Microsoft PowerPoint - Apresenta\347\343o - Fato

Сomentários

Transcrição

Microsoft PowerPoint - Apresenta\347\343o - Fato
APRESENTAÇÃO CORPORATIVA
Abril 2 0 1 1
w w w .durate x.c o m.br 1
FATO RELEVANTE
DURATEX ANUNCIA A CONSTRUÇÃO DE DUAS NOVAS FÁBRICAS DE MDF
A Duratex, empresa líder na fabricação de painéis de madeira industrializada, pisos laminados, louças e metais sanitários, vem a público
informar decisão estratégica de ampliar sua atuação no segmento de MDF (Medium Density Fiberboard). Para tanto, serão investidos, nos
próximos 5 anos, recursos próprios e de terceiros no montante de R$1,2 bilhão, na construção de duas novas plantas desse produto, com
capacidade efetiva de 1,2 milhão de m 3/ano, conforme segue:
· 520.000 m 3/ano de capacidade efetiva, com conclusão prevista para o final de 2012, em São Paulo, na cidade de Itapetininga;
· 680.000 m 3/ano de capacidade efetiva, com conclusão prevista para o final de 2014, em local a ser definido, em função da melhor
estratégia logística.
O Conselho de Administração, em reunião de 15 de abril último, aprovou os investimentos e na mesma data foram firmados contratos com
os fornecedores internacionais dos equipamentos para ambas as plantas.
O ritmo de crescimento do consumo de painéis no Brasil registrou aumento de 1,1 milhão de m 3 em 2010, com expansão de 21%, atingindo
6,2 milhões m 3 no ano. Neste mesmo período, o mercado de MDF apresentou desempenho ainda superior, com crescimento de 26%, tendo
atingido 2,9 milhões de m 3, ou 600 mil m 3 adicionais.
Observada a tendência do mercado de MDF, a plena capacidade efetiva da indústria deverá ser atingida até 2013, já levando em
consideração os investimentos anunciados por terceiros.
Quando os investimentos forem concluídos, e após o processo de ramp-up, estas duas novas plantas elevarão a capacidade anual de
expedição de MDF da Duratex a 2,7 milhões de m 3/ano que, considerando os preços atuais e o mix de vendas projetado, gerarão um
incremento aproximado de R$ 1,0 bilhão na sua Receita Líquida anual.
O abastecimento sustentável de madeira certificada para a linha de São Paulo, além das demais linhas já localizadas nesse Estado, está
garantido pela base florestal existente e pelos ganhos de produtividade florestal, que contribuirão para elevar o rendimento por hectare
plantado. A Duratex está finalizando o estudo de localização da segunda linha, de forma a obter a melhor solução logística considerando,
principalmente, a capacidade de abastecimento próprio de madeira certificada e os custos de distribuição.
Esta significativa expansão está alinhada à perspectiva de crescimento do país e de seus reflexos positivos em termos de geração de renda
e criação de empregos, sempre com o compromisso com a sustentabilidade, com o desenvolvimento do nosso país e com a geração de
