Biologia - Motivo Faz

Сomentários

Transcrição

Biologia - Motivo Faz
Recife, terça-feira, 08 de Novembro 2008.
Resolução das provas da segunda fase UFPE
Biologia
Marcos Gaudêncio, Aderbal Araújo, Rodrigo Baraúna
01. Os trabalhos de Mendel constituem a pedra fundamental da Genética, ciência que tem-se desenvolvido bastante ultimamente. Muito se
aprendeu sobre a hereditariedade e sua natureza química, sobre os
mecanismos de transmissão e sobre a expressão fenotípica das características. Com relação a esse tópico, analise as proposições seguintes.
0-0) A distribuição da geração F2, mostrada na figura, oriunda do cruzamento de plantas com espigas de 11,7cm de comprimento, é indicativa de herança poligênica; dois pares de alelos determinam a característica em questão.
02. O avanço da Biotecnologia tem possibilitado, entre outras coisas,
a ampliação do conhecimento sobre o genoma de diferentes organismos, a identificação de genes responsáveis pela manifestação de diferentes doenças e a disponibilização de técnicas que contribuem para
a melhoria da vida humana. Com relação a esse tópico, analise as
proposições abaixo.
Justificativa:
0-0) Enzimas de restrição cortam o DNA em diferentes pontos, nos
quais há determinadas seqüências de bases, que são por elas reconhecidas. Assim, uma enzima (X) de restrição pode cortar o DNA,
como mostrado no
esquema abaixo:
1-1) Falso: A camada superficial de matéria orgânica que recobre o
solo das florestas tropicais é relativamente fina, com, aproximadamente, 30 centímetros de espessura. Todavia, essa camada fértil de húmus
é preservada em virtude da constante reciclagem da matéria orgânica
nessas florestas. O solo de áreas onde a floresta foi derrubada, nas
quais deixa de existir a cobertura vegetal e a reciclagem constante de
nutrientes, torna-se pobre desses nutrientes.
ENZIMA (X) RESTRIÇÃO
Seqüências de corte no DNA
que (X) reconhece
G ↓ G ATCC / CCTAG ↓ G
G ↓ A ATTC / CTTAA ↓ G
A ↓ A GCTT / TTCGA ↓ A
1-1) Duas moléculas de DNA podem diferir quanto à localização dos
sítios para atuação de uma mesma enzima de restrição, podendo ser
gerados fragmentos de diferentes tamanhos, a partir de cada uma delas.
2-2) Algumas bactérias, além de um cromossomo circular, apresentam
moléculas menores e circulares de DNA, denominados plasmídios.
Os genes identificados nesses plasmídios não são essenciais à vida do
microorganismo; no entanto, podem ser utilizados como DNA vetor.
1-1) Indivíduos de fenótipo (AB), retrocruzados com indivíduos de fenótipo (ab), originaram uma descendência composta por: 41,5% (AB):
41,5% (ab): 8,5% (Ab): 8,5% (aB), o que é indicativo da existência de
ligação gênica entre os locos A e B; locos que distam de 17
unidades de mapa.
2-2) Apenas aves com penas verdes foram obtidas na F1 produzida
a partir do cruzamento de machos de penas verdes com fêmeas de
penas brancas. Na F2, originada do cruzamento de indivíduos F1, foi
observada a seguinte distribuição fenotípica: 9 verdes: 3 amarelas: 3
azuis: 1 branco, o que indica interação gênica entre dois pares de alelos.
3-3) No heredograma a seguir, ilustra-se a ocorrência de uma anomalia
determinada pela ação de um gene recessivo. Entre os indivíduos
citados, apenas os genótipos de I3 e II5 nâo podem ser determinados,
com exatidão.
4-4) Uma pessoa que apresenta um corpúsculo de Barr, atrofia testicular e esterilidade, geralmente grande estatura e cariótipo 47, XXY, tem
síndrome de Klinefelter.
3-3) A amniocentese e a amostragem vilo-coriônica são métodos utilizados para o diagnóstico de doenças genéticas, durante a gravidez
da mulher; o segundo método pode ser realizado mais precocemente
que o primeiro.
4-4) A ovelha Tracy possui, incorporado em um de seus cromossomosos, o gene humano para a proteína alfa-1-antitripsina, o qual é capaz
de produzir em seu leite a referida proteína. Por isso, é denominada de
clone perfeito.
Comentário
Resposta: FVVVF
Justificativa:
0-0) Falso: Uma determinada enzima de restrição corta o DNA em
pontos específicos, nos quais há uma seqüência de bases que ela reconhece. No exemplo dado, três enzimas de restrição (e não apenas
uma, como é dito) estão envolvidas; uma reconhece a seqüência de
bases GGATCC/CCTAGG, o corte ocorrendo entre os nucleotídeos G
e G; uma segunda enzima reconhece a seqüência GAATTC/CTTAAG,
com ponto de corte entre os nucleotídeos G e A; e uma terceira enzima
de restrição reconhece a seqüência AAGCTT/TTCGAA, com ponto de
corte entre os nucleotídeos A e A.
1-1) Verdadeiro: Foi constatado experimentalmente que, quando duas
moléculas de DNA idênticas são tratadas com uma mesma enzima de
restrição, são obtidos, ao final, conjuntos de fragmentos de tamanhos
idênticos. Todavia, se as duas moléculas de DNA, tratadas com uma
única enzima de restrição, forem diferentes, obtém-se, ao final, um
conjunto de fragmentos de diferentes tamanhos.
2-2) Verdadeiro: Algumas bactérias possuem, além do cromossomo
circular, moléculas menores de DNA, igualmente circulares, denominadas plasmídios, nas quais não há genes essenciais à vida dessas
bactérias. Os plasmídios têm sido muito utilizados em pesquisas, como
por exemplo, a clonagem gênica.
Comentário
Resposta: VVVFV
Justificativa:
0-0) Verdadeira: Características como comprimento de espigas e estatura humana têm variação contínua. A distribuição fenotípica exemplificada ajusta-se aos efeitos de dois pares de alelos. Indivíduos que
apresentam espigas com 11,7cm possuem quatro alelos aditivos. Em
contraposição, indivíduos que apresentam 6,6cm de espiga não apresentam em seu genótipo nenhum alelo aditivo para a característica, o
que indica o fenótipo mínimo para o comprimento da espiga. Observase, também, que, entre os valores mostrados na figura, existem outros
intermediários, visto tratar-se de característica métrica.
1-1) Verdadeira: No exemplo, estão envolvidos dois locos gênicos, o
loco (A) e o loco (B). Indivíduos (AB) foram retrocruzados com indivíduos (ab), e todos os genótipos possíveis foram obtidos. Aqueles de
maior freqüência representam as configurações genotípicas dos progenitores. Assim posto, os descendentes (Ab) e (aB) são resultantes da
recombinação gênica entre os locos em questão, indicando, portanto,
a existência de ligação gênica entre esses locos, com recombinação.
Como a taxa de recombinação é convencionalmente igual à distância
relativa entre eles, 1% de recombinação equivale a uma unidade de
mapa. No caso em tela, a distância entre (A) e (B) é de 17 unidades de
mapa (unidades de recombinação ou morganídeos).
2-2) Verdadeira: Nesse contexto, observa-se uma distribuição fenotípica de 9:3:3:1, conforme se espera numa distribuição para uma geração
F2, segundo as proporções mendelianas para dois locos gênicos de
segregação independente. Observa-se, porém, que, ao contrário dos
ditames mendelianos, o exemplo citado reflete a ação de dois pares de
alelos que determinam um único caráter (cor da plumagem) e revela
a ação interativa de dois locos ligados (ligação gênica, com recombinação).
3-3) Falsa: Outros genótipos, além do I3 e do II5, não podem ser determinados. Igualmente, não podem ser determinados, com exatidão, os
genótipos dos indivíduos II2, II4 e III2. 4-4) Verdadeira: Os portadores
de cariótipo 47,XXY são do sexo masculino, são estéreis e com testículos pequenos; em alguns casos, apresentam mamas. Evidências da
síndrome de Klinefelter.
3-3) Verdadeiro: Os dois métodos podem ser importantes para o diagnóstico de doenças genéticas na gravidez, sendo possível realizar a
amostragem vilo-coriônica mais precocemente que a amniocentese.
4-4) Falso: Os cientistas já conseguiram produzir ovelhas transgênicas,
ou seja, animais que incorporaram em seu material genético um gene
de outra espécie, como, no caso citado, um gene humano.
03. As comunidades são formadas por populações de diferentes espécies que vivem juntas e interagem entre si, de forma harmônica ou
não. Todas as interações, no entanto, são importantes para a manutenção do equilíbrio ecológico. A preservação da natureza e o respeito
à manutenção desse equilíbrio é dever de todo cidadão. Analise as
afirmações seguintes.
0-0) Sucessão ecológica secundária pode ocorrer em locais anteriormente habitados por outras comunidades, onde existiam condições
favoráveis ao estabelecimento de seres vivos, como é o caso, por
exemplo, de áreas destruídas por queimadas.
1-1) A derrubada de florestas só se constitui em uma ação benéfica
para o ambiente quando pode promover o espessamento da camada
de húmus, anteriormente consumida pelos organismos existentes.
2-2) Embora condenáveis sob o ponto de vista da poluição ambiental,
as queimadas anuais, realizadas para diferentes cultivos vegetais,
propiciam a renovação de micronutrientes e agilizam uma atividade
agrícola autosustentável.
3-3) Alterações no tamanho da população de uma espécie podem determinar alterações em outras populações que com ela coexistem e interagem em uma comunidade, provocando desequilíbrios ecológicos.
4-4) De acordo com o princípio da exclusão competitiva, ou princípio de
Gause, duas espécies de uma comunidade podem ter o mesmo nicho
ecológico, mas não podem apresentar o mesmo habitat por muito tempo, havendo exclusão de uma delas.
Comentário
Resposta: VFFVF
www.motivofaz.com.br
0-0) Verdadeiro: A sucessão ecológica secundária é um tipo de sucessão que ocorre em locais anteriormente habitados, onde existem condições para o estabelecimento de seres vivos. É o caso, por exemplo,
de áreas destruídas por queimadas e florestas derrubadas.
2-2) Falso: As queimadas, além da poluição que provocam, facilitam a
erosão, por deixarem o solo desprovido de sua cobertura vegetal. Elas
não têm relação com a atividade agrícola autosustentável.
3-3) Verdadeiro: Para ilustrar a importância de não se interferir negativamente no meio ambiente, vale lembrar um caso desastroso ocorrido
na Ilha de Bornéu, em que grave desequilíbrio ecológico foi observado
como conseqüência da aplicação de DDT, para o combate de pernilongos transmissores da malária. A princípio, os transmissores foram
combatidos, e ocorreu redução significativa do número de casos de
malária. Algum tempo depois, os problemas começaram a surgir. Após
investigações, foi descoberto que, além dos pernilongos, outros insetos que serviam de alimento aos lagartos da região, eram contaminados. Com a ingestão das presas, os lagartos se contaminavam. Os
gatos que comiam os lagartos contaminados acabavam morrendo e,
com a morte desses, a população de ratos aumentava muito de tamanho, uma vez que seus predadores haviam diminuído. Desta forma,
instalou-se na ilha uma praga de ratos.
4-4) Falso: De acordo com o princípio de Gause, ouprincípio da exclusão competitiva, duas espécies, em uma mesma comunidade, podem
ter o mesmo habitat, mas não podem ocupar o mesmo nicho ecológico
por muito tempo.
04. Todas as espécies exploram recursos do meio ambiente, causando
algum tipo de “impacto” sobre ele. A espécie humana não se constitui em exceção. Todavia, nos últimos dois séculos, o desenvolvimento da sociedade industrial e a explosão do tamanho populacional têm
causado impactos ambientais sem precedentes. O grande desafio da
humanidade neste século XXI é o de modificar o antigo conceito desenvolvimentista de progresso. Com relação a esse assunto, analise
as proposições seguintes.
0-0) Uma das conseqüências decorrentes da destruição da camada
ozônio pelo homem é o aumento da incidência da radiação ultravioleta proveniente do sol, relacionada à manifestação de alguns tipos de
câncer de pele.
1-1) O lançamento de esgotos e de resíduos de adubos fertilizantes
nos rios e represas pode desencadear o fenômeno da eutroficação e
conduzir a desequilíbrios ecológicos.
2-2) Como conseqüência da adição do composto tetraetila de chumbo
à gasolina, observou-se que vegetais cultivados à beira das estradas
continham 20 vezes mais chumbo que aqueles de terrenos mais afastados, confirmando o fato de que, num ecossistema, a maior concentração de resíduos tóxicos se dá nesse nível trófico da cadeia alimentar.
3-3) Um dos problemas ambientais decorrentes da industrialização é
a poluição atmosférica; chaminés altas lançam ao ar, entre outros materiais, o dióxido de enxofre, o qual pode ser transportado por alguns
quilômetros e ocasionar chuvas ácidas em regiões distantes.
4-4) A exploração do ouro na Amazônia fez com que toneladas de
mercúrio fossem despejadas no meio ambiente e ingressassem nas
cadeias tróficas. Esse poluente pode também ser lançado nas águas
por indústrias de tintas e de pesticidas.
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa:
0-0) Verdadeiro: Com a diminuição da quantidade de ozônio na estratosfera, ocorre maior penetração de radiação ultravioleta, a qual é,
reconhecidamente, capaz de provocar alterações no DNA, estando relacionada à manifestação de alguns tipos de câncer de pele.
1-1) Verdadeiro: O fenômeno da eutroficação, entendido como fertilização das águas de rios e represas, está relacionado ao aumento de matéria orgânica, resultante, sobretudo, de esgotos lançados diretamente
nessas águas, sem prévio tratamento, ou de fertilizantes usados na
agricultura, especialmente aqueles ricos em fósforo, enxofre e nitrogênio, que chegam a essas águas em decorrência das chuvas.
2-2) Falso: O composto tetraetila de chumbo foi introduzido na gasolina, em torno de 1923, como estratégia para melhorar o desempenho
dos automóveis. Todavia, no emprego desta evolução tecnológica, não
se levou em consideração o fato de o chumbo não ser biodegradável.
De fato, foi observado que algumas culturas plantadas à beira das estradas continham cerca de vinte vezes mais chumbo que aquelas de
áreas agrícolas mais afastadas. Todavia, o importante nessa questão é
diagnosticar que maior concentração de chumbo ocorrerá ao longo das
cadeias tróficas e não no nível dos produtores.
3-3) Verdadeiro: A industrialização traz para o ambiente uma série de
problemas, incluindo a poluição atmosférica. Chaminés altas lançam
ao ar muitos materiais, entre os quais, o dióxido de enxofre (SO2). Esse
pode ser transportado por vários quilômetros em pouco tempo. Chuvas
ácidas que ocorrem em regiões mais distantes daquela onde ocorreu a
liberação do dióxido de enxofre, podem ocorrer justamente por causa
do transporte do S02 pelo ar.
4-4) Verdadeiro: Produtos biodegradáveis podem ser decompostos por
bactérias, e produtos não-biodegradáveis, como o mercúrio, se acumulam nos tecidos dos organismos e são concentrados ao longo das
cadeias alimentares. O mercúrio, amplamente utilizado em indústrias
químicas de tintas, de pesticidas etc., é um agente poluidor.
05. Nas angiospermas, cada verticilo floral é formado por folhas modificadas; podem ser observados frutos partenocárpicos e pseudofrutos
e, certas famílias, podem exibir conjuntos de flores dispostas numa
determinada organização, constituindo inflorescências características.
Com relação a esse assunto, analise as afirmações abaixo.
0-0) Cálice, corola, androceu e gineceu são os quatro verticilos florais
observados numa flor completa de angiospermas; o cálice formado
por sépalas e a corola formada por pétalas, correspondem ao perianto.
1-1) Após a fecundação, a flor perde seus verticilos acessórios e os
estames. O óvulo e a oosfera se desenvolvem formando, respectivamente, a semente e o embrião.
2-2) Na espiga de milho, cada pequena flor feminina tem um ovário de
onde parte um longo estilete, que sai na ponta dessa inflorescência;
são conhecidos como ‘cabelos do milho’.
3-3) Em algumas angiospermas, os frutos são desenvolvidos a partir
de ovários cujos óvulos atrofiam e, portanto, não são fecundados. Tais
frutos, sem sementes, são chamados partenocárpicos, como, por
exemplo, o caju e a maçã.
4-4) Enquanto os pseudofrutos simples podem se originar do receptáculo de uma flor com um ovário, como por exemplo, o sapoti, os
pseudofrutos compostos originam-se do receptáculo de uma flor com
muitos ovários, como por exemplo, o abacaxi.
Comentário
Resposta: VVVFF
Justificativa:
0-0) Verdadeiro: Nas angiospermas, uma flor completa apresenta
quatro verticilos: cálice, corola, androceu e gineceu. Os dois primeiros verticilos correspondem ao perianto.
1-1) Verdadeiro: Após a fecundação, a flor perde suas estruturas
acessórias e os estames. O óvulo e a oosfera formarão, respectivamente, a semente e o embrião.
2-2) Verdadeiro: As inflorescências são conjuntos de flores que
se dispõem numa determinada organização, como as espigas observadas em gramíneas. Numa espiga, cada flor tem um ovário de
onde parte um longo estilete que sai na ponta da inflorescência. É
o que conhecemos como cabelos do milho.
3-3) Falso: Em algumas angiospermas, os frutos são desenvolvidos a partir de ovários cujos óvulos não são fecundados e se atrofiam; esses frutos são denominados partenocárpicos. É o caso,
por exemplo, dos
frutos: banana e limão Taiti, e não como exemplificado na proposição.
06. Com relação a alguns aspectos da reprodução e do desenvolvimento humano, analise o que é afirmado a seguir.
0-0) Após a fecundação e subseqüentes divisões celulares do zigoto,
forma-se a mórula, na qual se observa uma camada externa de células
denominadas trofoblastos.
1-1) Na gravidez, o hormônio que prepara o útero para a nidação é a
progesterona.
2-2) A proliferação do trofoblasto na mucosa uterina dá formação às
chamadas vilosidades coriônicas.
3-3) Enquanto a mulher estiver grávida, o estrógeno e a progesterona
mantêm a hipófise inibida, impedindo a liberação de FSH e de LH e,
conseqüentemente, a maturação de folículo ovariano e a ovulação.
4-4) Nos vertebrados, com exceção dos mamíferos eutérios, os anexos
embrionários são formados a partir da blástula.
Comentário
Resposta: FVVVF
Justificativa:
0-0) Falso: Após a fecundação e subseqüentes divisões celulares,
forma-se o blastocisto, que apresenta uma camada externa de células, os trofoblastos.
1-1) Verdadeiro: A nidação ocorre no período em que a concentração de progesterona é mais alta e corresponde ao período em que
o endométrio está em condições de receber o embrião.
2-2) Verdadeiro: A proliferação do trofoblasto na mucosa uterina
dá formação às vilosidades coriônicas, que fazem parte do cório.
3-3) Verdadeiro: A manutenção das concentrações de estrógeno
e de progesterona deixa a hipófise inibida e, como conseqüência,
nem ocorre a maturação de folículos nem a ovulação.
4-4) Falso: Nos mamíferos eutérios, ao contrário de outros vertebrados, os anexos embrionários formam-se a partir da blástula.
07. Em outubro de 2008, a imprensa local noticiou um novo caso de
raiva humana: um garoto de 15 anos foi mordido por um morcego. Em
relação a essa doença, podemos afirmar o que segue.
2-2) O principal mecanismo de prevenção da raiva, em humanos, é a
realização de campanhas de vacinação infantil contra a doença.
3-3) Ocorrendo o ferimento e o contato com saliva de mamíferos selvagens ou domésticos, com suspeita de contaminação, deve-se iniciar
imediatamente o tratamento com o soro antirábico e, ao mesmo tempo,
com as vacinas.
4-4) A hidrofobia ou raiva só pode ser eficazmente combatida graças
ao trabalho de Louis Pasteur, que inventou a vacina anti-rábica, ao
utilizar a saliva de um cão raivoso para salvar a vida de um menino que
havia sido contaminado pelo vírus.
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa
0-0) Verdadeira. A raiva é efetivamente viral, sendo transmitida,
nas zonas urbanas, sobretudo por cães e gatos.
1-1) Verdadeira. A transmissão da doença ocorre quando o vírus
existente na saliva desses animais atinge o organismo por meio
de arranhões, mordidas ou lambeduras.
2-2) Falsa. O principal mecanismo de prevenção da doença são as
campanhas de vacinação em cães e gatos.
3-3) Verdadeira. É fundamental o tratamento com o soro antirábico, juntamente com as vacinas, sobretudo quando a lesão é
extensa e se
localiza no rosto e no pescoço, pois o soro tem ação mais imediata.
4-4) Verdadeira. Louis Pasteur inventou a vacina anti-rábica a partir da saliva de um cão raivoso e salvou a vida do menino que
havia sido
contaminado pelo vírus.
08. Os fungos têm grande importância na agricultura, na industria e na
medicina. Sobre essa questão, considere o que é afirmado a seguir.
0-0) Sua importância para a agricultura é reconhecida devido às doenças causadas em plantas cultivadas, a exemplo de milho, feijão, batata,
café e algodão. Além disso, os fungos causam prejuízo na conservação de sementes, a exemplo do Aspergillus flavus que produz potentes
toxinas que podem causar lesões hepáticas graves.
1-1) Os fungos são também aliados dos interesses humanos na agricultura. É o caso da associação de fungos com as raízes da planta
hospedeira formando as micorrizas, onde os fungos obtêm nutrientes
e aumentam a capacidade de absorção de sais minerais do solo pelas
raízes.
2-2) Doenças causadas por fungos, que são chamadas micoses, ocorrem no homem; as mais comuns são o “sapinho”, ou a candidíase,
causada pelo fungo Candida albicans, e a “frieira” ou pé-de-atleta, provocada pelo fungo Tinea pedis.
3-3) Na fabricação do álcool e de bebidas alcoólicas como o vinho e a
cerveja, é fundamental a participação dos fungos da espécie Agaricus
campestris, que realizam fermentação alcoólica, convertendo açúcar
em álcool etílico.
4-4) Os fungos são enquadrados num reino exclusivo: o reino Fungi,
devido às suas especificidades. Sua reprodução normalmente envolve
esporos, como ocorre entre algumas plantas; mas armazenam glicogênio e, como os animais, apresentam nutrição heterótrofa
Comentário
Resposta: VVVFV
Justificativa
0-0) Verdadeira. Os fungos podem causar grandes prejuízos à agricultura, inclusive, no armazenamento de sementes. O Aspergillus
flavus produz as chamadas flavotoxinas, comuns, por exemplo,
em sementes de amendoim.
1-1) Verdadeira. As micorrizas, resultantes da associação de fungos com as raízes da planta hospedeira, facilitam a obtenção de
nutrientes pelos fungos e aumentam a capacidade das raízes para
a absorção de sais minerais do solo
2-2) Em condições normais, o mecanismo regulador preponderante do
ritmo respiratório é a concentração de gás carbônico no sangue.
Quando a concentração de CO2 é alta, o centro respiratório envia impulsos para acelerar o ritmo respiratório.
3-3) Na normalização dos teores de sódio no sangue, é importante o
processo em que o hormônio renina, produzido pelo rim, atua sobre
a substância angiotensina, convertendo-a em angiotensinogênio, que,
uma vez no sangue, estimula a medula da supra-renal a produzir o
hormônio aldosterona.
4-4) Quando há uma grande ingestão de água, os centros osmorreguladores existentes no hipotálamo são excitados e aumenta muito a
taxa de ADH liberado na circulação. Como conseqüência, aumenta a
diurese.
Comentário
Resposta: VFVFF
Justificativa
0-0) Verdadeira. Quanto ao primeiro processo, sabe-se que a acidez do quimo estimula a parede do duodeno a produzir o hormônio secretina, o qual levado ao pâncreas pelo sangue, estimula
esse órgão a liberar suco pancreático no duodeno. Como o suco
pancreático contém bicarbonato, a acidez é neutralizada e cessa
o estímulo para a produção do hormônio secretina. No segundo
processo, a gordura dos alimentos estimula a parede do duodeno a produzir o hormônio colecistocinina, substância que, levada
pelo sangue ao fígado e à vesícula biliar, propicia a liberação da
bile, fundamental para o emulsionamento das gorduras. Com a
digestão das gorduras, cessa o estímulo para a produção da colecistocinina. Logo, os exemplos dados correspondem à retroindução negativa (feedback negativo).
1-1) Falsa. Na figura, ilustra-se em (1), (2) e (3), respectivamente,
o nó sinoatrial (marcapasso), o nó atrioventricular e o fascículo
atrioventricular (feixe de His).
2-2) Verdadeira. O mecanismo preponderante na regulação do ritmo respiratório é a concentração de gás carbônico no sangue.
Quando é alta essa concentração, o centro respiratório envia impulsos para acelerar o ritmo respiratório.
3-3) Falsa. O hormônio renina é produzido pelo rim e age sobre
uma proteína encontrada no sangue e produzida pelo fígado, denominada
angiotensinogênio, a qual é convertida em angiotensina. No processo, a angiotensina estimula a supra-renal (córtex) a produzir o
hormônio aldosterona.
4-4) Falsa. Quando ocorre uma grande ingestão de água, a pressão osmótica do plasma diminui, os centros osmorreguladores
são inibidos e diminui a taxa de ADH (Hormônio antidiurético) liberado na circulação.
