NBR 14039 e 5410

Сomentários

Transcrição

NBR 14039 e 5410
INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO
A norma brasileira para instalações elétricas de
baixa tensão é a NBR 5410
Fixa as condições que as instalações de baixa tensão
devem atender;
Primeira edição de 1941;
É baseada na norma internacional IEC 60364:
Electrical Installations of Buildings desde da década
de 80;
2
NBR 5410
Estabelece as condições que as instalações
elétricas de baixa tensão devem satisfazer
Objetivo: garantir a segurança de pessoas e
animais, o funcionamento adequado da instalação
e conservação dos bens.
Última versão de 2004. Válida desde 31 de março
de 2005.
3
CAMPO DE APLICAÇÃO
Edificações residenciais, comerciais industriais e
institucionais;
Estabelecimentos agropecuários e hortigranjeiros;
Edificações
pré-fabricadas,
acampamentos
locais
de
Instalações Temporárias (canteiros de obras,
feiras, exposições, etc)
4
A NBR 5410 NÃO SE APLICA
Instalações de tração elétrica;
Instalações elétricas de veículos automotores;
Instalações elétricas de embarcações e aeronaves;
Equipamentos para supressão de perturbações
radioelétricas, na medida que não comprometam a
segurança das instalações;
Instalações de iluminação pública;
5
A NBR 5410 NÃO SE APLICA
Redes públicas de distribuição de energia elétrica;
Instalações de proteção contra quedas diretas de
raios. (a norma considera as conseqüências dos
fenômenos atmosféricos sobre as instalações);
Instalações em minas;
Instalações de cercas eletrificadas (ver IEC 603352-76).
6
COMPLEMENTAÇÕES DA NBR 5410
NBR 13570 - Instalações elétricas em locais
de afluência de público - Requisitos
específicos (cinemas, teatros, danceterias,
escolas)
NBR 13534 - Instalações elétricas em
estabelecimentos assistenciais de saúde Requisitos
para
segurança
(hospitais,
ambulatórios, unidades sanitárias, clínicas
médicas, clínicas veterinárias e odontológicas)
7
INSTALAÇÃO ELÉTRICA
Conjunto de componentes elétricos, associados ou
com características coordenadas entre si,
constituído para uma finalidade determinada.
Podem ser classificadas como:
Baixa Tensão (BT): UN ≤ 1000V em ca, ou UN ≤ 1500V
em cc.
Alta Tensão (AT): UN > 1000V em ca, ou UN > 1500V
em cc.
Extra-baixa tensão: UN ≤ 50V em ca, ou UN≤ 120V em
cc.
8
INSTALAÇÃO ELÉTRICA
Conjunto de componentes elétricos, associados ou
com características coordenadas entre si,
constituído para uma finalidade determinada.
Podem ser classificadas como:
Baixa Tensão (BT): UN ≤ 1000V em ca, ou UN ≤ 1500V
em cc.
Alta Tensão (AT): UN > 1000V em ca, ou UN > 1500V
em cc.
Extra-baixa tensão: UN ≤ 50V em ca, ou UN≤ 120V em
cc.
9
INSTALAÇÃO PREDIAL
É qualquer instalação contida numa edificação
INSTALAÇÃO TEMPORÁRIA
É uma instalação prevista para uma duração
limitada às circunstâncias que a motivam.
São admitidas durante o período de construção,
reforma, manutenção, reparo ou demolição de
edificações,
estruturas,
equipamentos
ou
atividades similares.
10
ALIMENTAÇÃO EM INSTALAÇÕES DE BT
Diretamente em baixa tensão: situação mais
comum
Por transformador exclusivo (edificações de uso
coletivo, por exemplo)
Em alta tensão, através de subestação: indústrias
de médio e grande porte
Por fonte própria em baixa tensão (é o caso dos
sistemas para serviço de segurança)
11
ALIMENTAÇÃO EM INSTALAÇÕES DE BT
12
ESQUEMAS DE CONDUTORES – NBR 5410
13
COMPONENTES DA INSTALAÇÃO
Equipamento elétrico:
é uma unidade
funcional, que gera, transmite, distribui ou utiliza
energia elétrica
Linha elétrica: é o conjunto de um ou mais
condutores com seus elementos de fixação e
suporte e, se for o caso, de proteção mecânica,
destinado a transportar energia ou transmitir
sinais elétricos.
14
COMPONENTES DA INSTALAÇÃO
Dispositivo elétrico é ligado a um circuito com o
objetivo de desempenhar uma ou mais das
seguintes funções:
Manobra
Comando
Proteção
Seccionamento
Conexão.
15
DEFINIÇÕES E CONCEITOS
Isolação: é o material isolante utilizados para
impedir a circulação entre partes condutoras.
Falta elétrica: é o contato ou arco acidental num
circuito ou equipamento energizado.
Curto-circuito
Capacidade de condução de corrente
Corrente de projeto
Corrente de fuga (Idr)
Sobrecorrente
Atenção: Falha e Defeito não são sinônimos de
