A Terra Pede - Associação Paulistana

Сomentários

Transcrição

A Terra Pede - Associação Paulistana
para hoje
Colecionável
www.profeciaparahoje.com.br
2
Série Especial
Número
Edição 2010
Depois do terremoto
e do tsunami, o Chile
ainda precisa de ajuda
A Terra
Pede
Socorro
Terremotos, tsunamis,
vulcões, tempestades,
raios ... mostram o
cumprimento das
profecias bíblicas
Depoimentos
Catástrofes naturais...
Saiba mais sobre o futuro da raça humana e da Terra
Editorial
Expediente
MANTENEDORA
Dizem que, se colocarmos um
sapo dentro de uma panela com
água gelada e formos lentamente
esquentando até que ferva, o sapo
morrerá cozido. É que ele vai se
acostumando com as mudanças
na temperatura da água.
Algo semelhante acontece com
o ser humano. Pelo processo psicológico do condicionamento, a
pessoa se acostuma com coisas
com as quais não deveria. Por isso,
é que certas catástrofes naturais
podem ser percebidas como sendo absolutamente normais.
Embora sejam naturais, a proporção com que têm acorrido, não
são normais. São resultados diretos
dos desequilíbrios no ecossistema
e as profecias bíblicas revelam que
são sinais do fim.
“Haverá grandes terremotos,
fomes e pestes em vários lugares, ... os poderes celestes serão
abalados.” (Lucas 21:11 pp e 26
up. - NVI).
O aumento gradativo na temperatura da água poderia ser, para o
sapo na panela, o sinal de que seu
fim está próximo. Mas ele não se
importa com este sinal. Acostuma-se e, por isso, morre sem saber o
porquê. É claro que o sapo é um
anfíbio irracional. Não tem consciência. Mas nós temos, e precisamos prestar mais atenção nas
catástrofes naturais como sinais de
que estamos vivendo no tempo
do fim. Jesus vai voltar!
Esta revista vai ajudá-lo a saber
como se preparar para este dia de
esperança.
Pr. Jorge Mario de Oliveira
Associação Paulistana da IASD
Rua Gabrielle D´Annunzio, 246 - Brooklin
CEP 04619-000 - São Paulo - SP
www.paulistana.org.br
Presidente: Sidionil Biazzi
Secretário: Paulo Korkischko
Tesoureiro: Rubens Carvalho de Benedicto
Ministério Pessoal: Jorge Mário de Oliveira
Comunicação: Valter da Silva Araújo
PRODUÇÃO EDITORIAL
Editora Tempos Ltda.
Direção de arte: Rogério Sorvillo Vieira
Produção Visual Gráfica: Ruimar C. Freitas
Diagramação: Ruimar C. Freitas
Edição/Textos/Revisão: Sueli Parente
Jornalista Responsável: Sueli Parente MTb
14.663
Impressão
Tiragem: 62.000 exemplares
Sou o pastor Luís Gonçalves e quero
convidá-lo(a) para assistir uma série
de palestras nas quais falarei sobre
profecias bíblicas baseadas nos
Evangelhos e no Apocalipse. Será entre
os dias 23 e 30 de Outubro de 2010.
Procure uma Igreja Adventista do
Sétimo Dia mais próxima de sua casa
(www. paulistana.org.br) ou assista
pelo canal Novo Tempo (SKY canal 141
ou www.novotempo.com).
Próximo tema
Violência e Doenças
2
Pr. Luís Gonçalves da Silva
Teólogo e Evangelista da Divisão Sul
Americana da IASD
Depois do terremoto e do tsunami, o Chile ainda
precisa de ajuda
Foto divulgação
Era madrugada de 27 de fevereiro
deste ano e José Américo de Oliveira, gerente financeiro da ADRA
– Agência Adventista de Desenvolvimento de Recursos Assistenciais, do Chile, estava dormindo
com sua família, quando sentiu a
cama tremer. Logo percebeu que
se tratava de um terremoto. “Moramos em uma casa de dois andares
e parecia que tudo ia desmoronar.
A casa movia de um lado para outro. Nós nos abraçamos e aguardamos embaixo do batente da porta
até acabar o terremoto”. Passado o
susto, permaneceram unidos no
quarto escuro, sem água ou telefone. “Foi realmente assustador.
Ligamos um celular e ouvimos as
notícias dos desastres que tinham
acontecido, principalmente no sul
do país”.
