Sobre a pesquisa esultados da Pesquisa sobre Lixo Eletrônico o

Сomentários

Transcrição

Sobre a pesquisa esultados da Pesquisa sobre Lixo Eletrônico o
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
Resultados da Pesquisa sobre Lixo Eletrônico
Autores:
•
•
Mayara Zago Munaretto
Fernando dos Santos
Sobre a pesquisa
No mês de junho de 2012, foi aplicado um questionário
questioná
sobre o lixo eletrônico no CEAVI. Foram
entrevistadas 233 pessoas, dentre acadêmicos, técnicos e professores. O objetivo do questionário era
verificar a percepção do público quanto a questão do lixo eletrônico, em especial os seguintes
aspectos:
• Dados gerais do público (faixa etária, cidade, nível de instrução);
• Quem o público aponta como responsável
respon vel pelo tratamento e descarte do lixo eletrônico;
• Se o público conhece a Política Nacional de Resíduos Sólidos;
• Se nas cidades onde o público reside há local de coleta permanente
permanente de lixo eletrônico;
• Quantos e quais equipamentos eletrônicos o público trocou nos últimos anos,
anos e também o que o
público fez quando
ando precisou descartar materiais eletrônicos;
eletrônicos
A seguir, são apresentados os resultados obtidos, para cada questão. Ao final encontram-se as
principais observações e conclusões.
1
Faixa etária
O público que respondeu o questionário teve maior concentração nas faixas etárias de 11 a 20 anos
(48%) e de 21 a 30 anos (41%). Isto explica-se
explica se pelo fato de que a grande maioria dos participantes
está frequentando os cursos de graduação do CEAVI. O gráfico a seguir apresenta a distribuição do
público nas faixas etárias.
1
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
2
Cidade de residência
O público foi questionado a respeito de sua cidade de residência. As alternativas disponibilizadas
disponib
apresentavam as cidades que compõem a 14ª Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR)
(
de SC.
Cidade onde mora?
[
[
[
[
]Apiuna
[ ]Dona Emma
[ ]Lontras
[ ]Rio do Sul
]Ascurra
[ ]Ibirama
[ ]Presidente Getúlio
[ ]Vitor Meireles
]Benedito Novo
[ ]José Boiteux
[ ]Presidente Nereu
[ ]Wittmarsum
]Outra. Qual? ______________________________________________________
O gráfico a seguir apresenta a distribuição do público de acordo com a cidade de residência. Pode-se
Pode
verificar que a maior porcentagem (41%)
(
dos entrevistados são da cidade de Ibirama, seguido por
22% de Rio do Sul e Presidente Getúlio (13%)
2
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
3
Nível de instrução
O público foi questionado a respeito de seu nível de instrução.
Qual o seu nível de instrução?
(deixe em branco se for não alfabetizado)
(marque pós-graduado para pós-graduação/mestrado/doutorado
graduação/mestrado/doutorado completos ou incompletos)
[ ]
primário
[ ]
fundamental
[ ]
médio
[ ]
superior
incompleto
[ ]
superior
completo
[ ]
pós
graduado
incompleto
[ ]
pós
graduado
completo
O gráfico a seguir apresenta a distribuição do público de acordo com o nível de instrução.
3
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
4
Conhecimento sobre o lixo eletrônico
O público foi questionado a respeito de seu conhecimento sobre a questão do lixo eletrônico. As
alternativas disponibilizadas variavam desde a ausência de conhecimento, até o conhecimento sobre o
que se trata, riscos e cuidados no momento do descarte.
Qual é o seu conhecimento sobre lixo eletrônico?
(marque uma opção que melhor reflete seu conhecimento)
[ ] Nada.. É a primeira vez que vejo este termo lixo eletrônico.
[ ] Já ouvi falar,, mas não sei exatamente do que se trata.
[ ] Só sei que é formado por materiais eletrônicos como televisores,
computadores e celulares.
c
os riscos que oferece para o meio
[ ] Sei o que é, e conheço
ambiente e a saúde.
