GOT/AST UV - GT Laboratorio

Сomentários

Transcrição

GOT/AST UV - GT Laboratorio
GOT/AST UV Liquid Plus
FINALIDADE
Kit para determinação da atividade da Transaminase Glutâmica
Oxalacética no soro ou plasma pelo método IFCC modificado.
SIGNIFICADO CLÍNICO
A atividade da Transaminase Glutâmica Oxalacética (TGO ou
GOT) ou Aspartato Aminotransferase (AST ou ASAT) é amplamente distribuída no organismo, tanto no citoplasma como nas
mitocôndrias, especialmente no coração e no fígado.
A atividade aumenta no infarto do miocárdio e nas afecções hepáticas como hepatite e necrose. Sua determinação é importante quando combinada com outras determinações enzimáticas.
PRINCÍPIO DO ENSAIO
TGO
L-aspartato + 2-oxoglutarato--------> L-glutamato + oxalacetato
MDH
piruvato + NADH + H+--------> L-malato + NAD+
O decremento da concentração de NADH, medido a 340 nm
(Hg334, Hg366) é proporcional à atividade de TGO da amostra.
REAGENTES FORNECIDOS
Código 465050 (50 ml): 1 x 40 ml R1 + 1 x 10 ml R2
R1: 1 frasco com 40 ml de reagente.
R2: 1 frasco com 10 ml de reagente.
Código 464250 (250 ml): 1 x 200 ml R1 +1 x 50 ml R2
R1: 1 frasco com 200 ml de reagente.
R2: 1 frasco com 50 ml de reagente.
Composição dos reagentes fornecidos
R1:
Tris 110 mmol/l pH = 7,8
LDH ≥2060 U/l
MDH ≥1625 U/l
Aspartato 32 mmol/l
R2:
NADH 1 mmol/l
2-oxoglutarato 75 mmo/l
Conservação e estabilidade dos reagentes
Conservar em refrigerador de 2-8oC. Todos os reagentes são
estáveis até a data de vencimento marcada no rótulo.
Sinais de instabilidade ou deterioração dos reagentes
Turbidez ou sedimento nos reagentes indicam deterioração.
Neste caso, o kit deverá ser descartado.
Cuidados e precauções
Este kit é destinado somente para uso diagnóstico in vitro.
A caixa e os frascos deste produto não podem ser reutilizados.
Eles devem ser descartados como resíduos perigosos de acordo
com a legislação vigente. O pessoal que manipulá-los deverá
ser devidamente treinado para a manipulação e eliminação pela
instituição ou pelo laboratório que utilizá-los.
REAGENTE DE TRABALHO
Preparação
Códigos 465050, 464200, 464250, 464500 e 465500: agregue
o conteúdo de um frasco de R2 para um frasco de R1 e
homogenize.
Alternativamente, misture 4 volumes de R1 com 1 volume de R2
num balão limpo e seco.
Anote a data de preparação no rótulo.
Composição do Reagente de Trabalho
Tris 88 mmol/l pH = 7,8
LDH ≥1650 U/l
MDH ≥1300 U/l
Aspartato 260 mmol/l
NADH 0.2 mmol/l
2-oxoglutarato 15 mmol/l
Conservação e estabilidade do Reagente de Trabalho
Refrigerado (2-8ºC): estável por 21 dias.
Temperatura ambiente (15-25ºC): estável por 3 dias.
Sinais de instabilidade ou deterioração
Leituras do branco de reagente contra água destilada inferiores
a 1.000 D.O. (340 nm) indicam deterioração do reagente que
deverá ser descartado.
MATERIAIS NECESSÁRIOS, MAS NÃO FORNECIDOS
- Banho-maria de 37ºC.
- Cronômetro.
- Pipetas e micropipetas para os volumes citados em PROCEDIMENTO DO TESTE.
- Tubos e cubetas de vidro.
- Fotômetro ou espectrofotômetro.
- Centrífuga.
COLETA E OBTENÇÃO DA AMOSTRA
Amostra:
Soro fresco ou plasma obtido com heparina, separados das hemácias antes dos 30 minutos de obtenção do espécime.
