do Catálogo PGW Sementes 2016 - Bem

Сomentários

Transcrição

do Catálogo PGW Sementes 2016 - Bem
Sementes
Opções
forrageiras
2016
www.pgwsementes.com.br
Forrageiras
Originária da Nova Zelândia a PGG Wrightson Seeds é a maior empresa de sementes
forrageiras de inverno do Hemisfério Sul. No Brasil, com o nome PGW Sementes.
Especialista em sistemas de produção à pasto, o nosso objetivo é auxiliar o produtor a atingir o
maior rendimento econômico da atividade. Buscamos oferecer ao mercado sementes de
forrageiras de elevada qualidade e alto potencial, que ofereçam maior produtividade.
Convênio PGG Wrightson – INIA – Grasslanz Innovations
O programa de melhoramento genético da PGG Wrightson possui mais de 70 anos e a geração
de novas cultivares é realizada em parceiras com órgãos de pesquisa de todos os continentes.
Para atender as necessidades dos sistemas de produção da América do Sul, a PGG Wrightson
tem entre os seus principais parceiros na pesquisa e desenvolvimento de novas cultivares de
Azevéns e Festucas o INIA do Uruguai e a Grasslanz Innovations da Nova Zelândia. Através
deste convênio, anualmente são plantadas entre 18 e 20 mil plantas isoladas de mais de 400
linhagens diferentes.
O programa de Azevéns busca cultivares com o potencial de maximizar a produção invernal,
que apresentem boa sanidade, diferentes ciclos produtivos e adaptados as condições
climáticas da nossa região.
O programa de Festucas contem diversas linhas de trabalho. Busca cultivares com maior
qualidade, palatabilidade e ciclo tardio. Cultivare precoces com alto crescimento de inverno.
Desenvolvimento de materiais tolerantes a temperaturas mais altas do Uruguai e Sul do Brasil.
Sementes
(51) 3207-9895
O que semear?
A PGW Sementes oferece uma ampla gama de opções de plantas forrageiras. Para obter os
melhores resultados é importante considerar os diversos fatores envolvidos no seu sistema de
produção para escolher quais são as cultivares mais adequadas.
Identifique as limitações do sistema forrageiro em uso.
Quais são os períodos de alta e baixa disponibilidade de forragem.
Considere todo o sistema de produção, rotações de culturas e cultivos da área.
Semear uma espécie anual ou perene?
Analise as características físicas e de fertilidade do solo.
Faça o levantamento dos equipamentos disponíveis para a semeadura.
Planeje o manejo do pastoreio. Rotativo ou contínuo?
Identifique possíveis problemas de pragas e doenças.
Informe-se. Consulte profissionais qualificados, participe de dias de campo e palestras.
Entendendo as opções:
Vida curta/Rápido estabelecimento Vida longa/Lento estabelecimento
Azevéns
Azevéns
Azevéns
Festucas
Aveias
Dactylis
anuais
italianos
bianuais
LE 284
Rizomat
INIA Titan
INIA
Camaro
Quantum
II
Escorpio Banquet II
INIA Aurus
Milton
INIA Bakarat INIA
INIA Aurora
KLM
138
Winter Star
INIA Fortuna
Espécies anuais, como os Azevéns, possuem rápido crescimento inicial, curto ciclo de vida e
alta produção de forragem durante esse período, bem como maiores produções de sementes.
Espécies perenes, com as Festucas, apresentam um estabelecimento mais lento e rápido
rebrote no inicio de cada estação de crescimento. Possuem épocas de baixas e alta oferta de
forragem e apresentam menor produção de sementes.
