a1 - auto - estrada do norte

Сomentários

Transcrição

a1 - auto - estrada do norte
A1 - AUTO - ESTRADA DO NORTE
SUBLANÇO ALBERGARIA/ESTARREJA
Data de Realização
2008
Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
BRISA - AUTO-ESTRADAS DE PORTUGAL, SA
CARACTERIZAÇÃO
Os estudos realizados incidiram no sublanço Albergaria / Estarreja na Auto-Estrada A1, numa extensão de cerca de 10
km, os quais incluíram o alargamento para 2 x 3 vias e a beneficiação da auto-estrada neste troço.
Os estudos incidiram na secção corrente da auto-estrada, restabelecimentos, Nó de Albergaria, área de serviço de Antuã
e obras de arte.
Este projecto teve por base o Estudo Prévio desenvolvido por esta empresa em 2002.
INTERVENÇÃO
Projecto de Execução (Terraplenagens, Geologia, Drenagem, Restabelecimentos e Serventias Rurais, Pavimentação,
Guardas de Segurança, Vedações, Paisagismo, Telecomunicações, Sinalização Vertical e Horizontal, Projectos
Complementares, Serviços Afectados e Praças de Portagem)
Expropriações
Dossier de Exploração
A13 - AUTO-ESTRADA ALMEIRIM /
MARATECA
LANÇO PEGÕES / MARATECA
Extensão: 10 km
Data de Realização
2000
2001 Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
BRISA AUTO-ESTRADAS DE PORTUGAL, SA
CARACTERIZAÇÃO
O Lanço Pegões / Marateca faz parte integrante da A13 – Auto-Estrada Almeirim / Marateca, inclui as ligações à rede
viária através do nó de Pegões e do nó A2/A6/A13, numa extensão total de aproximadamente 10 km.
Inicia-se no Nó de Pegões que faz a ligação da A13 à EN4, a cerca de 2 km a Poente do Cruzamento de Pegões e
termina no Nó A2/A6/A13 que faz a ligação à A2, para Lisboa e para o Algarve e à A6 para Espanha, o qual tem
características de alta velocidade (V=100 km/h) para os ramos que estabelecem as ligações de maior importância.
Este projecto teve por base o Estudo Prévio do Lanço Carregado / Marateca do IC11, desenvolvido em meados de 1997
por esta empresa, para a extinta Junta Autónoma de Estradas.
INTERVENÇÃO
Projecto de Execução (Terraplenagens, Geologia, Drenagem, Restabelecimentos e Serventias Rurais, Pavimentação,
Guardas de Segurança, Vedações, Paisagismo, Telecomunicações, Sinalização Vertical e Horizontal, projectos
complementares, serviços afectados e praças de portagem).
Expropriações
Dossier de Exploração
ACESSO OESTE À COTA 200
Extensão +2 km
Valor da Obra
21 Milhões €
Data de Realização
2003
Local
Portugal - Ilha da Madeira
Dono da Obra / Cliente
Direcção Geral de Estradas da Madeira
2006 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
O Acesso Oeste à Circular à Cidade do Funchal à Cota 200 é um projecto que vai permitir melhorar o tráfego com origem
na Estrada Monumental pois estabelece a ligação directa à cota 200 e à saída Oeste do Funchal.
O acesso, com características de via urbana, tem 2x2 vias, separador de 3m, estacionamento longitudinal e passeios de
5m. Com cerca de 2.100m inclui os seguintes pontos particulares:
■ 11 restabelecimentos a antigas vias;
■ 7 rotundas;
■ 1 falso túnel com 2x2 vias e 117m de desenvolvimento;
■ 1 viaduto em betão armado pré esforçado em dupla curvatura com 1via, 110m de desenvolvimento e 30m de vão
máximo sobre a via rápida da Cota 200;
■ 1 passagem superior pedonal metálica (com canal) com vão único de 32m;
■ Vários muros em betão ciclópico, betão armado e ancorados
INTERVENÇÃO
Assessoria à Supervisão dos Trabalhos
AUTO-ESTRADA A4 - TUNEL DO MARÃO
Troço Amarante - Vila Real
Valor da Obra
360 Milhões €
Data de Realização
2009
Local
Serra do Marão
Dono da Obra / Cliente
Auto-Estrada do Marão SA
Parceiros
Pengest
2012 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Novo troço da Auto-estrada A4, que inclui o túnel Marão, o maior da Península Ibérica.
A Concessão Túnel do Marão inclui a concepção, construção, operação e manutenção de uma extensão de cerca de 30
km de nova auto-estrada, que é o troço da A4 entre Amarante e Vila Real.
A nova auto-estrada inclui um túnel com duas galerias de 5,6 quilómetros na serra do Marão e 13 interligações entre as
duas galerias.
INTERVENÇÃO
Supervisão dos trabalhos
Coordenação de Segurança e Saúde
AUTO-ESTRADA A22
Lanços Lagos / Lagoa / Alcantarilha
Extensão: +38km
Valor da Obra
204 Milhões €
Data de Realização
2001
Local
Algarve - Portugal
Dono da Obra / Cliente
EUROCONSULT
2003 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Auto-estrada com 38 km de extensão total com perfil transversal de 4 vias de 3,75m cada, em duas faixas de rodagem,
com separador rígido do tipo “New Jersey�?. O desenvolvimento do traçado inclui 12 pontes sobre as ribeiras de
Machada (320 m), de Bensafrim ( 320 m), de Odiáxere (430 m), de Arão ( 340 m), do Farelo (380 m), da Torre (290 m) de
Vale de Lama (430 m) e do Rio Arade (550 m), os viadutos de Urzais (1190 m), de Sobral (60 m) e de Vale das Fontes
(220 m) bem como 25 restabelecimentos (9 passagens inferiores das quais uma sob a linha de caminho-de-ferro, 10
passagens superiores e 16 passagens agrícolas
Foram construídos 3 falsos túneis utilizando 3 soluções construtivas diferentes. O primeiro, com cerca de 80m é uma
estrutura em pórtico que engloba duas faixas de rodagem. O segundo, com 40m, é construído em abóbadas préfabricadas e independentes para cada faixa, enquento que o túnel T1L, com cerca de 130m, é em abóbada única para as
duas faixas.
Em relação a restabelecimentos foram executadas 9 Passagens Inferiores, 10 Superiores e 16 Passagens Agrícolas.
INTERVENÇÃO
Gestão da construção
2ª CIRCULAR AUTOESTRADA DE ALGER VARIANTE ESTE - OESTE
Eixos 01, 02, 03 e 04
Data de Realização
2009
2013 Ano(s)
Local
Alger - Argélia
Dono da Obra / Cliente
Ministère des Travaux Publics/Teixeira Duarte, S.A
Parceiros
Norvia
CARACTERIZAÇÃO
O Projecto de Execução da Variante Este – Oeste, localiza-se a cerca de 7km a sudoeste de Argel, na zona periférica de
Birtouta.
Tem uma extensão total de cerca de 6,5 km e teve por principal objectivo ligar auto-estrada (com dupla faixa de rodagem
e três vias por sentido) designada por 2º Circular d´Alger, recentemente construída, com a Estrada RN-1 existente, na
zona de Birtouta.
Para a definição do Traçado foram projectados novos eixos, compatibilizados com os eixos já existentes.
O Projecto incluiu a Reformulação do Nó de Ligação que actualmente dá acesso a Birtouta Sul, todas estruturas
necessárias (3 passagens superiores e 2 passagens inferiores) e várias obras hidráulicas.
INTERVENÇÃO
Projectos de traçado, terraplanagens, drenagem, obras hidraulicas e pavimentação.
CONCESSÃO DA AUTO ESTRADA DO
NORTE
150 km
Data de Realização
2000
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
NORACE - CONSTRUTORAS DAS AUTO-ESTRADAS DO NORTE, ACE
2005 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Verificação, análise e emissão de documentos, estudos e projectos rodoviários (150 km):
◾ Estudo de viabilidade económica;
◾ Projecto Rodoviário - traçado, terraplenagens e obras de contenção, drenagem, pavimentação, sinalização e
equipamentos de segurança;
◾ Estudo geológico e geotécnico;
◾ Estudo de impacto ambiental;
◾ Projecto de iluminação e telecomunicações
INTERVENÇÃO
Verificação de Projectos Rodoviários e Relatórios de Validação.
