Nem sangue Nem areia: abram alas que o boi

Сomentários

Transcrição

Nem sangue Nem areia: abram alas que o boi
www.jornaldavilacampinas.com.br
Campinas - Fevereiro de 2015 - Edição nº 25 - ano 4
social
carnaval 2015
Nem sangue Nem areia:
abram alas que o boi vai passar!
37 anos de Boldrini: referência
de tratamento ao câncer
pro-memoria-de-campinas
ARQUIVO
Distribuição gratuita - venda proibida
Jornal da Vila
O Centro Infantil Boldrini de
Campinas foi fundado em 1978.
Segundo a presidente Silvia
Brandalise, que é médica especializada em Onco-hematologia Pediátrica, o início das atividades do hospital foi centrado
no atendimento ambulatorial.
As internações eram realizadas
em vários hospitais da Cidade,
Com 69 anos de tradição, o
bloco Nem Sangue Nem Areia
presta homenagem este ano ao
boi, o símbolo do bloco. “O Boi na
História. O Boi na Memória.” É o enredo do Carnaval de 2015. Para o
integrante do bloco desde 2008 e
jornalista Roberto Cardinalli, o boi
está presente desde os primórdios
da civilização no cotidiano e no
imaginário do homem.
PÁG. 15
SAÚDE
DIVULGAÇÃO
PÁG. 13
PÁG. 08
animal
Verão requer cuidados
com os animais domésticos
DIVULGAÇÃO
Depressão: sintomas, causas e tratamentos
A depressão não tem um fator único, são várias as causas.
Primeiro é o fator genético, em
que famílias têm predisposição
a desenvolver a doença; segundo são os fatores ambientais,
como estresse e toda situação
em que a capacidade de processamento do emocional é
superada daquilo que a pessoa
consegue fazer, como traumas
da infância; perda dos pais;
abuso; negligência, explica o
psiquiatra Acioly Luiz Tavares
de Lacerda.
incluindo na Pediatria da Santa
Casa de Campinas, onde funcionava a UNICAMP. Somente
em 24 de maio de 1986 foi inaugurado o seu próprio hospital,
construído com doações de
empresas e da sociedade não
só de Campinas, mas de toda a
região.
O verão é a época mais propícia para quem gosta de fazer
um passeio ao ar livre com a família e amigos, isso inclui também os animais de estimação,
que parecem ficar esperando
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
o dono chegar para dar uma
voltinha. Mas, nesta época do
verão, em que o calor está intenso, alguns cuidados devem
ser tomados com os pets.
PÁG. 11
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
editorial
os blocos e as escolas de samba,
que, em sua maioria, é sustentada pelo poder público, ou seja,
se diverte a custa da população
e samba na cara do povo. Mera
ilusão achar que alguma atração
é contratada para animar o público, como um ato democrático.
E ainda tem os artistas famosos,
que são pagos numa bagatela de
milhões de reais. Quanto a população de renda baixa ou quase nula, mal tem dinheiro para
comer e vive a mercê da saúde
pública e do descaso dos governantes, sem poder contar sequer
com uma ambulância para uma
emergência. Mas no carnaval essas mesmas ambulâncias ficam
disponíveis para socorrer os bêbados e fanfarrões. Alguns brasileiros cogitam a possibilidade de
ver a economia do País crescer
nessa época, mas não se engane.
Lucro mesmo tem os grandes, os
fabricantes de bebidas alcoólicas
e de drogas lícitas e ilícitas, que
divulgação
O
carnaval é comemorado em vários países e
se tornou a festa mais
esperada do Brasil. Porém, engana-se quem pensa que é uma invenção brasileira e uma celebração popular. A festa teve início
na Europa. A origem da palavra
carnaval é do latim carnis levale
e significa retirar a carne, relacionado ao jejum realizado em algumas crenças durante a quaresma
– período de quarenta dias que
antecede a Páscoa – Ressurreição
de Cristo - e também refere-se ao
prazeres mundanos, classificado
em muitas crenças como uma
festa pagã. Hoje, o carnaval é
uma festa puramente comercial,
com imenso volume de arrecadação para os poderosos, com
suas festas privadas, seus convidados exclusivos, os seus camarotes vips, os abadás caríssimos,
aqueles famosos que mais parecem ser um passaporte garantido para a alegria. Sem contar
Carnaval: festa popular?
circulam livremente no carnaval.
E é justamente no carnaval que
o governo gasta uma fortuna
para atender as demandas de
acidentes envolvidos na época.
E mesmo com o incentivo do
próprio governo, que distribui
camisinhas a role no período
carnavalesco, o número de foliões que são infectados por DSTs
é alarmante, uma vez que estão
curtindo a festa onde tudo é li-
berado. Além da quantidade de
mortes causadas por motoristas
embriagados e drogados, que
só aumenta a cada ano. O carnaval deve ter sido bom sim, mas
com certeza há anos atrás, em
outras gerações. Infelizmente, a
realidade de hoje é preocupante. Nosso cobiçado carnaval em
todo planeta é comemorado
mesmo pelos gringos, que vem
de vários países do mundo em
Calendário de reunião anual
Conseg Centrooeste
seções
HISTÓRIA DE SUCESSO...............
Pág. 4
ARTIGO .........................................
Pág. 5
PERSONAGEM ...............................
Pág. 6
SUA RUA ........................................
Pág. 6
PERFIL ..............................................
Pág. 7
SOCIAL ............................................
Pág. 8
DIVERSÃO .......................................
Pág. 10
ANIMAL ...........................................
Pág. 11
SAÚDE .............................................
Pág. 12
LAZER ..............................................
Pág. 14
CARNAVAL 2015 ...........................
Pág. 15
AGENDA CULTURAL ....................
Pág. 16
MODA ..............................................
Pág. 18
PASSATEMPO ................................
Pág. 20
09/02 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080.
09/03 – Segunda-F eira Sede Conseg – Sales de Oliveira,
1080.
12/04 – Eleição Bienio 2015/2016 – Domingo – Base
Conseg Sales de Oliveira, 1080.
11/05 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080.
08/06 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080.
13/07 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080.
10/08 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080.
14/09 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080.
12/10 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080.
09/11 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080.
14/12 – Segunda-Feira: 19 horas – Sede Conseg – Sales
de Oliveira, 1080 – Confraternização Sede Conseg
Mais informações: 3386-0015 / 991054640
com Solange Nigro - Email: [email protected]
02 - Jornal da Vila
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
busca de diversão, de mulatas
seminuas, de sexo barato, garantido em nosso norte e nordeste
com menores de idade e ainda
assim são tratados como reis. E
qual a recordação que levam daqui? A confirmação de um Brasil
sem regra, sem lei, sem punição,
sem ordem e muito menos progresso. O País do futebol e do
carnaval é também da violência
e prostituição.
expediente
Diretor Executivo:
Márcio Carvalho Editora:
Dálete Minichiello
MTB: 70.763
Colunistas:
MÁRCIA TREVISAN CORRÊA
simone castro
Comercial:
PATRÍCIA SILVA
Secretária administrativa:
Bruna Faria Operações em Logística:
Marcos Carlos Criação e Diagramação:
Renato Muniz Comunicação Visual:
raquel carvalho
Depto Financeiro:
Antônio Medeiros Redação e Publicação:
MCJ Editora e Distribuidora Ltda. e-mail:
[email protected]
site:
jornaldavilacampinas.com.br O Jornal da Vila é uma
publicação mensal com
tiragem de 10 mil exemplares Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
HISTÓRIA DE SUCESSO
SENAI Campinas: 70 anos de tradição
O
SENAI – Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial - foi
criado em 22 de janeiro de
1942, pelo decreto-lei 4.048 do
ex-presiden te Getúlio Vargas.
Surgiu para atender uma necessidade de formação de profissionais qualificados para a
indústria de base. Desde aquela época, estava claro que não
haveria crescimento do Brasil
sem educação profissional. Em
Campinas, a Escola SENAI iniciou suas atividades no dia 16
de novembro de 1944. Funcionou em algumas dependências
do Externato São João da Congregação Salesiana. Em janeiro
de 1951, passou a funcionar
em prédio próprio, na Avenida da Saudade, 125. Em 19 de
novembro de 1955, a unidade
passou a chamar Escola SENAI
“Roberto Mange”, uma homenagem ao primeiro diretor Regional do SENAI- SP, o falecido
Dr. Roberto Mange.
Ao fim da década de 1950,
quando o presidente Juscelino
Kubitschek acelerou o processo
de industrialização, o SENAI estava presente em quase todo o
território nacional e começava
a buscar, no exterior, a formação para seus técnicos. Logo,
tornou-se referência de inovação e qualidade na área de formação profissional, servindo de
modelo para a criação de instituições similares na Venezuela,
Chile, Argentina e Peru.
Nos anos 1960, o SENAI investiu em cursos sistemáticos
de formação, intensificou o
treinamento dentro das empresas e buscou parcerias com os
Ministérios da Educação e do
Trabalho, e com o Banco Nacional da Habitação. Na crise
econômica da década de 1980,
o SENAI percebeu o substancial
movimento de transformação
da economia e decidiu investir
em tecnologia e no desenvolvimento de seu corpo técnico.
04 - Jornal da Vila
Expandiu a assistência às empresas, investiu em tecnologia
de ponta, instalou centros de
ensino para pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Com
o apoio técnico e financeiro de
instituições da Alemanha, Canadá, Japão, França, Itália e Estados Unidos, o SENAI chegou
ao início dos anos 1990 pronto
para assessorar a indústria brasileira no campo da tecnologia
de processos, de produtos e de
gestão.
Em 16 de fevereiro de 1976
foi iniciada a construção de
uma nova unidade em Campinas para atender a demanda,
com área de quase 12 mil metros quadrados. A partir daí,
permaneceu a Escola SENAI
“Roberto Mange” na rua Pastor
Canuto Cícero de Lima, denominada como Unidade I, e a
unidade II, na Avenida da Saudade. A inauguração oficial deste novo prédio foi no dia 19 de
setembro de 1977, pelo Exmo.
Sr. Ministro do Trabalho Dr. Arnaldo da Costa Prieto.
Para a Escola SENAI, a educação é fundamental, tanto para
o crescimento da economia,
quanto para a formação de trabalhadores mais eficientes, uma
vez que as empresas estão cada
vez mais exigentes. A “Roberto Mange” atua nos cursos de
Aprendizagem Industrial, Cursos Técnicos, Formação Inicial
e Continuada do Trabalhador,
atendimentos de programas
sob medida para as empresas,
entidades e convênios, além de
curso superior.
Para o coordenador de relacionamento com a indústria do SENAI, Daniel Marcelo
Lourenço, a missão da Escola é
promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e
a transferência de tecnologias
industriais, contribuindo para
elevar a competitividade da indústria brasileira.
Hoje, a média de 15 mil alu-
arquivo
O aniversário da escola foi comemorado em novembro de 2014
Alunos do SENAI Campinas em aula prática
nos dos primeiros anos transformou-se em cerca de 2,3
milhões de matrículas anuais,
totalizando aproximadamente
52,6 milhões de matrículas desde 1942 até 2010. As primeiras
escolas deram origem a uma
rede de 797 unidades operacionais, entre fixas e móveis,
distribuídas por todo o País, nas
quais são oferecidos mais de
2.900 cursos de formação profissional, além dos programas
de qualificação e aperfeiçoamento realizados para atender
necessidades específicas de
empresas e pessoas. Em 2010,
foram prestados 126.470 serviços técnicos e tecnológicos,
como laboratoriais, informacionais, assessorias, desenvolvimento e inovação e certificações de processos e produtos.
Na área internacional, o SENAI firmou 48 parcerias com
29 países e 1 organismo internacional; captou 10.804 horas
de consultoria para o Sistema
SENAI e promoveu a capacitação de 3.654 pessoas no Brasil por peritos internacionais.
