MESTRES do JAPÃO - CENTRO FILOSOFICO DO KUNG FU

Сomentários

Transcrição

MESTRES do JAPÃO - CENTRO FILOSOFICO DO KUNG FU
Centro Filosófico do Kung Fu - Internacional
MESTRES do JAPÃO
História e Filosofia
Volume 7
www.centrofilosoficodokungfu.com.br
“Se atravessarmos a vida convencidos de que a nossa é a única maneira de pensar
que existe, vamos acabar perdendo todas as oportunidades que surgem a cada dia”
(Akio Morita)
Editorial
Esta publicação é o 7° volume da coletânea “História e Filosofia
das Artes Marciais”, selecionada para cada país que teve destaque na sua
formação. Aqui o foco são os Mestres Japoneses.
Todo conteúdo é original da “Wikipédia”, editado e
fornecido gratuitamente pelo Centro Filosófico do Kung
Fu - Internacional.
É muito importante divulgar esta coletânea no meio das artes
marciais, independente do praticante; pois estaremos contribuindo para a
formação de uma classe de artistas marciais de melhor nível que, com
certeza, nosso meio estará se enriquecendo.
Bom trabalho !
GRANDES MESTRES - JAPÃO
Artes Marciais Japonesas
Conteúdo
1
2
3
4
5
Choshin Chibana
1
1.1
1
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Yoshihide Shinzato
2
2.0.1
A chegada a Santos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2
2.0.2
A fundação da Associação Okinawa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
2
2.0.3
Mudanças na Shorin em Okinawa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3
2.0.4
Visitas do Mestre Miyahira ao Mestre Shinzato
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3
2.0.5
A ligação de Mestre Shinzato ao caratê . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3
2.0.6
O livro Kihon . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
3
2.0.7
Mestre Shinzato e sua família
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4
2.0.8
Shin Shu Kan no exterior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4
2.0.9
Homenagens . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4
2.1
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4
2.2
Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
4
Anko Itosu
5
3.1
Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5
3.2
Contribuições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
5
3.3
Alunos
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6
3.4
Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6
3.5
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
6
Sokon Matsumura
7
4.1
Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
7
4.2
Contribuições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
8
4.3
Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
8
4.4
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
8
4.5
Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
9
Kosaku Matsumora
10
5.1
Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
10
5.2
Contribuições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
10
5.3
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
11
i
ii
6
7
8
9
CONTEÚDO
Gichin Funakoshi
12
6.1
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
12
6.1.1
Primeiros anos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
12
6.1.2
Primeiras divulgações abertas do caratê
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
12
6.1.3
Divulgação do caratê no Japão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
13
6.1.4
Uma reforma no caratê . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
14
6.1.5
As Guerras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
14
6.1.6
A morte de Yoshitaka
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
15
6.1.7
Uma lição para o mundo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
15
6.2
Contribuições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
15
6.3
Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
16
6.4
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
16
6.5
Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
16
Biografia
Anko Asato
17
7.1
Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
17
7.2
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
17
Kenwa Mabuni
18
8.1
Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
18
8.2
Citações . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
19
8.3
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
19
8.4
Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
19
8.5
Ver também . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
19
Karyu Uku
20
9.1
20
Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
10 Kishin Teruya
21
10.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
21
11 Kanryo Higaonna
22
11.1 Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
22
11.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
22
11.3 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
22
12 Chojun Miyagi
23
12.1 Breve Biografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
23
12.2 Sucessor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
23
12.3 Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
24
12.4 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
24
12.5 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
24
13 Choki Motobu
25
CONTEÚDO
13.1 Biografia
iii
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
25
13.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
25
13.3 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
25
14 Jigoro Kano
26
14.1 Biografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
26
14.1.1 Infância . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
26
14.1.2 Adolescência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
26
14.1.3 Kodokan . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
26
14.1.4 Técnicas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
26
14.1.5 Judô e o Sonho Olímpico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
27
14.1.6 Morte . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
27
14.2 Cronologia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
27
14.3 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
28
15 Shiro Saigo
29
15.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
16 Mitsuke Harada
16.1 Biografia
29
30
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
30
16.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
30
17 Seichi Akamine
31
17.1 Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
31
17.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
31
18 Koji Takamatsu
18.1 Biografia
32
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
32
18.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
32
19 Takeo Suzuki
33
19.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
20 Michizo Buyo
33
34
20.1 Dojo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
34
20.2 Bibliolografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
34
20.3 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
34
21 Akio Yokoyama
21.1 Biografia
35
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
35
21.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
35
22 Masutatsu Oyama
36
22.1 Estilo Kyokushin Kaikan . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
36
22.2 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
37
iv
CONTEÚDO
23 Chojiro Tani
38
23.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
38
23.2 Ver também . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
38
23.3 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
38
24 Yoshitaka Funakoshi
39
24.1 Contribuições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
39
24.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
39
25 Juichi Sagara
25.1 Biografia
40
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
40
25.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
40
26 Hirokazu Kanazawa
26.1 Biografia
41
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
41
26.1.1 Brasil . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
42
26.2 Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
42
26.3 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
42
26.4 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
42
27 Kanga Sakukawa
43
27.1 Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
43
27.2 Contribuições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
43
27.3 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
43
27.4 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
43
27.5 Ver também . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
44
28 Taiji Kase
45
28.1 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
45
28.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
45
28.3 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
45
29 Kokan Oyadomari
29.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
30 Kosei Nishihira
30.1 Biografia
46
46
47
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
47
30.2 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
47
30.3 Ligações Externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
47
30.4 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
48
31 Soke Kubota Takayuki
49
31.1 Livros . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
49
31.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
49
CONTEÚDO
v
32 Kushanku
50
32.1 Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
50
32.1.1 Legado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
50
32.2 Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
50
32.3 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
50
32.4 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
51
33 Yoshizo Machida
52
33.1 Feitos de Yoshizo Machida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
52
33.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
52
34 Masatoshi Nakayama
53
34.1 Livros Publicados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
53
34.2 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
53
35 Matsu Higa
54
35.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
36 Kenji Midori
54
55
36.1 Biografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
55
36.2 Títulos
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
55
36.3 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
55
36.4 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
55
37 Peichin Takahara
56
37.1 Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
56
37.2 Contribuições . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
56
37.3 Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
56
37.4 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
56
38 Seigo Tada
57
38.1 Cargos Exercidos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
57
38.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
57
39 Seisho Aragaki
58
39.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
40 Shoshin Nagamine
40.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
41 Tatsuo Shimabuku
41.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
42 Teruo Hayashi
42.1 Biografia
58
59
59
60
60
61
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
61
vi
CONTEÚDO
42.2 Discípulos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
61
42.3 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
62
42.4 Bibliografia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
62
43 Yoshimi Inoue
63
43.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
63
44 Morihei Ueshiba
64
44.1 Biografia
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
64
44.2 Lista parcial de alunos (uchi-deshi) de Morihei Ueshiba . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
64
44.3 Notas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
65
45 Sokaku Takeda
66
45.1 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
46 Masamichi Noro
66
67
46.1 Anos de formação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
67
46.2 Anos de propagação do aikidô
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
67
46.3 Anos de criação do Kinomichi . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
67
46.3.1 O segundo começo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
67
46.3.2 Uma comunidade de budos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
67
46.3.3 Uma exigência de criação contínua . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
68
46.4 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
68
46.5 Fontes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
68
46.6 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
68
47 Morihiro Saito
47.1 Biografia
69
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
69
47.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
70
48 Nobuyoshi Tamura
48.1 Biografia
71
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
71
48.2 Referências . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
71
49 Kenji Tomiki
49.1 Biografia
72
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
72
49.2 Ligações externas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
72
49.3 Fontes, contribuidores e licenças de texto e imagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
73
49.3.1 Texto . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
73
49.3.2 Imagens . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
75
49.3.3 Licença . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
76
Capítulo 1
Choshin Chibana
Choshin Chibana (知花朝信, Chibana Choshin* ?) foi
um mestre de caratê, do estilo Shorin-ryu, que em 5 de julho de 1885 nasceu na vila de Tottori-cho, nas imediações
da cidade de Shuri, em Oquinaua. Teve seu passamento
em 26 de fevereiro de 1969, na cidade de Ohama, por
causa de um cancro na garganta. Como legado, deixou estabelecida uma escola do estilo Shorin-ryu, a Kobayashiryu.* [1]* [2]
Entre os grandes mestres contemporâneos de karatedo,
destaca-se o Grão Mestre Choshin Chibana. Natural de
Oquinaua, Japão, desde os treze anos até aos 85 anos, viveu intensamente para o Karatê-do, tendo ministrado ensinamentos durante 50 anos. Em 1960 foi homenageado
pelo Jornal Okinawa Taimussu, como um exemplo a ser
seguido por todos, pois, muito fez pelo engrandecimento
do Karatê-do. Em 1968 foi condecorado pelo Imperador
Hirohito com o título de comendador. Sempre modesto e
dedicado, juntamente com seu Grão Mestre Anko Itotsu,
introduziu uma série de inovações à arte marcial oquinauense. Chibana teve mais de cinco mil alunos. Em 1957
recebeu o título mais cobiçado por todos os caratecas:
10° dan.* [3]
Atualmente existem dois de seus principais seguidores:
• Mestre Katsuya Miyahira - Presidente da Shorin Ryu
Internacional, Presidente da Federação Okinawense
de Karate-Do e Presidente da Escola Shidokan.
• Mestre Yoshihide Shinzato - Hanshi (10° DAN) a graduação mais alta da modalidade. Falecido em
janeiro de 2008.
1.1 Referências
[1] Beikoku Shidokan Association, Iha Dojo (em inglês). Visitado em 25.set.2011.
[2] Chosin Chibana (em inglês). Visitado em 25.set.2011.
[3] Chibana Chosin (em inglês). Visitado em 25.set.2011.
1
Capítulo 2
Yoshihide Shinzato
Yoshihide Shinzato (新⾥良英* ?)(Haebaru, Shuri, 15 pelo Comitê Olímpico Internacional.
de março de 1927 ̶Santos, 13 de janeiro de 2008) foi Apesar de dar aulas nos fundos de sua casa na Praia
um mestre de caratê nipo-brasileiro.
Grande algum tempo após sua chegada ao Brasil, somente
Começou a praticar caratê aos doze anos de idade, na es- em 3 de junho de 1962 Yoshihide Shinzato fundou a sua
cola (curso ginasial) com Anbun Tokuda (1886-1945), primeira escola, a Academia Santista de Karate-Do,
contemporâneo de Choshin Chibana e, como este, discí- na rua Brás Cubas em Santos. Em 15 de dezembro de
pulo do Grão-Mestre Anko Itosu.* [1]
1962 a academia foi transferida para a Rua 15 de NoApós completar os estudos, Shinzato entrou para a aca- vembro, no. 198. Três anos mais tarde, em 10 de junho,
demia do renomado mestre Choshin Chibana. Durante a passou a se chamar Associação Okinawa Shorin-ryu
Segunda Guerra Mundial, Shinzato serviu no exército ja- Karate-Do do Brasil, sendo transferida mais uma vez
ponês como rádio-telegrafista, em Tóquio, retornando ao para a rua General Câmara e depois para Avenida Senafim da guerra a Okinawa, onde retomou os treinamentos dor Feijó, 219, 2o. andar em 15 de maio de 1976 . Hoje
sua academia, (também conhecida como Shin shu kan com Chibana* [2].
nome derivado dos ideogramas que compõem o seu próprio nome, Shin de Shinzato e Shu ou Yoshi de Yoshihide,
e Kan que significa academia) fica situada na avenida Se2.0.1 A chegada a Santos
nador Feijó, sempre em Santos, para onde foi transferida
em janeiro de 2000. Seu dojo é frequentemente visiDevido às grandes dificuldades decorrentes do período tado por caratecas (de todas as faixas e graus), não só do
pós-guerra, Shinzato resolveu aceitar o convite de um tio Brasil como também do exterior. Nele são realizados os
que havia emigrado para o Brasil e tomou um navio, de- mais importantes cursos, dos quais participam praticansembarcando em Santos em 15 de janeiro de 1954.Fixou tes, inclusive de outros estilos, sendo considerado a sede
residência no município de Praia Grande. Assim que che- da União Shorin-ryu Karate-Do do Brasil, e reuniöes e
gou, imbuído do espírito de aventura, Shinzato passou a assembléias onde são tomadas as principais decisões da
trabalhar na lavoura onde plantava principalmente agrião, entidade. Bastante espaçosa e bem equipada com matornando-se, em seguida, feirante em Santos. Neste pe- kiwara * [4] (tábua de madeira para calejamento de mãos
ríodo, Shinzato começou a praticar o caratê nos fundos de e pés), sunatawara (sacos de areia para treinamento de
sua casa, onde ensinava ao filho mais velho e aos filhos de socos, cuteladas e chutes), e equipamento de musculação
alguns membros da colônia okinawana local* [3].
(apesar de utilizar ainda os antigos implementos inventados pelos professores de Okinawa, tais como os feixes
de bambu e os jarros de cerâmica cheios com areia), a
2.0.2 A fundação da Associação Okinawa academia recebe mais de 200 alunos por dia.
Pelos registros já passaram pela escola mais de 7000 alunos do sexo masculino e mais de 300 do sexo feminino.
Na academia são ministradas aulas pela manhã e à tarde
nas segundas, quartas, sextas-feiras e sábados, e à tarde
nas terças e quintas-feiras. Em quase todas as aulas o
Mestre Shinzato participa com seus ensinamentos preciosos, onde fazem sucesso as técnicas de yakusoku-kumite
- treinamento de defesa pessoal. O seu método de aula incorpora uma ginástica completa (com quase uma hora de
duração), bases de ataque e defesa, katas, técnicas de defesa pessoal, luta de competição, prática com armas antigas e treinamento em aparelhos de fortalecimento físico e
Em 1962 Shinzato fundou a sua primeira academia em
Santos, a Associação Okinawa Shorin-ryu Karate-Do do
Brasil, que viria mais tarde a se tornar uma forte associação. 5 anos depois, fundou uma organização nacional, a
União Shorin-ryu Karate-Do do Brasil, com centenas de
academias e clubes filiados.
Apesar de muito ligado ao espírito marcial do caratê,
Shinzato tem dado muita importância ao aspecto esportivo da luta, incentivando a prática do caratê de
competição, sem o qual, nos dias de hoje, uma arte marcial não sobrevive, principalmente com o advento do
caratê olímpico, após o reconhecimento da modalidade
2
3
teoria de caratê, onde estão incluídos o embasamento bi- 2.0.4 Visitas do Mestre Miyahira ao Mesofísico e bioquímico e filosofia zen-budista. O principal
tre Shinzato
objetivo é atingir o fortalecimento físico e mental do praticante através de uma equilibrada harmonia de interação Miyahira visitou o Brasil em 1977, participando dos fese a construção de uma perfeita ética de conduta moral.
tejos do 15º aniversário de fundação da Associação OkiDentre os alunos de Yoshihide Shinzato destacam-se nawa Shorin-ryu Karate-Do do Brasil e do 10º aniversário
caratecas famosos, alguns campeões nacionais e inter- da União Shorin-ryu Karate-Do do Brasil, e em 1991, na
nacionais do cenário brasileiro, sul-americano e pan- comemoração do 20o. aniversário da Associação, ocaamericano, outros eminentes políticos da Baixada San- sião em que fez demonstrações e ministrou cursos de kata
tista. Pelo seu grande trabalho de divulgação nacional e para os caratecas brasileiros. Em 1992, Shinzato reuniu
internacional do caratê em prol, não apenas da modali- uma equipe com os melhores atletas do estilo e particidade, mas também de formação do caráter da juventude pou, em Okinawa, do Uchinanchu Festival, onde fez deque pratica este esporte maravilhoso, Shinzato tem re- monstrações e visitou mestres e academias famosos da
cebido muitos prêmios, sendo o mais famoso deles o tí- ilha.
tulo de Cidadão Santista, dado pela Câmara Municipal de
Santos, em 1983. Em Okinawa seu trabalho foi reconhecido também e de Miyahira recebeu, em 1986, o título de 2.0.5 A ligação de Mestre Shinzato ao caratê
nono Dan Hanshi. Na Confederação Brasileira de Karatê
Shinzato é considerado 8o. Dan.
Quando indagado, Yoshihide Shinzato costuma responTodo último domingo de cada mês são realizados treider que, para ele, o caratê se resume em: disciplina,
namentos especiais para faixas-pretas (os quais são obriresponsabilidade, harmonia, humildade e dignidade.
gatórios para aqueles que almejam os graus mais altos).
Cursos de arbitragem são ministrados pela União com Além disso, informa que, quando chegou ao Brasil, foi
a anuência da Confederação Brasileira de Karatê e da muito difícil se estabelecer, mas, segundo uma velha
Federação de Karate do Estado de São Paulo. Nos ou- frase de seus antepassados que diz “três anos sobre a
tros estados também é grande a participação das filiadas pedra”, atingiu seus objetivos graças ao esforço e à parnos cursos organizados pelas Federações locais. Diversos ticipação de seus alunos, bem como à compreensão do
torneios são realizados a nível estadual e municipal, mas povo brasileiro que o recebeu com muito carinho e entuuma vez por ano é realizado um campeonato do estilo siasmo.
Shorin Ryu do qual todas as academias e clubes filiados Com relação à técnica do caratê, Shinzato explica que a
costumam participar. No fim de cada ano a União, sob prática do kata é a essência da arte. No entanto, a práa égide de Yoshihide Shinzato, faz realizar o Shorin-ryu tica dos kihons também deve ser enfatizada para que o
Karate-Do Bonenkai, uma grande festa de confraterniza- aprendizado seja completo, tanto que tem elaborado e sisção onde são realizadas demonstrações e cursos de atua- tematizado kihons ao longo de sua vida, tornando o estilo
lização de kata.
Shorin um dos mais bem fundados neste tópico.
2.0.6 O livro Kihon
2.0.3
Mudanças na Shorin em Okinawa
De tempos em tempos, Shinzato viajava a Okinawa para
reciclar o seu caratê com Choshin Chibana, sempre trazendo as novidades da ilha para o Brasil, procurando evitar a degeneração do estilo devido à distância em relação
aos centros onde o Shorin-ryu é praticado em Okinawa.
Após a morte de Chibana em 1969, Shinzato passou a manter relações mais estreitas com Katsuya
Miyahira* [5], o sucessor de Chibana no estilo Shorin da
linha Kobayashi em Okinawa. Paralelamente, Yoshihide
Shinzato associou-se com o Mestre Katsuyoshi Kanei (falecido em 1993), então presidente da International Okinawa Kobudo Association, procurando complementar o
curriculum do Shorin-ryu com as técnicas de lutas com
as armas tradicionais de Okinawa...
Em 2006, Mestre Shinzato publica um livro onde mostra a sua grande visão sobre o caratê, apresentando o estilo Shorin e registrando para a posteridade os kihons e
os katas do estilo que são os seguintes: Naihanchi Shodan, Fukyu-gata dai Ichi, Naihanchi Nidan, Naihanchi
Sandan, Fukyu-gata dai Ni, Pinan Shodan, Pinan Nidan,
Pinan Sandan, Pinan Yondan, Pinan Godan, Itosu no Passai, Kusanku Sho, Matsumura no Passai, Kusanku Dai,
Chinto, Jion, Gojushiho, Unshu, Teesho, Koryu Passai
(estes dois últimos incorporados recentemente pelo Mestre Katsuya Miyahira) e Ryuko (este incorporado recentemente pelo próprio Mestre Shinzato), dos quais destaca
como mais importantes os Naihanchi, os Kusanku e os
Passai.
Quando perguntado a Shinzato qual o professor de caratê mais importante para o Brasil, ele responde que foi
o pioneiro o mestre Harada (do estilo Shotokan), praticamente o primeiro a introduzir a luta no nosso país. Inda-
4
CAPÍTULO 2. YOSHIHIDE SHINZATO
gando, então, sobre os que ainda estão vivos e atuantes,
disse Koji Takamatsu, pelo Wado-ryu, e Juichi Sagara,
pelo Shotokan.
2.0.7
Mestre Shinzato e sua família
Yoshihide Shinzato tem três filhos que também praticam
o caratê assiduamente. O mais velho é o único nascido
em Okinawa: Masahiro Shinzato, atualmente graduado
como 9º Dan e que, até 1999, era o presidente da Federação de Paulista de Karate-do. O seu filho do meio,
formado em engenharia aeronáutica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica, Nelson Mitsuhide Shinzato, é
4º Dan. O caçula, Eraldo Kazuo Shinzato, é engenheiro
formado pela Universidade Federal de São Carlos e é 1º
Dan.
• Grã-Cruz - Ordem ao Mérito Municipalista - Sociedade dos Estados Municipalistas - São Paulo (1994)
• Defensor de Bens Culturais - Câmara Municipal de
São Paulo (31 de março de 2001)
• Medalha de Honra ao Mérito - Brás Cubas - Câmara
Municipal de Santos (16 de junho de 2001)
• 8° Dan, pela World Karate Federation (WKF)
• 9° Dan - Kobu-do Shin Shu Kan
• 9° Dan, pela Federação Paulista de Karate-do (FPK)
• 9° Dan, pela Confederação Brasileira de Karatê-do
(CBK)
• 10° Dan - Okinawa Shorin-Ryu Karate-do
• Comendador do Outono do Governo do Japão
2.0.8
Shin Shu Kan no exterior
Com o crescente aumento do número de praticantes do
Shorin-ryu Karate-Do nos países vizinhos ao Brasil, tais
como Uruguai, Argentina e Bolívia, sempre sob a tutela
do Mestre Shinzato, os representantes desses países resolveram fundar, em 1991, a International Union Shorin-ryu
Karate-Do Federation. Embora na Argentina o Shorinryu já estivesse representado pelo Mestre Shoei Miyazato
(oitavo Dan), um discípulo direto de Katsuya Miyahira,
esse okinawano deixou suas atividades relativas ao caratê
por motivos de saúde, fazendo com que Miyahira delegasse ao Mestre Shinzato a coordenação do estilo naquele
país. Com a fundação da International Union, Shinzato
passou a ter um controle mais organizado das atividades,
agora não apenas na Argentina, mas também nos outros
países da América do Sul onde se verifica a presença do
Shorin-ryu. Existem representantes ainda nos Estados
Unidos e na Austrália.
Yoshihide Shinzato espera que este organismo internacional cresça ainda mais nos próximos anos, principalmente agora que o caratê foi oficialmente reconhecido
pelo Comitê Olímpico Internacional. Por outro lado,
Shinzato já deu os primeiros passos no sentido de registrar o estilo na WKF - World Karate-do Federation (substituta da primeira WUKO - World Union of Karate-do
Organizations -, hoje extinta), que é a entidade internacional representante do esporte perante o Comitê Olímpico
Internacional. Tal feito, se realizado, deverá trazer um
enorme prestígio para o estilo Shorin da linhagem Kobayashi, em nível mundial.
2.0.9
Homenagens
• Cidadão Santista - Câmara Municipal de Santos (23
de junho de 1972)
• Medalha Primavera - Sociedade Geográfica Brasileira - São Paulo (1978)
2.1 Referências
[1] Shorinkan Argentina - Chosin Chibana (em espanhol).
Visitado em 21.set.2010.
[2] Karate como Filosofia de Vida: Mestre Yoshihide Shinzato (em português). Visitado em 21.set.2010.
[3] Jornal Vicentino » Yoshihide Shinzato (em português).
Visitado em 21.set.2010.
[4] Makiwara (em português). Visitado em 21.set.2010.
[5] Hanshi Miyahira (em português).
21.set.2010.
Visitado em
2.2 Ligações externas
• Biografia do Mestre Shinzato na Revista Eletrônica
Karatedo on-line
• Biografia do Mestre Shinzato no website www.
karate-do.com.br
Capítulo 3
Anko Itosu
Sensei Yasutsune* [a] Itosu (安 恒 ⽷ 洲* ?), ou Anko
Itosu, nasceu na vila de Yamagawa* [1], em Shuri, na
ilha de Oquinaua em no ano de 1831, vindo a falecer em
26 de janeiro de 1915. Foi um mestre de caratê, considerado um dos grandes precursores dos estilos modernos* [2], haja vista muitos de seus discípulos terem formado estilos próprios da arte marcial. Sabe-se ainda que
foi o General Supremo do Reino de Ryukyu quando de
sua anexação ao Japão, em 1879.* [3]
ceram e vingaram depois com seus discípulos, diretos e
indiretos. Teria sido do meste Itoso a alteração do nome
To-di (mão chinesa) para kara-te (mão vazia), a qual foi
levada a termo pelo mestre Gichin Funakoshi, logrando
êxito na difusão da arte, não só no Japão mas no mundo
inteiro.* [4] Atribui-se o insucesso do mestre ao fato de,
em sua época, o caratê ainda ser visto como sendo de
forte influência chinesa e, porque as relações entre Japão
e China sempre tinham sido muito ásperas, não era bem
visto.* [5] De certo modo, Oquinaua era visto como uma
terra estrangeira.* [6]
3.1 Biografia
Investigando o caráter de Itosu, descobre-se que ele foi
uma espécie de figura paterna para os seus alunos, enquanto que, fisicamente, possuia um peito largo como um
barril, tinha uma longa barba e possuia uma grande força
interior. Itosu era imensamente cauteloso, reservado e
mantinha em seu dojô em Kubagawa uma disciplina espartana.
Nascido em 1831, no seio de uma família tradicional,
Anko Itosu era uma criança de comportamento introspectivo e de pequena estatura; quando adulto, sua altura
era de 1m55, aproximadamente. Foi educado nas letras
clássicas chinesas, tornando-se calígrafo naquele tipo de
escrita.
Em 1901, o mestre, na sua tentativa de difundir o caratê
Dotado de educação de qualidade, Itosu obtém ingresso por todo o Japão, passou a ensiná-lo na escola de ensino
no serviço público de Oquinaua. E, por recomendação do fundamental de Shuri Jinjo e na de ensino médio Dai Ichi;
grande amigo Yasutsune Asato, passou ocupar o cargo de em 1905, em Oquinaua.
secretário do último rei de Ryukyu, Sho Tai, até a deposição daquela linha dinástica, em 1879, pelo Japão.* [1]
O mestre começou seu treiamento de caratê, que na época
ainda se nomeava de To di, ou Toudi ou To-de, sob a tutela de Nagahama Chikudun Peichin. Em continuidade,
foi aluno de Kosaku Matsumora e, eventualmente, seus
estudos de caratê conduziram-no ao dojô de Sokon Matsumura, que na época já se tinha tornado amigo de seu
pai. Um aspecto do treino era a makiwara.
3.2 Contribuições
Pela concepção de artista marcial que Itosu possuía, ele
concluiu que numa luta a pessoa não precisa mover-se
muito, e desviar dos golpes, mas, ao contrário, deve ser
capaz de absorver e assimilar os mais duros golpes. Isso
divergia da visão de Anko Asato, que pensava serem as
mãos e os pés equiparáveis a lâminas e que o contato
com o oponente devia ser evitado a qualquer custo. Comentavam sobre essa visão Choshin Chibana, que dizia
que Itosu tinha um soco muito potente, e Sokon Matsumura acrescentava que, sim, Itoso tinha um soco poderoso, pero não era capaz de atingí-lo.
Empregou grandes esforços para fazer de sua arte marcial aceita no Japão, o qual era muito resistivo por dois
motivos, principalmente: como Oquinaua era uma ilha
em sua maioria habitada por pescadores e agropecuaristas (muito distantes do ideal samurai), não era vista como
origem de uma arte marcial verdadeira, e porque o To-di
era fortemente influenciado pelo kung-fu chinês, era visto
De qualquer forma, Anko Itosu, por todos os seus esforcom preconceito no reino japonês.
ços e contibuição de modo a simplificar e sistematizar o
Após a anexação, buscou a paz e colaborou com o impe- ensino do caratê, é considerado como o “Pai do caratê
rador Meiji.
moderno”. Ele pensava que o modo como se ensinava a
Posto que tenha (de certa forma) fracassado no intuito arte marcial até seu tempo era antiquado e não proporciode difundir o caratê por todo o Japão, suas ideias flores- nava sua completa compreensão, o que dificultaria ainda
5
6
CAPÍTULO 3. ANKO ITOSU
sua introdução como disciplina esportiva nos currículos
escolares.
[3] Origins of Beikoku Shido-kan Karate (em inglês). Visitado em 21.nov.2010.
O mestre, como forma de facilitar o aprendizado das técnicas, introduiziu o conceito de kihon, uma técnica simples e isolada* [7]. Sobre o kata Channan, Itosu, porque
o considerava muito complexo e difícil de ser aprendidos
por crianças, principalmente, alterou alguns mocvimentos e o dividiu em sequências menores, criando a série
Pinan. Procedimento similar aplicou ao kata Naihanchi,
que passou a ser uma série de katas também. Em 1908,
Itosu escreveu Todê jukun, os Dez Preceitos do Caratê.* [* carece de fontes?]
