- EBI da Vila do Topo

Сomentários

Transcrição

- EBI da Vila do Topo
Jornal da Escola Básica
Integrada de Vila do Topo
Ano
2
N.º6
0,50
Celebração Pascal Pág.3
Dia da Criança Pág.10
No dia três de Abril, do corrente ano, pelas dez e trinta, na Igreja
de São Francisco, teve lugar mais uma celebração da paixão do
nosso amigo Jesus.
Projecto Foguetão
A EBI do Topo festejou em grande.
Como já vem sendo tradição, a Escola festejou uma vez mais
o Dia da Criança.
Pág.7
No âmbito do projecto de final de ciclo “Foguetão 1234” o 4º ano de escolaridade da EBI do
Topo agradece aos estabelecimentos comerciais
do Concelho de Calheta.
Dia Mundial da Terra Pág 4
.
Um dos intentos de qualquer instituição de educação é o de
aumentar a consciencialização dos nossos jovens, a seguir ati-
Sarau Multicultural
Pág.7
A Escola Básica Integrada de Vila do Topo integrou o pro-
tudes inerentes a hábitos que contribuem para a valorização do grama do Parlamento dos Jovens, este ano com a temática “Alimentação e Saúde”.
património natural
Visita de estudo à Santa Catarina
XI Encontro Regional Pág 15
.
Pág.5
O Clube Desportivo Escolar do Topo participou no XI encon-
Uma grande vantagem das visitas de estudo é o convívio entre tro Regional Mini-Voleibol, realizado em Ponta Delgada (São
Miguel).
alunos, e professores.
União para o Saber
Pág.2
No passado dia 26 de Maio decorreu, na sala de convívio/bar, a 3ª e última
fase do concurso União Para O Saber.
HiPowerPop Pág 13
.
No passado dia 23 de Abril de 2009 decorreu no Auditório de
Velas um Espectáculo intitulado “Expressões D’Arte”.
EDITORIAL
Neste editorial, da última edição do ano lectivo, do jornal da
escola, gostaria de destacar um acontecimento anual: a saída
inevitável de alunos e professores desta escola.
Este não será um artigo de reflexão, mas antes uma mensagem
a todos e a cada um daqueles que, neste final de ano, deixam
a escola, rumo a outras paragens.
Todos os anos entram e saem alunos e professores desta escola; a hora da recepção é pautada de alegria e ansiedade, mas o
momento da partida fica marcado por tristeza e angústia. Todos
os anos sentimos alguma tristeza pela partida, mas temperada
de esperança e alegria pelas motivações das saídas.
Este ano não é excepção, pois as despedidas já se começam
a fazer e o misto de alegria e tristeza começa a sentir-se pelos
recreios da escola.
Estas partidas são conduzidas por sonhos e expectativas, por
isso alegremo-nos e recordemos aqueles que agora partem!
São alunos que terminam a escolaridade obrigatória e que
agora iniciam a definição e concretização de sonhos: Isabel,
ÍNDICE
Sudoku
.
Pág.4
Pág.5
Pág.6
Pág.8
Pág.9
Pág.12
Pág.14
Pág.15
Jovens Leitores/Pequenos Escritores
Pág.16
Espectáculo “Eco da Alma”
Projecto Conectando Mundos
Dia Internacional da Biodiversidade Biológica
Oficina de Línguas Estrangeiras
“Os Últimos Calhaus a Contar do Sol”
À descoberta do Topo
Sessão sobre planeamento familiar
Homenagem aos Professores Vasco e Rita
Pág 3
.
Pág.19
Pág.20
Pensamentos Finais
Pág 18
Onde Tudo Começou
Steven, João Mota, João Leonardo, Milton, Natalina e Tracy.
Final do Ano Lectivo
Artur , Fábio, José, Nuno e Ricardo.
CONCURSO “UNIÃO PARA O SABER”
Para todos vocês muito sucesso na vida, que desabrochem
como seres humanos íntegros, honestos, trabalhadores e solidários. Esta escola será sempre a vossa escola.
Os professores que, embora tenham estado pouco tempo,
marcaram a vida da escola durante este ano lectivo e que, pelo
seu testemunho, deixarão saudades: Vanda Serpa, Luís Figueiredo e Lara Duarte.
Os professores cuja estadia por cá foi mais prolongada, dando testemunho de dedicação e paixão pelas opções realizadas.
O obrigado da escola por aquilo que deram a todos os nossos
No passado dia 26 de
Maio decorreu, na sala
de convívio/bar, a 3ª e
última fase do concurso
União Para O Saber.
Este projecto, promovido pelo Departamento
de Língua Portuguesa,
fomentou na comunidade escolar o espírito de
competição, de colaboração e promoveu a aplicação das aprendizagens
efectuadas ao longo do
ano lectivo.
Neste concurso participaram seis equipas,
num total de dezoito
alunos do terceiro ciclo.
As pontuações finais
(obtidas através da soma
dos resultados alcançados em cada fase)
conferem à equipa A,
composta pelos alunos
Arménio Borba, Carina
Borba e Isabel Silva, o
estatuto de vencedores
da primeira edição deste
concurso. Em segundo
lugar ficou a equipa
C, composta pelas alunas Carla Azevedo,
Carolina Bettencourt e
Natalina Bettencourt, e
em terceiro lugar ficou
a equipa D, composta
pelos alunos Luís Mota,
Olegário Sousa e João
Mota.
Ao João Leonardo
(responsável pelo cronometragem dos tempos
de resposta) e a todos
os alunos que participaram e se empenharam de forma digna no
desenvolvimento desta
actividade, um MUITO
OBRIGADO.
Os coordenadores:
Madalena Correia e Luís
Figueiredo
alunos: Rafael Pereira, Edite Ferreira, Ricardo Lario e Irene
Leonardes.
Os professores para quem o adeus tem sido mais difícil, pois
a sua entrega e paixão aos alunos e aos seus projectos ultrapassou a vontade de partir. Mas a vida tocou à campainha e avisou
que estava na hora da encostar a outro porto:
Professor Alexandre, agradeço em nome da escola, a entrega
e a dedicação que revelaste ao proporcionar a saída de lindas
melodias e sons fantásticos dos nossos alunos.
