DFP 2015

Сomentários

Transcrição

DFP 2015
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Índice
Dados da Empresa
Composição do Capital
1
Proventos em Dinheiro
2
DFs Individuais
Balanço Patrimonial Ativo
3
Balanço Patrimonial Passivo
5
Demonstração do Resultado
7
Demonstração do Resultado Abrangente
8
Demonstração do Fluxo de Caixa
9
Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido
DMPL - 01/01/2015 à 31/12/2015
11
DMPL - 01/01/2014 à 31/12/2014
12
DMPL - 01/01/2013 à 31/12/2013
13
Demonstração do Valor Adicionado
14
DFs Consolidadas
Balanço Patrimonial Ativo
16
Balanço Patrimonial Passivo
18
Demonstração do Resultado
21
Demonstração do Resultado Abrangente
22
Demonstração do Fluxo de Caixa
23
Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido
DMPL - 01/01/2015 à 31/12/2015
25
DMPL - 01/01/2014 à 31/12/2014
26
DMPL - 01/01/2013 à 31/12/2013
27
Demonstração do Valor Adicionado
28
Relatório da Administração
30
Notas Explicativas
66
Comentário Sobre o Comportamento das Projeções Empresariais
135
Pareceres e Declarações
Parecer dos Auditores Independentes - Sem Ressalva
136
Parecer do Conselho Fiscal ou Órgão Equivalente
137
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Índice
Declaração dos Diretores sobre as Demonstrações Financeiras
138
Declaração dos Diretores sobre o Parecer dos Auditores Independentes
139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Dados da Empresa / Composição do Capital
Número de Ações
(Mil)
Último Exercício Social
31/12/2015
Do Capital Integralizado
Ordinárias
102.360
Preferenciais
202.371
Total
304.731
Em Tesouraria
Ordinárias
0
Preferenciais
3.445
Total
3.445
PÁGINA: 1 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Dados da Empresa / Proventos em Dinheiro
Evento
Aprovação
Provento
Início Pagamento
Espécie de Ação
Classe de Ação
Provento por Ação
(Reais / Ação)
Assembléia Geral Ordinária
15/04/2015
Dividendo
28/04/2015
Preferencial
0,04025
Assembléia Geral Ordinária
15/04/2015
Dividendo
28/04/2015
Ordinária
0,04025
PÁGINA: 2 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Balanço Patrimonial Ativo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
1
Ativo Total
3.680.998
3.290.119
3.430.269
1.01
Ativo Circulante
1.877.227
1.563.411
1.739.435
1.01.01
Caixa e Equivalentes de Caixa
874.557
850.079
753.856
1.01.02
Aplicações Financeiras
268.898
36.736
129.613
1.01.02.01
Aplicações Financeiras Avaliadas a Valor Justo
268.898
36.736
129.613
1.01.03
Contas a Receber
298.311
234.558
433.260
1.01.03.01
Clientes
298.311
234.558
433.260
1.01.04
Estoques
282.885
259.770
228.552
1.01.06
Tributos a Recuperar
103.220
127.109
124.178
1.01.06.01
Tributos Correntes a Recuperar
103.220
127.109
124.178
1.01.07
Despesas Antecipadas
1.01.08
Outros Ativos Circulantes
1.01.08.03
Outros
1.01.08.03.01 Dividendos a Receber de Controladas
1.01.08.03.02 Outras Contas a Receber
1.02
Ativo Não Circulante
1.02.01
Ativo Realizável a Longo Prazo
1.02.01.01
Aplicações Financeiras Avaliadas a Valor Justo
1.02.01.06
Tributos Diferidos
9.266
8.088
11.593
40.090
47.071
58.383
0
0
58.383
0
0
42.311
0
0
16.072
1.803.771
1.726.708
1.690.834
211.495
177.074
167.331
84.557
91.744
60.200
81.277
55.355
85.741
1.02.01.06.01 Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos
81.277
55.355
85.741
1.02.01.09
45.661
29.975
21.390
1.02.01.09.03 Cotas de Consórcio
20.234
10.101
7.008
1.02.01.09.04 Impostos a Recuperar
21.171
12.578
12.107
3.539
3.032
1.188
717
4.264
1.087
Outros Ativos Não Circulantes
1.02.01.09.05 Depósitos Judiciais
1.02.01.09.06 Outras Contas
1.02.02
Investimentos
778.132
762.683
774.431
1.02.02.01
Participações Societárias
778.132
762.683
774.431
776.609
761.102
772.850
1.523
1.581
1.581
1.02.02.01.01 Participações em Coligadas
1.02.02.01.04 Outras Participações Societárias
PÁGINA: 3 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Balanço Patrimonial Ativo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
1.02.03
Imobilizado
763.735
726.869
681.453
1.02.03.01
Imobilizado em Operação
693.602
693.464
658.647
1.02.03.03
Imobilizado em Andamento
70.133
33.405
22.806
1.02.04
Intangível
50.409
60.082
67.619
1.02.04.01
Intangíveis
50.409
60.082
67.619
PÁGINA: 4 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Balanço Patrimonial Passivo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
2
Passivo Total
3.680.998
3.290.119
3.430.269
2.01
Passivo Circulante
2.01.01
Obrigações Sociais e Trabalhistas
974.094
521.407
667.710
17.852
18.169
28.755
2.01.01.02
2.01.02
Obrigações Trabalhistas
17.852
18.169
28.755
Fornecedores
77.528
85.953
83.544
2.01.02.01
Fornecedores Nacionais
72.244
76.750
72.563
2.01.02.02
Fornecedores Estrangeiros
5.284
9.203
10.981
2.01.03
Obrigações Fiscais
9.815
14.985
15.326
2.01.03.01
Obrigações Fiscais Federais
9.411
14.313
14.105
2.01.03.01.01 Imposto de Renda e Contribuição Social a Pagar
1.825
0
788
2.01.03.01.02 Obrigações Fiscais Federais
7.586
14.313
13.317
340
586
1.158
2.01.03.02
Obrigações Fiscais Estaduais
2.01.03.03
Obrigações Fiscais Municipais
64
86
63
2.01.04
Empréstimos e Financiamentos
789.040
276.386
375.696
2.01.04.01
Empréstimos e Financiamentos
789.040
276.386
375.696
2.01.04.01.01 Em Moeda Nacional
545.254
208.993
361.340
2.01.04.01.02 Em Moeda Estrangeira
243.786
67.393
14.356
2.01.05
Outras Obrigações
61.058
97.969
129.898
2.01.05.02
Outros
61.058
97.969
129.898
2.01.05.02.01 Dividendos e JCP a Pagar
115
34.555
43.937
2.01.05.02.04 Adiantamento de Clientes
36.221
19.196
33.068
2.01.05.02.05 Clientes por Mercadoria a Entregar
1.512
12.792
3.000
2.01.05.02.06 Participações de Empregados e Administradores
3.776
18.076
29.277
2.01.05.02.07 Outras Contas
19.434
13.350
20.616
2.01.06
Provisões
18.801
27.945
34.491
2.01.06.02
Outras Provisões
18.801
27.945
34.491
11.896
12.543
20.925
2.01.06.02.01 Provisões para Garantias
2.01.06.02.04 Provisão para Comissões
2.02
Passivo Não Circulante
6.905
15.402
13.566
1.429.571
1.337.127
1.425.358
PÁGINA: 5 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Balanço Patrimonial Passivo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
2.02.01
Empréstimos e Financiamentos
1.410.655
1.315.948
1.394.583
2.02.01.01
Empréstimos e Financiamentos
1.410.655
1.315.948
1.394.583
2.02.01.01.01 Em Moeda Nacional
888.535
1.053.375
1.107.507
2.02.01.01.02 Em Moeda Estrangeira
522.120
262.573
287.076
2.02.02
Outras Obrigações
11.394
16.859
24.264
2.02.02.02
Outros
11.394
16.859
24.264
2.02.02.02.03 Impostos e Contribuições
2.072
3.896
10.340
2.02.02.02.04 Outras Contas
9.322
12.963
13.924
2.02.04
Provisões
7.522
4.320
6.511
2.02.04.01
Provisões Fiscais Previdenciárias Trabalhistas e Cíveis
7.522
4.320
6.511
2.02.04.01.01 Provisões Fiscais
2.648
108
100
2.02.04.01.02 Provisões Previdenciárias e Trabalhistas
3.920
3.545
5.752
2.02.04.01.04 Provisões Cíveis
954
667
659
2.03
Patrimônio Líquido
1.277.333
1.431.585
1.337.201
2.03.01
Capital Social Realizado
1.200.000
1.200.000
730.000
2.03.02
Reservas de Capital
-194.552
-194.552
-195.841
2.03.02.05
Ações em Tesouraria
2.03.02.07
Aquisições Investimentos em Controladas
2.03.04
2.03.04.01
-6.128
-6.128
55
-188.424
-188.424
-195.896
Reservas de Lucros
335.235
355.446
685.785
Reserva Legal
105.326
105.326
94.983
2.03.04.09
Ações em Tesouraria
-22.071
-22.071
-22.071
2.03.04.10
Outras Reservas de Lucro
251.980
272.191
612.873
2.03.08
Outros Resultados Abrangentes
-63.350
70.691
117.257
2.03.08.01
Ajuste Valor Atribuído ao Ativo Imobilizado
2.03.08.02
Equivalência Patrimonial s/Resultados Abrangentes Controladas
2.03.08.03
Outros Resultados Abrangentes
5.340
5.387
5.433
100.918
105.287
110.175
-169.608
-39.983
1.649
PÁGINA: 6 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração do Resultado
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
3.01
Receita de Venda de Bens e/ou Serviços
1.662.751
2.274.034
1.873.312
3.02
Custo dos Bens e/ou Serviços Vendidos
-1.463.561
-1.829.072
-1.506.258
3.03
Resultado Bruto
199.190
444.962
367.054
3.04
Despesas/Receitas Operacionais
-223.033
-173.340
-87.418
3.04.01
Despesas com Vendas
-155.387
-159.549
-131.660
3.04.02
Despesas Gerais e Administrativas
-98.375
-92.850
-68.796
3.04.04
Outras Receitas Operacionais
15.158
33.271
4.382
3.04.05
Outras Despesas Operacionais
-24.262
-44.351
-33.650
3.04.06
Resultado de Equivalência Patrimonial
39.833
90.139
142.306
3.05
Resultado Antes do Resultado Financeiro e dos Tributos
-23.843
271.622
279.636
3.06
Resultado Financeiro
-29.988
-37.803
-22.503
3.06.01
Receitas Financeiras
236.207
159.526
168.451
3.06.02
Despesas Financeiras
-266.195
-197.329
-190.954
3.07
Resultado Antes dos Tributos sobre o Lucro
-53.831
233.819
257.133
3.08
Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro
29.203
-31.863
-22.071
3.08.01
Corrente
-2.842
3.853
-17.456
3.08.02
Diferido
32.045
-35.716
-4.615
3.09
Resultado Líquido das Operações Continuadas
-24.628
201.956
235.062
3.11
Lucro/Prejuízo do Período
-24.628
201.956
235.062
3.99
Lucro por Ação - (Reais / Ação)
3.99.01
Lucro Básico por Ação
3.99.01.01
ON
-0,08000
0,66000
0,98000
3.99.01.02
PN
-0,08000
0,66000
0,98000
3.99.02
Lucro Diluído por Ação
3.99.02.01
ON
-0,08000
0,66000
0,98000
3.99.02.02
PN
-0,08000
0,66000
0,98000
PÁGINA: 7 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração do Resultado Abrangente
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
4.01
Lucro Líquido do Período
4.02
Outros Resultados Abrangentes
4.02.01
Ajustes Acumulados de Conversão
4.02.02
Ganho Atuarial - Randonprev
4.02.03
Outros Resultados Abrangentes nas Controladas
4.02.04
4.02.05
4.03
Resultado Abrangente do Período
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
-24.628
201.956
235.062
-129.624
-41.632
5.200
5.081
-279
-1.529
-1.306
-500
-57
-133.399
-60.538
10.282
Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos
0
20.583
-3.496
Realização do Ativo Biológico
0
-898
0
-154.252
160.324
240.262
PÁGINA: 8 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração do Fluxo de Caixa - Método Indireto
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
6.01
Caixa Líquido Atividades Operacionais
-107.205
601.768
279.402
6.01.01
6.01.01.01
Caixa Gerado nas Operações
205.513
365.254
319.688
Lucro Líquido do Exercício
-24.628
201.956
235.062
6.01.01.02
Depreciação e Amortização
58.916
57.739
34.361
6.01.01.03
Provisões para Litígios
3.202
-2.191
2.750
6.01.01.04
Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa
556
1.666
4.729
6.01.01.05
Provisão para Estoque Obsoleto
200
3.672
1.943
6.01.01.06
Provisão para Imposto de Renda e Contribuição Social Corrente e Diferido
-29.203
31.863
22.071
6.01.01.07
Outras Provisões
-15.496
-15.718
16.964
6.01.01.08
Custo Residual de Ativos Permanentes Baixados e Vendidos
1.675
1.427
7.206
6.01.01.09
Baixa de Investimento
58
0
912
6.01.01.10
EquivaLência Patrimonial
-39.833
-90.137
-142.306
6.01.01.11
Variação sobre Empréstimos
250.066
174.977
135.814
6.01.01.12
Variação em Derivativos
0
0
182
6.01.02
Variações nos Ativos e Passivos
-312.718
236.514
-40.286
6.01.02.01
Contas a Receber
-8.516
55.240
-38.017
6.01.02.02
Contas a receber de Clienetes
-64.363
197.454
-40.804
6.01.02.03
Estoques
-23.315
1.180
45.508
6.01.02.04
Fornecedores
-8.425
-27.060
-36.140
6.01.02.05
Contas a Pagar
16.876
-47.393
44.804
6.01.02.06
Imposto de Renda e Contribuição Social Pagos
0
-4.262
-11.602
6.01.02.07
Aplicações Financeiras
-224.975
61.355
-4.035
6.02
Caixa Líquido Atividades de Investimento
-52.016
-24.353
-57.940
6.02.01
Aquisição de Imobilizado
-84.942
-66.936
-25.655
6.02.02
Adições ao Ativo Intangível
-2.842
-4.298
-8.678
6.02.03
Integralização de Capital em Controlada
0
0
-31.603
6.02.04
Apliacções Financeiras
0
0
-60.200
6.02.05
Recebimento de lucros e dividendos de controladas
6.03
Caixa Líquido Atividades de Financiamento
35.768
46.881
68.196
183.699
-481.192
-24.109
PÁGINA: 9 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração do Fluxo de Caixa - Método Indireto
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
6.03.01
Pagamento de Dividendos
6.03.02
Juros sobre Capital Próprio
6.03.03
Empréstimos Tomados
6.03.04
Pagamento de Empréstimos
6.03.05
Empréstimos Tomados (Pagos) com Controladora e Controladas
6.03.06
Empréstimos Tomados (Pagos) com Outras Partes Relacionadas
6.03.07
Juros Pagos por Empréstimos
6.03.08
Aquisições de Investimentos
6.03.09
Saldo proveniente incorporação
6.05
Aumento (Redução) de Caixa e Equivalentes
6.05.01
6.05.02
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
-12.149
-32.843
-21.566
-22.291
-105.200
-84.366
1.069.281
160.311
1.012.728
-660.347
-378.182
-574.378
0
0
-2
0
45
1.758
-173.256
-126.375
-89.389
-17.539
0
-421.072
0
1.052
152.178
24.478
96.223
197.353
Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes
850.079
753.856
556.503
Saldo Final de Caixa e Equivalentes
874.557
850.079
753.856
PÁGINA: 10 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido / DMPL - 01/01/2015 à 31/12/2015
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Capital Social
Integralizado
Reservas de Capital,
Opções Outorgadas e
Ações em Tesouraria
Reservas de Lucro
Lucros ou Prejuízos
Acumulados
Outros Resultados
Abrangentes
Patrimônio Líquido
5.01
Saldos Iniciais
1.200.000
-194.552
355.446
0
70.691
1.431.585
5.03
Saldos Iniciais Ajustados
1.200.000
-194.552
355.446
0
70.691
1.431.585
5.05
Resultado Abrangente Total
0
0
0
-20.211
-134.041
-154.252
5.05.01
Lucro Líquido do Período
0
0
0
-24.628
0
-24.628
5.05.02
Outros Resultados Abrangentes
0
0
0
4.417
-134.041
-129.624
5.05.02.04
Ajustes de Conversão do Período
0
0
0
0
5.081
5.081
5.05.02.06
Avaliação Atuarial
0
0
0
0
-1.306
-1.306
5.05.02.07
Realização da depreciação do valor atribuído
0
0
0
2.401
-2.401
0
5.05.02.08
Realização da depreciação do valor atribuído das
controladas
0
0
0
1.969
-1.969
0
5.05.02.09
Realização da reserva de reavaliação líquida de impostos
0
0
0
47
-47
0
5.05.02.10
Hedge Accounting
0
0
0
0
-133.399
-133.399
5.06
Mutações Internas do Patrimônio Líquido
0
0
-20.211
20.211
0
0
5.06.04
Reserva para investimento e capital de giro
0
0
-20.211
20.211
0
0
5.07
Saldos Finais
1.200.000
-194.552
335.235
0
-63.350
1.277.333
PÁGINA: 11 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido / DMPL - 01/01/2014 à 31/12/2014
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Capital Social
Integralizado
Reservas de Capital,
Opções Outorgadas e
Ações em Tesouraria
Reservas de Lucro
Lucros ou Prejuízos
Acumulados
Outros Resultados
Abrangentes
Patrimônio Líquido
5.01
Saldos Iniciais
730.000
-195.841
685.786
0
117.256
1.337.201
5.03
Saldos Iniciais Ajustados
730.000
-195.841
685.786
0
117.256
1.337.201
5.04
Transações de Capital com os Sócios
470.000
1.289
-470.000
-67.229
0
-65.940
5.04.01
Aumentos de Capital
470.000
0
-470.000
0
0
0
5.04.06
Dividendos
0
0
0
-12.129
0
-12.129
5.04.07
Juros sobre Capital Próprio
0
0
0
-55.100
0
-55.100
5.04.08
Participação em controlada
0
1.289
0
0
0
1.289
5.05
Resultado Abrangente Total
0
0
0
206.889
-46.565
160.324
5.05.01
Lucro Líquido do Período
0
0
0
201.956
0
201.956
5.05.02
Outros Resultados Abrangentes
0
0
0
4.933
-46.565
-41.632
5.05.02.04
Ajustes de Conversão do Período
0
0
0
0
-279
-279
5.05.02.06
Avaliação Atuarial
0
0
0
0
-500
-500
5.05.02.07
Realização da depreciação do valor atribuído
0
0
0
2.657
-2.657
0
5.05.02.08
Realização do Ativo Biológico
0
0
0
0
-898
-898
5.05.02.09
Realização da depreciação do valor atribuído das
controladas
0
0
0
2.231
-2.231
0
5.05.02.10
Realização da reserva de reavaliação líquida de impostos
0
0
0
45
-45
0
5.05.02.11
Hedge Accounting
0
0
0
0
-39.955
-39.955
5.06
Mutações Internas do Patrimônio Líquido
0
0
139.660
-139.660
0
0
5.06.01
Constituição de Reservas
0
0
10.342
-10.342
0
0
5.06.04
Reserva para investimento e capital de giro
0
0
129.318
-129.318
0
0
5.07
Saldos Finais
1.200.000
-194.552
355.446
0
70.691
1.431.585
PÁGINA: 12 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido / DMPL - 01/01/2013 à 31/12/2013
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Capital Social
Integralizado
Reservas de Capital,
Opções Outorgadas e
Ações em Tesouraria
Reservas de Lucro
Lucros ou Prejuízos
Acumulados
Outros Resultados
Abrangentes
Patrimônio Líquido
5.01
Saldos Iniciais
730.000
55
522.022
0
117.419
1.369.496
5.03
Saldos Iniciais Ajustados
730.000
55
522.022
0
117.419
1.369.496
5.04
Transações de Capital com os Sócios
0
-195.896
0
-77.110
0
-273.006
5.04.06
Dividendos
0
0
0
-20.711
0
-20.711
5.04.07
Juros sobre Capital Próprio
0
0
0
-56.399
0
-56.399
5.04.08
Aquisição Investimentos Empresas
0
-199.724
0
0
0
-199.724
5.04.09
Participação em controlada
0
3.828
0
0
0
3.828
5.05
Resultado Abrangente Total
0
0
0
240.874
-163
240.711
5.05.01
Lucro Líquido do Período
0
0
0
235.062
0
235.062
5.05.02
Outros Resultados Abrangentes
0
0
0
5.812
-163
5.649
5.05.02.06
Realização da Depreciação do Valor Atribuído
0
0
0
2.138
-2.138
0
5.05.02.07
Realização do Ativo Biológico
0
0
0
8
-8
0
5.05.02.08
Ajustes da Avaliação Patrimonial
0
0
0
0
-1.529
-1.529
5.05.02.09
Outros Resultados Abrangentes nas Controladas
0
0
0
0
-254
-254
5.05.02.10
Resultados Abrangentes Empresas
0
0
0
0
7.040
7.040
5.05.02.11
Realização da Depreciação do Valor Atribuído das
Controladas
0
0
0
3.172
-3.172
0
5.05.02.12
Realização da Reserva de Reavaliação Líquida de Impostos
0
0
0
45
-45
0
5.05.02.13
Avaliação Atuarial
0
0
0
0
-57
-57
5.05.02.14
Lucro Não realizado venda de imóveis
0
0
0
449
0
449
5.06
Mutações Internas do Patrimônio Líquido
0
0
163.764
-163.764
0
0
5.06.01
Constituição de Reservas
0
0
12.041
-12.041
0
0
5.06.04
Reserva para Investimento e Capital de Giro
0
0
151.723
-151.723
0
0
5.07
Saldos Finais
730.000
-195.841
685.786
0
117.256
1.337.201
PÁGINA: 13 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração do Valor Adicionado
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
7.01
Receitas
2.148.065
2.848.908
2.339.115
7.01.01
Vendas de Mercadorias, Produtos e Serviços
2.043.093
2.800.506
2.325.280
7.01.02
Outras Receitas
3.779
11.360
2.809
7.01.03
Receitas refs. à Construção de Ativos Próprios
101.749
38.708
15.755
7.01.04
Provisão/Reversão de Créds. Liquidação Duvidosa
-556
-1.666
-4.729
7.02
Insumos Adquiridos de Terceiros
-1.734.370
-2.190.710
-1.806.436
7.02.01
Custos Prods., Mercs. e Servs. Vendidos
-1.450.155
-1.866.255
-1.583.269
7.02.02
Materiais, Energia, Servs. de Terceiros e Outros
-284.215
-324.455
-223.167
7.03
Valor Adicionado Bruto
413.695
658.198
532.679
7.04
Retenções
-58.916
-57.739
-34.361
7.04.01
Depreciação, Amortização e Exaustão
-58.916
-57.739
-34.361
7.05
Valor Adicionado Líquido Produzido
354.779
600.459
498.318
7.06
Vlr Adicionado Recebido em Transferência
286.335
259.437
311.560
7.06.01
Resultado de Equivalência Patrimonial
39.833
90.137
142.306
7.06.02
Receitas Financeiras
236.207
159.526
168.451
7.06.03
Outros
10.295
9.774
803
7.06.03.01
Aluguéis e Royalties
10.295
9.774
803
7.07
Valor Adicionado Total a Distribuir
641.114
859.896
809.878
7.08
Distribuição do Valor Adicionado
641.114
859.896
809.878
7.08.01
Pessoal
267.330
311.220
241.511
7.08.01.01
Remuneração Direta
185.308
216.327
161.583
7.08.01.02
Benefícios
31.286
36.402
27.059
7.08.01.03
F.G.T.S.
31.548
24.023
19.977
7.08.01.04
Outros
19.188
34.468
32.892
294
454
424
7.08.01.04.02 Honorários e Participações da Diretoria
8.276
11.591
8.430
7.08.01.04.03 Participação dos Empregados nos Lucros
8.203
19.831
22.125
7.08.01.04.01 Comissões sobre Vendas
7.08.01.04.04 Plano de aposentadoria e Pensão
7.08.02
Impostos, Taxas e Contribuições
2.415
2.592
1.913
113.050
131.785
133.581
PÁGINA: 14 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Individuais / Demonstração do Valor Adicionado
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
7.08.02.01
Federais
79.902
79.988
71.779
7.08.02.02
Estaduais
31.858
50.306
59.678
7.08.02.03
Municipais
1.290
1.491
2.124
7.08.03
Remuneração de Capitais de Terceiros
285.362
214.935
199.724
7.08.03.01
Juros
266.195
197.329
190.954
7.08.03.02
Aluguéis
7.08.04
Remuneração de Capitais Próprios
7.08.04.01
7.08.04.02
7.08.04.03
Lucros Retidos / Prejuízo do Período
19.167
17.606
8.770
-24.628
201.956
235.062
Juros sobre o Capital Próprio
0
55.100
56.399
Dividendos
0
12.129
20.711
-24.628
134.727
157.952
PÁGINA: 15 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Balanço Patrimonial Ativo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
1
Ativo Total
5.183.866
4.873.531
4.906.918
1.01
Ativo Circulante
3.198.537
2.985.648
3.030.862
1.01.01
Caixa e Equivalentes de Caixa
1.328.404
1.358.090
1.166.550
1.01.02
Aplicações Financeiras
403.773
156.692
247.279
1.01.03
Contas a Receber
624.794
618.132
791.747
1.01.03.01
Clientes
624.794
618.132
791.747
1.01.04
Estoques
559.132
553.510
518.957
1.01.06
Tributos a Recuperar
168.025
203.924
199.145
1.01.06.01
Tributos Correntes a Recuperar
168.025
203.924
199.145
1.01.07
Despesas Antecipadas
13.879
10.207
15.136
1.01.08
Outros Ativos Circulantes
100.530
85.093
92.048
1.01.08.03
Outros
100.530
85.093
92.048
1.01.08.03.01 Instrumentos Financeiros Derivativos
5.527
969
0
1.01.08.03.02 Direitos por Recursos de Consórcios
61.169
60.785
60.968
1.01.08.03.03 Outras Contas
33.834
23.339
31.080
1.985.329
1.887.883
1.876.056
Ativo Realizável a Longo Prazo
441.201
382.579
375.710
Contas a Receber
180.772
219.272
175.805
1.02.01.03.01 Clientes
180.772
219.272
175.805
1.02.01.06
155.103
67.780
102.452
1.02.01.06.01 Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos
155.103
67.780
102.452
1.02.01.09
1.02
Ativo Não Circulante
1.02.01
1.02.01.03
Tributos Diferidos
105.326
95.527
97.453
1.02.01.09.03 Cotas de Consórcios
Outros Ativos Não Circulantes
47.966
35.461
27.447
1.02.01.09.04 Impostos a Recuperar
33.590
27.862
33.085
1.02.01.09.05 Depósitos Judiciais
12.757
12.498
16.806
1.02.01.09.06 Outras Contas
11.013
19.706
20.115
1.02.02
Investimentos
1.648
1.719
1.719
1.02.02.01
Participações Societárias
1.648
1.719
1.719
1.648
1.719
1.719
1.02.02.01.04 Outras Participações Societárias
PÁGINA: 16 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Balanço Patrimonial Ativo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
1.02.03
Imobilizado
1.452.853
1.401.403
1.385.108
1.02.03.01
Imobilizado em Operação
1.347.342
1.329.418
1.328.265
1.02.03.03
Imobilizado em Andamento
105.511
71.985
56.843
1.02.04
Intangível
89.627
102.182
113.519
1.02.04.01
Intangíveis
89.627
102.182
113.519
PÁGINA: 17 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Balanço Patrimonial Passivo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
2
Passivo Total
5.183.866
4.873.531
4.906.918
2.01
Passivo Circulante
1.511.424
1.038.258
1.154.384
2.01.01
Obrigações Sociais e Trabalhistas
39.685
41.640
58.817
2.01.01.02
Obrigações Trabalhistas
39.685
41.640
58.817
2.01.02
Fornecedores
134.718
163.651
177.943
2.01.02.01
Fornecedores Nacionais
108.430
145.995
153.525
2.01.02.02
Fornecedores Estrangeiros
26.288
17.656
24.418
2.01.03
Obrigações Fiscais
46.528
49.092
43.780
2.01.03.01
Obrigações Fiscais Federais
44.167
42.146
38.663
2.01.03.01.01 Imposto de Renda e Contribuição Social a Pagar
10.659
5.875
3.189
2.01.03.01.02 Outras Obrigações Federais
33.508
36.271
35.474
2.043
6.612
4.815
2.01.03.02
Obrigações Fiscais Estaduais
2.01.03.03
Obrigações Fiscais Municipais
318
334
302
2.01.04
Empréstimos e Financiamentos
1.080.433
519.122
545.357
2.01.04.01
Empréstimos e Financiamentos
1.080.433
519.122
545.357
2.01.04.01.01 Em Moeda Nacional
758.550
380.855
504.270
2.01.04.01.02 Em Moeda Estrangeira
321.883
138.267
41.087
2.01.05
Outras Obrigações
178.480
223.659
281.842
2.01.05.01
Passivos com Partes Relacionadas
0
1.667
2.323
0
1.667
2.323
178.480
221.992
279.519
2.01.05.02.01 Dividendos e JCP a Pagar
7.990
56.177
73.765
2.01.05.02.04 Adiantamentos de Clientes
43.755
24.921
43.277
1.727
16.547
12.651
13.609
30.606
44.855
2.01.05.01.04 Débitos com Outras Partes Relacionadas
2.01.05.02
Outros
2.01.05.02.05 Clientes por Mercadoria a Entregar
2.01.05.02.06 Participações de Empregados e Administradores
2.01.05.02.07 Instrumentos Financeiros Derivativos
429
144
1.082
2.01.05.02.08 Obrigações por Recursos de Consorciados
61.175
60.789
60.972
2.01.05.02.09 Outras Contas
49.795
32.808
42.917
2.01.06
31.580
41.094
46.645
Provisões
PÁGINA: 18 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Balanço Patrimonial Passivo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
2.01.06.02
Outras Provisões
31.580
41.094
46.645
2.01.06.02.01 Provisões para Garantias
17.022
17.378
25.578
2.01.06.02.04 Provisão para Comissões
14.558
23.716
21.067
2.02
Passivo Não Circulante
2.084.774
2.091.929
2.109.726
2.02.01
Empréstimos e Financiamentos
2.014.110
2.054.298
2.060.609
2.02.01.01
Empréstimos e Financiamentos
2.014.110
2.054.298
2.060.609
1.306.301
1.608.689
1.573.200
707.809
445.609
487.409
23.484
28.690
36.912
0
10.455
13.837
0
10.455
13.837
23.484
18.235
23.075
2.02.01.01.01 Em Moeda Nacional
2.02.01.01.02 Em Moeda Estrangeira
2.02.02
Outras Obrigações
2.02.02.01
Passivos com Partes Relacionadas
2.02.02.01.04 Débitos com Outras Partes Relacionadas
2.02.02.02
Outros
2.02.02.02.03 Impostos e Contribuições
3.580
6.331
13.679
2.02.02.02.04 Outras Contas
19.904
11.904
9.396
2.02.03
Tributos Diferidos
31.196
0
0
2.02.03.01
Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos
31.196
0
0
2.02.04
Provisões
15.984
8.941
12.205
2.02.04.01
Provisões Fiscais Previdenciárias Trabalhistas e Cíveis
15.984
8.941
12.205
2.02.04.01.01 Provisões Fiscais
2.02.04.01.02 Provisões Previdenciárias e Trabalhistas
2.02.04.01.04 Provisões Cíveis
4.249
694
1.282
10.766
7.580
9.407
969
667
1.516
2.03
Patrimônio Líquido Consolidado
1.587.668
1.743.344
1.642.808
2.03.01
Capital Social Realizado
1.200.000
1.200.000
730.000
2.03.02
Reservas de Capital
-194.552
-194.552
-195.841
2.03.02.05
Ações em Tesouraria
-6.128
-6.128
55
2.03.02.07
Aquisições Investimentos em Controladas
-188.424
-188.424
-195.896
2.03.04
Reservas de Lucros
335.235
355.446
685.786
2.03.04.01
Reserva Legal
105.326
105.326
94.983
2.03.04.09
Ações em Tesouraria
-22.071
-22.071
-22.071
PÁGINA: 19 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Balanço Patrimonial Passivo
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
31/12/2015
Penúltimo Exercício
31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
31/12/2013
2.03.04.10
Outras Reservas de Lucro
251.980
272.191
612.874
2.03.08
Outros Resultados Abrangentes
-63.350
70.691
117.256
2.03.08.01
Ajuste Valor Atribuído ao Ativo Imobilizado
5.340
5.387
5.432
2.03.08.02
Equivalência Patrimonial s/Resultados Abrangentes Controladas
100.918
105.287
110.175
2.03.08.03
Outros Resultados Abrangentes
-173.319
-38.614
2.739
2.03.08.04
Ajuste de Avaliação Patrimonial
2.03.09
Participação dos Acionistas Não Controladores
3.711
-1.369
-1.090
310.335
311.759
305.607
PÁGINA: 20 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração do Resultado
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
3.01
Receita de Venda de Bens e/ou Serviços
3.099.402
3.778.753
4.253.328
3.02
Custo dos Bens e/ou Serviços Vendidos
-2.458.475
-2.835.746
-3.213.688
3.03
Resultado Bruto
640.927
943.007
1.039.640
3.04
Despesas/Receitas Operacionais
-603.697
-573.595
-593.218
3.04.01
Despesas com Vendas
-348.115
-343.789
-357.838
3.04.02
Despesas Gerais e Administrativas
-219.751
-200.366
-183.186
3.04.04
Outras Receitas Operacionais
33.776
49.365
18.279
3.04.05
Outras Despesas Operacionais
-69.607
-78.805
-70.473
3.05
Resultado Antes do Resultado Financeiro e dos Tributos
37.230
369.412
446.422
3.06
Resultado Financeiro
-43.315
-38.284
-34.548
3.06.01
Receitas Financeiras
422.834
277.762
305.829
3.06.02
Despesas Financeiras
-466.149
-316.046
-340.377
3.07
Resultado Antes dos Tributos sobre o Lucro
-6.085
331.128
411.874
3.08
Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro
5.334
-84.843
-105.108
3.08.01
Corrente
-57.258
-41.674
-111.749
3.08.02
Diferido
62.592
-43.169
6.641
3.09
Resultado Líquido das Operações Continuadas
-751
246.285
306.766
3.11
Lucro/Prejuízo Consolidado do Período
-751
246.285
306.766
3.11.01
Atribuído a Sócios da Empresa Controladora
-24.628
201.956
235.062
3.11.02
Atribuído a Sócios Não Controladores
23.877
44.329
71.704
3.99
Lucro por Ação - (Reais / Ação)
3.99.01
Lucro Básico por Ação
3.99.01.01
ON
-0,08000
0,66000
0,98000
3.99.01.02
PN
-0,08000
0,66000
0,98000
3.99.02
Lucro Diluído por Ação
3.99.02.01
ON
-0,08000
0,66000
0,98000
3.99.02.02
PN
-0,08000
0,66000
0,98000
PÁGINA: 21 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração do Resultado Abrangente
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
4.01
Lucro Líquido Consolidado do Período
4.02
Outros Resultados Abrangentes
4.02.01
Ajustes Acumulados de Conversão
4.02.02
Ganho Atuarial - Randonprev
4.02.03
Outros Resultados Abrangentes nas Controladas
4.02.04
4.02.05
4.03
4.03.01
4.03.02
Atribuído a Sócios Não Controladores
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
-751
246.285
306.766
-129.624
-41.632
5.200
5.081
-279
-1.529
-1.306
-500
-57
-133.399
-60.538
10.282
Imposto de Renda e Contribuição Social Diferidos
0
20.583
-3.496
Realização do Ativo Biológico
0
-898
0
Resultado Abrangente Consolidado do Período
-130.375
204.653
311.966
Atribuído a Sócios da Empresa Controladora
-154.252
167.815
240.214
23.877
36.838
71.752
PÁGINA: 22 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração do Fluxo de Caixa - Método Indireto
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
6.01
Caixa Líquido Atividades Operacionais
157.627
696.111
426.352
6.01.01
Caixa Gerado nas Operações
498.510
644.957
728.328
6.01.01.01
Lucro Líquido do Exercício
-751
201.956
235.062
6.01.01.02
Depreciação e Amortização
124.648
121.051
117.471
6.01.01.03
Provisões para Litígios
7.043
-3.264
-1.531
6.01.01.04
Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa
13.621
3.529
3.726
6.01.01.05
Provisão para Estoque Obsoleto
-947
5.011
4.508
6.01.01.06
Provisão para Imposto de Renda e Contribuição Social Corrente e Diferido
6.01.01.07
Outras Provisões
6.01.01.08
Custo Residual de Ativos Permanentes Baixados e Vendidos
6.01.01.09
Baixa de Investimento
72
0
66.537
6.01.01.10
Participação dos Minoritários
0
6.152
-54.342
6.01.01.11
Variação sobre Empréstimos
391.417
240.560
210.991
6.01.01.12
Variação em Derivativos
-4.273
-1.907
2.724
6.01.02
Variações nos Ativos e Passivos
-340.883
51.154
-301.976
6.01.02.01
Contas a Receber
10.061
-40.129
-20.697
6.01.02.02
Contas a Receber de Clientes
18.217
126.619
-195.746
6.01.02.03
Estoques
-4.675
-39.564
9.833
6.01.02.04
Fornecedores
-28.933
-14.292
-29.362
6.01.02.05
Contas a Pagar
-50.773
-52.573
44.508
6.01.02.06
Imposto de Renda e Contribuição Social Pagos
-37.699
-19.494
-107.416
6.01.02.07
Aplicações Financeiras
-247.081
90.587
-3.096
6.02
Caixa Líquido Atividades de Investimento
-131.457
-129.335
-159.598
6.02.01
Aquisição de Ativo Imobilizado
-127.788
-122.069
-145.384
6.02.02
Adições ao Ativo Intangível
-3.668
-7.266
-10.791
6.02.03
Adição no Investimento
-1
0
-3.423
6.03
Caixa Líquido Atividades de Financiamento
-55.856
-375.236
44.541
6.03.01
Pagamento de Dividendos
-31.486
-43.163
-6.926
6.03.02
Juros sobre Capital Próprio
-32.405
-54.929
-49.102
-5.334
84.843
105.108
-26.155
-16.300
25.083
-831
3.326
12.991
PÁGINA: 23 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração do Fluxo de Caixa - Método Indireto
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
6.03.03
Empréstimos Tomados
1.300.036
496.969
1.547.392
6.03.04
Pagamento de Empréstimos
6.03.05
Empréstimos Tomados (Pagos) com Outras Partes Relacionadas
-1.077.601
-613.154
-898.704
0
-4.038
-619
6.03.06
Juros Pagos por Empréstimos
6.03.07
Aquisição de Investimentos
-214.400
-156.921
-126.428
0
0
-421.072
6.05
Aumento (Redução) de Caixa e Equivalentes
6.05.01
Saldo Inicial de Caixa e Equivalentes
-29.686
191.540
311.295
1.358.090
1.166.550
855.255
6.05.02
Saldo Final de Caixa e Equivalentes
1.328.404
1.358.090
1.166.550
PÁGINA: 24 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido / DMPL - 01/01/2015 à 31/12/2015
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Capital Social
Integralizado
Reservas de Capital,
Opções Outorgadas e
Ações em Tesouraria
Reservas de Lucro
Lucros ou Prejuízos
Acumulados
Outros Resultados
Abrangentes
Patrimônio Líquido
Participação dos Não
Controladores
Patrimônio Líquido
Consolidado
5.01
Saldos Iniciais
1.200.000
-194.552
355.446
0
70.691
1.431.585
311.759
1.743.344
5.03
Saldos Iniciais Ajustados
1.200.000
-194.552
355.446
0
70.691
1.431.585
311.759
1.743.344
5.05
Resultado Abrangente Total
0
0
0
-20.211
-134.041
-154.252
-1.424
-155.676
5.05.01
Lucro Líquido do Período
0
0
0
-24.628
0
-24.628
23.877
-751
5.05.02
Outros Resultados Abrangentes
0
0
0
4.417
-134.041
-129.624
-25.301
-154.925
5.05.02.04
Ajustes de Conversão do Período
0
0
0
0
5.081
5.081
-25.301
-20.220
5.05.02.06
Avaliação Atuarial
0
0
0
0
-1.306
-1.306
0
-1.306
5.05.02.07
Realização da depreciação do valor
atribuído
0
0
0
2.401
-2.401
0
0
0
5.05.02.08
Realização da depreciação do valor
atribuído das controladas
0
0
0
1.969
-1.969
0
0
0
5.05.02.09
Realização da Reserva de reavaliação
líquida de impostos
0
0
0
47
-47
0
0
0
5.05.02.10
Hedge Accounting
0
0
0
0
-133.399
-133.399
0
-133.399
5.06
Mutações Internas do Patrimônio Líquido
0
0
-20.211
20.211
0
0
0
0
5.06.04
Reserva para Investimento e Capital de
Giro
0
0
-20.211
20.211
0
0
0
0
5.07
Saldos Finais
1.200.000
-194.552
335.235
0
-63.350
1.277.333
310.335
1.587.668
PÁGINA: 25 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido / DMPL - 01/01/2014 à 31/12/2014
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Capital Social
Integralizado
Reservas de Capital,
Opções Outorgadas e
Ações em Tesouraria
Reservas de Lucro
Lucros ou Prejuízos
Acumulados
Outros Resultados
Abrangentes
Patrimônio Líquido
Participação dos Não
Controladores
Patrimônio Líquido
Consolidado
5.01
Saldos Iniciais
730.000
-195.841
685.786
0
117.256
1.337.201
305.607
1.642.808
5.03
Saldos Iniciais Ajustados
730.000
-195.841
685.786
0
117.256
1.337.201
305.607
1.642.808
5.04
Transações de Capital com os Sócios
470.000
1.289
-470.000
-67.229
0
-65.940
0
-65.940
5.04.01
Aumentos de Capital
470.000
0
-470.000
0
0
0
0
0
5.04.06
Dividendos
0
0
0
-12.129
0
-12.129
0
-12.129
5.04.07
Juros sobre Capital Próprio
0
0
0
-55.100
0
-55.100
0
-55.100
5.04.08
Participação em Controlada
0
1.289
0
0
0
1.289
0
1.289
5.05
Resultado Abrangente Total
0
0
0
206.889
-46.565
160.324
6.152
166.476
5.05.01
Lucro Líquido do Período
0
0
0
201.956
0
201.956
44.329
246.285
5.05.02
Outros Resultados Abrangentes
0
0
0
4.933
-46.565
-41.632
-38.177
-79.809
5.05.02.04
Ajustes de Conversão do Período
0
0
0
0
-279
-279
0
-279
5.05.02.06
Avaliação Atuarial
0
0
0
0
-500
-500
0
-500
5.05.02.07
Realização da depreciação do valor
atribuído
0
0
0
2.657
-2.657
0
0
0
5.05.02.08
Realização do Ativo Biológico
0
0
0
0
-898
-898
0
-898
5.05.02.09
Realização da depreciação do valor
atribuido das controladas
0
0
0
2.231
-2.231
0
0
0
5.05.02.10
Realização Reserva de Reavaliação
Líquida de Impostos
0
0
0
45
-45
0
0
0
5.05.02.11
Hedge Accounting
0
0
0
0
-39.955
-39.955
0
-39.955
5.05.02.12
Efeito dos acionistas não controladores
sobre empresas consolidadas
0
0
0
0
0
0
-38.177
-38.177
5.06
Mutações Internas do Patrimônio Líquido
0
0
139.660
-139.660
0
0
0
0
5.06.01
Constituição de Reservas
0
0
10.342
-10.342
0
0
0
0
5.06.04
Reserva para investimento e capital de
giro
0
0
129.318
-129.318
0
0
0
0
5.07
Saldos Finais
1.200.000
-194.552
355.446
0
70.691
1.431.585
311.759
1.743.344
PÁGINA: 26 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido / DMPL - 01/01/2013 à 31/12/2013
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Capital Social
Integralizado
Reservas de Capital,
Opções Outorgadas e
Ações em Tesouraria
Reservas de Lucro
Lucros ou Prejuízos
Acumulados
Outros Resultados
Abrangentes
Patrimônio Líquido
Participação dos Não
Controladores
Patrimônio Líquido
Consolidado
5.01
Saldos Iniciais
730.000
55
522.022
0
117.419
1.369.496
488.161
1.857.657
5.03
Saldos Iniciais Ajustados
730.000
55
522.022
0
117.419
1.369.496
488.161
1.857.657
5.04
Transações de Capital com os Sócios
0
-195.896
0
-77.110
0
-273.006
0
-273.006
5.04.06
Dividendos
0
0
0
-20.711
0
-20.711
0
-20.711
5.04.07
Juros sobre Capital Próprio
0
0
0
-56.399
0
-56.399
0
-56.399
5.04.08
Aquisição Investimentos Empresa
0
-199.724
0
0
0
-199.724
0
-199.724
5.04.09
Participação em Controlada
0
3.828
0
0
0
3.828
0
3.828
5.05
Resultado Abrangente Total
0
0
0
240.874
-163
240.711
-182.554
58.157
5.05.01
Lucro Líquido do Período
0
0
0
235.062
0
235.062
71.704
306.766
5.05.02
Outros Resultados Abrangentes
0
0
0
5.812
-163
5.649
-254.258
-248.609
5.05.02.06
Realização da Depreciação do Valor
Atribuído
0
0
0
2.138
-2.138
0
0
0
5.05.02.07
Realização do Ativo Biológico
0
0
0
8
-8
0
0
0
5.05.02.08
Ajustes da Avaliação Patrimonial
0
0
0
0
-1.529
-1.529
0
-1.529
5.05.02.09
Outros Resultados Abrangentes nas
Controladas
0
0
0
0
-254
-254
0
-254
5.05.02.10
Resultados Abrangentes Empresas
0
0
0
0
7.040
7.040
0
7.040
5.05.02.11
Realização da Depreciação do valor
Atribuído das Controladas
0
0
0
3.172
-3.172
0
0
0
5.05.02.12
Realização da Reserva da Realização
Líquida de Impostos
0
0
0
45
-45
0
0
0
5.05.02.13
Avaliação Atuarial
0
0
0
0
-57
-57
0
-57
5.05.02.14
Efeito dos Acionistas não Controladores
sobre Empresas Consolidadas
0
0
0
0
0
0
-254.258
-254.258
5.05.02.15
Lucro não realizado venda de imóveis
0
0
0
449
0
449
0
449
5.06
Mutações Internas do Patrimônio Líquido
0
0
163.764
-163.764
0
0
0
0
5.06.01
Constituição de Reservas
0
0
12.041
-12.041
0
0
0
0
5.06.04
Reserva para Investimento e Capital de
Giro
0
0
151.723
-151.723
0
0
0
0
5.07
Saldos Finais
730.000
-195.841
685.786
0
117.256
1.337.201
305.607
1.642.808
PÁGINA: 27 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração do Valor Adicionado
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
7.01
Receitas
3.923.699
4.760.389
5.366.812
7.01.01
Vendas de Mercadorias, Produtos e Serviços
3.801.125
4.700.883
5.344.921
7.01.02
Outras Receitas
10.119
24.327
9.862
7.01.03
Receitas refs. à Construção de Ativos Próprios
125.096
38.708
15.755
7.01.04
Provisão/Reversão de Créds. Liquidação Duvidosa
-12.641
-3.529
-3.726
7.02
Insumos Adquiridos de Terceiros
-2.711.856
-3.235.267
-3.640.972
7.02.01
Custos Prods., Mercs. e Servs. Vendidos
-1.905.880
-2.436.006
-2.832.207
7.02.02
Materiais, Energia, Servs. de Terceiros e Outros
7.03
Valor Adicionado Bruto
7.04
Retenções
7.04.01
Depreciação, Amortização e Exaustão
7.05
Valor Adicionado Líquido Produzido
7.06
7.06.02
7.06.03
7.06.03.01
7.07
7.08
7.08.01
7.08.01.01
7.08.01.02
-805.976
-799.261
-808.765
1.211.843
1.525.122
1.725.840
-124.648
-121.051
-117.471
-124.648
-121.051
-117.471
1.087.195
1.404.071
1.608.369
Vlr Adicionado Recebido em Transferência
435.518
289.074
311.059
Receitas Financeiras
422.834
277.762
305.829
Outros
12.684
11.312
5.230
Aluguéis e Royalties
12.684
11.312
5.230
Valor Adicionado Total a Distribuir
1.522.713
1.693.145
1.919.428
Distribuição do Valor Adicionado
1.522.713
1.693.145
1.919.428
Pessoal
621.727
677.752
696.930
Remuneração Direta
438.586
482.155
490.119
Benefícios
76.644
80.326
79.946
7.08.01.03
F.G.T.S.
60.918
49.146
49.238
7.08.01.04
Outros
45.579
66.125
77.627
7.08.01.04.01 Comissões sobre Vendas
2.309
3.311
6.147
7.08.01.04.02 Honorários e Participações da Diretoria
16.972
19.756
17.701
7.08.01.04.03 Participação dos Empregados no Lucros
21.739
38.219
49.231
4.559
4.839
4.548
7.08.01.04.04 Planos de Aposentadoria e Pensão
7.08.02
Impostos, Taxas e Contribuições
399.024
419.494
545.960
7.08.02.01
Federais
245.211
260.107
343.882
PÁGINA: 28 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
DFs Consolidadas / Demonstração do Valor Adicionado
(Reais Mil)
Código da
Conta
Descrição da Conta
Último Exercício
01/01/2015 à 31/12/2015
Penúltimo Exercício
01/01/2014 à 31/12/2014
Antepenúltimo Exercício
01/01/2013 à 31/12/2013
7.08.02.02
Estaduais
149.334
154.036
196.072
7.08.02.03
Municipais
4.479
5.351
6.006
7.08.03
Remuneração de Capitais de Terceiros
502.713
349.614
369.772
7.08.03.01
Juros
466.149
316.046
340.377
7.08.03.02
Aluguéis
36.564
33.568
29.395
7.08.04
Remuneração de Capitais Próprios
-751
246.285
306.766
7.08.04.01
Juros sobre o Capital Próprio
0
55.100
56.399
7.08.04.02
Dividendos
7.08.04.03
Lucros Retidos / Prejuízo do Período
7.08.04.04
Part. Não Controladores nos Lucros Retidos
0
12.129
20.711
-24.628
134.727
157.952
23.877
44.329
71.704
PÁGINA: 29 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Caxias do Sul, RS, 23 de março de 2016. A Randon S.A. – Implementos e Participações
(BM&FBovespa - RAPT3 e RAPT4), controladora de oito empresas que atuam nos segmentos
de veículos e implementos, autopeças e serviços financeiros, anuncia seus resultados do
exercício encerrado em 31/12/2015. As informações financeiras e operacionais da Companhia,
exceto quando indicadas de outra forma, estão consolidadas de acordo com as normas
internacionais IFRS – International Financial Reporting Standards e os valores monetários estão
expressos em Reais.
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO
2015
Página 1 de 36
PÁGINA: 30 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Índice
 Mensagem da Presidência
3
 Principais Indicadores
4
 Perfil
5
 Desempenho Geral Consolidado 2015
8
 Desempenho por Segmento
18
 Valor Adicionado
24
 Gestão de Pessoas
25
 Sustentabilidade
26
 Mercado de Capitais
26
 Agradecimentos
30
 Prêmios e Destaques
30
 Administração
32
 Endereços e Contatos
33
 Demonstrações Financeiras Resumidas
34
Página 2 de 36
PÁGINA: 31 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Mensagem da Presidência
Tempos difíceis e suas lições.
Estamos vivenciando uma das mais longas e profundas crises das últimas décadas no Brasil, que ganha
maior relevância pelo viés político e ético, paralisando a economia. Simultaneamente, a Randon se depara com
redução na demanda, em seus segmentos de atuação, de mais de cinquenta por cento, considerando os últimos
dois anos. Este cenário complexo, com total falta de previsibilidade, é o nosso maior desafio para continuarmos
crescendo de maneira sustentável.
O ano de 2015 foi desafiador e deixou lições importantes. Internamente avaliamos ainda mais a
Organização, reduzimos a estrutura de custos, melhoramos processos, incrementamos a produtividade e
promovemos mudanças na estrutura de gestão.
A simplificação estrutural tornou o processo decisório mais ágil e eficiente, possibilitando maior interação
entre as unidades operacionais e seus “clusters”, através de gestão matricial. Estas inovações influenciarão
positivamente os resultados, e já se mostram como um movimento que marcará época na Companhia, da mesma
forma do que ocorreu em outros momentos decisivos de nossa longa história.
Estamos enfrentando este período de grande dificuldade com a consciência, a parceria e a compreensão
de nossos clientes, fornecedores, acionistas e, principalmente, de nossos funcionários.
Lamentamos que hoje estejamos em menor número. Esta é a consequência mais grave de uma crise destas
proporções, pois respeitamos as pessoas em todas as nossas ações.
Ajustados para os tempos atuais, seguimos escrevendo a história de quem sabe e gosta de trabalhar. Com
criatividade e persistência, vamos transformar a crise em oportunidades que ajudem a perpetuar as empresas
Randon.
Vamos avançar juntos.
David Abramo Randon
Diretor-presidente
“Com criatividade e persistência, vamos transformar
a crise em oportunidades que ajudem a perpetuar as
empresas Randon”.
Página 3 de 36
PÁGINA: 32 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Principais Indicadores
Mercado de Capitais
Dividendos + Juros s/ Capital (R$ p/ação)*
Dividend Yield (%) **
Retorno sobre o Patrimônio Líquido (%) ***
Valor de mercado 31 Dez (R$ bilhões)
Número de Funcionários
2014
2015
10.732
8.536
Valores em Reais correntes
CAGR: Taxa Média Anual Composta de Crescimento
ROE: Retorno sobre o Patrimônio
2014 2015
Var. %
0,2206 0,0000 -100,00
5,07% 0,00% -5,1 p.p.
15,1% -1,7% -16,8 p.p.
1,33
0,69
-47,9
*
Deliberações do exercício.
** Deliberações do exercício por ação e a cotação do
último dia do ano que antecede o exercício em análise.
*** Relação entre o lucro líquido e o patrimônio líquido ano
anterior da controladora.
Var. %
-20,5
Página 4 de 36
PÁGINA: 33 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Perfil
A história das Empresas Randon iniciou em 1949 com a fundação de uma pequena oficina mecânica voltada
à reforma de motores industriais em Caxias do Sul, RS. Hoje, a Randon é uma referência global, mantém parcerias
estratégicas com empresas de classe mundial e exporta para todos os continentes. A Randon está entre as
maiores empresas privadas brasileiras, possuindo a liderança na maior parte dos segmentos de atuação, e faz
parte do Nível 1 de Governança Corporativa da Bovespa.
O conglomerado de Empresas Randon conta com a mais completa linha de equipamentos para o transporte
de carga terrestre, com veículos rebocados (reboques/semirreboques), vagões ferroviários e veículos especiais.
Atua ainda nos segmentos de autopeças e sistemas automotivos, além dos serviços de consórcio e de banco.
O complexo é formado por nove empresas operacionais, sendo controladora a Randon S.A. Implementos e
Participações e controladas diretas: Fras-le S.A., Randon Argentina S.A., Randon Implementos para o Transporte
Ltda., Randon Administradora de Consórcios Ltda., Master Sistemas Automotivos Ltda., JOST Brasil Sistemas
Automotivos Ltda., Castertech Tecnologia e Fundição Ltda. e Randon Investimentos Ltda. (holding do Banco
Randon SA).
Desde 2009, a Randon S.A. Implementos e Participações vem aprimorando sua estrutura societária, tendo
incorporado três sociedades controladas, nas quais detinha praticamente 100% de participação - Randon
Veículos Ltda. (2009), Suspensys Sistemas Automotivos Ltda. (2013) e Randon Brantech Implementos para o
Transporte Ltda. (2014) - que passaram a operar como filiais.
Em dezembro/2014, o estabelecimento matriz foi segregado em dois estabelecimentos distintos,
permitindo que o resultado operacional da unidade de negócio Implementos seja apurado em separado da
Holding. Nesse sentido, a unidade matriz passou a ser identificada com o CNPJ 89.086.144/0011-98 e a unidade
de negócio Implementos manteve o CNPJ 89.086.144/0001-16, porém passou a operar como uma filial da
Companhia. Tal mudança, não afetou a estrutura societária das Empresas Randon, tampouco terá reflexos
perante os acionistas, uma vez que permanece uma única pessoa jurídica, Randon S.A. Implementos e
Participações, com estabelecimentos matriz e filiais, também não foram necessárias modificações do Estatuto
Social da Companhia, tendo em conta que o endereço da sede permanece inalterado.
O controle acionário da Companhia é exercido pela DRAMD Administração e Participações Ltda. que,
juntamente com as participações individuais de seus sócios, detêm 40,6% do seu capital total.
Página 5 de 36
PÁGINA: 34 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Cluster Montadoras
Implementos e Veículos Especiais
O segmento de implementos e veículos especiais é representado pelas seguintes empresas: Randon S.A.
Implementos e Participações, Randon Argentina S.A., Randon Implementos para o Transporte Ltda., e as filiais
da Randon S.A. Implementos e Participações: Randon Brantech e Randon Veículos.
A Randon Implementos é a maior fabricante de implementos rodoviários da América Latina. Fabrica
carrocerias, reboques e semirreboques nos modelos graneleiro, tanque, carga seca, basculante, silo, frigorífico,
canavieiro, florestal, sider e furgão e, desde 2004, vagões ferroviários de carga dos tipos hopper, gôndola, tanque,
carga geral, plataforma, entre outros.
A Randon Veículos atua no desenvolvimento, fabricação, venda e assistência técnica de caminhões forade-estrada rígidos e articulados, tratores florestais, retroescavadeiras, assim como na comercialização de peças
e componentes.
Cluster Autopeças
Autopeças
O segmento de Autopeças é composto pelas empresas: Suspensys (filial da Randon S.A. Implementos e
Participações), Fras-le S.A., Master Sistemas Automotivos Ltda., JOST Brasil Sistemas Automotivos Ltda. e
Castertech Fundição e Tecnologia Ltda..
A Fras-le S.A. produz lonas e pastilhas de freio que compõem o conjunto de freio produzido pela Master
Sistemas Automotivos Ltda.. Este, por sua vez, integra o conjunto de eixo e suspensão produzido pela Suspensys
(Divisão da Randon Implementos). E a JOST Brasil Sistemas Automotivos Ltda. produz o conjunto de articulação
e acoplamento que une o veículo trator ao veículo rebocado.
A Castertech Fundição e Tecnologia Ltda. está voltada à produção de componentes em ferro fundido
nodular para fornecimento às Empresas Randon, atendendo a um processo de integração da cadeia.
Serviços Financeiros
Os serviços são representados pelas empresas: Randon Consórcios e Randon Investimentos (Banco
Randon). A Randon Consórcios comercializa e administra grupos de consórcios, como forma de prover
financiamento aos clientes de produtos finais e o Banco Randon atua como suporte das vendas, com
financiamento direcionado a clientes e fornecedores das Empresas Randon.
Página 6 de 36
PÁGINA: 35 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Estrutura organizacional – após restruturação
Estrutura operacional
Página 7 de 36
PÁGINA: 36 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Desempenho Geral Consolidado 2015
Comentário Geral
O exercício de 2015 reforçou a necessidade de uma vasta pauta de ajustes e mudanças na gestão da Companhia.
Intimamente ligados com o desempenho da economia doméstica, os resultados e indicadores da Randon foram
afetados pelo macro cenário desafiador. A crise de confiança político-econômica instalada no País continuou
determinante para que a economia permanecesse em recessão e afetasse os fragilizados volumes de vendas e
produção da cadeia automotiva, em especial o mercado de pesados.
Assim, o extrato do ano carrega reduções nas receitas, despesas e custos não recorrentes da agenda de
mudanças:
 Ajustes de despesas e custos;
 Ampliação do esforço comercial nas exportações;
 Adequações no tamanho dos recursos empregados na produção, administração e vendas ao tamanho de
mercado vigente;
 Foco na redução do endividamento e na formação de caixa livre para os próximos trimestres e exercício;
 Ações para reduzir os investimentos e necessidade de capital de giro.
Em resposta à baixa demanda, as montadoras trabalharam no ajuste dos níveis dos estoques de seus pátios e
dos seus concessionários, afetando ainda mais o volume de produção, o pior nível dos últimos 15 anos, 74.062
Página 8 de 36
PÁGINA: 37 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
unidades de caminhões (-47,1%) e 33.056 unidades de semirreboques (-45,1%). A venda de caminhões encerrou
o ano em 71.655 unidades, baixa de 47,7% em comparação com 2014. As quedas não foram diferentes no setor
de semirreboques, 29.620 unidades em 2015 (-47,5%).
No lado positivo de demanda, os setores de reposição e de vagões foram destaques. Além disto, a desvalorização
do real frente ao dólar americano deu nova competitividade às exportações.
Os principais indicadores do período foram:




