cior qua lifica - Escola Profissional CIOR

Сomentários

Transcrição

cior qua lifica - Escola Profissional CIOR
Abril 2014 #47
E S C O L A
na
Q U A L IF IC A
C I O R
C IO R
P R O F I S S I O N AL
Leitura s
SUMÁRIO
Leituras
ESCOLA PROFISSIONAL CIOR
FICHA TÉCNICA
Vencemos os
Concursos ADN
04 Linhas Mestras
P. 07
Artistas da CIOR
P. 08
PROPRIEDADE
05 Em Foco
22 Livre-Trânsito
33 Daily English
BP Segurança
ao Segundo
34 InternaCIORizando
O POW_Dá POWer
e TWIST EDP
P. 9
37 Entretanto
P. 11
Anedotas 37
Estágios em França
Bem Escrever 37
P. 13
Cartoons 38
F1 In Schools
Raíz Quadrada 38
P. 15
Intercâmbio na
Roménia
TÍTULO
Leituras CIOR
Cooperativa de Ensino de Vila
Nova de Famalicão, C.R.L.
(Escola Profissional CIOR)
DIRETORA
Carla Oliveira
RECOLHA DE INFORMAÇÃO /
IMAGEM / FOTOGRAFIA
Arcélio Sampaio
Cristina Ferreira
REVISÃO DE PROVAS
Andreia Araújo
Carla Susana Azevedo
Joaquim Meneses
DESIGN GRÁFICO E PAGINAÇÃO
Pedro Veloso
Sabias Que 39
40 Check-List
P. 17
Entre Capas 40
Parlamento dos Jovens
Última Fila 42
Representamos a CIOR
na Feira “Qualifica”
P. 19
Hot Point 45
P. 18
Hemocromatose
Hereditária
50 Em Alta/Em Baixa
51 ADN
(In)Confidências 51
Testemunhos
de Ex-Alunos
Bilhete de Identidade 51
P. 26
P. 24
Microgeração Fotovoltaica - É Rentável?
Programas
Inrenacionais
P. 27
P. 34
Edição Online
DATA DE PUBLICAÇÃO
Abril de 2014
NÚMERO
47
PERIODICIDADE
Quadrimestral
TIRAGEM
1100 Exemplares
INÍCIO DE PUBLICAÇÃO
1998
DISTRIBUIÇÃO
Gratuita
MORADA
Rua Amélia Rey Colaço, 106
Apartado 48
4764 - 901 V. N. de Famalicão
GPS:
lat: 41.399684 | lon: -8.522847
Tel: 252 301 210
Fax: 252 301 219
http://www.cior.pt
[email protected]
DEPÓSITO LEGAL
290782/09
[2]
Editorial
A CIOR prepara-se, como sempre, para fa-
ações de formação sobre Indisciplina, Educa-
problemas. Sendo uma escola familiar e muito
zer frente à realidade dos nossos alunos… Por
ção sexual, Programa Concelhio de Educação
próxima dos alunos, procura ajudá-los a encon-
isso, aos professores vão sendo atribuídos pa-
Parental…
trar soluções e ultrapassar as dificuldades de
péis cada vez mais alargados, sem fronteiras.
E, se do ponto de vista de formação e co-
formação, integração, aprendizagem. Contudo,
Tendo em conta a faixa etária dos alunos, os
nhecimento, professores e alunos acabam por
é necessário que os encarregados de educação
professores deveriam ocupar a maior parte do
beneficiar com estas formações, é lamentável
não fiquem de fora neste processo, pois estes
tempo a ensinar, a proporcionar momentos de
que muito do trabalho não tenha já sido feito
são os primeiros responsáveis pela educação
desenvolvimento de competências técnicas,
pelas famílias. Algumas demitiram-se, já não
dos seus educandos.
científicas, profissionais. A escola, que deveria
querem ou não conseguem educar os filhos,
Por isso, aqui ficam algumas sugestões: um
ser um complemento na educação dos estu-
passando a bola aos professores. Estes que
diálogo franco, aberto, construtivo entre pro-
dantes, está a ter um papel cada vez mais ativo
os ensinem a cumprimentar as pessoas, a não
fessores, encarregados de educação e alunos;
e interventivo.
cuspir no chão, a respeitar pessoas e bens, a
assunção dos papéis de cada um destes atores;
Ora tal parece que não acontece. Muito do
tomarem banho! Pois! Algo está mal e os pa-
decisão e definição de limites que passem pela
tempo é empregue a ensinar regras básicas
péis de pais e professores estão a ficar muito
responsabilidade, pela ética, pela disciplina e
de educação, de convivência, de respeito por
confusos. Urge clarificar e corrigir! Assobiar
pela justiça.
si e pelos outros, formas de saber-estar e sa-
para o lado, fazendo de conta que “isto passa”,
Queremos uma escola onde se ensine, for-
ber-ser, ou seja, aquilo que, supostamente, já
“é da idade”, “fruto dos tempos”, das famílias e
me, positiva, motivadora, ativa, exigente, pa-
deveria estar interiorizado, trabalhado, apren-
alunos que temos, da escola e sociedade a que
cífica.
dido, mas, efetivamente, não está.
pertencemos, seria cómodo(?), mas não resul-
Para colmatar estas brechas, os professores, nos últimos anos letivos, têm frequentado
Deixar andar, não! Desistir, nunca!
ta. Não! Esse não é o caminho!
A CIOR procura estar atenta a estes e outros
CR
Antecâmara
O movimento na CIOR é muito, como sempre! Estão em curso inúmeros projetos, programas, concursos e participações, que se
estendem a todo o país e ao estrangeiro, que
envolvem todos os cursos, alunos, professores,
funcionários, ou quase todos! Uns, em fase
inicial; outros, em desenvolvimento. Uns, com
maior destaque, outros com destaque mais
tímido, mas a todos é dada igual importância,
empenho e dedicação. Ao desfolhar o nosso
Leituras descobrirás mais sobre eles…
Neste período, foi a vez dos alunos de Instalações Elétricas de 12º ano (IE13) realizarem a
sua formação em contexto real de trabalho (estágio). A quatro alunos desta turma foi dada a
oportunidade de estagiar em França, na região
da Normandia. Também as turmas de 10º ano
de Energias Renováveis (ER8) e de Mecatrónica
Automóvel (MA5) estiveram em estágio. Para
muitos destes alunos foi o primeiro contacto
com o mercado de trabalho. Desejamos que
tenham sorvido tudo o que vos poderá ser
útil… Daqui a pouco… O mercado do trabalho
espera-vos! E não está fácil!
Sentem-se desapoiados? Temos a solução!
A professora Carla Susana Azevedo está de
mangas arregaçadas para ajudar a ultrapassar
as dificuldades na disciplina de português. As
aulas já começaram e parece que a adesão foi
boa. Já não há desculpas para terem módulos
em atraso a português. Além disso, a professora está a ajudar os alunos na preparação para
realização do exame nacional de acesso ao ensino superior. Ouvimos dizer que outras disciplinas lhe seguirão as pisadas. Estejam atentos
às novidades!
Somos uma escola com Qualidade Certificada. Nos dias 29, 30 e 31 de janeiro decorreu na
nossa escola a auditoria de renovação da certificação do sistema de gestão da qualidade. Na
generalidade decorreu conforme o previsto,
e parece que continuamos no bom caminho!
Com o empenho e colaboração de todos seremos ainda melhores!
Neste momento, os alunos João Noronha e
o José Diogo Oliveira, na companhia do professor Luís Bessa, estão num encontro na Turquia
a participar na segunda fase do projeto Comennius 2013-15: Water, every drop counts.
Temos a certeza que estão a viver experiência
inesquecíveis e que nos darão conta de tudo
no próximo número do Leituras. Ficamos a
aguardar por mais notícias!
Se ainda não deram por nada, devem estar
mais atentos, pois temos na nossa escola uma
cara nova. A Cristiana Campos escolheu a CIOR
para realizar o seu estágio. É aluna do curso de
Gestão da Qualidade, Ambiente e Segurança,
do ISMAI, e vai ficar connosco até maio. Desejamos-lhe um bom trabalho e esperamos que
se sinta integrada na família CIOR!
O pequeno Vicente ainda agora nasceu e já
dá muito que fazer aos pais, principalmente de
noite… Ouvimos dizer! Desde que nasceu o catraio, o professor Arcélio Sampaio tenta recuperar do efeito JET LAG. Parece que ainda não
conseguiu, dizem as más-línguas! Enquanto lhe
damos tempo para se habituar à ideia de que a
vida dele nunca mais será a mesma, damos-lhe
também os parabéns pelo trabalho bem feitinho. O Vicente é lindo!
CR
[3]
LINHAS MESTRAS
Oradores? Atores? Encantadores de serpentes? Os novos comunicadores utilizam estratégias infalíveis, falam em público, como génios, inspiram quem os ouve, convencem clientes a comprarem determinados
produtos, ou conquistam, numa entrevista de emprego, a necessidade
de a empresa os contratar.
Tudo com bom humor à mistura. O acrónimo TED significa Techology, Entertainment,
Design. O conceito nasceu
nos Estados Unidos, depressa chegou à Europa e a Portugal, e o objetivo primeiro é
disseminar uma ideia, a partir de apresentações em público, tipo stand up comedy,
com vídeos divulgados no
YouTube.
Um dos mais conhecidos oradores portugueses
desta modalidade – o imperador da comunicação
TED portuguesa – é o psicólogo Miguel Gonçalves. É sempre um desafio interessante vê-lo e
ouvi-lo a propósito de qualquer tema. Detentor
de uma oratória vieiriana com novas roupagens –
assente na persuasão formal, suportada por uma
voz grave, gutural, estridente e lesta, pontua o
seu discurso com gestos, embora um pouco ao
arrepio do docere (ensinar), do delectare (deleitar) e do movere (mobilizar), do imperador
da língua portuguesa. A garra, a determinação, o dinamismo, a capacidade de resiliência
são as armas utilizadas para a consecução
dos objetivos traçados. Para ele, vencer é
sempre possível! Tem é que se trabalhar para
isso! Com um discurso inusitado e motivador,
Miguel Gonçalves anima a plateia, retratando
o perfil desanimado com que os jovens, por
vezes, encaram o futuro. A propósito da palavra empreendedor – termo muito em voga
nos tempos que correm –, Miguel Gonçalves
expõe o seguinte raciocínio: “Já repararam
que a palavra empreendedor termina em
-dor?” (Já nos tinham explicado – aquando
da aprendizagem da formação das palavras
por prefixação e sufixação, que os sufixos (d)or
– (t)or podiam designar agente, instrumento de
ação, profissão: como inspetor, corredor, leitor,
formador, legislador, etc). “E não é por acaso!” Lacónica mas convictamente, conclui, assim, sobre a
semântica e origem da palavra: “Empreendedor
é a coisa mais dura que há no mundo!” Será...
Pelo menos para ele, pelo jeito que lhe
dá!
Ora, decidimos comunicar como
TED’s, procurando, desta forma, com-
preender melhor as dores do orador TED, mas reconhecendo-lhe a sua
capacidade comunicacional, documentada em raciocínios engenhosos,
concetistas; sublinhando a sua habilidade e sagacidade em persuadir
o interlocutor. Aos nossos jovens alunos, lançamos aqui o desafio para
se instruírem nestas novas
linguagens, tendo em vista
uma conceção comunicacional mais arrojada, que os
ajude a lançar um projeto,
criar uma empresa, aprender a redigir um C.V. audacioso e inovador, preparar
uma entrevista criativa de
emprego, assentes também
e sobretudo em bases sólidas de conhecimentos e
competências apreendidos
na escola, por meios ditos mais formais.
Se o empreendedorismo é um dos principais motores do desenvolvimento social, económico e cultural
de uma região e de um país, devemos atualizar o
paradigma da nossa formação. É benfazeja a iniciativa “O meu projeto é empreendedor”, promovida
pela Rede Famalicão Empreende, em colaboração
com a ACIF – Associação Comercial e Industrial de
Famalicão, e que tem como objetivo fomentar o
empreendedorismo, destacando as Provas de Aptidão Profissional (PAP) mais empreendedoras
e inovadoras, passíveis de serem integradas e/
ou desenvolvidas nas empresas/instituições da
região.
Talvez com a propalada autonomia, as escolas possam vir a incluir, nos seus conteúdos
programáticos, aprendizagens, técnicas e atividades associadas à educação para o empreendedorismo e ao perfil do empreendedor, voltadas para o desenvolvimento de competências e
habilidades relacionadas com a criação de um
projeto empresarial (técnico e/ou científico). Há
governantes que consideram importante que os
jovens, desde cedo, tenham formação na área do
empreendedorismo, almejando a dinamização do
setor empresarial. O conhecimento é fator determinante, como o são também o saber estar; comunicar, fazer e empreender. Através de um ensino mais
pró-ativo e proficiente, intrinsecamente ligado às necessidades do tecido económico e social, incrementaremos nos jovens um espírito criativo que os capacite
de competências e de ferramentas. Autonomamente,
saberão identificar oportunidades, agarrá-las e
diligenciar os recursos para as transformar em
negócio lucrativo. Com ou sem dor, esse é o
papel do formador e do empreendedor! Essa
é a nossa missão.
A.D & J.P
Aprender como um
[4]
EM FOCO
Por Debaixo da Barragem
No dia 19 de março as turmas de Energias Renováveis, ER7, e de Instalações Elétricas, IE14, acompanhadas pelos professores Arcélio Sampaio e Pedro Rocha, respetivamente, arrancaram de manhã cedo, pelas
08.30h, rumo às deslumbrantes paisagens rurais de Terras de Bouro, no
sopé da Serra do Gerês.
Uma vez no subsolo, o grupo pode observar bem de perto todos os
equipamentos envolvidos na geração de energia elétrica a partir da energia cinética (ou hidráulica) criada pelo movimento da água em queda. Visitamos as turbinas, o alternador e rotor, constituintes do grupo gerador.
Ainda no subsolo vimos a saída de emergência a utilizar em caso de necessidade de evacuação do aproveitamento. Esta saída aproveita o primeiro túnel aberto aquando do início da construção
da barragem.
De volta à superfície, visitamos a sala do gerador de emergência e a sala de controlo, muito embora atualmente a barragem seja monitorizada remotamente a partir de um Centro
de Telecontrolo.
Finalizamos a visita percorrendo externamente a barragem,
deliciando-nos com a albufeira com que o Rio Cávado nos presenteou, ali bem perto e, para muitos, uma das mais bonitas
de Portugal.
Já ao final da manhã, bem dispostos e satisfeitos com o que
pudemos testemunhar e aprender, iniciamos a viagem de regresso à escola.
Arcélio Sampaio e Pedro Rocha, professores
O destino foi o aproveitamento hidroelétrico da Caniçada,
uma barragem de média dimensão cuja albufeira é frequentada, vejam só, por Cristiano Ronaldo, com acesso direto a esta
a partir da sua casa de campo na encosta da montanha.
A barragem tem uma altura de 76 m e um comprimento
do coroamento de 246 m. Tem um volume de betão de 90 000
m³ e uma capacidade máxima de descarga de 1 700 m³/s. É
uma barragem do tipo arco, produzindo em média 346 GWh/
ano, para uma potência instalada de 60 MW.
Uma vez chegados fomos acolhidos por uma equipa de técnicos especializados da EDP que, após terem dividido o grupo
em três, cada qual com um técnico, nos conduziram para o
interior deste aproveitamento, utilizando para o efeito (felizmente) um elevador que desempenha esta tarefa desde os
anos 50 do século passado.
[5]
Em Foco
TWIST EDP
A Tua Energia Faz a Diferença
“Desenvolvimento Sustentável”, motivando os alunos a adotar comportamentos mais responsáveis na escola, em casa e em todo o seu quotidiano.
Na turma de Instalações Elétricas, IE14, foi criada uma equipa que assumiu o compromisso de sensibilizar a comunidade para os temas propostos.
As atividades são compostas por 4 Quiz com 5 perguntas de escolha
múltipla, a elaboração de uma “Carta de Compromisso com o Futuro”,
com os princípios que a Equipa considere importantes, e um exercício de
análise de cenários futuros.
Este é um projeto aprovado pela Entidade Reguladora dos Serviços
Energéticos (ERSE), no âmbito da 5ª edição do Plano de Promoção de
Eficiência no Consumo de Energia Elétrica (PPEC),e implementado pela
EDP Serviço Universal com o apoio da iWays.
A EDP lançou mais uma edição do Projeto Twist – A tua energia faz a diferença, desafiando a nossa escola a participar
nesta iniciativa.
O projeto foi desenhado para envolver
a comunidade escolar e familiar. Tem em
vista a sensibilização para as temáticas
relacionadas com a Eficiência Energética
e as Alterações Climáticas. Nesta edição,
o projeto vai ainda lançar as bases para
o tema “Desenvolvimento Sustentável“
que está a ser destacado pela UNESCO,
através da iniciativa “Educação para o
Dia de São Valentim
Como surgiu o dia de S. Valentim? Há várias
teorias relativas à origem deste dia.
Uma das lendas refere que um sacerdote
chamado Valentim teria sido preso, torturado e
condenado à morte por celebrar o casamento
de muitos casais, o que era proibido pelo imperador Romano Claudius II, que queria angariar
mais soldados para as frentes de batalha. Na
prisão teria deixado um bilhete de despedida
à filha do carcereiro, cujo título era “DO TEU
VALENTIM”.
Valentim foi morto no dia 14 de fevereiro de
269 d.C.
A partir desta lenda, ao longo do tempo
passou a ser tradição a troca de bilhetes entre
apaixonados. O culto a S.Valentim percorreu a
Europa, cruzou o Atlântico e chegou aos Estados Unidos.
Na CIOR, foi criado o Correio do Amor. Foram
enviadas mensagens e sabemos, de fonte segura, que houve revelações, emoções e muitas
paixões…
CR
[6]
Carla Oliveira, professora
Ve n c e m o s o
Concurso ADN
No passado dia 13 de janeiro, teve lugar a
apresentação dos finalistas dos Prémios “ADN
– Mostra do que és feito”, no auditório da Casa
da Juventude de Vila Nova de Famalicão, numa
organização conjunta entre a Plataforma de
Animadores Socioeducativos e Culturais (PASEC) e o Pelouro da Educação da Câmara Municipal de Famalicão.
Na categoria de “Projetos sociais ou culturais
da comunidade escolar”, a CIOR concorreu com
o projeto da “Feira Medieval de Famalicão dois
mil e treze” protagonizado pelos formandos do
Curso Profissional de Animação Sociocultural.
Na categoria de “Jovem Protagonista dois
mil e treze”, a concurso esteve a ex-aluna Andreia Machado, da turma ASC7, pelo seu testemunho de vida e talento, mas sobretudo pela
sua relevante atuação cívica, social e cultural.
Os resultados, divulgados no dia 6 de fevereiro, na Casa das Artes, superaram as expec-
tativas, tendo a Escola profissional CIOR obtido
o primeiro prémio em ex aequo na categoria
de “Jovem Protagonista dois mil e treze”, bem
como o primeiro prémio na categoria “Projetos
sociais ou culturais da comunidade escolar”,
com o projeto “Feira Medieval de Famalicão
dois mil e treze”.
Luís Bessa, professor
[7]
Em Foco
Aqui
Também
Há Artistas
Foi por acaso que descobri que o Marcos é um artista, no meio
dos números e gráficos e ao pegar no caderno, caíram os desenhos por acaso, como quem quer ser visto.
Não resisti a pedi-los, o Marcos timidamente acedeu, quando
disse que estavam muito
bons, respondeu-me que
tinha mais e que gostava
muito de desenhar quando
precisa de pensar.
Como gostei muito, vou
partilhá-los com vocês.
Pessoalmente, acho que
está de parabéns e que se
deve orgulhar dos seus desenhos e continuar a rabiscar. Eu por cá, fico à espera
de uma exposição. Está de
parabéns!
MC
[8]
BP
Segurança
ao Segundo
O Desafio BP Segurança ao Segundo é uma iniciativa da BP Portugal,
criado em 2011, em parceria com o Automóvel Club de Portugal, o Forum Estudante, a Associação Salvador, e conta com o apoio institucional
da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, com o objetivo de promover a prevenção e segurança rodoviária.
É destinado a estudantes entre o 9º e o 12º ano de escolaridade ou
que frequentem o ensino profissional, residentes em Portugal.
No âmbito deste concurso, a CIOR apresentou-se com dois cartazes,
um elaborado por 10 alunos da turma de Mecatrónica Automóvel, MA4,
