Discipulado vivo e simples

Сomentários

Transcrição

Discipulado vivo e simples
Discipuladovivoesimples
(Sériediscipuladovivoesimples)
MisaelNascimento
2015MisaelNascimento
Todososdireitosreservados.Nenhumapartedestapublicaçãopoderáserreproduzida,
transmitidaoucompartilhadadequalquermodoouporqualquermeioeletrônicooumecânico,
incluindoredessociais,sitesdecompartilhamentodelivrosoudocumentos,fotocópia,gravação
ouqualquertipodesistemadearmazenamentoetransmissãodeinformação,semprévia
autorizaçãodoautorporescrito.
Editor:MisaelNascimento
ConversãoparaeBook:MisaelNascimento
Websitecomrecursosdidáticosadicionais:
http://www.misaelbn.com/livros/
Dadosparacontato:Fone:55-017-98149-4342
E-mail:[email protected]
1ªedição–2015
NASCIMENTO,MisaelBatista.
Discipuladovivoesimples/MisaelNascimento.SãoJosédoRioPreto:MisaelNascimento,2015.
(Sériediscipuladovivoesimples).
ISBN[Registrar]
1.Religião2.Bíblia3.Experiênciacristã4.Vidacristã5.Missões6.EducaçãocristãI.
Título
DedicoestesestudosaDeus,quepacientementemediscipulatodososdias,diretamenteepor
meiodemeusqueridosirmãoseirmãs,membrospreciososdaigrejavisíveldeCristo.
Sumário
V
SUMÁRIO
LISTADEABREVIATURAS
VI
DEFINIÇÕESDETERMOSEDEABREVIAÇÕES
VI
VII
PREFÁCIODOAUTOR
1OMANDATOCRISTÃODODISCIPULADO
1
1.1
1.2
1.3
1.4
1
3
9
9
AANTIGUIDADEDODISCIPULADO
ODISCIPULADODEJESUS
DISCIPULADOEIMITAÇÃO
DISCIPULADO,MATURIDADEECURRÍCULO
2GENTEQUEDISCIPULOUGENTE
13
2.1
2.2
2.3
2.4
2.5
2.6
2.7
13
16
21
23
28
29
31
UMRECORTEDEDISCIPULADOEMGREGÓRIOMAGNO
CONTRIBUIÇÕESDAREFORMAPROTESTANTEAODISCIPULADO
AHERANÇADEBAXTER
OARDOREVANGELÍSTICODEBONARESPURGEON
DISCIPULADOEAVIVAMENTO
ODISCIPULADOCOMPROMETIDODEDIETRICHBONHOEFFER
INÍCIODEMUDANÇASNODISCIPULADO
3ASMUDANÇASNODISCIPULADO
33
3.1
3.2
3.3
3.4
3.5
3.6
33
34
36
37
38
40
SEMENTESDAMUDANÇA
OLEGADODEFINNEY
O“DISCIPULADO”DEFITAFUSO
O“DISCIPULADO”INSTANTÂNEO
O“DISCIPULADO”DELINHADEPRODUÇÃO
O“DISCIPULADO”DESCOLADODAIGREJA
4OBSTÁCULOSEPOSSIBILIDADESDODISCIPULADO
41
4.1
4.2
4.3
4.4
4.5
4.6
4.7
41
42
43
46
48
50
51
OOBSTÁCULODODILEMAFALSO
OOBSTÁCULODAIGREJA-HOSPITAL
OOBSTÁCULODOPECADO
APOSSIBILIDADEDOIDISCIPULADO
ODISCIPULADOEMINICIATIVASSIMPLES
VOTOSERESOLUÇÕESDEDISCIPULADO
OPORTUNIDADESDEDISCIPULADONAIGREJA
5OSPRIMEIROSSONSPODEMSERRECUPERADOS
56
REFERÊNCIASBIBLIOGRÁFICAS
57
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.v
Listadeabreviaturas
Definiçõesdetermosedeabreviações
ARA.BíbliaSagrada,TraduçãodeAlmeida,revistaeatualizada.
ARC.BíbliaSagrada,TraduçãodeAlmeida,revistaecorrigida.
AT.AntigoTestamento.
CFW.ConfissãodeFédeWestminster.
BEG2.BíbliadeEstudodeGenebra.Segundaediçãode2009.
NT.NovoTestamento.
NTLH.BíbliaSagrada,NovaTraduçãonaLinguagemdeHoje.
NVI.BíbliaSagrada,NovaVersãoInternacional.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.vi
Prefáciodoautor
AprimeiraversãodestematerialsurgiucomotextoparaumCursodeEspecializaçãoem
Teologia(àdistância)doCentroPresbiterianodePós-GraduaçãoAndrewJumper.Oobjetivo
inicialeracompilaranotaçõespertinentesaodiscipulado,afimdeforneceraosalunosmaterial
fielàsSagradasEscrituras,honestamentedocumentadoeedificante.
Interagindocomaclasse,escrevimaisdoquepretendia.Nofimdascontasvi-mede
joelhos,maravilhadodiantedeCristoeseumandatodiscipulador!Otextoalcançouprimeiro
meucoração,edaí,derramou-separaosalunos.Algunsdelesconfirmaramqueoestudofoiútil.
Daíutilizei-oemumgrupodeestudodaIgrejaPresbiterianadeSãoJosédoRioPreto.Aqueles
irmãoseirmãsmeabençoaramcomsuaspercepções,entusiasmoedisposiçãoparaconhecere
praticarodiscipuladodeJesus.Odiscernimentodelesmotivou-meamelhorarotextooriginal.
Estelivretorefletesobreodiscipuladodentrodamoldurabíblicapactual.Esforcei-me
paraconsiderarodiscipuladooriundodeexegesesadiadaPalavradeDeus,nãoodiscipulado
comomodismoousloganrasodecampanhasministeriais.Aqui,somosdesafiadosanoscolocar
diantedeDeus,implementandoumdiscipuladodependentedele,adinfinitum.Paraquemdeseja
ummaterialparaponderar,oraretrabalharduro,eisolivro!
OroparaqueDeusnosfaçacomprometidoscomotestemunhoeensinodoevangelho,
aquieagora.Meudesejoéverocoraçãodestageraçãoincendiadocomofogoardentedo
discipuladovivoesimples!
Éoquesuplicohumildemente,paraglóriaúnicadoRessurretoquenoscriou,redimiue
vocacionouparadiscipular.
MisaelNascimento.
Junhode2015.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.vii
1Omandatocristãododiscipulado
Perdiditantiquumliteraprimasonum:“Asprimeirasletrasperderamseusprimitivossons”ou
“perdeu-se,desdeaAntiguidade,osomdaprimeiraletra”.1Aetimologiademonstraqueos
significadosdealgunsvocábulosmudamcomopassardotempo.Oscristãoscompreendemisso
muitobem.“Justiça”;“amor”e“verdade”sãoexemplosdetermoscujossentidosatuaissão
opostosaosatribuídosemoutrasépocas.Sendoassim,abatalhadiligente“pelaféqueumavez
portodasfoientregueaossantos”(Jd3),exigecavarosentidoinicialoubíblicodequasetoda
palavradenossovocabuláriocomum.
Sendoassim,oqueédiscipulado?Arespostaaestaperguntaexigequeolhemosparasua
antiguidadeeatualizaçãonaépocadeJesus.
1.1 Aantiguidadedodiscipulado
Discipuladoéumapalavrarelativamenterecente.Seusprimeirosusosdatamdo19ºséculo.2O
vocábulo,porém,remeteaumapráticaantiga.“Discípulo”éumalunoqueaprendeaospésde
umprofessor;discipuladocorrespondeaaprendizado.3Destamaneiraampla,nãoseria
incorretoenxergar“discipulado”nopaganismo,e.g.,novínculoentreSócrateseseusalunos
XenofonteePlatão.4
MasodiscipuladopodesercavadonahistóriadeIsrael.NasSagradasEscriturasé
plausívelentendercomo“discipulado”astratativasentreMoiséseJosué(Êx17.9,14;24.13;
32.17;33.11;Nm13.16),5ouEliaseEliseu(1Rs19.19-21).Norelatopós-exílicodaorganização
doscantoresdeJerusalém(1Cr25.8),lemosqueforamdesignados“osdeveres,[...]tantodo
mestrecomododiscípulo”(tǎl·mîḏ,“aprendiz”).6
Umsaltoqualitativosedácomoestabelecimentodassinagogas.Apósadispersãojudaica,
“asinagoga,enãooTemplo,éainstituiçãocentraldaadoração[...]paraagrandemaioriados
judeus”.7Otermogregosynagōgēsignifica“reunião”8—umajuntamentodecrentescentrado
em“estudoeaprendizagem”.9Suasraízessãoencontradasnosgruposquesecongregavampara
ouviroslevitasouprofetas,noperíodopré-exílico10enasreuniõesemlaresduranteoexílio(Ez
8.1).Asinagogafoiimportanteparapreservarafé,estabelecendoumamalhadecomunhãoe
devoçãodentroeforadoterritóriopalestino.11
1POE,EdgarAllan.AssassinatosnaRuaMorgueeOutrasHistórias.SãoPaulo:L&PMEditores,2011,e-BookKindle,
posição1195.(L&PMPocket).
2CUNHA,AntônioGeraldo.DicionárioEtimológicodaLínguaPortuguesa.4.ed.rev.eatual.RiodeJaneiro:Lexikon,
2010,p.222.
3FERREIRA,AurélioBuarquedeHolanda.Discipulado.In:DicionárioAurélioEletrônico7.0.Curitiba:EditoraPositivo,
2009.CD-ROM;CUNHA,op.cit.,loc.cit.
4MARÍAS,Julián.HistóriadaFilosofia.SãoPaulo:MartinsFontes,2004,p.45.
5Cf.BITTENCOURT,Ebenézer.UmExemplodeDiscipulado.Disponívelem:<http://haggai.com.br/videos/121--um-
exemplo-de-discipulado>.Acessoem21abr.2014.(LiçõesdeGuardanapo).
6Grifonosso.ANovaTraduçãonaLinguagemdeHoje,doravantedenominadaNTLH,traduztǎl·mîḏcomo
“principiantes”,umapossibilidadelegítimadopontodevistalinguístico,masinadequadaàluzdaideiabíblicade
formaçãoreligiosa.Biblicamente,oaprendizadonapiedadeéininterruptoenãoreservadoapenasparaos
“principiantes”.“Discípulo”éamelhoropçãodetradução;cf.TraduçãoBrasileira(TB),AlmeidaRevistaeAtualizada
(ARA),AlmeidaRevistaeCorrigida(ARC)eNovaVersãoInternacional(NVI).
7SCOTT,J.B.Sinagoga.In:TENNEY,MerrillC.(Org.).EnciclopédiadaBíblia.SãoPaulo:CulturaCristã,2008,p.635.v.5
(Q—Z).
8HURTADO,LarryW.AsOrigensdaAdoraçãoCristã.OCaráterdaAdoraçãonoAmbientedaIgrejaPrimitiva.São
Paulo:VidaNova,2011,p.47.
9DISANTE,Carmine.LiturgiaJudaica:Fontes,Estrutura,OraçõeseFestas.SãoPaulo:Paulus,2004,p.23.
10BRIGHT,apudTASSIN,Claude.OJudaísmodoExílioaoTempodeJesus.SãoPaulo:Paulinas,1988,p.48-49.(Série
CadernosBíblicos—46).
11HURTADO,op.cit.,p.46:“Paraamaiorpartedosjudeus,aexpressãoeapráticacoletivasdareligião,maiscomuns
paraeles,ocorriamemsuassinagogasefamílias”.Osjudeusespalhados,denominados“daDiáspora”,precisavam
preservarsuaidentidadereligiosaecultural.ParaissoproduziramaSeptuaginta(LXX),umatraduçãodoATparao
idiomagrego(iniciadano2ºséculoa.C.).ALXX“foiumdosprincipaisveículosdesuapropagandareligiosa”;cf.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.1
Suaformataçãodefinitivasedeunoperíodointerbíblico(entreMalaquiaseMateus).No
NTelaédescritacomolugardeadoraçãosabatina,frequentadopeloSenhorJesus(Mc1.21-28;
3.1-6;6.2-3;Mt4.23;Lc4.15;16.30-31,44;6.6;13.10;Jo6.59;18.20)epeloapóstoloPaulo(At
13.5;14.1;17.1,10,17;18.4,19).12Pelomenosatéofinaldo1ºséculo,nãoháevidênciade
qualquermanuallitúrgicoparasuasreuniões.Aadoraçãoeradespojada,constituindo-sede
oração(especialmenteasDezoitoBênçãos),confissãodefé(oShemá),louvor(cânticose
recitaçãodesalmos)einstruçãobíblica(leitura,explicaçãoeaplicaçãodaTorá),seguidosde
umabênção.13Sabe-seque“pelofatodeossacrifíciostradicionaissópoderemserfeitosno
templo,asofertasdeanimaisedecereaisforamsubstituídaspor‘sacrifíciosdelouvore
oração’”.14
Acontribuiçãodasinagogaparaodesenvolvimentodeumdiscipuladojudaicofoio
favorecimentodeuma“liturgiadaPalavra”.15Issodestacouafiguradorabioumestre.Muito
tempoantesdassinagogas,crentesestudiososdaToráeramreconhecidoscomoprofessores
leigosdesignadosrespeitosamentederabinos,mas“àmedidaqueamaioriadosjudeusse
movia,emgeraçõessucessivas,paraaáreadaGalileia,osistemarabínicosurgiu”,16assumindo
primazianassinagogascomoministérioordenado.17ArelaçãoentreoalunodaToráeseu
professor(nojudaísmopós-exílico)éesclarecidaporBlendinger:
Oaluno(tǎl·mîḏ),queescolhesubordinar-seaumrabinosegue-oemtodolugarondeesteanda,
aprendendodelee,sobretudo,servindoaele.Aobrigaçãodoalunoparaserviréumaparte
essencialdaaprendizagemdaLei.Oalvodetodaasuaaprendizagemetreinamentoéum
conhecimentodaTorá,eacapacidadedepraticá-laemtodaequalquersituação.Semisto,a
verdadeirapiedadedificilmenteéconsideradapossível.18
Estaprática,quepreparaoterrenoparaodiscipuladocristão,envolvetrêscoisas:
1. Relacionamentovoluntário(umapessoadisponívelparaensinareoutradispostaa
aprenderservindo).
2. Conteúdopedagógico(aTorá).
3. TransformaçãopormeiodaEscrituraexplicadaeexemplificada(peloprofessor)e
aplicadanocoraçãoeexperiência(prática)doaluno.
Daíencontrarmos,no1ºséculo,umaestruturadeformaçãoreligiosaquecontempla
escolasrabínicascomdiferentesleiturasdoAT.AquestãolevadaaJesuseregistradaemMateus
19.3—“élícitoaomaridorepudiarasuamulherporqualquermotivo?”—,e.g.,égeralmente
ligadaàdisputaentreasescolasoupartidosdeHillel,maispermissivoquantoaodivórcio,e
Shamai,maisrestritivo.19
Nocontextodesterabinadosãomencionadosos“mestresdaLei”eosfariseus20(Lc5.17).
DaíemergeoapóstoloPaulo,“hebreudehebreus;quantoàlei,fariseu”(Fp3.5),“instruídoaos
GONZALEZ,JustoL.AEradosMártires.3.ed.Reimp.1991.SãoPaulo:VidaNova,1986,p.20.v.1.(EAtéosConfinsda
Terra:UmaHistóriaIlustradadoCristianismo).
12MARTIN,RalphP.AdoraçãonaIgrejaPrimitiva.2.ed.rev.SãoPaulo:VidaNova,2012,p.34.
13MARTIN,op.cit.,p.34-38;HURTADO,op.cit.,p.47-49.OtextocompletodasDezoitoBênçãosoutefillahpodeser
conferidoemDISANTE,op.cit.,p.99-122.
14HUSTAD,Donald.Jubilate!AMúsicanaIgreja.SãoPaulo:VidaNova,1986,p.92.
15KIRST,Nelson.NossaLiturgia:DasOrigensAtéHoje.3.ed.RevistaeAtualizada.SãoLeopoldo:Sinodal,2003,p.2425.(SérieColmeia).
16SCOTT,op.cit.,p.646.
17Ibid.,loc.cit.
18BLENDINGER,C.Discípulo.In:COENEN,Lothar;BROWN,Colin.(Ed.).DicionárioInternacionaldeTeologiadoNovo
Testamento.2.ed.SãoPaulo:VidaNova,2000,p.579.v.1(A—M).
19HENDRIKSEN,William.Mateus.SãoPaulo:CulturaCristã,2001a,p.299.v.2.(ComentáriodoNovoTestamento);
KENTJR.,HomerA.Mateus.In:HARRISON,EverettF.(Ed.).ComentárioBíblicoMoody.SãoPaulo:EditoraBatista
RegulardoBrasil,2010,p.52-53.v.2;Daniel-RopsmencionatambémaposiçãodorabinoAkkiba,alinhadaao
liberalismodeHillel(cf.DANIEL-ROPS,Henri.AVidaDiáriaNosTemposdeJesus.3.ed.SãoPaulo:VidaNova,2008,
p.152-157);HOVESTOL,Tom.ANeurosedaReligião:ODesastredoExtremismoReligioso.SãoPaulo:Hagnos,2009,p.
40-42.
20Dentreasexplicaçõessobreosignificadooriginaldotítulo“fariseu”,propõem-seossentidosde“‘dividir’ou
‘interpretar’.Deacordocomisso,asugestãoéque,oquequerque‘fariseu’veioasignificarposteriormente,seu
significadoinicialera‘intérprete’ereferia-se‘ashabilidadesexegéticasexcepcionaisdesseshomens”(HAGNER,,D.A.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.2
pésdeGamaliel,segundoaexatidãodalei”(At22.3).Ozelopelaleitraduz-seemuma
identidademosaica,demodoquetaislíderesconsideram-semathētēs,“seguidores”(NTLH)ou
“discípulos”nãodeJesus,mas“deMoisés”(Jo9.28-29).NossoSenhornosinformaque,longede
serem“teólogosdegabinete”,elesesforçam-separaganharediscipularadeptos,rodeando“o
mareaterra”afimde“fazerumprosélito”,formatando-oconformesuascrençasepráticas(Mt
23.15).
ÉsobreestepanodefundoqueoRedentormenciona,exemplificaeordenaodiscipulado.
1.2 OdiscipuladodeJesus
EmLucas6.40Jesusafirmaque“odiscípulonãoestáacimadoseumestre;todoaquele,porém,
queforbeminstruídoserácomooseumestre”.Comovimos,estadeclaraçãoencaixa-se
perfeitamentenoideáriodorabinadodaqueletempo,massugereumanovidade.“Discípulo”,
mathētēs,nãoquermaisdizeroalunodequalquermestre,mas“alguémqueouviuachamadade
Jesusesetornaseuseguidor”.21“Mestre”,quetraduzdidaskalos,umapessoadedicadaao
ensino,22apartirdeagoraéopróprioSenhor,emclararessonânciadeseuconviteregistradoem
Mateus11.29:“Tomaisobrevósomeujugoeaprendeidemim”.
Naliteraturajudaica,um“jugo”representaasomatotaldeobrigaçõesque,segundooensinodos
rabinos,umapessoadeveassumir.[...]Jáficoudemonstradoque,emdecorrênciadassuas
interpretações,alteraçõeseacréscimosdasantaleideDeus,ojugoqueosmestresdeIsrael
impunhamsobreosombrosdopovoconsistiamnumlegalismototalmentesemfundamento.[...]
Jesuscolocaseupróprioensinoemoposiçãoàquelesqueopovoficaraacostumado.23
RetornandoaLucas6.40,emrazãodobomtrabalhorealizadopelomestre,odiscípulose
torna“beminstruído”(katartizō;“treinadoparasercompleto”ou“perfeito”,ARC).Esteverbo
transmuta-seemsubstantivoemEfésios4.12,traduzidocomo“aperfeiçoamento”(ARA,ARC)ou
“preparação”(NTLH;NVI).Issonosajudaacompreenderatarefadospastores(otópico
discutidonestetrechodacartaaosEfésios)comoumaextensãododiscipuladomencionadonos
Evangelhos.
Afinalidadeúltimadainstrução,deacordocomLucas6.40é:“[...]serácomooseu
mestre”.Trocandoemmiúdos,nãosetrataapenasdeapreenderconteúdos;oresultadodo
discipuladocristãoévidamodificada.
Maisumadistinçãododiscipuladocristãoéqueoatode“seguir”(akoloutheō),típicoda
relaçãoentreprofessorealunodoAT,passaaindicar“aaçãodeumhomemquerespondeà
chamadadeJesus,ecujavidarecebenovasdiretrizesemobediência”.24Asocorrênciasdesta
Fariseus.In:TENNEY,MerrillC.(Org.).EnciclopédiadaBíblia.SãoPaulo:CulturaCristã,2008,p.754.v.2.D—G).O
próprioHagner(op.cit.,loc.cit.)nãoconsideraestaumaboaexplicaçãoeescolheoutraque,naopiniãodoautordeste
trabalho,émuitomenosplausível(adequeovocábulo“fariseu”derivedeumverboprovenientedoZoroastrismo!).O
retratodofariseucomoummestreespecializadonaLeisecoadunacomotestemunhodosEvangelhos.“Osfariseus,
lideradosporJohannanbenZakkai”,assumiramo“controleexclusivo”dojudaísmonasúltimasdécadasdo1ºséculo
(cf.BOSCH,DavidJ.MissãoTransformadora:MudançasdeParadigmanaTeologiadaMissão.3.ed.SãoLeopoldo:
Sinodal;FaculdadesEST,2009,p.83).Naquelaocasião“ocultosinagogalfoiregulamentadoeparcialmente
estruturadocombasenocultodotemploagoraextinto.Orabinadofoiintroduzidocomointérpreteautoritativoda
lei”(BOSCH,op.cit.,loc.cit.).IncomodamemBoschalgumasaplicaçõesecumênicasdesuateologia,bemcomoouso
genéricodoartigofeminino(o“leitor”étratadootempotodocomo“leitora”;porissotomamosaliberdadede
transcreverascitaçõesutilizandooartigomasculino).Apesardestesentreveros,reconhece-senaqueleautoromérito
deumtrabalhoexegéticocuidadosoealgumaspercepçõesfieisàBíbliae,portanto,pertinentesenecessáriaspara
umacompreensãoamadurecidadamissiologia.
21BLENDINGER,op.cit.,p.578.
22LOUW,JohannesP.;NIDA,EugeneAlbert.Greek-EnglishLexiconofTheNewTestament:BasedonSemanticDomains.
NewYork:UnitedBibleSocieties,1996,p.415.
23HENDRIKSEN,William.Mateus.SãoPaulo:CulturaCristã,2001b,p.714-715.v.1.(ComentáriodoNovo
Testamento).Eisoponto:“Aboa-novadoreinodeDeuscolocanosombrosdoshomensfardospesados,ousaidoreino
deDeusumafascinaçãoquetiraofardoeopesodetodasasexigênciasquetrazconsigo?”(LOHFINK,Gehrard.Como
JesusQueriaasComunidades:ADimensãoSocialdaFéCristã.SãoPaulo:Paulinas,1987,p.87).
24BLENDINGER,op.cit.,loc.cit.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.3
palavrasugeremsuaproximidadedoambienterabínicodeJesus;“56vezesnosSinóticose14
vezesemJoão;somentetrêsvezesemAtos,umavezemPauloeseisvezesnoApocalipse”.25
EoqueJesusfazemseudiscipulado?Eleconstituiacomunidadedoreino.Daísua
insistênciaemchamar“doze”(Mc3.13-19).Tal“gestodemonstrativo,[...]foicomentadoe
gravadonamemória”,26porqueonúmerodozeapontaparaastribosdeIsrael(Gn35.22;Êx
24.4;39.14;Dt1.23;Js3.12;4.2;Ez47.13).27
Jesuscumpreaprofeciaderestauraçãoda“honradeDeus”,registradaemEzequiel36.1938.Complexidadestextuaiseexegéticasdestapassagemsãolistadas,analisadase
satisfatoriamenterespondidasporBlock.28Noentanto,pareceseguroafirmarqueo
espalhamentodopovoentreasnações(apontadoemEz36.19),constituimotivode“crisede
honradoSENHOR”.29Comentandoov.19,Blockafirmaque“aviolênciadeIsraelseencontracom
afúriadivina,esuatraiçãocontraoSENHORsedefrontacomadispersãoparaasterraspagãs,
ondeopovopodiaseguirseuscaminhosidólatrasnointeressedeseuscorações(cf.Dt4.27,28;
28.64;Am7.17)”.30Quantoaomododeprofanação,“osestrangeirospuderamconcluirouqueo
SENHORhaviavoluntariamenteabandonadoseupovo,ouqueeleeraincapazdedefendê-lo
contraopodersuperiordeMarduque,odeusdaBabilônia”.31
Exatamenteporisso,areunificaçãodopovo(mencionadaemEz36.24)éumadasações
necessárias“paraasantificaçãodonomedoSENHOR”.32DaíaênfasedadaporEzequielao“novo
Êxodo”,mencionadodezvezesemseulivro.33BlocksugerequeEzequielaludeàpromessade
Deuteronômio30.4,garantindo“queopróprioSENHORvaidemonstrartantofidelidadeaoseu
povoeàsuaterra,comocompetênciaparacumprirsuasresponsabilidadesdeprotetor,
conformeéentendidopelasnações”.34Asaçõesseguintes,mencionadasemEzequiel36.25-28,
ligamaprofeciadeEzequielaoanúncioda“novaaliança”,deJeremias31.31-40.35NoNT,esta
“novaaliança”éseladaporJesusCristo(Lc22.20).Sendoassim,naépocadeJesus,esperava-se
paraostemposdofim“arestauraçãocompletadopovodasdozetribos”.36Estas,outrora
divididas,seriamnovamentereunidasemtornodoMessias.37
Ditodeoutromodo,ochamadodeJesusCristoparaodiscipuladoéparaumarelaçãocom
eleetambémcomsuaigreja.IssonoscolocadiantedoEvangelhodeMateus.
MateuséoúnicoEvangelhonoqualnossoSenhormencionaapalavraekklēsia,“igreja”
(Mt16.18;18.17).38Issocombinacomasugestãodequeeleescreveparaleitoresdeorigem
judaica.39MarshallentendequenesteEvangelho“Jesusesuamissãosãocompreendidosdentro
25Ibid.,p.579.
26LOHFINK,op.cit.,p.21.
27JesusratificaestacolagemdonúmerodozecomastribosdeIsrael(Mt19.28;Lc22.30).Opovoqueprestaadoração
aDeuséassimrepresentadonoApocalipse:“Aoredordotrono,hátambémvinteequatrotronos,eassentadosneles,
vinteequatroanciãosvestidosdebranco,emcujascabeçasestãocoroasdeouro”(Ap4.4).Teríamosaquium
indicativodedozeanciãosdoAT(astribosdeIsrael)edozedoNT(osapóstolos)?ParaKistemaker“osvinteequatro
anciãosrepresentamossantosredimidose,comosanjosetodososseresviventes,estesanciãosrendemlouvores,
honraeglóriaaoCordeiro(5.12)”,cf.KISTEMAKER,Simon.Apocalipse.SãoPaulo:CulturaCristã,2004,p.248.
(ComentáriodoNovoTestamento).
28BLOCK,DanielI.Ezequiel.SãoPaulo:CulturaCristã,2012,p.314-320.v.2.(ComentáriosdoAntigoTestamento).
29BLOCK,op.cit.,p.320.OndeBlockescreveuYahweh,transcrevemosSENHOR,considerandoopúblicoaquese
destinaesteestudo.
30Ibid.,p.323.
31Ibid.,p.323-324.
32Ibid.,p.320.
33Ibid.,p.329.
34Ibid.,loc.cit.Grifosnossos.
35Ibid.,p.329-332.
36LOHFINK,op.cit.,p.21.
37VANGRONINGEN,Gerard.CriaçãoeConsumação.SãoPaulo:CulturaCristã,2004,p.319-321.v.2.
38BOSCH,op.cit.,p.84.
39Ibid.,p.83-85.AtkinsonregistraquePapiaseIrineu(2ºséculo),Orígenes(3ºséculo)eEusébio(4ºséculo),
concordamqueoEvangelhodeMateus“foiescrito[...]paracristãoshebreus,nalínguahebraica”;cf.ATKINSON,Basil
F.C.Mateus.In:DAVIDSON,F.(Ed.).ONovoComentáriodaBíblia.Reimp.1985.SãoPaulo:VidaNova,1963,p.945.v.
2.MesmohavendosignificativaconcordânciaacercadaorigemedestinojudaicosdeMateus,ahipótesedaescrita
originalemlínguahebraicanãoéaceitaporalgunsestudiosos,cf.KENTJR.,op.cit.,p.1-2.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.4
deumcontextojudaicoeemrelaçãoaojudaísmo”.40EstasingularidadedeMateusédestacada
aindaporFrance:
MateusécorretamentevistocomoomaisjudaicodoslivrosdoNT,comseufocono
cumprimentodoAT,suasfrequentesreferênciasatemasdedebatesrabínicos,sua
pressuposiçãodequeosleitoresconhecemquestõesrelativasaosrituaisjudaicos,suautilização
determinologiajudaica(“reinodoscéus”,“FilhodeDavi”)e,ocasionalmente,utilizaçãode
palavrasaramaicasnãotraduzidas.ÉsomentenoEvangelhodeMateusqueamissãodeJesuse
deseusdiscípulosélimitadaàs“ovelhasperdidasdacasadeIsrael”(10.6;15.24)eaautoridade
dosmestresdaleiélevadaasério(23.3,23).41
Éimpossível,portanto,compreenderadequadamente“igreja”,emMateus,dissociadada
ideiaeexperiênciadasinagogajudaica,positivamente,comoinstânciadecultoeinstrução
bíblica,enegativamente,comoambientederejeiçãodoevangelho,substituídopelacongregação
cristã.Especialmenteàluzdacrescenterejeiçãoedescrençadosjudeus,contrastadacom
aceitaçãoefédosgentios(Mt11.16-24;12.38-45;21.28-32,exclusivadeMateus;21.33-46;
22.1-14;23.29-39),Mateussublinha“otemadasubstituiçãodeIsraelporumnovopovoda
aliança,umtemaque,defato,estápresentesobasuperfícieemtodooseuEvangelho”.42A
reuniãodopovoemtornodoMessias,simbolizadapelaescolhadosdoze,vaialémdas
esperançasjudaicas;judeuscrentesemJesusegentiosconstituemanova“nação”aquemé
confiadooreinodeDeus.43
Aculminaçãodestarevelaçãoencontra-senaGrandeComissão,umadaspassagensmais
citadasquandosefalasobrediscipulado:
Jesus,aproximando-se,falou-lhes,dizendo:Todaaautoridademefoidadanocéuenaterra.Ide,
portanto,fazeidiscípulosde[aARCtraz“ensinaia”]todasasnações,batizando-osemnomedo
Pai,edoFilho,edoEspíritoSanto;ensinando-osaguardartodasascoisasquevostenho
ordenado[ARC,“mandado”].Eeisqueestouconvoscotodososdiasatéàconsumaçãodoséculo
(Mt28.18-20).
Nemsempreestetextoécompreendidoouutilizadocorretamente.
ÉinadmissívelisolarestaspalavrasdoEvangelhodeMateus,porassimdizer,dar-lhesumavida
própriaeentendê-lassemfazerqualquerreferênciaaocontextonoqualaparecerampela
primeiravez.Ondeissoacontece,a“GrandeComissão”éfacilmentedegradadaàcondiçãode
meroslogan,ouusadacomopretextoparaoquedecidimosantecipadamente,talvezdemodo
inconsciente,queeladeveriasignificar.[...]Então,contudo,corremosoriscodefazerviolência
aotextoeàsuaintenção.Umacoisasobreaqualpesquisadorescontemporâneosconcordamé
queMateus28.18-20temdeserinterpretadosobreopanodefundodoEvangelhodeMateus
comoumtodoe,amenosquetenhamosissoemmente,vamosdeixardeentendê-lo.Nenhuma
exegeseda“GrandeComissão”divorciadadeseuancoradouronesseevangelhopodeser
válida.44
Oautordesteestudoconvidaoleitoracompulsarartigos,livrosemanuaisdemissiologia,
evangelização,discipuladoougrupospequenos.SeráquesemprequeaGrandeComissãoé
usadaparasustentarumaideiaouprogramaministerial,seusignificadocorretoéconsiderado?
AessênciadamissãoparaMateusé“fazerdiscípulos,batizar,ensinar”.45Aindaque
“proclamar”ou“pregar”sejampalavrasimportantesparaMateus,conectando-seao“evangelho
doreino”afimdealcançaros“defora”(Mt10.7;24.14;26.13),Mateusinsisteemutilizar
didaskō,“ensino”,emsuaGrandeComissão(v.20).46Oleitoratual,influenciadoporoutra
40MARSHALL,I.Howard.TeologiadoNovoTestamento:DiversosTestemunhos,UmSóEvangelho.SãoPaulo:VidaNova,
2007,p.105.
41FRANCE,R.T.Mateus.In:CARSON,D.A.etal.(Ed.).ComentárioBíblicoVidaNova.SãoPaulo:VidaNova,2009,p.
1359.
42BOSCH,op.cit.,p.88.
43Ibid.,loc.cit.
44Ibid.,p.82.Grifodoautor.
45Ibid.,p.92.
46Ibid.,p.92-93.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.5
moldurafilosóficaecultural,talvezentenda“ensino”comoumaatividademeramente
intelectual,masestenãoéocasodeMateus.
OensinodeJesuséumapeloàvontadedeseusouvintes,enãoprimordialmenteaseuintelecto;
éumaconclamaçãoaumadecisãoconcretadesegui-loesubmeter-seàvontadedeDeus[...].