CONCESSÃO DAS AUTO ESTRADAS DO
GRANDE PORTO
66 km
Data de Realização
2003
Local
Portugal
2006 Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
PORTUSCALE - CONSTRUTORAS DAS AUTO-ESTRADAS DO GRANDE PORTO, ACE
CARACTERIZAÇÃO
Verificação, análise e emissão de documentos, estudos e projectos rodoviários (66 km):
◾ Estudo de viabilidade económica;
◾ Projecto Rodoviário - traçado, terraplenagens e obras de contenção, drenagem, pavimentação, sinalização e
equipamentos de segurança;
◾ Estudo geológico e geotécnico;
◾ Estudo de impacto ambiental;
◾ Projecto de iluminação e telecomunicações
INTERVENÇÃO
Verificação, análise e emissão de documentos, estudos e projectos rodoviários.
AUTO-ESTRADA SÓSNICA – BELK
Gliwice
Extensão + 15.5 km
Valor da Obra
175 Milhões €
Data de Realização
2006
Local
Polónia
Dono da Obra / Cliente
General Directorate for National Roads and Motorways Warsaw - Poland
Parceiros
E&L Architects Sp. z o.o.
2010 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
A construção da Secção Sośnica - Bełk da Auto-estrada A1, contempla, entre outros trabalhos:
■ A construção, numa extensão de 15,5 km, de uma auto-estrada com 3 faixas de rodagem em cada sentido entre a
secção Sośnica (Gliwice) - Bełk e Nó de Czerwonka Leszczyny;
■ Construção de 3 nós em forma de corneta;
■ Construção de dispositivos de Segurança Rodoviária, Gestão e Monitorização;
■ Construção de 1 praça de portagem e de 3 portagens à entrada dos nós;
■ Reconstrução de estradas e caminhos afectados, restabelecimentos;
■ Construção de 2 áreas de serviço;
■ Colocação de barreiras acústicas, drenagem das valetas e plantação de vegetação para protecção de taludes;
■ Vedação,
INTERVENÇÃO
Coordenação e Supervisão dos trabalhos
Planeamento e controlo de custos
Garantia da qualidade
Coordenação de segurança
SUBCONCESSÃO DA AUTOESTRADA
TRANSMONTANA
32.5 km
Data de Realização
2007
Local
Portugal
Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
AENOR TRANSMONTANA
CARACTERIZAÇÃO
A futura auto-estrada transmontana terá um total de 186 km de extensão, sendo 130 km de nova construção e beneficiará
os Concelhos de Amarante, Vila Real, Sabrosa, Murça, Alijó, Mirandela, Macedo de Cavaleiros e Bragança.
Os trabalhos incluíram o estudo do traçado no trecho da A4 / IP4 entre Lamas de Orelhão e Macedo de Cavaleiros, numa
extensão aproximada de 32.5 km.
INTERVENÇÃO
Estudos Preliminares de Traçado Rodoviário.
REABILITAÇÃO DA ESTRADA NACIONAL
N260
TROÇO CHIMOIO - ESPUNGABERA
Província de Manica
Valor da Obra
130 Milhões €
Data de Realização
2011
Local
Moçambique
Dono da Obra / Cliente
ANE – Administração Nacional de Estradas
Parceiros
PENGEST e CONSULTEC
2014 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Reabilitação da Estrada Nacional N260, que estabelece a ligação rodoviária entre a cidade do Chimoio, na província de
Manica e a vila fronteiriça de Espungabera, numa extensão de cerca de 228 km. Este trabalho contempla a recuperação
da estrada existente, compreendendo o seu alargamento para duas faixas de 3,2 m de largura em cada sentido, berma
pavimentada com 1,0 m acrescida de 0,5m não pavimentada, perfazendo o total de 9,4 m de largura. O pavimento será
composto por duas camadas de sub-base e base estabilizadas mecanicamente, em agregado britado misturado com uma
percentagem de solo laterítico e com espessuras de 150mm e 120mm, respectivamente. Sobre esta estrutura granular
será executado um revestimento superficial betuminoso duplo com 19mm de espessura total. Para além dos trabalhos de
pavimentação, estão ainda incluídos todos os trabalhos de escavação, aterros, construção de 2 novas pontes,
reabilitação de 4 pontes em betão, correcções pontuais do traçado, trabalhos de drenagem, bem como a instalação e
execução da sinalização vertical e horizontal.
INTERVENÇÃO
Coordenação e Fiscalização dos Trabalhos Controlo do Planeamento e Custos Controlo da Qualidade Controlo Ambiental
Coordenação de Segurança e Saúde
CIRCULAR À CIDADE DO FUNCHAL À COTA
200 – 1ª FASE
1ª Fase - Funchal
Extensão: +2.5 km
Valor da Obra
22 Milhões €
Data de Realização
1991
Local
Portugal - Ilha da Madeira
1996 Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
Governo Regional da Madeira - Secretaria Regional do Equipamento Social e Ambiente
Parceiros
ECG
CARACTERIZAÇÃO
Com uma extensão total de 2.460 m esta via insere-se num eixo rodoviário que desvia, da zona central da cidade do
Funchal, o tráfego de passagem.
Obras de Arte Especiais
Túnel João Gomes – 143m de extensão constituído por dois túneis paralelos revestidos a betão armado cada um com
9m de largura para duas vias de tráfego de sentido único, escavado em maciço rochoso basáltico;
Ponte João Gomes – 275m de extensão, em pórtico de 3 vãos, em betão armado pré-esforçado, com tabuleiro em
caixão unicelular de 19m de largura, construído por avanços sucessivos, para 4 vias de tráfego de sentido único;
Túnel do Jardim Botânico - 220m de extensão, tipo geminado, construído a céu aberto em betão armado integrando
cada um 2 vias de sentido único, separadas por um septo vertical, com largura total de 18,50m;
Ponte da Boa Nova – 160m de extensão, em pórtico de 3 vãos, em betão armado pré-esforçado, com tabuleiro em
caixão unicelular idêntico ao da Ponte João Gomes.
Obras de Arte Correntes
7 Passagens Inferiores em betão armado ou pré-esforçado com vãos variando de 30m a 100m; Obras de drenagem com
nove passagens hidráulicas em betão armado com secções circulares de 0,8m a 2 x 1,5m de diâmetro.
Traçado
1.600m de via em secção corrente e 2 nós desnivelados. Plataforma com 17,50m de largura, 2 faixas de rodagem de
6,50m, bermas de 1,50m e separador central de 1,50m; Inclui sinalização horizontal e vertical, valetas, drenos e
colectores longitudinais, execução de muros em betão armado e betão ciclópico, iluminação, vedação e arranjo
paisagístico.
A Ponte João Gomes (cuja foto reproduzimos) foi galardoada com o Prémio SECIL de Engenharia Civil
INTERVENÇÃO
Assessoria à Fiscalização
CIRCULAR À CIDADE DO FUNCHAL À COTA
200 – 2ª FASE
Funchal
Extensão: +3.6 km
Valor da Obra
71 Milhões €
Data de Realização
1997
Local
Portugal - Ilha da Madeira
Dono da Obra / Cliente
Secretaria Regional do Equipamento Social e Ambiente
Parceiros
CENOR
2000 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Via rápida com 3,600m de extensão que, em conjunto com a 1ª. fase (2,400m), liga as saídas Oeste e Leste do Funchal.
Apresenta um perfil transversal de 4 vias de 3,25m cada, dispostas em 2 faixas de rodagem com separador central.
O troço tem 4 nós, (Nó da Saída Oeste, Nó de Santo António; Nó de Stª. Luzia; Nó dos Viveiros) e 3 túneis duplos (Túnel
João Abel de Freitas com 580m, Túnel dos Marmeleiros com 740m, e Túnel da Quinta da Palmeira com 260m, o qual liga
à 1ª. Fase desta circular através do Viaduto do Comboio que tem 200m de extensão).
Sobre os vales das ribeiras o traçado apresenta 5 pontes (Ponte do Ribeiro Seco com188m, Ponte de São João com
148m e Ponte da Penteada com 64m)
Para restabelecimento das vias intersectadas foram construídas 3 Passagens Inferiores (uma das quais com 267m) e 5
Passagens Superiores.