[ ] Sei o que é, e além de conhecer os riscos do lixo eletrônico, procuro
sempre tomar cuidado para descartar adequadamente este
material.
eletrônico apontado pelo público. Pode-se
Pode
O gráfico abaixo resume qual o conhecimento sobre o lixo eletrônico
verificar que 47% sabem o que é o lixo eletrônico e conhecem os riscos que oferece ao meio ambiente
e a saúde. No entanto, apenas 25% sabe o que é, e procura tomar cuidado para descartar
adequadamente esse tipo de material.
rial.
4
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
5
Responsabilidade pelo tratamento e descarte do lixo eletrônico
O público foi questionado a respeito de quem julga ser a responsabilidade pelo tratamento e descarte
do lixo eletrônico. Foram apresentadas três alternativas, sendo que o público poderia assinalar apenas
uma, ou combinar as alternativas.
Em sua opinião, de quem é a responsabilidade pelo tratamento e descarte do lixo
eletrônico? (marque quantas opções desejar)
[ ] Governo.. As prefeituras devem coletar o lixo eletrônico nas
[ ]
[ ]
residências ou em pontos de coleta, para fazer o tratamento e
descarte adequado deste material.
Indústria e Comércio. As empresas que fabricam eletrônicos
e os comerciantes que vendem devem receber o lixo eletrônico
dos consumidores (logística reversa).
Empresas de tratamento e reciclagem.
reciclagem. Devem ser criadas
empresas para receber o lixo eletrônico e reciclar ou descartar
este material.
O gráfico a seguir apresenta
presenta as respostas do público.
público Observa-se que 29% apontam a indústria e o
comércio (simultaneamente) como responsáveis
responsáve pelo descarte
rte e tratamento do lixo eletrônico. Já 23%
acreditam que a responsabilidade é exclusivamente do governo. Ainda, 22% acreditam que a
responsabilidade é exclusivamente de empresas de tratamento e reciclagem de lixo eletrônico. Por fim,
18% apontam responsabilidade compartilhada entre governo, indústria, comércio, e empresas
emp
de
tratamento e reciclagem.
5
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
6
Política Nacional de Resíduos Sólidos
O público foi questionado a respeito da Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei
lei federal nº 12.305 /
2010). O objetivo da questão é verificar o conhecimento do público a respeito desta lei,
l
que constitui
que toda pessoa física ou jurídica, responsáveis pela geração de resíduos sólidos, desenvolvam ações
relacionadas à gestão integrada ou ao gerenciamento de resíduos sólidos (BRASIL,
BRASIL, 2010).
2010)
Você conhece a Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei federal nº 12.305 / 2010)
(marque uma opção)
[ ] Não
parcialmente. Já ouvi falar, mas não conheço exatamente o seu
[ ] Conheço parcialmente.
[ ]
conteúdo.
Sim, conheço.. Sei o que regulamenta e quais as responsabilidades que a lei
atribui para consumidores, indústrias, comércios e governos.
O gráfico abaixo apresenta o resultado. Verifica-se
Verifica se que mais da metade do público (57%) não tem
conhecimento sobre esta lei. Já 24% do público ouviu falarr a respeito, mais não conhece exatamente o
conteúdo desta lei. Por fim, apenas 19% conhecem a lei,, sabe como é regulamentada e quais as
responsabilidades atribuídas aos consumidores, indústrias, comércios e governos.
6
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
7
Local de coleta permanente de lixo eletrônico
O público foi questionado a respeito da existência de coleta de lixo eletrônico na cidade onde reside. O
objetivo da questão é verificar como as cidades da região estão lidando com a questão do lixo
eletrônico.
A sua cidade possui um local onde a coleta de lixo eletrônico é
feita de forma permanente?
permanente
[ ] Sim
[ ] Não [ ] Não sei. Se tiver não conheço.
O gráfico abaixo apresenta os resultados. 49% do público afirma que a sua cidade não oferece alguma
forma de coleta permanente de lixo eletrônico. Já 38% desconhece a existência deste serviço em sua
cidade. Com estes números, pode-se
se concluir que mais da metade dos entrevistados não dispõe de
coleta permanente em sua cidade. Se esse lixo for descartado de maneira incorreta pode vir a
prejudicar o meio ambiente e o ser humano.