Alémdisso,oensinonãoimplicameramenteainculcaçãodospreceitosdaLeieaobediênciaa
eles,comoojudaísmocontemporâneoointerpretava[...].Não,oqueosapóstolosdeveriam
“ensinar”[...],deacordocomMateus28.20,ésubmeter-seàvontadedeDeusreveladano
ministérioeensinodeJesus.Nãoháevangelhoquepossadistanciar-se,numentusiasmodo
Espírito,doJesusterreno.Suasinstruçõespermanecemválidaseautoritativas,tambémparao
futuro.ÉprecisomanteracontinuidadeentreoJesusterrenoeoCristoexaltado.Aspessoas
tornadasdiscípulasebatizadaspelosmensageirosdeCristodevemseguirJesusdamesma
maneiracomoosonzeofizeram[...].Elepróprioéagoraoconteúdodeseupróprio
ensinamentoanterior,acorporificaçãodoreinadodeDeus,oevangelho.[...]Odiscipuladoé
determinadopelarelaçãocomopróprioCristo,nãopelaconformidadecomumaordenança
impessoal.Ocontextodissonãoéasaladeaula(ondeo“ensino”geralmentetemlugar),nem
mesmoaigreja,esimomundo.47
Oqueconstanestediscipulado?Comovimos,“Cristomesmo”.Maisespecificamente,a
“vontadedoPai”(Mt6.10;7.21;18.14;21.28-31).48SenojudaísmoestaserevelanaTorá,em
Mateus,ei-laemcincodiscursos(quealgunsdenominam“pentateuco”deMateus):OSermãodo
Monte(Mt5—7);aMissãoApostólica(Mt10);ComooReinoVem(Mt13);ADisciplinanaIgreja
(Mt18)eOsFalsosMestreseoFim(Mt23—25).49Ensinar“todasascoisas”queJesus“ordenou”
ou“mandou”correspondealecionarespecificamenteestescincodiscursos,edemodomais
amplo,todaaSagradaEscritura,umavezquecadalivrodaBíbliarelaciona-secomCristoeo
evangelho.50
Esteconteúdoédadoaosquesãoinseridosformalmentenaigreja;batizados“emnomedo
Pai,edoFilho,edoEspíritoSanto”(Mt28.19).Issonãoapenasratificaaênfasecomunitáriado
discipuladodeJesus,comotambémexpõeoutrodeseustraçosdistintivos.
Narelaçãopedagógicadopaganismooudiscipuladojudaico,umapessoapodiaidentificarsecomo“discípula”deumfilósofo(culturagrega)oudeHillel,ShamaioumesmodeGamaliel
(culturajudaica).NodiscipuladocristãoapessoaéseladaemnomedaTrindade,ouseja,
pertencesomenteaDeus.NestepontoaGrandeComissãoaplicaoúltimodiscursodeMateus,no
quallemos:
Vós,porém,nãosereischamadosmestres,porqueumsóévossoMestre,evóstodossois
irmãos.Aninguémsobreaterrachameisvossopai;porquesóumévossoPai,aquelequeestá
noscéus.Nemsereischamadosguias,porqueumsóévossoGuia,oCristo.Masomaiordentre
vósserávossoservo.Quemasimesmoseexaltarseráhumilhado;equemasimesmose
humilharseráexaltado(Mt23.8-12).
Naprática,issosignificaquenenhumcristãodeveidentificar-secomo“discípulodo
mestreoupastorfulanodetal”,esimunicamentecomopertencenteaoDeusTriúno,ou,usando
aterminologiadosEvangelhos,discípulodeJesusCristo.Maisdoqueissoé,namelhordas
hipóteses,impertinência.Tudoissoéconsolidadonacompreensãoapostólica:
EsteJesusépedrarejeitadaporvós,osconstrutores,aqualsetornouapedraangular.Enãohá
salvaçãoemnenhumoutro;porqueabaixodocéunãoexistenenhumoutronome,dadoentreos
homens,peloqualimportaquesejamossalvos(At4.11-12).
Aimportânciadissonãopodeserexagerada.Explicando,torna-secadavezmaiscomum
ouvirlíderesafirmando“Joãoémeudiscípulo”oupensarmosnósmesmos,“Fernandoé
discípulododiáconoFlávio”.Operigodevastadordestaperspectivaéoseguinte:Discípulosde
JesusCristosãosalvos;discípulosdehomenssãocondenados.Nossosdiscípulosestãoemuma
47Ibid.,p.93.
48Ibid.,p.94.
49Ibid.,p.94-101.
50GOLDSWORTHY,Graeme.PregandoTodaaBíbliaComoEscrituraCristã.SãoJosédosCampos:EditoraFiel,2013.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.6
situaçãodeinsegurançaefragilidadeespiritual.OsdiscípulosdeJesusestãoeternamente
seguros(Jo10.27-30).Sefizermosdiscípulos“nossos”,construiremosumacongregaçãode
perdidos.OsdiscípulossãodeJesus,nostermosdeSalmos23.1:“OSENHORéomeupastor”.
NossatarefaécolocaroscrentessobopastoreiodeJesus(Jo10.11).ComoJoãoBatista,dizemos
“convémqueele[Jesus]cresçaequeeudiminua”(Jo3.30).Vistoporesteângulo,todopastorou
líderbíblicoépastor-auxiliar.Opastor,lídercristãooudiscipuladorésempresubpastordo
SupremoPastor(1Pe5.1-4).DiscipuladointegraltemavercomJesus—alinhar-seaopadrãode
Cristo.SóCristodávidaeterna(Jo5.24).Qualquerlídercristão,àpartedagraçadeCristo,é
muitofracoenãosesustenta.
Observe-seaindaqueomandatodaGrandeComissãoédadoespecificamenteemMateus
28.19einíciodov.20.Antesdissoháumpequenobloconarrativo(v.16-17)seguidodeuma
sentençaintrodutória(v.18).OditodeJesusencerra-secomumapromessa(v.20).Tal
estruturadenotaumaconstruçãoteológicacuidadosamenteinspiradapeloEspíritoSanto.
Osversículosiniciais(16-17)cumpremumafunçãodupla,primeiramentedestacandoa
divindadedeJesus.NaGalileiaosseguidoresdeJesuso“adoram”.Overbotraduzidopor
“adoraram”,proskyneō,“éumtermofavoritodeMateus.Eleousanadamenosde13vezes(em
comparaçãocomduasvezesemMarcoseduasemLucas).[...]Overborefere-seaumgestoque
deveriaserreservadoparaexpressarsubmissãoaDeustão-somente”.51Issosignificaque“Jesus
é,paraMateus,claramentemuitomaisdoquealguémaserimitado.Eleé,nosentidoúltimoda
palavra,oSenhor”.52
Apassagemtambémlançaluzsobreafragilidadedosdiscípulos;“alguns“duvidaram”(v.
17).Adificuldadeemconciliarestadúvidacomadignidadeesegurançadaféapostólicalevou
algunscomentaristasasugerirquetalvez,alémdosonze,houvessemoutrosdiscípulosali(quem
sabe,os“maisdequinhentosirmãos”,mencionadosporPauloem1Co15.6).53Épossívelainda
ponderarquea“dúvida”nãotinharelaçãocomaressurreiçãoesimcomaadoraçãoou
“prostração”devidasaCristo.ElesestavamcertosdequeoSenhorressuscitara,masseráqueele
deviaseradoradocomoDeus?54Aindaquetalilaçãosejainteressante,admitamosqueextrapola
oqueestáescritonoEvangelho.Constanotexto,laconicamente,que“algunsduvidaram”.É
dignodenotaqueoverbodistazō,traduzidocomo“duvidaram”,éusadosomenteporMateuse
sóapareceoutravezem14.31,apontandoparaafédúbiadePedro,emsuatentativade
caminharsobreaságuas.55Omelhoréenxergarnesterelato“umsurpreendente,mashonesto
comentáriodosfatos”.56TemosaquioSenhorGloriosoe,emseucorpodeseguidores,homensde
féfrágil.
ComoJesusinteragecomseusdiscípulosimperfeitos?Eleseaproximadelesediz:“Todaa
autoridademefoidadanocéuenaterra”(Mt28.18).Hortonsublinhaqueestasentençaresume
oevangelho—ofatodequeCristoserviuaoPaicomintegridade,morreueressuscitoupara
51BOSCH,op.cit.,p.103.
52Ibid.,loc.cit.Boschdocumentaque,emMateus,osdiscípulosdeJesusnuncaochamamde“rabi”ou“mestre”,mas
sempredeKyrios,“Senhor”(ibid.,p.103-104).SomenteJudassedirigeaJesuscomo“rabi”,nocontextodatraição(Mt
26.25,48).
53WIERSBE,WarrenW.TheBibleExpositionCommentary.Wheaton,IL:VictorBooks,1996,p.107.v.1;UTLEY,Robert
James.TheFirstChristianPrimer:Matthew.Marshall,TX:BibleLessonsInternational,2000,p.237.v.9.(StudyGuide
CommentarySeries);HENRY,Matthew.ComentárioBíblicoNovoTestamento:MateusaJoão.EdiçãoCompleta.Riode
Janeiro:CasaPublicadoradasAssembleiasdeDeus,2010,p.398.v.5.
54LANGE,JohnPeter;SCHAFF,PhilipSchaff.ACommentaryonTheHolyScriptures:Matthew.Bellingham,WA:Logos
BibleSoftware,2008,p.556;TURNER,David;BOCK,DarrellL.CornerstoneBiblicalCommentary:MatthewandMark.
CarolStream,IL:TyndaleHousePublishers,2005,p.375.v.11.
55TURNER;BOCK,op.cit.,loc.cit.
56KENTJR.,op.cit.,p.86.Calvinosublinhaque,mesmodepoisdaressurreição,osapóstolosdemonstraram“restosde
[...]terror”,bemcomo“hesitação”.Eleargumentaque“quandoCristoapareceu,elesficaramimpressionadoscom
medoeespanto,atéretomaremarazãoeseacostumaremcomsuapresença”.Sendoassim,Mateus28.17pode
indicarque“algunsaprincípiohesitaram,atéqueCristoabordou-osdemodomaispróximoefamiliar;equandoeles
oreconheceramindubitavelmente,diantedoesplendordesuaglóriadivina,entãooadoraram”(CALVIN;John.
CommentaryonaHarmonyoftheEvangelistsMatthew,Mark,andLuke.Bellingham,WA:LogosBibleSoftware,2010,
p.381.v.3;traduçãonossa).EntendimentosemelhantepodeserconferidoemHENRY,op.cit.,loc.cit.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.7
nossaredenção;57porissoeleédignodetodaadoração.Ademais,oditodeJesusselaem
definitivooqueforainiciadoemMateus4.8-10.
Levou-oaindaodiaboaummontemuitoalto,mostrou-lhetodososreinosdomundoeaglória
deleselhedisse:Tudoistotedareise,prostrado,meadorares.Então,Jesuslheordenou:Retirate,Satanás,porqueestáescrito:AoSenhor,teuDeus,adorarás,esóaeledarásculto.
OdiaboofereceaCristotodasasriquezas“pelopreçodeumasógenuflexão”.58Emtal
tentaçãosugere-seapossibilidadede“obteracoroasemsuportaracruz”.59Enãoapenasisso:
Permaneceummistério,comoSatanás,depoisdasduasrecusasiniciais,pôdealimentar
qualqueresperançasériadesucessonessainstância.Se,porém,psicologicamentefalando,a
tentativapareceabsurda,deve-sereconhecerqueaterceiratentaçãoeramaisfundamentalno
sentidodequeelaexpunhaaquestãoúltimaemtornodaqualascoisasestavamgirandodesde
oinício.OqueestavaemjogoeraseDeusdeveriaserDeus,ouSatanásdeveriaserdeus,e
analogamente,seoMessiasdeveriaseroMessiasdeDeusoudeSatanás.60
TalvezsejaporissoqueBonhoefferintituleaúltimainvestidadeSatanásemMateus4.9
como“tentaçãototal”.61Eprossegue:
Assimpermanecem,natentaçãodeJesus,realmentenadamaisqueapalavraeapromessade
Deus,nãoaforçapróprianemadisposiçãoparaalutacontraomal,masaforçaeavitóriade
Deus,oqual[...]fazcomqueaPalavrapriveSatanásdeseupoder.SomenteatravésdaPalavra
deDeuséqueatentaçãoévencida.62
Estepassoparatrás,daGrandeComissãoàtentaçãodeJesusnodeserto,conduzaoutro
ponto.OleitordeorigemjudaicadoEvangelhodeMateuspodiaretornaraoprimeirolivroda
Bíblia,aopactodacriação,noqualDeusdeuaohomemmandatoseoconstituiuseuagente
histórico;aofracassodohomemque,aoinvésdefiar-seexclusivamentenaPalavradeDeus,
acedeuàsmentirasdaserpente,bemcomoaopactodaredenção,reveladoemGênesis3.15.
Hortonentendeque“aGrandeComissãoédadadentrodocontextomaisamplodaaliançada
graça,queteveseuiníciocomapromessadivinadeumredentoremGênesis3.15,reafirmadana
aliançacomAbraãoecumpridananovaaliança”.63Destarte,pulsavanocoraçãodoleitor
israelitaaexpectativadoreinomessiânico,avindadoMessiasque,comsupremaautoridade,
pisariaacabeçadaserpenteecolocariatodasascoisas“debaixodeseuspés”(1Rs5.3;Hb2.8;cf.
Lc20.41-44;Hb10.12-13;1Co15.24-28;Ef1.15-23).
Agoratudosecumpre.Jesus,quenegou-seareceberdeSatanás“osreinosdomundoea
glóriadeles”(Mt4.10),recebe-osapósaressurreiçãodasmãosdeDeusoPai:“Todaa
autoridademefoidadanocéuenaterra”(Mt28.18).
Ov.20selaoEvangelhocomumapromessa:“Eeisqueestouconvoscotodososdiasatéà
consumaçãodoséculo”.OsservosdeDeuspodemolharesperançosamenteparaofuturo.Este
aiōn,“século”,“era”ou“mundo”comooconhecemos,prossegueparasua“consumação”.Oreino
inauguradoporJesusabrangerátodasascoisas(cf.1Co15.20-28).Masnãoapenasisso.Alémde
conhecerseufuturo,osseguidoresdeJesuspodemestarcertosdequeoRessurretopermanece
comeles,hoje.
Eoquefazernopresente?Cumpriromandatododiscipulado.Relacionar-se
redentivamentecomoshomens,comoservosdeJesusesuaPalavra,ministrandoaoutrosna
dependênciadopoderqueésódele,parahonradevidasomenteaele.
57MichaelHortonchamaestadeclaraçãodeJesusde“agrandeproclamação”.Cf.HORTON,Michael.AGrande
Comissão.SãoPaulo:CulturaCristã,2014,p.23,27-88.
58HENDRIKSEN,2001b,p.325.
59Ibid.,p.327.Grifodoautor.
60VOS,Geerhardus.TeologiaBíblica.SãoPaulo:CulturaCristã,2010,p.409.
61BONHOEFFER,Dietrich.Tentação.8.ed.rev.SãoLeopoldo:Sinodal;FaculdadesEST,2010,p.31-33.Grifonosso.
62BONHOEFFER,op.cit.,p.32-33.
63HORTON,op.cit.,p.15.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.8
AquiresideaforçadapromessadeMateus28.20.Aindaquediferentesnaforma,tais
palavrasassemelham-senaessênciaaoutrasmanifestaçõesdeincentivodivino,dadasaos
crentesantesdestesrealizaremtarefasimportantesparaDeus(cf.Gn15.1;26.24;46.3;Dt1.21;
31.7-8,23;Js1.6,7,9;1Cr28.20;Dn10.19;Ag2.4).Osdiscípulossãofortalecidoseanimados.
Deus,pormeiodeJesus,nãoabandonou,nemjamaisabandonaráoseupovo.Jesusvenceu
Satanásetodososídolos.Agora,oreinodeJesusseráexpandidopormeiodaimplementaçãode
umaestratégiasimples,garantidapelaautoridadeepoderdoRei.Oscristãospodemedevem
cumpriromandatododiscipuladosobaégidedoCristoplenipotente.
1.3 Discipuladoeimitação
AindaqueaterminologiadosEvangelhos(“rabi”,“discípulo”etc.)torne-seraranorestantedo
NT,algumasexpressõesligadasaodiscipuladoestãopresentesemerecemnossaatenção.Paulo
dizaostessalonicensesqueconvém“imitá-lo”(mimeomai;2Ts3.7,9).Umaadmoestação
semelhanteédirigidaaoscrentesdeCorinto(mimētēs;1Co4.16;11.1)eFilipos(symmimētēs;Fp
3.17).AigrejadeTessalônicaébeneficiadapor“imitar”(mimētēs)asdaJudeia(1Ts2.14).Os
leitoresdacartaaosHebreusdevem“imitar”afédeseuslídereseosda3ªcartadeJoão,“não
imitar”oqueémau(Hb13.7;3Jo11;maisumavez,mimeomai).Paranãotornar-seindolentes
oscrentesprecisamser“imitadoresdaquelesque,pelaféepelalonganimidade,herdamas
promessas”(Hb6.12;denovomimētēs).“Todasestaspalavrasseempregamcomoumalvo
ético-imperativo,esevinculamcomobrigaçõesaumtipoespecíficodeconduta”.64
EmoutrolugarPaulosevêcomoumhypotypōsis,“modelo”(ARA)ou“exemplo”(ARC;
NTLH;NVI)paraaquelesquecrerãonoSenhor(1Tm1.16).Aformaçãodelíderes,neste
enquadramento,dá-sepormeiodatransmissão“ahomensfiéisquesejamtambémcapazesde
ensinaroutros”aspalavrasqueTimóteoouviudePaulo“napresençademuitastestemunhas”
(2Tm2.2;NVI).Pedro,porsuavez,exortaospresbíterosatornarem-setypos,“modelosdo
rebanho”(1Pe5.3).
Subjazaideiadeeducaçãopormeiodeum“modelo”ou“exemplo”.Masnãosetrata
simplesmentedeolharparaoscristãosouosquelideramemnomedeJesus,mascopiá-los
naquiloqueelesimitamaopróprioSenhor.
Paulonuncapretendevincularàsuaprópriapessoaaexigênciadaimitação.Emúltimaanálise,
aimitaçãoésempredaquelequeeleprópriosegue.Emduasocasiões,mencionaCristo[...]como
o“tipo”aserimitadonaexortaçãoàautocorreção.65
PensandonadinâmicadediscipuladodePauloeTimóteo,oqueesteúltimoaprendeu
daquele?Afortificar-se“nagraçaqueestáemCristoJesus”eaparticipardossofrimentosde
Paulo“comobomsoldadodeCristoJesus”(2Tm2.1,3—grifosnossos).Paulo,humanamente
falando(separadodagraçadeDeus),éumexemplomuitopobreaserimitado.SemCristoeleé
um“blasfemo”,“perseguidor”e“insolente”(1Tm1.13).Eleémodelodepecadorsalvopelagraça
(1Tm1.15-16).SemJesus,suaperformanceévergonhosa;cheiodedignidadereligiosa,fariseue
discípulodeGamaliel.Tudoissoeleconsidera“refugo”(Fp3.2-11).Éporissoque,
demonstrandocompreensãodosEvangelhos,osapóstoloseescritoresdoNTdedicam-seafazer
discípulosnãosesimesmos,masdeJesusCristo.
1.4 Discipulado,maturidadeecurrículo
Chegamosaoclímaxdodiscipulado:Sermosfeitospessoasinteiras(integraisouíntegras)como
JesusCristo.Oqueissosignifica?
ORedentorassumiuseuministériosomenteapósatingiraidadeadulta.Nacultura
judaica,issoaconteciaaostrintaanos(Lc3.23).66ONTointitula“varão”que“temaprimazia”
(Jo1.30),“varãoaprovadoporDeus”(At2.22)e“varão”destinadoajulgaromundo(At17.31).
64BAUDER,W.Discípulo.In:COENEN;BROWN,op.cit.,p.588.
65BAUDER,op.cit.,loc.cit.
66MORRIS,LeonL.Lucas:IntroduçãoeComentário.Reimp.1986.SãoPaulo:VidaNova;MundoCristão,1983,p.97.
(SérieCulturaBíblica).
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.9
Nestasocorrênciasosubstantivoanēr,traduzidocomo“varão”,maisdoqueindicargênero,
“homem”,sinalizaumadultoemdistinçãoaummenino.67DaílermosemEfésios4.13queJesusé
“varãoperfeito”(ARC)ou,comodizaARA,possui“perfeitavaronilidade”(ERA).
AindaemEfésios4.13,oadjetivoteleioō,“perfeito”,asseguraosentidode“genuíno”,
“completo”ou“maduro”.68NacartaaosHebreusJesuséoadultoqueamadurece,ouseja,é
“aperfeiçoado”(teleioō)pelo“sofrimento”(ARA;NTLH;NVI)ou“aflições”(ARC).
Resumindo,oalvododiscipuladoéser“inteiro”,“íntegro”ou“maduro”comoCristo.
SomospredestinadosporDeusPaiparaconformação“àimagemdeseuFilho”(Rm8.29).Esteé
outromododedizerqueDeusnosqueradultoseamadurecendo.
AssimnósanunciamosCristoatodasaspessoas.Comtodaasabedoriapossível,aconselhamose
ensinamoscadapessoa,afimdelevartodosàpresençadeDeuscomopessoasespiritualmente
adultaseunidascomCristo(Cl1.28;NTLH).
EstaterminologiaremontaaumadascoisasqueJesus“ordenou”(Mt28.20;nocaso,ao
SermãodoMonte):“Portanto,sedevósperfeitos—teleios—comoperfeito—teleios—éo
vossoPaiceleste”(Mt5.48).Ohomem“adulto”,JesusCristo,nosconvidaacrescerdemodoa,
comoele,atingirmosa“maturidade”ou“perfeição”existenteemDeusPai.Éaexperiênciade
Levítico20.7(sersanto)noâmbitoda“novaaliança”deJeremias31.31-34(cf.1Pe1.16).É
assumirasordenançasoumandatosdacriaçãooriginalnopoderdaredençãoqueproduznova
criação(Gn2.15-17;2Co5.17).Oscristãossepurificamcomestaesperançaeoministérioda
igrejadevefomentaresteamadurecimento(1Jo3.2-3;cf.Ef4.12-16;1Co14.20;2Pe3.18).
Issoexigeumprogramaoucurrículo.NaPedagogiahumanistaoindivíduodeveaprender
determinadascoisasemumaetapa,afimdequalificar-separaaetapaseguinte(e.g.,ninguém
estudaQuímicaAvançadasemaprenderaTabelaPeriódica).Issoprossegueatéofimda
educaçãoformal,masashabilidadesadquiridasnestafasecontinuamsendoúteisemoutros
contextos,apósagraduaçãooupós-graduação.
Graduarsignificaexatamente“disporporgraus”ou“marcar[...]grausdivisórios”.69Isso
combinacomaBíblianosentidodequedevehaverprogressoousaudávelgraduaçãoemnosso
aprendizadodascoisasdeDeus.Iniciamostomando“leite”atépodermosingerir“alimento
sólido”.NoNT,“leite”identificaasverdadeselementaresquedevemserabsorvidaspelas
“criançasemCristo”(1Co3.1-2;Hb5.12-13;1Pe2.1-3).Poroutrolado,aausênciade
incrementodoconhecimentobíblicoapósdeterminado“tempodecorrido”,configura
infantilismoeretardo(Hb5.11-14).
Otermoinfantilismodesigna,“numadulto,manifestaçãodecaracterísticasfísicasou
psíquicasprópriasdacriança,quandodeveriamterdesaparecido.Oinfantilismopsíquicoou
puerilismoconsistenapresençadecertosatrasosintelectuaisouafetivos”.70Infantilizaçãopode
serresumidaemumaideiapuerile,aomesmotempodanosa,dequeépossívelfazer“escolhas
semconsequências”.71
Oinfantilismonãoéespiritualmenteneutro.Eledanificaaigrejaeocristão(Os4.6;1Co
3.1-3).Ademais,aprendersempresem“jamais[...]chegaraoconhecimentodaverdade”
caracterizafalsaconversão,ou,trocandoemmiúdos,quemnãoavançanamaturidadecristã
nuncaseconverteuevaiparaoinferno(2Tm3.7).Seissoéassim,oinfantilismoéo“ismo”mais
perigosoemenoscombatidopelaigreja.Discipuladovivoesimplescorrespondeacaminhar
comumapessoaajudando-aasubstituiroinfantilismopormaturidade.Daíanecessidadedeum
programaoucurrículo.
67LOUW;NIDA,op.cit.,p.103.
68Ibid.,p.752-753.
69Graduar.In:Dic.Aurélio.
70PUJOL,M.Infantilismo.In:DORON,Roland;PAROT,Françoise.(Coord.).DicionáriodePsicologia.Lisboa:Climepsi
Editores,2001.Grifosnossos.
71BARBER,BenjamimR.Consumido:ComooMercadoCorrompeCrianças,InfantilizaAdultoseEngoleCidadãos.Riode
Janeiro:Record,2009,p.43.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.10
Umcurrículoauxiliaodiscípuloairdoponto“A”atéoponto“B”.Elepodeolharparatrás
eafirmar“eupercorriestecaminho;euavancei”.Masaquiresideuma“pegadinha”.Ligadaao
discipuladobíblico,apalavra“currículo”temumsentidodiferentedousonaPedagogia
humanista.Estabelecercurrículonodiscipuladovivoesimplesequivaleadefinirquais
conteúdosdaPalavraprecisamserconhecidoseexperimentadossobadireçãodoEspírito
Santo,tendoemvistaasnecessidadesimediatasdodiscipulando.Seacarênciaédeaprendera
orar,podemoscombinardeestudaraOraçãodoPaiNosso(Mt6.9-15).Odiscipuladorpode
dividirapassagembíblicaempartesesugerirumnúmeroespecíficodeencontros.Eiso
currículo!Masquemjádiscipulousabedoqueeuestoufalando.Enquantocaminhamos,surgem
dúvidasediscernimentosqueabremnovasportasdeaveriguaçãodocoraçãosobaluzdas
Escrituras.Umaexplicaçãosobreoperdãodedívidas(Mt6.12),e.g.,podeexigiroinvestimento
nãoplanejadodealgumassemanas,apenasbuscandooremédiodaBíbliaparadeterminadas
disfunçõesfamiliares.Emsuma,quandofalamosdecurrículododiscipulado,nãonosreferimos
aumcurrículoescolar.Aprogressãododiscipuladovivoesimplesédiferentedaoferecidapor
umcurrículodegraduaçãosecularoumesmodeumcursoformaldeTeologia.Nestetipode
gradecurricular,disciplinassãoagregadasao“edifíciodoconhecimento”,emumesquema
piramidal(figura01).
Figura01.Umesquemadegraduaçãosecular.
Agraduaçãododiscipuladocristãoéparatrás,parabaixoeparacima,eisso
ininterruptamente,atéaglória(prasersincero,esteautorpensaqueseráassimeternamente—
figura02).
Figura02.Ocrescimentoparatrás,parabaixoeparacimadodiscipuladocristão.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.11
Oquesignificaisso?QuetudocomeçacomCristoesuaobra(porissoaGrandeComissãoé
precedidapelacrucificação,morteeressurreição).Umadasexperiênciasdestemomentoéada
humilhaçãododuploarrependimento.Oindivíduoarrepende-setantodesuastransgressõesda
lei(ospecadosfrancamentereconhecidoscomotais)quantodesuajustiçaprópria(aideiade
queeleéjustoemdecorrênciadesuasboasobras,autoidolatria;cf.Ef2.1-10).Impulsionado
peloinfluxodacruz,eletorna-secristãodesdeoinícioorientadoparaodiscipulado.
Quantomaisentendermos[...]queojuízodeDeustiraanossajustiçaprópriaeoseuevangelho
nosrevestedeCristo,maisbempreparadosestaremosparasermaisradicaisnonosso
testemunhoenonossodiscipulado.72
Odiscipuladoinevitavelmenteoempurraprabaixo.Eleéconformadoàhumilhaçãode
Cristo(Fp2.5-8).Daíelerecorrenovamenteàcruzenelaencontraprovisãoqueonutree
reposiciona.Issoprossegueatéaglorificação,àsvezesdemodoirregular,masinfalivelmente.
Oqueseencontranoiníciodestecurrículo?JesusCristocomo“Primeiro”.Enofinal?Jesus
Cristocomo“Último”(Ap2.8).Emquesentidoodiscípulo“cresce”,desdeoiníciodesua
trajetória?Elecresce“nagraçaenoconhecimento”deseu“SenhoreSalvadorJesusCristo”.Daí,
rendeaele“aglória,tantoagoracomonodiaeterno”(2Pe3.18).Emsuma,elecresce
diminuindo.Nestaescoladodiscipulado,ograduadoémenordoqueocalouro.
Issonãoequivaleamesmicecurricular.Emcadanovaetapadocurrículo,odiscípulo
enxerganovasnuanceseângulosdeJesus.Umariquezatemáticainesgotávelécolocadaàsua
disposição.Odetalheéque,emcadanovotema,ressoaacruz.Acadaaprofundamento
doutrinário,maispertodeDeusestamos,eporisso,maispertounsdosoutrosedispostosa
cumpriromandatodiscipulador.Maiscrentes,maishumildesemaisfrutíferosacadanova
disciplina.Anoapósano,maisparecidoscomJesus.
Retornandoàseção1.2,deveconstarnestecurrículo“Cristomesmo”ea“vontadedoPai”
(Mt6.10;7.21;18.14;21.28-31).ParaserfielàGrandeComissãodeMateus28.18-20,devemser
obrigatoriamenteestudadoo“pentateuco”deMateus:OSermãodoMonte(Mt5—7);aMissão
Apostólica(Mt10);ComooReinoVem(Mt13);ADisciplinanaIgreja(Mt18)eOsFalsos
MestreseoFim(Mt23—25).Apartirdaíoutrasmatériaspodemseradicionadascomotempo,
sempreemcírculosconcêntricos,emtornodestascoisas“ordenadas”porJesus.
72HORTON,op.cit.,p.22.Grifodoautor.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.12
2Gentequediscipulougente
Nocapítuloanterior,vimosqueodiscipuladocristãoédiferentedopagãoejudaicoporter
Cristocomosuaorigem,finalidadeecentro.Discipular,dopontodevistadoNT,éfazer
discípulossomentedeCristo.Ademais,oscrentessãodesignadosagenteshistóricosdoCristo
redivivo,demodoquediscipularéfazerdiscípulospormeiodediscípulos.
Simplesenãotãosimplesassim.Reunindo-secomlíderescristãos,oautordestesestudos
ouviuasseguintesobservações:
•
•
•
•
•
Naformaçãodelíderescristãoséurgenteumaintegraçãodeexcelênciaacadêmica
compiedade.OspastoreseevangelistasdevemunirvidacomDeus,comboaformação
teológicaecompromissopráticocomaigreja.
Nossosparadigmasestãomorrendooujámorreram.Ondeestãoouquemsãoos
modeloscristãosdestageração?
Apartirdosexemplosdeliderançaatuais,oindivíduosaidosemináriopensandoem
discipularouemassumiruma“boa”igreja?
Algumasigrejasestãoreclamandodoexcessodeacademicismodeseuspastores,
levantandoabandeira“NósnãoqueremosumDoutoresimumPastor!”.
Oqueossemináriosfazemparamotivarecapacitarparaodiscipulado?Parecequeo
preparoteológiconãoestáserefletindonodiscipuladodopovo.73
Comoissoépossível?Eis-nosajudadosporGarcíaMárquez:
Foicomopenetrarnoâmbitodeoutraépoca,porqueoareramaistênuenospoçosde
escombrosdavastaguaridadopoder,eosilêncioeramaisantigo,eascoisaseramarduamente
visíveisnaluzdecrépita.Naextensãodoprimeiropátio,cujaslajotashaviamcedidoàpressão
subterrâneadomato,vimos[...]asarmasabandonadasnosarmários,[...]vimosogalpãoem
penumbra,ondeestiveramosescritórioscivis,osfungoscoloridoseoslíriospálidosentreos
memoriaisnãoatendidoscujocursoordináriohaviasidomaislentoqueasvidasmaisáridas,
vimosnocentrodopátioapiabatismalondeforamcristianizadascomsacramentosmarciais
maisdecincogerações[...].74
Ateseapresentadanesteestudoéqueos“primeirossons”seperderam.Apujanteigreja
discipuladoradeoutroramodificou-segradualmente.Asboas“armas”cristãsforam
“abandonadasnosarmários”.Aigreja“antiga”—avelha“piabatismal”queprestoubomserviço
nopassado—quediscipulavadojeito“antigo”,atualizou-se,sofisticouestruturaemétodosese
afastoudodiscipuladovivoesimplesdoNT.
Verificaremosseatesesesustentaobservandoalgunsexemplosextraídosdahistóriada
igreja.“Ahistóriacristãéumafontericadeinformaçõessobreosmaisvariadosaspectosda
vida,convicções,práticaseatividadesdaigreja”.75Issoseaplicaaodiscipulado.
2.1 UmrecortedediscipuladoemGregórioMagno
Suffertnosinformaquedo2ºao6ºséculos“aevangelizaçãoprosseguiumaisoumenossem
interrupção”.76Aexpansãodocristianismosedá“apartirdonascimentodecomunidadescristãs
dentrodascidades.[...]algunscrentessereúnemparaorarjuntos;logosentemnecessidadede
teruminíciodeorganização”.77Estademandaorganizacionalconduzaoestabelecimentode
bisposincumbidosdepresidiraassembleia,batizarosnovosconvertidos,distribuira
73Taisobservaçõesforamanotadasduranteumareuniãodelíderesligadosàeducaçãoteológica.
74MÁRQUEZ,GabrielGarcía.OOutonodoPatriarca.RiodeJaneiro;SãoPaulo:EditoraRecord,1975,p.7-8.
75MATOS,AlderiSouzade.ACaminhadaCristãnaHistória:ABíblia,aIgrejaeaSociedadeOntemeHoje.Viçosa:
Ultimato,2005,p.12.
76SUFFERT,Georges.TuÉsPedro:Santos,Papas,Profetas,Mártires,Guerreiros,Bandidos:AHistóriadosPrimeiros20
SéculosdaIgrejaFundadaporJesusCristo.RiodeJaneiro:Objetiva,2001,p.111.
77SUFFERT,op.cit.,loc.cit.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.13
comunhão,designaroutroslíderesdaigrejaepregar.78Comotempo,obispotorna-seumlíder
deváriasparóquiasdedeterminadaregião.“Obispodacidademaisimportantedispõedeuma
preeminênciasobreseuscolegas.Éemsuaresidênciaquesereúnemossínodoslocais.[...]os
egípcios[...]inventamumaoutranoção:Adediocese(dogregodioikēsis:‘administração’)”.79
Ascomunidadescristãsnãosãohomogêneas.Seusmembros“vêmdetodasasclassesda
sociedaderomana.Háartesãos,vendedoresefuncionários—muitasvezes,soldadose
oficiais”.80Ademais,“tudosepassacomoseacristianizaçãoprogressivafosseprimeiramente
local:éemtornodeumacomunidade,situadanumacidadeounumgrandeburgo,queas
conversõessemultiplicam”.81Atéo5ºséculo,“amaioriadosbárbarosquepenetramnoOcidente
[...]écristã”.82
Entreo5ºeo6ºséculos,apenínsulaitalianaétumultuadaporhordasdeinvasores:Orei
visigodoAlaricoI,em410,oreivândaloGenserico,em455,osuevoRicimero,em472,Odoacro,
líderdetribosdosgermanos,em476,osostrogodoslideradosporTeodoricoem489,godose
bizantinos,nasduasdécadasseguintese,finalmente,apartirde568,osfuriososlombardos.83
Em589,inundaçõesseguidasdepestebubônicafazemsofrerediminuiraindamaisapopulação
deRoma.Nesteano,acometidopelapeste,morreoPapaPelágioII.SeusucessoréGregório
(540—12/03/604),denominadopelaigrejaGregórioMagnoouGregório,oGrande.84
QualéaimportânciadeGregório?Porvariadasrazões,eleétidocomo“umdosmaiores
papasdetodosostempos”.85Liturgicamente,marcaahistóriacomoorganizadordocanto
gregoriano.86Comoreformador,porseuexemploeemsuaMagnaMoralia(umcomentário
alegóricodeJó),eleconvocaoslíderesdaigrejaàsantidadeesimplicidaderadicais.87“Osluxosa
quealgunstinhamdeacostumadoforamproibidos,assimcomopagamentosexcessivosque
algunsclérigosrecebiamporseusserviços”.88Comoadministrador,eletorna“oepiscopadode
Romaumdosmaisricosdaigrejadeseutempo”.89Shelleyentendeque“nenhumoutrohomem
oumulherrepresentamelhoroiníciodaIdadeMédia”.90ComonosinformaCairns:
Essehomem[...]foiumdosmaisnobreslíderesdaIgrejaRomana.Suarenúnciaàgrande
riquezaimpressionouasuageração.Humilde,via-secomo“oservodosservosdeDeus”.
