plantas medicinais contra parasitoses intestinais (ameba e giardia)

Сomentários

Transcrição

plantas medicinais contra parasitoses intestinais (ameba e giardia)
CURSO DE PLANTAS MEDICINAIS PARA
AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
PLANTAS MEDICINAIS EM ATENÇÃO BÁSICA À SAÚDE
PLANTAS MEDICINAIS CONTRA PARASITOSES
INTESTINAIS (AMEBA E GIARDIA) E VERMINOSES
INFORMAÇÕES
!
Os ovos da lombriga (Ascaris lumbricoides) são encontrados nas fezes
humanas. Depois que as fezes contaminam o solo os ovos ficam
infecciosos após algumas semanas.
!
A infecção ocorre quando a pessoa ingere acidentalmente os ovos
infecciosos da lombriga. Uma vez nos intestinos, as lombrigas
imaturas saem dos ovos. A larva da lombriga então migra para os
pulmões e de lá para a garganta onde são engolidas.
!
Depois de engolida, a lombriga alcança novamente os intestinos,
a onde se desenvolve em verme adulto.
Ovo de Ascaris lumbricoides
Verme adulto de
Ascaris lumbricoides
A ameba e giárdia são micróbios (parasitas) que vivem no nosso
organismo podendo trazer grandes problemas para a saúde, além
de diarréias. Entram quando bebemos água e comemos
alimentos sujos e contaminados.
!
!
As seguintes medidas preventivas são importantes: Giardia lamblia
- Só beber água filtrada ou fervida;
- Lavar bem as frutas e verduras antes de comê-las;
-Lavar sempre as mãos, principalmente, antes das refeições;
- Sempre lavar as mãos após ir ao banheiro;
- Nunca defecar direto no solo;
- Ter freqüente higiene pessoal.
PÓ DAS FOLHAS DE HORTELÃ-RASTEIRA
!
COMPONENTES
!
!
!
!
Folhas de hortelã-rasteira secas a sombra
Pano de prato limpo.
Mão de pilão pequena
Frasco bem lavado
MODO DE FAZER:
Colocar as folhas secas de hortelã-rasteira dentro de um pano limpo
e torça o pano para prender as folhas. Logo após, socar o pano com
a mão de pilão até que as folhas virem pó. Guardar este pó em um
frasco limpo. .
!
INDICAÇÃO:
Antiparasitário contra ameba e giardia.
Serve também para tratar corrimento provocado
por trichomonas.
Hortelã-rasteira
Mentha X villosa Huds.
!
MODO DE USAR:
Usa-se o pó na dose de meia colherinha das de café três
vezes ao dia, durante cinco dias.
O pó deve ser misturado com mel de abelha ou frutas
machucadas no momento do uso.
O tratamento deve ser repetido após dez dias e não exclui
uma visita ao médico.
FOLHAS FRESCAS DE MASTRUZ
!
!
!
!
!
COMPONENTES
Folhas frescas de mastruz bem lavadas.
Erva-de-santa-maria ou Mastruz
Chenopodium ambrosioides L.
MODO DE FAZER:
Coloque as folhas frescas de mastruz em um pilão e machuque-as
até formar uma pasta. A quantidade de folhas é de acordo com
a dose, conforme especificado no modo de usar.
!
INDICAÇÃO:
Usada como vermífugo contra Ascaris (lombriga), Ancilostoma
e Oxiurus.
!
!
MODO DE USAR:
!
A pasta de folhas de mastruz pode ser ingerida misturada ao mel.
Deve ser usada nas doses de 0,1 a 0,3g por quilo de peso,
tomadas três dias seguidos, assim recomendadas:
-Crianças com 10 a 20kg: uma (1)colher das de sobremesa.
-Crianças com 20 a 40kg:uma (1) colher das de sopa.
-Jovens e adultos: duas (2) a três (3) colheres das de sopa
-O tratamento deve ser repetido após 10 dias, e não exclui uma
visita ao médico.
!
INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR:
Externamente a pasta das folhas de mastruz pode ser usada como
emplastro para tratamento de ferimentos e inflamações da pele.
BIBLIOGRAFIA CONSULTADA
!
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção
Básica. Práticas Integrativas e Complementares; Plantas Medicinais e Fitoterapia na
Atenção Básica/ Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de
Atenção Básica – Brasília: Ministério da Saúde, 2012.
!
MATOS, F. J. A., Farmácias Vivas. 3º Ed. Fortaleza: EUFC, 1998, 219p.
!
!
MATOS, F. J. A., BANDEIRA, M.A.M.. Manual de Orientação Farmacêutica sobre
Preparação de Remédios Caseiros com Plantas Medicinais. Fortaleza: Projeto
Farmácias Vivas, 2010, 40p.
!
MATOS, F. J.A.. Plantas Medicinais: Guia de Seleção e emprego de Plantas usadas
em Fitoterapia no Brasil. 3. Ed. Fortaleza: Ed. UFC, 2007. 263p.
!
SOUSA et al. . Constituintes Químicos Ativos e Propriedades Biológicas de Plantas
Medicinais Brasileiras. 2{ Ed. Fortaleza: EUFC, 2004, 448p.
!
!