Receita Bruta Total 2015, antes da consolidação, de R$ 4,2 bilhões, queda de 22,4% em relação a
2014;
Receita Líquida Consolidada 2015 de R$ 3,1 bilhões, 18,0% menos que 2014;
EBITDA de R$ 161,9 milhões, 67,0% menor se comparado com 2014 e EBITDA Ajustado de R$
258,2 milhões em 2015;
R$ 24,6 milhões de prejuízo líquido em 2015, contra lucro líquido de R$ 202,0 milhões em 2014.
As condições de mercado atuais não abrem espaço para muito otimismo. Os ajustes e adequações devem
permanecer até que a demanda se estabilize a níveis razoáveis. Este é um caminho de uma única via para reforçar
os indicadores de rentabilidade, resultado e controle da dívida.
Considerando o Guidance revisado da Companhia, divulgado em 12 de agosto de 2015, apresentamos o
seguinte desempenho:
Projeção
Realizado
Receita Bruta Total (sem eliminações)
R$ 4,2 bilhões
R$ 4,2 bilhões
Receita Líquida Consolidada
R$ 3,0 bilhões
R$ 3,1 bilhões
Receitas do Exterior
US$ 265 milhões
US$ 301 milhões
Importações
US$ 60 milhões
US$ 60 milhões
Investimentos
R$ 120 milhões
R$ 161,6 milhões
A seguir, comentários e indicadores de desempenho detalhados:
Receitas
A receita bruta total (sem eliminação das vendas entre as empresas) atingiu R$ 4,2 bilhões em 2015, com
queda de 22,4% sobre 2014 (R$ 5,5 bilhões).
Página 9 de 36
PÁGINA: 38 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
A receita líquida consolidada, no exercício de 2015, atingiu R$ 3,1 bilhões, 18,0% menor que no período
de 2014 em que somou R$ 3,8 bilhões.
Composição da Receita Líquida Consolidada JAN-DEZ/2015
As vendas entre empresas representaram 9,4% da receita líquida total em 2015 contra 12,9% em 2014.
Distribuição da Receita por Segmento
2015
2014
RECEITA
RECEITA
VENDA ENTRE
RECEITA LÍQUIDA
LÍQUIDA
% S/ RECEITA
LÍQUIDA
EMPRESAS
CONSOLIDADA
CONSOLIDADA
Randon S.A. Impl. e Participações (Controladora)
Randon Impl. p/o Transporte Ltda.
Randon Brantech Ltda. (até 30.04.2014)
Randon Argentina S.A.
Escritórios Internacionais
VEÍCULOS E IMPLEMENTOS
1.347.355
191.398
103.177
83.720
8.727
-
9.009
9.009
1.263.635
182.671
103.177
-
% S/ RECEITA
40,8%
1.452.414
38,4%
5,9%
359.189
9,5%
0,0%
29.301
0,8%
3,3%
71.661
1,9%
0,0%
-
0,0%
1.650.938
101.456
1.549.483
50,0%
Master Sistemas Automotivos Ltda.
265.614
76.104
189.509
6,1%
1.912.565
289.972
JOST Brasil Sistemas Automotivos Ltda.
115.492
39.121
76.372
2,5%
129.730
3,4%
Fras-Le S.A. (Consolidado)
875.026
19.165
855.861
27,6%
728.754
19,3%
Randon S.A. Impl. e Participações (Divisão Suspensys)
315.397
20.634
294.763
9,5%
587.909
15,6%
53.773
50.982
2.791
0,1%
2.645
0,1%
1.625.302
206.007
1.419.295
45,8%
1.739.009
46,0%
2,4%
Castertech Fundição e Tecnologia Ltda
AUTOPEÇAS
50,6%
7,7%
Randon Administradora de Consórcios Ltda.
96.018
-
96.018
3,1%
91.000
Randon Investimentos Ltda.
47.215
12.609
34.606
1,1%
36.179
1,0%
143.233
12.609
130.624
4,2%
127.179
3,4%
3.419.473
320.072
3.099.401
100%
3.778.753
100%
SERVIÇOS FINANCEIROS
TOTAL
Valores em R$ Mil
Segue abaixo gráfico da participação das receitas por segmento em 2014 e 2015:
Página 10 de 36
PÁGINA: 39 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Custo dos Produtos Vendidos
O custo dos produtos vendidos representou 79,3% da receita líquida consolidada ou R$ 2,5 bilhões (no
exercício de 2015) contra R$ 2,8 bilhões referentes a 2014 e que representou 75,0% da receita líquida.
Em um ano de produção fragilizada, a disciplina de custos ganhou relevância. A Companhia concluiu com
êxito a implantação da área de Compras Corporativas e os resultados desta iniciativa foram fundamentais para a
manutenção dos preços de matéria prima. Os ganhos só não foram melhor percebidos por conta dos estoques
de produtos finais, boa parte em base de custos anterior ao projeto. Além disto, os ajustes de estrutura e mão
de obra trouxeram despesas não recorrentes em 2015 (R$ 47,6 milhões).
Página 11 de 36
PÁGINA: 40 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Segue gráfico que expõe a distribuição do CPV em 2015:
Outros
10,5%
Depreciação
3,6%
Mat. Prima
72,0 %
MO
13,9%
Lucro Bruto
O lucro bruto chegou a R$ 640,9 milhões no acumulado de 2015 e representou 20,7% da receita líquida
consolidada, com redução de 32,0%, em relação ao ano de 2014, quando o lucro bruto totalizou R$ 943,0 milhões
ou 25,0% da receita líquida consolidada.
*2015 Ajustado: adicionados os gastos com reestruturação no CPV e o Hedge Accounting.
Despesas Operacionais (Administrativas /Comerciais /Outras)
As despesas operacionais em 2015 representaram 19,5% sobre a receita líquida consolidada contra 15,2%
no ano de 2014, ficando em R$ 603,7 milhões (R$ 573,6 milhões em 2014).
Página 12 de 36
PÁGINA: 41 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Despesas não recorrentes acresceram as despesas operacionais durante o ano (R$ 18,9 milhões). Além
disso, gastos com fretes foram superiores a 2014 em função da alta demanda de vagões. O recuo das receitas
não permitiu eficiência de escala nas despesas operacionais.
Geração Bruta de Caixa (EBITDA)
O EBITDA (geração bruta de caixa) totalizou R$ 161,9 milhões ou 5,2% sobre a receita líquida do período,
enquanto em 2014 havia registrado R$ 490,5 milhões ou 13,0% sobre a receita líquida.
A redução da geração bruta de caixa é explicada principalmente pela baixa escala e nível de faturamento,
pelas despesas com reestruturação (R$ 62,1 milhões), provisões não operacionais (R$ 4,3 milhões) e pelo impacto
da amortização de parcelas de dívida em moeda estrangeira designada como Hedge Accounting (R$ 29,8
milhões).
O instrumento utilizado pela Companhia, desde janeiro de 2014, transfere as variações cambiais dos
empréstimos para o Patrimônio Líquido, evitando flutuações mensais da moeda estrangeira nas despesas
financeiras. As travas de câmbio são feitas entre os vencimentos dos empréstimos contra as receitas de
exportação, e na ocasião dos vencimentos das parcelas, a variação cambial correspondente é suprimida da
receita de exportação, impactando o resultado operacional e por consequência a formação do EBITDA.
Ajustado aos efeitos não recorrentes, o EBITDA soma R$ 258,2 milhões (8,3% Margem EBITDA) em 2015.
Página 13 de 36
PÁGINA: 42 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Resultado Financeiro
O resultado financeiro líquido consolidado (receitas menos despesas) passou de R$ 38,3 milhões
negativos em 2014, para R$ 43,3 milhões negativos em 2015.
O endividamento financeiro líquido consolidado (dívida bruta menos disponibilidades e aplicações
financeiras) atingiu R$ 1,4 bilhão no encerramento de 2015, equivalente a um múltiplo de 8,38 vezes o EBITDA
dos últimos doze meses. No mesmo período de 2014, este endividamento era de R$ 1,1 bilhão e representava
múltiplo de 2,16 vezes o EBITDA dos últimos doze meses.
Dívida Líquida (sem Banco Randon) – Cabe salientar que parte do endividamento líquido consolidado da
Companhia, R$ 308,7 milhões, se refere à atividade financeira do Banco Randon. Com a exclusão do valor relativo
a esta atividade, o endividamento líquido consolidado seria de R$ 1,1 bilhão e um múltiplo de 6,93 vezes o EBITDA
dos últimos doze meses. Utilizando o EBITDA Ajustado (sem as operações do Banco Randon), o múltiplo fica em
4,24 vezes o EBITDA nos últimos 12 meses.
Página 14 de 36
PÁGINA: 43 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Dívida Líquida Consolidada (Sem Banco)
(R$ Milhão)
*Dívida/EBITDA
0,64 x
1.103,4
2,15 x
-354,1
1.104,7
-616,6
-1.457,5
-1.721,3
2011
2012
Disponibilidades
1,68 x
1,45 x
4,24 x
1.426,2
1.565,0
1.777,8
-938,9
-697,2
-2.365,1
-2.262,2
2013
2014
Empréstimos e Financiamentos
-1.052,0
-2.829,9
2015 Ajustado
Dívida Líquida
O gráfico acima apresenta a dívida da Companhia sem os indicadores de caixa e dívida do Banco Randon.
O EBITDA comparativo para cálculo de endividamento utilizado está ajustado aos efeitos não recorrentes do período.
A Dívida Líquida Consolidada de 2015 soma R$ 1,4 bilhão, múltiplo de 8,38x EBITDA dos últimos 12 Meses (5,26x se considerado o
EBITDA ajustado aos efeitos não recorrentes do período).
A Dívida Líquida sem o Banco Randon de 2015 soma R$ 1,1 bilhão, múltiplo de 6,93x EBITDA dos últimos 12 Meses (4,24x se considerado
o EBITDA ajustado aos efeitos não recorrentes do período).
Imposto de Renda e Contribuição Social
O Imposto de Renda e a Contribuição Social atingiram R$ 5,3 milhões no acumulado de 2015, ou 0,2%
sobre a receita líquida consolidada (R$ 84,8 milhões negativos em 2014 ou 2,2% sobre a receita líquida
consolidada), diante do prejuízo antes do Imposto de Renda de R$ 6,1 milhões (lucro antes do Imposto de Renda
de R$ 331,1 milhões em 2014).
Resultado Líquido
O resultado líquido consolidado atingiu R$ 24,6 milhões negativos, no exercício, ou 112,2% menos que o
ano de 2014, obtendo queda de 6,1 p.p. da margem líquida (lucro líquido x receita líquida).
QUADRO GERAL DE DESEMPENHO
Página 15 de 36
PÁGINA: 44 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
2015
2014
Δ%
Receita Bruta Total sem eliminações
4.236.905
5.457.304
-22,4%
Receita Líquida Consolidada
Lucro Bruto Consolidado
Resultado Líquido
Lucro Operacional Próprio (EBIT) - Consolidado
EBITDA Consolidado
EBITDA Ajustado
Endividamento Financeiro Líquido Consolidado
Endividamento Financeiro Líquido Consolidado
(sem o Banco Randon)
Resultado Financeiro Líquido Consolidado
Receitas Financeiras
Despesas Financeiras
Despesas Administrativas e Comerciais Consolidadas
Resultado por Ação
3.099.401
640.927
-24.628
37.230
161.879
258.167
1.357.269
3.778.753
943.007
201.956
369.412
490.463
490.463
1.057.813
-18,0%
-32,0%
-112,2%
-89,9%
-67,0%
-47,4%
28,3%
1.052.048
697.186
50,9%
-43.315
422.834
-466.149
-567.866
-0,08
-38.284
277.762
-316.046
-544.156
0,67
13,1%
52,2%
47,5%
4,4%
-112,2%
Valores em R$ Mil
Exportações
As vendas consolidadas para o exterior, no exercício de 2015, totalizaram US$ 158,2 milhões, queda de
17,4% sobre o mesmo período de 2014 (US$ 191,6 milhões).
As exportações das Empresas Randon representaram 16,9% da receita líquida consolidada dos doze
meses de 2015, contra 11,9% no exercício anterior.
Embora a taxa do dólar esteja atrativa para exportações, as crises econômicas nos países dependentes de
petróleo e demais commodities têm dificultado o aumento das vendas para mercado externo. É possível observar
isto através do gráfico de exportações por bloco econômico que apresenta redução nas vendas para Europa,
África e Oriente Médio. Os países do Mercosul e Chile ganharam representatividade, passando de 31% em 2014
para 40% em 2015.
Diversas ações estão sendo implementadas visando à recuperação de mercados, e logo estas ações serão
refletidas nos indicadores de exportações da Companhia.
Exportações por Empresa
2015
Randon S.A. e Randon SP
Divisão Veículos
2014
Δ%
57.437
72.098 -20,3%
977
1.457 -33,0%
Página 16 de 36
PÁGINA: 45 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
VEICULOS E IMPLEMENTOS
58.414
73.554 -20,6%
Master
12.515
12.723
-1,6%
5.976
5.398
10,7%
JOST
Fras-le
73.653
Randon (Divisão Suspensys)
7.164
5.223
37,2%
477
510
-6,6%
Castertech
AUTOPEÇAS
94.171 -21,8%
99.785 118.025 -15,5%
TOTAL
158.198 191.579 -17,4%
* Não inclui receitas de fábricas fora do Brasil.
Valores em US$ Mil
Exportações por Bloco Econômico
40%
31%
31% 31%
16%
5%
MERCOSUL +
CHILE
NAFTA
13%
2%
EUROPA
9%
1%
ÁFRICA
1%
ÁSIA
2014
9%
AMER. SUL E
CENTRAL
6%
3%
ORIENTE
MÉDIO
1%
1%
OCEANIA
2015
Operações no Exterior
Em 2015, as unidades externas faturaram US$ 142,8 milhões, contra US$ 117,4 milhões em 2014. A planta
de veículos rebocados na Argentina, controlada pela Companhia, apurou receita bruta de US$ 33,4 milhões. As
plantas no exterior controladas pela Fras-le, e os escritórios internacionais obtiveram receita bruta de US$ 109,4
milhões, com aumento de 28,9% em relação a 2014 (US$ 84,9 milhões).
O total entre a soma das exportações e das receitas geradas no exterior foi de US$ 301,0 milhões em
2015, 2,6% menor do que em 2014 (US$ 309,0 milhões).
Página 17 de 36
PÁGINA: 46 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Investimentos Consolidados
Em 2015, os investimentos totalizaram R$ 161,6 milhões, crescimento de 29,5% em relação a 2014. Este
aumento se deve principalmente à nova planta de Araraquara (R$ 40,9 milhões), projeto que aguarda a retomada
de mercado para ser concluído, e aos R$ 17,5 milhões investidos para a aquisição de 912.800 ações ordinárias
(FRAS3) de sua controlada Fras-le S.A., atingindo assim a participação de 50,0004% de seu capital social.
Investimentos 2015
161.628
120.000
63.191
36.357
32.557
29.522
1T2015
2T2015
3T2015
4T2015
2015
Guidance
A seguir estão relacionados os investimentos totais realizados em 2015:
Página 18 de 36
PÁGINA: 47 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
AQUISIÇÕES E INVESTIMENTOS - ACUMULADO 2015
IMOBILIZADO - (Reais Mil)
Randon
Fras-le
Master
JOST
Consórcio Argentina Randon SP
Máquinas
Prédios
Veículos
Móveis e Utensílios
Informática
Outros / Intangível
40.345
4.810
641
218
553
40.393
17.788
553
344
90
474
20.291
3.134
3.451
119
357
95
3.327
2.135
320
45
63
518
-
TOTAL:
86.960
39.540
10.483
3.081
175
INVESTIMENTOS (*) - (Reais Mil)
17.539
-
-
-
104.499
39.540
10.483
3.081
TOTAL GERAL (Reais Mil)
70
35
25
95
55
2
177
-
111
355
14
442
117
922
-
-
117
922
12
Randon Castertech
Randon
Automotive
Investimentos
-
43
14
14
-
3
2.735
2.781
-
14
-
2.781
Total
4
11
63.626
9.524
1.121
749
1.296
67.772
15
144.088
-
17.540
15
161.628
(*) Ações ou cotas outra s empres a s , i ncentivos etc.
Movimentações de Caixa 2015 (R$ Milhões)
Desempenho por Segmento
1) Cluster Montadoras (Veículos e Implementos)
A Randon possui o maior centro de desenvolvimento tecnológico de veículos rebocados da América Latina
e sua linha é composta por produtos diversificados, adequados às diferentes demandas dos mercados de
atuação.
O cluster Montadoras, composto pela Randon S.A. Implementos e Participações, Randon Argentina S.A. e
Randon Implementos para o Transporte Ltda., respondeu por 50,0% da receita líquida da Companhia no exercício
em análise.
Página 19 de 36
PÁGINA: 48 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Na distribuição de produtos desse segmento, os veículos rebocados representaram 59,1% da receita
líquida, enquanto veículos especiais e vagões ferroviários alcançaram, respectivamente, 4,3% e 36,6%.
Distribuição da Receita Líquida Consolidada
Divisão Veículos e Implementos
1.1 Veículos Rebocados
Em 2015, foram vendidas 10.584 unidades de veículos rebocados,
queda de 36,3% em relação às 16.619 unidades vendidas em 2014. O
market share de 2015 foi de 26,2%, representado por 7.768 unidades, 0,7
p.p. inferior a 2014, com participação de mercado de 26,9% e 15.194
unidades emplacadas.
As vendas de veículos rebocados caíram 47,5% em relação a 2014, passando de 56.452 para 29.620
unidades. Além do cenário político e econômico, as mudanças nas regras de financiamento, e o entrave do
FINAME PSI, no final do ano, contribuíram para diminuição dos volumes.
Faturamento Líquido por Segmento Econômico – Veículos Rebocados - 2015
Página 20 de 36
PÁGINA: 49 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Exportações
No exercício de 2015, o segmento de rebocados exportou US$ 57,4 milhões, uma redução de 20,3% sobre os
valores verificados em 2014. Esta queda se deve, principalmente, as crises econômicas enfrentadas pelos
países dependentes do petróleo, como a Angola, que registrou redução de 76,8% nas vendas deste ano. Em
2015, houve recuperação nas vendas para os países do Mercosul e Chile com incremento de 6,6% na receita.
1.2 Vagões Ferroviários
A similaridade existente no processo de fabricação entre
semirreboques e vagões ferroviários permite um melhor aproveitamento
da capacidade instalada da Unidade para garantir o fornecimento de
vagões ferroviários, mercado que se encontra demandante.
O exercício em análise contabilizou um faturamento de 1.999
unidades (contra 1.356 unidades em 2014), com Market Share de 45,4%
no mercado doméstico de vagões ferroviários. Este foi isoladamente o melhor desempenho histórico da
Companhia neste setor.
ndas de Vagões
ades Físicas
862
989
2010
1.356
1.999
322
913
2011
2012
2013
2014
2015
1.3 Veículos Especiais
O setor de máquinas e equipamentos para a construção pesada e
civil é um dos mais afetados pelo fraco desempenho da economia. E os
negócios da Randon neste segmento também foram bastante afetados.
Em 2015, foram faturadas 355 máquinas e equipamentos, 38,8% abaixo
do volume de 2014.
Além do momento da economia no Brasil, os impactos da Operação
Lava Jato, que combate a corrupção em projetos de infraestrutura e obras
ligadas à Petrobras, influenciaram a dinâmica de vendas de equipamentos e máquinas.
Para adaptar a empresa ao tamanho do mercado, a Randon Veículos passou por reestruturações na sua
cadeia de distribuidores e parceiros comerciais, e internamente na capacidade fabril. Na ponta da oferta, novos
produtos serão lançados em 2016 para ampliar a base de clientes da empresa.
Cluster Montadoras
2015
2014
Var. %
Página 21 de 36
PÁGINA: 50 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Receita Líquida Consolidada (R$)
1.549.483
1.912.565
-19%
10.584
16.619
-36%
355
580
-39%
1.999
1.356
47%
Vendas Físicas:
Veículos Rebocados (un.)
Veículos Especiais (un.)
Vagões (un.)
*As diferenças entre as unidades faturadas e as informadas, na composição da participação de mercado, referem-se às
unidades vendidas ao mercado externo ou aquelas que não são emplacadas no mercado doméstico.
EBITDA
Receita
Líquida
R$ 1,5 Bi
Exportações
- R$ 2,1
Mi
US$ 58,4
Mi
Margem
Bruta
Margem
EBITDA
13,4%
-0,1%
2) Cluster Autopeças
O cluster Autopeças da Randon é formado pelas empresas Castertech,
Fras-le, JOST, Master e Suspensys (filial da Randon S.A. Implementos e
Participações) e representou 45,8% das vendas líquidas consolidadas, com
receita de R$ 1,4 bilhão em 2015 (R$ 1,7 bilhão em 2014). A Randon é uma das
principais fornecedoras de peças e sistemas automotivos para as montadoras de
veículos comerciais do Brasil e no mundo, posição desenvolvida ao longo dos
anos pelas parcerias estratégicas, foco no desenvolvimento tecnológico,
competitividade, eficiência e qualidade de seus produtos.
Cabe lembrar que os principais produtos de cada uma das empresas de autopeças são,
respectivamente, para Suspensys, Fras-le, Master e JOST: sistemas de suspensão e rodagem, materiais de fricção,
freios e sistemas de acoplamento.
Faturamento Líquido por Linha de Produto - 2015
Faturamento Líquido por Mercados - 2015
Página 22 de 36
PÁGINA: 51 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
A busca das montadoras pelo ajuste dos níveis de estoques manteve o ritmo da produção de caminhões
em baixa neste ano. Os números foram ainda mais prejudicados pela adoção de férias coletivas durante todo o
mês de dezembro.
A controlada Fras-le encerrou o ano acumulando alta de 14,4% em sua receita líquida, por ter a maior
parte de suas vendas nos mercados de reposição e exportação, este favorecido pelo câmbio.
As demais empresas de autopeças passam por estudos de internacionalização e reposição. A retração do
mercado interno e a desvalorização do real consolidam novas oportunidades.
Cluster Autopeças
Receita Líquida Consolidada (R$)
2015
2014
Var. %
1.419.295
1.739.009
-18%
69.649
76.615
-9%
446.065
720.414
-38%
51.613
86.525
-40%
161.231
213.799
-25%
15.066
23.629
-36%
Vendas Físicas:
Materiais de fricção (ton.) *
Freios (un.)
Sistemas de Acoplamento (un.)
Sistemas de Suspensão e Rodagem (un.)
Fundidos (ton.)
* Considera toneladas faturadas nas controladas da Fras-le.
Exportações
No segmento de autopeças, as exportações tiveram redução de 15,5% em 2015 sobre as vendas de 2014,
totalizando US$ 99,8 milhões contra US$ 118,0 milhões. Os principais fatores que influenciaram na queda das
exportações deste segmento foram as mudanças no modelo comercial em alguns mercados com estoques em
consignação e as crises políticas e econômicas enfrentadas por países do Oriente Médio, África e Ásia. Além das
exportações diretas, a Randon também exporta seus produtos indiretamente, através dos caminhões, ônibus e
veículos rebocados que se utilizam de suas autopeças.
Página 23 de 36
PÁGINA: 52 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Receita
Líquida
R$ 1,4 Bi
EBITDA
Exportações
US$ 99,8
Mi
Margem
Bruta
R$ 129,2
Mi
Margem
EBITDA
22,0%
9,1%
3) Segmento Serviços Financeiros
O braço financeiro da Companhia, Randon Consórcios e Banco Randon,
respondeu por 4,2% da receita líquida consolidada, no exercício de 2015.
Esses negócios constituem-se como complementos à atividade fim (acesso a
crédito e financiamento de produtos para clientes das demais Empresas
Randon) e um importante meio de sustentação de vendas.
Randon Consórcios – As cotas de consórcios vendidas em 2015 (12.643 unidades) foram 14,6% superiores as de
2014 (11.036 unidades). A receita líquida atingiu crescimento de 5,5% totalizando R$ 96,0 milhões em 2015 (R$
91,0 milhões em 2014).
Banco Randon – O Banco Randon atua como suporte às vendas, com financiamento direcionado a clientes e
fornecedores das Empresas Randon. O foco continua sendo ampliar a base comercial em conjunto com os
distribuidores Randon, ofertando interessante alternativa de financiamento.
Serviços
Receita Líquida Consolidada (R$)
Cotas de Consórcio Vendidas
2015
2014
Var. %
130.624
127.179
3%
12.643
11.036
15%
Página 24 de 36
PÁGINA: 53 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Receita
Líquida
R$ 130,6
Mi
Margem
EBITDA
EBITDA
R$ 34,8
Mi
26,6%
Margem
Bruta
93,1%
Valor Adicionado
A tabela com dados completos consta nas notas explicativas que integram as demonstrações financeiras.
Página 25 de 36
PÁGINA: 54 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Gestão de Pessoas
Pessoas, Valorizadas e Respeitadas. Mais que um dos princípios da Companhia a frase sintetiza o respeito
ao ser humano como destinatário final das ações realizadas e de todas as iniciativas de negócio. Este conceito
abrangente avança além da relação com empregados e os benefícios a estes oferecidos, percorrendo um amplo
portfólio de programas sociais e relacionamento com a comunidade e públicos diversos. Estes movimentos são
o alicerce para a perpetuação e crescimento sustentável da Organização.
As Empresas Randon encerraram o exercício de 2015 com 8.536 funcionários, com redução de 20,5% em
relação a 2014 (10.732 funcionários). A redução é retrato da crise e do momento de mercado, amplamente
abordado neste relatório.
Aos funcionários são oferecidos benefícios como plano de saúde, previdência privada, cooperativa de
crédito, participação nos resultados, transporte e alimentação, que permitem ao funcionário desenvolver suas
atividades com saúde, segurança e bem-estar. As empresas mantêm programas regulares voltados a uma melhor
qualidade de vida que incentivam práticas saudáveis.
O desenvolvimento das competências, conhecimento e habilidades das pessoas é contemplado por um
programa de educação robusto, buscando desenvolvimento pessoal e profissional, e abrindo perspectivas
motivadoras.
A Companhia é mantenedora do Instituto Elisabetha Randon (IER). O IER, fundado em 2003, é uma
Organização de Sociedade Civil com Interesse Público, que tem por objetivo promover a cidadania e o
desenvolvimento social, por meio de ações direcionadas à educação, à cultura, à assistência social e ao estímulo
à prática do voluntariado.
O IER mantém programas sociais voltados à comunidade. Destacam-se:
 Programa Florescer: tem a missão de preparar crianças e adolescentes, com menos oportunidades
sociais e econômicas, para o exercício da cidadania, com diversas atividades, em turno inverso ao
da escola regular. Criado em 2002, o programa beneficia, anualmente, 425 crianças e adolescentes
de 6 a 14 anos.
 Programa Florescer - Iniciação Profissional: oferece cursos pré-profissionalizantes e tem a missão
de preparar jovens para uma melhor inserção no mercado de trabalho, através de uma formação
técnica e humanística. Em parceria com o SENAI, para formação técnico-profissional, estruturando
programas de aprendizagem em Assistente Administrativo e Metalmecânico, suprindo
necessidades de qualificação técnica de 75 adolescentes de 15 a 16 anos, sem deixar de lado sua
formação humanística.
 Programa Qualificar: também voltado à formação profissional já formou 558 jovens desde o ano
de 2005 e, atualmente, possui 131 aprendizes em formação. Os cursos oferecidos pelo programa
são: Operador de processos de fabricação de autopeças, veículos e implementos rodoviários e
ferroviários; Montador de componentes automotivos e implementos e Mecânico de manutenção
de máquinas industriais.
Página 26 de 36
PÁGINA: 55 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Em busca do desenvolvimento sustentável, as Empresas Randon mantêm uma postura voltada também
para a comunidade, tanto na área de educação ambiental como na cultura e lazer.
Mais informações e detalhamentos das iniciativas relacionadas a pessoas, benefícios e dos diversos
programas de responsabilidade social são encontrados no Relatório de Sustentabilidade da Companhia no
endereço eletrônico www.empresasrandon.com.br.
Sustentabilidade
A Companhia mantém ou incentiva uma série de programas voltados ao
desenvolvimento econômico-social das comunidades onde atua, praticando uma
política de sustentabilidade de forma proativa e em sintonia com seus públicos. A
divulgação de suas iniciativas de responsabilidade social e ambiental é realizada
pelas
Empresas
Randon
através
de
seu
site
institucional
(www.empresasrandon.com.br), bem como através de seu Relatório de
Sustentabilidade, atualizado e publicado bianualmente.
Ao final do terceiro trimestre, a Companhia divulgou seu Relatório de
Sustentabilidade. O documento bianual contém informações referentes aos anos de
2013 e 2014.
A publicação, que está em sua 6ª edição, representa a transparência na comunicação
da sustentabilidade praticada pelas Empresas Randon, entendida como a perenidade da Companhia, com o
registro de informações econômico-financeiras, ações sociais, ambientais e de gestão.
O documento segue as diretrizes estabelecidas pela Global Reporting Initiative (GRI), organização
reconhecida mundialmente por estabelecer princípios e indicadores de desempenho econômico, ambiental e
social.
Mercado de Capitais
Desempenho das Ações
As ações preferenciais da Randon S.A. Implementos e Participações, no exercício 2015, apresentaram
desvalorização de 48,0% e estavam cotadas a R$ 2,45 por ação em 31/12/2015. No mesmo período, o índice
Ibovespa apresentou variação negativa de 13,3%.
Foram negociadas, neste mesmo período, 297,3 milhões de ações preferenciais, em 636.568 negócios, no
mercado a vista da BM&FBovespa. A Companhia registrou um volume médio diário de negócios de R$ 4,1 milhões
contra R$ 9,3 milhões no mesmo período de 2014.
Página 27 de 36
PÁGINA: 56 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Segue abaixo a distribuição dos acionistas em 2014 e 2015:
Quadro de Geral de Desempenho das Ações – Mercado à Vista
Variáveis
Número de Acionistas Quantidade Negociada (Pref.)Nº Negócios
Média Diária das Ações p/ Pregão
Média Diária de Negócios p/ Pregão
Variação das Ações Randon (%)
Variação do IBOVESPA (%)
Valor Patrimonial da Ação
Valor de Bolsa da Ação
Volume Médio Diário Negociado (Milhões Reais)
Valor Companhia em Bolsa (Milhões Reais)
Jan-Dez/2015
7.770
297.270.500
636.568
1.208.417
2.588
-48,0%
-13,3%
5,27
2,45
4.145
690
Jan-Dez/2014
7.780
318.008.500
782.443
1.282.292
3.155
-46,0%
-2,70%
5,79
4,77
9.273
1.326
(Fonte: BM&FBovespa)
Relações com Investidores
No ano de 2015, a Companhia realizou reuniões e participou de vários eventos reunindo públicos
diferentes, como mercado financeiro, de capitais, acionistas e potenciais investidores, conforme segue:







