Modalidades : 34 - Associação de Rugby do Sul

Сomentários

Transcrição

Modalidades : 34 - Associação de Rugby do Sul
>> RÂGUEBI
ENTRONCAMENTO REUNIU MAIS DE MIL
O programa “Nestum Rugby nas
Escolas” continua a revelar-se uma
grande aposta, tanto da Federação
como da marca que apoia o projecto.
O número de escolas, alunos e professores que aderem ao projecto continua a crescer e já são mais de 35 000
as crianças que puderam praticar a
modalidade, oriundas de 350 escolas e
enquadradas por cerca de 1000 professores. No passado sábado, mais de
1100 praticantes distribuídos por 130
equipas de várias escolas de todo o
país encerraram a temporada com um
torneio de “tag rugby”, onde marcaram presença o secretário de Estado
do Desporto, o presidente da Câmara
do Entroncamento e vários Lobos.
34 Modalidades
DO PLAY-OFF >> Até aqui a equipa que joga no seu pavilhão tem-se
BASQUETEBOL FINAL
superiorizado ao adversário, mas há outros factores que fazem a diferença no
marcador, como a eficácia dos lançamentos e o número de ressaltos ganhos
Factor casa faz diferença
á se disputaram quatro jogos da final do play-off da Liga
Portuguesa e, neste momento, está tudo empatado, com
duas vitórias para cada lado,
sendo que, até agora, a equipa que joga em casa tem-se
superiorizado ao adversário.
Gregory Stempin e Marquin Chandler, ambos norteamericanos, são os jogadores
mais valiosos desta final, marcando pontos decisivos. Mas
há outros aspectos que têm
feito a diferença ao longo dos
40 minutos de cada desafio.
Nas duas primeiras partidas,
com o Dragão Caixa abarrotar de público, a supremacia
dos portistas foi evidente – vitórias por 95-69 e 93-60. No
jogo inicial, além da boa estrutura defensiva montada
por Moncho López, a maior
percentagem de cestos de
dois pontos (66 por cento) e o
maior número de ressaltos
(43 contra 23 do adversário)
fizeram a avassaladora diferença no marcador. Já no encontro seguinte, o quase ine-
_
xistente número de triplos
por parte dos encarnados –
apenas um lançamento concretizado em doze tentativas
– explicam os 33 pontos de
distância.
Na Luz, perante os seus
adeptos, o Benfica rectificou
a imagem deixada na Invicta
e empatou a eliminatória (8679 e 79-75), em dois jogos em
que o equilíbrio foi nota dominante. Na passada sexta-feira, o Benfica conseguiu mais
lançamentos certeiros de
dois pontos, enquanto anteontem os lances livres falhados pelos portistas, menos
FC Porto
Benfica
JOGADORES MAIS VALIOSOS
PONTOS MARCADOS
Gregory Stempin
72
(FC Porto)
Marquin Chandler 50
(Benfica)
■ marcador
1º PERÍODO 18-15 2ºP 22-28 3ºP 25-25 4ºP 31-17
LL
63/88
75/106
R
139
132
A
71
43
2P
25/42
3P
2/6
LL
16/18
R
33
A
6
7/16
7/17
15/17
20
8
Luol Deng (14), Carlos Boozer (26), Joakin Noah (1),
Keith Bogans (4) e Derrick Rose (20); Omer Asik, Taj
Gibson (11), Ronnie Brewer (4), CJ Watson (2), Kyle
Korver (3)
TREINADOR TOM THIBODEAU
primeiros
jogos, no
Dragão
Caixa
tiveram
excelentes
assistências, em
especial o
segundo,
com 2056
adeptos
da Luz
disputaramse os outros
encontros,
com o
segundo a
mostrar
também
uma
excelente
moldura nas
bancadas,
com cerca
de 2200
adeptos
do Benfica
quatro que o adversário, permitiram a vitória do Benfica.
A final continua na próxima quinta-feira (20h30) no
Dragão Caixa. Previsivelmente cheio. ■
3P
37/117
25/74
MIAMI HEAT 96 (2)
CHICAGO BULLS 85 (1)
a Dois
No segundo
encontro, o
Benfica só marcou
um lançamento de
três pontos
PONTOS MARCADOS
2P
342
84/142
299
72/165
NBA
Lebron James (22), Chris Bosh (34), Joel Anthony (3),
Dwyane Wade (17) e Mike Bibby (6); Udonis Haslem
(8), Mike Miller, Mario Chalmers (6)
TREINADOR ERIK SPOELSTRA
a No pavilhão
ESTATÍSTICA DA FINAL
D
>> American Airlines Arena, Miami
>> Espectadores 20123
PÚBLICO
a Quinto jogo
FÁBIO POÇO/GLOBAL IMAGENS
J
Miguel Gouveia Pereira
_
TERÇA-FEIRA
24.MAIO.2011
_
Clássico > Andrade, Heshimu e Évora voltam a encontrar-se na quinta
desta final é
na quintafeira, às
20h30 no
Dragão
Caixa
Miami ganha
vantagem
Os Miami Heat venceram os
Chicago Bulls, por 96-85, no
terceiro jogo da final da Conferência Este, agarrando uma
vantagem de 2-1 depois de terem também levado a melhor
no segundo encontro. Chris
Bosh foi um dos principais responsáveis pela vitória da equipa de Miami. Após ter falhado
os três primeiros lançamentos,
converteu 15 dos restantes 18,
terminando o duelo com 34
pontos. LeBron James contribuiu com 22 pontos e 10 assistências e Dwyane Wade com
17 pontos e nove ressaltos, embora tenham acertado, em conjunto, apenas 12 dos 30 “tiros”
de campo tentados.
Nos Chicago Bulls, que não perdiam dois jogos consecutivos
desde o início de Fevereiro, o
melhor foi Carlos Boozer, que
somou 26 pontos e 17 ressaltos. Derrick Rose, o MVP da
época regular, contribuiu com
20 pontos. Joakin Noah, com
mau perder, insultou um adepto, mas acabou por pedir desculpa, admitindo o erro.
MIGUEL MINHAVA
Base encarnado diz que a equipa
não pode voltar a permitir “grandes desvantagens”
Minhava > Benfiquista alerta para o ambiente do Dragão
Se o Benfica quiser ser
campeão nacional, tem de
vencer pelo menos um jogo
na casa do FC Porto. Esse foi
um dado muito importante
lembrado por Miguel Minhava, que espera triunfar já na
quinta-feira, de modo a que
os encarnados disputem o
sexto encontro, no domingo
na Luz, em posição de se sagrarem tricampeões nacionais diante dos seus adeptos.
“Conseguimos melhorar bastante em relação aos dois primeiros jogos e agora está
tudo empatado”, analisou o
base benfiquista.
No Dragão, o Benfica cometeu muitos erros, permi-
tindo vantagens volumosas.
Para o jogador, a vitória será
possível com uma actuação
perto da perfeição. “Precisamos de estar concentrados,
porque vamos ter um ambiente difícil e adverso. Não
podemos voltar a permitir
grandes desvantagens”, defendeu o basquetebolista.
MIKE EHRMANN/AFP
FÁBIO POÇO/GLOBAL IMAGENS
“Ambiente será adverso”
Crucial > Chris Bosh liderou