Disciplina: FAH 716 / 816 – TEORIA DO RESTAURO E

Сomentários

Transcrição

Disciplina: FAH 716 / 816 – TEORIA DO RESTAURO E
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO
FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO
PROARQ - Programa de Pesquisa e Pós-graduação em Arquitetura
Disciplina:
Prof. Responsável:
Ementa:
FAH 716 / 816 – TEORIA DO RESTAURO E PRESERVAÇÃO DE BENS
CULTURAIS
Rosina Trevisan Martins Ribeiro
Teoria do restauro. Princípios gerais de restauração de bens culturais. Sociedade, cultura e bem cultural. A natureza e
o homem face à problemática da preservação dos bens culturais.
Objetivos:
Apresentar e discutir as teorias vigentes sobre preservação de bens culturais. A questão da memória e a preservação
do patrimônio. Entender o conceito de patrimônio Cultural. Estudar as Cartas Patrimoniais, em especial a questão do
valor e da autenticidade aplicada às decisões de intervenção no patrimônio edificado. Estudar e analisar a inserção da
arquitetura contemporânea em áreas históricas.
Avaliação:
•
•
•
Presença e participação nas atividades
Desenvolvimento de monografia discutindo a questão da preservação do patrimônio e a sua inter-relação com o
tema da dissertação ou tese do aluno.
Trabalho final: serão avaliados os seguintes itens:
- conteúdo (profundidade e objetividade)
- bibliografia e fontes de consulta
Programa:
Aula
1ª
2ª
Tema
Apresentação da disciplina e critérios de avaliação - bibliografia básica - definição do trabalho final
Apreensão do conhecimento da turma
Patrimônio cultural: Os precursores.
BOITO, Camillo. Os restauradores. Trad. Paulo e Beatriz M. Kuhl. São Paulo: Ateliê Editorial, 2002
KUHL, Beatriz M. Arquitetura do ferro e arquitetura ferroviária em São Paulo – Reflexões sobre a sua
preservação. São Paulo: Ateliê Editorial, 1998. p. 208-220.
RUSKIN, John. A lâmpada da memória. Trad. Maria Lucia Bressan Pinheiro. Cotia-SP: Ateliê Editorial, 2008.
VIOLLET LE DUC, E. Restauração. Trad. Beatriz M. Kuhl. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.
Restauração; conservação; preservação.
3ª
BRANDI, Cesare. Teoria da restauração. Trad. Beatriz M. Kuhl. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004.
CURY, Isabelle (org.). Cartas patrimoniais. 2 ed. – ver. aum. Rio de Janeiro: IPHAN, 2000. p. 91-96.
JOKILEHTO, Juka A History of Architectural Conservation, Oxford: Butterwood Heinemann, 2002
KUHL, Beatriz M. Arquitetura do ferro e arquitetura ferroviária em São Paulo – Reflexões sobre a sua
preservação. São Paulo: Ateliê Editorial, 1998. p. 208-220.
KUHL, Beatriz M. Preservação do Patrimônio Arquitetônico da Industrialização – Problemas teóricos de
restauro. São Paulo: Ateliê Editorial, 2009.
WARD, Philip. La conservación del patrimonio: carrera contra reloj. Marina del Rey, California: The Getty
Conservation Institutu, 1992. p. 9-27.
Lacunas; Falsificação.
4ª
BRANDI, Cesare. Lacunas, Falsificação. In: BRANDI, Cesare. Teoria da restauração. Trad. Beatriz M. Kuhl. São
Paulo: Ateliê Editorial, 2004.
Intervenções.
Análise dos resumos dos trabalhos.
5ª
ANDRADE JUNIOR, N. V. Ampliación de edificaciones de valor patrimonial: mpreservación de la materia... y
destricción de imagen? In: Congreso Internacional de Rehabilitación del Patrimonio Arquitectónico y Edificación,
10, 2010, Santiago-Chile. Anais... Santiago: CICOP Chile, 2010.
Valor; autenticidade.
6ª
DVOŘÁK, Max. Catecismo da preservação de monumentos. Trad. Valéria Alves Esteves Lima. São Paulo:
Ateliê Editorial, 2008.
RIEGL, Alois. El Culto Moderno a los Monumentos. Madri: Visor Dis., S.A, 1999.
Carta de Nara. In: CURY, Isabelle (org.). Cartas patrimoniais. 2 ed. – ver. aum. Rio de Janeiro: IPHAN, 2000. p.
91-96.
Compromisso de Brasília. In: CURY, Isabelle (org.). Cartas patrimoniais. 2 ed. – ver. aum. Rio de Janeiro:
IPHAN, 2000. p.
