Edição 100 2016

Сomentários

Transcrição

Edição 100 2016
Socioeconomia & Ciência Animal
Boletim Eletrônico do LAE/FMVZ/USP
Edição 100, de 31 de julho de 2016
EDITORIAL
Chegamos a 100ª edição do Boletim Eletrônico
Socioeconomia & Ciência Animal. Nestes 7 anos
nós nos dedicamos para criar um espaço para
divulgar e discutir a interação entre as ciências
sociais aplicadas (Economia, Administração,
Sociologia etc.) e a ciência animal. Acreditamos
que a multidisciplinaridade é fundamental para o
desenvolvimento da ciência e da sociedade.
Procuramos compreender as demandas sociais e
sua influência sobre a forma como pesquisamos,
criamos, tratamos e produzimos os animais. Nossa
postura sempre foi a da transparência, a do
respeito e a da abertura às mais diversas visões e
opiniões. Esperamos continuar cada vez mais
motivados para o cumprimento de nossa tarefa.
Aproveitamos este espaço para agradecer a todos
os nossos leitores e colaboradores, incluindo
nossos alunos, estagiários, pesquisadores,
servidores e docentes que nos ajudaram a
chegarmos até aqui.
Nesta edição comemorativa, continuamos a
discussão sobre o confinamento de bovinos de
corte no Brasil, com a segunda parte da série
baseada na pesquisa de Gustavo Lineu Sartorello.
Desta vez, discutimos a operação, as motivações
e o crescimento da atividade.
Trazemos resumos de publicações científicas
selecionadas e veiculadas nos últimos dias:
Ciência Rural, Revista Brasileira de Zootecnia,
Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e
Zootecnia, Canadian Veterinary Journal, Journal of
Dairy Science, Crop Protection, Fisheries
Research, Biological Sciences e Food Science and
Technology.
Divulgamos texto da HSI Brasil, com os principais
avanços sobre bem-estar animal no mundo
empresarial mundial, durante o segundo semestre
de 2016. Empresas globais no setor de produção
animal, como Walmart, Perdue, ING e Van Hees
estão aderindo voluntariamente a programas que
elevem o bem-estar dos animais de produção.
Entendemos que estamos claramente diante de
uma tendência sem volta.
Sugerimos a publicação da FAO “World Livestock
Changing Disease Landscapes”, que procura
explicar porque e como agentes patogênicos de
origem animal tornaram-se uma grande ameaça
global à saúde pública, e o que pode ser feito para
atenuar essa ameaça. A publicação sugere a
necessidade de uma mudança de paradigma na
avaliação de risco, com mais atenção para uma
abordagem de saúde em desenvolvimento que
envolve a sociedade em geral e é construído sobre
a análise das forças motrizes da dinâmica da
doença.
Em relação ao Índice de Custo de Produção do
Cordeiro Paulista, no mês de julho houve alta nos
nas regiões de Araçatuba, Bauru e Piracicaba, e
baixa para a região de Campinas. De uma forma
geral o valor de aprisco, arrendamento de terras,
da cana-de-açúcar e dos grãos tiveram ligeira alta.
Por outro lado, o custo de implementos apresentou
queda nos preços de máquinas agrícolas em
algumas localidades. No cômputo geral do estado,
as reduções prevaleceram, fechando o índice de
julho em relação a junho em -0,71%.
No dia 20 de setembro reiniciaremos nossas
atividades dos Diálogos no LAE, com a temática
“Fluxos de materiais na produção animal brasileira
entre 1992 e 2013: proposta de modelagem
matemática para avaliar a sustentabilidade em
relação ao uso de nitrogênio, fósforo e potássio”, a
ser abordada por Augusto Hauber Gameiro, da
FMVZ/USP. Informações adicionais nesta edição.
Atualizamos a seção de livros, com diversas novas
obras, eventos, cursos e oportunidades de
trabalho e estudo.
Esperamos que apreciem a leitura do 100º boletim.
Cordiais saudações!
Os editores
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
1
DIVULGAÇÃO
O CONFINAMENTO DE BOVINOS NO BRASIL
– A OPERAÇÃO, AS MOTIVAÇÕES E O
CRESCIMENTO: PARTE II1
Gustavo Lineu Sartorello2
Augusto Hauber Gameiro3
No texto anterior tratamos da evolução da
bovinocultura de corte no Brasil, descrevendo os
sistemas produtivos e as fases de criação que, em
sua maioria, têm sido conduzidas em áreas de
pastagens. No entanto, devido à escassez de
forragens, pelo clima tropical, os produtores
passaram a fornecer suplementos nutricionais ou
alojar os animais em confinamentos.
Antes de explorar as razões pelas quais levaram
os produtores a adotarem tal técnica, que inclusive
contribuiu para o crescimento do setor, será
apresentado o que é o confinamento e a estrutura
básica utilizada nesse sistema de engorda.
O confinamento de bovinos é o sistema de criação
em que lotes de animais são engordados em
piquetes ou currais de área restrita, nos quais s e
fornecem alimentos em cochos e água em
bebedouros
(CARDOSO,
1996).
Nos
confinamentos, pode-se alimentar toda e qualquer
categoria animal, mas no Brasil se utilizam, em
maior proporção, novilhos recriados não
castrados, ditos comumente como “boi magro para
a engorda” (OLIVEIRA; MILLEN, 2014).
O projeto para confinamento deve incluir um centro
de manejo dos animais, área para produção e
preparo dos alimentos, espaço para os currais de
engorda e instalações da gerência. O centro de
manejo destina-se à recepção e preparo dos
animais que entrarão no confinamento. Nesse
local deve haver brete de contenção, balança,
apartadouro, piquetes de espera com água,
piquetes de enfermaria e embarcadouro para os
animais.
A área de alimentação inclui espaço de
armazenamento e de preparo dos alimentos, com
1
O texto é parte do projeto de pesquisa de Mestrado do
primeiro autor, intitulado: “Desenvolvimento de modelo de
cálculo e de indicador de custos de produção para bovinos de
corte em confinamento”, junto ao Programa de Pós-Graduação
em Nutrição e Produção Animal (FMVZ/USP).
moedor de grãos e misturador equipado com
balança e, se possível, área para guardar
máquinas
e
equipamentos.
O
escritório
administrativo é o local onde ficam dispostas as
informações gerenciais do sistema, portanto,
equipado com computadores, impressoras,
arquivos, telefone, rádio de comunicação, etc.
O curral de engorda, ou setor de terminação, é o
local onde os animais permanecem durante o
período de engorda. Essa área, na maioria das
vezes, é construída em chão batido, calçado,
frequentemente, nas áreas próximas aos
comedouros, conhecidas como “pé de boi”. Inclui
cochos, bebedouros, cercas, corredores para
manejo dos animais e área para passagem de
máquinas para alimentação (PEIXOTO et al.,
1988).
De preferência, em toda a extensão, em especial
nos currais de engorda, o projeto deve prever
estruturas para coleta de fezes e urina – canais de
drenagem, tanques de sedimentação, etc. – e
estruturas de conservação do solo e da água,
importantes para o manejo e conservação das
áreas de produção e controle da poluição
(CARDOSO, 1996).
Para alguns autores, a necessidade de
adaptações e/ou construções de instalações e
aquisição de maquinários específicos implicava
elevados investimentos iniciais e, por conta disso,
dificuldade para difundir as práticas entre os
confinadores (PEIXOTO; MOURA; DE FARIA
1986; MARTIN 1987).
Entretanto, mesmo diante de desafios, a atividade
passou a ser adotada por produtores que
vislumbravam oportunidade de aumentar o retorno
econômico ao considerarem o diferencial de
preços da entressafra, o giro mais rápido do capital
investido e o fato de se conseguir contornar a
sazonalidade de produção das forrageiras com
consequente liberação de áreas de pastejo
(GOMES, 1975).
A diferenciação de preços despertava interesse
nos agentes da cadeia produtiva, para
aproveitarem a oportunidade em ofertar animais
para o abate no período de maiores preços. A
flutuação de preços era evidente.
