portal 73 - IPPortalegre

Сomentários

Transcrição

portal 73 - IPPortalegre
_ portal 1-3 | 2007
_ portal 1-3 | 2007
a fechar...
Associações de Estudantes tomam posse
Ano 8 . Número 73.
1-3 | 2oo7
a
Por t l
Boletim Trimestral do Instituto Politécnico de Portalegre
ESAE tem novo Conselho Directivo
Escola
Presidente da Direcção da AE
Ano e curso
ESS
Vítor Monteiro
3º Ano
Enfermagem
ESTG
Pedro França
3º Ano
Engenharia Civil
ESE
Andreia Ascensão
2º Ano
Jornalismo e Comunicação
ESAE
Diogo Assunção
1º Ano
Enfermagem Veterinária
Data da tomada de posse
11 de Janeiro
31 de Janeiro
7 de Março
27 de Março
No primeiro trimestre deste ano, as quatro Associações de
Estudantes do IPP renovaram as suas equipas para um novo mandato.
Três alunos estrearam-se como presidentes da direcção; apenas na
ESTG o mesmo aluno é repetente no cargo.
Cada sessão de tomada de posse contou com a presença do
presidente do IPP e do respectivo presidente do Conselho Directivo.
Todos transmitiram uma mensagem de disponibilidade para apoiar as
iniciativas dos alunos, embora evidenciando as restrições orçamentais.
“Não peçam, exclusivamente, à Escola e ao Instituto só dinheiro.
Reivindiquem, sejam exigentes”, desafiou o presidente do Instituto,
em Elvas, e deu como um exemplo desta “postura” o pedido de novas
instalações, que alunos da ESAE fizeram, outrora.
Na Escola Superior de Educação, a ex-presidente da AE, Tânia
Paiva, passou o testemunho e por motivos de saúde encontra-se ausente
Na tarde de 8 de Janeiro tomou posse o terceiro Conselho Directivo da Escola
Superior Agrária de Elvas. Nos próximos três anos, a ESAE vai ser dirigida pelo
docente Luís Alcino da Conceição, o novo presidente, que substitui no cargo o Prof.
Francisco Mondragão Rodrigues. Os vice-presidentes Noémia Farinha e Ricardo Braga, o
funcionário Hermenegildo Castanho e a aluna Carla Rocha completam a equipa directiva,
eleita na Assembleia de Representantes de 22 de Novembro de 2006.
(continuação na página 3)
da ESE. O seu labor e dinamismo foram evidenciados e aplaudidos.
Pedro França, na ESTG, dá continuidade ao trabalho iniciado o ano
passado. Também, na ESE, Andreia Ascensão manifestou intenção de
concluir projectos da anterior equipa. Na ESS, Vítor Monteiro mostrou-se disponível para fazer da sua Associação um local de “porta aberta”,
onde os alunos possam estar e dar as suas ideias. Diogo Assunção,
na ESAE, pretende melhorar a ligação entre a comunidade da Escola
e Elvas; fortalecer o espírito académico e cimentar a relação criada
com “as outras Agrárias”.
A constituição da (há muito desejada) Associação/ Federação
Académica está na agenda comum.
Os vereadores da Câmara Municipal de Portalegre (Ana Manteiga)
e de Elvas (João Vintém) estiverem presentes, respectivamente, na
sessão de tomada de posse realizada, na ESE e na ESAE.
O Centro de Informação Europe Direct do Alto Alentejo convidou as crianças do Agrupamento de
Escolas n.º 1 de Elvas a comemorar os 50 anos da assinatura do Tratado de Roma. A 23 de Março, dois
dias antes da efeméride, na Escola Básica do 1.º Ciclo da Boa-Fé, cantaram-se os parabéns à volta de
um avantajado bolo, em forma de bandeira da União Europeia. Durante a semana, a “Europa” foi tema
de trabalho nas aulas.
Ficha Técnica Edição Gabinete de Relações Públicas e Cooperação do Instituto Politécnico de Portalegre
Director Nuno Oliveira
Redacção Maria do Carmo Maridalho
Olga Cruchinho
Secretariado Susana Dias
Paginação Margarida Dias
Periodicidade Mensal Contactos Praça do Município Apartado 84 7301- 901 Portalegre Tel. 245 301 500 Fax 245 330 353 Site www.ipportalegre.pt E-mail [email protected]
D.R.
Aniversário da UE festejado com bolo “gigante”
Conselho Geral aprova
criação de Centro de Investigação
A proposta de criação do Centro Interdisciplinar de Investigação
e Inovação para o Desenvolvimento Regional foi aprovada, por
unanimidade, pelo Conselho Geral do Instituto Politécnico de
Portalegre, a 28 de Fevereiro, nos Serviços Centrais. Criar uma linha
de investigação, ou várias, que sejam transversais a todas as Escolas,
é o objectivo do Centro, com sede na ESTG.
Nesta reunião foram colocados à discussão, e posteriormente
aprovados por unanimidade, o Balanço Social de 2004; o Regulamento
do Concurso para Maiores de 23 Anos e os Relatórios de Actividades
de 2005, de 2006 e de 2007.
Dadas as restrições impostas no número de cursos de formação
inicial, ao nível do primeiro ciclo, o Conselho Geral discutiu a
distribuição de oferta formativa por Escola, fixando quotas. À
Comissão Permanente atribuiu-se a competência para decidir,
anualmente, sobre a repartição do número de cursos, respeitando os
intervalos definidos.
Embora a fixação do valor das propinas seja da exclusiva
competência dos Conselhos Directivos das Escolas, o presidente do
IPP apelou à discussão e definição de uma política global sobre este
assunto. Os presidentes dos Conselhos Directivos da ESAE e da ESS
deram conhecimento que já fixaram um valor, para o próximo ano
lectivo.
Entre 2 e 20 de Abril, deverão decorrer eleições para o Conselho
Geral (mandato de 2007/2010), para serem escolhidos o representante
dos funcionários, os representantes dos docentes e os membros da
Comunidade.
Concurso de Pontes
de Esparguete bate recorde
(pág. 5)
Provedores do Ouvinte
e do Telespectador, na ESE
(pág. 6)
_ portal 1-3 | 2007
_ portal 1-3 | 2007
conhecer
editorial
Dra. Helena Freire Cameron
Vice-Presidente do Conselho Directivo
da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Portalegre
Tempos de mudança …
Como dizia o poeta, “Todo o mundo é composto de mudança, tomando
sempre novas qualidades”. Quotidianamente ouvimos palavras como
reestruturação, optimização, reforma, e outras tantas nomenclaturas
que têm como denominador comum a mudança. Parece ser a ideia
do momento! No que diz respeito ao ensino superior, estamos a viver
tempos muitos especiais, que marcam o fim de uma era e o começo de
uma outra, ao falarmos de Bolonha e de tudo o que lhe é inerente.
Neste ano lectivo em curso, tome-se o exemplo da ESTG, que tem
três modelos de cursos em funcionamento (licenciaturas bi-etápicas,
licenciaturas em processo de transição e licenciaturas novas já no formato
de Bolonha). Esta mudança para o novo paradigma de Bolonha tem
implicações em todos os processos e procedimentos que fazem parte
da orgânica complexa de uma Escola, desde as mais simples tarefas
administrativas até às mais complexas formas de implementação e de
regulamentação. As consequências de “Bolonha” já são conhecidas:
menos tempo de duração das licenciaturas, menor carga horária
presencial e uma maior demanda por equipamentos e serviços que serão
necessários nas actividades escolares complementares, desenvolvidas
pelos alunos fora dos momentos de aula, neste novo processo de ensino/
aprendizagem. Esta mudança é sentida por todos os agentes, em maior ou
menor grau, e é preciso aproveitar esta época de transição para instituir
reformas necessárias para que o novo paradigma possa ser implementado
em toda a sua plenitude.
A mudança, ou a necessidade desta, é também sentida pelos
intervenientes da sociedade em que estamos inseridos, e que pretendem
também integrar este processo de renovação do ensino superior.
Assistimos, cada vez mais, à entrada no ensino superior de pessoas já
oriundas do mercado de trabalho e que vêm em busca de habilitações e
de conhecimentos. Aqui, no interior do país, onde o acesso à informação
é barrado, muitas vezes, pela simples distância geográfica, o ensino
Politécnico tem um papel fundamental de resposta a estas necessidades
cada vez mais prementes.
No que concerne aos alunos vindos do ensino secundário, ao
formarmos estes alunos num novo paradigma, estamos a acompanhar
os tempos de desenvolvimento, lançando no mercado de trabalho
profissionais qualificados em condições de poderem acompanhar as
solicitações de progresso do mundo do trabalho. Por outro lado, ao
darmos formação a pessoas que já estão no meio profissional, estamos,
ao mesmo tempo, a receber os contributos que também nos permitem
aproximar deste, numa verdadeira interacção de acção/reacção.
Finalmente temos a mudança do ponto de vista do meio empresarial.
As empresas têm, cada vez mais, necessidades específicas de
crescimento que podem facilmente ser supridas pelo meio intelectual que
é o ensino superior. Cada vez mais se fazem parcerias entre empresas
e o ensino superior, não só desenvolvendo projectos de investigação
mas, sobretudo, pequenos projectos que permitem fornecer ao meio
empresarial soluções, fornecendo conhecimentos e novas tecnologias.
Os Institutos Politécnicos, pelas suas características, poderão ser
agentes privilegiados e poderão contribuir, assim, para um verdadeiro
desenvolvimento das áreas do país onde estão implantados. Esta
aproximação ao meio empresarial já é uma realidade e os resultados vão
começar a ser cada vez mais evidentes num futuro próximo.
A demanda pelo conhecimento e um grande desejo de progresso por
parte de todos os intervenientes neste processo são a base fundamental
desta mudança. Contudo, é necessário ainda uma grande disponibilidade
e perseverança para que possamos chegar, enfim, ao novo paradigma.
Mais oito cursos adequados
No que respeita a primeiros ciclos de estudos, a Escola Superior
de Educação viu aprovadas pela Direcção Geral do Ensino Superior
as adequações dos cursos de “Animação Educativa e Sociocultural”;
“Serviço Social” e “Turismo e Termalismo”. E não apenas os planos
de estudo foram reformulados; também as designações de dois destes
cursos sofreram alterações, pelo que passarão a chamar-se: “Animação
Sociocultural” e “Turismo”.
Igualmente adequados às directrizes do Processo de Bolonha se
encontram mais cinco cursos da Escola Superior de Tecnologia e
Gestão. “Administração de Publicidade e Marketing” (em resultado da
adequação do curso de “Marketing”); “Assessoria de Administração”;
“Design de Comunicação”; “Engenharia Civil” e “Gestão” (que
aglutina “Gestão Empresarial” e “Contabilidade”). Este último ciclo de
estudos apresenta três ramos: “Contabilidade”; “Gestão de Empresas”
e “Gestão de Marketing”.
Foi aluno da Escola Superior de Educação de Portalegre tendo concluído, em 1992, o Curso de Professores do
Ensino Básico, variante Matemática e Ciências da Natureza.
Leccionou, durante um ano, na Escola Básica 2, 3 Cristóvão Falcão, em Portalegre, onde é efectivo, sendo
posteriormente, em 1993, requisitado pela ESE.
Com um mestrado em “Didáctica das Ciências”, terminado em 2002, na Faculdade de Ciências da Universidade
de Lisboa, é actualmente equiparado a professor adjunto, do Departamento de Ciências Físico-Naturais e suas
didácticas.
