ver mais - preservação e compartilhamento do acervo gouvêa

Сomentários

Transcrição

ver mais - preservação e compartilhamento do acervo gouvêa
Todos nós sabíamos quem era a menina que dava tábua. E todos
nós conhecíamos aquela que ninguém tirava para dançar. E no en­
tanto, quantas tábuas levamos e quantas vezes ninguém nos tirou
para dançar. Nos salões, nos mingaus dançantes, nos bailes e bailes
pelos quais rodopiamos ofegantes, nossos corações dispararam, nos­
sas cabeças rodaram, nossa inocência se foi. A música, que tantas
vezes chamamos de nossa música. A musa, com quem dançaríamos
até os pés sangrarem. Se ela nos desejasse. A formatura, os amigos
que partiram, as namoradas que nem sequer namoramos. Os salões
monumentais (eram mesmo?), os músicos mágicos, as noites de
luar. Ah, as salsas, as valsas, as alças, a falta de ar. E os pés que pisa­
mos, os decotes que enlaçamos, os perfumes que guardamos para
sempre numa névoa inebriante de bolero. O baile. Encontro de solidões, desencontro de destinos, desatino de prazer. E tanta, tanta
alegria, até entre os pares errados. Salão de Baile. O espetáculo de
Naum Alves de Souza e a coreografia de J. C. Violla nos devolvem
o baile. Justamente aquele baile que preservamos intacto: na me­
mória, na saudade, no coração. E já que eles generosamente nos
convidaram, tomara que alguém nos tire para dançar.
Zezé Brandão
DE SO UZA
Naum Alves de Souza é, sem dúvida, um dos maiores nomes do teatro brasileiro
contemporâneo. Em quase 25 anos de carreira, atuou como artista plástico, cria­
dor de bonecos, dramaturgo, diretor, cenógrafo, figurinista, roteirista de cinema,
ballets e shows musicais. PRÊMIOS: 3 Moliere, 6 Mambembe, 1 Governador do
Estado de São Paulo e 5 AP AC. Seus textos teatrais, montados continuamente
em todo o Brasil e já encenado no Canadá, em Portugal e na Argentina, no mo­
mento estão sendo objetos de estudos de dois especialistas americanos. Escreveu
e publicou as peças teatrais: “No Natal a gente vem te buscar”, “A aurora da mi­
nha vida”, “Um beijo, um abraço, um aperto de mão”, “Nijinski”, “Suburbano
Coração (com letras musicais de Chico Buarque). “No Natal a gente vem te bus­
car” e “A aurora da vida” estão sendo traduzidos para o espanhol, devendo ser
publicados no México e na Espanha. Dois novos textos estão prontos para o pal­
co: “Ódio a Mozart”, uma comédia furiosa e “Água com açúcar”, monólogo dra­
mático dedicado a Marieta Severo. Para o J. C. Violla Grupo de Dança, além do
atual "Salão de Baile", Naum criou e dirigiu os ballets “Petruchka” (adaptação
do roteiro original), “Senhores das Sombras, Últimos Santos”, “Flippersports” e
“Valsa para vinte veias”. Para o Ballet Guaira, roterizou o poema “O Grande
Circo Místico” de Jorge de Lima, que deu origem a um dos mais belos discos bra­
sileiros, com composições de Chico Buarque e Edu Lobo. Na área da música po­
pular, dirigiu, entre outros, o show “Francisco” que marcou a volta de Chico Bu­
arque, em 1967. Para o cinema escreveu argumento, roteiro e diálogos de “Ro­
