Consultar notícia completa

Сomentários

Transcrição

Consultar notícia completa
22 /IPORTO
JORNAL DENDTfCIAS
SASADO 2 1/6/ 14 .
/IPASSEIO PUBLICO
Praia do Senhor daPedra
emesmo paratedaa gente
Um certo
S.Joiio
GAIA Passadic;:os, we
e cadeiras adaptadas
perrnlterna acesso de
utentes com deflcienda
A
Marta Neves
[email protected]
ORLANDO REBELO , 78
anos, 30 dos quais dedicados
il pesca do bacalhau, era, ontern, "um homem feliz". Gra<;as a urn passadico in stalado
na praia do Senhor daPedra,
o ut ente do larjardim do Mar,
em Gulpilha res, Gaia, agora
em cadeira de rodas, con segui u ch egar ma is pert o do
mar. 0 proxim o desejo e t omar banho na agua salgada
que ja nao to ca "h a anos".
Ansei o que sera possivel
concretizar, brevement e,
gracas a uma cadeira adaptada que levara 0 idoso ate junto das ondas, com a ajuda de
urn n ad ad or- salv ad or. Nao
admira, por isso, que a praia
do Senhor da Pe dra ten h a
vencido a s ." edicao do premio Praia + Acessivel,que distingue as areais com as meIhores praticas, em termo s de
acessibilidades e de qual idade do apoio e services .
z;".
Utentes de lar de Gulpiihare s satis feit os por estar em mai s perto do mar
Uma praia que permite nao
so 0 acessoa deficientes, mas
que tambern facilita a entrada "de maes com carrinhos de
bebes e de pais ca rregados
com os utensilios de praia"
J
explicou, ao IN.Jose Madeira
Serodio, presiden te do Institu to Nacional para a Reabilit acao, on tem presen t e no
h astear da ba n de ira "Praia
acessivel - praia para t odos"
no areal do Senhor da Pedra.
Edua rd o Vitor Rodrigues,
p resi dente da Ca m ara de
Gaia, congratulou-se com a
at ribuicao do galardao, "num
ano parti cularinent e dificil",
on de foi preciso recon struir
tud o aquilo que existia ".
Bombeiros no areal
Tambem orgulhoso estava Jose Bernardo, con cessionario
da praia, pelo reconhecimen to de urn esfo rco financeiro
radores da instituicao ficararn
con hecidos com o "a qu e les
qu e trabalh avam se n t ados
nos sacos da farin ha" .
A in stituicao ab range os
conceihos de Paredes e Paces
de Fe rrei ra, n um t ot al de
mais de 143 mil h abit antes.
Tern set e agend as, 22 colaboradores, mais de 2700 socios,
qu e e exigi do peio Banco de 8500 contas abertas e um voPortugal.
.
lume de negocios de cerca de
Ii a tin ica institu icao finan- 130 milhoes de euro s.
ceira cooperativa na regiao,
Font e da adrninist racao exde capitais exclusivame n te - plica que 0 periodo de 2007portugueses, destacando-se 2014 foi 0 que regist ou 0 au pela intervencao ao nive l da , me nto mais signi ficativo do
economia social. H~ 25 ano s, volum e de negoci os, em con urn grupo de socios fundado- . tr acicio com a crise. 0 total de
res cadastrou to dos os seus depositos quase du plicou. .
ben s a favor do Credito AgriAfest a de an iversario ficara
cola e a "caixa" foi fundada m ar cad a pe la homen agem
para apoiar a compra de se- aos socios fundad ores e aos
mentes, animais e maquin as tr es colaboradores mais anti- .
agricolas. Dai que os colabo- gos. JOSt VINHA
Das sementes
, .
anegocics
de 130 milhoes
PAREDES
o CREoITO Agricola de Paredes comemo ra 'hoje 25 ano s
de at ivi dade. Nasceu com a
ajuda fin an ceira da Camara
local e da CooperativaAgricola de Par edes que ced eu as
instalacoes e dois func ionarios. Hoje e das mais solidas
instituicoes finan ceiras da regiao, com mais de 2700 socios
e racios de solvabili dade de
quase 24%, mai s do dobro do
prima Silvia era fi gu ra emb lem atic a,
Pelo casam en to ti._ ., -.
nha dado 0 saito da..
.-. pequena burguesia; a que
pert enciarnos, para a media
burguesia, a que aspiravamo s. Por isso, morava numa'
