A minha primeira exposição internacional de Bonsai

Сomentários

Transcrição

A minha primeira exposição internacional de Bonsai
A minha primeira exposição internacional de Bonsai
Da Bélgica apenas conhecia Bruxelas.
Agora conheço Leuven, Ghent. E Heusden-Zolder.
Foi nesta última que assisti à minha primeira exposição internacional de Bonsai.
E que exposição!
Confesso que não sabia bem o que esperar. E que não me apercebi de imediato onde
tinha estado.
No entanto, quando comecei a digerir a informação, fiquei ciente que tinha assistido ao
vivo a acontecimentos e visto obras (e os respectivos criadores) que, até então, apenas
me tinham passado pelos olhos através de revistas. E agora estão gravadas na memória
através de todos os outros sentidos.
Foi uma viagem com o Bonsai como tema principal, mas plena de outras coisas boas:
passeio por sítios desconhecidos, convívio com Gente Grande mas simples, como o
Jean-Paul Polmans e o Tony Tickle, galhofa com Amigos… e Cerveja, muita e boa!
Tenho poucas palavras para exprimir o que lá se passou.
Por isso, prefiro deixar o meu testemunho da viagem ao X Troféu Noelanders com base
em algumas das imagens que registei.
Excluí propositadamente as fotos da maioria das árvores expostas, dado que se
encontram sobeja e extensamente divulgadas em vários sítios dedicados ao tema.
As imagens que se seguem têm algumas legendas, é certo.
Mas os sons, os aromas e as restantes sensações ficam por conta da imaginação de cada
um.
Espero que gostem.
Eu gostei muito de lá ter estado.
Mariana Costa
Janeiro de 2009
Pág. 1/8
Os stands
Pág. 2/8
As pessoas
Walter Pall…
…Tony Tickle e Salvatore Liporace, com o
ceramista Andy Pearson ao fundo…
…e mais duas pessoas importantes… pelo menos uma delas já é conhecida internacionalmente!
Da esquerda para a direita:
Gustavo Duarte, Tony Tickle, Mariana Costa, Márcio Meruje e Andy Pearson.
Pág. 3/8
A demonstração
Da esquerda para a direita, o início das demonstrações simultâneas de
Kevin Wilson, Salvatore Liporace e Dana Quattlebaum.
O segundo dia.
O Gustavo e o Márcio após apreciarem o trabalho de Quattlebaum (ao fundo).
Pág. 4/8
A exposição – exemplos importantes
1º prémio: Acer tridente, Udo Fisher
O Crataegus premiado do Tony Tickle…
… e o Juniperus chinensis trabalhado pelo nosso Márcio.
Pág. 5/8
A visita ao espaço do Jean-Paul Polmans e as tácticas do Márcio
O exterior…
… e as estufas.
Há a táctica de investir sobre as árvores, qual
toureio…
… e a táctica de falar com elas, apelando ao
sentimento.
Pág. 6/8
O convívio e a viagem
Com a “Catarina”, o nosso “Tom-Tom”, guia nas horas mais difíceis…
Olá, Pessoal!
Sem comentários…
Um “bar alternativo”. Ouvem a música
clássica no ar?
O resto nem se fala... Bebe-se!
Pág. 7/8
O convívio e a viagem
Castelo em Ghent
Praça frente à Biblioteca, em Leuven
O cafézinho da despedida.
Pág. 8/8