RIBEIRO, Rosina Trevisan M.; ANDRADE, Inês El-Jaick; COELHO, Carla M. T.; MELO, Carina M. S.; PIMENTEL,
Viviane L. Patrimônio Edificado, valores e preservação. In: Fórum Brasileiro de Patrimônio Cultural, 1º, 2004, Belo
Horizonte. Anais..., Belo Horizonte: UFMG, 2004.
CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Editora UNESP, 2001.
RIBEIRO, Rosina. Trevisan. M. ; PIMENTEL, Viviane. L. ; COELHO, Carla. M. T. ; ANDRADE, I. E. ; MELO,
Carina. M. S. . Olhares sobre o patrimônio edificado: o conceito de valor. In: XXIII Simpósio Nacional de História:
Guerra e Paz / Associação Nacional de História - ANPUH, 2005, Londrina. Anais... Londrina : Editora Mídia, 2005.
Intervenção em centros históricos.
7ª
BICCA, Briane E. P. A inserção da arquitetura contemporânea em áreas antigas. Boletim SPHAN/ProMEMÓRIA, 1981, n. 14.
GUTIERREZ, Ramón. A Contribuição da arquitetura latino-americana para a formação da nossa identidade
cultural. Comunicação apresentada nas Jornadas do Instituto Argentino de Investigaciones de Historia y de la
Arqitectura y del Urbanismo. Rosário, Argentina , 1985.
LISBOA, Camara Municipal de Lisboa. Reabilitação urbana dos núcleos históricos de Lisboa, 1993.
SILVA, Maria Beatriz Setúbal de R. Preservação na gestão das cidades. In: Revista do Patrimônio Histórico e
Artístico Nacional, n. 24, p. 165-174, 1996.
TELLES, Augusto Carlos da. Centros históricos - Notas sobre a Política Brasileira de Preservação. Texto
apresentado no Colóquio de História Gráfica del Urbanismo y la Arquitetura en la América Latina, Buenos Aires,
1983.
A trajetória do Patrimônio no Brasil.
8ª
ANDRADE, Rodrigo Melo Franco de. Rodrigo e o SPHAN. Rio de Janeiro: Minc-SPHAN/Pró-Memória, 1987
CASTRO, Sonia Rabello. O Estado na preservação de bens culturais. Rio de Janeiro: RENOVAR, 1991.
CHUVA, Marcia R. R. Os arquitetos da memória: sociogêneses das práticas de preservação do patrimônio cultural no
Brasil (anos 1930-1940). Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009
FONSECA, Maria Cecília Londres. O Patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no
Brasil. Rio de Janeiro: Editora UFRJ / IPHAN, 1997.
Ética do restauro. Intervenções: limites. Exemplos práticos.
9ª
RIBEIRO, Rosina Trevisan M. Reflexões sobre o limite da intervenção no patrimônio edificado. Revista Saberes,
Jaraguá do Sul, Ano 4, v. 4, n. 2, p. 34-37, maio/ago. 2003.
RIBEIRO, Rosina Trevisan M. A ética do restauro nas decisões de intervenção no patrimônio edificado: o caso da
restauração das cúpulas do MNBA/RJ. In: I Jornadas do Patrimônio Cultural no Espírito Santo, 2006, Vitória/ES.
Anais... Vitória, 2006. v. 1.
RIBEIRO, Rosina Trevisan M. Técnicas construtivas: Preservação ou alteração? II SEMPRE – Seminário de
Preservação do Patrimônio Cultural: Intervenções em edificações e Conjuntos Urbanos de Interesse Cultural. Juiz
de Fora/MG, 2009.
10ª
Seminário de apresentação dos trabalhos.
Bibliografia:
ANDRADE, Rodrigo Melo Franco de. Rodrigo e o SPHAN. Rio de Janeiro: Minc-SPHAN/Pró-Memória, 1987.
ARGAN, Giulio Carlo. História da arte como história da cidade. São Paulo: Livraria Martins Fontes, 1992.
BALDINI, Umberto. Teoria del restauro e unità di metodologia. Firenze: Nardini Editore, 1978.
BICCA, Briane E. P. A inserção da arquitetura contemporânea em áreas antigas. Boletim SPHAN/Pro-MEMÓRIA,
1981, n. 14.
BOITO, Camillo. Os restauradores. Trad. Paulo e Beatriz M. Kuhl. São Paulo: Ateliê Editorial, 2002
BORRERO, Alfonso. Preservación y restauración de monumentos arquitectónicos. Bogota: Edit.
Universidad Javieriana, 1973.
Pontificia
BRANDI, Cesare. Teoría da restauração. Trad.: Beatriz M. Kuhl. São Paulo: Ateliê Editorial, 2004.
BRASIL, MINC, IPHAN. Revista do IPHAN. Brasília: IPHAN.
CARBONARA, Giovanni. Restauro dei monumenti guida agli elaborati grafici. Cópia em xerox de apostila da
Università deli Studi di Roma “La Sapienza”, 1985