[4] The Origin of tang Soo Do's Forms (em inglês). Visitado
em 21.nov.2010.
Por suas palavras ele descrevia:* [8]
[8] Martial Arts Biography - Yasutsune Ankoh Itosu (em
inglês). Visitado em 05.12.2010.
Caratê não significa só desenvolver sua
força física, mas para aprender a defender-se.
Ser útil a todas as pessoas e nunca lutar contra
uma pessoa. Se possível, nunca tente atacar,
posto que tomado de surpresa, como talvez por
um ladrão ou uma pessoa perturbada. Jamais
encare outrém com punhos e pés. Enquanto
treinar caratê, tente abrir bem os olhos e manter os ombros relaxados, mas enrijecer o corpo
como se estivesse no campo de batalha. Imagine estar a enfrentar o inimigo quando praticar
socos ou defesas. Logo encontrará a própria
força. Sempre concentrar a atenção em torno
de si. Um homem de caráter evita brigas e ama
a paz. Assim, quanto mais treina, mais um carateca pratica o quão modesto deveria ser para
com os outros. Eis o verdadeiro carateca.
3.3 Alunos
Anko Itosu faleceu em 1916 aos 85 anos, mas deixou para
trás uma impressionante lista de discípulos que, a seu
tempo, realizaram o seu sonho. Dentre os nomes mais
famosos estão Kentsu Yabu, Gichin Funakoshi, Chomo
Hanashiro, Choshin Chibana, Kenwa Mabuni, Jiro Shiroma, Chojo Oshiro, Moden Yabiku, Moden Yabiku.
3.4 Notas
*
[a] ^ Desde o kanji, o nome “Anko”possui
pronúncia intercambiável com “Yasutsune”.
3.5 Referências
[1] Anko Itosu 1831 - 1915 (em inglês).
30.nov.2010.
Visitado em
[2] FightingArts.com - Itosu, Anko (Yasutsune) (1831-1915)
(em inglês). Visitado em 21.set.2010.
[5] Minha vida no Karatê: Mestre Anko Itosu. Visitado em
05.12.2010.
[6] KARATE e KOBUDO - karatekobudoperuibe. Visitado
em 05.12.2010.
[7] Assim porque trem Kihon?
04.12.2010.
Notícia.
Visitado em
Capítulo 4
Sokon Matsumura
em 1797, posto ter ele falecido com 92 anos de idade.
Afirma-se ainda que ele seria de origem parcial chinesa e
que seu patronímico seria “Kiyo”.* [* carece de fontes?]
O mestre começou seus estudos e prática de caratê sob
a supervisão de Kanga Sakukawa, que, já em adiantada
idade, de início se mostrou relutante em aceitá-lo como
aluno, pois Matsumura era visto como problemático. Todavia, foi prometido por Sensei Sakukawa ao pai do jovem, Matsumura Sofuku, que o rapaz seria treinado e, assim, Sokon Matsumura passou cinco anos e já novo adquiriu fama de sua perícia em artes marciais* [1].
Contam que quando estava a praticar técnicas defensivas,
Sakukawa punha-o amarrado a um tronco de árvore, de
modo a não se poder esquivar ou recuar frente a um ataque, e era desferida uma sequência de socos.
Em 1816, quando contava dezanove anos de
idade* [* carece de fontes?], o mestre casou-se com
Yonamine Chiru, que também era reconhecida como
experta em artes marciais, já que vinha de uma família
cuja perícia em artes marciais era notória. Disse Yonamine que ela jamais se casaria com um homem que
fosse menos habilidoso que ela. Desta feita, ambos se
enfrentaram e Matsumura venceu o desafio, logicamente.
A família real de Ryukyu ̶a família Sho ̶recrutou Sokon Matsumura para o serviço militar, quando lhe foi, em
1816, outorgado o título de Shikudon, um título de baixa
nobreza. Desta feita, Matsumura iniciou sua carreira servindo ao XVII rei de Ryukyu, el-rei Sho Ko, da segunda
dinastia Sho. Por aquele tempo, conforme era a tradição, os oficiais do reino deveriam cambiar o sobrenome,
quando Sho Ko sugeriu que ficasse Muramastu, mas foilhe dito pelo mestre que, se possível, preferia permanecer
como Matsumura, o que foi atendido.
Sokon Matsumura
Sokon Matsumura (松 村 宗 棍, Matsumura Sokon* ?,
1797/1809 - 1899) foi o mais notável praticante de caratê
de sua época. Viveu no século XIX, e foi um dos precursores do estilo Shorin-ryu. Dentre os caratecas mais
antigos, foi seu discípulo o mestre Yasutsune Itosu (também conhecido como Anko Itosu). Seu Mestre foi Kanga Por volta de 1832 começa a particar a arte de esgrima do
Sakukawa, o mais renomado Mestre de Te (Shuri-te) em clã Satsuma.
Okinawa naquele tempo.
Em 1836, viaja para Pequim, onde fica por um ano e três
meses, treinando Xingyi-chuan, a escola de arte marcial
do norte da China, com um mestre denominado Wei Bo.
4.1 Biografia
O mestre eventualmente tornou-se o dirigente marcial
mor, instrutor e guarda-costas de el-rei Sho Ko. Nesta
Sokon Matsumura nasceu na vila de Yamagawa, nas re- posição, permaneceu a atuar até, pelo menos, o reinado
dondezas do castelo de Shuri, em Oquinaua. A contrá- subsequente, dos reis Sho Iku e Sho Tai. Como reprerio do que dizem muitas fontes, Bushi Matsumura nasceu
7
8
sentante real, Matsumura viajou até Fuzhou e prinvícia
de Satsuma, estudando em China Chuan Fa e outras artes
marciais mais as quais foram levadas consigo até Oquinaua. Retornando à sua terra de origem, foram reunidos
alguns alunos e a escola de artes marciais e seu mestre
ganharam notoriedade.
Além de lutas, Matsumura é bem conhecido exímio praticante de caligrafia e estudante de disciplinas físicas e metafísicas e por dar relevância ao equilíbrio entre condição
física e moral, as quais deveriam desenvolver-se simultâneas. Também era adepto do Confucionismo. E tentava
fazer lobrigar que é a mente que comanda o corpo, a estratégia deve vir antes da ação: o cuidadoso planejamento
é mais importante do que o ato em si.
A estratégia antes da ação foi demonstrada quando, uma
vez, el-Rei de Ryukyu quis por à prova as habilidades de
Sokon Matsumura e decidiu que o adversário seria um
touro, que foi adquirido do Imperador do Japão. O mestre não perdeu tempo: previamente à data aprazada, ele
foi ter com o encarregado de cuidar do amimal, a quem
pediu para ser conduzido até a besta, o que foi feito; Matsumura estava paramentado com sua armadura; assim, ficava atormentado o touro até que este ficasse atemorizado
e soubesse bem quem o fazia. Finalmente, quando chegou o dia da disputa, o animal foi conduzido até o sítio
do confronto e Matsumura nem precisou de atacar, pois
o adversário saiu em carreira* [2]. Por causa deste feito,
foi concedido o título de Bushi, ou guerreiro, pelo rei de
Oquinaua em reconhecimento de suas habilidades e realizações dentro das artes marciais, bem como por que
jamais foi batido em combate.
CAPÍTULO 4. SOKON MATSUMURA
bate, mas, porque as técnicas de ambos se equivaliam,
nenhum logrou vitória. Entrementes, quando todas as demais táticas de captura falharam, o Matsumura tornou-se
amigo e começou a trocar conhecimentos sobre as artes
marciais, o que resultou na apreensão do kata Chinto.
Outro mestre com o qual Matsumura teve contacto e trocou informações foi um embaixador chinês em Oquinaua,
de nome Channan. E com os ensinamentos aprendidos
deste, Sokon Matsumura teria criado dois katas, Pinan
Shodan e Pinan Nidan* [3].
Depois que o Japão formalmente anexou o reino de
Ryukyu, passaram-se mais quarenta anos e Sokon Matsumura mudou-se para Tóquio, onde continuou a desenvolver o caratê até o fim da vida.
4.2 Contribuições
Matsumura é considerado o fundador do estilo Shorinryu. O mestre foi o primeiro a introduizir os princípios da
escola de esgrima de Satsuma, Jigen-ryu, dentro das artes marciais com armas de Oquinaua ̶kobudô ̶, bem
como lhe é creditado ainda o estilo de bojutsu de Tsuken* [* carece de fontes?].
São-lhe
atribuídos
a
compilação
da
série
Naihanchi/Tekki de katas, bem como a dos katas
Bassai, Seisan, Chinto, Gojushiho, Kushanku e Hakutsuru* [4]. Esta última forma, dizem * [* carece de fontes?],
compila os ensinamentos do estilo da Garça Branca de
kung fu. Atribui-se ainda ao mestre o desenvolvimento
(indireto) da série Pinan/Heian de katas, haja vista que
Outro episódio, que demonstra o claro uso da estratégia
treinava o lendário e extenso kata Channan, que serviu
para vencer uma contenda, sucedeu quando um artesão e
de base para a criação dos outros cinco.
artista marcial desafiou Sokon Matusumura para uma luta
e disse esperar num determinado sítio, à cert'altura cedo Seus alunos mais famosos foram Yasutsune Itosu e
da manhã. O homem, entonces, decidiu, como forma de Yasutsune Azato, pero foi também professor de Gichin
conseguir alguma vantagem, chegar mais cedo para exa- Funakoshi, Kentsu Yabu, Chomo Hanashiro e Chotoku
minar o terreno. Pois foi, para sua grande surpresa, que Kyan, o que fez com seus ensinamentos dessem ensejo
Matsumura já estava lá havia bem mais tempo e eis que à criação de vários estilos do caratê modernos, como
já tinha também avaliado o desafiante. Entonces, quando Shotokan, Shorin-ryu, Shito-ryu. O estilo Hohan Soken
iniciou o combate, o oponente fitou os olhos de Matsu- chama para si a qualidade de a forma de caratê mais prómura e disse ter visto os“olhos da morte", quando aquele xima daquela ensinada por Sokon Matsumura.
sucumbiu por terra e desandou a prantear. Matsumura
disse apenas ter pensado em vencer, o que fora suficiente
para demover o adversário.
4.3 Notas
A iniciativa do mestre era a mesma dos Samurais,“aceitação resoluta perante a morte”, segundo as palavras de
Musashi. Suas atitudes conduzem à conclusão de que era
também conhecer da obra de Sun Tzu, A Arte da Guerra.
Matsumura ainda treinou com um artista marcial do sulda
China, chamado de Annan* [Nt 1], que teve alguma complicação em sua embarcação no litoral de Oquinaua. De
qualquer forma, Chinto, por causa da fome, começou a
pilhar e saquear os estabelecimentos comerciais. O rei,
ao saber desse sucedido, enviou Matsumura para capturar
o causador de problemas. Finalmente tiveram um em-
[1] Dependendo da fonte, uns dizem que Annan era um pirata
e outros, um comerciante
4.4 Referências
[1] Matsumura (em português).
[2] Sokon Bushi Matsumura (em inglês).
[3] Sokon “Bushi”Matsumura, Sensei Tanzadeh Shitoryu
Karate Do Cyber Academy (em inglês).
4.5. BIBLIOGRAFIA
[4] Sokon Matsumura (em português).
4.5 Bibliografia
HOKAMA, Tetsuhiro. 100 Masters of Okinawan Karate. Oquinaua: Ozata, 2005.
9
Capítulo 5
Kosaku Matsumora
Kosaku Matsumora (松 茂 良 興 作, Matsumora Kōsaku* ?, 1898) foi um mestre de Okinawa-te, do estilo
Tomari-te, nascido em 1829 e morto em 1898. Foi aluno
dos mestres Karyu Uku e Kishin Teruya, de caratê, estudando ainda esgrima, do estilo Jigen-ryu, e deixou considerável contribuição para o desenvolvimento do caratê
moderno.* [1]
para sempre e o tornaria uma lenda do caratê sucedeu
quando ele contava vinte anos de idade. Um samurai, do
clã Satsuma, abusando de sua posição social, queria fazer impor à força sua vontade sobre um grupo de pessoas: era comum um samurai desgarrado sequestrar e
abusar de moças e crianças. Matsumora tomou a defesa
da turma para si e enfrentou sozinho ao samurai, contra
quem, usando apenas das mãos vazias e das técnicas do
Okinawa-te, obteve vitória, desarmando o oponente e a
atirando a espada num rio. Contudo, Matsumora perdeu
5.1 Biografia
o dedo mínimo no confronto, o que o deixou marcado
como alvo de eventuais e futuras represálias por parte de
Kosaku Matsumora nasce, em 1829, numa família tra- outros samurais, haja vista que um samurai perder sua
dicional de Oquinaua, cuja ancestralidade remontava espada era uma desgraça inimaginável.
por linha indireta a el-Rei Sho Shin, fundador da
Por outro lado, toda a cidade de Tomari saiu em socorro
dinastia. Quando criança, estudou os clássicos chineses e
do mestre, escondendo-o dos funcionários do governo.
Confucionismo na escola de Tomari para jovens de famíMatsumora entrou em reclusão na área de próxima de
*
lias de posição. [2] Sua compleição física era forte, posto
Nago.
que fosse de baixa estatura.
Outro fato se deu certa noite, quando ele e outros praticaComeçou Matsumora estudados sob os auspícios de Giko
vam no mausoléu da família Teruya da família, notaram
Uku durante três. Durante esse tempo, o lecionante enum passante observando seus movimentos. Mestre Matsinava a Matsumora a dar ênfase no desenvolvimento de
sumora aproximou-se dele. O homem, então, pediu desuma base simultânea à mobilidade das pernas e giro de
culpas por perturbar e elogiou as habilidades do mestre,
cintura - Tai sabaki - no fito de bem canalizar a energia
quando o rapaz entregou um pedaço de papel, pero, antes
dos golpes. Foram treinados os katas Naihanchi, Bassai
de o mestre Matsumora terminar de ler, o desconhecido
e Wanshu.
tinha desaparecido.
Logo depois, Matsumora foi estudar com Kishin Teruya
Matsumora mostrou o bilhete ao Mestre Teruya, ao que
com quem treinou os katas Rohai, Wanshu e Wankan.* [3]
ele respondeu: “Exatamente!". Algum tempo depois,
Matsumora treina com afinco e seu esforço é reconhecido
Kosaku Matsumora teve um lampejo de inspiração e,
por mestre Teruya que, impressionado, convidou-o para
num momento, compreendeu o significado mais profundo
continuar seu treinamento no mausoléu de família, onde
da mensagem:* [4]
foram-lhe repassados os significados dos katas e suas aplicações práticas - bunkai. Naquele tempo, não existiam
dojôs ou locais próprios e separados para a prática de artes marciais.* [4] O convite significou enorme honra, por- 5.2 Contribuições
que ainda naquela época o estudo do te somente era praticado por um grupo limitado de pessoas, em sigilo quase
absoluto* [5] e muito tarde da noite. Assim, aquele que O grande mérito do mestre Kosaku Matsumora, além da
fosse visto praticando as técnicas poderia ser punido com grande contribuição com as técnicas de luta, é a defesa intransigente da justiça, dos bons costumes. Figurou como
a morte.* [2]
opositor ao governo Meiji. E seus atos lhe calharam a
Além do te, Matsumora era também mestre de kobudo, alcunha de “Punho Santo”.* [4] Também desenvolveu
sendo perito nas artes com bastão, Bo-jutsu e Jo-jutsu. E uma versão particular do kata Chinto e transmitiu o Basestudou o estilo de esgrima do clã Satsuma, Jigen-ryu.
sai.* [6]* [7] Teve como alunos Chotoku Kyan e Maeda
Um evento na vida de Matsumora que o deixaria marcado Pechin.* [3]
10
5.3. REFERÊNCIAS
11
5.3 Referências
[1] Kosaku Matsumora (em inglês).
16.dez.2010.
Visitado em
[2] MSISSHINRYU.COM Masters: Matsumora Kosaku (em
inglês). Visitado em 16.dez.2010.
[3] wanshu (em francês). Visitado em 16.dez.2010.
[4] IKKA (INDONESIAN KOBUDO KARATE ASSOCIATION): Sensei Kosaku Matsumora Style - Shorin-Ryu
(Tomari-te) (em inglês). Visitado em 16.dez.2010.
[5] Karatedo. Visitado em 16.dez.2010.
[6] Isshinryu Karate (em inglês). Visitado em 16.dez.2010.
[7] O KATA « Academias Karate Wado.
16.dez.2010.
Visitado em
Capítulo 6
Gichin Funakoshi
Gishin Funakoshi (船越義珍, Funakoshi Gishin* ?) foi
um mestre de Okinawa-te, nascido em Oquinaua no ano
de 1868. Foi o principal divulgador da arte marcial
pelo arquipélago japonês. Deixou como legado, além do
caratê mundialmente conhecido, dois estilos, Shotokan
e Shotokai. Seu falecimento deu-se em 1957, evento
depois do qual, apesar dos grandes esforços despendidos, marcou ainda mais a fragmentação de sua arte marcial.* [1]
6.1 Biografia
6.1.1
Primeiros anos
vens, outro reconhecido mestre de caratê, Anko Itosu,
amigo de Asato, aparecia e os observava treinando os
kata, quando aproveitava para fazercomentários sobre
suas técnicas. Era uma rotina dura que terminava sempre de madrugada sob a disciplina rígida de mestre Asato,
do qual o melhor elogio se limitava a uma única palavra:
“Bom!". Após os treinos, já quase ao amanhecer, Asato
falava sobre a essência do caratê.* [2]
Após vários anos, os treinos dedicados deram grande contribuição para a saúde de Funakoshi, que fora uma criança muito frágil e doentia. Ele gostava muito da rotina
de treinamento, mas como não pensava que pudesse fazer
dele uma profissão, inscreveu-se e foi aceito como professor de uma escola primária em 1888, aos 21 anos, aproveitando toda a cultura adquirida desde a infância quando
seus avós lhe ensinavam os Clássicos Chineses. Esta deveria ser sua carreira a partir de então.
Gichin Funakoshi nasceu no atual distrito de Shuri, da
província de Oquinaua, em 1868, o mesmo ano da
Restauração Meiji, quando o Reino de Ryukyu foi finalmente incorporado ao Império nipónico. Contra a ma- 6.1.2
nobra japonesa insurgiu-se formalmente a China, mas o
processo se consolidou.
Naquele conturbado ambiente político, crescia Funakoshi, que era filho único e logo após seu nascimento foi
levado para a casa dos avós maternos, onde foi educado
e aprendeu poesia clássica chinesa. Algum tempo depois
ele começou a frequentar a escola primária, onde conheceu outro garoto de quem ficou muito amigo. Esse garoto
era filho de Yasutsune Asato, um dois maiores especialistas de Oquinaua na arte do caratê (à época ainda conhecido por tode ou Okinawa-te) e membro de uma das mais
respeitadas famílias. Logo, Funakoshi começou a tomar
suas primeiras lições.
Como na época ainda, a prática de artes marciais do vetusto reino não eram muito bem vistas na região, os treinos eram realizados à noite, no quintal da casa de mestre Asato, onde se aprendia a socar, chutar e mover-se
conforme os métodos praticados naqueles dias. O treinamento era muito rigoroso. O Mestre Asato tinha uma filosofia de treinamento que se chamava hito kata san nen, ou
seja, «um kata em três anos». Funakoshi estudava cada
kata a fundo e, só então quando autorizado pelo seu mestre, seguia para o próximo...
Primeiras divulgações abertas do caratê
Em 1902, durante a visita de Shintaro Ogawa, que era então inspetor escolar da prefeitura de Kagoshima, à escola
de Funakoshi em Oquinaua, foi feita uma demonstração
de te. Funakoshi impressionou bastante devido ao seu
status de educador, ficando Ogawa tão entusiasmado que
súbito escreveu um relatório ao Ministério da Educação
elogiando as virtudes da arte. Foi então que o treinamento
de caratê passou a ser oficialmente autorizado nas escolas.
Até então a arte marcial só era praticado atrás de portas
fechadas, o que no entanto não significava que fosse um
“segredo”, porém havia certos mestres que procuravam
manter seu conhecimento velado e dentro principalmentes de suas famílias e/ou dentro de um seleto e miúdo
grupo.
Ou seja, posto que não fosse um segredo a existência do
caratê, mestres existiam que relutavam em ensinar ao público em geral e outros que procuravam impedir que outros mestres o fizessem. Por outro lado, as casas eram
tipicamente muito próximas umas das outras, e tudo que
era feito numa casa era conhecido pelas casas adjacentes.
Enquanto praticava no quintal de Asato com outros jo- Enquanto muitos autores pregam o caratê como sendo um
12
6.1. BIOGRAFIA
13
segredo àquela época, não era exatamente isso o que se Kano, o criador do judô e presidente do Instituto Kodoencontrava na prática. O caratê era “oficiosamente”se- kan, de quem se tornaria muito amigo. Funakoshi resolcreto...
veu ficar mais alguns dias para fazer demonstrações de
Contra os pedidos de muitos dos mestres mais antigo, que suas técnicas no próprio Kodokan.
não eram a favor da divulgação da arte, Funakoshi, com
o apoio de outros renomados mestres, como Kenwa Mabuni, Hironori Otsuka, Takeshi Shimoda, Choki Motobu
e outros, levou a disciplina até o sistema público de ensino, mas principalmente com a ajuda de seu mestre Itosu.
Logo, as crianças de Oquinaua estavam aprendendo os
kata como parte das aulas de educação física. E, nesse
meio-tempo, a redescoberta da herança étnica em Oquinaua entrou em voga, e as aulas de caratê passaram ser
bastante apreciadas.
Algum tempo depois, quando se preparava novamente
para retornar à sua casa, foi visitado pelo pintor Hoan
Kosugi, que já tinha assistido a uma demonstração de caratê em Oquinaua, pedindo-lhe que ensinasse a arte. Mais
uma vez sua volta foi adiada.
Funakoshi percebeu então que se ele quisesse ver o caratê
propagado por todo o Japão ele mesmo teria que fazê-lo.
Por isso resolveu ficar em Tokyo até que sua missão fosse
cumprida.
Alguns anos depois, o Almirante Rokuro Yashiro assistiu
a uma demonstração de kata. Essa demonstração foi feita
por Funakoshi junto com uma equipe composta por seus
melhores alunos. Enquanto ele narrava, os outros executavam kata, quebravam telhas, e geralmente chegavam
ao limite de seus pequenos corpos. Yashiro ficou tão impressionado que ordenou a seus homens que iniciassem o
aprendizado na arte.
No Japão, Funakoshi foi ajudado por Jigoro Kano, o homem que reuniu vários estilos diferentes de Jujutsu para
fundar o Judo. Kano tornou-se amigo íntimo de Funakoshi, e sem sua ajuda nunca teria havido caratê no Japão. Kano o introduziu às pessoas certas, levou-o às festas certas, caminhou com ele através dos círculos da elite
japonesa. Mais tarde naquele ano, as classes mais altas
dos japoneses se convenceram do valor do treinamento
do caratê.
Funakoshi sempre enfatizava o desenvolvimento do caráter e a disciplina nas suas narrações durante essas demonstrações. Quando participava das exibições, gostava
de executar o kata kanku dai, o maior de seu estilo, e talvez o mais representativo.
Funakoshi fundou um dojô de caratê num dormitório para
estudantes de Oquinaua, em Meisei Juku. Ele trabalhou
como jardineiro, zelador e faxineiro para poder se alimentar enquanto ensinava caratê à noite.
Em 1912, a Primeira Esquadra Imperial da Marinha ancorou na Baía de Chujo, sob o comando do Almirante
Dewa, que selecionou doze homens da sua tripulação para
estudarem caratê durante uma semana.
Foi graças a esses dois oficiais da Marinha que o caratê
começou a ser comentado em Tóquio. Os japoneses que
viam essas demonstrações levavam as estórias consigo
quando voltavam ao Japão. Pela primeira vez na sua história, o Japão acharia algo na sua pequena possessão de
Oquinaua além de praias bonitas e o ar puro.
6.1.3
Divulgação do caratê no Japão
Em 1921, o então Príncipe Herdeiro Hirohito, em viagem
para Europa, fez escala na terra do caratê e assistiu a uma
demonstração, liderada por Funakoshi, ficando muito impressionado. Por causa disso, no fim desse mesmo ano,
Funakoshi foi convidado para fazer uma outras demonstração mas em Tóquio, numa Exibição Atlética Nacional.
O convite foi de pronto aceito, acreditando ser esta uma
ótima oportunidade para divulgar sua arte.
A nova demonstração de kata foi um sucesso, o que culminou com o aparecimentos de muitos outros convites de
demonstração e ensino regular do caratê. Funakoshi pretendia retornar logo para sua terra, mas no decorrer dos
acontecimentos foi ficando na ilha principal do Japão.
Uma das pessoas que pediu para que ele ficasse foi Jigoro
Em 1922, a pedido do pintor Hoan Kosugi, Funakoshi
publicou seu primeiro livro, Ryukyu kenpo karate, um tratado nos propósitos e prática do Karate. Na introdução
daquele livro ele já dizia que "...a pena e a espada são inseparáveis como duas rodas de uma carroça”. O grande
terremoto de Kanto em 1º de setembro de 1923 destruiu
as placas de seu livro, e levou alguns de seus alunos com
ele. Ninguém morreu com o tremor, os incêndios que
provocaram as mortes. O terremoto ocorreu durante a
hora do almoço, no momento em que cada fogão a gás no
Japão estava ligado. Os incêndios que ocorreram a seguir
eram monstruosos, e maioria da vidas perdidas se deveu
ao fogo. Este livro teve grande popularidade e foi revisado e reeditado quatro anos após o seu lançamento, com
o título alterado para Rentan goshin karate jutsu'.* [3]
Em 1925, Funakoshi começou a pegar alunos dos vários
colégios e universidades na área Metropolitana de Tóquio
e nos anos seguintes esses alunos começaram a fundar
seus próprios clubes e a ensinar caratê a estudantes destas escolas. Como resultado, o caratê começou a se espalhar desde o centro do império. No início da década de
1930, já havia clubes de caratê em cada universidade de
prestígio de Tóquio. Mas por que estava Funakoshi conseguindo tantos jovens interessados em caratê desta vez?
O Japão estava fazendo uma Guerra de Colonização na
Bacia do Pacífico. Eles invadiram e conquistaram a Coréia, Manchúria, China, Vietnã, Polinésia, e outras áreas.
Jovens a ponto de irem para a guerra vinham a Funakoshi
para aprender a lutar, assim eles poderiam sobreviver ao
recrutamento nas Forças Armadas Japonesas. O seu nú-
14
CAPÍTULO 6. GICHIN FUNAKOSHI
mero de alunos aumentou bastante.
katas. Ele estava certo, e seus número cresceram mais
Por volta de 1933, Funakoshi desenvolveu exercícios bá- ainda.
sicos para prática das técnicas em duplas. Tanto o ataque Funakoshi tinha 71 anos em 1939, e foi quando ele deu
de cinco passos (Gohon Kumite) como o de um (Ippon o primeiro passo dentro de um dojô de caratê em 29 de
Kumite) foram usados. Em 1934, um método de praticar janeiro. O prédio foi feito de doações particulares, e uma
esses ataques e defesas com colegas de um modo leve- placa foi pendurada sobre a entrada e dizia:“Shotokan”.
mente mais irrestrito, semi-livre (Ju Ippon Kumite), foi “Sho”significa pinheiro. “To”significa ondas ou o som
adicionado ao treinamento. Finalmente, em 1935, um es- que as árvores fazem quando o vento bate nelas. “Kan”
tudo de métodos de luta livre (Ju Kumite) com oponentes significa edificação ou salão. “Shoto”era o pseudônimo
finalmente tinha começado. Até então, todo carate trei- que Funakoshi usava para assinar suas caligrafias quando
nado em Oquinaua era composto basicamente de kata. jovem, pois quando ele ia escrevê-las se recolhia em um
Isso era tudo. Agora, os alunos poderiam experimentar lugar mais afastado, onde pudesse buscar inspiração, ouas técnicas dos kata uns com os outros sem causar danos vindo apenas o barulho do pinheiros ondulando ao vento.
sérios.
Esse nome dado ao Shotokan Karate Dojo foi uma homenagem
de seus alunos.
Neste mesmo ano de 1935, foi publicado seu próximo
livro, Karate-do kyohan. Este livro trata basicamente dos
kata.