valor para nossos acionistas.
2
DIVISÃO
Receita Líquida R$ 1,8 bilhão em 2010
PRODUTOS:
MDF/HDF/SDF
móveis, rodapés, portas e guarnições, piso laminado e brinquedos, dentre
outras aplicações
MDP
utilizado basicamente na fabricação de móveis
CHAPA DE FIBRA
móveis, gavetas e embalagem industrial, dentre outros
COMPONENTES
DIVISÃO
Receita Líquida R$ 0,9 bilhão em 2010
PRODUTOS:
METAIS SANITÁRIOS
LOUÇAS SANITARIAS
Torneiras, misturadores, filtros, válvula de descarga e registros, dent re outros
cubas e pias, vaso sanitário, bidê e acessórios
3
Taxa Comparativa de Desemprego (%)
Rússia
4,0
China
4,2
Japão
Desempenho do PIB em 2010 (%)
6,7
Chile
7,5
Zona do Euro
10,1
Estados Unidos
10,3
Portugal
10,9
20,6
Taxa de desemprego no Brasil (%)
5,3
6,1
3,6%
2,9%
6,4
1,7%
1,4%
-0,1% Espanha
-4,5%
Fonte: IBGE p/ Brasil (fev/2011)
Bloomberg p/ demais países (2010)
6,8
3,8%
Portugal
12,4
6,8
Rússia
Uniâo Européia
Espanha
7,4
3,9%
EUA
10,7
8,4
Japão
Alemanha
India
Grécia
8,6
5,0%
MÉDIA MUNDIAL
7,1
Argentina
7,5%
Brasil
6,4
Alemanha
8,6%
India
4,9
Brasil
10,3%
China
Grécia
Fonte: IBGE
Massa Salarial (R$ milhões)
4
00 0 0 0
3
00 0 0 0
2
00 0 0 0
1
00 0 0 0
343.997
307.947 326.377
371.262 383.487
Salário mínimo (em R$)
414.751
300
350
380
415
465
510
545
%
+ 10,46
CAGR:
+ 6,14%
CAGR:
0
dez´/05
dez/06
dez/07
dez/08
dez/09
dez/10
jan/11
fev/11
Fonte: IBGE
2005
2006
2007
2008
2009
2010
Fonte: IBGE
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
4
Fonte: BACEN
Disponibilidade de Crédito no Mercado
Relação Crédito Total x PIB (Brasil)
Governo, Indústria, Habitação, Rural, Comércio, Pessoas Físicas (R$ bi)
1.705,8
1.715,4
1.738,1
1.410,3
40,8%
1.227,3
28,1% 30,8%
936,0
dez´07
dez´08
45,0% 46,6% 46,3% 46,5%
dez´09
dez/10
jan/11
fev/11
2005
2006
33,4%
2007
2008
2009
2010
jan/11
fev/11
Fonte: BACEN
Taxa de Juros (% aa)
13,25 11,25
Índice de Confiança do Consumidor (Brasil)
125,4
13,75
10,75
11,25
121,7
12,00
8,75
115,7
116,5
120,8
118,7 120,1
121,8
122,6
122,5
120,1
121,6
ou
t/1
0
no
v/
10
de
z/
10
ja
n/
11
fe
v/
11
m
ar
/1
1
ju
l/1
0
ag
o/
10
se
t/1
0
abr/11
ju
n/
10
jan/11
0
2010
ai
/1
0
2009
m
2008
ab
r/1
2007
m
2006
ar
/1
0
111,6
Fonte: FGV
5
Medidas de Incentivo à Construção – Governo Federal
Aumento do limite de financiamento, através do FGTS, de
R$350 mil para R$500 mil;
Crescimento da construção civil- Receita Líquida de Construtoras
em R$ milhões
5
+4
CAGR
2010-12:+25,14%
,
40.965
2%
31.742
26.157
Desoneração tributária para materiais de construção
(redução do IPI) prorrogada até dezembro/2011;
18.019
Aumento dos prazos de financiamento;
12.114
Realização da Copa do Mundo (2014) e Jogos Olímpicos
(2016)
%
6,1 3
6
+
:
AG R
6.971
3.434
2006
C
2007
2008
2009
2010
2011P
2012P
2006 a 2010: soma das DFs das respectivas empresas
Seleção de construtoras: BR Malls, Brookfield, CCDI, Cyrela, Gafisa,
