urbanas. Diante do agravamento do pro-
oferece riscos aos passageiros e motoristas pois opera sem
blema, nos últimos dois anos o Núcleo de Transportes – ór-
treinamento, equipamentos e segurança necessários.
gão da Prefeitura responsável pela gestão do transporte no
Ciente de sua responsabilidade com padrões de concor-
município – passou a fiscalizar com maior rigor os veículos
rência elevados, a empresa passou a refletir e buscar solu-
que operam clandestinamente, punindo e apreendendo o
ções para que a comunidade optasse por seus serviços, por
transporte ilegal.
Relações Transparentes com a Sociedade !Relações com a Concorrência ::
Canasvieiras
Transportes Ltda.
meio de um posicionamento ético e cumprindo a legislação vigente. Desse modo, a Canasvieiras Transportes ado-
Resultados / benefícios gerados
tou medidas para a melhoria da qualidade de seus servi-
Como resultado dos investimentos realizados para a
ços, empenhando-se em tornar-se mais competitiva, ga-
melhoria dos serviços prestados, os usuários sentem-se
rantindo a preferência dos moradores e turistas da região.
mais satisfeitos, dispondo de mais horários e linhas prolon-
Os motoristas e cobradores da empresa passaram por ci-
gadas. A empresa ganhou com o investimento sistemático
61
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Relações com a Concorrência ::
!Valores e Transparência ::
na melhoria da qualidade de seus processos e, ao mesmo
ocorreu a partir da importância que o contato com a co-
tempo, manteve relações legais com a concorrência, cons-
munidade pode representar quando existem canais de co-
truindo seu diferencial competitivo a partir do relaciona-
municação abertos e de cooperação e a descoberta de
mento dinâmico com seus clientes e comunidade.
possibilidades de retorno às necessidades dos usuários.
Motivações
Recomendações para a replicação da prática
O estabelecimento da relação de concorrência passou a
A partir das práticas de relacionamento ético com a
ser um fator de motivação e estímulo para a diretoria da
concorrência pode-se refletir que o melhor caminho para
Canasvieiras Transportes que, por meio da união de esfor-
tornar-se competitivo é respeitar a legislação vigente, prin-
ços com colaboradores e comunidade, contribuiu para a
cipalmente a que se refere diretamente à área de atuação
eficácia do transporte coletivo na região e para a sustenta-
da empresa; investir na melhoria dos processos operacio-
bilidade da empresa.
nais e dos serviços e produtos oferecidos; e estabelecer canais de comunicação dinâmicos com seus clientes e comu-
Aprendizagens
nidade, propondo soluções e colocando-se como parceiro
A aprendizagem da empresa com essa experiência
da população.
>
62
!Valores e Transparência ::
Contato
Relações responsáveis
com a concorrência
Nome:
Orlando de Souza Lira
20/7/2003
Elaborado em:
A Panificadora Lira & Lira estimula a competição sau-
saúde das pessoas. Essa prática estimula a moralização do
dável e ética entre os concorrentes, atuando no comba-
setor e a geração de renda formal para os trabalhadores,
te à prática do comércio irregular e informal. Esse com-
demonstrando compromisso com o país e a sociedade. O
bate tem sido efetivado junto à Associação Comercial
cliente, a comunidade e os empregados percebem e valo-
com o apoio do SEBRAE e do Sindicato dos Panificadores,
rizam a diferença de uma empresa socialmente responsá-
através de reuniões, palestras e esclarecimentos públicos.
vel (formal e ciente de seus deveres) de outra que não o é.
A empresa desenvolve políticas transparentes com o governo, entidades de classe e a sociedade em geral.
Motivações
As atividades e os tipos de abordagem usados para de-
A motivação da prática tem como base a competição
bater com os concorrentes têm como um dos temas prin-
leal, transparente e ética, que são elementos imprescindí-
cipais o estímulo ao associativismo e ao cooperativismo
veis para o ambiente saudável de mercado. O número
entre a classe, mesmo sabendo ser este um assunto de
crescente de panificadoras legalizadas é um fator motiva-
grandes polêmicas e resistências.
dor para se continuar lutando pela causa. A formação do
As reuniões realizadas com os concorrentes são marca-
associativismo atuante é uma conseqüência que temos
das pelos proprietários de estabelecimentos envolvidos di-
identificado a cada nova formalização de estabelecimento.
retamente no combate a prática informal, isto porque a
forma de abordagem deve ser esclarecedora e tem como
Aprendizagens
propósito a conscientização dos concorrentes quanto aos
A atuação constante e persistente utilizando canais in-
riscos, não só legais, quanto de credibilidade junto aos
formais, que possibilitam a identificação de casos, tem
clientes e imagem perante a comunidade.
proporcionado um diálogo cada vez mais consistente,
consciente e satisfatório, capaz de mobilizá-los para uma
Resultados / benefícios gerados
ação efetiva de solução de problema.
Com um trabalho pautado na transparência, na ética e
na idoneidade, a Panificadora Lira & Lira compartilha seus
Recomendações para a replicação da prática
objetivos e estratégias tanto com seu público interno
Relações Transparentes com a Sociedade !Relações com a Concorrência ::
Panificadora Lira & Lira
Utilizar os canais informais de identificação de casos e tor-
quanto com os agentes externos. A atuação direta sobre
nar o debate oficial, via associações de classe.
os órgãos governamentais e sobre a sociedade alerta a po-
Atuar de forma persistente e paciente é importante para
pulação e amplia a informação sobre as práticas ilegais
consolidar os relacionamentos, principalmente com a con-
que ocorrem no setor de panificação causando danos à
corrência ilegal.
>
63
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Balanço Social ::
!Valores e Transparência ::
ITAÚSA –
Itaú Investimentos S.A.
Contato
Balanço das Atividades
Sociais e Culturais
Renata Weber Fideles
www.itau.com.br
Elaborado em: 6/2/2001
Nome:
Website da empresa:
O Balanço Social abrange suas atividades nas áreas so-
Resultados / benefícios gerados
cial e cultural, além dos aspectos ligados à gestão de pes-
O Balanço Social de 1999 foi apresentado no evento
soas (desenvolvimento e treinamento, benefícios sociais e
“Semana de Alfabetização Solidária” e considerado por
perfil dos funcionários). Ele é divulgado juntamente com o
seus organizadores e pelo Instituto Ethos como um dos
Relatório Anual do banco e tem como objetivo informar
mais completos entre as participantes do programa “Alfa-
acionistas, clientes, analistas de mercado e público interno
betização Solidária”. A Abamec (Associação Brasileira dos
sobre suas principais ações no exercício da cidadania em-
Analistas do Mercado de Capitais), em sua premiação
presarial. Inicialmente, o Balanço Social do Banco Itaú foi
“Destaques do Mercado de Capitais”, considerou a publi-
introduzido no Relatório Anual como um capítulo sobre as
cação do Balanço Social decisiva ao premiar o Banco Itaú
atividades sociais e culturais desenvolvidas pelo Itaú. Esse
na categoria “Companhia Aberta”, pelo atendimento a
texto passou a conter informações mais completas, e, em
acionistas, investidores e analistas de investimentos. O Ba-
1999, ocupava 16 páginas do relatório.
lanço Social garantiu também a conquista do prêmio “Me-
Elaborado sob a coordenação da Área de Apoio ao De-
lhor Relatório Anual de 1999”, concedido ao Itaú pela
senvolvimento e Marketing, o Balanço Social da empresa
Abrasca (Associação Brasileira das Companhias Abertas).
conta também com a participação do Departamento Itaú
Social, do Instituto Itaú Cultural e da Área de Recursos Hu-
Motivações
manos e Suporte Administrativo. Nele, são relatados os
A principal motivação é o fortalecimento de sua políti-
programas desenvolvidos pelo banco, fundamentados no
ca de transparência no fornecimento de informações. Ao
conceito de responsabilidade social e empresarial. Desta-
publicar um Balanço Social mais completo, o banco conso-
ca-se o Programa Itaú Social, que focaliza suas ações nas
lida-se como empresa socialmente responsável.
áreas do ensino público fundamental e da saúde. O programa estabelece parcerias com diversas entidades, como
Aprendizagens
a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), o
A elaboração conta com a parceria das áreas envolvidas
Cenpec (Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cul-
nas atividades sociais e culturais. O Banco Itaú coloca à dis-
tura e Ação Comunitária) e a Faculdade de Saúde Pública
posição de clientes e público em geral o Serviço de Aten-
da USP, visando a melhoria do ensino fundamental e a di-
dimento para recebimento de críticas e sugestões, bem
minuição dos índices de analfabetismo e evasão escolar.
como para a solução de problemas e dúvidas.
O Balanço Social apresenta também os resultados financeiros e os investimentos na área social, que têm regis-
Recomendações para a replicação da prática
trado progressivo crescimento. Desde a criação do Progra-
A implementação dessa prática vem acompanhada de
ma Itaú Social até 2000, o Itaú investiu R$ 59 milhões. Em
muitas dúvidas. Para quem está começando, o ideal é ba-
1999, conforme publicado no Balanço Social daquele ano,
sear-se em trabalhos bem-sucedidos e buscar contatos
os investimentos somaram R$15,3 milhões, em 150 proje-
com entidades e especialistas. É importante o auxílio de
tos desenvolvidos em todas as regiões do país; e, em 2000,
uma equipe empenhada em melhorar a qualidade do Ba-
foram investidos R$ 11,3 milhões.
lanço Social, dentro e fora da empresa.
64
!Valores e Transparência ::
Contato
Indicadores laborais,
sociais e ambientais
Bruno do Carmo Dastre
www.gruporede.com.br
Elaborado em: 13/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Cemat (Centrais Elétricas Matogrossenses) demons-
Cemat participa do treinamento com apresentações feitas
tra, em seu Balanço Social, a transferência de valores em
por seus técnicos.
forma de benefícios sociais sob uma ótica que transcende
Outros programas voltados para os funcionários, como
seus objetivos específicos e reverte-se em investimentos
a manutenção do Coral Aquarela de Luz e o pagamento
para os empregados e a comunidade. A empresa começou
do auxílio-creche, também são contabilizados. Os indica-
a publicar seu Balanço Social em 1998, para mostrar à co-
dores sociais têm por finalidade mensurar os benefícios es-
munidade que, além de explorar atividades inerentes ao
tendidos à comunidade. Eles abrangem os investimentos
seu negócio, preocupa-se com seus recursos humanos e
em atividades de esporte e lazer, que somaram R$ 126 mil
participa na resolução dos problemas da comunidade.
no ano 2000, e na área da educação, em que a empresa
O Balanço Social da Cemat se referencia em três grupos
implementa os projetos Siminino e Procel.
de indicadores: laborais, sociais e ambientais. Os indicado-
O Projeto Siminino oferece, há um ano, suporte educa-
res laborais têm a finalidade de mensurar os benefícios ofe-
cional e profissionalizante, assim como alimentação para
recidos pela empresa a seus empregados e dependentes.
crianças de rua. O Procel (Programa de Combate ao Des-
Estão citados, entre eles, o fornecimento de cestas básicas
perdício de Energia Elétrica nas Escolas) visa reeducar há-
aos empregados que ganham até R$ 1.136,59.
bitos de consumo adequando-os ao uso correto da ener-
Em termos de previdência, a Cemat mantém uma fun-
gia elétrica, sem desperdício. No total, 144 mil alunos re-
dação de previdência e assistência, a Previmat, que garan-
ceberam a visita das Equipes de Combate ao Desperdício,
te uma suplementação de aposentadoria, além da comple-
assistindo a palestras e vídeos do personagem Esbanjão.
mentação dos salários em caso de afastamento junto ao
Dando continuidade a esse trabalho, a Cemat estendeu o
INSS. Na saúde, a empresa desenvolve o Programa de Pro-
programa para as escolas do interior, concentrando-se, em
teção e Recuperação da Saúde, com trabalhos de preven-
2001, nas cidades onde existe a Regional da Empresa:
ção. Realiza também exames periódicos e imunização dos
Rondonópolis, Cáceres, Tangará da Serra, Sinop e Barra do
empregados, e campanhas de prevenção a DST/Aids.
Garças. Para a divulgação externa foram criados filmes
Na área da educação, a Cemat concede bolsas de estu-
Relações Transparentes com a Sociedade !Balanço Social ::
Grupo REDE
para veiculação na televisão e spots para rádio.
do para os empregados que estejam fazendo cursos pro-
Os indicadores ambientais referem-se aos investimentos
fissionalizantes, ou de nível superior (Mestrado, Pós-Gra-
aplicados na política de meio ambiente. Seguindo a políti-
duação). A bolsa de estudos corresponde a 50% do valor
ca ambiental da empresa, foram aplicados R$ 392 mil em
do curso, em parcelas mensais e sucessivas. Para ser bene-
ações recomendadas pela Fundação Estadual de Meio Am-
ficiado, o empregado deve ter mais de um ano de traba-
biente, além de recuperação de áreas degradadas das usi-
lho na empresa. O treinamento de recursos humanos, ofe-
nas hidrelétricas, termelétricas, e das linhas de transmis-
recido igualmente aos empregados das empresas terceiri-
são. A empresa aplicou, no ano calendário 2000, o total
zadas que prestam serviços para a Cemat, visam aprimorar
de R$ 6.485.000, em setores laborais, sociais e ambientais,
o padrão de atendimento ao consumidor e a diminuição
sem computar as contribuições sociais e tributárias recolhi-
dos casos de acidentes por imperícia. Além de ceder o seu
das para financiamento da seguridade social e financia-
centro de treinamento, monitores e material didático, a
mento dos gastos públicos.
65
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Balanço Social ::
!Valores e Transparência ::
Resultados / benefícios gerados
Motivações
✓ Índices laborais: Estes índices demonstram melhor o
A Cemat, empresa prestadora de serviço público de
desempenho dos empregados nas suas funções. Os da-
energia elétrica, fundada há 42 anos, foi privatizada em
dos estatísticos revelam redução do absenteísmo e de li-
dezembro de 1997. Desde então, colocou em prática sua
cenças médicas, menor turnover e baixo índice de aci-
política ambiental, com benefícios sociais aos seus empre-
dentes de trabalho.
gados e participação ativa na solução dos problemas so-
✓ Indicadores sociais: Demonstram o fortalecimento da
ciais da comunidade em que está inserida.
imagem da empresa perante a sociedade, que passa a
enxergá-la como parceira nas soluções dos problemas
Aprendizagens
sociais e coadjuvante na melhoria das condições de vida
Um dos fatores de sucesso da prática é a determinação
da comunidade com que se relaciona.
e o comprometimento da direção da empresa e de seus
✓ Indicadores ambientais: A empresa trabalha visando o
funcionários em promover o desenvolvimento sustentável.
desenvolvimento sustentável, procurando conciliar as
A motivação do quadro de pessoal, com treinamento para
condições da vida moderna que proporciona confortos
atingir melhor desempenho e o investimento nas instala-
materiais ligados ao uso de combustíveis, energia e bens
ções da empresa também contribuíram para que a ima-
de consumo com a elaboração de soluções aceitáveis
gem da empresa fosse solidificada como uma empresa
para tratamento de águas, reciclagem e manuseio de
prestadora de um serviço público, preocupada com as
produtos perigosos, e desenvolvimento de novos proces-
questões sociais e ambientais.
sos produtivos, que sejam viáveis ambientalmente. Os indicadores de continuidade do sistema de distribuição
Recomendações para a replicação da prática
apresentaram significativas melhorias no desempenho
A principal meta a ser adotada pela empresa deve ser a
do período 1999/2000. Foram observadas reduções nos
satisfação dos seus empregados, clientes e fornecedores.
índices de Duração Equivalente por Consumidor – DEC,
Para isso, é importante que a administração superior da
em 32,6%, e no de Freqüência Equivalente de Interrup-
empresa tenha clareza dos objetivos a serem alcançados,
ção por Consumidor – FEC em 38,8%. Tais reduções são
investindo na capacitação dos seus empregados, na moti-
resultado de intensas ações de manutenção preventiva e
vação funcional e na integração da empresa com a comu-
corretiva às ocorrências nas redes de distribuição.
nidade local.
>
66
!Valores e Transparência ::
Contato
Elaboração do
Balanço Social
Railda Nascimento de Souza
www.copene.com.br
Elaborado em: 6/4/2001
Nome:
Website da empresa:
O Balanço Social da Copene apresenta, anualmente,
dos, governo, acionistas, financiadores de capital), e quan-
suas linhas de atuação social, traduzidas nas políticas e
to ficou retido na empresa. No âmbito das relações com a
práticas de relações de trabalho e na interação com a so-
comunidade, a Copene tem várias frentes de atuação.
ciedade. Ele é publicado em anexo ao Relatório Anual des-
O Projeto Cultural Copene patrocina projetos ligados às
de 1997. É elaborado visando promover a interação entre
artes plásticas, literatura, música, divulgando a produção
a Copene, empregados e a sociedade como um todo, es-
local. O projeto educacional apóia o programa Alfabetiza-
timulando a reflexão sobre as ações da empresa no cam-
ção Solidária, voltado para a redução dos índices de anal-
po social. O Balanço Social é resultante da produção e in-
fabetismo no país entre jovens de 15 a 19 anos. Além dis-
teração das áreas de Recursos Humanos, Comunicação,
so, estimula o envolvimento com a comunidade educacio-
Meio Ambiente, Controladoria e Relações com Investido-
nal baiana e o desenvolvimento de cursos de Pós-Gradua-
res. Seu conteúdo abrange temas relacionados com a em-
ção para seus empregados.
presa, recursos humanos, comunidade e meio ambiente.
Com relação ao meio ambiente, a Copene mantém o
A Copene reafirma, no Balanço Social, seu compromis-
compromisso de gerar riquezas com segurança, com ações
so de responsabilidade social e com o meio ambiente em
voltadas para a prevenção de riscos ambientais. São inves-
toda sua área de influência, com o bem-estar e segurança
timentos prioritários para a empresa o monitoramento,
de seus empregados e com a comunidade em que está in-
tratamento e redução do volume e da carga poluidora de
serida. A área de Recursos Humanos desenvolve políticas e
efluentes líquidos; o controle de emissões atmosféricas; a
práticas de saúde e bem-estar com seus empregados e fa-
eliminação de resíduos sólidos; o controle da contamina-
miliares, por meio de programas como o “Corpo & Alma”,
ção do solo e águas subterrâneas, e a segurança dos meios
que integra ações nos planos de atividade física, acompa-
de produção e transporte para seus produtos. Este com-
nhamento médico, nutrição e lazer, além de assistência
promisso é reforçado por outras iniciativas no âmbito em-
médica e odontológica. Desenvolve políticas e práticas de
presarial, tais como a adesão ao Programa de Atuação
educação, formação e treinamento, consideradas estraté-
Responsável, coordenado pela Abiquim (Associação Brasi-
gicas para a renovação de recursos humanos, continuida-
leira de Indústria Química), e pela filiação ao Conselho Em-
de e crescimento da empresa.
presarial Brasileiro de Desenvolvimento Sustentado.
Relações Transparentes com a Sociedade !Balanço Social ::
Copene Petroquímica
do Nordeste S.A.
Com relação à remuneração, a Copene adota o sistema
de remuneração fixa e variável. A remuneração fixa é de-
Resultados / benefícios gerados
terminada pelo nível de habilidade e competência que o
Como resultados expressivos de suas ações no campo
empregado detém. A remuneração variável é relativa à
social e da realização e divulgação do seu Balanço Social,
participação nos resultados, baseada em critérios negocia-
a Copene vem conquistando, ao longo dos últimos anos,
dos anualmente com uma comissão eleita de empregados.
vários prêmios e homenagens. Os principais foram: o Prê-
O Demonstrativo do Valor Adicionado (DVA), evidencia
mio Aberje Nacional 1998, na categoria “Projetos Institu-
o quanto de riqueza uma empresa produziu, ou seja, o
cionais”, o Prêmio Eco, com o troféu Caymmi, e o Top de
quanto ela adicionou de valor aos seus fatores de produ-
Marketing da ADVB, e o Prêmio Aberj regional, além de
ção e de que forma essa riqueza foi distribuída (emprega-
menções elogiosas da Câmara de Vereadores da Cidade de
67
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Balanço Social ::
!Valores e Transparência ::
Salvador, da Assembléia Legislativa Estadual, da Universi-
Aprendizagens
dade Federal da Bahia e do CRA (Centro de Recursos Am-
Um fator fundamental para o sucesso dessa prática foi a
bientais). O Conselho Estadual de Cultura, em 1999, esco-
boa interação e articulação dos diferentes setores responsá-
lheu a Copene como a empresa que mais apóia a cultura.
veis pela estruturação e realização do Balanço Social. A di-
O “Projeto Cultural Copene” tem tido ampla repercussão
vulgação pela Internet, veiculação em jornais de grande cir-
na mídia, especialmente na imprensa escrita.
culação e a distribuição em anexo ao Relatório Anual da Em-
A Copene também vem obtendo o reconhecimento do
presa são medidas imprescindíveis para que o Balanço Social
mercado de investidores. Em 2000, seu site foi eleito como
tenha sucesso e possa atingir seu público-alvo. A criação de
um dos cinco melhores do Brasil no item Relações com In-
fóruns de discussão para os diferentes públicos aos quais se
vestidores. Em 2001, esteve entre os oito melhores, e em
destina o Balanço Social da empresa é uma das próximas
primeiro lugar entre as empresas do setor petroquímico.
metas estabelecidas. Acredita-se que esse processo promo-
Internamente, a visibilidade das ações possibilita ao em-
verá, no público interno da Copene, uma maior conscienti-
pregado refletir sobre os valores organizacionais e as prá-
zação e internalização dos valores da Organização, abrindo
ticas adotadas. As práticas voltadas para a educação e trei-
canais para dúvidas e sugestões que serão analisadas, po-
namento têm resultado numa evolução sistemática do per-
dendo ser contempladas na próxima edição do balanço.
fil educacional da população Copene.
Recomendações para a replicação da prática
Motivações
O Balanço Social não é um fim. Ele é o meio pelo qual sua
A Copene considera que, além da busca de resultados
empresa presta contas à sociedade de sua conduta social. O
econômicos, pode e deve contribuir para a sociedade e o
conteúdo do Balanço Social deve ser verdadeiro, reconhecido
meio ambiente em que está inserida, buscando um desen-
pelas partes interessadas, mesmo que não seja completo. A
volvimento sustentável na forma de ações, compromissos
elaboração do Balanço Social pode e deve tornar-se um ins-
e práticas de responsabilidade social. Assim, desde 1994 a
trumento vivo para as definições estratégicas. Conheça outras
empresa emite o Relatório Anual de Meio Ambiente, em
experiências. O conceito de Balanço Social tem evoluído e é
que presta contas de seu desempenho ambiental.
sempre importante a adoção da melhoria contínua.
>
68
!Valores e Transparência ::
Contato
Carlos Alberto Araújo Netto
www.bb.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Em 1997, o Banco do Brasil editou seu primeiro balan-
lidade Socioambiental e Empresarial. Ações antes dispersas
ço social em homenagem a Herbert de Souza, o Betinho,
em várias áreas foram orientadas para o relacionamento
que iniciou a discussão sobre a importância e a necessida-
da empresa com seu público, e definidas sob quatro te-
de de sua realização em um modelo único e simples. O Ba-
mas: governança, referente à gestão empresarial desde o
lanço Social permite identificar o perfil de atuação social
relacionamento com acionistas e colaboradores até aspec-
da empresa, a forma de interação com a comunidade, sua
tos ambientais como o consumo e suprimento de material
relação com o meio ambiente, e a qualidade de suas rela-
na empresa; negocial, que contempla impactos ambientais
ções com os empregados, como geração de novos postos
e sociais e foca a cadeia de negócios da empresa e os pro-
de trabalho e atividades realizadas para o desenvolvimen-
cessos inerentes ao relacionamento com clientes, parceiros
to profissional e bem-estar dos funcionários, incluindo trei-
e fornecedores de insumos; e social e ambiental, que con-
namento, segurança e medicina do trabalho, alimentação,
centram questões para o ambiente externo, não direta-
transporte, assistência social, a participação dos emprega-
mente relacionadas à atividade da empresa. A expectativa
dos nos resultados econômicos da empresa e possibilida-
é que a gestão eficaz dessas dimensões atraia novos clien-
des de desenvolvimento pessoal.
tes, fidelize os atuais e valorize a imagem institucional do
A empresa, por intermédio da Fundação Banco do Bra-
banco e seu papel na sociedade.
sil, cumpre seu papel respondendo pelo investimento so-
Como resultado desse posicionamento, o Balanço So-
cial que realiza junto às comunidades. O Programa Integra-
cial deu lugar ao Relatório Anual de Responsabilidade So-
ção AABB Comunidade, realizado em parceria com a Fe-
cial – Exercício 2002, que explicita as informações nego-
deração Nacional das AABB–FENABB e entidades governa-
ciais do período e as dimensões de responsabilidade social.
mentais ou civis sem fins lucrativos, promove o atendimen-
Nele, a empresa procura tratar-se como um importante
to integral a jovens de famílias de baixa renda, freqüenta-
agente do desenvolvimento econômico-social do país, por
dores da rede pública de ensino com idade entre 7 e 17
ser o maior banco de varejo, líder em volume de ativos, re-
anos. O BB desenvolve também os projetos Criança e Vida,
cursos administrados, operações de crédito, financiamen-
o Banco de tecnologias, Bioconsciência, Escola Campeã,
to ao comércio exterior e com a maior rede externa de
Projeto Memória, Programa Adolescente Trabalhador e Vo-
agências e auto-atendimento da América Latina. O princi-
luntariado.
pal objetivo do balanço social é demonstrar seu compro-
Em 1998, o banco adotou a metodologia do Ibase (Ins-
Relações Transparentes com a Sociedade !Balanço Social ::
Banco do Brasil S.A.
Relatório de
Responsabilidade
Socioambiental
misso com o país, com transparência e responsabilidade.
tituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas). Em
2001, alterou seu Estatuto, reforçando o posicionamento
Resultados / benefícios gerados
como empresa socialmente responsável, incluindo em um
O Banco do Brasil evidencia à sociedade que seus obje-
artigo a publicação anual do Balanço Social. Para conciliar
tivos vão além do alcance de resultados econômicos. A
a atuação e as características do banco com indicadores de
preocupação com as variáveis sociais e ambientais sempre
Responsabilidade Social reconhecidos pela sociedade e
esteve inserida em suas práticas administrativas, fortale-
adotados pelo mercado, em setembro de 2002 o Conse-
cendo a atuação como agente financeiro socialmente res-
lho Diretor aprovou a proposta de Gestão da Responsabi-
ponsável.
69
>
Relações Transparentes com a Sociedade !Balanço Social ::
!Valores e Transparência ::
A empresa foi a primeira instituição financeira a receber
cadeia em nível nacional visando conscientizar seu público
o Selo de Responsabilidade Social do Ibase. Em 1999, re-
de relacionamento sobre a relevância da questão e moti-
cebeu o Prêmio Aberje Nacional de Melhor Balanço Social
vá-lo a adotar uma postura socioambiental responsável.
do ano. Também foi destaque na Categoria Centro-Oeste
do Prêmio Balanço Social de 2002, promovido pela Aberje
Aprendizagens
(Associação Brasileira de Comunicação Empresarial),
Os fatores fundamentais para o sucesso foram a articu-
Instituto Ethos e outras entidades. Esses prêmios represen-
lação e a interação das diferentes áreas do banco para a
tam o reconhecimento da participação da empresa no pro-
realização e o cumprimento dos objetivos do Balanço So-
cesso de construção de uma nova consciência para a res-
cial, representados por modificações introduzidas na estru-
ponsabilidade social junto ao empresariado nacional, par-
tura humana da empresa e na postura de seus integrantes.
ticularmente no setor financeiro.
Ao identificar os principais problemas que atingem a empresa no campo humano e social, o Balanço Social oferece
Motivações
a oportunidade de desenvolver medidas corretivas destina-
O Banco do Brasil tem interesse em contribuir para o
das a superar ou pelo menos atenuar esses problemas, pro-
desenvolvimento de um novo sistema de valores para a so-
movendo o progresso social na empresa.
ciedade, tendo como referencial maior o respeito à vida e
ao meio ambiente. A empresa aproveita seu porte, sua
Recomendações para a replicação da prática
abrangência nacional e o posicionamento estratégico do
O Balanço Social é um instrumento para a elaboração e
conglomerado nas relações com governo, mercado e so-
definição da política estratégica da empresa e dá visibilida-
ciedade civil para colocar-se em posição de vanguarda na
de à atuação social da empresa. É importante dialogar
difusão dos preceitos de responsabilidade socioambiental.
com outras instituições, promover fóruns de discussão e
O Banco do Brasil age como catalisador de uma reação em
abrir canais para dúvidas e sugestões.
>
70
!Valores e Transparência ::
Contato
Nome:
Cláudio Hister
20/7/2003
Elaborado em:
A Confeitaria Armelin Ltda. é basicamente uma empresa
Social, a Armelin conquistou o prêmio Responsabilidade
familiar privada e de médio porte. O Balanço Social da Ar-
Social, por duas vezes, nos anos 2001 e 2002, concedido
melin apresenta, anualmente, suas linhas de atuação social,
pela Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul, que con-
traduzidas nas políticas e práticas de relações de trabalho e
siste na outorga do Selo Destaque.
na interação com a sociedade. Ele é elaborado, baseado no
modelo Ibase, visando promover a interação entre a Arme-
Motivações
lin, empregados e a sociedade como um todo, estimulando
Ser reconhecida quanto à aplicação de seus compromis-
a reflexão sobre as ações da empresa no campo social.
sos com a responsabilidade social empresarial ao longo
O Balanço Social, em seu conteúdo, abrange temas re-
dos 20 anos de existência. Os prêmios adquiridos em 2001
lacionados à empresa, empregados e comunidade. A Ar-
e 2002 são um grande estímulo para continuar e aprimo-
melin reafirma seu compromisso de responsabilidade so-
rar a praticar da Responsabilidade Social Empresarial.
cial com o bem-estar e segurança de seus empregados e
com a comunidade em que está inserida.
Aprendizagens
Um fator fundamental para o sucesso dessa prática é a
Resultados / benefícios gerados
interação e articulação de diferentes colaboradores inter-
A elaboração do Balanço Social pode e deve tornar-se
nos pela estruturação e realização do Balanço Social. A di-
um instrumento vivo para as definições dos rumos a dar ao
vulgação externa e também interna é medida imprescindí-
negócio, para se obter informações quanto à prática da
vel para que o Balanço Social tenha sucesso e possa atin-
Responsabilidade Social Empresarial e para a capacitação e
gir seu público-alvo. Acredita-se que esse processo promo-
motivação dos empregados, envolvendo-os no negócio.
verá, no público interno da Armelin, uma maior conscien-
Internamente, a visibilidade das ações possibilita ao em-
Relações Transparentes com a Sociedade !Balanço Social ::
Confeitaria Armelin
Responsabilidade
na elaboração do
Balanço Social
tização e aplicação dos valores da organização.
pregado e, principalmente, ao proprietário, coerência e
transparência dos valores organizacionais adotados. Traba-
Recomendações para a replicação da prática
lho, confiança e responsabilidade são a sustentação da Ar-
É importante criar internamente um grupo capaz de se
melin para seu desenvolvimento e aprimoramento cons-
ocupar da confecção do Balanço Social, recorrendo à aju-
tantes.
da externa se necessário, como tem feito a Armelin, que
Externamente, através da divulgação do seu Balanço
utiliza o apoio de um escritório de contabilidade.
>
71
Público
Interno
73
>
>
Público Interno
A capacidade de dialogar com o público interno inclui
práticas específicas para diferentes esferas. Em relação
aos sindicatos, é fundamental a criação de canais efetivos
de comunicação, com a transmissão de informações sobre
condições de trabalho, dados financeiros e objetivos
estratégicos que atinjam os trabalhadores.
No que concerne à gestão participativa e à participação
nos resultados e bonificação, criar mecanismos de
recompensas para os funcionários que contribuam com
a melhoria dos processos internos e eleger representantes
de empregados em comitês de gestão estratégia ou
no conselho de administração tornam a relação mais
transparente e os vínculos mais sólidos.
Além disso, um comportamento ético e claro frente às
demissões é fundamental para uma relação saudável com
o público interno. Discutir com os funcionários propostas
para contenção e redução de despesas pode representar
uma solução favorável para a empresa e funcionários.
As demissões devem ser sempre a última saída e adotar
critérios socioeconômicos, como idade, estado civil, número
de dependentes. Se possível, a empresa deve estender
benefícios e oferecer programas de recolocação.
É um bom sinal se a organização se preocupa em
oferecer aos seus funcionários oportunidades de
aquisição de conhecimentos que lhes possibilitem crescer
profissionalmente e manter sua perspectiva no mercado
de trabalho. A manutenção de atividades de treinamento
74
estudo a todos, sem distinção são ações bem-vindas.
Um comportamento organizacional ético é também
composto por duas preocupações fundamentais:
programas que demonstrem o compromisso com o futuro
dos jovens e adolescentes e a valorização da diversidade.
A primeira pode ser atendida a partir de programas de
aprendizes, projetos internos de integração dos filhos dos
funcionários e uma sólida atuação junto à comunidade.
O segundo tema não deve estar apenas no discurso dos
Público Interno
e capacitação contínuas e o oferecimento de bolsas de
porta-vozes. Deve ser concretizada com a proibição formal
de práticas de discriminação, inclusive nos processos de
seleção, treinamentos específicos sobre o tema e políticas
de promoção de grupos menos representados na empresa.
É possível avançar em relação à legislação em questões de
saúde, segurança e condições de trabalho, desenvolvendo
campanhas de conscientização, oferecendo acesso a
informações relevantes, promovendo pesquisas sobre
o tema e desenvolvendo políticas de equilíbrio entre
trabalho e família, com distribuição adequada da carga
de trabalho. A empresa socialmente responsável também
deve orientar seus colaboradores e prepará-los para
a aposentadoria, fornecendo informações básicas,
aconselhamento e planejamento financeiro e auxílio
psicológico. Programas de previdência complementar
e de aproveitamento da capacidade de trabalho dos
aposentados em projetos sociais são ações adicionais.
75
>
!Público Interno ::
Contato
Diálogo e respeito aos
direitos do trabalhador
Maria Regina Costa Vitorello
www.canastrans.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A responsabilidade social é um modelo de gestão que
térios solicitados pela categoria profissional do setor.
se baseia na ética e no respeito ao ser humano. Os direitos
O acordo firmado entre trabalhadores e empresas defi-
dos trabalhadores merecem o respeito do empregador
ne requisitos e uma metodologia para a participação nos
que, além de cumpri-los, deve integrá-los às suas estraté-
lucros. O benefício estende-se a motoristas e cobradores,
gias de gestão. Dessa forma, um dos indicadores da res-
com pagamento semestral, respeitando o percentual acu-
ponsabilidade social empresarial de grande relevância refe-
mulado concedido nos meses anteriores, até o limite de
re-se às relações com os sindicatos.
30% sobre o salário normativo. A participação nos lucros
A Canasvieiras Transportes, que atua no norte da Ilha de
é vinculada ao desempenho individual do colaborador, ex-
Florianópolis, em Santa Catarina, busca manter relações
ceto nos casos de absenteísmo, multas de trânsito, sus-
construtivas com o Sindicato dos Trabalhadores do Trans-
pensão do trabalho por indisciplina, reclamações de usuá-
porte Coletivo Urbano da Região Metropolitana de Florianó-
rios, entre outros, obedecendo aos critérios estipulados na
polis. A empresa adota postura de diálogo e transparência.
Convenção Coletiva. Anualmente, essa Convenção é revi-
Periodicamente, recebe visitas do sindicato e tem, entre seus
sada e renovada.
colaboradores, um dirigente e três membros do Conselho
Os colaboradores da Canasvieiras Transportes demons-
Fiscal da entidade dos trabalhadores. A diretoria administra-
tram claramente sua satisfação em relação à empresa, por
tiva da Canasvieiras Transportes é responsável pelos conta-
meio de pesquisa de satisfação do colaborador realizada
tos com o sindicato e busca sempre estabelecer negociações
semestralmente. Ao verificar os resultados positivos alcan-
para resolver os problemas e atender às solicitações.
çados, a empresa estendeu o benefício da participação nos
Anualmente, o Sindicato dos Trabalhadores e o SETUF
lucros aos colaboradores da área de serviços gerais, por
(Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Pas-
meio de uma bonificação mensal, com base em metodo-
sageiros da Grande Florianópolis), no qual a empresa tem
logia semelhante à estipulada pela Convenção Coletiva,
um representante, reúnem-se para discutir e elaborar a
mesmo sem exigência legal.
Diálogo e Participação !Relações com os Sindicatos ::
Canasvieiras
Transportes Ltda.
Convenção Coletiva de Trabalho. Esse documento traduz
as solicitações trabalhistas relacionadas à categoria profis-
Resultados / benefícios gerados
sional: questões salariais, garantias gerais e individuais,
A relação estabelecida entre a Canasvieiras Transportes
condições da contratação individual de trabalho, benefí-
e o sindicato dos trabalhadores, tendo como prerrogativa
cios sociais e garantias sindicais. A Canasvieiras Transpor-
o diálogo e o respeito aos direitos do trabalhador, tem ge-
tes cumpre as cláusulas contratuais da Convenção Coleti-
rado grandes benefícios à Organização, entre os quais: au-
va como forma de assegurar a satisfação e o bem-estar
sência de pressões contra a empresa e greves, empenho na
social.
assiduidade, cumprimento das normas internas de traba-
Um exemplo bem-sucedido da incorporação de deman-
lho, melhoria das relações interpessoais no ambiente de
das ao planejamento estratégico da empresa refere-se à
trabalho e diminuição de afastamentos por causas psicoló-
cláusula de participação nos lucros e resultados. Desde
gicas. Além do comprometimento, o trabalhador dedica
maio de 1996, a Canasvieiras Transportes desenvolve um
confiança e sente-se seguro em relação às atitudes e ações
programa de remuneração variável, tendo por base os cri-
da empresa.
77
>
Diálogo e Participação !Relações com os Sindicatos ::
!Público Interno ::
Motivações
mento da responsabilidade social, é necessário ir muito
A diretoria da Canasvieiras Transportes toma para si a
além das exigências legais. Ser socialmente responsável é
responsabilidade de focar suas ações no respeito ao ser
desenvolver voluntariamente ações com base em princí-
humano, individual e coletivamente, nas interligações das
pios éticos voltados para a melhoria da qualidade de vida
múltiplas necessidades físicas, psicológicas, familiares e
e das relações sociais.
sociais. Essa relação flexível e construtiva com o sindicato
é intrínseca à cultura organizacional da empresa.
Recomendações para a replicação da prática
A preocupação em estabelecer relações saudáveis
Disponibilizar aos representantes do sindicato horário
com os trabalhadores e seus representantes possibilita o
para contatos com os trabalhadores, permitir e facilitar vi-
desenvolvimento de líderes que podem atuar na comu-
sitas, ceder espaço para publicações e divulgação de as-
nidade local e na própria empresa como disseminadores
suntos sindicais, prestar informações, conceder direito à
de valores morais, exemplos de comprometimento so-
participação dos colaboradores nos processos sindicais,
cial e cidadãos alinhados com uma visão mais justa da
respeitar as convenções coletivas e os direitos dos traba-
sociedade.
lhadores são algumas das práticas recomendadas para a
excelência no relacionamento, evitando pressões, denún-
Aprendizagens
cias, constrangimentos e depreciação da imagem e con-
A Canasvieiras Transportes compreende que, no movi-
ceito da Organização.
>
78
!Público Interno ::
Contato
Nome:
Arli Silva
www.massey.com.br
20/10/2003
Website da empresa:
Elaborado em:
A AGCO Brasil, fabricante e distribuidora de equipa-
Motivações
mentos agrícolas, desenvolve política de relacionamento
A necessidade de adequar os processos de fabricação
aberto e transparente com os sindicatos que, por meio de
aos modernos conceitos de manufatura, que muitas ve-
representantes nas unidades da empresa, têm livre trânsi-
zes é conflitante com uma legislação trabalhista ultrapas-
to na empresa e acesso a qualquer tipo de informação.
sada, leva a empresa a buscar soluções compartilhadas
Atualmente, a AGCO mantém 19 dirigentes sindicais
com seus empregados, visando atingir as metas estabele-
em seu quadro de funcionários. A empresa, quando solici-
cidas e proporcionar retorno ao investimento no capital
tada, dispensa dirigentes sindicais de suas atividades, sem
humano.
prejuízo de suas remunerações, para prestarem serviços às
suas entidades de classe. Os sindicatos têm representantes
Aprendizagens
que participam de comissões internas como a CIPA e a Co-
Ao adotar políticas de relacionamento aberto e transpa-
missão de Negociação do Programa de Participação nos
rente com seus empregados, sem tolher a participação de
Resultados da empresa. Com essas práticas, a AGCO man-
suas entidades de classe, a empresa melhora em qualida-
tém relação amistosa e cordial entre capital e trabalho.
de, produtividade e nas relações do ambiente de trabalho.
Diálogo e Participação !Relações com os Sindicatos ::
AGCO Corporation
Relacionamento
transparente
com sindicatos
A AGCO vê essa relação como um ponto fundamental
Resultados / benefícios gerados
para alcançar seus objetivos operacionais.
A AGCO discute previamente com os representantes
dos sindicatos os programas que envolvem os funcioná-
Recomendações para a replicação da prática
rios, priorizando sempre a negociação por meio do diálo-
Em uma economia totalmente globalizada, as empresas
go. Como resultado, essa prática possibilita o estabeleci-
devem considerar a importância da harmonia na relação
mento de acordos e convenções entre a empresa e seus
capital/trabalho para atingir melhores resultados, ajustan-
empregados que atendam aos interesses comuns.
do-se aos novos tempos.
>
79
>
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
!Público Interno ::
Leader Magazine
Contato
Suzy Gouvêa
www.leadermagazine.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Projeto Time Leader
O Time Leader é uma equipe de colaboradores da Lea-
Motivações
der Magazine, eleita pelos próprios funcionários, que tem
Criar políticas de gestão que tenham como foco o de-
a missão de apoiar a gestão da sua unidade. Seu objetivo
senvolvimento do ser humano, como profissional e cida-
é garantir ações que promovam o sucesso do trabalho em
dão, é um desafio para as empresas. Preocupar-se com a
áreas como Clima de Atendimento, Atitude de Atendi-
opinião e participação dos funcionários em seu processo
mento, Suporte Geral, Suporte de Produto e Preço, Supor-
de gestão é um dos valores da Leader. Esses valores pre-
te de Merchandising e Prevenção de Perdas.
vêem, entre outras coisas, duas premissas importantes
Realizado em parceria com a consultoria Ponto de Refe-
para a empresa: oportunidade e respeito, e comprometi-
rência, o projeto teve início em 2002, com a construção da
mento.
nova arquitetura de atendimento. A metodologia de trabalho baseia-se no envolvimento de todas as unidades da
Aprendizagens
empresa, distribuídas no Rio de Janeiro e no Espírito San-
O Time Leader facilita a participação de todos os fun-
to, totalizando 2.800 funcionários.
cionários, distribuídos em vários níveis hierárquicos. A
As idéias propostas pelo Time são compartilhadas com
contribuição proveniente da base é o ponto forte do tra-
toda a empresa por meio do Banco de Melhores Práticas, do
balho.
informativo interno e da intranet. O Time Leader é uma importante ferramenta de gestão que possibilita o envolvimen-
Recomendações para a replicação da prática
to dos funcionários e permite que contribuam para o proces-
É fundamental o envolvimento de todos os funcioná-
so de melhoria da empresa. Nele, é papel da equipe garantir
rios, responsáveis por dar continuidade às mudanças pro-
o envolvimento e a participação das unidades nas atividades
postas. A diretoria da empresa deve ser exemplo de gestão
propostas pelo Time; identificar pontos a serem aprimorados;
participativa. As empresas que pretendem iniciar modelos
propor sugestões; e realizar reuniões semanais com os geren-
de gestão participativa devem acreditar no processo de in-
tes, visando a troca de experiências e o crescimento mútuo.
corporação das mudanças. Há, fundamentalmente, a construção de uma nova cultura, uma nova filosofia de traba-
Resultados / benefícios gerados
lho que deve ser cultivada e garantida permanentemente
O desenvolvimento desse trabalho possibilita um grande
pelo processo de gestão.
envolvimento e comprometimento dos funcionários de to-
Para se implantar esse tipo de ação, deve-se ter certeza
dos os níveis hierárquicos em torno dos objetivos da empre-
de que é compatível com a realidade da empresa. É impor-
sa, gerando um processo de melhoria e crescimento das
tante implantar um projeto piloto e só ampliar as ações
partes envolvidas. Os funcionários exercitam sua criativida-
para o restante da empresa depois da análise de custo e
de, envolvem-se e comprometem-se com a construção no-
benefício. O acompanhamento por parte de um profissio-
vas práticas. É importante ressaltar, o aproveitamento des-
nal específico garantirá o cumprimento de todas as etapas
sas novas idéias, agregando valor à gestão da empresa.
planejadas e o sucesso do trabalho.
80
!Público Interno ::
Contato
Milton Luis F. Pereira
www.serasa.com
Elaborado em: 4/11/2002
Nome:
Website da empresa:
Iniciado em 1995, o processo de planejamento da Sera-
O RenaSer, processo integrador por excelência, é desen-
sa prevê e garante a participação de todos os seus funcio-
volvido com o esforço e habilidade de 1.900 estrategistas
nários – denominados pela empresa de “Ser Serasa” – por
talentosos, que representam o símbolo de uma nova era,
meio de sessões de trabalho específicas para cada área.
o “Ser Serasa”, cuja atuação em cada projeto transforma
Esse processo, denominado RenaSer (Reunião Nacional
dificuldades em oportunidades, obstáculos em trampolins.
nas Áreas Serasa) oferece o suporte necessário para a es-
Baseia-se num sistema participativo que se inicia na coleta
truturação de seu planejamento estratégico. Por meio
de contribuições individuais e coletivas, e integra o fluxo
dele, a empresa busca disseminar objetivos, implementar
de processos estruturados para promover a participação
diretrizes estratégicas e acompanhar resultados em todos
do “Ser Serasa” na gestão da empresa. Fazem parte des-
os níveis. A Área de Desenvolvimento Humano é responsá-
sa dinâmica as sessões de planejamento, as reuniões perió-
vel pela condução desse processo e pela implementação
dicas e os encontros anuais com todos os líderes da Sera-
de ações em níveis táticos e operacionais.
sa, onde as sugestões são coletadas e trabalhadas com o
Atualizado anualmente, o planejamento é um guia para
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
Serasa
RenaSer –
Reunião Nacional
nas Áreas Serasa
objetivo de atender às necessidades específicas de cada re-
o plano operacional, elaborado no primeiro trimestre e
gional e também para consolidar o RenaSer.
analisado criticamente ao longo do ano. Para tanto, são
As contribuições enviadas pelo “Ser Serasa” por inter-
consideradas necessidades do mercado, estratégias e
médio do RenaSer são classificadas em seis “focos de
eventuais mudanças nas demandas dos clientes. O objeti-
atenção”: pessoal, qualidade, tecnologia, administrativo,
vo do processo de planejamento é aumentar a satisfação
marketing e produção.
dos clientes, desenvolvendo uma política de qualidade que
assegure à empresa a liderança nos negócios.
Resultados / benefícios gerados
Para realizar o planejamento numa concepção moder-
Como resultado dessa sistemática, ocorreu nos últimos
na, são pesquisadas constantemente novas abordagens
anos um crescente envolvimento de todos os níveis hierár-
para o assunto e realizadas avaliações comparativas, con-
quicos da Serasa no processo de análise crítica, de propo-
siderando a orientação metodológica atual, a tecnologia
sição de sugestões para a melhoria contínua da qualidade,
aplicada, o enfoque adotado, a divulgação realizada, além
e de identificação de novas oportunidades de negócios.
do grau de atualização, participação e contribuição indivi-
Assim, tornou-se realidade a participação de todo “Ser Se-
dual em todos os níveis da Organização.
rasa” no processo de planejamento.
A administração participativa visa envolver todo “Ser
O envolvimento das gerências nas sessões de planeja-
Serasa” no sentido de obter motivação, disseminando o
mento e a realização do evento RenaSer (Reunião Nacional
sentimento de que o trabalho individual tem alto valor
nas Áreas Serasa), canal de captação de contribuições de
agregado e que suas sugestões influenciam diretamente
todos os integrantes da empresa, são evidências de melho-
no desenvolvimento dos processos operacionais da empre-
rias no processo de planejamento. A gerência participati-
sa. Para atingir as metas em consonância com as orienta-
va, que envolve todo o corpo funcional, vem sendo fator
ções estratégicas são desenvolvidos planos de ação, com-
decisivo no processo de gestão estratégica da empresa e é
postos por conjuntos de projetos.
apoiada pelas técnicas da gerência de projetos.
81
>
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
!Público Interno ::
As contribuições do RenaSer são ricas e fundamentais
volve totalmente o “Ser Serasa”, inclusive sua família, tan-
para a gestão anual da Serasa. Muitas sugestões nascem
to na questão de benefícios, como na realização dos tra-
no RenaSer e terminam no próprio “Ser Serasa”, de tal
balhos e no planejamento das ações futuras.
modo que são definidas metas por área da empresa e me-
O “Ser Serasa” está envolvido estrategicamente com a
tas individuais de cada “Ser Serasa”.
empresa. Este é o pensamento vigente, que ultrapassa os
limites restritos dos “recursos humanos” para instaurar
Motivações
uma nova era, em que a responsabilidade, o comprometi-
Todo o processo de negociação para atrair o “Ser Sera-
mento e a satisfação do dever cumprido estão expressos
sa” e obter dele o compromisso pessoal compatibiliza os
nos resultados obtidos com o planejamento estratégico.
objetivos empresariais com a capacidade e objetivos do
“Ser Serasa”, quantificados e qualificados, levando-se em
Recomendações para a replicação da prática
consideração os fatores tempo, treinamento, equipamen-
✓ Compartilhar e aprender com os outros.
to e processos.
✓ Conhecer projetos diferentes por meio de benchmar-
Os compromissos individuais limitam-se àqueles consi-
king com o mercado também auxilia o desenvolvimento
derados atingíveis durante o período semestral, situando-
da prática.
se entre cinco e dez objetivos. São relacionados ao poten-
✓ Criar condições para começar, estabelecendo-se as ne-
cial do “Ser Serasa”, sua posição na empresa e às priorida-
cessidades em termos de estrutura e formalização insti-
des estabelecidas pelo gerente da área em questão.
tucional.
✓ Transformar necessidades em oportunidades de ação.
✓ Redesenhar caminhos. Os diversos caminhos e jeitos de
Aprendizagens
Projetos e ações da Serasa surgem, invariavelmente, de
fazer são propostos a partir de experiências já existen-
encontros como o RenaSer e decorrem da riqueza de in-
tes. A partir deles, a empresa deve estabelecer um pla-
formações e sugestões que foram oferecidas pelo “Ser Se-
no de ação, utilizando essas possibilidades.
✓ Desenvolver um projeto-piloto, possibilitando a correção
rasa” para o planejamento estratégico da Organização. As
pessoas têm a ver com a empresa. É um processo que en-
de possíveis falhas antes da implantação definitiva.
>
82
!Público Interno ::
Contato
Fórum de
Recursos Humanos
Marcelo Bedani
bb.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
O Banco do Brasil S.A. possui atualmente 77.716 fun-
Resultados / benefícios gerados
cionários lotados em 7.498 pontos de atendimento em
Os objetivos definidos para o fórum estão sendo satis-
todo o território nacional. Um dos grandes desafios da ins-
fatoriamente alcançados. Ele tem permitido uma avaliação
tituição é atender às necessidades desses funcionários,
dos processos e programas segundo a percepção dos fun-
considerando-se as particularidades de cada região e dos
cionários. A partir das propostas surgidas são criados no-
diferentes tipos de trabalho realizados. Visando o compar-
vos produtos de RH ou é promovida a adequação de pro-
tilhamento da gestão de recursos humanos com todo o
dutos já existentes. Apesar dos benefícios alcançados se-
corpo funcional, foi instituído o Fórum Anual de Recursos
rem de difícil mensuração quantitativa, qualitativamente
Humanos. Realizado na sede da empresa, em Brasília (DF),
pode-se destacar a valorização dos funcionários, a repre-
o fórum busca avaliar e discutir os processos de RH imple-
sentatividade do evento frente ao corpo funcional, a apro-
mentados.
ximação dos funcionários da diretoria, a participação dos
Participam do Fórum de RH representantes de todos os
funcionários na resolução dos problemas encontrados no
segmentos de funcionários da empresa, das agências aos
cotidiano, o aperfeiçoamento dos programas de recursos
órgãos diretivos da instituição. No último fórum, foi dada
humanos existentes e o desenvolvimento de novos produ-
prioridade à participação de funcionários lotados em
tos calcados na realidade da empresa.
agências. A amostra definida observou a distribuição per-
No fórum realizado em 2000, 27% das propostas fo-
centual dos cargos existentes nas agências do banco, de
ram implementadas, 58%, devido à sua complexidade,
forma que os funcionários convocados refletissem a com-
ainda estão sendo estruturadas e 15% foram considera-
posição do corpo funcional da instituição em suas agên-
das não aplicáveis, em sua maioria por limitações legais,
cias. A amostra ficou assim composta: 16% de gerentes
devido às características da instituição, uma empresa pú-
gerais, 33% gerência média, 40% funcionários operacio-
blica.
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
Banco do Brasil S.A.
nais (caixas e postos efetivos) e 11% de outros cargos (tais
como analistas de negócios e auxiliares de gerência).
Motivações
O Fórum Anual de RH visa obter subsídios para o aper-
O fórum foi criado pela necessidade da empresa de
feiçoamento das políticas e processos de recursos huma-
tornar os programas desenvolvidos pela área de recursos
nos. A partir das sugestões apresentadas são traçados os
humanos mais integrados ao dia-a-dia dos funcionários. A
planos de ação. Em 2000, o Fórum de RH, realizado no
participação de funcionários, representantes de todos os
mês de julho, contou com a participação de mais de cem
segmentos da Organização na formulação de propostas
funcionários. Após o término do evento, é formado um
gera comprometimento e envolvimento de todo o corpo
grupo, composto de analistas de diversas áreas da unida-
funcional com as soluções desenvolvidas.
de de recursos humanos, com o objetivo de implementar
A transparência, representatividade e legitimidade do
as propostas referentes à área. As ações que envolvem ou-
Fórum de RH permitem, a partir desse processo, o surgi-
tras áreas são repassadas às respectivas diretorias para que
mento de propostas que modificam os programas da área
viabilizem sua concretização. O custo total da realização
de recursos humanos da instituição e, algumas vezes,
do Fórum de RH no ano 2000 foi de R$ 105 mil.
também de outras áreas.
83
>
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
!Público Interno ::
Aprendizagens
anualmente alternem-se as pessoas consultadas.
De uma forma geral, o sucesso do Fórum de RH decor-
Outro ponto de destaque é a interveniência de outras
reu de um conjunto de fatores, entre os quais a forma de-
diretorias na implementação de propostas, cujos conteú-
mocrática pela qual são eleitos os temas a serem discuti-
dos “interdisciplinares” dependem da participação de di-
dos durante o evento e a participação e integração de fun-
versas unidades, além de RH. Normalmente, a própria re-
cionários dos mais variados níveis hierárquicos e localida-
levância da proposta mais um trabalho de conscientização
des de todo o país.
fazem com que as demais diretorias se integrem e partici-
A experiência tem mostrado a importância do compro-
pem do processo.
misso com a implementação das propostas consideradas
aplicáveis, da transparência na divulgação dos motivos
Recomendações para a replicação da prática
para não-aplicação de determinadas propostas; e o acom-
Definir, por intermédio de pesquisa junto ao corpo fun-
panhamento permanente do estágio de desenvolvimento
cional, a agenda dos assuntos que serão discutidos duran-
e implementação das ações. As principais dificuldades en-
te o fórum. O resultado dessa pesquisa e os temas eleitos
contradas para realização do fórum referem-se ao tama-
pelos participantes devem ser divulgados através das mí-
nho do corpo funcional da empresa e sua grande disper-
dias internas disponíveis. O grupo responsável pela organi-
são no país. Para certificar-se de que os assuntos que se-
zação do fórum deve acompanhar o desenvolvimento e a
rão debatidos no fórum realmente atenderão às expectati-
implementação das ações propostas junto às áreas respon-
vas e problemas normalmente enfrentados pelos funcioná-
sáveis por sua viabilização. As ações e propostas aprovadas
rios, cuida-se para que a amostra consultada, seja estatis-
durante o evento devem ser efetivamente implementadas,
ticamente representativa de todo o corpo funcional e
legitimando a prática junto ao corpo funcional.
>
84
!Público Interno ::
Contato
Elaine Regina Del Barco
www.nutrimental.com.br
Elaborado em: 6/2/2001
Nome:
Website da empresa:
Em 1997, a Nutrimental retomou um processo estrutu-
processo de reconceitualização implicou em ouvir todos os
rado de desenvolvimento dos negócios, segundo uma
stakeholders da empresa. Acionistas, colaboradores, par-
abordagem chamada “Appreciative Inquiry”. Esse progra-
ceiros, consumidores e a sociedade em geral foram convi-
ma de desenvolvimento organizacional tem como premis-
dados a dialogar sobre as melhores possibilidades estraté-
sa promover a transformação organizacional pela via do
gicas de interação da empresa com o meio.
diálogo e do investimento nas relações. Com a ajuda de
A Nutrimental está comprometida em desenvolver-se
consultores alinhados com essa visão, a empresa está
como uma “breakthrough organization”. O termo
construindo um modelo de gestão compatível com os
breakthrough é usado para descrever um produto de su-
princípios de ação por ela adotados, associando desempe-
cesso que abriu seu caminho no mercado por si só, mais
nho e desenvolvimento tanto no âmbito individual quanto
por força dos seus atributos e diferenciais do que por um
no coletivo, num sistema de aprendizagem contínua.
esforço consciente e investimentos da empresa. O objetivo
O “Appreciative Inquiry” incentivou uma nova consti-
da Nutrimental, portanto, é tornar-se uma Organização de
tuição organizacional ao identificar a missão, os valores e
vanguarda, inteligente, ágil e motivada, capaz de respon-
os princípios da ação com os quais todos estão comprome-
der, com sucesso, a qualquer desafio.
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
Nutrinvest
Programa de
Desenvolvimento
Organizacional
tidos. A construção desse modelo unificou os funcionários
da empresa no reconhecimento da Nutrimental como uma
Resultados / benefícios gerados
das mais importantes indústrias alimentícias do país, volta-
No início de outubro de 2000, a Nutrimental reuniu 100
da para a produção de alimentos saudáveis, práticos e en-
colaboradores, de todas as áreas da empresa para repen-
riquecidos com matérias-primas naturais. Ao estabelecer o
sar nossos projetos e atender melhor nossos clientes. Nes-
princípio de que todas as pessoas da Organização são re-
sa reunião foram selecionados cinco processos a serem es-
levantes no processo de tomada de decisão, o programa
tudados e modificados: produção, suprimentos, desenvol-
levou também à reestruturação e reeducação de todo o
vimento de produto, vendas e distribuição e marketing.
corpo de funcionários, exigindo visão de equipe e delega-
Cada equipe fez o mapeamento do seu processo, plane-
ção. No início de 1999, a Organização reuniu-se e concluiu
jando as mudanças necessárias.
que a competência essencial da Nutrimental é a habilida-
Resumindo: no primeiro ano foi feita a revisão da mis-
de de criar e construir coletivamente saúde e bem-estar.
são e dos valores, construída uma visão de futuro e pro-
Juntamente com a produção de alimentos saudáveis, são
movida a capacitação das pessoas para mudança. No se-
objetivos prioritários das pessoas da empresa: cultivar um
gundo ano, foram identificados e consolidados os princí-
ambiente saudável de trabalho, praticar relações humanas
pios norteadores da ação organizacional. No terceiro ano,
internas e externas saudáveis, sustentar uma relação sau-
foram reconceitualizados os negócios e definido o foco da
dável com a comunidade e o meio ambiente, apoiar a saú-
empresa. Toda a comunidade Nutrimental, incluindo re-
de das pessoas.
presentantes de clientes e fornecedores, fez esse trabalho
A Nutrimental é uma empresa que desenvolve sua es-
coletivamente, tendo como conseqüência um valioso ali-
tratégia operacional focada não só na lucratividade, mas
nhamento de propósitos e estratégias.
também na boa qualidade de funcionamento. Assim, o
A Nutrimental pode ser descrita hoje como uma empre-
85
>
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
!Público Interno ::
sa comprometida em servir o mercado de alimentos sau-
que devem nortear o comportamento e as práticas do dia-
dáveis, respeitando seus valores e princípios de ação orga-
a-dia em todos os níveis da empresa. Seu total entendi-
nizacional e assegurando espaço para a descoberta do co-
mento baliza as atividades das equipes de trabalho dentro
nhecimento, a criatividade, a iniciativa individual e o traba-
da Organização. No entanto, chegar a esse ponto não é
lho em equipe.
fácil nem rápido. Primeiro, há a ansiedade natural das pes-
Uma empresa em que a tomada de decisões ocorre no
soas. Depois, a abertura e o diálogo em profundidade não
nível mais próximo ao local onde as tarefas são realizadas e
fazem parte das relações cotidianas de trabalho e, assim, é
os processos de mudança acontecem de forma participati-
muito natural a ocorrência de dúvidas, medos e resistên-
va. Uma empresa que resolve os conflitos por meio do diá-
cias. Mas, uma vez ultrapassadas essas dificuldades, somos
logo e onde todas as ações devem levar em conta a preser-
recompensados por uma nova maneira de ver a ação or-
vação do meio ambiente, a saúde e o bem-estar das pes-
ganizacional e o significado do próprio trabalho. Nesse pe-
soas e gerações futuras. Na primeira avaliação que fizemos
ríodo, a Nutrimental viveu um clima intenso de coopera-
de todo esse trabalho, a par dos resultados de crescimento
ção e de envolvimento, gestando um plano diretor para o
pessoal e de competências organizacionais, registramos
seu desenvolvimento e lançando as bases para uma insti-
melhorias em todas as atividades da empresa: 30% de au-
tucionalização da aprendizagem organizacional.
mento nas vendas, 200% na lucratividade e uma melhoria
de imagem institucional e de produtividade significativas.
Recomendações para a replicação da prática
A primeira lição que aprendemos foi a de que, seja qual
Motivações
for o tipo de negócio, ele deve ser baseado em inclusão e
A idéia de repensar os processos da Nutrimental surgiu
não em exclusão. As pessoas apreciam – e necessitam –
no Evento de Reconceitualização, realizado em agosto de
participar da construção do cenário em que irão viver e tra-
1999. Nesse período já se manifestava a necessidade de
balhar, da concepção dos produtos que vão produzir, as-
rever a forma de organização e de realização das tarefas
sim como contribuir para uma qualidade de vida compatí-
na Nutrimental. A partir daí, começou a escolha do méto-
vel com os nossos avanços e para os interesses das futuras
do que seria utilizado para tornar os processos mais ade-
gerações. A segunda lição foi a de que é preciso ter cora-
quados. A opção feita levou em conta a consonância com
gem para nos reinventarmos constantemente. Se o nosso
nossos valores e princípios, a necessidade de ampliação da
cotidiano for repetitivo, a nossa alienação será eminente e
participação e envolvimento das pessoas no processo de
a nossa competência para interagir se desgastará muito ra-
mudança que possibilitava aprendizado contínuo.
pidamente. A reinvenção, como decorrência natural da
aprendizagem, faz parte da vida. Sabemos que a condição
Aprendizagens
básica para o desenvolvimento é ter um propósito e se pôr
O programa de desenvolvimento organizacional “Ap-
a caminho. Ter um propósito é fundamentalmente uma
preciative Inquiry” tem como grande desafio transformar
questão de sabedoria, ao passo que se pôr a caminho é
os sonhos e valores em princípios de ação organizacional,
uma questão de fé, convicção e coragem.
>
86
!Público Interno ::
Contato
Empresa Rede –
Gestão Participativa
José Geraldo Gomes
www.ctbctelecom.net.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Em 1990, a CTBC (Cia. de Telecomunicações do Brasil
Desligamento, entre outras. A CTBC investe constante-
Central), que integra o Grupo Algar, implantou a Empresa
mente na formação e desenvolvimento de cada associado
Rede, uma nova filosofia de gestão. A Empresa Rede tem
por meio de treinamentos e cursos no país e no exterior.
por meta a excelência empresarial, o comprometimento
As decisões e a delegação de responsabilidades entre os
dos trabalhadores e o respeito pelos clientes externos, que
associados são norteadas por normas, políticas e regime
esperam da CTBC não só tecnologia de ponta em produ-
de competências definidos pelo comitê de direção. As re-
tos e serviços, mas também investimentos em educação,
lações pessoais na organização são semelhantes à de clien-
cultura e meio ambiente.
te e fornecedor. Não existe cartão de ponto. Os associados
A prática gerou duas mudanças: a estrutural, que par-
definem e administram sua carga horária.
tiu de um modelo de organização piramidal para uma es-
Para manutenção das crenças e valores, foi desenvolvido
trutura em rede; e a cultural, um processo de reeducação
o curso Cidadania Corporativa, visando mostrar aos associa-
na maneira de agir e pensar, evoluindo da cultura de em-
dos da CTBC a importância dos valores relacionados à cida-
prego para a do comprometimento. Estruturalmente, a
dania. Gestores são preparados para criar espaços e momen-
Empresa Rede é uma nova concepção empresarial na qual
tos específicos para a revitalização e reflexão dos conceitos
a organização é dividida em Centros de Resultados que
do livro “Empresa Rede”. Anualmente, os gestores partici-
funcionam como pequenas empresas dentro de uma orga-
pam de cursos sobre as práticas das crenças e valores, que
nização maior. Nesse modelo, os trabalhadores tornam-se
depois é estendido aos demais associados em workshops.
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
Grupo Algar
sócios do empreendimento e os problemas da organização
são de responsabilidade geral.
Resultados / benefícios gerados
Os associados, como são chamados, trabalham para cum-
As ações e programas desenvolvidos sob a filosofia da
prir uma meta e não um contrato. Os trabalhadores deixam
Empresa Rede objetivam proporcionar aos associados um
de ser recursos e passam a ser talentos, com importância
desenvolvimento pleno e contínuo de suas competências
destacada na empresa, diferindo de materiais, máquinas e
técnicas e comportamentais.
equipamentos. Os cargos de chefia passam a ser coordena-
O modelo torna a empresa mais ágil e flexível. No clima
dorias e a diretoria da empresa torna-se um comitê de dire-
proporcionado pela gestão participativa os associados tra-
ção. Os níveis hierárquicos diminuem e a hierarquia deixa de
balham com maior liberdade. O resultado pode ser obser-
ser sinônimo de diferenças de poder, mas de responsabilida-
vado pelo índice de satisfação, acima de 80%, que indica o
de. Todos têm liberdade para expor suas idéias e sugestões,
forte comprometimento das pessoas dentro da organiza-
independentemente do cargo e da função que ocupam.
ção. A CTBC foi eleita quatro vezes por seus associados
A empresa adota uma gestão sustentada em fortes po-
como uma das dez melhores empresas para se trabalhar no
líticas de Talentos Humanos, que têm o objetivo de orien-
país, em pesquisa realizada pela Revista Exame.
tar e fornecer diretrizes aos associados no contexto organizacional. Essas políticas abrangem as áreas de Educação
Motivações
e Desenvolvimento, Clima Organizacional, Avaliação de
Em 1989, a CTBC decidiu revisar suas premissas e reali-
Performance, Recrutamento e Seleção, Remuneração e
zar uma revolução organizacional como forma de se pre-
87
>
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
!Público Interno ::
parar para os desafios futuros diante do novo cenário de
tilhado em todos os níveis, por todos os trabalhadores.
contínuas inovações no campo tecnológico e de incertezas
Os impactos de todas estas ações e filosofia de trabalho
no mercado e na situação econômica mundial.
são positivos e visivelmente percebidos pelos associados
que, por meio de Estudos de Clima Organizacional e dos
Aprendizagens
Programas voltados para Motivação e Qualidade de Vida,
As mudanças exigem um tempo de maturação. A im-
têm manifestado alto grau de satisfação com a empresa.
plantação da Empresa Rede passou por várias fases, desde
a estranheza, o aculturamento e a vivência até a consoli-
Recomendações para a replicação da prática
dação. O processo requer que sejam eleitos e praticados
Para implementar um modelo de gestão baseado nos
princípios e valores que irão dar sustentação ao novo mo-
conceitos apresentados, é preciso que a empresa tenha
delo. A implantação foi iniciada pelos acionistas e executi-
prévia e claramente definidos os valores e princípios éticos
vos, e, posteriormente, envolveu pessoas de todos os ní-
que a norteiam, de modo que as pessoas na organização
veis. A disseminação dos conceitos contou com a partici-
se identifiquem e os adotem.
pação efetiva da diretoria de Talentos Humanos, que se
A empresa deve mostrar coerência entre o discurso e a
mantém vigilante para que os princípios e valores sejam
prática, e ter definida sua missão. Os objetivos devem ser
seguidos e para cobrar dos envolvidos que a prática seja
claros e permitir a participação de todos os associados. O
condizente com o discurso.
treinamento e a formação devem ser aceitos como inves-
Implantar o sistema de gestão participativa é um pro-
timentos, por meio dos quais as competências adquiridas
cesso que exige amadurecimento em todos os níveis. As
fortaleçam a organização. É importante, entretanto, esta-
decisões devem ser fruto do bom senso e amparadas pela
belecer limites à gestão, mantendo o equilíbrio entre acio-
ética. É preciso que o entendimento decisório seja compar-
nistas, associados e clientes.
>
88
!Público Interno ::
Contato
Incentivo ao Comitê
da ISO 9002
Alberto Simões Gaspar
www.pulsar.com.br
Elaborado em: 6/4/2001
Nome:
Website da empresa:
Em 1994, a Pulsar iniciou seu Programa de Qualidade
Motivações
Total. Como desenvolvimento desse processo, a empresa
Trabalhando na área de tecnologia da informação, a
recebeu a Certificação ISO 9002 em dezembro de 97. A
Pulsar considera que oferecer serviços com elevado padrão
certificação da Pulsar atesta seu compromisso de qualida-
de qualidade constitui parte de sua responsabilidade social
de com os clientes, além de contribuir para melhorias con-
perante a comunidade. A empresa já adotava a prática de
tínuas em seus processos internos e de atendimento.
gestão por meio de comitês, formalizada após a obtenção
Como modelo de gestão, a Pulsar incentiva a participação
da certificação ISO 9002.
dos colaboradores em comitês, entre os quais destaca-se o
Comitê de Qualidade da ISO 9002, composto por três di-
Aprendizagens
retores, um gerente de qualidade, seis gestores de área e
Foi decisivo para o sucesso do Programa de Qualidade
três representantes das equipes de produção.
Total e para a conquista da certificação ISO 9002 o envol-
O Comitê da Qualidade reúne-se, bimestralmente, para
vimento dos profissionais das áreas, criando, sugerindo,
realizar uma análise crítica do sistema da qualidade, utilizan-
opinando e participando das decisões. As principais dificul-
do os diversos indicadores das áreas. Nessa reunião avalia-se
dades estiveram relacionadas a sugestões que não pude-
a performance desses indicadores com relação às metas e à
ram ser aceitas e, por isso, causaram certa desmotivação
visão de futuro da empresa. A responsabilidade social tam-
entre os profissionais.
bém é discutida, tendo em vista ser um item de nossa visão
Diálogo e Participação !Gestão Participativa ::
Pulsar Informática Ltda.
O Programa de Qualidade Total estruturado pelo Se-
estratégica de futuro.
brae, adotado pela Pulsar em 1994, ajudou muito no pro-
A atuação da empresa com relação aos projetos sociais
cesso, provocando maior participação de todos os profis-
é apresentada e discutida por todos. O processo de discus-
sionais e despertando-os para a necessidade da adoção do
sões e análises críticas permitiu obter melhorias significati-
sistema ISO, visando maior consolidação das práticas de
vas na gestão da empresa, decorrentes de mudanças no
gestão.
nosso modelo de gestão. A partir de sugestões do comitê
passamos a discutir os indicadores de cada área com reu-
Recomendações para a replicação da prática
niões específicas, desenvolvendo vários eventos para a dis-
Um dos fatores decisivos na implantação de uma ges-
cussão de diversos temas, tais como: Visão, Missão da
tão participativa voltada para a qualidade é o compromis-
Área, e Melhorias dos Processos, entre outros.
so de toda a Organização, ou seja, diretoria, gerência e
produção. A vontade de implantar esse modelo tem de,
Resultados / benefícios gerados
necessariamente, vir de “cima para baixo”. Outra dica é
O processo de busca de qualidade trouxe entre seus re-
procurar manter uma estrutura organizacional ágil e pe-
sultados a maior interação entre os colaboradores e os di-
quena. Quanto mais “enxuta” ela for, menor será o grau
rigentes, a elevação do índice de satisfação dos colabora-
de dificuldade de implementação. Uma medida que faci-
dores, o aumento do compromisso dos funcionários com
lita o processo é integrar todos os movimentos de partici-
a empresa e a obtenção de melhorias contínuas nos pro-
pação, interação e análise crítica da gestão em um único
cessos de trabalho.
fórum.
89
>
>
Diálogo e Participação !Participação nos Resultados e Bonificação ::
!Público Interno ::
Algar
Contato
Participação nos lucros
e nos resultados
Nome: Adriani
Fernandes Pennisi
Website da empresa: www.consorcioabc.com.br
Elaborado em:
O Consórcio Nacional ABC, empresa do Grupo Algar,
21/10/2003
apuração dos resultados é feita no final do ano aquisitivo,
tem como objetivo a transparência na relação entre a em-
após a realização do balanço auditado.
presa e seus empregados, chamados internamente de associados, visando um ambiente saudável, a satisfação mú-
Resultados / benefícios gerados
tua, motivação, respeito, confiança, valorização do asso-
Nos últimos três anos os objetivos específicos e econômi-
ciado e do ser humano. Um dos fatores que facilitam atin-
cos foram atingidos na sua totalidade, o que representou
gir as metas é a participação efetiva do Comitê de Associa-
dois salários-base individual por associado. Os associados
dos na elaboração de acordos coletivos e nos planos de
participam efetivamente no cumprimento dos objetivos e os
premiação por resultados. O Comitê de Associados é for-
esforços empreendidos no processo são valorizados. A valo-
mado por meio de voto e os eleitos cumprem um manda-
rização dos associados reduziu a rotatividade na empresa e
to de dois anos, com direito à reeleição.
o índice de satisfação entre os associados é de 90%.
A participação do associado nos resultados da empresa leva em conta dois indicadores: o cumprimento de ob-
Motivações
jetivos específicos e de objetivos econômicos consolida-
Para o Consórcio Nacional ABC, distribuir resultados é uma
dos.
forma justa de reconhecer os esforços dos associados em ge-
No primeiro, cada associado é retribuído semestral-
rar lucros para empresa. O programa de participação nos re-
mente, de acordo com o cumprimento dos objetivos es-
sultados premia esses esforços e valoriza a atuação eficaz do
pecíficos, que devem ser coletivos (cada Centro de Resul-
associado no cumprimento das metas propostas, mostrando-
tado tem objetivos próprios) e redundar num fator men-
lhe a importância de suas ações dentro da empresa.
surável de produtividade, como otimização e melhoria de
processos operacionais, redução de despesas etc. Cada
Aprendizagens
objetivo negociado deve ser cumprido em sua totalidade
As metas devem ser claras e possíveis para que o pro-
e não há premiação proporcional. São, no máximo, cinco
grama não caia em descrédito.Trabalhar com metas esti-
objetivos definidos por semestre, definidos por meio de
mula o trabalho em equipe e gera melhores resultados.
medição, ponderação (peso percentual) e prazo limite
Além da recompensa financeira, o programa visa o reco-
para a sua realização. O valor máximo a ser pago ao asso-
nhecimento do associado.
ciado, por cumprimento dos objetivos específicos, é o
equivalente a 10% de um salário-base individual ao mês.
Recomendações para a replicação da prática
A apuração é feita ao final do semestre aquisitivo.
✓ A empresa deve traçar objetivos claros.
✓ É necessário um lucro mínimo preestabelecido para que
A premiação por cumprimento de objetivos econômicos
consolidados retribui os associados anualmente, de acordo
se possa oferecer uma participação nos resultados.
✓ Os associados devem participar da elaboração do pro-
com o nível de realização dos objetivos econômicos consolidados do Grupo Algar, extraídos do orçamento oficial. A
grama.
90
!Público Interno ::
Programa de
Participação nos
Lucros e Resultados
Contato
Barbara Romei Mora
www.csn.com.br
Elaborado em: 3/7/2001
Nome:
Website da empresa:
O Programa de Participação nos Lucros e Resultados
grupo de acompanhamento de metas, chamado de GAM,
(PLR) da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) visa esta-
formado por empregados das diversas diretorias da CSN,
belecer um vínculo entre os interesses dos empregados e
que é responsável pela análise e correção semestral das
dos acionistas, propiciando que os resultados da empresa
metas enviadas pelas diversas áreas. O GAM também é o
sejam compartilhados por todos. O indicador contábil usa-
responsável pela divulgação e apuração do resultado da
do para a distribuição dos lucros é o EBITDA, que reflete o
PLR. A prática envolve diversas áreas da CSN com a reali-
esforço dos empregados em melhorar o resultado da em-
zação da PLR, como a Assessoria da Presidência, Opera-
presa. Qualquer redução de custos, aumento de produtivi-
ções, representantes das Diretorias Executivas, Recursos
dade, melhoria dos processos produtivos e das vendas pro-
Humanos, Comunicação Interna e Jurídico. Há uma cons-
porcionará um aumento do EBITDA.
tante divulgação do programa dentro da empresa, expli-
Ele é anual e distribui um valor equivalente a 2,5% do
cando seu funcionamento, utilizando-se informativos, jor-
EBITDA, desde que sua margem (geração operacional de
nais, correio eletrônico, Intranet e palestras. Todos os em-
caixa) seja superior ou igual a 33%. Cada empregado é
pregados recebem semestralmente o Caderno de Metas,
alocado em uma área de atuação que possui metas de
contendo as diversas áreas de atuação e os respectivos ór-
PLR. O resultado individual será uma composição entre vá-
gãos abrangidos, a composição das metas individuais de
rios percentuais ponderados: o percentual de cumprimen-
cada empregado e as definições e os critérios para a apu-
to das metas da sua área de atuação com um peso de
ração das metas.
50% e o resultado da CSN também com peso de 50%. O
resultado da CSN é fruto da ponderação dos resultados
Resultados / benefícios gerados
das partes administrativa e operacional da empresa.
O programa teve início em 1997, com apenas quatro
Essas partes são compostas por todas as áreas de atua-
áreas de atuação e aproximadamente 30 metas. As metas
ção, de acordo com as suas respectivas características. O
tinham uma abrangência pequena e eram voltadas apenas
programa é aprimorado a cada ano, com a definição de no-
para custos e receita. Com o desenvolvimento do progra-
vas áreas de atuação, mais próximas dos empregados. As-
ma, novas áreas de atuação foram criadas e hoje existem
sim, as metas também estão cada vez mais ligadas ao dia-
65, com aproximadamente 500 metas, que abrangem se-
a-dia dos empregados. As metas são importantes para
gurança no trabalho, qualidade de produtos, meio am-
mostrar quais são os pontos que a empresa acredita como
biente, cumprimento do orçamento, redução de estoques
fundamentais. Por exemplo, a CSN colocou em várias áreas
e rentabilidade do caixa, entre outras.
de atuação metas ambientais, assunto que se tornou um
A PLR da CSN é hoje um programa de fundamental im-
dos principais enfoques da empresa. Uma comissão de em-
portância para a empresa e seus empregados. Os ganhos
pregados, eleita diretamente pelo corpo funcional, é res-
se estendem à melhoria do cumprimento de prazos para
ponsável, junto com a CSN, por discutir o programa, pro-
os clientes, à redução e controle de gastos em todas as
por alterações e analisar os resultados.
áreas, ao foco nos pontos importantes e ao aumento da
Qualquer alteração no contrato de PLR só pode ser fei-
satisfação dos empregados ao participarem dos resultados
ta com a concordância da comissão e da empresa. Há um
que ajudaram a construir.
91
Diálogo e Participação !Participação nos Resultados e Bonificação ::
Companhia Siderúrgica
Nacional – CSN
>
Diálogo e Participação !Participação nos Resultados e Bonificação ::
!Público Interno ::
Motivações
niões feitas pelos gerentes de cada área de atuação com
Largamente utilizada por companhias norte-america-
seus subordinados. Ali são tiradas todas as dúvidas, é ex-
nas, a remuneração variável traz grandes benefícios para a
plicado o que deve ser feito para atingir as metas e quais
empresa, funcionários, consumidores e fornecedores. A
erros do ano anterior devem ser corrigidos. Outro fator im-
CSN tem como objetivo, criar uma cultura de integração
portante é que, com a evolução do programa, as metas es-
entre empresa e empregados.
tão cada vez mais próximas dos empregados, criando a
exata noção do que o trabalho de cada um gera de resul-
Aprendizagens
tados para o conjunto dos funcionários e para a empresa.
A constância no pagamento e nos valores distribuídos é
uma característica fundamental desse programa. Esse é um
Recomendações para a replicação da prática
dos fatores de sucesso da prática, e, ao mesmo tempo, um
Um dos pontos mais importantes é estabelecer um indica-
desafio: que os funcionários enfrentem durante o ano as
dor estável. Um indicador volátil acarreta grandes desníveis
dificuldades encontradas para o cumprimento das metas,
no pagamento do programa. Manter a constância no paga-
sabendo que os valores serão distribuídos e qual será o va-
mento e nos valores distribuídos é outro ponto a ser conside-
lor aproximado que irão receber. Durante os quatros anos
rado, mostrando aos funcionários a confiabilidade do pro-
da existência do PLR na empresa, sempre houve distribui-
grama. É essencial a criação de um grupo de acompanha-
ção de lucros, com valores próximos entre si. A divulgação
mento, composto de funcionários das diversas diretorias, res-
e o trabalho de esclarecimento também contribuem para o
ponsável pela análise e correção das metas enviadas. Esse
sucesso da prática, uma vez que conceitos como EBITDA
grupo também deve ser responsável pela divulgação e apu-
nem sempre são de claro entendimento.
ração dos resultados. A empresa deve estimular a realização
Por isso, mais importante que todos os meios de divul-
de reuniões periódicas dos gerentes de área com seus funcio-
gação utilizados para explicar o programa, como e-mails,
nários, além de usar os meios de comunicação disponíveis na
jornais e cartilhas, o que funcionou melhor foram as reu-
empresa para divulgar as metas e esclarecer conceitos.