Dos tempos iniciais, enquanto docente na ESE, recorda o facto de ser mais jovem que a maior parte dos seus
alunos e também que os colegas. Mas salienta que esse aspecto nunca foi um obstáculo para o seu “empenho e
desenvolvimento profissional”.
Volvidos cerca de catorze anos, o docente já cumpriu dois mandatos na Assembleia de Representantes da Escola,
outros tantos no Conselho Pedagógico e é o coordenador da Escola no programa PNESST (Programa Nacional de
Educação para a Segurança e Saúde no trabalho desenvolvido no âmbito de um protocolo firmado com o Instituto
para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho). Participa ainda em projectos como: “A Aprendizagem por
Problemas no Ensino Superior”, coordenado pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa; Programa de
Formação de Professores do 1º ciclo do Ensino Básico em Ensino Experimental das Ciências; Projecto “Ciência
Viva”; entre outros.
As, pelo menos, oito horas diárias que dedica à Instituição, dificultam a coordenação entre trabalho e família. No
entanto, sublinha que a família vem sempre em primeiro lugar e tenta fazer disso “ponto de honra”.
Os poucos momentos que tem para si próprio, admite, entre risos, que tenta aproveitá-los à sua maneira,
nomeadamente, “não fazendo NADA!”.
aluna
Nome Sónia Marisa
dos Santos Gonçalves
Data de Nascimento
01.06.1985
Naturalidade Guarda
docente
Nome Fernando António Trindade
Rebola
Data de Nascimento
19.05.1970
Naturalidade Monforte
Actualmente em estágio, no último semestre do quarto ano do curso de Enfermagem da Escola Superior de Saúde, esta aluna
afiança que em Portalegre passou “três dos melhores anos” da sua vida.
Saúde sempre foi a sua área de eleição, particularmente a enfermagem “pelo carácter humano que a profissão acarreta”,
confessa.
Embora assegure que o curso exige “imenso trabalho e dedicação” isso não a coibiu de se envolver em várias actividades
extracurriculares, de índole académica. Até porque, conforme admite, a sua forma de estar não se adequa à “vida escola-casa
e vice-versa”. Logo no primeiro ano entrou para a EnfTuna, Tuna da ESS, da qual foi magister entre 2005 e 2006 e uma das
organizadoras do Portus Alacer – I Festival de Tunas Mistas de Portalegre. Desempenhou também funções de secretária da
Associação de Estudantes da Escola.
“A grande dificuldade”, revela, “passa por conseguir articular e conciliar todas estas actividades (…), mas com vontade,
gosto e dedicação tudo é possível!”. Os ensinamentos que retirou destas experiências fazem com que sinta que o esforço valeu
a pena…
Prestes a terminar o curso, e já com ‘um pé’ fora de Portalegre, a futura enfermeira garante que vai tentar deixar o outro (pé)
sempre por cá. Na cidade ficam “amigos e uma segunda casa – a Escola.”
O facto da ESS ser pequena, explica, “permite que as amizades aconteçam de forma facilitada” e sublinha que não se refere
apenas aos colegas, mas igualmente a docentes e funcionários. Esta característica da Escola revela-se numa ajuda preciosa ao
longo do curso, “principalmente para quem tem a família longe…”, enfatiza.
No futuro, gostava de exercer a sua profissão em meio hospitalar e, quem sabe, aprender a tocar violino…
É funcionária da Biblioteca da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, desde Outubro de 1997. Faz atendimento
ao público, catalogação de revistas e publicações periódicas e a divulgação destas novidades, num boletim semanal
que envia por e-mail para alunos e docentes.
Neste ano lectivo, entrou no curso de Marketing, ao abrigo do regime especial para maiores de 23 anos. Não
estudava há 13 anos e está a gostar muito da experiência, pelo contacto com os colegas mais novos e o retomar
de métodos de estudo.
Casada e mãe de dois filhos, explica como é o seu dia-a-dia, nada monótono: pelas oito da manhã, já está na
Escola, para ir às aulas. Tem uma hora de pausa para almoçar e entra às três da tarde na Biblioteca, onde trabalha
até às oito. Vai para casa, onde a espera mais uma “jornada contínua”... Muitas vezes, só encontra tempo para
estudar à meia-noite!
Porque o tempo escasseia, as leituras também. Em casa, o livro “Equador”, de Miguel Sousa Tavares, aguarda
há muito pela sua atenção. Quando tem disponibilidade, em lazer, tenta praticar uma actividade que muito lhe
agrada: andar de bicicleta.
funcionária
Nome Carla Maria Moura
Serra Maçãs da Silva
Data de Nascimento
21.09.1974
Naturalidade Portalegre
_ portal 1-3 | 2007
3_ portal 1-3 | 2007
ESAE tem novo Conselho Directivo (Continuação da pág. 1)
conhecer
Laboratório de Enfermagem Veterinária da ESAE
Este Laboratório da Escola Superior
Agrária de Elvas é, de momento, apenas
utilizado para ministrar aulas práticas ao
curso de Enfermagem Veterinária.
Após a iminente conclusão da terceira
fase (e última) de obras do Quartel do
Trem, este espaço será reorganizado e
passará a dedicar-se às análises clínicas
(área de parasitologia e alguns parâmetros
da área hematológica), numa perspectiva
de prestação de serviços à comunidade
envolvente, permitindo aos alunos
adquirir saberes práticos, em contexto
real.
Parte dos equipamentos existentes,
actualmente, no laboratório transitarão
para outra infra-estrutura, ainda em obras,
que acolherá o Centro de Atendimento
Veterinário.
Segundo a Coordenadora da Área
Científica das Ciências Veterinárias, a
professora Rute Santos, o centro entrará
em funcionamento após a conclusão das
obras e quando o mesmo estiver licenciado
pela Ordem dos Médicos Veterinários.
O Laboratório de análises clínicas
funcionará então como estrutura de apoio
do Centro de Atendimento Veterinário,
que estará aberto a toda a comunidade e
será uma mais-valia para a ESAE e para
os seus alunos, que poderão assim ganhar
experiência na sua área de formação.
Protocolo com Academia de Ténis de Portalegre
O Instituto Politécnico de Portalegre e a Academia de Ténis
de Portalegre assinaram um protocolo de cooperação, a 12 de
Janeiro. Resultante desta parceria, a ATP concederá descontos
no ensino da prática do ténis: 50% a estudantes das Escolas
integradas no IPP e 30% aos restantes membros da comunidade
académica do Instituto, bem como aos sócios da Associação
dos Antigos Alunos.
Como contrapartida, o Instituto Politécnico autoriza a
ATP a utilizar gratuitamente o campo de ténis, localizado nas
imediações da ESTG, nos horários estipulados.
Perante uma plateia plena e aproveitando a presença dos
representantes das principais entidades da comunidade envolvente
(o Governador Civil do Distrito, os presidentes das Câmaras de
Portalegre e Elvas, variados representantes do tecido empresarial
da região, etc.), o presidente do Instituto enfatizou o papel da ESAE
para o desenvolvimento da cidade de Elvas. Na mesma medida
que “o Instituto Politécnico de Portalegre é extraordinariamente
importante para o distrito, da mesma maneira que o ensino superior
é decisivo para o desenvolvimento deste país”, complementou.
Nesse sentido, sublinhou que IPP e comunidade envolvente têm que
“estar despertos e disponíveis” para cooperar “em prole daquilo que
será o futuro, que é incontornável que passe pelo ensino superior”.
“O repto”, explicou, “tem que partir sempre de nós - das unidades
orgânicas que constituem o Instituto e dos seus dirigentes. Mas
esse desafio tem que ser permanentemente aceite pelos membros
da comunidade”.
Em tempos de contenção orçamental, ao Conselho Directivo da
ESAE impõe-se a grande responsabilidade de ser “suficientemente
competitivo, atractivo e motivador para trazer até aqui, a esta
escola, os alunos que, cada vez mais, se afastam da procura dos
cursos da área agrária”, salientou o Dr. Nuno Oliveira.
Mas a ESAE “está no bom caminho!”, incentivou o presidente
do Instituto, nomeadamente porque tem toda a sua oferta formativa
adequada a Bolonha e o Conselho Científico da escola já preparou
as propostas ao nível da oferta de “Cursos de especialização
tecnológica” e também do 2º ciclo de estudos. [Ver caixa]
Consciente do contexto orçamental adverso com que se deparará,
o recém-empossado presidente do Conselho Directivo da ESAE
revelou que o lema deste mandato será: “olhar o futuro, que o
futuro olhará para nós!”, afiançando que a principal preocupação
da equipa se prenderá com “a melhoria da qualidade dos serviços
prestados aos nossos alunos, o que passa, necessariamente, pela
qualidade do nosso corpo docente e não docente, do nosso pessoal
técnico e das nossas instalações”.
“Olhar o futuro”, acrescentou, “significa, acima de tudo, um
esforço na captação de novos alunos (pois são eles, a razão de
existência desta Escola)”. Nesse contexto, o docente, apresentou
um conjunto de medidas que se propõem implementar, dando
particular ênfase:
. às questões relacionadas com Bolonha;
. à aposta na divulgação da oferta formativa para “maiores de 23”;
. ao aprofundamento das relações institucionais entre a Escola
e as restantes unidades orgânicas do IPP, de modo a gerar
novas ofertas formativas, quer ao nível da criação de cursos de
especialização tecnológica (garantindo assim a oferta de formação
pós secundária de nível IV na cidade de Elvas), de novos cursos de
1º ciclo e cursos de pós-graduação;
. à continuação da promoção de trabalhos de investigação e
experimentação aplicada em cooperação com instituições afins;
. à interacção com a comunidade envolvente através do
alargamento do leque de serviços prestados, numa óptica de resposta
às solicitações da referida comunidade, entre outras.
Em época de grande incerteza face ao futuro da instituição, o
presidente do Conselho Directivo afirma sentir “dever e obrigação”
de tudo fazer para alcançar o objectivo da Escola - “formar os
nossos alunos, garantindo-lhes um futuro melhor.” E remata com
optimismo: “O futuro olhará para a ESAE!”
Cantaram-se as Janeiras, à porta do IPP
Mestrado aprovado
Os Serviços Centrais ouviram cantar as Janeiras. Ao anoitecer de 5 de Janeiro, a Confraria de Santo
António – grupo Pró-Portalegre, veio até à Praça do Município, no seu percurso pelas instituições da
cidade, e dedicou ao presidente do Instituto Politécnico de Portalegre uma quadra: “A Confraria inteira/
Deseja aqui saudar/O Dr. Nuno Oliveira/E um bom ano desejar”.
Como forma de agradecimento, o dirigente ofereceu aos confrades uma fatia de bolo-rei e um
cálice de vinho do Porto.
No próximo ano lectivo, a Escola Superior Agrária de Elvas vai poder ministrar um segundo ciclo de estudos, em “Agricultura Sustentável”.
Com a aprovação deste mestrado, por parte da Direcção Geral do Ensino Superior, a ESAE possibilitará aos alunos “adquirir conhecimentos
sólidos e variados, reforçando a sua capacidade de reflexão crítica e integrada sobre a problemática da sustentabilidade dos sistemas de agricultura
mediterrânicos e soluções preconizadas, estimulando a criatividade para a formulação e análise de novas soluções”.