Além disso, ainda em 2010,
implantou quatro Centros de
Formação Profissional e está
implementando 11 no exterior,
em parceria com a Agência Bra-
sileira de Cooperação (ABC), e
desenvolve 29 projetos de cooperação técnica totalizando R$
68,9 milhões.
Para Daniel, a tradição tão
forte da rede é pela excelência
no atendimento e na formação
de qualidade que é ofertada
aos alunos. A marca é muito
bem falada pela seriedade na
educação. Ao contrário do que
alguns pensam, a SENAI 100%
privada. “Somos mantidos pela
indústria. A indústria é nosso
chefe”, ressalta Lourenço, que
destaca o objetivo principal da
Escola, que é manter a mão de
obra qualificada para o País. “A
Escola SENAI está focada no
atendimento para a indústria,
fazemos uma pesquisa para a
demanda dos cursos. Na região
de Campinas é muito forte a
metalomecânica, metalurgia,
eletrônica e automação”, explica.
Segundo Lourenço, o objetivo da Escola não é o encaminhamento direto. “Nosso objetivo é a qualificação pura e plena.
Começamos desde o primeiro
emprego, que são aprendizes,
a partir dos 14 anos até o ensino superior. Diariamente são de
três a quatro mil alunos e dois
milhões de alunos por ano”, comenta.
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
70 anos
Em novembro de 2014, o SENAI completou 70 anos de muito
sucesso. “Fizemos uma comemoração durante o dia e a noite
tivemos um jantar para a comunidade, alunos e os funcionários.
Durante o mês todo contamos
passo a passo da história da escola para os alunos”, descreve.
Para Daniel, o SENAI é o principal
instrumento na América do Sul
de qualificação profissional. “Temos 11 patentes de produtos licenciados”. A escola funciona nos
períodos manhã, tarde e noite e
também aos sábados. Segundo
Daniel, a responsabilidade da
escola é fornecer a mão de obra
qualificada para a indústria. Para
ele, o cidadão deve investir na
sua formação e a indústria também tem de investir na qualificação do seu funcionário. “Não
é um gasto da empresa, é um investimento, o funcionário é o seu
maior patrimônio. Máquinas são
descartadas, pessoas não. Temos
dois pilares: Educação e Oportunidades, que temos de abraçar.
Ganha a empresa e ganha o trabalhador. Conhecimento é algo
que ninguém tira de você, carrega pro resto da vida”, acredita.
De acordo com Daniel, a marca
SENAI é reconhecida, até porque
existe em todos os estados brasileiros, os alunos levam muito a
sério os estudos e a evasão é baixa, cerca de 5%. “Os cursos que
dão qualificação e profissão, são
reconhecidos pelo MEC, já pode
ir para o mercado de trabalho e
ser registrado como profissional”,
destaca.
Serviço:
Quem tiver interesse em ingressar na escola, em março
já estarão abertas as inscrições
para o segundo semestre.
Lembrando que aprendizagem industrial e cursos técnicos são gratuitos e os outros
cursos têm valores acessíveis.
O telefone é 3772-1840.
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
ARTIGO
É
difícil prever o futuro,
porque ele não se desenvolve linearmente.
No entanto, na educação, é
mais fácil antecipar algumas
perspectivas.
Atualmente, encontramos
pais no dilema entre o amar e
o educar, procurando adequar-se a medida certa.
Muitas vezes, a família, no
momento de educar, sente-se
paralisada pelo medo de perder
o afeto ao determinar limites aos
filhos, e acaba esquecendo-se
de que vivemos em uma sociedade na qual todos precisam seguir regras, e que, em consequência disso, podem ser punidos
caso não as cumpram.
Psicólogos orientam, com
frequência, os pais a compreenderem que não podem, ao
educar seus filhos, sentirem-se intimidados com cara feia,
porta do quarto fechada, choro e até ameaças. Estas situações devem ser aproveitadas
com sabedoria, para reforçar
o diálogo entre as partes. É
esse o momento em que os
Educar para o hoje é ... futuro!
pais devem ser “os adultos da
relação”.
Educar os filhos significa amá-los incondicionalmente, afinal,
não existe filho perfeito. Todos
somos pessoas em constante
desenvolvimento, aprendendo
a assumir responsabilidades,
buscando, a cada dia, tornar-se modelo de conduta pessoal
e profissional, em benefício da
geração que está vindo.
Considerando que estamos
no início das aulas, este é um
tema que merece reflexão por
parte da família, afinal, agrega-se, no início de cada ano letivo, a parceria da Escola neste
caminho de construção do ser
humano.
Escola esta que diante deste contexto, vislumbra um futuro no qual a educação será
cada vez mais importante para
as pessoas, para as empresas e
para o próprio país, com foco
no conhecimento relevante na
busca de uma sociedade ética e
responsável, criando, para isto,
um trabalho integrado entre a
família e escola.
Assim, ao aliar os conteúdos das disciplinas, as novas
tendências tecnológicas e as
necessidades desta nossa nova
sociedade, destaca-se a importância de desenvolver nos alunos a capacidade de trabalhar
em equipe, o domínio de diferentes idiomas, o domínio da
informática, o autodidatismo, a
cidadania e a responsabilidade
social, além da habilidade da
tomada de decisão, da capacidade de aprender a aprender,
da capacidade de associação
de ideias, liderança e visão de
conjunto.
Para que todo este leque
de desejos e planejamento
abra-se e o filho/ aluno seja
o maior beneficiado, é importante pensar e conversar
sobre Educação. E, pensar a
respeito implica que na escola a transmissão de conhecimento esteja voltada para
que o aluno adquira alta
performance durante o ano
escolar.
Mas o que significa aluno
com alta performance?
Uma pessoa capaz de ser ética, de fazer o melhor possível,
de pensar, de agir com prudência e de ser capaz de comparar
seus resultados com os dos outros, sem frustrações.
Hoje, sabemos que a educação depende do que o filho/
aluno recebe dos seus pais em
casa e das aulas que recebe na
escola. Os pais não substituem
a escola e nem o inverso é verdadeiro. Logo, a importância da
parceria!
Parceria que implica em seriedade, afinal, sem este item,
não é possível medir o certo do
errado, o bom e o mau, o melhor e o pior.
A educação é um projeto, é
algo que tem um caminho que
não pode ser simplesmente
realizado de qualquer forma.
Um projeto que precisa ser
elaborado, já que é o futuro
do filho e da família que está
em jogo. A ação de educar e
ensinar deve ser compartilhada entre as duas instituições,
portanto ambas - hoje mais
do que nunca - devem apoiar-
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
-se e preparar os jovens para o
exercício pleno da cidadania
com dignidade e respeito, para
serem pessoas que alcancem
a felicidade e a autonomia de
maneira competente.
Competência na formação
acadêmica e no primor dos valores, para que o vazio que se estabeleceu em virtude dos avanços
da sociedade moderna fique
menos arranhado do que está.
Márcia Trevisan Corrêa
Pedagoga, Pós Graduada em
Ensino Superior, Especialista em
Educação Infantil e Coordenadora
do Colégio Renovatus
Jornal da Vila - 05
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
personagem
Joaquim Barbosa: “Eu sou realizado na minha profissão”
SUA RUA
F
rancisco de Sales Oliveira Junior nasceu em
23 de abril de 1852,
em Jacareí, no interior paulista. É filho de Francisco de Sales
Oliveira e de Francisca Leitão
de Sales Oliveira. Foi engenheiro e o responsável pela construção dos serviços de água e
esgoto e diretor da Companhia
Mogiana, em Campinas. Pai de
Armando de Salles, ex-governador do Estado de São Paulo,
Sales de Oliveira morreu no
dia 23 de setembro de 1899. O
engenheiro foi homenageado
com o seu nome na rua Dr. Salles de Oliveira, que é cercada
06 - Jornal da Vila
DÁLETE MINICHIELLO
Joaquim no seu trabalho
DÁLETE MINICHIELLO
N
atural de são Sebastião da Grama
– SP, Joaquim Barbosa, nasceu em 26/07/1934,
ainda criança se mudou com
a família para Vargem Grande
do Sul, mas foi em Campinas
que realmente fez a sua vida
e se consolidou na profissão.
Foi por acaso a sua chegada
à cidade, mas foi a sua escolha ficar. E não tinha como
ser diferente. Foi em Campinas que se tornou um grande profissional especializado
em corte de barba e cabelos
e conhecido por toda a vizinhança. Filho de um dentista
com uma dona de casa é um
dos onze filhos do casal e o
único vivo. Chegou com a família quando ainda tinha 14
anos. Com essa idade, começou a trabalhar comissionado, depois se mudou para a
vila, onde mora desde 1969 e
onde passou a trabalhar por
conta própria. “Eu não posso reclamar de nada, sempre
trabalhei e vivi disso, com a
ajuda da minha esposa, que
é ex-ferroviária”, conta.
O barbeiro completou 66 anos de trabalho em Campinas
Joaquim e sua mulher Dolores
Barbosa é casado com Dolores Molina Barbosa, que era
mecanógrafa. Juntos tiveram
um filho, Marco Antonio, que
hoje tem 43 anos e duas netas.
O casal se conheceu na vila. “A
primeira vez que nos falamos
conversamos por mais de três
horas”, a partir daí surgiu uma
amizade, que virou namoro e
por fim, um casamento, que já
dura 46 anos. “Minha mulher
sempre apoiou a minha profissão, ela concorda em tudo comigo. Ela me quer muito bem e
vice-versa. Pretendo continuar
morando na vila, embora eu
me adapte fácil em qualquer
lugar, não tenho idéia de sair
daqui, tenho muitas amizades
por aqui”, afirma. Nas horas
vagas Barbosa gosta de conversar com os amigos e assistir
televisão.
Aposentado pela profissão,
Barbosa, que hoje está com
80 anos, quer continuar trabalhando. “Só pretendo parar
quando não tiver mais condições devido a minha idade.”
Se não fosse barbeiro, Barbosa
não sabe o que seria e nem ar-
Quem foi Sales de Oliveira?
pela linha ferroviária e pelo túnel de pedestres, na Vila Industrial. Diariamente, a rua recebe
mais de seis mil veículos; 12
linhas de ônibus, que atendem
por mais de 70 mil passageiros
e liga as regiões Norte e Oeste
ao centro de Campinas. Segundo informações da EMDEC
– Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas, a
via Dr. Sales de Oliveira é muito
importante para a cidade, mas
todo esse movimento não é
de hoje, a rua foi marcada por
sediar a Companhia Mogiana
e o Matadouro Municipal, na
década de 50, que tinha gran-
de movimento de pedestres e
ciclistas, pois naquela época,
os veículos automotores eram
raros. Sales de Oliveira também é nome de uma cidade do
interior paulista, que também
homenageou o engenheiro,
devido a sua importante atuação na Companhia Mogiana.
A movimentação da rua se dividia em funcionários da Mogiana, que após soar o som da
sirene do fim do expediente,
seguia rumo as suas casas. Por
outro lado, a rua era tomada
por boiadas que seguiam para
o matadouro. Por esse motivo,
a via foi denominada como Es-
trada da Boaiada. Também na
rua Dr. Salles de Oliveira, nos
anos 1940, era o cenário do
Carnaval de Campinas. A via
recebia sambistas e participantes da festa carnavalesca, na
Vila Industrial. Em plena harmonia, os moradores da Vila
iam assistir ao carnaval, levando seus próprios assentos para
acompanhar os desfiles. Desfiles estes que contavam com
várias atrações. Um dos destaques era o bloco “nem sangue
nem areia”, que tinha os famosos “cabeções”, os grandes bonecos eram responsáveis pela
diversão da garotada.