mance da Empregada”, dirigido por Bruno Barreto, considerado um dos maiores
trabalhos do cineasta. A ópera, expressão artística que muito atraia Naum, foi finalmene alcançada com a “Ópera dos 500”, encomendada pela Secretaria Muni­
cipal da Cultura de São Paulo em 1992, comemorando o 59 centenário da desco­
berta da América. “A Aurora de Minha Vida” está sendo adaptada para a ópera
pelo Maestro Marcos Leite, regente do grupo Garganta Profunda. Outros proje­
tos na área lírica: “Para acordar teu coração”- Celine Imbert cantando canções
de Camargo Guarnieri. Direção da ópera solo “La Voix Humaine”, de Cocteau/
Poulenc, corn Maria Lucia Valadão e a Orquestra de Música Contemporânea do
Rio de Janeiro. Projeto “Micro Óperas” ou “Música Impopular Brasileira”, a par­
tir de seus textos inéditos. Naum Alves de Souza criou os cenários e figurinos de
“Falso Brilhante” (Elis Regina) e “Macunaíma” (Antunes Filho) e de quase to­
das as peças e espetáculos que escreveu e/ou dirigiu. Além de suas próprias peças
orgulha-se de ter dirigido “Dona Doida”, de Adélia Prado, com Fernanda Mon­
tenegro, (5 anos em cartaz) e “Cenas de Outono”, de Yukio Mishima, interpreta­
do por Marieta Severo, música original de Edgar Duvivier.
Uma antena com sintonia no futuro. Conectada naquilo de que o mundo engra­
vida. A sensibilidade do mais cosmopolita dos nossos coreógrafos sempre girou
neste eixo. Talvez por isso, tenha silenciado a sua produção por tanto tempo: es­
taria a esperar que o cotidiano confirmasse as suas antecipações. ]. C. Violla, à
feição dos artistas especiais, criou uma escritura própria. Aqui, como um pionei­
ro, deu forma às questões que formatam a sociedade moderna: incomunicabilidade, solidão, agressividade, violência. E que ecoariam, pouco depois na dança do
mundo inteiro. Os efeitos da comunicação massificada, a consolidação das mi­
norias, a volta do nazi-facismo, a automatização dos comportamentos - disso tra­
taram, com aguda competência, "Senhores das Sombras" (78), "Valsa para 20
Veias" (80), "Flippersports" (84), "Niginski" (87). Quando parecia apenas uma
extravagância, J. C. Violla oferecia à cidade seu primeiro curso "Dancing in the
Sky" (85). E realizava, mais uma vez, outra das suas antecipações. Hoje, passados
nove anos, o "baile moderno" se tomou traço de comportamento social. Richard
Wolheim conta uma cena de comédia onde alguém procura algo numa rua escu­
ra, bem debaixo de uma lâmpada. Chega um estranho, se informa da situação, e
começa a ajudar na busca. Sem conseguir encontrar, pergunta ao primeiro se ele
tem certeza de que perdeu o dinheiro lá mesmo. Este responde: "Não, foi mais
pra lá, onde está escuro, mas só enxergo por aqui". A pior cilada para a arte é
exatamente esta: produzir no limite dos espaços seguros. Um risco que passa ao
largo de J. C. Violla, nosso mestre em caminhos inéditos.
Helena Katz
Leny Pripas
Lucia Baroukh
Lucia Machado Feria
Maria Fernanda Brazzach
Maria Helena Lemos
Nora Cortez
Celiane Kaufmann
Ciça Carneiro
