Curso de formação de pilotos agrícolas - História

Сomentários

Transcrição

Curso de formação de pilotos agrícolas - História
1
CAVAG
- Curso de formação de pilotos agrícolas História
Versão 1.0
Agronautas – www.agronautas.com
2
CAVAG – Curso de Aviação Agrícola
– história –
Eduardo C. De Araujo1
1. O início – o CAVAG no Ministério da Agricultura
Desde o primeiro voo agrícola, realizado em Pelotas, RS, em 1947, até meados de
1965, a aviação agrícola brasileira não contou com nenhuma regulamentação específica,
sendo conduzida por um abnegado punhado de pilotos que, adaptando suas aeronaves,
passaram a utilizá-las na proteção a lavouras, sendo o Café a principal cultura de então.
Datam daquela época as atuações de pilotos agrícolas pioneiros como por exemplo
Clóvis Candiota, Orlando Bombini, Ada Rogato, Joaquim Eugênio (o “Joaquim da Broca”),
Marcos Vilela e Deodoro Ribas, entre outros.
Data de julho de 1965 – portanto prestes a completar 50 anos - o início da
regulamentação formal do setor aeroagrícola em nosso País. Naquele ano, com o
assessoramento do então Major Aviador Marialdo Rodrigues Moreira, os Ministros da
Aeronáutica e da Agricultura, respectivamente Tenente-Brigadeiro Nelson Freire Lavenére
Wanderley e Professor Hugo de Almeida Leme, criaram o Curso de Aviação Agrícola CAVAG – com o objetivo de capacitar pilotos civis para operações aeroagrícolas. O
CAVAG foi criado pelo Decreto nº 56.584, de 20.7.1965, a seguir reproduzido:
Art. 1º Fica instituído no Ministério da Agricultura o Curso de Aviação Agrícola (CAVAG).
Art. 2 O Curso de Aviação Agrícola terá como objetivo a formação de pilotos especializados no emprego de
aeronaves para fins agrícolas e de utilização de recursos naturais renováveis.
Art. 3º CAVAG será inicialmente subordinado ao Gabinete Ministro da Agricultura que poderá, quando julgar
oportuno, transferi-lo para outro órgão daquela Secretaria de Estado.
Art. 4º As especializações aero agrícolas a serem ministradas no Curso suas regulamentações as condições para
ingresso bem como a dotação de pessoal e material, constarão de atos específicos do Ministro da Agricultura.
Art. 5º O Ministério da Aeronáutica, pelos seus diversos órgãos, prestará a assistência e a cooperação técnica
solicitada pelo Ministério da Agricultura, bem como fiscalizará as atividades aéreas de CAVAG.
Art. 6º O presente decreto vigorará a partir da data de sua publicação, devendo ser regulamentado dentro de
sessenta dias a partir desta data.
Brasília, 20 de julho de 1965; 144'' da Independência e 77º da República.
1 Eng.Agrônomo- Administrador Portal Agronautas : www.agronautas.com
Agronautas – www.agronautas.com
3
Em 1966 foi criada, na estrutura do Ministério da Agricultura, a
Divisão de Aviação Agrícola (DIAV) que passou a elaborar a
política do setor e coordenar suas atividades – CAVAG inclusive.
Participação decisiva teve, então o Ten.Cel. Aviador Marialdo
Rodrigues Moreira (foto), cedido pelo Ministério da Aeronáutica ao
Ministério da Agricultura com o objetivo de organizar e impulsionar a Aviação Agrícola.
O CAVAG, assim como o CEAA (Curso de Executores em Aviação Agrícola) e o
CCAA (Curso de Coordenadores em Aviação Agrícola) viriam a ser definitivamente
institucionalizados pelo conjunto de Leis e Regulamentos que regem a Aviação Agrícola
(Decreto-Lei 917/69, Decreto 86.765/81 e Portarias complementares, em especial a IN 02
de janeiro de 2008).
Aeronave Piper PA-18 utilizada no treinamento duplo comando no CAVAG / Fazenda Ipanema
- Foto Eduardo Araújo -
A primeira turma do CAVAG foi constituída por 10 alunos sendo 4 funcionários do
Ministério da Agricultura. O I CAVAG teve início em 2 de setembro e terminou em 12 de
dezembro de 1967. Os três primeiros – e posteriormente os últimos - CAVAGs foram
realizados na “Fazenda Ipanema” (em Sorocaba, hoje Iperó, SP). Participaram daquela
primeira turma os seguintes pilotos:
▪ Ary Flemming
▪ Deodoro Ribas
▪ Ewandro Ramos
▪ Germelino Vicente Gomes
Agronautas – www.agronautas.com
4
▪ José Ribeiro de Carvalho
▪ Lauro Pereira Roque
▪ Luiz José do Nascimento
▪ Nilo da Silva Veloso
▪ Roberto Blanco Filho
▪ Silvio Anacleto de Souza Bastos
PA-25-235 (Pawnee) utilizado na instrução agrícola nos primeiros cursos
O IV CAVAG foi realizado na cidade de Pelotas, RS (em convênio com
a hoje
Universidade Federal de Pelotas e o Aeroclube local), de 2 de setembro a 15 de dezembro de
1970, formando 26 pilotos.