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
risca um palpite. “Só posso falar
bem da profissão, mas como
todo trabalho tem seus altos e
baixos.” Os clientes do barbeiro
são de todas as idades, a maior
parte são homens, tanto os
mais humildes como os mais
bem de vida. “Eu trabalho de
tudo quanto é moda, não é só
um tipo não. Eu sou realizado
na minha profissão. Eu gosto
de conversar, mas não gosto
de ficar me intrometendo na
vida dos clientes. Eu me sinto
orgulhoso de ter tantos clientes fieis aqui, além de muitos
colegas”, se emociona.
Barbosa garante que sabe
tudo da profissão, mas entre
cortar barba e cabelo a sua
preferência é cabelo, mas não
gosta de fazer nada apressado. “Eu levo em média 35
minutos para cortar um cabelo, eu faço um corte mais
tranqüilo, mais caprichado.”
Atualmente o preço da barba
é: R$ 15 e o corte R$ 20. “Antigamente esperavam mais de
uma hora para cortar a barba,
hoje a maioria corta em casa”,
lembra Barbosa.
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
perfil
Conheça o Deputado mais jovem da RMC: Cauê Macris
A
Família
Natural de Americana, interior de São Paulo, Cauê é
formado em Direito e casado
com Letícia. De religião católica, para o deputado, a sua família é a base de tudo. Filho do
Deputado Federal Wanderlei
Macris, Cauê conta que a sua
maior inspiração na vida pública foi e sempre será o seu pai.
“Tenho muito orgulho do meu
pai. Um homem com mais de
40 anos de vida pública, que
tem seu nome marcado pela
ética e pelo trabalho merece o
respeito de todos nós.” E não é
para menos, juntos, pai e filho
dizem trabalhar para fazer a
diferença e representar o povo.
“Costumo dizer que a região
ganha em dobro com a nossa
eleição. Enquanto o Deputado
Vanderlei Macris representa os
interesses da região em Brasília,
na Assembleia Legislativa faço
o mesmo junto ao Governo do
Estado. Somamos forças para
beneficiar a população.” Para
Cauê, “a política é a ciência da liberdade”, frase do filósofo e político francês Pierre Proudhon.
Política
“Vejo na política um instrumento importante para ajudar
aqueles que mais precisam.”
os
Idade: 30 an
ARQUIVO
ES
Signo: ÁRI
ARQUIVO
os 30 anos, o mais
novo Deputado Estadual da região metropolitana de Campinas, Cauê
Macris, já transmite segurança
ao falar de política, isso porque
sempre conviveu com a política.
Ainda criança, a convite da ex
Primeira Dama, Dona Lila Covas,
ingressou no projeto Tucaninhos - destinado a levar conhecimento político para as crianças. Também teve envolvimento
com o movimento estudantil,
militou no PSDB (o seu partido
até hoje), onde já ocupou a função de vice-presidente estadual
da Juventude. Esses foram os
seus primeiros passos antes de
ingressar na vida pública.
Cor: AZUL
Animal de
não tem
estimação:
A soma e
o resto –
Fernando
o:
vr
Li
Henrique
Cardoso
Tempos
Modernos
Filme: Charles
Chaplin Deputado Cauê Macris
Cauê, Wanderlei Macris e Geraldo Alckimin
Para Macris, os votos recebidos na última eleição (outubro
2014), revela a confiança que
os eleitores depositaram no seu
nome. “Mais que dobramos a
votação em relação ao primeiro mandato, isso significa que
estou no caminho certo. Só tenho a agradecer a confiança”,
agradece. Além de sua cidade
natal, Macris diz que as demais
cidades da região metropolitana podem esperar muito trabalho em prol a população. “Só
tive a confiança dos eleitores
porque mostrei trabalho em
meu primeiro mandato. Vamos
honrar esta confiança trabalhando para trazer cada vez
mais benefícios para população.” Mesmo com a corrupção
e desonestidade na política
brasileira, o deputado ainda
acredita no País. Para ele, como
em todas as áreas, há pessoas
boas e ruins. “Reconheço que
não faltam exemplos ruins, por
isso mesmo que cada vez mais
a política precisa de homens e
mulheres de bem, que estejam
verdadeiramente comprometidos a lutar, não por questões
pessoais, mas sim para ajudar a
população. É com este objetivo
que levanto todos os dias para
trabalhar”, afirma confiante o
deputado.
Carreira POLÍTICA
O seu primeiro mandato
parlamentar foi aos 27 anos, como
vereador de Americana - SP, em
que assumiu o posto de Líder do
Governo dentro do Poder Legislativo.
Foi reeleito para o segundo
mandato e escolhido pelos demais
parlamentares como presidente
da Câmara de Americana nos anos
2010/2011. Foi o autor da 1ª Lei do
Brasil a proibir uso de tabaco em
locais de uso coletivo, criador do
Estatuto dos Animais, que defende
a posse responsável de animais de
estimação e fundador do Fórum
Americana 2020. Aos 30 anos, foi
eleito para seu primeiro mandato
de Deputado Estadual, sendo um
dos parlamentares mais jovens do
Parlamento Paulista. Neste primeiro
mandato como Deputado, Cauê
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
Macris já apresentou o projeto de
lei, aperfeiçoado pelo governador Geraldo Alckmin, que pune
com multa e até fechamento, os
estabelecimentos que comercializarem bebidas alcoólicas para crianças
e adolescentes. Pioneira no país,
a lei é válida em todo Estado de
São Paulo. Também é do deputado
Cauê Macris a proposta que cria
a Ficha Suja, para motoristas
flagrados dirigindo sob estado de
embriaguês. Foi eleito diversas
vezes relator especial de projetos
importantes do governador Geraldo Alckmin na Assembleia
Legislativa de São Paulo, como
o reajuste escalonado de 42,5%
aos profissionais da Educação.
Atualmente é Deputado Estadual
no mandato 2015-2018.
Jornal da Vila - 07
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
SOCIAL
08 - Jornal da Vila
ou diagnostico de câncer ou doença sanguínea. No Boldrini, não
há lista de espera. De todos os
pacientes, 80% deles vindos do
Sistema Único de Saúde (SUS),
recebem o tratamento, com duração média de dois anos. O cuidado multiprofissional é um dos
fatores do sucesso no combate
ao câncer, além de equipamentos e tecnologias de ponta. Outra vantagem é a proximidade
com a Universidade Estadual de
Campinas (Unicamp), que auxilia
no desenvolvimento científico
e tecnológico, transformando o
Boldrini em um dos maiores centros de pesquisa do Brasil e da
América Latina na área de onco-hematologia pediátrica.
Aniversário
A comemoração do aniversário de 37 anos do Boldrini, além
de ser festejado da forma tradicional com bolo, bexigas coloridas e “parabéns pra você”, este
ano teve uma grande novidade.
O hospital abre as portas da instituição para estágio a alunos de
graduação de medicina e outras
áreas da saúde, como farmácia,
biologia e biomedicina. Para Silvia, “existe a necessidade de estimular um novo perfil de profissionais, incentivando a iniciação
científica, o desenvolvimento de
raciocínio crítico embasado em
evidências científicas. Essa postura em muito auxiliará o aluno
no desenvolvimento da futura
profissão, independentemente
da área de atuação. É de alta relevância, nesse momento do curso
de graduação, estimular o aluno
Estrutura modulada do Boldrini
ARQUIVO
ver a assistência e acolhimento
dos pacientes e seus familiares”,
além de estudar projetos de
viabilidade não só do custeio
como de novos investimentos
tecnológicos, vislumbrar novos
trajetos a serem percorridos com
foco na prevenção do câncer da
criança e do adolescente, como
também em novas terapias-alvo,
buscando maiores chances de
cura. “Navegando no mar da sociedade brasileira, carregamos o
compromisso da educação e da
capacitação dos profissionais de
saúde, nas áreas do câncer e das
doenças sanguíneas de crianças,
buscando repassar ao nosso País,
as mesmas chances de cura alcançadas no Boldrini”, acredita.
Segundo a médica, o Boldrini
se tornou referência porque foi o
primeiro hospital especializado
em câncer da criança no Brasil.
E também, o primeiro a implantar Protocolo de Tratamento da
Leucemia Linfóide da Criança,
“sendo um estudo multicêntrico,
aumentando significativamente
as chances de cura das crianças
brasileiras. Nesta Coordenadoria,
a nível nacional, teve papel decisivo na formação de profissionais
na área da leucemia pediátrica.” O
Boldrini atende como caso novo
desde o período neonatal até os
29 anos de idade. Ao redor de
30% dos pacientes têm mais de
18 anos de idade. “Ao todo, são
cerca de 10 mil crianças, adolescentes e adultos jovens em tratamento. O tratamento destas
doenças catastróficas para a família, quase sempre é complexo.
Independe da idade do paciente.
A criança carrega mais o sentimento da esperança. Já o adolescente, emocionalmente sofre
muito não só com o diagnóstico
do câncer, mas frente a possibilidade da mudança da sua aparência física. A queda dos cabelos
decorrentes da quimioterapia, é
altamente impactante para eles”,
explica.
Todo ano, o Boldrini recebe
cerca de 900 novos casos de
crianças e jovens com suspeita
Fundação do hospital
a se interessar por pesquisa. O
Brasil precisa de mais jovens investigadores”, destaca.
Lembrando que o Hospital
recebe todo o tipo de ajuda,
desde o trabalho voluntário na
recreação da criança e apoio à
família, como auxílio em bazares,
confecção de artesanatos, programação de festividades para
as crianças, contadores de histórias, recreacionistas, trabalhos de
elaboração de textos educativos
voltados para a criança e sua família, promoção de festas para
arrecadação de verbas, doação
em espécie ou em dinheiro e outros com foco no bem estar do
paciente. Além disso, o hospital
também recebe doação de sangue, que é sempre bem-vinda. O
doador faz o cadastro e se realiza
o procedimento necessário da
coleta. Seja um contribuidor para
que o Boldrini continue dando
esperanças a milhares de famílias.
ARQUIVO
O
Centro Infantil Boldrini
de Campinas foi fundado em 1978. Segundo a presidente Silvia Brandalise,
que é médica especializada em
Oncohematologia Pediátrica, o
início das atividades do hospital
foi centrado no atendimento ambulatorial. As internações eram
realizadas em vários hospitais da
cidade, incluindo na Pediatria da
Santa Casa de Campinas, onde
funcionava a UNICAMP. Somente
em 24 de maio de 1986 foi inaugurado o seu próprio hospital,
construído com doações de empresas e da sociedade não só de
Campinas, mas de toda a região.
O nome do hospital é uma homenagem ao pediatra Domingos Adhemar Boldrini, falecido
em 1976, que prestou relevantes
serviços na cidade de Campinas.
A sua estrutura foi modulada
para proporcionar conforto aos
pacientes e familiares, além de
poder contar com médicos especializados que realizam seu
trabalho em regime integral.
Não é por acaso que o Boldrini é
referência. Com quartos com banheiros privativos, quartos para
acompanhantes e seus 77 leitos,
sendo oito de terapia intensiva e
seis destinados ao transplante de
medula óssea, o que faz o hospital ser o maior especializado em
câncer da America latina.