_ portal 1-3 | 2007
4
Formação em segurança contra incêndios instrui funcionários
Auditoria interna: mais um passo no caminho para a certificação
O Instituto Politécnico de Portalegre foi
auditado, a nível interno, nos dias 19, 25 e 26 de
Janeiro. Para responder às questões levantadas
no relatório desta auditoria, os grupos de
trabalho e círculos de progresso do IPP têm
vindo a implementar planos de acção.
No auditório dos Serviços Centrais, a sessão
de fecho da auditoria reuniu auditados de todas
as unidades orgânicas e os auditores (equipa
constituída por técnicos da empresa Índice
Consultores, docentes da ESTG e um auditor
externo).
_9 portal 1-3 | 2007
Na ocasião, o presidente do Instituto
Politécnico interveio, para realçar o caminho
percorrido, o esforço e a dedicação de
todos os seus colaboradores, sublinhando
em particular o trabalho de coordenação
desenvolvido pelo Doutor Joaquim Mourato,
administrador do IPP.
A implementação do Sistema de Gestão
da Qualidade prossegue. Uma nova auditoria
interna está agendada para o início de Maio.
O objectivo comum é conseguir obter a
certificação dos serviços prestados.
Funcionários consciencializados
para realidade orçamental
No início do ano, o presidente e o administrador do Instituto
Politécnico de Portalegre convocaram os funcionários dos Serviços
Centrais para uma sessão de esclarecimentos sobre a situação
orçamental da instituição.
O Dr. Nuno Oliveira manifestou ser intenção dos dirigentes do
IPP e das Escolas evitar, até ao limite, enveredar por uma solução
que passe pelos despedimentos, para fazer face aos crescentes
constrangimentos financeiros.
O dirigente explicou, detalhadamente, a formulação do
orçamento, sublinhando a necessidade de se proceder a um corte
nas despesas de funcionamento (15%) e com pessoal (2,5%).
Deixou claro que o sucesso destas medidas dependerá da acção
de todos os colaboradores e da forma como cada um conseguir
racionalizar custos, no dia-a-dia, e interiorizar as dificuldades.
Realçou a solidariedade e a cooperação, existentes entre unidades
orgânicas, que tem possibilitado superar as dificuldades decorrentes
do défice orçamental.
O administrador do IPP apresentou um pacote de medidas,
aprovado em reunião da Comissão Permanente do Conselho
Geral, com vista a um funcionamento com maior sustentabilidade
e num apelo à poupança de energia e à redução de consumos. [Ver
quadro]
Esta sessão teve lugar a 3 de Janeiro, à tarde, no auditório dos
Serviços Centrais.
Alfa Romeo grava anúncio na ESTG
O Lugar da Abadessa foi um dos cenários escolhidos para a produção de um filme publicitário
para o automóvel Alfa Romeo – Modelo 159.
No parque de estacionamento da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, a equipa de
produção filmou, nos dias 24 e 25 Janeiro. As gravações decorreram ainda noutros locais de
Portalegre.
A produção esteve a cargo da Mil_Made in Lisbon, em colaboração com a Parco Film.
No âmbito da implementação do sistema de segurança contra incêndios no Instituto
Politécnico de Portalegre, foi proporcionada uma formação inicial de técnicas de primeira
intervenção, aos funcionários, no início do ano.
Para além da componente teórica, o curso incluiu uma acentuada componente prática. Nas
instalações dos Bombeiros Voluntários de Portalegre, os formandos tiveram oportunidade de
utilizar extintores e carretéis de água, com fogo real!
As aulas estiveram a cargo do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil. Os grupos
foram constituídos por recursos humanos oriundos de cada uma das unidades orgânicas e
Serviços Centrais, num total de 36 formandos.
O IPP pretende dar continuidade a este tipo de formação, facultando ao maior número
possível dos seus colaboradores a transmissão destes conhecimentos úteis e a possibilidade
de pô-los em prática.
Empreendedorismo: palavra de ordem, na ESTG
A comunidade escolar do Instituto
Politécnico de Portalegre tem, este ano, pela
primeira vez, a oportunidade de participar no
Poliempreende [ver caixa]. O workshop de
lançamento da 4ª edição deste concurso, a 1
de Março, na Escola Superior de Tecnologia
e Gestão, foi também o local escolhido para
apresentar outro projecto “autóctone” de
incentivo ao empreendedorismo. Trata-se do
Pólo de Dinamização Empresarial, criado sob
a tutela da Associação de Desenvolvimento
Regional/IPP, que visa ajudar os alunos a
ultrapassar os obstáculos que se vão colocando
à tentativa de criar uma empresa.
Esta estrutura para além de apoiar na
dinamização de planos de negócio, deverá
ajudar a encontrar fontes de financiamento.
Também abarcará a vertente de “Bolsa de
Emprego”, funcionando como ponte entre
alunos e empresas. É objectivo replicar
este pólo noutras Escolas do Politécnico de
Portalegre.
No workshop participaram dois “painéis”
de convidados. Para abordar o tema “O
empreendedorismo no IPP” intervieram: Dr.
Nuno Oliveira (presidente do IPP); Dr. Artur
Romão (presidente do Conselho Directivo da
ESTG); Dr. Miguel Serafim (presidente da
ADR) e Dr. Patrício Vilar (coordenador do
PDE-ESTG).
“O empreendedorismo no ensino superior
politécnico” contou com os testemunhos
do Prof. Luís Pinto de Andrade (docente
do Instituto Politécnico de Castelo Branco
e mentor do Poliempreende); Eng. Edgar
Nunes (vencedor da 2ª edição do concurso)
e Eng. Miguel Agostinho (representante do
simulador de Gestão e Estratégia, Global
Management). Os designers David Duarte e
Filipe Ramalheira, diplomados pela ESTG,
regressaram à Escola para partilhar com
uma plateia maioritariamente composta por
alunos, as suas experiências profissionais,
enquanto jovens empreendedores.
O Poliempreende é um concurso destinado a estudantes de graduação ou pós-graduação, diplomados e docentes das
diversas Escolas dos Institutos Politécnicos de Beja, Bragança, Castelo Branco, Guarda, Portalegre e Tomar.
A presente iniciativa visa contribuir para a mudança de atitudes dos actores académicos dos Institutos Politécnicos
participantes, induzindo-os a incorporar nas suas actividades regulares o desenvolvimento e a aplicação de métodos
para a valorização do conhecimento gerado, assim como para a constituição de novas empresas de cariz inovador e com
implantação regional, com potencial de crescimento.
Mais informações: http://www.ipportalegre.pt/poliempreende/
_ portal 1-3 | 2007
8
2º Encontro com (a) memória, na ESTG
O Dr. Mário Silva Freire foi o segundo
convidado da iniciativa Encontros com (a)
Memória, da Escola Superior de Tecnologia e
Gestão. Na tarde de 1 de Março, o professor
aposentado da área de Ciências Humanas
evocou acontecimentos e relembrou sentimentos que viveu, durante os 11 anos em que foi
docente da ESTG.
Recordou o primeiro dia de actividades da
Escola; os primeiros Conselhos Científicos, em
que se delinearam os novos cursos; a defesa
de inclusão de uma componente humana,
nos cursos de engenharia; a transição para as
actuais instalações da Escola (período em que se
sentiu “uma renovada vontade para fazer desta
instituição uma Escola de sucesso”); pessoas com
as quais conviveu/ colaborou.
O presidente do IPP valorizou a
importância desta iniciativa, por se traduzir
num reconhecimento público a quem, com
o seu trabalho, fez a História da instituição.
Relembrou ter-se cruzado com o Dr. Mário
Freire, na Escola Superior de Educação, quando
esta dava os primeiros passos, e mais tarde no
lançamento das bases da ESTG.
Sobre o convidado
No início da sessão, o Dr. Artur Romão,
presidente do Conselho Directivo, destacou
algumas das facetas profissionais do convidado,
docente da ESTG, entre 1990 e 2001.
O Dr. Mário Freire é licenciado em Geologia,
pós-graduado em Psicologia e prestou provas
públicas para Professor Coordenador. Foi
director da Escola do Magistério Primário;
5_ portal 1-3 | 2007
Dedicação de alunos é premiada com visita ao Parlamento Europeu
vice-reitor do Liceu Nacional de Portalegre;
professor do ensino secundário e do ensino
superior.
Na ESTG, foi coordenador da área científica
de Ciências Humanas, vice-presidente do
Conselho Científico, membro do Conselho
Pedagógico, director do curso de Assessoria de
Administração (ao qual esteve ligado, “desde a
ideia à implementação”). Leccionou disciplinas
na área da Psicologia Organizacional e
coordenou o Gabinete de Inserção na Vida
Activa.
É autor de diferentes publicações, entre
as quais, “Comunicação, Comportamento
Humano e Empresa”, editado pela ESTG,
e dois livros da colecção “Largo da Sé”:
o n.º 1 – “A Humanização da Técnica” e
“Os Ingredientes do Poder”, cujos lucros
reverteram a favor do Rotary Clube de
Portalegre.
Actualmente, presta apoio de índole
pedagógica a alunos que vivem no Lar Sagrado
Coração de Maria.
Neste ano lectivo, alunos da Escola Superior
Agrária de Elvas tiveram um incentivo
acrescido para conseguir bons resultados.
Com o apoio do Parlamento Europeu e do
eurodeputado Capoulas Santos, os cinco
melhores alunos da disciplina de “Economia
e Política Agrárias” são premiados com
uma visita à sede do Parlamento Europeu,
em Bruxelas. São eles: Leonel Luís e Daniel
Justo, de Equinicultura, e Bruno Ricardo,
João Candeias e Vítor Paulino, de Engenharia
Agronómica.
A disciplina é leccionada pelo Prof.
Ricardo Ferreira e prevê “uma importante
componente associada não apenas à Política
Agrícola Comum, mas também à própria
integração europeia”. O docente explica que
proporcionou aos seus alunos a possibilidade
de virem a conhecer o Parlamento Europeu,
como forma de “reconhecer e premiar o
mérito das pessoas mais esforçadas e com
maior eficácia no seu trabalho” e “também
no sentido de incentivar a maior dedicação
e esforço”.
Concurso de Pontes de Esparguete da ESTG bate novo recorde
Projecto READCOM reúne em Portalegre
Reuniram-se na Escola Superior de Tecnologia
e Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre,
entre 22 e 25 de Fevereiro, parceiros e aprendentes
do projecto internacional READCOM – Reading
Communities for Adults.
Este projecto, que se encontra no seu segunda
ano de actividade, está integrado no Programa
Sócrates, acção Grundtvig 2, e tem como
objectivos “promover o desenvolvimento do
indivíduo através de actividades como a leitura
e a escrita e criar o gosto pela aprendizagem ao
longo da vida.”
O READCOM é o resultado de uma parceria
entre a ESTG e instituições polacas (Biblioteka
Publiczna im. W. J. Grabskiego w Dzielnicy
Ursus m.st. Warszawy, Centrum Edukacji
Międzykulturowej i Medialnej Warszawa),
austríacas (Volkshochschule Donaustadt Wien),
turcas (T. C. Kültür ve Turizm Bakanligi, Yasama
Dair Vakif), belgas (Katholieke Hogeschool
Leuven) e também a Escola Superior de Educação
do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
Este encontro em Portalegre contou com a
presença de cerca de meia centena de pessoas,
das quais 24 eram representantes dos clubes de
leitura das entidades internacionais intervenientes
no projecto.
Os dias foram preenchidos com reuniões de
trabalho e muitos momentos de lazer e convívio.
