A Era do Exibicionismo Digital: O Sentido da Proliferação da Selfie

Сomentários

Transcrição

A Era do Exibicionismo Digital: O Sentido da Proliferação da Selfie
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO – USP
ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES – ECA
CURSO DE GESTÃO INTEGRADA DA COMUNICAÇÃO
DIGITAL EM AMBIENTES CORPORATIVOS
STELLA MARA CARPIM
A ERA DO EXIBICIONISMO DIGITAL: O SENTIDO DA
PROLIFERAÇÃO DA SELFIE NAS REDES SOCIAIS
SÃO PAULO
2014
STELLA MARA CARPIM
1
A ERA DO EXIBICIONISMO DIGITAL: O SENTIDO DA
PROLIFERAÇÃO DA SELFIE NAS REDES SOCIAIS
Monografia apresentada à Escola de Comunicações e Artes da
Universidade de São Paulo como requisito básico para obtenção
de título de especialista em Comunicação Digital.
Orientador: Ivan Paganotti
SÃO PAULO
2014
Autorizo a divulgação e reprodução total ou parcial deste trabalho, por qualquer meio
convencional ou eletrônico, para fins de estudo e pesquisa, desde que citada a fonte.
2
CARPIM, Stella M. A Era do Exibicionismo Digital: O Sentido da Proliferação da Selfie nas Redes
Sociais. Especialização em Comunicação Digital. Escola de Comunicações e Artes. Universidade de
São Paulo. 2014.
Folhas
Orientador: Ivan Paganotti
Monografia (pós graduação) – Digicorp - Escola de Comunicações e Artes da
Universidade de São Paulo
1.Selfie. 2. Foto. 3.Internet. 4.Exibicionismo. 5.Comportamento. 6. Redes Sociais.
I. Paganotti, Ivan. II. Monografia (pós graduação) - Digicorp - Escola de Comunicações e Artes da
Universidade de São Paulo. III. Título.
3
STELLA MARA CARPIM
A ERA DO EXIBICIONISMO DIGITAL: O SENTIDO DA
PROLIFERAÇÃO DA SELFIE NAS REDES SOCIAIS
Trabalho de conclusão do curso de especialização em Gestão Integrada da Comunicação
Digital em Ambientes Corporativos, pela Escola de Comunicações e Artes da
Universidade de São Paulo.
Aprovado em ______de______________de 2014.
Comissão examinadora
_______________________________________________
_______________________________________________
_______________________________________________
Ivan Paganotti
4
À minha mãe e irmãs, que acreditaram em minha capacidade e me deram base
emocional e apoio para concluir mais esta etapa da minha vida acadêmica.
5
Aos professores da 3ª turma do curso de Pós-graduação Lato Sensu: Especialização em
Gestão Integrada da Comunicação Digital, da Escola de Comunicações e Artes da
Universidade de São Paulo e, em especial, ao meu professor orientador Ivan Paganotti, o qual
este projeto não teria sequer sido estruturado com adequação e relevância. Agradeço
imensamente pelo incentivo, estimulo e dedicação, sendo este de importância impar nesta
minha empreitada.
Aos queridos amigos do Digicorp por toda a ajuda e apoio, além da inigualável amizade.
Pessoas quais eu sentirei enorme saudade do convívio semanal.
Ao meu diretor executivo Luis Pascon pela colaboração, cedendo horas de trabalho para que
eu me dedicasse à finalização deste projeto.
Por fim, às minhas amigas, Priscila Noronha, Samara Cunha, Vanessa Queiroz e Denise
Cassini por toda a experiência compartilhada e paciência durante esse período.
6
CARPIM, S.M.1 A Era do Exibicionismo Digital: O Sentido da Proliferação da Selfie nas
Redes Sociais.
São Paulo, 2014. Monografia – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo.
Resumo
Registrar imagens com celulares e em seguida postá-las em redes sociais têm se tornado, cada
vez mais, uma prática comum. Porém, um tipo específico de foto tem chamado ainda mais a
atenção por razões que tentarão ser entendidas neste trabalho. A todo o momento é possível
encontrar pessoas postando autorretratos nas redes sociais, as chamadas “Selfies”.
Independente da ocasião em que se encontrem, as pessoas estão o tempo todo buscando fazer
uma “Selfie” interessante que possa gerar visibilidade em sua página pessoal. O presente
estudo vai tentar demonstrar a relação que o sujeito tem com esse tipo de foto e como ele se
exibe por meio dela. O estudo também vai avaliar o quanto isso pode influenciar na formação
de identidade e vai buscar levantar reflexões sobre o impacto da superexposição e auto
exibicionismo do indivíduo nas redes sociais. Para isso, essas imagens serão avaliadas e serão
estudados os diferentes tipos de “Selfies”.
Palavras chave: Selfie, Foto, Internet, Exibicionismo, Comportamento e Redes Sociais.
1
Formada em Publicidade, Propaganda e Criação com Habilitação em Marketing pelo Instituto
Presbiteriano Mackenzie, formanda do curso de especialização em Comunicação Digital DIGICORP –
ECA/USP.
7
CARPIM, S.M.2 A Era do Exibicionismo Digital: O Sentido da Proliferação da Selfie nas
Redes Sociais
São Paulo, 2014. Monografia – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo.
Abstract: Register images with the cell phone and then posting them on social networks have
become increasingly common, it's an everyday practice. However, a specific type of picture is called
attention for further reasons which will attempt to be understood in this work. At any time you can
find people posting self-portraits on social networks, so-called "Selfies". Regardless of the occasion as
they are. People are all the time trying to make an interesting "Selfie" that can generate visibility for
your personal page. This study will attempt to demonstrate the relationship the subject has with this
kind of picture and how it shows through her. The study will also assess how this may influence the
formation of identity and picks up reflections on the impact of overexposure and self exhibitionism the
individual in social networks. For that, these images will be studied and evaluated the different types
of "Selfies".
Keywords: Selfie, Photo , Internet , Exhibitionism , Behavior and Social Networks.
2
Graduated in Publicity, Advertising and Creative with specialization in Marketing from Mackenzie
Presbyterian Institute, candidate to specialization course in Digital Communication DIGICORP –
ECA/USP.
8
LISTA DE FIGURAS
Figura 1
Primeira foto postada no Instagram – Fonte: Globo.com. Disponível em
http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/07/primeira-foto-do-instagram-completa-doisanos.html. Acessado em 05/08/2014.
35
Figura 2
Grã-duquesa russa Anastasia Nikolaevna – Fonte: News.com.au – Disponível em:
http://www.news.com.au/technology/these-old-Selfies-dating-back-to-the-1800s-will-blowyour-mind/story-e6frfro0-1226741497253. Acessado em 05/08/2014.
40
Figura 3
Selfie tirada com uma Kodak Bowie – Fonte: Feedbox.com – Disponível em:
http://www.feedbox.com/do-you-know-who-was-in-the-first-Selfie/. Acessado em
05/08/2014.
41
Figura 4
Primeira Selfie no Instagram – Fonte: Feedbox.com – Disponível em:
http://www.feedbox.com/do-you-know-who-was-in-the-first-Selfie/. Acessado em
05/08/2014.
42
Figura 5
Selfie com o Papa Francisco – Fonte: UOL – Disponível em:
http://tecnologia.uol.com.br/album/2013/12/11/obama-papa-e-beyonce-veja-Selfies-quederam-o-que-falar.htm - Acessado em 10/09/2014.
43
Figura 6
Selfie do Oscar – Fonte: UOL – Disponível em:
http://tecnologia.uol.com.br/album/2013/12/11/obama-papa-e-beyonce-veja-Selfies-quederam-o-que-falar.htm – Acessado em 10/09/2014.
43
Figura 7
Selfie Paul McCartney – Fonte: Youreventphotobooths.com – Disponível em: Disponível
em: http://www.youreventphotobooths.com.au/category/photobooth-Selfie – Acessado em
05/08/2014.
44
Figura 8
Selfie Estação Espacial – Fonte: UOL – Disponível em:
http://tecnologia.uol.com.br/album/2013/12/11/obama-papa-e-beyonce-veja-Selfies-quederam-o-que-falar.htm – Acessado em 10/09/2014.
44
Figura 9
Selfie com a Presidente da República – Fonte: UOL – Disponível em:
http://noticias.uol.com.br/album/2014/04/14/Selfies-dos-politicos.htm#fotoNav=8 –
Acessado em 05/08/2014.
45
Figura 10
Selfie com Políticos - Fonte: UOL – Disponível em:
http://noticias.uol.com.br/album/2014/04/14/Selfies-dos-politicos.htm#fotoNav=8. Acessado
em 05/08/2014.
45
Figura 11
Selfie com o Presidente dos EUA Obama – Fonte: UOL – Disponível em:
http://noticias.uol.com.br/album/2014/04/14/Selfies-dos-politicos.htm#fotoNav=8. Acessado
em 05/08/2014.
46
Figura 12
Selfie Criança – Fonte: Instagram – Disponível em: bmth_bitch13. Acessado em 10/08/2014.
49
Figura 13
Selfie Decote – Fonte: Instagram – Disponível em: divulgagirls.br. Acessado em 10/08/2014.
49
Figura 14
Selfie Rosto – Fonte: Instagram – Disponível em: iamprincessnina. Acessado em
18/08/2014.
49
9
Figura 15
Selfie Extremo – Fonte: Noticias Inéditas – www.noticiasineditas.com/los-Selfies-masabsurdos-de-la-historia-i/. Acessado em 10/08/2014.
50
Figura 16
Selfie Duck – Fonte: Instagram – Disponível em: blkgoddess365. Acessado em 18/08/2014.
50
Figura 17
Selfie Espelho – Fonte: Pure Breack – Disponível em: www.purebreak.com.br/midia/foto-Selfiegame2014-11509.html#1. Acessado em 10/09/2014.
50
Figura 18
Pagina Carol Bufara – Fonte : Instagram – Disponível em: carolbufara. Acessado em
14/09/2014.
51
Figura 19
Selfie Academia – Fonte: Instagram – Disponível em: jujusalimeni. Acessado em
14/09/2014.
51
Figura 20
Selfie Academia – Fonte: Instagram – Disponível em: simplynathalia. Acessado em
14/09/2014.
51
Figura 21
Página Gabriela Pugliesi – Fonte: Instagram – Disponível em: gabrielapuglies. Acessado em
10 de agosto de 2014.
51
Figura 22
Selfie Academia – Fonte: Instagram – Disponível em: Selfiegobro. Acessado em 14/09/2014.
51
Figura 23
Selfie Blogueira – Fonte: Instagram – Disponível em: lalatrussardirudge. Acessado em
10/08/2014.
52
Figura 24
Selfie Look do Dia – Fonte: Instagram – Disponível em: lalatrussardirudge. Acessado em
10/08/2014.
52
Figura 25
Selfie Moda – Fonte: Instagram- Disponível em: lepuymoda. Acessado em 10/08/2014.
52
Figura 26
Selfie Moda – Fonte: Instagram - Disponível em: thassianaves. Acessado em 10/08/2014.
56
Figura 27
Selfie Look do Dia – Fonte: Instagram – Disponível em: lalanoleto. Acessado em
10/08/2014.
53
Figura 28
Selfie Blogueira – Fonte: Instagram – Disponível em: lalanoleto – Acessado em 10/08/2014.
53
Figura 29
Selfie Food – Fonte: Instagram – Disponível em: rossfreitas. Acessado em 18/08/2014.
54
Figura 30
Selfie Food – Fonte: Instagram – Disponível em: lovelyangela13. Acessado em 18/08/2014.
54
10
Figura 31
Selfie Food – Fonte: Facebook – Disponível em: www.facebook.com/denisecassini.
Acessado em 18/08/2014.
54
Figura 32
Selfie Food – Fonte: Instagram – Disponível em: tianajaye101. Acessado em 18/08/2014.
55
Figura 33
Selfie Food – Fonte: Instagram – Disponível em: foodintheair. Acessado em 18/08/2014.
55
Figura 34
Selfie Food – Fonte: Instagram – Disponível em: foodintheair. Acessado em 18/08/2014.
55
Figura 35
Selfie Viagens – Fonte: Instagram – Disponível em: samaravcunha. Acessado em
05/09/2014.
57
Figura 36
Selfie Viagens – Fonte: Instagram – Disponível em: Selfiegopro. Acessado em 05/09/2014.
57
Figura 37
Selfie Cristo – Fonte: Instagram – Disponível em: rome_rome. Acessado em 05/09/2014.
57
Figura 38
Selfie Viagens – Fonte: UOL – Disponível em:
http://tecnologia.uol.com.br/album/2014/03/04/com-moda-dos-Selfies-usuarios-fazemautorretrato-em-situacoes-inusitadas.htm. Acessado em 05/09/2014.
57
Figura 39
Selfie Viagens – Fonte: Instagram – Disponível em: prisnoronha. Acessado em 05/09/2014.
57
Figura 40
Selfie Viagens – Fonte: Instagram – Disponível em: benedettamarino. Acessado em
05/09/2014.
57
Figura 41
Selfie Maquiagem – Fonte: Instagram – Disponível em: natambasco. Acessado em
05/09/2014.
58
Figura 42
Selfie Tutorial Maquiagem – Fonte: Instagram – Disponível em: makeupbymels. Acessado
em 05/09/2014.
58
Figura 43
Selfie Maquiagem – Fonte: Instagram – Disponível em: natambasco. Acessado em
05/09/2014.
58
Figura 44
Selfie Maquiagem – Fonte: Instagram – Disponível em: maquiagempb. Acessado em
10/08/2014.
59
Figura 45
Selfie Maquiagem – Fonte: Instagram – Disponível em: van.queiroz. Acessado em
05/09/2014.
59
Figura 46
Selfie Maquiagem – Fonte: Instagram – Disponível em: universodamaquiagem_oficial.
Acessado em 18/08/2014.
59
11
Figura 47
Selfie com arte – Fonte: Globo.com – Disponível em:
http://extra.globo.com/noticias/mundo/Selfie-arte-norueguesa-revoluciona-autorretratoscom-pintura-em-espelhos-veja-fotos-13265427.html. Acessado em 05/09/2014.
60
Figura 48
Selfie com filtro – Fonte: Instagram – Disponível em: felipetoloi. Acessado em 10/08/2014.
60
Figura 49
Selfie Montagem – Fonte: Instagram – Disponível em: vzequila. Acessado em 10/08/2014.
60
Figura 50
Selfie com filtro – Fonte: Instagram – Disponível em: teenstyle_diy. Acessado em
10/08/2014.
60
Figura 51
Selfie com filtro – Fonte: Instagram – Disponível em: tarunwahi. Acessado em 10/08/2014.
60
Figura 52
Selfie com filtro – Fonte: Facebook – Disponível em: www.facebook.com/paulokoja.
Acessado em 10/08/2014.
60
Figura 53
Selfie divórcio – Fonte: isto é – disponível em:
http://www.istoe.com.br/assuntos/semana/detalhe/379676_casal+nos+eua+se+separa+e+da+
origem+a+Selfie+do+divorcio. Acessado em 28/08/2014.
62
Figura 54
After sex – Fonte blog social conteúdo – disponível em:
http://socialconteudo.blogspot.com.br/2014/04/nova-moda-after-sex-Selfie.html. Acessado
em 28/08/2014.
62
Figura 55
Selfie Casal – Fonte: Instagram – Disponível em: ssstaystrong. Acessado em 28/08/2014.
62
Figura 56
Selfie Casal – Fonte: Instagram – Disponível em: obertacovre. Acessado em 28/08/2014.
62
Figura 57
Selfie Casal – Fonte: Instagram – Disponível em: carlakanamaru. Acessado em 28/08/2014.
62
Figura 58
Selfie Casal – Fonte: Facebook - Disponível em: www.facebook.com/pauloalves. Acessado
em 28/08/2014.
62
Figura 59
Selfie polêmico com macaca – Fonte: Globo.com- Disponível em:
http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2014/08/disputa-por-Selfie-de-macaco-deveparar-nos-tribunais.html. Acessado em 28/08/2014.
64
Figura 60
Página Marutaru – Fonte: Instagram – Disponível em: marutaru. Acessado em 28/08/2014.
64
Figura 61
Selfie Animal – Fonte: Instagram – Disponível em: paulinha. Acessado em 28/08/2014.
64
Figura 62
Selfie Animal – Fonte: Instagram – Disponível em: fspuri. Acessado em 28/08/2014.
65
12
Figura 63
Selfie Animal – Fonte: Instagram – Disponível em: mucoelho. Acessado em 28/08/2014.
65
Figura 64
Felfie – Fonte: Instagram – Disponível em: luispascon. Acessado em 28/08/2014.
65
Figura 65
Selfie em grupo – Fonte: Instagram – Disponível em: stellacarpim. Acessado em 28/08/2014.
66
Figura 66
Selfie em grupo – Fonte: Instagram – Disponível em: stellacarpim. Acessado em 28/08/2014.
66
Figura 67
Selfie em grupo – Fonte: Instagram – Disponível em: stellacarpim. Acessado em 28/08/2014.
66
Figura 68
Selfie em grupo – Fonte: Instagram – Disponível em: biablanes. Acessado em 28/08/2014.
67
Figura 69
Selfie em grupo – Fonte: Instagram – Disponível em: carlakanamaru. Acessado em
28/08/2014.
67
Figura 70
Selfie em grupo – Fonte: Instagram – Disponível em: stellacarpim – Acessado em
28/08/2014.
67
Figura 71
Selfie Braggie – Fonte: O Globo – Disponível em :
http://oglobo.globo.com/blogs/pagenotfound/posts/2013/11/21/Selfie-coisa-do-passadomoda-agora-o-braggie-515864.asp. Acessado em 28/08/2014.
69
Figura 72
Selfie Ostentação – Fonte: Instagram – Disponível em: ssonmazocak. Acessado em
28/08/2014.
69
Figura 73
Selfie Ostentação – Fonte: Instagram – Disponível em: pobrediab1a. Acessado em
28/08/2014.
69
Figura 74
Selfie Ostentação – Fonte: Instagram – Disponível em: hronio_guru. Acessado em
15/08/2014.
69
Figura 75
Selfie Ostentação – Fonte: Instagram – Disponível em: __nephew. Acessado em 15/08/2014.
69
Figura 76
Selfie Ostentação – Fonte: Instagram – Disponível em: _horadocha. Acessado em
15/08/2014.
69
Figura 77
Selfie no trabalho – Fonte : Caras.com – Disponível em: http://caras.uol.com.br/tv/apos-darbronca-em-patricia-abravanel-silvio-santos-pede-Selfie-com-filha. Acessado em 15/08/2014.
71
Figura 78
Selfie no trabalho – Fonte: Jornal entre Rios – Disponível em:
http://www.entreriosjornal.com.br/colunas/Selfie-trabalho-pode/. Acessado em 15/08/2014.
71
13
Figura 79
Caso Neymar – Fonte: 360 nobs – www.360nobs.com/2014/07/nurse-fired-for-filmingneymar-being-brought-into-hospital/. Acessado em 15/08/2014.
71
Figura 80
Selfie no trabalho – Fonte: Blog do tio Ben – Disponível em:
http://www.blogdotioben.com.br/2014/04/os-20-melhores-Selfies-do-william-bonner.html.
Acessado em 23/08/2014.
71
Figura 81
Selfie com ídolos – Fonte: Band.com.br – Disponível em :
http://noticias.band.uol.com.br/mundo/noticia/100000695141/garoto-tira-Selfie-com-paulmccartney.html. Acessado em 15/09/2014.
73
Figura 82
Selfie com ídolos – Fonte: Instagram – Disponível em: thegeezers_. Acessado em
01/09/2014.
73
Figura 83
Selfie com ídolos – Fonte: Instagram – Disponível em: anniperini_is. Acessado em
01/09/2014.
73
Figura 84
Selfie com ídolos – Fonte: Instagram – Disponível em: neymarjrfa. Acessado em
01/09/2014.
73
Figura 85
Selfie Celebridades – Fonte: Instagram – Disponível em: Beyonce. Acessado em 01/09/2014.
73
Figura 86
Selfie Celebridades – Fonte: Instagram – Disponível em: Shakira. Acessado em 01/09/2014.
73
Figura 87
Selfie Tragédia – Fonte: Tecnologia UOL – Disponível
em:http://tecnologia.uol.com.br/album/2014/03/04/com-moda-dos-Selfies-usuarios-fazemautorretrato-em-situacoes-inusitadas.htm . Acessado em 01/09/2014.
75
Figura 88
Selfie desastre aéreo – Fonte: G1.com – Disponível em: g1.globo.com/mundo/noticia/2014/01/sobrevivente-de-acidente-aereo-faz-Selfie-em-plenomar-na-costa-do-havai.html. Acessado em 01/09/2014.