Formam-se equipas com dez elementos de estudantes da mesma
subordinado ao tema uso do telemóvel, e o outro por 10 alunos da tur-
escola, coordenados por um professor. Cada escola pode inscrever no
ma de Energias Renováveis, ER8, sobre a utilização do cinto de seguran-
máximo três equipas, que podem ou não ter o mesmo professor coor-
ça. Foi uma tarefa divertida e geradora de ideias, passadas ao papel, no
denador.
sentido de se alertarem as consciências dos que andam na estrada.
Para concorrer, cada equipa deverá criar um cartaz com um slogan
sobre prevenção e segurança rodoviária, subordinada a um dos cinco
temas chave:
Estes cartazes estiveram à votação na página da internet: http://
www.bpsegurancaaosegundo.pt/
- Condução sob o efeito de álcool ou drogas;
O número de votos obtido permite passar à fase seguinte.
- Velocidade excessiva;
Estamos com esperança!
- Uso de telemóvel;
- Uso de cinto de segurança;
- Fadiga ou cansaço.
Manuel Vieira e Pedro Silva, professores
[9]
Em Foco
A Imaginação Foi o Limite
Como tem sido hábito, o Núcleo de Física
e Química assinalou o Natal. Desta vez com a
elaboração de Árvores de Natal enfeitadas com
materiais recolhidos na Natureza. Recolhemos
folhas e cascas de árvore, paus, feno, pinhas,
entre outros, e demos-lhes nova vida. A imaginação foi o limite… Os alunos participantes
nesta atividade foram os criadores e, modéstia
à parte, conseguiram coisas muito bonitas. O
laboratório de Física e Química ficou quase intransitável por algumas semanas… Mas valeu
a pena!
O Núcleo de Física e Química continua em
ação... Uma vez mais fica um agradecimento a
todos os alunos que se envolveram no desenvolvimento de cada uma das atividades.
Carnaval
Famalicão é uma cidade com tradição carnavalesca, basta sair à rua
na noite de segunda-feira, véspera de carnaval, para se perceber isso.
Não se sabe muito bem quando começou, mas de ano para ano cresce visivelmente, assumindo cada vez mais uma posição privilegiada
no roteiro das melhores festas carnavalescas do norte do país.
Sendo a CIOR famalicense, não poderia deixar passar em branco
esta festividade. Apontamentos de carnaval estavam espalhados pela
escola, muito alegres e bonitos. Parabéns aos autores dos trabalhos!
CR
[ 10 ]
Carla Oliveira e Ilda Dias, professoras
O POW_Dá POWer ao Electrão
O concurso O POW_Dá POWer ao Electrão é
um projeto de educação social e ambiental que
terá como embaixadores as figuras públicas
João Manzarra, Carolina Torres e Pedro Fernandes. Esta iniciativa procura sensibilizar as pessoas para a questão de manter o planeta limpo
e saudável, através do
correto
encaminhamento dos REEE (Resíduos de Equipamentos
Elétricos e Eletrónicos).
A nossa escola foi desafiada com este projeto, realizando um vídeo
criativo e um manifesto
que enumera todas as
suas boas práticas ambientais!
Participamos neste
concurso com o projeto
Hospital dos Monstros,
já implementado na
CIOR e que representa
muito mais que um Ponto Eletrão.
Os alunos Carlos Silva e Agostinho Costa,
da turma de Instalações Elétricas, IE14, com a
colaboração de outros elementos da mesma
turma, abraçaram este desafio e criaram um
vídeo que mostra, de forma divertida e original,
como podemos contribuir para o correto encaminhamento dos REEE. E é tão fácil ser amigo
do ambiente!
Carla Oliveira, professora
Animação de Bibliotecas
No nosso curso de Animação Sociocultural,
deparamo-nos com um módulo intitulado Animação de Bibliotecas, cujo objetivo é incentivar as pessoas de todas as idades a ler e a ganhar o gosto pela leitura. A turma foi dividida
em quatro grupos para desenvolver quatro intervenções diferentes.
No dia 27 de janeiro, decorreu uma intervenção no auditório da nossa escola realizada pelos alunos Miguel Silva, Miguel Moreira, Vera
Silva, Joana Silva e Magda Barbosa. Convidaram o escritor Hélder Ferreira, de Arnoso Sta.
Maria, que já editou dois livros, apesar das dificuldades que enfrentou por ser tetraplégico.
Ao longo da intervenção, o escritor contou a
história da sua vida e como gostava de música,
inclusive tocava viola de arco numa orquestra.
O escritor deixou uma mensagem de coragem
e de amor incondicional à
vida, de força de vontade
e de contornar sempre os
obstáculos.
No dia 6 de fevereiro, a
escola Dr. Nuno Simões, em
Calendário, foi o alvo escolhido pelas alunas Rafaela
Silva, Tanita Freitas, Soraia
Oliveira, Natália Silva e Ana
Raquel Martins. Esta inter-
venção foi dirigida a
crianças do 5º e 6º
anos de escolaridade. Numa primeira
fase, os alunos referiram um livro que os
marcou. De seguida
apresentamos/interpretamos
algumas
cenas da obra “Auto
da Barca do Inferno”
de Gil Vicente, adaptadas para crianças.
No dia 11 de fevereiro, a intervenção realizou-se no Polo da Biblioteca de Riba de Ave
pelos alunos Catarina Files, Catarina Castro,
Soraia Silva, Fernando Moreira e André Freitas. O público-alvo foi uma turma do 2º ano da
escola EB1/JI Avenida de
Riba D’Ave, assim tiveram
a oportunidade de passar
uma manhã diferente, divertindo-se a ouvir contos
infantis e com uma caça ao
livro.
No dia 18 de fevereiro,
na Biblioteca Municipal de
Vila Nova de Famalicão, as
alunas Eva Teixeira, Sandra
Cruz, Daniela Sousa, Bruna Silva e Vera Torres
proporcionaram aos alunos uma visita guiada
à biblioteca. Desta forma, os alunos puderam
conhecer os vários compartimentos, desde o
local onde se separam os livros, onde se faz a
seleção, entre outras coisas. No final da visita
guiada, houve a apresentação do livro “A mudança” da autora Teresa Silva.
Conclusão, fizemos estas pequenas intervenções para incentivar e promover o gosto
pela leitura. Escolhemos crianças e jovens, mas
podiam ter sido dirigidas a qualquer faixa etária. Desenvolver a literacia e o gosto pela leitura são aspetos fundamentais para o desenvolvimento humano. A leitura é a chave mestra da
aprendizagem!
ASC10
[ 11 ]
Em Foco
E d u c a ç ã o P a r en t a l
Atenta às problemáticas que envolvem diretamente as famílias, mais
uma vez a Escola Profissional CIOR associou-se à Câmara Municipal de
Vila Nova de Famalicão, nomeadamente no projeto concelhio de Educação Parental.
Assim, desde o passado dia 11 de janeiro, as professoras Carla Saldanha e Eugénia Mendes encontram-se a frequentar uma ação de formação designada “Mais Família - Mais Jovem”, a qual finda no próximo mês
de maio.
O objetivo principal desta formação será capacitar a nossa escola com
conselheiros parentais preparados para apoiarem os pais e encarregados
de educação na resolução de problemáticas relacionadas com o desenvolvimento dos seus filhos, numa idade que coloca tantos desafios: a
adolescência.
Eugénia Mendes e Carla Saldanha, professoras
In d isc i p li na e m C o n t ex t o E s c o l a r
Profe ss or es em F o r m a ç ã o
Durante o mês de janeiro, decorreu uma oficina de formação “Indisciplina em contexto escolar: Prevenção e Resposta” com um grupo de
professores da Escola Profissional CIOR. Os objetivos desta oficina foram:
atualizar a reflexão e o conhecimento sobre as variáveis e fatores relacio-
nados com a Indisciplina em contexto escolar, desenvolver competências
que permitam a promoção de atitudes e comportamentos saudáveis nos
alunos, desenvolver nos formandos competências de planificação, realização e avaliação de atividades de promoção de condutas sociais positivas. Esta ação surgiu da necessidade manifestada pelos professores nas
reuniões de trabalho no âmbito da elaboração do Plano de Melhoria da
Escola, com a equipa do Observatório de Melhoria e Eficácia da Escola,
da Universidade Lusíada do Porto, e Serviço Educativo do Município de
Vila Nova de Famalicão. De destacar o envolvimento e a participação ativa de todo o grupo de professores da CIOR que permitiu que esta oficina
de formação fosse, também, um momento de reflexão sobre as prioridades e constrangimentos que a Escola, atualmente, enfrenta, procurando
através da partilha das boas práticas, entre o grupo de professores, levar
à uniformização de procedimentos, de forma a diminuir situações potenciadoras de indisciplina.
Adelaide Dias, professora da Universidade Lusíada do Porto
[ 12 ]
Estágios em França
Notícias da Normandia
A turma Instalações Elétricas de 12º ano, IE13,
cumpriu o seu período de estágio. Quatro alunos
desta turma foram selecionados para o fazerem
em França, na região da Normandia, mais especificamente numa cidade chamada Caen.
Os alunos Marco Couto e Jacob Cruz estiveram
alocados na empresa Langelec, situada em Courseulles sur Mer; o Ricardo Pousado e o Rui Faria
ficaram a estagiar na empresa Cabléo, em Caen, e
contaram à nossa redação as suas aventuras.
“Apesar das sedes das empresas serem nos locais já referidos, nós nunca estávamos lá, pois andávamos a trabalhar em obras, espalhadas pela
região.
Durante este estágio, fizemos um pouco de
tudo, instalações elétricas em habitações, lojas e
outros edifícios; colocamos tomadas e interruptores, fizemos passagem de cabo e passagem de
cabo subterrâneo, colocamos postes de luz, instalamos portas elétricas, tratamos de manutenções,
entre outras coisas.
As aulas de francês, fundamentais para podermos comunicar melhor,
incidiram mais no vocabulário técnico mais utilizado no trabalho. Tivemos também aulas práticas para aprendermos algumas das normas francesas de instalações elétricas.
Ficamos hospedados numa residência para universitários, situada em
Cité u Lebisey. As compras para casa foram feitas por todos. Como cozinheiro tivemos o “transmontano”, Pousado, o “ajudante de cozinha” foi
o Jacob. Na limpeza e arrumação da cozinha todos participam. Tinhamos
lavandarias comuns, que eram pagas, onde lavamos e secamos a nossa
roupa.
Visitamos o castelo de Caen, praias da Normandia, perto da Langelec,
percorremos parte da cidade, conhecemos a noite e nem Paris nos escapou.
À tout à l´heure…”
Marco Coutinho, Filipe Cruz, Rui Faria e Ricardo Pousado, IE13
[ 13 ]
Em Foco
Fórum d o s M éd i a
A turma de Animação Sociocultural de 11º ano, ASC11,
apresentou no passado dia 24 de janeiro um programa na
rádio Digital e uma entrevista na Fama TV, integrados no programa Fórum dos Media, promovido pela Editave. Nesta iniciativa tivemos a colaboração de dois colegas da turma ASC
10, o Fernando e o Miguel.
Com o objetivo de proporcionar uma tarde diferente aos
ouvintes da Rádio Digital, elaborámos uma programação variada: momentos musicais, poesia, adivinhas.
Na Fama TV, entrevistamos o Diretor da nossa escola, Dr.
Amadeu Dinis, um ex-aluno, Nuno Araújo, e, ainda, a Dr.ª Liliana Moreira e a Dr.ª Carolina Pinto, da instituição Mais Plural.
ASC11
N o F i nal d o
Foram muitas as atividades realizadas no final do período anterior:
- Espetáculo de Natal realizado pela turma
de Animação Sociocultural ASC11. Houve dramatização do Natal e todos foram convidados
a assistir: familiares, amigos, pais e encarregados de educação, bem como professores, funcionários e diretores da escola. O ginásio foi o
[ 14 ]
1 º P er í o d o
palco e, por ele, foram desfilando músicas, dramatizações, acrobacias, humor, muito humor.
Momentos alegres, felizes que tornaram a vida
dos presentes mais risonha, mais leve.
- Mais uma vez foi organizado um torneio de
futebol, houve muita disputa e desportivismo.
A turma de Energias Renováveis, ER6, levou a
taça, e todos se divertiram.
- Jantar e convívio de Natal com os colaboradores (docentes e não docentes) da escola.
Houve troca de prendas e manjares a condizer
com a quadra. Não faltou a diversão e a confraternização.
CR
Chegamos ao mês de março e, com ele, chegamos também à altura em
que se trata da elaboração dos documentos necessários ao apuramento
para a Final Regional de mais uma edição da competição F1 In Schools,
que voltará a contar com a presença de algumas equipas da Escola Profissional CIOR.
Depois de, na Final Regional 2013, se ter sagrado vice-campeã, sendo
também a melhor classificada entre as equipas do Concelho de Vila Nova
de Famalicão, a equipa Dragway, que este ano terá algumas novidades,
apresenta-se como uma das favoritas, pretendendo chegar, novamente,
à Final Nacional da competição.
DRAGWAY
- João Aleixo Andrade;
- Miguel Alves;
- Marco Ribeiro;
- Luís Mendes;
- Rui Teixeira;
- Carlos Silva (IE14).
CAJAPL
- António Azevedo;
- Alexandre Santos;
- João Pereira;
- Diogo Castro;
- Luís Saldanha;
- Pedro Martins.
A Escola Profissional CIOR estará representada por cinco equipas, sendo lideradas pelos Dragway, da turma de Mecatrónica Automóvel, MA4,
que este ano mantêm três elementos e recebem outros tantos “reforços”, sendo dois deles da mesma turma e o terceiro elemento “recrutado” ao Curso Técnico de Instalações Elétricas. As restantes quatro equipas serão compostas por alunos da turma de Mecatrónica Automóvel do
10º ano, MA5.
A lista das equipas apuradas para a Final Regional 2014 será conhecida
no próximo dia 15 de abril.
Fiquem a conhecê-las um pouco melhor:
MA5 (2)
- Rui Azevedo;
- Daniel Silva;
- Paulo Ferreira;
- Leandro Gomes;
- João Pedro Santos;
- José Freitas.
MA5 (3)
- Hélder Martins;
- Pedro Rodrigues;
- Nuno Dias;
- Pedro Oliveira;
- Diogo Teixeira;
- Joel Barros.
FAST TEAM
- Daniel Rodrigues;
- António Ferreira;
- Nélson Gonçalves;
- Paulo Costa;
- Renato Neto;
- Tiago Freitas.
Pedro Silva, professor
[ 15 ]
Em Foco
Rec i clar é D a r e R ec eb er
No dia 12 de fevereiro as turmas de Higiene e Segurança no Trabalho e Ambiente, HSTA7; Animação
Sociocultural, ASC10, e Energias Renováveis, ER7,
reuniram-se no auditório da nossa escola para participarem numa Eco-aula ministrada pela Engª. Marisa
Lima, da Resinorte – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.
Numa altura em que o conceito de desenvolvimento sustentável e as preocupações ambientais ganham
uma notoriedade crescente, esta iniciativa permitiu aos alunos conhecerem o que se faz em termos de gestão de resíduos no concelho de Vila
Nova de Famalicão, bem como apresentar algumas soluções válidas e
reforçar a necessidade de uma consciência ambiental global.
Durante a exposição foram abordados temas como a importância do
tratamento e valorização dos resíduos nas sociedades atuais e diferentes
tipos de tratamento e valorização de resíduos.
Com um discurso adequado ao público alvo, a palestrante conseguiu
fazer passar para os alunos importantes informações relativas à valorização e tratamento de resíduos, permitindo aos alunos compreender o
processo da triagem de resíduos e do tratamento mecânico biológico de
resíduos, bem como conhecer outras formas de valorização de resíduos
orgânicos como, por exemplo, a vermicompostagem.
No final houve lugar a uma espaço dedicado ao debate e colocação de
M i xi ng Ar t
Como Prova de Aptidão Profissional, PAP, a turma
finalista do curso Técnico de Animação Sociocultural,
ASC10, realizará um evento destinado a jovens. Mixing Art é o nome do evento que decorrerá nos dias
30 e 31 de maio e 1 de junho, no parque D. Maria II,
em V.N. de Famalicão.
A turma foi dividida por áreas de trabalho, de forma a facilitar/organizar o trabalho. As áreas referidas
são: planeamento e secretariado/promoção e divulgação; espectáculos; animações; mercado e gastronomia; oficinas e workshops.
Serão três dias recheados de atividades: concertos,
workshops, gastronomia variada e muita animação.
Pretendemos assim que a nossa PAP seja inovadora,
algo diferente daquilo a que os jovens estão habituados.
Assim, como a Feira Medieval Quinhentista teve
um grande impacto na região, pretendemos que este
Mixing Art seja uma referência e tenha continuidade
no reportório artístico famalicense.
ASC10
[ 16 ]
questões e dúvidas.
Como complemento a esta
iniciativa, a Resinorte facultou
à escola conjuntos de ecopontos portáteis, prontamente distribuídos pelos espaços escolares permitindo a todos contribuir para um planeta mais
sustentável com uma nova…
melhor, reciclada mentalidade
face à problemática da acumulação de resíduos.
Arcélio Sampaio, professor
Estivemos na Roménia
P ri me i ro En con tro do Pr o jeto Co m ennius 2013-15:
Wa te r, Every Dr o p Co unts
Pela primeira vez, fomos os primeiros a chegar à CIOR! Eram 5:30h quando saímos da escola, com destino ao aeroporto, para iniciar a
nossa grande aventura.
O primeiro voo que apanhamos foi tranquilo, o seu destino era Roma, onde passamos
a maior parte do dia. E como estávamos em
Itália, terra da pizza, foi o que comemos no
nosso primeiro almoço. De seguida apanhamos outro voo para Iaşi, na Roménia, o nosso
destino final. A viagem foi calma, mas quando
estavamos prestes a aterrar, fomos desviados
para Bucareste, capital da Roménia, por causa
das condições meteorológicas adversas. A experiência de não conseguir aterrar foi, no mínimo, inesquecível! Estavamos assustados e não
sabíamos o que iria acontecer. A viagem para
ménia. Por fim, pudemos
ainda desfrutar de um
passeio a cavalo na Royal
Stud Form Dumbrava Timisesti, cujos estábulos
estão recheados com várias raças de cavalos.
O quarto dia foi passado na Escola que nos
acolheu. Aí, participamos
em alguns workshops, a
saber: uma aula de música, onde a professora demonstrou como controlar
a respiração, e todos juntos cantamos uma música
de Natal em inglês; algu-
Iaşi teve que ser concluída de autocarro, o que
demorou mais 7 horas.
Apesar de termos dormido muito pouco e de
termos feito uma viagem cansativa, mal chegamos, participamos nas atividades. Aproveitamos o resto do dia para nos juntarmos aos
parceiros do projeto e com eles visitar igrejas
católicas e ortodoxas, bem como um teatro.
De regresso ao hotel, depois de jantarmos,
pela primeira vez, com os nossos novos amigos
e parceiros neste projeto, pusemos o sono em
dia.
No dia seguinte, visitamos um dos castelos
da região, o mosteiro ortodoxo de Agápía e um
museu com ícones dos séculos XVI e XVII. Pudemos assistir ao trabalho manual das freiras
nos teares que se tornou famoso em toda a Ro-
mas experiências químicas; uma pequena
aula de dança com
uma coreografia que
depois de ensaiada
foi apresentada aos
professores. Por fim,
recebemos um diploma de participação, seguindo-se o almoço. A
tarde foi livre para uma ida ao centro comercial.
A noite terminou com o
jantar oficial de encerramento do projeto e, como
não podia deixar de ser,
o grupo português foi a
alma da festa.
As professoras que nos
acompanharam,
Olívia
Paula Pereira e Nilza Jardim, receberam um galardão de mérito de excelência pelo trabalho desenvolvido e pelo número de
alunos que levaram para o
encontro.
No último dia da nossa aventura, fizemos a
viagem de regresso, desta vez sem incidentes!
Foi com satisfação e orgulho que todos nós