Uma “Feira Internacional” (de partilha de
Cantina Central, em funcionamento
Nos dias úteis, nos fins-de-semana e nos feriados, a Cantina Central serve
almoços e jantares. Entrou em funcionamento, no dia 3 de Janeiro, e desde
o dia 20 de Março, é apoiada por um bar.
Horários
Cantina
De 2ª Feira a Domingo: 12h00 – 14h15 (Almoços) / 18h45 – 21h00 (Jantares)
Fins-de-semana e feriados: 12h45 – 14h00 (Almoços) / 18h45 – 20h30 (Jantares)
Bar
De 2ª a 6ª Feira: 9h00 – 11h00/ 12h00 – 17h00
Na quarta edição do Concurso de Pontes de Esparguete, realizado
no âmbito da 10ª Semana de Engenharia, alcançou-se um novo recorde
nacional.
Uma ponte de esparguete construída pelos alunos Bruno Curado e
Bruno Martins, do curso de Engenharia Civil, suportou uma carga de
71,080Kg, o que corresponde a 206,19 vezes o seu próprio peso!
Na edição deste ano do Concurso, cinco pontes conseguiram superar
costumes e sabores) e visitas a alguns locais
de interesse histórico-cultural em Portalegre,
Marvão e Castelo de Vide, fizeram também parte
do leque de actividades.
o recorde do ano passado, ao ultrapassarem a fasquia de resistência
a 47,571 Kg.
O Concurso decorreu no auditório da Escola, na tarde de 15 de
Março. Teve como objectivo incentivar os alunos a colocar em
prática os conteúdos científicos aprendidos nas aulas e a desenvolver
o engenho para construir uma ponte que aguente a maior carga
possível.
ESS a Cuidar Portalegre
A 21 de Março, a Escola Superior de
Saúde de Portalegre realizou a segunda
edição da iniciativa “Cuidar Portalegre”.
Cerca de 400 pessoas acorreram ao
Mercado Municipal para proceder à avaliação
gratuita da tensão arterial, do índice de massa
corporal, níveis de colesterol, densitometria
óssea e espirometria, exames realizados por
44 alunos da ESS.
A organização foi da responsabilidade da
vertente médico-cirúrgica da 7ª Licenciatura
A, sob a coordenação do docente Eduardo
Ribeiro.
Ainda no âmbito desta iniciativa, durante
a manhã, teve lugar no Centro de Congressos
da Câmara Municipal de Portalegre uma
conferência subordinada ao tema “Doenças
pulmonares e Osteoporose”.
Em virtude da grande adesão da população
portalegrense, este será um projecto que,
certamente, se repetirá.
_6 portal 1-3 | 2007
ESE realiza nova conferência do ciclo “Educação, Memória e Sociedade”
A Ética em debate nas XI Jornadas da Comunicação
Entre 12 e 15 de Março decorreram, na
Escola Superior de Educação de Portalegre,
as XI Jornadas da Comunicação.
Com a organização a cargo dos alunos do
curso de Jornalismo e Comunicação, este ano
a iniciativa teve como temática aglutinadora,
de reflexão e debate, a ética profissional.
Durante quatro dias, o anfiteatro da ESEP
encheu-se para dialogar com convidados
como José Nuno Martins (provedor do
ouvinte), Manuel Coelho da Silva (presidente
do Conselho de Opinião) e Paquete de
Oliveira (provedor do telespectador), entre
outros.
Em foco estiveram temas relacionados
com: as recém-criadas provedorias (do
ouvinte e do telespectador); o jornalismo
multimédia português; As crianças no
jornalismo e questões referentes ao acesso à
informação para portadores de deficiências.
No último dia das jornadas o livro “Sigilo
profissional em risco”, da jornalista Helena
Freitas deu o mote ao debate e serviu de
ponte para, da parte da tarde, se homenagear
o jornalista Manso Preto, pela sua carreira
dedicada à investigação na área do narcotráfico
e pela sua conduta ética, evidenciada quando,
em 2002, se recusou a revelar em tribunal
a identidade de uma fonte confidencial, ao
abrigo do sigilo profissional, tendo cumprido
pena por isso.
Ao longo destes dias, também ocorreram
duas iniciativas de carácter mais cultural,
organizadas pela comissão. Esteve patente no
átrio dos serviços centrais do IPP, entre 12 e 16
de Março, uma exposição de cartazes intitulada
_7 portal 1-3 | 2007
“A evolução da Publicidade”. Na noite de 13
de Março, o filme “War photographer”, de
James Nachtwey, sobre o jornalista Cristian
Frei, foi projectado no auditório dos Serviços
Centrais.
Na sessão de encerramento, a vice-presidente do Conselho Directivo da Escola,
Dra. Teresa Coelho, saudando a escolha do
tema destas jornadas, deixou um repto a todos
os alunos presentes: “Não se esqueçam nunca
dos valores e princípios que um jornalista
deve defender! E que as questões da ética vos
acompanhem tanto como as da estética…”
O dia terminou com o visionamento
de uma apresentação com os melhores
momentos do certame deste ano, já com
os olhos postos naquelas que serão as XII
Jornadas da Comunicação.
A conferência sobre “Etnicidade, imigração e
multiculturalidade em Portugal: uma perspectiva
nacional e local” teve lugar a 2 de Março, na
Escola Superior de Educação de Portalegre.
Como oradores participaram o Prof. Fernando
Luís Machado, do ISCTE, e o Dr. Alexandre
Martins, docente da ESEP, que forneceu uma
perspectiva local, a partir do estudo “Diagnóstico
sobre a situação social dos imigrantes no
concelho de Portalegre”, de que é autor.
Esta iniciativa, organizada pelo Departamento de Ciências Sociais e Humanas e
suas Didácticas, é a quarta de um ciclo de
conferências subordinadas ao tema “Educação,
Memória e Sociedade”. A presidente do
Departamento, Prof.ª Maria João Mogarro,
justificou a realização deste ciclo, como
forma de dar visibilidade a investigações feitas
internamente – de professores da Escola –
– e em articulação com linhas de investigação
e produção científica e pedagógica, nacionais e
também internacionais.
Para o vice-presidente do Conselho Directivo,
Dr. Fernando Oliveira, a Escola Superior de
Educação de Portalegre é o local certo para
realizar este tipo de reflexões, porque a sua
matriz de desenvolvimento articula cada vez
mais “Educação, Sociedade e Intervenção
Social”, quer pela natureza dos cursos, quer
pelos muitos projectos que a instituição vem
desenvolvendo.
No ESPAÇO de EXPOSIÇÕES...
Da vida para a tela
Entre 9 de Janeiro e 8 de Fevereiro esteve patente, no átrio dos serviços centrais do IPP, a exposição de pintura
de Nina Guerreiro.
Após a aposentação, que encerrou um ciclo de quase quarenta anos de trabalho, a artista campomaiorense começou
a dedicar-se de corpo e alma à pintura. “(…) cada quadro que pinto é um bocado da minha vida que eu coloco nele,
é amor, é paixão, é o pão que alimenta o meu espírito”, atesta a autora.
As suas pinturas de cores vibrantes, quentes, plenas de subtis velaturas, desvelam essa paixão, essa ânsia de se
contar na tela.
Sessões de Educação para a Saúde esclarecem a comunidade
Prof. Martinó Coutinho (re)apresenta bonecos com história
O Prof. António Martinó Coutinho expôs, nos Serviços Centrais, reproduções de bandas desenhadas, fotomontagens e
outras ilustrações, da sua autoria. Uma selecção de trabalhos publicados, entre 1976 e 1986, em órgãos de comunicação
locais e regionais, designadamente em “A Nossa Banda” (fanzine), “A Cidade” (revista cultural), “Fonte Nova” (jornal
semanário) e “Porta-Vós” (quinzenário pedagógico).
O autor interpretou esta exposição – “1976-1986/ Uma década de bonecos com história…” – como produto da inquietação
que sente, sobre a Cidade e “a Escola”.
Na inauguração da mostra partilhou o seu gosto pelos “bonecos”, que classificou como uma paixão insaciável. Agradeceu
ao presidente do IPP o desafio que lhe lançou, para expor, e a colaboração da Fábrica Real de Imagens, no tratamento e
impressão dos trabalhos.
A exposição esteve patente entre 12 de Fevereiro e 9 de Março.
A Vertente de Saúde Materna, Infantil e Pediatria, da Escola Superior de
Saúde de Portalegre, levou a cabo sessões de Educação para a Saúde, a 15
de Fevereiro. Crianças das Escolas EB1 de Vale de Cavalos, das Carreiras
e de Alegrete deslocaram-se até às instalações da ESS, para ouvirem falar
em “Higiene e Saúde Oral”, “Alimentação e Higiene Oral” e “Prevenção
de Acidentes”. Participaram num atelier de Puericultura e num rastreio de
obesidade infantil.
A iniciativa denominou-se “Aprender, a brincar” e foi desenvolvida por
alunos do 3º ano de Enfermagem, 1º semestre, não só neste dia, mas durante
o ano lectivo, nas diferentes Escolas EB1 de Portalegre.
Algumas das futuras enfermeiras apresentaram-se com a indumentária da
história da Branca de Neve e os Sete Anões, reforçando o sentido lúdico das
actividades. Com recurso a animação e videogramas, jogos e personagens,
foi chamada a atenção dos mais novos para temas fulcrais na sua formação,
com vista à adopção de hábitos de vida saudáveis.
Os jovens visitantes e seus professores foram recebidos numa sessão
de boas-vindas, pelo Conselho Directivo da Escola Superior de Saúde e
pela comissão organizadora. Depois de percorrerem os diferentes ateliers,
puderam usufruir de uma merenda saudável.
Paralelamente, no auditório do Centro de Saúde de Portalegre, decorreu
um fórum também conduzido pelos alunos da ESS, onde as grávidas foram
o público-alvo. Nesta sessão, as futuras mães tiveram oportunidade de ser
elucidadas sobre temas relacionados com a gestação e os primeiros anos
de vida da criança e puderam esclarecer dúvidas, num diálogo com alunos
e profissionais de saúde.
As actividades desta jornada foram coordenadas pelos professores
Margarida Malcata e António Casa Nova e contaram com o apoio do Centro
de Saúde e da Câmara Municipal de Portalegre.
O retrato da Adolescência
Da autoria de dois irmãos, a exposição “Adolescências... Gritos e Imagens” pode ser visitada nos
serviços centrais do IPP até 13 de Abril.
Esta mostra junta fotografias impressas em tela, capturadas por Francisco Cordeiro, às palavras escritas
por Raul Cordeiro, docente da Escola Superior de Saúde de Portalegre.
Conforme confessou o docente na sessão de inauguração, realizada a 19 de Março, os textos, datados
dos anos 1987/88, “foram rebuscados no sótão e deram origem às fotografias”.
“Uma viagem por um mundo de musas encantadas, encruzilhadas de ideias, amores impossíveis,
amores platónicos… Uma miscelânea saudável e rica de euforias e tristezas que são, afinal, o sal que
tempera a nossa vida”, assim é, segundo Raul Cordeiro, a adolescência, tema desta exposição.
_6 portal 1-3 | 2007
ESE realiza nova conferência do ciclo “Educação, Memória e Sociedade”
A Ética em debate nas XI Jornadas da Comunicação
Entre 12 e 15 de Março decorreram, na
Escola Superior de Educação de Portalegre,
as XI Jornadas da Comunicação.
Com a organização a cargo dos alunos do
curso de Jornalismo e Comunicação, este ano
a iniciativa teve como temática aglutinadora,
de reflexão e debate, a ética profissional.