Professora Leonor, agradecemos a entrega e capacidade de
trabalho que revelaste, bem como o empenho em levar o nome
da escola o mais longe possível.
Trouxeste a História contigo, mas fizeste história cá e queremos que leves a nossa história contigo! Fizeste diferença e
muitos por cá te recordarão com saudade.
(Continua pág.18)
FICHA TÉCNICA
Produção da equipa de Jornalismo da EBI de Vila do Topo
Rua de Santo António -Topo
Telef: 295415282
email: [email protected]
EQUIPA DE TRABALHO
Edite Ferreira; Helena Simões;
Madalena Correia; Pedro Alves;
Rafael Pereira; Tânia Aguiar.
JUNHO DE 2009
150 EXEMPLARES
Pág. 3
ESPECTÁCULO “ECOS DA ALMA”
No passado dia 13 de Junho realizou-se, Infantil da EBI da Vila do Topo.
na Igreja Matriz da Calheta, um Espectá-
De salientar que houve uma grande aflu- corporalidade.
culo de Expressão Dramática e Corporal, ência e interacção por parte do público,
intitulado “Ecos da Alma”.
O grande objectivo foi demonstrar que
que ofereceu muitos elogios a todos os a Igreja, sendo uma estrutura bonita, com
Esta iniciativa partiu do grupo de Acção intervenientes.
Cultural da Sociedade Estímulo, tendo par-
sentimento e paixão, ao nível da Dança e
um ambiente repleto de misticismo e es-
Mais uma vez, os alunos da EBI da Vila piritualidade, também pode ser um palco,
ticipado diversos convidados, tais como, do Topo constituíram o momento alto do no qual as ideias, movimentos e conceitos
o núcleo de Dança da Calheta, o Clube de espectáculo, demonstrando um trabalho ganham vida.
A Docente Rita Ávila
Expressão Dramática e Corporal e o Coro de qualidade, com muita expressividade,
CELEBRAÇÃO PASCAL
No dia três de Abril, do corrente ano, pe- de-Infância Bem-me-quer foram convidados
las dez e trinta, na Igreja de São Francisco, a participar na celebração.
teve lugar mais uma celebração da paixão
do nosso amigo Jesus.
Todos os intervenientes estão de parabéns pelo envolvimento e dedicação de-
Tivemos projecções, dança, leituras e monstrados ao longo da preparação desta
dramatizações. A componente musical foi celebração.
Para comemorar este acontecimento, a abrilhantada por um grupo de alunos desta
comunidade escolar e os alunos do Jardim- escola.
A Docente Irene Leonardes
Pág. 4
PROJECTO CONECTANDO MUNDOS
Nós somos a turma A do 9º ano da Escola neste planeta que cada vez precisa mais de demoram 5 anos;
Básica Integrada da Vila do Topo e participá- nós.
A madeira demora 13 anos;
mos num projecto denominado “Conectando
Os sacos de plástico ficam na natureza
Mundos”.
Para tal, não devemos abandonar o lixo
em lugares inapropriados, como é o caso por 450 anos.
Este projecto, intitulado de “Todos para o das pastagens, caminhos, canadas, ribeiras,
Este projecto decorreu no período de 13
Mundo, o Mundo para Todos”, consiste em etc.
de Outubro a 31 de Maio de 2009, na dis-
observar, alertar e contribuir para a melhoria
ciplina de Geografia.
do ambiente quer local quer global.
Relembramos que :
O papel demora 3 a 6 meses para se
No âmbito deste trabalho, tivemos como decompor;
missão cívica alertar a nossa comunidade
O tecido demora de 6 meses a 1 ano;
para a importância do seu pequeno gesto
O filtro de cigarro e a pastilha elástica
A turma do 9º Ano
DIA MUNDIAL DA TERRA 2009
AS CORES DO GLOBO
sociedade e no ambiente.
Deste modo comemorou-se, no passado
dia 22 de Abril, o Dia Mundial da Terra.
Os participantes nesta actividade foram os
alunos do segundo ano de escolaridade e
os alunos do Clube Eco-Escola.
Debateu-se com os alunos a forma e variedade de cores que o planeta Terra apresenta,
e realizou-se um teatro de sombras.
A peça representada sugeria que o Homem, ao colocar os resíduos em locais impróprios, poderia interagir negativamente
Um dos intentos de qualquer instituição com o meio natural.
de educação é o de aumentar a consciencialização dos nossos jovens a seguir atitudes
No final, para colorir mais os festejos,
inerentes a hábitos que contribuem para a os alunos efectuaram pequenas tatuagens
valorização do património natural, nomea- corporais, e desenharam os seus animais ou
damente, responsabilizando-se em relação paisagens preferidas do planeta Terra.
à sua própria segurança e à dos outros e
avaliando o impacto das suas atitudes na
Departamento de Matemática, Ciências
e Tecnologia
Pág. 5
DIA INTERNACIONAL DA BIODIVERSIDADE BIOLÓGICA
DE PEQUENINO É QUE SE TORCE O PEPINO
A familiaridade com a consciência ambiental deve começar desde as idades mais baixas. Para as crianças do
ensino pré-escolar, não se deve tratar de ensinar educação ambiental, no sentido convencional, mas sim de despertar a curiosidade, o gosto de sentido de observação do mundo à nossa volta.
Criado em 1993 pelas Nações Unidas, o a consciencialização de todos nós relativa-
Tiveram ainda a oportunidade de observar
Dia Internacional da Diversidade Biológica mente aos problemas que a biodiversidade o vermicompostor.
visa chamar a atenção para a importância enfrenta actualmente, foi comemorado este
da conservação da biodiversidade.
Com efeito, entre 40 e 70% das espécies os alunos do pré-escolar.
de interesse continuam a exibir um estado
Com o apoio de cartolinas reconheceram
dia com os mais pequenos da nossa escola, os alimentos que se devem ou não colocar
num vermicompostor.