Todo o traçado é vedado com rede plastificada, estando ainda contemplados trabalhos de arranjos paisagísticos,
iluminação, equipamentos de segurança, ventilação dos Túneis e regularização das Ribeiras de São João e Santa Luzia
INTERVENÇÃO
Assessoria à Fiscalização (em Consórcio)
CIRCULAR À COTA 40
Troço entre a Ribeira de São Jorge e o Largo
da Cruz Vermelha
Extensão: +0.75 km
Valor da Obra
5 Milhões €
Data de Realização
1994
Local
Portugal - Ilha da Madeira
Dono da Obra / Cliente
Câmara Municipal do Funchal
1996 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Esta via, situada em pleno Funchal, circula a sua zona central à cota altimétrica aproximada de 40 m. A fim de se manter
um fluxo de trânsito contínuo, não existem semáforos, os vários cruzamentos são desnivelados e uma rotunda existente
no Largo da Cruz Vermelha faz a ligação a outras artérias do Funchal. O perfil adoptado é uma via de duplo sentido e
faixas de rodagem simples com uma largura de 3,5 m. Este troço com cerca de 750 m de comprimento, dos quais 160 m
são através de um túnel, 140 m através de uma galeria abobadada em betão armado construída a céu aberto e 80 m
através duma galeria em portico com capacidade para suportar um prédio de 5 pisos. Incluiu-se ainda na empreitada a
construção de duas passagens superiores à via. A escavação do Túnel, feita com recurso a meios mecânicos e
explosivos, rodeou-se de cuidados especiais, dada a existência de edifícios classificados, como monumentos nacionais e
habitações, ao longo do percurso. O revestimento definitivo é de betão projectado, sendo os hasteais de betão armado.
As galerias abobadadas e em pórtico foram construídas a céu aberto, criando taludes verticais que vão até aos 11 m de
altura.
INTERVENÇÃO
Verificação do Projecto
Gestão da construção
Garantia da qualidade
Coordenação da segurança
CONCESSÃO GRANDE LISBOA
Auditorias de Segurança Rodoviária
Data de Realização
2007
Local
Portugal
2008 Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
LUSOLISBOA - CONSTRUTORAS DAS AUTO-ESTRADAS DA GRANDE LISBOA, ACE
CARACTERIZAÇÃO
Análise técnica nas fases de geometrias de traçado, projectos de execução de pré-abertura ao tráfego da Auto-estrada
A16/ IC30, entre Lourel (IC16) e Alcabideche (IC15), incluída na Concessão Grande Lisboa e localizada na área
metropolitana de Lisboa (25 km).
As Auditorias de Segurança realizadas referem-se às fases de Projecto de Execução e de Pré-Abertura ao Tráfego,
tendo por objectivo a identificação de eventuais problemas relacionados com a segurança rodoviária de modo a mitigar o
risco de acidentes e reduzir as respectivas consequências.
Compreendem a análise das peças escritas e desenhadas finais dos várias projectos de especialidades desenvolvidos,
avaliando-se questões com implicação directa sobre a segurança rodoviária em conformidade com as regras da boa
prática nesta matéria.
INTERVENÇÃO
Auditorias de Segurança Rodoviária
CONSTRUÇÃO DA AUTO-ESTRADA A1
SecçãoStryków - Tuszyn
Valor da Obra
2 Milhões €
Data de Realização
2011
Local
Lódź – Poland
Dono da Obra / Cliente
General Directorate for National Roads and Motorways Warsaw - Poland
Parceiros
E&L ARCHITECTS Sp. z o.o.
2013 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
O projeto da seção Stryków - Tuszyn da auto-estrada A1 está concluída. A auto-estrada A1 faz parte do AutoEstrada Trans-Europeia Norte - Sul. A construção do troço Stryków - Tuszyn inclui, entre outros, a construção de uma
estrada de duas pistas novas de 37,28 km de extensão, a construção de quatro novos intercâmbios tipo trompete, a
construção de dispositivos de segurança, sistemas de gestão, a construção de uma área pedonal e postos de portagem
em três intercâmbios, reconstrução de estrada para locais de passagem da auto-estrada, a construção de quatro áreas
de serviço, a instalação de proteção ambiental (dispositivos acústicos, prétratamento de água, proteção de telas verdes).
INTERVENÇÃO
Coordenação e Supervisão dos Trabalhos de Construção Planeamento e Controlo de Custos Garantia de Qualidade
Coordenação de Segurança
CONSTRUÇÃO DA VIA RÁPIDA S-2 –
SECÇÃO KONOTOPA-PULAWSKA
Com construção de ligação com MPL Okecie
e Marynarska (S-79)
Valor da Obra
5.73 Milhões €
Data de Realização
2010
Local
Warsaw voivodeship – Poland
Dono da Obra / Cliente
General Directorate for National Roads and Motorways Warsaw – Poland
Parceiros
E&L ARCHITECTS Sp. z o.o.
2013 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
A construção da Via Rápida S-2 – secção Konotopa – Puławska juntamente com a construção da ligação MPL Okęcie e
Marynarska (S-79) em Varsóviain faz parte de um importante investimento e relaciona-se com a construção da via rápida
da A2 Poznan-Lodz-Warszawa-Biala Podlaska através de Varsóvia. A parte do meio da via rápida S-2, juntamente com a
S-79 vai garantir o acesso directo ao Aeroporto Internacional de Varsóvia. O projecto inclui a construção de duas secções
de 6 faixas (2 estradas com três faixas cada) nas vias rápidas S2 e S79, quatro intercâmbios, pontes, viadutos,
passagens pedonais, estradas e túneis ferroviários.
INTERVENÇÃO
Coordenação e Supervisão dos Trabalhos de Construção Planeamento e Controlo de Custos Garantia de Qualidade
Coordenação de Segurança
CONSTRUÇÃO DA VIA RÁPIDA S8 - TRASA
ARMII KRAJOWEJ
Desde a junção de Konotopa
à junção de Prymasa Tysiaclecia
Valor da Obra
4.3 Milhões €
Data de Realização
2008
Local
Warsaw – Poland
Dono da Obra / Cliente
General Directorate for National Roads and Motorways Warsaw – Poland
Parceiros
E&L Architects Sp. z o.o.
2012 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
O objetivo do projeto é a construção da nova seccção de via rápida que irá percorrer Ożarów Mazowiecki, Stare Babice,
Varsóvia e vai se juntar à projetada auto-estrada A-2 (lado oeste de Varsóvia) com a estrada Armii Krajowej através do
intercâmbio "Prymasa Tysiąclecia "em Varsóvia. A construção da via rápida S8, Armii Krajowej, secção Konotopa Prymasa Tysiąclecia cobre, entre outros: a construção de uma nova via rápida, seis pistas (2 vias com 3 faixas cada) 10,4
km de comprimento, reconstrução das ruas existentes de acordo com o novo arranjo determinado pela via rápida,
construção de intercâmbios: Mory, Warszawska-Lazurowa, dois níveis de intercâmbio "Prymasa Tysiąclecia", e
construção de obras de arte.
INTERVENÇÃO
Coordenação e Supervisão dos Trabalhos de Construção Planeamento e Contrôlo de Custos Garantia de Qualidade
Coordenação de Segurança
CONCESSÃO DA AUTO ESTRADA DA
COSTA DE PRATA
64 km
Data de Realização
2000
2006 Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
VIANOR - CONSTRUTORAS DAS AUTO-ESTRADAS DA COSTA DE PRATA, ACE
CARACTERIZAÇÃO
Verificação, análise e emissão de documentos, estudos e projectos rodoviários (64km):
◾ Estudo de viabilidade económica;
◾ Projecto Rodoviário - traçado, terraplenagens e obras de contenção, drenagem, pavimentação, sinalização e
equipamentos de segurança;
◾ Estudo geológico e geotécnico;
◾ Estudo de impacto ambiental;
◾ Projecto de iluminação e telecomunicações
INTERVENÇÃO
Verificação, análise e emissão de documentos, estudos e projectos rodoviários.
