aquários como ferramenta educacional em escolas públicas do

Сomentários

Transcrição

aquários como ferramenta educacional em escolas públicas do
I SIGA Ciência (Simpósio Científico de Gestão Ambiental)
V1. 2010
Realizado dia 16 de maio de 2010 na ESALQ-USP, Piracicaba-SP
AQUÁRIOS COMO FERRAMENTA EDUCACIONAL EM ESCOLAS
PÚBLICAS DO LITORAL DO PARANÁ, SUL DO BRASIL.
Flavia Carneiro, Caroline Mazur, Bruno Gurgatz; Orientador: Prof. Rodrigo Reis
Universidade Federal do Paraná – Setor Litoral
[email protected]; Orientador: [email protected]
1. Introdução
Através do Laboratório Móvel de Educação Cientifica da
Universidade Federal do Paraná, obtivemos recursos para o
trabalho aqui descrito.
Utilizando livros de autores como Sérgio Gomes, foi
possível aprender e aprimorar técnicas para a montagem e
manutenção de aquários, e também livros sobre Rios da
Mata Atlântica, Recifes de Corais, que nos permitiram
obter uma maior compreensão destes ecossistemas. Foi
através de processos de qualificação e aquisição de
conhecimentos, técnicas e experiências que auxiliam em
nossa formação profissional e acadêmica, e também na
execução de atividades realizadas junto as Escolas
Públicas do litoral do Paraná, que reproduzimos diferentes
ecossistemas aquáticos com o objetivo desensibilização
ambiental visando a educação ambiental.
2. Metodologia
Juntando atividades e recursos que nos foram
disponibilizados como: curso de capacitação e edição de
vídeo, trocas de experiências sobre nosso trabalho com
outros que procuram fazer o mesmo, e discussões sobre
ciência, divulgação cientifica, filosofia da ciência e
educação ambiental, pudemos articular nossos resultados
com a comunidade e ir mais afundo com alunos de escolas
públicas do Litoral do Paraná.
Iniciamos com leituras e pesquisas sobre montagens e
manutenções de aquários, e também sobre os ecossistemas
que pretendíamos representar, fomos aos poucos montando
os aquários no próprio laboratório móvel de educação
cientifica, expondo-os através de feiras, oficinas nas
escolas, e visitas agendadas.
Foram montados aquários de água doce e salgada. Os
doces representaram: o Rio da Viúva, localizado em
Matinhos, Paraná; Aquário plantando com peixes
ornamentais; Paludario para uma cobra d’água (Helicops
carinicaudus) . Os aquários salgados representaram: a Ilha
do Farol, localizado também em Matinhos, Paraná, no
bairro Caiobá; Aquário Recife de Coral; Aquário com
cavalos-marinhos (Hippocampus sp.), que serviu também
como refugo, pois o primeiro cavalo-marinho que
recebemos, havia sido pego em uma rede de pescadores e
se encontrava fragilizado, se devolvido ao mar,
provavelmente morreria
Foram necessários diversos passos para a montagem e
manutenção desses aquários. A montagem se inicia na
adição do substrato, água e filtros, deixando funcionar por
algum tempo, para atingir as condições ideais para
comportar os animais e plantas.
Após a inserção dos animais, passamos a realizar
manutenções diárias e periódicas, como: alimentação,
limpeza dos equipamentos (filtros e bombas) e vidros para
retirada de algas, trocas parciais de água, sifonagem, testes
para medir o teor de pH, nitrito (NO2), nitrato (NO3), e
amônia (NH3NH4) e outros mais específicos de cada
aquário como, por exemplo, a adição de suplementos
necessários para o crescimento adequado e saudável dos
corais.
O público alvo foram as escolas públicas do litoral do
Paraná, principalmente alunos de 7ª e 8ª séries. Chegamos
até eles através de oficinas de curta duração, no máximo de
uma semana, para que aos poucos fossemos adquirindo
experiência e analisando a desenvoltura e reação dos
alunos e professores perante a temática que estava sendo
passada.
Tratamos assuntos como: Mangue e sua importância
ambiental, com ênfase no aquecimento global; Anêmonas
e Recifes de Corais; Mata Ciliar, o que é, e sua
importância, principalmente para a ictiofauna; Água,
sociedade e meio ambiente. Para tais oficinas usamos
apresentações em slides, visitas ao laboratório móvel,
saídas de campos, vídeos e atividades dinâmicas em sala
como a confecção de anêmonas em massa de biscuit.
Figura 1 - Oficina Anêmonas e Recifes de Coral
3. Resultados e Discussões
Conseguimos construir uma variedade significativa de
exemplares de ecossistemas aquáticos, que permitiram aos
alunos um contato mais direto com um ambiente que os
cerca, porém não visualizado de maneira integral.
Pelos trabalhos realizados com os alunos podemos destacar
I SIGA Ciência (Simpósio Científico de Gestão Ambiental)
V1. 2010
Realizado dia 16 de maio de 2010 na ESALQ-USP, Piracicaba-SP
um ponto importante que foi o grande interesse e
participação dos mesmos durante as oficinas, sendo que
em vários casos observou-se a procura entusiasmada na
busca de soluções para as problemáticas apresentadas,
articulando seu papel social e político na sociedade.
Com as visitas dos alunos a Universidade Federal do
Paraná-Setor Litoral para conhecerem nossas montagens,
foi notável o aumento do interesse e curiosidade destes ao
contemplarem de perto a riqueza da diversidade biológico
encontrada nesses ambientes.
Como a realidade social do litoral paranaense é voltada
para atividades realizadas na zona costeira, como pesca e
cultivo de organismos marinhos, pensamos ser relevante
repassar a sociedade conhecimentos ecológicos para
despertar a conscientização da conservação deste espaço,
buscando junto à sociedade novas formas sustentáveis de
desenvolvimento.
Figura 2 - Visita ao Lab. Móvel
4. Conclusão
Concluímos que com o objetivo de conhecer para
preservar, os aquários trouxeram uma oportunidade de
conhecer diferentes ecossistemas e seu funcionamento.
Esse demonstrativo auxiliou no entendimento dos
ecossistemas como um todo, como cada organismo esta
interligado, suas funções e importância.
A temática e a metodologia utilizada diferem daquela com
a qual eles estão habitualmente acostumados na escola, o
que colaborou aumentando o interesse e participação nos
assuntos sociais e ambientais.
A partir de agora, com o conhecimento prévio de como a
comunidade reagiu às ideias, concluímos que a aplicação
de ações permanentes junto à escola, desenvolvendo
atividades didáticas envolvendo os aquários nos conteúdos
pertinentes à biologia, química, matemática e física, poderá
romper a concepção disciplinar fragmentada, ensinando a
trabalhar de maneira interdisciplinar, abrindo assim um
espaço para uma formação e aprendizagem mais dinâmica,
que possivelmente contribuirá para uma visão mais crítica
e analítica da realidade em que estão inseridos.
5. Referências Bibliográficas
- GOMES, S., O Aquário de Água Doce sem Mistérios.
196p. Prol ed. 2000.
- GOMES, S., O Aquário Marinho e as Rochas Vivas. 3º
Edição, 256p., Rio de Janeiro,1999
- OYAKAWA, O. T et al. Peixes de Riachos da Mata
Atlântica nas Unidades de Conservação do Vale do Ribeira
de Iguape no Estado de São Paulo. Ed. Neotrópica, 201
pgs. São Paulo, 2006.