>
92
!Público Interno ::
Contato
Waldiney Ferreira de Souza
www.credicard.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
O Programa de Participação nos Resultados (PPR) da Cre-
uma quantidade de salários mensais multiplicada por um fa-
dicard é mais do que apenas um instrumento de remunera-
tor atrelado ao Lucro Antes da Apuração do Imposto de
ção variável. Ele funciona como uma ferramenta de mobili-
Renda (Lair). O PPR será pago se o Lair apurado durante o
zação interna, compartilhamento de responsabilidades e de
exercício atingir 80% da meta estabelecida pelos acionistas
comunicação da filosofia de gestão e das estratégias da em-
para esta variável. Se o Lair ultrapassar as expectativas de lu-
presa. O PPR permite alinhar os objetivos das áreas e de
cros da empresa ele alavancará os ganhos dos funcionários,
cada funcionário com aqueles definidos pelo Conselho de
que receberão o total de salários mensais indicados pela
acionistas. Diferentemente das políticas de remuneração va-
equação anterior, mais uma porcentagem proporcional ao
riável centradas no lucro, o modelo desenvolvido pela Cre-
índice de superação do Lair.
dicard considera, primordialmente, os resultados atingidos
A remuneração é paga uma vez por ano, com direito a
pela Companhia perante as metas estabelecidas pelos acio-
antecipação semestral. O PPR é extensivo à totalidade dos
nistas, bem como a contribuição individual de cada funcio-
colaboradores da Credicard, que são cerca de 350 pessoas
nário para a prosperidade do negócio. O lucro é um concei-
divididas em quatro níveis hierárquicos: diretores e superin-
to em geral distante do dia-a-dia do funcionário, enquanto
tendentes (9%), gerentes e consultores (36%), analistas
a noção de resultados remete diretamente aos principais fo-
(38%) e o nível de staff (17%), composto basicamente por
cos de ação da empresa.
funcionários sem formação universitária. O programa foi im-
Sujeito a variáveis fora da esfera de controle dos funcio-
plementado na Credicard em janeiro de 2000, em substitui-
nários, como decisões de investimento e mudanças no ce-
ção ao pagamento de 14º salário e à concessão de bônus.
nário macroeconômico, o lucro é encarado pela Credicard
O PPR é amparado por uma estratégia de comunicação
como uma conseqüência da busca de resultados. A obten-
que esclarece seus mecanismos de funcionamento e divulga
ção de lucro em níveis minimamente aceitos pelos acionis-
continuadamente a evolução do desempenho dos indicado-
tas e conhecidos dos funcionários determina a existência de
res de negócios. Os principais veículos utilizados são a revista
PPR. A superação das metas de lucros estabelecidas pelos
para funcionários, a intranet e a realização de reuniões gerais
acionistas significa, automaticamente, o aumento da remu-
trimestrais, batizadas de encontros estratégicos, nas quais os
neração variável. A fórmula que rege o cálculo do PPR de
indicadores são apresentados pelo próprio presidente.
Diálogo e Participação !Participação nos Resultados e Bonificação ::
Credicard S.A.
Programa de
Participação nos
Resultados
cada funcionário baseia-se na combinação entre os resultados atingidos em seis indicadores de desempenho do negó-
Resultados / benefícios gerados
cio definidos pelo conselho da empresa (contas novas, can-
Várias mudanças foram observadas na Credicard após a
celamento voluntário de contas, margem líquida de crédito
implementação do PPR. Em menor ou maior intensidade,
e fraude, volume financeiro de transações, contas ativadas e
é possível afirmar que a política contribuiu para os seguin-
controle), mais a análise da performance individual do fun-
tes resultados:
cionário. Os indicadores possuem ponderações diferentes
✓ Os funcionários adquiriram o direito de participar dos
conforme a área em que o funcionário atua na Credicard,
ganhos e conquistas da corporação. Em 1999, apenas
variando segundo a contribuição esperada de cada área
metade deles recebeu algum tipo de remuneração variá-
para atingir determinado resultado. Tal equação determina
vel. Em 2000, 100% receberam.
93
>
Diálogo e Participação !Participação nos Resultados e Bonificação ::
!Público Interno ::
✓ Quem já tinha participação nos resultados ganhou no
Diferente do setor da indústria, onde o parque industrial
mínimo 40% mais que o valor recebido em 1999, sen-
tem forte influência no desempenho do negócio, o princi-
do que 50% dos funcionários ganharam 60% mais que
pal ativo de uma empresa de serviços como a Credicard é
no exercício anterior. Quem recebia apenas o 14º salá-
o conhecimento e a dedicação dos seus funcionários. Se a
rio, por sua vez, observou um incremento mínimo de
Credicard é uma empresa bem-sucedida, isso se deve à
150% em sua entrada extra.
contribuição das pessoas que nela trabalham. O PPR é uma
✓ O pagamento da remuneração variável sobre o exercício
maneira de reconhecer essa contribuição diretamente,
de 2000 envolveu praticamente o dobro dos recursos fi-
oferecendo às pessoas a possibilidade concreta de partici-
nanceiros alocados para pagamento de 14º salário e bô-
par do sucesso da empresa.
nus no ano anterior – cerca de R$ 3 milhões em 1999,
Aprendizagens
contra R$ 6,5 milhões em 2000. Esses recursos foram
contabilizados como despesas operacionais e abatidos do
Entre os fatores de sucesso do programa figuram a sim-
lucro da Credicard, que ultrapassou em 37% o esperado.
plicidade do seu modelo, facilmente compreendido por to-
✓ Uma pesquisa de clima apurou que o nível de satisfação
dos os níveis hierárquicos da empresa, e a eficiência da co-
dos funcionários com a empresa subiu de 37% para
municação interna, demonstrando transparência e ética
70% entre 1999 e 2000.
por parte da empresa na condução do processo de imple-
✓ Aumentou a mobilização e comprometimento dos fun-
mentação e manutenção da nova política.
cionários em torno das metas de negócios da Credicard,
Um dos principais desafios do PPR foi dimensionar cor-
criando um círculo virtuoso. À medida que os funcioná-
retamente o programa para os diversos escalões hierárqui-
rios conhecem, participam e se importam mais com as
cos da empresa, garantindo a aceitação de níveis de remu-
estratégias de negócios da empresa, ela cresce e oferece
neração que crescem na proporção da contribuição estra-
oportunidades de crescimento também para as pessoas.
tégica esperada em cada função. A medida difere de outras práticas que preconizam que a participação nos resultados deve ser a mesma para todos. No entendimento da
Motivações
A modelagem do PPR buscou alavancar os resultados
Credicard, a planificação no valor da remuneração variável
de negócios da Credicard. O pagamento do 14 . salário
desestimula as lideranças da empresa, o que desmontaria
era um benefício instituído e incorporado pelos funcioná-
o programa. O programa foi aprovado pelo Sindicato após
rios como habitual, obrigatório e, portanto, pouco mobili-
um amplo debate com todos os membros da empresa, ge-
zador. A empresa substituiu essa prática por um sistema
rando consenso em torno da questão.
o
que oferece maiores possibilidades de remuneração na
medida da contrapartida das pessoas. Com isso, a Credi-
Recomendações para a replicação da prática
card obteve automaticamente um ganho em termos de
É recomendável que as empresas que desejam imple-
comprometimento dos funcionários com o seu negócio. A
mentar políticas de participação nos resultados criem mo-
implementação de programas de remuneração variável
delos de fácil entendimento e assimilação, baseados em
constitui uma tendência e uma demanda entre as empre-
regras objetivas e que realmente favoreçam o funcionário
sas líderes de mercado, que já não dissociam mais a sua
e a empresa. Atingir a situação do “ganha-ganha” parece,
evolução do crescimento das pessoas que as compõem.
neste caso, o ideal.
>
94
!Público Interno ::
Contato
Priscilla Cabral
www.institutopaodeacucar.org.br
Elaborado em: 4/11/2002
Nome:
Website da empresa:
O Instituto Pão de Açúcar foi criado em 1998 para respon-
implantadas entre 1999 e 2002. O “Projeto Vir a Ser”, de
der à demanda por programas de Educação Integrada, bus-
educação infantil, é voltado para crianças de zero a seis anos.
cando desenvolver o potencial de crianças e jovens de 0 a 18
A educação complementar é a segunda atividade desenvol-
anos e contribuir para a solução de problemas sociais por
vida, atendendo a jovens entre 7 e 18 anos por meio dos
meio da educação.
programas “Um Passo a Mais”, “Acorde para as Cordas Pão
O Programa de Educação para o Desenvolvimento Huma-
de Açúcar”, “Acordes da Vila”, “Esporte&Ação”, “Nossa
no implementou um conjunto de projetos permanentes de
Língua [email protected]”, “Culturarte” e “Pão de Açúcar Faz Histó-
qualificação, complementação escolar e preparação profis-
ria”. A preparação profissional para jovens entre 15 e 18
sional, priorizando a capacitação dos educadores, o fortale-
anos é realizada em programas profissionalizantes como
cimento dos vínculos familiares e da auto-estima dos jovens,
“[email protected]eu – Educação para o Trabalho”, “Um Passo para
a formação de sua identidade, e o estímulo a suas compe-
o Futuro” e “Aprendiz de Varejo”.
tências técnicas e psicossociais.
No primeiro semestre de 2002, 442 pessoas atuaram no
As crianças e adolescentes são oriundos do primeiro nível
Programa de Educação para o Desenvolvimento Humano, di-
da cadeia de responsabilidade social do Grupo Pão de Açú-
vididas entre a equipe do Instituto Pão de Açúcar, que atua
car, ou seja, pertencem às famílias dos funcionários e às co-
na sede administrativa e nas “Casas”, e a equipe de qualifi-
munidades do entorno das suas lojas, localizadas na Grande
cação educacional. A comunicação dessas práticas é realiza-
São Paulo (SP), Santos (SP) e Rio de Janeiro. Cerca de 90%
da por meio de informações enviadas para veículos da mídia
dos participantes integram famílias estruturadas, moradoras
impressa, rádio, TV e ainda via uma página mensal no Jornal
de casas, assentamentos, apartamentos populares ou favelas
do Pão, veículo interno distribuído a todos os funcionários do
próximas às “Casas” do Instituto Pão de Açúcar e aos Cen-
Grupo Pão de Açúcar.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Grupo Pão de Açúcar
Programa de Educação
para o Desenvolvimento
Humano
tros Comunitários conveniados.
A prática foi viabilizada a partir de parcerias com órgãos
Resultados / benefícios gerados
públicos, instituições sociais. Estes cedem seu espaço para a
O número de beneficiados vem crescendo ano a ano. Em
realização de cursos e atividades e, em contrapartida, rece-
1999, eram 2.200 enquanto em 2001 o total foi de 20.100
bem investimentos em infra-estrutura, material didático e
participantes, com uma circulação média nas “Casas” de
um programa de formação de educadores. O Instituto Pão
cerca de 1.300 crianças, diariamente.
de Açúcar responsabiliza-se pela concepção e implementa-
Em três anos, participaram do “Um Passo a Mais”,
ção dos projetos e pela administração dos recursos cuja do-
1.247 alunos, cursando um total de 300 horas anuais. O
tação é integralmente feita pelo Grupo Pão de Açúcar. Tam-
programa “Nossa Língua [email protected]” foi iniciado com 280 alu-
bém são parceiros em outros programas ONGs e Senac.
nos no começo de 2002, e mais 400 jovens devem ingres-
Também foram utilizados espaços privilegiados do Grupo,
sar até o final do ano. Já o “[email protected]” teve mais de
como o Centro de Referência em Educação Infantil e as cin-
1.500 alunos formados até 2001 e outros 750 em 2002.
co “Casas” do Instituto, lugares de convivência entre filhos,
Pelo “Acorde para as Cordas Pão de Açúcar” passaram
pais e amigos da família Pão de Açúcar.
362 adolescentes. Desse total, 40 integram a Orquestra
O programa está baseado em três frentes de atividades,
Homônima que, em 2001, fez apresentações para mais de
95
>
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
10 mil crianças. Em 2002, esse público deveria crescer para
nas instituições conveniadas e nas instalações do Senac, foi
20 mil crianças. Cinco escolas públicas do Rio de Janeiro
possível verificar que, depois de algum tempo, diluía-se a
participaram do “Pão de Açúcar faz História” enquanto as
imagem do Instituto Pão de Açúcar como promotor das ati-
oficinas “Culturarte” somam 256 turmas, com 25 partici-
vidades e como referência para os alunos. Mas, a instalação
pantes cada.
das “Casas” e a conseqüente reunião de várias atividades
Cerca de cem crianças cariocas, entre 0 e 6 anos partici-
em suas dependências vieram consolidar a imagem do Ins-
pam, anualmente, do Programa “Vir a Ser”. O projeto “Um
tituto como agente propulsor do desenvolvimento educa-
Passo a Mais”, que trabalha com crianças da 1ª a 4ª série,
cional, e as “Casas” como centros de referência para a co-
envolve seis instituições conveniadas e atendeu, de 1999 a
munidade.
2001, a 2.787 alunos. A previsão para 2002 era que 1.300
As oportunidades percebidas foram instituídas como me-
crianças participariam do projeto. Finalmente, no programa
tas. Assim, foram instaladas duas novas “Casas”, em Forta-
“Esporte & Ação” mais de 300 alunos entre 7 e 14 anos fo-
leza e na zona sul de São Paulo, e o programa “Esporte &
ram inscritos em 2002.
Ação” foi expandido para Santos e Rio de Janeiro. Além disso, implantou-se o modelo do “Vir a Ser” em outras esco-
Motivações
las cariocas, e o “Pão de Açúcar Faz História” atingiu mais
As atividades do Instituto Pão de Açúcar são inspiradas
seis escolas santistas e foi continuado em cinco escolas pú-
pela missão da Companhia: contribuir para a melhoria da
blicas do Rio de Janeiro.
qualidade de vida dos diversos públicos com os quais se re-
Promoveu-se ainda o aperfeiçoamento da formação mu-
laciona.
sical, com professores particulares, para alunos que termina-
A atuação do Instituto também é orientada pela premissa
ram a primeira fase do aprendizado de música e a criação
de que o crescimento econômico e social são condições neces-
de três programas novos em 2002: “Culturarte”, “Acordes
sárias para o desenvolvimento, e por isso devem estar em con-
da Vila”, no Rio de Janeiro, e “Nossa Língua [email protected]”. Tam-
sonância com o ideal de uma sociedade igualitária e justa.
bém foram realizadas campanhas de doações de alimentos
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento
e materiais recolhidos nas lojas do Grupo de forma voluntá-
(PNUD), da ONU, define: “Desenvolvimento humano é o de-
ria pelos funcionários, evitando o desperdício de produtos
senvolvimento das pessoas, para as pessoas e pelas pessoas.
nas lojas. Por mês, essas doações atendem a 700 instituições
Como desenvolvimento das pessoas, entende-se o aumento
sociais e beneficiam cerca de 5 mil pessoas.
de suas potencialidades por meio de melhores condições de
educação, treinamento, saúde, habitação, meio ambiente e
Recomendações para a replicação da prática
alimentação.” É por isso que o Instituto Pão de Açúcar de
As práticas deste programa estão baseadas em quatro
Desenvolvimento Humano se propõe a contribuir para que
princípios orientadores. O primeiro deles é a busca pela dis-
cada vez mais crianças e adolescentes tenham ampliadas
tribuição equânime do capital social existente, ou seja, do
suas oportunidades de desenvolvimento, por meio do aces-
conjunto de valores éticos compartilhados pelo grupo. Ofe-
so à educação de qualidade.
recer uma educação com qualidade, que utilize os mais modernos recursos, técnicas e metodologias de ensino testadas
Aprendizagens
e reconhecidas internacionalmente também é outra diretriz.
O Instituto e Grupo Pão de Açúcar aprenderam a atuar
Por fim, os dois últimos princípios a serem seguidos são a
com diferentes parceiros, valorizando-os em suas diversas
participação ativa das famílias por meio de reuniões periódi-
competências. Do ponto de vista da parceria técnica, têm
cas e a formação de sujeitos transformadores por meio da
muito valor as competências didáticas e pedagógicas adqui-
garantia de oportunidades de escolha e de mudanças na
ridas nos contatos com conveniados, o que permite ampliar
vida pessoal. É importante para o êxito do projeto o estabe-
os conhecimentos da própria empresa na área educacional.
lecimento de parcerias, tanto com instituições sociais como
No início, quando os programas funcionavam somente
órgãos públicos.
96
!Público Interno ::
Contato
Lara Dornas
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
Parceria Escola Samarco
A Parceria Escola Samarco é um trabalho baseado na
dade, Meio Ambiente e Recursos Humanos e voluntários
transferência de conhecimentos dos profissionais da Sa-
de todas as áreas da empresa. Eles atuaram em parceria
marco, que atuam voluntariamente, aos alunos, como
com as Secretarias de Educação dos municípios, e entida-
uma forma de incrementar as atividades e a qualidade do
des e profissionais das comunidades. As benfeitorias foram
ensino em escolas públicas localizadas em áreas de in-
realizadas a partir de mutirões de pais e alunos. A Empre-
fluência da empresa em Minas Gerais e no Espírito Santo.
sa desembolsou cerca de R$ 100 mil no projeto em 2001.
Com esse projeto, a Samarco procura promover o en-
Cerca de três mil alunos, pais e 280 professores e funcio-
volvimento dos alunos e de toda a comunidade escolar
nários das escolas participantes foram atendidos pelo progra-
com as questões da educação, contribuindo para a gestão
ma, divulgado nos veículos de comunicação interna da Sa-
das escolas, o desenvolvimento de lideranças e o trabalho
marco, em folhetos, reuniões com os públicos envolvidos e
em equipe, e para a melhoria do ensino oferecido, redu-
na mídia, por meio da assessoria de imprensa da empresa.
zindo índices de retenção e evasão.
A iniciativa atende a várias escolas: Escola Municipal To-
Resultados / benefícios gerados
más Antônio Gonzaga e Escola Estadual Antônio Pereira,
A Parceria Escola Samarco vem apresentando importan-
em Ouro Preto (MG); escolas estadual e municipal do bair-
tes resultados. Cabe destaque para os mutirões, envolven-
ro Boa Vista, em Matipó (MG); Escola Municipal Luciano
do tanto funcionários da empresa como beneficiários do
Alves Duarte, em Alegre (ES); Escola Municipal Eugênio de
programa, demonstrando o êxito nos trabalho de mobili-
Souza Paixão, em Guaçuí (ES) e Escola Estadual Coronel
zação e conscientização da população.
Benjamim Guimarães, em Mariana (MG).
O programa promoveu diversos cursos e eventos nas es-
No início do projeto, houve uma fase de sensibilização
colas, proporcionando aos alunos das escolas atendidas
geral e diagnóstico, com reuniões entre empregados das
um ensino de melhor qualidade, com enriquecimento cul-
unidades da Samarco e professores das escolas, palestras
tural, desenvolvimento de técnicas e habilidades profissio-
para funcionários e alunos e identificação das necessida-
nais, professores melhor orientados, noções de higiene e
des das escolas. Então, foram elencadas as prioridades.
saúde e melhorias na infra-estrutura das instituições.
Na segunda fase, realizaram-se reuniões conjuntas com
Foram realizadas oficinas de Educação Ambiental e de
professores e diretores das escolas e foram planejadas as
Arte-Educação (bordado, pintura, reciclagem de papel e ca-
atividades de acordo com as prioridades estabelecidas e as
poeira) com os alunos; palestras educativas sobre higiene,
possibilidades de parceria da empresa.
saúde, sexualidade e afetividade para toda a comunidade
A terceira fase foi a de implantação e monitoramento
escolar; cursos de capacitação para professores; campanha
das atividades. Foram realizadas melhorias na infra-estru-
para arrecadação de livros; apresentações culturais (teatro e
tura de algumas escolas, oferta de cursos de capacitação
música); fortalecimento dos conceitos de ordenação, arru-
para professores, palestras educativas para pais e alunos,
mação, limpeza, saúde e autodisciplina; e implantação de
oficinas, apresentações culturais e campanhas de estímulo
coleta seletiva. Essas práticas aumentaram o compromisso
à participação cidadã. A implementação do projeto foi rea-
das comunidades com suas escolas e o interesse dos em-
lizada por profissionais das áreas de Comunicação, Quali-
pregados da Samarco pelo trabalho voluntário.
97
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Samarco Mineração S.A.
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Apesar desses resultados ainda estarem aquém das me-
rou envolver a comunidade escolar no projeto e adotou o
tas planejadas pela empresa, o projeto tem proporcionado
princípio de que o ritmo das mudanças não pode ser for-
marcantes melhorias no sistema de ensino nas escolas em
çado. O ambiente escolar é diferente do universo empre-
que foi implantado. A ampliação de sua abrangência, que
sarial e isso precisa ser respeitado.
previa inicialmente somente escolas do município de Ouro
O projeto não demandou grandes investimentos finan-
Preto, é um indicador do sucesso da iniciativa
ceiros. Ele baseia-se principalmente na disponibilidade dos
empregados da Samarco. E, até o momento, os resultados
Motivações
podem ser considerados expressivos.
O projeto Parceria Escola-Samarco foi motivado pela ne-
A metodologia usada no projeto pode ser transposta
cessidade de melhorar os processos de gestão e a qualida-
para outras ações sociais e comunidades. Isso ficou com-
de do ensino nas escolas envolvidas. Além disso, a educa-
provado pelo fato de o programa, inicialmente aplicado
ção é uma das áreas prioritárias da política social da Sa-
em Ouro Preto, ter se estendido de modo positivo para ou-
marco, que a encara como alternativa viável para o desen-
tras comunidades localizadas em áreas de influência das
volvimento do cidadão. Outra motivação importante é o
unidades da Samarco.
incentivo da empresa às ações de voluntariado entre seus
funcionários.
Recomendações para a replicação da prática
É preciso respeitar o ritmo das comunidades. Mudanças
Aprendizagens
são desejáveis e devem ser implantadas, mas não podem
O sucesso do projeto deve ser creditado ao desprendi-
atropelar o ritmo das escolas. Há que se considerar que a
mento dos empregados da Samarco em levar seus conhe-
dinâmica empresarial é diferente daquela que vigora nas
cimentos de gestão para as escolas dos seus municípios de
escolas públicas.
atuação e à receptividade da comunidade escolar – direto-
É importante que a empresa envolva a comunidade es-
res, professores, pais e alunos – diante das mudanças pro-
colar no projeto. Sem a adesão de professores, pais, dire-
postas pelo projeto.
tores e alunos, iniciativas do gênero tendem ao fracasso.
A implantação de uma cultura de planejamento e de
Deve-se também promover o monitoramento dos resul-
monitoramento de resultados foi o principal desafio en-
tados. Dessa maneira será possível verificar se o projeto está
frentado pelo projeto. Para superá-los, a Samarco procu-
na rota certa ou se é preciso ajustes e reorientações.
>
98
!Público Interno ::
Contato
Lara Dornas
www.samarco.com.br
Elaborado em: 27/9/2002
Nome:
Website da empresa:
Projeto Dente de Leite
A intenção primordial do projeto “Dente de Leite” é pro-
das comunidades de Ubu, Parati e Mãe-Bá – três dos sete
mover a saúde bucal de crianças de escolas públicas nas co-
distritos que compõem o município de Anchieta. A cidade
munidades próximas à unidade da Samarco Mineração em
conta com cerca de 21.000 habitantes, sendo 3.500 crian-
Ubu , distrito do município de Anchieta (ES). Inicialmente,
ças de até nove anos de idade.
o projeto baseou-se no uso de ferramentas de prevenção
(aplicação de flúor gel, escovação supervisionada, exames
Resultados / benefícios gerados
específicos). Em seguida, foi realizado um levantamento de
Foram realizadas obras de adaptação nas escolas, com
dentes cariados, perdidos e obturados entre as crianças e as
a criação dos escovódromos, locais onde as crianças, su-
doenças foram tratadas. Para assegurar a criação de hábi-
pervisionadas por dentistas, realizam a escovação duas ve-
tos de higiene e cuidado com os dentes, ao longo do pri-
zes por dia: na chegada e logo após o lanche. Elas apren-
meiro ano foram realizadas atividades de motivação das
deram as técnicas de escovação e fizeram o controle das
crianças, com participação ativa dos pais.
placas bacterianas. As medições de placa bacteriana, reali-
O projeto realizou-se em parceria com as secretarias de
zadas uma vez a cada semestre, beneficiaram 1.036 pes-
Saúde e Educação de Anchieta. Professores, funcionários e
soas.
diretores das escolas envolvidas participaram como facilita-
De abril a dezembro de 2001, foram realizadas 55.272
dores. O programa Dente de Leite conta com um grupo de
escovações. Do levantamento epidemiológico, participa-
trabalho multidisciplinar nas áreas de saúde e educação.
ram 518 pessoas. A Samarco distribuiu um kit com escova
Para reforçar a equipe da Prefeitura, a Samarco contratou
de dente, pasta e fio-dental para cada aluno. Além disso,
duas dentistas.
as crianças receberam aplicação trimestral de flúor. A equi-
Além de custear o projeto e construir “escovódromos”
pe de profissionais contratada pela Samarco para esse pro-
nas escolas, a Samarco realizou o gerenciamento e o
jeto, juntamente com os profissionais da escola, realizou
acompanhamento dos resultados. A área de Comunicação
palestras educativas para 255 pais de alunos. As famílias e
Empresarial da Samarco forneceu suporte às ações educa-
os professores envolveram-se em todas as etapas do Pro-
tivas, atuando em seu planejamento e divulgação, forne-
grama. Funcionários das escolas também participaram de
cendo apoio logístico e produzindo material promocional
workshops de capacitação. Em 2001, foram realizadas cin-
e didático.
co feiras de saúde bucal, que contaram com a presença de
Para a divulgação do projeto foram confeccionados
8.600 pessoas das comunidades de Ubu, Parati e Mãe-Bá.
banners, camisetas, adesivos, faixas, jogos e cartilhas. Jo-
A iniciativa já aponta resultados positivos: atingiu a
gos da memória, com dicas sobre os cuidados com os den-
meta prevista de 80% de escovação diária entre os parti-
tes, passatempos, calendários com o slogan “Sorriso bri-
cipantes e o índice de combate à placa bacteriana superou
lhante é sinal de criança saudável”; dezenas de peças de
as expectativas – a meta era de 30% de redução, e o re-
caráter lúdico e com uma linguagem descontraída deram
sultado foi de 58,6%. A parceria entre a Samarco e a Pre-
suporte às ações de mobilização e conscientização.
feitura de Anchieta resultou também na construção de um
Entre 1999 e 2001, a empresa investiu cerca de R$ 125
novo consultório odontológico, custeado pela Samarco, na
mil no projeto, que beneficiou 588 crianças e familiares
comunidade de Mãe-Bá.
99
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Samarco Mineração S.A.
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Motivações
cursos, feiras, apresentações teatrais, murais, e atividades
No Espírito Santo, segundo a Secretaria de Estado da
realizadas pelos professores nas escolas. Alunos das dife-
Saúde, cada criança de até 12 anos apresenta, em média,
rentes séries produziram redações e livros artesanais sobre
cinco dentes cariados, perdidos ou obturados. A falta de um
temas ligados à saúde dos dentes.
sistema eficiente de saúde pública, os maus hábitos de hi-
Com investimentos relativamente modestos, o projeto
giene oral e dietas ricas em açúcar podem ser considerados
conseguiu melhorar substancialmente os indicadores de
os principais causadores desse problema sanitário tão grave.
saúde bucal das crianças de Ubu, Parati e Mãe-Bá. O que
Para contribuir para a reversão desse quadro, a Samar-
comprova que ações como essa exigem mais empenho e
co utilizou a metodologia de promoção da saúde bucal já
mobilização dos atores sociais envolvidos do que recursos
testada com sucesso pelo projeto Sorria, de Minas Gerais.
financeiros.
Mantido pela Fundação Projeto Sorria, há dez anos, o trabalho conta com o apoio da empresa. A eficácia do traba-
Recomendações para a replicação da prática
lho – que ajudou a reduzir em quase 90% o índice de cá-
Um projeto de saúde bucal não pode perder de vista a
ries nas crianças atendidas – inspirou a Samarco a levar a
perspectiva preventiva. E ela deve ser trabalhada principal-
iniciativa para as escolas públicas de Anchieta.
mente junto às crianças, mais receptivas a mudanças de
comportamento. Uma medida importante é promover a
Aprendizagens
integração das áreas de saúde e educação. A primeira de-
As bases do trabalho são as ações de conscientização e
tém o conhecimento técnico, mas a segunda – materiali-
as atividades educativas capazes de fomentar um novo
zada, principalmente, na figura do professor – tende a ser
comportamento na população. Com foco na prevenção o
mais eficiente na transmissão desse conhecimento.
programa foi incorporado com sucesso pela comunidade.
Para trabalhar com o público infantil – independente-
O grande desafio foi desenvolver uma mentalidade pre-
mente da natureza do projeto – é necessário o desenvolvi-
ventiva em relação à saúde bucal nas comunidades bene-
mento de atividades lúdicas, como espetáculos teatrais,
ficiadas. Isso porque, ainda hoje, a perspectiva curativa
concursos de frases e feiras. Isso requer o desenvolvimen-
ainda é majoritária no Brasil. Para reverter esse quadro, o
to de estratégias e materiais educativos, envolvendo equi-
programa valeu-se de uma forte interação das áreas de
pes multiprofissionais, formadas por educadores, comuni-
saúde e educação. Esta aliança ocorreu por meio de con-
cadores e especialistas em saúde bucal.
>
100
!Público Interno ::
Contato
Apoio à erradicação
do trabalho infantil
Alberto Simões Gaspar
www.pulsar.com.br
Elaborado em: 6/4/2001
Nome:
Website da empresa:
A iniciativa que marcou o apoio da Pulsar à erradicação
como Natal, Páscoa e Dia das Crianças.
do trabalho infantil foi a inclusão de uma cláusula restriti-
A campanha “Prêmio Profissional Cidadão” incentiva
va a essa prática em todos os seus novos contratos, a par-
todos os profissionais da Pulsar a praticar ações beneficen-
tir de 1999 com fornecedores e, a partir de 2000, com
tes e voluntárias na comunidade. Dentre os projetos sociais
clientes. Desde então, caso a empresa venha saber do não-
voltados para crianças e adolescentes apoiados pela Pulsar,
cumprimento dessa cláusula por parte de um fornecedor
destaca-se o projeto Bombeiros Mirins, que atende a 50
ou cliente ela pode denunciar e romper o contrato.
meninos com idade entre 9 e 12 anos. Eles realizam, no
Em função de suas características, a área de tecnologia
quartel dos bombeiros, atividades de reforço escolar, edu-
da informação não é diretamente afetada pelo problema
cação física e treinamentos de primeiros socorros e salva-
do trabalho infantil. Por isso, entre as principais contribui-
mento.
ções da Pulsar estão ações de conscientização desse tema
Outra ação de destaque é o Projeto Caju, desenvolvido
junto aos parceiros da empresa. Por serem potencialmen-
em convênio com a Casa de Juventude de Mauá (SP), que
te multiplicadores, eles podem proporcionar a difusão des-
promove cursos de formação em informática para adoles-
sa consciência para outros setores do mercado. Atualmen-
centes. O projeto, iniciado em 1997, já tem três unidades
te, a Pulsar tem como exigir de seus fornecedores que não
e atendeu a cerca de 4.600 jovens. O programa “Talentos
utilizem o trabalho infantil. Mais que isso, a empresa par-
Humanos” acompanha os adolescentes participantes
ticipa de atividades que visam erradicar o trabalho infantil
desse projeto, oferecendo alternativa de emprego para
em diversas cadeias produtivas.
aqueles que se destacam. Diversas outras iniciativas são
Desde 1996, a Pulsar é uma “Empresa Amiga da Crian-
mantidas pela Pulsar. A empresa realiza, como donativo, a
ça” e sócia-mantenedora da Fundação Abrinq, pelos Direi-
manutenção da rede de informática da AACD (Associação
tos das Crianças. O programa “Empresa Amiga da Crian-
de Assistência à Criança Defeituosa), formada por 220 mi-
ça” incentiva as empresas ao combate da exploração do
crocomputadores e 50 impressoras.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Pulsar Informática Ltda.
trabalho infantil e ao investimento em projetos de melhoria da qualidade de vida das crianças na área de Saúde,
Resultados / benefícios gerados
Nutrição, Educação, Cultura e Trabalho Infantil. Interna-
Como resultado desse processo podem ser menciona-
mente, a Pulsar tem uma área de Projetos Sociais, cuja
dos: o desenvolvimento de uma consciência social por par-
atuação está direcionada para entidades da região onde se
te dos colaboradores, e a melhoria da qualidade de vida
localiza a empresa, no ABC Paulista.
das comunidades assistidas.
Em outubro de 1998, foi fundado o Grupo “Estrela
Azul” que tem como diretriz principal melhorar a qualida-
Motivações
de de vida das pessoas da comunidade. É um grupo aber-
A Pulsar, desde sua fundação, em 1982, tem um histó-
to, do qual participam como voluntários os colaboradores
rico de consciência social. Ao longo dos anos, essa cons-
da empresa, familiares, clientes, fornecedores e outros
ciência desenvolveu-se no sentido do estabelecimento de
parceiros. O “Estrela Azul” promove campanhas e realiza
compromissos com a responsabilidade social, exigindo, in-
doações, além de promover festas para crianças em datas
ternamente, mudanças de atitudes significativas. A partir
101
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
de uma perspectiva de gestão empresarial com foco na
mula seus talentos humanos, clientes e fornecedores a
qualidade das relações e na geração de valor para todos, a
exercer sua cidadania.
empresa adotou iniciativas de caráter social que reafirmam
seus compromissos.
Recomendações para a replicação da prática
Para monitorar a não-ocorrência de trabalho infantil é
Aprendizagens
importante identificar e qualificar os fornecedores. Tam-
A empresa contribui para uma sociedade mais justa
bém é importante incentivar fornecedores e demais parcei-
quando promove ações socialmente responsáveis e esti-
ros a praticar ações socialmente responsáveis.
>
102
!Público Interno ::
Programas de
estágios e capacitação
de adolescentes
Contato
Nome: Robson
de Almeida Melo e Silva
www.cst.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Website da empresa:
A CST (Companhia Siderúrgica de Tubarão), com sede
importantes segmentos da sociedade e aumenta a eficácia e
no Espírito Santo, tem procurado manter um estreito rela-
abrangências dos programas implementados.
cionamento com a comunidade local, orientando sua ação
O Projeto Escola Campeã tem como foco a alfabetização
social para a transformação da sociedade. Essa atuação
e aceleração da aprendizagem. A parceria com o Instituto
prioriza a área de Educação, desenvolvendo programas
Ayrton Senna tem prazo de três anos e beneficia 4,5 mil
voltados para o desenvolvimento de crianças e adolescen-
crianças. O investimento total da CST é de R$ 700 mil. O
tes de maneira a promover emprego, geração de renda, ci-
Programa de Atendimento Integrado à Criança e ao Ado-
dadania e respeito ao meio ambiente.
lescente (Aica) atende crianças e adolescentes em situação
Em 2001, a CST criou o Procap (Programa de Capacita-
de risco social e pessoal, residentes no entorno da CST – e
ção Sócio Educativo) para atender a legislação que regula-
também seus familiares –, para o exercício da cidadania e
menta a aprendizagem de adolescentes. O programa ofe-
incentiva o estudo e sua integração com a comunidade. As
rece Estágio de Nível Superior e Técnico, Estágio de Férias
atividades, em que se destaca o Projeto Cidadão, incluem
e Programa de Aprendizado de Ofício com remuneração
oficinas profissionalizantes, atendimento psicológico,
por meio de bolsa de complementação educacional, segu-
odontológico, passeios e atividades complementares. Até
ro de acidentes pessoais, uniforme, além de alimentação e
2002, mais de mil crianças passaram por esse projeto.
transporte subsidiados pela empresa.
O Projeto Oficinas de Iniciação Profissional: Formação do
Para participar do Procap, o jovem deve ter idade míni-
Trabalho pelo Trabalho visa a promoção do desenvolvimento
ma de 15 anos, pertencer a família de baixa renda, estar
sustentável de pessoas de baixa renda, integradas a entida-
devidamente matriculado e freqüentar escola, e residir no
des sócio-comunitárias, por meio de programas e projetos
município da Serra (ES), onde a empresa está localizada.
sociais desenvolvidos em parceria com a Ação Comunitária
Os adolescentes beneficiados participam de cursos básicos
do Espírito Santo (Aces). Ao longo de cinco anos de existên-
e profissionalizantes ministrados pelo Sesi e Senac, de pa-
cia do projeto, professores e alunos das mais diversas áreas
lestras educativas e encontros com familiares e de lazer
de conhecimento – artes, medicina, economia, direito, peda-
realizados pelo Ciee/ES (Centro de Integração Empresa-Es-
gogia – vêm desenvolvendo cursos profissionalizantes, edu-
cola), entidade responsável pelo acompanhamento sócio-
cação ambiental, atividades sócio-esportivas com crianças,
educativo do programa.
adolescentes e adultos. Em 2002, o programa beneficiou
A CST também desenvolve vários programas voltados
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Companhia Siderúrgica
de Tubarão
cerca de 20 entidades sociais e mais de cinco mil pessoas.
para crianças e adolescentes da comunidade, como os projetos Escola Campeã, Atendimento Integrado à Criança e ao
Resultados / benefícios gerados
Adolescente, Oficinas de Formação Profissional, Crer Com as
A CST tinha, no final de 2002, 47 projetos sociais em
Mãos, Classe Hospitalar, Casa do Menino, Amigos do Parque
andamento, beneficiando mais de 15 mil pessoas. A em-
e o Programa de Comunicação Ambiental CST. Os projetos
presa obteve, no ano passado, o reconhecimento do mer-
apoiados contam, em sua maioria, com a participação direta
cado, sendo incluída, mais uma vez, nas carteiras dos fun-
de outros parceiros, entre eles ONGs, empresas privadas e
dos de investimentos brasileiros socialmente responsáveis,
governo. Esta atuação em parceria permite a participação de
que avaliam as empresas tanto pela perspectiva dos resul-
103
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
tados econômico-financeiro quanto pelo grau de respon-
Aprendizagens
sabilidade social.
A empresa tem procurado manter um estreito relacio-
Em 2002, a CST foi credenciada como Empresa Amiga
namento com a sociedade, ouvindo e procurando ajudar a
da Criança pela Fundação Abrinq pelos Direitos da Crian-
comunidade local a desenvolver seus próprios projetos,
ça e do Adolescente. O credenciamento foi concedido em
numa relação de confiança e visão de longo prazo. Esta
reconhecimento ao engajamento da empresa em traba-
atuação em parceria permite a participação de importan-
lhos sociais voltados para a infância, abrangendo temas
tes segmentos da sociedade, originando ações e resulta-
como trabalho infantil, educação, saúde, direitos civis e in-
dos mais consistentes.
vestimento social na criança.
Recomendações para a replicação da prática
Motivações
São essenciais para o sucesso da prática o comprometi-
A CST incorpora no seu dia-a-dia o princípio do desenvol-
mento de toda a empresa e a constante atualização do pú-
vimento sustentável da sociedade, considerando-o um fator
blico interno quanto às ações sociais implementadas. Tam-
importante para seu sucesso. Dentro do plano de crescimen-
bém são fundamentais para o alcance dos objetivos a for-
to sustentado e da busca por resultados cada vez melhores,
mação e a capacitação dos parceiros, a comunicação regu-
o desempenho econômico-financeiro está intrinsecamente li-
lar entre eles e a interlocução com a sociedade para iden-
gado ao bem-estar dos empregados e da comunidade.
tificação de suas principais necessidades.
>
104
!Público Interno ::
Contato
Programa Adolescente
Trabalhador – PAT
Nome:
Maria Carolina Gomes de Paula Pessoa
Website da empresa: www.bb.com.br
Elaborado em:
20/10/2003
O Banco do Brasil lançou o Programa Adolescente Tra-
atendidos em todo Brasil por meio de 330 convênios. As
balhador em maio de 2001, visando promover, em todo o
primeiras certificações serão concedidas em maio e outu-
país, a inclusão social de jovens de baixa renda. Por meio
bro de 2004, de acordo com as modalidades do contrato.
da capacitação profissional, esses jovens são preparados
Os jovens beneficiados receberam do programa R$ 1,1 mi-
para uma futura colocação no mercado de trabalho. O PAT
lhão, dos quais R$ 800 mil foram investidos em salários
é destinado a jovens com idade entre 15 e 16 anos e qua-
mínimos regionais e R$ 300 mil em vales-alimentação.
tro meses, pertencentes a famílias com renda per capita de
até meio salário mínimo. Eles devem estar regularmente
Motivações
matriculados e freqüentando a 7ª. série do Ensino Funda-
O Programa Adolescente Trabalhador está socialmente
mental, e inscritos e selecionados para participar de pro-
alinhado ao programa Primeiro Emprego, como eixo de
gramas de apoio comunitário ou regime de abrigo, ambos
preparação e de capacitação profissional para a futura in-
desenvolvidos por entidades filantrópicas conveniadas ao
serção de jovens de baixa renda no mercado de trabalho.
Banco do Brasil.
Para obter sua certificação ao fim de 18 ou 24 meses de
Aprendizagens
aprendizagem, o jovem beneficiado cumpre uma grade de
O trabalho voluntário dos funcionários-orientadores é
treinamento dividida em quatro módulos: dois ministrados
um importante pilar de sustentação do programa e, para
pelo Banco do Brasil (teoria e prática bancária), e dois por
lidar com esse público, um treinamento é realizado por
uma entidade filantrópica (cidadania e educação básica).
uma empresa especializada. O programa se diferencia, adi-
O aprendiz tem, em média, quatro horas de convivência
cionalmente, por uma fase denominada Orientação Profis-
interna no banco, onde realiza atividades bancárias coti-
sional, conduzida por instituição acadêmica, visando auxi-
dianas e interage com o corpo funcional, e uma hora de
liar os menores na escolha vocacional. A vinculação do PAT
aprendizagem profissional.
às políticas públicas e propostas sociais concretizou-se com
O PAT é acompanhado minuciosamente pelos órgãos
a adesão ao Programa Primeiro Emprego, no Termo de
públicos intervenientes, especialmente o Ministério Públi-
Compromisso de 27 de junho de 2003, assinado pela Pre-
co. O gerenciamento, feito pelo próprio banco, contempla
sidência da República. A revisão do treinamento objetiva
a celebração de convênios com entidades filantrópicas,
disseminar a aprendizagem instrucional e o engajamento
responsáveis por atender exclusivamente aos pleitos de se-
das pequenas entidades do interior.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Banco do Brasil S.A.
leção e ao provimento de vagas nas dependências do BB
em todo o país.
Recomendações para a replicação da prática
O programa deve ser avaliado pela empresa com base
Resultados / benefícios gerados
em sugestões das Delegacias Regionais de Trabalho e Con-
Até o segundo semestre de 2003, 3.430 jovens foram
selhos Municipais da Criança e do Adolescente.
105
>
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Centrais Elétricas
Brasileiras – Eletrobrás
Contato
Projeto Eletrosul
Casa Aberta
Nome: Mario
José Macuco
Website da empresa: www.eletrosul.gov.br
Elaborado em:
A Eletrosul, distribuidora de energia do Grupo Eletrobrás,
21/10/2003
sando abrir suas portas para que as comunidades conhe-
implantou, em 1990, o Projeto Eletrosul Casa Aberta, visando
cessem a empresa.
despertar as crianças do Ensino Fundamental para o uso responsável da energia elétrica, ajudando-as a desenvolver o
Aprendizagens
senso de preservação dos recursos naturais. O projeto distri-
As ações empreendidas devem sempre atender os objeti-
bui material didático e escolar para as crianças e promove for-
vos de transparência e parceria com a comunidade. A edu-
mação de professores, oferecendo informações sobre o pro-
cação social da criança deve ser priorizada, buscando a qua-
cesso de geração, transmissão e distribuição de energia elétri-
lidade da informação e entendendo-a como agente multipli-
ca; sobre o meio ambiente e combate ao desperdício de ener-
cador na família e na sociedade.
gia; e sobre cuidados e perigos no trato com a eletricidade.
O projeto deve manter o foco no estudante de Ensino
Entre os princípios que norteiam o projeto destacam-se a
Fundamental, que reúne a necessidade do conhecimento,
responsabilidade na construção de um futuro digno e justo e
facilidade de assimilação e difusão das informações recebi-
a priorização da educação social da criança por meio da qua-
das. Estar presente e realizar divulgação em eventos comuni-
lidade da informação, transformando-a num agente multipli-
tários pode resultar em sua ampliação. É também importan-
cador na família e na sociedade. O Projeto Eletrosul Casa
te manter a equipe envolvida e motivada, pois sua imple-
Aberta tem como prioridade trazer os estudantes para den-
mentação depende da disposição, capacidade e atitude das
tro da empresa. A meta é mostrar que a Eletrosul é uma em-
pessoas envolvidas.
presa de responsabilidade social que, por meio da educação
das crianças, leva ao núcleo familiar o interesse em econo-
Recomendações para a replicação da prática
mizar energia elétrica e reduzir gastos.
A realização de um projeto desse porte depende de uma
Tendo como público alvo alunos da 4ª série do Ensino
equipe altamente comprometida, da alocação de recursos fi-
Fundamental, o projeto é desenvolvido durante o período
nanceiros e materiais, do recrutamento de parceiros e da
letivo nos estados em que a Eletrosul atua: Santa Catarina,
sensibilização das escolas.
Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul. Partici-
É necessário contatar as autoridades da área de Educação,
pam do projeto empregados de diversas áreas da Eletrosul
a cada início de ano, para reforçar os compromissos educa-
que atuam no planejamento como instrutores ou integran-
cionais e sociais; utilizar recursos materiais, financeiros e lo-
do a equipe de apoio.
gísticos, bem como o recrutamento de profissionais da própria organização, para viabilizar o projeto por meio da con-
Resultados / benefícios gerados
tenção de custos e da racionalização de recursos; pré-agen-
A empresa já atendeu 1.189 escolas, envolvendo 6.810
dar as escolas; oferecer de transportes de ida e volta dos alu-
professores e 142.889 alunos.
nos, de forma a dar oportunidade a todos, principalmente os
integrantes de famílias de baixa renda; e distribuir kits com
Motivações
material didático e escolar, para todas as crianças participan-
A Assessoria de Relações Empresariais da Eletrosul deu
tes, com informações a respeito dos temas abordados, de for-
início à implantação do Projeto Eletrosul Casa Aberta vi-
ma a reforçar os conceitos apreendidos e disseminá-los.
106
!Público Interno ::
Contato
Marco Aurélio Faria Coelho
www.engeset.com.br
Elaborado em: 21/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Projeto EmCantar
O Projeto EmCantar é um trabalho social com foco em
“EmCantar” (produzido em 1999) e do CD “Mutirão”,
Educação, desenvolvido pela Engeset (Engenharia e Servi-
gravado em 2002 e 2003.
ços de Telemática S/A) nas comunidades de Araguari e
A Engeset remunera os responsáveis pelas oficinas do
Uberlândia, em Minas Gerais. O projeto é realizado em
Programa Educando e de formação de multiplicadores, ce-
parceria com outras empresas do grupo e apoiado pelo
dendo transporte, infraestrutura, espaço físico e logística
Instituto Algar.
para a realização de reuniões e oficinas; patrocina a produ-
Os beneficiados são crianças e adolescentes de escolas
ção fonográfica e audiovisual de eventos e ações; e dispo-
públicas. Mais de 250 alunos, professores e membros da
nibiliza profissionais da empresa para questões administra-
comunidade participam semanalmente de oficinas volta-
tivas. O investimento da empresa no projeto é de R$ 65 mil
das à promoção da cultura popular, produção de textos e
por ano.
educação ambiental, tendo como instrumento pedagógico a música brasileira. Dos participantes, 20 já se tornaram
Resultados / benefícios gerados
multiplicadores, responsáveis pela formação e continuida-
Entre as realizações dos últimos anos estão 180 apre-
de de novos grupos para o EmCantar. Por meio de seus
sentações musicais à comunidade; produção e apresenta-
núcleos de estudo, pesquisa e aplicação em Cultura Popu-
ção de um programa de rádio; participação em vários fes-
lar (NEPP) e Educação Ambiental (NAC), o projeto também
tivais audiovisuais, como o Festival do Minuto; gravação e
atua na formação de educadores, desenvolvendo o Pro-
participação em discos de artistas regionais; realização de
grama Educando em parceria com dez escolas da rede pú-
12 oficinas músico-ambientais por semana com 250 crian-
blica de Uberlândia.
ças e adolescentes, desde 2001; e realização de oficinas
As atividades foram iniciadas em 1996, com um voluntá-
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Grupo Algar
mensais de formação com 40 educadores da rede pública
rio e treze crianças. Em 1999, o projeto passou a ser apoia-
de Uberlândia, desde 2002.
do pela Engeset. Atualmente, conta com a participação de
A empresa foi premiada por três anos consecutivos com
15 voluntários e 40 professores de escolas públicas. Os pro-
o Selo Empresa Cidadã (2000, 2001 e 2002), Empresa La-
fessores voluntários são especializados nas áreas de educa-
tino Americana Ecologicamente Correta (Sluat) 2001, e re-
ção, filosofia, ciências sociais, música e meio ambiente. O
cebeu o Título de Desempenho Comunitário 2002.
projeto visa difundir o conceito de responsabilidade com a
preservação do meio ambiente e o conhecimento das mani-
Motivações
festações de cultura popular existentes na região do Triân-
A consciência responsável em relação ao Meio Ambien-
gulo Mineiro, como Congada, Folia de Reis, Carnaval e
te e à Identidade Cultural é um fator indispensável à forma-
compositores anônimos. Incentiva a seleção e reciclagem do
ção de cidadãos. O desenvolvimento do Projeto EmCantar
lixo doméstico e disponibiliza o atendimento pelo Telefone
deve-se ao compromisso espontâneo de pessoas que acre-
Verde CTBC (0800-342040) em todo o território nacional.
ditam na possibilidade de construir uma sociedade melhor.
São realizadas apresentações musicais em escolas, empresas, comunidades, congressos e seminários sobre te-
Aprendizagens
mas relacionados ao projeto, além da distribuição do CD
A reprodutibilidade do Projeto EmCantar acontece no
107
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
momento em que as pessoas tornam-se multiplicadoras de
Recomendações para a replicação da prática
suas causas, objetivos e atividades. O projeto é percebido
As estatísticas mostram que não é somente por meio de
pelos voluntários e beneficiados como um espaço de ma-
normas, métodos e procedimentos que um projeto social
nifestação das individualidades e potencialidades, aberto
pode ser aplicado a outros grupos ou regiões. Esses crité-
para discussões sobre assuntos que não encontram espa-
rios são necessários apenas como um suporte para quem
ço na maneira tradicional de transmitir conhecimento.
deseja desenvolvê-lo com parcerias. É essencial que a em-
Nessa prática o conceito de Educação define-se como pro-
presa conheça suas bases, objetivos e a forma como são
cesso de formação permanente e integral do ser humano.
trabalhados.
>
108
!Público Interno ::
Contato
Nome: Juliana
Matos
www.tba.com.br
Elaborado em: 21/10/2003
Website da empresa:
Programa TBA em Ação
Desde 1997, o Grupo TBA, que atua na área de Tecno-
Foram realizadas reformas nos banheiros, na cozinha,
logia da informação, fazia doações a algumas instituições
no refeitório, pinturas temáticas nas salas, além da doação
sociais. Porém, ao adquirir mais experiência na área da
de um veículo utilitário para a creche.
Responsabilidade Social Empresarial, percebeu a necessi-
O projeto do Centro Comunitário de Informática leva
dade de realizar uma ação mais estruturada e criou o Pro-
conhecimentos específicos a cerca de 200 crianças por
jeto TBA em Ação. A gestão do projeto ficou a cargo da
mês. No caso da Missão Criança, o trabalho desenvolvido
área de Marketing e foi contratada uma assistente social
traz resultados significativos, pois proporcionar inclusão di-
responsável pela seleção e análise de propostas e projetos
gital hoje é colaborar para a educação no Brasil.
voltados à área social.
A empresa estabeleceu como objetivo a atuação em
Motivações
áreas comunitárias, especificamente com crianças, e a im-
O grupo TBA decidiu priorizar as crianças como foco de
plementação de projetos em parceria. A primeira institui-
sua ação. A parceria com a Missão Criança permitiu incor-
ção selecionada foi a Creche Lúcio Costa, localizada no
porar na atuação social a área de especialidade da empresa.
Guará, cidade-satélite de Brasília, que atende 56 crianças
carentes com idade entre 1 a 4 anos. O Grupo TBA atua
Aprendizagens
como um dos mantenedores, contribuindo financeiramen-
O apoio a projetos com foco nas crianças é tarefa que
te e com outras ações. Convênio com o Laboratório Sabin
exige certos cuidados, mas que, de forma geral, traz bons
viabilizou exames gratuitos para todas as crianças.
resultados. Participar de projetos assim é muito gratifican-
O Grupo TBA também mantém um Centro de Informá-
te para todos os colaboradores da empresa.
tica numa cidade na periferia do Distrito Federal, resultan-
Usamos todos os meios de comunicação internos da
te de uma parceria com a Missão Criança, organização
empresa (e-mails, intranet, informativos) para divulgar
não governamental que trabalha com a inclusão digital de
nossas conquistas. A assessoria de imprensa trabalha para
crianças e adolescentes carentes. Em ambos os casos são
que os releases sejam publicados em vários veículos, infor-
realizadas visitas periódicas às instituições e acompanha-
mando toda comunidade e clientes sobre as ações
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Grupo TBA
mento permanente da aplicação dos recursos doados. As
aulas visam cidadania e capacitação profissional e por isso
Recomendações para a replicação da prática
envolvem não só conhecimentos de informática, mas tam-
Ter a compreensão de que o sucesso na área social re-
bém artes, música, direitos e deveres.
quer uma análise criteriosa das instituições com as quais se
pretenda firmar parcerias. Ter profissionais na empresa de-
Resultados / benefícios gerados
dicados somente à área da assistência social é de suma im-
O programa TBA em Ação tem conseguido bons resul-
portância.
tados no que diz respeito a proporcionar melhor qualida-
A área de gestão deve manter sempre ativa as redes so-
de de vida às crianças atendidas em suas duas frentes de
ciais que contribuem para a melhoria do programa. Troca
atuação: a Creche Lúcio Costa e o Centro Comunitário de
de experiências, participação em seminários e palestras
Informática/Missão Criança.
são muito importantes para a capacitação.
109
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Petrobrás
Contato
Programa Brincando
a Gente Aprende
Nome:
Marta Ew
Website da empresa: www.innova.ind.br
Elaborado em:
O Programa Brincando a Gente Aprende visa promover
27/10/2003
Resultados / benefícios gerados
a educação e melhorar a qualidade de vida das crianças da
A creche Trilhos é uma das sete entidades apoiadas pela
creche Trilhos. Localizada em Montenegro (RS), a institui-
instituição Lar Espiritualista, e, após três anos de atividades em
ção mantém 60 crianças de até seis anos no berçário, ma-
parceria com a Innova, está se tornando modelo. Mediante os
ternal e pré-alfabetização. O Innova pela Vida, time virtual
resultados, a empresa está estudando um projeto para im-
de colaboradores que coordena as ações sociais da empre-
plantar o programa nas outras creches. A instituição foi bene-
sa desde o segundo trimestre de 2002, contribui de ma-
ficiada com uniformes para as crianças e atendentes. As crian-
neira significativa na melhoria da estrutura física e de aten-
ças, com a aproximação dos pais, por meio da realização de
dimento às crianças, e garante a elas supervisão e acom-
eventos em datas comemorativas. Os colaboradores, por per-
panhamento pedagógico de qualidade. O objetivo é que a
tencerem a uma empresa que atua com responsabilidade so-
entidade incorpore essas práticas e tenha condições de
cial que, por sua vez, tem sua imagem fortalecida na região.
realizá-las com seus próprios recursos.
A Innova, indústria petroquímica do Grupo Petrobrás,
Motivações
interage com as ações propostas pela pedagoga, apoian-
A realização de campanhas internas por colaboradores
do a compra de materiais e equipamentos, e motivando
da empresa motivou a diretoria a oficializar as ações so-
movimentos internos para participação voluntária dos fun-
ciais na empresa, criando o Innova pela Vida. O time vir-
cionários da empresa por meio de campanhas relacionadas
tual iniciou as atividades na creche Trilhos em 2000, com a
ao tema que está sendo trabalhado no momento. O pro-
doação de agasalhos e brinquedos.
jeto contempla desde orientações básicas, como cordialidade, higiene, zelo com o ambiente e respeito aos colegas,
Aprendizagens
até o desenvolvimento das habilidades das crianças e ra-
A Innova, há cinco anos no mercado, não dispunha de
ciocínio lógico. Para que esse trabalho tenha continuidade,
grandes somas para investir em ação social. Com um orça-
a empresa patrocinou treinamentos para as atendentes da
mento de R$ 50 mil por ano, a empresa pôde realizar pro-
creche.
jetos sociais. É possível encontrar soluções simples, sem
O Brincando a Gente Aprende teve início em 2000,
envolver valores altos. Outra aprendizagem é que o pro-
quando a Innova recorreu à prefeitura da cidade para pe-
cesso de inserção social da criança de baixa renda se dá
dir a doação de um terreno. A casa foi ampliada, o terre-
através da educação.
no cercado e gramado, e a creche ganhou um playground.
A empresa tem como parceiros no projeto nutricionistas,
Recomendações para a replicação da prática
uma profissional de arquitetura e jardinagem, Jornal Ibiá,
É preciso ter claro que o processo educativo é contínuo
Rotary Club e a Petroquímica Triunfo.
e os resultados são obtidos a longo prazo.
>
110
!Público Interno ::
Contato
Programa Aprendendo
com a Natureza
Nome:
Rosemeire Andrade
Website da empresa: www.philips.com.br/social
Elaborado em:
27/10/2003
O Programa Aprendendo com a Natureza, desenvolvido
sobre o perigo de doenças sexualmente transmissíveis
pela Philips do Brasil, visa despertar a consciência ambien-
(DST), principalmente a Aids. O tema “Prevenção das
tal e incentivar alunos entre 7 e 10 anos de escolas da rede
DSTs/Aids na Adolescência” foi escolhido porque favorece,
pública a apreciar e preservar o meio ambiente. Ao criar si-
simultaneamente, a atuação nas áreas de saúde, educação
tuações que demonstrem a necessidade de se contribuir
e voluntariado.
para a preservação do ambiente, altera hábitos e estimula
Em 2003, o comitê acrescentou em suas palestras o
a mobilização por um mundo melhor. As atividades são
tema “Gravidez não-planejada” propondo uma reflexão
agendadas em escolas próximas de unidades fabris da em-
sobre o assunto, interagindo e levantando questões junto
presa.
aos adolescentes. Para incluir a nova atividade, os voluntá-
Na implementação do programa foram usadas as mais
rios da empresa passaram por um treinamento, visando es-
modernas ferramentas didático-pedagógicas que permiti-
clarecer os fatores físicos e psicológicos que envolvem a
ram a interação da Philips com instituições governamen-
gravidez na adolescência.
tais, comunidades locais e funcionários. Iniciado em 2002,
O Comitê Doe Vida, composto por funcionários da Phi-
em parceria com a Horizonte Geográfico (empresa de co-
lips, teve auxílio da organização não-governamental
municação especializada em relações com a comunidade),
GTPOS (Grupo de Trabalho e Pesquisa em Orientação Se-
capacitou voluntários da empresa na área ambiental, tor-
xual), e parceria das Secretarias de Educação Estaduais e
nando-os aptos a levarem para as escolas, por meio de pa-
do Conselho Nacional Empresarial para Prevenção de
lestras lúdicas e interativas, informações sobre educação
DSTs/Aids.
ambiental.
A empresa investe anualmente cerca de R$ 200 mil na
O Programa Aprendendo com a Natureza, no entanto,
confecção de material, capacitação de voluntários e comu-
não se resume à ação dos voluntários junto aos alunos. Os
nicação interna do projeto. A divulgação do programa é
funcionários da Philips e a equipe de coordenação traba-
realizada por meio de cartazes, folhetos e banners afixa-
lham com os professores, em encontros regulares, para ga-
dos no ambiente interno de todas as unidades das empre-
rantir que a necessidade de preservação permaneça em
sas do grupo e nas escolas que pretende atingir. O projeto
pauta nas escolas durante o ano letivo. Em 2003, o pro-
alcança o público interno da companhia e as comunidades
grama foi reformulado, aumentando a ação dos voluntá-
onde a sede e as fábricas da Philips estão instaladas, e tem
rios e integrando os assuntos tratados ao currículo dos alu-
sido divulgado em sites referenciais.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Philips
nos do Ensino Fundamental. A empresa passou a oferecer
cursos de formação e conscientização para os professores,
Resultados / benefícios gerados
conseguindo assim atingir também as crianças que estão
O Programa Aprendendo com a Natureza já beneficiou
em salas que não contam com a participação dos voluntá-
20 mil alunos de 1a a 4a série e 400 professores de 80 es-
rios da Philips.
colas nas regiões de Manaus, Recife, Varginha e Grande
Em 2001, Ano Internacional do Voluntariado, a Philips
São Paulo. A atuação da Philips na preservação do meio
lançou o Projeto Doe Vida, com o objetivo de esclarecer e
ambiente é reconhecida mundialmente. A empresa con-
sensibilizar alunos do Ensino Médio das escolas públicas
quistou a “Medalha de Ouro 1998”, entregue pelo World
111
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Environment Center, com sede em Washington, pelo pro-
e o preconceito em relação ao assunto foram os fatores
jeto de preservação ambiental mundial que, entre outras
preponderantes para que a empresa investisse no Projeto
ações, recomenda a redução de 15% nos materiais usados
Doe Vida.
nas embalagens dos produtos.
Para o Doe Vida, a Philips esperava ter cerca de 150 vo-
Aprendizagens
luntários e quatro mil estudantes nos primeiros seis meses
Um fator determinante de sucesso em ambos os proje-
de atuação. A meta foi superada, atingindo-se 241 volun-
tos são as palestras. As propostas são inovadoras e abor-
tários e nove mil estudantes, ao final do primeiro ano. Em
dam os temas com dinâmicas nas quais os alunos são pro-
2002, empresa conquistou os Prêmios Marketing Best de
tagonistas, o que garante a adesão e a receptividade de
Responsabilidade Social e Top Social ADVB, com 261 vo-
todos os estudantes. A sensibilização é o método adotado
luntários, que atingiram 12 mil estudantes.
para atingir os adolescentes. Por meio da emoção, o Doe
Para a Philips, o público interno é o primeiro a se bene-
Vida interage com os alunos, atingindo seus conceitos,
ficiar com programas de responsabilidade social. A empre-
fantasias, crenças e mitos. O método recorre ao bom hu-
sa ganha em produtividade e conquista a lealdade do fun-
mor e valoriza as potencialidades, não só no que diz res-
cionário. Uma prova do sucesso do programa entre os vo-
peito as DSTs, Aids e à Gravidez não Planejada, mas tam-
luntários é o baixo índice de desistência. Pesquisas realiza-
bém ao “preço” da vida. No caso do Doe Vida, o sucesso
das demonstraram que o projeto, além de beneficiar milha-
está na preparação dos voluntários.
res de jovens, gera orgulho nos envolvidos.
O Projeto Doe Vida conquistou o reconhecimento de
Recomendações para a replicação da prática
inúmeras entidades ligadas à área, por meio dos seguintes
É importante que o projeto não se resuma à ação dos
prêmios: Marketing Best de Responsabilidade Social
voluntários com os alunos. Os funcionários e a equipe de
(2001); Top Social ADVB (2001); e Top Social ADVB Nor-
coordenação também devem trabalhar com os professo-
deste (2002).
res, garantindo que o tema da preservação esteja em pauta durante todo o ano letivo. Oferecer formação para os
Motivações
professores, garante, além da capacitação, sua conscienti-
Há alguns anos, a Philips, que tem entre suas missões o
zação, e faz com que o programa atinja todos os âmbitos
desenvolvimento sustentável, criou o Programa Mundial
da escola. O vínculo entre escola, empresa e sociedade
Ecovision, buscando dar atenção ao ciclo de vida de seus
também é fortalecido, já que todos passam a trabalhar em
produtos e matérias-primas. Decidiu também ampliar sua
conjunto para a melhoria da qualidade de vida da comu-
atuação relacionada à preservação do Meio Ambiente,
nidade.
criando o Programa Aprendendo com a Natureza.
As parcerias são fundamentais. É necessário sempre con-
Em 1998, quando o Ministério da Saúde criou o Con-
sultar uma ONG ou instituição que seja especialista no as-
selho Empresarial para Prevenção ao HIV e Aids, a empre-
sunto, para que auxiliem a elaborar um projeto coerente,
sa ingressou na comissão, composta por 24 companhias,
que aborde o tema da maneira mais eficaz. Antes de tudo,
e detectou o aumento do contágio das doenças sexual-
porém, é preciso avaliar sua pertinência e se atende às ne-
mente transmissíveis, principalmente entre os jovens. Ou-
cessidades reais da comunidade. É importante prover recur-
tro sinalizador de que a juventude corre mais risco é o au-
sos para munir de informações os voluntários, para pode-
mento da gravidez na adolescência. A falta de informação
rem responder e tratar do assunto.
>
112
!Público Interno ::
Contato
Projeto Esporte
Esperança
Luciana Bueno
www.ripasa.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O Projeto Esporte Esperança é desenvolvido pela Secreta-
das em 2001. Com a nova formatação, a meta para 2003 é
ria de Esportes de Americana (SP) em parceria com a Ripasa,
beneficiar aproximadamente 1.300 crianças e adolescentes,
desde 1999, em três escolas e um ginásio poliesportivo, com
entre os 7 e 14 anos.
aproximadamente 500 crianças.
A utilização do esporte como instrumento de educação
No início da parceria, o objetivo era suprir as aulas de Edu-
também pode ser citada como um benefício. O envolvimen-
cação Física que foram retiradas dos currículos das quatro
to da comunidade junto ao projeto também é fator impor-
primeiras séries do ensino Fundamental. Em 2001, foram be-
tante, assim como a influência exercida sobre o poder públi-
neficiadas mais de 1.700 e no ano de 2002, 2.300 crianças.
co, para que ele assuma a importância e a defesa da inicia-
Em 2003, com o retorno das aulas de Educação Física ao cur-
ção esportiva como elemento de sociabilização e educação.
rículo escolar, o projeto foi totalmente readaptado e passou
A parceria realizada entre a Ripasa e a Secretaria Municipal
a atender a comunidade, envolvendo as praças de esporte e
de Esportes de Americana ampliou o atendimento e propor-
ginásios municipais.
cionou uma melhora nos resultados sociais alcançados com
Sendo assim, foi necessária a promoção de algumas mo-
crianças de 7 a 14 anos.
dificações técnicas e pedagógicas para atender as particularidades da nova atuação, e o complemento das atividades
Motivações
escolares com a prática da iniciação desportiva. Ampliou-se
A Ripasa visualizou nesse projeto o poder de abrangência
o programa para duas sessões de aulas por semana, com
que a parceria poderia proporcionar utilizando o esporte
foco no rendimento pedagógico da criança, bem como sua
como instrumento de educação e como promotor do desen-
motivação, relacionamento, além de estimular a conservação
volvimento da cidadania. Além disso, o projeto contribui com
dos aparelhos sociais esportivos por toda a comunidade, alu-
o crescimento da criança, bem como com o seu desenvolvi-
nos e familiares.
mento psicomotor e cognitivo.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Ripasa S/A –
Celulose e Papel
O Esporte Esperança envolve também as associações comunitárias que, assim como a Secretaria Municipal de Es-
Aprendizagens
portes de Americana, disponibilizam locais para as aulas. A
A Ripasa destaca como fator essencial para solucionar os
Ripasa fornece o material esportivo, os professores e reali-
problemas o diálogo com todas as partes envolvidas, bem
za a co-gestão do projeto junto com a equipe técnica da
como a articulação positiva com a comunidade, buscando
Secretaria Municipal.
com que ela participe do processo de implantação do projeto.
Resultados / benefícios gerados
Recomendações para a replicação da prática
Em 2001, foram atendidos oito escolas e um ginásio de
Conhecer as reais necessidades da comunidade envolvida
esportes do município de Americana, representando mais de
e articular todos os atores sociais necessários para a implan-
1.700 crianças participantes, nas modalidades futebol de sa-
tação do projeto: poder público, comunidade e empresa. É
lão e voleibol. Em 2002, foram atendidos nove escolas e um
importante, quando se tratar de um projeto ligado à infân-
ginásio de esportes, ampliando o atendimento para 2.300
cia, transformá-lo em algo envolvente, que atraia a atenção
crianças de Americana nas mesmas modalidades desenvolvi-
das crianças e amplie a sua participação.
113
>
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Franquia McDonald’s
Contato
Nome:
Ronald Luiz Monteiro
27/10/2003
Elaborado em:
Projeto Resgatando
A RLM Comércio de Alimentos, empresa franqueada da
Resultados / benefícios gerados
McDonald´s na Baixada Santista (SP), é parceira do Projeto
Por essa e outras iniciativas, a RLM conquistou o selo
Resgatando, voltado para a reinserção social de crianças e
“Empresa Amiga da Criança” da Fundação Abrinq e o selo
adolescentes em situação de risco. Criada em 1996, a ini-
“Empresa que Educa”, do Senac, pela parceria no projeto
ciativa tem caráter educativo e obedece ao regime de
Educação para o Trabalho.
apoio sócio-educativo em meio aberto, estabelecido no Es-
O benefício direto é o desenvolvimento dos participantes.
tatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A sede do pro-
Como conseqüência, a comunidade também é beneficiada.
jeto, que funciona como um centro de convivência, tem
O projeto Resgatando atende 40 crianças e adolescentes
capacidade para 40 crianças e adolescentes. Durante o dia
por ano. Atualmente, São Vicente não possui crianças e
são realizados cursos que visam resgatar valores da cidada-
adolescente vivendo nas ruas. Algumas das crianças e ado-
nia e a auto-estima e desenvolver as potencialidades de
lescentes participantes do projeto retornaram para suas fa-
cada um.
mílias, e todos estão matriculados em escolas. Atualmente,
Durante seis meses, os alunos aprendem informática,
20 jovens que participaram do Resgatando estão trabalhan-
saúde, transações comerciais, organização do ambiente de
do como atendentes nas franquias McDonald’s da Baixada
trabalho e atendimento ao cliente. Noções de apresenta-
Santista.
ção pessoal e de direitos e deveres dos trabalhadores também fazem parte do programa do curso. Na última etapa
Motivações
do trabalho, os jovens têm a oportunidade de vivenciar o
Assim como nas demais práticas, a RLM procura atuar de
dia-a-dia de uma companhia, percorrendo departamentos
forma a impactar positivamente as comunidades. Por meio
e observando atividades. Muitos alunos dividem com pa-
do Projeto Resgatando, a empresa está unindo diversos seg-
rentes e amigos o aprendizado adquirido no curso, que
mentos da sociedade para colaborar no desenvolvimento
oferece ainda noções básicas de higiene e informações so-
dos jovens e crianças.
bre alimentação, métodos preventivos, drogas e doenças
Aprendizagens
sexualmente transmissíveis. Quando atingem 18 anos, os
A dedicação da presidência da empresa foi um dos fato-
adolescentes passam a ser atendidos por outros projetos
da Prefeitura de São Vicente.
res de sucesso da prática. O desenvolvimento deste projeto
possibilitou o estabelecimento de outras parcerias e projetos.
Desde 2000, a empresa contribui com o fornecimento
de lanches diários, material escolar, uniformes para a prá-
Recomendações para a replicação da prática
tica de esportes e a contratação de profissionais, como
professores de educação física, médicos, psicólogos e den-
A direção da empresa precisa estar mobilizada para a im-
tistas. O total de investimento financeiro no projeto é de
plantação da prática. Também é essencial encontrar o par-
R$ 40 mil anuais. A ação conta com o trabalho de volun-
ceiro correto para que a iniciativa seja bem sucedida, pois
tários da empresa, em parceria com a Prefeitura de São Vi-
unir competências e recursos facilita que os objetivos sejam
cente, a Associação Comercial de São Vicente e o 39º Ba-
alcançados. Encontrar uma área de interesse e focar a atua-
talhão da Polícia Militar do Interior.
ção é importante para não dispersar esforços e recursos.
114
!Público Interno ::
Contato
Nome: Cláudia
Liborio
www.fieb.org.br
Elaborado em: 27/10/2003
Website da empresa:
Programa Largada 2000
O Programa Largada 2000 é uma parceria entre o Sesi
tas, Associação do Bairro do Rio Vermelho, Associação de
(Serviço Social da Indústria) e o Instituto Ayrton Senna
Moradores da Comunidade Santa Rosa de Lima e com a
(IAS). Implantada no Sesi/Bahia em 1999, hoje é desenvol-
Associação de Funcionários da Empresa Braskem. Esses
vido em sete unidades e atende jovens de 14 a 19 anos.
parceiros contribuem com a participação de estudantes
O programa tem como objetivo contribuir para a im-
universitários bolsistas e cedendo espaço adequado para o
plantação de políticas públicas no Brasil, exercendo pres-
desenvolvimento das ações. O Sesi disponibiliza o conhe-
são para a inclusão do jovem na agenda nacional. Imple-
cimento da pedagogia social que vem sendo empregada.
menta dois projetos convergentes, complementares e in-
Para atender o programa, o Sesi capacita profissionais
terdependentes. O primeiro, voltado para a produção e
das áreas de pedagogia, lazer, arte-educação, serviço so-
disseminação da pedagogia social relativa ao desenvolvi-
cial e professores das diversas áreas do conhecimento (ma-
mento do adolescente, e o segundo, ao redimensiona-
temática, português, história, geografia, química etc), e
mento das atividades de atenção direta a esse público.
conta com um quadro de pessoal que responde pelo fun-
Uma das grandes novidades do “Largada” é a visão da ju-
cionamento do mesmo.
ventude como um segmento que possui uma potencialida-
O “Largada” é implementado nos municípios de Salva-
de presente, principalmente para o voluntariado.
dor, na Escola Reitor Miguel Calmon, do Sesi, nas unida-
A proposta metodológica desenvolve-se apoiada em
des de lazer – Itapagipe e Rio Vermelho, no Senai – Curso
três eixos: educação para valores, protagonismo juvenil e
de Aprendizagem Industrial, na Escola Candeias, na Unida-
cultura da “trabalhabilidade”. Na escola, o programa acon-
de de Lazer Simões Filho e em quatro escolas municipais
tece transversalmente aos conteúdos, fluindo por temas
de Feira de Santana.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
SESI – Serviço Social
da Indústria – DR BA
que dão sustentação à proposta de formação dos jovens,
através das diversas áreas curriculares. Nas unidades de la-
Resultados / benefícios gerados
zer do Sesi, os eixos são fortalecidos em atividades sócio-
O programa atende 2.500 jovens de 14 a 19 anos e vem
educativas, oficinas, cursos de caratê, dança, natação, balé
apresentando resultados significativos tanto para a forma-
e em discussões diárias sobre temáticas diversas.
ção dos jovens, quanto para a formação continuada dos
Associada a essas atividades é promovida a elaboração
educadores das escolas. São, atualmente, 100 educadores
de projetos de intervenção social pelos jovens, que são im-
capacitados e atuando junto aos jovens e sete escolas aten-
plementados nos próprios espaços sociais do Sesi, em es-
didas. É crescente o número de jovens participantes do pro-
colas públicas, comunidades, nos bairros em que moram e
grama que elaboram e implementam projetos sociais de in-
em entidades que prestam serviços sociais, como asilos,
tervenção em creches, escolas, asilos, hospitais e comunida-
creches e hospitais. Essa metodologia promove o desen-
des. Em 2000 foram 18%; em 2001, 46%; em 2002, 50%.
volvimento de competências pessoais, assim como a soli-
Observam-se alterações visíveis na atitude dos adolescen-
dariedade e a participação na vida social.
tes diante da vida, em relação a si mesmo e aos outros. São
Para responder aos seus desafios o programa realiza
perceptíveis também as mudanças dos adolescentes em rela-
parcerias com a Universidade Católica de Salvador, prefei-
ção ao meio-ambiente, resultantes de uma nova sensibilida-
turas dos municípios de Feira de Santana e Lauro de Frei-
de nos temas sociais relacionados ao exercício da cidadania.
115
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Os resultados do trabalho potencializam outras ações
Aprendizagens
educativas das instituições que viabilizam o programa,
O Programa Largada 2000 vem contribuindo para insti-
contribuindo para que os jovens assumam capacidades
tuir nos jovens uma consciência que auxilia na construção
de gerir projetos, e adquiram habilidades para o mundo
da democracia participativa. O caminho para essa conquis-
do trabalho. Por outro lado, atende às expectativas da fa-
ta passa pela valorização das ações pedagógicas dos edu-
mília, escola e demais agentes sociais presentes em suas
cadores junto aos jovens, que extrapolam os muros do
vidas.
Sesi. Ao desenvolver o Largada, o Sesi contribui para oferecer a esses jovens outra perspectiva de formação.
Motivações
Estudos têm apontado que a geração que terá 20 anos
Recomendações para a replicação da prática
no início deste século será, proporcionalmente, a maior da
É importante a capacitação dos profissionais de forma
história brasileira. Considerando o impacto que essa reali-
continuada. O Largada, assim como outros projetos de for-
dade exercerá no desenvolvimento de políticas públicas
mação de jovens, requer um grupo de gestão constituído
voltadas para a juventude, as mudanças necessárias para
por pessoas responsáveis e comprometidas com a causa da
que os jovens possam enfrentar os desafios da transforma-
juventude. Outra recomendação é indagar-se constante-
ção produtiva estão fortemente centradas no campo edu-
mente sobre a natureza, sentido e significado da iniciativa,
cativo. Frente a isso, o Sesi e o IAS colocam-se como alia-
assim como do impacto social daquilo que está sendo pro-
dos para colaborar na construção da educação para o tra-
posto.
balho, para a cidadania e para o tempo livre. Ambas as en-
Uma proposta processual de avaliação deve ser imple-
tidades compreendem que o grande desafio do Brasil é
mentada para monitoramento das ações dos educadores e
melhorar o nível de formação educacional de sua popula-
jovens, para que indicadores apontem os caminhos possí-
ção, transformando essa prática no maior investimento
veis a serem trilhados. O Sesi considera fundamental que
que o país pode fazer para os jovens e para o desenvolvi-
sejam realizadas parcerias institucionais que garantam a
mento econômico e social do país.
sua implantação e continuidade.
>
116
!Público Interno ::
Contato
Programa
Esporte Solidário
Cláudia Libório
www.fieb.org.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O Esporte Solidário é um programa do Ministério do Es-
realizada em 16 horas, ficam estabelecidas duas horas
porte em todos os estados da Federação em parceria com
quinzenais de estudo e relatos de experiências adquiridas
o Departamento Nacional do Sesi (Serviço Social da Indús-
com a prática, dentro da formatação do Programa de Ges-
tria). Na Bahia, o programa teve início em 1997 com o
tão pela Qualidade Total.
atendimento a 600 crianças e jovens da faixa etária de 7 a
Quanto à operacionalização dos recursos, no período
14 anos, de famílias de baixa renda.
da falta de vigência do contrato com o Ministério, o Sesii
As atividades são planejadas e executadas por uma
propicia o apoio técnico da área de Lazer, a cessão de
equipe de profissionais envolvendo estagiários de Peda-
suas instalações, material didático, coordenação e finan-
gogia, Artes e Educação Física, e acompanhados por pro-
ciamento de eventos sistemáticos de avaliação das práti-
fissionais da área de Lazer do Sesi. Crianças e jovens parti-
cas. Os fornecedores dos cursos de lazer (caratê, dança,
cipam das atividades duas vezes na semana, totalizando
futsal e ballet) participam com horas técnicas dos profis-
seis horas semanais para cada turma. Buscam, em suas
sionais para desenvolvimento das atividades de arte-edu-
ações, trabalhar conteúdos que promovam uma educa-
cação e esportivas, além de operacionalizarem os eventos
ção integral, contextualizando o cotidiano dos participan-
de avaliação. O programa é amplamente divulgado pela
tes, visando refletir práticas do dia-a-dia, estimulando a
mídia, além do sistema de informação interno do Sesi,
auto-estima e valorizando o ser humano. O programa tem
como correios eletrônicos, intranet, revistas e o site da
como metodologia de trabalho atividades artístico-peda-
instituição.
gógicas (arte-educação) e esportivas.
O critério utilizado para inserção dessas crianças no pro-
Resultados / benefícios gerados
grama é que morem próximo às unidades do Sesi onde o
Os alunos do Esporte Solidário participam de festivais
programa acontece, estejam matriculadas em escolas e
estaduais de dança e balé, são campeões estaduais e na-
não tenham renda familiar superior a três salários míni-
cionais de caratê, inclusive classificados para os circuitos
mos. A parceria com o Ministério do Esporte em geral tem
internacionais dessa modalidade. O acompanhamento dos
vigência de seis meses ao ano, mas em algumas unidades
resultados escolares de alguns grupos permitiu registrar a
na Bahia, a exemplo de Itapagipe, as ações do Esporte So-
melhoria das notas de português e matemática. Relatos de
lidário permanecem ininterruptas, por meio da co-respon-
pais mostram os reflexos positivos do programa no com-
sabilidade de fornecedores e professores terceirizados dos
portamento e atitudes dos participantes.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
SESI – Serviço Social
da Indústria – DR BA
cursos de lazer do Sesi.
O Programa Esporte Solidário conta com o suporte téc-
Motivações
nico de fisioterapeuta, dentista, professores de educação
As atividades do Esporte Solidário são chanceladas pelos
física, administradores e acadêmicos de diversas áreas. São
objetivos do Sesi quanto ao exercício de sua responsabilida-
18 horas semanais de trabalho com as crianças e adoles-
de social, norteada pelo compromisso com a melhoria da
centes, oito horas de trabalho planejamento e realização
qualidade de vida e interação com a comunidade onde se
de avaliação, com a carga horária de quatro horas ao final
localizam suas unidades. Além disso, imbuído pelas políti-
de cada mês. Além da capacitação inicial dos educadores,
cas públicas de mobilização social para o voluntariado, o
117
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Sesi, por meio do programa, cria oportunidades para o de-
vante para influir no desenvolvimento local.
senvolvimento de tal prática, por sua força de trabalho.
Os participantes do programa, além de obterem a oportunidade de iniciação esportiva e sensibilização para as ar-
Aprendizagens
tes, são contemplados com o desenvolvimento de novas
O Programa Esporte Solidário, além de fortalecer a ima-
competências e sensibilizados a agir como difusores da
gem institucional do Sesi como promotor de qualidade de
cultura da paz, da cordialidade e da mobilização para o
vida e instituição socialmente responsável, também amplia
trabalho na comunidade em que vivem. Para as empresas
o capital intelectual de sua força de trabalho, principal-
parceiras do Sesi, o aprendizado em trabalhar com o social
mente aos colaboradores terceirizados, estimulando práti-
fez despertar o interesse pelo terceiro setor, estimulando-
cas de voluntariado e incorporação do entendimento da
as a participar de outros projetos desse nível e a desenvol-
política da instituição. Os colaboradores assumem um
ver os seus próprios projetos.
compromisso social na busca da cidadania dessas crianças
e adolescentes, enquanto reforçam sua auto-estima com
Recomendações para a replicação da prática
os resultados da implementação desses valores.