6.1.4
Uma reforma no caratê
Funakoshi era Taoísta, e ele ensinava Clássicos Chineses,
como o Tao Te Ching de Lao Tzu, enquanto ele estava vivendo em Oquinaua. Era profundamente religioso e tinha
muito receio de que o caratê se tornasse um instrumento
de destruição, e provavelmente queria eliminar do treinamento algumas aplicações mortais dos kata. Então, ele
parou de fazer essas aplicações. Ele também começou a
desenvolver estilos de luta que fossem menos perigosos.
Funakoshi teve sucesso ao remover do caratê técnicas de
quebras de juntas, de ossos, dedos nos olhos, chaves de
cotovelo, esmagamento de testículos, criando um novo
mundo de desafios e luta em equipe onde somente umas
poucas técnicas seriam legais. Ele fez isso baseado nos
seus propósitos e com total conhecimento dos resultados.
6.1.5 As Guerras
Com a eminência de uma guerra pairando no ar, a necessidade de treinamento nas artes militares estava em
crescimento. Jovens estavam se amontoando nos dojôs,
vindos de todas as partes do Japão. O carate foi de carona nessa onda de militarismo e estava desfrutando de
uma aceitação acelerada como resultado. O nacionalismo
exacerbado fazia com que muitos quisessem mostrar que
o Japão tinha uma modalidade de boxe mais simples, natural e eficiente que o boxe chinês.
Enquanto já se desenrolava a Segunda Guerra SinoJaponesa, em 7 de dezembro de 1941, o Japão despeja
um bombardeio sobre as forças navais americanas em
Pearl Harbor, numa tentativa de prevenir que as embarcações americanas bloqueassem a importação japonesa
de matéria-prima; os japoneses tentaram remover a frota
americana e varrer a influência ocidental do próprio Oceano Pacífico. O plano era bombardear os navios de guerra
e os porta-aviões que estavam no território do Hawaii.
Isto deixaria a força da América no Pacífico tão fraca que
a nação iria pedir a paz para prevenir a invasão do Havaí
e do Alasca. Infelizmente, o pequeno Japão não tinha os
recursos, força humana, ou a capacidade industrial dos
Estados Unidos. Com uma mão nas costas, os americanos destruíram completamente os japoneses na Ásia e no
Pacífico.
A partir de 1936, Funakoshi passou a usar mais ostensivamente a mudança (empregada por Anko Itosu) dos caracteres kanji utilizados para escrever a palavra caratê: os
kanji « 唐 » e « 空 » possuem sons assemelhados, ou «to»,
porém o último também pode ser dito «kara»; enquanto
o primeiro significava «China», com o outro essa relação
ficou mais distante, passando a ser entendido como seu
sentido primário, ou «vazio»; de “mãos chinesas”o karate passou a significar “mãos vazias”, e como os dois
caracteres são lidos exatamente do mesmo jeito, então a Uma das vítimas dos ataques aéreos foi o Shotokan Karate
pronúncia da palavra continuou a mesma.
Dojo que havia sido construído em 1939. Com a AméAlém disso, Funakoshi defendia que o termo “mãos va- rica exercendo pressão sobre Oquinaua, a esposa de Fuzias”seria o mais apropriado, pois representa não só o nakoshi finalmente iria deixar a ilha e juntar-se a ele em
fato de o caratê ser um método de defesa sem armas, Kyushu no Sul do Japão. Eles ficaram lá até 1947.
mas também representa o espírito do caratê, que é esvaziar o corpo de todos os desejos e vaidades terrenos.
Com essa mudança, Funakoshi iniciou um trabalho de
revisão e simplificação, que também passou pelos nomes
dos kata, pois ele também acreditava que os japoneses
não dariam muita atenção por qualquer coisa que tivesse
a ver com o dialeto de Oquinaua. Por isso ele resolveu
mudar não só nome da arte mas também os nomes dos
Os americanos destruíram tudo que estava em seu caminho. As ilhas foram bombardeadas do ar, todas as cidades queimadas até o fim, as colinas crivadas de balas pelos
cruzadores de guerra de longe da costa, e então as tropas
varreram através da ilha, cercando todo mundo que estivesse vivo. A era dourada do caratê em Oquinaua tinha
acabado. Todas as artes militares haviam sido banidas
rapidamente pelas forças americanas.
6.2. CONTRIBUIÇÕES
Primeiro uma, depois outra bomba atômica explodiram
sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki. Três dias depois, bombardeiros americanos sobrevoaram Tóquio em
tal quantidade que chegaram a cobrir o Sol: a cidade
foi bombardeada com dispositivos incendiários. Descobrindo que o governo do Japão estava a ponto de cometer
um suicídio virtual sobre a imagem do Imperador, cartas secretas foram passadas para os japoneses garantindo
sua segurança se eles assinassem sua “rendição incondicional”. O Japão estava acabado, a Guerra do Pacífico também, mas o pesadelo de Funakoshi ainda havia
de acabar.
6.1.6
A morte de Yoshitaka
15
ele treinou seus jovens amigos e conheceu suas famílias
apenas para vê-los irem lutar e serem mortos pelas forças
invencíveis dos Estados Unidos. Ele viu o Japão queimar,
ele viu os antigos templos e santuários serem totalmente
aniquilados, ele viu bombardeiros enegrecerem o Sol, e
ele viu como um pilar de fumaça negra subia de cada cidade no Japão e envenenava o ar que ele respirava. Ele
viu o Japão cair da glória para uma nação miserável, dependendo de suprimentos de comida e roupas dos seus
conquistadores. O cheiro da fumaça e o cheiro dos mortos, os berros daqueles que foram deixados para morrer
lentamente, o choro das mães que perderam seus filhos e
esposas que nunca mais iriam ver seus maridos, o medo, o
ruído ensurdecedor dos B-29's voando sobre sua cabeça
aos milhares, os clarões como os de trovões por todo o
país quando as bombas explodiam em áreas residenciais,
os flashes de luz na escuridão, a espera no rádio para poder ouvir a voz do Imperador pela primeira vez, somente
para anunciar a rendição, a humilhação de implorar comida aos soldados. Intermináveis funerais, famílias arruinadas e lares destruídos...
Foi então que Gigo, também conhecido como Yoshitaka, dependendo como se pronuncia os caracteres de seu
nome, filho de Funakoshi, um jovem e promissor mestre
de caratê no seu próprio direito, aquele que Funakoshi estava contando para substituí-lo como instrutor do Shotokan, pegou tuberculose em 1945 e veio a falecer enquanto
A lição mais importante que ele nos ensinou está expressa
teimosamente recusa-se a comer a ração americana dada
na história do modo que ele passou pelo dojô principal de
*
ao povo faminto. [3]
Jigoro Kano. Caminhando pela rua, ele parou e fez uma
Funakoshi e sua esposa tentaram viver em Kyushu, uma pequena prece quando passou pelo Kodokan. E, se esárea predominantemente rural, sob a ocupação ameri- tivesse dirigindo um carro, ele tiraria seu chapéu quando
cana no Japão mas, em 1947, ela morre, deixando Fu- passasse pelo Kodokan. Seus alunos não entenderam pornakoshi retornar a Tóqui, para reencontrar seus alunos que ele estaria rezando pelo sucesso do Judo. Ele explide caratê que ainda viviam. Depois que a guerra havia cou: “Eu não estou rezando pelo Judo. Eu estou ofereacabado, as artes militares haviam sido completamente cendo uma prece em respeito ao espírito de Jigoro Kano.
banidas. Entretanto, alguns dos alunos de Funakoshi ti- Sem ele, eu não estaria aqui hoje”.
veram sucesso em convencer as autoridades que o caratê
Gichin Funakoshi, o“Pai do Caratê Moderno”, faleceu
era um esporte inofensivo. As autoridades americanas
no dia 26 de abril de 1957. No seu túmulo está gravada
concederam, mais por causa que naquela época eles não
sua célebre frase: Karate ni sente nashi. O monumento
tinham idéia do que caratê fosse. Além disso, alguns hoestá localizado no Templo Engakuji na cidade de Kamamens estavam interessados em aprender as artes militares
kura, Japão.
secretas do Japão, então as proibições foram eliminadas
completamente em 1948.
Em maio de 1949, os alunos de Funakoshi movem-se
para organizar todos os clubes de caratê universitários e
privados numa simples organização, e eles a chamaram
de Nihon Karate Kyokai (Associação japonesa de caratê).
Eles nomearam Funakoshi seu instrutor chefe. Em 1955,
um dos alunos de Funakoshi consegue arranjar um dojô
para a entidade.
6.1.7
Uma lição para o mundo
Em 1957, Funakoshi tinha 89 anos de idade. Ele foi um
professor de escola primária e um professor de caratê.
Ele se mudou para o Japão em 1922 (o que não é um pequeno ato de coragem) e trouxe consigo o caratê, dando
ao Japão algo de Oquinaua com seu próprio jeito pacifista. No processo, ele perdeu um filho, sua esposa, o
prédio que seus alunos fizeram para ele, seu lar, e qualquer esperança de uma vida pacífica. Ele suportou duas
grandes guerras que resultou em calamidade nacional, e
6.2 Contribuições
O mestre Funakoshi acreditava que o caratê seria uma
arte marcial única, cuja linhagem poderia ser restreada
conforme sua evolução ocorreu. Assim, ele enxergava as
variações de estilo como variações da forma de ensinar
a arte marcial. Este era um pensamento que era comungado por outros mestres, que relutavam em reconhecer
um estilo próprio, como o mestre Kenwa Mabuni.
Ele planeou o seu sistema da caratê para refletir suas
ideias, isto é, o caratê deveria formar o praticante de
forma completa, como atleta, como pessoa e como cidadão. Por consguinte, ao nome do caratê foi adicionada
a partícula ̶dô ̶, significando caminho.
Funakoshi travou intensa troca de conhecimentos com
vários mestres (de várias escolas, estilos e artes marciais),
com os quais buscou reunir-se. Da amizade com Jigoro
Kano resultou a ampla divulgação do tode por todo o Ja-
16
CAPÍTULO 6. GICHIN FUNAKOSHI
pão. Com Funakoshi, e no fito de difundir sua arte mar- 6.5 Bibliografia
cial, consolidou-se a alteração do nome de tode/okinawate para karate/karatedo, que ajudou a romper limites e COOK, Harry. Shotokan karate, a precise history (em
superar preconceitos.
inglês).
FUNAKOSHI, Gichin. Karate-Do Kyohan: the master text (trad. Tsutomu Ohshima) (em inglês). Kodansha
International, 1973. ISBN 0-87011-190-6.
_________. Karate-Do, my way of life (em inglês).
Kodansha International, 1981. ISBN 0-87011-463-8.
_________. Karate-Do Nyumon: the master introductory text (trad. John Teramoto) (em inglês). Kodansha
International, 1994. ISBN 4-7700-1891-6.
_________. Karate Jutsu: the original teachings of
master Funakoshi (trad. John Teramoto) (em inglês).
Kodansha International, 2001. ISBN 4-7700-2681-1.
_________. The twenty guiding principles of karate: the spiritual legacy of the master (trad. John Teramoto)(em inglês). Kodansha International, 2004. ISBN
4-7700-2796-6.
LAYTON, Clive. The life and times of Misusuke Harada. Bushido Publications, 1997. ISBN 1 871457 01 7
/ISBN 1 814157 02 5.
Mestre Funakoshi executando o kata Kanku-dai
O mestre também alterou os nomes tradicionais (em chinês ou oquinauense) de vários katas, para nomes japoneses. Dessarte, Kushanku tornou-se Kanku; Wanshu,
Enpi; Rohai, Meikyo... Os kihons também passaram a
ter nomes padronizados em japonês.
6.3 Notas
*
[a] ^ O patronímico tradicional da família de
Gishin Funakoshi era «Tominakoshi».
6.4 Referências
[1] Biografia de Gichin Funakoshi. Visitado em 16.dez.2010.
[2] BUDOKAN Shinbun: Gichin Funakoshi. Visitado em
25.set.2011.
[3] Karate-Do - Sensei Yoshitaka/Gigo Funakoshi. Visitado
em 25.set.2011.
Capítulo 7
Anko Asato
Anko Asato (安⾥安恒, Asato Yasutsune/Ankō* ?) foi
um mestre da caratê, nascido em 1827 e falecido em
1906, natural de Oquinaua. Por direito hereditário, era o
senhor da vila de Asato, sendo da classe Tonochi* [1], foi
conselheiro dos últimos reis de Ryukyu e primeiro mestre
de Gichin Funakoshi.* [2]* [3]
O mestre fazia parte do pequeno círculo que formatou
as bases do caratê moderno, grupo este que contava com
Sokon Matsumura e Anko Itosu. Ele considerava que o
caratê deve ser adaptável e dava maior relevo às técnicas
de esquiva e movimentação ̶Tai sabaki ̶, pois as defesas com mão e pés perante um espada são de pouca ou
nenhuma eficácia, dizendo que um carateca deve saber
bloquear e desviar, conforme a situação que se lhe apresente, e que a estratégia vem sempre antes da ação, como
Sun Tzu escreveu em A Arte da Guerra, do qual citava o
asserto: “conhece-te a ti mesmo e a teu inimigo”.* [4]
nicas de engodo, cujo mote era desviar a atenção do adversário, para abrir sua guarda e aplicar um golpe definitivo. Dizia ele: “se queres chutar, primeiro acena com
as mãos”* [6]
7.1 Notas
*
[a] ^ Yorin Kanna era um mestre da escola
Jigen-ryu, de Satsuma.
7.2 Referências
Também considerava que o caratê é uma arte marcial
mortal, sendo assim um carateca tem por obrigação ser
prudente, pelo que dizia:“as mãos e pés de qualquer um
bem treinado em caratê são como espadas: podem matar
com um simples toque”.
[1] Azato, Anko | Traditional Based - World Wide Dojo (em
inglês). Visitado em 16.dez.2010.
[2] Karate, Okinawan (Martial Arts) (em inglês). Visitado em
05.12.2010.
[3] History (em inglês). Visitado em 05.dez.2010.
[4] Katana Karate » History (em inglês).
05.dez.2010.
Visitado em
No escopo de demonstrar a congruência de seu ponto
de vista, Asato desafiou o mestre espadachim Yorin [5] Bushi Matsumura (em inglês). Visitado em 05.dez.2010.
Kanna* [a] para um duelo. Dizem que Asato, apenas [6] School «Pines and Waves» (em inglês). Visitado em
com as técnicas de esquiva, conseguiu subjugar ao mes05.dez.2010.
tre Kanna, não uma mas várias vezes. Sabe-se que treinou
esgrima do estilo Jigen-ryu.* [5]
CLAYTON, Bruce. Shotokan's secret: the hidden truth
Quando em 1879, o Japão anexou Oquinaua e forçou Sho behind karate's fighting origins (em inglês). Sports and
Tai a abdicar do trono, removendo-o até Tóquio, onde Recreation, 2004.
se fixou e recebeu um título da alta norbreza japonesa, GREEN, Thomas. Martial arts of the world: an encymuitos dos nobres de Oquinaua seguiram seu rei e se fo- clopedia (em inglês).
ram viver no exílio, um daqueles nobres era Anko Asato.
Consequência disso foi que o mestre parece não ter mais
feito grandes contribuições para o caratê. Outra possibilidade para sua “invisibiliade”pode ter residido no
fato de ser considerado um dos nobres que se mostraram
simpáticos à causa japonesa, razão pela qual se tenha ido
viver no exílio, haja vista não mais encontrar ambiente
favorável em Oquinaua.* [* carece de fontes?]
O mestre parece não ter deixado muito a legar, mas há
notícia de que tenha praticado e influído nas formas dos
katas Kushanku e Bassai e que tenha desenvolvido téc-
17
Capítulo 8
Kenwa Mabuni
Kenwa Mabuni (摩⽂仁賢和, Mabuni Kenwa* ?) foi
um mestre de caratê e criou o estilo Shito-ryu, o qual tinha
por escopo unificar os ensinamentos da arte marcial tal
e qual ele tinha aprendido de seus mestres, manter não
apenas as formas mas o espírito do arte marcial.* [1]* [2]
Assim, desde 1909 até meados de 1910 quando ingressou
no serviço militar, servindo na guarnição de Kumamoto,
e após a conclusão de seu alistamento, dois anos mais
tarde, Kenwa Mabuni pode treinar simultaneamente com
Anko Itosu e Kanryo Higaonna, que eram os dois mais
proeminentes mestres de caratê da ilha de Oquinaua desta
época.
8.1 Biografia
Em 1912, Kenwa Mabuni concluiu o serviço militar, altura em que, a conselho de Chojun Miyagi, ingressou na
escola de polícia de Oquinaua. Dois anos depois, aos 25
Kenwa Mabuni nasceu em 14 de Novembro de 1889, na
anos, tornou-se inspetor de polícia, cargo que ocupou por
cidade de Shuri, capital da ilha de Oquinaua na época.
aproximadamente dez anos.
Era o segundo filho de uma antiga família de oficiais dos
reis de Ryukyu, denominada Shikozu (descendentes de Seu ofício lhe facilitava o deslocamento por toda a
Samurai), membros de sua família serviram a senhores Ryukyu, dando-lhe a oportunidade de visitar diferentes
partes do arquipélago. Durante estas viagens teve a oporde Ryukyu durante centenas de anos.* [3]* [4]
tunidade de conhecer e treinar muitos estilos, inclusive
Kenwa Mabuni teve seu primeiro contato com o Toudi
com mestres locais pouco conhecidos, por este motivo
(antigo nome do Karate-do) por volta dos dez anos de
teve a oportunidade de resgatar numerosos Kata e técniidade, através de um ajudante de seu pai que trabalhava
cas.
em sua casa chamado Zeihaku Matayoshi, com quem
aprendeu o kata Naifanchi (Naihanchi Shodan). Porém, O ano de 1915 foi muito triste para Kenwa Mabuni,
foi a saúde precária de Kenwa Mabuni que levou seu pai pois faleceram primeiro Kanryo Higaonna e depois Anko
a procurar nas artes marciais um meio para fortalecer seu Itosu, com uma diferença inferior a um ano um do outro.
corpo.
Após a morte de seus mestres, Kenwa Mabuni conheceu e
Kenwa Mabuni foi apresentado por um dos amigos de
seu pai ao célebre mestre de Shuri-te, Anko Itosu (18301915), que contava com mais de setenta anos na época e
era um dos artistas marciais mais famosos da cidade de
Shuri. Foi assim que aos 13 anos de idade Kenwa Mabuni
começou a praticar as técnicas do Shuri-te, convertendose em discípulo de Anko Itosu a quem se manteve fiel até
a morte do mestre, aos 85 anos.
passou a treinar com Seisho Aragaki (1840-1918) que vivia em Kumemura, e ensinava um estilo similar ao Nahate. Seisho Aragaki também era um reconhecido mestre
de Kobujutsu (arte marcial antiga).
Em 1909, incentivado por Chojun Miyagi, que era um de
seus melhores amigos, e apoiado por seu mestre, Anko
Itosu, a expandir seu conhecimento marcial, Kenwa Mabuni começou a aprender o Naha-te. Foi por recomendação de Chojun Miyagi que Kenwa Mabuni pode aprender
diretamente com Kanryo Higaonna (1853-1915), que vivia em Naha e era o maior expoente deste estilo.
quisa do Tode de Oquinaua). Esta associação era formada pelos mestres mais importantes da ilha de Oquinaua
na época: Choshin Chibana, Gichin Funakoshi, Chotoku
Kyan, Choki Motobu, entre outros.
Kenwa Mabuni tinha apenas 26 anos na época em que
perdeu seus dois mestres e julgava-se ainda muito jovem
para prosseguir seu próprio caminho. Então, juntamente
com Chojun Miyagi, apenas um ano mais velho, decidiu
Aos vinte anos, Kenwa Mabuni começou a trabalhar estabelecer um grupo de pesquisa para o estudo e prática
como professor suplente na escola primária de Naha. Foi do To-de.
nesta escola que conheceu e travou grande amizade com Em 1918, Kenwa Mabuni colocou sua casa a disposiChojun Miyagi (1888-1953), que mais tarde viria a fun- ção para as reuniões do grupo de estudo que foi nomedar o estilo de Karate-do Goju-ryu.
ado "Ryukyu To-de Kenkyu-kai" (Associação para pes-
Não levou muito tempo para Kenwa Mabuni transformarse em um respeitado instrutor de Shuri-te e Naha-te. Em
18
8.5. VER TAMBÉM
19
1918, já havia se tornado uma personalidade importante
dentro das artes marciais.
Por volta de 1924, Kenwa Mabuni conheceu Wu Xianhui
(1887-1940), um mestre chinês, comerciante de chá, que
vivia em Oquinaua, cujo nome era pronunciado "Gogenki" no dialeto de local, que ensinava "Bai-he Quan"
(punhos da garça branca), proveniente da província de
Fujian na China. Os ensinamentos deste mestre tiveram
grandes influências no estilo criado por Kenwa Mabuni,
que aprendeu com ele os Kata: Nipaipo, Haffa (Hakucho)
e Paipuren (Happoren), formas que são até hoje ensinados no Shito-ryu.
Em 1927, Kenwa Mabuni e Chojun Miyagi tiveram a
oportunidade de demonstrar e explicar as técnicas e a
filosofia do To-de para Jigoro Kano, fundador do Judo.
Kenwa Mabuni demonstrou o estilo Shuri-te e Chojun
Miyagi demonstrou o estilo Naha-te. Jigoro Kano ficou
encantado com a demonstração e comentou sobre a possibilidade da propagação desta arte marcial por todo o
Japão.
Inspirado pelas palavras de Jigoro Kano, Kenwa Mabuni
decidiu mudar-se para o Japão. Então, no início da Era
Showa, em 1929, aos quarenta anos, Mabuni mudou-se
com sua família para o Japão, estabelecendo-se em Osaka
com o objetivo iniciar a propagação do To-de naquela
parte do país.
Kenwa Mabuni faleceu no dia 23 de maio de 1952, aos 62
anos de idade, vitima de ataque cardíaco. A importância
de Kenwa Mabuni era tal que sua morte foi anunciada por
todo o Japão através do rádio. Em seu sepultamento, no
cemitério de Hattori em Osaka, compareceram mais de
três mil praticantes de caratê.* [5]
8.2 Citações
8.3 Referências
[1] Shito-Ryu History (em inglês). Visitado em 24.set.2011.
[2] Página oficial de Shito-kai (em inglês).
24.set.2011.
Visitado em
[3] The History of Shito Ryu (em inglês).
24.set.2011.
Visitado em
[4] Kenzo Mabuni Soke (em inglês).
24.set.2011.
Visitado em
[5] Tokio Hisatomi (em inglês). Visitado em 24.set.2011.
8.4 Ligações externas
• Hong Kong Shito-ryu Karate-do Association (em
inglês)
• All Japan Karate-Do Federation Shito-Kai (em
inglês)
• (em inglês)
• Shito-ryu Machado-kai (em espanhol)
• Shito-ryu Venezuela Karate-do Kai (em espanhol)
• Real Federación española de Karate (em espanhol)
• Página oficial de Shito-kai México (em espanhol)
• Shito-kai Ippuukan Zacatecas (em espanhol)
• Página oficial de Ishimi Shito-kai (em espanhol)
• Mabuni Shito-ryu Karate-do (em espanhol)
• Blog oficial da Associação Shinsei-kai Shito-ryu
Karate-do (em português)
• Página oficial da Associação Shinsei-kai Shito-ryu
Karate-do (em português)
• Aguiar Sports (em português)
• Associação Shito-kai do Brasil (em português)
8.5 Ver também
• AKP
• Karatê
Capítulo 9
Karyu Uku
Karyu Uku (浮く焼畑 ou うくかいりゅou 宇久嘉隆,
Uku Karyū* ?) foi um mestre de Okinawa-te, do estilo
Tomari-te. Teve como colaborador a Kishin Teruya e,
aluno, a Kosaku Matsumora.* [1] Também era conhecido
por Giko Uku.* [2] Viveu entre 1800 e 1850.* [3] Como
legado, deixou o kata Naihanchi.
9.1 Referências
[1] Tomari-te - Le Tomari-te, littéralement « Main de... Encyclopédie par Wikipédia - Voila (em francês). Visitado em 19.dez.2010.
[2] Kōsaku Matsumora : Reference (The Full Wiki) (em
inglês). Visitado em 19.dez.2010..
[3] Biographie of UKO GIKO (em inglês). Visitado em
19.dez.2010..
20
Capítulo 10
Kishin Teruya
Kishin Teruya (照屋岸, Teruya Kishin* ?) foi um mestre
de Okinawa-te, do estilo Tomari-te de Oquinaua. Viveu
entre 1804 e 1864, em Tomari.* [1] Foi aluno do mestre
chinês de chuan fa Annan, muito embora não se saiba certamente de quem tenha aprendido as primeiras técnicas.
Teve como alunos os, também mestres, Kosaku Matsumora e Kokan Oyadomari.* [2] Suas contribuições mais
notáveis residem nas formas dos katas Passai, Rohai, e
Wanshu.* [3]
10.1 Referências
[1] MSISSHINRYU.COM | TOMARI-TE: THE PLACE OF
THE OLD TODE (em inglês). Visitado em 19.dez.2010.
[2] What is Karate? (em inglês). Visitado em 19.dez.2010.
[3] Kokan Oyadomari (em alemão).
19.dez.2010.
Visitado em
21
Capítulo 11
Kanryo Higaonna
Kanryo Higaonna (東 恩 納 寛 量, Higashionna
Kanryō* ?) foi um grande mestre de Okinawa-te, do
estilo naha-te* [1], que ajudou a sedimentar. Nasceu em
Naha, Oquinaua, a 10 de Março de 1853, vido a falecer
no mês de outubro de 1916). Sensei Higaonna foi professor de artes marciais de vários alunos notáveis, dentre
eles, Kenwa Mabuni, o fundador do estilo shito-ryu. Ele
também tinha um discípulo pessoal, Chojun Miyagi,
fundador do Goju-ryu.
de shorei-ryu. Ele era conhecido pela alcunha de Kensei,
ou“punhos sagrados”, e era reconhecido pelas técnicas
ligeiras de deslocamento, tai sabaki e chutes rasos. Sua
fama espalhou-se e calhou de o mestre tornar-se instrutor
da família real.
Em 1905, Higaonna começou a ensinar seu caratê, seus
exercícios de condicionamento físico e valores morais e
filosóficos, na escola pública de Naha. O mestre cria
que a verdadeira finalidade das artes marciais, do artista
marcial, era de servir à sociedade e jamais magoar outrem* [2].
11.1 Biografia
Em 1915, o grande mestre Kanryo Higaonna falece, com
apenas 63 anos de idade. Segundo umas fontes* [6], em
*
O mestre Higashionna ele veio de uma família de classe outrubro; segundo outras, dezembro [7].
alta ̶keimochi ̶, e era proprietária de um negócio de
lenha. O rapaz tinha personalidade quieta e comportamento modesto. Media aproximadamente 1m75, de al- 11.2 Referências
tura* [2]. E se tornou interessado das modalidades de luta
chinesas porque trabalhava (ou seu pai) numa empresa de [1] Higaonna Kanryo (em inglês). Visitado em 21.dez.2010.
importação e exportação, fazendo muitas viagens, o que
lhe oportunizava travar contactos com diversos pratican- [2] Goju-Ryu History (em inglês). Visitado em 21.dez.2010.
tes.
[3] Grandmaster Kanryo Higaonna - History (em inglês). ViQuando Higaonna tinha entre quize e dezasseis anos, foi
cassado estipêndio real da família e teve de confiar inteiramente em seus negócios de lenha. Por essa época,
aproximadamente, ele epreendeu viagem até a cidade de
Fuchou, na província de Fujian, no sul da China, conheceu o mestre Ryu Ryu Ko, de kempo de Shaolin, com
quem treinou por algum tempo o estilo do sul chinês* [2],
tornando-se o aluno protegido uchi deshi* [3]. Noutra
vez, em 1872, treinou com Wayshinzan e Liewliuko* [4],
permanecendo com eles por mais de dez anos e se tornou principal aluno e, eventualmente, mestre da escola.
Em China, seu tempo de estada foi de quatorze ou quinze
anos.
sitado em 21.dez.2010.
[4] Higaonna (em português). Visitado em 21.dez.2010.
[5] Kanryo Higaonna (em português).
21.dez.2010.
Visitado em
[6] Goju Ryu (em inglês). Visitado em 21.dez.2010.
[7] Welcome to karatekuyukai (em inglês) Acesso em
21.dez.2010.
11.3 Bibliografia
Retornando a Oquinaua, por volta de 1883* [5], mestre
Higaonna sistematizou o estilo que passou a ensinar, que
ainda formalmente naha-te, pero já era uma compilação
das técnicas que tinha aprendido na China com as próprias de Naha e imediações. Introduziu a utilização de
vários objetos nos treinos.
No ano de 1890, em Nishi Machi, onde morava, sua residência vinha servindo ainda como dojô, que foi chamado
22
• CLAYTON, Bruce. Shotokan's secret: the hidden truth behind karate's fighting origins (em inglês). Black Belt.