REABILITAÇÃO DA ESTRADA DO DINGE A
NECUTO
50 km
Data de Realização
2009
Ano(s)
Local
Cabinda - Angola
Dono da Obra / Cliente
INEA - INSTITUTO NACIONAL DE ESTRADAS DE ANGOLA
Parceiros
Cenga
CARACTERIZAÇÃO
Os estudos tiveram como objectivo a beneficiação da estrada do Dinge a Necuto, na província de Cabinda, numa
extensão de cerca de 50 km, através da homogeneização de características do traçado, nomeadamente no que respeita
à dotação de um perfil transversal tipo com uma faixa de rodagem com duas vias de tráfego com uma largura de 3,5 m
cada e de bermas com largura de 1,0 m cada.
Este estudo incluiu também a intervenção na Ponte sobre o rio Luali, no Pontão sobre o Rio Fubu, nas proximidades de
Necuto, e a substituição de duas passagens hidráulicas.
INTERVENÇÃO
Projecto de Execução, contemplando traçado, terraplenagem, drenagem, pavimentação, sinalização, obras acessórias e
obras de arte.
CONCESSÃO DOURO LITORAL
Auditorias de Segurança Rodoviária
Data de Realização
2007
Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
AEDL - AUTOESTRADAS DO DOURO LITORAL, SA
CARACTERIZAÇÃO
A concessão Douro Litoral compreende um total de 129 km, dos quais 76 km com portagem - Auto-Estradas A43, A41,
A32, com 11 km de viadutos duplos, dois túneis e uma nova ponte sobre o rio Douro.
Trata de uma concessão de matriz urbana, que serve o Porto, a segunda maior cidade de Portugal, estando inserida
numa área com elevada densidade populacional e onde se desenvolvem várias actividades industriais. Esta rede
entrecruza e complementa as infra-estruturas existentes, das quais se destacam a A1 (Auto-Estrada do Norte), a A3
(Auto-estrada Porto / Valença) e a A4 (Auto-estrada Porto-Amarante).
A Auditorias de Segurança Rodoviária realizadas incidiram na análise das peças escritas e desenhadas dos projectos de
várias especialidades na fase de Projecto de Execução, correspondentes às Auto-Estradas A43, A41 e A32, tendo por
objectivo a identificação de eventuais problemas relacionados com a segurança rodoviária de modo a mitigar o risco de
acidentes e reduzir as respectivas consequências.
INTERVENÇÃO
Auditorias de Segurança Rodoviária
E.R.101 CALHETA PRAZERES
Calheta; Prazeres
Extensão +6 km
Valor da Obra
71.6 Milhões €
Data de Realização
1997
Local
Portugal-Ilha da Madeira
2005 Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
Direcção Geral de Estradas – Secretaria Regional do Equipamento Social e dos Transportes
CARACTERIZAÇÃO
Com características de Via Expresso esta estrada, que tem um perfil transversal de 7 metros com 1 faixa de rodagem
com 2 vias, constitui uma das principais ligações Este – Oeste do Concelho da Calheta. Nas zonas de acentuada
inclinação inclui também uma via de lentos com uma largura de 3,00 metros
A construção desta via desenvolveu-se em 3 fases:
1ª Fase.
Nesta secção, com uma extensão de 2.046 m e que liga a Vila da Calheta e a Freguesia do Estreito da Calheta, foram
construídos dois túneis, um com 800m e outro com 480 m bem como as respectivas galerias de emergência; 2 pontões
dos quais um com 100 m e uma ponte com vão de 50 m.
2ª Fase
Esta fase contemplou a construção de dois túneis com 2 sentidos e largura útil de 9 m.
■ Túnel dos Moinhos com 275 m e,
■ Túnel do Jardim Pelado com 1 020 m.
3ª Fase
Nesta fase foram construídas duas pontes, 5 passagens superiores e uma inferior.
■ Ponte da Ribeira Funda – com 280 m de comprimento e 14 m de largura, apresenta uma altura a meio vão de
cerca de 110 metros e um vão central com 135 metros.
■ Ponte da Igreja – com 90 m de comprimento e 11,5 m de largura, apresenta uma altura sob o leito da Ribeira de
cerca de 25 m.
■ Passagens superiores com comprimento variável entre 7 m e 65 m.
Os trabalhos contemplaram terraplanagens, drenagens, pavimentação, obras acessórias, sinalização e equipamento de
segurança, iluminação de toda a via, obras de arte e nos túneis e a ventilação e o projecto de instalações e equipamento
de água do serviço de incêndios do Túnel do Jardim Pelado.
INTERVENÇÃO
Assessoria à Supervisão dos Trabalhos
Coordenação da Segurança (2ª e 3ª Fases)
E.R.101 PRAZERES RAPOSEIRA
Prazeres; Raposeira
Extensão +2.2 km
Valor da Obra
25.6 Milhões €
Data de Realização
2005
Local
Portugal - Ilha da Madeira
Dono da Obra / Cliente
Secretaria Regional do Equipamento e Transportes
2007 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Com características de Via Expresso esta estrada que tem um perfil transversal de 7 metros com 1 faixa de rodagem com
2 vias, será uma das principais ligações Oeste – Este do Concelho da Calheta. O Projecto inclui para além do traçado da
secção corrente, nós e restabelecimentos. As obras contemplam terraplanagem, drenagem, pavimentação, obras
acessórias, sinalização e equipamento de segurança, iluminação de toda a via, obras de arte e túneis bem como a
ventilação e o projecto de instalações e equipamento da rede do serviço de incêndios dos Túneis. O projecto inclui dois
Túneis e sete Pontes, das quais se referem apenas as mais representativas. • Túnel da Velha com 110 m; • Túnel da
Raposeira com 260 metros; • Ponte da Velha com 82 m; • Ponte do Paul com 170 m; • Ponte do Coelho com 87 m; •
Ponte da Maloeira com 181 m; • Ponte da Cova com 173 m; • 2 Passagens Superiores com 20 m e 15m respectivamente
INTERVENÇÃO
Supervisão da Construção Controlo da Qualidade Coordenação de Segurança
MODERNIZAÇÃO DA ESTRADA DE ACESSO
AO PORTO DE SZCZECIN
Valor da Obra
0,5 Milhões €
Data de Realização
2011
Local
Szczecin, Polónia
Dono da Obra / Cliente
Munícipio de Szcecin, Polónia
Parceiros
E&L ARCHITECTS Sp. z o.o.
2013 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
O âmbito dos trabalhos inclui a reconstrução da rua Struga em Szczecin desde a junção com a rua Jasna com a junção
com a rua Pomorska e respectiva remodelação. Este trabalho é dividido em duas fases, fase II e fase III. A fase II
envolve, entre outras: reconstrução de 1.1 km na rua Struga, construção de dois viadutos sobre a rua Struga, pistas para
bicicleta, reconstrução de infraestruturas subterrâneas, incluindo a renovação da rede eléctrica e instalação de
iluminação. A fase III envolve, entre outros.: a reconstução de 1.5 km da rua Struga, construção de uma grande rotunda
na junção das ruas Struga, Pomorska eZwierzyniecka e a construção de uma passagem superior sobre a rotunda.
INTERVENÇÃO
Coordenação e Supervisão dos Traalhos de Construção Planeamento e Controlo de Custos Garantia de Qualidade
Coordenação de Segurança
CONSULTORIA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA A
ORGANISMOS DE GESTÃO DE INFRAESTRUTURAS RODOVIÁRIAS MOÇAMBIQUE
Data de Realização
2000
Local
Moçambique
Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
Ministério da Construção – Moçambique (Banco Mundial)
CARACTERIZAÇÃO
◾ Estudo de Viabilidade da estrada Marracuene / Manhiça, com 48 kms de extensão, em associação com a DMJM
International, Washington DC - Direcção Nacional de Estradas e Pontes.
◾ "Consulting Services for Technical Assistance for Strengthening the Street Maintenance Organisation for Beira
City" - Conselho Executivo da Cidade da Beira (Banco Mundial)
◾ "Consulting Services for Technical Assistance for Strengthening the Street Maintenance Organisation for Maputo
City" - Conselho Executivo da Cidade do Maputo (Banco Mundial)
◾ "Supervision of Emergency Opening of Roads in Provinces of Nampula, Cabo Delgado and Niassa" - Direcção
Nacional de Estradas e Pontes (Banco Mundial).
