Nome do exame: Síndrome de Wolfram

Сomentários

Transcrição

Nome do exame: Síndrome de Wolfram
Nome do exame: Síndrome de Wolfram – Seqüenciamento completo do gene WFS1
Código:
• WFR
Sinonímias:
• Diabetes insipidus;
• Diabetes mellitus com atrofia óptica e surdez;
• DIDMOAD.
Prazo para resultado:
• 120 a 135 dias.
Coleta, processamento, estocagem e envio do material biológico:
• Material: Sangue Total em EDTA - coletar de 3 a 5 ml de sangue total de recém-nascidos, de 5 a
10 ml de sangue total de crianças e de 10 a 20 ml de sangue total de adultos, em dois ou mais
tubos com EDTA. Remeter o material em temperatura ambiente via SEDEX. Sugerimos que o
material seja enviado o mais breve possível ao Genetika, devendo chegar em 24 horas, não
podendo ultrapassar o prazo de 48 horas após a coleta.
Informações necessárias para envio deste exame:
• Dados do paciente: nome, idade, sexo, endereço, telefone, dados clínicos (INDISPENSÁVEL
enviar os dados clínicos juntamente com a amostra);
• Dados do médico: nome, endereço e telefone;
• Termo de Consentimento informado livre e esclarecido;
• Tipo de material coletado;
• Dados específicos para este exame.
Causas de rejeição de amostras:
• Amostras hemolisadas e/ou coaguladas;
• Coleta, estocagem e/ou envio impróprio do material;
• Falta de documentos exigidos pelo Genetika, incluindo consentimento informado;
• Falta de dados do médico e/ou do paciente.
Metodologia:
• Extração de DNA genômico para amplificação de todos os éxons e íntrons do gene WFS1,
localizado no cromossomo 4p16.1, através da Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR)
seguida de seqüenciamento (Hardy C, Khanim F, Torres R, ScottBrown M, Seller A, Poulton J,
Collier D, Kirk J, Polymeropoulos M, Latif F, Barrett T. Clinical and molecular genetic analysis of
19 Wolfram syndrome kindreds demonstrating a wide spectrum of mutations in WFS1. Am J Hum
Genet. Nov; 65(5): 1279-90, 1999).
Estratégia de análise genética:
• Seqüenciamento completo do gene.
Valores de referência:
• Normal: sem mutação no gene WFS1;
• Alterado: com uma mutação no gene WFS1.
Interpretação dos resultados:
• Um resultado alterado (ou positivo) indica que o paciente possui uma mutação no gene WFS1;
• Um resultado normal (ou negativo) para um indivíduo sintomático, não explica os sintomas
clínicos, porém não exclui totalmente a possibilidade deste diagnóstico e recomenda outras
avaliações. Se o indivíduo for assintomático, o resultado normal reduz muito a possibilidade deste
vir a desenvolver a Síndrome de Wolfram.
Sensibilidade/especificidade/taxa de detecção da análise:
• Taxa de detecção superior a 95% das mutações no gene WFS1.
Indicações do exame:
• Pacientes com suspeita clínica compatível com a síndrome de Wolfram (SW);
• Indivíduos que têm risco elevado de virem a ter SW por terem familiares afetados com esta
doença.
Exames relacionados e oferecidos pelo Genetika:
• Mody do tipo 1 – Análise de mutação no gene HNF4A – Código MD1, Setor de Genética
Molecular;
• Mody do tipo 2 – Análise de mutação no gene GCK – Código MD2, Setor de Genética Molecular;
• Mody do tipo 3 – Análise de mutação no gene TCF1 – Código MD3, Setor de Genética Molecular;
• Mody do tipo 5 – Análise de mutação no gene TCF2 (HNF1 beta) – Código MD5, Setor de
Genética Molecular.
Resumo da doença:
• A Síndrome de Wolfram é causada por mutações no gene WFS1 localizado no cromossomo
4p16.1. Sua herança é autossômica dominante. Dentre as manifestações clínicas estão a
diabetes mellitus ou insipidus com dependência de insulina e a atrofia óptica progressiva. Em
homozigotos, há perda da audição, ataxia, neuropatia periférica, retardo mental, demência e
outras doenças psiquiátricas (depressão, psicose, agressão física, etc.). Problemas psiquiátricos
podem ocorrer mesmo em heterozigotos.
Benefícios advindos da realização do exame:
• Confirmar a hipótese diagnóstica de indivíduos sintomáticos;
• Prevenção de complicações futuras;
• Melhora na capacidade de prognosticar, baseada na comparação com outros casos da doença
descritos na literatura;
• Permite o aconselhamento genético adequado;
• A confirmação do diagnóstico pode alterar a conduta médica para o indivíduo e permite
suspender condutas e terapias inadequadas e avaliar possíveis terapias específicas para esta
doença;
• Em muitos casos o teste de DNA pode fornecer informação diagnóstica a um custo menor e com
menos risco do que outros procedimentos clínicos-laboratoriais;
• O teste diagnóstico pode ser realizado em indivíduos sintomáticos de qualquer idade.
Vantagens competitivas do Genetika:
• O Genetika é o primeiro laboratório brasileiro de apoio especializado em genética a obter o
Certificado de Qualidade ISO 9001/00 e possui mais de uma década de experiência na área
de genética, já tendo realizado milhares de exames laboratoriais de genética;
• Aconselhamento genético pré e pós-exame, feito por Médico especialista em Genética Clínica;
• Dedica toda a sua infra-estrutura para realizar exclusivamente exames da área de genética
médica;
• O resultado do exame é facilmente compreendido e no laudo constam a metodologia utilizada,
interpretação e conclusão. O diretor do laboratório revisa todos os resultados e assina o laudo
final. Os resultados são imediatamente transmitidos por telefone ou enviados via fax, e-mail e/ou
correio para o médico solicitante, sempre respeitando a privacidade e o sigilo das partes
envolvidas no teste;
• Possui profissionais qualificados para a realização dos exames, Biólogos e Bioquímicos com
Mestrado e Doutorado que realizam o processamento das amostras e analisam os resultados
obtidos;
• O Laboratório oferece uma tabela de exames com indicação dos testes mais adequados para
cada caso (por exemplo: uma mutação específica no gene, um painel de mutações ou o
seqüenciamento completo do gene);
•
•
As informações sobre os exames são facilmente obtidas via fax, telefone, Serviço de
Atendimento ao Cliente - SAC (ligação gratuita) ou pela internet (web site ou e-mail);
Possui laboratórios conveniados nas diversas localidades do País, que estão treinados para
realizar a coleta e envio das amostras biológicas à sede do Genetika.
Limitações do exame:
• Somente será estudado o gene WFS1. Alterações em outros genes não serão detectadas;
• O teste diagnóstico de um indivíduo pode ter implicações reprodutivas e/ou psicossociais
negativas para outros membros da família;
• Para estabelecer um diagnóstico definitivo pode ser necessário mais que um tipo de teste
genético;
• O teste de DNA nem sempre é a melhor maneira de confirmar um diagnóstico clínico;
• O teste genético molecular de um membro da família afetado pode ser necessário para
determinar a mutação causadora da doença presente na família;
Especialidades médicas com interesse no exame:
• Clínica Médica;
• Nefrologia;
• Neurologia;
• Oftalmologia;
• Ortopedia;
• Otorrinolaringologia;
• Pediatria;
• Psiquiatria.
Referências bibliográficas:
• Cano A, Rouzier C, Monnot S, Chabrol B, Conrath J, Lecomte P, Delobel B, Boileau P, Valero R,
Procaccio V, Paquis-Flucklinger V, Vialettes B; French Group of Wolfram SyndromeThe group of
Wolfram syndrome comprised J.P. Azulay, H. Bihan, J.F. Blickle, D. Bonneau, P. Bougneres, J.P.
Brassart, A. Cano, D. Chabas, L. Chaillous, P. Chanson, R. Coutant, B. Delobel, H. Dollfus, L.
Dufaitre, C. Francannet, K. Huber, H. Journel, M. de Kerdanet, A. Kitzis, P. Lecomte, A. Linglart,
S. Matthis, V. Mesnage, B. Mignot, K. N'Guyen, S. Odent, V. Paquis-Flucklinger, D. Raccah, T.
Rouaud, J.L. Sadoul, P. Sarda, S. Sigaudy, G. Simonin, P. Vague, R. V. Identification of novel
mutations in WFS1 and genotype-phenotype correlation in Wolfram syndrome. Am J Med Genet
A. Jul 15; 143(14): 1605-12, 2007.
• Tsai HT, Wang YP, Chung SF, Lin HC, Ho GM, Shu MT. A novel mutation in the WFS1 gene
identified in a Taiwanese family with low-frequency hearing impairment. BMC Med Genet. May 22;
8: 26, 2007.
• Aluclu MU, Bahceci M, Tuzcu A, Arikan S, Gokalp D. A new mutation in WFS1 gene (C.15221523delTA, Y508fsX421) may be responsible for early appearance of clinical features of Wolfram
syndrome and suicidal behaviour. Neuro Endocrinol Lett. Dec; 27(6): 691-4, 2006.
• Eiberg H, Hansen L, Kjer B, Hansen T, Pedersen O, Bille M, Rosenberg T, Tranebjaerg L.
Autosomal dominant optic atrophy associated with hearing impairment and impaired glucose
regulation caused by a missense mutation in the WFS1 gene. J Med Genet. May; 43(5): 435-40,
2006.
• Domenech E, Gomez-Zaera M, Nunes V. Wolfram/DIDMOAD syndrome, a heterogenic and
molecularly complex neurodegenerative disease. Pediatr Endocrinol Rev. Mar; 3(3): 249-57,
2006.