MRV, PDG, Rossi e Tecnisa *2011 e 2012 Previsão do Banco Fator
Média Mensal de Unidades Financiadas (FGTS+SPBE)
78.621
em unidades
%
6,0
1
59.424
R:
G
A
C
Média Mensal de Financiamentos (FGTS+SBPE)
43.789
2006
2007
,3
2
+3
%
3.383
2.111
1.360
2008
2009
,3
4
+4
4.169
48.593
43.471
6.014
em R$ milhões
2010
2006
2007
%
,0%
5
: 4
R
G
CA
2008
2009
2010
6
Cenário Favorável
Mobilidade social ascendente no Brasil
A/B
8%
C
37%
16%
11%
31 milhões habitantes
(2003-2014E)
49%
56%
D
113 milhões
habitantes
27%
24%
E
(~) +18 milhões
habitantes
(~) +47 milhões
habitantes
(2003-2014E)
20%
28%
16%
2003
8%
2008
2014E
Classe Social
Faixa salarial:
A/B
> R$4.808
C
R$1.115 - R$4.407
D
R$768 - R$ 1.114
E
< R$ 767
7
Consumo total de painéis no Brasil (em ‘000 m 3)
MDF
4.800
,4%
+26
4.080
Capacidade Instalada Nominal
Capacidade Instalada Efetiva
2.971,8
2.037,2
1.860,9
1.413,5
2005
2.262,9
2.351,8
Utilização da capacidade
72,8%
,0 %
6
1
:
R
CAG
2006
2007
2008
2009
2010
MDP
+18,7
2.101,6
2.186,3
2.547,8
2.633,0
2.430,5
%
Indústria
Capacidade do
Setor
4.700
Capacidade Instalada Nominal
4.000
Capacidade Instalada Efetiva
2.884,7
6,5 %
:
R
G
A
C
* Estimativas Internas /ABIPA
2005
2006
2007
2008
Utilização da capacidade
72,1%
2009
2010
Industria do
Capacidade
Setor
8
Investimentos (R$ milhões, valores de ABR/2011)
Capacidade das novas plantas em ´000 m³/ano
Florestal
83
EFETIVA NOMINAL
Planta 1
520
600
São Paulo
Planta 2
680
800
Local a ser definido
Planta 2
A definir
635
Planta 1
São Paulo
482
CRONOGRAMA DE DESEMBOLSO (em R$ milhões, valores de ABR/2011)
314
250
260
267
109
2011
2012
2013
2014
2015
9
Localização das Plantas
Uberaba
EVOLUÇÃO DA CAPACIDADE NOMINAL (´000 m3/ano)
(MDF + MDP)
5.310
3.110
2.500
2.510
360
210
1.000
3.910
3.910
3.910
210
210
210
1.800
1.800
1.800
4.510
210
Agudos
210
Botucatu
(MDF, Piso + DRI)
2.400
Chapa de Fibra e MDF
3.200
Itapetininga
(MDP+MDF)
Taquari
650
1.500
2007
(MDP)
1.900
1.900
1.900
1.900
1.900
2008
2009
2010
2011
2013
MDP
MDF
*
1.900
2015 *
MDP
MDF
Florestas
Chapa de Fibrra
* Plantas atingindo capacidade plena
10
Ranking mundial dos fabricantes de painéis de madeira industrializada
Epmpresa
1
2
3
4
5
6
Kronospan
Sonae Industria
Pfleiderer
Swiss Krono Group
Egger
Louisiana-Pacific
País
Capacidade em´000 m3/ano
Áustria
Portugal
Alemaha
Suíça
Áustria
EUA
14.825
7.455
7.200
5.650
5.630
5.575
7
BRASIL
5.300
8 Norbord
9 Finsa
10 Masisa
Canadá
Espanha
Chile
4.940
3.470
3.100
Liderança no
Hemisfério Sul
Capacidade em ‘000 m3 / ano
Fonte: estimativa Duratex
11
• 225 mil hectares de terras (próprias e parcerias)
• 136,2 mil hectares de florestas plantadas
• 267 milhões de árvores plantadas
• 56 árvores plantadas por minuto
•Corte entre 6 e 7 anos
•Baixa distância entre florestas e fábricas
•Aumento da produtividade
•Conservação de florestas nativas
