Inscrições abertas para aulas de fotografia

Сomentários

Transcrição

Inscrições abertas para aulas de fotografia
Metropolitan Brazilian News
Edição 581 | 30 de março a 5 de abril de 2012
Brasileiro é condenado a
prisão perpétua na Califórnia
O brasileiro Gleiston Andrade,
de 41 anos, foi condenado a prisão
perpétua por seis acusações de
sexo oral forçado e sete de estupro
contra prostitutas na região de
Oakland, no estado da Califórnia. A
decisão da justiça da Califórnia foi
anunciada no último sábado, e o
réu ainda pode recorrer da decisão.
Andrade trabalhava como
caminhoneiro e foi preso na cidade
de Emervylle no ano de 2009, depois de policiais receberem informações de que um homem estaria
levando prostitutas para um estacionamento nos fundos de uma
loja para estuprá-las. Na época,
foram feitos exames de DNA que
apontaram a presença de material genético em duas vítimas,
além de depoimentos de quatro
vítimas. De acordo com o Ministério Público, Andrade usou uma
arma de chumbinho para forçar
as prostitutas a fazer sexo. Depois,
para intimidar as vítimas, dizia que
era policial. A rede CBS informou
que uma das vítimas disse para
ele, chorando: “Minha vida está arruinada por sua causa. Você tirou
tudo de mim, inclusive minha fé
nos seres humanos”.
Durante o julgamento, a advogada do brasileiro disse que havia
poucas provas ligando o réu aos
crimes. Segundo Colleen Murray, as
amostras de DNA recolhidas foram
contaminadas, o que coloca os exames em dúvida. Ela disse que Andrade
nunca se encontrou com as vítimas
e que, na época dos crimes, a polícia
de Oakland acumulava casos de estupro não resolvidos em que o agressor
dizia ser policial.
O brasileiro poderá ter seu nome
incluído no registro de abusadores
sexuais dos Estados Unidos.
Segundo a assessoria de imprensa do Ministério das Relações
Exteriores, o consulado brasileiro
em São Francisco acompanhou o
julgamento de Andrade. O governo
brasileiro disse que dificilmente
vai poder intervir no caso já que o
Estado americano é soberano para
aplicar as suas leis.
11
Inscrições abertas para
aulas de fotografia
O fotógrafo brasileiro Elias Polcheira vai dar aulas em português
aos sábados no escritório central
da agência de serviços sociais e
de saúde da MAPS, localizado no
número 1046 da Cambridge Street,
em Cambridge. Haverá três níveis
diferentes de aulas teóricas e práticas, e os alunos podem se matricular em cada uma separadamente,
ou no curso completo. Eles deverão
trazer suas próprias câmeras, que
podem ser de qualquer modelo
com lentes intercambiáveis.
Introdução à Fotografia e
Trabalho de Câmera (quatro sábados, a partir de 14 de abril) – Os
alunos vão conhecer cada parte da
câmera e aprender a trabalhar com
foco, fazer fotografias em movimento, fundo desfocado e exposição;
Luz e Composição (quatro
sábados, a partir de 12 de maio) – Estudo do trabalho dos grandes mestres
da fotografia; treinar o olho do aluno
para compreender a iluminação através da lente da câmera; trabalho prático com luz natural e artificial; trabalho com flash;
Adobe Lightroom (quatro
sábados, a partir de 9 de junho) –
Desenvolvimento de habilidades
de edição em fotografia usando-se
um software de alta tecnologia.
“Se você quer saber como operar melhor sua câmera e obter me-
lhores resultados, este programa
é para você,” afirmou Polcheira,
que estudou Fotografia Digital na
Boston University e tem trabalhos
publicados em jornais e revistas.
“Se você sonha em se tornar um
fotógrafo profissional, este é também um excelente começo.” O instrutor já ensinou muitos outros
alunos que se tornaram profissionais da fotografia.
Para mais informações ou para
se matricular para as aulas, entre em
contato com Elias Polcheira pelo email
[email protected], ou ligando para (617)
800 4270. Você também pode fazer a
matrícula na recepção do escritório da
MAPS em Cambridge.

Documentos relacionados