Touchdown Magazine

Сomentários

Transcrição

Touchdown Magazine
Ano
Ano 1//número
1//número 3
Abril
Abril de
de 2006
2006
Carioca
Bowl:
Na sexta
edição, mais
uma vez o
Reptiles
abocanhou
o título
e
n
i
z
a
mag
Marvin Harrison
Indianapolis Colts
3
STARTING LINEUP
ESTE MÊS
Reportagem de Capa
Tudo sobre o Carioca Bowl VI ................................................................................6
Curiosidades
Hall of Fame..........................................................................................................10
Draft
Todas as informações sobre o evento ..................................................................14
Beisebol
A estréia da nova coluna da TD Magazine............................................................22
TODOS OS MESES
Colunas
Kick-Off, por Rafael Lopes ......................................................................................4
NYC Direto, por Sávio Guadelupe.........................................................................20
História, por Fabiano Alves....................................................................................24
4
KICK-OFF
Rafael Lopes
[email protected]
A estréia do Beisebol
TOUCHDOWN
MAGAZINE
Data
15/04/2006
Editor-Chefe
Rafael Lopes
Editor-Assistente
Fabiano Alves
Capa
Rafael Lopes
sta é uma revista de futebol
americano. Mas nada melhor
do que uma revista pioneira
sobre esportes americanos para
começar uma coluna sobre beisebol. O
João Ricardo Alemão sugeriu este
espaço e achamos por bem concedê-lo.
Nesta edição, ele faz um preview da
temporada que começou há pouco
tempo, além de fazer um balanço sobre
o fiasco norte-americano no World
Baseball Classic, competição criada
pela MLB para servir como uma
“Copa do Mundo” de beisebol. Os
Estados Unidos, claramente os
favoritos, fizeram um papelão e não
conseguiram chegar sequer à final.
E
Além disso, o repórter Dennis Nery
estréia na revista com uma supermatéria sobre o Carioca Bowl. Ele,
que trabalha no LANCE! e também
pratica o esporte, pelo Tijuca Fênix,
é a pessoa mais indicada para escrever sobre o assunto. Dennis é um
entusiasta do esporte e não se incomoda com os machucados e
hematomas que aparecem após os
jogos. Presenciei uma cena destas
no trabalho, onde ele reclamava das
dores ocasionadas pelas partidas no
Nikiti Bowl, mas exaltava a atuação
de sua equipe.
Espero que vocês gostem da revista
deste mês. Enjoy it!
Repórteres
Dennis Nery
Bianco Costa
Thiago Cordeiro
Ismael Milach
Sávio Guadelupe
Jayson Braga
Julio Schumacher
Leonardo Gianotti
João Ricardo Alemão
Internet
www.tdmagazine.tk
www.newsports.tk
Corey Dillon
New England Patriots
6
CAPA
Dennis Nery
[email protected]
A hegemonia continua
VI Carioca Bowl terminou
como a quatro anos: o título
ficou com o Botafogo
Reptiles. Mas seu fim não foi tão
hegemônico assim como nos campeonatos anteriores. Na final, encontrou
um renovado e potencial Rio de
Janeiro Red Lions, grande revelação
do torneio.
As forças das equipes era igual,
O
mas a experiência falou mais alto e a
equipe da Zona Sul terminou mais
O Carioca Bowl
VI foi muito
equilibrado
uma vez com a taça de campeão sem
sofrer sequer uma derrota. A invenci-
bilidade, no entanto, só não foi quebrada, porque na fase de classificação
os dois times finalistas empataram, o
que mostra o equilíbrio.
A campanha do Reptiles, tirando
este empate, só foi questionada na
primeira rodada da competição, quando a equipe passou suado pelo reestruturado Niterói Warriors. Mas, passado
este susto, os tetracampeões foram
7
crescendo no VI CB conforme eles
jogavam. Com a base mantida, o velho
entrosamento dos anos anteriores ia
voltando e os antigos destaques da
equipe ganhando cada vez mais
espaço. Da linha de ataque até a
secundária da defesa botafoguense,
havia sempre um jogador entre os melhores da competição. Isso, claro, de
acordo com quem acompanhava o
esporte.
Pelo lado do Red Lions, nem
mesmo a ausência do MLB Zig, um
dos mais brilhantes no primeiro ano
leonino, fez com que a qualidade da
equipe caísse. Pelo contrário, a vontade demonstrada pelos jogadores e a
quantidade de novos atletas só fez com
que o time crescesse. Tanto que a
campanha deles na fase de classifi-
O Red Lions
sentiu a ausência
do MLB Zig
cação foi idêntica a dos tetracampeões.
Além na nova força, o Red Lions ainda
juntou a seu elenco jogadores que se
destacavam em outras equipes. Tanto
que o grande nome da fase final para
os leoninos, foi o RB Otávio, que
começou o campeonato no Falcões.
Os mesmos Falcões, que
começaram o VI CB como um dos
times a candidatos ao título, terminaram de forma patética o campeonato. Eles por pouco quase bateram os
Red Lions nas primeiras rodadas, mas
ficaram perto de se classificar para a
fase final. Conseguiram na última
rodada, conseguiram avançar à semifinal, mas foram eliminados de forma
patética, com uma goleada histórica
8
para o Reptiles. O maior problema do
time da Barra, sem dúvida, foram as
brigas internas. O time se quebrou no
meio e só não foi eliminado anterior-
Os Falcões
sofreram com
brigas internas
mente porque alguns jogadores tiveram a honra de defender a equipe até o
fim do torneio.
De resto, há apenas uma coisa para
lamentar. Uma não, duas: a queda das
equipes tradicionais do Rio de Janeiro
Sharks e do Fluminense Gorilas.
As duas equipes, que há pouco
tempo já foram finalistas, nesta edição
9
não conseguiram bons resultados. O
Sharks caiu na primeira rodada dos
playoffs e o Gorilas nem isso conseguiu. Foi eliminado ainda na
primeira fase do campeonato. Mas,
contando com a tradição que criaram,
Sharks e Flu
Gorilas foram
eliminados cedo
eles, com a esperança de todos que
participam do torneio, irão se reerguer.