O Boldrini é um hospital filantrópico especializado em
oncologia e hematologia pediátrica. Atualmente, a taxa de cura
de câncer é de 80%. De caráter
privado e sem fins lucrativos, a
instituição é de utilidade pública
municipal, estadual e federal e
pertence à comunidade. Além da
sua principal missão que é o de
diagnosticar e tratar os pacientes,
o Boldrini também cumpre seu
papel com programas de educação e capacitação de médicos e
profissionais de outras áreas da
saúde. “Na condução desta entidade, sinto-me como o Capitão
de um navio lotado de pessoas
fragilizadas pelo infortúnio da
doença. Temos que desenvol-
ARQUIVO
37 anos de Boldrini: referência de tratamento ao câncer
Fundação do hospital
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
SOCIAL
Instituto dos Cegos Trabalhadores: 81 anos transformando vidas
ARQUIVO
– c/c: 23910. Banco Itaú: agencia 0940 – c/c: 57441 – Banco
do Brasil agencia: 0052-3 c/c:
3241-7 instituto campineiro
dos cegos trabalhadores CNPJ:
46050217/0001-07
cobrador
credenciado para cobranças em
residências: 3231-1041 – 32312136. [email protected]
ARQUIVO
Aula de Taekwondo
Ensino em Braille
Visita no Zooparque
ARQUIVO
político”, garante o atual presidente Vicente de Paulo Montero, que diz ser um privilégio
estar à frente de uma casa tão
nobre.
A Terapeuta ocupacional
Carolina Camargo Roncasaglia,
faz a orientação e mobilidade,
que nada mais é que a reabilitação e locomoção, para que a
pessoa possa ter autonomia e
independência. “Após a perda
da visão é importante treinar
a sensibilidade das mãos, porque mais de 90% dos casos
aqui perderam a visão depois
de adultos”, explica. Para ela,
qualquer pessoa pode ser independente, mas cada um
tem o seu tempo de aprender
a se locomover. Ela recomenda
que para andar as ruas o ideal
é fazer o uso da bengala, para
facilitar a localização, exceto
quando está acompanhada de
um “guia vidente” - acompanhante, que geralmente é um
familiar.
Segundo Carolina, são vários os casos de superação,
um exemplo de destaque foi
Osvaldo Costa Oliveira, de 48
anos, que perdeu a visão há
cinco meses. “Na época não
quis aceitar, tive início de depressão.” Há pouco mais de
quatro meses, Oliveira freqüenta o ICCT, onde faz aulas
de capoeira e teatro. “Eu adoro
o instituto, mudou tudo, o meu
jeito de conversar, comportar,
andar. Sinto-me abençoado.
Adaptei-me bem rápido. Hoje,
me visto sozinho, anda na rua,
ajudo a minha esposa em casa
com as tarefas, leio em braille,
graças aos professores. Sou independente graças ao instituto”, desabafou.
O instituto fica na Avenida
Washington Luiz, 570 – Vila Marieta. O telefone é: 3231-2136.
Para quem deseja contribuir
com ICCT, as doações podem
ser feitas por depósitos bancários: Bradesco – agência 2118
ARQUIVO
m 22 de abril de 1933
foi fundada a “Liga
Campineira dos Cegos
Trabalhadores”. Em 14 de julho
de 1934 foi adotado o nome
Instituto Campineiro dos Cegos Trabalhadores (ICCT). As
primeiras atividades desenvolvidas foram: braille, solfejo e
piano e produção de escovas,
vassouras e espanadores. Hoje,
além das atividades tradicionais, o instituto conta com aulas
de teatro, kung fu, taekwondo,
capoeira, informática, artesanato e passeios. Com uma área de
2028 metros quadrados construída, a casa é dividida em salas
de aula, salão nobre, departamento administrativo, biblioteca, cozinha, refeitório, além de
jardim e horta cultivada pelos
frequentadores. A sede foi viável graças a doação da benemérita Dona Risoleta Ferreira
Jorge. Hoje, a instituição conta
com 15 funcionários: psicóloga,
terapeuta ocupacional, Assistência Social, Educação Física,
técnicos de informática e mais
12 voluntários. São 100 alunos,
dos 15 até os 60 anos, sendo
homens e mulheres.
A instituição recebe subvenções oficiais, pois o instituto é
reconhecido como Utilidade
Pública, Municipal, Estadual e
Federal. Além disso, é filiado a
FEAC – Federação das Entidades Assistenciais de Campinas,
da qual recebe vários tipos de
ajuda: financeira, prestação de
serviços e assistência técnica.
Outras fontes de recursos são:
sócios contribuintes, fabricação de vassouras e outros
produtos similares, doções de
pessoas físicas e jurídicas, promoções, jantares, quermesses,
chás beneficentes, almoços,
festas, além dos eventos tradicionais: festa junina e festa da
pizza. “Embora seja de fundamentação católica, o instituto
não tem nenhum preconceito
religioso e nenhum vinculo
ARQUIVO
E
A sede foi viável graças a doação da benemérita Dona Risoleta Ferreira Jorge
Horta cultivada no ICCT
Apresentação de Kung-Fu
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
Jornal da Vila - 09
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
DIVERSÃO
Pipas: se não souber brincar perde a graça
A
pipa é uma brincadeira muito antiga e
popular. Nada mais
é que um brinquedo que voa
preso à linha ou barbante. Costuma ter uma armação leve de
bambu ou madeira, na qual se
estica uma folha de papel ou
plástico. Com uma pipa na mão,
basta procurar um lugar descampado e começar a empinar.
A diversão fica garantida com
um monte de acrobacias e malabarismos. Mas, se o brinquedo não for utilizado da forma
correta, muitas vezes se torna
uma arma perigosa, isso porque muitas crianças e adolescentes utilizam no fio da pipa
o temido cerol – uma mistura
de cola com vidro ou mármore moído para cortar a pipa de
outras pessoas. “O que devia ser
uma brincadeira, na verdade é
algo muito perigoso”, alerta o
Capitão Marcos das Neves, chefe da seção de comunicação do
Corpo de Bombeiros da Polícia
Militar do Estado de São Paulo.
Isso porque muitos casos de
acidentes e mortes já ocorreram por conta do mau uso das
pipas.
Os maiores riscos são os
cortes causados pelas linhas,
atingindo pedestres, ciclistas
e motociclistas, sendo os motociclistas as principais vítimas,
pois quando são envolvidos
nos acidentes têm alguma
parte de seu corpo cortada.
Na maioria dos casos a parte mais atingida é o pescoço.
Nesta região passa uma artéria
de grande calibre e o seu corte
pode provocar um sangramento intenso causando a morte
em poucos minutos. Os dedos
também são comumente atingidos, na tentativa de tirar a
linha do pescoço. Neste caso,
os dedos costumam ser amputados. Outro tipo de acidente
grave provocado pela pipa é
provocado quando se solta em
lugar que contém fios de rede
elétrica. “Se a pipa pegar nesses locais, a criança pode sofrer
problemas sérios relacionados
à eletricidade, ou até mesmo
perder sua vida”, explica o Capitão.
Cerol
O site www.kitpipa.com que
comercializa pipas é totalmente
contra o uso de cerol e orienta:
não use linhas com fio de cobre
ou cerol. O seu uso é crime. Lei
Estadual nº 12.192, de 06 / 01 /
2006: Proíbe o uso de cerol ou
de qualquer produto semelhante que possa ser aplicado
em linhas de papagaios ou pipas. O não-cumprimento desta
lei acarretará ao infrator o pagamento de multa no valor de 5
(cinco) UFESPs, sem prejuízo da
responsabilidade penal. Quando o infrator for menor, os pais
serão, para todos os efeitos, os
responsáveis. “O cerol pode
causar os mesmos machucados
que uma navalha. Se o corte for
profundo ou pegar uma veia ou
artéria grande pode matar.Isto
é, cerol, nunca! Quem brinca
com cerol pode causar sérios
acidentes, morte ou acabar na
cadeia”, alerta o capitão.
Grandes parques, campos
de futebol, montanhas no campo, são alguns dos bons lugares. Não empinar pipas quando
for chover, por causa do perigo
dos raios. “Em nenhum momento utilize cerol, é crime, você
pode ser preso, além de causar
acidentes ou mortes. É proibido
a sua venda. Denunciar pelo
fone: 181.” Não Empinar pipas
perto da rede elétrica perigo
de choque com 13.000 VOLTS.
Não tentar retirá-las quando
presas a rede elétrica. Cuidado
para não ser atropelado empinando pipa, preste atenção aos
carros que vem na mesma direção. Não utilize linha metálica,
cabos de aço linhas de pesca,
pois se encostarem nos fios,
certamente haverá uma grande
descarga elétrica. Não fazer as
pipas com papéis alumínio, são
condutores de eletricidade
Alguns casos de
acidentes com pipas:
- Dois policiais militares fazendo um treinamento com o
helicóptero águia morreram
por causa de uma linha de
pipa que cortou a corda que
os segurava na aeronave em
1998. - Um bombeiro atendendo
a uma emergência, sofreu um
corte na jaqueta de couro feriu-se levemente em 2004.
- Uma criança de quatro
anos morreu em Ribeirão Preto - SP eletrocutada por tentar
tirar uma pipa presa nos fios de
alta tensão, em 2005.
- Uma criança de cinco anos
ANUNCIE
(19) 3272-3684
[email protected]
10 - Jornal da Vila
divulgação
As principais vítimas são os motociclistas, que são atingidos pelo cerol colocado na linha
morre após ter a garganta cortada por linha de pipa, em 2003,
em Brasília.
- Motoqueiro morre após
ser atingido por linha de pipa,
em Santos – SP, em 2010. Somente em 2010, em São Paulo,
foram 21 casos de acidentes envolvendo pipas.
Historia
A pipa é um dos brinquedos
mais antigos do mundo. Os historiadores acreditam que tenha
sido inventada entre 400 e 300
anos (A.C) por Arquitas, um grego da cidade de Tarena. Porém,
os chineses afirmam que um de
seus generais, Han Sin, inventou a pipa em 206 (A.C.), para
uso dos militares. Já os brasileiros conheceram as pipas por
meio dos colonizadores portugueses por volta de 1596. “Um
fato pouco conhecido de nossa
História deu-se no Quilombo
dos Palmares, quando sentinelas avançadas anunciavam por
meio de pipas quando algum
perigo se aproximava - mais
uma prova de que a pipa era
conhecida na África há muito
mais tempo, pois os negros já
cultuavam-na como oferenda
aos deuses”, conta o capitão.
Além de uma brincadeira, a
pipa já teve várias outras utilidades. Pára-raios, que protege
as casas dos raios, foi inventado em 1752, por Benjamin
Franklin, com o auxílio de uma
pipa; a primeira transmissão de
rádio, em 1901, também foi feita com a ajuda de uma pipa; o
primeiro avião do mundo, o 14
Bis, criado pelo brasileiro Santos Dumont, era na verdade um
conjunto de pipas.
Jornal da Vila
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
animal
tante para aliviar o animal e evitar
aumentos de temperatura corpórea. “Alivia [o calor] e muito”. Mas,
antes de contratar um serviço de
banho e tosa, o cuidador do animal deve estar atento para alguns
cuidados. Primeiramente deve-se
pensar no bem estar do pet e não
apenas na estética. O profissional
deve ser capacitado com cursos
e principalmente, gostar do que
faz. “O profissional além de realizar tosas esteticamente perfeitas,
deve gostar de animais e de lidar
com eles. Deve ter carinho, pois,
isto evitará estresse do animal.
Uma boa dica é conhecer pessoalmente o local e ver como funciona. Quanto aos gatos, desde que
tenham pelame longo também
podem ser tosados para suavizar
o calor. “Em casa costumo indicar
a colocação de fontes de água
corrente para gatos (bebedouro)
para estimular a ingestão, e evitar
desidratação e a formação de cálculos urinários”, orienta.
No caso de deixar um animal sozinho em casa, deve estar
disponível água fresca em boa
quantidade, alimento e espaço
para as necessidades básicas.
“Lembrar que deixar muito tempo sozinho não possibilita prever
contratempos, sendo indicado a
procura de hotéis ou tratadores”.
Para a veterinária, cães e gatos
atualmente se aproximaram muito das pessoas e cada vez mais
fazem parte da família. “Acredito
que toda relação é saudável desde que não ocorram exageros.”
Para ela, os animais conviverem
dentro de casa não está errado,
porém, o animal deve ser tratado
como tal e ter limites.