Os alunos assistiram ao teatro de fantoches
desfavorável de conservação para além da “ A montanha e o pintassilgo” e no final
tendência de declínio de habitats e do risco reconheceram a importância de não colocar
associado às zonas florestais.
resíduos no chão com vista à protecção de
Deste modo, e com o intuito de promover espécies.
As Docentes Lara Duarte e Vanda
Serpa
VISITA DE ESTUDO À SANTA CATARINA,
INDÚSTRIA CONSERVEIRA, LDA.
E todo este convívio influencia o processo da empresa.
de aprendizagem.
A visita de estudo terminou com a ida a
Os alunos foram, inicialmente, recebidos pé até ao Porto da Calheta, onde ocorre o
pelos administradores e cada um recebeu o desembarque do pescado e por fim tomaram
equipamento necessário para a manutenção o seu lanche bem merecido.
da higiene no interior da fábrica.
De seguida, acompanhados por um guia,
os alunos foram visitar as várias fases de
fabrico da matéria-prima.
Muito mais que abrir as portas da fábrica, para que os alunos do 8º ano e SPPI
conhecessem o processo de fabricação de
Uma grande vantagem das visitas de conservas, a Visita à Conserveira contribuiu
estudo é o convívio entre alunos e profes- para a formação da consciência ecológica
sores.
da nova geração, bem como dos problemas
Descobrem-se personalidades, desco- que provêm do fecho desta indústria.
brem-se características que não são perceptíveis dentro de quatro paredes.
Deste modo, nesta visita, privilegiou-se
o contacto dos alunos com os trabalhadores
Os Docentes Luís Timóteo e Vanda
Serpa
Pág. 6
OFICINAS DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS
Neste terceiro período, nas duas Ofi- com. Com esta actividade, que se foi desen- constante, o que se revelou extremamente
cinas de Línguas Estrangeiras, os alunos rolando ao longo do ano, as alunas desenvol- motivador e empreendedor para as nossas
continuaram a desenvolver actividades veram as suas competências linguísticas e, jovens alunas.
relacionadas com a cultura estrangeira, ao mesmo tempo, conseguiram apreender e
Os alunos do 1º e 2º ciclos continuaram a
desenvolvendo e aprofundando os seus aprofundar os seus conhecimentos em rela- desempenhar um papel muito mais lúdico e
conhecimentos na língua.
ção às tecnologias: edição e formatação de directamente direccionado para a motivação
Na oficina de Línguas – 3º ciclo, as alu- texto em Word e Power Point, formatação para a língua estrangeira. Neste período,
nas pesquisaram, fotografaram, escreveram de fotos, criação, visualização e edição de forraram e enfeitaram uma caixa alusiva
e editaram textos relacionados com a sua textos e fotos num blogue. O intercâm- ao tema: Spring, aprendendo o vocabulário
escola no blogue http://[email protected] bio escolar e virtual foi, igualmente, uma relacionado com esta estação.
A Docente Sandra Alves
Pág. 7
CABAZ - Projecto “Foguetão 1234”
No âmbito do projecto de final de ciclo
•
Pechincha
“Foguetão 1234”, o 4º ano de escolaridade
•
Sr. Filipe Cabral – Ribeira Seca
da EBI do Topo agradece aos estabeleci-
•
Firma de Clímaco Ferreira da
•
Sr. Fernando Maximino Reis – Jomar
– Topo
•
Sr. Nelson Brasil
mentos comerciais do Concelho de Calheta Cunha
que muito generosamente contribuíram com
•
Café Alves
géneros alimentícios para o cabaz a sorteado.
•
Padaria Maria de Fátima Brasil
Nomeadamente:
•
ANA – Artur Nascimento Armelim e Inês dos Santos Lemos, aluna do 4º ano.
•
Eurovelas – Calheta
•
Ecapal
A todos Bem-haja!
A feliz contemplada foi a menina Deolinda
Cª Lda.
•
Mini mercado Marques
A Docente Susana Cabral – Prof. Titular
SARAU MULTICULTURAL
A noite do dia 12 de Junho, Sexta-feira,
O sarau foi o culminar do Projecto “Fo- lar desta turma agradecer a todos quantos
foi uma noite muito especial para a turma guetão 1234”, cujo principal objectivo foi participaram nesta iniciativa, muito partido 4º ano da EBI do Topo. Na Sociedade a angariação de fundos para a realização cularmente à loja de pronto-a-vestir – ANA
Recreio dos Lavradores, em Santo Antão, uma visita de estudo à vizinha ilha do Pico. – Artur Nascimento Armelim, Meta Store
pelas 21h e 30m deu-se início ao sarau Assim, realizaram-se bingos e arrematações, em Velas, cabeleireira Diana Machado, Sr.
multicultural preparado pelo Conselho de à boa maneira do Topo, pelo Sr. Manuel Honorato e conjunto Asas do Ilhéu, BomTurma deste ano.
Brasil e ao longo da noite o nosso sonho beiros Voluntários da Calheta e Sociedade
A festa foi abrilhantada pelos alunos e foi ganhando peso….
professores e alguns elementos de outros
Recreio dos Lavradores em Santo Antão e
As 130 cadeiras do salão foram preen- um obrigado muito especialíssimo aos pro-
anos que a nós se quiseram juntar, nesta chidas pelos pais e familiares dos alunos e fessores do Conselho de Turma do 4º ano!
iniciativa de alegria e divulgação cultural. população em geral que também participou
Apresentaram-se canções, danças, dra- com a sua presença entusiasmada, gerandomatizações e um desfile de moda de fazer se um clima de bom convívio entre todos.
inveja a muitas passerelles nacionais!
A Docente Susana Cabral – Prof. Titular
Cabe-me a mim, como Professora Titu- do 4º ano
Pág. 8
VISITA DE ESTUDO À ILHA DO
PICO - TURMA DO 4º ANO
No dia 19 de Junho, a turma do 4º ano piscinas de Santo António, onde os alunos um bronzeado lindíssimo e com o coração
regressou da ilha do Pico, após uma visita se deliciaram a nadar e a chapinhar.
de estudo de 3 dias, que foi o final do projecto “Foguetão 1234”.
cheio de saudades desta ilha que tão bem
A turma foi amavelmente recebida na nos acolheu.