Missionáriozeloso,foiuminstrumentonaconquistadosinglesesparaocristianismo.Sua
formaçãojurídica,suahabilidadeeseubomsensofizeramdeleumdosadministradoresmais
competentesdaIgrejaRomananaIdadeMédia.91
Importam-nosseuzelomissionárioecontribuiçãoparaodiscipulado.Aovermeninosdo
condadodeYorkshiresendovendidosemRoma,Gregórioresolvelivrarosanglosdojuízo
divino“atravésdaobramissionária”.92Seuemissário,Agostinho(quenãodeveserconfundido
comAgostinhodeHipona),recebeaincumbênciade“iràBretanhaelevaroevangelhoaos
bretões.AgostinhochegouàInglaterraem597elogoconverteuoreideKentaocristianismo”.93
78Ibid.,p.111-112.
79Ibid.,p.112.
80Ibid.,p.113.
81Ibid.,p.114.
82Ibid.,p.115.Suffertrotulade“cristãos”osgodosconvertidosaoarianismodeUlfila(ibid.,loc.cit.).Nestetemposão
arianostambémosvisigodos,osburgúndioseosostrogodosdeTeodorico,bemcomo80%daGália(ibidem).
83ARAUTOSDOEVANGELHO.SãoGregórioMagno:PapaeDoutordaIgreja.Disponívelem:
<http://www.arautos.org/especial/7918/Sao-Gregorio-Magno--Papa-e-Doutor-da-Igreja.html>.Acessoem:30abr.
2014.
84ARAUTOSDOEVANGELHO,op.cit.,loc.cit.
85GONZALEZ,JustoL.AEradasTrevas.Reimp.1991.SãoPaulo:VidaNova,1981,p.69.v.3.(EAtéosConfinsdaTerra:
UmaHistóriaIlustradadoCristianismo).
86CAIRNS,EarleEdwin.OCristianismoAtravésdosSéculos:UmaHistóriadaIgrejaCristã.2.ed.SãoPaulo:VidaNova,
2008,p.146.
87CAIRNS,op.cit.,p.147.
88GONZALEZ,1981,p.73.
89Ibid.,p.146.
90SHELLEY,BruceL.HistóriadoCristianismoAoAlcancedeTodos:UmaNarrativadoDesenvolvimentodaIgrejaCristã
AtravésdosSéculos.SãoPaulo:SheddPublicações,2004,p.187.
91CAIRNS,op.cit.,p.145.
92Ibid.,p.146.
93Ibid.,loc.cit.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.14
AgostinhofoinomeadomaistardeArcebispodeCantuáriae,“segundonarramascrônicas,
batizoumaisde10milneófitosnodiadePentecostesde597.Semdúvida,aconversãodeste
povoconstituioepisódioculminantedaobraevangelizadorade[...]Gregório”.94
Nestecontextodeefervescênciamissionária,reformamoraledemandasdepregaçãoe
doutrinação,GregórioescreveaRegraPastoral.95Estaobraaborda“ospré-requisitosparao
ministério,asvirtudesindispensáveisaumpastoreovalordaintrospecção”.96AparteIIIda
Regra,intituladaComooPastorQueViveComCoerênciaDeveInstruireExortarOsSeusFieis?,97é
útilparaesteestudosobreodiscipulado.Gregórioentendeque:
Nãoatodosconvémumaúnicaemesmaexortação,poisnemtodosestãosujeitosaosmesmos
hábitosdevida.[...]Portanto,apalavradosmestresdeveterpresenteacondiçãodosseus
ouvintes,demodoqueseadapteàsnecessidadesdecadaum,todavia,semjamaisrenunciarà
artedeedificarumacomunidade.[...]Assim,ummestre,paraedificaratodosnaúnicavirtude
dacaridade,devetocarocoraçãodosseusouvintescomamesmadoutrina,masnãocomum
únicoeidênticomododeexortar.98
Oautordedica-se,apartirdesteponto,aenumerardiferentestiposdepersonalidades,
comosegue:
Éprecisoadmoestardemododiferente:Oshomenseasmulheres;osjovenseosidosos;os
pobreseosricos;ostiposjoviaiseosmelancólicos;ossúditoseossuperiores;osservoseos
patrões;ossábiosdestemundoeosincultos;osatrevidoseostímidos;ospretensiososeos
pusilânimes;osimpacienteseospacientes;osbenévoloseosinvejosos;aspessoassinceraseas
pessoasmentirosas;quemtemsaúdeequemédoente;aquelesque,pormedodocastigovivem
semfazeromaleaquelesquesãodetalmodoendurecidosnomalquenemmesmoocastigoos
podecorrigir;ostaciturnosetagarelas;ospreguiçososeosimpulsivos;osmansoseos
coléricos;oshumildeseosorgulhosos;osobstinadoseosinconstantes;osgulososeos
temperantes;aquelesque,sensíveisaospobres,doamdeseusbenseaquelesque,semdesejaro
bemdosoutros,nãodistribuemdosseus,eaquelesquedoamdaquiloquepossuem,massem
deixarderoubardoqueédosoutros;osbriguentoseospacíficos;ossemeadoresdediscórdiae
osartesãosdepaz.99
Alistacontinuae,apósfinalizada,cadaitemédesenvolvidocomdescriçãoesugestõesde
pastoreiopertinentesacadasituação.Revela-se,destarte,umlíderdeigrejaque,apesarde
ocupadíssimo,enxergaoscristãosnãocomoumamassaindistinta,mascomoindivíduos
peculiares,dignosdeatençãopersonalizada.AtéoleitormaisapressadodaRegraconstatará
quesuaaplicaçãoexigeinvestirtempoeenergiaemgente.
Osdadosestatísticospermitemdizemqueapráticamissionária,bemcomoaestratégiade
discipuladodeGregórioforambem-sucedidas.RetomandoorelatodeSuffert:
EisaíemqueopapeldeGregóriofoiimportante.Eleadministraondenãoexistepodercivil;
pregaondenãohámuitospadres;escreveondeostextostornaram-seraros;finalmente,
mantémemgrandemedidasuaautoridade.Transigecomosbárbaros;eenviamissõespara
retomaraevangelizaçãointerrompidaumoudoisséculosantes.Dealgumaforma,aigreja
sobreviveuàsinvasõesdosbárbaros.100
Sucesso?Cumprimentodamissão?Discipuladobíblico?Nemtanto.
EncontramosemGregórioMagnoumreformador,umlídermissional,umagentesocial,
umpastor,discipuladoreestrategistaaparentementebem-sucedido.Noentanto,apesardesua
boavontadeeindiscutívelsinceridade,Gregórioéummísticoheterodoxo.
94ARAUTOSDOEVANGELHO,op.cit.,loc.cit.
95GREGÓRIOMAGNO.RegraPastoral.SãoPaulo:Paulus,2010.(ColeçãoPatrística).
96CAIRNS,op.cit.,p.147.
97GREGÓRIOMAGNO,op.cit.,p.107-246.
98Ibid.,Prólogo,p.107.
99Ibid.,Capítulo1.23,p.107-108.
100SUFFERT,op.cit.,p.121.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.15
Quantoaoseumisticismo,Shelleymencionaqueele“morreu[..]exaustoapóstrintaanos
deoraçõesnasmontanhasemilagresnascidades”.101CairnsdizqueGregório“era
injustificadamentesupersticiosoecrédulo”.102
Conta-sequequandoGregórioaindaeraabadedeSantoAndréficousabendoqueumdosseus
monges,queestavaàbeiradamorte,tinhaescondidoalgumasmoedasdeouro.Asentençado
abadefoidura:Omongepecadormorreriasemescutarumapalavradeperdãoouconsolo,e
seriaenterradoemummontedeesterco,juntocomseuouro.Depoisdecumpridaesta
sentença,eparasalvaçãodaalmadeJusto(esteeraonomedomonge),Gregórioordenouque
duranteospróximostrintadiasamissadomosteirofosselidaemmemóriaaele.Findadoeste
períodooabadedeclarouque,deacordocomumavisãoqueomongeCopioso,irmãocarnaldo
falecido,tivera,aalmadeJustotinhasaídodopurgatórioeestavaagoranaglória.103
Quantoàheterodoxia:
Gregório[...]deformoueatétransformouosensinosdeAgostinho.[...]dedicousuaatençãoà
questãodecomopodemosofereceraDeusumasatisfaçãopelospecadosquecometemos.[...]Os
quemorremnaféeemcomunhãocomaigreja,masnãofizeramsuficientepenitênciaporseus
pecados,vãoparaopurgatório,ondepassamalgumtempoantesdeirparaocéu.
Umadasmaneirasdeosvivosajudaremosmortosasaíremdopurgatórioéoferecermissasem
seunome.104
Cairnsafirmaaindaqueele:
SustentavaainspiraçãoverbaldaBíblia,mas,estranhamente,davaàtradiçãoomesmopapelda
Bíblia.OCânonedaMissa,queelemodificouparcialmente,eraamplamenteusadoemsuaépoca
erevelavaatendênciacrescentedeconsideraraceiaumsacrifíciodocorpoedosanguede
Cristoqueserepetiatodasasvezesqueeracelebrada.Gregórioensinavaasboasobrasea
invocaçãodossantosparaconseguirsuaajuda.Pode-sedizercomsegurançaqueateologia
medievaltraziaasmarcasdopensamentodeGregório.105
Oqueaprendemosaqui?Épossívelum“sucesso”emtermosdedesenvolvimento
institucional(aigrejasetornaumagrandeestrutura),aumentonumérico(muitaspessoas
batizadaseagregadasàigreja)eatéaparenteaprovaçãodivinadoministériopormeiodeefusão
deexperiênciassobrenaturais.Tudoissosemfidelidadeaoevangelhoverdadeiramentebíblico.
Nessestermos,“ganham-se”pessoaseformam-se“discípulos”quenãosãoinstruídosem“todas
ascoisas”ensinadasporJesus(Mt28.20).
2.2 ContribuiçõesdaReformaProtestanteaodiscipulado
ÉpossívelencontrarsubsídiosparaodiscipuladocristãonaReformaProtestantedo16ºséculo?
Entendemosquesimelistamosbrevesnotassobrecontribuiçõesdetrêsreformadoresilustres:
Lutero,BucereCalvino.
2.2.1 A T E O L O G I A E A S C O N V E R S A S À M E S A D E L U T E R O AReformacapitaneadaporMartinhoLutero(10/11/1483—18/02/1546)restabeleceutrês
pilaresbíblicosnecessáriosparaoverdadeirodiscipulado:
Adoutrinadajustificaçãopelafé(solafide)easolascriptura,aideiasegundoaqualas
Escriturassãoaúnicaautoridadeparaopecadorprocurarasalvação,eoprincípiodesola
sacerdos,osacerdóciodoscrentes,passaramaserospontosprincipaisdeseusistema
teológico.106
101SHELLEY,op.cit.,p.186.Grifonosso.
102CAIRNS,op.cit.,p.145.Grifonosso.
103GONZALEZ,1981,p.76.
104Ibid.,loc.cit.
105CAIRNS,op.cit.,p.147.
106Ibid.,p.260.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.16
Aeclesiologia(doutrinadaigreja)esposadaporLuterorefleteestetriplopilar.Quantoà
doutrinadajustificaçãopelafé,averdadeiraigrejanãodeveserentendidacomoKirche,mera
“construção”ou“instituição”,esimcomo“povodeDeus”e“comunidadedoscristãos”107
estabelecidapeloevangelho.“Luterosustentavaqueoevangelhoconstituíaaigreja,nãoo
contrário”.108UmavezqueaIgrejadeRomaperverteraamensagemsimplesdoevangelhode
Cristo,Lutero“sereferiuaoPapaPauloIIIcomo‘VossaDiabolicíssima’”.109
Quantoaopostuladosolascriptura:
ApregaçãopúblicadaPalavradeDeuséummeiodegraçaindispensávelesinalinfalívelda
verdadeiraigreja.Naspalavrasdopregador,avivavozdoevangelho(vivavoxevangelii)é
ouvida.ParaLutero,aigrejanãoerauma“casadeescrita”,masuma“casadafala”.110
Talconvicçãodepreende-sedosEvangelhos,comosegue:
ÉamaneiradoNovoTestamentoedoevangelhoqueestesejapregadoerealizadopelapalavra
dabocaedevivavoz.OpróprioCristonãoescreveunada,nemordenouquenadafosseescrito,
massimquesepregassepelapalavrafalada.111
MaisdoquedeclararanecessidadedecrençasepráticaslastreadasnaEscritura,Lutero
tambématraduzparaoalemão,dandoaopovooacessodiretoàfontedaverdadeevangélica.112
“Comosempre,trabalhadiaenoite.NocastelodeWartburg,ondeorecolheram,eletraduzem
dezsemanasoNovoTestamentoparaoalemão,depoismergulhanatraduçãodoAntigo.Esta
segundatarefavailhetomar12anos”.113
Quantoaosolasacerdos,Luteroensinaquecadacrente,comosacerdotedeDeus,pode
interpretarasEscrituras.114Ademais,“todocristãoésacerdotedealguém,esomostodos
sacerdotesunsdosoutros”,115demodoque“cadaumdenós[...]podeirperanteDeuse
intercederpelooutro[...]”.116Taisdeclaraçõescontêmumaimportanteimplicação:“Ninguém
podeserumcristãosozinho.Assimcomonãopodemosnascerdenósmesmos,oubatizaranós
mesmos,damesmaformanãopodemosserviraDeussozinhos”.117Contrariandoacrendice
populardeseutempo,queconsiderava“santos”apenasasfigurascanonizadaspelaIgreja
Romana,Luteroadmoesta:
Quandodesejarfazeralgumacoisapelossantos,voltesuaatençãoparaosvivos,nãoparaos
mortos.Osantovivoéseupróximo,onu,ofaminto,osedento,opobrequetemesposaefilhose
sofrehumilhações.Dirijasuaajudaaeles,comeceseutrabalhoaqui.118
DaíaconclusãodeGeorge:“Umacomunidadedeintercessores,umsacerdóciodeamigos
queseajudam,umafamíliaemqueascargassãocompartilhadasesuportadasmutuamente—
essaéacommuniosanctorum”,a“comunhãodossantos”doCredoApostólicopropostapor
Lutero.
Todaestafundamentaçãoteológicaécarregadadesignificadoeutilidadeparao
discipuladocristão,masLuteronãopermaneceuapenasnoterrenodaslucubrações.Alémde
ensinarTeologiaemumcontextoformal—umasaladeaulanaUniversidadedeWittenberg;
atividadequedesenvolveuatésuamorte—,119Luteroinvestiutempoensinando“ascoisas”
ordenadasoumandadasporJesusinformalmente,emvoltadesuamesaderefeições.
107GEORGE,Timothy.TeologiadosReformadores.SãoPaulo:VidaNova,1993,p.88.
108GEORGE,op.cit.,p.89.
109Ibid.,loc.cit.
110Ibid.,p.91.
111WA10/1,p.48,apudGEORGE,op.cit.,loc.cit.
112CAIRNS,op.cit.,p.263-264.
113SUFFERT,op.cit.,p.257-258.
114CAIRNS,op.cit.,p.262.
115GEORGE,op.cit.,p.96.
116Ibid.,p.97.
117Ibid.,loc.cit.
118Ibidem.
119CAIRNS,op.cit.,p.260.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.17
Lutero[...]sempreachouteragidocorretamente[casando-secomCatarinadeBora,em1525],
tendoconhecidomuitasalegriasemsuavidafamiliar.Seusseisfilhos,eosinúmerosestudantes
convidadosenchiamtantosuamesaque,emalgumasvezes,asua“Kátia”tinhadificuldadeem
arranjaroalimentonecessário.120
Trechosdessasconversações,compiladosporseusalunosecolaboradores,estão
preservadosnolivroConversasàMesa(Tischreden,emalemão).“Aprimeiraediçãodas
TischredenfoipublicadaporJohannAurifaber,em1566,vinteanosapósamortedeLutero.A
ediçãocompleta,porém,sófoipublicadaem1836”.121
Oqueaprendemosaqui?Luteronãoimplementouum“programaformaldediscipulado”,
masestabeleceuumpilartriploútilparaocumprimentodaordenançadeJesus.Discipulado
relaciona-secomevangelização.Adoutrinadajustificaçãopelagraçamedianteafésomenteé
vital;pessoasdevemconhecerCristonostermosdoevangelho.Eondeestáoevangelho?Na
Escritura—esomentelá.Portanto,formam-sediscípulosinstruídosunicamentenoensinode
Cristo.Equemdiscipula?OcrentequeésacerdoteeagentedeCristo,porelecapacitadopara
compreenderaBíbliaerepassaroensino.Enfim,ondeecomodiscipular?Emcontextosformais
einformais(napregaçãodoculto,emsaladeaula,emumpequenogrupoouemqualqueroutro
lugar,pormeiodeconversaçãopúblicaouparticular).
Ditoisto,olhemosparaBucer.
2.2.2 O D I S C I P U L A D O D E M A R T I N B U C E R MartinBucer(11/11/1491—28/02/1551)émostradopeloshistoriadoresligadoao
pensamentodeLutero,122dirigindoaReformaeensinandoTeologiaemEstrasburgo.123John
MiltondenominaBucerde“opastordasnações”.124
BucereJoãoCalvinoinfluenciam-semutuamente.Aquelefazusodeideiasdeste:“Os
salmoseramcantados,ainstruçãonoscatecismoseraobrigatóriaparaosjovensesomenteos
fieisdevotados,comprometidos,tinhampermissãoparaparticipardacelebraçãoda
comunhão”.125OjovemCalvino,com29anos,éedificadopelapiedadeepráticapastoral
amadurecidadeBucer.126Esteúltimo“eraquasedamesmaidadedeFarel,maseraumpaladino
depazecooperação”.127Emumafasedeapertofinanceiro,CalvinoresidenacasadeBucer.128
Depois,estandoCalvinoemmelhorsituação,Bucerlherecomendaquesecasecomaviúva
IdelettedeBure.Calvinoadesposaem1540.129
EstasinteraçõesedificantesdeBucercomseuscolegas,líderesecristãosdeEstrasburgo
sãomelhorentendidasquandoolhamosparasuasconvicções,condensadasnolivroVonDer
WarenSeelsorge(SobreoVerdadeiroCuidadoPastoral).Poucoconhecida,estaobraélistada
como“oprincipaltextodaReformasobreTeologiaPastoral”.130Analisando-aemdetalhes,
Purvesconclui:
120Ibid.,p.265.
121PORTALLUTERANO.ConversasàMesa.Disponívelem:<http://www.portal-
luterano.org.br/index.php/extensions/martinho-lutero/conversas-a-mesa-tischreden-introducao>.Acessoem30
abr.2014.
122Cairns(op.cit.,p.261)sugerequetalvezBucertenhasidoatraídoàsideiasdeLuteronodebatedeHeidelberg,em
1518.GonzaleznosinformaqueBucerparticipoudoColóquiodeMarburg,juntamentecomLuteroeMelanchton(de
Wittenberg),Ecolampádio(daBasileia)eZuínglio(Suíça),nooutonode1529.Cf.GONZALEZ,JustoL.AErados
Reformadores.SãoPaulo:VidaNova,1983,p.69.v.6.(EAtéosConfinsdaTerra:UmaHistóriaIlustradadoCristianismo).
123CAIRNS,op.cit.,p.282.
124PURVES,Andrew.PastoralTheologyinTheClassicalTradition.Louisville;London:WestminsterJohnKnoxPress,
2001,p.76.(traduçãonossa).
125MCGRATH,Alister.AVidadeJoãoCalvino.SãoPaulo:CulturaCristã,2004,p.123.
126MCGRATH,op.cit.,p.122-124;VANHALSEMA,TheaB.JoãoCalvinoEraAssim.SãoPaulo:EditoraVidaEvangélica,
1968,p.99.
127VANHALSEMA,op.cit.loc.cit.
128Ibid.,p.103.
129MCGRATH,op.cit.,p.124.
130PURVES,op.cit.,loc.cit.(traduçãonossa).
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.18
OcoraçãoevangélicodateologiadeBucerleva-oaveroevangelismocomoumtraçoprimário
docuidadopastoral,umevangelismodirigidotantoaosqueaindanãoouviramfalarou
responderamàpalavradeCristo,quantoaosqueseafastaram.Nãoapenasaovelhaextraviada,
mastambémaovelhaqueficoudevemserrestaurados.Destemodo,deacordocomBucer,o
cuidadopastoraldeveresponsabilizar-seprimariamentecomasalvaçãodopecadorperdidoe
dodesviadoqueaindasãooseleitosdeDeus.131
Oqueissosignifica?Bucernãotraçaumalinharígidaentretarefaevangelísticaepastoral.
Todainteraçãopastoralenvolve“ensinaroqueJesusordenou”,aproximandoaspessoasde
Deus.Evangelizar,ensinaroupastorear?ParaBucercadaumadestastrêscoisascorrespondea
umafacetaindispensáveldoministério.Eissoocorreemtodasasinstânciasdavidadaigrejae
davidacristã.Destarte,eleseempenhaemapresentarCristoaosquenãooconhecem,bem
comoemsocorrereajudarumjovembanidodeGenebraaencontrarsuaanimação,lugarde
ministérioeequilíbriopessoal.Issoédiscipuladovivoesimples.
2.2.3 J O Ã O C A L V I N O , U M D I S C I P U L A D O R Emseusumáriodavidacristã,JoãoCalvino(10/07/1509—27/05/1564)faladediscipulado
explicandoarenúnciapessoal:
Eassimcertamenteconvémqueohomemcristãoestejadispostoepreparado,quereflitasobre
oquetemavercomDeusemtodaavida.[...]Ora,aquelequeaprendeuaolharparaDeusem
tudooquetiverdeserfeito,queseaparteaomesmotempodetodacogitaçãovã.Estaéaquela
negaçãodenósmesmosque,desdeoiníciododiscipulado,comtãograndediligênciaCristo
inculcaaseusdiscípulos[Mt16.24;Mc8.34;Lc9.23],negaçãoque,ondeumavezhaja
prevalecidonoânimo,nãodeixalugaralgum,primeiramenteaoorgulho,tambémao
envaidecimento,ouàostentação,entãotampoucoàavareza,ouàdevassidão,ouàluxúria,ouao
efeminismo,ouaoutrosmalesquesãogeradosdoamoregoístico.132
Ecomoaspessoasdevemserdiscipuladas?Primeiro,semqualquermanipulação,
reconhecendoerespeitandosuasingularidadeeprivacidade(oseu“véudemistério”).133
OvéudemistérioquecercaavidadecadaserhumanodiantedeDeuseque,demaneira
especialcobreavidadocristãoemCristo,nãopodeserpenetradoporoutros.Sobnenhum
pretexto,ninguémdeveprocurarviolaressesantuárioescondidodapessoapeloexercíciode
pressãosocialdeliberada.134
Naprática,issosignificaque“nenhumaformadeforçainvasiva,psicológicaoude
qualqueroutrotipodeveserusadaparafazercomqueapessoaseconformeaospadrõesde
pensamentoouaosjulgamentosfinaisdequalquernormaexterna”.135Essaliberdadecristã,diz
Calvino,éumaaplicaçãodiretadadoutrinadajustificaçãopelafé.136“Nossaliberdade”—dizele
—“devecederàignorânciadosirmãosfracos,demaneiraalgumaaorigordosfariseus”.137
Nessestermos,elecuidaparaquenãosejaexigidodosmembrosdesuaigrejanenhumdever
nãoprescritonasSagradasEscrituras.
ApráticadediscipuladodeCalvinocomeçanopúlpito,comapregaçãoexpositiva.Como
nosinformaLawson:
131Ibid.,p.88.(traduçãonossa).
132CALVINO,João.AsInstitutas:EdiçãoClássica.2.ed.SãoPaulo:CulturaCristã,2006,III.VII.2(p.162).v.3.Grifo
nosso.Estefoioúnicousodovocábulo“discipulado”,encontradoporesteautor,nestatraduçãodaCulturaCristãdas
Institutas.Aediçãolatinade1559nãocontém“discipulado”etrazapenasdifcipulisfuis,“seusdiscípulos”(cf.CALVIN,
Jean.InstitutioChristianaeReligionis.Genevae:OliuaRobertiStephani,1559,openlibrary.org.Disponívelem:
<https://archive.org/details/institutiochrist1559calv>.Acessoem:18abr.2014).Emoutratraduçãocontemporânea
lemos“nissoconsisteaquelarenúnciadesiqueCristocomtantadiligênciaordenaaseusdiscípulos(Mt16.24),desde
ocomeçodeseuaprendizado”(cf.CALVINO,João.AInstituiçãodaReligiãoCristã.TomoII,LivrosIIIeIV.SãoPaulo:
EditoraUNESP,2009,p.159.Grifonosso).
133WALLACE,Ronald.Calvino,GenebraeaReforma.SãoPaulo:CulturaCristã,2003,p.142.
134WALLACE,op.cit.loc.cit.
135Ibid.,loc.cit.
136CALVINO,op.cit.,III.XIX.1(p.302).
137Ibid.,III.XIX,11(p.311).
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.19
CalvinoacreditavaquenãoprecisavatornaraBíbliarelevante—elaerarelevante.Revelarseu
poderquetransformavidaseconvencerseusouvintessobreissoeraseumandato.
Nafunçãodepregador,Calvinoeradeterminadoemcumprirestatarefaatravésdecadameio
ordenadoporDeus—encorajamento,motivação,repreensão,reprovação,correção,consolo,
desafio,eassimpordiante.Elesabiaque“simplesmentetransmitirasãdoutrinaouaexegese
corretanãoépregar”.[…]
Assim,enquantorespondiaàsaberraçõesdeoutrosteólogos,Calvinonãofalavaalémdoque
seupovopodiacompreender.Elenãofezusodopúlpitopararefutarseusnumerososcríticos.
Emvezdisso,permaneceuconcentradoemcultivarocrescimentoespiritualdeseupovo.Em
primeirolugar,elepregavaparaedificareencorajaracongregaçãoqueDeuslheconfiara.Em
resumo,pregavaafimdequehouvessemudançadevida.138
OzelopelapregaçãodeCalvinoéacompanhadodepastoreiocuidadoso.
Nósoencontramos[...]frequentementedirigindoseuministérioaoindivíduo,comuma
preocupaçãoespecialemdemonstrarcuidadopastoralepessoaleorientaçãoondehavia
perplexidadedecoração,dúvidaoutrevasespirituais.ComoThurneysenressaltou:Aprópria
Reformafoiummovimentodecuidadopastoral,tendoseoriginadodiretamentedocuidado
pelasalvaçãodaalma.139
Nessestermos,Calvinonãodescuidadasinteraçõespessoaisedavisitação:
“Oquequerqueosoutrospensem”,Calvinoescreveu,“nãoconsideramosnossocargocomo
algodentrodelimitestãoestreitoscomose,quandoosermãoestiverterminado,pudéssemos
descansarcomosenossatarefativesseterminada.Aqueles,cujosangueserárequeridodenós
seosperdermosporcausadenossapreguiça,devemsercuidadosmaisdepertoedemodomais
vigilante”.
Calvinopreocupava-secomofatodequeotrabalhodepúlpito,mesmoodopregadormaisbem
disposto,podiafrequentementefalharemlevarasalmasaCristo.“Sempreacontecequeaquele
queouvepromessasgeraisquesãodirigidasàcongregaçãodefécomoumtodopermanececom
algumadúvida,eaindafiqueperturbadoemsuamentecomoseaindanãotivesserecebido
perdão”.Portanto,afirmouele,apregaçãorequerfrequentementesersuplementadacomuma
entrevistapastoral.“Nãoésuficienteque,dopúlpito,umpastorensinetodasaspessoas
conjuntamente,poiselenãoacrescentainstruçãoparticulardeacordocomanecessidadeecom
ascircunstânciasespecíficasdecadacaso”.140
Taisconvicçõesolevamalamentarporalgunspastoresdesuaépocaque“eram
preguiçososdemaisparavisitaroslaresdaquelesqueosouviamdosbancosdaigreja”.141
Édentrodestamolduradeconvicçõesepráticapastoralquedevemosenxergarseus
escritos.AsInstitutas,hojetidascomoliteraturateológicasofisticada,foramescritascoma
finalidadedeinstruirnovosconvertidos.
OpropósitobásicodasInstitutas[...]eracatequético.Desdeaépocadesuaconversão,Calvino
forapressionadoaatuarcomoprofessordaquelesqueestavamfamintospelaféverdadeira.
AindahojesepodeverumacavernapertodacidadedePoitiersondesedizqueCalvinohavia
ministradoaosnecessitadosdeumacongregação(literalmente!)subterrânea.Elesabia,de
primeiramão,anecessidadeurgentedeummanualdeinstruçãoclaramenteescrito,que
apresentasseosrudimentosdeumateologiabíblicaelevasseosjovenscristãosaumamaior
compreensãodafé.142
J.H.MerleD´Aubignéresumeassimaagendadoreformador:
Aosdomingos,[Calvino]lideravaocultoetambémrealizavacultosdiáriosemsemanas
alternadas.Elededicavatrêshorasporsemanaaoensinodeteologia;visitavaosdoentese
administravaexortaçãoindividual.Hospedavapessoas;nasquintas,compareciaaoConsistório
paradirigirasdeliberações;nassextas,estavapresentenaconferênciabíblicaqueerachamada
138LAWNSON,StevenJ.AArteExpositivadeJoãoCalvino.SãoJosédosCampos:EditoraFiel,2008,p.98.
139WALLACE,op.cit.,p.143.
140Ibid.,p.146.
141Ibid.,loc.cit.
142GEORGE,op.cit.,p.178.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.20
decongregação.Duranteessasconferências,depoisqueoministroresponsávelapresentava
suasconsideraçõessobredeterminadapassagemdasEscrituras,eapósoscomentáriosdos
demaispastores,Calvinoadicionavasuasobservações,asquaisseassemelhavamauma
preleção.Nasemanaqueelenãopregava,preenchiaotempocomocupaçõesdetodotipo.
Particularmente,eledavamuitaatençãoaosrefugiadosqueafluíamparaGenebradevidoà
perseguiçãoqueocorrianaFrançaenaItália.Eleensinava,exortavaeconsolava,pormeiode
cartas,“aquelesqueestavamnasgarrasdoleão”,alémdeintercederporeles.Emseusestudos,
elucidouescritossagradosatravésdeadmiráveiscomentários,erefutouosescritosdos
inimigosdoevangelho.143
Oquetemosaqui?UmapessoareconciliadacomDeustrabalhandopelasalvaçãoe
santificaçãodeoutraspessoas(2Co5.18-20).Conexãoepessoalidade.Discipuladovivoe
simples.
2.3 AherançadeBaxter
EmseuprefácioaolivrodeRykensobreospuritanos,oDr.J.I.Packerdescreveaparentes
perdedoresquesão,defato,“maisquevencedores”.
Ospuritanosperderam,emcertamedida,todabatalhapúblicaemquelutaram.Aquelesque
ficaramnaInglaterranãomudaramaIgrejadaInglaterracomoesperavamfazer,nem
reavivarammaisdoqueaminoriadosseuspartidários,eeventualmenteforamconduzidospara
foradoanglicanismopormeiodecalculadapressãosobresuasconsciências.Aquelesque
atravessaramoAtlânticofalharamemestabeleceraNovaJerusalémnaNovaInglaterra.Durante
osprimeiroscinquentaanos,suaspequenascolôniasmalsobreviveram,segurando-seporum
fio.Masavitóriamoraleespiritualqueospuritanosconquistarampermanecendodóceis,
pacíficos,pacientes,obedienteseesperançosos,sobcontínuaseaparentementeintoleráveis
pressõesefrustrações,dá-lheslugardehonrano“hall”defamadoscrentes,ondeHebreus11é
aprimeiragaleria.Foidestaconstanteexperiêncianofornoqueseforjousuamaturidadeesua
sabedoriarelativaaodiscipuladofoirefinada.144
Noteareferênciaaodiscipuladopuritano:Sabedoriarefinada.Packerprossegue
apresentando-nosRichardBaxter(1615-1691).Eleesclareceque,“paraBaxter,umpastor
‘reformado’nãoeraalguémquefaziacampanhapelocalvinismo,masalguémcujoministério
comopregador,professor,catequistaemodeloparaoseupovodemonstrasseserele,comose
diria,‘reavivado’ou‘renovado’”.145Issonosconduzaoidealpuritanodecomunidadecristã:“os
puritanosvisualizavama‘reforma’emnívelcongregacionalvindodemododisciplinadopela
pregação,catequismoefieltrabalhoespiritualdapartedopastor.146
Aindaqueestealtoidealdopastoradoprejudicasseainiciativaleiga,147contrariandoa
ênfasedeLuteronosacerdóciodossantos(cf.seção2.2.1),olegadodeBaxteraodiscipulado
merecesermencionado.Tanto“pregador”,“professor”,“catequista”e“modelo”remetemà
pessoaeministériodeJesusCristoe,noidealpuritano,identificamopastoradoeministérioda
igrejaemtodotempo.OtrabalhodeBaxtercomopastordaIgrejaAnglicanaemKidderminster,
Worcestershire,ilustraissomuitobem.
JamesHoustonnosinformaqueBaxternãofoibem-sucedidoempolíticaeclesiástica,mas
produziufrutosabençoadoscomopastordeovelhas.