O correto é alimentar-se separado e sem humanizações, como
utilizar excesso de vestuários
(ainda mais no verão) e alimentar
à mesa. É uma questão de saúde
e higiene. “Dormir com o animal
é algo que ouço com certa freqüência, porém, só aviso as inconveniências da queda de pêlo
no local e possíveis quadros alérgicos”, explica.
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
divulgação
verão é a época mais
propícia para quem
gosta de fazer um passeio ao ar livre com a família e amigos, isso inclui também os animais
de estimação, que parecem ficar
esperando o dono chegar para
dar uma voltinha. Mas, nesta época do verão, em que o calor está
intenso, alguns cuidados devem
ser tomados para não prejudicar a
saúde e o bem estar dos pets. Segundo a veterinária e professora
de Medicina Veterinária Luciana
Orsi Agostini, o ideal é passear
com os animais nas primeiras horas da manhã, até no máximo 9h,
ou no final da tarde, após as 18h.
“O passeio é determinado pela
condição física do animal, porte e
idade, sempre de forma moderada.” Segundo ela, há animais atletas que acompanham corridas,
mas o ideal é seguir o ritmo do
cão. “Os locais mais indicados são
os providos de grama e sombra. E
passear não possui contra-indicação, cães mais agitados requerem
maior frequência. Lembrar sempre que a hora do passeio deve
ser um momento prazeroso para
o animal”, alerta.
No que diz respeito a moradores de apartamento e pequenos
espaços, a veterinária orienta passear com os pets de três a quatro
vezes por dia, ou mais, pois segundo ela, há animais que só urinam
e defecam fora de casa. “Além da
consciência de recolher os dejetos na rua, lembrar que a frequência de passeios irá determinar
uma vida mais saudável, evitando
cistites por exemplo.” Segundo Luciana, mesmo para quem vive em
grandes espaços, é recomendado
passear com o cão, pois para o
animal, é um momento prazeroso
e de interação. Além disso, confere gasto de energia e ativação do
metabolismo. “Nunca esquecer
que este é um momento de interação cão-homem, e esta relação
é benéfica para ambos.” lembra.
Outra dica importante para os
dias quentes é a tosa, que para
Luciana, é extremamente impor-
divulgação
O
Verão requer cuidados com os animais domésticos
Jornal da Vila - 11
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
SAÚDE
Alimentos detox ajudam na eliminação de toxinas
A dieta balanceada é para equilibrar a alimentação do período pós festas
12 - Jornal da Vila
Sugestões de receitas
detox práticas:
Suco verde de couve com pera: bata no
liquidificador com um pouco de água 1 pepino,
5 folhas de couve, 8 talos de aipo, 1 pera e suco
de limão.
Sopa de abóbora, quinua em farelo e
gengibre ralado: cozinhe1 abóbora paulista, ½ cenoura com 400 ml de caldo de frango
até amolecer. Bata todo o conteúdo no liquidificador e, se necessário, passe por uma peneira. Coloque a sopa de volta à panela até ferver.
Para finalizar, desligue o fogo e acrescente ½
colher de café de gengibre ralado.
Salada de folhas com frango ao
óleo de linhaça: corte 100g de peito de frango em cubinhos e tempere com sal e pimenta
a gosto. Passe os cubinhos no ovo batido e, em
seguida, passe-os em uma mistura de farinha
de linhaça, gergelim e amêndoas trituradas.
Coloque os cubinhos em uma assadeira untada
com óleo de linhaça e leve para assar em forno médio pré-aquecido a 180°C. Enquanto isso,
em uma saladeira, faça uma camada de folhas
de alface americana, alface roxa e agrião e sobre elas, arrume os tomatinhos cereja cortados
ao meio. Para finalizar arrume os cubinhos de
frango sobre as folhas e tempere com limão,
óleo de linhaça, salsinha e sal a gosto.
divulgação
poder de hidratação, melhorando o funcionamento dos rins.
- Alimentos integrais: ajudam na eliminação das toxinas por meio das fezes e
reduzem o inchaço.
- Grãos: possuem ácidos graxos e ômega 3, que são
anti-inflamatórios.
- Oleaginosas: possuem ação
anti-inflamatória e antioxidante.
Suco verde de couve com pêra
divulgação
Confira benefícios
de alguns alimentos
desintoxicantes:
- Frutas e legumes: atuam
como antioxidantes, impedindo a formação dos
radicais livres, nocivos ao
organismo.
- Chás e sucos: possuem poder de hidratação, que
ajuda na eliminação de
toxinas.
- Água de coco: possui alto
Sopa de abóbora com quinua e gengíbre
DIVULGAÇÃO
N
o período de férias
comumente as pessoas buscam relaxar, viajar e sair da rotina, isso
inclui o cardápio, que deixa
de ser equilibrado. Na maioria
das vezes, o consumo de comidas e bebidas calóricas são
exagerados. Para equilibrar o
organismo, e ajudar na eliminação das toxinas, os alimentos detox são uma ótima opção. E se engana quem pensa
que a alimentação detox é
sinônimo de dieta radical. A
nutricionista Daysa Pinhal explica: a detoxificação, ou simplesmente detox, nada mais é
do que uma dieta baseada no
consumo de frutas, legumes,
verduras, fibras, sucos, água,
chás e carnes magras. A idéia
é garantir o equilíbrio do organismo.
As toxinas são resultado de
uma alimentação inadequada. “Reflete em vários fatores:
ganho de peso, má qualidade do sono, dor de cabeça e
problemas intestinais, entre
outros”, esclarece Daysa. De
acordo com a nutricionista,
o consumo dos alimentos
detox “contribui para o bom
funcionamento do intestino,
hidratação, ingestão de vitaminas e minerais, ajuda a
prevenir o envelhecimento
das células, já que esses alimentos possuem substâncias
antioxidantes”, entre outros
benefícios.
Além disso, manter uma dieta detox auxilia no emagrecimento, pois as fibras encontradas nestes alimentos
ajudam a proporcionar uma
sensação de saciedade, ajudando na manutenção do
peso. “Fora isso, vale lembrar
que substituindo doces por
frutas ou alimentos industrializados por naturais também
ajudará para manter o peso
ideal”, alerta Daysa.
Salada de folhas com frango ao óleo de linhaça
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
SAÚDE
Depressão: sintomas, causas e tratamentos
Quanto maior o fator genético, mais cedo se desenvolverá a doença
DIVULGAÇÃO
A
doura de origem neurológica.”
Existem três tipos de classificação da depressão: leve, em
que a pessoa perde o prazer por
coisas que era habituada a desenvolver. Moderada: quando a
pessoa começa a ser prejudicada no trabalho, estudos e convívio social. Grave: quando o
indivíduo é incapaz de manter
o trabalho, estudos, tem prejuízos, mudou toda a sua rotina,
deixou de sair aos finais de semana e vive isolado.
Quadros leves costumam
responder bem ao tratamento
DIVULGAÇÃO
depressão não tem
um fator único, são
várias as causas. Primeiro é o fator genético, em
que famílias têm predisposição
a desenvolver a doença; segundo são os fatores ambientais,
como estresse e toda situação
em que a capacidade de processamento do emocional é
superada daquilo que a pessoa
consegue fazer, como traumas
da infância; perda dos pais;
abuso; negligência, explica o
psiquiatra Acioly Luiz Tavares
de Lacerda.
De acordo com o psiquiatra,
quanto maior o fator genético,
mais cedo se desenvolverá a
depressão, seja na adolescência ou vida adulta. Quando é
desenvolvida na terceira idade
a questão ambiental é mais intensa. “Às vezes a aposentadoria é uma fonte de estresse, porque a pessoa já era habituada a
uma rotina”, revela.
Para a psicóloga Marcela
Santos, a depressão é um transtorno de humor crônico e contínuo. Seus principais sintomas
são: sentimento de tristeza,
culpa, pessimismo, perda de
interesse ou prazer, distúrbios
do sono ou apetite, falta de
concentração e aumento da irritabilidade. “Diferencia-se do
estado de tristeza ou melancolia por ser uma condição dura-
psicoterápico com o psicólogo, “pois trabalha na mudança
da distorção cognitiva apresentada neste quadro (autoestima baixa, visão negativa
de si e do mundo, entre outros
fatores).” Já nos casos mais
graves, a psicóloga afirma que
é necessário realizar o tratamento junto com o Psiquiatra,
pois, em alguns casos, se faz
necessário o uso de antidepressivos, que atuam na redução da transmissão dos impulsos ou dos sinais nervosos nas
áreas do cérebro que regulam
o humor.
Segundo Acioly, entre os
casos de depressão, somente
a minoria procura tratamento,
pois resistem em buscar ajuda,
achando que é só uma fase,
um problema, uma dificuldade
e logo vai passar. Além disso,
nem todos procuram o especialista correto. “Clinico geral, por
exemplo, não é o indicado. Tem
de ser um psicólogo ou psiquiatra. De 100 casos, apenas cinco
são tratados corretamente”, afirma.
Para Acioly, a sociedade ainda não está preparada para
lidar com a doença. “Não levar
um filho a um pediatra, um
dentista ou clínico geral, a população responde que é um
absurdo, uma negligência. Já os
pais que levam o filho a um psicólogo ou psiquiatra aí a reação
é diferente: ‘nossa, como você
pode levar seu filho nesse tipo
de médico, pode tomar um medicamento, vai estragar a criança, vai se tornar dependente’,
revela Acioly, que acredita que
o maior problema é a falta de
informação. “A psiquiatria ainda
é relacionada com manicômio e
loucura”, desabafa.
De acordo com o psiquiatra,
a depressão é uma doença do
cérebro e tem de ser tratada
corretamente. “É um problema de saúde pública, porque
se não for tratada leva a varias
conseqüências. Além do prejuízo que a própria doença já traz
como o convívio social, desenvolve várias outras doenças,
como: diabetes, hipertensão,
infecções e redução da imunidade”, diz.
“Medicamentos antidepressivos são indicados para quadros considerados graves”. E
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
para quem acha que os remédios têm de ser tomados para
o resto da vida está enganado.
“É um mito total”, explica Acioly. “Conforme o paciente apresentar melhoras, o seu medicamento terá redução gradual,
após voltar a viver normalmente e ser o que era antes, a dose
será suspensa de vez”, garante
Acioly.
Como em toda doença, a
automedicação também é comum no caso da depressão. “É
um erro gravíssimo. Cada caso
é um caso, são condições totalmente diferentes”. O médico
vai fazer o diagnóstico preciso
e indicar as melhores intervenções. “A pessoa que resiste em ir
ao especialista errado está trabalhando contra a sua própria
saúde, isso vale para o tratamento de qualquer outra doença. É tão ruim como se automedicar, só vai agravar a situação”,
alerta o psiquiatra.
Família:
Para Acioly, as famílias podem ajudar com o diálogo e
trazer acesso a informações de
origem cuidadosa. “A melhor
vacina contra a ignorância é a
informação.” A pessoa tem de
entender que a depressão é
uma doença como outra qualquer. “Assim como tal, quanto
mais tarde procurar ajuda, mais
difícil é o tratamento.” Para o
psiquiatra, a pessoa que tem
depressão e não trata tem uma
expectativa de vida 10 vezes
menor que as outras.
Acioly desmistifica a doença: “ter a depressão não é
uma fraqueza, não é um defeito, nem inferioridade, nem
incapacidade, nem tampouco
é culpa da pessoa, que após
convencida que está com a
doença e após o esclarecimento do estigma, deve procurar um especialista, para
correção das alterações cerebrais”, incentiva.
Jornal da Vila - 13
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
LAZER
V
iajar é maravilhoso, mas
para muitas pessoas é
um transtorno arrumar
as malas. Seja para visitar familiares, amigos ou conhecer um novo
lugar, muita gente não tem a menor ideia do que levar na bagagem
e como organizar as malas sem
cometer exageros ou esquecer o
essencial.