2
Zootecnista. Mestrando do Programa de Nutrição e Produção
Animal, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, da
Universidade de São Paulo. E-mail: [email protected]
3
Professor do Departamento de Nutrição e Produção Animal
da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, da
Universidade de São Paulo. E-mail: [email protected]
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
2
Wedekin et al. (1994) compilaram dados com a
variação dos preços do boi gordo em São Paulo
entre os anos de 1955 e 1993, utilizando o banco
de dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA).
O resultado consta na Figura 1.
Figura 1 - Variação estacional dos preços do
boi gordo em São Paulo de 1955 a 1993
Fonte: Adaptado de Wedekin, Bueno e Amaral
(1994).
Outro
fator
a
afetar
positivamente
o
estabelecimento do confinamento foi a política
adotada pelo governo, que estocava ou importava
os produtos cárneos bovinos. Tal política era
necessária devido à frequente falta de produtos no
mercado interno. As estratégias não funcionavam
adequadamente por causa da inabilidade do
governo em lidar com os estoques e dos
problemas de logística e burocracia portuária que
inviabilizavam a chegada dos produtos ao
mercado interno em grandes escalas e a preços
acessíveis (GARCIA, 1987).
120
Sob o aspecto produtivo, a vantagem de conduzir
a atividade de confinamento durante a época de
seca reside em não formação de lama nos currais
de engorda, evitando que os animais reduzam o
consumo de matéria seca, e permitindo melhor
desempenho produtivo devido às condições
ambientais (VELOSO, 1986).
Índice
110
100
Diante dessas vantagens, a atividade passou a
ganhar importância e maiores proporções em
âmbito nacional.
90
80
Jan
Fev
Mar
Abr
1981-93
Mai
Jun
Jul
1968-80
Ago
Set
Out
Nov Dez
1955-67
Os dados indicam que os preços ofertados ao
produtor a partir do início do segundo semestre
poderiam aumentar os rendimentos da pecuária de
corte, pois havia amplitude bem definida entre os
períodos de safra e entressafra. Para o confinador
aproveitar essa oportunidade de mercado era
necessário antecipar a idade de abate dos
animais, conferindo uma vantagem indireta, o
retorno do capital investido mais rápido quando
comparado com sistemas tradicionais em
pastagens (MARTIN, 1987; VAZ, 1999).
Alinhada aos melhores preços e ciclo mais curto, a
estratégia de colocar os animais em área restrita
para engorda, proporciona o benefício de
intensificar o uso das pastagens no período
chuvoso ao adotar maior capacidade de suporte.
Dessa forma, durante o período de escassez de
forragem há liberação de área de pastoreio para
outras categorias animais como bezerros, matrizes
e touros, já que os bois magros ficam alojados no
confinamento. Consequentemente, há maior
quantidade de forragem à disposição dessas
categorias, mesmo que de baixa qualidade
(VELOSO, 1986).
Não existem estatísticas oficiais com o número real
de bovinos confinados a cada ano. Encontram-se,
na literatura, todavia, estimativas publicadas por
pesquisadores, como fizeram Wedekin e Amaral
(1991), relatando que, no início dos anos de 1980,
havia em torno de 50 mil a 100 mil animais
confinados ao ano, mas que, ao final da década,
esse número saltou para 700 mil cabeças anuais.
Wedekin, Bueno e Amaral (1994) afirmaram que o
Sindicato Nacional de Pecuária de Corte, em 1994,
estimava o confinamento de aproximadamente
900 mil bovinos.
Em meados da década de 2000 estimava-se que
dos cerca de 40 milhões de bovinos abatidos
anualmente (Food and Agriculture Organization of
the United Nations - FAO, 2014), apenas 3,377
milhões de bovinos eram oriundos de criações em
sistemas de confinamento, perfazendo menos de
10% do total abatido sob inspeção federal,
segundo o Anuário Estatístico da Pecuária de
Corte - ANUALPEC (2012).
Apesar das divergências existentes entre o
número de animais confinados pela origem da
fonte de dados, os Estados que lideraram o
ranking foi Mato Grosso, Goiás e São Paulo,
respectivamente (ANUALPEC, 2014). Isso ocorre
porque a atividade se beneficia de preços de
insumos mais atrativos, quando próxima a áreas
produtoras de grãos e regiões típicas de pecuária,
tendo maior oferta de grãos e animais.
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
3
O teor de concentrado na alimentação dos animais
em confinamento em geral tem alta proporção de
grãos que, dependendo da inclusão, pode
representar entre 75% e 80% dos custos da
operação, não considerando nos custos a
aquisição
dos
animais.
Portanto,
no
gerenciamento produtivo da atividade de
confinamento, dentre os outros itens, deve-se
preocupar tanto com os ingredientes utilizados,
quanto com os custos da alimentação dos animais.
Dessa forma, sugere-se em próxima oportunidade
apresentar a evolução dos aspectos nutricionais
das dietas, em termos concentração de energia e
grãos, assim como a variação de preços dos
principais insumos utilizados no sistema – milho
grão, boi gordo e boi magro – informações
estratégicas para o adequado gerenciamento dos
custos.
Referências bibliográficas
ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA PECUÁRIA DE
CORTE (ANUALPEC). São Paulo: FNP
Consultoria e Comércio Ltda., 2012.
ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA PECUÁRIA DE
CORTE (ANUALPEC). São Paulo: FNP
Consultoria e Comércio Ltda., 2014.
CARDOSO, E. G. Engorda de bovinos em
confinamento. Campo Grande: EMBRAPACNPGC. 1996. 36 p.
FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF
THE UNITED NATIONS (FAO). Faostat: statistics
data base. 2014. Disponível em:
<http://faostat3.fao.org/home/E>. Acesso em: 10
out. 2014.
GARCIA, A. B. Prefácio. In: MARTIN, L. C. T.
Confinamento de bovinos de corte. 1. ed. São
Paulo: Nobel, 1987. p. 4-5.
GOMES, M. R. Confinamento de gado de corte.
Rio de Janeiro: Secretaria da Agricultura e
Abastecimento, 1975. 29 p.
MARTIN, L. C. T. Instalação para bovinos de
corte sob sistemas de confinamento. In: ______.
Confinamento de bovinos de corte. 1. ed. São
Paulo: Nobel, 1987. p. 7-18.
OLIVEIRA, C. A.; MILLEN, D. D. Survey of the
nutritional recommendations and management
practices adopted by feedlot cattle nutritionists in
Brazil. Animal Feed Science and Technology,
v. 197, p. 64-75, 2014.
PEIXOTO, A. M.; MOURA, J. C.; DE FARIA, V. P.
Bovinocultura de corte: fundamentos da
exploração racional. Piracicaba: FEALQ, 1986.
345 p.
PEIXOTO, A. M.; BOIN, C.; HADDAD, C. M.;
BOSE, M. L. V. Confinamento de bovinos de
corte. Piracicaba: FEALQ, 1988. 110 p.
VAZ, F. N.; VAZ, R. Z.; BERNARDES, R. A. C.
Viabilidade econômica do confinamento no Rio
Grande do Sul. In: Restle, J. Confinamento,
pastagens e suplementação para produção de
bovinos de corte. Santa Maria: UFSM, 1999. p.
147-177.
VELOSO, L. Terminação de bovinos em
confinamento. In: PEIXOTO, A. M.; MOURA, J. C.
de; De FARIA, V. P. Bovinocultura de corte:
fundamentos da exploração racional. Piracicaba:
FEALQ, 1986. p. 203-219.
WEDEKIN, V. P.; AMARAL, A. M. P.
Confinamento de bovinos em 1991. Informações
Econômicas, v. 21, n. 7, p. 9-18, Jul. 1991.
WEDEKIN, V. P. BUENO, C. R.; AMARAL, A. M.
P. Análise econômica do confinamento de
bovinos. Informações Econômicas, v. 24, n. 9,
p. 123-131, Sep. 1994.
