Game On - Barbican

Сomentários

Transcrição

Game On - Barbican
international enterprises
Game On
Museu da Imagem e do Som (MIS),
Sao Paulo, Brazil
10 November 2011 - 8 January 2012
international enterprises
Selected Press
Folha.com 1/3
9 Nov 2011
Folha.com 2/3
9 Nov 2011
Folha.com 3/3
9 Nov 2011
Cidadedesaopaulo.com
Globo.com 1/3
10 Nov 2011
Globo.com 3/3
10 Nov 2011
Globo.com 2/3
10 Nov 2011
Estadao.com.br
Estadao.com.br
UOL Jogos 1/2
11 Nov 2011
UOL Jogos 2/2
11 Nov 2011
Mostra transforma MIS em fliperama
Publicado em 08/11/2011 - 0 comentários
Exposição Game On permite ao público brincar com mais de 120 jogos, do Atari aos consoles
atuais
A história, a cultura, o futuro e o potencial dos videogames são apresentados na exposição Game
On, que abre quinta, no Museu da Imagem e do Som (MIS). A mostra transforma o espaço do museu em uma zona interativa onde o público pode brincar em mais de 120 jogos, do antigo Atari aos
consoles atuais.
Criada no Reino Unido, a exposição passou por mais de dez países de três continentes antes de
chegar ao Brasil, e fica em cartaz em São Paulo até 8 de janeiro.
Game On toma todo o espaço expositivo do MIS. A mostra é dividida em 11 seções, entre elas kids,
com uma seleção dos games favoritos das crianças; e multiplayer games, em que vários participantes podem jogar ao mesmo tempo.
Outro setor é voltado à cultura do videogame em diferentes países. Há uma seção com trilhas sonoras para jogos. Ainda há lugar para expor personagens marcantes dos games, como Super Mario e
Sonic.
Raridades
Um dos destaques é um espaço dedicado aos primórdios dos videogames, onde há consoles antigos. Está em exposição, por exemplo, uma réplica do PDP-1, de 1960, um dos primeiros computadores fabricados no mundo. Dois anos depois, o game Spacewar foi desenvolvido e adaptado para
ser jogado no PDP. Jogos de Arcade (como Pac Man, Asteroids e Donkey Kong) também estão
nessa divisão da mostra.
A programação inclui um ciclo de palestras e debates com especialistas da indústria de games do
Reino Unido e do Brasil. Eles vão falar sobre temas como roteirização, design e animação de personagens, e inteligência artificial. Os encontros são abertos ao público mediante inscrição prévia.
Destak Jornal
08 Nov 2011
Exame.com 1/2
14 Nov 2011
Exame.com 2/2
14 Nov 2011
Game On: Evento mostra a evolução da Tecnologia e dos Games
15/11/2011 • Posted In: Cultura, Eventos
Explorando a cultura, história e o futuro dos jogos eletrônicos no mundo, começou dia 10 de novembro, o
Game On. O evento ocorre em São Paulo, no Museu da Imagem e Som e conta com cerca de 120 jogos
para o público experimentar.
Com origem no Reino Unido, o Game On chega ao solo brasileiro na sua primeira vez depois de passar por 10 países do globo. Na mostra há seções para todos os gostos. São 11 compartimentos que são
divididos entre crianças, adultos, história das revistas especializadas em games, trilha sonoras de jogos, a
evolução dos games junto com a tecnologia, entre outros.
Ele é uma boa oportunidade para você conferir grandes clássicos dos jogos, como Computer Space, Pinball, Space Wars, Pachinko, Pacman. Quem tiver o interesse em relembrar videogames antigos, também
encontrará um espaço especialmente dedicado aos saudosos consoles desde 1972.
Na Game On, o visitante conhece desde os primeiros fliperamas, como o “Pong” (primeiro, feito em 1972),
até elementos que representam as tecnologias mais avançadas na área de games, como o jogo “Child of
Eden” para Kinect, do Xbox.
Por dentro da Game On, o usuário encontrará peças históricas dos primeiros jogos eletrônicos, como fliperamas. Também está presente o Magnavox Odyssey, de 1972, considerado um dos primeiros consoles
feitos para serem usados na casa do usuário. “São todas máquinas originais. Uma das razões pelas quais
eu viajo com a exposição é para poder consertá-las, porque elas quebram bastante”, afirma um dos organizadores do evento.
O público poderá participar também de palestras e debates com temas referentes a área de jogos. Vários
assuntos serão tratados como trilha sonora, animação de personagens, roteirização, inteligência artificial,
entre outros.