Documentos relacionados

Nome do exame: Síndrome de Marinesco-Sjogren, Teste

Nome do exame: Síndrome de Marinesco-Sjogren, Teste experiência na área de genética, já tendo realizado milhares de exames laboratoriais de genética; • Aconselhamento genético pré e pós-exame, feito por Médico especialista em Genética Clínica; • Ded...

Leia mais

Nome do exame: Síndrome de Cockayne – Seqüenciamento

Nome do exame: Síndrome de Cockayne – Seqüenciamento de genética, já tendo realizado milhares de exames laboratoriais de genética; • Aconselhamento genético pré e pós-exame, feito por Médico especialista em Genética Clínica; • Dedica toda a sua infra...

Leia mais

Nome do exame: Adrenoleucodistrofia ligada ao X

Nome do exame: Adrenoleucodistrofia ligada ao X •A confirmação do diagnóstico pode alterar a conduta médica para o indivíduo e permite suspender condutas e terapias inadequadas e avaliar possíveis terapias específicas para esta doença. •Permite ...

Leia mais

Nome do exame: Síndrome de Cornelia de Lange ligada

Nome do exame: Síndrome de Cornelia de Lange ligada de genética, já tendo realizado milhares de exames laboratoriais de genética; • Aconselhamento genético pré e pós-exame, feito por Médico especialista em Genética Clínica; • Dedica toda a sua infra...

Leia mais

Nome do exame

Nome do exame células renais; feocromocitoma e tumores do saco endolinfático. Hemangioblastomas podem estar associados com cefaléia, vômitos e distúrbios de marcha ou ataxia. Hemangioblastomas da retina podem se...

Leia mais