Ser Gentil é legal. Antes que você abra a boca para dizer “bom dia

Сomentários

Transcrição

Ser Gentil é legal. Antes que você abra a boca para dizer “bom dia
Ser Gentil é legal.
Antes que você abra a boca para dizer “bom dia”, a sisuda caixa do supermercado pergunta
áspera: “nota fiscal paulista?”. Enquanto isso, no estacionamento, uma folgada para o carro na
vaga de deficiente e sai tranquilamente. Numa loja, a atendente lhe diz um ríspido “pois não?”
quando você mal entrou (pois sim, haja paciência).Na calçada um jovem empurra você sem ao
menos balbuciar o esperado ‘desculpe’ e ele faz isso mais à frente, com um idoso que quase
cai. Mas o pirralho continua ocupado ouvindo ‘Lek, Lek’ no foninho do celular. Na saída da
escola, todos se atropelam no portão apertado- e atropelam quem está no caminho- sem ao
menos pedir ‘licença’. No trânsito seu carro é fechado e o fulano ainda faz gestos
impublicáveis, achando que está certo. O funcionário que você contratou não reclama do
pagamento (até porque recebe em dia), mas acha comum mandar um e-mail mal educado e
‘despretensioso’ quando você diz que o trabalho dele estava errado. A diarista, outra folgada,
para de limpara para ficar falando no celular toda hora e nem consegue ser discreta: fala alto
para todo mundo ouvir, sequer tendo um pouco do famoso semancol. Até mesmo a
comunidade da igreja , quando faz festa acha que tem direito de fazer barulho até às duas da
madrugada, embora a lei determine que às 22 horas é o horário limite; afinal, a festa é para a
santa e embora ela não seja surda, você tem que aceitar quietinho porque...bem, porque é a
igreja(até o momento a santa não viu a cor do dinheiro...).
Parece piada, mas estes hilários e deprimentes exemplos do cotidiano retratam a realidade
atual, na qual algumas palavras, como ‘Bom Dia’, ‘Por favor’, ‘Obrigado’, ‘Com licença’,
‘Desculpe’, e outras atitudes de respeito, desapareceram do vocabulário. O que aconteceu
com as pessoas? Onde elas aprenderam a serem grosseiras? Com a TV? Na escola? No
trânsito? Ou em casa mesmo? Vamos ficar com a última opção. Tudo isso é lamentável do
ponto de vista social e afeta até mesmo a saúde - sua e das outras pessoas – além de
comprovarem que atitudes educadas no cotidiano tornam as pessoas gentis mais alegres.
Estudos recentes indicam que os atos de gentileza fazem com que o corpo, a mente e o
espírito se sintam bem. Com direito à constatação física: atitudes gentis permitem a liberação
de endorfina, substâncias capazes de provocar no indivíduo sensação de alegria, que pode se
transformar em bem-estar e calma. Mas como ser gentil no mundo hostil?
Bons exemplos contagiam.
Ceder seu lugar na fila para um idoso. Segurar a porta para alguém passar. Deixar o carro ao
lado entrar na sua frente para convergir. Até mesmo dizer um simples “obrigado”. Estas são
cenas que estão cada vez mais raras. O respeito pelo próximo é, então, deixado para
escanteio. “É difícil às vezes até andar na rua. Porque as pessoas passam tão apressadamente
nas calçadas que nem se incomodam se esbarram em você. Desviar então é uma ação rara.
Nesta semana mesmo quase caí porque uma mocinha praticamente me jogou para fora da
calçada. È muito triste”, disse Adalgisa Silva de 71 anos. Quer se tornar uma pessoa gentil?
Então é bom se preparar para se tornar uma pessoa mais calma. Porque paciência é talvez a
primeira característica de quem é educado. Se bem que nem a mais gentil das pessoas
consegue manter a educação em certas situações, como a de um telefonema de uma
operadora de cartão de crédito.
Mas o principal traço do educado é o respeito ao próximo. Aceitar atitudes de outras pessoas
que não estejam de acordo com os nossos valores, aceitar que o motorista ao lado tem tanto
direito de utilizar a via quanto você; entender que um idoso precisa, fisicamente, de um lugar a
sua frente na fila ou que não custa nada pedir ‘por favor’, falar ‘obrigado’ ou abrir a porta para
alguém passar.
O que vai ganhar com isso? Um obrigado dito de coração, a satisfação de poder ajudar alguém,
o bem-estar tão necessário ao mundo estressante. E mais: ser visto como uma pessoa
agradável de conviver. O que é importante não só na vida pessoal ou para ter mais amigos,
mas também para ganhar confiança no emprego. Porque uma pessoa gentil se destaca muito
mais no mercado de trabalho que uma mal educada. ”Porque é prazeroso saber que a pessoa
ao lado não pensa só em si, mas num bom ambiente para os colegas e no desempenho da
empresa. Uma pessoa fina e educada traz respeito e marca pontos com o chefe”, concorda o
Mário Sanches Filho.
GENTILEZA SE APRENDE NA FAMÍLIA
Afinal de contas, o que é ser gentil? E onde se aprende a ser educada? Infelizmente a gentileza
é uma característica do ser humano de, naturalmente, quere ser solidário. Não há como
obrigar uma pessoa a se interessar pelo bem-estar do outro, muito menos incutir no
vocabulário de alguém as palavrinhas mágicas, “obrigado” e,”por favor,”. Mas é possível parar
para refletir em cada ação do cotidiano para não agir por impulso e pensar que sua
necessidade vem na frente da de qualquer pessoa que transita pelas ruas.
E muito desta gentileza é passada de pai e filho. A explicação é o exemplo: ver os pais terem
atos solidários faz com que os filhos entendam a importância de serem educados.
A educação e os bons costumes não são práticas criadas nos dias de hoje, mas são adquiridas
no “berço” (nunca é demais lembrar: o berço são os pais, a educação ensinada em casa e não
na escola, ok?).
“Devemos ter a consciência de que uma pessoa mal educada sempre trabalha de mau humor,
porque não sabe ser feliz. Não sendo feliz, a má educação, apresenta-se como um sintoma
colateral e assim sendo não gosta do que faz, não é feliz no amor, tem casa, mas não tem um
lar, não tem amigos, não tem família.
O encontro com uma pessoa mal educada deve fortalecer nossa atitude de não sermos igual a
ela. A reação diante de uma pessoa mal educada deve ser tratá- la com gentileza”, ensina o
professor e educador Paulo Cintra Ribeiro, frisando : “O respeito é um item extremamente
importante da educação.Para se mostrar educado com alguém, respeite-a e você também
terá respeito, afinal gentileza gera gentileza”.
(Fonte: Jornal In Foco).