O Game On fica no Museu da Imagem e Som até a data de 8 de janeiro de 2012.
Os ingressos têm o valor de R$ 10 (Inteira) e R$ 5 (meia). O MIS fica na Avenida Europa, 158 – Jardim
Europa (SP). A exposição acontece de terça a sexta, das 12h até às 20h. Aos domingos, sábados e feriados, ele abre das 11h até às 21h.
http://nosgeeks.com.br/game-on-evolucao-da-tecnologia-junto-com-a-dos-games/
Nos Geeks
15 Nov 2011
“Game On” transforma o MIS em lan house
Mostra interativa fica em cartaz até janeiro e terá mais de 120 jogos para o
público brincar
Catarina Cicarelli | 08/11/2011
“Game On”, montada nos Estados Unidos: mostra passou por mais de dez países
Divulgação
Para quem acha que museu é sinônimo de tédio, a mostra “Game On” quer provar o contrário. A
partir desta quinta (10), ela transforma o Museu da Imagem e do Som (MIS) em uma espécie de
lan house, com mais de 120 jogos à disposição dos visitantes.
A exposição acompanha a evolução dos videogames desde exemplares como o Tetris e o PacMan até os modernos Rock Band e Gran Turismo. A mostra é dividida ainda em onze seções,
que abordam temas como trilhas sonoras de jogos, novas tendências e cultura do videogame, e
os personagens que mais marcaram o mercado, como Mario e Sonic.
Concebida pelo Barbican Centre, do Reino Unido, a mostra já passou por mais de dez países,
incluindo Estados Unidos, Austrália e Holanda. Em São Paulo, ela fica em cartaz até 8 de janeiro.
Aberta de terça a domingo, incluindo feriados, a visitação custa 10 reais.
http://vejasp.abril.com.br/noticias/game-on-transforma-mis-em-lan-house
Veja Sao Paulo
08 Nov 2011
21/11/2011 - 08h42
Exposição mostra nascimento e triunfo dos videogames
SÃO PAULO - As maiores cidades ao redor do mundo estão coalhadas de pequenos mosaicos que
surgem de repente e representam alienígenas em _para usar um termo contemporâneo_ muito baixa
resolução. Os mosaicos são obra do artista de rua francês Invader e são de reconhecimento imediato
para quem tem entre 30 e 40 anos. Trata-se dos inimigos a destruir no jogo eletrônico “Space Invaders”, grande sucesso nos anos 1980.
Lado a lado, os alienígenas decoram uma das paredes da exposição “Game On”, em cartaz no Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo. Originária da galeria Barbican Centre, de Londres, a
exposição traça a história da evolução dos videogames, desde suas origens nos laboratórios universitários dos EUA até o triunfo de uma forma estética que muitos já consideram uma manifestação de
arte. Os visitantes, que podem permanecer três horas no espaço de exposição, podem jogar games
antigos como “Street Fighter” e “Asteroid”, cantar junto com os Beatles ou controlar naves espaciais
com o movimento das mãos soltas no ar.
Ao lado de imagens como o personagem “Super Mario” e o círculo amarelo de “Pac Man”, os alienígenas se tornaram ícones culturais, a tal ponto que artistas como Invader os retrabalham em suas
intervenções urbanas. Foi-se o tempo em que os videogames eram passatempo juvenil, se é que um
dia o foram. Hoje, as salas de estar de jovens adultos contêm consoles de jogos e, muitas vezes, o
aparato necessário para usar o Wii.
“Os jogos estavam ficando cada vez mais complexos, com dezenas de botões para apertar. Só adolescentes malucos como eu conseguiam se interessar por aquilo”, diz Patrick Moran, responsável por
acompanhar a exposição ao redor do mundo e garantir o funcionamento das dezenas de máquinas.
“O Wii foi criado para simplificar os jogos, que passaram a ser ?cool’ e usado por famílias inteiras.”
Não por acaso, é consenso que a estética dos videogames, com suas mudanças constantes de
plano e sua sonoridade frenética, exerce hoje uma forte influência sobre o que é feito no cinema e na
televisão. Hoje, Moran tem 26 anos e é artista plástico, mas afirma que seu trabalho estético não tem
relação nenhuma com sua paixão pelos videogames.
Todas as características de uma arte autônoma começam a se incorporar ao universo dos games.
Até mesmo a crítica: existem duas correntes de teoria dos jogos (não confundir com a teoria dos
jogos em matemática), segundo Moran. A “narratologia” defende que o interesse do videogame para