Sociedade Liberdade do Cais do Pico, onde
Todos os alunos adoraram esta visita
Durante a visita de estudo, os dez alunos, pernoitaram e tomaram as refeições em de estudo e viram da melhor maneira ser
acompanhados de dois professores, cum- diversos restaurantes da ilha.
priram na íntegra o planificado, visitando
os 3 conselhos da ilha do Pico: S. Roque, dora, onde além de passeios e visitas aos
Madalena e Lajes.
recompensado o seu trabalho de 2 anos de
Foi uma experiência deveras enriquece- projecto.
Muitos parabéns a todos e um obrigado
museus também houve tempo para a alegria bem especial ao docente José Ávila, antigo
Os locais visitados foram: Paisagem da e convívio saudável entre os alunos e pro- professor desta turma, que nos recebeu de
vinha da UNESCO, Montanha do Pico fessores que agora se despedem da melhor braços abertos e com muita simpatia.
(casa da Montanha), Museu do Baleeiro e maneira deste 4ºano e partem à descoberta
Museu da Indústria Baleeira, observação de novos desafios.
de baleias e golfinhos (Espaço Thalassa) e
PROJECTO TERMINAL DE CICLO -4º
Regressámos cheios de recordações, com ANO “FOGUETÃO 1234”
Pal est r a
“OS ÚLTIMOS CALHAUS A CONTAR DO SOL”
No passado dia 16, no âmbito das comemorações do Ano Internacional da Astronomia, realizou-se, no auditório da escola, uma palestra intitulada “Os últimos calhaus a contar do Sol”, por Nuno Peixinho Miguel do Centro de Física Computacional e Observatório Astronómico da Universidade de Coimbra.
O Sistema Solar está repleto de pequenos
A sua surpreendente descoberta em 1992
corpos muito difíceis de observar devido, abriu uma nova janela para as Ciências Plaprecisamente, às suas pequenas dimensões, netárias. Em apenas 17 anos identificaram-se
com nomes mais ou menos exóticos e de mais de 1300 destes objectos e “perdeu-se”
difícil pronunciação.
São, porém, esses mesmos pequenos
um planeta.
Nesta palestra, que envolveu os alunos
corpos que poderão atingir a Terra e trazer dos 2º e 3º ciclos, falou-se um pouco sobre
consequências catastróficas.
quem são estes distantes objectos, como
Para além da órbita de Neptuno, existe foram descobertos, de que são feitos, como
uma vasta população de pequenos corpos evoluem, e quais os mais importantes mégelados chamada de Cintura de Kuiper.
todos do seu estudo.
Especulou-se sobre a sua existência na primeira metade do século XX, mas o assunto
acabou por cair no esquecimento.
Departamento de Matemática, Ciências
e Tecnologia
Pág. 9
9º Concurso Nacional Poster Eco – Código 2009
TRABALHO ENVIADO PELA EBI DA VILA DO TOPO
O Concurso Nacional Eco – Código pretende estimular a participação e a criatividade dos jovens envolvidos no Programa Eco – Escolas. O Eco – Estudante deverá conseguir identificar um conjunto de atitudes e comportamentos conducentes à melhoria do ambiente na escola, em casa e na sua região.
gelo das regiões polares, na subida do nível os animais não matar.
do mar, e, nomeadamente, nos resultados
VI. A torneira vou fechar para a água
catastróficos para as localidades que vivem poupar.
junto à costa, sentimo-nos mais sensibili-
VII. Painéis solares queríamos comprar,
zados para este tema, visto que residimos para o petróleo não usar.
em ilhas.
VIII.Vamos energia poupar, para a Terra
Assim, julgamos interessante enviar as salvar.
nossas mensagens, que reflectem as nossas
IX. A nossa ilha vamos limpar, para aqui
atitudes/comportamentos a alterar,em rela- continuar.
ção a uma das espécies que sofre directa-
X. Finalmente de bicicleta vou mais
andar, para do planeta Terra cuidar!
mente com o degelo, o pinguim.
A escola do Topo vai mandar mensagens,
No desenho do título, tentamos identificar
por garrafa, pelo mar, aos pinguins do Sul, todos os temas por nós trabalhados, como:
O Eco – Código, construído pelo nosso para a Terra ajudar.
clube, pretendeu expressar os nossos objec-
I.
desertificação, efeito de estufa, degelo, subi-
Vou colocar os resíduos no ecoponto, da do nível médio da água do mar, incêndios,
tivos, traduzidos por acções concretas, que e mais que agora vos conto!
todos os membros da nossa escola deverão
seguir.
A ideia geral, para este trabalho, foi se-
desflorestação, perda de habitats, poluição
II. Reduzir ao comprar e assim ajudo a atmosférica, poluição dos solos (através
dos resíduos) e da água (derramamento de
economizar.
III. O mais possível reutilizar, e deste petróleo).
leccionada, após um pequeno concurso de modo não vou desperdiçar.
temas, entre os alunos.
IV. Vou colocar as pilhas no pilhão, para
Tendo consciência do impacto das acções diminuir a poluição.
antrópicas, directa e indirectamente, no de-
V. Na escola árvores vou plantar, para
Clube Eco - Escola
À DESCOBERTA DO TOPO
No âmbito do projecto “À Descoberta do Topo”, a turma
do 5ºano A, efectuou uma visita de estudo à Ponta do Topo,
onde se proporcionou o contacto com espécies endémicas,
assim como o uso de GPS para marcar o trilho, a noção de
escala em mapas bem como a sensibilização para os problemas do ambiente.
Os Docentes Miguel Correia e Pedro Alves
Pág.12
SESSÃO SOBRE PLANEAMENTO FAMILIAR
No passado dia 09 de Junho, realizou-se
Na sessão, abordaram-se temas como familiar e aprofundar conhecimentos rela-
na escola uma sessão sobre o planeamento o sistema reprodutor humano; gravidez e tivos à gravidez.
familiar, no âmbito do Projecto de Educa- métodos contraceptivos, com o intuito de
ção Sexual.
incutir nos alunos a necessidade de adop-
A actividade, dinamizada pelos enfer- tar comportamentos informados e responmeiros Cristina Santos e Tony Vieira, diri- sáveis relativamente à contracepção, comgiu-se aos alunos do 9.º A e SPP I.