Em 1971, provisoriamente, o CAVAG passou a ser realizado na cidade de Luziânia, GO.
O Curso retornou à Fazenda Ipanema em 1973 e continuou lá inclusive após a criação do CENEA
(Centro Nacional de Engenharia Agrícola), em 1975 ( Decreto 76.895/75). O CAVAG passou a ser
então uma das atribuições do CENEA . Após a extinção do CENEA, em 1990, o Ministério da
Agricultura realizou ainda mais um CAVAG, em 1991, encerrando então esta atividade, que
passou a ser exercida a partir daí exclusivamente pela iniciativa privada, por delegação de
competência do Ministério da Agricultura e homologação pelo Ministério da Aeronáutica.
Agronautas – www.agronautas.com
5
Instalações do CAVAG na Fazenda Ipanema / CENEA
Desde 1967 e até 1991, o Ministério
da Agricultura, sob homologação do da
Aeronáutica realizou 85 cursos CAVAG, formando 1083 pilotos agrícolas.
1.1. Aviões
Diversos modelos de aviões foram utilizados pelo CAVAG no Ministério da Agricultura:

Instrução duplo comando : Piper PA-18

Instrução de aplicação aérea: Piper PA-25-235 (“Pawnee”)

Instrução de aplicação aérea : Ipanemas EMB-200, EMB-200A, EMB-201
e EMB-201A
Ipanema EMB-200 – um dos utilizados na instrução agrícola na Fazenda Ipanema
Agronautas – www.agronautas.com
6
1.2. Instrutores
Entre outros, destacaram-se como instrutores e / ou coordenadores dos CAVAG do
Ministério da Agricultura:
◦ Instrutores de voo : Cmte. Deodoro Ribas, Cmte. Ernesto Biancardi, Cmte.
Penteado, Cmte. Antonio Moretti
◦ Instrutores de tecnologia / coordenadores : Eng, Agr. José Carlos
Christofoletti, Eng. Agr. Wellington Carvalho, Eng. Agr. Monica Sarmento, Eng.
Agr. Antonio Moretti.
2. O CAVAG na Iniciativa Privada
Já mesmo antes de o Ministério da Agricultura cessar a realização dos CAVAGs, a
Iniciativa Privada iniciou a formação de pilotos agrícolas, sob delegação de competência
daquele Ministério e sob homologação e fiscalização do Ministério da Aeronáutica, através
então do DAC (Departamento de Aviação Civil), hoje ANAC. É a ANAC quem hoje
homologa os cursos,
edita e atualiza o “Manual do Curso de Piloto Agrícola”, a ser
seguido pelas Escolas, faz a avaliação final dos alunos e concede a habilitação técnica
de Piloto Agrícola aos aprovados. O Manual do Curso de Piloto Agrícola, por sua vez,
enquadra-se em uma série de dispositivos legais (Leis, Decretos, Portarias, RBACs),
descritos na totalidade no item 2.2. do Manual.
2.1. Tecnagra – Técnica e Expansão Agro Aérea Ltda. (desativada)
A primeira empresa privada a obter a delegação de
competência do Ministério da Agricultura e a homologação do DAC foi a
Tecnagra – Técnica e Expansão Agro Aérea Ltda., cujo diretor, Eng. Agr.
Ewaldo Mendes Costa (foto), havia sido Diretor da Divisão de Aviação
Agrícola do Ministério da Agricultura (DIAV). Há informações de que o
primeiro CAVAG realizado pela Tecnagra em 1989 ou mesmo antes;
porém não foi possível confirmar esta ocorrência nem o número de pilotos
eventualmente formados. Em Cachoeira do Sul, entre 1990 e 1992, a Tecnagra realizou
3 cursos em associação com a Aero Agrícola Santos Dumont, tendo formado naquela
Agronautas – www.agronautas.com
7
cidade um total de 51 pilotos. Foi seu primeiro instrutor o Cmte José Antonio Cruz. Em
1993 a Tecnagra deslocou-se para Ponta Grossa, ano em que firmou convênio com a
Agrovel – Agro Aérea Vila Velha - e com o Aeroclube daquela cidade, resultando na
formação de 39 pilotos. Em 1994 e 1995, com novo consórcio estabelecido com a Mirim
Aviação Agrícola e com a Universidade Federal, ambas de Pelotas, RS, formou 34
pilotos ( 16 em 1994 e 18 em 1995), em 4 turmas. Após, encerrou suas atividades.
