Baixar 08° Ed.

Сomentários

Transcrição

Baixar 08° Ed.
Crer
ANO 2 # 8 GOIÂNIA | SETEMBRO - DEZEMBRO 2010
www.crer.org.br
e m r e v i s ta
Marconi
Perillo
“A ampliação do
CRER receberá atenção
especial de nossa parte.”
Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo
CRER EM REVISTA 1
2 CRER EM REVISTA
CARTA AO LEITOR
Em destaque,
Matéria de Capa
Sérgio Daher
Superintendente
Executivo do CRER
A oitava edição da Crer em Revista, traz o
artigo sobre Retinopatia Diabética, a principal
causa mundial da cegueira, escrito pelo médico
Oftalmologista Marcos Pereira Ávila, Professor Titular de Oftalmologia da Universidade
Federal de Goiás – UFG, Fundador do Centro Brasileiro de Cirurgia de Olhos – CBCO e
Sócio Benemérito do CRER. Destacamos ainda, eventos importantes na área de ensino e
pesquisa como o 64 º Encontro da Academia
Americana de Paralisia Cerebral, realizado em
Washington – EUA e transmitido no Auditório
da Instituição por Videoconferência. Além da
Jornada Científica do CRER, que em sua oitava
edição trouxe à nossa Instituição cerca de 300
participantes para o aprofundamento em torno
do tema: Novas Tecnologias na Reabilitação.
Nesta edição, nossa publicação tem
a satisfação de contar com uma entrevis-
AGIR
Estrutura Administrativa
Sócios Fundadores
Alcides Luís de Siqueira
Dom Antônio Ribeiro de Oliveira
Elias Bufaiçal (in memorian)
Lúcio Fiúza Gouthier
Maria Paula Curado
Milca Severino Pereira
Nabyh Salum
Paulo Afonso Ferreira
Sócios Beneméritos
Cyro Miranda Gifford Júnior
José Alves Filho
Marlei Antônio da Rocha
Marcos Pereira Ávila
Paulo César da Veiga Jardim
Ruy Rocha de Macedo
Valtercy de Melo
Embaixador do CRER
Luiz Felipe Scolari
Conselheiros
Edward Madureira Brasil
José Evaristo dos Santos
Joaquim Caetano de Almeida Netto
Miguel Ângelo Cançado
Nabyh Salum
Pedro Daniel Bittar
Sizenando da S. Campos Júnior
ta especial do Excelentíssimo Governador
de
Goiás, Marconi Perillo, cujas palavras
reforçam o apreço que nutre por esta casa e
pelo trabalho desenvolvido nos últimos oito
anos, voltado ao atendimento de excelência às
pessoas com deficiência física e/ou auditiva.
As festividades também estão em pauta
na seção Resumo, como o aniversário do CRER,
Semana Interna de Prevenção de Acidentes
de Trabalho - 8ª SIPAT, Programação de Final
de Ano, entre outros eventos. Já no espaço
Terceiro Setor, é possível conhecer a importante iniciativa da empresa Datagro, parceira
do CRER e exemplo a ser seguido por toda
Sociedade Civil Organizada e Empresariado.
Esperamos,
caro
leitor,
que
a
Crer em Revista revele a você um pouco dos últimos fatos que envolvem a família CRER. Até a próxima publicação.
EXPEDIENTE
Conselho Fiscal - Titulares
Lúcio Fiúza Gouthier
Milca Severino Pereira
Nabyh Salum
CRER EM REVISTA
Supervisão geral, Edição e Textos
Anna Luiza Rucas
Gerente de Marketing - SRE
Suplentes
Paulo Afonso Ferreira
Alcides Luís de Siqueira
Maria Paula Curado
Jornalistas
Mayra Paiva - JPGO - 01802
Thaís Franco
Superintendentes
Sérgio Daher
Superintendente Executivo
João Alírio Teixeira da Silva Júnior
Sup. Técnico de Reabilitação
Claudemiro Euzébio Dourado
Sup. Administrativo e Financeiro
Divaina Alves Batista
Sup. Multiprofissional de Reabilitação
Fause Musse
Sup. de Relações Externas
Estagiária em Jornalismo
Marianne Carrijo
Colaboradores SRE
Hugo Miranda
(Diagramação e Arte de anúncios)
Marianne Carrijo (Textos)
Patrícia Nunes (Secretária Júnior)
Rodrigo Rocha e Teka Machado
(Contato comercial e Produção de fotos)
Thaís Franco (Textos)
Colaborador CENE
Eduardo Castro (fotografias)
Diretor Técnico
João Alírio Teixeira da Silva Júnior
CRM/GO 6593
CRER EM REVISTA é uma publicação dirigida do Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo.
Tiragem: 5 mil exemplares. Contatos - fones: (62) 3232-3138/ 3106/ 3050 - [email protected] Site: www.crer.org.br
Endereço CRER: Av. Vereador José Monteiro, 1655, Setor Negrão de Lima, CEP 74653-230 - Goiânia - Goiás
CRER EM REVISTA 3
ÍnDICE
Canal Aberto
Entrevista
[email protected]
O governador Marconi
Perillo nos fala o que
representa o CRER em
sua trajetória política
6
CRER Amigo
13
Capacitação
Evento discute
novas tecnologias
na reabilitação
Espaço do
paciente
“O CRER é a minha
segunda casa”
15 18
Meio ambiente
Paisagismo e
humanização
TERCEIRO SETOR
PARÁGRAFO ÚNICO
RESUMO
ARTIGO
20
22
5
5
4 CRER EM REVISTA
SUPERAÇÃO
24
8
14
CONHEÇA SEUS DIREITOS
POR DENTRO DO CRER
25
16
AGENDA
PERFIL DO COLABORADOR
26
ÚLTIMO DETALHE
Prestem atenção, amigos, no que
agora vou dizer. É fato verídico
o que veio me acontecer. Depois
de ter sofrido um acidente grave
automobilístico, os movimentos das
pernas vim a perder, mas não acabaram por aí as pelejas que tinha de
vencer.
Depois de cirurgias e repousos, vim
me reabilitar no CRER, instituição
essa que merece muita atenção,
onde tomei conhecimento de coisas
que sequer tinha noção. Conheci
pessoas com dificuldades físicas
que nas terapias depositavam toda
sua dedicação, que me encaravam
a vida com alegria apesar de toda
limitação. Foi por observar essas
pessoas que aprendi uma lição: na
vida não importa classe social, raça
ou nacionalidade. Estamos todos
sujeitos a viver essa realidade.
Sofrer um acidente, doenças neurológicas ou até mesmo levar um
tiro intencional ou bala perdida,
se acontecer, com certeza, mudaria
toda uma vida. Se Deus o livre isso
lhe acontecer, não se desespere e
nem pense em morrer, pois nesta
instituição maravilhosa, denominada CRER, existem anjos disfarçados
de funcionários que estão de braços
abertos para te acolher.
Vigiado por um anjo que ao céu
foi pedir asilo, é de coração que
te agradecemos por ter começado
tudo isso, Dr. Henrique Santillo.
Allan Robert, paciente
TERCEIRO SETOR
Responsabilidade social: uma
alavanca para a sustentabilidade
DATAGRO aposta em ações sociais e ambientais
para o desenvolvimento sustentável
“
É muito importante
realizarmos eventos
científicos anuais,
como a Jornada
Científica do CRER,
para trocarmos
experiências com
profissionais de outros estados e países.
Além de atualizar
nossos conhecimentos, divulga e valoriza o nosso trabalho.
Parágrafo Único
Além da doação do carro, que
é feita em parceria com a GM-General
Motors, a DATAGRO também patrocina alguns lutadores de karate e
o time de polo da própria empresa.
Também dedicam esforços em responsabilidade ambiental, utilizando
papel de cana e prestando consultoria com respeito ao tripé sustentabilidade econômica, ambiental e social.
O carro zero quilômetro, Novo
Classic 2011, foi entregue ao Superintendente Executivo do CRER, Dr.
Sérgio Daher, na presença do Presidente da DATAGRO, Dr. Plinio
Nastari; André Rocha, presidente da
SIFAEG; e José Carlos da Silveira Pinheiro Neto, Pedro Luiz Dias, Milton
Fratta e Pedro O. G. S. Bentancourt,
ambos da GM. A entrega foi feita durante a 10ª Conferência Internacional
da DATAGRO sobre Açúcar e Etanol.
A conferência foi realizada nos
dias 18 e 19 de outubro, em São Paulo.
O evento já se tornou tradicional centro de referência dos principais temas
e preocupações do setor para os integrantes de sua cadeia produtiva. Nesta edição, a Conferência Internacional
da DATAGRO sobre Açúcar e Etanol
reuniu mais de 575 participantes de 27
países, tendo sido um dos mais expressivos encontros das maiores autoridades mundiais do setor sucro-alcooleiro.
“
O
s valores financeiros já
não são mais a única preocupação
de grandes empresas. A adaptação
a este novo paradigma é imprescindível no fortalecimento da competitividade de importantes grupos
empresariais. Preocupar-se com o
meio ambiente e, principalmente,
colaborar com o social é promover
a sustentabilidade e o desenvolvimento de uma sociedade mais justa.
Para contribuir e lutar por um
Brasil melhor e mais igualitário é que
a DATAGRO doa anualmente, desde
2007, um veículo a uma instituição que é
reconhecida pelo esforço, credibilidade
e seriedade. Os critérios são estabelecidos pelo próprio presidente da DATAGRO, Dr. Plinio Nastari, que também
é o responsável pela seleção. Este ano,
o Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo foi o beneficiado pela doação de um carro novo.
A DATAGRO é a maior consultoria de etanol e açúcar do Brasil e uma
das maiores do mundo. É composta
por uma equipe com mais de 40 colaboradores, que concentram suas forças na
matriz, localizada em São Paulo, e em
outras quatro unidades – Nova York
(EUA), Ribeirão Preto, Recife e Santos.