BTG Pactual V LatAm CEO Conference Brazil 2015, 10 a 12 de fevereiro em São Paulo.
Santander Latam CEO Conference 2015, 13 a 15 de janeiro em Cancun, México.
Credit Suisse 2015 Latin America Investment Conference, 27 a 29 de janeiro em São Paulo.
HSBC 5th Annual LatAm, SMid Cap Conference realizado dia 25 de junho em New York – USA.
UBS V Autoparts Round Table realizado nos dias 4 e 5 de março em São Paulo – BR.
Banco Fator - Corretora | Industrials Day realizado dia 01 de julho em São Paulo.
9th Annual Credit Suisse CEO/CFO Mid-Summer LatAm Conference realizado nos dias 05 e 06 de agosto
em New York – USA.
 16ª Conferência Anual Santander – Realizada no dia 18 de agosto em São Paulo.
Página 28 de 36
PÁGINA: 57 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015





NDRS nas cidades do Rio de Janeiro e São Paulo nos meses de agosto e setembro.
BTG Pactual VI Latam CEO Conference - New York, Outubro.
Reuniões APIMEC em São Paulo e Porto Alegre, Novembro.
Bradesco’s 5th Annual CEO Forum – New York, Novembro.
JP Morgan 8º Brazil Opportunities Conference – São Paulo, Dezembro.
Fatos Relevantes e Aviso aos Acionistas
- As Empresas Randon avançaram mais uma etapa no processo de adequação de sua estrutura
organizacional e anunciaram mudanças em seu comando. Em de novembro de 2015, o Diretor-presidente das
Empresas Randon, David Abramo Randon, passou a contar com um Comitê Executivo integrado pelo Vicepresidente Administrativo Financeiro, Daniel Randon, com responsabilidade sobre as áreas corporativas de
Finanças, Controladoria, RH, Centro de Soluções Compartilhadas, TI e Serviços Financeiros (Banco Randon e
Randon Consórcios); pelo COO Divisão Montadora, Alexandre Gazzi, compreendendo as operações da Randon
Implementos e Randon Veículos; e, o COO Divisão Autopeças, Pedro Ferro, compreendendo as operações de
Fras-le, Master, Suspensys, JOST Brasil e Castertech, pelo Diretor Corporativo de Suprimentos e Relações
Institucionais Norberto Fabris que responderá pelas áreas de Supply Chain, Projeto Logística, Instituto de
Tecnologia e Relacionamento Institucional e pelo Vice-presidente do Conselho de Administração e presidente do
Conselho de Administração do Banco Randon, Alexandre Randon. O novo modelo de negócios em cluster de
autopeças e de montadoras visa potencializar as forças e diferenciais das Empresas, em busca de melhores
resultados. As mudanças no Comitê Executivo das Empresas Randon alcançaram, também, a Fras-le, que tem
Pedro Ferro como Diretor-presidente, em substituição a Daniel Randon, e Ricardo Reimer como Diretorsuperintendente e de Relações com Investidores.
- Em 14 de agosto de 2015, foi inaugurado o Instituto Hercílio Randon de Tecnologia e Inovação, um espaço
específico junto a Tecnopuc-RS em Porto Alegre. O Instituto foi idealizado para ser um centro irradiador de ideias
criativas e inovadoras que gerem novos produtos e agreguem benefícios ao cliente final e à sociedade. Além do
desenvolvimento de projetos de interesse da sociedade, também são trocadas experiências com a área de
engenharia das Empresas Randon.
Remuneração dos Acionistas
Considerando resultado negativo apurado durante o exercício de 2015, a Companhia não realizou crédito
e pagamento de juros sobre o capital próprio aos acionistas e o prejuízo de R$ 24,6 milhões será compensado
com parte do saldo da Reserva de Investimento e Capital de Giro.
Página 29 de 36
PÁGINA: 58 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Instrução CVM nº 381/2003 – Auditores Independentes
Em atendimento à Instrução Nº 381/2003 da Comissão de Valores Mobiliários, informamos o seguinte:
Em 2015, a Companhia pagou honorários à empresa KPMG Auditores Independentes o montante de R$
1.701 mil, os quais abrangem os serviços de auditoria externa e consultoria tributária, cujas características são
demonstradas a seguir:
(a) Consultoria tributária
Período
Duração
Honorários
Pagos
% s/ valor dos serviços de auditoria
externa
Janeiro a Dezembro
12 meses
R$ 595 mil
35%
Durante o exercício findo em 31 de dezembro de 2015 foram pagos honorários relativos a
serviços adicionais de consultoria tributária no valor de R$ 595 mil.
Estes serviços não afetaram as restrições da Instrução CVM 381/2003, pois se referem
principalmente a outros trabalhos específicos e foram realizados por profissionais de área
totalmente distinta daquela em que atuam os profissionais que realizam os serviços de auditoria
externa, portanto não afetam a independência e objetividade necessárias aos serviços de
auditoria externa.
(b) Serviços de auditoria externa obrigatórios
Período
Duração
Honorários
pagos
% sobre o valor total pago a KPMG
Janeiro a Dezembro
12 meses
R$ 1.106 mil
65%
Os serviços legais obrigatórios de auditoria externa compreenderam a revisão das informações
trimestrais (ITRs) dos períodos encerrados em março, junho e setembro de 2015 e auditoria das
demonstrações financeiras do exercício findo em 31 de dezembro de 2015 (DFP).
A Companhia tem como política atender às restrições de serviços dos auditores independentes, ou seja,
assegurar que não haja conflito de interesse, perda de independência ou objetividade pelos serviços prestados
por auditores independentes, não relacionados à auditoria externa. Tal independência é obtida pela prestação
dos serviços por profissionais de áreas independentes da empresa de auditoria.
Agradecimentos
Página 30 de 36
PÁGINA: 59 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Momentos de desafios são menos complexos quando se pode contar com grandes parceiros. As
Empresas Randon manifestam seus agradecimentos aos clientes, fornecedores, distribuidores, acionistas,
instituições financeiras, órgãos governamentais, comunidade em geral e a todos aqueles que contribuíram para
seu desempenho. De forma especial, aos funcionários, pelo esforço, dedicação, e comprometimento, essenciais
para o avanço de nossos negócios, fortalecimento de nossa reputação e sobrevivência em tempos difíceis.
Prêmios e destaques
No ano de 2015, as Empresas Randon receberam premiações, das quais destacamos:
Empresas Randon
 Marcas de Quem Decide: Grande Marca Gaúcha (3º lugar na lembrança e 4ª posição na preferência)
– Jornal do Comércio/RS e Qualidata;
 Campeãs da Inovação – Revista Amanhã;
 Maiores e Melhores: Melhor do Setor Autoindústria 2014 – Revista Exame;
 Destaque no ranking Top of Mind-RS;
 Indicação nas categorias Melhor Programa de Relações com Investidores, Melhor Executivo de
Relações com Investidores (Hemerson Fernando de Souza) e Melhor Encontro com Investidores
(small cap) – Revista IR Magazine Awards Brazil 2015;
 Reconhecimento “Italianos na Serra”, concedido ao Presidente do Conselho de Administração, Sr.
Raul Anselmo Randon (categoria Desenvolvimento Regional – Personalidades);
 Troféu Guri, concedido ao Diretor vice-presidente Daniel Randon – Rádio Gaúcha e Grupo RBS;
 Destaque no ranking Latin America Executive Team (3º lugar Melhor Relações com Investidores pelo
Buy Side e Sell Side, 2º lugar Melhor Profissional de Relações com Investidores: Hemerson Fernando
de Souza e 3º lugar Melhor Evento de Analistas e Investidores da América Latina pelo Buy Side e Sell
Side) – Institucional Investor;
 24ª posição entre as 500 Maiores do Sul e na 7ª colocação entre as 100 Maiores no Rio Grande do
Sul - Grupo Amanhã e PwC (PriceWaterhouseCoopers);
 Prêmio LIDE de Empreendedorismo 2015 – Empreendedor da Década, concedido ao presidente do
Conselho de Administração, Sr. Raul Anselmo Randon.
 As Empresas Randon integraram novamente o ranking das Melhores Empresas para Trabalhar no
RS, segundo pesquisa feita pelo GPTW – Great Place to Work® e Revista Amanhã.
Castertech
 Troféu Ouro no Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP);
 Está no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar no RS - Great Place to Work®.
Página 31 de 36
PÁGINA: 60 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Fras-le





Pastilha de freio mais lembrada no ranking das Marcas Preferidas – CINAU e Jornal Oficina Brasil;
Prêmio Exportação RS 2015 (Diversificação de Mercados e Destaque Setorial Autopeças);
Campeã do setor VEÍCULOS e AUTOPEÇAS e está entre as 250 melhores empresas do país – Anuário
Época NEGÓCIOS 360°.
Está no ranking das “150 Melhores Empresas para Você Trabalhar” – Guia Você S/A.
Prêmio Inova 2015 – Indústrias do Novo Varejo (melhor marca na categoria Pastilha de Freio do
mercado nacional).
Master
 Troféu Diamante no Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP);
JOST