A Docente Ana Paiva – Coordenadora
preender a importância do planeamento do Projecto de Educação Sexual
SESSÃO DE PREVENÇÃO DE LESÕES NO EXERCÍCIO
FÍSICO
No passado dia 21 de Maio, realizouse, na escola, uma sessão de Prevenção de
Lesões no Exercício Físico, no âmbito do
Projecto de Educação Sexual.
A actividade, dinamizada pelo fisioterapeuta Hélio Borba, foi dividida em cinco
sessões de 45 minutos e dirigiu-se a todos
os alunos dos 2.º e 3.º Ciclos.
As sessões basearam-se na prevenção,
identificação e tratamento de lesões e foram pautadas pela constante interacção
orador-alunos.
A Docente Ana Paiva – Coordenadora
do Projecto de Educação Sexual
Pág.13
HIPOWERPOP EM MOVIMENTO…
HiPowerPop no Auditório de Velas
com diversos convidados, tais como o grupo todos iguais”. Através de diversos estilos
HiPowerPop do Clube Desportivo Escolar musicais, culturas e etnias, demonstrou-se
do Topo, o grupo de Hip Hop MaStyle do que a Dança é para todos, pois, tal como
ginásio MasoGym, o núcleo de Dança do estes alunos demonstraram, a biologia só
C.A.O. (Centro de Actividades Ocupa- identificou uma raça: a raça humana. Para
cionais) e do Grupo de Acção Cultural da confirmar tudo isto, no final da coreografia,
Sociedade Estímulo.
HiPowerPop e C.A.O. juntaram-se para
O grande objectivo foi demonstrar que a dançar em conjunto, num espírito de cooMúsica, a Dança e a Poesia são elementos peração, união e superação. Foi de facto um
que constituem a palavra ARTE, podendo momento emotivo e que comoveu o nosso
interagir de forma dinâmica e harmoniosa. público.
No passado dia 23 de Abril decorreu no Especificamente através do nosso grupo
Com este espectáculo, pudemos confir-
Auditório de Velas um Espectáculo intitu- HiPowerPop e do núcleo do C.A.O, cons- mar que a arte é a expressão que liga todos
lado “Expressões D’Arte”, tendo contado truiu-se a mensagem: “Todos diferentes, nós!
A Docente Rita Ávila
HiPowerPop na Ilha da Graciosa
O Grupo HiPowerPop do Clube Despor- usufruir de diversas actividades lúdicas, coreografia de hip hop repleta de movimentivo Escolar do Topo viajou rumo à Ilha tais como Peddy-paper - Conhecer a ilha to, magia e energia.
Graciosa, acompanhado pelos Professores Graciosa, Corrida de Carrinhos de Esferas,
O público presente demonstrou-se bas-
Rita Ávila e Ricardo Lario, de 27 de Maio e, mais especificamente, danças de diversos tante efusivo e afectuoso, fazendo grandes
a 1 de Junho, integrando o ENCONTRO países - República Dominicana, Rússia, elogios à nossa prestação.
REGIONAL DE CLUBES DESPORTIVOS Portugal, França, México e EUA.
Tudo isto vem demonstrar que o Grupo
O nosso núcleo de Hip Hop foi convidado HiPowerPop está em constante movimento,
ESCOLARES, núcleos de Actividades
Rítmicas Expressivas de diversas ilhas do a dançar na cerimónia de abertura, com a rodopiando para um trabalho cada vez mais
Arquipélago dos Açores.
temática “Racismo Não”, tendo actuado interessante e inovador.
Os alunos tiveram a oportunidade de também na noite de encerramento com uma
ACTUAÇÕES PREVISTAS DO GRUPO HIPOWERPOP DO CLUBE DESPORTIVO ESCOLAR DO TOPO:
- Dia 20 de Junho (Sábado): Escola Básica e Secundária da Calheta
- Dia 21 de Junho (Domingo): Fajã de S.João
- Dia 27 de Junho (Sábado): Jardim Infantil “O Golfinho” - Calheta
- Dia 3 de Julho (Sexta-feira): Semana Cultural - Velas
- Dia 10 de Julho (Sexta-feira): Feira do Gado - Calheta
- Dia 11 de Julho (Sábado): Espectáculo “Sensações” - Auditório de Velas
- Dia 1 de Agosto (Sábado): Festas de S.Roque do Pico
A Docente Rita Ávila
Pág.14
Homenagem aos Professores Vasco Pinto e Rita Ávila
Este departamento sentirá muita falta dade. Deixando marcas e registos que di-
Bem Hajam! Sejam felizes e façam al-
destes professores que se dedicaram de ficilmente se vão esquecer. Obrigado pelo guém feliz.
Departamento de Expressões
corpo e alma a esta escola e à sua comuni- vosso empenho, dedicação e cooperação.
SEGUNDO CONVÍVIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA
Na anterior edição não foram apresentadas fotos do 2º convívio de Educação Física.
Aqui estão algumas fotos. É de relembrar que este convívio
realizou-se dia 20 de Março.
TERCEIRO CONVÍVIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA
No dia 18 de Junho, realizou-se o 3º
Convívio de Educação Física.
Participaram as turmas do Pré-esco-
As actividades foram divididas por 2 resse, muito empenho e animação.
grupos, 1º Ciclo e a Pré.
E, como não podia deixar de ser, todos
Actividades da Pré: Jogo do lencinho; terminaram na piscina com actividades
lar (da EBI do Topo e Jardim de Infância percurso pela natureza; transportar bolas aquáticas que muitos não irão esquecer.
“Bem me quer” de Santo Antão) e as tur- com a palma da mão sem deixar cair e
mas de 1º, 2º e 3º anos da EBI do Topo.
O convívio teve início pela parte da ma-
jogo da “macaca”.