Para ajudar nesse sentido, a docente da área de moda do Senac
Campinas, Justine Armani, orienta:
“uma semana [antes da viagem] já
é o suficiente para ir organizando
devagar, nas horas vagas, seguindo seu check-list”, que em português significa “lista de verificações”,
contendo as coisas importantes
que não devem ser esquecidas
antes de fazer a viagem. Outra dica
importante na hora de arrumar
a mala é focar no tipo de viagem
que será realizada: negócios, férias,
romântica e a estação: frio ou calor.
Outra dúvida comum na organização da bagagem é como dobrar as
roupas, que para Justine, depende
do tipo de cada tecido. “Se for tecido que amassa muito, principalmente os de fibras naturais como
o linho, seda natural, viscose, algodão, melhor dobrada e em cimas
das demais peças. Se for de tecido
mais tecnológico, com mais poliéster na composição, pode fazer
rolinhos, pois amassam menos”.
Uma dica valiosa é: o que for mais
pesado deve ser posto embaixo e
as roupas mais leves, com tecido
fácil de amarrotar, principalmente
as de algodão, linho, viscose e seda
natural, coloque-as em cima, para
que amarrotem o mínimo possível.
Praia:
O ideal para destinos praianos
é levar roupas leves, com tecidos
mais frescos e, principalmente, que
não amassem com muita facilidade. “É sempre bom lembrar-se de
levar um casaquinho tipo cardigã,
por exemplo, e alguma peça como
calça ou macacão comprido para
noites mais amenas”. Itens essenciais que não podem faltar na mala:
biquinis/maiôs, de duas a três peças, dependendo de quantos dias
14 - Jornal da Vila
for ficar no destino e também com
cores e estampas diferentes, para
possíveis combinações exclusivas,
saídas de praia (kaftan ou túnica),
canga para deitar na areia, shortinhos, que também pode ser usados na praia, saia, tops, macaquinho e macacão longo. “Chemisier,
macacões e vestidos esvoaçantes
servem como opções com casualidade sofisticada, para transitar por
restaurantes, shoppings e outros
locais fora do ambiente da praia.
Basta adequar ao tipo físico e combinar com acessórios interessantes”, ensina Justine.
Campo:
Já para o campo, o interessante
é investir em botas, jeans (calças,
shortinhos e bermudas) camisetas,
camisas, saias longas e vestidos
mais soltos, chemisier curtos e longos que poderão ser usados com
botas, rasteirinhas, sapatilhas, etc.
“Vale a dica das combinações de
cores, acessórios, texturas e estampas para otimizar o look”. Para Justine, acessórios como cintos mais
rústicos, brincos mais compridos
e braceletes com materiais mais
rústicos, completam o figurino
com toque criativo, sem esquecer
de respeitar seu estilo pessoal. “Se
quiser levar um bom par de tênis
para uma deliciosa caminhada em
estradas rurais, evite os de cores
claras por causa do pó. O passeio é
delicioso e saudável”, indica.
Cruzeiro:
Segundo a professora, em todos os cruzeiros há pelo menos
uma noite formal, na qual os passageiros são apresentados ao comandante e seus oficiais. Portanto,
nesta noite é indicado não economizar. “Os homens estarão de
terno ou black-tie. Nesta ocasião
o traje é bastante sofisticado. E as
mulheres usarão calça pantalona,
vestido longo ou curto para noite
de gala (de tafetá, seda, xantung)”.
quanto ao tamanho da bagagem
vai depender do estilo e necessidade de cada um. “Não existem
regras, só sugestões”, lembra Justine, que sugere durante o dia
divulgação
Saiba como arrumar as malas e evite transtornos na viagem
usar roupas leves para aproveitar
as varandas, o almoço e a área de
piscina do navio. Já a programação
noturna é bem variada e costuma
ter eventos temáticos, como noite latina, noite tropical, noite de
gala. “Existem companhias que
dispensam o traje mais sofisticado
para esta noite, porém é melhor se
informar na agência de viagem”,
alerta. Quanto às demais roupas a
serem levadas são bem parecidas
com as indicadas para a praia. Biquíni, maiô, roupa para academia,
chemisier, canga, minivestido, camisetão, Kaftan, regata, camisa de
algodão, blusa com tecido molengo, shortinho, bermuda, macacão
de viscose, algodão, malha, calça
pantalona, vestido longo e curto e
vestido para noite de gala (de Tafetá, Seda, Xantung). Importante ressaltar: mesmo uma viagem em alto
verão o ideal é levar uma peça mais
quente, pois“devido ao ar-condicionado e durante a noite a brisa pode
ser um pouco gelada, por isso, deve
levar uma echarpe, suéter, cardigã
ou algum outro tricô”, diz.
Inverno:
Em uma viagem com clima frio
é indicado levar casacos mais pesados, como moletons e blazers,
meias mais grossas e calçados confortáveis como botas, tênis, sapatilhas com materiais como camurça,
couro e outros que aqueçam. “Vale
a regra das combinações de cores,
texturas, estampas e acessórios,
para otimizar os looks”, destaca.
Segundo a docente de moda, nem
sempre é indicado ir com a mala
vazia para aproveitar as compras,
“exceto se o destino for para lugares onde existem grandes centros
de compras a preços interessantes,
como Nova Iorque ou Londres (em
épocas de liquidações), pode ser
uma boa opção para renovar o
guarda-roupa. Mas, depende da
sua necessidade e objetivo”, explica.
Por falar em compras, para
evitar excesso de bagagem é
importante conter a euforia e se
perguntar sempre se realmente
precisa daquela peça ou daquele objeto. “Quando for comprar
algo, tente optar por peças mais
coordenáveis. Visualize-as misturadas a outras peças e acessórios
no seu guarda-roupa”. O ideal é no
mínimo quatro a cinco peças para
montar looks criativos e variados.
“O menos é mais, se for utilizado
de forma inteligente, além de não
estourar o orçamento e ter ‘dores
de cabeça’ após as férias e praticar
o consumo consciente”, reforça.
A dois
Mesmo em uma viagem mais
romântica, o ideal é manter a individualidade e cada um levar a sua
mala. “Um pode auxiliar o outro na
organização e orientação, mas o
ideal é que cada um tenha a sua,
para não criar atritos desnecessários, ou deixar tudo muito apertado e amassar demais as peças.”
Quanto ao que levar, além das roupas e acessórios adequados para o
destino, considerando clima e tipo
de passeio, “para criar um clima
mais romântico não pode faltar:
velas aromáticas, óleos para mas-
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
sagens, chocolate, além de peças
interessantes de lingerie que valorizem seu tipo físico, tom de pele,
suas características.” Peças como
body, espartilhos, conjuntinhos de
renda, baby doll, camisolas longas
ou curtinhas, brilhos e transparências. “Vale escolher para um ‘mimo’,
detalhes que seu amor sinalizou
que gosta e também, uma cor da
preferência dele, mas, só vale a
dica, se tudo isso fizer parte de sua
personalidade e do seu estilo. Tudo
que é autêntico é mais sexy.” Portanto, o que não pode mesmo faltar na mala é o amor e a cumplicidade entre o casal, para que juntos
possam ter uma viagem perfeita e
inesquecível.
Negócios:
Segundo Justine, neste tipo
de viagem, a praticidade ainda é
mais importante. A mala deverá
ser mais inteligente. “É indicado
apostar ainda mais em tecidos que
não amassem, como a microfibra.
Ideal é fazer a relação de quantas
reuniões terá”, além de almoços,
coquetéis, visitas, entre outros e
ser o mais preciso e objetivo possível. Dica: Enquanto toma banho
no hotel, pendure a roupa num
local adequado, para que o vapor
do chuveiro ajude a desamassá-la. Sempre lembrando que as cores neutras como cinza, marinho,
preto, branco, bege e tons nude
são ótimos curingas, principalmente nestas ocasiões. Invistas em
acessórios discretos, inteligentes,
com material e acabamento de
boa qualidade.
Sapatos
Quanto aos sapatos, não existe
uma regra. Existe a necessidade
e adequação. Pense no seu destino, nos passeios que realizará, no
clima e opte por calçados confortáveis. Pode ser um de cor neutra,
um com estampas (se gostar) e um
de cor marcante, mas depende
muito do estilo pessoal. “Importante fazer os possíveis composites
antes e, após aprovados, já levar os
looks pensados e coordenados”,
comenta.
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
carnaval 2015
Nem sangue Nem areia: abram alas que o boi vai passar!
Emdec
Letra do Samba Enredo vencedor em 2015
ABRAM ALAS QUE O BOI VAI
PASSAR
(Alex Mortão, Cirão e Gustavo
Spinelli)
Bloco Nem Sangue Nem areia em 1948
Abram alas, vamos sambar
Exaltar quem vem e quem foi
Na avenida é só alegria
Chegou o bloco do boi
pro-memoria-de-campinas
Historia
Nem Sangue Nem Areia é o
bloco mais antigo de Campinas. Entre as décadas de 1940
e 1970, as ruas da Vila Industrial
serviram com cenário para uma
das mais tradições agremiações do Carnaval campineiro.
O nome do bloco campineiro
Nem Sangue Nem Areia veio do
filme “Sangue e Areia”, de 1941,
protagonizado por Tyrone Power. O drama conta a história
do filho de um toureiro famoso
que tenta recuperar a honra de
sua família e torna-se o maior
toureiro da Espanha. “A inspiração veio tanto pela influência
da produção hollywoodiana,
quanto pelo fato da Vila Industrial ser um bairro que abrigava
matadouros e curtumes, o que
fazia com que a passagem de
rebanhos pelas ruas do bairro fosse uma cena comum.” O
Nem Sangue Nem Areia fez seu
último desfile em 1976 e retomou suas atividades de rua em
2009, por iniciativa de um grupo de jornalistas da cidade e do
sambista Helder Bittencourt,
falecido em dezembro de 2013.
“Hoje o Nem Sangue Nem Areia
voltou a ser referência do Carnaval de rua da Vila Industrial e
de Campinas”, acredita.
Segundo o site www.pro-memoria-de-campinas-sp.blogspot.com.br o bloco teve origem na cidade de Cosmópolis
e foi trazido para Campinas nos
anos 1940, quando seu fundador veio para a cidade. Na época, na rua Dr. Sales de Oliveira o
bloco apresentava duas grandes atrações: os “cabeções”, que
animavam as crianças correndo
de repente sem que ninguém
esperasse na direção do público. A outra atração era o teatral “tourada”, com um toureiro
fantasiado e um touro, que na
verdade eram dois foliões com
uma capa imitando a figura
do boi. Também existia o desfile de foliões que pedalavam
em suas bicicletas enfeitadas.
Uma curiosidade é que naquela época, homens, mulheres e
crianças levavam até a avenida
as suas próprias cadeiras para
assistir o desfile com conforto,
segurança e tranquilidade.
Boi garboso desfilava caprichoso
Tradição em alto astral
Nem Sangue Nem Areia
É o orgulho da Vila Industrial
No labirinto da mitologia
O Minotauro vem amendrontar
No colo da mãe
Boi da Cara Preta era canção de
ninar
Nas ruas da vila operária
Passavam rebanhos para o progresso acelerar
O toque do berrante conduz a
boiada
Pro Boi de Piranha ir pra água
A teatral tourada na Rua Dr. Sales de Oliveira
arquivo facebook
Nem Areia relembra os antigos
carnavais de rua da cidade e
tem muita história”, destaca.