• STEVENS, John. Três mestres do budo (trad.
Luiz Carlos Cintra). São Paulo: Cultrix, 2007.
Capítulo 12
Chojun Miyagi
Pa Kua* [2].
Após o seu regresso e baseando-se nos princípios do yin
e do yang chineses, fundou a escola Goju-Ryu (Go & Ju),
que ainda hoje cria fortes “karatecas”e lutadores.
Formou vários alunos que deram posteriormente origem
a diversas escolas e ramificações de Karatê Goju-Ryu,
como Meitoku Yagi (Meibukan), Seikichi Toguchi (Shoreikan), Seiko Higa (Shodokan), Eichi Miyazato (Jundokan), Anichi Miyagi (IOGKF), Gogen Yamaguchi (GojuKai), Seigo Tada (Seigokan), entre outros.
Havia também um aluno de Miyagi que se formou faixa
preta com ele que se chama Kiichi Nakamoto. Nakamoto
teve a honra de ser um dos primeiros faixas pretas a alcançar o 10º dan em Goju-Ryu Karatê e ter sua graduação reconhecida pelo governo japonês. Como último
mestre formado por Miyagi ainda viaja por vários países
do mundo ministrando seminários e ensinando o GojuRyu. A Escola de Nakamoto é conhecida como GojuRyu Okinawa-kan Karatê-do Kyokai.
O seu aluno que viveu mais tempo, morreu em 2009. Era
considerado uma grande honra treinar com ele. Ele, que
hoje em dia é já uma lenda.
12.2 Sucessor
12.1 Breve Biografia
Chojun Miyagi (宮 城 ⻑ 順, Miyagi Chōjun* ?)* [Nt 1]
nasceu na cidade de Naha, na ilha de Oquinaua, em 25
de Abril de 1888 e faleceu em 8 de Outubro de 1953).
Foi um mestre de artes marciais japonês, sendo criador
do estilo de karatê Goju-ryu. Era de uma família de mercadores que possuía dois navios e comercializava intensamente com a China* [1].
Entre 1909 e 1911, cumpre o serviço militar. Após a
morte do pai, Miyagi foi obrigado, e a pedido de seu mestre, a ir para a China, deslocando-se então a Fuchou, na
província de Fujian, onde aprendeu os estilos Shaolin e
“Deixe-me começar por dizer que eu não fui nomeado o
sucessor do Goju-ryu por Miyagi, mas nem ninguém foi.
Há alguns professores de Goju-ryu que afirmam ter sido
nomeados sucessores em privado por Miyagi. Estas alegações são ridículas e desrespeitosas da sua memória. Ele
nunca nomeou publicamente ninguém como sucessor. O
senso comum ditaria que se ele fosse nomear alguém, teria sido um estudante de longa data e que teria de ser com
registo público, para ter qualquer valor. Miyagi não era
um homem de fazer as coisas de uma forma aleatória tudo era muito deliberado e preciso. Também seria lógico supor que se Miyagi não concedeu qualquer graduação de Dan, então como estaria ele inclinado a nomear
um sucessor? Eu sinto que Miyagi estaria rolando na sua
sepultura com a infinidade de afirmações ridículas sobre
este assunto.”- Seikichi Toguchi* [3].
23
24
12.3 Notas
[1] prouncia-se “miagui”.
12.4 Referências
[1] Karate-do Goju-ryu Seigokan: O Mestre Chojun Miyagi
(em português). Visitado em 21.set.2010.
[2] Miyagi (em português). Visitado em 21.set.2010.
[3] Toguchi, Seikichi (2001). Okinawan Goju-Ryu II, Advanced Techniques of Shorei-Kan Karate. p. 26. ISBN
0-89750-140-3.
12.5 Bibliografia
BISHOP, Mark. Okinawan Karate: Teachers, Styles
and Secret Techniques. EE. UU.: Tuttle Publishing,
1999.
CAPÍTULO 12. CHOJUN MIYAGI
Capítulo 13
Choki Motobu
Choki Motobu (em japonês: 本部朝基, Motobu Chōki)
foi um grande mestre de caratê, bastante reconhecido
por suas habilidades de luta. Nasceu em abril de 1870,
na vila de Akahira de Shuri, que na época a capital do
reino de Ryukyu. Sua família era aristocrata e detentora
de uma modalidade peculiar e tradicional de luta, chamada de udundi. Em razão de seu comportamento, sua
família afastou-o dos treinamentos, pero o jovem buscou
aprender lutas com outros mestres famosos, acabando por
tornou-se o responsável pela evolução do estilo Naha-te
no Shorei-ryu, com a incorporação de técnicas de base
mais baixas e movimentos mais fluidos.* [1]
13.3 Ligações externas
Com o tempo, concertou um estilo de combate pessoal,
que foi moldado na experimentação prática, na realização
de combates reais contra os mais diversos lutadores, das
mais variadas modalidades e estilos marciais. Todavia,
Choki Motobu, como os demais mestres a si contemporâneos, procurava preservar as técnicas do modo como
lhe eram ensinadas, procurava manter a tradição.* [2]
13.1 Biografia
Em 5 de abril de 1870, nasce no seio de uma família da
aristocracia de Oquinaua, Choki Motobu, filho de Chosin
Motobu, descendente do sexto filho de el-Rei de Oquinaua Sho Shitsu (Sho Koshin).* [1]
Tinha como meta seu aperfeiçoamento, para ser reconhecido o maior lutador.* [3]
Depois de sua morte, seu filho e um aluno fundaram o
estilo Motobu-ryu.
13.2 Referências
[1] Choki Motobu (em inglês). Visitado em 30.dez.2010.
[2] McCarthy, Patrick; Lee, Mike. Classical Kata of Okinawan Karate (em inglês). Califórnia: Black Belt, 1987.
p. 34. ISBN 0897501136
[3] Biografia Choki Motubo | kenpo.com.br. Visitado em
29.jul.2012.
25
• 本部流 (Motobu-ryu) (em japonês)
Capítulo 14
Jigoro Kano
Jigoro Kano (em japonês: 嘉納治五郎, Kanō Jigorō)
(Mikage, 28 de outubro de 1860 ̶4 de maio de 1938)
foi o fundador da arte marcial judô e responsável pela
reforma do jujitsu.
14.1 Biografia
14.1.1
Infância
Nascido em 28 de outubro de 1860, em Mikage, prefeitura de Hyogo no Japão, terceiro filho de Jirosaku Mareshiba Kano, alto funcionário da marinha imperial, seus
pais queriam que seguisse a carreira de diplomata ou político, mas Jigoro Kano preferiu o magistério, embora
de personalidade marcante, possuía físico franzino, medindo 1,50 metro de estatura e pesando 48 kg, o que dificultava o seu ingresso na maioria dos esportes.
Em 1871 com 11 anos de idade foi mandado para Tóquio
para estudar o idioma inglês, então indispensável para o
progresso em qualquer sentido e que, possibilitou mais
tarde tornar-se professor e tradutor dessa língua e ainda
montar sua própria escola em Tóquio, a Kobukan (escola
de inglês).
14.1.2
Adolescência
Aos 16 anos, decidiu fortificar o corpo, praticando a ginástica, o remo e o basebol. Mas estes desportos eram
demasiados violentos para sua débil constituição. Além
disso, nas brigas entre estudantes, Kano era sistematicamente vencido. Ferido na sua qualidade de filho de um
Samurai decidiu estudar o Jiu-jitsu. Quem lhe ensinou
os primeiros passos foi o professor Teinosuke Yagi. Posteriormente, em 1877, matriculou-se na Tenjin shinyōryū, sendo discípulo do mestre Hachinosuke Fukuda. Em
1879, com a idade de 82 anos, Fukuda morreu e Kano
herdou seus arquivos. Tornou-se em seguida aluno do
mestre Masatomo Iso, um sexagenário que possuía os segredos de uma escola derivando igualmente do Tenjin
Shin'yō-ryū.
morreu muito cedo e Kano novamente encontrou-se sem
professor. Contudo Kano continuou a treinar intensamente, mas um bom professor lhe era indispensável. Foi
então que procurou o mestre Tsunetoshi Iikubo que lhe
ensinou a técnica da escola kitō-ryū. Como Kano até então só praticara sempre as lutas corpo a corpo, sempre
usando roupas normais, a escola de kitō ensinou-lhe o
combate com armadura. Pouco a pouco, Kano fez a síntese das diversas escolas criando um sistema próprio de
disciplina, continuando, no entanto a treinar com o mestre Iikubo até 1885.
14.1.3 Kodokan
Em fevereiro de 1882, Jigoro Kano inaugura sua primeira
escola denominada Kodokan (Instituto do Caminho da
Fraternidade). A Kodokan estava localizada no segundo
andar de um templo budista Eishoji de Kita Inaritcho,
bairro de Shimoya em Tóquio, onde havia doze jos (jo
medida de superfície, módulo de tatame). O primeiro
aluno inscreveu-se em 5 de junho de 1882, chamava-se
Tomita. Depois vieram Higushi, Arima, Nakajima, Matsuoka, Amano Kai e o famoso Shiro Saigo. As idades oscilavam entre 15 e 18 anos. Kano albergou-se e ocupouse deles como se fosse um pai. Foi um período difícil,
mas apaixonante, o jovem professor não tinha dinheiro e
o shiai-jo media 20m², mas a escola progrediu e em breve
tornou-se célebre.
14.1.4 Técnicas
Jigoro Kano desenvolveu as técnicas de amortecimento
de quedas (ukemis), bem como criou uma vestimenta especial para o treino do judô (o judogui), pois o uniforme
utilizado pelos cultores de jujutsu, denominado hakamá
provocava freqüentemente ferimentos. A nova arte do
mestre tinha duas formas distintas, uma abrangia as técnicas de queda, imobilizações, chaves e estrangulamentos.
Essa forma evoluiu para o esporte de combate e a outra
parte consistia nas técnicas de golpear com as mãos e os
pés, em combinações com agarramentos e chaves para
Continuando o seu treinamento, Jigoro Kano torna-se imobilização, inclusive ataques em pontos vitais, atemi
vice-presidente da escola. Infelizmente, Masatomo Iso, waza. Essa forma evoluiu para a defesa pessoal, goshin26
14.2. CRONOLOGIA
• 1878 – Fundou o primeiro clube de basebol do Japão
(Kasei Baseball Club).
jutsu.
14.1.5
27
Judô e o Sonho Olímpico
• 1879 – Estudou o jujutsu na escola do mestre Masatomo Iso.
Idealizado e desenvolvido por Jigoro Kano, o judô se tornou um dos mais conhecidos esportes do mundo. O combate esportivo de Jigoro Kano trazia a essência do esporte
em sua criação.
• 1881 – Formou-se pela Universidade Imperial de
Tóquio, em Literatura, Ciências Políticas e Política
Econômica. Estudou o jujutsu na kitō-ryū com o
mestre Tsunetoshi Likugo.
Primeiro japonês a fazer parte do Comitê Olímpico,
Kano sempre lutou para que o Japão fosse sede dos Jogos.
Fato que só aconteceu após sua morte, nas olimpíadas de
Tóquio 1964, ano em que pela primeira vez a luta criada
por Jigoro Kano esteve no programa Olímpico.
• 1882 – Começou a dar palestras e mais tarde passou a professor em Gakushuin. Fundou a Kodokan.
Terminou seus estudos de Ciências Estéticas e Morais.
Atualmente o judô é um dos esportes olímpicos, presente
regularmente na programação do evento desde 1972.
• 1883 – Fundou o Kobukan, uma escola para estudantes chineses e passou a ser Diretor.
• 1884 – É adido ao Palácio Imperial.
14.1.6
Morte
Jigoro Kano nos legou vários manuscritos, nos quais em
geral assinava com pseudônimos, dentre estes, um muito
usado por ele era “Ki Itsu Sai”que quer dizer, tudo é
unidade. Kano também era poliglota, pois falava quatro
línguas além do japonês: francês, alemão, inglês e espanhol. Lamentavelmente a 4 de maio de 1938, morre
Jigoro Kano de problemas pulmonares, a bordo do transatlântico “Hikawa Maru”, quando voltava do Cairo,
onde havia presidido a assembléia geral do comitê internacional dos jogos olímpicos. Não houve para ele tempo
de assistir a Universidade do Judô, mas tinha certeza da
sua perpetuação. “Quando eu morrer, o Judô Kodokan
não morrerá comigo, porque muitas coisas virão a ser desenvolvidas se os princípios de minha arte continuarem
sendo estudados”.
14.2 Cronologia
• 1860 – Nasceu em Mikage, província de Hyogo em
28 de outubro. Terceiro filho de Jirosaku Mareshiba
Kano, ele recebeu o nome de infância Shinnosuke.
• 1871 – Ingressou na Seitatsu Shojuku, uma escola
privada de Tóquio, onde ele recebeu aulas de Keido
Ubukata.
• 1873 – Entrou na Ikuei Gijuku, uma escola privada
em Karasumori, Shiba, Tóquio. Recebeu instruções
especiais em Inglês e Alemão de professores nativos.
• 1874 – Ingressou na escola de línguas estrangeiras
de Tóquio.
• 1875 – Ingressou na escola Kaisei.
• 1877 – Ingressou na tenjin Shin'yō-ryū e estudou
com Hachinosuke Fukuda.
• 1885 – Obteve a 7ª Categoria Imperial.
• 1886 – Passou a vice-diretor da Gakushuin. Obteve
a 6ª Categoria Imperial
• .. 1886... - O judô foi inventado.
• 1889 – Deixou de ser vice-diretor em Gakushuin
para aceitar na Casa Imperial um cargo. Fez uma
viagem à Europa, onde visitou organizações educacionais.
• 1891 – Casou-se com Sumako, filha mais velha
do então embaixador coreano, Seizei Takezoe, da
qual teve nove filhos, seis meninas e três meninos.
Tornou-se diretor da quinta escola de segundo grau,
na prefeitura de Kumamoto. Em abril é nomeado
conselheiro do Ministro da Educação Nacional.
• 1893 – Tornou-se diretor da primeira escola de segundo grau de Tóquio, subsequentemente diretor da
escola normal de Tóquio.
• 1895 – Obteve a 5ª Categoria Imperial.
• 1897 – Demitiu-se da escola normal de Tóquio, mas
tarde, aceita seu cargo de volta. Criou a sociedade
Zoshi-Kai e funda os institutos Zenyo Seiki, Zenichi, para a cultura dos jovens. Editou a revista“Kokusai”.
• 1898 – Foi diretor da educação primária no Ministério da Educação Nacional.
• 1899 – Tornou-se presidente da comissão do Butokukai (Centro de Estudos das Artes Marciais).
• 1901 – Tornou-se diretor da escola normal de Tóquio pela terceira vez. Nesta época, o judô e o kendô
alcançam uma grande popularidade.
• 1902 a 1905 – Foi enviado por duas vezes a China
pelo Ministro Nacional em missão cultural. Em outubro de 1905 obteve a 4ª Categoria Imperial.
28
• 1907 – Fundou no Butokukai os três primeiros katas
do judô.
• 1909 – Tornou-se o primeiro japonês membro do
comitê olímpico internacional. Modificou os estatutos do Kodokan, tornando-o uma entidade pública.
• 1911 – Foi eleito presidente da Federação Desportiva do Japão.
• 1912 – Foi enviado em missão cultural à Europa e
América.
• 1915 – Fundou a revista Kodokan. Recebeu do rei
da Suécia por ter participado ativamente da organização dos 7º Jogos Olímpicos a medalha de honra
ao mérito.
• 1920 – Consagrou-se inteiramente ao judô. E julho,
assistiu aos Jogos Olímpicos de Antuérpia, visitando
depois a Europa.
• 1921 – Demitiu-se da presidência da Federação
Desportiva do Japão.
• 1922 – Eleito membro da Casa dos Nobres.
• 1924 – Foi nomeado professor honorário da Escola
Normal Superior de Tóquio (Tóquio Higner School).
• 1928 – Esteve presente nos Jogos Olímpicos em
Amsterdã como membro do COI.
• 1932 – Deslocou-se aos Estados Unidos para assistir aos Jogos Olímpicos de Los Angeles. Tornouse conselheiro do gabinete de Educação Física do
Japão. Participou por duas vezes no Conselho dos
Jogos Olímpicos que lançara o convite para os jogos
japoneses (1932-1934).
• 1936 – Assistiu aos XI Jogos Olímpicos de Berlim.
• 1938 – Esteve na Reunião do COI no Cairo, onde
propôs que Tóquio fosse escolhida como sede dos
XII Jogos Olímpicos. Morreu em 4 de maio, no mar,
na viagem de volta. Recebeu a título póstumo o 2º
Grau Imperial.
14.3 Ligações externas
• Koshiki no kata Jigoro Kano - Yamashita Yoshiaki
CAPÍTULO 14. JIGORO KANO
Capítulo 15
Shiro Saigo
Shiro Saigo (em japonês: ⻄ 郷 四 郎; transl.: Saigo
Shirō) (4 de fevereiro de 1866 - Dezembro de 1922) foi
um dos primeiros discípulos de judô. Saigo, juntamente
com Tsunejiro Tomita, tornou-se pela primeira vez na
história do judô a ser concedido Shodan pelo fundador do
judô, Jigoro Kano, que estabeleceu o sistema de ranking
kyu-dan.* [1] Foi inspiração para o livro Sugata Sanshiro
escrito pelo filho de Tsunejiro, Tomita Tsuneo e adaptado para os cinemas por Akira Kurosawa no filme filme
homônimo (1943).
15.1 Referências
[1] Linhart, Sepp; Fruhstuck, Sabine (June 1998). The Culture of Japan As Seen Through Its Leisure. State University of New York Press. p. 85. ISBN 0-7914-3791-4.
*
[1]
[1] John Stevens. The Way of Judo: A Portrait of Jigoro Kano
and His Students. [S.l.]: Shambhala Publications, 2013.
9780834829015
29
Capítulo 16
Mitsuke Harada
Mitsuke Harada ou Mitsusuke Harada (原⽥⾒附,
Harada Mitsuke* ?) é um mestre de caratê, do estilo
Shotokan, pioneiro na difusão da arte marcial no Brasil,
quando em 1956 instalou seu dojô na rua Quintino Bocaiuva, em São Paulo.* [1]* [2]* [3]
16.1 Biografia
Mitsusuke Harada nasceu em 1928, na Manchúria. Em
1948, ingressou na Universidade de Waseda. * [2] Em
1955, chegou ao Brasil, para trabalhar no Banco América do Sul, agência em São Paulo, e portava o 5º dan,
outorgado diretamente pelo criador do estilo Shotokan,
Gichin Funakoshi.
16.2 Referências
[1] Federação Bahiana de Karatê - Pagína Artigos. Visitado
em 24.set.2011.
[2] >KARATE DE
24.set.2011.
JAGUARIBE-CE.
[3] Karate-Do Shotokai (em inglês).
27.set.2011.
Visitado
em
Visitado em
30
Capítulo 17
Seichi Akamine
Seiichi Akamine (em japonês: ⾚ 嶺 晟 ⼀, Akamine
Seiichi) foi um desportista e mestre de caratê japonês,
do estilo Goju-ryu. Nasceu em 14 de maio de 1920,
em Naha (Japão), e faleceu em 18 de julho de 1995,
em São Paulo (Brasil). Foi um dos pioneiros a divulgar o caratê no Brasil e na América Latina, além do
que fundou a escola Ken shin kan* [a] e praticou remo,
natação e atletismo.* [1] Era descendente de samurais,
mas o único dos irmão que enveredou pelas artes marciais, o budo.* [2]
17.1 Notas
*
[a] ^ A linhagem Ken shin kan, fundada pelo
mestre Akamine, nalguns países é denominada
de Kenshin-ryu ou Shikan-ryu.* [3]
17.2 Referências
[1] BIOGRAPHY OF SENSEI SEIICHI AKAMINE 5 (em
inglês). Visitado em 26.set.2011.
[2] Karatedo | O caminho das mãos vazias: Sensei Seiichi Akamine. Visitado em 18.abr.2012.
[3] OFFICIAL WEBSITE OF KENSHIN RYU GOSHINJUTSU (em inglês). Visitado em 18.abr.2012.
31
Capítulo 18
Koji Takamatsu
Koji Takamatsu (⾼松麹, Takamatsu Kōji* ?) é um mestre de Caratê, do estilo Wado-ryu, que foi um dos pioneiros na introdução dessa arte marcial no Brasil, quando
chegou em 1956. Nasceu em 1930 na província de
Hyogo, Japão. Reside em São Paulo, onde mantém um
dojô.* [1]* [2]
18.1 Biografia
Nasceu na cidade de Kakogawa, da província japonesa
de Hyōgo, em 21 de Dezembro de 1930. Teve contato com artes marciais na juventude, quando iniciou seu
treinamento diretamente com o mestre Hironori Otsuka,
criador do estilo Wado-ryu de Caratê. Graduou-se em
agronomia pela Universidade de Tóquio, em 1953. E,
em Fevereiro de 1956, chegou ao Brasil, onde logo começou a divulgar sua arte marcial.* [3] Possui o 9° dan de
Caratê, além dos 8° dan em Shindo yoshin-ryu Kempo e
2° em Judô.
Tornou-se importante figura, pelo que é membro da comissão da Diretoria Técnica da entidade que coordena o
estilo Wado-ryu mundialmente, sendo o Presidente das
divisões para a América Latina e Brasil.* [4]
18.2 Referências
[1] DCTKD • Karate in Brazil: An Overview (em inglês).
Visitado em 26.set.2011.
[2] Koji Takamatsu | Wadô-Ryu Karatê-dô. Visitado em
26.set.2011.
[3] Wadô-Ryu Karatê-Do Renmei do Brasil. Visitado em
26.set.2011.
[4] Academia Budo-Kan de Karate Oficial.
26.set.2011.
Visitado em
32
Capítulo 19
Takeo Suzuki
Takeo Suzuki (鈴⽊武雄, Suzuki Takeo* ?) é um mestre
de caratê e um monge budista, nascido em Tóquio, no ano
de 1937, veio para o Brasil, na década de 1960, (atualmente residindo na Europa) quando passou a difundir sua
arte marcial e seus ensinamentos.* [1]* [2] Possui um centro onde desenvolve suas atividades, a qual pretende ser
muito mais do que uma simples escola de artes marciais,
mas sim um formador de praticantes do Budô, que é a Dojinmon. Esta Escola possui Dojos no Rio Grande do Sul,
São Paulo, Minas Gerais, Brasília, Paraná, e Bahia.* [3]
Foi aluno direto do mestre Hironori Otsuka, fundador do
estilo Wado-ryu, de caratê. Este é o estilo este que é difundido por Mestre Suzuki, que por isso é reconhecido.
Chegou ao Brasil na década de 1960, onde se instalou no
Rio Grande do Sul.* [4]* [5]
19.1 Referências
[1] Kihon. Visitado em 26.set.2011.
[2] Vencer Sport Club - Karate. Visitado em 26.set.2011.
[3] Takeo Suzuki. Visitado em 26.set.2011.
[4] Karatê no Rio Grande do Sul (PDF). Visitado em
26.set.2011.
[5] PROGRAMA DE EXAMEN WADO RYU (DOC). Visitado em 26.set.2011.
33
Capítulo 20
Michizo Buyo
Michizo Buyo (舞踊, Buyō Michizo* ?) é um mestre de
caratê, 8° dan do estilo Wado-kai, 7° dan de JujutsuKempô e faixa preta de Judô. Nasceu no Japão, na cidade Okayama, em 2 de Fevereiro de 1940. Graduou-se
em pela Universidade de Agricultura de Tóquio. Chegou ao Brasil no ano de 1964, e logo se tornou um dos
pioneiros dessa arte marcial no país. Sua chegada (e a
de outros caratecas nessa mesma época) também marca
o rompimento de um paradigma, de que quase todos os
dojôs eram do estilo Shotokan.* [1]* [2] O mestre é também um autor de vários livros sobre o caratê e ministrou
vários cursos e seminários sobre o tema, com a finalidade
de o promover.* [3]
É discípulo direto do Mestre de Caratê Hironori Otsuka,
fundador do estilo Wadô-Kai. * [* carece de fontes?]
20.1 Dojo
Sensei Michizo Buyo ainda ensina Karatê e possui sua
academia* [4] a mais de 45 anos, em São Paulo, situada
na Av. Lins de Vasconcelos.
20.2 Bibliolografia
• Karatê-dô Vol. I - Fundamentos
• Karatê-dô Vol. II - Avançado
20.3 Referências
[1] Surgimento do karate no brasil | Choode Dojo. Visitado
em 26.set.2011.
[2] JCS: Karate in Brazil: Alcantara and Rodrigues (em
inglês). Visitado em 26.set.2011.
[3] Académie Sino-Canadienne de Kung Fu (em francês). Visitado em 26.set.2011.
[4] Karatê-Dô Wado-Kai do Brasil |.
30.mai.2013.
Visitado em
34
Capítulo 21
Akio Yokoyama
Akio Yokoyama (横 ⼭ 昭 夫, Yokoyama Akio* ?)
(Tóquio, 1942; Belo Horizonte, 23 de março de 2012)
foi um professor de caratê, um dos pioneiros da introdução desta arte marcial japonesa no Brasil com seu estilo
Kenyu-ryu. Nascido em Tóquio no ano de 1942, chegou
ao Brasil em 1965.* [1] Recebeu o título de kancho, o que
significa que o mestre passou a ser o responsável pela condução da entidade representante de seu estilo.* [2]
21.2 Referências
[1] Precursores do Karate no Brasil. Visitado em 26.set.2011.
[2] SHITO RYU SHUKOKAI KARATE‐DO UNION
ARGENTINA (PDF) (em espanhol). Visitado em
27.set.2011.
[3] Kenyu-ryu do Japão ao Brasil. Visitado em 26.set.2011.
[4] Vivencias Integrativas. Visitado em 26.set.2011.
21.1 Biografia
Nascido na capital japonesa em 1942, durante o transcorrer da Segunda Guerra Mundial, Akio Yokoyama cresce
e mantém conctato com as artes marciais ainda na juventude. Graduou-se pela Universidade de Tenri em Ciências Contábeis. Nessa época recebeu o 4º dan de caratê
e participava de várias competições, chegando a conseguir o título de campeão universitário. O jovem mestre
migra para o Brasil em 1965, primeiro passa uma estada
em São Paulo (capital), no bairro da Liberdade, por fim
fixando-se em Minas Gerais.* [3]
Com a chegado do mestre inicia de verdade a história do
estilo Kenyu-ryu, eis que o jovem saiu de sua terra com a
intenção de divulgar sua arte marcial para todos, não exclusivamente aos descendentes nipônicos. Fixou-se em
Minas Gerais para conseguir uma colocação numa empresa de origem japonesa, a Usiminas.* [4]
A despeito de ainda em 1965 o mestre buscar um espaço para ministrar suas aulas de caratê, mas ser recusado, conseguiu um espaço numa escola de judô, a Samuray's Gim, de onde sairia depois de dois anos, para
fundar seu próprio espaço, chamado de“Clube Esportivo
de Karate Tenri Dojo”, localizado no centro de Belo Horizonte/MG, onde funionou por mais de 25 anos, e que,
mais tarde, seria o embrião da Federação Mineira de caratê.* [3]
Sensei Akio, até completar 70 anos, em fevereiro de
2012, ainda ministrava aulas e cursos para jovens e veteranos. Akio Yokoyama faleceu em 23/03/2012, em Belo
Horizonte, Minas Gerais.
35
Capítulo 22
Masutatsu Oyama
Masutatsu (Mas) Oyama (⼤ ⼭ 倍 達 Ōyama Masu- kushin kaikan ̶IKO ou IKOK), com o escopo de contatsu), foi o criador do estilo de Karatê Kyokushinkai ou gregar e organizar as várias escolas do estilo. No mesmo
Oyama-Ryu.
ano, o dojo recebeu um desafio por parte de lutadoNasceu Yong Eu-Choi no dia 27 de julho de 1923 em res de Muay Thai. Crente de que nenhum ou estilo se
comparava ao seu, o mestre Oyama aceitou-o e enviou
uma aldeia perto de Gunsan na Coréia Meridional. Ainda
bem jovem foi enviado a China Meridional onde come- três alunos, (Kenji Kurosaki, Tadashi Nakamura, Noboru
Ōsawa), até a Tailândia, onde venceram duas das três luçou a praticar Kempo. Quando Oyama retornou a Coréia
já com 12 anos, continuou treinando Kempo, agora co- tas, quando a reputação do estilo foi mais destacada.
reano. Em 1938, mudou-se para o Japão onde praticou
Judô, porém notara que muitos treinavam karatê. Isto o
interessou muito e foi treinar onde aprendeu o que hoje
é conhecido como karatê Shotokan. De seguida treinou
Goju-ryu com o Mestre Gogen Yamaguchi “O Gato”
(10ºDan), sendo um dos seus principais discípulos, vindo
então posteriormente a criar o estilo Kyokushinkai, baseado e inspirado no seu antecessor, que se caracteriza por
possuir combate de competição com KO. Ficaram célebres os seus combates em arenas com touros, que quebravam chifres, e quebravam garrafa no “shuto”(faca de
mão) sem estar grudado ao solo!