Comoestadista,Baxterfoiumfracasso.Recusouumbispadoquandoestelhefoioferecido.E,
emborasendooprincipalporta-vozdosnãoconformistasdurantevinteanos,erademasiado
fracoparaliderá-lospoliticamente.Conquantoseucoraçãodesejasseapazparasanarocisma,
eleerasempredemasiadamenteduro,diretoefranco,oquelheimpossibilitavaaconstruçãode
pontes.
143D´AUBIGNÉ,J.H.Merle.HistoryofReformationinEuropeinTimeofCalvin.Harrisonburg,VA:Sprinkle
Publications,1880,2000,p.82.v.7,apudLAWNSON,op.cit.,p.16-17.
144RYKEN,Leland.SantosnoMundo:OsPuritanosComoRealmenteEram.2.ed.SãoJosédosCampos:Fiel,2013,p.11-
12.Grifosnossos.
145RYKEN,op.cit.,p.17.Grifosnossos.
146Ibid.,p.17-18.
147Ibid.,loc.cit.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.21
Mascomopastor,RichardBaxtereraincomparável.[...]Oqueeledeixoufeitoeregistradoem
Kidderminsterétalvezumadasmaioresrealizaçõespastoraisnahistóriadaigreja.Eleensinava
individualmenteosmembrosdaigrejapormeiodeaconselhamentopastoral,eoscatequizava
sistematicamente(istoé,ensinava-ospelométododeperguntaeresposta)nocristianismo
básico.OqueBaxterensina[...]eledefatopôsempráticaemseupróprioministério.148
PackerdescreveKidderminster:“Ovilarejotinhauns800lares,quaseduasmilpessoas.
Era‘umpovoignorante,rudeedadoàfolia’quandoBaxterchegou,oque,entretanto,foi
mudadodeformadramática”.149OqueaconteceemseguidaédescritopelopróprioBaxter:
Quandoinicieimeutrabalho,podiacuidarespecialmentedecadaumquesehumilhava,
reformavaouconvertia;mas,depoisdeumtempodetrabalho,foidoagradodeDeusqueos
convertidosfossemtantosqueeunãotinhamaistempoparaescreverobservaçõesparticulares
sobrecadaum[...]famíliasenúmerosconsideráveisvinhamdeumavez[...]entravame
cresciamdemaneiracomoeumalpodiaentender.Olocaldecongregaçãogeralmenteestava
cheio(cabiaatémilpessoas)etivemosdeconstruircincogalerias[...]NoDiadoSenhor[...]
poder-se-iaouvircemfamíliascantandosalmoserepetindosermõesaopassarpelasruas[...]
quandocheguei,haviaapenasumafamíliaemoutrarua,queadoravaaDeuseclamavapeloseu
nome;mas,quandosaí,haviaruasemquenãopassavanenhumafamíliaquenãofossede
adoradores,professandosériapiedade,dando-nosesperançadesuasinceridade.150
BaxteréexpulsodesuaigrejapeloDecretodaUniformidadede1662.ViveemLondres
apósaLeideTolerânciade1672.Comopuritanoinconformistaquelutapelanão-subjugaçãoda
igrejaaoEstado,eleécondenadoàprisãoem1685.151Umregistrotocantedaqueleperíodoé
fornecidopelaBibliotecaEthereal:
Entre1662e1688(quando[orei]TiagoIIfoideposto),elefoi[...]presopor18meseseforçado
avenderduasbibliotecasextensas.Aindaassim,elecontinuouapregar:“Eupregueina
incertezadetalveznuncamaispregarnovamente”,eleescreveu,“comoumhomemmorrendoa
outroshomenstambémmorrendo”.152
DeuschamaBaxteràsuapresençaemShropshire,tendoeste76anos.Cinquentaedois
anosdepoisdesuamorte,em1743,GeorgeWhitefieldvisitaKidderminstereescreve“aum
amigo:‘FuigrandementereconfortadoaoencontrarumdoceperfumedadoutrinadobomSr.
Baxter,cujasobrasedisciplinapermaneceramatéhoje’”.153
ComoBaxterdiscipula?Elepregadoissermõesporsemana(umnodomingoeoutrona
quinta).154Nestes,investetempoconsiderávelexpondoas“basesdoCristianismo”.155
AexposiçãodaverdadeeométodoproveitosodoCredo(oudoutrinadafé),daOraçãodo
Senhor(ouquestõessobrenossosdesejos)edosDezMandamentos(oudaleiprática)oferecem
muitamatériaparaacrescentaraoconhecimentodamaioriadosqueprofessamareligião,e
tomagrandetempo.Umavezfeitoisso,oscrentesprecisamserconduzidosadiante[...]sem
deixarosmaisfracosparatrás;deverãoserrealmenteservosdosgrandespontosdafé,
esperançaeamor,emsantidadeeunidade,ensinosessesqueprecisamserconstantemente
inculcados,comooinícioeofinaldetodasascoisas.156
148BAXTER,Richard.OPastorAprovado.SãoPaulo:PublicaçõesEvangélicasSelecionadas,1989,p.10-11.Grifonosso.
149BAXTER,Richard.ManualPastoraldeDiscipulado.SãoPaulo:CulturaCristã,2008,p.9.
150BAXTER,Richard.ReliquiaeBaxterianae(RB),ParteI,p.84etseq.,apudBAXTER,2008,p.9-10.
151BAXTER,1989,p.10.
152CHRISTIANCLASSICSETHEREALLIBRARY.RichardBaxter:EnglishPuritan,ChurchLeader,Poet,Hymn-Writer,
TheologianandControversialist.Disponível:<http://www.ccel.org/ccel/baxter>.Acessoem:02mai.2014.(tradução
nossa).
153BAXTER,2008,p.10.
154Ibid.,loc.cit.
155Ibidem.Cadasermãoduravacercadeumahora.Temposignificativoerainvestidonapreparação.
156BAXTER,RB,ParteI,p.93etseq.,apudBAXTER,2008,p.10-11.Grifonosso.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.22
Baxterabresuacasanasnoitesdequinta-feira.Nestareuniãooscrentesdiscutemum
sermãoeoram.157Emseugabineteedecasaemcasa,eleaconselhaeinstruioscristãos
individualmente.158
Tambémcatequizavamembrosdaigrejadoisdiasporsemana.Eleiadecasaemcasa,comum
ajudante,falandoumahoracomcadafamília,edandoacadaumadelasumoudoislivros
edificantes,usualmenteescritosporelemesmo.Arespeitodasvisitaseledisse:“Poucasfamílias
sedespediamdemimsemalgumaslágrimas,ousemfazerempromessasaparentementesérias
[delutarem]porumavidapiedosa”.Eacrescentou:“Algumaspessoasignorantes,quepormuito
tempoforamouvintesinaproveitáveis,obtiverammaisconhecimentoepreocupaçãode
consciênciaemmeiahoradeexposiçãoconcentradadoqueemdezanosdepregação
pública”.159
OlivroOPastorReformadoéumtextolidoporocasiãodeumareuniãodepastores
realizadaem4dedezembrode1655emWorcester,destinadaaatopúblicodearrependimento
e“adoçãodapolíticadacatequesesistemáticadesuasigrejas,segundoseuprojetobásico”.160Na
introduçãodaediçãoresumidadestemanual,RichardHalversonaludeàGrandeComissãode
Mateus28.18-20,registrando,compertinência,que“sejaoquemaisforqueBaxterrealizou
comopastor,umacoisaécerta—elediscipulavaaspessoas.Numaépocaemqueacondiçãoda
igrejaeradeploravelmentecorrupta,RichardBaxterindefectivelmentediscipulavao
rebanho”.161
Oqueaprendemos?BaxtercumpreomandatodiscipuladordeJesus.Nãopermitequeo
crescimentonuméricodesuaigrejaoafastedocuidadopessoaldecadamembro;estabelece
umarotina(quepodemosconsiderarum“sistema”ou“programa”)dediscipuladoqueenvolve
pregaçãonoculto,reuniõesemsuacasa,aconselhamentoevisitação-ensinonoslares).Aofazer
issoeleétidocomo“modelo”,motivandooutroslídereseigrejascristãs.
2.4 OardorevangelísticodeBonareSpurgeon
Éimpossívelprosseguirsemmencionarduaspersonagensdo19ºséculo.Umadelasbrilhano
presbiterianismoescocês;aoutranafébatistacalvinista,emLondres.
2.4.1 A C R Í T I C A D E H O R A T I U S B O N A R A O M I N I S T É R I O “ M O R N O ”
OpastorpresbiterianoescocêsHoratiusA.Bonar(1808-1889)émaisconhecidoporseushinos,
dentreosquais,obelíssimoAVozdeJesus:
OuvioSalvadordizer:“Vemdescansaremmim
Econfiantereceberconfortoepazsemfim”.
FuiaJesuselheentregueimeutristecoração!
Abrigoepazeuneleachei,
Acheiconsolação!162
AlémdoshinosdeBonar,nãopodeserdesprezadoseulivretoUmRecadoPara
GanhadoresdeAlmas.163Eisoqueselênaquartacapadestaobra:
Alguémqueoconheciabemdissecertavez:“MuitoschegavamaEdimburgoequeriamconhecêlo,atraídosporsuafamacomoautordehinosinefáveis.Porém,aoconheceropregador,logose
esqueciamdesuashabilidadespoéticas.SuasoraçõesosconduziamàpresençadeDeusetodos
157Ibid.,p.11.
158Ibid.,loc.cit.
159BAXTER,RB,1:83etseq.,apudBEEKE,JoelR.;PEDERSON,RandallJ.(Ed.).PaixãoPelaPureza:ConheçaOs
Puritanos.SãoPaulo:PublicaçõesEvangélicasSelecionadas,2010,p.127.
160BAXTER,2008,loc.cit.
161BAXTER,1989,p.20-21.
162BONAR,Horatius.Hino250.AVozdeJesus.In:NOVOCÂNTICO.15.ed.Reimp.2007.SãoPaulo:CulturaCristã,
2006,p.224.
163BONAR,HoratiusA.UmRecadoParaGanhadoresdeAlmas.2.ed.rev.SãoPaulo:VidaNova,2007.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.23
ouviam,extasiados,suassábiaspalavras,quefalavamdeumamormaisfortedoqueamortee
decomoviverumavidaverdadeiramentecristã”.164
Bonariniciaseuescritoreferindo-seaBaxtercomoexemplode“sinceridadeardente”no
ganhodealmas.165E“ganharalmas”deveseraprioridadedoministériocristão;esteéofocodo
RecadodeBonar.
Muitasvezes,fazemospoucodofatodequeoobjetivodoministériocristãoélevarpecadoresao
arrependimentoeedificaroCorpodeCristo.Nãopodeexistirfidelidadenavidadeumministro
cujopadrãoestejaemfaltaquantoaoobjetivomaior.Aplausos,fama,popularidade,honrae
riquezas—tudoissoévão.Senãoseganhamvidas,seossantosnãoamadurecem,nosso
ministérioéumfracasso.
Aquestão,portanto,quecadaumdenóstemderesponderasimesmoéesta:“Esteéoobjetivo
domeuministério?Odesejodomeucoraçãoésalvaroperdidoeguiaraquelequejáestásalvo?
Esteéomeuobjetivoemtodosermãoqueprego,emtodavisitaquefaço?Seráque,
continuamente,vivo,andoefalosobainfluênciadessaconvicção?Éporissoqueoro,etrabalho,
ejejuo,echoro?Éporissoquemeconsumoemedeixoconsumir?Econsiderominhamaior
alegria,depoisdasalvaçãodeminhaalma,seroinstrumentoparasalvaroutros?Estaéarazão
pelaqualexisto?Dariaaminhavidacomalegria,casofossenecessárioparaarealizaçãodesse
objetivo?”166
Earremata:“Nadamenosqueotrabalhoárduo,masbem-sucedido,podesatisfazerum
verdadeiroministrodeCristo”.167EstaideiacentralserepetepáginaapóspáginadeseuRecado.
Apósochamadoaoministériovivo,nocapítuloinicial,elepropõeumpadrãoparaavidado
ministro,comolidarcomfalhasdopassadoeterminaconvidandooleitoràconfissãoebuscade
autênticoavivamento.
Maisdoqueproporumteoria,Bonarviveoqueensina.Apósotérminodesuafaculdade,
dedica-seao“trabalhomissionárioemumaáreachamadaLeith,umbairropobreemiserávelda
cidade”.168Suahinologiadecorredeseuamorpelascriançasque“nãogostavamdecantaros
SalmosmétricosusadosnaIgrejadaEscócianaquelesdias,oqueolevouaescreverseus
próprioshinos”.169Quantoaorestantedesuabiografia:
Oseutrabalhopastoralepregaçãonuncaforamnegligenciadosedepoisdequasevinteanosde
trabalhonaimediaçõesdeKelso,BonarretornouparaEdimburgoem1866,parapastoreara
ChalmersMemorialChapel(hojeSt.Catherine'sArgyleChurch).Elecontinuouseuministério
pormaisvinteanos;ajudouaorganizarareuniãocomMoodyemEdimburgo,em1873,efoi
moderadordaIgrejaLivredezanosdepois.Suasaúdedeclinouem1887,maseletinhaquase
oitentaanosaopregaremsuaigrejapelaúltimavez.170
Oqueissodizaodiscipuladovivoesimples?Aindaqueconceitosouprogramasde
discipuladosequersejammencionados,Bonarcolocaodedoemumaferidaaoatacaro
ministério“morno”.171Amornidãoquantoaoevangelismoediscipuladoouoenganoacercade
prioridadesministeriais,diz-nosBonar,nãosãoinofensivos.Trata-sedeinfidelidadeaDeus
(1Co4.1-2).ComoafirmaLeeCsorba,“liderançaécaráteremmovimento”.172Éperfeitamente
possível(eosexemplosdeIsaías,JeremiaseJesuscomprovamisso)serfielaDeusenquantoo
númerodecrentesdiminui,masconstituifalhadecaráteracomodar-sesemlamentar,chorare
trabalhardiantedafaltadefrutos.173Issodeveriafazer“corardevergonha”osque,sem
164BONAR,2007,quartacapa.
165Ibid.,p.9-11.
166Ibid.,p.12-13.Grifodoautor.
167Ibid.,p.13.
168BESSA,Jorge.HoratiusBonar(1808-1889)—Biografia.In:ReformaeRazão.Disponívelem:
<http://www.reformaerazao.com/2010/02/horatius-bonar-1808-1889-biografia.html>.Acessoem:02mai.2014.
169BESSA,op.cit.,loc.cit.
170CHRISTIANCLASSICSETHEREALLIBRARY.HoratiusBonar:ScottishChurchmanandPoet.Disponível:
<http://www.ccel.org/ccel/bonar>.Acessoem:02mai.2014.(traduçãonossa).
171BONAR,2007,p.9-10.
172BRADY,Chris;Woodward,Orrin.OsCincoNíveisdeInfluência:UmPlanodeCincoEtapasParaCriareManterUma
SólidaLiderançanasOrganizações.RiodeJaneiro:Campus,2008,p.9.
173BONAR,2007,p.25-28.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.24
qualquerpreocupaçãopelocumprimentodomandatodiscipuladordeJesus,racionalizama
ausênciadeconversõesutilizandoadoutrinadasoberaniadeDeus(“Deusdeterminoupoucas
conversõesemmeucampo”)ouargumentossociológicosouantropológicos(“olugaremque
ministropossuiumaculturaresistenteaoevangelho;porisso,obaixonúmerodeconvertidosé
‘normal”eeunãodevoesperarmaisdoqueisso”oupior:“Aculturadestaigrejaévoltadapara
manutenção;devorespeitarisso,sem‘forçar’qualquermudançaouumfocomaiorem
evangelizaçãoediscipulado”).
IssonosdeixaprontosparaCharlesSpurgeon,contemporâneodeBonar.
2.4.2 O P A S T O R A D O A B E N Ç O A D O D E C H A R L E S S P U R G E O N CharlesHaddonSpurgeon(1834-1892)é“omaisproeminentepregadordaInglaterrade
meadosdoséculo19”.174Umaumentocontínuofazem-notransferir-separatemplosmaioresaté
que,em1861,elesemuda“paraoseuTabernáculoMetropolitano,com4700assentos”.175Até
1891,cercade15milpessoassãorecebidasemsuaigreja.Emsuaescoladepastores,atéo
tempodesuamorte,sãoformadosaproximadamente900pregadores.176SeBaxterépastorde
umagrandeigreja,Spurgeonlideraumamegaigreja.
Comovimos,odiscipuladovivoesimplesimplicaemserumexemplodecompromisso
comCristoeseuevangelho.Spurgeonémodelodepiedadeepráticaministerialquetranscende
seutempo.Doslíderescristãoscitadosnestecapítulo,comexceçãodeLuteroeCalvino,
Spurgeontalvezsejaomaisconhecidoaosleitoresdenossoidioma.Aquantidadedeobrasde
SpurgeonpublicadasnoBrasilésignificativa,eemváriasdelasencontram-sesubsídios
pertinentesaodiscipulado.177
OTabernáculoMetropolitanocrescenãoapenasporcausadapregaçãodeSpurgeon,mas,
também,porqueeleincentivaoscrentesaganharalmas.Falandoaosseusobreiroselelevanta
umaquestão,“comoconseguirqueosmembrosdaigrejasetornemconquistadoresde
almas?”178Éimportantequeospastoresnãosemeiemsozinhos,massejamajudadospor“uma
equipedeauxiliares[...]comoqueumaáreaaindamaisextensapoderásercultivadaparao
Senhordaseara”.179Spurgeonentendequeformarumaigrejaassim—decrentesevangelistas
—nãoétarefafácil,muitomenosrápida.Pelocontrário,“élaborquerequertempo.Nãoesperem
obternoprimeiroanodepastoradoaqueleresultadoqueéarecompensadevinteanosde
esforçocontinuadonomesmolugar”.180
Formarumaigrejaqueevangelizaexige,portanto,disposiçãoparatrabalharsozinhono
início:“Entremnoministériosemesperardapartedoscrentesmuitoapoioparaaobrade
conquistaralmas.Prepare-seantecipadamente[...]parafazertudo,eparafazê-losozinho”.181
Ademais,formarumaigrejaqueevangelizaexigeumabuscaporavivamentopacientee
determinada:
Osavivamentos,quandogenuínos,nemsempreocorremsóporqueassobiamoschamando-os.
Chamemassimovento,evejamseelevem.Grandeschuvasforamdadasemrespostaàsorações
deElias.Masnãodaprimeiravezqueorou.Nóstambémtemosqueorareorar,vezapósvez,e
afinalapareceráumanuvemedelacairáachuva.Aguardemalgumtempo,trabalhem,lutem,
oreme,nodevidotempoabênçãoviráevocêsverãoaigrejaacompanhar-vosembuscados
vossosideais.182
Apartirdestesprincípiosgerais,Spurgeonforneceinstruçõesespecíficas.Primeiramente,
nãotrabalharpreso“aumaregrafixa.Sim,porqueaquiloquedariacertonumaocasião,noutra
174CAIRNS,op.cit.,p.436.
175Ibid.,loc.cit.
176Ibidem.
177OautordesteestudorecomendaostrêsvolumesdeLiçõesaosMeusAlunos:HomiléticaeTeologiaPastoral,
disponibilizadosporPublicaçõesEvangélicasSelecionadas.
178SPURGEON,CharlesH.OConquistadordeAlmas.SãoPaulo:PublicaçõesEvangélicasSelecionadas,1986.
179SPURGEON,op.cit.,p.89.
180Ibid.,loc.cit.
181Ibid.,p.90.
182Ibid.,p.91.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.25
poderiaserimprudente,eoquepoderiaseromelhornumlugar,nãoseriatãobomnoutro”.183
Nessestermos,sedepoisde,semsucesso,tentaradmoestartodoopovoaassumirotrabalhode
evangelização,érecomendáveltrabalharcomumaouduaspessoaseapartirdelas,motivaras
demais.184Tudoissosemafobação:
Tenhovistoalgunscolegascorreremtãovelozmentenoinícioquelogoficaramcomocavalos
anuladospelaexaustão,oqueéumlamentávelespetáculo.Portanto,irmãos,deemtempo.Não
queiramobternuminstantetudooquedesejam.185
Asegundadicaespecíficaparaformarumaigrejaqueganhaalmasé“manterasreuniões
deoração”.186Issodeveserassimporque,deacordocomSpurgeon,asreuniõesdeoração“estão
ligadasàverdadeirafontedepodercomDeusecomoshomens”.187Daísuasferventes
admoestaçõesparaarealizaçãodereuniõesdeoraçãobempreparadaseanimadas.
Façamopossívelparaqueela[areuniãodeoração]sejatalquenãohajaoutraigualnumraiode
setemilquilômetros.[...]Eseosparticipantesparecemestarentorpecidosedesanimados,
façam-noscantarhinospopulares.Depois,quandojáosestejamcantandodecor,façam-nos
retornaraohináriodaigreja.
Mantenhamareuniãodeoração,aindaquetudomaisfraqueje.188
AimportânciadaoraçãoparaSpurgeonétãograndeque,seaspessoasnãoquiserem
reunir-separaorar,devemosiratéelasparafazerissoemsuascasas:
Esenãopudereminduzi-lasafrequentaremasreuniões,vãoàssuascasasedigam-lhes:“Vou
fazerumareuniãodeoraçãoemtuasaladevisitas”.“Meucaro,minhamulherficarádaquele
jeito!”“Não,não.Diga-lhequenãoseapoquente,pois,podemosusaracocheira,ouojardim,ou
qualqueroutrocanto;mastemosdefazerumareuniãodeoraçãoaqui”.Senãovêmàreunião,
temosdeiraeles.189
Spurgeonforneceaterceiradica:Servirnósmesmosde“ardorosoexemplo”,ouseja,não
sermosapáticosoupreguiçosos.“Umhomemindiferente,quefazoseutrabalhocomindolência
nãodeveesperarreuniremtornodesipessoaspreocupadascomasalvaçãodealmas”.190Nesses
termos,Spurgeonlamentaporumaocasiãoemquesuaigrejarecebesomentecatorzepessoas,
sendoqueestão“acostumadosareceberquarentaoucinquentapormês.191
Quartadica:Rodear-se“decristãosdesejososdefazertudoquepuderemparacooperar
conosconaobradeganharalmasparaCristo”.192Issoequivaleaidentificar,noseiodaigreja,
aqueleirmão“quepressionapessoas—sabemoquequerodizer.Écoisaboapegarumamigo
pelocabelooupelagoladocasacoparaofimquebuscamos.[...]Assim,tratemdeagarraros
pecadores,dechegarbemjuntodeles”.193Naoraçãopedimosporobreirosparaaseara;nodia-adiadaigreja,osidentificamos.
Àidentificação,segue-seumtreinamentooucapacitação:
ÉprecisohavernaigrejadeCristoumgrupodeatiradoresbemtreinadosqueatinjamos
indivíduosumporum,equeestejamsemprealertas,vigiandoatodososqueentramnolocal,
nãoparaaborrecê-los,masparagarantirquenãosaiamdalisemreceberumaadvertência
pessoal,umconvitepessoaleumaexortaçãopessoalparaquevenhamaCristo.Desejamos
183Ibid.,loc.cit.
184Ibid.,p.91-93.
185Ibid.,p.93.
186Ibid.,loc.cit.
187Ibid.,p.95.
188Ibid.,p.94.
189Ibid.,p.95.
190Ibid.,loc.cit.
191Ibid.,p.96.Grifonosso.
192Ibid.,loc.cit.
193Ibidem.Grifonosso.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.26
treinaratodososnossosirmãosparaesteserviço,demodoquesetornemverdadeirosexércitosde
salvação.194
Oleitorpodeimaginarissosendopraticadoporqualquerigreja?Épossívelcompreender
melhorocrescimentodoTabernáculodeSpurgeon.
Exatamenteissoconduzaoitemseguinte(quintadica),qualseja,“teremoscertezade
obterabênçãoquebuscamosquandotodaaatmosferaemquevivemosforfavorávelàconquista
dealmasparaDeus”.195Spurgeonnãoestáfalandodemera“culturaevangelística”ou“de
discipulado”,formatadacomferramentasdaPsicologiaouSociologia,masdeuma“influência
favorável[...]naesferaespiritual”,196econtinua:
Jáobserveimuitasvezesque,quandoDeusabençoaomeuministérionumaextensãoforado
comum,osirmãosemgeralestãopredispostosparaaoração.Émaravilhosopregarnum
ambientecheiodoorvalhodoEspírito.Seioqueépregarcomisto.E,infelizmente,seitambémo
queépregarsemisto.197
Comparandoapregaçãobem-sucedidahojecomaexperiênciadePedronoPentecostes,
Spurgeonassevera:
Nuncasehaviapregadomelhorsermão—mensagemclaraepessoal,própriaparaconvencero
povodopecadocometidomedianteseutratamentodeCristo,oqualolevouàmorte.Masnão
atribuoasconversõesaliocorridassomenteàspalavrasdoapóstolo,poishavianuvensao
redor,eaatmosferaestavacarregadadeumidade.[...]Nãotinhamosdiscípulosestadoem
pacienteecontinuadaoraçãopeladescidadoEspírito?E,porventuraoEspíritoSantonão
descerasobrecadaumdosqueestavamreunidos,bemcomosobrePedro?Naplenitudedo
tempo,abênçãodePentecostefoiderramadacopiosamente.Semprequeumaigrejaficanas
mesmascondiçõesemqueestavamosapóstoloseosdemaisdiscípulosnaquelamemorável
ocasião,todaaenergiadocéuseconcentranaquelepontoparticulardotempoedoespaço.
Entretanto,vocêsselembram,nemmesmoCristopôderealizarmuitasobraspoderosasem
algunslugares,porcausadaincredulidadedopovo.Estoucertodequetodososseusservos
zelososencontrarãoàsvezesomesmoimpedimento.Temoquealgunsdosnossosirmãosaqui
presentestenhamaseucuidadoigrejascompostasdepessoasmundanasesemCristo.198
Spurgeonafirmaaindaque“nãopodemosfazernadasemDeus,poisquemtemquever
comoambienteéele;somenteelepodecriá-loemantê-lo.Portanto,éprecisoqueosnossos
olhosestejamsempreelevadosparaele,deondenosvemtodoosocorro”.199
Paraarrematarseuargumento,Spurgeonresume:
[...]nãodeixemdepregar,masdigacadaumasimesmo:“Devoprocurarreuniraomeuredor
umgrupodepessoasqueoremcomigoepormim,quefalemcomseusamigosarespeitodas
coisasdeDeus,equevivametrabalhemdemodotalqueoSenhorderramebenditaschuvasde
bênçãosdasuagraça.Eestasbênçãosvêmporquetodasascircunstânciaslhessãopropícias,
ajudandooseuderramamento.
OuvialgunsministrosdizeremquequandopregaramemnossoTabernáculo,algopresentena
igrejareunidaexerceuumefeitomaravilhosamentepoderososobreeles.Creioqueéporque
temosboasreuniõesdeoração,porqueumfervorosoespíritodeoraçãopermeiaoscrentes,e
porquemuitosdelesvelampelasalmas.Háespecialmenteumirmãoqueestásempreàprocura
deouvintesquesemostremimpressionados.Chamo-omeucãodecaça.Estásemprepronto
paralevantarasavesqueatinjoparatrazê-lasamim.Euotenhovistoàespreitadeumaapós
outraparapodertrazê-lasaJesus.Emealegroporquetenhooutrosamigosdestaespécie.200
194Ibidem.Grifonosso.
195Ibid.,p.97.
196Ibid.,loc.cit.
197Ibidem.
198Ibid.,p.98-99.Grifosnossos.
199Ibid.,p.100.
200Ibid.,loc.cit.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.27
OquenosensinaSpurgeon?Queodiscipuladorequeresforçoparamultiplicar
evangelistasemumministériofiel,perseverantenoesforçodiscipuladoredelongoprazo.Eesta
multiplicaçãoaconteceemumprocessodecincopassos:
1.
2.
3.
4.
5.
Sozinho(nossotrabalhoduro,fielepaciente).
Comoutros,orandosempre.
Influenciandooutros,comoexemplosdeempenhoeardorpelaconversãodevidas.
Identificandooutrosevangelistas,treinando-oseatodaaigreja.
Aigrejapredispostaàoraçãoépermeadaporumaatmosferapropíciaaoganhode
vidas.
Seissoéassim,odiscipuladovivoesimplestemrelaçãoestreitacomavivamento.
2.5 Discipuladoeavivamento
OqueéavivamentoeporqueSpurgeonoenfatizatanto?Emumavivamento“oscrentessão
despertadoseosnão-cristãossãointroduzidosnoreinoemgrandenúmero,cadaumcomo
sensoindividualdepecadoenecessidade,masnocontextodeumamplosensodapresençae
poderdoEspíritoSanto”.201
OséculoanterioraSpurgeontestemunhaumderramamentodoEspíritodenominado
GrandeDespertamento,cujasfigurascentraissãoGeorgeWhitefield,JohnWesleyeJonathan
Edwards.GeorgeWhitefield(1714—1770)começaapregarnaInglaterra,aosdezesseteanosde
idadeeéconsiderado“omaiorpregadordesdeostemposapostólicos”.202Elerompecomos
costumesdaIgrejaAnglicanaaopregaraoar-livre.Entre1739e1741elevisitaascolôniasda
AméricadoNorte,eDeusabençoasuaspregaçõescomresultadosestrondosos.Em1740,fala
paramultidõesdeatéoitomilpessoasduranteummês,quasetodososdias.Entre25a50mil
pessoasseconvertemeentramparaasigrejas,semcontarosconvertidosquejásão
membros.203
WhitefieldinfluenciaJohnWesley(1703—1791)apregarforadasquatroparedes,eeste
tambémanunciaoevangelhotantonaInglaterraquantonascolôniasnorte-americanas.
Ademais,WesleyfundaaIgrejaMetodista.
QuandoJohnWesleymorreu,havia,naInglaterra,77milmetodistase470casasdepregação.
Wesleyviajoucercade400milquilômetros,tendopregadocercade40milsermões,numa
médiademaisdedoissermõespordia,emboratenhasidobanidodemuitospúlpitos.Wesley
literalmenteviveutendo“omundocomosuaparóquia”.204
JonathanEdwards(1703-1758)pastoreiaaIgrejaCongregacionalemNorthampton,no
EstadodeMassachussets,NovaInglaterra—umacidadededoismilhabitantes.205Entre1735e
1738,Deusvisitapoderosamentesuacidadeecongregação:
Primeiro,[...]elesabandonaramassuaspráticaspecaminosas[...].DepoisqueoEspíritodeDeus
começouaserderramadotãomaravilhosamentedemaneirageralsobreavila,pessoaslogo
deixaramassuasvelhasbrigas,discussões,einterferênciasnosassuntosdosoutros.Ataverna
logoficouvazia,easpessoasficavamemcasa;ninguémseafastavaanãoserparanegócios
necessáriosouporcausadealgummotivoreligioso,etodososdiaspareciam,emmuitos
sentidos,comodiadedomingo.Segundo,elescomeçaramaaplicarosmeiosdesalvação:
leitura,oração,meditação,asordenançaspessoais;seuclamorera:“oquedevofazerparaser
salvo?”.206
201FERGUSON,SinclairR.OEspíritoSanto.SãoPaulo:EditoraOsPuritanos,2000,p.120.
202FERREIRA,Franklin;MYATT,Alan.TeologiaSistemática:UmaAnáliseHistórica,BíblicaeApologéticaParao
ContextoAtual.SãoPaulo:VidaNova,2007,p.848.
203FERREIRA;MYATT,op.cit.,loc.cit.
204Ibid.,loc.cit.
205Ibid.,p.847.
206EDWARDS,Jonathan.FaithfulNarrativeOnTheSurprisingWorkOfGod.In:TheWorksOfJonathanEdwards,v.1,
p.350-351,apudFERREIRA;MYATT,op.cit.,loc.cit.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.28
Edwardsprocuraexplicarbiblicamenteasexperiênciasdoavivamento.Seusescritostêm
grandevalorparaoentendimentodapessoaeobradoEspíritoSanto,lançandoluzsobreuma
questãoimportante:Dentreosdiversosfenômenospsicológicosefísicosoriundosdo
avivamento,comodiscerniroque,defato,éobradoEspírito?207
EsseavivamentobíblicoedesejávelfincaraízesprofundastantonosEstadosUnidos
quantonaInglaterraeoutrospaíses.Eissuasprincipaiscaracterísticas:208
•
•
•
•
•
•
ApeloàsuficiênciaesupremaciadaBíblia.
AfirmaçãodatotalcorrupçãodanaturezahumanaedequeamortedeCristonacruzé
oúnicomeiodeexpiaçãoparaopecado.
Vitaldoutrinadajustificaçãopelagraçapormeiodafé.
NecessidadedeconversãodocoraçãocomorenovaçãodaimagemdeDeusoperada
peloEspíritoSanto.
Ligaçãoinseparávelentreaverdadeiraféeasantidadepessoal.
Wesley,WhitefieldeEdwardscriamqueavivamentosnãopodiamserfabricados;
somenteesperadosemDeus.
AsoberaniadivinanoavivamentoémencionadaporPacker:
Avivamentoéinteiramenteobradagraça,poissobrevemaigrejasecristãosquemerecem
apenasjulgamento;eDeusofazacontecerdemaneiraamostrarquesuagraçafoidecisivanele.
OshomenspodemorganizarconvençõesecampanhasebuscarabênçãodeDeussobreelas,
masoúnicoorganizadordeavivamentoséDeus,oEspíritoSanto.Repetidasvezes,o
avivamentotemvindodemaneirasúbita,irrompendofrequentementeemlugaresobscuros,
atravésdoministériodehomenstambémobscuros.Naverdade,elevememrespostaàoração,e
ondeninguémorouéprovávelquetambémninguémsejaavivado;entretanto,amaneirapelaqual
aoraçãoérespondidaserádeformaaenfatizarasoberaniadeDeuscomoúnicafontede
avivamento,mostrandoquetodoolouvoretodaaglóriaprecisamserdadossomenteaele.209
TudoissoécondensadonoconceitosugeridoporFerguson.
AvivamentosãoasenergiasininterruptaseincontidasdoEspíritodeDeusdemolindoosdiques
queforamerguidoscontraoseuministériodeconvencereconverterpessoasemtodasas
comunidadesdeindivíduos,comoaconteceunoPentecostesenos“despertamentos”quetêm
ocorrido.210
Apartirdo18ºséculo,muitoscrentespassamaorarporumavivamento.Sobestaégide
trabalhaHoratiusBonar.OTabernáculodeSpurgeonexemplificaumacomunidadecristãque
oraetrabalhanaexpectativadoavivamento,paraganharediscipularvidas.
2.6 OdiscipuladocomprometidodeDietrichBonhoeffer
Ousodestacadodovocábulo“discipulado”,noséculo20,podeseratribuídoaDietrich
Bonhoeffer,umteólogoluteranoqueescreveunaefervescênciadaSegundaGrandeGuerra.211
Paraele,odiscipuladoéasoluçãoúnicaparaumaigrejaquedesvalorizaagraçasalvadora.