Pula, pula, pula, vamos pular
Pula no cangote do Boi Bumbá
Pula, pula, pula, vamos pular
Tem Boi na Linha querendo passar
arquivo facebook
C
om 69 anos de tradição, o bloco Nem Sangue Nem Areia presta
homenagem este ano ao boi,
o símbolo do bloco. “O Boi na
História. O Boi na Memória” é o
enredo do bloco para o Carnaval de 2015. Para o integrante
do bloco desde 2008 e jornalista Roberto Cardinalli, o boi está
presente desde os primórdios
da civilização no cotidiano e no
imaginário do homem e teve
uma importância vital para o
desenvolvimento da Vila Industrial, bairro que abrigou curtumes e que tinha suas ruas atravessadas por rebanhos. Além
disso, o boi também está presente em várias culturas regionais, como o boi da cara preta,
o boi-bumbá, tem boi na linha,
o boi de piranha e até os bois
mitológicos como o Minotauro.
“A origem do Nem Sangue
Nem Areia foi o Bloco do Boi.
Se em Barão Geraldo temos o
nosso querido confrade o Berra
Vaca, em 2015 vamos ampliar
os ‘mugidos’ para as ruas da Vila
Industrial”, conta.
Além do desfile tradicional
no entorno do Teatro Castro
Mendes e a concentração, na
Rua Francisco Teodoro, ao lado
do túnel de pedestre, este ano
o carnaval da Vila terá show no
trio elétrico e uma banda de
metais que vai tocar marchinhas tradicionais. Terá ainda
barracas com venda de comidas e bebidas. “Durante o trajeto do percurso, os foliões, atrás
da bateria, cantam apenas o
samba enredo do bloco”, que
foi escolhido no dia 22 de janeiro em concurso realizado no
Tonico’s Botecos, com jurados
selecionados. Hoje, o bloco Nem Sangue
Nem Areia reunirá para o desfile
cerca de 300 integrantes. Para o
jornalista, por ser o bloco mais
tradicional de Campinas, o Nem
sangue Nem areia é charmoso e
com personalidade. “Quem participa da primeira vez, volta no
ano seguinte. O Nem Sangue
Brasão do bloco
Bloco atualmente
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
Jornal da Vila - 15
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
agenda CULTURAl
DIA 15: show: DO ALTO AO CONTRABAIXO – THIBAULT DELOR
(música francesa). No intuito de convidar o público a conhecer melhor este instrumento carismático, o espetáculo é um momento de
diversão sonora e visual para todo o público, de crianças a adultos,
amantes do humor, da música e da magia da poesia. Ficha técnica:
músico/ator: Thibault Delor; criação: Thibault Delor; direção: Dedé
Pettine; e roteiro: Lucia Pacheco. Classificação indicativa: livre. Ingressos à venda a partir das 15h do dia 3 pelo portal Sesc e a partir
das 17h30 do dia 4 pela bilheteria do Sesc. Domingo, às 11h30. Local:
Teatro. Valores: R$ 5,00 [trabalhador do comércio de bens, serviços e
turismo matriculado no Sesc e dependentes (Credencial Plena)], R$
8,50 [aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante] e
R$ 17,00 [público em geral]. Entrada gratuita para crianças menores
de 12 anos acompanhadas de responsável pagante.
16 - Jornal da Vila
divulgação
divulgação
COLETIVO (rap) Rapper, jornalista, pesquisador musical e
compositor. Ralph é MC desde
1999, já tendo lançado cinco
álbuns. Conhecido pela arte
do freestyle (repente do rap), é
campeão da batalha de MCs do
prêmio Hutuz, uma das maiores premiações de rap no país.
É militante do movimento hip
hop no Vale do Paraíba (SP),
buscando preservar esta cultura por onde passa. Duração: 90
minutos. Classificação indicativa: livre. Data: Dia 15 de fevereiro, domingo, às 16h. Local:
Galpão Multiuso. GRÁTIS
DIA 28: show: ZIKIR TRIO (múdivulgação
divulgação
DIAS 11 e 25: shows: EDUARDO GOMES DUO (música
erudita) – Canja no Almoço.
Para compor o projeto que
oferece musicais tematizados durante o almoço, o Sesc
apresenta, nas quartas de fevereiro, o violinista de formação erudita Eduardo Gomes.
Tendo estudado com Benito
Juarez, Matt Glaser e Mark
O’Connor, Gomes já foi solista da Sinfônica de Campinas
e também da Sinfônica da
Unicamp. Apresentou-se ao
lado de grandes nomes com
destaque para a participação
com Sá, Rodrix e Guarabira
no Rock in Rio III. Duração:
90 minutos. Classificação
indicativa: livre. Quartas, às
12h30. Local: Área de Convivência. GRÁTIS.
DIA 15: show: MC RALPH &
DIA 22: show: CHEIO DE DEDOS (choro) Formado por Almir Côrtes, Guilherme Lamas e Geremias Tiófilo, o grupo apresenta composições próprias e choros de diferentes gerações, fazendo referência
a momentos históricos do gênero, além de abranger a perspectiva
contemporânea. Duração: 75 minutos. Classificação indicativa: livre.
Data: Domingo, às 11h. Local: Galpão Multiuso. GRÁTIS
divulgação
divulgação
DIA 8: show: CHORONAS
(choro) - Formado por quatro
mulheres musicistas, o grupo
toca ritmos próprios da música
brasileira, como choro, baião,
maxixe e samba. Gabriela Machado (flauta transversal), Ana
Cláudia César (cavaquinho),
Paola Picherzky (violão de sete)
e Miriam Cápua (percussão)
mesclam obras consagradas e
desconhecidas, tradicionais e
recentes. Duração: 75 minutos.
Classificação indicativa: livre.
Data: Dia 8 de fevereiro, domingo, às 11h. Local: Galpão
Multiuso. GRÁTIS DIA 8 :: show
:: CESINHA PIVETTA (samba)
Cesinha convida sete representantes da comunidade “Samba
do Bule” para formarem uma
legítima roda de samba e reproduzirem o clima dos encontros mensais que realizam
no Teatro União Olho Vivo, na
zona Norte da capital paulista.
Duração: 90 minutos. Classificação indicativa: livre. Domingo, às 16h. Local: Galpão Multiuso. GRÁTIS.
divulgação
Programação musical do Sesc Campinas no mês de fevereiro
DIA 17: show: JUCA FERREIRA
(samba). O sambista e compositor piracicabano faz um contra
ponto entre a raiz do samba,
por meio de seus baluartes, e a
nova geração do gênero. Cartola, Monarco, Paulinho da Viola,
Dona Ivone Lara, além de composições próprias, estão no repertório deste show. Duração:
90 minutos. Classificação indicativa: livre. Terça, às 16h. Local:
Galpão Multiuso. GRÁTIS
DIA 22: ROSE CALIXTO (samba) Natural de São Caetano (SP),
Rose tem 20 anos de carreira
dedicados ao samba. Passou
por grupos como Bossa Trio e
foi intérprete da escola de samba Acadêmicos da Vila Gerty.
Neste show, apresenta o repertório de seu primeiro disco solo,
“Passo a Passo”, recém-lançado.
Duração: 80 minutos. Classificação indicativa: livre. Data:
Domingo, às 16h. Local: Galpão
Multiuso. GRÁTIS
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
sica étnica oriental). O grupo propõe uma abordagem da música
étnica oriental, utilizando instrumentos de diversas culturas e
fundindo tradições musicais, a
partir das quais passado e presente se encontram para buscar uma
nova linguagem. Na formação
estão Mário Aphonso III (sopros:
ney, nay, kaval, duduk, bansuri,
clarinet e turkish), Ian Nain (cordas: alaúde, aaz, violão de aço,
bansuri, cumbus e frames) e Francisco Mehmet (percussão: bendir,
daff, tar, derbak e udu). A apresentação consiste em concertos,
em parceria com o Instituto de
Saúde Integrada – ISI, com vista
à restauro de um importante patrimônio histórico, a Capela Nossa
Senhora da Boa Morte, localizada
na Avenida Benjamin Constant,
1657. Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: livre. Sábado, às
16h. Local: Capela Nossa Senhora
da Boa Morte. GRÁTIS.
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
XI Feverestival – Festival Internacional
de Teatro de Campinas
C
divulgação
omeçou no dia 31 de
janeiro e vai até dia 13
de fevereiro, o XI Feverestival do Sesc Campinas. Os
ingressos para a atividade custam entre R$ 5 e R$ 17 e estão
à venda na bilheteria do Sesc.
De 10 a 13 de fevereiro: ofi-
cina: VOCIS MOTUS – A VOZ
FALADA E A VOZ CANTADA
(VIVER “FISICAMENTE O SOM”)
– VAGAS ESGOTADAS Com Sabine Uitz, do Centro di Produzione Teatrale Via Rosse, da Itália. 20 vagas. A atividade busca
desenvolver musicalidade e
escuta com a voz falada e cantada, por meio de exercícios de
respiração e “musculação” da
voz, preparação física, sonoridade, extensão, colocamento
e definição do som, improvisação vocal, entre outros. Pré-requisito: Cada participante
deve trazer uma canção e um
texto (mínimo de oito linhas)
decorados. Pode ser um texto
teatral ou não, o importante
é que não seja escolhido de
modo aleatório, mas que corresponda a um interesse pessoal. Carga horária: 16 horas.
Classificação indicativa: 16
anos. Horário: das 9h às 13h.
Local: Teatro do Sesc Campinas. VAGAS ESGOTADAS.
DIA 12: espetáculo: DESPUÉS
Com o Núcleo Fuga, de Campinas (SP). Ingressos à venda a
partir das 17h30 do dia 4 de fevereiro nas bilheterias das Unidades do Sesc. A proposta deste solo de dança baseia-se em
uma sensação de “após a festa”.
Gerado a partir da observação
de algumas imagens da fotógrafa norte-americana Diane
Arbus, a concepção dramatúrgica estabeleceu-se na imaginação do corpo que dança junto a essas imagens. A temática
das festas e bailes de carnaval
ajuda a compor o cenário solitário de uma casa, onde uma
mulher busca criar devaneios
para suportar a pós-euforia da
quarta-feira de cinzas. Ficha
técnica: Criação e atuação: Ana
Clara Amaral; Direção e concepção de iluminação e cenário: Eduardo Brasil; Direção de
arte e figurino: Anna Kuhl; Trilha sonora (composição e execução): Silas Oliveira e banda
Sr. Macaco; Produção: Naiane
Beck; Fotografia: Giovana Pellati. Duração: 50 minutos. Classificação indicativa: 12 anos. Data:
Dia 12, quinta, às 18h. Local: Teatro do Sesc Campinas. Valores:
R$ 5,00 [trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo
matriculado no Sesc e dependentes (Credencial Plena)], R$
8,50 [aposentado, pessoa com
mais de 60 anos, pessoa com
deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante] e R$ 17,00 [público
em geral].
DIA 13: oficina: DANÇA E
MIMESE CORPÓREA Com a
bailarina Ana Clara Amaral,
do Núcleo Fuga, de Campinas. 20 vagas. Inscrições pelo
site
www.feverestival.com.
br. Partindo do relacionamento prático entre o Processo
dos Vetores, da técnica Klauss
Vianna de dança (processo de
direcionamentos ósseos) e a
mimese corpórea, do LUME
Teatro, essa oficina pretende
oferecer uma vivência pautada
no exercício da técnica e Sesc
Campinas | Rua Dom José I,
270/333 – Campinas (SP) | CEP
13070-741 | Tel.: (19) 3737 1500
Informações:
sescsp.org.br/
campinas | fb.com/sesccampinas | tw.com/ses ccampinas
criação em dança explorada de
forma conjunta. Pré-requisito:
cada participante deve trazer
ao menos três imagens fotográficas para a realização da
observação. Carga horária: 4
horas. Classificação indicativa:
16 anos. Data: Dia 13, sexta,
das 9h às 13h. Local: Sala Corpo e Arte. Valor da inscrição: R$
40,00 Contatos Site: www.feverestival.com
Esporte tem Idade: todas,
no projeto Sesc Verão
O SESC VERÃO 2015 estreia
fevereiro com vivências gratuitas de caratê, bike e corfebol, esporte de origem holandesa que em português quer
dizer bola ao cesto.