falta
16
INFLUÊNCIAS EXTERNAS
A instalação está associada ao ambiente que se
encontra (influência externa)
Logo,
condições
consideradas nas
segurança
ambientais
devem
ser
medidas garantidoras de
A classificação das influências externas é um dos
pilares da NBR 5410
17
INFLUÊNCIAS EXTERNAS
Característica Meio Ambiente:
AA = temperatura ambiente;
AC = altitude;
AD = presença de água;
AE = presença de corpos sólidos;
AF = presença de substâncias corrosivas ou poluentes;
AG = choques mecânicos;
AH = vibrações;
AK = presença de flora e mofo;
AL = presença de fauna;
AM = influências eletromagnéticas, eletrostáticas ou
ionizantes;
AN = radiações solares;
AQ = raios.
18
INFLUÊNCIAS EXTERNAS
Categoria: utilização
BA = competência das pessoas;
BB = resistência elétrica do corpo humano;
BC = contato das pessoas com o potencial da terra;
BD = condições de fuga das pessoas em emergências; e
BE = natureza dos materiais processados ou
armazenados.
Categoria: construção dos prédios:
CA = materiais de construção; e
CB = estrutura dos prédios.
19
GRAUS DE PROTEÇÃO (IP)
20
21
INSTALAÇÕES DE BT
Condutores mal identificados
Padrão de cores utilizado para identificação dos
condutores (NBR 5410:2004):
22
TEMPERATURAS – CABOS ISOLADOS
23
TOMADAS
Todas as tomadas de corrente fixas das
instalações devem ser do tipo com contato de
aterramento (PE).
Devem ser do tipo 2P+T
24
25
CRITÉRIOS PRA O DIMENSIONAMENTO
A seção dos condutores deve ser determinada de
forma a que sejam atendidos no mínimo os
critérios definidos na NBR 5410
26
SEÇÃO (BITOLA) MÍNIMA DOS CONDUTORES
Circuitos de Iluminação: 1,5 mm2
Circuitos de Força (incluem tomadas de uso
geral) : 2,5 mm2
27
CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRENTE
Leva em consideração os efeitos térmicos
A NBR 5410 apresenta tabelas para determinação
da seção dos condutores
Para utilização dessas tabelas, é necessário
“traduzir” os dados para a situação real
28
QUEDA DE TENSÃO MÁXIMA
Alimentadas por ramal de baixa tensão (5%)
Transformador/gerador próprio (7%)
7%
5%
29
SOBRECARGA E CURTO-CIRCUITO
Importante: A proteção dos condutores realizada
de acordo com esta seção não garante
necessariamente a proteção dos equipamentos
ligados a esses condutores.
Por exemplo, não se pode esperar que um
disjuntor de 20 A, situado no quadro de
distribuição de uma residência, e ao qual esteja
ligado um condutor de 2,5 mm2, consiga proteger
adequadamente
contra
sobrecorrentes
um
notebook (corrente solicitada baixa)
30
DIMENSIONAMENTO DOS CONDUTORES
Geralmente o critério de capacidade de condução
de corrente é o mais importante na prática
Porém, deve-se testar todos os critérios.
A bitola escolhida deverá ser a maior
31
QUADRO DE DISTRIBUIÇÃO
Devem ser instalados em locais de fácil acesso
Deve ser reservado um espaço de reserva no
quadro (depende do número de circuitos): no
mínimo reserva para 2 circuitos
32
OS QDS RESIDENCIAIS DEVEM SER ENTREGUES
COM A SEGUINTE ADVERTÊNCIA
33
DIVISÃO DE CIRCUITOS
34
INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE MÉDIA TENSÃO
A norma brasileira para instalações elétricas de
baixa tensão é a NBR 14039
Tensão nominal: de 1,0kV a 36,2kV
Não inclui as redes de distribuição das empresas
concessionárias de energia elétrica.
Essa norma estabelece critérios específicos de
segurança para as subestações consumidoras,
incluindo acesso, parâmetros físicos e de infraestrutura
35
A NBR 14039 NÃO SE APLICA
Instalações elétricas de concessionários dos
serviços de geração, transmissão e distribuição de
energia elétrica
Às instalações de cercas eletrificadas
Trabalhos em circuitos energizados
36

Documentos relacionados

Inspeção visual em instalações elétricas de baixa tensão

Inspeção visual em instalações elétricas de baixa tensão 7.1.2 Os circuitos dos serviços de segurança devem ser independentes de outros circuitos. Isso significa que nenhuma falta, intervenção ou modificação em circuito não pertencente aos serviços de se...

Leia mais

Dimensionamento dos condutores

Dimensionamento dos condutores elétricas de baixa tensão devem satisfazer a fim de garantir a segurança de pessoas e animais Garantir o funcionamento adequado da instalação e a conservação dos bens.

Leia mais