2.2.
Aeroclube do Rio Grande do Sul (CAVAG desativado)
Localizado na cidade de Porto Alegre, RS, iniciou a formação de pilotos agrícolas
em 1994 tendo formado 9 pilotos na primeira turma. Funcionou o
CAVAG do Aeroclube até o ano de 1998. No total, desde aquele
início até a desativação do seu CAVAG, o Aeroclube do Rio
Grande do Sul formou 16 pilotos agrícolas.
Atualmente – dezembro de 2014 – há em funcionamento 5 Escolas de formação de
pilotos agrícolas (CAVAG), sob delegação de competência do MAPA e homologação da
ANAC :
2.3.
Aero Agrícola Santos Dumont Ltda.
Localizada em Cachoeira do Sul, RS, a Escola é
operada pela empresa de mesmo nome (Aero Agrícola
Santos Dumont) . www.aviacaoagricola.com.br . Participa da
formação de pilotos agrícolas desde
julho de 1990,
inicialmente em conjunto com a empresa Tecnagra, que
detinha então a homologação . Na parceria com a Tecnagra foram formados 51 pilotos
entre 1990 e 1992.(computados na Tecnagra). Em 1995 a AASD homologou curso
próprio. Desde então, até dezembro de 2014, a AASD informa ter formado 753 pilotos
agrícolas, em 67 turmas.
Agronautas – www.agronautas.com
8
2.4.
Aeroclube de Ponta Grossa
Com sede em Ponta Grossa, PR, o Aeroclube de Ponta Grossa
(www.aeroclubedepontagrossa.com.br)
participa
do
CAVAG
desde 1993, Naquele ano atuou juntamente com as empresas
Tecnagra, que detinha a homologação, e Agrovel Agro Aérea Vila
Velha. Em 1993 foram formados 39 pilotos (computados na Tecnagra). De 1994 a 2004 o
Curso prosseguiu em parceria do Aeroclube com a Agrovel. A partir de 2005 o AECPG
deu sequência à formação anual com seu curso homologado. Desde 1994, até dezembro
de 2014, o Aeroclube de Ponta Grossa formou 552 pilotos agrícolas.
2.5. EJ Escola de Aeronáutica Civil
Localizada na cidade de Itápolis, SP, a EJ Escola de
Aeronáutica Civil (www.ej.com.br)
iniciou a formação de pilotos
agrícolas em 2005, tendo formado 17 pilotos na primeira turma. No
total, desde aquele início até dezembro de 2014, a EJ comunicou a
formação de 224 pilotos agrícolas.
2.6. Aeroclube de Carazinho
Sediado na cidade de Carazinho, RS, o Aeroclube de
Carazinho (www.aerocarazinho.com.br), iniciou a formação de
pilotos agrícolas em 2010 tendo habilitado 13 pilotos na primeira
turma. No total, desde aquele início até dezembro de 2014, o
Aeroclube de Carazinho formou 126 pilotos agrícolas.
2.7. Aeroclube de Ibitinga
Instalado
na cidade de Ibitinga, SP, o Aeroclube
(www.aeroclubedeibitinga.com.br) iniciou a formação de
pilotos agrícolas em julho de 2014, tendo habilitado 6 pilotos
na primeira turma. No total, desde aquele início até dezembro
de 2014 o CAVAG de Ibitinga formou 23 pilotos agrícolas, em
3 turmas.
Agronautas – www.agronautas.com
9
RESUMO CONSOLIDADO
O quadro a seguir resume a melhor informação que foi possível obter sobre o conjunto de
entidades e pilotos agrícolas, até Dezembro de 2014:
ENTIDADE
Nº
MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e
Abastecimento) (CAVAG desativado em 1991)
LOCAIS
Fazenda Ipanema, Iperó, SP (1016)
1083
Pelotas, RS (26)
Luziânia, DF (41)
I(??). .