Durante quatro dias, o anfiteatro da ESEP
encheu-se para dialogar com convidados
como José Nuno Martins (provedor do
ouvinte), Manuel Coelho da Silva (presidente
do Conselho de Opinião) e Paquete de
Oliveira (provedor do telespectador), entre
outros.
Em foco estiveram temas relacionados
com: as recém-criadas provedorias (do
ouvinte e do telespectador); o jornalismo
multimédia português; As crianças no
jornalismo e questões referentes ao acesso à
informação para portadores de deficiências.
No último dia das jornadas o livro “Sigilo
profissional em risco”, da jornalista Helena
Freitas deu o mote ao debate e serviu de
ponte para, da parte da tarde, se homenagear
o jornalista Manso Preto, pela sua carreira
dedicada à investigação na área do narcotráfico
e pela sua conduta ética, evidenciada quando,
em 2002, se recusou a revelar em tribunal
a identidade de uma fonte confidencial, ao
abrigo do sigilo profissional, tendo cumprido
pena por isso.
Ao longo destes dias, também ocorreram
duas iniciativas de carácter mais cultural,
organizadas pela comissão. Esteve patente no
átrio dos serviços centrais do IPP, entre 12 e 16
de Março, uma exposição de cartazes intitulada
_7 portal 1-3 | 2007
“A evolução da Publicidade”. Na noite de 13
de Março, o filme “War photographer”, de
James Nachtwey, sobre o jornalista Cristian
Frei, foi projectado no auditório dos Serviços
Centrais.
Na sessão de encerramento, a vice-presidente do Conselho Directivo da Escola,
Dra. Teresa Coelho, saudando a escolha do
tema destas jornadas, deixou um repto a todos
os alunos presentes: “Não se esqueçam nunca
dos valores e princípios que um jornalista
deve defender! E que as questões da ética vos
acompanhem tanto como as da estética…”
O dia terminou com o visionamento
de uma apresentação com os melhores
momentos do certame deste ano, já com
os olhos postos naquelas que serão as XII
Jornadas da Comunicação.
A conferência sobre “Etnicidade, imigração e
multiculturalidade em Portugal: uma perspectiva
nacional e local” teve lugar a 2 de Março, na
Escola Superior de Educação de Portalegre.
Como oradores participaram o Prof. Fernando
Luís Machado, do ISCTE, e o Dr. Alexandre
Martins, docente da ESEP, que forneceu uma
perspectiva local, a partir do estudo “Diagnóstico
sobre a situação social dos imigrantes no
concelho de Portalegre”, de que é autor.
Esta iniciativa, organizada pelo Departamento de Ciências Sociais e Humanas e
suas Didácticas, é a quarta de um ciclo de
conferências subordinadas ao tema “Educação,
Memória e Sociedade”. A presidente do
Departamento, Prof.ª Maria João Mogarro,
justificou a realização deste ciclo, como
forma de dar visibilidade a investigações feitas
internamente – de professores da Escola –
– e em articulação com linhas de investigação
e produção científica e pedagógica, nacionais e
também internacionais.
Para o vice-presidente do Conselho Directivo,
Dr. Fernando Oliveira, a Escola Superior de
Educação de Portalegre é o local certo para
realizar este tipo de reflexões, porque a sua
matriz de desenvolvimento articula cada vez
mais “Educação, Sociedade e Intervenção
Social”, quer pela natureza dos cursos, quer
pelos muitos projectos que a instituição vem
desenvolvendo.
No ESPAÇO de EXPOSIÇÕES...
Da vida para a tela
Entre 9 de Janeiro e 8 de Fevereiro esteve patente, no átrio dos serviços centrais do IPP, a exposição de pintura
de Nina Guerreiro.
Após a aposentação, que encerrou um ciclo de quase quarenta anos de trabalho, a artista campomaiorense começou
a dedicar-se de corpo e alma à pintura. “(…) cada quadro que pinto é um bocado da minha vida que eu coloco nele,
é amor, é paixão, é o pão que alimenta o meu espírito”, atesta a autora.
As suas pinturas de cores vibrantes, quentes, plenas de subtis velaturas, desvelam essa paixão, essa ânsia de se
contar na tela.
Sessões de Educação para a Saúde esclarecem a comunidade
Prof. Martinó Coutinho (re)apresenta bonecos com história
O Prof. António Martinó Coutinho expôs, nos Serviços Centrais, reproduções de bandas desenhadas, fotomontagens e
outras ilustrações, da sua autoria. Uma selecção de trabalhos publicados, entre 1976 e 1986, em órgãos de comunicação
locais e regionais, designadamente em “A Nossa Banda” (fanzine), “A Cidade” (revista cultural), “Fonte Nova” (jornal
semanário) e “Porta-Vós” (quinzenário pedagógico).
O autor interpretou esta exposição – “1976-1986/ Uma década de bonecos com história…” – como produto da inquietação
que sente, sobre a Cidade e “a Escola”.
Na inauguração da mostra partilhou o seu gosto pelos “bonecos”, que classificou como uma paixão insaciável. Agradeceu
ao presidente do IPP o desafio que lhe lançou, para expor, e a colaboração da Fábrica Real de Imagens, no tratamento e
impressão dos trabalhos.
A exposição esteve patente entre 12 de Fevereiro e 9 de Março.
A Vertente de Saúde Materna, Infantil e Pediatria, da Escola Superior de
Saúde de Portalegre, levou a cabo sessões de Educação para a Saúde, a 15
de Fevereiro. Crianças das Escolas EB1 de Vale de Cavalos, das Carreiras
e de Alegrete deslocaram-se até às instalações da ESS, para ouvirem falar
em “Higiene e Saúde Oral”, “Alimentação e Higiene Oral” e “Prevenção
de Acidentes”. Participaram num atelier de Puericultura e num rastreio de
obesidade infantil.
A iniciativa denominou-se “Aprender, a brincar” e foi desenvolvida por
alunos do 3º ano de Enfermagem, 1º semestre, não só neste dia, mas durante
o ano lectivo, nas diferentes Escolas EB1 de Portalegre.
Algumas das futuras enfermeiras apresentaram-se com a indumentária da
história da Branca de Neve e os Sete Anões, reforçando o sentido lúdico das
actividades. Com recurso a animação e videogramas, jogos e personagens,
foi chamada a atenção dos mais novos para temas fulcrais na sua formação,
com vista à adopção de hábitos de vida saudáveis.
Os jovens visitantes e seus professores foram recebidos numa sessão
de boas-vindas, pelo Conselho Directivo da Escola Superior de Saúde e
pela comissão organizadora. Depois de percorrerem os diferentes ateliers,
puderam usufruir de uma merenda saudável.
Paralelamente, no auditório do Centro de Saúde de Portalegre, decorreu
um fórum também conduzido pelos alunos da ESS, onde as grávidas foram
o público-alvo. Nesta sessão, as futuras mães tiveram oportunidade de ser
elucidadas sobre temas relacionados com a gestação e os primeiros anos
de vida da criança e puderam esclarecer dúvidas, num diálogo com alunos
e profissionais de saúde.
As actividades desta jornada foram coordenadas pelos professores
Margarida Malcata e António Casa Nova e contaram com o apoio do Centro
de Saúde e da Câmara Municipal de Portalegre.
O retrato da Adolescência
Da autoria de dois irmãos, a exposição “Adolescências... Gritos e Imagens” pode ser visitada nos
serviços centrais do IPP até 13 de Abril.
Esta mostra junta fotografias impressas em tela, capturadas por Francisco Cordeiro, às palavras escritas
por Raul Cordeiro, docente da Escola Superior de Saúde de Portalegre.
Conforme confessou o docente na sessão de inauguração, realizada a 19 de Março, os textos, datados
dos anos 1987/88, “foram rebuscados no sótão e deram origem às fotografias”.
“Uma viagem por um mundo de musas encantadas, encruzilhadas de ideias, amores impossíveis,
amores platónicos… Uma miscelânea saudável e rica de euforias e tristezas que são, afinal, o sal que
tempera a nossa vida”, assim é, segundo Raul Cordeiro, a adolescência, tema desta exposição.
_ portal 1-3 | 2007
8
2º Encontro com (a) memória, na ESTG
O Dr. Mário Silva Freire foi o segundo
convidado da iniciativa Encontros com (a)
Memória, da Escola Superior de Tecnologia e
Gestão. Na tarde de 1 de Março, o professor
aposentado da área de Ciências Humanas
evocou acontecimentos e relembrou sentimentos que viveu, durante os 11 anos em que foi
docente da ESTG.
Recordou o primeiro dia de actividades da
Escola; os primeiros Conselhos Científicos, em
que se delinearam os novos cursos; a defesa
de inclusão de uma componente humana,
nos cursos de engenharia; a transição para as
actuais instalações da Escola (período em que se
sentiu “uma renovada vontade para fazer desta
instituição uma Escola de sucesso”); pessoas com
as quais conviveu/ colaborou.
O presidente do IPP valorizou a
importância desta iniciativa, por se traduzir
num reconhecimento público a quem, com
o seu trabalho, fez a História da instituição.
Relembrou ter-se cruzado com o Dr. Mário
Freire, na Escola Superior de Educação, quando
esta dava os primeiros passos, e mais tarde no
lançamento das bases da ESTG.
Sobre o convidado
No início da sessão, o Dr. Artur Romão,
presidente do Conselho Directivo, destacou
algumas das facetas profissionais do convidado,
docente da ESTG, entre 1990 e 2001.
O Dr. Mário Freire é licenciado em Geologia,
pós-graduado em Psicologia e prestou provas
públicas para Professor Coordenador. Foi
director da Escola do Magistério Primário;
5_ portal 1-3 | 2007
Dedicação de alunos é premiada com visita ao Parlamento Europeu
vice-reitor do Liceu Nacional de Portalegre;
professor do ensino secundário e do ensino
superior.
Na ESTG, foi coordenador da área científica
de Ciências Humanas, vice-presidente do
Conselho Científico, membro do Conselho
Pedagógico, director do curso de Assessoria de
Administração (ao qual esteve ligado, “desde a
ideia à implementação”). Leccionou disciplinas
na área da Psicologia Organizacional e
coordenou o Gabinete de Inserção na Vida
Activa.
É autor de diferentes publicações, entre
as quais, “Comunicação, Comportamento
Humano e Empresa”, editado pela ESTG,
e dois livros da colecção “Largo da Sé”:
o n.º 1 – “A Humanização da Técnica” e
“Os Ingredientes do Poder”, cujos lucros
reverteram a favor do Rotary Clube de
Portalegre.
Actualmente, presta apoio de índole
pedagógica a alunos que vivem no Lar Sagrado
Coração de Maria.
Neste ano lectivo, alunos da Escola Superior
Agrária de Elvas tiveram um incentivo
acrescido para conseguir bons resultados.
Com o apoio do Parlamento Europeu e do
eurodeputado Capoulas Santos, os cinco
melhores alunos da disciplina de “Economia
e Política Agrárias” são premiados com
uma visita à sede do Parlamento Europeu,
em Bruxelas. São eles: Leonel Luís e Daniel
Justo, de Equinicultura, e Bruno Ricardo,
João Candeias e Vítor Paulino, de Engenharia
Agronómica.
A disciplina é leccionada pelo Prof.