Através de análises inovadoras e diferenciadas, a empresa fornece
ferramentas para uma melhor compreensão do mercado, agregando valor ao posicionamento comercial e estratégico de seus clientes e parceiros,
espalhados em quatro continentes e
41 países. Como consultoria de etanol
e açúcar, a DATAGRO tem prestado
assessoria ao governo brasileiro e de
outros países em iniciativas relacionadas a planejamento energético (em
etanol, gasolina e outros biocombustíveis), desregulamentação da indústria, integração e disputas comerciais.
Dra. Mônica Ribeiro
Costa,
Médica Infectologista,
Presidente da Comissão
de Controle de Infecção
Hospitalar do CRER,
sobre a realização da VIII
Jornada Científica, realizada em novembro de
2010.
Realizado em ambiente agradável, a conferência promoveu debates importantes para o desenvolvimento do setor
CRER EM REVISTA 5
EnTREVISTA
Marconi Perillo,
O único a assumir o cargo de Goverandor do Estado
por três vezes, fato inédito na história de Goiás.
M
arconi Ferreira Perillo Júnior nasceu em Goiânia, na Maternidade de Maio, em 07 de março
de 1963, mas passou toda infância e juventude em Palmeiras de Goiás, local que considera sua cidade
natal. Primeiro filho do comerciante Marconi Ferreira Perillo e da dona-de-casa Maria Pires Perillo,
casou-se em 1989 com a Sra. Valéria Jaime Peixoto Perillo, com quem tem duas filhas, Isabela e Ana
Luísa.
Bacharel em direito, Marconi Perillo tem uma trajetória de vitórias emocionantes nas urnas. Profundo conhecedor do Estado de Goiás e da administração pública, já ocupou os cargos de Senador da
República, Deputado Federal e Deputado Estadual.
6 CRER EM REVISTA
“Tenho um carinho
enorme pelo Centro
de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique
Santillo, O CRER”
1- Que propostas o senhor apresenta para implementar ainda mais o trabalho no CRER?
Marconi Perillo – Tenho um carinho enorme pelo Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique
Santillo, o CRER. Ele foi idealizado e concretizado ainda no meu
primeiro governo, em 2002, e eu
sinto muito orgulho por isso. É
uma daquelas obras que dignificam o homem público e as pessoas de um modo geral. Darei todo o
apoio necessário para consolidar o
que está sendo desenvolvido pelo
CRER e implementar novas e interessantes experiências que venham
melhorar ainda mais o seu atendimento e a sua participação social.
2- O senhor foi o idealizador e o
criador do CRER. O que ele representa na sua trajetória política?
Marconi Perillo – Representa muito, porque foi uma obra construída
com amor e pelo amor que eu sinto
e dedico às pessoas do meu Estado, principalmente porque o CRER
atende um público que precisa muito desse tipo de serviço, do qual
Goiás era carente, muito carente.
Da mesma forma deve ser com o
Hospital da Mulher, que vamos
construir para promover o atendimento de saúde especializado às
mulheres mais carentes do Estado,
e o Credeq, para atendimento aos
jovens viciados em drogas. Falar do
CRER me dá satisfação, haja vista
que me identifico e me regozijo com
a obra que ele pratica e representa.
3- O CRER tem um modelo de gestão que é constantemente elogiado.
O senhor mesmo disse na campanha que ele será replicado na estrutura da Saúde no Estado. Quando isso será colocado em prática?
Marconi Perillo – É verdade. Sempre que posso elogio o modelo de
gestão do CRER, que casa competência e eficiência com bom atendimento. É o modelo que quero ver
implantado no sistema de Saúde de
Goiás, e o CRER é referência nisso.
A legislação passou a permitir que
uma Organização Social possa ficar responsável pelo trabalho do
CRER. Através da Associação Goiana de Integralização e Reabilitação,
que tem qualificação para tal e não
pensa em lucros, pudemos fazer
essa parceria, com a participação
do governo e iniciativa privada.
O Estado acompanha e fiscaliza o
trabalho por meio de um contrato,
com foco na produção e nas metas.
4- Como será o CRER em sua administração?
Marconi Perillo – Vamos dar total
assistência e incentivar cada vez
mais a melhoria do atendimento
do CRER. Temos um compromisso
inalienável com o bom atendimento
de saúde em Goiás, por isso vamos
trabalhar incessantemente e com
todas as nossas forças para elevar
Goiás a um patamar de destaque
nas áreas prioritárias, e saúde é
uma delas, buscando também dar
condições suficientes e necessárias
para aprimorarmos nosso desenvolvimento econômico e social.
5- O CRER está em processo de ampliação do seu espaço físico para aumentar e melhorar o atendimento.
Como será o encaminhamento desse processo em seu novo governo?
Marconi Perillo – A ampliação receberá atenção especial de nossa
parte. Buscaremos parcerias com
as áreas afins do governo federal.
Além de concluir a construção, precisamos equipar adequadamente, e
isso demanda a aplicação de recursos exclusivos. Não tenho dúvida
de que nós vamos concluir, equipar
e colocar para funcionar adequadamente e no menor espaço de tempo essa nova área do CRER. Faço
questão de renovar meu compromisso com o bom funcionamento
do Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo. É
alento e refrigério para mim, que
tenho responsabilidade com o bom
atendimento à população goiana,
vê-lo acolhendo com presteza, rapidez e carinho os que dele precisam.
CRER EM REVISTA 7
resumo
O Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo comemorou em setembro os oito anos de atendimento às pessoas com deficiência física e/ou auditiva. A Instituição é referência em tratamento multiprofissional, moderno e humanizado. Desde 25 de setembro de 2002,
quando as portas do Hospital se abriram para a sociedade goiana, o CRER totalizou mais de 4,5 milhões de atendimentos/ procedimentos,
confeccionou mais de 29,5 mil órteses e próteses e dispensou cerca de 11, 5 mil aparelhos auditivos. Para celebrar a data, o CRER reuniu colaboradores, voluntários, pacientes, familiares e amigos para prestigiarem a programação repleta de muita música, cultura, arte e solidariedade.
Sertanejo
A dupla Eddy e Brunno foi quem deu
início às festividades. Eles se apresentaram no dia 14 de setembro, no Auditório Valéria Perillo. Foi uma tarde
bem animada que contagiou todos os
presentes. A dupla cantou músicas
sertanejas que fazem parte de seu repertório. ”Essa tarde ficará marcada,
pois viemos trazer energia a todos
vocês”, disse o cantor Eddy. Já no dia
23, também pela tarde, foi a vez da
dupla Roney e Rayan subir no palco
do CRER e agitar o público. Eles também cantaram músicas sertanejas de
sucesso, incluindo a canção Te amar de
novo, a mais nova melodia da dupla.
8 CRER EM REVISTA
Música Goiana
A cantora goiana de MPB Maria Eugênia levou, no dia 16 de setembro,
música e emoção aos pacientes e colaboradores do Hospital. Acompanhada pelo instrumentista e produtor
musical Luiz Chaffin, Maria Eugênia
ressaltou o sentimento de se apresentar no CRER. “Cantar pra mim é uma
grande emoção e poder levar isso para
pessoas que precisam é muito bom,
um verdadeiro presente”, afirmou.
A cantora também comentou o bom
momento de sua carreira, em que interpreta a música Companheiro, na
abertura da novela Araguaia, da Rede
Globo. “Estou orgulhosa pela escolha da trilha sonora (da novela) e torço muito para que a música goiana se
projete no cenário nacional”, registrou.
Som da viola
A Orquestra de Violeiros de Goiás
animou a sexta-feira, 17 de setembro,
logo pela manhã. Em uma apresentação na recepção principal do CRER, os
violeiros tocaram melodias conhecidas
da música sertaneja. Os pacientes e colaboradores que puderam assistir se
entusiasmaram com o agradável som,
e ajudaram a cantar sucessos como
Moreninha Linda e 60 dias apaixonado.
Voz e Violão
Ritmos como Baião, Xote, Rock, Tango foram apresentados pelo cantor,
compositor, instrumentista e arranjador Adalto Bento Leal, no dia 19 de
setembro. O cantor iniciou sua carreira em parceria com a cantora Wanda
D’ Almeida. Juntos formaram a dupla Wanda e Adalto, durante 22 anos.
Nesse período, compuseram mais de
200 músicas, sendo algumas de Martinho da Vila, Banda Fuzuê (de Amsterdã – Holanda), entre outras. A partir
de fevereiro de 1998, iniciou carreira
solo (devido falecimento da sua parceira Wanda). Hoje Adalto, desenvolve um trabalho afro-brasileiro e indígena com muito ritmo e sentimento,
buscando universalizar suas músicas.
Tarantela
As 10 vozes do Coral Italiano Toscanelli cantaram pela primeira vez no
CRER, no dia 20 de setembro. O grupo,
que se impressionou com a estrutura
da Instituição, entoou as canções Fascinação, Besame Mucho, Sole Mio e Mia
Gioconda e a clássica Funiculí, Funiculá.
O Coral é regido pela musicista Lara
Elen, que aproveitou a ocasião para
ressaltar o atendimento que o CRER
vem oferecendo à sociedade. “É um
prazer estarmos aqui num Hospital
de excelência que atende realmente a
quem necessita”, concluiu a regente.