ARTIGOS PUBLICADOS
PARÂMETROS GENÉTICOS E
EFEITOS DE SEXO E
CRUZAMENTO RECÍPROCO
SOBRE CARACTERÍSTICAS DE
INTERESSE ECONÔMICO EM AVES F2
Este estudo teve por objetivo estimar os
parâmetros genéticos de características de
interesse econômico, mensuradas em populações
F2 desenvolvidas pela Embrapa Suínos e Aves
utilizando cruzamento recíproco entre linhagens
de corte e de postura. Ainda, foram avaliados os
efeitos de sexo e de cruzamento recíproco sobre
as características em estudo. Os pesos com um,
35 e 42 dias de idade; ganho de peso; consumo de
ração e conversão alimentar entre 35 e 41 dias de
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
4
idade; pesos dos pulmões, fígado, coração, moela,
peito, pernas, carcaça, dorso, asas, cabeça, pés e
gordura abdominal, além do comprimento do
intestino, foram os fenótipos estudados. Foram
estimados os componentes de variâncias genética
aditiva e residual, além dos coeficientes de
herdabilidade e das correlações genética e
fenotípica. Os machos apresentaram maior peso
para todas as características estudadas, nos dois
cruzamentos recíprocos, exceto para gordura
abdominal na população oriunda do cruzamento
de machos de postura com fêmeas de corte. Os
animais oriundos do cruzamento de machos de
postura com fêmeas de corte foram mais pesados
que os recíprocos, para todas as idades, além de
apresentarem maior comprimento de intestino e
maiores pesos de moela, carcaça, dorso, peito e
cabeça. Os coeficientes de herdabilidade foram
altos para consumo de ração e para os pesos ao
nascimento, da moela e da gordura abdominal. As
correlações fenotípicas estimadas foram, em sua
maioria, baixas ou moderadas, contudo muitas
correlações genéticas altas foram observadas.
Ressalta-se que houve expressiva diferença nos
coeficientes de herdabilidade de algumas
características em função do cruzamento
recíproco estudado, o que pode ser devido a
efeitos materno, citoplasmático, ligados ao sexo ou
imprinting.
Faveri, J.C.; Pinto, L.F.B.; Pedrosa, V.B.; Ledur,
M.C. Parâmetros genéticos e efeitos de sexo e
cruzamento recíproco sobre características de
interesse econômico em aves F2. Arquivo
Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia,
v.68, n.3, p.716-724, 2016.
http://www.scielo.br/pdf/abmvz/v68n3/0102-0935-abmvz-6803-00716.pdf
ECONOMIC VALUE OF
IONOPHORES AND
PROPYLENE GLYCOL TO
PREVENT DISEASE AND
TREAT KETOSIS IN CANADA
A partial budget model was developed to evaluate
the economic value of Rumensin Controlled
Release
Capsule
(CRC)
boluses
when
administered before calving to reduce disease and
increase milk production. After accounting for
disease incidences in a herd and the percentage
by which Rumensin CRC can reduce them, and the
increase in milk production attributable to
administration of Rumensin CRC, the return on
investment (ROI) per lactation was 4:1. Another
partial budget model was developed to estimate
the economic value of propylene glycol (PG) to
treat ketosis when diagnosed by 3 different cowside tests or when administered to all cows without
using any cow-side testing. After accounting for the
sensitivity and specificity of each test, ROI per
lactation ranged from 2:1 to 4:1. The ROI was 2:1
when no cow-side testing was used. In conclusion,
prevention of diseases that occur in the postpartum
period and treatment of ketosis after calving
yielded a positive ROI that varies based on disease
incidence and method of diagnosis.
Gohary, K.; Overton, M.W.; Von Massow, M.;
Leblanc S.J.; Lissemore, K.D.; Duffield T.F.
Economic value of ionophores and propylene
glycol to prevent disease and treat ketosis in
Canada. Canadian Veterinary Journal, v.57, n.5,
p.733-740, 2016.
http://www.canadianveterinarians.net/science-knowledge/cvjcurrent-issue.aspx
ASSOCIATED EFFECTS OF COPY NUMBER
VARIANTS ON ECONOMICALLY IMPORTANT
TRAITS IN SPANISH HOLSTEIN DAIRY
CATTLE
Copy number variants (CNV) are structural variants
consisting of duplications or deletions of genomic
fragments longer than 1 kb that present variability
in the population and are heritable. The objective
of this study was to identify CNV regions (CNVR)
associated with 7 economically important traits
(production, functional, and type traits) in Holstein
cattle: fat yield, protein yield, somatic cell count,
days open, stature, foot angle, and udder depth.
Copy number variants were detected by using
deep-sequencing data from 10 sequenced bulls
and the Bovine SNP chip array hybridization
signals. To reduce the number of false-positive
calls, only CNV identified by both sequencing and
Bovine SNP chip assays were kept in the final data
set. This resulted in 823 CNVR. After filtering by
minor allele frequency >0.01, a total of 90 CNVR
appeared segregating in the bulls that had
phenotypic data. Linear and quadratic CNVR
effects
were
estimated
using
Bayesian
approaches. A total of 15 CNVR were associated
with the traits included in the analysis. One CNVR
was associated with fat and protein yield, another
1 with fat yield, 3 with stature, 1 with foot angle, 7
with udder depth, and only 1 with days open.
Among the genes located within these regions,
highlighted were the MTHFSD gene that belongs
to the folate metabolism genes, which play critical
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
5
roles in regulating milk protein synthesis;
the SNRPE gene that is related to several
morphological pathologies; and the NF1 gene,
which is associated with potential effects on fertility
traits. The results obtained in the current study
revealed that these CNVR segregate in the
Holstein population, and therefore some potential
exists to increase the frequencies of the favorable
alleles in the population after independent
validation of results in this study. However, genetic
variance explained by the variants reported in this
study was small.
Sassi, N.B.; Gonzales-Recio, O.; Paz-Del Rio, R.;
Rodrgues-Ramillo,
S.T.;
Fernandez,
A.I.
Associated effects of copy number variants on
economically important traits in Spanish Holstein
dairy cattle. Journal of Dairy Science, v.99, n.8,
p.6371-6380, 2016.
http://www.journalofdairyscience.org/article/S00220302(16)30274-0/abstract
ECONOMIC ANALYSIS OF DAIRY CATTLE
FARMS IN EAST MEDITERRANEAN REGION
OF TURKEY
The purpose of this study was to calculate costs of
milk production, gross production value, gross
margin, absolute profit, and relative profit of dairy
cattle farms located in the provinces of east
Mediterranean region of Turkey. Primary data were
collected from 148 dairy cattle farms designated
using the Neyman Stratified Sampling method
through surveys. Dairy farms were classified into
four groups according to the number of cows. The
data belong to the 2012 production season. A
single product budget analysis method was used
for calculating production costs. According to the
results, variable costs amounted to 65.91% of total
production costs. Feed cost (86.52%) was the main
component of variable costs. The cost of 1 kg of
milk, on average, was calculated as USD 0.261.
The cost of milk was USD 0.499 on group 1 farms,
USD 0.399 on group 2 farms, USD 0.272 on group
3 farms, and USD 0.233 on group 4 farms. Among
the farms under study, average gross margin value
was negative only on group 1 farm, and positive in
all other groups. Absolute profit value was positive
only on group 4 farm, and negative in all other
groups. The average relative profit of the farms was
0.9067. The expansion of dairy farms could be
reached by reducing the feed cost as well as
increasing the scale of farms.
Yilmaz, H.; Gul, M.; Akkoyun, S.; Parlakay, O.;
Milgilli, M.E.; Vurarak, Y.; Hizli, H.; Kilicalp, N.