Assim como o Tijuca Fênix que já passaram um Carioca Bowl sem sequer
marcar um ponto, hoje em dia, obtem
uma respeitável bi-terceira colocação.
2006 promete.
10
ESTATÍSTICAS
Jayson Braga
[email protected]
Hall of Fame
ntrar para a história! Esse é o
objetivo de todo o jogador de
futebol americano. Anualmente, novos membros passam a fazer parte da história desse esporte. O Hall of
Fame, uma espécie de “museu” do
futebol americano, onde vários nomes
importantes da NFL são lembrados e
eternizados até os dias atuais.
O Hall of Fame do futebol americano fica situado em Canton, Ohio.
As primeiras "reuniões" já aconteciam desde 17 de setembro de 1920.
Somente em 27 de abril de 1961, a
NFL oficializou o local, em um
espaço reservado para contar toda a
E
história da liga do futebol americano nacional.
A área de Canton foi doada por
várias empresas. O valor estimado foi
de $400.000 em dinheiro e os serviços,
foram providos de fundos para a construção do complexo. Em 7 de setembro de 1963 o "museu" ficou pronto.
O espaço já sofreu algumas
mudanças importantes, como várias
expansões no seu projeto original nos
anos de 1971, 1978 e 1995. Os custos
dessas expansões levaram cerca de
$9.2 milhões aos cofres da NFL.
Hoje seu espaço possue cerca de
82.307 m2, aumentando cerca de
quatro vezes seu tamanho original.
Durante os anos, o Pro Football
Hall of Fame se tornou um dos lugares
extremamente popular e turístico do
país. Em 2005, cerca de 7.845.502 fans
do esporte visitaram o local.
Novos membros são eleitos anualmente por 39 membros da National
Board of Selectors, representantes da
mídia e representantes da Pro Football
Writers of América. Entre três a seis
novos membros são eleitos por ano,
com aproximadamente 80% dos votos.
Qualquer treinador, jogador ou
personalidades (administradores, donos de franquias, etc) podem ser indi-
12
cados, desde que tenham contribuído
em prol do Futebol Americano nacional. No caso de jogadores, os mesmos
são indicados após cinco anos do seu
retiro nas atividades como atleta.
Com os treinadores basta se aposentar
sem prazo determinado e quanto às
personalidades podem ser eleitos
ainda em atividade.
As cerimônias de indução são realizadas no final de julho ou começo de
agosto. Vários eventos acontecem ao
longo da semana que antecede as cerimônias de indução. Todos os anos é
realizado um jogo de exibição e
comemorativo na pré temporada,
alguns dias depois da cerimônia.
A primeira classe foi criada com
17 membros, eleitos em 1963. Até hoje
são 235 membros com 151 ainda
vivos. Na última classe de 2005, foram
introduzidos mais seis novos membros, são eles: Troy Aikman, John
Madden, Harry Carson, Warren Moon,
Reggie White e Rayfield Wrigth.
Rosters e Members
Foram listados todos os membros,
com destaques para grandes nomes do
Pro Football Hall of Fame.
- Herb Adderley (CB)
- George Allen (HC)
- Marcus Allen (RB) - Primeiro
jogador na história da NFL a totalizar
10.000 jardas corridas e 5.000 recebidas. Foi MVP no SB XVIII.
- Lance Alworth (WR)
- Doug Atkins (DE)
- Morris (RED) Badgro (DE)
- Lem Barney (CB)
- Cliff Battles (HB)
- Sammy Baugh (QB)
- Chuck Bednarik (C - LB)
- Bert Bell (Owner)
- Bobby Bell (LB)
- Raymond Berry (DE)
- Elvin Bethea (DE)
- Charles W. Bidwill SR. (Owner)
- Fred Biletnikoff (WR)
- George Blanda (QB - K)
- Mel Blount (CB)
- Terry Bradshaw (QB) - 27.989
jardas passadas com 212 TD. MVP
no SB XIII e XIV.
- Bob (Boomer) Brown (T)
- Jim Brown (FB) - 12.312 jardas corridas, 756 pontos na liga.
Lidera a NFL em corridas em oito
anos de carreira e foi eleito 9 vezes
para o Pro Bowl.
- Paul Brown (HC) - Comandou
uma dinastia do Browns com 167
vitórias, 53 derrotas e 8 empates, com
4 títulos da extinta AAFC e treinou o
Bengals depois de ser membro do
Hall of Fame de 1968 a 1975.
- Roosevelt Brown (T)
- Willie Brown (CB)
- Buck Buchanan (DT)
- Nick Buoniconti (LB)
- Dick Butkus (LB)
- Earl Campbell (RB)
- Tony Canadeo (HB)
- Joe Carr (NFL president)
- Dave Casper (TE)
- Guy Chamberlin (DE - HC)
- Jack Christiansen (S)
- Earl (DUTH) Clark (QB)
- George Connor (T - LB)
- John Hannah (G)
- Franco Harris (RB) - 12.120
jardas corridas, com 100 TD no
total. 1.556 jardas corridas em 19
jogos de pós temporada. MVP do
Super Bowl IX.
- Mike Haynes (CB)
- Ed Healey (T)
- Mel Hein (C)
- Ted Hendricks (LB)
- Wilbur (PETE) Henry (T)
- Arnie Herber (QB)
- Bill Hewitt (DE)
- Clarke Hinkle (FB)
- Elroy (Crazylegs) Hirsch (HB-DE)
- Paul Hornung (HB)
- Ken Houston (S)
- Robert (CAL) Hubbard (T)
- Sam Huff (LB)
- Lamar Hunt (Owner)
- Don Hutson (DE)
- Jimmy Johnson (CB)
- John Herry Johnson (FB)
- Charlie Joiner (WR)
- David (DEACON) Jones (DE)
- Jimmy Conzelman (QB)
- Lou Creekmur (T - G)
- Larry Csonka (RB) - 8.081 jardas
corridas, com 68 TD. Menos de 21
fumbles em 1.891 jardas na carreira e
106 recepções. MVP do SB VIII.