Condições de conservação da amostra:
Temperatura ambiente (20-25 ºC)……24 horas.
Refrigerador (2-8 ºC)…………48 horas.
Congelado (-20ºC).................estável por 4 meses.
Substâncias interferentes:
A bilirrubinemia moderada não interfere.
A hiperlipemia pode causar turbidez. Espécimes hiperlipêmicos
devem ser ensaiados após diluir com solução fisiológica; o resultado obtido deve ser multiplicado pela diluição efetuada.
A hemólise libera grandes quantidades de transaminases eritrocitárias, dando resultados falsamente elevados.
Eliminação:
Todos os espécimes devem ser considerados como potencialmente infecciosos, assim como o material em contato com eles.
As boas práticas laboratoriais e regulamentos locais deverão ser
observados para prosseguir com sua eliminação. Um método
sugerido é a autoclave a 121º C durante 1 hora. Os líquidos
devem ser eliminados em hipoclorito de sódio 5%, deixando a
inativação proceder por 1 hora.
PROCEDIMENTO DO TESTE
- Traga o reagente para a temperatura ambiente.
- Coloque o espectrofotômetro nas condições de reação:
Temperatura: 25º, 30º ou 37ºC
Comprimento de onda: 340 nm (Hg 334 ou 366 nm)
Procedimento:
Em uma cubeta equilibrada à temperatura de reação, agregue
(NOTA 1):
25ºC /30ºC
37ºC
R1 de trabalho
1.0 ml
1.0 ml
Amostra
100 µl
50 µl
Misture e dispare o cronômetro. Leia a primeira absorbância
após 60 segundos. Repita a leitura após outros 60, 120 e 180
segundos.
CÁLCULOS
∆A / minuto: calcule a diferença de leitura a cada 60 segundos
e obtenha a média entre elas.
Cálculo da atividade:
Atividade U/l = fator x ∆A / minuto
FATOR
Temperatura de reação
25ºC/ 30º
37ºC
340 nm
1768
3370
334 nm
1833
3437
366 nm
3333
6234
CARACTERÍSTICAS DE DESEMPENHO
1- Sensibilidade: aproximadamente 2 U/l, lido em espectrofotômetro em 340 nm com cubetas de faces retas de 1 cm de
passo de luz.
2- Especificidade: na ausência de cetoácidos, a reação é específica para GOT.
3-Faixa dinâmica: 2-300 U/l para procedimento a 25 ºC e 30 ºC,
e até 800 UI/l para procedimento a 37 ºC (leituras a 340 nm).
Se a atividade for maior, repita a determinação utilizando uma
diluição da amostra em solução salina; o resultado deverá ser
multiplicado pela diluição realizada.
4-Precisão:
Intraensayo
AMOSTRA
1
2
3
MEDIA U/l
33,5
72,2
186,9
SD U/l ±
1,0
1,2
1,0
C.V.%±
2,9
2,0
0,5
Interensayo
AMOSTRA
1
2
3
MEDIA U/l
36,0
73,5
191,4
SD U/l ±
2,5
2,6
3,6
C.V.%±
6,8
3,6
1,9
LIMITAÇÕES DO TESTE
A GOT está concentrada principalmente no fígado e no músculo
cardíaco, presente nas mitocôndrias. Seu aumento de atividade,
portanto, liga-se aos danos em tais órgãos, mas não é específico
para nenhum deles. A determinação tem valor apenas no contexto de um perfil enzimático que inclui outros marcadores dos
órgãos estudados.
CONTROLE DE QUALIDADE
As boas práticas laboratoriais recomendam processar diariamente, amostras normais e patológicas. Recomenda-se o uso
de Soro Controle Qualiset GT Lab Nível 1 e 2 (código 602.105
e 602.205).
Cada laboratório deverá desenvolver o seu próprio controle interno de qualidade e ações corretivas se exceder os limites de
tolerância aceitáveis.