Ricardo Ferreira e prevê “uma importante
componente associada não apenas à Política
Agrícola Comum, mas também à própria
integração europeia”. O docente explica que
proporcionou aos seus alunos a possibilidade
de virem a conhecer o Parlamento Europeu,
como forma de “reconhecer e premiar o
mérito das pessoas mais esforçadas e com
maior eficácia no seu trabalho” e “também
no sentido de incentivar a maior dedicação
e esforço”.
Concurso de Pontes de Esparguete da ESTG bate novo recorde
Projecto READCOM reúne em Portalegre
Reuniram-se na Escola Superior de Tecnologia
e Gestão do Instituto Politécnico de Portalegre,
entre 22 e 25 de Fevereiro, parceiros e aprendentes
do projecto internacional READCOM – Reading
Communities for Adults.
Este projecto, que se encontra no seu segunda
ano de actividade, está integrado no Programa
Sócrates, acção Grundtvig 2, e tem como
objectivos “promover o desenvolvimento do
indivíduo através de actividades como a leitura
e a escrita e criar o gosto pela aprendizagem ao
longo da vida.”
O READCOM é o resultado de uma parceria
entre a ESTG e instituições polacas (Biblioteka
Publiczna im. W. J. Grabskiego w Dzielnicy
Ursus m.st. Warszawy, Centrum Edukacji
Międzykulturowej i Medialnej Warszawa),
austríacas (Volkshochschule Donaustadt Wien),
turcas (T. C. Kültür ve Turizm Bakanligi, Yasama
Dair Vakif), belgas (Katholieke Hogeschool
Leuven) e também a Escola Superior de Educação
do Instituto Politécnico de Castelo Branco.
Este encontro em Portalegre contou com a
presença de cerca de meia centena de pessoas,
das quais 24 eram representantes dos clubes de
leitura das entidades internacionais intervenientes
no projecto.
Os dias foram preenchidos com reuniões de
trabalho e muitos momentos de lazer e convívio.
Uma “Feira Internacional” (de partilha de
Cantina Central, em funcionamento
Nos dias úteis, nos fins-de-semana e nos feriados, a Cantina Central serve
almoços e jantares. Entrou em funcionamento, no dia 3 de Janeiro, e desde
o dia 20 de Março, é apoiada por um bar.
Horários
Cantina
De 2ª Feira a Domingo: 12h00 – 14h15 (Almoços) / 18h45 – 21h00 (Jantares)
Fins-de-semana e feriados: 12h45 – 14h00 (Almoços) / 18h45 – 20h30 (Jantares)
Bar
De 2ª a 6ª Feira: 9h00 – 11h00/ 12h00 – 17h00
Na quarta edição do Concurso de Pontes de Esparguete, realizado
no âmbito da 10ª Semana de Engenharia, alcançou-se um novo recorde
nacional.
Uma ponte de esparguete construída pelos alunos Bruno Curado e
Bruno Martins, do curso de Engenharia Civil, suportou uma carga de
71,080Kg, o que corresponde a 206,19 vezes o seu próprio peso!
Na edição deste ano do Concurso, cinco pontes conseguiram superar
costumes e sabores) e visitas a alguns locais
de interesse histórico-cultural em Portalegre,
Marvão e Castelo de Vide, fizeram também parte
do leque de actividades.
o recorde do ano passado, ao ultrapassarem a fasquia de resistência
a 47,571 Kg.
O Concurso decorreu no auditório da Escola, na tarde de 15 de
Março. Teve como objectivo incentivar os alunos a colocar em
prática os conteúdos científicos aprendidos nas aulas e a desenvolver
o engenho para construir uma ponte que aguente a maior carga
possível.
ESS a Cuidar Portalegre
A 21 de Março, a Escola Superior de
Saúde de Portalegre realizou a segunda
edição da iniciativa “Cuidar Portalegre”.
Cerca de 400 pessoas acorreram ao
Mercado Municipal para proceder à avaliação
gratuita da tensão arterial, do índice de massa
corporal, níveis de colesterol, densitometria
óssea e espirometria, exames realizados por
44 alunos da ESS.
A organização foi da responsabilidade da
vertente médico-cirúrgica da 7ª Licenciatura
A, sob a coordenação do docente Eduardo
Ribeiro.
Ainda no âmbito desta iniciativa, durante
a manhã, teve lugar no Centro de Congressos
da Câmara Municipal de Portalegre uma
conferência subordinada ao tema “Doenças
pulmonares e Osteoporose”.
Em virtude da grande adesão da população
portalegrense, este será um projecto que,
certamente, se repetirá.
_ portal 1-3 | 2007
4
Formação em segurança contra incêndios instrui funcionários
Auditoria interna: mais um passo no caminho para a certificação
O Instituto Politécnico de Portalegre foi
auditado, a nível interno, nos dias 19, 25 e 26 de
Janeiro. Para responder às questões levantadas
no relatório desta auditoria, os grupos de
trabalho e círculos de progresso do IPP têm
vindo a implementar planos de acção.
No auditório dos Serviços Centrais, a sessão
de fecho da auditoria reuniu auditados de todas
as unidades orgânicas e os auditores (equipa
constituída por técnicos da empresa Índice
Consultores, docentes da ESTG e um auditor
externo).
_9 portal 1-3 | 2007
Na ocasião, o presidente do Instituto
Politécnico interveio, para realçar o caminho
percorrido, o esforço e a dedicação de
todos os seus colaboradores, sublinhando
em particular o trabalho de coordenação
desenvolvido pelo Doutor Joaquim Mourato,
administrador do IPP.
A implementação do Sistema de Gestão
da Qualidade prossegue. Uma nova auditoria
interna está agendada para o início de Maio.
O objectivo comum é conseguir obter a
certificação dos serviços prestados.
Funcionários consciencializados
para realidade orçamental
No início do ano, o presidente e o administrador do Instituto
Politécnico de Portalegre convocaram os funcionários dos Serviços
Centrais para uma sessão de esclarecimentos sobre a situação
orçamental da instituição.
O Dr. Nuno Oliveira manifestou ser intenção dos dirigentes do
IPP e das Escolas evitar, até ao limite, enveredar por uma solução
que passe pelos despedimentos, para fazer face aos crescentes
constrangimentos financeiros.
O dirigente explicou, detalhadamente, a formulação do
orçamento, sublinhando a necessidade de se proceder a um corte
nas despesas de funcionamento (15%) e com pessoal (2,5%).
Deixou claro que o sucesso destas medidas dependerá da acção
de todos os colaboradores e da forma como cada um conseguir
racionalizar custos, no dia-a-dia, e interiorizar as dificuldades.
Realçou a solidariedade e a cooperação, existentes entre unidades
orgânicas, que tem possibilitado superar as dificuldades decorrentes
do défice orçamental.
O administrador do IPP apresentou um pacote de medidas,
aprovado em reunião da Comissão Permanente do Conselho
Geral, com vista a um funcionamento com maior sustentabilidade
e num apelo à poupança de energia e à redução de consumos. [Ver
quadro]
Esta sessão teve lugar a 3 de Janeiro, à tarde, no auditório dos
Serviços Centrais.
Alfa Romeo grava anúncio na ESTG
O Lugar da Abadessa foi um dos cenários escolhidos para a produção de um filme publicitário
para o automóvel Alfa Romeo – Modelo 159.
No parque de estacionamento da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, a equipa de
produção filmou, nos dias 24 e 25 Janeiro. As gravações decorreram ainda noutros locais de
Portalegre.
A produção esteve a cargo da Mil_Made in Lisbon, em colaboração com a Parco Film.
No âmbito da implementação do sistema de segurança contra incêndios no Instituto
Politécnico de Portalegre, foi proporcionada uma formação inicial de técnicas de primeira
intervenção, aos funcionários, no início do ano.
Para além da componente teórica, o curso incluiu uma acentuada componente prática. Nas
instalações dos Bombeiros Voluntários de Portalegre, os formandos tiveram oportunidade de
utilizar extintores e carretéis de água, com fogo real!
As aulas estiveram a cargo do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil. Os grupos
foram constituídos por recursos humanos oriundos de cada uma das unidades orgânicas e
Serviços Centrais, num total de 36 formandos.
O IPP pretende dar continuidade a este tipo de formação, facultando ao maior número
possível dos seus colaboradores a transmissão destes conhecimentos úteis e a possibilidade
de pô-los em prática.
Empreendedorismo: palavra de ordem, na ESTG
A comunidade escolar do Instituto
Politécnico de Portalegre tem, este ano, pela
primeira vez, a oportunidade de participar no
Poliempreende [ver caixa]. O workshop de
lançamento da 4ª edição deste concurso, a 1
de Março, na Escola Superior de Tecnologia
e Gestão, foi também o local escolhido para
apresentar outro projecto “autóctone” de
incentivo ao empreendedorismo. Trata-se do
Pólo de Dinamização Empresarial, criado sob
a tutela da Associação de Desenvolvimento
Regional/IPP, que visa ajudar os alunos a
ultrapassar os obstáculos que se vão colocando
à tentativa de criar uma empresa.
Esta estrutura para além de apoiar na
dinamização de planos de negócio, deverá
ajudar a encontrar fontes de financiamento.
Também abarcará a vertente de “Bolsa de
Emprego”, funcionando como ponte entre
alunos e empresas. É objectivo replicar
este pólo noutras Escolas do Politécnico de
Portalegre.
No workshop participaram dois “painéis”
de convidados. Para abordar o tema “O
empreendedorismo no IPP” intervieram: Dr.
Nuno Oliveira (presidente do IPP); Dr. Artur
Romão (presidente do Conselho Directivo da
ESTG); Dr. Miguel Serafim (presidente da
ADR) e Dr. Patrício Vilar (coordenador do
PDE-ESTG).
“O empreendedorismo no ensino superior
politécnico” contou com os testemunhos
do Prof. Luís Pinto de Andrade (docente
do Instituto Politécnico de Castelo Branco
e mentor do Poliempreende); Eng. Edgar
Nunes (vencedor da 2ª edição do concurso)
e Eng. Miguel Agostinho (representante do
simulador de Gestão e Estratégia, Global
Management). Os designers David Duarte e
Filipe Ramalheira, diplomados pela ESTG,
regressaram à Escola para partilhar com
uma plateia maioritariamente composta por
alunos, as suas experiências profissionais,
enquanto jovens empreendedores.
O Poliempreende é um concurso destinado a estudantes de graduação ou pós-graduação, diplomados e docentes das
diversas Escolas dos Institutos Politécnicos de Beja, Bragança, Castelo Branco, Guarda, Portalegre e Tomar.
A presente iniciativa visa contribuir para a mudança de atitudes dos actores académicos dos Institutos Politécnicos
participantes, induzindo-os a incorporar nas suas actividades regulares o desenvolvimento e a aplicação de métodos
para a valorização do conhecimento gerado, assim como para a constituição de novas empresas de cariz inovador e com
implantação regional, com potencial de crescimento.
Mais informações: http://www.ipportalegre.pt/poliempreende/
_ portal 1-3 | 2007
3_ portal 1-3 | 2007
ESAE tem novo Conselho Directivo (Continuação da pág. 1)
conhecer
Laboratório de Enfermagem Veterinária da ESAE
Este Laboratório da Escola Superior
Agrária de Elvas é, de momento, apenas
utilizado para ministrar aulas práticas ao
curso de Enfermagem Veterinária.
Após a iminente conclusão da terceira
fase (e última) de obras do Quartel do
Trem, este espaço será reorganizado e
passará a dedicar-se às análises clínicas
(área de parasitologia e alguns parâmetros
da área hematológica), numa perspectiva
de prestação de serviços à comunidade
envolvente, permitindo aos alunos
adquirir saberes práticos, em contexto
real.
