O CICLO DAS ROCHAS

Сomentários

Transcrição

O CICLO DAS ROCHAS
O CICLO DAS ROCHAS Realidade??
Diz a tradição popular que é firme
como uma rocha ou que
permanece como pedra e cal,
pretendendo com isso referir-se a
algo eterno e imutável…
O CICLO DAS ROCHAS ou apenas ilusões??
Nada mais enganador… O Homem
frequentemente esquece que água
mole em pedra dura tanto bate até
que fura.
A acumulação de eventos, à escala
do milímetro por ano, durante a
imensidão do tempo geológico,
torna efémera e transitória qualquer
situação.
O CICLO DAS ROCHAS uma resposta já antiga…
Esta percepção da vulnerabilidade
dos materiais rochosos não é
nova. Já James Hutton, em pleno
século XVIII falava em “no vestige
of a beginning, no prospect of na
end”.
O CICLO DAS ROCHAS a existência de ciclos…
A observação de sequências de processos
geológicos que se repetiam ao longo do tempo,
levou a que os uniformitaristas tivessem então
desenvolvido o conceito de ciclos.
Erosão, sedimentação,
deformação, erosão,
sedimentação…
…apareciam como fenómenos que se
sucediam ininterruptamente.
TPC – procura informações acerca do uniformitarismo. O CICLO DAS ROCHAS É a contínua circulação de materiais
rochosos nas zonas mais superficiais da
terra (superfície em si e proximidades),
que está na origem dos diferentes tipos
de rochas: magmáticas, sedimentares e
metamórficas.
Mas como??
Por um lado através da acção do ciclo
hidrológico (que engloba os processos
tais como a meteorização, erosão,
sedimentação e diagénese) e do ciclo
tectónico (metamorfismo, fusão e
cristalização)
O CICLO DAS ROCHAS As rochas vão-se “transformando” umas
nas outras por uma questão de
ESTABILIDADE!
Os vários minerais que constituem as
rochas foram formados em condições
onde aquelas estruturas eram estáveis.
Ao serem levados para profundidades
diferentes
daquelas
em
que
se
formaram, acabarão por ser sujeitos a
condições (temperatura e pressão) nas
quais são instáveis. Assim, terão de se
reorganizar em fases mais estáveis.
O CICLO DAS ROCHAS Vejamos…