Beleza e auto-estima
Mais de 15 profissionais da beleza acompanharam Suemar Borba-o Su [Beauty],
em uma ação de corte de cabelo para os
pacientes internados e colaboradores do
CRER. O renomado profissional de projeção nacional esteve no Hospital pela
primeira vez e se encantou com o que
viu. “Estou surpreso com a organização,
estrutura e serviço que o CRER oferece”, afirmou. A parceria entre o CRER e
o Centro de Beleza Su Beauty já passa
de dois anos. No dia 21 de setembro, foram mais de 62 atendimentos em pouco
mais de cinco horas. Su disse que fará questão de estar no CRER pelo menos
uma vez em cada mês. “Quero criar um calendário fixo de atendimento. Gostei muito daqui”, reiterou. Ele explicou ainda que não é meramente uma questão de beleza. “O principal benefício desta ação é a melhoria da auto-estima, a
pessoa se sente bem melhor quanto está de bem com sua imagem”, concluiu.
Ação de Graças
MPB
O cantor e compositor Chico Aafa trouxe ao CRER, no dia 21 de setembro, um
pouquinho da Música Popular Brasileira e Erudita. Nascido em Teresina-PI,
ele já gravou quatros Cd’s e se prepara
o seu primeiro DVD, que será gravado
em Vitória da Conquista - BA. Chico
apresentou algumas de suas principais
composições: Por onde eu for, Amo-te, e
músicas compostas por Zé Ramalho.
O cantor ressalta ter ficado contente
quando recebeu o convite para participar da programação de aniversário do
CRER. “O Crer é a nossa casa, me sinto à vontade aqui”, declara, sorrindo.
A tradicional missa em ação de graças ao aniversário do CRER foi celebrada no dia 23 de setembro, pelo
Arcebispo Emérito de Goiânia, Dom
Antônio Ribeiro. O sublime momento reuniu superintendentes, colaboradores, pacientes, voluntários, parceiros, imprensa e autoridades goianas.
O Coral Crer em Canto participou da
celebração e emocionou os presentes
com músicas sacras. Durante a missa,
Dom Antônio convidou todos para, de mãos dadas, praticarem um ato de fraternidade. “Agradecemos e louvemos a Deus por esta linda e abençoada casa”,
proclamou. O Superintendente Executivo do CRER, Dr. Sérgio Daher, descreveu
durante o seu pronunciamento a emoção de estar celebrando pelo oitavo ano
consecutivo a trajetória da Instituição. “Sinto-me honrado por tal privilégio”, declarou. No final, agradeceu os presentes e, principalmente, os pacientes. “Gostaria de fazer um agradecimento especial a cada um dos pacientes do CRER,
pela confiança depositada em nossa casa, o que muito nos orgulha e motiva a
perseverar no caminho das grandes realizações”, ressaltou o superintendente.
Vida
A programação de aniversário do
CRER também foi de solidariedade.
Nas manhãs de 22 e 23 de setembro,
uma unidade móvel do Instituto de
Hemoterapia e Hematologia do Estado de Goiás – IHG estacionou no
CRER para receber doações de sangue. Colaboradores, voluntários, pacientes e acompanhantes exerceram a
boa prática solidária e doaram sangue.
CRER EM REVISTA 9
resumo
Título
O Superintendente Executivo do
CRER, Dr. Sérgio Daher, recebeu o Título Honorífico de Cidadão Goianiense, pelos relevantes serviços prestados
em prol da saúde e pelo belo trabalho
desenvolvido frente ao CRER. “Sintome honrado e acolhido por essa querida população goianiense, que me
recebeu de braços abertos”, agradece
o superintendente, natural de Piracanjuba. O Decreto n° 15, de 05 de maio
de 2010, que concede o título, foi proposto pela vereadora Cidinha Siqueira.
Haiti
O CRER recebeu, no dia 23 de agosto, uma Delegação de Autoridades
do Haiti. A ilustre visita dos haitianos
reconhece a importância que o CRER,
como unidade de referência em Reabilitação Física, projeta na comunidade médica, além de ser uma Instituição habilitada junto ao Ministério da
Saúde. O Hospital foi o único da área
de reabilitação a ser visitado no país.
O grupo era composto por cinco representantes do Ministério da Saúde:
Archange Michel Pean, diretor da Secretaria de Estado para a Integração de
Pessoas com Deficiência do Haiti; Jean
Hughes Salomon Henrys, membro do
gabinete do Ministério da Saúde Pública e da População do Haiti; Marie Jessie
Alexander Muscadin, diretora do gabinete da Secretaria de Integração da Pessoa com Deficiência do Haiti; Jessie Piere Saint Louis, fisiatra chefe do Comitê
de Reabilitação do Ministério da Saúde
do Haiti e Carolina Hernandez Ramirez, representante da OEA no Haiti.
O objetivo das autoridades haitianas
foi conhecer de perto a política voltada para o atendimento e acompanhamento de pacientes portadores
de deficiências e o avanço de uma legislação a favor da acessibilidade, a
fim de aplicá-las no país. O Haiti foi
devastado por um desastroso terremoto em janeiro de 2010, que deixou
uma legião de sequelados no país.
10 CRER EM REVISTA
Crer no Lance!
O leilão beneficente realizado em comemoração ao aniversário de oito anos do
CRER movimentou a sociedade goiana
e os apaixonados por futebol. Foram
leiloadas 12 camisas oficiais e autografadas por craques dos principais clubes
goianos e da série A do Campeonato
Brasileiro 2010. No dia 30 de setembro,
cerca de 800 pessoas participaram do
leilão na LeiloMaster, empresa especializada em promover leilões. Compradores dos estados de Goiás, Mato
Grosso, Minas Gerais e São Paulo arremataram as camisas. Antes de dar início ao leilão, o Sr. João Barros, proprietário da LeiloMaster, fez um apelo aos
presentes. “Peço uma atenção maior a
este leilão. Façam a doação com o coração aberto”. Barros explicou a intenção
da ação e reiterou: “Amanhã pode ser
você quem precise do Hospital, então
ajude hoje”, reforçou. Como exemplo,
o leiloeiro Barros foi também quem deu
o primeiro lance. Um grupo de empresários de Goiânia, Fabrício Simon, Roni
César, Cleuber Machado, Eudes Ribeiro e Eldimar Cerqueira, arremataram e
doaram três vezes a camisa do Flamengo, autografada pelo Zico. “Todos nós
conhecemos o trabalho do CRER e procuramos sempre ajudar”, afirmou Fabrício, que também comprou a camisa
do Fluminense. O empresário Mardoqueibi Martins de Oliveira percorreu
mais de 500 quilômetros só para arrematar a camisa do Palmeiras. Morador
de Nova Xavantina, Mato Grosso, o
torcedor do Verdão disse que quando
viu pela internet a chance de ter seu
manto sagrado alviverde, não pensou
duas vezes. “Sou Palmeirense roxo,
quando fiquei sabendo do leilão decidi vir só para comprar a camisa”, diz
satisfeito ao exibir a camisa autografada pelo técnico Luiz Felipe Scolari. O
sucesso do CRER no Lance, idealizado
pela Superintendência de Relações
Externas do CRER, foi resultado de
uma concentração de esforços de vários parceiros que contribuíram com a
ação, desde os clubes que acreditaram
no propósito do CRER e doaram as camisas; os veículos de comunicação que
divulgaram e convidaram a sociedade
a participar; o Embaixador do CRER,
Luiz Felipe Scolari, que apoiou e divulgou a campanha; à LeiloMaster, na
pessoa do Sr. João Alves Barros, que cedeu cordialmente o espaço e organização do leilão e a todos os compradores
que se sensibilizaram com a causa nobre e se dispuseram a ajudar o Hospital. “Ajudar o CRER é uma maneira de
devolver à sociedade tudo aquilo que
recebemos de Deus”, concluiu Barros.
Colaboradores do CRER exibem camisas doadas pelos
clubes
Mardoqueibi veio de longe para arrematar camisa do
seu time
CRER e SBOT-GO
64º Meeting da AACPDM
Uma parceria entre o Hospital e a regional Goiás da Sociedade Brasileira
de Ortopedia e Traumatologia promoveu, no dia 19 de agosto, uma ação
de orientação para o uso correto de
mochilas e malas escolares. O objetivo foi alertar pais e crianças sobre os
possíveis problemas de colunas que
podem ser causados pelo peso excessivo ou uso inadequado das mochilas.
A campanha foi levada às ruas e escolas de Goiânia e também ao CRER,
onde os pais puderam checar na hora
se o peso da mochila era ou não o
ideal ao tamanho e peso dos filhos.
O CRER transmitiu por videoconferência o 64º Meeting da AACPDM –
Encontro da Academia Americana de
Paralisia Cerebral, realizado nos dia
24 e 25 de setembro, em Washington,
Estados Unidos. O evento, que acontece anualmente, foi transmitido pelo
CRER pela sétima vez consecutiva.
A videoconferência reuniu no auditório da Instituição cerca de 150 profissionais e estudantes da área médica
e reabilitação. Com o apoio do laboratório Ipsen e Novafarma Indústria
Farmacêutica, o CRER realizou a
transmissão, com tradução simultânea, gratuitamente aos participantes.
resumo
8ª SIPAT
A realização da oitava Semana Interna
de Prevenção de Acidentes de Trabalho
movimentou o CRER de 04 a 08 de outubro. Organizado pela Comissão Interna
de Prevenção de Acidentes-CIPA, que
nesta gestão é presidida pela colaboradora Ilma Martins da Costa, o tema do
evento foi: “Qualidade de Vida, bemestar e satisfação no trabalho dependem de você! Faça acontecer!”. Com
este propósito, foram realizadas ao longo da semana palestras motivacionais
sobre ambiente de trabalho, alimentação saudável e prevenção de doenças
ocupacionais, ministradas por profissionais do SESC. A programação ainda
contou com apresentações musicais e
sorteios de brindes aos colaboradores.