- Al Davis (Owner) - Foi treinador,
personnel assistant, assistant coach,
general meneger, comissário da liga e
atualmente dono do Oakland Raiders.
- Willie Davis (DE)
- Len Dawson (QB)
- Joe DeLamielleure (G)
- Eric Dickerson (RB) - Correu
para 13.259 jardas na carreira, incluido
o record da NFL de 2.105 jardas em
1984. All Pro 5 vezes e 6 vezes eleito
para o Pro Bowl.
- Dan Dierdorf (T) - All Pro 5
vezes, eleito 6 vezes para o Pro Bowl e
foi nomeado o melhor bloqueador da
NFL por três vezes.
- Mike Dikta (TE)
- Art Donovan (DT)
- Tony Dorsset (RB) - 12.739 jardas corridas, com 398 recepções e 91
TD. Recorde de corrida em um único
jogo (99 jardas) para TD contra o
Vikings, em janeiro de 1983.
- John (PADDY) Driscoll (QB)
- Bill Dudley (HB)
- Albert Glen (TURK) Edawards (T)
- Carl Eller (DE)
- Stan Jones (G - DT)
13
- John Elway (QB) - Passou para
51.475 jardas, 300 TD. Foi eleito por 9
vezes para o Pro Bowl e foi MVP do
SB XXXIII.
- Weeb Ewbank (HC)
- Tom Fears (DE)
- Jim Finks (Administrator)
- Ray Flaherty (HC)
- Len Ford (DE)
- Dan Fortmann (G)
- Dan Fouts (QB)
- Benny Friedman (QB)
- Frank Gatski (C)
- Bill George (LB)
- Joe Gibbs (HC) - 134 vitórias, 66
derrotas e 0 empate, segue como
record em temporadas regulares. 16-5
em pós temporada, incluindo 4 SB,
vencendo três deles.
- Frank Gifford (HB)
- Sid Gillman (HC)
- Otto Graham (QB)
- Harold (RED) Grange (HB)
- Bud Grant (HC)
- Joe Greene (DT)
- Forrest Gregg (T)
- Bob Griese (QB)
- Lou Groza (T - K)
- Joe Guyon (HB)
- George Halas (HC)
- Jack Ham (LB)
- Dan Hampton (DT - DE)
- Henry Jordan (DT)
- Sonny Jurgensen (QB)
- Jim Kelly (QB) - Passou para
mais de 3.000 jardas em oito temporadas. Liderou o Bills por quatro vezes
consecutivas ao SB.
- Leroy Kelly (RB)
- Walt Kiesling (G - HC)
- Frank (BRUISER) Kinard (T)
- Paul Krause (S)
- Earl (CURLY) Lambeu (HC)
- Jack Lambert (LB)
- Tom Landry (HC)
- Dick (NIGHT TRAIN) Lane (CB)
- Jim Langer (C)
- Willie Lanier (LB)
- Steve Largent (WR)
- Yale Lary (DB - P)
- Dante Lavelli (DE)
- Bobby Layne (QB)
- Alphonse (TUFFY) Leemans (FB)
- Marv Levy (HC) - Comandou
na sideline o Bills por quatro vezes
consecutivas ao SB. É o 10º HC
com maior número de vitória na
NFL pós retiro.
- Bob Lilly (DT)
- Larry Little (G)
- James Lofton (WR)
- Vince Lombardi (HC) - 105
vitórias, 35 derrotas e 6 empates,
recorde em 10 anos de NFL.
Incluído cinco títulos na NFL e
dois SB I e II.
- Howie Long (DE)
- Ronnie Lott (CB)
- Sid Luckman (QB)
- William Roy (LINK) Lyman (T)
- Tom Mack (G)
- John Mackey (TE)
- Tim Mara (Owner)
- Wellington Mara (Owner)
- Gino Marchetti (DE)
- Dan Marino (QB) - Vários
recordes na carreira como: 61.361
jardas de passe, 4.967 passes completados, 8.358 passes tentados e
420 TD. Eleito por nove vezes para
o Pro Bowl.
- George Preston Marshall (Owner)
- Ollie Matson (HB)
- Don Maynard (WR)
- George McAfee (HB)
- Mike McCormack (T)
- Tommy McDonald (WR)
- Hugh McElhenny (HB)
- Johnny (BLOOD) McNally (HB)
- Mike Michalske (G)
- Wayne Millner (DE)
- Bobby Mitchell (RB - WR)
- Ron Mix (T)
- Joe Montana (QB) - MVP em três
SB's XVI, XIX e XXIV. Oito vezes
eleito para o Pro Bowl e três vezes
ALL-NFL.
- Lenny Moore (RB)
- Marion Motley (FB)
- Mike Munchak (G)
- Anthony Munõz (T)
- George Musso (G - T)
- Bronko Nagurski (FB)
- Joe Namath (QB) - Primeiro QB
a passar para mais de 4.000 jardas
numa temporada, 1967. Liderou o Jets
contra o Colts no SB III.
- Earle (GREASY) Neale (HC)
- Ernie Nevers (FB)
- Ozzie Newsome (TE)
- Ray Nitschke (LB)
- Chuck Noll (HC)
- Leo Nomellini (DT)
- Merlin Olsen (DT)
- Jim Otto (C)
- Steve Owen (T - HC)
- Alan Page (DT)
- Clarence (ACE) Parker (QB)
- Jim Parker (G - T)
- Walter Payton (RB) - Lidera a
NFL em jardas corridas com 16.726 jds.