22.1 Estilo Kyokushin Kaikan
Em 1953, Mas Oyama inaugura seu primeiro dojo ̶
Oyama Dojo ̶, em Tóquio. Ainda assim, continua viajando por todo o Japão e, eventualmente, o mundo, demonstrando sua arte marcial, quando exibia técinas de
luta e de matar touros co'as mãos nuas. Mais tarde, em
1956, muda o dojo para uma escola de dança.
Oyama construiu para si uma reputação de possuir um
estilo pegado, intenso e austero mas prático, que foi formalmente nomeado de Kyokushin, numa cerimônia, em
1957; também desenvolveu a fama de ser rude com seus
alunos, posto geralmente impor lesões durante as aulas.
Conforme a fama do dojo aumentava, mais e mais alunos
eram atraídos, de dentro e de fora do Japão, e muitos dos
alunos mais graduados, hoje, são líderes de organizações
do estilo.
Em 1964, o dojo foi mudado para o prédio onde seria
o lar do estilo Kyokushin, quando nasceu formalmente
a“Organização Internacional de Caratê Kyokushin Kaikan”(do inglês, International Karate Organization Kyo-
De origem coreana, Masutatsu Oyama nasceu em 1923
no sudoeste da Coreia a 300 km de Seul. Após uma infância marcada pelas zaragatas com os seus colegas, o jovem
Hyung Yee começa a treinar com um trabalhador da propriedade dos seus pais, perito em Artes Marciais. Devido
à sua irreverência, aos 14 anos, o seu pai envia-o para a
escola militar de Yamanashi no Japão. Em 1937 o Japão,
em guerra com a China, é transformado num autêntico
campo de concentração, o jovem coreano decide aprender, rapidamente, o japonês.Durante os dois anos que esteve em Yamanashi, treinou Karaté Shotokan. Mas, estes treinos não o convencem e vai para Tóquio seguir o
ensino dos maiores mestres, entre os quais sensei Gichin
Funakoshi. Nidan (2º dan) em dois anos, deixará o karaté
shotokan, discordando do trabalho muito rígido e linear.
Em 1947 vence o primeiro“All Japan Tournament”realizado em Kyoto, no Karnyama Gymnasium, que reunia
todos as escolas de Karaté-Do. As regras eram simples:
não existiam regras. Para o jovem coreano era a oportunidade, única, de provar a eficácia dos seus treinos. Após
a segunda guerra mundial, durante o período da ocupação do Japão pelos aliados, o Hotel Sarno, em Tóquio,
é palco de uma festa. A noite estava animada, quando
a tensão sobe subitamente, surpreendendo tudo e todos.
Dois homens discutiam na pista. O japonês, grande e
ágil, o seu rival, um coreano compacto, descontraído e
sereno. Enquanto discutiam, o japonês mete, lentamente,
a mão à cintura e tira uma faca. Depois de avançar, lentamente, lança-se, bruscamente, sobre o seu adversário.
Numa fracção de segundo, o coreano bloqueia o ataque
e, em Shuto, deflagrou um violento golpe ao seu rival. O
japonês, morreu imediatamente. Este incidente decide,
definitivamente, a vida futura do jovem Hyung Yee que
tinha então 24 anos. Masutatsu Oyama (nome que escolhera), decide então exilar-se para meditar na solidão dos
montes Kyiosumi. É então yondan (4º dan). Impõe a si
36
22.2. LIGAÇÕES EXTERNAS
próprio, disciplina e treino muito rigorosos. Importa das
formas antigas coreanas, o trabalho de pernas, às quais
acrescenta o Ashi Barai (rasteiras) e os ataques às pernas. O Goju Ryu inspira-o para o trabalho respiratório
e as técnicas de punhos. O Shotokan, princípios do movimento linear e acrescenta, para os mais graduados, as
formas circulares do Taikiken do mestre Kenichi Sawai.
Quando volta à civilização já não é o mesmo karateka.
Com punhos como martelos, suficientes para esmagar a
carne e os ossos dos seus adversários, considerando não
ter rival à altura na raça humana, decide testar a sua força
e capacidades contra um touro e partir: tijolos; garrafas;
pedras; árvores, etc..., com as mãos nuas.
37
Shin Kai é muito mais que uma arte de combate. É uma
escola dotada de uma fabulosa riqueza técnica, onde a
humildade é rigorosa, onde o respeito por si próprio se
adquire no respeito do próximo, onde o mental se consegue com a disciplina e com o rigor necessário nos treinos.
E, no final, o combate não representa mais do que uma
parte de um todo que se pode considerar como uma arte
de viver. Mestre Masutatsu Oyama, deixou-nos em abril
de 1994, após uma vida dedicada ao Karaté. O “Kyokushinkai”perdeu o seu pai, mas continua muito forte
em todo o mundo.
Em 1952 começa uma tourné triunfante de demonstra- 22.2 Ligações externas
ções e desafios nos Estados Unidos e, depois através da
Ásia, combate contra lutadores de toda a espécie: Judo; Kyokushinkai* [ligação inativa]
Karaté; Boxe Tailandesa; Inglesa, etc..., que vence largamente. Respondeu a 270 desafios, vencendo a maioria dos seus adversários com um só golpe. Um combate
nunca durava mais de 3 minutos, necessitando apenas de
alguns segundos para os dominar. Mas Oyama é considerado ímbativel nessa época. Em 1960 o New York times
considera-o “O homem mais duro do mundo”. É em
1957, três anos após a abertura do seu primeiro Dojo, que
Mas Oyama cria a organização “Kyokushinkai”. (literal: associação, escola da última verdade). O “1º Torneio Kyokushinkai”foi organizado nas ilhas Hawai por
Edwar Lowe que Mas Oyama apelidava de“meu irmão”
. Mas Oyama estará presente e faz uma demonstração.
Em 1960, na segunda edição do torneio, estarão presentes 16 países. Em 1964 Mas Oyama cria a“IKO”. Neste
mesmo ano, algumas escolas Tailandesas lançam um desafio às organizações japonesas. Só a escola“Kyokushinkai”responde afirmativamente. Mas Oyama escolhe os
alunos e, no dia 17 de Fevereiro de 1966, após vários
adiamentos realiza-se o desafio. A equipa “Kyokushin”
vence e de volta ao Japão são recebidos como verdadeiros
heróis. Só em 1969 Mas Oyama organiza, em Tóquio, o
“1º Kyokushin All Japan Tornament”. Em 1975, Mas
Oyama está em condições de organizar o “1º Campeonato do Mundo em Tóquio”. Trata-se de um campeonato aberto a todos os estilos, sem categorias de peso e
combates ao KO sem protecções. Desde então, é realizado todos os quatro anos. O sucesso e a reputação destes
campeonatos é de tal ordem que várias escolas serão influenciadas a organizarem provas semelhantes, incluindo
vários dissidentes de Mas Oyama. No Japão e depois em
todo o mundo, Masutatsu Oyama soube dar a conhecer o
“Kyokushinkai”através da publicação de alguns livros.
“Kyokushin": "Última verdade"! Os combates realizamse ao KO. Os testes de quebra e a endurance, servem para
os alunos se testarem e se ultrapassarem; o kihon e kata,
são as peças principais permitindo a cada um progredir
na“via”. Actualmente, o“Kyokushiniiai”representa, no
Japão, a maior escola de Karaté-Do e conta com 14 milhões de praticantes nos cinco continentes. O seu sucesso
vem sem dúvida, do lado espectacular e do realismo dos
seus combates - a parte visível do iceberg. Mas o Kyoku
Capítulo 23
Chojiro Tani
Chojiro Tani (⾕⻑治郎, Tani Chojiro* ?), nascido na
cidade de Kobe, em janeiro de 1921, faleceu em 10 de
janeiro de 1998* [1], foi o criador da escola de karate
Shukokai, uma linhagem do estilo Shito-ryu, a qual se
denomina também de Tani-Ha Shito-ryu (⾕ 派 ⽷ 東
流* ?). Iniciou seu treinamento, quando era acadêmico
na Universidade de Doshisha, em Quioto, com o mestre
Chojun Miyagi ̶criador do estilo Goju-ryu ̶. Depois
de aquele mestre retornar para Oquinaua, passou a treinar
com o mestre Kenwa Mabuni* [2].
23.1 Referências
[1] Chojiro Tani (em inglês). Visitado em 28.nov.2010.
[2] Shukokai-Canada/Chojiro Tani (em inglês). Visitado em
28.nov.2010.
23.2 Ver também
• Shigeru Kimura
• Kimura Shukokai Internacional (K.S.I.)
23.3 Ligações externas
• www.kimura-shukokai.com (em inglês)
38
Capítulo 24
Yoshitaka Funakoshi
Yoshitaka/Gigō Funakoshi (船 越 義 豪, Funakoshi
Gigō/Yoshitaka* ?) foi um mestre de caratê.* [1] Era o terceiro filho do mestre Gichin Funakoshi, criador do estilo
Shotokan. Praticava, além do caratê de seu pai, outra arte
marcial japonesa, o kendo.* [2] Mas ao lado de seu pai que
deixou as maiores contribuições, modificando sobremaneira o estilo, a tal ponto que se tornou bastante diverso
daquele que era sua raiz: dos estilos Shuri-te e Shorinryu herdou as técnicas lineares, pero priorizou o treino
de posturas mais baixas.* [3]
24.1 Contribuições
Porque Gigo tinha maior contacto com influências nipônicas e, bem assim, era mais aberto a outros conhecimentos que não somente os tradicionais desde Okinawa, incorporou novos métodos e conceitos dentro da escola de
caratê paterna. E isso sucedeu de tal forma que cambiou
completamente o estilo Shotokan: originalmente, as posturas eram altas e relaxadas com golpes à curta distância,
dava-se mor importância ao treino repetitivo dos kata e
às técnicas executadas com as mãos (imobilizações, projeções, defesas, pancadas e socos); depois de Gigo, não
somente o estilo Shotokan alterou-se mas o próprio caratê, cujo aspecto do desenvolvimento físico foi realçado
e «novos» golpes passaram ser treinados.* [4]
Gigo introduziu ou aperfeiçoou, desde conceits originários do kendo, a meia-guarda, ou hanmi, na execução das
defesas e na postura adoptada nos enfrentamentos, como
forma de melhor aproveitar a energia do golpe e diminuir
a área de contacto com o contendor, respectivamente. O
chutes deixariam de ser apenas frontais e baixos para laterais, giratórios, circulares e à retaguarda, executados à
qualquer altura.
24.2 Referências
[1] Karate mojstri (em eslovaco). Visitado em 10.dez.2011.
[2] Yoshitaka (Giko) Funakoshi Sensei (em catalão). Visitado
em 10.dez.2011.
39
[3] Karate - Gigo (Yoshitaka) Funakoshi (1906-1945) (em
inglês). Visitado em 10.dez.2011.
[4] Pawlett, Ray. The Karate Handbook (em inglês). Nova
Iorque: Rosen, 2008. p. 13.
Capítulo 25
Juichi Sagara
Juichi Sagara (寿⼀相良* ?) foi um mestre de caratê
que introduziu essa arte marcial no Brasil. Nasceu em
Tóquio no dia 16 de fevereiro de 1934, tendo seu passamento em 2001. Graduado com o cinturão preto nos
estilos Goju-ryu e Shotokan-ryu, foi com este último que
envidou esforços para difundir a arte no Brasil.* [1]* [2]
25.1 Biografia
O jovem Juichi Sagara nasceu em Tóquio, em 16 de fevereiro de 1934. Cursou e foi graduado em economia política pela universidade de Takushoku, de Tóquio. Ainda
no Japão recebeu os graus de 3° dan nos estilos Goju-ryu
e Shokotan. Chegou ao Brasil na década de 1950, quando
desembarcou na cidade de São Paulo e aí se fixou e onde
foi reconhecido por títulos outorgados por esse concelho,
por seus trabalhos na divulgação do caratê como modo de
promover a educação e por seus esforços na aproximação
entre Brasil e Japão.
Desenvolvendo suas atividades em artes marciais, empreendeu extensas pesquisas e publicou o primeiro livro sobre caratê em língua portuguesa, epla editora Minox, em
1965. Foi reconhecido como a auotridade máxima do
estilo Shotokan para a América do Sul. Criou o conceito de caratê tridimensional.* [3]* [4] Assumiu os cargos de Assessor da Presidência da CBK e de Presidente
da FPK.* [5]
25.2 Referências
[1] Mestre Juichi Sagara. Visitado em 25.set.2011.
[2] ESCUELA SHOTOKAN MALDONADO - KARATEDO URUGUAY (em espanhol). Visitado em 25.set.2011.
[3] ISKF Brasil mestre_sagara. Visitado em 25.set.2011.
[4] Asociacion Budokai (em espanhol).
25.set.2011.
Visitado em
[5] Associados YOBUKAN [CURITIBA - PARANÁ BRASIL]. Visitado em 25.set.2011.
40
Capítulo 26
Hirokazu Kanazawa
Hirokazu Kanazawa (⾦ 澤 弘 和, Kanazawa Hirokazu* ?) é um mestre de caratê, nascido a 3 de maio de
1931, em Iwate, Japão. Foi aluno do mestre Gishin Funakoshi, sendo um dos últimos ainda vivos.* [1]* [2] Venceu o torneio de kumite da JKA em 1957 e mais três anos
consecutivos, hoje, empreende esforços para divulgar sua
arte marcial por todo mundo.* [3]
Em janeiro de 1961, a JKA enviou Kanazawa para o
Havaí, com escopo de lá fomentar o caratê, abrindo locais de treino lá. Na oportunidade, foi graduado como 5º
dan. No Havai, fundou um dojô e foi o primeiro presidente da entidade representativa.
Em maio de 1963, Kanazawa sai do Havaí para ensinar
na Europa e, em 1966, foi graduado como 6º dan pela
JKA e tornou-se instrutor-chefe. Em 1973, foi a 7º dan.
26.1 Biografia
Em 3 de maio de 1931, na prefeitura (cidade) de Iwate,
Japão, nasceu Hirokazu Kanazawa. Quando criança, ao
tempo de escola, começou a treinar judô e atingiu até o
2º dan, quando já estava na universidade.
Kanazawa ouviu falar do caratê por seu irmão, que tinha ido em viagem até Oquinaua* [4]. Um dia, porém,
quando viu um grupo de alunos de outra universidade, Takushoku, ficou impressionado com suas habilidades que
decidiu aprender aquela arte marcial. Mudou, entonces,
para a Universidade Takushoku e passou a treinar caratê
Kanazawa, durante treino para crianças
com o mestre Masatoshi Nakayama (um dos principais
alunos de mestre Funakoshi), o qual logo tomou Kana- O mestre sai, em 1977 da JKA e funda a Federação Inzawa como protegido.* [3]
ternacional do Caratê-dô Shotokan (Shotokan Karate-Do
Graduou-se na universidade em 1956, ocasião em que International Federation - SKIF). Desde então, o mestre
passou no exame de faixa para 3º dan e nos testes para tem-se dedicado a promover sua arte por intermédio de
instrutor. No ano seguinte, foi realizado em Tóquio o sua entidade, incluindo a organização de várias competiprimeiro torneio da All Japan Karate. Durante o evento, ções de caratê ao redor do mundo.
a mão direita de Kanazawa foi fraturada e decidira não
A entidade que comanda, a SKIF, que representa sua limais participar. Pero, sua mãe tinham saído do interior nhagem (em japonês: ⾦澤派), aprofundou um pouco
apenas para vê-lo e, para não a desapontar, resolveu par- mais a cisão que separa as quatro linhagens principais do
ticipar pelo menos de uma luta. Entrementes, um mé- estilo de mestre Funakoshi ̶SKIF, JKA, Shotokai de
dico acompanhou-o, no fito de velar por sua mão mago- Egami e Shotokai de ̶, pois, recentemente, foram inada e verificar se poderia seguir adiante. Usando a mão corporados ao repertório da SKIF os katas Nijuhachiho,
esquerda para fazer esquivas e defesas, com ela venceu Gankaku sho* [a], Seipai e Seienchin, não sem antes
todas as partidas.
adaptá-los às características do estilo.
Uma entrevista ao jornal português Expresso 2000 explica como conseguiu executar movimentos irrealizáveis:
"É tudo uma questão de treino. Treinava de manhã antes
de ir para escola, a tarde a noite. E quando descansava
continuava treinando em minha cabeça”.* [5]
Segundo Kanazawa afirma, tal iniciativa é uma forma de
reafirmar a vetusta ideia do mestre Funakoshi de que o caratê é uma arte marcial única, além de reincorporar movimentos pouco desenvolvidos no Shotokan, como a base
shiko dashi e ne waza ou nage waza* [6], técnicas avanEm 1958, na edição seguinte do mesmo torneio, Kana- çada que são comuns nos demais estilos de Oquinaua e
zawa sagrou-se campeão nas disputas de kata e kumite.
isso seria um modo de resgatar as formas mais pragmáti41
42
CAPÍTULO 26. HIROKAZU KANAZAWA
26.4 Bibliografia
cas e eficazes do caratê.* [7]
*
Foi dito pelo mestre [8]:
26.1.1
NISHIYAMA, Hidetaka; BROWN, Richard C. Karate:
the art of“empty hand”fighting (em inglês). 8 ed. North
Claredon: Tutle Publishing, 2005.
Brasil
NAKAYAMA, Masatoshi. O melhor do karatê: kumite
O mestre esteve, em 1991, ministrando aulas na Bahia,
1. 4 ed. São Paulo: Cultrix, 2006. 1 v.
Rio de Janeiro (capital e Campos dos Goytacazes), e em
2007, a ministrar aulas no Brasil, passando inclusive por LIND, Werner. Karate: i kata classici nell'insegnamento
dei grandi maestri. Roma: Mediteranee, 1988.
Belém do Pará.* [9]
26.2 Notas
*
[a] ^ O kata gankaku sho, treinado pela SKIF,
é baseado na forma praticada no estilo Tomarite.* [10]
*
[b] ^ Texto (em inglês): most of the SKIF
kata are taught and practiced the original way,
as they were taught by Funakoshi Sensei when
the JKA was first organized. However, since
then the JKA has made many changes. In SKIF
I have made only some very small changes to
some kata in order to make the application work
correctly or for another reason. Kata is not just
self-defense. It is also art and, therefore, each
kata has its own meaning or philosophy behind
it, so it is important for the movements in the
kata to reflect the kataʼs own philosophy or
meaning.
26.3 Referências
[1] ASKASCEF: Abril 2008. Visitado em 16.dez.2010.
[2] Biographies - Sensei Hirokazu Kanazawa (em inglês). Visitado em 18.dez.2010.
[3] Hirokazu Kanazawa (em inglês).
18.dez.2010.
Visitado em
[4] “Kancho”Hirokazu Kanazawa - Atom Domžale (em
esloveno). Visitado em 18.dez.2010.
[5] Karatê é ganharmos a nós mesmos - Entrevista de Hirokazu Kanazawa ao Jornal Expresso 2000. Visitado em
09.mar.2011.
[6] Phyordia.com » Four katas adopted by SKIF (em inglês).
[7] Une après midi avec Sensei Kanazawa « Bubishi (em
francês). Visitado em 18.dez.2010.
[8] Austin Shotokan Karate: Kancho Hirokazu Kanazawa Interview (em inglês). Visitado em 09.mar.2011.
[9] Shotokan Dynamic Videos. Visitado em 09.mar.2011.
[10] SKIF – USA Newslletter (em inglês) (inverno de 2008).
Visitado em 09.mar.2011.
Capítulo 27
Kanga Sakukawa
Kanga Sakugawa (佐久川寛賀, Sakugawa Kanga * ?, um pedido de seu mestre.* [3]
1733 - 1815), ou Sakugawa Satunushi, foi um mestre de Sakukawa falece em 17 de agosto de 1815, com 82 anos
caratê, quando essa arte marcial ainda não contava com de idade.
muita sistematização. Ele nasceu em 3 de março de 1733
na cidade de Shuri, falecendo em 17 de agosto de 1815,
que desenvolveu sobremaneira a arte marcial de Ryukyu,
à época chamada de te e fincou as bases do que viria a se 27.2 Contribuições
tornar o caratê.* [1]* [2]
Mestre Sakukawa, no fito de organizar sua arte marcial,
cria dois katas com as técnicas ensinadas por Kushanku.
E, porque fazia parte do séquito real, tinha grande apreço
27.1 Biografia
por normas de moral e conduta, criou o Dojo kun, um código ético para ser seguido pelos artistas marcial. Alguns
Em 1733, na vila de Akata, em Shuri, Oquinaua, nasce de seus discípulos, como Okuda, Makabe e Matsumoto,
Kanga Sakugawa no seio de uma distinta família do reino tornaram-se gandes mestres de tode, pero seu mais rede Ryukyu. Contando dezessete anos de idade, começa nomado foi Sokon Matsumura, o qual foi aceito apenas
a praticar artes marciais sob os auspícios de Peichin Ta- depois de muito relutar.* [5]
kahara, um monge nativo de Oquinaua. Depois de aproAs contribuições não param apenas no caratê. Também
ximadamente seis anos treinando, chega-lhe a nova sobre
exímio praticante da arte marcial com armas, o kobudo,
um grande artista marcial chinês chamado Kwan Shang
o mestre criou um kata de bastão ̶bo ̶: Sakukawa no
Ku, entonces Takahara, porque à altura se considera já
kon.
deveras idoso e incapaz de evoluir satisfatoriamente, o
aconselha e encaminha para treinar com Kushanku.
Com 23 anos, Sakugawa torna-se aprendiz de Kushanku,
que era experto em Chuan fa de Shaolin. Entrementes,
Sakugawa viajou pela China acompanhando seu novel
mestre, de quem adquiriu inestimáveis conhecimentos e
técnicas, tornando-se também e consequentemente um
perito.
O mestre retorna a Ryukyu em 1762, contando aproximadamente 29 anos, atendendo a um apelo de seu primeiro mestre.* [3] E começa a ensinar e difundir os conhecimentos apreendidos e, para tanto, sistematiza-os, dá
forma e cria um método peculiar. Sua arte marcial passa
a ser conhecida por To-de, ou Toudi, significando “mão
chinesa” ̶o mestre chamava de Toudi Sakukawa, ou
“mão chinesa de Sakukawa”̶, devido às fortes influências que aquelas técnicas estrangeiras tiveram sobre seu
sistema, eis que era um amálgama de tudo o que aprendera até o momento. Com este movimento o te é pela
primeira vez organizado. Seria a semente do caratê.* [4]
27.3 Referências
[1] Kanga Sakukawa (em inglês). Visitado em 15.dez.2010.
[2] The History of Matsumura (em inglês). Visitado em
15.dez.2010.
[3] Karate-do Shotokan: Biografia do karate. Visitado em
15.dez.2010.
[4] The Empty Hand | FIGHT! Magazine (em inglês). Visitado em 15.dez.2010.
[5] Título não preenchido, favor adicionar.
15.dez.2010.
Visitado em
27.4 Bibliografia
Com o falecimento de Takahara, apenas dois dias depois CLAYTON, Bruce. Shotokan's secret: the hidden truth
de Sakugawa o encontrar, este último“assume”sua po- behind karate's fighting origins (em inglês). Black Belt
sição de grande mestre local, mais uma vez atendendo a Communications.
43
44
27.5 Ver também
• Shuri-te
CAPÍTULO 27. KANGA SAKUKAWA
Capítulo 28
Taiji Kase
Taiji Kase (加瀬太地, Kase Taiji* ?) (Chiba, 9 de fevereiro de 1929 – Paris, 24 de novembro de 2004) foi
um mestre do Shotokan caratê responsável por introduzir
este estilos de caratê na Europa.* [1]
28.1 Bibliografia
• T. Kase: 18 Kata Superieurs Karate-Do ShotokanRyu (ed. Sedirep; 1982)
• T. Kase: Karate-Do Kata: 5 Heian. 2 Tekki (ed.
Sedirep; 1983)
• J. Fraguas: T. Kase – Karate's Timeless Master in
Karate Masters (Unique Pub.; 2001)
28.2 Referências
[1] Fernandez, M. (2001): Master Taiji Kase, 9th Dan Shotokan Ryu Karate-Do Shotokan Karate Magazine, Issue
69 (Novembro de 2001):4–8. Retrieved on 1 de abril de
2010.
28.3 Ligações externas
• Sensei Kase. (em francês)
45
Capítulo 29
Kokan Oyadomari
Kokan Oyadomari (em japonês: 親泊興寛, Oyadomari
Kokan), viveu entre 1827 e 1905, originário de Oquinaua,
foi um mestre de caratê.* [1] Foi aluno dos mestres Kishin
Teruya e Giko Uku. Conta-se também que teria sido
aluno do mestre “diáfano”Lau Lai Anan, um náufrago
sino que viveu em Tomari.* [2] Tinha o título de peichin
e foi um dos primeiros mestres de Chotoku Kyan.* [3]
29.1 Referências
[1] Early Teachers of karate (em inglês).
25.jul.2012.
Visitado em
[2] Lotze-Leoni, Olaf. Was ist Shorinjiryu Karatedo? (em
alemão). Hannover: BoD, 2009. p. 6. ISBN 3837080218
[3] Clayton, Bruce; Horwitz, Raymond; Pollard, Edward.
Shotokan's Secret: the hidden truth behind karate's fighting
origins (em inglês). Califórnia: Black Belt, 2004. Capítulo: 2. , p. 68. ISBN 0897501446
46
Capítulo 30
Kosei Nishihira
Kosei Nishihira (10 de Junho de 1942 - 14 de Maio de sua grande humildade e confiança* [12] levou-o a manter2007) foi um mestre de karate e karateka. Ele era um se fiel à vontade de seu mestre não para espalhar o estilo,
mestre de Shorin-ryu Matsumura Seito e Kobudo.
mas para transmitir apenas para os mais merecedores, de
modo que até mesmo seus vizinhos nunca tinham conhecimento do que era praticante tão experiente.
30.1 Biografia
Kosei Nishihira nasceu 10 de junho de 1942 em uma
pequena aldeia perto de Yonabaru no sul da ilha de
Okinawa, no Japão. A partir da idade de cerca de 15
anos * [1] praticados com diligência e dedicação, sob
a tutela do Mestre Soken Hohan, o estilo ortodoxo de
Caratê, mais conhecido como Shorin-ryu Matsumura
Seito * [2]* [3] * [4]* [5].
O estilo ensinado ao Nishihira jovem era muito difícil e
foi entregue pessoalmente severamente com apenas alguns uchi-deshi (alunos internos) de uma forma muito
seletiva e privadas* [6]* [7] “uchi-deshi”(internal students)* [8]* [9], dando algumas aulas também alunos dia
japonês, americano e outras nacionalidades, sem nunca
ensinar as partes considerados secretos ou muito perigoso
para o praticante médio.
Até à data, alguns mestres de karate no mundo dizem
ter sido alunos da Nishihira maestro, mas o último antes de sua morte reconheceu abertamente que seus alunos só os mestres: Giuseppe Meloni, (representando a
Europa), Ricky Rose (EUA), Theodore Lange (Austrália)
e Richard Boyle. Ricky Rose e Theodore Lange, por sua
vez já eram alunos de Soken Hohan primeiro e depois
Nishihira.* [13]
30.2 Bibliografia
• (em italiano) Paolo Vaccaro, “Shorin Ryu Matsumura Seito Karate – La vita dei maestri ieri e oggi”
, Gruppo Editoriale L'Espresso Spa, 2011
• (em inglês) Ronald L. Lindsey,“Okinawa no bushi
no te”, ed. R R Enterprises, 2011
Cerca de trinta anos de idade, ele se casou com a filha
de um perito de Ryukyu kobudô, com quem teve dois filhos, abriu uma loja apenas bentoyasan Nishihara, perto
da casa de Hohan Soken e apesar do trabalho intenso, seguido e praticado com paixão ainda mais junto com seu
“Sensei”. A freqüência eo empenho com que Nishihira
praticada estilo o levou, inevitavelmente, a ligação emocional com o Grão-Mestre Soken também dando-lhe o
apelido de Tan-mei (tio)* [6]* [7] e assim por ficar pelo
seu vizinho, accudendolo, até o ponto da morte.