Parte dos equipamentos existentes,
actualmente, no laboratório transitarão
para outra infra-estrutura, ainda em obras,
que acolherá o Centro de Atendimento
Veterinário.
Segundo a Coordenadora da Área
Científica das Ciências Veterinárias, a
professora Rute Santos, o centro entrará
em funcionamento após a conclusão das
obras e quando o mesmo estiver licenciado
pela Ordem dos Médicos Veterinários.
O Laboratório de análises clínicas
funcionará então como estrutura de apoio
do Centro de Atendimento Veterinário,
que estará aberto a toda a comunidade e
será uma mais-valia para a ESAE e para
os seus alunos, que poderão assim ganhar
experiência na sua área de formação.
Protocolo com Academia de Ténis de Portalegre
O Instituto Politécnico de Portalegre e a Academia de Ténis
de Portalegre assinaram um protocolo de cooperação, a 12 de
Janeiro. Resultante desta parceria, a ATP concederá descontos
no ensino da prática do ténis: 50% a estudantes das Escolas
integradas no IPP e 30% aos restantes membros da comunidade
académica do Instituto, bem como aos sócios da Associação
dos Antigos Alunos.
Como contrapartida, o Instituto Politécnico autoriza a
ATP a utilizar gratuitamente o campo de ténis, localizado nas
imediações da ESTG, nos horários estipulados.
Perante uma plateia plena e aproveitando a presença dos
representantes das principais entidades da comunidade envolvente
(o Governador Civil do Distrito, os presidentes das Câmaras de
Portalegre e Elvas, variados representantes do tecido empresarial
da região, etc.), o presidente do Instituto enfatizou o papel da ESAE
para o desenvolvimento da cidade de Elvas. Na mesma medida
que “o Instituto Politécnico de Portalegre é extraordinariamente
importante para o distrito, da mesma maneira que o ensino superior
é decisivo para o desenvolvimento deste país”, complementou.
Nesse sentido, sublinhou que IPP e comunidade envolvente têm que
“estar despertos e disponíveis” para cooperar “em prole daquilo que
será o futuro, que é incontornável que passe pelo ensino superior”.
“O repto”, explicou, “tem que partir sempre de nós - das unidades
orgânicas que constituem o Instituto e dos seus dirigentes. Mas
esse desafio tem que ser permanentemente aceite pelos membros
da comunidade”.
Em tempos de contenção orçamental, ao Conselho Directivo da
ESAE impõe-se a grande responsabilidade de ser “suficientemente
competitivo, atractivo e motivador para trazer até aqui, a esta
escola, os alunos que, cada vez mais, se afastam da procura dos
cursos da área agrária”, salientou o Dr. Nuno Oliveira.
Mas a ESAE “está no bom caminho!”, incentivou o presidente
do Instituto, nomeadamente porque tem toda a sua oferta formativa
adequada a Bolonha e o Conselho Científico da escola já preparou
as propostas ao nível da oferta de “Cursos de especialização
tecnológica” e também do 2º ciclo de estudos. [Ver caixa]
Consciente do contexto orçamental adverso com que se deparará,
o recém-empossado presidente do Conselho Directivo da ESAE
revelou que o lema deste mandato será: “olhar o futuro, que o
futuro olhará para nós!”, afiançando que a principal preocupação
da equipa se prenderá com “a melhoria da qualidade dos serviços
prestados aos nossos alunos, o que passa, necessariamente, pela
qualidade do nosso corpo docente e não docente, do nosso pessoal
técnico e das nossas instalações”.
“Olhar o futuro”, acrescentou, “significa, acima de tudo, um
esforço na captação de novos alunos (pois são eles, a razão de
existência desta Escola)”. Nesse contexto, o docente, apresentou
um conjunto de medidas que se propõem implementar, dando
particular ênfase:
. às questões relacionadas com Bolonha;
. à aposta na divulgação da oferta formativa para “maiores de 23”;
. ao aprofundamento das relações institucionais entre a Escola
e as restantes unidades orgânicas do IPP, de modo a gerar
novas ofertas formativas, quer ao nível da criação de cursos de
especialização tecnológica (garantindo assim a oferta de formação
pós secundária de nível IV na cidade de Elvas), de novos cursos de
1º ciclo e cursos de pós-graduação;
. à continuação da promoção de trabalhos de investigação e
experimentação aplicada em cooperação com instituições afins;
. à interacção com a comunidade envolvente através do
alargamento do leque de serviços prestados, numa óptica de resposta
às solicitações da referida comunidade, entre outras.
Em época de grande incerteza face ao futuro da instituição, o
presidente do Conselho Directivo afirma sentir “dever e obrigação”
de tudo fazer para alcançar o objectivo da Escola - “formar os
nossos alunos, garantindo-lhes um futuro melhor.” E remata com
optimismo: “O futuro olhará para a ESAE!”
Cantaram-se as Janeiras, à porta do IPP
Mestrado aprovado
Os Serviços Centrais ouviram cantar as Janeiras. Ao anoitecer de 5 de Janeiro, a Confraria de Santo
António – grupo Pró-Portalegre, veio até à Praça do Município, no seu percurso pelas instituições da
cidade, e dedicou ao presidente do Instituto Politécnico de Portalegre uma quadra: “A Confraria inteira/
Deseja aqui saudar/O Dr. Nuno Oliveira/E um bom ano desejar”.
Como forma de agradecimento, o dirigente ofereceu aos confrades uma fatia de bolo-rei e um
cálice de vinho do Porto.
No próximo ano lectivo, a Escola Superior Agrária de Elvas vai poder ministrar um segundo ciclo de estudos, em “Agricultura Sustentável”.
Com a aprovação deste mestrado, por parte da Direcção Geral do Ensino Superior, a ESAE possibilitará aos alunos “adquirir conhecimentos
sólidos e variados, reforçando a sua capacidade de reflexão crítica e integrada sobre a problemática da sustentabilidade dos sistemas de agricultura
mediterrânicos e soluções preconizadas, estimulando a criatividade para a formulação e análise de novas soluções”.
_ portal 1-3 | 2007
_ portal 1-3 | 2007
conhecer
editorial
Dra. Helena Freire Cameron
Vice-Presidente do Conselho Directivo
da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Portalegre
Tempos de mudança …
Como dizia o poeta, “Todo o mundo é composto de mudança, tomando
sempre novas qualidades”. Quotidianamente ouvimos palavras como
reestruturação, optimização, reforma, e outras tantas nomenclaturas
que têm como denominador comum a mudança. Parece ser a ideia
do momento! No que diz respeito ao ensino superior, estamos a viver
tempos muitos especiais, que marcam o fim de uma era e o começo de
uma outra, ao falarmos de Bolonha e de tudo o que lhe é inerente.
Neste ano lectivo em curso, tome-se o exemplo da ESTG, que tem
três modelos de cursos em funcionamento (licenciaturas bi-etápicas,
licenciaturas em processo de transição e licenciaturas novas já no formato
de Bolonha). Esta mudança para o novo paradigma de Bolonha tem
implicações em todos os processos e procedimentos que fazem parte
da orgânica complexa de uma Escola, desde as mais simples tarefas
administrativas até às mais complexas formas de implementação e de
regulamentação. As consequências de “Bolonha” já são conhecidas:
menos tempo de duração das licenciaturas, menor carga horária
presencial e uma maior demanda por equipamentos e serviços que serão
necessários nas actividades escolares complementares, desenvolvidas
pelos alunos fora dos momentos de aula, neste novo processo de ensino/
aprendizagem. Esta mudança é sentida por todos os agentes, em maior ou
menor grau, e é preciso aproveitar esta época de transição para instituir
reformas necessárias para que o novo paradigma possa ser implementado
em toda a sua plenitude.
A mudança, ou a necessidade desta, é também sentida pelos
intervenientes da sociedade em que estamos inseridos, e que pretendem
também integrar este processo de renovação do ensino superior.
Assistimos, cada vez mais, à entrada no ensino superior de pessoas já
oriundas do mercado de trabalho e que vêm em busca de habilitações e
de conhecimentos. Aqui, no interior do país, onde o acesso à informação
é barrado, muitas vezes, pela simples distância geográfica, o ensino
Politécnico tem um papel fundamental de resposta a estas necessidades
cada vez mais prementes.
No que concerne aos alunos vindos do ensino secundário, ao
formarmos estes alunos num novo paradigma, estamos a acompanhar
os tempos de desenvolvimento, lançando no mercado de trabalho
profissionais qualificados em condições de poderem acompanhar as
solicitações de progresso do mundo do trabalho. Por outro lado, ao
darmos formação a pessoas que já estão no meio profissional, estamos,
ao mesmo tempo, a receber os contributos que também nos permitem
aproximar deste, numa verdadeira interacção de acção/reacção.
Finalmente temos a mudança do ponto de vista do meio empresarial.
As empresas têm, cada vez mais, necessidades específicas de
crescimento que podem facilmente ser supridas pelo meio intelectual que
é o ensino superior. Cada vez mais se fazem parcerias entre empresas
e o ensino superior, não só desenvolvendo projectos de investigação
mas, sobretudo, pequenos projectos que permitem fornecer ao meio
empresarial soluções, fornecendo conhecimentos e novas tecnologias.
Os Institutos Politécnicos, pelas suas características, poderão ser
agentes privilegiados e poderão contribuir, assim, para um verdadeiro
desenvolvimento das áreas do país onde estão implantados. Esta
aproximação ao meio empresarial já é uma realidade e os resultados vão
começar a ser cada vez mais evidentes num futuro próximo.
A demanda pelo conhecimento e um grande desejo de progresso por
parte de todos os intervenientes neste processo são a base fundamental
desta mudança. Contudo, é necessário ainda uma grande disponibilidade
e perseverança para que possamos chegar, enfim, ao novo paradigma.
Mais oito cursos adequados
No que respeita a primeiros ciclos de estudos, a Escola Superior
de Educação viu aprovadas pela Direcção Geral do Ensino Superior
as adequações dos cursos de “Animação Educativa e Sociocultural”;
“Serviço Social” e “Turismo e Termalismo”. E não apenas os planos
de estudo foram reformulados; também as designações de dois destes
cursos sofreram alterações, pelo que passarão a chamar-se: “Animação
Sociocultural” e “Turismo”.
Igualmente adequados às directrizes do Processo de Bolonha se
encontram mais cinco cursos da Escola Superior de Tecnologia e
Gestão. “Administração de Publicidade e Marketing” (em resultado da
adequação do curso de “Marketing”); “Assessoria de Administração”;
“Design de Comunicação”; “Engenharia Civil” e “Gestão” (que
aglutina “Gestão Empresarial” e “Contabilidade”). Este último ciclo de
estudos apresenta três ramos: “Contabilidade”; “Gestão de Empresas”
e “Gestão de Marketing”.
Foi aluno da Escola Superior de Educação de Portalegre tendo concluído, em 1992, o Curso de Professores do
Ensino Básico, variante Matemática e Ciências da Natureza.
Leccionou, durante um ano, na Escola Básica 2, 3 Cristóvão Falcão, em Portalegre, onde é efectivo, sendo
posteriormente, em 1993, requisitado pela ESE.
Com um mestrado em “Didáctica das Ciências”, terminado em 2002, na Faculdade de Ciências da Universidade
de Lisboa, é actualmente equiparado a professor adjunto, do Departamento de Ciências Físico-Naturais e suas
didácticas.