7
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8
Trocas de equipamentos eletrônicos nos últimos anos e descarte de materiais
eletrônicos
O público foi questionado a respeito de quantas vezes trocou de equipamentos eletrônicos nos últimos
três anos. O objetivo da pergunta é estimar o potencial de produção de lixo eletrônico da região, pois
quanto mais trocas são realizadas,
das, maior é a quantidade de lixo eletrônico produzido. O público
respondeu a seguinte questão:
anos quantas vezes trocou de ...
Nos últimos 3 anos,
(deixe em branco caso não possua o equipamento)
nenhuma
vez
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
computador
monitor de computador
notebook / netbook
Cellular
impressora
teclado/ mouse
roteador / modem
pen-drive / HD-externo
estabilizador / no-break
fonte de energia
bateria (de celular ou notebook)
televisor de LCD/LED
televisor de tubo
aparelho de som
aparelho telefônico
aparelho de videocassete / DVD
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
1 vez
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
2 vezes
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
3 vezes
ou mais
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
[
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
]
Outra pergunta respondida pelo público visava identificar o que o público está fazendo com o seu lixo
eletrônico. As alternativas de resposta incluíam desde o descarte em local apropriado/permanente, até
descarte em lixo comum, ou não realização de descarte (deixar guardado por falta de local
apropriado). A questão apresentada ao público foi a seguinte:
fez
Quando precisou se desfazer de algum destes materiais eletrônicos, o que fez?
(deixe em branco se nunca precisou se desfazer)
entreguei
em local de
coleta permanentede
lixo
eletrônico
entreguei
em campacampa
nha de coco
leta de lixo
eletrônico
entreguei
na loja
quando
comprei
o novo
vendi ou
doei para
assistência
técnica
vendi ou
doei para
outra
pessoa ou
entidade
entreguei
na coleta
seletiva
de
reciclados
joguei
no lixo
comum
está
guardado,
pois não há
local apropriado para
descarte
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
celular
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
impressora
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
computador
ou monitor
notebook ou
netbook
teclado ou
mouse
roteador ou
modem
8
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
pen-drive ou
HD-externo
estabilizador
ou no-break
fonte de
energia
bateria (de
celular ou
notebook)
Televisor LCD
/LED / Tubo
aparelho de
som
aparelho
telefônico
aparelho de
videocassete
ou DVD
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
[ ]
Os resultados para estas duas questões serão apresentados a seguir. Os gráficos foram organizados
por tipo de material eletrônico, de modo a facilitar na interpretação dos dados.
9
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.1 Trocas e descartes de computador (de mesa) ou monitor
Observações:
• O lixo comum foi o local que 4% do público usou para se desfazer de computadores ou
monitores;
• O descarte foi realizado em coleta seletiva por 37% do público;
• 75%
% entregaram o material para um terceiro,
terceiro sendo 17%
% na loja onde comprou o novo, 21%
em assistência técnica, e 37%
% para outra pessoa ou entidade;
• 8% afirma que ainda não realizou o descarte, estando com o material eletrônico guardado, por
não ter encontrado local apropriado para descarte.
• Apenas 6%
% do público descartou adequadamente, seja
seja através de um ponto de coleta
permanente de lixo eletrônico (2%)
( %) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (4%)
(
10
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.2 Trocas e descartes de notebook/netbook
Observações:
• O lixo comum foi o local que 5% utilizaram para descarte;
• O descarte foi realizado em coleta seletiva por 36% do público;
• 46% entregaram o material para um terceiro,
terceiro, sendo 14% na loja onde comprou o novo, 16%
em assistência técnica, e 16% para outra pessoa ou entidade;
• 7% afirmam que ainda não realizaram o descarte, estando com o material eletrônico guardado,
por não ter encontrado local apropriado para descarte.
• Apenas 6% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de
lixo eletrônico (4%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (2%)
11
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.3 Trocas e descartes de celular
Observações:
• O celular mostrou-se
se um equipamento trocado com maior frequência, pois 87% do público
trocou de aparelho pelo menos uma vez nos últimos 3 anos.
anos Isso ressalta o potencial
deste material em gerar lixo eletrônico.