Está entre As Melhores Empresas para Trabalhar na América Latina – Great Place to Work ®;
Troféu Ítalo Bersani no segmento Indústria – Câmara da Indústria e Comércio de Caxias do Sul;
Está no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil – Great Place to Work®.
Está no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar no RS - Great Place to Work®.
Randon Consórcios
 Marcas de Quem Decide (1ª posição na preferência e 3º lugar na lembrança na categoria Consórcios)
– Jornal do Comércio/RS e Qualidade;
Randon Controladora
 Prêmio Preferência do Transporte e Logística (categoria Fabricante de Implementos Rodoviários) –
SETCERGS;
 Troféu Supplier Awards 2015 – Ford América do Sul (Divisão Suspensys).
 Melhor do Setor Automotivo na categoria Produtor de Implementos Rodoviários – Prêmio
AutoData.
 Prêmio NTC Fornecedores do Transporte, como a Melhor Marca de 2015 – NTC&Logística.
 Está no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar no RS - Great Place to Work® (Divisão
Suspensys).
Caxias do Sul, Março de 2016.
Os Administradores
Administração
Página 32 de 36
PÁGINA: 61 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Conselho de Administração
Conselho Fiscal
Raul Anselmo Randon – Presidente
Alexandre Randon - Vice-Presidente
Antônio José de Carvalho - Conselheiro
Hugo Eurico Irigoyen Ferreira - Conselheiro
Ruy Lopes Filho - Conselheiro
Imer José Puerari
João Carlos Sfreddo
Maria Tereza Casagrande
Roberto Heeren
Telma Suzana Mezia
Diretoria Executiva
Comitê Executivo
David Abramo Randon – Diretor Presidente
Alexandre Randon – Diretor
Daniel Raul Randon – Diretor Vice-Presidente
Erino Tonon – Diretor Vice-Presidente
Geraldo Santa Catharina – Diretor
Alexandre Dorival Gazzi – Diretor
Pedro Ferro Neto – Diretor
David Abramo Randon – Diretor Presidente
Alexandre Randon – Diretor
Daniel Raul Randon – Diretor Vice-Presidente
Erino Tonon – Diretor Vice-Presidente
Alexandre Dorival Gazzi – Diretor Corporativo
Norberto José Fabris – Diretor Corporativo
Pedro Ferro Neto – Diretor Corporativo
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores
Geraldo Santa Catharina
Gerente de Planejamento e RI
Hemerson Fernando de Souza
Valzeane Drehmer Hoch– Contadora: CRC/RS-81.001/O-0
Relações com Investidores
Hemerson Fernando de Souza
Angelica - Maria A. Mossmann
Caroline Isotton Colleto
Davi Coin Bacichette
Gleidson de Carvalho Cearon
Guilherme Vitorio Martini
Endereços e Contatos
54 3239.2505
[email protected]
Página 33 de 36
PÁGINA: 62 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
Diretor Financeiro e de Relações com Investidores: Geraldo Santa Catharina
Gerência de Relações com Investidores: Hemerson Fernando de Souza
Fone: (55) (54) 3239.2505
Fax: (55) (54) 3239.2566
Email: [email protected]
Pagina Internet: www.randon.com.br
Sistema de Ações Escriturais e Serviços de Acionistas
Banco Itaú S.A
Endereço: Rua Boa Vista, 176 - 1º Subsolo - Centro, São Paulo - SP
Auditores Independentes
KPMG Auditores Independentes
Jornais de Divulgação
Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul
Folha de Caxias - Caxias do Sul - RS
Página 34 de 36
PÁGINA: 63 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
ANEXO I
DEMOSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS EM 31/12/2015
Valores em R$ Mil – pela Legislação societária
RANDON S.A. IMPL.
E PARTIC.
CONSOLIDADO
RANDON S.A.
IMPL. E PARTIC.
CONTROLADORA
Ativo
Circulante
Caixa e Equivalentes de Caixa
Aplicações Financeiras
Clientes
Estoques
Impostos Diferidos/Recuperar
Outros
Não circulante
Realizável a Longo Prazo
Aplicações de Liquidez não imediata
Partes Relacionadas
Clientes
Consórcios p/ Revenda
Impostos Diferidos/Recuperar
Outros Direitos Realizáveis
Depósitos p/ Recursos
Investimentos/Imobilizado/Intangível/Diferido
5.183.866
3.198.536
1.333.931
403.773
624.794
559.132
168.025
108.881
1.985.330
441.202
180.772
47.966
188.693
11.013
12.757
1.544.128
3.680.999
1.877.227
874.557
268.898
298.311
282.885
103.220
49.356
1.803.772
211.495
84.557
20
20.234
102.448
697
3.538
1.592.277
455.901
269.235
29.554
16.956
222.593
132
186.666
186.281
180.772
5.408
101
385
Passivo
Circulante
Fornecedores
Instituições Financeiras
Salários/Encargos
Impostos e Taxas
Adiantamento Clientes e Outros
Não circulante
Instituições Financeiras
Partes Relacionadas
Impostos e Contrib. Diversas
Provisão p/ Litígios
Outras Exigibilidades
Patrimônio Líquido Total
Patrimônio Líquido
Participação Acionistas não controladores
5.183.866
1.511.424
112.996
1.080.863
39.685
46.528
231.354
2.084.775
2.014.110
34.777
15.984
19.904
1.587.667
1.277.333
310.334
3.680.999
974.095
57.237
789.041
17.853
9.814
100.150
1.429.571
1.410.655
2.072
7.522
9.323
1.277.333
1.277.333
-
455.902
207.095
1.356
190.996
621
5.319
8.803
164.191
164.171
20
0
84.615
84.615
1
BALANÇO PATRIMONIAL
RANDON
INVESTIMENTOS
Página 35 de 36
PÁGINA: 64 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Relatório da Administração
RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 2015
ANEXO II
DEMOSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS EM 31/12/2015
Valores em R$ Mil – pela Legislação societária
BALANÇO PATRIMONIAL
RANDON S.A.
IMPL. E PARTIC.
CONTROLADOR
A
RANDON
INVESTIMENTOS
3.099.401
-2.458.475
640.927
-348.115
-219.750
-43.315
-35.831
-6.085
5.334
-23.878
-24.628
1.662.751
-1.463.561
199.190
-155.387
-98.375
-29.988
39.833
-9.105
-53.831
29.203
-24.628
47.215
-19.160
28.056
-11.446
-13
-6.647
9.951
-3.434
6.517
37.230
161.879
5,2%
-63.676
-4.761
-0,3%
9.964
10.096
21,4%
RANDON S.A.
IMPL. E PARTIC.
CONSOLIDADO
DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS
Receita Líquida
Custo Vendas e Serviços
Lucro Bruto
Despesas c/ Vendas
Despesas Administrativas
Resultado Financeiro
Resultado Participações
Outras Despesas / Receitas
Resultado Antes IR, CS e Participações
Provisão para IR e Contrib. Social
Participação dos Acionistas Não controladores
Lucro/Prejuízo Líquido Exercício
EBIT
EBITDA
MARGEM EBITDA (%)
Página 36 de 36
PÁGINA: 65 de 139
Notas Explicativas
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Notas explicativas às demonstrações financeiras
(Em milhares de Reais, exceto quando indicado de outra forma)
1
Informações sobre a Companhia
A Randon S.A. Implementos e Participações (“Companhia”), constituída na forma de sociedade
anônima de capital aberto, domiciliada no Brasil, com suas ações negociadas na BM&F Bovespa
(RAPT3 e RAPT4), tem por objeto: a) industrialização, comércio, importação e exportação de
veículos automotores e rebocados, para a movimentação e o transporte de materiais;
industrialização de implementos para o transporte rodoviário e ferroviário; e de aparelhos
mecânicos, equipamentos, máquinas, peças, partes e componentes, concernentes ao ramo; b)
participação no capital social de outras sociedades; c) administração de bens móveis e imóveis
próprios; d) transporte rodoviário de cargas; e) prestação de serviços atinentes a seus ramos de
atividades. A Companhia, com sede na Avenida Abramo Randon nº 770, Bairro Interlagos - Caxias
do Sul - RS, possui também operações através de empresas controladas sediadas no Brasil, na
Argentina, no Chile, no México, na China, nos Emirados Árabes Unidos, na Alemanha, nos Estados
Unidos e na África do Sul.
2
2.1
Resumo das principais políticas contábeis
Declaração de conformidade
As demonstrações financeiras individuais e consolidadas foram preparadas de acordo com as
Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting
Standards Board (IASB) e também de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil
(BRGAAP).
A Administração da Companhia, afirma que todas as informações relevantes próprias das
demonstrações financeiras, e somente elas, estão sendo evidenciadas, e que correspondem às
utilizadas por ela na sua gestão.
As demonstrações financeiras individuais e consolidadas da Companhia, para o exercício findo em
31 de dezembro de 2015, foram autorizadas para emissão em reunião de diretoria realizada em 04
de Março de 2016.
2.2
Moeda funcional e moeda de apresentação
Estas demonstrações financeiras individuais e consolidadas estão apresentadas em Reais, que é a
moeda funcional da Companhia. Todos os saldos foram arredondados para o milhar mais próximo,
exceto quando indicado de outra forma.
2.3
Base de consolidação
A Companhia aplicou as políticas contábeis descritas abaixo de maneira consistente a todos os
exercícios apresentados nestas demonstrações financeiras individuais e consolidadas.
PÁGINA: 66 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
a.
Controladas
A Companhia controla uma entidade quando está exposta a, ou tem direito sobre, os retornos
variáveis advindos de seu envolvimento com a entidade e tem a possibilidade de afetar esses
retornos exercendo seu poder sobre a entidade. As demonstrações financeiras de controladas são
incluídas nas demonstrações financeiras consolidadas a partir da data em que o controle se inicia até
a data em que o controle deixa de existir.
Nas demonstrações financeiras individuais da controladora as informações financeiras de
controladas e controladas em conjunto, assim como as coligadas, são reconhecidas através do
método de equivalência patrimonial.
b.
Transações eliminadas na consolidação
Saldos e transações intragrupo, e quaisquer receitas ou despesas não realizadas derivadas de
transações intragrupo, são eliminados. Ganhos não realizados oriundos de transações com investidas
registradas por equivalência patrimonial são eliminados contra o investimento na proporção da
participação da Companhia na investida. Perdas não realizadas são eliminadas da mesma maneira
como são eliminados os ganhos não realizados, mas somente na extensão em que não haja evidência
de perda por redução ao valor recuperável.
PÁGINA: 67 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Notas Explicativas
Versão : 1
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
As demonstrações financeiras consolidadas são compostas pelas demonstrações financeiras da Randon S.A. Implementos e
Participações e suas controladas, em 31 de dezembro de 2015 e 2014, apresentadas abaixo:
Percentual de participação
31/12/2015
Randon Argentina S.A. ( a)
Randon Automotive Ltda. ( a)
Randon Implementos para o Transporte Ltda.( b)
Jost Brasil Sistemas Automotivos Ltda. ( b)
Master Sistemas Automotivos Ltda.(b)
Randon Administradora de Consórcios Ltda.(b)
Castertech Fundição e Tecnologia Ltda.( b)
Randon Investimentos Ltda.( b)
Fras-le S.A.( b)
Fras-le Argentina S.A. (a)
Fras-le North America, Inc. (a)
Fras-le Andina Com. Y Repres. Ltda. (a)
Fras-le Europe (a)
Fras-le Friction Material P inghu Co Ltda. (a)
Fras-le México S de RL de CV (a)
Fras-le Africa Automotive (P ty) Limited(a)
Freios Controil Ltda. (d)
Fras-le Middle East (c)
Objeto Social
País-sede
Fabricação e comércio de implementos rodoviários
Representação e comércio de implementos rodoviários
Fabricação de cabines, carrocerias e reboques para caminhões
Fabricação de peças e acessórios para veículos automotores
Fabricação de peças e acessórios para veículos automotores
Administração de consórcios para aquisição de bens e direitos
Fundição de ferro e aço
Holding de instituição financeira
Fabricação de peças e acessórios para sistema de freios de veículos automotores
Representação e comércio de autopeças
Fabricação e comércio de autopeças
Representação e comércio de autopeças
Representação e comércio de autopeças
Fabricação e comércio de autopeças
Representação e comércio de autopeças
Representação e comércio de autopeças
Fabricação de peças e acessórios para veículos automotores
Representação e comércio de autopeças
Argentina
África do Sul
Brasil
Brasil
Brasil
Brasil
Brasil
Brasil
Brasil
Argentina
EUA
Chile
Alemanha
China
México
África do Sul
Brasil
Emirados Árabes Unidos
(a)
Empresa controlada no exterior.
(b)
Empresa controlada no país.
(c)
Empresa controlada no exterior com o controle direto retido pela Fras-Le S.A..
(d)
Empresa da controlada com o controle direto retido pela Fras-le S.A no país.
Direta
94,99
100
99,99
51
51
99,57
99,99
99,99
50,00
6
-
Indireta
5,01
94
100
99,99
100
100
99,66
100
99,99
100
31/12/2014
Direta
Indireta
94,99
100
99,99
51
51
99,57
99,99
99,99
46,31
6
-
PÁGINA: 68 de 139
5,01
94
100
99,99
100
100
99,66
100
99,99
100
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E
PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
2.4
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Base de mensuração
As demonstrações financeiras individuais e consolidadas foram preparadas com base no custo
histórico com exceção dos instrumentos financeiros derivativos que são mensurados por seu
valor justo.
3
3.1
Principais políticas contábeis
Reconhecimento de receita
A receita é reconhecida na extensão em que for provável que benefícios econômicos serão
gerados para a Companhia e quando possa ser mensurada de forma confiável. A receita é
mensurada com base no valor justo da contraprestação recebida, excluindo descontos,
abatimentos e impostos ou encargos sobre vendas. Os critérios específicos, a seguir, devem
também ser satisfeitos antes de haver reconhecimento de receita:
c.
Venda de produtos
A receita de venda de produtos é reconhecida quando os riscos e benefícios mais significativos
inerentes à propriedade dos produtos forem transferidos ao comprador, o que geralmente ocorre
na sua entrega.
d.
Prestação de serviços
A receita de prestação de serviço de manutenção e assessoria é reconhecida com base no serviço
prestado.
e.
Receita de juros
Para todos os instrumentos financeiros avaliados ao custo amortizado e ativos financeiros que
rendem juros, a receita ou despesa financeira é contabilizada utilizando-se a taxa de juros
efetiva, que desconta exatamente os pagamentos ou recebimentos futuros estimados de caixa ao
longo da vida estimada do instrumento financeiro ou em um período de tempo mais curto,
quando aplicável, ao valor contábil líquido do ativo ou passivo financeiro. A receita de juros é
incluída na rubrica receita financeira, na demonstração do resultado.
3.2
Conversão de saldos denominados em moeda estrangeira
Cada controlada da Companhia determina sua própria moeda funcional, e naquelas cujas
moedas funcionais são diferentes do Real, as demonstrações financeiras são traduzidas para o
Real na data do fechamento.
PÁGINA: 69 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E
PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
A moeda funcional de cada empresa está demonstrada abaixo:
a.
Controladas
Moeda Funcional
Randon Argentina S.A.
Randon Automotive Ltda.
Randon Implementos para o Transporte Ltda.
Jost Brasil Sistemas Automotivos Ltda.
M aster Sistemas Automotivos Ltda.
Randon Administradora de Consórcios Ltda.
Castertech Fundição e Tecnologia Ltda.
Randon Investimentos Ltda.
Fras-le S.A.
Fras-le Argentina S.A.
Fras-le North America, Inc.
Fras-le Andina Com. Y Repres. Ltda.
Fras-le Europe
Fras-le Friction M aterial Pinghu Co Ltda.
Fras-le M éxico S de RL de CV
Fras-le Africa Automotive (Pty) Limited
Freios Controil Ltda.
Fras-le M iddle East
Peso Argentino
Rand
Real
Real
Real
Real
Real
Real
Real
Peso Argentino
Dólar Americano
Peso Chileno
Euro
Yuan
Peso M exicano
Rand
Real
Dhiram
Transações e saldos
As transações em moeda estrangeira são inicialmente registradas à taxa de câmbio da moeda
funcional em vigor na data da transação. Os ativos e passivos monetários denominados em
moeda estrangeira são reconvertidos à taxa de câmbio da moeda funcional em vigor na data do
balanço. Todas as diferenças são registradas na demonstração do resultado.
b.
Transações e saldos com controladas
Os ativos e passivos das controladas no exterior são convertidos para Reais pela taxa de câmbio
da data do balanço, e as correspondentes demonstrações do resultado são convertidas pelas taxas
médias mensais do exercício. As diferenças cambiais resultantes da referida conversão são
contabilizadas separadamente em outros resultados abrangentes e acumulados em ajustes de
avaliação patrimonial no patrimônio líquido.
3.3
a.
Instrumentos financeiros
Ativos financeiros não derivativos
A Companhia reconhece os empréstimos e recebíveis inicialmente na data em que foram
originados. Todos os outros ativos financeiros são reconhecidos inicialmente na data da
negociação, quando a Companhia se torna uma das partes das disposições contratuais do
instrumento.
A Companhia deixa de reconhecer um ativo financeiro quando os direitos contratuais aos fluxos
de caixa do ativo expiram, ou quando a Companhia transfere os direitos ao recebimento dos
fluxos de caixa contratuais sobre um ativo financeiro em uma transação na qual
substancialmente todos os riscos e benefícios da titularidade do ativo financeiro são
transferidos. Qualquer participação que seja criada ou retida pela Companhia em tais ativos
financeiros transferidos, é reconhecida como um ativo ou passivo separado.
PÁGINA: 70 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Os ativos ou passivos financeiros são compensados e o valor líquido apresentado no balanço
patrimonial quando, e somente quando, a Companhia tenha o direito legal de compensar os
valores e tenha a intenção de liquidar em uma base líquida ou de realizar o ativo e liquidar o
passivo simultaneamente.
A Companhia classifica os ativos financeiros não derivativos nas seguintes categorias: ativos
financeiros mensurados pelo valor justo por meio do resultado, investimentos mantidos até o
vencimento, empréstimos e recebíveis e ativos financeiros disponíveis para venda.
a.1
Ativos financeiros mensurados pelo valor justo por meio do resultado
Um ativo financeiro é classificado como mensurado pelo valor justo por meio do resultado caso
seja classificado como mantido para negociação, ou seja, designado como tal no momento do
reconhecimento inicial. Os ativos financeiros são designados pelo valor justo por meio do
resultado se a Companhia gerencia tais investimentos e toma decisões de compra e venda
baseadas em seus valores justos de acordo com a gestão de riscos e estratégia de investimentos
documentados pela Companhia. Os custos da transação, são reconhecidos no resultado
conforme incorridos. Ativos financeiros mensurados pelo valor justo por meio do resultado são
mensurados pelo valor justo, e mudanças no valor justo desses ativos, incluindo ganhos com
juros e dividendos, são reconhecidas no resultado do exercício. Caixa e equivalentes de caixa
são classificados nessa categoria.
Caixa e equivalentes de caixa
Caixa e equivalentes de caixa incluem o caixa, os depósitos bancários, outros investimentos de
curto prazo de alta liquidez, com vencimentos originais de três meses ou menos a partir da data
da contraprestação, os quais estão sujeitos a um risco insignificante de alteração no valor justo,
e são utilizados pela Companhia na gestão das obrigações de curto prazo.
a.2
Empréstimos e recebíveis
Empréstimos e recebíveis são ativos financeiros com pagamentos fixos ou determináveis não
cotados no mercado ativo. Tais ativos são reconhecidos inicialmente pelo valor justo acrescido
de quaisquer custos de transação atribuíveis. Após o reconhecimento inicial, os empréstimos e
recebíveis são medidos pelo custo amortizado utilizando do método dos juros efetivos,
deduzidos de qualquer perda por redução ao valor recuperável.
Os empréstimos e recebíveis compreendem contas a receber de clientes e outros recebíveis.
b.
Passivos financeiros não derivativos
A Companhia reconhece inicialmente os títulos de dívida emitidos e passivos subordinados
inicialmente na data em que são originados. Todos os outros passivos financeiros são
reconhecidos inicialmente na data de negociação na qual a Companhia e suas controladas se
tornam uma parte das disposições contratuais do instrumento. A Companhia deixa de
reconhecer um passivo financeiro quando sua obrigação contratual é retirada, cancelada ou
expirada.
A Companhia classifica os passivos financeiros não derivativos na categoria de outros passivos
financeiros. Tais passivos financeiros são reconhecidos inicialmente pelo valor justo deduzidos
de quaisquer custos de transação atribuíveis. Após o reconhecimento inicial, esses passivos
financeiros são mensurados pelo custo amortizado utilizando o método dos juros efetivos.
PÁGINA: 71 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Outros passivos financeiros não derivativos compreendem empréstimos e financiamentos,
títulos de dívida emitidos, saldos bancários a descoberto, fornecedores e outras contas a pagar.
Saldos bancários a descoberto que tenham que ser pagos quando exigidos e que façam parte
integrante da gestão de caixa da Companhia são incluídos como um componente do caixa e
equivalentes de caixa para fins de apresentação do balanço patrimonial e da demonstração dos
fluxos de caixa.
c.
Instrumentos financeiros derivativos
A Companhia e suas controladas mantém instrumentos financeiros derivativos para proteger
suas exposições aos riscos de variação de moeda estrangeira e taxa de juros. Derivativos
embutidos são separados de seus contratos principais e registrados separadamente caso certos
critérios sejam atingidos.
Derivativos são reconhecidos inicialmente pelo valor justo; quaisquer custos de transação
atribuíveis são reconhecidos no resultado quando incorridos. Após o reconhecimento inicial, os
derivativos são mensurados pelo valor justo e as variações no valor justo são registradas no
resultado.
Hedge de Fluxo de caixa
Quando um derivativo é designado como um instrumento de hedge para proteção da
variabilidade dos fluxos de caixa, a porção efetiva das variações no valor justo do derivativo é
reconhecida em outros resultados abrangentes e apresentada na conta de ajustes de avaliação
patrimonial no patrimônio líquido. Qualquer porção não efetiva das variações no valor justo do
derivativo é reconhecida imediatamente no resultado.
O valor acumulado mantido em ajustes de avaliação patrimonial é reclassificado para o
resultado no mesmo período em que o item objeto do hedge afeta o resultado.
Caso a ocorrência da transação prevista não seja mais esperada, o hedge deixe de atender aos
critérios de contabilização de hedge, expire ou seja vendido, encerrado ou exercido, ou tenha a
sua designação revogada, então a contabilidade de hedge é descontinuada prospectivamente. Se
não houver mais expectativas quanto à ocorrência da transação prevista, então o saldo em outros
resultados abrangentes é reclassificado para resultado.
3.4
a.
Redução ao valor recuperável (Impairment)
Ativos financeiros não-derivativos
Ativos financeiros não classificados como ativos financeiros ao valor justo por meio do
resultado, incluindo investimentos contabilizados pelo método da equivalência patrimonial, são
avaliados em cada data de balanço para determinar se há evidência objetiva de perda por
redução ao valor recuperável.
Evidência objetiva de que ativos financeiros tiveram perda de valor inclui:

inadimplência ou atrasos do devedor;

reestruturação de um valor devido à Companhia em condições não consideradas em condições
normais;

indicativos de que o devedor ou emissor irá entrar em falência/recuperação judicial;
PÁGINA: 72 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014

mudanças negativas na situação de pagamentos dos devedores ou emissores;

o desaparecimento de um mercado ativo para o instrumento; ou

dados observáveis indicando que houve um declínio na mensuração dos fluxos de caixa
esperados de um grupo de ativos financeiros.
b.
Ativos financeiros mensurados ao custo amortizado
A Companhia considera evidência de perda de valor de ativos mensurados pelo custo
amortizado tanto em nível individual como em nível coletivo. Todos os ativos individualmente
significativos são avaliados quanto à perda por redução ao valor recuperável. Aqueles que não
tenham sofrido perda de valor individualmente são então avaliados coletivamente quanto a
qualquer perda de valor que possa ter ocorrido, mas não tenha sido ainda identificada. Ativos
que não são individualmente significativos são avaliados coletivamente quanto à perda de valor
com base no agrupamento de ativos com características de risco similares.
Ao avaliar a perda por redução ao valor recuperável de forma coletiva, a Companhia utiliza
tendências históricas do prazo de recuperação e dos valores de perda incorridos, ajustados para
refletir o julgamento da Administração sobre se as condições econômicas e de crédito atuais são
tais que as perdas reais provavelmente serão maiores ou menores que as sugeridas pelas
tendências históricas.
Uma perda por redução ao valor recuperável é calculada como a diferença entre o valor contábil
e o valor presente dos fluxos de caixa futuros estimados, descontados à taxa de juros efetiva
original do ativo. As perdas são reconhecidas no resultado e refletidas em uma conta de
provisão. Quando a Companhia considera que não há expectativas razoáveis de recuperação, os
valores são baixados. Quando um evento subsequente indica uma redução da perda de valor, a
redução pela perda de valor é revertida através do resultado.
c.
Ativos financeiros disponíveis para venda
Perdas por redução ao valor recuperável de ativos financeiros disponíveis para venda são
reconhecidas pela reclassificação da perda acumulada reconhecida em ajustes de avaliação
patrimonial no patrimônio líquido para o resultado. A perda reclassificada é a diferença entre o
custo de aquisição, líquido de qualquer reembolso e amortização do principal, e o valor justo
atual, diminuído de qualquer redução por perda de valor recuperável previamente reconhecida
no resultado. Caso o valor justo de um título de dívida, para o qual tenha sido reconhecida uma
perda no valor recuperável, apresente aumento e, o aumento possa ser objetivamente
relacionado a um evento ocorrido após a perda por redução no valor recuperável ter sido
reconhecida, então a perda é revertida e o valor da reversão é reconhecido no resultado. Caso
contrário, a reversão é reconhecida em outros resultados abrangentes.
d.
Investidas contabilizadas pelo método da equivalência patrimonial
Uma perda por redução ao valor recuperável referente a uma investida avaliada pelo método de
equivalência patrimonial é mensurada pela comparação do valor recuperável do investimento
com seu valor contábil. Uma perda por redução ao valor recuperável é reconhecida no resultado
e é revertida se houve uma mudança favorável nas estimativas usadas para determinar o valor
recuperável.
PÁGINA: 73 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
e.
Ativos não financeiros
Os valores contábeis dos ativos não financeiros da Companhia, que não os estoques e imposto
de renda e contribuição social diferidos ativos, são revistos a cada data de balanço para apurar
se há indicação de perda no valor recuperável. Caso ocorra tal indicação, então o valor
recuperável do ativo é estimado.
Perdas por redução no valor recuperável são reconhecidas no resultado. Perdas reconhecidas
referentes às Unidades Geradoras de Caixa (UGC) são inicialmente alocadas para redução de
qualquer ágio alocado a esta UGC (ou grupo de UGC), e então para redução do valor contábil
dos outros ativos da UGC (ou grupo de UGC) de forma pro rata.
As perdas de valor recuperável são revertidas somente na extensão em que o valor contábil do
ativo não exceda o valor contábil que teria sido apurado, líquido de depreciação ou amortização,
caso a perda de valor não tivesse sido reconhecida.
3.5
Aplicação financeira de liquidez não imediata
A classificação das aplicações financeiras depende do propósito para o qual o investimento foi
adquirido e estão ajustadas a valor justo, de acordo com a categoria. Quando aplicável, os custos
diretamente atribuíveis à aquisição de um ativo financeiro são adicionados ao montante
originalmente reconhecido.
3.6
Contas a receber de clientes
As contas a receber de clientes correspondem aos valores a receber de clientes pela venda de
mercadorias ou prestação de serviços no curso normal das atividades da Companhia. Se o prazo
de recebimento é equivalente a um ano ou menos (ou outro que atenda o ciclo normal de
operações da Companhia), as contas a receber são classificadas no ativo circulante. Caso
contrário, estão apresentadas no ativo não circulante.
As contas a receber de clientes são, inicialmente, reconhecidas pelo valor justo e,
subsequentemente, mensuradas pelo custo amortizado com o uso do método da taxa de juros
efetiva menos a provisão para impairment.
3.7
Estoques
Os estoques são mensurados pelo menor valor entre o custo e o valor realizável líquido.
O custo dos estoques é baseado no princípio do custo médio e inclui gastos incorridos
na aquisição de estoques, custos de produção e transformação e outros custos incorridos
em trazê-los às suas localizações e condições existentes. No caso dos estoques
manufaturados e produtos em elaboração, o custo inclui uma parcela dos custos gerais
de fabricação baseado na capacidade operacional normal.
O valor realizável líquido é o preço estimado de venda no curso normal dos negócios, deduzido
dos custos estimados de sua conclusão e despesas para vender.
3.8
Cotas de consórcio
Avaliados pelo valor do crédito objeto do investimento em cotas de grupos de consórcio, até a
data do balanço, sendo classificáveis como recebíveis.
PÁGINA: 74 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
3.9
Investimentos
Os investimentos em controladas são avaliados por equivalência patrimonial, conforme CPC18
(R2), para fins de demonstrações financeiras da controladora.
Outros investimentos, que não se enquadrem na categoria acima, são avaliados pelo custo de
aquisição, deduzido de provisão para desvalorização, quando aplicável.
3.10
a.
Imobilizado
Reconhecimento e mensuração
Itens do imobilizado são mensurados pelo custo histórico de aquisição ou construção, deduzido
de depreciação acumulada e quaisquer perdas acumuladas por redução ao valor recuperável
(impairment) acumuladas.
O custo inclui gastos que são diretamente atribuíveis à aquisição de um ativo. O custo de ativos
construídos pela própria Companhia inclui:

O custo de materiais e mão de obra direta;

Quaisquer outros custos para colocar o ativo no local e condição necessários para que esses
sejam capazes de operar da forma pretendida pela Administração;

Os custos de desmontagem e de restauração do local onde estes ativos estão localizados; e

Custos de empréstimos sobre ativos qualificáveis.
Quando partes de um item do imobilizado têm diferentes vidas úteis, elas são registradas como
itens individuais (componentes principais) de imobilizado. Quaisquer ganhos e perdas na
alienação de um item do imobilizado são reconhecidos no resultado.
b.
Custos subsequentes
Gastos subsequentes são capitalizados na medida em que seja provável que benefícios futuros
associados com os gastos serão auferidos pela Companhia. Gastos de manutenção e reparos
recorrentes são registrados no resultado.
c.
Depreciação
Itens do ativo imobilizado são depreciados pelo método linear no resultado do exercício baseado
na vida útil econômica estimada de cada componente. Ativos arrendados são depreciados pelo
menor período entre a vida útil estimada do bem e o prazo do contrato, a não ser que seja
razoavelmente certo que a Companhia obterá a propriedade do bem ao final do prazo do
arrendamento. Terrenos não são depreciados. Itens do ativo imobilizado são depreciados a partir
da data em que são instalados e estão disponíveis para uso, ou em caso de ativos construídos
internamente, do dia em que a construção é finalizada e o ativo está disponível para utilização.
PÁGINA: 75 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
As vidas úteis estimadas para o, exercício corrente e comparativo, são as seguintes:
Controladora
Edificações
Máquinas e equipamentos
Moldes
Veículos
Móveis e utensílios
Equipamentos de tecnologia
Direito uso substação
Consolidado
Vida útil média
% ano
Vida útil média
% ano
49 anos
15 anos
8 anos
10 anos
13 anos
4 anos
-
2,0
6,7
12,5
10,0
7,7
25,0
-
43 anos
14 anos
9 anos
8 anos
13 anos
6 anos
24 anos
2,3
7,1
11,1
12,5
7,7
16,7
4,2
Os valores residuais e a vida útil dos ativos são revisados e ajustados, se apropriado, ao final de
cada exercício.
3.11
a.
Ativos intangíveis
Softwares
As licenças de software adquiridas são capitalizadas com base nos custos incorridos para
adquirir os softwares e fazer com que eles estejam prontos para ser utilizados. Esses custos são
amortizados durante sua vida útil estimável até 5 anos.
Os custos associados à manutenção de softwares são reconhecidos como despesa, conforme
incorridos. Os custos de desenvolvimento que são diretamente atribuíveis ao projeto e aos testes
de produtos de software identificáveis e exclusivos, controlados pela Companhia, são
reconhecidos como ativos intangíveis quando os seguintes critérios são atendidos:

é tecnicamente viável concluir o software para que ele esteja disponível para uso;

a Administração pretende concluir o software e usá-lo ou vendê-lo;

o software pode ser vendido ou usado;

o software gerará benefícios econômicos futuros prováveis, que podem ser demonstrados;

estão disponíveis recursos técnicos, financeiros e outros recursos adequados para concluir o
desenvolvimento e para usar ou vender o software; e

o gasto atribuível ao software durante seu desenvolvimento pode ser mensurado com segurança.
Os custos diretamente atribuíveis, que são capitalizados como parte do produto de software,
incluem os custos com empregados alocados no desenvolvimento de softwares e uma parcela
adequada das despesas diretas relevantes. Os custos também incluem os custos de
financiamento relacionados com a aquisição do software.
Outros gastos de desenvolvimento que não atendam a esses critérios são reconhecidos como
despesa, conforme incorridos. Os custos de desenvolvimento previamente reconhecidos como
despesa não são reconhecidos como ativo em período subsequente.
PÁGINA: 76 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Os custos de desenvolvimento de softwares reconhecidos como ativos são amortizados durante
sua vida útil estimada, não superior a 8 anos.
b.
Outros ativos intangíveis
Outros ativos intangíveis que são adquiridos pela Companhia e que têm vidas úteis finitas são
mensurados pelo custo, deduzido da amortização acumulada e perdas acumuladas por redução
ao valor recuperável.
c.
Gastos subsequentes
Os gastos subsequentes são capitalizados somente quando eles aumentam os benefícios
econômicos futuros incorporados no ativo específico aos quais se relacionam. Todos os outros
gastos, incluindo gastos com ágio gerado internamente e marcas e patentes, são reconhecidos no
resultado conforme incorridos.
d.
Amortização
A amortização é calculada para amortizar o custo de itens do ativo intangível, menos seus
valores residuais estimados, utilizando o método linear baseado na vida útil estimada dos itens.
A amortização é geralmente reconhecida no resultado.
3.12
Ajuste a valor presente de ativos e passivos
Os ativos e passivos monetários são ajustados pelo seu valor presente quando o efeito é
considerado relevante em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto. O cálculo
do ajuste a valor presente é efetuado com base em taxa de juros que reflete o prazo e o risco de
cada transação. Para as transações a prazo a Companhia e suas controladas utilizam a variação
da taxa do Certificado de Depósito Interbancário - CDI, visto que é a taxa de referência utilizada
em transações a prazo.
O ajuste a valor presente das contas a receber se dá em contrapartida da receita bruta no
resultado e a diferença entre o valor presente de uma transação e o valor de face do faturamento
é considerado como receita financeira e será apropriado com base na medida do custo
amortizado e a taxa efetiva ao longo do prazo de vencimento da transação.
O ajuste a valor presente de compras é registrado nas contas de fornecedores e custos, e sua
realização tem como contra partida a conta de despesa financeira, pela fruição do prazo de seus
fornecedores.
Em 31 de dezembro de 2015, não foram identificadas outras transações que fossem
consideradas relevantes em relação às demonstrações financeiras tomadas em conjunto.
3.13
Imposto de renda e contribuição social
O imposto de renda e a contribuição social do exercício corrente e diferido são calculados com
base nas alíquotas de 15%, acrescidas do adicional de 10% sobre o lucro tributável excedente de
R$ 240 para imposto de renda e 9% sobre o lucro tributável para contribuição social sobre o
lucro líquido, e consideram a compensação de prejuízos fiscais e base negativa de contribuição
social, limitada a 30% do lucro real.
A despesa com imposto de renda e contribuição social compreende os impostos correntes e
diferidos. O imposto corrente e o imposto diferido são reconhecidos no resultado a menos que
estejam relacionados à combinação de negócios, ou a itens diretamente reconhecidos no
patrimônio líquido ou em outros resultados abrangentes.
PÁGINA: 77 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
a.
Imposto corrente
Imposto corrente é o imposto a pagar ou a receber estimado sobre o lucro ou prejuízo tributável
do exercício e qualquer ajuste aos impostos a pagar com relação aos exercícios anteriores. Ele é
mensurado com base nas taxas de impostos decretadas ou substantivamente decretadas na data
do balanço. O imposto corrente também inclui qualquer imposto a pagar decorrente da
declaração de dividendos.
Os impostos correntes ativo e passivo são compensados somente se alguns critérios forem
atendidos.
b.
Imposto diferido
O imposto diferido é reconhecido com relação às diferenças temporárias entre os valores
contábeis de ativos e passivos para fins de demonstrações financeiras e os correspondentes
valores usados para fins de tributação. O imposto diferido não é reconhecido para:

diferenças temporárias sobre o reconhecimento inicial de ativos e passivos em uma transação
que não seja combinação de negócios e que não afete nem o lucro ou prejuízo tributável nem o
contábil;

diferenças temporárias relacionadas a investimentos em controladas, coligadas e participações
em empreendimentos sob controle conjunto na extensão que a Companhia seja capaz de
controlar o momento da reversão das diferenças temporárias e seja provável que elas não sejam
revertidas num futuro previsível; e

diferenças temporárias tributáveis decorrentes do reconhecimento inicial de ágio.
Um ativo de imposto de renda e contribuição social diferidos é reconhecido em relação aos
prejuízos fiscais, créditos fiscais e diferenças temporárias dedutíveis não utilizados, na extensão
em que seja provável que lucros futuros tributáveis estarão disponíveis, contra os quais serão
utilizados. Ativos de imposto de renda e contribuição social diferidos são revisados a cada data
de balanço e são reduzidos na extensão em que sua realização não seja mais provável.
O imposto diferido é mensurado com base nas alíquotas que se espera aplicar às diferenças
temporárias quando elas forem revertidas, baseando-se nas alíquotas que foram decretadas ou
substantivamente decretadas até a data do balanço.
A mensuração do imposto diferido reflete as consequências tributárias que seguiriam a maneira
sob a qual a Companhia espera recuperar ou liquidar o valor contábil de seus ativos e passivos.
O imposto diferido ativo e passivo são compensados somente se alguns critérios forem
atendidos.
PÁGINA: 78 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
3.14
Benefícios de pensão pós-emprego
A Companhia é patrocinadora de plano de previdência complementar, do tipo contribuição
definida com benefício mínimo garantido, que tem como objetivo principal a suplementação de
benefícios assegurados e prestados pela previdência social aos seus empregados. O referido
plano contempla os seguintes benefícios: aposentadoria normal, aposentadoria antecipada,
aposentadoria por invalidez, pensão por morte, benefício proporcional e benefícios mínimos
garantidos.
A Companhia reconhece sua obrigação com planos de benefícios a empregados e os custos
relacionados, líquidos dos ativos do plano, adotando as seguintes práticas:
(a)
O custo de pensão e de outros benefícios pós-emprego adquiridos pelos empregados é
determinado atuarialmente usando o método da unidade de crédito projetada e a melhor
estimativa da Administração da performance esperada dos investimentos do plano para fundos,
crescimento salarial, idade de aposentadoria dos empregados e custos esperados com tratamento
de saúde. A taxa de desconto usada para determinar a obrigação de benefícios futuros é uma
estimativa da taxa de juros corrente na data do balanço;
(b)
Os ativos do plano de pensão são avaliados a valor de mercado;
(c)
Os custos do serviço passado decorrente de correções do plano são amortizados linearmente
pelo período médio remanescente de serviço dos empregados ativos na data da correção;
(d)
Os ganhos e perdas atuariais são reconhecidos imediatamente no resultado abrangente do
exercício;
(e)
Reduções do plano resultam de alterações significativas do tempo de serviço esperado dos
empregados ativos. É reconhecida uma perda líquida com redução quando o evento é provável e
pode ser estimado, enquanto que o ganho líquido com redução é diferido até a sua realização.
Na contabilização dos benefícios de pensão e pós-emprego, são usadas várias estatísticas e
outros fatores, na tentativa de antecipar futuros eventos, no cálculo da despesa e da obrigação
relacionada com os planos. Esses fatores incluem premissas de taxa de desconto, retorno
esperado dos ativos do plano, aumentos futuros do custo com tratamento de saúde e taxa de
aumentos futuros de remuneração.
Adicionalmente, consultores atuariais também usam fatores subjetivos, como taxas de
desligamento, rotatividade e mortalidade para estimar estes fatores. As premissas atuariais
usadas pela Companhia podem ser materialmente diferentes dos resultados reais devido a
mudanças nas condições econômicas e de mercado, eventos regulatórios, decisões judiciais,
taxas de desligamento maiores ou menores ou períodos de vida mais curtos ou longos dos
participantes.
3.15
Outros benefícios a empregados
Outros benefícios concedidos a empregados e administradores da Companhia incluem, em
adição à remuneração fixa (salários e contribuições para a seguridade social (INSS), férias, 13º
salário), remunerações variáveis como participação nos lucros e plano de previdência privada contribuição definida, (Nota 25). Esses benefícios são registrados no resultado do exercício
quando a Companhia tem uma obrigação com base em regime de competência, à medida que
são incorridos.
PÁGINA: 79 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
3.16
Resultado por ação
A Companhia efetua os cálculos do lucro por Lote de mil ações, básico e diluído - utilizando o
número médio ponderado de ações ordinárias e preferenciais totais em circulação, durante o
exercício correspondente ao resultado conforme pronunciamento técnico CPC 41 (R1) (IAS 33).
3.17
Ações em tesouraria
Quando ações reconhecidas como patrimônio líquido são recompradas, o valor da
contraprestação paga, o qual inclui quaisquer custos diretamente atribuíveis, líquido de
quaisquer efeitos tributários, é reconhecido como uma dedução do patrimônio líquido. As ações
recompradas são classificadas como ações em tesouraria e são apresentadas como dedução do
patrimônio líquido. Quando as ações em tesouraria são vendidas ou reemitidas
subsequentemente, o valor recebido é reconhecido como um aumento no patrimônio líquido, e o
ganho ou perda resultantes da transação é apresentado como reserva de capital.
3.18
Subvenções governamentais
Subvenções governamentais são reconhecidas quando houver razoável certeza de que o
benefício será recebido e que todas as correspondentes condições serão satisfeitas. Quando o
benefício se refere a um item de despesa, é reconhecido como receita ao longo do período do
benefício, de forma sistemática em relação aos custos cujo benefício objetiva compensar.
Quando o benefício se referir a um ativo, é reconhecido como receita diferida e lançado no
resultado em valores iguais ao longo da vida útil esperada do correspondente ativo.
3.19
Demonstração do valor adicionado
A Companhia elaborou demonstrações do valor adicionado (DVA) individuais e consolidadas
nos termos do pronunciamento técnico CPC 09 - Demonstração do Valor Adicionado, as quais
são apresentadas como parte integrante das demonstrações financeiras conforme BRGAAP
aplicável as companhias abertas, enquanto para as IFRS representam informação financeira
suplementar.
3.20
Apresentação de informação por segmentos
As informações por segmentos operacionais são apresentadas de modo consistente com o
relatório interno fornecido para o principal tomador de decisões operacionais. O principal
tomador de decisões operacionais, responsável pela alocação de recursos e pela avaliação de
desempenho dos segmentos operacionais, é o Conselho de Administração, responsável inclusive
pela tomada das decisões estratégicas da Companhia.
4
Julgamentos, estimativas e premissas contábeis significativas
Na preparação destas demonstrações financeiras individuais e consolidadas, a Administração
utilizou julgamentos, estimativas e premissas que afetam a aplicação das políticas contábeis da
Companhia e os valores reportados dos ativos, passivos, receitas e despesas. Os resultados reais
podem divergir dessas estimativas.
As estimativas e premissas são revisadas de forma continua. As revisões das estimativas são
reconhecidas prospectivamente.
PÁGINA: 80 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
(i)
Julgamentos
As informações sobre julgamentos realizados na aplicação das políticas contábeis que tem
efeitos significativos sobre os valores reconhecidos nas demonstrações financeiras individuais e
consolidadas estão incluídas nas seguintes notas explicativas:

(ii)
Nota 16 - Provisão para Litígios
Incertezas sobre premissas e estimativas
As informações sobre as incertezas relacionadas a premissas e estimativas que possuem um
risco significativo de resultar em um ajuste material no exercício a findar-se em 31 de dezembro
de 2015 estão incluídas nas seguintes notas explicativas:

Nota 12 - Plano de pensão e de benefícios pós-emprego a funcionários

Nota 28 - Objetivos e políticas para gestão do risco financeiro
As principais premissas relativas a fontes de incerteza nas estimativas futuras e outras
importantes fontes de incerteza em estimativas na data do balanço, envolvendo risco
significativo de causar um ajuste significativo no valor contábil dos ativos e passivos no
próximo exercício financeiro, são destacadas a seguir:
a.
Impostos
Existem incertezas em relação à interpretação de regulamentos tributários complexos e ao valor
e à época de resultados tributáveis futuros. Dado amplo aspecto de relacionamentos de negócios
internacionais, bem como a natureza de longo prazo e a complexidade dos instrumentos
contratuais existentes, diferenças entre os resultados reais e as premissas adotadas, ou futuras
mudanças nessas premissas, poderiam exigir ajustes futuros na receita e despesa de impostos
registrada. A Companhia constitui provisões, com base em estimativas confiáveis, para
possíveis consequências em eventuais fiscalizações por parte das autoridades fiscais das
respectivas jurisdições em que opera. O valor dessas provisões baseia-se em vários fatores,
como experiência de fiscalizações anteriores e interpretações divergentes dos regulamentos
tributários pela Companhia e pela autoridade fiscal responsável. Essas diferenças de
interpretação podem surgir numa ampla variedade de assuntos, dependendo das condições
vigentes no respectivo domicílio da Companhia.
Imposto diferido ativo é reconhecido para todos os prejuízos fiscais não utilizados na extensão
em que seja provável que haja lucro tributável disponível para permitir a utilização dos referidos
prejuízos. Julgamento significativo da Administração é requerido para determinar o valor do
imposto diferido ativo que pode ser reconhecido, com base no prazo provável e nível de lucros
tributáveis futuros, com estratégias de planejamento fiscal. Para mais detalhes sobre impostos
diferidos, vide Nota 21.
b.
Benefícios de aposentadoria
O valor atual de obrigações de planos de pensão depende de uma série de fatores que são
determinados utilizando métodos de avaliação atuarial. A avaliação atuarial envolve o uso de
premissas sobre as taxas de desconto, taxas de retorno de ativos esperadas, aumentos salariais
futuros, taxas de mortalidade e aumentos futuros de benefícios de aposentadorias e pensões. A
obrigação de benefício definido é altamente sensível a mudanças nessas premissas. A taxa de
mortalidade se baseia em tábuas de mortalidade disponíveis no país. Aumentos futuros de
salários e de benefícios de aposentadoria e de pensão se baseiam nas taxas de inflação futuras
esperadas para o país.
PÁGINA: 81 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Para mais detalhes sobre as premissas utilizadas, vide Nota 12.
c.
Valor justo de instrumentos financeiros
Quando o valor justo de ativos e passivos financeiros apresentados no balanço patrimonial não
puder ser obtido de mercados ativos, é determinado utilizando técnicas de avaliação, incluindo
o método de fluxo de caixa descontado. Os dados para esses métodos se baseiam naqueles
praticados no mercado, quando possível, contudo, quando isso não for viável, um determinado
nível de julgamento é requerido para estabelecer o valor justo. O julgamento inclui
considerações sobre os dados utilizados, por exemplo risco de liquidez, risco de crédito e
volatilidade. Mudanças nas premissas sobre esses fatores poderiam afetar o valor justo
apresentado dos instrumentos financeiros.
d.
Provisões para riscos tributários, cíveis e trabalhistas
A Companhia reconhece provisão para causas tributárias, cíveis e trabalhistas. A avaliação da
probabilidade de perda inclui a avaliação das evidências disponíveis, a hierarquia das leis, as
jurisprudências disponíveis, as decisões mais recentes nos tribunais e sua relevância no
ordenamento jurídico, bem como a avaliação dos advogados externos. As provisões são
revisadas e ajustadas para levar em conta alterações nas circunstâncias, tais como prazo de
prescrição aplicável, conclusões de inspeções fiscais ou exposições adicionais identificadas com
base em novos assuntos ou decisões de tribunais.
5
Normas, alterações e interpretações de normas
As normas e interpretações emitidas pelo IASB, mas ainda não adotadas até a data de emissão
das demonstrações financeiras da Companhia estão abaixo apresentadas. A Companhia pretende
adotar essas normas, se aplicáveis, quando entrarem em vigência, desde que implementadas no
Brasil pelo CPC e aprovadas pela CVM e o CFC.

IFRS 9, "Instrumentos financeiros", emitido em novembro de 2009, o IFRS 9 introduz novas
exigências para classificar e mensurar os ativos financeiros: custo amortizado, valor justo por
meio de outros resultados abrangentes e valor justo por meio do resultado. Traz, ainda um novo
modelo de perdas em crédito esperadas, em substituição ao modelo atual de perdas incorridas. O
IFRS 9 traz maior flexibilidade em relação às exigências de efetividade do hedge, bem como
exige um relacionamento econômico entre o item protegido e o instrumento de hedge e que o
índice de hedge seja o mesmo que aquele que a Administração usa para fins de gestão do risco.
A norma é aplicável a partir de 1º de janeiro de 2018. A Companhia está avaliando os impactos
da aplicação desta norma.

IFRS 15, “Receitas de contratos com clientes”, emitido em maio de 2014. Esta norma tem como
objetivo estabelecer os princípios que uma Companhia deve aplicar para relatar informações
correspondentes à natureza, quantidade, tempo e estimativas da receita e fluxos de caixas
decorrentes de um contrato com cliente. A norma é aplicável a partir de 1° de janeiro de 2017. A
Companhia está avaliando o impacto da aplicação desta norma.

IFRS 16, “Arrendamento”, emitido em janeiro de 2016. Esta norma tem como objetivo unificar
o modelo de contabilização do arrendamento, exigindo dos arrendatários reconhecer como ativo
ou passivo todos os contratos de arrendamento, a menos que o contrato possua um prazo de
doze meses ou um valor imaterial. A norma é aplicável a partir de 1° de janeiro de 2019. A
Companhia está avaliando o impacto da aplicação desta norma.
PÁGINA: 82 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
6
Caixa e equivalentes de caixa
Controladora
Caixa e bancos
Numerários em trânsito (a)
Aplicações financeiras (b)
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
870
30.540
843.147
2.094
52.586
795.399
29.249
54.364
1.244.791
23.308
77.328
1.257.454
874.557
850.079
1.328.404
1.358.090
(a)
Os numerários em trânsito referem-se a recebimentos de exportações mantidos em instituição financeira no exterior,
pendentes de fechamento de contratos de câmbio na data de encerramento das demonstrações financeiras.
(b)
As aplicações financeiras são de curto prazo, de alta liquidez, e prontamente conversíveis em um montante conhecido
de caixa e que estão sujeitos a um insignificante risco de mudança de valor. São representadas substancialmente por
certificados de depósitos bancários e fundos de renda fixa, remuneradas a taxas que variam entre 75% e 104% (90% a
105% em 31 de dezembro de 2014) do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) .
A exposição a risco de taxa de juros e uma análise de sensibilidade para ativos e passivos financeiros são divulgadas
na nota explicativa 28.
7
Aplicações financeiras de liquidez não imediata
Referem-se a aplicações financeiras em Certificados de Depósitos Bancários (CDBs) e em
moeda estrangeira (USD) mantidas em bancos de primeira linha, conforme demonstrado abaixo:
Controladora
Aplicação
CDB e
Operações
Compromissadas
(Debentures)
Remuneração
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
353.455
-
128.480
-
374.229
29.544
134.550
22.142
Total
353.455
128.480
403.773
156.692
(-) Circulante
Não circulante
268.898
84.557
36.736
91.744
403.773
-
156.692
-
LFS
75% a 104%do CDI
100% do CDI
31/12/2015
Consolidado
PÁGINA: 83 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
8
Clientes
Controladora
31/12/2015
Consolidado
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
No País
257.687
204.841
716.109
754.038
- De terceiros
- Partes relacionadas
- Vendor
252.603
4.410
674
198.666
5.447
728
716.109
-
754.038
-
No exterior
59.759
47.786
134.013
113.102
- De terceiros
- De partes relacionadas
50.631
9.128
39.239
8.547
134.013
-
113.102
-
317.446
252.627
850.122
867.140
Menos:
- Ajuste a valor presente
- Provisão para devedores
Duvidosos
(2.168)
(1.658)
(3.509)
(2.311)
(16.967)
(16.411)
(41.046)
(27.425)
Total
298.311
234.558
805.566
837.404
(-) Circulante
Não circulante
298.311
-
234.558
-
624.794
180.772
618.132
219.272
Em 31 de dezembro de 2015 e 31 de dezembro de 2014, os prazos médios de recebimentos para
o mercado interno são de 137 e 96 dias, respectivamente, e para o mercado externo 49 e 65 dias,
respectivamente.
A movimentação da provisão para devedores duvidosos está demonstrada a seguir:
Controladora
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
Saldo no início do exercício
Adições
Baixa/realizações
(16.411)
(3.824)
3.268
(14.745)
(7.160)
5.494
(27.425)
(19.229)
5.608
(23.896)
(17.843)
14.314
Saldo no final do exercício
(16.967)
(16.411)
(41.046)
(27.425)
Em 31 de dezembro de 2015 e 31 de dezembro de 2014, a análise do vencimento de
saldos de contas a receber de clientes é a seguinte:
Controladora
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
A vencer
De 1 a 30 dias
De 31 a 60 dias
De 61 a 90 dias
De 91 a 180 dias
Acima de 181 dias
153.847
111.583
17.062
9.374
11.521
14.059
157.550
65.979
6.671
4.156
784
17.487
638.483
132.988
29.703
14.993
14.284
19.671
701.933
121.149
12.157
6.201
3.089
22.611
Total
317.446
252.627
850.122
867.140
PÁGINA: 84 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
A exposição do grupo a risco de crédito e moeda relacionados a contas a receber de clientes são
divulgados na nota explicativa 28.
9
Estoques
Controladora
Produtos acabados
Produtos em elaboração
Matérias-primas
Material auxiliar e de manutenção
Adiantamentos a fornecedores
Importações em andamento
Provisão para perdas com estoques
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
39.556
92.686
101.473
49.636
1.513
6.431
(8.410)
39.472
92.511
76.015
51.113
2.130
6.739
(8.210)
178.615
122.754
175.680
72.841
6.038
16.599
(13.395)
172.661
131.470
165.042
74.373
6.360
17.946
(14.342)
282.885
259.770
559.132
553.510
A movimentação da provisão para perdas com estoques está demonstrada a seguir:
Controladora
10
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
Saldo no início do exercício
Adições
Recuperações/ realizações
(8.210)
(8.314)
8.114
(4.538)
(7.094)
3.422
(14.342)
(12.654)
13.601
(9.331)
(15.685)
10.674
Saldo no final do exercício
(8.410)
(8.210)
(13.395)
(14.342)
Impostos e contribuições a recuperar
Controladora
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
20.012
22.464
61.687
12.492
2.725
2.098
2.913
17.607
37.187
63.383
10.062
2.198
7.337
1.913
43.899
23.416
77.019
18.328
3.963
18.116
4.872
12.002
43.843
39.615
82.558
17.121
3.708
24.276
13.952
6.713
Total
124.391
139.687
201.615
231.786
(-) Circulante
Não circulante
103.220
21.171
127.109
12.578
168.025
33.590
203.924
27.862
ICMS (a)
IPI (b)
IRPJ e CSLL (c)
COFINS (d)
PIS (d)
IVA (e)
Reintegra (f)
Outros
a.
Consolidado
Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)
O saldo é composto por créditos apurados nas operações mercantis e de aquisição de bens
integrantes do ativo imobilizado, gerados nas unidades produtoras e comerciais da Companhia.
PÁGINA: 85 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
b.
Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)
O saldo compõe-se substancialmente de valores originados das operações mercantis,
podendo ser compensados com tributos da mesma natureza.
c.
Imposto de Renda e Contribuição Social (IR e CS)
Corresponde ao imposto de renda retido na fonte sobre aplicações financeiras e antecipações no
recolhimento de imposto de renda e contribuição social realizáveis mediante a compensação com
impostos e contribuições federais a pagar.
d.
Programa de Integração Social e Contribuição para Financiamento da Seguridade
Social (PIS e COFINS)
O saldo é composto por valores de créditos originados da cobrança não cumulativa do PIS e da
COFINS, apurados principalmente nas operações de aquisição de bens integrantes do ativo
imobilizado, que são compensados em parcelas mensais sucessivas, conforme determinado pela
legislação.
e.
Imposto sobre Valor Adicionado (IVA)
O saldo é composto por créditos de imposto sobre valor adicionado a recuperar pelas
controladas Randon Argentina S.A. e Fras-le Argentina S.A. Os referidos créditos não
prescrevem e a Companhia espera que sua recuperação ocorra entre 6 e 18 meses.
f.
Reintegra
O saldo de Reintegra refere-se a um regime tributário no qual a Companhia toma crédito de
exportação de bens manufaturados existentes em sua cadeia de produção. A compensação de
tais créditos ocorre quando da apuração de valores a pagar, relativamente a qualquer outro
tributo federal.
11
Partes relacionadas
Os principais saldos de ativos e passivos em 31 de dezembro de 2015 e 31 de
dezembro de 2014, bem como as transações que influenciaram o resultado do
exercício, relativas a operações com partes relacionadas, decorrem de transações da
Companhia com sua controladora e suas controladas, as quais não foram realizadas
em condições usuais de mercado para os respectivos tipos de operação e condições
específicas, considerando os volumes das operações e prazos de pagamentos:
PÁGINA: 86 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Ativo
Contas a Aplicações
receber por financeiras
vendas
e outros
Master Sistemas Automotivos Ltda. (a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
JSCP a
receber
Contas a
Dividendos a pagar por
receber compras
Adiantamentos
de controladas
Mútuos a
pagar
522
26
-
2.130
2.590
13.216
174
258
-
-
24
23
-
1.637
1.290
817
2.872
7
-
7
-
-
Fras-le S.A. (a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
213
148
-
2.544
1.843
732
117
297
15
-
-
Randon Implementos para o
Transporte Ltda.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
3.432
4.907
-
-
-
128
-
58
-
140
266
-
-
-
-
6
5
-
Fras-le Argentina S.A.(b)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
1.841
1.061
-
-
97
97
-
-
-
Randon Argentina S.A.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
7.287
7.486
-
-
-
98
-
-
16
7
-
-
16.316
14.396
-
1
1
-
Banco Randon S.A.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
-
90.101
91.744
-
1.548
1.512
48
1
-
-
Outras partes relacionadas (c)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
63
70
17
-
-
120
19
6
68
7.905
10.195
Saldo 31 de dezembro de 2015
13.538
90.101
6.311
19.510
726
21
7.905
Saldo 31 de dezembro de 2014
13.994
91.761
5.723
32.210
438
132
10.195
Jost Brasil Sistemas Automotivos
Ltda.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
Castertech Fundição e Tecnologia
Ltda.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
Randon Administradora de Consórcios
Ltda.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
(*)
Passivo
No consolidado, o saldo de outras partes relacionadas foi de R$ 9.736 em 31 de dezembro de 2015 (R$ 12.122 em 31 de dezembro de 2014).
PÁGINA: 87 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Transações
Master Sistemas Automotivos Ltda. (a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
Jost Brasil Sistemas Automotivos Ltda. (a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
Fras-le S.A.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
Randon Implementos para o Transporte
Ltda.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
Castertech Fundição e Tecnologia Ltda.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
Venda de
produtos e
serviços
Compra de
produtos e
serviços
2.605
4.441
67.686
134.791
93
11.525
Prazo médio
Outras
receitas
Outras
despesas
Recebimentos
Pagamentos
6.876
4.868
355
1.658
24
10
4
4
28.963
48.497
2.941
3.064
8
-
12
75
5
50
4.916
4.939
10.964
13.097
9.896
9.851
3.464
2.748
23
28
4
6
58.418
161.777
8.454
3.122
1.369
977
61
85
3
10
10
23
1.558
3.619
38.013
63.374
782
812
636
543
55
43
2
5
Freios Controil Ltda. (b)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
642
660
-
-
-
17
21
-
Randon Argentina S.A.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
30.491
18.237
-
-
-
83
212
-
1.679
2.042
-
1.320
1.208
12
-
9
7
-
Banco Randon S.A. (a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
418
299
-
10.786
9.415
3.962
4.680
5
4
-
Randon Automotive Ltda.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
-
8.886
1.881
-
-
-
3
30
Fras-le Argentina S.A. (a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
3.271
2.449
-
-
-
133
127
-
Outras partes relacionadas (c)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
2
87
378
192
43
65
2.417
2.535
Saldo 31 de dezembro de 2015
104.093
163.344
34.013
10.915
Saldo 31 de dezembro de 2014
210.075
264.954
30.260
12.249
Randon Administradora de Consórcios Ltda.(a)
Saldo 31 de dezembro de 2015
Saldo 31 de dezembro de 2014
-
-
Total
(a)
Sociedade controlada direta e final da Companhia.
(b)
Sociedade controlada pela Fras-le S.A.
(c)
Outras partes relacionadas — saldos de mútuos a receber e a pagar mantidos junto a diretores, gerentes, membros do Conselho de Administração entre
outras partes relacionadas.
No exercício findo em 31 de dezembro de 2015, as operações de vendas com as empresas
do grupo Arvin Meritor atingiram o montante, na Master Sistemas Automotivos Ltda., de
R$ 52.008 (R$ 82.565 em 31 de dezembro de 2014), na Fras-Le S.A. e suas controladas de
R$ 143.617 (R$ 34.718 em 31 de dezembro de 2014), na Randon S.A. Implementos e
Participações e suas filiais de R$23.818 (R$ 15.926 em 31 de dezembro de 2014).
PÁGINA: 88 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
As operações de vendas com as empresas do grupo Jost Werke atingiram o montante, na
Jost Brasil Sistemas Automotivos Ltda, de R$ 895 (R$ 1.159 em 31 de dezembro de
2014).
As transações comerciais praticadas com essas partes relacionadas seguem políticas de
preços e prazos específicos estabelecidos em contrato de associação entre as partes. O
acordo comercial leva em consideração o prazo, o volume e a especificidade dos produtos
adquiridos pelas partes relacionadas, que não são comparáveis aos vendidos para partes
não relacionadas.
Nas transações comerciais com vencimentos a prazo, a Companhia utiliza como taxa de
juros o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), que é a mesma taxa de referência
para as transações comerciais praticadas com terceiros. Para as transações comerciais com
vencimento à vista não são praticados juros.
Termos e condições de transações com partes relacionadas
As transações de vendas com partes relacionadas referem-se a vendas de mercadorias para
abastecimento dos mercados nos quais estão sediadas, e vendas de insumos utilizados na
produção. As operações de compras efetuadas com partes relacionadas referem-se a
fornecimento de insumos utilizados no processo produtivo da Companhia.
Os saldos de conta-corrente, relativos aos contratos de mútuo entre controladora, controladas e
outras partes relacionadas, possuem prazo de vencimento indeterminado e são atualizados pro
rata tempore pela taxa DI-Extra, editada pela Andima, sem juros.
Os saldos em aberto no encerramento do exercício não têm garantias, não estão sujeitos a juros
e são liquidados em dinheiro. Não houve garantias prestadas ou recebidas em relação a
quaisquer contas a receber ou a pagar envolvendo partes relacionadas.
Remuneração do pessoal-chave da Administração da Companhia e suas
controladas
A Companhia e suas controladas definiram como pessoal chave: o Conselho de
Administração, a Diretoria Estatutária, o Conselho Fiscal, a diretoria não estatutária e os
principais executivos das empresas controladas.
Os montantes referentes à remuneração do pessoal chave da administração estão
representados como segue:
Controladora
Consolidado
31/12/2015 31/12/2014
31/12/201531/12/2014
Benefícios de curto prazo (salários, ordenados,
participações nos lucros
e despesas com
assistência médica)
Benefícios pós-emprego - contribuições para
Randonprev
22.476
21.400
31.979
31.586
877
955
1.381
1.405
Total
23.353
22.355
33.360
32.991
PÁGINA: 89 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
A Companhia não pagou ao seu pessoal chave da Administração remuneração em outras
categorias de i) benefícios de longo prazo, ii) benefícios de rescisão de contrato de trabalho e
iii) remuneração baseada em ações.
12
Plano de pensão e de benefícios pós-emprego a funcionários
A Companhia é patrocinadora da RANDONPREV - Plano de Pensão, que tem como objetivo
principal a suplementação de benefícios assegurados e prestados pela previdência social aos
seus empregados. O plano de suplementação é do tipo contribuição definida de aposentadoria
para seus funcionários, com regime financeiro de capitalização.
O plano é avaliado atuarialmente ao final de cada exercício, por atuário independente, para
verificar se as taxas de contribuição estão sendo suficientes para a formação de
reservas necessárias aos compromissos atuais e futuros.
O valor justo dos ativos do plano foi apurado com base nos parâmetros de mercado existentes
no final do exercício de 31 de dezembro de 2015 ou, quando aplicável, pela projeção dos
benefícios futuros derivados da utilização do ativo, descontada a valor presente. A obrigação
atuarial no final do exercício foi determinada, com base nos cálculos do atuário independente,
utilizando-se o método da unidade de crédito projetada.
A Companhia oferece plano de benefício definido que substancialmente cobre todos os seus
empregados, sendo que as contribuições são feitas em fundos separados dos fundos próprios
da Companhia.
As tabelas a seguir apresentam um resumo dos componentes da despesa de benefício líquido
reconhecida na demonstração do resultado, bem como do status e dos valores reconhecidos no
balanço patrimonial:
Controladora
Despesa líquida com benefício (reconhecida no custo
de vendas)
Custo de serviço corrente
Custo dos juros sobre VPO
Receita de juros sobre ativos do plano
Juros sobre o superávit irrecuperável
Custo de benefício definido no resultado
Rendimento real dos ativos do plano
Consolidado
2015
2014
2015
410
383
608
816
638
(1.044)
368
(852)
162
1.182
1.936
685
372
301
4.619
(581)
(1.737)
(905)
2014
757
1.123
(1.576)
301
605
(3.116)
Ativo (passivo) de benefícios
Controladora
Obrigação com benefícios definidos
Valor justo dos ativos do plano
Ajuste devido
Ativo de benefícios
Consolidado
2015
2014
2015
2014
(5.786)
8.279
(2.493)
(5.539)
8.707
(3.108)
(10.929)
15.638
(4.709)
(10.296)
16.186
(5.778)
-
60
-
112
PÁGINA: 90 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
As movimentações no valor presente de obrigação com benefício definido são os seguintes:
Controladora
Consolidado
Obrigação com benefício definido em 31 de dezembro de 2013
Custo de juros
Custo do serviço corrente
Benefícios pagos
Perdas atuariais sobre obrigações
(5.025)
(608)
(383)
236
242
(9.299)
(1.123)
(757)
335
548
Obrigação com benefício definido em 31 de dezembro de 2014
Custo de juros
Custo do serviço corrente
Benefícios pagos
Ganhos/Perdas atuariais sobre obrigações
(5.538)
(638)
(435)
287
538
(10.296)
(1.182)
(840)
454
935
Obrigação com benefício definido em 31 de dezembro de 2015
(5.786)
(10.929)
Controladora
Consolidado
Valor justo dos ativos do plano em 31 de dezembro de 2013
Retorno sobre o investimento
Contribuição do empregador
Benefícios pagos
6.737
1.737
470
(236)
12.466
3.116
895
(292)
Valor justo dos ativos do plano em 31 de dezembro de 2014
Retorno sobre o investimento
Contribuição do empregador
Benefícios pagos
Valores transferidos
8.708
(581)
420
(287)
19
16.185
(905)
811
(454)
1
Valor justo dos ativos do plano em 31 de dezembro de 2015
8.279
15.638
As movimentações no valor justo dos ativos do plano são as seguintes:
A Companhia espera contribuir com R$1.730 aos seus planos de previdência com beneficio
definido em 2016. As principais categorias dos ativos do plano com uma porcentagem do
valor justo dos ativos totais do plano são as seguintes:
Controladora
Ações
Títulos
Consolidado
2015
2014
2015
2014
1.976
6.303
2.240
6.468
3.733
11.906
4.163
12.022
8.279
8.708
15.639
16.185
A taxa total esperada de rendimento de ativos é apurada com base nas expectativas de mercado
existentes naquela data, aplicável ao período ao longo do qual a obrigação deve ser liquidada.
Essas expectativas estão refletidas nas principais premissas abaixo.
PÁGINA: 91 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
2015
Taxa de desconto
Taxa de crescimento salarial
Taxa de crescimento de benefícios
Expectativa de vida de participantes recebendo renda vitalícia
12,75%
7,49%
5,00%
26
2014
11,85%
7,83%
5,20%
25
A expectativa estimada de benefício definido para o próximo exercício são as seguintes:
Contribuições esperadas para o exercício a encerrar em 31 de dezembro de 2016
realizada pela empresa
Empresas
Perfil de vencimento da obrigação de benefício definido
Pagamentos de benefícios esperados no exercício a findar-se em 31 de dezembro
de 2016
Pagamentos de benefícios esperados nos exercícios a findar-se em 31 de
dezembro de 2017 a 31 de dezembro de 2025
Análise da obrigação de benefício definido por categoria do participante
Participantes ativos
BPDs- Benefícios proporcionais diferidos
Aposentados
Informações patrimoniais
Percentual de alocação total em 31 de dezembro de 2015
Renda variavel
Renda fixa
Outros
Resultado do exercício
Custo de serviço corrente
Juros líquidos sobre passivo/(ativo) líquido
Controladora
Consolidado
521
989
521
989
404
700
5.833
11.764
6.237
12.464
4.854
863
69
9.322
1.539
69
5.786
10.930
13%
77%
10%
24%
75%
1%
100%
100%
337
(33)
696
(69)
304
627
PÁGINA: 92 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
O quadro abaixo apresenta a análise de sensibilidade do valor presente da obrigação em 31 de
dezembro de 2015:
Patrocinadora
Randon S/A Implementos e Participações
Randon Implementos para o Transporte Ltda
Master Sistemas Automotivos Ltda
Randon Consórcios Ltda
Jost Brasil Sistemas Automotivos Ltda
Fras-le S.A.
Castertech Fundição e Tecnologia Ltda
Banco Randon S.A.
Valor Presente da
Obrigação (VPO)
2015
5.787
744
842
141
345
2.934
90
46
1 p.p Aumento Efeito no VPO
(482)
(62)
(70)
(12)
(29)
(244)
(7)
(4)
1 p.p Redução Efeito no VPO
560
72
81
14
33
284
9
4
10.929
(910)
1.057
Total
Conforme item 145 do CPC33 (R1) e de acordo com os resultados do estudo, foi calculado o
efeito no valor do VPO considerando um ponto percentual a maior e a menor na taxa de
desconto, representando a avaliação de sensibilidade da taxa de desconto. O aumento de 1%
representa uma taxa de desconto de 13,75%, e uma redução de 1% representa uma taxa de
desconto de 11,75%. A avaliação da sensibilidade individualizada por controladas foi
realizada tendo como parâmetro a quantidade de colaboradores por empresa.
13
Investimentos
Composição dos saldos
Controladora
Participação em controladas
Outros investimentos
Lucro não realizado nos estoques
Lucros não realizados em imóveis
PProvisão para desvalorização dos investimentos
mantidos ao custo
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
778.533
2.406
(801)
(1.123)
763.653
2.464
(1.428)
(1.123)
2.956
-
3.233
-
(883)
(883)
(1.308)
(1.514)
778.132
762.683
1.648
1.719
PÁGINA: 93 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Movimentação dos saldos
A movimentação dos investimentos pode ser assim demonstrada:
Controladora
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
Saldos no início do exercício
Adições
Baixa outros investimentos
Equivalência patrimonial
Perda em investimento e ações em tesouraria
Variação cambial das investidas no exterior
Juros sobre capital próprio e dividendos recebidos
Baixas por incorporação
Avaliação Randonprev
Lucro não realizado nos estoques / imóveis
Resultado abrangente de controladas
762.683
17.539
(58)
39.833
5.082
(35.768)
(78)
627
(11.728)
774.431
90.137
(6.183)
(279)
(46.881)
(43.369)
(158)
(1.571)
(3.444)
1.719
1
(72)
-
1.719
-
Saldos no final do exercício
778.132
762.683
1.648
1.719
PÁGINA: 94 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Ex plicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Movimentação dos saldos
Saldos em 31 de
dezembro de 2014
- Aquisição
Investimentos
- Juros sobre
capital próprio
e dividendos
recebidos
- Ajustes
acumulados de
conversão
- Resultados
abrangentes
- Avaliação
Randonprev
- Equivalência
patrimonial
Saldos em 31 de
dezembro de 2015
Fras-le
S.A.
Maste r
Sistemas
Automotivos
Ltda.
Jost B rasil
Sistemas
Automotivos
Ltda.
Randon
Imple m e n tos
para o
Transp o r te
Ltda.
Randon
Administradora
de Consó r ci o s
Ltda.
Randon
Arge n ti n a
S.A.
Caste r te c h
Fundição e
Tecnologia
Ltda.
Rando n
Investi m e n tos
Ltda.
Rando n
Auto m o ti v e
Ltda.
Fras-le
Arge n ti n a
S.A.
Total
188.380
63.476
31.453
208.209
52.114
16.135
121.494
81.160
329
903
763.653
17.539
-
-
-
-
-
-
-
-
-
17.539
(8.509)
(2.505)
(5.377)
-
(16.316)
-
-
(3.061)
-
-
(35.768)
6.787
-
-
-
-
(1.630)
-
-
30
(105)
5.082
(11.728)
-
-
-
-
-
-
-
-
-
(11.728)
(288)
(106)
(28)
376
(12)
-
(15)
(2)
-
-
(78)
23.481
4.042
5.748
(21.356)
16.316
4.203
(48)
6.516
624
307
39.833
215.662
64.907
31.796
187.226
52.102
18.708
121.431
84.613
983
1.105
778.533
Juros sobre o capital próprio e dividendos recebidos
Até 31 de dezembro de 2015, a Companhia recebeu de controladas Juros Sobre o Capital Próprio no valor de R$ 13.762 (R$ 10.683 em 31 de dezembro de 2014). A
Companhia recebeu dividendos de controladas no valor de R$ 22.006 (R$ 36.198 em 31 de dezembro de 2014).
1
PÁGINA: 95 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Ex plicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Informações das investidas
Master
Sistemas
Fras-le Automotivos
S.A. (*)
Ltda. (*)
Randon
Jost B rasil Implementos
Sistemas
para o
Automotivos
Transporte
Ltda. (*)
Ltda.
Randon
A
dministradora
Randon
de Consórcios Argentina
Ltda.
S.A.
Castertech
Fundição e
Randon
Randon
Tecnologia Investimentos Automotive
Ltda.(*)
Ltda.
Ltda.
Fras-le
Argentina
S.A.
Controladora
31/12/2015
31/12/2014
Capital social
Quantidade total de ações ou
quotas da investida (em lotes de mil)
- Ordinárias
- Quotas
P articipação no capital social, no
final do exercício - %
Ativos
P assivos
Receita liquida
300.000
60.000
5.689
150.000
30.000
2.583
170.000
75.100
47
6.622
124.974
-
60.000
5.690
150.000
30.000
4.882
-
170.000
75.100
210
14.099
-
50,00
947.959
538.817
875.026
51,00
347.627
219.870
265.614
51,00
87.507
24.041
115.492
99,99
203.837
16.592
191.398
99,57
141.831
89.504
96.018
94,99
54.928
35.234
103.177
99,99
154.015
32.572
53.773
99,99
455.901
371.288
47.215
100
1.148
165
9.009
6
49.586
31.181
112.537
P atrimônio líquido ajustado
432.142
127.757
63.466
187.245
52.327
19.694
121.443
84.614
983
18.405
52.153
7.979
10.656
(21.358)
16.387
4.425
(50)
6.517
624
5.120
6.787
-
-
-
-
(1.630)
-
-
30
(105)
5.082
(279)
23.481
4.042
5.748
(21.356)
16.316
4.203
(48)
6.516
624
307
39.833
90.137
215.662
64.907
31.796
187.226
52.102
18.708
121.431
84.613
983
1.105
778.533
763.653
Lucro/P rejuízo líquido do exercício
Ajustes acumulados de conversão
Equivalência patrimonial
Valor do investimento
Exclui lucros não realizados nos estoques: Fras-le S.A. (R$ 411), Master Sistemas Automotivos Ltda. (R$ 249), Jost Brasil Sistemas Automotivos Ltda.
(R$ 572) e Castertech Fundição e Tecnologia Ltda. (R$ 3).
PÁGINA: 96 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
14
Imobilizado
Controladora
Custo do imobilizado
Terrenos e
Imobilizado em
Importações em
andamento e
adiantamentos a
Veículos
andamento
fornecedores
Total
13.414
342
(133)
(35)
-
17.729
891
(976)
(957)
-
22.807
27.602
(306)
(17.118)
-
1.501
25.145
(652)
1.030.650
67.588
(6.093)
(3.424)
(652)
273
12.022
218
(5)
219
248
13.836
553
(159)
90
50
16.737
641
(453)
183
420
33.405
37.737
(76)
(933)
25.994
638
(22.836)
28.086
1.116.155
84.942
(3.366)
(824)
12.454
14.320
17.108
70.133
3.796
1.196.907
Móveis e
Equipamentos de
prédios
Máquinas,
equipamentos e
moldes
utensílios
tecnologia
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Aquisições
Baixas
Transferências
Variação Cambial
Saldo de abertura por incorporação de
controlada
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Aquisições
Baixas
Transferências
473.368
5.129
(120)
2.937
-
490.282
8.310
(4.524)
11.684
-
11.549
169
(34)
65
-
20.595
501.909
4.810
(153)
3.757
6.500
512.252
40.345
(2.520)
18.696
Saldos em 31 de dezembro de 2015
510.323
568.773
PÁGINA: 97 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Imobilizado em
andamento
Importação em
andamento e
adiantamento a
fornecedor
Total
(11.251)
(1.319)
437
1.272
-
-
(349.197)
(46.381)
5.789
2.778
(85)
(11.944)
(690)
149
(50)
(10.911)
(1.311)
177
-
-
(2.275)
(389.286)
(46.401)
2.515
(8.377)
(12.485)
(12.045)
-
-
(433.172)
227.889
4.562
2.251
6.478
22.807
1.501
681.453
436.349
219.082
4.321
1.892
5.826
33.405
25.994
726.869
436.837
241.994
4.077
1.835
5.063
70.133
3.796
763.735
Terrenos e
prédios
Máquinas,
equipamentos e
Moldes
Móveis e
utensílios
Equipamentos de
tecnologia
Veículos
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Depreciação
Baixas
Transferências
Saldo de abertura por incorporação de
controlada
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Depreciação
Baixas
(57.403)
(7.717)
118
170
(262.393)
(35.729)
5.074
1.242
(6.987)
(693)
27
-
(11.163)
(923)
133
94
(728)
(65.560)
(7.955)
29
(1.364)
(293.170)
(35.766)
2.157
(48)
(7.701)
(679)
3
Saldos em 31 de dezembro de 2015
(73.486)
(326.779)
Valor residual líquido
Saldos em 31 de dezembro de 2013
415.965
Depreciação e perda do valor
recuperável
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Saldos em 31 de dezembro de 2015
PÁGINA: 98 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Consolidado
Imobilizado em
andamento
Importação em
andamento e
adiantamento a
fornecedor
Total
24.331
1.593
(1.794)
(958)
(21)
23.151
1.118
(1.217)
183
46
56.843
50.832
(235)
(35.486)
31
71.985
61.780
(840)
(27.539)
125
2.173
25.385
(54)
(59)
(653)
26.792
2.356
(22.836)
-
2.243.028
117.595
(12.854)
(3.642)
5.276
2.349.403
140.663
(11.947)
(4.286)
31.256
31.688
23.281
105.511
2.505.089
Móveis e
utensílios
Equipamentos de
computação
Veículos
Imobilizado em
Andamento
6.312
Importação em
andamento e
adiantamento a
Fornecedor
(684.641)
(80.720)
8.569
1.242
(1.022)
(756.572)
(82.893)
6.975
(933)
(7.406)
(22.237)
(2.203)
63
20
(24.357)
(2.145)
43
(137)
(24.237)
(2.083)
243
94
14
(25.969)
(1.776)
551
(252)
(15.549)
(1.852)
1.115
1.272
20
(14.994)
(1.882)
466
(32)
-
-
(857.920)
(102.070)
10.014
2.778
(802)
(948.000)
(104.268)
8.621
(8.589)
(140.923)
(840.829)
(26.596)
(27.446)
(16.442)
-
-
(1.052.236)
692.194
605.896
13.877
5.343
8.782
56.843
2.173
1.385.108
Saldos em 31 de dezembro de 2014
688.512
588.334
13.083
4.540
8.157
71.985
26.792
1.401.403
Saldos em 31 de dezembro de 2015
690.092
627.857
12.000
4.242
6.839
105.511
6.312
1.452.853
Terrenos e
prédios
Máquinas,
equipamentos e
moldes
Móveis e
utensílios
Equipamentos de
computação
Veículos
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Aquisições
Baixas
Transferências/Reclassificação
Variação cambial
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Aquisições
Baixas
Transferências/Reclassificação
Variação cambial
803.450
7.539
(173)
4.574
(770)
814.620
9.736
(1.052)
4.416
3.295
1.290.537
30.515
(10.207)
28.132
5.929
1.344.906
63.625
(8.204)
40.599
27.760
36.114
870
(90)
186
360
37.440
752
(59)
535
(72)
29.580
861
(301)
(31)
400
30.509
1.296
(575)
356
102
Saldos em 31 de dezembro de 2015
831.015
1.468.686
38.596
Terrenos e
prédios
Máquinas,
equipamentos e
Moldes
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Depreciação
Baixas
Transferência
Variação Cambial
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Depreciação
Baixas
Transferência
Variação cambial
(111.256)
(15.212)
24
170
166
(126.108)
(15.572)
586
933
(762)
Saldos em 31 de dezembro de 2015
Valor residual líquido
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Custo do imobilizado
Depreciação e perda do valor
Recuperável
Total
PÁGINA: 99 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E
PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Imobilizado em andamento
As imobilizações em andamento consolidadas estão representadas substancialmente por
projetos de expansão e otimização das unidades industriais, conforme relacionado abaixo:
Controladora
Construções e benfeitorias em imóveis
Fabricação e instalação de máquinas e
equipamentos
Fabricação de ferramentas
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015 31/12/2014
54.018
19.411
55.955
27.547
15.801
314
10.431
3.563
46.376
3.180
34.143
10.295
70.133
33.405
105.511
71.985
Custos de empréstimos capitalizados
No consolidado, o montante de custo de empréstimos capitalizados no exercício foi de R$
926 (R$ 1.453 em 31 de dezembro de 2014). A taxa utilizada para determinar o montante
dos custos de empréstimos passíveis de capitalização foi de 0,15% a.m. (0,17% a.m. em
2014), que representa a taxa efetiva dos empréstimos específicos.
Arrendamentos mercantis financeiros e ativos em construção
O valor contábil do imobilizado mantido sob compromisso de arrendamento mercantil
financeiro em 31 de dezembro de 2015 foi de R$ 4.891 (R$ 6.134 em 31 de dezembro de
2014).
Os ativos em construção serão registrados como “terrenos e prédios” após finalização da
construção.
Durante o exercício findo em 31 de dezembro de 2015, a Companhia não identificou a
existência de indicadores de que determinados ativos imobilizados desta poderiam estar
acima do valor recuperável.
PÁGINA: 100 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E
PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
1
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Intangível
Controladora
Marcas e Patentes
Intangível
em andamento
Sof tware e
Licenças
Total
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Aquisições
Baixas
Transferências
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Aquisições
Transferências
202
202
-
766
410
(398)
778
(188)
99.156
3.242
(477)
1.044
102.965
2.018
1.012
100.124
3.652
(477)
646
103.945
2.018
824
Saldos em 31 de dezembro de 2015
202
590
105.995
106.787
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Amortização
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Amortização
-
-
(32.505)
(11.358)
(43.863)
(12.515)
(32.505)
(11.358)
(43.863)
(12.515)
Saldos em 31 de dezembro de 2015
-
-
(56.378)
(56.378)
Saldos em 31 de dezembro de 2013
202
766
66.651
67.619
Saldos em 31 de dezembro de 2014
202
778
59.102
60.082
Saldos em 31 de dezembro de 2015
202
590
49.617
50.409
Sof tware e
licenças
Direito de uso de
subestação de
energia
Total
Custo ou avaliação
Amortização e perda do valor recuperável
Valor residual líquido
Consolidado
Custo ou avaliação
Marcas e
Intangível
Patentes em andamento
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Aquisições
Baixas
Variação cambial
Transferências
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Aquisições
Baixas
Transferências
Variação cambial
227
227
-
1.151
594
(771)
974
(250)
85
165.081
6.648
(552)
73
1.635
172.885
3.424
(151)
1.410
357
13.749
13.749
3.126
-
180.208
7.242
(552)
73
864
187.835
3.424
(151)
4.286
442
Saldos em 31 de dezembro de 2015
227
809
177.925
16.875
195.836
Saldos em 31 de dezembro de 2013
Amortização
Baixas
Variação cambial
Saldos em 31 de dezembro de 2014
Amortização
Baixas
Variação cambial
-
-
(61.331)
(18.587)
66
(49)
(79.901)
(19.712)
22
(198)
(5.358)
(394)
(5.752)
(668)
-
(66.689)
(18.981)
66
(49)
(85.653)
(20.380)
22
(198)
Saldos em 31 de dezembro de 2015
-
-
(99.789)
(6.420)
(106.209)
Saldos em 31 de dezembro de 2013
227
1.151
103.750
8.391
113.519
Saldos em 31 de dezembro de 2014
227
974
92.984
7.997
102.182
Saldos em 31 de dezembro de 2015
227
809
78.136
10.455
89.627
Amortização e perda do valor recuperável
Valor residual líquido
PÁGINA: 101 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Os principais ativos intangíveis referem-se a direitos sobre softwares e licenças
adquiridos de terceiros, amortizados ao longo de sua vida útil estimada entre 5 e 8 anos,
direitos de uso de subestação de energia, amortizados linearmente pelo prazo de 10 anos.
A Companhia não possui ativos intangíveis gerados internamente.
Durante o exercício findo em 31 de dezembro de 2015, a Companhia não identificou
a existência de indicadores de que determinados ativos intangíveis desta poderiam estar
acima do valor recuperável.
16
Provisão para litígios
A Companhia e suas controladas são parte em processos judiciais e administrativos perante
vários tribunais e órgãos governamentais, oriundos do curso normal das operações, os quais
envolvem questões cíveis, tributárias, trabalhistas e previdenciárias. A perda estimada foi
provisionada no passivo não circulante, com base na opinião de seus assessores jurídicos para os
casos em que a perda é considerada provável.
O quadro a seguir demonstra, na data-base de 31 de dezembro de 2015, os valores estimados do
risco contingente (perda), conforme opinião de seus assessores jurídicos:
Controladora
31/12/2015
Passivo
contingente
31/12/2014
Depósito judicial
Provável
Possível
Remot
o
a) cível
b) tributário
c) trabalhista
d) previdenciário
954
2.648
3.639
281
7.576
60.810
14.323
5.676
1.975
28.640
998
-
667
108
3.204
341
7.170
52.708
6.807
5.369
2.231
32.294
4.220
-
4
1.689
1.140
706
4
1.695
956
377
To Total:
7.522
88.385
31.613
4.320
72.054
38.745
3.539
3.032
Provável
Possível
Remot
o
31/12/201
5
31/12/2014
Consolidado
31/12/2015
Passivo
contingente
a) cível
b) tributário
c) trabalhista
d)previdenciário
Total:
31/12/2014
Depósito judicial
Provável
Possível
Remoto
Provável
Possível
Remoto
31/12/2015
31/12/2014
969
4.249
9.805
961
22.224
123.287
38.629
8.962
1.975
41.958
3.772
1.603
667
694
6.795
785
14.499
107.776
23.869
8.820
2.231
140.757
14.314
1.524
6
8.440
3.187
1.124
6
8.438
2.856
1.198
15.984
193.102
49.308
8.941
154.964
158.826
12.757
12.498