participamos nesta experiência que não vamos
esquecer e que esperamos repetir.
Joana Vilaça, ASC11
Frederico Silva, EL19
Marco Ribeiro, MA4
Hugo Araújo, IE14
João Ferreira, ER7
[ 17 ]
Em Foco
D e p u tad o d a A s s em b l ei a
da R e p ú b l i c a n a C I O R
No dia 20 de janeiro, no âmbito do programa Parlamento dos Jovens, a nossa Escola
recebeu a visita do deputado Dr. Jorge Paulo
Oliveira.
O deputado pertence ao Grupo Parlamentar do PSD e foi eleito pelo círculo de Braga.
Durante a sessão os alunos tiveram a oportunidade de conhecer vários aspetos inerentes à organização e ao funcionamento do
Parlamento e questionar o deputado sobre
o tema definido para o presente ano letivo:
“Crise Demográfica: Emigração, Natalidade
e Envelhecimento”.
O programa Parlamento dos Jovens é uma
iniciativa da Assembleia da República que
tem como “objetivo promover a educação
para a cidadania e o interesse dos jovens pelo
debate de temas de atualidade”.
Carla Saldanha, professora
D e pu tad os à S es s ã o D i s t r i t al
À semelhança dos anos anteriores, a nossa escola inscreveu-se no programa Parlamento dos Jovens, uma iniciativa da Assembleia da República.
Assim, no dia 22 de janeiro, em Assembleia Escolar, os
alunos debateram um conjunto de medidas relativas ao
tema proposto: “Crise Demográfica: Emigração, Natalidade e Envelhecimento”.
Determinado o Projeto de Recomendação que representará a Escola na Sessão Distrital (Braga), realizou-se a
18 de março, tendo sido eleitos os seguintes deputados:
- André Freitas (ASC10)
- André Mota (EL19)
Foi eleita como deputada suplente a aluna:
- Rafaela Silva (ASC10)
Carla Saldanha, professora
[ 18 ]
Representamos a CIOR na
QUALIFICA
Teve lugar na Exponor, entre 13 e 16 de
março, a Qualifica – Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego, com uma série
de opções de educação, formação e diversão,
principalmente dirigida aos jovens e pretendeu responder às suas dúvidas e inquietações
apresentando todo um leque de oportunidades para os que estão à procura de novos rumos e saídas profissionais.
O Secretário de Estado do Ensino Básico e
Secundário (SEEBS), João Grancho, esteve no
dia 14 de março em visita, à Qualifica, Exponor
no Porto.
A Agência Nacional para a Qualificação e o
Ensino Profissional (ANQEP) participou com
um espaço próprio na feira Qualifica dedicado
exclusivamente ao ensino profissional e à mostra, ao vivo, das múltiplas aprendizagens que
os jovens adquiram nas componentes práticas
do ensino profissional (entendido aqui
como qualquer modalidade, de dupla
certificação, que confere o nível 4 de
qualificação). Estas mostras incidiram
em especial nas áreas consideradas
estratégicas para o desenvolvimento
do país, correspondentes a 4 setores:
- Energias e Tecnologias;
- Agricultura, Mar e Pescas;
- Turismo e Ambiente;
- Restauração.
Através da DGESTE a CIOR foi selecionada entre as Escolas da área de
abrangência do Centro e do Norte para
participar nesse espaço, durante os dias 13 e
14 com a exposição/mostra de práticas e projetos desenvolvidos nos percursos educativos
de nível secundário que conferem o nível 4 de
qualificação.
O nosso stand devidamente preparado pelos
responsáveis dos cursos de
Instalações Elétricas; Eletrónica Automação e Comando; Mecatrónica Automóvel e Energias Renováveis,
inserido no setor Energias
e Tecnologias ficou bastante
apelativo e suscitou a curiosidade dos visitantes. O
nosso visitante mais ilustre
foi o Secretário de Estado
João Grancho que foi convidado a realizar dois pontos de solda numa
placa de circuito impresso. No final agradeceu
e levou-a com ele como recordação da CIOR.
Convém referir que as alunas do curso de Animação Sociocultural tiveram um desempenho
relevante na divulgação e animação do espaço.
Este ano, subordinada ao tema “Mentes
Brilhantes”, a feira contou, com conferências,
workshops, castings, exposições e algumas formas de entretenimento digital, com a atuação
ao vivo de artistas urbanos
como Mr. Dheo, Go Mes,
Maniaks e Eky One, dos DJsNuno Carneiro e Skinnies ou
Blackjackers. Apresentou-se
como um grande momento
para a juventude escolher
conscientemente um percurso académico, preparar
a carreira profissional ou
adaptar-se às novas condicionantes do emprego. Para
isso concorreu um painel
reforçado de expositores, superiores às seis
dezenas, entre os quais estão alguns dos melhores estabelecimentos de ensino particular,
cooperativo e público, tanto do secundário
como do superior. Juntamente com centros de
investigação, empresas de formação e
de recursos humanos e entidades tão
diversas como o Instituto do Emprego e Formação Profissional, Instituto
Português do Desporto e Juventude,
Agência Nacional para a Qualificação
e o Ensino, Direção-Geral da Educação
e muitos outros agentes, esclareceram
os jovens sobre as múltiplas opções
que se lhes deparam e pretenderam
ajudá-los numa das mais importantes
decisões que terão de tomar ao longo
das suas vidas.
Neste sentido a Escola apostou em
promover a visita de estudo à qualifica, de 5 turmas dos cursos envolvidos, custeando todas as despesas.
Para complemento, a arte urbana, concertos, workhops tão variados como de skate,
surf, esgrima, escalada, slide e slacklinesão,
DJing, street art, desportos radicais e muita
diversão animaram os 2000 m2 do evento e
contribuíram para estimular as “Mentes Brilhantes”, tema escolhido para a Qualifica de
2014 - Ano Europeu do Cérebro.
A edição deste ano apostou, assim, na importância da arte e das atividades lúdicas no
desenvolvimento da mente e, como tal, na
preparação da carreira académica e do futuro
profissional dos jovens.
Manuel Vieira, professor
[ 19 ]
Em Foco
C ida d ani a Em p r een d ed o r a
Aluna s da C I O R R e p r e s e n t a m o Mu n i c í p i o
No âmbito da participação da CIOR no Seminário Cidadania Empreendedora, em dezembro passado, na Escola Secundária Camilo Castelo
Branco, duas alunas da nossa escola foram convidadas a participar no
seminário final do projeto, que decorrerá em Braga. Houve uma dinâmica/jogo para a seleção do aluno que iria participar no seminário final e a
aluna Ana Rafaela Carvalho, do curso de Animação Sociocultural, ASC11,
foi a vencedora.
Assim, entre os dias 25
e 27 de abril, no Seminário Final do projeto Cidadania Empreendedora, a
CIOR estará representada pela aluna Ana Rafaela Carvalho que se fará
acompanhar da colega
Cláudia Marques, do Curso de Energias Renováveis, ER7.
Esta é uma iniciativa
promovida pela Fundação Bracara Augusta com a parceria dos pelouros da Juventude, Educação e Empreendedorismo. O objetivo da atividade é: promover a discussão do processo democrático e do empreendedorismo, da participação
dos jovens na cidadania portuguesa e europeia e, ainda, incrementar a
participação dos mesmos em estruturas sociais e organizações juvenis.
No encontro de dezembro estiveram presentes cerca de 50 jovens.
No seminário final estarão presentes representantes de todos os municípios envolvidos. Estas alunas da CIOR representarão o Município de
Famalicão. E bem, achamos nós!
Ana Carvalho, ASC11 e Cláudia Marques, ER7
CI O R à N o i t e
A turma do curso modular de Apoio à Infância, pós-laboral, planificou,
organizou e executou uma peça de teatro, refletindo assim as competências trabalhadas ao longo do curso.
“Visita ao Zoo” foi apresentada ao público, no dia 24 de janeiro, no
auditório da Escola Profissional CIOR. Perante mais de 60 pessoas, entre
adultos e crianças, as formandas representaram os seus papéis e cumpriram as suas funções de forma muito profissional.
A peça retrata uma visita guiada de duas estudantes a um jardim zoológico. As estudantes deparam-se
com vários animais, estando cada
um a passar por um momento menos bom, apresentando várias dificuldades e sentimentos menos
positivos. Neste “jardim zoológico”
existe uma tartaruga de muita idade
e muito sábia, a quem os diferentes
animais pedem ajuda. A tartaruga
com os seus sábios conselhos contribui para a resolução dos problemas dos animais e para o seu bem
-estar.
O público, nomeadamente as
crianças, foi convidado a interagir e
a participar ao longo da peça, criando-se uma dinâmica muito interessante entre todos os presentes.
[ 20 ]
O sucesso desta atividade só foi possível com o empenho e o espírito
de equipa desenvolvidos pelas formandas, assim como com o apoio dos
formadores de todos os módulos.
As formandas mostraram que é possível ousar e arriscar, contornar as
contrariedades e sair da sua zona de conforto, mostrando que a motivação e a persistência fazem a diferença!
Ana Catarina Silva, formadora
Q u i mi c a m en t e Fa l a ndo!
No dia 27 de fevereiro a turma de Higiene e Segurança no Trabalho
e Ambiente, HSTA7, visitou a Clorosol, Lda., uma empresa sediada em
Mouquim e que se dedica à produção de substâncias químicas, mais concretamente hipoclorito de sódio, mais conhecido por lixívia, bem como
outros detergentes.
À nossa espera estava o Sr. Rui, o responsável pela segurança do trabalho na empresa, que nos guiou através das instalações, explicando tudo o
que havia a explicar e respondendo às questões colocadas pelas alunas.
Como é óbvio, atendendo a que esta visita se enquadrou no módulo
Contaminação Química da disciplina de Segurança e Higiene no Trabalho, o principal enfoque da visita centrou-se nos postos de trabalho que
envolviam o manuseamento de produtos químicos. Foi com alguma surpresa que as alunas constataram que muitas marcas de lixívia presentes
nos supermercados nacionais são ao fim e ao cabo produzidas bem per-
to de nós.
Também as áreas de
preparação, armazenamento e descarga de
produtos químicos mereceram o olhar atento
das nossas futuras técnicas que não se inibiram de questionar o
nosso guia acerca de algumas situações mais pertinentes.
Colocadas todas as dúvidas e tiradas todas as notas e apontamentos,
deu-se por finalizada esta visita de estudo que se revelou bastante interessante e significativa para a consolidação de conhecimentos.
Arcélio Sampaio, professor
Diá logo na S o m b r a
Casa das Artes
As turmas do 12º ano: ASC10, ER6, HSTA7, E13, e MA3, da Escola Profissional CIOR, foram à Casa das Artes assistir à peça de teatro Diálogo na
Sombra, baseada em textos de Fernando Pessoa, que foi representada
pelos alunos do 2º ano da Escola de Teatro do Externato Delfim Ferreira, numa encenação de Ana Lucena, directora artística da companhia de
Teatro Bruto, do Porto.
A escolha dos textos recaiu sobre parte da obra de Fernando Pessoa em
que a ironia, o sarcasmo, o humor, o absurdo, a perversão e a inteligência
são os ingredientes principais. Neste projecto assistiu-se a um desfile entremeado de fábulas, contos e novelas, passando pelo género publicitário, num discurso que se revela muito actual. A encenação mostrou-nos
as
inquietações,
os
mistérios e
os desejos, revelando-nos o universo Pessoano que vive em todos nós.
Esta peça pretende levar ao palco o carácter interventivo e libertário
do autor, mostrando ao espectador o retrato implacável que Fernando
Pessoa faz da política e da sociedade da sua época bem como dos aspectos mais peculiares dos portugueses
Foi uma peça muito interessante, que permitiu aos alunos observarem
uma outra faceta da obra de Fernando Pessoa.
Augusta Salgado, professora
A Y U P I n a C IOR
A YUPI - Youth Union
of People with Initiative - está a desenvolver
um projeto internacional, Empowerment
Youth European Research Project, EYERP,
em parceria com organizações da Alemanha, Eslováquia e Áustria, que tem como finalidade a promoção do empowerment/capacitação de jovens, de modo a torná-los membros mais ativos e participativos
na sociedade em que vivem/comunidade em que se inserem.
O EYERP está a decorrer desde março de 2013 e em janeiro deste ano
foram iniciadas sessões na Escola Profissional CIOR, no sentido de implementar com os jovens um método de capacitação selecionado numa
fase anterior do projeto. Estas sessões foram dinamizadas, ao longo de
quatro semanas, com a turma Mecatrónica Automóvel do 11º ano, MA4,
e com a colaboração do professor Joaquim Meneses.
Na primeira sessão, o assunto foi a “Cooperação e o Trabalho em Equipa”.
Na segunda sessão, o tema foi “Preconceitos, Estereótipos e Discriminação” e os jovens foram desafiados a “vestir a pele” de pessoas de
contextos sociais, culturais, económicos e religiosos diferentes dos seus.
O resultado foi uma discussão construtiva em torno de diferentes etnias,
culturas, religiões, opções e percursos de vida.
O tema da terceira sessão foi “(Des)Igualdade de Género”, esta foi
uma sessão muito participativa e construtiva, na qual os jovens tiveram
a oportunidade de debater estereótipos, comportamentos e atitudes associados a ambos os géneros, assim como partilhar as suas experiências
pessoais relacionadas com o tema.
A última sessão do projecto EYERP foi dedicada à “Cidadania, Participação e Direitos Humanos”, onde foram partilhados momentos de reflexão e opiniões em torno de como construir uma vila ideal, em que os
direitos e deveres dos cidadãos, as funções do Estado e as estruturas a
criar são decididos por todos.
Esta segunda fase do projecto EYERP terminou com o encontro de parceiros e jovens em Dornbirn, na Áustria, entre os dias 18 e 22 de fevereiro, onde as opiniões, interesses, motivações, perspetivas e contributos
de todos os jovens da turma MA4 foram levados pela YUPI.
Cláudia Peixoto e Daniela Marques, educadoras da YUPI
[ 21 ]
L i v r e - Tr â n s i t o
Prémio Nobel da Paz de
O Prémio Nobel da Paz de 2013 foi atribuído à Organização para a Proibição das Armas
Químicas (OPAQ).
No comunicado divulgado no dia 11 de outubro, o Comité Nobel justifica a escolha com
“o extenso trabalho” desta organização intergovernamental “para a eliminação das armas
químicas”.
A organização foi criada, em 1997, para colocar em prática a Convenção para a Proibição
das Armas Químicas, assinada a 13 de janeiro
de 1993.
Com sede na cidade holandesa de Haia, a
OPAQ reúne quase todos os países do mundo,
exceto a Coreia do Norte, a Somália, o Sudão
do Sul e Angola.
A OPAQ tem como principal missão verificar
a destruição de todo o tipo de armas químicas
e de tomar as medidas necessárias para pôr
2013
fim ao seu fabrico. A OPAQ oferece assistência
e proteção aos Estados-membros se estes forem atacados ou ameaçados com armas
químicas e promove a cooperação internacional para o uso pacífico de
produtos químicos.
O último país a entrar na lista da
OPAQ foi a Síria, a 14 de setembro
de 2013, após o acordo alcançado
com a comunidade internacional
para a destruição do arsenal químico existente no país.
A cerimónia de entrega do
Nobel da Paz decorreu no dia 10 de
dezembro de 2013, data de aniversário
da morte do criador do prémio, Alfred
Nobel, falecido em 1896.
Carla Saldanha, professora
A I ndús tr i a R elo j o e i r a A p r ov e i t a a Te c n o l og ia
Solar P a r a C o n segu i r Va n t a g e n s C o mp e t i t i va s
Pelo menos dois fabricantes de relógios aderiram à tecnologia solar
para recarga de uma minúscula bateria secundária, recarregável, de iões
de lítio que garante o funcionamento do mesmo. Assim, com a ajuda das
mais variadas fontes de luz poderá garantir-se um funcionamento contínuo por períodos próximos dos vinte anos. O curioso é que o mostrador
parece-nos opaco como o de um vulgar relógio, mas, na realidade, possui filtros especiais para permitir a passagem da radiação luminosa. Esta
radiação luminosa é convertida em energia elétrica numa placa fotossensível que se encontra imediatamente por baixo do mostrador.
Naturalmente que como não haverá necessidade de substituição da
bateria, elimina-se o risco de contaminação do meio ambiente.
Manuel Vieira, professor
[ 22 ]
O Mundo... Últimas
EUA: A Fúria da Tempestade Hércules
No início do mês de janeiro, a tempestade Hércules atingiu em força o
nordeste dos Estados Unidos e causou pelo menos 16 mortes.
Em Nova Iorque, os termómetros registaram, de um dia para o outro, uma descida de 28 graus (de 13 positivos para 15 negativos). O mau
tempo levou ao encerramento das escolas e milhares de voos foram cancelados.
a União Europeia e optou por um reforço das relações com a Rússia. A tensão agravou-se com a aprovação da lei
contra a liberdade de expressão e de
manifestação.
Portugal: Morreu Eusébio
O antigo jogador do Benfica e figura lendária do futebol português
morreu no dia 5 de janeiro, vítima de paragem cardiorrespiratória.
Eusébio, igualmente conhecido como o “Pantera Negra”, tinha 71
anos. O Governo decretou três dias de luto nacional.
Suíça: Restrições à Emigração
No dia 9 de fevereiro, os suíços decidiram,
em referendo, limitar a entrada de cidadãos da União
Europeia no seu mercado laboral, através da imposição de quotas
anuais. Esta medida deverá entrar em vigor dentro de três anos.
A iniciativa “Contra a Imigração em Massa” foi aprovada com o apoio
de 50,3% dos eleitores suíços.
Espanha: Referendo Sobre a Independência da Catalunha
O Parlamento catalão aprovou, no dia 16 de janeiro, uma resolução
que solicita ao Parlamento espanhol competências para organizar um
referendo sobre a independência da Catalunha.
Os separatistas desejam que o referendo seja realizado a 9 de novembro de 2014, mas o Governo central já afirmou que este não se vai realizar.
Venezuela: Protestos Contra Maduro
Desde o dia 12 de fevereiro que se registam protestos, em várias cidades da Venezuela, contra o Governo de Nicolás Maduro.
Os estudantes e os líderes da oposição manifestam-se contra a falta
de produtos básicos, a inflação e a insegurança no país. Exigem, ainda,
a libertação de dezenas de opositores, presos desde que começaram os
protestos.
Portugal: Referendo à Coadoção
A Assembleia da República aprovou, no dia 17 de janeiro, a proposta
de referendo sobre a coadoção e adoção de crianças por casais do mesmo sexo.
O Tribunal Constitucional, ao qual recorreu o Presidente da República,
pronunciou-se, a 19 de fevereiro, pela inconstitucionalidade da consulta
popular. Os juízes consideram que as duas perguntas propostas podem
ser de difícil entendimento para os eleitores.
Bélgica: Eutanásia em Crianças
Foi aprovado pelo Parlamento belga, no dia 13 de fevereiro, um diploma que alarga o direito à eutanásia a menores de idade, em estado
terminal e em grande sofrimento, com o consentimento dos pais.
A eutanásia é legal na Bélgica desde 2002, mas até aqui era apenas
autorizada para maiores de idade. O país tornou-se o primeiro a permitir
a sua aplicação a pessoas de qualquer idade.
Suíça: Síria em Genebra
