O fundamentalismo Religioso e as favelas cariocas

Сomentários

Transcrição

O fundamentalismo Religioso e as favelas cariocas
O fundamentalismo Religioso e as favelas cariocas
A religião em sua etimologia significa em latim: religare, significando religação com o
divino, no entanto, nas comunidades cariocas onde persiste o tráfico de droga,
assume outro significado.
A fé é muito importante para o Brasileiro, é na fé que este encontra motivos
para seguir em frente diante das adversidades. Aqui trataremos da doutrina
evangélica, que surgiu com um movimento iniciado na Europa Central no início do
século XV pelo protestante Martinho Lutero que era sacerdote agostiniano e
professor de teologia alemão e seus seguidores que fundaram igrejas "evangélicas" na
Alemanha e Escandinávia entre outros protestantes. Esse movimento foi uma reação
contra as doutrinas e práticas do catolicismo romano medieval.
A fé é alimentada com o estudo constante das escrituras sagradas expostas na bíblia
que trás consigo o antigo testamento e o novo testamento que é interpretada e
transmitida através de seus sacerdotes (pastores e bispos) aos fiéis e/ou rebanho de
Deus. O fato é que muito do que é transmitido é posto juízo de valor do próprio
pregador em alguns casos é subvertido o seu significado.
“Ao soldado de Deus a fé o tornará imbatível”, é ai que mora o problema!
Durante a segunda guerra mundial, a maioria dos pilotos aliados ou do eixo
tinha como estrutura para o combate a boa forma física, disciplina, técnica e o mais
importante, um amuleto; Para alguns um pedaço de papel como a foto da família
afixado nos instrumentos, para outro uma chupeta pendurada na farda, uma pulseira
da amada, e para muitos uma bíblia sagrada de bolso. A fé destes melhorava sua autoestima afim superar as perdas e acreditar nas vitórias. O ser humano tem a
necessidade de acreditar em algo superior, somente a ciência e a técnica não da base
para a existência.
No oriente médio vimos do que são capazes os soldados de Deus na modalidade de
Homens – bombas contra os “infiéis” Esta modalidade suicida de terrorismo surgiu
nos séculos XIV e XVI durante o Império Turco-Otomano com os guerreiros suicidas
bashi-bazouks, que se explodiam perto de fortificações inimigas.
No Oriente Médio cerca de vinte anos para os dias atuais podemos citar como os
principais grupos terroristas: o Hamas, Jihad Islâmica, a Brigada dos Mártires de AlAqsa que utilizaram como recurso o homem-bomba. Nos presentes dias homens e
mulheres nas mais variadas idades são recrutados e são doutrinados para este ato,
com promessa de prêmio para a família e a promessa de vida boa no paraíso. No
presente, o atentado terrorista às Torres Gêmeas do World Trade Center em Nova
Iorque orquestrado pela AL-qaeda que teve suporte do taliban marcou o início da
guerra ao terror dos EUA e a estudos em todo o mundo para a prevenção anti e
contra-terrorismo (anti-terrorismo, fase de inteligência e prevenção; contra-terrorismo,
fase de combate).
Nas favelas cariocas já podemos ver como a doutrina evangélica propagada em alguns
casos de forma equivocada pelos pregadores, está atuando na capacidade psicológica
dos marginais da lei favorecendo a combatividade destes.
O combate pressupõe enfrentamento seguido de fulga, morte e/ou rendição de uma
das partes. Estes já possuíam em seu íntimo o sentimento de menos favorecidos, ou
seja, não tem mais nada a perder, desejo de paz , justiça e liberdade, onde a paz é
para eles transitarem e comercializarem a droga sem intervenção do Estado, justiça
pela própria mão armada e liberdade para não serem presos e poderem fazer e pegar
o que quiserem (libertinagem seria o termo melhor). Agora buscam na fé a garantia de
que Deus está do lado deles no combate não temendo a morte, não fugindo a luta e
render-se ao inimigo? jamais, pois, não é considerado este um ato do soldado de
Deus.
Pode se evidenciar o fenômeno no documentário “Dançando com o Diabo”