• O lixo comum foi o local que 8% utilizaram para descarte;
• O descarte foi realizado em coleta seletiva por 46% do público;
• 29%
% entregaram o material para um terceiro, sendo 9% na loja onde comprou o novo, 10% em
assistência técnica, e 10%
% para outra pessoa ou entidade;
• 13%
% afirmam que ainda não realizaram o descarte,
descarte estando com o material eletrônico
guardado,, por não ter encontrado local apropriado para descarte.
• Apenas 4% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de
lixo eletrônico (3%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (1%)
(
12
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.4 Trocas e descartes de impressora
Observações:
• A impressora foi um item pouco trocado pelo público, sendo que 74% afirmam
afirma não ter trocado
de impressora nos últimos 3 anos;
anos
• O lixo comum foi o local que 7% utilizaram para descarte;
• O descarte foi realizado em coleta seletiva por 32% do público;
• 37%
% entregaram o material para um terceiro, sendo 7% na loja onde comprou o novo, 15% em
assistência técnica, e 15%
% para outra pessoa ou entidade;
• 12% afirmam que ainda não realizaram o descarte, estando com o material eletrônico
guardado,, por não ter encontrado local apropriado para descarte.
• Apenas 12% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de
lixo eletrônico (7%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (5%)
(5
13
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.5 Trocas e descartes de teclado ou mouse
Observações:
• Teclado ou mouse foram itens trocados por 58% do público;
• O lixo comum foi o local que 15% utilizaram para descarte;
• O descarte foi realizado em coleta seletiva por 18% do público;
• 25% entregaram o material para um terceiro, sendo 10% na loja onde comprou o novo, 8% em
assistência técnica, e 7% para outra
out pessoa ou entidade;
• Um grande percentual (34%) afirmou que ainda não realizaram o descarte, estando com o
material eletrônico guardado,
guardado por não ter encontrado local apropriado para descarte.
• Apenas 8%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de
lixo eletrônico (3%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (5%)
14
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.6 Trocas e descartes de roteador ou modem
Observações:
• Quase metade (48%) trocou de roteador ou modem nos últimos 3 anos;
• O lixo comum foi o local que 9% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 9% do público;
• 37% entregaram o material para um terceiro, sendo 15% na loja onde comprou o novo, 11%
em assistência técnica, e 11% para outra pessoa
pe
ou entidade;
• Um grande percentual (30%) ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado,
guardado
por não ter encontrado local apropriado para descarte.
• 15%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo
eletrônico (9%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (6
(6%)
15
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.7 Trocas e descartes de pen-drive
pen
ou HD externo
Observações:
• Pouco mais da metade (54%) trocaram pen-drive
pen drive ou HD externo nos últimos 3 anos;
• O lixo comum foi o local que 11% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 11% do público;
• 23%
% entregaram o material para um terceiro, sendo 9%
% na loja onde comprou o novo, 7% em
assistência técnica, e 7%
% para outra pessoa ou entidade;
• Um grande percentual (44%) ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado,
por não ter encontrado local apropriado para descarte.
• 11%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo
eletrônico (4%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (7
(7%)
16
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.8 Trocas e descartes de estabilizador ou no-break
no
Observações:
breaks também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 75%
• Estabilizadores ou no-breaks
afirmou não ter feito troca
roca nos últimos 3 anos;
• O lixo comum foi o local que 5% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 13% do público;
• 48% entregaram o material para um terceiro, sendo 18% na loja onde comprou o novo, 15%
em assistência técnica, e 15% para outra pessoa ou entidade;
• 20% ainda não descartaram o material eletrônico,
eletrônico estando guardado por não ter encontrado
local apropriado para descarte.
• 14%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo
eletrônico (7%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (7
(7%)
17
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.9 Trocas e descartes de fonte de energia
Observações:
• Fontes de energia também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 73% afirmou
não ter feito troca nos últimos 3 anos;
• O lixo comum foi o local que 16% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 7% do público;
• 35% entregaram o material para um terceiro, sendo 16% na loja onde comprou o novo, 10%
em assistência técnica, e 9% para outra
o
pessoa ou entidade;
• 30% ainda não descartaram o material eletrônico, estando guardado por não ter encontrado
local apropriado para descarte.