As negociações entre o Governo sírio e a oposição, com vista a alcançar uma solução política para o conflito, foram retomadas a 10 de fevereiro, em Genebra. Contudo, as conversações bilaterais, mediadas pelas
Nações Unidas, terminaram sem acordo.
A revolta na Síria começou em março de 2011 e transformou-se numa
guerra civil que continua sem fim à
vista. Para além dos mais de 130 mil
mortos, o conflito obrigou milhares
de habitantes a refugiarem-se noutros países da região.
Ucrânia: Aumenta a Tensão na Crimeia
Aumenta a tensão militar na península da Crimeia, no sul da Ucrânia.
O Parlamento russo aprovou, no dia 1 de março, o reforço das forças militares na região autónoma ucraniana da Crimeia, onde a Rússia possui
uma base naval. Mais de 16 mil soldados russos estão na região.
Os cidadãos da Crimeia estão divididos entre apoiantes e opositores
ao novo Governo ucraniano.
Carla Saldanha, professora
Ucrânia: Manifestações em Kiev
As manifestações violentas nas
ruas de Kiev conduziram à destituição do Presidente, Viktor Ianukovich, a 22 de fevereiro. O Parlamento
ucraniano convocou eleições presidenciais antecipadas para o dia 25
de maio.
Os protestos na Ucrânia começaram, em finais de novembro, quando Ianukovich abandonou a negociação de um acordo comercial com
[ 23 ]
Livre-Trânsito
HE MO C R OM ATOS E
HE MO . . .
O que é?
Quais os sintomas?
Como se diagnostica?
A Hemocromatose Hereditária (HH) é uma
doença genética que se caracteriza por uma
absorção exagerada de ferro, devido a uma mutação num gene, o HFE. Devido a esta alteração
o mecanismo que regula a absorção do ferro no
intestino é modificado e o ferro ingerido quando nos alimentamos é absorvido mesmo que
não seja necessário, o que conduz a um excesso deste elemento no organismo. O ferro em
excesso pode acumular-se em diversos partes
do corpo (fígado, coração, pâncreas, hipófise e
articulações) causando doenças graves.
Esta doença é frequente na população de
origem europeia (principalmente no norte da
Europa) e estima-se que possa afetar 1 em cada
500 portugueses.
Os sintomas tendem a ocorrer na vida adulta
e dividem-se em dois grupos: sintomas precoces e sintomas tardios.
Os sintomas precoces mais frequentes são o
cansaço, a fraqueza, dores abdominais e dores
nas articulações.
São sintomas tardios a cirrose hepática, a
diabetes, a pigmentação acinzentada da pele,
distúrbios sexuais e a artrite. Estes sintomas
são, geralmente, irreversíveis mas poderão ser
controlados com tratamento adequado.
A ausência de sintomas não significa que não
estejam a ocorrer lesões nos órgãos provocadas pelo excesso de ferro.
O diagnóstico pode ser realizado através de
uma simples análise ao sangue, a saturação da
transferrina. Se este valor estiver elevado deverá fazer-se outra análise ao sangue para conhecer o valor de outro parâmetro, a ferritina. Se
as duas análises apresentarem valores elevados
o médico deverá requisitar um teste genético
específico para a doença.
[ 24 ]
HE RED ITÁ RIA
QUÊ?
Como se trata?
Porquê divulgar?
A HH trata-se extraindo ferro através da realização de sangrias (designadas cientificamente flebotomias). Neste tratamento é retirado
sangue tal como se faz numa dádiva de sangue,
para que os níveis de ferro desçam para valores
seguros.
Numa primeira fase (fase de tratamento intensivo) a sangria é realizada semanalmente
até ser eliminado o excesso de ferro acumulado.
Na segunda fase (fase de manutenção) as
sangrias são realizadas apenas 3 a 4 vezes por
ano, durante toda a vida, para prevenir uma
nova acumulação de ferro no organismo.
O diagnóstico e o tratamento da doença
numa fase inicial permitirão prevenir as complicações e lesões nos órgãos associadas à HH.
Assim, os indivíduos diagnosticados e tratados
precocemente terão uma saúde e uma esperança de vida normais.
Onde encontrar mais
informações?
Associação Portuguesa de Hemocromatose
www.aphemocromatose.org
www.facebook.com/aphemocromatose
Federação Europeia das Associações de
Doentes com Hemocromatose
www.efaph.eu
Emerência Teixeira
Elemento do Projeto “Processos Colaborativos
na Sensibilização Pública para a Hemocromatose
Hereditária”
Núcleo de Cultura Científica | Instituto de Biologia
Molecular e Celular
[ 25 ]
Livre-Trânsito
Testemunhos
de Ex-Alunos
R o b erto Ba r r e i r o, E L 10
Chamo-me Roberto Barreiro, tenho 28 anos, e
em 2001, abandonei o ensino secundário regular
e decidi frequentar um curso profissional.
Informei-me junto de amigos, e todos eles me
aconselharam a Escola Profissional CIOR, como a
melhor em termos de cursos profissionais. Então
decidi matricular-me no curso de Eletrónica,
Automação e Comando.
Confesso que, no início, foi difícil, porque
tinha saído do secundário, e quando iniciei as
aulas na CIOR, apercebi-me que a convivência
entre alunos e professores e funcionários era
totalmente diferente das outras escolas, mas
facilmente me adaptei ao ambiente.
Adorei o tempo que lá andei, foi simplesmente
fantástico.
As aulas eram como em qualquer outra
escola, mas com os professores era totalmente
diferente, eram muito melhores. Claro, sem
esquecer aqueles conselhos que os professores
davam e que não ouvia, mas se fosse hoje
certamente seria diferente.
A relação entre professor e aluno foi a melhor
que tive até hoje, muito bom. Belos tempos lá
passei, com a EL10, a minha turma.
No segundo ano, juntamente com um colega,
decidimos escrever um artigo para o jornal
escolar, fizemos o TOP TEN, que consistia em
questionar os alunos de todas as turmas sobre a
música que mais gostavam, e no fim escolhíamos
as 10 mais votadas.
Já no último ano, fiz parte da Associação
de Estudantes da escola, onde fizemos várias
atividades.
Decidi cumprir o serviço militar, então,
em 2005, ingressei na Escola de Tropas
Paraquedistas, onde durante seis meses estive
em instrução para depois poder fazer os saltos
de paraquedas.
O primeiro salto, assim como os outros,
mas em especial o primeiro foi simplesmente
espetacular, uma sensação única e nada
fácil de explicar, mas aconselho vivamente a
experimentarem.
Em 2006, estive quase para ir em missão para
o Afeganistão, mas fiquei lesionado num salto,
e tive de ficar bastante tempo sem poder fazer
esforços físicos, devido a problemas no joelho.
Acabado o serviço militar, entrei para uma
empresa. A minha função era controlar peças
em plástico e montar moldes para a injeção
plástica.
Entretanto, fiz as provas de acesso para a
GNR. Em 2009, fui selecionado para frequentar o
Curso de Formação de Guardas no Agrupamento
de Instrução de Portalegre, onde estive durante
9 meses.
Quando acabei a formação, fui colocado
em Olhão para realizar estágio e por lá fiquei
durante dois anos. Atualmente, encontro-me a
desempenhar funções em Esposende.
Esqueci-me de referir, que desde os meus
16 anos fui Bombeiro na Real Associação
Humanitária dos Bombeiros Voluntários de
V.N. de Famalicão, onde desempenhei várias
funções e frequentei vários cursos na área de
saúde. Infelizmente a minha profissão não me
permite ser Bombeiro, com muita pena minha.
De qualquer forma visito várias vezes o quartel
para “matar” saudades.
Ter frequentado a CIOR foi marcante, tanto
que de vez em quando lá faço uma visita à
escola.
Se podia viver sem ter ido à CIOR? Podia, mas
não era a mesma coisa...
Vânia Mariline, TSPC1
Em setembro de 2002, estava a frequentar
a área de Humanidades na escola D. Sancho I,
e sem nada que o fizesse prever, fui convocada
pelo Instituto de Emprego e Formação
Profissional para ingressar no Curso Profissional
que iria começar na CIOR a 31/10/2002 –
Técnico de Serviços Pessoais e à Comunidade
– TSPC. No início, fiquei um pouco confusa,
pois já tinha feito algumas amizades e não
estava disposta a abandonar tudo, mas depois
de alguns conselhos, principalmente dos meus
pais, resolvi arriscar. Posso dizer-vos que foi a
melhor escolha que alguma vez podia ter feito!
Foram, sem dúvida, os melhores anos da minha
vida... Hoje voltaria a fazer tudo igual...
Apesar de pequenas desavenças, a minha
turma sempre foi muito unida e quando era
para trabalhar estávamos todos lá. Eramos uma
força de trabalho e naqueles anos, nós tratámos
de quase todas as festas, convívios, lanches e
receções que aconteceram na CIOR. Esta escola
tem um tipo de ensino muito diferente das
outras escolas, é muito mais vocacional e as
relações interpessoais são muito mais fortes...
[ 26 ]
Trouxe amizades para vida e além disso, foi
também na CIOR que conheci a cara-metade
com quem partilho a minha vida há 9 anos.
O último ano foi, sem dúvida, o melhor e o
que mais contribuiu para a minha formação a
nível pessoal. Fui presidente da Associação de
Estudantes, facto de que muito me orgulho e
em conjunto com os meus colegas, porque não
trabalhei sozinha, orgulho-me de ter feito tudo
para integrar os novos alunos na escola. Desde
o início ao fim daquele ano letivo trabalhamos
para fazer da CIOR um sítio melhor para os
alunos.
Não posso deixar de referir a direção, os
professores e os funcionários que sempre nos
apoiaram e sempre nos ajudaram em tudo o
que precisamos, de uma forma muito amável e
terna. São, sem dúvida, pessoas especiais que
não vou esquecer.
Apesar de não estar a trabalhar na minha
área, estou feliz, principalmente porque nos
tempos que correm tenho um emprego e isso
já é bom.
O conselho que deixo aos atuais alunos é que
aproveitem bem a vossa “estadia” nesta escola
e que tirem partido do que de bom nela há.
No final, com certeza, irão embora com uma
lágrima no olho...
O Investimento
numa
Microprodução
Fotovoltaica é
Rentável?
Introdução
Quando pretendemos avançar com
determinado projeto, face às dúvidas
que se instalam, já que vamos desembolsar uma quantia ao longo do tempo
previsto para a sua exploração, pretendemos saber, antes de mais, se o mesmo
será viável, ou, por outras palavras, ao
fim de quanto tempo poderei recuperar
o investimento feito e se o rendimento
obtido será mais vantajoso relativamente a uma vulgar aplicação bancária. Não
devemos esquecer também que qualquer investimento tem riscos associados.
Neste artigo, pretende-se mostrar
como ao utilizar 3 técnicas de análise
de investimento: Ponto de Equilíbrio
(Payback), Valor Atualizado Líquido
(VAL) e Taxa Interna de Rentabilidade
(TIR), se pode chegar a uma conclusão
sobre a decisão de investir ou não.
Para tornar o caso mais real, vamos
analisar o investimento numa microprodução fotovoltaica, de 3.68 KW de
potência.
Análise da viabilidade económico-financeira
Na viabilidade económico-financeira observa-se se o projeto atende aos
requisitos económico e financeiros, tais
como:
• Se há disponibilidade de recursos
financeiros suficientes para realizar o
projeto e manter o produto/serviço do
projeto operacional.
• Se o fluxo de receitas esperado do
projeto é plausível.
• Se o retorno esperado com o produto/serviço do projeto é adequado ao
investimento realizado no projeto.
[ 27 ]
Livre-Trânsito
Instalação da microgeração, na placa de cobertura da CIOR
[ 28 ]
1.
O fluxo de caixa de um projeto (Cash
flow)
A saída e entrada de recursos financeiros
(dinheiro) no projeto é chamado de fluxo de
caixa.
Durante o projeto, o fluxo de caixa é negativo. Isto é, há somente saída de recursos financeiros.
Quando o produto ou serviço está pronto e
operacional, em tese, o fluxo de caixa é positivo. Há entrada de dinheiro.
Resumindo, durante o projeto, melhor dizendo: durante o ciclo de vida do projeto, há
despesa/investimento; e durante o ciclo de
vida do produto/serviço há receita ou recuperação do investimento feito no projeto.
2.
O ponto de equilíbrio (Payback)
Payback, ou ponto de equilíbrio do investimento, é uma das técnicas de análise de investimento mais utilizadas. Esta técnica calcula o
período (prazo) que o investidor irá precisar
para recuperar o capital investido. Sob o ponto
de vista do payback, o projeto é considerado
viável quando o prazo encontrado como resultado do cálculo for menor que o prazo desejado para a recuperação do investimento.
3.
VAL – Valor Atualizado Líquido
O VAL é obtido descontando o fluxo de caixa
a uma taxa especificada, trazendo, dessa forma, todos os valores para a situação inicial – a
um valor atualizado líquido.
Essa taxa especificada pode corresponder à
taxa de rentabilidade de um projeto concorrente ou à de uma aplicação bancária.
Sob o ponto de vista do VAL, o projeto é considerado viável quando o resultado do cálculo for maior do que zero, pois isso quer dizer
que o projeto dará um retorno maior do que o
equivalente a uma taxa especificada.
4.
TIR – Taxa Interna de Rentabilidade
A TIR tem a sua incidência na variável taxa,
enquanto o Payback simples incide sobre a variável tempo e o VAL no valor do fluxo de caixa
tendo em linha de conta uma data de referência.
O cálculo da TIR implica calcular a taxa de juros que tornaria nulo o VAL.
A TIR é um número obtido internamente no
projeto a partir dos fluxos de caixa esperados.
A TIR tem que ser maior do que a taxa de
remuneração recebida pela aplicação do valor
do orçamento do projeto em outra aplicação.
Exemplo:
Se, hipoteticamente, a taxa de remuneração
de mercado for de 2%, como a TIR de um projeto foi de 3.59%, ele é considerado viável.
Resumindo:
Se a TIR for maior do que a taxa de remuneração de mercado, o projeto é viável.
Se a TIR for igual a taxa de juros de mercado,
o projeto é indiferente, pois a rentabilidade é
nula.
Se a TIR for menor do que a taxa de juros de
mercado, o projeto é inviável.
Investimento numa microprodução fotovoltaica
A microprodução fotovoltaica de energia, ao
dispor do consumidor doméstico, tem sofrido
ao longo do tempo vários ajustes ao nível do
tarifário e ao nível da disponibilidade de potência para novas instalações. Estão previstos dois
regimes de exploração:
O Regime geral;
O Regime bonificado;
Face à última atualização do tarifário, do regime bonificado, pelo Despacho DGEG de 26
de dezembro de 2013, a tarifa de referência,
em 2014, é de 66 €/MWh durante o primeiro
período de 8 anos e de 145€/MWh durante o
segundo período de 7 anos. Este tarifário deixa
de ser aliciante.
O regime geral começa a ser uma hipótese
a considerar para muitos consumidores particulares, porque o preço das soluções fotovoltaicas tem vindo a descer e a tarifa de venda
Instalação da microgeração, na placa de cobertura da CIOR
[ 29 ]
Livre-Trânsito
de energia é semelhante à de compra, acompanhando anualmente as evoluções do preço.
O regime geral para microprodução apresenta outras vantagens. O processo de adesão
é menos burocrático (é exigido o registo no
portal Renováveis na Hora, mas após a aprovação é possível proceder à instalação), não é
necessária auditoria energética nem instalação
de solução térmica (traduzindo-se em menores
custos) e é possível injetar na rede uma potência até 5.75 kW.
Uma instalação de microprodução, de instalação simples, com cerca de 4.3 kW de potência instalada, poderá negociar-se por €8100
com IVA incluído.
continental. Assim, as zonas de maior insolação média anual estão representadas por ordem crescente das letras e por manchas coloridas que vão desde o cinzento até ao vermelho.
À medida que avançamos para o sul do país
a rentabilidade energética aumenta e com isso
o prazo para o retorno do investimento será
mais curto.
No caso presente, situaremos o estudo no
concelho de V. N. de Famalicão que está abrangido pela mancha referenciada com a letra B.
Trata-se de uma tecnologia “madura” e de
fiabilidade comprovada e, desde que corretamente instalada por profissionais habilitados,
poderá assegurar a produção de energia para
além dos 25 anos expectáveis. Convém frisar
que os módulos fotovoltaicos vão perdendo
rendimento ao longo dos anos, sendo garantido por alguns fabricantes uma degradação máxima de 20%, ao fim de 25 anos de exploração.
A manutenção deste tipo de instalações é
relativamente simples e é possível negociar
um contrato anual por cerca de €100 anuais.
A limpeza dos módulos fotovoltaicos é relativamente fácil e poderá ser assegurada pelo
proprietário desde que convenientemente instruído.
Seguro contra riscos
Rentabilidade energética
Naturalmente, a rentabilidade energética
será proporcional ao número médio de horas
de insolação anual do local de instalação. É
também importante que a instalação não seja
afetada pelo sombreamento causado por obstáculos.
Pode ver-se, no seguinte mapa, a distribuição das zonas de maior insolação em Portugal
[ 30 ]
Análise financeira do investimento
Pressupostos financeiros:
Despesas de manutenção do sistema
Os receios quanto a imprevistos podem
ser salvaguardados por um seguro específico
que compensará o microprodutor das possíveis perdas financeiras decorrentes de danos
provocados por agentes externos tais como:
desastres naturais, tempestades, relâmpagos,
granizo, fogo, roubos, vandalismo, efeitos diretos e indiretos das descargas atmosféricas, etc.
Um seguro deste tipo poderá ter um encargo
para o microprodutor de €50 anuais.
defeito de fabrico e 25 anos de produção com
a potência instalada de 4.32 kW;
•
Inversor com 7 anos de garantia;
•
Estrutura para telhado plano em alumínio com 12 anos de garantia;
•
Contador SIEMENS ou equivalente;
•
Todos os acessórios e materiais elétricos necessários a instalação e respetiva certificação.
Mapa da insolação média anual em Portugal Continental
Pressupostos técnicos da instalação
•
O investimento contempla as medidas previstas Decreto-Lei nº 363/2007, de 2 de
novembro (Republicado pelo Decreto-Lei nº
118-A/2010, de 25 de outubro e pelo Decreto
-Lei nº 25/2013, de 19 de fevereiro);
•
O estudo diz respeito a uma instalação nova, em cobertura plana, com todos os
materiais elétricos necessários à instalação e
respetiva certificação.
A instalação, de base, possui as seguintes
caraterísticas:
•
Módulos Fotovoltaicos BOSCH ou
equivalente, com 10 anos de garantia contra
•
Foi considerada a tarifa do regime
geral em vigor em 2014: 0,142 €/kWh vendido;
•
Foi considerada a radiação média
anual, para o local de instalação, de acordo
com dados obtidos no endereço http://re.jrc.
ec.europa.eu, e calculada a produção da instalação, tendo em conta todas as perdas associadas;
•
Foi considerada uma quebra de rendimento progressiva, dos módulos fotovoltaicos ao fim de 25 anos, até ao limite de 80%;
•
Foi considerada uma taxa de inflação
anual de 2,5% para os serviços de manutenção e prémio de seguro. Prevê-se que a tarifa
de energia elétrica acompanhe a inflação de
2,5%;
•
Foi considerado um contrato de manutenção anual com o valor de €90 para o 1º
ano, atualizável para os seguintes;
•
Foi considerado um seguro contra
riscos com o prémio de €50 no ano de 2014,
atualizável para os seguintes;
Nota final:
•
Os valores máximos de investimento