- Joe Perry (FB)
- Pete Pihos (DE)
- Fritz Pollard (HB - HC) Primeiro jogador negro a jogar na NFL,
ajudou o Akron a conquistar o campeonato de 1920. Posteriormente, foi o
primeiro negro a ser um HC na NFL.
- Hugh (SHORTY) Ray (Supervisor)
- Dan Reeves (Owner)
- Mel Renfro (CB - S)
- John Riggins (RB)
- Jim Ringo (C)
- Andy Robustelli (DE)
- Art Rooney (Owner)
- Dan Rooney (Owner)
- Pete Rozelle (Comissioner) Foi o primeiro a negociar com a TV
14
um contrato de exclusividade da liga
em 1962. Foi o responsável pelo
crescimento e popularização do
esporte no país.
- Bob St. Clair (T)
- Barry Sanders (RB) - 15.269
jardas corridas, 99 TD. Correu para
mais de 1.000 jardas em 10 temporadas. NFL co-MVP, 1997 e foi eleito
10 vezes para o Pro Bowl.
- Gale Sayers (RB)
- Joe Shimidt (LB)
- Tex Shramm (General Mamager)
- Lee Roy Selmon (DE)
- Billy Shaw (G)
- Art Shell (T) - 207 jogos em
temporada regular, 23 em pós temporada e oito vezes eleito para o Pro
Bowl.
- Don Shula (HC) - Treinador
com maior número de vitórias na
NFL (347) em dez anos de
carreira.Venceu o SB VII com o
Dolphins e produziu um dos maiores
feitos de uma franquia, a temporada
perfeita (17-0).
- O.J. Simpson (RB) - Em 1973,
foi o primeiro jogador a correr para
2.000 jardas em uma única temporada. Terminou com quatro títulos de
melhor corredor da NFL, somando
11.236 jardas.
- Mike Singletary (LB)
- Jackie Slater (T)
- Jackie Smith (TE)
- John Stallworth (WR)
- Bart Starr (QB)
- Roger Staubach (QB) - Lederou
o Cowboys em quatro títulos da NFC
e nas vitórias do SB's VI, XII.
Encerrou a carreira com 83,4 passer
rating, sendo o melhor de todos os
tempos da NFL.
- Ernie Stautner (DT)
- Jan Stenerud (K)
- Dwight Stephenson (C)
- Hank Stram (HC)
- Ken Strong (HB)
- Joe Stydahar (T)
- Lynn Swann (WR)
- Fran Tarkenton (QB)
- Charley Taylor (RB - WR)
- Jim Taylor (FB)
- Lawrence Taylor (LB)
- Jim Thorpe (HB)
- Y.A. Tittle (QB)
- George Trafton (C)
- Charley Trippi (HB - QB)
- Emley Tunnell (S)
- Clyde (BULLDOG) Turner (C)
- Johnny Unitas (QB) - 40.239
jardas por passe, 290 TD. Liderou
o Colts em dois NFL champi onships.
- Gene Upshaw (G)
- Norm Van Broklin (QB)
- Steve Van Buren (HB)
- Doak Walker (HB)
- Bill Wash (HC) - 102 vitórias,
63 derrotas e 1 empate, recorde como
treinador. Comandou o SF40'ers em
três títulos de SB's XVI, XIX e XXIII
em 10 anos.
- Paul Warfield (WR)
- Bob Waterfield (QB)
- Mike Webster (C)
- Arnie Weinmeister (DT)
- Randy White (DT)
- Dave Wilcox (LB)
- Bill Willis (G)
- Larry Wilson (S)
- Kellen Winslow (TE)
- Alex Wojciechowicz (C)
- Willie Wood (S)
- Ron Yary (T)
- Steve Young (QB) - Liderou a
NFL em passes em seis temporadas.
Passou para mais de 33.000 jardas
com 232 TD na carreira. MVP do SB
XXIX e foi eleito por sete vezes para
o Pro Bowl.
- Jack Youngblood (DE)
HOMENAGEM ESPECIAL
Reggie White faleceu em 26 de dezembro de 2004.
O jogador foi duas vezes eleito o melhor jogador defensivo do ano.
Jogou 13 vezes o o Pro Bowl (recorde da NFL), entre 1986 e 1998
14
DRAFT
Leonardo Gianotti
[email protected]
Novos craques?
ntre os dias 29 e 30 de Abril, no
Radio City Music Hall de Nova
York, acontecerá o Draft, o sistema de recrutamento dos jogadores
universitários para a NFL. O evento
E
O Draft é serve
para equilibrar
a disputa na NFL
funciona assim: os times de piores campanhas na temporada anterior tem o
direito de escolher primeiro, ou seja, é
de se supor que estes times pegarão os
melhores jogadores universitários. É
uma forma das equipes que estão em
pior situação técnica tentarem melhorar seus rosters e se tornarem mais
competitivas na temporada.
Para este ano, o grande favorito e
já quase certa escolha número 1 do
draft é o running back Reggie Bush da
USC. Ele foi o vitorioso na última
temporada para a eleição do Troféu
Heismann, que é o mais importante
prêmio do futebol universitário.
Apesar de ser RB, ele já jogou como
WR e retornador de punts, se tornou
notável pela habilidade para escapar
de tackles e pela velocidade. Bush
cometeu apenas três fumbles em sua
carreira no college e é reconhecido
como um dos melhores RBs da
história da USC, senão o melhor. Apesar
de ter direito a mais um ano no football
universitário, ele resolveu tentar a NFL.
Outro RB bem cotado é DeAngelo
Williams, da Universidade de Memphis.
Bush poderá ser
o número 1 do
draft deste ano
Williams é um RB bastante forte que
tem como principal característica sua
corrida pelo meio. Além disso, consegue
“quebrar” facilmente os tackles. Ele
destaca-se também por características
intangíveis como a liderança. Poderia
15
ser muito bem um first rounder no draft
passado, mas escolheu voltar para a universidade para o ano final.
O colega de time de Reggie Bush,
LenDale White é outro RB bem cotado
para os primeiros rounds do draft.