Economic analysis of dairy cattle farms in east
Mediterranean region of Turkey. Revista
Brasileira de Zootecnia, v.45, n.7, p.409-416,
2016.
http://www.scielo.br/pdf/rbz/v45n7/1516-3598-rbz-45-0700409.pdf
ECONOMIC AND SOCIAL STRUCTURES OF
WATER BUFFALO FARMING IN MUŞ
PROVINCE OF TURKEY
The purpose of this study was to analyse the socioeconomic structure of water buffalo farming in the
province of Muş, in Turkey. The stratified sampling
method was used to calculate sample size of
buffalo farms in the Central, Korkut, and Hasköy
districts of Muş province, where buffalo farming is
widespread. Data were collected from the 94 farms
by surveys in the 2013 production period. A single
budget analysis method was used to calculate
production cost and profit for water buffaloes. Plant
production constituted 37.85% of the gross
production value, while animal production
accounted for 62.15%. The biggest share in the
gross production value derived from water buffalo
farming (45.71%). Fixed and variable costs were
51.44% and 48.56% of the production cost
(USD11691.06), respectively. The largest part of
the variable cost was the feed cost (75.81%). The
cost of per kilogram buffalo milk in the region was
calculated as USD0.64. Consequently, it is
important to ensure the continuation of breeding
studies to increase milk yield, giving information to
farmers about modern techniques, developing
policies to increase the scale of the farms, and
implementing regional and national policies to
increase awareness of buffalo milk and milk
products.
Isik, M.; Gul, M. Economic and social structures of
water buffalo farming in Muş province of Turkey.
Revista Brasileira de Zootecnia, v.45, n.7, p.400408, 2016.
http://www.scielo.br/pdf/rbz/v45n7/1516-3598-rbz-45-0700400.pdf
ECONOMIC ESTIMATES OF
FERAL SWINE DAMAGE
AND CONTROL IN 11 US
STATES
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
6
We report the results of one of the most
comprehensive surveys on feral swine (Sus scrofa)
damage and control in 11 US states (Alabama,
Arkansas, California, Florida, Georgia, Louisiana,
Mississippi, Missouri, North Carolina, South
Carolina and Texas). The survey was distributed by
the USDA National Agricultural Statistical Service
in the summer of 2015 to a sample of producers of
corn (Zea mays), soybeans (Glycine max), wheat
(Triticum), rice (Oryza sativa), peanuts (Arachis
hypogaea), and sorghum (Sorghum bicolor) in the
11-state region. Producers that failed to respond to
the initial mailing received multiple follow-up phone
calls in an attempt to minimize non-response bias,
and a total of 4377 responses were obtained.
Findings indicate that damage can be substantial.
The highest yield loss estimates occur in peanut
and corn production in the Southeast and Texas.
Control efforts are common, and producers incur
considerable costs from shooting and trapping
efforts. Extrapolating crop damage estimates to the
state-level in 10 states with reportable damage
yields an estimated crop loss of $190 million.
Though large, this number likely represents only a
small fraction of the total damage by feral swine in
the 10 states because it only includes crop damage
to six crops. We hope findings from this survey will
help guide control efforts and research, as well as
serve as a benchmark against which the
effectiveness of future control efforts can be
measured.
Anderson, A.; Slootmaker, C.; Harper, E.;
Holderieath, J.; Shwiff, A. Economic estimates of
feral swine damage and control in 11 US states.
Crop Protection, v.89, p.89-94, 2016.
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S02612194163
01557
ECONOMIC BEHAVIOR OF
FISHERS UNDER CLIMATERELATED UNCERTAINTY:
RESULTS FROM FIELD
EXPERIMENTS IN MEXICO AND COLOMBIA
This paper presents the results of economic
experiments run among fishermen from the
Mexican and Colombian Pacific. The experimental
design aims at studying behavior under uncertainty
concerning the possible effects of climate change
on fisheries. We find that subjects’ risk-aversion
diminishes the level of catches and changes fishing
practices (e.g. adopting marine reserves), provided
that fishermen have ex ante information on
possible climatic consequences. Furthermore,
social preferences (e.g. for cooperation and
reciprocity) also play an important role regarding
extraction from common-pool resources. Other
factors, such as income, gender and religion are
also found to have some influence. These results
have important implications for adaptation actions
and the management of coastal fisheries.
Mina, J.S.A.; Fernandez, D.A.; Ibarra, A.A.;
Georgantzis, N. Economic behavior of fishers
under climate-related uncertainty: Results from
field experiments in Mexico and Colombia.
Fisheries Research, v.183, p.304-317, 2016.
http://ac.els-cdn.com/S0165783616301576/1-s2.0S0165783616301576-main.pdf?_tid=1e77f422-4f71-11e6b3a100000aab0f26&acdnat=1469125974_7825ac1e8d8b22ede26b
7821a2126b76
ESTIMATING THE ECONOMIC BENEFITS OF
MSC CERTIFICATION FOR THE SOUTH
AFRICAN HAKE TRAWL FISHERY
Eco-labelling has become an essential component
of the global sustainable seafood trade. The Marine
Stewardship Council (MSC) is the world leader in
certification and eco-labelling programmes for wild
capture fisheries. While the environmental benefits
of certification have been widely recognised, its
economic benefits for specific fisheries are often
anecdotal or unknown. The South African hake
trawl fishery was first certified in 2004, re-certified
in 2010 and most recently in 2015 for a further five
years. This study was conducted to estimate the
potential economic benefits of MSC certification to
the Hake fishery. As a basis for this, an analysis of
the global production and trade in whitefish,
focussing on hake was conducted using the Food
and Agricultural Organisation of the United Nations’
FishStat and the United Nations’ UN Comtrade
data. Additional information was collected from
industry sources, non-governmental organisations
(NGOs) and from MSC-specific data on export
volumes and values. A succession of four
scenarios was proposed to simulate possible
economic outcomes resulting from shifting to a
non-certified fishery. The method then compared
the current economic worth of the fishery to the
progressive loss of value following these scenarios;
the difference representing the net worth of MSCcertification to the fishery. The analysis showed
that the fishery’s Net Present Value (NPV) of
combining these scenarios over a 5-year period
corresponds to a 37.6% reduction vis-à-vis the
status quo. This study showed that retaining MSC-
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
7
certification is critical for the fishery to maintain its
market position.
Lallemand, P.; Bergh, M.; Hansen, M.; Purves, M.
Estimating the economic benefits of MSC
certification for the South African hake trawl fishery.
Fisheries Research, v.182, p.95-115, 2016.
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S01657836163
0025X
INCIDÊNCIA E SIGNIFICÂNCIA
ECONÔMICA DA
TOXOPLASMOSE OVINA NO
SUL DO BRASIL
Este trabalho tem como objetivo determinar a
incidência da infecção pelo T. gondii em ovinos,
durante o período gestacional e a extensão das
perdas associadas. Amostras de sangue foram
coletadas de 411 ovelhas Corriedale em dois
rebanhos, em diferentes locais do Rio Grande do
Sul, Brasil. Presença de T. gondii foi diagnosticada
pela técnica de imunofluorescência indireta (RIFI).
A soroprevalência no pré- acasalamento foi de
20,2%, sem diferença significativa entre os dois
rebanhos estudados. A infecção por T. gondii foi
influenciada
pela
idade
(P
≤0,05).
A
soroprevalência
no pré-acasalamento
não
influenciou a taxa de retorno ao estro e a taxa de
prenhez. Taxa de desmame foi significativamente
maior nas ovelhas positivas na pré-cobertura em
comparação com as negativas (87,9 e 74,1%,
respectivamente - P
Oliveira, F.C.; Oliveira, P.A.; Cunha Filho, N.A.;
Aguiar, C.L.A.; Pappen, F.G.; Ruas, J.L.; Farias,
N.A. Incidência e significância econômica da
toxoplasmose ovina no sul do Brasil. Ciência
Rural, v.46, n.9, p.1618-1621, 2016.
http://www.scielo.br/pdf/cr/v46n9/1678-4596-cr0103_8478cr20151500.pdf
FOOD PRODUCTION IN
SOLIDARITY ECONOMY: AN ISSUE
THAT GOES BEYOND LAWS
Food production within the context of solidarity
economy is an alternative way to offer employment
and income for a significant part of the Brazilian
population. The purpose of this study was to carry
out a business diagnosis in order to evaluate the
facilities, the production process and hygiene
practices of seven solidarity economy enterprises
located in the city of Novo Hamburgo, Southern
Brazil, that work with food production and sales.
