VIII Asamblea General

Сomentários

Transcrição

VIII Asamblea General
VIII Assembleia Geral - Bordeaux 2012
11 de setembro de 2012 - Comunicação n°8
Com um olhar humilde e esperançoso, nos aproximamos da realidade da Companhia: as
pessoas, as Comunidades, a missão. Com uma atitude livre e audaz, continuamos buscando o
que Deus quer de nós hoje.
Vamos intercalando o trabalho da Assembleia com outras experiências que o enriquecem. As
terceironas chegaram a Bordeaux para a etapa de peregrinação aos lugares de nossas origens e
o encontro com Joana de Lestonnac. Tivemos um encontro com elas, para escutar, desde sua
experiência e seu olhar jovem, o que consideram necessário impulsionar hoje como
Companhia. Suas contribuições coincidem com muitos dos temas que vamos falando e
confirmam o que vamos vendo que é fundamental para viver com profundidade e sentido.
Na véspera do dia 8, participamos, juntamente com as
terceironas e alguns jovens de vários países, da vigília “Orar
com Maria”, na Paróquia de Notre Dame, organizada de
acordo com a pedagogia de “Arte, Humanismo e
Espiritualidade”. Esta experiência nos dá a convicção de que,
através da arte e da beleza, a Palavra de Deus pode nos falar
com novos ritmos e matizes.
Tivemos também meia jornada de trabalho com a equipe
técnica da empresa Cromlec, que vai criar a nova página Web,
sob a coordenação de Maria Claustre Solé, odn.
Achamos muito interessante sua proposta, que terá êxito se, a partir de todas as Províncias, colaborarmos
e nos comprometermos com ela.
No domingo, dia 9, com a Comunidade paroquial de Pessac,
celebramos a Eucaristia diante do retábulo procedente de
nossa antiga Capela da Rua do Hâ. Uma vez mais, fazer
memória do passado nos leva ao agradecimento e ativa nossa
responsabilidade de sermos continuadoras daquelas primeiras
comunidades que tantas vezes sentiram a presença protetora
da Virgem da Assunção.
À tarde visitamos o Castelo de Landirás. O atual proprietário,
Michel Pellissié, convidou-nos para conhecer seu projeto, a
nova Maison de Jeanne Lestonnac-Monferrant, uma sala para diferentes atividades, onde Santa Joana
será lembrada através de pinturas que expressarão os fatos mais significativos de sua vida. Em algumas
modernas adegas, irá produzir um vinho, que também terá o nome de Santa Joana.
A participação na Eucaristia do início do ano escolar no colégio e o encontro com alguns membros da
Rede Laical, padres e pessoas amigas da Companhia fizeram com que nos aproximássemos mais das
diversas realidades de Bordeaux e nos iluminam e ampliam o sentido de nossa presença nesta cidade.
Continuamos contando com contribuições escritas sobre diferentes temas e situações de alguns países.
Anexamos uma reflexão de Henri Boulad, sj: “Como a primavera árabe interpela os cristãos que vivem no
Oriente Próximo?”
Iniciamos, no dia 10, a última etapa da Assembleia: com decisão corajosa e comprometida, concretizar
respostas para este momento histórico. É tempo de intensificar a oração, a escuta... e pedir sabedoria ao
Espírito Santo, para que as decisões que tomarmos sejam geradoras de vida.

Documentos relacionados

Foi na França que nasceu Numa florida manhã Joana de Lestonnac

Foi na França que nasceu Numa florida manhã Joana de Lestonnac E a pobre se entristeceu Seu mundo perdeu a cor Mas um fato aconteceu Que tudo mudaria Na paz de suas rezas E em sua calmaria Um chamado escutou Foi Deus quem lhe convidou O futuro nascia Foi assim...

Leia mais

Breve biografia Breve biografia de Santa Joana de Lestonnac de

Breve biografia Breve biografia de Santa Joana de Lestonnac de Deus continua chamando-a. Seus filhos já não dependem dela. Por fim, entra nas Fuldenses-Cister de Toulouse. Tem 46 anos. Passa a chamar-se Joana de São Bernardo. Sente-se feliz com sua nova vida. ...

Leia mais

Tradições que nos dão identidade

Tradições que nos dão identidade Maria é modelo e referência, a companheira que, ao nosso lado, nos indica o jeito de ser e de nos situarmos na vida. Esta festa, que é celebrada de acordo com as características próprias de cada co...

Leia mais

Baixar artigo em pdf

Baixar artigo em pdf mãos velas acesas, simbolizando a “chama”. Ao chegar no local onde seria colocada, as Irmãs, com as chamas acesas, entoaram o trecho do hino; “ que não apague a chama que arde em teu coração...”., ...

Leia mais