O epicentro do abalo de 8,8 na escala Richter foi registrado a mais
de 300 km de Santiago, capital do
país, e resultou na morte de mais
de 700 pessoas e 2 milhões de
desabrigados. José Américo, que
mora em Santiago, conta sobre um
líder religioso de Constitución, que
naquela noite presenciou a chegada do tsunami em uma ilha. “Havia uma festa na cidade e depois
do terremoto muita gente correu
para um lugar mais alto, mas os
que estavam na ilha não tinham
para onde ir. De longe, ouviam-se gritos e lanternas movendo-se
para todos os lados. De repente,
uma nuvem negra passou. Era o
tsunami e não se escutou mais
nada. Havia mais de 200 pessoas
no local, mas só três se salvaram,
pois conseguiram subir nas árvores de eucalipto”, conta.
São muitas as histórias e ele destaca ainda a de uma mulher que estava nos escombros de um prédio
que tinha desabado e não sabia
como sair. “Então ela viu um menino que lhe mostrou como sair,
mas ela não o conhecia e não o
viu mais. Mesmo não sendo cristã,
disse que foi um anjo que Deus
enviou para salvá-la”.
A ADRA foi rápida para socorrer
os sobreviventes com alimentos,
cobertores, roupas, geradores de
energia, entre outros itens. Atualmente, José Américo conta que
um dos projetos que está sendo
realizado é a construção de pequenas casas de madeira, para
quem perdeu tudo, doadas pelos
Estados Unidos, Alemanha e Japão.
“Penso que os acontecimentos no
mundo, não só no Chile ou com
as chuvas no Brasil, são sinais cada
vez mais claros da volta de Jesus.
Como o homem não tem noção
de tudo o que está sucedendo,
temos que alertar quem está próximo para que não perca a oportunidade da salvação”, analisa. Medo?
“Sim, ele existe, principalmente no
norte do país, pois também esperam um grande terremoto”.
3
Catástrofes naturais mostram o cum
“Os terremotos ou maremotos e
seus consequentes tsunamis, assim
como os vulcões, acontecem independente da ação do ser humano”.
O comentário é do geólogo Aladino
Cândido, que trabalha na iniciativa
privada, na atividade de exploração
e produção de petróleo. É mestre
em Geologia de Reservatórios pela
University of Calgary, Canadá, e tem
um MBA em Gestão Estratégica de
Negócios pela USP/FIA.
Ele explica que terremotos e vulcões acontecem quando o movimento relativo entre placas tectônicas adjacentes se processa de
forma intermitente em virtude de
obstáculos existentes na superfície
de contato entre essas placas. “Assim, frequentemente o movimento é interrompido pelo obstáculo,
mas a energia atuante não. Quando a energia acumula o suficiente
para vencer o obstáculo, acontece
o solavanco e, consequentemente,
o terremoto ou alívio da energia
pelo vulcão”.
Foto divulgação
“... E sobrevieram
relâmpagos, vozes
e trovões, e ocorreu
grande terremoto,
como nunca houve
igual desde que há
gente sobre a terra;
tal foi o terremoto,
forte e grande. E
a grande cidade
se dividiu em três
partes, e caíram as
cidades das nações.
E lembrou-se Deus
da grande Babilônia
para dar-lhe o cálice
do vinho do furor da
Sua ira. Todas as ilhas
fugiram, e os montes
não foram achados...”
Apocalipse 16:18-20
Aladino Cândido, Ms.
4
Os registros disponíveis mostram
que os abalos sísmicos sempre
existiram, aparentemente com a
mesma frequência. “O que alterou
foi a capacidade humana de registrá-los, dando a falsa impressão de
que aumentaram”, afirma. Para ele,
seus efeitos devastadores, em termos de destruição de vidas, cresceram em decorrência do aumento
da população e da probabilidade
do terremoto ocorrer em área com
grande demografia, além do fato
do aumento do número de pessoas morando em áreas de risco.
Embora discorde da tentativa de
explicar todos os fenômenos naturais através de relatos bíblicos, afirma que alguns deles não deixam
dúvida sobre a criação de Deus.
Como exemplo, cita o universo,
onde cada corpo celeste tem sua
função e trajetos bem definidos e
organizados. “Só um ser muito inteligente seria capaz de projetar e
executar uma obra que segue leis
estritamente exatas. É dito na Bíblia
mprimento das profecias bíblicas
por Sueli Parente
nunca vista. “Acreditamos que estes eventos estejam no futuro, mas
as notícias atuais vão fechando o
quebra-cabeça profético”, afirma.
Se por um lado os terremotos e
vulcões são realidades constantes
em outros países, no Brasil, as tempestades têm causado tragédias,
seja através das enchentes ou dos
raios que também fazem suas vítimas. O Brasil é conhecido como
o lugar onde mais eles caem no
planeta.
“Na última década houve um aumento da ordem de 15% na incidência de raios no Brasil, somando
cerca de 50 milhões por ano, com
130 mortes e algo em torno de
500 feridos, no mesmo período”,
afirma o engenheiro elétrico, coordenador e fundador do Grupo de
Eletricidade Atmosférica (ELAT), do
Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Osmar Pinto Júnior.