foram obtidos após consulta de mercado, no
entanto deve ser sempre ser solicitada informação junto dos profissionais do setor, dada a
constante oscilação dos preços;
Metodologia de análise
Foi elaborada uma folha de cálculo, em EXCEL, que integra as funções de análise financeira, o que facilita a interação com os dados
de referência e permite uma rápida análise dos
resultados.
Para facilitar a visualização do ponto de equilíbrio, recorreu-se a um gráfico de colunas que
espelha a amortização do investimento em
função do cashflow acumulado.
Conclusão da análise
A instalação de microprodução terá um investimento inicial de €8100.
Foram consideradas as variáveis suscetíveis
de afetar o rendimento energético e financeiro
da instalação.
O VAL obtido, contra uma aplicação concorrente, com uma taxa de 4% anual, é de 4
€284,37, ao fim de 25 anos.
A TIR calculada é de 8,4% e, portanto, bastante maior que a taxa de remuneração do
mercado.
O ponto de equilíbrio (Payback) é conseguido ao fim de 10 anos e 10 meses de exploração
da instalação.
Pelo exposto, pode concluir-se que uma instalação de microprodução fotovoltaica constitui um investimento seguro e ainda atrativo,
desde que se recorra a capitais próprios.
Manuel Vieira, professor
Fontes:
Castro, Rui M.G. (2008). Introdução à avaliação técnica
de investimentos. Instituto Superior Técnico.
http://www.renovaveisnahora.pt/
http://re.jrc.ec.europa.eu
http://www.certiel.pt/
Quadro de uma folha de cálculo do EXCEL, relativa à análise do investimento
Quadro Resumo dos resultados da análise financeira do investimento (folha de cálculo do EXCEL)
Gráfico do Payback relativo à análise do investimento
[ 31 ]
Daily-English
THOUGHTS ABOUT
BEING A TEENAGER
Some students from CIOR have been asked to think about the meaning of
being a teenager and to express their feelings as teenagers.
Let’s find out what they have to say…
For me being a teenager is to be free.
Teens should enjoy themselves to the maximum because adolescence
is temporary and lasts for a really short time.
The adolescence is a stage situated between being a child and an
adult, it is the time when we begin to have to be responsible and to
distinguish right from wrong.
In adolescence we sometimes let ourselves be carried away by adrenaline and we don´t think about the consequence of our actions
The adolescence leads us to be curious about new
things. And then comes the part of maturity when we
have to be adults and not make mistakes.
All the teens in the world are identical. Only the education and customs change. This is what differentiates
us from each other.
Ricardo Carvalho, ER7
road a little softer.
In my opinion, this is the most difficult and amazing period of our life,
such a short time to think about so much!
First of all, we have to adapt to a new body, after that there’s the challenge to create our personality, to think about what we want to do in the
future… I think that all these thoughts are the main reason of the need
to go out and have fun… it’s too much to think about.
Aside that, I personally never had all those problems; I’m a calm and
wise teenager and I don’t need to make some mistakes,
as the others, to understand most of the problems of
this time of our life.
What I really like about this is the energy we have,
our hopes and dreams, the way we surely live feelings,
because in our age everything is intense and important
till we reach the next phase of our life.
Rui Guimarães, MA4
I am like the other teenagers who like to enjoy life
to the fullest. Today being a teenager is the moment of
our life when we fight for our dreams. It is the time of
life when for five, six years we start growing up and maturing and understanding what life is and what we have to face when we will be older, it
is when we leave behind childhood.
Me, as a teenager, I like to be with my friends, to go out and drink a
coke and sleep till late. I think it is normal teenagers to behave like that
because we don’t have our own responsibilities and then we can enjoy life more
than an adult who has to work to support the children and the house.
What distinguishes a teenager in Portugal and in other countries in Europe
is that we think about emigrating in
adolescence. The big difference is that
at sixteen or seventeen we are thinking
that we have to leave our country, getting away from family and friends, all for
a better life, a life that our country cannot give us.
Right now I’m at a stage in my life that I consider is
more “relaxed”, I’m a teenager. Adolescence for me is
the time for young people to have fun and to do what they love, to do
stupid things and everything else, so no worries. This phase also serves
to prepare young people for the future as adults. As a teenager what I
like to do is hanging out with my friends, playing football, being on the
internet (social networks) and mountain biking. How to live adolescence
varies greatly from country to country.
Each country adopts a different way of
living, for example young people from
less developed and poorest countries
such as Africa are not so happy and do
not have as many things as young people in most developed and economically
more stable countries in Europe. In my
opinion, young people from European
countries have more opportunities to attend a school and start to build a future.
Luís Areal, ER7
Pedro Milhazes, ER7
For me, among all the physical and psychological changes that we go through,
there are good things that make this tuff
[ 32 ]
For me the adolescence is a stage in
our life when everything seems easy,
we know everything and we own the
world… but it is also a phase of decision
in relation to what will be our adulthood, this because it is in adolescence
that we choose what we want to be and the path we want to follow.
Adolescence can be a very decisive phase as I have said, but it is also
the funniest and most interesting; in my opinion, it is in adolescence that
we enjoy everything that life has to offer, it is also when changes occur
in our body and our mind.
As a teenager, I like to have the freedom that allows me to try everything I want.
João Ferreira, ER7
All humans have a great number of steps, and being a teenager is one
of them. For me this is one of the most important steps - when we are
a teenager we have to make choices, and we need to plan our life; if we
choose a wrong way or a wrong job we will have to handle it for the rest
of our life.
For example, there are many things that I want to do in the future, but
I need to choose one, because I can’t do all of them.
When we grow up we forget to enjoy ourselves and be happy, we are
bored with the money and bills issues; that’s why this step is complicated, because sometimes we need to forget our likes, and our friends and
start to think like an adult; being a teenager in Portugal is complicated
nowadays, we know that we won’t have a job here, we know that the
prices of the things are getting worse and the salary and the incomes are
decreasing, so there are days when I wish I was a teenager in another
country, just because I suppose I would have more opportunities.
José Diogo Oliveira, ER7
A teenager is a young person whose age falls within the range from
thirteen until nineteen years old (13-19). People aged 18 or 19 are also
considered young adults.
During puberty, rapid mental and physical development occurs. Adolescence is the name for this transition period from childhood to adulthood.
For me, the teenage years are a very important phase, called the
phase of play.
What I like most in this phase of adolescence is going out with friends,
playing computer games, meeting new friends etc. The stage of adolescence is the best phase of a person’s life.
Teens from other countries have more freedom and are more likely to
spend more time away from home and to
go to certain places.
André Oliveira, MA4
For me being young is to know new things, knowing the limits of the
things, being young is the time of discovery.
There are two types of youth: Responsible youth and not responsible
youth.
Responsible youth already think about taking the driving license, finding a job and start working hard to fulfill their goals.
The not responsible youth do not respect parents, and they always
have an answer for everything, even not being right, they just want to
have fun without any responsibility and sometimes they go on drugs because they feel cool.
Youth is not a time of life; it is a state of mind, an effect of the will,
a quality of imagination, an emotional intensity, the taste of adventure
about love.
What I like about being young is having the time of choices, which are
many…
The Portuguese youth is totally different compared to African youth:
In terms of education
In terms of behavior
In terms of freedom of expression
In almost everything.
Carlos Santos, MA4
In my opinion the best thing about being a teenager is the quality of life. We can
hang out with friends.
From my experience as a tourist, I can
compare teens in two countries, Germany
and Scotland. In Germany young people
can go out with friends without any problem, and the same happens in Scotland.
They are very different countries but with
many similarities. The way of life, in my
opinion is the same. Parents give full freedom to the young but when something
goes wrong, they take the responsibility. So
we need to think about the consequences
of our acts.
Being a teenager means freedom, discovering new things, dating people; it also
means difficult times for the parents and
for the teenagers too. As a teenager the
thing I enjoy the most is freedom. I think
there are differences between being a
teenager in Portugal and in other countries
but it depends, for example in countries
like England and the United States of America teenagers have much more freedom
than in Portugal but in countries where the
culture is more restricted, teenagers don´t
have as much freedom as in Portugal.
Marco Marques, EL19
José Ricardo, MA4
[ 33 ]
InternaCIORizando
Paula Pereira e Nilza Jardim, gabinete de projetos
O ano de 2014 começa com novidades ao nível dos projetos Europeus. De agora em diante deixaremos de falar no
Programa Aprendizagem ao Longo da Vida e nas Ações Leonardo da Vinci, Comenius e Grundtvig; passaremos a usar
uma terminologia comum para todas as iniciativas – Programa “ERASMUS +” – programa da União Europeia para a
educação, a formação, a juventude e o desporto. Este programa será executado no período compreendido entre 1 de
janeiro de 2014 e 31 de dezembro de 2020.
No domínio da educação e formação, o Programa “ERASMUS +” visa melhorar o nível das competências e aptidões
criando mais oportunidades de mobilidade para fins de
aprendizagem e simultaneamente reforçar a ligação da
educação e formação com o mercado de trabalho. Tem
também por objetivo fomentar a cooperação transnacional, com vista ao aumento da qualidade, inovação, exce-
lência e internacionalização das instituições de educação e
formação.
No âmbito deste novo programa, o Gabinete de projetos
procurou desenvolver uma estratégia de internacionalização e apresentou uma primeira candidatura à ação-chave
1 – mobilidades individuais para fins de aprendizagem e
destinada aos alunos das turmas finalistas 2014-2015, aos
alunos recém-graduados em 2013-2014, bem com à equipa
docente da Escola Profissional CIOR. Caso esta candidatura
seja aprovada, prevemos aumentar o número de mobilidades, para a meia centena no próximo ano letivo. Queremos
continuar a reforçar a dimensão internacional da CIOR e levar mais longe o bom nome da nossa Escola.
Enquanto aguardamos pelo resultado desta candidatura,
procuramos promover a excelência nas atividades dos projetos em curso.
PROGRAMA
LEONARDO DA VINCI PARCERIAS
M eet i n g em Ch es ter, Pa í s de G a l es
A Escola Profissional CIOR participou de 3 a
7 de fevereiro num novo encontro do projeto
Leonardo da Vinci – Parcerias – do Programa de
Aprendizagem ao Longo da Vida, que tem por
tema a Harmonização das Instalações Elétricas
Industriais Europeias. Além de Portugal e do
país anfitrião Gales, através do pólo de Deeside
Cambria College, estiveram presentes representantes do Chipre e da Alemanha.
Este encontro foi marcado por múltiplas
reuniões e visitas a locais relacionados com o
projeto, das quais se destacam a apresentação
dos oito módulos elaborados para os cursos de
Instalações Elétricas e que passarão a ser aplicados já a partir deste e do próximo período
numa turma-piloto deste curso; foi estruturado
também o teste para a verificação dos conhecimentos adquiridos e que se pretende que
seja comum a todos os países que integram
esta parceria; foram ainda realizadas visitas a
uma escola profissional com cursos nas áreas
de mecânica e instalações elétricas, à empresa
Prysmian (líder mundial de produção de cabos
elétricos), bem como à “Eletric Mountain”, um
dos maiores projetos de engenharia do século
XX na Grã-Bretanha.
[ 34 ]
A Prysmian produz inúmeros tipos de cabos
elétricos, desde comunicações até cabos especiais de alta tensão. A visita da empresa situada
em Gales incidiu sobre os cabos de média tensão com diversos tipos de especificações para
aplicações em instalações industriais.
Por sua vez, a “Eletric Mountain” permite
produzir energia através do aproveitamento
hídrico do desnível existente entre dois lagos.
Tem a particularidade de se poder ligar à rede
elétrica nacional inglesa em apenas 12 segundos. Esta construção
iniciou-se em 1974 e foi
inaugurada pelo Príncipe Carlos em 1984.
Esta central hídrica realiza um processo que se
pretende implementar
em Portugal para a regeneração de energia
através da bombagem
de água.
Durante este encontro, o pólo de Deeside
Cambria College apresentou um novo progra-
ma de reinserção de jovens em risco, patrocinado pelo governo britânico, para promover a
empregabilidade e formação dos jovens com
necessidades educativas especiais.
Para esta parceria está previsto, para o próximo mês de maio, um último encontro de
parceiros, no Chipre, onde, entre outras atividades, se fará a avaliação final do projeto e a
reflexão sobre a transferência de boas práticas
com o objetivo comum de melhorar continuamente o processo educativo dos jovens.
PROGRAMA
LEONARDO DA VINCI
A çã o M ob i l i d a d e F P I (F o r ma ção Profi s s i on a l In i ci a l ) – Pro j eto
“ GP S – G E T P RO F ESSIONAL SKILLS IN EUR OPE”
Depois do estágio das alunas do curso de
Animação Sociocultural em Rimini – Itália no
primeiro período, chegou a vez de quatro alunos do curso de Instalações Elétricas, IE13, –
Marco Coutinho, Filipe Cruz, Ricardo Pousado e
Rui Faria – rumarem à cidade de Caen, em França para realizarem a sua formação em contexto
de trabalho em empresas da sua área de formação. Esta ação Mobilidade, Programa Leo-
nardo da Vinci será, sem dúvida, uma excelente
oportunidade para estes alunos contactarem
com novas realidades laborais e, com certeza,
melhorarem as suas competências pessoais e
profissionais.
Entretanto, o Gabinete de Projetos já está
a preparar os próximos fluxos do 3º período,
nomeadamente para os alunos do curso de
Mecatrónica Automóvel, MA3, que farão o es-
tágio em Leipzig, na Alemanha e para os alunos
dos cursos de Energias Renováveis, ER6, e de
Higiene e Segurança no Trabalho e Ambiente,
HSTA7, que vão estagiar em Málaga, Espanha.
Estas duas últimas turmas já iniciaram a preparação linguística e cultural com a professora
Paula Santos.
PROGRAMA COMENIUS –
PARCERIAS MULTILATERAIS
P r o j et o “ Wa t e r – ev ery drop cou n ts ”
Tendo em perspetiva a melhoria das
metodologias de ensino/aprendizagem e
o reforço dos níveis de motivação e sucesso, a CIOR procura proporcionar aos
seus alunos e docentes espaços de debate a nível internacional, de partilha de
experiências e de exposição de trabalhos
que refletem as competências adquiridas. Nesse sentido, a CIOR associou-se
a outras sete entidades educativas num
projeto Comenius Parcerias Multilaterais
intitulado “Water – every drop counts”.
Este projeto junta escolas da Roménia,
da Grécia, da Croácia, da Bulgária, da
Turquia, de Espanha e de Portugal e tem
por objetivo desenvolver um conjunto
[ 35 ]
InternaCIORizando
de atividades que sensibilizem os alunos e a
comunidade para a utilização racional dos recursos naturais, nomeadamente a água como
um bem finito.
A primeira reunião de trabalho teve lugar
em laşi , na Roménia entre os dias 9 e 13 de
dezembro, e contou com a participação de 5
alunos das turmas do 11º ano da Escola Profissional CIOR – Frederico Silva, João Ferreira,
Marco Ribeiro, Joana Vilaça e Hugo Araújo,
acompanhados das duas professoras Olívia Pereira e Nilza Jardim.
Ao longo dos cinco dias do encontro, os participantes realizaram diversos workshops e experiências laboratoriais; também usufruíram
de um programa cultural que incluiu a visita a
igrejas católicas e ortodoxas, e monumentos
locais, bem como ainda espetáculos natalícios,
preparados pelos alunos das escolas de acolhimento (Palatul Copiilor Iaşi - Children’s Palace
e Colgiul Tehnic de Transporturi Si Constructii
- Iaşi). Pelo trabalho desenvolvido no projeto, a Escola Profissional CIOR recebeu
um certificado de excelência, que reflete
o grau de envolvimento desta escola nas
parcerias transnacionais.
De regresso a casa, foi tempo, ao longo
do 2º período, de preparar as atividades
relacionadas com a temática do projeto.
Foram realizadas algumas experiências
para perceber melhor a importância da
água na ciência e na ecologia, tema a que
está subordinado o próximo encontro de
parceiros a realizar em Beysehir, na Turquia
entre 31 de março e 6 de abril.
Neste encontro, os alunos de cada escola
parceira irão proceder às apresentações dos
trabalhos desenvolvidos e participar no programa de atividades e visitas culturais, organizadas pela escola de acolhimento “UZUMLU
CENGİZ TOPEL SECONDARY SCHOOLL”. Neste
encontro, a Escola Profissional far-se-á re-
presentar por dois alunos do 11º ano: João
Marcelo Noronha, da turma de Instalações
Elétricas, IE14, e José Diogo Oliveira, da turma
de Energias Renováveis, ER7, e pelo professor
acompanhante Luís Bessa.
O terceiro encontro de parceiros realizar-se
-á em Portugal, de 23 a 28 de junho de 2014,
cabendo à CIOR organização das atividades em
torno do tema “A Água na História e na Geografia” e o acolhimento dos parceiros.
P r o j et o “ J us t Fa l l i n Lov e w i th Art”
O projeto “Just Fall in Love with Art”, que visa
despertar entre as gerações mais novas o interesse e gosto pelas artes, encontra-se na sua
reta final. O último encontro de parceiros, orga-
