Royal Tokaji Essencia 2003

Сomentários

Transcrição

Royal Tokaji Essencia 2003
Royal Tokaji Essencia 2003
Royal Tokaji
Tokaj / Hungria
www.royal-tokaji.com
SOBRE O PRODUTOR:
A região húngara de Tokaj está situada 240 km a nordeste de Budapeste, nas montanhas
Zemplén, na confluência dos rios Tisza e Bodrog. Tokaji é o nome do vinho; Tokaj o da cidade; e
Aszú se refere às uvas botrytizadas, atributo comum dos melhores vinhos doces da região.
Os vinhos Tokaji Aszú podem ser considerados os vinhos doces primordiais, os primeiros
produzidos intencionalmente com uvas botrytizadas (em torno do ano 1650). Tornaram-se
lendários e foram imortalizados por seus fãs, como o Papa Piu IV, o rei Louis XIV (que o chamava
de “O Rei dos vinhos e o vinho dos reis”), Voltaire, Thomas Jefferson, a rainha Victoria...
Fundada em 1990, a Royal Tokaji Wine Company foi a primeira nova vinícola a surgir na região
após a queda da “cortina de ferro” e, por isso, passou a ser considerada a protagonista da
renascença desse lendário vinho húngaro, tornando-se uma das referências de Tokaji.
Com sócios como o famoso crítico inglês Hugh Johnson e também Karoly Áts – um dos melhores
enólogos da região, a Royal Tokaji combina técnicas tradicionais com moderna tecnologia e vem
produzindo vinhos soberbos, vencedores de diversos prêmios internacionais. Dentre os mais
recentes, merece destaque a façanha dos Royal Tokaji Blue Label Aszú 5 Puttonyos 2005 e 2006,
que foram relacionados entre os Top 100 da Wine Spectator nos anos de 2009 e 2010.
SOBRE O VINHO:
Produzido com uvas de vinhedos Primae Classis (“1er. Crus”). Os bagos de uva Aszú (afetados
pela botrytis cinerea) com elevada concentração de açúcares, ácidos e outros componentes
sólidos, são colhidos manualmente um-por-um. Em seguida, o néctar espesso dessas uvas é
coletado gota-a-gota em jarras de vidro, recipiente no qual ocorre a fermentação alcoólica, de
maneira espontânea (coma as leveduras silvestres) e muito lentamente. Um vinho único!
INFORMAÇÕES TÉCNICAS:
Tipo: branco doce.
Uva(s): majoritariamente Furmint, mais Hárslevelú e Yellow Muscat; colheita manual.
Vinificação: em jarras de vidro e com leveduras silvestres.
Amadurecimento: 7 anos nas jarras de vidro.
Graduação alcoólica: 2,3%
Acidez: 14,1 g/l. (pH ___)
Açúcar Residual: 510,6 g/l.
NOTAS DE DEGUSTAÇÃO:
Cor: âmbar e brilhante.
Aroma: seu potente e incrível aroma rescende a mel, damasco seco e em geléia, flores,
butterscotch, caramelo, especiarias...
Sabor: a elevada doçura encontra uma acidez à altura e se equilibram de maneira perfeita;
textura muito densa e untuosa, quase de mel; os sabores passeiam por frutas amarelas secas e
cristalizadas, mel de laranjeira, nuanças florais e minerais... longo e refrescante retrogosto.
SUGESTÃO DE HARMONIZAÇÃO:
Sobremesas à base de cremes e frutas cítricas; queijos azuis, como gorgonzola e roquefort; para
abrir uma refeição com foie gras; ou mesmo só, como “vinho de meditação”.
Servir a 8-10°C.
PREMIAÇÕES:
- 2003: WS94
- 2000: WS97