• 12%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo
eletrônico (7%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (5
(5%)
18
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.10 Trocas e descartes de bateria (de celular ou notebook)
Observações:
• Baterias (de celular ou notebook) também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que
68% afirmou não ter feito troca nos últimos 3 anos;
• O lixo comum foi o local que 17% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 11% do público;
• 29%
% entregaram o material para um terceiro, sendo 11%
1 % na loja onde comprou o novo, 9% em
assistência técnica, e 9% para outra pessoa ou entidade;
• Um grande percentual (47%) ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado,
por não ter encontrado local apropriado para descarte;
• Apenas 6%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de
lixo eletrônico (3%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (3%)
(
19
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.11 Trocas e descartes de televisor LCD/LED/Tubo
Observações:
• Televisores de LDC/LED ou Tubo também foram itens pouco trocados. Apenas 32% trocou de
LCD/LED nos últimos 3 anos, e 18% de Tubo;
Tubo
• O lixo comum foi o local que 14% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 25% do público;
• 41%
% entregaram o material para um terceiro, sendo 5%
% na loja onde comprou o novo, 18% em
assistência técnica, e 18%
% para outra pessoa ou entidade;
• 14%
% ainda não descartaram o material eletrônico,
eletrônico, seja por não ter encontrado local apropriado,
ou por talvez o equipamento ainda esteja em uso;
• Apenas 6% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de
lixo eletrônico (6%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (2%)
(
20
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.12 Trocas e descartes de aparelho de som
Observações:
• Aparelhos de som também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 76% afirmou
não ter feito troca nos últimos 3 anos;
• O lixo comum foi o local que 20% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 27% do público;
• 27%
% entregaram o material para um terceiro, sendo 7%
% na loja onde comprou o novo,
novo 10% em
assistência técnica, e 10%
% para outra pessoa ou entidade;
• 17% ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado ou em uso;
• 9%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo
eletrônico (6%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (3%)
21
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.13 Trocas e descartes de aparelho telefônico
Observações:
• Aparelhos telefônicos também foram itens pouco trocados pelo público, sendo que 62%
6
afirmou
não ter feito troca nos últimos 3 anos;
• O lixo comum foi o local que 21% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 12%
1
do público;
• 21%
% entregaram o material para um terceiro, sendo 7%
% na loja onde comprou o novo, 7% em
assistência técnica, e 7%
% para outra pessoa
pes
ou entidade;
• Um grande percentual (29%)
%) ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado,
por não ter encontrado local apropriado para descarte;
• 17%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de lixo
eletrônico (7%)
%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (10
(10%)
22
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
8.14 Trocas e descartes de aparelho de videocassete/DVD
Observações:
trocados, sendo que 75% afirmou não ter
• Aparelhos de videocassete/DVD foram itens pouco trocados,
feito troca nos últimos 3 anos;
• O lixo comum foi o local que 17% utilizaram para descarte;
• O descarte através da coleta seletiva foi feito por 21% do público;
• 33%
% entregaram o material para um terceiro, sendo 8%
% na loja onde comprou o novo, 12% em
assistência técnica, e 13%
% para outra
o
pessoa ou entidade;
• 17% ainda não descartou, estando com o material eletrônico guardado, por não ter encontrado
local apropriado para descarte;
• Apenas 12%
% descartaram adequadamente, seja através de um ponto de coleta permanente de
lixo eletrônico (8%) ou através de campanha de coleta de lixo eletrônico (4%)
(
23
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
9
Análise geral dos dados da pesquisa
O campeão de trocas foi o celular, sendo que 87% do público trocou de aparelho pelo menos uma vez
nos últimos 3 anos. Isso ressalta o potencial deste material em
em gerar lixo eletrônico. 46% descartou
celulares em coleta seletiva, e 13% afirmam que ainda não realizaram o descarte, estando com o
material eletrônico guardado, por não ter encontrado local apropriado para descarte. O lixo comum foi
o local que 8% utilizaram
lizaram para descarte de celulares.
Também registraram grande percentual de troca os computadores (61%), teclados/mouses (57%) e
pen-drives/hds-externos
externos (53%). Os menores percentuais de troca registrados foram televisores de
tubo (apenas 18%), aparelhos de
e som e estabilizadores/no-breaks
estabilizadores/no breaks (24%), e videocassete/DVD (25%).