O desenvolvimento desse programa está, primeiramen-
O Sesi passou a ter maior reconhecimento em sua co-
te, associado à mobilização para o trabalho social voluntá-
munidade de entorno, não somente pelo tamanho das
rio e o retorno aparece no aprendizado teórico-prático por
suas instalações, mas pelo trabalho que desenvolve. As es-
conta das capacitações oferecidas, pelos relatos de expe-
colas públicas solicitam ao Sesi apoio para desenvolver ati-
riência e vivências do dia-a-dia com as crianças e adolescen-
vidades esportivas e artístico-culturais, ampliando as com-
tes. Conhecer o contexto social das crianças e adolescentes
petências para implementação de processos educativos,
que irão participar do programa, bem como seus interesses
além da metodologia pedagógica tradicional.
e expectativas, são condições básicas para que seus objeti-
O cliente do Sesi é o trabalhador da indústria, seus de-
vos sejam atingidos. Construir uma rede de parceiros, em
pendentes e a própria indústria, mas o potencial de estrutu-
prol de objetivos que atendam às reais necessidades de
ra física, logística e humana da empresa permite que amplie
crianças e adolescentes, num sistema de complementarida-
seu atendimento, sem prejuízo aos seus clientes diretos e
de, parece ser a demanda social do momento, consideran-
para a comunidade, sendo sua presença comunitária rele-
do o número crescente da população nessa faixa etária.
>
118
!Público Interno ::
Programa de Criança –
Programa Social de Ação
Complementar à Escola
Contato
Cláudia Libório
www.fieb.org.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O Programa de Criança (Programa Social de Ação Com-
R$ 75,00 por mês, incluindo todas as despesas com mate-
plementar à Escola) vem sendo desenvolvido há 10 anos
rial, manutenção do espaço, aluguel, pessoal e capacitação.
pela Petrobras/Refinaria Landulpho Alves. Desde junho de
2001, conta com a parceria da Unidade Itapagipe do Sesi
Resultados / Benefícios gerados
(Serviço Social da Indústria) e com o apoio das prefeituras
O Programa atende 800 crianças, 600 em São Francisco
dos municípios de São Francisco do Conde e Madre de
do Conde e 200 em Madre de Deus. O índice de satisfação
Deus, cidades próximas à refinaria.
é de 96,1%, segundo pesquisa aplicada em maio de 2003.
O objetivo é colaborar no desenvolvimento das crian-
A progressiva melhora no índice (86,4% em 2001 e 91%
ças, melhorar a qualidade de vida e formar cidadãos cons-
em 2002) demonstra que as ações têm atingido os objetivos
cientes e atuantes na comunidade em que estão inseridos.
propostos. Como acompanhamento do processo de apren-
Com o eixo temático Construtores da Paz, o projeto possi-
dizagem, o programa avalia as crianças desde o início do
bilita a valorização da realidade por meio da história e da
ano letivo. Ao final de cada semestre, após passarem pelo
cultura local.
processo de formação e pelas oficinas, as crianças são nova-
O Sesi é o responsável pela gestão do programa e a Pe-
mente avaliadas.
trobras por todos os custos. As prefeituras de São Francisco
do Conde e de Madre de Deus funcionam como fonte para
Motivações
o contato com as escolas e com a comunidade. São, ao
O Sesi procura o cumprimento integral de sua missão
todo, 23 pessoas envolvidas no projeto com funções diver-
(apoio a ações de responsabilidade social das indústrias).
sas: coordenadores pedagógicos, professores, técnicos, pessoal administrativo e pessoal de apoio.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
SESI – Serviço Social
da Indústria – DR BA
Aprendizagens
O programa atende crianças de 6 a 12 anos matriculadas
O desenvolvimento do programa propicia que os agentes
em escolas públicas. As atividades são semanalmente plane-
do setor público e privado aprendam a trabalhar em parce-
jadas e acompanhadas pelo coordenador pedagógico e pela
ria e cooperação. Equacionar o critério de seleção da equi-
coordenação técnica. São oficinas esportivas, que incluem
pe responsável e o monitoramento sistemático é um instru-
futsal, natação, atletismo e capoeira, e também artísticas:
mento importante, assim como a avaliação do balanço en-
oficinas de dança, coral, artesanato e reciclagem.
tre os resultados gerados e os custos financeiros envolvidos.
As Oficinas de Educação Continuada possibilitam o acesso das crianças a situações contextualizadas de leitura, escri-
Recomendações para a replicação da prática
ta e linguagem oral, cultivando e resgatando a alegria de ler
Trabalhar com ações integradas com família, comunida-
e escrever, bem como criando oportunidade de acesso ao
de e escolas de educação formal, potencializando as ativida-
conhecimento cultural com a utilização de diferentes recur-
des desenvolvidas. Pesquisar o perfil do público para orien-
sos e tecnologia da informação. Atividades como o desen-
tar a atuação e monitorar o desempenho da implementação
volvimento de hábitos alimentares saudáveis e cuidados
da prática através de indicadores. Por fim, é importante
com o corpo e com o meio ambiente complementam o pro-
atuar em parcerias, mas definir um gestor responsável pela
cesso educativo. Os custos do programa por criança são de
liderança do projeto.
119
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
Laboratório Oswaldo
Cruz S/C Ltda.
Contato
Apoio a Crianças
Carentes
Cândida Maria Sawaya Giana
www.oswaldocruz.com
Elaborado em: 27/9/2002
Nome:
Website da empresa:
O “Apoio a Crianças Carentes” é um projeto que teve
Motivações
início em 2002 com o principal objetivo de promover a in-
No início de 2002, dois pré-adolescentes entraram no la-
tegração de crianças carentes com a sociedade, tirando-as
boratório visando o roubo. Foram flagrados e levados à ad-
das ruas e da marginalidade. O projeto visa ajudar as crian-
ministração para conversar. Contaram então como viviam,
ças que não têm um bom exemplo dentro de suas casas –
como eram suas famílias, e foram convidados a retornar à
muitas têm irmãos presos por roubo e uso de drogas, são
empresa trazendo mais amigos, convite esse aceito por eles.
abandonadas pelos pais ou são órfãs.
Periodicamente, crianças moradoras da favela do Ba-
Aprendizagens
nhado, em São José dos Campos (SP), visitam o Laborató-
O projeto praticamente não encontrou obstáculos no
rio Oswaldo Cruz, onde recebem material escolar, cestas
seu desenvolvimento. Ficou claro para todos que uma boa
básicas e ajuda de custo. As cestas básicas são montadas
dose de esforço e dedicação de cada indivíduo facilita a
a partir de doações dos funcionários e diretores do labora-
realização de qualquer prática. No caso do Laboratório Os-
tório. O projeto prevê aulas de computação, ministradas
waldo Cruz, a integração de todo o seu pessoal possibili-
pelos próprios funcionários do laboratório. O custo estima-
tou o sucesso do projeto. Percebe-se que essas crianças
do anual do projeto é de R$ 2.520,00. Serão utilizados no
precisam de afeto e de serem tratadas como cidadãos res-
curso computadores da própria empresa, que também dis-
peitáveis e não como marginais.
ponibilizará o auditório para sua realização.
Recomendações para a replicação da prática
Resultados / benefícios gerados
A principal recomendação é não olhar para essas crian-
O projeto atende atualmente a 12 crianças moradoras
ças como sendo ladrões ou drogados, mas entender que
de favelas. Nesses primeiros 6 meses, as crianças foram
são crianças que precisam de carinho, atenção, e uma
acolhidas por todos os funcionários, sendo alto o grau de
chance de mostrar seu potencial. Não tenha medo de abrir
satisfação de ambas as partes com o projeto.
suas portas.
>
120
!Público Interno ::
Contato
Integração de
crianças carentes
Nome:
Maria de Lourdes B. Fiorenze
20/7/2003
Elaborado em:
A Confeitaria Domilu apóia projetos educacionais já
adolescentes é estar contribuindo com o crescimento sus-
existentes e reconhecidos pela comunidade com o princi-
tentado do país.
pal objetivo de promover a integração de crianças carentes
com a sociedade, tirando-as das ruas e da marginalidade.
Motivações
O Lar Batista Esperança, principal entidade apoiada pela
Várias questões motivam a exercer a cidadania empresarial;
Confeitaria Domilu, é uma escola fundada e administrada
viabilizar o resgate da auto-estima dos jovens, ajudá-los na
pela Primeira Igreja Batista local e é constituída por aproxi-
descoberta de seus talentos e potencialidades, bem como na
madamente 350 jovens entre 0 e 18 anos, na sua maioria
realização de parte dos seus sonhos. Entretanto, ter passado
órfãos e abandonados que residem no mesmo local, daí o
por necessidades quando criança fez com que Maria de Lour-
nome de Lar.
des, proprietária da Confeitaria, quisesse dividir o que conquis-
O patrocínio da empresa ocorre por meio de doações
tou e vem conquistando ao longo de sua trajetória de vida.
que não são em espécie e sim na forma de alimentos, materiais escolares, roupas e sapatos, não tendo valor fixo
Aprendizagens
mensal mas obedecendo a princípios básicos de educação,
Saber lidar com a diversidade e acreditar que o desafio
higiene e alimentação infantil.
apesar de grande é gratificante. Tanto os empregados
O acompanhamento do projeto e o planejamento das
quanto empresa e comunidade crescem e aprendem todos
doações a serem efetivadas pela empresa têm como base
os dias. Conforme diz Maria de Lourdes: “Dar hoje é rece-
os relatórios semanais enviados pela Igreja Batista, admi-
ber em dobro amanhã”.
nistradora da escola. O empenho dos empregados é integral e gera um ambiente de solidariedade e harmonia na
Recomendações para a replicação da prática
Confeitaria Domilu, além de minimizar o desperdício cada
✓ Estar certo de que cada um de nós pode e deve exercer
dia mais.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Confeitaria Domilu
a cidadania.
✓ Não doar dinheiro por ser fácil de desviar.
✓ Doar aquilo que você vê que é reconhecido no momen-
Resultados / benefícios gerados
Os resultados obtidos em projetos dessa natureza são a
to em que está fazendo: ver a felicidade de uma crian-
médio e longo prazo, entretanto, os proprietários acredi-
ça recebendo uma roupa, um sapato, um caderno e,
tam que investir na educação e no desenvolvimento dos
claro, o alimento, sua fonte de sobrevivência.
>
121
>
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
!Público Interno ::
TA
Contato
Escolinha TA
de Informática
Nome:
Izabel Cristina Marques
Website da empresa: www.tanet.com.br
Elaborado em:
A TA (Transportadora Americana) oferece aos alunos de
27/10/2003
Resultados / benefícios gerados
8ª série de escolas públicas localizadas em comunidades de
Como as aulas são direcionadas para alunos de 8ª série e
baixa renda, conhecimentos básicos de informática.
são escolhidos os melhores alunos, a direção das escolas tem
Os equipamentos e o material didático são doados pela
percebido uma melhora no aproveitamento e comportamen-
TA e todo o trabalho, da instalação dos equipamentos às
to dos estudantes. Internamente, os resultados têm motiva-
aulas, é realizado voluntariamente por profissionais da em-
do os funcionários da empresa.
presa. À escola cabe a divulgação entre os alunos e a coor-
Na escola de Americana, onde são dadas aulas de infor-
denação das inscrições. A prioridade é para os alunos de fa-
mática, a implantação do programa viabilizou a que a esco-
mílias com menor renda que tenham melhor desempenho
la passasse a oferecer, além do ensino fundamental, também
e comportamento. A escolha das escolas beneficiadas pelo
o ensino médio.
programa é feita exclusivamente por sua proximidade com
a empresa.
Motivações
O programa foi iniciado em 2001, com uma pesquisa
Integrar a empresa com as comunidades nas quais possui
nas escolas dos bairros próximos às unidades da TA, para
unidades e possibilitar a perspectiva de trabalho e a melhora
verificação do interesse e condições para instalação. Nas
da qualidade de vida dos jovens dessas comunidades. Em
sete localidades onde estão instalados os cursos há um fun-
2001, a TA substituiu parte dos equipamentos de informáti-
cionário responsável para o contato com a escola, organi-
ca que, para a empresa, já eram obsoletos. Assim surgiu a
zação das turmas, organização dos funcionários voluntários
idéia de aproveitá-los em escolas de informática para alunos
que ministram as aulas, distribuição do material e acompa-
de 8ª série de escolas públicas.
nhamento da realização do cronograma.
As Escolinhas TA de Informática estão localizadas nas ci-
Aprendizagens
dades de Americana, Campinas, Sumaré, São Paulo, São
Apesar do empenho da empresa em querer beneficiar jo-
José dos Campos, Rio de Janeiro e Curitiba, em um total de
vens de famílias com baixa renda, a TA encontrou dificulda-
sete escolas. Em 2001 e 2002, 280 jovens participaram dos
des no contato com algumas escolas, por falta de interesse
cursos promovidos pela empresa.
de suas direções.
Em 2003, a TA, em parceria com a Fatec (Faculdade de
Recomendações para a replicação da prática
Tecnologia de Americana), ampliou sua participação na comunidade oferecendo o curso gratuitamente para 40 jo-
É necessário verificar a real necessidade e interesse da es-
vens e 20 idosos. À Fatec cabe a divulgação do curso junto
cola ou comunidade adotada. É importante que as aulas de
com o Departamento de Promoção Social de Americana
informática sejam ministradas por voluntários da própria em-
para seleção dos alunos carentes, cessão do laboratório de
presa. Se não houver funcionários, pode-se procurar pessoas
informática na própria faculdade e seleção professores vo-
disponíveis na própria escola ou comunidade. Outro fator
luntários entre os alunos de informática. À TA cabe o pre-
importante para o sucesso do programa é que se tenha pelo
paro de todo material didático, apostilas e disquetes com o
menos uma pessoa na escola ou comunidade que “compre”
material digitalizado.
a idéia, que incentive os alunos e cobre resultados.
122
!Público Interno ::
Contato
Programas com foco na
infância e adolescência
Marcelo de Menezes
www.unimedflorianopolis.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Cooperativa Unimed de Florianópolis desenvolve e
significativo refere-se à queda contínua na taxa de morta-
apóia um conjunto de programas que produzem benefícios
lidade infantil verificada em Florianópolis. Dos 21,6 por mil
para as crianças e adolescentes da comunidade. O mais
nascidos vivos, registrados em 1996, a taxa de mortalida-
abrangente deles é o Programa Capital Criança, desenvol-
de infantil caiu para 8,76 em 2001, ficando bem abaixo da
vido em parceria com a Prefeitura Municipal de Florianópo-
taxa nacional (30,7 mil em 2001) e a da Região Sul (19,7
lis, com o objetivo de reduzir a mortalidade infantil e aca-
em 2000).
bar com a desnutrição entre gestantes e bebês. As gestan-
Em 2001, o Programa Capital Criança foi considerado
tes beneficiadas têm direito a seis consultas de pré-natais,
pela ONU como uma das 40 melhores práticas em todo o
exame ginecológico pós-parto e a um kit com produtos
mundo para o bem-estar da humanidade. No projeto
para higiene do filho. As crianças têm consultas pediátricas
Proerd, em quatro anos, foram beneficiadas mais de 69 mil
garantidas até os 5 anos. Desde sua implantação, em 1999,
crianças de escolas das comunidades de baixa renda de
a Unimed já ofereceu ao Capital Criança mais de quatro mil
quatro municípios da Grande Florianópolis. Já o Projeto Jo-
consultas, realizadas por médicos especialistas para gestan-
vem Trabalhador envolveu, no mesmo período, 26 adoles-
tes de alto risco e recém-nascidos. Além disso, orienta mães
centes, dois quais seis foram incorporados ao quadro de
e gestantes em palestras e seminários sobre nutrição infan-
colaboradores da cooperativa.
til e os necessários cuidados com os recém-nascidos e crianças pequenas.
Motivações
A Unimed também apóia o Programa Educacional de
Faz parte da missão da Unimed o desenvolvimento de
Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), numa parceria
projetos voltados para a melhoria da qualidade de vida das
com a Polícia Militar de Santa Catarina. O programa conta
comunidades de baixa renda. O foco em ações voltadas
com cinco pessoas da cooperativa e 22 oficiais militares que
para crianças e adolescentes permite obter resultados de
levam instruções de prevenção às drogas para crianças de
reconhecida importância, como a redução da mortalidade
9 a 12 anos da 4ª série do Ensino Fundamental.
infantil e a inclusão de jovens no mercado de trabalho.
Respeito ao Indivíduo !Compromisso com o Futuro das Crianças ::
Unimed
Desde 1999, a Unimed desenvolve o Projeto Jovem Trabalhador, que oferece oportunidade do primeiro emprego
Aprendizagens
para jovens de 16 a 18 anos. O projeto foi desenvolvido a
A Unimed percebe que o envolvimento da empresa
partir de um convênio com a Promenor, instituição que
com a sociedade enriquece o ambiente de trabalho, inse-
atende a 500 jovens de comunidades de baixa renda. O
re a cooperativa na comunidade e transforma a qualidade
programa prevê contrato de dois anos de trabalho remune-
de vida das crianças e famílias beneficiadas.
rado em jornada de quatro horas diárias. A cooperativa
oferece vale-transporte, vale-alimentação e plano de saúde.
Recomendações para a replicação da prática
O principal fator para o sucesso é escolher um parceiro
Resultados / benefícios gerados
com credibilidade, seguido de um estudo de viabilidade
A participação da Unimed tem sido fundamental para o
que analise o investimento social e os benefícios resultan-
sucesso do programa Capital Criança. Seu resultado mais
tes de sua aplicação.
123
>
>
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
!Público Interno ::
Shell
Benefícios a funcionários
desligados por iniciativa
da empresa
Contato
Maria Helena Rangel
www.shell.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Shell oferece alguns serviços e benefícios aos funcio-
posicionamento evidencia o compromisso da Shell com os
nários desligados por iniciativa da empresa. Os benefícios
seus princípios de gestão de pessoas. Embora não seja
são oferecidos nos casos de extinção do cargo ou de des-
anunciada de forma explícita, essa prática torna-se conhe-
bloqueio, quando o funcionário é eficiente, mas apresen-
cida pelos parceiros, clientes e fornecedores da Compa-
ta limitações com relação a competências importantes
nhia, o que contribui para sua imagem de empresa atenta
para o cargo. Os benefícios compreendem o auxílio à re-
aos impactos sociais de suas medidas.
colocação profissional do funcionário por meio de consultoria especializada, a extensão do seu plano de saúde por
Motivações
um prazo que varia conforme a idade e um reembolso em
Os fatores que motivaram a adoção de uma política di-
dinheiro. Todos os funcionários são elegíveis à política de
ferenciada de benefícios para funcionários desligados es-
indenização e extensão do plano de saúde, sendo fator de-
tão fortemente relacionados com os “Princípios Shell de
cisivo a situação que gerou seu desligamento e a avaliação
Gestão de Pessoas”. Um deles refere-se à “responsabilida-
de seu desempenho. O funcionário desligado com idade
de pelo aprendizado e crescimento pessoal”. Essa respon-
superior a 55 anos tem direito a permanecer com o plano
sabilidade diz respeito aos atuais funcionários, mas abran-
de saúde contratado pela Shell a um custo consideravel-
ge também os funcionários potenciais e os que estão dei-
mente inferior ao do mercado.
xando a empresa.
Com essa iniciativa, a empresa procura cumprir sua função social, prestando suporte ao ex-funcionário enquanto
Aprendizagens
ele busca nova colocação profissional. Aos ex-funcionários
Os elementos determinantes para o sucesso dessa prá-
ocupantes de cargos gerenciais é oferecida a contratação
tica são o comportamento ético e a maneira transparente
de consultoria para recolocação profissional. Em casos de
sempre tratando o funcionário com o máximo respeito. Os
desligamentos decorrentes da restruturação de uma área,
profissionais da área de Recursos Humanos interagem com
o serviço se estende aos níveis de chefia e assessoria. A
o ex-funcionário no momento do encaminhamento deste
concessão de benefícios a funcionários desligados pela
à consultoria responsável pela recolocação, estabelecendo
empresa é uma prática que começou a ser implementada
a “ponte” entre a consultoria e o ex-funcionário.
no início da década de 90 e é parte integrante das políticas de Recursos Humanos da Shell.
Recomendações para a replicação da prática
O primeiro passo é estabelecer uma política transparen-
Resultados / benefícios gerados
te e bem definida. Com isso a empresa ganha credibilida-
A contratação de consultoria de recolocação tem pro-
de, diminuindo a subjetividade no momento da sua aplica-
porcionado resultados bastante positivos, com a recoloca-
ção, evitando procedimentos “caso a caso”. Ao formular
ção dos executivos num prazo médio de três meses. A ex-
uma política de benefícios a empresa deve levar em consi-
tensão do plano de saúde e o benefício do reembolso
deração aspectos particulares, como empregabilidade.
exercem um impacto igualmente positivo tanto para o ex-
Quanto menor a empregabilidade do ex-funcionário,
funcionário como para seus familiares. Internamente, tal
maior deve ser a abrangência da política.
124
!Público Interno ::
Contato
Neusa Maria José Gomes
www.itau.com.br
Elaborado em: 4/11/2002
Nome:
Website da empresa:
Política de demissões
O Banco Itaú é uma organização que tem suas ações
so e disponibilizando ao ex-funcionário os direitos e bene-
orientadas por princípios éticos rígidos e que preza a ima-
fícios advindos do evento.
gem de empresa sólida e confiável construída ao longo
Os cálculos do processo são demonstrados de forma
dos anos. Os clientes são seu mais importante patrimônio
totalmente transparente, o que possibilita ao ex-funcioná-
e seus profissionais constituem o grande diferencial da em-
rio a verificação de todas as verbas rescisórias. Tais proce-
presa. Por essa razão, o banco trata seus funcionários com
dimentos agilizam o crédito dos direitos em conta-corren-
respeito e consideração, desde sua admissão, passando
te e a liberação de toda documentação. Com a inclusão
pelo exercício de suas funções, até o eventual desligamen-
das tabelas de consistência foram sanadas dificuldades
to da empresa.
que eventualmente ocorriam quanto a impedimentos na
A política de demissões adotada pela empresa tem
seqüência do processo.
como principal preocupação o respeito incondicional às
A partir da conscientização dos responsáveis pela con-
pessoas e à legalidade. O programa coloca à disposição
dução de tal política, o banco registrou baixos índices de
dos funcionários demissionários benefícios que vão além
turnover quando comparada a empresas do mesmo ramo
do determinado pela legislação trabalhista e por acordos
e porte (dados obtidos na Pesquisa Mensal de RH entre
da categoria. Entre estas medidas destacam-se o acrésci-
Bancos – Febraban). Em 2002, enquanto a média obtida
mo no valor da indenização e a extensão do tempo de per-
foi de 1,22, a do Banco Itaú foi de 1,09.
manência nos planos de assistência médica oferecidos pela
empresa, sem ônus para o funcionário.
Motivações
A prática envolve diretamente todas as chefias da em-
Apesar de uma demissão ser sempre um ato difícil, não
presa, que dispõem de normas circularizadas (RP-6), e as
deve ser traumática. Para tanto, é preciso ter capacidade
unidades de Recursos Humanos (descentralizadas), que
de conduzir o processo de forma profissional e tranqüila.
garantem transparência na execução das normas e proce-
Para o Banco Itaú, que atua nos negócios de forma ética
dimentos em vigor.
e transparente, ser reconhecido como uma empresa cujos
Desde sua fundação, o banco mantém uma política de
princípios éticos orientam também sua atuação interna,
demissões sob constante aperfeiçoamento. Exemplo disso
contribui para a consolidação de sua imagem. Ao imple-
é a inclusão, nos últimos dois anos, de parâmetros de
mentar a política de demissões, o banco demonstra coe-
consistência, como a “tabela de estabilidades”, que pro-
rência entre os procedimentos internos e externos.
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
Banco Itaú S.A.
porciona maior segurança nos cálculos efetuados pelo sistema NR.
Aprendizagens
A efetiva implementação da política de recursos huma-
Resultados / benefícios gerados
nos deve envolver toda a empresa, para que possa ser exe-
Os principais resultados alcançados decorrem da execu-
cutada de maneira clara e transparente, oferecendo ao
ção criteriosa da política de demissões. Um moderno siste-
funcionário a ser desligado total segurança em relação ao
ma automatizado de cálculos propicia o cumprimento dos
processo. Na visão do Itaú, o respeito a todos é a melhor
prazos legais, preservando a empresa de multas por atra-
forma de demonstrar os princípios de atuação da empre-
125
>
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
!Público Interno ::
sa, e o principal desafio é a busca constante pela melhoria
gralmente, dentro e fora da empresa. Assim, é imprescin-
dos serviços prestados.
dível o estabelecimento de canais eficientes de comunica-
Os monitoramentos de controle desta ação mostraram-
ção, por meio dos quais a política de desligamento torna-
se bastante eficientes quanto à agilidade do processo, que
se transparente. Existem várias formas de divulgar a práti-
permite implantar alterações em práticas trabalhistas (leis,
ca: circulares internas de normas, informativos sobre as di-
acordos ou procedimentos internos) em tempo recorde.
retrizes do banco, boletins periódicos sobre as atividades
da área de RH, site na internet e linhas de atendimento
Recomendações para a replicação da prática
(call center). O Banco Itaú atribui uma parcela significativa
Para o sucesso do programa, é importante que seus
do sucesso deste programa ao bom desempenho destes
procedimentos e resultados sejam compartilhados inte-
veículos de comunicação.
>
126
!Público Interno ::
Contato
Postura responsável
em relação a demissões
Nome:
Kátia Périco
www.visanet.com.br
4/11/2002
Website da empresa:
Elaborado em:
Uma das dez maiores empresas do segmento no mun-
No entanto, somou-se à decisão um dado crítico: devi-
do, a Visanet foi avaliada em R$ 600 milhões, ao ser cria-
do às compras de Natal, dezembro é o mês de maior volu-
da, em 1995. No final de 2001, o valor da empresa foi es-
me de transações e, portanto, de maior demanda para as
timado em US$ 1,272 bilhões, apesar da desvalorização
centrais de atendimento. A desativação tornava-se então
cambial de mais de 60% ocorrida nesse ano.
mais complicada, já que uma natural desmotivação pode-
Em vista desse crescimento, a Visanet nunca realizou
ria comprometer as operações dos cartões de crédito e dé-
demissões em massa. Porém, o reduzido número de de-
bito Visa no período de maior movimentação do ano.
missões (63 no ano de 2001 e 60 em 2000) pode ser cre-
Alguns afirmavam que os objetivos comerciais da em-
ditado também às práticas responsáveis da empresa em re-
presa justificariam a suspensão da medida até o ano se-
lação a esse tema.
guinte. Porém, se a desativação não fosse comunicada, os
O baixo turnover – em torno de 1% ao mês – deve-se
funcionários poderiam contrair dívidas e realizar gastos ex-
ao fato de que os funcionários participam do planejamen-
cessivos no final do ano.
to estratégico da Visanet, estabelecendo objetivos e metas
Diante disso, mesmo considerando que o corpo funcio-
individuais para o alcance de macro-estratégias. Encon-
nal dessa central de atendimento era terceirizado, a Visa-
tram ainda um clima saudável, gestão transparente e um
net decidiu comunicar a mudança imediatamente. Reali-
ambiente de estímulo ao desenvolvimento profissional.
zou, então, uma apresentação clara e transparente dos
O Programa de Recrutamento Interno apresenta índices
motivos da decisão a todos os funcionários, além de ofe-
expressivos: mais de 80% das vagas são preenchidas inter-
recer amplo apoio e acompanhamento durante esse pro-
namente e todos os funcionários podem participar inclusi-
cesso.
ve estagiários e trabalhadores terceirizados. A empresa
A desativação ocorreu em fevereiro de 99 e todos os
pratica também a realocação de funcionários que não
funcionários foram devidamente comunicados ainda em
mais atendem às necessidades ou expectativas de uma de-
novembro de 98, tempo hábil para planejar suas finanças
terminada área em um outro departamento. Essa ação
e procurar recolocação no mercado de trabalho.
também contribui para reduzir o número de demissões.
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
Visanet
Todos os que quiseram puderam transferir-se para as
Ao optar por uma demissão, a Visanet realiza um pro-
centrais de atendimento de São Paulo ou de Salvador. Cer-
cesso de desligamento pautado pelo respeito e transpa-
ca de 70% dos funcionários com cargos de supervisor ou
rência. Procura–se identificar os pontos falhos, quer na
acima aderiram à transferência. Os funcionários que não
empresa, quer no funcionário em desligamento.
se recolocaram até a desativação da central puderam con-
Um exemplo disso foi o que ocorreu em novembro de
tar com o apoio da empresa fornecedora dos serviços para
1998, quando a empresa decidiu pela desativação da Cen-
sua realocação no mercado.
tral de Autorizações do Rio de Janeiro, responsável pelo
Os casos de desligamento são tratados com transparên-
atendimento aos estabelecimentos filiados à Visa no Bra-
cia e respeito: a pessoa a ser desligada participa de uma
sil. Devido a seu alto custo operacional, a central seria
conversa com a área de desenvolvimento organizacional
transferida para a cidade de Salvador, que, na época, tor-
para compreender as razões que levaram à demissão, e
nava-se o maior pólo de call centers do país.
pode inclusive fazer críticas e avaliações.
127
>
>
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
!Público Interno ::
A empresa preocupa-se em estender alguns benefícios
cia na condução de processos de demissão com outras
aos funcionários demitidos, como prolongar a cobertura
empresas a fim de contribuir para a melhoria do clima nas
dos planos de saúde e odontológico por até três meses,
organizações, para a qualidade de vida do trabalhador e
tempo viável para a cobertura da carência de um novo pla-
até mesmo para uma redução nos índices de desemprego
no. A Visanet oferece ainda os serviços de uma consulto-
no país.
ria especializada na recolocação de executivos à disposição
de diretores demitidos.
Aprendizagens
Uma planilha com todas a movimentação dos últimos
Para a Visanet é possível manter a transparência nos
três meses, inclusive os desligamentos, fica disponível na
processos de demissão sem comprometer o clima organi-
intranet da empresa. Assim, todos os funcionários sabem
zacional, a motivação, o comprometimento das pessoas e
da conduta da Visanet e do volume de demissões.
os resultados. Ser transparente, porém, pressupõe uma
postura responsável por parte da empresa, que precisa es-
Resultados / benefícios gerados
tar ciente de que é co-autora das demissões, já que o de-
São muitos os benefícios oriundos de uma postura éti-
senvolvimento profissional depende não somente dos fun-
ca nos processos demissórios. No caso da central do Rio de
cionários, mas dos processos de seleção, gestão e desen-
Janeiro, as previsões foram superadas: a operação conti-
volvimento de talentos da empresa.
nuou até o último dia sem queda no padrão de atendi-
Uma demissão é sempre uma perda para o profissional,
mento, mesmo sendo a época de maior movimento do
para a empresa e para toda a sociedade. É possível evi-
ano. Muitos dos funcionários que trabalhavam naquela
tá–la, desenvolvendo potenciais individuais e aprimorando
central continuam até hoje na empresa, alocados em São
a gestão. Feedback e franqueza são alicerces fundamen-
Paulo e Salvador. Mais do que isso, a Visanet manteve um
tais para o crescimento de todos. Além disso, a Visanet en-
clima organizacional dos mais saudáveis, marcado pela
cara seus ex–funcionários como stakeholders, pois influen-
confiança na gestão e pelo sentimento de justiça.
ciam a imagem da empresa perante a sociedade. Devem
Em decorrência disso, 91% dos funcionários afirmaram
ser vistos, ouvidos e tratados de forma ética.
recomendar a Visanet para seus amigos e familiares como
um bom lugar para trabalhar. Por tudo isso, a empresa foi
Recomendações para a replicação da prática
eleita pela revista Exame, em 2001, uma das cem melho-
Dar a devida importância a alguns pontos é fundamen-
res empresas para se trabalhar no Brasil. Obteve também
tal para o tratamento correto quanto às demissões. Por
o 1º lugar na pesquisa de “Melhores práticas em gestão de
isso, a Visanet orienta as empresas que pretendem ter um
clima organizacional” dentre as empresas que fazem par-
comportamento ético frente a demissões a sempre comu-
te do grupo de benchmark do Hay Group.
nicarem com clareza os objetivos da Organização e o que
espera de cada funcionário. Todos devem ter acesso às in-
Motivações
formações que balizam suas decisões para que estejam
As ações da Visanet são norteadas pela ética e respeito
cientes de seus rumos. O comprometimento das pessoas e
no relacionamento com clientes, funcionários, acionistas,
sua confiança nas ações desenvolvidas são fundamentais.
parceiros de negócio e fornecedores. Suas atitudes devem
Também deve-se usar o feedback e avaliar constante-
sempre condizer com sua cultura organizacional. Uma
mente a performance de seus funcionários, dando-lhes
postura ética nos processos de demissão traz resultados
condições para que suas potencialidades sejam ampliadas
positivos não apenas para a empresa, mas contribui para a
e suas deficiências minimizadas.
empregabilidade de cada indivíduo. Afinal, é importante
Tratar os funcionários terceirizados como empregados
que a empresa assuma sua responsabilidade social na co-
da empresa e realizar trabalhos em equipe que respeitem
munidade em que atua.
as capacidades individuais também são atitudes aconse-
A Visanet também procura compartilhar sua experiên-
lhadas.
128
!Público Interno ::
Contato
Paulo Roberto Bittencourt
www.souzacruz.com.br
Elaborado em: 5/6/2001
Nome:
Website da empresa:
As medidas compensatórias relativas a demissões de
Resultados / benefícios gerados
funcionários da Souza Cruz vêm sendo praticadas e aper-
No caso dos funcionários do quadro operacional, 68%
feiçoadas ao longo da história da empresa. A Souza Cruz
dos envolvidos inscreveram-se nos cursos oferecidos.
busca proporcionar aos que se desligam condições para o
Após três meses a Souza Cruz realizou uma pesquisa para
seu desenvolvimento profissional, resgatando a auto-esti-
identificar a situação dos 81 empregados que não opta-
ma dos envolvidos e oferecendo melhor condição de em-
ram pelos cursos de requalificação profissional, obtendo o
pregabilidade. Devido à recente reestruturação da fábrica
seguinte resultado: 27 pessoas ainda não haviam se reco-
de Uberlândia, ocorrida no final de 2000, a empresa ado-
locado no mercado de trabalho, 26 já haviam se recoloca-
tou medidas específicas para a recolocação dos 16 execu-
do, 16 estavam aposentados e 12 retornaram para suas
tivos envolvidos e a requalificação profissional de 263 ex-
cidades natais.
funcionários do quadro operacional. Os executivos mani-
Esses dados revelam que a iniciativa da Souza Cruz em
festaram suas perspectivas de futuro profissional, indican-
conduzir um processo de recolocação junto às empresas
do suas preferências por atuar no mercado local, nacional
mais representativas da região produziu bons resultados.
ou ainda a opção por negócio próprio.
Com relação aos executivos, quatro foram recolocados
A partir desse resultado, a Souza Cruz contratou os
junto a empresas de grande porte da região, em processo
serviços de duas empresas para o processo de recoloca-
liderado pela própria Souza Cruz. Um executivo foi reco-
ção, uma com foco no mercado local e outra com foco
locado pelo processo conduzido pela parceira selecionada
nacional. Aos demais empregados foi dada a opção de se
para recolocação no mercado local; cinco executivos con-
inscreverem em cursos de requalificação profissional
tinuam em processo de recolocação conduzido pela par-
como Auto CAD, Especialização em Automação de Pro-
ceira selecionada com foco nacional; e um dos executivos
cessos Industriais, Modelagem Industrial Feminina, Aten-
optou por atividade empresarial própria ao longo do pro-
dimento Avançado para Call Center, Como Administrar
cesso.
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
Souza Cruz S.A.
Recolocação e
requalificação de
ex-funcionários
uma Pequena Empresa, Eletrônica e Eletricidade Industrial, Mecânica de Autos, Habilidade em Negociação e
Motivações
Vendas, Montagem e Manutenção de Microcomputado-
A principal motivação para conduzir um processo de re-
res. Esses cursos são ministrados por instituições renoma-
colocação e de requalificação profissional é a responsabili-
das, tais como Senai, Senac, Sebrae, Cotemge, Power, Se-
dade que a Souza Cruz assume perante seus colaborado-
pave e Supere.
res, reconhecendo a contribuição de cada um durante o
Além disso, em ambos os casos, foi feito um trabalho
pacto laboral, e que é dever da empresa proporcionar-lhes
próprio de recolocação junto às empresas de grande por-
condições para uma melhor empregabilidade.
te da região, com as quais a Souza Cruz mantém relação
O elenco de iniciativas realizadas pela Souza Cruz me-
de reciprocidade técnica, de inovações e de benchmar-
receu o reconhecimento do meio empresarial, dos empre-
king. Os recursos investidos aproximam-se de R$ 73 mil,
gados e da comunidade local, sendo citado como referen-
além do tempo gerencial e operacional envolvidos, tendo
cial, uma vez que tais ações não constituem prática na re-
beneficiado todos os colaboradores afetados.
gião.
129
>
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
!Público Interno ::
Aprendizagens
Recomendações para a replicação da prática
Todos os empregados envolvidos no processo de reestru-
A empresas que pretendam adotar práticas semelhan-
turação foram informados sobre o elenco de benefícios adi-
tes recomenda-se: dimensionar, durante o planejamento
cionais disponíveis quando do rompimento do pacto laboral:
da ação, a abrangência com que pretende atuar: qual o
extensão por quatro meses dos planos de assistência médica,
universo de empresas a serem contatadas, o nível das em-
seguro de vida, cobertura de medicamentos e cesta básica no
presas parceiras, a alocação de tempo gerencial e de ou-
valor de R$ 110,00. A partir de então, a área de Recursos Hu-
tros custos envolvidos; organizar-se para proporcionar aos
manos manteve constante contato com os mesmos, orien-
colaboradores que se desligam o suporte humano de que
tando-os quanto à elaboração de curriculum vitae, proceden-
necessitam, que vai além do conjunto de atividades práti-
do à intermediação entre as empresas selecionadas para reco-
cas a serem realizadas; manter a transparência do proces-
locação e disponibilizando os currículos junto a outras empre-
so. É importante assegurar informações tanto aos que se
sas. Também ficou a cargo da área de Recursos Humanos
desligam quanto aos que permanecem na empresa, de
identificar as instituições disponíveis para requalificação pro-
maneira que se reafirmem os princípios éticos e o respeito
fissional, auxiliando os funcionários na seleção dos cursos.
aos colaboradores.
>
130
!Público Interno ::
Contato
Programas de demissão
voluntária e consensual
Nome:
Célia Dutra
www.comgas.com.br
27/10/2003
Website da empresa:
Elaborado em:
A Comgás (Companhia de Gás de São Paulo) está pre-
nal do processo, foram realizadas entrevistas individuais de
sente em 42 municípios do Estado e atende aos mercados
orientação para que cada participante optasse por abrir
residencial, comercial, veicular, industrial e de termo e co-
um novo negócio ou buscar a recolocação no mercado de
geração. Maior distribuidora de gás canalizado no Brasil,
trabalho.
foi privatizada em abril de 1999.
O ex-funcionário que optou por abrir um negócio pró-
A nova administração da empresa, ao perceber a neces-
prio recebeu um curso ministrado pelo Senai, visando
sidade de reduzir e renovar seu quadro pessoal, criou dois
orientá-lo para o sucesso de seu empreendimento. Aque-
programas de demissão: o PDV (Programa de Demissão
le que optou pela recolocação pôde escolher entre um cur-
Voluntária) e o PDC (Programa de Demissão Consensual).
so em informática ou outro curso de qualificação técnica
Com o objetivo de proporcionar condições adequadas
profissional disponível no Senai, e participou do Programa
para redirecionar a vida profissional de seus empregados,
de Recolocação com orientações sobre como elaborar cur-
a Comgás pagou indenizações proporcionais ao tempo de
rículos, procurar emprego e se comportar em entrevistas.
serviço prestado à empresa e liberou as verbas legais de-
A empresa firmou uma parceria disponibilizando um site
correntes da rescisão do contrato de trabalho por demis-
na Internet para inserção dos currículos e os encaminhou
são sem justa causa.
em mala-direta para 3.000 empresas na Grande São Pau-
Os demitidos foram beneficiados pela extensão da ele-
lo. A partir de 2000, a Comgás assinou um acordo com o
gibilidade ao programa de saúde, incluindo assistência mé-
sindicato comprometendo-se a pagar uma indenização
dico-hospitalar, odontológica e auxílio-medicamento, en-
adicional para os empregados desligados em função de re-
tre outros, para empregados e dependentes, por um perío-
dução de quadro de pessoal.
do adicional de seis meses, nas mesmas condições pratica-
O PDV e o PDC foram desenvolvidos por uma empresa
das na vigência do contrato de trabalho. A empresa garan-
de consultoria. Para a implantação, gerenciamento e mo-
tiu a cobertura vitalícia de tratamento médico de depen-
nitoramento dos programas, a Comgás contou com a par-
dentes ou empregados portadores de leucemia, AIDS,
ticipação dos profissionais da área de Recursos Humanos.
qualquer outro tipo de câncer, e de ex-funcionários que
A empresa encerrou o ano de 2002 com 570 empregados
sofreram infarto ou cirurgia do coração nos 24 meses an-
e 1.700 contratados, a maior parte deles trabalhando na
teriores a agosto de 1999.
expansão e renovação de seu sistema de distribuição.
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
Comgás
A Comgás manteve as bolsas de estudos já concedidas
para os funcionários que aderiram aos programas e que
Resultados / benefícios gerados
estavam cursando o 2º ou 3º grau, até a data do encerra-
A aplicação dos programas de demissão proporcionou
mento do curso. Foi oferecido aos demitidos programa de
um desligamento sem traumas para os empregados, pre-
orientação e recapacitação profissional com serviço espe-
servou a boa imagem da empresa e demonstrou sua preo-
cializado de recolocação, visando orientá-los a aplicar lu-
cupação com o ser humano. O trabalho de recolocação foi
crativamente o valor recebido na indenização, administrar
feito em parceria com o grupo Catho. Todos os funcioná-
um negócio próprio e compreender as realidades do mer-
rios demitidos optaram por participar dos cursos. Até o fi-
cado de trabalho, suas exigências e oportunidades. Ao fi-
nal de 2002, 792 empregados haviam sido desligados.
131
>
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
!Público Interno ::
Motivações
mas que apareceram ao longo do período foram supera-
Os programas de demissão da Comgás foram implanta-
dos, em sua maior parte, por meio da negociação indivi-
dos a partir de abril de 1999, após a privatização da em-
dual direta entre a empresa e o interessado.
presa, quando a nova administração constatou a necessidade de reduzir e renovar seu quadro pessoal.
Recomendações para a replicação da prática
A empresa deve identificar os funcionários elegíveis ao
Aprendizagens
programa de desligamento voluntário, preparar informa-
A preparação para o desligamento dos empregados e a
ções, reunindo dados quantitativos referentes aos valores
transparência das informações durante todo o processo de
que efetivamente devem ser pagos, contratar parceiros
demissão foram fatores determinantes para o sucesso dos
com experiência em programas de demissão voluntária e
programas. A Comgás acredita que o balanço foi positivo,
preocupar-se com a transparência durante o processo de
tendo em vista o baixíssimo número de reclamações traba-
divulgação, evitando a indução e visando minimizar ques-
lhistas decorrentes desse processo, apesar das despesas
tões trabalhistas e problemas com os sindicatos dos em-
adicionais com o pagamento das indenizações. Os proble-
pregados.
>
132
!Público Interno ::
Contato
Responsabilidade
frente a demissões
Nome: Wanderley
Elaborado em:
Apesar de a Panificadora Fernandes ter apenas seis anos
Aparecido Fernandes
20/7/2003
Motivações
de existência, seu reduzido número de demissões, apenas
A principal motivação é de caráter humanitário. O em-
seis, pode ser creditado às práticas responsáveis da empresa
pregado demitido não sai com a auto-estima em baixa
em relação a esse tema, tendo como principal preocupação
nem se sentindo incapaz, cria-se um elo de amizade e con-
o respeito incondicional ao elemento humano. Antes de co-
sideração, ao invés de ressentimento. Entretanto, o mais
municar ao empregado demissionário sua rescisão, a empre-
importante é acreditar que ao exercer essa prática respon-
sa, por meio de seu proprietário, faz uma identificação das
sável se está resguardando a dignidade e a sobrevivência
oportunidades de recolocação junto aos parceiros e concor-
de uma família.
rentes. Todos os empregados demitidos até hoje pela Panificadora foram recolocados imediatamente após sua rescisão.
Aprendizagens
Essa prática torna a demissão uma ação mais fácil de ser
Um dos fatores de sucesso da prática é o reconheci-
entendida pelo empregado e menos sofrida para a empre-
mento de que a empresa possui princípios éticos que
sa, gerando um clima de harmonia e respeito entre as par-
orientam sua atuação e fundamentam a imagem de soli-
tes e principalmente entre os empregados que permane-
dez e confiança, sem descompasso entre seus procedi-
cem na empresa. Embora a atual política de demissões te-
mentos internos e externos. Saber se colocar no lugar do
nha praticamente nascido com a empresa, a busca por seu
outro, agindo com o empregado da maneira que gostaría-
aperfeiçoamento é constante, passando a ser adotada
mos que agissem conosco.
também pelos concorrentes e parceiros.
Recomendações para a replicação da prática
Resultados / benefícios gerados
Respeito ao Trabalhador !Comportamento Frente a Demissões ::
Panificadora
Fernandes
Manter a transparência do processo. É importante as-
✓ Inexistência de reclamações trabalhistas.
segurar informações tanto aos que se desligam quanto
✓ A demissão deixa de ser vista pelo empregado como in-
aos que permanecem na empresa, de maneira que se
capacidade pessoal e passa a ser compreendida como
reafirmem os princípios éticos e o respeito aos colabora-
uma necessidade da empresa.
dores.
>
133
Respeito ao Trabalhador !Compromisso com o Desenvolvimento Profissional e Empregabilidade ::
>
!Público Interno ::
Grupo Pão de Açúcar
Contato
Investimentos em
recursos humanos
Marília Parada
www.institutopaodeacucar.org.br
Elaborado em: 4/11/2002
Nome:
Website da empresa:
As empresas do Grupo Pão de Açúcar atuam em um
meio dos programas de incentivo. O uso da comunicação
mercado altamente competitivo, no qual conquistar a fide-
como ferramenta de gestão é indispensável.
lidade de um consumidor cada vez mais exigente é um desafio. Mesmo assim, são atualmente reconhecidas como
Resultados / benefícios gerados
organizações que superaram essa meta, graças ao desem-
O Grupo Pão de Açúcar foi eleito pela revista Exame
penho de um corpo de profissionais preparados e atuan-
como uma das cem melhores empresas para se trabalhar,
tes. Em contrapartida, o Pão de Açúcar investe em seus
resultado que se repetiu nos dois últimos anos.
funcionários, promovendo uma série de ações no sentido
Em 2001, o número de participações em programas de
de possibilitar seu desenvolvimento profissional.
treinamento foi superior a 160 mil, o que confirma o forte
O modelo de gestão por competências é um exemplo.
investimento no desenvolvimento das aptidões individuais.
Busca-se, identificar conhecimentos, habilidades, atitudes
e valores dos funcionários, visando criar um ambiente pro-
Motivações
pício ao desenvolvimento profissional. Os dados levanta-
A empresa tem consciência de que as pessoas são um de
dos proporcionam à empresa melhores condições para to-
seus principais pilares. Assim, consolidou uma cultura compro-
mar decisões justas e transparentes nos processos de sele-
metida em aprimorar os recursos humanos de que dispõe, in-
ção, promoção, gestão do desempenho e recompensa.
vestindo em treinamento e na reciclagem de seus funcionários.
O Pão de Açúcar também investe em treinamento, empreendendo iniciativas de capacitação que conjuguem o con-
Aprendizagens
tínuo aprimoramento das competências aos valores da em-
O Grupo compreende a necessidade de definir um mo-
presa. Entre os programas oferecidos pela rede estão o Pro-
delo de competências no qual se baseie o processo de ges-
grama de Treinamento Operacional, para implantar padrões
tão de pessoal. Tal modelo deve ser transparente, apoiado
operacionais e de atendimento; o Programa de Treinamento
em um sólido canal de comunicação, pelo qual as informa-
Técnico, que visa capacitar funcionários para o conhecimen-
ções trafeguem de forma clara e propiciem a cada colabo-
to e manipulação adequada de produtos; e as Campanhas
rador entender seu papel dentro do negócio.
de Atendimento, voltadas à conquista de clientes. São utilizados métodos interativos, como gincanas e shows, sinteti-
Recomendações para a replicação da prática
zando o aprendizado em quatro instâncias: entender, querer,
Cabe à empresa acompanhar continuamente o desem-
saber e fazer. O Grupo promove ainda Convenções Motiva-
penho de seus funcionários, reconhecer resultados e esta-
cionais para integrar suas equipes; Programa de Formação de
belecer planos de ação capazes de corrigir eventuais des-
Trainees, para atrair e formar lideranças; e Programas de De-
vios. Ela deve garantir também a melhoria da qualidade de
senvolvimento Gerencial, focados no desenvolvimento de
vida de seus funcionários por meio de um programa inter-
competências técnicas e organizacionais.
no, que pode atuar em seis frentes: promoção a saúde,
Os funcionários são acompanhados por meio de um
acesso à educação, oportunidades de lazer, incentivo ao
programa de gestão de desempenho, e o Pão de Açúcar
esporte, convívio e integração com a família e com o am-
ainda estimula a adesão aos objetivos da Organização por
biente de trabalho.
134
!Público Interno ::
Contato
Gestão Integrada
dos Recursos Humanos
Benedito Waldsont Pinto; Rubra Cortino Dias
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
O modelo de Gestão Integrada dos Recursos Humanos
muneração e identificar demandas de capacitação e treina-
(GIRH) foi criado para descentralizar as ações de Recursos
mento dos empregados, a gestão de RH da Samarco tam-
Humanos, antes planejadas e executadas unicamente pelo
bém trabalha ações para melhorar as condições do am-
setor de RH da empresa. O principal propósito da prática é
biente de trabalho, para envolver os empregados em sua
integrar todos os processos de desenvolvimento das pessoas,
gestão e para tornar mais transparentes e visíveis as estra-
permitindo orientação para o melhor desempenho, o cresci-
tégias de atuação da empresa. Para isso, têm papel relevan-
mento profissional e pessoal e o autodesenvolvimento, crian-
te áreas como as gerências de Qualidade de Vida e de Co-
do condições para que os empregados identifiquem-se com
municação Empresarial.
a cultura organizacional e estejam sempre motivados a par-
Todo o processo foi interativo, desenvolvido tecnica-
ticipar ativamente dos processos de aprendizado coletivo.
mente por uma equipe multidisciplinar de Recursos Huma-
A partir da implantação do modelo, as práticas de gestão
nos (profissionais de Remuneração, Desenvolvimento, Se-
de pessoas foram assumidas pelas lideranças de todas as
leção, Comunicação), com participação ativa das lideran-
áreas da empresa, com suporte dos profissionais de RH, pro-
ças da empresa e o suporte da Ha do Brasil, que ajudou no
cesso que resultou numa mudança cultural de grande im-
planejamento e na implantação da GIRH, em 1998.
pacto na rotina da empresa.
Durante todo o processo, a comunicação direta foi priori-
Para que isso acontecesse, a equipe técnica de RH desen-
dade e as lideranças constituíram-se na principal fonte de co-
volveu e implantou ferramentas e metodologias integradas
municação com os funcionários. Eles são permanentemente
de gestão de pessoas e, principalmente, atuou na formação
atualizados em relação às atividades da GIRH por intermédio
e desenvolvimento dos gestores como líderes não só de pro-
dos veículos de comunicação interna da empresa, que in-
cessos, mas especialmente de pessoas.
cluem a Revista Samarco, a rede intranet e jornal mural.
A implementação da prática – que abrange as unidades
da Samarco em Marrana (MG) e Anchieta (ES), além dos es-
Resultados / benefícios gerados
critórios em Belo Horizonte, Vitória, Amsterdã (Holanda) e
Em 2001, os empregados de nível técnico-operacional –
Hong Kong (China) – foi dividida em duas etapas.
que representam 80% do quadro de pessoal – foram inte-
Na primeira, entre 1998 e 2001, a empresa promoveu a
grados ao sistema de avaliação de desempenho, desenvol-
GIRH, com o objetivo de criar um sistema que contemplas-
vimento e remuneração da Gestão Integrada. Até então,
se critérios de avaliação de desempenho, remuneração e de-
apenas os profissionais de nível superior faziam parte do
senvolvimento. Essa necessidade percebida pela empresa
sistema. Outras melhorias implantadas foram as mudanças
também foi explicitada na Pesquisa de Clima, que, realizada
nas regras para a concessão da Participação nos Lucros e
a cada dois anos, tem como objetivo verificar o nível de sa-
Resultados (PLR) e a consolidação da gestão de Comunica-
tisfação dos empregados com as práticas da empresa e os
ção Interna e da gerência de Qualidade de Vida.
estilos das lideranças.
Anualmente a empresa investe cerca de U$ 800 mil em
Já na segunda fase, a partir de 2001, o sistema evoluiu
programas de treinamento. Cada empregado recebe, em
para um modelo mais abrangente de gestão de pessoas.
média, 65 horas de treinamento por ano. A Samarco de-
Além de avaliar o desempenho, determinar critérios de re-
senvolve um programa de educação continuada, em par-
135
Respeito ao Trabalhador !Compromisso com o Desenvolvimento Profissional e Empregabilidade ::
Samarco Mineração S.A.
>
Respeito ao Trabalhador !Compromisso com o Desenvolvimento Profissional e Empregabilidade ::
>
!Público Interno ::
ceria com a Fubraet (Fundação Brasileira de Ensino), que
respeito a práticas de gestão, políticas de remuneração, es-
proporciona aos funcionários a conclusão do Ensino Mé-
tilo de liderança e motivação.
dio. Além disso, a Samarco também incentiva a continuidade dos estudos, concedendo bolsas de Graduação e
Aprendizagens
Pós-Graduação.
Um dos fatores que viabilizaram o sucesso da iniciativa
Em 2001, foi desenvolvido, em parceria com o Centro
foi a assimilação da cultura pelos funcionários.
Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais e do Es-
Na Samarco, o comprometimento dos empregados com
pírito Santo, um programa de capacitação técnica em Mi-
os resultados é um dos traços mais fortes da cultura da em-
neração e Polemização, que visa a qualificação técnica dos
presa. Essa característica vem sendo reforçada pelo Progra-
empregados nestas áreas. Nas áreas de Mecânica e Elétri-
ma de Gestão Integrada dos Recursos Humanos.
ca, a Samarco busca, em parceria com o SENAI (Serviço
O grande desafio enfrentado foi efetivar o processo de
Nacional da Indústria), a qualificação dos funcionários por
descentralização da área de Recursos Humanos. Em muitas
meio do Sequaz (Centro de Exames de Qualificação).
Organizações, a gestão de pessoas ainda está concentrada
Dessa forma, a Samarco, além de investir no desenvolvi-
na área de RH. Na Samarco, a área de Recursos Humanos
mento dos empregados, garante a eles condições de se
oferece todo o suporte, mas quem de fato exerce essa ta-
manterem atualizados em relação às tendências e exigên-
refa são as lideranças de área. Para implantar esse modelo,
cias de mercado. Esse investimento resulta em possibilidade
foi decisiva a sintonia estabelecida entre os especialistas da
de crescimento profissional dentro da empresa, alto desem-
área de RH e as lideranças.
penho e excelentes resultados, seja nos processos de rotina
A gestão de recursos humanos tornou-se uma prática
ou nas inovações e melhorias de processos. Em 2001, cerca
que possibilita ao empregado saber claramente o que se es-
de 70 promoções foram efetivadas na empresa, além de re-
pera dele. Tudo isso é feito numa cultura de transparência
manejamentos internos. Foi criada a diretoria comercial,
nas relações e de feedbacks claros e pontuais.
aproveitando somente talentos internos.
Quando o programa foi concebido, ele tinha o objetivo
Recomendações para a replicação da prática
de desenvolver um sistema de avaliação de desempenho.
A implantação de um modelo de gestão de recursos hu-
Essa proposta foi ampliada e a GIRH transformou-se num
manos não pode ser feita unilateralmente. É necessário que
programa bem mais abrangente. Com essa iniciativa, a Sa-
os empregados se envolvam em todas as etapas do proces-
marco tornou-se referência na Gestão de Pessoas, tanto que
so. Ao mesmo tempo, o processo deve ser sustentado pela
a prática foi apresentada como um case no IX Congresso
alta direção da empresa, pois envolve profunda mudança
Mundial de Recursos Humanos, no México. Além disso, as
cultural.
empresas parceiras da Samarco sentem-se estimuladas a in-
Os processos implantados devem estar sintonizados com
vestir no desenvolvimento dos seus empregados.
a cultura e valores da empresa. A adoção de “pacotes fechados” ou a transposição pura e simples de experiências
Motivações
desenvolvidas em outras empresas devem ser evitadas. A
As pessoas constituem o diferencial estratégico das orga-
empresa pode – e deve – pautar-se por referências exter-
nizações. Por isso, o desenvolvimento de um sistema inte-
nas, mas precisa construir um modelo próprio e afeito à
grado de recursos humanos, que harmonizasse aspectos
própria realidade. Igualmente precisa criar mecanismos
como avaliação, capacitação, remuneração, transparência
para diagnosticar as demandas de seus empregados na
na comunicação e melhoria das condições de vida do em-
área de recursos humanos e desenvolver respostas rápidas
pregado em seu ambiente de trabalho, tornou-se um impe-
e consistentes para elas. Também deve manter um diálogo
rativo para a empresa.
com todas as partes interessadas, incluindo os acionistas,
A GIRH materializou uma resposta às demandas identifi-
convencendo-os de que o investimento em pessoas afeta
cadas em Pesquisa de Clima, realizada em 1996, no que diz
substancialmente o desempenho global da empresa.
136
!Público Interno ::
Contato
Nome:
Elizete Neto Tavares Paes
18/6/2201
Elaborado em:
Projeto Bolsa de Estudos
O Projeto Bolsa de Estudos, iniciado em 1999, visa pro-
sociais. O projeto já formou oito funcionários no Ensino
mover, por intermédio da Fundação Ueze Elias Zahran, a
Fundamental, nove no Ensino Médio, 25 no Ensino Supe-
formação educacional e o aperfeiçoamento profissional
rior e 12 concluíram Pós-Graduação.
dos funcionários das empresas Copagaz e Rede Matogrossense de Televisão, pertencentes ao Grupo Zahran. São be-
Motivações
neficiados funcionários efetivos há mais de seis meses, que
O Projeto Bolsa de Estudos foi desenvolvido a partir da
estejam iniciando ou cursando o Ensino Fundamental, Mé-
necessidade de se erradicar o analfabetismo, aumentar o
dio, Superior, Especialização, Pós-Graduação, Mestrado,
nível educacional e a capacitação técnica dos funcionários.
Doutorado ou Línguas.
Complementa os benefícios já oferecidos pela empresa
O curso solicitado deve ser compatível com a função do
nas áreas de saúde, transporte e alimentação, oferecendo
empregado na empresa, e o bolsista deve comprovar suas
aos funcionários a oportunidade de realizar suas expecta-
notas ao término de cada semestre ou ano letivo. O valor
tivas profissionais.
da bolsa é estabelecido de acordo com a faixa salarial. Funcionários com salários até R$ 2.000,00 têm reembolso de
Aprendizagens
70% do valor da mensalidade, limitados a R$ 400,00. Os
A obtenção da bolsa estimula a participação ativa e o
que recebem salários acima de R$ 2.000,00, recebem o
desempenho dos funcionários na busca de soluções para
correspondente a 50% do valor da mensalidade, limitados
o crescimento da empresa. Ao estimular a continuidade
a R$ 300,00. O custeio não é estendido para “dependên-
dos estudos, o projeto propicia também sua adaptação às
cia de matérias” e, em caso de reprovação, o funcionário
mudanças tecnológicas e econômicas. Tem sido um desa-
perde o benefício por um ano. As solicitações para conces-
fio para a fundação administrar a verba do projeto, pois o
são de bolsas são avaliadas por um comitê formado por re-
número de inscrições é maior que o número de vagas. Fo-
presentantes da Fundação Zahran. Os recursos, oriundos
ram priorizadas as bolsas para Ensino Fundamental e Ensi-
das empresas que compõem o grupo, são destinados à
no Médio. Cada funcionário formado cede a vaga para ou-
fundação, que os repassa aos beneficiados. Desde o início
tro com mais tempo de casa e com menor condição finan-
do projeto foram investidos cerca de R$1 milhão em bol-
ceira.
sas de estudo.
Recomendações para a replicação da prática
Resultados / benefícios gerados
Para dimensionar o projeto, é necessário fazer, junto ao
A prática desenvolve a formação profissional e o de-
setor de recursos humanos, um levantamento da situação
sempenho dos funcionários. Contribui também para o
escolar dos funcionários da empresa e, a partir desses da-
exercício de cidadania e da responsabilidade social, esti-
dos, estabelecer os recursos financeiros compatíveis com a
mulando a participação dos beneficiados em outras ações
demanda presente.
137
Respeito ao Trabalhador !Compromisso com o Desenvolvimento Profissional e Empregabilidade ::
Grupo Zahran
>
>
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
!Público Interno ::
Sant’Anna Simões
Pires AL Laboratório
de Análises Clínicas Ltda.
Cuidados e estímulos
para a saúde e
segurança no trabalho
Contato
Nome:
Gabriela Gonçalves Suárez
20/12/2002
Elaborado em:
O Laboratório Dr. Pio realiza diversas ações visando me-
dos, alcançando excelência no atendimento. A partir dos
lhorar as condições de trabalho e o bem-estar de todos os
bons resultados, novas metas foram estipuladas para superar
seus colaboradores. Entre essas ações destaca-se a criação da
as conquistas obtidas.
Comissão Interna de Biossegurança, voltada para a segurança no ambiente de trabalho. Por meio de seminários, a co-
Motivações
missão busca conscientizar o público interno, clientes e par-
A direção buscou melhorar as condições de trabalho de
ceiros, implementando medidas como as vistorias nos Equi-
todos que interagem na empresa. Mas a grande motivação
pamentos de Proteção Individual (EPIs) que melhorem os in-
foi, principalmente, incentivar o crescimento profissional e o
dicadores de segurança no trabalho do laboratório.
comprometimento de seus colaboradores.
Em 1999, a empresa elaborou o relatório do Programa de
Assim, os benefícios existentes foram ampliados. Houve in-
Participação nos Resultados (PPR), incorporando os possíveis
vestimentos na melhoria das relações interpessoais dentro da
riscos a que os funcionários estão expostos por trabalhar
empresa e em programas de incentivo que contribuíssem para
com reagentes, agentes biológicos e maquinarias.
o desenvolvimento dos funcionários. Iniciativas individuais e
O Programa de Valorização distribui, de forma distinta,
em equipe passaram a ser mais valorizadas a partir de prêmios,
uma porcentagem das metas alcançadas entre todos os co-
como o Programa Valorização e o Programa D’Olho no Pio.
laboradores. O laboratório também fornece mensalmente a
seus funcionários cestas básicas e promove premiações de
Aprendizagens
desempenho por meio do Programa D’Olho no Pio.
A resistência às mudanças foi um obstáculo que pôde ser
Regularmente, o Laboratório Dr. Pio realiza um controle
superado graças aos treinamentos da área de Recursos Hu-
da saúde de seus funcionários. Para isso contratou um médi-
manos. A partir daí, a satisfação entre os funcionários refle-
co especialista em medicina ocupacional e os exames foram
tiu-se na satisfação dos clientes, e os investimentos realiza-
realizados pelo próprio laboratório. Além disso, é oferecido
dos permitiram que a empresa alcançasse um novo patamar
um plano de saúde para consultas médicas e um plano
na qualidade dos serviços oferecidos.
odontológico.
Recomendações para a replicação da prática
Resultados / benefícios gerados
É muito importante que haja envolvimento da direção
Ao fornecer assistência médica, adotar medidas de segu-
com a implementação das ações, empenhando-se em pro-
rança e implementar programas de incentivo e treinamento,
mover melhorias e fazendo-se presente em todo o processo
a empresa contribuiu para o crescimento profissional de seus
de decisão. Ao sentirem-se parte integrante de um time, os
funcionários e para o estabelecimento de uma relação sólida
colaboradores trabalham com mais dedicação e comprome-
com a direção.
timento.
Essas ações refletiram-se de uma maneira bastante positi-
As premiações também trazem resultados bastante posi-
va no funcionamento do laboratório, constituindo-se num
tivos. Quando concedidas a uma equipe, promovem união,
diferencial entre outras empresas de Santana do Livramento.
e os prêmios individuais estimulam o desenvolvimento dos
O Dr. Pio passou a oferecer serviços cada vez mais qualifica-
funcionários.
138
!Público Interno ::
Gestão de Segurança,
Saúde e Condições
de Trabalho
Contato
Carlos Alberto Nepomuceno
www.belgo.com.br
Elaborado em: 5/6/2001
Nome:
Website da empresa:
No início da década de 90, a Belgo passou a adotar o
jornais, boletins impressos e eletrônicos etc.). A adoção de
modelo de gestão pela Qualidade Total na Usina de Mon-
um amplo programa de Educação e Treinamento incluiu
levade. As ferramentas e técnicas propostas por esse mo-
cursos em sala de aula, campanhas educativas, eventos de
delo também passaram a ser utilizadas para a gestão de
integração e a adoção de instrumentos como o “minuto
Segurança e Saúde, visando alterar positivamente o qua-
de segurança” (reunião rápida com foco específico em
dro que se verificava. O ponto de partida para a implanta-
saúde e segurança, realizada a cada troca de turno).
ção da prática foi um trabalho de comprometimento da
A partir da implementação do novo modelo foram ado-
alta administração e envolvimento de todos os integrantes
tados novos sistemas de acompanhamento e controle,
do corpo gerencial da unidade. Foram estabelecidas as di-
como as auditorias de segurança, além de reuniões perió-
retrizes de segurança, que passaram a nortear as ações de-
dicas de verificação em comissões específicas, como a CIPA
senvolvidas.
(Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e o GASS
A partir dessas diretrizes todas as áreas da usina empe-
(Grupo de Acompanhamento da Segurança e Saúde). O
nharam-se na elaboração dos Planos Anuais de Seguran-
desenvolvimento do modelo para a Gestão de Segurança,
ça, buscando a definição clara de metas mensuráveis. Pa-
Saúde e Condições de Trabalho gerou a implantação do
ralelamente, iniciou-se a implantação do Plano SOL (Saú-
“Sistema de Acompanhamento do Quase-Acidente”. Por
de, Organização e Limpeza). No novo modelo, a área de
esse sistema, qualquer situação de risco, verificada por
Segurança e Saúde do Trabalho, responsável por esse pro-
qualquer empregado, é relatada em impresso próprio, dis-
cesso, passou a atuar como um consultor interno, auxilian-
tribuído a todos os empregados. Esse relato é analisado por
do todas as gerências na implementação de seus planos de
uma comissão especial, que elabora um plano de ação para
segurança e oferecendo o respaldo técnico necessário.
bloquear as causas do possível acidente.
Juntamente com o trabalho de normatização dos processos operacionais foram elaborados procedimentos de se-
Resultados / benefícios gerados
gurança para cada um deles. Assim, cada norma relativa a
A adoção do novo modelo de gestão possibilitou melho-
um processo na usina também passou a contemplar os
ria significativa nos resultados da usina, no que diz respei-
respectivos procedimentos de segurança. Os funcionários
to à segurança e saúde dos empregados. Os principais in-
passaram a ser treinados nesses procedimentos e foram
dicadores são os números relativos à ocorrência de aciden-
preparados para integrar as brigadas especiais, como a de
tes e ao absenteísmo por doença, que vêm caindo signifi-
incêndio e a de procedimentos emergenciais. Desde o iní-
cativamente. O número total de acidentes, que no início da
cio do processo, a Belgo vem buscando envolver todas as
década de 90 estava na casa das 180 ocorrências/ano, caiu
pessoas, nos diferentes níveis hierárquicos.
significativamente, chegando a quatro ocorrências em
As informações sobre a evolução do modelo e seus re-
1999 e 2000. Outro indicador de resultado muito satisfató-
sultados, as práticas adotadas e o papel de cada um vêm
rio foi a certificação da usina, que já era certificada na ISO
fazendo parte constante de campanhas especiais e ga-
9002, nas normas ISO 14001 (meio ambiente) e BS 8800
nham espaço destacado nos veículos que integram o Sis-
(saúde e segurança) em dezembro de 1999. Com isso, fi-
tema de Comunicação Interna da usina (quadros de avisos,
cou consolidado o Sistema de Gestão Integrada (homem,
139
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
Companhia Siderúrgica
Belgo-Mineira /
Grupo Belgo-Mineira
>
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
!Público Interno ::
meio ambiente, processo e produto). Esses resultados são
indispensável para atingir a meta de taxa de acidente zero.
reconhecidos pelos empregados. Em recente pesquisa de
Outro desafio que se coloca é a inclusão de todas as empre-
clima organizacional realizada pela empresa, o fator “segu-
sas prestadoras de serviços no modelo adotado pela Belgo.
rança” obteve posição favorável de 72%.
Recomendações para a replicação da prática
Motivações
A ação da área de Segurança deve ter seu enfoque mo-
A principal motivação para o desenvolvimento dessa
dificado, passando a atuar como uma consultoria e asses-
prática foi a perspectiva de alterar positivamente os resul-
soria interna para as questões de Saúde, Segurança e Con-
tados em termos de segurança e saúde dos empregados,
dições de Trabalho de toda a empresa. As metas a serem
num processo que incluísse todos os setores e não apenas
adotadas devem ser assumidas por todas as áreas da orga-
aqueles diretamente ligados à produção.
nização. Devem ser realistas e oferecer uma visão de curto, médio e longo prazos, buscando, concretamente, o
Aprendizagens
“zero acidente”. Outro ponto importante é ter como foco
A organização, o planejamento e o controle de todos os
estratégico uma futura certificação pela BS 8800 ou nor-
processos com foco em segurança e saúde são fundamen-
ma similar. As ações de comunicação devem estar perma-
tais para que a prática seja bem sucedida. Criar mecanismos
nentemente ligadas a ações efetivas e vinculadas à realida-
de verificação constante, com realização de auditorias que
de dos empregados. As ações de comunicação só são
acompanhem o cumprimento das ações planejadas e o en-
conscientizadoras quando se baseiam em números e fatos
volvimento efetivo de todo o quadro de pessoal é um fator
concretos.
>
140
!Público Interno ::
Contato
Nome:
Rubens Bechara
Website da empresa: www.samarco.com.br
Elaborado em:
20/12/2002
O Sistema de Gestão da Saúde e da Segurança do Tra-
dimentos adotados pela empresa para garantir o compro-
balho da Samarco busca garantir a preservação da saúde
metimento de todos e o desenvolvimento de práticas se-
e a segurança dos empregados no desempenho de suas
guras. Eles são implementados nas unidades industriais de
funções, estabelecendo ações sistemáticas de controle,
Germano/Mariana (MG) e Ponta Ubu/Anchieta (ES), e nas
monitoramento e prevenção de acidentes; além de pro-
hidrelétricas da empresa em Muniz Freire (ES) e em Antô-
mover melhoria contínua por meio de educação e treina-
nio Dias/Nova Era (MG):
mento.
O princípio de que a segurança é responsabilidade de
✓ Inspeção Trimestral de Saúde, Segurança e Meio Am-
todos e antecede à produção resume o tratamento dado
biente: abrange todos os departamentos e as empresas
à questão. Contribuem também para os resultados alcan-
contratadas, por meio de um check-list com cerca de
çados o envolvimento e a ênfase dada pela alta direção da
600 itens verificados minuciosamente. Exige-se o cum-
empresa às questões de saúde e segurança e a estreita
primento de pelo menos 90% dos itens relacionados.
parceria com as empresas contratadas. Desde 1998, as es✓ Auditoria da Diretoria: uma vez por ano, os diretores da
tatísticas de segurança da Samarco também levam em
conta os números apresentados por suas contratadas.
Samarco, juntamente com os gerentes gerais, realizam
Para atingir o estágio atual na área de saúde e seguran-
uma auditoria baseada no check-list das inspeções tri-
ça do trabalho, a Samarco desenvolveu uma série de
mestrais, demonstrando seu comprometimento com
ações baseadas no envolvimento de todos os empregados
essa ação.
– próprios e de contratadas. Entre 1999 e 2000, o processo foi coroado pela implantação do Sistema de Gestão da
✓ Samarco, Saúde e Segurança (SSS): sistema informatiza-
Saúde e Segurança do Trabalho e a obtenção do certifica-
do de acesso irrestrito aos empregados da Samarco e
do pela Det Norske Veritas (DNV) em conformidade com
das contratadas, para o relato de incidentes e condições
a norma OHSAS 18001, em dezembro de 2000. As dire-
inseguras observadas na área. Em 2001, foram registra-
trizes e a coordenação do trabalho desenvolvido pela em-
dos 971 incidentes e 1.617 condições inseguras. Destas,
presa nessa área ficam a cargo da Gerência Geral de Meio
1.100 foram resolvidas.
Ambiente, Higiene, Saúde e Segurança do Trabalho.
Para sensibilizar os funcionários para questões de segu-
✓ Gerenciamento dos Grandes Riscos: levantamento de
rança e mantê-los informados, a Samarco utiliza principal-
todos os riscos de processo nas atividades da Samarco,
mente a comunicação direta: treinamentos, reuniões en-
com detalhamento sobre aqueles com potencial para
tre chefias e equipes, reuniões com empresas contratadas,
gerar acidentes catastróficos. A partir desse levanta-
palestras da alta direção para empregados (incluindo os
mento, a empresa implanta ações para eliminá-los ou
das contratadas) e reuniões diárias de segurança (DDS).
controlá-los, evitando ocorrências de maior gravidade.
Além disso, os meios de comunicação da empresa são
✓ Indicadores de Segurança: por meio de rotinas de perio-
usados para divulgar e reforçar as práticas e metas.
São apresentados a seguir alguns dos principais proce-
dicidade semanal ou mensal, é feito o monitoramento
141
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
Samarco Mineração S.A.
Gerenciamento
da Saúde e da
Segurança do Trabalho
>
>
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
!Público Interno ::
dos indicadores de segurança em cada departamento,
Resultados / benefícios gerados
medindo seu desenvolvimento em relação a critérios
De 1996 a 2001, a média anual de acidentes CPT (com
que abrangem relatos de incidentes, condições insegu-
perda de tempo) caiu de 2,62 para 0,21. Esse índice, um
ras, ocorrências de acidentes e de riscos iminentes, ho-
dos melhores do mundo no setor de mineração, corres-
ras de treinamento em segurança e redução de tarefas
ponde a apenas um acidente com afastamento de média
críticas, entre outros.
gravidade registrado em 2001 em todas as suas operações. Os dados gerais da empresa registraram 33 aciden-
✓ Análise de Risco: procedimento prévio à realização de
tes sem perda de tempo (SPT) e a marca de 971 incidentes
qualquer tarefa não-rotineira realizada na Samarco, pe-
no ano de 2001. Todos os acidentes SPT foram analisados
los seus empregados ou pelas contratadas, abrange o
de modo a garantir que a probabilidade de novas ocorrên-
levantamento dos riscos envolvidos e a adoção das res-
cias seja cada vez menor. Em 2001, a Samarco recebeu,
pectivas medidas preventivas. É realizado pela equipe
pela terceira vez consecutiva, o Prêmio da Agência Brasil
responsável pela tarefa, juntamente com o supervisor.
de Segurança (ABS) na categoria Saúde e Segurança do
Trabalho. Esse prêmio é um reconhecimento às empresas
✓ Simulações de Acidentes de Grande Vulto: a partir do
que comprovam a adoção de medidas corretivas e preven-
Plano de Emergência, são realizadas semestralmente si-
tivas para combater acidentes e doenças do trabalho.
mulações de acidentes em processos (explosão de silos,
derramamento de produtos químicos etc.) visando a
Motivações
análise das medidas e ações desenvolvidas.
A segurança no trabalho é um item prioritário em todos
os processos e rotinas. A empresa parte do princípio de
✓ Treinamentos de Segurança: são ministrados ao longo
que não há como alcançar a qualidade em seus produtos
do ano para os empregados da Samarco e de suas con-
sem garantir a integridade física de seu trabalhador.
tratadas, com enfoques específicos nos procedimentos
do Manual de Higiene e Segurança: “Espaços Confina-
Aprendizagens
dos”, “Tag e Cadeado”, “Proteção Auditiva”, “Opera-
Os fatores primordiais para o sucesso da prática foram
ção de Caminhão Munck”, “Ferramentas Elétricas”, de-
o comprometimento da alta direção da empresa e a des-
pendendo da natureza dos trabalhos de cada área.
centralização da gestão da saúde e segurança do trabalho.
Também foram muito importantes o envolvimento das
✓ Campanhas de Segurança: ações de caráter informativo
empresas contratadas, inclusive com o tratamento conjun-
com o objetivo de disseminar os conceitos e as melho-
to de dados; o treinamento permanente para os emprega-
res práticas entre os funcionários e contratadas. Em
dos; a implantação de um Sistema de Gestão de Saúde e
2001, destacaram-se as campanhas da Semana de Trân-
Segurança do Trabalho; a adoção do princípio de melhoria
sito, da Semana da Saúde, da Semana Interna de Pre-
contínua; e o estabelecimento de parâmetros e práticas
venção de Acidentes do Trabalho (Sipat – Ubu) e da Se-
para o monitoramento dos resultados.
mana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho na
Mineração Sipatmin (Germano e Matipó).
Recomendações para a replicação da prática
Um dos principais desafios na gestão de saúde e segu-
✓ Programa de Ergonomia: implantado em 2001, com o
rança do trabalho é sensibilizar e mobilizar os emprega-
objetivo de adequar o ambiente de trabalho às condi-
dos, próprios e de empresas contratadas, a se comprome-
ções psicofisiológicas dos empregados. Foram criados,
terem com esse processo e suas práticas. Para tanto, é fun-
em Ubu e Germano, comitês de ergonomia para identi-
damental partir do envolvimento e da explicitação dos
ficar formas de melhorar os postos de trabalho, aumen-
compromissos da alta direção da empresa com os objeti-
tando as condições de saúde, conforto e segurança.
vos desse tipo de iniciativa.
142
!Público Interno ::
Contato
Laurinho José da Silva
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
Política de Benefícios
A Samarco procura proporcionar benefícios adicionais
Pasa (Plano de Assistência à Saúde do Aposentado), Credi-
aos empregados da empresa, indo além daqueles previstos
sam (Cooperativa de Crédito da Samarco), entre outros.
nas leis trabalhistas, garantindo assim a melhoria da quali-
Profissionais da empresa dedicam-se exclusivamente a
dade de vida dos funcionários e de seus familiares.
atividades relacionadas a benefícios, como o atendimento
A política de benefícios destaca-se por contemplar des-
aos usuários dos planos de assistência médica para empre-
de oportunidades de capacitação e desenvolvimento, a
gados e aposentados e aos programas voltados para a
saúde e o bem-estar do empregado dentro e fora da em-
qualidade de vida. Um funcionário terceirizado cuida das
presa, e programas preventivos estendidos a seus familia-
atividades da Cooperativa Habitacional da Samarco.
res, até facilidades para a aquisição da casa própria. Distin-
A divulgação dos benefícios da empresa é feita por
gue-se, no entanto, de práticas paternalistas, uma vez que
meio de comunicação direta (reuniões entre chefias e equi-
os benefícios oferecidos demandam, em diversas situa-
pes, palestras com profissionais da empresa ou convida-
ções, contrapartidas do empregado, seu envolvimento e
dos, e palestras da alta direção para os empregados), de
vontade de participar.
campanhas e publicações especiais (cartilhas), da disponi-
Os principais benefícios oferecidos pela Samarco são:
bilização permanente de informações em meios eletrôni-
alimentação nos restaurantes da empresa, desjejum, lan-
cos e da utilização dos veículos de comunicação da Samar-
che noturno, check-up médico, seguro de vida, seguro de
co (revista, boletim e jornal mural).
viagem, previdência privada, bolsa escolar para Ensino Su-
O projeto beneficia os empregados – que totalizavam
perior, transporte, cooperativa de crédito, kit escolar para
1.206 pessoas no final de 2001 – e seus familiares, além
filhos de funcionários e a participação na cooperativa ha-
de empregados aposentados que aderiram ao Plano de
bitacional da empresa. Recebem esses benefícios os em-
Assistência à Saúde do Aposentado e seus familiares.
pregados da Samarco nas unidades de Germano (Mariana/MG), Ponta Ubu (Anchieta/ES) e os escritórios de Belo
Resultados / benefícios gerados
Horizonte (MG) e Vitória (ES).
Apenas em 2001, 3.862 pessoas, entre empregados e
A política de benefícios da Samarco vem sendo cons-
dependentes, foram beneficiadas pelo plano de assistência
truída ao longo dos 25 anos da empresa. Ela é resultado
médica oferecido pela empresa. Foram realizados 81 mil
de sugestões de empregados, de negociações com o sin-
atendimentos (consultas médicas e odontológicas, compra
dicato e de práticas de benchmarking realizadas pela Sa-
de medicamentos e internações).
marco junto a empresas que são referências nacionais e in-
Os benefícios oferecidos pela empresa produzem im-
ternacionais em gestão de Recursos Humanos. As práticas
pacto sobre os níveis de satisfação dos empregados como
implantadas são avaliadas e monitoradas por meio de pes-
revelam as três últimas pesquisas de clima realizadas
quisas de clima organizacional realizadas periodicamente.
(1994, 1996 e 1998), que apontam a Samarco como uma
Os principais agentes da prática são a equipe de Recur-
das empresas de melhor clima organizacional do Brasil.
sos Humanos da empresa e “grupos de clima organizacional”, formados por empregados de várias áreas. Os princi-
Motivações
pais parceiros são a MAS (Assistência Médica Supletiva),
A empresa vê na política de benefícios uma forma de
143
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
Samarco Mineração S.A.
>
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
!Público Interno ::
valorizar o empregado conforme estabelece sua “Missão,
Também é importante a sistematização de uma política
Valores e Objetivos”, que prevê o desenvolvimento de uma
de benefícios e sua divulgação pelos veículos de comunica-
cultura que privilegie um ambiente no qual todos tenham
ção interna, pois facilita e estimula sua utilização pelos po-
orgulho e satisfação em ampliar as suas competências
tenciais beneficiários, que passam a reconhecer a ligação
para alcançar elevado desempenho. O mesmo documento
entre as vantagens oferecidas e os valores professados pela
define que a empresa está empenhada em construir con-
empresa. A exigência de contrapartidas e compromissos dos
tinuamente uma Organização de elevado desempenho, na
empregados na concessão de benefícios mais favoráveis que
qual cada indivíduo assuma responsabilidades e seja re-
os previstos na legislação evita que eles tenham um caráter
compensado pelos resultados obtidos, e que busca con-
paternalista e aumenta a eficácia na sua utilização.
quistar a confiança dos empregados pela clareza de comunicação, honrando os compromissos firmados.
Recomendações para a replicação da prática
Para que seja consolidado um bom plano de benefícios,
Aprendizagens
os seguintes valores e práticas mostram-se fundamentais:
✓ Guardar coerência entre o discurso e a prática.
Uma política de benefícios abrangente, que gere impactos positivos na qualidade de vida de seus funcionários,
✓ Construir a política de benefícios a partir de práticas que
deve colocar à disposição deles e de suas famílias um le-
envolvam os empregados e não apenas profissionais de
que diversificado de possibilidades, contemplando diferen-
RH, além de negociações com o sindicato.
tes necessidades. Podem ser considerados, por exemplo,
✓ Avaliar periodicamente a política de benefícios vigente,
benefícios nas áreas de alimentação, saúde, educação,
por meio de pesquisas, adaptando-a e incorporando no-
previdência, crédito financeiro e subsídio à habitação.
vas práticas.