75
Figura 89
Selfie Tornado – Fonte: Dailymail – Disponível em:
http://www.dailymail.co.uk/news/article-2730313/Man-films-running-path-TORNADOAustralian-Outback.html. Acessado em 01/09/2014.
75
Figura 90
Selfie tragédia – Fonte: R7 – Disponível em: http://noticias.r7.com/tecnologia-eciencia/fotos/foto-de-menina-chorando-com-cachorro-morto-provoca-polemica-nas-redessociais-05072013. Acessado em 10/09/2014.
75
Figura 91
Selfie Renata Campos – Selfie Eduardo Campos – Fonte: UOL – Disponível em:
http://acritica.uol.com.br/noticias/manaus-amazonas-amazonia-Selfies-tiradas-velorioEduardo-Campos-recebem-criticas-redes-sociais_0_1195080491.html. Acessado em
01/09/2014.
Selfie Funerais – Fonte: Rebloggy – Disponível em: http://rebloggy.com/post/facebookSelfie-funeral/77828306182 – Acessado em 01/09/2014.
75
Selfie Eduardo Campos – Fonte: UOL – Disponível em:
http://acritica.uol.com.br/noticias/manaus-amazonas-amazonia-Selfies-tiradas-velorioEduardo-Campos-recebem-criticas-redes-sociais_0_1195080491.html. Acessado em
01/09/2014.
Selfie Funerais – Fonte: Instagram – Disponível em: lokchuang. Acessado em 01/09/2014.
76
Figura 92
Figura 93
Figura 94
76
76
14
Figura 95
Sello tapes Selfie – Fonte: Instagram – Disponível em: tambe_meg. Acessado em
01/09/2014.
78
Figura 96
Sello tapes Selfie – Fonte: Instagram – Disponível em: crash_test_carter. Acessado em
01/09/2014.
78
Figura 97
Desafio da canela – Fonte: Instagram – Disponível em: arianna.soks. Acessado em
01/09/2014.
78
Figura 98
Desafio da canela – Fonte: Instagram – Disponível em: arianna.soks. Acessado em
01/09/2014.
78
Figura 99
Selfie Money face – Fonte: Instagram – Disponível em: riccyrole. Acessado em 01/09/2014.
78
Figura 100
Selfie Money face – Fonte: Instagram – Disponível em: camiloucast – Acessado em
01/09/2014.
78
Figura 101
Selfie sem maquiagem – Fonte: Instagram – Disponível em: alicemartins8. Acessado em
10/09/2014.
79
Figura 102
Selfie sem maquiagem – Fonte: Instagram – Disponível em: itstaahalencar. Acessado em
10/09/2014.
79
Figura 103
Case Hellmann’s - Fonte: Proxxima – Disponível em :
http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie. Acessado em
10/09/2014.
80
Figura 104
Case Turkish Airlines – Fonte: Proxxima – Disponível em :
http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie. Acessado em
10/09/2014.
81
Figura 105
Capa Selfy da iLuv – Fonte: Proxxima – Disponível em :
http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie. Acessado em
10/09/2014.
82
Figura 106
Case Capte Times – Fonte: Proxxima – Disponível em :
http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie. Acessado em
10/09/2014.
83
Figura 107
Case Dove – Fonte: Proxxima – Disponível em :
http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie. Acessado em
10/09/2014.
85
Figura 108
Selfie de risco – Fonte: Globo – Disponível em: Extra.com
http://extra.globo.com/noticias/mundo/adolescente-morre-ao-cair-de-penhasco-enquantotentava-tirar-Selfie-12840500.html#ixzz3COJj9sWh. Acessado em 03/09/2014.
88
15
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO........................................................................................................................17
1 A SOCIEDADE E O ESPETÁCULO...................................................................................20
1.1 A Autoimagem...........................................................................................................22
2 AS NOVAS FORMAS DE SOCIABILIDADE....................................................................23
2.1 Redes Sociais............................................................................................................24
2.2 Mídias Sociais...........................................................................................................32
2.3 As Plataformas mais Utilizadas para Propagação da Selfie......................................33
2.3.1 Instagram.......................................................................................................34
2.3.2 Facebook.......................................................................................................37
3 SELFIES.................................................................................................................................38
3.1 Tipos de Selfie.........................................................................................................47
3.1.1 Rosto..............................................................................................................48
3.1.2 Fazendo Exercício Físico...............................................................................50
3.1.3 Look do Dia....................................................................................................52
3.1.4 Comida...........................................................................................................53
3.1.5 Viagens e Férias.............................................................................................55
3.1.6 Maquiagem....................................................................................................57
3.1.7 Montagens e Filtros.......................................................................................59
3.1.8 Casais.............................................................................................................61
3.1.9 Animais..........................................................................................................63
3.1.10 Grupos..........................................................................................................65
3.1.11 Ostentação....................................................................................................67
3.1.12 Trabalho.......................................................................................................69
3.1.13 Ídolos...........................................................................................................72
3.1.14 Desastres......................................................................................................74
3.1.15 Desafios.......................................................................................................76
4 SELFIE E AS OPORTUNIDADES PARA O BUSINESS.................................................79
4.1 Case Hellmann’s..............................................................................................80
4.2 Case Turkish Airlines.......................................................................................81
4.3 Case Capa Selfy da iLuv..................................................................................82
4.4 Case Capt Times..............................................................................................83
4.5 Case Dove........................................................................................................84
4.6 Blogueiras e a Monetização de suas Selfies.....................................................85
16
5 O LADO NEGATIVO DA SELFIE......................................................................................87
CONSIDERAÇÕES FINAIS...................................................................................................89
REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS.....................................................................................92
17
INTRODUÇÃO
A internet vem tomando uma proporção inimaginável no mundo de hoje. A sua
evolução, ao invés de se apresentar de maneira gradativa, tem se desenvolvido de uma forma
exponencial. O Brasil apresentou o oitavo maior crescimento no número de internautas nos
últimos anos. São milhões de novos usuários que crescem ao ano. E cerca de 50% da
população já tem acesso à internet.
Com tantas pessoas conectadas, as redes sociais ganham cada vez mais espaço na
vida das pessoas e promovem mudanças no comportamento de toda a sociedade. Atualmente,
todos estão conectados e buscando atualizações de conteúdo a toda hora. Segundo análise do
Wall Street Journal sobre o crescimento e a participação do povo brasileiro em páginas como
o Facebook, Twitter e o YouTube, enquanto usuários ao redor do mundo diminuíram em
cerca de 2% o tempo mensal de uso do Facebook, o brasileiro aumentou esta estatística em
incríveis 208%.
E é neste cenário que um novo comportamento tem chamado atenção: a mania de
fazer “Selfies” – um tipo de fotografia, que é um autorretrato – compartilhado nas redes
sociais.
Mas por que as pessoas estão fazendo isso o tempo todo? Por que independente do
sexo, idade, classe ou localização geográfica, as pessoas estão tendo a necessidade de postar
fotos de si o tempo todo? As pessoas estariam com necessidade de aprovação de outros com
os quais convive? As pessoas buscam alguns minutos de fama ou estão apenas seguindo as
tendências e o modismo? Muitas questões permeiam as possíveis respostas que este trabalho
tentará esclarecer.
Na contemporaneidade, o narcisismo se instala marcando a fragilidade do "eu" e a
obsessão do indivíduo consigo mesmo. Talvez, por isso, os usuários das redes sociais tenham
a tendência de expor as suas “identidades midiáticas”, exaltando imagens perfeitas de si
mesmos e evitem compartilhar fotos mais modestas. O que se percebe é, ao mesmo tempo,
certa idolatria e certa vontade de “aparecer” na rede social, de se destacar, conseguir muitos
likes. Por isso, nas redes sociais, o culto a si mesmo encontra sua espetacular devoção.
18
Nota-se uma superexposição de “Selfies” que demonstram momentos felizes e
importantes, o que também é uma forma de poder. Os indivíduos procuram demonstrar, por
meio de autorretratos, a posição que ocupam dentro de uma dimensão social. Postam uma
imagem para ser vista, reconhecida pelo outro. Para Maffesoli (2000, p. 15), “Com efeito,
enquanto a lógica individualista se apoia numa identidade separada e fechada sobre si mesma,
a pessoa (persona) só existe na relação com o outro”.
Para a coleta de dados e conteúdo do presente estudo foram feitas pesquisas nas
principais plataformas utilizadas para propagação das “Selfies”, o Instagram e Facebook,
assim como a coleta da maioria das fotos utilizadas. Os materiais bibliográficos foram
importantes para a realização do projeto. O decorrer de um ano e meio de curso foi de
extrema importância para a busca das bibliografias escolhidas como fonte de pesquisa e por
toda bagagem adquirida durante as aulas semanais. O tema abordado é recente, portanto
muitas informações foram retiradas de estudos, artigos e pesquisas atuais.
No primeiro capítulo, o estudo se propõe a explicar sobre a sociedade do
espetáculo e a autoimagem. O capítulo abrange a valorização do “eu” e como cada
acontecimento particular que passa a adquirir proporções gigantescas. Atualmente qualquer
pessoa comum tem o poder de ser o roteirista de sua própria novela e protagonizá-la em uma
mídia social. Qualquer ser humano comum munido de um smartphone é capaz de gerar
conteúdo para criar seu próprio reality show pessoal, registrando cada momento com muito
luxo, glamour e filtros.
No segundo capítulo foram abordados os temas sobre as mídias sociais, redes
sociais e a comparação entre ambas. E também quais são as plataformas mais utilizadas para
propagação do exibicionismo das redes.
No terceiro capítulo, o objetivo proposto é por meio de elementos classificatórios:
quais são os tipos de “Selfies” mais comuns nas redes sociais. Foram escolhidas as categorias
com maior quantidade de postagens nas plataformas. No estudo foi analisado em que
momento as pessoas fazem suas fotos e qual o significado de cada ação. As Selfies na
academia, com animais de estimação, os looks do dia e até mesmo os pratos de comida são os
mais comuns na rede.
19
No quarto capítulo foi apresentado como o surgimento de novos comportamentos
na rede exige que as empresas estejam atentas às novas tendências. Como as empresas
perceberam de uma forma estratégica usar as “Selfies” em suas campanhas. Foi realizada
também uma análise em cima das blogueiras de moda, pessoas normais que viram uma forma
de lucrar com as Selfies produzidas diariamente e que hoje fazem disso uma profissão.
No quinto e último capítulo foi realizada uma breve análise sobre como a Selfie
pode ser prejudicial, expondo seu lado negativo e algumas vezes chegando a ser perigoso.
A importância de se desenvolver um projeto como este se deve ao fato de destacar
um novo comportamento social baseado nas mídias sociais, além de entender como pode
afetar ou não a vida das pessoas. Por serem ferramentas recentes de comunicação, o estudo é
válido para entender de que forma essas novidades funcionam, tanto para os indivíduos como
para a sociedade, e quais são suas consequências.
O corpo teórico foi construído com base em diferentes veículos, tais como fontes
bibliográficas e eletrônicas somada à analise de dados e pesquisas durante o tempo de
produção do presente estudo.
O escopo das obras que fornecem o lastro teórico ao estudo é bem amplo, tendo
obras que abrangem sobre comportamento e redes sociais, filosofia, sociedade atual, como
Freud, Shirky, Castells, Lévy, Maffesoli, Santaella, Recuero, Debord, entre outros.
O trabalho não se alicerça unicamente em obras que se dedicam à analise do
fenômeno Selfie. Embora seja parte fundamental para conclusão deste estudo, o tema é muito
recente. A metodologia empregada foi, portanto, a pesquisa em fontes variadas como livros,
artigos e pesquisa na internet em reportagens, trabalhos acadêmicos ligados ao assunto e nas
próprias plataformas que são utilizadas para a propagação das Selfies. As fontes utilizadas, as
referências, citações e imagens foram cuidadosamente selecionadas.
Para a realização da pesquisa foi imprescindível a experiência pessoal e
profissional do pesquisador, que possui anos de experiência como usuária nas plataformas que
mais se proliferam a Selfie. As coletas de imagens foram buscadas dentro dos aplicativos
Instagram, Facebook e do site Google.
20
Para a melhor seleção de imagens dentro da rede social Instagram, foram
utilizadas as hashtags mais populares, com maior índice de visualização e likes. Na rede
Facebook e no buscador Google, a pesquisa foi realizada através da inserção dos nomes nos
campos de busca relacionada às categorias pesquisadas. As imagens foram copiadas no
mesmo formato divulgado nas redes sociais e inseridas no estudo.
Além da rede de pesquisa na internet, a pesquisadora recebeu orientação de
profissionais do segmento digital e estudantes do curso Digicorp USP, que são utilizadores
frequentes das plataformas citadas acima para efeito de estudos acadêmicos e mercadológicos.
Com esse direcionamento, foi possível definir as categorias de Selfie mais populares entre os
internautas. O Instagram possibilitou validar as categorias de maior popularidade, uma vez
que o aplicativo tem como uma de suas funções, demonstrar a quantidade de fotos postadas
por hashtags.
Ao definir o tema escolhido pela pesquisadora, está começou sua pesquisa em imagens na
plataforma Instagram e Facebook antes mesmo de começar escrever. Foram vários meses
pesquisando imagens se pessoas fazendo Selfies nas redes sociais. Todas essas imagens
encontradas eram copiadas e salvas no computador pessoal da pesquisadora. Pessoas
próximas ao saber da escolha do tema também contribuíam salvando e enviando essas
imagens para o acervo da pesquisadora. Foram centenas de imagens coletadas e depois
escolhidas uma a uma. A escolha da seleção eram sobre os diferentes tipos de se fazer Selfie.
São vários os tipos que o leitor poderá ver no decorrer da leitura do presente estudo.
Os tipos de Selfies foram escolhidos a partir do que se vê mais nas redes. Os números de fotos
foram buscados à partir das hashtags e uma pequena pesquisas novamente com pessoas
próximas, juntamente com o orientador deste estudo fez com que a pesquisadora chegasse em
alguns tipos de Selfies de maior relevância nas plataformas.
Em algumas paginas da internet o tema Selfie e exibicionismo são abordados. Esses artigos
eram selecionados, lidos e salvos. Muitos dos livros que a pesquisadora leu foram sugeridos
através desses artigos recentes. Todos eles estão na bibliografia do presente estudo.
21
1 A SOCIEDADE E O ESPETÁCULO
Hoje vivenciamos a sociedade do espetáculo, na qual comemorações particulares
ganham ares de grandes acontecimentos públicos, em que fazer algo só por fazer, apenas para
própria pessoa não é bastante. É um momento de supervalorização do “eu”.
O que se nota é que as pessoas precisam divulgar o que está ocorrendo em sua
vida. Na maioria das vezes a exposição é para exibir uma vida perfeita e feliz, exibindo
apenas os momentos alegres.
O culto à própria imagem torna-se mais perceptível a partir da exibição de Selfies.
Muitos acreditam que a condição essencial para fazer parte da sociedade é atualizar
constantemente o seu autorretrato, visando a sua superexibição. Segundo Sibilia (apud
SPREJER; KAZ; 2013, p. 34), “o que vemos é a legitimação de um discurso centrado no
próprio exibicionismo, que antes era limitado por barreiras como o pudor e a censura ao mau
gosto”.
Atualmente, parece que o sujeito vive do seu próprio espetáculo. Para Debord
(1997, p. 14), o espetáculo “Não é um conjunto de imagens, mas uma relação social entre
pessoas, mediada por imagens”. Ou seja, as relações cotidianas desse sujeito são substituídas
por representações. “Tudo o que era vivido diretamente tornou-se uma representação”
(DEBORD, 1997, p. 13). O indivíduo se representa tal como seus membros (da rede social)
creem que ele é ou deveria ser.
Dessa forma, uma experiência não faz sentido se ela não for registrada e
compartilhada com o próximo. O indivíduo de alguma forma entende que somente passa a
existir se os outros os virem e se ele gerar uma repercussão na rede social. Daí a ênfase dada
ao Selfie. Este tem sido cada vez mais popularizado “com a invenção dos celulares e tablets
com câmeras dos dois lados, em que a pessoa pode se ver na tela enquanto fotografa.”
(SPREJER; KAZ; 2013, p. 34). Além disso, sua proliferação tem relação com o narcisismo
desenfreado da contemporaneidade.
22
De acordo com Guy Debord em texto lançado na França em 1967, o mundo vive
um estado de profunda alienação social. O espetáculo torna-se a forma de ser da sociedade de
consumo (apud Arbex Jr, 2001). As pessoas passam a preferir a imagem e a representação da
realidade e passam a viver numa ilusão. A sociedade já foi alimentada pelo desejo de ser, pelo
ter, e agora, ao que tudo indica, só se satisfaz com o parecer.
A primeira fase da dominação da economia sobre a vida social acarretou, no modo
de definir toda realização humana, uma evidente degradação do ser para o ter. A fase
atual, em que a vida social está totalmente tomada pelos resultados acumulados da
economia, leva a um deslizamento generalizado do ter para o parecer, do qual todo
“ter” efetivo deve extrair seu prestígio imediato e sua função última. Ao mesmo
tempo, toda realidade individual tornou-se social, diretamente dependente da força
social, moldada por ela. Só lhe é permitido aparecer naquilo que ela não é
(DEBORD, 1997, p. 18).
Para Debord, o espetáculo remodelou totalmente a sociedade segundo a própria
imagem, pretendendo que nenhuma alternativa sequer seja concebível.
Bahia (2005) lembra que Guy Debord, retoma a discussão em Comentários sobre
a sociedade do espetáculo (1988), onde explica que só a imagem passa a ser considerada a
verdadeira realidade. Debord explica que o homem passa a anular seus desejos e percepções
em busca de verdades e desejos construídos, para ele é como se os indivíduos deixassem de
ter vontade própria para assumir outras vontades que não sejam as suas. Os indivíduos passam
então a aceitar o espetáculo como sua vida e deixam de entender sua própria existência,
tornando-se, então, cada vez mais alienados:
A alienação do espectador em favor do objeto contemplado (o que resulta de sua
própria atividade inconsciente) se expressa assim: quanto mais ele contempla, menos
vive; quanto mais aceita reconhecer-se nas imagens dominantes da necessidade,
menos compreende sua própria existência e seu próprio desejo. Em relação ao
homem que age, e exterioridade do espetáculo aparece no fato de seus próprios
gestos já não serem seus, mas de um outro que os representa por ele. É por isso que
o espectador não se sente em casa em lugar algum, pois o espetáculo está em toda
parte (DEBORD, 1997, p. 24).
O espetáculo funciona como instrumento de mitificação. Para efeito de nossa
pesquisa, o espetáculo é apreendido aqui como um instrumento comunicante – ainda que por
meio de um estereótipo, poderoso instrumento de comunicação que informa a sociedade o que
ela é, porque dela o espetáculo também faz parte (AMARAL FILHO, 2006).
O espetáculo apresenta-se ao mesmo tempo como a própria sociedade, como uma
parte da sociedade e como um instrumento de unificação. Como parte da sociedade,
ele é expressamente o setor que concentra todo olhar e toda consciência. Pelo fato de
esse setor estar separado, ele é o lugar do olhar iludido e da falsa consciência; a
23
unificação que realiza é tão-somente a linguagem oficial da separação generalizada.
(DEBORD, 1997, p.14)
1.1
A autoimagem
Pode se dizer que a Selfie é como um novo modelo de narcisismo. Freud em 1914
por meio da “Teoria do Narcisismo” caracterizou uma pessoa narcisa como aquela que tem
amor à própria imagem e autossuficiente. A imagem, em psicanálise, está ligada com a
identificação da pessoa com o próprio eu.
Em grego a palavra narciso era Narkissos. A palavra vem de Narkes que quer
dizer entorpecer. A palavra narcótica é um derivado e significa qualquer substancias que
altera os sentidos. A palavra também está ligada ao nome de uma flor que nasce sozinha nas
beiras dos rios (Brandão, 1989).
Em dias atuais, o narcisismo é marcado pela fragilidade do "eu" e a obsessão do
indivíduo com a própria imagem. Os usuários das redes sociais tendem a expor suas melhores
fotos em redes sociais. Se mostrando felizes e belos, existe uma verdadeira preocupação em
expor sua própria imagem perfeita. Nas redes sociais o culto ao corpo e a imagem perfeita de
si se encontra em espetacular devoção.
Para o pesquisador Luiz Moreno Guimarães, do Instituto de Psicologia da
presente Universidade, é possível, sim, olhar o próximo e a si mesmo. Ele explica que na
psicanálise pode-se ser narcisista e altruísta ao mesmo tempo. O que se opõe ao narcisismo
não é o altruísmo, mas sim o estranhamento.