White, assim como Bush, é um junior
que optou por abrir mão de seu último
ano de universidade para ir para NFL. É
um RB de boa visão, bons instintos e
também muito forte que sempre esteve
na sombra de Reggie White na universidade. Seu ponto negativo é a falta de
velocidade. Outros RBs a se considerar:
Laurence Maroney, Maurice Drew e
Joseph Addai.
Entre os defensores, um nome
muito bem cotado para o draft é o DE
Mario Williams. Ele, outro junior, é o
LenDale White
é considerado um
RB de boa visão
DE de melhor prospecto a entrar no
draft desde Julius Peppers. Williams
tem excelente movimentação e é bastante veloz. Muitos especialistas consideram que ele tem potencial para ser um
dos melhores defensores da liga.
Entre os CB, o prospecto número
um é Jimmy Williams de Virginia Tech,
que também já atuou como Safety. É um
jogador de grande talento, porém que
nem sempre consegue jogar o compatível com todo o seu potencial. É habilidoso, bastante forte e merece no mínimo
uma chance para demonstrar o que pode
fazer na NFL.
Entre os safeties, Michael Huff é o
número um. Ele vem do atual campeão
do futebol universitário, o Texas
Longhorns. Vencedor do Jim Thorpe
Award e proveniente de um dos progra-
Reggie Bush é o favorito para a escolha número 1 do Draft 2006 da NFL
16
LenDale White deve ser um dos primeiros a ser escolhido pelos times da NFL no próximo Draft
mas que tem mais tradição na formação
de DB, já lhe dão boas credenciais. É
um jogador versátil que pode jogar tanto
como Safety quanto como CB e tem
como a velocidade sua principal qualidade, porém precisa trabalhar para ganhar mas força física.
O OT D'Brickashaw Ferguson é
uma das apostas certas para os primeiros
picks, com vários times com OLs deficientes certamente este atleta de
Virginia cairia como uma luva nestas
equipes. Tem grandes qualidades físicas, além de suas qualidades intangíveis
que são excepci-onais. Segundo os
especialistas será um raro franchise
left tackle.
Chad Johnson é
o WR mais
bem cotado
Na posição de WR, um nome bastante badalado é Chad Johnson dos
Flórida Gators, é um receiver bastante
rápido e mortal na redzone, porém
necessita de mais força física se quiser
sobreviver na NFL.
Santonio Holmes é outro nome de
Ohio State bastante comentado nos
Mocks e Scoutings, juntamente com
Sinorice Moss de Miami, irmão mais
jovem do WR dos Redskins Santana
Moss.
E finalmente na posição de QB,
temos um grande "buzz" sobre três
nomes, Matt Leinart vindo da USC,
Vince Young dos Texas Longhorns e Jay
Cutler de Vanderbilt.
Leinart, vencedor do Heismann da
temporada de 2004-2005, tem sua
17
grandes qualidades em características
intangíveis, tem uma grande liderança,
consegue ler defesas com poucos QBs, é
frio e tem um gran-de instinto ou seja
suas decisões são sempre rápidas e na
maioria das vezes correta.
Sua grande fraqueza é justamente
física, apesar de ter um excelente braço
e uma grande precisão nos lançamentos,
tem problemas com sua mobilidade, já
teve problemas de contusão no cotovelo
e no ombro e certamente vai precisar de
um grande supporting cast para conseguir sucesso na NFL.
Vince Young, é um grande atleta,
rápido e veloz, um excelente scambler e
uma grande visão de jogo, tem uma
grande liderança sobre seus comanda-
Vince Young éum
dos quarterbacks
favoritos
dos, porém suas falhas estão em uma
falta de uma mecânica de lançamento
mais eficiente, comente muitos "mental
mistakes" resultado da falta de instinto
para decisões sobre pressão.
Jay Cutler, já sai em desvantagem
em relação aos seus dois colegas de
posição por jogar em um programa
de futebol universitário mais fraco
em relação a Texas e USC dois dos
melhores programas de futebol universitário do país, mas o fato de se
destacar mesmo jogando por uma
universidade que mais perde do
ganha a maioria das vezes pode ser
um fator positivo para ele.
É um excelente atleta, tem um excelente e bastante preciso lançamento,
bastante calmo consegue sair das situações de perigo com certa tranqüilidade,
não se intimida fácil com "hits" e é um
Santonio Holmes é considerado uma barbada para o Draft deste ano
18
destaque, Vince Young chegou a
ameaçar a posição de Leinart como principal QB do draft, porém dois fatores
fizeram com que surgissem dú-vidas
sobre ele:
1 - A NFL aplica a todos os seus
postulantes o Wonderlic Test, que é
uma espécie de teste de inteligência, é
um teste de 50 questões que mede a
aptidão da pessoa para aprender um
novo trabalho ou resolver problemas.
Os pontos são calculados de acordo
com o número de acer-tos e de acordo
com o tempo que o candidato leva para
resolver as questões. Um QB normalmente faz uma média de 24 pontos (o
máximo é de 50). O primeiro rumor
Jay Cutler pode
surpreender no
Draft deste ano
Matt Leinart é outro quarterback bem cotado pelas equipes da NFL
bom scambler apesar de precisar trabalhar um pouco sua movimentação de pés
Matt Leinart
ganhou o Troféu
Heisman
e sua excessiva confiança em algumas
jogadas arriscadas.
Leinart que ganhou o Heismann
na temporada passada era o grande
favorito para ser o número um do draft
e para fortalecer mais sua posição
venceu o título nacional massacrando
Oklahoma no Orange Bowl. Porém
decidiu ficar mais um ano no futebol
universitário.
Com sua atuação na final do Rose
Bowl deste ano onde foi o gran-de
seria que Young teria conseguido apenas 6 pontos neste teste, rumor que foi
desmentido no dia seguinte, seu agente
imediatamente informou o resultado
do teste 16.
2 - Seus péssimos resultados no
NFL Combine, que realmente decepcionaram.
