projeto artesanato para a família em benefício da

Сomentários

Transcrição

projeto artesanato para a família em benefício da
1
PROJETO ARTESANATO PARA A FAMÍLIA EM BENEFÍCIO DA EDUCAÇÃO
EMEF ALFREDO DE OLIVEIRA CEZAR – BAIRRO LINHARES
LOCALIDADE: BAIRRO LINHARES
COORDENADORA: PROFª BRUNA LINHATI DE OLIVEIRA
DIRETORA: PROFª ROSANE MOREIRA SCHNEIDER
SÃO PEDRO DO SUL-RS
2011
2
SUMÁRIO
INTRODUÇÃO ...............................................................................................................3
DESENVOLVIMENTO ..................................................................................................4
OBJETIVO GERAL..........................................................................................................4
OBJETIVOS ESPECÍFICOS ..........................................................................................4
METAS .............................................................................................................................4
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ....................................................................................5
METODOLOGIA E CRONOGRAMA ........................................................................... 7
ORÇAMENTO .................................................................................................................8
REFERÊNCIAS ..............................................................................................................8
3
INTRODUÇÃO
Durante este estágio e os anteriores que realizamos dentro da Escola Municipal
Alfredo de Oliveira Cézar, em São Pedro do Sul, pudemos perceber diversos problemas,
alguns bastante comuns, envolvendo aspectos pedagógicos e administrativos, no entanto,
percebemos que um dos maiores problemas encontrados, estava relacionado às condições
econômicas da comunidade escolar. A escola situa-se numa vila bastante carente, onde uma
parte da população, formada inclusive por catadores de lixo, faz uso das refeições
oferecidas semanalmente, por uma associação de caridade além de receber benefícios do
governo federal.
Entendemos que o baixo poder aquisitivo da população afeta o dia-a-dia dos
alunos e das suas famílias. Percebemos isso enquanto estivemos dentro das salas de aula,
pois, alguns alunos tinham até mesmo os materiais que recebiam do município (lápis,
borracha, apontador) “tomados” pelos irmãos, pais ou amigos que não tinham condições de
comprá-los.
Além disso, muitos alunos apresentavam sinais de pobreza, incluindo roupas
inadequadas ao clima, carência de alimentação saudável e, como consequência de sua
situação difícil, eram freqüentes os casos de violência, depressão, falta de concentração e
problemas de convivência entre os alunos, o que afetava diretamente o trabalho do
professores com as turmas.
Devido aos aspectos sociais e econômicos observados, resolvemos elaborar um
projeto que contemplasse a questão econômica das famílias dos alunos, na tentativa de
mostrar novas alternativas de geração de renda, neste caso, o artesanato.
4
OBJETIVO GERAL
Melhorar a qualidade de vida dos alunos da escola através da complementação de
renda oferecendo oficinas de artesanato para suas famílias.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Estimular a participação da comunidade do bairro tanto como voluntários quanto
como alunos das oficinas;
Firmar parcerias entre a escola e os comerciantes locais para aquisição de parte do
material utilizado nas oficinas;
Promover a aprendizagem dos participantes das oficinas, incluindo cálculo de
preço final, apresentação do produto e técnicas de venda.
METAS
Promover a participação em uma feira local de artesanato para mostrar e vender os
produtos feitos pelos artesãos.
Promover a complementação da renda de pelo menos 10% da comunidade local,
especialmente mulheres.
5
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Percebemos que os alunos demonstravam poucas condições para estudo e baixo
nível de concentração, além de pouca qualidade de vida, pois, suas famílias tinham baixo
poder aquisitivo. Esse tipo de dificuldade aliado a outros problemas cotidianos envolvendo
suas famílias acaba, causando diversos problemas emocionais que geram comportamentos