Idealizado pelo jornalista inglês Tom Phillips, correspondente do jornal ( The Guardian)
onde o longa mostra as favelas cariocas na visão de três personagens ligados
diretamente ao tráfico: um pastor, um policial e um criminoso. O pastor Dione dos
Santos, aparece orando com os traficantes antes deles irem para o “serviço”, eles
pedem a benção e a proteção para encarar o inimigo, que é a polícia ou facção rival, o
fato é que este pastor consegue livrar da morte alguns indivíduos que pela justiça do
tráfico estão com pena de morte, mas, apesar de alguns deles relatarem que Deus os
livrou por vezes da Morte, no final, as orações não conseguiram salvar da morte os
traficantes que participam do documentário, pois, 90% dos jovens que participaram
do documentário estão mortos ao final do trabalho de confecção do filme. Neste filme
ele fala da ajuda da religião nestas comunidades, sendo que é fundamental ressaltar
que a ajuda é positiva quando consegue tirar das mãos do tráfico o cidadão marginal
da lei, do contrário, cria um soldado mais perigoso para o seu inimigo (o Estado)do
que aquele que não tem na fé o seu reforço.
No dia 7 de abril de2011, na parte da manhã,o ex estudante da Escola
Municipal Tasso da Silveira, localizada no bairro de Realengo, na cidade do Rio de
Janeiro Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, mostrou o perigo de se ter no
fundamentalismo religioso a base para os atos de violência, este invadiu a sua antiga
escola armado com dois revólveres (um de calibre 38 e o outro de calibre 32) e
começou a disparar contra os alunos presentes, matando doze deles, com idade entre
12 e 14 anos. Sendo interceptado por policiais, sofrendo dois disparos e
posteriormente cometendo suicídio antes que pudesse acionar um artefato explosivo
caseiro.
A motivação do crime estaria exposta em uma carta de Wellington e no testemunho
de sua irmã adotiva onde o descreve como reservado, introspectivo, quieto, relata
também que este sofria bullying na época de estudante, já na fase adulta alimentava
seu desejo de vingança com pesquisa sobre assuntos ligados a atentados
terroristas e a grupos fundamentalistas religiosos radicais. O fato é que era uma
tragédia anunciada, pois, este planejou meticulosamente o crime. Adquiriu duas Armas
de fogo e comprou carregadores rápidos tipo speedloader para o revolver calibre 38 e
os porta carregadores, onde aponto para a primeira falha, pois, perto da escola onde
ocorreu o crime, especificamente a três quadras existe três lojas que vendem tais
recursos,logo, pergunto: Não existe controle para a venda deste material? Será que
ele não comprou tudo em alguma destas lojas?Não se imaginou o porque daquele
jovem estar comprando a R$25 reais cada carregador rápido do tipo speedloader?
As respostas não ajudariam em nada a cada família que teve o infortúnio de perder um
ente querido, mas, pode servir de alerta sobre as facilidades e o que uma mente
doentia associada ao fundamentalismo religioso é capaz de fazer.
É claro e evidente que não se pretende aqui apontar as falhas ou pontos
negativos de uma ou outra religião, e sim participar o conhecimento do fenômeno da
aproximação do marginal da lei, especificamente o traficante com a doutrina
evangélica de forma equivocada. Sem que haja de fato uma salvação ética e moral,
onde este aceita a Jesus, mas, não larga a “vida louka” de nada serve se não somente
para que seu psicológico nutra o conceito de que é imbatível, e mais, que sua luta tem
um ideal santo e abençoado, logo, a purificação e salvação se dá pelo combate e a
morte dos infiéis (a polícia ou facção rival) ou a própria morte em combate levando
consigo vidas de infiéis, caso ocorra morte inocente, estes consideram como vontade
de Deus.
É claro e evidente que estamos vivendo um momento de inversão de valores e
pouco a pouco estamos vendo o surgimento de criminosos que buscam em outras
modalidades de crime exemplos para imposição do império do terror no Rio de Janeiro
e na Religião uma proteção.
Franklin F Aquino
Historiador