O pesquisador também diz que, narcisista não é aquele que somente se promove
nas redes e que os sentimentos que estariam mais próximos do narcisismo são a vergonha de
si mesmo e a inveja3.
3
Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2013/12/do-Selfie-ao-unSelfie-a-pratica-do-autorretrato-nasredes-sociais-4364454.html Acessado em 10/08/2014
24
O mestre em comunicação pela Cásper Líbero, Marcelo de Mattos Salgado, em
seu site 4, fala sobre a síndrome das Selfies:
“Creio que a Selfie pode ser interpretada como a síntese visual do individualismo na
era digital, ou a maior manifestação (por agora) do sujeito feito objeto
tecnologicamente. Mas talvez ‘individualismo’ seja apenas uma gradação
insuficiente — portanto, imprecisa — para falar de comportamentos cada vez mais
exagerados e recorrentes”.( Marcelo de Mattos Salgado, 2014)
Ele afirma que a geração das Selfies tem afetado a forma das pessoas expressarem
seus sentimentos e que a humanidade está caminhando para o individualismo pessoal.
2
AS NOVAS FORMAS DE SOCIABILIDADE
Os avanços tecnológicos e as transformações sociais e econômicas estão mudando
a forma como as pessoas se comunicam e se relacionam. Atualmente, “a sociedade não pode
ser entendida ou representada sem suas ferramentas tecnológicas” (CASTELLS, 1999, p.43).
De acordo com Lemos, uma nova forma sociocultural começou a emergir “da
relação simbiótica entre a sociedade, a cultura e as novas tecnologias de base microeletrônica
que surgiram com a convergência das telecomunicações com a informática na década de 70”
(LEMOS, 2003, p. 11 -12). Essa nova forma sociocultural foi denominada “Cibercultura”.
A cibercultura é “o conjunto de técnicas (materiais e intelectuais), de práticas, de
atitudes, de modos de pensamento e valores que se desenvolvem juntamente com o
crescimento do ciberespaço” (LÉVY, 1999 , p. 17). Ou seja, o ciberespaço é essencial para
que a cibercultura se consolide, uma vez que nele pessoas de todo o mundo estão conectadas,
realizando uma comunicação interativa e instantânea.
As interações em redes sociais on-line guardam várias características próprias
como destaca Recuero:
O ciberespaço e as ferramentas de comunicação possuem particularidades a respeito
de processos de interação. Há uma série de fatores diferenciais. O primeiro deles é
que os atores não se dão imediatamente a conhecer. Não há pistas da linguagem não
verbal e da interpretação do contexto da interação. É tudo construído pela mediação
4
Fonte: www.elucidez.wordpress.com ( Acessado em 15/08/2014)
25
do computador. O segundo fator relevante é a influencia das possibilidades de
comunicação das ferramentas utilizadas pelos atores. Há multiplicidade de
ferramentas que suportam essa interação e o fato de permitirem que a interação
permaneça mesmo depois do ator estar desconectado do ciberespaço. (RECUERO,
2009, p.31)
É no ciberespaço que os indivíduos têm construído suas identidades. Através dele,
“o que era interno e privado, torna-se externo e público” (LÉVY,1996, p.73). Talvez seja essa
uma das características mais significativas da cibercultura.
Baseando-se nessas teorias, podemos observar que a necessidade inerente da
natureza do ser humano em se auto expressar e a acessibilidade da cibercultura pode estimular
e intensificar os comportamentos narcisistas dentro da rede. A prática da Selfie pode ser um
reflexo deste comportamento, uma vez que temos como princípio fundamental desta
tendência o desejo pela superexposição do eu.
2.1 Redes Sociais
As redes sociais existem desde que as pessoas se organizam em sociedades. As
pessoas se reúnem como uma motivação comum. Recuero define rede social como um
conjunto de elementos:
Uma rede social é definida como um conjunto de dois elementos: atores (pessoas,
instituições ou grupos; os nós da rede) e suas conexões (interações ou laços sociais)
(Wasserman e Faust, 1994; Deggene e Forse, 1999). Uma rede, assim, é uma
metáfora para observar os padrões de conexão de um grupo social, a partir das
conexões estabelecidas entre os diversos atores. A abordagem tem, assim, seu foco
na estrutura social, onde não é possível isolar os atores nem suas conexões.
(RECUERO, 2009, p. 24)
Uma nova forma de redes sociais que vem modificando profundamente a
sociedade contemporânea são as redes sociais on-line, ou seja, na internet.
Esses fenômenos representam aquilo que está mudando profundamente as formas de
organização, identidade, conversação e mobilização social: o advento da
comunicação mediada pelo computador. Essa comunicação mais do que permitir aos
indivíduos comunicar-se, amplificou a capacidade de conexão, permitindo que redes
fossem criadas e expressas nesses espaços: as redes sociais mediadas pelo
26
computador. Essas redes conectam não apenas computadores, mas pessoas.
(RECUERO, 2009, p. 16)
Hoje em dia a palavra rede social é utilizada para designar grandes plataformas de
interação social como Instagram, Facebook, Twitter, etc. Sua significação atual está pautada
no conceito de virtualidade. A interação entre pessoas também está subentendida já que toda
troca de informação é feita através das pessoas nas plataformas.
De maneira geral, o termo rede é permeado por vários significados. Originário do
Latin “retis”, significa um entrelaçado de fios formando um tecido. A partir dessa noção de
entrelaçamentos a palavra como tempo foi tomando vários significados, principalmente para
designar uma série de conjuntos interligados.
E expressão “rede social” já é usada há cerca de um século. Ela começou a ser
usada para designar grupos e relações entre membros. Em 1954, J.A Barnes disseminou o uso
do termo , para tentar explicar padrões de laços estabelecidos socialmente. A expressão
também era utilizada para nomear como famílias, tribos, gêneros, grupos étnicos etc. A
palavra é também usada pela ciência social como instrumento de análise, que permite a
reconstrução dos processos interativos dos indivíduos a suas aflições em grupo5.
O estudo das redes sociais não é novo, porem as redes sociais na internet é algo
recente. Por isso, tirar conclusões ainda não é uma tarefe simples.
A comunicação mediada pela internet é um fenômeno social recente demais para
que a pesquisa acadêmica tenha tido a oportunidade de chegar a conclusões sólidas
sobre seu significado social. (CASTELLS, 2008, p. 442).
Um “conjunto de ações” é definido por Adrian Mayer como um conjunto
temporário de pessoas agrupadas através de vários meios para determinada finalidade, ou seja,
em um curto período de tempo essas pessoas formam o que seria o termo “quase-grupos”,
utilizado por Boissevain. Esse diz que é como um termo genérico para qualquer tipo de
encontro ocorrido a partir de uma rede.
Para Mayer e Barnes, em estudos sobre o conceito de rede social, um
agrupamento não forma grupos fixos, questionando as características de ligação entre os
indivíduos um em relação aos outros. Barnes utiliza a noção de rede social em seu estudo para
5
Barnes, J A Redes Sociais e Processo Politico. In: A antropologia das sociedades Contemporâneas .
Organizações e introdução de Belas Feldman-Bianco. São Paulo , Global. 1987 , pp1`57- 192
27
o que se relaciona nas formações políticas, que podem ser consideradas matéria prima para
uma política nacional.
Castells diz que a comunicação medida tecnologicamente, ou seja, qualquer
atividade desenvolvida por meio eletrônico que foram desenvolvidas para executar funções
profissionais, passou a ser uma realidade para as atividades sociais, não apenas representando
uma interação social casual, mas também uma formação de comunidades virtuais, que, para o
autor, são passageiras a ponto de vista dos participantes.
Nossas comunidades virtuais “vivem” duas populações muito diferentes: uma
pequena minoria de aldeões eletrônicos residindo na fronteira eletrônica e uma
multidão transitória para a qual suas incursões casuais equivalem à exploração de
varias existências na modalidade do efêmero (CASTELLS, 2000, p.386)
Mas o que se sabe é que essas mídias sociais nunca estiveram tão na moda. Essas
novas ferramentas da internet já mudaram e continuam mudando profundamente a maneira
das pessoas se relacionarem e a sociedade como um todo. A geração Y, ou geração
Millenium, já se comporta de maneira completamente diferente das anteriores. E as mudanças
não param.
Mas o que são as mídias sociais? Joel Comm, em “O poder do Twitter”, define as
mídias sociais como “conteúdo criado pelo seu público na internet”.
Vejamos o Facebook. Ele não é uma companhia editorial. Não cria nenhum de seus
conteúdos. Não escreve ou posta artigos, e nem inseri filmes ou imagens para os
clientes verem e apreciarem. Ele permite que seus usuários façam tudo isso por seu
próprio interesse. (COMM, 2009, p.2)
Um dos pontos mais importantes para quem participa de redes sociais, não é
simplesmente estar presente nela, é criar conversações, expor opiniões e ouvir respostas.
Alguém que use com sucesso a mídia social não apenas cria conteúdo; cria
conversações. E essas conversas criam comunidades. Essa é a real beleza da mídia
social, e sendo ou não objetivo – dependendo do site -, a mídia social sempre poderá
ter como resultado firme conexões entre os participantes. (...) Em uma visão mais
ampla, descreve uma forma de publicação e que as histórias são trocadas, em vez de
publicadas, e a troca de conteúdo ocorre dentro da comunidade, como um bate-papo
em restaurante. (COMM, 2009, p.3)
E essa conversação talvez gere uma das principais características das pessoas que
estão nas mídias sociais: a necessidade de ser visto.
Sibilia chama de “imperativo da visibilidade” da nossa sociedade atual essa
necessidade de exposição pessoal. Esse imperativo, decorrente da intersecção entre o
28
público e o privado, para ser uma consequência direta do fenômeno globalizante,
que exacerba o individualismo. É preciso ser “visto” para existir no ciberespaço. (...)
Talvez, mais do que ser visto, essa visibilidade seja um imperativo para a
sociabilidade mediada pelo computador. (RECUERO, 2009, p.27)
É importante entender que o crescimento das diferentes mídias e linguagens, além
do desenvolvimento tecnológico, provocam profundas alterações na identidade das pessoas,
gerando essa necessidade de visibilidade, uma vez que as relações se reproduzem em espaços
interconectados. Esse “fenômeno” acaba deixando vários questionamentos ainda sem
respostas. Até que ponto as sociedades em rede podem representar avanços ou pontos
positivos para a sociedade?
As pesquisas academias rigorosas parecem indicar que, em certas condições, o uso
da internet aumenta as chances de solidão, sensações de alienação ou mesmo
depressão. Num estudo bastante divulgado, uma equipe de pesquisadores em
psicologia da Canegie Mellon University examinou a repercussão social e
psicológica da internet sobre o envolvimento e o bem-estar psicológico, avaliando o
comportamento e as posturas durante os dois primeiros anos on-line, em 1995 e
1996. Nessa amostra, o uso tão intenso da internet foi associado ao declínio da
comunicação dos participantes com os membros da família no lar, um declínio no
tamanho do seu círculo social e aumento da depressão e solidão. (CASTELLS, 2008,
p. 442)
No entanto, nenhuma conclusão ainda foi comprovada sobre o assunto. Apesar de
apresentar alguns pontos negativos, há quem defenda o uso das mídias sociais. Embora a
maioria dos laços criados em mídias sociais serem fracos, talvez possam oferecer algumas
sensações que sem eles provavelmente seriam mais limitados.
“...as pesquisas atuais indicam que os norte-americanos costumam ter mais de mil
laços interpessoais. Só meia dúzia deles são íntimos e não mais que cinquenta são
significativamente fortes. Contudo, reunidos, os outros mais de 950 laços são fontes
importantes de informações, apoio, companheirismo e sensação de aconchego”.
(CASTELLS, 2008, p. 445)
Castells (2008) chama a atenção sobre outras oportunidades das relações sociais
mediadas pelo computador. Segundo ele, os vínculos cibernéticos que oferecem a
oportunidade de vínculos sociais são válidos, uma vez que pessoas viveriam vidas sociais
mais limitadas, pois seus vínculos estão cada vez mais espacialmente dispersos. Recuero
destaca outros pontos positivos trazidos com as redes sociais mediadas na internet.
De um modo geral, a mediação pelo computador oferece novos lugares, ou seja,
novos espaços para conhecer parceiros com interesses em comum e estabelecer laços
iniciais. Outra diferença importante gerada pela internet é o advento dos laços
sociais mantidos a distância. O desenvolvimento tecnológico proporcionou uma
certa flexibilidade na manutenção e criação de laços sociais, uma vez que permitiu
que eles fossem dispersos espacialmente. Isso quer dizer que a comunicação
mediada por computador apresentou às pessoas formas de manter laços sociais fortes
29
mesmo separadas a grandes distancias, graças a ferramentas como o Skype, os
messengers, e-mails e chats. (RECUERO, 2009, p.43)
Castells abre discussão ainda para novas identidades que muitas pessoas criam na
rede, pelas novas oportunidades e possibilidades que ela pode oferecer. Muitas pessoas
encenam personagens, momentos, sentimentos não reais, apenas para exibirem uma imagem
que julgam importante ou para estarem de acordo com determinado grupo do qual querem
fazer parte.
E em um dos primeiros estudos psicanalíticos dos usuários da internet (na verdade,
membros de um grupo multi users Dungeons – MUDS), Sherry Turkle demonstrou
que sim, os usuários interpretavam papéis e criavam identidades on-line. Mas isso
gerava uma sensação de comunidade, mesmo que efêmera, e talvez trouxesse algum
alívio a pessoas carentes de comunicação e auto expressão. Contudo, ela inclui que
“a noção do real contra-ataca. Quem vive vidas paralelas na tela estão, não obstante,
ligadas pelos desejos, pela dor e pela mortalidade de suas personalidades físicas. As
comunidades virtuais oferecem um contexto novo e impressionante, no qual pensar
sobre a identidade humana na era da Internet”. (Turkle, sherry 1995 Lif on the
Screen: identity in the age of the internet, nova York: Simon & Shuster).
Recuero também aborda essa construção de imagem no mundo virtual como um
processo natural da rede.
Há um processo permanente de construção e expressão de identidade por parte dos
atores no ciberespaço. Um processo que perpassa não apenas as páginas sociais,
como fotologs e weblogs, nicknames e chats e a apropriação de espaços como os
perfis em softwares como o Orkut e o MySpace. Essas apropriações funcionam
como uma presença do “eu” no ciberespaço, um espaço privado e, ao mesmo tempo,
público. Essa individualização dessa expressão, de “alguém que fala” através desse
espaço é que permite que as redes sociais sejam mantidas na internet. (RECUERO,
2009, p.26)
Mas as comunidades virtuais são reais? Castells (2008) responde que sim, mas ao
mesmo tempo abre uma questão. Dentro de ambientes virtuais as pessoas vivem a realidade
de estarem sempre sozinhas, mas acompanhadas, e, por outro lado, sempre acompanhadas
mas sozinhas. É a ideia de um tipo de convivência abstrata, ou até mesmo surreal, já que
dentro de comunidades virtuais podemos editar os próprios “eus” e exercer a possibilidade do
controle do diálogo, de ser ou viver um personagem, que não necessariamente corresponda à
sua realidade.
Sim e não. São comunidades, porém não são comunidades físicas, e não seguem os
mesmos modelos de comunicação e interação das comunidades físicas. Porém, não
são “irreais”, funcionam em outro plano da realidade. São redes sociais
interpessoais, em sua maioria baseada em laços fracos, diversificadíssimas e
especializadíssimas, também capazes de gerar reciprocidade e apoio por intermédio
da dinâmica de interação sustentada. (CASTELLS, 2008, p. 445)
30
Quase 100% dos usuários de Internet no Brasil (98%) utilizam parte do tempo na
rede para acessar plataformas sociais, de acordo com o estudo "Hábitos e Comportamento dos
Usuários de Redes Sociais no Brasil 2013", da empresa especializada E.Life6.
O brasileiro é o que mais acessa redes sociais através de smartphones, diz o estudo
Consumidor Móvel 2013 realizado pela Nielsen em dez países. Para 75% dos brasileiros, essa
é a principal função da plataforma, ultrapassando Estados Unidos e Reino Unido, ambos com
63%, China (62%), Rússia (59%) e Índia (59%).
Outro fator de destaque é o crescimento da classe média brasileira, que faz
aumentar também o acesso à internet, e as redes sociais são especialmente populares devido à
cultura hipersocial brasileira.
Um dos motivos do sucesso avassalador das redes sociais pode estar relacionado à
disponibilidade para diversos tipos de públicos. As mídias sociais estão em todos os lugares e,
na atual sociedade, seu poder é inquestionável. Blogs (Blogger, Wordpress), microblogs
(Twitter, Pownce), redes sociais (Facebook, Instagram, We Chat, Twitter), sites de
compartilhamento de vídeos (Videolog, Youtube, Vimeo), compartilhamento de fotos
(Pinterest, Flickr, Picasa, Zooomr, Fotolog), jogos online, mundo virtual (Second Life),
colaborativas (Wikipedia)... São muitas. E quase todos os dias surgem novidades. E não
param de crescer.
As redes sociais são a essência das mídias sociais. Através delas, pessoas interagem
com outras pessoas. Seu principal propósito é permitir a socialização entre amigos,
colegas e outras pessoas. Facebook (www.facebook.com), Orkut (www.orkut.com) e
MySpace (www.myspace.com) são seus principais representantes. São redes sociais
genéricas onde qualquer pessoa pode se cadastrar e estabelecer ligações com outros
usuários. De forma genérica, depois de se cadastrar um usuário adicionam seus
amigos que já fazem parte da rede social. O grupo de amigos pode ser expandido
através de pesquisas na própria rede. (RAMALHO, 2010, p.84)
As redes sociais podem ter objetivos diferentes, como as redes de relacionamentos
(Facebook, Instagram, Twitter) ou as redes profissionais (LinkedIn). Essas redes de
relacionamento online são um dos principais fatores de mudança na relação das pessoas. E, na
sociedade atual, vai além da relação das pessoas. Elas têm influenciado e transformado ainda
mais a relação das empresas com os consumidores, que se sentem mais poderosos, com mais
6
Disponível em Idnow. http://idgnow.uol.com.br/internet/2013/06/20/quase-100-dos-internautas-no-brasil-usamredes-sociais-facebook-lidera/>. Acessado em 08/08/2014)
31
oportunidades e mais à vontade de estabelecerem relações com suas marcas. No capítulo 3
alguns exemplos dessa relação serão citados, especificando os casos de Selfies na rede.
No Brasil, como de costume, o poder das redes sociais vem seguindo a tendência
norte-americana. Segundo Raquel Recuero em “Redes Sociais na Internet”, o primeiro grande
fenômeno mundial que mostrou o poder das redes sociais aconteceu nos Estados Unidos, na
campanha eleitoral de Barack Obama, este que até hoje continua sendo uma pessoa muito
ativa nas redes sociais.
Utilizando vídeos, blogs e sites de redes sociais, pela primeira vez, o mundo
acompanhou de perto a campanha presidencial entre os candidatos Barack Obama e
John MacCain e os efeitos da internet nela. Através do Twitter, por exemplo, era
possível acompanhar o que os usuários comentavam da campanha. (RECUERO,
2009, p.16)
Recuero comenta que a segunda grande demonstração desse poder aconteceu no
Brasil no período da tragédia das chuvas no sul do país, em 2008.
O segundo fenômeno aconteceu no Brasil. Em novembro de 2008, uma série de
chuvas frequentes gerou uma das maiores catástrofes naturais da história de estado
de Santa Catarina. Em alguns dias, o estado viu-se diante do caos: rios
transbordaram e inundaram grandes áreas, isolando cidades inteiras; deslizamentos
soterraram estradas, casas e pessoas. Durante esses eventos, uma série blogs,
ferramentas de mensagens como o Twitter, mensageiros instantâneos e outros
recursos foram utilizados para informar o resto do país a respeito dos
acontecimentos. Essas ferramentas mobilizaram pessoas, agregaram informações,
criaram campanhas e protagonizaram a linha de frente de apoio que Santa Catarina
recebeu. (RECUERO, 2009, p. 16)
Para dar início ao estudo das “Selfies”, é necessário uma breve explicação da
importância do fator virtualidade dentro do conceito de rede e comunidade, pois é o lugar
onde as pessoas se exibem e mostram os resultados de suas fotos. A expressão “redes sociais”
é usada para referir os tipos de relações sociais e sociabilidade virtuais que se diferenciam em
dinâmicas e propósitos. De um lado há uma vasta variedade de “comunidades virtuais” e os
chamados sites de redes sociais, cuja existência e desenvolvimento são contingenciados pelo
ambiente tecnológico em que são construídos (AGUIAR; 2007). É como se as redes fossem
formadas pelo o que as pessoas procuram na internet e a partir disso vão se formando grupos e
comunidades dentro desses sites. Isso permite que novos agrupamentos sociais, denominados
32
“comunidades virtuais” que representam novas formas de inserção sociais dentro do
Ciberespaço7.
