EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPEIA II A Espanha Enquanto a

Сomentários

Transcrição

EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPEIA II A Espanha Enquanto a
EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPEIA II
A Espanha
Enquanto a navegação marítima se desenvolvia em Portugal, cujo comércio se ampliava em novas direções, os espanhóis ainda lutavam
para retomar o domínio da cidade de Granada, ao sul da península Ibérica, sob o controle dos muçulmanos.
No ano de 1492, os reis Fernando (de Aragão) e Isabel (de Castela) uniram esforços e conseguiram expulsar os muçulmanos de Granada.
Depois disso, deram atenção aos planos do navegador genovês Cristóvão Colombo, que lhes apresentou um novo projeto de navegação
para atingir a Índia.
As viagens de Colombo
De modo diferente dos portugueses, que pretendiam chegar à Índia contornando a costa da África (como seria feito por Vasco da Gama,
em 1498), Colombo pretendia atingir o Oriente dando a volta em torno do mundo, isto é, viajando a partir da Europa no sentido oeste.
Seu plano baseava-se na ideia de que a Terra era redonda. Com três caravelas (Santa Maria, Pinta e Niña), concedidas pelos reis espanhóis, Colombo partiu do porto de Palos no dia 3 de agosto de 1492. Dois meses depois, em 12 de outubro, um tiro de canhão da caravela Pinta anunciava festivamente sinais de terra. Colombo e os homens de sua tripulação chegaram à América, mas pensavam ter chegado à Índia. Por isso, os habitantes da nova terra foram chamados de índios.
Leia, a seguir, algumas impressões registradas por Colombo sobre os indígenas no primeiro contato entre eles. Esses indígenas habitavam a ilha Guanaani, que foi batizada pelos europeus de ilha de São Salvador.
(...) vieram nadando até os barcos dos navios onde estávamos, trazendo papagaios e fio de algodão em novelos e lanças e muitas outras
coisas, que trocamos por coisas que tínhamos conosco, como miçangas e guizos. (...) Andavam nus como a mãe lhes deu à luz; inclusive as
mulheres, embora só tenha visto uma robusta rapariga. E todos os que vi eram jovens, nenhum com mais de trinta anos de idade: muito
bem-feitos, de corpos muito bonitos e cara muito boa; os cabelos grossos, quase como o pêlo do rabo de cavalos, e curtos (...) Todos, sem
exceção, são de boa estatura, e fazem gesto bonito, elegantes. (...) Devem ser bons serviçais e habilidosos, pois noto que repetem logo o que
a gente diz e creio que depressa se fariam cristãos; me pareceu que não tinham nenhuma religião.
Colombo comandou mais três viagens à América, sempre supondo que tivesse atingido a Índia. Morreu sem saber que havia chegado a
outro continente. Somente com as viagens de outros navegadores, sobretudo do florentino Américo Vespúcio (1451 ou 1454-1512), é que
se esclareceu o engano de Colombo. Em homenagem a Vespúcio, o continente que os europeus desconheciam recebeu o nome de
América. Após a chegada de Colombo à América, os reis da Espanha apressaram-se em garantir seus direitos de posse sobre a nova
terra. Para isso, pediram a intervenção do papa, uma autoridade respeitada entre os reinos cristãos.
Bula lnter Coetera
Em 4 de maio de 1493, atendendo aos interesses dos reis da Espanha, o papa Alexandre VI (também espanhol), por meio do documento
chamado Bula lnter Coetera, estabeleceu que as terras da América fossem divididas entre os reis de Portugal e Espanha. Um meridiano
situado 100 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde seria a linha divisória dessas terras. O documento do papa determinava que tudo o
que estivesse a oeste desse meridiano pertenceria à Espanha, e tudo o que estivesse a leste pertenceria a Portugal.
Com base na Bula lnter Coetera, os espanhóis tinham assegurado plenamente seu domínio sobre as terras americanas descobertas ou
ainda por descobrir. Restava a Portugal a posse das terras africanas.
Tratado de Tordesilhas