Visits took place at the enterprises and a check-list
was used to record data. Although food production
happens in places with space and setting
restrictions, it guarantees distinctive foods with
aggregate value, where handlers follow the whole
process, from raw materials selection to sales.
Basic hygiene principles are followed, as they
guarantee the production of food with quality, which
contributes towards income generation for
participating families. Specific laws that apply to the
characteristics and needs of small-scale food
production must be written in order to regulate
solidarity economy enterprises.
Weschenfelder, S.; Oliveira, B.; Bagatini, L.B.;
Saueressig, M.; Wilhelm, C.C.; Viana, A.L. Food
production in solidarity economy: an issue that
goes beyond laws. Food Science and
Technology, v.36, p.12-14, 2016.
http://www.scielo.br/pdf/cta/v36s1/0101-2061-cta-1678457X0040.pdf
ECOLOGICAL AND SOCIO-ECONOMIC
FUNCTIONS ACROSS TROPICAL LAND USE
SYSTEMS AFTER RAINFOREST CONVERSION
Tropical lowland rainforests are increasingly
threatened by the expansion of agriculture and the
extraction of natural resources. In Jambi Province,
Indonesia, the interdisciplinary EFForTS project
focuses on the ecological and socio-economic
dimensions of rainforest conversion to jungle
rubber agroforests and monoculture plantations of
rubber and oil palm. Our data confirm that
rainforest
transformation
and
land
use
intensification lead to substantial losses in
biodiversity and related ecosystem functions, such
as decreased above- and below-ground carbon
stocks. Owing to rapid step-wise transformation
from forests to agroforests to monoculture
plantations and renewal of each plantation type
every few decades, the converted land use
systems are continuously dynamic, thus
hampering the adaptation of animal and plant
communities. On the other hand, agricultural
rainforest
transformation
systems
provide
increased income and access to education,
especially for migrant smallholders. Jungle rubber
and rubber monocultures are associated with
higher financial land productivity but lower financial
labour productivity compared to oil palm, which
influences crop choice: smallholders that are
labour-scarce would prefer oil palm while land-
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
8
scarce smallholders would prefer rubber.
Collecting long-term data in an interdisciplinary
context enables us to provide decision-makers and
stakeholders with scientific insights to facilitate the
reconciliation between economic interests and
ecological sustainability in tropical agricultural
landscapes.
aprovaram leis que proíbem a produção e o
comércio desses produtos, incluindo duas capitais
de estado: São Paulo e Goiânia. Esse é o método
usado para produzir o foie gras (fígado gordo em
francês), no qual patos são tipicamente forçados a
se alimentarem para aumentar o tamanho de seus
fígados.
Drescher, J.; Rembold, K.; Allen, K.; Neckschafer,
P. E Outros. Ecological and socio-economic
functions across tropical land use systems after
rainforest conversion. Biological Sciences, v.371,
n.1694, 2016.
Em junho, a Perdue, quarto maior produtor de
frangos de corte nos EUA, anunciou uma série de
reformas significativas e ajustes para melhorar a
vida de aproximadamente 700 milhões de frangos
que são criados e abatidos a cada ano. As
reformas incluem a melhoria de práticas de abate,
utilização de sistemas de atmosfera controlada
para o abate, instalação de janelas para fornecer
luz natural às aves, promoção de enriquecimento
para as aves (como fardos de feno e poleiros),
fornecimento de mais espaço por ave e utilização
de linhagens de frangos de corte com crescimento
mais lento que não têm os problemas fisiológicos
inerentes às aves de crescimento rápido.
http://rstb.royalsocietypublishing.org/content/royptb/371/1694/2
0150275.full.pdf
DESTAQUE
SEGUNDO TRIMESTRE DE 2016: NOTÍCIAS
SOBRE BEM-ESTAR ANIMAL PARA
EMPRESAS, INVESTIDORES E DEMAIS
STAKEHOLDERS DO SETOR
AGROPECUÁRIO
Por Fernanda Vieira4
Em abril, o Walmart anunciou a transição para
ovos produzidos sem gaiolas nos Estados Unidos
até 2025. Como se nota neste artigo da USA
Today, o compromisso da empresa é “o ato final
solidificando a transição da indústria alimentícia
para uma produção de ovos mais humanitária”,
tirando os ovos livres-de-gaiolas do domínio de um
nicho de mercado mais caro e entrando no
mercado principal com preços equivalentes aos
ovos convencionais.
O progresso na indústria de ovos não tem apenas
se limitado ao alojamento de galinhas. Em junho, a
associação de produtores de ovos nos EUA, que
representa 95% dos produtores no país, anunciou
que irá acabar com a terrível prática de abater /
moer pintos vivos até 2020 – em grande parte
graças às novas tecnologias de sexagem in ovo.
Também, em maio, a cidade de Goiânia, capital de
Goiás, tornou-se a segunda cidade no Brasil a
proibir produtos feitos a partir da alimentação
forçada de animais. Várias cidades brasileiras já
Como
de
costume,
investidores
estão
respondendo a esse progresso crescente do bemestar animal. A ING, uma instituição financeira
global, que fornece serviços bancários a clientes
em mais de 40 países, publicou uma política
pedindo que seus clientes atendam padrões de
bem-estar animal e aumentou sua gama de
atividades que envolve bem-estar animal que não
serão financiadas.
Nós estamos claramente no meio de uma
revolução alimentar. A China se comprometeu a
reduzir pela metade seu consumo de carne, e a
empresa internacional de carne Van Hees
recentemente divulgou sua carne à base de
vegetais / vegetariana na Meating place magazine
(embora a Van Hees certamente não é a primeira
empresa a produzir carne para começar a expandir
seu portfólio para incluir proteínas de origem
vegetal).
SUGESTÃO DE LEITURA
WORLD LIVESTOCK 2013
CHANGING DISEASE LANDSCAPES
Esta publicação procura explicar porque e como
agentes patogênicos de origem animal tornaram-
4
Coordenadora Técnica, Humane Society International Brasil
(HSI), Animais de Produção. E-mail: [email protected]
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
9
se uma grande ameaça global a saúde pública, e
o que pode ser feito para atenuar essa ameaça. O
desenvolvimento demográfico e econômico dos
seres humanos está resultando em aumento da
pressão sobre os recursos naturais da Terra.
Ambos desempenham papéis importantes na
transformação da agricultura e paisagens naturais.
Uma característica importante é a crescente
demanda de leite, carne e ovos devido ao rápido
crescimento da classe de renda média em todo o
mundo.
Alterações nos principais sistemas de uso da terra
são avaliados para o período 2000-2030, com
especial atenção para as principais dinâmicas de
uso da terra, onde terras agrícolas estão sendo
convertidos para assentamentos humanos e
infraestruturas; terras agrícolas estão substituindo
sistemas pastoris e áreas florestais; e sistemas
pastoris e cultivo estão invadindo em áreas
florestais. Áreas propensas ao desmatamento são
destacadas como potenciais pontos de acesso
para a emergência de agentes patogénicos
provenientes de animais selvagens. A dinâmica da
alimentação e agricultura são descritos como os
principais impulsionadores do surgimento da
doença, disseminação e persistência destas nos
sistemas pecuários extensivos e intensivos e em
cadeias
de
abastecimento
alimentar.
A
intensificação da pecuária é analisada em
diferentes áreas geográficas para rastrear
possíveis riscos para a saúde pública.
Neste relatório existem capítulos separados para
se discutir mudanças no comércio internacional de
animais e produtos de origem animal e as formas
em que este comércio possam ter afetado
ocorrência da doença. Também são discutidas as
implicações das alterações climáticas e os efeitos
da globalização. A evolução do sistema de saúde
animal é avaliado para identificar falhas e
sucessos no controle da doença. Perfis de impacto
de doenças em animais de laboratório são
elaborados para ilustrar como a doença pode
interferir com o cumprimento das metas de
desenvolvimento sustentável, e defendem uma
abordagem centrada nas pessoas e proteção da
saúde. Os principais domínios de impacto
considerados são a saúde humana, os meios de
vida, economia e meio ambiente. É dada especial
atenção ao peso das doenças endêmicas em
humanos e animais, tanto em áreas densamente
povoadas com pressões muito altas e em locais
remotos e outros ambientes agressivos.