nizado pela Escola coordenadora, está previsto
para o início de junho em Chorzów na Polónia.
Para o efeito serão selecionados, no início do
3º período os alunos que terão o privilégio de
integrar a comitiva de representantes da CIOR.
Lembrem-se que esta seleção terá sempre em
atenção o bom desempenho escolar.
PROGRAMA GRUNDTVIG –
PARCERIAS DE APRENDIZAGEM
P r o j et o “JOT - Jobs on Tri a l ”
Coube à CIOR a organização e o acolhimento do primeiro encontro do projeto Grundtvig
intitulado “Jobs on Trial”. Coordenado pelo parceiro francês GIP- FCIP, da Normandia, este projeto europeu pretende promover a empregabilidade dos adultos desempregados e estudar
a relação entre as competências dos adultos e
as necessidades do mercado de trabalho nos
diversos países participantes, nomeadamente
Portugal, França, Itália, Alemanha, Reino Unido, Polónia e Turquia.
Para o efeito, os representantes das diferentes entidades parceiras reuniram, nos dias 16 e
17 de dezembro 2013, em Vila Nova de Famalicão. O projeto, com a duração de dois anos,
iniciou-se com a apresentação dos objetivos e
dos participantes.
Neste seminário, os formadores e técnicos
das instituições foram recebidos pela direção
da Escola Profissional CIOR, na pessoa do Dr.
Amadeu Dinis, que lhes apresentou a escola e
as diversas modalidades de formação ministradas nesta escola. Os parceiros puderam discutir
e comparar os diferentes sistemas educativos
[ 36 ]
dos países parceiros bem como
os programas disponíveis, tendo em conta os públicos-alvo
e o tipo de qualificações. Contactaram ainda diretamente
com os formandos do curso
EFA de Refrigeração, Ar Condicionado e Climatização, que
deram o seu testemunho pessoal em termos de percurso
profissional e educacional, realçando a importância dos cursos de Educação e Formação de
Adultos para pessoas desempregadas que procuram novas opções para um regresso bem-sucedido ao mercado de trabalho.
No segundo dia, os parceiros tiveram a oportunidade de visitar o Centro de Emprego de Vila
Nova de Famalicão e inteirarem-se dos serviços
prestados em termos de acompanhamento e
apoio disponibilizado aos desempregados. Foi
ainda debatida a temática dos trabalhadores
com baixas qualificações e da igualdade dos géneros no que respeita ao acesso às profissões.
Com esta parceria, a CIOR irá adaptar uma nova
ferramenta de trabalho destinada à orientação
profissional de adultos, que é utilizada em
França e que se intitula “O Tribunal das Profissões”. A próxima reunião de trabalho decorrerá
em abril, na cidade de Florença.
Entretanto, a CIOR foi a entidade responsável
pela criação do logótipo deste projeto, o qual
foi desenhado pelo nosso colega Pedro Veloso
e mereceu
os melhores elogios
de todos os
parceiros.
Entretanto
O Presidente dos EUA ouviu
falar de alentejanos e da sua
peculiar inteligência, então
convidou um grupo a visitar a
Casa Branca.
Mandou o seu Air Force 1 para
os transportar até aos States. O
Avião aterrou e havia na pista
uma grande recepção com cartazes boas vindas. A porta abre-se, aparece hospedeira e mais ninguém saiu de lá de dentro.
O Secretário foi saber o que se passava. Regressa com uma cara estranha e diz:
- Os Alentejanos não querem descer Sr. presidente, estão a dizer que
têm medo do Well.
- Quem é Well? Questiona o Presidente Obama a olhar para o chefe de
segurança!
O Secretário volta novamente, agora com uns seguranças e pergunta a
um alentejano:
- Mas quem é o Well?
- Ná sei. Mas aquele cartaz diz “WELL COME ALENTEJANOS”
Anedotas
CR
Um homem estava em coma
há algum tempo. A sua esposa
ficava à cabeceira dele dia e
noite até que um dia o homem
acorda, faz um sinal para a
mulher para esta se aproximar,
e sussurra-lhe:
- Durante todos estes anos
estiveste ao meu lado. Quando
me licenciei, ficaste comigo.
Quando a minha empresa faliu,
só tu ficaste lá e me apoiaste.
Quando perdemos a casa tu ficaste perto de mim. E desde que fiquei
com todos estes problemas de saúde, nunca me abandonaste. Sabes
uma coisa?
Os olhos da mulher encheram-se de lágrimas:
- Diz amor.
- Acho que tu me dás azar!
B e m E s c r e ve r
Carla Azevedo, professora
1. Da última vez em que viemos a este restaurante, fomos
muito mais bem servidos.
2. Estamos convictos de que o nosso projeto vai ser aceite.
3. A Graciete tirou o bebé da cama e pegou nele ao colo.
4. Alguns voos foram cancelados devido ao furacão.
5. Esses são alguns dos países onde está armazenada grande
parte do poder nuclear.
6. Prestamos todos os cuidados de que os idosos necessitam
vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana.
7. Os delinquentes são perseguidos e mortos, como se de
animais irracionais se tratasse.
8. No caso de a suspensão se verificar num período superior
a 30 dias, a inscrição do utente será anulada.
9. Ninguém faltou à reunião em que se elegeu o novo
presidente.
10. Devemos cumprir sempre as nossas obrigações.
Soluções:
1. __________ (se não/senão) estivesses aqui, quem poderia ajudar-me?
2. Fale devagar, por favor, ___________ (se não/senão) não entendo o
que diz.
3. A mãe perguntou __________ (onde/aonde) estiveste todo este tempo.
4. ____________ (onde/aonde) trabalhas?
5. Eu não sei___________ (porque/por que) vais lá.
6. ______________ (porque/por que) estás triste?
7. Tu é que estiveste lá, és uma boa testemunha dos acontecimentos;
__________ (viste/vistes) bem o que se passou?
8. E vós também ___________ (viste/vistes) tudo?
9. _______________ (fala-se/falasse) muito sobre os problemas sociais
que afligem a Humanidade, mas pouco se faz.
10. Quer ele ____________ (fala-se/falasse) quer não, o resultado seria
o mesmo.
11. Ponte de Lima é uma vila bonita, Armandina, ____________ (hás de/
ás de) ir lá um dia.
12. O ____________ (hás de/ás de) copas ainda não foi jogado, pois não?
13. Ele é alto ______________ (de mais/demais)
14. Eles falaram ______________ (demais/de mais) sobre o assunto.
15. Antigamente ______________ (haviam/havia) menos carros.
16. Eles procederam mal, portanto _______________ (haviam/havia) de
ter um castigo.
17. Por favor, ________________ (dê-me/ deia-me/deem-me) um quilo
de açúcar.
18. Desculpem, meninos, _____________________ (dê-me/deem-me/
deiam-me) esses papéis que estão aí.
Todas as frases que se seguem apresentam incorreções sintáticas.
Corrija-as.
1.Da última vez em que viemos a este restaurante, fomos muito melhor
servidos.
2.Estamos convictos que o nosso projeto vai ser aceite.
3.A Graciete tirou o bebé da cama e pegou-lhe ao colo.
4.Alguns voos foram cancelados derivado ao furacão.
5.Esses são alguns dos países onde está armazenado grande parte do
poder nuclear.
6.Prestamos todos os cuidados que os idosos necessitam vinte e quatro
horas por dia, sete dias por semana.
7.Os delinquentes são perseguidos e mortos, como se de animais irracionais se tratassem.
8.No caso da suspensão se verificar num período superior a 30 dias, a
inscrição do utente será anulada.
9.Ninguém faltou à reunião onde se elegeu o novo presidente.
10. Devemos cumprir com as nossas obrigações.
1. Se não
2. Senão
3. Aonde
4. Onde
5. Por que
6. Porque
7. Viste
8. Vistes
9. Fala-se
10. Falasse
11. hás de
12. ás de
13. demais
14. de mais
15. havia
16. haviam
17. dê-me
18. deem-me
Completa as frases com a palavra que te parece adequada aos diferentes grupos apresentados.
[ 37 ]
Entretanto
C a r t o o ns
CR
R a í z Q u a d r a da
Andreia Araújo, professora
R acio ci na, D esa f i a - te , S u p e ra - te. . .
Confúcio, um filósofo chinês, que viveu entre 551
e 479 a.C, defendida que “Aprender sem raciocinar é
tempo perdido”.
Hoje, muitos dos nossos alunos contrariam este
princípio, porque pensar dá trabalho, é cansativo, é
pouco aliciante, não encontram utilidade no raciocínio, no pensar e, sobretudo, não têm tempo a perder,
porque um mundo bem mais aliciante, simples e à distância de um clique espera-os.
É quase geral o medo e o desagrado da maioria dos
nossos jovens em relação à matemática, pois persiste
e subsiste o mito da ciência difícil, hermética e sem
grandes atrativos. Tendem a vê-la como uma disciplina à parte, sem significado e utilidade. Aprendem-na
apenas para passar de ano ou não ficar com o módulo em atraso. E frases como “nunca tive positiva” ou
“nunca entendi” ou “para que é que isto me serve?”
são lugares comuns.
A resolução de problemas e desafios matemáticos
testa as nossas capacidades de aprender, de descobrir,
de raciocinar, de questionar, de solucionar, de errar, de
tentar de novo e de acertar.
Os jogos e os desafios permitem o desenvolvimento de competências como a rapidez da decisão ou a
velocidade de raciocínio, mas, sobretudo, dão largas à
imaginação e à criatividade.
Assim, proponho que te permitas testar as tuas
capacidades, que desafies o teu raciocínio, que sejas
criativo e persistente, porque com um pouco de esforço, hás de conseguir encontrar a solução dos seguintes
problemas. E não te esqueças “Aprender sem raciocinar é tempo perdido”.
[ 38 ]
Desafio 1 – As amêndoas da Páscoa
Três amigos, X, Y e Z,
compraram uma embalagem de amêndoas.
X contou as amêndoas
e comeu um terço. De
seguida, Y contou as
amêndoas que restavam e comeu um terço.
Depois, Z contou novamente as amêndoas
restantes e comeu também um terço. No final restaram 8 amêndoas.
Com os dados anteriores tenta responder às seguintes questões:
1. Quantas amêndoas tinha a embalagem?
2. Quantas amêndoas comeu cada amigo?
3. Quantas amêndoas deviam comer os 3 amigos para comerem a mesma
quantidade?
Desafio 2 – A aranha e a teia
Uma aranha, enquanto constrói a sua teia,
usa as linhas A, B, C, D, E, F, G e H como fios
de apoio, como podes observar na figura. Supondo que a teia aumenta, sobre que fio de
apoio estará o número 118?
Sugestões:
Desafio 1: O melhor caminho para solucionar este problema é
usar as operações inversas.
Desafio 2: Observa que os fios se repetem a cada 8 números.
S a b i a s Q u e. . .
Ilda Dias, professora
Após um período de sede, os dromedários são capazes de beber, de
uma vez só, entre 60 e 100 litros de água.
As sete cores do arco-íris: Na mitologia grega, Íris era a mensageira da
deusa Juno. Como descia do céu num facho de luz e vestia um xaile de
sete cores, deu origem à palavra arco-íris. A divindade deu origem também ao termo íris, do olho.
226 soldados morreram, em 1850, quando
atravessavam uma ponte em França. Enquanto
eles marchavam, causaram uma ressonância
(vibração) muito grande
na ponte, levando esta
a partir. Desde então, as
tropas são proibidas de
marchar nas pontes.
Antigamente, os Europeus chamavam “camelopardo” às girafas, pensando que os seus antepassados seriam um camelo e
um leopardo.
A pelagem do urso
polar não é branca, já
que os seus pelos são
transparentes. Parecem brancos porque
têm pequenas bolhas
de ar para o seu isolamento térmico, que
dispersam a luz.
Antes de 1800, os
sapatos para os pés
direito e esquerdo
eram iguais.
Nas primeiras cartas enviadas pelo correio, quem pagava o selo era o destinatário.
O animal mais prolífico
da natureza é o rato. As
fêmeas têm entre três e
seis ninhadas por ano.
Um só casal, ao fim de
três anos, pode dar origem a dez gerações. É por
isso que o rato é o animal
preferido nas pesquisas
genéticas de laboratórios.
O CD foi concebido para comportar 74
minutos de música, porque essa é a duração da Nona Sinfonia de Beethoven.
Cruzar os braços ajuda a pensar melhor...
Precisas de resolver um
problema difícil? Cruza
os braços! Segundo uma
pesquisa publicada no
European Journal of Social Psychology, o simples
ato de cruzar os braços
causa uma reação subconsciente no cérebro
que aumenta até 30% a
capacidade de concentração.
[ 39 ]
Check-List
E n t r e - C a pa s
“Inferno” de Dan Brown
Neste novo e fascinante thriller Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em O código Da Vinci, Anjos e demónios e O símbolo perdido e faz de Inferno
a sua aposta mais alta até ao momento. No coração da Itália, Robert
Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para
um mundo angustiante centrado numa das obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri.
Numa corrida contra o tempo, Langdon luta contra um adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o arrasta para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo
como pano de fundo o sombrio poema de Dante, Langdon mergulha
numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem
confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.
Biografia de Dan Brown
Dan Brown nasceu a 22 de junho de 1964, em Exeter, E.U.A. É um escritor norte-americano, que escreveu o polémico best-seller “O Código
da Vinci” e também “Anjos e Demónios”, que já foram adaptados ao cinema. Tem mais duas obras que também tiveram uma grande tiragem:
“Fortaleza Digital” e “A Conspiração”.
Dan Brown é o mais velho de três filhos. A sua mãe, Constance (Connie),
dedicou-se à música ao longo da sua vida. O seu pai, Richard G. Brown,
ensinava matemática no Ensino Secundário. Como os professores do
colégio, onde o pai lecionava, foram requisitados a viver no campus
por diversos anos, Brown e os seus irmãos foram, literalmente, criados
na escola. Na maior parte, o ambiente social era o cristão. Frequentou
a escola dominical, cantando no coro da igreja e passou os verões no
acampamento da igreja. Brown inspirou-se em Jean Pierre Santiago,
que é considerado um alquimista moderno.
Depois da sua graduação na Phillips Exeter, em 1982, Brown entrou
para o Amherst College, onde foi membro da Fraternidade Psi Upsilon.
Durante o seu primeiro ano em Amherst, foi à Europa para estudar
História da Arte na Universidade de Sevilha, Espanha, onde começou a
estudar seriamente os trabalhos de Leonardo Da Vinci, que mais tarde
teriam importância crucial num dos seus romances.
Augusta Salgada, professora
[ 40 ]
“Um Refúgio Para a Vida”
de Nicholas Sparks
Katie, uma jovem reservada e bonita, vai viver para a cidade de Southport, na Carolina
do Norte, onde todos se interrogam sobre o
seu passado. Que mistérios esconderá aquela mulher que parece determinada em encobrir os seus encantos e evitar novos laços
afetivos? No entanto, e apesar de todas as
suas reservas, Katie começa a criar raízes naquela pequena comunidade, à medida que
uma nova amizade e um novo amor lhe vão
fazendo baixar as defesas.
Nicholas Sparks traz-nos uma protagonista
fragilizada por um amor que se desvirtuou
e que tem de aprender a lidar com as suas
sequelas se quiser voltar a amar.
Biografia de Nicholas Sparks
Nicholas Sparks Charles é um escritor norte
-americano, consagrado no mundo inteiro.
Nasceu em Omaha, no estado do Nebraska,
EUA, a 31 de dezembro de 1965. É o segundo filho de Patrick Michael (1942-1996)
e Emma Jill Marie (Thoene) Sparks (19421989). Os seus irmãos são Michael Earl
Sparks (dezembro 1964), e Danielle Sparks
(dezembro 1966 – junho, 2000). Em criança
viveu em Minnesota, Los Angeles e Grand
Island, Nebraska, estabelecendo-se em Fair
Oaks, Califórnia, com oito anos de idade.
Começou a escrever com 19 anos, altura em
que escreveu o primeiro livro. Estudou na
Universidade de Notre Dame, onde se formou em Economia, em 1998.
Nicholas Spark foi durante algum tempo
delegado de informação médica, até que a
agente literária Theresa Park passou a mediar a publicação dos seus livros. Theresa Park vendeu os direitos do
romance “The Notebook” (O Diário da Nossa Paixão) à Warner Books,
que permaneceu durante 56 semanas consecutivas no top de vendas
americano. Seguiram-se livros como “Message in a Bottle” (As Palavras que Nunca te Direi), “A Walk to Remember” (Um Momento Inesquecível) e “The Rescue” (Corações em Silêncio), todos eles sucessos
editoriais, tendo o primeiro sido adaptado para o cinema pelo próprio
autor. Outros livros foram também adaptados ao cinema.
Augusta Salgado, professora
[ 41 ]
Check-List
Ú l tima Fi la
Pedro Veloso, professor
Adaptado de c7nema.net
The Frozen Ground (Sangue e Gelo)
Baseado na história verídica de Robert Hansen, um predador
que sequestrava mulheres, soltava-as nas florestas e depois
caçava-as por desporto, The Frozen Ground - Sangue e Gelo
é mais uma obra rotineira onde todos os mecanismos são
derivativos e familiares, não sobressaindo assim em qualquer
aspeto no que toca a filmes sobre serial killers.
Na obra, John Cusack interpreta o papel de um respeitável
homem de família que, pela calada, conduz ao rapto,
violação e morte de várias mulheres, embora nunca tenham
existido provas contra ele. As coisas mudam quando Cindy
Paulson (Vanessa Hudgens), uma prostituta, se revela a única
sobrevivente do assassino em série e dá esperança ao Sargento
Jack Halcombe (Nicolas Cage), que há muito tenta caçar o
criminoso.
Se Cusack já provou em outros filmes ser um assassino eficaz e Nicolas
Cage um polícia competente (quando não tem adições como em Polícia
Sem Lei), nenhuma destas prestações consegue ainda assim elevar a
obra para além de uma entediante monotonia de procedimentos,
até porque a sua fórmula rígida e pouco propensa ao risco criativo
[ 42 ]
sobrepõem-se a qualquer outra questão. E quando o único elemento
refrescante de tudo é o carregado e intenso cenário de inverno rigorosoque dá ao filme todo um ambiente de triste fado - então percebe-se o
quão descartável e “domingueiro” este thriller é.
Uma última nota para a prestação de Vanessa Hudgens, frequentemente
a cair no overacting e falhando no charme, química e credibilidade que
podia ter com o seu “predador” ou “salvador”.
Non-Stop
Após o competente Unknown: Sem
Identidade em 2011, Jaume Collet-Serra volta a pegar na mesma fórmula de
sucesso em Non-Stop, um thriller onde
as influências hitchcockianas e a estrela
de ação, Liam Neeson, voltam a dar cartas. Decorrido maioritariamente dentro
de um avião com o trajeto Nova Iorque
– Londres, onde o nosso protagonista
tenta impedir um sequestro aéreo. Esta
é uma obra de momentos passageiros,
envolvendo inicialmente num clima de
suspense bem arquitectado que vai perdendo “gás” perante as incoerências da
sua própria intriga.
Assim, o filme revela-se um novo ensaio
de Neeson no seu ego adquirido desde
Taken: Busca Implacável, de Pierre Morel, um sensato, mas ao mesmo tempo frágil, herói de um intelecto invejável e habilidades de luta
difíceis de ultrapassar, que são os mesmo ingredientes que compõem
as diversas obras de ação que o cinema sempre nos presenteou. Contudo, o ator cinquentão possui carisma suficiente para dar e vender.
Infelizmente, Liam Neeson não consegue salvar este filme de “se
despenhar”, confluindo todas as potenciais vertentes de um thriller
engenhoso e transformando-as numa veneração à sua pessoa. Veneração essa, que é motivo que baste para que Non-Stop se torne num