Dia do Médico
No dia 19 de outubro, o Superintendente Executivo do CRER, Dr. Sérgio
Daher, foi homenageado em sessão
especial na Câmara Municipal de Goiânia. A solenidade foi proposta pelo
vereador Dr. Gian, em comemoração
ao Dia do Médico, 18 de outubro. Entre os médicos homenageados estavam: Dr. Zacharias Calil Hamu, titular
da Superintendência Leide das Neves
Ferreira; Dr. Cezar Gonçalves Gomes,
Diretor-geral do Hospital Materno Infantil e o traumatologista Ruy Rocha
de Macedo. O vereador ressaltou que
o médico é um dos mais importantes
profissionais presentes em nossa sociedade, onde sua função está ligada
à manutenção e restauração da saúde,
utilizando a sabedoria específica e técnicas que permite promover a saúde
e o bem-estar físico, mental e social.
Como é bom ser criança
No mês das Crianças, o CRER entrou
no clima e fez a festa com a garotada.
Nos dias 14 e 21 de outubro, cerca de
60 pessoas, entre crianças e adultos,
se reuniram no auditório da Instituição e assistiram à peça O contador de
Histórias do Cerrado, do Grupo de
Teatro Arte e Fogo, de autoria de Barale Neto e direção de Delgado Filho.
A peça traz às crianças o incentivo
sobre a importância de preservar a
natureza e cuidar do Cerrado. Com a
importante colaboração dos voluntários da Instituição, foram montados
na quadra de esportes do CRER vários
brinquedos, como pula-pula e piscina
de bolinhas, para a diversão da criançada. Na ocasião, os terapeutas também levaram para a brinquedoteca
os pequenos pacientes do Hospital. A
palhaça Pipoca, voluntária do CRER,
foi responsável pelas boas risadas das
crianças presentes, que encheram,
ainda mais, de alegria a Instituição.
Membros da CIPA 2010 durante 8° SIPAT
Doação
O CRER foi beneficiado com a doação de um carro zero quilômetro
pela DATAGRO, empresa brasileira
de consultoria de etanol e açúcar, em
parceria com a GM-General Motors.
A entrega foi feita ao Superintendente
Executivo do CRER, Sérgio Daher, durante a 10ª Conferência Internacional
da DATAGRO sobre Açúcar e Etanol,
realizada em São Paulo, nos dias 18 e
19 de outubro. Leia mais na página 5.
Dr. Sérgio Daher foi agraciado com placa de honra
pelos vereadores da câmara municipal de goiânia
Canto e Encanto
O coral Crer em Canto fez bela apresentação durante o 6º encontro de corais
da Cidade de Goiás, que movimentou a antiga capital entre os dias 08 e 12
de outubro. Mais de 20 corais participaram do evento, sendo alguns da cidade anfitriã, outros de Goiânia e até
de Brasília. O grupo do CRER, que
participou do encontro pela primeira
vez, encantou a plateia do teatro São
Joaquim com as canções Kyrie, Roda
Vida, Velha Infância e Aleluia, Cristo é
vivo!, sob a regência do Maestro Sérgio Luiz. O organizador do encontro
de corais, Sebastião Silva, agradeceu a
participação de todos e confirmou: “O
canto que trouxeram fez nossa pequenina cidade de Goiás brilhar mais”.
CRER EM REVISTA 11
resumo
Prova dos 3 Tambores da
Solidariedade
Foi realizada no dia 24 de outubro, na
Cavalaria, a III Prova dos 3 Tambores
da Solidariedade, evento beneficente
de iniciativa do empresário Pascoal Canevaroli. Com um público maior que
as edições anteriores, foram arrecadadas, segundo a organização do evento, cerca de 10 toneladas de alimentos
que foram doados ao CRER, Hospital
Araújo Jorge e Casa do Aidético. “Estou bastante feliz por termos superado bem mais em público e alimentos
arrecadados este ano”, comemora Canevaroli. A prova dos 3 tambores foi
encerrada à tarde, com um animado
show da dupla sertaneja Carlos e Jader.
Reconhecimento
O CRER recebeu no dia 23 de novembro a visita do então Governador do
Estado de Goiás, Dr. Alcides Rodrigues
Filho, acompanhado da Primeira-Dama e Presidente da OVG, Raquel Rodrigues. Estiveram presentes também
Autoridades estaduais, colaboradores, pacientes e voluntários do CRER.
Após apresentação do Coral Crer em
Canto, no auditório da Instituição, o
Superintendente Executivo do CRER,
Dr. Sérgio Daher, agradeceu e destacou a importância da parceria entre
o CRER e o Governo estadual. “Essa
parceria denota, em primeiro lugar,
respeito aos nossos milhares de pacientes, pessoas com deficiência física e/ou
auditiva”, declarou. O paciente então
João Victor Vieira entregou ao Governador e Primeira-Dama uma placa de
agradecimento. Alcides Rodrigues disse que o reconhecimento da Instituição
se deve a todos os profissionais que se
empenharam para que a mesma fosse
reconhecida como referência em atendimento no Brasil. “Quero reverenciar
e agradecer a todos deste Hospital de
excelência que tem o árduo trabalho
de reabilitar, e que é referência nacional. Aqui avalia, readapta e, sobretudo,
traz um novo sentido à vida dos pacientes”, declarou. A Primeira-Dama
também comentou sobre a atuação da
Unidade de saúde. “O CRER não é um
hospital como os outros, porque dá
esperança aos pacientes”, disse. Encerrada a solenidade no auditório, o casal
visitou as obras de expansão do Hospital. “É um grande trabalho em prol
dos que necessitam”, destacou Alcides.
12 CRER EM REVISTA
Integrar
Foi lançada no dia 17 de novembro a
Integrar - Feira de Inclusão, Acessibilidade e Tecnologia. O lançamento foi
realizado no auditório do CRER, com
a participação da Banda Luar, composta por internos da Vila São José Bento Cottolengo. Promovida por Cyda
Monteiro, Heloíza Cavalcanti e Nair
Xavier, a Integrar será realizada nos
dias 17, 18 e 19 de dezembro, no Centro de Convenções de Goiânia. Durante a solenidade, a promotora Nair
Xavier enfatizou a importância da realização do evento. “É mais que uma
feira, é um abraço à inclusão e ao respeito às diferenças”, disse. Ela ainda
agradeceu a parceria entre o CRER e
completou: “Sem o CRER, não teríamos ousado a façanha. A excelência do
CRER se alçou para orgulho de nós,
goianos”. O Superintendente Executivo do Hospital, Dr. Sérgio Daher, retribuiu a deferência e o voto de confiança. “Faz parte da nossa Missão. É um
honra recebê-los aqui para o lançamento desta importante feira”, concluiu.
Feira da Solidariedade
O CRER participou pela primeira vez
da Feira da Solidariedade, realizada
de 1 a 5 de dezembro, na Feira da Estação, em Goiânia. A sétima edição
do evento trouxe ideias e produtos
voltados para o consumo consciente, responsabilidade socioambiental e
economia comunitária. Cerca de 300
expositores comercializaram produtos artesanais, religiosos e de decoração natalina. No estande do CRER
foram expostos e comercializados artesanatos produzidos por pacientes e
voluntários da Arteterapia e produtos
da linha Amigo do CRER. A Feira da
Solidariedade é promovida pela Arquidiocese de Goiânia-GO e se confirma
como a segunda maior feira católica
do País e a maior do Centro-Oeste.
Fim de Ano
A programação de fim de ano do CRER
mobilizou os colaboradores, voluntários
e pacientes da Instituição. Foi promovida uma Gincana do Bem, no período de
1 a 20 de dezembro, para arrecadação de
roupas, sapatos, brinquedos e alimentos
não-perecíveis. Os itens arrecadados foram entregues ao Cevam e Casa de Eurípedes. Na tarde de 16 de dezembro, o
Auditório do CRER tornou-se palco para
o Show de Talentos dos colaboradores.
As apresentações foram animadas com a
participação especial da atriz Ana Cristina Evangelista, caracterizada como
Palhaça Ana Banana. Vestida com enorme coração, Ana Banana iniciou o espetáculo com a canção Amor I Love You,
acompanhada por Natasha Witkowshi
no violão. Passaram pelo palco do Show
de Talentos do CRER: Darlan Ribeiro,
que tocou Friends; Eduardo Castro, com
a música Tears in Heaven; os casais Luiz
César e Seissa Alves e Ian Beni e Flávia
Ferreira, que dançaram com arte os ritmos bolero, bachata e forró brega; Gladson Amaro que, acompanhado pela
tecladista Ana Cristina, cantou O Vento;
Valdirene Luz com Gatinha Manhosa; Geraldo Alves com participação de Deivid
Coelho e Betuel Melo cantaram A Carta;
Deivid e Betuel também acompanharam
Carlos Henrique nas músicas Preciso
te Encontrar e Me Perco Neste Seu Olhar;
de improviso, Sandra Jaime foi incentivada pelos colegas e contou piadas; na
flauta, Mário Hamelim, com Implora; Fábio e Wandré estrearam no palco com
Só Liguei para Dizer que Te Amo e Só da
você na minha vida; Juceli Fernandes,
acompanhada de Eduardo e Darlan,
embalou o sucesso Mania de Você. No
encerramento, todos os talentos voltaram ao palco para em uma só voz cantarem Eu quero CRER, música de Eduardo Castro, Darlan Ribeiro e Anna Rita.
No dia 20, os colaboradores e pacientes
se reuniram mais uma vez para momento sublime de agradecimento e ação de
graças pelo ano de 2010. O culto ecumênico foi celebrado pelo representante da
Comunidade Espírita, Paulo César, e das
igrejas Evangélica e Católica, Ilma Martins e Padre Alaor Rodrigues, respectivamente. No mesmo dia, após o culto, a paciente Rosemary Freitas Valle, conhecida
como Meirinha, distribuiu brinquedos,
algodão doce, pipoca, cachorro quente
e refrigerante às crianças na quadra de
esportes. Vestida de mamãe noel, Meirinha explicou que a ação era uma forma
de retribuir sua gratidão ao CRER. “Cheguei há quatro anos nesta casa e fiquei
encantada”, lembra emocionada. “Isso
é o mínimo que posso fazer”, completa.
resumo
Novas Tecnologias
na Reabilitação
CRER reúne especialistas do Brasil e outros países para discutir
novas técnicas aplicadas à reabilitação
P
rofissionais do CRER, dos
estados de Minas Gerais, São Paulo
e também do Canadá e Argentina se
reuniram durante os dias 25 e 26 de
novembro para participarem da Jornada Científica do Hospital. A oitava
edição do evento, realizada na própria Instituição, abordou como tema
As Novas Tecnologias na Reabilitação.
