Por favor, não matem a cotovia Realizador

Сomentários

Transcrição

Por favor, não matem a cotovia Realizador
Por favor, não matem a cotovia
Realizador: Robert Mulligan
Ano: 1962
Duração: 129 min
Actores: Gregory Peck, Mary Badham, Phillip Alford, John Megna, Frank Overton
Exibição: 1 de Julho de 2014
A história passa-se no Alabama, numa pequena e retrógrada cidade dos EUA chamada
Maycomb County, nas décadas 30 e 40 do século XX e tem como tema principal o racismo.
Quem a conta é Jean Louise, ou Scout para os mais próximos, uma menina que aos 2 anos
perdeu a mãe, não guardando recordações dela, e vive com o pai, Atticus Finch, o irmão, Jem e a
empregada negra, Calpurnia, considerada uma espécie de membro da família.
Através dos olhos, palavras e interpretações inocentes de uma criança, vemos uma sociedade
racista, preconceituosa e intolerante mas nela encontramos também exemplos de Homens que, em
minoria e com grande determinação e bondade, ajudaram a mudar mentalidades.
Atticus é um advogado branco, bem-formado e pai extremoso.
Nesta narrativa desempenha o papel de um desses Homens, já que aceita defender um negro,
sabendo, à partida que a causa seria perdida. Nunca, num tribunal daquele Estado, um negro vencera
um branco.
Um personagem exemplar, corajoso, íntegro e sensato.
Por favor não matem a cotovia foi vencedor dos oscares para melhor Actor, melhor
Realizador e melhor agumento adaptado.
Aconselhamos qualquer um a ler este livro. Mesmo sendo difícil encontra-lo, vale a pena
tentar até conseguir.
Se nos coubesse decidir um destino a dar a "Não Matem a Cotovia", de Harper Lee, seria
numa dessas listas de livros que toda a gente deve ler.
Em jeito de remate e como curiosidade, acrescento que este foi o único trabalho publicado,
por esta autora, até hoje.
To Kill a Mockingbird
Synopsis: Harper Lee's Pulitzer Prize-winning autobiographical novel was translated to film in 1962
by Horton Foote and the producer/director team of Robert Mulligan and Alan J. Pakula.
Set a small Alabama town in the 1930s, the story focuses on scrupulously honest, highly
respected lawyer Atticus Finch, magnificently embodied by Gregory Peck. Finch puts his career on
the line when he agrees to represent Tom Robinson (Brock Peters), a black man accused of rape.
The trial and the events surrounding it are seen through the eyes of Finch's six-year-old daughter
Scout (Mary Badham). While Robinson's trial gives the film its momentum, there are plenty of
anecdotal occurrences before and after the court date: Scout's ever-strengthening bond with older
brother Jem (Philip Alford), her friendship with precocious young Dill Harris (a character based on
Lee's childhood chum Truman Capote and played by John Megna), her father's no-nonsense
reactions to such life-and-death crises as a rampaging mad dog, and especially Scout's reactions to,
and relationship with, Boo Radley (Robert Duvall in his movie debut), the reclusive "village idiot"
who turns out to be her salvation when she is attacked by a venomous bigot.
To Kill a Mockingbird won Academy Awards for Best Actor (Peck), Best Adapted Screenplay,
and Best Art Direction.