Revelamos ainda a existência de professores corajosos que não resistiram a uns
Actividades do 1º Ciclo: Estafetas com mergulhos.
nhã e terminou pelas 12h30 com o regres- subida inclinada e largar a bola desde um
so à escola para o respectivo almoço.
ponto predeterminado; corrida de sacos
Tal como previsto, embora o tempo nos com lançamentos de precisão a um cone e
tenha preparado uma surpresa, as activi- prova de orientação.
dades decorreram bem.
As crianças demonstraram muito inte-
Os Docentes Pedro Alves e Vasco
Pinto
Pág.15
XI ENCONTRO REGIONAL DE
MINI - VOLEIBOL
O Clube Desportivo Escolar do Topo mação retirada do site da Associação de saborosos como os do “Maurício”. Houve
participou no XI Encontro Regional Mini- Voleibol de S. Miguel), com representação tempo também para ver um filme no cineVoleibol, realizado em Ponta Delgada (São de todas as ilhas, com excepção da ilha do ma, jogar bilhar, matraquilhos...
Miguel).
A nossa comitiva representou da melhor
Corvo.
Convivemos com outras comitivas par-
Fora da competição, o comportamen- ticipantes, a nossa vizinha Calheta, repre-
forma a nossa Escola, ficando no 2º Lugar to dos nossos atletas foi de louvar. Apro- sentado pelo Futebol Clube Calheta.
na Série Rubi.
veitaram para fazer compras, um passeio
Muitos Parabéns à nossa Equipa!!!
Este encontro teve um recorde de par- nocturno pela cidade de Ponta Delgada, e
ticipação, quase 200 participantes (infor- ainda saborearam uns cachorros, quase tão
O Docente Pedro Alves
SUDOKU
Preenche a grelha com algarismos de 1 a 9, sem nunca os repetires na mesma linha ou na mesma coluna.
És um jovem aventureiro, do 2.º ou do 3.º Ciclos, sem nada para fazer no próximo
dia 30 de Junho? Sim?!? Não desesperes! Forma uma equipa de três elementos e participa na “Caça ao Tesouro”, uma actividade matemática, onde só os neurónios mais
fortes sobreviverão… ou não!!!
Departamento de Matemática,
Ciências e Tecnologias
SOLUÇÃO
Pág.16
EM ACÇÃO...
JOVENS LEITORES / PEQUENOS ESCRITORES
INTERCÂMBIO POR CORRESPONDÊNCIA
Salut à tous!
Nous avons adoré cette expérience par- changeons aussi des photos et des cartes
L’année scolaire est presque à terminer. ce que nous avons connu des jeunes fran- postales. C’est très émouvant!!
Et avant de partir en vacances, nous vou- çais de notre âge et nous avons augmenté
lons vous parler de notre échange scolai- nos compétences en langue française.
re par correspondance. Cette année nous
Nous avons commencé par des petites
avons correspondu avec une classe du lettres
Nous vous souhaitons de très BONNES
VACANCES!
Voilà quelques lettres que nous allons
de présentation et, maintenant, envoyer cette semaine:
collège Jacques Prévert en France. Il a été nous parlons déjà de notre île, nos habitrès amusant!
Turma do 7º Ano
tudes, notre routine, nos loisirs, etc. Nous
A Imortalidade da Sátira de Gil Vicente
As peças de teatro do considerado utilizada por cada um.
“Pai do Teatro Português”, Gil Vicente,
os mais desagradáveis), e que todos nós,
A realidade é que esta expressão não se antes de criticarmos o próximo devíamos
tinham como fundamento a frase ridendo adequa apenas ao teatro Vicentino. Exem- olhar para nós mesmos. Ou então, satiri-
castigat mores – a rir se criticam os costu- plos disso são as anedotas, que fazendo zar «à maneira de antigamente, tipo Gil
mes – propondo-se a fazer rir através dos rir, por vezes o próprio criticado, mostram Vicente»!
defeitos (e algumas qualidades) de cada muitas das vezes a verdade. Penso que as
classe social ou profissão, servindo-se de pessoas na sua vida deviam aprender com
símbolos caracterizadores e da linguagem os comentários a si dirigidos (até mesmo
Isabel Silva, 9º Ano
Pág.17
Se eu fosse um livro
Se eu fosse um livro, seria gran- e divertida!!!!
de e todo colorido, estaria na mon-
para outro sítio e ser lido dia após
Teria poesia sobre animais, pes- dia!
tra de uma papelaria, para toda a soas e muito mais!!!
gente me poder ver, entrar apreciar
a minha beleza.
Seria um livro de poesia alegre
Também teria desenhos de muitas cores!
E um dia sonhava ser levado
Marina Correia, 4º Ano
Se eu fosse um livro, gostava,
De pôr todos a rir,
Para animar todas as crianças
Com um palhaço que lá estava,
Ao lerem-me no dia-a-dia,
Sempre a sorrir!
Ao encherem os seus corações de esperanças,
Também podia ser de Banda Desenhada,
De imaginação e alegria!
Com uma história engraçada,
Ou de aventuras e contos,
Diogo Teixeira, 4º Ano
Com bonecos e monstros.
Seria um livro de conto de fadas.
Talvez um dragão
Ou uma princesa
Contaria histórias magníficas
E uma bruxa com um caldeirão
Às crianças diferentes
Ou até uma duquesa.
Ou a crianças pacíficas
Para vê -las contentes.
Bem agora vão-me fechar
Para o menino
Teria personagens
Se ir deitar
De outros países
Adeus que eu vos vou deixar.
Com umas paisagens
Com muitas perdizes.