Nishihira muitas vezes encontrou-se no curso de suas vidas, para enfrentar adversários muito mais fortes do que
ele, e ainda tem a vantagem, graças aos ensinamentos
grave e pesado Grandmaster Soken, e permitindo-lhes ter
pleno conhecimento da eficácia das técnicas, então, não
se sente obrigada a estabelecer um estilo diferente do que
ensinou-lhe em particular ao seu mestre.
• (em inglês) Tetsuhiro Hokama “Karate Site Guidance”, ed. Budovideos, 2003
• (em inglês) Shoshin Nagamine,“Tales of Okinawa's
Great Masters”, ed. Tuttle Publishing, 2000
• (em inglês) Mark Bishop, “Okinawan Karate: Teachers, Styles and Secret Techniques”, ed. Tuttle
Publishing, 1990
• (em inglês) Takayo Nakaya “Karatedo History &
Philosophy”
30.3 Ligações Externas
Enquanto permanece escondido por anos Kosei Nishihira
tornou-se um grande mestre, por sua vez, reconhecido internacionalmente como o herdeiro Matsumura Seito Karate de Grandmaster Soken* [10]* [11], apesar do que a
47
• (em italiano) Bushido Academy Italia
• (em italiano) Okinawa unʼisola? No, un continente,
Giuseppe Meloni
• (em inglês) Suiken Bugei Kai
48
• (em inglês) Shorin Ryu Matsumura Seito - Soken
Kinen Kan
• (em inglês) Shoshinkan UK
• (em inglês) Some facts on matsumura seito by Steve
Watson: Matsumura Seito practitioner, Soken Kinen Kan, Australia
• (em inglês) The History of Matsumura
• (em inglês) The History of Matsumura
• (em inglês) Hohan Soken - The Life of a Grand Master
• (em inglês) About Shinseido Shorin Ryu: The Way
Born of Truth and Reality
• (em inglês) Abridged karate history of Master Phillip W. Koeppel
• (em inglês) Shōrin-ryū
• (em inglês) Martial Arts Biography - Soken Hohan
30.4 Referências
[1] Paolo Vaccaro,“Shorin Ryu Matsumura Seito Karate – La
vita dei maestri ieri e oggi”, Gruppo Editoriale L'Espresso
Spa, 2011 - página 66
[2] Shoshin Nagamine, “Tales of Okinawa's Great Masters”
, ed. Tuttle Publishing, 2000
[3] Mark Bishop, “Okinawan Karate: Teachers, Styles and
Secret Techniques”, ed. Tuttle Publishing, 1990
[4] Ronald L. Lindsey, “Okinawa no bushi no te”, ed. R R
Enterprises, 2011 - página 168
[5] Tetsuhiro Hokama, “Karate Site Guidance”, ed. Budovideos, 2003 - página 23
[6] Paolo Vaccaro,“Shorin Ryu Matsumura Seito Karate – La
vita dei maestri ieri e oggi”, Gruppo Editoriale L'Espresso
Spa, 2011 - página 68
[7] http://suikenbugeikai.com/dojo.htm Suiken Bugei Kai search for “Kosei Nishihira”in “History”
[8] Hohan Soken's notable student
[9] Ronald L. Lindsey, “Okinawa no bushi no te”, ed. R R
Enterprises, 2011 - página 169
[10] Paolo Vaccaro,“Shorin Ryu Matsumura Seito Karate – La
vita dei maestri ieri e oggi”, Gruppo Editoriale L'Espresso
Spa, 2011 - páginas 61 e 63
[11] http://www.worldbudokan.com/Articles/HohanSoken.
htm Hohan Soken - The Life of a Grand Master
[12] http://suikenbugeikai.com/dojo.htm
[13] http://www.rogersheldon.com/Shinseido/Resource_
pages/Pages%20on%20website/Shinseido%20and%
20Shorin%20Ryu.htm About Shinseido Shorin Ryu: The
Way Born of Truth and Reality
CAPÍTULO 30. KOSEI NISHIHIRA
Capítulo 31
Soke Kubota Takayuki
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. T-Hold Kubotan.
[S.l.]: Unique Publications, 1983. ISBN 0865681112
Soke Kubota Takayuki (em japonês: 宗家孝⾏洼⽥)
é um Grand Mestre japonês de artes marciais, nascido
na cidade Kumamoto, em 20 de setembro de 1934. Detentor do 10º dan de caratê, criou o estilo Gosoku Ryu
dessa arte marcial. É também fundador e presidente da
International Karate Association, pelo que recebe o título
de Soke. A entidade promove o caratê como um todo e
seu estilo em particular.* [1]* [2]
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. Weapons Kumite:
Fighting With Traditional Weapons. [S.l.]: Unique
Publications, 1983. ISBN 0865680426
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. Kubotan keychain: instrument of attitude adjustment. reprinted
ed. [S.l.]: Dragon Books, 1985. ISBN 0946062099
Foi instrutor de defesa pessoal da polícia de Tóquio, onde
se notabilizou por imprimir um carácter pragmático à arte
marcial. Além do caratê, Soke Kubota é graduado faixa
preta/cinturão preto em judô, aiquidô, iaidô e kendô. É
também escritor de livros sobre artes marciais.* [3]* [4]
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. Ninja Shurkien
Manual. reprinted ed. [S.l.]: I & I Sports Supply
Co, 1985. ISBN 0934489009
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. Close encounters:
the arresting art of taiho-jutsu. illustrated ed. [S.l.]:
Dragon Books, 1987. ISBN 094606220X
31.1 Livros
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. Fighting Karate.
illustrated ed. [S.l.]: Unique Publications, 2003.
• Kubota, Takayuki; McCaul, Paul. In: Takayuki.
Baton techniques and training. illustrated ed. [S.l.]:
Thomas, 1972. ISBN 0398023387
• Kubota, Takayuki; Miller, Mark. In: Takayuki. The
art of karate. 1 ed. [S.l.]: Haddington House, 1977.
ISBN 0865682054
31.2 Referências
ISBN 0672523310
[1] Gosoku-Ryu (em inglês). Visitado em 04.out.2011.
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. Fighting Karate
Gosoku Ryu Hard Fast Style. [S.l.]: Unique Publications (Subs. of CFW Enterprises, Inc), 1980. ISBN
[2] IKA KUBOTAN ESPAÑA (em espanhol). Visitado em
04.out.2011.
[3] Complete Martial Arts.com - Takayuki Kubota (em inglês). Visitado em 04.out.2011.
0865680108
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. Gosoku ryu karate: kumite 1. [S.l.]: Unique, 1980.
• Peters, John; Kubota, Takayuki; Defensive Tactics
Institute, Inc. In: John. Realistic defensive tactics. illustrated ed. [S.l.]: Reliapon Police Products,
1981. ISBN 0935878025
• Kubota, Takayuki. In: Takayuki. Action Kubotan
Keychain an Aid in Self Defense. [S.l.]: Beckett
Pubns, 1982. ISBN 0865681015
• Kubota, Takayuki; Peters, John. In: Takayuki.
Official Kubotan techniques. [S.l.]: Kubotan Institute, 1983.
49
[4] Takayuki Kubota (em inglês). Visitado em 04.out.2011.
Capítulo 32
Kushanku
Kushanku* [a] (公 相 君, Kūsankū* ?) foi um mestre
chinês de chuan fa Shaolin da província de Fukien, que
muito influenciou a história do caratê. Seu nome consiste na letra “Ko”(público, oficial), “Sho”(ministro)
e “Kun”(mestre, regente), o que parece mais demonstrar ter sido um título, pero sendo possível ser um nome
de uso corrente.* [1]
32.1 Biografia
Antes de sua chegada a Oquinaua, não há dados precisos
da vida de Kushanku. * [* carece de fontes?] Seu aporte
na ilha foi consequência da política do imperador chinês,
da dinastia Ming, o qual, em 1756 mandou enviar para
aquele arquipélago uma delegação composta por 36 famílias com profissionais de várias áreas, cujo fito era ensinar. Estabeleceram-se na vila de Kumemura, próxima à
cidade de Naha. Kushanku teria sido membro da delegação, militar e teria permanecido na ilha até 1762, muito
embora o nome não possa ser encontrado no começo mas
somente em 1762, nas Notas de Oshima, quando foi relatado que um navio se avariou em decorrência de uma
tempestade perto de Tosa, província de Shikoku, ficando
lá por cerca de um mês.* [2]* [3]* [4]
Segundo palavras de um tripulante do navio acidentado,
foi a bordo um certo chinês de nome Kushanku, levando
consigo alguns alunos, e que impressinou com as demonstrações de kenpo.
Seu nome é citado pela primeira vez nas ditas“Notas de
Oshima”̶Oshima Hikki (⼤島筆記* ?) ̶, que foram
compostas por Ryoen Tobe ̶também Yoshihiro Tobe ̶
, um estudioso que escreveu sobre o navio sinistrado em
que se encontrava Kushanku. As referidas notas contam
sobre as vidas e feitos dos tripulantes da nau e um deles, de nome Peichin Shionja, falava de um lutador chamado“Koshankun”muito habilidoso e que demonstrara
sua arte marcial por várias vezes.* [5]
32.1.1 Legado
Kushanku era famoso por suas habilidades de luta e perito na arte do Ki. Atribui-se a ele introdução do kata
homônimo Kushanku, o qual é treinado em vários estilos
de caratê, principalmente no Shorin-ryu e derivados.* [5]
No estilo Shotokan o kata é referido como Kanku-Dai, e
passou a significar “mirando o céu”. Diz-se também
que ele introduziu a técnica de hikite, de puxar um punho
para junto do corpo simultaneamente ao ataque desferido
pelo outro.* [7]* [8]
Além das técnicas propriamente ditas, a influência do
mestre se fez sentir também em decorrência de seus discipulos, que se tornaram também influentes. Afirma-se
que ele teve como alunos moradores do arquipélago Peichin Shionja, Chatan Yara e Kanga Sakukawa.
A real existência do primeiro não há como ser confirmada
por mais fontes que não as Notas de Oshima, bem como
não é certo se foi mesmo um aluno de Kushanku. Quanto
a Chatan, é certo que foi aluno mesmo, pero não se sabe
se o encontro se deu em Oquinaua ou na China. Sakukawa, por seu turno, já tem biografia mais conhecida,
sendo-lhe atribuída influência decisiva na história do te.
32.2 Notas
*
[a] ^ Kushanku também é conhecido por Ku
Shanku, Kosokun, Kung Hsiang Chʼūn, Kwang
Shang Fu, Ku Shan Ku, Koshokun, Kwanku, Ko
Sokun ou Gong Xiang Fu.
*
[b] ^ Tradução livre desde o alemão.
32.3 Referências
[1] History Of Karate (em inglês). Visitado em 15.dez.2010.
[2] Origens Do Karatê E Suas Influências.
21.set.2010.
Consta das notas:* [b]
Não se sabe precisar muito de suas atividades, sendo
certo, porém, que viajou viversas vezes entre Oquinaua
e China.* [6] Muito provavelmente, o mestre falaceu em
1790 mas na China.* [5]
50
Visitado em
[3] History (em inglês). Visitado em 15.dez.2010.
[4] History Okinawan Shorin Ryu (em inglês). Visitado em
15.dez.2010.
32.4. BIBLIOGRAFIA
51
[5] Biographie of Kushanku (em inglês).
15.dez.2010.
Visitado em
[6] Origins of kenpo history (em inglês).
19.dez.2010..
Visitado em
[7] Os katas avançados. Visitado em 21.set.2010.
[8] Shotokan Karate Kata Kanku Dai | Karate Classes Online
(em inglês). Visitado em 21.set.2010.
32.4 Bibliografia
AKERMANN, Emmanuel. Karaté: bunkais-katas (em
francês). Amphora, 2007. ISBN 978-2-85180-723-6.
Capítulo 33
Yoshizo Machida
Yoshizo Machida (nascido em 29 de janeiro de 1946,
em Ibaraki, Japão), é um carateca japonês, naturalizado
brasileiro. É o pai de Lyoto Machida.* [1] Iniciou seus
treinamentos em 1961 tendo treinado com os mestres Togushi, Nakayama, Nishiyama, Watanabe, Masahiko Tanaka e Takahashi Yoshimasa. Imigrou para o Brasil em
1968.
Aos 19 anos foi campeão de Kumite no Torneio da Ilha
de Okinawa. Sensei Machida treina karatê porque gosta
e diz que se deve treinar para vencer a si próprio (Força
do Espírito). Atualmente é o presidente de honra da JKA
Brasil e possui Faixa Preta 7° Dan da JKA (Japan Karate
Association) e 8° Dan da Federação Internacional de Karatê Tradicional.
1975 atuou como árbitro em inúmeros campeonatos.
Em 1987 afastou-se da Confederação Brasileira de Karatê, para no ano de 1988 fundar a Confederação Brasileira de Karatê Tradicional. Nos dias de hoje, é um
dos responsáveis pela JKA no Brasil. Desenvolveu a arte
marcial brasileira Karatê Machida, estilo que moldou o
perfil profissional de seu filho Lyoto, no MMA.* [2]
33.2 Referências
Presentemente, reside no estado do Pará (região Norte),
há mais de 30 anos, onde ministra aulas de artes marciais.
Antes de residir no Pará, Yoshizo Machida, treinava no
estado da Bahia em parceria do baiano Caribé. Além de
ser mestre em Karatê, Yoshizo é 3° Dan de Aikido.
33.1 Feitos de Yoshizo Machida
Em 1966, no 1° Campeonato em Okinawa, foi campeão
em kumite. No ano seguinte, no Campeonato do Japão
(na categoria de Universidade), foi campeão de Kata e 3°
lugar de luta.
Em abril de 1968 chegou ao Brasil na capital do Pará (Belém). Já em 1970, no Campeonato“Olimpíada em Brasília”, foi campeão de kumite e kata.
Em seguida, participou em 1971 do II Campeonato Brasileiro de Karatê, em Brasília, excercendo a função de
Técnico da Seleção Baiana. Foi o segundo colocado em
Kumite e Kata.
Em 1972 e 1973 participou do III e IV Campeonato Brasileiro (Rio de Janeiro), exercendo a função de Técnico
da Seleção Baiana. Sendo campeão geral em ambas as
edições. Este ano, 1973, foi muito importante para Sensei Machida, pois participou do campeonato Panamericano (Rio de Janeiro), exercendo a função de Técnico da
Seleção Brasileira alcançando o 2° Lugar. Ainda participou do Campeonato Mundial de Karatê Shotokan em
Tóquio, no Japão, sendo o segundo colocado e a partir de
52
[1] Yoshizo Machida Separates Contemporary Shotokan
From His Style. Visitado em 12-12-2009.
[2] Semana Lyoto Machida: Construindo um gênio. Página
visitada em 05-02-2011.
Capítulo 34
Masatoshi Nakayama
Masatoshi Nakayama (中⼭正敏, Japão, 13 de abril
de 1913–15 de abril de 1987), 10ºdan, é um dos mestres
mais influentes da história do Karate Shotokan.
Em 1932 inicia o treino de Karate na universidade de Takushoku, de onde viriam a emergir nomes como os de
Hidetaka Nishiyama, Hirokazu Kanazawa ou Keinosuke
Enoeda.
Tendo estudado directamente sob a tutela de Gichin Funakoshi e do seu filho Gigo, funda em 1949 a Japan Karate Association, dando início à maior operação de expansão do Karate para lá das fronteiras do Japão.
De modo a tornar esta arte marcial mais credível e passível de aceitação no mundo ociental, Nakayama restrura
as bases do treino de Karate tendo por base conceitos cientificos das ciências do desporto.
A Japan Karate Association foi até à data da sua morte
a mais sólida e produtiva organização internacional dedicada ao Karate Shotokan, tendo este acontecimento dado
início a uma série de cisões que originariam a proliferação de diversas novas organizações e consequente enfraquecimento da lenda da JKA.
34.1 Livros Publicados
1. Nakayama, Masatoshi (1987). Dynamic Karate,
Translated by John Teramoto & Herman Kauz,
ISBN 978Tokyo: Kodansha International.
0870117886.
2. Nakayama, Masatoshi (1978). Best Karate: Comprehensive. Tokyo: Kodansha International. ISBN
978-0870113178.
34.2 Ligações externas
• Biografia oficial da JKA
53
Capítulo 35
Matsu Higa
Matsu Higa Peichin (⽐嘉 云上* ?), às vezes chamado
de Machu Hija, foi um mestre da arte marcial nativa de
Oquinaua, a qual viria a evoluir até o caratê; à época a referida arte chamava-se apenas de te (ou em oquinauense,
ti), o momento era a formação do Okinawa-te. O mestre
viveu entre 1790 e 1870, provavelmente oriundo da ilha
de Hama Higa, e pertencia à classe de guerreiros locais,
peichin.* [1]
Teve como propedeutas mestres de chuan fa, como
Wanshu.* [2]
As contribuições do mestre foram o desenvolvimento de
um currículo coerente de kata e, com respeito à arte marcial do kobu-jutsu/kobudo, era reconhecido experto no
manejo do bastão ̶bojutsu ̶, sem olvidar dos kata
para tonfa e sai.* [3] Esses ensinamentos foram transmitidos por discípulos seus, como o reconhecido Peichin Takahara, que viria a ser o mesre de Kanga Sakugawa.
35.1 Referências
[1] shurite (em inglês). Visitado em 08.ago.2011.
[2] Wan-su kata (em inglês). Visitado em 08.ago.2011.
[3]
料 古武道型系 _ 空⼿道吧 _
Visitado em 08.ago.2011.
吧] (em japonês).
54
Capítulo 36
Kenji Midori
Kenji Midori ( 健児 Midori Kenji, Amami Ōshima,
18 de abril de 1962) é um carateca japonês um dos responsáveis pela criação do estilo Shinkyokushin em 1999,
junto de Yukio Nishida e Keiji Sanpei, ramificação do
estilo Kyokushin.* [1]
• 1985 - 5º lugar e “Best Fighting Sprit Award”na
17º All Japan Tournament
Midori foi um estudante de Mas Oyama, o fundador
do Karate Kyokushin. Midori, eventualmente, assumiu
a liderança do IKO2 (International Karate Organization
2), e mudou o para WKO (World Karate Organization)
Shinkyokushinkai em 2003.* [2]
• 1987 - 16º melhores e“Best Technique Award”no
4º World Tournament
• 1987 - Campeão no 4º All Japan Weight Division
Tournament – Men Lightweight
• 1988 - 2º lugar no International Tournament in
Switzerland
• 1990 - Campeão no 7º All Japan Weight Division
Tournament – Men Lightweight
36.1 Biografia
• 1990 - 2º lugar no 22° All Japan Tournament
Nascido no sul da ilha de Kyushu, Kenji Midori começou seus treinos em carate em 1978. Ele rapidamente se
destacou, participando nos torneios de maior prestígio no
Japão, e em 1987, ganhou pela primeira vez o All Japan
Weight Division Tournament. Masutatsu Oyama, fundador do Kyokushin, treinou-o afim de ajudá-lo a vencer
o campeonato mundial, na categoria até 70 kg, e a vencer
o 5° Campeonato do Mundo em 1991.
• 1991 - Campeão no 5º World Tournament* [6]
36.3 Referências
[1] Kyokushin Family Tree (em inglês) www.
kyokushincanada.com. Visitado em 31 de maio de
2014.
Após a morte de seu mentor Mas Oyama, ele decide
se separar do ramo oficial (IKO, encabeçada por Kancho
Shokei Matsui) para ingressar na IKO2 (encabeçada por
Yukio Nishida e Keiji Sanpei), a qual ele iria virar presidente mundial em 2001, e rebatizar em 2003, como Organização Mundial de Karate Shinkyokushinkai.* [3]
Ele recebeu seu sexto Dan em 26 de novembro de 2002,
e o sétimo dan em junho de 2010.* [4] Kenji Midori é
casado e tem dois filhos e uma filha.* [5]
[2] Shihan Kenji Midori - WKO President and Chairman of WKO Grading Committee (em inglês) www.
shinkyokushin.at. Visitado em 31 de maio de 2014.
36.2 Títulos
[6] Kenji Midori (em inglês) www.shinkyokushin.at. Visitado em 31 de maio de 2014.
• 1980 - 4º lugar no 1° Chiba Prefectural Tournament
[3]
范 介 (em japonês) www.shin-kyokushin.org. Visitado em 31 de maio de 2014.
[4] Kenji Midori (em inglês) www.shinkyokushin.at. Visitado em 31 de maio de 2014.
[5] Kenji Midori (em francês) fr.wikipedia.org. Visitado em
31 de maio de 2014.
36.4 Ligações externas
• 1983 - 3º lugar no 1º NishiNihon (Western Japan)
Tournament
• 1984 - 8 melhores no 1º All Japan Weight Division
Tournament – Men Lightweight
55
• Kenji Midori no Facebook
• World Karate Organization Website (em inglês)
Capítulo 37
Peichin Takahara
Peichin Takahara (em japonês: ⾼原親雲上, Takahara
Pēchin)* [a] foi um mestre de Okinawa-te, nascido na família Kogusuku de Kumemura, em Shuri, e muito importante no desenvolvimento que viria a culminar no caratê. Viveu de 1683 a 1760, sendo da casta militar de
Oquinaua.* [1]* [2]
37.4 Referências
[1] Peichin Takahara (em inglês). Visitado em 16.dez.2010.
[2] HISTORY SEMINAR: Okinawa (em inglês). Visitado
em 29.set.2011.
[3] Takahara and Sakugawa (em inglês).
16.dez.2010.
Visitado em
[4] Peichin Takahara presented in Martial Arts section (em
inglês). Visitado em 16.dez.2010.
37.1 Biografia
Em 1683, na vila de Akata Cho, no seio de uma família tradicional de Oquinaua, da classe militar da sociedade local, Peichin Takahara, que viria a se tornar um
monge.* [1] Desenvolveu as habilidades de astrônomo e
cartógrafo, sendo-lhe atribuída a autoria dos primeiros
mapas de Oquinaua.* [3] Treinou com Matsu Higa Peichin.* [4]
37.2 Contribuições
O monge Takahara introduziu no te os primeiros conceitos de Dô (道, dō* ?), que seriam na formação do caratê
moderno mais realçados, no processo pelo qual passaram
as artes marciais japonesas durante a transição do século
XIX para o século XX.
Como aluno, teve a Kanga Sakukawa, para quem repassou todos os seus conhecimentos e, quando viu
que não poderia contribuir com seu aperfeiçoamento,
encaminhou-o para treinar com o mestre de chuan fa
Kushanku.* [3]
37.3 Notas
*
[a] ^ A classe social Peichin de Oquinaua
equivalia à dos Samurais do Japão. E chamar alguém de Peichin Takahara equivaleria a
chamá-lo de Sr. Takahara.
56
Capítulo 38
Seigo Tada
O Mestre Seigo Tada (多⽥正剛) (Kyoto, Japão, 1922 Após a sua súbita morte, de enfarte do miocárdio, em
̶1997) (8ºDan) foi o fundador do estilo Goju-Ryu 1997, a Srª Drª Okamoto Michiko (Seigo Tada II), sua
Seigokan de Karate-Do.
esposa, sucedeu-o na Presidência da All Japan Seigokan
Em 1937 aprende as Artes Marciais internas chinesas Karate-Do Association (SAJKA) e mais recentemente
(Kempo Chinês) com o Mestre Ching Lou, em Shangai. Akira Soke (Seigo Tada III), preside aos destinos daquela
Associação.
Ingressa na Universidade de Ritsumeikan em Kyoto e no
Clube de Karate da mesma. Ali estuda a essência do
Goju-ryu Karate-Do com Chojun Miyagi.
38.1 Cargos Exercidos
Em 1943 é nomeado treinador do Clube de Karate da
Universidade. Após a sua graduação, ele criou a Nihon
Seigokan Karate-Do Doshikai (SAJKA), a Nihon KarateDo Goju-Ryu Doshikai e a Nihon Seigokai em Kyoto.
Liderou cerca de 120 Dojos da Seigokan e Associações,
bem como Clubes de Karate-Do Universitários e Dojos
além fronteiras, como Instrutor Chefe e Presidente.
• Fundador, Presidente e Instrutor Chefe da All Japan
Seigokan Karate-Do Association (SAJKA).
• Membro do Comité de Instrutores e Membro Executivo na Federação Japonesa de Karate (JKF).
• Director da Japan Karate-Do Federation (JKF).
Durante a Guerra, foi membro do Batalhão “Tokotai”
, com missões suicidas idênticas aos "Kamikaze" (Vento
Divino).
• Director-Chefe da Federação de Karate do Distrito
de Kansai.
• Director-Chefe da Federação de Karate do Distrito
de Kinki.
Após a Segunda Guerra Mundial (1939 ̶1945), faz testes para actor de cinema, conjuntamente com Toshiro
Mifune, mas depressa abandona essa carreira.
Em 1952 estabeleceu as regras de competição e desenvolveu o protector original para a cabeça, com o propósito
de modernizar o Karate-Do como Desporto e nomeadamente, como futuro Desporto Olímpico.
• Director-Chefe, VP e Presidente Executivo da Federação de Karate da Prefeitura de Hyogo.
38.2 Referências
Em 1964, o Mestre Seigo Tada, foi um dos promotores
e executivos da All Japan Karate-Do Federation (JKF)
no Distrito de Kansai, no Distrito de Kinki e procedeu à
ligação e união das referidas federações distritais.
Com o propósito de expandir o Karate Goju-Ryu Seigokan e visando a transformação do Karate como Desporto
Olímpico, viaja para o estrangeiro e envia instrutores,
criando Associações (Branches) da Seigokan em HongKong, Macau, Brasil, Portugal, Estados Unidos, Canadá,
Austrália, Itália, Filipinas, Singapura, Índia, Sri-Lanka e
Ceilão.
Nessa época, a Seigokan era a maior Associação (Kai-Ha)
de Goju-Ryu no Japão, com mais de 200.000 membros.
Em 1981 ganhou a Medalha de Mérito Atlético da Prefeitura de Hyogo.
57
• “Sagi Ashi Dachi kamae eien nale - Seigokan
Golden Book” - Edição Limitada da JKS (Esgotado).
• “Yoki´s Karate Errantry in America” por Yukiaki Yoki (2001); Edição de Betty D.Greenberg.
• Site Oficial da Seigokan do Japão
• Site Oficial da Seigokan do Brasil
• Site Oficial da Seigokan dos EUA
Capítulo 39
Seisho Aragaki
Seisho Aragaki (em japonês: 新 垣 世 璋, Aragaki
Seishō) foi um renomado mestre de caratê. Nasceu em
1840, na vila de Kumemura, em Oquinaua, no seio de
uma família nobre, da classe dos peichin, e teve passamento em 1914/16.* [1] Posto que não se possa atribuirlhe o estabelecimento de um estllo próprio, sabe-se que
evangelizava uma variante do Naha-te, cujas características são a predominância de movimentos suaves e concentrados. A maior herança, contudo, deixada pelo mestre
reside nos kata por ele ensinados, os quais entraram para
os arcabouços técnicos de vários estilos noveis de caratê,
como Shito-ryu e Wado-ryu.* [2]* [3]
39.1 Referências
[1] Aragaki Peichin Biography - Page 1 - Wakefield Traditional Karate Association (em inglês). Visitado em
07.jan.2013.
[2] KARATE. Visitado em 07.jan.2013.
[3] McCarthy, Patrick; McCarthy, Yuriko. Ancient Okinawan Martial Arts: Koryu Uchinadi (em inglês). North
Clarendon: Tuttle, 1999. p. 6. vol. 1. ISBN 0804831475
58
Capítulo 40
Shoshin Nagamine
Shoshin Nagamine (em japonês: ⻑嶺将真, Nagamine
Shōshin) foi um mestre de caratê, nascido em 15 de Julho de 1907, na aldeia de Tomari, em Oquinaua. Além de
caratê, Nagamine praticou outras artes marciais japonesas: kobudo oquinauense, kendo e judô.* [1]* [2] Repudiava a prática do caratê como desporto, pero impria forte
caracte ético e valaorizava sobremaneira o paradigma do
budô.* [3] Fundou a escola Matsubayashi-ryu, do estilo
Shorin-ryu.* [4]
40.1 Referências
[1] BIOGRAFIAS DE MAESTROS (em espanhol). Visitado
em 16.abr.2012.
[2] Autobiography of Grandmaster Shoshin Nagamine (em
inglês). Visitado em 16.abr.2012.
[3] Shoshin Nagamine (trad. Hideyuki Takahashi). Okinawa
Karate and World Peace (em inglês). Visitado em
16.abr.2012.
[4] Matsubayashi Ryu - Shorin Ryu Karate style (em inglês).
Visitado em 16.abr.2012.