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
AVISO LEGAL:
Resultados podem variar, dependendo das condições. A PGW Sementes Brasil Ltda e seus diretores, funcionários,
representantes e licenciadores de propriedade intelectual não oferecem nenhuma garantia em relação a qualquer
recomendação, informação, cultivar, ou produto referido ou recomendado, exceto aqueles que por meio da lei devem ser
fornecidos. Na medida do permitido por lei, a PGW Sementes Brasil Ltda exclui qualquer garantia, e não tem qualquer
responsabilidade perante qualquer pessoa, a partir de ou em relação a quaisquer recomendações, informações, cultivares, ou
produtos referidos ou recomendado. Tendo a PGW Sementes Brasil Ltda qualquer responsabilidade, tal responsabilidade em
relação à recomendação, informação, cultivar ou produto é limitada ao máximo permitido por lei, e na medida do permitido
por lei não inclui qualquer responsabilidade por prejuízos, perdas indiretas ou consequentes, danos especiais, exemplares ou
exceder o pagamento monetário total recebido pela PGW Sementes Brasil Ltda em relação a recomendação, informação,
cultivar ou produto em relação ao qual surge a responsabilidade.
Sementes
(51) 3207-9895
Aveias
Gramínea de crescimento rápido, uniforme e de bom perfilhamento. Excelente produtora de
grãos e de grande potencial forrageiro. Pode ser utilizada tanto em pastejo direto como para a
produção de feno ou silagem. As aveias possuem a capacidade de fornecer forragem de
qualidade em um período estratégico, no início do outono.
Aveia branca
Milton
Aveia branca para corte e pastejo.
Ciclo longo e porte ereto.
Alta produção de forragem.
Alto vigor inicial, precocidade.
Maior qualidade de forragem e alto teor de
açucares.
Ÿ Indicado para sistemas de pastoreio
rotativo, produção de feno e silagem. Boa
opção para cobertura de solos.
Taxas de crescimento (kg MS/ha)
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Sementes
Outono
Inverno
Primavera
Azevém Winter Star
Aveia Milton
(51) 3207-9895
Azevéns
Gramínea rústica e vigorosa. Possui alta palatabilidade, elevados teores de proteína e
digestibilidade, bem como equilibrada composição mineral. Adapta-se a quase todos tipos de
solo, preferindo os de textura média, férteis e úmidos. Além de excelente opção forrageira, é
uma ótima alternativa para proteção e cobertura dos solos, proporcionando boa produção de
massa.
Azevém anual (Lolium multiflorum var westerwoldicum):
Obrigatoriamente anuais, seus perfilhos florescem independentemente da época de
semeadura e finalizam o ciclo na primavera-verão.
Azevém Italiano (Lolium multiflorum var italicum):
Seus perfilhos necessitam frio para florescerem, podendo entrar no verão em estado
vegetativo e ter um comportamento bianual.
Azevém perene (Lolium perenne):
Ciclo vegetativo superior a um ano. Requerem frio para florescer e, no verão, podem necessitar
de um período de repouso. Sua persistência produtiva depende do cultivar e do ambiente.
Diplóides vs. Tetraplóides:
Variedades diplóides produzem mais perfilhos e possuem maior conteúdo de matéria seca.
Variedades tetraplóides possuem maior palatabilidade, rápido crescimento inicial, folhas e
perfilhos maiores.
O conteúdo celular: açúcares e amido.
Componentes necessários ao bom
funcionamento do rumem.
Parede celular: Fibra
Célula diplóide
Célula tetraplóide
Recomenda-se:
Ciclo curto: Indicado em áreas de rotação com culturas de verão (ex. Arroz, Soja, Milho,
Girassol), em melhoramento de campo nativo, e em rotações com forrageiras de verão.
Ciclo médio: Indicado em áreas de pastagem ao longo de todo ano, em melhoramento de
campo nativo, em rotações com forrageiras de verão ou em área de cultura de verão com
semeadura tardia.
Ciclo longo: Indicado em áreas de exploração pecuária, com pastagem ao longo de todo ano,
e em melhoramento de campo nativo
Ciclos
M
A
M
J
J
A
S
O
N
D
J
F
Curto
Médio
Longo
Sementes
(51) 3207-9895
AZEVÉNS IA
ISTÊNC
SEM RES ATO
À GLIFOS
LE 284
Produção de folhas
Kg.MS/ha
Garantia de qualidade física e genética.