O gráfico a seguir apresenta os percentuais de troca dos últimos 3 anos para cada eletrônico.
Ao analisar cada forma de descarte (lixo comum, coleta seletiva, etc) foi possível identificar
identif
o tipo de
eletrônico que mais foi descartado através de cada forma de descarte, com base no percentual de
público que adotou aquela forma de descarte para se desfazer do material. Os gráficos a seguir
apresentam o percentual do público que adotou a referida
referida forma de descarte para cada um dos
eletrônicos avaliados1.
1
Nota-se
se que a soma dos percentuais de um único gráfico extrapola 100%, já que são percentuais
independentes para cada tipo de eletrônico. Por outro lado, ao considerar um único tipo de eletrônico
(por exemplo, celulares), a soma dos percentuais de todos os
os gráficos totalizarão 100%, refletindo a
distribuição do descarte através de diferentes formas.
24
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
Os eletrônicos mais descartados através de
campanhas de coleta de lixo eletrônico ou postos
de coleta permanente
nte foram aparelhos telefônicos,
roteadores/modems e estabilizadores/no-breaks.
estabilizadores/no
Já o repasse a terceiros (assistências técnicas,
lojas, ou outras pessoas) ocorreu com maior
freqüência para computador/monitor,
computador/monitor
estabilizador/no-break
break e notebook/netbook.
notebook/netbook O
material mais descartado através de coleta seletiva
é o celular, seguido por notebook/netbook e
impressoras. O lixo comum ainda recebe materiais,
com destaque para aparelhos telefônicos,
aparelhos de som, e baterias. Muitos equipamentos
ainda estão guardados
dados em casa em função de não
haver local propício para descarte, destacando-se
destacando
os pen-drives/hds-externos
externos e baterias.
25
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
10 Considerações finais sobre a pesquisa
•
•
•
•
•
•
Uma grande parcela (47%) conhece bem o tema lixo eletrônico, inclusive os riscos oferecidos ao
meio ambiente e saúde. No entanto, apenas 25% procura tomar cuidado para descartar
adequadamente. Ainda há uma parcela que conhece apenas superficialmente o tema;
tema
Muitos (57%) ainda não conhecem a Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei nº 12.305 / 2010);
74% acreditam que a responsabilidade pelo descarte e tratamento do lixo eletrônico é
exclusivamente do governo (23%), ou exclusivamente da indústria/comércio (29%), ou
exclusivamente de empresas de tratamento e reciclagem (22%). Apenas 18% apontaram
responsabilidade compartilhada entre os três organismos (governo, indústria/comércio, empresas
de tratamento e reciclagem). Ressalta-se
Ressalta
que a responsabilidade compartilhada
artilhada é definida na
Política Nacional de Resíduos Sólidos;
Ainda há descarte de material eletrônico em lixo comum;
Muitos apontaram ainda não haver locais de coleta permanente de lixo eletrônico nas suas cidades
(49%), ou desconhecerem a existência deste
deste serviço (38%). Apenas 13% apontou existir tal
serviço;
Muitos eletrônicos foram entregues para algum terceiro (seja
seja loja, assistência técnica, ou outra
pessoa\entidade). A iniciativa de repassar o material para outra pessoa\entidade
pessoa entidade pode ser
encarada como
omo positiva, desde que o equipamento esteja funcionando e em bom estado, para que
possa ser utilizado. Já entregar o material em lojas ou assistências técnicas traz benefícios apenas
quando estes estabelecimentos estão preparados para descartar adequadamente
adequadame
o material. Caso
contrário, o problema do lixo eletrônico apenas é transferido do consumidor para o comerciante. De
qualquer modo, repassar o material para outra pessoa, loja, ou assistência técnica enfatiza a
preocupação do público em não descartar o lixo eletrônico de forma inadequada;
inadequada
26
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA – UDESC
CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ – CEAVI
DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO
PROJETO: Lixo eletrônico: conscientizar, reaproveitar e reciclar
www.ceavi.udesc.br/e-lixo
11 Referências Bibliográficas
BRASIL. Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010.
2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.
Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, CXLVII, n. 147, 03 ago. 2010. Seção 1,
p. 3-7.
27

Documentos relacionados