Deolinda Lemos, 4º Ano
A vida de um livro
Eu sou um pequeno livro, estou dias e co vezes maior do que eu pensava, até va todos os dias, fechou-me dentro de um
dias, nesta estante no quarto do Miguel me feri, tive de estar de repouso quinze saco preto, e eu aí, apercebi-me que estava
sem ninguém me ler. Ele nem se lembra semanas…mas essas semanas foram as prestes a ir para o lixo. Pôs-me na rua, esde mim. Por vezes, fico contente porque melhores da minha vida. Estive em cima tive lá ao frio uma tarde. À noite, passou
vem uma menina arrumar o quarto do Mi- da mesa da sala a ver televisão e a comer um grande carro que agarrou no meu saco
guel…um quarto muito lindo e cheio de chocolates. Ao fim das quinze semanas, a e meteu-me numa lixeira, ao frio e à chuva
brinquedos. Essa menina é muito bonita e irmã mais nova de Miguel, Mara, ia a pas- onde estou à espera de me decompor.
canta muito bem. Sempre que me limpa sar perto da mesa da sala e eu chamei-lhe
Que saudade que eu tenho da mi-
com aquela coisa de várias cores, faz-me atenção (com o meu charme), pegou-me nha casa, da minha estante, das cócegas,
cócegas. Eu, às vezes, tento falar com ela, e levou-me para o seu quarto maravilho- daquele barulho todo das crianças, até da
mas não sei porque não me responde… so. Leu-me uma vez e folheou-me, não sei minha solidão…ao menos podiam-me ter
não sei se ela me ouve!
quantas vezes. Ao fim de umas semanas, posto para reciclar, podia ser que agora
No outro dia, enviei-me para o chão ela atirou-me para um caixote. Eu, por mo- fosse um novo e lindo objecto.
porque precisava de atenção. Pensei que mentos, pensei que ia para o sótão mas dea estante era mais baixa, mas ela era cin- pois, aquela menina bonita que me limpa-
Natalina Bettencourt, 9º Ano
DIA MUNDIAL DA CRIANÇA
Como já vem sendo tradição, a Escola o convívio que durou todo o dia.
festejou uma vez mais o Dia da Criança.
Pág.10
tiram um são convívio entre todos, que
As actividades proporcionadas foram perdurará durante muito tempo em agra-
Foi no passado 29 de Maio que todos os as mais diversas: jogos tradicionais, mer- dáveis memórias.
alunos, professores e assistentes operacio- gulho e natação, percursos de orientação
nais caminharam até à Ponta do Topo para e um painel de mensagens. Estas permi-
CLUBE ECO - ESCOLA
No Dia da Criança, o Clube Eco- – quedas (construídos no clube), assim xe, criado no Clube, e ainda usaram lupas
Escola proporcionou momentos de ciên- como, diversas pinturas com tintas natu- para observar diversos animais em micro
cia viva, onde os alunos puderam fazer rais e em material reutilizável. Para além sistemas vivos.
várias experiências, como a concentração destas actividades, os alunos estiveram a
de raios solares, efeitos de aerodinâmica observar várias espécies de aves e diveratravés do lançamento de diversos pára- tiram-se com um jogo da apanha do pei-
Clube Eco-Escola
CRIANÇAS EMBELEZAM MURAL
Associado às comemorações do Dia os membros da comunidade escolar do mural foi devidamente guardado para ser
Internacional da Criança, o Departamen- Topo deram largas à imaginação, regis- integrado numa exposição da responsabito de Língua Portuguesa promoveu uma tando mensagens alusivas às crianças. Ao lidade da Câmara Municipal da Calheta.
actividade de registo de ideias e opiniões longo do dia, frases curtas ou mais longas,
sobre este dia. O mural, de papel de cená- desenhos, deram corpo às mensagens que
rio, esteve exposto, no dia 29 de Maio, na perpetuam os ideais destes homens e deszona balnear da Pontinha, altura em que tas mulheres de amanhã. Posteriormente, o
Departamento de Língua Portuguesa
Pág.11
EDUCAÇÃO FÍSICA
O Departamento de Expressão também tas actividades tiveram uma grande par- desenvolvimento das crianças.
quis participar nas Comemorações do Dia ticipação e animação não só dos alunos,
da Criança com algumas actividades ao ar mas também dos professores de outras
livre: Jogos Tradicionais (tracção à corda áreas que ajudaram à festa. É papel desem linha, jogo do “Terra/Mar”, corrida de te Departamento relembrar a importância
sacos...) e uma Prova de Orientação. Es- da actividade física para o bom e saudável
O Docente Pedro Alves
Pág.18
(CONT) EDITORIAL
Professora Rita, há gestos que valem também te marcou.
mais do que mil palavras, e eu sei que os
Professor Vasco, não é por acaso que te
de entrega.
O teu nome fará eco durante muito tem-
alunos desta escola saberão agradecer-te menciono em último, mas é também por- po nestes corredores, nestas salas, gabineem gestos melhor do que eu em palavras, que se torna difícil escrever sobre a tua tes, campos desportivos …
nesta hora da partida.
saída desta escola; provavelmente porque
Presto, aqui, uma singela homenagem,
Chegaste tímida mas com os pés a sal- no fundo sempre achei que não te ias em- por teres feito da bandeira do Topo e da
titar, ansiosos por dar os primeiros passos bora, pois a tua história confunde-se com sua escola a tua própria bandeira, durante
e rodopios… depois, já bastante atrevida, a desta instituição. És e sempre serás uma estes anos em que cá estiveste.
levantaste do solo os alunos desta escola e referência para e nesta escola.
conduziste-os às mais altas piruetas! Con-
O nascimento desta escola foi acompa-
É com um nó na garganta que, em nome
tigo, a dança ganhou novo alento e para ti nhado por ti, de forma mais próxima; to- de toda a escola, desejo que a vida vos
dedicamos este aplauso, pois aqui o espec- dos nós sabemos que não foi um “parto” sorria e relembro o mail da escola para, à
táculo terminou por agora… resta a espe- fácil, mas foi bem sucedido. E, hoje, es- boa maneira tecnológica, nos mantermos
rança que na nova temporada o pano volte tou certa que te orgulhas da forma como em contacto: [email protected].pt.
a abrir e que os corpos voltem a rodopiar esta “filha” foi crescendo.
ao toque de sons híbridos e profundos.
Houve altos e baixos…houve avanços e
Deixas uma marca na história desta ins- recuos … houve choros e risos, mas houve
Até sempre, a vossa amiga Ana Bela
tituição, mas estou em crer que esta escola sobretudo muita dedicação e capacidade Oliveira
Pensamentos Finais
O fim do ano está a chegar. Ponho-me a Para os crentes só Deus sabe.
pensar nas pessoas que conheci, nas coisas
que aprendi, no que me tornei...