êxito garantido, sacrificando a sua matéria prima (que até demonstra um eficiente estudo à matriz do thriller mais clássico) e tornando
o restante elenco em descartável e por vezes inútil, como Julianne
Moore no seu pior desempenho e a recentemente galardoada Lupita
Nyong’o reduzida a um mero adorno figurante.
Resumidamente, Non Stop de Jaume Collet-Serra ilude e desilude.
Não é o exercício hiperativo que se prometia nem tem astúcia. É sim
outra episódica aventura de Liam Neeson, que após experimentar a
ação não quer outra coisa.
[ 43 ]
Check-List
Need For Speed: O Filme
Mesmo antes de se ver Need for Speed: O Filme, as comparações com
Velocidade Furiosa são legítimas – desde a forma como foi apresentado,
até aos cartazes publicitários. Mais que isso, a questão da relevância
também pode ser alvo de escrutínio (ao fim de mil e tal velocidades
furiosas, criar um filme que fale sobre o mesmo é uma entrada a pés
juntos). No entanto, no fim das duas horas de filme chega-se a uma
conclusão: Need for Speed tem Swag (ainda que pouca gente saiba
definir swag).
A história é do mais simples possível: Tobey (Aaron Paul) é um menino
com talento, mas sem oportunidade, que vê o malvado Dino (Dominic
Cooper) tramá-lo, colocando-o atrás das grades, por um crime que não
cometeu. Depois temos tempo para uma loira bonita com sotaque
inglês para “ornamentar” o filme, interpretada pela bela Imogen
Poots, e uma equipa de especialistas em tunning, com destaque para a
hilariante personagem de Scott Mescudi. Com um enredo tão previsível
e básico era de expetar que isto fosse somente mais um filme, e é
exatamente isso, mas com estilo.
[ 44 ]
A narrativa baseia-se na demanda pela vingança de Tobey e essa parte
não ficará na memória, pois não acrescenta nada. Porém, o elenco
funciona bem, conseguindo agarrar a audiência, tirando mesmo
algumas gargalhadas. As interpretações, no geral, são competentes.
Aliás, os nomes mencionados acima, e apesar de estereotipados, têm
personagens relativamente bem conseguidas. Aqui, curiosamente, o
elo mais fraco é Aaron Paul, que não parece encaixar.
Todavia, o ponto forte do filme, e talvez a única caraterística que rivaliza
(e até certo ponto melhora, em relação a Velocidade Furiosa) são as
coreografias das corridas. Aqui, ao contrário da outra franquia, (quase)
todas as manobras feitas com os carros são realistas. Mais, Scott Waugh
(que realiza o filme) tem a inteligência de perceber que a melhor banda
sonora para uma corrida de automóveis é o barulho dos motores –
nesse sentido, a banda sonora foi usada com mestria.
No final tem-se entretenimento q.b., com alguns bons momentos de
comédia e bons carros. Certo é que a história é previsível e simples,
mas também era exatamente isso que se esperaria. Desta forma, Need
for Speed não quis ser mais do que entretenimento puro e duro e,
apesar de não ser um Velocidade Furiosa, contém alguns momentos
interessantes.
H o t P o i n t - P l a y Zo ne
Arcélio Sampaio, professor
THIEF (PC/PS4/XBOX360)
Thief é um dos primeiros jogos de séries de longa data a chegar às novas
consolas, não deixando de lado o PC onde dormiu muitos anos e de onde é
originária a geração anterior. Dez anos passaram desde o terceiro jogo da
série e muita coisa mudou no cenário dos videojogos.
Thief é um jogo sombrio, onde a escuridão, o frio, a chuva e humidade
aliam-se ao estado de alerta para com inimigos que farejam cada canto da
The City.
Garret, a personagem principal, está de volta à sua cidade, mas encontra-a
gerida por um novo tirano, o The Baron, que para além de subjugar a cidade
com os seus capangas, também deixa os seus cidadãos morrerem devido a
uma praga. Thief traz-nos de volta os ambientes negros num ambiente Vitoriano, transformado com a nossa passagem pois podemos apagar velas,
tochas e luzes para nosso proveito. Após alguns acontecimentos no início do jogo, Garret vê-se perante
uma nova missão, maior que a de simples cumprir com pequenos
roubos, algo que está na sua natureza. Garret apenas trabalha por
dinheiro e recompensas. O roubo é a sua obra de arte, e é o melhor no
seu ofício. Mas perante a ameaça do Barão, algo mais alto se levanta,
pois ameaça toda a sua cidade e a feliz vida de ladrão.
Fonte: www.eurogamer.pt
TOMB RAIDER DEFINITIVE EDITION (PS4/ONE)
Um dos melhores jogos de sempre, com uma apresentação gráfica
fantástica. Neste título, mais do que aventureira, Lara veste a pele de
náufraga, de sobrevivente. A ação inicia-se com o acidente do Endurance
e os primeiros momentos na ilha de Yamatai, as consequências do frio
que a levam a acender a primeira fogueira,
até à primeira vez que é obrigada a matar
um veado para se alimentar. Esta ideia de
sobrevivência está muito presente inicialmente, mas vai desaparecendo aos poucos, até se tornar absolutamente impercetível tanto nas motivações da protagonista,
como nas próprias mecânicas do jogo.
Como é óbvio não estamos sozinhos na
ilha. Existem vários perigos, desde a vida
selvagem a outros humanos com a sua
própria agenda.
A ilha é enorme! Num momento estamos a explorar a natureza, no outro a matar lobos de arco e flecha, a percorrer a ilha
em modo camuflado, depois em instantes
mais típicos onde temos que eliminar uma
vaga de inimigos, ou aquelas cenas de trapezismo em que saltamos de saliência em
saliência sempre com os valores de produ-
ção clássicos de estruturas a ruir em nosso redor. Esta alternância vai
fazendo com que a caminhada nunca se torne repetitiva e por isso, que
o jogo se mantenha um prazer até ao final.
A ilha adota implicitamente contornos sobrenaturais, mas Lara é uma
cientista, uma mulher que precisa “ver para crer”, e que tem toda aquela
coragem desmedida, aliada a alguma inocência e à irreverencia próprias
[ 45 ]
Check-List
da idade. Já muito se discutiu acerca da quantidade de
pancada que leva ao longo da aventura, e realmente, algumas quedas davam direito a meia dúzia de fraturas
expostas, no mínimo.
A jogabilidade é muito competente em termos de
execução, embora sobretudo alguns saltos pareçam
impossíveis de realizar, aliás uma imagem de marca da
nossa “Indiana Jones”. Outra imagem de marca da série foi ligeiramente negligenciada: os puzzles. Até cerca de metade do jogo a existência destes momentos é
praticamente nula, e depois surgem algumas salas que
oferecem uns puzzles de dificuldade ligeira, sempre sem
grande urgência para a sua execução.
Visualmente o jogo é lindíssimo, não tanto pelo detalhe dos cenários, mas pela profundidade, pela qualidade
das texturas e pela fantástica utilização da luz. O bom
desenho dos níveis dá a ilusão de estarmos inseridos
num mundo aberto, e depois o facto de os cenários esconderem recursos para melhorar as armas e capacidades de Lara, acaba por incentivar a
vasculhar os caminhos por onde passamos. E não se pense que é apenas
vegetação, a ilha tem uma longa história para contar, e por isso existem vários tipos de estruturas que garantem alguma variedade estética
à aventura.
Fonte: www.eurogamer.pt
SOUTH PARK THE STICK OF TRUTH (PC, PS3, XBOX 360)
Este jogo não é recomendável para quem fica facilmente ofendido e/
ou prefere ficar afastado de temas sensíveis como, entre outros, libertação espontânea de gases. Aliás a Obsidian Entertainment não podia ter
feito um melhor trabalho em adaptar esta série de televisão ao mundo
dos videojogos. O jogo, à semelhança da série, goza com tudo e com todos e não olha a limites no humor negro, que em casos limite pode ferir
suscetibilidades. Mas para aqueles que adoram a série e compreendem
o seu humor, The Stick of Truth é um paraíso com uma digna quantidade
de momentos engraçados do princípio ao fim.
O jogo começa inofensivamente com uma brincadeira de crianças mas
cresce pouco a pouco a proporções épicas com reviravoltas no enredo
completamente inesperadas. Somos o novo miúdo no bairro, a nossa
família acabou de se mudar para South Park e somos ordenados pelos
nossos pais para ir brincar com outros miúdos. Rapidamente conhecemos Butters, que por sua vez nos apresenta a Cartman, que está disfarçada de feiticeira e nos convida para a brincadeira. O propósito é defender
o Stick of Truth, quem o detém é capaz de controlar o universo e redefinir as regras…
Fonte: www.eurogamer.pt
[ 46 ]
H ot P oi n t - iTe k
Negócio Astronómico
É oficial!!!
O Facebook comprou a popular aplicação WhatsApp, que serve para
troca de mensagens através da Internet, permitindo à rede social acesso ao tempo e atenção dos milhões de pessoas que usam ativamente a
ferramenta.
O negócio envolveu números astronómicos: 11,6 mil milhões de euros! Este montante seria repartido em cerca de 3 mil milhões de euros
em dinheiro mais aproximadamente 8,7 mil milhões de euros em ações
da empresa de Mark Zuckerberg, totalizando cerca de 7,9% do capital
do Facebook.
Segundo noticia o jornal Público, este valor é muito superior ao que a
Microsoft pagou pelo famoso Skype – 6,1 mil milhões de euros – ou ao
que a japonesa Rakuten desembolsou pelo Viber – aproximadamente
650 milhões de euros – uma aplicação muito semelhante.
O Facebook vê o WhatsApp como uma valiosa plataforma com 450
milhões de utilizadores por mês, quase o dobro do Twitter. Destes, 70%
estão ativos todos os dias. O volume de mensagens partilhadas aproxima-se já do volume global dos tradicionais SMS via telemóvel.
Depois da compra em 2012 do também conhecido Instagram (aplicação de partilha de fotos online) por “apenas” 700 milhões de euros,
quando confrontado com notícias desta nova aquisição, Mark Zuckerberg afirmou que “A nossa estratégia para os próximos anos é focarmo-
nos em crescer e ligar pessoas em todo o mundo (…) o WhatsApp está
prestes a ligar mil milhões de pessoas e um serviço que consegue atingir
esta meta é incrivelmente valioso”, acrescentou.
Zuckerberg não deverá ter errado muito ao considerar o WhatsApp
uma ótima oportunidade de negócio já que Bill Gates admitiu numa recente entrevista à conceituada revista Rolling Stone que a sua Microsoft
também tentou adquirir esta aplicação ainda antes do anúncio da aquisição por parte do Facebook. Gates afirmou que apesar de acreditar que
o WhatsApp é de facto uma companhia extremamente valiosa, a quantia
paga pelo Facebook está acima do que ele esperava desembolsar.
O WhatsApp foi criado em 2009 por Brian Acton e Jan Koum, antigos
funcionários dos quadros do Yahoo. Curiosamente, ambos estavam desempregados e ambos foram rejeitados quando se candidataram a um
emprego no Facebook. A aplicação começou por servir para os utilizadores de iPhone definirem um estado, que seria visível para todas as pessoas da lista de contactos, indicando, por exemplo, que estavam numa
reunião ou com pouca bateria. Foram os próprios utilizadores que começaram a usar esta funcionalidade como um serviço de troca de mensagens. O WhatsApp decidiu mudar o seu próprio conceito e ir atrás do
que as pessoas estavam a fazer. A popularidade disparou. Atualmente,
a aplicação está disponível para iPhone e para telemóveis com sistema
operativo Android. O primeiro ano de utilização é gratuito. A partir daí,
custa a quantia simbólica de 72 cêntimos por ano, embora os utilizadores mais antigos possam usar o WhatsApp sem qualquer pagamento.
A empresa agora adquirida será uma unidade de negócio autónoma do Facebook e mantém todos os
trabalhadores, tal como sucedeu
aquando a aquisição do Instagram.
O Facebook vai também manter a
sua própria aplicação de mensagens, o Facebook Messenger, que
é mais popular nos EUA do que no
resto do mundo.
Fontes: www.publico.pt;
www.jn.pt; www.tudocelular.com
Arcélio Sampaio, professor
[ 47 ]
Check-List
H ot Point - A p pDr o i d
Intercom
Imagina que vais andar de bicicleta
e queres ir em constante comunicação
(por voz) com o teu colega.
Por que não usar o Bluetooth ou Wifi
(criando um hotspot) para comunicar?
Tal ideia aplica-se, também, aos motociclistas, praticantes de ski, funcionários da construção, em concertos,
campismo, comunicação entre pessoas em carros distintos, entre muitas
outras situações ou profissões.
Para fazer tudo isto sem gastar dinheiro, e mesmo sem acesso à Internet, vamos conhecer o Intercom.
Há uns largos anos atrás os WalkieTalkies eram gadgets de extrema utilidade para estabelecer comunicação
nas actividades, principalmente, de exterior. Depois veio o hype dos “bips” que permitiam trocar
mensagens entre equipamentos, até que se deu
o “boom” dos telemóveis.
O Intercom faz uso das tecnologias Bluetooth
ou Wifi e permite o estabelecimento de chamadas entre equipamentos sem a necessidade de
uma ligação à operadora ou ISP.
Principais características:
• Não necessita de acesso à Internet;
• Fácil de configurar;
• Não há registos, contas;
• Publicidade.
Fonte: pplware - no comments
[ 48 ]
Telegram Messenger
P a ra Que m Aba ndo no u o WhatsA pp e N ã o Só
As verdades, no mundo da tecnologia, são efémeras. O que ontem era um dado concreto, que o WhatsApp dominava num segmento de comunicação por
chat gratuito, hoje já é diferente, quem domina é o
Facebook.
Isto porque a milionária aquisição do WhatsApp
pelo Facebook alterou vontades, alterou perspectivas
de utilização e, acima de tudo, colocou o futuro deste
serviço numa incógnita.
O Telegram Messenger é uma app que pretende
ocupar o espaço do WhatsApp mas com mais rigor na
segurança e na oferta de opções.
Trata-se de uma app de mensagens focada na segurança e na rapidez de serviço. Os seus responsáveis dão ênfase à simplicidade, rapidez e segurança
para posicionar esta nova app num patamar acima do que o mercado
conhece de apps gratuitas para comunicar.
Para que o utilizador não tenha de usar várias apps, esta reúne um
grande leque de serviços.
Uma das opções disponíveis, bandeira, é a possibilidade de criar um
grupo de até 100 contactos e poder estar em contacto com todos de
uma só vez. Isto é muito interessante, pois abre portas e vários segmentos comerciais e empresariais que
usam as mensagens para comunicar
com os seus clientes e colaboradores.
Pedro Veloso, professor
[ 49 ]
Em
Alta
Baixa
Não é um simples jornal, pois
O Leituras é o jornal da nossa escola.
s realizadas na escola pela
mostra às pessoas todas as atividade
s períodos letivos.
comunidade educativa durante os vário
tudo: os intercâmbios, os váO Leituras mostra-nos um pouco de
realizados pelos alunos e prorios projetos e as visitas de estudo
(I n ) C o n f i d ê ncia s
fessores.
todos que fazem parte desta
O Leituras contribui para a união de
o jornal muito sucesso e que
escola. Desejo ao grupo que elabora
como até aqui.
continuem a desenvolver este trabalho
Um livro que gostaste de ler
A Lua de Joana
Ivo Matos, MA4
O Leituras é um jornal que, no fundo, até faz os alunos “descansar” um pouco, pois tem artigos interessantes e que mostram o
verdadeiro significado da escola. Uma das partes que cativa mais
a minha atenção, e talvez a atenção de muitos outros alunos, é a
parte dedicada aos testemunhos dos ex-alunos da escola. É muito
interessante ficar a saber como correu a vida de pessoas que já
estiveram aqui e perceber o que nós poderemos vir a ser. Acho
que faz falta no Leituras um cantinho destinado ao desporto, sendo uma
escola jovem
e com um maioritário número de alunos rapazes.
Frederico Silva, EL19
O Leituras é com certeza das melhores fontes de informação da
CIOR. Com ele ficamos atualizados sobre as diversas atividades da
escola, e não só, todos os projetos nos quais a CIOR participa, e
sempre com sucesso! O jornal é também uma recordação de tudo
que foi vivido durante o nosso percurso escolar, e é com gosto e
satisfação que leio e releio cada edição.
Joana Vilaça, ASC11
A música da tua vida
Nas feat Damian Marley Patience
A frase que mais te irrita
“André, acorda!”
O filme que mais te marcou
Profissão de Risco
Cinema ou teatro?
Teatro
Fast-food ou comida tradicional?
Comida tradicional
Disciplina preferida
Animação Sociocultural
Artista de cinema preferido
Johnny Depp
Animal de estimação
Cão
O jornal da escola, o nosso Leituras,
é muito informativo, pois
mostra todas as atividades em que
as turmas estão envolvidas,
como visitas de estudo, intercâmbios
, projetos, concursos, entre outros. Gosto especialmente de
ver as fotografias dos alunos com os professores, sempre com
um sorriso na cara, o que
demonstra bem a felicidade vivida nest
a escola.
Sobremesa preferida
Salada de Fruta
De quem gostarias de ler as memórias
Bob Marley
Pedro Salgado, ER7
A viagem de sonho
Irlanda, Brasil, Jamaica e Amesterdão
podemos encontrar vários artigos
O Leituras é um grande jornal, não só
mos encontrar artigos com uma
de diferentes temas, assim como pode
já, quero dar os parabéns à equipa
qualidade de edição enorme. Desde
publicar alguns artigos relacionatécnica do jornal. Acho que podiam
bo o Leituras os primeiros artigos
dos com o desporto. Quando rece
a, os intercâmbios, os estágios no
que procuro são os da minha turm
estrangeiro, entre outros.
Carlos Silva, IE14
Mulher Ideal
Especial para mim…
Qualidades que mais aprecias
Amizade e boa disposição
O que não dispensarias numa ilha deserta
Companhia
André Freitas, ASC10
[ 50 ]
ADN
Bi l h e t e d e I d e n t i d ade
Um livro que gostaste de ler
Auto da Barca Do Inferno
A música da tua vida
Avicii - Wake Me Up
A frase que mais te irrita
“Ah bom!”
O filme que mais te marcou
300
O meu nome é Mónica Oliveira.
Moro na Freguesia de Calendário.
Cinema ou teatro?
Cinema
Nasci no dia 14 de maio de 1977.
Fast food ou comida tradicional?
Comida Tradicional
No dia do meu aniversário gosto de estar com a família e amigos.
As pessoas dizem que tenho jeito para ouvir.
Disciplina preferida
Educação Física
Produzo muito mais quando me sinto feliz.
Artista de cinema preferido
Vin Diesel
Sinto-me feliz quando os outros são felizes.
Comovo-me quando alguém não está bem.
Animal de estimação
Cão
Adoro viver.
Detesto desorganização e engomar roupa.
Sobremesa preferida
Bolo de bolacha
Num filme interpretaria a personagem de avarenta.
De quem gostarias de ler as memórias
Da minha cadela
Um dos meus sonhos é ganhar o Euromilhões.
Acredito que um dia as pessoas vão mudar.
A viagem de sonho
Miami
O Leituras para mim é a informação da nossa escola.
Se fosse um animal seria um pássaro.
Mulher Ideal
Gira, simpática, amigável, sincera
Por um dia gostava de ser fada madrinha.
Qualidades que mais aprecias
Rosto e olhos
Se ganhasse o Euromilhões percorria o mundo.
Os computadores para mim são um instrumento de trabalho.
O que não dispensaria numa ilha deserta
Uma boa companhia
O que faltou perguntar foi se gosto do que faço.
Nuno Pereira, ER6
[ 51 ]