10. Com relação a diferentes tecidos observados no corpo humano, é
correto afirmar que:
0-0) Um tipo especial de tecido epitelial cúbico simples, o endotélio,
reveste a camada fibrosa conjuntiva dos capilares sangüíneos, garantindo maior proteção e flexibilidade aos vasos de calibre inferior.
1-1) Enquanto na epiderme, que se origina da ectoderme, há epitélio
estratificado pavimentoso, queratinizado; na derme, que tem origem
mesodermal, há tecido conjuntivo com grande quantidade de fibras.
2-2) O tecido muscular, de origem mesodermal, é composto por células
alongadas, as fibras musculares, que são células semelhantes às
fibras conjuntivas.
3-3) No tecido nervoso, além dos neurônios, há as células da glia; as
quais ocorrem tanto na substância branca quanto na cinzenta. Dentre
suas funções, está o isolamento dos neurônios, uns dos outros e desses com outros tecidos.
4-4) A cartilagem elástica (1), que forma os discos intervertebrais, é
mais resistente que a cartilagem fibrosa (2), que ocorre, por exemplo,
na orelha.
2-2) Verdadeira. As micoses mais comuns em humanos são causadas por Candida albicans e por Tinea pedis.
3-3) Falsa. Os fungos da espécie Agaricus campestris são os fungos de maior utilização em culinária, sendo cultivados em grande
escala. Os responsáveis pela produção do álcool são da espécie
Saccharomyces.
4-4) Verdadeira. Os fungos constituem efetivamente um reino exclusivo, pois têm características que os diferenciam de plantas e
de animais, muito embora apresentem caracteristicas de vegetais
e de aminais.
09. No controle fisiológico de diferentes sistemas do organismo humano, atuam mecanismos nervosos e diferentes hormônios. Com relação
a esse assunto, analise as proposições seguintes.
0-0) No processo digestivo, a secreção de suco pancreático, estimulada pelo hormônio secretina, e a liberação de bile, estimulada pelo
hormônio colecistocinina, são exemplos de retroalimentação negativa.
1-1) São estruturas que participam do controle do mecanismo de contração das câmaras cardíacas, o nó sinoatrial (1), o feixe de His ou
marcapasso cardíaco (2) e o fascículo atrioventricular (3).
0-0) A raiva é uma doença viral que atinge seres humanos e animais,
sendo o cão e o gato os principais responsáveis por sua transmissão
ao homem nas áreas urbanas; por isso a importância das campanhas
de vacinação desses animais.
Comentário
Justificativa FVFVF
0-0) Falsa. O endotélio é um epitélio pavimentoso simples. A parede dos capilares é formada apenas pelo endotélio.
1-1) Verdadeira. Enquanto a epiderme tem origem ectodérmica,
a derme tem origem mesodérmica. A epiderme é constituída por
epitélio pavimentoso estratificado, apresentando células queratinizadas. Na derme, observa-se tecido conjuntivo, onde ocorrem
diferentes estruturas, como vasos sangüíneos que nutrem a epiderme.
2-2) Falsa. O tecido muscular tem origem mesodérmica; é constituído por células alongadas, que são as fibras musculares, as
quais diferem das fibras conjuntivas, que são apenas filamentos
protéicos.
1-1) Mamíferos, tais como macaco, rato ou morcego, podem contrair e
transmitir pela saliva o vírus rábico, o qual se localiza no sistema
nervoso central e provoca uma encefalite mortal.
3-3) Verdadeira. As células da glia ocorrem tanto na substância
www.motivofaz.com.br
branca quanto na cinzenta e exercem diferentes funções, entre as
quais está o isolamento de neurônios, uns dos outros e desses
com outros tecidos.
4-4) Falsa. A cartilagem fibrosa é mais resistente que a elástica. A
cartilagem fibrosa ocorre nos discos intervertebrais, e a elástica,
na orelha.
11. Os animais pertencentes aos diferentes filos apresentam características anatômicas e embrionárias que permitem distingui-los. Após
analisar as figuras abaixo, analise as proposições seguintes.
2-2) Falsa. As proteínas sintetizadas no retículo endoplasmático
rugoso são modificadas no complexo de Golgi.
3-3) Verdadeira. Efetivamente, os lisossomos originam-se do complexo de Golgi, contêm enzimas digestivas e participam do processo de autofagia.
4-4) Verdadeira. Uma das principais funções dos peroxissomos é
a conversão do peróxido de hidrogênio em água e oxigênio por
meio da
enzima catalase,
15. Otto Loewi realizou experimento clássico que comprovou, de maneira incontestável, que existia a mediação química no Sistema Nervoso Autônomo. Ele isolou dois corações de sapo, os perfundiu com uma
solução fisiológica morna (Ringer) e registrou a atividade cardíaca. A
experiência demonstrou que: ao estimular determinado nervo (A) do
coração 1, ocorre uma forte inibição das contrações cardíacas espontâneas daquele coração; ao perfundir o coração 2 com o líquido efluente do coração 1, ocorre, no segundo coração, o mesmo efeito inibidor.
Analise a figura abaixo e as afirmações correspondentes.
13. A obtenção e a transformação de energia dos seres vivos envolvem diferentes processos. Sobre essa questão analise as afirmativas
abaixo.
0-0) A fermentação é um processo de obtenção de energia que não
necessita do oxigênio, porém, é menos eficiente em termos de energia
que a respiração aeróbica, gerando apenas duas moléculas de ATP por
molécula de glicose.
1-1) A fotossíntese e a respiração são processos antagônicos. Enquanto o primeiro produz matéria orgânica, com armazenamento de energia
e liberação de oxigênio, o segundo utiliza matéria orgânica e consome
oxigênio, com liberação de energia.
2-2) Na clorofila isolada, os elétrons continuam a absorver fótons de luz
e, por isso, ela continua a ser eficiente no processo de armazenamento
de energia.
3-3) A primeira etapa da respiração aeróbica é praticamente idêntica
à fermentação, com rendimento de apenas duas moléculas de ATP e
produção de ácido pirúvico.
0-0) O filo, representado pelo animal da figura 1, apresenta algumas
características de vertebrados, tais como ter esqueleto interno e
ser deuterostômio.
1-1) Os animais do filo representado na figura 2 apresentam simetria
radial e um anel nervoso do qual partem os nervos radiais.
2-2) A principal característica do filo representado na figura 4 é o corpo
segmentado em anéis, nos quais existe um par de órgãos excretores e
um par de gânglios nervosos.
3-3) Também pertencem ao filo representado na figura 3, as aranhas
e os caranguejos, que apresentam esqueleto externo e são segmentados.
4-4) O animal representado na figura 4 é hermafrodita, e seu desenvolvimento é direto, mas, no filo ao qual pertence, existem espécies
dióicas e com estágios larvais .
Comentário
Resposta: VFVVV
Justificativa
0-0) Verdadeira. Efetivamente os equinodermos têm esqueleto interno e são deuterostômios.
1-1) Falsa. Apesar de ser verdadeiro que os celenterados representados pela figura 2 têm simetria radial, o sistema nervoso é
disperso e,
portanto, não se organizam em nervos radiais.
2-2) Verdadeira. As principais características dos anelídios representados pela figura 4 são a organização segmentada e a presença de pares de órgãos excretores e gânglios nervosos em cada
segmento.
3-3) Verdadeira. Os quilópodos representados na figura 3 são artrópodos, como os araquinídeos e os crustáceos.
4-4) Verdadeira. A minhoca é hermafrodita e seu desenvolvimento
é direto, mas, nos poliquetos, existe uma larva ciliada.
12. Em relação às organelas citoplasmáticas, considere as proposições expressas abaixo.
0-0) Uma das funções importantes do retículo endoplasmático liso é a
síntese de lipidios, participa também do armazenando de substâncias
aquosas formando os grandes vacúolos característicos das células
animais.
1-1) Em protistas de água doce, ocorre entrada de água na célula por
osmose, uma vez que o citoplasma é hipertônico em relação ao meio
externo, o que poderia provocar o rompimento da célula. Isso não
ocorre devido à presença de organelas citoplasmáticas denominadas
vacúolos contráteis ou pulsáteis que, de tempos em tempos, eliminam
esse excesso de água.
2-2) O Complexo de Golgi funciona de modo integrado ao retículo
endoplasmático, empacotando as proteínas que serão utilizadas pela
célula ou secretadas tal como foram sintetizadas no retículo.
3-3) Os lisossomos originados no Complexo de Golgi contêm enzimas
digestivas e podem participar da atividade de autofagia, fundamental
para os processos de renovação celular.
4-4) Os peroxissomos possuem a enzima catalase e atuam no metabolismo do peróxido de hidrogênio, substância altamente tóxica para a
célula.
Comentário
Resposta: FVFVV
Justificativa
0-0) Falsa. Os grandes vacúolos são característicos das células
vegetais.
1-1) Verdadeira. Os vacúolos contráteis ou pulsáteis têm um papel
fundamental no controle osmótico dos protistas de água doce.
4-4) Os seres vivos aeróbicos utilizam o oxigênio diretamente da atmosfera ou dissolvido na água para converter carboidratos e outros
constituintes celulares em CO2 e H2O, com liberação de energia.
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa
0-0) Verdadeira. A fermentação ocorre sem oxigênio e produz 2
ATP por molécula de glicose.
1-1) Verdadeira. O resultado da fotossíntese é a produção de glicose e oxigênio, a partir da água e de gás carbônico, enquanto
que, no processo de respiração, a célula obtém energia a partir da
glicose, resultando na produção de gás carbônico e água.
2-2) Falsa. A clorofila isolada continua a emitir elétrons altamente
energizados, mas perde sua eficiência no processo de armazenamento de energia, uma vez que não se encontra acoplada uma cadeia transportadora que permita a liberação gradativa de energia.
3-3) Verdadeira. Efetivamente, a glicólise, que é a primeira etapa
da respiração celular, é anaeróbica e rende dois ATP, como na fermentação.
4-4) Verdadeira. Realmente seres vivos aeróbicos utilizam o oxigênio diretamente da atmosfera ou dissolvido na água para converter carboidratos e outros constituintes celulares em CO 2 e H2O,
com liberação de energia.
14. Os vermes podem ser livres ou parasitários em homens e animais.
Apesar dos sintomas das verminoses variarem de acordo com cada
tipo de verme, eles podem provocar graves problemas de saúde. Em
relação a esses invertebrados, podemos afirmar o que segue.
0-0) Muitas espécies de nematelmintos são parasitas de plantas;
outras, parasitam os mais diferentes animais, vertebrados e invertebrados. O exemplo mais comum que parasita o intestino humano é o
Ascaris lumbricoides, que apresenta reprodução sexuada e monóica
com desenvolvimento direto.
1-1) Os platelmintos são vermes de corpo achatado. Podem ser monóicos, como as planárias e tênias, ou dióicos, como os esquistossomos,
mas sempre apresentam estágio larval.
2-2) Os nematelmintos pertencem ao primeiro grupo, na escala evolutiva, que apresenta sistema circulatório fechado e sistema respiratório
estruturado.
3-3) Os platelmintos têm o sistema nervoso mais complexo que os
celenterados; nas planárias podemos observar gânglios cerebrais na
região anterior e dois cordões nervosos longitudinais.
4-4) Os platelmintos foram os primeiros seres a apresentarem um tubo
digestivo completo, com boca e ânus, de modo que o alimento se desloca num só sentido, o que gera uma maior eficiência do processo
digestivo.
Comentário
Resposta: FFFVF
Justificativa
1-1) Falsa. Esses vermes apresentam reprodução dióica e com estágio larval; portanto não têm desenvolvimento direto.
0-0) O nervo estimulado (A), que provocou a diminuição dos batimentos cardíacos, faz parte do Sistema Simpático, pois este tem um efeito
inibidor sobre o coração.
1-1) A inibição do coração 2 pelo líquido efluente do coração 1, ocorre
devido à presença de acetilcolina liberada pela estimulação do Parasimpático, no coração 1.
2-2) A inibição do coração 2 ocorre devido à condução do impulso nervoso através do líquido (Ringer), pois este é um bom condutor elétrico.
3-3) Se o nervo estimulado fosse do Simpático, teríamos um aumento
da atividade cardíaca e não uma inibição, pois este ramo do sistema
nervoso autônomo tem uma ação excitatória sobre o coração.
4-4) O resultado dessa experiência demonstra que a freqüência cardíaca não depende do controle neural.
Comentário
Resposta: FVFVF
Justificativa
0-0) Falsa. O Sistema Nervoso Simpático tem efeito excitatório sobre o coração; portanto, sua estimulação aumentaria a freqüência
cardíaca.
1-1) Verdadeira. A estimulação do Parassimpático libera acetilcolina como neurotransmissor, que tem um efeito inibidor e reduz a
freqüência cardíaca.
2-2) Falsa. Um impulso nervoso não pode ser conduzido pelo líquido.
3-3) Verdadeira. Efetivamente, o Simpático tem uma ação excitatória sobre o coração, aumentando a freqüência cardíaca quando
estimulado.
4-4) Falsa. A experiência demonstra que o controle neural do coração se dá por mediação química.
16. Observe a segmentação de dois tipos de ovos representados a
seguir e analise as proposições seguintes.
0-0) A segmentação 1 é do tipo holoblástica ou total, típica de ovos com
pouco vitelo (oligolécitos), que podem ser encontrados em mamíferos.
1-1) A segmentação 2 é holoblástica ou total, desigual. Nela, o zigoto
tem um pólo animal e um pólo vegetativo e pode ser encontrada em
anfíbios.
2-2) A segmentação 2 é típica dos ovos telolécitos, devido ao modo
como o vitelo está distribuído, tendo micrômeros no pólo vegetativo, e
macrômeros no pólo animal.
3-3) Ao final da segmentação 1, observamos o aparecimento de uma
cavidade central que, na segmentação 2, é relativamente menor e
excêntrica, características da mórula.
4-4) Os processos de segmentação 1 e 2 conduzem à formação de um
disco germinativo, ou cicatrícula, que origina o embrião.
2-2) Falsa. Os platelmintos, tais como as planárias, podem apresentar desenvolvimento direto e, portanto, não apresentar estágio
larval.
Comentário
Resposta: VVFFF
Justificativa
0-0) Verdadeira. Efetivamente é uma segmentação holoblástica, típica de ovos oligolécitos, que pode ser encontrada em mamíferos,
além de anfioxo e equinodermos.
2-2) Falsa. Os nematelmintos não possuem sistema circulatório. A
circulação de gases, nutrientes e substâncias tóxicas é feita pelo
pseudoceloma, e a respiração é cutânea ou tegumentar
1-1) Verdadeira. Trata-se de segmentação holoblástica desigual
que pode ser encontrada em anfíbios, além de moluscos, anelídios e alguns peixes.
3-3) Verdadeira. Nos platelmintos, os neurônios se associam formando cordões nervosos ligados a gânglios situados na cabeça,
enquanto, nos celenterados, o sistema nervoso é difuso.
2-2) Falsa. Os ovos telolécitos apresentam uma segmentação meroblástica (parcial) e não a segmentação holoblástica (total), como
as ilustradas.
4-4) Falsa. O sistema digestivo dos platelmintos é incompleto,
ou seja, a boca é a única abertura para o exterior, não possuindo
ânus.
3-3) Falsa. O aparecimento da cavidade cheia de líquido (blastocele) ocorre na fase denominada blástula.
www.motivofaz.com.br
4-4) Falsa. O aparecimento de disco germinativo ocorre na seg-
mentação meroblástica (parcial), que aparece em aves, répteis e
certos peixes.
Português
Cleonice Rabelo, Liliane Lopes, Marcela Maria, Carolina
Araújo
Vida digita
Dentre as muitas coisas intrigantes, poucas há tão misteriosas quanto
o tempo. A ironia é que mal nos damos conta disso. Estando desde
o nascimento submetidos a uma mesma noção de tempo, aceita por
todos à nossa volta, tendemos a achar que ela é a única que corresponde à realidade. Causa um grande choque saber que outras culturas
têm formas diferentes de perceber o tempo e de representar o curso
da história. Ainda assim, acreditamos que elas estão erradas e nós,
certos. Ledo engano.
Historicamente, o tempo foi percebido de formas diferentes. Os gregos
antigos tinham uma noção cíclica do tempo. Para eles, o tempo se
iniciava com as prodigiosas eras de ouro e dos deuses, declinando
depois, até chegar à crise final com a fraqueza e penúria da era dos
homens, quando, então, se reiniciava o ciclo. Para os romanos, o tempo se enfraquecia na medida em que se afastava do mais sagrado dos
eventos: a fundação de Roma. Na Idade Média, prevalecia o tempo
recursivo, pelo qual os cristãos acreditavam percorrer uma via penitencial, desde a expulsão do Jardim do Éden até o retorno ao Paraíso.
Foi só com a consolidação do capitalismo, a partir do Renascimento,
que passou a prevalecer uma noção de tempo quantitativo, dividido em
unidades idênticas e vazias de qualquer conteúdo mítico, cujo símbolo
máximo foi o relógio mecânico, com seu incansável tic-tac. Essa foi
também a época em que a ciência e a técnica se tornaram preponderantes. Nesse contexto, o maior dos cientistas modernos, Sir. Isaac
Newton, formalizou o conceito de tempo como sendo absoluto. Como
pertencemos a esse tempo moderno, é ele que apreendemos, em
casa, na escola e nos relógios ao redor. E achamos, como Newton,
que ele é o único verdadeiro!
Mas o mundo moderno foi-se complicando, e esse conceito fixo e fechado se tornou cada vez menos satisfatório. De fato, o amplo conhecimento de outras culturas e as grandes transformações científicas
forçaram a admitir que cada povo cria as noções de tempo que correspondam às suas formas e necessidades de vida.
O que é claro, no caso da cultura moderna, é que nossa percepção de
tempo ficou coligada ao desenvolvimento tecnológico. Assim, dos moinhos de vento às caravelas, às ferrovias, aos veículos automotores,
aos transatlânticos, aos aviões, ao cinema, ao rádio, e à tevê, sentimos um efeito de aceleração permanente. O último e mais dramático
episódio nesta saga da aceleração foi assinalado pela Revolução da
microeletrônica, a partir dos anos 70. Num repente, fomos invadidos
por inúmeros prodígios técnicos: fax, bips, PCs, celulares, TVs a cabo,
modems, e-mail... O aparato digital entrava em cena, em toda a sua
multiplicidade de recursos.
Tudo parece convergir para tornar as comunicações mais rápidas, o
trabalho mais produtivo, a vida mais fácil e para configurar uma nova
concepção de tempo: um tempo extremamente célere, controlado,
agora, pelo homem e suas tecnologias digitais.
(Nicolau Sevcenko. IstoÉ, Edição especial. Vida digital, 1999. Adaptado).
01. Acerca da idéia global desenvolvida no Texto 1, são pertinentes os
seguintes comentários.
0-0) Fica evidente, no tratamento do tema, a mutação das concepções
que, ao longo dos tempos, marca a visão de um determinado grupo.
1-1) Há uma rede de inter-relações: história, ciência, cultura, formas de
linguagem, tudo converge para definir o perfil de vida do homem.
2-2) Paira sobre cada grupo social o risco do etnocentrismo cultural:
nenhum outro grupo parece perceber tão bem o mundo como ele próprio.
3-3) Os conceitos que apreendemos em casa, na escola e em outros
grupos sociais constituem um lastro cultural estável e irretocável.
4-4) O desenvolvimento tecnológico, sobretudo na era moderna, deixou
imune os valores culturais vinculados à circulação das informações.
Comentário
Resposta: VVVFF
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. O texto reitera a idéia de que as concepções que
constituem o patrimônio cultural de um povo, ao longo dos tempos, se
alteram.
1-1) Verdadeiro. As representações que definem o perfil de vida
do homem, em cada etapa de sua vida, são o resultado da rede de
relações estabelecidas entre história, ciência, cultura e, inclusive,
formas de linguagem. Somos “feitos” pelo social.
2-2) Verdadeiro. Somos todos sujeitos ao risco do etnocentrismo
cultural: quase sempre interpretamos nosso modo de ver o mundo como o melhor de todos eles.
3-3) Falso. Nenhuma de nossas concepções é estável e irretocável. Nós as “revisamos” constantemente.
4-4) Falso. O desenvolvimento tecnológico, sobretudo na era moderna, atingiu também os valores culturais ligados ao universo da
informação.
02. A tese defendida pelo autor – em torno da ‘noção de tempo’ que
mantemos – é sustentada no Texto 1 por argumentos que se interdependem. Vejamos.
0-0) Gregos, romanos e outros povos, de qualquer época, perceberam
o tempo conforme as condições da realidade em que viviam.
1-1) Todas as diferentes visões acerca do fenômeno ‘tempo’ ficaram
isentas de qualquer conteúdo mítico: contava o que era real.
de a voltar a ocorrer.
2-2) A ciência oferece fundamentos inquestionáveis para a definição
dos conceitos, os quais adquirem, assim, o status irrevogável de
‘exatidão’.
4-4) Falso. Algo é “preponderante” quando se destaca, quando
predomina e, não, quando é “consistente ou preciso”.
3-3) O desenvolvimento tecnológico, em ampla expansão na cultura
moderna, repercutiu na percepção do conceito atual de tempo.
4-4) A percepção atual de um tempo extremamente acelerado é uma
decorrência da quebra de limites propiciada pela microeletrônica.
Comentário
Resposta: VFFVV
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. Os povos, de todos os grupos, perceberam o
tempo (e não só!) conforme as condições da realidade em que
estavam inseridos.
0-0) Falso. Pode-se perceber um conteúdo mítico em algumas das
diferentes visões acerca do fenômeno ‘tempo’: lembremos, por
exemplo, a visão sustentada pelos gregos.
2-2) Falso. A ciência, por mais que procure fundamentos para as
generalizações que faz, nunca pode ser considerada como inquestionável e irrevogável.
3-3) Verdadeiro. Com efeito, o conceito atual de tempo, na cultura
moderna, é sensivelmente afetado pelas invenções tecnológicas:
o tempo é mais rápido.
4-4) Verdadeiro. Os diferentes recursos técnicos nos dão a impressão de que o mundo é menor, as distâncias são mais curtas e
tudo flui de forma bem mais acelerada.
03. A composição do Texto 1 obedeceu a alguns critérios de seqüenciação, como passamos a enumerar em seguida.
0-0) O primeiro parágrafo justifica o título do texto e já adianta dados
explícitos sobre as especificidades interativas da vida digital.
1-1) Há uma seqüência histórica de informações, nos parágrafos 2, 3, 4
e 5, nos quais se traça a evolução do conceito de tempo em diferentes
culturas.
2-2) Alusões ao conceito de tempo na época moderna restringem-se
ao parágrafo 4, no qual são referidas grandes transformações científicas dessa época.
3-3) A vinculação entre a noção de tempo e o desenvolvimento tecnológico é o tópico do penúltimo parágrafo, que já prepara o acesso à
conclusão final.
4-4) A noção de tempo é reiterada no último parágrafo, acrescida agora
de uma alusão à intervenção direta do homem e da tecnologia.
Comentário
Resposta: FVFVV
Justificativa:
0-0) Falso. No primeiro parágrafo o autor introduz a idéia de ‘
tempo´ mas não adianta dados sobre as especificidades da vida
digital.
1-1) Verdadeiro. De fato, nos parágrafos 2, 3, 4 e 5, o autor traça
uma espécie de seqüência histórica relativa à evolução do conceito de tempo em diferentes culturas.
2-2) Falso. No parágrafo 5 também são feitas alusões ao conceito
de tempo na época moderna: uma percepção de tempo que ficou
coligada ao desenvolvimento tecnológico.
3-3) Verdadeiro. Na verdade, o penúltimo parágrafo se desenvolve
em torno da vinculação entre a noção de tempo e os avanços da
tecnologia, o que funciona como “gancho” para a conclusão final
do texto.
4-4) Verdadeiro. Como se diz na justificativa anterior, a noção de
tempo é reiterada no último parágrafo e, quanto a isso, é feita uma
referência explícita à intervenção do homem e da tecnologia.
04. Considerando os sentidos atualizados pelas palavras do Texto 1,
podemos fazer as seguintes observações.
0-0) No trecho: “Dentre as muitas coisas intrigantes, poucas há tão
misteriosas quanto o tempo”, as duas palavras sublinhadas funcionam
como sinônimos.
1-1) No trecho: “Ledo engano”, o autor pretende caracterizar um “engano maldoso, resultante de má-fé”.
4-4) Verdadeiro. A palavra ‘saga’ é, de fato, adequada para caracterizar a prática das narrativas lendárias
05. Em um texto, aparecem marcas pelas quais se pode identificar as
pretensões comunicativas do autor. No Texto 1, tais marcas têm funções claras, como se observa nos comentários a seguir.
0-0) Em: ”Historicamente, o tempo foi percebido de formas diferentes”,
o termo sublinhado delimita o âmbito de validade da afirmação.
1-1) Em: “Mas o mundo moderno foi-se complicando”, o autor sinaliza
que vai mudar a direção de seus argumentos.
2-2) Em: “Como pertencemos a esse tempo moderno, é ele que apreendemos...”, o segmento sublinhado sinaliza que o autor está fazendo
uma comparação.
3-3) Em: “O que é claro, no caso da cultura moderna, é que nossa
percepção de tempo ficou coligada ao desenvolvimento tecnológico”,
os segmentos sublinhados dão mais ênfase à declaração feita.
