Limites para comprar no exterior

Сomentários

Transcrição

Limites para comprar no exterior
List
Check
Quanto vale a sua moeda?
Em qualquer viagem ao exterior, o ideal
é chegar ao destino com uma moeda
forte no bolso. Geralmente, recomenda-se ao turista brasileiro trocar o real
por dólar americano ainda no Brasil,
mesmo se a viagem estiver programada para o Marrocos, na África. Isso
porque o dólar é bem aceito no exterior,
o que leva o turista a sofrer menos os
efeitos da desvalorização monetária e
não ficar sujeito às altas taxas praticadas pelas casas de câmbio estrangeiras. Para saber quanto vale R$ 1 em
outros países, o site do Banco Central
do Brasil (www.bacen.gov.br) traz um
sistema automático de conversão, em
uma data específica, em que o real é
*R$ 1 EQUIVALE A...
comparado a outras 171 moedas disponíveis para consulta de valores. Veja
algumas simulações, no quadro abaixo.
MOEDA
*US$ 1 EQUIVALE A...
3,96
DIRHAMS MARROQUINOS
8,49
0,57
FRANCO SUÍÇO
1,22
244,54
PESOS CHILENOS
525,03
55,01
IENES JAPONESES
118,1
0,54
DÓLAR CANADENSE
1,16
0,46
BALBOA PANAMENHO
1
0,36
EURO
0,76
(*) Cotação referente ao dia 18/12/2006.
Limites para comprar no exterior
Produtos isentos
de impostos
Roupas, artigos de higiene, beleza
ou maquiagem e calçados, para uso
próprio, em quantidade compatível
com a duração e finalidade da
permanência no exterior.
Livros, folhetos e periódicos
impressos.
Bens pessoais, domésticos ou
profissionais usados, quando
comprovadamente a permanência no
exterior houver ultrapassado um ano.
turismo & qualidade de vida //11
* Mais informações no site da Receita Federal:
www.receita.fazenda.gov.br
descrição do que foi adquirido acima
do estipulado em lei. As notas fiscais
devem ser apresentadas à alfândega,
a fim de comprovar o real valor dos
bens provenientes do exterior. Caso
contrário, o fiscal dispõe de uma planilha com os preços de cada item e poderá estipular a quantia que considerar
justa pelo material.
A boa notícia é que existem artigos isentos do pagamento de impostos (veja
quadro). E mais: os países membros do
Mercado Europeu restituem os impostos embutidos nos produtos comprados
por não-residentes. O procedimento
chama-se detax e pode ser solicitado
em um balcão específico no aeroporto,
durante o embarque de volta ao Brasil.
No caso de um turista que viaja de um
país para outro, o detax será feito somente no último país visitado. Basta
apresentar o passaporte e as notas fiscais para ser reembolsado na hora ou,
posteriormente, pelo correio.
Fotos: StockXchg
Novidades em cosméticos, roupas, acessórios e eletrônicos sempre estiveram
na lista de artigos trazidos do exterior
pelos turistas brasileiros. Apesar de a
maioria dos viajantes se preocupar com
a quantidade e o peso das malas no
retorno ao Brasil, muitos se esquecem
de quanto podem gastar lá fora.
Em regra, o turista pode adquirir US$ 350
na América do Sul ou US$ 500 nas outras regiões (compras no embarque juntam-se a esse valor). Na volta, ainda é
permitido gastar até outros US$ 500 em
duty free no aeroporto. Para quem retorna ao País por terra ou rio, o limite de
compras na origem é de US$ 150.
Ao ultrapassar as cotas estabelecidas,
o turista deverá pagar o imposto de importação de 50% sobre o excedente.
Para isso, existe a Declaração de Bagagem Acompanhada, que é entregue
pela companhia aérea e preenchida pelo
passageiro em vôo. No formulário, devem constar os dados pessoais e a