Documentos relacionados

FOMENTAMOS a INVESTIGAÇÃO - Escola Profissional CIOR

FOMENTAMOS a INVESTIGAÇÃO - Escola Profissional CIOR no desemprego…; O meu filho quer desistir, porque vou emigrar, mas enquanto andar na escola sempre tem o subsídio de refeição… Assistir àquela aula, com jovens de 15, 16, 17 anos e menos jovens, do...

Leia mais

Conquis tamos o 1º Prémio - Escola Profissional CIOR

Conquis tamos o 1º Prémio - Escola Profissional CIOR de uma forma estruturada e sustentada, envolvendo o trabalho conjunto entre profissionais de educação e saúde escolar. Sabendo que a educação sexual é uma importante dimensão da promoção e proteção...

Leia mais

CONCRE TA e E NDIE L - Escola Profissional CIOR

CONCRE TA e E NDIE L - Escola Profissional CIOR Automação e Comando, Produção Metalomecânica e Animação Sociocultural), a CIOR preparou-se para receber os cursos vocacionais (Novas Tecnologias, Empregado de Mesa e Animação de 6º ano; Novas Tecno...

Leia mais

V encemos a iDroneCup - Escola Profissional CIOR

V encemos a iDroneCup - Escola Profissional CIOR dirigem-se aos estudantes do 12º ano de escolaridade ou de ano pedagogicamente equivalente, de escolas dos subsistemas público e privado, localizadas em Portugal Continental e Insular ou no estrang...

Leia mais

Leituras - Escola Profissional CIOR

Leituras - Escola Profissional CIOR Cooperativa de Ensino de Vila Nova de Famalicão, C.R.L. (Escola Profissional CIOR) DIRETORA Carla Oliveira RECOLHA DE INFORMAÇÃO / IMAGEM / FOTOGRAFIA Arcélio Sampaio Cristina Ferreira REVISÃO DE P...

Leia mais

A Tua Aposta - Escola Profissional CIOR

A Tua Aposta - Escola Profissional CIOR REVISÃO DE PROVAS Andreia Araújo Carla Susana Azevedo Joaquim Meneses DESIGN GRÁFICO E PAGINAÇÃO Pedro Veloso DATA DE PUBLICAÇÃO Junho de 2011 NÚMERO

Leia mais