MA13 – Geometria – AV1 – 2014 Quest˜ao 1 [ 2,0 pt ] Considere um

Сomentários

Transcrição

MA13 – Geometria – AV1 – 2014 Quest˜ao 1 [ 2,0 pt ] Considere um
MA13 – Geometria – AV1 – 2014
Questão 1
[ 2,0 pt ]
Considere um paralelogramo ABCD e sejam
• M o centro da circunferência definida pelos vértices A, B e C
• N o centro da circunferência definida pelos vértices B, C e D;
• O o centro da circunferência definida pelos vértices C, D e A;
• P o centro da circunferência definida pelos vértices D, A e B;
com M , N , O e P dois a dois distintos. Nessas condições, e sabendo que ABCD não é um retângulo,
mostre que:
(a) M N OP é um paralelogramo;
(b) M N OP e ABCD possuem ângulos internos iguais.
Solução
(a) Como M é centro de uma circunferência que contém A e B, temos M A ≡ M B, portanto, M pertence à
mediatriz do lado AB. Mas P também é centro de uma circunferência que contém A e B, logo, P também
pertence à mediatriz do lado AB. Assim, M P está contido nesta mediatriz.
Da mesma forma, N e O são centros de circunferências que contêm os pontos C e D, portanto, N e O pertencem
à mediatriz do lado CD, o que implica que o segmento N O está contido nesta mediatriz.
Como ABCD não é um retângulo, as mediatrizes que contêm M P e N O não coincidem. Como os lados AB
e CD são paralelos, suas respectivas mediatrizes também serão. Mas, como os segmentos M P e N O estão
contidos cada um em uma destas duas mediatrizes, eles serão também paralelos. Por argumentação análoga,
M N e OP estão contidos, respectivamente, nas mediatrizes de BC e AD, portanto serão também paralelos.
Isto mostra que M N OP é um paralelogramo.
(b) Denotemos por E e F os pontos médios de AB e BC, respectivamente.
Considerando o quadrilátero M EBF , temos
∠(EBF ) + ∠(BF M ) + ∠(F M E) + ∠(M EB) = 360◦ ,
e, como B F̂ M e M ÊB são retos, temos
∠(ABC) + ∠(F M E) + ∠(EBF ) + ∠(F M E) = 180◦ .
Por outro lado,
∠(ON M ) + ∠(F M E) = ∠(ON M ) + ∠(N M P ) = 180◦ ,
pois ON̂ M e N M̂ P são ângulos suplementares, já que M P e OP são retas paralelas.
Assim, ∠(ABC) = ∠(ON M ), valendo o mesmo para seus congruentes no paralelogramo, isto é, ∠(ADC) =
∠(M P O). Consequentemente, seus suplementares B ĈD, DÂB, N M̂ P e P ÔN serão também congruentes.
Questão 2
[ 2,0 pt ]
Seja ABCD (em ordem) um quadrilátero convexo. Prove que se
∠BDA = ∠ACB
então o quadrilátero é inscritı́vel em um cı́rculo. Verifique, justificando, se a recı́proca é verdadeira.
Solução
Considere o cı́rculo determinado por A, B e C. Vamos provar que D pertence a esta circunferência. Seja D0 a
−−→
interseção (diferente de B) da semirreta BD com a circunferência. Supondo por absurdo que D não pertença à
circunferência, teremos D0 6= D. Com isso, ∠(BD0 A) = ∠(ACB), pois ambos são ângulos inscritos na circunferência
_
e determinam o mesmo arco AB, e, com isso, ∠(BD0 A) = ∠(BDA), pois ∠(BDA) = ∠(ACB) por hipótese.
Caso D esteja entre D0 e B, o ângulo externo AD̂B do triângulo ADD0 seria congruente ao ângulo interno AD̂0 D,
o que é um absurdo. Caso D0 esteja entre D e B, o ângulo externo AD̂0 B seria congruente ao ângulo interno AD̂D0 ,
o que também é um absurdo.
A recı́proca é obviamente verdadeira, pois se ABCD é inscritı́vel em um cı́rculo, os ângulos inscritos B D̂A e AĈB
_
determinarão o mesmo arco AB, portanto, ∠(BDA) = ∠(ACB).
Questão 3
[ 2,0 pt ]
Num cı́rculo, tomam-se um diâmetro AB e uma corda CD, perpendiculares entre si. Sendo E um ponto
qualquer de CD, as retas suportes de AE e BE cortam a circunferência em F e G, respectivamente.
−→
−−→
(a) Prove que a semirreta F A bissecta C F̂ D e que a semirreta GB bissecta C ĜD.
(b) Prove que o quadrilátero CF DG tem dois lados consecutivos na mesma razão que os dois outros.
Solução
(a) Como AB é um diâmetro que intersecta a corda CD perpendicularmente, esta interseção ocorrerá no ponto
médio M de CD. Assim, sendo O o centro do cı́rculo, pelo caso LLL, os triângulos COM e DOM serão
congruentes, e então C ÔA ≡ DÔA.
_
_
Com isso, AC≡AD, portanto os ângulos inscritos que os determinam, C F̂ A e AF̂ D, serão congruentes. Isto
−→
mostra que a semirreta F A intersecta o ângulo C F̂ D.
_
_
Da mesma forma, BC≡BD, logo os ângulos incritos, C ĜB e DĜB, serão congruentes. Isto mostra que a
−−→
semirreta GB intersecta o ângulo C ĜD.
(b) Considerando o triângulo CF D, F E será uma bissetriz interna, portanto
CE
DE
DF
DE
=
∴
=
.
CF
DF
CF
CE
Da mesma forma, no triângulo CGD, GE também será uma bissetriz interna, e então
CE
DE
DG
DE
=
∴
=
.
CG
DG
CG
CE
Assim,
DF
DG
=
.
CF
CG
Questão 4
[ 2,0 pt ]
Dado um triângulo acutângulo ABC de baricentro G, constrói-se os triângulos equiláteros ABD e ACE,
exteriores a ABC, de baricentros H e I, respectivamente.
(a) Mostre que CD ≡ BE.
(b) Mostre que GH ≡ GI.
Solução
(a) Observe que ∠(CAD) = ∠(CAB) + 60◦ = ∠(EAB). Além disso, como AC ≡ AE e AD ≡ AB, pelo caso LAL,
os triângulos ACD e AEB serão congruentes. Com isso, os lados BE e CD serão congruentes.
(b) Sejam M e N pontos médios de AB e AC, respectivamente.
Como
GN =
1
1
BN e IN = EN ,
3
3
e como GN̂ I ≡ B N̂ E, os triângulos BN E e GN I serão semelhantes, de razão de semelhança 31 . Assim,
GI =
1
BE.
3
Analogamente, trabalhando com os triângulos semelhantes CM D e GM H,
GH =
1
CD.
3
Mas, como CD ≡ BE, temos GI = GH, portanto GI ≡ GH.
Questão 5
[ 2,0 pt ]
Seja ABCD um trapézio de base maior AB e base menor CD. Sendo AB = a, CD = c, BC = b, AD = d,
determine a soma dos quadrados das medidas das diagonais AC e BD em função de a, b, c e d. Solução
Sejam por P e Q as projeções ortogonais sobre AB de C e D, respectivamente. Denotemos por m e n as medidas de
P B e AQ, respectivamente, e por h a altura do trapézio, relativa a AB.
Aplicando o Teorema de Pitágoras aos triângulos AP C e BQD, temos
D12 = (a − m)2 + h2 ,
D22 = (a − n)2 + h2 ,
onde D1 e D2 são as medidas das diagonais AC e BD, respectivamente. Por outro lado, aplicando Pitágoras aos
triângulos AQD e BP C,
h2 = d2 − n2 ,
h2 = b2 − m2 ,
logo,
D12 = (a − m)2 + d2 − n2 ,
D22 = (a − n)2 + b2 − m2 .
Somando as duas equações, temos
D12 + D22
=
(a − m)2 + d2 − n2 + (a − n)2 + b2 − m2
=
2a2 − 2am − 2an + b2 + d2
=
2a2 − 2a(m + n) + b2 + d2 .
Como m + n = a − c, temos então
D12 + D22 = 2a2 − 2a(a − c) + d2 + b2 = 2ac + b2 + d2 .