O evento, que acontece anualmente desde o primeiro ano de atividades do CRER, atraiu cerca de 300
participantes, entre alunos e profissionais da área de Medicina Física e
Reabilitação. Integrado à Jornada, foi
realizado também o XVII Congresso Brasileiro de Paralisia Cerebral.
Na solenidade de abertura, o
Presidente da Jornada e Superintendente Executivo do CRER, Dr. Sérgio Daher,
agradeceu a presença e participação de
todos. Também destacou a importância
do evento para a projeção do CRER no
âmbito científico nacional. “Contamos
aqui com profissionais da mais alta
capacidade. Esta Jornada será repleta de êxito”, completou o Presidente.
As atividades do evento aconteceram, paralelamente, em três ambientes (auditório e ginásios de terapia) e os estandes foram expostos na
quadra esportiva.
A programação
da oitava edição da Jornada trouxe,
relacionadas às novas tecnologias,
discussões sobre Doenças Neuromusculares, Ética, Integração Sensorial, Reabilitação Cognitiva, Equoterapia, Musicoterapia, entre outros.
A terapeuta ocupacional da
AACD, Ana Carolina Silva, falou de um
dos novos serviços da Associação prestado à criança deficiente: o uso da realidade virtual na Reabilitação. Segundo
ela, desde março de 2010 os terapeutas
utilizam recursos tecnológicos e virtuais como intervenção terapêutica. “É
muito importante oferecer novas tecnologias, como games (jogos virtuais) para
serviços de reabilitação”, avalia Ana
Carolina. No CRER, as terapias aplicadas em realidade virtual foram iniciadas em 2007, obtendo bons resultados.
Maria Cristina de Oliveira, também Terapeuta Ocupacional
da AACD, participou pela quinta
vez da Jornada Científica do CRER.
“Acho essencial que o CRER mantenha sempre uma discussão aquecida.
Não há um modelo único para a reabilitação, e essa Instituição está investindo nisso, sempre em busca de
excelência”, afirmou a terapeuta, que
palestrou sobre Integração Sensorial.
Após o encerramento do
evento científico, durante a Assembleia Geral da Associação Brasileira
de Paralisia Cerebral – ABPC ficou
decidido que a cidade sede do próximo Congresso Brasileiro de Paralisia
Cerebral será Salvador, Bahia. O encontro é realizado a cada dois anos.
Parcerias
A realização da VIII Jornada Científica do CRER contou com a valorosa
colaboração dos seguintes patrocinadores e apoiadores: Lumiar Health Care;
Iquego; Polior; Meta Hospitalar; Cristália; Hospcom; Merz Biolab; Laboratório
Ipsen; Orthopauher; Phisio América;
Lelix Confecção; PUC Goiás; Allergan;
Hypermarcas; Grupo Microssom; Giroflex; Unicom; NET; Audix; Castro’s
Park Hotel; Casa Restaurante; Chão
Nativo Restaurante; JR Tendas; Tecniprom e Governo do Estado de Goiás.
CRER EM REVISTA 13
ARTIGO
Retinopatia Diabética
Doença é a principal causa mundial da cegueira
O diabetes
mellitus é uma das
principais
e
mais
lesivas
doenças que
acometem os
seres humanos. Estima-se
Por
que no mundo
Marcos Ávila
todo, existam
cerca de 180 milhões de pessoas com
a doença, especialmente pela mudança de hábitos alimentares, obesidade e sedentarismo, crescentes a cada
década. O controle inadequado da
glicemia, nível de açúcar no sangue,
e o tempo de evolução da doença estão associados às suas complicações.
Frequentemente, o diabetes é
fator determinante ou condição associada a importantes causas de morte,
como os acidentes vasculares cerebrais
(derrames), infartos do miocárdio e insuficiência renal crônica (falência do
funcionamento dos rins), além de causas de incapacidade como a amputação
de membros, disfunção erétil (impotência sexual) e a retinopatia diabética.
A retinopatia diabética constitui uma das principais complicações do
diabetes mellitus e uma das mais importantes causas de cegueira no mundo.
Acredita-se que seja responsável por
quase 10% do total de casos de cegueira legal (incapacidade para o trabalho),
sendo também a causa mais recorrente
de cegueira na população com idade
entre 20 e 74 anos. Por este motivo, é
importante que se saiba um pouco mais
sobre a retinopatia, suas características e maneiras de preveni-la e tratá-la.
Assim como as outras complicações relacionadas ao diabetes,
a retinopatia diabética surge em decorrência do descontrole crônico da
glicemia. Os níveis elevados da gli14 CRER EM REVISTA
cemia danificam os vasos sanguíneos
culminando na deficiência do fornecimento de sangue para os tecidos.
A retinopatia diabética pode
ser classificada em não-proliferativa
- quando não há a formação de neovasos, ou proliferativa, quando surgem neovasos (vasos sanguíneos
anormais) numa tentativa frustrada
de promover a melhoria na circulação do sangue, mas que na verdade
induz à hemorragia vítrea ou ao descolamento de retina tracional, eventos
gravíssimos e frequentemente associados à perda irreversível da visão.
Tanto na forma não-proliferativa
quanto na forma proliferativa pode
haver o edema macular (inchaço da
porção central da retina), causado pelo
vazamento de líquido através de vasos
sanguíneos danificados, e que constitui
a principal causa de baixa de visão no
diabético. Acredita-se que em algum
momento da vida, metade dos pacientes
diabéticos desenvolverá a retinopatia e
cerca de um terço terá edema macular.
Como então prevenir a retinopatia? Como diagnosticá-la? Como
tratá-la?
A prevenção da retinopatia,
assim como de outras complicações
do diabetes, passa inicialmente pelo
diagnóstico precoce da doença e pelo
controle da glicemia. É muito importante que se detecte a doença o quanto antes e que se controle a glicemia o
mais corretamente possível. Estudos
demonstram que os dois principais
fatores relacionados às complicações
do diabetes são o tempo da doença e
o mau controle glicêmico. Assim, mesmo um paciente com muitos anos de
doença pode não apresentar retinopatia, caso controle o diabetes corretamente. Em contrapartida, um paciente
diabético há poucos anos pode apresentar complicações oculares graves
devido ao mau controle da glicemia.
A retinopatia diabética pode
apresentar sintomas como a baixa da
visão. No entanto, na maioria das vezes a doença é assintomática por algum
tempo e sintomas visuais surgem, em
geral, tardiamente. O tratamento impede a evolução para a cegueira em mais
de 50% dos casos, principalmente se o
diagnóstico é feito no início da doença.
Por este motivo é recomendado
que todo paciente diabético seja examinado por um médico oftalmologista à
época do diagnóstico do diabetes (exame de fundo de olho) e periodicamente
a cada ano. Na presença de retinopatia
seu médico poderá solicitar exames adicionais que auxiliem na caracterização
da doença e no planejamento do tratamento. Podem ser necessárias também
consultas com menor intervalo de tempo, dependendo da gravidade do caso.
É importante que todo paciente
diabético tenha informações adequadas sobre a doença e suas potenciais
complicações. Talvez, a forma silenciosa e indolor na qual o diabetes frequentemente se manifesta seja uma
das maiores dificuldades em se conscientizar muitos pacientes sobre a necessidade do tratamento. Buscar cuidados multidisciplinares e seguir as
orientações propostas pelos profissionais de saúde são maneiras de garantir
um futuro pleno e com qualidade de
vida. A avaliação oftalmológica anual é parte importante destes cuidados
e fator fundamental para que se preserve o maior dos nossos sentidos.
Marcos Ávila é Professor Titular de
Oftalmologia da Universidade Federal
de Goiás – UFG, Fundador do Centro Brasileiro de Cirurgia de Olhos CBCO e Sócio Benemérito do CRER.
ESPAçO DO PACIEnTE
“O CRER é a minha segunda casa”
n
a noite do dia 9 de
Fevereiro de 2010, por volta das 19h,
Silas Pereira Marçal, 40 anos, sofreu
uma queda de aproximadamente três
metros de altura ao tentar pegar um
pássaro de sua mãe que havia fugido
da gaiola e sobrevoado até o telhado da casa. Estas são as últimas lembranças de Silas, que estava prestes a
iniciar uma nova etapa em sua vida.
Desesperada, sua mãe Carma Maria acionou o SAMU. Com a
chegada dos socorristas, Silas foi examinado e, por não conseguir mexer
as pernas, teve que ser imobilizado e
levado para o Hospital de Urgência
de Goiânia - Hugo. Chegando ao hospital, foi diagnosticado por meio de
exames de imagem da coluna e cabeça
uma fratura T12, evoluindo com paraplegia L1 Asia C. Com isso, alguns
movimentos de suas pernas ficaram
comprometidos. “Eu estava com muita dor, minhas pernas queimavam.
Quando percebi que não sentia minhas pernas, chorei muito”, lembra.
No dia seguinte, Silas foi encaminhado para o Hospital Santa Genoveva, onde foi atendido por um
neurocirurgião. O médico disse a ele
que era preciso fazer uma cirurgia na
sua coluna, na artrodese de T10 a L2,
com material titânio, e assim foi feito.
Silas com Diogo Suriani em sessão de hidroterapia.