Inconformado com a divisão estabelecida pela Bula Inter Coetera, o governo português ameaçou fazer uso da guerra para decidir a
questão. Mas antes que o conflito se agravasse, os dois governos chegaram a um acordo, assinado em 1494, na cidade espanhola de
Tordesilhas. Por esse acordo, que ficou conhecido pelo nome de Tratado de Tordesilhas, traçou-se uma nova linha imaginária a 370
léguas das ilhas de Cabo Verde. As terras a oeste dessa linha pertenceriam à Coroa da Espanha, enquanto as terras a leste seriam dos
reis de Portugal. Pelo Tratado de Tordesilhas, as novas terras conhecidas foram divididas entre portugueses e espanhóis. Entretanto,
outros reis, como o da França e o da Inglaterra, não concordaram com essa divisão.
Outras navegações espanholas
Depois das viagens de Colombo, os espanhóis realizaram outras navegações e fizeram novas descobertas. Por exemplo: Vicente Pinzón
chegou até a foz do rio Amazonas em 1500; Vasco Nunes de Balboa atingiu o oceano Pacífico em 1513; Fernão de Magalhães iniciou a
primeira viagem de circunavegação da Terra em 1519 (essa viagem foi completada em 1521 sob a liderança de Sebastião d'el Cano, pois
Magalhães morreu durante o trajeto).
NAVEGAÇÕES FRANCESAS, INGLESAS E HOLANDESAS
Outros caminhos que levaram ao Novo Mundo
Interessados também em descobrir novos caminhos para a Índia, franceses, ingleses e holandeses lançaram-se às navegações marítimas, concentrando-se no Atlântico Norte, pois espanhóis e portugueses já haviam se dedicado às rotas do Atlântico Sul. Com isso, supunham que poderiam encontrar uma "passagem noroeste" para a Ásia.
Embora essa passagem não tenha sido encontrada, tais navegações possibilitaram aos seus empreendedores a exploração e a ocupação
da América do Norte, além de estimular a pirataria. Na Inglaterra, a pirataria foi oficializada. A monarquia inglesa autorizava ataques e
pilhagens contra navios de nações inimigas, desde que os lucros do saque fossem divididos com o governo inglês. Esses piratas eram
chamados de corsários.
PRINCIPAIS VIAGENS
França
 1524 - Giovanni Verrazano, florentino que navegava a serviço da França, explorou vasta região do litoral leste da América do Norte.
 1534 - Jacques Cartier explorou a região do atual Canadá, navegando pelo rio São Lourenço.
Inglaterra
 1497 - Giovanni Caboto, genovês que navegava a serviço da Inglaterra, atingiu a América do Norte, na região do atual Canadá.
 1577 - Francis Drake, corsário inglês, empreendeu a segunda viagem de circunavegação, assaltando navios espanhóis.
Holanda
 1609 - O inglês Henry Hudson, navegando a serviço da Holanda, descobriu na área que hoje corresponde aos Estados Unidos o rio
que atualmente leva o seu nome (rio Hudson).
 - Os holandeses, patrocinados pela Companhia das Índias Ocidentais, invadiram a Bahia, no Brasil.
 1630 - Forçados a se retirar da Bahia, os holandeses atacaram Pernambuco e conquistaram a região onde se desenvolvia a produção
de açúcar. Permaneceram no Brasil até 1654.

Documentos relacionados

grandes navegações

grandes navegações Grandes Navegações após ter concluído a expulsão dos mouros da Península Ibérica, em 1492. • O processo de expansão marítima começou durante o reinado dos Reis Católicos (Fernando e Isabel). • ROTA...

Leia mais

Tratado de Tordesilhas

Tratado de Tordesilhas diplomáticas. Endossado pela Igreja Católica, o tratado foi rejeitado por outros países. O Tratado de Tordesilhas estabeleceu que seriam de propriedade de Portugal as terras descobertas e a descobr...

Leia mais

COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA ESPANHOLA – A CONQUISTA A

COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA ESPANHOLA – A CONQUISTA A atravessar o atual istmo do Panamá e deparar-se com o oceano Pacífico. Em 1515, João Dias de Solis encontrou o rio da Prata, ao sul. Mais quatro anos se passaram até que Fernão de Magalhães, um por...

Leia mais