ESTUDO NORMATIVO TÉCNICO PARA O
PROJECTO DE IMPLANTAÇÃO DE
ACESSOS NA REDE RODOVIÁRIA
NACIONAL
Data de Realização
2010
Local
Portugal
Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
Instituto de Infra-Estruturas Rodoviárias, IP (InIR)
CARACTERIZAÇÃO
O controlo dos acessos marginais à estrada é um dos instrumentos mais importantes na manutenção das suas condições
de circulação e da segurança. Neste sentido pretendeu-se definir um Normativo Técnico com o objectivo de especificar os
procedimentos e critérios a adoptar no processo de implantação de acessos na rede Rodoviária Nacional.
Este Normativo Técnico estabelece:
◾ Condições necessárias à autorização da serventia particular;
◾ Regras gerais para a implantação dos acessos de uso privado do tipo serventias, nas actuais EN e ER, fora dos
limites de localidade;
◾ Regras técnicas específicas na definição das distâncias e das concordâncias a cumprir no desenho e na
implantação do acesso.
INTERVENÇÃO
Consultoria
IC 1 - EN 8 - TORRES VEDRAS /
BOMBARRAL
Extensão: 25 km
Data de Realização
1994
1995 Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
EP – Estradas de Portugal, SA
CARACTERIZAÇÃO
O Lanço Torres Vedras/ Bombarral, integra a A8- Auto-estrada do Oeste, com a classificação de Itinerário Complementar.
O Lanço objecto de estudo, com cerca de 25 km de extensão, tem inicio no Nó de Torres Vedras e termina no Nó de
Bombarral.
INTERVENÇÃO
Projecto de Execução (Terraplenagens, Geologia, Drenagem, Restabelecimentos e Serventias Rurais, Pavimentação,
Guardas de Segurança, Vedações, Paisagismo, Telecomunicações, Sinalização Vertical e Horizontal, Obras
Complementares e Serviços Afectados).
IC1- (EENN 5 E 120), ENTRE O NÓ DA
MARATECA E O INÍCIO DA VARIANTE DE
GRÂNDOLA
Data de Realização
2006
Local
Portugal
2008 Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
EP – Estradas de Portugal, SA
CARACTERIZAÇÃO
O estudo desenvolve-se ao longo das EENN 5 e 120 numa extensão aproximada de 42 km, considerando-se a sua
divisão em dois troços distintos:
1º Troço: Correspondente à EN5, inicia-se ao km 30+800 junto ao Nó da Marateca e termina ao km 55+050, que
corresponde à intervenção realizada no âmbito da construção do Nó da ligação à Auto-estrada A2, localizada no limite
Norte da Variante de Alcácer do Sal.
2º Troço: Correspondente à EN 120, compreendido entre o final da Variante de Alcácer do Sal ao km 3+275 e o início da
Variante de Grândola, km 21+436.
Para além dos trabalhos de reforço do pavimento existente, o estudo constou na reformulação de intersecções,
introdução de rotundas e vias colectoras, actualização de sinalização e equipamento de segurança, realização dos
estudos de incidências ambientais, de iluminação de um Nó e Rotundas e reformulação do projecto de expropriações.
Foi também considerada reformulação do estudo de drenagem.
INTERVENÇÃO
Estudo Rodoviário
Estudo de Tráfego
Obras de Arte
Expropriações
Topografia e Implantação
Estudo de Incidências Ambientais
Plano de Segurança e Saúde e Compilação Técnica.
SUBCONCESSÃO DOURO INTERIOR
IC5 – LANÇO NÓ DE POMBAL / NOZELOS
(IP2)
Valor da Obra
60 Milhões €
Data de Realização
2009
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
EP – Estradas de Portugal / ASCENDI
2012 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
O Lanço do IC5 – Nó de Pombal / Nozelos (IP2 ) apresenta as seguintes características:
■ Extensão total do lanço: 24,1 Km;
■ Terraplenagens: Escavação 3 200 000 m3: Aterro 2 500 000 m3
■ Faixa de rodagem simples, duplicada na zona dos Nós de Ligação;
■ Geometria do traçado definida para uma velocidade de projecto de 90 km/h;
■ Dois Nós de Ligação Desnivelados: Nó de Carrazeda de Ansiães e Nó de Vila Flor;
■ Obras de arte: 2 viadutos, 10 Passagens Superiores e 9 Passagens Inferiores e 8 Passagens Agrícolas
■ Restabelecimento de estradas, caminhos e ligações às zonas envolventes com uma extensão de 12,7 Km.
■ Iluminação dos Nós de Ligação e Canal Técnico Rodoviário.
INTERVENÇÃO
Coordenação Geral e Elaboração dos Projectos Base e de Execução da Obra Geral – Concepção, Dimensionamento e
Assistência Técnica durante a Fase de Construção.
IC 9 – NAZARÉ / ALCOBAÇA / EN 1
Extensão: 22 km
Data de Realização
2002
2005 Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
EP – Estradas de Portugal, SA
CARACTERIZAÇÃO
O IC9, integra a concessão Litoral Oeste e corresponde a um investimento total de 622 milhões de euros, numa extensão
total de 110 km (construção/exploração de 85 km + exploração de 25 km), mais 2 km de alargamento.
O lanço objecto de estudo, com cerca de 22 km, estabelece a ligação entre a EN242 (Nazaré), Alcobaça e a EN1, a
nascente de Aljubarrota, incluindo as ligações à rede viária existente, através de cinco nós de ligação: Rotunda da
Nazaré, Nó de Valado dos Frades, Nó de Maiorga, Nó de Aljubarrota e Nó com a EN1.
INTERVENÇÃO
Estudos de Viabilidade Económica;
Estudos de Impacto Ambiental;
Elaboração dos Projectos de Execução (Terraplenagens, Geologia, Drenagem, Restabelecimentos e Serventias Rurais,
Pavimentação, Guardas de Segurança, Vedações, Paisagismo, Telecomunicações, Sinalização Vertical e Horizontal,
projectos complementares, serviços afectados e praças de portagem);
Dossier de Exploração;
Topografia;
Prospecção Geotécnica Especial;
Plano de Segurança e Saúde.
IC17 - CIRCULAR REGIONAL INTERIOR DE
LISBOA (CRIL)
TROÇO BURACA / PONTINHA
Valor da Obra
1,24 Milhões €
Data de Realização
2007
Local
Lisboa - Portugal
Dono da Obra / Cliente
EP – Estradas de Portugal / ODEBRECHT
Parceiros
GEG / VIATUNEL
2011 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
■ Estudos e Projectos da geometria do traçado, terraplanagem, drenagem, pavimentação, obras acessórias,
sinalização, equipamento de segurança, obras de arte integradas, sistemas de vigilancia e gestão dos túneis e
integração paisagística;
■ A extensão total da secção corrente é de 4,0 km (aprox.), dos quais 1,7 km desenvolvem-se em tunel.
■ Reformulação dos Nós de ligação da Buraca (IC19) e da Pontinha (IC16), parcialmente em utilização.
■ Ligações à Damaia, Portas de Benfica, rotunda de Benfica e reposição de vias afectadas para garantir a reposição
da rede viaria urbana e assegurar o acesso das zonas envolventes ao IC17, bem como de um troço do IC16,
representando um total de cerca de 14 km de novas vias.
INTERVENÇÃO
Coordenação Geral e elaboração dos Projectos Base e de Execução da Obra Geral – Concepção, Dimensionamento e
Assistência Técnica durante a Fase de Construção.
IC28 – PONTE DE LIMA / PONTE DA BARCA
Ponte de Lima; Ponte da Barca
Extensão: +10 km
Valor da Obra
40 Milhões €
Data de Realização
2000
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
ICOR
2003 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
A obra é constituída pelo Sublanço Nó com a EN 202 / Ponte da Barca, integrado no Lanço do IC28 Ponte de Lima /
Ponte da Barca. Tem o seu início ao km 1+875 do Sublanço Ponte de Lima / Nó com a EN 202 e termina ao km 11+871,
nas imediações da variante à EN 101, a Norte de Ponte da Barca.
A ligação do IC28 à rede viária envolvente é feita através de três nós:
■ O primeiro, no início do traçado, denominado por Nó com a EN 202, o qual permite o acesso a Ponte de Lima pelo
lado Norte;
■ O segundo, denominado Nó de Jolda, por se localizar nas imediações da povoação com este nome, o qual dá
acesso à EN 202;
■ Por último, o Nó de Ponte da Barca, situado no final do traçado, fazendo a ligação à Variante à EN 101 e
permitindo o acesso a Arcos de Valdevez e a Ponte da Barca.