Anual, diplóide. Ciclo curto.
Alta produção de Outono e Inverno.
Ampla adaptação à diferentes tipos de solo.
Recomendado em sistemas produtivos extensivos.
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
J
F
M
A
M
J
J
A
S
O
N
Fonte: EMBRAPA
Azevém anual
diplóide
D
LE 284
Azevém anual
diplóide
Comum
Azevém anual
diplóide
INIA Bakarat INIA Camaro
(LE 19 55)
Alto perfilhamento e porte ereto.
Ÿ Anual, diplóide. Ciclo médio.
Ÿ Alta potencial, hábito semiereto.
Ÿ Elevado perfilhamento.
Ÿ Alta resistência a ferrugem.
Ÿ Elevada produção de forragem de
qualidade na primavera.
Ÿ Indicado para pastoreio em manejos
rotativos e extensivos.
Ÿ Opção para corte, feno e silagem.
(LE 19 45a)
Adaptado a diferentes sistemas.
Ÿ Anual, diplóide. Ciclo médio.
Ÿ Alto potencial, hábito prostrado.
Ÿ Elevado perfilhamento.
Ÿ Alta resistência a ferrugem.
Ÿ Equilibrada distribuição estacional de
produção de forragem de alta qualidade.
Ÿ Versátil, mostra-se mais vantajoso do que
variedades tetraplóides em ambientes de
menor potencial produtivo.
Kg.MS/ha
Fonte: INIA Uruguai
Produção de forragem anual e média histórica por cultivar
J
F
M
Sementes
A
M
LE 284
INIA Camaro
INIA Bakarat
J
J
A
S
O
N
D
(51) 3207-9895
Azevém anual
tetraplóide
Produção de forragem
1°
Ciclo
médio
Kg.MS/ha
Rápido primeiro corte e alta produção.
Anual, tetraplóide. Ciclo médio.
Alta produção de Outono e Inverno.
Hábito semiereto e muito boa densidade
de perfilhos.
Ÿ Indicado em rotações com culturas de
verão, como soja e milho.
Ÿ Recomendado em semeaduras direta e
convencional.
Ÿ
Ÿ
Ÿ
J
F
M
A
M
J
Fonte: Fundação ABC
Winter Star
2
201
Winter Star
J
A
S
3
4
201
201
Bar Jumbo
O
N
Azevém italiano
tetraplóide
Azevém italiano
tetraplóide
INIA Titan
Forragem de alta qualidade e ciclo longo.
Ÿ Italiano, tetraplóide. Ciclo longo.
Ÿ elevada qualidade nutricional.
Ÿ Folhas largar e elevada produção de
pasto de primavera
Ÿ Hábito intermediário a semiereto.
Ÿ Ideal na produção de leite e terminação
intensiva exigente em qualidade do
pasto.
INIA Escorpio
(LE 19 63)
Alta produção e excelente sanidade.
Ÿ Italiano, tetraplóide, folhas largas.
Ÿ Ciclo longo. Alto perfilhamento e elevada
resistência a ferrugem.
Ÿ Ideal para pastagens de inverno anuais de
ciclo longo associada com leguminosas
como os trevos vermelho e branco e
gramíneas como Aveia ou Centeio.
Ÿ Alta capacidade de acumular forragem de
qualidade na primavera para silagem e
feno.
Produção de forragem mensal, médias históricas por cultivar
2800
Kg.MS/ha
Winter Star
Titan
Escorpio
Fonte:
INIA Uruguai
2300
1800
1300
800
Mai
J
D
F
Jun
M
Sementes
Jul
A
Ago
M
J
Set
Out
J
A
Nov
S
Dez
O
N
D
(51) 3207-9895
Azevém
LE 284
Azevém
INIA Camaro
Azevém
INIA Titan
Sementes
Azevém
Winter Star
(51) 3207-9895
Azevém italiano
tetraplóide
Grande
Campeão
Produção de forragem
Médias 2013 e 2014
J
F
M
A
M
BR
IN S Po
IA n
t
Ba Bak eio
a
r
W Ju ra
IN int mb t
IA er o
Es St
c a
KL orp r
M io
13
8
Kg.MS/ha
Forrageira de alta persistência e alta
produção.
