SIFUMG apresenta resultados dos Estudos para

Сomentários

Transcrição

SIFUMG apresenta resultados dos Estudos para
SIFUMG apresenta resultados dos Estudos para
Implantação da Central de Resíduos
O projeto, que tem o apoio do BID – Banco Interamericano de
Desenvolvimento, FIEMG, SEBRAE-MG e Governo do Estado de Minas
Gerais aconteceu no dia 24 de janeiro, na Sede da FIEMG Regional
Centro-Oeste. O evento apresentou os estudos realizados pela
empresa Faro Engenharia, que contemplam todas as fundições da
Região Centro-Oeste, em parceria com o Município de Divinópolis,
apresentando a destinação correta das ADF – Areias Descartadas de
Fundição, de acordo com as normas ABNT 10.004/2004 e
15702/2009, que estabelecem as diretrizes para aplicação de areias
descartadas de fundição, como matéria-prima em concreto asfáltico e
cobertura diária em aterro sanitário, na Região Centro-Oeste.
Dentre as principais informações apresentadas está o resultado, em
âmbito nacional, da dificuldade do descarte da areia de fundição, que
é considerado o maior resíduo gerado no Brasil. Na região que
contempla o APL – Arranjo Produtivo Local, 134 empresas produzem
fundidos e geram 160 mil toneladas por ano, deste montante, apenas
90 mil são descartadas e, destas, 90% são enviadas a aterros
industriais.
Para o Presidente do SIFUMG – Sindicato da Indústria da Fundição no
Estado de Minas Gerais e Presidente da FIEMG Regional CentroOeste, Afonso Gonzaga, este evento foi um importante marco para o
futuro do segmento metalúrgico da região. “As ADF representam hoje
o maior resíduo sólido no Estado e apresentamos um projeto
consistente, transformando rejeitos em matéria prima de primeira
grandeza, viabilizando tecnicamente todas as plantas de fundição de
nossa região”, explica.
O engenheiro responsável
pelo estudo, Fábio Garcia
Filho, explica a importância
do empreendimento, que é
um projeto pioneiro no
país. “Para cada 1 tonelada
de lixo é necessário 25%
de material de cobertura
no aterro, por isso, a
utilização
das
areias
descartadas de fundição na
criação desses aterros é
uma proposta que favorece
as indústrias e o meio
ambiente”, reforça. O engenheiro esclarece ainda que o descarte da
areia representa o 3º maior custo para uma empresa de fundição.
Sergio Lourenço, Superintendente da SDE – Superintendência de
Desenvolvimento Empresarial da FIEMG, que veio de Belo Horizonte
para acompanhar o evento, destaca a importância do envolvimento
das empresas de fundição do Centro-Oeste, do Sindicato e dos
parceiros, para que pudesse ser desenvolvida a central de disposição
da areia descartada de fundição, juntamente ao projeto ambiental,
que propõe o tratamento do lixou urbano. “É muito bom, poder
acoplar duas demandas que são fundamentais para que a
sustentabilidade aconteça, já que ela promove o aumento da
competitividade”, enfatiza.
Após o estudo, foi aprovado o Plano Municipal de Gerenciamento
Integrado de Resíduos Sólidos que, em parceria com a Prefeitura de
Divinópolis, contemplará a areia de fundição como cobertura do
aterro. O próximo passo para a instalação do aterro será uma
audiência pública e o lançamento do edital para escolha da empresa
que deverá gerir o projeto, o que deve acontecer no próximo mês.
O evento integra o Programa de Apoio à Competitividade dos
Arranjos Produtivos Locais – APL, de Minas Gerais, nas regiões de
Divinópolis, Itaúna, Cláudio e Carmo da Mata.
Gracielle Castro
Analista de Comunicação
FIEMG Regional Centro-Oeste