4-4) Em: “Tudo parece convergir para tornar as comunicações mais
rápidas”, o termo sublinhado atenua o caráter contundente da afirmação.
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. Com o uso do advérbio ‘Historicamente’, o autor
delimita o espaço em que sua afirmação pode ser considerada
válida.
1-1) Verdadeiro. O sentido do conectivo ‘mas’ é de oposição e,
por isso, sinaliza que a direção dos argumentos apresentados vai
mudar.
2-2) Falso. O sentido aqui atualizado pela expressão ‘como’ não
implica comparação. Trata-se de uma relação de causalidade.
3-3) Verdadeiro. De fato, os segmentos sublinhados são um recurso sintático de dar mais ênfase à declaração feita.
4-4) Verdadeiro. Dizer que “Tudo parece convergir” é uma forma
de deixar a afirmação mais branda, menos categórica.
06. A coesão de um texto ocorre por meio de diferentes recursos sintático-semânticos. Analise as observações feitas a seguir acerca da
coesão, ou seja, da articulação entre partes do Texto 1.
0-0) A repetição da palavra tempo – que aparece do primeiro ao último
parágrafo – é um sinal de que o mesmo tema se mantém ao longo do
texto.
1-1) Palavras com sentidos afins (como tempo, relógio, eras, rápido
etc.) criam uma associação semântica que promove no texto articulação e unidade.
2-2) Nem todos os recursos coesivos aparecem em todos os textos.
Assim é que o Texto 1 é construído sem as marcas explicitas dos
conectivos conjuntivos.
3-3) Ao longo do Texto 1, pronomes vão reiterando as referências ou
predicações feitas previamente, como em: “Dentre as muitas coisas
intrigantes, poucas há tão misteriosasquanto o tempo. A ironia é que
mal nos damos conta disso.”
4-4) No começo do último parágrafo, o autor opta por deixar implícita
a articulação com o parágrafo anterior: de fato, não ocorrem aí formas
de reiteração.
Comentário
Resposta: VVFVF
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. A repetição de uma palavra é reconhecida na literatura lingüística como um dos recursos pelo qual se marca a
concentração temática de um texto ou de um parágrafo.
1-1) Verdadeiro. Palavras semanticamente afins ou associadas
concorrem para promover a necessária articulação e unidade do
texto.
2-2) Falso. Ocorrem no texto em análise vários conectivos conjuntivos, tais como: ‘que’, ‘e’, ‘quando’, ‘como’, entre outros.
2-2) No trecho: “Na Idade Média, prevalecia o tempo recursivo”, o autor
quer dizer um tempo que tende a reocorrer.
3-3) Verdadeiro. O pronome ‘(d)isso’ reitera ou retoma a predicação feita anteriormente: “poucas coisas há tão misteriosas quanto
o
tempo”.
3-3) No trecho: “Essa foi também a época em que a ciência e a técnica
se tornaram preponderantes”, o termo destacado equivale a “consistentes e precisas”.
4-4) Falso. No começo do último parágrafo, o uso do pronome
‘tudo’ funciona como um articulador, que reiotera, que retoma,
que resume o que é dito anteriormente.
4-4) No trecho: “O mais dramático episódio nesta saga da aceleração
foi assinalado pela Revolução da microeletrônica”, o autor se refere
à prática das narrativas lendárias.
07. Analise o fragmento com que se inicia o Texto 1: “Dentre as muitas
coisas intrigantes, poucas há tão misteriosas quanto o tempo”. Acerca
de sua composição sintática, podemos afirmar o que segue.
Comentário
Resposta: VFVFV
Justificativa:
0-0) O verbo haver, nesse caso, é impessoal; a norma é, no sentido
aqui atualizado, usá-lo sempre como impessoal.
0-0) Verdadeiro. De fato, as palavras ‘intrigantes’ e ’ funcionam,
nesse contexto, como equivalentes semanticamente.
1-1) A impessoalidade do verbo haver não se mantém quando se trata
de uma locução verbal; portanto, a norma seria dizer-se: “Devem haver
muitas coisas intrigantes”.
1-1) Falso. Por “Ledo engano” o autor pretende caracterizar um
‘engano leve’ ou um ‘engano sem malícia’, ‘de boa fé’.
2-2) No português do Brasil, é comum o uso do verbo ‘ter’ em lugar do
verbo haver; por exemplo: “Tem muitas coisas misteriosas no mundo.”
2-2) Verdadeiro. De fato, um tempo recursivo é um tempo que ten-
3-3) O verbo existir também é de uso muito freqüente, nesse contexto;
www.motivofaz.com.br
sua concordância com o sujeito segue a norma-padrão prescrita na
gramática.
3-3) os shopping centers, essa catedral das mercadorias, não concentram, de fato, várias opções de consumo.
4-4) Vê-se, por vezes, alguém dizer ou escrever: Houveram coisas misteriosas. Essa concordância é aceita pela norma-padrão, por tratar-se
de uma exceção: o verbo principia o enunciado.
4-4) nem sempre acorre aos shopping centers uma população seleta
de consumidores.
Comentáro
Resposta: VFVVF
Justificativa:
Comentário
Resposta: VFVFF
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. O verbo haver, no sentido de existir, é impessoal;
a norma é, com esse sentido, usá-lo sempre como impessoal.
0-0) Verdadeiro. A autora aponta exatamente a ilusão de alguns
que põem no poder de compra sua possibilidade realização pessoal.
1-1) Falso. A impessoalidade do verbo haver, no sentido de existir,
atinge também o verbo que funciona como seu auxiliar.
2-2) Verdadeiro. De fato, o uso do verbo ‘ter’ no lugar do verbo
‘haver’ é comum no português brasileiro, até mesmo em contextos formais.
3-3) Verdadeiro. O verbo existir é um verbo que recebe as flexões
de pessoa e número, conforme as prescrições da norma-padrão.
4-4) Falso. O fato de o verbo haver principiar o enunciado não
altera seu caráter de impessoalidade, quando usado no sentido
de existir.
TEXTO 2
Compro, logo existo.
Templo de culto à mercadoria, o modelo do Shopping Center, como o
conhecemos hoje, nasceu nos Estados Unidos na década de 1950.
São espaços privados, objetivamente planejados, para a supremacia
da ação de comprar. O que se compra nesses centros, contudo, é muito mais do que mercadoria, serviços, alimentação e lazer. Compra-se
distinção social, sensação de segurança e ilusão de felicidade e liberdade.
O Shopping Center é um centro de comércio que se completa com alimentação, serviços e lazer. Ali o consumidor de mercadorias se mistura
com o consumidor de serviços e de diversão, sentindo-se protegido e
moderno. Fugindo de aspectos negativos dos centros das cidades e da
busca conjunta de soluções para eles, os Shopping Centers vendem a
imagem de serem locais com uma melhor “qualidade de vida” por possuírem ruas cobertas, iluminadas, limpas e seguras: praças, fontes,
bulevares recriados, cinemas e atrações prontas e relativamente fáceis
de serem adquiridas – ao menos para os que podem pagar. É como se
o “mundo de fora”, a vida real, não lhes dissesse respeito...
O que essa catedral das mercadorias pretende é criar um espaço urbano ideal, concentrando várias opções de consumo e consagrando-se
como “ponto de encontro” para uma população seleta de seres “semiformados”, incompletos, que aceitam fenômenos historicamente construídos como se fizessem parte do curso da natureza. O imaginário
que se impõe é o da plenitude da vida pelo consumo. Nesses espaços,
podemos ocupar-nos apenas dos nossos desejos – aguçados com as
inúmeras possibilidades disponíveis de aquisição. Prevalece a idéia
do “compro, logo existo”.
Além disso, esse mundo de sonhos que é o Shopping Center acaba reforçando nas pessoas uma visão individualista da vida, onde os valores
propagados são todos relacionados às necessidades e aos desejos
individuais – “eu quero, eu posso, eu compro”.
(Valquíria Padilha. A sociologia vai ao Shopping Center.
Ciência Hoje, maio de 2007, p. 30-35. Adaptado.)
08. O Texto 2, na forma mais, ou menos explícita como aborda o tema
escolhido, convoca o leitor a aceitar:
0-0) a plenitude da vida, que é garantida pela alegria de poder “consumir”.
1-1) Falso. Se os shopping centers não oferecem total garantia de
segurança pessoal, isso não representa um ‘equívoco’ focalizado
pela
autora.
previsível quando acontece o contato entre línguas diferentes.
3-3) Falso. Nem predomina no texto a opção por períodos curtos
nem se trata de um gênero expositivo e informal.
4-4) Verdadeiro. De fato a repetição do pronome ‘eu’ na última linha do texto é um recurso de ênfase e torna o enunciado mais
contundente e categórico.
13. A posição do advérbio no enunciado é significativa. Mudá-la pode
alterar o sentido pretendido. Assim, podemos dizer que as mudanças
feitas na posição do advérbio alteraram o sentido dos trechos nas
seguintes proposições:
0-0) “São espaços privados, objetivamente planejados, para a supremacia da ação de comprar.”; São espaços privados, planejados, para a
supremacia da ação de comprar objetivamente.
2-2) Verdadeiro. De fato, é equívoco pensar que a plenitude da vida
é alcançada pelo poder de consumir.
1-1) “o modelo do Shopping Center, como o conhecemos hoje, nasceu
nos Estados Unidos na década de 1950.”; o modelo do Shopping Center, como hoje o conhecemos, nasceu nos Estados Unidos na década
de 1950.
3-3) Falso. O que é afirmado nessa opção não constitui objeto de
advertência da autora.
2-2) “seres (...) que aceitam fenômenos historicamente construídos”;
seres (...) que aceitam historicamente fenômenos construídos.
4-4) Falso. O fato de nem sempre acorrer aos shopping centers
uma população seleta de consumidores não consitui o equívovo
para o qual a autora nos adverte.
3-3) “Nesses espaços, podemos ocupar-nos apenas dos nossos desejos”; Apenas nesses espaços, podemos ocupar-nos dos nossos desejos.
10. A referência a Shopping Centers foi realizada no Texto 2 por meio
de expressões como:
4-4) “Nesses espaços, podemos ocupar-nos apenas dos nossos desejos”; Nesses espaços, podemos ocupar-nos dos nossos desejos
apenas.
0-0) “Templo de culto à mercadoria” (parágrafo 1).
1-1) “essa catedral das mercadorias” (parágrafo 3).
2-2) “O imaginário que se impõe” (parágrafo 3).
3-3) “Nesses espaços” (parágrafo 3).
4-4) “esse mundo de sonhos” (parágrafo 4).
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa:
De fato, a referência a Shopping Centers é retomada no texto por
0-0), “Templo de culto à mercadoria”;
1-1) “essa catedral das mercadorias”; 3-3) “Nesses espaços”; 4-4)
“esse mundo de sonhos”. Logo:
0-0) Verdadeiro.
1-1) Verdadeiro.
2-2) Falso. O segmento “O imaginário que se impõe” não retoma a
referência a Shopping Centers.
3-3) Verdadeiro.
4-4) Verdadeiro.
11. A indicação, já no primeiro parágrafo, de que o tema abordado vai
tomar uma direção oposta é dada por expressões ou termos como:
0-0) espaços privados.
1-1) como o conhecemos hoje.
2-2) contudo.
3-3) objetivamente planejados.
4-4) ação de comprar.
Comentário
Resposta: VFVVF
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. Houve alteração no sentido do enunciado: aqui
o advérbio incide sobre o escopo de ‘comprar’ (comprar objetivamente).
1-1) Falso. Não houve alteração de sentido: o advérbio se situa no
mesmo âmbito.
2-2) Verdadeiro. Houve alteração: uma coisa são “fenômenos historicamente construídos”, outra, ‘aceitar historicamente algo’.
3-3) Verdadeiro. É clara a alteração: de “ocuparnos apenas dos
nossos desejos” para “apenas nesses espaços”.
4-4) Falso. Não há alteração. O escopo do advérbio continua o
mesmo.
14. Observe o trecho: “os Shopping Centers vendem a imagem de serem locais com uma melhor “qualidade de vida” por possuírem ruas
cobertas, iluminadas, limpas e seguras: praças, fontes, bulevares recriados, cinemas e atrações prontas e relativamente fáceis de serem
adquiridas – ao menos para os que podem pagar”. Analise os comentários acerca da função de alguns de seus itens ou fragmentos.
0-0) O uso das aspas em “qualidade de vida” indica que se trata de
uma expressão de outro autor.
1-1) Grande parte do trecho é constituída por uma enumeração; daí o
uso de tantas vírgulas.
2-2) Em: “os Shopping Centers vendem a imagem”, a palavra sublinhada tem um sentido metafórico.
3-3) O caráter apelativo desse trecho propiciou o uso de verbos no
presente do indicativo.
3-3) os valores inerentes às funções dos centros comerciais, onde sobressai o lado solidário do homem.
Comentário
Resposta: FFVFF
Justificativa:
O único segmento que implica um sentido contrário e que pode,
portanto, sinalizar que a argumentação vai tomar um sentido contrário é ‘contudo’. Logo:
0-0) Falso.
1-1) Falso.
2-2) Verdadeiro.
3-3) Falso.
4-4) Falso.
4-4) a superação do individualismo e o fortalecimento da compreensão
do valor da vida solidária.
12. Analisando aspectos lingüísticos de palavras e outros segmentos
presentes no Texto 2, observamos que:
0-0) Falso. Não se trata de uma citação. O uso das aspas em “qualidade de vida” sinaliza para uma duplicidade de sentido que o
autor tem
em vista.
Comentário
Resposta: FFVFV
Justificativa:
0-0) Falso. O texto adverte explicitamente que o poder “consumir”
não é garantia de plenitude de vida.
0-0) o titulo do texto corresponde a uma conlusão, formulada em termos claros e precisos.
1-1) Verdadeiro. É clara a série de itens enumerados e, por isso, o
uso das vírgulas (separam termos coordenados).
1-1) metáforas usadas no texto atestam uma percepção dos Shopping
Centers como algo profano e alheio ao mundo religioso.
2-2) Verdadeiro. O sentido da palavra ‘vender’, nesse contexto, é
claramente figurado, imagético.
1-1) Falso. O Texto não afirma a urgência da criação de espaços
urbanos ideais. Chega a dizer apenas que os Shoppings Centers
parecem ser “espaços ideais”.
2-2) os termos ‘bulevares’ e ‘Shopping Center‘’ caracterizam casos de
empréstimo lingüístico, fenômeno que decorre do contato entre línguas
diferentes.
3-3) Falso. Esse trecho não tem um caráter apelativo. Tampouco,
o presente do indicativo seria a opção a predominar em um texto
apelativo.
2-2) Verdadeiro. A autora adverte para a concepção ingênua de
que o ato de ‘comprar’ assegura o estado de ‘ser feliz’.
3-3) a opção por períodos curtos – que prevalece em todo o texto –
sugere que se trata de um gênero expositivo e informal.
4-4) Verdadeiro. É claro o sentido de ‘ressalva’ expresso nesse
contexto pela expressão “ao menos”.
3-3) Falso. Pelo contrário, a autora chama a atenção para o fato de
que os ‘centros comerciais’ instigam o individualismo.
4-4) a reiteração do pronome ‘eu’ na última linha do texto tem um valor
enfático e confere ao enunciado um tom mais contundente.
TEXTO 3
4-4) Verdadeiro. A autora nos convoca para a superação do individualismo e para o fortalecimento da solidariedade.
Comentário
Resposta: VFVFV
Justificativa:
1-1) a urgência de criação de espaços urbanos ideais, a serviço da
população seleta e formada.
2-2) os riscos subjacentes ao engodo que pode existir na ligação entre
‘comprar’ e ‘ser feliz’.
09. O principal equívoco para o qual a autora do Texto 2 nos alerta é
aquele de que:
0-0) a realização do indivíduo existe na medida em que ele exercita seu
poder de compra.
1-1) os shopping centers não oferecem total garantia de segurança
pessoal.
2-2) a plenitude da vida é alcançada pelo acesso ao grande consumo.
0-0) Verdadeiro. “Compro, logo existo” implica uma conlusão, formulada com clareza. O conectivo ‘logo’ é, nesse caso, um marcador explícito.
1-1) Falso. Os Shopping Centers são metaforicamente referidos
no texto como ‘templos’ e ‘catedrais’.
2-2) Verdadeiro. De fato, os termos ‘bulevares’ e ‘Shopping Center‘’, como tantos outros, são exemplos de ‘empréstimo lingüístico’, um fato
www.motivofaz.com.br
4-4) Em: “ao menos para os que podem pagar”, é feita uma ressalva; a
expressão “ao menos” sinaliza isso.
Comentário
Resposta: FVVFV
Justificativa:
Eu etiqueta
Em minha calça está grudado um nome
Que não é meu de batismo ou de cartório
Um nome ... estranho
Meu blusão traz lembrete de bebida
Que jamais pus na boca, nessa vida,
Em minha camiseta, há marca de cigarro
Que não fumo, até hoje não fumei.
Minhas meias falam de produtos
Que nunca experimentei
Mas são comunicados a meus pés.
Meu tênis é proclama colorido
De alguma coisa não provada
Por este provador de longa idade.
Meu lenço, meu relógio, meu chaveiro,
Minha gravata e cinto e escova e pente,
Meu copo, minha xícara, minha toalha de banho e
sabonete,
Meu isso, meu aquilo.
Desde a cabeça ao bico dos sapatos,
São mensagens,
Letras falantes,
Gritos visuais,
Ordens de uso, abuso, reincidências.
Costume, hábito, premência, indispensabilidade,
E fazem de mim homem-anúncio itinerante,
Escravo da matéria anunciada.
(...)
Peço que meu nome retifiquem.
Já não me convém o título de homem.
Meu nome é coisa.
Eu sou a Coisa, coisamente.
(Carlos Drummond de Andrade)
15. O tema que serve de objeto para a reflexão de Drummond, no poema transcrito acima, relaciona-se com a questão levantada no Texto
2, pois:
0-0) mostra o fascínio exercido pela fantasia e miragem do consumo.
1-1) adverte contra o perigo da alienação que ronda as facilidades do
consumo.
2-2) destaca a força que os aparelhos publicitários exercem sobre o
indivíduo.
3-3) exalta a funcionalidade dos rótulos em locais de grande movimentação de negócios.
4-4) enaltece a condição do homem livre e senhor de suas decisões.
Comentário
Resposta: VVVFV
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. O poema, embora de forma uma tanto sutil, critica
o endeusamento do consumo.
1-1) Verdadeiro. Também sutilmente, o autor refere “a coisificação” do homem, provocada pela “etiquetagem publicitária”, que
corresponde
exatamente a esse processo de alienação.
2-2) Verdadeiro. De fato, o autor enfatiza o poder que a “etiqueta”
(em sentido bem amplo) tem sobre a identidade dos indivíduos.
3-3) Falso. Em nenhum segmento o poema ressalta a funcionalidade dos rótulos, onde quer que seja.
4-4) Verdadeiro. Está implícita no texto a idéia de que o homem não
deve abrir mão de sua condição de ser livre e senhor de suas
decisões.
16. O poema de Drummond apresenta particularidades lingüísticas que
merecem ser destacadas.
0-0) O fragmento transcrito se confunde com um depoimento ou uma
confissão pessoal.
1-1) O uso reiterado da primeira pessoa do singular assume no poema
um caráter individualizante.
2-2) Os objetos detalhadamente mencionados reforçam a idéia de que
nada escapa aos interesses da publicidade.
3-3) A palavra ‘etiqueta’, que consta no título, já antecipa a idéia central
do poema: vestimo-nos, movemo-nos como anunciantes.
4-4) Os dois últimos versos dão um tom categórico à sua conclusão: o
homem está convertido em objeto de venda.
Comentário
Resposta: VVVVV
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. O autor fala de sua própria experiência de “ser
etiqueta”.
1-1) Verdadeiro. De fato, o uso reiterado da primeira pessoa atesta
esse tom de depoimento pessoal do poema.
2-2) Verdadeiro: Cada item mencionado reforça a idéia de que somos convertidos em amostras de “tudo” que pode ser vendido.
3-3) Verdadeiro: Na verdade, a palavra ‘etiqueta’ expressa o sentido maior do poema e a crítica a esse uso do homem como “placa”
de anúncio.
4-4) Verdadeiro. As funções morfossintáticas diferentes para o
nome ‘coisa’ atestam essa desumanização da condição maior do
homem livre e autônomo.
Literatura
Graça Migliorino, Bianca Campello
01. O período das grandes navegações constituiu o apogeu da história
de Portugal, e ofereceu matéria para alguns dos maiores textos literários da língua portuguesa, como Os Lusíadas, de Camões e Mensagem, de Fernando Pessoa. Considere os poemas abaixo e analise as
proposições a seguir.
Texto 1
A gente da cidade, aquele dia,
(Uns por amigos, outros por parentes,
Outros por ver somente) concorria,
Saudosos na vista e descontentes.
E nós, com a virtuosa companhia
De mil religiosos diligentes,
Em procissão solene, a Deus orando,
Para os batéis viemos caminhando.
Em tão longo caminho e duvidoso
Por perdidos as gentes nos julgavam.
As mulheres com choro piedoso,
Os homens com suspiros que arrancavam.
Mães, esposas, irmãs, que o temeroso
Amor mais desconfia, acrescentavam
A desesperação e frio medo
De já nos não tornar a ver tão cedo.
Os Lusíadas, Camões.
Texto 2
Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Mensagem, Fernando Pessoa
0-0) Fernando Pessoa, a exemplo do que fez Camões nos versos apresentados acima, alude à história do Descobrimento do Brasil por Pedro
Álvares Cabral.
1-1) Em seu livro Mensagem, como mostra o fragmento acima, Fernando Pessoa, poeta do século XX, faz uma releitura de Os Lusíadas,
refletindo alguns temas do épico camoniano.
2-2) Em ambos os poemas apresentados, os autores descrevem o sofrimento e as perdas para a população comum, das grandes navegações portuguesas no século XVI.
3-3) A independência das colônias trouxe para Portugal a perda dos
territórios e das riquezas arduamente conquistados, além de inúmeros
problemas sociais advindos do período da colonização. Ciente disso,
Fernando Pessoa, no trecho citado, condena duramente as grandes
navegações exaltadas em Os Lusíadas.
4-4) Em ambos os textos, a descrição do custo social das navegações
portuguesas serve para enaltecer a coragem e a grandeza do povo
português.
Comentário
Resposta: FVVFV
Justificativa:
0-FALSO - Os Lusíadas narra a descoberta do caminho marítimo
para as Índias pelo navegador Vasco da Gama;
1- VERDADEIRO
2-VERDADEIRO
3-FALSO - Com sua famosa frase “Tudo vale a pena se a alma
não é pequena”, Pessoa defende aspectos positivos das grandes
navegações, como a ampliação da consciência humana e a aproximação de continentes e povos até então desconhecidos;
4-VERDADEIRO
02. O Velho do Restelo é uma voz emblemática na literatura portuguesa, que continua a influenciar os escritores modernos, como José
Saramago. Leia o poema “Fala do Velho do Restelo ao Astronauta”, e
analise as proposições a seguir.
Texto 1
Mas um velho, de aspecto venerando,
Que ficava nas praias, entre a gente,
Postos em nós os olhos, meneando
Três vezes a cabeça, descontente,
A voz pesada um pouco alevantando,
Que nós no mar ouvimos claramente,
Com saber só de experiências feito,
Tais palavras tirou do experto peito:
(...)
A que novos desastres determinas
De levar estes Reinos e esta gente?
Que perigos, que mortes lhe destinas,
Debaixo dalgum nome proeminente?
Que promessas de reinos e de minas
De ouro, que lhe farás tão facilmente?
Que famas lhe prometerás? Que histórias?
Que triunfos? Que palmas? Que vitórias?
E pusemos em ti sei lá bem que desejo
De mais alto que nós, e melhor e mais puro.
No jornal, de olhos tensos, soletramos
As vertigens do espaço e maravilhas:
Oceanos salgados que circundam
Ilhas mortas de sede, onde não chove.
Mas o mundo, astronauta, é boa mesa
Onde come, brincando, só a fome,
Só a fome, astronauta, só a fome,
E são brinquedos as bombas de napalme.
(José Saramago, Fala do Velho do Restelo ao Astronauta)
0-0) Um dos aspectos mais relevantes da obra de Saramago é a tentativa de reinterpretar o passado usando temas históricos, como no
poema apresentado acima.
1-1) Falando ao astronauta como falou o Velho do Restelo ao navegador português, Saramago utiliza um recurso literário semelhante ao de
Camões em seu épico.
2-2) Em seu poema, Saramago enaltece as viagens espaciais na modernidade, assim como Camões enaltecia as viagens marítimas em
seu tempo.
3-3) As vozes do Velho do Restelo e de Saramago mostram que os imperialismos, seja no século XVI, seja no século XX, ocultam uma visão
de mundo sectária e bélica, causadora de grandes sofrimentos.
4-4) Pelo exposto no poema de Saramago, pode-se deduzir que ele
reconhece a relevância das conquistas espaciais.para a modernidade.
Certamente, Saramago concordaria com os versos de Pessoa: “Tudo
vale a pena, se a alma não é pequena”.
Comentário
Resposta: VVFVF
Justificativa:
0-VERDADEIRO
1-VERDADEIRO
2-FALSO - Saramago critica o alto investimento nas viagens espaciais quando há tanta pobreza no mundo;
3-VERDADEIRO
4-FALSO - Nada no poema de Saramago faz crer na defesa da validade nas viagens espaciais, que são duramente criticadas.