A publicação sugere a necessidade de uma
mudança de paradigma na avaliação de risco, com
mais atenção para uma abordagem de saúde em
desenvolvimento que envolve a sociedade em
geral e é construído sobre a análise das forças
motrizes da dinâmica da doença. Tal análise será
fundamental para a definição de medidas
preventivas para combater do surgimento,
disseminação e persistência da doença. Quatro
coisas distintas precisam ser abordadas: o peso
das doenças endêmicas relacionadas com a
pobreza em seres humanos e animais; ameaças
biológicas e desafios de biossegurança impostos
pela globalização e as alterações climáticas;
alimentos e ameaças à saúde pública relacionados
com a agricultura; e o risco de agentes de doenças
que saltam espécies de animais selvagens para
outros animais e seres humanos. A abordagem
preventiva
sugerida
neste
relatório se refere à dinâmica da
doença e da evolução do
patógeno
diretamente
relacionada
com
o
comportamento humano em
todos os pontos das cadeias.
O relatório pode ser acessado na íntegra em:
http://www.fao.org/docrep/019/i3440e/i3440e.pdf
ÍNDICE DE CUSTO DE PRODUÇÃO DO
CORDEIRO PAULISTA (ICPC)
O Índice de Custo de Produção do Cordeiro
Paulista é um projeto desenvolvido pelo
Laboratório de Análises Socioeconômicas e
Ciência Animal da FMVZ/USP.
No mês de julho houve alta nos índices de custo
de produção nas regiões de Araçatuba, Bauru e
Piracicaba, e baixa para a região de Campinas. O
custo se manteve estável em São José do Rio
Preto. Em geral o valor de aprisco, arrendamento
de terras, da cana-de-açúcar e dos grãos tiveram
alta. Por outro lado, o custo de implementos
apresentou queda nos preços de máquinas
agrícolas, exceto em Araçatuba, onde os valores
foram constantes. Os preços de animais de
descarte e reprodução também tiveram baixa nas
regiões, exceto em Campinas que continuou com
os mesmos valores em relação a junho. Os valores
pagos à mão de obra (tanto diarista quanto
mensal) apresentaram redução. No que diz
respeito ao valor do diesel, observou-se aumento
nas regiões de Bauru e Piracicaba, diminuição nas
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
10
regiões de Araçatuba e Campinas e em São José
do Rio Preto o preço foi mantido.
comum que vários destes itens não entrem nas
contas dos produtores, por diversos motivos. A
Tabela a seguir demonstra o impacto no custo de
produção do mês atual.
Se desejar, cadastre-se para ser um informante
mensal de preços de insumos, e/ou para receber
gratuitamente a planilha de cálculo de custo de
produção de cordeiros. Para mais detalhes sobre
a caracterização dos sistemas de produção
considerados no estudo ou sobre a ponderação do
índice
estadual,
envie
e-mail
para
[email protected]
Tabela: Custo de produção do cordeiro nos
meses de junho e julho de 2016
Região
Araçatuba1
Bauru1
Campinas1
Piracicaba2
São J. Rio Preto1
Custo agregado
para o estado3
Custo do cordeiro
em junho/2016
Custo do cordeiro
em julho/2016
R$/kg
vivo
R$/kg
carcaça
R$/kg
vivo
R$/kg
carcaça
22,75
19,52
28,79
29,27
7,03
54,16
48,79
66,96
68,07
14,66
23,06
20,05
28,13
29,93
7,03
54,90
50,12
65,42
69,61
14,65
1,36%
2,72%
-2,29%
2,25%
0,00%
18,00
42,34
18,15
42,71
-0,71%
Variação
do custo
(%)
1
Nas regiões de Araçatuba, Bauru, Campinas e São José do Rio Preto os custos se
referem ao kg do cordeiro terminado.
2
Na região de Piracicaba os custos se referem ao kg do cordeiro desmamado, não
terminado.
3
Ponderação dos índices regionais baseada nos efetivos de rebanho de cada região,
segundo a Pesquisa Pecuária Municipal (IBGE, 2011).
LIVROS
Alimentação Equina. Nutrição,
Saúde e Bem estar
Cintra
Roca
Oncologia para Cães e Gatos
Daleck & Nardi
Recebemos com certa frequência mensagens com
dúvidas em relação à forma com que os custos são
calculados neste estudo. Assim, procuramos
apresentar a seguir algumas informações para
melhorar a compreensão sobre o ICPC.
Forense
Tabela: Custos de produção no mês de julho de
2016, descontando-se alguns itens (R$/kg vivo)
Elsevier
No método adotado, os itens de custo são
agrupados em três categorias. São elas: i) custos
variáveis (alimentação e despesas veterinárias); ii)
custos fixos operacionais (mão de obra, energia e
combustíveis, depreciações de instalações,
equipamentos e reprodutores e manutenção de
instalações, equipamentos e pastagens); e iii)
renda dos fatores (juros sobre o capital de giro e
imobilizado e custo de oportunidade da terra).
Assim, são incluídos todos os itens recomendados
pela Teoria Econômica. É importante que se
incluam todos estes itens, para evitar a
descapitalização do produtor. No entanto, é
Análises Químicas, Propriedades Funcionais e
Controle da Qualidade de Alimentos e Bebidas
Granato
Química, Bioquímica, Análise Sensorial e
Nutrição no Processamento de Leite e
Derivados
Cruz & Oliveira
Elsevier
Métodos computacionais aplicados à
agricultura: Python & Weka
Ribeiro
Novaterra
The Ultimate Guide to Horse Feed,
Supplements, and Nutrition
Preston
Skyhorse Publishing
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
11
The Ultimate Guide to Soil: The Real Dirt on
Cultivating Crops, Compost, and a Healthier
Home
Hess
DIÁLOGOS NO LAE
Skyhorse Publishing
Pig Tales: An Omnivores
Quest for Sustainable Meat 1st
Edition
Estabrook
W. W. Norton & Company
Agriculture: A Very Short Introduction (Very
Short Introductions)
Brassley & Soffe
Oxford University Press
Push Button Agriculture: Robotics, Drones,
Satellite-Guided Soil and Crop Management
Krishna
Apple Academic Press
Innovative Saline Agriculture
Dagar, Shama, Shama & Singh
Springer
Bovine Theriogenology, An Issue of Veterinary
Clinics of North America: Food Animal
Practice, 1e (The Clinics: Veterinary Medicine)
Larson
Elsevier
Equine Thermography in Practice
Soroko & Davies
CABI
Big Farms Make Big Flu: Dispatches
on Influenza, Agribusiness, and the
Nature of Science
Wallace
Monthly Review Press
Acupressure for Horses Course
Manual: Chapter One: Traditional
Chinese Medicine Concepts and Language
Thompson
Amazon Digital Services
Manual of Veterinary Transfusion Medicine
and Blood Banking
Yagi
Wiley-Blackwell
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
12
São Paulo, SP, 29 de Agosto a 28 de Outubro de
2016
CURSO EM DESTAQUE
GERENCIAMENTO DA PRODUÇÃO DE
SILAGEM
Objetivo



Oferecer aos participantes conceitos de
economia e administração aplicados no dia a
dia de fazendas produtoras de silagem.
Apresentar ferramentas que auxiliem a tomada
de decisão na busca do melhor retorno
financeiro para a atividade.
Apresentar práticas que otimizem a relação
benfíco:custo, através de estratégias de gestão
e estudos de casos de sucesso.
Público-alvo
Profissionais, produtores e técnicos que desejam
se atualizar em conceitos de gestão na
forragicultura. E demais interessados em
aumentar a rede de relacionamento profissional
para acompanhar as frequentes mudanças do
competitivo mercado.