Ÿ Italiano, tetraplóide. Completo, possui
rápida implantação e ciclo extra longo.
Ÿ Excelente produção de matéria seca e
perfilhamento ao longo de todo ciclo.
Ÿ Folhas finas, ótima qualidade nutricional.
Ÿ Ideal para produção de feno ou silagem e
consorciado com leguminosas como os
trevos vermelho e branco.
Ÿ Excelentes resultados
em sistemas
irrigados.
J
J
Azevém perene
diplóide
Alta produção de matéria seca e maior
adaptabilidade.
Ÿ Perene, diplóide.
Ÿ Para dois ou três anos. Maior resistência
ao clima subtropical.
Ÿ Alta produção de forragem e perfilhos.
Ÿ Maior persistência e resistência ao calor.
Ÿ Alta qualidade durante todo ciclo, por
não florescer em nossas condições
climáticas. Alta resposta à irrigação e
fertilização nitrogenada.
Ÿ Para regiões de clima frio.
M
A
M
A
S
O
N
J
J
D
CONSU
DISPON LTE
IBILIDAD
Azevém perene
tetraplóide
One50
Ciclos
Fonte: Fundação ABC
KLM 138
E
Banquet II
(BQT II)
Ideal para sistemas intensivos.
Ÿ Bianual, tetraplóide.
Ÿ Para dois ou três anos.
Ÿ Rápido crescimento inicial e excelente
produção de matéria seca.
Ÿ Alta densidade de perfilhos.
Ÿ Melhores níveis de persistência e
produções de matéria seca.
Ÿ Selecionado para aumentar os teores de
açúcares e a digestibilidade.
Ÿ Para regiões de clima frio.
A
S
O
N
D
J
F
1º ano
2º ano
Sementes
(51) 3207-9895
Azevém
KLM 138
Azevém
Banquet II
Sementes
(51) 3207-9895
Dactylis
CONSU
DISPON LTE
IBILIDAD
E
Também conhecido por Capim do Pomares, devido à sua boa tolerância ao sombreamento,
o Dactylis é uma gramínea perene de inverno, que se caracteriza por adaptar-se a diversos
tipos de solos, inclusive aqueles menor férteis e com menor pH. Porém não suporta excesso
de umidade e é exigente em matéria orgânica.
Alta resposta à fertilização fosfatada e nitrogenada. Maior produção de forragem e rebrote
de verão quando comparado com as Festucas. Produz uma forragem tenra, nutritiva e
palatável. É sensível ao pisoteio continuo, portanto recomenda-se o pastoreio rotativo com
um período adequado de descanso.
Dactylis
INIA Aurus
(LE 12 90)
Perene de elevada palatabilidade.
Ÿ Tardio, florescimento no final de outubro.
Ÿ Maior produção de verão e outono.
Ÿ Excelente sanidade foliar.
Ÿ Indicado para plantio com leguminosas,
especialmente em solos de menor
potencial e fertilidade.
Ÿ Sua forragem de boa qualidade, alto teor
protéico e palatabilidade a faz uma
excelente opção para pecuária de leite e
corte.
Ciclos
M
A
M
J
J
Dactylis
INIA Aurus
A
S
O
N
D
J
F
1º ano
2º ano
Sementes
(51) 3207-9895
Festucas
Gramínea perene de inverno. Alta produtividade, enraizamento profundo e robusta. Tolerante
à seca, calor excessivo, solos úmidos, solos salinos, geadas e ataques de insetos. Outras
características altamente desejáveis da espécie são a produção de forragem no inicio do
outono e a excelente resposta à irrigação.
