INFORMATIVO CTP TAX EDIÇÃO ESPECIAL Setembro/2015

Сomentários

Transcrição

INFORMATIVO CTP TAX EDIÇÃO ESPECIAL Setembro/2015
INFORMATIVO CTP TAX
EDIÇÃO ESPECIAL
Setembro/2015
PROGRESSIVIDADE DAS ALÍQUOTAS DE IR SOBRE GANHO DE CAPITAL DA PESSOA FÍSICA
Medida Provisória nº 692/2015 (publicada em 22/09/2015)
Foi publicada em 22/09/2015 a Medida Provisória nº 692/2015 que majorou as alíquotas do
imposto sobre a renda incidente sobre ganhos de capital apurados por contribuintes pessoas
físicas na alienação de bens e direitos de qualquer natureza, que estarão em vigor a partir de 1º
de janeiro de 2016.
A referida majoração instituiu um sistema progressivo de incidência do imposto sobre a renda,
substituindo o regime de alíquota única de 15%, anteriormente previsto no art. 21 da Lei nº
8.981, que vigorou desde 1995.
Pelo novo regime o ganho de capital estará submetido às seguintes alíquotas:
FAIXA DE GANHO DE CAPITAL
De R$ 0,00 a R$ 1.000.000,00
De R$ 1.000.000,01 a R$ 5.000.000,00
De R$ 5.000.000,01 a R$ 20.000.000,00
Acima de R$ 20.000.000,00
ALÍQUOTA
15%
20%
25%
30%
ALIENAÇÃO EM PARTES DO MESMO BEM OU DIREITO – QUOTAS OU PARTICIPAÇÕES
SOCIETÁRIAS
Outra novidade trazida pela MP nº 692/2015 foi a necessidade de recálculo quando o “mesmo
bem ou direito” for alienado em partes, devendo o contribuinte recalcular o imposto devido, a
partir da segunda operação, somando-se o ganho de capital apurado aos ganhos auferidos nas
operações anteriores, para fins de apuração do imposto, deduzindo-se o montante do imposto
pago nas operações anteriores.
No conceito de “mesmo bem ou direito” a MP incluiu o conjunto de ações ou quotas de uma
mesma pessoa jurídica, assim, se o contribuinte alienar parte de sua participação societária num
período e pretender alienar o restante de sua participação em período seguinte, deverá realizar
o recálculo do ganho de capital.
MANUTENÇÃO DE ISENÇÕES – BENS E DIREITOS DE PEQUENO VALOR
Em que pese as majorações acima indicadas, a MP nº 692/2015 manteve as isenções previstas
na Lei nº 9.250/1995, sobre ganhos de capital na alienação de bens e direitos de pequeno valor,
que, mensalmente não ultrapassarem:
I - R$ 20.000,00 (vinte mil reais), no caso de alienação de ações negociadas no mercado de balcão;
INFORMATIVO CTP TAX
EDIÇÃO ESPECIAL
Setembro/2015
II - R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais), nos demais casos;
III – R$ 440.000,00 (quatrocentos e quarenta mil reais) na alienação do único imóvel que o titular
possua, desde que não tenha sido realizada qualquer outra alienação nos últimos cinco anos;
Também não foram objeto de alterações a isenção do imposto sobre o ganho de capital na alienação de
bens imóveis residenciais, previstos na Lei nº 11.196/2005, em que o contribuinte utiliza-se dos recursos
para adquirir um novo imóvel residencial.
ENTRADA EM VIGOR DAS ALTERAÇÕES
Entendemos importante alertar para o fato de que essas alterações na tributação do ganho de
capital entrarão em vigor a partir de 1º de janeiro de 2016, que impõe aos contribuintes que
pretendem se valer da alíquota fixa anterior de 15% organizarem-se para que as alienações de
bens e direitos ocorram até 31/12/2015.
Richard Edward Dotoli
[email protected]

Documentos relacionados

26.09.2015 às 19:10 Atenção: a partir de 2016 devem

26.09.2015 às 19:10 Atenção: a partir de 2016 devem É sobre esse montante que incide o imposto de renda à alíquota de 15% atualmente. Mas, de acordo com a Medida Provisória 692 de 2015, publicada no Diário Oficial da União, em Trzcina sugere que que...

Leia mais

O governo federal brasileiro aumenta as

O governo federal brasileiro aumenta as milhões; e § 30% sobre a parcela do ganho que ultrapassar R$ 20 milhões. Ainda, de acordo com a MP 692, se o mesmo bem ou direito for vendido em partes, o ganho de capital auferido a partir da segu...

Leia mais

Medida Provisória nº 692 Foi publicada, em edição extra do Diário

Medida Provisória nº 692 Foi publicada, em edição extra do Diário nº 692 (“MP nº 692/15”), que aumentou a alíquota do imposto de renda incidente sobre o ganho de capital auferido pelas pessoas físicas, bem como alterou as regras para inclusão de débitos no Progra...

Leia mais