Tendo em vista assegurar as ligações cortadas pela construção do IC28, foram construídos 23 restabelecimentos, os
quais deram origem a 11 passagens superiores, 2 passagens inferiores, 2 passagens hidráulicas e o prolongamento de
uma outra, no sublanço anterior.
INTERVENÇÃO
Fiscalização
Planeamento e Controle de Custos
Controlo da Qualidade de Execução dos Trabalhos
Controle de Segurança no Trabalho
Controlo das Quantidades de trabalho
CONSULTORIA E ASSISTÊNCIA TÉCNICA A
ORGANISMOS DE GESTÃO DE INFRAESTRUTURAS RODOVIÁRIAS – ANGOLA
Data de Realização
1991
Ano(s)
Local
Angola
Dono da Obra / Cliente
Ministério da Construção – Angola (Banco Mundial)
CARACTERIZAÇÃO
◾ Estudo da organização e implantação de uma estrutura rodoviária de âmbito nacional - Consultoria e Assistência
Técnica - Comissão Dinamizadora do Processo de Implantação da Estrutura Tipo JAEA.
◾ Estudo da Gestão Rodoviária e Programa de Reabilitação e Conservação Rodoviária - "IRE PROJECT", em
associação com Brian Colquhoun and Partners, Londres - Instituto de Estradas de Angola - INEA (Banco
Mundial).
LIGAÇÃO DO IP3 À V3
Figueira da Foz
Extensão +2km
Valor da Obra
3.5 Milhões €
Data de Realização
2001
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
Câmara Municipal da Figueira da Foz
2002 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Construção da ligação do Nó 2, da pista urbana, à rua Montalto que visa melhorar a distribuição do tráfego no acesso a
Buarcos e às áreas residenciais vizinhas, através da extensão da radial externa para a Cidade da Figueira da Foz. O
layout desta forma urbana foi desenvolvido em 4 troços com extensões de 167 m, 1.275 m, 250 m e 200 m, a interligação
destes troços da rede de estradas a ser feita por 3 rotundas. A construção da ligação do IP3 à estrada "V3" visa criar
uma alternativa para o tráfego de entrada da cidade da Figueira da Foz, principalmente no acesso às praias e também
para o tráfego pesado do centro no fornecimento da zona comercial onde existem vários supermercados e
hipermercados.
INTERVENÇÃO
Assistência Técnica Gestão da Construção
REQUALIFICAÇÃO DA EN 190 TROÇO
MUCONDA-LUAU-FRONTEIRA RDC
Provincia Lunda Sul
Angola
Valor da Obra
107 Milhões €
Data de Realização
2009
Local
Muconda-Luau
Dono da Obra / Cliente
INEA -Instituto Nacional de Estradas de Angola
Parceiros
4 MIL
2011 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Reabilitação de Infra-estrutura Rodoviária no troço de Muconda –Luau-fronteira da RDC , numa extensão de cerca de 130
km. Este trabalho compreende a recuperação da estrada existente, que inclui o seu alargamento para uma faixa de
rodagem com 7 metros de largura, e duas bermas asfaltadas de 1 metro. A estrutura do pavimento existente apresenta a
configuração da base em solo laterítico e onde se executou a sua estabilização com cimento. Foram colocadas duas
camadas na sub-base e base em solo laterítico com uma espessura de 15cm em cada camada, e uma camada de
desgaste com 4 cm de espessura em betão betuminoso. Executou-se igualmente todos os trabalhos de escavação,
aterros e drenagem necessários bem como os de sinalização horizontal e vertical. A empreitada inclui ainda a execução
de duas pontes , uma sobre o rio Luembe e outra sobre o rio Luangue em estrutura mista de betão e metálica.
INTERVENÇÃO
Controlo de qualidade dos trabalhos Controlo do Planeamento e custos Coordenação de Segurança e Saúde
SUBCONCESSÃO DO PINHAL INTERIOR
AUDITORIAS DE SEGURANÇA RODOVIÁRIA
Data de Realização
2010
2014 Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
ASCENDI
CARACTERIZAÇÃO
A Subconcessão do Pinhal Interior inclui 11 Lanços de Traçados novos e 21 Lanços de Beneficiação de estradas
existentes numa extensão de 520.30 Km.
Auditorias de Segurança Rodoviária são realizadas para cada uma das fases de, Projecto Base, Projecto de Execução e
Pré-abertura ao tráfego, correspondentes aos 21 Lanços referidos.
Têm por principal objectivo identificar eventuais problemas, no sentido de melhorar as condições de segurança das vias,
e minimizar as consequências das deficiências detectadas.
As várias specialidades do projecto são auditadas em simultâneo, destacando-se o Traçado da plena via, incluindo Nós
de Ligação e intersecções de nível, a Drenagem, a Pavimentação, a Iluminação, a Sinalização e Equipamento de
Segurança.
INTERVENÇÃO
Auditorias de Segurança Rodoviária
SUBCONCESSÃO DO PINHAL INTERIOR
VERIFICAÇÃO E REVISÃO DE ESTUDOS E
PROJECTOS
Data de Realização
2010
2013 Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
EP - Estradas de Portugal SA / ASCENDI
CARACTERIZAÇÃO
A Subconcessão do Pinhal Interior inclui 11 Lanços de Construção Nova e 20 Lanços de Beneficiação/Requalificação de
estradas existentes.
As Verificações e Revisões de Estudos e Projectos foram realizadas por especialidade, para as diferentes fases dos
estudos e projectos relativos à Obra Geral que estiveram na base da construção de 11 novos Lanços de Estrada.
Construção Nova que totaliza 160 km.
As especialidades que integram a Obra Geral são: Geometria do Traçado da plena via, nós de ligação, intersecções de
nível e restabelecimentos, geologia e geotecnia, Drenagem, Pavimentação, Sinalização e Equipamento de Segurança as
Obras acessórias onde se incluem a Iluminação o canal técnico, as obras de contenção as vedações e reposição dos
serviços afectados e Estudos Ambientais.
INTERVENÇÃO
Coordenação Geral e trabalhos de verificação, revisão e respectiva certificação de que os projectos de execução nas
diferentes especialidades que integram a Obra Geral, dão integral cumprimento ao contrato de Subconcessão,
respeitando as normas legais e regulamentares em vigor, as normas comunitárias aplicáveis, bem assim as normas e
directivas da EP. Assistência Técnica durante a Fase de Construção.
REABILITAÇÃO DE ESTRADAS
11 Estradas – Bucareste - ROMÉNIA
Valor da Obra
0.606 Milhões €
Data de Realização
2011
Local
Bucareste – Roménia
Dono da Obra / Cliente
Administração das Estradas de Bucareste
Parceiros
TPF Romania
2013 Ano(s) (execution); 2013 – 2017 (DNP)
CARACTERIZAÇÃO
Completa Reabilitação das Estradas e infraestruturas urbanas de 11 estradas em Bucareste, compreendendo:
reabilitação de estradas, drenagem pluvial, reabilitação dos sistemas de fornecimento de água e de saneamento,
passeios, áreas de estacionamento e estações de autocarros, sinalização rodoviária.
INTERVENÇÃO
■ Supervisão de projectos
■ Supervisão dos trabalhos
■ Assístência técnica
REABILITAÇÃO DA ESTRADA SAURIMO /
LUENA
TROÇO: DALA / LUENA
Data de Realização
2013
2014 Ano(s)
Local
Províncias Lunda Sul e Moxico
Dono da Obra / Cliente
INEA – Instituto de Estradas de Angola
CARACTERIZAÇÃO
Esta obra consiste na reabilitação de um troço de 106km, da estrada que liga a capital da província do Moxico (Luena), à
capital da província da Lunda-Sul (Saurimo).
Os principais trabalhos incluem: desmatação, execução de sub-base em laterite, base em solo-brita e aplicação de betão
Betuminoso.