Tecnagra Técnica e Expansão Agro Aérea
(desativada)
124
Cachoeira do Sul, RS (51)***
Ponta Grossa, PR (39) **
Pelotas, RS (34) ****
Aero Agrícola Santos Dumont
753
Cachoeira do Sul, RS
Aero Clube de Ponta Grossa *
552
Ponta Grossa, PR
Aero Clube de Carazinho
126
Carazinho, RS
EJ Escola de Aeronáutica Civil
224
Itápolis, SP
Aero Clube do Rio Grande do Sul (CAVAG
desativado em 1998)
16
Aero Clube de Ibitinga
23
TOTAL até dezembro 2014
Porto Alegre, RS
Ibitinga, SP
2901
* Em conjunto com AGROVEL – Agro Aérea Vila Velha, de 1994 a 2004
** Em associação com AGROVEL e Aero Clube de Ponta Grossa
*** Em parceria com Aero Agrícola Santos Dumont
**** Em consórcio com UFPEL e Mirim Aviação Agrícola
Agronautas – www.agronautas.com
10
4. DETALHAMENTO
ANO
1967
1968
1969
1970
1971
1972
1973
1974
1975
1976
1977
1978
1979
1980
1981
1982
1983
1984
1985
1986
1987
1988
1989
1990
1991
1992
1993
1994
1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
TOTAIS
MAPA
10
7
50
26
41
35
45
54
69
51
72
62
55
56
53
44
20
48
34
46
63
51
52
23
16
1083
Santos
Tecnagra Dumont
???
4
12
35
39
16
18
124
8
22
21
22
20
24
40
45
65
72
26
24
36
30
43
33
28
66
68
57
753
EJ
17
---9
21
25
11
15
23
64
39
224
AC Ponta
AC
AC
Grossa Carazinho Ibitinga
38
21
11
10
9
18
19
16
10
19
11
22
40
25
30
30
26
42
46
64
45
552
AC RGS
9
3
---2
2
13
30
22
34
27
126
= parcerias
Agronautas – www.agronautas.com
23
23
16
TOTAIS
10
7
50
26
41
35
45
54
69
51
72
62
55
56
53
44
20
48
34
46
63
51
52
27
28
35
39
63
50
33
33
33
38
43
56
55
84
83
65
64
70
81
98
83
115
157
230
191
2901
11
Pilotos agrícolas formados anualmente no Brasil
0
1967
1968
1969
1970
1971
1972
1973
1974
1975
1976
1977
1978
1979
1980
1981
1982
1983
1984
1985
1986
1987
1988
1989
1990
1991
1992
1993
1994
1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
2012
2013
2014
50
100
150
200
250
10
7
50
26
41
35
45
54
69
51
72
62
55
56
53
44
20
48
34
46
63
51
52
27
28
35
39
63
50
33
33
33
38
43
56
55
84
83
65
64
70
81
98
83
115
157
230
191
Agronautas – www.agronautas.com
12
5. Atualizações / correções
Esta é a versão inicial (1.0) deste levantamento. Sugestões para seu
aperfeiçoamento serão bem-vindas e serão incorporadas em futuras versões.
Agradecimento especial a todos que colaboraram para a presente edição,
abaixo relacionados.
Em fevereiro de 2015
REFERÊNCIAS:
1. Aero Agrícola Santos Dumont. Comunicação pessoal. E-mail 28/01/2015
2. Aeroclube de Carazinho. Comunicação pessoal. E-mail em 5 de janeiro de 2015.
3. Aeroclube de Ibitinga. Comunicação pessoal. E-mail de 13/1/2015.
4.Aeroclube
de
Ponta
Grossa.
Comunicação
pessoal.
E-mail
de
26/01/2015
5. Agrovel Agro Aérea Vila Velha. Comunicação pessoal. E-mail 27/01/2015.
6. Bernardi, Pelópidas. Comunicação pessoal. E-mail 04/02/2015.
7. Bernardes, Daltro. Comunicação pessoal. 18/02/2015.
8. Brasil. Ministério da Agricultura. III Boletim Informativo da Aviação Agrícola. 1971.
9. De Carli, Graciete . Comunicação pessoal. E-mail 12/2/2015.
10. EJ Escola de Aeronáutica Civil . Comunicação pessoal. E-mail em 5 de janeiro de 2015.
11. Franzen, Ernesto. Comunicação pessoal. Mensagem privada Facebook em 30/12/2014.
12. Gurgel, Luiz. Comunicação pessoal. CAVAG 1994 e 1995 em Pelotas, RS.
13. Marques, Alexandre . Apostila “Histórico da Aviação Agrícola”. Curso de Executores em
Aviação Agrícola. Pelotas, RS. Agrotec Tecnologia Agrícola e Industrial Ltda.1992
14.Sarmento, Mônica (MAPA) - Apresentação “Histórico, Estatística, Legislação e Panorama
Atual da Aviação Agrícola”. Palestra UNESP, Botucatu, 2000.
15.Sarmento, Mônica (MAPA) – Comunicação pessoal. Dezembro 2014
16.Sarmento, Mônica (MAPA)– Comunicação pessoal. E-mail 24/01/2015.
17. Tavares, Flávio e Cruz, Luiz – comunicações pessoais. Fev. 2015
18. Ugolini, Clara Ermonaitis Costa. Comunicação pessoal. E-mail 10/02/2015
Agronautas – www.agronautas.com