>
144
!Público Interno ::
Contato
Política de Segurança
e Saúde no Trabalho
José Raimundo P. Barreira
www.cst.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A CST (Companhia Siderúrgica de Tubarão), sediada no
Motivações
Espírito Santo, buscou assegurar em sua Política de Seguran-
Todas as ações da empresa estão baseadas em uma políti-
ça e Saúde no Trabalho o reconhecimento da qualidade de
ca sólida e consistente de recursos humanos que considera
vida dos empregados como parte integrante do desempe-
cada empregado o principal elemento na realização de sua fi-
nho dos negócios da empresa. O Sistema de Segurança e
nalidade e missão empresarial. Uma de suas diretrizes básicas
Saúde da empresa se apóia no binômio Política de Seguran-
é a valorização do homem, assegurando a produtividade em
ça e Saúde no Trabalho e Padrão Empresarial de Prevenção e
níveis crescentes, mantendo um ambiente de trabalho que es-
Controle de Segurança e Saúde. A Política de Segurança fixa
timule a competência e o autodesenvolvimento, atendendo
diretrizes e atribui responsabilidades a todos os níveis hierár-
os anseios do empregado quanto à satisfação pessoal, cresci-
quicos; o Padrão de Segurança instrumentaliza os executivos
mento profissional, segurança e a preservação da saúde.
e empregados para a gestão.
Na relação com parceiros e colaboradores, a CST determi-
Aprendizagens
na que todos trabalhem comprometidos com as diretrizes e
Por considerar que as pessoas são o fator primordial para
padrões da empresa. A empresa exige total conformidade
o sucesso do processo produtivo e a busca permanente de
com os requisitos legais. As diretrizes estabelecidas para o con-
melhores resultados, a empresa avalia que o investimento
trole e prevenção de acidentes do trabalho, melhoria das con-
em educação e contínuo aperfeiçoamento de empregados e
dições do ambiente e promoção da saúde envolvem capacita-
parceiros é peça fundamental para seu crescimento.
ção; certificações e inspeções; investigação e análise de aciden-
A base para todas as ações é considerar a Segurança do
tes e incidentes; e identificação e prevenção de riscos, entre
Trabalho um valor para a organização. Estabilizar as rotinas e
outras.
padrões é fundamental, pois possibilita a prevenção de eventos indesejados e permite a identificação rápida de desvios e
Resultados / benefícios gerados
seu reparo quase imediato.
Entre 1999 e 2001, ocorreram cinco acidentes com perda
de tempo. Em 2002, a empresa obteve redução de 80% nes-
Recomendações para a replicação da prática
se número, com um acidente registrado. A taxa de freqüência
Todos são responsáveis pela própria segurança, pela de
média, de 1999 a 2001, foi de 0,89 acidentes por ano e, em
seus colegas e pela segurança relativa aos bens patrimoniais
2002, caiu para 0,13. Entre as empresas contratadas, essa taxa
da companhia. Nenhum trabalho pode ser realizado sem se-
caiu, em 2002, de 1,65 para 1,22, registrando uma redução
gurança. É assegurado a qualquer funcionário ou empresa
de 26%. A taxa média de gravidade, entre 1999 e 2001, foi
contratada o direito de questionar a realização de tarefas em
de 262 e diminuiu para 6,0 em 2002, numa redução de 97%.
que as medidas de segurança não estejam devidamente sa-
É importante ressaltar que esses resultados devem ser atri-
tisfeitas e de recorrer aos sucessivos níveis de gerência, caso
buídos a todos os funcionários, parceiros e colaboradores,
se encontre sem condições adequadas para a execução da
que têm como meta e desafio a melhoria contínua dos pro-
tarefa. É dever de cada gerente proporcionar um ambiente
cessos, a manutenção de um ambiente seguro, o bem-estar
adequado para que o empregado se sinta em condições de
e a saúde de todos.
exercer esse direito.
145
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
Companhia Siderúrgica
de Tubarão
>
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
!Público Interno ::
Pão Gostoso
Contato
Diretrizes de Higiene,
Saúde e Segurança
Nome:
Ana Maria Mendonça Menezes
20/7/2003
Elaborado em:
O ponto de partida para a implantação da prática foi
Motivações
um trabalho de comprometimento da direção com o en-
A principal motivação para o desenvolvimento dessa
volvimento de todos os integrantes da empresa na criação
prática foi a perspectiva de alterar positivamente os resul-
de diretrizes de higiene, saúde e segurança, que passaram
tados em termos de higiene, organização e saúde dos em-
a nortear a atividade do estabelecimento.
pregados, num processo que envolve toda a empresa. Ou-
Tudo começou com a participação em cursos de quali-
tro fator que merece destaque é a facilidade de diálogo da
dade realizados pelo SEBRAE e pela Associação Comercial,
direção com os empregados e dos empregados entre si.
quando a Pão Gostoso passou a adotar o modelo de gestão pela Qualidade Total através do programa 5S (seleção,
Aprendizagens
organização, limpeza, saúde e autodisciplina). As ferra-
A organização, o planejamento e o controle de todos os
mentas e técnicas propostas por esse modelo passaram a
processos com foco em segurança e saúde são fundamen-
ser utilizadas na empresa e alteraram positivamente as
tais para que a prática seja bem-sucedida. Criar mecanis-
condições de trabalho.
mos de verificação constante, com realização de auditorias
As informações sobre a evolução do modelo e seus re-
que acompanhem o cumprimento das ações planejadas e
sultados, as práticas adotadas e o papel de cada um vêm
o envolvimento efetivo de todo o quadro de pessoal é um
fazendo parte constante de campanhas especiais e ga-
fator indispensável para atingir a meta estabelecida.
nham espaço destacado nos quadros de avisos da empresa. A partir da implementação do novo modelo, foram
Recomendações para a replicação da prática
adotados novos sistemas de acompanhamento e controle.
As metas a serem adotadas devem ser assumidas primeiro pela direção e a seguir por todas as áreas da organização.
Resultados / benefícios gerados
Devem ser realistas e oferecer uma visão de curto, médio e
Eliminação de retrabalho e desperdícios, alcançando ga-
longo prazo. As ações de comunicação devem estar perma-
nhos de produtividade e qualidade. Melhora significativa
nentemente ligadas às ações efetivas e vinculadas à realida-
do ambiente de trabalho, criando ainda um sentimento de
de dos empregados, pois elas só são conscientizadoras
conservação e manutenção do patrimônio da empresa.
quando se baseiam em números e fatos concretos.
>
146
!Público Interno ::
Contato
Maria Regina Costa Vitorello
www.canastrans.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Canasvieiras Transportes, empresa de transporte co-
acidente de trabalho, como emissão de CAT e preenchi-
letivo urbano de Florianópolis, busca criar um clima orga-
mento de fichas de análise dos acidentes em parceria com
nizacional que preze a saúde, a segurança e o bem-estar
membros da CIPA e líderes setoriais.
de seus colaboradores, por meio do Serviço Especializado
Como fator diferencial para a construção de uma cul-
em Engenharia e Medicina do Trabalho (SESMT). Sua
tura preventiva entre os colaboradores, são desenvolvidas
atuação visa prevenir acidentes e doenças ocupacionais, e
ações integradas com o objetivo de disponibilizar infor-
desenvolver treinamentos sistemáticos da Brigada de In-
mações e oportunidades para o cuidado com a saúde e a
cêndio.
prevenção de acidentes no trabalho e em casa.
O setor desenvolve o Programa de Prevenção de Riscos
O SESMT criou o Projeto “Cinco Minutos de Seguran-
Ambientais (PPRA) e o Programa de Controle Médico e
ça”, onde são realizadas, semanalmente, durante cinco
Saúde Ocupacional (PCMSO), por meio do qual se reali-
minutos, atividades com apresentação de vídeos e deba-
zam exames médicos admissional, periódico, demissional
tes sobre assuntos relevantes à segurança no trabalho e
e de mudança de função, e o controle de saúde ocupacio-
qualidade de vida. Também são feitas campanhas e pales-
nal. O SESMT também assessora a Comissão Interna de
tras, por meio do Programa Saúde Global, sobre diferen-
Prevenção à Acidentes (Cipa), e participa da realização da
tes temáticas, como DST/HIV/Aids, tabagismo, qualidade
Semana Interna de Prevenção à Acidentes (Sipat).
de vida, prática de esportes e ergonomia, entre outros.
Em 2003, a empresa passou a realizar o Perfil Profissio-
Atualmente, o SESMT vem desenvolvendo o projeto
gráfico Previdenciário (PPP), uma instrução normativa do
“Agita Canas”, que disponibiliza aos colaboradores um
INSS, onde são analisadas as condições de trabalho de
espaço para atividades esportivas e oferece a oportunida-
cada colaborador e os riscos ocupacionais físicos, quími-
de de praticar atividades físicas e de lazer.
cos, biológicos, ergonômicos e de acidentes.
Uma equipe de fisioterapia, educação física e o SESMT
Acreditando que a segurança no ambiente de trabalho
realizam uma avaliação física de todos os colaboradores
é fundamental para a tranqüilidade e o bem-estar do co-
da empresa. É feita uma entrevista identificando questões
laborador, a Canasvieiras Transportes desenvolve dentro
relacionadas à qualidade de vida no trabalho, como es-
do seu Sistema de Gestão da Qualidade o indicador de
tresse, ansiedade, dores e desconforto, convívio social,
acidente de trabalho, registrado e controlado mensalmen-
afetivo e profissional, entre outros. A partir desse diag-
te. O objetivo é diminuir a ocorrência de acidentes de tra-
nóstico será possível desenvolver um programa de condi-
balho para o máximo de um acidente por mês com emis-
cionamento físico e fisioterapia que atenda aos colabora-
são de Comunicado de Acidente de Trabalho (CAT). O
dores.
projeto inclui também orientações, palestras, acompanha-
A Canasvieiras Transportes realizou, ainda, o Dia do Of-
mento de atividades e identificação de possíveis riscos. O
talmologista. Nesse evento foram disponibilizados gratui-
SESMT constrói relatórios mensais de controle de aciden-
tamente aos colaboradores e familiares uma equipe de of-
tes de trabalho, realiza inspeções de segurança periódi-
talmologistas e equipamentos de exames clínicos para
cas, instrui e disponibiliza equipamentos de proteção indi-
diagnósticos e informações sobre deficiências visuais,
vidual e coletivo e desenvolve procedimentos em caso de
além dos serviços de um laboratório de ótica, presente
147
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
Canasvieiras
Transportes Ltda.
Saúde do trabalhador:
segurança e qualidade
de vida em primeiro
lugar
>
Respeito ao Trabalhador !Cuidado com Saúde, Segurança e Condições de Trabalho ::
!Público Interno ::
para consultas e aviamento de receitas oftalmológicas.
SESMT garante também o cumprimento das normas regu-
Um placar de indicação do número de dias sem aciden-
lamentadoras e a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).
tes de trabalho em afastamento foi instalado nas dependências de empresa, como fator de informação e estímu-
Aprendizagens
lo à prevenção de acidentes.
A experiência da Canasvieiras Transportes permite entender o quanto a cultura da valorização do trabalhador
Resultados / benefícios gerados
pode contribuir como incentivo aos colaboradores. A in-
As ações realizadas pela Canasvieiras Transportes em
clusão de aspectos motivacionais nas ações de saúde e se-
favor da saúde e da segurança de seu público interno tra-
gurança estimula sua presença e participação nas ativida-
zem como resultado um clima organizacional em que o
des. O campo e a abrangência da atuação que o setor do
trabalhador sente-se valorizado e possibilita que a empre-
SESMT apresenta atualmente representa uma conquista
sa tenha o controle da saúde e do bem-estar de seus co-
tanto para os profissionais do setor quanto para a direto-
laboradores. Ao oferecer assistência, a empresa tem como
ria e para a organização como um todo.
contrapartida o envolvimento dos colaboradores nas atividades desenvolvidas.
Recomendações para a replicação da prática
A criação de mecanismos de verificação das necessida-
Motivações
des dos colaboradores, a implantação de projetos de qua-
Para os profissionais do SESMT, a parceria e o apoio
lidade de vida e a criação de oportunidades para a expres-
dispensado pela diretoria da Canasvieiras Transportes é de
são do colaborador são pontos importantes que garantem
grande relevância para a continuidade, ampliação e eficá-
abrangência e eficácia das ações de Saúde e Segurança do
cia das práticas de saúde e segurança. A atuação da
Trabalho e a observação das normas legais.
>
148
!Público Interno ::
Contato
Programa de Preparação
para a Aposentadoria
Jaqueline Gordona
www.bancoreal.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
O Banco ABN AMRO Real S.A. vem desenvolvendo, des-
pessoal pós-aposentadoria, seja de cunho profissional,
de 1999, o “Programa de Preparação para a Aposentado-
pessoal, educativo ou qualquer outro.
ria”, em sintonia com os interesses do público interno e a
percepção da empresa quanto à necessidade de preparar os
Resultados / benefícios gerados
funcionários para essa fase da vida. Atualmente, o progra-
No final do ano 2000, foi realizada uma pesquisa com
ma é desenvolvido ao longo de dois anos, em quatro fases:
os participantes do programa em 1999 e 2000, com intui-
✓ Fase I – Comprometimento: Todos os funcionários
to de avaliar os resultados deste programa preparatório.
elegíveis participam de uma reunião de apresentação,
Quanto aos benefícios do programa para a organização
na qual são mostrados os objetivos, etapas e cronogra-
pode-se dizer que ele ilustra a completa aderência aos va-
ma do programa. Os participantes recebem uma ficha
lores da Organização: integridade, respeito, trabalho em
de adesão e comprometimento.
equipe e profissionalismo. Os resultados financeiros ainda
✓ Fase II – Foco: Consiste em quatro palestras, uma por
não foram diretamente mensurados, mas a opção pela
mês, com o objetivo de fornecer informações e ampliar
aposentadoria tem ocorrido de forma menos traumática
o escopo de reflexão para o processo de aposentadoria.
tanto para o funcionário quanto para as equipes em que
Cada palestra é desenvolvida por um especialista, ser-
tais funcionários estão inseridos.
vindo de apoio para o exercício de autoconhecimento e
Paulatinamente, abre-se espaço para que a empresa
planejamento pós-carreira. Os temas debatidos são
promova a renovação de seus quadros. Vale acrescentar
“Crise e Transformação”, “Revitalização Biológica”,
que o desligamento do funcionário não ocorre automati-
“Reeducação dos Hábitos de Alimentação e Saúde”, e
camente quando ele completa 60 anos. É uma decisão a
“Transformações do Mercado de Trabalho”.
ser tomada pelo gestor e, em alguns casos, o funcionário,
✓ Fase III – Imersão: Nessa fase é conduzido um work-
por interesse e necessidade da organização, pode conti-
shop de vivência de um dia e meio. Antes do evento, os
nuar prestando serviços ao banco na condição de consul-
funcionários são convidados a preencher um questioná-
tor independente. O investimento para cada participante
rio que pretende diagnosticar como estão lidando emo-
do programa é da ordem de R$ 3.036,00. No total, duran-
cionalmente com esta etapa. As respostas são encami-
te os três anos (1999, 2000 e 2001) o programa abrangeu
nhadas à consultoria, que tabula e apresenta os resulta-
84 participantes, com idade média de 62 anos e tempo
dos no início do workshop, analisando o grupo, seus
médio na empresa de 37 anos. O investimento no período
principais desejos, motivos e medos.
correspondeu a R$ 255.000,00.
Respeito ao Trabalhador !Preparação para Aposentadoria ::
ABN Amro Real S.A.
✓ Fase IV – Decisão: Nessa última fase são programadas
até dez sessões de uma hora para atendimento indivi-
Motivações
dual. Nas primeiras entrevistas de acompanhamento o
No ano de 1999, constatou-se haver na organização
analista e o funcionário decidem qual o foco das sessões
um grupo de 117 funcionários com idade média de 65
e quantas serão necessárias, podendo envolver ainda a
anos e 44 anos de trabalho, sem nenhuma perspectiva de
família do funcionário. De forma geral, a finalidade é
aposentadoria. Apesar das vantagens oferecidas, notou-se
apoiar o funcionário no desenvolvimento de um projeto
que a adesão desse grupo ao plano de complementação
149
>
Respeito ao Trabalhador !Preparação para Aposentadoria ::
!Público Interno ::
de aposentadoria estava muito aquém do esperado. Em
dido em quatro fases, contemplando atividades em grupo
contato com os gestores desses funcionários, notou-se
(algumas inclusive com presença de familiares), bem como
que, além do entendimento das questões financeiras e dos
sessões de atendimento individual.
benefícios, tais funcionários precisavam de algum tipo de
apoio emocional para lidar com essa fase de transição para
Recomendações para a replicação da prática
optarem pela aposentadoria. Assim nasceu o programa
Há algumas questões fundamentais que precisam ser
“Vida Nova na Aposentadoria”.
pensadas antes da implementação do programa. É importante garantir, por exemplo, que as questões financeiras
Aprendizagens
estejam resolvidas antes de começar a tratar das questões
As avaliações dos participantes das turmas anteriores
emocionais, seja por meio de previdência privada, seja por
foram fundamentais para a revisão e continuidade do pro-
meio de pacote de benefícios pós-desligamento. Deve-se
grama em 2000. Nesse ano de 2000, foi estendido para
começar a trabalhar a questão da aposentadoria com an-
todos os funcionários da Organização o Plano Comple-
tecedência suficiente para que os participantes possam es-
mentar de Aposentadoria (HolandaPrevi). De acordo com
truturar da melhor forma a transição pós-carreira, mas não
as regras deste plano, o início do recebimento do benefí-
muito antes, pois isto pode gerar ansiedade desnecessária.
cio pode ocorrer quando o funcionário completar 55 anos
Sugerimos de um ano e seis meses a dois anos antes da
de idade, desde que tenha pelo menos dez anos de servi-
idade sugerida para aposentadoria.
ço na organização. Porém, se preferir, o recebimento pode
Também deve ser assegurado que a alta cúpula da em-
ser programado até que o mesmo complete os 60 anos e
presa se envolva e patrocine o programa, e que a empresa
6 meses de idade.
trate a questão da aposentadoria da maneira mais transpa-
A partir dos 60 anos e 7 meses de idade o saldo da con-
rente e objetiva possível. Por isso, cabe caracterizar o pro-
tribuição do banco sofre redução de 30%. Desta forma,
grama como um processo que tem a função de preparar o
há uma indicação clara de qual a idade sugerida pelo ban-
profissional para a transição pós-carreira e não como um
co para a aposentadoria. O programa foi redesenhado
“cursinho para aposentados”. Finalmente, deve-se buscar
para a participação dos profissionais a partir dos 58 anos
parcerias com consultorias (psicólogos) que tenham maturi-
de idade, portanto dois anos antes do prazo para a apo-
dade e experiência para lidar com questões que possam ser
sentadoria. Ao longo dos dois anos, o programa está divi-
discutidas com os participantes ao longo do programa.
>
150
Meio
Ambiente
151
>
Meio Ambiente
>
Conhecer o impacto da atividade no meio ambiente
é um dos requisitos para uma gestão responsável.
Para isso, é fundamental monitorar e analisar os
impactos ambientais dos produtos e serviços;
desenvolver processos de gestão ambiental,
acompanhando seus efeitos, inclusive na cadeia
produtiva; e participar de processos de destinação
final e de pós-consumo.
O alcance dos compromissos com as questões
ambientais também pode ser avaliado a partir
da inclusão da questão ambiental no planejamento
estratégico da empresa. A experiência das empresas
mostra que isso é possível com programas de
melhoramento ambiental, a criação de comitês
responsáveis pela administração das ações
ambientais e o desenvolvimento de novos negócios
152
No que se refere à minimização de entradas
e saídas de materiais na empresa, diversos casos
mostram a eficiência de programas para reduzir
consumo de água, energia, produtos tóxicos e
matérias-primas, projetos de reutilização de resíduos
pela própria empresa ou por terceiros e estratégias
e compensação ambiental e a responsabilidade
sobre o ciclo de vida de produtos e serviços.
A educação ambiental representa um importante
pilar na criação de compromissos ambientais. Inúmeras
ações podem concretizá-la, tais como as atividades
de educação para os públicos internos e externos
e a participação e o apoio a projetos educacionais
em parceria com organizações não-governamentais
e o papel de liderança social em favor dessa causa.
153
Meio Ambiente
que explorem a sustentabilidade ambiental.
>
!Meio Ambiente ::
Contato
Paulo Cezar de Siqueira Silva
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
A Samarco mantém no município de Anchieta (ES) a
trole da emissão de particulados. O processo de expansão
unidade Ponta Ubu, onde funcionam duas usinas de pelo-
e de atualização tecnológica da unidade, concluído em
tização de minério de ferro e um porto por onde a empre-
1997, foi um marco. No final desse ano, entravam em
sa exporta 100% de sua produção.
operação os três primeiros precipitadores eletrostáticos,
A prática busca reduzir a emissão de particulados no ar,
paralelamente ao início das atividades da nova planta. Ou-
ocasionados pela produção e embarque das pelotas pro-
tros dois começaram a operar no primeiro semestre de
duzidas. A meta é diminuir em 10% o volume de material
1998 na planta mais antiga. A partir daí, teve início um
particulado, conforme determinado nos “Valores e Objeti-
trabalho de treinamento e de conscientização dos empre-
vos Ambientais da Empresa”.
gados, além do estabelecimento de procedimentos mais
A implantação de precipitadores eletrostáticos nas cha-
adequados e a melhoria na difusão de práticas ambientais.
minés de exaustão dos fornos nas usinas de pelotização 1
Posteriormente, foi implantado o sistema de monitora-
e 2 proporcionou uma redução significativa na emissão de
mento contínuo.
material particulado para a atmosfera. Os precipitadores
Em 2001, começaram a ser feitas pesquisas para averi-
são considerados os equipamentos mais modernos para
guar o que ainda é preciso fazer. Além disso, outras ações
controle (retenção) da emissão de particulados. Ações adi-
começaram a ser implementadas. Dentre elas, destacam-
cionais, como a melhoria do controle operacional dos pre-
se os testes com um supressor químico que impede que a
cipitadores eletrostáticos e a implantação do sistema de
poeira gerada no processo de transporte das pelotas seja
monitoramento contínuo de emissões atmosféricas (opací-
lançada na atmosfera.
metros), permitiram que resultados ainda menores fossem
A prática envolve diretamente os departamentos de Pe-
registrados. O sistema de monitoramento pelos opacíme-
lotização e de Estocagem e Embarque, com suas respectivas
tros permite que ações corretivas e preventivas sejam to-
áreas de manutenção, além das gerências de Meio Ambien-
madas instantaneamente, quando se verifica valores não-
te e de Comunicação. Mas todos os funcionários da unida-
conformes ou mesmo tendências de não-conformidade.
de de Ubu participam das atividades, já que foram envolvi-
As partículas coletadas nos sistemas de controle am-
dos em práticas de sensibilização para a questão ambiental.
biental são direcionadas para o sistema de tratamento de
Empregados e comunidade são convidados a agir como
efluentes e reaproveitadas na produção de pelotas. A Sa-
aliados na preservação ambiental, comunicando à área de
marco monitora igualmente o impacto de suas emissões
Meio Ambiente da Empresa qualquer anormalidade nas
atmosféricas nas comunidades vizinhas. Equipamentos ins-
emissões, para que providências sejam tomadas o mais rá-
talados em Anchieta, Ubu, Maembá e Maeípe, comunida-
pido possível.
des vizinhas à unidade de Ponta Ubu, medem o volume to-
Foram investidos quase US$ 55 milhões na aquisição e
tal de material particulado em suspensão na atmosfera e o
instalação dos precipitadores eletrostáticos. Já os testes com
índice de partículas que corresponde ao processo produti-
o novo supressor químico custaram cerca de US$ 300 mil.
vo da empresa.
O processo de comunicação com a comunidade tam-
Desde o início do funcionamento da unidade existiu a
bém avançou. Anualmente, a empresa apresenta publica-
preocupação com a aquisição de equipamentos para con-
mente os resultados de suas práticas ambientais e discute
155
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
Samarco Mineração S.A.
Redução e controle da
emissão de particulados
para a atmosfera
>
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
>
!Meio Ambiente ::
com a população os aspectos que precisam ser melhora-
tância de tratar a questão ambiental com responsabilidade
dos. Além disso, todas as solicitações apresentadas por
foi o ponto-chave para o sucesso da prática. O clima orga-
pessoas da região recebem respostas personalizadas.
nizacional da Companhia, com o trabalho de equipes interdisciplinares, favoreceu igualmente o processo.
Resultados / benefícios gerados
Já o principal desafio foi encontrar alternativas tecnoló-
O principal indicador de resultados até o momento é a
gicas para solucionar os problemas de emissão. Foram fei-
redução em mais de 75% das emissões de particulados
tas visitas a empresas que já usavam esses equipamentos
nas chaminés dos fornos. Os benefícios da prática incidem
e fabricantes, inclusive fora do país, para que pudesse ser
diretamente sobre os cerca de 600 empregados da unida-
escolhido o sistema mais adequado.
de de Ponta Ubu e as comunidades vizinhas, que reúnem
Ainda não existem números consolidados, mas, além da
os 108 mil habitantes dos municípios de Anchieta e de
melhoria da qualidade do ar, há ganhos na produção, pois
Guarapari (ES), que ganham não apenas com a melhoria
o material que deixa de ir para a atmosfera está sendo
da qualidade do ar, mas também com a conscientização.
reintroduzido no processo.
Os monitoramentos em Ubu e Maembá mostraram
uma redução considerável da quantidade de partículas em
Recomendações para a replicação da prática
suspensão no ar, mas somente a partir de um estudo que
✓ Reconhecer que o meio ambiente precisa ser tratado
a empresa está preparando em parceria com a Universida-
com a devida seriedade.
de Federal do Espírito Santo será possível dimensionar com
✓ Incluir a resolução desse problema como prioridade no
precisão o índice de participação da empresa na geração
planejamento estratégico da empresa e comprometer-se
da poeira em suspensão.
efetivamente com a questão são passos fundamentais
para iniciar a implementação da prática.
✓ Trabalhar de forma integrada e não tratar a questão
Motivações
A principal motivação foi a necessidade de melhorar a
pontualmente, avaliando seu impacto nos outros seto-
qualidade do ar, tendo em vista o bem-estar da comunida-
res da usina. Para isso, é preciso ter profissionais de di-
de e dos empregados da Samarco. O contato anual com a
ferentes áreas envolvidos na discussão e na busca de so-
comunidade norteou a continuidade e o aprimoramento
luções, visando gerar resultados mais abrangentes, já
das atividades.
que a qualidade do ar afeta a todos.
✓ Adotar uma postura de transparência no tratamento
Aprendizagens
dos dados e ter disponibilidade para dialogar com a co-
A conscientização de toda a equipe em relação à impor-
munidade.
156
!Meio Ambiente ::
Contato
Redução do consumo
de óleo lubrificante
Cláudio Gonçalves Salles
www.samarco.com.br
Elaborado em: 27/9/2002
Nome:
Website da empresa:
A Samarco mantém no município de Mariana (MG) a
10% o seu consumo de óleo em relação ao ano anterior.
unidade de Germano, onde realiza atividades de extração
No planejamento das ações, a Samarco disponibiliza
e concentração de minério de ferro.
técnicos e engenheiros. A implantação, gerenciamento e
Um levantamento de aspectos ambientais, realizado
monitoramento são feitos por toda a equipe responsável
pelo Departamento de Manutenção da Concentração da
pela prática. A Samarco disponibiliza igualmente pessoal
empresa, mostrou que era necessário monitorar o consu-
para fazer trabalho técnico, como a manutenção das veda-
mo do óleo lubrificante utilizado em seus moinhos. Estes
ções realizadas nos moinhos.
estudos demonstravam que pequenos vazamentos deve-
Os fornecedores são convidados para apresentações de
riam ser controlados para que a Samarco melhorasse seu
propostas de melhorias nos equipamentos, pesquisa de
desempenho ambiental, indo além da simples reposição
novas peças. Além disso, a empresa fornece os recursos
do nível do lubrificante. Foi então estabelecido um plano
para que tais alterações sejam feitas.
específico de trabalho.
O programa envolve baixos recursos financeiros, pois
Formou-se uma equipe com mecânicos de alto nível, res-
são empregados apenas na manutenção dos equipamen-
ponsáveis por detectar os vazamentos e corrigi-los, evitan-
tos. A equipe de Manutenção Mecânica da Concentração
do que se agravassem. Outra equipe de apoio pesquisava
tem um empregado responsável exclusivamente pela lubri-
soluções de engenharia para pontos específicos de vazão.
ficação, um engenheiro e cinco mecânicos, procedentes
A empresa iniciou seu plano de ações em outubro de
de uma empresa contratada que faz a lubrificação dos
1998, quando promoveu melhorias na área de manuten-
equipamentos e coleta do óleo. Atua junto à Samarco na
ção. No ano seguinte, foi feito um estudo sobre o consu-
redução do vazamento de óleo a empresa que compra o
mo do óleo, que deu suporte à implementação de ações
material que não pôde ser reutilizado nos moinhos.
diretas, iniciadas pela organização de um grupo específico
A prática, além de proporcionar o aumento dos índices
de lubrificação. Essa equipe tem a função de manter os
de disponibilidade e estabilidade operacional dos equipa-
equipamentos em condições de funcionamento, evitar a
mentos da empresa, proporcionados pela lubrificação mais
perda de óleo, eliminar vazamentos e coletar o combustí-
adequada, traz ganhos para o meio ambiente, com a dimi-
vel que vaza dos moinhos. O óleo coletado passou a ser
nuição do óleo proveniente dos vazamentos.
enviado para a unidade de recuperação e tratamento, e
A divulgação das ações é feita por meio de relatórios
uma parte desse material é recuperada e reutilizada.
sobre as ações ambientais da empresa, enviados para acio-
Atualmente, é realizado um trabalho para intensificar o
nistas, órgãos fiscalizadores e comunidade. Foi utilizada
controle, que envolve gerenciamento da rotina e inclui as
igualmente a Revista da Samarco, que é enviada para a re-
seguintes práticas: trabalhos de conscientização, análise do
sidência de cada empregado, atingindo, assim, não ape-
que pode ser feito em cada ponto de vazão, verificação da
nas público interno, mas também a comunidade.
origem de novos vazamentos (se são crônicos ou acidentais), levantamento e registro do consumo de óleo, brain
Resultados / benefícios gerados
storm para identificar perdas e ações para eliminá-las. O se-
São significativos os ganhos para o meio ambiente de-
tor estabeleceu, a partir de 2002, a meta de reduzir em
vido à redução do consumo de óleo em cerca de 75% en-
157
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
Samarco Mineração S.A.
>
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
>
!Meio Ambiente ::
tre os anos de 1999 e 2001. Se o material não fosse cole-
óleo nos moinhos é crônico, devido principalmente à ida-
tado, seria enviado para a barragem de rejeitos, causando
de dos equipamentos. A equipe de manutenção trabalha
grande impacto no ecossistema da região.
para eliminar alguns desses pontos de vazamento. No caso
A Samarco conseguiu melhorar a performance de seus
daqueles em que não há como fazer a vedação, o combus-
equipamentos com o aumento da lubrificação e reduzir
tível é coletado para reaproveitamento. Outro desafio en-
gastos com o reaproveitamento do óleo. Em 1998, eram
frentado foi identificar os melhores retentores para as ve-
gastos cerca de 20 mil litros de combustível por mês. Em
dações. Nesses casos, são desenvolvidos trabalhos de enge-
2001, esse consumo foi drasticamente reduzido para
nharia, testes e pesquisas de mercado para encontrar o
3.800 litros. A meta para 2002 é a redução para 3.400
produto certo. A principal medida tomada pela empresa
litros. Com a prática, a empresa economiza cerca de
para viabilizar o projeto, foi deslocar uma equipe para atuar
US$ 164 mil/ano em seus gastos.
exclusivamente na área. Como se trata de um trabalho fei-
Outro bom resultado da ação é a conscientização dos
to por profissionais que desenvolviam também outras ativi-
empregados de que, por meio de técnicas simples, é pos-
dades, não há como estimar investimentos financeiros es-
sível reduzir o desperdício de recursos energéticos, otimi-
pecíficos para este projeto. Ainda assim é possível inferir, a
zar a produção da área e contribuir para preservação do
partir dos benefícios obtidos para o meio ambiente, que a
meio ambiente.
relação custo-benefício foi bastante positiva. Atualmente,
No ano 2000, o consumo de seis mil litros por mês foi
estão sendo identificados aspectos econômicos que podem
considerado um bom número. Mas os resultados obtidos
ser melhorados. Um exemplo é a distribuição do óleo novo,
superaram as expectativas, com o consumo de apenas
que anteriormente era feita em tambores que precisavam
3.800 litros/mês em 2001.
ser transportados para cada ponto onde seria utilizado.
Hoje, o óleo é armazenado em um recipiente maior de
Motivações
onde é distribuído, por meio de uma tubulação, para pon-
A percepção da necessidade de implementar a prática
tos estratégicos. Além de eliminar a etapa de transporte, o
aconteceu na época em que a Samarco se propôs a conse-
novo método possibilita a compra do lubrificante a preços
guir o certificado ambiental ISO 14000, que coincidiu com
menores (por ser feita em maior quantidade e sem a neces-
o período posterior ao projeto de expansão da empresa,
sidade do uso de tambores) e o controle do consumo pelo
quando o quadro de empregados foi alterado e o setor de
almoxarifado através de um mostrador.
Manutenção reestruturado. A partir de uma análise da situação da área, a redução no consumo de óleo foi apon-
Recomendações para a replicação da prática
tada como prioridade sob três aspectos: ambiental, redu-
É importante que os empregados estejam motivados e
ção de custos e melhoria no desempenho dos equipamen-
atentos a detalhes. Manter a limpeza e a organização do lo-
tos que apresentavam problemas.
cal também é fundamental, pois, assim, os vazamentos serão identificados com mais eficiência. Esse é um trabalho que
Aprendizagens
exige persistência por parte dos envolvidos. Deve ser encara-
A conscientização da importância de trabalhar a ques-
do como uma tarefa diária e não episódica. Outro passo é
tão e a motivação do pessoal envolvido foi fundamental
formar uma equipe de apoio para trabalhar na identificação
para o sucesso do projeto. A reestruturação e organização
de soluções técnicas para vazamentos crônicos. Para que
do setor de Manutenção, por sua vez, deram suporte à
possam ajudar na solução de problemas, os fornecedores de-
realização da prática. Em alguns pontos, o vazamento de
vem estar envolvidos em várias etapas do processo.
158
!Meio Ambiente ::
Grupo REDE
Contato
Jane Maria de Souza Santos
www.redeonline.com.br
Elaborado em: 6/4/2001
Nome:
Website da empresa:
Askarel é o nome genérico de um composto orgânico
va, em diferentes âmbitos. Do ponto de vista da imagem
sintetizado em laboratório. Em certas condições, especial-
da empresa, pode-se considerar que houve uma melhoria
mente em temperaturas elevadas, esse óleo pode produzir
junto aos consumidores e, particularmente, junto aos ór-
substâncias muito perigosas para a saúde dos homens e
gãos ambientais. O retardamento desse descarte trazia ris-
animais, entre as quais os dibenzo-furanos clorados, naf-
cos de contaminação que poderiam acarretar a imposição
talinas cloradas e as dibenzodioxinas cloradas. Diversos
de multas e afetar negativamente o conceito público da
equipamentos elétricos de grande porte, isolados à base
empresa. A substituição de uma tecnologia superada, no
de Askarel, tais como transformadores, capacitores e co-
caso o isolante Askarel, por uma tecnologia ambiental-
mutadores, ainda são utilizados no Brasil.
mente viável, assegura a produtividade e competitividade
A Rede Cemat (Centrais Elétricas Matogrossenses) deci-
da empresa na transmissão de energia elétrica. Interna-
diu descartar seus equipamentos e produtos contendo o
mente, a eliminação do risco de contaminação aumentou
isolante Askarel, tendo sido uma das primeiras empresas
o bem-estar dos funcionários. A iniciativa da Cemat refle-
do setor elétrico a adotar essa iniciativa. Seguindo as nor-
te ainda seu compromisso com a sustentabilidade e a qua-
mas ambientais, a Cemat vinha armazenando equipamen-
lidade dos produtos que oferece à comunidade.
tos contaminados com Askarel à medida que eles eram
substituídos paulatinamente na operação. Considerando
Motivações
os custos, riscos envolvidos e a provisoriedade do armaze-
Um fator decisivo para que a Cemat promovesse a eli-
namento, a empresa decidiu pelo seu descarte por meio
minação do Askarel foi sua perspectiva manifesta de cons-
da incineração. A operação de descarte foi realizada no
truir o futuro com responsabilidade. O caminho da susten-
município do Rio de Janeiro, nos fornos da Bayer S/A, em-
tabilidade exige posturas diferenciadas no tratamento das
presa credenciada para isso pelos órgãos ambientais.
questões ambientais. O desenvolvimento de tecnologias
O transporte foi realizado pela empresa Saniplan – En-
limpas é, atualmente, um componente da competitivida-
genharia e Administração de Resíduos. As cinzas dos resí-
de. A preservação ambiental, além de constituir-se em fa-
duos foram armazenadas no aterro industrial da Bayer, e
tor de responsabilidade social da empresa, pode, por
os efluentes líquidos decorrentes do sistema de lavagem
exemplo, ser uma exigência para a obtenção de créditos
dos gases soltos com a queima passaram por processo de
oficiais.
tratamento biológico. A Cemat recebeu um certificado da
queima dos produtos e obteve a liberação do local em que
Aprendizagens
eles estavam armazenados. Atualmente, são utilizados
A operação de descarte dos equipamentos com Askarel
óleos isolantes de base vegetal e mineral, que permitem
foi orientada pela política ambiental da empresa, elabora-
isolar condutores de equipamentos sem causar danos am-
da para nortear as ações da Cemat relativas à questão am-
bientais.
biental. Sua definição mostrou-se importante para essa iniciativa e sua articulação com outras medidas adotadas. Fi-
Resultados / benefícios gerados
cou evidenciada também a relevância de estabelecer-se
Diversos resultados foram proporcionados pela iniciati-
um compromisso da direção da empresa com relação ao
159
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
Descarte de
equipamentos
elétricos isolados
à base de Askarel
>
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
>
!Meio Ambiente ::
meio ambiente e de definir-se um orçamento específico.
dores do transporte e da incineração devidamente qualifica-
Encarar a preocupação ambiental como uma oportunida-
dos e credenciados e a execução propriamente dita. No to-
de é a postura indicada num cenário em que a competição
tal, o custo da incineração de cerca de 19 toneladas de equi-
só tende a aumentar e onde a preocupação com a nature-
pamentos contaminados pelo Askarel ficou em R$113 mil.
za torna-se um diferencial que pode decidir o futuro de
uma empresa no mercado. As etapas da operação foram:
Recomendações para a replicação da prática
os estudos de viabilidade da ação, a definição de custos
O procedimento descrito deve ser adotado por usuários
dos serviços a serem contratados, a definição dos fornece-
de equipamentos elétricos que contêm o óleo askarel.
160
!Meio Ambiente ::
Contato
Djalma T. L. Filho
www.inco.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A ABC Inco, empresa com sede em Uberlândia (MG),
A política do SIG (Sistema Integrado de Gestão) é pro-
atua no domínio do processamento de soja, desde 1982, e
cessar e comercializar óleo de soja refinado buscando a me-
tem entre seus principais produtos o Óleo de Soja ABC e o
lhoria contínua da qualidade de seus produtos, do meio
Farelo de Soja RaçaFort. Em 1994, a ABC Inco passou por
ambiente em que se insere e da eficácia do sistema de ges-
uma reestruturação: buscando melhorias na Gestão da
tão da qualidade, gerenciando riscos e segurança em suas
Qualidade, sua administração proveu ações de otimização
operações promovendo uma maior satisfação de seus clien-
de seus processos industriais. O investimento resultou na
tes, fornecedores, associados e acionistas.
certificação ISO 9002 em 1996 e em 1999. As mudanças
Visando cumprir essa política, a ABC Inco realiza, anual-
culturais implementadas basearam-se numa atuação res-
mente, pelo menos duas auditorias internas em cada siste-
ponsável, desde a produção com qualidade até o controle
ma, e contrata auditoria externa para confirmação dos
dos efeitos adversos sobre o meio ambiente, a partir do ge-
atendimentos dos requisitos das referidas normas e a “ade-
renciamento dos processos e de uma atuação preventiva.
rência” do seu Sistema da Qualidade e Meio Ambiente.
Em 1998, a ABC Inco adotou um SGA (Sistema de Ges-
Pelo menos uma vez por ano é feita verificação da adequa-
tão Ambiental), em conformidade com a norma ISO
ção dos sistemas aos compromissos implícitos na política da
14001:96. A empresa percebeu que a integração dos siste-
empresa e às circunstâncias externas, além da avaliação do
mas da Qualidade e da Gestão do Meio Ambiente fortale-
cumprimento das suas Metas de Qualidade e Meio Am-
ceria o objetivo da excelência em qualidade, segurança e
biente e de reuniões periódicas do Comitê de Meio Am-
meio ambiente. Foi realizado um levantamento de todos os
biente e Recursos Energéticos.
aspectos ambientais de responsabilidade da ABC Inco: a
Em 2002, a empresa investiu R$ 416 mil na área am-
originação da matéria-prima e insumos diversos, os proces-
biental, mais de três vezes a quantia investida no ano ante-
sos internos e a entrega dos produtos ao cliente ou consu-
rior. Para 2003, estão programadas a distribuição de kits
midor final. Após o levantamento, foram relacionados os
ambientais em escolas públicas, a reutilização e reaprovei-
potenciais impactos adversos e desenvolvido um tratamen-
tamento da água usada para a limpeza de equipamentos,
to para prevenir cada um deles.
a redução da emissão de gases e a implantação de postos
de coleta no aterro industrial da empresa.
Um programa de reciclagem foi implantado e determinados materiais foram substituídos. Resíduos sólidos, emis-
Resultados / benefícios gerados
sões gasosas e efluentes líquidos foram reavaliados em
conformidade com as legislações ambiental federal, esta-
A empresa reduziu significativamente os custos produti-
dual e municipal. Todos os requisitos legais ambientais apli-
vos e eliminou, reduziu ou controlou os fatores potenciais
cáveis aos negócios da empresa foram catalogados. O con-
causadores de impactos ambientais. O reconhecimento for-
sumo de recursos naturais foi substancialmente reduzido.
mal desse esforço deu-se com a revalidação, em dezembro
A ABC Inco implantou uma ETE (Estação de Tratamento
de 2002, da Certificação Ambiental ISO 14001, pelo BVQI
de Efluentes), que possibilita economizar 6 m /h de água,
(Bureau Veritas Quality International). Essa certificação, alia-
por meio da reutilização em processos de irrigação. Os re-
da à ISO 9001:2000, posiciona a ABC Inco como a única
síduos sólidos produzidos pela empresa são reciclados.
empresa no segmento de processamento de soja na Amé-
3
161
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
Algar S/A
Implantação do
SGA – Sistema de
Gestão Ambiental
>
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
>
!Meio Ambiente ::
rica Latina certificada simultaneamente dentro dos concei-
dora, análise e gerenciamento de risco ambiental; auditoria
tos ISO de Qualidade e Meio Ambiente.
ambiental, medidas emergenciais e o programa de educa-
A empresa considera que, além da colaboração para o
ção e extensão ambiental.
crescimento socioeconômico do país, há um compromisso
com as próximas gerações. Em quatro anos, por meio da
Recomendações para a replicação da prática
distribuição de kits ambientais, o projeto beneficiou direta-
A empresa deve buscar inicialmente o compromisso e
mente 21.300 alunos em 37 escolas.
aculturação de toda a alta administração da corporação
com os conceitos e benefícios advindos de um adequado
Motivações
processo de gestão ambiental, caracterizado pela alocação
Como fatores internos, as ações foram impulsionadas
de recursos e estabelecimento de um orçamento específico
pela conscientização da alta administração sobre a impor-
para a área. Também deve estabelecer um sistema formal
tância da preservação do ambiente para as próximas gera-
de trabalho voltado aos conceitos de Gestão Ambiental,
ções, eliminando as possibilidades de que atividades produ-
com uma equipe alocada exclusivamente a essa atividade,
tivas e comerciais possam vir a causar impactos negativos
ou compartilhando-a, por meio de um sistema integrado,
sobre os recursos naturais e as comunidades de entorno.
com a gestão de qualidade e segurança, quando for o caso.
Como fator externo, é reconhecida a mudança cultural
É importante conscientizar toda a Organização com trei-
que se processa em nível mundial, em buscar continuamen-
namentos e workshops sobre o ciclo de melhorias contínuas
te produtos e serviços de organizações socialmente respon-
imprescindível para o sucesso do programa e promover o
sáveis. Para operações industriais, essa responsabilidade
envolvimento de todos com os objetivos estabelecidos:
pode se traduzir, entre outras, pela competência em gerir
✓ Buscar continuamente o atendimento de todos os requi-
seus processos de forma comprometida com o meio am-
sitos legais aplicáveis e outros requisitos subscritos;
✓ Otimizar o uso de recursos naturais e disposição de seus
biente do qual faz parte e com o qual interage continuamente. Essa percepção, internalizada como um dos valores
resíduos;
✓ Prover a indústria com matéria-prima conforme o plane-
de nossa Organização, representa um diferencial dentro de
mercados cada vez mais competitivos e compostos de
jamento anual;
✓ Ser eficiente nos custos na produção;
clientes e prospects com alto poder de análise e crítica.
✓ Melhorar continuamente a performance das vendas e
Aprendizagens
transporte;
✓ Reduzir o consumo de suas principais utilidades como
Uma das prioridades atuais do gerenciamento de atividades econômicas é o trato das questões ambientais não
água, energia elétrica, óleo combustível e lenha;
✓ Promover a reciclagem interna como forma de atuação
restrito apenas ao cumprimento da legislação ambiental e
à garantia de que as condições de higiene e segurança do
preventiva da poluição;
trabalho estejam dentro de padrões estabelecidos. É preci-
✓ Esclarecer clientes, fornecedores, autoridades e comuni-
so antecipar, prevenir e corrigir problemas existentes. Para
dade em geral sobre as preocupações da empresa com o
fazer frente a esses desafios, as organizações devem definir
meio ambiente e qualidade de seus produtos;
✓ Treinar e promover um programa de desenvolvimento de
e implementar um SGA (Sistema de Gestão Ambiental),
preferencialmente validado por meio de certificação.
cada colaborador;
Os fatores que determinaram o sucesso são: a avaliação
✓ Encorajar a preocupação com o meio ambiente, qualida-
de impactos ambientais; os programas de monitoramento
de e segurança alimentar food safety junto a seus forne-
ambiental, gestão ambiental, minimização da carga polui-
cedores e clientes.
162
!Meio Ambiente ::
Contato
Programa de redução
de danos ambientais
Nome: Daniel
Marques Périgo
www.fleury.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Website da empresa:
Em 2001, o Fleury – Centro de Medicina Diagnóstica ini-
dade de redução de emissão de resíduos poluentes e a oti-
ciou a implementação do Sistema de Gestão Integrada –
mização de sua utilização. Os funcionários e colaboradores
Qualidade e Meio Ambiente visando efetivar o Programa
tornam-se parceiros ao perceberem a meta da empresa em
de Redução de Resíduos Comuns, de monitoramento da
atingir níveis cada vez menores de danos ao meio ambiente.
quantidade de resíduos gerados na empresa. O programa
envolve separação, esterilização, trituração e monitoramen-
Motivações
to dos parâmetros de eficácia no tratamento de resíduos in-
A certificação ambiental é almejada pela empresa des-
fectantes, para posterior remessa ao aterro sanitário. O ge-
de o início dos trabalhos de padronização no descarte de
renciamento de resíduos envolve também os químicos e os
resíduos. A consciência de que o segmento de atuação do
rejeitos radioativos, que são segregados, adequadamente
Fleury é um potencial produtor de resíduos poluentes mo-
acondicionados e dispostos de maneira a causar o mínimo
tivou a empresa a buscar soluções eficazes para a preser-
impacto ambiental, lâmpadas fluorescentes, enviadas para
vação do meio ambiente. A construção da nova sede téc-
descontaminação de mercúrio, e cartuchos de impressão e
nico-administrativa possibilitou sua concretização. A em-
baterias de celulares, recolhidos para reciclagem.
presa planejava controlar os aspectos e impactos ambien-
Desde 1997, a empresa tem adotado normas para pa-
tais desde início do projeto de construção.
dronização dos sistemas de descarte de resíduos químicos e
infectantes e, a partir de 1998, implementou a coleta sele-
Aprendizagens
tiva de materiais recicláveis básicos, como papéis e plásticos.
O Fleury considera como principal fator de sucesso do
Em 2000, na nova sede, foram instalados sistemas separa-
sistema o foco no comprometimento da empresa com a
dos de esgotos – um para químicos e outro para sanitários
redução e reutilização de produtos tóxicos. Isto conquista
– e áreas para tratamento de efluentes e resíduos sólidos.
a credibilidade e a confiança de médicos, pacientes e de
Como parte do Sistema Ambiental, foram estabelecidas
outras partes interessadas. Embora o gerenciamento sistê-
metas de monitoramento de ruídos, efluentes e emissões
mico das certificações esteja sob a responsabilidade da
atmosféricas da frota de veículos e geradores. Também fo-
Unidade de Qualidade e Meio Ambiente, a direção da em-
ram desenvolvidos programas ambientais para a imple-
presa entende que cada colaborador pode contribuir para
mentação de sistemas de tratamento de efluentes de pro-
o sucesso do sistema.
cessadoras de filmes, redução do volume instalado de CFC
(usados nos refrigeradores), além de programas de manu-
Recomendações para a replicação da prática
tenção do consumo de energia elétrica e água na sede e
A análise da legislação é fator fundamental para o esta-
demais unidades da empresa.
belecimento de um programa de gerenciamento de resíduos na área da saúde. É possível reduzir a emissão de pro-
Resultados / benefícios gerados
dutos tóxicos em cada procedimento. Além disso, o conta-
O Fleury tem buscado a excelência na redução de danos
to com os órgãos ambientais oficiais existentes é de extre-
ambientais. Melhorar a gestão ambiental é objetivo perma-
ma importância para a adequação do sistema, para o escla-
nente e todo investimento da empresa considera a necessi-
recimento de dúvidas e para a troca de experiências.
163
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
Fleury – Centro de
Medicina Diagnóstica
>
Gerenciamento do Impacto Ambiental ! Minimização de Entradas e Saídas de Materiais na Empresa ::
>
!Meio Ambiente ::
Petrobrás
Contato
Sistema de
Gestão Ambiental
Patrícia Araujo Corrêa
www.innova.ind.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Innova, indústria petroquímica do Grupo Petrobrás,
educacional fortalecem a implementação do Sistema de
tem como objetivo minimizar os impactos causados pela
Gestão Ambiental e sensibilizam os atores envolvidos com
geração de efluentes e emissões de resíduos e maximizar
relação à importância da preservação do meio ambiente.
o aproveitamento dos recursos utilizados na produção, por
meio da otimização de seus processos de produção de es-
Motivação
tireno e poliestireno.
A Innova foi motivada pelo compromisso da direção
A sustentabilidade ambiental foi uma das principais
com as questões ambientais em busca do cumprimento da
preocupações na escolha das tecnologias utilizadas. Du-
legislação vigente e da superação destas exigências sem-
rante a implementação do Sistema de Gestão Ambiental,
pre que possível, e pela garantia da melhoria contínua por
foi realizado o levantamento dos impactos causados por
meio do estabelecimento de objetivos e metas voltados
todas as atividades da Innova e, em seguida, definidos os
para a prevenção dos impactos ambientais.
monitoramentos necessários e as medidas de controle.
O processo adotado abrange a unidade industrial do
Aprendizagens
Pólo Petroquímico localizado na cidade de Triunfo (RS), já
A Innova credita seu desempenho ambiental à atuação
certificada no Sistema de Gestão Integrado (ISO
do corpo técnico, da diretoria e aos investidores que con-
9001:2000, ISO 14001 e OHSAS 18001). A empresa par-
correram para a escolha e aplicação da tecnologia adequa-
ticipa de comissões técnicas ambientais, integrando o Pro-
da. O levantamento de aspectos e impactos realizados em
grama de Atuação Responsável e o Plastivida.
todas as atividades da Innova fez com que os colaborado-
Com o objetivo de promover a responsabilidade indivi-
res passassem a reconhecer a importância do papel de
dual com relação à proteção ao meio ambiente, a Innova
cada um no processo de controle ambiental.
promove a capacitação dos colaboradores e terceiros no
início de suas atividades na empresa, reciclando as infor-
Recomendações para replicação da prática
mações anualmente em um Seminário do Sistema de Ges-
A responsabilidade ambiental deve ser o alicerce da sus-
tão Integrado. A empresa firmou parceria com uma univer-
tentabilidade do negócio, e pode ser impulsionada pela
sidade que desenvolve projetos e estudos sobre questões
implementação de um sistema de Gestão Ambiental certi-
ambientais.
ficável. A formação de uma consciência ecológica na empresa por meio de capacitação, procedimentos, monitora-
Resultados / benefícios gerados
mentos e controles fortalece o sistema ambiental da em-
O processo industrial da empresa resulta em baixa gera-
presa, a consciência da necessidade do aproveitamento ra-
ção de efluentes líquidos e de resíduos sólidos, e um redu-
cional dos recursos e o controle ambiental devem ser en-
zido consumo de utilidades como energia elétrica, água,
tendidos como aspectos fundamentais na escolha de no-
vapor etc. Os princípios da sustentabilidade e o processo
vas tecnologias.
164
!Meio Ambiente ::
Contato
Gestão ambiental
na CSN
Luiz Cláudio Ferreira Castro
www.csn.com.br
Elaborado em: 4/11/2002
Nome:
Website da empresa:
A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) verifica riscos
Já a comunicação externa à empresa envolve reuniões com
e impactos ambientais decorrentes do ciclo produtivo e do
associações de bairro e outras organizações da sociedade, para
pós-uso de seus produtos e resíduos. Esse procedimento
informar as ações a serem implementadas e discutir os impac-
está de acordo com seu sistema de gestão ambiental, nos
tos ambientais e seus efeitos na comunidade. Anualmente, a
moldes da norma ISO 14001.
CSN elabora um relatório ambiental no qual são divulgadas as
Atualizada a cada dois anos, a prática está implantada
ações assumidas e os investimentos feitos nessa área. Em Vol-
na mina de Casa de Pedra (de minério de ferro), já certifi-
ta Redonda são realizadas auditorias comunitárias.
cada pela ISO 14001. Também está bastante adiantada na
Usina Presidente Vargas e na mina de calcário de Arcos,
Resultados / benefícios gerados
além de estar sendo desenvolvida nos demais elos da ca-
Para apurar o desempenho ambiental foram implanta-
deia de produção, como relaminadoras, centros de serviço
das metodologias de amostragem e análise em várias uni-
e de distribuição, e terminais portuários.
dades operacionais, além de novos sistemas de monitora-
A empresa dá suporte e audita seus fornecedores e ter-
mento automático.
ceiros no que se refere às práticas de redução de impactos
Com a introdução, em 2000, do sistema Atmos de ges-
ambientais, estruturando essa atuação em cláusulas con-
tão de qualidade do ar na Usina Presidente Vargas, o nú-
tratuais. Participa das comissões nacionais que identificam
mero de pontos de emissão atmosférica sob controle e
esses impactos e traçam políticas relacionadas aos resíduos
medição subiu de 37 para 522. Esses dados, que só po-
e co-produtos gerados no processo industrial. Também de-
diam ser verificados nas chaminés controladas, hoje po-
senvolve estudos para aumentar a reciclabilidade e degra-
dem ser calculados e atribuídos a cada pilha de materiais,
dabilidade dos materiais, visando sempre a aplicação eco-
a cada correia transportadora, a cada torre de transferên-
logicamente correta e sustentável em outros processos. A
cia e até mesmo a cada via de circulação da usina.
coordenação dessas práticas é feita pela área de meio am-
O acompanhamento rotineiro desses índices possibilita
biente, mas todos os setores operacionais colaboram na
a elaboração de planos de ação para a melhoria continua-
identificação de impactos e elaboração de soluções. Para
da dos mesmos. Tais metas são acopladas ao programa de
isso contam com o auxílio de engenheiros de processo e
remuneração variável dos empregados, o PLR (Participação
profissionais de pesquisa e desenvolvimento.
nos Lucros e Resultados).
A comunicação interna é feita por dois meios: o treina-
Um destaque no ano 2000 foi a redução de consumo
mento dos funcionários do setor operacional e o relato
de energia adquirida por tonelada de aço líquido produzi-
feito à área de meio ambiente pelos supervisores, sobre
do na Usina Presidente Vargas. Tal redução só foi possível
ocorrências potencialmente causadoras de impactos am-
com a Central de Co-geração Termelétrica da Usina – CTE
bientais, para que suas causas sejam apuradas. Esse fluxo
2, que entrou em operação em dezembro de 1999, res-
de informações garante a confiabilidade do planejamento
pondendo por 65% da energia consumida pela usina,
das ações, a identificação dos processos críticos e a prio-
contribuindo para a estabilidade do sistema Light.
rização decorrente de medidas preventivas e corretivas de
A geração de resíduos sólidos também foi mapeada e or-
impacto a serem adotadas.
denada. Na Usina Presidente Vargas, em minas e portos, fo-
165
Gerenciamento do Impacto Ambiental! Responsabilidade sobre o Ciclo de Vida dos Produtos e Serviços ::
CSN – Companhia
Siderúrgica Nacional
>
Gerenciamento do Impacto Ambiental! Responsabilidade sobre o Ciclo de Vida dos Produtos e Serviços ::
>
!Meio Ambiente ::
ram feitos recadastramentos de todas as etapas desse pro-
Aprendizagens
cesso. A partir daí, definiu-se um plano diretor de gestão
A CSN considera como fatores de sucesso do programa
desses materiais, além de ações visando a reciclagem, valo-
o comprometimento da alta administração da empresa, a
rização e venda de resíduos transformados em co-produtos.
explicitação das metas no PLR, o envolvimento de seus vá-
Como resultado, a CSN obteve receita bruta de R$ 62
rios setores, e de terceiros, sejam eles fornecedores ou
milhões apenas com a comercialização de resíduos e so-
compradores.
bras de seu processo produtivo. Muitos desses subprodu-
A educação ambiental, implementada por meio de par-
tos, ao serem comercializados, deixam de se acumular
cerias com as Secretarias de Educação, também é funda-
dentro da usina, o que representaria risco ambiental, e po-
mental para impulsionar o debate sobre as práticas susten-
dem ser utilizados de modo adequado.
táveis e incentivar nas escolas públicas a elaboração de
Graças à implantação e ao aprimoramento dos trata-
projetos, construindo uma nova consciência ambiental nos
mentos da água nos diversos processos produtivos, possi-
alunos e na comunidade.
bilitando sua reutilização, a captação junto ao rio Paraíba
Os principais desafios referem-se à dimensão da empre-
do Sul vem sendo reduzida ano após ano.
sa. A CSN priorizou o envolvimento matricial e descentra-
Na área da educação ambiental, foram capacitados 300
lizou a operacionalização do procedimento.
professores de escolas públicas, em cursos de trinta horas,
ministrados em 2001. Também passaram pelo Centro de
Recomendações para a replicação da prática
Educação Ambiental, localizado na Reserva da Cicuta em
✓ É importante desenvolver indicadores mensuráveis que
Volta Redonda, três mil alunos, que discutiram temas
permitam à empresa avaliar quantitativamente as en-
como Mata Atlântica, lixo e água.
tradas e saídas mais significativas do seu processo produtivo, preferencialmente de forma monetizada. Dessa
Motivações
forma, é possível entender o impacto real das ações
A comprovação do desempenho ambiental e sua confor-
ambientais sobre os custos, além de ser um importan-
midade com a legislação são exigências do mercado consu-
te sinalizador para investimentos de capital, na medida
midor e do mercado financeiro. O consumidor busca com-
em que baliza necessidades e orienta prioridades.
prar de empresas que minimizam o impacto ambiental que
✓ É fundamental que os responsáveis pela gestão de
suas atividades provocam; a liberação de financiamentos
meio ambiente da empresa transmitam o balanço das
está condicionada ao cumprimento da legislação ambiental;
metas e procedimentos estabelecidos, explicitando os
por fim, a empresa em desconformidade com a legislação
custos tangíveis e os intangíveis que decorrem da ado-
está sujeita a sanções administrativas e penais. Também os
ção dessas ações.
✓ Recomenda-se a criação de parcerias com entidades liga-
prêmios de seguros variam de acordo com o modo como se
dá a interação entre a empresa e o meio ambiente.
das ao meio ambiente, bem como os órgãos de ensino,
Esse conjunto de fatores estimula a empresa a adequar
para construção de projetos voltados à educação ambien-
sua cadeia de produção e a buscar certificações e otimiza-
tal, visando a capacitação de professores. Isso reforça ain-
ção de resultados nas auditorias de desempenho.
da mais a própria política educacional do país.
166
!Meio Ambiente ::
Contato
Racionalização do Uso
de Recursos Críticos
Nome:
Marisa Cristina Matioski Brotta
20/7/2003
Elaborado em:
A Panificadora Esplendor em seus 40 anos de existência
tões ambientais trouxe como benefícios a racionalização
tem investido na atualização tecnológica, visando reduzir e
do processo de produção e o comprometimento dos em-
substituir insumos que impactam no meio ambiente, bem
pregados com a causa ambiental: nos treinamentos, na re-
como desenvolvido programa de reutilização de resíduos e
ciclagem e separação do lixo e na elaboração de sugestões
redução de desperdícios.
para redução de desperdício.
Várias ações são realizadas junto ao público interno e à
comunidade para estimular a educação ambiental, desde
Motivações
a promoção de treinamentos e seminários, até a participa-
O reconhecimento da comunidade, dos empregados e
ção em projetos ligados à preservação do meio ambiente.
dos clientes quanto à adoção de práticas de preservação
Dentre as ações de compromisso com a causa ambiental
ambiental adotadas pela panificadora são fatores que mo-
podemos citar: a troca do forno a lenha pelo a gás, o trei-
tivam a continuidade das ações. Outra fonte de motivação
namento teórico e prático dos empregados quanto à reci-
é a possibilidade de conscientização e mobilização dos em-
clagem e separação adequada do lixo. Merece destaque a
pregados para as questões de preservação.
criação de uma esteira rolante capaz de transportar a matéria prima, na quantidade exata, do almoxarifado até o
Aprendizagens
local de fabricação dos produtos.
Desenvolveu-se a consciência de que o respeito ao meio
Tal processo foi responsável não só pela redução do
ambiente é algo de grande importância pois garantirá a
desperdício como também pela maior higiene na manipu-
sustentação do planeta. O que se fizer hoje garantirá um
lação da matéria-prima, uma vez que é ensacada nas por-
futuro melhor ou pior, só dependerá de como se agir.
ções adequadas e entregues para manuseio apenas no
momento da fabricação do produto.
Recomendações para a replicação da prática
✓ Mesmo tendo que investir, adotar medidas que redu-
A empresa mobiliza seus fornecedores e colaboradores
para o cumprimento das normas ambientais e disponibili-
zam o impacto no meio ambiente.
✓ Treinar e aperfeiçoar sempre, mantendo a empresa
za seu conhecimento em redução de impactos ambientais
para os concorrentes.
atualizada.
✓ Tudo isso possibilitará um futuro melhor para o planeta
Resultados / benefícios gerados
e garantirá um reconhecimento dos parceiros e da so-
A adoção de uma postura responsável perante as ques-
ciedade.
167
Gerenciamento do Impacto Ambiental! Responsabilidade sobre o Ciclo de Vida dos Produtos e Serviços ::
Panificadora e
Confeitaria Esplendor
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
>
!Meio Ambiente ::
Ripasa S/A –
Celulose e papel
Contato
Redução de
impacto ambiental
Nome:
Jonas Vitti
www.ripasa.com.br
27/10/2003
Website da empresa:
Elaborado em:
A Ripasa é uma empresa de fabricação de celulose e pa-
queamento, as etapas de lavagem e depuração da celulo-
pel com sede no município de Limeira (SP). A celulose pro-
se, eram feitas por equipamentos de baixa eficiência.
duzida utiliza como matéria-prima o eucalipto, que é plantado em seus parques florestais, no estado de São Paulo.
Resultados/benefícios gerados
Durante o primeiro semestre de 2001, a empresa iniciou
Quanto aos compostos orgânicos expressos como De-
trabalhos para implantação de uma nova linha de fibras
manda Química de Oxigênio, a nova linha apresenta um
para celulose, possibilitando o aumento de sua capacida-
valor de 25 kg/tonelada de celulose produzida. Na linha
de de produção para 1.200 toneladas por dia.
anterior esse número era de 78 kg/tonelada. Assim, foi
Um dos principais itens na negociação desse novo pro-
possível aumentar a produção de celulose sem aumentar o
cesso foram os aspectos ambientais, principalmente aque-
consumo de água, geração de efluente e da carga orgâni-
les relacionados com a descarga de efluentes hídricos. O
ca a ser tratada na Estação de Tratamento de Efluentes.
objetivo estabelecido foi reduzir o consumo de água e
buscar menor geração de compostos com carga orgânica.
Motivações
Para tanto, a empresa definiu que a tecnologia da nova li-
A prática de utilização de tecnologias de produção de
nha de fibras teria uma unidade de pré-branqueamento e
menor impacto ambiental está cada vez consolidada na
a nova seqüência de branqueamento passaria a utilizar o
empresa. Desde 1999, quando a Ripasa obteve sua certifi-
dióxido de cloro em vez do cloro gasoso. Dessa forma, se-
cação na ISO 14000, projetos de melhorias e de prevenção
riam cumpridas as metas de redução de consumo de água,
da poluição foram implantados com o objetivo de superar
geração de efluente e carga orgânica.
os parâmetros legais.
A empresa apresentou os dados aos fornecedores para
estimular uma concorrência, enfatizando a necessidade de
Aprendizagens
apresentação de garantias ao atendimento dos requisitos
A Ripasa entende que nas suas ações futuras a discus-
ambientais. Definido o fornecedor, foram estabelecidos
são ambiental deve estar presente no início de desenvolvi-
em contrato índices de performance ambiental, como
mento dos projetos. Atualmente, todo desenvolvimento
cláusulas de garantias comprovadas por medições.
de novos produtos engloba a preocupação com meio am-
Os índices de desempenho ambiental definidos no pro-
biente. O projeto da nova linha de fibras mostrou que é
jeto foram transformados em indicadores, que são acom-
possível planejar e exigir dos fornecedores garantias am-
panhados dentro do sistema de gerenciamento ambiental
bientais atreladas à performance, fazendo com que eles
por meio de reuniões sistemáticas pelo comitê de meio
também assumam responsabilidades.
ambiente, com a participação de técnicos, gerentes, superintendentes e diretores.
Recomendações para a replicação da prática
A capacidade de produção de celulose até o final de
A melhor forma de uma empresa deixar de investir em
2002 era de 850 toneladas por dia, sendo que seu proces-
equipamentos de abatimento da poluição é instalando
so de branqueamento utilizava uma seqüência “stan-
processos com baixo impacto ambiental. No caso da Ripa-
dard”, ou seja, com uso de cloro gasoso. Além do bran-
sa, isso ficou claro no projeto da nova linha de fibras.
168
!Meio Ambiente ::
Contato
Nome:
Sérgio Dias
www.samarco.com.br
20/12/2002
Website da empresa:
Gestão Ambiental
Elaborado em:
O meio ambiente é um aspecto prioritário na condução
o minério de ferro – tanto do ponto de vista logístico,
das atividades da Samarco, conforme prevêem seus valo-
quanto do ambiental – que levou a empresa a construir
res e objetivos. Por isso, a empresa procura compatibilizar
um mineroduto com extensão de 396 quilômetros para le-
os resultados produtivos e econômicos de suas operações
var o minério extraído na planta de Germano, em Minas
com ações de preservação ambiental.
Gerais, até Ponta Ubu, no Espírito Santo, onde é transfor-
Um dos aspectos inovadores da atuação ambiental da
mado em pelotas de ferro e embarcado no porto da Sa-
Samarco diz respeito ao seu modelo de gestão. Na Samar-
marco. Além disso, suas duas plantas industriais já previam
co, a área de meio ambiente fornece conhecimentos e téc-
a implantação de estações de tratamento de esgoto, um
nicas para o monitoramento de ações e resultados am-
conceito inovador para o Brasil da época.
bientais, mas as decisões são compartilhadas com as ou-
A segunda fase começou em 1996. A partir desse ano
tras áreas da empresa. Isso porque a Samarco tem ciência
a empresa estruturou uma área específica de meio am-
de que seu desempenho ambiental não depende apenas
biente, com autonomia em relação à área de produção, e
do trabalho de seus especialistas em meio ambiente, mas
criou uma coordenação corporativa para as áreas de meio
de todos os setores da empresa.
ambiente, segurança e saúde ocupacional. Dois anos de-
Outro aspecto que diferencia a Samarco da maioria das
pois, a Samarco tornou-se a primeira mineradora de ferro
organizações brasileiras é a independência de sua área de
do mundo a obter a certificação ambiental ISO 14001 em
meio ambiente. Em outras empresas, esta área ainda está
todo seu processo produtivo.
subordinada a departamentos de produção. Além disso, a
A empresa firmou várias parcerias para a realização da
Samarco dá um passo à frente ao tratar o meio ambiente
prática: com fornecedores de bens e serviços, governos,
de forma integrada com as áreas de saúde, segurança e
organizações não governamentais, acionistas, lideranças
qualidade, buscando introduzir conceitos e adotar as me-
comunitárias, órgãos e entidades ambientais, escolas e
lhores práticas tecnológicas disponíveis no mercado para
professores (no caso dos projetos de educação ambiental),
tratar de problemas ambientais.
pesquisadores independentes, universidades e instituições
A prática abrange as unidades industriais da empresa
especializadas em estudos ambientais.
de Germano (MG) e de Ponta Ubu (ES). Suas ações esten-
O projeto conta com equipe multidisciplinar de 29 pro-
dem-se às comunidades vizinhas nos municípios de Maria-
fissionais qualificados – a maioria tem especializações e
na e Ouro Preto, no estado de Minas Gerais, Guarapari e
pós-graduações – e que mantém contato permanente
Anchieta, no Espírito Santo, além dos municípios por onde
com experiências de gestão ambiental desenvolvidas em
passa o mineroduto que liga Germano a Ubu.
várias partes do mundo. A Samarco investe cerca de 2%
Em linhas gerais, a gestão ambiental da Samarco pode
do seu orçamento anual em projetos ambientais, índice al-
ser dividida em duas etapas. Na primeira, entre as décadas
tamente satisfatório para o setor de mineração.
de 70 e meados dos anos 90, a empresa adotou valores e
introduziu práticas e processos que trouxeram, mais tarde,
Resultados / benefícios gerados
significativos benefícios ao meio ambiente. Foi a preocupa-
✓ Redução do consumo de energia elétrica, que gerou eco-
ção em desenvolver um sistema de transporte seguro para
nomia anual superior a US$ 4 milhões para a empresa.
169
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
Samarco Mineração S.A.
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
>
!Meio Ambiente ::
✓ Diminuição do consumo de óleo, através da reciclagem do
dios da empresa demonstrou ter uma visão estratégica do
combustível, que resultou em benefícios para o meio am-
meio ambiente, o que permitiu que a empresa consolidas-
biente e em economia de mais de US$2,5 milhões por ano.
se uma cultura segundo a qual a gestão ambiental não
✓ Reaproveitamento de água e conseqüente redução no
pode ser dissociada dos resultados globais.
consumo desse recurso.
Outro “segredo” do sucesso está no próprio modelo de
✓ Diminuição da geração de resíduos sólidos, a partir da
gestão ambiental, de caráter descentralizado, e que busca
reciclagem de materiais.
soluções compartilhadas para os problemas e desafios en-
✓ Controle das emissões atmosféricas, com redução em
frentados pela empresa.
mais de 90% da liberação de material particulado.
A avaliação da relação custo-benefício da gestão am-
✓ Há também resultados relacionados aos ganhos de ima-
biental Samarco é altamente favorável, já que são visíveis
gem da empresa que nem sempre podem ser quantifi-
os progressos alcançados ano a ano no que diz respeito ao
cados.
seu desempenho ambiental. Muitas práticas resultam em
ganhos econômicos e benefícios para as comunidades e
Motivações
para o meio ambiente.
A tarefa de se estabelecer um processo de extrativismo
mineral sustentável impõe à gestão ambiental da empresa
Recomendações para a replicação da prática
um elevado nível de exigência, motivando a busca pelas
✓ Abrir canais de diálogo entre as partes interessadas (em-
melhores práticas ambientais e operacionais. Esse compro-
presa, comunidade, empregados, fornecedores, órgãos
misso, firmado pela empresa desde o início de suas ativi-
ambientais, acionistas, clientes). A postura pró-ativa e
dades, é parte integrante de sua “Missão, Valores e Obje-
ética da empresa frente à sociedade e às entidades am-
tivos” e da sua “Política de Qualidade, Meio Ambiente,
bientais viabiliza ações efetivas.
Saúde e Segurança e Código de Ética”. Não poderia ser de
✓ Buscar respaldo nas lideranças da empresa para implan-
outra forma para uma empresa que busca a excelência
tar as melhores práticas; investir sempre em capacita-
empresarial e que comercializa seus produtos no concorri-
ção, de forma a ter pessoas preparadas para lidar com
do mercado mundial de minério de ferro.
desafios; ser capaz de aprender com os erros e de ver
neles uma oportunidade de melhoria.
✓ Adotar uma visão estratégica do meio ambiente. O de-
Aprendizagens
O sucesso da Samarco na área ambiental deve ser cre-
sempenho ambiental deve ser encarado como uma variá-
ditado à atuação de sua liderança, que, desde os primór-
vel que influencia os resultados globais da empresa.
170
!Meio Ambiente ::
Contato
www.redeonline.com.br
13/6/2001
Website da empresa:
Elaborado em:
Projeto Tuiuiú Vivo
Na década de 70, a Cemat (Centrais Elétricas Matogros-
áreas críticas. A partir daí, substituiu-se o condutor central
senses) implantou a Linha de Distribuição Rural Poconé-Pi-
da linha de distribuição do trecho crítico, constituída de
xaim, na faixa de domínio da estrada Transpantaneira, MT-
cabo de alumínio nu, por um cabo protegido, evitando-se
060 visando dotar a região do Pantanal de infra-estrutura
as mortes das aves por choques elétricos.
elétrica. Essa rodovia, construída no pantanal norte mato-
Os resultados foram monitorados através de um plano
grossense com a finalidade de interligar Cuiabá a Corum-
de ação, apresentado ao Ministério Público, visando com-
bá, foi paralisada às margens do rio Cuiabá.
patibilizar a rede elétrica com a presença dessa ave. Foi
Ela passou a funcionar como um dique, pois para sua
formalizado também um convênio com o Departamento
construção foi feito um elevado cujo aterro foi constituído
de Biologia e Zoologia do Instituto de Biociências da Fun-
parcialmente por solo de caixas de empréstimo das late-
dação Universidade Federal de Mato Grosso, que acompa-
rais. Sua implantação causou desequilíbrio ao sistema de
nha esse monitoramento quinzenalmente.
vazão. No local de retirada do solo, formaram-se canais ao
A equipe de monitoramento detectou que o período re-
longo da rodovia que, no período da seca, servem de re-
produtivo e de criação dos filhotes exigia a necessidade de
servatório de água para o gado. Com a chuva, esses reser-
prorrogar o monitoramento até dezembro de 1999, o que
vatórios são povoados por muitos organismos aquáticos
foi acatado pelo Ministério Público. Os resultados foram
(invertebrados, moluscos, peixes e répteis), fontes estáveis
extremamente positivos, não havendo nenhuma morte
de alimentos para numerosas aves aquáticas. Essas aves,
dessa ave por choque elétrico.
entre elas o Tuiuiú, reúnem-se em bandos, tornando o lu-
Esses resultados demonstraram a necessidade de se im-
gar um atrativo turístico.
plantar uma norma voltada à proteção ambiental dessas
O Tuiuiú, a maior ave voadora do Brasil, com 2,20m de
aves. Foi elaborada então a PTD-25 – Construção de Redes
envergadura, é símbolo do Pantanal, onde se concentram
de Distribuição na Área do Pantanal Matogrossense. Nor-
as maiores populações da espécie, cujo hábitat vai do Mé-
matizada junto ao órgão estadual de meio ambiente, sub-
xico até a Argentina. A Cemat tem como objetivo transmi-
mete os novos projetos a serem implantados à sua ade-
tir energia elétrica com proteção ao meio ambiente, con-
quação, e compreende:
forme sua política ambiental.
A implantação da Rede de Distribuição Rural (RDR),
✓ A substituição dos cabos de alumínio descobertos por
apesar de considerar as normas legais impostas ao setor
cabos de alumínio protegidos, na fase do meio do cir-
elétrico, favorecia um impacto negativo sobre a fauna pan-
cuito trifásico. O cabo protegido é constituído de um
taneira, mais especificamente sobre o Tuiuiú, que morria
condutor de alumínio com cobertura de polietileno reti-
por eletrochoque ao fazer o trajeto ninho-corichos na bus-
culado, resistente ao trilhamento elétrico, à radiação so-
ca de alimentos.
lar e abrasão.
✓ A inserção de novos posteamentos nos vãos das estru-
Resultados / benefícios gerados
Em maio de 1998, a empresa decidiu monitorar alguns
turas devido às características técnicas (peso) dos cabos
pontos da rodovia para identificar a situação e mapear as
cobertos.
171
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
Grupo REDE
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
>
!Meio Ambiente ::
Motivações
Aprendizagens
A motivação dessa prática iniciou-se com o Programa Luz
O principal fator de sucesso da prática deve-se ao mo-
no Campo, o maior programa de eletrificação rural já im-
nitoramento realizado. Através desse controle foi possível
plantado no Brasil. Sua aplicação no Pantanal exigia a ela-
identificar os trechos onde a incidência de morte do Tuiuiú
boração de alternativas viáveis que pudessem ser compati-
era significativa, substituindo-se os cabos desprotegidos
bilizadas com as normas legais, obrigando a realização do
por cabos protegidos com alumínio.
Estudo de Impacto Ambiental (EIA) em áreas protegidas e
submetendo-o à Norma Técnica PTD-25. A área técnica da
Recomendações para a replicação da prática
empresa propôs ao grupo de monitoramento, como alter-
✓ É importante fazer um levantamento da incidência de aves
nativa, a implantação de redes com espaçamento entre as
da região, seu período reprodutivo e de criação de filhotes.
fases suficiente para evitar-se o choque elétrico com as aves.
✓ Fazer acompanhamentos periódicos nos trechos proble-
Com a aprovação da nova alternativa, a empresa implantou
máticos é fundamental.
um ramal de distribuição partindo da Rodovia Transpanta-
✓ Outra dica é procurar estabelecer parcerias com entida-
neira em direção a Fazenda Santa Edwirges, aprovado pela
des e universidades ligadas à pesquisa biológica e pre-
Fundação Estadual de Meio Ambiente (Fema).
servação do meio ambiente.
172
!Meio Ambiente ::
Contato
Luis Antonio Roberto Corvini
www.motorola.com
Elaborado em: 16/12/2003
Nome:
Website da empresa:
Projeto Papyrus
O Projeto Papyrus, iniciado em 1999, é uma parceria
da pela empresa, que disponibiliza os blocos e cadernos
entre a Motorola e a Apae (Associação dos Pais e Amigos
em sua papelaria para consumo interno. Com isso, a Apae
do Excepcional) de Jaguariúna (SP), entidade que trata de
incrementa sua fonte de renda e as pessoas portadoras de
pessoas com vários tipos de deficiência, física ou mental. A
deficiência podem desenvolver suas habilidades e auto-es-
prática tem como objetivo principal a reutilização do lixo
tima nas oficinas.
de papel gerado pela Motorola Industrial, desenvolvendo
A divulgação da prática foi realizada por meio de cam-
uma ação em conjunto com a comunidade.
panhas internas em quadros de aviso, pagers, secretárias
Inicialmente, a empresa realizou uma pesquisa interna
eletrônicas e correio eletrônico. O projeto Papyrus foi divul-
para identificar o destino dado aos resíduos de papel da
gado na TV local, em jornais da região e na revista interna-
fábrica em Jaguariúna (SP). Como resultado, constatou-se
cional BSI Magazine, do órgão certificador das normas ISO.
que 80% dos resíduos de papel da fábrica (papelão, papel
toalha e papel triturado) eram reutilizados ou reciclados.
Resultados / benefícios gerados
Verificou-se que o papel de escritório – correspondente a
A partir da parceria com a Apae-Jaguariúna, a prática
20% do total – não era reaproveitado.
foi expandida e replicada, com as adesões da Apae-Pedrei-
A Motorola procurou então obter informações junto a
ra, Casa Amarela-Campinas, Hospital Cândido Ferreira-
empresas experientes em reciclagem e reutilização de ma-
Campinas e CAE Girassol-Holambra.
teriais, para dar suporte à implantação do Projeto Papyrus.
Envolvendo inicialmente 20 alunos, o Projeto Papyrus
Foram vários os aspectos de aprendizagem: divulgação de
conta hoje com 300 participantes. A produção, que em
processos de reciclagem, conscientização ambiental, im-
1999 era de 200 blocos por mês, com as novas adesões
plantação do sistema de gestão ambiental e tratamento de
atingiu 700 blocos/mês. A Motorola fixou sua imagem,
resíduos recicláveis. Para separar o papel reutilizável do lixo
sua marca e seu comprometimento social e ambiental.
comum, a Motorola instalou 50 caixas coletoras nos escritórios, manufaturas e áreas de serviço da empresa.
Motivações
Foi instalada na Apae-Jaguariúna uma estrutura para
As principais motivações são a atuação em parceria com
processamento do papel e montagem dos blocos. O papel
a comunidade e a sustentação da Certificação ISO 14001.
coletado é destinado às oficinas de trabalhos manuais da
instituição, onde são confeccionados blocos e cadernos
Aprendizagens
que substituíram os industrializados.
Internamente, o projeto permite a conscientização dos
A equipe responsável pela implementação do projeto
funcionários da Motorola para a importância ambiental da
foi composta por funcionários das áreas Distribuição de
reciclagem.
Materiais, Meio Ambiente, Facilities, Tech. Ops (área técnica), Segurança do Trabalho, Manufatura, Qualidade, Ma-
Recomendações para a replicação da prática
teriais e Administrativo, além de funcionários da Apae. A
É importante identificar empresas que tenham expe-
Motorola forneceu o treinamento necessário.
riências acumuladas em reciclagem, para então traçar o
Toda a produção obtida nas oficinas da Apae é compra-
melhor caminho para cumprir suas metas.