A empreitada inclui a intervenção em 5 obras de arte:
■ Lumege............40m
■ Luchia...............50m
■ Thinhenhi.........15m
■ Cassai..............100m
■ Chirrumbuei.....40m
INTERVENÇÃO
Coordenação e Fiscalização dos Trabalhos, incluindo Controlo do Planeamento e Custos, Controlo da Qualidade,
Controlo Ambiental, Coordenação de Segurança e Saúde
REABILITAÇÃO DE INFRAESTRUTURAS
RODOVIÁRIAS
Amara Resort - ROMENIA
Valor da Obra
0.105 Milhões €
Data de Realização
2009
Local
Amara resort – Ialomita county – Romenia
Dono da Obra / Cliente
Municipio de Amara
Parceiros
TPF Romenia
2011 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Financiado através dos Fundos Estruturais Europeus, este projecto compreende a completa reabilitação da infraestrutura
rodoviária em 8 estradas, construção de passeios, sumidouros, jardins, rede de saneamento urbano(5.3 km) e depósito
de água.
INTERVENÇÃO
Supervisão dos trabalhos
SCUT DA BEIRA INTERIOR
Extensão: +77km
Valor da Obra
400 Milhões €
Data de Realização
2000
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
SCUTVIAS - Autoestrada da Beira Interior, SA
Parceiros
GAPROBRA;
2003 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Este contrato enquadrou-se nos trabalhos de construção da SCUT da Beira Interior, dividindo-se em dois lanços: Lanço
Mouriscas / Gardete e Castelo Branco / Gardete, estabelecendo a ligação com o IP6 (Lanço Abrantes / Mouriscas) e com
o Lanço Castelo Norte / Soalheira. Os trabalhos compreenderam:
Lanço Mouriscas / Gardete
■ Construção de auto-estrada com quatro faixas de rodagem com separador central, numa extensão de 28,3 km,
com 4 nós de ligação e 40 restabelecimentos.
■ Construção de cinco viadutos e uma ponte:
■ Viaduto do Rio Frio: extensão de 229 m, altura máxima dos pilares de 35 m;
■ Viaduto das Boas Eiras: extensão de 264 m, altura máxima dos pilares de 33 m;
■ Viaduto das Eiras: extensão de 369 m, altura máxima dos pilares de 30 m;
■ Viaduto da Avessada: extensão de 215 m, altura máxima dos pilares de 12,4 m;
■ Ponte do Rio Ocreza: extensão de 390 m, altura máxima dos pilares de 101 m.
Lanço Castelo Branco /Gardete
■ Construção de auto-estrada com quatro faixas de rodagem e separador central, numa extensão de 46,7 km, com 8
nós de ligação e 44 restabelecimentos.
■ Construção de quatro viadutos:
■ Viaduto da Ribeira da Velha: extensão de 89 m, altura máxima dos pilares de 20,5 m;
■ Viaduto da Ribeira da Líria: extensão de 46,3 m, altura máxima dos pilares de 4,37 m;
■ Viaduto das Talhadas: extensão de 229 m, altura máxima dos pilares de 40 m;
■ Viaduto do Perdigão: extensão de 600 m, altura máxima dos pilares de 60 m.
INTERVENÇÃO
Fiscalização da Construção (em consórcio)
SUBCONCESSÃO ALGARVE LITORAL
Auditorias de Segurança Rodoviária
Data de Realização
2009
2013 Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
ROTAS DO ALGARVE LITORAL
CARACTERIZAÇÃO
A Subconcessão Algarve Litoral foi criada para a recuperação da Estrada Nacional 125, com o principal objectivo de
reduzir a sinistralidade, numa extensão total de 273 km, desde Sagres a Vila Real de Santo António, incluindo 29 Nós de
Ligação e 75 Rotundas.
As Auditorias de Segurança realizadas referem-se às fases de Projecto de Execução e de Pré-Abertura ao Tráfego,
tendo por objectivo a identificação de eventuais problemas relacionados com a segurança rodoviária de modo a mitigar o
risco de acidentes e reduzir as respectivas consequências.
Compreendem a análise das peças escritas e desenhadas finais dos várias projectos de especialidades desenvolvidos,
em conformidade com as regras da boa prática nesta matéria da segurança rodoviária.
INTERVENÇÃO
Auditorias de Segurança Rodoviária
NOVA TRAVESSIA RODOVIÁRIA DO TEJO
Data de Realização
1997
Ano(s)
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
NOVAPONTE (TEJO PONTE CONTROL)
CARACTERIZAÇÃO
A Ponte Vasco da Gama é uma ponte sobre o rio Tejo, na área da Grande Lisboa, ligando Montijo e Alcochete a Lisboa e
Sacavém. Trata-se da ponte mais longa da Europa, sendo actualmente a nona mais extensa de todo o mundo, com os
seus 17,3 km de comprimento, dos quais 12 estão sobre as águas do estuário do tejo.
INTERVENÇÃO
Os trabalhos para a Nova Travessia Rodoviária do Rio Tejo, em Lisboa, incluiram:
◾ Verificação do traçado e estrutura do pavimento
◾ Revisão e acompanhamento do projecto de execução
◾ Verificação dos projectos de execução de drenagem e dos estudos geológico-geotécnicos.
VARIANTE À EN 396 LIGAÇÃO DO NÓ DE
LOULÉ 1 DA VIS ÀS QUATRO ESTRADAS
Loulé
Extensão + 6.4 km
Valor da Obra
17 Milhões €
Data de Realização
2006
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
EP, E.P.E – Estradas de Portugal
2007 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
A presente empreitada refere-se à construção da variante à E N 396 denominada por “Ligação do Nó de Loulé 1 da VIS
às Quatro Estradas", e tem como objectivo o melhoramento do acesso entre a cidade de Loulé e a zona turística de
Quarteira e Vilamoura, articulando-se também com os eixos longitudinais do Algarve (EN 125 e Via Infante de Sagres).
Fazem parte do âmbito desta empreitada a construção da variante à EN396 com cerca de 3,9 km de extensão, a
beneficiação da EN125 em cerca de 1,8 km de extensão e a construção da ligação à EN 396 a partir do Nó 1 da variante
com cerca de 700 m de extensão.
A articulação da variante com a rede viária existente é assegurada por três nós de ligação desnivelados e quatro ligações
de nível (duas rotundas e dois entroncamentos).
As obras de arte inseridas na variante são:
■ Passagem superior PS2 / Passagens inferiores PI 1, PI 3 e PI 5 / Pontão 1 e Pontão 2
As obras de arte integradas e especiais, em betão armado pré esforçado, envolvem essencialmente trabalhos de
natureza estrutural. Fundações, pilares, encontros e tabuleiros, com as seguintes características para as obras de arte
mais importantes:
Viaduto sobre a Ribeira de Carcavai – Extensão de 204 m, plataforma com largura variável entre os 27,10 m e 40, 593
m, constituída por três nervuras de altura constante em betão armado pré esforçado
Viaduto sobre a EN125 – Extensão de 102 m, tabuleiro com uma largura de 24,40 m, sendo a superstrutura constituída
por três vãos com 30 m; 42 m e 30 m respectivamente.
PH na Ribeira de Carcavai – Tabuleiro com uma largura total de 26,69 m constituído por uma laje em betão armado pré
esforçado monolíticamente ligado aos maciços de encabeçamento das estacas.
INTERVENÇÃO
Fiscalização
Controlo da Qualidade
Controlo Topográfico e,
Coordenação da Segurança
VARIANTE À ESTRADA REGIONAL 104 (I)
Vila da PONTA do SOL
Extensão: +2.8km
Valor da Obra
22.6 Milhões €
Data de Realização
2002
Local
Portugal - Ilha da Madeira
Dono da Obra / Cliente
Secretaria Regional do Equipamento Social e dos Transportes - Madeira
2004 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Esta variante, com uma extensão total de 2 760 metros, que estabelece a ligação entre a rotunda na Vila da Ponta do Sol
à marginal da Madalena do Mar, apresenta um perfil transversal de 2 vias, uma em cada sentido, dispostas numa faixa de
rodagem com 7.50 metros de largura.
O traçado é constituído principalmente por um túnel com uma secção transversal de 9 metros e uma extensão de 2 680
metros. No túnel foram executados 3 alargamentos para estacionamento de emergência, e 3 galerias de inversão.
Destas, duas estão associadas a saída de emergência para o exterior, com uma secção de 5 m de largura e extensões
de 135 metros e 85 metros respectivamente.