Ao término do procedimento cirúrgico,
permaneceu em observação no hospital
durante seis dias. No dia 16 de fevereiro recebeu alta e, com o auxílio de uma
cadeira de rodas, pôde ir para casa.
Reabilitação
Silas chegou ao CRER no dia 25
de março para iniciar seu tratamento de reabilitação, onde permaneceu
até o mês de maio internado. Nesses
dois meses, fazia duas vezes por dia
sessões que alternavam entre fisioterapia, terapia ocupacional (TO) e
hidroterapia. “Eu lembro a primeira
vez que a terapeuta ocupacional Andressa me colocou de pé. Não pude
conter as lágrimas”, se emociona.
Conhecido pelos corredores da
Instituição, o paciente diz que aqui fez
muitas amizades. “Aqui tenho anjos da
guarda, excelentes profissionais que
acreditaram em mim, o CRER é a minha segunda casa”, confessa. Em agradecimento, Silas e a mãe citam alguns
profissionais que o ajudaram em sua
realibitação: as terapeutas ocupacionais Andressa e Liliane; os fisioterapeutas Fabíola, Thaís Costa, Ana Carolina,
Diogo e Thiago; os maqueiros Fernando Cardoso e Rômulo Ferreira; todos
os enfermeiros, vigilantes e o pessoal
da higienização. ”O meu filho nasceu
de novo, e isso devo primeiramente
a Deus, e segundo ao CRER”, afirma sua mãe com tamanha felicidade.
Atualmente o paciente já recuperou os movimentos das pernas, mas
continua com as sessões de fisioterapia
e hidroterapia, pois tem o objetivo de
deixar logo a cadeira de rodas. “Quero voltar a trabalhar, a exercer minha
profissão. Sou um ótimo vendedor,
daqui pra frente vou tocar e seguir minha vida”, declara cheio de esperança.
CRER EM REVISTA 15
COnHEçA SEUS DIREITOS
Concurso Público: Vagas para
portadores de deficiência
Conheça os direitos das pessoas com deficiência ao concorrer
a uma vaga em um concurso público
E
Divulgação
m busca de estabilidade,
melhores salários e um futuro mais seguro, a corrida por uma vaga na esfera
pública é cada vez mais voraz. Para o
portador de deficiência, o Artigo 37,
inciso VIII da Constituição Federal, garante o direito de concorrer às vagas em
concursos públicos em igualdade de
condições com os demais candidatos.
Pela lei, deve ser reservada uma
porcentagem mínima de 5% e no
máximo de 20% do total de
vagas. Para isso, as funções devem ser compatíveis com o tipo de
deficiência da qual a
pessoa é portadora.
Se o cargo
público exigir do candidato aptidões que a deficiência física impeça-o de realizar, o processo seletivo
não deve oferecer a reserva de vagas.
Para verificar os direitos, o candidato deve observar nos editais de
concursos públicos as atribuições e tarefas referentes ao exercício laboral de
seu cargo, emprego ou função. Caso
não haja incompatibilidade, haverá reserva destinada a pessoa portadora
de deficiência física. Além disso,
o edital deve conter a previsão
de adaptação das provas, do
curso de formação e do estágio
probatório (similar a um
período de experiência), conforme a deficiência.
O candidato deve apresentar
laudo
médico
atestando a espécie e o grau, ou nível
da deficiência, que pode, ou não ser
exigida no ato da inscrição. No atestado
também deverá constar o código CID
- Classificação Internacional de Doenças - e a provável causa da deficiência.
A pessoa que necessitar de tratamento diferenciado nos dias do concurso deverá requerê-lo no prazo determinado no edital, indicando as condições
diferenciadas para fazer a prova. Este
requerimento deve conter uma justificativa, e pode ser acompanhado de um
parecer emitido por um especialista da
área de sua deficiência. Deve-se sempre observar como é o procedimento
no edital do concurso, para não cair
em erro e ter a inscrição cancelada.
É importante que o portador
de deficiência seja consciente dos seus
direitos, pois quem se sentir prejudicado de alguma forma, seja na hora
da inscrição, ou no decorrer da prova
deve acionar a empresa que está organizando o concurso. Se a questão
não for resolvida pela organizadora,
o candidato deve procurar um advogado, que poderá propor, dentre
outros meios jurídicos, a impetração de um mandado de segurança,
exigindo os direitos do candidato,
tanto perante a Justiça Estadual,
como a Justiça Federal, de acordo
com o âmbito do processo seletivo.
Fonte: Portal Jurídico do Brasil
16 CRER EM REVISTA
CRER EM REVISTA 17
MEIO AMBIEnTE
Paisagismo e Humanização
A importante e harmônica relação entre os jardins do CRER
e a recuperação dos pacientes
O
s verdejantes jardins do
CRER, que chamam a atenção de quem
passa por perto, não são meros elementos decorativos do Hospital. Os espaços ocupados por plantas de diversas
cores e formas propiciam um ambiente
humanizado, importante recurso terapêutico no tratamento multiprofissional de reabilitação dos pacientes.
“Sempre tivemos a ideia de
humanizar”, conta a arquiteta Rosa
Maria Mendes. Ela, juntamente com
Grijovilda da Costa Souza e Sheila
Silveira, também arquitetas, são as
responsáveis pelo projeto do CRER,
inclusive os espaços com paisagismo. “Um ambiente com plantas fica
muito mais agradável. É muito cansativo ver só paredes”, explica Rosa.
A proposta do projeto de paisagismo do CRER foi fazer os jardins
e, principalmente, cuidar. “Plantas
exigem muitos cuidados. Por isso,
quem cuida tem que gostar. É uma
tarefa que requer sensibilidade”, alerta a arquiteta. No CRER, quem assume esta importante missão de manter
todos os jardins verdes e graciosos
são os jardineiros Reginaldo Rocha
de Sousa, Raimundo Pessoa da Silva e Vicente Paula M. da Silva (foto).
O quarteto é responsável pela
manutenção dos 10 jardins internos,
bem como toda a área externa do
Hospital. Sempre muito elogiados, os
jardins são sempre motivos de contemplação e questionamentos. “Tem
gente que pega nas folhas, porque pensa que é artificial”, conta Raimundo.
O segredo dos jardins do CRER,
segundo Vicente, é principalmente não deixar faltar água, retirar as
folhas secas e combater as pragas.
“Tem que conversar também, porque
18 CRER EM REVISTA
senão elas ficam tristes”, revela Vicente. Reginaldo, como os demais,
também compartilha do sentimento de afeição às plantas. “Tem que
gostar”,
afirma
categoricamente.
As espécies cultivadas no CRER
são dos mais variados tipos. Segundo
Rosa, mesmo sendo hospital, não há
restrição na seleção de plantas. “No
CRER, temos mais folhagens e arbustos. Consideramos o que era de mais
fácil manutenção”, esclarece. Algumas
delas são as bromélias tricolores, sansevieria (ou espadinha), zamioculca,
espatifilo (ou bandeira-branca), e forrações com pelo-de-urso e alpínia. A
parte externa do Hospital é ocupada
com grama cuiabana, palmeiras imperiais, pingos-de-ouro, exórias gigantes, agávias, bouganvilles, alamandas,
resedás, ipês amarelos, entre outras.
Um viveiro foi criado no CRER
para que algumas plantas pudessem
receber cuidados especiais. Lá, também são cultivadas pequenas mudas de espécies que logo passarão a
compor a bela paisagem bucólica dos
jardins do Hospital. “É um orgulho
vê-las crescendo”, declara Reginaldo.
Os novos blocos do CRER, que contemplam a expansão, também terão
jardins que vão trazer ao ambiente
um clima mais agradável e acolhedor.
uma vez que aquelas pessoas já têm o
hábito de cultivar alguma planta em
casa. “O paciente se sente útil e ativo
em promover cuidados”, diz Grasiela.
Ela também explica que estes ambientes programados, como
os jardins do CRER, são estímulos
favoráveis ao bem-estar. “O ambiente humanizado implica uma sensação de conforto, porque aproxima
o paciente de uma situação de harmonia. Este contexto minimiza o impacto negativo do ambiente hospitalar, e faz com que o mesmo se sinta
mais acolhido”, assegura a psicóloga.
Grasiela afirma que costuma
recomendar que o paciente plante e
cultive uma planta. “Cuidar da planta desenvolve a autonomia, respeito,
compromisso, controle... Ele desperta o que precisa ser ampliado em outras relações”, garante. Segundo ela,
ter jardins num Hospital faz com que
o paciente observe mais a natureza,
num clima de relaxamento. “As plantas tiram o foco da doença, e o aproxima de um contexto mais familiar. O
paciente deixa de concentrar nas próprias dores e nas dos outros. O tratamento fica menos agressivo”, conclui.
A planta e o paciente
Os jardineiros do CRER contam que é comum presenciarem alguns
pacientes em contato direto com as
plantas. “Eles gostam de ver, tocar, sentir e, às vezes, até pedem para aguar”,
revelam. A psicóloga Grasiela Mota, especialista em psicologia da Saúde e Clínica, explica que essa atitude é comum,
Para os jardineiros do CRER o diferencial é gostar
das plantas e tratá-las com carinho
CRER EM REVISTA 19
POR DEnTRO DO CRER
SUPPE: a memória do Hospital
Setor é responsável pela guarda de todos os documentos relativos
aos pacientes do CRER, bem como seu controle e organização
A
princípio, pode parecer
que a função de arquivar e conservar
todos os documentos de atendimentos e tratamentos realizados nos pacientes do CRER seja uma fácil tarefa.
No entanto, uma visita ao Setor responsável demonstra o quão intenso
é este trabalho. São centenas de milhares de folhas impressas que devem ser organizadas, arquivadas e
disponibilizadas quando necessário.