173
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
Motorola Corporate
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
>
!Meio Ambiente ::
Fleury – Centro de
Medicina Diagnóstica
Contato
Programa de
Avaliação Ambiental
Daniel Marques Périgo
www.fleury.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O Programa de Avaliação do Desempenho Ambiental,
existente e o apoio de órgãos de financiamento externo
realizado pelo grupo de monitores ambientais (colabora-
foram fatores de estímulo à busca da certificação. A cons-
dores responsáveis em multiplicar os conceitos ambientais
trução da nova sede técnico-administrativa possibilitou
aos demais colaboradores) do Fleury – Centro de Medicina
tornar o Fleury referência dentre as empresas comprome-
Diagnóstica, permite monitorar os aspectos ambientais e o
tidas com a causa ambiental. Desde a etapa do projeto de
envolvimento dos colaboradores da empresa com os pro-
construção da nova sede vislumbravam-se a inclusão de
gramas. A empresa cumpre os parâmetros ambientais e
princípios relacionados à sustentabilidade ambiental e
desenvolve programas permanentes de atuação preventi-
áreas específicas para controle dos aspectos e impactos
va, incluindo a questão do meio ambiente em seu planeja-
ambientais da empresa.
mento estratégico.
A mudança da sede técnico-administrativa da empresa
Aprendizagens
para a zona sul da cidade de São Paulo (SP), em 2000, fa-
O desenvolvimento interno das atividades necessárias à
cilitou a adequação aos parâmetros da ISO 14001. As no-
implementação e manutenção da responsabilidade ambien-
vas instalações reúnem as condições físicas para atender às
tal facilitam o envolvimento e a participação dos colabora-
especificações técnicas dos critérios legais relacionados ao
dores. O comprometimento do Fleury com qualidade e meio
meio ambiente, preocupação permanente do Fleury.
ambiente é expresso por sua Política de Gestão Integrada,
focada as necessidades de clientes e da comunidade.
Resultados / Benefícios
Embora o gerenciamento sistêmico das certificações es-
O laboratório considera a padronização das atividades, a
teja sob responsabilidade da Unidade de Qualidade e Meio
melhoria dos processos e a redução de custos os principais
Ambiente, a alta direção da empresa entende que todos
benefícios gerados pelo programa. A divulgação e a socia-
os setores e colaboradores são considerados responsáveis
lização dos conhecimentos envolvidos no programa de ges-
pela manutenção e melhoria dos programas desenvolvidos
tão a todos os colaboradores, além de reafirmar o compro-
pelo Fleury.
misso do Fleury com a excelência na prestação de serviços,
demonstram também cuidado com a comunidade e com o
Recomendações para a replicação da prática
meio ambiente. A empresa foi, em 1999, a primeira em seu
A interpretação de requisitos legais precisa ser criterio-
segmento de mercado a obter a certificação ISO 9001:94
sa e observar todos os processos da empresa. O contato
pelo compromisso com a qualidade e pela capacidade no
com os órgãos ambientais oficiais existentes é de extrema
desenvolvimento de produtos e serviços. Em agosto de
importância para a adequação dos sistemas.
2002, implantou o Sistema de Gestão Integrada, migrando
A realização de benchmarking com empresas já certifi-
seu sistema de qualidade para a versão 2000 da norma ISO
cadas permite visualizar na prática o propósito da imple-
9001 e conquistando a certificação ISO 14001:96.
mentação de um sistema de gestão ambiental. Por fim, a
existência de uma base forte de treinamento interno e
Motivações
educação continuada é um fator fundamental para a ma-
A necessidade de atendimento à legislação ambiental
nutenção e continuidade do sistema implementado.
174
!Meio Ambiente ::
Contato
Gênesis – Uma
lição de ecologia
Nome:
Seiki Ueda
www.takaoka.eng.br
27/10/2003
Website da empresa:
Elaborado em:
A Takaoka Empreendimentos S.A. tem como missão
Por fim, a implementação de corredores arbóreos atra-
criar e realizar empreendimentos imobiliários para mora-
tivos para os animais compostos por árvores frutíferas es-
dia, trabalho e lazer, buscando plena qualidade de vida e
timula a circulação de animais nativos.
desenvolvimento ecologicamente sustentável.
Resultados / benefícios gerados
O Gênesis I, loteamento residencial situado na região de
Alphaville (SP), insere-se numa área superior a 800.000 m ,
Além de contribuir para um desenvolvimento urbano
dos quais apenas 230.000 m são utilizados como lotes re-
ecologicamente sustentável, atendendo às necessidades
sidenciais. O restante permanece como área preservada.
de moradia de forma planejada, o Gênesis I gera empre-
2
2
A proposta busca atender às necessidades de preserva-
gos e contribui para a manutenção da indústria da cons-
ção do ecossistema aliadas às demandas geradas pelo ho-
trução civil em nosso País.
mem, de forma sustentável.
O Gênesis I preserva e recupera a flora e a fauna, visan-
As áreas de preservação serão atravessadas por trilhas
do uma produção maior de oxigênio e a conseqüente di-
ecológicas para passeio, contemplação e estudos do meio
minuição do efeito estufa. Da mesma maneira, propicia to-
ambiente. O condomínio tem a permanente responsabili-
das as condições necessárias para a perpetuação do ecos-
dade pela preservação dos recursos naturais contra inva-
sistema, ocupando as matas de forma a evitar depreda-
sões e depredações. Todas as calçadas do loteamento são
ções e invasões que possam danificar os recursos ambien-
gramadas e devem receber árvores nativas ou frutíferas.
tais.
Na divisa de cada lote deverá ser plantada no mínimo uma
A concepção do projeto Gênesis e o seu planejamento
árvore nativa. Empresas especializadas fazem o controle
estratégico fizeram com que a Takaoka recebesse os prê-
tecnológico, laboratórios analisam as propriedades do solo
mios “Top de Marketing” e “Top de Ecologia” promovidos
e, da mesma forma, consultores auditam todos os pontos
pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do
importantes do Gênesis I, como as barragens, a pavimen-
Brasil. O Empreendimento Gênesis I também recebeu o
tação, as galerias de águas pluviais, os aterros e os muros
selo de Regularidade e Aprovação da Associação das Em-
de arrimo.
presas de Loteamento do Estado de São Paulo (Aelo).
Um acordo com a Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS) garante assessoria nas ques-
Motivações
tões hídricas, no reflorestamento e em projeto de educa-
O Gênesis é resultado de uma demanda reprimida de
ção ambiental ligado ao projeto Gênesis.
extensos grupos de pessoas que buscam viver em contato
A FBDS ainda executa projeto para a constituição da
harmonioso com a natureza, mas que, por razões profis-
bordadura florestal, com o plantio de espécies da flora
sionais, também necessitam residir em locais próximos aos
para a formação de um cinturão de proteção ao redor da
grandes centros.
vegetação. Com a finalidade de aumentar a diversidade
Após consulta à comunidade, preocupada com a carên-
das espécies vegetais na região, é realizado um projeto vi-
cia dos recursos naturais vitais como o ar e a água, optou-
sando o enriquecimento da vegetação local com o plantio
se pelo desenvolvimento e implantação de um empreendi-
de espécies que se integrem às já existentes.
mento ecológico e auto-sustentado.
175
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
T. Takaoka
Empreendimentos S.A.
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
>
!Meio Ambiente ::
Aprendizagens
Recomendações para a replicação da prática
O desenvolvimento sustentado pressupõe ser ecologi-
✓ Estabelecer canais de diálogo entre as partes interessa-
camente prudente, economicamente viável e socialmente
das (empresa, funcionários, comunidade, fornecedores,
justo, o que o difere do simples crescimento. O Gênesis I,
órgãos ambientais e clientes).
além de permitir a preservação do meio ambiente, promo-
✓ Desenvolver parcerias estratégicas com consultores, for-
ve o retorno da vida com replantio de espécimes apropria-
necedores e parceiros que estejam comprometidas com
das de forma sustentada. O desenvolvimento sustentável
o desenvolvimento eco-sustentável.
✓ Por fim, estabelecer parcerias com entidades ligadas ao
se constrói fazendo, errando e corrigindo os erros da maneira mais rápida e eficiente possível.
meio ambiente.
176
!Meio Ambiente ::
Contato
Programa de
Meio Ambiente
Marco Aurélio Kurlbaum
www.roche.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Produtos Roche, indústria de fármacos localizada no
turais. Em relação à reciclagem, o aumento da quantidade
Rio de Janeiro, produz e embala medicamentos dentro das
de resíduos enviados atingiu 58% em cinco anos (261 to-
normas de controle ambiental, buscando exceder os re-
neladas em 1997 contra 412 toneladas em 2002).
querimentos da legislação. Com investimentos anuais de
Motivações
cerca de US$ 400 mil para o aprimoramento constante das
práticas ambientais, a Roche busca melhorias nos proces-
A Roche acredita que a sustentabilidade do negócio
sos de produção, visando a redução no consumo de água,
está diretamente associada à implementação de um pro-
energia e de emissão de resíduos. Ao realizar o monitora-
grama efetivo de gerenciamento ambiental. Outro motivo
mento constante de resíduos perigosos e não perigosos
é a consciência de que a adoção de um sistema de melho-
gerados pela empresa, reduz progressivamente sua gera-
ria contínua em termos ambientais reduz diretamente os
ção. Para acompanhamento constante desses processos, a
custos por meio da implantação de técnicas de reaprovei-
Roche conta com um grupo de colaboradores especializa-
tamento de água e da redução de consumo energético.
dos em Meio Ambiente.
Aprendizagens
A empresa implementa a coleta seletiva nas diferentes
fases de produção e administração. Também contribui na
O relacionamento entre a empresa e a comunidade é
formação de cidadãos responsáveis com o meio ambiente,
transparente e construtivo quando a empresa se engaja
coordenando o Programa de Educação Ambiental para es-
em ações ambientalmente responsáveis. A reciclagem de
colas de 1º Grau. Para o público interno, a Roche possui
resíduos pode ser uma forma de retorno financeiro, desde
um programa de treinamento em meio ambiente, que re-
que exista a conscientização de todos os colaboradores e
sulta em quatro horas de treinamento por funcionário a
a efetiva separação dos resíduos na fonte de geração.
cada ano. Para promover o aprimoramento constante e inRecomendações para a replicação da prática
serir a questão ambiental em seu planejamento estratégi-
Os programas de reciclagem devem ser implantados
co, a empresa integra o Departamento de Meio Ambiente
após um processo sólido de treinamento com os colabo-
ao de Engenharia Industrial.
radores. É comum durante a implementação o envio de
material com boa performance em reciclagem para o lixo
Resultados / benefícios gerados
Como resultado de seu Programa de Meio Ambiente, a
comum ou para incineração. Em geral, o envio incorreto
Roche reduziu o consumo de água em 33 m diários, por
é fruto da não-observação na separação dos resíduos.
meio do reuso de parte do efluente industrial nas torres de
Após a implementação do programa, é aconselhável rever
refrigeração. Gradativamente, também reduziu a geração
todos os passos para avaliar se foram abordados todos os
de resíduos perigosos, atingindo 40% ao fim de quatro
resíduos com potencial de reciclagem. O incentivo a pro-
anos de trabalho (100 toneladas em 1998 contra 57 tone-
gramas de educação ambiental em escolas públicas pode
ladas em 2002). Construiu também novas áreas de produ-
acontecer por meio da distribuição de prêmios para aque-
ção que asseguram a não-emissão de contaminantes para
les que se destaquem em atividades ligadas ao Meio Am-
a atmosfera e o uso racional de água e demais recursos na-
biente.
3
177
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras! Comprometimento da Empresa com a Causa Ambiental ::
Produtos Roche
Químicos e
Farmacêuticos S.A.
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
Eletrobrás
Projeto de Recuperação
da Faixa Ciliar
do Rio Itajaí-Açú
Contato
Nome: Orival
Laurindo
www.eletrosul.gov.br
Elaborado em: 27/10/2003
Website da empresa:
A Eletrosul, empresa distribuidora de energia, do Grupo
fica do rio Itajaí-Açú na escola direcionadas à coordenação
Eletrobrás, desenvolveu, em parceria com a Faema (Funda-
e a cerca de 60 professores.
ção Municipal de Meio Ambiente) de Blumenau (SC), um
projeto para viabilizar o uso adequado da faixa de segu-
Resultados / benefícios gerados
rança da linha de transmissão de energia elétrica na mar-
Para a Eletrosul, o projeto propiciou o uso adequado
gem direita do rio Itajaí-Açú e da rodovia Jorge Lacerda
das faixas de segurança e a prevenção contra possíveis in-
(SC-470). O plantio de árvores nas áreas degradadas foi
vasões, enquanto a Escola Básica Vidal Ramos foi benefi-
uma das alternativas encontradas pela Eletrosul para com-
ciada com atividades práticas e teóricas de educação am-
patibilizar os empreendimentos da empresa com as neces-
biental.
sidades da comunidade local, promovendo o uso sustentável dos recursos naturais e a educação ambiental.
Motivações
Em 2001, foram removidas as construções da faixa de
Foram duas as razões que levaram a empresa a conce-
segurança da linha de transmissão. No início do ano de
ber e implementar o projeto: proporcionar o uso adequa-
2003, parte dos restos de construções e lixo que estavam
do da faixa de segurança da linha de transmissão e apro-
no local foi levada até a Escola Básica Vidal Ramos, onde
ximar-se da comunidade local por meio da aplicação de
foram realizadas atividades educativas pelos professores.
um programa de educação ambiental.
A Faema ficou responsável por efetuar o contato com a
Marinha, solicitando autorização de uso da área, executar
Aprendizagens
a limpeza do local e dar o suporte técnico necessário para
O diálogo e a parceria com os atores envolvidos no pro-
a implantação do projeto. A Eletrosul efetuou o levanta-
cesso estão sendo fundamentais para o êxito do projeto.
mento plani-altimétrico do espaço, forneceu material para
a construção da cerca com o intuito de restringir novas in-
Recomendações para a replicação da prática
vasões, e doou mudas de árvores de baixo porte da Mata
Esse projeto pode ser aplicado em diversas comunidades.
Atlântica, plantadas pelos alunos da Escola Básica Vidal
Deve-se diagnosticar o problema, avaliar as opiniões das pes-
Ramos. A empresa também realizou palestras em conjun-
soas envolvidas e procurar parcerias com instituições que pos-
to com técnicos da Faema e do Comitê da Bacia Hidrográ-
sam contribuir para que a iniciativa seja bem sucedida.
>
178
!Meio Ambiente ::
Contato
Larissa Barbosa
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
Implementado pela Samarco desde 1997, o Programa
ra, nutrição, saneamento básico, educação e avanços na
de Educação Popular Ambiental Bento Rodrigues, circuns-
agroindústria. O Sesi de Mariana promove o “Dia de Ação
crito inicialmente à educação ambiental, acabou se trans-
e Cidadania” e participa da promoção de eventos cultu-
formando num grande programa de promoção do desen-
rais. O IEF (Instituto Estadual de Florestas) e a Universida-
volvimento sustentável na comunidade de Bento Rodri-
de Federal de Ouro Preto atuam na área de pesquisas e
gues, subdistrito de Mariana (MG). As ações desenvolvidas
diagnósticos, realizando, por exemplo, o levantamento
contam com a participação de empregados da Samarco e
epidemiológico. A Fundação Banco do Brasil, com o pro-
de representantes da comunidade local em todo o proces-
grama “BB Educar”, alfabetiza adultos da comunidade. A
so – do planejamento à avaliação das atividades. Compe-
Universidade de Viçosa realiza, em seus laboratórios, aná-
te à Samarco a coordenação e canalização de esforços
lises detalhadas das características do solo dos terrenos
para os objetivos esperados, além do financiamento da lo-
utilizados para plantio pelo projeto Despertar. Também
gística necessária para o desenvolvimento dos trabalhos.
participam do projeto empresários, biólogos, comercian-
Em sua primeira fase, em 1997 e 1998, estudantes da
tes e oftalmologistas.
comunidade realizaram um diagnóstico social de suas de-
O projeto foi financiado pela Samarco em parceria com
mandas. Também foram desenvolvidas algumas ações
profissionais e entidades da região. Em 2001, a empresa in-
pontuais para combater problemas identificados nesse
vestiu US$ 40 mil, que representam apenas parte do volu-
diagnóstico, como os elevados índices de desnutrição e de
me de recursos mobilizados, que incluem também os pro-
verminoses, além da realização de trabalhos nas escolas
fissionais cedidos pela própria Samarco e pelos demais par-
para reduzir os níveis de evasão escolar e de repetência.
ceiros. Com essa estrutura, o programa beneficia toda a co-
A segunda fase, ocorrida nos anos de 1999 e 2000, foi
munidade de Bento Rodrigues, de cerca de 500 habitantes.
marcada pelo fortalecimento das organizações comunitárias e pela melhoria da infra-estrutura local, de maneira a
Resultados / benefícios gerados
garantir uma base sólida para que a comunidade resolves-
Na área educacional, o índice de evasão escolar caiu de
se seus problemas de maneira autônoma.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Samarco Mineração S.A.
Programa de Educação
Popular Ambiental
Bento Rodrigues
30% (1997) para menos de 10% (2001), e o índice de re-
A terceira fase, iniciada em 2001, caracteriza-se pela bus-
petência entre os alunos de 1ª a 4ª séries teve redução de
ca da auto-sustentação a partir do desenvolvimento de novas
30% (2000) para 5% (2001). Nesse ano, dos 74 alunos
atividades produtivas, além do exercício sistemático da gestão
matriculados, apenas dois foram reprovados (em 2000,
participativa nas questões locais, como educação, meio am-
dos 64 matriculados, 26 foram reprovados). Além disso,
biente, saúde, trabalho e renda, cultura, lazer e cidadania.
20 adultos participaram do programa de alfabetização.
O programa conta atualmente com a participação de
Houve redução dos problemas de saúde, com a dimi-
dezenas de atores sociais – dos setores público e privado
nuição da carência nutricional e a queda, em 30%, nos ín-
e da sociedade civil – integrados em uma rede de parce-
dices de incidência de verminoses. Os 200 alunos da Esco-
rias que sustenta as ações desde seu planejamento até a
la Bento Rodrigues fizeram exames oftalmológicos gratui-
execução, monitoramento e avaliação. A Prefeitura de
tos e 13 deles receberam óculos.
Mariana contribui com melhorias na saúde, infra-estrutu-
Perspectivas de trabalho e geração de renda estão sendo
179
>
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
✓ a degradação ambiental causada pelas queimadas e
criadas pelo “Projeto Despertar” e pela criação da agroindústria local. Dez postos de trabalho foram gerados graças à
pelo uso de mercúrio no garimpo do rio Gualaxo;
✓ a falta de opções de lazer;
parceria com a Incorpori, empresa fornecedora da Samarco.
✓ a ausência de mobilização social (até então o local não
A formação de agentes locais aumentou a própria demanda por capacitação, além de ter contribuído para a
contava com uma associação de moradores).
formação de lideranças comunitárias que atuam como
Assim, a principal motivação da empresa foi a possibili-
mobilizadores no povoado. Quinze pessoas fizeram cursos
dade de um trabalho em efetiva parceria com a popula-
de associativismo e cooperativismo e, destas, doze criaram
ção, para a promoção do desenvolvimento local e da cons-
a Associação de Hortigranjeiros de Bento Rodrigues.
ciência ecológica.
Em um balanço final, os ganhos alcançados superaram as
expectativas mais otimistas. Os moradores de Bento Rodri-
Aprendizagens
gues fortaleceram suas organizações comunitárias, passa-
Os objetivos da Samarco foram estabelecidos com base
ram a executar programas de geração de renda, desenvol-
em um diagnóstico das principais demandas, realizados
veram uma sólida consciência de seus problemas ambientais
junto à comunidade local.
e de saúde pública e assimilaram noções de cidadania.
Os principais desafios enfrentados pelo projeto foram a
mobilização da comunidade para torná-la atuante na iden-
Motivações
tificação e resolução de seus problemas, rompendo com a
A comunidade de Bento Rodrigues é a mais próxima à
cultura assistencialista que a caracterizava. Por outro lado, a
unidade da Samarco de Germano (MG). Ela é constituída por
empresa aprendeu a compreender o ritmo da comunidade
famílias de baixa renda, com pouca escolaridade. Segundo
e estabeleceu com ela um canal permanente de diálogo. O
estimativas recentes da Secretaria Municipal de Ação Social
programa conseguiu articular uma rede de parcerias diversi-
de Mariana, cerca de dois terços da população ganham até
ficadas em favor do desenvolvimento local.
1 salário mínimo. Por isso, já em 1994, quando construiu a
Com isso, o projeto já conta com mecanismos de auto-
Barragem de Santarém, nas imediações de Bento Rodrigues,
sustentação. Os resultados indicam o sucesso da estratégia:
a Samarco percebeu a necessidade de atuar na comunidade.
além da melhoria geral das condições de vida da população,
A semente foi lançada dois anos depois, quando a empresa
a continuidade do programa está assegurada pela rede de
– em parceria com a única escola do subdistrito – lançou
parceiros.
uma campanha contra queimadas e realizou uma Oficina de
Cores, atividade pedagógica que resultou na pintura do
Recomendações para a replicação da prática
muro e da fachada da escola pelos próprios alunos.
✓ Desenvolver ações eficazes que tragam valor para as co-
A receptividade da comunidade escolar a essa primeira
munidades.
iniciativa estimulou a empresa a conhecer os problemas do
✓ Manutenção de canais permanentes de diálogo com a
povoado e a buscar soluções para resolvê-los. Os contatos
comunidade, o que ajuda a promover ajustes e a corri-
com os moradores trouxeram à tona as principais deman-
gir falhas do projeto.
✓ Estabelecimento de parcerias, que viabilizam as ações e
das do local:
✓ a necessidade de capacitação dos professores da escola;
potencializam os resultados.
✓ a falta de noções básicas de higiene e saúde;
✓ Compreender o ritmo das comunidades. Uma empresa
✓ a escassez de recursos financeiros, que vinha contribuin-
não pode exigir que uma comunidade processe mu-
do para deficiências nutricionais e para a proliferação de
danças na mesma velocidade com que está acostuma-
verminoses;
da a atuar.
180
!Meio Ambiente ::
Contato
Programa Casa
da Árvore
Larissa Barbosa
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
O programa de televisão Casa da Árvore é produzido
abrange os municípios de Ouro Preto, Mariana e redondesa
pela TV Inconfidentes, em parceria com a Samarco, e vei-
e, conseqüentemente, grande parte de sua população. A TV
culado nos municípios de Mariana e Ouro Preto (MG). Seu
Inconfidentes divulga o programa em chamadas veiculadas
objetivo é despertar a consciência ambiental entre crianças
em sua programação. As ações também são divulgadas jun-
e adolescentes por meio de atividades lúdicas, de entrevis-
to à mídia regional pela assessoria de imprensa da Samarco.
tas, reportagens e matérias especiais. São apresentadas dicas de comportamento ambientalmente correto, preserva-
Resultados / benefícios gerados
ção de recursos naturais, conservação de energia, coleta
Já foram produzidos 52 programas com 15 minutos de
seletiva e reaproveitamento de materiais, entre outras.
duração cada. A periodicidade de veiculação é semanal e
A inovação do projeto reside no fato de o trabalho ser
conta com uma média de 40 mil telespectadores (audiên-
feito com o uso de uma mídia regional, o que facilita o tra-
cia estimada da TV Inconfidentes). Foram distribuídos 175
tamento de temas locais. Assim, os episódios do programa
kits educativos contendo fitas de vídeo e livros de orienta-
Casa da Árvore abordam problemas do ecossistema que
ção para professores.
afetam diretamente a realidade dos telespectadores. Há,
Professores e alunos de 175 escolas públicas tiveram aces-
portanto, uma grande identificação da audiência com o
so às informações sobre preservação ambiental. De acordo
conteúdo veiculado.
com depoimentos de professores e diretores de escolas, o
Desde que foi ao ar, em 2000, o projeto envolveu qua-
programa Casa da Árvore despertou a consciência ecológica
tro fases: produção dos programas pela TV Inconfidentes,
entre os alunos e gerou ações espontâneas de preservação
com assessoria ambiental e apoio financeiro da Samarco;
do meio ambiente como campanhas de reaproveitamento
edição do programa em fitas de vídeo e preparação de
de materiais domésticos, plantio de árvores e promoção de
materiais de orientação pedagógica para os professores
“Semanas do Meio Ambiente” nas escolas.
trabalharem em sala de aula; distribuição de cartilhas e de
Ao patrocinar esse programa, a Samarco obteve um refor-
kits educativos em palestras dirigidas aos professores,
ço de sua imagem institucional. Apesar de ter sido concebi-
abordando o conteúdo do material e possibilidades de tra-
do para atingir crianças e adolescentes, o programa também
balho com ele; e avaliação dos resultados. Esta etapa é
alcançou expresssiva audiência entre adultos, principalmente
centrada na atividade Caravana da Casa da Árvore, na
professores e pais de alunos das escolas da região.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Samarco Mineração S.A.
qual os personagens do programa percorrem as escolas
aplicando questionários para monitorar os resultados.
Motivações
A Samarco investiu cerca de R$ 85 mil na implantação do
Ao formalizar uma parceria com uma TV educativa re-
projeto, de junho de 2000 a dezembro de 2002. Além disso,
gional, a Samarco vislumbrou a oportunidade de estimular
disponibilizou profissionais das áreas de Comunicação e Meio
a formação de uma nova mentalidade em relação ao meio
Ambiente para atuar no programa. Essa prática beneficiou
ambiente.
professores e alunos das 175 escolas públicos de Ouro Preto,
Mariana, Matipó, Ponte Nova e Santa Cruz do Escalvado
Aprendizagens
(MG), além dos telespectadores da TV Inconfidentes, que
O trabalho foi desenvolvido por uma equipe de profis-
181
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
sionais com grande domínio da mídia televisiva. Além des-
res de Ouro Preto e Mariana). A tecnologia televisiva mos-
sa competência, o sucesso do programa deve ser credita-
trou-se uma ferramenta eficaz para a promoção de pro-
do à assessoria ambiental de especialistas da Samarco.
gramas educativos em larga escala.
A abordagem local dos problemas também foi outro fator decisivo, já que os telespectadores se reconheciam nos
Recomendações para a replicação da prática
programas. E, por fim, a produção dos kits com colabora-
O uso da televisão para a realização de programas edu-
ção de pedagogos deu nova dimensão ao programa, ao
cativos deve envolver equipes multiprofissionais, formadas
levá-lo às escolas.
por especialistas em criação de TV, educadores e consulto-
O projeto teve como desafio a criação de programas de
res, de modo a articular conteúdo, recursos pedagógicos e
TV e kits educativos que aliassem alto conteúdo informati-
linguagem.
vo, linguagem dinâmica e atraente e o aspecto lúdico. A
Campanhas de massa veiculadas por TV devem, sempre
adequação do conteúdo educativo à linguagem televisiva
que possível, basear-se em parceria com emissoras locais,
foi um dos principais focos de preocupação. Para superar
que podem proporcionar melhor relação custo-benefício
tal desafio, foram contratados consultores das áreas de
que inserções publicitárias ou compra de espaços na gra-
meio ambiente e educação, que trabalharam em parceria
de de programação de grandes redes.
com a equipe de TV.
Se fizer parte da proposta realizar ações nas escolas,
Com investimentos relativamente baixos, o programa
deve-se buscar parceria com as prefeituras, garantindo a
atingiu um público estimado de 80 mil pessoas (morado-
implantação na rede pública de ensino.
>
182
!Meio Ambiente ::
Contato
Lara Dornas
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
O Curso de Educação Ambiental busca introduzir con-
meiro lugar recebe R$ 5 mil; o segundo, R$ 3 mil, e o ter-
ceitos e a prática de educação ambiental na rotina peda-
ceiro, R$ 2 mil. A Samarco acompanha o desenvolvimento
gógica das escolas públicas dos municípios onde a Samar-
dos projetos vencedores e as escolas devem apresentar um
co atua, por meio da promoção de treinamentos para pro-
balanço dos resultados alcançados.
fessores. Já o Prêmio Samarco de Meio Ambiente viabiliza,
Foram formalizadas parcerias com as secretarias munici-
com premiações em dinheiro, a implantação dos projetos
pais de Educação, as superintendências de ensino dos mu-
ambientais elaborados por escolas públicas e amplia a área
nicípios envolvidos e o Instituto Estadual de Florestas (IEF).
de abrangência do programa.
A empresa já investiu R$ 160 mil no programa. Esses re-
A metodologia utilizada nos cursos busca estimular o
cursos foram usados na contratação de educadores, na com-
interesse e o envolvimento de estudantes do ensino funda-
pra de material pedagógico e na divulgação dos resultados.
mental nas questões ambientais, enfocando temas relacio-
As equipes das áreas de meio ambiente e comunicação das
nados à realidade dos municípios. Os responsáveis pela ca-
unidades de Germano e Ponta Ubu apoiaram as demandas
pacitação são profissionais de diversas especialidades que
nessas áreas. Já o Prêmio Samarco de Meio Ambiente rece-
estimulam os professores a desenvolver junto a seus alu-
beu investimentos de mais de R$ 120 mil no primeiro ano,
nos a crítica, a reflexão e a capacidade de propor soluções
incluindo os valores pagos e custos com divulgação.
para os problemas ambientais da sua localidade.
A prática beneficia toda a comunidade escolar e mora-
A prática abrange as escolas públicas dos municípios de
dores dos municípios cujas escolas participam do progra-
Guarapari, Anchieta e Muniz Freire, no Espírito Santo, e
ma. Para informar os professores participantes, foram cria-
Matipó, Mariana, Ouro Preto, Santa Cruz do Escalvado e
das peças gráficas (folders, panfletos e cartazes) de divul-
Ponte Nova, em Minas Gerais.
gação da proposta e atividades. As ações são divulgadas
O Curso de Educação Ambiental teve início em 1994 e
junto à mídia regional pela assessoria de imprensa da Sa-
encontra-se no seu oitavo ano de execução. Desde então,
marco. Já o Prêmio Samarco de Meio Ambiente, além dos
seus idealizadores se preocuparam em direcionar o con-
instrumentos citados, vale-se da comunicação direta com
teúdo para problemas ambientais da região que pudessem
o público-alvo, por meio de reuniões nas escolas.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Samarco Mineração S.A.
Curso de Educação
Ambiental e
Prêmio Samarco
ser trabalhados em sala de aula. Já em 1995, os professores começaram a desenvolver projetos de educação am-
Resultados / benefícios gerados
biental nas escolas e a propor soluções.
Em seus oito anos de existência, o curso capacitou mais
O Prêmio Samarco de Meio Ambiente, instituído em
de mil professores de oito municípios de Minas Gerais e do
2000, é realizado anualmente. Após a promoção do Cur-
Espírito Santo. O prêmio, por sua vez, está garantindo a
so de Educação Ambiental para professores da rede públi-
implantação de 24 projetos nos municípios de Guarapari,
ca, a empresa abre inscrições para que estes concorram ao
Anchieta e Muniz Freire (ES), Matipó, Mariana, Ouro Pre-
Prêmio Samarco de Meio Ambiente, com projetos ambien-
to, Ponte Nova e Santa Cruz do Escalvado (MG).
tais criados a partir do curso. A empresa convoca uma
Além disso, o programa gerou debates e mobilização
equipe de profissionais da área para julgar os projetos ins-
em torno dos problemas ambientais das escolas, numa in-
critos e eleger os três melhores de cada município. O pri-
tensidade que superou as expectativas iniciais.
183
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
Motivações
Já o Prêmio resultou da intensa mobilização dos profes-
Tendo em vista a proposta de educação ambiental da
sores nos Cursos de Educação Ambiental. Seu sucesso está
Samarco, que desloca o foco de projetos isolados para um
ligado à capacidade demonstrada pelos professores de
conjunto de ações integradas, a empresa dirige sua aten-
mobilizar as comunidades escolares às quais pertencem.
ção a oportunidades de promoção da educação ambiental
O projeto teve como desafio a criação de materiais
informal, sem, no entanto, esquecer-se das demandas do
educativos que aliassem elevado conteúdo informativo,
ensino formal. A principal necessidade das escolas, que
linguagem dinâmica e atraente e o aspecto lúdico. Outro
constituiu a motivação central para a implementação do
desafio foi a ampla divulgação do Prêmio nas escolas de
projeto, diz respeito à formação dos educadores para a
origem dos professores participantes dos cursos. Com
prática da educação ambiental em sala de aula.
custos relativamente baixos, o programa resultou em im-
Diante das boas idéias surgidas durante o Curso de
portante ganho de imagem para a empresa.
Educação Ambiental e da possibilidade de não virem a ser
executadas por falta de recursos, a Samarco pretendeu,
Recomendações para a replicação da prática
com a criação do Prêmio, estimular a participação dos pro-
✓ É necessário estabelecer parcerias com secretarias mu-
fessores nos cursos, o engajamento e a formação da cons-
nicipais e estaduais de ensino, pois são elas que viabili-
ciência ecológica de toda a comunidade escolar nos proje-
zam o acesso ao público-alvo do curso.
✓ O projeto deve focar a realidade da região.
tos e a melhoria da qualidade do meio ambiente.
✓ É necessário criar mecanismos que viabilizem a adoção
Aprendizagens
de práticas inovadoras nas escolas, tarefa cumprida
O trabalho foi desenvolvido por uma equipe de espe-
pelo Prêmio Samarco de Meio Ambiente.
cialistas das áreas de meio ambiente, educação e comuni-
✓ A criação de estratégias e materiais educativos para a
cação. Este fator foi determinante para que os materiais
formação de professores em educação ambiental deve
educativos e cursos contassem com variedade de recursos
envolver equipes multiprofissionais, constituídas por
didáticos, grande quantidade de informações, e fossem
educadores e profissionais das áreas de meio ambiente
capazes de despertar o interesse e mobilizar os professo-
de comunicação, de modo a articular conteúdo, recur-
res para levar os conhecimentos adquiridos às salas de
sos pedagógicos e o bom uso da linguagem específica
aula.
das mídias utilizadas.
>
184
!Meio Ambiente ::
Contato
Sandrelly Amigo Lopes
www.samarco.com.br
Elaborado em: 20/12/2002
Nome:
Website da empresa:
Projeto Salvamar
O projeto Salvamar, lançado em maio de 2002 pela Sa-
com os funcionários da empresa é feita por meio dos veí-
marco, busca reduzir os resíduos gerados pela atividade
culos de comunicação interna (revista mensal, jornal mural
pesqueira e turística na praia do Perocão, em Guarapari
semanal, boletins), onde permanentemente são divulga-
(ES), e nas praias do município de Anchieta (ES). O objeti-
das notícias sobre o projeto.
vo é promover a recuperação da diversidade de peixes e da
Além disso, no local de instalação dos coletores há um
qualidade da água, por meio da reciclagem e reutilização
totem de identificação do Projeto Salvamar, onde está ins-
do óleo queimado pelos motores de barcos pesqueiros. O
talado um painel de comunicação atualizado mensalmen-
projeto também busca conscientizar pescadores e a comu-
te. Nesse painel encontram-se informações como a quan-
nidade local da importância da preservação dos ecossiste-
tidade de óleo recolhido para reciclagem, os barcos que
mas costeiros.
trabalham com ecoturismo e a coluna “Barco Verde”, que
Inicialmente investiu-se na sensibilização dos pescado-
traz uma foto da embarcação/tripulação que mais contri-
res e dos empregados da Samarco e na articulação de par-
buiu para o projeto no período. Também é reservado um
cerias com as prefeituras e comunidades costeiras.
espaço para divulgação de assuntos de utilidade pública.
A seguir foram instalados coletores de óleo com capa-
As ações são divulgadas, ainda, junto à mídia regional,
cidade para 680 litros nas áreas em que os pescadores
pela assessoria de imprensa. A divulgação da iniciativa ar-
atracam suas embarcações. Atualmente a Samarco realiza,
ticula-se às estratégias gerais de divulgação da Samarco,
a cada dois ou três meses, a coleta e reciclagem do óleo,
incorporada em peças institucionais, pois é uma iniciativa
revendido para os pescadores a um preço quatro vezes
que reforça os valores de responsabilidade social e am-
menor que o óleo novo. São realizadas oficinas e palestras
biental da empresa.
de educação ambiental para estimular a comunidade a
preservar o meio ambiente.
Resultados / benefícios gerados
Os principais agentes da prática – realizada em parceria
Em um ano e meio de programa foram recolhidos, reci-
com as prefeituras de Guarapari e Anchieta – são empre-
clados e reutilizados mais de 1.500 litros de óleo. Na praia
gados da Samarco, pescadores e colônias de pesca, secre-
do Perocão, cerca de 250 pescadores estão diretamente
tarias municipais de Meio Ambiente, comunidades e esco-
envolvidos com o projeto. Em novembro de 2001, o Salva-
las. Direta ou indiretamente, o projeto beneficia toda a po-
mar foi lançado em Anchieta, onde os 600 pescadores e
pulação dos municípios de Guarapari e Anchieta (ES).
donos de embarcações cadastrados passaram a depositar
A Samarco investiu no projeto US$ 4,8 mil e contratou
o óleo lubrificante usado nos coletores ecológicos, instala-
dois profissionais para realizar a coleta e reciclagem do
dos na área de atracação, às margens do Rio Benevente. A
óleo. A estrutura de comunicação da empresa foi utilizada
cada etapa, o Projeto Salvamar vem garantindo a susten-
como apoio para a divulgação das atividades, e os técnicos
tabilidade das comunidades que vivem da pesca e do tu-
de meio ambiente da empresa realizam o planejamento,
rismo.
execução e avaliação das atividades.
O projeto provocou uma profunda mudança de com-
Diversos encontros foram realizados para informar dire-
portamento entre os pescadores envolvidos. Em pouco
tamente a comunidade de pescadores. A comunicação
mais de um ano, abandonaram um procedimento de dé-
185
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Samarco Mineração S.A.
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
cadas – o descarte de óleo no mar, nos manguezais e na
conseqüência, houve no local uma redução da diversidade
areia – para adotar uma prática ambiental correta.
de peixes e a qualidade da água piorou.
Os resultados superaram em muito as metas iniciais.
A motivação principal da empresa foi a possibilidade de re-
Além de conseguir a adesão de praticamente 100% dos
verter esse quadro por meio de uma ação simples, barata e
pescadores de Guarapari, o programa atraiu pescadores
eficiente, reciclando o óleo utilizado pelos barcos pesqueiros.
de regiões próximas, alcançando cerca de mil participantes. A quantidade de óleo recolhida nos coletores também
Aprendizagens
ultrapassou a prevista pela empresa, de 40 litros de óleo
✓ Ouvir as opiniões e sugestões de empregados. Na maioria
por mês. Atualmente, a média de recolhimento é de cerca
das vezes, as melhores idéias partem de pessoas que co-
de 80 litros mensais.
nhecem bem um determinado ambiente social. Neste caso,
O Projeto Salvamar conquistou, em 2001, os seguintes
um empregado da Samarco, filho de pescador, diagnosti-
prêmios: 1 lugar no Prêmio de Ecologia da Findes (Fede-
cou o problema (o lançamento de resíduos de óleo ao mar)
ração das Indústrias do Espírito Santo), 1 lugar no Prêmio
e propôs a solução, encampada e viabilizada pela empresa.
Tião Sá (Prefeitura Municipal de Vitória), 1 lugar no Prê-
✓ Tratar a comunidade como parceira do projeto. Sem o
mio Nacional de Ecologia da CNI (Confederação Nacional
envolvimento dela, o Projeto Salvamar não teria alcan-
das Indústrias) e destaque no Prêmio HSEC (Health, Safety,
çado os resultados que apresenta hoje.
O
O
O
✓ Monitorar resultados e avaliar processos. Só assim é
Environmental and Community) da BHP Billiton.
possível dimensionar a eficiência da prática.
Motivações
O projeto começou por iniciativa de um marinheiro, fi-
Recomendações para a replicação da prática
lho de um pescador da região. Junto com ele, outros em-
O segredo do sucesso da iniciativa não está ligado ao
pregados da unidade de Ponta Ubu (ES) apresentaram essa
dispêndio de recursos, mas à motivação e ao comprometi-
proposta ao programa Campo de Idéias, que premia e re-
mento da empresa e de seus empregados e à participação
conhece sugestões de empregados voltadas para a melho-
da comunidade, envolvida no projeto desde o primeiro
ria dos processos produtivos da empresa. O projeto, sim-
momento. O maior desafio foi promover a mudança de
ples e eficaz, propunha a instalação de coletores de óleo
um hábito há décadas presente no cotidiano da pesca.
nas áreas em que os pescadores atracam seus barcos.
Para isso, foi fundamental a mobilização dos pescadores,
No litoral de Guarapari, na comunidade pesqueira de
conseguida sobretudo graças a uma intensa agenda de
Perocão, cada pescador local lançava ao mar, por mês, cer-
ações de comunicação direta (reuniões, palestras e cursos).
ca de oito litros de óleo utilizados como lubrificante, com-
Após ter sido testado e aprovado pela população de
prometendo de forma irreversível o meio ambiente. O óleo
Guarapari, o projeto Salvamar se mostrou viável para ser
pode permanecer no ambiente por 10 a 20 anos, tempo
implantado em outras comunidades pesqueiras, como
suficiente para dizimar ou extinguir algumas espécies. Em
aconteceu em Anchieta, município vizinho.
>
186
!Meio Ambiente ::
Campanhas educativas
para preservar
o meio ambiente
Contato
www.cataguases.com.br
6/4/2001
Website da empresa:
Elaborado em:
A Companhia Industrial Cataguases tem atuado de for-
infantil Chicariarte, que faz apresentações abertas ao pú-
ma marcante na preservação do meio ambiente. A empre-
blico e nas escolas, destacando as questões ambientais. As
sa, além de se empenhar em campanhas referentes à
campanhas também são realizadas através da revista Chi-
questão ambiental em escolas e instituições, tem atuado
ca, publicação da Companhia Industrial Cataguases volta-
como referencial educacional na região ao receber inte-
da aos seus operários e à comunidade visitante do Institu-
grantes da comunidade e cidadãos para conhecerem “in
to Francisca de Souza Peixoto.
loco” o processo de utilização de recursos ambientais e
A empresa desenvolve práticas de educação ambiental
tratamento dos efluentes sólidos, líquidos e gasosos. O ob-
há dois anos. O valor dos recursos mensais utilizados nas
jetivo das visitas às unidades fabris da Cia. Industrial Cata-
campanhas é cerca de R$ 3.500,00. A empresa é respon-
guases é mostrar aos interessados como pode haver a con-
sável também por um trabalho de reflorestamento em
jugação do processo têxtil respeitando-se ao máximo o
áreas de sua propriedade que, em décadas passadas, so-
meio ambiente.
freram processo de desmatamento.
As visitas, organizadas pelas escolas da região, são programadas com o engenheiro de segurança e técnicos da
Resultados / benefícios gerados
empresa, que percorrem a área produtiva explicando como
As campanhas e visitas, realizadas junto ao público es-
são utilizados os produtos e, principalmente, como são
colar, despertam nas crianças maior preocupação com o
tratados os resíduos do processo fabril.
mundo onde estão inseridas e a consciência da necessida-
O programa de investimentos da Cia. Industrial Cata-
de de sua preservação.
guases tem como foco a comunidade de Cataguases e os
municípios mineiros da região banhados pelo Rio Pomba,
Motivações
que faz parte da bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul.
A necessidade da empresa em investir em sua imagem
Esse rio é utilizado como fonte de água no processo ma-
junto ao público, esclarecendo os procedimentos adotados
nufatureiro dos produtos da empresa. É parceira nos pro-
visando a preservação do meio ambiente foi a principal
jetos desenvolvidos pelo Consórcio Intermunicipal de Pre-
motivação que originou a prática.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Companhia Industrial
Cataguases
servação da Bacia do Rio Pomba.
Os recursos repassados à entidade são empregados em
Aprendizagens
campanhas diversas. A empresa tem realizado campanhas
O principal desafio encontrado no projeto é conscienti-
educativas em parceria com o Instituto Francisca de Souza
zar a população da necessidade da preservação dos cursos
Peixoto, seu braço cultural. Essas campanhas abrangem
d’água existentes. Outro desafio é a fiscalização das medi-
aulas, visitas às escolas e palestras junto a instituições so-
das de preservação.
ciais, como Câmara Legislativa e associações de bairros. As
aulas são ministradas em espaço mantido para a divulga-
Recomendações para a replicação da prática
ção de matérias referentes às práticas de preservação am-
A melhor forma de atingir a comunidade é trabalhar
biental e ecologia. A divulgação do trabalho é feita através
com as crianças e mostrar a necessidade de sua presença
de jornais locais, órgãos de imprensa e do grupo de teatro
na vida social.
187
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
Eletrobrás
Contato
Projeto Implantação de
Hortas Comunitárias
Orival Laurindo
www.eletrosul.gov.br
Elaborado em: 21/10/2003
Nome:
Website da empresa:
As áreas adjacentes às linhas de transmissão de energia,
car a produção de alimentos para subsistência das famílias
chamadas de faixas de servidão, não raro são alvos de in-
participantes do projeto, geração de renda, proteção das
vasões clandestinas. A Eletrosul, empresa distribuidora de
faixas de segurança e redução de custos de manutenção
energia, desenvolveu o Projeto Implantação de Hortas Co-
das áreas pela empresa. Além disso, o projeto promove a
munitárias visando inibir essa prática, destinando o local
educação ambiental dos participantes, além de estabelecer
para o plantio de hortas comunitárias e promovendo a
uma relação de respeito da Eletrosul com a comunidade.
ocupação social dos terrenos. Implantado no Jardim da Ordem, em Curitiba (PR), a prática contou com o apoio da
Motivações
Cohab e da Secretaria Municipal de Habitação.
As crescentes invasões de edificações nas faixas de ser-
À Cohab coube a autorização para a utilização de sua
vidão das linhas de transmissão de energia elétrica da Ele-
propriedade. A Secretaria da Habitação foi responsável pelo
trosul incentivaram a empresa a buscar uma solução que
fornecimento do trator para a preparação do solo, das mu-
fosse ambientalmente correta, socialmente justa e econo-
das necessárias ao plantio e pela assistência técnica em cul-
micamente viável.
tivo de hortas para o acompanhamento da produção. A
Eletrosul articulou os atores envolvidos para que o projeto
Aprendizagens
se viabilizasse e disponibilizou recursos financeiros para a
O projeto é viável, mas a participação da comunidade é
construção das cercas de arame farpado com mourões
fundamental. O elo entre a empresa e a comunidade é for-
chumbados no terreno e o pagamento da mão-de-obra ne-
talecido e a empresa passa a ser considerada como parte
cessária à implantação das cercas. O cultivo da horta é de
integrante do local.
responsabilidade dos moradores do Jardim da Ordem.
Os colaboradores da Eletrosul que acompanham o pro-
Recomendações para a replicação da prática
jeto são os mesmos que monitoram as linhas de transmis-
Deve-se realizar um diagnóstico preliminar nos locais
são de energia elétrica. Os gastos com a ação são meno-
onde se pretende implementar o projeto, avaliando em
res do que os custos da reintegração de posse no caso de
conjunto com a comunidade a possibilidade do cultivo de
uma invasão do terreno.
hortas. O projeto pode ser estendido para escolas ou outras instituições. É importante para o sucesso da iniciativa
Resultados / benefícios gerados
que haja um monitoramento constante, desde a elabora-
Como resultados e benefícios gerados, pode-se desta-
ção do projeto até os períodos de colheita.
>
188
!Meio Ambiente ::
Contato
Sandrelly Amigo Lopes
www.samarco.com.br
Elaborado em: 27/9/2002
Nome:
Website da empresa:
Projeto Árvores
A Samarco criou o Projeto Árvores visando contribuir
ção, o projeto foi estendido para Castelhanos e Guanaba-
para a melhoria da qualidade do ambiente e da vida das
ra. Foi desenvolvido um diagnóstico socioambiental partici-
comunidades próximas às suas unidades, a partir da arbo-
pativo nas residências, além de ampla programação para
rização planejada de ruas, casas e margens das lagoas da
educação ambiental junto às comunidades, como cursos de
região. Além disso, busca incentivar o plantio voluntário
capacitação de agentes de educação ambiental, palestras,
de árvores e conscientizar moradores e escolas sobre a re-
oficinas de reciclagem e de reutilização de recursos natu-
levância das questões ambientais.
rais. O Projeto Árvores foi implantado como instrumento de
O projeto, criado em 2000, beneficiou os dois mil mo-
ensino e aprendizado nas escolas, criando-se a brigada eco-
radores dos distritos de Ubu, Parati, Recanto do Sol, Gua-
lógica mirim e capacitando professores da rede pública. Por
nabara e Castelhanos, todos em Anchieta, no Espírito San-
meio das associações dos bairros, os estudantes e morado-
to. A proposta é que se estenda a outros municípios na
res das comunidades atuam como agentes da arborização,
área de influência de unidades da Samarco no estado. Ini-
plantando árvores em suas próprias casas e escolas e parti-
cialmente a empresa articulou-se com as comunidades de
cipando dos mutirões de plantio nas áreas urbanas. Os fun-
Parati, Ubu e Recanto do Sol para a concepção e planeja-
cionários da Samarco oferecem suporte ao projeto.
mento das ações. Foram estabelecidas parcerias com o po-
Tornaram-se parceiros o Instituto de Defesa Agronômi-
der público e outras empresas, que organizaram um pri-
ca e Florestal, e as empresas Viverde Paisagismo e Trans-
meiro mutirão na comunidade para a recuperação da co-
máquinas, que cederam mudas e atuaram no plantio em
bertura vegetal da Lagoa de Parati, além de oficinas, pales-
áreas públicas. A Secretaria de Pesca e Meio Ambiente de
tras e distribuição de mudas para os moradores de Parati.
Anchieta disponibilizou técnicos para apoiar as ações de
Estes foram orientados sobre os cuidados com o meio am-
educação ambiental. Os professores e alunos das escolas
biente e com o plantio de árvores.
municipais atuam como agentes multiplicadores do proje-
A segunda fase do processo foi desenvolvida no ano se-
to em sua comunidade. As atividades de educação am-
guinte. Para avaliar os resultados das ações anteriores, fo-
biental são realizadas no próprio espaço das escolas.
ram feitas visitas técnicas às casas dos moradores averi-
A empresa investiu R$ 70 mil no projeto, que foram
guando os cuidados com as mudas plantadas. Realizou-se
destinados à compra de mudas, preparação e distribuição
também o concurso “Adote uma árvore”, premiando os
de material educativo e divulgação das ações. A Samarco
moradores que cuidaram bem de suas plantas, além da
ainda disponibilizou equipe composta por uma coordena-
montagem de uma peça teatral com alunos das escolas
dora de projeto e um técnico de meio ambiente (ambos
públicas, cujos temas centrais eram o Projeto Árvores e a
funcionários da empresa), dois agentes ambientais contra-
qualidade de vida.
tados especialmente para auxiliar no projeto, e dois técni-
Na terceira fase, em 2002, foram organizados mutirões
cos para a realização de oficinas e palestras. A Gerência de
para a recuperação da vegetação em torno da Lagoa de Ubu
Comunicação – responsável pelo relacionamento com as
e para a arborização de Recanto do Sol. Esse espaço será uti-
comunidades – também apóia as ações.
lizado para atividades de lazer e educação ambiental.
Para o público em geral, junto ao qual são realizadas
Nesse mesmo ano, em sua quarta fase de implementa-
ações educativas e de mobilização, foram criadas peças
189
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Samarco Mineração S.A.
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
gráficas e de divulgação (camisas, bonés, bolsas, guia de ar-
posta de educação ambiental. A principal motivação foi a
borização, calendários, panfletos e cartazes) da proposta.
promoção da consciência ecológica e de mudança no
Para manter os funcionários informados, notícias sobre
comportamento dos cidadãos.
o projeto são veiculadas em todos os meios de comunicação interna da empresa (revista mensal, jornal, mural sema-
Aprendizagens
nal, boletins, intranet). As ações são divulgadas, ainda, jun-
A adesão da empresa à idéia trazida pela comunidade e
to à mídia regional, por meio da assessoria de imprensa.
o trabalho de plantio das árvores em mutirão fez com que
as pessoas incorporassem o projeto, responsabilizando-se
Resultados / benefícios gerados
pelo seu sucesso. Os moradores, ao apresentarem a de-
Desde o início do projeto, cerca de sete mil mudas fo-
manda de arborização à equipe da Samarco, mostraram
ram plantadas nas comunidades de Ubu e Parati. Dessas,
uma expectativa por receber uma ação pronta da empre-
três mil mudas de espécies nativas de mata ciliar, frutíferas
sa. O desafio de tornar a comunidade agente ativo do pro-
e ornamentais foram plantadas em mutirão na lagoa de
cesso foi enfrentado por meio de uma estratégia de mobi-
Parati, e duas mil foram distribuídas para os moradores da
lização que envolveu ampla campanha educativa, com pa-
comunidade que demonstraram interesse em plantar uma
lestras e oficinas em escolas e entidades comunitárias. O
árvore perto de suas casas.
projeto não envolveu um grande investimento financeiro,
Cerca de 400 alunos, 70 professores e centenas de mo-
uma vez que o principal recurso necessário – mão-de-obra
radores de Parati, Ubu, Recanto do Sol, Castelhanos e
para as ações de arborização – foi garantido pelos muti-
Guanabara receberam orientações sobre como plantar e
rões comunitários. O sucesso do Projeto Árvores nas duas
cuidar de árvores e sobre a necessidade de preservação do
comunidades mostrou que é possível utilizar a mesma me-
meio ambiente.
todologia em outros municípios, e isso já está sendo estu-
A recuperação da cobertura vegetal nas margens das la-
dado pela Samarco.
goas transformou a região num ambiente mais agradável
para a comunidade. A imagem da empresa também obte-
Recomendações para a replicação da prática
ve grandes benefícios com a iniciativa.
Inicialmente, é importante que haja disposição para ou-
A ação previa, inicialmente, abrangência apenas dos
vir as demandas da comunidade e traçar estratégias de
bairros de Parati e Ubu. Entretanto, a grande mobilização
atuação conjunta. A partir daí, é possível desenvolver me-
dos moradores despertou o interesse das comunidades vi-
canismos que estimulem as comunidades a participarem
zinhas, levando à implantação do projeto em Recanto do
do projeto, pois o sucesso de qualquer iniciativa do gêne-
Sol e à elaboração de proposta de extensão da iniciativa
ro depende do empenho coletivo.
para o bairro Castelhano de Anchieta.
Outra recomendação é procurar compreender o processo de educação ambiental de uma forma abrangente, pri-
Motivações
vilegiando ações conjuntas e integradas em vez de benefí-
A Samarco atendeu a uma demanda da própria popu-
cios pontuais. A conscientização é um estágio avançado
lação, por considerar que a arborização de ruas, áreas co-
do aprendizado, que só pode ser alcançado com um pla-
munitárias e casas é uma ação sintonizada com sua pro-
nejamento amplo, consistente e freqüente.
>
190
!Meio Ambiente ::
Contato
Projeto Sertão
do Carangola
Celso Cavalcanti de Melo Junior
www.cidadania-e.com.br
Elaborado em: 13/6/2001
Nome:
Website da empresa:
O Projeto Sertão do Carangola recebeu apoio da Fun-
do passa por outros cinco tanques de macrófitas. Estas
dação Banco do Brasil e é desenvolvido pela organização
plantas aquáticas servem de alimento para peixes, patos e
não-governamental O Instituto Ambiental (OIA). Criada
outros animais, além de absorver nutrientes mineralizados
em 1993, a ONG pretende desenvolver no Brasil técnicas
ainda presentes na água. A água que sai dos tanques é de-
alternativas de tratamento de esgotos residenciais com re-
volvida ao Rio Piabanha em estado de balneabilidade, ou
ciclagem de biomassa.
seja, sem microorganismos patológicos e sem poluição. O
O Sertão do Carangola é um bairro da periferia de Pe-
acúmulo de macrófitas retiradas do tanque produz um
trópolis (RJ), onde foi instalada uma Estação Piloto de Tra-
composto orgânico para a horta, onde são cultivados ver-
tamento de Esgoto. Para isso, o OIA fez uma parceria com
duras e legumes.
uma ONG local, o Serviço de Educação e Organização Po-
O OIA desenvolve uma parceria com a Fundação Oswal-
pular (SEOP), que é o atual coordenador do projeto. Em
do Cruz (Fiocruz), que faz o acompanhamento por meio de
operação desde 1994, o processo acontece em quatro eta-
coletas e análises da qualidade dos peixes e dos produtos
pas e funciona, basicamente, por meio da filtragem reali-
da horta, monitorando todo o processo de filtragem. São
zada em nove tanques. Além do tratamento do esgoto, ele
realizados também, sistematicamente, exames de fezes em
propicia a produção de adubo e a criação de peixes. A ins-
voluntários da comunidade. Além disso, trabalhos de pes-
talação de um biodigestor, construído por técnicos chine-
quisa desenvolvidos a partir de um convênio com a Embra-
ses especializados em biogás, produz o gás utilizado na co-
pa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) revelaram
zinha do Centro Comunitário, atendendo cerca de 200 fa-
que o iodo dos tanques de oxidação aplicado ao solo após
mílias. O iodo depositado em sua câmara é periodicamen-
sua secagem apresenta-se isento de coliformes fecais.
te retirado, desidratado ao sol e aproveitado como adubo
São realizadas visitas dos moradores da comunidade do
orgânico.
Sertão do Carangola ao Centro de Reciclagem, onde funcio-
Foram construídas também lagoas de oxidação para a
na o sistema de tratamento. O objetivo é conscientizar a po-
purificação de águas que servem às famílias moradoras da-
pulação local da importância de evitar a degradação do
quela comunidade. O esgoto “in natura” é captado e ca-
meio ambiente e adicionar valor ao que antes era tido como
nalizado até um tanque de sedimentação, onde a água
resíduo (esgoto caseiro). O projeto será divulgado na Inter-
fica estagnada, permitindo a ação de microorganismos na
net, no site da Fundação Banco do Brasil, integrando o mais
quebra das moléculas e a eliminação de agentes causado-
novo de seus programas, o Banco de Tecnologias Sociais.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Banco do Brasil S.A.
res de verminoses e doenças. O esgoto, já com aspecto
bastante diferente, passa então para outros dois tanques
Resultados / benefícios gerados
de oxidação, onde o processo de reciclagem continua com
A Fundação Banco do Brasil investiu cerca de R$ 26,5
a ação de plânctons e de microalgas, que se multiplicam
mil no Projeto do Sertão do Carangola. A instalação da Es-
devido à alta concentração de nutrientes e com o auxílio
tação de Tratamento de Esgoto do Sertão do Carangola
do ar e do sol. A água segue, então, para o próximo tan-
trouxe muitos benefícios à comunidade local: redução de
que onde há um criatório de peixes adequados à concen-
90% dos coliformes fecais; produção mensal de uma to-
tração de nutrientes. Daí, a água em estado mais purifica-
nelada de composto orgânico (adubo); despoluição do
191
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
meio ambiente e melhoria das condições de saúde; e ge-
e de saúde. O binômio extrair/destruir é substituído pelo bi-
ração de emprego e renda, proporcionada pela atividade
nômio cultivar/transformar, criando-se diversas possibilidades
de produção e pela comercialização derivada.
de, a partir do tratamento de esgoto, se recolher da terra e
da água alimentos de boa qualidade e bem mais baratos.
Motivações
A Fundação Banco do Brasil, ao investir na área de ciên-
Recomendações para a replicação da prática
cia e tecnologia resgata um pouco de sua origem, pois foi
Nossa orientação é que as instituições trabalhem com
o Fipec (Fundo de Incentivo à Pesquisa Técnico-Científica)
esse tema baseadas na realidade ambiental da comunida-
uma das entidades que levou à criação da fundação.
de, mais do que em teorias. A sugestão é identificar os problemas e buscar soluções, realizando ações de prevenção,
Aprendizagens
mobilização e sensibilização de seus moradores. O proces-
O Projeto Sertão do Carangola reúne um conjunto de ati-
so utilizado pela Estação de Tratamento Piloto é considera-
vidades que ensinam a comunidade a conviver com a natu-
do tecnologia social, que tem a propriedade de ser replicá-
reza e a extrair da terra e da água melhor qualidade de vida
vel em contextos ou segmentos semelhantes.
>
192
!Meio Ambiente ::
Contato
Programa Clube
da Árvore
Nome: Leticia
Lemos Sampaio
Website da empresa: www.institutosouzacruz.org.br
Elaborado em:
5/6/2001
O Clube da Árvore é o mais antigo programa de educa-
ro. O resultado de seu esforço passa a fazer parte do pa-
ção ambiental sob responsabilidade do Instituto Souza
trimônio da comunidade, constituindo um passo impor-
Cruz, tendo sido iniciado em 1982. Através deste progra-
tante em sua formação como cidadãos.
ma, crianças e jovens de escolas e entidades aprendem a
Resultados / benefícios gerados
produzir e plantar mudas de árvores nativas, exóticas, frutíferas e ornamentais. A prática envolve os professores,
O programa teve início em sete escolas, em quatro mu-
que são responsáveis por orientar os alunos desde os está-
nicípios, totalizando 630 alunos; quatro anos depois de
gios iniciais de preparação do canteiro e da produção das
lançado, em 1986, o programa já envolvia 350 escolas,
mudas, até o plantio em espaços comunitários, como ruas,
170 municípios e 15 mil alunos. Em 19 anos de atividade
praças, jardins e as próprias escolas.
ininterrupta, mais de 12 milhões de mudas de árvores fo-
A cada ano, os clubes recebem material didático sobre
ram plantadas nestas localidades, o que representa um
um tema relacionado ao meio ambiente, com orientações
acervo natural significativo. O programa já atinge 50 mil
técnicas que permitem desenvolver tarefas dinâmicas e
alunos e 2.500 professores, em 1.200 clubes, distribuídos
atrativas. São fornecidos livros, vídeos, jogos educativos,
em cerca de 450 municípios da Região Sul.
sementes de espécies florestais nativas e exóticas, saqui-
A maioria dos participantes, na fase escolar de 1a a 4a sé-
nhos plásticos para as mudas. Alguns temas já tratados fo-
ries, são filhos de produtores rurais e estudantes de escolas
ram: Animais em extinção, Aves, Árvores frutíferas, Plantas
municipais do interior. A valorização do programa pelos
ornamentais, Preservação da água e Preservação do solo.
alunos e professores envolvidos é verificada pela qualidade
Escolas de 1 grau e outras entidades voltadas para
dos trabalhos produzidos nas disciplinas curriculares. De
crianças e jovens podem formar um Clube da Árvore, res-
acordo com o depoimento de vários professores, as ativida-
pondendo à carta convite enviada pela coordenação do
des do Clube da Árvore constituem um elemento impor-
programa no início de cada ano letivo. O Instituto Souza
tante para a assimilação de conteúdos e ampliam as possi-
Cruz envia o material educativo do programa, via correio e,
bilidades de aprendizagem dentro e fora da sala de aula.
o
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Souza Cruz S.A.
para continuar participando das promoções do ano, cada
clube deve preencher um registro anual com os objetivos
Motivações
para o ano, a formação da diretoria e seus responsáveis.
A vontade de construir um mundo melhor por meio da
Como reconhecimento e incentivo ao trabalho de equi-
preservação do meio ambiente e a necessidade de renovar
pe, o programa realiza várias promoções, cujos prêmios
as riquezas florestais brasileiras foram as principais motiva-
são brindes e jogos educativos compartilhados pelo grupo.
ções para a criação do Clube da Árvore. Sua preocupação
Além de utilizar as mudas em suas escolas, os participan-
inicial era a produção de mudas para reflorestamento, ati-
tes são incentivados a distribuí-las em gincanas, pedágios
vidade desenvolvida junto aos produtores rurais da região.
e outros eventos comunitários. Com o objetivo de ampliar
Uma vez que a preservação das matas nativas também de-
a consciência das novas gerações sobre seu papel no cui-
pende da consciência das novas gerações, a opção por um
dado com o meio ambiente, o programa estimula crianças
trabalho de educação ambiental junto às escolas do meio
e jovens a adotar uma postura comprometida com o futu-
rural foi o caminho natural para uma ação de longo prazo.
193
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
Aprendizagens
tidades cadastradas ainda colaboram com sugestões para
Desde o início, a coordenação do programa teve a preo-
futuros temas.
cupação de estabelecer um vínculo com escolas rurais nos
três estados do sul do Brasil, de maneira a garantir sua
Recomendações para a replicação da prática
continuidade. Desta forma, os temas propostos a cada ano
Uma dica é identificar áreas de afinidade entre sua atua-
procuram enfatizar aspectos relativos ao meio ambiente,
ção corporativa e as necessidades da comunidade. Desta for-
em complemento ao currículo regular. Por meio deste con-
ma, a empresa terá certeza quanto ao potencial e capacida-
tato, tem sido possível conhecer as necessidades das esco-
de que possui para desenvolver ações relevantes também do
las e identificar novas possibilidades de aprendizagem,
ponto de vista dos beneficiários do programa. Outra dica é
para que os temas adotados e o material estejam adequa-
prever a continuidade das ações por um período amplo, uma
dos à utilização por professores e alunos. As escolas e en-
vez que os resultados só se concretizam a longo prazo.
>
194
!Meio Ambiente ::
Contato
www.shell.com.br
4/6/2001
Website da empresa:
Elaborado em:
A Shell administra as questões referentes ao meio am-
Outro projeto que recebeu o apoio da Shell entre 1998
biente como uma de suas atividades empresariais críticas,
e 1999, foi o “Ostras de Mandira”, desenvolvido no mu-
estabelecendo metas de melhoria, medindo, avaliando e
nicípio de Cananéia (SP). Professores de botânica e de bio-
fazendo relatórios sobre o desempenho nessa área de for-
logia da Universidade de São Paulo e profissionais da Fun-
ma sistemática, em consonância com seus “Princípios Em-
dação Margaret Mee orientam o trabalho da população na
presariais”. Procedimentos não poluentes na exploração e
preservação do manguezal e no cultivo de ostras de forma
produção de petróleo e mobilização de todos os funcioná-
sustentável. Além das políticas e medidas de prevenção in-
rios para a preservação ambiental fazem parte da metodo-
ternas e do apoio a projetos, a companhia participa e in-
logia de trabalho da empresa. Várias ações são realizadas
centiva o debate sobre o tema. Dentre outras atividades, a
junto ao público interno e à comunidade para estimular a
Shell é associada ao CEBDS (Conselho Empresarial Brasilei-
educação ambiental, desde a promoção de debates e se-
ro para o Desenvolvimento Sustentável) e faz parte do
minários, até a participação ativa em projetos ligados à
Conselho do Instituto Pró-Natura.
preservação do meio ambiente.
A Semana de Desenvolvimento Sustentável, realizada
Resultados / benefícios gerados
na sede da empresa em novembro de 1999, teve como
Os resultados das ações voltadas para a preservação e a
objetivo disseminar este conceito entre funcionários, par-
educação ambiental podem ser verificados em todos os
ceiros e comunicade local. Cerca de 400 alunos das esco-
projetos desenvolvidos pela empresa. No projeto de reflo-
las municipais João Saldanha e Anna Frank, no Rio de Ja-
restamento do Manguezal de Jequiá são utilizadas mudas
neiro, foram recebidos na empresa para aulas de educação
produzidas no viveiro do Morro da Ribeira, de propriedade
ambiental. Entre 1990 e 1996 a companhia investiu cerca
da Shell. Estima-se que cerca de 20 mil dessas mudas já te-
de US$ 1 milhão em pesquisas sobre bio-diversidade do
nham sido plantadas no manguezal. O apoio da empresa
eco-sistema da Mata Atlântica.
ao projeto “Ostras de Mandira” resultou na melhoria da
Desde 1994 a Shell participa de projetos em parceria
qualidade de vida da comunidade, pois essa atividade eco-
com a Associação de Amigos do Manguezal do Jequiá,
nômica orientada não traz prejuízos para o meio ambien-
com o objetivo de preservar a diversidade biológica do
te. A Shell ganhou o Prêmio Eco da Câmara Americana na
Manguezal e desenvolver um programa de educação am-
categoria de Preservação Ambiental pelo seu apoio à este
biental na região, onde a empresa possui uma fábrica de
projeto.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Shell
Ações Diversificadas
de Preservação e
Educação Ambiental
lubrificantes. A ONG “Grupo no Mundo da Lama”, formada por biólogos da Universidade Federal do Rio de Ja-
Motivações
neiro (UFRJ) e a Comlurb (Companhia Municipal de Lim-
A prática dos Princípios Empresariais do Grupo Shell é
peza Urbana), também são colaboradores do programa
sua principal motivação. A contribuição que a Shell Brasil
de reflorestamento. A Shell apóia também os eventos
e outras empresas podem dar para o desenvolvimento sus-
promovidos pela associação como o “500 anos de Mar”,
tentável é conduzir seus negócios de uma forma rentável,
voltado para o debate sobre a questão ambiental, e a ex-
segura, eficiente, e promover o respeito ao meio ambien-
posição sobre manguezais no Shopping Ilha Plaza.
te. E é justamente este pensamento que a Shell busca pro-
195
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
pagar entre seus funcionários, parceiros, clientes e forne-
Recomendações para a replicação da prática
cedores : incentivar interna e externamente o debate so-
Educação Ambiental é antes de tudo, uma questão de
bre a preservação ambiental e apoiar projetos sociais e am-
exemplo. Pouco adianta que se fale muito sobre o respeito
bientais, obtendo, de forma contínua, melhoria no desem-
ao meio ambiente se a empresa e seus funcionários não o
penho e na qualidade de vida da comunidade.
demonstram na prática. Por isso, é interessante incluir nas
atividades de Educação Ambiental um pequeno resumo so-
Aprendizagens
bre as práticas que a empresa desenvolve nesta área. A Edu-
O caminho para o desenvolvimento sustentável é longo
cação Ambiental é um processo longo, onde a repetição é fa-
e pressupõe a colaboração de diferentes stakeholders. As
tor de sucesso. A realização de palestras isoladas apenas cha-
ações de preservação e educação ambiental e o estabele-
ma atenção para o tema pontualmente, mas dificilmente cria
cimento de políticas claras de apoio e participações em
atitudes pró-ativas em relação à preservação ambiental. É
projetos educacionais são fundamentais na disseminação
preciso manter sempre o tema em pauta, para que os con-
dos conceitos e procedimentos.
ceitos possam realmente ser apreendidos e praticados.
>
196
!Meio Ambiente ::
Programa de
Conscientização
Ambiental
Contato
Renata Susan Pereira
www.canastrans.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Canasvieiras Transportes, empresa de transporte cole-
cutir a malha viária e os processos de degradação ambien-
tivo urbano que atua no norte da Ilha de Florianópolis
tal no norte da Ilha. A empresa também visitou bairros
(SC), desenvolveu o Projeto Recicanas, de reciclagem de
onde foram discutidas questões relevantes às condições
lixo, adaptado às características culturais da sua comuni-
viárias da região e ao processo de degradação ambiental.
dade de entorno, decorrentes da tradição da pesca fami-
Outra atividade de caráter comunitário foi a Campanha de
liar e do convívio com a natureza.
Educação Ambiental, com a distribuição de panfletos con-
Em 1999, a empresa implementou práticas de separação
tendo informações e mensagens de preservação ambiental
do lixo, equipando as dependências da empresa com lixei-
aos comunitários do bairro de Canasvieiras. Além disso,
ras seletoras e informando os colaboradores sobre os dife-
um Concurso de Objetos de Sucata foi organizado entre
rentes tipos de resíduos e sua destinação adequada. Em
os colaboradores da empresa e os trabalhos foram expos-
2001, sentindo a necessidade de reestruturar o Projeto Re-
tos na escola municipal da praia de Canasvieiras.
cicanas, a Canasvieiras elaborou o Programa de Conscien-
A empresa realizou ainda um ciclo de palestras sobre
tização Ambiental, visando construir entre os colaborado-
meio ambiente. Uma árvore de Natal foi construída pelos
res e a comunidade de entorno uma consciência em rela-
colaboradores com materiais recicláveis; motoristas partici-
ção à importância da preservação do meio ambiente, por
param de Curso de Direção Econômica, visando instru-
meio de atividades socioeducativas inovadoras baseadas na
mentalizá-los para otimizar o consumo de óleo diesel, e
participação, criatividade e continuidade das ações.
caminhadas ecológicas foram organizadas com a proposta
de recolher lixo ao longo do percurso.
Para gerenciar o projeto, a empresa criou o Grupo de
Educação Ambiental, responsável pela criação de estraté-
Outra ação de grande relevância é o Dia do Vidro. Des-
gias de multiplicação de informações. O grupo elaborou
de março de 2001, os colaboradores são incentivados, por
ações tendo em vista a necessidade de integrar os colabo-
meio de cartazes e notas no informativo interno e orienta-
radores e a comunidade de entorno, entre elas:
ções, a doar vidros que são recolhidos mensalmente pela
✓ orientações aos colaboradores sobre a correta separa-
empresa e encaminhadas ao Gapa (Grupo de Apoio à Pre-
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Canasvieiras
Transportes Ltda.
venção da AIDS). Com a revenda dos vidros para recicla-
ção do lixo;
✓ colocação de lixeiras no interior de todos os veículos da
gem, o Gapa recolhe recursos para o atendimento aos
frota como forma de evitar que os clientes joguem lixo
portadores e desenvolvimento de ações de conscientiza-
pelas janelas dos ônibus;
ção para a prevenção das DST/HIV/Aids.
✓ participação dos colaboradores em palestras;
Os processos de planejamento, implementação e avalia-
✓ elaboração de comunicações públicas por meio de no-
ção do Programa de Conscientização Ambiental são de
responsabilidade da equipe de colaboradores. Esses pro-
tas e frases de educação ambiental;
✓ mensagens sobre o uso racional dos recursos no infor-
cessos são desenvolvidos em reuniões de criação, discussão e operacionalização.
mativo interno da empresa, nos jornais de circulação
O Programa de Conscientização Ambiental tem se mos-
municipal, em busdoor e no site da empresa.
O programa incluiu a organização de atividades como o
trado um exemplo de projeto de baixo custo financeiro
1 Encontro Comunitário, com o objetivo de analisar e dis-
pois suas principais ações exigem criatividade, voluntaria-
O
197
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
do e a reutilização de materiais. A empresa coopera incen-
As motivações que levaram a Canasvieiras Transportes a
tivando sistematicamente os colaboradores e disponibili-
investir e incentivar o Programa vêm da necessidade de
zando carga horária e recursos, quando necessários.
preservar o meio ambiente, dar coerência aos processos de
desenvolvimento sustentável na comunidade e concretizar
Resultados / benefícios gerados
os valores da empresa relativos a seu compromisso com a
As ações desenvolvidas pelo Programa de Conscientiza-
sustentabilidade ambiental.
ção Ambiental efetivaram as estratégias da Canasvieiras
Transportes para trabalhar a educação ambiental dentro
Aprendizagens
da empresa e na comunidade. Seus resultados são de difí-
O Grupo de Educação Ambiental demonstrou ser um
cil mensuração pois atingem o imaginário e a formação da
laboratório de aprendizagem para os colaboradores, um
consciência ecológica de cidadãos. A Canasvieiras Trans-
espaço democrático e participativo onde cada um tem a
portes objetiva, a médio e longo prazos, que atitudes eco-
oportunidade de criar e trabalhar para um mundo melhor.
logicamente corretas façam parte da cultura e dos hábitos
da comunidade local.
Recomendações para a replicação da prática
Um benefício relevante é a melhoria da satisfação dos co-
O Programa de Conscientização Ambiental mostrou
laboradores envolvidos com o programa, que se sentem mais
que, para desenvolver ações em prol do meio ambiente, é
motivados e engajados com o comprometimento da Canas-
muito importante perceber a amplitude dos processos or-
vieiras Transportes na preservação do meio ambiente. Pode-
ganizacionais que resultam em impactos ambientais posi-
se perceber também o interesse da comunidade em partici-
tivos ou negativos. Dessa forma, projetos de educação am-
par das ações desenvolvidas pela empresa, melhorando a
biental apresentam-se como um nicho de atuação do pla-
qualidade de suas relações com a comunidade de entorno.
no estratégico de gestão ambiental.
A Organização deve compreender os processos de desen-
Motivações
volvimento sustentável analisando e buscando soluções cria-
A idéia da Canasvieiras Transportes de desenvolver
tivas e eficazes que englobem a totalidade de seus processos
ações de conscientização ambiental surgiu com a preocu-
operacionais e administrativos. Além disso, ressalta-se que
pação de contribuir com as gerações futuras e com o fu-
cada colaborador tem muito a contribuir para o sucesso das
turo da comunidade local.
iniciativas de responsabilidade social empresarial.
>
198
!Meio Ambiente ::
Contato
Programa Interagir de
Educação Ambiental
Robson de Almeida Melo e Silva
www.cst.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O Programa Interagir de Educação Ambiental da CST
elementos que compõem um Sistema de Gestão Ambiental
(Companhia Siderúrgica de Tubarão), com sede no Espíri-
(de acordo com a Norma NBR ISSO 14.001) e o estágio de
to Santo, tem como objetivos antever e minimizar os im-
implantação do SGA da CST, e subsidia a empresa na im-
pactos gerados no processo produtivo e disseminar concei-
plantação de seu Sistema de Gestão Ambiental. O Módulo
tos e práticas ambientalmente corretas. Visa também ca-
Interagindo com Gerentes nivela informações sobre o de-
pacitar seus funcionários para realizar ações de gerencia-
sempenho do Programa Interagir, coleta sugestões e críticas
mento ambiental, conscientizá-los quanto à responsabili-
e favorece a integração dos gerentes. Por último, o Módulo
dade da empresa perante a Legislação Ambiental e forta-
Interagindo com Parceiros desperta e sensibiliza os empre-
lecer a cultura ambiental.
gados para as ações de gerenciamento ambiental a partir do
O programa de educação ambiental interno, implanta-
seu posto de trabalho e da sua atividade de rotina, nivela in-
do em junho de 1996, foi concebido a partir de uma me-
formações sobre a Política e a Gestão Ambiental da CST e
todologia inovadora, com dinâmicas, vídeos e trabalhos
integra os empregados das diversas empresas parceiras da
em grupo, visando levar os participantes a refletir sobre
CST com base nos temas Educação e Gestão Ambiental.
seu papel de cidadão consciente na sociedade. A primeira
Desde a implementação do programa, foram realizados
etapa foi o Diagnóstico de Percepção Ambiental, que reve-
três encontros anuais envolvendo cerca de 2.250 empre-
lou informações importantes para adequação e planeja-
gados de diversas áreas da CST. Esses encontros visavam
mento da metodologia a ser utilizada na elaboração de
apresentar os projetos de Melhoria Ambiental implantados
cada módulo de implantação do programa.
nas áreas operacionais, promover atividades culturais e pa-
O Módulo Despertar busca alertar os operadores para a
lestras de intercâmbio técnico e proporcionar um momen-
relevância da questão ambiental na empresa e as implica-
to de integração entre os empregados e parceiros da CST.
ções no processo de trabalho e integra os empregados à
Atualmente estão sendo realizados os módulos Gestor
temática ambiental. O Módulo Agir apresenta a Política
Ambiental para Nível Médio, Gestão Ambiental para Nível
Ambiental como elemento básico da gestão da empresa,
Superior e Interagindo com Parceiros II.
apresenta a gestão ambiental da CST e os principais recur-
O programa foi criado por uma equipe composta por
sos e equipamentos de controle ambiental disponíveis e
consultores externos, professores e empregados com nível
instalados na empresa, fornece informações para que cada
técnico e nível superior, em parceria com a Ciclos Consul-
empregado possa identificar e atuar no controle das fon-
toria de Educação Ambiental, que participou da imple-
tes geradoras de poluição, incentiva o desenvolvimento de
mentação dos módulos, da metodologia aplicável e na ela-
ações e projetos de melhoria ambiental e integra a gestão
boração dos relatórios de análise dos resultados, e do Sesi
ambiental às atividades de rotina dos empregados. O Mó-
– Serviço Social da Indústria, que forneceu instrutores para
dulo Administrativo (ADM) foi desenvolvido para sensibili-
o módulo Interagindo com Parceiros. Desde sua imple-
zar e mobilizar os funcionários para o tema meio ambien-
mentação, o Interagir já beneficiou 3.600 empregados da
te e disseminar informações sobre a CST e o seu Sistema
CST e 3.500 empregados de 36 empresas contratadas.
de Gestão Ambiental.
Para a realização do programa foi construído um Centro
O Módulo Gestor Supervisores apresenta os principais
de Educação Ambiental com valor aproximado de R$ 500 mil.
199
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Companhia
Siderúrgica de Tubarão
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
Anualmente são gastos cerca de R$ 80 mil para manutenção
criar um instrumento capaz de conscientizar utilizando uma
e novos projetos. Participam do planejamento, implemen-
metodologia que resgatasse a auto-estima dos funcionários
tação dos módulos e avaliação dos resultados do progra-
e a importância do homem nos processos ambientais.
ma dois consultores externos (um para a montagem dos
módulos e outro para ministrar os cursos), dois instrutores
Aprendizagens
externos e três instrutores internos, um dos quais coorde-
O comprometimento dos empregados, incentivando a
na o programa. O Interagir é divulgado em folders, carti-
participação dos demais, o ambiente onde são realizados
lhas, no Jornal da CST, no BIN – Boletim Informativo e nos
os módulos e a livre expressão de opiniões foram fatores
Encontros Anuais de Educação Ambiental.
determinantes para o sucesso do programa. A realização
dos módulos em ambiente fechado não se mostrou produ-
Resultados / benefícios gerados
tivo. Melhores resultados de conscientização surgiram
Foram treinados cerca de 3.600 empregados próprios e
quando os módulos foram realizados em ambientes exter-
3.500 empregados de terceiros, totalizando aproximada-
nos. A CST não desenvolveu uma ferramenta para avaliar
mente 58.000 homens/hora. Os treinamentos resultaram
a relação do custo do programa com os benefícios resul-
em uma melhor comunicação entre os empregados, no
tantes, mas as melhorias implantadas e a prática dos con-
resgate de valores ambientais, na sensibilização, motiva-
ceitos transmitidos fora do ambiente da usina indicam um
ção e qualificação dos empregados, na realização de tra-
saldo positivo. A implementação do Programa Interagir de
balhos de melhoria ambiental e no fortalecimento do sis-
Educação Ambiental da CST permitiu ganhos na redução
tema de Gestão Ambiental. Atualmente o programa se
de custos, maior integração entre áreas e troca de expe-
tornou um instrumento facilitador da gestão ambiental da
riências entre os projetos implantados em diversas áreas.
Companhia e uma referência para outras empresas, que
buscam na CST subsídios para seus próprios programas.
Recomendações para a replicação da prática
Antes de se pensar em implantar um programa como
Motivações
esse, a empresa deve realizar um diagnóstico de percepção
A CST sempre teve atuação ambiental destacada em in-
ambiental para nortear as ações a serem implementadas,
vestimentos, equipamentos de controle ambiental e nos re-
procurar entre os empregados verdadeiros talentos que te-
sultados obtidos. Para a empresa, entretanto, os investimen-
nham profundo conhecimento da empresa para ajudarem
tos em equipamentos não seriam suficientes sem a cons-
na implantação do programa e obter o comprometimento
cientização de funcionários e parceiros. Decidiu-se então
do corpo gerencial e de diretores.