Cleide M. Viola Ferreira
Danira Guimarães
Edilene C. Rodrigues
Edna Araújo
EQUIPE TÉCNICA
Renata S. Pugliese
Sandra Maria Cochia
Sara Cunha Lima
SaraSpuch
Tina Lisboa
Alexandre Soares
Trilha Sonora;
M aquiagem:
Assist. Direção:
Equipe de Maquiagem:
]. C Violla
Naum Alves de Souza
Fabio Namatame
Christine Líu
Fotos;
Assist. Coreografia;
Berenice Urban
Marcos Padilha
Priscila Bueno
Concepção e Direção;
Cenografia:
Miro
Naum Alves de Souza
Flávia Ribeiro
Assessoria de Imprensa:
Nelly Guedes
Angela Nolf
Edição e Mixagem da Trilha
Coreografia:
Figurinos:
Em Cartaz
Assist. Cenografia:
Sonora:
J. C. Violla
Naum Alves de Souza
Projeto Grafico:
Monica Tinoco
Coreografia dos solos de J, C.
Iluminação;
Alexandre Soares
Assist. Figurino:
Márcio Ribeiro
Zero Freitas
Violla:
Maneco Quínderé
Editoração Eletrônica:
Miko Hashimoto
Celía Gouvea
André Carvalho Finotti
Operador de Som:
Solange Mendes
AmonGninkraut
Carlos Negrão
Flavio Donisi
Gianfranco Tagnin
Gilberto Yoshida
Jacques Pripas Neto
J.C. Violla
José Augusto S. Almeida
José Ricardo de Carvalho
Luiz Guimarães
Marcos G.
Moises Wurcelman
Paulo Victor Baroukh
Pedro Cortez
Roberto de Carvalho Lemos
Roberto S. Tasaki
Sylvio F. Antunes Filho
Participação Especial
Nair e Bartholomeu Bianco
Alfaiate:
Motorista de Produção:
Governador do Estado de S. Paulo:
Equipe Administrativa
Maurice Pias
Carlos Angelo Pereira
Luiz Antonio Fleury Filho
(Teatro Sérgio Cardoso):
Equipe Montagem Luz:
Camisas de J. C. Violla:
Direção de Produção e Executiva:
Secretário de Estado da Cultura:
Wagner Freire
Décio Alves
Walter Machado
Cenotécnica:
Douglas Falasca
Camareiras:
Dorinha
Helena Pacheco
Ligia Pereira, Ubirajara Sad
Saide, Valdir Archanjo e
Celso Saíki
Titão
Contra Regra:
Costureira:
Wilson Cesar Raspini
Operador de Luz:
Yuri Modas
Rosa Casallí
Ricardo Ohtake
Administração:
Diretor do DaclvDepartamento de
Suely de Campos
Artes e Ciências Humanas:
Técnicos de Luz:
Bilheteira:
Olívio Tavares de Araujo
Jane Patricio
Diretora Técnica da Divisão das
José Carlos Fonseca, Orlando
Andrade, Erlon Bispo de
Souza, Nelson Massaro e
Mário José Paulino
Casas de Espetáculos:
Créditos do Teatro:
Márcia Abujamra
Christian Gaubert
(Johann Strauss)
1- Symphony N 3
Henry Górecki
(London Sinfonietta)
2- There will never be another you
Nat King Cole
(M. Gordon/H.Warren)
3- Recuerdos de Ypacarai
Trio Los Panchos
(Demetrio Ortiz/Zulema de Mirkin)
4- Waltz in a flat OP.39/N15
(J. Brahms)
5- Adios Pampa Mia
James Last
(F. Canaro/M.Morais)
11- Cruzes, minha prima
Nivaldo, Alencar, Américo, Cesar,
Chico de Assis e Jorginho
do Pandeiro
(Joaquim Callado)
12- Confidential
The Fleetwoods
(Morgan)
13- You'll never walk alone
Mantovani and his Orchestra
(Rodgers/Hammerstein)
6- Dei-te me meu coração
Francisco Alves
(Frans Lehar)
7- Begin the beguine
Melora Hardin
(Cole Porter)
8- El Secondo
Hugo Strasser Orchestra
(H. Strasser/W. Tauber)
9- Contos dos Bosques de Viena
Duo Crommelynck
(Johann Strauss)
10- The Great Waltz
(Contos dos Bosques de Viena)
Orquestra Conducted by