Agraçabarataéainimigamortaldanossaigreja.Anossalutahojeépelagraçadepreço
elevado.
Agraçabaratasignificaagraçacomoitemdeliquidação,perdãocomtaxareduzida,confortoe
sacramentocomdesconto;graçacomodespensainesgotáveldaigreja,repartidapormãos
descuidadas,semhesitaçãooulimite.Éagraçasempreço,semcusto.Diz-sequeaessênciada
graçaéqueacontafoipagaantecipadaeeternamente.Acontafoipaga,entãotudopodeser
207Cf.EDWARDS,Jonathan.AVerdadeiraObradoEspírito:SinaisdeAutenticidade.2.ed.revisada.SãoPaulo:VidaNova,
2010.
208AdaptadodeFERREIRA;MYATT,op.cit.,p.848-849.
209PACKER,J.I.NaDinâmicadoEspírito:UmaAvaliaçãodasPráticaseDoutrinas.SãoPaulo:VidaNova,2010,p.250.
Grifonosso.
210FERGUSON,op.cit.,p.121.
211BONHOEFFER,Dietrich.Discipleship.In:KUSKE,Martinetal.(Ed.).DietrichBonhoefferWorks.Minneapolis,MN:
FortressPress,2003.v.4.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.29
obtidogratuitamenteoucomocortesia.Umavezqueopreçopagoéinfinitamentegrande,assim
sãosuaspossibilidadesdeusufrutoeesbanjamento.Comoagraçaseriagraça,senãofosse
barata?
[...]Nestaigreja[queparticipadagraça]omundoencontraumencobrimentosemqualquer
custoporseuspecados,pelosquaiselanãomostranenhumremorsoedosquaisnãodesejaverselivre.Agraçabarataé,portanto,anegaçãodaPalavraVivadeDeus,anegaçãodaencarnação
daPalavradeDeus.212
ComentandoMarcos2.14,Bonhoefferafirmaquediscipuladoéarespostaobedienteao
chamadodeJesus.EissonãoporqueestesejaumMestreouModelo,masporqueeleéoCristo,o
FilhodeDeusquepossuiautoridadesuprema.
Ochamadoéproferido,eimediatamenteobedecidoporaquelequefoichamado.Arespostado
discípulonãoéummerodiscursosobreaféemJesus.Emvezdisso,éaçãoobediente.Comoé
possívelessarelaçãodiretaentreochamadoeaobediência?Issoofendearazãonatural,queé
impelidaarejeitartalrespostaabrupta.Elabuscamediarissocomumaexplicação,sejaela
psicológicaouhistórica.AlgunsperguntamtolamenteseocoletordeimpostosconheciaJesus
anteriormentee,portanto,estavapreparadoparaseguirseuchamado,masotextoé
teimosamentesilenciososobreisso.Nele,tudodependedochamadoedaaçãovoltados
diretamenteumaooutro.Otextonãoseinteressaemfornecerexplicaçõespsicológicasparaas
decisõesfiéisdeumapessoa.Porquenão?Porquesóháumaboarazãoparaaproximidade
entreochamadoeaação:OpróprioJesusCristo.Éelequemchama.Porisso,ocobradorde
impostososegue.Esteencontrodátestemunhodaautoridadeincondicional,imediatae
inexplicáveldeJesus.Nadaaprecede,enadaasegueexcetoaobediência.PorqueJesuséo
Cristo,eletemautoridadeparaconvocareexigirobediênciaàsuaPalavra.Jesuschamaao
discipulado,nãocomoumprofessoreummodelo,mascomooCristo,oFilhodeDeus.Assim,
nestetextocurtoJesusCristoesuareivindicaçãosobreaspessoassãoproclamados,enada
mais.NenhumlouvorrecaisobreodiscípuloouoCristianismoporeleesposado.Aatençãonão
deverecairsobreele,massóemquemchamaesuaautoridade.Não[...]háoutrocaminhoparaa
féalémdaobediênciaaochamadodeJesus.213
Aexperiênciacotidianadodiscipuladoéacruzouosofrimentocristão.ExpondoMarcos
8.31-38,Bonhoefferargumentaqueosofrimentonãoprecisaserprocurado,masDeustemuma
medidapreparadaparacadaumdenós:
Todoselesdevemsuportarosofrimentoerejeiçãomedidosparacadaum.Todomundorecebe
umaquantidadediferente.Deushonraalgunscomgrandesofrimentoelhesconcedeagraçado
martírio,enquantooutrosnãosãotentadosalémdesuasforças.Masemtodososcasos,trata-se
deumaúnicacruz.214
Issoéabsoluto,comonosesclareceoTeólogo:
Osofrimentoé,pois,acaracterísticadosseguidoresdeCristo.Odiscípulonãoestáacimadeseu
mestre.Odiscipuladoépassiopassiva,sofrimentoobrigatório.[...]Aquelesquenãoquerem
tomarasuacruz,quenãodesejamdarsuasvidasemsofrimentoeseremrejeitadospelas
pessoas,perdemacomunhãocomCristoenãosãoseusdiscípulos.215
OquintocapítulodeDiscipuladotratadaresponsabilidadehumananasantificação.O
chamadododiscipuladorompeo“ambientenaturalmentedadoemqueapessoavive”216ea
colocanatrilhade“umcrescimentoininterrupto,umasériedepassoslentosesantificadores”.217
Sobestaótica,discipuladoéumprocessovital,iniciadonaregeneraçãoeconversão(quando
ouvimoseacolhemosochamadodeCristo)equeprogrideatéaglorificação.Nesseintervalo,o
212BONHOEFFER,2003,p.43(traduçãonossa).
213Ibid.,57—58(grifosetraduçãonossos).
214Ibid.,p.87(grifoetraduçãonossos).
215Ibid.,p.89(traduçãonossa).
216Ibid.,p.93(traduçãonossa).
217Ibid.,loc.cit.(traduçãonossa).
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.30
discípuloprosseguesendograciosaeeficazmenteamoldadoaopadrãoestabelecidoporCristo
noSermãodoMonte(capítulo6).218
Emumescritoposterior,Bonhoefferregistrasuapreocupaçãocomalgunsdospostulados
registradosemseuDiscipulado.219Isso,porém,nãoretiraabiblicidadedeseuargumento;
discipulado,nostermosdoNT,écaminharcomCristoesergraciosamentetornadosemelhantea
Cristo.
2.7 Iníciodemudançasnodiscipulado
QuatrodécadasdepoisdeBonhoeffer,algumacoisamudou.Apenascomoexemplo,WaylonB.
Mooreescreveumlivrodeboarepercussãonomeiobatista,ligandoodiscipuladoao
crescimentodeigrejas.220Mooreésaudadocomointegrante“domodernomovimentode
discipulado”.221Oprimeirocapítulodesuaobrarevelasuaconvicçãodequecadaleitor“pode
começarasemultiplicarespiritualmentehoje,ecomeçarumprocessodinâmicoquealcance
alémdesuageração,quechegueatéopróximoséculo”.222Sugere-se,apartirdeentão,um
métodoparaamultiplicaçãodiscípulos.223
Percebamosamudança.AtéentãodiscipuladotinhaavercomDeusepessoas.Apartirde
então,discipuladotemavercomummétodo(aindaqueseargumentequetalmétodoé
estabelecidoemobediênciaaDeusparaoalcancedepessoas).Eissoligadoaocrescimento
numéricodaigreja.Destarte,“fazerdiscípulos”corresponde,apartirdeentão,a“ganharvidas
rapidamente”,promovendoumcrescimento“explosivo”nonúmerodecrentes.224Desdeentão,
pesquisadoresvinculamobem-estarigrejaaoseudesempenhoevangelísticoeaumento
numérico.
Noanode2005,orenomadopesquisadorThomRainerconduziuoprojetodepesquisaque
maistardeoriginouolivroBreakoutChurches(Igrejasobreviventes),noqualdescreveas
principaiscaracterísticasdeigrejasqueconseguiramromperoestágiodeestagnaçãoerecobrar
avitalidadeemsuasatividades.Emsuainvestigação,Raineranalisoumaisde50.000igrejas,
masencontrouapenastrezequeatenderamaoscritériosdeseleção.Dentreoscritérios
estavam:(1)igrejassaudáveissãoaquelasquealcançam,nomínimo,umapessoacomo
evangelhoacadaduassemanas;(2)igrejasquetêm,nomínimoumbatismoporanoemrelação
acadavintemembros;(3)igrejasquemantêmessecrescimentoporumlongoperíodo,aoinvés
deexperimentaremapenasuma“bênçãoesporádica”,e(4)igrejasquetenhamcausadoum
impactosignificativonasociedadedesdesuarevitalização.225
Nãoháproblemanousocorretode“métodos”naliderançaougestãoeclesiástica.226O
discipulado,comoveremosnaseção4.6,deveserprogramático.Opontoéqueseodiscipulado
nãopassadeumprograma,deixadeserdiscipuladobíblico.“Método”setornaproblemana
218Ibid.,p.100-182.
219BONHOEFFER,Dietrich.ResistênciaeSubmissão.2.ed.RiodeJaneiro;RioGrandedoSul:PazeTerra;Sinodal,
1980,p.178.
220MOORE,WAYLONB.MultiplicandoDiscípulos:OMétodoNeotestamentárioParaoCrescimentodaIgreja.3.ed.Rio
deJaneiro:JuntadeEducaçãoReligiosaePublicações,1990.
221MOORE,op.cit.,p.3.Grifonosso.
222Ibid.,p.15.
223Especialmenteapartirda2ªpartedolivro;cf.ibid.,p.21-131.
224Cf.KENNEDY,D.James.RevoluçãonaEvangelização.2.ed.SãoPaulo:VidaNova,1978.ApropostadeKennedyé
conhecida,literalmente,comoEvangelismoExplosivo.Cf.EVANGELISMOEXPLOSIVOINTERNACIONALNOBRASIL.
Disponívelem:<http://www.eebrasil.org.br/>.Acessoem19abr.2014.
225SANTOS,Valdeci.AntesdeContinuarFalandoSobreRevitalizaçãodeIgrejas:DiscussãoPreliminar,inFides
Reformata,v.18,n.1(2013),p.45.
226EstafoiatesedefendidaporesteautoremseuprojetofinaldeDoutoramentoemMinistério;cf.NASCIMENTO,
MisaelBatistado.MétodosGerenciaisnaIgreja:VerificaçãodaBiblicidadeePertinênciadaAdministraçãoEstratégica
noÂmbitodaIgrejaPresbiterianadoBrasil.SãoPaulo:CentroPresbiterianodePós-GraduaçãoAndrewJumper,2008.
Originalmenteapresentadacomotesededoutoradoemministério,CentroPresbiterianodePós-GraduaçãoAndrew
Jumper.Foiemtornodaideiademétodoquesurgiuo“Metodismo”comênfasesbem-intencionadasemdisciplinas
espirituaisevidasanta.NenhumcristãodementesãécontrárioàbuscadeDeusepurificaçãodocoração.
Infelizmente,oMovimentodeSantidade(Holiness),noqualinsere-seoMetodismo,possuifragilidadesteológicasque
turvamoentendimentoepráticabíblicadasantidade(cf.BRUNER,FrederickDale.TeologiadoEspíritoSanto.São
Paulo:CulturaCristã,2012,p.32).
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.31
molduradopragmatismo,a“crençadequeosignificadodeumadoutrinaéidênticoaosefeitos
práticosqueresultamdesuaadoção”.227Deacordocomestaperspectiva,“quasetodasas
crençaspoderãoserrespeitáveis,eatémesmoverdadeiras,desdequefuncionem”.228
Ademais,podemosassumirinadvertidamenteumparadigmatecnocrático,afalsanoçãode
quesantidadeebomdesempenhoevangelísticopodemserefetivadospormeiodetécnicas.
Schwarzsugereacertadamentequeadmitiresta“tecnocraciadeedificaçãodaigreja”equivalea
tentar“empurrar”e“puxar”um“carrocomasnossasforças”.229
Anovaênfasenatécnicaéesboçadaemumapalestraproferidaem1959porLloydJones. Falandodamudançanaigrejaelediz:
230
Agorachegamosaochocantefatodequehouveumamudançanaperspectivadaspessoassobre
todaestamatéria,depoisdecercade1860ou1870.Pareceexistirumaespéciedelinha
divisórianaquelaconjunturahistórica.[...]Antesde1860eraumacoisainstintivapensarem
avivamento.Sehaviaumperíododearidezespiritual,seascoisasnãoiambemnaigreja,a
primeiracoisaemquepensareraesta—“Nãodeveríamosterumperíododeconfissão,
humilhaçãoeoraçãoaDeusparaquenosvisitedenovo?”Faziamissoquaseinstintivamente.No
entanto,nósnãofazemosisso.Porquê?Qualaexplicaçãodestamudançaquepareceter
penetradonopensamentodaigreja?231
NaspalavrasdeMichaelHorton,“acreditoque,nanossapaixãoporrelevância,estamos
subordinandoasestratégiasqueCristoprometeuabençoaraosnossosplanosdeação”.232
Recapitulando,aigrejaassumiupadrõesnãobíblicosemsuapráticadeevangelizaçãoe
discipulado,nostemposdeGregórioMagno.NaReformaProtestanteeseusdesenvolvimentos
posteriores,aigrejaretomoucrençasepráticasbíblicas.Nosúltimosséculossurgiram
postuladosque,vistospelocrivodomandatodiscipuladordeJesus,exigemexamecauteloso.
NopróximocapítuloretornaremosàsperguntasdeLloyd-Jonesetentaremos
compreenderalgunseventos,personagenseforçasqueinfluenciaramaigrejaaafastar-sedo
discipuladovivoesimples.
227BLACKBURN,Simon.DicionárioOxforddeFilosofia.RiodeJaneiro:JorgeZaharEditora,1997,p.307.
228BLACKBURN,op.cit.,loc.cit.Grifonosso.
229SCHWARZ,ChristianA.ODesenvolvimentoNaturaldaIgrejas:GuiaPráticoParaCristãoseIgrejasQueSe
DecepcionaramComReceitasMirabolantesdeCrescimento.Curitiba:EditoraEvangélicaEsperança,1996,p.6-7.
Infelizmenteeleterminaassumindooparadigmatecnocráticoaoinformarquesuapropostade“desenvolvimento
naturaldaigreja”exigeousodeumsoftwareproprietário,produzidoporsuaequipedeespecialistasepesquisadores.
Cf.SCHWARZ,ChristianA.;SCHALK,Christoph.APráticadoDesenvolvimentoNaturaldaIgreja.Curitiba:Editora
EvangélicaEsperança,1998,p.15-17.
230LLOYD-JONES,D.M.OsPuritanos:SuasOrigenseSeusSucessores.SãoPaulo:PublicaçõesEvangélicasSelecionadas,
1993a,p.15-36.
231LLOYD-JONES,1993a,p.18-19.
232HORTON,op.cit.,p.19.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.32
3Asmudançasnodiscipulado
Porqueos“primeirossons”dodiscipuladoforamalterados?Oobjetivodesteestudoésugerir
algumasrespostasaestapergunta.Noesboçoanteriorlemossobreoimpactoabençoadordo
GrandeDespertamentodo18ºséculo.Retornaremosrapidamenteàquelemomentodahistória.
Aquipedimossuapaciência,queridoleitor.Inicialmentepareceráqueissotempoucoavercom
odiscipulado.Nossaconvicção,porém,équeéimpossívelentenderasmudançasentreo
discipuladodeJesuseaspropostasatuaisdediscipuladosemestabreveretrospectiva.Sendo
assim,prossigamos.
3.1 Sementesdamudança
OGrandeDespertamentodáorigemaumanovaterminologia.Atéaquelepontooscristãosse
identificavamcombaseemsuasdenominações:Luteranos,reformados,anglicanos,batistas,ou,
demodomaisgeral,protestantes,emcontraposiçãoaoscatólicospapistas.Oavivamentodo
século18lançaasraízesdo“movimentoevangélico”.
Eisasprincipaiscaracterísticasdoevangelicalismo:
Estemovimentoadotavaoestilodepregaçãoreavivalistaepunhaênfasenaconversãopessoal
(o“novonascimento”).Porsermovimentoderenovaçãodentrodaigreja,suametanãoera
tantoconverterosnão-crentesquantoestimularafésubjetivanasverdadesdoevangelho.
OprotestantismoclássicoqueseoriginounaReformadefiniuavidacristãemtermosde
participaçãonaadoraçãoenaliturgiacorporativadaigreja.Estaexpressavasuaautoridadepor
meiodeconfissõesecredosmantidospelaautoridadedoofícioclerical.Masomovimento
reavivalistapôsdeladograndepartedisso.EledestacavaoacessodiretodoindivíduoaDeus
independentementedaigreja;definiaavidacristãemtermosdedevoçãoesantidadeindividual.
Aretóricareavivalistatendiaaterumcaráterantiautoritárioeantitradicionalista,denunciando
aliturgiaeascerimônias.233
Umhistoriadorafirmaque“todoprotestantequeenfatizaosaspectossubjetivoseéticos
doCristianismo,emvezderessaltarsuascaracterísticasoficiaiseeclesiásticas,éevangélico”.234
ApesquisadoraNancyPearceyafirmaque“paraobemouparaomal,duranteumperíodode
maisdeduzentosanosdehistóriaamericana,oevangelicalismopopulistatriunfousobreas
igrejasconfessionais”.235IssonãoédiferentenoBrasil,nemnorestantedomundo.Osgrupos
cristãosquemaiscrescemexibemascaracterísticasdesseevangelicalismopopulista.236Uma
análisededadosdasdenominaçõesnorte-americanasentre1776e1850revelaqueosgrupos
queparticiparamdoprimeiroesegundograndesdespertamentosobtiverammaiorcrescimento
numérico.237Enquantoisso,asigrejasestabelecidasentraramnumprocessodedeclíniolento.238
OGrandeDespertamentodoséculo18,comtodasassuasboascontribuições,carregaas
sementesdeproblemasquesurgemnofuturo.Assimcomoumcorposaudávelcontémo
potencialdeenfermidades—porexemplo,umacélulaboaquepodesofrerumamutação—as
basesparaqualquerdeformação,nãoapenasnoquedizrespeitoaosavivamentos,masa
qualquereventooumovimentoinicialmentebom,estãonormalmentepresentesnaprópria
origemautêntica.
Analisemos,e.g.,apregaçãodeGeorgeWhitefield.
233PEARCEY,Nancy.VerdadeAbsoluta.RiodeJaneiro:CasaPublicadoradasAssembleiasdeDeus,2006,p.285.Quantoao
estilodepregação,osermãoreavivalistaera,alémdeemotivo,“simpleseinformal”(op.cit.,p.295).
234HART,D.G.ThatOld-TimeReligionInModernAmerica:EvangelicalProtestantismIn:TheTwentiethCentury.
Chicago:IvanR.Dee,2002,p.9,apudPEARCEY,op.cit.,loc.cit.
235Ibid.,p.286.
236JENKINS,Philip.TheNextChristendom:theComingofGlobalChristianity.Oxford:OxfordUniversityPress,2002,
passim,apudPEARCEY,op.cit.,loc.cit.
237Ibid.,p.289.
238Ibid.,p.295.Essaanálisedarealidadenorte-americanaéparcialmenteaplicávelàsigrejasbrasileiras.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.33
Tendosidoatorquandocriança,Whitefieldsempreteveumaquedapelotalentodramático,que
agoraempregavaemsuapaixãodeconstruiroReinodeDeus.Certobiógrafoatéintitulaseu
livrodeTheDivineDramatist(ODramaturgoDivino),edizqueWhitefieldabriuocaminhoaum
novoestilodepregação:“Oator-pregadoremoposiçãoaoestudioso-pregador”.Elelevantavaos
braços,batiaospéscomforça,representavaashistóriasbíblicasechoravaemvozalta.[...]
Foramosreavivalistasqueabriramcaminhoàpregaçãoimprovisada,objetivandoevocaruma
respostaemocionalemudançanoscorações.239
Ouseja,atéWhitefield,opregadoréumestudantedaPalavradeDeus.Apartirdele,obom
pregadorpassaaserooradorquecativaasmultidões.
Umsegundoaspectoaserconsideradoéarelaçãoentrerazãoefé.
Osoponentesdodespertamentotratavamavidacristãcomocrescimentogradualnafée
santidade.Denominavamestemétodo“alimentaçãocristã”,ocasionadapelaparticipaçãonos
rituaiseensinosdaigreja.Segundoinsistiam,eraumcrescimentototalmenteracionalno
conhecimento.
[...]Osreavivalistasnãobuscavamconverteraspessoasaocristianismotantoquantoaoqueeles
chamavamde“religiãoexperimental”—aideiadequeaverdadereligiosanãodevesercrida,
mastambémexperimentada.[...]
[...]Poderíamosdizerqueoprotestantismoestavasendodivididoemdoispavimentos:Os
reavivalistaspromovendoasconversõesemocionais[...]eseusoponentesdefendendoareligião
racional.240
Resumindo,especialmente“dentrodasfronteirasnorte-americanas,oreavivamento
tambémdesviouaatençãodeDeusesuagraçaparaaexperiênciainterior,olivre-arbítrioea
açãomoraldoserhumano”.241Taissementessãofertilizadasnoséculoseguinte.
3.2 OlegadodeFinney
OSegundoGrandeDespertamentoocorreentre1825e1831(trêsanosantesdonascimentode
Spurgeon),etemcomopersonagemdestacadaopastorcongregacionalCharlesG.Finney(17921875).Estemovimentoproduzumimpactoprofundoedelongoprazonoevangelicalismo.Ele
seassemelhaaodespertamentoanterior,masasdiferençassãonotórias(tabela01).
GrandeDespertamento—Século18
SegundoGrandeDespertamento
—Século19
ÊnfasenasoberaniadeDeus.
Avivamentocomoatosoberanodivino.
Deusvisitaseupovoquandoecomoquer.
Ênfasenacapacidadedeescolhahumana.
Avivamentocomoresultadodemétodos.Ousode
procedimentosadequadosproduzoavivamento.
Pregaçãodoutrinária,aindaqueemocional.
Pregaçãocomoformadelevar
oouvinteatomarumadecisão.
Tabela01.Diferençasentreosavivamentosdosséculos18e19. 242
EnquantoWesley(parcialmente)eespecialmenteWhitefieldeEdwardssãocuidadososna
pregaçãobíblica,FinneylançaporterramuitosdosensinosdaEscritura.Ademais,surgeuma
novaênfaseem“métodosaferidoresefacilitadoresdaconversão”.
ParaFinney[...]onovonascimentonãoéumaregeneraçãointeriordocoração,mas
simplesmenteuma[...]escolha.Emoutraspalavras,opecadorregenera-seasimesmo,sendo
queapalavradeDeusmostra-lhecomofazerisso.Opecadorconverte-seasimesmo,maso
EspíritoSantoopersuadeafazê-lo.Suascampanhasdeevangelizaçãoedereavivamentotinham
umpropósito:LevarospecadoresafazerumaescolhaimediatadeseguiraCristo.Comisso,
Finneyintroduziunovosmétodosnoscultos,comoo“bancodemisericórdia”;apráticadefazer
apeloseconvidarpessoas“parairemàfrente”,nofinaldamensagem;alémdepráticasque
provocassemumestadoemocionalpropícioaopecadorparaescolheraDeus,oqueincluía
239Ibid.,p.297.
240Ibid.,p.299,300,301.Grifosnossos.
241HORTON,op.cit.,p.12.
242AdaptadodeFERREIRA;MYATT,op.cit.,p.849.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.34
apelosdramáticosedenúnciasterríveisdopecadoedojuízo[...].Mas,comoLloyd-Jonesnota,
“umdoserroscardeaisdeFinneyfoiconfundircampanhaevangelísticacomavivamento”.243
Lloyd-Jonesentendequeaigrejadeixoudeladoabuscaporumavivamentobíblicoe
pertinenteaodiscipulado,dentreoutrascoisas,devidoaoocasodateologiareformadae
influênciadeCharlesFinney.
Qualaexplicaçãodestamudançaquepareceterpenetradonopensamentodaigreja?
Oprimeiro:Foradetodadúvida,éodeclíniodateologiareformada.Todoomovimento
modernistaquecomeçounadécadadequarentadoséculopassado,ganhougrandeímpetona
décadadesessenta.Cresceucomalarmantevelocidade,eparticularmenteateologiareformada
foipratrás.[...]Amudançadeu-secommuitarapidez,eosqueconhecemavidadeCharles
HaddonSpurgeonsabemcomoelenãosomenteviuofato,porémquãoprofundamenteosentiu
elamentou.
Osegundo:HaviaainfluênciadosescritosdeCharlesG.Finney.[...]Todaaperspectivade
Finneypareceter-setornadoumfatordeterminantedaperspectivadaigreja.Issolevouàideia
doquehojedenominamos“campanhasevangelísticas”.[...]Aspessoasagora,emvezde
pensaremembuscaraDeuseorarporavivamentoquandoveemqueaigrejadesfalece,
resolvemantesencarregarumacomissãodeorganizarumacampanhaevangelística,ede
elaborarumplanoeumprogramadepropagandapara“lançar”acampanha,comodizem.Todaa
perspectivaementalidademudou.244
Aindaque,nocurtoprazo,pareçaqueFinneyconquistemultidões,oresultadodesuaobra
nomédioelongoprazosétrágico.
Comoresultadodessascampanhas,aféevangélicavirtualmentedesapareceudaregiãoocidental
deNovaYork,jáduranteavidadeFinney.AmaiorpartedavastaregiãodaNovaInglaterra,
aondeeleconduziuascampanhasdereavivamento,caiuempermanentefriezaespiritual
durantesuavidae,maisdecemanosdepois,asituaçãoaindanãomudou.Issoocorreupor
influênciadiretadotipodepregaçãopromovidaporFinney.AregiãoocidentaldeNovaYork
tornou-seconhecidacomo“odistritodestruídopelofogo”.245
UmcompanheirodeFinney,AsaMahan,testemunhaoseguinte:
Aspessoasforamdeixadascomoumcarvãoapagadoquenãopoderiaserreaceso.[...]Mesmo
depoisdeumageraçãoterpassado,essascriançasqueimadasnãotinhamgostopelofogo.246
OqueCharlesFinneydeixaparaasfuturasgerações?Eisumresumo:
Seussucessorestêmperpetuadoestesmétodosemantidoascaracterísticasdofundador:O
apelopordecisõesimediatas,baseadasnavontadehumana;oestímulodasemoçõescomoalvo
doculto;odesprezopeladoutrina;eaênfasequesedánapregaçãoasefazerumaescolha,em
vezdaênfaseàsgrandesdoutrinasdagraça.Asigrejasevangélicasdehoje,influenciadaspela
teologiaepelosmétodosdeFinney,[...]têmadotadotáticasepráticasemqueaspessoassão
vistascomoclientes,equepromovemamentalidadeconsumistanasigrejasevangélicas.247
OGrandeDespertamentodoséculo18,bíblicoepertinente,abreespaçoparaoSegundo
GrandeDespertamento.Neste,nãoapenasassementesdoavivamentodoséculoanteriorsão
regadas,mas,adicionam-seelementoscadavezmaisestranhosàsSagradasEscrituras.Aoinvés
decontribuirparaodiscipuladointegral,eleenfatizaaexperiênciaemdetrimentodo
conhecimentodaBíbliae,nessestermos,denigreomodo(“ensinando-os”)edescartaoconteúdo
dodiscipulado(“todasascoisasquevostenhoordenado”).248Sãomisturadossemipelagianismo,
243FERREIRA;MYATT,op.cit.,p.849-850.Grifosnossos.
244LLOYD-JONES,1993a,p.19.Grifosnossos.
245Ibid.,p.850.Grifosnossos.
246WARFIELD,B.B.StudiesInPerfeccionism.Oxford:1932,v.2,p.26-28,apudibid.,loc.cit.Grifosnossos.
247LOPES,AugustusNicodemus.AdoradoresouConsumidores?OOutroLadodaHerançadeCharlesFinney,p.26-27,
apudFERREIRA;MYATT,ibid.,loc.cit.
248PEARCEY,op.cit.,p.285-286.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.35
pragmatismoeiluminismo,etudoissoéapresentadoporCharlesG.Finneycomosendo
“estratégiaevangelísticacristã”.249
3.3 O“discipulado”deFitafuso
OdiscipuladovivoesimplessofreporcausadasmaldosasinvestidasdeSatanás.Emmaisuma
desuasinstigantesobrasdeficção,C.S.LewisrelataainstruçãodeFitafuso,um“diabo”
experiente,aVermebile,seusobrinhoe“diabo”aprendiz.
Overdadeiroproblemadessaspessoascomquemoseupacienteestáconvivendoéqueelassão
simplesmenteCristãs.Todaspossuemseusinteressesparticulares,éclaro,masolaçoqueasune
continuaaserocristianismo.Oquenósdesejamos,senãohouvermesmojeitoeoshomens
tiveremdetornar-seCristãos,émantê-losnumestadodeespíritoqueeuchamode
“Cristianismoealgumaoutracoisa”.Vocêsabe—CristianismoeaCrise,CristianismoeaNova
Psicologia,CristianismoeaNovaOrdem,CristianismoeaCuraPelaFé,CristianismoePesquisa
Psíquica,CristianismoeVegetarianismo,CristianismoeReformaOrtográfica.Senãohouver
saídaeelessetornaremCristãos,deixe-osaomenosseremCristãoscomumdiferencial.
SubstituaaféemsiporalgumaModacomcoloridoCristão.Façacomquetenhamhorrorda
MesmaCoisadeSempre.250
Consideraros“primeirossons”arcaicos.Deixarasimplicidadeepartirparaelaborações
desnecessariamentecomplexas.CoisadegenteconfundidaporFitafuso.
Antesbastavadizer“eusoucristão”ouestaéa“igreja”.“Cristão”e“igreja”possuíam
significadosquantoaodiscipulado.Dizer-se“cristão”equivaliaaafirmar“eusouuma
testemunhadeCristo;eusouumdiscipulador”.Simplesassim.OsseguidoresdeJesussão
chamados“cristãos”,pelaprimeiravez,emumcontextodetestemunho.Crentes“espalhados”
pelaperseguiçãoanunciamoevangelhoaosgentios;muitosseconvertemaoSenhoreprimeiro
Barnabé,depoisSaulo,sãoenviadosparapastoreá-losnacidadedeAntioquia;entãoaspessoas
começamacomentar:“Eisoscristãos!”(cf.At11.19-26).Estescumpremomandatodiscipulador
deCristo.Semelhantemente,quandosefalavaem“igreja”dizia-seapenas“estaéumaigreja”ou,
quandomuito,“estaéumaigrejacristã”.
Hojenãoémaisassim.Nãopodemosmaisdizer“cristão”,esim,“cristãodiscipulador”ou,
usandootermodamoda,“cristãomissional”porqueimagina-se,despropositadamente,queseja
biblicamentepossívelsercristãosemserevangelistaoudiscipulador(umproblemadecorrente
dadoutrinado“crentecarnal”,subordinadaàTeologiasemipelagianadeFinney).
Amesmacoisaquantoàigreja.Biblicamente,“igreja”éusadaporJesusparadescrever
umaestruturaque,centradanagloriosadeclaraçãodoseusenhorio,pressionaederrubaas
portasinfernais(Mt16.18).Inevitavelmente“igreja”é,noNT,uma“comunidadediscipuladora”,
oajuntamentodaquelesqueseguemaCristo,ouseja,obedecemaosseusmandatos(Jo14.21;
1Jo5.1-5).Mashojetemosdedizer“igrejamissionária”ou“igrejadiscipuladora”(procurepor
estesadjetivosnaBíblia;elesnãoestãolá),porqueassumimosquesejapossívelauma
agremiaçãodereligiososser“igreja”semsertestemunhaobedienteaomandatodiscipuladorde
Jesus.Tudoissoevidenciaumadeficiênciateológicagrave.
Lewisatribuio“horrordaMesmaCoisadeSempre”àsartimanhasdiabólicas(de
Fitafuso).Algunspesquisadoresqueanalisamasconsequênciasdascrençasepráticas
assumidaspelaigrejaapartirdo19ºséculo,atribuemoapreçopormodismosaFinney.251Jesus
249Alémdograndeavivamentodoséculo18podemoscitaroutros:“Oavivamentoespiritualportodaaterrana
décadade1850enovamentede1900;eosmovimentosposteriorescomooreavivamentodaÁfricaoriental,que
começouem1930eaindacontinua”(PACKER,op.cit.,p.240.Aquideveserincluídooavivamentode1859naIrlanda,
EstadosUnidos,PaísdeGaleseInglaterra,tãoapreciadoporLLOYD-JONES,D.Martin.Avivamento.2.ed.SãoPaulo:
PublicaçõesevangélicasSelecionadas,1993b,passim).ÉpossívelmencionaraindaoavivamentonaCoreia,quelançou
asbasesparaoestupendocrescimentodaCoreiadoSul(CF.BLAIR,William;HUNT,Bruce.OPentecosteCoreano.São
Paulo:CulturaCristã,1998,passim).Todosesses,diferentementedomovimentoinfluenciadoporFinney,sãobíblicos
eabençoadores.Graçasataisintervençõesdivinas,aigrejafoisustentadaerevitalizada.
250LEWIS,C.S.CartasDeUmDiaboaSeuAprendiz.SãoPaulo:MartinsFontes,2009,p.126-127.Osgrifosdasúltimas
duaslinhasdacitaçãosãonossos.
251SOUSA,JadielMartins.CharlesFinneyeaSecularizaçãodaIgreja.SãoPaulo:EdiçõesParakletos,2002.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.36
faladestainsatisfaçãoperturbadoraemMateus11.16-19.Ofatoéque,especialmenteapartirde
Finney,ocorreumasecularizaçãodamentalidadeemodusoperandidodiscipulado.Eseissonão
fossesuficiente,eisquesurgeumapropostaestranhadediscipuladodescoladodaigreja.
3.4 O“discipulado”instantâneo
Naseção2.7afirmamosqueum“modernomovimentododiscipulado”,iniciadonasegunda
metadedoséculopassado,enfatizaodiscipuladocomo“métodoparaamultiplicaçãode
discípulos”.Talmododeenxergaraigreja—comofenômenoaserestudadoegeridopormeio
deinstrumentosantropológicos,sociológicoseadministrativos—encontra-seexplicitadoou
nasentrelinhasdoslivrospublicadosentre1980e2000,escritosporautoresentusiastasdo
MovimentodeCrescimentodeIgrejas,ligadosaDonaldMcGavraneoFullerTheological
Seminary.252Eprosseguenasigrejasmultiministeriais,253nasigrejasemcélulas,nomovimento
neoapostólicoe,noscírculosmaistradicionais,emalgunsdebatessobreplantaçãoe
revitalizaçãodeigrejas.254
Observemosatendência:Somostentadosacrerqueaigreja“cresce”meramentepelouso
deartifícioshumanos.255Odiscipuladoégradativamentedistanciadodapropostasimplesde
JesusCristo,tornando-sedependentedaengenhosidadeeargúciado“presenteséculo”.Umavez
queodiscipuladobíblicoexige,dentreoutrascoisas,aaplicaçãodeRomanos12.1-2256soba
convicçãodequesóDeusconverteesantifica(Jr31.18;Jo8.34-36;15.1-5;Gl5.17-26),a
propostade“discipulado”atualdeveserentendidacomoumaafrontaaoverdadeiro
discipulado.