VALORES DE REFERÊNCIA
Os valores são aproximados, recomendando-se que cada laboratório determine os valores da sua região.
25º C
30º C
37º C
Mulheres: até
16 U/l
21 U/l
32 U/l
Homens: até
19 U/l
27 U/l
38 U/l
FATORES DE CONVERSÃO DE TEMPERATURAS
As atividades obtidas a uma temperatura de trabalho podem ser
expressas em uma temperatura diferente utilizando os seguintes
fatores. Note-se que esta estimativa é apenas uma aproximação,
pois nem todas as isoenzimas reagem da mesma forma com a
mudança de temperatura.
Temperatura de
trabalho
Fator para expressar a
25ºC
30 ºC
37 ºC
25ºC
1.0
1.37
1.98
30ºC
0.73
1.0
1.45
37ºC
0.504
0.69
1.0
NOTAS:
1- Os volumes de amostra e reagente podem ser modificados
desde que se mantenham as proporções indicadas em
PROCEDIMENTO DO TESTE.
2- Aplicações para analisadores automáticos estão disponíveis a
pedido do cliente e no site: www.gtlab.com.ar
APRESENTAÇÃO
Código 465050 (50 ml): 1 x 40 ml R1 + 1 x 10 ml R2
Código 464250 (250 ml): 1 x 200 ml R1 + 1 x 50 ml R2
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1- Bergmeyer HU: Clin. Chem. 54/58 (1978)
2- International Federaton for Clincal Chemistry: Clin. Chim. Acta
105:147F (1980)
3- Scandinavian Society of Clinical Chemistry: Scand. J. Clin. Lab.
Invest. 33:291 (1974)
INFORMAÇÃO AOS CLIENTES
Garantia
GT Laboratório S.R.L. fabrica e comercializa reagentes para diagnóstico in vitro sob
Boas Práticas de Fabricação (Good Manufacturing Practices) certificadas de acordo
com O.M.S./W.H.O. Technical Report Series 908/2003, C.E.E. Res. 91/536 e A.N.M.A.T.
Disp. Nº 3623/1997, ISO 9001:2008 e ISO 13485:2003. Os termos e as condições da
qualidade são absolutos dentro das responsabilidades que correspondem a
GT Laboratório S.R.L.
Fabricado pela GT Laboratorio S.R.L.
Necochea 3274 – Rosário - Argentina
Uso profissional exclusivo. Autorizado pela A.N.M.A.T. PM 121-42.
Diretor técnico: Daniel Gazzola, Bioquímico
INFORMAÇÕES DE CONTATO
E-mail: [email protected]
Site: www.gtlab.com.ar
Código de revisão: 46490000/14

Documentos relacionados

AMILASE - GT Laboratorio

AMILASE - GT Laboratorio GT Laboratório S.R.L. fabrica e comercializa reagentes para diagnóstico in vitro sob Boas Práticas de Fabricação (Good Manufacturing Practices) certificadas de acordo com O.M.S./W.H.O. Technical Re...

Leia mais

GOT(AST) - Wiener lab.

GOT(AST) - Wiener lab. Processar 2 níveis de um material de controle de qualidade (Standatrol S-E 2 niveles) com atividades conhecidas de aspartato aminotransferase, com cada determinação. LIMITAÇÕES DO PROCEDIMENTO Vide...

Leia mais

para descargar - GT Laboratorio

para descargar - GT Laboratorio Em casos de infarto do miocárdio, a atividade de CK-MB deve ser superior a 6% da atividade da CPK total. Em casos de atividade física vigorosa, tanto a atividade da CPKMM como de CK-MB podem subir ...

Leia mais

para descargar - GT Laboratorio

para descargar - GT Laboratorio GT Laboratório S.R.L. fabrica e comercializa reagentes para diagnóstico in vitro sob Boas Práticas de Fabricação (Good Manufacturing Practices) certificadas de acordo com O.M.S./W.H.O. Technical Re...

Leia mais