Possui ampla capacidade de adaptação à ambientes distintos. Por ser uma espécie perene,
possui uma implantação lenta, o que requer um manejo especial no primeiro ano. Um
estabelecimento bem sucedido requer que a semeadura seja realizada em linha, na época
adequada, no inicio do Outono, em uma profundidade de no máximo 1,5 cm. O solo deve
estar úmido, com uma adequada fertilidade e com baixa infestação de plantas daninhas. Um
controle precoce e eficiente das plantas daninhas é de especial importância.
As novas variedades são desenvolvidas com foco na melhoria da palatabilidade, qualidade e
flexibilidade de uso. Deve-se manejar as Festucas buscando manter a sua melhor qualidade e
densidade de plantas.
Ciclos
M
A
M
J
J
A
S
O
N
D
J
F
1º ano
2º ano
Manejo de Semeadura
Para a implantação das Festucas é importante ter em mente as seguintes características da
espécie: lento estabelecimento quando comparada com espécies anuais, lenta germinação
em solos frios, além de sensibilidade à solos alagados e altas temperaturas na fase de
germinação e plântula.
Para uma correta implantação recomenda-se:
Preparação antecipada da área: Considere as culturas antecessoras.
Controle antecipado de invasoras: tanto espécies de inverno como de verão.
Realizar semeadura em linha: proporciona a correta distribuição das sementes.
Profundidade de semeadura: entre 0,5 a 1 cm é o ideal.
Época de semeadura: preferencialmente entre março e abril, quando a temperatura do
solo é ideal. Obtém-se 75% de germinação entre 10 e 15 dias nesta época, contra 20 a 30
dias em maio.
Ÿ Adubação do piquete: realize a correção e fertilização de acordo com a análise de solo.
Ÿ Qualidade e tratamento de sementes: adquira sementes com elevada qualidade.
Ÿ Densidade de semeadura: entre 15 e 20 kg sementes/ha.
Ÿ Consorciações: nunca semeie festuca misturada com outra gramíneas como aveia e
azevém. Realize consorciações com leguminosas como trevos, cornichões e alfafa, ou com
a Chicória forrageira Puna II.
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Ÿ
Sementes
(51) 3207-9895
Festuca
Rizomat
Pastagem p erene, rústic a e de alta
persistência.
Ÿ Produto de 40 anos de seleção natural no
Uruguai. Resistência à enfermidades.
Ÿ Rizomatosa, melhor cobertura do solo, que
permite pastoreios rasos e de alta
qualidade.
Ÿ Implantação mais rápida, excelente
sanidade e maior persistência.
Ÿ Por sua rusticidade, é recomendada em
sistemas extensivos, pastoreios intensos e
frequentes.
Festuca
Produção de forragem
Kg.MS/ha
Perene de alta produção de outono-inverno
e alta qualidade.
Ÿ Maior vigor de implantação, floração
precoce.
Ÿ Maior persistência, produção e sanidade.
Ÿ Maior qualidade nutricional.
Ÿ Recomendado para áreas de boa
fertilidade e manejo intensivo.
Fonte: PGW Uruguai
Quantum II
Verão
Outono Inverno Primeira Verão
Quantum II
Tacuabé
Manejo da Festuca
Manejo do pastoreio da Festuca nas diferentes
No primeiro ano, deve-se permitir que a épocas do ano.
pastagem alcance 12 a 15 cm de altura,
para realizar o primeiro pastoreio,
Entrada
Remanente Frequência
manejando-a uma altura de até 5 cm.
Nov-Mar
15 cm
> 10 cm
14 dias
Durante a primavera, recomendam-se
pastoreios intensos a cada 15 ou 20 dias,
Abr-Mai
20 cm
8 cm
22 dias
com objetivo de impedir a emergência
Jun-Jul
15 cm
8 cm
30 - 40 dias
das inflorescências da Festuca, e assim,
manter a qualidade e palatabilidade da
Ago-Out
15 cm
8 cm
12 dias
forrageira.