Intimidade,relacionamentotransformador;caráterforjadopelaobediênciaesofrimento;
frutoproduzidoemmédioelongoprazos;plantioeregapacientes;esperadependentedeDeus,
àvezestranquilaeoutrasvezesangustiada—tudoissovaisendorelido,alteradooudescartado.
Taiscoisassãosutilmentesubstituídasporumapropostadiferente.SeemtrêsanosCristo
formoudozediscípulos,hojedeseja-senomesmotempoestabelecerumaigreja.Eachavesão
“métodosdediscipulado”querevelam-semaiscomoestratégiasdeagregaçãodoquecomo
discipuladobíblico.257
Nãoháerronoanseiopormultiplicação.Comovimos,ospaisreformadosinsistiamque
devemosorar,choraretrabalharparaquevidassejamalcançadaspeloevangelho.Oproblema
estánaideiademultiplicaçãorápida.Éimpossívelformatarcaráteremumasemanaouumano.
Paradesenvolveralgumascoisasnocaráterdesuasfilhas,oautordesteestudotevedesemear
pormaisdeduasdécadas.Énormalquesejaassim.Noentanto,oparadigmavigentede
discipuladoéodeformaçãoinstantânea.
Notemoscomoissoseassemelhaaomundodosnegócios.
Imaginemosumeventoparacapacitaçãodeumaequipedetrabalho.Reserva-seum
centrodeconvenções,afimdeapresentaracampanhadaempresaparaopróximotrimestre.Na
ocasiãoseráconhecidooprodutomatadordaconcorrência,onovíssimoiClone9.Inicia-seo
eventocomumvídeomotivador,seguidodeumaapresentaçãomuitíssimobemelaboradae
ensaiada.Umcomunicadordescoladoedebarbarala,especialistaemneurolinguística,
utilizandoaltatecnologia,fazaplateiarirechorar.Depoisrealizam-sedinâmicasdegrupo.Os
participantessãovendadoseentramemumasalaestourandobalões.Terminadaamanhãtodos
252Cf.MACGAVRAN,Donald.CompreendendooCrescimentodaIgreja.SãoPaulo:SEPAL,2001;WAGNER,Peter.
EstratégiasParaoCrescimentodaIgreja.SãoPaulo:SEPAL,1991;MIRANDA,JuanCarlos.ManualdeCrescimentoda
Igreja.Reimp.1991.SãoPaulo:VidaNova,1989;TIPPETT,AlanR.APalavradeDeuseoCrescimentodaIgreja:Base
BíblicadoPontodeVistadoCrescimentodaIgreja.SãoPaulo:VidaNova,1983(umbomlivreto,masquecarreganas
tintasespecialmenteemseu3ºcapítulo);GERBER,Vergil.SuaIgrejaPrecisaCrescer.4.ed.SãoPaulo:VidaNova,1983.
253WARREN,Rick.UmaIgrejaComPropósitos.2.ed.rev.eatual.SãoPaulo:EditoraVida,2008.
254Cf.aexcelenteleiturasugeridaporWELLS,DavidF.CoragemParaSerProtestante.SãoPaulo:CulturaCristã,2010.
255Outroexemplo:BARNA,George:OMarketingnaIgreja:OQueNuncaLheDisseramSobreoCrescimentodaIgreja.
RiodeJaneiro:JUERP,1993.
256Opresenteaiōn,“século”ou“mundo”érejeitado.Calvinoidentificaotermocom“ocarátereacondutadoser
humano”.Cf.CALVINO,João.ComentárioàSagradaEscritura:Romanos.2.ed.SãoPaulo:Parakletos,2001,p.436.
257DRISCOLL,Mark.ConfissõesdeUmPastordaReformissão:DurasLiçõesdeUmaIgrejaEmergenteMissional.Niterói:
TempodaColheita,2009.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.37
almoçamsalmãogrelhadoeconhecemasmetasdevendas—eoquantoganharãoseas
atingirem.ApessoamaisanimadaépremiadaalimesmocomumacanetaMontblanc.
Finalmente,todosdãoasmãosefechamosolhosaosomdeumamúsicaNewAge,ouvindo
frasesdeautoajuda.Então,aindademãosdadas,agoraelevadas,elesesbravejamo“gritode
guerra”daempresa.Nasegunda-feiraseguinteoclimadoescritórioestáeletrizado;todos
demonstramelevadamotivação;“aequipe”,dizem,“foitransformada”.
Formaçãoinstantânea.“Transformação”emumfimdesemana.Algosemelhanteacontece
comodiscipulado.ComosugereHorton:
Asecularização—ouseja,agradativaconformidadedosnossospensamentos,crenças,
compromissosepráticascomoesquemadestaeraqueestáchegandoaofim—nãoéapenas
algoqueacontececomaigreja;éalgoqueacontecenaigreja.[...]
Nasuacobiçaporrelevânciacultural,oprotestantismodacorrenteprincipaldissipousua
herança.[...]Seasprincipaiscorporaçõesvenderamoseudireitodeprimogenituraàalta
cultura,nãoestarãoosevangélicoscorrendooriscodevenderemoseuàculturapopular?.258
3.5 O“discipulado”delinhadeprodução
Acrescente-seaissoaideiadodiscipuladodelinhadeprodução.Talpropostaatraipor
estabelecerumcurrículo(cf.seção1.4),maserraaoconfigurá-locomoumaesteiraindustrial.
Pensemosnisso.QuemvisitaaigrejapelaprimeiravezérotuladocomoAlfaZeroedeve,
forçosamente,frequentara“ClasseZeroUm”.Feitoisto,elesetornaumaBetaUm,encaminhado
à“ClasseZeroDois”.Devidamentecapacitado,eleéintituladoGamaDois”,alunoda“ClasseZero
Três”.Finalmente,comoDeltaTrês,eleintegraa“ClasseZeroQuatro”,eéincumbidode
conduziroutraspessoasdesdeoprimeiroestágio(figura03).
Figura03.Odiscipuladodelinhadeprodução.
UmexemplodestetipodepropostapodeserconferidoemUmaIgrejaComPropósitos,de
RickWarren259econtémpelomenosquatrocoisasmuitopositivas:
258HORTON,op.cit.,p.13.Grifodoautor.
259WARREN,op.cit.,p.117.OsdiagramasdeWarrenforampublicadosprimeiramente“narevistaDiscipler
[Discipulador],em1977.Desdeentão,foramadotadospormilharesdeigrejasereimpressosemmuitoslivros”(op.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.38
1. Desdeoinícioocrenteéconscientizadodequeavidacristãnãoéestáticaeenvolve
capacitaçãoparaaproduçãodefrutos(Jo15.16;Cl1.10).
2. Háumaprogressãonaformação;apessoapodedizerobjetivamente(aoinvésde
basear-seemsentimentos)quepassoudaetapa“a”paraaetapa“b”(2Pe3.18).
3. Háaumentogradativoderesponsabilização(quantomaisoindivíduoécapacitado,
maisincumbênciaselerecebe;Tg3.1).
4. Preconiza-seainteraçãocomoutraspessoas,afimdereplicaroprocesso(Lc14.2124;24.45-49).
Nemtudo,porém,sãoflores.TalperspectivanãocorrespondeaodiscipuladodeJesus,por
algumasrazões.Primeiro,comovimos,pelautopiadareproduçãorápida.
Segundo,corre-seoriscodeformatarseguidoresdeuma“visão”,aoinvésdeseguidores
deJesus.Abraçaruma“visãoministerial”nãoequivale,necessariamente,aconhecerJesuse
praticaroqueele“ordenou”.Ademais,pessoassão“usadas”paraoalcancedavisão,quandoo
corretoéqueumavisãosejaútilparaalcançarpessoas.
Terceiro,oindivíduoétratadocomouma“peça”emumaesteira,manuseadaatétornar-se
“produtofinal”.Maisumavez,operigoécriarautômatossujeitosaocontroledeumlíderou
instituição,emlugardediscípulosdeCristobiblicamenteinteligentesemoral-espiritualmente
responsáveis.
Quarto,épossível,comamelhordasintenções,exigirdoscristãosasujeiçãoa
“programas”quenãosãoordenadosbiblicamente.Oalinhamentodeumaequipe—nocaso,
todaaigrejasubmissaaumprograma,eliminando-setodadissonância—aumentaa
produtividade(esteéumparadigmadaAdministraçãoEstratégica).260Ditodeoutromodo,
igrejasqueeliminamdissonânciaseexecutamobedienteesistematicamenteumprograma
produzemresultadorápido.Opontoé:“Estedesenvolvimentoébaseadoemumaordenança
claradaPalavradeDeus?”
Emquintolugar,neste“discipulado”moderno,háoriscodotratoimpessoaleda
despersonalização.JesusCristo,aocontrário,interagecompessoasutilizandoabordagens
distintas.EleapresentaumdiscursosofisticadoaoTeólogoNicodemos(Jo3.1-21).Faladeágua
aumamulherjuntoaumpoço(Jo4.1-30).Curaumcegoemduasetapas,aplicandosalivaem
seusolhos(Mc8.22-26).Outrocegoécuradoinstantaneamente(Lc18.35-43).Aunseletratae
falacomdureza;aoutros,comgentileza(Jo2.13-22;8.10-11;).Quemdiscipulasabeque
indivíduosaprendemdemodoseemritmosdiferentes.Aabordagemdediscipuladoapenas
programática,nestecaso,podefuncionarcomorolocompressorsobreasingularidadee
consciênciaindividual(cf.seção2.2.3).
Emsextoeúltimolugar,estemodelopodeincitarumaprendizadomeramenteformalem
doissentidos.Quantoaocontexto,entende-sequediscipuladoéumaaulaministradaemuma
saladaigreja.Quantoaoresultado,oindivíduo“passa”pordeterminadaclasseapenaspara
“cumpriraformalidade”exigidapelaliderançadaigreja.Paraserdiáconoéprecisocursara
“ClasseZeroTrês”.OobjetivonãoémaisaprenderepraticaroensinodeJesus.Ocandidatoao
diaconatosubmete-seàclassesóparaobterum“Certificado”.Talmedida,aindaquezelosae,
quemsabe,bem-intencionada,distancia-sedodiscipuladodoNT.
Observe-sequeosperigossãomencionadoscomopossibilidades.Seoleitorparticipade
umaigrejaemqueodiscipuladosecularizadoetecnocráticoéimplementadomantendo-se
fidelidadeaomandatodeJesus,desconsidereosparágrafosacima.
cit.,loc.cit.).Acercadestelivro,eisoqueafirmaAryVelloso:“DepoisdeAtos,aquiestáomelhor,maispráticoeomais
ricoensinosobreocrescimentodaigreja”(ibid.,capa).Grifosnossos.
260BossidyeCharanchamamissode“sincronização”(cf.BOSSIDY,Larry;CHARAN,Ram.Execução:ADisciplinaPara
AtingirResultados.12.ed.SãoPaulo:EditoraCampus,2005,p.214-222).Estaeliminaçãodadissonânciaconstana
pautadeplanejamentoecontroledagestãoestratégica(MINTZBERG,Henry.CriandoOrganizaçõesEficazes:
EstruturasemCincoConfigurações.2.ed.Reimp.2006.SãoPaulo:EditoraAtlas,2003,p.89-111).A“unidade”de
pensamentoeação,emumaorganizaçãosecular,éasseguradapormeiodeum“sistemaderecompensasepunições”
(TAVARES.MauroCalixta.GestãoEstratégica.2.ed.SãoPaulo:EditoraAtlas,2005,p.212-215).Grifosnossos.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.39
Oquesedesejaestabeleceraquiéqualquerproposiçãodediscipuladoinstantâneooude
linhadeproduçãocorreoriscodedesconsiderarquediscipuladoéoqueDeusfaz.EDeuslida
conoscopessoalmenteeportodaanossavida.MesmoquandodizemoscorretamentequeJesus
investiuemseusdiscípulosdurantetrêsanos,esteentendimentoémuitolimitado.Ofatoéque
Redentornuncasedesligadeseusdiscípulos(Mt28.20).Pelocontrário,seupropósitoéque
estesestejamparasemprecomele(Jo14.1-3).
Emsuma,discipuladonãoémeroprogramadevinculaçãorápida—“essaéminhaclasse
dediscipuladode2007”.Odiscipuladovivoesimplesunecoraçõesedestinos,nestavidaepor
todaaeternidade.
3.6 O“discipulado”descoladodaigreja
Surgeainda,nasfileirasdaigreja,paradepoistornar-separaleloàigreja(paraeclesiásticoou
intereclesiástico),um“movimentodediscipulado”bem-intencionado,mastímidaou
superficialmentebíblico.Emdeterminadasinstâncias,este“movimento”semetamorfoseiaem
algoàpartedaigreja,alardeandoqueoimportanteéligaraspessoasaJesusenãoàigreja
(quemsabeoleitorjátenhaouvidoalgosemelhante:“DevemoslevaraspessoasaCristoenãoà
igreja”).Resultado:Pessoasvinculam-seaumaestruturade“evangelismorelevante”ou
“movimentodediscipuladocontextualizado”,afastadasdacomunhãodeumaigrejalocal.Issoé,
nomínimo,lamentável.
Voltandoàseção1.2,Mateus28.18-20ordenaenãoapenassugerequeosnovos
discípulossejambatizadosemnomedaTrindade.Issoequivaleaassumir“compromissoformal”
comoSenhorecomumcorpodecrentesdedeterminadalocalidade(cf.At2.37-41).É
biblicamenteimpossíveldiscipularàpartedaigreja;“nãohámissãosemaigreja,enemigreja
semmissão”.261
Recapitulando,afirmamosinicialmentequeodiscipuladovivoesimplesfoiabandonado
(oudesfigurado)porcausadoflorescimentoefrutificaçãodeumasementedemudança
plantadanoGrandeDespertamentodo18ºséculo.Asituaçãopiorouapartirdoséculoseguinte,
comapopularizaçãodateologiaemétodosdeCharlesFinney.Desagradavelmenteesobaação
dosagentesdeSatanás(Fitafuso),aigrejapassouater“horrordamesmacoisa”eabriu-separa
maissofisticaçãoenovidades.Daíassumiuodiscipuladoinstantâneoedelinhadeprodução.Por
fim,estaigrejadesmioladagerouumfilhorebelde:Umdiscipuladoopostoàprópriaigreja.
Umavezentendidoisso,estamosprontosparapensarsobrealgunsobstáculose
oportunidadesatuaisdodiscipuladovivoesimples.
261HORTON,op.cit.,p.17.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.40
4Obstáculosepossibilidadesdodiscipulado
Seosominicialdodiscipuladovivoesimplesseperdeu,oquecabeanósrealizar?
Simplesmentelamentaraperda?Mergulharemsaudosismoparalisante?
Aconvicçãodesteautoréquecadacristãoéagentedaaliançaparaestageração.Todo
agentedaaliançaé,também,agentedemudança.EissoensejacolocarempráticaaféemDeus.
Osbonsexemplosdediscipulado—mencionadosnasseções2.2até2.6—confiaramemDeuse
foramusadosparaglóriadele,comobênçãosparasuasgerações.
Retomandoametáfora,oprimeirosomdodiscipuladopodeserrecuperado.Paraisso,
temosdeatentarparaalgunsobstáculoseoportunidadesatuaisdediscipulado.
4.1 Oobstáculododilemafalso
Odiscipuladovivoesimpleséatravancadoporesteobstáculo.Algunscristãossãoatualmente
confundidoseseduzidosporumfalsodilema,qualseja,dizemquetemosdeescolherentre
fervorevangelísticoouinteligênciateológica.
Issoacontecequandoexpõe-seacaricaturadoheróidamissãoquedesbravacampos,
ganhaalmasaosmontões,éhomemsimpleseagregador,masnãoestudanemensinadoutrina.
Sugere-seerroneamentequeteologiaéapenasparapastoresdegabineteequeumevangelista
nãoprecisalerlivros.Poroutrolado,divulga-sequeosqueseaplicamaoestudo,escreveme
realizamconferênciassãoimprópriosparaamissão.Falamatéquequemseocupacomboa
exegesenãoevangelizanemdiscipula.Eosqueouvemessespregadoresdeboateologiase
tornamcristãosmeramentecerebraisedesatentosàGrandeComissão.
Caricaturassãoproduzidasapartirdepessoaisreais.Defatoumaigrejapodecometero
errodesubstituirasimplicidadedodiscipuladodeJesusporumaideiadeigreja-seminário.Isso
podeiniciarquandoseassumeumbomcurrículoe,gradativamente,sãosugeridosacréscimos.
Reportando-nosàseção3.5,alguémpodeconsiderarinaceitávelqueumcrenteDeltaTrêsnão
saibaissoeaquilo.Ocurrículoaumentaesofistica-se.Aspessoaspassamaconfundiraigreja
localcomumaFaculdadedeTeologia.Assimcomonaacademiaosmestresmaisbrilhantes
tornam-secelebridades,oscrentescomentamunsaosoutrosoquantosãomaravilhosasasaulas
doprofessorTalecriamgruposdefãsnasredessociais.
Essaéumadisfunçãoséria.Ocorpode“crentes”deumaigreja-semináriopossuienorme
cabeça,pernasebraçosfinosepelesemqualquersinaldequeimaduradesol(obronzeado
típicodo“Semeador”),simplesmenteporque“estuda”muitoetrabalhapouco.Conhecesutilezas
filosóficaseteológicas,masnãoora,nãochoranemtrabalhaafimdelevarCristoaosperdidos.
Nãoébíblicoqueaigrejasejareduzidaa“saladeaula”ouinstânciademera“reflexão”,
desconsiderandoaaçãodiscipuladorasimples.Talambientenãopropiciaodiscipuladovivoe
simplespropugnadoporJesus.
Poroutrolado,éproblemagravequandoumaigrejatorna-serasaemsuadoutrina.Jesus,
omodeloperfeitodeevangelização,ensinaeordenaqueensinemos.Paulo,plantadordeigrejas,
éteólogodoutrinador.AigrejaemAtoscrescepormeiodepráticadomandatodiscipulador.
LucasdescreveotrabalhoevangelísticodePauloutilizandopalavrasqueindicamequilíbrio
perfeitoentreanúncioapaixonadoeinteligente.262Indiscutivelmente,evangelizaçãoe
discipuladoemAtoscorrespondemaconcatenareesclarecerdoutrina,eminteraçãopessoalque
alcançarazão,emoçãoevontade.
Evangelistaoudoutrinador?OmandatodiscipuladordeJesusexigeosdois.Odiscipulado
vivoesimplesestudaaBíbliaenãotemepronunciarapalavra“Teologia”.Afinaldecontas,
262E.g.,peithō,“convencerusandoargumentos”;“comover”;“influenciarporpalavrasoumotivos”(At17.4;18.4;19.8,
26;26.28);dialegomai,“arrazoar”,“discutir”ou“lutarcompalavras”(At17.3,17;18.4,19;19.8,9;20.7,9;24.12,25);
dianoigō,“expor”,“abrir”ou“explicar”(At17.3;cf.At16.14);paratithēmi,“demonstrar”ou“distribuir”(At17.3)e
ektithēmi,“expor”,“apresentar”,“declarar”ou“explicar”(At11.4;18.26;28.23).
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.41
trata-sedebuscaroentendimentocompartilhadode“todasascoisas”ensinadasporJesus,
ligandoteoriaeprática,reflexãoeação.
4.2 Oobstáculodaigreja-hospital
Outracoisaqueatrapalhaodiscipuladovivoesimpleséomauusodaanalogiadaigrejahospital.NoprimeiroepisódiodoseriadoTheWalkingDead,opolicialRickGrimesacordade
umcomaemumquartodehospitalepercebequeestáabsolutamentesozinho.Apóslivrar-se
dosfiosetubosqueoprendemeleconstata,chocado,queasdependênciasdohospitalesuas
cercaniasestãoatulhadasdecadáveres.Algomuitoerradoaconteceu;eleprecisasairdali,
imediatamente.263
Umhospitalcomdoentessendocuidadospormédicos,enfermeiros,assistentessociaise
voluntários.Issoénormal.Nãoháproblemaementendermosaigrejaassim,comolugarde
acolhimentoetratamentodedoentes.Umhospitalemqueninguémpodecuidardeninguém,
porquetodossãodoentes,éumaanomalia.Éerradocompreenderaigrejacomoumlocalonde
todosprecisamde“cura”aopontodeninguémpoderajudarninguém.Emigrejasqueseassume
absolutamentedoentes,ninguémevangelizaoudiscipula,porquetodosdeclaram-seinválidose
carentesde“atendimento”.
Aobuscarnawebafrase“aigrejaéumhospital”oautordesteestudorecebeu,em0,54
segundos,cercade7.150milresultados.UmdelescarregaafraseatribuídaaAbigailVanRuben:
“Umaigrejaéumhospitalparapecadores,nãoummuseuparasantos”.264
AnalisemosasversõesdaGrandeComissãonosEvangelhos(Mt28.18-20;Mc16.14-18;Lc
24.44-49;Jo20.19-23).Nenhumadelasfornecebaseparaaanalogiadaigreja-hospital.Umtexto
normalmenteassociadoaesteparadigmaéLucas5.32-32:“Ossãosnãoprecisamdemédico,e
simosdoentes.Nãovimchamarjustos,esimpecadores,aoarrependimento”(Lc5.31-32).Nesta
passagem,oRedentorrespondeaos“fariseuseoutrosescribas”quequestionamofatodos
discípuloscomeremebeberemcom“pecadores”(Lc5.29-30).Jesuschama“pecadoresao
arrependimento”.Osqueseconsideram“sãos”(osfariseuseescribascheiosdejustiçaprópria)
nãorecebemcura(perdãodepecadosemudançadevida).Apartirdisso,infere-se—
indevidamente—queaigrejaécompostadepecadoresnosentidodenelanãohaverninguém
saudável.Aigreja,dizem,éumajuntamentodedoentes.
Oautordestesestudosjálevantouabandeiradaigreja-hospital,denominando-a
comunidadeterapêutica.Depoisreconsiderousuaopinião,entendendoqueaanalogiaprejudica
muitomaisdoqueajuda.Umamontoadodedoentesemummesmolugar,todostãodoentesque
ninguémpodemedicarninguém,produz,nomáximo,umaepidemia.Estaproposiçãoda
assembleiadeadoradorescomoumajuntamentodemoribundoscorrespondeaumaversão
gospeldeTheWalkingDead.
Saint-Exupéry,oautorfamosodeOPequenoPríncipe(emumaobramenosconhecida),
descrevedemodorealistaumacondiçãosoturnadocoraçãohumano.
Houveumaalturadaminhamocidadeemquesentipiedadepelosmendigosepelassuas
úlceras.Atéchegavaaapalavrarcurandeiroseacomprarbálsamosporcausadeles.As
caravanastraziam-medeumailhalongínquaunguentosderivadosdoouro,quetêmavirtude
devoltaracomporapelesobreacarne.Procediassimatédescobrirqueelestinhamcomo
artigodeluxoaqueleinsuportávelfedor.Surpreendi-osacoçarearegarcomfezesaquelas
pústulas,comoquemestrumaumaterraparadelaextrairaflorcordepúrpura.Mostravam
orgulhosamenteunsaosoutrosasuapodridãoegabavam-sedasesmolasrecebidas.Aqueleque
maisganharacomparava-seasipróprioaosumosacerdotequeexpõeoídolomaisprendado.Se
consentiamemconsultaromeumédico,eranaesperançadequeocancrodeleso
surpreendessepelapestilênciaepelasproporções.Chegavamaempregaroscotospara
263THEWALKINGDEAD.ProduçãodeScottM.Gimple;RobertKirkman;GaleAnneHurd;DavidAlpert;TomLuse;
GregNicotero.Local:EstadosUnidos,2010,1ªtemporada,1ºepisódio,“DaysGoneBye”.
264AbigailVanRubenépseudônimodePaulineFriedman,radialistacristãestadunidense.Cf.BEM-DITO:FRASES
BEM-DITASDEPENSADORESCRISTÃOS.Disponívelem:<http://bem-dito.rede1news.com/uma-igreja-e-umhospital-para-pecadores-nao-um-museu-para-santos-abigail-van-ruben/>.Acessoem:14mai.2014.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.42
conquistarumlugarnomundo.Daítambémoaceitaremoscuidadoscomoumahomenageme
ofereceremosmembrosaabluçõesbajuladoras.Mas,apenasomalosdeixava,descobriam-se
semimportância.Jánadaalimentavamquefossedelespróprios,davam-seporinúteis.Oúnico
remédioeraressuscitardenovoessaúlceraqueviviaàcustadeles.E,umavezenvoltosdenovo
noseumal,gloriososevãos,pegavamnaescudelaetornavamaempreenderocaminhodas
caravanas.Voltavamaespoliarosviajantesemnomedosseussórdidosdeuses.265
Oquetemosaqui?Doentesqueinsistemempermanecerdoentes.Talvezvocêjátenha
vistoalgosemelhante.Líderesinfinitamenteabsorvidosnocuidadode“crentes”queinsistem
empermanecerenfermos.Arelaçãodeixadeserdediscipuladoeassume-seterapêutica.Nofim
dascontas,nãoocorrecapacitaçãoparaotestemunhoeserviço;ocrente“atendido”ésempre
um“paciente”enuncasetornaumdiscipulador.
UmdetalhedoditodeJesus(Lc5.29-32)éesquecido.ORedentoréomédicoquecurae
issotemrelaçãocom“arrependimento”(v.32).NacomissãodeLucasoscrentestestemunham
emnomedeJesus,pregando“arrependimentopararemissãodepecadosatodasasnações”(v.
47).Resumindo,hácuranoarrependimentoeacolhimentodoevangelho(cf.Mc1.15;Lc4.16-21).
Oscuradospeloevangelhosãofeitostestemunhasediscipuladores.
Poresteângulo,aigrejanãoémeramenteumacomunidadededoentes,masuma
comunidadedepessoastransformadaspeloevangelho—transformadasetransformadoras.
DiscipuladorasporqueodesfrutedoevangelhoatualizaaexperiênciadeDavi:“Eleéquem
perdoatodasastuasiniquidades;quemsaratodasastuasenfermidades;quemdacovaredimea
tuavidaetecoroadegraçaemisericórdia;quemfartadebensatuavelhice,desortequeatua
mocidadeserenovacomoadaáguia”(Sl103.3-5—grifonosso).
Líderesdiscipuladoresdevemajudaroscrentesacaminharporfé.Quandoestesúltimos
começamaassumir-secomo“doentes”acomodados,pordemaisabatidosparaapráticada
evangelizaçãoediscipulado,aquelesdevemmostrar-lhesque,emCristo,sãoeleseleitos,
redimidos,santos,sacerdotesetestemunhas,ouseja,resgatadosparacumpriremomandato
discipuladordeJesus(1Pe1.1-2;2.9-10).
4.3 Oobstáculodopecado
Oterceiroobstáculoaodiscipuladoéopecado.Paraevangelizarediscipularprecisamosde
perdãodospecados,comunhãocomDeusesantificação.Issoéassimporquenossaalma
encontra-sesobataquecontínuo.
Háumatempestadedentrodenós.[...]Umaqueimação.Umrio.Umpercurso.Umdesejo
implacáveldesecolocarnoextremo,maisdoquequalquerumpensariaserpossível.Forçandonosemcantosfrioseescuros.Ondeascoisasmásvivem.Ondeascoisasmáslutam.Queremos
essalutaemsuamaiorproporção.Umabrigaestrondosa.Amaisalta,fria,escuraedesagradável
luta.266
Jesussantificou-seemfavordeseusdiscípulos,paraqueelesfossem“santificadosna
verdade”(Jo17.19).Semelhantemente,nósprecisamosdesantificação.Emnossocasoháuma
diferença.Nossasantificaçãoéprecedidaporduasaçõesdivinas:PrimeiroDeusrepreende
Satanásqueagecomonossoacusador.Depoiselenospurificadenossopecado.Daí,purificados,
elenoschamaàobediênciadiária.
IssoédemonstradonaquartavisãodoprofetaZacarias(Zc3.1-10).Estavisãoretratao
sumosacerdoteJosuéprecisandodeajuda.EleretornoucomZorobabeldaBabilôniaerecebeua
incumbênciadeajudarareconstruiranaçãodeJudá(Ne7.5-7).OmodocomoEsdras3.2é
redigidodáaentenderqueeleesteveàfrentedaretomadadocultoentreosquevoltaramdo
exílio.Aexpressão“teuscompanheirosqueseassentamdiantedeti”(Zc3.8)podeindicarque
265SAINT-EXUPÉRY,Antoinede.Cidadela.3.ed.RiodeJaneiro:NovaFronteira,1982,p.7.
266LONESURVIVOR.ProduçãodePeterBerg;SarahAubrey;RandallEmmett;NortonHerrick;BarrySpikings;Akiva
Goldsman;MarkWahlberg;StephenLevinson;VitalyGrigoriants.Local:EstadosUnidos,2013,04:59.Baseadonaobra
deLUTTRELL,Marcus.LoneSurvivor:TheEyewitnessAccountofOperationRedwingandtheLostHeroesofSEALTeam
10.NewYork;Boston;London:Little,BrownandCompany,2007.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.43
ele,comosumosacerdote,sereuniacomosoutrossacerdoteseosconduzia.Nostermosatuais,
nãoseriadespropositadoidentificarmosJosuécomumcristãodiscipulador.Estavisãoapresenta,
portanto,umlíderespiritualsobataque.Maisdoqueisso,considerandooofíciodeJosué,cabe
afirmarqueDeusdemonstrainteressenobem-estarerestauraçãodeseusservos
discipuladores.
OtextoimpressionaaomostrarosacerdotediantedoAnjodoSENHORsofrendooposiçãode
Satanás.Oqueocorrepordetrásdahistória?Enquantolutamosnodia-a-dia,qualéanossa
posiçãoesituaçãodiantedeDeus?Aprofeciaresponde:EstamosdiantedeDeussofrendo
oposiçãodeSatanás.IssonãoénovidadenaBíblia.Trata-sedeumaatualizaçãodaexperiência
deJó(Jó1.6-12;2.1-7)eantecipaçãodoquadromostradoemApocalipse12.10.Precisamosnos
lembrardisso:OserviçonacasadeDeusprecisasercompletadoeestamossobataque.Somosalvo
deconspiração—ou,naspalavrasdePaulo,“maquinações”ou“ciladasdodiabo”(Ef6.11).
Diariamente.
ObservemosasaçõesdeDeus.AprimeiracoisaqueelefazérepreenderSatanás(v.2).O
Altíssimodefendeosquelhepertencem.Elefazissoporcausadeseuamorlivreesoberano
demonstradonodecretodaeleição.Deusmesmoafirmaque“escolheuaJerusalém”(v.2;cf.Zc
1.17;2.12).Ovocábulohebraicobahar,usadocomfrequênciapelosescritorespós-exílicos,
indicaque,adespeitodadisciplinadivina,oscrentespodemestarcertosdequeDeusnãoos
abandona.Estepovoaparentementeemfrangalhosedesvalorizadodiantedoshomenséeleito
deDeus.Outraideiarecorrenteéaderemanescente.Josuééumremanescente,um“tiçãotirado
dofogo”(v.2).Deusnãopermitequeseupovosejadestruído;elesemprepreservaalguns.Em
suma,avisãoconfirmaque,asseguradospelaeleição,somosdefendidospelotodo-poderoso.
Emseguida,DeuspurificaJosué.HáumarelaçãoentreaoposiçãodeSatanáseopecado
daqueleservodeDeus.Issoéindicadopelamençãodas“vestessujas”(Zc3.3)e“iniquidade”(Zc
3.4,9).Otermo‘āwôn(naBíbliaHebraica),traduzidopor“iniquidade”,querdizer“todaa
disposiçãopecaminosaqueproduzculpa”.Nãoapenasaação,masamotivaçãomáqueprecede
osatos.JesusfalousobreissoemMateus5.27-28.
Opecadocomprometeosacerdócioe,porconseguinte,odiscipulado.AobradeDeusdeve
serrealizadaemsantidade(Êx28.36-38).OpecadoofendeaDeuseexigeamortedoofensor.
PoressarazãoeramoferecidosossacrifíciosdoAT(Lv1.1—7.21).Aprópriacerimôniade
consagraçãodosacerdotedestacavaaimportânciadapurezanãoapenasritual,masespiritual
(Lv8.1-36).Osacerdócioexigepurificação.
JosuéémostradodiantedeDeuscomvestessujas(Zc3.3).Umfatoestranho,mas,
infelizmente,frequente.Trata-sedeumaexperiênciadoseleitos:Odesconforto,osensode
indignidadeeasúplicaporarrependimento.Aindaassim,diantedeDeus.Sesomoscrentes,
reconhecemosquetodososdiasfazemosisso.Acordamosdizendoparanósmesmos:“Hojeéo
diadaconsagração;hojevencereiopecado;hoje,direiaomundoquesoucrente”.Quandoa
noitechegasuplicamosporperdão,certosdenossaindignidade.Nósnosdobramosdiantede
Deus,poisesperamosnoevangelho(Sl103.1-5;Rm8.35-39).
OseleitossãopurificadosporDeus.OAnjodoSENHORordenou“aosqueestavamdiante
dele”(Zc3.4),ouseja,provavelmenteaoutrosanjos,queretirassemasvestessujaseas
substituíssemporlimpas(Zc3.4-5—“ovestiramcomtrajespróprios”).Oqueé“próprio”—
adequadooupertinente—aoscrentes?Vesteslimpas;pureza(Mt5.8).Estapartedavisãonos
remeteaIsaías6.6-7epreparaoterrenoparaabelíssimaparáboladoPaiperdoadorquevesteo
filhoindignocom“amelhorroupa”ecelebrasuasalvação(Lc15.21-24).Mais:Temosaquiuma
antecipaçãodas“bodasdoCordeiro”,quandoaigrejavestirá“linhofiníssimo”,providenciado
peloamorosoRedentor(Ap19.6-9).Asaúdedenossasalmasexigeoreconhecimentodiáriode
queprecisamosserpurificados.