Segundo Castells, com o advento da internet, surge a necessidade de se redefinir o
conceito de comunidade dando menos ênfase ao aspecto cultural e enfatizado à comunidade
como um apoio à existência social de e entre indivíduos. Juntamente com a rede, a noção de
comunidade virtual aparece como novo suporte para a sociabilidade.
A noção de comunidades virtuais depende muito do contexto em que está
inserido. Como o objetivo nesse trabalho acadêmico é fazer uma breve amostragem sobre o
tema para que através disso venham a entender que é um uma rede social que as pessoas
expõem suas fotos e suas vidas para certas comunidades formadas dentro dessas plataformas.
No caso das Selfies, sua aplicação tem grande participação nas redes sociais, pois
é nesse tipo de ambiente que há a superexposição do outro e o compartilhamento, assim o
poder de relevância que esta tendência possui, passa a se tornar comum ao grupo de amigos.
A Selfie faz parte de uma produção de conteúdo criada pelos próprios expositores em suas
vidas sociais e acabam por provocar a exacerbação da interatividade, dentro deste ambiente. É
a rede sendo utilizada por modas e tendências que ajudam a intensificar os objetivos a que ela
foi destinada.
2.2 Mídias Sociais
Muitas pessoas confundem redes sociais com mídias sociais. As redes sociais são
pessoas “conectadas” por relações onde se emite e recebe mensagem entre ambos. Quando há
esta relação de troca, podemos dizer que existe conexão. Já as mídias sociais são ferramentas
digitais personalizadas ou de prestação de serviços que permitem publicação de conteúdo e
formação de relacionamento, todavia apenas por meios virtuais. É o caso do Facebook,
Instagram, Twitter, etc. Na terminologia da palavra, podemos afirmar que redes são novas
7
Ciberespaço é o espaço no qual as interações sociais acontecem na virtualidade. Constitui-se de um não lugar,
em um espaço do saber e em um espaço formado através dos fluxos de troca de informações entre os dispositivos
técnicos que estão conectados a uma rede virtual - Internet (RECUERO 2006). O termo ciberespaço é definido
como “o espaço de comunicação aberta pela interconexão mundial de computadores e das memórias dos
computadores.” (LÉVY, 1999, p.94)
33
visões da sociedade, política, internet em um mundo globalizado onde podemos dizer que
tudo que é sustentável tem o padrão de rede 8.
O acesso à internet pelos smartphones tem provocado mudanças e avanços. O
Brasil já é o quarto país do mundo em número de smartphones no mundo: são 70 milhões,
segundo a consultoria Morgan Stanley 9.
Com tantos internautas conectados, as mídias sociais ganham cada vez mais
espaço na vida das pessoas e promovem mudanças no comportamento da sociedade. Segundo
análise do Wall Street Journal, os brasileiros estão passando cada vez mais tempo nos sites de
rede social. No Brasil, o tempo gasto no Facebook aumentou 208%, passando para 535
minutos mensais. Já o tempo médio gasto no Youtube por visitantes no Brasil cresceu 5%,
passando para 140 minutos, embora tenha caído 3%, para 161 minutos, na média mundial.
De acordo com estatísticas do SocialBakers, que monitora mídias sociais, o país é
o segundo em usuários no Facebook, com 65 milhões de cadastrados (atrás apenas dos
Estados Unidos) e também é o segundo em número de visitantes únicos do Youtube e um dos
cinco maiores mercados do Youtube em receita, além de ser um dos cinco principais
mercados do Twitter.
2.3 As plataformas mais utilizadas para propagação da Selfie
Na informática, um software aplicativo é um tipo de software concebido para
desempenhar tarefas práticas ao usuário para que este possa concretizar determinados
trabalhos10.
8
Disponível em Fiesp. http://www.fiesp.com.br/indices-pesquisas-e-publicacoes/o-poder-das-redes-sociais/
Informação disponível em Exame. http://exame.abril.com.br/tecnologia/noticias/brasil-e-o-quarto-pais-domundo-em-numero-de-smartphones.
10
Os usuários em sistemas de informação são agentes externos ao sistema que usufruem da tecnologia para
realizar determinado trabalho. Podem ser desde os usuários comuns do sistema até administradores,
programadores ou analistas de sistemas. (Disponível em: http://conceito.de/software-aplicativo - Acessado em:
15/09/2014)
9
34
De acordo com a pesquisa realizada pela empresa Samsung11 os aplicativos mais
utilizados para propagação das Selfies são Facebook (48%), Whatsapp (27%), Twitter (9%),
Instagram (8%), Snapchat12 (5%) e Pinterest13 (2%).
O Twitter é uma rede social e um servidor para microblog que permite aos
usuários enviar e receber atualizações pessoais de outros contatos. Tweets são os textos de até
140 caracteres que o aplicativo permite que seja inserido. Pelo Twitter também é possível
postar fotos. As Selfies são constantes no aplicativo.
As atualizações são exibidas no perfil de um usuário em tempo real e também
enviadas a outros usuários seguidores que tenham assinado para recebê-las.
O Twitter foi criado em 2006 por Jack Dorsey, Evan Williams, Biz Stone e Noah
Glass nos EUA. A ideia inicial dos fundadores era que o Twitter fosse uma espécie de "SMS
da internet" com a limitação de caracteres de uma mensagem de celular. Inicialmente
chamada Twttr (sem vogais), o nome da rede social, em inglês, significa gorjear. A ideia é
que o usuário da rede social está "piando" pela internet. Desde sua criação, o Twitter ganhou
extensa notabilidade e popularidade por todo mundo.
O WhatsApp é um aplicativo de mensagens instantâneas para smartphones. Além
de mensagens de texto, os usuários podem enviar fotos vídeos e mensagens de áudio. A
empresa, que possui o mesmo nome do aplicativo foi fundada em 2009 por Brian Acton e Jan
Koum, ambos veteranos do Yahoo! .
Em Junho de 2013, o aplicativo alcançou a marca dos 250 milhões de usuários
ativos e 25 bilhões de mensagens enviadas e recebidas diariamente. No dia 19 de fevereiro de
2014, o Facebook adquiriu a empresa pelo montante de 16 bilhões de dólares. O aplicativo é
11
http://www.mediabistro.com/alltwitter/Selfie-statistics-2014_b55825
Snapchat é um aplicativo de mensagens com base de imagens, criado e desenvolvido por estudantes da
Universidade de Stanford. Com o aplicativo, usuários podem tirar fotos, gravar vídeos e adicionar textos e
desenhos à imagem, e escolher o tempo que a imagem ficará no visor do amigo de sua lista. (Fonte: Wikipédia.
Acessado em 15/08/2014)
13
Pinterest é uma rede social de compartilhamento de fotos. Assemelha-se a um quadro de inspirações, onde os
usuários podem compartilhar e gerenciar imagens temáticas, como de jogos, de hobbies, de roupas, de perfumes,
etc. Cada usuário pode compartilhar suas imagens, recompartilhar as de outros utilizadores e colocá-las em suas
coleções. (Fonte: Wikipédia. Acessado em 15/08/2014)
12
35
muito usado para o compartilhamento de Selfies. As pessoas escolhem entre seus amigos da
lista telefônica para quem pode enviar a própria foto.
Conforme reportagem da revista Veja de novembro de 2013, existem alguns
aplicativos criados especialmente para a prática da Selfie.
Os Selfies são produzidos por jovens com idades entre 13 e 24 anos. Nove em cada
dez pessoas desse grupo postam os autorretratos, revelou o instituto americano Pew
Internet Research em estudo realizado em maio com adolescentes americanos. "O
Selfie permite que você mostre seus sentimentos sem artifícios, sem uso de filtros
que distorcem fatos", diz o vietnamita Joshua Nguyen, criador do Selfie14, primeiro
aplicativo exclusivamente dedicado aos autorretratos. Em geral, esses apps
dedicados possuem apenas três botões: um para capturar a imagem, outro para
programar o instante em que a foto será feita (temporizador) e, finalmente, um para
compartilhar o produto nas redes sociais. Na semana passada, Nguyen ganhou um
concorrente de peso, o Shots of Me, app bancado, entre outros investidores, pelo
cantor pop canadense Justin Bieber — um dos maiores disseminadores de Selfies,
aliás — que colocou 1,1 milhões de dólares no negócio. Onde há Selfie, pode haver
dinheiro. (Revista Veja 11/2013)
2.3.1 Instagram
O aplicativo Instagram foi lançado para o publico no dia 6 de outubro de 2010. O
aplicativo foi desenvolvido pelos engenheiros de programação Kevin Systrom e o brasileiro
Mike Krieger.
Ao criar o aplicativo, os engenheiros tinham a intenção de resgatar a nostalgia do
instantâneo mantida ao longo de vários anos pelas clássicas câmeras fotográficas Polaroides,
cujas fotos revelavam-se no ato do disparo.
O Instagram nasceu a partir de uma simplificação de outro aplicativo, também
desenvolvido pelos dois engenheiros, chamado de Burbons, cuja proposta inicial era a de uma
rede social que agruparia várias funções, onde os usuários poderiam compartilhar a sua
localização, imagens, vídeos, planos para o final de semana, etc. Porém, o desenvolvimento
14
Este aplicativo tem o objetivo de produzir Selfies, porém é mais simples que outros aplicativos concorrentes.
Ele só possui o botão para tirar fotos e o botão para publicar.
36
deste aplicativo mostrou-se muito complexo, motivando Kevin e Mike a escolher uma das
funções que consideram mais atrativas: a fotografia.
Não muito tempo atrás revelou que existem 80 milhões Selfies subidas sua
plataforma. A primeira foto postada no aplicativo Instagram completou quatro anos. A
imagem foi postada por um dos cofundadores da plataforma, Kevin Systrom. Na foto aparece
um pé (provavelmente de Systrom) ao lado de um Golden Retriever.
Figura 1- Primeira foto postada no Instagram
Fonte: Globo.com
Disponível em: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2012/07/primeira-foto-do-instagram-completa-doisanos.html
Ainda que a primeira foto tenha sido postada em 16 de julho de 2010, o aplicativo
Instagram só foi lançado oficialmente meses depois.
Inicialmente o Instagram foi desenvolvido para funcionar na plataforma iOS,
sistema operacional implementado nos celulares iPhone, tocadores de música iPod Touch e o
tablet Ipad. Todos os aparelhos foram desenvolvidos pela Apple. Atualmente qualquer pessoa
com um smartphone ou um computador tem acesso ao aplicativo. O Instagram é gratuito o
que permite que o seu acesso seja facilitado.
As imagens selecionadas para a realização deste trabalho acadêmico contou muito
com a ajuda de pesquisas realizadas a partir deste aplicativo. Com a conta do Instagram da
autora do presente estudo foi possível a navegação dentro do aplicativo. A busca por essas
37
imagens eram através de hashtags. Como por exemplo, para colher fotos de Selfies que eram
tirados frente ao espelho a hashtag usada deveria ser: #mirror #espelho #espelhoSelfie
#mirrorpic #mirrorSelfie # espelhomeu.
O aplicativo é simples intuitivo, após ter escolhido a foto de sua preferencia, o
usuário poderá́ dar um título à fotografia, seja para dizer o local o qual foi realizada, ou
escrever uma frase simbólica com um significado subjetivo. Em seguida, as fotos podem ser
instantaneamente compartilhadas, não só́ no Instagram, mas também em outras redes sociais,
tais como Facebook, Twitter, Flickr15 e Tumblr16. O usuário também poderá́ conectar-se, caso
possua, à sua conta do Foursquare17 e marcar a localização das suas fotos. Assim como no
Facebook, caso o usuário queira privacidade em suas fotos postadas, ele poderá́ configurar a
sua conta como privada.
A base de relacionamentos do Instagram se mantém em torno de ter amigos ou
seguidores, ou seja, indivíduos que estão vinculados à conta de usuários, com o intuito de
acompanhar continuamente as atualizações do outro na rede.
Dentro do aplicativo as hashtags #Selfie #Selfies #Selfiesunday #Selfienation
#Selfietime #Selfiesaturday #Selfiee #Selfiefordays #Selfiequen #Selfieoftheday #Selfiegame
#Selfieking #Selfiefordays #Selfielife já possuem milhares de postagens.
Uma hashtag definida como um comando que possui a função de agrupar imagens
relacionadas entre si para um determinado assunto. A hashtag facilita a divulgação de um
assunto, além de organizar o conteúdo do que está sendo discutido. As hashtags são muito
usadas em convenções, festas, encontros, shows e hoje em dia em publicidade. Os usuários
interessados no assunto podem se atualizar rapidamente por meio do aplicativo. Para criar
15
O Flickr é um site da web de hospedagem e partilha de imagens fotográficas (e eventualmente de outros tipos
de documentos gráficos, como desenhos e ilustrações), caracterizado também como rede social. O Flickr permite
a seus usuários criarem álbuns para armazenamento de suas fotografias e entrarem em contato com fotógrafos
variados e de diferentes locais do mundo. (Disponível em: Wikipédia/flickr. Acessado em: 15/08/2014)
16
Tumblr é uma plataforma de blogging que permite aos usuários publicarem textos, imagens, vídeo, links,
citações, áudio e "diálogos". A maioria dos posts feitos no Tumblr são textos curtos, porém a plataforma não
chega a ser um sistema de microblog, estando em uma categoria intermediária entre o Wordpress ou Blogger e o
Twitter. Os usuários são capazes de "seguir" outros usuários e ver seus posts em seu painel (dashboard).
Também é possível "gostar" (favoritar) ou "reblogar" (semelhante ao RT do Twitter) outros blogs. (Disponível
em: Wikipédia/tumblr . Acessado em 15/08/2014)
17
Foursquare é uma rede social e de microblogging que permite ao utilizador indicar onde se encontra e publicar
essa informação a seus contatos. Através do aplicativo, pode também procurar por outros contatos seus que
estejam próximo ao local de estadia. (Disponível em: Wikipédia/foursquare . Acessado em 15/08/2014)
38
uma hashtag, o usuário usa uma tags 18 com símbolo # mais uma descrição do assunto,
normalmente sem acentuação (ex.: #Selfiedodia #Selfielove e assim por diante). Quando um
usuário clicar uma hashtag, todas as imagens identificadas com localizadores iguais
aparecem.
2.3.2 Facebook
O Facebook foi criado por Mark Zuckerberg, Chris Hughes, Eduardo Saverin e
Dustin Moskovitz, baseada no Facemash19, criada em outubro de 2003 para que os estudantes
de Harvard pudessem escolher os amigos mais atraentes.
Em janeiro de 2004, Mark Zuckerberg criou o Thefacebook, primeiro nome da
rede social. Mesmo tendo sido lançado em janeiro, o aplicativo foi aberto ao público em 4 de
fevereiro. Em setembro do mesmo ano a plataforma ganhou o "mural", que permitia aos
usuários enviar mensagens aos amigos. Em dezembro de 2004 já existiam um milhão de
usuários (apenas estudantes) no Facebook.
No final de 2005, o Facebook possibilitou que os usuários compartilhassem fotos
e foi liberado para ser acessado em todo o mundo (somente estudantes). No dia 26 de
setembro de 2006, o Facebook permitiu que qualquer pessoa pudesse criar a sua conta, o que
levou a rede social a alcançar 12 milhões de fãs. Em 2007, ano em que o Facebook liberou o
compartilhamento de vídeos, 58 milhões de usuários já utilizavam a rede social. Somente em
2008 o Facebook foi disponível para aplicativo para Iphone.
18
Uma tag, ou em português etiqueta, é uma palavra-chave (relevante) ou termo associado com uma informação
(ex: uma imagem, um artigo, um vídeo) que o descreve e permite uma classificação da informação baseada em
palavras-chave. (Disponível em Wikipédia/Tags. Acessado em: 15/08/2014)
19
Zuckerberg criou o software para o site Facemash quando ele ainda estava no segundo ano de faculdade. O
site foi programado para ser um jogo entre os estudantes de Harvard, mostrando aos visitantes duas fotos de
estudantes lado a lado para serem escolhidas as mais atraentes. Nos Estados Unidos, o site ficou conhecido como
"Facemash” (http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_do_Facebook acessado em 28/08/2014)
39
Em 2009 já com 360 milhões de usuários foi lançado o botão Like. Onde as
pessoas poderiam “curtir” as publicações feitas pelos amigos. Ao apertar esse botão a
popularidade da pessoa curtida aumenta, já que o post aparece na pagina de quem curtiu.
Hoje o Facebook conta com um bilhão de usuários no mundo todo.
Um usuário cadastrado tem o poder de compartilhar com os amigos da plataforma
o que está pensando, a localização em que está, postar fotos e fazer comentários em paginas
de outras pessoas. A cada curtida que a foto recebe mais popular o perfil da pessoa fica, pois
merece lugar de destaque na timeline dos amigos da rede.
3
“SELFIES”
Selfie – por ela mesma = by her SELF + “ie” diminutivo. Definido pelo dicionário
Oxford como uma foto tirada de si mesmo – geralmente através de smartphone ou webcam e
publicada em uma rede social.
Em 2013, os responsáveis pelos dicionários da Oxford escolheram Selfie como a
palavra do ano. Um dos motivos para esta escolha foi o fato desta palavra ter crescido
17000% em 2013, o que confirma o seu estatuto de uma das palavras mais procuradas em um
ano20. Mensalmente, um programa coleta mais de 150 milhões de palavras em publicações
variadas e analisa a recorrência delas. O ingresso do termo no Oxford, no entanto, não é
apenas fruto de uma estatística. É o reconhecimento de um fenômeno global.
Segundo o dicionário, a Selfie pode ser rastreada até o ano de 2002, quando a
palavra foi usada em um fórum online australiano. Após ter sofrido um pequeno acidente
doméstico um homem sofreu pequenos ferimentos em seu rosto. Ele fez uma própria foto do
seu rosto e ficou fora de foco. Em seu comentário ele disse que não estava bêbado, mas que se
tratava de uma Selfie.
20
Disponível em: http://www.significados.com.br/Selfie/
40
Em 2004 foi criada uma tag no Flickr com o nome Selfy (Com Y) que
supostamente foi criado para autorretratos digitais. A expressão ganhou espaço no MySpace
também. Em 2005 a palavra foi citada no dicionário popular dos EUA e a expressão
significava “Foto tirada por si mesmo por meninas adolescentes”. A tag Selfy ou Selfie
continuou no Flickr no ano seguinte. Foi somente em 2007 que um grupo criou um canal com
o nome “Selfie Shots”.
A palavra foi usada pela primeira vez fora das mídias sociais em 2007 pelo site
TMZ, um site americano de notícias sobre celebridades. Em 2009 a palavra Selfie (com ie) foi
para o dicionário popular com o descritivo de ser uma foto tirada por si mesmo e bastante
usada nas mídias sociais como My Space e Facebook 21. E como já citado anteriormente, em
2013 foi eleita a palavra do ano pelo dicionário Oxford.
Self também costuma ser identificado como “essência” do ser humano. Na
psicologia existe a escola chamada psicologia do Self, essa escola enfatiza a normalidade de si
mesmo e também as doenças relacionadas aos transtornos narcisistas. No Século XX
psicanalista Heinz Kohut (1913 – 1981) criou a psicologia do Selfie. Essa psicologia foi criada
a partir de um grande estudo de comportamento de pessoas que sofriam de transtornos
narcísicos. Os estudados eram pessoas que apresentavam a autoestima vulnerável e eram
sensíveis às ofensas ditas por outras pessoas. Essas pessoas apresentavam excesso de
preocupação com o próprio corpo e falta de empatia com o próximo. Kohut propôs como a
formação do self é dada desde a infância e no caso era um desenvolvimento que passa pela
busca do humano pelo prazer e as relações entre a experiência do self com o objeto, com o
outro22.
Entretanto, “Selfie” não é invenção do mundo digital, é bom frisar (mas é
igualmente importante reconhecer que a tecnologia transformou a prática). O primeiro
registro reconhecido como tal data de 1839, assinado por Robert Cornelius. A imagem em
questão foi feita pelo químico amador e entusiasta da fotografia na Filadélfia, onde ele vivia.
Cornelius tinha montado sua câmera na parte de trás da loja da família. Ele removeu a tampa
da lente e correu até a frente da câmara e se sentou por um minuto com a lente aberta
21
Disponível em: http://www.scribd.com/doc/167602342/Selfies-and-the-Search-for-Recognition-See-foryour-Selfie
22
Disponível em:
http://www.schoolbiosynthesis.com/filemanager/Uploads/estrutura_de_pastas_portugues/formacao/bibliote
ca/artigos/bio_concepcao__self_heinz_kohut.pdf
41
possibilitando a captação da imagem. Após tirar a foto ele escreveu no verso "A primeira foto
foi tirada em 1839".