Cível - Representado por ações indenizatórias movidas, majoritariamente, por clientes contra a
Companhia.

Tributário - Representado por autuações federais que se encontram, em andamento, parte na
esfera administrativa e parte na esfera judicial.
A Companhia e suas controladas respondem por processos administrativos em
andamento para os quais, quando há probabilidade de perda possível ou remota, não
foram registradas provisões para contingências. Foram apresentadas defesas alegando a
improcedência de tais autuações. Os principais processos com riscos possível e remoto
de perda são os seguintes:
PÁGINA: 102 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
a.
COFINS - A Companhia foi autuada pela Receita Federal do Brasil pela compensação da
COFINS com FINSOCIAL. Os créditos já foram compensados e a Companhia está buscando
judicialmente o reconhecimento de tais compensações. Aguardando julgamento de Recurso
Voluntário apresentado pela Companhia. O valor do processo é de R$ 9.554.
b.
Compensação com base no saldo negativo de CSLL - A Companhia foi autuada pela Receita
Federal do Brasil, relativo ao indeferimento da declaração de compensação de saldos negativos
de CSLL apurados nos exercícios de 2004 e 2005. O valor do processo é de R$ 2.890.
c.
Compensação com base no saldo negativo de IRPJ - A Companhia foi autuada pela Receita
Federal do Brasil, relativamente ao indeferimento da declaração de compensação de saldos
negativos de IRPJ apurados nos exercícios de 2005 e 2006. O valor do processo é de R$ 13.163.
d.
Compensação com base no saldo negativo de IRPJ e CSLL - A Companhia foi autuada pela
Receita Federal do Brasil, em razão da não-homologação da compensação efetuada pela
empresa de créditos oriundos do saldo negativo de IRPJ e CSLL apurados no período de 1º de
janeiro de 2003 a 30 de junho de 2003, em decorrência de evento de cisão parcial. O valor do
processo é de R$ 2.178.
e.
IRPJ e CSLL - A Companhia foi autuada pela Receita Federal do Brasil, relativamente a
suposto débito de IRPJ e CSLL decorrente de benefício fiscal relativo a crédito de juros sobre o
capital próprio pago aos acionistas, apurado em valor excedente ao limite legal no ano
calendário de 2007. O excesso refere-se a juros sobre o capital próprio reconhecidos no
exercício de 2007, em relação ao ano base de 2003. Aguardando julgamento de Recurso. O
valor do processo é de R$ 6.346.
f.
IPI - A Companhia foi autuada pela Receita Federal do Brasil, relativamente a nãohomologação de compensações de Impostos Federais referente à compra de créditos de
terceiros. Aguardando julgamento de recurso especial apresentado pela Companhia. O valor do
processo é de R$ 4.620.
g.
Compensação Créditos de Terceiros - A Companhia está sendo executada pela Receita
Federal relativamente a cobrança de créditos tributários oriundos de processos administrativos
decorrentes de compensações de débitos com créditos de terceiros, processo está aguardando
julgamento de recursos de apelação interpostos pelas partes contra sentença que julgou
procedentes os embargos à execução fiscal. O valor do processo é de R$ 12.114.
h.
IRPJ - A Companhia foi autuada pela Receita Federal do Brasil, referente à cobrança de débito
em razão da não-homologação de créditos oriundos do saldo negativo de IRPJ, apurado no anocalendário de 2004, com IRPJ apurado por estimativa no mês de fevereiro de 2005. Aguardando
julgamento de Recurso Voluntário apresentado pela Companhia. O valor do processo é de R$
4.856.
i.
PDI - Incentivo a Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico - Glosa dos dispêndios
considerados no cálculo do incentivo à Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico, pela
Secretaria da Receita Federal, sob o argumento de que os dispêndios considerados pela
Companhia não coadunam com P&D da Companhia (filial Suspensys), no valor de R$ 6.112 e
da controlada Jost, no valor de R$ 2.495 . Processo está aguardando julgamento da impugnação
apresentada.
PÁGINA: 103 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
j.
ICMS - Pró-Cargas - Autuação emitida pela Secretaria da Fazenda do Estado de Santa
Catarina, referente a controlada Brantech, sob o argumento de que produtos não
fabricados/produzidos no Estado de Santa Catarina não fazem jus ao benefício Pró-Cargas.
Processo aguardando julgamento da impugnação apresentada. O valor do processo é de R$
4.493.
k.
Imposto de Renda, Contribuição Social sobre o Lucro Líquido e Imposto de Renda Retido
na Fonte - A controlada Master Sistemas Automotivos Ltda foi autuada pela Receita Federal
referente a pagamentos regularmente efetuados para seus agentes no exterior, a título de
comissão de agenciamento de vendas e serviços. O processo está em andamento na esfera
administrativa. O valor do processo é de R$ 3.793.
l.
Imposto de Importação - A controlada Fras-le S.A. foi autuada pela Receita Federal, sob a
presunção de descumprimento da proporção - Bens de Capital Nacional x Bens de Capital, e
consequente infração ao disposto no artigo 2, inciso II, da Lei nº 9.449/97, e artigo 6 do Decreto
n° 2.072/96. A controlada apresentou impugnação suscitando inicialmente que a multa aplicada
estaria prescrita. Ainda, foram apresentados erros de fatos e de direito existentes no lançamento
tributário, e requerido o integral cancelamento do auto de infração. Em 06 de outubro de 2011,
foi julgado o Recurso Voluntário apresentado pela Companhia, dando integral provimento, para
cancelar o auto de infração. Diante da decisão proferida, foi apresentado Recurso Especial pela
Fazenda Nacional. O valor do processo é de R$ 8.658.
m.
Imposto de Renda e Contribuição Social - A controlada Fras-le apresentou a Manifestação de
Inconformidade contra o Despacho Decisório que não homologou a compensação declarada de
créditos relativos à base negativa de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, declarado na DIPJ
2003, ano-base 2002, sob o fundamento de que não haveria confirmação dos pagamentos retenções - realizados no exterior, a base negativa do IRPJ não estaria confirmada, e que em
razão disso não haveria crédito a compensar. O valor do processo é de R$ 2.392 aguardando
julgamento da manifestação de inconformidade apresentada pela Companhia.
n.
Contribuição Social referente a participação nos resultados dos gerentes e coordenadores A controlada Fras-le possui uma Ação Anulatória com Pedido de Antecipação de Tutela
objetivando a desconstituição dos Autos de Infração n.º 37.269.527-2 e 37.269.528-0, lavrados
pela Receita Federal do Brasil contra a Companhia em razão de suposta inobservância aos
requisitos da lei n.º 10.101/2000, quando da participação dos lucros e resultados aos seus
gerentes e coordenadores. O valor do processo é R$ 4.988.
o.
Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) - A Companhia (filial
Suspensys), foi autuada pela Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Sul, no valor
total de R$ 7.081, decorrente de alegada irregularidade na determinação do benefício de redução
de ICMS através do programa FUNDOPEM/Nosso Emprego. O valor inclui principal, multa e
juros. Em 24 de janeiro de 2007, como resultado da impugnação apresentada pela Empresa, os
cálculos do débito foram refeitos pela autoridade fiscal. O valor da causa foi reduzido, no
exercício de 2008, em razão da sentença de ação anulatória realizada pela Empresa, sendo o
novo valor atribuído a mesma de R$ 4.074 . Em dezembro de 2010, a autoridade autuante
converteu a multa de ofício, inicialmente tipificada como básica, aplicada no percentual de 60%,
para multa qualificada no percentual de 120%, gerando assim uma autuação complementar no
valor de R$ 623. O processo está na fase judicial.
PÁGINA: 104 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
p.
Imposto de Importação e IPI - Refere-se a autuações emitidas pela Receita Federal do Brasil
contra a Companhia (filial Suspensys), no valor total atualizado de R$ 9.285, e Master Sistemas
Automotivos Ltda., no valor atualizado de R$ 1.844 sob a alegação de débito de II e IPI,
relativo a atos concessórios previstos no regime especial do Drawback. Aguardando julgamento
da manifestação de Inconformidade.
q.
Crédito presumido de IPI - Refere-se à notificações emitidas pela Receita Federal do Brasil
contra a controlada Master Sistemas Automotivos Ltda., no ano de 2011, no valor total de R$
1.593, através das quais o fisco indeferiu o pedido de ressarcimento de crédito presumido feito
pela Empresa e solicitou o pagamento do imposto correspondente. O valor inclui principal,
multa e juros.
r.
Crédito presumido de ICMS sobre a compra de aço - Refere-se à autuações emitidas pela
Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Sul, contra Companhia (filial Suspensys), no
valor de R$ 4.074, as controladas Master Sistemas Automotivos Ltda., no valor atualizado de
R$ 9.959, Jost Sistemas Automotivos Ltda., no valor de R$ 1.578 e Fras-le S.A., no valor de R$
2.064, através das quais o fisco constatou adjudicação do benefício fiscal em montante superior
ao permitido pela legislação. Os processos estão encerrados administrativamente. As
controladas ingressaram com Ação Anulatória de Débito.
s.
ICMS - Diferença de alíquota do ICMS - Autuação emitida pela Secretaria da Fazenda do
Estado de São Paulo referente a controlada Randon Implementos para o Transporte Ltda,
decorre da diferença de alíquota do ICMS de 12% para 18%, no valor atualizado de R$ 17.046,
referente aos meses de junho, julho, agosto, setembro e dezembro de 2008 e janeiro, fevereiro,
março, abril, maio, junho, julho, agosto, setembro, outubro e novembro de 2009. A controlada
ingressou com Ação Anulatória de Débito.
t.
II - Imposto de Importação - Classificação Fiscal de Mercadoria - Autuação emitida pela
Receita Federal do Brasil contra a Companhia (filial Suspensys), no valor atualizado de R$
2.464, na qual o fisco constatou suposto débito oriundo de recolhimento a menor de imposto de
importação, em razão da alegada classificação incorreta na Nomenclatura Comum do Mercosul
(“NCM”).

Trabalhista - diversas reclamatórias trabalhistas vinculadas, em sua maioria, a pleitos
indenizatórios.

Previdenciário - Autuações do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) que se
encontram em fase de julgamento na Receita Federal do Brasil, avaliadas com probabilidade de
perda possível, cujo valor atualizado da causa na Companhia (filial Suspensys) é de R$ 5.783 ,
na controlada Master Sistemas Automotivos é de R$ 2.225 e na controlada Jost Sistemas
Automotivos é de R$ 1.061 .
O demonstrativo, na data base 31 de dezembro de 2015, contendo informações sobre
contingências ativas (ganho), conforme opinião de seus assessores jurídicos está
abaixo detalhado:
PÁGINA: 105 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Controladora
31/12/2015
Ativo Contingente
31/12/2014
Provável
Possível
Remoto
Provável
Possível
Remoto
(a) Cível
(b) Previdenciário
(c)Tributário
6.284
164
1.384
19.396
5.842
7.940
1.123
22
74
6.214
3.488
21.590
15.074
3.242
29.448
1.031
22
148
Total
7.832
33.178
1.219
31.292
47.764
1.201
Consolidado
31/12/2015
Ativo Contingente
31/12/2014
Provável
Possível
Remoto
Provável
Possível
Remoto
(a) Cível
(b) Previdenciário
(c)Tributário
7.211
164
24.081
25.232
5.842
20.292
1.123
22
104
7.905
3.488
43.207
21.134
3.242
43.973
1.031
22
383
Total
31.456
51.366
1.249
54.600
68.349
1.436
a.
Cível - trata-se de ações de recuperação de créditos (cobrança), os quais já têm provisão para
perdas contábeis, contudo os processos continuam tramitando em juízo e caso a Companhia
tenha sucesso, terá sua provisão revertida.
b.
Previdenciário - trata-se de ações em que a Companhia e suas controladas buscam a redução
das alíquotas relativas à contribuição para o Seguro de Acidente de Trabalho, em face dos
enquadramentos de risco acidentário expedidos pelo Poder Executivo e ações que buscam a
desobrigação da Companhia em relação à majoração da alíquota da Contribuição Social em
favor do INSS, de 15% para 20%.
c.
Tributário - representadas basicamente por ações federais que encontram-se em julgamento no
STJ e STF. A Companhia não registrou contabilmente os ganhos contingentes decorrentes dos
processos tributários que dependem de levantamentos contábeis, como por exemplo recuperação
de créditos, pois somente efetuará tais levantamentos caso tenha êxito na discussão do mérito de
tais processos.
A Companhia não registrou contabilmente os ganhos contingentes, pois somente os
contabiliza após o trânsito em julgado das ações ou pelo efetivo ingresso dos recursos.
Movimentação da provisão para litígios passivos
A movimentação dos processos é como segue:
Controladora
Cíveis
Trabalhistas
Tributárias
Previdenciário
Saldo em
31/12/2014
Adição
Realização
Saldo em
31/12/2015
667
3.204
108
341
287
439
2.536
-
(60)
954
3.643
2.644
281
4.320
3.262
(60)
7.522
PÁGINA: 106 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Consolidado
Cíveis
Trabalhistas
Tributárias
Previdenciário
Saldo em
31/12/2014
Adição
Realização
Saldo em
31/12/2015
667
6.795
694
785
8.941
302
3.493
4.055
236
8.086
(483)
(500)
(60)
(1.043)
969
9.805
4.249
961
15.984
PÁGINA: 107 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
17
Empréstimos e Financiamentos
Controladora
Indexador
Circulante
Moeda nacional:
FINIMP
FINAME
FINEP
Financiamentos
Incentivo fiscal — Fundopem
BNDES
BNDES
Debêntures
Leasing
Captação no mercado aberto
Captação no mercado aberto
Vendor
Moeda estrangeira:
Financiamento
Financiamento
Empréstimo de capital de giro
BNDES
Financiamentos
Não circulante
Moeda nacional:
FINIMP
FINEP
Financiamentos
Incentivo fiscal Fundopem
BNDES
BNDES
Debêntures
Leasing
Captação no mercado aberto
Captação no mercado aberto
Moeda estrangeira:
Financiamento
Financiamento
Empréstimo de capital de giro
BNDES
Financiamentos
Total de empréstimos sujeitos a juros
Libor
TJLP
TJLP
CDI/TJLP
IPCA
UMBNDES
/ TJLP
Taxa Fixa
Taxa CDI
CETIP/CDIOVER
Taxa Fixa
TJLP
SELIC
Juros
Consolidado
Vencimento 31/12/2015 31/12/2014
31/12/2015 31/12/2014
3,05% a.a.
2,5% a 9,50% a.a.
3,5% a 5,25%a.a.
1,2% a 11,0%a.a.
3,0% a.a.
29/08/2017
15/07/2016
15/12/2023
20/04/2019
21/05/2027
302.301
14.984
52.061
3.604
67.720
14.434
51.717
1.553
426
302.301
20.292
54.979
9.249
150
82.628
19.020
55.607
4.912
1,55% a 4,5% a.a.
5,50% a 8,0% a.a.
1,15%a.a
15/01/2023
16/10/2017
01/08/2020
45.700
111.080
13.586
59.309
1.027
11.241
72.809
178.696
13.586
100.794
2.568
11.241
0% a 20,46% a.a.
7,9% a 11,0% a.a
3% a.a
31/10/2017
15/10/2020
15/10/2020
11/12/2018
1.264
674
1.264
728
1.859
98.946
5.407
-
1.871
92.998
9.066
-
20/03/2020
108.186
59.354
167.155
105.917
30/04/2018
09/08/2019
-
-
7.758
4.025
14.422
5.108
15/01/2023
13.019
8.039
20.364
12.820
07/08/2019
122.581
-
122.581
-
789.040
276.386
1.080.433
519.122
Variação
cambial +
Libor 3,00% a 4,50% a.a.
Variação
Cambial
20,6% a.a
Badlar 4,00% a 9,90%a.a
UMBNDES /
Variação
Cambial 1,95% a 2,80 %a.a
Taxa fixa +
variação
cambial/Libor 2,50% a 4,5% a.a
Libor
TJLP
CDI/TJLP
3,05%a.a
3,5% a 5,25% a.a..
1,2% a 11,0% .a.a
29/08/2017
15/12/2023
20/04/2019
26.929
240.000
41.826
236.000
417
79.788
301.484
567
93.833
300.136
IPCA
UMBNDES/
TJLP
Taxa Fixa
Taxa CDI
CETIP/CDIOVER
Taxa Fixa
TJLP
3,0% a.a.
21/05/2027
24.364
24.866
81.443
79.163
1,55% a 4,5% a.a.
5,50% a 8,0% a.a.
1,15% a.a
15/01/2023
16/10/2017
01/08/2020
45.978
50.000
500.000
88.155
160.000
500.000
77.140
100.000
500.000
142.481
276.073
500.000
0% a 20,46% a.a.
7,9% a 11,0% a.a
31/10/2017
15/10/2020
15/10/2020
1.264
-
2.528
-
1.859
163.220
950
3.717
206.081
6.638
20/03/2020
248.487
241.473
406.336
387.334
30/04/2018
09/08/2019
-
-
653
13.778
4.758
19.031
15/01/2023
22.180
21.100
35.589
34.486
07/08/2019
251.453
-
251.453
-
1.410.655
1.315.948
2.014.110
2.054.298
2.199.695
1.592.334
3.094.543
2.573.420
Variação
cambial +
Libor 3,00% a 4,50% a.a.
Variação
Cambial
20,6% a.a
Badlar 4,00% a 9,90% a.a
UMBNDES /
Variação
Cambial 1,95% a 2,80 %a.a
Taxa fixa +
variação
cambial/Libor 2,50% a 4,5% a.a
Os financiamentos e empréstimos estão garantidos por avais e fianças para as controladas no
valor de R$ 692.766 (R$ 637.579 em 31 de dezembro de 2014), não há hipotecas (R$ 17.151
em 31 de dezembro de 2014), notas promissórias e carta fiança no valor de R$ 1.928 (R$
317.329 em 31 de dezembro de 2014).
PÁGINA: 108 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Os contratos de financiamentos com o International Finance Corporation (IFC) que totalizam
R$ 32.493 na controladora, contêm cláusulas restritivas que incluem, entre outras, antecipação
parcial ou total do vencimento quando determinados índices financeiros (liquidez corrente,
endividamento a longo prazo e cobertura de dívida) não forem atingidos. Em 31 de dezembro de
2015 o contrato apresentou um desenquadramento do índice de endividamento líquido com
relação ao EBITDA e também da cobertura de dívida. Sobre este assunto, a Companhia tem
tomado providências, no sentido de restabelecimento dos indicadores de performance
pactuados.
Adicionalmente, a Companhia detêm contratos de financiamentos no valor de R$ 540.194 que
prevêem o cumprimento de compromissos financeiros (Covenants) nas datas base de
encerramento de cada exercício social.
Abaixo a descrição dos mesmos:

Dívida Financeira Líquida/EBITDA (Consolidado Industrial) de no máximo 3 vezes;

Dívida Financeira Líquida/EBITDA (Consolidado) de no máximo 2,5 vezes;
Em 31 de dezembro de 2015, o índice de Dívida Financeira Líquida/EBITDA (Randon
Consolidado Industrial) foi de 8,5 vezes o EBITDA dos últimos doze meses, e o índice de
Dívida Financeira Líquida/EBITDA (Consolidado) foi de 8,4 vezes o EBITDA dos últimos
doze meses, portanto acima do definido pelo covenant. Considerando que a cláusula contratual
se refere aos índices calculados sobre as demonstrações financeiras anuais, a Companhia obteve
declaração (waiver) das instituições financeiras indicando que não exigirá nenhuma das
compensações previstas em contrato em decorrência do não cumprimento destes índices. Todos
os casos de descumprimento dos acordos contratuiais foram repactuados antes do encerramento
do exercício, conforme tratado no item 19 CPC 40 (R1) IFRS7. Independentemente da anuência
por parte da Instituição, a Companhia tem tomado providências, no sentido de restabelecimento
dos indicadores de performance pactuados.
Captação no mercado aberto
As captações de mercado aberto referem-se a captações efetuadas pela controlada Banco
Randon S.A., com o BNDES, para financiamento de operações de FINAME. Sobre parte das
captações, incidem encargos financeiros de 5,9% a 9,0% a.a. mais a variação da TJLP e parte
das captações tem taxa fixa que varia de 0% a 8,3% a.a..
Debêntures
As debêntures referem-se a captações efetuadas em 22 de janeiro e 26 de agosto de 2013, nos
montantes totais de R$ 300.000 e R$ 200.000, respectivamente, sendo que ambas ocorreram
por meio de instrumento particular de colocação com esforços restritos, de debêntures simples,
não conversíveis em ações, em série única, da espécie quirografária, sob regime firme de
subscrição, com vencimento em 01 de agosto de 2020.
Fundopem/RS
Em dezembro de 2006, a Companhia e suas controladas assinaram Termo de Ajuste perante o
Estado do Rio Grande do Sul, como adesão ao Fundopem/RS (Fundo Operação Empresa do
Estado do Rio Grande do Sul).
PÁGINA: 109 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
O incentivo fiscal constitui-se em postergação de pagamento de parcela do débito de
ICMS gerado mensalmente, com uma carência de 33 a 54 meses e prazo de pagamento
entre 54 a 96 meses, a partir de cada débito, corrigido pelo IPCA/IBGE e taxa de juros
de 3% a.a. Na parcela do débito com pagamento postergado, apurada a partir de
incremento de faturamento, aumento na geração de débito de ICMS e geração de
empregos, conforme definido no Termo de Ajuste Fundopem - RS.
Para incremento de valor financiado, a Companhia e suas controladas observam todas as
exigências para obtenção deste tipo de incentivo, a saber:

Faturamento bruto incremental mensal;

ICMS incremental mensal; e

Número de empregos diretos incrementais.
Vendor
A Companhia possui, em 31 de dezembro de 2015, operações financeiras de vendor em aberto
com seus clientes no montante de R$ 674 (R$ 728, em 31 de dezembro de 2014) na
controladora e R$ 3.437 (R$ 3.403, em 31 de dezembro de 2014), no consolidado, nas quais
participa como interveniente garantidora.
Nessas operações, a Companhia realiza a liquidação das operações em aberto caso o cliente
devedor do contas a receber, vinculado à operação, não realize o pagamento à instituição
financeira no prazo pactuado entres as partes.
A partir de março de 2014, essas operações são realizadas diretamente pelo Banco Randon
S.A., e este assume parte dos riscos relacionados a inadimplência e/ou pagamento após o
prazo pelo cliente.
O montante reconhecido como passivo financeiro é contrapartida dos montantes antecipados
pela instituição financeira à Companhia, cujo contas a receber de origem ainda não foi
reconhecido, considerando a retenção de riscos pela Companhia relacionados à inadimplência
e/ou ao pagamento após o prazo pelo cliente. O prazo médio de vencimento dessas operações é
de 35 dias.
18
Capital social e reservas
Ações autorizadas
Ações ordinárias
Ações preferenciais
31/12/2015
31/12/2014
200.000
400.000
200.000
400.000
600.000
600.000
PÁGINA: 110 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Ações emitidas e totalmente integralizadas
Ordinárias
Preferenciais
Em milhares
R$
Em milhares
R$
102.360
403.084
202.372
796.916
Em milhares
R$
3.445
(22.071)
Em 31 de dezembro de 2015 e 2014
Ações em tesouraria
Em 31 de dezembro de 2015 e 2014
Reservas e retenção de lucros
Reserva legal
É constituída à razão de 5% do lucro líquido apurado em cada exercício social, nos termos do
art. 193 da Lei nº 6.404/76, até o limite de 20% do capital social.
Reserva para investimento e capital de giro
Tem a finalidade de assegurar investimentos em bens de ativo imobilizado e acréscimo do
capital de giro, inclusive através de amortização de dívidas da Companhia, bem como o
financiamento de empresas controladas e coligadas. É formada com o saldo do lucro ajustado
após dele deduzido o dividendo obrigatório e terá como limite máximo o valor que não poderá
exceder, com a reserva legal, o valor do capital social.
Reserva de capital
Representa o ágio pago na aquisição das quotas do capital social da Suspensys Sistemas
Automotivos Ltda. e o efeito de alteração de percentual de controle sobre sua controlada Fras-le
S.A., ocorridos no ano de 2013.
Outros resultados abrangentes e Ajustes de Avaliação Patrimonial
Outros resultados abrangentes no patrimônio líquido são compostos como segue:
Ajuste de avaliação patrimonial
Custo
Reserva de atribuído ao
reavaliação imobilizado
Saldos em 31 de
dezembro de 2014
Adições (baixas) no
período
Saldos em 31 de
dezembro de 2015
Variação cambial
de investimentos
no exterior
Hedge
accounting
Avaliação
atuarial
Total
105.287
(1.369)
(40.014)
1.400
70.691
(47)
(4.369)
5.080
(133.399)
(1.306)
(134.041)
5.340
100.918
3.711
(173.413)
94
(63.350)
5.387
Reserva de reavaliação
Constituída em decorrência das reavaliações de bens do ativo imobilizado da controladora, para
fins de integralização do capital social nas controladas Master Sistemas Automotivos Ltda., em
29 de setembro de 2006, e Castertech Tecnologia e Fundição Ltda, em 1º de setembro de 2006,
com base em laudos de avaliações elaborados por empresa especializada.
PÁGINA: 111 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
A Companhia optou por manter os saldos de reservas de reavaliação, e sua respectiva realização
através da depreciação dos bens reavaliados, conforme facultado pela Resolução CFC n°
1.152/2009.
Reserva para ajuste do custo atribuído ao imobilizado
Constituída em decorrência de avaliação ao valor justo dos bens do ativo imobilizado de acordo com
o pronunciamento técnico CPC 27 - Ativo imobilizado e ICPC 10, registrado com base em laudo de
avaliação elaborado por empresa especializada.
Ajuste de avaliação patrimonial
Representada pelo registro das diferenças cambiais oriundas da conversão das demonstrações
financeiras de controladas no exterior, conforme o Pronunciamento Técnico CPC 02 (R2) Efeitos das mudanças nas taxas de câmbio e conversão de demonstrações contábeis, e pelo
registro do valor justo da parcela eficaz de operações de hedge de fluxo sobre investimentos em
operações de exportação, líquidos dos efeitos tributários.
Reserva para avaliação atuarial
Reserva originada do registro de ganhos atuariais sobre o plano de benefício a funcionários,
conforme o Pronunciamento Técnico CPC33 (R1) - Benefício a Empregados.
19
Dividendos
Conforme estatuto social da Companhia, as ações ordinárias e preferenciais fazem jus a
dividendo mínimo obrigatório de 30% do lucro ajustado, cabendo às ações preferenciais todos
os demais direitos atribuídos às ordinárias em igualdade de condições, mais prioridade no
reembolso do capital, sem prêmio, proporcionalmente à participação no capital social em caso
de eventual liquidação da Companhia e, ainda, direito de serem incluídas na oferta pública de
alienação de controle, nos termos do art. 254-A da Lei nº 6.404/76, com a nova redação dada
pela Lei nº 10.303/01.
20
Resultado por ação
Em atendimento ao CPC 41 (IAS 33), a Companhia apresenta a seguir as informações sobre o
resultado por ação para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2015 e 2014.
O cálculo básico de resultado por ação é feito através da divisão do lucro/prejuízo líquido do
exercício, atribuído aos detentores de ações ordinárias e preferenciais da controladora, pela
quantidade média ponderada de ações ordinárias e preferenciais disponíveis durante o exercício.
O resultado diluído por ação é calculado através da divisão do lucro/prejuízo líquido atribuído
aos detentores de ações ordinárias e preferenciais da controladora, pela quantidade média
ponderada de ações disponíveis durante o exercício mais a quantidade média ponderada de
ações ordinárias e preferenciais que seriam emitidas na conversão de todas as ações potenciais
diluídas. O quadro abaixo apresenta os dados de resultado e ações utilizados no cálculo dos
resultados básico e diluído por ação:
PÁGINA: 112 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
31/12/2015
Lucro/prejuízo líquido do exercício
Média ponderada de ações emitidas (em
milhares)
Lucro/prejuízo por ação - básico e diluído
31/12/2014
Ordinárias
Preferenciais
Ordinárias
Preferenciais
(8.273)
(16.355)
67.857
134.099
102.360
(0,08)
202.372
(0,08)
102.360
0,66
202.372
0,66
Não houve outras transações envolvendo ações ordinárias ou potenciais ações ordinárias entre a data
do balanço patrimonial e a data de conclusão das demonstrações financeiras.
21
Impostos sobre o lucro
A composição da despesa de imposto de renda e contribuição social nos exercícios findos em 31 de
dezembro de 2015 e 2014 encontra-se resumida a seguir:
Controladora
Imposto de renda e contribuição social
correntes:
Despesa de imposto de renda e contribuição
social correntes
Imposto de renda e contribuição social
diferidos:
Relativos à constituição e reversão de
diferenças temporárias
Despesa de imposto de renda e contribuição
social apresentados na demonstração do
resultado
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
(2.842)
(2.903)
(57.258)
(48.430)
32.045
(28.960)
62.592
(36.413)
29.203
(31.863)
5.334
(84.843)
Controladora
Demonstração consolidada do resultado
abrangente
IRPJ e CSLL diferidos relativos a
itens debitados ou creditados diretamente ao
patrimônio
líquido durante o período:
Resultado abrangente
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
(633)
20.841
(2.480)
20.841
(633)
20.841
(2.480)
20.841
A conciliação entre a despesa tributária e o resultado da multiplicação do lucro contábil
pela alíquota fiscal local nos exercícios findos em 31 de dezembro de 2015 e 2014 está
descrita a seguir:
PÁGINA: 113 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Controladora
Lucro/prejuízo contábil antes dos impostos sobre o
lucro
À alíquota fiscal combinada de 34%
Adições permanentes:
Despesas não dedutíveis
Juros sobre capital próprio
Exclusões permanentes:
Resultado de equivalência patrimonial
Juros sobre capital próprio
Incentivo à tecnologia
Deduções
Outros itens
Imposto de renda e contribuição social no resultado
do exercício
Alíquota efetiva
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
(53.831)
(18.303)
233.819
79.498
(6.085)
(974)
331.128
113.204
1.309
3.784
886
-
2.958
-
2.020
-
(13.543)
(633)
(1.817)
(30.647)
(15.125)
(2.749)
(3.497)
(1.634)
(6.300)
4.113
(22.124)
(2.135)
(1.207)
(6.915)
(29.203)
31.863
(5.334)
82.843
54,24%
13,63%
87,65%
25,02%
Imposto de renda e contribuição social diferidos
O imposto de renda e a contribuição social diferidos em 31 de dezembro de 2015 e 2014
referem-se a:
Controladora
Balanço patrimonial
Prejuízos fiscais a compensar
Provisão para comissões e fretes
Provisão para crédito de liquidação duvidosa
Provisão para garantias
Provisão para mercadoria a entregar
Provisão para perdas de estoques
Operações de derivativos
Provisão participação nos resultados
Ajustes das Leis nºs 11.638/07 e 11.941/09
Provisão para litígios
Provisão desvínculo de funcionários
Provisões diversas e outros
Ágio na aquisição de participação em
controlada
Randonprev avaliação atuarial
Depreciação acelerada incentivada
Valor justo ativo imobilizado
Depreciação vida útil/fiscal
Reavaliação a realizar
Despesa de imposto de renda e contribuição
social diferidos
Ativo/(Passivo) fiscal diferido líquido
Resultado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
58.526
1.460
5.769
4.045
719
2.859
880
(329)
2.557
2.571
3.740
7.909
5.573
5.580
4.265
283
2.792
(5.657)
4.846
(208)
1.469
1.473
1.779
62.769
(4.113)
189
(220)
436
68
(3.965)
232
1.088
1.099
1.607
9.704
724
567
(2.123)
22
1.250
(5.730)
(3.578)
605
(744)
301
(914)
66.216
(848)
(927)
(34.756)
(28.214)
(2.991)
88.285
(106)
(2.455)
(35.990)
(21.457)
(3.026)
(22.072)
(1.374)
1.528
1.235
(6.496)
34
(22.075)
661
1.411
5.634
(14.709)
34
32.045
(28.960)
81.277
55.355
PÁGINA: 114 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Consolidado
Balanço patrimonial
31/12/2015
31/12/2014
Prejuízos fiscais a compensar
Provisão para comissões e fretes
Provisão para crédito de liquidação duvidosa
Provisão para garantias
Provisão para mercadoria a entregar
Provisão para perdas de estoques
Operações de derivativos
Provisão participação nos resultados
Ajustes das Leis nºs 11.638/07 e 11.941/09
Provisão para litígios
Provisão desvínculo de funcionários
Ágio na aquisição de participação em controlada
Provisões diversas e outros
Randonprev avaliação atuarial
Depreciação acelerada incentivada
Valor justo ativo imobilizado
Depreciação vida útil/fiscal
Reavaliação a realizar
Despesa de imposto de renda e contribuição
social diferidos
Ativo fiscal diferido
Passivo fiscal diferido
131.785
4.363
14.759
5.520
763
4.847
(246)
4.201
33
3.560
3.918
66.216
13.221
(1.560)
(2.225)
(66.569)
(55.688)
(2.991)
57.986
9.135
9.761
5.474
446
4.922
(8.821)
8.838
140
2.136
2.769
88.285
7.464
(390)
(12.924)
(67.238)
(37.177)
(3.026)
155.103
(31.196)
67.780
-
Ativo/Passivo fiscal diferido
123.907
67.780
Resultado
31/12/2015
88.362
(4.467)
4.996
49
316
(62)
1.235
(4.638)
1.306
1.553
1.150
(22.072)
3.693
(1.990)
1.708
3.866
(12.447)
34
62.592
31/12/2014
11.495
807
1.300
(2.162)
147
1.755
(8.557)
(4.307)
714
(1.853)
634
(22.075)
26.661
1.089
(6.957)
(12.946)
(22.192)
34
(36.413)
A Companhia e suas controladas possuem prejuízos fiscais gerados no Brasil, no valor de R$
285.170 (R$ 98.902 em 31 de dezembro de 2014), passíveis de compensação com lucros
tributáveis futuros da empresa em que foi gerado, sem prazo de prescrição. O registro e a
manutenção do imposto e da contribuição social diferidos ativos estão suportados por estudo
elaborados pela Administração, que comprovam a capacidade da Companhia em gerar lucros
tributáveis futuros, que garantam a realização dos créditos de impostos dentro de um período
estimado de dez anos.
As estimativas de recuperação dos créditos tributários sobre prejuízos fiscais e bases negativas
de contribuição social foram baseadas nas projeções dos lucros tributáveis, levando-se em
consideração diversas premissas financeiras e de negócios consideradas no encerramento do
exercício. Consequentemente, as estimativas estão sujeitas a não se concretizarem no futuro
tendo em vista as incertezas inerentes a essas previsões.
As estimativas de recuperação dos créditos tributários sobre prejuízos fiscais e bases negativas
de contribuição social, foram baseadas nas projeções dos lucros tributáveis levando em
consideração diversas premissas financeiras e de negócios consideradas no encerramento do
período. Conseqüentemente, as estimativas estão sujeitas a não se concretizarem no futuro,
tendo em vista as incertezas inerentes a essas previsões.
PÁGINA: 115 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
22
Direitos e obrigações por recursos de consorciados
Referem-se a recursos pendentes de recebimentos na Randon Administradora de Consórcio
Ltda., oriundos de cobrança judicial em decorrência do encerramento de grupos, transferidos
para a Administradora, conforme definido na Circular nº 3.084 do Banco Central do Brasil, de
31 de janeiro de 2002. Após a conclusão do processo de cobrança judicial, esses recursos são
rateados proporcionalmente entre os beneficiários do grupo. Em 31 de dezembro de 2015 o
saldo dessa operação era de R$ 61.169 (R$ 60.785 em 31 de dezembro de 2014).
23
Receita líquida de vendas
A receita líquida de vendas apresenta a seguinte composição:
Controladora
24
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
Receita bruta de vendas
Devolução de vendas
Ajuste a valor presente
Impostos sobre a venda
2.088.976
(18.519)
(27.366)
(380.340)
2.855.470
(27.984)
(26.980)
(526.472)
3.879.974
(29.246)
(49.603)
(701.724)
4.773.490
(24.920)
(47.687)
(922.130)
Receita operacional líquida
1.662.751
2.274.034
3.099.401
3.778.753
Despesas por natureza
Controladora
Despesas por função
Custo dos produtos vendidos
Despesas com vendas
Despesas administrativas e gerais
Honorários da administração
Outras despesas operacionais
Despesas por natureza
Depreciação e amortização
Despesas com pessoal
Matéria-prima e materiais de uso e consumo
Fretes
Energia elétrica
Comissões
Conservação e manutenção
Despesas com TI
Assistência técnica
Aluguéis
Outras despesas
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
(1.463.561)
(155.387)
(91.228)
(7.147)
(24.262)
(1.829.072)
(159.549)
(86.289)
(6.561)
(44.351)
(2.458.474) (2.835.746)
(343.789)
(348.115)
(186.880)
(204.820)
(13.486)
(14.931)
(78.804)
(69.607)
(1.741.585)
(2.125.822)
(3.095.947) (3.458.705)
(58.916)
(275.081)
(1.129.018)
(70.084)
(11.649)
(19.013)
(27.467)
(9.828)
(13.838)
(19.168)
(107.523)
(57.739)
(318.312)
(1.472.110)
(63.477)
(11.210)
(33.520)
(30.984)
(11.190)
(7.938)
(17.606)
(101.736)
(121.051)
(124.648)
(687.866)
(634.998)
(1.618.164) (1.971.991)
(108.192)
(109.821)
(40.928)
(43.030)
(93.477)
(71.323)
(70.215)
(69.557)
(17.944)
(17.886)
(11.402)
(20.266)
(33.568)
(36.564)
(302.071)
(349.690)
(1.741.585)
(2.125.822)
(3.095.947) (3.458.705)
PÁGINA: 116 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
25
Despesas com funcionários e participação nos lucros
Controladora
Ordenados e salários
Custos de previdência social
Custos relacionados à aposentadoria
Consolidado
31/12/2015
225.425
11.141
2.415
31/12/2014
252.394
11.196
2.592
31/12/2015
506.772
29.985
4.555
31/12/2014
549.881
28.512
4.736
238.981
266.182
541.312
583.129
A participação de empregados foi calculada conforme estabelecido no Programa de Participação
nos Resultados homologado nos sindicatos das categorias, em conformidade com o disposto na
Lei nº 10.101 de 19 de dezembro de 2000. O montante de participação nos lucros reconhecido
pela Companhia e suas controladas, referente ao exercício findo em 31 de dezembro de 2015, foi
de R$ 21.739 (R$ 38.219 em 31 de dezembro de 2014).
26
Custos de pesquisa e desenvolvimento
Os custos de pesquisa e desenvolvimento reconhecidos como despesa nas demonstrações do
resultado, nas rubricas de despesas com vendas e de despesas gerais e administrativas, durante
o período, totalizam R$ 10.320 (R$ 12.055 em 31 de dezembro de 2014), na controladora e R$
18.663 (R$ 22.537 em 31 de dezembro de 2014), no consolidado.
27
Resultado financeiro
Controladora
Receitas financeiras:
Variação cambial
Juros sobre rendimentos de aplicações financeiras
Receitas de operações de swap
Ganhos com outras operações de derivativos
Ajuste a valor presente
Outras receitas financeiras
Despesas financeiras:
Variação cambial
Juros sobre financiamentos
Despesas de operações de swap
Perdas com outras operações de derivativos
Despesas de contratos de mútuos
Ajuste a valor presente
Juros de mora
Descontos concedidos
Custos bancários
Outras despesas financeiras
Resultado financeiro
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
56.410
143.866
26.856
9.075
43.510
78.171
27.185
10.660
164.911
193.356
5.123
3.814
42.308
13.322
83.673
126.233
1.794
2.362
46.927
16.773
236.207
159.526
422.834
277.762
(54.617)
(181.274)
(1.664)
(8.954)
(209)
(604)
(855)
(18.018)
(34.193)
(130.964)
(1.178)
(9.402)
(9.474)
(450)
(716)
(10.952)
(151.083)
(228.160)
(1.647)
(7.056)
(1.783)
(9.057)
(2.056)
(9.020)
(9.042)
(47.245)
(72.028)
(177.023)
(1.533)
(1.267)
(1.340)
(17.361)
(11.131)
(4.376)
(6.145)
(23.842)
(266.195)
(197.329)
(466.149)
(316.046)
(29.988)
(37.803)
(43.315)
(38.284)
PÁGINA: 117 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
28
Objetivos e políticas para gestão de risco financeiro
A Companhia e suas controladas participam de operações envolvendo instrumentos
financeiros, todos registrados em contas patrimoniais, que se destinam a atender às suas
necessidades operacionais, bem como a reduzir a exposição a riscos financeiros,
principalmente de créditos e aplicações de recursos, riscos de mercado (câmbio e juros) e
risco de liquidez, aos quais a Companhia entende que está exposta, de acordo com sua
natureza de negócios e estrutura operacional.
Uma parcela das receitas da Companhia e de suas controladas são geradas pela
comercialização de produtos para o mercado externo. Dessa forma, a volatilidade da taxa de
câmbio está associada aos riscos de mercado a que a Companhia e suas controladas estão
expostas.
Adicionalmente, a Companhia e suas controladas contratam operações de
financiamentos no mercado financeiro com taxas prefixadas ou pós-fixadas. Portanto,
a Companhia apresenta um risco à variação das taxas de juros no endividamento
contratado com taxas de juros pós-fixadas.
Os valores justos são determinados com base em cotações de preços de mercado, quando
disponíveis, ou, na falta destes, no valor presente de fluxos de caixa esperados. Os valores
justos de caixa e equivalentes a caixa, de contas a receber de clientes, da dívida de curto prazo
e de contas a pagar a fornecedores são equivalentes aos seus valores contábeis. Os valores
justos de outros ativos e passivos de longo prazo não diferem significativamente de seus
valores contábeis.
A administração desses riscos é efetuada por meio da definição de estratégias elaboradas
e aprovadas pela Administração da Companhia, atreladas ao estabelecimento de sistemas
de controle e determinação de limites de posições.
Os riscos da Companhia e suas controladas estão descritos a seguir:
Risco de mercado
A Companhia e suas controladas não efetuam aplicações de caráter especulativo, em derivativos
ou quaisquer outros ativos de risco.
O risco de mercado é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa futuros de um
instrumento financeiro flutue devido a variações nos preços de mercado. Os preços de mercado
englobam três tipos de risco: risco de taxa de juros, risco cambial e risco de preço que pode ser
de commodities, de ações, entre outros. Instrumentos financeiros afetados pelo risco de
mercado incluem empréstimos a receber e empréstimos a pagar, depósitos, instrumentos
financeiros mantidos até o vencimento e mensurados ao valor justo através do resultado e
instrumentos financeiros derivativos.
Encontra-se a seguir uma comparação por classe do valor contábil e do valor
justo dos instrumentos financeiros da Companhia apresentados nas
demonstrações financeiras.
PÁGINA: 118 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Controladora
Valor contábil
Nota Hierarquia
Ativos
Valor justo por meio do resultado
Caixa e equivalentes de caixa
Empréstimos e recebíveis
Aplicações financeiras de
liquidez não imediata - circulante
Aplicações financeiras de
liquidez não imediata - não circulante
Clientes
Consórcio para revenda
Passivos
Passivos pelo custo amortizado
Empréstimos e financiamentos
em moeda nacional
Empréstimos e financiamentos
em moeda estrangeira
Valor justo
31/12/2015 31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
6
(2)
874.557
850.079
874.557
850.079
7
(2)
268.898
36.736
268.889
36.731
7
8
(2)
(2)
(2)
84.557
298.311
20.234
91.744
234.558
10.101
84.554
298.311
20.234
91.744
234.558
10.101
17
(2) (1.433.789) (1.262.369)
(1.434.287)
(1.262.871)
17
(2)
(765.906)
(329.965)
(766.279)
(330.209)
(653.138)
(369.116)
(654.021)
(369.867)
Total
Consolidado
Valor contábil
Nota Hierarquia 31/12/2015
Valor justo
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
Ativos
Valor justo por meio do resultado
Caixa e equivalentes de caixa
Empréstimos e recebíveis
Aplicações financeiras de
liquidez não imediata
Clientes
Consórcio para revenda
Valor justo por meio do resultado
Instrumentos financeiros
Derivativos
Passivos
Passivo pelo custo amortizado
Empréstimos e financiamentos
em moeda nacional
Empréstimos e financiamentos
em moeda estrangeira
Valor justo por meio do resultado
Instrumentos financeiros
derivativos
Total
6
(2)
1.328.404
1.358.090
1.328.404
1.358.090
7
8
(2)
(2)
(2)
403.773
805.566
47.966
156.692
618.132
35.461
403.757
805.566
47.966
156.465
618.132
35.461
28
(2)
5.527
969
5.527
969
17
(2) (2.064.851) (1.989.544)
(2.065.279)
(1.990.176)
17
(2) (1.029.692)
(583.876)
(1.031.461)
(584.240)
28
(2)
(429)
(144)
(429)
(144)
(503.736)
(404.220)
(505.949)
(405.443)
PÁGINA: 119 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Hierarquia de valor justo
A Companhia usa a seguinte hierarquia para determinar e divulgar o valor justo de
instrumentos financeiros pela técnica de avaliação:

Nível 1: preços cotados (sem ajuste) nos mercados ativos para ativos ou passivos idênticos;

Nível 2: outras técnicas para as quais todos os dados que tenham efeito significativo sobre o
valor justo registrado sejam observáveis, direta ou indiretamente;