Na televisão, ouço falar da importância
de deixar marcas da nossa existência.
Mas não me querendo comparar com
Deus, um dia eu também saberei.
partir do segundo ciclo, foram tantos...
Os meus amigos, também eles foram
importantes para mim: mostraram-me o
Não quero nem vou esquecer, as pa- valor incalculável de uma verdadeira amilavras duras e frias que queimam como zade; os meus pais, a minha irmã, a madri-
Para os outros talvez elas não sejam vi- fogo, nem os erros cometidos pois com nha Ângela e o avô, que sempre me apoiasíveis, mas em mim nunca esquecerei os eles aprenderei.
momentos em que descobri que a vida é
No meio desta conversa (escrita), lem-
uma selva, e que a lei da sobrevivência é o brei-me agora da minha professora primátrabalho, a dedicação e o carinho.
ram e me deram o melhor que podiam.
A todos OBRIGADO!
Porque foram vocês que me fizeram
ria, a professora Susana Cabral, que sem- sentir que talvez a minha vida não seja tão
Não sei o que vai acontecer depois de pre nos educou com sabedoria para sermos insignificante, nem eu tão invisível.
amanhã, mas quem faz o amanhã sou eu! pessoas melhores e com o seu sorriso enNão importa que me digam que eu nunca cantador fez-me querer ser mais.
irei conseguir, que sou uma perda de tem-
Nada será assim tão mau, desde que tenha ao meu lado as pessoas que adoro!
Não quero esquecer os outros que me
po. Pode ser que tenham razão... ou não. acompanharam no percurso escolar, mas a
Isabel Silva, 9º Ano
Pág.19
ONDE TUDO COMEÇOU
Meus queridos alunos…
adequado, mostrando à comunidade que a MENTE na cara de cada um deles…
Foi há quatro anos atrás que tudo come- Escola do Topo afinal até GOSTAVA de
çou …
Eu adoro vê-los DANÇAR!
dançar! As demonstrações coreográficas
Primeiramente, instalaram-se sentimen- ao público tornaram-se mais organizadas,
Aqui no Topo foi onde tudo começou,
tos de confusão, de expectativa, de curio- mais apelativas. Todos tinham curiosidade mas onde nada termina…
sidade… Afinal, o que era a Dança??!!
em ver os alunos a agitarem alegremen-
No meio de pensamentos “a dança é só te o seu corpo de acordo com as músicas
A mim resta-me fechar os olhos e ima-
para raparigas”, de muitos alunos que não cuidadosamente escolhidas… um sorrisi- giná-los a rodopiar, tal como o faziam, mal
realizavam as aulas, por vergonha ou ti- nho aqui, um sorrisinho ali, mas sempre a eu pusesse a aparelhagem a funcionar.
midez (ou até por falta de jeito), iniciou- medo… afinal, para eles, naquela altura,
se uma pequena revolução! Afinal, mexer dançar ainda não era sorrir sem pensar em
Para terminar, gostaria de deixar aqui
o corpo até era engraçado, e fazê-lo com mais nada. Porque havia sempre o “1 2 3 registado: Não sei bem porquê, mas semmúsicas actuais ainda melhor!!! A partir 4 / 5 6 7 8” e os passos decorados não po- pre tive a mania de perguntar VÁRIAS
VEZES a cada um dos meus alunos “O
daqui iniciou-se um novo ciclo: conseguir diam falhar no tempo correcto.
mexer o corpo e mostrar à comunidade
Passemos à próxima fase: soltar a ex- que é para ti a Dança?”. Eles escreviam
que a Escola do Topo COMEÇAVA a dan- pressividade corporal e facial, sem medos, em folhinhas rasgadas ou ditavam-me. Teçar! Aqui surgiram as pequenas actuações sem receios, sem timidez e provar à co- nho muitos registos destas frases fabulonuma festinha escolar aqui, outra ali… munidade que a Escola do Topo ADORA sas que eles pensavam e diziam.
nada em grande, mas mesmo assim um e SABE dançar!!! As actuações passam a
bocadinho especial.
Sabem que mais? Eu acabei por desco-
ser Espectáculos organizados, com cuida- brir o que para mim era a Dança…
Depois desta fase, nasce outra: mexer dos especiais com a roupa, com a maqui-
Para mim, a Dança é… ser como
o corpo com mais à vontade, mas ainda lhagem, com a projecção de vídeos, com a eles…
com alguma ansiedade, com receio de fa- apresentação de diversos tipos de dança…
A Docente Rita Ávila
zer algum movimento que não fosse tão O SORRISO, esse, é rasgado NATURAL-
Férias
Já não era sem tempo...
Finalmente as férias tão merecidas...
Não queriamos ir sem deixar a nossa previsão do
tempo para todos os leitores...
Uma frente de felicidade
Vai atingir a região sul do seu coração,
No norte chovera alegria e
Nas demais áreas muito amor!!!
´´´¢ /Λ\♥♪♥♥♪♥♥♪♥♪♥♥♪♥♪-- ♥•
´´¢ /.....\♥♪♥♪♥♥♪♥♪♥♥♪♥♪-- ♥♪♥•
´¢ /
۩
_\♥♪♥♪♥♪♥♪♥♪♥♪♥♪- ♪♥•
¢/¨ ۩۞۩ _\´♪♥♪♥♪♥♥♪♥- ♥♪♥♪♥♪♥
¨▓¨.♪♥♥♪.▓♥♪♥♪♥♪♥♪- ♪♥♪♥♪♥♪♥•|
¨▓¨.♪♥♥♪.▓¨
¨¨¨¨-- ¨¨¨¨
¨▓¨.♪♥♥♪.▓¨
¨¨¨¨-- ¨¨¨¨
¨▓¨.♪♥♥♪.▓••••••••- •••••••••••.•••••-- ••••••
¨♥♥======♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥- - ♥♥♥♥♥♥♥
O nosso desejo é que chova muita alegria na vossa
vida e que sejam felizes.
Até Setembro..
FINAL DO ANO LECTIVO
Pág.20