14-Behold the great redemeer die
Mormon Tabernacle Choir
(George Careless/Eliza R.Snow)
15-Jailhouse Rock
Jake
(Jerry Leiber/Mike Stoller)
16-War Poem
Laibach
17-Ti, Ki Izzvas
Laibach
18- Stayin' Alive
Bee Gees
(Bee Gees)
19- Vogue
Madonna
(Madonna/Shep Pettibone)
20- Do the Boogaloo
Ledemacken
(Ledemacken/Folke Jensen)
21-Começaria tudo outra vez
Angela Maria/Cauby Peixoto
(Gonzaguinha)
22- Luna Lunera
Eydie Gorme e Trio los Panchos
(T. Fergo)
23- Saca la maleta
La Sonora Dinamita
(Isaac Villanueva)
24- Cha-Cha-Chas
Tropicana Club
Bodeguero (E. Richard Egues)
La Boa (Carlos Reys/Felix Reyna)
Bonito e Saboroso
(Beny More/Duarte y Brito)
Vereda Tropical
(Gonzalo Curriel)
Senhor Juez
(Dolores Quinones)
Calculadora
(Rosendo Rossel)
25- Salsa Caliente dei Japon
Orquestra de la Luz
(Nora/Gen Ogimi)
26- Pa'Los COquitos
POchi y su Cocoband
(Alfonso Vásquez “Pochi”)
27- Letkiss Jenka
Alain Belda
Altenio Spinelli
Ana Maria Vizzone Batista
Ari Spuch
Bento Cabral Filho (Black Tie)
Bertrando Molinari
Cacá Ribeiro
Carlos Alberto Buzzi
Carlos Alberto Santos
Carlos Antonio Fraga (Perucas Estoril)
Carlos Henrique (Beka Haute Coifiure)
Carlos J. Betancourt
Carlos Roberto Coelho
CayaMarrey
Cecília de Oliveira
Cecilia Tormin Duarte
Dani
Darci Martin
David Asrak
Demy Queiroz
Dudi
Elka Plásticos
Eloi Andrade Elza Tofini
Enzo Grinover
Estevam Beoso
Fátima Honório
Fernando Albino de Oliveira
Fernando Poyares
Havia Paulela
Geraldo Giovanni Lourenço Jr.
Haidée Esteves
HanSukKo
Helio Mattar
Henrique de Campos Meirelles
Henrique Suster
Homero Elorza
Iolanda M. Lucca
João Gilberto Boujadi
José Roberto (Clube Homs)
Landislau Brett (Vila Romana)
Lilian Garcia
Lucília Fabrizio
Luiz Felipe Ghedini
Marcos Górios
Maria Antonia (Black Tie)
Maria do Carmo Arcieri
Maria Cecília Monteiro de Barros
Marília
Mario Ceratti
Mauro dei Ciello
Nilson Falcão França
Paulo Cesar Neves
Paul Martin
Piccinini (Pini)
Regina Dragone
Ricardo Bertagnon
Richard Meteron
Rita de Cássia Colella Blauth
Roberto de Carvalho Lemos
Salim Helou
Sara Spuch
Steps - Espaço de Dança e Ginástica
Virgínia Gouveia de Souza
Zita Roncaglio
Zé Graciano
Apoio Cultural:
ty
Cíaac/fi
^
7
• y r v
ALCOA
GERAm
FITIPTKA
Locações
a
amao
í,
fia n ç a
ib a t u i
flT Ò W E R j
Internacional
ffj/
*
lette
S S M M M
beka haute
coiffure
SECRETARIA
DE ESTADO DA
H
O
S
I
E
R
Y
f C X
IBetancourt
ELETROPAULO
m m
<vu$utte£un*,
GOVERNO DE SAO PAULO
CONSTRUINDO UM FUTURO MELHOR
octfcuu&tH*
a leitura do arquiteto
FINI
EDIT ORA
PATROCÍNIO:
BANCO DE BOSTON

Documentos relacionados

mais - preservação e compartilhamento do acervo gouvêa

mais - preservação e compartilhamento do acervo gouvêa que não fosse conhecido, para fazer o papel de Serge Lifar, o bailarino russo idolatrado na França, que, mesmo não tendo visto Nijinsky dançar e tendo sofrido com as patadas de Bro­ nislava Nijinsk...

Leia mais

ver mais - preservação e compartilhamento do acervo gouvêa

ver mais - preservação e compartilhamento do acervo gouvêa Maestro Regente da Orquestra ROBERTO DUARTE, e eu.

Leia mais