Nível 3: técnicas que usam dados que tenham efeito significativo no valor justo registrado que
não sejam baseados em dados observáveis no mercado.
A Companhia possui apenas instrumentos financeiros derivativos avaliados a valor justo
considerando uma técnica de avaliação de Nível 2. Não houve transferências entre os níveis
1, 2 e 3 durante o exercício de 2015.
Risco de taxa de juros
Risco de taxas de juros é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa futuros de um
instrumento financeiro flutue devido a variações nas taxas de juros de mercado.
A exposição da Companhia ao risco de mudanças nas taxas de juros de mercado refere-se,
principalmente, às obrigações de longo prazo sujeitas a taxas de juros variáveis.
A Companhia gerencia o risco de taxa de juros mantendo uma carteira equilibrada entre
empréstimos a receber e empréstimos a pagar sujeitos a taxas fixas e variáveis. Para mitigar
esses riscos, a Companhia e suas controladas adotam como prática diversificar as captações de
recursos em termos de taxas prefixadas ou pós-fixadas, análise permanente de riscos das
instituições financeiras e, em determinadas circunstâncias, avaliam a necessidade de contratação
de operações de hedge para travar o custo financeiro das operações.
Os rendimentos oriundos das aplicações financeiras, bem como as despesas financeiras
provenientes dos empréstimos e financiamentos da Companhia, são afetados pelas
variações nas taxas de juros, tais como TJLP, IPCA e CDI.
Sensibilidade a taxas de juros
A tabela abaixo demonstra a sensibilidade a uma possível mudança nas taxas de juros,
mantendo-se todas as outras variáveis constantes no resultado da Companhia antes da tributação
(é afetado pelo impacto dos empréstimos a pagar sujeitos a taxas variáveis).
Foram considerados três cenários, sendo o cenário provável o adotado pela Companhia, mais
dois cenários com deterioração de 25% e 50% da variável do risco considerado. Esses cenários
foram definidos com base na expectativa da Administração para as variações da taxa de juros
nas datas de vencimento dos respectivos contratos sujeitos a esses riscos.
A análise de sensibilidade leva em consideração as posições em aberto na data-base de 31 de
dezembro de 2015, com base em valores nominais e juros de cada instrumento contratado.
PÁGINA: 120 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Controladora
Operação
Deterioração das receitas financeiras
Aplicações financeiras
Moeda
Cenário
Provável
Cenário
Possível
Cenário
Remoto
R$
173.641
130.231
86.820
Provável
Possível
Remoto
14,1 %
10,6 %
7,1%
210.060
252.886
296.475
Provável
7%
4,1%
14,1%
10,7%
0,8%
3,97
27,2%
Possível
8,8%
5,1%
17,7%
13,3%
1,1%
4,97
34,1%
Remoto
10,5%
6,1%
21,2%
16%
1,3%
5,96
40,9%
Moeda
Cenário
Provável
Cenário
Possível
Cenário
Remoto
R$
244.930
183.697
122.465
Provável
14,1 %
Possível
10,6 %
Remoto
7,1 %
248.677
300.868
355.039
25,00%
50,00%
Possível
8,8%
2,48
17,7%
13,3%
1,1%
4,88
34,1%
Remoto
10,5%
2,97
21,2%
16%
1,3%
5,86
40,9%
Depreciação da taxa em
Referência para receitas financeiras
CDI %
Aumento de despesa financeira
Empréstimos e financiamentos
R$
Apreciação da taxa em
Referência para passivos financeiros
TJLP
URTJLP
CDI
IPCA
LIBOR semestral
Variação cambial
BADLAR
Consolidado
Operação
Deterioração das receitas financeiras
Aplicações financeiras
Depreciação da taxa em
Referência para receitas financeiras
CDI %
Aumento de despesa financeira
Empréstimos e Financiamentos
R$
Apreciação da taxa em
Referência para passivos financeiros
TJLP
URTJ
CDI
IPCA
LIBOR semestral
Variação cambial
BADLAR
Provável
7,5%
1,98
14,1%
10,7%
0,8%
3,90
27,2%
Risco de câmbio
A Companhia adota o hedge accounting, de acordo com as práticas de mercado
(CPC 38) (R1) e regulamento interno, com o objetivo de eliminar a volatilidade da variação
cambial do resultado da Companhia.
A partir de janeiro de 2014, a Companhia designou formalmente para hedge accounting de
fluxos de caixa os instrumentos derivativos para cobertura das suas exportações futuras,
altamente prováveis, em dólares com objetivo de reduzir a volatilidade das receitas de
exportação em decorrência das mudanças da taxa de câmbio frente ao Real.
PÁGINA: 121 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
A adoção está amparada na efetividade das expectativas de exportações ao longo do tempo,
quando comparadas ao fluxo de vencimentos dos compromissos sujeitos à variação em moeda
estrangeira, majoritariamente o Dólar dos Estados Unidos, que estão diluídos no longo prazo.
A utilização dessa prática visa a refletir de forma mais adequada os resultados da
Companhia, no que se refere a ativos e passivos expostos à variação de moeda estrangeira.
A estrutura de hedge consiste na cobertura de um grupo de passivos, compromissos firmes,
transações previstas altamente prováveis com características de risco semelhantes das de
exportação a fixar em moeda estrangeira (dólar americano - USD), contra o risco de variação
cambial frente ao Real - BRL, adotando como instrumento de cobertura atual, instrumentos
financeiros não derivativos (financiamentos), em valores e vencimentos equivalentes ao budget
de venda de produtos fabricados.
O risco de câmbio é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa futuros de um instrumento
financeiro flutue devido a variações nas taxas de câmbio. A exposição da Companhia ao risco
de variações nas taxas de câmbio refere-se principalmente às atividades operacionais da
Companhia (quando receitas ou despesas são denominadas em uma moeda diferente da moeda
funcional) e aos investimentos líquidos da Companhia em controladas no exterior.
A Companhia atua internacionalmente e está exposta ao risco cambial decorrente de exposições
de algumas moedas, principalmente em relação ao dólar dos Estados Unidos, que no exercício
findo em 31 de dezembro de 2015 apresentou variação positiva de 47,01% (13,38% positiva em
31 de dezembro de 2014). O risco cambial também decorre de operações comerciais e
financeiras, ativos e passivos reconhecidos e investimentos no exterior líquidos. A Companhia e
suas controladas administram seu risco cambial em relação à sua moeda funcional. Além das
contas a receber originadas por exportações no Brasil e dos investimentos no exterior que se
constituem em hedge natural, a Companhia avalia constantemente sua exposição cambial e,
quando necessário, contrata instrumento financeiro derivativo com a finalidade única de
proteção (hedge).
Adicionalmente, a Companhia designa operações de “Financiamento” visando a proteger a
exposição das vendas futuras altamente prováveis em moedas diferentes da moeda funcional.
Essas operações são documentadas para o registro através da metodologia de contabilidade de
hedge (hedge accounting), em conformidade com o CPC 38 (R1). A Companhia registra em
conta específica do patrimônio líquido os efeitos ainda não realizados desses instrumentos
contratados para operações próprias.
Essas operações são realizadas diretamente com instituições financeiras. O impacto sobre o
fluxo de caixa da Companhia e de suas controladas se dá somente na data da liquidação dos
contratos. Entretanto, deve-se considerar que a liquidação dessas operações financeiras está
associada ao recebimento das vendas, as quais estão igualmente associadas à variação cambial,
portanto compensando eventuais ganhos ou perdas nos instrumentos de proteção devido a
variações na taxa de câmbio.
PÁGINA: 122 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Instrumentos financeiros designados como hedge accounting:
Controladora
Contraparte
Tipo
Taxa
Contratação
Taxa de
Designação
Notional US$
Variação cambial
contabilizada no
Patrimônio Liquido
*
Banco Itaú
Santander
Banco ABC Brasil
Banco Votorantin
Bradesco
NCE
FRN
FRN
FRN
FRN
1,8150
3,4615
3,5370
4,0170
3,7430
2,3426
3,4615
3,5370
4,0170
3,7430
81.818
45.833
11.000
19.000
20.000
132.966
20.317
3.792
(2.131)
3.237
319.483
178.970
40.268
74.191
78.096
177.651
158.181
691.008
Valor Contábil
Total
Valor Contábil
Consolidado
Contraparte
Tipo
Taxa
Contratação
Taxa de
Designação
Notional US$
Variação cambial
contabilizada no
Patrimônio Liquido
*
Banco Itaú
Santander
Banco ABC Brasil
Banco Votorantin
Bradesco
Banco Itaú
NCE
FRN
FRN
FRN
FRN
NCE
1,8150
3,4615
3,5370
4,0170
3,7430
1,8316
2,3426
3,4615
3,5370
4,0170
3,7430
2,3426
81.818
45.833
11.000
19.000
20.000
19.091
132.966
20.317
3.792
(2.131)
3.236
29.823
319.483
178.970
40.268
74.191
78.096
74.546
196.742
188.003
765.554
Total
(*)
Valor diferido no patrimônio líquido (hedge accounting), em contrapartida às contas no grupo de empréstimos e
financiamentos.
Segue detalhamento com o cronograma de vencimento das operações de derivativos
e variação cambial diferida, que estão enquadradas na metodologia de
hedge accounting:
Controladora
Valor
designado
financiamento
USD
Ano de
referência
Vendas em
USD
designadas
2016
2017
2018
2019
2020
48.931
48.932
44.766
25.246
9.090
2016
2017
2018
2019
2020
48.931
48.932
44.766
25.246
9.090
Total
176.965
Total
176.965
Ano de referência
PÁGINA: 123 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Consolidado
Valor
designado
financiamento
USD
Ano de
referência
Vendas em
USD
designadas
2016
2017
2018
2019
2020
54.385
54.386
50.221
27.974
9.090
2016
2017
2018
2019
2020
54.385
54.386
50.221
27.974
9.090
Total
196.056
Total
196.056
Ano de referência
Em 31 de dezembro de 2015 e 31 de dezembro de 2014, a exposição cambial da
Companhia e suas controladas para operações em moeda estrangeira são como segue:
US$ mil
Controladora
Consolidado
31/12/2015 31/12/2014 31/12/2015 31/12/2014
A. Ativos líquidos em dólares norte-americanos
B. Empréstimos/financiamentos em dólares norte-americanos
C. Valor justo de instrumentos financeiros derivativos
D. Exportações futuras designadas para Hedge Accounting
E. Superávit (Déficit) apurado (A-B+C+D)
26.114
196.145
176.965
42.998
124.224
100.000
50.456
263.699
916
196.056
84.729
219.816
311
124.545
6.934
18.774
(16.271)
(10.231)
Sensibilidade à taxa de câmbio
A tabela abaixo demonstra a sensibilidade a uma variação que possa ocorrer na taxa de
câmbio do US$, mantendo-se todas as outras variáveis constantes, do lucro da Companhia
antes da tributação e do patrimônio líquido da Companhia. Também são considerados três
cenários, sendo o cenário provável o adotado pela Companhia, mais dois cenários com
deterioração de 25% e 50% da variável do risco considerado. Esses cenários foram definidos
com base na expectativa da Administração para as variações da taxa de câmbio nas datas de
vencimento dos respectivos contratos sujeitos a esses riscos.
Controladora
Operação
Risco
Taxa
Déficit apurado
Taxa
Déficit apurado
Alta do US$
Baixa do US$
Cenário
provável
Cenário A
Cenário B
3,90
27.072
3,90
27.072
4,88
33.840
2,93
20.304
5,86
40.608
1,95
13.536
PÁGINA: 124 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Consolidado
Operação
Risco
Taxa
Déficit apurado
Taxa
Déficit apurado
Alta do US$
Baixa do US$
Cenário
provável
Cenário A
Cenário B
3,90
(63.539)
3,90
(63.539)
4,88
(79.424)
2,93
(47.654)
5.86
(95.308)
1,95
(31.769)
Risco de estrutura de capital
O objetivo principal da Administração de capital da Companhia é assegurar que esta
mantenha uma classificação de crédito forte e uma razão de capital livre de
problemas, a fim de apoiar os negócios e maximizar o valor do acionista.
A Companhia administra a estrutura do capital e a ajusta considerando as mudanças nas
condições econômicas. A estrutura de capital ou o risco financeiro decorre da escolha entre
capital próprio (aportes de capital e retenção de lucros) e capital de terceiros que a Companhia e
as suas controladas fazem para financiar suas operações. Para mitigar os riscos de liquidez e a
otimização do custo médio ponderado do capital, a Companhia e as suas controladas monitoram
permanentemente os níveis de endividamento de acordo com os padrões de mercado e o
cumprimento de índices (covenants) previstos em contratos de empréstimos e financiamentos.
Não houve alterações quanto a objetivos, políticas ou processos durante os períodos findos em
31 de dezembro de 2015 e 31 de dezembro de 2014. A Companhia inclui na dívida líquida os
empréstimos e os financiamentos com rendimento, menos caixa e equivalentes de caixa e
aplicações de liquidez não imediata, como demonstrado abaixo.
Controladora
Nota
31/12/2015
31/12/2014
17
6
7
2.199.695
(874.557)
(353.455)
1.592.334
(850.079)
(36.736)
Dívida líquida
Patrimônio líquido
971.683
1.277.333
705.519
1.431.585
Patrimônio e dívida líquida
2.249.016
2.137.104
Quociente de alavancagem
43,2%
33,0%
Nota
31/12/2015
31/12/2014
17
6
7
3.094.543
(1.328.404)
(403.773)
2.537.420
(1.358.090)
(156.692)
Dívida líquida
Patrimônio líquido
1.362.366
1.277.333
1.022.638
1.431.585
Patrimônio e dívida líquida
2.639.699
2.454.223
Quociente de alavancagem
51,6%
41,6%
Empréstimos e financiamentos
(-) Caixa e equivalentes de caixa
(-) Aplicações de liquidez não imediata
Consolidado
Empréstimos e financiamentos
(-) Caixa e equivalentes de caixa
(-) Aplicações de liquidez não imediata
PÁGINA: 125 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Garantias
A Companhia não possui ativos financeiros dados em garantia, em 31 de dezembro de 2015 e
31 de dezembro de 2014.
Risco de crédito
O risco de crédito é o risco de a contraparte de um negócio não cumprir uma obrigação prevista
em um instrumento financeiro ou contrato com cliente, o que levaria ao prejuízo financeiro. A
Companhia está exposta ao risco de crédito em suas atividades operacionais (principalmente
em relação a contas a receber) e de financiamento, incluindo depósitos em bancos e instituições
financeiras, transações cambiais e outros instrumentos financeiros.
Contas a receber
O risco de crédito do cliente é administrado por cada unidade de negócios, estando sujeito a
procedimentos, controles e política estabelecida pela Companhia em relação a esse risco. Os
limites de crédito são estabelecidos para todos os clientes com base em critérios internos de
classificação. A qualidade do crédito do cliente é avaliada com base em um sistema interno de
classificação de crédito extensivo. Os recebíveis de clientes em aberto são acompanhados com
frequência. Em 31 de dezembro de 2015, a Companhia contava com aproximadamente 7
clientes (6 clientes em 31 de dezembro de 2014) que deviam à Companhia mais de R$ 10.000
cada e eram responsáveis por aproximadamente 41% (49% em 31 de dezembro de 2014) de
todos os recebíveis de clientes. A necessidade de uma provisão para perda por redução ao valor
recuperável é analisada a cada data reportada em base individual para os principais clientes.
Além disso, um grande número de contas a receber com saldos menores está agrupado em
grupos homogêneos e, nesses casos, a perda recuperável é avaliada coletivamente.
O cálculo é baseado em dados históricos efetivos. A exposição máxima ao risco de crédito na
data-base é o valor registrado de cada classe de ativos financeiros mencionados na Nota 8.
Instrumentos financeiros e depósitos em bancos
O risco de crédito de saldos com bancos e instituições financeiras é administrado pela
Tesouraria da Companhia de acordo com a política estabelecida. Os recursos excedentes são
investidos apenas em instituições financeiras autorizadas e aprovadas pelo Comitê de
Planejamento e Finanças, avalizadas pela Diretoria Executiva, respeitando limites de crédito
definidos, os quais são estabelecidos a fim de minimizar a concentração de riscos e, assim,
mitigar o prejuízo financeiro no caso de potencial falência de uma contraparte.
Risco de liquidez
O risco de liquidez consiste na eventualidade de a Companhia e suas controladas não
disporem de recursos suficientes para cumprir com seus compromissos em função das
diferentes moedas e prazos de liquidação de seus direitos e obrigações.
O controle da liquidez e do fluxo de caixa da Companhia e suas controladas é monitorado
diariamente pelas áreas de Gestão da Companhia, para garantir que a geração operacional de
caixa e a captação prévia de recursos, quando necessária, sejam suficientes para a
manutenção do seu cronograma de compromissos, não gerando riscos de liquidez para a
Companhia e suas controladas.
PÁGINA: 126 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
O quadro abaixo resume o perfil do vencimento do passivo financeiro da Companhia e suas
controladas em, 31 de dezembro de 2015, com base nos pagamentos contratuais não
descontados.
Controladora
Exercício findo em 31 de dezembro
de 2015
Empréstimos e financiamentos
Fornecedores
Até 3
meses
3 a 12
meses
1 a 5 anos
Mais
de
5 anos
Fluxo de
caixa
Valor
contábil
356.108
76.414
544.482
1.148
1.720.769
116
15.139
-
2.636.498
77.678
2.199.695
77.678
432.522
545.630
1.720.885
15.139
2.714.176
2.277.373
Até 3
Meses
3 a 12
meses
1a5
anos
Mais
de
5 anos
Fluxo de
caixa
Valor
contábil
452.265
126.970
429
775.888
7.962
-
2.341.860
89
-
62.655
-
3.632.668
135.021
429
3.094.543
135.021
429
579.664
783.850
2.341.949
62.655
3.768.118
3.229.993
Consolidado
Exercício findo em 31 de dezembro
de 2015
Empréstimos e financiamentos
Fornecedores
Instrumentos financeiros derivativos
Instrumentos financeiros derivativos
A Companhia tem por política efetuar operações com instrumentos financeiros
derivativos com o objetivo de mitigar ou de eliminar riscos inerentes à sua operação.
A Administração da Companhia e de suas controladas mantém monitoramento permanente
sobre os instrumentos financeiros derivativos contratados por meio de seus controles internos.
Atualmente, os instrumentos financeiros derivativos contratados pela Companhia, todos com
registro na CETIP, são decorrentes de risco de câmbio, com objetivo específico de proteção de
sua exposição estimada em moeda estrangeira.
Os instrumentos derivativos contratados pela Companhia e suas controladas foram
substancialmente de operações com Non Deliverable Forward (NDFs) visando à proteção
(hedge) de vendas futuras esperadas a clientes no exterior para as quais a Companhia prevê que
seja altamente provável a realização das transações e saldo credor denominado em moeda
estrangeira, e operações de swap cambial, visando à proteção da variação cambial de alguns
empréstimos contratados em moeda estrangeira. Nesta modalidade de operação, a Companhia
tem deveres e obrigações com base em uma cotação contratada previamente no momento de
seu vencimento, ou seja, os contratos a termo contratados pela Companhia não possuem
margens de variação. O resultado líquido dessas operações é registrado por competência nas
suas demonstrações financeiras.
PÁGINA: 127 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
A partir de 2010, algumas operações de NDFs foram documentadas para fins de registro através
da metodologia de contabilidade de hedge (hedge accounting), em conformidade com o CPC
38, aprovado pela Deliberação CVM nº 604/09. Nesta modalidade de operação, a Companhia
tem deveres e obrigações com base em uma cotação contratada previamente no momento de
seu vencimento. A Companhia registra em conta específica do patrimônio líquido os efeitos não
realizados destes instrumentos contratados.
A operação de swap cambial refere-se à operação de troca de indexadores, sobre um valor
notional, e a Companhia na ponta ativa recebe a variação cambial entre um período de início de
contrato até o vencimento, pagando na ponta passiva a variação da CDI descontado de deságio
prefixado para cada vencimento.
Apresentamos, no quadro abaixo, as posições da Companhia e suas controladas, verificadas em
31 de dezembro de 2015, com os valores nominais e justos de cada instrumento contratado:
Consolidado
Valor de
referência
Notional - em
milhares de
US$
Notional - em
milhares de
R$
Valor Justo
(crédito) / débito
Valor de custo
(crédito) /
Débito
Efeito acumulado
em 2015
(crédito) /
débito
Efeito acumulado
em 2014
(crédito) /
débito
Descrição /
Contraparte
2015
2014
2015
2014
2015
2014
2015
2014
Valor
recebido
Valor
pago
Valor
recebido
Valor
pago
NDF
SWAP
1.000
2.515
1.000
3.817
3.572
5.860
2.693
8.894
(429)
4.007
(144)
969
(429)
4.453
(144)
969
36
5.123
(5.301)
(1.647)
940
1.128
(66)
(1.391)
Total
3.515
4.817
9.432
11.587
3.578
825
4.024
825
5.159
(6.948)
2.068
(1.457)
No quadro abaixo, demonstramos a abertura dos derivativos de câmbio por contraparte:
Consolidado
Valor de referência (Notional)
Descrição
NDF - hedge accounting
Banco Brasil
Banco Santander
Banco ABC
Swap
Banco Itaú BBA
Total
Moeda
31/12/2015
31/12/2014 Moeda
Valor justo
31/12/2015
31/12/2014
USD
USD
USD
1.000
-
500 R$
- R$
500 R$
(429)
-
(71)
(73)
USD
2.515
3.817 R$
4.007
969
USD
3.515
4.817 R$
3.578
825
Os vencimentos destas operações estão abaixo resumidos, em milhares de dólares:
PÁGINA: 128 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
Até 30 dias
De 31 a 180
dias
NDF - USD
500
500
Swap - USD
102
612
510
Total
602
1.112
510
Descrição
De 181 a 365 Acima de 365
dias
dias
Total líquido
Total líquido
1.000
1.000
1.290
2.515
3.817
1.290
3.515
4.817
Abaixo estão apresentados, por seu valor justo, os ganhos e perdas nos exercícios
findos em 31 de dezembro de 2015 e 31 de dezembro de 2014, agrupados pelas
principais categorias de riscos:
Ganhos e perdas registradas no resultado
Alocado na receita
bruta em
(*)
Descrição
Operações de Proteção Cambial
Contratos NDF (Non Deliverable
Forwards)
Swap
Moeda
Total
Alocado no resultado
financeiro em
Ganhos e perdas registradas
no patrimônio líquido*
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
R$
R$
(5.209)
-
(2.767)
-
(4.193)
3.476
(951)
261
4.843
-
135
-
R$
(5.209)
(2.767)
(717)
(690)
4.843
135
Valor sem os efeitos dos impostos.
Espera-se que os valores incluídos em outros resultados abrangentes em 31 de dezembro de 2015
afetem a demonstração do resultado com uma perda de R$ 4.843 em 2015.
No quadro a seguir apresentamos três cenários, sendo o cenário mais provável o adotado pela
Companhia. Esses cenários foram definidos com base na expectativa da Administração para as
variações da taxa de câmbio nas datas de vencimento dos respectivos contratos sujeitos a esses
riscos. Além desse cenário, a CVM, através da Instrução nº 475, determinou que fossem
apresentados mais dois cenários com deterioração de 25% e 50% da variável do risco
considerado. Esses cenários estão sendo apresentados de acordo com o regulamento da CVM.
Consolidado
29
Operação
Risco
NDF - Venda
SWAP
Alta do USD
Baixa do USD
Cenário
provável
(429)
4.007
Cenário A
(1.444)
(2.506)
Cenário B
(2.447)
(5.012)
Compromissos
Garantias
Em 31 de dezembro de 2015 e 31 de dezembro de 2014, a Companhia apresentava os
seguintes montantes de garantias representadas por avais, fianças, propriedade fiduciária e
hipotecas prestadas às empresas:
PÁGINA: 129 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Controladora
Tipo de garantia
Master Sistemas
Automotivos Ltda.
Fras-le S.A.
Randon Argentina S.A.
Castertech Fundição
e Tecnologia Ltda.
Freios Controil Ltda.
Jost Brasil Sistemas
Automotivos Ltda.
Banco Randon S.A.
Consolidado
31/12/2015
31/12/2014
Avais
Avais e fianças
Fianças
100.497
271.495
17.777
94.330
243.520
55.408
100.497
271.495
17.777
94.330
243.520
55.408
Avais e Fianças
Avais
47.865
3.958
49.457
-
47.865
3.958
49.457
-
2.170
126.197
128.380
2.170
126.197
128.380
569.959
571.095
569.959
571.095
Fianças
Avais
Total
31/12/2015
31/12/2014
Além dos avais e fianças concedidas para as empresas citadas acima, a Companhia concede
avais e fianças para terceiros no montante de R$ 106.208 em 31 de dezembro de 2015 (R$
175.719 em 31 de dezembro de 2014).
A Companhia não possui outros compromissos de longo prazo.
30
Informações por segmento
Para fins de administração, a Companhia é dividida em unidades de negócio, com base nos
produtos e serviços, com três segmentos operacionais sujeitos à divulgação de informações.
Os segmentos de negócios apresentados foram apurados na consolidação das
informações das seguintes empresas Randon:

Segmento de veículos e implementos: referem-se aos resultados consolidados dos exercícios
findos em 31 de dezembro de 2015 e 31 de dezembro de 2014 das empresas Randon S.A.
Implementos e Participações, Randon Implementos para o Transporte Ltda., Randon Argentina
S.A., e Randon Automotive Ltda., sendo os principais produtos incluídos neste segmento os
seguintes: reboques, semireboques, vagões ferroviários, caminhões fora-de-estrada,
retroescavadeiras e outros implementos rodoviários e veículos especiais.

Segmento de autopeças: referem-se aos resultados consolidados dos exercícios findos em 31
de dezembro de 2015 e 31 de dezembro de 2014 das empresas Randon S.A. Implementos e
Participações-divisão autopeças; Fras-le S.A.,Master Sistemas Automotivos Ltda., Jost Brasil
Sistemas Automotivos Ltda. e Castertech Fundição e Tecnologia Ltda., sendo os principais
produtos deste segmento os seguintes: materiais de fricção, vigas de eixos, componentes de
suspensão, freios a ar e sistemas de acoplamento e articulações para caminhões.

Segmento de serviços: refere-se ao resultado dos exercícios findos em 31 de dezembro de 2015
e 31 de dezembro de 2014 das empresas Randon Administradora de Consórcios Ltda.,
decorrente de operações de administração de grupos de consórcios para aquisição de bens
duráveis, e Randon Investimentos Ltda., que se caracteriza como holding financeira, cujo
objetivo é deter participação societária no Banco Randon S.A.
PÁGINA: 130 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
A Administração monitora separadamente os resultados operacionais das unidades de negócio
para poder tomar decisões sobre alocação de recursos e avaliar o desempenho. O desempenho
dos segmentos é avaliado com base no lucro ou prejuízo operacional, e os financiamentos das
empresas (incluindo receitas e despesas de financiamentos) e impostos sobre o lucro são
administrados no âmbito do grupo, não sendo alocados aos segmentos operacionais.
PÁGINA: 131 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
a.
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Informações por segmentos de negócios
Veículos e Implementos
Autopeças
Serviços
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
Receita líquida para terceiros
Receita líquida intersegmentos (a)
1.549.483
101.456
1.912.565
232.736
1.419.295
206.007
1.739.009
325.152
130.624
12.609
Receita líquida
Custo dos produtos vendidos e
dos serviços prestados
1.650.939
2.145.301
1.625.302
2.064.161
Lucro bruto
Despesas operacionais
Resultado financeiro líquido
Lucro/prejuízo do segmento (antes
dos impostos sobre o lucro) (b)
31/12/2015
Ajustes e eliminações
31/12/2014
Total consolidado
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
127.179
-
(320.072)
(557.888)
3.099.402
-
3.778.753
-
143.233
127.179
(320.072)
(557.888)
3.099.402
3.778.753
298.889
(1.424.170)
(1.721.080)
(1.314.035)
(1.643.614)
(19.159)
(15.210)
226.769
(229.464)
(35.956)
424.221
(163.492)
(42.696)
311.267
(266.197)
6.894
420.547
(250.622)
6.021
124.074
(93.769)
4.062
111.969
(83.298)
3.241
544.158
(2.458.475)
(2.835.746)
(21.183)
(14.267)
(18.315)
(13.730)
(76.183)
(4.850)
640.927
(603.697)
(43.315)
943.007
(573.595)
(38.284)
(38.651)
218.033
51.964
175.946
34.367
31.912
(53.765)
(94.763)
(6.085)
331.128
Ativos operacionais (c)
2.019.356
1.762.770
827.294
877.929
480.455
306.878
(23.088)
(21.644)
3.304.017
2.925.933
P assivos operacionais (d)
2.376.874
1.847.892
717.677
740.301
371.219
422.014
(107.968)
(110.746)
3.357.802
2.899.461
890.396
866.911
651.246
635.454
1.579
1.962
(741)
(742)
1.542.480
1.503.585
Ativo não circulante (e)
(a)
Receitas intersegmentos são eliminadas por ocasião da consolidação.
(b)
O lucro referente a cada segmento operacional.
(c)
Os ativos dos segmentos não incluem, direitos por recursos de consórcios (R$ 61.169), cotas de consórcio (R$ 47.966), depósitos judiciais (R$ 12.757), impostos diferidos (R$ 123.907) e outras contas (R$ 44.845).
(d)
Os passivos dos segmentos não incluem Juros sobre capital próprio (R$ 6.497), dividendos (R$ 1.493), participação dos empregados e dos administradores (R$ 13.609), obrigações por recursos de consorciados (R$ 61.175), provisão para
litígio (R$ 15.984) e outras contas (R$ 108.443).
(e)
Ativo não circulante é composto por ativo imobilizado e ativo intangível.
PÁGINA: 132 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
b.
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
Vendas líquidas por segmentos geográficos
Veículos e Implementos
Região:
Mercado nacional
Mercosul e Chile
Nafta
Europa
África
América Central e outros
países da América do
Sul
Oriente Médio
Ásia
Oceania
Outros
Total
Autopeças
Serviços
31/12/2015
31/12/2014
31/12/2015
31/12/2014
1.352.737
218.392
74
1.453
55.912
1.900.441
147.765
3.215
10.490
62.759
1.292.152
95.630
166.056
11.191
10.307
22.062
269
40
14.895
5.734
2
-
25.488
16.742
4.285
3.451
-
1.650.939
2.145.301
1.625.302
Ajustes e eliminações
31/12/2015
31/12/2014
1.786.245
65.522
136.839
10.180
9.349
143.233
-
127.179
-
25.288
22.355
4.817
3.552
13
-
-
2.064.160
143.233
127.179
31/12/2015
(289.581)
(30.491)
-
(320.072)
Total consolidado
31/12/2014
(539.650)
(18.237)
-
(557.887)
31/12/2015
31/12/2014
2.498.541
283.531
166.130
12.644
66.219
3.274.215
195.050
140.054
20.670
72.108
47.550
17.011
4.285
3.451
40
40.183
28.089
4.819
3.552
13
3.099.402
3.778.753
PÁGINA: 133 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E
PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Notas Explicativas
Randon S.A. Implementos e Participações
Demonstrações financeiras em
31 de dezembro de 2015 e 2014
As informações acima sobre a receita consideraram a localidade do cliente.
A receita líquida referente à um dos clientes totalizou R$ 410.211 (R$ 230.053 em 31 de
dezembro de 2014), resultante de vendas feitas pelo segmento de veículos e implementos.
1
Cobertura de seguros
A Companhia adota a política de contratar cobertura de seguros para os bens sujeitos a
riscos, considerando a natureza de sua atividade. As principais coberturas de seguros
são:
Consolidado
Total dos limites de
indenização
Risco coberto
Prédios, estoques, máquinas e
lucros cessantes
Veículos
Aeronaves
Crédito de exportação
Responsabilidade civil
Acidentes pessoais
Incêndio, vendaval, danos elétricos e
riscos gerais.
Casco
Responsabilidade civil e casco
Comerciais e políticos
Responsabilidade civil
Danos pessoais
31/12/2015
31/12/2014
466.485
9.703
40.930
83.185
47.527
53.195
422.919
11.137
31.379
13.713
26.096
53.613
701.025
558.857
PÁGINA: 134 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Comentário Sobre o Comportamento das Projeções Empresariais
2015
Projeção
Realizado
sem eliminações
R$ 4,2 bilhões
R$ 4,2 bilhões
Receita Líquida Consolidada
R$ 3,0 bilhões
R$ 3,1 bilhões
Receitas do Exterior
US$ 265 milhões
US$ 301 milhões
Importações
US$ 60 milhões
US$ 60 milhões
Investimentos
R$ 120 milhões
R$ 161,6 milhões
Receita Bruta Total
Em 2015, a Companhia somou R$ 4,2 bilhões de Receita Bruta Total e R$ 3,1
bilhões de Receita Líquida Consolidada, indicadores em linha com a meta projetada para
o ano. A crise de confiança político-econômica instalada no País continuou determinante
para que a economia permanecesse em recessão e afetasse os fragilizados volumes de
vendas e produção da cadeia produtiva, em especial o mercado de pesados. No lado
positivo da demanda, os setores de reposição e de vagões foram destaques. Além disto,
a desvalorização do real frente ao dólar americano deu nova competitividade às
exportações.
Nos doze meses de 2015, a Companhia obteve US$ 301,0 milhões de receitas
oriundas no mercado externo, sendo US$ 158,2 milhões referentes exportações e US$
142,8 milhões referente ao faturamento das unidades externas instaladas no exterior
(Randon Argentina e controladas da Fras-le S.A.).
As importações de insumos em 2015 totalizaram US$ 60 milhões, atingindo a
meta prevista para este indicador.
Por fim, os investimentos somaram R$ 161,6 milhões ao final do ano. Do total
investido, R$ 40,9 milhões devem-se a nova planta de Araraquara, que está aguardando
a retomada de mercado para ser concluída, e R$ 17,5 milhões referem-se à aquisição de
912.800 ações ordinárias (FRAS3) de sua controlada Fras-le S.A., atingindo assim a
participação de 50,0004% de seu capital social.
PÁGINA: 135 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Pareceres e Declarações / Parecer dos Auditores Independentes - Sem Ressalva
Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras
Aos Conselheiros e Diretores da
Randon S.A. Implementos e Participações
Caxias do Sul - RS
Examinamos as demonstrações financeiras individuais e consolidadas da Randon S.A. Implementos e Participações (“Companhia”),
identificadas como Controladora e Consolidado, respectivamente, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de
2015 e as respectivas demonstrações do resultado, do resultado abrangente, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de
caixa, para o exercício findo naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas.
Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras
A administração da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação das demonstrações financeiras individuais e
consolidadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e de acordo com as normas internacionais de relatório financeiro
(IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board - IASB, assim como pelos controles internos que ela determinou como
necessários para permitir a elaboração dessas demonstrações financeiras livres de distorção relevante, independentemente se
causada por fraude ou erro.
Responsabilidade dos auditores independentes
Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria,
conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências
éticas pelos auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que as
demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante.
Uma auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores e divulgações
apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a
avaliação dos riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa
avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apresentação das
demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas
não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a
avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem
como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto.
Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião.
Opinião sobre as demonstrações financeiras
Em nossa opinião as demonstrações financeiras individuais e consolidadas acima referidas apresentam adequadamente, em todos os
aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira individual e consolidada da Randon S.A. Implementos e Participações em 31 de
dezembro de 2015, o desempenho individual e consolidado de suas operações e os seus respectivos fluxos de caixa para o exercício
findo naquela data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com as normas internacionais de relatório financeiro
(IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board - IASB.
Outros assuntos
Demonstrações do valor adicionado
Examinamos, também, as demonstrações, individuais e consolidadas, do valor adicionado (DVA), referentes ao exercício findo em 31
de dezembro de 2015, elaboradas sob a responsabilidade da administração da Companhia, cuja apresentação é requerida pela
legislação societária brasileira para companhias abertas, e como informação suplementar pelas IFRS que não requerem a
apresentação da DVA. Essas demonstrações foram submetidas aos mesmos procedimentos de auditoria descritos anteriormente e,
em nossa opinião, estão adequadamente apresentadas, em todos os seus aspectos relevantes, em relação às demonstrações
financeiras tomadas em conjunto.
Porto Alegre, 15 de março de 2016
KPMG Auditores Independentes
CRC 2SP014428/F-7-RS
Wladimir Omiechuk
Contador CRC 1RS041241/O-2
PÁGINA: 136 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Pareceres e Declarações / Parecer do Conselho Fiscal ou Órgão Equivalente
Parecer do Conselho Fiscal
Os membros titulares do Conselho Fiscal da Randon S.A. Implementos e Participações, em cumprimento às disposições legais e
estatutárias, examinaram: o Relatório Anual da Administração; as Demonstrações Financeiras individuais e consolidadas, elaboradas
de acordo com as normas contábeis vigentes; as Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras e o Relatório dos Auditores
Independentes, KPMG Auditores Independentes, emitido em data de 15/03/2016, relativos ao exercício social encerrado em 31 de
dezembro de 2015. Examinaram, também, a proposta da Diretoria de destinação do resultado (prejuízo) do exercício de 2015 e
ouviram representantes da Administração da Companhia e o sócio representante da auditoria independente sobre os referidos
documentos. Os Conselheiros concluíram que: os negócios e principais fatos administrativos do exercício findo estão contemplados no
Relatório Anual da Administração; a situação patrimonial e financeira da Companhia, está representada nas Demonstrações
Financeiras; a proposta de destinação do resultado (prejuízo) líquido do exercício de 2015, atende à legislação e ao Estatuto Social da
Companhia. Os Conselheiros declaram que os documentos estão em condições de serem apreciados e aprovados, pelos acionistas,
na Assembleia Geral Ordinária. Caxias do Sul, 15 de março de 2016.
Maria Tereza Casagrande João Carlos SfreddoImer José Puerari
Fernando Bevilacqua e Fanchin
Nilo José Panazzolo
PÁGINA: 137 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Pareceres e Declarações / Declaração dos Diretores sobre as Demonstrações Financeiras
DECLARAÇÃO DA DIRETORIA
A Diretoria Executiva da Companhia, em atendimento ao disposto nos incisos V e VI do § 1º do Artigo 25 da Instrução CVM nº
480/2009, declara que:
Reviram, discutiram e concordam com as Demonstrações Financeiras, relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de
2015, auditadas pela KPMG Auditores Independentes.
Caxias do Sul, 15 de março de 2016.
Randon S.A. Implementos e Participações
Diretoria Executiva
PÁGINA: 138 de 139
DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2015 - RANDON S.A. IMPLEMENTOS E PARTICIPAÇÕES
Versão : 1
Pareceres e Declarações / Declaração dos Diretores sobre o Parecer dos Auditores
Independentes
DECLARAÇÃO DA DIRETORIA
A Diretoria Executiva da Companhia, em atendimento ao disposto nos incisos V e VI do § 1º do Artigo 25 da Instrução CVM nº
480/2009, declara que:
Reviram, discutiram e concordam com as opiniões expressas no parecer dos auditores elaborado pela KPMG Auditores
Independentes.
Caxias do Sul, 15 de março de 2016.
Randon S.A. Implementos e Participações
Diretoria Executiva
PÁGINA: 139 de 139