citogenética clássica e molecular de pacamum e - pibic

Сomentários

Transcrição

citogenética clássica e molecular de pacamum e - pibic
CITOGENÉTICA CLÁSSICA E MOLECULAR DE PACAMUM E AMORÉ NA
PENÍNSULA DE AJURUTEUA, AMAZÔNIA ORIENTAL.
Rodrigo Petry Corrêa de Sousa (Bolsista PARD/CNPq) [email protected]
Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, IECOS, Campus de Bragança.
Prof. Drª. Gláucia Caroline Silva de Oliveira (Orientadora) - [email protected]
Curso de Ciências Naturais, IECOS, Campus de Bragança.
A zona costeira amazônica abriga os estuários mais conservados do planeta, este serve de refúgio
e abrigo para uma rica biodiversidade de peixes. Muitas destas espécies são economicamente
importantes ou possuem importância ecológica para a manutenção do ambiente estuarino.
Todavia, mesmo com tal importância ecológica e econômica, muitas espécies de peixes,
apresentam poucas informações na literatura científica quanto a sua organização genômica. A fim
de contribuir para a ampliação do conhecimento científico este estudo caracterizou com técnicas
de Citogenética clássica e molecular duas espécies residentes do estuário, o pacamão
(Batrachoides surinamensis, Bloch & Scheneider, 1801) e o amoré (Guavina guavina,
Valenciennes, 1837). Dessa forma, obteve-se um número diplóide para B. surinamenis de 2n=46
(6M+8SM+20ST+12A), blocos de heterocromatina evidentes nas regiões centroméricas de todos
os cromossomos, com marcações intersticiais nos pares 1,3,7, 8 e 13. A presença de RON simples
no par 13 subtelocêntrico, em regiões próximas aos telômeros. A hibridização das sondas de 18S
rDNA foram detectadas no par 13 e as de 5S rDNA em dois pares cromossômicos, 7
submetacêntrico e 20 acrocêntrico. As sequências teloméricas marcaram as porções terminais de
todos os cromossomos e sítios intersticiais. Para a espécie G. guavina o número diploide foi de
2n=52 (2SM+50A). A heterocromatina constitutiva foi observada nas porções centroméricas e
pericentroméricas de todos os cromossomos, e marcações intersticiais nos pares 2 e 26; As RON’s
foram identificadas somente no par 24 associados a regiões centroméricas. As sondas ribossomais
de 18S hibridizaram no par 24, coincidindo com as marcações de RON’s. A FISH com sequencias
teloméricas foram positivas nas porções terminais de todos os cromossomos. Os resultados
obtidos divergem dos padrões basais dos teleósteos marinhos e as análises convencionais sugerem
que o cariótipo de ambas espécies surgiu a partir de eventos de fusões e fissões cromossômicas.
Este estudo fornece as primeiras descrições citogenéticas para estas duas espécies que ocorrem na
Zona Costeira Amazonica contribuindo para a ampliação do conhecimento sobre a estrutura
genômica de peixes e fornece informações que podem auxiliar futuras estudos evolutivos e
taxonômicos para estas espécies de peixes.
Palavras chave: Batrachoides surinamenis, Guavina guavina, citogenetica clássica e Molecular,
peixes estuarinos, Zona Costeira Amazônica.
Título do projeto do orientador: CITOGENÉTICA CLÁSSICA E MOLECULAR DE
PEIXES MARINHOS E ESTUARINOS DA PENÍNSULA DE AJURUTEUA, AMAZÔNIA
ORIENTAL BRASIL
Classificação do trabalho na Tabela de Áreas do Conhecimento no CNPq.
Grande-área: Ciências Biológicas
Área: Genética
Sub-área: Genética Animal