Trabalho Análise -Negrinha – 3º Ano

Сomentários

Transcrição

Trabalho Análise -Negrinha – 3º Ano
E.E. Hércules Maymone
Professor(a): Jaqueline da Silva Borges/Maria Paula
Disciplina: Literatura
Ano: 3º
Turma(s):
A – Vespertino
A-B-C-D-E-F-G – Matutino
Período: 1º Bimestre
Atividade Avaliativa Programada – Entrega prevista p/ 4ª semana de Março (22/03/2011 a 25/03/2011)
1) Realize a leitura do conto Negrinha – Monteiro Lobato, disponível no site para impressão.
2) Na sequência realize um trabalho de Pesquisa e Análise do texto seguindo o Roteiro de
análise abaixo:
Antes de iniciar a análise atente-se para esses pontos:
1. Leia com atenção o texto e faça anotações sobre suas dúvidas ou pontos de interesse;
sublinhe as passagens importantes do texto.
2. Recorra ao dicionário para tirar dúvidas, mas antes disso tente perceber o sentido das
palavras pelo contexto.
3. Identifique e anote sua primeira impressão sobre o texto.
4. Anote os dados preliminares sobre o texto: autor, obra, edição, cidade, editora, ano da
publicação, volume, página.
Roteiro de análise
Deve constar no trabalho:
I.
Dados sumários sobre o Autor e a Obra
a. Autor
b. Obra
c. Resumo do texto
II.
Elementos do texto
a. ENREDO: Introdução – Começo da história, na qual são apresentados os fatos
iniciais, personagens (quais, quantas?), tempo (datas, momento histórico) e espaço
(onde ocorrem os fatos). Complicação - É o desenvolvimento da história, do
conflito. Clímax – Momento culminante da história, de maior tensão, ponto
máximo de fusão das outras partes do enredo, que se desenrolam em torno dele.
Desfecho – é a solução dos conflitos, final da história, feliz ou não, surpreendente,
trágico, cômico.
b. PERSONAGENS: Quanto ao papel desempenhado no enredo.
E.E. Hércules Maymone
Protagonista: Herói - personagem com características superiores às de seu grupo.
Anti-herói - protagonista que tem características iguais ou inferiores às de seu
grupo.
Antagonista: é o personagem que rivaliza com o protagonista, geralmente é o
vilão, em alguns casos pode existir mais de um, no entanto, o antagonista não
precisa ser necessariamente uma pessoa, podendo ser um objeto, um animal ou um
fato que dificulte os objetivos do protagonista (como a situação financeira do
mesmo, problemas culturais e/ou sociais, deficiências físicas e/ou psicológicas
etc.)
Deuteragonista: é o personagem que ajuda o protagonista, na maioria das vezes
tem amizade ou parentesco com o mesmo.
Secundários: personagem de menos expressão dentro do enredo.
c. TEMPO: Época em que se passa a história; duração da história (horas, dias,
meses, anos); tempo cronológico, ou seja, determinado pela sucessão cronológica
dos acontecimentos narrados; tempo psicológico, é um tempo subjetivo, vivido ou
sentido pela personagem, que flui em consonância com o seu estado de espírito.
d. ESPAÇO: Cenário: espaço construído pelo homem. Natureza: espaço não
construído pelo homem; Ambiente: junção de vários fatores (espaços) - cenário e
natureza mais as ações da personagem e o clima psicológico.
1. É o mesmo espaço em toda obra?
2. O espaço é interior ou exterior? Baixo ou alto? Largo ou estreito? Que efeito é
construído a partir da distribuição desses espaços?
Lembre-se: O espaço tem como funções principais, situar as ações das
personagens e estabelecer com elas uma interação, quer influenciando suas
atitudes, pensamentos ou emoções, quer sofrendo eventuais transformações
provocadas pelas personagens.
e. NARRADOR: Terceira Pessoa – onisciente: o narrador sabe tudo da história;
onipresença: o narrador está presente em todos os lugares da história. Primeira
pessoa (narrador personagem) – Narrador testemunha, Narrador protagonista.
Lembre-se: Narrador não é autor.
f. TEMA – ASSUNTO –MENSAGEM:
Tema: idéia central e abstrata do texto. Ex: Amor X Ambição
E.E. Hércules Maymone
Assunto: a maneira como o tema é concretamente desenvolvido. Ex: O casamento
e a vida conjugal de Aurélia e Fernando Seixas.
Mensagem: o que se pode concluir “moralmente” a respeito do texto. Ex: O amor
é mais forte que a ambição.
III.
LINGUAGEM E ESTILO: O que predomina no texto.
a. Discurso direto: conhecemos a personagem através de suas próprias palavras.
Para construir o discurso direto, usamos o travessão e certos verbos especiais, que
chamamos de verbos "de dizer" ou verbos dicendi: falar, dizer, responder,
retrucar, indagar, declarar, exclamar, etc. Ex: "Os juazeiros aproximaram-se,
recuaram, sumiram-se. O menino mais velho pôs-se a chorar, sentou-se no chão.
- Anda, condenado do diabo, gritou-lhe o pai."
b. Discurso indireto: o narrador "conta" o que a personagem disse. Conhecemos
suas palavras indiretamente. Ex. "O pai gritou-lhe que andasse, chamando-o de
condenado do diabo."
c. Discurso indireto livre: o narrador passa do discurso indireto para o direto sem
usar nenhum verbo dicendi ou travessão. Ex: "Seu Tomé da bolandeira falava
bem, estragava os olhos em cima de jornais e livros, mas não sabia mandar: pedia.
Esquisitice de um homem remediado ser cortês. Até o povo censurava aquelas
maneiras. Mas todos obedeciam a ele. Ah! Quem disse que não obedeciam?"
d. Figuras de linguagem:
1. O narrador emprega as figuras de linguagem de forma criativa, original?
2. Quais, como? Cite e comente os efeitos de sentido criados em algumas
passagens do texto pelo uso das figuras de linguagem.
IV.
IDEIAS E CONCEPÇÕES: Responda às questões:
1. Revela o autor algum uma concepção realista, fantasiosa, fatalista, pessimista
ou otimista da vida e dos homens?
2. Tem a obra, em seu conjunto ou em alguma das suas partes, propósito
moralizador, religioso?
3. Há sinais de intolerância de ordem moral, religiosa, racial ou social?
4. Do ponto de vista moral, a obra pode ser considerada imprópria para menores?
5. Como encara o autor a questão do sexo e do amor em geral no texto?
6. O autor deixa perceber claramente suas tendências políticas?
7. Faz o auto alguma crítica social ou propaganda de seus ideais?
E.E. Hércules Maymone
8. O autor parece-lhe “comprometido” ou “alienado” frente aos ideais expostos
no texto?
V.
OPINIÃO CRÍTICA/CONSIDERAÇÕES FINAIS:
1. Gostou? Sentiu-se empolgado pela narrativa, pelo comportamento do
personagem, pelas reflexões do autor?
2. A leitura o enriqueceu culturalmente, espiritualmente, provocou-lhe reflexões
ou foi apenas um passatempo?
3. Com base nos seus apontamentos, dê sua opinião crítica sobre o texto.
Lembre-se que você deverá sustentar sua posição sobre o texto com
argumentos lógicos e com dados retirados do texto.
VI.
BIBLIOGRAFIA: Cite todas as referências, livros, sites, revistas, etc.
VII.
ANEXO: Pode ser texto ou alguma figura/desenho que tenha relação com o texto
analisado.
3) A pesquisa/análise deverá ser realizada em grupos de 4 pessoas.
4) Deverá ser entregue por escrito, impressa, seguindo as normas de realização de trabalhos
escolares descritas no arquivo – Normas para trabalho 2º ano – também disponível no site.
Dúvidas ou maiores esclarecimentos sobre o trabalho estarei na escola de 3ª a 6ª – Matutino e
3ª e 4ª – Vespertino, ou ainda por email.
Bom trabalho!
Prof. Jaqueline Borges – [email protected]

Documentos relacionados

01 - Roteiro anlise de narrativa

01 - Roteiro anlise de narrativa Lembra um verão muito antigo e as suas tardes, as suas noites. Tento recordá-lo agora e não consigo. Talvez da neve, deste deserto polar. Terei de reinventar tudo? até a memória? Mas lembro-me de ...

Leia mais

06 - A personagem

06 - A personagem TEÓRICOS há romances, cujos protagonistas são de natureza diversa

Leia mais