seu usuário está nas narrativas que se podem construir, com as vidas perdidas, as fases superadas,
os pontos conquistados.
Já a “ludologia” considera a narrativa irrelevante e o jogo cria interesse porque promove a interação
entre um usuário e um mecanismo. Ou seja, o jogador realiza uma engenharia reversa, redescobrindo os caminhos deixados pelo criador do programa, como se montasse um quebra-cabeças ou
construísse um relógio a partir de suas partes.
Valor 1/2
21 Nov 2011
Os jogos eletrônicos, como as grandes formas de arte, também têm seus grandes gênios. O japonês
Shigeru Miyamoto é considerado o “Spielberg dos videogames”, por ter criado jogos como “Donkey
Kong” e “Super Mario Bros”, além de ter sido um dos criadores do sistema Wii, com o qual é possível
simular partidas de boliche, espetáculos de rock e lutas de boxe. Patrick Moran, porém, faz uma ressalva. “Para os videogames, ele é mais do que um Spielberg. Quando Spielberg fez seus filmes, o
cinema já existia há décadas. Miyamoto praticamente criou a estética dos games”, diz.
tinha bloqueado o funcionamento da máquina. (Diego Viana/Valor Econômico)
Moran assinala que desde que há máquinas, o ser humano quer jogar com elas. Na Exposição Universal de Paris, em 1885, matemáticos apresentaram os primeiros algoritmos para jogar xadrez.
Nos silos que continham bombas atômicas dos EUA durante os anos 1950, engenheiros e físicos
desenvolveram programas com os quais conseguiam jogar partidas primitivas de tênis parecidas com
aquele que seria o primeiro jogo comercial, “Pong” (1971), criado por Nolan Bushnell, fundador da
companhia Atari. O primeiro jogo que podia ser reproduzido em qualquer laboratório surgiu na universidade americana MIT (Massachusetts Institute of Technology) em 1962: “Spacewar!”, um trambolho
que funcionava com fita magnética.
O furacão comercial que seriam os jogos eletrônicos foi descoberto quase por acaso, segundo Moran. Após algumas tentativas fracassadas, Bushnell juntou suas economias e criou um único protótipo do jogo “Pong”, em 1971. Durante a noite, o dono do bar em que Bushnell instalou a máquina
o chamou para consertá-la. Ao descobrir o motivo, o inventor percebeu que estava diante de um
sucesso estrondoso: o excesso de moedas inseridas para jogar tinha bloqueado o funcionamento da
máquina. (Diego Viana/Valor Econômico)
“Game On”
Quando: em cartaz até 8/1/2012; ter. a sex., das 12 às 20h; dom., sáb. e feriados, das 11 às 21h;
Onde: Museu da Imagem e do Som - MIS (av. Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo, tel. 11 2117
4777; site: www.mis-sp.org.br);
Quanto: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia);
Classificação indicativa: livre (alguns games possuem classificação indicativa própria)
http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/valor/2011/11/21/exposicao-mostra-nascimento-e-triunfodos-videogames.jhtm
Valor 2/2
21 Nov 2011
Game On
10 Nov- 8 Jan 2012
From Space Invaders to the cutting edge
For some, the synthesised melodies that loop around and around on the Mario Bros. theme tune trigger
instant trips down memory lane, back to the halcyon days of primary colours, 2D graphics and simple pointand-shoot strategies. Maybe you were more of a Sonic fan; or was it those pesky Pokémon you preferred?
– gotta catch’em all. Or quite possibly, the very idea of these repetitive sounds and garish images is already
raising your hackles, and you’re muttering about blaming video games for social ills and turning young brains
to mush.
But love them or loathe them, you can’t deny their persuasive pull and pop cultural value, and one man with
his finger firmly on the joypad of relevance is André Sturm, the director of São Paulo’s Museu da Imagem e do
Som (MIS), who has worked hard to bring ‘Game On’ – the touring exhibition of all things video-game related
– to Brazil. ‘When I first started work as the director here, I knew I wanted to do two things: an exhibition featuring music videos and one about video games,’ he says – and so the negotiations began.