Dos tempos iniciais, enquanto docente na ESE, recorda o facto de ser mais jovem que a maior parte dos seus
alunos e também que os colegas. Mas salienta que esse aspecto nunca foi um obstáculo para o seu “empenho e
desenvolvimento profissional”.
Volvidos cerca de catorze anos, o docente já cumpriu dois mandatos na Assembleia de Representantes da Escola,
outros tantos no Conselho Pedagógico e é o coordenador da Escola no programa PNESST (Programa Nacional de
Educação para a Segurança e Saúde no trabalho desenvolvido no âmbito de um protocolo firmado com o Instituto
para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho). Participa ainda em projectos como: “A Aprendizagem por
Problemas no Ensino Superior”, coordenado pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa; Programa de
Formação de Professores do 1º ciclo do Ensino Básico em Ensino Experimental das Ciências; Projecto “Ciência
Viva”; entre outros.
As, pelo menos, oito horas diárias que dedica à Instituição, dificultam a coordenação entre trabalho e família. No
entanto, sublinha que a família vem sempre em primeiro lugar e tenta fazer disso “ponto de honra”.
Os poucos momentos que tem para si próprio, admite, entre risos, que tenta aproveitá-los à sua maneira,
nomeadamente, “não fazendo NADA!”.
aluna
Nome Sónia Marisa
dos Santos Gonçalves
Data de Nascimento
01.06.1985
Naturalidade Guarda
docente
Nome Fernando António Trindade
Rebola
Data de Nascimento
19.05.1970
Naturalidade Monforte
Actualmente em estágio, no último semestre do quarto ano do curso de Enfermagem da Escola Superior de Saúde, esta aluna
afiança que em Portalegre passou “três dos melhores anos” da sua vida.
Saúde sempre foi a sua área de eleição, particularmente a enfermagem “pelo carácter humano que a profissão acarreta”,
confessa.
Embora assegure que o curso exige “imenso trabalho e dedicação” isso não a coibiu de se envolver em várias actividades
extracurriculares, de índole académica. Até porque, conforme admite, a sua forma de estar não se adequa à “vida escola-casa
e vice-versa”. Logo no primeiro ano entrou para a EnfTuna, Tuna da ESS, da qual foi magister entre 2005 e 2006 e uma das
organizadoras do Portus Alacer – I Festival de Tunas Mistas de Portalegre. Desempenhou também funções de secretária da
Associação de Estudantes da Escola.
“A grande dificuldade”, revela, “passa por conseguir articular e conciliar todas estas actividades (…), mas com vontade,
gosto e dedicação tudo é possível!”. Os ensinamentos que retirou destas experiências fazem com que sinta que o esforço valeu
a pena…
Prestes a terminar o curso, e já com ‘um pé’ fora de Portalegre, a futura enfermeira garante que vai tentar deixar o outro (pé)
sempre por cá. Na cidade ficam “amigos e uma segunda casa – a Escola.”
O facto da ESS ser pequena, explica, “permite que as amizades aconteçam de forma facilitada” e sublinha que não se refere
apenas aos colegas, mas igualmente a docentes e funcionários. Esta característica da Escola revela-se numa ajuda preciosa ao
longo do curso, “principalmente para quem tem a família longe…”, enfatiza.
No futuro, gostava de exercer a sua profissão em meio hospitalar e, quem sabe, aprender a tocar violino…
É funcionária da Biblioteca da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, desde Outubro de 1997. Faz atendimento
ao público, catalogação de revistas e publicações periódicas e a divulgação destas novidades, num boletim semanal
que envia por e-mail para alunos e docentes.
Neste ano lectivo, entrou no curso de Marketing, ao abrigo do regime especial para maiores de 23 anos. Não
estudava há 13 anos e está a gostar muito da experiência, pelo contacto com os colegas mais novos e o retomar
de métodos de estudo.
Casada e mãe de dois filhos, explica como é o seu dia-a-dia, nada monótono: pelas oito da manhã, já está na
Escola, para ir às aulas. Tem uma hora de pausa para almoçar e entra às três da tarde na Biblioteca, onde trabalha
até às oito. Vai para casa, onde a espera mais uma “jornada contínua”... Muitas vezes, só encontra tempo para
estudar à meia-noite!
Porque o tempo escasseia, as leituras também. Em casa, o livro “Equador”, de Miguel Sousa Tavares, aguarda
há muito pela sua atenção. Quando tem disponibilidade, em lazer, tenta praticar uma actividade que muito lhe
agrada: andar de bicicleta.
funcionária
Nome Carla Maria Moura
Serra Maçãs da Silva
Data de Nascimento
21.09.1974
Naturalidade Portalegre
_ portal 1-3 | 2007
_ portal 1-3 | 2007
a fechar...
Associações de Estudantes tomam posse
Ano 8 . Número 73.
1-3 | 2oo7
a
Por t l
Boletim Trimestral do Instituto Politécnico de Portalegre
ESAE tem novo Conselho Directivo
Escola
Presidente da Direcção da AE
Ano e curso
ESS
Vítor Monteiro
3º Ano
Enfermagem
ESTG
Pedro França
3º Ano
Engenharia Civil
ESE
Andreia Ascensão
2º Ano
Jornalismo e Comunicação
ESAE
Diogo Assunção
1º Ano
Enfermagem Veterinária
Data da tomada de posse
11 de Janeiro
31 de Janeiro
7 de Março
27 de Março
No primeiro trimestre deste ano, as quatro Associações de
Estudantes do IPP renovaram as suas equipas para um novo mandato.
Três alunos estrearam-se como presidentes da direcção; apenas na
ESTG o mesmo aluno é repetente no cargo.
Cada sessão de tomada de posse contou com a presença do
presidente do IPP e do respectivo presidente do Conselho Directivo.
Todos transmitiram uma mensagem de disponibilidade para apoiar as
iniciativas dos alunos, embora evidenciando as restrições orçamentais.
“Não peçam, exclusivamente, à Escola e ao Instituto só dinheiro.
Reivindiquem, sejam exigentes”, desafiou o presidente do Instituto,
em Elvas, e deu como um exemplo desta “postura” o pedido de novas
instalações, que alunos da ESAE fizeram, outrora.
Na Escola Superior de Educação, a ex-presidente da AE, Tânia
Paiva, passou o testemunho e por motivos de saúde encontra-se ausente
Na tarde de 8 de Janeiro tomou posse o terceiro Conselho Directivo da Escola
Superior Agrária de Elvas. Nos próximos três anos, a ESAE vai ser dirigida pelo
docente Luís Alcino da Conceição, o novo presidente, que substitui no cargo o Prof.
Francisco Mondragão Rodrigues. Os vice-presidentes Noémia Farinha e Ricardo Braga, o
funcionário Hermenegildo Castanho e a aluna Carla Rocha completam a equipa directiva,
eleita na Assembleia de Representantes de 22 de Novembro de 2006.
(continuação na página 3)
da ESE. O seu labor e dinamismo foram evidenciados e aplaudidos.
Pedro França, na ESTG, dá continuidade ao trabalho iniciado o ano
passado. Também, na ESE, Andreia Ascensão manifestou intenção de
concluir projectos da anterior equipa. Na ESS, Vítor Monteiro mostrou-se disponível para fazer da sua Associação um local de “porta aberta”,
onde os alunos possam estar e dar as suas ideias. Diogo Assunção,
na ESAE, pretende melhorar a ligação entre a comunidade da Escola
e Elvas; fortalecer o espírito académico e cimentar a relação criada
com “as outras Agrárias”.
A constituição da (há muito desejada) Associação/ Federação
Académica está na agenda comum.
Os vereadores da Câmara Municipal de Portalegre (Ana Manteiga)
e de Elvas (João Vintém) estiverem presentes, respectivamente, na
sessão de tomada de posse realizada, na ESE e na ESAE.
O Centro de Informação Europe Direct do Alto Alentejo convidou as crianças do Agrupamento de
Escolas n.º 1 de Elvas a comemorar os 50 anos da assinatura do Tratado de Roma. A 23 de Março, dois
dias antes da efeméride, na Escola Básica do 1.º Ciclo da Boa-Fé, cantaram-se os parabéns à volta de
um avantajado bolo, em forma de bandeira da União Europeia. Durante a semana, a “Europa” foi tema
de trabalho nas aulas.
Ficha Técnica Edição Gabinete de Relações Públicas e Cooperação do Instituto Politécnico de Portalegre
Director Nuno Oliveira
Redacção Maria do Carmo Maridalho
Olga Cruchinho
Secretariado Susana Dias
Paginação Margarida Dias
Periodicidade Mensal Contactos Praça do Município Apartado 84 7301- 901 Portalegre Tel. 245 301 500 Fax 245 330 353 Site www.ipportalegre.pt E-mail [email protected]
D.R.
Aniversário da UE festejado com bolo “gigante”
Conselho Geral aprova
criação de Centro de Investigação
A proposta de criação do Centro Interdisciplinar de Investigação
e Inovação para o Desenvolvimento Regional foi aprovada, por
unanimidade, pelo Conselho Geral do Instituto Politécnico de
Portalegre, a 28 de Fevereiro, nos Serviços Centrais. Criar uma linha
de investigação, ou várias, que sejam transversais a todas as Escolas,
é o objectivo do Centro, com sede na ESTG.
Nesta reunião foram colocados à discussão, e posteriormente
aprovados por unanimidade, o Balanço Social de 2004; o Regulamento
do Concurso para Maiores de 23 Anos e os Relatórios de Actividades
de 2005, de 2006 e de 2007.
Dadas as restrições impostas no número de cursos de formação
inicial, ao nível do primeiro ciclo, o Conselho Geral discutiu a
distribuição de oferta formativa por Escola, fixando quotas. À
Comissão Permanente atribuiu-se a competência para decidir,
anualmente, sobre a repartição do número de cursos, respeitando os
intervalos definidos.
Embora a fixação do valor das propinas seja da exclusiva
competência dos Conselhos Directivos das Escolas, o presidente do
IPP apelou à discussão e definição de uma política global sobre este
assunto. Os presidentes dos Conselhos Directivos da ESAE e da ESS
deram conhecimento que já fixaram um valor, para o próximo ano
lectivo.
Entre 2 e 20 de Abril, deverão decorrer eleições para o Conselho
Geral (mandato de 2007/2010), para serem escolhidos o representante
dos funcionários, os representantes dos docentes e os membros da
Comunidade.
Concurso de Pontes
de Esparguete bate recorde
(pág. 5)
Provedores do Ouvinte
e do Telespectador, na ESE
(pág. 6)

Documentos relacionados

Portal 44 - Instituto Politécnico de Portalegre

Portal 44 - Instituto Politécnico de Portalegre éramos quase todos desconhecidos uns dos outros, assim conseguimos abranger um grande número de alunos da escola. A imagem que os nossos alunos têm de nós é positiva”, conclui.

Leia mais

portal 68 - Instituto Politécnico de Portalegre

portal 68 - Instituto Politécnico de Portalegre O recital aconteceu a 22 de Junho, à noite, no auditório da Escola, e esteve a cargo de Fátima Mourinha, José Diniz e Sérgio Silva.

Leia mais

portal 76 - Instituto Politécnico de Portalegre

portal 76 - Instituto Politécnico de Portalegre pontuado por experiências em várias áreas. A ligação ao Politécnico remonta a Março de 1990. Com ironia, refere que concorreu ao lugar de motorista, do então presidente da comissão instaladora do I...

Leia mais