03. Analise as dedicatórias de Machado de Assis e de Clarice Lispector, postas em seus romances, e analise as proposições a seguir.
Texto 1
“Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver, dedico
com saudosa lembrança estas memórias póstumas.” Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas
Texto 2
”Pois que dedico esta coisa aí ao antigo Schumann e sua doce Clara
que são hoje ossos, ai de nós. Dedico-me à saudade de minha antiga
pobreza, quando tudo era mais sóbrio e digno e eu nunca havia comido
lagosta. Dedicome à tempestade de Beethoven. À vibração das cores
neutras de Bach. A Chopin que me amolece os ossos. A Stravinsky
que me espantou e com quem voei em fogo. Sobretudo dedico-me às
vésperas de hoje e a hoje, ao transparente véu de Debussy, a Marlos
Nobre, a Prokofiev, a Carl Orff, a Schönberg, aos dodecafônicos, aos
gritos rascantes dos eletrônicos – a todos esses que em mim atingiram
zonas assustadoramente inesperadas, todos esses profetas do presente e que a mim me vaticinaram a mim mesmo”.
Clarice Lispector, A hora da estrela
0-0) Ao dedicar seu texto a um verme, o narrador de Machado de Assis
despe-se da vaidade intelectual, refletindo com ironia sobre a finitude
do ser humano e de suas produções.
1-1) Ao utilizar a expressão “esta coisa aí”, o narrador de Clarice Lispector também revela desprendimento pela obra que escreveu.
2-2) Ao contrário do narrador de Machado, o de Clarice dedica sua obra
a Beethoven, Bach, Chopin: escritores clássicos da literatura universal,
os quais admira pela influência que exerceram em sua formação.
3-3) A personagem Macabéa, de A hora da estrela, apesar de muito
pobre e ignorante, mostra sensibilidade artística, chorando ao ouvir a
música Una furtiva lacrima no rádio-relógio.
4-4) Dedicando-se à “saudade de sua antiga pobreza”, o narrador de
Clarice valoriza a riqueza inusitada que descobre na sobriedade e
dignidade de seus personagens.
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa:
0-VERDADEIRO
1-VERDADEIRO
2-FALSO - O narrador de Clarice dedica sua obra a
grandes compositores musicais;
3- VERDADEIRO
4- VERDADEIRO
04. Osman Lins tinha grande admiração pelo escritor Afonso Henriques
de Lima Barreto, cuja obra estudou em sua tese de doutorado. No romance A rainha dos cárceres da Grécia, cria uma personagem chamada Julia Enone, que escreve um livro sobre Maria de França, nordestina pobre e doente mental, que tenta obter uma pensão do INPS. Leia o
texto de Julia Enone, a seguir, e analise as proposições.
Camões, Os Lusíadas (Fala do Velho do Restelo)
Texto 1
Texto 2.
“Santo Afonso Henriques! Fazei de mim uma escritora. Mas só isto.
Nada de festivais, de júris em concursos (de beleza ou literários), de
cargos em repartições chamadas culturais, de capelas, de frases de
espírito. Livrai-me do fascínio que tantos dos nossos autores, hoje, têm
pelo convívio com os ricos, pela adoção obrigatória de livros seus na
área estudantil, pelas viagens com passagem e hotel pagos. Fazeime orgulhosa da minha condição de pária e severa no meu obscuro
trabalho de escrever.”
Aqui, na Terra, a fome continua,
A miséria, o luto, e outra vez a fome.
Acendemos cigarros em fogos de napalme
E dizemos amor sem saber o que seja.
Mas fizemos de ti a prova da riqueza,
E também da pobreza, e da fome outra vez.
www.motivofaz.com.br
Osman Lins, A rainha dos cárceres da Grécia
0-0) O texto de Julia Enone homenageia Lima Barreto, evocando-o
como um “santo” devido a sua integridade como escritor.
1-1) Assim como a personagem Maria de França, Lima Barreto teve
uma vida atribulada por problemas mentais.
2-2) Algumas obras importantes para a literatura brasileira, como O
Fiel e a Pedra e Avalovara foram escritas por Lima Barreto.
3-3) Policarpo Quaresma, um dos personagens mais conhecidos de
Lima Barreto, é considerado na história como louco devido a seu idealismo patriótico.
4-4) A exemplo de Maria de França, os personagens de Osman Lins,
em seus contos, costumam ser pessoas simples do povo, flagradas em
instantâneos do cotidiano repletos de tensão e opressão.
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa:
0- VERDADEIRO
1- VERDADEIRO
2-FALSO - Lima Barreto não escreveu essas obras,
que são da autoria de Osman Lins;
3- VERDADEIRO
4-VERDADEIRO.
05. O espelho é um tema sedutor para a literatura, sendo trabalhado
pelos mais diversos autores. Leia os textos e analise as proposições
a seguir.
Espelho, de Duane Michals
Desde aí, comecei a procurar-me – ao eu por detrás de mim à tona dos
espelhos, em sua lisa, funda lâmina, em seu lume frio. Isso, que se saiba, antes ninguém tentara. Quem se olha em espelho, o faz partindo de
preconceito afetivo, de um mais ou menos falaz pressuposto: ninguém
se acha na verdade feio; quando muito, desgostamo-nos por provisoriamente discrepantes de um ideal estético já aceito. Sou claro? O que
se busca, então, é verificar, acertar, trabalhar um modelo subjetivo,
pré-existente; enfim, ampliar o ilusório mediante sucessivas novas
capas de ilusão. Eu, porém, era um perquiridor imparcial, neutro. O
caçador de meu próprio aspecto formal, movido por curiosidade.
João Guimarães Rosa, Primeiras Estórias
0-0) Guimarães Rosa divide de maneira especular a sua coletânea de
contos, pondo no lugar central O espelho.
1-1) No conto O espelho, predomina o aspecto esotérico e misterioso
da narrativa
.
2-2) O espelho foge à regra da maioria dos contos deste livro, que
elaboram retratos da pobreza, exclusão e abandono a que estão entregues os personagens, em geral sertanejos.
3-3) Neste conto, Guimarães Rosa afirma concordarcom as pessoas
que buscam reconhecer suas imagens no espelho a partir de modelos
prévios, já estabelecidos.
4-4) Neste conto, Guimarães Rosa afirma buscar um estilo próprio,
ainda que discrepante do ideal estético dominante. Por isso, a reflexão
posta em O espelho também reflete a proposta inovadora do autor com
a obra.
Comentário
Resposta: VVVFV
Justificativa:
0- VERDADEIRO;
1- VERDADEIRO;
2- VERDADEIRO;
3-FALSO - Rosa afirma ser “caçador de seu próprio
aspecto formal, movido por curiosidade”;
4- VERDADEIRO.
07. A história da literatura mostra como os movimentos estéticos que
se sucedem no tempo dialogam entre si, seja condenando modelos
anteriores, seja resgatando-os com novas propostas. Leia os textos e
analise as proposições.
Texto 1
Olhei o espelho e recuei. O próprio vidro parecia conjurado com o resto
do universo; não me estampou a figura nítida e inteira, mas vaga, esfumada, difusa, sombra de sombra. Então tive medo; atribuí o fenômeno
à excitação nervosa em que andava; receei ficar mais tempo e enlouquecer. Subitamente por uma inspiração inexplicável, lembrou-me
vestir a farda de alferes. Vesti-a, aprontei-me de todo; e, como estava
defronte do espelho, levantei os olhos, e... não lhes digo nada; o vidro
reproduziu então a figura integral; nenhuma linha de menos, nenhum
contorno diverso; era eu mesmo, o alferes, que achava, enfim, a alma
exterior.
Esta de áureos relevos, trabalhada De divas mãos, brilhante copa, um
dia, Já de aos deuses servir como cansada, Vinda do Olimpo, a um
novo deus servia. Era o poeta de Teos que a suspendia Então, e, ora
repleta ora esvasada, A taça amiga aos dedos seus tinia, Toda de roxas
pétalas colmada. Depois... mas o lavor da taça admira, Toca-a, e do ouvido aproximando-a, às bordas Finas hás de lhe ouvir, canora e doce,
Ignota voz, qual se da antiga lira Fosse a encantada música das cordas, Qual se essa voz de Anacreonte fosse.
Texto 2
Alberto de Oliveira, Vaso Grego
Texto 2.
- Então, disse Dumbledore, você descobriu os prazeres do Espelho de
Ojesed. Mas espero que tenha percebido o que ele faz? – Bom, ele
mostra a minha família, respondeu Harry. – E mostrou seu amigo Rony
como chefe dos monitores, disse Dumbledore, perguntando: - Você
pode concluir o que é que esse espelho mostra a nós todos? Harry
sacudiu negativamente a cabeça. – Ele nos mostra nada mais nada
menos do que o desejo mais íntimo, mais desesperado de nossos corações. Só o homem mais feliz do mundo poderia usar o Espelho de
Ojesed como um espelho normal, ou seja, ele olharia e se veria exatamente como é.
1-1) Os espelhos nessas obras revelam que tanto o personagem de
Machado, ao se reconhecer na farda de um “alferes”, quanto Rony, ao
se reconhecer como “chefe dos monitores”, dão mais valor aos cargos
do que a si mesmos.
2-2) Pelo exposto em ambos os textos, deduz-se que os personagens
dessas histórias são aspessoas mais felizes do mundo.
3-3) Baseando-se na verossimilhança entre o real e o ficcional, o Realismo procurava apresentar a literatura como um espelho da realidade.
4-4) No conto O espelho, Machado de Assis rompe com alguns princípios da escola realista quando evoca o universo da fantasia.
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa:
0- VERDADEIRO;
1- VERDADEIRO;
2-FALSO - Como os personagens de ambos os contos não se
vêem como são, mas como se imaginam ou desejam ser, deduzse que eles não são as pessoas mais felizes do mundo;
3- VERDADEIRO;
4-VERDADEIRO- O conto O espelho foge aos princípios estritamente pragmáticos da escola realista.
06. Em Primeiras Estórias, Guimarães Rosa publica 21 contos. O conto
de número 11 intitula-se O espelho. Leia o texto e analise as proposições a seguir.
Texto 1
Catar feijão se limita com escrever:
Jogam-se os grãos na água do alguidar
E as palavras na folha de papel;
e depois, joga-se fora o que boiar.
Certo, toda palavra boiará no papel,
água congelada, por chumbo seu verbo:
pois para catar esse feijão, soprar nele,
e jogar fora o leve e oco, palha e eco.
Ora, nesse catar feijão entra um risco:
o de que entre os grãos pesados entre
um grão qualquer, pedra ou indigesto,
um grão imastigável, de quebrar dente.
Certo não, quando ao catar palavras:
a pedra dá à frase seu grão mais vivo:
obstrui a leitura fluviante, flutual,
açula a atenção, isca-a como o risco.
João Cabral de Melo Neto, Catar feijão.
Texto 2
Não faças versos sobre acontecimentos.
Não há criação nem morte perante a poesia.
Diante dela, a vida é um sol estático,
não aquece nem ilumina.
As afinidades, os aniversários, os incidentes pessoais não
contam.
Não faças poesia com o corpo,
esse excelente, completo e confortável corpo, tão infenso
à efusão lírica.
Tua gota de bile, tua careta de gozo ou dor no escuro
são indiferentes.
Não me reveles teus sentimentos,
que se prevalecem de equívoco e tentam a longa viagem.
O que pensas e sentes, isso ainda não é poesia.
Carlos Drummond de Andrade, Procura da poesia.
0-0) Quando o escritor discute o fazer poético no âmbito do próprio poema, ele está usando a metalinguagem, como fez o autor do Texto 1.
2-2) Em ambos os textos, a metalinguagem presta-se a conscientizar o
leitor sobre os procedimentos de criação textual.
3-3) Cabral aproxima a criação poética do ato de catar feijão por acreditar que o poema deve ser “limpo”, sem nenhum elemento que dificulte
o fluxo automático da leitura.
4-4) Em Procura da poesia, Drummond aproxima-se de uma definição
da poesia pela afirmação de suas características.
Comentário
Resposta: VVVFF
Justificativa:
Resposta: 0-V; 1-V; 2-V; 3-F (Cabral acredita que “a
pedra dá à palavra seu grão mais vivo”: ou seja, é algo desejável
num poema embora indesejável na feijoada); 4-F (Drummond tenta definir a poesia por uma série de negações, e não de afirmações
a seu respeito).
09. O Auto da compadecida (1955), de Ariano Suassuna, que teve sua
primeira encenação em 1956, no Teatro Santa Isabel (Recife), é um
dos marcos do moderno teatro brasileiro. Com esta obra, consolidase
o que a crítica dos anos de 1950 e 1960 denominava de o “Teatro do
Nordeste”. Acerca dessa obra, analise as proposições abaixo.
J.K.Rowling, Harry Potter e a Pedra Filosofal
0-0) Pode-se dizer que o espelho do conto de Machado funciona como
o “Espelho de Ojesed” do livro de Rowling, ao refletir o desejo mais
íntimo do personagem que nele se contempla.
Texto 1
1-1) A metalinguagem em poesia quebra o efeito sentimental caro ao
estilo romântico, como mostra o poema de Drummond.
Texto 1
Machado de Assis, O espelho
entende por “função metalingüística” um enunciado mediante o qual o
destinatário oferece ou solicita informação sobre o código. Quando a
linguagem é empregada para falar da linguagem em si (código), estabelece-se uma comunicação metalingüística. A partir dessa informação, leia os textos abaixo e analise as proposições que se seguem.
0-0) João Grilo se inscreve no que podemos definir, dentro da tradição
literária, como um personagem picaresco.
0-0) O Texto 2 reproduz a estrutura do soneto, que é uma forma poética
fixa, composta por catorze versos dispostos em dois quartetos e dois
tercetos.
1-1) O Diabo é comparado por a Compadecida com um fariseu, por se
apegar às formas exteriores.
2-2) A peça de Suassuna retoma o “maravilhoso divino”, muito presente tanto na literatura de cordel quanto na literatura cristã medieval.
1-1) Alberto de Oliveira encarnou a concepção de arte preconizada
pelo Parnasianismo: rigor formal e identificação da poesia com temas
clássicos.
3-3) A obra se desenvolve no sertão de Pernambuco, mais particularmente na cidade de Bodocó, nos primeiros anos do século XX.
2-2) O Modernismo questionou os princípios da arte parnasiana; mas
os concretistas chegaram a radicalizar a idéia de poesia, abdicando às
vezes da palavra, como no poema de Avelino de Araújo.
4-4) Ariano, para compor sua peça, se valeu, dentre outras obras, do
auto popular O Castigo da soberba e dos romances populares O Enterro do cachorro e a História do cavalo que
defecava dinheiro.
3-3) O poema de Avelino de Araújo tem um caráter eminentemente social, revelado pelo uso do termo “Apartheid” no título – que designa um
regime vigente na África, segundo o qual os brancos detinham o poder
e os povos restantes eram obrigados a viver separadamente.
4-4) O título “Apartheid Soneto”, associado a uma imagem que lembra
uma cerca de arame farpado cujos fios se organizam em dois quartetos
e dois tercetos, comunica, visualmente, o repúdio dos concretistas pelo
aprisionamento do verso segundo convenções impostas, segregando
a liberdade criativa.
Comentário
Resposta: VVVFV
Justificativa:
0- VERDADEIRO;
1- VERDADEIRO;
2- VERDADEIRO;
3-FALSO - O poema “Apartheid Soneto” tem uma função mais metalingüística do que de denúncia social;
4- VERDADEIRO.
08. Em seu estudo sobre as funções da linguagem, Roman Jakobson
www.motivofaz.com.br
Comentário
Resposta: VVVFV
Justificativa:
0-0) Verdadeiro: o personagem picaresco é aquele que usa da
sua aparente ingenuidade para enganar os outros e se dar bem
na vida.
1-1) Verdadeiro: é a Compadecida que compara o Diabo a um fariseu.
2-2) Verdadeiro: o maravilhoso se dá pela intervenção de um deus
sobre o destino dos homens; no caso, Jesus e a Compadecida.
3-3) Falso: a obra se passa em Taperoá, na Paraíba, e não em Pernambuco.
4-4) Verdadeiro: as obras aludidas são confirmadas pelo autor na
própria obra
10. Se no Brasil o discurso nacionalista romântico tem na literatura uma
referência, vamos encontrá-la na obra de José de Alencar, a qual se
constrói dentro do princípio de alteridade nacional, que tomava a cor
local, a nacionalidade do escritor e o uso da “língua brasileira” como
bases para se definir uma literatura brasileira, autônoma. Leia os textos
abaixo e analise as proposições a seguir.
Texto 1
O povo que chupa o caju, a manga, o cambucá e a jabuticaba, pode
falar uma língua com igual pronúncia e o mesmo espírito do povo que
sorve o figo, a pêra, o damasco e a nêspera?
Sonhos d’ouro, José de Alencar.
Texto 2
Há também uma parte da poesia que, justamente preocupada com a
cor local, cai muitas vezes numa funesta ilusão. Um poeta não é nacional só porque insere nos seus versos muitos nomes de flores ou
aves do país, o que pode dar uma nacionalidade de vocabulário e nada
mais. Instinto de nacionalidade, Machado de Assis.
0-0) Os projetos literários de Alencar e Machado são distintos, não
obstante partirem do mesmo princípio nacionalista quanto ao cultivo
da cor local.
1-1) Apesar de sua crítica aos “muitos nomes de flores ou aves do
país”, Machado também escreveu poemas indigenistas.
2-2) Alencar defendia uma literatura que refletisse a sintaxe do português brasileiro mais que a sintaxe do português europeu.
3-3) A paisagem tropical é um elemento presente tanto nos romances
indigenistas quanto nos romances de costumes de Alencar.
4-4) A obra de Alencar busca considerar as distintas fases da história
brasileira e, principalmente, retratar as várias regiões do Brasil.
Comentário
Resposta: FVVVV
Justificativa:
0-0) Falso: Machado não tinha a cor local como princípio da literatura brasileira.
1-1) Verdadeiro: Machado escreveu Americanas em 1875.
2-2) Verdadeiro: Alencar foi o mais ardoroso defensor do que ele
chama de “língua brasileira”.
3-3) Verdadeiro: a paisagem tropical é o pano de fundo das obras
de Alencar, é o seu ponto de alteridade com as demais literaturas
nacionais.
4-4) Verdadeiro: Alencar escreveu não somente sobre a Corte, mas
também sobre o passado brasileiro e sobre suas várias regiões: o
Brasil do século XVI, Minas Gerais, Pernambuco, Rio
Grande do Sul.
11. A paródia foi cultivada por vários poetas e romancistas do modernismo brasileiro. Foi por meio da paródia que os modernistas puderam
firmar suas inovações no campo da linguagem e construir um discurso
distinto das escolas literárias que os antecederam. Considere os poemas abaixo e analise as proposições a seguir.
Texto 1
A vez primeira que eu fitei Teresa,
Como as plantas que arrasta a correnteza,
A valsa nos levou nos giros seus
E amamos juntos E depois na sala
“Adeus” eu disse-lhe a tremer co’a fala
E ela, corando, murmurou-me: “adeus.”
Uma noite entreabriu-se um reposteiro. . .
E da alcova saía um cavaleiro
Inda beijando uma mulher sem véus
Era eu Era a pálida Teresa!
“Adeus” lhe disse conservando-a presa
E ela entre beijos murmurou-me: “adeus!”
Passaram tempos sec’los de delírio
Prazeres divinais gozos do Empíreo
... Mas um dia volvi aos lares meus.
Partindo eu disse - “Voltarei! descansa!. . . “
Ela, chorando mais que uma criança,
Ela em soluços murmurou-me: “adeus!”
Quando voltei era o palácio em festa!
E a voz d’Ela e de um homem lá na orquestra
Preenchiam de amor o azul dos céus.
Entrei! Ela me olhou branca surpresa!
Foi a última vez que eu vi Teresa!
E ela arquejando murmurou-me: “adeus!”
O “adeus” de Teresa, Castro Alves
Texto 2
A primeira vez que vi Teresa
Achei que ela tinha pernas estúpidas
Achei também que a cara parecia uma perna
Quando vi Teresa de novo
Achei que os olhos eram muito mais velhos que o resto do
corpo
(Os olhos nasceram e ficaram dez anos esperando que o
resto do corpo nascesse)
Da terceira vez não vi mais nada
Os céus se misturaram com a terra
E o espírito de Deus voltou a se mover sobre a face das
águas.
Teresa, Manuel Bandeira
0-0) Castro Alves se vale de uma linguagem formal, pouco corrente,
para cantar o amor que perdera.
1-1) Bandeira usa palavras coloquiais para falar das suas impressões
sobre Teresa.
1-1) Verdadeiro: tese também defendida por Mário em “O movimento modernista”.
2-2) Bandeira, na última estrofe do poema, compara seu alumbramento
com a imagem bíblica da criação.
2-2) Verdadeiro: tanto na sua poesia quanto na sua prosa, a exemplo de Macunaíma, Mário se vale de outros textos para construir
o seu.
3-3) O último “adeus” de Teresa provoca consolo e alegria no poeta,
além de uma certa sensação de ele e sua amada envelhecerem.
4-4) A ambiência de sonho e de fantasia revela, no poema de Castro
Alves, as relações amorosas do poeta com a sua amada.
Comentário
Resposta: VVVFV
Justificativa:
0-0) Verdadeiro: a linguagem de Castro Alves não somente é formal como pouco elevada.
1-1) Verdadeiro: Bandeira não se vale de palavras eruditas para
compor seu poema.
2-2) Verdadeiro: “o espírito de deus se move sobre as águas” é
um verso que está numa relação intertextual com passagem do
Gênesis.
3-3) Falso: ao coloquialis mo sim, mas não à retórica. Os modernistas são radicalmente anti-retóricos. Daí a crítica aos parnasianos e a Rui Barbosa.
4-4) Verdadeiro: De fato, a obra de Mário inclui elementos do folclore, das artes e da música.
14. Definindo-se como um poeta antilírico, João Cabral de Melo Neto
constrói uma obra poética que se firma por ser um divisor de águas na
história da poesia de língua portuguesa no século XX. Perseguindo um
rigor métrico, a poesia de João Cabral termina por construir um outro
rigor: o semântico. Leia os textos abaixo e analise as proposições que
se lhes seguem.
Texto 1
12. Primeiro grande poeta depois da fase heróica do modernismo da
década de 1920, Carlos Drummond de Andrade constrói uma poesia
muito peculiar, que caminha entre a realidade concreta das coisas e a
atividade lúdica da razão. A partir da leitura do texto abaixo, analise as
proposições a seguir.
O rio ora lembrava
A língua mansa de um cão,
Ora o ventre triste de um cão,
Ora o outro rio
E aquoso pano sujo
Dos olhos de um cão.
Aquele rio
Era como um cão sem plumas.
Nada sabia da chuva azul,
Da fonte cor-de-rosa,
Da água do corpo de água,
Da água de cântaro,
Dos peixes de água,
Da brisa na água.
[...]
Texto 1
O cão sem plumas, João Cabral de Melo Neto.
Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.
Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.
Devagar... as janelas olham.
Eta vida besta, meu Deus.
Texto 2
3-3) Falso: o poema não fala da velhice do narrador-poeta, e sim
dos desencontros.
4-4) Verdadeiro: o poema de Castro Alves caminha entre o sonho
e a fantasia.
Cidadezinha qualquer, Carlos Drummond de Andrade
0-0) Neste poema encontramos um Drummond antiretórico, coloquial,
prosaico e irônico.
1-1) O poeta se vale do ambiente idílico, tão decantado pelos românticos, para firmar sua urbanidade.
2-2) Drummond contrapõe implicitamente dois brasis: o rural, que tem
o tempo em suspenso, e o da cidade, com sua agitação.
3-3) O elemento surpresa, o desnorteamento, é uma das principais
características do poema “Cidadezinha qualquer”.
4-4) Assim como fizeram os árcades, Drummond se revela condescendente com a realidade campestre.
Comentário
Resposta: VVVVF
Justificativa:
0-0) Verdadeiro: o poeta não só é anti-retórico, coloquial, prosaico
e irônico, como reproduz o falar caipira do interior.
1-1) Verdadeiro: ao dizer que a vida no mundo rural é besta, Drummond, em contrapartida, está dizendo que bom é o mundo urbano
com sua vida agitada.
2-2) Verdadeiro: de fato, o mundo rural aqui é visto como o lugar
onde o tempo parou. O inverso seria o universo urbano.
3-3) Verdadeiro: o elemento surpresa se revela no último verso.
Quando acreditamos que o poeta vai louvar o mundo simples, ele
o denuncia como uma vida besta, sem sentido.
4-4) Falso: o poema se opõe aos que vêem a vida provinciana
como algo superior à urbana.
13. Considerado por muitos críticos como “o papa do Modernismo brasileiro”, Mário de Andrade foi responsável por muitas das linhas programáticas que terminaram por caracterizar a literatura e as artes do
século XX, no Brasil. Acerca desse autor e do Modernismo, analise as
proposições abaixo.
0-0) Mário de Andrade defendia o direito permanente, por parte dos
artistas, à pesquisa estética.
1-1) O Modernismo buscava atualizar a inteligência artística e literária
brasileiras.
2-2) Tanto na sua poesia quanto na sua prosa, Mário se vale de outros
textos para construir o seu. Por exemplo, o início de Macunaíma é uma
paródia ao romance Iracema, de Alencar.
3-3) A ironia e a paródia, na obra poética de Mário de Andrade, cedem
lugar à retórica e à metrificação.