casa il altura da nova condi<;ao.Umacasa sa lida, elegan t e, seis m etr os de frente,
conforme as regras. Oito centista, com jard im e quintal.
Em Anibai Cunha.
A casa era 0 re qui n t e: repost eir os de velud o, carp et es, es pe lh os, mobilias de
pau -pr eto, sofas ond e nos
enterravarnos, pin tur as e
gravuras n as paredes. Classe.
·Minha mae visitava a prima
· Silvia todas as semanas e eu,
com ela, ansi ando a h ora do
ritual - 0 ch i da s 5 - , nao
pelo cha, mas pelos que ques
de nata qu e 0 aco mpan ha vam.
Como as conversas das primas eram se m pre as mesmas, morri a de te dio a ouvir
aqu ele n ha, n ha , nha, Ate
que u rn dia a prima Silvia me
· per guntou se n ao qu eri a ir
ver a festa num bairro quase
ao lado, com baloes e ban deiras. Era em junho, num sabado, e fu i ve r com o e ra. Ao
Bairro dos Marin hos,
Catraio da Baixa, que nunca entrara num amb ie nte
oper ario, foi a rev elacao. 0
bairro era uma aldeia ornam ent ada com b am boli n s.
Havia mesa s espalhadas por
urn largo, onde os vizinhos
conve rsav am , dand o ao
qu eixo e beben do un s copos.
Os rniudo s br incav am . Alguns pares dancavam ao som
de mtisica de alt ifalante . E,
num recant o, sob 0 coberto
de ramalhos, estava a cascata rnais bela que at e entao
vir a. Que tarde!Sai como en t rei, ninguern deu por mim
e guarde i para sempre a recordacao daqu ele S.Joao tao
simples, fraterno, em ocio nante.
Passei em Anibal Cu nha e
fui espreitar 0 Bairro dos Marinhos. Urn cadeado impede
o acesso . As casas em vo lta
do la rgo fo ram de m olidas. .
Nada rest a e ninguem ficou.
Urn con domi n ia m od ern o
sub stituiu a aldeia, Tiram -me acidade, mas nao consegue m apagar-me as imag ens
de u rn S. Joao in esquecivel.
PUBUOOAOE
JA PODE CH AMARU M T AXI
ATRAVES DE U MA· APP.
Pa ra iPhone, ' iPade Android'.
JN f-'f
ASSINA1'lIRAS
~ ; g,,,,,
('.•'1'0
8082Q '702 "" ~ ' S'
0<1,.;11'; '; ';"<1'>
~in.lltur~ifl.pt
que fez ha quarro ano s. "Ate
um a equipa de bombeiros de
Valadares te rnos em permanen cia", valorizou.
.
Ja An a Isabel Gonc alve s,
vice-presidente da Associa<;ao Port ugu esa de Doen t es
Neuromusculares, confe ssou, ao]N, que ··euma emo<;ao ver pe sso as que ja n ao
iam ao mar ha 60 anos voltar
a en tr ar na agua e a sairem de
Jasatisfeitas". •
'~unqueira
"Todo
o investimenlo
quefiz valeu
a pena.Assisto
ao hastear desta
bandeira
com muitaalegria".
Jose Bernardo
Concesstonario da praia
Frigideira
obriga
em Festa!"
evisitas
aoGarrett
a evacuar
POVOADE VARZIM
MATOSINHOS
AINDA A CELEBRAR a rea -
UM INCENDIO numa frigi-
bertura do ren ovado cine te atro Garrett , realiza-se h oje,
entre as 10 horas e a m ei anoi re , rnais um a edi cao do
"[unqueira em Festa!".
Duran te todo 0 dia, ao Iongo da Rua da Iunqueira, na
P6voade Varzim, havera concerto s, dan ca, an imaca o de
rna, teatro, recriacoes, jogos
populares e cinema e muitas
promo coes eofertas nas lojas.
Entre as 15 e as 17 horas, haveravisitas guiadas arenovada sala de espetaculos e, il noite, a partir das 22.15 h , urn
desfil e de m oda no Garrett
com a presen<;a de Mer che
Rom ero. As lojas estao aber.tas ate ameia-noite. A.T.M.
de ira obrigou a evacuar u rn
rest auran t e em S. Mam ed e
de Infesta, ontern, ao inicio
da tarde. "Foi mais 0 aparato
do que propriame nte 0 incen dio", afirmo u 0 gerente
do restaurante Nova Centralidade, que preferiu nao prestar mais declaracdes, Nao
h ouve feridos a registar,
.
Segun do uma testemunha,
o inci de nte co me c;ou com
uma frigi deira qu e ardeu e
ateou fogo as con dutas onde
passa m a lgu ns ca b os . Os
Bombei ros de S. Mainede
(cujo quart el em frente ao
resta uran te) resolverarna sit ua cao em cerc a de me ia
hora. MARIANACARVAUfO
restaurants
e