>
200
!Meio Ambiente ::
Contato
Projeto de Defesa do
Patrimônio Arqueológico
Maycon Bettoni
www.eletrosul.gov.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Eletrosul, empresa distribuidora de energia, do Grupo
projeto e 150 professores participaram das oficinas. As
Eletrobrás, desenvolveu o projeto de Educação Patrimonial
avaliações e entrevistas realizadas após as aulas e oficinas
em Defesa do Patrimônio Arqueológico em função da im-
demonstraram que o objetivo proposto foi alcançado. Em
plantação da linha de transmissão de energia elétrica de
visita às escolas, em data posterior às apresentações, a Ele-
Joinville a São Francisco do Sul, no estado de Santa Cata-
trosul presenciou vários trabalhos sobre a temática da pre-
rina. O projeto atendeu professores e alunos com propos-
servação arqueológica realizados pelos alunos, confirman-
ta pedagógica de disseminação de informações básicas so-
do a continuidade do processo de aprendizagem.
bre os mecanismos para defesa do patrimônio arqueológiMotivações
co e sua importância para a nossa história. Em paralelo,
A motivação inicial para realização do Projeto de Educa-
desenvolveu formação para o combate ao desperdício de
ção Patrimonial em Defesa do Patrimônio Arqueológico sur-
energia elétrica e para a preservação do meio ambiente.
A primeira fase, dirigida aos alunos do Ensino Funda-
giu de uma solicitação do Instituto do Patrimônio Histórico
mental, foi desenvolvida em março de 2003. A segunda,
e Artístico Nacional (IPHAN). Assim, o Projeto Casa Aberta,
direcionada aos professores, realizou-se no mês seguinte.
uma iniciativa anterior da Eletrosul, foi readaptado, visando
O projeto foi desenvolvido por uma equipe de profissio-
a introdução dos aspectos relacionados à arqueologia. Com
nais da Eletrosul, assessorada por corpo técnico na área da
a preocupação de disseminar o conhecimento, surgiu a idéia
arqueologia. As oficinas dirigidas aos professores ficaram
de realizar as oficinas, atendendo, dessa forma, aos profes-
sob a responsabilidade da assessoria. A Eletrosul contou
sores das redes municipal e estadual de ensino.
com a parceria das secretarias municipais de educação dos
Aprendizagens
três municípios envolvidos, Joinville, Araquari e São Fran-
A dedicação das pessoas envolvidas foi fundamental
cisco do Sul, que auxiliaram na organização do projeto.
Como material didático de apoio às atividades, foi desen-
para o sucesso do projeto. No planejamento de projetos
volvida uma cartilha para os alunos, intitulada “Arqueolo-
semelhantes deve-se levar em consideração, principalmen-
gia: Uma viagem ao passado”, e um livro para os professo-
te, os aspectos referentes à organização do conteúdo e à
res: “Patrimônio Arqueológico: para conhecer e preservar”.
didática estabelecida, para que o tempo das aulas e das
As cartilhas foram entregues também às bibliotecas das es-
oficinas seja proveitoso.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Eletrobrás
colas da rede municipal, estadual e privada dos municípios
Recomendações para a replicação da prática
e às instituições culturais, como bibliotecas públicas, museus
e casas de cultura. A Eletrosul investiu aproximadamente R$
Recomenda-se que a organização do conteúdo e trans-
60 mil para planejar, implantar, gerenciar e avaliar o projeto.
missão das informações seja feita de maneira interativa,
propiciando real envolvimento do público nas atividades
(brincadeiras, músicas, histórias etc.)
Resultados / benefícios gerados
Cerca de 1.900 alunos do Ensino Fundamental (3 , 4 e
Em relação às oficinas dirigidas aos professores, é es-
5 séries) das escolas municipais e estaduais de Joinville,
sencial, quando possível, uma visita a campo, para melhor
Araquari e São Francisco do Sul foram beneficiados pelo
fixação dos conceitos.
a
a
a
201
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
Panificadora Santa Clara
Contato
Apoio à Educação
Ambiental
Nome:
João Manoel Binda
20/7/2003
Elaborado em:
A Santa Clara adota como política o apoio a projetos
(ES). Tais ações contam com a participação de empregados
ambientais educativos já existentes na região onde está se-
da Santa Clara, de fornecedores e de representantes da
diada. Existe uma ampla mobilização da empresa junto aos
comunidade local em todo o processo – do planejamento
empregados, fornecedores e clientes nas campanhas e
à avaliação das atividades.
projetos ambientais a favor das seguintes causas:
Resultados / benefícios gerados
✓ Limpeza das praias – A empresa participa ativamente
Houve redução dos problemas de saúde e dos índices
do programa de conscientização da população da im-
de incidência da dengue. Os moradores fortaleceram suas
portância da limpeza das praias, implantado com a par-
organizações comunitárias e desenvolveram uma sólida
ticipação das universidades e escolas locais que ensinam
consciência de seus problemas ambientais e de saúde pú-
aos alunos que, ao freqüentarem a praia, devem levar
blica, assimilando noções de cidadania.
saquinhos de lixo. Neste projeto, a Santa Clara e seus
fornecedores contribuem doando sacos de lixo tanto
Motivações
para os alunos quanto para os clientes;
A principal motivação da empresa foi a possibilidade de
um trabalho em efetiva parceria com a população, para a
✓ Coleta seletiva de lixo – Outro projeto apoiado pela
promoção do desenvolvimento local e da consciência eco-
empresa e seus parceiros é a coleta seletiva do lixo onde
lógica.
sua classificação já é realizada. Foram instaladas lixeiras
nas ruas e na empresa, colaborando assim com a preser-
Aprendizagens
vação do meio ambiente e viabilizando a campanha de
A participação de todos os atores no processo é algo
coleta de vidros e latas para reciclagem;
imprescindível e possibilita um aprendizado importante
que é o de saber lidar com a diversidade, visando transfor-
✓ Combate à dengue – No dia 23/11/2002 houve uma
mações sociais e ambientais de interesse comum.
paralisação da cidade no combate a dengue que contou
com a participação de 5000 voluntários e a empresa,
Recomendações para a replicação da prática
junto com seus fornecedores, ofereceu lanche a todos
Estabelecimento de parcerias que viabilizem as ações e
que trabalharam no projeto.
potencializem os resultados, com vistas a desenvolver
ações eficazes que agreguem valor para as comunidades.
As ações implementadas até o momento podem ser
Manutenção de canais permanentes de diálogo com a
consideradas parte de um programa de promoção do de-
comunidade, o que ajuda a promover ajustes e a corrigir
senvolvimento sustentável na comunidade de Vila Velha
falhas do projeto.
>
202
!Meio Ambiente ::
Contato
Vanessa Campos Ratton Ferreira
www.anacosta.com.br
Elaborado em: 21/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O objetivo do programa de Educação Ambiental é cons-
seletivo em suas comunidades, numa grande gincana que
cientizar as gerações futuras sobre a importância da pre-
será realizada em 2004. A escola que recolher a maior
servação da natureza e da busca de um desenvolvimento
quantidade de material reciclável será premiada. Oficinas
sustentável com um meio ambiente saudável como princí-
de artesanato com material reciclável também serão reali-
pio da manutenção da saúde do ser humano.
zadas gratuitamente para capacitar professores como
Durante sua implementação, em 2000, o programa vi-
agentes multiplicadores.
sava trabalhar a consciência do funcionário/colaborador
Para o público infantil foi criada a Turma do Meio Am-
do hospital, com o objetivo de economizar água, energia
biente: cinco personagens de revista em quadrinhos, que
elétrica e telefone. A primeira equipe, formada pelas áreas
simbolizam o ecossistema do planeta. A turma ensina
de manutenção e qualidade, estudou vários processos
crianças e adultos a reduzirem o consumo, preservarem a
existentes, ampliou e criou treinamentos, estimulando o
natureza e reciclarem lixo.
consumo consciente.
O gibi foi desenvolvido por funcionários do Hospital
O Hospital Ana Costa desenvolveu, por meio de material
Ana Costa. A publicação da Turma do Meio Ambiente está
informativo, um programa de sensibilização e conscientiza-
na segunda edição, são visualmente atrativos e têm lin-
ção das pessoas com relação à questão ambiental e implan-
guagem apropriada para as crianças.
tou a coleta seletiva de lixo nas áreas administrativas do
Filhos de funcionários e crianças do Projeto Curumim
hospital. A assessoria de comunicação integrou o grupo
do SESC – Santos também integram o Programa de Edu-
criando um lay-out para a campanha e publicou diversas
cação Ambiental, série com quatro encontros denomina-
matérias sobre combate ao desperdício e a importância da
dos Planeta Vivo! e acompanham o lançamento dos gibis.
preservação ambiental no jornal interno Hacontece.
O Sesc transforma-se em palco de palestras, atividades re-
Atualmente o Hospital Ana Costa mantém funcionários
creativas, de contadores de histórias e teatro de fantoches
para ministrar palestras em escolas, acompanhar o desen-
com a Turma do Meio Ambiente.
volvimento e transformar o trabalho num programa de
As demais crianças que participam do projeto são clien-
educação ambiental.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Hospital Ana Costa
Programa de Educação
Ambiental: Turma do
Meio Ambiente
tes do Grupo Ana Costa que, durante sua estadia no hos-
As escolas, ao ingressarem no programa, podem obter
pital, recebem os gibis e vários desenhos com atividades
quatro palestras com temas diferentes: água, energia, lixo
lúdicas sobre a preservação do meio ambiente.
e reciclagem. Após essa primeira fase é oferecida uma ofi-
Esse trabalho para a comunidade é disponibilizado gratui-
cina para os estudantes, onde são desenvolvidos trabalhos
tamente. O Hospital Ana Costa mantém a equipe do progra-
sobre lixo orgânico e inorgânico, chuva ácida etc. Por meio
ma e o Banco Bradesco, por meio de patrocínio, fornece os
de experiências e jogos, as crianças são conscientizadas
recursos para despesas com material gráfico e promocional.
para a questão ambiental.
A interação dos professores ao Projeto Jornal Escola, de-
O objetivo do programa é selecionar, com base no grau
senvolvido pelo jornal A Tribuna, foi fundamental para a di-
de envolvimento dos professores e dirigentes, dez colégios
vulgação desse trabalho entre professores do Ensino Fun-
que serão convidados a participar de um projeto mais am-
damental da rede pública e particular da Baixada Santista.
plo. Essas escolas passarão a ser postos de coleta de lixo
A parceria permitiu contato direto com 156 professores.
203
>
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
!Meio Ambiente ::
Resultados / benefícios gerados
deu e entendeu como se relacionar melhor com a comunida-
No segundo semestre de 2002, foram realizadas 21 vi-
de e a sociedade civil organizada. A troca de experiências
sitas da campanha de cidadania e meio ambiente nas es-
com as próprias crianças e os educadores é muito importan-
colas de Santos, totalizando mais de oito mil crianças par-
te para que, cada vez mais, melhoremos o programa.
ticipantes. Em 2003, o trabalho foi ampliado para outras
A empresa investiu no treinamento de funcionários pa-
cidades da Baixada Santista (São Vicente, Praia Grande,
trocinando diversos cursos e seminários sobre o tema ge-
Cubatão, Guarujá e Bertioga). Só no primeiro semestre de
ral da responsabilidade social e eventos voltados especifi-
2003, foram cem palestras e o número total de crianças
camente ao meio ambiente.
participantes subiu para 12.621.
O programa estimula a humanização do hospital, apro-
Recomendações para a replicação da prática
ximando a comunidade, funcionários, filhos de funcioná-
✓ Definir o foco de atuação da empresa e o objetivo.
rios, educadores, alunos e pais, demais colaboradores das
✓ Obter apoio da alta direção, pois todo projeto novo so-
entidades de saúde. No projeto Planeta Vivo, foram reali-
fre críticas e é preciso transformá-las em ações positivas,
zados dois encontros, totalizando cerca de 400 crianças
onde todos os indivíduos participem.
✓ Obter todo tipo de informação sobre as questões am-
participantes.
bientais, participando de reuniões e eventos de ONGs
Motivações
reconhecidamente importantes; participar como pessoa
Em 2002, a diretoria executiva do Hospital Ana Costa
física e jurídica das ações políticas e dos movimentos
estreitou os laços com a comunidade, governo, clientes,
ambientais da sua cidade, discutindo e pedindo suges-
colaboradores e fornecedores. A responsabilidade social
tões. Assim, as pessoas conhecerão as intenções da em-
foi incorporada à filosofia da empresa, juntamente com a
presa e darão credibilidade ao seu trabalho.
✓ Estar aberto para sugestões e críticas construtivas. Mudar
busca da humanização e o empenho constante pela excelência do atendimento médico-hospitalar.
sempre que for preciso e aceitar as mudanças necessárias.
✓ Envolver todos, desde acionistas, fornecedores, colabo-
Aprendizagens
radores, bem como as entidades para não ser uma ação
Toda equipe de trabalho, assim como a instituição, apren-
isolada.
>
204
!Meio Ambiente ::
Contato
Fabiana Mendes
www.viverpousada.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
À medida em que aumentam as preocupações com a
blico alvo os alunos do ensino fundamental da rede muni-
manutenção e melhoria da qualidade do meio ambiente e a
cipal de Rio Quente. Por fim, a capacitação de professores
proteção da saúde humana, as empresas vêm voltando
para formar cidadãos ambientalmente corretos é o objeti-
atenções para os impactos ambientais de suas atividades. A
vo do Projeto Elos de Crescimento. Aproximadamente 15
Pousada do Rio Quente Resorts é precursora das ações am-
professores de Rio Quente já foram capacitados.
bientais na região das Águas Quentes, em Goiás, e sua
atuação demonstra o acompanhamento da tendência mun-
Resultados / benefícios gerados
dial: gestão ambiental para melhoria da qualidade de vida.
A disseminação do conceito de Educação e Preservação
Historicamente, o maior resort do Centro-Oeste trabalha
Ambiental, o estreitamento da relação com órgãos especí-
voltado para o desempenho ambiental e da comunidade,
ficos da área, a valorização da empresa como ambiental-
tendo como ações mais significativas a inauguração da es-
mente responsável, a implementação de ações voltadas
tação de tratamento de esgoto sanitário, em 2001, a ade-
para a preservação e conscientização ambiental e o direcio-
quação à certificação conforme normas ISO de Gestão Am-
namento do crescimento com base no crescimento susten-
biental, tornando-se o primeiro resort do país a ter as cer-
tável são resultados importantes decorrentes dessa prática.
tificações conforme ISO 9002 e ISO 14001, em 2000, e a
O bom relacionamento com as prefeituras municipais
troca da rede de esgoto do Parque das Fontes, incluindo
da região, a Agência Ambiental de Goiás, o Ibama e a Vi-
melhorias na estação de tratamento de efluentes, o au-
gilância Sanitária afirmam o compromisso da empresa com
mento na quantidade de banheiros do Hot Park e aquisição
a questão ambiental. Cerca de 97% dos clientes têm in-
de caçambas e caminhão de lixo para atendimento na
tenção de retornar e 94% deles ficaram satisfeitos com os
CTRQ, em 2002. A Pousada do Rio Quente investiu R$ 1,87
serviços oferecidos.
milhão nesses projetos.
A empresa possui outras iniciativas para a transmissão
Motivações
de valores voltados à preservação do meio ambiente. O
Investir no desenvolvimento da preservação e conscien-
Grupo de Teatro Turma do Cerrado faz apresentações diá-
tização ambiental é base para a sustentabilidade da Pou-
rias desde 2001. A Semana do Meio Ambiente, realizada
sada do Rio Quente.
Responsabilidade Frente às Gerações Futuras ! Educação Ambiental ::
Algar
Gestão ambiental
para melhoria da
qualidade de vida
em junho e voltada para a educação ambiental, é destinada à comunidade, clientes, associados e parceiros. Uma vez
Aprendizagens
por ano, alcança um público de aproximadamente 5.000
O desempenho ambiental é fundamental para a quali-
pessoas com as atividades de plantio de árvores, palestras,
dade de vida na região. Isso se revela no crescimento da
teatro e visitas ao Pescan (Parque Estadual da Serra de
empresa, estimulado pela comunidade.
Caldas Novas). A parceria com o Pescan consiste em visitas
ao parque pelos clientes da Pousada do Rio Quente Resorts,
Recomendações para a replicação da prática
ajudando a divulgar as belezas do cerrado e do parque,
Os programas de meio ambiente precisam estar alinha-
além de promover a interação com a natureza. Pousada Dia
dos ao planejamento estratégico da empresa para que ga-
10 é um projeto que visa a educação ambiental e como pú-
nhem força e estejam focados nos resultados esperados.
205
>
Fornecedores
207
>
Fornecedores
>
A relação que a empresa estabelece com os fornecedores
pode revelar o grau de seu comprometimento com a
responsabilidade social. O primeiro passo para reforçar
esse compromisso é estabelecer critérios rigorosos de
seleção dos fornecedores. Exigir a reprodução das
práticas de responsabilidade social e monitorar seu
cumprimento periodicamente, incluir exigências
relativas ao cumprimento da legislação trabalhista,
previdenciária e fiscal e estabelecer critérios para
proibir práticas de discriminação garantem a criação
de círculo virtuoso com os parceiros.
Os esforços para a erradicação do trabalho infantil são
fundamentais na vida de todas as empresas. Assim,
adotar cláusulas claras e específicas de proibição da
prática nos contratos de fornecimento e participar
de programas e atividades para eliminá-la da cadeia
produtiva é dever de todas as organizações.
Na relação com trabalhadores terceirizados, a busca
208
trabalhalhistas. Em processos de terceirização, as
empresas devem garantir o cumprimento da lei e
benefícios mínimos aos trabalhadores. É fundamental
monitorar periodicamente o cumprimento das
obrigações trabalhistas e previdenciárias, negociar
com os fornecedores para que proporcionem aos seus
funcionários níveis salariais compatíveis com o mercado
e oferecer ao trabalhador terceirizado os mesmos
benefícios básicos dos funcionários regulares, como
transporte e alimentação.
Por último, as empresas devem apoiar o desenvolvimento
dos fornecedores nas questões de responsabilidade social,
contribuindo para a melhoria do padrão gerencial dos
parceiros, disponibilizando informações e promovendo
atividades conjuntas de treinamento. Manter relações
estáveis e duradouras e facilitar seu envolvimento em
projetos socioambientais representam ações importantes.
209
Fornecedores
por eficiência e baixos custos não pode ferir os direitos
>
!Fornecedores ::
Contato
Programa
O futuro é agora
Nome:
Sergio Moacir Lange, Haroldo Gugelmim, Gilson A. Skolaude
27/9/2002
Elaborado em:
A Kannenberg concentra suas atividades na comercializa-
produtores de fumo até, no mínimo, completarem o Ensi-
ção e produção de fumos em folha, com 4,9 mil produtores
no Fundamental. Também incentiva e acompanha a capa-
trabalhando em sistema integrado. A empresa dispõe de
citação técnica dos filhos de produtores de fumo.
uma equipe de 67 colaboradores que atuam diretamente
O projeto “Indústrias Parceiras da Escola” estabelece a
no campo, fornecendo insumos agrícolas, recursos financei-
participação, em parceria com o poder público e organiza-
ros para a safra e assistência técnica aos produtores.
ções não-governamentais, de ações comunitárias de ajuda
A grande maioria dos produtores dedica-se à cultura do
às escolas localizadas no meio rural.
fumo em pequenas propriedades rurais, caracterizadas pelo
O projeto “Criança Feliz é Criança que Estuda” preten-
sistema de agricultura familiar, que restringe o trabalho ape-
de motivar a articulação e organização da sociedade con-
nas às famílias, sem contratar mão-de-obra auxiliar para
tra o trabalho de menores de 16 anos e em apoio à esco-
atender às necessidades advindas de mudanças sazonais.
la pública.
Além desta característica, 90% dos produtores são des-
Baseada nesse programa, a Kannenberg definiu estraté-
cendentes de europeus (alemães e italianos), e trazem de
gias para concretizá-lo. A principal delas é a não-contrata-
sua formação alguns conceitos difíceis de serem modifica-
ção definitiva de menores pela empresa. Outras ações são:
dos, como, por exemplo, a obrigatoriedade de seus filhos
abordagem do assunto pelos orientadores durante as visi-
colaborarem nas atividades gerais da propriedade. Isso sig-
tas técnicas, inclusão de uma cláusula no contrato de par-
nifica trabalhar na cultura do fumo, que normalmente é a
ceria proibindo a utilização de mão-de-obra infantil na cul-
atividade mais rentável dessas famílias.
tura do fumo, acompanhamento da freqüência escolar dos
O conceito de utilização do trabalho infantil, bastante
filhos de produtores e motivação para o estudo com a dis-
enraizado na cultura desses produtores, tanto pela sua ori-
tribuição anual de 30 mil cadernos. São distribuídas ainda
gem étnica como pelo princípio de que educação se faz
cartilhas e apostilas apresentando as atividades que po-
com trabalho, confronta diretamente com a legislação na-
dem ou não ser realizadas pelos adolescentes, além de
cional e com o Estatuto da Criança e do Adolescente.
promoção de cursos técnicos e competições que ocupem
Diante desse quadro, as empresas que atuam no ramo
os jovens fora do horário escolar, e concessão de certifica-
se uniram por meio do Sindicato das Indústrias do Fumo,
dos de conclusão do ano letivo com a presença de repre-
com o apoio da Afubra (Associação dos Fumicultores Bra-
sentantes dos Conselhos Tutelares e da Promotoria Públi-
sileiros), e lançaram, em 1998, o programa “O futuro é
ca. A empresa distribui entre os produtores um jornal em
agora” com o intuito de erradicar o trabalho da criança e
que são abordados assuntos técnicos relativos à cultura do
do adolescente na cultura do fumo. O programa está ali-
fumo, divulgados eventos e comentados os resultados do
cerçado em três projetos, desenvolvidos pelas empresas
programa.
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Trabalho Infantil na Cadeia Produtiva ::
Kannenberg e Cia. Ltda.
que atuam no setor.
O projeto “Protetor da Criança e da Terra” tem por
Resultados / benefícios gerados
principal objetivo retirar menores de 16 anos do trabalho
No início do programa, aproximadamente 30% dos
na produção de fumo. Ao mesmo tempo, propõe-se a
produtores da Kannenberg utilizavam a mão-de-obra in-
apoiar e acompanhar a freqüência escolar dos filhos dos
fantil na cultura do fumo, a despeito do que previa a legis-
211
>
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Trabalho Infantil na Cadeia Produtiva ::
!Fornecedores ::
lação brasileira. Havia um consenso de que os filhos deve-
jetos relacionados com a erradicação do trabalho infantil.
riam começar cedo a auxiliar na lavoura, para aprender as
Isso motivou investimentos crescentes e o programa passou
técnicas de cultivo e dar continuidade aos trabalhos da
a ser apresentado como um diferencial em relação às outras
propriedade. Após sua implementação, embora conviven-
organizações que atuam no mesmo ramo. A Kannenberg é
do com várias dificuldades e negativas por parte de alguns
reconhecida como uma das melhores neste aspecto.
produtores, começaram a aparecer resultados animadores
nessa mudança cultural. A cada ano são efetuadas estatís-
Aprendizagens
ticas de adesão ao programa, que demonstram significati-
O ponto mais importante deste processo foi disseminar
vas melhorias. Atualmente, a taxa de adesão gira em tor-
na cultura da Organização que é possível alcançar os obje-
no de 98,2 %. Com essas ações, a Kannenberg espera
tivos financeiros propostos investindo em programas des-
atender perfeitamente os objetivos estabelecidos e dar
ta natureza. A defesa à máxima “Lugar de Criança é na Es-
uma contribuição adicional ao país.
cola” só foi possível porque a empresa crê que a fumicul-
Outras ações foram definidas pela empresa para os pró-
tura pode crescer em harmonia com o programa.
ximos anos, como “adoção” de centros comunitários para
desenvolver trabalhos extra-classe com filhos de produto-
Recomendações para a replicação da prática
res, ensinando novas técnicas de administração para a pe-
A mudança de uma cultura representa muito trabalho a
quena propriedade rural. A expectativa é de que estas ati-
ser feito. As organizações que possuem problemas simila-
tudes auxiliem na erradicação definitiva do trabalho infan-
res aos enfrentados pela Kannenberg devem estar cientes
til, não só na cultura do fumo, como em todas as outras
de que o empreendimento só terá sucesso se a alta admi-
atividades lá desenvolvidas.
nistração estiver consciente das suas responsabilidades so-
A empresa é auditada por vários clientes internacionais
ciais no meio em que atua. A partir daí, buscar o compro-
que acompanham de perto o desenvolvimento das ações,
metimento dos orientadores técnicos por meio de treina-
e demonstram satisfação ao adquirir um produto que não
mento e trabalho em equipe torna-se uma tarefa menos
agregou trabalho infantil.
árdua. Desde que haja um monitoramento eficaz, o processo cria corpo e evolui naturalmente até que se colham
Motivações
bons frutos desse trabalho.
Inicialmente o programa foi idealizado com o intuito de
A Kannenberg não tem a pretensão de afirmar que o
atender à legislação brasileira, em consonância com nossos
trabalho infantil foi completamente erradicado na cultura
valores e nosso código de ética. A empresa entendia que as
do fumo, mesmo porque o plantio envolve quase 5000
ações da produção integrada eram compatíveis com as ações
produtores, que possuem conceitos e culturas diferencia-
da Organização, o que ainda norteia todo o setor. Com o
das. No entanto, esse programa está influenciando a mu-
crescimento da empresa, algumas grandes corporações pas-
dança de determinados conceitos e contribuindo para que
saram a se interessar pelo produto, assim como pelos progra-
o homem do campo faça a sua escolha em relação à qua-
mas de responsabilidade social, e especialmente, pelos pro-
lidade de vida que espera para seus filhos.
>
212
!Fornecedores ::
Contato
Nome:
Kátia Périco
www.visanet.com.br
4/11/2002
Website da empresa:
Elaborado em:
A Companhia Brasileira de Meios de Pagamento – Visanet,
sanet e as empresas prestadoras de serviços foi a constru-
fundada em 1995 para administrar a rede de estabelecimen-
ção de uma equipe em que todos se sentem pertencentes
tos afiliados à Visa, tem 507 funcionários. Além destes, a em-
e comprometidos com a Organização. Em 2001, a revista
presa conta com um corpo de colaboradores terceirizados.
Exame elegeu a Visanet como uma das melhores empresas
Muitos trabalham na Visanet desde a sua fundação e um con-
para se trabalhar no Brasil. A empresa obteve ainda o pri-
siderável contingente foi incorporado em 1999, quando da
meiro lugar na pesquisa “Melhores Práticas em Gestão de
criação da primeira Central de Autorizações. Formada por ge-
Clima Organizacional”, dentre as organizações que com-
rentes da empresa que lideravam uma equipe de funcionários
põem o grupo de benchmark do Hay Group. Além disso,
terceirizados, a Central tinha por objetivo o aprendizado con-
na última pesquisa organizacional interna, 85% dos entre-
junto. Tal composição ficou conhecida na empresa como
vistados afirmaram que o relacionamento estabelecido no
“time único”. A empresa não faz distinção quanto ao trata-
ambiente de trabalho é muito bom.
mento conferido a seus funcionários. Terceirizados ou não, todos dispõem do mesmo acesso à informação, oportunidades
Motivações
de desenvolvimento profissional e participam de todas as ati-
Tratar a todos de maneira igual e justa faz parte da de-
vidades. Participam também do “Visanet Seis e Meia”, um ci-
claração de valores da empresa, assim como o compromis-
clo de palestras que objetiva o desenvolvimento pessoal e
so com a ética e o respeito no relacionamento com nossos
profissional, e das campanhas e programas desenvolvidos
clientes, funcionários, acionistas, parceiros de negócios e
pela empresa, como o programa de Voluntariado Corporati-
fornecedores.
vo “Ser Voluntário é Ser Humano”.
Os colaboradores terceirizados atuam nas áreas adminis-
Aprendizagens
trativas, são consultores especializados, dão suporte em infor-
A igualdade de tratamento, a comunicação aberta e a
mática e realizam o atendimento aos estabelecimentos afilia-
oportunidade de crescimento oferecidas aos terceirizados fa-
dos Visa. Podem inscrever-se no “Programa de Recrutamento
zem parte da cultura da Visanet. Essa filosofia, que se esten-
Interno” para concorrer às vagas existentes na empresa e nos
de a todos os parceiros da empresa, foi decisiva para o suces-
processos seletivos.
so da prática. Estimulou o compromisso e a responsabilidade
Uma preocupação da Visanet é garantir que os terceiriza-
dos funcionários, permitindo o alinhamento e respeito aos va-
dos tenham uma remuneração justa e compatível com a pra-
lores, políticas e normas da Visanet, comportamentos dos
ticada internamente. Para isso, são realizadas negociações
mais valorizados pela empresa.
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Relações com Trabalhadores Terceirizados ::
Visanet
Tratamento equilibrado
a funcionários e
terceirizados
com as empresas fornecedoras, e, em alguns casos, é oferecida uma compensação salarial. A empresa proporciona ain-
Recomendações para a replicação da prática
da estacionamento subsidiado integralmente, vale-alimenta-
O terceirizado deve ser visto como um importante stakehol-
ção no valor de R$ 12,00.
der. Ele deve se envolver nas ações da Companhia (programas
de voluntariado, qualidade de vida, treinamentos, promoções,
Resultados / benefícios gerados
festas, eventos etc.). Estender aos terceirizados os benefícios
O grande resultado dos seis anos de parceria entre a Vi-
dos funcionários também é uma medida inclusiva.
213
>
>
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Relações com Trabalhadores Terceirizados ::
!Fornecedores ::
F. Hoffmann-LaRoche
Contato
Programa
Qualidade de Vida
Marco Aurélio Kurlbaum
www.roche.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Roche, indústria do setor farmacêutico de origem suí-
videokê, lojas de conveniência, serviços de beleza e massa-
ça, procura oferecer qualidade nas condições de trabalho e
gem expressa.
oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional a
A especialização desses profissionais e sua dedicação no
todos seus colaboradores, independente da forma de víncu-
trabalho fazem com que muitos deles participem dos pro-
lo com a empresa. Atualmente, 180 trabalhadores terceiri-
cessos de seleção de vagas para funcionários da empresa.
zados recebem o mesmo tratamento dos trabalhadores efe-
Os funcionários terceirizados têm preferência de contrata-
tivos. Na Roche, terceirizados e funcionários diretos são con-
ção frente a candidatos externos.
siderados igualmente colaboradores e todas as relações
contratuais estão rigorosamente dentro da lei.
Resultados / benefícios gerados
O programa Qualidade de Vida, criado em 1998, busca
O programa Qualidade de Vida recebeu, em 2002, o VII
conscientizar os colaboradores e seus familiares da neces-
Prêmio Nacional de Qualidade de Vida promovido pela ABQV
sidade de levar uma vida saudável, independentemente do
(Associação Brasileira de Qualidade de Vida). O tratamento
meio em que vivem ou atuam. Para tanto, são oferecidos
igualitário recebido pelos colaboradores terceirizados reflete-
ginástica laboral, programas de prevenção de doenças
se na melhoria dos serviços prestados e mantém os trabalha-
(câncer de pele, próstata, colo do útero, mama, detecção
dores motivados, comprometidos e integrados à empresa.
de hepatite C, controle de dislipidemias, obesidade), restaurante administrado por nutricionistas com alimentação
Motivações
balanceada (café da manhã, almoço e jantar), participação
A necessidade da empresa em utilizar mão-de-obra espe-
de caminhadas em parques, sorteios para peças de teatros
cializada e a conseqüente contratação de empresas terceiri-
e sessões de cinemas, cestas de natal e linhas de ônibus
zadas levou a Roche a implementar ações voltadas ao bem-
fretado. Em parceria com a Arro (Associação Recreativa
estar e a qualidade de vida desses colaboradores. Integran-
Roche) e o programa Qualidade de Vida, a empresa ofere-
do-os à empresa, a Roche tem consciência de que a produ-
ce a todos os colaboradores aulas de dança de salão e de
tividade aumenta significativamente.
Tai-Chi-Chuan.
Na Semana da Saúde, evento anual promovido pela Ro-
Aprendizagens
che, os colaboradores podem realizar exames de glicemia,
Para que essa prática continue com grande sucesso é ne-
colesterol, pressão arterial e avaliação nutricional, e rece-
cessário que exista uma comunicação eficiente capaz de
ber orientações sobre higiene bucal. Também são ofereci-
atingir todos os colaboradores.
das palestras sobre temas que tenham ligação com a melhoria da qualidade de vida dos colaboradores.
Recomendações para a replicação da prática
A Arro também disponibiliza aos colaboradores um am-
A comunicação interna deve ser clara, para que não haja
biente de descontração, lazer e atividade fisíca. Localizado
problemas de compreensão. Deve-se haver um critério ade-
no bairro do Jaguaré, em São Paulo, o espaço conta com
quado para a contratação das empresas terceirizadas. É im-
campo de futebol, quadra de vôlei de areia, quadra polies-
portante manter um programa efetivo de qualidade de vida
portiva, academia de ginástica, salão de jogos, videogame,
e valorizar, na mesma medida, todos os colaboradores.
214
!Fornecedores ::
Contato
Treinamento dos
eletricistas terceirizados
Bruno do Carmo Dastre
www.redeonline.com.br
Elaborado em: 13/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Cemat (Centrais Elétricas Matogrossenses) trabalha
que apresentam as irregularidades verificadas, as provi-
sempre em parceria com as empresas terceirizadas, visan-
dências determinadas e o prazo estabelecido para que es-
do a capacitação de seus profissionais, a diminuição do
sas medidas sejam cumpridas.
número de acidentes por imperícia e a melhoria do padrão
de atendimento ao cliente. Após a privatização da empre-
Resultados / benefícios gerados
sa, em 1997, a Cemat estabeleceu um sistema de treina-
Os resultados alcançados refletem-se na diminuição dos
mento direcionado aos eletricistas terceirizados. Esse siste-
índices de acidentes de trabalho. O treinamento constitui-
ma permite a integração desses profissionais em seus pro-
se num diferencial competitivo, melhorando o atendimen-
gramas de treinamento e desenvolvimento, monitorando
to ao consumidor e elevando o padrão de qualidade dos
o cumprimento dos requisitos estabelecidos. A empresa,
serviços oferecidos pela empresa.
além de ceder o Centro de Treinamento, monitores e material didático, participa ativamente do treinamento dos
Motivações
eletricistas. Em reuniões periódicas com os responsáveis
A principal motivação dessa prática é a demanda do
pelos profissionais terceirizados são discutidos diversos as-
mercado por profissionais adequados e capacitados para
suntos e debatidas as orientações e o tipo de treinamento
trabalhar em consonância com as inovações tecnológicas
a ser adotado para a redução dos acidentes.
a que o setor vem sendo submetido.
Todas as empresas prestadoras de serviços à Rede Cemat são constantemente fiscalizadas. Ressalta-se o uso
Aprendizagens
correto dos equipamentos de segurança individual e cole-
Um dos fatores que contribuem para o sucesso do trei-
tivo, sua obrigatoriedade e a responsabilidade de cada um
namento é o fornecimento de material técnico de apoio às
na conscientização e prevenção.
aulas, apresentação de lançamentos e desenvolvimento
As áreas que mantêm serviços terceirizados contínuos
em conjunto de novas tecnologias e metodologias.
solicitam mensalmente às prestadoras de serviços os documentos referentes aos pagamentos de seus empregados,
Recomendações para a replicação da prática
assim como a comprovação do recolhimento dos encargos
✓ O sistema de treinamento dos eletricistas pode ser repli-
sociais do mês anterior. No âmbito da Segurança do Traba-
cado em qualquer empresa do setor elétrico.
lho, a fiscalização é feita por meio da inspeção de seguran-
✓ É importante estimular o desenvolvimento profissional
ça. Ela consiste na observação cuidadosa dos ambientes de
trabalhando aspectos limitadores e promovendo um
trabalho com a finalidade de identificar riscos que podem
melhor aproveitamento da capacidade intelectual,
transformar-se em acidentes. A partir desse levantamento
emocional e motora dos integrantes das empresas ter-
são encaminhadas medidas visando impedir sua ocorrên-
ceirizadas.
✓ A empresa deve participar ativamente do treinamento,
cia. A atuação preventiva também é feita, estimulando a
cooperação entre o setor de segurança, as Cipas e os di-
realizando reuniões, cursos e palestras.
✓ A fiscalização também é importante, identificando as si-
versos setores da empresa, além de garantir a integridade
física do trabalhador. São realizados relatórios de inspeção
tuações de risco antes que venham a ocorrer.
215
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Relações com Trabalhadores Terceirizados ::
Grupo REDE
>
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Relações com Trabalhadores Terceirizados ::
!Fornecedores ::
Pulsar Informática Ltda.
Treinamento integrado
para funcionários
próprios e terceirizados
Contato
www.pulsar.com.br
6/2/2001
Website da empresa:
Elaborado em:
A Pulsar mantém programas integrados de treinamento
Motivações
e desenvolvimento profissional, em que colaboradores in-
Desde que iniciou suas operações, em 1982, a Pulsar
ternos e funcionários terceirizados são tratados com igual-
caracterizou-se como uma empresa reconhecida por sua
dade de condições. Pela natureza de sua atividade, a em-
consciência social. Atualmente, a empresa posiciona-se
presa conta com trabalhadores terceirizados e funcionários
claramente, assumindo compromissos com a responsabili-
de empresas parceiras em projetos conjuntos, e tem por
dade social. A realização de programas integrados de trei-
norma oferecer condições equilibradas para todos esses
namento entre colaboradores internos e terceirizados é ex-
trabalhadores, independentemente de serem ou não cola-
pressão desses compromissos.
boradores diretos.
Aprendizagens
Resultados / benefícios gerados
A seleção criteriosa dos trabalhadores terceirizados é
Os programas integrados de treinamento e desenvolvi-
fundamental para o sucesso dessa prática e deve espelhar-
mento permitiram otimizar a interação entre colaborado-
se nos mesmos parâmetros e procedimentos adotados
res internos e terceirizados. Foi possível observar um au-
para avaliar os profissionais permanentes.
mento do índice de satisfação dos trabalhadores terceirizados. Percebe-se ainda um crescimento no nível de compro-
Recomendações para a replicação da prática
misso com os objetivos do trabalho, tanto por parte dos
Pesquisar e conhecer bem o terceiro.
colaboradores internos, como também dos profissionais
Verificar a compatibilidade nas culturas e valores da em-
terceirizados.
presa e dos trabalhadores terceirizados.
>
216
!Fornecedores ::
Contato
Esval de Miranda Nunes
www.cst.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Projeto Nossa Escola
A CST (Companhia Siderúrgica de Tubarão), com sede
sino Médio. O tratamento recebido pelos funcionários ter-
no Espírito Santo, criou o Projeto Nossa Escola com o ob-
ceirizados ajuda a difundir o sentimento de igualdade en-
jetivo de melhorar o nível de escolarização dos emprega-
tre os trabalhadores e, conseqüentemente, a propiciar re-
dos da companhia. Em 1993, a empresa decidiu criar a es-
lações mais transparentes e frutíferas.
cola a partir de diagnóstico feito no início daquele ano, em
que constatou que 1,2 mil dos 4 mil funcionários não ti-
Motivação
nham Ensino Fundamental ou Médio. O projeto foi desen-
A educação continuada dos seus empregados e depen-
volvido em parceria com o Sesi-ES e funciona nas depen-
dentes é um dos objetivos prioritários da CST, por enten-
dências da CST. O Nossa Escola atende também aos côn-
der que é por meio do conhecimento que o ser humano
juges e empregados de empresas contratadas, proporcio-
pode desenvolver plenamente suas habilidades, crescer
nando-lhes a complementação da escolarização básica.
profissionalmente e contribuir para a construção de uma
Para viabilizar o acesso dos alunos à escola, instalada
sociedade mais moderna e justa.
em ambiente seguro e voltado ao desenvolvimento pessoal, a CST oferece transporte ou vale-transporte, lanches,
Aprendizagens
livros e apostilas. Os trabalhadores terceirizados são trans-
O comprometimento da diretoria e gerência foi funda-
portados nos mesmos ônibus utilizados pelos empregados
mental para o sucesso do projeto. À diretoria coube esta-
da empresa. A alimentação também é fornecida aos traba-
belecer, em 1997, que todos os empregados com escolari-
lhadores terceirizados que trabalham na área interna da
dade inferior ao 2º Grau deveriam estar devidamente ma-
empresa nos mesmos refeitórios dos funcionários da CST.
triculados na escola. À gerência competiu exigir um míni-
Além disso, a companhia regulamenta os procedimen-
mo de 60% de freqüência às aulas.
tos de fiscalização das obrigações previdenciárias, trabalhistas e fiscais onde estabelece responsabilidades, critérios
Recomendações para a replicação da prática
e procedimentos para contratação, elaboração do contra-
Para facilitar o acesso a escola por parte dos alunos que
to e avaliação do desempenho da contratada. No caso de
trabalham em regime de turno, procurou-se criar horários
eventuais reclamações trabalhistas de trabalhadores tercei-
flexíveis e estabeleceu-se uma política de controle dos con-
rizados contra o seu empregador direto, a CST acompanha
teúdos ministrados, com repetição do mesmo conteúdo
os processos gerados fazendo uma análise criteriosa de
em horários diferentes.
cada caso para levantar as causas e tomar providências
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Relações com Trabalhadores Terceirizados ::
Companhia
Siderúrgica de Tubarão
A formação de turmas homogêneas também é muito
para evitar novas ocorrências.
importante. Para isso, foi feita uma análise detalhada dos
históricos escolares dos empregados matriculados e desen-
Resultados / benefícios gerados
volvido um programa de nivelamento. Por fim, para moti-
Dentre todas as siderúrgicas da América Latina, não é
var a participação desses empregados, foi criada infra-es-
possível identificar nenhuma com o mesmo nível de esco-
trutura especial, com salas onde os empregados encon-
laridade da CST. Desde 2001, todos os empregados, tercei-
tram condições para repousar e se alimentar enquanto es-
rizados ou não, possuem como escolaridade mínima o En-
peram o início das aulas.
217
>
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Relações com Trabalhadores Terceirizados ::
!Fornecedores ::
Pão Chic
Contato
Respeito profissional
pelos terceirizados
Nome:
Carlos Henrique Souza Pinto
20/07/2003
Elaborado em:
Além dos empregados, a empresa conta com um corpo
so com a ética e o respeito no relacionamento com os clien-
de trabalhadores terceirizados que atuam temporariamen-
tes, empregados e fornecedores.
te na produção, confeiteiros especializados em fabricar produtos mais elaborados. Portanto, eles são incorporados no
Aprendizagens
processo de fabricação como formadores e são responsá-
A igualdade de tratamento, a comunicação aberta e a
veis em treinar os empregados no próprio local de trabalho.
oportunidade de crescimento oferecidas aos terceirizados
Essa prática garante maior aceitação e respeito profissional
fazem parte da cultura da empresa. Essa filosofia, que se
aos terceiros, além de proporcionar o aperfeiçoamento dos
estende a todos os parceiros da empresa, foi decisiva para
empregados da empresa.
o sucesso da prática. Estimulou o compromisso e a respon-
Os terceirizados contribuem com a fabricação de dife-
sabilidade dos funcionários, permitindo o alinhamento e
rentes produtos da empresa e acrescentam novos conheci-
respeito aos valores, políticas e comportamentos dos mais
mentos à equipe gerando aprendizado conjunto. Tal com-
valorizados pela empresa. Ao tratar todos os seus funcioná-
posição forma uma parceria equilibrada entre as partes e
rios como parceiros, a empresa pôde constatar o quanto o
marca o relacionamento da empresa com todos os terceiri-
relacionamento com seus diversos públicos impacta sua or-
zados.
ganização e promove um clima favorável de trabalho.
A empresa não faz distinção para os terceirizados quanto ao tratamento conferido a seus empregados, fornecen-
Recomendações para a replicação da prática
do transporte e alimentação. É importante ressaltar que os
O relacionamento estabelecido pela Pão Chic com seu cor-
terceirizados usufruem de uma remuneração justa e com-
po de trabalhadores terceirizados é pautado pelo respeito. En-
patível com a praticada internamente.
volver esses colaboradores nas ações da companhia (programas de voluntariado, qualidade de vida, treinamentos, festas,
Resultados / benefícios gerados
eventos etc) e comunicar indistintamente os objetivos e reali-
Ganho de produtividade e construção de uma equipe
zações da empresa são de grande importância para continui-
em que todos se sentem pertencentes e comprometidos
dade da prática. Atitudes simples de inclusão garantem a dis-
com a organização.
seminação da cultura organizacional e o comprometimento
dos trabalhadores de empresas terceirizadas com as metas es-
Motivações
tabelecidas, gerando maior cooperação e motivação profis-
Tratar a todos de maneira igual e justa faz parte da de-
sional. Estender aos terceirizados os benefícios oferecidos aos
claração de valores da empresa, assim como o compromis-
funcionários também é uma medida inclusiva.
>
218
!Fornecedores ::
Programa de
Qualificação de
Fornecedores
Contato
Robson de Almeida Melo e Silva
www.cst.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A CST (Companhia Siderúrgica de Tubarão), com sede no
ventivas e corretivas. Nas empresas que prestam serviço de
Espírito Santo, participa como mantenedora do Prodfor (Pro-
manutenção, por exemplo, os padrões utilizados em nossa
grama Integrado de Desenvolvimento e Qualificação de For-
empresa puderam ser aproveitados. Em outros casos, quando
necedores), lançado em 1997, voltado para o fortalecimento
as atividades das empresas eram diferentes das realizadas
das empresas fornecedoras no estado, visando a redução dos
pela CST, novos planos de controle ambiental foram prepara-
custos e os riscos inerentes ao fornecimento, e a melhoria da
dos especialmente para cada caso.
qualidade e da confiança nos serviços oferecidos. Os benefícios são a redução do esforço e custo de instalação de um sis-
Resultados / benefícios gerados
tema de gestão da qualidade, o conhecimento dos critérios
Nos cinco anos de atuação do Prodfor, a empresa realizou
exigidos para fornecimento a importantes empresas compra-
300 auditorias nas empresas fornecedoras, criou uma página
doras e o uso diferenciado da qualificação fornecida pelo pro-
na Internet para consulta pelas empresas mantenedoras e re-
grama para ampliação de seu mercado.
gistrou a participação de mais de 130 fornecedores locais no
O Prodfor divide as empresas fornecedoras em qualificadas
programa. Até 2002, foram certificadas mais de 75 empresas
e em desenvolvimento. As fornecedoras em desenvolvimento
capixabas de diferentes setores produtivos.
são aquelas que estão a caminho da qualificação: foram indicadas por empresas compradoras, estão participando dos trei-
Motivações
namentos e recebendo consultoria para serem avaliadas por
O Prodfor e o Plano de Controle Ambiental e Segurança
auditorias ao final do programa. Já as qualificadas são aque-
no Trabalho foram criados visando melhorar a atuação das
las que foram habilitadas no processo de auditoria, receberam
empresas fornecedoras e prepará-las para conquistar novas
o certificado de fornecimento e vêm oferecendo seus bens e
oportunidades de negócios, levando ganhos para a comuni-
serviços para as empresas compradoras consorciadas.
dade em geral e favorecendo o aumento da renda e do em-
A empresa desenvolve também o Plano de Controle Am-
prego ao permitir aumentar a participação das empresas lo-
biental e Segurança no Trabalho. A integração e o compro-
cais nas compras das empresas mantenedoras.
metimento de todos é fundamental para que o Sistema de
Gestão Ambiental seja realizado de maneira eficiente. Em
Aprendizagens
2002, o plano de gestão ambiental foi estendido às prestado-
O comprometimento da empresa foi essencial para o su-
ras de serviços, começando pela área de manutenção.
cesso do projeto, que foi incorporado ao Plano Empresarial,
Essas empresas desenvolveram a implantação do padrão
como forma de atuar no desenvolvimento dos parceiros e re-
empresarial “Serviços de Terceiros – Condições de Controle
Seleção e Parceria com Fornecedores ! Apoio ao Desenvolvimento de Fornecedores ::
Companhia
Siderúrgica de Tubarão
forçar o compromisso com o desenvolvimento sustentável.
Ambiental (PE – SGA 12)”. Esse padrão visa determinar as diretrizes e os procedimentos básicos para o controle ambiental
Recomendações para a replicação da prática
das atividades das empresas parceiras. Durante o ano, os as-
A empresa deve atuar em parceria com empresas e insti-
pectos ambientais foram levantados e avaliados com relação
tuições ligadas à indústria e aos setores dos fornecedores, es-
à significância. Para os aspectos avaliados como significativos,
tar comprometida com os objetivos do programa e monitorar
foram elaborados padrões para controle, incluindo ações pre-
seu desenvolvimento.
219
>
Consumidores/
Clientes
221
>
Consumidores/Clientes
>
O marketing e a comunicação da empresa não
podem se dissociar da preocupação com a
responsabilidade social. Buscar a coerência dessas
ações é sinal de que a empresa quer criar valores
para a sociedade e comunicá-los. Esses compromissos
podem ser expressos com uma política formal
de comunicação alinhada aos seus valores e
princípios, extensiva a todos os materiais de
comunicação internos e externos e o estímulo à
comunicação com os clientes e consumidores,
criar uma relação baseada na cultura de
responsabilidade social.
O cuidado no tratamento aos consumidores,
a busca de soluções para problemas e assimilação
de sugestões compõem um quadro que pode
contribuir para o aperfeiçoamento das ações.
Ações eficazes apresentadas pelas empresas:
resolver rápida e individualmente as demandas,
222
para melhorar a qualidade dos produtos e serviços;
atuar de maneira pró-ativa no lançamento de
produtos e serviços e na revisão de materiais de
comunicação e divulgação.
Um passo importante para a criação de uma
cultura ética e socialmente responsável com os
consumidores e clientes é conhecer os efeitos dos
produtos e serviços e acompanhar o impacto dessas
atividades na sociedade. Assim, é importante realizar
estudos e pesquisas técnicas sobre riscos potenciais,
divulgando essas informações para os parceiros
comerciais e adotando medidas preventivas ou
corretivas com agilidade. Por fim, é recomendável
a atualização tecnológica, com a substituição de
tecnologias e produtos na medida em que surgem
outros mais eficientes, seguros e com menos riscos
à saúde do consumidor/cliente.
223
Consumidores/Clientes
emitindo relatórios internos; utilizar as informações
>
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Adriana Adorno
www.bosch.com.br
Elaborado em: 18/6/2003
Nome:
Website da empresa:
A Robert Bosch – Divisão Bosch Freios estabeleceu par-
sentantes de vendas e seus clientes. São realizadas
cerias com os diversos segmentos de mercado de reposi-
anualmente 200 palestras, com duração média de três
ção (lojas de autopeças, distribuidores, oficinas mecâni-
horas e a presença de 70 pessoas por evento.
cas), visando reforçar e difundir sua marca como sinônimo
de qualidade. Com esse objetivo, adotou ações voltadas
✓ Treinamento para mecânicos: A empresa oferece aos
para a transferência de conhecimento técnico para esses
aplicadores a possibilidade de participar de um curso so-
parceiros e, sobretudo, para garantir a segurança e a satis-
bre o funcionamento e manutenção do sistema de
fação do consumidor final. Essas atividades priorizam o ca-
freios, visando capacitá-los para melhor atender os
ráter educativo e social, buscando conscientizar o usuário
clientes. Esses aplicadores são reunidos na fábrica da
da importância da manutenção preventiva de seu veículo,
empresa e passam um período de uma semana tendo
inclusive para reduzir os acidentes de trânsito:
aulas teóricas e práticas sobre o assunto. Ao final do
curso, são avaliados e os aprovados recebem certificado
✓ Pit Stop de Inspeção Veicular Gratuita: Os pit stop
de participação.
são promovidos em parceria com distribuidores e centros automotivos. É feita a inspeção dos veículos, sendo
✓ Desenvolvimento de Curso Interativo e Catálogo
verificados todos os itens do sistema de freios, com des-
Eletrônico: Foi criada uma ferramenta interativa para
taque para discos de freios, tambores, pastilhas, fluído
treinamento de mecânicos, abrangendo informações
de freio, cilindro de roda, servo freio, cilindro mestre,
teóricas, com animações e práticas, por meio de vídeo
válvulas equalizadoras, flexíveis e freios de estaciona-
explicativo. A ação é promovida em centros automoti-
mento. Após a análise, é entregue um laudo sobre o es-
vos parceiros e em visitas de mecânicos à empresa. Para
tado do sistema de freios do veículo ao proprietário e re-
fornecer aos clientes diretos e indiretos a mais comple-
comendada a correção das falhas e a manutenção pre-
ta informação sobre os produtos, foi criado um catálo-
ventiva. Cada evento tem a duração de três dias em mé-
go eletrônico, contendo número de peça a ser utilizada
dia, e cerca de 60 veículos são analisados diariamente
no veículo, como proceder com a aplicação desta peça
pelos técnicos. Em 2001, serão realizados mais 30 pit
e análise visual do produto em três dimensões. A em-
stops.
presa vai lançar uma versão atualizada do catálogo jun-
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
Robert Bosch Ltda.
Estratégias de marketing
e comunicação com
enfoque no consumidor
to com o treinamento interativo em um único CD rom.
✓ Parceria com os Distribuidores: Em eventos realizados em parceria com os distribuidores, a Robert Bosch -
✓ Criação de Postos Autorizados: Foi constituída uma
Divisão Bosch Freios promove palestras visando passar a
rede assistencial para colocar o mais próximo possível
maior gama possível de informações sobre o funciona-
do consumidor final uma oficina capacitada a dar assis-
mento do sistema de freios. A utilização correta de pe-
tência técnica aos produtos Bosch Freios, tanto no que
ças e produtos também é tema do encontro. O objetivo
se refere à manutenção como à garantia. São visitados,
é evitar erros no manuseio e escolha das peças e, em
primeiramente, todos os pretendentes a posto que
conseqüência, possíveis acidentes. Participam os repre-
manifestaram interesse em ser representante da empre-
225
>
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
!Consumidores/Clientes ::
sa, que possui 265 Postos de Serviços no Brasil e irá cre-
✓ Compensar a carência de treinamento no setor.
denciar mais 50 este ano.
✓ Necessidade de permitir ao usuário final a perfeita manutenção do sistema de freios do seu veículo e agilizar
✓ Revisão dos rótulos, embalagens e material de co-
a garantia dos produtos.
✓ Contribuir de forma eficaz na redução do índice de aci-
municação: O conteúdo das informações contidas nas
embalagens, rótulos e material de comunicação sobre
dentes de trânsito.
os produtos Bosch Freios precisa estar permanentemen-
✓ Preocupar-se com a qualidade dos produtos e serviços
te atualizado, visando informar ao consumidor os riscos
associados a sua marca e com a segurança dos usuários.
e as práticas corretas no manuseio desses produtos.
Para assegurar essas informações são envolvidos os téc-
Aprendizagens
nicos de mercado, engenheiros de produto e de quali-
Pode-se alinhar o engajamento da equipe de Marke-
dade e responsáveis pelo marketing do produto. Eles re-
ting, responsável pelas ações, e a inovação de algumas ati-
solvem o que deve constar do rótulo, embalagem e ma-
vidades, como o lançamento do Catálogo Eletrônico. É ne-
teriais de comunicação que serão distribuídos ao públi-
cessário criar mecanismos eficazes para conscientizar to-
co final.
dos os envolvidos (aplicador, distribuidor e consumidor final) sobre a importância do uso correto dos produtos e a
Resultados / benefícios gerados
necessidade de manutenção preventiva. As ações são uma
A cada 100 veículos examinados nos pit stop de inspe-
contribuição efetiva e eficaz para a minimização dos aci-
ção veicular é diagnosticado defeito no sistema de freio
dentes de trânsito, seja pela melhor manutenção de suas
em 70, o que demonstra a importância de manutenção
peças, seja pela maior conscientização dos motoristas. Foi
preventiva. Com esta ação, a Bosch Freios pode instruir os
possível estabelecer a importância de manter o canal de
usuários e alertá-los para a prevenção de acidentes. Além
pesquisa atualizado e sempre adequar quantidade de in-
disso, cerca de 10 proprietários de veículos acabam por fa-
formações ao espaço disponível.
zer a manutenção com os parceiros participantes do projeto. A parceria com os distribuidores promove a fideliza-
Recomendações para a replicação da prática
ção do cliente com a marca Bosch Freios e tem ajudado a
O cliente é o maior patrimônio de uma empresa. Esse
difundir a correta utilização dos produtos, garantindo di-
princípio é a base para a continuidade e a sustentabilidade
minuição dos riscos de acidentes nas estradas do país. O
dos negócios. Por isso, é muito importante procurar conhe-
mesmo pode-se dizer das outras ferramentas, como trei-
cer esse cliente, suas necessidades, seus anseios, suas ex-
namento com mecânicos, cursos interativos, o catálogo
pectativas e, principalmente, os conceitos que ele tem so-
eletrônico e os postos autorizados. A revisão dos rótulos
bre sua empresa e seus produtos. É sempre necessário bus-
dos produtos possibilitou oferecer dicas de aplicação nas
car a proximidade do cliente e criar uma cumplicidade sau-
embalagens, além de alertar para o cuidado com o uso de
dável com ele. Invista no bem-estar de seu cliente e ofere-
produtos químicos ou produtos que possam prejudicar a
ça sempre o melhor para ele e deixe-o saber disso. Mostre
performance do sistema de freios.
como ele é importante para você. Mas faça isso sem demagogia, com sinceridade. Agregue valor ao seu produto,
Motivações
acrescentando a ele mais do que simples serviços ou prê-
✓ Oferecer ao mercado ferramentas mais ágeis e moder-
mios. Agregue valor social para seu cliente e, assim, faça
nas para consulta de itens e aplicações.
com que sua empresa e seu cliente cresçam juntos.
>
226
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Projetos que
valorizam a marca
Edna Silvério de Oliveira
www.bandeirante.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
As linhas que definem a Bandeirante Energia no ano
da condição de clandestinidade e dos riscos de aciden-
2000 marcam seu compromisso, junto aos diversos grupos
tes na comunidade. Com uma meta inicial estabelecida
com os quais se relaciona, com a promoção de valores éti-
em 16.400 ligações, obteve um resultado acima das ex-
cos, de participação cidadã, de respeito à diversidade e de
pectativas, regularizando 20.813 no ano.
preservação ao meio ambiente. Esses valores traduzem-se
em ações de preservação do meio ambiente, projetos so-
✓ Programa de eletrificação rural “Luz da Terra”: Visa
ciais, eventos sócio-culturais, campanhas educativas e de
levar eletrificação para a zona rural, contribuindo para a
solidariedade, imprimindo assim a força de comunicação e
melhoria das condições de vida no campo. Já beneficiou
marketing institucional da empresa.
mais de 1.000 novos clientes rurais.
A Bandeirante Energia foi criada em janeiro de 1998,
resultado do processo de cisão da Eletropaulo. No decor-
✓ Programa anual de combate ao desperdício de
rer dos anos 1999 e 2000, após eleição da nova diretoria,
energia elétrica: Coordenado pela Eletrobrás, em
foram implantados processos de remodelação e moderni-
convênio com o “Procel”, esse programa é composto
zação organizacional da empresa. No processo de moder-
por dezenove projetos. Tem como objetivo principal a
nização foi desenvolvido um plano de comunicação de
redução de perdas em seu sistema por meio de melho-
lançamento de nova logomarca, integrando as operações
rias na rede e equipamentos. Com isso busca o bem es-
voltadas para o público interno e externo. Foi preparada
tar e a economia de seus clientes, proporcionando ga-
uma campanha para o público externo para apresentar a
nhos energéticos, preservando o meio ambiente e
marca e dar visibilidade a todo investimento. Outra cam-
criando condições para um desenvolvimento sustentá-
panha, voltada para o público interno, possibilitou reforçar
vel na comunidade de entorno. Nas questões referen-
a identidade dos funcionários com a empresa, motivando-
tes ao meio ambiente, a Bandeirante realizou ações di-
os para as transformações e melhorias implementadas.
versas, entre elas o plantio de 7.350 mudas no Parque
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
EDP Brasil e Grupo VBC
Estadual da Serra do Mar e no Parque Estadual do JuResultados / benefícios gerados
query, a incineração de 6.324 kg de ascarel, e o descar-
A empresa dedica especial atenção à implementação de
te de lâmpadas de vapor de sódio e mercúrio recolhido
projetos e programas de cunho social, contribuindo direta-
de iluminação pública na área de concessão da empre-
mente para a diminuição das distorções sociais através de
sa. Entre as campanhas desenvolvidas pode-se citar a
sua participação em campanhas e em projetos em parce-
campanha solidária às vítimas das enchentes no Vale
ria com várias prefeituras, entidades e instituições filantró-
do Paraíba, campanha do agasalho, campanha de pre-
picas. Os principais projetos sociais desenvolvidos são:
venção à dengue, e as campanhas de ação e cidadania
com objetivos diversos. Entre outras ações, pode-se ci-
✓ Regularização de ligações clandestinas: Voltado
tar os patrocínios a diversas atividades artístico-cultu-
para o atendimento às famílias de baixa renda, o proje-
rais, as participações em feiras e eventos de caráter co-
to trabalha a cultura do não furto de energia, da res-
munitário, além de campanhas de doação a diversas
ponsabilidade pelo consumo medido, e da eliminação
entidades.
227
>
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
!Consumidores/Clientes ::
Motivações
preocupação maior da diretoria executiva quanto a aspec-
São vários os fatores motivacionais para a implementa-
tos organizacionais da empresa, como orçamento, comuni-
ção da prática: necessidade de otimizar recursos, participar
cação e envolvimento das áreas mais distantes da sede cen-
como agente no processo de reconstrução da sociedade,
tral. São realizadas reuniões periódicas nos municípios de
possibilidade de estabelecer parcerias com outras entida-
sua área de concessão, com gerentes de todos os níveis,
des em benefício das comunidades, preservação do meio
para troca de experiências e repasse de diretrizes e metas.
ambiente, promoção de valores éticos e de compromisso
social, de participação cidadã e de respeito à diversidade,
Recomendações para a replicação da prática
valorizando a marca Bandeirante.
✓ Fortalecer o envolvimento da diretoria da empresa nas
definições que norteiam a organização e estimular a
Aprendizagens
participação das equipes das áreas na elaboração de
Pode-se apontar como principal fator de sucesso na im-
bons planos de ação e na sua implementação.
✓ Buscar soluções tecnológicas que atendam a todos os
plementação da prática o empenho da alta direção na reformulação da visão, missão e valores da empresa, além da
públicos com os quais a empresa se relaciona.
criação de nova logomarca. Os desafios ficam por conta da
✓ Desenvolver campanhas respeitosas e criativas.
>
228
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Comunicação Externa
Integrada com a Interna
Nome: Antônio
J. Matias
www.itau.com.br
Elaborado em: 6/4/2001
Website da empresa:
Visando manter plena coerência entre o que informa
ma, nenhuma campanha deve gerar expectativas diferen-
aos seus clientes atuais e potenciais, o Banco Itaú desen-
tes do que está sendo oferecido, e somente os aspectos
volve sua comunicação externa de forma integrada à co-
positivos com relação ao banco podem ser utilizados como
municação interna. Assim, ao entrar em contato com o
apelo.
banco em função de algum apelo de comunicação, o inte-
Em 2000, o Itaú publicou seu Código de Ética, caracte-
ressado encontrará funcionários informados e preparados
rizando seu compromisso com a ética e a legalidade. Ele
para atender suas demandas e expectativas. As ações es-
reforça um dos pilares da cultura Itaú ao orientar as con-
tratégicas são definidas numa comissão executiva da área
dutas profissional e pessoal a serem seguidas por cada
de marketing e repassadas pelos diretores ou superinten-
funcionário em seu relacionamento com os diversos públi-
dentes a todas as outras áreas envolvidas.
cos, como os demais funcionários da empresa, clientes,
A comunicação externa, ou seja, a comunicação com os
acionistas e fornecedores. Ao longo do ano de 2001, o
clientes e com o público em geral, é desenvolvida pelas
Itaú promoverá ampla divulgação dos seus valores éticos
áreas internas e também em parceria com fornecedores,
aos públicos interno e externo. Na comunicação do Itaú
como agências de propaganda e de marketing direto. En-
destaca-se o recurso “Disque Itaú”, serviço de atendimen-
tre as ferramentas usadas pelo Itaú na comunicação estão
to a clientes. O atendimento é realizado por equipes espe-
a mídia de massa (televisão, rádio, jornal, revista, outdoor),
cializadas que buscam atender de forma imediata às de-
a comunicação no ponto de venda (programação visual
mandas dos clientes. É compromisso do banco resolver to-
nas agências e folhetos), o marketing direto, eventos e a
dos os problemas no prazo mínimo possível e, no máximo,
Internet.
em catorze dias. Os elementos obtidos nesse contato ali-
A comunicação interna é responsabilidade da área de
mentam a comunicação e referenciam os ajustes a serem
Endomarketing e Projetos Especiais, que dá suporte à área
feitos nos produtos e serviços oferecidos.
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
ITAÚSA –
Itaú Investimentos S.A.
comercial utilizando folhetos, vídeos de treinamento, cartilhas, circulares e periódicos, e desenvolve as campanhas
Resultados / benefícios gerados
de comunicação interna, garantindo a sintonia das equi-
O Itaú vem constantemente ampliando a oferta de pro-
pes com a comunicação a clientes.
dutos e serviços para atender as necessidades de todos os
A política de marketing e comunicação do Itaú tem
segmentos de clientes, como pessoa física, pessoa jurídica
como base primordial os valores da cultura Itaú, enfatizan-
e clientes de alta renda. O projeto Conquista de Cliente do
do, como empresa cidadã, o respeito ao consumidor e aos
Itaú obteve resultados acima das expectativas. A meta de
concorrentes, a transparência e o comportamento ético.
conquista de novos clientes de abril a dezembro de 2000
Entre os objetivos mais importantes do Itaú estão a manu-
foi ultrapassada, atingindo-se um resultado de 108%.
tenção da reputação de empresa sólida e confiável, a lide-
Desse total de novos clientes, 39 mil foram indicados por
rança em performance e a satisfação dos clientes. Ao ela-
amigos correntistas do Itaú, através do programa “Cliente
borar suas campanhas internas ou externas o banco esti-
Apresenta Cliente”. Esse número expressa a satisfação dos
mula a transparência e o combate à propaganda engano-
Clientes Itaú com os serviços prestados, produtos ofereci-
sa e qualquer comparação com a concorrência. Dessa for-
dos e atendimento. O banco também assumiu um com-
229
>
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
!Consumidores/Clientes ::
promisso com o novo cliente, que teria noventa dias para
focada no sucesso de longo prazo, tem que estar compro-
experimentar todos os serviços oferecidos. Se, nesse perío-
metida não apenas com os lucros de seus acionistas, mas
do, o cliente não estivesse satisfeito com o relacionamen-
também com o desenvolvimento humano e profissional de
to e com o atendimento prestado, os valores pagos pelas
seus funcionários e com o progresso da comunidade. A
tarifas referentes à movimentação da conta corrente se-
busca da melhoria contínua no atendimento e na prestação
riam devolvidos.
de serviços, a postura de transparência no relacionamento
Nos últimos anos, o Itaú ampliou seu investimento na
e de respeito aos direitos dos clientes são firmes compro-
Internet, através de sites segmentados por tipo de cliente
missos do Itaú, que motiva todas as equipes do banco.
ou por produto. Esses sites disponibilizam informações, simulações de investimentos, efetivação de aplicações e
Aprendizagens
contratação de produtos. Em 2000, o Itaú lançou produ-
O desafio diário do Itaú é ser o melhor banco do mun-
tos e serviços que garantem segurança e conveniência
do para os seus clientes, num mercado onde a competição
para os clientes: envio de saldos e extratos de conta cor-
é cada vez mais acirrada. Isso significa investir continua-
rente e de poupança pelo e-mail e pelo telefone celular, fa-
mente em tecnologia e aprimoramento profissional. Signi-
cilidades para pagamento de compras feitas pela Internet,
fica também estreitar o relacionamento do cliente com o
cartão de crédito próprio para compras pela Internet ou
banco. Nos últimos 20 anos, o Itaú vem investindo em es-
por telefone, e venda de travellers cheques pela Internet.
truturas que asseguram atendimento especializado para
“Bem-vindo ao ano 2000” foi o tema de campanha es-
diversos segmentos. Essas estruturas articulam áreas co-
colhido para consolidar a imagem do Banco Itaú, ao assu-
merciais altamente qualificadas, com áreas técnicas e de
mir um compromisso público de transparência e respeito
produtos, criando resultados superiores para os mais exi-
ao consumidor, valores que há muitos anos vinham sendo
gentes clientes. O Itaú busca obter rentabilidade por meio
trabalhados e praticados internamente. Para transmitir a
da eficiência e da qualidade, e também tem responsabili-
seus funcionários esse conceito, foi criado um programa
dades como empresa cidadã. Em 2000 o banco investiu,
de comunicação interna. Desenvolveu-se uma grande
através do Programa Itaú Social, R$ 11 milhões em 185
campanha de endomarketing que envolveu todo o univer-
projetos sociais.
so de funcionários, a fim de que cada um assumisse junto
com o banco o compromisso de cumprir a regra básica do
Recomendações para a replicação da prática
bom atendimento e de respeito ao consumidor. Para o pú-
Implantar firmemente uma política de comunicação
blico externo, uma campanha publicitária veiculava o posi-
que respeite o ser humano e que seja contra preconceitos
cionamento como o banco mais moderno do país, colo-
relacionados a origem, raça, religião, classe social, sexo,
cando o respeito ao consumidor como prioridade número
cor, idade, incapacidade física e quaisquer outras formas
um do Itaú.
de discriminação. Não transigir diante de idéias e propostas criativas que possam trazer resultados, mas que de al-
Motivações
guma forma sejam conflitantes com os valores da sua em-
O Itaú tem consciência de que uma empresa moderna,
presa.
>
230
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Marcio Ruiz Schiavo
www.comunicarte.com.br
Elaborado em: 28/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Comunicarte atua nas áreas de comunicação e mar-
autonomia para atuar no mercado social. Por isso, no de-
keting. Desde a sua fundação, em 1991, destacou-se pelo
correr do processo de construção e execução do programa
pioneirismo e qualidade na aplicação dos conceitos e téc-
corporativo de responsabilidade social, um dos aspectos
nicas de marketing à promoção das causas sociais, inserin-
mais enfatizados é a formação e capacitação de recursos
do a responsabilidade social corporativa no centro dos pro-
humanos, de maneira a habilitar a equipe interna a criar,
dutos e serviços que oferece a seus parceiros-clientes.
formatar, executar, gerenciar, monitorar e avaliar (quanti-
A metodologia de trabalho da Comunicarte vai além da
tativa e qualitativamente) suas ações de responsabilidade
execução de produtos, serviços ou atividades em atendi-
social. Cria-se, assim, um movimento sinérgico de transfe-
mento a demandas específicas. A empresa atua como par-
rência de tecnologias sociais que tende a beneficiar os di-
ceira estratégica das organizações para as quais presta ser-
versos stakeholders da organização e os beneficiários de
viços, e visa identificar suas diversas necessidades e expec-
seus serviços e produtos sociais. Essa postura da Comuni-
tativas, assim como as necessidades e expectativas de seus
carte contribui, em longo prazo, para a necessária profis-
stakeholders, no campo da responsabilidade social. Desse
sionalização do Terceiro Setor.
modo, obtém-se maior segurança para construir e execu-
Com essa filosofia, a Comunicarte atua em todo o Bra-
tar produtos ou serviços sociais que atendam aos interes-
sil, na América Latina e países africanos de Língua Portu-
ses de todos os envolvidos.
guesa, promovendo os conceitos de ética empresarial e
Em geral, a equipe técnica das empresas que contratam
responsabilidade social corporativa. A empresa possui um
os serviços da Comunicarte mantém uma postura coadju-
conjunto de normas e princípios éticos que orientam o seu
vante e meramente receptiva, não raro demandando um
relacionamento com os diferentes públicos de interesse.
“pacote pronto, fechado” de ações a serem executadas,
Esse processo é continuamente monitorado e avaliado, por
sem muito compromisso com os resultados pretendidos. A
meio de reuniões entre a direção e os seus gestores princi-
Comunicarte não compactua com essa postura. Ao con-
pais. A preocupação com a ética e a responsabilidade so-
trário, adota metodologias participativas e dialógicas, esti-
cial é permanente, levando-se em conta que a Comunicar-
mula ao máximo o protagonismo da equipe interna e
te atua numa área especialmente sensível: a mudança de
orienta o fluxo das idéias de maneira que grande parte das
comportamentos e atitudes corporativos e pessoais – pro-
soluções adotadas surjam da própria equipe. Esse modus
cesso que, conduzido sem os devidos critérios, pode gerar
operandi possui três finalidades principais: valorizar a equi-
danos significativos para a organização-cliente e seus pro-
pe interna, reconhecer e utilizar seus conhecimentos,
fissionais.
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
Comunicarte
Ética e responsabilidade
em Comunicação e
Marketing
idéias, experiências e propostas; garantir que a cultura organizacional esteja presente no plano de trabalho a ser
Resultados / benefícios gerados
elaborado; e ampliar e consolidar o compromisso da equi-
A Coordenação Nacional de DST/Aids, criada em 1995,
pe com o plano de trabalho, com os resultados e impacto
resultou numa completa reformulação das atividades de
social das atividades propostas.
comunicação para a prevenção da Aids, que passaram a
A Comunicarte trabalha para que os organismos gover-
ter um enfoque formativo e educativo, em detrimento da
namentais, não-governamentais e privados conquistem
abordagem publicitária até então adotada.
231
>
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
!Consumidores/Clientes ::
O trabalho realizado pela Comunicarte para a Petrobrás
nal e estabelecer estratégias eficazes para ajudá-los a su-
e a Fundação Banco do Brasil também levou a mudanças
perá-las. O público interno é importante para o sucesso do
profundas em relação à sua forma de atuação social. Am-
trabalho. Por isso, é preciso valorizar seus conhecimentos,
bas as organizações são de natureza essencialmente públi-
experiências e propostas, procurando contemplá-las no
ca, embora tenham participação de capitais privados. Com
produto final.
a participação das equipes de comunicação das duas organizações, a Comunicarte formatou programas inovadores
Recomendações para a replicação da prática
de fomento ao desenvolvimento humano sustentável, que
Uma empresa que pretenda atuar no Terceiro Setor,
elevaram-nas a uma posição de vanguarda do Terceiro Se-
provendo consultoria a outras organizações, deverá obser-
tor brasileiro.
var alguns princípios:
✓ Estabelecer missão, visão e valores éticos e socialmente
Motivações
responsáveis, guiando-se permanentemente por eles. É
A principal motivação da Comunicarte é a oportunida-
preciso manter total coerência entre o discurso e a prá-
de de empregar e compartilhar suas expertises, contribuin-
tica, sob pena de perda da credibilidade;
do para a implantação e execução de projetos e ações de
✓ Cobrar completa coerência entre o discurso e a prática
fomento ao desenvolvimento humano sustentável, e a
das organizações-clientes – ainda que seja preciso inter-
progressiva transferência de tecnologias de atuação social
ferir em áreas que, em princípio, não seriam atingidas
aos profissionais das organizações-clientes, instrumentali-
pelo seu trabalho;
✓ Respeitar a missão, visão e valores das organizações-
zando-os para uma ação social efetiva.
clientes sem deixar de apontar eventuais incongruências;
✓ Buscar conhecer profundamente a organização-cliente,
Aprendizagens
Não basta a direção da organização estar motivada e
e não apenas uma ou outra área específica. A ética e a
decidida a adotar práticas éticas e de responsabilidade so-
responsabilidade social empresarial são atributos glo-
cial. Todos os escalões precisam estar envolvidos para que
bais, e não setoriais;
os resultados sejam sustentáveis. É preciso compreender as
✓ Ter em mente que uma atuação no Terceiro Setor só se
dificuldades dos profissionais em aceitar e adotar mudan-
justifica como parte da missão empresarial de contribuir
ças de atitudes e comportamentos no âmbito organizacio-
ao desenvolvimento humano sustentável.
>
232
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Estratégias de marketing
e comunicação
Nome:
Marta Ew
www.innova.ind.br
27/10/2003
Website da empresa:
Elaborado em:
A Innova é uma das maiores indústrias petroquímicas
so compromisso com o meio ambiente, a saúde e a segu-
de segunda geração do país. Instalada no Pólo Petroquími-
rança dos colaboradores, clientes, fornecedores e comuni-
co de Triunfo, mantém as unidades de monômero de esti-
dades vizinhas por meio do envio de mala direta, da reali-
reno e poliestireno em atividade desde 2000. A política de
zação de eventos, da oferta de um serviço personalizado
marketing e comunicação da Innova tem como objetivo
de e-commerce, da realização de treinamentos técnicos e
principal divulgar e reforçar sua marca como sinônimo de
de visitas programadas à fábrica.
qualidade e de respeito às pessoas e ao meio ambiente.
Outra prática utilizada com muita freqüência é a parti-
Atuando no segmento industrial e fornecendo matéria-pri-
cipação em feiras e eventos dos setores plástico e petro-
ma básica para outras indústrias, a Innova direciona suas
químico, que permitem divulgar a empresa, seus produtos
ações de comunicação para o mercado de transformação
e serviços de forma a valorizar os principais atributos e
de resinas termoplásticas, sempre utilizando técnicas que
compromissos. É uma oportunidade para transferir ao
reforcem o relacionamento e que se traduzam em uma
mercado e à sociedade o conhecimento sobre as principais
maior satisfação dos clientes.
questões relacionadas com a indústria plástica e seus im-
Coerente com essa estratégia, a Innova desenvolve, in-
pactos na vida moderna, como a reciclagem. A criação e
dividualmente ou em parceria com seus distribuidores,
divulgação de folders e catálogos é outra forma de comu-
ações voltadas para garantir a segurança e a satisfação do
nicação explorada pela Innova. Nesse caso, são mantidas
transformador, que priorizam o caráter inovador dos pro-
as mesmas preocupações e estratégias descritas acima,
dutos e serviços, o relacionamento diferenciado e a condu-
com diferença de público alvo, muito mais abrangente do
ta ética e respeitosa frente ao mercado e aos concorrentes.
que nas ações de marketing direto. Ao conjunto de práti-
Assim, mesmo com pouco tempo de atuação, a Innova já
cas descritas acima podem se somar as ações sociais de-
é reconhecida no mercado petroquímico como uma em-
senvolvidas pela empresa, todas em linha com a cultura or-
presa inovadora em termos de comunicação. Todas as suas
ganizacional e respeitando questões éticas valorizadas pela
campanhas e seu programa de marketing direto buscam
empresa.
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
Petrobrás
posicionar a empresa de forma a ocupar um espaço que
nunca foi preocupação das indústrias de monômero de es-
Resultados / benefícios gerados
tireno e poliestireno instaladas no país.
A empresa, que faz parte do Grupo Petrobrás, possui
As campanhas são sempre veiculadas em revistas espe-
uma marca sólida, consolidada e sinônimo de qualidade
cializadas do setor petroquímico e de transformação e têm
no mercado brasileiro, conquistada com pouco tempo de
circulação nacional. As peças publicitárias são criadas por
atuação e sem ferir quaisquer valores próprios ou estabe-
agência de publicidade, que leva em consideração a con-
lecidos no mercado. Os resultados obtidos com a política
formidade com a cultura da organização e as questões éti-
descrita são perceptíveis quando se analisa o market share
cas valorizadas internamente. O programa de marketing
dos mercados em que a empresa atua, tendo conseguido
direto talvez seja o maior diferencial em termos de comu-
uma posição de destaque entre tradicionais produtores lo-
nicação. Com ele busca-se difundir a cultura da empresa,
cais e grandes multinacionais da indústria química, de
reforçar atributos relacionados à marca e demonstrar nos-
acordo com os dados publicados pela Abiquim (Associação
233
>
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
!Consumidores/Clientes ::
Brasileira da Indústria Química) e da Pesquisa Nacional de
e os atributos da empresa. Ao discutir estas questões, a In-
Satisfação interna, realizada anualmente.
nova tem a oportunidade de redefinir estratégias e redirecionar ações, encurtando o caminho para o sucesso.
Motivações
As principais motivações para que ações de marketing
Recomendações para a replicação da prática
e comunicação sejam desenvolvidas e praticadas pela or-
Ter em mente que o cliente é o patrimônio mais valioso
ganização é abrir caminhos e mercados para que os pro-
de uma empresa é o primeiro passo para que a organização
dutos e serviços cheguem ao alcance dos consumidores,
tenha continuidade e sustentabilidade em longo prazo. Por
apresentar ao mercado e aos clientes todas as informações
ser tão importante, é fundamental procurar conhecer e en-
necessárias para que conheçam a Innova e sua cultura e
tender cada cliente, buscando identificar as razões que os
estimular a comunicação dos clientes com a empresa.
levam a agir de determinada maneira, as suas necessidades,
expectativas e o conceito que tem da empresa e seus pro-
Aprendizagens
dutos. Investir no bem estar do cliente, agregando valor aos
Cada etapa do desenvolvimento de uma ação de mar-
produtos e acrescentando a ele mais do que serviços ou prê-
keting e comunicação permite analisar o posicionamento
mios é o caminho mais curto para a satisfação mútua.
>
234
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Campanha de
marketing institucional
Alberto Simões Gaspar
www.pulsar.com.br
Elaborado em: 6/4/2001
Nome:
Website da empresa:
A Pulsar produziu uma campanha de publicidade insti-
ser somente um mecanismo de captação de clientes. Por
tucional com o macro-objetivo de valorização da marca. O
isso a empresa não faz anúncios exclusivamente comer-
público-alvo da Pulsar é composto por empresas de médio
ciais. Ela também procura disseminar, por meio dos anún-
e grande porte, cujos profissionais não contratam serviços
cios, os valores agregados à marca Pulsar. A Pulsar adotou
na área de informática somente porque viram um anúncio
esta prática levando em consideração a valorização da res-
em determinada mídia. Assim, outra meta da campanha
ponsabilidade social pelo mercado. Como a Pulsar tem in-
foi o fortalecimento da posição da Pulsar no mercado.
corporado em sua marca este conceito, considerou que as-
Os anúncios institucionais produzidos valorizam de for-
sociá-lo à imagem da empresa seria uma ação consistente
ma genérica a responsabilidade social e também divulgam
e positiva para seus objetivos estratégicos.
alguns de nossos parceiros: Instituto Ethos, Fundação
Abrinq pelos Direitos das Crianças e Avape. No desenvol-
Aprendizagens
vimento dos anúncios, a empresa reafirmou sua postura
Ao associar sua marca ao conceito de responsabilidade
de adotar uma comunicação alinhada com seus valores e
social a Pulsar integrou-se a um movimento atual de valo-
princípios. A Pulsar sempre expressou valores alinhados
rização desta prática pelas empresas. Isso possibilitou o
com sua consciência social. Mais recentemente, consoli-
crescimento de sua visibilidade no mercado corporativo. A
dou a convicção de que responsabilidade social significa
principal dificuldade que traz a ênfase na responsabilidade
qualidade nos relacionamentos com todos os parceiros, di-
social é a interação com empresas-clientes que possuem
retos e indiretos, de modo a gerar valor para todos. A cul-
culturas e valores muito diferentes dos da Pulsar. É neces-
tura de respeito ao consumidor é estimulada, na medida
sário saber respeitar essas diferenças, sem abrir mão do
em que qualquer estratégia de marketing e comunicação
fortalecimento da responsabilidade social. No relaciona-
está baseada nos valores da empresa e no Código de De-
mento com fornecedores, onde a influência da empresa
fesa do Consumidor.
pode ser mais decisiva, também é preciso respeitar as par-
Dimensão Social do Consumo ! Política de Marketing e Comunicação ::
Pulsar Informática Ltda.
ticularidades culturais dos parceiros e trabalhar com a
Resultados / benefícios gerados
perspectiva de um aumento progressivo da importância
Como resultados da ação de marketing institucional, é
destinada à responsabilidade social.
possível citar: a otimização da relação empresa/consumidor, um aumento do índice de satisfação dos consumido-
Recomendações para a replicação da prática
res, promoção de melhorias continuas nos processos e, fi-
A primeira diretriz a ser observada é guiar-se pelo Códi-
nalmente, o desenvolvimento de uma consciência social. O
go de Defesa do Consumidor. Por tratar-se de uma legisla-
maior benefício obtido foi associar a marca Pulsar ao con-
ção abrangente, ela fornece muitos parâmetros sobre qual
ceito de responsabilidade social empresarial.