O mar e os rios do Recife
São touros de índole distinta:
O mar estoura no arrecife,
O rio é um touro que rumina.
Quando o touro mar bate forte
Nele há o medo de não ficar,
De ter saído, de estar fora,
De quem se recusa a ser mar.
E há no outro touro, o rio,
Entre mangues, remansamente,
Mil manhas para não partir:
Anda e desanda ainda sempre
Mas se são distintos na ação,
Mesma é a razão de seu atuar:
Tentam continuar a ser da água
De aquém do arrecife, antemar.
[...]
As águas do Recife, João Cabral de Melo Neto.
0-0) O cão sem plumas é uma alegoria do rio Capibaribe, sendo que o
substantivo feminino “pluma” é aqui tomado como uma metáfora dos
pêlos do cão.
1-1) As águas do Recife trata da relação entre o mar e os rios que
cortam a cidade do Recife e da submissão destes ao mar que, como o
touro mais forte, termina por vencer e subjugar todos os rios.
2-2) Em ambos os poemas apresentados acima, encontramos uma linguagem autocentrada, que se “volta às próprias coisas” como caminho
para retratar, refletir e transformar a realidade.
3-3) Ao comparar o rio tanto a um cão sem plumas quanto a um touro,
João Cabral cria elementos alegóricos que só se explicam dentro dos
próprios poemas.
4-4) Não há, nos poemas acima, traços supérfluos e resíduos sentimentais, mas a busca da materialidade das palavras, do verso substantivo e despojado.
Comentário
Resposta: FVVVV
Justificativa:
0-0) Falso: o poema não trata da vitória de um touro sobre outro,
mas de uma eterna luta entre iguais.
1-1) Verdadeiro: a pluma é a metáfora do pêlo do cão.
2-2) Verdadeiro: toda a poesia de Cabral é uma poesia que fala
dela mesma, uma palavra remete a outra para ser entendida. Nesse processo, Cabral fala do próprio fazer poético.
3-3) Verdadeiro: ambos os poemas só se explicam por eles mesmos. As alegorias do cão e do touro só se explicam dentro do
próprio poema.
4-4) Verdadeiro: todo o poema é construído por palavras substantivas. Esse é o principal traço da poesia cabralina.
4-4) Graças a sua versatilidade como escritor, Mario de Andrade constrói uma obra eminentemente interdisciplinar, que se revela pela presença do folclore, das artes plásticas e da música.
15. O adultério feminino foi um dos temas dominantes nos romances
do século XIX. O Primo Basílio, de Eça de Queirós, e Dom Casmurro,
de Machado de Assis, são as obras mais importantes em língua portuguesa a versar sobre o tema. Sobre esses livros, analise as proposições a seguir.
Comentário
Resposta: VVVFV
Justificativa:
0-0) Verdadeiro: tese defendida por Mário na sua conferência “O
movimento modernista”.
0-0) Assim como Madame Bovary, Luísa lia também muitos romances
de autores românticos, o que terminou por constituir muitos dos traços
da sua personalidade.
1-1) Ao longo do romance de Machado, Capitu se envolve, por meio
dos seus sedutores “olhos de ressaca”, em vários casos de traição
www.motivofaz.com.br
amorosa.
2-2) É no capítulo CXXXV, intitulado “Otelo”, que Machado, se valendo
da intertextualidade, evoca a peça de Shakespeare para convencer
o leitor da traição de Capitu.
3-3) Ao contrário de O Primo Basílio, em que tudo é muito difuso e pouco substantivo, em Dom Casmurro as relações entre Capitu e Escobar
são claras e explícitas.
4-4) Apesar de toda a traição promovida por suas esposas, tanto Jorge
quanto Bentinho terminam por aceitar a condição de marido traído e
perdoam seus cônjuges.
Comentário
Resposta: VFFFF
Justificativa:
0-0) Verdadeiro: Luíza, assim como Madame Bovary, era leitora de
romances românticos.
1-1) Falso: tirante o suposto caso com Escobar, Capitu não se envolveu em nenhum outro caso de “adultério”.
2-2) Falso: O capítulo “Otelo” é uma ironia de Machado para mostrar o quanto seu narrador não entendeu que o ciúme é o pior
conselheiro.
3-3) Falso: até a suposta descoberta do adultério, que se dá no
velório de Escobar, não há nenhum sinal no romance que revele
que Capitu teria sido amante de Escobar.
4-4) Falso: nem um nem outro aceitam o adultério. No caso de
Bentinho, ele desiste de matar a esposa e a envia para a Suíça,
onde ela vive o resto dos seus dias e morre
16. O Romance Nordestino de 30 é um dos desdobramentos das idéias
regionalistas, firmadas em meados da década de 1920, no Recife, por
Gilberto Freyre e toda uma geração de intelectuais. Se 1922 se caracteriza por privilegiar, num primeiro momento, o estético, os Regionalistas
perseguem a história e, por desdobramento, os conceitos de Tradição
e Região como bases da renovação cultural. Sobre o Romance de 30,
analise o que se afirma a seguir.
0-0) Os romancistas de 30 não perseguem as inovações de linguagem
que foram promovidas por Mário de Andrade em Macunaíma, e por
Oswald de Andrade em Serafim Ponte Grande e Memórias sentimentais de João Miramar.
1-1) O romance de 30 retoma uma concepção “tradicional” de narrar:
começo, meio e fim, valendo-se de muitas das técnicas narrativas do
romance oitocentista.
2-2) A obra de Graciliano Ramos se caracteriza pela precisão das palavras, ausência de ornatos e por ter como objeto exclusivamente o
sertão nordestino.
3-3) A obra de Jorge Amado retrata vários aspectos da vida social e política do país: a região do cacau na Bahia, a repressão do Estado Novo
e a vida urbana da cidade de São Salvador, com seus pescadores,
meninos de rua e pais-desanto.
4-4) A obra de Raquel de Queiroz percorre tanto o romance quanto
o teatro e a crônica. Em todos esses gêneros, encontramos a forte
presença das raízes nordestinas e uma clara denúncia das injustiças
sociais.
Comentário
Resposta: VVFVV
Justificativa:
0-0) e 1-1) Verdadeiros: o romance de 30 retoma a narrativa realista e o romance tradicional: começo, meio e fim.
ajeno. Cartas y autobiografías, historias naturales o morales, apologías
y relaciones, poemas épicos y descripciones, catecismos y diccionarios, todo puede servir y todo puede ser útil. Habitualmente, incluso
para los monumentos más cuidados, parece contar sólo el quehacer
del historiador o, cuando más, del historiador literario. Pero un historiador literario que aplicara al Nuevo Mundo unos valores que fueran
idénticos a los de la remota España. Tal vez así nos quedemos siempre en algo externo. Nosotros, en este momento, en las páginas que
siguen, pretendemos otra cosa: hacer filología. Unir lengua, literatura
y, a veces, historia y antropología. Todo anda junto porque nada nació
con testigos y mojones ahitados. Y resulta imprescindible para entender todo esto el testimonio de la lingüística. Porque, una vez más, la
lengua es proyección fiel de la cultura, y aquellos cronistas que narraban una nueva realidad tenían que aprehenderla con la palabra, con
lo que viene a resultar que la heterogeneidad de los testimonios tiene
por denominador común un triple proceso de creación lingüística: en la
adaptación del español; en la adopción de americanismos o hispanismos, según sea el punto de mira; en las nuevas creaciones. Crónicas
en las que toda información va a estar condicionando, y condicionada,
por ese espejo que es la lengua. Y, queriendo o no, habremos hecho
también historia de la lengua en días en los que el hombre, inerme ante
la inmensidad de la naturaleza, acrecentaba la capacidad expresiva de
su instrumento lingüístico. Con lo que será falso aquel testimonio del
padre Gumilla, por más que lo expresara bellamente, según el cual los
españoles caminaban “desnudos hasta de la lengua castellana, que,
por el largo tiempo entre los gentiles, se les había ido de la memoria”.
(Manuel Alvar. La lengua como libertad, p.249).
01. Una vez leído el texto en su totalidad, podemos afirmar que el contenido que en él se expresa es 0-0) el testimonio del padre Gumilla
sobre la actuación de los españoles en la colonización de América.
1-1) la opinión favorable de su autor, Manuel Alvar, acerca de una consideración exclusivamente histórica de las Crónicas de Indias.
2-2) una exposición descriptivo-argumentativa acerca del valor que encierran los testimonios de los Cronistas de Indias.
3-3) una visión favorable a considerar como testimonio histórico fundamental los catecismos y diccionarios confeccionados en aquella
época.
4-4) una detenida argumentación que explica que, para la lingüística,
sólo deben considerarse los testimonios literarios, y no los otros tipos
de documentos.
Comentátio
Resposta: FFVFF
Justificativa:
0-0) Falso. A alusão aos testemunhos do padre Gumilla apenas
constitui uma referência do autor no final do texto, não se tratando, portanto, do assunto fundamental desenvolvido ao longo do
texto.
1-1) Falso. Mesmo se, no início, Alvar aponta que especialistas de
distintas disciplinas precisarão de documentos específicos para
seus objetivos, imediatamente afirma que ninguém pode se desentender do trabalho alheio: tudo pode ser útil.
2-2) Verdadeiro. No texto, o professor Alvar descreve os diferentes gêneros que foram cultivados pelos primeiros colonizadores
e argumenta em favor da valorização de ditos testemunhos para a
pesquisa em diversos âmbitos do saber: história, lingüística, antropologia, botânica etc.
3-3) Falso. O que realmente diz o autor é que todos os gêneros
conservados são válidos para um estudo global, que ele, depois
vem identificar com a filologia. Nada se fala no texto de uma valorização exclusivamente histórica dos testemunhos, independentemente da sua índole.
2-2) Falso: a obra de Graciliano Ramos aborda o sertão, mas também a vida urbana - a exemplo de Insônia - e sua experiência na
prisão, como em Memórias do Cárcere.
4-4) Falso. Como já foi dito, mesmo se cada âmbito do saber, no
caso, a lingüística tem seus próprios objetivos, advoga-se por
uma análise de todas as tipologias textuais, também no campo
lingüístico.
3-3) Verdadeiro: são exemplos, os romances do ciclo do cacau Os
Subterrâneos da Liberdade, e romances como Mar Morto e Capitães de
Areia.
02. Considere, a continuación, el siguiente fragmento: “Todo anda junto
porque nada nació con testigos y mojones ahitados”. Con respecto a
esta expresión, así como a los elementos que en ella aparecen, es
correcto afirmar que:
4-4) Verdadeiro: Raquel escreveu romances, teatro e crônicas. Aliás, é na crônica que vamos encontrar o grosso da sua produção.
0-0) el sentido que encierra la expresión es que no siempre las personas nacen en presencia de otros testigos.
Espanhol
Rúbia Andrade, Rogério Andrade
De igual modo em relação ao formato do ano passado, o exame de língua
espanhola da 2ª fase da Covest apresentou aos candidatos dois textos. O
primeiro, de título “Cronistas de Índias” é uma exposição descritiva e argumentativa sobre o valor dos relatos dos cronistas espanhóis na colonização
da América, apresentando a importância de unir a criação lingüística a elementos variados, como: a antropologia, a história, a literatura, etc. O segundo, com o título “Crónica de Muerte Anunciada” – expressão retirada de um
livro do colombiano Gabriel García Márquez —, relatava uma análise técnica
que denuncia determinadas práticas, por parte de entidades financeiras e de
clientes, que resultaram na quebra da bolsa de valores americana. São temas
que exigiram uma maior concentração e habilidade interpretativa por parte dos Feras. A prova trouxe um número reduzido de questões gramaticais,
dando ênfase, em sua maior parte, ao caráter interpretativo, seja por meio de
questões relacionadas ao texto ou ao léxico. Desse modo, o Fera foi avaliado
por seu esforço e trabalho contínuos no que se refere à leitura e ao conhecimento de mundo. Mais uma vez, a banca de espanhol premia, por meio de
uma prova muito bem elaborada, o bom aluno de espanhol.
A questão abaixo ilustra a mescla de estrutura sintática e capacidade de interpretação, exigindo do aluno, além do conhecimento gramatical (das conjunções “sino”, do advérbio “apenas”, entre outras), uma compreensão coerente para a utilização dos elementos mencionados.
ESPANHOL
CRONISTAS DE INDIAS
Las Crónicas de Indias son un mundo misceláneo en el que se funden,
y confunden, muchas cosas. Si lo que se pretende es hacer historia,
lógicamente, los documentos serán distintos de los que utiliza el lingüista o el botánico. Pero nadie podrá desentenderse del quehacer
1-1) la palabra testigo, en ese contexto, significa: persona que da testimonio de algo o lo atestigua.
2-2) el sentido de la primera parte de dicha expresión indica que todos
deberíamos ayudarnos mutuamente.
3-3) en esta expresión, las palabras “testigo” y “mojón” son sinónimas.
4-4) “ahitado” significa: harto, que ha comido hasta sentirse mal.
Comentátio
Resposta: FFFVF
Justificativa:
O sentido que tem a expressão é que as coisas estão relacionadas
umas com as outras, que nada existe que esteja completamente
delimitado ou isolado. Nesse sentido, a palavra “testigo” não é
usada na sua acepção mais comum de pessoa que apresenta um
testemunho sobre algo que presenciou, senão que aqui se refere a
um tipo de sinal situado num determinado lugar para demarcálo.
Já a forma “ahitado”, não se refere ao adjetivo “ahíto” (“harto” por
ter ingerido muita quantidade de comida), senão que se trata de
uma palavra derivada do substantivo “hito” (“poste de pedra que
demarca as limites de um terreno”). Nesse sentido, portanto:
0-0) Falso. Porque o sentido da expressão não está relacionado
com a presença ou não de testemunhas no nascimento de alguém.
www.motivofaz.com.br
1-1) Falso. Porque, pelo que já foi dito, aqui “testigo” não significa
“testemunha”.
2-2) Falso. Porque o sentido da primeira parte da expressão é que
todas as coisas estão relacionadas entre si.
3-3) Verdadeiro. Porque, pelo já dito, “testigo” é um sinal que demarca um determinado local e “mojón” é uma sorte de baliza, que
marca o
limite de algo.
4-4) Falso. “Ahitado” é palavra derivada de “hito”, e significa então “isolado”, “delimitado”.
03. Según las palabras del autor del texto, Manuel Alvar, la lengua,
considerada tanto en un sentido general (idioma), como particular (castellano):
0-0) no forma parte de la filología; se trata de una disciplina que no
mantiene relaciones con ninguna otra.
1-1) constituye una proyección fiel de la cultura a la que se encuentra
ligada.
2-2) sirvió como instrumento eficaz para que los cronistas expresasen
la nueva realidad.
3-3) llegó a olvidárseles a los primeros colonizadores, debido al largo
tiempo que pasaron en aquellas tierras.
4-4) adoptó americanismos en la época colonial.
Comentário
Resposta: FVVFV
Justificativa:
0-0) Falso. Ao contrário, o autor afirma que sua intenção consiste em fazer filologia: ligar língua, literatura e, às vezes, história e
antropologia.
1-1) Verdadeiro. Com efeito, o autor afirma numa passagem do
texto: “a língua é projeção fiel da cultura”.
2-2) Verdadeiro. É o que afirma o autor quando diz que “aqueles
cronistas que narravam a nova realidade tinham que apreendê-la
com a palavra”.
3-3) Falso. O autor diz ser falsa a afirmação do padre Gunilla, que
afirmava que, naquela época, os espanhóis caminhavam nus até
da
própria língua castelhana.
4-4) Verdadeiro. Com efeito, num trecho do texto, o professor Alvar fala da adoção de americanismos na adaptação do espanhol
à nova realidade.
04. El proceso de creación lingüística del que se habla en el texto:
0-0) está referido a la adaptación de la lengua española a la nueva
realidad de la que tiene que dar cuenta.
1-1) está relacionado sólo con la influencia que el español tuvo sobre
las lenguas vernáculas.
2-2) está relacionado con la adopción de americanismos que se referían a realidades específicas autóctonas.
3-3) nada tiene que ver con la información recogida en las Crónicas.
4-4) no es aceptado por todos los estudiosos; depende de la opinión
de cada uno de ellos.
Comentário
Resposta: VFVFF
Justificativa:
0-0) Verdadeiro. É o que diz o autor quando fala da “adaptação do
espanhol”.
1-1) Falso. Porque não é o único aspecto relacionado com o processo. Nesse sentido, fala-se, dentre outros, da adoção de americanismos e hispanismos.
2-2) Verdadeiro. É o que se diz no texto quando se fala da adoção
de americanismos (por parte da língua espanhola).
3-3) Falso. O autor afirma taxativamente que toda a informação que
aparece nas Crônicas é condicionada pelo espelho da língua.
4-4) Falso. Quando no texto se usa a expressão “segundo o ponto
de vista”, o que quer dizer o autor é que os termos “americanismo” ou “hispanismo”, quando aplicados à língua, dependem da
perspectiva de quem fala: seindígena, falará de hispanismos na
sua língua vernácula; se colonizador, de americanismos no espanhol. Nada se diz a respeito da possível negação do próprio
processo de criatividade lingüística.
05. En diversos pasajes del texto aparecen, entre otras, las siguientes
formas verbales: (se) funden, puede, servir, anda. Indique si son correctas o incorrectas cada una de las siguientes series verbales.
0-0) fundieron – podemos – sirvan – andase
1-1) fondan – podimos – sirvieron – andará
2-2) fundaran – pudo – servimos - andaríamos
3-3) fundasen – podrán – servimos – andara
4-4) fundó – podía – servirá – andará
Comentário
Resposta: FFFFF
Justificativa:
0-0) Falso. A forma verbal errada é “andase”. Em espanhol, frente
ao português, o verbo “andar” é irregular. Nesse tempo, a forma
correta é
“anduviese”.
1-1) Falso. Nessa série, há duas formas verbais incorretas: “fondan” (correta, “fundan”) e podimos (correta,”pudimos”).
2-2) Falso. A forma incorreta é “fundaran”, porque estamos conjugando o verbo “fundir” ou “fundirse” (pronominal), não o verbo
“fundar”. Então, para o verbo “fundir” a forma correta seria “fundieran”.
3-3) Falso. Aqui temos duas formas incorretas. , “fundasen” que,
pelo já dito, deveria ser “fundiesen”; depois, “andara”, como verbo irregular, exige em espanhol a forma “anduviera”.
4-4) Falso. A forma incorreta, mais uma vez, é a que se corresponde com o verbo “fundir”. Onde diz “fundó” deveria dizer “fundió”.
06. En las primeras líneas del texto aparece el siguiente fragmento:
“Pero nadie podrá desentenderse del quehacer ajeno”. El sentido que
la palabra subrayada adquiere en ese contexto es:
0-0) actividades.
1-1) labores.
2-2) trabajos.
3-3) obras.
4-4) obligaciones.
Comentário
Resposta: VVVVF
Justificativa:
Em termos gerais, “quehacer” (português, “afazer”) significa “trabalho ou atividade realizada por uma pessoa”. Tomando em conta
essa definição, podese dizer:
0-0) Verdadeiro.
1-1) Verdadeiro. “Labor”, aqui, no sentido de qualquer tipo de trabalho em geral
2-2) Verdadeiro.
3-3) Verdadeiro. Porque, no contexto em que aparece inserida, a
palavra “quehacer” está referida a diversas tipologias de textos
(autobiografias, catecismos, crônicas, cartas, etc.) que podem
responder de forma geral ao conceito da palavra “obra”.
4-4) Falso. No sentido no qual é usado no texto, carece do valor
de “obrigação”.
07. Al comienzo del texto aparece el siguiente fragmento: “Habitualmente, incluso para los monumentos más cuidados, parece contar
sólo el quehacer del historiador o, cuando más, del historiador literario.
Manteniendo el mismo sentido de la frase, podemos sustituir el segmento subrayado por:
0-0) en el mejor de los casos.
1-1) como máximo.
2-2) al mínimo.
3-3) cuanto más.
4-4) como mucho.
Comentário
Resposta: VVFFV
Justificativa:
A expressão “cuando más” tem um valor restritivo em espanhol e
expressa o limite virtual dessa restrição. Portanto, nesse sentido:
0-0) Verdadeiro.
1-1) Verdadeiro.
2-2) Falso. Nem sequer a expressão está correta em espanhol. Aliás, não expressa o sentido que já foi explicado.
3-3) Falso. A expressão “cuanto más” é usada em espanhol para
contrapor, ao que já foi dito, o que vai se dizer a seguir.
4-4) Verdadeiro.
08. En las últimas líneas del texto puede leerse: “los españoles caminaban desnudos hasta de la lengua castellana, que, por el largo tiempo
entre los gentiles, se les había ido de la memoria”. Con relación a las
tres formas que aparecen subrayadas, podemos afirmar que:
0-0) la forma que se refiere a “los españoles”.
1-1) la forma se se refiere a “la lengua castellana”.
2-2) la forma les se refiere a “los españoles”.
3-3) la forma que podría sustituirse por “la cual”.
4-4) sería también correcta la construcción “se había ido de la memoria
de ellos”.
Comentário
Resposta: FFVVF
Justificativa:
0-0) Falso. Aqui, a forma “que” se refere a “lengua castellana”
1-1) Falso. “Se” é o pronome diretamente ligado ao verbo “irse”
(pronominal), no caso: “se había ido” (mais-que-perfeito do verbo
“irse”.
2-2) Verdadeiro. É a forma correspondente ao pronome pessoal de
terceira pessoa plural para objeto indireto, pois “irse” é um verbo
intransitivo.
3-3) Verdadeiro. O contexto no qual aparece “que”, admite, em
espanhol, a forma “la cual”, pois está fazendo referência, como
já foi dito, a
“lengua castellana”.
4-4) Falso. O espanhol exige o pronome diante da forma verbal
conjugada e, ainda, sempre exige a substituição. Portanto, não
está correta a expressão que aparece na opção 4-4.
CRÓNICA DE UNA MUERTE ANUNCIADA
La bolsa española empieza a despedir un olor a muerto que mata.
Aroma que desprenden compañías que no son ya sino cadáveres andantes que avanzan fatigosos hacia una suerte final que cada vez tiene
menos de incierta y más de deprimente. Se habla mucho de las carteras inmobiliarias que empiezan a acumular los bancos, resultado de
adjudicaciones forzosas o ejecuciones encubiertas. Veremos a ver si
no renacen las corporaciones industriales que murieron allá por mediados de los 90. El círculo vicioso en el que han entrado algunas firmas
tiene, en el entorno actual, difícil ruptura, por no decir imposible, salvo
refinanciación milagrosa. Creyéndose las más en el pasado, serán las
menos en el futuro. Descansarán en paz, no lo duden, bajo una losa
que diga “aquí yacen los frutos de una ambición desmedida que no
supo medir sus riesgos”. Muchos de sus accionistas las acompañarán
en su trayecto. No sólo en el sentimiento. Y todos, de un modo u otro,
pagaremos las consecuencias. Al tiempo.
Se trató de una dinámica recurrente en los años dorados. Engorde de
la sociedad mediante la compra de activos sobrevalorados a través del
uso de una financiación prácticamente regalada en cuanto a los diferenciales y garantías. Casi gratis. O al menos eso parecía mientras el
viento soplaba a favor. Pequeño detalle, olvidar que la base, el tipo de
interés, fluctúa, y el valor de la garantía — sorpresa, sorpresa —, también. En fin. No es un matiz menor. El cálculo de la capacidad de pago
estaba sujeto a ese doble condicionante: tipos bajos y revalorización
futura del aval que permitiría, por una parte, ir refinanciando la adquisición o, por otra, proceder a su enajenación con sustanciosas plusvalías. El nuevo paradigma, que ellas mismas con sus actuaciones
ayudaban a construir, les invitaba a creerse que la rueda continuaría
girando eternamente.
Pero no. Se cierra el grifo y el banco que era amigo se convierte, de
repente, en un extraño que no atiende a razones. ¡Con la pasta que te
he hecho ganar, piensa la sociedad! ¡Con la pasta que puedo perder,
concluye el banco! Y se desencadena el desastre, acentuado por la
dilatación temporal de una crisis que tiene pocos visos de remitir en
breve. O cumples lo pactado o te ejecuto financieramente hablando.
10. Entre las diversas causas a las que el autor achaca la generación
de la actual crisis del mercado financiero, podemos incluir:
0-0) un tipo de interés fluctuante.
1-1) la existencia de una financiación con un precio muy elevado.
2-2) activos sobrevalorados.
3-3) garantías frágiles o insuficientes.
4-4) el hecho que, de repente, los bancos dejaron de financiar o refinanciar ciertas operaciones.
Comentário
Resposta: VFVVV
Justificativa:
A expressão espanhola “un olor a muerto que mata”, referida, no
caso, à bolsa de valores espanhola, significa — de uma forma figurada, é claro, que se encontra em uma situação extremamente
difícil, em crise, quase perto de sua falência (morte) completa.
Dentro dela, a parte final, “que mata” é uma expressão coloquial
que vem acrescentar um sentido de reforço, de intensidade a respeito do fragmento anterior “un olor a muerto”, isto é, “o cheiro a
morto é muito grande: efetivamente, (a bolsa) está morta mesmo,
fede”. Então, dentre as cinco opções que são oferecidas, apenas
“que sorprende” fica fora do contexto significativo indicado e está
incorreta. Já a expressão “que para qué”, correta, aparece também, às vezes, reforçada em espanhol da seguinte forma: “que
para qué contar” e é compatível com outros contextos significativos, não apenas aqui. As outras três possibilidades corretas “que
apesta” (“que fede demais”), “que tira para atrás” (“que desmaia
a pessoa”), “que no hay quien lo aguante” (“que ninguém pode
suportá-lo”), se referem de forma direta ao “cheiro a morto”.