Todos estes fatores deram espaço
para que Jay Cutler que fez um excelente NFL Combine subisse nos
Scoutings e muitos expecialistas hoje o
colocam como melhor QB deste draft,
e em muitos mocks já esta a frente de
Young.
Outros QBs a se considerar para
este draft Omar Jacobs, Brodie Croyle
e Charlie Whitehurst.
Para encerrar algumas curtas:
*** Os jogos do BCS passam a ser
transmitidos pela Fox a partir desta
temporada que substitui a ABC.
19
Vince Young foi um dos destaquesda temporada passada do futebol americano universitário dos EUA
A FOX vai
transmitir o BCS
no próximo ano
*** O Fiesta Bowl, que sedia o
campeonato nacional nesta temporada,
muda de casa, deixa o Sun Devil
Stadium da Universidade do Arizona e
vai para o novo Estádio dos
Cardinals.
*** Causou uma certa surpresa
o melhor QB do High School do
país Mitch Mustain ter assinado
com Arkansas quando podia assinar
com os melhores programas de
futebol universitário do país. Talvez
a justifica-tiva seja a comodidade
de ficar perto de casa. Mustain que é
do Arkansas.
*** E a luta pela vaga de herdeiro
de Matt Leinart em USC (o posto de
QB) anda a toda, John David Booty
começou como favorito, mas recente
problemas na costas deram espaço
para Mark Sanchez ter esperança,
vamos ver no que vai dar.
20
NYC DIRETO
Sávio Guadelupe
[email protected]
Nova casa
para Giants e Jets
D
epois de muitos rumores,
debates e choradeira em geral
em torno de taxas e impostos,
Estádio de Giants
e Jets será em
Nova Jersey
finalmente os torcedores de Jets e
Giants teráo uma nova casa nova a
partir da temporada de 2010.
A idéia inicial era de se construir
um estádio exclusivo para o Jets, no
Westside de Manhattan. O local seria
usado como a principal bandeira para
a candidatura de Nova York para os
Jogos Olímpicos de 2012.
No entanto, entre a população,
mesmo aqueles que apoiavam a candidatura temiam por uma situação
caótica em dias de grandes eventos
no já tão complicado trânsito da
região. Isso sem falar nos adversários
políticos do prefeito de Nova York,
que questionavam o fato do projeto
ser parcialmente financiado com dinheiro público. Com isto a cidade
acabou perdendo a candidatura para
Nova York não
aprovou estádio
em Manhattan
Londres, poucos meses depois do projeto do estádio ser condenado pela
própria comunidade local. Quem
comemorou o resultado, foi justamente
21
a cidade vizinha, Nova Jersey, que
temendo pela perda das duas franquias, já acenava com uma proposta de
construção de um novo estádio no
complexo esportivo de Meadowlands.
A idéia desagradou inicialmente
os torcedores do Jets, que sonhavam
em ter seu próprio estádio, com as
cores de seu time. Mas algumas partes
do projeto foram alteradas e não
demorou muito para que as duas franquias chegassem a um acordo.
A verdade é que hoje o Giants
Stadium, mesmo com as melhorias
realizadas para sediar alguns jogos da
Copa de 94, esta longe do modelo
atualmente considerado ideal pela liga
(é só tomar como base o novo estádio
do Cardinals, que já começou a sair do
Patrick Ramsey
acertou contrato
com o NY Jets
papel). Tenho lá minhas restrições à
destruição/reformulações de alguns
estádios. Acho que seria uma heresia,
por exemplo qualquer mudança que
descaterizasse o lendário Lambeau Field, mas no caso do Giants Stadium...
Elas são mais do que bem vindas.
Free Agency
Mesmo antes da abertura do mercado, o Giants já conversava com Sam
Madison, indicando que a franquia
investiria pesado, dentro do razoável,
mas não folgado espaço no cap que
ainda resta para acertar a secundária.
Madison vem para ser titular e assumir
o papel de tutor do promissor Corey
Webster. Outra boa contratação foi a
de Quentin Harris, que nos últimos
quatro anos jogou ao lado de Ed Reed
no Baltimore Ravens.
Já R.W McQuarters deve ser
peça importante no special team e
pode em caso de emergência, também exercer o papel de safety. Com
estas contratações, o alvo dos Giants
no próximo draft deve ser o line backer Chad Reenway, de Iowa.
Nos Jets, Patrick Ramsey acertou
um contrato de três anos, numa
transação envolvendo o Redskins, e
que terminou com a ida de John
Abraham para o Falcons. Como parte
do negócio, a franquia agora possui
uma segunda oportunidade de escolha
ainda na primeira rodada do draft.
Com dois experientes quarterbacks no
elenco (Chad Pennington restruturou
seu contrato e continua em Nova York)
o foco mais do que nunca, continua
sendo a linha ofensiva, e Ad’brickashaw Ferguson é um nome que agrada
a todos. Bobby Carpenter (OLB)
aparece como a mais provável segunda
opção de escolha.
24
BEISEBOL
João Ricardo Alemão
[email protected]
Estreando e falando
sobre Beisebol
este momento em que os caros
leitores lêem esta modesta coluna faltam poucas horas para a
temporada da MLB iniciar, nas duas ultimas temporadas tivemos os dois Sox saindo da fila, deixando o Cubs sozinho no
fim da fila, sendo que o segundo time há
mais tempo sem titulo agora é o Indians,
que conquistou o titulo em 1949, contra o
quase centenário titulo de 1908 do Cubs.
As movimentações de off-season
foram intensas, principalmente pelo desmanche do Marlins que ficou com o
Dontrelle Willis e um monte de prospects
para a temporada 2006, ficarei muito
espantado se o Marlins tiver menos de
100 derrotas e se este time não for o ulti-
N
mo na MLB desta temporada, por outro
lado o Kansas City Royals se reforçou e
deve se estabelecer no meio da tabela
este ano, certamente não repetindo a
campanha pífia da temporada passada,
embora dificilmente aparecera como
contendor aos play-offs.