Documentos relacionados

Teorema de Ptolomeu

Teorema de Ptolomeu Teorema: Num quadrilátero qualquer inscrito numa circunferência, a soma dos produtos dos lados opostos é igual ao produto das diagonais. De outro modo: Se A, B, C e D são quatro pontos sobre um...

Leia mais

AVF - MA13 - 2015.1 - Gabarito Quest˜ao 01 [ 2,00 pts ] Mostre que

AVF - MA13 - 2015.1 - Gabarito Quest˜ao 01 [ 2,00 pts ] Mostre que Como P G = DE = BF = 1cm, e como F G = 10cm temos P B = 8cm. E, como DP = EG = 6cm, aplicando o Teorema de Pitágoras ao triângulo DP B, temos BD = 10cm. Além disso, como BG′ = BG = 9cm, temos en...

Leia mais

Baixar Material Teórico

Baixar Material Teórico ¯ que não contém 1. Seja ABC um triângulo equilátero e seja P um ponto sobre o arco BC, A, da circunferência circunscrita ao triângulo ABC. Prove que P A = P B + P C.

Leia mais

GABARITO MA13 - Avaliaç˜ao 1 - 2o semestre

GABARITO MA13 - Avaliaç˜ao 1 - 2o semestre a) (1,0) Mostre que o quadrilátero ABQP é inscritı́vel. b) (1,0) Mostre que os ângulos DÂQ e P B̂C são iguais. Uma solução:

Leia mais

GABARITO MA13 Geometria I - Avaliaç˜ao 3 - 2013/2

GABARITO MA13 Geometria I - Avaliaç˜ao 3 - 2013/2 semelhantes. b) Como os os triângulos CP A e CBE são semelhantes, então os ângulos ACP e ECB são iguais. Assim, são também iguais os arcos subtendidos AD e EB. c) Arcos iguais subtendem cord...

Leia mais

Baixar Exercícios

Baixar Exercícios a, BC = b, CD = c, DA = d, AC = p e BD = q. Vamos marcar o ponto A0 , sobre o arco AD, que não contém C, de forma que DA0 = AB = a e D 0 , sobre o mesmo arco, de forma que AD 0 = CD = c. Agora, v...

Leia mais

Baixar Material Teórico

Baixar Material Teórico 1. Sejam D, E e F os pontos de contato da circunferência inscrita com os lados BC, CA e AB, respectivamente, do triângulo ABC. Prove que AD, BE e CF são concorrentes em um ponto que se chama Pon...

Leia mais