De um modo geral, estas são as
atribuições da Supervisão de Prontuário
do Paciente – SUPPE: coletar, organizar,
classificar, guardar, conservar e disponibilizar todos os documentos referentes ao paciente, por meio do prontuário.
Todo o trabalho desenvolvido
pela SUPPE obedece às normas e resoluções do Conselho Federal de Medicina - CFM, bem como as rotinas e
regimentos internos do CRER, inclusive do Sistema de Gestão da Qualidade, pelo qual são padronizados
todos os procedimentos do Hospital.
O Setor, sob supervisão de Juceli Fernandes, é ligado à Gerência e Superintendência Administrativa do CRER.
Além da supervisora, mais sete
colaboradores compõem a equipe que
lida diariamente com o alto volume de
documentos que circulam pela SUPPE.
O Setor também recebe a importante
colaboração de jovens do Centro
Salesiano do Adolescente Aprendiz
(Cesam) e bolsistas da OVG. “Há uma
relação harmônica, alto astral, sem
diferenças entre o grupo”, afirma Juceli.
20 CRER EM REVISTA
O prontuário
O prontuário do paciente é
um documento único, onde ficam registrados os cuidados profissionais
prestados ao paciente, tanto na área
médica, quanto na administrativa, do
início do tratamento à alta hospitalar.
Este conjunto de documentos padronizados e armazenados tem caráter
legal, sigiloso e científico. Serve também como instrumento de comunicação entre os membros da equipe.
Dessa maneira, o prontuário
do paciente representa o documento mais importante produzido pelas
unidades hospitalares e consultórios
médicos. “A SUPPE funciona como
a memória do Hospital, onde ficam
todos os registros históricos dos pacientes. São verdadeiros dossiês que
podem ser utilizados, também, para
a avaliação dos serviços prestados
para pesquisas nas áreas médica e
de ciências humanas”, afirma Juceli.
Para o médico, o prontuário do
paciente, desde que redigido de forma
organizada, torna-se fundamental para
o diagnóstico preciso e tratamento definitivo da doença. Para as unidades
de saúde, há redução dos gastos com a
não repetição desnecessária de exames,
e permite ainda, a qualquer momento,
o conhecimento exato do tratamento
realizado e os resultados alcançados.
Todos os prontuários físicos,
impressos em folha de papel, são arquivados em pastas e organizados em
ordem crescente, seguindo a numeração do prontuário do paciente. Estas
pastas devem ser armazenadas, segundo o CFM, por até 20 anos a partir da
última consulta. Mensalmente, o CRER
recebe aproximadamente mais de 2,5
mil novos pacientes. São impressos, em
média, 10 mil folhas de papel contendo
registros de atendimento ao paciente.
Em oito anos de atendimento, já são
quase 200 mil prontuários que devem
permanecer arquivadas na SUPPE.
Com isso, o espaço físico para
o devido acondicionamento destes arquivos passa a ser uma dificuldade,
não só do CRER, mas de toda instituição de saúde. Problemas de infraestrutura, falta de recursos humanos e
matérias-primas também comprometem a integridade física dos prontuários e as informações neles contidos.
Consequentemente, a rapidez e eficácia no serviço prestado ao paciente
também são afetadas diante da dificuldade de acesso a estas informações.
Organização das pastas garante segurança e agilidade ao paciente. Na foto, Naydell Barbosa, colaborador
da SUPPE
Raphael, Bruno, Naydell, Leandro, Sirlene, Juceli, Halana e Jucilene : união e alto astral na equipe da SUPPE
Modelo digital
Diante da necessidade de adaptar às novas tecnologias e oferecer mais
eficiência no tratamento ao paciente, o
CRER adotou em 2005 o uso do Prontuário Eletrônico do Paciente - o PEP.
O modelo de prontuário médico digital padronizado permite maior segurança quanto ao armazenamento das
informações e quebra de sigilo médico, além da agilidade na operacionalização pelos profissionais da saúde.
O modelo digital apresenta várias vantagens, entre elas maior legibilidade e segurança dos dados, melhoria de efetividade do cuidado ao
paciente, controle da qualidade, além
de contribuir com a área de pesquisa e comunicação científica. O PEP
colabora também com a redução do
tempo, mão-de-obra, espaço físico e
matéria-prima, uma vez que o prontuário médico eletrônico elimina a impressão de milhares de folhas de papel, que passam a ser informatizadas.
No CRER, o Prontuário Eletrônico do Paciente é integrado ao MV
Sistema, software certificado pela Sociedade Brasileira de Informática em
Saúde-SBIS e CFM. Os profissionais
de saúde do CRER são continuamente
treinados e capacitados para operar o
MV Sistema, o que garante a padronização e integração de informações,
funções e procedimentos operacionais.
A supervisora da SUPPE esclarece que atualmente o Hospital ainda
trabalha com os dois processos, uma
vez que para garantir a segurança,
conforme a norma da CFM, ainda são
feitas algumas impressões. As mesmas são arquivadas e disponibilizadas
para futuras e eventuais solicitações,
enquanto o processo de finalização de
implantação do PEP não é totalizado.
O modelo de prontuário eletrônico utilizado pelo CRER permite o acesso simultâneo pelos vários
profissionais de saúde envolvidos no
tratamento do paciente. As informações são processadas em tempo real,
garantindo mais agilidade e segurança no atendimento multiprofissional
oferecido pelo Centro de Reabilitação.
A expectativa da utilização do
PEP é que o profissional de saúde possa
também acessar de outras localidades,
via internet, o prontuário com o histórico médico de determinado paciente. “A
novidade vai garantir um tratamento
ainda mais rápido e eficaz aos pacientes
que, por exemplo, chegam ao CRER de
outras regiões do País.”, explica Juceli.
CRER EM REVISTA 21
SUPERAçãO
Vidas Transformadas
Vítimas de um grave acidente automobilístico, as amigas Meiriane e
Ludiane se recuperam de forma surpreendente
n
a madrugada do dia 17
de maio de 2010, as jovens Meiriane de
Sousa Bosco, 27, e Ludiane Pereira Borges, 23, foram vítimas de um acidente
automobilístico (capotamento), por
volta das 4h da manhã ao retornarem
de uma festa na cidade de Nerópolis.
Meiriane foi arremessada para fora do
carro e ficou desacordada, já Ludiane
estava acordada no local do acidente.
“Eram cinco pessoas dentro do carro,
mas somente eu e Meiriane ficamos
gravemente feridas”, conta Ludiane.
O rapaz que dirigia o carro fugiu não dando nenhuma assistência
às meninas. A ambulância foi chamada pelo carro que vinha logo atrás.
Os socorristas chegaram ao local por
volta das 4h30 da manhã. Ludiane e
Meiriane foram levadas para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).
Meiriane permaneceu internada 51
dias. Desse período, ficou na UTI cerca
de duas semanas, em estado de coma,
respirando com a ajuda de aparelhos.
Segundo o laudo dos médicos, Meiriane sofreu um Traumatismo Craniano (TC) do lado direto, que ocasionou
perda de alguns dos seus movimentos.
Em decorrência do acidente Meiriane não conseguia respirar sozinha, sem a ajuda dos aparelhos. Diante disso, os médicos
fizeram um exame de Broncoscopia, e logo a paciente foi submetida
a uma cirurgia e uma Tracostomia.
Enquanto isso, Ludiane ficou 17 dias internada no Hugo. Nesse período foram feitos exames de
22 CRER EM REVISTA
Raios-X e tomografia que apontaram
uma luxação na medula. “Com isso
eu perdi todos os meus movimentos,
não conseguia fazer mais nada sozinha. Dependia da minha mãe para
tudo, os médicos diziam que eu ficaria tetraplégica”, lamenta Ludiane.
Reabilitação
No dia 9 de junho, 23 dias
após o acidente, Ludiane chegou ao
CRER para dar início aos tratamentos.
Começou com sessões de Fisioterapia
para recuperar os movimentos que ti-
nha perdido. Infelizmente, segundo
Ludiane, no dia 15 de julho as sessões
tiveram que ser interrompidas, devido a fortes dores na nuca que passou
a sentir. A paciente teve que se submeter a uma cirurgia de emergência, pois
parte dos nervos que davam sustentabilidade ao pescoço foram destruídos
no acidente. Logo em seguida, Ludiane voltou às sessões de Fisioterapia.
Já sua amiga Meiriane chegou
ao CRER no dia 21 de julho. Ainda em
coma, foi internada para começar o
tratamento de reabilitação. No início
fazia sessões de Terapia Ocupacional
As amigas Ludiane (esq.) e Meiriane em sessão de fisioterapia com Saulo Ribeiro.
As jovens Ludiane (esq.) e Meiriane
surpreendem a todos na recuperação.
(TO) e Fisioterapia para recuperar os
movimentos perdidos no acidente.
Ela conta que na manhã do dia 24 de
julho, quase dois meses após o acidente, levantou-se da cama e chamou
sua mãe, para a surpresa e emoção
de todos. “Após ter saído do coma,
os médicos só foram vendo melhoras em meu quadro”, diz com alegria.
Atualmente, as duas já estão
em casa, mas seguem com o tratamento no CRER. Ludiane continua com as
sessões de Fisioterapia e Hidroterapia
para ganhar equilíbrio e força, enquanto Meiriane faz as sessões de TO e Fisioterapia para ganhar firmeza no andar. Meiriane e Ludiane já recuperaram
todos os movimentos, andam sozinhas
e fazem praticamente tudo que faziam
antes. “Tudo isso devemos aos excelentes profissionais do CRER, nossa vida
foi transformada neste lugar”, declara
Ludiane. Almerinda Pereira e Elza Sousa, mães de Ludiane e Meiriane, respectivamente, disseram que a recuperação
das duas tem sido impressionante.