AL East - Repetindo o que ocorreu ano passado teremos 3 contendores nesta temporada, ao Yankees
e ao Red Sox que tem lutado pela
divisão nestes últimos anos nesta
temporada se junta o Blue Jays, o
time canadense foi dos times mais
fortes o que mais se reforçou para a
temporada e tentara retomar seu
período de gloria da primeira metade
dos anos 90, o Orioles decaiu muito na
segunda metade da temporada passada
e deve recomeçar tudo da estaca 0 neste
ano, já sem Palmeiro e a grande
decepção do ano passado, Sammy
Sosa, o Tampa continua na mesma,
pega o dinheiro que os clubes maiores
repassam para ele e não investe dinheiro próprio no time ficando relegado
a ser sempre o ultimo.
AL Central - Aqui não teremos
grandes surpresas, o White Sox larga
como favorito, e Indians e Twins serão
seus contendores, o Tigers pode aparecer correndo por fora e o Royals será o
fiel da balança, não deve lutar pela
divisão, mas como devera ter uma temporada muito superior as 2 ultimas deve
vencer vários confrontos com os adversários da divisão, aos quais enfrentara
18 ou 19 vezes cada um, e numa divisão
renhida pode fazer diferença perder 1
ou 2 jogos a mais do que os adversários
para o time mais fraco da divisão.
AL West - O Angels é levemente
favorito, mas se o Athletics resolver seu
complexo de Medico e Monstro pode
ser um serio contendor, a segunda
metade do As na temporada passada foi
espetacular, e só não os levou aos playoffs porque a primeira metade foi um
tremendo horror, com as chegadas de
Bradley e Thomas o ataque será mais
poderoso, a única ressalva é a saúde de
ambos, eu esperava muito do Mariners
ano passado e eles me decepcionaram,
devem novamente disputar o terceiro
lugar da divisão com o Rangers.
NL East - O Atlanta Braves tem a
maior quantidade de títulos seguidos de
divisão da historia dos esportes profissionais americanos, 13, faz anos que se
vaticina a queda do time, e esta não se
confirma, porem este ano temos um
novo elemento nesta sopa, Leo
Mazzone saiu do time e foi treinar os
pitchers de Baltimore, então me arrisco
a dizer que este ano o time não vencera
a divisão, a briga deve ficar entre Mets
e Phillies, Atlanta e Washington farão
temporadas medias próximas dos .500,
o Marlins será a Geni da MLB como já
explanei no inicio do artigo, e isto também me faz apontar que desta divisão
deve sair o Wild Card da NL.
NL Central - Cardinals de estádio
novo, esperava-se que o time caísse
nestes últimos anos em decorrência dos
gastos do clube na construção da nova
casa, se não decaíram nas 2 ultimas temporadas, não decairão agora, são os
favoritos, seu grande adversário será o
Cubs, que tem um bom time e um ótimo
técnico, o Reds aparece correndo por
fora, se Ken Griffey Jr tiver uma temporada Griffeyniana do tempo do Mariners
o time tem boas chances de surpreender,
o Astros apesar de ter ido a World Series
na ultima temporada não deve repetir o
feito, Roger Clemens deve realmente se
aposentar, pois o principal motivo que o
fez voltar da aposentadoria, o desejo de
sua mãe de vê-lo jogar não mais existe já
que a Sra. Clemens faleceu durante a ultima temporada, e as seguidas lesões de
Pettite deixam com apenas 1 as o time, e
Roy Oswalt não deve conseguir sozinho
levar o time aos play-offs, alem disto
também surgiram informações que Jeff
Bagwell também deve aposentar-se, isto
faz do Astros um azarão, o Brewers conseguiu quebrar a seqüência de temporadas abaixo de .500 em 2005, o Pirates
ficou um ano mais abaixo desta marca e
os dois times entram na temporada com o
objetivo de superar a marca de 50% o
que vier a mais é lucro.
NL West - O Padres não foi o
melhor da divisão ano passado, foi o
menos ruim, conseguiu ir aos playoffs com uma campanha de 82-80,
inferior a varias equipes que não conseguiram classificação em outras
divisões, este ano isto não deve bastar, Bonds parece recuperado de seus
crônicos problemas de joelho que o
afastaram de quase a totalidade da
temporada passado, aqui não vejo um
favorito, a disputa deve ser renhida
entre Padres, Dodgers e Giants pela
vaga aos play-offs, o DiamondBacks
corre por fora e o Rockies é outro
caso perdido igual o Devil Rays, são
dois times que reforçam as sabias
palavras do Barão de Itararé, que de
onde nada se espera daí mesmo é que
normalmente não sai nada.
World Baseball Classic
Aszisti apenas a 3 partidas e confesso que quase me desanimo na
primeira, que peladão entre Republica
Dominicana e Cuba na primeira semifinal, a Republica Dominicana caiu na
mesma besteira da maioria das equipes
que tem ataques poderosos, tipo o meu
Yankees, partiram para o Swing Away e
acabaram não conseguindo capitalizar
os sucessivos erros de Cuba, o mesmo
erro não incorreu o Japão na grande
final, onde o ataque baseado no small
ball(embora também pode ter ocorrido
que simplesmente os rebatedores não
tinham a potencia necessária para jogar
a bola alem do muro do imenso campo
do Padres) fez Cuba pagar por cada erro
cometido e acabaram vencendo o
WBC.
Agora a grande questão é porque
os donos da casa não tiveram sucesso, em minha opinião foi uma grande
combinação de falta de ritmo de jogo,
menosprezo pelos adversários, e principalmente menosprezo pelo torneio
em si, falava-se muito no Dream Team
do baseball, mas é impossível comparar este time ao verdadeiro Dream
Team, o time de basquete que disputou
as olimpíadas de Barcelona.