Tirada em 1900 com uma Kodak Brownie, a imagem abaixo (figura3) é outro
exemplo de das primeiras Selfies conhecidos23.
Figura 2- Grã-duquesa russa Anastasia Nikolaevna
Fonte: News.com.au
Disponível em: http://www.news.com.au/technology/these-old-Selfies-dating-back-to-the-1800s-will-blow-yourmind/story-e6frfro0-1226741497253
23
Disponível em: Revista Veja edição 11/2013
42
Figura 3 – Selfie tirada com uma Kodak Bowie
Fonte: Feedbox.com
Disponível em: http://www.feedbox.com/do-you-know-who-was-in-the-first-Selfie/
Vale ressaltar que a moda dos autorretratos pegou entre os adolescentes. Abaixo,
está a Selfie tirada pela grã-duquesa russa Anastasia Nikolaevna (Figura 2) que, em 1914, aos
13 anos, tirou esse retrato em frente ao espelho. A grã-duquesa enviou o retrato para seus
amigos por uma carta na qual falava que tirar a foto foi difícil, já que suas mãos tremiam.
O ato de fazer uma foto de si mesmo não é novidade. De Polaroids a autorretratos,
sempre foi comum encontrar pessoas que se colocam como assunto principal de seu trabalho,
sua arte e seu lazer.
No Instagram, o primeiro autorretrato com a tag Selfie foi publicado no aplicativo
pela escritora norte-americana Jennifer Lee, em dezembro de 2010. Após isso a Selfie, fotos
de si mesmo feitas pelos usuários da rede social cresce exponencialmente24.
24
Fonte: http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/11/saiba-quem-fez-o-primeiro-post-autorretratocom-tag-Selfie-no-instagram.html Acessado em 07/07/2014.
43
Figura 4- Primeira Selfie no Instagram
Fonte: Feedbox.com
Disponível em: http://www.feedbox.com/do-you-know-who-was-in-the-first-Selfie/
Em dias atuais as novas tecnologias aumentaram muito as possibilidades. São
inúmeras as ferramentas para registrar imagens e lugares, produzir vídeos e publicá-los na
internet, passatempo hoje de milhões de usuários das redes sociais.
A prática de tirar Selfies ganhou popularidade a nível global, e algumas tiveram
milhões de visualizações. Alguns exemplos desses são a Selfie tirada por um grupo de jovens
com o Papa Francisco. Ele foi o primeiro pontífice a ter uma Selfie publicada. A imagem foi
tirada com três jovens, durante uma missa em 28 de agosto, na Basílica de São Pedro, no
Vaticano (figura 5).
A Selfie tirada no Oscar também serve de exemplo (figura 6), na foto aparecem
várias estrelas de Hollywood, como Meryl Streep, Julia Roberts, Brad Pitt, Angelina Jolie,
etc. A foto teve mais de 2,7 milhões de compartilhamentos, chegando a dar uma pane
momentânea no Twitter por alguns minutos. A imagem tornou-se a foto mais retuitada da
história.
44
Figura 5 – Selfie com o Papa Francisco
Fonte: UOL
Disponível em: http://tecnologia.uol.com.br/album/2013/12/11/obama-papa-e-beyonce-veja-Selfies-que-deramo-que-falar.htm
Figura 6- Selfie do Oscar
Fonte: UOL
Disponível em: http://tecnologia.uol.com.br/album/2013/12/11/obama-papa-e-beyonce-veja-Selfies-que-deramo-que-falar.htm
Em outubro de 2013, durante uma entrevista ao apresentador americano Jimmy
Fallon, Paul MacCartney, ex-integrante da banda Beatles mostrou uma antiga foto sua diante
do espelho e brincou que teria sido o pioneiro da nova moda (figura 7).
Outra imagem curiosa foi a que Aki Hoshide fez na Estação Espacial
Internacional, durante a expedição 32 da Nasa (Figura 8).
45
Figura 7 – Selfie Paul McCartney
Fonte: Youreventphotobooths.com
Disponível em: http://www.youreventphotobooths.com.au/category/photobooth-Selfie
Figura 8 – Selfie estação espacial
Fonte: UOL
Disponível em: http://tecnologia.uol.com.br/album/2013/12/11/obama-papa-e-beyonce-veja-Selfies-que-deramo-que-falar.htm
Os políticos são figuras que aparecem em Selfies com frequência. Na imagem
abaixo, (figura 9) operários que trabalham nas obras do metro de São Conrado, no Rio de
Janeiro, fazem Selfie com a Presidente da República Dilma Rousseff.
46
Figura 9 - Selfie com a presidente da República
Fonte: UOL
Disponível em: http://noticias.uol.com.br/album/2014/04/14/Selfies-dos-politicos.htm#fotoNav=8
O presidente da França Nicolas Sarkozy e sua esposa Carla Bruni Sarkozy foram
alvos de uma Selfie quando deixavam a sessão eleitoral após votarem no primeiro turno das
eleições municipais da França. Em Paris, em 23 de março deste ano.
Figura 10 – Selfie com Políticos
Fonte: UOL
Disponível em: http://noticias.uol.com.br/album/2014/04/14/Selfies-dos-politicos.htm#fotoNav=8
O presidente Barack Obama, o primeiro ministro britânico, David Cameron, e a
premiê da Dinamarca, Helle Thorning-Schmidt, ganharam a atenção do mundo ao registrarem
um polêmico autorretrato pelo celular durante o funeral do líder africano Nelson Mandela. A
foto registrada por Obama não foi publicada em uma rede social, mas é muito comum ver as
celebridades registrando e postando seus momentos. A justificativa mais comum das
celebridades para ser atuante nas redes sociais é a possibilidade de se comunicar sem filtros
com os fãs e fazer com que se sintam próximos delas.
47
Figura 11 – Selfie com o presidente dos EUA Obama
Fonte: UOL
Disponível em: http://noticias.uol.com.br/album/2014/04/14/Selfies-dos-politicos.htm#fotoNav=8
Para analisar e avaliar esse novo fenômeno social, o pesquisador russo e expert
em novas mídias Lev Manovich, junto ao laboratório americano Software Studies Initiative,
realizou um primeiro estudo sistemático com o objetivo de buscar novos mecanismos para
compreender melhor a Selfie. Chamado de SelfieCity, o projeto analisou 3,2 mil imagens em
cinco cidades do mundo: Nova York, São Paulo, Berlim, Bangcoc e Moscou. Entre alguns
dos resultados:
Foi revelado que mulheres, especialmente as de São Paulo, são o grupo que faz
poses mais ~extremas~ para suas Selfies, usam mais expressão corporal e
sensualidade do que os homens – inclinação média das suas cabeças (12,3°) em
poses para este tipo de foto é 150% superior a dos homens (8,2°), o que mostra que
grande parte das mulheres posiciona o celular ou câmera acima da cabeça. Em São
Paulo, este ângulo aumenta para 16,9° entre as mulheres – isso prova que na hora da
Selfie elas são as mais ousadas? A pesquisa também concluiu que quanto mais nova
a pessoa, mais propensa ela está a tirar Selfies – a média de idade dos entusiastas
deste tipo de foto é 23,7 anos, sendo os mais novos vindos de Bangkok (média de 21
anos) e os mais velhos em Nova Iorque (25,3 anos). (Selfiecity, acesso em
04/08/2014)
A psicóloga Luciana Nunes, diretora do Instituto Psicoinfo, mestre em saúde
mental e estudiosa da relação entre tecnologia e comportamento defende que existem três
tipos definidos de pessoas que fazem seu autorretrato. O primeiro grupo é formado por
exibicionistas. Essas pessoas cultuam suas imagens nos espelhos, tiram fotos fazendo
exercício físico para mostrar o resultado da transformação de seu corpo. São pessoas que se
importam muito com os valores estéticos.
O segundo grupo é formado por pessoas que querem expor felicidade, alegrias,
tristezas e revoltas. É um grupo que sente a necessidade de externalizar seu sentimento em
determinado momento. O terceiro grupo é formado por pessoas que em suas fotos mostram
48
um belo cenário. A paisagem não pode chamar mais atenção do que a pessoa. Eles sentem a
necessidade de mostrar que está em algum lugar, parque, praia ou shopping, por exemplo.
Este último se difere do primeiro pelo fato de ter um enfoque mais voltado para o ambiente
que está sendo visitado, firmado em valores como status e ostentação.
O site UOL25 fez uma pesquisa onde o intuito era saber o porquê as pessoas fazem
Selfie. As respostas foram variadas e por motivos tão simples que chegam a surpreender, pois
muitas pessoas tiram as fotos apenas por se sentir confortável no momento e gostam de
registrar o que estavam vivendo, não pensando em se exibir, já se tornou algo incorporado ao
cotidiano das pessoas.
Uma pesquisa realizada pelo Instituto IPSOS/Association pour la Promotion de
Soi, cujos resultados foram divulgados em outubro de 2013, revela a importância da
teatralização de si mesmo. Entrevistados sobre o motivo de tirar fotos digitais, 48% de
franceses responderam: "para fazer autorretratos e ser o protagonista de uma cena". Na faixa
etária de 15-29 anos, essa resposta alcançou 61%26.
Os Australianos são os que tiram mais Selfies no mundo, seguidos dos americanos
e depois canadenses27.
3.1
Tipos de Selfies
Apesar de a tendência Selfie ter um enfoque mais voltado para a necessidade de se
expressar livremente, de ser autor do seu próprio eu, podemos observar que há um desvio
inconsciente para a tipificação de estilos, uma vez que há a publicação de imagens que
pretendem atender às expectativas da audiência, ou seja, do público que se pretende agradar:
os seguidores. Sendo assim, há um paradoxo no comportamento dos usuários ao padronizar as
fotos por tipos de Selfie.
25
Disponível em http://youpix.virgula.uol.com.br/pessoas/por-que-voce-faz-Selfies/ (Acessado em
05/09/2014)
26
http://www.fftelecoms.org/articles/observatoire-de-la-vie-numerique-de”s-adolescents-12-17-ans-le-Selfieportrait-de-soi
27
Disponível em : http://www.mediabistro.com/alltwitter/Selfie-statistics-2014_b55825
49
Junto a isso, podemos entender a força que as hashtags, já citadas anteriormente,
trazem para a popularização dos estilos. Quando elas são utilizadas há a potencialização da
visibilidade daquela publicação.
Abaixo será apresentado um estudo com as categorias mais populares de Selfie,
detalhados com suas principais características. Essas categorias foram minunciosamente
escolhidas por sua popularidade nas plataformas utilizadas para propagação das fotos tiradas
por si mesmo. As imagens foram coletadas nos aplicativos Instagram, Facebook e pelo
buscador Google.
3.1.1
Rosto
As fotos de rosto são as Selfies mais populares das redes. As fotos podem ser
apenas do rosto das pessoas, fazendo caretas ou com a famosa expressão que ganhou hashtag,
a #duckface, ou cara de pato. A famosa cara de pato é quando uma pessoa imita o bico de um
pato na foto.
A origem da palavra duck face se deu em 1989, na série Três É Demais, onde um
personagem ganhou o apelido "duck face" por fazer cara que imitava um pato.
Depois disso, boy bands dos anos 90 buscavam um charme a mais nas fotos com a
mesma expressão. E o modelo debiloide vivido por Ben Stiller no filme Zoolander
(2001) tinha uma pose igual. Mas foram as redes sociais que transformaram o bico
de pato em fenômeno, desde o MySpace e o Orkut, em 2006, até o Facebook e
Instagram. (Revista Super Interessante, 11/2012)
Muitas vezes as fotos não vêm acompanhadas de legenda, a própria foto por si só
já é como uma legenda, a foto quer mostrar o momento em que a pessoa está vivenciando, e
não se trata da pessoa ser bonita ou não. Depende da necessidade da pessoa estar feliz e
confortável no momento para tirar uma foto de si mesmo.
É claro que o autorretrato é um alvo fácil para a acusação de autoestima elevada,
mas em uma cultura visual atual , a Selfie pode expressar palavras, trata-se de mostrar aos
amigos e familiares como está o humor da pessoa, se ela está tendo um bom dia. Muitas vezes
serve como a abertura de um diálogo ou linha de comunicação usando uma imagem da mesma
forma que usaria um texto para se expressar.
50
As pessoas já estão imersas em uma vida eletrônica e estão mais aptos a
interpretar as mídias sociais, as Selfies são como “avatares” 28 das próprias pessoas.
Muito comum nas mídias sociais são fotos no espelho. Algumas no espelho do
elevador.
A relação das pessoas com o espelho começa ainda nos primeiros meses de vida.
Para Lacan29 no livro O estádio do espelho como formador da função do eu as crianças ao se
olhar no espelho não são vistas como unidade e se percebem apenas na relação com as coisas.
Quando um bebê vê sua imagem no espelho, integra essa imagem com a sensação física que
ele tem, e assim se entende como unidade.
Figura 12- Selfie criança
Fonte: Instagram
Disponível em: bitch13
Figura 13 – Selfie decote
Fonte: Instagram
Disponível em:divulgagirls.br
Figura 14 – Selfie Rosto
Fonte: Instagram
Disponível em: iamprincessnina
28
Conforme o site colaborativo Wikipédia , Avatar é um cibercorpo inteiramente digital, uma figura gráfica de
complexidade variada que empresta sua vida simulada para o transporte identificatório de cibernautas para
dentro
dos
mundos
paralelos
do ciberespaço.
(Disponível
em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Avatar_(realidade_virtual) acessado em 18/09/2014)
29
Jacques-Marie Émile Lacan foi um psicanalista francês. Formado em Medicina, passou da neurologia à
psiquiatria
51
Figura 15 – Selfie extremo
Figura 16 –Selfie Duck Face
Figura 17- Selfie espelho
Fonte: Noticias inéditas
Disponível em:
http://www.noticiasineditas
.com/los-Selfies-masabsurdos-de-la-historia-i/
Fonte: Instagram
Disponível em: blkgoddess365
Fonte: Pure Breack
Disponível em:
http://www.purebreak.com.br/midia/
foto--Selfiegame2014-11509.html#1
3.1.2
Fazendo Exercício Físico
Outro tipo de Selfie muito encontrado nas mídias sociais são fotos de pessoas
praticando exercícios físicos. Geralmente as imagens são feitas dentro da academia,
demonstrando o esforço da pessoa em estar lá, mostrando os músculos, ou após o treino,
postando os resultados. O cenário é composto por aparelhos, roupas de academia, suor e
muitas vezes espelho.
As pessoas que se utilizam desse estilo de Selfie podem ter a necessidade de serem
incentivadas pelo público espectador de suas publicações. O esforço criado exige algum tipo
de reconhecimento esperado a partir de uma postagem, já que ir à academia e fazer exercícios
é um sinal de determinação. É importante ressaltar também que há uma parcela de pessoas
que já profissionalizaram este estilo e fizeram disto uma fonte de inspiração para seus
seguidores. Alguns deles, por exemplo, Carol Bufara (335 mil seguidores) e Gabriela Pugliesi
(787 mil seguidores) já recebem patrocínio de empresas relacionadas ao negócio para divulgar
seus produtos/serviços. Ou seja, houve a possibilidade de se monetizar o seu conteúdo.
Para atrair visualizações em suas paginas as blogueiras fitness, como são
chamadas, criam “projetos” que levam seu nome. Os projetos são acompanhados de hashtags,
por exemplo “#projetocarolbufara”. Essa hashtag conta com mais de 12 mil fotos e nela as
52
pessoas podem identificar suas fotos postadas de treinos, comidas saudáveis e um estilo de
vida parecido com o da blogueira.
Figura 18- Pagina Carol Bufara
Figura 19- Selfie Academia
Fonte: Instagram
Disponível em: CarolBufara
Fonte: Instagram
Disponível em: jujualimeni
Figura 20 – Selfie Academia
Fonte: Instagram
Disponível em: simplynathalia
Figura 21 – Pagina Gabriela Pugliesi
Figura 22 – Selfie na academia
Fonte: Instagram
Disponível em: Gabriela Pugliesi
Fonte: Instagram
Disponível em: Selfiegopro
53
3.1.3
Look do Dia
As Selfies no espelho também têm outro propósito: compartilhar o look do dia, ou
seja, publicar a roupa que está sendo usada no dia. Com a ascensão das blogueiras de moda,
que tomaram um espaço de grande importância nas redes esse tipo de foto ficou mais popular,
o que incentivou também a criação de aplicativos e redes sociais somente para essas Selfies.
Atualmente a hashtag look do dia conta com mais de um milhão de postagens.
Na palestra realizada no dia 23 de abril de 2013, chamada “Mulheres
Empreendedoras”, ministrada por mulheres influentes no mercado brasileiro, Lala Rudge diz
que teve a iniciativa de desenvolver conteúdo sobre as tendências de moda no blog, porém
essas publicações tinham poucas visualizações. Segundo a blogueira, as seguidoras se
interessavam mais pelas publicações sobre sua vida pessoal, sobre os bastidores do seu dia-adia, do que sobre as dicas de moda e beleza.
O estudo a respeito das blogueiras de moda merece atenção especial ao efeito
causado para os usuários. Mais detalhes serão contemplados no capítulo 4.2 do presente
estudo.
Figura 23- Selfie Blogueira
Fonte: Instagram
Disponível em: lalatrusardrudge
Figura 24 -Selfie Look do Dia
Fonte: Instagram
Disponível em: lalatrusardrudge
Figura 25- Selfie Moda
Fonte: Instagram
Disponível em: lepudmoda
54
Figura 26 – Selfie Moda
Fonte: Instagram
Disponível em: thassianeves
3.1.4
Figura 27- Selfie Look do Dia
Fonte: Instagram
Disponível em: lalanoleto
Figura 28- Look Blogueira
Fonte: Instagram
Disponível em: lalanoleto
Comida
São inúmeras fotos com pratos bonitos e ornamentais na rede. As fotos variam,
muitas são mostrando os dotes culinários do internauta e outros pratos de restaurantes
famosos e cobiçados.
Muitas vezes a fome por um like parece ser maior do que a fome real. Ao
pesquisar imagens do tipo, o que se pode perceber é que muitas vezes a foto é tirada antes do
prato ser degustado.
Com a pesquisa através das fotos postadas, o que se pode constatar é que muitas
pessoas querem registrar um momento bom em que está comendo um de seus pratos favoritos
ou apenas para que as pessoas vejam e invejem um belo doce que comprou.
No Facebook existem alguns perfis que se dedicam exclusivamente a compartilhar
imagens de comidas. A página Food Porn tem quase dois milhões de seguidores. Muito do
conteúdo da página são fotos enviadas pelos seguidores. A hashtag “food”, no Instagram tem
mais de 120 milhões de imagens publicadas. A hashtag “Food in the air” é a mais nova moda
na Europa, a novidade é casar em uma foto a comida com um cenário deslumbrante.
55
Conforme reportagem da revista Época de janeiro de 2014, alguns chefs de
cozinha se irritam com o comportamento dos clientes, mesmo eles fazendo propaganda
gratuita sobre seus pratos. Os chefs acham que a prática tira o paladar do alimento e alguns
pratos pedem a degustação assim que chegam à mesa. Alguns restaurantes fora do Brasil já
proíbem seus clientes de fotografar os pratos ou restringem a prática. O Bouley, em Nova
York, é um deles. Lá, os clientes que querem fotografar o prato, são convidados a ir até a
cozinha para não atrapalhar os outros clientes com os flashs.
Já existem pesquisas realizadas sobre a prática de tirar fotos, e se afeta ou não o
paladar.
Um estudo feito pela Universidade Brigham Young concluiu que, quanto mais fotos
de comida nós vemos, menor é a nossa vontade de comer. “É como se nos
sentíssemos saciados pela imagem”, diz Jeff Larson, um dos professores
responsáveis pela pesquisa. Já a pesquisa feita na Universidade de Minnesota, nos
Estados Unidos, revelou que rituais simples como fazer uma refeição num lugar
agradável ou observar o alimento por alguns segundos antes de comê-lo
influenciam positivamente na percepção do paladar (Revista Época 01/2014).
Figura 29- Selfie food
Fonte: Instagram
Disponível em: rossfreitas
Figura 30- Selfie food
Fonte: Instagram
Disponível em: lovelyangela13
Figura 31- Selfie food
Fonte: Facebook
Disponível em:
www.facebook.com/denisecassini
56
Figura 32-Selfie food
Fonte: Instagram
Disponível em: tianajaye1011
Figura 33- Selfie food
Fonte: Instagram
Disponível em: foodintheair
Figura 34-Selfie food
Fonte: Instagram
Disponível em: foodintheair
3.1.5 Viagens e Férias
Nas fotos de viagens de férias o que se pode perceber é que para muitas pessoas
um dos pontos altos das viagens são as Selfies. É como se parte da viagem não pudesse ser
totalmente aproveitada se não houver Selfies para registrar que realmente se esteve naquele
lugar. A necessidade de mostrar que os dias de férias estão sendo aproveitados parece ser
maior do que realmente desfrutar do momento em que está se passando no destino escolhido.