11. Con relación a las entidades financieras, el autor del texto nos dice
que:
0-0) existe un gran número de personas que mantiene deudas cuantiosas con los bancos en la actualidad
1-1) la banca es claramente responsable de la situación financiera a
día de hoy
Las entidades financieras se merecen, sin duda, el párrafofinal. Ya
saben cómo afina el saber popular: cuando debes mil euros al banco,
tienes un problema; si lo que debes es un millón, el problema es del
banco. Y si son muchos millones los que le deben, ni te cuento. Pues
bien, gran parte de lo que se viene encima de la banca se lo ha ganado
a pulso. Cuando se comete un delito pueden distinguirse hasta tres
figuras, desde el punto de vista penal: la del autor, la del instigador que
anima y la del cómplice que ayuda u oculta. Bien. Los bancos han participado de las tres figuras delictivas de un modo u otro y es lógico que
sufran también su condena. Su actuación ha sido irresponsable al alentar operaciones inciertas, financiar fondos de comercio absurdos que
ahora valen entre cero y nada, obviar las más elementales medidas
de control de riesgo en cuantía, concentración y capacidad de repago
y, sobre todo, olvidar todos el carácter cíclico del crédito, el negocio y
la economía, se diga lo que se diga. En cualquier caso, el problema,
como todos ustedes ya saben de sobra y sufren en sus propias carnes,
es que cuando la banca estornuda, la economía real se constipa. Y de
qué modo. En esas estamos ahora.
2-2) los bancos nunca alentaron operaciones inciertas
(S. McCoy, El Confidencial, 23/10/2008).
12. En la primera línea del texto aparece la siguiente frase: “La bolsa
española empieza a despedir un olor a muerto que mata”. Con relación
al segmento que aparece subrayado, y manteniendo siempre el mismo
sentido que el que presenta en el texto, podemos sustituirlo por:
09. El tema fundamental que se trata en el texto podría expresarse de
la siguiente forma:
0-0) una crítica al conjunto de la sociedad por gastar más de lo que
debe y provocar, de forma directa o indirecta, la crisis económica.
3-3) la banca siempre tuvo presente el carácter cíclico de la economía
4-4) los bancos no tomaron medidas efectivas de control de riesgo
Comentário
Resposta: VVFFV
Justificativa:
As opções 0-0, 1-1 e 4-4, verdadeiras, parafraseiam o texto original e não merecem outro tipo de justificativa. Já para as opções
incorretas 2-2 e 3-3, vale dizer, no primeiro caso, que no texto se
diz o contrário, no sentido de que os bancos atuaram de forma
irresponsável por alentar operações incertas; no segundo caso,
se diz, a propósito dos bancos bem como dos demais agentes financeiros que não tomaram em conta alguns fatores, dentre eles,
precisamente, o caráter cíclico da economia.
0-0) un olor a muerto que apesta.
1-1) un olor a muerto que sorprende.
1-1) una exposición detallada de los diferentes tipos de activos financieros que se encuentran en una situación delicada por la crisis económica mundial.
2-2) un olor a muerto que tira para atrás.
2-2) un análisis crítico de los principales motivos y actores que han
provocado la crisis financiera mundial.
4-4) un olor a muerto que para qué.
3-3) una defensa del consumidor ante las entidades bancarias que, a
veces, imponen unas condiciones leoninas a sus clientes.
Comentário
Resposta: VFVVV
Justificativa:
4-4) un análisis técnico que denuncia determinadas prácticas de alto
riesgo por parte de entidades financieras y clientes.
Comentário
Resposta: FFVFV
Justificativa:
0-0) Falso. O texto não critica a sociedade pelo fato de gastar acima das suas possibilidades. Mesmo admitindo que os níveis de
endividamento são elevados, o texto focaliza as práticas ligadas à
chamada “engenharia financeira” como principal causa da atual
crise.
1-1) Falso. O teor do texto não é apenas uma simples descrição
das características dos diferentes produtos financeiros, mas o
fundamental nele é, primeiro, a visão analítica, e crítica, depois,
os ditos produtos.
2-2) Verdadeiro. O autor tenta analisar de forma crítica os atores e
as causas que provocaram a crise financeira atual.
3-3) Falso. Não se trata desse assunto ao longo do texto. Ao contrário, quando são consideradas as nefastas conseqüências que
acarretam,
para quem os contratou, determinados investimentos não seguros, o autor afirma que o investidor deveria ter pensado antes nessa possibilidade: essas são as regras do jogo.
4-4) Verdadeiro. A opção concorda com o que já foi dito a propósito do assunto desenvolvido ao longo do texto.
3-3) un olor a muerto que no hay quien lo aguante.
A expressão espanhola “un olor a muerto que mata”, referida, no
caso, à bolsa de valores espanhola, significa — de uma forma figurada, é
claro, que se encontra em uma situação extremamente difícil,
em crise, quase perto de sua falência (morte) completa. Dentro
dela, a parte final, “que mata” é uma expressão coloquial que vem
acrescentar um sentido de reforço, de intensidade a respeito do
fragmento anterior “un olor a muerto”, isto é, “o cheiro a morto é
muito grande: efetivamente, (a bolsa) está morta mesmo, fede”.
Então, dentre as cinco opções que são oferecidas, apenas “que
sorprende” fica fora do contexto significativo indicado e está incorreta. Já a expressão “que para qué”, correta, aparece também,
às vezes, reforçada em espanhol da seguinte forma: “que para
qué contar” e é compatível com outros contextos significativos,
não apenas aqui. As outras três possibilidades corretas “que
apesta” (“que fede demais”), “que tira para atrás” (“que desmaia
a pessoa”), “que no hay quien lo aguante” (“que ninguém pode
suportá-lo”), se referem de forma direta ao “cheiro a morto”.
13. Considere el siguiente fragmento extraído del primer párrafo del
texto: “Aroma que desprenden compañías que no son ya sino cadáveres”. Con referencia al segmento que aparece destacado, y manteniendo siempre el mismo sentido que el original, puede ser sustituido por:
0-0) que ya no son sino cadáveres.
1-1) que ya son tan sólo cadáveres.
2-2) pero que ya no son cadáveres.
3-3) que no son ya otra cosa que cadáveres.
4-4) que apenas no son ya cadáveres.
Comentário
Resposta: VVFVF
Justificativa:
A estrutura sintática que contém uma dupla negação “no ... sino”
significa giro culto para expressar a afirmação de algo. Portanto,
quando no
texto se diz que “no son ya sino cadávares”, referido às “compañías”, significa que “as firmas, as empresas já foram, faliram,
são, metaforicamente falando, cadáveres”, isto é, afirma-se que
as empresas SÃO (no momento atual, “já”) cadáveres. Portanto, a
opção 2-2 é falsa, porque expressa justamente o contrário, entanto que na opção 4-4, também incorreta, usa-se a forma espanhola
“apenas” que, a diferença do português, não significa “somente”,
senão que possui um valor de aproximação, próximo de “quase”
em português. As restantes opções estão corretas, pois oferecem
opções estilísticas diversas para expressar o
sentido original da expressão que aparece no texto.
14. Poco antes de la conclusión del primer párrafo del texto, aparece
la siguiente frase: “Muchos de sus accionistas las acompañarán en
su trayecto”. Con respecto a la forma ‘las’, y teniendo en cuenta el
contexto en el que aparece, es correcto afirmar que: 0-0) se trata de un
artículo determinado, femenino plural.
3-3) puede ser sustituida aquí por el verbo “seguir”.
4-4) en este caso, puede sustituirse por “eludir”.
Comentário
Resposta: FFFFV
Justificativa:
O contexto no qual aparece “obviar” se refere às causas que provocaram a crise financeira. O que quer dizer aqui “obviar” não
tem a ver com o sentido de “obvio” (que se aplica a coisas ou
fatos que, por evidentes, não precisam de explicação), portanto,
a opção 1-1 é falsa. O que está dizendo o autor é que os responsáveis financeiros esqueceram ou não tomaram em conta as mais
elementares medidas de controle de risco. O verbo mais apropriado em espanhol para expressar essa idéia é “eludir”. Portanto, a
única opção correta é 4-4.
3-3) se refiere a “accionistas”, sustantivo que aparece muy próximo en
la disposición textual.
4-4) está representando formalmente a “algunas firmas”, segmento que
había aparecido con anterioridad en el mismo párrafo del texto.
Comentário
Resposta: FFFFV
Justificativa:
Na língua espanhola, a forma “las”, isolada de qualquer contexto, pode representar, seja o artigo determinado feminino plural,
seja o pronome pessoal de terceira pessoa feminino plural. Aqui
funciona como pronome e desempenha a função textual de fazer
referência a algum outro elemento que já apareceu anteriormente.
No caso, umas linhas acima, “algunas firmas”. Deve concordar
em gênero e número com o substantivo que substitui ou, melhor,
ao qual faz referência: é por isso que flexiona em feminino plural,
como “firmas”. Por tanto, conforme o que foi dito, apenas a opção
4-4 está correta. A opção 3-3, com efeito, fala da função anafórica
de “las”, porém diz que é pronome demonstrativo.
15. Considere, a continuación, el siguiente fragmento que aparece en
el primer párrafo del texto: “[algunas firmas] Descansarán en paz (...)
Muchos de sus accionistas las acompañarán en su trayecto. No sólo
en el sentimiento”. Con respecto a la expresión subrayada, así como a
los elementos que la integran, es correcto afirmar que:
0-0) el “sentimiento” a que se refiere es de solidaridad con los bancos
por la magnitud de la crisis financiera.
Geografia
Anderson Leineker, Nilton Costa.
01. A economia de Pernambuco continua apresentando resultados
bastante positivos. A expectativa para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2008, segundo a Agência Estadual de Planejamento
e Pesquisa (Condepe/Fidem), deve se situar em torno de 6% a 7%.
Com base nesse enunciado, analise as alternativas abaixo.
0-0) O comportamento favorável das lavouras temporárias e das lavouras permanentes, destacando-se, a produção da cana-de-açúcar,
do feijão, do milho e da mandioca, repercute no crescimento da agropecuária.
1-1) O crescimento da construção civil, através da ação do Programa
de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, acompanhado pelo desempenho favorável da indústria de transformação, têm
rebatimento no desenvolvimento da indústria pernambucana.
0-0) puede ser sustituida por “explicar”.
1-1) significa que “algo está muy claro, que no necesita explicación.”
2-2) en este contexto, es equivalente a “observar”.
4-4) do controle da queda da inflação.
Comentário
A economia nacional, em 2008, apresentou indicadores favoráveis, até o momento, devido a uma continuação das políticas econômicas de quase uma década atrás, atrelada a uma forte ação
social. Também se destaca um alto apoio às exportações.
Gabarito: VVVVV
05. O Produto Interno Bruto é um dos principais indicadores de crescimento econômico de um país. Sobre o PIB, analise as seguintes proposições.
0-0) O consumo da população não influencia na variação do PIB.
1-1) O desempenho do PIB é decorrente da performance da agropecuária, da indústria e dos serviços.
2-2) O PIB per capita é a soma das riquezas dividida pelo número de
habitantes.
Comentário
O consumo da população influencia o PIB, pois gera a incorporação das riquezas produzidas em vários setores. Vale ressaltar
que as exportações são importantes para a composição do PIB,
auxiliando também o cálculo do PNB (Produto Nacional Bruto).
4-4) A evolução positiva na massa de rendimento dos ocupados no
mercado de trabalho e a expansão nominal do crédito favorecem o
crescimento da economia de Pernambuco.
Comentário
A questão abarcou o cenário da evolução da economia do estado
pernambucano e destacou a evolução do mercado local, com o
desenvolvimento do terciário e as obras do PAC-federal.
02. As proposições a seguir se referem à crise cíclica do capital nos
Estados Unidos, considerada, pelos especialistas econômicos, como a
mais profunda que se pode imaginar. Analise-as.
16. En el último párrafo del texto, aparece el siguiente fragmento: “obviar las más elementales medidas de control de riesgo”. Con relación a
la palabra que aparece destacada, es correcto afirmar que:
3-3) do crescimento do consumo das famílias, do governo e dos investimentos.
3-3) No setor terciário, o comércio é destaque na contribuição do crescimento desse segmento, em 2008.
2-2) la palabra “sentimiento”, en el contexto en que aparece, encierra
un doble sentido.
Comentário
Resposta: FVVVF
Justificativa:
A palavra “sentimento” tem aqui um duplo valor (portanto, a opção 2-2 está correta). Por um lado, o autor joga com o sentido de
“pesar, dor,
preocupação” pelos efeitos da crise, tanto nas empresas, como
nos bancos e nos investidores envolvidos em operações de alto
risco. Então, nesse sentido, o “sentimento” não é de solidariedade, senão de pesar, de culpa, de arrependimento pelo ônus e pelas
conseqüências
de investir em produtos com risco; (portanto, a opção 0-0 está
incorreta). Por outro lado, desde o início do texto se fala dos mercados financeiros como cadáveres; nesse sentido, os investidores que faliram junto com as empresas envolvidas, “acompanham
no sentimento” (pêsames) a si mesmos e às empresas e bancos,
porque todos eles faliram ao mesmo tempo (opção 3-3 correta).
Do ponto de vista formal, a palavra espanhola “sólo” funciona
aqui como advérbio, equivalente, portanto à palavra portuguesa
“apenas” (opção 1-1, correta). Antigamente, a ortografia espanhola diferenciava obrigatoriamente a forma “solo” sem acento gráfico, quando equivalia ao português “só”, isto é, quando era um
adjetivo; quando era advérbio, e equivalia às formas portuguesas
“somente, só, apenas”, levava acento gráfico. Porém, na última
reforma ortográfica da Real Academia Espanhola da Língua, o
acento na forma adverbial é opcional e não obrigatória. Portanto,
a opção 4-4 está incorreta.
1-1) da evolução da massa salarial.
3-3) As exportações não fazem parte do cálculo do PIB.
Gabarito: VVVVV
4-4) según la última reforma ortográfica de la lengua española, la palabra “sólo”, con el valor con el que aquí se emplea, llevará siempre
tilde.
0-0) do aumento do emprego formal.
2-2) A formação bruta de capital fixo (investimentos em máquinas e
equipamentos) e a evolução do consumo das famílias vêm sinalizando
expectativas mais favoráveis à expansão da economia pernambucana,
em 2008.
1-1) la forma “sólo” que aparece en este fragmento es equivalente a la
forma portuguesa “apenas”.
3-3) en esta expresión se advierte un valor semántico metafórico, que
tiene que ver con la expresión española de pésame “le acompaño
en el sentimiento”.
04. O crescimento econômico apresentado pela economia brasileira,
em 2008 é decorrente:
2-2) do aumento da produção industrial.
1-1) su referente contextual son las “nefastas consecuencias de la crisis financiera”: por eso es femenino plural.
2-2) se trata de un pronombre demostrativo, porque apunta a otro elemento textual mencionado conanterioridad en el texto.
Comentário
O sistema do agronegócio incorpora uma relação contínua, desde a produção até a comercialização do produto, em que existe
uma ligação total com a indústria. Vale ressaltar que, geralmente,
é necessária a obtenção de grandes partes de terra (latifúndio). No
Brasil, é importante a participação do agronegócio na composição
do PIB.
Gabarito: FVVVF
0-0) Nos últimos anos, o mercado financeiro internacional tem passado
por forte liquidez com muitos recursos à procura de juros mais altos.
1-1) Com tanto dinheiro fluindo, houve um aumento na concessão de
crédito, setor que ganhou força, sem que tenha havido maiores exigências, por parte das Instituições financeiras, aos tomadores de empréstimos.
2-2) A expansão do crédito culminou em crise no mercado imobiliário
americano, onde empresas de hipoteca têm tido problemas de inadimplência acima das expectativas geradas.
3-3) Os problemas no crédito imobiliário dos Estados Unidos tiveram
reflexo mundial, e os bancos passaram a negar recursos.
4-4) Os mercados acionários em todo o planeta entraram em um período de turbulência com quedas expressivas, com a falta de liquidez no
sistema financeiro internacional.
Comentário
Aborda a questão da crise nos EUA quanto aos vetores, créditos e
juros, gerando um reflexo sobre o mercado imobiliário que contaminou a massa da ciranda financeira.
Gabarito: VVVVV
03. As proposições a seguir se referem ao Agronegócio no Brasil.
Analise-as.
0-0) O agronegócio é formado por um conjunto de atividades independentes, que têm em seu centro a agropecuária.
1-1) O agronegócio agrupa as atividades econômicas que mais cresceram no Brasil, no início do século XXI.
2-2) Os setores de transporte e armazenamento constituem gargalos
ao desenvolvimento do agronegócio no Brasil.
3-3) No agronegócio, as atividades econômicas estão amplamente articuladas entre si, constituindo uma cadeia produtiva.
4-4) O agronegócio, como modelo de expansão agrária, embora acelere o desmatamento com a ocupação indiscriminada do solo, contribui
para uma melhor distribuição fundiária e da posse da terra.
4-4) Sob a ótica do PIB, o Brasil melhorou sua posição no ranking
mundial da economia.
Gabarito: FVVFV
06. As alternativas abaixo se referem ao desenvolvimento econômico
da China. Analise-as.
0-0) Sob o domínio de Mao Tse-Tung, o modelo soviético de economia
planificada, adotado pela China, na tentativa de impulsionar o seu desenvolvimento econômico, não alcançou os resultados esperados.
1-1) Com a morte de Mao Tse-Tung, a China parte para uma nova
revolução liderada por Deng Xião Ping, a “Revolução para a Modernidade.”
2-2) Em 1978, a China efetiva uma série de reformas que possibilitou
um surto de crescimento econômico, denominado de “Economia Socialista de Mercado.”
3-3) As reformas de Deng Xião Ping na economia foram feitas tanto no
setor agrícola, como na indústria, onde foram criadas as Zonas Econômicas Especiais (ZEEs), abertas aos investimentos estrangeiros.
4-4) Do ponto de vista social, as mudanças econômicas trouxeram ao
país o aumento das desigualdades regionais já existentes e das migrações internas, além do desemprego.
Comentário
A evolução da China, Dragão da Ásia, contabiliza uma reorganização econômica do país, conduzido por uma filosofia do socialismo de mercado. Tem como abalizador, o governo de DENG XIAO
PING, que abriu para um ciclo modernizador. Mesmo assim, ainda
hoje os problemas existem, principalmente ligados à pobreza e ao
desemprego.
Gabarito: VVVVV
07. Analise as alternativas abaixo a respeito da urbanização e do papel
das cidades, no mundo atual.
0-0) Nos países desenvolvidos, os chamados subúrbios são semelhantes à chamada periferia das grandes cidades dos países subdesenvolvidos, locais que se caracterizam por apresentar uma carência muito
grande em infra-estrutura e por abrigar populações urbanas de renda
mais baixa.
1-1) O conceito de cidades globais, criado na década de 1960, não
considera fundamentais, indicadores como superfície ocupada e tamanho populacional, mas, sim, as relações internacionais que estas
desenvolvem no âmbito mundial.
2-2) As cidades globais não estão presentes apenas nos chamados países centrais; algumas se localizam em países considerados mercados
emergentes, como o Brasil, a Argentina, a Coréia do Sul etc.
3-3) Na maior parte dos países desenvolvidos industrializados, o processo de urbanização acelerada, teve início a partir da segunda metade do século XIX, no momento da Segunda Revolução Industrial.
4-4) As megacidades são definidas principalmente pelo tamanho populacional que possuem, correspondendo àqueles aglomerados urbanos
com população superior a 10 milhões de habitantes. Diferem, pois, do
conceito de megalópole, que é territorial, correspondendo a uma região
superurbanizada, onde, em uma área de pequena extensão, existem
várias metrópoles, somadas a um conjunto de outras cidades.
Comentário
A questão trata da incorporação de terras pelo fenômeno da urbanização. Nos países desenvolvidos, as áreas centrais apresentam
uma distância evolutiva quanto às periferias. As cidades globais,
definição da década de 80, apresentam uma espacialidade no
campo econômico, político e social.
A partir da identificação dos aspectos paisagísticos contidos, é correto
afirmar que:
0-0) esse tipo de relevo ocorre exclusivamente em ambientes onde
existem falhas geológicas.
1-1) as variações climáticas ocorridas nessa bacia hidrográfica não interferem no crescimento dessa forma de relevo próxima ao oceano.
2-2) existe, na área, uma feição de relevo que é denominada planície
deltáica.
3-3) ocorrem, na área, amplas falésias cristalinas, esculpidas pela milenar ação abrasiva do mar.
Gabarito: FFVVV
4-4) o trecho terminal do rio Amazonas apresenta morfoesculturas deposicionais que exemplificam esse tipo de relevo costeiro.
08. Sobre o comércio externo e as políticas protecionistas, analise as
afirmações abaixo.
Comentário
O esquema mostra um delta que é um tipo de foz interrompida, no
qual observam-se amplas regiões com depósitos de sedimentos.
É uma ação quase exclusiva do rio e da abrasão marinha. Não
possui falésias nem estruturas falhas no destaque.
0-0) No Brasil, as relações de troca com os países desenvolvidos têm
sido sempre favoráveis, no que diz respeito às exportações de commodities agrícolas.
1-1) Pernambuco exporta mais açúcar em estado bruto (demerara),
apresentando, nesse segmento, relações de troca desfavoráveis.
2-2) Os subsídios oferecidos pelos países ricos aos seus agricultores
são benéficos para a agricultura dos países pobres, pois resultam em
queda de preços das importações.
Gabarito: FFVFV
12. A figura a seguir, que mostra, de maneira esquemática, dois perfis
distintos de solos, permite concluir que:
3-3) O chamado “custo Brasil” é um dos fatores impeditivos para o
melhor desempenho do setor agroexportador nacional.
0-0) essa área é típica do domínio morfoclimático denominado, pelo
geógrafo Aziz Nacib Ab’Sáber, “Domínio dos Cerrados, com chapadões”.
1-1) o setor A corresponde a uma ampla cuesta que foi dissecada por
intensos processos erosivos de caráter fluvial.
2-2) o setor B, que apresenta potencialidades para o desenvolvimento
de atividades agrícolas, corresponde a um terraço fluvial. 3-3) o setor
C possui sedimentos mais recentes, pois se trata de uma área denominada “planície de inundação” ou várzea
.
4-4) o rio principal D funciona como um nível de base aos processos
erosivos que se verificam na área.
Comentário
A figura mostra uma área de relevo que sofre um intenso trabalho
de erosão por um curso fluvial, apresentando, na parte superior,
uma paisagem oriunda de domínios de mar de morros, e, na parte
inferior, logo abaixo do terraço fluvial, uma planície de inundação
ou de várzea que apresenta sedimentos recentes.
4-4) Os entraves decorrentes de políticas protecionistas dizem respeito
somente às barreiras tarifárias.
Gabarito: FFVVV
Comentário
O comércio brasileiro sofre, ainda, com as ações protecionistas
dos países ricos. Os custos com a produção e com a mão-de-obra
somam-se ao contexto geral dessa ótica comercial.
15. Sobre as condições climáticas do Nordeste brasileiro, analise as
afirmações a seguir.
Gabarito: FVFVF
09. Sobre o tema Movimentos da Terra, é correto afirmar o que segue.
0-0) A órbita da Terra é aproximadamente elíptica; há momentos em
que o planeta se encontra mais próximo do Sol (afélio) e outros em que
está mais afastado (periélio).
1-1) O caminho aparente do Sol ao redor da Terra denomina-se eclíptica; o Sol passa sobre o Equador terrestre no início do outono e da
primavera.
2-2) Além da rotação e da translação, a Terra executa outros movimentos, como, por exemplo, a precessão dos equinócios e a nutação.
3-3) A Terra e a Lua giram juntas em uma órbita em torno do Sol; a
excentricidade da órbita é, contudo, pequena.
4-4) O inverno e o verão, nos dois hemisférios terrestres, têm início
durante os solstícios.
Comentário
Os movimentos de rotação e translação são os dois principais do
planeta. No caso da rotação, a Terra gira em torno de si mesma. Na
translação (giro em torno do Sol e quando se definem as estações
do ano), acontecem o Afélio (distância) e Periélio (proximidade)
em relação ao Sol.
0-0) as características dos solos associam-se, também, às condições
climáticas ambientais em que se encontra a região.
1-1) o solo X apresenta um horizonte A mais desenvolvido porque as
espécies vegetais da área são caducifólias e há muitas cactáceas.
2-2) o solo Y é tipico de florestas latifoliadas perenifólias, onde os processos de laterização são frequentemente encontrados.
3-3) o solo X é menos desenvolvido que o solo Y em decorrência do
material de origem.
4-4) os solos evoluem muito mais em função da cobertura vegetal do
que das condições climáticas ambientais; esse é o motivo que justifica
solos tão desenvolvidos nas encostas do Agreste pernambucano.
Comentário
O número de horizontes pode caracterizar o desenvolvimento do
solo, atrelado, também às suas espessuras. Os horizontes comparados (X e Y) mostram duas áreas diferentes: uma pelo rigor do
clima e estrutura dos vegetais (X) e outra pelo desenvolvimento
dos seus horizontes e da sua estrutura vegetativa.