O time de 92 era formado pela
maior reunião de estrela da historia do
esporte em qualquer era, Jordan,
Magic Johnson, Larry Bird, dentre outros, todos homens consagrado, milionários e que tinham um sonho, juntar
a medalha de ouro olímpica aos seus
lauréis, e se imbuíram desta missão
encantando o mundo e ganhando a
mais anunciada das medalhas de ouro
de todos os Jogos Olímpicos, enquanto
isto certamente nenhum jogador desta
seleção Americana de baseball pode
dizer que o sonho de sua vida é vencer
o WBC, pois este é um torneio que
teve a primeira edição e alem disto
sempre há a preocupação de não se
lesionar quando estamos as vésperas
da temporada da MLB.
A próxima edição devera ser realizada em 2009, e espero sinceramente
que seja arranjada outra data, pois
Março foi uma péssima escolha, o
jogador vem de 5 meses de férias, e
como todos nós que acompanhamos o
esporte constatamos os times começam
a jogar acima de 80% de seu potencial
apenas em Julho, pois é uma temporada longa e as equipes vão crescendo ao
longo da temporada para chegarem ao
ápice em Setembro/Outubro e não
virarem o fio, em minha opinião seria
mais apropriado se o WBC fosse disputado após o final da temporada,
assim como a Copa do Mundo de futebol é disputada no final da temporada
européia de futebol.
24
HISTÓRIA
Fabiano Alves
[email protected]
A história do Futebol
Americano - Parte 1 de 4
stima-se que no século 12 a.c.,
os gregos já praticavam algo
semelhante ao FA, mas com
um pouco mais de ferocidade e violência. Os estudiosos do esporte afirmam
que sua origem remota aos primórdios
do rugby, um jogo inglês que tem
algumas similaridades com o FA.
O FA que vemos hoje é totalmente
diferente do que era jogado na
Universidade de Harvard, por volta
de 1860. Todo inicio de ano letivo, na
primeira segunda-feira acontecia o
"Bloody Monday", por causa da
dureza com que era jogado e, conseqüentemente, com a quantidade de
sangue que ficava nos gramados.
Em 1873, representantes das
Universidades de Columbia, Rutgers,
Princeton e Yale se encontraram em
Nova York, para estabelecer as
primeiras regras para os jogos intercolegiais de football, que ainda era
jogado com algumas regras do
Soccer (futebol), sendo estabelecido
a IFA (Intecollegiate Football
Association) que deu origem a atual
NCAA (National College Athletes
Association). Nessa mesma reunião
foi estabelecido o numero de 50
jogadores (hoje o roster é de 53
durante a temporada regular, chegando a 70 durante os treinamentos e
jogos "amistosos" off season).
Em 1896, Walter Camp, lendário técnico da Universidade de Yale e um
dos dissidentes da IFA, foi o responsável por estabelecer o numero de 11
jogadores dentro do campo. Ele também determinou o atual tamanho dos
E
campos, demarcando as linhas de
uma a 10 jardas, além de determinar
a forma de conduzir (as "descidas").
Infelizmente, nem tudo são flores no
FA. Antes do advento dos equipamentos de proteção, estima-se que
houveram 80 mortes em campos em
virtude dos violentos tackles.
Após esses incidentes, o então presidente norte-americano Theodore
Roosevelt chamou as Universidades
participantes da IFA para que essas
determinassem regras mais rígidas.
Pois bem, o resultado disso foi:
- Estabelecimento do novo estilo de
jogar: o passe (seja para o jogo de
corridas quanto para os passes em
O sucesso
começou nas
Universidades
profundidade);
- Proibição de tackles violentos
dentro de campo;
- Proibição de segurar os braços dos
atacantes (isso era comum, uma vez
que era válido como forma de parar a
jogada ou abrir caminho para os
corredores);
- Diminuição do tempo de jogo
(eram 70 minutos e passaram a ser
60 minutos);
- Separação das equipes quando a
jogada estava acabada;
- Definição de uma zona neutra
antes da jogada começar.
Resumo das principais datas do FA:
1869: 1o jogo de FA nos Estados
Unidos - Rutgers contra Princeton
1873: redução para 20 o número de
jogadores em campo, por equipe
1876: redução para 15 o número de
jogadores em campo, por equipe
1880: Determinação final e atual de
11 jogadores.
1900: O College Football (football
universitário) se torna o esporte mais
popular dos EUA.
1906 – John Willian Heisman estabelece o formato do Forward Pass.
1935 – O Downtown Athletic Club of
NY City estabelece o The John W.
Heisman Memorial Trophy – que premia os melhores QB universitários
1945 – As universidades americanas
começam a estabelecer programas
para atrair os talentos para seus campi.
Grandes nomes que foram revelados pelo FA Universitário
Jim Thorpe – Carlisle Institute
George Gipp: Notre Dame Fighting
Irish
Red Grange – Universidade de
Illinois
Tom Harmon – Michigan University
Doak Walker – S. Methodist University
Glenn Davis e Doc Blanchard, conhecidos como Touchdown Twins - US Army
Joe Namath – University of Alabama
Quem acompanha o Football está
percebendo que muita coisa ainda
continua, em termos de regras, como
nos primórdios do FA.
Hoje, depois de mais de 100 anos do
nascimento da NCAA, o football universitário floresce como um dos mais
populares esportes nos EUA, e não só
por lá.
Priest Holmes
Kansas City Chiefs
Michael Vick
Atlanta Falcons

Documentos relacionados

Touchdown Magazine

Touchdown Magazine uando um jogador faz uma carreira brilhante como universitário e fracassa na NFL, se diz que ele é um bust, não são raros estes casos, a diferença do futebol americano profissional para o futebol a...

Leia mais

Revista Guia da NFL 2015

Revista Guia da NFL 2015 O Buffalo Bills da temporada de 2014 foi uma equipe mediana, não muito diferente do que a maioria esperava. A franquia terminou o ano com a segunda melhor campanha da AFC East, logo atrás do New Eng...

Leia mais