Não se pode generalizar tal comportamento ao citar esse tipo de ação. Muitas pessoas querem
apenas eternizar o momento feliz que está vivenciando. É como que quisessem deixar
registrado para arquivo pessoal e também externar a alegria e emoção ao em se realizar um
sonho.
Algumas pessoas ganham a vida viajando para lugares e posando em suas redes
sociais os hotéis e cidades em que se encontram, a fim de fazer publicidades desses locais.
Outros ganham a vida fotografando belas paisagens para depois vender essas imagens, essas
pessoas possuem páginas no Instagram para comercializar seu produto.
57
As fotos dos pés com paisagem ao fundo são muito comuns para demonstrar um
momento de relaxamento e também as fotos com equipamentos Go Pro 30.
Em uma matéria do jornal Folha de São Paulo, uma proprietária de uma agência
de viagens, Jaque, explicou que para nova geração os aparelhos digitais são agora parte da
experiência interpretativa da viagem31. Ela relata que muitos pais gostam de ver seus filhos
postando fotos empolgadas em seus destinos e adoram saber o que os filhos estão fazendo.
Outros já acham que os filhos estão querendo contar vantagem por poder estar em tal lugar. E
se preocupam com a reação narcisista que os filhos estão tendo.
Muitas vezes os jovens dedicam mais tempo às próprias Selfies do que realmente
deveriam.
Peg Streep, que escreve sobre psicologia e a geração milênio diz que “O que
deveria ser uma experiência de aprendizado se torna uma experiência de olhem pra mim. É
um momento narcisista cujo objetivo é obter likes”
Peg também se refere a um estudo feito por Linda Henkel, da Universidade
Fairfield, em Connecticut, que constatou que os visitantes a museus lembram mais do que
viram se não tirarem fotos dos objetos que estão contemplando. Fazer fotos
descontroladamente tira a experiência do momento e desvia a atenção da pessoa para a foto.
As fotos tiradas em viagens podem servir como guia para pessoas que pretendem
visitar tal lugar. Antes de fazer um roteiro, muitos consultam as fotos que as pessoas tiraram
nos lugares e se realmente vale a pena a visita.
Conforme matéria publicada no jornal Folha de São Paulo, já existe agência que
proíbe o uso de smartphones em seus passeios dentro dos museus para que o cliente tenha
maior aproveitamento do passeio.
30
GoPro : Empresa que produz câmeras fotográficas especificas para esportes. Com equipamentos da Go Pro o
fotografo pode obter uma imagem melhor de suas imagens.
31
Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/turismo/2014/08/1496509-viagem-de-jovens-e-festival-deSelfies.shtml. Acessado em 01/09/2014.
58
Figura 35- Selfie Viagens
Fonte: Instagram
Disponível em: samaracunha
Figura 38- Selfie Cristo
Fonte: UOL
Disponível em:
http://tecnologia.uol.com.br/alb
um/2014/03/04/com-moda-dosSelfies-usuarios-fazemautorretrato-em-situacoesinusitadas.htm
3.1.6
Figura 36- Selfie Viagens
Fonte: Instagram
Disponível em: Selfiegopro
Figura 39 - Selfie Viagens
Fonte: Instagram
Disponível em:
priscilanoronha
Figura 37- Selfie Viagens
Fonte: Instagram
Disponível em: roma_roma
Figura 40 - Selfie Viagens
Fonte: Instagram
Disponível em: benedettamarino
Maquiagem
Muitas pessoas usam seus canais para se comunicar com outras pessoas ensinando
e dando dicas de como se maquiar e mostrando os resultados.
Existem vários estilos possíveis para a exposição deste tipo de Selfie. Uma dos
métodos mais utilizados é o estilo “tutorial”, aquele que vai apresentando etapas do processo
de maquiagem, de forma que as seguidoras possam facilmente reproduzir em casa.
59
Desta forma, esta prática fica cada vez mais popular e tende a aumentar o número
de interessados, uma vez que possui uma utilidade funcional. É um tipo de Selfie que acaba
tendo uma influência comercial, pois, abrange a possibilidade de patrocínios de marcas que
tem identificação com este tipo de público. A exposição de uma marca a partir da política da
recomendação é uma das formas mais eficazes de efeito persuasivo, já que não possui o
caráter apelativo da publicidade, e apresenta o consumo de determinados produtos de forma
“natural”, além de ensinar a melhor forma de utilização do mesmo. As tutoras de maquiagem
têm propriedade para opinar sobre produtos/ serviços referentes ao negócio beleza e estética.
Sendo assim, há muita credibilidade em seguir as suas orientações e as empresas se
beneficiam deste negócio.
Outra forma de utilizar o Selfie make up é apresentando o resultado, sem tutoriais.
Neste caso, o objetivo seria divulgar determinados produtos e marcas em um processo voltado
para o efeito final. Já agrega valores como status e evidencia as qualidades “surpreendentes”
de uma maquiagem.
Figura 41- Selfie Maquiagem
Fonte: Instagram
Disponível em: natambasco
Figura 42- Tutorial Maquiagem
Fonte: Instagram
Disponível em: makeupbymels
Figura 43- Selfie Maquiagem
Fonte: Instagram
Disponível em: natambasco
60
Figura 44- Selfie Maquiagem
Fonte: Instagram
Disponível em: maquiagempb
Figura 45- Selfie Maquiagem
Fonte: Instagram
Disponível em: luzmakeup
Figura 46- Selfie Maquiagem
Fonte: Instagram
Disponível em:
universodamaquiagem_of
icial
3.1.7 Montagens e Filtros
A maioria das mídias sociais dispõe de ferramentas em que os usuários podem
editar suas imagens e tornar as fotos que serão postadas muito mais atrativas. O intuito disso é
buscar o maior numero de likes em suas fotos.
Um filtro fotográfico é um acessório de câmera fotográfica ou de vídeo que
possibilita o manejo de cores ou a obtenção de efeitos de luz pela sua inserção no caminho
ótico da imagem.
O Instagram e Facebook oferecem a possibilidade de aplicar filtros para
incrementar as fotografias. Eles possuem diferentes tipos para a escolha do usuário. Existem
diversos aplicativos que podem ser baixados e que desempenham a função única de edição de
imagens. As possibilidades de criação são ilimitadas. A foto tratada à sua maneira se torna
exclusiva e isso atrai mais atenção para as fotos publicadas. A hashtag #withfilter conta com
mais de 25 mil publicações no Instagram.
Pensando em atrair mais olhares para suas fotos, uma norueguesa de 26 anos,
cansada de sempre tirar as mesmas fotos inovou a forma de fazer sua Selfie e misturou sua
arte aos clicks.
61
No começo era uma brincadeira, hoje ela é seguida por muitas pessoas. Ela não
apenas usou os filtros que os aplicativos lhe oferecem, e começou a criar sua própria arte no
espelho em que estava acostumada em fazer suas Selfies.
Figura 47 - Selfie com arte
Fonte: Globo.com
Disponível em:
http://extra.globo.com/notic
ias/mundo/Selfie-artenorueguesa-revolucionaautorretratos-com-pinturaem-espelhos-veja-fotos13265427.html
Figura 50- Selfie com filtro
Fonte: Instagram
Disponível em: teenstyle_diy
Figura 48 – Selfie com Filtro
Fonte: Instagram
Disponível em: felipetoloi
Figura 51- Filtro e montagem
Fonte: Instagram
Disponível em: tarunwahi
Figura 49–Selfie Montagem
Fonte: Instagram
Disponível em:
52- Selfie com filtro
Fonte: Facebook
Disponível
em:www.facebook.com/paulokoja
62
3.1.8 Casais
Fotos de casais são bastante comuns nas mídias digitais. Muitos casais postam
fotos de momentos felizes que passaram juntos e querem dividir a felicidade com seus
seguidores.
A nova hashtag usada pelos casais é a “Aftersex”, ela mostra imagens feitas por
casais logo após o sexo, mas, geralmente, o registro não mostra nudez, apenas o rosto do casal
na cama. São mais de 25 mil fotos marcadas com o tema no Instagram. Uma página
internacional criada no Facebook intitulada "After Sex Selfies" está com mais de 500 mil
curtidas de pessoas de todo o mundo.
O que se pode perceber é que o limite da exposição de algo que deveria
permanecer entre o casal se tornou publico.
Para a psicóloga Luciana Ruffo, do Núcleo de Pesquisas da Psicologia em
Informática da PUC-SP, a exposição em si tem um caráter diferente nos dias de hoje.
"Podemos dizer que (o aftersex) é uma auto exposição, mas esse conceito tem
mudado muito. Essa geração é nascida e criada com a questão da internet e do
compartilhamento. Eles entendem o mundo privado de uma forma diferente do que a
maioria das pessoas que não foi criada com essa tecnologia entenderia. É uma
questão de geração", disse Luciana. (O Estado de S. Paulo 13/04/2014)
Essa nova forma de exposição virtual é modismo dos jovens nas redes sociais. É
comum da geração do milênio documentar cada momento de suas vidas e fazer parecer que
tudo é fabuloso em todos os momentos. Os casais postam fotos exibindo sua felicidade e
compartilhando com os amigos de suas redes. O momento de exibição não cabe apenas
somente ao dia a dia e ao cotidiano das pessoas, onde elas mesmas falam sobre suas
intimidades, com o surgimento das mídias digitais a forma de propagar tal felicidade se tornou
mais fácil e frequente. Infelizmente as relações podem acabar a qualquer momento e tal
exposição pode vir a gerar alguma forma de conflito e acusações entre o casal.
Uma foto de casal diferente que se alastrou nas mídias foi a de um casal recém
separados (figura 53). Após terem assinado os documentos de divórcios americanos, Keith
Henson e Michelle Knight tiraram uma foto sorrindo para documentar o momento. Na
63
legenda, Henson escreveu: “estamos oficialmente separados. Aqui vai para a separação mais
amigável, respeitosa e amorosa que se possa imaginar. Sorrimos não porque acabou, mas
porque aconteceu” 32.
Figura 53 –Selfie Divórcio
Figura 54 – After Sex
Fonte: Isto é
Disponível em:
http://www.istoe.com.br/assu
ntos/semana/detalhe/379676_
CASAL+NOS+EUA+SE+SE
PARA+E+DA+ORIGEM+A
+SELFIE+DO+DIVORCIO+
Fonte: Blog Social Conteúdo
Disponível em:
http://socialconteudo.blogspot.c
om.br/2014/04/nova-modaafter-sex-Selfie.html
Figura 56- Selfie casais
Fonte: Instagram
Disponível em: robertacovre
32
Figura 57- Selfie casais
Fonte: Instagram
Disponível em:
carlakanamaru
Figura 55– Selfie Casais
Fonte: Instagram
Disponível em: ssstaystrong
Figura 58 – Selfie casais
Fonte: Facebook
Disponível
em:www.facebook.com/pauloa
lves
Disponível em : http://www.fastcompany.com/3034907/fast-feed/divorce-Selfies-now-a-thing (Acessado em
11/09/14)
64
3.1.9 Animais
O fenômeno das Selfies não deixa nem os animais de fora. Os cachorros e gatos
ganharam hashtags no Instagram como #instadog e #instacat. A Selfie com animais, chamada
por exemplo como dogfie, quando tirada com um cão, ou catfie quando tirada com um gato e
o mais recente “Felfie”, o novo termo é uma união das palavras “Farmer” - em inglês,
fazendeiro - e Selfie, a foto tirada pelo próprio usuário. São fotos com animais da fazenda,
como vacas, porcos e cavalos.
Muitos usuários das mídias sociais postam fotos com seus animais de estimação e
outros criam páginas para seus animais. É como se o próprio animal tivesse sua própria
pagina pessoal. Essas paginas possuem um alto número de seguidores.
Um exemplo é o cachorro Maru que mora no Japão, os seus donos começaram
postando fotos e vídeos de suas tarefas diárias e, em pouco tempo, a página de Facebook do
cachorro cresceu. Maru tem um milhão de seguidores no Instagram e o conteúdo de sua
página conta com o cotidiano simples do cão.
Em agosto de 2014 houve uma grande repercussão em cima de uma foto tirada
por uma macaca. Ela mesma teria feito sua própria foto (Figura 59).
A discussão se deu por conta do fotografo David Slater achar que tem direitos de
imagem da foto já que esta foi captada por sua câmera, já o órgão regulatório dos EUA diz
que os fotógrafos não podem ter direitos autorais sobre fotos Selfies realizadas por animais.
O órgão regulatório de direitos autorais dos EUA diz que um fotógrafo cuja
câmera tenha capturado uma Selfie de qualquer elemento da natureza – animais, plantas e
afins – não pode resguardar os direitos autorais sobre a imagem e que ela deve ser de domínio
público33.
No relatório sobre o caso, o órgão norte-americano diz que a lei federal de direitos
autorais protege os animais e alega que uma foto tirada por uma macaca é propriedade
intelectual pública, e não de alguma pessoa.
33
Disponível em: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2014/08/disputa-por-Selfie-de-macaco-deve-pararnos-tribunais.html
65
Após a Wikimedia, entidade dos EUA que roda a Wikipedia, anunciar que o
fotógrafo mantinha os direitos autorais sobre a Selfie do animal e de outras fotos que a própria
macaca tirou a discussão foi aberta.
O registro da foto foi em 2011, durante uma viagem de Slater à Indonésia. Na
ocasião, ele acompanhou um grupo de 20 macacos pela floresta da ilha de Sulawesi. Com o
tempo os macacos se acostumaram com a presença do fotógrafo, e passaram a mostrar um
lado brincalhão, pulando em cima dos equipamentos de fotografia de Slater. Ele deixou os
bichos brincarem com a maquina fotográfica, centenas de fotos foram registradas, inclusive a
Selfie .
Portanto, a autoria não seria de Slater, mas sim uma obra de domínio público. É
isso que os EUA estão defendendo.
Figura 59- Selfie polêmico com macaca
Fonte: Globo.com
Disponível em:
http://g1.globo.com/planetabizarro/noticia/2014/08/disputa-porSelfie-de-macaco-deve-parar-nostribunais.html
Figura 60- Página Marutatu
Fonte: Instagram
Disponível em: marutaru
Figura 61- Selfie Animal
Fonte: Instagram
Disponível em:
paulinhah
66
Figura 62- Selfie Animal
Figura 63- Selfie Animal
Fonte: Instagram
Disponível em: fspuri
Fonte: Instagram
Disponível em:
mucoelho
3.1.10
Figura 64- Felfie
Fonte: Instagram
Disponível em: luispascon
Grupos
As fotos com os amigos também são típicas nas redes. Muitas delas para registrar
e deixar arquivado o encontro que tiveram com o amigo.
Depois de a Selfie do Oscar 2014 com diversas celebridades da indústria
cinematográfica ter sido a publicação mais compartilhada da história, tentar copiar a foto da
cerimônia é o objetivo de muitos internautas.
A Agência de Publicidade Publicis cuida do Marketing internacional da Samsung,
empresa que desembolsou vinte milhões de dólares para que o celular Galaxy Note 3 fosse
integrado à festa do Oscar como product Placement34.
A Selfie com estrelas bateu recorde de tuites e a expressiva repetição fez com que
a foto fosse vista por 37 milhões de pessoas no mundo todo. Essa Selfie passou a ser seguida
34
Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2014/04/1437851-Selfie-do-oscar-vale-r-22-bilhoesdiz-especialista-em-marketing.shtml
67
por ter se tornado uma das mais famosas do mundo e com grande repercussão e aparição de
celebridades. As fotos de celebridades geralmente são imitadas e quando se trata de uma foto
com várias delas a foto tende a ganhar mais valor.
Mesmo antes de a foto ter sido tirada, as Selfies com os amigos já eram comuns.
Registrar momentos em que se estão com os amigos não é uma pratica atual. A pose da foto
também não foi algo novo e surpreendente, pois é a melhor forma de se tirar uma foto para
que todas as pessoas presentes consigam aparecer.
O que se pode constatar é que atualmente os encontros são regados às Selfies. O
que antes era apenas um encontro hoje é um festival de interrupções de assuntos para que o
mundo veja com quem a pessoa está e o quanto ela está se divertindo.
Em tempos atuais é comum ver encontros de amigos com milhões de celulares por
perto, é como se o momento não fosse tão importante quanto a presença do celular. O
restaurante norte americano Rogue24, em Washington D.C., está obrigando seus clientes a
assinarem um contrato de duas páginas que entre outros itens, proíbe o uso de aparelho celular
enquanto estiverem no restaurante. 35 Isso faz que com os amigo aproveitem do momento em
que estão vivenciando.
Figura 65- Selfie em grupo
Fonte: Instagram
Disponível em: stellacarpim
35
Figura 66 - Selfie em grupo
Fonte: Instagram
Disponível em: stellacarpim
Figura 67 -Selfie em grupo
Fonte: Instagram
Disponível em: stellacarpim
Disponível em: http://dc.eater.com/archives/2011/08/15/here-is-the-contract-you-need-to-sign-to-eat-atrogue-24.php
68
Figura 68- Selfie em grupo
Fonte: Instagram
Disponível em: biablanes
Figura 69- Selfie em grupo
Fonte: Instagram
Disponível em: carlakanamaru
Figura 70 - Selfie em grupo
Fonte: Instagram
Disponível em: stellacarpim
3.1.11 Ostentação
As Selfies ostentação são comuns no mundo todo. Postagens com carros, joias e
artigos de grifes são os mais comuns nelas. É um tipo de Selfie que existe em toda classe
social. A ideia é mostrar status por meio das imagens. Em algumas postagens no aplicativo
Instagram, o usuário usa a hashtag “braggie”. Geralmente são fotos que as pessoas tiram em
hotéis e festas luxuosas e postam em suas redes sociais única e exclusivamente para fazer
inveja nos seguidores.
A palavra é originária do verbo “brag”, em inglês, que em português significa
“gabar-se; contar vantagem; enaltecer-se; vangloriar-se” e vem sendo usada por
personalidades como a cantora Rihanna, que postou, no seu Instagram (@badgalriri) (Imagem
71).
Um caso relacionado à ostentação teve certa repercussão no Brasil.
No início de abril, em um baile funk realizado na zona leste de São Paulo o
adolescente de 18 anos Lucas Lima morreu após se envolver em uma briga.
Lucas tinha 56 mil seguidores no Facebook, plataforma que ele utilizava postando
mensagens de autoajuda, versículos bíblicos e auto ostentação. O adolescente era ajudante de
69
pedreiro e estudante, um simples morador de Itaquera, bairro da zona leste de São Paulo. Ele
gostava de funk ostentação, carros de marcas importadas, roupas caras, usava óculos e
correntes que faziam ele se enquadrar em um estereótipos que as pessoas da idade dele gosta.
Lucas foi notado pelo público por ser o organizador do rolezinho36. Em seu último post no
Facebook (que é aberto ao publico) estão as seguintes palavras: “Mano vamo para de viver
uma vida imaginária ai pq curtida e faminha de FACE não vai acrescentar nada pra vc viu .!
#pega_visao_rapa !”
Lucas também se enquadrava em outro fenômeno recente decorrente da
proliferação das mídias sociais, que são as celebridades instantâneas dentro das plataformas.
Não se pode comprovar, mas provavelmente, se Lucas não estivesse sobre os “holofotes” das
mídias digitais ele não teria se envolvido nessa briga que o levou à morte.
Com a popularização dos Smartphones no Brasil, pessoas com menor poder
aquisitivo também estão conectados às redes sociais. O que se pode observar é que essas
pessoas utilizam demasiadamente as redes para ostentar o que possuem. Seja com um óculos
novo, garrafas de bebidas. Ou seja, não importa a classe social em que a pessoa se enquadre,
em todas elas a ostentação está presente
Mc Gui é um cantor de Funk de 16 anos de idade muito popular pela música que
propaga e também nas redes sociais. Em sua conta do Instagram notam-se diariamente fotos
de ostentação, combinadas com as letras de sua música que também defendem esse tipo de
comportamento.
36
Encontro de adolescentes que se reúnem para ouvir funk, conhecer pessoas novas, tirar Selfies para depois
compartilhar com os amigos na pagina pessoal.