é o caminho certo. Cada vez mais empresas buscam um
relacionamento de qualidade com seus parceiros. Para
Motivações
isso, buscam empresas de valores semelhantes aos seus.
A Pulsar acredita que, em sua área de atuação – servi-
Em função disso, é de importância fundamental divulgar
ços em tecnologia da informação – a publicidade não deve
os valores da empresa para o mercado.
235
>
>
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
AGCO Corporation
Contato
Sistema de comunicação
com o cliente
Carla Pegurara Gasperin
www.massey.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Visando buscar o melhoramento contínuo de seus pro-
Resultados / benefícios gerados
dutos, a AGCO do Brasil, empresa de equipamentos agrí-
Decorrente de implementações a partir das ações de comu-
colas do grupo norte-americano AGCO, dono da marca
nicação com o cliente, os gastos com garantia de produtos
Massey Ferguson, tem como foco principal as reclama-
têm sido reduzidos ano a ano. Entre os prêmios recebidos pela
ções e sugestões de seus clientes. Assim, possui diversos
empresa estão o Top 3 IBest em 2003, Top of Mind RS em
meios de comunicação para que suas opiniões sejam dis-
2002, Top of Mind PR em 2002, Top of Mind Rural em 2002
cutidas, estreitando o relacionamento do cliente com a
e 2003, Premio Gerdau Melhores da Terra em 2000 e 2002.
empresa. O sistema envolve diretamente os setores de
Com base nas sugestões e críticas recebidas dos clien-
Vendas, Marketing, Desenvolvimento do Produto, Enge-
tes, vários equipamentos foram redesenhados passando
nharia do Produto, Manufatura, Engenharia da Qualidade
por melhorias e correções. Novos projetos também foram
e Pós-Venda.
realizados em função do resultado da análise das suges-
Para que os clientes possam pedir informações, fazer
tões recebidas pelos serviços de atendimento da empresa.
sugestões, reclamações e comentários, a empresa disponibiliza meios de atendimento via telefone, por discagem
Motivações
direta gratuita, e via Internet, em seu próprio site. A
Com clientes cada vez mais exigentes, a qualidade do
AGCO também realiza e permite o acesso à Pesquisa de
atendimento e dos produtos oferecidos é de grande im-
Satisfação Anual, na qual o cliente responde a um ques-
portância para tornar a empresa competitiva no mercado.
tionário avaliando o desempenho do equipamento e o
A busca de melhorias contínuas no atendimento e as im-
atendimento da empresa e da concessionária. Muitas me-
plementações de melhorias nos produtos oferecidos são
lhorias nos produtos são decorrentes de discussões em
compromissos da empresa.
reuniões entre o Departamento de Pós-Venda e a rede
concessionária. Esses encontros acontecem a cada dois
Aprendizagens
meses.
O envolvimento de todas as áreas é de extrema impor-
Antes do lançamento de um equipamento, a empresa
tância para manter a qualidade no atendimento ao clien-
realiza a Clínica com o Cliente. Nessa avaliação, são dis-
te. A empresa é responsável pelo constante aprimoramen-
ponibilizados protótipos para testes em propriedade de
to dos produtos e serviços, priorizando as informações vin-
clientes, em que o equipamento é submetido a reais con-
das dos clientes.
dições de trabalho. Após a experimentação, o cliente responde a um questionário avaliando o desempenho do
Recomendações para a replicação da prática
produto. Com o objetivo de melhor atender seus clientes,
O sucesso do atendimento ao cliente acontece quando
a empresa dispõe de funcionários capacitados para buscar
os resultados se mostram por meio de pesquisas de satis-
soluções e implementações aos equipamentos. Essas
fação e da crescente fidelidade de clientes. Tomar como
ações são de extrema importância e, não obstante acon-
base resultados de pesquisas com clientes relacionados aos
teçam no pré-venda, fazem parte da excelência no aten-
produtos garante maior segurança a futuras ações de de-
dimento da AGCO do Brasil.
senvolvimento e aprimoramento.
236
!Consumidores/Clientes ::
Pesquisas e reuniões
para ampliar a
satisfação dos clientes
Contato
Nome:
Gabriela Gonçalves Suárez
20/12/2002
Elaborado em:
O Laboratório Dr. Pio realiza, desde 1999, pesquisas de
trole da Qualidade de laboratórios), desenvolvido pela So-
satisfação junto a seus clientes, para assegurar-se de que
ciedade Brasileira de Análises Clínicas.
proporciona um atendimento de qualidade, Durante todo
o ano, os serviços prestados são avaliados e os responden-
Resultados / benefícios gerados
tes têm espaço para fazer reclamações, sugestões e co-
O principal resultado obtido foi a elevação do grau de
mentários. Mensalmente as respostas são analisadas e as
satisfação dos clientes. Ao constatar as demandas e enca-
reclamações geram relatórios de não-conformidade, origi-
minhar soluções, o laboratório conseguiu aperfeiçoar seu
nando ações corretivas e preventivas.
atendimento de modo a contemplar as expectativas de
A empresa dispõe ainda de um formulário de suges-
sua clientela e conquistar novos usuários.
tões dirigido à liderança da empresa. As solicitações – tan-
A prática contribuiu para a melhoria dos serviços pres-
to de clientes como de funcionários – são encaminhadas
tados, aumentou a produtividade e a competitividade da
como metas para o planejamento do ano seguinte.
empresa. Como conseqüência, ela diferenciou-se no mer-
Sediado em Santana do Livramento, o Laboratório Dr.
cado, consolidando sua marca e aumentando sua inser-
Pio também desenvolve projetos de pesquisa voltados à
ção no mercado. Também incentivou o comprometimen-
satisfação do mercado, como o Projeto Evolução, focado
to e a interação dos colaboradores, que, a partir dos indi-
nas empresas conveniadas e na estruturação de novos
cadores fornecidos pelas pesquisas e com treinamento
convênios locais e o Projeto Secretária, que procura medir
adequado, puderam melhorar seu desempenho.
o grau de satisfação dos médicos.
Os resultados são divulgados em murais e painéis, para
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
Sant’Anna Simões
Pires AL Laboratório de
Análises Clínicas Ltda.
Motivações
conhecimento de todos os funcionários. A realização das
Atender às necessidades do cliente é parte da visão e
pesquisas, bem como a tabulação dos dados e o retorno
missão da empresa, e mais do que isso, é garantia de seu
aos clientes fica a cargo da gerência de qualidade. O Pro-
retorno. A prática foi motivada pela necessidade de se co-
grama Qualilab promove reuniões setoriais quinzenais,
nhecer melhor as demandas e expectativas dos clientes,
buscando melhorar os processos, treinando as recepcio-
que estão cada dia mais exigentes e informados.
nistas no atendimento e orientação aos clientes, e no procedimento com as coletas e entrega de resultados dos
Aprendizagens
exames. Os desvios que eventualmente surgem nas nor-
O Laboratório preocupou-se em contemplar demandas
mas de atendimento são reportados a essas reuniões. Ne-
bastante heterogêneas, de forma a manter sua clientela e
las, o processo é revisado e novas diretrizes são estabele-
ampliá-la. Para isso, oferece serviços de análises clínicas
cidas.
de qualidade, atualizando seus processos e certificando-
O laboratório participa do Sipagel (Sistema de Indica-
se de que atende às expectativas dos que necessitam des-
dores Padronizados para Laboratório), que realiza cálculos
ses serviços. A partir disso torna-se possível destacar-se e
comparativos entre vários laboratórios. Também para con-
superar concorrentes. Treinamentos, programas de incen-
trolar comparativamente a qualidade dos processos labo-
tivos e premiações contribuíram igualmente para o cresci-
ratoriais, participa do PNCQ (Programa Nacional de Con-
mento profissional dos colaboradores.
237
>
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
Recomendações para a replicação da prática
é importante dar algum tipo de retorno aos clientes que
É importante criar uma pesquisa de satisfação que sir-
responderam o questionário.
va como parâmetro do serviço prestado pela empresa.
Deve-se ainda criar indicadores capazes de medir o de-
Além de elaborar, é preciso fazer com que o processo de
sempenho do atendimento e verificar o grau de satisfação
análise transcorra da maneira mais adequada e produtiva
do cliente. Realizar treinamentos periódicos com os fun-
possível. As perguntas, por exemplo, devem ser formula-
cionários, levando em conta esses indicadores, também
das de maneira objetiva e serem de fácil entendimento,
estimula o desenvolvimento profissional, motivando-os
para que as respostas sejam claras e completas. Também
para alcançar a excelência no atendimento.
>
238
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Consolidação de cultura
de atendimento
Marília Parada
www.institutopaodeacucar.org.br
Elaborado em: 4/11/2002
Nome:
Website da empresa:
O Grupo Pão de Açúcar busca consolidar uma imagem de
ao caixa também foi uma diretriz importante do projeto.
empresa que tem o cliente como foco principal de seu fun-
Seu objetivo foi conscientizar os funcionários sobre a impor-
cionamento. Assim, elaborou um projeto para que suas prá-
tância e as vantagens de desenvolverem o trabalho no caixa
ticas, voltadas à garantia da qualidade no atendimento, ga-
de forma padronizada. Promoveu ainda o desenvolvimento
nhassem maior visibilidade. Em 1997, este programa foi co-
de habilidades básicas e o aprendizado de conteúdo técni-
locado em prática, abrangendo todas as empresas da rede.
co, que garantiram o cumprimento do modelo adotado.
Uma das principais etapas do projeto foi a pesquisa de
O padrão foi estruturado em dez passos de atendimen-
atendimento, realizada com o objetivo de conhecer as ex-
to, a serem respeitados desde a chegada do cliente na fila
pectativas dos clientes de supermercado quanto ao atendi-
até a sua saída do check out. Todas as operadoras de cai-
mento oferecido pelos funcionários da loja. O levantamen-
xa do Grupo receberam treinamento com duração de qua-
to teve como público-alvo pessoas pertencentes às classes
tro horas e incorporaram práticas que se tornaram diferen-
A, B, C e D, entre 21 e 55 anos, e que realizam pessoalmen-
ciais de atendimento, como perguntar ao cliente se houve
te compras em supermercados ao menos a cada 15 dias.
algum produto que não foi encontrado na loja.
Com isso, o Pão de Açúcar pôde especificar o padrão a ser
Nesse mesmo sentido, a rede empreendeu ações con-
conquistado em sua rede e desenvolver um plano de ação.
forme o perfil de cada uma de suas empresas. Nos super-
Coube à área de Recursos Humanos definir, a partir dos re-
mercados Pão de Açúcar implantou o cartão “Pão de Açú-
sultados da pesquisa, os valores do novo atendimento.
car Mais”, para conhecer os hábitos de compra dos clien-
Outro passo importante do projeto foi a definição e in-
tes e, conseqüentemente, melhor relacionar-se com eles.
corporação de uma cultura de atendimento, construída a
Disponibilizou o serviço de hostess, para oferecer um
partir da premissa de que a personalidade da empresa trans-
atendimento personalizado, e de uma pesquisadora, que
parece na forma como cada funcionário atende o cliente. Tal
auxilia o cliente a realizar uma compra vantajosa. Criou
cultura está estruturada em valores como eficiência, aten-
ainda uma seção especialmente destinada a produtos
ção, agilidade, confiança e cuidados com a higiene.
light, dietéticos e alimentos orgânicos, na qual o cliente
Para que fosse melhor absorvido pelos funcionário da
ainda conta com a orientação de uma nutricionista, e trei-
rede, o conceito transformou-se em peça de teatro. Produ-
nou seus atendentes de pães e de vinhos para que forne-
zida em parceria com a Vteatro, “O açúcar do nosso Pão”
cessem informações específicas acerca destes produtos.
teve texto do dramaturgo Aziz Bajur, criado a partir de ca-
Nos supermercados Barateiro, implantou a “Amiga Ba-
sos reais de atendimento ocorridos em nossas lojas. O
rateiro”, profissional que proporciona um atendimento
elenco foi formado pelos atores Régis Monteiro, Edna Fal-
simples e amigável. Inovou também em relação aos paga-
chetti, Fábio Monteiro e Daniela Tannus. A peça percorreu
mentos, criando um cartão de crédito, o cartão “Clube Ba-
seis capitais (São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Brasília,
rateiro” e permitindo que o pagamento de contas fosse
João pessoa, Curitiba) e também o interior de São Paulo e
efetuado na própria loja. Passou ainda a entregar as com-
a Baixada Santista. Todos os 25 mil funcionários do Grupo
pras em domicílio, por meio do “Expressinho Barateiro”.
assistiram ao espetáculo.
As lojas Extra incorporaram estabelecimentos comer-
O estabelecimento de um padrão de atendimento frente
ciais, postos de gasolina e drogarias. Além disso, passaram
239
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
Grupo Pão de Açúcar
>
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
a contar com um espaço infantil, o “Cantinho da Criança”
Aprendizagens
e um serviço de elaboração de lista de presentes.
A principal condição para o sucesso do programa, é a
empresa ouvir e entender seu cliente, para assim identifi-
Resultados / benefícios gerados
car de que maneira pode melhorar o atendimento confe-
A implantação deste projeto permitiu ao Grupo Pão de
rido. Também foi percebido como imprescindível para a
Açúcar conquistar uma posição de destaque no mercado
elaboração de um programa que case com as necessida-
varejista, passando a ser uma empresa reconhecida pela
des do cliente o levantamento de dados precisos e indica-
excelência em atendimento. Entre os prêmios recebidos
tivos de uma determinada realidade. Tomar como base
pela rede estão o de “Excelência no atendimento” em
pesquisas e índices que apontem comportamentos, de-
2002, “Excelência no relacionamento com a comunidade”
mandas e expectativas, confere maior segurança aos ru-
também em 2002, e o prêmio “Excelência em serviços ao
mos e metas da iniciativa, pois permitem um conhecimen-
cliente”, nos anos 2000 e 2001.
to mais profundo sobre o próprio cliente.
Motivações
Recomendações para a replicação da prática
Este investimento do Grupo Pão de Açúcar foi motiva-
É importante que as principais lideranças da companhia
do principalmente pelo desafio de conquistar a fidelidade
envolvam-se no projeto e contribuam para que a nova cul-
de seus clientes. Em meio a tanta concorrência, oferecer
tura de atendimento seja incorporada por todos os níveis
um atendimento de alta qualidade é um fator decisivo na
hierárquicos. Esta nova cultura deve incluir a criação e im-
hora do consumidor optar por este ou aquele supermerca-
plantação de diferenciais que caracterizem o bom atendi-
do. Assim, a empresa empenhou-se em conhecer seus
mento da empresa.
clientes para, a partir daí, proporcionar serviços diferencia-
Após a instauração das práticas, deve haver um acom-
dos, personalizados e abrangentes, que fossem ao encon-
panhamento contínuo e constante reciclagem de condu-
tro das expectativas que os consumidores têm em relação
tas. Indica-se ainda o estabelecimento de parcerias com
à rede. O Grupo busca, além de satisfazer, antecipar-se à
fornecedores e a consolidação de uma comunicação clara
demanda de seus clientes, para que estes encontrem nas
e transparente, pois é ela quem reflete a imagem da em-
lojas tudo o que esperam, e um pouco mais.
presa frente ao cliente.
>
240
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Maise Fernandes
www.itau.com.br
Elaborado em: 27/9/2002
Nome:
Website da empresa:
O Sistema Itaú de Atendimento a Solicitações e Recla-
tão e acompanhamento das manifestações dos clientes
mações, modelo do gerenciamento de atendimento do
efetuadas pelos canais indicados, avaliando a qualidade e
Banco Itaú, tem como objetivo garantir a plena satisfação
o tempo de atendimento às solicitações, até que o assun-
do cliente em suas reclamações e solicitações, fortalecen-
to esteja resolvido.
do a fidelização do cliente e o estreitamento do seu rela-
O Itaú tem a maior rede própria de caixas eletrônicos e
cionamento com o banco. O sistema envolve, de forma in-
é líder na Internet. Em termos de capital humano, o ban-
tegrada, todos os funcionários de agências, áreas comer-
co tem destinado recursos para o treinamento e desenvol-
ciais especializadas, áreas técnicas e administrativas,
vimento das equipes, além dos programas de recrutamen-
abrangendo todos os serviços de atendimento do Itaú,
to de talentos nas melhores universidades do país e per-
Bemge, Banerj, Banestado e Personnalité.
manentes programas de aprimoramento de seus quadros.
O relacionamento entre o Banco Itaú e seus clientes tem
como base primordial os valores da cultura Itaú, como éti-
Resultados / benefícios gerados
ca, transparência, respeito e confiança, que vêm sendo de-
A política de excelência no atendimento ao cliente trou-
monstrados ao longo do tempo. Ele é também regulado
xe um crescimento, no ano de 2001, no número de clien-
por leis federais, pelo Banco Central e, como em toda a re-
tes ativos na ordem de 16,2%, o que representou cerca de
lação de consumo, pelo Código de Defesa do Consumidor.
1.200.000 novas contas e no aumento do volume de tran-
Para que os clientes possam pedir informações, fazer
sações via Bankline em 41%. No final do ano, 75,5% das
sugestões, reclamações e comentários, o banco disponibi-
transações de clientes eram efetuadas através de canais de
liza canais de atendimento via telefone e via Internet no
auto-atendimento.
site do banco por meio do link “Fale Conosco”. Oferece
Com a certificação ISO 9002 de vários produtos e servi-
também um Serviço de Atendimento ao Cliente que pos-
ços, o Banco Itaú tornou contínuo o processo de aprimo-
sibilita relacionamento exclusivo com as entidades de de-
ramento em busca da constante melhoria no atendimen-
fesa do consumidor, áreas de atendimento aos clientes do
to. O cliente teve à sua disposição, além da rede de agên-
Banco Central e à imprensa nas questões relacionadas às
cias e centrais de atendimento, toda a tecnologia do auto-
colunas de defesa do consumidor. Esses canais passam por
atendimento, um novo portal na Internet, estruturas de
constantes atualizações e inovações, proporcionando um
atendimento especializado em segmentos, além de alian-
atendimento pessoal e diferenciado.
ças estratégicas com empresas, que trouxeram facilidades
A prática de atendimento, ao ter como foco principal o
e benefícios para os clientes. O banco consolidou-se como
cliente, visa não apenas atender a todas as suas necessida-
uma empresa comprometida com a transparência no rela-
des, mas superar suas expectativas. Para alcançar essa
cionamento e com o respeito aos direitos dos seus clientes.
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
Banco Itaú S.A.
Sistema Itaú
de atendimento
a solicitações
meta, investe no comprometimento e na capacitação das
equipes de todos os níveis hierárquicos da organização, e
Motivações
no contínuo aprimoramento dos produtos, serviços, pro-
A proteção aos direitos do consumidor é de relevante
cessos e comunicação.
importância no mundo moderno. Traz como implicação di-
Além disso, o Itaú possui um sistema que permite a ges-
reta a necessidade sistemática em saber lidar com clientes
241
>
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
cada vez mais exigentes, com acesso a uma imensa diver-
de esgotar todas as tentativas de solução de eventuais pro-
sidade de produtos e serviços similares, dispostos a exercer
blema e de evitar possíveis recursos junto a órgãos exter-
seu direito de escolha e a reclamar em caso de problemas
nos de defesa dos consumidores e de fiscalização. O desa-
nas relações de consumo.
fio do Itaú é ser o melhor banco para os seus clientes, o
A busca da melhoria contínua no atendimento e na
que significa investir continuamente em tecnologia e apri-
prestação de serviços, a postura de transparência no rela-
moramento profissional.
cionamento e de respeito aos direitos dos clientes são firmes compromissos da empresa, refletidos na atitude diária
Recomendações para a replicação da prática
de todas as equipes do banco.
Os órgãos gestores dos produtos representam a grande
maioria das demandas dos clientes aos serviços de atendi-
Aprendizagens
mento. Dessa forma, é de sua responsabilidade proceder
Contrapondo-se à tendência de os clientes, na maioria
constantemente, um exame cuidadoso das necessidades
das vezes, não manifestarem suas insatisfações, deixando
de aprimoramento de seus produtos e serviços. Tal avalia-
simplesmente de usar o serviço ou o próprio banco, o Itaú
ção deve ter por parâmetros as informações sobre as recla-
tem total interesse em que o cliente resolva seus proble-
mações, sugestões e dúvidas encaminhadas, priorizando o
mas, preferencialmente na própria agência ou, nessa im-
atendimento às necessidades dos clientes e adotando me-
possibilidade, por meio dos canais diretos disponibilizados.
didas que solucionem definitivamente as questões. O en-
A utilização desses canais, principalmente quando relacio-
volvimento com outras áreas parceiras é componente fun-
nada a ocorrências que levaram à sua insatisfação, assegu-
damental no processo de articulação desenvolvido pelos
ra ao banco a oportunidade de reconquistar a confiança,
órgãos gestores de produtos.
>
242
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Serviço de Atendimento
ao Cliente (SAC)
Fernanda Lú ?cia Cara
(11) 3371-7801
Website da empresa: www.bancovotorantim.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Telefone:
O relacionamento existente entre a BV Financeira e seus
clientes são firmes compromissos da empresa, refletidos
clientes está pautado em valores, como transparência, éti-
na atitude diária de todas as equipes da BV Financeira.
ca, respeito e credibilidade. A empresa busca estreitar o relacionamento com os clientes disponibilizando facilidade
Aprendizagens
de contato por meio de canais de atendimento por telefo-
Um dos grandes desafios é acompanhar a velocidade de
ne ou Internet. Os clientes podem realizar consultas sobre
crescimento apresentado pela BV Financeira nesses últimos
produtos e procedimentos ou contribuir com sugestões e
anos. Em seis meses, a empresa teve sua capacidade de
reclamações.
atendimento aumentada em mais de 50%. Para isso, a
Um dos diferenciais no atendimento refere-se ao trata-
contratação e a formação de novos talentos foram essen-
mento às reclamações. A BV Financeira tem total interesse
ciais para a composição da equipe, sempre tendo em vista
em atender às demandas de seus clientes, o que assegura
o perfil adequado dos profissionais, a capacitação em téc-
à empresa a oportunidade de rever procedimentos inter-
nicas de negociação, o script objetivo e uma política de re-
nos e implementar melhorias contínuas no atendimento a
muneração, incluindo a premiação voltada para resultados.
fim de conquistar a confiança e a satisfação dos clientes.
A BV também centrou esforços em inovações e na rea-
Para assegurar a qualidade nos serviços prestados, a BV
valiação das soluções implementadas visando o aumento
dispõe de ambiente de trabalho adequado, colaboradores
da produtividade sem perda na qualidade do atendimen-
motivados e treinados. A garantia de qualidade é repre-
to. Com base nesse propósito, trabalhou na monitoração
sentada por um conjunto de ações planejadas, entre elas
das ligações e na correção de eventuais desvios por meio
treinamento, campanhas motivacionais e monitoria do
de feedbacks periódicos.
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
Grupo Votorantim
atendimento.
A monitoração é diária e os feedbacks são realizados
Recomendações para a replicação da prática
pelos supervisores e líderes periodicamente com o objetivo
A implementação de uma operação de call center exige
de acompanhar a performance de cada funcionário. Den-
o aperfeiçoamento constante tendo em vista a dinâmica
tre os itens que são avaliados em monitoração, busca-se
da empresa. O foco principal de uma central de atendi-
identificar a visão do cliente e suas necessidades, respei-
mento é o relacionamento e a fidelização dos clientes. A
tando sempre suas particularidades.
BV Financeira acredita que os fatores críticos de sucesso
para alcançar esses objetivos sejam a definição de metas,
Resultados / benefícios gerados
o estabelecimento dos processos e das interfaces com de-
Ao conhecer as demandas do consumo é possível rea-
partamentos internos da empresa, a especificação da in-
valiar as políticas existentes. Dessa forma, esse quesito per-
fra-estrutura do ambiente, a estrutura de telefonia e de
mite estreitar constantemente o relacionamento com os
sistemas, o controle por meio de informações gerenciais
clientes.
precisas, o script simples e de fácil consulta, a seleção e capacitação de profissionais, uma política de remunera-
Motivações
ção/premiação e o acompanhamento por meio de monito-
A postura transparente e de respeito aos direitos dos
rações e feedbacks.
243
>
>
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
Padaria Pão & Pão
Contato
A busca da excelência
no Atendimento
Nome: Sandra
Elaborado em:
Melo Thebich
20/7/2003
O gerenciamento de atendimento da Padaria Pão & Pão
A panificadora consolidou-se como uma empresa com-
tem como objetivo garantir a plena satisfação do cliente em
prometida com a transparência no relacionamento e princi-
suas expectativas, reclamações e solicitações, fortalecendo a
palmente, com a qualidade e diversificação de produtos,
fidelização do cliente e o estreitamento do relacionamento.
bem como com o respeito aos seus clientes.
O sistema envolve, de forma integrada, todos os empregados. O relacionamento entre a empresa e seus clientes tem
Motivações
como base primordial valores como ética, transparência, res-
A proteção aos direitos do consumidor é de relevante im-
peito, confiança, compromisso com a saúde e a qualidade
portância no mundo moderno. Traz como implicação dire-
dos produtos e da marca, que vêm sendo demonstrados ao
ta a necessidade sistemática em saber lidar com clientes
longo do tempo.
cada vez mais exigentes, com acesso a uma imensa diver-
Para que os clientes possam pedir informações, fazer su-
sidade de produtos e serviços similares. A busca da melho-
gestões, reclamações e comentários, a empresa disponibiliza
ria contínua no atendimento e na prestação de serviços, a
canais de atendimento via telefone através de um Telemar-
postura de transparência no relacionamento e de respeito
keting Ativo. Oferece também um Serviço de Atendimento
aos anseios dos clientes são firmes compromissos da em-
ao Cliente que possibilita relacionamento exclusivo e cons-
presa, refletidos na atitude diária de toda a equipe da pa-
tantes atualizações e inovações, proporcionando um atendi-
nificadora.
mento pessoal e diferenciado.
A degustação dos produtos fabricados pela panificadora
Aprendizagens
é estimulada no dia-a-dia pois permite identificar as prefe-
A utilização dos canais de atendimento assegura à pa-
rências de cada cliente e obter sua avaliação a respeito dos
nificadora a oportunidade de conquistar e, quando for o
produtos (já existentes e novas criações) e do atendimento.
caso, reconquistar a confiança do cliente, esgotando todas
Dispõe de mailing da clientela e costuma enviar unidades in-
as tentativas de solução de eventuais problemas e de evi-
teiras de produtos preferidos por certos clientes, para degus-
tar possíveis dissabores e perda de imagem.
tação e avaliação.
A prática de atendimento, com foco principal no cliente,
Recomendações para a replicação da prática
visa não apenas atender a todas as suas necessidades, mas
É responsabilidade da empresa, uma vez implantada a
superar suas expectativas. Para alcançar essa meta, investe-
prática de excelência do atendimento, efetivar a grande
se no comprometimento e na capacitação das equipes e no
maioria das demandas dos clientes, fazendo constante-
contínuo aprimoramento dos produtos, serviços, processos e
mente um exame cuidadoso das necessidades de aprimo-
comunicação.
ramento de seus produtos e serviços. Tal avaliação deve ter
por parâmetros as informações sobre as reclamações, su-
Resultados / benefícios gerados
gestões e dúvidas encaminhadas, priorizando o atendi-
A fidelização dos clientes é o benefício imediato que se
mento às necessidades dos clientes e adotando medidas
obtém com a aplicação da prática.
que solucionem definitivamente as questões.
244
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Élcio Eduardo de Paula Santana
www.abctaxiaereo.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A aviação executiva visa atender ao cliente com a máxi-
Resultados / benefícios gerados
ma qualidade, evitando impactos negativos de possíveis
Todos os stakeholders foram beneficiados com o
contratempos na execução dos serviços. Para isso, a ABC
atendimento dos pedidos. A empresa passou a conhecer o
Táxi Aéreo realiza treinamentos e reuniões periódicas para
que não satisfazia o cliente e a ter condições de atuar di-
avaliação do serviço oferecido, procurando extirpar falhas
retamente sobre os problemas de forma a oferecer um ser-
no processo. Tais práticas são realizadas em Uberlândia e
viço melhor. Como resultado, obteve um aumento nos pe-
em Belo Horizonte, ambas no estado de Minas Gerais, en-
didos e requisições de serviço, ultrapassando os recordes
volvendo todos os associados da empresa.
de solicitações anteriores.
A principal parceira nos treinamentos é a Unialgar, universidade corporativa do Grupo Algar, do qual a ABC Táxi
Motivações
Aéreo faz parte. A Unialgar seleciona os cursos a serem re-
A sobrevivência da empresa e a conseqüente manuten-
passados para a empresa e faz o monitoramento em ava-
ção do emprego são motivações para que os funcionários
liações de desempenho periódicas. Os cursos são de aten-
pratiquem a excelência no atendimento. Fatores como be-
dimento ao cliente, gerenciamento de oportunidades, te-
nefícios e remuneração variável de acordo com o resulta-
leconferência, ferramentas de gestão de responsabilidade
do dos negócios também são formas de incentivo.
social e gestão de processos. Todos os funcionários da empresa participam dos treinamentos.
Aprendizagens
Para corrigir as falhas apontadas pelo atendimento, a em-
O fator determinante para o sucesso da prática está re-
presa realiza uma reunião com seus funcionários, verifica a
lacionado aos valores da empresa de atender com segu-
causa do problema e a direciona para ser tratada pela área em
rança, a despeito da situação. Contudo, faz-se necessário
questão. A avaliação da eficácia em resolver os problemas é
um acompanhamento dos executantes das funções, para
de responsabilidade do coordenador da área, que verifica se
que qualquer desvio possa ser corrigido.
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
Algar
Treinamentos
para a qualidade
no atendimento
existe recorrência do problema ou reclamação. Os resultados
da prática são calculados por meio da tabulação dos dados
Recomendações para a replicação da prática
obtidos no formulário preenchido pelo cliente ao término da
É importante expor claramente os objetivos e metas da
prestação do serviço. Em caso de fretamento, a disponibiliza-
empresa para o quadro de funcionários, e difundir o valor
ção é feita durante o vôo. A divulgação dos formulários é fei-
da excelência no atendimento por meio dos vários canais
ta por meio de folders, revistas e da assessoria de imprensa.
de comunicação. As atividades dos funcionários devem ser
Os departamentos de marketing, talentos humanos, financei-
observadas, exercendo-se a liderança educativa se verifica-
ro, a coordenação comercial, a de manutenção e operações e
do algum comportamento que não se adapte à proposta
a superintendência estão envolvidos no processo.
da prática.
>
245
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
AGCO Corporation
Convenção com
Concessionários e
Distribuidores
Contato
Ernani Leonel Oliveira
www.massey.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A AGCO do Brasil, empresa de equipamentos agrícolas
Aprendizagens
sediada em Canoas (RS), realiza anualmente convenções
Para o sucesso da prática, a empresa deve definir a
que são programadas para atender a rede concessionária
data, o momento e o local adequado para a realização da
e distribuidores, tendo como objetivos apresentar os resul-
convenção assim como o programa e a pauta a ser apre-
tados alcançados no ano anterior, projetar o ano corrente
sentada:
e os próximos com base em cenários internos e externos,
✓ planejar tudo detalhadamente, eliminando ao máximo
apresentar ações implementadas, lançar novos produtos,
informar alterações técnicas realizadas em produtos de sé-
incertezas e falhas;
rie e fornecer uma visão da AGCO no Brasil e no mundo.
As convenções são promovidas em praias, serras e cidades
✓ formar equipe de trabalho com reuniões freqüentes, es-
turísticas, envolvendo de forma integrada os funcionários
colher com critério os fornecedores e assegurar que os
de toda a empresa e priorizando a participação daqueles
mesmos tenham estrutura e capacidade de prover com
que têm envolvimento direto com a rede de concessioná-
qualidade os serviços contratados;
rias e distribuidores. O relacionamento entre a AGCO, rede
concessionária e distribuidores tem como foco atender às
✓ verificar com antecedência se os locais do evento ofere-
necessidades de maneira ética, transparente, com respeito
cem a infra-estrutura e o conforto necessários para o
e confiança.
tempo de cada atividade;
✓ e dividir as tarefas de planejamento entre os componen-
Resultados / benefícios gerados
A convenção permite uma maior aproximação entre a
tes do grupo, eliminando os níveis hierárquicos.
rede e a fábrica, cria um clima favorável ao desenvolvimento das práticas e dissemina uma visão uniforme de políti-
Recomendações para a replicação da prática
cas, filosofias e projetos futuros da empresa.
Ter um diagnóstico do nível de relacionamento com sua
rede de distribuidores, e definir bem os objetivos e neces-
Motivações
sidades para planejar uma convenção; criar um check list
A AGCO acredita que deva existir um envolvimento
mais detalhado possível com as ações, responsabilidade e
com a rede de concessionárias. As convenções são motiva-
custos de cada item; montar equipe multidepartamental
das pela necessidade constante do nivelamento de infor-
com responsabilidades e comprometimento e assegurar
mações entre os concessionários, buscando a realização
que os prestadores de serviço garantam qualidade e cus-
dos objetivos comuns.
tos adequados.
>
246
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Programa de
Gestão Pós-Venda
Nome:
Arli Silva
www.massey.com.br
20/10/2003
Website da empresa:
Elaborado em:
A AGCO do Brasil, empresa fabricante e distribuidora de
processo de pós-venda, a concessionária recebe, como in-
equipamentos agrícolas, desenvolveu junto às suas conces-
centivo, uma premiação de acordo com a certificação ob-
sionárias o programa de Gestão de Pós-Venda. O programa
tida. Na classificação Ouro, o prêmio é de 20% de acrés-
foi desenvolvido e estruturado em parceria com a Rede de
cimo no valor da mão-de-obra aplicada em garantia, 2%
Concessionárias e contou com o apoio da Escola Superior
de desconto na compra de peças de reposição, certificado
de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq–USP), que auxiliou na
e troféu. Na Prata, 10% de acréscimo no valor da mão-de-
pesquisa das principais diferenças entre as concessionárias
obra aplicada em garantia e certificado. Na Bronze, a con-
de vários mercados (caminhões, automóveis e máquinas
cessionária recebe um certificado.
agrícolas). Foram também pesquisados programas similares
O prazo de validade da certificação é de 12 meses e a
aplicados pelas montadoras no Brasil e no exterior.
concessionária está sujeita a uma revisão. Se, na avaliação
Ao apresentar problemas, o equipamento parado causa
seguinte, a concessionária baixar sua pontuação, será tam-
atrasos na implantação e manejo da cultura agrícola, tra-
bém rebaixada de categoria. A avaliação é feita por dois
zendo queda na produtividade e prejuízos ao usuário do
representantes da AGCO do Brasil, utilizando o Manual de
produto. É necessário reduzir erros, eliminar as causas de
Gestão de Serviço. Caso a concessionária não obtenha a
insatisfação e aprimorar a imagem dos produtos.
classificação pretendida, uma nova avaliação poderá ser
Em 2002, o programa de Gestão de Pós-Venda foi im-
efetuada no prazo de 120 dias.
plementado na Rede de Concessionárias da empresa, baseado no Manual de Avaliação do Programa de Gestão de
Resultados / benefícios gerados
Pós-Venda e focado na fidelização e satisfação dos clien-
De um total de 103 concessionárias, 63 aderiram ao pro-
tes. A concessionária tem seus departamentos de serviço e
grama. Dessas, 22 obtiveram classificação Ouro, 9 Prata, 16
peças avaliados, obtendo certificação de acordo com a
Bronze e 16 não atingiram a pontuação mínima. Desde sua
pontuação obtida. Vários itens são analisados, como pro-
implantação, em 2002, 12 concessionárias que obtiveram
porção de mecânicos em relação ao volume de máquinas
inicialmente classificação Prata passaram para Ouro na rea-
vendidas na região; grau de treinamento técnico da equi-
valiação e 8 que não haviam atingido a pontuação mínima
pe; nível dos treinamentos de operação e manutenção mi-
foram reclassificadas como Prata ou Bronze.
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
AGCO Corporation
nistrados para clientes; padronização, organização e limpeza das instalações e disponibilidade de peças.
Motivações
Se obtiver mínimo de 900 de um total de mil pontos, re-
Na indústria de máquinas e implementos agrícolas, assim
cebe a classificação Concessionária Ouro em Gestão de
como no setor automobilístico, o relacionamento entre o fa-
Pós-Venda; entre 750 e 899 pontos, Concessionária Prata
bricante e os clientes ocorre por meio de um terceiro compo-
em Gestão de Pós-Venda; no mínimo 600 pontos, Conces-
nente: o concessionário, responsável pela venda e assistência
sionária Bronze em Gestão de Pós-Venda. Um plano espe-
técnica do produto. A manutenção dos clientes e a conquis-
cial de ação é implementado nas concessionárias que não
ta de novas fatias de mercado dependem diretamente da
atingem pontuação mínima.
qualidade de atendimento da concessionária, principalmen-
Além dos benefícios gerados pela padronização do seu
te no que se refere à assistência técnica. A prestação de ser-
247
>
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
viços técnicos mantém as concessionárias e agrega valor ao
O grande desafio foi trabalhar com a diversidade de cul-
processo de relacionamento com os clientes.
tura de cada região brasileira, assegurando igualdade de
O diálogo e a transparência são fundamentais para que
tratamento, comunicação aberta e oportunidade de cres-
se estabeleça uma relação de confiança entre empresa,
cimento oferecidas para toda rede de concessionárias. Essa
rede concessionária e clientes. A necessidade de otimiza-
postura causou impacto na redução de erros, na elimina-
ção dos custos e a prevenção de danos, aumento da con-
ção de quedas na produtividade e na qualidade de atendi-
fiabilidade no produto e qualidade de atendimento à assis-
mento, possibilitando a todos que se relacionam com a
tência técnica da concessionária também foram fatores
empresa e com a rede concessionária um tratamento de
motivacionais relevantes.
alta qualidade.
Aprendizagens
Recomendações para a replicação da prática
O sucesso do programa foi concretizado pelo compromis-
Os fatores mais importantes para o sucesso da prática
so e responsabilidade dos funcionários da AGCO e conces-
foram o envolvimento da Rede de Concessionárias na es-
sionárias, com apoio da Esalq–USP, que permitiu alinhamen-
truturação do projeto e a determinação de um responsá-
to e respeito aos valores, políticas e normas da empresa.
vel pela difusão do programa.
>
248
!Consumidores/Clientes ::
Contato
SAU – Sistema de
Auxílio aos Usuários
Carlos Costa
www.autoban.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A AutoBAn é uma empresa do grupo CCR – Compa-
gir eventuais falhas ou danos. A empresa possui terminais
nhia de Concessões Rodoviárias, maior grupo privado do
de atendimento telefônico, softwares específicos da área e
Brasil a atuar no setor de concessões rodoviárias. Desde
Sistema de Controle Operacional (SCO), equipamento gra-
maio de 1998, a AutoBAn administra o Sistema Anhan-
vador dos atendimentos, Sistema de Telefonia de Emer-
güera-Bandeirantes, com 316 km formados pelas rodovias
gência – STE (call box), website e software para gerencia-
SP-330 (Via Anhangüera) e SP-348 (Rodovia dos Bandei-
mento de correspondências.
rantes), ambas de São Paulo a Cordeirópolis, além da SP-
A missão da Ouvidoria é atender aos usuários com éti-
300 (Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto) e SP-
ca e respeito, analisar manifestações, promover ações pre-
102/330 (Rodovia Adalberto Panzan), nos trechos de inter-
ventivas e corretivas, avaliar o atendimento, prevenir e me-
ligação entre a Anhangüera e a Bandeirantes. Nesses cin-
diar conflitos, promover a valorização do cidadão usuário
co anos de atuação, a concessionária desenvolveu e colo-
e contribuir para a prática da melhoria contínua dos servi-
cou em prática diversas ferramentas para atendimento a
ços prestados. Como agente de mudanças, o trabalho da
seus usuários.
Ouvidoria prima pela ética e pela transparência. É seu pa-
O SAU – Sistema de Auxílio ao Usuário – funciona 24
pel informar o cliente e usuário sobre o andamento dos
horas e tem como objetivos receber reclamações, investi-
processos, assim como os motivos da decisão final, princi-
gar denúncias, apresentar sugestões de mudanças, ouvir e
palmente quando a resposta é diferente da esperada.
encaminhar sugestões, atender às solicitações e prestar as
Como instrumentos de defesa dos direitos dos usuários
informações necessárias. O envolvimento interno de toda
cidadãos, facilitando a relação entre as partes, o Disque
a empresa, principalmente de sua direção e de todos
AutoBAn e a Ouvidoria inovaram as relações entre os
aqueles que têm contato direto com os usuários, como as
usuários e as empresas responsáveis pela administração de
equipes de pedágio e do atendimento, é fundamental
rodovias. O contato é facilitado pela empresa, que dispo-
para construir soluções coletivas para atender ao que está
nibiliza o acesso por carta, e-mail, telefone ou pessoal-
sendo reclamado ou sugerido.
mente. A AutoBAn atribui ao cidadão a responsabilidade
A AutoBAn disponibiliza também os serviços Disque
de atuar junto aos gestores do negócio, tornando-o aliado
AutoBAn e Ouvidoria, canais de comunicação que permi-
e transformando o olhar crítico desse cidadão em instru-
tem aos usuários, clientes, parceiros e moradores da área
mento de gestão.
de influência do Sistema Anhangüera-Bandeirantes terem
Os principais beneficiários do atendimento do Disque
as demandas respondidas, os problemas solucionados e as
AutoBAn e da Ouvidoria são os usuários dos mais de 90
informações prestadas com rapidez, eficiência e responsa-
milhões de veículos que circulam anualmente pelas rodo-
bilidade. Funcionam como termômetros que medem o ní-
vias do Sistema Anhangüera-Bandeirantes e as populações
vel de satisfação em relação aos processos e à qualidade
de 19 municípios. Como principais parceiros, destacam-se
do atendimento e do serviço prestado.
a Polícia Militar Rodoviária, responsável pela fiscalização e
O Disque AutoBAn funciona 24 horas ininterruptamen-
policiamento das rodovias e as empresas contratadas para
te e revelou-se instrumento eficaz para orientar a empresa
a execução das obras e da conservação.
na correção de rumos e procedimentos, permitindo corri-
A divulgação desses canais de atendimento segue a
249
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
CCR – Companhia de
Concessões Rodoviárias
>
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
prática de transparência corporativa da empresa. Os meios
gítimas, ponderadas, criticadas e até contestadas. A trans-
de comunicação incluem a Revista AutoBAn Notícias (300
parência impõe que as informações ou andamento dos
mil exemplares de circulação bimestral), folhetos, mensa-
processos devem ser de conhecimento público, desde que
gens nos Painéis de Mensagens Variáveis instalados nas ro-
não violem a privacidade dos envolvidos no processo ou
dovias, adesivos, faixas e mídia espontânea (releases). Para
coloquem em risco sua segurança.
o desenvolvimento da prática, a concessionária investe,
anualmente, cerca de R$ 1,1 milhão, dos quais R$ 530 mil
Aprendizagens
são destinados ao Disque AutoBAn, e R$ 517 mil para a
A transparência no processo e o compromisso com a
Ouvidoria.
verdade determinaram o sucesso da prática. Para melhorar
a qualidade dos serviços, foi necessário diminuir os prazos
Resultados / benefícios gerados
de resposta, adequando-os às necessidades dos usuários.
Desde maio de 1998, início da concessão, foram realiza-
A Ouvidoria e o Disque AutoBAn estão desenvolvendo es-
dos 972.500 atendimentos pelo Disque AutoBAn. A proje-
tudos para diminuir o atual tempo de resposta às questões
ção para 2003 é atender mais de 252 mil usuários. A Ouvi-
dos usuários.
doria, desde maio de 98, atendeu mais de 32 mil clientes e
usuários. O maior benefício para a empresa é a confiabili-
Recomendações para a replicação da prática
dade que a AutoBAn adquire perante seus usuários.
O respeito ao direito à segurança e à informação é o
principal objetivo que a empresa deve ter ao implementar
Motivações
um serviço de atendimento aos usuários. Para isso ouvidor
Motivada pela percepção de que, mais que cliente, o
e ombudsman precisam ter autonomia, reportando-se di-
usuário das rodovias sob sua administração é um parceiro,
retamente à alta direção da empresa. Outros fatores im-
a AutoBAn implantou os serviços com a ótica de empresa
portantes são: estabelecer mecanismos e práticas para a
comprometida com princípios éticos e sociais. Esta é a es-
correção de eventuais problemas; ter como meta a melho-
sência do conceito de transparência que permeia a empre-
ria contínua, estabelecendo indicadores de performance;
sa: justificar suas ações e levar essas justificações ao co-
reciclar e treinar permanentemente os recursos humanos
nhecimento público, para que possam ser consideradas le-
envolvidos na prática.
>
250
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Atendimento
24 horas Comgás
Plínio J. Cintra Pereira
www.comgas.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A Comgás (Companhia de Gás de São Paulo), maior
gás para solicitações efetuadas via site ou e-mail é forne-
distribuidora de gás canalizado no Brasil, disponibiliza,
cer uma resposta em até 24 horas.
desde 2001, serviço de atendimento ao cliente 24 horas
A política de melhoria constante da qualidade no aten-
por dia. O atendimento telefônico é efetuado por meio do
dimento busca adequar o perfil dos atendentes, monitorar
Call Center Comgás 24 horas ou da Ouvidoria, e o eletrô-
as ligações recebidas, realizar um criterioso processo de se-
nico feito por meio do site da Comgás ou pelo e-mail con-
leção e investir em treinamento. Além da prontidão no
[email protected]
atendimento, a Comgás ouve as demandas e expectativas
O atendimento ao consumidor Comgás é realizado por
do consumidor – desde a criação de novos serviços até a
funcionários de empresa terceirizada de serviços em tele-
distribuição dos produtos. Nos casos de atendimento
marketing, treinados, capacitados e formados pela Com-
emergencial, o serviço é realizado em até uma hora, e, nos
gás. O Call Center conta com 118 atendentes aptos a for-
casos de falta de gás, um colaborador chega até a residên-
necer informações sobre serviços, tarifas e atividades da
cia ou unidade comercial em até quatro horas.
empresa. Além disso, são capacitados para responder
questões técnicas tais como os usos e aplicações do gás
Resultados / benefícios gerados
natural, normas técnicas e solicitações para análise de con-
Pesquisa realizada em 2002 pelo Ibope, a pedido do ór-
sumo elevado.
gão regulador CSPE (Comissão de Serviços Públicos de
A Ouvidoria, criada em 1999, é um canal exclusivo para
Energia), mostra que o grau de satisfação dos consumido-
recebimento de reclamações, sugestões e elogios referen-
res é de 87%. Com 40 mil chamadas por mês, o serviço de
tes à prestação de serviços, desempenho e atuação da em-
atendimento ao consumidor da Comgás conquistou a cre-
presa. Esse canal visa o atendimento de demandas que
dibilidade do cliente. Na central de atendimento da Com-
não foram solucionadas de maneira satisfatória pelo Call
gás, 95% dos consumidores que entram em contato têm
Center Comgás 24 horas. A criação da Ouvidoria é parte
atendimento em até 10 segundos. Esse número coloca a
de uma política de defesa do consumidor para que a em-
Comgás fora das estatísticas do Instituto Brasileiro de Re-
presa possa adequar-se às demandas de seus clientes, ofe-
lações com o Cliente (IBRC), segundo o qual a demora no
recendo serviços de qualidade e consolidando o diálogo
atendimento desagrada 99% dos clientes entrevistados.
entre as partes.
Os atendentes do Call Center Comgás 24 horas são reco-
Todos os departamentos envolvidos com o atendimen-
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
Comgás
nhecidos, incentivados e premiados por desempenho ou
to ao cliente e consumidor possuem a ferramenta CRM-
meta alcançada durante o mês.
Vantive, um sistema corporativo de dados e de relacionamento. Implantado na Comgás em 2001, o CRM-Vantive
Motivações
centraliza todas as informações dos consumidores. Entre
O foco da Central de Atendimento 24 Horas da Com-
os dados armazenados estão informações do imóvel, da-
gás é o consumidor, com ênfase na resolução do problema
dos técnicos do local da instalação do gás, equipamentos
e não apenas no recebimento das ligações, visando melho-
utilizados, condições do fornecimento e também os últi-
rar ainda mais o serviço prestado e garantir a preservação
mos contatos e pedidos do cliente. A meta interna Com-
dos direitos dos clientes. Por ser uma prestadora de servi-
251
>
Dimensão Social do Consumo ! Excelência no Atendimento ::
!Consumidores/Clientes ::
ços públicos, a Comgás entende a importância de estabe-
rar seus serviços, corrigir possíveis erros, melhorar o treina-
lecer um bom relacionamento com seus clientes e mantêm
mento de seus empregados e desenvolver soluções para os
diversas ações nesse sentido. Pensando nisso, acompanha
consumidores.
os serviços prestados pelos contratados exigindo a mesma
qualidade e eficiência dos executados pela Comgás. Para
Recomendações para a replicação da prática
atender de maneira satisfatória às expectativas dos clien-
Um produto ou serviço de qualidade é aquele que atende
tes, a Comgás procura oferecer serviços com eficiência e
perfeitamente, de forma confiável, acessível, segura e no
qualidade.
tempo certo, às necessidades do cliente. A qualidade final
dos serviços e produtos é uma conseqüência do esforço con-
Aprendizagens
junto de todas as áreas da empresa. Todos precisam saber, a
Ao ouvir atentamente o que o cliente tem a dizer, a
todo o momento, o que fazer e como fazer, com informa-
Comgás encontrou uma oportunidade valiosa de aprimo-
ções objetivas e imediatas sobre o seu desempenho.
>
252
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Álvaro Dantas Neto
www.redeonline.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
Na construção de novos alimentadores de energia elé-
Resultados / benefícios gerados
trica de 13,8 kV, a Cemat optou pela utilização de condu-
As pesquisas e o projeto piloto permitiram analisar de-
tores de alumínio protegidos, em substituição aos condu-
talhadamente, junto com os fornecedores, as condições
tores nus usualmente aplicados. A utilização, em situa-
de funcionamento do novo padrão de rede, para alimen-
ções especiais, desse novo padrão de rede de distribuição,
tadores de 13,8 KV, sob os seguintes aspectos: perdas elé-
denominada Rede Protegida ou Rede Compacta, possibi-
tricas, custos de manutenção, impactos sociais e ambien-
lita a redução dos danos potenciais relacionados ao pro-
tais, segurança e confiabilidade.
duto energia elétrica.
Os resultados obtidos demonstraram que a Rede Prote-
A Rede Protegida evita a ocorrência de curto-circuitos
gida apresenta diversas características favoráveis em rela-
fase-fase ou fase-terra decorrentes, por exemplo, do con-
ção à rede tradicional: é ambientalmente amigável, per-
tato dos condutores com árvores ou resultantes do lança-
mite convivência pacífica com a arborização, aumenta a
mento de objetos estranhos sobre eles. A eliminação dos
confiabilidade do sistema, diminui os custos de manuten-
curto-circuitos reduz os desligamentos da rede de distri-
ção e operação, possui menor custo de instalação, reduz
buição e representa um ganho importante na segurança
os desligamentos decorrentes de queda de galhos e ven-
dos consumidores e pedestres.
tos, possibilita a utilização de quatro ou mais circuitos na
A nova rede de distribuição foi implantada a partir de
mesma posteação e reduz gastos com a poda de árvores.
um projeto-piloto que visou ampliar o conhecimento dos
O novo tipo de rede tem trazido conseqüências ambien-
materiais usados nesta nova tecnologia e capacitar o pes-
tais positivas. Ele permitiu evitar o corte de palmeiras im-
soal interno e terceirizado para trabalhar em projetos,
periais em uma avenida da cidade de Sorriso (MT) e elimi-
construção e manutenção deste tipo de rede. Essa primei-
nou a ocorrência de morte por choque elétrico do Tuiuiú,
ra experiência foi desenvolvida em parceria com fabrican-
ave símbolo do Pantanal Matogrossense, depois de im-
tes de condutores e acessórios, na construção da Rede
plantado naquela área.
Protegida da subestação Cristo Rei, no município de Várzea Grande, na Grande Cuiabá (MT). A partir de então fo-
Motivações
ram construídos mais seis alimentadores na Grande Cuia-
A principal motivação para a adoção dos novos condu-
bá, além da adequação da saída de 14 alimentadores das
tores foi a necessidade do aumento da confiabilidade no
subestações Barro Duro e Coxipo, na capital do Mato
fornecimento de energia para um mercado cada vez mais
Grosso.
exigente. Para tanto, levou-se em conta a sofisticação das
Atualmente encontram-se em execução obras de ade-
cargas e a dependência do fornecimento contínuo de
quação de 10 novos alimentadores da Subestação Barro
energia em muitos processos produtivos. A necessidade de
Duro. Participam do desenvolvimento e implantação da
otimização dos custos e a prevenção de danos ao meio
Rede Protegida o corpo técnico da Cemat das áreas de
ambiente também foram fatores motivacionais relevantes.
projeto, construção e manutenção de redes de distribuição, além de empresa terceirizada com contrato de cons-
Aprendizagens
trução e manutenção dessas.
O desenvolvimento do projeto-piloto constituiu-se
253
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
Grupo REDE
Novo padrão
de distribuição
de energia elétrica
>
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
!Consumidores/Clientes ::
numa etapa decisiva, consolidando a capacitação do pes-
Recomendações para a replicação da prática
soal interno e externo, por meio da parceria com a empre-
A tecnologia de Rede Protegida ou Rede Compacta
sa detentora de know-how para este tipo de rede. Houve
pode ser eficientemente adotada em todo o setor elétri-
um período inicial em que foi necessário superar dificul-
co. Contudo, sua eficiência é muito maior em áreas de
dades surgidas na execução em campo. Os funcionários
alta densidade de arborização – reduzindo o impacto
da empresa terceirizada tiveram que aprender a manusear
agressivo da poda de árvores –, e nas saídas das Subesta-
novas ferramentas e executar procedimentos específicos
ções, onde há grande concentração de circuitos numa
para esse tipo de rede. A solução adotada foi acompanhar
mesma posteação. Nesta última situação é possível passar
passo a passo a execução das tarefas com técnicos expe-
com segurança até quatro circuitos numa mesma postea-
rientes.
ção sem criar impacto visual negativo.
>
254
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Nome:
Kátia Périco
www.visanet.com.br
4/11/2002
Website da empresa:
Elaborado em:
A Visanet é resultado de uma associação entre grandes
indisponibilidade na rede sejam devidamente informados
bancos brasileiros e a Visa International, criada para admi-
sobre o prazo de resolução do problema.
nistrar a rede de estabelecimentos afiliados à Visa.
Já o Lynx é um sistema antifraude que acompanha os
Preocupada com possíveis fraudes – o maior dano po-
hábitos de consumo dos clientes Visa no Brasil traçando
tencial que os cartões apresentam – a Visanet busca a
um perfil para cada um. Assim, qualquer comportamento
constante melhoria de produtos e processos, desenvolven-
divergente do perfil torna-se um sinal de alerta, a partir do
do novas tecnologias e diversas estratégias para o comba-
qual o Lynx aciona o banco emissor a quem cabe compro-
te ao uso irregular de seus cartões de crédito e débito.
var e validar a compra.
Em apenas cinco anos, a empresa substituiu os antigos
Para garantir um bom atendimento ao consumidor, a
aparelhos de captura manual, que gravavam o número dos
Visanet, que já possuía duas grandes centrais de atendi-
cartões Visa, por terminais eletrônicos, que capturam as
mento, criou em 97 o setor de ombudsman. Com um
transações, minimizando riscos de fraude e agilizando
cliente na sua composição, o órgão assegura o respeito
operações.
aos direitos do consumidor e uma constante avaliação e
Os terminais wireless de captura sem fio, que podem
aprimoramento dos processos internos.
ser levados à mesa do cliente em bares e restaurantes, e o
A Visanet também investiu na reformulação das suas
cartão com chip embutido no lugar da tarja magnética
centrais de atendimento. Estas passaram a identificar de-
também foram desenvolvidos para esse mesmo fim. Além
sejos e necessidades do consumidor, falhas nos processos
de serem totalmente seguros – até hoje não há nenhum
e oportunidades de melhoria ou de lançamento de produ-
registro de clonagem de cartão com chip – possibilitam ao
tos. Seus profissionais têm um amplo conhecimento do
consumidor usufruir de serviços como crédito, débito, fi-
negócio e dos procedimentos necessários em casos de
delidade e afiliação em um único cartão. A Visanet man-
queda em redes, o que lhes permite fornecer informações
tém ainda dois sistemas de monitoramento das transações
com segurança, alertar para suspeitas de fraudes e prestar
efetuadas com os cartões Visa no Brasil: o NCC (Network
prontos-serviços, solucionando problemas com rapidez e
Control Center) e o Lynx.
conveniência. Realiza também um rigoroso treinamento
A função do NCC é monitorar o fluxo de informações
com sua equipe de vendas, capacitando-a para a preven-
desde o momento da compra até o processamento do dé-
ção de riscos e fraudes. Os estabelecimentos filiados tam-
bito ou crédito por parte dos bancos emissores da bandei-
bém recebem orientação, materiais didáticos e participam
ra Visa no Brasil, o que inclui o registro das informações
de Clínicas de Fraudes – cursos de prevenção e combate a
junto à Visa Internacional, nos Estados Unidos. Dessa for-
fraudes.
ma, a Visanet tem o controle de todos os passos das tran-
Outra prática importante é o trabalho junto à concor-
sações e pode identificar rapidamente qualquer irregulari-
rência e aos bancos, transmitindo todas as informações de
dade na comunicação entre as partes. Frente a uma possi-
que a Visanet dispõe a respeito de possíveis fraudes ou
bilidade de fraude, o NCC aciona a área de Tecnologia,
operações duvidosas, para que os cartões de crédito e dé-
para o ajuste imediato da ocorrência, e as Centrais de
bito tornem-se cada vez mais seguros aos consumidores
Atendimento, para que os estabelecimentos atingidos pela
brasileiros.
255
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
Visanet
Segurança no
uso de cartões
de crédito e débito
>
>
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
!Consumidores/Clientes ::
A Visanet é protagonista na discussão sobre o estelio-
duto confiável, prático e de qualidade, que não ofereça
nato e atua junto aos órgãos governamentais responsá-
quaisquer riscos.
veis, colaborando na implementação de políticas públicas
Ao mesmo tempo, utiliza-se da ética e respeito no rela-
de combate a fraudes. Pela legislação em vigor, a fraude
cionamento com clientes, funcionários, acionistas e parcei-
contra cartões é considerada contravenção de estelionato,
ros de negócio, comprometendo-se com fornecedores,
sob pena de multa. Esse é um dos fatores que têm levado
concorrentes e órgãos governamentais, para um atendi-
à alta reincidência dos estelionatários, sendo um tema que
mento diferenciado aos seus clientes.
requer atenção das autoridades e da sociedade.
Aprendizagens
Resultados / benefícios gerados
Nem sempre os danos potenciais dos produtos depen-
A Visanet é líder em seu segmento, realizando mais de
dem apenas de processos internos da empresa. Mesmo as-
50% das transações com cartões de crédito e débito no
sim, é preciso admitir as falhas, encarar a ocorrência de
Brasil. A aceitação de cartões de crédito e débito no Brasil
fraudes e investir em sua prevenção. A interdependência
apresenta vigoroso crescimento. Esse é o principal resulta-
entre as áreas da Visanet possibilitou uma ampla visão dos
do obtido pela empresa e reflete, entre outras práticas, a
fatores envolvidos na operação de um produto, garantindo
preocupação e a pró-atividade em relação aos danos po-
um consumidor integralmente informado e o planejamen-
tenciais de seus produtos e serviços. O consumidor final e
to de cada detalhe do processo.
os estabelecimentos filiados estão cada vez mais seguros
Internamente, o processo exigiu coragem da empresa,
quanto ao uso dos cartões Visa e mais satisfeitos com as
tanto para instituir o ombudsman como para investir no
informações e serviços prestados.
desenvolvimento de novas tecnologias, atitudes que a fize-
Tal empenho valeu à Visanet o prêmio de Excelência em
ram pioneira nesta prática.
Atendimento ao Consumidor, conferido recentemente
Além disso, é imprescindível que a concorrência, os ban-
pela revista Consumidor Moderno. Em 2001, a Visanet já
cos emissores e os órgãos governamentais responsáveis
havia sido premiada com o Top de Qualidade IQ, promovi-
também estejam envolvidos nesse combate.
do pelo Instituto de Estudos e Pesquisa da Qualidade, pela
segurança demonstrada pelo cartão Visa Electron.
Recomendações para a replicação da prática
Além disso, em pesquisa interna acerca da satisfação,
É fundamental à empresa empreendedora manter-se
94% dos funcionários entrevistados dizem buscar conti-
norteada por sua missão e valores. Só assim o esforço de
nuamente melhorias e inovações em seu trabalho. Para
mudança, o investimento financeiro e o trabalho em rede
91% dos entrevistados, a Visanet é altamente orientada
não lhe parecerão desnecessários ou excessivamente zelo-
para o cliente e 90% acham que a relação da empresa com
sos. A melhoria de produtos e processos deve ser contínua.
seus clientes é respaldada por princípios éticos. Assim, um
Também é essencial que a empresa mantenha uma atitude
importante retorno da preocupação da Visanet com os da-
transparente frente aos danos potenciais de seus produtos.
nos potenciais de seus produtos é a motivação, orgulho e
Isso significa pesquisar continuamente, reconhecer e admi-
comprometimento que envolve nosso corpo funcional.
tir os riscos que a utilização ou fabricação dos produtos podem trazer ao consumidor e à sociedade, informando so-
Motivações
bre esses riscos e fazendo todo o possível para anulá-los.
A qualidade dos produtos Visanet está essencialmente li-
É importante compartilhar o controle de riscos, que não
gada à missão da empresa: fazer dos produtos Visa o prin-
deve ser responsabilidade de uma única área, mas um ob-
cipal meio de pagamento da rede credenciada, não só pela
jetivo comum de toda a companhia. Deve-se envolver for-
agilidade, mas também pela segurança no recebimento e
necedores, concorrentes e o próprio governo, na constru-
oportunidade de incremento em suas vendas. Busca garan-
ção de políticas e práticas que garantam a segurança e a
tir a tranqüilidade de seus consumidores diante de um pro-
qualidade dos produtos e serviços oferecidos.
256
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Gilmar Pirovano
www.embraco.com.br
Elaborado em: 20/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Programa Top Verde
A Embraco (Empresa Brasileira de Compressores), pio-
programa também é divulgado em revistas especializadas,
neira no segmento de compressores para refrigeração do-
por mala-direta e por meio de materiais específicos de pro-
méstica (geladeiras, freezers e outros produtos) no Brasil,
moção nos pontos de venda.
implementa o Programa Top Verde, que promove o recolhimento e a destinação final dos compressores que fabri-
Resultados / benefícios gerados
ca, após terem cumprido o seu ciclo de vida.
Decorridos três anos da prática, mais de 500 mil compres-
A retirada desses equipamentos do mercado evita que
sores foram retirados do mercado. Isso representa, aproxima-
eles possam ser recondicionados. O recondicionamento
damente, quatro mil toneladas de “lixo” que estariam libe-
implicaria a continuidade da utilização de gases refrigeran-
rando gás CFC no ambiente sem o devido tratamento.
tes que contêm o CFC (clorofluorcarbono), apontado
como o principal elemento destruidor da camada de ozô-
Motivações
nio na atmosfera. Além disso, a utilização de um compres-
A implantação de uma política de gestão ambiental foi
sor recondicionado leva a um consumo de energia até
o grande motivador para o lançamento do Programa Top
40% superior ao gasto por um novo.
Verde, considerado umas das âncoras do Sistema de Ges-
Implantado em setembro de 2000, o Programa Top Ver-
tão Ambiental da empresa.
de já abrange as regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. São 1.000 pontos de venda, 40.000 técnicos e 25
Aprendizagens
transportadoras responsáveis pela disseminação da práti-
O processo tem como ponto crítico os altos custos de
ca. Após o desmonte e retorno dos compressores à Embra-
logística envolvidos. Porém, com a implementação do con-
co, os componentes são separados, classificados e encami-
ceito de logística reversa e o estabelecimento de parcerias
nhados para reciclagem ou destino final.
com transportadores, foi possível dar sustentabilidade ao
Visando contribuir para a profissionalização e valoriza-
programa. O envolvimento de extensa rede de parceiros,
ção dos técnicos que atuam na manutenção dos equipa-
incluindo clientes (distribuidores e revendedores), refrige-
mentos de refrigeração, geralmente pessoas com baixa es-
ristas (técnicos em manutenção) e empresas transportado-
colaridade e pouco acesso à informação, a Embraco criou
ras (fornecedores) foi fator determinante para o sucesso
a revista Bola Preta. A empresa considerou a orientação
do programa.
necessária, uma vez que esses profissionais podem provocar danos nos produtos ou ao meio ambiente, caso não se-
Recomendações para a replicação da prática
jam não corretamente habilitados.
É importante identificar o ciclo de vida do produto e o
A revista tem periodicidade trimestral e tiragem atual de
fluxo de todo o processo até o destino final. Envolver vários
40.200 exemplares, na versão em português. Desde 1994,
parceiros e manter a comunicação entre as partes envolvi-
a revista tem uma edição em espanhol, com 10 mil exem-
das também é fundamental, tendo sempre em mente que
plares, para atendimento ao mercado latino-americano. O
se trata de relevante contribuição ao meio ambiente.
257
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
Embraco
>
>
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
!Consumidores/Clientes ::
Algar
PPAA – Programa
de Prevenção de
Acidentes Aeronáuticos
Contato
Élcio Eduardo de Paula Santana
www.abctaxiaereo.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
A empresa que trabalha com aviação executiva deve
o Programa de Gestão de Idéias (PGI), implementado em
considerar a segurança seu maior valor e estar a par dos
2002, uma simplificação do PGP para atrair maior partici-
danos potenciais que seus produtos e serviços podem cau-
pação dos funcionários.
sar a usuários e operadores. Nessa área, qualquer variação
Os programas são divulgados para parceiros comerciais
das melhores práticas para a segurança na aviação pode
por meio de palestras realizadas na empresa. Fornecedores
ter conseqüências extremas.
e distribuidores têm acesso ao aperfeiçoamento dos servi-
Visando eliminar a possibilidade de erros, todos os fun-
ços por e-mail, telefone e visitas pessoais.
cionários da ABC Táxi Aéreo recebem treinamentos sistematizados, requeridos ou não pelo órgão regulamentador
Resultados / benefícios gerados
da aviação no Brasil. O programa, denominado PPAA (Pro-
Não há reclamações contra a empresa com relação a
grama de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), é condu-
agressões ao meio ambiente, ferimentos de qualquer es-
zido por um comitê de associados da empresa, sendo três
pécie aos usuários e o número de acidentes com os fun-
associados da área de manutenção, dois de operações, um
cionários decresceu. Também não se observou nenhuma
do controle técnico de manutenção e um do administrati-
queda de aeronave (da própria ABC ou de seus clientes),
vo, nenhum deles executivo.
ou outro problema de alta gravidade em decorrência de
O comitê realiza reuniões quinzenais nas quais discute
erros na operação da ABC Táxi Aéreo.
as necessidades, deveres e obrigações dos associados
quanto a normas e segurança, propagando sua dissemi-
Motivações
nação por toda a empresa e monitorando a utilização
A sobrevivência da empresa em um mercado altamente
dos EPIs (equipamentos de proteção individual) por parte
competitivo e a conseqüente manutenção do emprego são
de cada funcionário.
motivações para que os funcionários conheçam os danos
A ABC Táxi Aéreo realiza estudos e cursos sobre preven-
potenciais de produtos e serviços.
ção de acidentes aeronáuticos na empresa, que são enviaAprendizagens
dos para o Cenipa, órgão do DAC (Departamento de Aviação Civil), para aprovação e posterior repasse aos funcio-
O processo de disseminação de boas práticas fez com
nários. Procurando evitar danos ao meio ambiente, a em-
que os encarregados se preparassem para a tarefa. A
presa destina os resíduos gerados em suas atividades para
transmissão do conhecimento adquirido para os demais
locais apropriados. Essas ações são realizadas em Uberlân-
funcionários gerou um ciclo de aprendizado.
dia e em Belo Horizonte (MG).
Recomendações para a replicação da prática
A empresa possui ainda outros dois programas relacionados à prática: o Programa de Gestão de Processos (PGP),
Fazer um diagnóstico da situação, apontando os possí-
iniciado em 2000, que visa a geração de soluções por par-
veis danos a serem causados pelos serviços da empresa,
te dos funcionários em todos os âmbitos de atuação da
capacitar-se para saber como combater esses danos e di-
empresa, apresentando sempre resultados quantitativos e
fundir o conhecimento, para que a Organização incorpore
qualitativos medidos pelas áreas envolvidas no processo e
as práticas em suas ações cotidianas.
258
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Ricardo Fujii e Marcos Tucherman
www.comgas.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Geogás e Mapa de Risco
Visando controlar os danos potenciais envolvendo seus
da região de atuação da empresa. Todas as informações
produtos e serviços, a Comgás, distribuidora de gás enca-
coletadas geram um mapa que fica na obra com o encar-
nado em São Paulo, mantém um sistema de controle ba-
regado. Esse trabalho oferece à Comgás, suas contratadas
seado em duas ferramentas desenvolvidas com tecnologia
e aos empregados toda a informação necessária para a re-
de ponta e voltados à segurança, à saúde e ao meio am-
dução ou eliminação de riscos no local da obra, dividida
biente: o Geogás e o Mapa de Risco.
em trechos com pontos críticos e riscos cuidadosamente
Logo após sua privatização em 1999, por meio do con-
apontados.
sórcio do grupo BG (British Gas) e da Shell, a empresa de-
Cada detalhe é considerado: circulação de pessoas e
senvolveu o Geographic Information System – GIS, batiza-
veículos, rede elétrica e a existência de animais peçonhen-
do de Geogás. O GIS é um sistema de computação capaz
tos, entre outros. Depois do levantamento, as ações são
de armazenar, analisar e apresentar informações sobre ob-
planejadas para evitar ocorrências indesejáveis relaciona-
jetos e suas posições no espaço. O programa dinamiza e
das aos riscos apontados.
permite interação entre usuário e sistema.
Antes de começar o período de trabalho, a Comgás
O Geogás está disponível no Sistema de Gerenciamen-
realiza em seus sites de obra a Conversa Diária de Segu-
to da Rede para diversas áreas da Comgás desde junho de
rança (CDS). Apesar de os mapas ficarem expostos no lo-
2003. O programa foi desenvolvido em duas versões: uma
cal da obra, não há garantias de que eles sejam consulta-
para os usuários que fazem as devidas alterações na base
dos por todos os empregados. Assim, nas CDS os riscos
e consultas avançadas e outra, na web, com acesso via In-
são analisados por todos até que não haja dúvidas quanto
ternet. O sistema permite visualizar detalhadamente bair-
aos procedimentos a serem tomados. Nesses encontros
ros, ruas e regiões inteiras da Grande São Paulo, São José
diários, as opiniões dos empregados também são relevan-
dos Campos e Vale do Paraíba com dados atualizados so-
tes e podem ser utilizadas em mapeamentos.
bre a rede, como pressão do gás e diâmetro da tubulação,
A avaliação do local leva em conta os índices de ações
e permite acessar informações adicionais para planejamen-
criminosas (roubo de cargas e de veículos, tráfico de entor-
to dos futuros negócios da companhia, como o número de
pecentes, homicídios, roubo a pedestres, furtos de estabe-
estabelecimentos comerciais, industriais, índices sócio-eco-
lecimentos), estatísticas policiais (incluem visitas de poli-
nômicos, entre outros.
ciais à obra), coleta de relatos das pessoas no local da
As áreas de marketing se beneficiam com o novo siste-
obra, comparação das informações da polícia e de mora-
ma e sua base de dados nas análises de potencial de de-
dores e ocorrências mais significativas como o risco das
senvolvimento de novos mercados e expansão da rede, in-
ações criminosas comuns na região.
clusive com os estudos técnico e econômico que estão
Por fim, as informações são incluídas no mapa e os cui-
sendo feitos pela área de Engenharia por meio da nova
dados a serem tomados são identificados nos trechos es-
ferramenta. O Geogás é de grande importância também
pecíficos da obra. A utilização do mapa garante mais tran-
para atendimento de emergências, manutenção, renova-
qüilidade entre as equipes que, por conhecerem os riscos,
ção de rede e demais áreas operacionais.
estão aptas a agir e evitar problemas. Os empregados sen-
O Mapa de Risco é resultado de uma análise minuciosa
tem-se, assim, amparados.
259
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
Comgás
>
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
!Consumidores/Clientes ::
Resultados / benefícios gerados
ções no cadastro da rede. A Comgás descobriu por meio
A coordenação de Operações, responsável pela consul-
de uma consultoria interna realizada nos departamentos
ta, mapeamento e ajuste de processos das diversas áreas
competentes que um banco de dados consistente e preci-
usuárias do Geogás, vê na maior integração entre as áreas
so não era uma ferramenta eficaz se estivesse desvincula-
de Operações e Marketing o grande mérito do sistema.
do de uma base de dados confiável.
Além disso, o Geogás possui 40 funcionalidades que agilizam o trabalho dos usuários na obtenção e alteração de
Aprendizagens
dados.
O Geogás também permitiu criar ferramentas para
O Mapa de Riscos permite que o empregado sinta-se
atender às exigências do órgão regulador – a CSPE (Comis-
amparado, informado e preparado para o trabalho, sem a
são de Serviços Públicos de Energia). A elaboração e a uti-
possibilidade de ser surpreendido por eventualidades. O
lização sistemática do Mapa de Risco reduz drasticamente
comprometimento individual e coletivo é ampliado. Com
a possibilidade de ocorrência de incidentes. Os riscos são
toda a informação disponível, cada funcionário cuida de si
mostrados, explicados e ficam à mostra na obra. Isso faci-
e segue as recomendações. O empregado passa a ter ini-
lita o controle, pois todos os empregados se sentem envol-
ciativas e a tomar decisões.
vidos na tarefa de evitar incidentes.
Motivações
Recomendações para a replicação da prática
A Comgás tem como norma fazer o levantamento dos
É extremamente importante entender que o primeiro
riscos relativos à segurança, à saúde e ao meio ambiente
passo é definir a forma, o conteúdo e o modo como o sis-
aos quais a obra está exposta. Desde meados de 2002,
tema deve ser desenvolvido e implementado, conforme as
seus técnicos também fiscalizam tudo o que diz respeito
características peculiares à sua empresa. É fundamental
aos aspectos de segurança patrimonial. Essa prática faz
que o sistema seja feito conforme a sistemática de traba-
parte do Sistema de Gestão de Segurança, Saúde e Meio
lho local para que o programa seja desenvolvido visando
Ambiente da Comgás.
atender essa realidade. Um mapeamento e um planeja-
As principais razões que motivaram a criação do Geo-
mento dos processos da empresa é vital para que haja uma
gás foram: necessidade de maior segurança operacional,
utilização efetiva dos empregados da companhia. O mapa
que exigia melhor qualidade no tratamento dos dados da
deve ser elaborado com ampla participação de técnicos,
rede de distribuição de gás natural, maior agilidade opera-
engenheiros líderes e de projeto. A empreiteira deve estar
cional e menor custo na consulta e alteração das informa-
envolvida, pois tem de aceitá-lo e implementá-lo.
>
260
!Consumidores/Clientes ::
Contato
Projeto Inspeção
em Obras e Serviços
Marcos Tucherman
www.comgas.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O Projeto Inspeção em Obras e Serviços integra o Siste-
O treinamento tem duração média de duas horas. Na se-
ma de Gestão em Segurança, Saúde e Meio Ambiente
gunda e última parte, acontece a simulação de uma inspe-
adotado na Comgás (Companhia de Gás de São Paulo) e
ção. Os empregados da Comgás são convidados a aplicar o
visa estimular a adoção de uma atitude segura por parte
que aprenderam na primeira parte do treinamento. De
dos funcionários. As inspeções ajudam a manter o padrão
prancheta e formulário em mãos, eles se dirigem a um local
de segurança, saúde e meio ambiente alcançado pela em-
dentro do prédio da empresa montado para dar a idéia de
presa.
uma obra. Os empregados escolhem os assuntos de acordo
com o seu interesse, considerando a meta a ser cumprida.
A Comgás exige na assinatura do contrato de admissão
que o futuro empregado se comprometa em inspecionar
Resultados / benefícios gerados
obras. Essa condição imposta contratualmente não é vista
com antipatia. Ao contrário, guarda relação direta com a
Como resultado, nos últimos três anos a Comgás exibe
formação de uma cultura voltada para a prevenção de in-
a marca de oito milhões de horas sem registrar incidentes
cidentes e a manutenção de ambientes seguros.
com afastamento. As inspeções em obras também integram os funcionários e geram atitudes positivas.
Cerca de 260 inspeções são realizadas mensalmente. A
empresa é responsável por oferecer um local de trabalho
Motivações
seguro aos seus empregados e considera todos, do presidente ao funcionário operacional, responsáveis por sua
A permanente inspeção em obras e serviços realizada
própria segurança. A Comgás oferece as ferramentas e as
pela Comgás é parte fundamental de um contrato de per-
diretrizes, e antes de se propor a fazer inspeções, os em-
formance que a companhia tem com seus empregados.
pregados recebem orientação especial durante os treinaAprendizagens
mentos ou diretamente com o seu superior imediato.
As inspeções são relatadas em um formulário distribuí-
A atitude pró-ativa é indispensável para conseguir um
do pela empresa. Ele é uma ferramenta criada por um gru-
ambiente de trabalho seguro. As ações do Sistema de Ges-
po de técnicos de segurança da Comgás, que se basearam
tão de Segurança, Saúde e Meio Ambiente da Comgás es-
nas irregularidades comumente encontradas.
tão voltadas para manter desperta a consciência de todos
A partir do segundo semestre de 2002, a Comgás co-
os empregados e conservar a marca de 8 milhões de horas
meçou a utilizar linguagem teatral no treinamento de ins-
sem incidentes com afastamento. O recorde não é apenas
peção de obras e serviços. As inserções acontecem en-
da empresa, mas também das pessoas que nela trabalham.
quanto o técnico de segurança fala sobre a importância
Recomendações para a replicação da prática
das inspeções. Atores permanecem fora de cena e entram
em determinados momentos para ajudar a fixar conceitos
Além de um ambiente ser seguro, é preciso haver cons-
e recomendações. O enfoque do treinamento é o compor-
ciência sobre segurança, respeitando-se os procedimentos
tamento e a iniciativa das pessoas. A idéia é oferecer uma
e certificando-se do manuseio correto dos equipamentos.
visão geral, menos técnica, sobre a importância de inspe-
Na área de segurança, a exigência de excelência nos pro-
cionar obras.
cessos é fundamental.
261
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
Comgás
>
>
Dimensão Social do Consumo ! Conhecimento dos Danos Potenciais dos Produtos e Serviços ::
!Consumidores/Clientes ::
Comgás
Contato
Programa de Prevenção
de Danos (PPD)
Rosane Zagatti
www.comgas.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O PPD – Programa de Prevenção de Danos da Comgás
atividades de maneira responsável. Estatísticas mostram
(Companhia de Gás de São Paulo) envolve treinamentos e
que quase a totalidade dos danos causados às redes de
o trabalho de uma rede de divulgação. Tem o objetivo de
gás são provocados por terceiros durante os trabalhos de
educar e conscientizar o quadro de funcionários sobre os
escavações próximas às redes, durante atividades de ma-
cuidados e procedimentos necessários para a execução das
nutenção ou de construção de novas utilidades. O subso-
atividades realizadas pela Comgás ou por terceiros ligados
lo das grandes cidades como São Paulo é bastante conges-
direta ou indiretamente à distribuidora. Além disso, o pla-
tionado, resultado do assentamento de utilidades que da-
no visa alertar para as responsabilidades decorrentes de
tam de mais de um século, transformado ao longo dos
danos que possam causar prejuízos materiais, morais ou
anos pela construção de novas ruas, viadutos, galerias etc.
pessoais, sob foco jurídico.
Aprendizagens
Para isso, a Comgás trabalha ao lado de concessionárias
de serviços públicos, prefeituras e demais empresas que
Antes do início das obras, o projeto e o cronograma de
executam trabalhos de abertura de valas próximas às redes
implantação são apresentados ao pessoal responsável pela
de gás. O PPD ajuda a prevenir danos causados durante a
manutenção ou operação das redes das concessionárias
execução de tais serviços, minimizando os riscos à popula-
que possuem utilidades nos locais onde as obras serão
ção, trabalhadores e ao meio ambiente, preservando a
executadas. As concessionárias devem analisar os projetos
imagem das empresas e reduzindo custos operacionais.
e fornecer orientações em campo com relação à localização de suas utilidades, de forma que as duas empresas
Os danos devem ser investigados e resultar em ações
juntem esforços no sentido de evitar danos.
preventivas para evitar novas perdas. O pessoal operacional próprio ou de empresas contratadas devem obrigato-
Os procedimentos para os casos de danos nas redes, esta-
riamente ser treinados em relação aos procedimentos para
belecendo os contatos e medidas a serem adotadas em casos
evitar riscos. As concessionárias devem discutir e dirimir
de emergência também devem ser divulgados, fazendo parte
dúvidas com relação aos procedimentos técnicos relativos
dos treinamentos. A sinalização das redes existentes deve ser
a projetos, construções ou manutenção de suas utilidades
feita por meio de placas, tachões ou fitas de advertência, pre-
que, de alguma forma, interfiram nas instalações da outra
venindo à existência de redes de gás e orientado à necessida-
concessionária.
de de contatar a Comgás antes da abertura de valas.
Resultados / benefícios gerados
Recomendações para a replicação da prática
A atuação preventiva da Comgás por meio do PPD re-
Os trabalhos a serem executados no subsolo devem ser
duz custos, aumenta a confiança da comunidade e empre-
realizados com critério e respeito entre as várias concessio-
sas terceirizadas nos serviços prestados e melhora a ima-
nárias, sejam elas de gás, energia ou telecomunicações,
gem da empresa com seu público.
bem como pelas prefeituras e concessionárias de rodovias
e ferrovias que executam a ampliação das ruas, rodovias e
ferrovias, construção de viadutos e pontes, ou qualquer
Motivações
atividade que possa interferir com o subsolo.