Gabarito: VFFFF
13. A figura a seguir representa diversos aspectos da crosta terrestre,
segundo a ótica da Tectônica de Placas. A análise dessa figura e os
conhecimentos sobre esse assunto permitem concluir que:
0-0) O fenômeno La Nina, que se verifica no Pacífico Equatorial, eventualmente acarreta prolongada estiagem na área do Trópico Semiárido
brasileiro, especialmente em Pernambuco.
1-1) As Ondas de Leste, que se originam no Agreste pernambucano e
paraibano, avançam intensamente sobre a Zona da Mata, provocando
chuvas de outono.
2-2) As descargas da Frente Polar Atlântica respondem pelo regime de
chuvas de inverno verificadas no norte do semi-árido nordestino; essas
descargas são mais efetivas em anos de El Niño.
3-3) A Zona de Convergência Intertropical é a principal responsável
pelas chuvas de verão retardadas para outono que se verificam nos
Estados da Paraíba, do Rio Grande do Norte, do Ceará e do Piauí;
essas chuvas são de caráter convectivo.
4-4) A Zona da Mata pernambucana possui um regime de chuvas de
outono-inverno; essas chuvas são, em geral, de natureza frontológica,
mas podem também ser determinadas pelas Ondas de Leste.
Comentário
O nordeste brasileiro possui um sistema de climas bem heterogêneo, dividido em quatro sub regiões, sofrendo influência do relevo, da latitude, das massas de ar e dos demais agentes atmosféricos. A região sofre, também, a interferência do fenômeno El Nino,
que ocorre no Oceano Pacífico, desorganizando, neste período, a
estrutura climática da região.
Gabarito: FVVVV
Gabarito: FFFVV
10. O aumento da temperatura da Terra é a expressão de uma fase de
aquecimento global. Como conseqüências principais desse provável
fenômeno atmosférico, podem ser citadas as seguintes:
16. A poluição atmosférica representa , atualmente, um dos mais sérios
problemas ambientais enfrentados pela humanidade. Os poluentes atmosféricos podem afetar a cobertura vegetal, os mananciais e os seres
humanos. Que meios de intervenção disponíveis podem ser empregados para o controle dessa poluição?
0-0) movimento eustático negativo.
0-0) incentivo à utilização de novas tecnologias.
1-1) decréscimo das calotas polares.
1-1) estímulo a florestação.
2-2) expansão das áreas afetadas por doenças tropicais.
3-3) impossibilidade do desenvolvimento da agricultura tropical em
face do aumento da insolação.
4-4) formação de grandes tsunamis, especialmente no mundo tropical.
Comentário
A industrialização e a queima dos combustíveis fósseis geram a
retenção de calor, por parte do planeta, com o CO2. Abordando o
aquecimento global, algumas ações são:
– movimento de subida dos oceanos (eustasia positiva);
– degelo das calotas polares;
– mudanças climáticas.
Gabarito: FVVFF
11. Observe a figura a seguir.
0-0) as fossas submarinas ou trincheiras oceânicas, como também
são denominadas, são encontradas em locais de subdução de placas
litosféricas
1-1) a separação de placas pode ocasionar a formação de grandes
rupturas na crosta, mais especificamente no assoalho submarino, conhecidas como falhas.
2-2) o mecanismo físico das correntes de convecção do manto é uma
das causas mais importantes da separação das placas litosféricas.
3-3) a formação de cadeias orogenéticas se dá exatamente nas áreas
em que duas placas litosféricas se afastam.
4-4) as cristas das dorsais oceânicas formam planos interrompidos em
face da cinemática das placas litosféricas.
Comentário
As correntes de convecção são as principais responsáveis pela
movimentação das placas tectônicas, que, por sua vez, atuam
como agentes endógenos, formando as estrutura de relevo, continental e oceânico. O movimento das placas litosféricas nos oceanos, quando tomam o sentido convergente, por meio de um movimento denominado de subducção, podem originar as trincheiras
oceânicas.
Gabarito: VVVFV
14. Sobre a paisagem esboçada a seguir, é correto afirmar que:
2-2) definição de normas de emissão de poluentes.
3-3) controle dos locais de deposição de resíduos sólidos e de queima
de resíduos perigosos.
4-4) utilização de redes de monitoração da qualidade do ar.
Comentário
Todas as alternativas fornecidas apresentam meios para minimizar os malefícios causados pela poluição atmosférica e as demais
formas de degradação ambiental expostas no enunciado. Objetiva-se, por meio da utilização de técnicas mais limpas, do controle
da emissão de gases poluentes e de políticas de conscientização
ambiental, garantir melhorias na qualidade de vida a médio e a
longo prazo.
Gabarito: FFFVV
Inglês
Marco Antônio Guimarães, Otacílio Barreto
TEXT I
INTRODUCTION
I have an engeneering problem.
While for the most part I’m in terrific physical shape, I have
ten tumors in my liver and I have only a few months left to
live.
I am a father of three young children, and married to the woman of my
dreams. While I could easily feel sorry for myself, that wouldn’t do them,
or me, any good.
So, how to spend my very limited time?
The obvious part is being with, and taking care of, my family. While I still
can, I embrace every moment with them, and do the logistical things
necessary to ease their path into a life without me.
The less obvious part is how to teach my children what I would have
taught them over the next twenty years. They are too young now to
have those conversations. All parents want to teach their children right
from wrong, what we think is important, and how to deal with the challenges life will bring. We also want them to know some stories from our
own lives, often as a way to teach them how to lead theirs. My desire to
do that led me to give a “last lecture” at Carnegie Mellon University.
These lectures are routinely videotaped. I knew what I was doing that
day. Under the ruse of giving an academic lecture, I was trying to put
myself in a bottle that would one day wash up on the beach for my children. If I were apainter, I would have painted for them. If I were a musician, I would have composed music. But I am a lecturer. So I lectured.
Comentário
Esta questão pondera o que o autor acha sobre a situação dos
seus filhos em relação à morte iminente dele. O autor diz: “They
are too young now to have those conversations”, o que torna a
proposição (0 – 0) verdadeira e a (1 – 1) falsa. Do meio ao final
do texto, ele nos diz que irá deixar um legado a todos e, principalmente, a seus filhos, portanto a (2 – 2) é falsa. Já a (3 – 3) é
pura extrapolação, portanto falsa. Quando ele diz: “Because time
is precious, and I want to spend all that I can with my kids…”, faz
a (4 – 4) verdadeira.
Gabarito: VFFFV
04. Randy decided to give a lecture in order to be able to
0-0) make money to take his children to the beach.
1-1) make money to buy bottles of soda at the beach.
2-2) help his kids with important lessons in the future.
3-3) teach them about values he considers priceless.
4-4) to make money to take a course in painting.
Comentário
Sobre a decisão do autor em dar palestras, em nenhum momento
ele argumenta sobre essas como fonte de renda, portanto estão
falsas as proposições (0 – 0), (1 – 1) e (4 – 4), mas o que ele deixa
claro é a intenção de compartilhar valores, o que implica dizer que
(2 – 2) e (3 – 3) são verdadeiras.
I lectured about the joy of life, about how much I appreciated life, even
with so little of my own left. I talked about honesty, integrity, gratitude,
and other things I hold dear. And I tried very hard not to be boring.
Gabarito: FFVVF
This book is a way for me to continue what I began on stage. Because
time is precious, and I want to spend all that I can with my kids, I asked
Jeffrey Zaslow for help. Each day, I ride my bike around my neighborhood, getting exercise crucial for my health. On fifty-three long bike
rides, I spoke to Jeff on my cell-phone headset. He then spent countless hours helping to turn my stories – I suppose we could call them
fifty-three “lectures” – into the book that follows.
0-0) pessimism
We knew right from the start: None of this is a replacement for a living
parent. But engineering isn’t about perfect solutions; it’s about doing the
best you can with limited resources. Both the lecture and this book are
my attempts to do exactly that.
4-4) hope
05. Randy Pausch’s message is one of
3-3) his body shape is very good.
4-4) his body shape horrifies him.
Comentário
O autor fala: “... I’m in terrific physical shape”. Pois bem, o vocábulo “terrific” pode parecer “terrível”, porém é exatamente o
contrário, caracterizando-se, assim, um falso cognato. Portanto,
as proposições que afirmam que a forma física dele é boa são
verdadeiras e as que dizem que a forma é ruim, falsas.
Gabarito: VFFVF
02. Randy Pausch
0-0) rides his bicycle every day in order to exercise.
1-1) knows he is going to die eventually.
2-2) has very little time left to enjoy life.
3-3) married a beautiful woman in a dream he had.
4-4) is an engineer who has a problem.
Comentário
Esta questão pergunta fatos relacionados à vida do autor. A proposição (0 – 0) afirma que ele anda de bicicleta diariamente para
se exercitar e o aluno identifica que isso é verdade no penúltimo
parágrafo: “Each day, I ride my bike for my health”. Já no segundo
parágrafo, há a afirmação da proposição (1 – 1): “… I have only a
few months to live”, e nesse mesmo trecho se encontra a veracidade da (2 – 2). Já as (3 – 3) e (4 – 4) são ambas falsas, pois ele
se casou com a mulher de seus sonhos, e não em um sonho que
teve: “... married to the woman of my dreams”. Além disso, o texto
deixa claro que ele tem um problema de engenharia, e não que ele
é engenheiro.
Gabarito: VVVFF
03. The author reckons his children
0-0) are not ready to understand what he wants to teach them yet.
1-1) have the maturity to cope with the problem their father is facing.
2-2) will not have a chance to learn from their father due to his death.
3-3) would rather watch TV instead of listening to his stories.
4-4) should have his company at all moments before his dies.
0-0) are essential to the identity of individuals and groups and also to
their peaceful coexistence.
1-1) are a strategic factor for the promotion of sustainable development
in different countries.
2-2) are supports for education and the fight against HIV/AIDS and malaria.
3-3) have a strategic role in consolidating extreme poverty and hunger
all over the world.
4-4) are an important instrument for the promotion of peace and peoples’ self identity.
Comentário
0-0) A idéia está no 2º parágrafo: “Languages are indeed ... peaceful coexistence”.
1-1) A idéia está, também, no 2º parágrafo, na sentença que vem
logo após a utilizada pela primeira proposição.
2-2) A sentença encontrada no 3º parágrafo: “... They are essential
to ... HIV / AIDS, malaria...”.
3-3) A sentença: “Languages effectively play a strategic … poverty
and hunger;”.
4-4) Esta sentença pode ser vista como uma paráfrase da proposição (0-0).
Gabarito: VVVFV
3-3) faith
0-0) approximately 25% of all existing languages are spoken in schools
with cyberspace.
Gabarito: FVFVV
2-2) he has terrible problems in his body shape.
06. The United Nations acknowledges that languages
07. The text asserts that
Answer the following five questions according to TEXT I.
1-1) he is physically terrible.
Answer the following four questions according to TEXT II.
2-2) fear
Pausch, Randy. The last lecture. Hyperion, New York. 2008.
206p.
0-0) he is physically very well.
Disponívelem:<http://portal.unesco.org/culture/en/ev.php-URL_
ID=35559&URL_DO=DO_TOPIC&URL_SECTION=201.html> Acessado em 2 de setembro de 2008
1-1) optimism
Comentário
Questão de pura interpretação da idéia geral do texto, que mostra que as mensagens do autor são de otimismo, fé e esperança.
Então essas seriam verdadeiras e as que tratavam de medo e pessimismo, falsas.
01. The author of the text says, ‘“…for the most part I’m in terrific physical shape”. That means that, for the most part
Koïchiro Matsuura
1-1) cultural diversity and linguistic diversity have far from close a relationship.
2-2) more than half the languages there exist will possibly disappear in
the future.
3-3) most languages spoken in schools and in cyberspace are used
frequently.
4-4) there are 7.000 languages spoken in the world today.
TEXT II
“Languages matter!”
The year 2008 has been proclaimed International Year of Languages by
the United Nations General Assembly. UNESCO, which has been entrusted with the task of coordinating activities for the Year, is determined
to fulfill its role as lead agency.
The Organization is fully aware of the crucial importance of languages
when seen against the many challenges that humanity will have to face
over the next few decades. Languages are indeed essential to the identity of groups and individuals and to their peaceful coexistence. They
constitute a strategic factor of progress towards sustainable development and a harmonious relationship between the global and the local
context.
They are of utmost importance in achieving the six goals of education
for all (EFA) and the Millennium Development Goals (MDGs) on which the United Nations agreed in 2000. As factors of social integration,
languages effectively play a strategic role in the eradication of extreme
poverty and hunger; as supports for literacy, learning and life skills,
they are essential to achieving universal primary education; the combat against HIV/AIDS, malaria and other diseases must be waged in
the languages of the populations concerned if they are to be reached;
and the safeguarding of local and indigenous knowledge and know-how
with a view to ensuring environmental sustainability is intrinsically linked
to local and indigenous languages.
Comentário
0-0) O texto fala “menos de 25% das línguas”, até este ponto podemos concordar com a proposição, mas quando ela termina falando em escolas com espaços virtuais, isso extrapola o texto,
pois o mesmo faz menção a escola e espaços virtuais (“... schools
and in cyberspaces...”)
1-1) Diversidade cultural e lingüística têm muito em comum, e não
o contrário. Isso é visto no 4º parágrafo, logo nas duas primeiras
linhas.
2-2) As três primeiras linhas do 5º parágrafo dizem exatamente
isso: “... more than 50% of the 7,000 languages ... disappear.”
3-3) O texto afirma justamente o contrário: “... most are used only
sporadically.”
4-4) Esta idéia é encontrada nas três primeiras linhas do 5º parágrafo.
Gabarito: FFVFV
08. The United Nations call for action in favor of multilingualism and
linguistic diversity. This can be achieved by
0-0) enabling the police to speak more than one language in order to
help different communities.
1-1) creating the proper environment for mother languages to be spoken
often and pervasively.
Moreover, cultural diversity is closely linked to linguistic diversity, as
indicated in the UNESCO Universal Declaration on Cultural Diversity
and its action plan (2001), the Convention for the Safeguarding of the
Intangible Cultural Heritage and the Convention on the Protection and
Promotion of the Diversity of Cultural Expressions (2005).
2-2) encouraging people to learn a dominant language in place of a
regional or a national one.
However, within the space of a few generations, more than 50% of the
7,000 languages spoken in the world may disappear. Less than a quarter of those languages are currently used in schools and in cyberspace,
and most are used only sporadically. Thousands of languages – though
mastered by those populations for whom it is the daily means of expression – are absent from education systems, the media, publishing and
the public domain in general.
4-4) promoting policies which consolidate the far reaching use of 1st
languages by their communities.
We must act now as a matter of urgency. How? By encouraging and
developing language policies that enable each linguistic community to
use its first language, or mother tongue, as widely and as often as possible, including in education, while also mastering a national or regional
language and an international language. Also by encouraging speakers
of a dominant language to master another national or regional language
and one or two international languages. Only if multilingualism is fully
accepted can all languages find their place in our globalized world.
Our common goal is to ensure that the importance of linguistic diversity
and multilingualism in educational, administrative and legal systems,
cultural expressions and the media, cyberspace and trade, is recognized at the national, regional and international levels. The International
Year of Languages 2008 will provide a unique opportunity to make decisive progress towards achieving these goals.
3-3) hiring regional and national masters of languages to teach their
first language abroad.
Comentário
0-0) O texto em nenhum momento fala em POLÍCIA , e sim em
POLICIES = políticas.
1-1) Esta é a idéia central de todo o texto.
2-2) Não se fala, no texto, que se deve aprender uma língua importante em vez de uma língua local ou nacional.
3-3) Não se menciona no texto a contratação de professores para
ensinarem línguas maternas no exterior.
4-4) Encontramos no penúltimo parágrafo esta idéia: “ We must
act ... its first language...”.
Gabarito: FVFFV
09. The word unique in the last sentence of the text means
0-0) great
1-1) different
2-2) super
3-3) unparalleled
4-4) singular
Comentário
Para a equipe MOTIVO esta questão está mal elaborada, pois se
consideramos a palavra UNIQUE de forma isolada, veremos os
significados (3-3) e (4-4), como está no gabarito oficial. Mas, se
olharmos com mais atenção para o enunciado, vemos que a Banca requisitou do candidato a palavra no contexto, e não isolada. A
sentença: “The International Year... The goal.”, a última do texto,
diz que: o ano internacional das línguas, 2008, terá uma grande /
super / inigualável / ímpar oportunidade de fazer progressos decisivos em direção a atingir esses objetivos”.
Por conta disso, discordamos da Banca e pedimos que ela mude
o gabarito para: VFVVV.
Gabarito: FFFVV
TEXT III
COPYRIGHT THEFT.
It’s a myth that buying fake DVDs or downloading illegal content is a
victimless crime. The most obvious concern may be the poor sound
and picture quality or that the film stops before the end leaving you
hanging. But scratch the surface and you’ll find the damage caused by
fake DVDs affects a wide range of people.
Copyright theft is a big issue - for the consumer, for the film and TV
industries and for communities. For legitimate business, the distributors
and high street retailers who sell or rent DVDs, counterfeiting has a
significant impact on profits. At present, 15% of the value of legitimate
sales is lost to the problem. It doesn’t just affect big businesses; these
losses have a serious negative impact on the 200,500 people employed
in the industry in the UK, contributing to rental and retail store closures,
loss of jobs and threatening future investment.
proposição (2 – 2) apresenta o vocábulo “conterfeiters” e “profit”,
respectivamente, “falsificadores” e “lucro”, portanto proposição
falsa, pois ao contrário, eles se beneficiam. A (3 – 3) afirma que
afeta os “retailers”, “varejistas”, distribuidores e vendedores legais, portanto verdadeira. Além disso, o texto deixa claro que, em
geral, a saúde e a educação dos cidadãos são afetadas, e não as
dos criminosos.
The bend of my hair,
the palm of my hand,
The need of my care,
‘Cause I’m a woman
Phenomenally.
Phenomenal woman,
That’s me.
Gabarito: FVFVF
Maya Angelou
12. DVD piracy profits are estimated at
0-0) £ 1.4 million
0-0) pretty women
2-2) £ 169 million
1-1) bees
3-3) £ 460 million
2-2) men
4-4) £ 100 million
3-3) herself
Comentário
Questão não-usual de uma prova de 2ª fase, pois é a leitura direta
de um dado, no caso, o lucro dos DVD’s piratas. Portanto, só há
uma proposição verdadeira: a (2 – 2).
4-4) her own
Gabarito: FFVFF
13. According to the text it is right to state that
0-0) pirate DVDs normally have excellent sound and image.
1-1) more than one million fake DVDs have been seized.
2-2) there have been counterfeiters punished by law.
3-3) film and TV industry have benefited from counterfeit.
4-4) both big and small businesses are affected by copyright theft.
Gabarito: FVVFV
TEXT IV
10. Piracy as concerns fake DVDs and illegal content downloading is
a crime
0-0) with many victims.
1-1) that affects both employers and employees.
2-2) that only affects poor sound and picture quality.
3-3) with less victims than other forms of piracy.
4-4) with no victims.
Comentário
Essa questão, do texto III, pondera sobre o teor criminoso de se
fazer DVD’s pirateados e a troca de materiais pela Internet. O texto
afirma e enfatiza que a situação não deve ser levada na brincadeira, pois as vítimas são muitas, e o tema afeta tanto empregadores
quanto empregados. Portanto, as proposições (0 – 0) e (1 – 1) são
verdadeiras e as demais, falsas.
Gabarito: VVFFF
11. Copyright theft affects
0-0) very few people altogether.
1-1) the jobs of people who work legally.
2-2) the profits of counterfeiters.
3-3) retailers, distributors and legal sellers.
4-4) criminals’ education and health.
Comentário
Já abordado na questão anterior, o tema questiona o que o roubo
de direitos autorais acarreta. A questão tem vocábulos específicos, portanto um pouco mais complexa. A proposição (0 – 0), que
diz que afeta pouca gente, já foi desmentida na questão anterior.
Quando o autor diz “... for legitimate business”, fica claro que
afeta o trabalho de quem atua legalmente, (1 – 1) verdadeira. A
14. Maya Angelou is giving a description of
1-1) £ 1.5 million
Comentário
No primeiro parágrafo é dito: “... The poor sound and picture quality...” . Portanto, a proposição (0 – 0) é falsa, pois afirma exatamente o contrário. Há um dado que mostra o seguinte: “fake DVD’s
seized by fact: 1.5 milion”, então, a (1 – 1) é verdadeira. No último
dado do texto, mostra-se que houve punição a alguns falsificadores, portanto (2 – 2) é verdadeira. Já a (3 – 3) é falsa, pois nem a
indústria de filmes, nem a TV têm se beneficiado com a pirataria.
E, já abordado, nas questões anteriores: negócios grandes e pequenos são afetados pela pirataria, (4 – 4) verdadeira.
Answer the following four questions according to TEXT III.
Answer the following three questions according to TEXT IV.
Phenomenal Woman
Pretty women wonder where my secret lies.
I’m not cute or built to suit a fashion model’s size
But when I start to tell them,
They think I’m telling lies.
I say,
It’s in the reach of my arms
The span of my hips,
The stride of my step,
The curl of my lips.
I’m a woman
Phenomenally.
Phenomenal woman,
That’s me.
I walk into a room
Just as cool as you please,
And to a man,
The fellows stand or
Fall down on their knees.
Then they swarm around me,
A hive of honey bees.
I say,
It’s the fire in my eyes,
And the flash of my teeth,
The swing in my waist,
And the joy in my feet.
I’m a woman
Phenomenally.
Phenomenal woman,
That’s me.
Men themselves have wondered
What they see in me.
They try so much
But they can’t touch
My inner mystery.
When I try to show them
They say they still can’t see.
I say,
It’s in the arch of my back,
The sun of my smile,
The ride of my breasts,
The grace of my style.
I’m a woman
Phenomenally.
Phenomenal woman,
That’s me
Now you understand
Just why my head’s not bowed.
I don’t shout or jump about
Or have to talk real loud.
When you see me passing
It ought to make you proud.
I say,
It’s in the click of my heels,
Comentário
Interpretação de um poema, também algo não-usual da prova de
segunda fase. A questão pergunta a idéia geral, quando questiona
o que a autora está descrevendo, que, no caso, é ela mesma, portanto as proposições verdadeiras são apenas as (3 – 3) e (4 – 4).
Gabarito: FFFVV
15. For the poet
0-0) her secret in not in her appearance.
1-1) pretty women know why she is a phenomenal woman.
2-2) pretty women take her for a liar when she reveals her secrets.
3-3) not even men know about her inner secrets of success.
4-4) women and men are all the same.
Comentário
Para o poeta: seu segredo não vem de sua aparência “I’m not
cute...”, (0 – 0) falsa. As mulheres bonitas também não entendem:
“ Pretty women wonder where my secret lies”: (1 – 1) é falsa. Mulheres bonitas acham que ela mente: “They think I’m telling lies”:
(2 – 2), portanto, verdadeira. Os homens não sabem os segredos
também : “Men themselves have wondered”: (3 – 3) verdadeira. E,
em nenhum momento, a autora deixa a entender que ela considera
homens e mulheres iguais, portanto (4 – 4) falsa.
Gabarito: VFVVF
16. Angelou says’
0-0) she’s lean and pretty.
1-1) she’s a phenomenal woman.
2-2) she’s a polite woman.
3-3) she’s not submissive.
4-4) she wears fashion models’ size.
Comentário
Questão sobre o que a autora diz ou deixa subentendido no poema: que ela não é bonita (“I’m not cute”), que ela é fenomenal
(“I’m a woman phenomenally”), que ela é educada (“I don’t shout
or jump about”), que ela não é submissa (“now you understand
just why my head’s not bowed”) e, finalmente, que ela não veste
número de manequim (“ I’m not ... built to suit a fashion model’s
size”).
Gabarito: FVVVF
Matemática
Alex Pereira, Tiago Guimarães, Valdemar Santos
Analise as afirmações a seguir, considerando a função f, tendo como
domínio e contradomínio o conjunto dos números reais, dada por
Parte do gráfico de f está esboçada a seguir.
0-0) f é uma função par.
1-1) A única raiz de f(x) = 0 é x = 0.
2-2) |f(x)| ≤ 1, para todo x real.
3-3) Dado um real y, com |y| < 1 e y ≠ 0, existem dois valores reais x
tais que f(x) = y.
Comentário
04. Em uma escala de um vôo, as seguintes tarefas precisam ser executadas, nos intervalos de tempo mencionados. Quando alguma tarefa
precisa ser executada depois de outra(s), tal fato é observado; quando
não há nenhuma observação, as tarefas podem ser executadas simultaneamente.
Comentário
1) Desembarque dos passageiros (15min)
2) Desembarque das bagagens (15min)
3) Embarque das bagagens dos novos
passageiros (20min)(depois de 2)
4) Higienização da aeronave (15min)(depois de 1)
5) Abastecimento de combustível (20min) (depois de 1)
6) Checagem mecânica (20min)
7) Embarque das refeições (10min)(depois de 4)
8) Embarque dos novos passageiros (20min)(depois de 4 e 5).
Quantos minutos são necessários para executar todas as tarefas acima?
Comentário
02. Das companhias que publicam anúncios nos jornais C, D ou F,
sabemos que:
- 30 publicam no C,
- 25 publicam no D,
- 30 publicam no F,
- 10 publicam em C e D,
- 9 publicam em F e D,
- 11 publicam em C e F, e
- 6 publicam em C, D e F.