Sementes
(51) 3207-9895
Festuca
Produção de forragem
Fonte: PGW Uruguai
INIA Aurora
Kg.MS/ha
(LE 14 84)
Pastagem p erene de alta pro duç ão
invernal.
Ÿ Alto vigor inicial, rápido estabelecimento.
Ÿ Alto rendimento em todas estações.
Ÿ Elevada persistência e excelente sanidade.
Ÿ Ideal para sistemas intensivos que podem
aproveitar seu maior potencial de
rendimento.
Out 1 Inv 1 Pri 1 Ver 1 Out 2 Inv 2 Pri 2
Quantum II
INIA Aurora
Festuca
INIA Fortuna
%
(LE 14 86)
Excelente qualidade em todas estações.
Ÿ Alta qualidade, flexível. Floração tardia e
muito boa sanidade.
Ÿ Rendimento de forragem superior ao de
outras cultivares tardias.
Ÿ Ideal para sistemas intensivos que buscam
altos valores nutritivos.
Ÿ Desenvolvido para oferecer qualidade de
forragem e sanidade foliar.
A M J J A S O N D J F M
INIA Fortuna
Fonte: PGW Uruguai
Digestibilidade
Tacuabé
Densidades de semeadura
(kg sementes/ha)
Ÿ Aveia: 80 a 100
Ÿ Azevém diplóide: 15 a 20
Ÿ Azevém tetraplóide: 20 a 25
Ÿ Dactylis: 6 a 10
Ÿ Festuca: 20 a 25
Ÿ Trevo branco: 2 a 4
Ÿ Trevo vermelho: 6 a 8
Ÿ Cornichão: 8 a 10
Ÿ Chicória: 4 a 6
Ÿ Alfafa: 6 a 8
Sementes
(51) 3207-9895
Trevos
Trevo branco como opção de leguminosa forrageira perene.
As cultivares de trevo branco com folhas grandes ou comuns, como a Estanzuela Zapican, são
as mais usadas em sistemas pastoris de clima temperado, possuem um bom crescimento
hibernal, floração abundante e tardia. Sua persistência dependerá do ambiente local e
manejo.
As características agronômicas desejáveis dessa espécie são o fácil estabelecimento, alto valor
nutritivo, excelente tolerância ao pastoreio, adaptação a solos ligeiramente ácidos e com
excesso de umidade. Essa planta cresce bem tanto em áreas baixas e planas, como em regiões
de altitude, onde suporta bem as baixas temperaturas.
Trevo vermelho como opção de leguminosa forrageira anual.
O Trevo vermelho é uma leguminosa muito utilizada e conhecida por seu bom crescimento
em solos ácidos e pesados. Alta produção no outono-inverno e boa qualidade nutricional,
resistência ao frio e à geada. Recomenda-se pastoreios com boas cargas animais por períodos
curtos com descanso de recuperação entre os pastoreios.
Pode apresentar comportamento anual, bianual ou perene, dependendo da variedade e
principalmente do manejo. Além do pastoreio direto é uma excelente opção para ser usada
para cortes e feno, por formar touceiras de porte ereto.
Trevo branco
Zapican
Versátil, adaptando-se a diversos usos.
Folhas grandes, de porte ereto.
Rápido estabelecimento, alta produção
hibernal e boa capacidade de adaptação
a pastoreios frequentes.
Ÿ Abundante produção de sementes.
Ÿ Para consorciações com Azevém ou
Festuca.
Ÿ
Ÿ
Trevo vermelho
Trevo vermelho
Quiniqueli Estanzuela 116
Para pastagens de rotação curta.
Bianual, de porte semiereto e muito boa
produção em todas estações do ano.
Ÿ Rápido estabelecimento e recuperação
após cada corte.
Ÿ Muito boa adaptação em diferentes
condições produtivas.
Ÿ
Sementes
Alta produção de forragem durante do
outono ao inverno.
Ÿ Tipo sem latência. Adaptado ao pastoreio.
Ÿ Porte ereto e ciclo curto. Excelente rebrote e
produção de talos.