•Florestas certificadas (FSC e ISO14.001)
!
"#
$
%
&'
' '
()*%
!
$
3
$&
!
$
$+
, - .,
$
3
!
"$
'/
- ' 01 "
2
4
5 6)*
&' %
!
2
7
&
%
!
!
8
&
$# %
12
Localização das Plantas
Buenos Aires
(Metais)
João Pessoa
(Louças
Sanitárias)
EVOLUÇÃO DA CAPACIDADE NOMINAL (´000 peças/ano)
Cabo de Santo
Agostinho
(Louças Sanitárias)
26.800
21.800
23.000
23.000
18.200
3.800
6.200
7.200
29.900
7.200
Queimados
9.800
(Louças Sanitárias)
11.700
Jundiaí
(Metais + 2 Louças)
São Paulo
14.440
15.600
15.800
15.800
17.000
2007
2008
2009
2010
2011
Metais
18.200
(Metais)
São Leopoldo
(Louças Sanitárias)
2012
Louças
Metais
Louças Sanitárias
13
Maiores Fabricantes de Louças Sanitárias
Empresa
País
Capacidade
1 Roca
Espanha
29,5
2 American Standard
EUA
28,0
3 Sanitec
Finlândia
13,0
4 TOTO
Japão
12,0
BRASIL
11,7
11,7*
6 Kohler
EUA
10,0
7 Villerov & Boch
Alemanha
7,6
8 CISA
México
7,0
9 Leccico
Egito
6,2
Turquia
5,1
5
10 Eczacibasi Vitra
Maior fabricante de
Louças e Metais
Sanitários da
América Latina
* Início de 2012
Capacidade em milhões de peças / ano
Fonte: estimativa Duratex
14
CAPEX (R$ milhões)
Capacidade
2 012/ *
891
800
Capacidade
Metais S anitários
2007
Var%
2 015
14.400 18.200
26%
3.800
11.700
208%
2.510
5.3 10
111,6%
(‘000 peças )
427
342
460
Louças S anitárias
(`000 pe ça s)
(m³)
2007
2008
2009
2010
Principais Investimentos em Curso
2 Novas Linhas MDF
*2012 De ca
2015 Ma de ira
2011E
R$ milhões
Conclusão
1.200
2015
DECA
220
2012
Aquisição Terras SP
148
2010
Expansão Taquari
100
2013
Elizabeth
80
2011
Flooring
30
1.778
2011
15
Destaques financeiros por divisão
Expressivas taxas de crescimento justificam novos investimentos
Expedições (em ‘000 m3)
2.312,2
1.996,9 *
Receita Líquida (R$ milhão) & Margem Bruta (%)
EBITDA recorrente (R$ milhões) & Margem (%)
36,8%
31,8%
1.830,3
+
%
15, 8
2009
+ 23
2010
*Pro forma
Expedições (em ‘000 peças)
+ 86
2010
*2009 Pro forma.
Equivalente em IFRS: R$ 1.172,8 M
*Em IFRS
,8 %
2009
2010
Antes ajustes IFRS: 2009 R$ 418,7 M e 2010 R$602,3 M
Receita Líquida (R$ milhões) & Margem Bruta (%)
EBITDA recorrente (R$ milhões) & Margem (%)
21.638
19.801
43,5%
40,1%
911,5
757,2
+ 9, 3
2009
310,5*
,0 %
2009
31,7%
580,1 *
26,5%
1.487,6 **
%
2009
270,5
184,3
+20,3%
2010
29,7%
24,3%
+46,8%
2010
2009
2010
*Ebitda contábil: 2009= R$ 184,3M 2010= R$ 293,7M
16
PL (R$ milhões)
DÍVIDA LÍQUIDA (R$ milhões)
DÍVIDA LÍQUIDA/PATR. LÍQUIDO (%)
35,60%
3.452,5
28,30%
1.118,2
977,4
3.141,9
2009
2010
LIQUIDEZ CORRENTE
2009
2010
EBITDA RECORRENTE (R$ milhões)
850,6
1,9
2009
2010
DÍVIDA LÍQUIDA/EBITDA (x)
2,81
494,8
1,09
1,3
2009
2010
2009
2010
2009
2010
17
Plano Plurianual 2011 – 2015
Estratégias / Posicionamento / Diferenciais Competitivos
Situação Atual
Investimentos Aprovados
• Escala (Diluição Custo Fixo)
• Projetos Expansão:
•DECA (2.011)
•MDF Itapetininga (2.012)
•MDP Taquari (2.013)
