Evolução da Zona de Intervenção Leader II (1991

Сomentários

Transcrição

Evolução da Zona de Intervenção Leader II (1991
Evolução da Zona de Intervenção Leader II
(1991-2001)
O Oeste tem 393.132 habitantes (10,37% de Lisboa e Vale do Tejo, 3.447.173, e 3,46% do
país, 10.318.084), apresenta uma densidade populacional de 156,5 habitantes por Km2
(algo superior à média Nacional de 112,3), com grandes variações entre o litoral (352,91 em
Peniche) e o interior (76 em Óbidos). A população do Oeste cresceu 33.702 habitantes nos
últimos 10 anos (9,95%) mas esse universo tende a envelhecer (índice de envelhecimento
de 102,8 sendo 90,3 a média nacional).
Torre Vedras é o município mais populoso do Oeste com 72.228 habitantes. O inverso
aplica-se ao Sobral de Monte Agraço com 8.888 habitantes.
O município maior em superfície é Alcobaça com 417,1 Km2. O menor é o Sobral com 52
Km2.
Alcobaça detém a maior superfície desfavorecida com 228.5Km2 e Arruda a menor com
31 Km2. Percentualmente é o Sobral que detém esse valor com 76.63% do seu território
desfavorecido, e na razão inversa é o Bombarral com apenas 15%.
Peniche possui a maior densidade demográfica com 352,87 Habitantes por Km2 (mais do
dobro da média regional de 160.82) e Óbidos a menor com 76.01 Habitantes por Km2.
As maiores regressões percentuais da população ocorreram na Nazaré e em Óbidos
com 6% e 3% respectivamente (-989 e –279 habitantes). Os maiores crescimentos
ocorreram no Sobral, Alenquer e Caldas da Rainha com 23%, 15% e 12% respectivamente.
Torres Vedras possui o maior n.º de efectivos empregues na agricultura (5.233) e o
Sobral o menor (413). A percentagem nos seus universos de população empregada faz com
que seja a Lourinhã o município mais significativo com 33.96% da sua população empregue
na agricultura, seguida de Óbidos com 31.43%.
Por sua vez os municípios mais urbanos são a Nazaré e Peniche com 85.95% e 59.13%
da população a residir em núcleos não rurais e a mesma percentagem em núcleos com mais
de 5.000 habitantes.
A maior relação de feminilidade ocorre em Caldas da Rainha com 51.82%.
Finalmente, o maior índice de envelhecimento dá-se no Cadaval com 165.9%.
Na razão inversa estão a Nazaré e Peniche com 88.3% e 89.8%, muito acima da media
regional de 112.88%, e da nacional de 102.8%.