Porfim,DeusconvocaJosuéàsantidade.AmaneiracomooAnjodoSENHORdirige-sea
Josuéchamanossaatenção(Zc3.6).Ele“protesta”,ouseja,mandaeadvertesolenemente(esteé
osentidodapalavrautilizadanaBíbliaHebraica).Oquevemaseguirnãoémerasugestãoou
objetodenegociação;Josuérecebeumapalavraabsoluta(umaordeminquestionável).As
promessasdeZacarias3.7-10sãodadasnocontextodestasoleneexortação:Osumosacerdote
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.44
tinhade“andarnoscaminhos”e“observarospreceitos”,ouseja,aeleiçãogarantetantoo
perdãoquantoasantificação(Ef1.4).“Andarnoscaminhos”equivalea,positivamente,“sujeitarseaocarátereintençõesdeDeus”,seguiratrilhaestabelecidapeloAltíssimo.Negativamente,a
instruçãoimplicaem“rejeitarqualquercoisaquecoloqueemperigoestasujeição”.Senotamos
quedeterminadaprática,hábitooucomportamentofazcomquenosdesviemosdaorientação
divina,temosderejeitarisso.Observarosmǐsmereṯ,“preceitos”,temosentidode“observaros
rituaissacerdotais”,ouseja,ocultoprescrito.
Asordensdivinassãoacompanhadasdepromessas:Autoridadenotemploeacessoà
sublimepresençadeDeus(Zc3.7).Josuépoderia“julgar”e“guardar”osátriosdacasadeDeus.
Eleadministrariaascoisasdosantuárioqueseriareconstruído(continuariasendoumlíder
discipulador).AdemaiseledesfrutariadeumacomunhãoricacomDeusemmeioaosanjos.
Comoissoseriapossível?GraçasàobradoMessias,o“servo,oRenovo”(v.8).Apesarde
nãoexistirconsensosobreosignificadodaparteinicialdov.9,quefalasobrea“pedraúnica”
sobreaqual“estãoseteolhos”,apartefinaldoversículo—“tirareiainiquidadedestaterra,num
sódia”—apontaparaaobradeCristoconsumadanacruz.Issogarantetantooquefoiditonov.
7quantoapromessadov.10:Paz,aprazimentoebênçãocompleta.AquiloqueDeusrealizana
vidadeJosué,nestavisão,remetea“todasortedebênçãoespiritualnasregiõescelestiais”
providenciadaspeloRedentor(Ef1.3).
Muitosnãoevangelizamnemdiscipulam,porquesesentemindignoseimpedidospor
culpadecorrentedopecado.Oevangelhobíblicopropõearestauraçãodenossacomunhãocom
DeuspormeiodapessoaeobradeCristo.Antesderetomaraobradereconstruçãodotemplo,
oscrentesdo6ºséculoa.C.precisavamexperimentarisso.Omesmoseaplicaaosquehoje
desejamassumirodiscipuladovivoesimples.OquefazemosparaDeusdevesersantificado.
Quandoseesquecedisso,aigrejamorre.Porcausadopecado,trabalhosqueforampujantesno
passadohojeestãodeportasfechadas.Oautordestesestudoscrêqueomaiorobstáculoà
práticadodiscipuladonãoéestratégico,nemcultural,masmoraleespiritual.Crentesenredados
pelopecadoesemvidadeoração;discursodoutrinariamenteexato,masdestituídodeunção.
DaínossanecessidadedeolharfirmementeparaCristo.
Rugeforte,contundente,aguerradopecado,
Masosseusclangoresvisnãopodemmeafligir.
Seiemquemconfio,poisnaRochaestoufirmado,
Ecelestesbênçãosireifruir.
Coro:OlhandoparaCristo,grandeautordasalvação,
Prossigo,poisavistosoberanogalardão.
DeDeusministro,merevistodopoderdomeuSenhor
Paraservi-locomtodoardor.
Vejoaolongecamposvastos,prontospracolheita:
Multidões,semluz,semDeus,aguardamsalvação!
Vem,óDeus,despertaoamordageraçãoeleita,
Paraosteusobreirosconcedeunção.
Coro.
Desprezandodestemundoassendasardilosas,
Voltoomeuolharpraacruzdequemmeresgatou;
Deletenhonaalma,então,asbênçãosmuigloriosas,
E,feliz,comCristo,cantandovou!
Coro.267
Ditodeoutromodo,odiscipuladodefinhaquandooministérionãoésanto.Judásabia
disso;anaçãoamargarasetedécadasdedesterroporcausadopecado.Nestaprofeciade
ZacariasDeusconvocaseupovoparaumnovocomeço.Sendoassim,reafirmemosqueDeus
267Hino579,“OlhandoParaCristo”,doCantorCristão.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.45
providenciatudodequenecessitamosparaapráticadodiscipulado—elenosdefende,purifica
esantifica.OlhemosparaCristoeexperimentemosdoevangelho.Consagremo-nos,apartirde
então,aoagradoeserviçodenossoRedentor.
4.4 ApossibilidadedoiDiscipulado
Depoisdediscorrersobrealgunsobstáculos,oquedizerdasoportunidadesparaodiscipulado?
NessestemposdeiPad,iPhonee“iOutrascoisas”,éprecisotomarposiçãosobreaInternete
tecnologiasquedelafazemuso,abordandoaspossibilidadesdo“iDiscipulado”.
MarshallMcLuhan,teóricodaComunicaçãoSocial,anunciouoseguinte:“Jásecriouum
ambientetotalmentenovo.O‘conteúdo’destenovoambienteéovelhoambientemecanizadoda
eraindustrial”.268Neste“novoambiente”,astecnologiastornam-seextensõesdoprópriohomem.
Esteprognósticoganhoucorponocomputadorpessoal,queporsuavezfomentouosurgimento
dociberespaço.
Emtermossimples,[...]vivemosnumasociedadecadavezmaismoldadaporeventosquese
produzemnociberespaço,eapesardissoociberespaçocontinua[...]invisível,foradenossa
apreensãoperceptiva.269
Nesteciberespaçodesenvolve-seacibercultura,propiciando“comunicaçãointerativa,
recíproca,comunitáriaeintercomunitária,ociberespaçocomohorizontedemundovirtualvivo,
heterogêneoeintotalizávelnoqualcadaserhumanopodeparticiparecontribuir”.270
Numabrirepiscardeolhos,imergimosneste“mundovirtualvivo”,mesmosem
compreendê-lototalmente.Cadavezmais,reconhece-sequea“realidadevirtual”(issoque
acontecedentrodocomputadorenoambientedainternet)temmuitodereal.“Avirtualização
nãoédesrealização[...],masumamutaçãodeidentidade,umdeslocamentodocentrode
gravidadeontológicodoobjetoconsiderado”.271Emoutraspalavras,aquiloquechamamosde
virtualafetanossavidarealeoriginaumnovotipodeserhumano,oHomoZappiens,quecresce
mescladoaosdispositivosdigitais,272bemcomocomunica-seecolaboraemrede.273Elenão
apenasutilizanovastecnologias,masseumododepensareagirémoldadoporelas.
Enãoapenasanovageraçãomergulhanaredeeétransformadaporela.Aparticipação
dosadultoscrescediuturnamente.Confiramosumapanhadodocrescimentodousodainternet,
de2000até2014(tabela02):274
Usodainternetnomundo
Região
População
2015(Est.)
Usuários
31/12/2000
África
1.158.353.014
4.514.400
Ásia
4.032.654.624
114.304.000
Europa
827.566.464
105.096.093
Usuários
31/12/2014
%
População
%Aumento
2000-2012
%
Total
318.633.889
27,5
6.958,2
10,3
1.405.121.036
34,8
1.129,3
45,6
582.441.059
70,4
454,2
18,9
3.358,6
3,7
OrienteMédio
236.137.235
3.284.800
113.609.510
48,1
AméricadoNorte
357.172.209
108.096.800
310.322.257
86,9
187,1
10,1
Am.LatinaeCaribe
615.583.127
18.068.919
322.422.164
52,4
1.684,4
10,5
OceaniaeAustrália
37.157.120
7.620.480
26.789.942
72,1
251,6
0,9
7.264.623.793
360.985.492
3.079.339.857
42,4
753
100
TotalMundial
Tabela02.Usodainternetnomundoem2014.
268MCLUHAN,Marshall.OsMeiosdeComunicaçãoComoExtensõesdoHomem.SãoPaulo:Cultrix,1996,p.11-12.
269JOHNSON,Steven.CulturadaInterface:ComooComputadorTransformaNossaManeiradeCriareComunicar.Rio
deJaneiro:JorgeZaharEditor,2001,p.20.Grifosnossos.
270LÉVY,Pierre.Cibercultura.SãoPaulo:Editora34,1999,p.126.
271LÉVY,Pierre.OQueéVirtual?Reimp.1999.SãoPaulo:Editora34,1996,p.17-18.
272VEEN,Wim;VRAKKING,Ben.HomoZappiens:EducandonaEraDigital.PortoAlegre:Artmed,2009,passim.
273VEEN;VRAKKING,op.cit.,p.12.Grifonosso.
274INTERNETWORLDSTATS.InternetUsageStatistics.Disponívelem:
<http://www.internetworldstats.com/stats.htm>.Acessoem:09jun.2015.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.46
DadosdoIBGE(InstitutoBrasileirodeGeografiaeEstatística)de2013reportam
crescimentode143,8%nousodainternetentreapopulaçãocom10anosoumais,de2005a
2011.Em2005,20,9%dapopulaçãobrasileiratinhaacessoàinternet;em2013opercentual
subiupara46,5%275e,emabrilde2015,para50%.276
Nesteambienteproliferamasredessociais.SomenteoFacebooktinha1,4bilhãode
usuáriosemjaneirode2015.277NamesmaépocaoaplicativodemensagensWhatsAppatingiua
marcade700milhõesdeusuários.278Taisredessociaissãoacessadasváriasvezesaodiaem
computadoresdemesa,laptopsedispositivosmóveis.
Oautordesteestudoconhececristãosque,comótimasintenções,sãocontráriosaousode
Bíbliasemtabletsousmartphoneseficamcomo“péatrás”quandosefalaemusocristãoda
internet.Algunsmencionamquemembrosdeigrejasusamseussmartphonesnoscultosnão
paraleituradaBíblia,masparanavegaçãoemredessociais.Daíosquestionamentos:Será
bíblicoe,portanto,pertinente,utilizarestesrecursos?Asredessociaiseatecnologiadigital
facilitamouatrapalhamodiscipulado?279
Arespostaésim,portrêsrazões:
1. Ainternetconectapessoas.
2. Ainternetpermiteocompartilhamentoderecursos(textos,áudiosevídeos).
3. Ainternetabreespaçoparapublicaçãodeinformaçãoeideias.
Enquantoescrevoesteparágrafo,receboumafotocomanotíciadonascimentodeuma
criançadaigreja.Mesmosemvisitarafamíliaimediatamente,possoagoramesmoenviaruma
felicitaçãocomumversículobíblico.Ademais,gruposon-linesãoúteisparadivulgaratividades
eclesiásticasounotíciasdeúltimahora.Porfim,cristãosusamatecnologiadigitalparaenviar
dúvidasaseuspastoresediscipuladores,bemcomoparapediraconselhamentoouoração.
Enfim,épossívelusarociberespaçodemodoútileedificante.Paratanto,ébomatentar
paraalgunsdetalhesúteis,listadosaseguir.
Emprimeirolugar,éimportanteatentarparaalgumasregrasgeraisdeusodainternet:
•
•
•
•
•
Eviteexporsuaopiniãodesrespeitandoterceirosousendoofensivoagrupos.
Cuidadocomerrosgrosseirosnaescrita.
NãodigiteemCAIXAALTA.IssosignificaquevocêestáGRITANDO.
Nãoabusedeabreviaçõesedialetosdesnecessários.
Ocomportamentovirtualémuitosemelhanteaocomportamentonavidareal.Ajacom
coerênciaebomsenso.280
Aoconstatarqueumapessoaquevocêdiscipulapublicoualgoinadequado(ouqueexige
intervençãobíblica),nãoabordeoassuntoon-line.Omelhorétratardaquestãopessoalmente.
275FOLHAUOL.AcessoàInternetnoBrasilCresce,Mas53%daPopulaçãoAindaNãousaaRede.Disponívelem:
<http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/05/1279552-acesso-a-internet-no-brasil-cresce-mas-53-dapopulacao-ainda-nao-usa-a-rede.shtml>.Acessoem:15mai.2014.
276BARRUCHO,LuísGuilherme.IBGE:MetadedosBrasileirosEstãoConectadosàInternet.NorteLideraemAcessoPor
Celular.In:BBCBrasil.Disponívelem:
<http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/04/150429_divulgacao_pnad_ibge_lgb>.Acessoem:09jun.2014.
277FOLHAUOL.FacebookSuperaEstimativadeReceitadeAnalistas;UsuáriosJáSão1,4bi.Disponívelem:
<http://www1.folha.uol.com.br/tec/2015/01/1581963-facebook-supera-estimativa-de-receita-de-analistasusuarios-ja-sao-14-bi.shtml>.Acessoem:09jun.2015.
278G1.WhatsAppAtingeOs700MilhõesdeUsuáriosPorMêsEmTodooMundo.Disponívelem:
<http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2015/01/whatsapp-atinge-os-700-milhoes-de-usuarios-por-mes-em-todoo-mundo.html>.Acessoem:09jun.2015.
279Areflexãobíblicaeteológicasobreaciberculturaéaindaincipienteentreosprotestanteseevangélicos.Entreos
católicos-romanosjáexistematerialsobreoassunto.Cf.FELICÍSIMO,MartínezDíez.TeologiadaComunicação.São
Paulo:Paulinas,1997;PONTIFÍCIOCONSELHOPARAASCOMUNICAÇÕESSOCIAIS.IgrejaeInternet.2.ed.SãoPaulo:
Paulinas,2002.
280OsprimeiroscincopontossãoextraídosdePORTALEDUCAÇÃO.ComoFazeroBomUsodasRedesSociais.
Disponívelem:<http://www.portaleducacao.com.br/informatica/artigos/48368/como-fazer-o-bom-uso-das-redessociais>.Acessoem:15mai.2014.Osúltimospontossãonossos.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.47
Emsegundolugar,admitamosquenenhumatecnologiaéneutra.Ainterconexãopode
camuflaraautonomiaeisolamentodoindivíduo.Oespaçodeautopublicaçãopodetornar-se
vitrinedesuperexposiçãoeautopromoção.281Aportaabertadaredepodetrazercoisas
anticristãsparaodispositivoeaexperiênciadocristão.Aciberculturapodeconfrontara
cosmovisãobíblica,explícitaousubliminarmente.DaíaatualidadedoparecerdeComenius:
Sealguémmedisserqueoabusonãodeveserimputadoàscoisas,masàspessoas,[...]respondo
comaspalavrasdoApóstolo:“Queessaliberdadenãosejadealgumamaneiraescândaloparaos
fracos”(1Co8.4,7,9).282
Ditodeoutromodo,atecnologiapodeconduziraabusos.
Emquartolugar,oprocedimentorecomendadoénãoseentusiasmardemasiadamente.
Estudiososalertamparaalgunssenõeseperigos.Algunsexplicamqueatecnologiadigitalpode
corroeracultura,aeconomia,osvaloreseanossaprópriahumanidade.283Umdelesnosajudaa
lembrardequeasgeraçõesqueviveramantesdenóstambémforamfascinadaspornovas
tecnologias.Opontoéquetecnologiasnovasnãosubstituemoquenostornafundamentalmente
humanos,e.g.,aintimidadepactualíntegraeocultivodeumavidainteriorsignificativa.284Como
dizoautordoEclesiastes,podemoscorreratrásdenovidadessemobterqualquerganho(Ec1.111).Porissoéprecisoutilizartaisrecursosà“luzdanatureza[...][e]prudênciacristã,segundo
asregrasdaPalavra,quesempredevemserobservadas”,285considerando-ossemprecomo
subsídiosconectivoseportasparaopastoreiodevidas.
Nessestermos,analisemoscomcuidadoaponderaçãodeWarren.Eledizqueopastor
contemporâneoprecisadenovashabilidades,quenãoeramexigidasdospastoresantigos:
Hoje,oministériopastoralécentenadevezesmaiscomplexoquenageraçãopassada.Aténas
melhorescircunstâncias,otrabalhoéextremamentedifícil.Mashátambémváriosrecursosque
nãoexistiamantes,etemosdefazerusodeles.Achaveénuncaparardeaprender.286
Concordamosapenasemparte,pois,aindaqueexistamtecnologiasesaberesnovos,a
demandaaindaéantiga,qualseja,fazerdiscípulosensinando-osaguardartodasascoisasque
Jesusordenou.Opastoroudiscipuladoratualprecisa,acimadetudo,dadependênciadeDeuse
dashabilidadesdosdiscipuladoresdopassado.Asnovashabilidadessãoacréscimosenão
substituições.Aideiacentralcontinuaamesma:Discipuladoépastoreio.Aindaquevocênão
sejaumpastorouobreiroordenado,éprecisoencaminhartudooquedizrespeitoao
discipuladodeumaperspectivapastoral.
Odiscipuladordestaeradigitalédesafiadoautilizarquaisquertecnologiascom
discernimentoesabedoria.Emtodoesseprocessoelenãodeveperderofoco.Elesempre
interagecomoutraspessoascomomentor,amigoediscipulador.
4.5 Odiscipuladoeminiciativassimples
Jovenscristãosempolgaram-secomodiscipuladovivoesimples,reuniram-separaorareler
sobreoassunto,pensaramnabênçãoqueseriaveraquiloimplementadoemsuaigrejae
encaminharamoassuntoaoseupastor.Nãoouviramnenhumapalavranegativaourepreensão,
mas,aomesmotempo,aliderançadaigrejanãoseanimoucomapossibilidadedeumaigreja
281Cf.KEEN,Andrew.OCultodoAmador:ComoBlogs,MySpace,YouTubeeaPiratariaDigitalEstãoDestruindoNossa
Economia,CulturaeValores.RiodeJaneiro:JorgeZaharEditora,2009.
282COMENIUS.DidáticaMagna.SãoPaulo:MartinsFontes,2006,p.297.
283KEEN,Andrew.OCultodoAmador:ComoBlogs,MySpace,YouTubeeaPiratariaDigitalEstãoDestruindoNossa
Economia,CulturaeValores.RiodeJaneiro:JorgeZaharEditora,2009;LANIER,Jaron.Gadget:VocêNãoéUm
Aplicativo.SãoPaulo:Saraiva,2010.
284POWERS,William.OBlackberrydeHamlet:FilosofiaPráticaParaViverBemNaEraDigital.SãoPaulo:Alaúde
EditorialLtda.,2012.
285ASSEMBLEIADEWESTMINSTER.AConfissãodeFédeWestminster,I.VI.In:BÍBLIADEESTUDODEGENEBRA,
doravantedenominadaBEG2.2.ed.revisadaeampliada.Barueri;SãoPaulo:SociedadeBíblicadoBrasileCultura
Cristã,2009,p.1787.
286WARREN,op.cit.,p.21.Grifonosso.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.48
discipuladora.Épossívelqueoleitorsimpleseseminfluênciasobreogovernodaigrejaseveja
emsituaçãosemelhante,desejosodeobedeceraomandatodeJesusemumambienteseco.
Oquefazerdiantedisso?
JesusfalasobreissonaParáboladaSemente(Mc4.26-29).Asementegerminaecresce
misteriosamente:“Nãosabendoelecomo”;“porsimesmafrutifica”(Mc4.27,28).Haveráuma
“ceifa”,ideiavinculada,emMateus13.39,aofimdostempos(Mc4.29).Háumelemento
escatológiconoreino.EleiniciacomoministérioterrenodeJesusesósecompletacomoseu
retornoemglória.OintervalodetempoentreaprimeiraesegundavindasdeJesusdeveser
dedicadoaoplantioesperançoso(haveráresultado!).Naparábolaseguinte,doGrãodeMostarda
(Mc4.30-32),Jesusfaladealgoquecomeçapequeno,aparentementebanalequase
imperceptível(Mc4.31).Depoiscresceesetornamaiordoquetudo,abrigando“asavesdocéu”.
OqueoSenhorestádizendo?“Prestematenção!Estaobraproduziráresultadona
consumação.Ocorreráaceifa.Asementechegaráàmaturidadeerealizaráopropósito
estabelecidoporDeusPai.Observem!Éumasementepequena,imperceptíveledesvalorizada,
massetornaráumagrandeárvore—oreinoqueabrigarátodasasnações”.
Dá-secomoreinodeDeusoqueDickinsondescrevepoeticamente:
Umasépala,umapétala,umespinho
Numasimplesmanhãdeverão...
UmfrascodeOrvalho...UmaAbelhaouduas...
UmaBrisa...Umbulícionasárvores...
Eeis-meRosa!287
NovídeoUnsungHeroumrapazhumilderealizapequenasboasaçõesdiárias.Ele
providenciaáguaparaumaplantaressecada.Auxiliaumavendedoraderuaranzinzaa
estacionarseucarrinho.Reparteseualmoçocomumcãofaminto.Dáesmolaaumamãeque
pedeajudaparaosestudosdesuafilha.Eaindalevafrutasparaumavizinhaidosa.Nofimdas
contasumaroseiraganhavidaeembelezaomundocomsuasflores,avendedoraoutroramalhumoradaaprendeasorrirecompartilhar,ocãosatisfeitosetornagrandeamigoe
companheiro,afilhinhadamendicantedeixaasruasparaestudareaidosadoapartamentoao
ladoagradecepelasfrutasrecebidascomumabraçosincero.288
Osjovensmencionadosnoiníciodestaseçãocomeçaramareunir-senastardesde
domingo,assumindoumapautasimples.DedicavamosprimeirosminutosparalerasEscrituras,
orareconversar.Depois,munidoscomfolhetoseumviolão,saíampelasruasdistribuindo
literaturacristã.Aoencontraremumajuntamento,posicionavam-seemumlugarestratégicoe
cantavamanimadamente.Sealguémparasseparaouvir,umdelesabriaBíbliaepregavauma
mensagemsimples.
Mesesdepois,umdelesinformouaogrupoqueseiniciavaumnovobairronacidade,com
novasoportunidadesdeevangelização.Elesvisitaramolocalefizeramamesmacoisa:
Distribuíramfolhetos,cantaramepregaram.UmapessoaentregouavidaaJesuseconvidou-osa
reunir-seemsuacasa.Outraspessoasforamcrendoeintegrando-seaogrupo.Temposdepois,
iniciou-sealiumaigreja.Eoprocessoserepetiuemoutrobairro,demodoqueaquelesmoços
foramusadosporDeusparacomeçarduasigrejas.
OdiscipuladodeJesuséimplementadoassim,apartirdeiniciativasmuitosimples.Eisso
podeserfeitomesmosemumaquantidadegrandedevoluntáriosourecursosfinanceiros.Sendo
assim,aproveitemosasoportunidadesquenoscercaminvestindoeminiciativaspequenas
ancoradasnomandatodeJesus.Elasproduzemfrutoquepermanece,poisDeusmesmo
asseguraosucessododiscipuladovivoesimples.
Mas,eseosucessonãoaparecer?FaçamoscomoolavradortementeaDeus:
287DICKINSON,Emily,[títulonãofornecido],apudCALVINO,Ítalo.SeisPropostasParaoPróximoMilênio:Lições
Americanas.2.ed.Reimpressão.SãoPaulo:CompanhiadasLetras,1990,p.29.
288THAILIFEINSURANCE.UnsungHero.Disponívelem:<https://www.youtube.com/watch?v=Gu5_j95ZIgs>.Acesso
em:09jun.2015.AThaiLifeInsurancedestacaheróisanônimos,cujasaçõesdiáriasderespeitoeapoioaopróximo
sãoexemplosdequeépossívelconstruirummundomelhorcomsimplicidadeedeterminação.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.49
Olavradoresuafalaeconômica:
—SeDeusquisé.
—ADeusquerê.
—GraçasaDeus.
RepostandotudoaDeus—
quandolucra.
Quandoperde:
—SejafeitaavontadedeDeus.289
4.6 V OTOSERESOLUÇÕESDEDISCIPULADO Apesardedizermos(naseção2.7)queseodiscipuladonãopassadeumprograma,deixadeser
discipuladobíblico,temosdeafirmar(paradoxalmente)quearealizaçãododiscipuladovivoe
simplesexigequeestabeleçamosumprograma.
“Programa”,pelomenosnesteestudo,nãosignificaplanejamentoestratégicocomplicado,
mas,simplesmente,“umplano,intento”ou“projeto”.290Nessestermos,correspondea“voto”.No
ATfazervotosédeverdetodoadoradorevotossãocomodívidasassumidasdiantedeDeus(Sl
76.11;Ec5.4-5).Cumpri-loséaterceirarespostadocrenteaos“benefícios”divinos(asduas
primeirassão“tomarocálicedasalvação”e“invocaronomedoSENHOR”;Sl116.12-14).Ocrente
osassumeprivativamenteeoscumprepublicamente(Sl22.25).Emumaocasiãodeangústia,o
salmistaprometeoferecerholocaustos;agora,aliviado,elecumprirásuapromessanacasade
Deus.Destarte,cumprirumvotoaDeusequivaleaoferecer-lhesacrifíciosdeaçõesdegraças(Sl
66.10-14;cf.50.14;56.12).Issodeveaconteceremumcontextodeadoraçãosincera(Sl61.8).
ONTnãoeliminaoudesautorizaoestabelecimentodevotos.Apenasoqualifica.
“Sacrifíciosdelouvor”(noATligadosaosholocaustos),agorasãooferecidosemnomedeCristo
(Hb13.15).Baseadonas“misericórdiasdeDeus”,ouseja,napessoaeobradeJesus,ocristãose
consagrainteiraediariamentecomo“sacrifíciovivo”e“cultoracional”aDeus(Rm12.1-2).Seus
votosnãosãotornadossolenesemrazãodepalavrórioempolado,mascomumsimples“sim”ou
“não”(Mt5.33-37).
EmumaseçãoquedivideoEvangelhodeLucas,Jesusmanifesta“nosemblante,a
intrépidaresoluçãodeirparaJerusalém”(Lc9.51;grifonosso).Esteéummodosemíticode
dizerquenossoSenhortomouumadecisãonecessáriaparaatingirumameta.Edepoisdefazer
isso,elefoi.Suaresoluçãodenotaumamenteconvicta.Eledecidiuporumacoisaenãomudou
deideia.291Omesmoautorescreve,acercadePaulo,queele“resolveu,noseuespírito,ira
Jerusalém”(At19.21).Ovocábulotithēmi,“resolveu”(ARA)ou“propôs”(ARC),designaum
engajamentodamenteecoraçãonoprocessodecisório.Edepoisderesolverisso,Paulodefato
foiparaJerusalém.OrestantedeAtosregistraasconsequênciasdestadecisão.
Oquequeremosdizer?OscrentesdoATfizeramvotos;JesusePaulotomaramdecisões
(ouresoluções).Suascrençasdeterminaramsuasdecisõese,consequentemente,nortearam
suasações.Ditodeoutramaneira,elestransformaramadoutrinaemprograma(umplano,
intentoouprojeto).
Oscrentesdopassadolevavamissoasério.Elesnãoapenasdeclaravamemotivamente
“euquerosersanto”,masescreviamdiárioseresoluçõeseascolocavamemprática.292Eles
redefiniamprioridades,mudavamagendaealteravamhábitosafimdecumprirasordenanças
deDeus.Calvinoassumiuumarotinaquepropiciavacumpriromandatodiscipulador.Baxter
estabeleceuumsistemadevisitaçãoeestudonoslares.Spurgeonfirmouumprocessodetrês
etapas(primeiro,trabalharsozinhoatéfirmaroexemplo,segundo,fortalecerreuniõesde
oração,terceiro,buscaretreinarevangelistasentreoscrentes).Eassimaconteceucomtodosos
que,nahistória,entenderamqueomandatodiscipuladornãoémerateoria.
289CORALINA,Cora.Misticismos.In:CORALINA,Cora.MeuLivrodeCordel.SãoPaulo:Global,1987,p.56.
290Programa.In:Dic.Aurélio.
291LOUW;NIDA,op.cit.,p.359.
292Cf.EDWARDS,Jonathan.AsFirmesResoluçõesdeJonathanEdwards.Reimp.2012.SãoJosédosCampos:Editora
Fiel,2010.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.50
Resumindo,nósnãosairemosdaabstraçãoenquantonãoestabelecermosumadisciplina,
agendaerecursostangíveisparaapráticadodiscipulado.Cadaumdenósdevedecidirpraticar
odiscipuladovivoesimples,definirumplanodeaçãoadequadoàsuapersonalidadeecontexto,
ecumprirtalplano.Sairdamerateoria.Discipularnaprática.
Aofazerisso,eaoexpressarissoemoração,Deusabriráportasparaodiscipulado.“Deus,
usa-meparatuaglóriahoje;mostra-meoportunidades;encaminhe-meatéaspessoasqueo
SenhordesejaalcançarcomtuaPalavra”.Quemoraassimtodososdiasexperimentaaação
divinadirigindocadadetalhedavidacotidianaparaapráticadodiscipuladovivoesimples.Os
crentessaudáveismentalefisicamente,equegozamdeliberdadeparairevirondevivem,só
nãopraticamodiscipuladosenãoquiserem.Oportunidadesnosrondam.Oportunidadessurgem
diaenoite.Precisamosapenasdecoraçõesdispostosaobedecer,olhosabertosparaverebocas
dispostasafalardoevangelho.TudoomaiséconduzidoesupridoporDeus.
4.7 Oportunidadesdediscipuladonaigreja
Emalgumasigrejasomandatobíblicododiscipuladoéelogiado,relembradoeatécelebradoem
conferências,masnuncaécolocadoemprática.Outrasigrejasolhamparaaspropostasde
execuçãodaGrandeComissãocomceticismooucinismo.“Essascoisassãointeressantes,mas
nãodãocertoaqui”.Opastordeumaigrejadeportemédiopropôsumainiciativadediscipulado
aosseuslídereseouviudeumdospresbíteros:“Nossaigrejanãotemumaculturade
evangelizaçãoediscipulado;issonãofuncionaráaqui”(enãofuncionoumesmo).Ambasas
situaçõesdenotamumabaixaexpectativadodiscipuladovivoesimpleseconfirmamodito
melancólicodeBonhoeffer:“Omundosempreprecisoudaigreja,esta,porém,preocupou-se
maisconsigomesmadoquecomasnecessidadesdomundo,aoqualdeveservir”.293
Masháigrejasquelevamodiscipuladoasério.Nelasodiscipuladovivoesimplesé
promovidonapregação,naeducaçãocristã,nosdepartamentoseministérios,nasrelações
informaiseemtodaaculturadaigreja(figura04).
Figura04.Umaestruturapossíveldeigrejadiscipuladora
Emseucentroencontra-seomandatodeJesus.Emtornodele,tudoomais(pastores,
educaçãocristã,oficiais,serviçosdesuporteeequipesdeevangelizaçãoepastoreio,
provenientesdosdepartamentosouministérios).Cadadivisãodaestruturapossuiaberturas,
influenciandoaanterioreposterior.Háinter-relaçãoentreasdiversaspartesdaigrejaedesta
comasociedadeeacriação(oreinocósmicodeCristo).
293BONHOEFFER,1980,p.2-3.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.51
Igrejasdiscipuladorascompreendemqueodiscipuladoacontecenãoapenasentreum
crentediscipuladoreumnão-crenteouumnovocrente.Discipuladopermeiatodasas
interaçõesdeumaigreja.Oscristãossãoresponsáveisunspelosoutros,devendoamar,cuidare
ensinarunsaosoutros(Mt28.20;Jo15.7,14;Rm15.7;Gl5.15,22-23,6.1-2;Ef4.25a5-2;Fp
2.1-8;Cl3.12-17;Hb10.23-25,12.4-13).AintençãodoSenhoréedificarumcorpoquepraticao
discipuladovivoesimplesenquantorelaciona(Jo17.21-23).
EstediscipuladoéchamadoporPaulode“plantar”e“regar”.
Euplantei,Apoloregou;masocrescimentoveiodeDeus.Demodoquenemoqueplantaé
algumacoisa,nemoquerega,masDeus,quedáocrescimento.Ora,oqueplantaeoquerega
sãoum;ecadaumreceberáogalardão,segundooseutrabalho.PorquedeDeussomos
cooperadores;lavouradeDeus,edifíciodeDeussoisvós(1Co3.6-9).
Estasafirmaçõesnosajudamaperceberquatroaspectosfundamentaisdocumprimento
domandatodiscipulador:
1.
2.
3.
4.
OtrabalhodeDeus.
Otrabalhodoshomens.
Arelaçãoentreosquetrabalham.
Arecompensadotrabalho.
QuantoaotrabalhodeDeus,oSenhoréquemfazprosperaroesforçohumano.Delevemo
“crescimento”(1Co3.6-7).AobraésempreobradeDeus.Eleéodono,aorigem,osustentoeo
garantidordosucessodotrabalho.Ofrutododiscipuladodecorredeseudecreto.Aconsciência
destafatodevenosmoveramaisemelhororação.Comoaprendemosnosbonsexemplosdo2º
capítulo,odiscipuladovivoesimplesexigedependênciadiária,umacaminhadadejoelhos
dobrados(Hc3.2).
Quantoaotrabalhodoshomens,Paulorefere-seaoplantioeregaefetuadosporelee
Apolo(1Co3.6).Elechamaaatençãoparaofatodeambosnãoteremdequeseorgulhar:“Nemo
queplantaéalgumacoisa,nemoquerega”(1Co3.7).Noentanto,pessoasdecarneeosso
plantarameregaram.Aindaquenãolhescaibamaglóriaspelosresultados,cabe-lhesa
responsabilidadedeplantareregar.Aimplementaçãododiscipuladovivoesimplesexige
trabalhohumano.
Equandopensamosnodiscipuladonaigreja,doisoutrospontossãoimportantes.Háum
trabalhodosoficiaiseumtrabalhodetodososcrentes,comolemosemEfésios:
Eelemesmoestabeleceuunsparaapóstolos,outrosparaprofetas,outrosparaevangelistase
outrosparapastoresemestres,comvistasaoaperfeiçoamentodossantosparaodesempenho
doseuserviço,paraaedificaçãodocorpodeCristo[...].Mas,seguindoaverdadeemamor,
cresçamosemtudonaquelequeéacabeça,Cristo,dequemtodoocorpo,bemajustadoe
consolidadopeloauxíliodetodajunta,segundoajustacooperaçãodecadaparte,efetuaoseu
próprioaumentoparaaedificaçãodesimesmoemamor(Ef4.11-12,15-16).