As jovens também se mostraram bem animadas ao planejarem o
futuro. Meriane quer fazer faculdade
de Medicina. “Quero ajudar muitas
pessoas, ser uma excelente profissional” diz. Já Ludiane quer ser Fisioterapeuta. “Quero prestar um serviço
voluntário, meu sonho é trabalhar na
área da saúde, vou comprar meu carro, voltar às minhas atividades”, conta.
Agradecimento
Ludiane e Meiriane agradecem
a todos os profissionais do CRER. “São
tantos profissionais que me ajudaram,
mas meu agradecimento especial vai
para os Fisioterapeutas Larissa Pires,
Dayane Nunes e Rafael Borges, às Terapeutas Ocupacionais e à Elcione, fonoaudióloga”, destaca. Ela também agradece a médica Raquel e aos enfermeiros.
Ludiane agradece aos enfermeiros, aos Fisioterapeutas Saulo
Ribeiro, Geórgia Martins e Wanessa
Pereira, aos médicos Murilo Daher
e Rodrigo Parente. “Todos do CRER
foram essenciais para a minha recuperação”, reconhece a paciente.
CRER EM REVISTA 23
agenda
Evento: 15º Congresso Brasileiro de Medicina e
Cirurgia do Tornozelo e Pé
Data: 22 a 25 de abril de 2011
Local: Foz do Iguaçu- PR
Site: www.pe2011.com.br
Evento: Treinamento de Suporte Pré-Hospitalar
de Vida no Trauma
Data: 7 e 8 de maio/2011
Local: Goiânia – GO
Informações: 62 3501-3300 / www.ceen.com.br
Evento: Curso de Neuroplasticidade
Data: 11 e 12 de junho/2011
Local: Rio de Janeiro - RJ
Informações: www.fisiovital.com.br
Evento: International Neurorehabilitation
Symposium 2011
Data: 27 a 29 de Junho
Local: Zurich / Switzerland
Informações: www.inrs2011.com
[email protected]
Parcerias
Set / Dez
Allergan
All Telecomunicações
Art Flex
Audix Aparelhos Auditios
Baiano Folhagens
Banco Santander
Bebidas Imperial
Bolachas Mabel
Caramuru Alimentos S/A
Carretas Mutirão
Casa do Criador
Casa Restaurante
Castro’s Park Hotel
Cinemas Lumière
Clube Di Roma
Colégio Práxis
Comércio Rio Grandense
CONAB
Cotril Máquinas
Datagro
Delegacia da Receita Federal
Farrutx Vestuário Profissional
Floti Criações
Fraudas Kisses
General Motors do Brasil
Giroflex
Governo do Estado de Goiás
HB Embalagens
Imagine Camisetas
Imperial
Indústria de Móveis Santa Cruz
Kananxuê Hotel
Laboratório Ipsen
Laboratório Halex Istar
Lumi Comunicação Visual
Maurício de Souza
Microsom
Neoquímica
NET
Organização Jaime Câmara
OVG
Pedreira Izaíra
Perla Tenda
Pizzaria Pitigliano
Poligráfica
Pousada do Rio Quente
PUC Goiás
Rádio 730 AM
Rádio Jornal 820
Rádio Aliança
Restaurante Chão Nativo
Saneago
SIFAEG
SESC/SENAC
Stock Com. Hospitalar
Stúdio K
TV Anhanguera
TV Brasil CentralTV Goiânia
TV Serra Dourada
UNICOM
V.I.T.A Sistemas
Voluntariado do HC
Evento: Curso de Desenvolvimento Ortopédico
Data: 12 à 15 de Agosto / 2011
Local: São Paulo - SP
Informações: www.fisiovital.com.br
Convênios atendidos no CRER
Affego
Amil
Casbeg
Celgmed
Cassi
Correios
CREA
Fassincra
24 CRER EM REVISTA
Fusex
Geap
Ipasgo
IMAS
Plan-Assiste
Saúde Caixa
SUS
Unimed
PERFIL DO COLABORADOR
Tal mãe, tal filha
Duas gerações e uma paixão: a música
H
á quem diz que filho de
peixe, peixinho é. Neste caso, cabe melhor a adaptação: filha de musicista,
musicista também é. Quando se vê mãe
e filha se apresentando, logo se percebe
que o dom com a música é algo nato,
genético. A semelhança entre ambas
confirma o pressuposto de que aptidão musical está no sangue. “Quem
vê pensa que é cópia”, brinca a filha.
Anna Rita Ludovico Ferreira da
Silva, musicoterapeuta do CRER, conta
que herdou da mãe, Maria Ludovico de
Almeida e Silva, o talento e paixão pela
música. “Tenho gravações onde eu,
com dois anos, apareço cantando junto com minha avó”, lembra Anna Rita.
Maria Ludovico, a mãe, é musicista e foi professora de Música desde a fundação da Escola de Música e
Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás (EMAC/UFG). Doutora em Música pela UFG, Maria Ludovico trabalhou 25 anos na EMAC,
sendo, além de professora, também
chefe do Departamento de Música.
Aos quatro anos, Anna Rita começou na iniciação musical e foi até
o término do curso técnico. Aos 16,
já era pré-graduada em Música pela
UFG. Chegada a hora do vestibular,
Anna Rita foi desaconselhada pela
mãe a graduar-se em Música. “Minha mãe me alertava sobre as dificuldades de mercado e eu achava que
não ia ganhar dinheiro”, esclarece.
Diante disso, Anna Rita optou
pelo Direito, deixando assim a Música em segundo plano, como hobby.
Cursou dois períodos de Direito na
Pontifícia Universidade Católica de
Goiás – PUC, e prestou novamente
vestibular. Só que dessa vez para Música, na Universidade Federal de Goiás.
Sem abandonar nenhuma atividade, Anna Rita cursava Música pela
manhã e Direito à noite. À tarde, ainda dava aula de música em escolas de
arte como Gustav Ritter e Veiga Valle.
Formou-se no ano de 1998 em Direito e, em 99, em Música, com bacharelado em Canto, voltado para a área
perfomática, e também licenciatura.
Como advogada, Anna Rita
atuou por alguns anos na área do Direito trabalhista. “Sentia muito esgotamento, cansaço psicológico e emocional”, afirma. Em busca de coisas
novas e maior satisfação pessoal, a
musicista foi atrás do que realmente lhe interessava. Mudou então, em
2000, para o Rio de Janeiro, onde no
Conservatório Brasileiro de Música
especializou-se em Musicoterapia.
“Na musicoterapia eu tive a possibilidade de unir a música com a psicologia”, explica. Ela conta que sempre
gostou muito de conversar, aconselhar,
tanto que como advogada era comum
fazer muitas conciliações. De volta a
Goiânia, em 2002, encontrou o CRER
recém-inaugurado. Logo, participou
do processo seletivo e passou então
a integrar a equipe Multidisciplinar
do Hospital, como Musicoterapeuta.
“Foram duas mudanças, dois
presentes que marcaram muito a minha vida: a Musicoterapia e o CRER”,
diz Anna Rita. Segundo ela, estar
no CRER proporcionou crescimento
pessoal e agregou valores à sua vida.
“Aqui é uma grande escola. Aprendi a ver a vida com outros olhos. A
verdade é que nós (profissionais)
aprendemos mais com eles (pacientes), do que eles conosco. São muito
positivos, têm garra, motivação, sede
pela vida”, revela a musicoterapeuta.
A paixão pelo canto
“Cantar é o meu sonho de consumo. Quando subo no palco me transformo, assumo outra personalidade”,
diz a cantora. Anna Rita, que se apresenta desde criança em reuniões de várias instituições, já fez parte de corais
profissionais que se apresentam em
casamentos. “Chegávamos a cantar
em seis ou mais casamentos por final
de semana”, calcula. Anna Rita canta música lírica, erudita, sacra e MPB,
onde, segundo ela, “se sente em casa”.
A musicista, que é soprano lírica, muitas vezes se apresenta ao lado
da mãe, que também é pianista. Juntas,
mãe e filha surpreendem na sintonia,
tamanho é o talento e semelhança entre
ambas. As duas, Anna Rita e Maria Ludovico, são membros da Academia Feminina de Letras e Artes do Estado de
Goiás, ocupando respectivamente as
cadeiras 11 e 21. Uma situação singular,
já que normalmente a filha assume a cadeira que era da mãe. Não se conhece
em Goiás o fato de mãe e filha ocupar
simultaneamente duas cadeiras, como
é o caso de Anna Rita e Maria Ludovico. Elas também integram a Academia
Trindadense de Letras, Ciências e Artes
e Academia Internacional de Música.
CRER EM REVISTA 25
últimodetalhe
No CRER, por todos os lados, esperança e perseverança andam sempre juntas, em fotografia de Reagan
Fernandes Agente Administrativo do CRER.
[ ENVIE UMA IMAGEM DE UM DETALHE DO CRER PARA O E-MAIL [email protected] E PARTICIPE DESTA SEÇÃO]
26 CRER EM REVISTA
CRER EM REVISTA 27
28 CRER EM REVISTA

Documentos relacionados

Baixar 20° Edição

Baixar 20° Edição Sérgio Daher Superintendente Executivo João Alírio Teixeira da Silva Júnior Sup. Técnico de Reabilitação

Leia mais

Baixar 18° Ed.

Baixar 18° Ed. Edward Madureira Brasil José Evaristo dos Santos Joaquim Caetano de Almeida Netto Nabyh Salum Sizenando da S. Campos Júnior Conselho Fiscal - Titulares Cyro Miranda Gifford Júnior Marley Antônio da...

Leia mais

Baixar 19° Ed.

Baixar 19° Ed. Edward Madureira Brasil José Evaristo dos Santos Joaquim Caetano de Almeida Netto Nabyh Salum Sizenando da S. Campos Júnior Conselho Fiscal - Titulares Cyro Miranda Gifford Júnior Marley Antônio da...

Leia mais