Local e horários de realização
Data: 14/09 a 07/12/2016.
Carga-horária: 44 horas
Horário: das 19 às 23h
Local: Internet (EaD)
Informações:
http://www.pecege.esalq.usp.br
http://www.ivi.vet.br/curso/curso_teorico_e_pratico_de_interpr
etacao_e_diagnostico_em_patologia_clinica_veterinaria.html
Curso de Acupuntura Veterinária
Botucatu, SP, 27 e 28 de Agosto de 2016
http://www.bioethicus.com.br/acupuntura
Curso Tópicos Especiais em Cirurgia de
Pequenos Animais: Cabeça, Pescoço e
Plástica Reconstrutiva
Porto Alegre, RS, 20 e 21 de Agosto de 2016
http://www.shopmedvep.com.br/cursos/agosto/curso-topicosespeciais-em-cirurgia-de-pequenos-animais-cabeca-pescocoe-plastica-reconstrutiva-porto-alegre-rs-dias-20-e-21-deagosto-de-2016/
Atualização Cirúrgica em Pequenos Animais
Osaso, SP, 27 e 28 de Agosto de 2016
http://www.shopmedvep.com.br/cursos/agosto/atualizacaocirurgica-sp_agosto/
Curso teórico-prático de ultrassonografia em
pequenos animais
São Paulo, SP, 2 de Setembro de 2016 a 5 de
Março de 2017
http://www.ivi.vet.br/curso/curso_teoricopratico_de_ultrassono
grafia_em_pequenos_animais__modulo_final_de_semana.ht
ml
Curso de Oncologia Clínica e Cirúrgica
Belém, PA, 3 e 4 de Setembro de 2016
http://www.shopmedvep.com.br/cursos/setembro/oncologiaclin
icabelem/
Curso Prático Técnicas Aplicadas em Cirurgia
Felina
Natal, RN, 3 e 4 de Setembro de 2016
http://www.shopmedvep.com.br/cursos/setembro/cursopratico-tecnicas-aplicadas-em-cirurgia-felina-natal-rn-dias-03e-04-de-setembro-de-2016/
E-mail: [email protected]
Telefone: (19) 3377-0937
OPORTUNIDADES
CURSOS
Fundação Oswaldo Cruz: abre concurso para
ingresso ao carpo de Especialista em Ciência,
Tecnologia, Produção e Inovação em Saúde
Pública. Inscrições de 04/07/2016 a 08/08/2016.
Mais informações:
Curso de Quimioterapia Antineoplásica em
Cães e Gatos
Jaboticabal, SP, 12 e 13 de Agosto de 2016
http://www.funep.org.br/mostrar_evento.php?idevento=597
http://concurso.fiotec.fiocruz.br/Fiocruz.2016/Divulgacao/Edital
%20-%2002%20-%20Especialista.pdf
Curso de Interpretação e diagnóstico em
patologia clínica veterinária
Universidade Tecnológica Federal do Paraná:
abre concurso para Professor Substituto em
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
13
Londrina. Inscrições
informações:
até
07/08/2016.
Mais
http://www.utfpr.edu.br/concursos/campi/ld/ps/edital-004-2016ps-ld-professor-de-magisterio-federal-substituto
Instituto Federal de Educação, Ciência e
Tecnologia Baiano: abre vaga para Professor
Substituto no Campus Teixeira de Freitas para a
área de Engenharia Florestal. Inscrições até
08/08/2016. Mais informações:
http://sra.teixeira.ifbaiano.edu.br/proselprofessorsubstituto/
Secretária de Estado do Meio Ambiente e
Recursos: abre concurso para Engenheiro
Agrônomo, Engenheiro Ambiental, Engenheiro de
Pesca e outros cargos. Inscrições até
15/08/2016.Mais informações:
http://www.concursosfcc.com.br/concursos/semad116/index.ht
ml
Instituto Federal do Norte de Minas Gerais: abre
concurso para Engenheiro Agrônomo, Médico
Veterinário e outros cargos para as cidades de
Almenara, Arinos, Januária, Montes Claros e
Salinas. Inscrições até 18/08/2016. Mais
informações:
https://www.gestaodeconcursos.com.br/site/site/DetalheConcu
rso.aspx?CodigoConcurso=1151
Universidade Federal de São José del-Rei: abre
concurso para contratação de Professor Substituto
para o Departamento de Ciências Exatas e
Biológicas. Inscrições até 26/08/2016. Mais
informações:
http://assets.agrobase.com.br/concursos/wpcontent/uploads/2016/07/edital-046-2016-processo-seletivoufsj.pdf
Universidade Federal de Minas Gerais: abre
vaga para Professor Adjunto na Escola de
Veterinária. Inscrições até 27/08/2016. Mais
informações:
https://www2.ufmg.br/concursos/Concursos/ProfessorAdjunto/PROCESSO-SELETIVO-Escola-de-Veterinaria-Edital391-Publicado-em-14-07-2016
Universidade Federal de Uberlândia: abre vaga
para docentes que vão lecionar em regime de
Dedicação Exclusiva, nas áreas de Construção
Civil e Materiais e Componentes de Construção e
Hidraulica e Saneamento. Inscrições até
28/08/2016. Mais informações:
https://www.portal.prograd.ufu.br/servicos/acesso/login
Davol: abre vaga para representante de produtos
veterinários em São Paulo. Perfil desejado:
graduação em Medicina Veterinária. Enviar
currículo até 10/08/2016. Mais informações:
[email protected] ou
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/empregorepresentante-de-produtos-veterinarios-sao-paulo-sp-3/
JBS: abre vaga para supervisor de laboratório de
análises microbiológicas em Guapiaçu/SP. Perfil
desejado: graduação em Engenharia de
Alimentos, Medicina Veterinária, Biologia ou
semelhantes. Enviar currículo até 11/08/2016.
Mais informações:
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/empregosupervisor-de-laboratorio-analises-microbiologicas-guapiacusp/
JBS: abre vaga para analista de garantia de
qualidade em alimentos, em Jundiaí/SP. Perfil
desejado: graduação em Engenharia de
Alimentos, Medicina Veterinária, Biologia ou
semelhantes. Enviar currículo até 12/08/2016.
Mais informações:
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/empregoanalista-da-garantia-da-qualidade-alimentos-jundiai-sp/
Clínica Veterinária Vita: contrata Médico
Veterinário, em Curitiba/PR. Perfil desejado:
Médico Veterinário formado com mais de um ano
de experiência em atendimento emergencial e em
internação. Enviar currículo até 14/08/2016. Mais
informações:
[email protected] ou
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/2-vagasveterinario-plantonista-noturno-curitiba-pr/
Grupo Ullmann: abre vaga para gerente
comercial regional em Minas Gerais e na Bahia.
Perfil desejado: graduação em Medicina
Veterinária ou Zootecnia. Enviar currículo até
18/08/16. Mais informações:
[email protected] ou
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/empregogerente-comercial-regional-nutricao-animal-mg-ba/
PETZ/ Pet Center Marginal: abre vaga para
Médico
Veterinário
Cirurgião,
em
Belo
Horizonte/MG. Perfil desejado: Graduação em
Medicina Veterinária com no mínimo 3 anos de
experiência cirúrgica, pós ou residência em
cirurgia médica de pequenos animais. Enviar
currículo até 21/08/2016. Mais informações:
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
14
[email protected] ou
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/empregomedico-veterinario-cirurgiao-belo-horizonte-mg/
Minerphós Nutrição e Saúde Animal: abre vaga
para Assistente técnico comercial, em Minas
Gerais e São Paulo. Perfil desejado: graduação em
Medicina
Veterinária
e
Zootecnia.