Oqueissosignificaparaoslíderes?OfíciosoulíderessãodadosporDeusàigrejaafimde
governá-lapelaPalavradeDeus,ensinandooscrentesaservircomodevem(Ef4.12).294Issoé
iluminadopelovimosno1ºcapítulo:Obomensinoéconfirmadonaimitação.Sendo,assim,o
“aumento”mencionadoemEfésios4.16exigequeosoficiaisliderempeloexemplo,ouseja,a
consolidaçãodaumaigrejadiscipuladoraexigelíderesdiscipuladores.295
Eoqueissosignificaparaosmembrosdaigreja?Aestratégiadivinaparaaedificaçãoda
igrejaésimples:Todostrabalhando(Ef4.16).Biblicamente,opastornãoéoúnicoresponsável
pelaedificação.Todososcrentessãoapontadoscomofundamentaisnaexpansãodoreinopor
meiododiscipuladovivoesimples.
294CALVINO,João.AsInstitutas:EdiçãoClássica.2.ed.SãoPaulo:CulturaCristã,2006,IV.III.4(p.67-68).v.4.
295Cf.SITTEMA,John.CoraçãodePastor:ResgatandoaResponsabilidadePastoraldoPresbítero.2.ed.SãoPaulo:
CulturaCristã,2008.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.52
Quantoàrelaçãoentreosquetrabalham,todos“sãoum”,ouseja,estãoligadosentresi
pelaredenção,possuemummesmoPaiesão,portanto,irmãos(1Co3.8,cf.Mt23.8-12).As
implicaçõesóbviasdesteargumentosãoduas:
1. NãoháespaçoparacompetiçãoentreosservosdeDeus(umapercepçãoequivocadados
crentesdeCorinto,cf.1Co3.4-5;3.1-5).Ostrabalhadoresdasearaajudam-se
mutuamenteafimdeotimizarosresultadosparaglóriadoAltíssimo.
2. Oserviçodivinoérealizado“seguindoaverdadeemamor”(cf.Ef4.15).Háclarezano
tratodascoisascelestiaisabrindo-seespaçoparaaadmoestaçãomútua,masissoem
umaatmosferadeamorincondicional,bomgerenciamentoegenerosidadenousodos
bensedependênciadoPaiCelestial.
Porfim,quantoàrecompensapelotrabalho,ograndeavaliadoréDeus(1Co3.8,10-17).
Nósjulgamossuperficialmente;Cristoéquemverdadeiramente“conhece”,regulaepremiacom
justiça(Ap2.1-3.22).Nóspraticamosodiscipuladovivoesimplesparaaglóriaúnicadelee
motivadospela“imarcescívelcoroadaglória”(1Pe5.4).
Caminhandoparaaprática,naigrejadiscipuladoraospastoresordenados,oslíderes
oficiais,oslíderesdedepartamentos,oslíderesinformaiseosmembrosenvolvem-seem
relacionamentosíntegrosdeevangelizaçãoeensino,plantando,regandoesuplicandodeDeuso
crescimento(figura05).
Figura05.Oenvolvimentocomodiscipuladovivoesimplesnaigrejadiscipuladora
Algumasperguntasnorteiamaigrejadiscipuladora:
•
•
Oquantoecomooramospelodiscipuladovivoesimples?
Temosnosmovimentadoeminiciativaseatividadesrelacionadasaodiscipuladovivo
esimples(plantioeregadoevangelho)?
Porfim,igrejasdiscipuladorastreinamparaodiscipulado.UmexemplodissoéaSaRang
CommunityChurch(http://english.sarang.org),visitadapeloautordesteestudoemsetembro
de2013.Aquelaigrejafoiiniciada“nasegundametadedadécadade70”296eseufundador,
PastorJohnOak,assumiudesdecedoquatroprincípiosfavoráveisaodiscipuladointegral:
1.
2.
3.
4.
Elesnutremaféedesafiamocristãoaassumirresponsabilidadesnacomunidade.
Elesequipamoscrentesparaoministério(sacerdóciouniversal).
Elescapacitamanovageração.
Elesreformamaigrejaconstantemente,adaptandoestruturaeprogramasafimde
cumprirasordenançasbíblicas(figura06).
296OAK,JohnHanHum.ChamadoParaAcordaroLeigo.SãoPaulo:CulturaCristã,2006,p.183.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.53
Figura06.PrincípiosministeriaisdaIgrejaSaRang. 297
OPr.Oakdedicasuavidaàconsolidaçãodeumaigrejadiscipuladora.Suasconvicções
refletemestecompromissoprioritáriocomomandatodiscipuladordeJesus,semapegoao
pragmatismoemodismoscontemporâneos:
Quandoosucessodoministérioémedido,tendemosamedi-lopeloseutamanho,oquepodeser
enganoso.[...]
ParaDeusumaalmaémaispreciosaqueomundointeiro.Overdadeiroavivamentocomeça
quandoaceitamosestaverdade.Nãopodemosesquecerqueaverdadeiraigrejanãoé
determinadapeloseutamanho.298
Oministério,deacordocomaSaRang,devefocalizarnãoocrescimentorápido,maso
discipuladovivoesimples:
Infelizmente,hámuitosentrenósquesãoinfectadoscomovírusdainferioridade.Estainfecção
éproduzidapelacomparaçãodeumaigrejacomaoutra.[...]Jesus,queéacabeçadaigreja,não
medeasuaigrejapelotamanho!Porquenósesquecemosofatodequeelenãoestáinteressado
notamanhodenossaigreja,masnaqualidadedopovo?[...]
PrecisamossaberqueomundoveráqueoreinodeDeusestápróximopormeiodapequena
igrejalocalquenósservimos.Quandoháummodelotransformadoemcomonósvemosonosso
campoministerial,seremoscapazesdededicarcomentusiasmoasnossasvidasparafazerde
umaalmaumdiscípulodeJesus.Umpastorqueestásempredesejandoumagrandeigrejanunca
serácapazdefazerdiscípulos.299
Ditoisto,Oakpropõeaseguintedefiniçãodeigreja:
AigrejavisíveldeCristoéacomunidadedopovodeDeuschamadaparaforadomundo,e
enviadaaomundocomodiscípulosdeCristo.300
Grandeesforçofoiecontinuasendodedicadoaoevangelismoetreinamentodoscrentes,
semprenadependênciadeDeus.Oautordestetrabalhoenxergouportasenfileiradasemumdos
prédios,eperguntouseeramsalasdeaula(figura07).Foiinformadotratar-sedequartosde
oração.Aigrejaplanejavarealizarumavançoevangelísticonomêsseguinte.Sendoassim,os
297Adaptadodeslidefotografadopeloautor.(traduçãonossa).
298OAK,op.cit.,p.18.
299Ibid.,p.48.Grifosnossos.
300Ibid.,p.49.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.54
crentesserevezavamvinteequatrohoraspordia,durantetrintadias,pedindoaDeusque
abençoasseaquelainvestidaevangelística.
Figura07.OsquartosdeoraçãodaIgrejaSaRang.
Trintadiasdeoraçãoininterrupta,antesdeumaatividadedeevangelização.
Qualoresultadodessapráticadiuturna,pormaisdequatrodécadas?Emdezembrode
2012aSaRangcontavacom99.208membros,144pastores(sendo116dedicadosemtempo
integral)e252outrosobreirosefuncionários(figura08).
Figura08.DadosestatísticosdaIgrejaSaRang(set.2013). 301
Oqueissonosensina?Queodiscipuladovivoesimplesassumidocomovisãoministerial
recolocaaigrejanostrilhosdaobediência,abrindocaminhoparamaravilhosaspossibilidades
abençoadoras.
301SlidefotografadopeloautoremauditóriodaIgrejaSaRang.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.55
5Osprimeirossonspodemserrecuperados
AbrahamZviIdelsohn(1882-1938),considerado“opaidamusicologiamoderna”,pesquisou
melodiastradicionaisdamúsicahebraicaemtodoomundoeencontrou“motivosrecorrentese
progressões”distintasde“qualqueroutramúsicanacional”.Elesugeriu,apartirdisso,“uma
origemcomumparaessasfrasesmusicaisqueremontaaIsraelouàPalestinado1ºséculo
cristão,antesdadestruiçãodosegundotemplopelosromanosedoexíliojudaico”.Olhandomais
deperto,Idelsohndistinguiutrêscentrostonais,comosegue:
Trêsdiferentescentrostonais,quecorrespondiamaosmodosdório,frígioelídiodosgregos
antigos.[...]Omododóriotetracordefoiutilizadoparatextosdenaturezaelevadaeinspirada,o
frígioparatextossentimentais—ossurtoshumanosdemuitosentimento,tantodealegriaede
luto,eolídio,emcomposiçõesparaostextosdelamentaçõeseconfissõesdospecados.302
OresultadointeressantedoestudodeIdelsohn,convertidoemmúsica,podeserconferido
emumCD(disponíveltambémnaiTunesStore).303Oqueissotemavercomodiscipuladovivoe
simples?IdelsohnrecuperouocantodosSalmosdotempodeJesus,daJerusalémdosegundo
templo.Edaí?Ossonsprimitivospodemserrestaurados.
Coloquemosdeoutromodo.Talvezoleitorpergunte:“Comorestabelecerodiscipulado
vivoesimplesaquieagora?”Estelivronãoforneceumareceitapronta.Cadaumdevemeditar
nasEscrituras,nosexemplosdahistória,naspeculiaridadesdeseupovoecontextoe,sem
dúvida,emsuaprópriaconfiguraçãopessoal,afimdeserviraDeusdoseujeito.
Comosugeridoantes,nósraciocinamosemtermosdelinhademontagemdeumafábrica.
Peçassãomanipuladasemumaesteiraenofinaltemosumprodutomontadoqueécolocadoao
ladodeumacentenaoudemilharesdeoutrosprodutosexatamenteiguais.Deusnãofazassim.
Eleéoleiro:“Masagora,óSENHOR,tuésnossoPai,nóssomosobarro,etu,onossooleiro;etodos
nós,obradastuasmãos”(Is64.8).Eleétambémumtecelão:“tumetecestenoseiodeminha
mãe”(“entreteceste-me”,ARC;Sl139.13).
Issosignificaqueelemoldacadaumdeumjeito.Eletemumplanoparacadaum.Sendo
assim,maisimportantedoquepedir“Deus,dá-mesucessocomousodestemétodode
discipulado!”,é“Deusajuda-meafazersuavontade;faz-mefielati”,ou,comoorouCalvino,cor
meumtibiofferoDomine.Prompteetsincere,“meucoraçãoentregoati,Senhor,prontae
honestamente”.
Quandoissoocorre,recupera-seoprimitivosomdodiscipuladointegral.Vidassão
alcançadas,aigrejaéedificadaeDeusrecebetodaglória.
302SANANTONIOVOCALARTSENSEMBLE—SAVAE.RediscoveringMusic&ChantofMiddleEasternSpirituality
(RedescobrindoaMúsicaeoCantodaEspiritualidadedaIdadeMédia).Disponívelem:
<http://www.savae.org/echoes1.html>.Acessoem:4abr.2012.
303SAVAE.AncientEchoes:MusicFromTheTimeofJesusandJerusalem’sSecondTemple.WorldLibraryPublication,
2002.1CD.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.56
Referênciasbibliográficas
ARAUTOSDOEVANGELHO.SãoGregórioMagno:Papaedoutordaigreja.Disponívelem:
<http://www.arautos.org/especial/7918/Sao-Gregorio-Magno--Papa-e-Doutor-da-Igreja.html>.
Acessoem:30abr.2014.
BALDWIN,J.C.Ageu,ZacariaseMalaquias:Introduçãoecomentário.1.ed.Reimp2008.São
Paulo:VidaNova,1982.(SérieCulturaBíblica).
BARBER,BenjamimR.Consumido:Comoomercadocorrompecrianças,infantilizaadultos
eengolecidadãos.RiodeJaneiro:Record,2009.
BARNA,George:Omarketingnaigreja:Oquenuncalhedisseramsobreocrescimentoda
igreja.RiodeJaneiro:JUERP,1993.
BAXTER,Richard.Opastoraprovado.SãoPaulo:PublicaçõesEvangélicasSelecionadas,1989.
__________.Manualpastoraldediscipulado.SãoPaulo:CulturaCristã,2008.
BEEKE,JoelR.;PEDERSON,RandallJ.(Ed.).Paixãopelapureza:Conheçaospuritanos.São
Paulo:PublicaçõesEvangélicasSelecionadas,2010.
BEM-DITO:FRASESBEM-DITASDEPENSADORESCRISTÃOS.Disponívelem:<http://bemdito.rede1news.com/uma-igreja-e-um-hospital-para-pecadores-nao-um-museu-para-santosabigail-van-ruben/>.Acessoem:14mai.2014.
BÍBLIADEESTUDODEGENEBRA.2.ed.revisadaeampliada.Barueri;SãoPaulo:Sociedade
BíblicadoBrasileCulturaCristã,2009.
BITTENCOURT,Ebenézer.Umexemplodediscipulado.Disponívelem:
<http://haggai.com.br/videos/121--um-exemplo-de-discipulado>.Acessoem21abr.2014.
(LiçõesdeGuardanapo).
BLACKBURN,Simon.DicionárioOxforddefilosofia.RiodeJaneiro:JorgeZaharEditora,1997.
BLAIR,William;HUNT,Bruce.Opentecostecoreano.SãoPaulo:CulturaCristã,1998.
BLOCK,DanielI.Ezequiel.SãoPaulo:CulturaCristã,2012.v.2.(ComentáriosdoAntigo
Testamento).
BOBSIN,Oneide.LuteranosnaÉticaProtestante,inRevistaeletrônicadonúcleodeestudose
pesquisadoprotestantismo(NEPP)daEscolaSuperiordeTeologia,v.6,jan.-abr.de2005,
p.12.Disponívelem:<http://www3.10est.edu.br/nepp>.Acessoem:22out.2012.
BONAR,HoratiusA.Umrecadoparaganhadoresdealmas.2.ed.rev.SãoPaulo:VidaNova,
2007.
BONHOEFFER,Dietrich.Resistênciaesubmissão.2.ed.RiodeJaneiro;RioGrandedoSul:Paze
Terra;Sinodal,1980.
__________.Discipleship.In:KUSKE,Martinetal.(Ed.).DietrichBonhoefferworks.Minneapolis,
MN:FortressPress,2003.v.4.
__________.Tentação.8.ed.rev.SãoLeopoldo:Sinodal;FaculdadesEST,2010.
BOSCH,DavidJ.Missãotransformadora:Mudançasdeparadigmanateologiadamissão.3.
ed.SãoLeopoldo:Sinodal;FaculdadesEST,2009.
BOSSIDY,Larry;CHARAN,Ram.Execução:Adisciplinaparaatingirresultados.12.ed.São
Paulo:EditoraCampus,2005.
BRADY,Chris;Woodward,Orrin.Oscinconíveisdeinfluência:Umplanodecincoetapas
paracriaremanterumasólidaliderançanasorganizações.RiodeJaneiro:Campus,2008.
BRUNER,FrederickDale.TeologiadoEspíritoSanto.SãoPaulo:CulturaCristã,2012.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.57
CAIRNS,EarleEdwin.Ocristianismoatravésdosséculos:Umahistóriadaigrejacristã.2.
ed.SãoPaulo:VidaNova,2008.
CALVIN,Jean.Institutiochristianaereligionis.Genevae:OliuaRobertiStephani,1559,
openlibrary.org.Disponívelem:<https://archive.org/details/institutiochrist1559calv>.Acesso
em:18abr.2014.
CALVIN;John.CommentaryonaharmonyoftheevangelistsMatthew,Mark,andLuke.
Bellingham,WA:LogosBibleSoftware,2010.v.3.
CALVINO,Ítalo.Seispropostasparaopróximomilênio:Liçõesamericanas.2.ed.
Reimpressão.SãoPaulo:CompanhiadasLetras,1990.
CALVINO,João.ComentárioàSagradaEscritura:Romanos.2.ed.SãoPaulo:Parakletos,2001.
__________.Asinstitutas:Ediçãoclássica.2.ed.SãoPaulo:CulturaCristã,2006.v.3.
__________.Asinstitutas:Ediçãoclássica.2.ed.SãoPaulo:CulturaCristã,2006.v.4.
__________.Ainstituiçãodareligiãocristã.TomoII,LivrosIIIeIV.SãoPaulo:EditoraUNESP,
2009.
CARSON,D.A.etal.(Ed.).ComentáriobíblicoVidaNova.SãoPaulo:VidaNova,2009.
CHRISTIANCLASSICSETHEREALLIBRARY.HoratiusBonar:Scottishchurchmanandpoet.
Disponívelem:<http://www.ccel.org/ccel/bonar>.Acessoem:02mai.2014.
__________.RichardBaxter:Englishpuritan,churchleader,poet,hymn-writer,theologian
andcontroversialist.Disponível:<http://www.ccel.org/ccel/baxter>.Acessoem:02mai.
2014.
COENEN,Lothar;BROWN,Colin.(Ed.).DicionáriointernacionaldeteologiadoNovo
Testamento.2.ed.SãoPaulo:VidaNova,2000.v.1(A—M).
__________.DicionáriointernacionaldeteologiadoNovoTestamento.2.ed.SãoPaulo:Vida
Nova,2000.v.2(N—Z).
COMENIUS.Didáticamagna.SãoPaulo:MartinsFontes,2006.
CORALINA,Cora.Meulivrodecordel.SãoPaulo:Global,1987.
CUNHA,AntônioGeraldo.Dicionárioetimológicodalínguaportuguesa.4.ed.rev.eatual.Rio
deJaneiro:Lexikon,2010.
DANIEL-ROPS,Henri.AvidadiárianostemposdeJesus.3.ed.SãoPaulo:VidaNova,2008.
DAVIDSON,F.(Ed.).OnovocomentáriodaBíblia.Reimp.1985.SãoPaulo:VidaNova,1963.v.2.
DISANTE,Carmine.Liturgiajudaica:Fontes,estrutura,oraçõesefestas.SãoPaulo:Paulus,
2004.
DORON,Roland;PAROT,Françoise.(Coord.).Dicionáriodepsicologia.Lisboa:Climepsi
Editores,2001.
DRISCOLL,Mark.Confissõesdeumpastordareformissão:Durasliçõesdeumaigreja
emergentemissional.Niterói:TempodaColheita,2009.
EDWARDS,Jonathan.AverdadeiraobradoEspírito:Sinaisdeautenticidade.2.ed.revisada.
SãoPaulo:VidaNova,2010.
__________.AsfirmesresoluçõesdeJonathanEdwards.Reimp.2012.SãoJosédosCampos:Editora
Fiel,2010.
ELWELL,WalterA.(Ed.).Enciclopédiahistórico-teológicadaigrejacristã.SãoPaulo:Vida
Nova.1988.v.1(A—D).
__________.Enciclopédiahistórico-teológicadaigrejacristã.SãoPaulo:VidaNova,1990.v.3
(N—Z).
EVANGELISMOEXPLOSIVOINTERNACIONALNOBRASIL.Disponívelem:
<http://www.eebrasil.org.br/>.Acessoem19abr.2014.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.58
FELICÍSIMO,MartínezDíez.Teologiadacomunicação.SãoPaulo:Paulinas,1997.
FERGUSON,SinclairR.OEspíritoSanto.SãoPaulo:EditoraOsPuritanos,2000.
FERREIRA,AurélioBuarquedeHolanda.DicionárioAurélioeletrônico7.0.Curitiba:Editora
Positivo,2009.CD-ROM.
FERREIRA,Franklin;MYATT,Alan.Teologiasistemática:Umaanálisehistórica,bíblicae
apologéticaparaocontextoatual.SãoPaulo:VidaNova,2007.
FOLHAUOL.AcessoàinternetnoBrasilcresce,mas53%dapopulaçãoaindanãousaa
rede.Disponívelem:<http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/05/1279552-acesso-ainternet-no-brasil-cresce-mas-53-da-populacao-ainda-nao-usa-a-rede.shtml>.Acessoem:15
mai.2014.
G1.WhatsAppatingeos700milhõesdeusuáriospormêsemtodoomundo.Disponívelem:
<http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2015/01/whatsapp-atinge-os-700-milhoes-deusuarios-por-mes-em-todo-o-mundo.html>.Acessoem:09jun.2015.
GEORGE,Timothy.Teologiadosreformadores.SãoPaulo:VidaNova,1993.
GERBER,Vergil.Suaigrejaprecisacrescer.4.ed.SãoPaulo:VidaNova,1983.
GOLDSWORTHY,Graeme.PregandotodaaBíbliacomoEscrituracristã.SãoJosédosCampos:
EditoraFiel,2013.
GONZALEZ,JustoL.Aeradosmártires.3.ed.Reimp.1991.SãoPaulo:VidaNova,1986.v.1.(E
AtéosConfinsdaTerra:UmaHistóriaIlustradadoCristianismo).
__________.Aeradastrevas.Reimp.1991.SãoPaulo:VidaNova,1981.v.3.(EAtéosConfinsda
Terra:UmaHistóriaIlustradadoCristianismo).
__________.Aeradosreformadores.SãoPaulo:VidaNova,1983.v.6.(EAtéosConfinsdaTerra:
UmaHistóriaIlustradadoCristianismo).
GREGÓRIOMAGNO.Regrapastoral.SãoPaulo:Paulus,2010.(ColeçãoPatrística).
HARRISON,EverettF.(Ed.).ComentáriobíblicoMoody.SãoPaulo:EditoraBatistaRegulardo
Brasil,2010.v.2.
HAWKINS,GregL.;PARKINSON,Cally.Siga-me:Oquevemaseguir?SãoPaulo:Vida,2009.
HENDRIKSEN,William.Mateus.SãoPaulo:CulturaCristã,2001.v.1.(ComentáriodoNovo
Testamento).
__________.Mateus.SãoPaulo:CulturaCristã,2001.v.2.(ComentáriodoNovoTestamento).
HENRY,Matthew.ComentáriobíblicoNovoTestamento:MateusaJoão.Ediçãocompleta.
RiodeJaneiro:CasaPublicadoradasAssembleiasdeDeus,2010.v.5.
HORTON,Michael.Agrandecomissão.SãoPaulo:CulturaCristã,2014.
HOVESTOL,Tom.Aneurosedareligião:Odesastredoextremismoreligioso.SãoPaulo:
Hagnos,2009.
HURTADO,LarryW.Asorigensdaadoraçãocristã.Ocaráterdaadoraçãonoambienteda
igrejaprimitiva.SãoPaulo:VidaNova,2011.
HUSTAD,Donald.Jubilate!Amúsicanaigreja.SãoPaulo:VidaNova,1986.
INTERNETWORLDSTATS.Internetusagestatistics.Disponívelem:
<http://www.internetworldstats.com/stats.htm>.Acessoem:15mai.2014.
JOHNSON,Steven.Culturadainterface:Comoocomputadortransformanossamaneirade
criarecomunicar.RiodeJaneiro:JorgeZaharEditor,2001.
KEEN,Andrew.Ocultodoamador:Comoblogs,MySpace,YouTubeeapiratariadigital
estãodestruindonossaeconomia,culturaevalores.RiodeJaneiro:JorgeZaharEditora,
2009.
KENNEDY,D.James.Revoluçãonaevangelização.2.ed.SãoPaulo:VidaNova,1978.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.59
KIRST,Nelson.Nossaliturgia:Dasorigensatéhoje.3.ed.RevistaeAtualizada.SãoLeopoldo:
Sinodal,2003.(SérieColmeia).
KISTEMAKER,Simon.Apocalipse.SãoPaulo:CulturaCristã,2004.(ComentáriodoNovo
Testamento).
LANGE,JohnPeter;SCHAFF,PhilipSchaff.AcommentaryontheHolyScriptures:Matthew.
Bellingham,WA:LogosBibleSoftware,2008.
LANIER,Jaron.Gadget:Vocênãoéumaplicativo.SãoPaulo:Saraiva,2010.
LAWNSON,StevenJ.AarteexpositivadeJoãoCalvino.SãoJosédosCampos:EditoraFiel,
2008.
LÉVY,Pierre.Oqueévirtual?Reimp.1999.SãoPaulo:Editora34,1996.
__________.Cibercultura.SãoPaulo:Editora34,1999.
LEWIS,C.S.Cartasdeumdiaboaseuaprendiz.SãoPaulo:MartinsFontes,2009.
LLOYD-JONES,D.Martin.Avivamento.2.ed.SãoPaulo:PublicaçõesevangélicasSelecionadas,
1993.
__________.Ospuritanos:Suasorigenseseussucessores.SãoPaulo:PublicaçõesEvangélicas
Selecionadas,1993.
LOHFINK,Gehrard.ComoJesusqueriaascomunidades:Adimensãosocialdafécristã.São
Paulo:Paulinas,1987.
LONESURVIVOR.ProduçãodePeterBerg;SarahAubrey;RandallEmmett;NortonHerrick;
BarrySpikings;AkivaGoldsman;MarkWahlberg;StephenLevinson;VitalyGrigoriants.Local:
EstadosUnidos,2013,04:59.BaseadonaobradeLUTTRELL,Marcus.LoneSurvivor:The
EyewitnessAccountofOperationRedwingandtheLostHeroesofSEALTeam10.NewYork;
Boston;London:Little,BrownandCompany,2007.
LOUW,JohannesP.;NIDA,EugeneAlbert.Greek-englishlexiconoftheNewTestament:
Basedonsemanticdomains.NewYork:UnitedBibleSocieties,1996.
MACGAVRAN,Donald.Compreendendoocrescimentodaigreja.SãoPaulo:SEPAL,2001.
MARÍAS,Julián.Históriadafilosofia.SãoPaulo:MartinsFontes,2004.
MÁRQUEZ,GabrielGarcía.Ooutonodopatriarca.RiodeJaneiro;SãoPaulo:EditoraRecord,
1975.
MARSHALL,I.Howard.TeologiadoNovoTestamento:Diversostestemunhos,umsó
evangelho.SãoPaulo:VidaNova,2007.
MARTIN,RalphP.Adoraçãonaigrejaprimitiva.2.ed.rev.SãoPaulo:VidaNova,2012.
MATOS,AlderiSouzade.Acaminhadacristãnahistória:ABíblia,aigrejaeasociedade
ontemehoje.Viçosa:Ultimato,2005.
MCGRATH,Alister.AvidadeJoãoCalvino.SãoPaulo:CulturaCristã,2004.
MCLUHAN,Marshall.Osmeiosdecomunicaçãocomoextensõesdohomem.SãoPaulo:
Cultrix,1996.
MINTZBERG,Henry.Criandoorganizaçõeseficazes:Estruturasemcincoconfigurações.2.
ed.Reimp.2006.SãoPaulo:EditoraAtlas,2003.
MIRANDA,JuanCarlos.Manualdecrescimentodaigreja.Reimp.1991.SãoPaulo:VidaNova,
1989.
MOORE,WAYLONB.Multiplicandodiscípulos:Ométodoneotestamentárioparao
crescimentodaigreja.3.ed.RiodeJaneiro:JuntadeEducaçãoReligiosaePublicações,1990.
MORRIS,LeonL.Lucas:Introduçãoecomentário.Reimp.1986.SãoPaulo:VidaNova;Mundo
Cristão,1983.(SérieCulturaBíblica).
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.60
NASCIMENTOFILHO,AntonioJosédo.Olaicatonateologiaeensinodosreformadores.
Disponívelem:<http://www.thirdmill.org/files/portuguese/31822~9_18_01_3-2231_PM~laicato.htm>.Acessoem:21fev.2013.
NASCIMENTO,MisaelBatistado.Métodosgerenciaisnaigreja:Verificaçãodabiblicidadee
pertinênciadaadministraçãoestratégicanoâmbitodaIgrejaPresbiterianadoBrasil.São
Paulo:CentroPresbiterianodePós-GraduaçãoAndrewJumper,2008.Originalmente
apresentadacomotesededoutoradoemministério,CentroPresbiterianodePós-Graduação
AndrewJumper.
NOVOCÂNTICO.15.ed.Reimp.2007.SãoPaulo:CulturaCristã,2006.
OAK,JohnHanHum.Chamadoparaacordaroleigo.SãoPaulo:CulturaCristã,2006.
PACKER,J.I.NadinâmicadoEspírito:Umaavaliaçãodaspráticasedoutrinas.SãoPaulo:
VidaNova,2010.
PEARCEY,Nancy.Verdadeabsoluta.RiodeJaneiro:CasaPublicadoradasAssembleiasdeDeus,
2006.
POE,EdgarAllan.AssassinatosnaruaMorgueeoutrashistórias.SãoPaulo:L&PMEditores,
2011,e-BookKindle.(L&PMPocket).
PONTIFÍCIOCONSELHOPARAASCOMUNICAÇÕESSOCIAIS.Igrejaeinternet.2.ed.SãoPaulo:
Paulinas,2002.
PORTALEDUCAÇÃO.Comofazerobomusodasredessociais.Disponívelem:
<http://www.portaleducacao.com.br/informatica/artigos/48368/como-fazer-o-bom-uso-dasredes-sociais>.Acessoem:15mai.2014.
PORTALLUTERANO.Conversasàmesa.Disponívelem:<http://www.portalluterano.org.br/index.php/extensions/martinho-lutero/conversas-a-mesa-tischredenintroducao>.Acessoem30abr.2014.
POWERS,William.OblackberrydeHamlet:Filosofiapráticaparaviverbemnaeradigital.
SãoPaulo:AlaúdeEditorialLtda.,2012.
PURVES,Andrew.Pastoraltheologyintheclassicaltradition.Louisville;London:
WestminsterJohnKnoxPress,2001.
REFORMAERAZÃO.Disponívelem:<http://www.reformaerazao.com/2010/02/horatiusbonar-1808-1889-biografia.html>.Acessoem:02mai.2014.
RICHARDS,LawrenceO.Teologiadaeducaçãocristã.3.ed.Reimp.2008.SãoPaulo:VidaNova,
1996.
ROBINSON,HaddonW.Pregaçãobíblica:Odesenvolvimentoeaentregadesermões
expositivos.1.ed.AtualizadaeAmpliada.Reimp.2011.SãoPaulo:VidaNova,2002.
RYKEN,Leland.Santosnomundo:Ospuritanoscomorealmenteeram.2.ed.SãoJosédos
Campos:Fiel,2013.
SAINT-EXUPÉRY,Antoinede.Cidadela.3.ed.RiodeJaneiro:NovaFronteira,1982.
SANANTONIOVOCALARTSENSEMBLE—SAVAE.Rediscoveringmusic&chantofMiddle
Easternspirituality(RedescobrindoamúsicaeocantodaespiritualidadedaIdadeMédia).
Disponívelem:<http://www.savae.org/echoes1.html>.Acessoem:4abr.2012.
SANTOS,Valdeci.Antesdecontinuarfalandosobrerevitalizaçãodeigrejas:Discussão
preliminar,inFidesreformata,v.18,n.1(2013).
SAVAE.Ancientechoes:MusicfromthetimeofJesusandJerusalem’ssecondtemple.
WorldLibraryPublication,2002.1CD.
SCHWARZ,ChristianA.Odesenvolvimentonaturaldaigrejas:Guiapráticoparacristãose
igrejasquesedecepcionaramcomreceitasmirabolantesdecrescimento.Curitiba:Editora
EvangélicaEsperança,1996.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.61
__________.Evangelizaçãobásica:Umamaneiraagradáveldeensinarasboasnovas.Curitiba:
EditoraEvangélicaEsperança,2003.
SCHWARZ,ChristianA.;SCHALK,Christoph.Apráticadodesenvolvimentonaturaldaigreja.
Curitiba:EditoraEvangélicaEsperança,1998.
SHELLEY,BruceL.Históriadocristianismoaoalcancedetodos:Umanarrativado
desenvolvimentodaigrejacristãatravésdosséculos.SãoPaulo:SheddPublicações,2004.
SITTEMA,John.Coraçãodepastor:Resgatandoaresponsabilidadepastoraldopresbítero.
2.ed.SãoPaulo:CulturaCristã,2008.
SOUSA,JadielMartins.CharlesFinneyeasecularizaçãodaigreja.SãoPaulo:Edições
Parakletos,2002.
SPURGEON,CharlesH.Oconquistadordealmas.SãoPaulo:PublicaçõesEvangélicas
Selecionadas,1986.
SUFFERT,Georges.TuésPedro:Santos,papas,profetas,mártires,guerreiros,bandidos:A
históriadosprimeiros20séculosdaigrejafundadaporJesusCristo.RiodeJaneiro:
Objetiva,2001.
TASSIN,Claude.OjudaísmodoexílioaotempodeJesus.SãoPaulo:Paulinas,1988.(Série
CadernosBíblicos—46).
TAVARES.MauroCalixta.Gestãoestratégica.2.ed.SãoPaulo:EditoraAtlas,2005.
TENNEY,MerrillC.(Org.).EnciclopédiadaBíblia.SãoPaulo:CulturaCristã,2008.v.2(D—G).
__________.EnciclopédiadaBíblia.SãoPaulo:CulturaCristã,2008.v.5(Q—Z).
THEWALKINGDEAD.ProduçãodeScottM.Gimple;RobertKirkman;GaleAnneHurd;David
Alpert;TomLuse;GregNicotero.Local:EstadosUnidos,2010,1ªtemporada,1ºepisódio,“Days
GoneBye”.
TIPPETT,AlanR.APalavradeDeuseocrescimentodaigreja:Basebíblicadopontode
vistadocrescimentodaigreja.SãoPaulo:VidaNova,1983.
TURNER,David;BOCK,DarrellL.Cornerstonebiblicalcommentary:MatthewandMark.
CarolStream,IL:TyndaleHousePublishers,2005.v.11.
THAILIFEINSURANCE.Unsunghero.Disponívelem:
<https://www.youtube.com/watch?v=Gu5_j95ZIgs>.Acessoem:09jun.2015.
UTLEY,RobertJames.Thefirstchristianprimer:Matthew.Marshall,TX:BibleLessons
International,2000.v.9.(StudyGuideCommentarySeries).
VANGRONINGEN,Gerard.Criaçãoeconsumação.SãoPaulo:CulturaCristã,2004.v.2.
VANHALSEMA,TheaB.JoãoCalvinoeraassim.SãoPaulo:EditoraVidaEvangélica,1968.
VEEN,Wim;VRAKKING,Ben.Homozappiens:Educandonaeradigital.PortoAlegre:Artmed,
2009.
VOS,Geerhardus.Teologiabíblica.SãoPaulo:CulturaCristã,2010.
WAGNER,Peter.Estratégiasparaocrescimentodaigreja.SãoPaulo:SEPAL,1991.
WALLACE,Ronald.Calvino,GenebraeaReforma.SãoPaulo:CulturaCristã,2003.
WARREN,Rick.Umaigrejacompropósitos.2.ed.rev.eatual.SãoPaulo:EditoraVida,2008.
WELLS,DavidF.Coragemparaserprotestante.SãoPaulo:CulturaCristã,2010.
WIERSBE,WarrenW.TheBibleexpositioncommentary.Wheaton,IL:VictorBooks,1996.v.1.
MisaelNascimento|Discipuladovivoesimples|Pg.62