Originally held at the Barbican, London, way back in 2002, ‘Game On’ is all about discovering – or rediscovering – games old and new, and looking to the future for what’s in store. ‘I think Game On will be great for showing people how games have changed over the years, and to help people see games as realisations of human
intellect and creativity,’ says Sturm.
And despite ill feeling in some quarters towards gaming, things are starting to change. According to Antônio
Amorim, VP of communications of Brazil’s Game Developers Association, there are 35 million Brazilian video
game players today, and a lot of them – around 50 per cent – are casual gamers who play on either flash websites or social networks. ‘The games market used to be a niche. Now, everybody’s playing,’ he says.
While more people might be playing, many still don’t know there’s more to gaming than just Farmville or Angry
Birds, or the mindless monotony of pressing buttons over and over again. The amazing graphics and intricate
storytelling in games like L.A. Noire or Deus Exgive the lie to that stereotype; and ‘Game On’ is an excellent
chance, for those so inclined, to learn a little about the history and future of video games by doing what gamers do best – playing. More than 90 per cent of the exhibits are hands-on, from Pong, one of the first games
invented, to the Nintendo Wii, and of course, the classics like Space Invaders and old pinball and arcade
machines. It would be game over not to give them all a try.
By Ana Cecília de Paula
Time Out Sao Paulo
Nov 2011
Governo do Estado de Sao Paulo - Secretaria da Cultura
19 Dec 2011
Workshop
Introduction of Independent Games and its Design
(21 Dec 2011)
Patrick Moran (from GameON) conducted a workshop for Independent Games and
Design at MIS (Museo da Imagem e do Som - Museum of Image and Sound) in Sao
Paulo, Brazil.
During the workshop, he presented us several topics related to independent games
and its different types, ranging from dynamic games, where players are able to interact
with the world around them, to “command/text-oriented” games, which is the type of
game in which the player needs to input text in a dialog box in the form of commands
in order to be able to interact with the game.
Besides introducing these new concepts of game creation, Patrick had also given us
the chance to use some of the game developing tools that are available on the Web for
us to be able to create our own games and post it for others to play!
Patrick’s also explained us the approach he uses when talking about games development. For him, every aspect, functionality and interaction of a game, can be treated as
we treat the grammar structure of a language. For instance, every action a character
takes in a game world, can be considered a “verb” (e.g. “collect”, “jump”, “explore”,
“punch”, etc...) Although this comparison can sound a little weird in the beginning, at
the end of his presentation, it started making complete sense!
We really had a great time (and a lot of fun!) during his workshop, and we definitely
hope to be able to meet again in the future to chat and exchange ideas regarding this
wonderful world which we all love - the Games world!
VnVgames.com
21 Dec 2011
international enterprises
Links to video content:
Diario de S. Paulo
http://www.youtube.com/watch?v=BOiq9BSH6AA
MTV Games
http://games.mtv.uol.com.br/videos/exposicao-game-on-mtv-games-07
Lektronik entrevista: Patrick Moran
http://www.youtube.com/watch?v=BpGn-kzDlRg
Television broadcasts
SPTV: Globo
http://g1.globo.com/videos/sao-paulo/v/exposicao-conta-a-historia-dos-videogames/1695960/#/SPTV
1/page/1
Hoje em Dia: Record
http://entretenimento.r7.com/hoje-em-dia/videos/detalhes/idmedia/4ec121963d141b8812db878e-1.html
Band: SP Acontece
http://books.boxnet.com.br/books/visualizacao_clipping_new.aspx?ID_TEMPLATE=&ID_
CLIPPING=17897912&ID_BOOK=192224&ORDEM=39&QTDE_CLIPPINGS=74&NM_ARQUIVO=0&ID_
MESA=
MixTV
http://www.mixtv.com.br/programas/plantaomix/exposicao-para-quem-gosta-de-games/

Documentos relacionados

Game On: O Jogo Começou

Game On: O Jogo Começou 11 seções da exposição. Algumas delas serão: kids (com uma seleção dos jogos favoritos das crianças), trilha sonora para jogos, novas tendências, cultura do videogame em diferentes países, multipla...

Leia mais