Mais
informações:
[email protected] ou
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/empregoassistente-tecnico-comercial-nutricao-animal-minas-geraissao-paulo/
estagio-voluntario-para-projeto-de-conservacao-de-tartarugasmarinhas-em-bases-comunitarias-cabo-verde/
EVENTOS
XIX Congresso Brasileiro de Parasitologia
Veterinária
Belém, PA, 8 a 10 de Agosto de 2016
http://xixcbpv.com/
15º Congresso Brasileiro do Agronegócio
São Paulo, SP, 8 de Agosto de 2016
Minerphós Nutrição e Saúde Animal: abre vaga
para Assistente técnico comercial, em Rio Grande
do Sul e Santa Catarina. Perfil desejado:
graduação em Medicina Veterinária e Zootecnia.
Mais informações:
http://www.abag.com.br/cba/
[email protected] ou
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/empregoassistente-tecnico-comercial-saude-animal-rio-grande-do-sulsanta-catarina/
Seminário de Responsabilidade Técnica
(CRMV-PR)
Guarapuava, PR, 10 de Agosto de 2016
InVivo: abre vaga de Trainee para área de
nutrição e saúde animal em Porto Alegre, RS.
Perfil desejado: graduação em Engenharia
Agronômica, Medicina Veterinária ou Zootecnia.
Enviar currículo até 10/08/2016. Mais informações:
AMAZON SOIL 2016
Capanema, PA, 10 a 13 de Agosto de 2016
http://amazonsoil2016.com.br/
http://www.crmvpr.org.br/?p=inicial/seminario_detalhes&id=1440
Simpósio Caminhos para Implantação e
Manejo do Sistema Integração Lavoura
Pecuária – ILP
Campo Grande, MS, 12 de Agosto de 2016
http://fealq.org.br/informacoes-do-evento/?id=416
[email protected] ou
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/vagatrainee-gerente-de-territorio-em-multinacional-de-nutricao-esaude-animal-porto-alegre-rs/
Bayer: abre Programa de Trainee para o Setor da
Saúde, Agronegócios e Materiais Inovadores.
Perfil desejado: Formação superior nos cursos de
Administração,
Marketing,
Relações
Internacionais, Comunicação Social, Publicidade e
Propaganda, Agronomia, Engenharia Mecânica,
Engenharia de Produção, Engenharia Química/
Química
Industrial,
Farmácia,
Veterinária,
Biomedicina e Biotecnologia. Enviar currículo até
19/08/2016. Mais informações:
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/07/programade-trainee-bayer-2017/
FMB – Fundação Maio Biodiversidade: abre
vaga para estágio voluntário pra projeto de
conservação de tartarugas marinhas em bases
comunitárias. Enviar currículo até 30/11/2016.
Mais informações:
[email protected] ou
http://www.agrobase.com.br/oportunidades/2016/04/vagas-
54º SOBER – Congresso da Sociedade
Brasileira de Economia, Administração e
Sociologia Rural
Maceió, AL, 14 a 17 de Agosto de 2016
http://sober.org.br/54sober/
VI Congresso ANDAV
São Paulo, SP, 15 a 17 de Agosto de 2016
http://congressoandav.com.br/2016/programacao/
Agroleite Castrolanda 2016
Castro, PR, 16 a 20 de Agosto de 2016
http://www.castrolanda.coop.br/
11º Simpósio Tecnico Acav
Florianópolis, SC, 16 a 19 de Agosto de 2016
http://www.fbasistemas.com.br/acav16/#contato
12º Dia de Campo Florestal
Bragança Paulista, SP, 17 de Agosto
https://diadecampoflorestal.com.br/inscricao/
XIII Seminário para Interação em Gestão
Ambiental
Piracicaba, SP, 20 e 21 de Agosto de 2016
http://www.esiga.org.br/
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
15
XI Sesma
Vitória, ES, 20 e 21 de Agosto de 2016
http://www.abes-es.org.br/evento/
9º Agrochemshow
São Paulo, SP, 22 de Agosto de 2016
http://agrochemshow.com.br/2016/index.php
III Encontro Maranhense de Ciencias Agrarias
Imperatriz, MA, 22 a 27 de Agosto de 2016
http://emcauema.com.br/
Fórum Sustentabilidade e Governança
Curitiba, PR, 23 e 24 de Agosto de 2016
http://www.sustentabilidadegovernanca.com.br/
III Simpósio de Qualidade do Leite
Jaboticabal, SP, 02 a 04 de Setembro de 2016
http://www.sqleite.com.br/#price
III Simpósio Internacional de Neurologia em
Animais de Companhia
Botucatu, SP, 02 a 04 de Setembro de 2016
http://fmvz.unesp.br/#%21/eventos/ii-simposio-internacionalde-neurologia-em-animais-de-companhia/
ECOTOX 2016
Curitiba, PR, 7 a 10 de Setembro de 2016
http://ecotoxbrasil.org.br/
V Simpósio Cearense de Animais Selvagens SIMCEAS
Fortaleza, CE, 13 a 16 de Setembro de 2016
Gustavo Lineu Sartorello
[email protected]
Mestrando na FMVZ/USP
Camila Raineri
[email protected]
Pós-doutoranda na FMVZ/USP
Camila Rodrigues Pires
[email protected]
Aluna do Curso de Medicina Veterinária da
FMVZ/USP, Bolsista do Programa “Aprender com
Cultura e Extensão”
Juliana de Cassia Gildo
[email protected]
Aluna do Curso de Medicina Veterinária da
FMVZ/USP, Bolsista do Programa “Aprender com
Cultura e Extensão”
Rubens Nunes
[email protected]
Professor da FZEA/USP
Nota: as imagens foram elaboradas gentilmente
pelo designer Francisco Eduardo Alberto de
Siqueira Garcia.
CONTATO
http://www.uece.br/eventos/5simceas/
V Simpósio de Produção Animal
Pirassununga, SP, 16 a 18 de Setembro de 2016
http://petzoofzea.com.br/?p=1699
Evento em destaque
III Workshop de legislação em bem-estar
animal
Pirassununga, SP, 3 e 4 de Novembro de 2016
https://www.facebook.com/cecsbeusp/photos/a.218082421722
342.1073741828.217291738468077/491735087690406/?type
=3&theater
USP / FMVZ / VNP / LAE
Laboratório de Análises Socioeconômicas e
Ciência Animal
Av. Duque de Caxias Norte, 225 - Campus USP
CEP 13.635-900, Pirassununga - SP
Telefone: (19) 3565 4224
Fax: (19) 3565 4295
http://lae.fmvz.usp.br
SOBRE O BOLETIM ELETRÔNICO
“SOCIOECONOMIA & CIÊNCIA ANIMAL”
EQUIPE
Augusto Hauber Gameiro
[email protected]
Professor da FMVZ/USP
Thayla Sara Soares Stivari Reijers
[email protected]
Doutoranda na FMVZ/USP
Trata-se de um projeto de extensão vinculado ao Programa de
Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal da Faculdade
de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ/USP). O projeto
conta com a participação da Faculdade de Zootecnia e
Engenharia de Alimentos (FZEA/USP).
O boletim eletrônico tem o objetivo de divulgar os resultados de
pesquisas desenvolvidas e publicadas nacionalmente e
internacionalmente, e que tenham como campo de
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
16
investigação, as Ciências Humanas aplicadas diretamente ou
conjuntamente à Ciência Animal.
Portanto, este projeto de extensão procura contribuir para o
desenvolvimento científico baseado na multidisciplinaridade.
O boletim é de livre acesso a todos que tenham interesse,
bastando enviar uma mensagem solicitando a inclusão do email destinatário para o seu recebimento.
Críticas, ideias e sugestões sempre serão bem-vindas.
Para solicitar cadastramento na lista de destinatários ou
cancelamento do recebimento, favor escrever para:
[email protected]
Clique no link abaixo para ter acesso às edições anteriores:
http://biblioteca.fmvz.usp.br/index.php/fontes-deinformacao/boletim-eletronico-do-laefmvzusp/
Visite a página do LAE no Facebook:
http://www.facebook.com/LAE.FMVZ.USP
APOIO INSTITUCIONAL
Universidade de São Paulo
Prefeitura do Campus USP "Fernando Costa" - Pirassununga
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Departamento de Nutrição e Produção Animal
Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal - Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal
17