Ÿ Recomendado para rotações curtas.
(51) 3207-9895
Cornichões
Cornichão como opção de leguminosa forrageira perene.
Possui alta adaptação e facilidade de manejo do pastoreio. Seus taninos condensados evitam
a ocorrência de timpanismo.
É uma leguminosa perene menos exigente em fertilidade, tolera baixos níveis de fósforo,
aceita solos ligeiramente ácidos e suporta bem períodos de seca. Para garantir um correto
estabelecimento, no ano de plantio deve-se realizar um manejo cuidadoso. Recomenda-se
evitar que a pastagem baixe de 7 cm de altura para garantir a manutenção da espécie.
Espécies de Cornichões:
Lotus corniculatus: De porte ereto, folhas grandes, sem rizoma e de crescimento hibernoprimaveril.
Lotus tenuis: De porte prostrado, adapta-se bem em ambientes úmidos, cresce no outono e na
primavera, tolera baixas temperaturas e geadas.
Lotus subbiflorus: Espécie anual de crescimento hiberno-primaveril. Menos exigente em
fertilidade.
Cornichão
São Gabriel
Lotus corniculatus: De porte ereto, folhas
grandes, sem rizoma e de crescimento
inverno-primaveril.
Cornichão
Larranaga
Lotus tenuis: De porte prostrado, adapta-se
bem em ambientes úmidos, como áreas de
varzea, cresce no outono e na primavera,
tolera baixas temperaturas e geadas.
Cornichão
El Rincón
Lotus subbiflorus: Espécie anual de
crescimento hiberno-primaveril. Menos
exigente em fertilidade.
Sementes
(51) 3207-9895
Alfafa
Leguminosa perene de verão, elevado valor nutritivo e boa palatabilidade.
Essa planta pode produzir até 20 toneladas de matéria seca/ha/ano, com média de teor de
proteína de 25%, que possibilita média de produção de 54 kg de leite/ha/dia, quando utilizada
exclusivamente sob pastejo direto, sem adição de concentrados.
É uma espécie exigente em pH (em torno de 7,0) e em fertilidade do solo. Requer altos níveis
de Fósforo e Potássio, assim como Boro na época da semeadura. Vegeta bem em todos solos
profundos, permeáveis e bem drenados, não suportando bem solos com excesso de
umidade. A semeadura pode ser realizado outono e na primavera, sempre em solos bem
preparados e em linha.
Alfafa
Crioula
Pastagem perene de alta qualidade.
Ÿ Versátil, recomendada para utilização
como for ragem verde, fenagem,
ensilagem ou em pastejo direto desde
que bem controlado.
Ÿ Alta produção de Matéria Seca.
Chicória
Forrageira perene de alta qualidade e resistente à seca
Perene de folhas largas, produz uma forragem de alta qualidade nutricional, e com alto
potencial para produção entre a primavera e o outono. As maiores taxas de produção de
forragem da chicória ocorrem entre os meses de Setembro a Maio, podendo produzir 10 t/ha.
Esta espécie exige fertilidade em níveis médios a altos, além de uma fonte N. Comporta-se
muito bem quando consorciada com trevo branco ou vermelho. Seu sistema radicular
profundo e pivotante garante uma maior tolerância à seca e extração de nutrientes do solo.
Chicória
Puna II
Pastagem perene de alta persistência e
resistência ao estresse hídrico.
Ÿ Alto valor nutritivo e rendimento de
forragem do verão ao outono.
Ÿ Porte semi-ereto e rápido crescimento
após pastoreio.
Ÿ Resistente à pragas e doenças.
Sementes
(51) 3207-9895
Sementes
(51) 3207-9895

Documentos relacionados

AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE DE MASSA

AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE DE MASSA destaca-se o KLM 138. O azevém KLM 138 é uma variedade uruguaia na qual tem uma característica específica que o diferencia das variedades de azevém comum, apresentando seu maior desenvolvimento em ...

Leia mais