70
Figura 71- Selfie Braggie
Fonte: O Globo
Disponível em:
http://oglobo.globo.com/blogs/p
agenotfound/posts/2013/11/21/
Selfie-coisa-do-passado-modaagora-o-braggie-515864.asp
Figura 74- Selfie Ostentação
Fonte: Instagram
Figura 72- Selfie ostentação
Fonte: Instagram
Disponível em:
ssonmazocak
Figura 75- Selfie ostentação
Fonte: Instagram
Disponível em: __nephew
Figura 73- Selfie Ostentação
Fonte: Instagram
Disponível em: ssonmazocak
Figura 76- Selfie Ostentação
Fonte: Instagram
Disponível em: _horadocha
Disponível em:
hronio_guru
3.1.12 Trabalho
Em algum momento durante o trabalho as pessoas aproveitam para tirar Selfies. A
justificativa de tal Selfie é demonstrar que está empregado, que tem um bom emprego ou
mesmo reclamar por ter que estar realizando tais funções no momento. Algumas pessoas
usam a Selfie para simplesmente tornar histórico um momento legal com os amigos do
trabalho, ou se mostram realizados com o tipo de trabalho em que está executando no
momento. Ao pesquisar algumas imagens, pode se constatar que alguns usuários sentem se
71
orgulhosos em estar em dada situação, isso é comprovado pelas hashtags usadas como
#Ilovemyjob #happywork. Alguns são os funcionários do mês e querem propagar sua
felicidade dividindo isso em suas redes sociais.
Outros demonstram insatisfação com o momento, e com a situação em estar
trabalhando.
Recentemente ocorreu uma polêmica com o uso da Selfie em ambiente de
trabalho. Alguns médicos do Hospital das Forças Armadas, no Distrito Federal, postaram
fotos ao lado de cirurgias que realizaram, em algumas fotos podiam se ver rostos inchados de
pacientes. O hospital desaprova o ocorrido e lançou uma nota em repudio ao ato dos médicos,
solicitando que não repitam o ato.
Outro caso bastante repercutido foi da enfermeira Cintia, que através de um
telefone celular, fez imagens do jogador Neymar sendo levado em uma maca pelo corredor do
hospital São Carlos em Fortaleza, após sofrer uma lesão na vértebra em um dos jogos da copa
do mundo no Brasil (Imagem 79).
Após filmar o jogador, a enfermeira filma o próprio rosto, faz o sinal do V com a
mão, manda um beijo para a câmera e sorri.
Nesse caso não se trata de uma Selfie e sim de um vídeo de 28 segundos que a
própria compartilhou em seu WhatsApp e após isso o vídeo caiu na rede tomando enorme
proporção. Após o ocorrido, a enfermeira foi demitida.
Em se tratando de um ciberespaço, é muito difícil delimitar o que é publico e
privado. Por questão de ética e até mesmo para evitar problemas judiciais e demissionários, o
cuidado em fazer Selfies no ambiente de trabalho deve ser redobrado.
72
Figura 77 – Selfie no trabalho
Fonte: Caras.com
Disponível em:
http://caras.uol.com.br/tv/apo
s-dar-bronca-em-patriciaabravanel-silvio-santos-pedeSelfie-com-filha
Figura 79 – Caso Neymar
Fonte: 360 nobs
Disponível em:
http://www.360nobs.com/2014/07/nursefired-for-filming-neymar-being-broughtinto-hospital/
Figura 78 – Selfie no trabalho
Fonte: Jornal entre Rios
Disponível em:
http://www.entreriosjornal.com.br/colunas/
Selfie-trabalho-pode/
Figura 80 – Selfie no trabalho
Fonte: Blog do tioben
Disponível em:
http://www.blogdotioben.com.br/2014
/04/os-20-melhores-Selfies-dowilliam-bonner.html
73
3.1.13 Ídolos e Celebridades
Quando um fã consegue conhecer seu ídolo, é comum que queira eternizar esse
momento e contar para os amigos que teve tal oportunidade.
É muito comum tirar uma foto para que tal momento não seja esquecido.
A professora e escritora Sherry Turkle 37 , especializada em no comportamento
interação homem-tecnologia relata em uma entrevista
38
que
passou uma tarde em Los
Angeles com o comediante Aziz Ansari. Ela relata que alguns fãs se aproximavam de Aziz
não para pedir um autógrafo e sim para pedir uma fotografia com o ator. O ator, explicava aos
fãs que preferia trocar uma fotografia por uma conversa. Ele perguntava sobre o gosto
musical, o que eles gostaram sobre suas performances, seu stand-up, sobre a comédia em que
atua "Parks and Recreation". As fãs adoravam o contato, mas eles raramente saiam felizes da
conversa. Elas não queriam ir embora sem nada no celular, para comprovar e poder mostrar
aos amigos que realmente viveu esse momento. A fotografia para mostrar o momento que foi
vivido tem se tornado muito mais importante do que o próprio momento. O convívio com as
pessoas foi afetado com a tecnologia. A Selfie, como qualquer fotografia, interrompe
experiência para marcar o momento. É como se nos já estivéssemos acostumados colocar
aqueles que nos rodeiam e nós mesmo em pausa, a fim de documentar a própria vida.
Obviamente que esses são casos isolados e não se pode generalizar o comportamento de todas
as pessoas. Muitas com certeza iriam preferir trocar um momento de conversa com seu ídolo
do que uma simples imagem que duraria segundos para serem tiradas.
Os aplicativos utilizados para propagação de Selfies possibilitou a aproximação
das celebridades e seus fãs. As paginas pessoais das celebridades se tornaram um canal direto
dos famosos e de seus fãs. Nesses canais é possível ver o dia a dia das celebridades, algumas
como caso da socialite americana Kim Kardashian postam demasiadamente momentos de seu
dia a dia, o que deixa um canal aberto para as criticas sobre sua vida.
37
Sherry Turkle é Professor dos Estudos Sociais da Ciência e Tecnologia, no Instituto de Tecnologia de
Massachusetts .
38
Disponível em: http://www.fastcompany.com/3023603/creative-conversations/google-makes-you-smarterfacebook-makes-you-happier-Selfies-make-you-
74
Para as celebridades esses canais de exposição são bons, pois são fotos que elas
escolhem e não um paparazzo. São momentos que elas se dedicam a estar próximos aos seus
fãs e quem aproveita disso são as outras mídias, como revista e TV que propagam as
informações postadas. Muitas fotos são de turnês e backstages, momentos de preparação para
um show ou laboratórios para preparação de certo papel que apresentará na TV.
Figura 81- Selfie com ídolos
Fonte: Band.com.br
Disponível em:
http://noticias.band.uol.co
m.br/mundo/noticia/1000
00695141/garoto-tiraSelfie-com-paulmccartney.html
Figura 84- Selfie com ídolos
Fonte: Instagram
Disponível em: neymarjrfa
Figura 82- Selfie com ídolos
Fonte: Instagram
Disponível em: thegeezers_
Figura 85- Selfie Celebridades
Fonte: Instagram
Disponível em: beyonce
Figura 83- Selfie com ídolos
Fonte: Instagram
Disponível em: anniperini_is
Figura 86- Selfie Celebridades
Fonte: Instagram
Disponível em: shakira
75
3.1.14 Tragédias
Alvo de críticas, as Selfies em tragédias também possuem seus adeptos. Alguns
chegam a postar fotos ao lado de caixão ou fotos que aparecem o próprio falecido. Situações
sérias como desastres também não escapam da lista de Selfies. Já foram registradas fotos em
incêndios, após tufões e desastres com aviões. Ainda em situações sérias, é possível encontrar
muitas Selfies de turistas em locais que fizeram parte de um desastre ou acontecimento trágico
na história. O Muro de Berlim, Chernobyl e o memorial de 11 de setembro são alguns
exemplos. Muitos postam fotos quando estão doente no hospital ou mesmo se estiver por lá
fazendo visita à alguém doente.
No dia 13/08/2014 o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB),
candidato à presidência do Brasil sofreu um acidente aéreo na cidade de Santos, Litoral de
São Paulo. O acidente foi muito comentado nas redes sociais. Cada informação nova ou foto
divulgada recebia centenas de comentários. A maior polêmica foi provocada por fotos que
mostravam pessoas tirando Selfies durante o velório. Uma das fotos mostrava uma mulher
sorrindo para o celularfazendo uma Selfie com o caixão do candidato ao fundo (figura 93). A
foto do momento foi registrada pelo jornal O Globo. Ao ser publicada na internet a foto foi
muito compartilhada e acabou virando meme39. Outra foto também constrangedora, era de um
rapaz tirando um autorretrato abraçado à viúva do ex-governador, Renata Campos.
39
Meme: O termo Meme de Internet é usado para descrever um conceito que se espalha viaInternet. O termo é
uma referência ao conceito de memes, uma teoria ampla de informações culturais criada por Richard
Dawkins em 1976 no seu livro The Selfish Gene. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Meme_(Internet acessado em
31/08/2014)
76
Figura 87–Selfie tragédia
Fonte: Tecnologia UOL
Disponível em:
http://tecnologia.uol.com.br/a
lbum/2014/03/04/com-modados-Selfies-usuarios-fazemautorretrato-em-situacoesinusitadas.htm
Figura 90 – Selfie tragédia
Fonte: R7 noticias
Disponível em:
http://noticias.r7.com/tecnologiae-ciencia/fotos/foto-de-meninachorando-com-cachorro-mortoprovoca-polemica-nas-redessociais-05072013
Figura 88 -Selfie Desastre aéreo
Fonte: G1
Disponível em:
http://g1.globo.com/mund
o/noticia/2014/01/sobrevi
vente-de-acidente-aereofaz-Selfie-em-pleno-marna-costa-do-havai.html
Figura 89-Selfie Tornado
Fonte: Dailymail
Disponível em:
http://www.dailymail.co.uk/news
/article-2730313/Man-filmsrunning-path-TORNADOAustralian-Outback.html
Figura 91- Selfie Renata Campos
Fonte: UOL
Disponível em:
http://acritica.uol.com.br/noticias
/manaus-amazonas-amazoniaSelfies-tiradas-velorio-EduardoCampos-recebem-criticas-redessociais_0_1195080491.html
77
Figura 92– Selfie Funerais
Figura 93 – Selfie Eduardo Campos
Fonte: ebloggy
Disponível em:
http://rebloggy.com/po
st/facebook-Selfiefuneral/77828306182
Fonte: UOL
Disponível em:
http://acritica.uol.com.br/noticias/m
anaus-amazonas-amazonia-Selfiestiradas-velorio-Eduardo-Camposrecebem-criticas-redessociais_0_1195080491.html
Figura 94 -Selfie Funerais
Fonte: Instagram
Disponível em: lokchuang
3.1.15 Desafios
As Selfies que os internautas fazem seguindo um desafio se alastram muito rápido
na rede. Ao ver a foto na timeline de uma pessoa surge a vontade e curiosidade de fazer igual
para conquistar alguns likes, em alguns desafios a pessoa precisa indicar outro colega da rede.
A Selfie cédula de dinheiro consiste na pessoa tirar fotos que mostrem metade do
rosto e metade de uma cédula de dinheiro, a nota de dinheiro é dobrada e colocada em um
bom ângulo para que o rosto da pessoa pareça a continuação da cédula. Não se sabe ao certo
a origem do desafio, mas ele existe desde o inicio do Instagram.
O SeloTapeSelfie foi inspirado em uma cena do filme “Sim Senhor”, na qual o
ator Jim Carrey coloca fita adesiva em todo o seu rosto, Lizzie Durley, uma estudante inglesa
que recordou um momento cômico do filme e lançou moda, postando uma foto com a hashtag
#sellotapeSelfie ou “Selfie com fita adesiva”.
78
Newwes Namam é um fotógrafo que vive no novo México. Certa vez ele estava
embrulhando presentes de Natal com seu assistente a começou a brincar colando fita adesiva
em seu rosto. O artista imediatamente teve uma ideia que depois de um ano virou a exposição
"Scotch Tape", onde os voluntários colocavam fita adesiva em torno de seu rosto para criar
expressões aterrorizantes e cômicas.
Para as pessoas curtirem algo nas redes sociais elas precisam gostar e se
identificar com o que estão vendo. Se uma pessoa é curtida nas redes é porque ela possui
seguidores e possui seguidores porque é curtido. É como se a pessoa espalhasse o lado dela
nas redes sociais. Muitas vezes não importa o que eu você faz para aparecer, o importante é
fazer sempre para ser visto. Algumas pessoas se submetem a situações vexatórias para
conquistar visibilidade e consequentemente likes. Um exemplo disso é o desafio da canela.
Nele, uma pessoa é desafiada a engolir uma colher de canela e filmar toda a cena. Todos os
participantes falham pois o pó irrita as vias nasais, causa tosse e uma série de outras reações.
São vários memes que surgem e desaparecem com certa velocidade na internet. O
que se pode concluir é que a pessoa precisa estar atento ao que esta acontecendo no momento
para buscar maior visibilidade que os outros. As hashtags ajudam com que essas pessoas se
reconheçam e passem a seguir pessoas que se comportem como elas.
O mais recente o desafio nas redes é o “Sem maquiagem” e “Sem filtro”. Apesar
de contar com diferentes hashtags nas mídias sociais como Facebook e Instagram, a ideia que
se popularizou em setembro de 2014, no Brasil, é inspirada no projeto #stopthebeautymadness
- pare a loucura da beleza, em português.
A campanha que surgiu nos EUA e foi lançado pela escritora Robin Rice com a
proposta de questionar os padrões de estética valorizados pela mídia contemporânea. A
escritora queria trazer para o seu publico algo que fizessem elas se sentirem bem e bonitas
mesmo sem maquiagem. E que se tornar escravos dos cosméticos não era algo bom.
O que se pode analisar é que
muitas mulheres estão participando só por
participar, colocam #semmaquiagem, #semfiltro ou #nomake e #nofilter, indica outras três
amigas e só, ou seja, nem sabe da campanha por trás disso, apenas participam for ser um
desafio e por estar na moda.
79
A pessoa é desafiada por alguém de sua rede a postar uma foto sem maquiagem
ou então terá que pagar a quantia de cem reais.
Figura 95- Sello tapes Selfie
Fonte: Instagram
Disponível em: tambe_meg
Figura 98- Desafio da Canela
Fonte: Instagram
Disponível em: Instagram
arianna.soks
Figura 96 –Sello tape Selfie
Figura 97- Desafio da Canela
Fonte: Instagram
Disponível em: crash_test_carter
Figura 99 – Selfie Money face
Fonte: Instagram
Disponível em: camiloucast
Fonte: Instagram
Disponível em: Instagram
arianna.soks
Figura 100- Money face
Fonte: Instagram
Disponível em: riccyrole
80
Figura 101 – Desafio sem maquiagem
Fonte: Instagram
Disponível em: alicemartins8
Figura 102– Desafio sem maquiagem
Fonte: Instagram
Disponível em: itstaahalencar
4 SELFIE E AS OPORTUNIDADES PARA O BUSINESS
O surgimento de novos comportamentos na rede exige que as empresas estejam
atentas às novas tendências, já que estas influenciam consideravelmente os hábitos de
consumo. As Selfies, se pensadas num patamar mercadológico, contribuíram fortemente para
a criação de novos serviços e produtos que pretendem “falar a língua” de seus consumidores.
Além disso, influenciaram a divulgação de serviços já existentes no mercado.
Nas redes, pode ser encontrado tutoriais de como sair bem na própria foto. Desta
forma, as empresas já tem a consciência que precisam estar presentes nas redes sociais, pois é
lá que serão desvendados os interesses, comportamentos e aspirações do público. Segundo
Diego Oliveira (2014), em matéria do jornal Meio e Mensagem, as redes sociais precisam ser
repensadas no patamar mercadológico:
É justamente nesse lócus que vemos a “economia da recomendação” influenciar
tendências, padrões de comportamento, desejos e atitudes de consumo de toda a
gama de produtos disponíveis no mercado, resultando numa compreensão de tipos e
expectativas de consumo a partir das trocas simbólicas que ocorrem nas redes socais.
81
São os fãs, os amigos e os seguidores que, muitas vezes, ditam o “tom do
consumo”.40
A necessidade que a tendência do Selfie atende no intuito do ser humano de se
expressar e se auto fotografar, foi percebido pelas empresas de uma maneira muito
estratégica. Nesse cenário, das interações, compartilhamentos e utilização das mídias sociais,
a observação desponta como uma peculiar ferramenta que auxilia na compreensão e na
produção de oportunidades que pautam o mercado e a forma de se consumir na
contemporaneidade.
Alguns exemplos de adaptação da Selfie para o business podem ser conferidos
abaixo:
4.1 Case Hellmann’s
Figura 103 – Case Hellman’s
Fonte: Proxxima
Disponível em : http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie
Em sua nova campanha, desenvolvida pela Ogilvy & Mather de
Londres, a Hellmann’s utilizou das Selfies de seus clientes para se aproximar à eles.
Com a ajuda de uma impressora 3D, o cliente poderia ver o seu rosto impresso
com o próprio molho em seu próprio hambúrguer. A ação faz parte de uma série de vídeo
40
Fonte:http://www.meioemensagem.com.br/home/midia/ponto_de_vista/2014/09/Midias-sociais-Porquedevemos-estarnelas.html?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_content=&utm_campaign=#ixzz3CLepsEVd
82
intitulada “Hellmann’s Summer Hacks”, que mostra algumas soluções inovadoras em vincular
a maionese à ideia. A tentativa da marca foi proporcionar uma ação que se destacasse e
gerasse prestígio ao público consumidor.
4.2 Case Turkish Airlines
Outra empresa que se utilizou da Selfie foi a Turkish Airlines. A empresa já é
marcada por utilizar jogadores de futebol em suas campanhas. Nessa nova campanha a
empresa colocou frente a frente Lionel Messi e Kobe Bryant para um duelo das melhores
Selfies.
A expressão é um resumo de “self-portrait”, ou autorretrato em português. Na
campanha, os atletas começam a enviar mensagens com as fotos um para o outro de lugares
exóticos, e o que parece apenas uma brincadeira se transforma uma batalha. A guerra de fotos
em lugares famosos do mundo é m exemplo típico da Selfie ostentação como já citado
anteriormente como braggie.
O objetivo da ação era mostrar como as pessoas podem viajar para vários destinos
com a Turkish Airlines.
Figura 104- Case Turkish Airlines
Fonte: Proxxima
Disponível em : http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie
83
4.3 Case Capa Selfy da iLuv
Além da adaptação e criação de campanhas, podemos ver emergir um mercado
paralelo que está intensificando e, ao mesmo tempo, estimulando esta prática. A moda da
Selfie ganha mais praticidade. A fabricante iLuv, por exemplo, criou a 'Selfy', uma capa
aparentemente comum para os modelos de iPhone 5 e o mais recente 5s, mas que traz um
mini controle remoto para operar a câmera do smartphone.
Para fazer a Selfie, basta retirar o controle do encaixe, parear com o iPhone via
Bluetooth e pressionar o botão para fotografar.
A iLuv ainda está prometendo um modelo dedicado para o Galaxy S5, da
Samsung.
Figura 105 - Capa Selfy da iLuv
Fonte: Proxxima
Disponível em : http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie
84
4.4 Case Capte Times
Outro exemplo é o do jornal sul-africano Cape Times, que transformou imagens
clássicas em Selfies. A campanha foi criada pela agência Lowe South Africa, com o mote:
“You can´t get any closer to the news. Cape Times – know all about it”.
É importante observar que um jornal, supostamente independente e crítico em
relação ao que trata, aceita ser comparado com a tendência Selfie, que por muitos veículos
como este, tratam do assunto de forma banal.
Um meio qualificado como o jornal se utilizar desta moda para falar de forma
mais próxima ao seu consumidor é bastante intrigante. Uma mistura de fotos tradicionais com
a atual moda Selfie dá a o Cape Times um apelo mais aberto e passa a ser interpretado como
um veículo com características contemporâneas, sem a ideia de perder a credibilidade.
Podemos perceber isso pela descrição do mote.
Figura 106 – Case Capte Times
Fonte: Proxxima
Disponível em : http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie
85
4.5 Case Dove
A marca Dove veiculou durante o Sundance Film Festival 2014 41, um filme sobre
a os adolescente, suas mães e seus telefones.
O filme chamado “Selfies”42, tem 7 minutos e têm como objetivo de mostrar como
a mídia social está contribuindo para mudar a noção que as pessoas tem sobre o que é bonito e
apreciável.
As filmagens acompanharam um grupo de meninas em uma escola em Berkshire,
na Inglaterra. Elas foram desafiadas a fazer uma Selfie procurando ressaltar aquilo que elas
menos gostassem em si mesmas.
Acostumadas a tirarem Selfies, meninas admitem fazer truques para parecerem
mais bonitas na foto, numa tentativa de adequar-se no padrão de beleza imposto pela
sociedade. O filme nota que, muitas vezes, a insatisfação com a própria imagem é herdada das
próprias mães, que são convidadas a tirarem Selfies para olharem a si mesmas bem de perto e
não gostam do resultado das fotos.