59
Capítulo 41
Tatsuo Shimabuku
Tatsuo Shimabuku (em japonês: 島袋⿓夫, Shimabukuro Tatsuo) foi um mestre de caratê. Nasceu em 19 de
setembro de 1908, na vila de Kyan, em Oquinaua, e teve
passamento em 30 de maio de 1975. Dentre suas maiores
contribuições está a fundação do estilo Isshin-ryu, de caratê, que pretende conciliar as técnicas lineares do estilo
Shorin-ryu com as circulares, do Goju-ryu.* [1]* [2]
41.1 Referências
[1] MSISSHINRYU.COM | Dragon Man: Tatsuo Shimabuku (em inglês). Visitado em 11.nov.2012.
[2] Clayton, Bruce. Shotokan's secret: the hidden truth behind
karate's fighting origins (em inglês). Santa Clarita: Ohara,
2004. p. 98. ISBN 0897501446
60
Capítulo 42
Teruo Hayashi
Teruo Hayashi (林輝男, Hayashi Teruo* ?)(Nara, 21 de
outubro de 1924 ̶Osaca, 24 de setembro de 2004) foi
um mestre japonês de caratê e kobudo. Como contribuições mais expressivas para as artes marciais japonesas,
ele deixou criados uma escola do estilo Shito-ryu, denominada Hayashi-ha shito-ryu, e um estilo de kobudo chamado Kenshin-ryu. Além disso, foi presidente da Conselho de Arbitragem da Federação Mundial de Caratê.* [1]
42.1 Biografia
além de reputado de muito habilidoso, ser conhecido com
má fama por causa da antiga prática de Dojo yaburi, na
qual um carateca desafia um dojô, desde o menos graduado até chegar ao mestre, e, caso seja vencido, pede para
que seja aceito aluno no referido dojô. Como Hayashi teria desafiado muitas escolas, passou a ser mal visto em
Oquinaua.
Achando concluída sua formação na ilha que era o berço
do caratê, Hayashi decidiu voltar para o Japão e começar
sua própria escola, na qual ele compilaria dentro de seu
estilo materno, Shito-ryu, todos aqueles outros conhecimentos aprendidos em Oquinaua.* [3] Assim, seu estilo
pretende ser harmonioso, destacando a variedade das técnicas da arte marcial, numa linhagem muito rica que consegue praticar desde as técnicas de soco até projeções.
Essa riqueza de conteúdo também é vista na ampla gama
de kata que praticam, que foram incorporados dos mestres com que teve contato.
Teruo Hayashi nasceu em 21 de outubro de 1924, na
cidade japonesa de Nara, localizada próximo a Quioto.
Com a idade de treze anos, Hayashi começou a praticar
artes marciais com a modalidade do judô, no dojô Kusunogibukan. No estabelecimento permaneceu até completar dezoito anos, quando acontecia a Segunda Guerra
Mundial e, sendo maior, teve que se alistar, tendo perma- Ele serviu como presidente Técnico da União Mundial de
necido em Kyushu até o fim da guerra.* [1]
Organizações de Caratê, depois reorganizada como FeFindo o conflito mundial, Hayashi começou a estudar deração Mundial de Caratê. Em 1995, recebeu seu nono
caratê com o Mestre Kosei Kuniba, que era discípulo do dan e até 24 de setembro de 2004, quando ele morre, ele
Mestre Kenwa Mabuni, fundador do estilo shito-ryu. O atuou como Presidente do Conselho aposentado de Arapreço pela arte marcial foi tanto que, ladeado pelo colega bitragem da WKF. Em reconhecimento ao seu extenso
Shogo Kuniba, viajou até Oquinaua, no esforço de buscar trabalho no desenvolvimento do caratê como disciplina,
*
*
maiores conhecimentos e ter contato mais próximo com a JKA outorgou-lhe 10º dan post mortem. [2] [4]
as origens do caratê e do kobudô.* [2]
Mestre Hayashi faleceu no dia 24 de setembro de 2004,
Mestre Hayashi ingressa no dojô de Shoshin Nagamine, o em Osaca, por complicações decorrentes de um câncer
fundador da escola Matsubayashi-ryu, com quem aprende de pulmão.
técnicas avançadas de caratê e kobudô. Eventualmente,
chegou-lhe aos ouvidos sobre a fama de Kenko Nakaima,
o líder do estilo Ryuei-ryu, levando-lhe a buscar ingressar
naquela escola.
42.2 Discípulos
À época, fim da década de 1950, o estilo Ryuei-ryu ainda
era uma escola fechada, cujas técnicas somente eram ensinadas aos membros da família Nakaima. Após mais
de ano de insistentes tentativas, o mestre foi aceito como
aluno, tornando-se uma das primeiras pessoas a treinar o
estilo fora da família Nakaima. Sob o peso de tal responsabilidade, Hayashi dedicou-se profundamente ao treinos, impressionando o mestre com suas habilidade e força
dos golpes.
Com o aprendizado apurado, Teruo Hayashi conseguiu,
61
• Teruo Hoshino, neto do Yuukichi Hoshino, dono da
faculdade hoshino, faleceu em 1975, desenvolveu a
técnica de 8 dan ryu-ken quando ainda era treinado
por Sensei Hayashi. Foi duas vezes campeão nacional de caratê shotokan e um vice, perdendo apenas para o campeão chinês de kung fu, na época,
Jet Li. Foi parar no boxe, sendo seriamente lesionado no nariz pelo então desconhecido Mike Tyson.* [* carece de fontes?]
62
42.3 Referências
[1] BIOGRAFIAS DE MAESTROS (em espanhol). Visitado
em 01.set.2011.
[2] SOKE TERUO HAYASHI 10 (em espanhol). Visitado
em 01.set.2011.
[3] Hayashi Souke (em inglês). Visitado em 01.set.2011.
[4] Aprendiendo karate (PDF) (em espanhol). Visitado em
01.set.2011.
42.4 Bibliografia
McCARTHY, Patrick; McCARTHY, Yuriko. Ancient Okinawan Martial Arts: Koryu Uchinadi. Tuttle,
1999.
CAPÍTULO 42. TERUO HAYASHI
Capítulo 43
Yoshimi Inoue
Yoshimi Inoue (井上慶⾝), (Tottori, Japão, 27 de novembro de 1946 - 1º de maio de 2015) foi um mestre e
discípulo de Kenwa Mabuni, onde aprendeu o estilo Shito
Ryu* [1], depois da morte de Kenwa Mabuni começou a
ensinar com método particular, criando sua própria linhagem chamada de Inoue Ha Shito Ryu para vários alunos,
como o Shidoin Ricardo Cruz (campeão panamericano
de 1992)* [2], e Shihan “Guiga”que hoje ensinam o estilo de Yoshimi Inoue* [3].
43.1 Referências
[1] http://www.abc-7.com/global/story.asp?s=10786892
Abc
[2] http://www.inoueha.com/ikc/eisk_affiliation.html InoueHá
[3] http://www.karate-class.com/martial_art_history.htm
Karatê Class
63
Capítulo 44
Morihei Ueshiba
Morihei Ueshiba (植芝盛平 Ueshiba Morihei; Tanabe,
14 de dezembro de 1883 – 26 de abril de 1969) foi um
mestre de artes marciais japonês. Fundador do aikido,
é conhecido como O-Sensei (“Grande Professor”ou
“Grande Mestre”) por seus praticantes.
• Shoji Nishio (1927 - 2005) - Fundador do Aiki Toho
Iaido
• Tadashi Abe
• Kazuo Chiba
• Terry Dobson
44.1 Biografia
Muito fraco na infância, seu pai o incentivou a fazer
natação e artes marciais para se fortalecer. Passou por um
grande número de artes marciais, inclusive por um bom
número de desafios em todo o Japão, principalmente no
tempo em que servia o exército. Utilizava principalmente
o sumô e alguns estilos de jujutsu, e até então nunca tinha perdido uma luta até cruzar seu caminho com Sokaku
Takeda, mestre e soke de aikijujutsu do estilo daito-ryu.
Ueshiba treinou com Takeda exaustivamente, chegando a
ser um de seus alunos mais próximos.
Mais tarde, Ueshiba é chamado para dar aula de artes
marciais para a marinha. Assim, funda o aikido.
Na composição de sua arte marcial, o mestre foi buscar
a grande maioria do repertório técnico nos ensinamentos de Sokaku Takeda Sokaku, o estilo Daito-ryu de aikijiu-jitsu, que treinou de 1915 a 1937, tendo, inclusive recebida a licença (kyoju dairi) do mestre para ensinar o
sistema, em 1922. Tendo também sido agraciado com a
espada Kashima Shinden, mestre Ueshiba tornou-se então um representante do Daito-ryu, pelo que excursionou
com a Takeda como assistente de ensino e ensinou o sistema aos outros sob o nome de Daito-ryu.
• Gaku Homma - Fundador do Nippon Kan Kancho,
último Uchideshi
• Mitsunari Kanai
• Shuji Maruyama
• Minoru Mochizuki
• Mutsuro Nakazono
• André Nocquet
• Masamichi Noro - Fundador do Kinomichi.
• Morihiro Saito
• Mitsugi Saotome
• Gozo Shioda
• Seiichi Sugano
• Kanshū Sunadomari
• Nobuyoshi Tamura
• Koichi Tohei (1920 - 2011) - Fundador do Shin Shin
Toistu Aikido
44.2 Lista parcial de alunos (uchideshi) de Morihei Ueshiba
• Hiroshi Tada
• Kenji Tomiki - Um dos primeiros alunos de OSensei
• Nobuyuki Watanabe
• Yoshimitsu Yamada
• Yasuo Kobayashi
• Michio Hikitsuchi
• Seiseki Abe
• Robert Nadeau
64
44.3. NOTAS
44.3 Notas
• “The Art of Peace” “A Arte da Paz”, citações
e poemas de Ueshiba
• A Day in the Life of the Founder Morihei Ueshiba,
April 1968“Um Dia na Vida do Fundador Morihei
Ueshiba, Abril 1968”- por Gaku Homma Sensei.
• Morihei Ueshiba Photos Gallery
• A história do Aikido - É difícil compreender a singularidade do Aikido moderno sem primeiro compreender o seu extraordinário fundador, Morihei
Ueshiba.
• O Aikido por Morihei Ueshiba - Texto de Morihei
Ueshiba sobre Aikido.
65
Capítulo 45
Sokaku Takeda
Sokaku Takeda (em japonês: 武⽥惣⾓, Takeda Sōkaku), nascido em 10 de Outubro de 1859, foi um mestre de artes marciais japonesas e herdeiro de uma das
mais tradicionais linhagens de kobudo (escola marcial vetusta), que foi por ele restaurada Daito-ryu Jujutsu (mais
tarde, Daito-ryu Aiki-Jujutsu). Seu passamento deu-se
em 25 de Abril de 1943. Seus esforços de dar prosseguimento à sua linhagem marcial frutificou, resultando numa
das mais difundidas escolas daquelas tradicionais. Teve
como seus mais célebres e conhecidos alunos, os mestres
Morihei Ueshiba fundador do Aiquidô e Yong Sool Choi
do Hapkidô (Hapkidô idioma inglês e mais completo)
sendo que o primeiro basicamente incorpora as técnicas
do Daito-ryu, mas sob nova óptica, devido à forte influência da religião Omoto-Kyo na vida de Morihei Ueshiba
*
[1]* [2]* [3] e o segundo preservando grande similaridade
com o Daito-ryu, apenas tendo sido acrescentado algumas
técnicas e seus princípios de outras artes marciais coreanas.
45.1 Referências
[1] Takeda Sokaku - O Pequeno Demônio do Clã Aizu. Visitado em 04.nov.2012.
[2] Bull, Wagner. Aikido - o caminho da sabedoria: a teoria.
11 ed. São Paulo: Pensamento, 2004.
[3] Omiya, Shiro. As aízes secretas do aikido. 11 ed. São
Paulo: Cultrix, 2011.
66
Capítulo 46
Masamichi Noro
Masamichi Noro (野呂昌道* ?) nasceu no dia 21 de
janeiro de 1935 em Aomori no Japão e foi o criador do
Kinomichi no ano de 1979, em Paris. Prática que combina a tradição japonesa do aiquidô com tradições ocidentais como a eutonia, a dança moderna e trabalhos de
Foix e Ehrenfried. O site da Kinomichi® International
Instructors Association, define o Kinomichi como uma
forma de esporte não competitivo que surge do aiquidô.
Masamichi é Mestre de artes marciais tendo se iniciado
no aiquidô, no Hombu Dojo, como uchideshi, que significa aluno em tempo integral, em 1955. Foi por seis anos
aluno do mestre (Sensei) Morihei Ueshiba, o fundador da
arte marcial. Torna-se posteriormente um propagandista
de suas práticas no ocidente.
Faleceu, em Paris, no dia 15 de março de 2013
46.1 Anos de formação
de seus alunos. O espírito era de ajuda mútua e de prazer
do estudo segundo a vontade de Jigoro Kano, fundador
do Judô.
Em seguida, ele foi chamado à Bélgica, onde abriu mais
de 200 dojôs tanto na Europa quanto na África, passando da Suécia ao Senegal. Foi um tempo de pioneiros. Os mestres Mutsuro Nakazono e Nobuyoshi Tamura, se juntaram a ele respectivamente em 1963 e 1964.
Em 1964, Mestre Masamichi Noro estabeleceu sua base
em Paris encontrando Taisen Deshimaru, Karlfried Graf
Dürckheim, Marie-Thérèse Foix, Gisèle de Noiret e Docteur Lily Ehrenfried, se abrindo a técnicas ocidentais, à
sutilidade dos alongamentos, ao respeito de seu corpo e
o corpo de seus parceiros. Novos princípios inspiraram
os movimentos que iriam criar definitivamente um novo
estilo.
46.3 Anos de criação do Kinomichi
Em 1955, enquanto fazia seus estudos universitários,
através de seu tio ele foi apresentado a Morihei Ueshiba.
Em seguida renuncia a seus projetos pessoais para se tornar aluno do mestre. De 1955 até 1961, ele o seguiu de
Tóquio até Iwama, onde o Ueshiba tinha seu dojô particular. Nessa época, com outros quatro uchi deshi (dentre
eles Yasuo Kobayashi e Nobuyoshi Tamura) se dedicam
totalmente a prática do aiquidô, surgindo alguns dos seus
grandes líderes.* [1]
46.3.1 O segundo começo
Em 1979, depois de uma entrevista com o doshu,
Kishomaru Ueshiba, o filho do fundador do aiquidô, ele
criou o Kinomichi para levar sua busca mais longe. Depois de um inevitável período de ajustes e de intensas
pesquisas, as ligações entre o Kinomichi e o aiquidô se
desenvolveram e se aprofundaram.
46.2 Anos de propagação do aikidô 46.3.2 Uma comunidade de budos
Em 1961, Mestre Morihei Ueshiba envia um especialista
para a Europa para divulgação do aiquidô e confia a Masamichi Noro esta tarefa. Este embarca em direção a
Europa e Africa com o título de « Encarregado oficial
do Aïkikaï de Tóquio para a Europa e a África ».
Tudo devia ser construído, entendido e tornado acessível
aos corpos e espíritos ocidentais. Escolhe o caminho bem
diferente daquela ensinada no dojô do seu mestre. Num
primeiro momento, Mestre Masamichi Noro desenvolveu
sua prática no sudeste da França e na Itália, onde professores de Judô o convidaram a enriquecer o conhecimento
Em 1985, durante a comemoração dos vinte anos de aiquidô na Alemanha e a convite de seu amigo, Mestre Katsuaki Asai, 8º dan Aïkikaï e pioneiro da prática na Alemanha, ele apresentou o Kinomichi diante de uma platéia repleta dos maiores mestres da modalidade, dentre
eles, o Doshu. Desde 1996, ele fez muitas visitas ao Centro Mundial do Aiquidô em Tóquio e, é claro, ao Mestre Kishomaru Ueshiba, filho do fundador. Em 2001,
ele obteve do Ministério da Juventude e dos Esportes, na
França, o reconhecimento do Kinomichi como disciplina
esportiva. Em 2004, ele participou das manifestações
que comemoram os 20 anos da Federação Francesa de
67
68
CAPÍTULO 46. MASAMICHI NORO
Aiquidô, Aïkibudo e Afinidades, FFAAA, que acolhia o
Doshu Moriteru Ueshiba, representante do Centro Mundial de Aiquidô em Tóquio. Também estavam presentes,
para receber a delegação do Hombu Dôjô de Tóquio, os
mestres Masamichi Noro, Nobuyoshi Tamura e Christian
Tissier, dentre 3000 praticantes vindos da França toda assim como de numerosos países europeus. Em 2007, ele
recebeu em seu dojô parisiense, mestres japoneses, dentre os quais, Isoyama senseï, uma iniciativa da FFAAA.
cia, Editeur Dervy-Livres, Collection Chemins De
L'harmonie ISBN 2850768065
• 1992 « La pratique du Kinomichi avec maître Noro
» Daniel Roumanoff Editeur Criterion Collection
L'homme relié ISBN 2741300402
• 1963 Vídeo do primeiro d'Aikido de Mestre Masamichi Noro em Cannes em Agosto de 1963
• 1960 algumas fotos de Mestre Masamichi Noro no
Japon com mestre, Morihei Ueshiba e na Europa .
46.3.3
Uma exigência de criação contínua
Desde a sua criação, o estilo Kinomichi conheceu 3 fases
e Mestre Masamichi Noro continuava a dizer aos seus
alunos que sua arte está sempre em evolução. Os anos
1980 foram caracterizados por um trabalho sobre a sensibilidade, sobre o corpo como instrumento de percepção
de si, dos outros e do mundo, sobre a postura certa e relaxada. Os anos 90 acentuaram a orientação de impulsos
e organizaram o movimento a partir de uma impulsão no
solo. Com o ano 2000, se abriu um período onde a riqueza técnica se declinou sobre diferentes graus de rapidez, de dificuldade e de liberdade. Cada nível não era
em nada inferior ao seguinte, mas ganhava sentido como
passagem para o que vem depois, como um apelo para
avançar. Mestre Masamichi Noro pôs ênfase principalmente no coração shin. Até então, ele tinha construído o
acesso de sua arte através de um trabalho sobre a respiração ki. A partir de então, ele exige do mais alto nível que
oriente o ki para o shin, a respiração para o coração, a fim
de explorar e controlar o conjunto das técnicas que ilustram o caminho que ele recebeu de seu mestre, Morihei
Ueshiba.
Mester Masamichi Noro concentrou sua energia para
criar uma disciplina aberta para seu futuro, seguindo o
exemplo de seu próprio mestre, que nunca parou de transformar sua arte até dar a ela 7 nomes diferentes, como
tantas metas no Caminho. Assim, Mestre Masamichi
Noro se dedica a etimologia de dojô, casa onde se estuda
o Caminho, dō.
46.4 Referências
[1] Dans la spirale du Kinomichi (em francês).
46.5 Fontes
• 2005 « Une rencontre de lʼAïkido et du Kinomichi » animée par Maître Masamichi NORO et Maître Christian TISSIER, DVD, Gabriel TURKIEH,
Production Altomedia,
• 1996 « Le Kinomichi, du mouvement à la création.
Rencontre avec Masamichi Noro. » Raymond Mur-
46.6 Ligações externas
• Organização internacional do Kinomichi: http://
www.kiia.net
• O dojo de mestre Masamichi Noro em Paris: http:
//www.kinomichi.com
• O centro mundial do Aikido à Tokyo: http://www.
aikikai.or.jp/
• la fédération française à laquelle est affiliée le Kinomichi:
• Aïkidoka, le magazine du monde de l'Aïki:
Capítulo 47
Morihiro Saito
Morihiro Saito (⻫藤守弘, Saitō Morihiro* ?) foi um
grande mestre de aiquidô, principal aluno do Fundador da
arte marcial, Morihei Ueshiba. Nasceu em 31 de março
de 1928 e faleceu em 13 de maio de 2002* [1].
47.1 Biografia
Foi o autor do livro Traditional Aikido (volumes de I a
V)(1974), onde pela primeira vez é apresentado o aiquidô
originário do fundador. Mais tarde publica 5 volumes de
uma obra intitulada Takemusu Aikido. Contudo,esta obra
fica incompleta, pois não chegou a publicar os volumes
sobre as armas do aiquidô. Foi também autor de cinco
ou sete filmes super 8 de aiquidô (mais tarde transferidos
para vídeo) e de inúmeros videos.
Durante anos viajou por todo o mundo tentando difundir
o aiquidô originário de Morihei Ueshiba, tendo sido bem
sucedido, apesar de nunca ter formado uma organização
própria.
Começou o seu treino em 1946 no dojo privado do fundador, em Iwama. Durante anos trabalhou arduamente sem
remuneração para o fundador do aiquidô de forma a poder estar mais perto deste, chegando inclusive a casar-se
a contragosto num casamento arranjado pelo Fundador.
Devido à forma como o serviu, e depois várias sugestões
de desistência de tal serviço, Morihei Ueshiba deu-lhe uns
terrenos da sua quinta onde construiu uma casa para o seu
aluno, mesmo em frente ao Templo do Aikido Aiki Jinja.
Criou o termo Ken Jo Taijutsu Riai ou seja a União das
verdades do sabre, do pau e das técnicas de corpo a corpo.
Após a morte do fundador, Morihiro Saito tornou-se no
dojo cho (reitor) do dojo do Fundador e Guardião do
Templo do Aiquidô* [2], por vontade deste. Manteve esta
posição até à sua morte em maio de 2002, vitima de cancro esofagogástrico.
O seu carácter jovial e a sua natural habilidade para ensinar, atraíram, ao longo dos anos a Iwama, milhares de
alunos que ali ficaram como uchi deshi, no dojo do Fundador Morihei Ueshiba.
Ao longo da sua vida de mais de cinquenta anos de prática
continua de aiquidô, sempre teve uma posição muito dura
no que respeita à prática do aiquidô, mantendo sempre o
estilo adoptado pelo Fundador nos anos 50, nunca aceitando as modificações feitas pela organização Aikikai, ao
aiquidô de seu mestre Morihei Ueshiba* [1].
Conhecido por ser um mestre extremamente rigoroso e
meticuloso sempre exigiu um execução padronizada das
técnicas de base tanto de armas como de taijutsu.
Em Iwama, vive ao lado dos seus alunos e família que
sempre esteve envolvida no desenvolvimento do aiquidô e
sempre o apoiou. Gostava de cozinhar e fazia-o constantemente oferecendo refeições tradicionais, aos seus alunos.
Além da cozinha dedicava-se à agricultura e jardinagem
tipo japonesa. Até aos últimos momentos nunca se canAtravés dos anos, o estilo tradicional que preservara com sou de trabalhar na quinta de seu mestre, mantendo os
tanta dedicação começa a ser conhecido primeiramente jardins, as árvores do templo e as hortas em bom estado.
como Iwama Style e depois como Iwama Ryu. De forma
a não colidir ainda mais com o Aikikai, cria nos anos Depois da sua morte, é sucedido localmente pelo seu fi90 um sistema de graduação especifico para as armas do lho Hitohiro Saito que mais tarde, colidiu com a Fundaaiquidô, que a ele só foram transmitidas pelo fundador ção do Aikikai e foi proibido de usar o nome aiquidô e
de entrar na quinta do aiquidô em Iwama. Assim cria a
desta arte.
Iwama Shin Shin Aiki Shuren Kai, organização pessoal
Foi o único mestre a preservar as técnicas de taijutsu e com fim ao estudo e aperfeiçoamento das artes praticadas
bukiwaza do fundador. Desde cedo procurou criar uma pelo pai nomeadamente o aiquidô e Shurikenjutsu. Dado
escola gardiã de um corpo técnico e filosófico bem de- Hitohiro Saito ser religioso introduziu na sua escola a práfinido e claro não sujeito a alterações, tendo vários alu- tica Shintoísmo conforme a interpetação local* [* carece
nos espalhados em todos os continentes. A escola de de fontes?].
Iwama e o Templo foram entregues ao shihan HIROSHI
ISOYAMA. O estilo AIKIKEN ao Sensei Shigemi Ina- Os seus alunos mais graduados são o Ulf Evenas e Paolo
Corallini* [* carece de fontes?], respectivamente 7º Dan
gaki, que aparece com ele nos livros abaixo citados.
69
70
que fundaram uma organização na Europa, filiada ao Aikikai, com o fim estrito de preservar e divulgar o corpo
técnico sem modificações conforme Saito Sensei o defendeu durante anos.
Actualmente as aulas na quinta do aiquidô não mais são
dadas pelo mestre Hiroshi Isoyama 8º Dan, discípulo do
fundador (e Sensei de Steven Seagal Sensei), mas principalmente por Shigemi Inagaki Shihan e outros mestres
igualmente discípulos do fundador ou antigos alunos de
Saito Sensei. A prática de jardinagem e vida tradicional
Japonesa mantém-se ao lado da prática de aiquidô tradicional do Mestre Morihiro Saito.
Muitos Aikidokas de todo o mundo treinam em Iwama e
alguns como uchideshi.
47.2 Referências
[1] Encyclopedia of Aikido [SAITO, MORIHIRO&H93 (em
inglês)
[2] T.K. Chiba - Remembering Morihiro SAITO Sensei Iwama Ryu Aikido (em inglês)
CAPÍTULO 47. MORIHIRO SAITO
Capítulo 48
Nobuyoshi Tamura
Nobuyoshi Tamura (⽥村信喜, Tamura Nobuyoshi* ?)
foi um mestre de aiquidô, que treinoi diretamente com o
criador da arte marcial. Nasceu em 2 de março de 1933,
em Osaca, no Japão e faleceu em 9 de julho de 2010.
48.1 Biografia
Mestre Tamura era filho de um mestre de kendo. Ele
começou a treinar aiquidô no Aikikai Hombu Dojo, em
1953* [1], tornando aluno protegigo (uchi deshi) de OSensei. Contribuiu muito para a disseminação da arte
marcial em França, pelo que foi reconhecido. Era o diretor técnico nacional da Federação Francesa de Aiquidô,
recebendo o título honorífico de cavaleiro (Chevalier de
l'Ordre National du Mérite), em 1999.
O mestre foi graduado com o 8º dan e o título de Shihan.
Título bastante justo pelo que desenvolveu pelo aiquidô,
sendo o instrutor de muitos dos praticantes da arte, como
Toshiro Suga e Pierre Chassang* [2].
Foi casado com dona Rumiko, que era praticante de aiquido na sede original do fundador e teve três filhos.
48.2 Referências
[1] Entretien avec Nobuyoshi Tamura Sensei (em francês).
[2] TAMURA, NOBUYOSHI (em inglês) Acesso em
03.jan.2011.
71
Capítulo 49
Kenji Tomiki
Kenji Tomiki (富⽊謙治, Tomiki Kenji* ?) foi um mestre de aiquidô. Nascido em 15 de março de 1900, na
cidade de Akita, Japão, falecendo em 25 de dezembro de
1979. Além do aikido, do qual desenvolveu a modalidade
desportiva, era mestre de judô.
49.1 Biografia
competitivo, para atrair novos jovens praticantes. Tomiki
Shihan achava que, atraídos pelo Aikidô esportivo, os alunos, com o tempo, iriam apreciar o lado espiritual da arte.
Em 1967 foi inaugurado o primeiro dojo exclusivo para
a prática e estudo do aikidô competitivo. Tomiki Shihan
lhe deu o nome de Shodokan, que significa a casa do caminho iluminado.
As competições tiveram início entre algumas faculdades
na região de Tóquio e em 1970 aconteceu o primeiro
Ele começou seu estudo de Artes Marciais quando tinha campeonato japonês universitário, onde o tanto foi introapenas 6 anos de idade, treinando bokken, e posterior- duzido pela primeira vez.
mente Judô.
Tomiki Shihan viajou pelos Estados Unidos e Austrália
Em 1926, Tomiki Shihan conheceu Mestre Ueshiba na demonstrando e ensinando sua Arte Marcial. Escreveu
Universidade de Waseda – Tóquio, onde estudava, e com vários trabalhos e livros e foi o fundador da Associação
incentivo de Mestre Jigoro Kano, tornou-se um de seus Japonesa de Aikidô – JAA em 1974.
melhores alunos.
Em 1976, foi aberto o Shodokan Hombu Dojo, em
Em 1936, ele foi enviado à Manchúria – China, território Osaka.
invadido pelo Japão, para lecionar caligrafia, e se ofereEle faleceu em 25 de dezembro de 1979, sendo substiceu para ensinar também artes marciais. Seus alunos de
tuído pelo seu grande amigo e companheiro Hideo Obba,
Judô e Kendô tiveram então a oportunidade de aprender
que ficou à frente da JAA até 1986.
também o Aikidô.
Tomiki Shihan foi o primeiro aluno de Mestre Ueshiba a
obter a graduação de 8º Dan, em 1940, e desde então, já
pensava em modernizar o Aikidô.