Gabarito: 75
09. Ao efetuarmos o produto dos polinômios abaixo (1 + x + x2 +...+
x100)(1 + x + x2 + ... + x50) qual o coeficiente de x75? (Observação: os
polinômios têm graus 100 e 50 e todos os coeficientes iguais a 1.)
Considerando estas informações, analise as sentenças a seguir.
0-0) Onze companhias publicam anúncios em exatamente dois dos
jornais.
1-1) Dezoito companhias publicam anúncios em pelo menos dois dos
jornais.
2-2) Quarenta e três companhias publicam anúncios em um único jornal.
05. Admita que, quando a luz incide em um painel de vidro, sua intensidade diminui em 10%. Qual o número mínimo de painéis necessários para que a intensidade da luz, depois de atravessar os painéis,
se reduza a 1/3 de sua intensidade? Dado: use a aproximação para o
logaritmo decimal log 3 ≈ 0,48.
Comentário
Gabarito: 51
3-3) Sessenta e uma companhias publicam anúncios em pelo menos
um dos três jornais.
4-4) Treze companhias publicam anúncios apenas no jornal D.
Comentário
Gabarito: 12
06.As parábolas com equações y = -x2 + 2x + 3 e y = x2 – 4x + 3
estão esboçadas a seguir. Qual a área do menor retângulo, com lados
paralelos aos eixos, que contém a área colorida, limitada pelos gráficos
das parábolas?
0-0) O número é 4+5+3=12.
1-1) Temos que o numero é 4+5+3+6=18.
2-2) 15+12+16=43
3-3) 43+18=61
4-4) O correto é 12.
Gabarito:FVVVF
Comentário
10. Quatro amigos, A, B, C e D compraram um presente que custou
R$ 360,00. Se: - A pagou metade do que pagaram juntos B, C e D, - B
pagou um terço do que pagaram juntos A, C e D e - C pagou um quarto
do que pagaram juntos A, B e D, quanto pagou D, em reais?
Comentário
Comentário
03. Um cilindro C1, reto e de altura 4, está inscrito em uma semi-esfera
de raio 21 (ou seja, uma base do cilindro repousa na base da semiesfera e a circunferência da outra base está contida na semiesfera),
como ilustrado abaixo na figura à esquerda. Seja x a altura de outro
cilindro, C2, inscrito na mesma semi-esfera, e de mesmo volume que
C1.
Gabarito: 78
Admitindo estes dados, analise as informações a seguir.
Gabarito: 15
0-0) O raio da base de C2 é 21− x2 .
2-2) A altura x de C2 é raiz da equação x3 - 21x +20 = 0.
07. Júnior se exercita correndo 5km, 7km ou 9km por dia. Em certo
período de dias consecutivos, superior a 7 dias, ele percorreu um total
de 51km, e, pelo menos uma vez, cada um dos percursos de 5km, 7km
e 9km. Quantas vezes, neste período, Júnior percorreu a distância de
5km?
3-3) A altura x de C2 é raiz da equação x2 - 4x - 7 = 0.
Comentário
1-1) O volume de C2 é 18π.
11. Em uma festa, cada um dos participantes cumprimenta cada um
dos demais, uma vez. Se o número de cumprimentos entre dois homens foi 21, e entre duas mulheres foi 45, quantos foram os cumprimentos entre um homem e uma mulher?
Comentário
4-4) A área lateral de C2 é 2π 5 .
Comentário
Gabarito: 7
08. Na ilustração a seguir, ABC é um triângulo retângulo com os catetos AB e AC medindo, respectivamente, 40 e 30. Se M é o ponto médio
de AB e N é a interseção da bissetriz do ângulo ACB com o lado AB,
qual a área do triângulo CNM?
Gabarito: VFVFF
Gabarito: 70
12. Uma gaveta contém 3 canetas pretas e 1 caneta vermelha. Uma
segunda gaveta contém 7 canetas pretas e 3 azuis. Aleatoriamente,
uma caneta é retirada da segunda gaveta e colocada na primeira e,
em seguida, uma caneta é retirada da primeira gaveta e colocada na
segunda. Qual a probabilidade percentual de o número de canetas de
cada cor permanecer o mesmo nas duas gavetas?
Comentário
Comentário
Gabarito: 62
13. Em um sistema de coordenadas ortogonais xOy, um triângulo tem
vértices nos pontos de interseção das retas com equações y = x, y = -x
+ 12 e y = x/5 (ilustradas a seguir). Se a equação da circunferência
circunscrita ao triângulo é x2 + y2 + ax + by + c = 0, indique o valor de
(a - b + c)2.
Gabarito: 98
16. A ilustração a seguir é parte do gráfico da função y = a.sen (b π x) +
c, com a, b e c sendo constantes reais. A função tem período 2 e passa
pelos pontos com coordenadas (0,3) e (1/2,5).
Gabarito: 85
02. A figura mostra um gráfico da velocidade de uma partícula de massa m = 0,5 kg em função do tempo. Calcule o módulo da força resultante sobre a partícula, no instante t = 4 s, em newtons.
Comentário
Determine a, b e c e indique (a + b + c)2.
Comentário
Comentário
Gabarito: 64
14. Qual a distância entre um vértice de um cubo, com aresta medindo
20 6 , e uma das diagonais do cubo que não passam pelo vértice?
Física
Carlos Japa, Rogério Andrade, Tarciso Nunes ,
Luciano Florêncio
Comentário
Dados:
Aceleração da gravidade: 10 m/s2
Velocidade da luz no vácuo: 3 x 108 m/s.
Constante de Planck: 6,63 x 10-34 J.s
01. Um estudante de física deseja localizar o ponto médio entre duas
encostas de um vale. A figura mostra uma vista de cima das encostas e
a posição do estudante. Ele faz explodir uma pequena bomba e registra os intervalos de tempo ΔtD = 1,5 s e ΔtE = 0,50 s, respectivamente,
entre a explosão e os primeiros ecos do lado direito (D) e do esquerdo
(E). Sabendo-se que a velocidade do som vale v = 340 m/s, calcule a
distância perpendicular, d, entre a posição da explosão e a linha média,
em metros. Suponha que o ar está parado em relação ao solo.
Gabarito: 03
03. Um pequeno bloco, posto em movimento a partir do ponto A com
velocidade v0 = 6 m/s, desliza sem atrito até o ponto B, onde a sua
velocidade é v. O intervalo de tempo de trânsito entre A e B é Δt = 1,0 s.
Calcule a componente horizontal da aceleração média do bloco, entre
os pontos A e B, em m/s2 Despreze a resistência do ar.
Comentário
Gabarito: 40
15. Um retângulo ABCD é dividido em nove retângulos, e o perímetro
de cada um de três destes retângulos, está indicado está indicado em
seu interior, como ilustrado na figura abaixo.
Comentário
Gabarito:04
Qual o perímetro do retângulo ABCD?
04. Um bloco de massa m = 4,0 kg é empurrado, através da aplicação
de uma força F constante ao longo de um plano inclinado, como mostra
a figura. O bloco parte do repouso no ponto 1 e chega ao ponto 2 com
velocidade v = 2,0 m/s. Calcule o trabalho realizado pela força F, ao
longo do trajeto de 1 a 2, em joules. Despreze o atrito com o plano e a
resistência do ar.
07. Para determinar a densidade de um certo metal, pesa-se uma peça
do metal no ar e posteriormente a peça imersa em água. Seu peso no
ar é de 800 N e na água é de apenas 700 N. Qual é a razão entre as
densidades do metal e da água?
Comentário
Gabarito:75
10. A função de onda para uma onda harmônica que se propaga em
uma corda é y(x,t) = 0,04 sen[2π(0,25x – 0,75t)], onde a unidade de
comprimento é o metro e a unidade de tempo é o segundo. Determine
a velocidade desta onda, em m/s.
Comentário
Comentário
Gabarito:3
Gabarito: 88j
11.A figura mostra dois auto-falantes separados por 2,0 m, emitindo
uma nota musical de freqüência f = 1,0 kHz. Considerando que a velocidade do som é v = 340 m/s, determine a distância Y, em centímetros,
correspondente ao primeiro mínimo de interferência sobre um anteparo
colocado à distância D = 10 m?
05. Considere um sistema massa-mola, onde o bloco desliza sem atrito ao longo de uma superfície horizontal. A figura mostra o gráfico da
energia cinética, EC, do bloco, em função do alongamento da mola, x.
Sabendo-se que a constante elástica da mola é k = 100 N/m, calcule
o alongamento máximo da mola xMAX, em centímetros. Despreze a resistência do ar.
Gabarito: 8
Comentário
Comentário
08. Deseja-se localizar a posição do centro de massa (CM) de uma tora
de madeira de comprimento L = 1,0 m. A tora é colocada em repouso
na horizontal, com uma extremidade apoiada em um suporte fixo e a
outra sobre uma balança. Com o arranjo mostrado na figura à esquerda, a balança indica uma leitura igual a P1 = 300 N. A seguir, inverte-se
as extremidades da tora e a nova pesagem da balança é reduzida para
P2 = 200 N. Determine a distância x (figura à esquerda), em centímetros, do centro de massa da tora ao eixo do suporte fixo.
Comentário
Gabarito:85
12. Duas lentes delgadas (L1 e L2), sendo a primeira convergente e
a segunda divergente, ambas de distância focal igual a 10 cm, estão
separadas pela distância D = 2,0 cm. Determine a distância à direita
de L2, em centímetros, na qual a luz incidente de raios paralelos será
focalizada.
Gabarito:30
06. Uma torneira colocada a uma altura H = 0,8 m do solo, não estando
bem fechada, goteja. Cada gota tem em média a massa m = 0,5 g.
Supondo que as colisões das gotas com o solo durem em média Δt = 1
ms, calcule a força média que cada gota exerce sobre o solo, durante a
colisão, em newtons. Suponha que a velocidade inicial da gota é nula e
que toda a gota é absorvida pelo solo, no instante da colisão. Despreze
a resistência do ar.
Comentário
Gabarito:60
09. Um mol de um gás ideal mono-atômico, com calor específico molar
a volume constante cv = 3R/2, ocupa inicialmente um volume de 1,5 L
à pressão de 1,0 atm. A partir deste estado, o gás é aquecido a pressão
constante até atingir um volume de 1,8 L. Determine o calor cedido ao
gás durante este processo, em joules. Considere 1,0 L.atm = 100 J.
Comentário
Comentário
Gabarito:40
13. Se tivermos um campo elétrico maior que 1 x 106 N/C num ambiente com certa umidade, íons serão rapidamente formados resultando
pequenas centelhas (nessas condições o ar torna-se um condutor).
Qual o raio mínimo (em cm) que pode ter uma esfera condutora para
armazenar uma carga Q = 1,1 x 10-8 C neste ambiente?
Comentário
0-0) (ABCD) é uma figura plana.
1-1) (ABCD) é um quadrado.
2-2) (ABCD) é um retângulo de lados adjacentes desiguais.
3-3) (ABCD) é um trapézio isósceles, de ângulos não retos.
4-4) A razão entre a medida do segmento (AB) e a medida da aresta
do dodecaedro é o número de ouro (0,618 ou 1,618, aproximadamente).
Comentário
4-4) É inferior a 3800000 ares.
Comentário
0-0) Quatro vezes o número de quadrados dentro da área.
1-1) Cada km2, 100 Ha
2-2) Verdadeira, pois é 400 vezes o número de quadrículas completamente dentro da curva.
3-3) Verdadeira.
4-4) 1 km2 = 10 000 ares.
Gabarito:01
Gabarito: VVVVV
14. Para determinar a resistência interna, r, de uma bateria foi montado
o circuito da figura. Verificou-se que quando o resistor R vale 20 Ω o
amperímetro indica 500 mA. Quando R = 112 Ω o amperímetro marca
100 mA. Qual o valor de r, em ohms? Considere que a resistência do
amperímetro é desprezível.
05. Um sólido tem como vista ortogonal a figura ao abaixo. Pode ser
outra vista do mesmo sólido.
Gabarito: VVFFV
02. A figura abaixo é a planificação da superfície lateral de um cone
de revolução, de geratriz g.
Comentário
Gabarito:03
15. Um elétron está descrevendo uma órbita circular ao redor de um
próton. Qual o módulo da razão
entre a energia potencial, EP , e
Sobre tal cone, podemos afirmar:
0-0) O raio da base mede ¾ de g.
1-1) Sua altura é igual ao raio da base.
2-2) Seu volume é menos da metade de um cubo de aresta g.
3-3) Sua superfície total (incluindo a base) tem mais área que um
círculo de raio g.
4-4) O setor circular que completaria um círculo, na figura, serviria
como superfície lateral de outro cone com a terça parte do volume do
primeiro cone.
Comentário
0-0)
1-1)
2-2)
3-3)
4-4)
Comentário
0-0) Somente a esfera inteira teria duas vistas com contorno circular.
1-1) Podemos recortar de um cilindro.
2-2) Mesma justificativa anterior.
3-3) Mesma justificativa anterior.
4-4) Mesma justificativa anterior.
Gabarito: FVVVV
06. Os arcos arquitetônicos geralmente são compostos de arcos de
circunferência concordantes entre si ou com segmentos de reta. Identifique os arcos em que há concordância entre todas as suas partes.
a energia cinética, EC, deste elétron?
Comentário
Gabarito: VFVVF
Gabarito:02
03. Uma superfície poliédrica está planificada na figura maior. A seu
respeito podemos afirmar:
16. O césio metálico tem uma função trabalho (potencial de superfície) de 1,8 eV. Qual a energia cinética máxima dos elétrons, em eV,
que escapam da superfície do metal quando ele é iluminado com luz
ultravioleta de comprimento de onda igual a 327 nm? Considere 1 eV
= 1,6 x 10-19 J.
0-0) O poliedro é convexo.
1-1) Seu volume equivale ao de quatro cubos de aresta l.
2-2) Pode ser representado na figura A.
3-3) Pode ser representado na figura B.
4-4) Pode ser representado na figura C.
Comentário
0-0) Possui faces côncavas.
1-1) Verdadeira.
2-2) Montando a figura.
3-3) Montando a figura.
4-4) Não temos 3 faces em torno.
GEOMETRIA GRÁFICA
Gabarito:FVVVF
04. Uma região tem sua área contida no interior da curva fechada do
mapa da figura, desenhado numa escala em que cada quadrícula tem
seu lado medindo 2 km.
Alex Pereira, Tiago Guimarães, Valdemar Santos
01. A figura abaixo é uma vista ortogonal de um dodecaedro regular
e A, B, C e D designam quatro dos seus vértices, indicados na figura.
Sobre a figura, é
correto afirmar que:
Gabarito: VVFVF
07. Nos mostradores digitais os algarismos aparecem de forma
simplificada, composta por segmentos horizontais e verticais. Sobre
essas formas, podemos afirmar, quando não são iguais a largura e a
altura do algarismo:
Comentário
Gabarito:02
Comentário
0-0) O arco plano está concordando com as verticais laterais.
1-1) Temos alinhamento entre os centros dos arcos e os pontos da
emenda.
2-2) Não há concordância no ponto mais alto, onde se encontram C1
e C2.
3-3) Temos alinhamento entre os centros e os pontos de emenda dos
arcos.
4-4) Não há concordância entre os arcos laterais e o principal.
Sobre a medida da área dessa região, podemos afirmar:
0-0) É inferior a 380 km2.
1-1) É inferior a 38000 hectares
2-2) É superior a 25600 hectares.
3-3) É superior a 256 km2.
0-0) A maioria dos algarismos têm eixo de simetria.
1-1) Alguns algarismos têm centro de simetria sem ter eixo de simetria.
2-2) Os algarismos que têm um eixo de simetria também possuem um
segundo eixo de simetria.
3-3) Apenas os algarismos 0, 1 e 8 têm centro de simetria.
4-4) Os algarismos 4, 6, 7 e 9 não têm eixo de simetria.
Comentário
0-0) Temos apenas 0, 1, 3 e 8 com eixo de simetria.
1-1) Acontece com 2 e 5.
2-2) 3 só tem eixo de simetria.
3-3) 2 e 5 também têm
4-4) Verdadeira.
Gabarito: FVFFV
08. Medindo seu sítio, com contorno de um quadrilátero convexo em
uma região plana, um proprietário rural encontrou os seguintes números para os seus lados consecutivos, medidos em metros: 1250, 820,
950 e 1380. Notou que é reto o ângulo entre os dois primeiros lados
medidos. O que se pode fazer nesse sítio?
0-0) Construir sua casa eqüidistante dos quatro lados do terreno.
1-1) Cercar o sítio com 2200 estacas, espaçadas de 2m.
2-2) Abrir porteiras nos pontos A, B, C e D, situadas no centro de
cada lado do sítio e abrir estradas retas entre as porteiras de lados
adjacentes. Tais estradas formarão um paralelogramo.
3-3) Plantar culturas diferentes dentro e fora do quadrilátero formado
pelas estradas de porteira a porteira, e tais plantações ocuparão
áreas iguais.
4-4) Abrir estradas retas da casa a cada porteira, e todas elas terão o
mesmo comprimento.
Comentário
0-0) Já que o quadrilátero é circunscrível (ver soma dos lados opostos).
1-1) O perímetro é 4 400
2-2) É válido para qualquer quadrilátero.
3-3) A área do paralelogramo deve ser metade da área do quadrilátero.
4-4) Tendo em vista que a distância do centro da circunferência inscri-
ta aos pontos médios dos lados não é igual.
Gabarito: VVVVF
09. Os dois sólidos estão representados em isometria. A seu respeito
podemos afirmar:
0-0) Têm o mesmo volume.
1-1) Têm a mesma área superficial.
2-2) Têm o mesmo comprimento total de arestas.
3-3) Tem cada um deles cinco arestas paralelas entre si.
4-4) Tem cada um deles três faces em planos paralelos.
Comentário
0-0) Observação da figura.
1-1) 1º sólido: 10 quadrados e 3 retângulos diagonais.
2º sólido: 11 quadrados e 1 retângulo diagonal.
2-2) 1º sólido: 14 arestas e 6 diagonais do cubo.
2º sólido: 17 arestas e 2 diagonais.
3-3) No 1º, temos 5 arestas horizontais paralelas, e, no 2º, 5 arestas
verticais.
4-4) No 1º, 3 faces verticais paralelas, mas, no 2º, não há 3 faces em
planos paralelos.
O dodecaedro possui 12 faces pentagonais regulares, e cada pentágono possui 5 diagonais. Na simetria quinária, duas faces estão em
verdadeira grandeza (VG). Logo, as diagonais dessas faces vão estar
todas em verdadeira grandeza.
Cada diagonal do pentágono é paralela a um dos lados. Como cada
face tem cinco lados e tem duas faces em verdadeira grandeza, vão
existir 10 diagonais em verdadeira grandeza em relação às outras
faces. Logo, na simetria quinária, 20 diagonais estão em verdadeira
grandeza. Assim, temos:
0-0) Verdadeira.
1-1) Falsa. 10 é o número de diagonais em verdadeira grandeza dos
dois pentágonos paralelos ao plano de projeção na simetria quinária.
2-2)Verdadeira. Apenas os dois pentágonos regulares concêntricos
e paralelos do dodecaedro, na figura, se projetam em VG na simetria
quinária.
3-3) Falsa. De verificação direta na figura.
4-4) Falsa, pois 12 é o número de faces do poliedro e cada face tem
5 diagonais.
Gabarito: VFVFF
13. Os pontos A, B e C da figura abaixo são três dos vértices de um
quadrilátero convexo (ABCD) que circunscreve uma circunferência de
raio igual a 2,5 cm. A seu respeito, podemos afirmar que:
Gabarito: VFFVF
10. O canteiro de uma praça tem a forma do setor circular (ABC).
Pretende-se instalar nele uma fonte luminosa eqüidistante dos três
lados. Onde estará o ponto para instalar a fonte em tal condição?
0-0) Não há ponto eqüidistante dos três lados do setor.
1-1) No centro de uma circunferência tangente aos segmentos (AC) e
(BC) e ao arco (AB).
2-2) Na interseção da corda (AB) com a bissetriz do ângulo em C.
3-3) No ponto médio do raio do arco (AB) que é bissetriz do ângulo
em C.
4-4) Na interseção da bissetriz do ângulo em C com duas parábolas,
uma passando em A e outra em B.
0-0) O ângulo em A e o ângulo em C são suplementares.
1-1) O lado (AD) mede ≈2,0 cm.
2-2) (CD) = ((AB) + (BC)) – (AB)
3-3) (AC) = (BD)
4-4) O quadrilátero é circunscritível e inscritível.
Comentário
0-0) Observamos na figura que Aˆ + Cˆ 180º
1-1) Verdadeira, a partir da justificativa acima.
2-2) Condição da circunscrição de um quadrilátero.
3-3) O quadrilátero deveria ser retângulo, quadrado ou trapézio
isósceles.
4-4) Ângulos internos não suplementares.
Gabarito: FVVFF
14. Observe a circunferência de centro O da figura abaixo e considere
o ponto P fixo. Nesta situação é possível afirmar:
Comentário
0-0) Temos os três lugares geométricos que se encontram em um
mesmo ponto.
1-1) A circunferência inscrita no setor circular é tangente aos seus
lados retos e ao lado curvo.
2-2) Temos o tal ponto mais perto do lado curvo do que dos lados
retos.
3-3) Tal ponto está mais perto dos lados retos do que o lado curvo do
setor circular.
4-4) Verdadeira.
Gabarito: FVFFV
11. Uma moeda circular precisa ser cunhada, contendo na sua face
todo o quadrilátero (ABCD). A respeito da menor moeda possível que
contenha a figura, podemos afirmar:
0-0) A, B e C são pontos da sua circunferência.
1-1) Três dos vértices do quadrilátero são pontos da sua circunferência.
2-2) Os quatro vértices são pontos da sua circunferência.
3-3) A e C são pontos da sua circunferência.
4-4) Uma das diagonais de (ABCD) é diâmetro da moeda.
Comentário
Comentário:
(0-0), (1-1) e (2-2) Temos: só A e C pertencem à menor circunferência.
3-3) Verdadeira.
4-4) AC é diâmetro da menor moeda.
Gabarito: FFFVV
0-0) Uma corda (PQ) da circunferência, oposta a um ângulo central de
60º, também é oposta a um arco capaz de 120º.
1-1) Para a corda (PR) da circunferência igual a 4 cm, o ângulo inscrito (PXR ) é superior a 40º.
2-2) Para a corda (PS) da circunferência igual a 5 cm, o ângulo central (POS) é agudo.
3-3) Se três cordas, (PS), (ST) e (PT), determinam um triângulo
eqüilátero inscrito na circunferência, o arco (PTS) é “capaz de ver” o
segmento (PT) sob um ângulo de 60º.
4-4) Quando o ângulo (PUV) mede 90º, a corda (PV) mede 6 cm.
Comentário
Uma corda divide uma circunferência em dois arcos. Cada arco deste
é capaz de um ângulo inscrito. Cada corda da circunferência determinará um triângulo isósceles cujos lados iguais terão a medida do raio
da circunferência. O ângulo central e, consequentemente, o ângulo
inscrito ficam, então determinados.
0-0) Verdadeira.
1-1) Verdadeira.
2-2) Falsa. O ângulo é de 112,89º.
3-3) Verdadeiro.
4-4) Verdadeiro, constituindo um arco capaz de 90º; 6 cm é o diâmetro da circunferência.
Gabarito: VVFVV
15. Uma peça, recortada de um paralelepípedo retângulo, está representada em isometria na figura abaixo. Desenhe a vista ortogonal
superior dessa peça, na folha de respostas, justificando o traçado.
12. A figura abaixo representa um dodecaedro regular em simetria
quinária. A respeito das diagonais de face deste poliedro podemos
afirmar:
Comentário
Após traçar a vista, o candidato deverá justificar a obtenção das
medidas, que poderão ser tomadas em verdadeira grandeza nas
direções das arestas do paralelepípedo circunscrito.
0-0) 20 diagonais de face do poliedro estão em verdadeira grandeza.
1-1) O dodecágono que limita o dodecaedro, na figura, é regular.
2-2) Apenas duas faces do dodecaedro estão em verdadeira grandeza.
3-3) O diâmetro de uma esfera circunscrita ao dodecaedro é igual ao
dobro da medida da sua aresta.
4-4) 12 diagonais de face do poliedro estão em verdadeira grandeza.
Comentário
16. A fachada de um prédio tem largura de 12m. Na folha de respostas, trace um segmento de reta que represente, em planta na escala
de 1/200, a linha de fachada desse prédio. Localize na planta todos
os pontos que estão a 8m do ponto médio da fachada, e dos quais
esta fachada seja observada sob ângulo de 60º. Justifique o traçado.
Comentário
Não há problema em traçar um segmento de fachada, com 6 cm,
na folha de respostas. Determinando seu centro, o lugar geomé-
trico dos pontos dele distante de 8m será, em planta, uma circunferência de raio 4cm. O lugar geométrico dos vértices dos ângulos
de 60º cujos lados passam pelos pontos extremos da fachada será
um arco capaz. A interseção dos dois lugares geométricos se dará
em dois pontos, solução da questão.
Essa questão equivale á construção de um triângulo, dado por um
lado, pelo ângulo oposto a esse lado, e pela mediana relativa ao
mesmo lado.
Após traçar a vista, o candidato deverá justificar a obtenção das
medidas, que poderão ser tomadas em verdadeira grandeza nas
direções das arestas do paralelepípedo circunscrito.

Documentos relacionados