inapropriados ao ambiente escolar, como ressalta a autora psicóloga Maria Helena Novaes :
Geralmente, crianças com problemas emocionais adotam atitudes
agressivas, de inibição, de constrição, de regressão, de isolamento, de
hostilidade,
de
oposição,
de
indiferença,
de
indisciplina,
de
exibicionismo, de dissimulação, de sensibilidade e emotividade
excessivas, sendo freqüentes os problemas de mentira, de furto e de
natureza sexual. (NOVAES, 1970, p 146)
Reuniões e conversas, o acesso à informação pela população e pelas famílias dos
alunos, podem até trazer alguns resultados instantâneos, mas não duradouros, isso porque a
raiz do problema social que a escola enfrenta, tem origem, principalmente, nas dificuldades
econômicas da população.
Henry Wallon (1989) defendia em seus estudos a importância do meio para o
desenvolvimento social e psicológico da criança e até mesmo como agente catalisador da
aprendizagem.
Pensando desta maneira, nosso projeto busca auxiliar as famílias interessadas em
complementar sua renda, através de parcerias com comerciantes locais, voluntários e a
própria Prefeitura Municipal, isso tudo, no intuito de melhorar o espaço familiar onde estas
crianças de desenvolvem.
O Projeto que denominamos “Artesanato para a família em benefício da
educação”, tem o intuito de realizar oficinas mensais de artesanato dentro da Escola
Alfredo de Oliveira Cézar, através de parcerias com comerciantes, artesãos voluntários e as
secretarias de município de educação e cultura. O Projeto tem características de cunho
socioeconômico, pois, segundo a classificação de Pedro Demo:
Volta-se para o enfrentamento da pobreza material (pobreza
socioeconômica), partindo de modo geral da relevância do emprego e da
renda para qualquer tentativa de desigualdade social. (DEMO, 1996, p 32)
6
Em resumo, propomos a abertura da escola das oito às doze horas da manhã do
segundo sábado de cada mês para quem manifestar interesse em aprender algum ofício
como bordado, crochê, pintura em tecidos e vidros, ponto-cruz, ponto russo e decoupagem
ou até mesmo novas técnicas de trabalho artesanal.
7
METODOLOGIA E CRONOGRAMA
Ações:
1) Verificar com a Prefeitura Municipal – Secretaria de Educação e Cultura a
disponibilidade de professores e funcionários envolvidos para realização das
oficinas aos sábados;
2) Verificar o interesse das famílias dos alunos e da comunidade do Bairro
Linhares em participar das oficinas explicando a finalidade e a metodologia do
projeto;
3) Arrecadar material de artesanato (tintas, pincéis, linhas, panos de prato,
agulhas, etc) ou dinheiro, junto à Prefeitura Municipal de São Pedro do Sul o
Projeto para financiar a compra dos materiais utilizados nas aulas.
4) Buscar voluntários para ensinar as diversas técnicas de artesanato, desde o
tricô até a pintura em vidros e madeiras;
5) Divulgar o Projeto para as famílias dos alunos e comunidade do bairro;
6) Realizar num sábado de cada mês, exceto no período de férias escolares,
oficinas para a comunidade interessada, sendo uma técnica ensinada por
sábado;
7) Verificar junto à Prefeitura, a possibilidade de realizar feiras de artesanato ou
participação em grandes feiras locais para expor alguns dos trabalhos.
QUADRO DE ATIVIDADES DO PROJETO
Atividades/
Coordenação
Ações
da ação
1
Direção da escola
2
Setores/Prof. envolvidos
Prazos
Início
Final
Direção
Mar.
Mar.
Direção da escola
Direção e professores
Mar.
Mar.
3
Direção da escola
Direção
Mar.
Dez.
4
Direção da escola
Direção
Mar.
Dez.
5
Direção da escola
Direção, professores e funcionários
Mar.
Dez.
6
Direção da escola
Direção, professores, funcionários e Mar.
Dez.
voluntários
8
7
Direção da escola
Direção
e
representantes
dos Mar.
Dez.
participantes das oficinas
ORÇAMENTO
Especificação
Unidade
Quantidade
Custo em R$
Unitário
Total
Material de artesanato
**
**
**
**
Material de divulgação
**
**
**
**
REFERÊNCIAS
ARAÚJO, Carla B. Zandavalli. M. Pedagogia. 7.ed. São Paulo: Ed. Anhanguera
Publicações. 2010. 282 p.
DEMO, Pedro. Política social, educação e cidadania. 2.ed. São Paulo: Ed. Papirus. 1996.
124 p.
NOVAES, Maria Helena. Psicologia Escolar. 1.ed. Rio de Janeiro: Ed. Vozes. 1970. 357 p.
NOVA ESCOLA. São Paulo, Abril, ano 1, n. 01, agosto. 2008.
WALLON, Henry. As origens do pensamento na criança. São Paulo: Ed. Manole. 1989.
527p.

Documentos relacionados