49.2 Ligações externas
Depois da segunda guerra mundial ele foi aprisionado
em solitária por três anos em um campo de detenção da
antiga URSS, mas mesmo preso ele continuou com seu
pensamento voltado para as artes marciais, manteve sua
forma física, idealizou o unsoku, exercício que pode ser
realizado em um espaço reduzido, e começou a esboçar
a união entre Judô e Aikidô.
Em 1958 Tomiki Shihan fundou o Clube de Aikidô na
Universidade de Waseda, onde era o diretor do departamento de Educação Física, na condição de viabilizar o
Aikidô como esporte competitivo.
Tomiki Shihan, com sua grande experiência em Artes
Marciais, pois já era oitavo dan tanto em Judô quanto em
Aikidô, uniu as técnicas aprendidas com Mestre Ueshiba
com o método de treinamento e doutrinas aprendidas
com o Judô. Ele introduziu o randori – treinamento livre – em 1964, com o intuito de tornar as técnicas mais
eficientes e também em transformar o Aikidô em esporte
72
• JAA - Site oficial da Japan Aikido Association no
Japão, responsável pelo Shodokan Aikido.
• GOSHIN AIKIDO RENMEI - site oficial Associação Goshin de Tomiki/Shodokan Aikido no Brasil.
• ARSA RIO - Site oficial da Associação Ronin de
Shodokan Aikido do Rio de Janeiro.
• ATAB - Sítio oficial da Associação de Tomiki Aikido do Brasil, ligada diretamente à Japan Aikido
Association e Tomiki Aikido International Network
• FACERJ AIKIDO - Site oficial da Federação de Aikido de Competição do Estado do Rio de Janeiro
49.3. FONTES, CONTRIBUIDORES E LICENÇAS DE TEXTO E IMAGEM
73
49.3 Fontes, contribuidores e licenças de texto e imagem
49.3.1
Texto
• Choshin Chibana Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Choshin_Chibana?oldid=34927362 Contribuidores: Manuel Anastácio, LeonardoG, 333~ptwiki, Dantadd, Noalid, SpBot, Xqbot, JotaCartas, LucienBOT, ZéroBot, MarceloGlazieur, Addbot e Anónimo: 5
• Yoshihide Shinzato Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Yoshihide_Shinzato?oldid=39902319 Contribuidores: Rui Silva, Lijealso, Dantadd, Rei-bot, CommonsDelinker, Lechatjaune, Kaktus Kid, Luizerivelto, Noalid, Lisita~ptwiki, Leosls, Judcosta, Máximo Calderón,
Ishiai, Rodrigolopes e Anónimo: 13
• Anko Itosu Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Anko_Itosu?oldid=39755756 Contribuidores: Rui Silva, Mário e Dário, TarcísioTS, Reibot, Andretaff, VolkovBot, Merrill, Luizerivelto, Noalid, Luckas-bot, Lucia Bot, DumZiBoT, Xqbot, Judcosta, EmausBot, Renato de
carvalho ferreira, MarceloGlazieur, KLBot2, Matheus Faria, YFdyh-bot, Rodrigolopesbot e Anónimo: 4
• Sokon Matsumura Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Sokon_Matsumura?oldid=42284061 Contribuidores: RobotQuistnix, 333~ptwiki,
TarcísioTS, Thijs!bot, Rei-bot, Ródi, AlleborgoBot, Seigokanportugal, Noalid, Louperibot, Luckas-bot, LaaknorBot, Ptbotgourou, Actionfilmsammler, DSisyphBot, Judcosta, Renato de carvalho ferreira, ChuispastonBot, KLBot2, Takeshi-br, RodrigoAndradet e Anónimo:
7
• Kosaku Matsumora Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kosaku_Matsumora?oldid=35153848 Contribuidores: Garavello, CommonsDelinker, Luckas-bot, Eamaral, Judcosta, Renato de carvalho ferreira, MarceloGlazieur e KLBot2
• Gichin Funakoshi Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Gichin_Funakoshi?oldid=42460357 Contribuidores: Manuel Anastácio, Gaf.arq,
Diotti, Osvaldo Santos, Indech, RobotQuistnix, Epinheiro, Brederodes, YurikBot, Porantim, FlaBot, Dantadd, LijeBot, Jo Lorib, Emijrp,
TarcísioTS, Nice poa, Cidcn, Thijs!bot, Rei-bot, JAnDbot, Alchimista, Eric Duff, VolkovBot, SieBot, Laobc, Filiejr, Georgez, PixelBot, FilRB, Luckas-bot, Salebot, Xqbot, Judcosta, RibotBOT, Ishiai, OnlyJonny, TobeBot, Dinamik-bot, EmausBot, ZéroBot, Renato de
carvalho ferreira, MarceloGlazieur, MerlIwBot, Victorzito, Aesgareth, YFdyh-bot, Legobot, Judozinho e Anónimo: 33
• Anko Asato Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Anko_Asato?oldid=34672689 Contribuidores: CommonsDelinker, Luckas-bot, Judcosta,
Escoria79, Doutorgrillo, ZéroBot, MarceloGlazieur, KLBot2 e Anónimo: 3
• Kenwa Mabuni Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kenwa_Mabuni?oldid=35034229 Contribuidores: Mschlindwein, Castelobranco, Alchimista, Arley, Denis Andretta, Judcosta, ThiagoRuiz, Ishiai, RedBot, EmausBot, Renato de carvalho ferreira, ChuispastonBot, MarceloGlazieur e Anónimo: 1
• Karyu Uku Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Karyu_Uku?oldid=26920043 Contribuidores: Judcosta
• Kishin Teruya Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kishin_Teruya?oldid=26922380 Contribuidores: Seigokanportugal, Judcosta e Ishiai
• Kanryo Higaonna Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kanryo_Higaonna?oldid=35112948 Contribuidores: Mizunoryu, Luckas-bot,
DSisyphBot, Lépton, Judcosta, RedBot, Rjbot, Prowiki, EmausBot, JYBot, Cainamarques e Anónimo: 4
• Chojun Miyagi Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Chojun_Miyagi?oldid=42292882 Contribuidores: Rafamaxpires, Castelobranco, HyperBroad, Seigokanportugal, BOTarate, LaaknorBot, XZeroBot, Alexis Shineye, Judcosta, ZéroBot, WikitanvirBot, MerlIwBot, KLBot2,
Belessandra, Reclus e Anónimo: 7
• Choki Motobu Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Choki_Motobu?oldid=39956948 Contribuidores: Luckas-bot, Leosls, Judcosta, MerlIwBot, KLBot2, Rodrigolopesbot e Anónimo: 2
• Jigoro Kano Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jigoro_Kano?oldid=42249743 Contribuidores: Juntas, Chico, Indech, RobotQuistnix,
OS2Warp, Dony Augusto, YurikBot, Fernando S. Aldado, Tonyjeff, FlaBot, SallesNeto BR, LijeBot, TarcísioTS, Juliowcouto, Nice poa,
Cidcn, Rei-bot, Oscarjburd, BOT-Superzerocool, Ródi, JAnDbot, TXiKiBoT, Gunnex, VolkovBot, SieBot, Santa Vica, BotMultichill,
Mário Henrique, AlleborgoBot, Dudedubba, Kim richard, Alexbot, Arley, Ruy Pugliesi, Lfelipegc, Vitor Mazuco, NjardarBot, Luckasbot, LinkFA-Bot, Leosls, Salebot, ArthurBot, DumZiBoT, Xqbot, Hyju, RibotBOT, Alexandremiranda66, Ishiai, Escoria79, Ripchip Bot,
EmausBot, Renato de carvalho ferreira, WikitanvirBot, Colaborador Z, MerlIwBot, AvocatoBot, DARIO SEVERI, Zoldyick, Legobot e
Anónimo: 40
• Shiro Saigo Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Shiro_Saigo?oldid=41843922 Contribuidores: JP Watrin, Randomu, TarcísioTS, Rei-bot,
LuBauer, JotaCartas, Hyju, Stuckkey, Stanglavine e Anónimo: 1
• Mitsuke Harada Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Mitsuke_Harada?oldid=39118878 Contribuidores: Seigokanportugal, MarceloGlazieur, Belessandra e Anónimo: 2
• Seichi Akamine Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Seichi_Akamine?oldid=34677652 Contribuidores: Judcosta, ZéroBot, Renato de carvalho ferreira, MarceloGlazieur, KLBot2 e Gabriel Yuji
• Koji Takamatsu Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Koji_Takamatsu?oldid=41377360 Contribuidores: CommonsDelinker, MarceloGlazieur e Diegocamilotto
• Takeo Suzuki Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Takeo_Suzuki?oldid=34253391 Contribuidores: Renato de carvalho ferreira, MarceloGlazieur, Rrodri13 e Anónimo: 1
• Michizo Buyo Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Michizo_Buyo?oldid=41116934 Contribuidores: MarceloGlazieur, Épico, Diego Nogare, Marcos dias de oliveira e Anónimo: 1
• Akio Yokoyama Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Akio_Yokoyama?oldid=33139160 Contribuidores: Lima Pereira, MarceloGlazieur,
Vanessarolim e Anónimo: 2
• Masutatsu Oyama Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Masutatsu_Oyama?oldid=40700813 Contribuidores: Chico, Chobot, Thijs!bot,
Agente Rolf, VolkovBot, SieBot, DutchDevil, Seigokanportugal, Gamajunior, SilvonenBot, Luckas-bot, Ptbotgourou, Salebot, ArthurBot, DumZiBoT, Xqbot, MisterSanderson, RedBot, Sensei 2105, TjBot, EmausBot, ZéroBot, Daniel161664, KLBot2, Shgür Datsügen,
Zoldyick e Anónimo: 7
• Chojiro Tani Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Chojiro_Tani?oldid=35346344 Contribuidores: Rui Silva, Diotti, Santana-freitas, Crodri, FlaBot, TarcísioTS, AlleborgoBot, LaaknorBot, Ishiai, Rjbot, Renato de carvalho ferreira, MarceloGlazieur, Addbot e Anónimo: 4
74
CAPÍTULO 49. KENJI TOMIKI
• Yoshitaka Funakoshi Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Yoshitaka_Funakoshi?oldid=40424651 Contribuidores: Luckas-bot, Salebot,
Judcosta, ZéroBot, KLBot2, Zoldyick e Anónimo: 4
• Juichi Sagara Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Juichi_Sagara?oldid=28975579 Contribuidores: Joseolgon e MarceloGlazieur
• Hirokazu Kanazawa Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hirokazu_Kanazawa?oldid=40270180 Contribuidores: 333~ptwiki, Nice poa,
CommonsDelinker, Eric Duff, SieBot, PipepBot, Arthemius x, PixelBot, FilRB, Seigokanportugal, SpBot, Luckas-bot, ArthurBot, Judcosta,
Rjbot, EmausBot, Renato de carvalho ferreira, MarceloGlazieur, Matheus bernard, Addbot, Thiagopocker e Anónimo: 10
• Kanga Sakukawa Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kanga_Sakukawa?oldid=35147814 Contribuidores: Luckas-bot, Judcosta, RedBot,
ZéroBot, Renato de carvalho ferreira, MarceloGlazieur e KLBot2
• Taiji Kase Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Taiji_Kase?oldid=39193078 Contribuidores: Hermógenes Teixeira Pinto Filho, Tut - Caçador de Vândalos e Anónimo: 1
• Kokan Oyadomari Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kokan_Oyadomari?oldid=35153298 Contribuidores: Judcosta e KLBot2
• Kosei Nishihira Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kosei_Nishihira?oldid=34594089 Contribuidores: Bonifácio, JackieBot, Belessandra,
Makecat-bot, Azimuth72 e Holmium
• Soke Kubota Takayuki Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Soke_Kubota_Takayuki?oldid=41566790 Contribuidores: JAnDbot, Bisbis,
CommonsDelinker, TXiKiBoT, VolkovBot, Teles, RafaAzevedo, ChristianH, Sway 2, Salebot, ArthurBot, Xqbot, Judcosta, Onjacktallcuca,
LucienBOT, Sensei 2105, Jabuti, Sensei 0208, Shihan 883, Yakudza19, EmausBot, Renato de carvalho ferreira, Mentibot, Eonzoikos,
Legobot, Addbot e Anónimo: 3
• Kushanku Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kushanku?oldid=29058794 Contribuidores: Judcosta, Escoria79, FMTbot, MarceloGlazieur e Anónimo: 1
• Yoshizo Machida Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Yoshizo_Machida?oldid=38053215 Contribuidores: Leslie, Caio Brandão Costa,
Minerva97, Lucas Fernando de Oliveira, Onjacktallcuca, MisterSanderson, Ricardo Ferreira de Oliveira, Eduardo P, YuriKan, J. A. S.
Ferreira e Anónimo: 11
• Masatoshi Nakayama Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Masatoshi_Nakayama?oldid=42250800 Contribuidores: FlaBot, TarcísioTS,
Ródi, CommonsDelinker, Seigokanportugal, Alexbot, Luckas-bot, WikiKarate, ArthurBot, MarceloGlazieur, KLBot2, Aesgareth, Matheus
bernard e Anónimo: 1
• Matsu Higa Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Matsu_Higa?oldid=34638012 Contribuidores: Judcosta, EmausBot, MarceloGlazieur e
KLBot2
• Kenji Midori Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kenji_Midori?oldid=40354814 Contribuidores: Yanguas, CommonsDelinker, Leão Negro, Takeshi-br e Anónimo: 2
• Peichin Takahara Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Peichin_Takahara?oldid=34930000 Contribuidores: Hu12, Luckas-bot, Judcosta,
EmausBot, Renato de carvalho ferreira, MarceloGlazieur e KLBot2
• Seigo Tada Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Seigo_Tada?oldid=41699277 Contribuidores: TarcísioTS, FSogumo, CommonsDelinker,
Seigokanportugal, ChristianH, Seigokan Australia, MarceloGlazieur, KLBot2 e Anónimo: 3
• Seisho Aragaki Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Seisho_Aragaki?oldid=34678195 Contribuidores: Judcosta e KLBot2
• Shoshin Nagamine Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Shoshin_Nagamine?oldid=41363204 Contribuidores: Judcosta, ZéroBot, KLBot2
e Palebizakis
• Tatsuo Shimabuku Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Tatsuo_Shimabuku?oldid=34786733 Contribuidores: Judcosta, ZéroBot e KLBot2
• Teruo Hayashi Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Teruo_Hayashi?oldid=36492385 Contribuidores: Fasouzafreitas, PatríciaR, Thijs!bot,
CommonsDelinker, VolkovBot, LaaknorBot, MystBot, Obersachsebot, Dreispt, MarceloGlazieur, KLBot2, TheVulcan e Anónimo: 2
• Yoshimi Inoue Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Yoshimi_Inoue?oldid=42246554 Contribuidores: Mschlindwein, Albmont, Rjclaudio,
WaldirBot, Onjacktallcuca, Renato de carvalho ferreira e Anónimo: 4
• Morihei Ueshiba Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Morihei_Ueshiba?oldid=42267549 Contribuidores: Chico, NTBot, RobotQuistnix,
Tom-b~ptwiki, YurikBot, MalafayaBot, Gabrielt4e, Rcaterina, Nice poa, Yanguas, Cidcn, Thijs!bot, Rei-bot, Escarbot, Ródi, JAnDbot,
Eric Duff, Idioma-bot, TXiKiBoT, VolkovBot, SieBot, AlleborgoBot, Hxhbot, Mizunoryu, Busymonkey, FilRB, ArthurBot, Xqbot, JotaCartas, Rubinbot, LucienBOT, RibotBOT, MauritsBot, Ximboca~ptwiki, EmausBot, ZéroBot, ChuispastonBot, Pé Espalhado, J. A. S.
Ferreira, Legobot e Anónimo: 19
• Sokaku Takeda Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Sokaku_Takeda?oldid=38874401 Contribuidores: Judcosta, ZéroBot, Renato de carvalho ferreira, KLBot2, Dickmann666 e Anónimo: 2
• Masamichi Noro Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Masamichi_Noro?oldid=42250670 Contribuidores: OS2Warp, Leonardo.stabile,
Nice poa, Rei-bot, GRS73, Robson camargo, Ródi, Eric Duff, Busymonkey, FilRB, Eamaral, Leosls, Minerva97, Rjbot, Renato de carvalho
ferreira, MarceloGlazieur, KLBot2 e Anónimo: 4
• Morihiro Saito Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Morihiro_Saito?oldid=42220768 Contribuidores: Yas~ptwiki, Aikishurenkai,
Santana-freitas, RobotQuistnix, Rei-artur, YurikBot, Fernando S. Aldado, FlaBot, Rei-bot, EuTuga, VolkovBot, AlleborgoBot, Eamaral,
Xqbot, Rubinbot, RibotBOT, Ximboca~ptwiki, HVL, EmausBot, Danieldraw, Legobot e Anónimo: 13
• Nobuyoshi Tamura Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Nobuyoshi_Tamura?oldid=42249489 Contribuidores: Ródi, Luckas Blade, ChristianH, Luckas-bot, MystBot, Leosls, Xqbot, Prowiki, Renato de carvalho ferreira, MarceloGlazieur, KLBot2 e Anónimo: 1
• Kenji Tomiki Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Kenji_Tomiki?oldid=37065916 Contribuidores: Bigs, Ruela, TarcísioTS, Jonas kam,
Eric Duff, Kaktus Kid, Pakupaku~ptwiki, FilRB, Escoria79, Dinamik-bot, Renato de carvalho ferreira, MerlIwBot, Legobot, Addbot e
Anónimo: 10
49.3. FONTES, CONTRIBUIDORES E LICENÇAS DE TEXTO E IMAGEM
49.3.2
75
Imagens
• Ficheiro:Ambox_rewrite.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/1c/Ambox_rewrite.svg Licença: Public domain Contribuidores: self-made in Inkscape Artista original: penubag
• Ficheiro:Books-aj.svg_aj_ashton_01.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4b/Books-aj.svg_aj_ashton_01.
svg Licença: CC0 Contribuidores: http://www.openclipart.org/cgi-bin/navigate/education/books (note: the link no longer works since
reorganization of the OpenClipArt website). Artista original: Original author: AJ Ashton (on OpenClipArt). Code fixed by verdy_p for
XML conformance, and MediaWiki compatibility, using a stricter subset of SVG without the extensions of SVG editors, also cleaned up
many unnecessary CSS attributes, or factorized them for faster performance and smaller size. All the variants linked below are based on
this image.
• Ficheiro:Chibana.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3a/Chibana.jpg Licença: Public domain Contribuidores: http://img.photobucket.com/albums/v283/tundakat/Masters-ChosinChibana1-ShorinRy.jpg Artista original: ?
• Ficheiro:Commons-logo.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4a/Commons-logo.svg Licença: Public domain
Contribuidores: This version created by Pumbaa, using a proper partial circle and SVG geometry features. (Former versions used to be
slightly warped.) Artista original: SVG version was created by User:Grunt and cleaned up by 3247, based on the earlier PNG version,
created by Reidab.
• Ficheiro:Cquote1.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4d/Cquote1.svg Licença: Public domain Contribuidores: ? Artista original: ?
• Ficheiro:Cquote2.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/1a/Cquote2.svg Licença: Public domain Contribuidores: ? Artista original: ?
• Ficheiro:Crystal_Clear_app_Login_Manager.png Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/ca/Crystal_Clear_app_
Login_Manager.png Licença: LGPL Contribuidores: All Crystal Clear icons were posted by the author as LGPL on kde-look; Artista
original: Everaldo Coelho and YellowIcon;
• Ficheiro:Crystal_Clear_app_demo.png Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fe/Crystal_Clear_app_demo.png
Licença: LGPL Contribuidores: All Crystal Clear icons were posted by the author as LGPL on kde-look; Artista original: Everaldo Coelho
and YellowIcon;
• Ficheiro:Disambig_grey.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4a/Disambig_grey.svg Licença: Public domain
Contribuidores: Obra do próprio Artista original: Bub's
• Ficheiro:Flag_of_Japan.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/9e/Flag_of_Japan.svg Licença: Public domain
Contribuidores: Law Concerning the National Flag and Anthem (1999) URL link in English, actual law (Japanese; colors from http://www.
mod.go.jp/j/info/nds/siyousyo/dsp_list_j.htm#Z8701 Artista original: Various
• Ficheiro:Flag_of_South_Korea.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/09/Flag_of_South_Korea.svg Licença:
Public domain Contribuidores: Ordinance Act of the Law concerning the National Flag of the Republic of Korea, Construction and color
guidelines (Russian/English) ← This site is not exist now.(2012.06.05) Artista original: Various
• Ficheiro:Flag_of_the_People'{}s_Republic_of_China.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fa/Flag_of_
the_People%27s_Republic_of_China.svg Licença: Public domain Contribuidores: Obra do próprio, http://www.protocol.gov.hk/flags/
eng/n_flag/design.html Artista original: Drawn by User:SKopp, redrawn by User:Denelson83 and User:Zscout370
• Ficheiro:Funakoshi.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4f/Funakoshi.jpg Licença: Public domain Contribuidores: ? Artista original: ?
• Ficheiro:Funakoshi_Gichin2.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/44/Funakoshi_Gichin2.jpg Licença: Public domain Contribuidores: The Japanese Book " 錬胆護⾝唐⼿術" (Rentan Goshin Karate Jutsu) Artista original: Funakoshi Gichin
• Ficheiro:Gigo_funakoshi.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/88/Gigo_funakoshi.jpg Licença: Public domain Contribuidores: property of the uploader Artista original: disciples of sensei Yoshitaka Funakoshi
• Ficheiro:Higaonna_Kanryo.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f0/Higaonna_Kanryo.jpg Licença: Public
domain Contribuidores: The Japanese Book " 沖縄の空⼿・相撲名⼈伝" (Masters of Karate and Sumo in Okinawa) which was written
by Nagamine Shoshin, 1986 Artista original: Higaonna Kanryo
• Ficheiro:Itosu_Anko.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/7c/Itosu_Anko.jpg Licença: Public domain Contribuidores: 沖縄タイムス,2006 年 2 ⽉ 28 ⽇ (Okinawa Times,February 28, 2006) Artista original: 沖縄県⽴図書館 (Okinawa prefectural
library)
• Ficheiro:Judo.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/45/Judo.svg Licença: ? Contribuidores: ? Artista original:
?
• Ficheiro:Judo_pictogram.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fa/Judo_pictogram.svg Licença: Public domain Contribuidores: Obra do próprio Artista original: Thadius856 (SVG conversion) & Parutakupiu (original image)
• Ficheiro:Kanchu_Kanazawa_by_JPCasainho.jpg
Fonte:
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/6e/Kanchu_
Kanazawa_by_JPCasainho.jpg Licença: Attribution Contribuidores: ? Artista original: ?
• Ficheiro:Kano_Jigoro.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0c/Kano_Jigoro.jpg Licença: Public domain
Contribuidores: The Japanese Book " 空⼿道"(Karatedo) Artista original: ?
• Ficheiro:Karate_icon.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/46/Karate_icon.svg Licença: GFDL Contribuidores: Obra do próprio Artista original: Matzu
• Ficheiro:Karate_pictogram.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/4/4e/Karate_pictogram.svg Licença: Public
domain Contribuidores: Obra do próprio Artista original: Thadius856 (SVG conversion) & Parutakupiu (original image)
• Ficheiro:KenShinKan.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/bd/KenShinKan.jpg Licença: CC BY 2.5 Contribuidores: Obra do próprio Artista original: G Velasco
76
CAPÍTULO 49. KENJI TOMIKI
• Ficheiro:Mabuni_Kenwa2.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0d/Mabuni_Kenwa2.jpg Licença: Public
domain Contribuidores: The Japanese book " 空⼿研究" (The Study of Karate) Artista original: published by 東京興武館(Tokyo
Koubukan)
• Ficheiro:Matsumura.png Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/8b/Matsumura.png Licença: Public domain Contribuidores: ? Artista original: ?
• Ficheiro:Merge-arrows_2.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/81/Merge-arrows_2.svg Licença: Public domain Contribuidores: Image:Merge-arrows.svg and own work Artista original: self-made; original by Davidgothberg
• Ficheiro:Miyagi_Chojun.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d6/Miyagi_Chojun.jpg Licença: Public domain Contribuidores: The Japanese book " 空⼿道⼤観" (A Broad View of Karatedo) Artista original: Nakasone Genwa
• Ficheiro:Morihei_Ueshiba_Ayabe_1921.jpg Fonte:
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/19/Morihei_Ueshiba_
Ayabe_1921.jpg Licença: Public domain Contribuidores: “Moriheiʼs ʻUeshiba Jukuʼ̶Launchpad of a Martial Arts Career,” by
Stanley Pranin Artista original: Desconhecido
• Ficheiro:Motobu_Choki.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/1a/Motobu_Choki.jpg Licença: Public domain
Contribuidores: The Japanese book " 私の唐⼿術" (My Karate Art) Artista original: Motobu Choki
• Ficheiro:Nishihira_Sensei_-_Okinawa_2003.png Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3c/Nishihira_Sensei_-_
Okinawa_2003.png Licença: CC BY-SA 3.0 Contribuidores: Obra do próprio Artista original: Azimuth72
• Ficheiro:NoFonti.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/b/b5/NoFonti.svg Licença: CC BY-SA 2.5 Contribuidores: Image:Emblem-important.svg Artista original: RaminusFalcon
• Ficheiro:Question_book.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/9/97/Question_book.svg Licença: CC-BY-SA3.0 Contribuidores: ? Artista original: ?
• Ficheiro:Saigo_Shirou.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/f6/Saigo_Shirou.jpg Licença: Public domain
Contribuidores: 講道館所蔵品 Artista original: Desconhecido
• Ficheiro:Satunuku_Sakugawa.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/7a/Satunuku_Sakugawa.jpg Licença:
Public domain Contribuidores: http://www.newsfinder.org/images/uploads/uploads/sakugawa.jpg Artista original: ?
• Ficheiro:Searchtool.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/61/Searchtool.svg Licença: LGPL Contribuidores:
http://ftp.gnome.org/pub/GNOME/sources/gnome-themes-extras/0.9/gnome-themes-extras-0.9.0.tar.gz Artista original: David Vignoni,
Ysangkok
• Ficheiro:Shoshin_Nagamine_10_1978.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/71/Shoshin_Nagamine_10_
1978.jpg Licença: CC BY-SA 4.0 Contribuidores: Obra do próprio Artista original: Okinawa-ken Ryu
• Ficheiro:Sokon_Matsumura.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/1/17/Sokon_Matsumura.jpg Licença: Public domain Contribuidores: http://www.lawrencetown.com/images/matsumura.jpg Artista original: ?
• Ficheiro:Tamura_LaColle_2005.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a6/Tamura_LaColle_2005.jpg Licença: CC-BY-SA-3.0 Contribuidores: ? Artista original: ?
• Ficheiro:Tamura_a4dn894_9251.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/e/e2/Tamura_a4dn894_9251.jpg Licença: CC BY-SA 3.0 Contribuidores: www.aikidoinfo.se Artista original: Janwikifoto
• Ficheiro:Text_document_with_red_question_mark.svg Fonte:
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a4/Text_
document_with_red_question_mark.svg Licença: Public domain Contribuidores: Created by bdesham with Inkscape; based upon
Text-x-generic.svg from the Tango project. Artista original: Benjamin D. Esham (bdesham)
• Ficheiro:Wiki_letter_w.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/6/6c/Wiki_letter_w.svg Licença: CC BY-SA 3.0
Contribuidores: Obra do próprio; Wikimedia Foundation Artista original: SVG Jarkko Piiroinen; rights, design and origin Wikimedia
Foundation
• Ficheiro:Wikiquote-logo.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fa/Wikiquote-logo.svg Licença: Public domain Contribuidores: ? Artista original: ?
• Ficheiro:Wikitext.svg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/c/ce/Wikitext.svg Licença: Public domain Contribuidores: Obra do próprio Artista original: Anomie
49.3.3
Licença
• Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0
IMPORTANTE:
Esta coletânea é o volume 7 da série “História e
Filosofia das Artes Marciais”, selecionada para cada país
que teve destaque na sua formação. - Neste caso os
Mestres Japoneses.
Todo conteúdo é original da “Wikipédia”, editado e
fornecido gratuitamente pelo Centro Filosófico do Kung
Fu - Internacional.
Consulte nossa pagina na INTERNET com freqüência e
fique por dentro das novidades.
www.centrofilosoficodokungfu.com.br
[email protected]

Documentos relacionados

APOSTILA KARATEDO para imprimir

APOSTILA KARATEDO para imprimir A maneira curiosa de o leigo olhar, ou pretender ver as mãos e os pés de um praticante procurando anomalias que denotem a prática, é por sinal, errônea, pois o Karate além de prover seus adeptos de...

Leia mais

Apostila

Apostila Primeiro uma depois outra bomba atômica explodiram sobre as cidades de Hiroshima e Nagasaki. Três dias depois, bombardeiros americanos sobrevoaram Tokyo em tal quantidade que chegaram a cobrir o So...

Leia mais