Com a ajuda de uma fotógrafa profissional, foi feito uma exposição com as fotos,
na qual os convidados podiam colar post-its coloridos nas fotos escrevendo características
positivas das personagens, como: “olhar encantador”, “bonito sorriso”, “lindo cabelo”, dentre
outras. As meninas então foram convidadas para ver o feedback positivo que outras pessoas
deram, e então puderam dar um novo sentido ao conceito de beleza e à forma como as
mulheres se veem. O vídeo compara a imagem que as participantes têm delas mesmas com a
visão de outras pessoas. O que se pode constatar é que onde as meninas enxergaram defeitos,
os telespectadores viram virtudes. Selfies foi dirigido pela cineasta Cyntihia Wade e
produzido por Sharon Liese.
Não é a primeira vez que a Dove usa a autocrítica feminina como centro de uma
campanha publicitária.
41
Festival de cinema que teve inicio em agosto de 1978 tem o intuito de ajudar novos cineastas. O festival
acontece todos os anos, no mês de janeiro, em Park City, Utah.
42
Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=BFkm1Hg4dTI
86
Figura 107 – Case Dove
Fonte: Proxxima
Disponível em : http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie
4.6 Blogueiras e a monetização de suas Selfies
As blogueiras de moda são meninas que estão na faixa dos vinte aos trinta anos,
compram roupas e itens de beleza e também comentam em seus blogs sobre as combinações
mais adequadas para cada ocasião.
As blogueiras brasileiras faturam até 100 mil reais por mês divulgando sua vida,
comentando produtos de beleza e comparecendo a eventos, sempre em combinação com as
marcas. 43
A publicidade em suas paginas virou um negocio muito rentável. Elas promovem
as marcas em seus blogs e comparecem a eventos para fazer presença social, além de ganhar e
testar produtos das marcas e fazer seus comentários sobre eles.
A maioria delas não é designer de moda, não estudou jornalismo nem se dedicam
a isso academicamente. São consumidoras influentes, formadoras de opinião, que levam as
43
Informações retirados de veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/arquivo/58 (Acessado em 20/05/2014)
87
novidades do mundo da moda para consumidoras. As mais influentes possuem mais de um
milhão de seguidores no Instagram e mais de 100 mil visualizações nos blogs (Dados da
blogueira Blog da Thássia).
Hoje em dia existe uma fiscalização do Conar em cima dessas meninas após
advertir um grupo de blogueiras que não deixaram claro em seus blogs o que era apenas uma
dica e o que era publicidade. Para evitar tal tipo de problema, nos posts atuais as publicações
vêm acompanhadas da palavra “Publipost” , “Publi” ou até mesmo “ Jaba” (redução da
palavra "jabaculê", que tanto pode significar dinheiro para aliciar alguém quanto gorjeta)44.
Os blogs de maior audiência nasceram há poucos anos e não foi com um intuito
comercial. Eram meninas comuns que usavam as mídias como diários e para mostrar para as
amigas como estavam se vestindo durante o dia. Com o tempo os números de seguidores
foram aumentando e consequentemente os likes também. Quanto mais aberta a vida da
blogueira mais visualizações e likes elas recebem.
Quando iniciaram suas vidas nas redes, as blogueiras tinham como intuito mostrar
que estavam antenadas à moda. Expor suas roupas de grifes e mostrar que sabiam fazer boas
combinações com elas. Obviamente, esse comportamento também era para se exibir e mostrar
para o circulo de pessoas que a seguiam um pouco de sua vida pessoal e se exibir através
disso.
Para Vaz (2010) o blog foi o precursor da descentralização da informação, o qual
possibilitou o fim do controle de informações, pois até então, a informação era controlada e
produzida pelas grandes mídias de maneira centralizada.
Vivemos numa época do consumer – generated –media. Qualquer um pode produzir
sua própria noticia, seu próprio programa de TV ou de rádio [...], seu próprio ebook. A independência dos usuários e a cada vez menor subserviência às grandes
mídias criaram uma nova realidade. E tudo isso esteve concentrado em um blog
como se ele fosse um canal pessoal de todas as produções de conteúdo de uma
pessoa ou empresa (VAZ, 2010, p. 445).
O resultado das visitas nesses blogs atraiu o interesse das marcas. Hoje, essas
paginas trabalham como empresas e muitas blogueiras já possuem colunistas e jornalistas para
produzir o conteúdos a serem publicados.
44
Informações retirados de veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/arquivo/58 (Acessado em 20/05/2014)
88
A marcação hashtag #lookdodia, faz com que os produtos postados ganhem mais
visibilidade. A influência das blogueiras como poder de decisão de compra é muito grande.
Os blogs de moda tornaram-se guias confiáveis, orientando usuários que procuram
informações específicas sobre o universo do consumo e da moda.
‘Os blogs fazem o papel de catalisador de notícias ou fatos relevantes. São um
verdadeiro canal de marketing boca-a-boca. Contando com uma rede mundial de
milhões de blogs, que cresce em ritmo assustador, tudo que é considerado
interessante consegue se espalhar de um modo fenomenal por meio dos links’
(Cipriani 2006, p. 30).
Tudo isso perpassa pelo próprio processo de construções representacionais do
feminino, pois como afirma Lévy, “procuramos no consumo a conformidade com certa
imagem e porque queremos quase sempre imitar o comportamento do grupo com qual nos
identificamos [...]” (2004, p.181).
5 O LADO NEGATIVO DO SELFIE
A prática da Selfie, além de expor o momento feliz em que a pessoa está vivendo
pode contribuir para momentos não tão bons assim. É o caso de Dany, um americano de 19
anos. Ele participou de um programa de TV do canal Disclose.tv para relatar sua história. O
adolescente tentou cometer suicídio após inúmeras tentativas frustradas de conseguir uma
Selfie perfeita. Dany Bowman se tornou obcecado por tirar fotos de si mesmo. Ele passava até
dez horas por dia fazendo mais de 200 auto retratos diários. O jovem perdeu quase 30 quilos,
abandonou a escola e se trancou em casa por cerca de seis meses em busca da melhor foto de
si mesmo. Danny tirava em média dez fotos após acordar. Frustrado, ele tentou se suicidar e
teve uma overdose. Foi salvo por sua mãe que o socorreu a tempo. 45
Após o episódio o jovem abandonou o celular e tem acompanhamento terapêutico.
Dany não sofria apenas por ser viciado e sim por conseguir enxergar muito defeito em si
próprio e isso fazia dele uma pessoa frustrada.
45
Fonte: http://www.independent.co.uk/news/uk/home-news/Selfie-obsession-made-teenager-danny-bowmansuicidal-9212421.html acessado em 10/08/2014
89
Esse tipo de comportamento pode alterar o futuro nos jovens de hoje em dia. O
departamento de saúde mental da Tailândia emitiu um preocupante comunicado sobre as
Selfies:
“Se eles não recebem curtidas, postam outras Selfies. Se nem assim conseguem
respostas dos seguidores, perdem a autoconfiança e se sentem insatisfeitos com eles
mesmos ou com seus corpos. Isso pode afetar o desenvolvimento do país no futuro,
já que deve cair o número dos líderes da nova geração.” (Revista Galileu, edição
Maio/2014)
A preocupação é que essas pessoas se tornem extremamente Narcisas.
Em agosto de 2014 uma adolescente de 17 anos, Xenia Ignatyeva, caiu de uma
ponte de nove metros em São Petersburgo, na Rússia, e morreu, quando tentava tirar uma
Selfie para postar nas redes sociais.46
Figura 108 – Selfie de risco
Fonte: Extra.com
Disponível em : http://extra.globo.com/noticias/mundo/adolescente-morre-ao-cairde-penhasco-enquanto-tentava-tirar-Selfie-12840500.html#ixzz3COJj9sWh
Outra adolescente, de 16 anos, Isabella Fracchiolla, morreu em junho de 2014, em
Taranto, sul da Itália, ao cair de uma altura de 20 metros enquanto tentava fazer uma Selfie.
Em busca do melhor ângulo, ela se desequilibrou e caiu no mar. A jovem, que estava na
cidade para uma excursão escolar, ainda foi resgatada por militares, levada ao hospital e
operada e faleceu.47
46
Fonte: Extra.com http://extra.globo.com/noticias/mundo/adolescente-morre-ao-cair-de-penhasco-enquantotentava-tirar-Selfie-12840500.html#ixzz3COJj9sWh Acessado em 03/09/2014.
90
Na maioria das vezes o internauta posta algo para receber instantaneamente uma
“aprovação” das pessoas que estão em suas páginas. Se isso não acontece instantaneamente a
pessoa perde a confiança si próprio e acha que não agradou as demais pessoas.
O fenômeno das Selfies não é algo que acometa aqueles mais ávidos pela fama ou
por se tornarem celebridades, mas sim uma prática diretamente relacionada à facilidade de se
tirar esse tipo de retrato, proporcionada pela era dos smartphones, e pela agilidade de se
divulgar as imagens pelas redes sociais. Essa onda estaria, então, mais ligada ao instrumento
do que ao próprio sujeito. É como se o próprio aplicativo induzisse a um certo exibicionismo.
O pesquisador Luiz Moreno Guimarães, já citado anteriormente no presente estudo diz que
“A Selfie explodiu com as redes sociais. É como se a sociedade de certa forma já estivesse
esperando por isso. Foi um encaixe perfeito, como são os encaixes narcísicos”.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Na sociedade atual, as pessoas se expõem demasiadamente nas redes sociais,
revelando suas identidades, sua privacidade, na ânsia de uma hipervisibilidade. As mídias
eletrônicas contribuíram com isso.
É nessa sociedade do espetáculo em que vivemos que as Selfies ganham espaço.
Postados nas redes sociais, elas são criadas e manipuladas para que os indivíduos se
reinventem da maneira muito mais como gostariam de ser vistos. Selfie não é apenas a pose e
o braço esticado, o que a caracteriza como um gênero, mas também uma estética. Trata-se de
reflexão, identidade e reconhecimento da própria pessoa.
O auto retrato representa uma personalidade, uma imagem ideal que pretende ser
ostentada. O individuo preza pela construção de uma identidade por meio de imagens, estas,
símbolo do seu pertencimento. Se auto retratar é uma forma de reflexão em que a pessoa se
difere uma da outra, é o momento que a pessoa se reconhece e compreende que ela é única,
afinal qualquer pessoa é especialista no que diz ao seu respeito. O fato da pessoa se perceber e
olhar para si existe dede os primórdios. A capacidade de se ver quando se olha ao espelho é
algo exclusivamente humano, animais quando colocados frente ao espelho acham que estão
91
olhando para um semelhando e não para si mesmo. O que é novo é como essa exposição do
“eu” tem sido exposto através das mídias sociais.
A Selfie é algo que torna uma pessoa diferente de todas as outras, apesar de
algumas pessoas terem características muito semelhantes à outras elas nunca serão iguais e é
essa essência, essa propriedade, que muitas vezes é exibida nas redes sociais. Expor um objeto
de consumo que acabou de ser adquirido pode ser parecido com o que outras pessoas
compraram, mas o próprio rosto, mesmo que sejam de semelhantes etnias, a própria
identidade de uma pessoa é única.
Como já citado no presente estudo, o estágio do espelho (Jacques Lacan, 2008) é a
fase em que as crianças se tornam autoconscientes de sua imagem no espelho. Na Selfie, é em
vez de um adulto, buscar aceitação e reconhecimento do mundo exterior através de sua
imagem espelhada. A diferença entre os estágios do espelho e Selfies consiste principalmente
no fato de que, de repente, adultos estão buscando aceitação. Muitos se aceitam
completamente, outros precisam da aprovação dos que estão ao seu redor para essa aceitação.
Além de buscar aceitação de si próprio e das outras pessoas, medidas por likes,
essas publicações nas mídias sociais podem ser um veículo de informação, e também um meio
de dividir alegrias, lembranças, dicas de beleza, descontentamento, enfim tudo o que o
internauta sentiu necessidade de expor aos outros e que com as mídias ficaram mais fácil.
Pode se ver com a leitura do presente estudo que existem diferentes tipos de fazer um Selfie. É
como se existisse uma categoria para cada foto, uns gostam de exibir o lugar em que estão,
outros o próprio corpo em busca de aceitação e elogios através das redes sociais e até mesmo
exibir a intimidade de um casal, como nas Selfies After Sex.
Para escolha dessas categorias existiu uma grande pesquisa de comportamento
nas redes sociais. A pesquisadora precisou de meses para colher informações do que é mais
visto nas plataformas. Além de contar com as ajudas de pessoas próximas e também dos
números das hashtags.
A partir do que se desenvolveu na presente pesquisa, acredita-se que existem
diferentes tipos de autores de Selfies. Uma parte deles é formada pelos exibicionistas e
narcisos, pessoas que postam imagens de si mesmo demasiadamente. Outro grupo é formado
por pessoas que querem expor o seu estado e espírito, como felicidade, alegria, tristeza, ódio,
92
revolta, etc. E por fim o grupo que quer mostrar e dividir com seus amigos da rede que ele se
encontra em um bonito lugar quer compartilhar esse momento, sempre se exibindo mais do
que o lugar. Essas pessoas se diferem do primeiro grupo por não colocar em primeiro plano a
própria pessoa e sim colocar o momento em que está vivenciando no momento que é
registrado a foto. O que se pode entender é que essas pessoas gostam de fazer uma espécie de
diário visual, com o intuito de registrar seu dia a dia.
O objetivo do presente estudo era entender o porque na atualidade
existe uma chuva de fotos tipo Selfies em todas as timelines. O porque dessas pessoas
quererem se expor demasiadamente. Seria isso necessidade de alimentar o próprio ego? Após
meses aprofundado em pesquisa pode se concluir que todos os humanos possuem uma
tendência narcísica, no que diz respeito as qualidades que elas possuem. Desde os primórdios
o homem coloca em evidencia o que de melhor ele possui. Sendo a força, a riqueza, a beleza
ou a inteligência. Com o advento da tecnologia essas qualidades se tornam expostas já que o
usuário está conectado com uma rede de amigos.
93
BIBLIOGRAFIA
BARNESS, J A Redes Sociais e Processo Politico. In: A antropologia das sociedades
Contemporâneas . Organizações e introdução de Belas Feldman-Bianco. São Paulo , Global.
1987.
BIOSYNTHESIS.COM.
Disponível
em:
<http://www.schoolbiosynthesis.com/filemanager/Uploads/estrutura_de_pastas_portugues/for
macao/biblioteca/artigos/bio_concepcao__self_heinz_kohut.pdf>
BOTT, Elizabeth. Família e rede social. Tradução de Mario Guerreiro.2. Ed. Rio de Janeiro
Francisco Alves S.a.1976.
BRANDÃO, J.S. O Mito de Narciso e Eco in: Mitologia Grega, RJ: Vozes, Vol.3 1989.
CASTELLS, Manuel. A Era da Informação: economia, sociedade e cultura, vol.1. São
Paulo: Paz e Terra, 2008
CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. 4.ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.
CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.
CIPRIANI, Fábio. Blog Corporativo: Aprenda como melhorar o relacionamento com seus
clientes e fortalecer a imagem da sua empresa. São Paulo: Novatec, 2006.
COMM, Joel. O poder do Twitter. São Paulo: Editora Gente, 2009.
Companhia das Letras, 2010.
DEBORD, Guy. A Sociedade Do Espetáculo. Rio De Janeiro: Contraponto, 1997.
ELUCIDEZ.COM. Disponível em: www.elucidez.wordpress.com
ensaios de metapsicologia e outros textos (1914-1916). São Paulo:
ÉPOCA.COM. Disponível em: <http://epoca.globo.com/vida/vida-util/gastronomia-eestilo/noticia/2014/01/moda-de-tirar-fotos-de-comida-em-restaurantes-birrita-chefsb.html>
EXECUTIVOSFINANCEIROS.COM.
Disponível
Em:
<http://www.executivosfinanceiros.com.br/tecnologia-da-informacao/brasileiros-gastam-8horas-por-mes-nas-redes-sociais
FASTCOMPANY.COM. Disponível
feed/divorce-Selfies-now-a-thing>
em
<http://www.fastcompany.com/3034907/fast-
FFTELECOMS.ORG. Disponível em <http://www.fftelecoms.org/articles/observatoire-dela-vie-numerique-de”s-adolescents-12-17-ans-le-Selfie-portrait-de-soi>
FIESP.COM. Disponível em: <http://www.fiesp.com.br/indices-pesquisas-e-publicacoes/opoder-das-redes-sociais/>
94
FOLHA.COM. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/turismo/179427-parajovens-viagem-e-festival-de-Selfies.shtml>
FREUD, Sigmund. Introdução ao narcisismo. In: Introdução ao narcisismo:
Janeiro, 15 dez. 2013. Revista o Globo. p. 32-36.
Janeiro, 15 dez. 2013. Revista o Globo. p. 32-36.
LACAN, J. (1998). O estádio do espelho como formador da função do eu. In: J.
Lacan, Escritos. (V. Ribeiro, trad.; pp. 96-103). Rio de Janeiro: Zahar. (Original publicado em
1966).
LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.
LÉVY, Pierre. O que é o virtual? Tradução de Paulo Neves. São Paulo, Ed. 34, 1996.
MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas
MASTERNET.COM. Disponível em: <http://www.masternet.org/FeedItem/Identifying-anUnlikely-Contributor-to-Mental-Health-Disorders/>
MAYER, Adrian. "A importância dos 'quase-grupos' no estudo das sociedades complexas".
In:
FELDMAN-BIANCO, Bela (org.) Antropologia das sociedades contemporâneas. SP Global,
1987
MEDIABISTRO.COM. Disponível em: <http://www.mediabistro.com/alltwitter/Selfiestatistics-2014_b55825>
MEIOEMENSAGEM.COM.
DISPONÍVEL
EM:
<http://www.meioemensagem.com.br/home/midia/ponto_de_vista/2014/09/Midias-sociaisPorque-devemos-estarnelas.html?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_content=&utm_campaign=#ixzz
3CLepsEVd>
no Brasil. Revista Nuestra América. nº 5. jan-jul 2008.
O FENÔMENO INSTAGRAM: Considerações sob a perspectiva tecnológica. Disponível
em: http://bdm.unb.br/bitstream/10483/3243/1/2012_MarianaVassalloPiza.pdf
OXFORD. Disponível em: <http://www.oxforddictionaries.com/>
PBS. Disponível em: <http://www.pbs.org/wgbh/pages/frontline/generation-like/>
PLANETABIZARRO.COM.
Disponível
em:
<http://g1.globo.com/planetabizarro/noticia/2014/08/disputa-por-Selfie-de-macaco-deve-parar-nos-tribunais.html>
PROXXIMA.COM.
Disponível
http://www.proxxima.com.br/home/listagemByTags.html?tag=Selfie
em:
RECUERO, Raquel. Memes e Dinâmicas Sociais em Weblogs: Informação, capital social e
interação em redes sociais na Internet. InTexto, v. 15, p. 1, 2006.
95
RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.
SANTAELLA, Lúcia. Artes do corpo biocibernético e suas manifestações
SCHOOLBIOSYNTHESIS.COM.
Disponível
em:<http://www.schoolbiosynthesis.com/filemanager/Uploads/estrutura_de_pastas_portugues
/formacao/biblioteca/artigos/bio_concepcao__self_heinz_kohut.pdf>
SCRIBD.COM. Disponível em: <http://www.scribd.com/doc/167602342/Selfies-and-theSearch-for-Recognition-See-for-your-Selfie>
SELFIE CITY. Disponível em: <http://Selfiecity.net/>
SHIRKY, Clay – La Vem Todo Mundo: O poder de organizar sem organizações: Tradução
Maria Luiza X. De A. Borges - Rio de Janeiro, Zahar, 2012
SIGNIFICADOS.COM. Disponível em: <http://www.significados.com.br/Selfie/>
sociedades de massa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.
SPREJER, Pedro; KAZ, Roberto. Me, myself e eu. Jornal O Globo, Rio de
SUPERINTERESSANTE.COM. Disponível em: http://super.abril.com.br/cultura/descubraorigem-cara-pato-725996.shtml
TECHTUDO.COM.
Disponível
<http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/11/saiba-quem-fez-o-primeiro-postautorretrato-com-tag-Selfie-no-instagram.html>
em:
VEJA.COM. Disponível em: <http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/Selfie-e-novamaneira-de-expressao-e-autopromocao>
YOUPIX.COM Disponível em: <http://youpix.virgula.uol.com.br/pessoas/por-que-voce-fazSelfies/>
ZH NOTICIAS. Disponível em:<http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2013/12/doSelfie-ao-unSelfie-a-pratica-do-autorretrato-nas-redes-sociais-4364454.html>