As estimativas apontam os raios
como causa de morte de 25 mil
pessoas, com 250 mil feridas, no
mundo.
Ele cita a cidade de São Paulo
como exemplo do que pode ocorrer em grandes metrópoles. Segundo ele, a temperatura média
da cidade aumentou 2 graus nos
últimos 50 anos. E por seu crescimento e consequente alteração
do meio ambiente, é conhecida
como uma ‘ilha de calor’. “Isso fez
com que a incidência de raios aumentasse 60% nesse período”.
Vale ressaltar que Jesus Cristo declarou que antes de Sua segunda
vinda haveria sinais no sol, na lua
e nas estrelas. E que os poderes
dos céus seriam alterados (Mateus
24:29). Sérios estudantes da Bíblia
acreditam que os desastres naturais da atualidade cumprem esta
profecia e que, portanto, estamos
vivendo no tempo do fim.
Foto divulgação
que determinadas coisas não são
para o conhecimento do homem
e então só vamos saber quando
habitarmos a nova terra”. Para finalizar, Cândido cita a ocorrência de
um grande terremoto, relatado em
Apocalipse 16, e diz acreditar que
esse não será natural.
Opinião semelhante partilha o
empresário e advogado Ricardo
Alberto Abrusio, estudioso da Bíblia. Ele afirma que o maior número de notícias sobre terremotos e
o aumento da população em lugares antes não tão habitados não
desmentem a Palavra de Deus. “O
texto bíblico mostra que as consequências seriam maiores. Ou seja,
os terremotos provocariam mais
estragos e é isso que estamos vendo”.
Abrusio destaca a série das trombetas descritas no livro de Apocalipse, onde há o relato da ocorrência de terremotos simultâneos
em vários lugares, com magnitude
Osmar Pinto Jr., PhD. - INPE
5
Foto divulgação
A Força da Nossa Esperança
O Sonho que Acalma
Erika Irene Vicente
Versículo citado:
“O Senhor é a
minha luz e a minha
salvação; a quem
temerei? O Senhor
é a força da minha
vida; de quem me
recearei?”.
Salmo 27:1
Desde a infância, o sofrimento faz
parte da vida de Erika Irene Vicente. Descendente de austríacos e
alemães, ouvia a história de parte
da família que foi morta no campo
de concentração de Auschwitz, na
Polônia. Ela nasceu no Brasil e com
dois irmãos vivenciou a dor de ver
o pai levar uma amante para morar
dentro da própria casa. Sua mãe
tentou suicídio três vezes, sendo
que da última ficou internada por
um ano. Enquanto isso, sofreu maus
tratos por parte do pai, além de
passar fome. “Mas Deus é bom, deixou minha mãe viver e voltar para
casa”, conta. O pai abandonou a família. Por decisão do casal, os filhos
foram criados sem religião. Quando
tinha cerca de 13 anos, sem ter ouvido falar sobre Deus, sonhou que
era perseguida por uma imensa
coluna de fogo. Correndo para se
livrar, acabou batendo no peito de
alguém que a abraçou forte. “Quando olhei, vi uma mão e a manga
de um manto. O fogo diminuiu até
desaparecer”. A partir desse dia, sabia que Jesus a estava protegendo.
Posteriormente, casou-se e foi mãe
de seis filhos. A convivência com o
marido não foi fácil, principalmente
após sua conversão. Aos 75 anos de
idade, viúva, Erika diz sentir Jesus
abraçá-la toda vez que passa por algum problema e, sem se abater, fala
sobre a certeza de Sua volta.
Depoimentos
A Vitória de Vitória
6
Vitória
Versículo citado:
“Esperei confiantemente pelo Senhor;
e Ele se inclinou para
mim e me ouviu
quando clamei por
socorro. Tirou-me de
um poço de perdição, de um tremedal
de lama; colocou-me
os pés sobre uma
rocha e me firmou os
passos.” Salmos 40:1
Quando Vitória (nome fictício) ingressou na faculdade, começou a
se afastar de Deus. Com 22 anos
tornou-se usuária de drogas e cada
vez mais dependente. Seu pai suicidou-se após uma discussão com
ela e isso a abalou profundamente.
Tinha acabado de perder o emprego e usou o dinheiro recebido para
“se afundar ainda mais”. Ficou grávida com 26 anos e teve um filho
que enfrentou sua primeira crise de
epilepsia com quase dois anos de
idade. “Eu fui uma boa mãe, cuidei
do meu filho, mas não deixei de
me drogar durante a gravidez e a
amamentação. Tentei voltar para
a igreja, mas não conseguia parar com aquilo”, conta. Depois que
sua mãe descobriu o envolvimento
com as drogas, Vitória diz que sua
vida “virou um inferno”. Aos 37 anos,
soube que estava com câncer no
colo do útero em estágio avançado.