ESPAÇO DE AVENTURAS: Intervenções Esportivas de Bike
Modalidade que pode ser praticada em estradas de terra,
trilhas de fazendas e montanhas, dentro de parques e até
na cidade, envolvendo resistência e destreza. Classificação indicativa: livre. Data: 8 de
fevereiro, domingo, das 10h às
18h. Local: Vila dos Esportes
(Galpão Multiuso). GRÁTIS.
ESPAÇO ATIVIDADES: Intervenção Esportiva de Corfebol Esporte coletivo misto,
de contato físico controlado,
que promove a cooperação
e a igualdade. Classificação
indicativa: livre. Data: 7 e 8 de
fevereiro, sábado e domingo,
das 10h às 12h e das 14h às
16h. Local: Vila dos Esportes
(Galpão Multiuso). GRÁTIS.
Intervenções Esportivas de
Modalidades Diversas Prática,
experimentação e dissemina-
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
divulgação
agenda CULTURAl
ção de futebol, beisebol, minitênis, badminton, entre outros. Classificação indicativa:
livre. Data: De 3 de fevereiro a
1º de março, quartas e sextas,
às 10h e 15h; domingos, às
9h30. Local: Vila dos Esportes
(Galpão Multiuso). GRÁTIS.
Aulas em Grupo. O objetivo
é sensibilizar os participantes
para a prática diária de esportes, tais como técnicas de corrida, circuito de habilidades,
atletismo e outros. Classificação indicativa: 12 anos. Data:
De 3 de fevereiro a 1º de março, terça a sexta, às 9h, 16h e
19h, sábados e domingos, às
10h, 14h e 15h. Local: Vila dos
Esportes (Galpão Multiuso).
GRÁTIS.
Jogos Esportivos de Raciocínio e Estratégias Entretenimento, aprendizado e prática
com diversos jogos esportivos
de tabuleiro. Classificação indicativa: livre. Data: 7, 8, 14,
15, 21, 22 e 28, sábados e domingos, às 10h. Local: Vila dos
Esportes (Galpão Multiuso).
GRÁTIS.
ESPAÇO LUTAS: Caratê Arte
marcial japonesa que abrange
golpes contundentes, como o
atemi waza (executado com
as mãos desarmadas), além
de técnicas de projeção, imobilização e bloqueios, como
o nage waza, katame waza e
uke waza. Classificação indicativa: livre. Data: 8 de fevereiro,
domingo, das 9h30 às 11h30.
Local: Vila dos Esportes (Galpão Multiuso). GRÁTIS.
OUTROS ESPAÇOS: Intervenções Esportivas de Atletismo
Virtual Pratique as modalidades do atletismo (salto, arremesso e corrida) por meio de
vivências virtuais de uma maneira pedagógica e prazerosa.
Classificação indicativa: livre.
Data: De 1º a 28 de fevereiro,
terça a domingo, das 11h às
19h. Local: Terminal Rodoviário Ramos de Azevedo. GRÁTIS.
Jornal da Vila - 17
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
MODA
Como planejar e fazer compras durante as liquidações
A
pós as festas de final
de ano as lojas começam as liquidações de
verão para em seguida receber
as coleções de outono e inverno,
e é uma boa oportunidade para
comprarmos com bons descontos itens para complementar
nosso guarda roupa. Mas é importante ir às compras sabendo
realmente o que precisa, assim
evitamos gastar dinheiro com
peças que somente irão ocupar
espaço. Pesquisas apontam que
geralmente usamos somente
80% do nosso guarda roupa!
Então a sugestão é antes de
tudo fazer uma arrumação em
nosso armário, assim relembramos tudo o que temos. O ideal
é provarmos as roupas, montando looks e fotografando, isto
facilita muito na hora de se vestir e auxilia na retirada de peças
que não queremos ou não servem mais e elaboramos uma lista do que precisamos comprar.
Aí, diante desta lista de necessidades podemos ir às compras,
com muito mais segurança.
Antes de decidir se leva ou não
a peça devemos provar, ver se
tem um bom caimento, se o tecido é de boa qualidade e confortável e também se combina com
as peças que já temos em casa. A
versatilidade é muito importante.
Devemos evitar comprar itens de
moda, pois como dizia Chanel, “A
moda passa, o estilo fica”.
18 - Jornal da Vila
Todas as compras devem
ser de acordo com seu estilo,
com o que lhe veste melhor. Ao
olhar no espelho você deve se
sentir bem, caso não goste da
imagem que vê, mude a roupa, pois espelho não engana.
Algumas peças são atemporais
e muito versáteis, valem a pena
o investimento. Abaixo listarei
algumas delas:
- Blazer: de preferência preto, grafite ou marinho. Eles vão
desde o trabalho até a balada,
podem disfarçar quadris, gorduras localizadas e criar uma
falsa cintura, tudo depende da
modelagem escolhida. Para o
look de trabalho não ficar care-
ta pode ser usado com jeans escuro e camiseta. Para a balada
use com shorts.
- Camisa e camiseta branca:
com tecidos de boa qualidade
fazem bonito em qualquer ocasião.
- Peças com brilho: ainda vão
continuar em alta, como os lamês e paetês. É melhor resistir
a um tubinho de paetês, mas
blusas, calças, coletes são boas
opções. O único cuidado é não
usar o brilho nas partes que
quer disfarçar, pois ele atrai luz,
e consequentemente,olhares.
- Vestidos: escolher uma modelagem que melhor se adapte
a seu corpo e que possa tam-
bém ser usado durante o inverno com casaco e meia calça.
- Jeans: sempre há um lugar
para eles! Camisas, calças, jaquetas, jardineiras e shorts. O
importante é que a cintura seja
sempre na altura do umbigo.
Dá mais elegância aos looks,
além de alongar as pernas.
- Saia Lápis e Midi (logo abaixo do joelho): Para usar com
camisa, blazer, camiseta, tênis,
salto.
- Peças em couro: também
estarão com tudo no próximo
outono/inverno.
- Tênis: Eles são os melhores
calçados para nossos pés, e podem ser usados também com
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
saias vestidos, roupas de alfaiataria. Bom, espero que tenham
gostado e até a próxima!
Simone Castro
Consultora de Imagem e Estilo
I
COM SERIEDADE E
TRABALHO, VALE 15
CENTROS DE SAÚDE
REFORMADOS
P
T
U
2
0
1
5
Na região do San Martin, vale um centro de saúde novo, depois de 30 anos de espera. Na região central,
vale um centro de saúde com novo endereço e infraestrutura. Vale 226 novos leitos nos hospitais. Vale
o Hospital Municipal Ouro Verde funcionando com 100% da sua capacidade. Vale 1.200 profissionais
da saúde contratados em 2014. Mantenha seu IPTU em dia. Vale para saúde. Vale para você.
Vencimento cota única ou 1ª parcela: Dia
9/2 Não Residencial
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
Dia
11/2 Residencial
Jornal da Vila - 19
Jornal da Vila
Campinas - Fevereiro 2015 - Edição nº 25, ano 4
www.jornaldavilacampinas.com.br
Horóscopo - fevereiro
PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS
www.coquetel.com.br
© Revistas COQUETEL
Evento que reúne atletas para competirem
em trilhas
Funcionário da
Aparelho
que imita Secretaria da Receita do interior
Federal
os
Trama
humanos
A parte de
cima da
fração
500, em
romanos
Andei por
cima de
Filhote de
animal
Embalagem
da pipoca
Pessoa
rica e
colunável
(ing.)
Atração
de TV
Linhagens
de reis
(?) Mello,
diretor e
ator do
filme "O
Palhaço"
A
intestinal
é regularizada pelo
consumo
de fibras
Pena;
lástima
Análogo;
idêntico
Gênero musical com triângulo,
sanfona e zabumba
Maio, em
(?) Smith,
francês economista escocês
TOURO:
Este mês irá lhe trazer emoções fortes, tanto no plano
sentimental quanto no familiar, você será confrontado com
pedidos e expectativas que podem lhe parecer incongruentes.
Aciona a
manivela
Saudação
informal
GÊMEOS:
As instâncias deste mês serão benéficas para seus projetos,
no domínio financeiro e profissional. Momentos difíceis estão
por vir! Um novo ciclo afetivo se inicia nas amizades, na família
e no plano amoroso.
(?)/2: o
oficial da
reserva
(Mil.)
M
Ã
O
CÂNCER:
Este mês irá favorecer sua vida sentimental. Se prepare para
viver fortes emoções que balançarão o seu modo de vida e
seus hábitos mais intrincados. Por outro lado, a família e os
amores não se darão muito bem.
Gorjeta,
em inglês
Inverossímil (fem.)
LEÃO:
Fevereiro fará você tomar atitudes com alarde no plano
emocional. Isso desencadeará situações que levam você a
descontentamentos que podem deixar algumas de suas
relações bastante tempestuosas.
Gigante
como
Adamastor
(Lit.)
Alvo da
violência
da Ku
Klux Klan
VIRGEM:
Este mês colocará você em confronto com as contradições
de si próprio. Sua vida sentimental vivenciará uma mudança
importante, é fundamental ter certo desapego para atingir as
satisfações que você espera viver.
Sílaba de
"grelha"
Gal Costa,
cantora
de "Vaca
Profana"
Título de
imperadores
romanos
LIBRA:
Fevereiro será agradável no plano das relações. Você será
envolvido por um cronograma que deixa pouco tempo de
solidão, porque seus contatos se mostrarão simpáticos e
abastecidos de fantasia.
Rio que
nasce nos
Alpes
Suíços
Remo, em
inglês
ESCORPIÃO:
Este mês colocará você em confronto com amores intensos e
que te permitirão exteriorizar a justa medida de seus talentos
amorosos. Seu caráter excessivo estará desperto e você terá
facilidade par mergulhar nos prazeres.
(?) Ketu,
grupo da
axé-music
3/mai — oar — tip. 5/césar — negro. 9/socialite.
BANCO
71
Solução
A
N U
D
P I
T
S O
P R
F
D I
S
C
A
F L
C
U T O M
M E R A
C R I
S E I
A
D O
C I A L
O G R A
U U
N A S T
E L T O
G
I
R
C E
O R A
G
I
N
O
S
A
A
M
I
A
D
A
M
F
T O
O R
R
à O
T
I P
T E
D
R E
A S
E
A R
A R
R A
20 - Jornal da Vila
ÁRIES:
Este mês envolverá você num clima de muita reflexão em
relação às pessoas mais próximas. Prepare-se para momentos
quentes com seu parceiro! Para os solteiros, os últimos dez
dias do mês podem fazer com que você se apaixone.
Vila Industrial - Vila Teixeira - São Bernardo - Bonfim - Botafogo - Pq. Industrial
SAGITÁRIO:
Fevereiro permitirá você saborear um de seus passatempos
favoritos: a fuga. Ninguém consegue seguirá o fio da meada
de suas ideias, de tão rápidas e, principalmente, sintéticas que
elas serão.
CAPRICÓRNIO:
Você irá se sentir mais otimista e ainda mais inclinado a
mostrar seus vínculos e sentimentos, sem medo de se sentir
vulnerável demais. Você tem tudo para sair ganhando disso.
AQUÁRIO:
Este mês irá permitir que você lance projetos que lhe são
caros e, ao mesmo tempo, se libere de algumas proibições,
especialmente do ponto de vista material.
PEIXES:
Fevereiro deixará seu cotidiano mais ensolarado, ao trazer
uma onda de sorte, no domínio financeiro e profissional. Um
otimismo galopante pode fazer com que você coloque o
carro na frente dos bois em relação a seus projetos.

Documentos relacionados