•MDF (2.014)
• Diversidade Geográfica
• Ativos “Estado de Arte”
• Diferencial Capital Humano
• Projetos Agregação de Valor
• Sustentabilidade
• Verticalização
(Florestas, Resinas, Impregnação, Impressão, ...)
• Diversidade de Produtos (MDP, MDF, Chapa Fibra, Durafloor,
Revestidos BP e FF, Pintados, Acessórios, Componentes, metais,
louças, produtos economizadores de água, acessórios...)
• Diferencial em Serviços
(Atendimento / Foco no Cliente)
Posicionamento / Oportunidade
• Estrutura Financeira Equilibrada
• Mercado Favorável
• Liderança de Mercado
• Capacidade Gerencial
• Custos Competitivos
• Consolidação fusão Duratex / Satipel
•Durafloor / BP Agudos (2.011)
•Impregnadoras Agudos e Uberaba (2.011)
•Galvanoplastia (2.011)
•BP Agudos (2.012)
•BP e Impregnadora de papéis Itapetininga (2.012)
•BP Taquari (2.013)
Estratégia
• Criação de Valor
Próximos 5 anos
• Crescimento / Expansão
Criação de valor
• Ganho Market Share
com crescimento sustentável.
• Sustentabilidade
( Econômica / Social / Ambiental)
18
Valorização Comparativa da ação DTEX3 e Ibovespa
280,0
260,0
240,0
220,0
+116,3%
200,0
Valor de Mercado: R$7,4 bi
180,0
160,0
140,0
+29,8%
120,0
DTEX3
19.Jun.2009
DTEX3
Ibovespa
19/03/2011
19/02/2011
19/01/2011
19/12/2010
19/11/2010
19/10/2010
19/09/2010
19/08/2010
19/07/2010
19/06/2010
19/05/2010
19/04/2010
19/03/2010
19/02/2010
19/01/2010
19/12/2009
19/11/2009
19/10/2009
19/09/2009
19/08/2009
19/07/2009
80,0
19/06/2009
100,0
Ibovespa
15.Abr.2011
Valorização
7,51
16,25
116,3%
51.373,77
66.684,21
29,8%
19
Disclaimer
As informações aqui contidas foram preparadas pela Duratex S.A. e
não constituem parte de material de oferta para a subscrição ou compra de
valores mobiliários
de emissão da Companhia. Este material contém
informações gerais sobre a DURATEX e mercados em que se encontra
inserida. Nenhuma representação ou garantia, de forma expressa ou inclusa, é
feita acerca, e nenhuma confiança deve ser depositada, na exatidão,
justificação ou totalidade das informações apresentadas.
A Companhia não pode dar qualquer certeza quanto a realização das
expectativas apresentadas.
Abril de 2011
20

Documentos relacionados

Apimec 2015

Apimec 2015 185mil hectares de florestas plantadas 230 fazendas nas regiões de SP, MG e RS

Leia mais

www.duratex.com.br

www.duratex.com.br ¾ Melhoria das margens bruta e de EBITDA; ¾ Melhoria do ROE e ROIC; ¾ Novos produtos; ¾ Melhoria na geração de caixa e administração do capital de giro. ¾ Inundação Deca; ¾ Vendaval na área florest...

Leia mais

- Centro Gestor de Inovação Moveleiro

- Centro Gestor de Inovação Moveleiro • Valorização do design brasileiro e desenvolvimentos de novos produtos e maior competitividade nos móveis planejados • Casas inteligentes x mobília funcional e versátil com oportunidade de crescim...

Leia mais