CASTRO, Sonia Rabello. O Estado na preservação de bens culturais. Rio de Janeiro: RENOVAR, 1991.
CESCHI, Carlo. Teoria e storia del restauro. Milano: Mario Bulzone Editore, 1970.
CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Editora UNESP, 2001.
CHUVA, Marcia R. R. Os arquitetos da memória: sociogêneses das práticas de preservação do patrimônio cultural no
Brasil (anos 1930-1940). Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009
CURY, Isabelle (org.). Cartas patrimoniais. 2 ed. – ver. aum. Rio de Janeiro: IPHAN, 2000.
DVOŘÁK, Max. Catecismo da preservação de monumentos. Trad. Valéria Alves Esteves Lima. São Paulo: Ateliê
Editorial, 2008.
FONSECA, Maria Cecília Londres. O Patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil.
Rio de Janeiro: Editora UFRJ / IPHAN, 1997.
GIOVANNONI, Gustavo. Il restauro dei monumenti. Roma: Tipografia Editrice Italia, s/d.
GUTIERREZ, Ramón. A Contribuição da arquitetura latino-americana para a formação da nossa identidade
cultural. Comunicação apresentada nas Jornadas do Instituto Argentino de Investigaciones de Historia y de la
Arqitectura y del Urbanismo. Rosário, Argentina , 1985.
JOKILEHTO, Juka A History of Architectural Conservation, Oxford: Butterwood Heinemann, 2002.
KUHL, Beatriz M. Arquitetura do ferro e arquitetura ferroviária em São Paulo – Reflexões sobre a sua preservação.
São Paulo: Ateliê Editorial, 1998.
KUHL, Beatriz M. Preservação do Patrimônio Arquitetônico da Industrialização – Problemas teóricos de restauro.
São Paulo: Ateliê Editorial, 2009.
LA REGINA, Adriano. Preservação e revitalização do patrimônio cultural na Itália. São Paulo: FAU/USP, 1982
LISBOA, Camara Municipal de Lisboa. Reabilitação urbana dos núcleos históricos de Lisboa, 1993.
POULOT, Dominique. Uma história do patrimônio no Ocidente, XVIII-XXI: do monumento aos valores. Trad.
Guilherme João de F. Teixeira. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.
RIBEIRO, Rosina Trevisan M. Reflexões sobre o limite da intervenção no patrimônio edificado. Revista Saberes,
Jaraguá do Sul, Ano 4, v. 4, n. 2, p. 34-37, maio/ago. 2003.
_____ . A ética do restauro nas decisões de intervenção no patrimônio edificado: o caso da restauração das cúpulas do
MNBA/RJ. In: I Jornadas do Patrimônio Cultural no Espírito Santo, 2006, Vitória/ES. Anais... Vitória, 2006. v. 1.
_____ . Técnicas construtivas: Preservação ou alteração? II SEMPRE – Seminário de Preservação do Patrimônio
Cultural: Intervenções em edificações e Conjuntos Urbanos de Interesse Cultural. Juiz de Fora/MG, 2009.
RIEGL, Alois. El Culto Moderno a los Monumentos. Madri: Visor Dis., S.A, 1999.
RUSKIN, John. A lâmpada da memória. Trad. Maria Lucia Bressan Pinheiro. Cotia-SP: Ateliê Editorial, 2008.
SILVA, Maria Beatriz Setúbal de R. Preservação na gestão das cidades. In: Revista do Patrimônio Histórico e
Artístico Nacional, n. 24, p. 165-174, 1996.
SPHAN/PRÓ-MEMÓRIA. Proteção e revitalização do patrimônio cultural no Brasil: uma Trajetória. n. 31 Rio de
Janeiro: SPHAN, 1980.
TELLES, Augusto Carlos da. Centros históricos - Notas sobre a Política Brasileira de Preservação. Texto apresentado
no Colóquio de História Gráfica del Urbanismo y la Arquitetura en la América Latina, Buenos Aires, 1983.
TOLEDO,Benedito Lima de. Bem cultural e identidade cultural. in Brasil, IPHAN. Revista do Patrimônio No 20, 1984.
Rio de Janeiro: Sphan/Pró Memória, 1984.
VIOLLET LE DUC, E. Restauração. Trad. Beatriz M. Kuhl. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.
WARD, Philip. La Conservación del Patrimonio: carrera contra reloj. Marina del Rey, California: The Getty
Conservation Institute, 1992.

Documentos relacionados

universidade de so paulo

universidade de so paulo ANDRADE, Antonio Luiz Dias de. Um Estado Completo que Pode Jamais ter Existido. São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, Tese de Doutoramento, 1993. ANDRADE, Ma...

Leia mais