Foi também construído um pontão sobre a ribeira da Ponta do Sol, com uma largura de 9.5 m e 18.5 metros de
comprimento. A ligação à marginal da Madalena do Mar será efectuada mediante uma rotunda de nível.
Nesta empreitada estava também incluída a iluminação, a ventilação do túnel, a rede de incêndio, a instalação dos
equipamentos de segurança e, arranjos paisagísticos.
INTERVENÇÃO
Assessoria à Supervisão dos Trabalhos
Coordenação da Segurança
VARIANTE À ESTRADA REGIONAL 230 –
CAMPANÁRIO
Campanário
Extensão +0.5 km
Valor da Obra
2.6 Milhões €
Data de Realização
2001
Local
Portugal - Ilha da Madeira
Dono da Obra / Cliente
Secretaria Regional do Equipamento Social e dos Transportes - Madeira
2003 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Esta Variante com uma extensão de cerca de 550 m destina-se a melhorar as condições de circulação rodoviária entre o
centro da Freguesia do Campanário e a ER 101 (Via Rápida Funchal - Ribeira Brava).
A variante possui com um perfil transversal de 9 m de largura para 2 vias, uma em cada sentido, dispostas numa faixa de
rodagem com 7 m de largura e passeios laterais de 1m cada.
Os trabalhos executados contemplaram; construção de muros de betão ciclópico, terraplenagens, drenagens, obras
acessórias, sinalização e segurança.
INTERVENÇÃO
Assessoria à Supervisão dos Trabalhos
VARIANTE À MADALENA DO MAR
+ 3.5 km extensão
Valor da Obra
54 Milhões €
Data de Realização
2007
Local
Ilha da Madeira - Portugal
Dono da Obra / Cliente
RAMEDM
em curso Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Esta empreitada constitui uma variante à vila da Madalena do Mar. Tem início na Rotunda 1, de onde parte o Túnel 1,
com uma extensão de 1910 metros, atravessa a ribeira da Madalena com uma ponte com cerca 56 metros de
comprimento, de onde por sua vez parte o Túnel 2, com uma extensão de 1535 metros que termina na Rotunda 2. Estes
túneis são ainda servidos por cinco galerias de emergência com extensões entre os 200 e os 490 metros. Esta fase
contempla somente a escavação, revestimento provisório e definitivo dos túneis e galerias de emergência bem como a
drenagem longitudinal destes. O traçado apresenta um perfil transversal com duas faixas de circulação com largura total
de 7 metros.
INTERVENÇÃO
Assessoria à Fiscalização
Coordenação da Segurança
VARIANTE À VILA DA CALHETA
Munícipio da Calheta
+3 km extensão
Valor da Obra
50.7 Milhões €
Data de Realização
2002
Local
Portugal - Ilha da Madeira
2005 Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
Direcção Geral de Estradas – Secretaria Regional do Equipamento Social e dos Transportes
CARACTERIZAÇÃO
Esta Variante com um comprimento total de 3.630 m e cuja construção decorreu em duas fases, faz parte integrante da
E.R. 101 que liga várias localidades no Município da Calheta. O Projecto contemplou, para além do traçado da secção
corrente, nós e restabelecimentos, as especialidades de terraplanagem, drenagem, pavimentação, obras acessórias,
sinalização e equipamento de segurança, iluminação de toda a via, obras de arte e nos túneis a ventilação e o projecto de
instalações e equipamento de agua do serviço de incêndios dos Túneis
1ª Fase – Com cerca de 1500 m, o troço apresenta 2 Túneis, o Calheta 3, com 9 m de secção útil e 940 m de extensão e
o Calheta 4, também com secção de 9 m, do qual apenas se construíram 320m.
2ª Fase – Construíram-se os restantes 1127 m do Túnel Calheta 4, a Radial à Calheta – com uma extensão de 800 m –
que liga a Rotunda da Calheta à Marginal da Calheta, bem como 2 pontes e 8 pontões.
■ Ponte da Atouguia – com 45 metros de comprimento e 10 m de largura, no atravessamento do vale da ribeira com
o mesmo nome, situada entre os túneis 3 e 4.
■ Ponte do Arco – com 54 metros de Comprimento e 11,5 m de largura situada na Ribeira do Arco da Calheta.
■ Pontões PO1 A PO8, sobre a Ribeira da Calheta, com um comprimento total de 460m e tabuleiro de 9 m de
largura.
INTERVENÇÃO
Assessoria à Supervisão dos Trabalhos
Coordenação da Segurança
VIADUTO EXPO 98
Lisboa
Extensão: +0.75 km
Valor da Obra
6.5 Milhões €
Data de Realização
1995
Local
Portugal
Dono da Obra / Cliente
Parque Expo SA
1996 Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Este projecto, integrado no empreendimento da EXPO’ 98, consistiu na construção de uma infra-estrutura viária destinada
a assegurar o acesso à Porta Sul da Zona de Intervenção da EXPO’98 contribuindo igualmente para o
descongestionamento do tráfego automóvel na zona do Porto de Lisboa.
Este projecto incluiu também o alargamento e reperfilamento da Av. Marechal Gomes da Costa, no percurso
compreendido entre a Av. Infante D. Henrique e a Rotunda do Baptista Russo.
A empresa desempenhou funções de gestão e coordenação da empreitada, sendo de salientar as condições
particularmente difíceis de prazo e de complexidade técnica tendo em conta as múltiplas condicionantes locais que
exigiram a permanente coordenação e compatibilização de todas as entidades envolvidas (CP, CML, LTE, PT, etc.).
INTERVENÇÃO
Gestão da Construção
Planeamento e Controlo de Custos
Garantia da Qualidade
VIA RÁPIDA ENTRE A FAJÃ DA OVELHA E
PONTA DO PARGO
Valor da Obra
37.950 Milhões €
Data de Realização
2007
Local
Madeira - Portugal
Dono da Obra / Cliente
RAMDEM – Estradas da Madeira, SA.
em curso Ano(s)
CARACTERIZAÇÃO
Esta empreitada faz a ligação rodoviária entre a localidade da Raposeira do Serrado e a Ponta do Pargo. Com uma
extensão total de 5719 metros, o traçado contempla a execução de 6 pontes, 5 rotundas e 4 túneis.
Na primeira fase serão apenas feitos a escavação, o revestimento provisório e definitivo dos túneis, bem como os
trabalhos de terraplenagem das rotundas sendo também executadas três passagens hidráulicas. Estas passagens têm
extensão de 86 (Lombo), 119 (Mestre) e 552 metros (Faias), com as secções máximas de 2x2, 2,5x2,5 e 4x4 metros,
respectivamente.
O traçado apresenta nos túneis um perfil transversal com duas faixas de circulação com uma largura total de sete metros
e ainda dois passeios com um metro cada.
Os túneis (1 a 4) têm respectivamente as extensões de 135, 1218, 427 e 409. A galeria de emergência do túnel 2 tem 332
metros
INTERVENÇÃO
Assessoria à Fiscalização
Gestão da Qualidade
Coordenação da Segurança
CONCESSÃO SCUT DAS BEIRAS LITORAL
E ALTA - A25 / IP5 - NÓ DO IC 2 / VISEU LOTE 3
Sublanço Vouzela / Boa Aldeia
Data de Realização
2002
Local
Portugal
2005 Ano(s)
Dono da Obra / Cliente
LUSITÂNIA - CONSTRUTORAS DAS AUTO-ESTRADAS DAS BEIRAS LITORAL E ALTA, ACE
CARACTERIZAÇÃO
A Concessão Beiras Litoral e Alta, concretizada na autoestrada A25, serve as cidades de Aveiro, Viseu e Guarda, ligando
a mais movimentada fronteira do país à Europa, ao litoral e à restante rede de estradas portuguesas.
Este contrato contemplou a Concessão de Lanços de Auto Estradas e Conjuntos Viários Associados na Zona das Beiras
Litoral e Alta numa extensão de14 km.
INTERVENÇÃO
Estudos de Viabilidade Económica; Estudos de Impacto Ambiental; Elaboração dos Projectos de Execução, incluindo
áreas de Serviço e Praças de Portagem; Topografia; Prospecção Geotécnica Especial; Plano de Segurança e Saúde