A Comgás mantém o compromisso de desenvolver suas
262
Comunidade
263
>
>
Comunidade
Um ponto importante que deve ser tratado pela empresa
em sua relação com a comunidade é o impacto produzido
por suas atividades. Conhecê-lo e possuir processos
estruturados para registrar queixas e reclamações;
promover reuniões sistemáticas para informar lideranças
locais sobre providências, disponibilizar informações sobre
impactos atuais e futuros de suas atividades, envolvendo
a comunidade na resolução dos problemas e criar comitês
com a participação de lideranças locais para análise de
seus processos, produtos e monitoramento de impactos
são apenas alguns exemplos de práticas eficazes na
criação de laços sólidos e duradouros com a comunidade
de entorno. Além disso, o diálogo com organizações
atuantes na comunidade, parcerias de longo prazo com
entidades locais e projetos para fortalecimento da
entidade podem abrir caminhos estratégicos e reduzir
conflitos decorrentes da atividade.
O apoio a um projeto social precisa ter consistência
estratégica e objetivos claros para que a ação seja efetiva.
As verbas, definidas em orçamento, devem ser de
conhecimento dos funcionários e geridas por um comitê
ou grupo de trabalho com base de critérios previamente
estabelecidos. Se possível, o programa social deve ser
estruturado com dotação orçamentária estável, gerenciado
por uma equipe profissional, instituto ou fundação.
O alinhamento das atividades da empresa com sua ação
social demonstram a coerência estratégica da organização.
264
desenvolvimento de novas metodologias, em estratégias
de capacitação de recursos humanos para a área social
e na disseminação de experiências bem-sucedidas.
Essa prática se refletirá na formação de redes de ação
social e no fortalecimento de políticas públicas.
O envolvimento da empresa pode ser financeiro ou
se integrar às suas atividades com o apoio de recursos
Comunidade
Assim, é importante focalizar o trabalho social no
humanos e fornecedores. Isso implica na disponibilização
de espaços e equipamentos para o desenvolvimento
de projetos e atividades da comunidade, no uso de
competências técnicas, tecnológicas e gerenciais
e no envolvimento de funcionários e parceiros no
desenho e implantação de projetos sociais.
O estabelecimento de sólidos laços com a comunidade
torna-se ainda mais efetivo e completo com o
reconhecimento e o apoio ao trabalho voluntário.
O voluntariado é importante para o desenvolvimento
de lideranças e potencialidades dos funcionários, nos
campos pessoal e profissional. Os casos apresentados
neste capítulo mostram a importância de se valorizar
as atividades voluntárias por meio de ações internas,
manter um programa estruturado de apoio ao
voluntariado, disponibilizando recursos humanos
e financeiros para o seu funcionamento, informando
as oportunidades disponíveis na comunidade e
viabilizando aspectos logísticos e financeiros.
265
>
!Comunidade ::
Contato
Sistema de Gestão
Ambiental
Nome:
Viviana Biagione
Website da empresa: www.comgas.com.br
Elaborado em:
Entre os principais objetivos da implementação desse
27/10/2003
lência ambiental conquistado pela Comgás.
sistema estão assegurar o controle do desempenho am-
Esses conceitos e atitudes foram divulgados aos públicos
biental da empresa, promover a melhoria contínua e de-
da empresa que, por sua vez, multiplicaram para a comu-
monstrar o compromisso com a proteção do meio ambien-
nidade essa postura responsável. As campanhas de comu-
te. A Comgás (Companhia de Gás de São Paulo) atua de
nicação cumpriram o seu papel e geraram a motivação ne-
acordo com os preceitos do desenvolvimento sustentável,
cessária. Folhetos, intranet, murais, conversas organizadas,
que defende o progresso com a garantia da preservação
comitê sobre impactos ambientais foram utilizados para di-
dos recursos naturais para as gerações futuras. Por isso,
vulgar o sistema no ambiente de trabalho. Os comitês am-
exerce rigoroso controle nas atividades de comissionamen-
bientais serviram de fórum para propagar a idéia e a impor-
to de rede e de renovação de ramais, visando evitar as
tância da certificação entre os funcionários. As conversas
emissões de gás delas decorrentes. Embora o gás natural
diárias ambientais representaram importante reforço para
seja menos poluente do que outros combustíveis, contro-
despertar a atitude das pessoas, a consciência da preserva-
les são imprescindíveis para reduzir impactos.
ção dos recursos naturais e da atitude responsável nas ati-
Normalmente as empresas ajustam seus processos para
vidades desempenhadas na empresa. Os encontros ainda
obter o selo do Sistema de Gestão da Qualidade, a ISO
são estimulados depois da obtenção da certificação e acon-
9001. Na Comgás, o processo foi inverso, o que tornou o
tecem uma vez por semana. A meta estipulada pela norma
desafio maior. É certo que o Sistema de Gestão em Seguran-
ISO 14001 é de que 80% dos empregados sejam treinados.
ça, Saúde e Meio Ambiente da empresa foi importante no
As empresas contratadas possuem os seus próprios progra-
processo. Mesmo que a maioria das atividades da empresa
mas e, por exigência da Comgás, os seus empregados tam-
seja externa, o que de certa forma dificulta a garantia de efi-
bém participam de ações educativas.
ciência dos mecanismos de controle, o envolvimento dos
Um exemplo de best practice foi a renovação de ramais.
funcionários foi total. As empresas contratadas se compro-
A rede de distribuição de gás na cidade de São Paulo é de
meteram e implantaram a coleta seletiva nas obras e au-
ferro fundido, e muito antiga. Com o passar do tempo, o
mentaram os cuidados com vazamentos de óleo para não
ferro pode contaminar o solo e as águas, além de exigir
contaminar o solo. Os terceiros também se envolveram nos
manutenção constante. A Comgás está investindo na re-
treinamentos ambientais e nos simulados de auditoria.
novação dessa rede. O ferro fundido cede lugar ao aço,
Funcionários de várias áreas da empresa reuniram-se em
para alta pressão, e ao polietileno, para baixa pressão.
um grupo denominado “Green Team”. Os 21 integrantes
O caso Empresa Metropolitana de Água e Energia Elé-
foram responsáveis por realizar o levantamento inicial das
trica (Emae) foi um grande exemplo de contribuição da
atividades causadoras de maior impacto ambiental e dos
empresa para reduzir em poucos meses as emissões de po-
meios possíveis de controle. Foram criados procedimentos
luentes e gerar um impacto positivo ao ambiente. Em
para cada área, sempre com a supervisão da empresa de
2001, a Comgás registrou intensa demanda de pedidos
consultoria ambiental contratada. Os funcionários tiveram
das indústrias de São Paulo de conversão para o gás natu-
um papel preponderante no processo de certificação e con-
ral. Essa constatação despertou o interesse do Departa-
servam a mesma disposição de manter o padrão de exce-
mento de Serviços Técnicos do Mercado Industrial da
267
Relações com a Comunidade Local! Gerenciamento do Impacto da Empresa na Comunidade de Entorno ::
Comgás
>
Relações com a Comunidade Local! Gerenciamento do Impacto da Empresa na Comunidade de Entorno ::
>
!Comunidade ::
Comgás, que passou a estudar as estimativas de reduções
são das indústrias na área de concessão da Comgás, de
nas emissões em processos de combustão industrial. A
2000 para 2001, eliminou 83 mil toneladas de óleo com-
idéia ganhou consistência em junho de 2000, com a con-
bustível. Só a Emae, que não está no estudo que reuniu as
versão da Emae para o gás natural.
indústrias, representa 4% desse total (3.400 toneladas por
ano). Especificamente na região metropolitana de São
Paulo, onde está a Emae, o consumo de óleo combustível
Resultados / benefícios gerados
era de 4.290 toneladas por ano, sendo que a empresa era
A Comgás constatou que 96% do seu pessoal partici-
responsável por 80% desse consumo.
pou do treinamento em conscientização ambiental. Com o
processo de certificação pela norma ISO 14000, os benefí-
Motivações
cios gerados são incontestáveis para a empresa no que diz
respeito aos impactos ambientais de suas atividades. As
O planejamento e a organização de um Sistema de Ges-
obras, a manutenção da rede, as áreas de emergência, o
tão Ambiental começou em maio de 2001 com o objetivo
call center, entre outras atividades, têm o seu desempenho
de conquistar a certificação ISO 14001. O controle am-
avaliado não mais sob a ótica gerencial.
biental garante mais qualidade de vida para as gerações
futuras.
Outros aspectos relevantes para a empresa são as vantagens na negociação com as entidades responsáveis pela
Aprendizagens
concessão de licenças e autorizações para obras, sobretudo com órgãos ambientais. A certificação da Comgás ates-
Total mudança de cultura em relação à gestão de resí-
ta sua responsabilidade relacionada a cada etapa do negó-
duos. Aos antigos coletores para papel e plástico foram
cio de fornecimento de gás natural. Ao implementar um
acrescentados coletores para vidro e metal.
sistema de gestão ambiental, a empresa padroniza os proRecomendações para a replicação da prática
cessos e abre caminho para outros sistemas, como o da
Se não houver envolvimento e comprometimento dos
qualidade (ISO 9000).
O ano de 2001 foi um marco em termos de volume de
empregados o projeto não tem futuro. É necessário manter
conversões nas indústrias paulistas. A quantidade de mate-
o estímulo às conversas diárias, às reuniões dos comitês, ao
rial particulado diminuiu em 94%; de dióxido de enxofre,
treinamento e às campanhas. Boas idéias são bem-vindas
em 100% e; de dióxido de carbono, a redução foi de 29%.
para manter a conscientização dos empregados, como a
A Emae utilizava 9.400 kg por dia de óleo combustível.
escolha de fiscais ambientais na empresa para atuar na cen-
Após a conversão, em junho de 2000, passou a usar 10 mil
tral de resíduos. Em muitos casos, a conversão para gás na-
m por dia de gás natural. Todo o movimento de conver-
tural resulta da própria sobrevivência da indústria.
3
268
!Comunidade ::
Contato
Projeto Libertação
Ecológica
www.grupomesquita.com.br
6/4/2001
Website da empresa:
Elaborado em:
Em 1988, o Grupo Mesquita criou a Sociedade Rural Eco-
✓ Programa Vozes da Floresta: Em parceria com a ONG
lógica (SER) para coordenar, desenvolver e implementar o
Mata Ciliar e o Ibama, desenvolve um trabalho de rea-
projeto social da empresa. Essa entidade jurídica possui total
bilitação de aves silvestres encontradas em cativeiro e
autonomia em suas decisões, embora conte com o suporte
também de reprodução em cativeiro. Quando se trata
financeiro do Grupo Mesquita para desenvolver suas ativida-
de espécies em extinção, os pássaros são devolvidos à
des sociais. A essência do Projeto Libertação Ecológica é a
natureza em área de preservação permanente.
formação do caráter da criança e do adolescente, contribuindo assim para a continuidade da vida no planeta, recuperan-
✓ Programa Viveiro das Essências da Região: Repro-
do parte do que já foi destruído em nome do progresso e da
duz, desenvolve e maneja espécies vegetais nativas de
tecnologia, e apostando na educação como a forma viável
áreas devastadas da Mata Atlântica. Essas mudas são
de resgatar valores e princípios, revertendo o quadro atual.
plantadas em área particular da Serra da Mantiqueira,
Suas ações seguem duas vertentes: a recuperação e
transformada em local de preservação permanente, for-
conseqüente equilíbrio do ecossistema; e a prevenção, por
mando corredores verdes, que acolherão também os
meio da educação norteada em valores humanos. O pro-
pássaros reabilitados do programa Vozes da Floresta.
jeto é desenvolvido na região de Santos (litoral de SP), Am✓ Programa de Educação pelo Trabalho: Desenvolvido
paro e Monte Alegre do Sul (interior de SP). Possui quatro
programas distintos:
em parceria com a Prefeitura Municipal de Santos, com
apoio de diversas entidades, promove a inserção no
✓ Programa Recriando a Educação: Promove treina-
mercado de trabalho de adolescentes que vivem em si-
mentos de educadores da rede de ensino da região de
tuação de risco pessoal ou social, contribuindo para a
Amparo, Monte Alegre do Sul e Circuito das Águas, ba-
sua formação profissional e desenvolvimento pessoal.
seado no Programa de Educação em Valores Humanos
Muitos são moradores de abrigos da Prefeitura, encami-
(PEVH), do educador indiano Sathya Sai Baba. Mantém
nhados pelos conselhos tutelares ou centros de convi-
estrutura de atendimento para crianças e adolescentes
vências, oriundos de famílias de baixa renda ou jovens
de áreas carentes da zona rural, recebendo-os em horá-
para quem a figura materna ou paterna é inexistente. O
rios alternados ao da escola, onde são desenvolvidas ati-
projeto foi iniciado em Santos, em 1994, com uma cam-
vidades relacionadas ao meio ambiente, reciclagem, in-
panha da Prefeitura que solicitava às empresas que ofe-
formática, capoeira, biodiversidade brasileira, filosofia,
recessem oportunidade de trabalho a adolescentes em
além de reforço escolar. Dentre as ações desenvolvidas,
situação de risco pessoal e/ou social. A empresa aceitou
o programa realiza bimestralmente Semanas Abertas
o desafio e, desde então, mantém 30 vagas para ado-
onde recebe escolas para vivências de valores humanos
lescentes, em seu quadro de funcionários. As entidades
e educação ambiental. Conta com o apoio Prefeitura de
parceiras participam do programa disponibilizando va-
Amparo, que reconheceu a SRE, como de utilidade pú-
gas em seus cursos (Senac), oferecendo bolsas de estu-
blica. A SRE proporciona assessoria técnica e gerencial
dos em cursos superiores (Unimonte), ou fornecendo
às entidades parceiras do programa.
bolsas e descontos em cursos de inglês (CNA).
269
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Grupo Mesquita
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
As ações do Projeto Libertação Ecológica são divulgadas
da Abrinq. Em 2000, o Senac concedeu autorização para
quinzenalmente em informativo interno do Grupo Mes-
utilização do seu selo “Empresa que Educa”.
quita, e eventualmente na imprensa local. Também são
promovidos workshops para divulgação junto a empresá-
Motivações
rios da região, e apresentações em fóruns regionais. O
A preservação do meio ambiente e a recuperação do
Grupo Mesquita também participa do Conselho Municipal
que está degradado são fatores motivacionais de todos os
dos Direitos da Criança e do Adolescente de Santos e foi
programas desenvolvidos pela empresa. O Grupo Mesquita
um dos fundadores da Associação Comunidade de Mãos
acredita, porém, que o caminho mais eficaz na solução des-
Dadas (ACMD), constituída por empresários da região,
se desequilíbrio é a educação, voltada para a formação aca-
para a defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente.
dêmica e também para a formação do caráter do indivíduo.
Nosso modelo de atuação é disponibilizado gratuitamente
a todas as entidades interessadas, por meio de uma asses-
Aprendizagens
soria técnica que inclui treinamento, orientação e distribui-
O Grupo Mesquita tem se voltado para uma nova per-
ção de materiais, além de palestras e apresentações, onde
cepção de seu papel na sociedade. Sua atuação tem sido
relatamos as experiências, erros e acertos dessas ações.
ampliada para além da geração de empregos e de dividendos para a região, voltando-se para a realização de um tra-
Resultados / benefícios gerados
balho social, sem caráter assistencialista e de resultados a
No tocante ao trabalho ambiental, os resultados já su-
médio e longo prazo. A empresa vem sensibilizando dire-
peram as expectativas, com o reflorestamento de 262.500
tores, gerentes, funcionários, fornecedores, e demais or-
mudas em áreas antes degradadas, e o retorno de aves
ganizações, para que se envolvam com as causas sociais,
como o tucano e o sabiá laranjeira. O viveiro de aves tam-
de forma que todos sejam agentes multiplicadores dessa
bém está recebendo e reabilitando aves encontradas em
consciência cidadã, na tentativa de minimizar o atual qua-
cativeiro. Os resultados do Programa Educação pelo Traba-
dro de desigualdades sociais.
lho e Recriando a Educação podem ser aferidos na melhoria do rendimento escolar, da postura, do uso correto e
Recomendações para a replicação da prática
adequado da linguagem, dos hábitos de higiene e no au-
A primeira dica é visualizar com clareza a população
mento da auto-estima. No Circuito das Águas (interior de
“alvo” da nossa atuação. Assim, podemos estabelecer
SP) mais de 300 educadores já receberam treinamento do
quais as organizações que podem nos auxiliar a aprimorar
PEVH. Em Santos, 15 adolescentes ingressaram e cursam a
o processo. A apresentação do projeto a esses possíveis
universidade, resultado da parceria com a Unimonte. Dos
parceiros é outro passo importante. As iniciativas de divul-
75 jovens que já passaram pelo programa, 30 fazem par-
gação em fóruns de debates, feiras e eventos especializa-
te dele, e 13 estão efetivados nas empresas do Grupo
dos, além de abastecer a mídia com informações, são
Mesquita. A Empresa obteve em 1997 o diploma “Empre-
ações que facilitam a aproximação com outras entidades e
sa Amiga da Criança” e a concessão de utilização do selo
empresas.
>
270
!Comunidade ::
Contato
Campanha
McDia Feliz
Alcides Terra
www.mcdonalds.com.br
Elaborado em: 4/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Campanha McDia Feliz, promovida pela rede de lancho-
ria de imprensa divulga os eventos de lançamento da cam-
netes McDonald´s, dedica anualmente um dia de venda do
panha em todas as cidades. Além disso, faz um trabalho de
sanduíche Big Mac (exceto impostos) para instituições que
sustentação que inclui a divulgação de informações sobre o
tratam ou dão assistência a crianças portadoras de câncer.
câncer infantil. Na publicidade, o McDonald’s utiliza o apoio
Durante esse dia são divulgadas informações referentes à
de parceiros para a exibição de anúncios em TV, rádio e rea-
doença, de forma a reduzir os preconceitos, mobilizar a so-
lização de campanhas em mídia impressa e outdoors. Cada
ciedade e estimular o diagnóstico precoce. Visa também au-
restaurante, junto com a sua equipe de voluntários e institui-
mentar o trabalho voluntário e angariar recursos para hospi-
ção beneficiada, desenvolve ações locais para envolvimento
tais e instituições dedicadas ao câncer infantil.
da comunidade, como, por exemplo, a realização de panfle-
O McDia Feliz envolve todos os departamentos, escritórios
tagem e anúncios em rádios comunitárias.
regionais, gerentes-operadores dos restaurantes e franquea-
A fim de sustentar, manter e ampliar as ações de apoio
dos do Sistema McDonald´s. Ela é anual, realizada tradicio-
à luta contra o câncer infantil, o McDonald’s criou o Institu-
nalmente no terceiro sábado do mês de agosto, mas sua pre-
to Ronald McDonald, que tem como principal função ma-
paração exige um esforço de todos os envolvidos, durante o
ximizar os benefícios do McDia Feliz, angariando recursos
ano todo. A campanha é realizada totalmente em parceria
durante 365 dias por ano destinados à causa da luta con-
com a comunidade. As instituições beneficiadas também se
tra o câncer infantil. Lançado no dia 8 de abril de 1999, Dia
envolvem profundamente na organização e assumem tare-
Mundial de Combate ao Câncer, o Instituto tem em seus
fas operacionais, orientadas por um manual especialmente
conselhos a participação de vários membros das institui-
desenvolvido para o evento. Entre as atividades desenvolvi-
ções beneficiadas pelo McDia Feliz. Uma de suas funções é
das por estas instituições estão a mobilização da sociedade,
analisar cientificamente os projetos encaminhados pelas
obtenção de apoio em produtos e serviços para a movimen-
instituições, fornecendo consultoria para a melhor destina-
tação dos restaurantes e venda antecipada de tíquetes.
ção da verba e acompanhando a sua aplicação. Todas as
Durante a campanha cada restaurante desenvolve sua
entidades beneficiadas apresentam projetos ao Instituto
própria agenda de eventos, com atividades que vão desde a
Ronald McDonald sobre como a doação do ano será apli-
atuação de voluntários para a promoção do evento junto aos
cada. O Instituto conta em seu conselho de administração
clientes, até shows e performances para atrair o público. A
com a representação de diversas empresas parceiras do
comunicação interna mobiliza 36 mil funcionários, 153 fran-
McDonald’s e sensibilizadas com a causa do câncer infantil,
queados e 211 fornecedores do McDonald’s Brasil, dissemi-
como a Coca-Cola e o BankBoston, que também engaja-
nando o espírito da campanha em toda a empresa, e o
ram na campanha do McDia Feliz seus funcionários, forne-
McDia Feliz seja percebido como um esforço coletivo e não
cedores e empresas a eles ligadas.
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
McDonald´s Comércio
de Alimentos Ltda.
como um evento de sua direção.
A divulgação externa da campanha é voltada para que o
Resultados / benefícios gerados
público vá aos restaurantes McDonald’s e escolha somente o
Os impactos qualitativos do McDia Feliz nas comunida-
Big Mac. A empresa envolve nessa tarefa seus fornecedores
des ultrapassam em muito os recursos materiais da venda
habituais de assessoria de imprensa e publicidade. A assesso-
do Big Mac. A mobilização crescente que esta campanha
271
>
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
vem provocando na sociedade faz com que uma cadeia de
dem material. Igualmente importante para esta causa é o
solidariedade se desenvolva, aumentando o trabalho volun-
envolvimento dos voluntários, que atuam de forma decisi-
tário e estimulando outras pessoas e empresas a realizarem
va no apoio aos pacientes e na administração de serviços
suas doações. Do ponto de vista quantitativo, desde que foi
como casas para hospedagem temporária, incluindo a
realizada pela primeira vez, a campanha McDia Feliz já foi
Casa Ronald McDonald, um projeto criado pelo McDo-
responsável pela doação de mais de R$ 20 milhões à causa
nald’s Internacional e que conta com uma primeira unida-
do câncer infantil. Apenas em 2000, a doação atingiu R$
de no Rio Janeiro viabilizada através do McDia Feliz. Essa
5.600.870,81 como resultado da venda de 1.482.052 san-
prática foi o instrumento escolhido por contemplar os vá-
duíches Big Mac (exceto impostos), em 503 restaurantes da
rios aspectos relacionados ao câncer infantil, levantando
rede, mais o valor arrecadado durante ações adicionais de-
recursos, ampliando o alcance das informações, e envol-
senvolvidas localmente, em um só dia. Os recursos foram
vendo trabalho voluntário.
doados a 61 entidades brasileiras dedicadas ao combate do
câncer infantil. A venda antecipada de tíquetes que valem
Aprendizagens
um Big Mac é feita pelos voluntários das instituições bene-
Mais do que um projeto do McDonald’s, o McDia Feliz
ficiadas, em seus círculos de amizade ou trabalho. Em 2000
é conceitualmente uma campanha da comunidade. Dife-
representaram 25% da arrecadação total da campanha.
rentemente de uma empresa que faz uma doação a uma
Muitas empresas compram uma grande quantidade de tí-
entidade, o McDonald’s estabeleceu como filosofia o en-
quetes como forma de contribuição e os doam para uma
volvimento da comunidade na campanha. Este envolvi-
instituição carente ou aos seus próprios funcionários. A
mento começa pelos que recebem a doação, e que parti-
avaliação do McDia Feliz é feita após cada edição da cam-
cipam ativamente do programa, passa pelos funcionários
panha. São considerados os resultados de venda, a compa-
de todos os níveis hierárquicos, pelos parceiros, que tam-
ração com a venda do restaurante no ano anterior e o de-
bém contribuem com recursos financeiros e materiais e
sempenho na venda antecipada de tíquetes.
chega até a sociedade, que no McDia Feliz vai aos restaurantes McDonald’s e escolhe um Big Mac como forma de
Motivações
apoio à causa. Pela natureza da campanha, existem metas
A exemplo da atuação da empresa em outros países,
objetivas e subjetivas. A meta objetiva é aumentar o índi-
também no Brasil o McDonald’s elegeu o combate ao cân-
ce de cura do câncer infantil, por meio do significativo au-
cer infantil e apoio aos pacientes que são portadores da
mento a cada ano do volume de recursos doados pela
doença como uma de suas prioridades dentro da filosofia
campanha e conscientização da sociedade. A meta subje-
de envolvimento comunitário. O projeto McDia Feliz é o
tiva é contagiar o maior número de pessoas possíveis para
principal instrumento desta atuação. O tratamento de cân-
o engajamento nesta causa, seja por meio de trabalho vo-
cer é altamente especializado e por isso, os hospitais ne-
luntário permanente, esporádico ou doação de recursos fi-
cessitam de constantes investimentos para ampliar e apri-
nanceiros e materiais.
morar seus recursos materiais e humanos. Muitos dos hospitais são públicos ou filantrópicos o que torna fundamen-
Recomendações para a replicação da prática
tal o apoio da iniciativa privada. Além dos recursos finan-
É importante estimular o envolvimento das várias camadas
ceiros, a causa do câncer infantil demanda a disseminação
da população. A participação de todos os funcionários da
de informações sobre a doença, suas formas de diagnósti-
empresa na execução da campanha é um fator determinan-
co precoce e a compreensão das necessidades dos peque-
te de sucesso. A realização de campanhas de divulgação in-
nos pacientes e suas famílias, que não são apenas de or-
ternas e externas potencializam os resultados das ações.
272
!Comunidade ::
Contato
Apoio a entidades
de caráter social
Alberto Simões Gaspar
www.pulsar.com.br
Elaborado em: 6/4/2001
Nome:
Website da empresa:
A Pulsar considera fundamental o relacionamento com
Motivações
organizações atuantes na comunidade. Assim, mantém
A Pulsar, desde sua origem, tem uma tradição de empre-
vínculos permanentes com entidades como o Instituto
sa cujos valores são marcados pela consciência social. Essa
Ethos – Empresas e Responsabilidades Social; o Instituto
consciência evoluiu para o estabelecimento de compromis-
Construindo o Futuro, formado por empresas de tecnolo-
sos definidos com a responsabilidade social. O apoio a enti-
gia; a Avape (Associação para Valorização e Promoção de
dades sociais também é expressão desses compromissos.
Excepcionais), que tem como objetivo atender excepcionais e integrá-las à comunidade; e a Fundação Abrinq pe-
Aprendizagens
los Direitos das Crianças, voltada para o cumprimento dos
Os principais desafios assumidos pela Pulsar no relaciona-
direitos e normas constantes do Estatuto da Criança e do
mento com as entidades referem-se à profissionalização de
Adolescente. Além de apoio financeiro e outras doações,
sua atuação. Essas instituições em geral vivem de doações e
a Pulsar desenvolve ações junto aos dirigentes dessas enti-
não possuem uma gestão administrativa eficiente. A Pulsar se
dades, visando ajudá-los em práticas de gestão.
propõe a colaborar no enfrentamento dessa questão, atuando em conjunto com cada entidade, respeitando sua cultura
Resultados / benefícios gerados
e implantando progressivamente melhorias em sua gestão.
Ao colaborar na gestão das entidades, a Pulsar pode ter
uma visão mais abrangente, possibilitando a elaboração
Recomendações para a replicação da prática
de propostas visando a otimização dos recursos. A relação
Para desenvolver uma atuação eficaz junto às entidades de
com as entidades proporcionou à Pulsar obter melhorias
caráter social, é de grande importância conhecer previamen-
contínuas nos processos voltados para a área social. O
te sua cultura e seus valores. É relevante procurar identificar
acompanhamento de práticas de gestão em entidades de
as áreas de atuação conjunta em que a colaboração da em-
médio e grande porte tem permitido efetivar uma rica tro-
presa poderá agregar maior valor às entidades, contribuindo
ca de experiências entre elas e a Pulsar.
para suprir estruturalmente suas eventuais deficiências.
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Pulsar Informática Ltda.
>
273
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
Ripasa S/A –
Celulose e Papel
Capacitação das
organizações da
sociedade civil
Contato
Luciana Bueno
www.ripasa.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
O principal objetivo desse projeto da Ripasa, fabricante
cionando sua integração. Após a conclusão do curso os
de celulose e papel, é contribuir para o desenvolvimento
participantes decidiram manter o grupo atuante e ampliá-
das organizações sociais da cidade de Americana (SP). A
lo para membros de outras instituições que pudessem
prática consiste em instrumentalizar as organizações para
agregar valor ao trabalho. As reuniões se tornaram fonte
a melhoria da qualidade do atendimento do público assis-
de troca de conhecimento e a empresa trouxe outros pro-
tido e para o aprimoramento da gestão das entidades.
fissionais do terceiro setor para ampliar os conceitos sobre
Dentro de uma perspectiva de planejamento estratégico,
voluntariado. O engajamento de outras empresas da cida-
as ações visam uma melhor articulação entre poder públi-
de é, em parte, reflexo da disseminação de informações
co, empresas e sociedade.
promovida pelo grupo gerado a partir do curso.
Após o levantamento de oportunidades de trabalho voluntário nas organizações da sociedade civil, a Ripasa per-
Motivações
cebeu que uma grande contribuição para o crescimento do
Agregar conhecimento teórico e conceitual aos em-
trabalho social seria proporcionar sua profissionalização por
preendedores sociais do município e formar uma rede so-
meio de sistemas de gestão. Conduzido pela Associação de
cial, onde todos possam trocar experiências e perceber a
Apoio ao Programa Capacitação Solidária – Comunidade
abrangência da questão social.
Solidária, totalizando 80 horas/aula, o curso “gestor social”
foi oferecido às OSCs (Organizações da Sociedade Civil),
Aprendizagens
aos representantes do Poder Público, voluntários da empre-
Além da base conceitual que cerca os trabalhos sociais,
sa e membros do Conselho Municipal da Criança e do Ado-
foi possível abordar as carências do município e conhecer
lescente. O principal diferencial dessa ação está em forne-
todos os projetos relevantes que estão acontecendo simul-
cer instrumentos básicos, técnicas e reflexões com o propó-
taneamente e que podem se complementar.
sito de aperfeiçoar os profissionais que desempenham funções de coordenação e gerência de projetos sociais.
Recomendações para a replicação da prática
Conhecer a realidade da comunidade envolvida é fun-
Resultados / benefícios gerados
damental. A criação de multiplicadores na comunidade e a
Os participantes consideraram a proposta inovadora e
busca de profissionais com conhecimento específico favo-
pertinente ao município, gerando oportunidades para os
recem a ação. Criar envolvimento entre os participantes
profissionais adquirirem novos conhecimentos e propor-
ajuda a promover a continuidade das práticas.
>
274
!Comunidade ::
Contato
Comunicação Aberta
com a Comunidade
www.shell.com.br
4/6/2001
Website da empresa:
Elaborado em:
O relacionamento com a comunidade, por meio de uma
dos de forma mais efetiva, e a empresa passou a promover
comunicação aberta, faz parte da filosofia da empresa e
a auto-sustentação dos mesmos. A Shell Brasil desenvolve,
está entre os “Princípios Empresariais do Grupo Shell”.
desde 1983, uma parceria com a Ação Comunitária do Bra-
Funcionários de diversas áreas e níveis hierárquicos intera-
sil, entidade criada por empresários do Rio de Janeiro em
gem com a comunidade em diferentes fóruns e grupos. A
1970, cujo objetivo é reduzir a marginalização da população
Shell tem participação ativa no Sindicom (Sindicato Nacio-
carente, preparando-a para o mercado de trabalho por meio
nal das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e Lubrifi-
de cursos profissionalizantes. Também oferece cursos de
cantes), na Fecombustíveis (Federação dos Revendedores
pintura, teatro e reciclagem para crianças.
de Combustíveis) e no IBP (Instituto Brasileiro de Petróleo).
Além do apoio financeiro a empresa faz parte do Con-
Como companhia de origem anglo-holandesa, participa
selho Diretor da ACB, tendo participado, em 2000, de um
ativamente dos debates nas Câmaras Holandesa e Britâni-
grupo de trabalho para a revisão da estratégia da entidade.
ca. A Shell é associada ao CEBDS (Conselho Empresarial
Os funcionários da Shell também se envolveram na questão
Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável), ao Institu-
através do programa de voluntariado “Revitalização da
to Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, e partici-
Ação Comunitária do Brasil”. A Shell foi pioneira na indús-
pa dos conselhos do Instituto Pro-Natura, da Ação Comu-
tria em debater a questão da erradicação do trabalho infan-
nitária do Brasil e da Associação Junior Achievement do
til, juntamente com a Fundação Abrinq em 1999.
Rio de Janeiro.
A preocupação em manter o relacionamento com a co-
Durante todos estes anos de atuação a Shell primou por
munidade e contribuir para mudanças positivas não é re-
um relacionamento transparente com a imprensa, caracte-
cente. A Fábrica de Lubrificantes, localizada na Ilha do Go-
rística fundamental para que construísse um diálogo fran-
vernador, no Rio de Janeiro, vem realizando ao longo dos
co com autoridades, representantes dos poderes constituí-
anos um trabalho bastante abrangente que inclui parcerias
dos e da sociedade civil. Desde 2000 a empresa publica o
em projetos de preservação ambiental com ONGs locais,
relatório “Shell na Sociedade Brasileira”, em que reforça
órgãos municipais e estaduais, Associação de Moradores e
seu compromisso com o Desenvolvimento Sustentável e ex-
escolas. Projetos voltados para a formação de crianças ci-
põe sua contribuição financeira, social e ao meio ambiente
dadãs, como o Programa “Cidadão Mirim” visam estreitar
brasileiro. Nesse relatório também são apontadas as mu-
o relacionamento entre a comunidade local e a empresa.
danças e debatidas as questões positivas e negativas em
Alunos de 34 escolas públicas da Ilha do Governador rece-
seu ambiente de negócios. O documento é enviado aos
bem noções teóricas e práticas de educação ambiental,
principais stakeholders, servindo como instrumento para o
saúde, limpeza urbana e até de situações de emergência,
diálogo e a disseminação dos valores da companhia.
o que lhes dá uma clara idéia da importância de sua atua-
Em 1999, seguindo uma tendência global e inovadora, a
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Shell
ção na comunidade.
Shell reestruturou sua política de investimentos sociais no
Devido a essa proximidade com a comunidade local, a
país. A participação em projetos ambientais e em programas
Ilha do Governador foi escolhida para sediar o primeiro
comunitários voltados para o ensino profissionalizante foi
“Dia de Voluntariado” da Shell, realizado em novembro de
ampliada. Os resultados dos projetos passaram a ser medi-
2000. Em novembro de 1999 a Shell realizou a Semana de
275
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
Desenvolvimento Sustentável, envolvendo funcionários e
reputação, em vista do impacto que as atividades nas
400 alunos da rede pública de Botafogo que foram convi-
quais está engajada exercem sobre as economias nacionais
dados à participar de aulas de educação ambiental na sede
e individuais.
da empresa.
Aprendizagens
Resultados / benefícios gerados
Atuar de forma transparente e com honestidade nas re-
O diálogo franco e aberto com os diversos setores da
lações com os stakeholders e com a imprensa é um dos fa-
comunidade traz como resultado a formulação de propos-
tores de sucesso da prática, pois é capaz de estabelecer
tas e sugestões que têm contribuído para o aperfeiçoa-
um entendimento que supera a desconfiança.
mento das normas regulatórias da indústria do petróleo no
Brasil. Ao juntar-se à Abrinq na luta pela erradicação do
Recomendações para a replicação da prática
trabalho infantil, a Shell tornou-se a primeira distribuidora
A atuação participativa junto às organizações da socie-
de derivados de petróleo a ser agraciada com o selo de
dade requer, antes de tudo, respeito e abertura, pois só as-
“Empresa Amiga da Criança”. Essa interação com o tercei-
sim as novas idéias e percepções conseguem ser incorpo-
ro setor provocou mudanças nos contratos com os forne-
radas para que as mudanças realmente aconteçam. Não se
cedores de álcool que, desde julho de 1999, contêm uma
pode, portanto, esperar que o outro utilize a mesma lin-
cláusula que impede o emprego de mão-de obra-infantil
guagem e tenha as mesmas características. Respeitar as di-
na produção.
ferenças é o primeiro passo para a construção de uma verdadeira parceria com a comunidade. Outro ponto impor-
Motivações
tante é a necessidade de estruturação destas parcerias. A
A principal motivação para a promoção da comunica-
incorporação de um processo de diálogo com as partes in-
ção aberta no relacionamento com a comunidade é a prá-
teressadas facilita o entendimento das necessidades da co-
tica dos “Princípios da Empresa” e a manutenção de sua
munidade e a realização das mudanças.
>
276
!Comunidade ::
Contato
Celso Cavalcanti de Melo Junior
www.cidadania-e.com.br
Elaborado em: 13/6/2001
Nome:
Website da empresa:
Programa BBeducar
Desde 1999, a Fundação Banco do Brasil deixou de ser
tizados foi 15 mil e, em 2001, a previsão é que esse núme-
financiadora de projetos para ser gestora de programas.
ro chegue a 112 mil. O Programa BBeducar tem colabora-
Em conseqüência, houve uma concentração de recursos
do na erradicação do analfabetismo no país, propiciando
que permitiu a ampliação gradual das ações, bem como
condições de inclusão dos alfabetizados nos cursos suple-
sua continuidade, por meio da implantação de uma políti-
tivos ou de ensino fundamental. Até hoje, mais de 64 mil
ca de parcerias locais e nacionais, possível graças à rede de
pessoas foram alfabetizadas e outras 27 mil estão em sala
agências do Banco do Brasil espalhadas pelo país.
de aula.
O Programa BBeducar passou a ser gerenciado pela
Os resultados do BBeducar não se resumem, porém, a
Fundação Banco do Brasil em maio de 2000. Voltado para
dados numéricos. Além da alfabetização, experiências re-
a alfabetização de jovens e adultos, foi ampliado graças à
levantes surgiram em diversas comunidades, reafirmando
política de parcerias. Sua implementação é viabilizada a
os objetivos e princípios filosóficos do programa, que vai
partir de convênios com os governos federal, estadual e
além do ensino da leitura e da escrita. A partir do exercí-
municipal, além de instituições sem fins lucrativos, associa-
cio da cidadania surgiram iniciativas como a formação de
ções de moradores, igrejas, comitês da cidadania e entida-
associações de moradores, a criação de horta comunitária,
des diversas.
cursos de pós-alfabetização, cursos profissionalizantes,
O Programa BBeducar é disponibilizado pelas superin-
criação de pequenas fábricas, assistência médico-odonto-
tendências estaduais do banco, por intermédio das agên-
lógica, parceria com secretarias municipais de educação e
cias sob sua jurisdição. As agências, por sua vez, contatam
alfabetização de pais de alunos pelos próprios professores
os parceiros locais para levantamento das necessidades de
da rede, através do BBeducar.
cada município. As aulas são ministradas por pessoas da
comunidade, em caráter voluntário. Os alfabetizadores
Motivações
participam de um curso de formação com instrutores do
A prática teve origem em uma experiência bem-sucedi-
Banco do Brasil e seu trabalho consiste na formação das
da de escolarização de funcionários encarregados de servi-
turmas cadastradas junto à coordenação. As turmas de al-
ços gerais (carpinteiros, eletricistas, pedreiros, pintores).
fabetização são visitadas pelo coordenador pedagógico da
Em 1992, o Banco do Brasil resolveu implementar, através
comunidade. Além de promover encontros entre os alfa-
de sua rede de agências, o Programa BBeducar. A capilari-
betizadores, para estudo e troca de experiências, ele man-
dade possibilitada com a distribuição das agências pelo
tém a fundação informada sobre as ações.
país favorece um trabalho extensivo e simultâneo, geren-
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Banco do Brasil S.A.
ciado pela Fundação Banco do Brasil, com a colaboração
Resultados / benefícios gerados
da área de Gestão de Pessoas.
Com a implementação da política de parcerias da Fundação Banco do Brasil, houve aumento significativo no nú-
Aprendizagens
mero de convênios firmados e no de pessoas alfabetizadas
Em novembro de 2000, realizou-se a cerimônia de for-
O número de convênios firmados passou de 40 no ano
matura de 220 alunos habitantes da comunidade indígena
2000, para 300 em 2001. Em 2000, o número de alfabe-
de Belém do Alto Solimões (AM). Localizada em plena flo-
277
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
resta amazônica, a comunidade fica a mais de duas horas
que o Programa BBeducar tem condições de se adaptar às
de barco, a cerca de 150 quilômetros do município de Ta-
condições mais adversas.
batinga. Os alfabetizadores foram 29 índios Ticunas que
haviam concluído o 1o grau. Eles foram capacitados e
Recomendações para a replicação da prática
acompanhados por instrutores do Banco do Brasil.
É importante manter um canal de comunicação direcio-
Fundamentado no método pedagógico do professor
nado para as entidades que trabalham com o público-alvo
Paulo Freire, o BBeducar não utiliza nenhum tipo de carti-
que se pretende atingir. Outra dica é procurar envolver li-
lha. A aprendizagem do alfabeto parte de palavras do co-
deranças comunitárias para divulgar, defender e agregar
tidiano dos próprios alunos, permitindo uma integração
novas parcerias para a ação que se pretende desenvolver.
maior dos alfabetizandos com as lições. Para a Fundação
Também é importante o acompanhamento “in loco” das
Banco do Brasil, a alfabetização dos índios Ticuna prova
ações desenvolvidas.
>
278
!Comunidade ::
Apoio a projetos
de parceria com
instituições escolares
Contato
Maria José Martins Paredes
www.stefanini.com.br
Elaborado em: 18/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Stefanini Consultoria considera que a educação é o
laborando na apresentação dos projetos, criando procedi-
principal fator de mudança nas condições de vida da co-
mentos e dando suporte pedagógico. Para capacitação do
munidade. Por isso apóia, mediante auxílio financeiro e as-
corpo docente na elaboração de projetos está sendo estru-
sessoria pedagógica, projetos de parceria apresentados
turado um curso gratuito, que será ministrado voluntaria-
por instituições escolares de comunidades carentes.
mente por uma professora doutora em administração.
A prática tem como característica a não interferência na
A forma de divulgação do Projeto de Parceria também
autonomia da unidade escolar. A empresa apenas colabo-
está sendo modificada. Nos materiais impressos, nas re-
ra na determinação e orientação dos projetos educacionais
portagens feitas no bairro e em revistas onde os projetos
e sociais definidos pela comunidade. As atividades educa-
são citados, deverá constar que o trabalho foi possível de-
cionais são planejadas em reuniões com a equipe técnica
vido à parceria com a Stefanini Consultoria. Estão sendo
de cada unidade escolar, onde se discute as formas de apli-
estruturados também vídeos e folders para que seja feita a
cação dos recursos oriundos da parceria e a continuidade
divulgação em eventos dentro da própria empresa e fora
dos projetos. Entre as pessoas que participam diretamente
dela. Assim, seus funcionários podem conhecer o projeto
da prática estão cerca de 1.300 alunos da Emef “Gen. Ál-
que a empresa desenvolve, orgulhando-se de exercerem
varo da Silva Braga” e 500 alunos da Emei “Carolina Ma-
sua atividade profissional em uma empresa que esteja en-
ria de Jesus”. Envolve também todo corpo docente da uni-
volvida em ações sociais.
dade escolar, profissionais da área pedagógica além de
parcerias com o Yázigi, que cede gratuitamente todo ma-
Resultados / benefícios gerados
terial impresso, e o Centro Brasileiro de Filosofia. São rea-
Pelos dados apresentados pelas unidades escolares foi
lizados repasses mensais de recursos financeiros. No final
possível observar uma melhora significativa no desempe-
do ano letivo, se a instituição escolar houver acumulado
nho dos alunos. As ausências injustificadas e a evasão es-
saldos dos repasses, essa verba poderá ser utilizada em um
colar diminuíram, assim como o índice de retenção nas sé-
projeto especial.
ries finais dos ciclos. Percebe-se uma maior flexibilidade por
Com a criação do Instituto Stefanini, o projeto de par-
parte dos professores no que se refere aos problemas e dú-
cerias está sendo ampliado, estendendo-se a duas escolas
vidas por parte dos alunos. No ensino supletivo, o índice de
de Jaguariúna, no interior de São Paulo. É intenção dos
retenção escolar por faltas continua alto, devido ao empo-
parceiros atuarem de maneira mais efetiva, estabelecendo
brecimento da população, forçada pela falta de emprego a
vínculos de confiança. A Stefanini Consultoria acredita que
fazer “bicos” ou a se submeter a jornadas não compatíveis
só uma relação que seja baseada na seriedade, comprome-
com os horários da instituição escolar. A parceria existe des-
timento e transparência lhe permitirá atingir os objetivos
de 1996 e são destinados recursos anuais no valor de
propostos. O acompanhamento do projeto, que antes era
R$100 mil, para as duas escolas. O fundo reservado para o
feito esporadicamente por uma consultoria externa, atual-
Instituto Stefanini é de R$ 1 milhão por ano.
mente é de responsabilidade de um profissional especialmente contratado para esse fim. Ele está atuando direta-
Motivações
mente em todos as atividades das unidades escolares, co-
Os diretores da Stefanini Consultoria se sensibilizaram
279
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Stefanini Consultoria
e Assessoria
em Informática Ltda.
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
com a questão da educação no Brasil e com a precária si-
so principal desafio é fazer com que haja um envolvimen-
tuação de suas instituições escolares. Optaram então por
to do educando no seu processo de aprendizagem e a va-
direcionar suas ações no âmbito social por meio da parce-
lorização do conhecimento e do saber como elemento
ria com escolas públicas, alicerçando assim a formação de
fundamental para a sua formação pessoal. Os problemas
crianças e jovens que, por suas condições sociais, têm me-
existentes estão sendo sanados com o diálogo constante,
nos oportunidades de acesso às informações e a uma me-
encontros, troca de informações, experiências e idéias,
lhor formação.
tendo sempre como principal objetivo a melhora contínua
e significativa da unidade escolar como um todo.
Aprendizagens
Alguns fatores são imprescindíveis para o sucesso da
Recomendações para a replicação da prática
prática: estabilidade do corpo docente da instituição esco-
Sugerimos atitudes muito simples, como:
lar; absoluta transparência frente ao gerenciamento, con-
✓ Traçar objetivos bem definidos;
trole orçamentário, planejamento e estruturação dos pro-
✓ Tornar transparente o relacionamento de parceria;
jetos; e o comprometimento das pessoas envolvidas. Nos-
✓ Atuar como parte integrante do projeto.
>
280
!Comunidade ::
Contato
Programas e parcerias
com entidades
Adriana Adorno
www.bosch.com.br
Elaborado em: 18/6/2001
Nome:
Website da empresa:
A Robert Bosch – Divisão Bosch Freios mantém parcerias
riado de Campinas, formado por 15 instituições públi-
com diversas instituições públicas, participando de inúmeros
cas e privadas e que tem como objetivo a valorização do
projetos e programas de caráter social. Em 1997, a empresa
trabalho voluntário. Além disso, a Robert Bosch – Divi-
iniciou uma importante parceria com a Federação das Enti-
são Bosch Freios patrocinou eventos, palestras e deba-
dades Assistenciais de Campinas (Feac), a partir da qual esta-
tes, com temática diversificada, como o 1o Congresso
beleceu apoios específicos a diferentes instituições da região.
sobre Inclusão Social, o Programa de Prevenção às Dro-
A Feac tem como objetivo atender instituições que necessi-
gas, o 1o Congresso Brasileiro sobre Meio Ambiente e
tam assessoria em planejamento de projetos sociais. Atual-
Responsabilidade Civil e Penal das Empresas, e a Cam-
mente, estão filiadas à Feac 86 entidades assistenciais que
panha de combate ao fogo nas matas e áreas protegi-
atendem a mais de 30 mil pessoas direta ou indiretamente.
das de Campinas, promovida pelo Corpo de Bombeiros.
A Robert Bosch – Divisão Bosch Freios apoia, desde
1998, o projeto Qualidade na Escola, desenvolvido pela
✓ Centro de Orientação ao Menor de Campinas – Comec:
Feac como parte da ação “Aliança Campinas pela Educa-
✓ O Centro de Orientação ao Menor de Campinas (Co-
ção”. Ele visa o reforço do ensino básico em cinco escolas
mec), fundado em 1980, tem como objetivo desenvol-
públicas da cidade, beneficiando 3.500 crianças. Investi-
ver programas de prevenção da delinqüência juvenil e a
mento: R$ 12 mil por ano.
promoção psicossocial do adolescente e de sua família.
A empresa apoiou também a Campanha de Voluntários
A entidade atende a 220 adolescentes com conduta
lançada pela Feac, visando estimular e multiplicar as ações
anti-social, na faixa etária dos 12 aos 18 anos. A Robert
voluntárias em Campinas, fortalecendo o sentido de cida-
Bosch – Divisão Bosch Freios desenvolve, desde 1995,
dania e de envolvimento comunitário. A campanha prepa-
em parceria com o Comec, o Programa de Capacitação
rou a realização de um conjunto de eventos em 2001, de-
de Adolescentes, que abrange cursos de formação téc-
signado pelas Nações Unidas como o Ano Internacional do
nica, acompanhamento psicopedagógico, reuniões de
Voluntariado:
aconselhamento social junto com as famílias, orientação
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Robert Bosch Ltda.
médica, orientação vocacional e atividades de lazer e
✓ Programa de Capacitação Administrativa e Gerencial:
cultura. Já passaram pelo programa 72 adolescentes,
Funcionários voluntários da Robert Bosch – Divisão
vários dos quais foram admitidos posteriormente pela
Bosch Freios integram o grupo de docentes que ministra
empresa. Todos eles concluíram o Ensino Fundamental.
treinamentos para dirigentes e técnicos das entidades filiadas à Feac. A empresa apoia ou patrocina diversos ou-
✓ Escola Arquimedes:
tros programas e atividades, entre os quais a Gincana
✓ A Escola Arquimedes tem uma forte tradição na forma-
Social, promovida pela Feac e voltada para 600 estudan-
ção profissional de adolescentes e adultos e já teve, des-
tes da rede pública.
de 1974, mais de 50 mil alunos. A Robert Bosch – Divisão Bosch Freios firmou convênio com a Escola Arqui-
✓ Comitê Municipal do Voluntariado de Campinas:
medes para a disponibilização de vagas gratuitas, em
A empresa faz parte do Comitê Municipal do Volunta-
cursos da área automotiva, para adolescentes assistidos
281
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
pela Associação São João Vianney ou indicados pelos
compromisso irrevogável, do qual depende a própria so-
funcionários da empresa. Já foram beneficiados por esse
brevivência da nossa sociedade.
projeto 340 adolescentes. Além dos programas referidos, a Robert Bosch – Divisão Bosch Freios vem buscan-
Aprendizagens
do desenvolver novas parcerias a fim de maximizar as
Um critério importante é que as parcerias sejam desen-
ações desenvolvidas e ampliar seu campo de atuação.
volvidas com organizações de elevada credibilidade na co-
Todos os projetos em andamento são monitorados, com
munidade. Também é relevante avaliar se as parcerias pos-
base na busca da melhoria contínua.
sibilitam o envolvimento e a participação dos próprios funcionários da empresa e podem, de algum modo, vir a be-
Resultados / benefícios gerados
neficiá-los. Deve-se assegurar que as parcerias estejam vol-
Cada programa/parceria tem apresentado resultados
tadas para projetos simples e da fácil aplicabilidade, uma
específicos significativos. Porém, os maiores ganhos estão
vez que sua efetivação vai ser expressão do compromisso
no envolvimento da comunidade interna na execução dos
da empresa com a responsabilidade social. Os programas
projetos e na efetiva melhora da qualidade de vida dos be-
a serem apoiados nas parcerias devem ser compatíveis
neficiados, principalmente na promoção da inclusão social.
com os acúmulos, potencialidades e limitações técnicas e
É expressivo o ganho obtido pela empresa em termos de
financeiras da empresa. Projetos de alta complexidade po-
imagem pública e na melhoria das relações internas, ainda
dem exigir a constituição de uma rede de apoiadores que
que esses resultados não sejam diretamente quantificáveis.
assegurem a viabilidade da parceria.
Motivações
Recomendações para a replicação da prática
A Robert Bosch – Divisão Bosch Freios tem, entre suas
✓ Procure verificar se as entidades e projetos que a empre-
prioridades, a preocupação com a questão social, em es-
sa pretende apoiar estão alinhados com suas crenças e
pecial no que toca à inclusão social e, como decorrência,
valores.
✓ Dê preferência à implementação de projetos estrutura-
com a capacitação técnico-educacional de crianças, adolescentes e portadores de necessidades especiais. A em-
dos e abrangentes.
presa entende que a solução para as questões sociais só
✓ Vínculos passageiros ou restritos, estabelecidos, em ge-
virá como resultado de uma ação conjunta entre o gover-
ral, por meio de doações, apenas minimizam problemas
no, a sociedade civil, o empresariado e o terceiro setor. Daí
emergenciais.
a necessidade de que cada um dos envolvidos busque de-
✓ Valorize e estimule o comprometimento e o apoio de
senvolver parcerias, em prol da missão maior a ser cumpri-
seus funcionários com as entidades que mantém proje-
da. Para a Robert Bosch – Divisão Bosch Freios esse é um
tos patrocinados pela empresa.
>
282
!Comunidade ::
Contato
Apoio a Entidades
do Terceiro Setor
Luciana Paschoalin Menezes
www.palavramagica.com.br
Elaborado em: 12/8/2002
Nome:
Website da empresa:
A Editora Palavra Mágica oferece apoio a entidades do
número de pessoas que colaboraram com ela. Ao mesmo
Terceiro Setor, com pequenas quantias em dinheiro e, prin-
tempo, as instituições fortalecem e qualificam cada vez
cipalmente, com produtos e serviços. A entidade O Canti-
mais o serviço prestado aumentando até a capacidade de
nho do Céu, que abriga crianças portadoras de deficiência
atendimento. Em 2000, a empresa prestou serviço de as-
mental, recebe uma pequena verba mensal. O Sanatório
sessoria de imprensa para clientes fixos: Crescer – Crédito
São Vicente de Paula e a Creche-Escola Obreiros do Bem,
Solidário; Apae de Batatais; Sanatório Espírita Vicente de
instituição que segue a linha antroposófica e atende 150
Paulo; Creche Escola-Obreiros do Bem e Naps-F (Núcleo de
crianças e adolescentes, são apoiados por meio de servi-
Apoio Psicosocial a Farmacopendentes). Também realizou
ços, que vão desde assessoria de imprensa gratuita até
atividades de divulgação e assessoria para eventos que tra-
apoio para campanha de marketing e produtos gráficos.
taram ou divulgam temas sociais: “Dez Anos de Estatuto
A empresa implantou, em outubro de 1999, em parce-
da Criança e do Adolescente: Um Olhar Sobre o Passado,
ria com a Creche-Escola Obreiros do Bem, uma oficina de
Uma Visão Para o Futuro”, Primeiro e Segundo Encontro
reciclagem de papel, oferecendo a 11 adolescentes a pos-
Regional de Educação Ambiental, Curso de Gestão Estra-
sibilidade de aprender a reutilizar o papel, estimulando a
tégica de Organizações Sem Fins Lucrativos, em parceria
criatividade e o respeito ao meio ambiente. A oficina pro-
com o Sebrae-SP, Projeto Casa-Rua, Movimento de Luta
duz cartões, crachás e blocos de papel. Com essa ativida-
Antimanicomial, Movimento Contra Toda Forma de Vio-
de os jovens ampliam sua consciência e realizam sua par-
lência, da Arquidiocese de Ribeirão Preto.
te na transformação da sociedade. As entidades são estimuladas a apresentar propostas dentro do planejamento
Resultados / benefícios gerados
estratégico e missão da fundação mantida pela empresa.
Além da satisfação pessoal de cada colaborador, há
Quando as propostas são aceitas, podem resultar em pro-
uma valorização do profissional que dispõe do seu conhe-
jetos e ações em parceria. Geralmente, são levadas em
cimento para causas sociais. As entidades fortalecem e
conta as demandas e necessidades apresentadas pela pró-
qualificam cada vez mais o serviço prestado, aumentando
pria comunidade e suas instituições, públicas, privadas e
inclusive, em alguns casos, sua capacidade de atendimen-
do Terceiro Setor.
to. Com a divulgação de eventos e seus temas, a empresa
A Editora Palavra Mágica estimula os parceiros a parti-
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Editora Palavra
Mágica Ltda.
contribui para ampliar a discussão e a repercussão desses
ciparem efetivamente dos projetos e ações, além de terem
temas na imprensa.
suas logomarcas inseridas em toda a comunicação. Além
Em 1999, a Fundação Palavra Mágica promoveu o I
disso, a empresa viabiliza patrocínios para que seus parcei-
Simpósio Nacional de Empresas e Responsabilidade Social,
ros possam participar de cursos de formação profissional.
que reuniu mais de uma centena de empresas, instituições
E, ainda, apóia os parceiros com consultoria gratuita e a
e executivos de vários estados brasileiros. Entre as entida-
própria prestação de serviços como assessoria de impren-
des que participaram do evento, convidadas pela editora,
sa gratuita, campanha de marketing e produtos gráficos.
várias puderam incrementar seu processo de gestão, ativi-
A instituição se beneficia com o fortalecimento institucio-
dades e o próprio planejamento estratégico a partir da vi-
nal e de suas ações e consegue, muitas vezes, aumentar o
são que incorporaram sobre responsabilidade social em-
283
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
presarial. Depois do evento, por exemplo, a Casa das Man-
para implementar ações que resultem na melhoria da vida
gueiras estruturou vários projetos por meio do relaciona-
em sociedade. Esse preceito está contido na própria missão
mento com empresas cidadãs. O mesmo aconteceu com a
da empresa, que é debatida e revista anualmente: “Trans-
Obreiros do Bem, para a qual, além do SINAL, abriu-se a
mitir conhecimento e promover entretenimento e cultura,
participação da entidade em um curso de Gestão Estraté-
contribuindo para formar o cidadão e ajudar a construir
gica de Organizações Sem Fins Lucrativos no Sebrae-SP,
uma sociedade mais justa, solidária e progressista”.
para o qual foi feita assessoria de imprensa gratuita. Isso
resultou no seu fortalecimento, crescimento e maior efi-
Aprendizagens
ciência no atendimento.
O principal desafio é conscientizar as entidades de assistência da importância deste tipo de serviço e orientá-las
Motivações
como atuar neste processo. Para isso, antes de iniciar o tra-
O papel de uma empresa da iniciativa privada, na visão
balho, os dirigentes das instituições recebem um treina-
da Editora Palavra Mágica, vai muito além de produzir, ge-
mento sobre o papel da comunicação no Terceiro Setor. O
rar empregos, movimentar a economia de uma região ou
grande fator de sucesso está tanto na satisfação pessoal
país, recolher impostos, gerar lucros e, eventualmente, até
de quem realiza, como na percepção, por parte dos cola-
exportar – compreensão convencional e equivocada que
boradores envolvidos, do excelente resultado que o traba-
ainda predomina no meio corporativo nos dias atuais. Mais
lho gera para as entidades.
do que isso, a editora considera que uma empresa moderna deve assumir o papel de agente de transformação so-
Recomendações para a replicação da prática
cial, por meio de uma visão ética do seu ambiente e de prá-
Uma das dicas pode ser criar um banco de dados das
ticas socialmente responsáveis. Ao interferir positivamente
entidades que a empresa gostaria de se relacionar ou uma
nas comunidades onde atua, a empresa funciona como um
espécie de regulamento sobre que tipo de projetos gosta-
indutor do progresso da civilização. Assim, as entidades do
ria de apoiar, se há profissionais na empresa que podem
Terceiro Setor, a maioria das quais impulsionadas por traba-
ou gostariam de fazer trabalho voluntário, ou se já partici-
lhadores voluntários, são encaradas como fortes aliados
pa com alguma entidade.
>
284
!Comunidade ::
Auxílio à comunidade
e conservação do
meio ambiente
Contato
Nome:
Gabriela Gonçalves Suárez
20/12/2002
Elaborado em:
O Laboratório Dr. Pio desenvolve várias práticas de cu-
das as práticas desenvolvidas são voltadas à responsabili-
nho social, interagindo de modo amplo com a comunida-
dade social e à melhoria das condições de vida dos mora-
de de Santana do Livramento. Tais iniciativas têm como
dores do município. Nesse sentido, o projeto possui um ca-
base a filosofia empresarial, o controle de qualidade e a
ráter ecológico, pois busca garantir um meio ambiente
política ambiental que orientam sua atuação.
saudável para as futuras gerações.
Essas ações envolvem todos os níveis da empresa, a co-
O projeto trouxe ainda resultados positivos para a empre-
meçar por sua diretoria, que participa ativamente do Rotary
sa. O reconhecimento das ações do laboratório pela comu-
Club da cidade, desenvolvendo campanhas comunitárias,
nidade trouxe consigo o fortalecimento da marca e aumen-
serviços à comunidade, palestras, além de outras atividades.
to das vendas. O laboratório tem sua imagem associada à
O laboratório também organiza campanhas de conscien-
qualidade e à satisfação de todas as partes interessadas.
tização e prevenção relacionadas à saúde, como campanhas
de prevenção à Aids e de vacinação. Colabora financeira-
Motivações
mente para projetos comunitários como a Conferência São
A principal motivação foi cumprir com a responsabilida-
Vicente de Paulo, Projeto Tchê, Santa Casa, Apae e Mãe,
de social que toda empresa deve assumir com a comuni-
fornecendo para alguns deles exames laboratoriais gratui-
dade e o meio ambiente. Esta preocupação ecológica veio
tos. Em 2001, participou da campanha Envolva-se, organi-
da pouca importância atribuída ao tema, principalmente
zada pelo Sesc. Sua função foi realizar uma coleta de reta-
nas grandes cidades, onde o lixo faz parte da identidade
lhos para confeccionar cobertores para pessoas carentes.
urbana.
O laboratório lançou em 2002 a campanha de educação
No âmbito social, além de contribuir para promover
ambiental “Cidade Limpa faz bem à saúde”, para a qual dis-
uma melhor qualidade de vida da sociedade, o Laborató-
ponibilizou tempo e recursos financeiros. O intuito é cons-
rio Dr. Pio busca conscientizar empresas, instituições e ci-
cientizar as pessoas a manter a cidade limpa, não jogando
dadãos para a importância de ações que contemplem a
lixo no chão. Como desdobramento desta iniciativa está
comunidade. Além de contribuir socialmente, este em-
prevista uma ampla divulgação, por meio de entrevistas em
preendimento é uma forma bastante eficiente de divulgar
rádio e jornal, realização de palestras e visitas a escolas e
a marca e a ideologia da empresa. Assim, as práticas reali-
convênios do laboratório. Essas ações têm ressaltado de for-
zadas pela empresa tornaram-se uma referência em ter-
ma positiva o nome da empresa, destacando-a na comuni-
mos de responsabilidade social, e seus resultados, um estí-
dade como uma empresa com responsabilidade social.
mulo para outras iniciativas.
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Sant’Anna Simões
Pires AL Laboratório de
Análises Clínicas Ltda.
Em média, entre 0,14% e 0,20%, do faturamento bruto
do Laboratório Dr. Pio é destinado às ações sociais. A doa-
Aprendizagens
ção em produtos e serviços corresponde de 1,64% a 1,74%
Cabe à liderança explicitar a todos seus funcionários e
desse valor.
parceiros a missão, visão, valores e princípios que direcionam a empresa. Para que essas orientações estejam inseri-
Resultados / benefícios gerados
das efetivamente em todos os níveis de funcionamento, é
A comunidade é a maior beneficiada com o projeto. To-
importante que a direção divulgue de modo claro e obje-
285
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
tivo quais as metas visadas pelas práticas que empreende.
população local. Também é importante criar indicadores
Dessa maneira, os colaboradores sentem-se integrados e
de desempenho para controlar os resultados obtidos e o
estimulados a contribuir. Do mesmo modo, as atividades e
nível de satisfação da comunidade com a implementação
decisões devem ter caráter participativo.
do programa.
Para uma empresa pequena, realizar gastos que não
Recomendações para a replicação da prática
são voltados à produção significa assumir um impacto fi-
Antes de mais nada, a empresa deve realizar um estudo
nanceiro significativo. Por menores que sejam, estes inves-
da cidade para identificar áreas nas quais pode colaborar
timentos tem influência em seu desempenho econômico.
e que tipo de projeto poderia desenvolver. O Laboratório
É importante que se estabeleça parcerias com organiza-
Dr. Pio optou pelo desenvolvimento de um programa vol-
ções sem fins lucrativos e projetos que precisam da cola-
tado para a limpeza da cidade e educação ambiental da
boração e patrocínio de empresas.
>
286
!Comunidade ::
Contato
Associação Comunidade
de Mãos Dadas (ACMD)
Nome:
Ronald Luiz Monteiro
27/10/2003
Elaborado em:
A RLM Comércio de Alimentos, empresa franqueada da
nidade e para as crianças e adolescentes, há resultados
McDonald´s na Baixada Santista (SP), percebeu que apoiar
para a empresa. O ambiente de trabalho tem substancial
isoladamente era uma ação com resultados limitados. Por
melhora, os funcionários sentem-se mais motivados e par-
isso, foi uma das empresas fundadoras da Associação Co-
ticipam com maior freqüência das atividades sociais da
munidade de Mãos Dadas (ACMD), criada em 1996 por
empresa e fora dela.
empresários de Santos, que atua em defesa dos direitos da
criança e do adolescente. Alguns projetos da ACMD são:
Motivações
✓ Sensibilização por meio de palestras e cafés da manhã
A empresa percebeu que atuar pontualmente apoiando
para empresas;
uma ou outra organização não era a melhor forma de con-
✓ Rede Sementeira (capacitação de entidades de atendi-
tribuir com a comunidade. Por isso decidiu unir esforços
mento à criança e ao adolescente em parceria com o
com outras empresas e empresários para atuar em rede e
Instituto C&A);
impactar a comunidade de forma ampla.
✓ Projeto Família Legal (parceria com a Universidade Metropolitana de Santos visando a agilização dos processos
Aprendizagens
de adoção, guarda e tutela de crianças);
A dedicação da presidência da empresa foi um dos fa-
✓ Central de Informações (desenvolvimento de uma cen-
tores de sucesso da prática, além do trabalho de um ge-
tral de recebimento de dúvidas e encaminhamento de
rente que atua como diretor voluntário na Organização. O
respostas sobre a doutrina da proteção integral prevista
desafio constante é mobilizar outras empresas e empresá-
no Estatuto da Criança e do Adolescente).
rios para aderirem à causa.
A RLM contribui financeiramente com a manutenção da
ACMD e apóia projetos da organização. A empresa mobi-
Recomendações para a replicação da prática
liza cerca de R$ 30 mil por ano para a ACMD. Ao todo, 20
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Franquia McDonald’s
Todos os setores da empresa precisam estar mobilizados
funcionários são afiliados voluntários da associação.
para a implantação da prática. Disponibilizar tempo da direção e dos funcionários é fundamental. É necessário utili-
Resultados / benefícios gerados
zar saberes já existentes: a direção da empresa e os funcio-
Mais de 16 mil crianças e adolescentes são atendidos
nários possuem conhecimentos e experiências prévias que
pela entidade. Além dos benefícios gerados para a comu-
ajudam na gestão da organização.
>
287
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
Marisol S.A.
Contato
Tatiana Magalhães Werle
www.marisol.com.br
Elaborado em: 27/10/2003
Nome:
Website da empresa:
Marisol em Família
Em 1986, a Marisol, indústria têxtil com sede em Jaraguá
são bem atendidos durante seu período de trabalho. Da
do Sul (SC), criou o Projeto Marisol em Família, inauguran-
parceria com prefeituras já foram construídos sete centros,
do o primeiro Centro de Educação Infantil para acolher em
que atendem um total de 4.658 crianças.
suas dependências filhos de colaboradoras, com idade até
seis anos. O objetivo era proporcionar segurança, tranqüili-
Motivações
dade e comodidade para mães que trabalham fora do am-
Na visão da Marisol, empresas sem vínculos fortes com a
biente familiar, deixando suas crianças adequadamente ali-
comunidade tendem a enfraquecer sua imagem e, conse-
mentadas, estimuladas e socializadas.
qüentemente, perder credibilidade e mercado. Assim, entre
O projeto obteve resultados satisfatórios e os Centros de
seus valores, está o compromisso de ser agente estimulador,
Educação foram implantados em todas as cidades de Santa
participando e apoiando iniciativas que propiciem o desen-
Catarina onde a Marisol atua. A empresa procurou então as
volvimento das comunidades onde está presente. Para a
prefeituras das cidades onde estão localizadas as unidades
Marisol, valorizar e atender as necessidades de seus colabo-
de confecção, propondo que o poder público municipal as-
radores é fundamental. Por isso, em 1985, objetivando pro-
sumisse gradativamente a administração dos centros, e pas-
porcionar maior comodidade aos colaboradores e a seus fi-
sou a contribuir com a doação de terrenos e edificações,
lhos, surgiu a proposta de criação de Centros de Educação
num total de US$ 230 mil.
Infantil. Para ampliar sua ação social, a empresa estendeu o
Para que exista um comprometimento dos pais no pro-
Projeto Marisol em Família à comunidade, beneficiando um
jeto, eles participam contribuindo com 3% da sua renda
dos principais stakeholders da empresa e estreitando seu re-
familiar. A empresa contribui com R$ 75,00 por criança e
lacionamento com prefeituras e demais parceiros.
a municipalidade doa o valor restante. O custo mensal de
cada criança em um Centro de Educação Infantil está em
Aprendizagens
torno de R$ 170,00. O programa beneficia crianças dos
A Marisol iniciou uma série de estudos sobre a criação
municípios de Jaraguá do Sul, Benedito Novo, Corupá e
dos Centros de Educação Infantil. Visitar grandes empresas
Schroeder.
que possuíam creches foi fundamental para qualificar o
atendimento. Percebe-se nesse processo que o envolvimen-
Resultados / benefícios gerados
to da comunidade, dos colaboradores e demais parceiros
A parceria entre a Marisol com as prefeituras e comuni-
deve ser realizado de forma sistemática, dividindo-se as res-
dades contribuiu para melhorar a qualidade do ensino in-
ponsabilidades para ampliar o impacto social da prática.
fantil, elevando o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) dessas cidades. Isso se deve ao número de beneficia-
Recomendações para a replicação da prática
dos pelos Centros de Educação, à proposta pedagógica, e
A prática pode ter o alcance ampliado por meio de par-
aos profissionais habilitados que compõem o quadro de
cerias com o poder público e com outras empresas, benefi-
professores.
ciando várias regiões. As doações feitas refletem uma atua-
Os Centros de Educação Infantil conferem tranqüilidade
ção responsável no desenvolvimento das comunidades onde
e segurança às mães, que têm a garantia de que seus filhos
as empresas estão presentes.
288
!Comunidade ::
Contato
Cláudio Tieghi
www.yazigi.com.br
Elaborado em: 6/11/2003
Nome:
Website da empresa:
O Yázigi Internexus é uma instituição de ensino com
franqueada. A gestão do projeto é feita pela instituição
mais de 50 anos de existência. Consciente de sua respon-
atendida e as aulas acontecem necessariamente em suas
sabilidade social, busca promover o acesso ao aprendizado
instalações.
de idiomas a pessoas de baixa renda. O Projeto Cidadãos
O projeto destina-se prioritariamente a crianças e ado-
do Mundo tem como objetivo criar oportunidade de
lescentes, mas atende também adultos e a terceira idade,
aprendizagem do idioma inglês para crianças de comuni-
e é desenvolvido em 29 cidades de 10 estados brasileiros,
dades que vivem em condições socioculturais e econômi-
em parceria com a Parmalat, as prefeituras, o Rotary Club,
cas desfavoráveis, além de possibilitar a atuação voluntária
a Cognis, a Caixa Econômica Federal e o Bradesco. Ao
dos alunos das escolas Yázigi.
todo, beneficia 25 instituições cadastradas.
Entre julho de 1997 e abril 2000, o Yázigi foi parceiro do
Programa Fábrica de Esperança de Acari, no Rio de Janeiro.
Resultados / benefícios gerados
Por um valor simbólico, crianças de 18 comunidades assis-
O Projeto Cidadãos do Mundo – Inglês para a Comuni-
tiam aulas de inglês com material didático e supervisão pe-
dade promove o exercício de liderança e incentiva o rela-
dagógica da organização. Os professores foram seleciona-
cionamento dos empresários (franqueados locais) com
dos na própria comunidade, valorizando a mão-de-obra lo-
suas comunidades de entorno. Atualmente, abrange 36
cal. A ação beneficiou cerca de 800 alunos e originou o
escolas Yázigi, está presente em 27 cidades de todas as re-
Projeto Cidadãos do Mundo – Inglês para a Comunidade.
giões do país e atende 2.230 alunos. Em três anos apre-
Para implantar o projeto, as escolas Yázigi selecionam
sentou um crescimento de 270%.
instituições localizadas nas comunidades onde atuam e ve-
O projeto leva para as comunidades a mesma formação
rificam a disponibilidade de instalações. O projeto requer
oferecida aos alunos em toda a rede. O sucesso está rela-
uma sala padronizada e equipada com computadores e
cionado à missão da empresa, que é formar cidadãos do
aparelhos de som com CD. Escola e instituição elaboram
mundo por meio do ensino de idiomas. Como conseqüên-
então um orçamento que deve contemplar gastos com
cia, abre horizontes para que essas comunidades tenham
professores, equipe pedagógica e transporte, e buscam
acesso a mais informações e desenvolvam novas habilida-
parceiros que viabilizem a operacionalização e as instala-
des ao aprender um idioma, e proporciona aos alunos da
ções necessárias. A sustentação do projeto está relaciona-
rede e colaboradores maior visão e flexibilidade para lidar
da à busca de parceiros que se responsabilizem pelas ins-
com a diversidade.
talações e pelos custos mensais, ou à cobrança de uma
Há uma melhor percepção da proposta educacional da
mensalidade mínima ou, eventualmente, as duas opções
empresa por parte dos alunos pagantes e colaboradores.
em conjunto. A escola capacita profissionais das institui-
O projeto contribui para um posicionamento coerente da
ções para recrutarem professores voluntários de inglês.
marca no mercado nacional e internacional, coloca em
A sede do Yázigi em São Paulo envia os materiais didá-
prática o exercício da cidadania e beneficia a comunidade.
ticos com desconto de 90% sobre o valor praticado para
as franquias de todo o Brasil. Os custos também são redu-
Motivações
zidos com a participação voluntária de professores da rede
Com sua vocação profissional e compromisso de em-
289
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
Yázigi Internexus
Projeto Cidadãos do
Mundo – Inglês
para a Comunidade
>
Relações com a Comunidade Local! Relações com Organizações Locais ::
!Comunidade ::
presa cidadã, o Yázigi Internexus conseguiu estabelecer
cos, éticos, educacionais) para desenvolver o programa de
um relacionamento efetivo com as comunidades onde está
forma integrada.
presente sem perder o foco de seu principal negócio: a
A proposta é ensinar línguas para formar cidadãos mais
educação.
conscientes e não apenas falantes de outros idiomas. A
A proposta educacional do Yázigi é ensinar inglês com
proposta educacional do Yázigi leva em consideração os
cidadania. Para os alunos, a aprendizagem de uma nova
aspectos relevantes da vida do aluno. A principal dificulda-
língua, dentro do conceito da cidadania do mundo, signi-
de encontrada na realização do projeto é a evasão por
fica um aumento da auto-estima, melhor desempenho em
condições econômicas (nos casos onde há o conceito de
outras matérias escolares, como português, e o interesse
mensalidade mínima) ou por razões diversas como mudan-
em conquistar um espaço na sociedade que muitas vezes
ça de endereço, trabalho e problemas familiares.
consideravam inatingível.
Recomendações para a replicação da prática
Aprendizagens
Conhecer bem as necessidades da comunidade é fun-
Para o desenvolvimento dos projetos é fundamental
damental. O ensino de uma nova língua não pode ser
que haja afinidade educacional entre as instituições envol-
apresentado como uma imposição cultural ou apenas uma
vidas. Questões e temas importantes para os alunos são
exigência do mercado de trabalho. Também é importante
tratados dentro do contexto de sala de aula. Ao selecionar
conhecer a instituição e o público a ser atendido, buscan-
as instituições, o Yázigi busca pontos em comum (filosófi-
do adequar a proposta do projeto aos mesmos.
>
290
!Comunidade ::
Contato
Atuação da Gerência
de Ação Social
Rodolfo Guttilla
www.natura.com.br
Elaborado em: 6/4/2001
Nome:
Website da empresa:
A Natura, apoiada fortemente em suas crenças, busca
Resultados / benefícios gerados
contribuir de forma inovadora e exemplar para o aperfei-
Ao adquirir os produtos Crer para Ver, os consumidores
çoamento do convívio social, provocando mudanças de
têm contato com informações que sensibilizam sobre a im-
atitudes e de valores que expressem o ideal de uma socie-
portância da participação coletiva para a melhoria da qua-
dade mais justa. Ao incorporar seu papel de agente trans-
lidade de vida e do ensino público. As consultoras Natura,
formador, a Natura vem dispondo seus conhecimentos e
os parceiros e colaboradores da companhia que participam
sua capacidade de gestão no desenvolvimento e apoio a
do programa têm oportunidade de se envolver em ações
projetos sociais capazes de resgatar a dignidade, o valor
sociais e na articulação dos projetos. Como resultado, já
das pessoas e das comunidades.
foram apoiados, desde 1995, 128 projetos que envolve-
Com esse objetivo foi criada a Gerência de Ação Social,
ram 3.524 escolas públicas em 20 Estados do Brasil. Des-
dedicada a elaborar, identificar e desenvolver projetos so-
se total, 34 projetos, que beneficiaram 1256 escolas, fo-
ciais. Por meio dessa gerência são estabelecidas parcerias
ram apoiados em 1999. Outros 22 projetos receberam
com instituições públicas e privadas que desenvolvam pro-
apoio e envolveram 1088 escolas em 2000. Os projetos
jetos sociais de modo compartilhado. Essas parcerias con-
abrangeram, nesses cinco anos, 752.050 crianças de todo
templam diferentes setores da sociedade, valorizando a di-
o país. Só em 1999 foram 476.978 crianças. Em 2000 ou-
versidade como fator gerador de ações de maior qualida-
tras 72.275 crianças foram envolvidas. Desde sua implan-
de. O estabelecimento de canais de comunicação e a pro-
tação, até 2000 foram arrecadados e investidos R$ 9,0 mi-
moção de trocas de informações abre um espaço demo-
lhões. Pode-se citar vários projetos:
crático de participação na construção coletiva das ações
✓ Barracões Culturais da Cidadania: Oficinas de artes
sociais da empresa. A Gerência de Ação Social também
plásticas, teatro e música em Itapecerica da Serra, que
visa o fortalecimento dos canais de participação. Estimula
produzem trabalhos apresentados em exposições reali-
o envolvimento de seus colaboradores, fornecedores, con-
zadas em dois barracões construídos no bairro de Jacira
sultoras e comunidade, promovendo atuação em projetos
e no centro da cidade. Diretamente envolve 1.300 pes-
sociais dentro e fora da Natura. Os acionistas destinam
soas; indiretamente, participam também famílias e po-
10% de seus dividendos para o desenvolvimento de proje-
pulação dos bairros.
Ação Social! Gestão da Ação Social ::
Natura Cosméticos S/A
✓ Criação do Conselho de Defesa dos Direitos da
tos, programas e patrocínios na área social, com foco na
Educação.
Criança e do Adolescente em Cajamar (SP): Foi cria-
Em 1995, foi estabelecida parceria entre a Natura e a
do em 1997, envolvendo o poder público e a sociedade
Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança, ambas com-
civil na definição de políticas para a defesa dos direitos
partilhando a crença de que Estado, sociedade civil e em-
da criança e do adolescente.
presas têm papéis fundamentais para a transformação da
✓ Natura Cajamar – Oficinas Culturais: Promove a mo-
realidade social. Assim, o Programa Crer para Ver surgiu
bilização e organização da comunidade jovem de Caja-
com o objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade
mar, através de oficinas culturais, desenvolvendo o po-
da Educação a partir da mobilização da sociedade civil e do
tencial criativo e estimulando a apropriação pública dos
diálogo com o poder público.
espaços para a convivência saudável e solidária. Em
291
>
Ação Social! Gestão da Ação Social ::
!Comunidade ::
2000, foram oferecidas oficinas de grafite, jardinagem e
sam o estímulo à leitura, o aprimoramento das práticas edu-
papel reciclado, com a participação de 45 crianças e
cativas, e a realização de oficinas envolvendo a família e a
adolescentes.
comunidade a que pertencem os beneficiados.
✓ Natura Jequitinhonha: Ação conjunta com a escola e
a família, voltada para o desenvolvimento integral das
Aprendizagens
crianças e jovens de 7 a 14 anos residentes no municí-
Ao longo desses anos, a Natura tem direcionado sua ca-
pio de Araçuaí, na região do médio Jequitinhonha, em
pacidade articuladora e mobilizadora para promover ações
Minas Gerais. O projeto estruturou um espaço em que
que buscam contribuir para a inclusão social e para o for-
as crianças brincam, plantam, pintam e estudam, com
talecimento da cidadania. Percebe e põe em prática a
atividades semanais envolvendo os pais. A prefeitura as-
oportunidade de ampliar e fortalecer seus relacionamentos
sumiu integralmente a ampliação do projeto para 100
tanto com colaboradores como com consultoras e forne-
crianças, estabelecendo-o como política do município,
cedores, por meio do estabelecimento de parcerias no de-
com dotação orçamentária própria. Por ter atingido seu
senvolvimento de projetos sociais. A atuação em diversos
objetivo, a Natura encerrou sua participação no projeto.
projetos sociais com base no profissionalismo e na trans-
✓ Trabalho Voluntário: Também são desenvolvidos pro-
parência fortalece sua imagem de empresa socialmente
gramas de promoção do trabalho voluntário, como
responsável e comprometida com a transformação social.
“Contadores de História”, e “Na Trilha da Leitura”.
Recomendações para a replicação da prática
✓ Ampliar e fortalecer seus relacionamentos com os cola-
Motivações
A clara definição do papel de cada setor (Estado, socie-
boradores e fornecedores, por meio do estabelecimen-
dade civil e empresas) e sua atuação compartilhada são fun-
to de parcerias no desenvolvimento de projetos sociais.
damentais para a transformação social. A Natura percebe-se
✓ Buscar que essas parcerias sejam estabelecidas com di-
no papel potencial de agente de mudança, em relação à
ferentes setores da sociedade, valorizando a diversidade
empresa e seus colaboradores, junto da comunidade e, en-
como geradora de ações de maior qualidade.
quanto interlocutora, na discussão de políticas públicas, en-
✓ Utilizar o potencial articulador e mobilizador da empre-
tre a sociedade e o Estado. Potencializa e disponibiliza sua
sa e a força disponibilizada para o bem comum em
estrutura a serviço dos projetos sociais dirigidos à comunida-
ações que busquem contribuir para a inclusão social e
de, o que fortalece o conceito de empresa cidadã. A Natu-
para o fortalecimento da cidadania.
ra privilegia a Educação em suas ações, por considerá-la o
✓ Desenvolver ações sociais baseadas na clareza de foco,
meio mais efetivo para a constituição de uma sociedade jus-
no profissionalismo e na transparência. Essa postura for-
ta, que deve ser fortalecida por cidadãos atuantes e críticos.
talece a imagem de empresa socialmente responsável e
Sua atuação nessa área dá-se em variados projetos que vi-
comprometida com a transformação social.
>
292
!Comunidade ::
Contato
Idione Martins
www.bankboston.com.br
Elaborado em: 5/6/2001
Nome:
Website da empresa:
Projeto Russas
O objetivo principal do BankBoston ao propor o Projeto
retirar do trabalho il