“Hoje sei que a doença foi a melhor
coisa que Deus permitiu na minha
vida. Se não fosse isso, já não estaria mais aqui”, diz. No ano em que
ficou doente, resolveu entregar a
vida a Deus e teve a alegria de ver
o filho ser batizado. Com 41 anos,
mora com a mãe e o filho, que fez
uma cirurgia e melhorou de forma
significativa. Ela foi curada do câncer e retomou o curso de Direito.
Atualmente, frequenta a igreja com
a família e mantém um Pequeno
Grupo de Oração em sua casa.
O Perdão Vem de Jesus
João Carlos
Versículo citado:
“E conhecereis a
verdade e a verdade
vos libertará”
João 8:32
Ainda adolescente, João Carlos queria liberdade, não aceitava regras
e desobedecia seus pais. Andou
com más companhias e praticou
pequenos delitos, que tornaram-se
cada vez mais sérios. “Meu sonho
de liberdade transformou-se em
pesadelo”, conta. Acabou em um
grande presídio de Curitiba/PR. “Fiquei pior e me tornei sinônimo de
problemas”. Mais tarde, foi transferido para o Carandiru/SP. Sua mãe já
tinha lhe falado sobre Jesus, mas foi
durante uma rebelião ocorrida em
1987, que ele pensou em Deus. Depois de ouvir falar sobre a Igreja Adventista do Sétimo Dia, fez contato
e estudou a Bíblia com uma senho-
ra que passou a visitá-lo na prisão.
Posteriormente, conheceu a filha
dela, com quem se casou dentro
do presídio. De seu pai, sentia muita
raiva, pois foi ele quem o entregou.
“Passei 18 anos sem falar com ele,
mas depois que conheci Jesus, eu
o perdoei”. O casal tem uma filha e
hoje João Carlos trabalha como auxiliar de enfermagem em um hospital. Ele cumpriu cerca de 18 anos
em regime fechado, quase quatro
em semiaberto e está em liberdade condicional. “Satanás manipula
as pessoas para magoar o coração
de Deus”, diz. Sem medo, conta sua
história para que outras pessoas
não cometam o mesmo erro.
Foto divulgação
Jesus Capacita as Pessoas
Wagner Moraes
Versículo citado:
“Porque o Senhor
dá a sabedoria; da
sua boca é que vem
o conhecimento e
o entendimento”.
Provérbios 2:6
Histórias sobre a atuação de Deus
são frequentes na vida do empresário Wagner José de Moraes. Ele
nasceu em lar humilde e estudou
em Colégios Adventistas, por meio
de bolsas de estudo. Alguns anos
depois, sua família estudou a Bíblia e aceitou Jesus como Senhor.
Aprendeu ainda cedo que deveria
confiar em Deus. Trabalhou durante
30 anos em uma multinacional alemã e ocupou cargos de alto escalão. Dentro desse período, também
representou a companhia em uma
entidade de classe. Por causa disso, teve oportunidade de ajudar a
orientar uma pequena empresa familiar que era fornecedora da multinacional para que não quebrasse.
Anos mais tarde, ao completar 50
anos de idade, foi demitido. “Fiquei
dois meses completamente perdido, sem rumo”, conta. Montou um
negócio em sociedade e por três
anos tudo correu bem. Mais tarde,
deixou seu sócio para prestar serviço para a empresa que ajudou no
passado. “Fiz consultoria financeira
em um momento muito delicado
pelo qual passavam. Hoje tenho
minha própria empresa e a exclusividade comercial deles em todo o
Brasil. Entendo que Jesus me capacitou para esse trabalho”, diz. Sobre
a volta de Jesus, pensa que pode
ocorrer a qualquer hora. “Alguns
fatos bíblicos ainda não aconteceram, mas devemos estar preparados, pois não sabemos quanto tempo viveremos nesse planeta. Jesus
virá e todos podem esperá-Lo”.
7
Medicina
Opções em
Preventiva e Estética
Central de Atendimento
Central de Atendimento
(11) 4711-3000
(19)3858-5900
[email protected]
www.cevisa.org.br
[email protected]
www.vidanatural.org.br
O funcionamento do corpo humano quando fica desequilibrado resulta em doença e sofrimento. Por
isso, é muito importante ter atitudes que previnam essa falta de equilíbrio, através de mudança de
estilo de vida, uso do melhor alimento, boa dose de espírito alegre e mente sempre clara para fazer as
melhores escolhas.
O CEVISA e a VIDA NATURAL são dois ambientes que tratam da educação, e também reeducação, das
pessoas que sentem necessidade de prevenir antes que remediar. Pois é muito melhor gastar energia
para não perder a saúde do que ter que ir buscá-la de volta. Venha nos conhecer.